Escolinha do Frei

Aulas particulares de física.
Campo Magnético
1. Introdução

Campo magnético é toda região do espaço em torno de um condutor percorrido por corrente ou em torno de um imã. A fim de se caracterizar a ação do campo, associa-se a cada ponto do mesmo um vetor, denominado vetor indução magnética e indicado por B . Linha de indução é toda linha que, em cada ponto, é tangente ao vetor B e orientada no seu sentido. As linhas de indução saem do polo norte e chega ao polo sul. Uma agulha magnética colocada num ponto do campo orienta-se na direção do vetor B daquele ponto.

A unidade da intensidade do vetor B denomina-se Tesla (T) Sistema internacional.

Prof. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879

-

e-mail rpante@uol.com.br

1

Testes
1. (G1 - cftmg 2011) Em relação às propriedades e aos comportamentos magnéticos dos ímãs, das bússolas e do nosso planeta, é correto afirmar que: a) a agulha de uma bússola inverte seu sentido ao cruzar a linha do Equador. b) um pedaço de ferro é atraído pelo polo norte de um ímã e repelido pelo polo sul. c) as propriedades magnéticas de um ímã perdem-se quando ele é cortado ao meio. d) o polo norte geográfico da Terra corresponde, aproximadamente, ao seu polo sul magnético.

2. (Fatec 2010) Uma criança brincando com um ímã, por descuido, o deixa cair, e ele se rompe em duas partes. Ao tentar consertá-lo, unindo-as no local da ruptura, ela percebe que os dois pedaços não se encaixam devido à ação magnética. Pensando nisso, se o ímã tivesse o formato e as polaridades da figura a seguir, é válido afirmar que o ímã poderia ter se rompido a) na direção do plano α . b) na direção do plano β . c) na direção do plano π . d) na direção de qualquer plano. e) apenas na direção do plano β .

3. (G1 - cftmg 2010) A bússola é um dispositivo composto por uma agulha imantada que pode girar livremente em torno de um eixo perpendicular a ela. Sobre seu funcionamento, afirma-se: I- O polo sul magnético aponta para o norte geográfico terrestre. II- O polo norte magnético aponta para o sul de um ímã colocado próximo à bússola. III- A agulha sofre uma deflexão quando está próxima e paralela a um fio que conduz corrente elétrica. IV- A agulha, na ausência de campos magnéticos externos, orienta-se na direção Leste-Oeste terrestre. São corretas apenas as afirmativas a) I e II. b) II e III. c) II e IV. d) III e IV.

Prof. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879

-

e-mail rpante@uol.com.br

2

4. (Pucpr 2010) Biomagnetismo estuda a geração e interação de campos magnéticos com a matéria viva. Uma de suas mais recentes aplicações é o uso de partículas magnéticas – as nano partículas, em especial – na administração de medicamentos. Em vez de deixar uma medicação circulando livremente pelo corpo humano, com o risco de efeitos colaterais prejudiciais à saúde, a ideia é “grudar” a medicação em partículas magnéticas, injetálas na corrente sanguínea e guiá-las com um ímã até o local foco da doença. Organizar esses materiais exige habilidades multidisciplinares para escolher e preparar as partículas magnéticas apropriadas; escolher e preparar o invólucro e o modo como os medicamentos serão absorvidos. Geralmente os farmacêuticos é que lidam com os materiais do invólucro, enquanto os médicos investigam a reação nos seres vivos. Aos físicos, químicos e engenheiros de materiais, cabe a preparação das partículas magnéticas. Sobre os conceitos e aplicações da Eletricidade e do Magnetismo, é CORRETO afirmar que: a) As linhas de indução do campo magnético geradas pelo ímã são linhas contínuas que, fora do ímã, vão do polo norte para o polo sul. b) O medicamento associado à partícula magnética pode ser guiado até o local da doença através de um campo elétrico constante. c) Se o campo magnético orientador se formasse devido a uma corrente elétrica contínua, ele teria variação proporcional ao quadrado da distância entre o fio que conduz a corrente e as partículas magnéticas. d) Qualquer substância metálica pode ser utilizada como partícula magnética. e) A única forma de se obter um campo magnético para orientar a medicação é através da utilização de ímãs permanentes.

5. (UFSCar – SP) Um menino encontrou três pequenas barras homogêneas e, brincando com elas, percebeu que, dependendo da maneira como aproximava uma da outra, elas se atraíam ou se repeliam. Marcou cada extremo das barras com uma letra e manteve as letras sempre voltadas para cima, conforme indicado na figura.

Passou, então, a fazer os seguintes testes: I. Aproximou o extremo B da barra 1 com o extremo C da barra 2 e percebeu que ocorreu atração entre elas; II. Aproximou o extremo B da barra 1 com o extremo E da barra 3 e percebeu que ocorreu repulsão entre elas; III. Aproximou o extremo D da barra 2 com o extremo E da barra 3 e percebeu que ocorreu atração entre elas. Verificou, ainda, que nos casos em que ocorreu atração, as barras ficaram perfeitamente alinhadas. Considerando que, em cada extremo das barras representado por qualquer uma das letras, possa existir um único pólo magnético, o menino concluiu, corretamente, que: a) as barras 1 e 2 estavam magnetizadas e a barra 3 desmagnetizada. b) as barras 1 e 3 estavam magnetizadas e a barra 2 desmagnetizada. c) as barras 2 e 3 estavam magnetizadas e a barra 1 desmagnetizada. d) as barras 1, 2 e 3 estavam magnetizadas. e) necessitaria de mais um único teste para concluir sobre a magnetização das três barras.
Prof. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol.com.br 3

Logo. é correto afirmar que as extremidades dos imãs voltadas para a região entre eles podem corresponder às seguintes polaridades: a) norte e norte na figura 1 e sul e norte na figura 2. Nessas figuras. Prof. b) se atraem. c) norte e sul na figura 1 e sul e norte na figura 2.com. se atraem. em seguida ao corte. orientadas no seu sentido. b) norte e norte na figura 1 e sul e sul na figura 2. e) não interagem. b) as trajetórias descritas por cargas elétricas num campo magnético. pode-se observar que os pedaços resultantes: a) se repelem. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. Ela colocou os imãs em duas diferentes orientações e obteve os resultados mostrados nas figuras 1 e 2. se o corte for na linha b. Com base nas informações. e se repelem. 8. se o corte for na linha a ou na linha b. (Mackenzie – SP) As linhas de indução de um campo magnético são: a) o lugar geométrico dos pontos.br 4 . que vai ser cortado em duas partes. d) norte e sul na figura 1 e sul e sul na figura 2. e) nenhuma das anteriores é correta.6. se o corte for na linha a. Júlia colocou-se sob uma folha de papel e espalhou limalhas de ferro sobre essa folha. se o corte for na linha b. c) se repelem. se o corte for na linha a. se o corte for na linha a. c) aquelas que em cada ponto tangenciam o vetor indução magnética. d) se atraem. se o corte for na linha a ou na linha b. se o corte for na linha b. (Vunesp) A figura representa um ímã em forma de barra. onde a intensidade do campo magnético é constante. (UFMG) Fazendo uma experiência com dois ímãs em forma de barra. os ímãs estão representados pelos retângulos. e se atraem. 7. d) aquelas que partem do pólo norte de um imã e vão até o infinito.

Ao final desse movimento. Uma pequena bússola é deslocada.br 5 . realizando uma volta circular completa em torno do ímã. juntamente com algumas linhas de seu campo magnético. um número de voltas igual a: a) 1/4 de volta b) 1/2 de volta c) 1 volta completa d) 2 voltas completas e) 4 voltas completas Nessas condições. com seus pólos localizados nos extremos mais afastados. aquela que produzirá a distribuição da limalha de ferro tal que foi obtida é: a 10.com. sobre a mesa. Das disposições indicadas. a agulha da bússola terá completado. (FUVEST – SP) Sobre uma mesa plana e horizontal é colocado um ímã em forma de barra. obteve-se a figura esquematizada seguir: Sabe-se que sob a folha estão rigidamente colocados dois ímãs e. em torno de seu próprio eixo. representado na figura. lentamente. a partir do ponto P. desconsidere o campo magnético da Terra. Prof.9. (FMTM – MG) Pulverizando-se limalha de ferro sobre uma folha de papel posicionada horizontalmente. forma de barra. visto de cima. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol.

A 400 anos atrás.br 6 . de ver o universo e de vermos a nós mesmos. marque a alternativa CORRETA: a) Apenas a afirmação 1 é correta. d) As duas afirmações são falsas. nos colocam diante de constatações e nos lembram que somos. (FUVEST – SP) Quatro ímãs iguais em forma de barra. como na figura. com as polaridades indicadas. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. (Uemg 2010) O ano de 2009 foi o Ano Internacional da Astronomia. As questões. ao levar uma bússola para a Lua. (UERJ) As linhas de indução de um campo magnético uniforme são mostrados ao lado. a partir dessa observação: 1. apenas. A Lua não apresenta um campo magnético.com. é possível concluir que o ímã permanecerá em equilíbrio estável se estiver na seguinte posição: 12. c) As duas afirmações são corretas. Sobre tais afirmações. 13. A agulha magnética da bússola não cria campo magnético. quando está na Lua. como ocorre na Terra. estão apoiados sobre uma mesa horizontal. Galileu apontou um telescópio para o céu. Considere as seguintes afirmações. verifica que a agulha magnética da bússola não se orienta numa direção preferencial.11. Designando por N o pólo norte e por S o pólo sul de um ímã colocado no mesmo plano da figura. a seguir. Um astronauta. Prof. uma parte de algo muito maior: o cosmo. vistos de cima. b) Apenas a afirmação 2 é correta. 2. e mudou a nossa maneira de ver o mundo.

0 15.5 e) 4. B Prof. Não levando em conta o efeito do campo magnético terrestre. (FUVEST – SP) Três ímãs iguais. a figura que melhor representa a orientação da agulha da bússola é: 14. A razão entre as correntes i1 e i2 é igual a: a) 0.br 7 . respectivamente.0 c) 2. de raios R1 e R2. são 5 percorridas. sendo R1 = 2R 2 . (UEMA) Duas espiras circulares. Três pequenas agulhas magnéticas podem girar nesse plano e seus eixos de rotação estão localizados nos pontos A. concêntricas e coplanares.com. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. eqüidistante dos ímãs. estão sobre um plano. pelas correntes i1 e i2: o campo magnético resultante no centro das espiras é nulo. em forma de barra de pequena espessura.4 b) 1. no ponto central P. indicando a direção e o sentido do campo magnético dos ímãs em P.Uma pequena bússola é também colocada na mesa.0 d) 2.

com. representadas por descrita pelo esquema: é melhor 1.br 8 .e C. A direção assumida pelas agulhas. Campo Magnético no centro de uma espira circular. Prof. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. Despreze o campo magnético da Terra.

(PUC – MG) No centro de uma espira circular de raio R. é perpendicular ao plano da espira.br 9 . II e III. III. tem módulo diretamente proporcional à razão i / R. 2 R Testes 16. é correto afirmar que: a) só a I e a III são corretas. 2 R A constante de proporcionalidade µ0 é a permeabilidade magnética do vácuo. No sistema internacional vale µ0 = 4π 10−7 T.com. percorrida por uma corrente de intensidade i.10 T. o vetor indução magnética: I. conforma a figura. onde a intensidade de B no centro vale µ i B =N 0. Sentido: determinado pela regra da mão direita. Com relação às afirmações I. tem módulo independente do meio que envolve a espira II. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. temos a denominada bobina chata. as características do vetor indução magnética no centro da espira são: Prof.m / A r Justapondo-se N espiras iguais. (Uniube – MG) Uma espira circular de raio 10 cm. é percorrida −7 por uma corrente de intensidade 6 A. Considerando-se e µ0 = 4 π.r O Vetor indução magnética B no centro O da espira tem as seguintes características: • • • Direção: perpendicular ao plano da espira. Módulo ou intensidade: µ i B = 0.m / A . b) só a II e a III são corretas c) só a II é correta d) todas são corretas e) todas são falsas 17.

br 10 . percorrida por uma corrente de intensidade i. II e III. ⊗ b) 1. O vetor campo magnético criado no centro da circunferência por esse elétron é representado por: 19. tem módulo diretamente proporcional à razão i / R.2 π. III. tem módulo independente do meio que envolve a espira II. é perpendicular ao plano da espira. 10 -7 T. a distância R do fio.2 π. e c) 1. (FU – MG) Considere o elétron. r O Vetor indução magnética B num ponto P.5 π. 10 -5 T. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. ⊗ e) 0. Campo Magnético de um condutor retilíneo. girando. em um átomo de hidrogênio. em uma órbita circular. (PUC – MG) No centro de uma espira circular de raio R. Com relação às afirmações I. é correto afirmar que: a) só a I e a III são corretas. como sendo uma massa pontual.a) 1.2 π. e 18. no plano da folha. 2 π. como mostra a figura. e d) 1. b) só a II e a III são corretas c) só a II é correta d) todas são corretas e) todas são falsas 2. 10 -5 T. 10 -5 T. o vetor indução magnética: I. tem as seguintes características: Prof.com. 10 -7 T.

No sistema internacional vale µ0 = 4π 10−7 T. (Ufpr 2011) Na segunda década do século XIX. Mais tarde. b) O sentido das linhas de campo magnético independe do sentido da corrente. c) Se a distância do ponto de observação ao fio condutor for diminuída pela metade. 21. Hans Christian Oersted demonstrou que um fio percorrido por uma corrente elétrica era capaz de causar uma perturbação na agulha de uma bússola. André Marie Ampère obteve uma relação matemática para a intensidade do campo magnético produzido por uma corrente elétrica que circula em um fio condutor retilíneo. Os fios são percorridos por correntes iguais a i nos sentidos Prof. a intensidade de campo magnético é A/m. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. 2π R A constante de proporcionalidade µ0 é a permeabilidade magnética do vácuo.com.). a intensidade do campo magnético será reduzida pela metade. a) As linhas do campo magnético estão orientadas paralelamente ao fio condutor. assinale a alternativa correta.• Direção: tangente à linha de indução que passa pelo ponto P. Com relação a esse fenômeno.br 11 . a intensidade do campo magnético também será duplicada.m / A . Ele mostrou que a intensidade do campo magnético depende da intensidade da corrente elétrica e da distância ao fio condutor. Módulo ou intensidade: µ i B = 0.I. (Ifsp 2011) Considere dois fios retilíneos e muito extensos situados nas arestas AD e HG de um cubo conforme figura a seguir. • • Sentido: determinado pela regra da mão direita. d) Se a intensidade da corrente elétrica for duplicada. e) No Sistema Internacional de unidades (S. Testes 20.

perpendicularmente ao plano do Prof. e) CA. apontam inicialmente para o pólo Norte terrestre. (Unemat 2010) Segundo a experiência de Oersted. são: a) linhas retas entrando no condutor. c) circunferências concêntricas ao condutor. Uma bússola. sem mover a bússola. Imagine.com. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. c) CF. 23. que foi colocada abaixo do fio. Desconsiderando-se a ação do campo magnético terrestre. orientou-se na direção perpendicular a ele. originadas por um condutor reto percorrido por uma corrente elétrica constante. 22. b) CG. (UFRGS – RS) A figura representa uma vista superior de um fio retilíneo. Pelo ponto O. conclui-se que “toda corrente elétrica gera ao redor de si um campo magnético”. quais desses procedimentos conduzem ao efeito desejado? a) apenas I b) apenas II c) apenas III d) apenas I e II e) I. horizontal. situa-se na direção do segmento Obs: Desconsidere o campo magnético terrestre. II. III. Inverter o sentido da corrente elétrica i. dispostas como na figura abaixo. mantendo o fio na posição em que se encontra na figura. pode-se afirmar que as linhas do campo magnético. agora que se deseje.indicados na figura.br 12 . inverter o sentido da corrente elétrica i. a) CB. (Funrei – MG) Quatro bússolas. mantendo a corrente elétrica i no sentido indicado na figura. situadas em planos perpendiculares ao condutor. conforme também indica a figura. d) circunferências concêntricas ao condutor. e) linhas retas saindo do condutor. ao mesmo tempo. Efetuar a translação do fio para uma posição abaixo da bússola e. fazer sua agulha inverter a orientação indicada na figura Para obter esse efeito. Efetuar a translação do fio para uma posição abaixo da bússola. b) linhas paralelas ao condutor. O vetor campo magnético induzido por estes dois fios. considere os seguintes procedimentos. situadas em planos paralelos ao condutor. d) CE. no ponto C. I. conduzindo corrente elétrica i no sentido indicado. II e III 24.

percorrido por uma corrente elétrica continua i. Prof. distante 0. é de 2.10 T. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. muito extenso. o físico dinamarquês Hans Christian Oersted (1777 – 1851) constatou que. B . é paralelo ao condutor e tem o mesmo sentido da corrente. c) a direção do campo magnético no centro de uma espira circular é perpendicular ao plano da espira.m / A . é perpendicularmente ao condutor e orientado para ele. sua agulha sofria um desvio. O vetor campo de indução magnética. passa-se um fio condutor retilíneo e longo. c) está contido no plano da figura.2. no ponto P: a) está contido no plano da figura. 10 -5 T. Sobre o Eletromagnetismo é correto afirmar que: a) a intensidade do campo magnético no centro de uma espira circular de raio 2. d) é perpendicular ao plano da figura e está orientado para dentro. u r 26. b) está contido no plano da figura.com. −7 Considere que a permeabilidade magnética para o vácuo: µ0 = 4 π. C e D d) a posição das bússolas A e C e) a posição da bússola A. é paralelo ao condutor e tem sentido oposto ao da corrente. Ao se fazer passar pelo condutor uma corrente elétrica continua e intensa. e) é perpendicular ao plano da figura e está orientado para fora. concluiu: “toda corrente elétrica gera no espaço que a envolve um campo magnético”. permanece praticamente inalterada.papel. Daí.0 A.br 13 . no sentido do plano do papel para a vista do leitor. 25. quando percorrida por uma corrente de 4. (FMTM – MG) A figura representa um ponto P junto a um condutor retilíneo.25 m é de 1. cujo sentido está indicado pela seta. 10 -6 T. (UPB) Na segunda década do século XIX.0 A que percorre um fio metálico reto e extenso. em equilíbrio estável: a) a posição da bússola C b) a posição das bússolas B e D c) a posição das bússolas A.5 π cm. b) a intensidade do campo magnético produzido por uma corrente elétrica de 3. ao aproximar uma bússola de um fio percorrido por uma corrente elétrica.

em L. uma agulha imantada com possibilidade de girar. O ponto L é eqüidistante dos dois fios e o ponto K está a esquerda deles. situado a uma distancia d de um fio percorrido por uma corrente elétrica. e dois pontos K e L. está entrando no papel. Prof. Considerando-se essas informações. e no B. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. (UFMG) Nesta figura.com.br 14 . Colocando-se no vértice superior. Os fios e os pontos estão no mesmo plano. u r e) a lei de Ampère estabelece que a intensidade do campo magnético em um ponto P. essa agulha assumira a posição: 28. estão representados dois fios. No condutor A a corrente “sai” e do plano horizontal. (UFLA – MG) A figura abaixo. aumenta com o distanciamento do fio ao ponto P. 27. em corte. percorridos por correntes elétricas de mesma intensidade e de sentidos contrários.d) um condutor percorrido por uma corrente i tem um ponto P um vetor indução magnética B com o sentido mostrado na figura abaixo. mostra dois condutores A e B colocados nos vértices inferiores de um triangulo eqüilátero. “entra” ⊗ . ponto P. é correto afirmar que o campo magnético: a) em K. é nulo e. Ambos os condutores são percorridos por correntes elétricas de mesma intensidade e sentido convencional.

está saindo dele. em L. (Fatec – SP) Dois fios metálicos retos. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. 30. As distâncias são AM = 4.br 15 . 0.0 A e i2 = 7 A. (Unisa – SP) Dois condutores retilíneos e infinitamente longos estão no mesmo plano e são perpendiculares entre si. 0. está saindo do papel e. está saindo do papel e. gerado pelas correntes nos dois fios. 10 -5 T e) 15. tal que: a) y /x = 3 b) y / x = 1 / 3 c) y / x = 9 d) y / x = 1 / 9 e) nenhuma das anteriores. pode ser nulo somente em pontos dos quadrantes: a) I e II b) I e III c) I e IV d) II e III e) II e IV 31. c) em K. em L é nulo. d) em K. paralelos e longos são percorridos por correntes i e 3i de sentidos iguais (entrando no papel. 29. O módulo do campo magnético resultante. 10 -5 T c) 10.b) em K. O ambiente é vácuo. em L. 10 -5 T b) 3. O campo magnético resultante produzido por essas correntes é nulo no ponto P.0 cm. como mostra a figura. 6. está entrando nele. no esquema). O módulo do vetor indução magnética no ponto A é de: a) 4. 10 -5 T Prof. e as intensidades das correntes i1 = 8. (UEL – PR) Dois fios longos e retilíneos são dispostos perpendicularmente entre si e percorridos por correntes elétricas de intensidade i1 e i2 como mostra a figura a seguir.0 cm e QA = 2.com. está entrando no papel e.

com. su u ur AA ' su u ur b) BB' su u ur c) CC ' su u ur d) DD' a) e) perpendicular ao plano do papel. d) de W para X e de Z para Y. a direção da agulha de uma bússola. nos vértices de um triangulo isósceles. passa uma mesma corrente que sai do plano do papel e pelo terceiro ⊗ . Nessas condições. colocada eqüidistante deles. (UFMG) Dois fios condutores WX e YZ. seria melhor representada pela reta. uma corrente que entra nesse plano. (ITA – SP) Uma espira circular de raio R é percorrida por uma corrente i.br 16 . as correntes elétricas nos fios têm os sentidos: a) de X para W e de Y para Z. 10 -5 T −7 (Dado: µ0 = 4 π. c) de W para X e de Y para Z. como na figura abaixo desenhada no plano. Correntes elétricas iguais estão presentes nos dois fios. A uma distancia 2R e seu centro encontra-se um condutor retilíneo muito longo que é percorrido por uma corrente i1 (conforme a figura).d) 12.m / A ) 32. Prof. 33. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. como mostra a figura. O campo magnético B resultante de tais correntes. estão dispostos sobre duas arestas de um cubo imaginário.10 T. 34. Desprezando-se os efeitos do campo magnético terrestre. retos e longos. Por dois deles e . é indicado na figura. 5. (FUVEST – SP) Três fios verticais e muito longos atravessa uma superfície plana e horizontal. b) de X para W e de Z para Y. no ponto P.

As condições que permitem que se anule o campo de indução magnética no centro da espira são. c) i1 / i = π e a corrente na espira no horário. r No interior de um solenoide. tem as seguintes características: • Direção: eixo geométrico do solenoide. respectivamente: a) i1 / i= 2π e a corrente na espira no sentido horário. o vetor indução magnética B . Módulo ou intensidade: Prof. 3.com. Campo magnético no interior de um solenoide. d) i1 / i = π e a corrente na espira no sentido anti-horário. b) i1 / i = 2π e a corrente na espira no sentido anti-horário. e) i1 / i = 2 e a corrente na espira no sentido horário. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. • • Sentido: determinado pela regra da mão direita.br 17 .

(Ufpb 2011) Os eletroímãs. utiliza um bastão cilíndrico de ferro de 2. para construir um eletroímã.5 A pelo fio. Prof.com. Um engenheiro. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. formados por solenoides percorridos por correntes elétricas e um núcleo de ferro. e a presença do núcleo de ferro aumenta em 1. são dispositivos utilizados por guindastes eletromagnéticos. os quais servem para transportar materiais metálicos pesados. Ao fazer passar uma corrente de 1.br 18 . um campo magnético é gerado no interior do solenoide.0 metros de comprimento e o enrola com um fio dando 4 x106 voltas.B = µ0 . L Testes 35.i onde N representa a densidade linear de espiras. N L .000 vezes o valor desse campo.

nessas circunstâncias. percorrido por corrente depende basicamente: a) só do numero de espiras do solenóide b) só da intensidade da corrente.m/ A . Em frente a esse solenóide está colocado um ímã preso a um carrinho que se pode mover facilmente sobre essa mesa. 10 -4 T c) 6π. 10 -3 T −7 (Dado: µ0 = 4 π.com.m / A ) 38.Adotando para a constante μ0 o valor 4 π x 10−7 T. o valor da intensidade do campo magnético.10 T. 10 -2 T d) 4. Prof.5 A. em qualquer direção. fixo a uma mesa horizontal.br 19 . (FEI – SP) A intensidade do campo magnético produzido no interior de um solenóide muito comprido. A intensidade do vetor indução magnética originado na região central do solenóide. é correto afirmar que. (UFSCar – SP) A figura representa um solenoide.000 espiras por metro. e) do comprimento do solenóide. sem núcleo. 37 (Unisa – SP) Um solenóide possui 20. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. 10 -3 T e) 4. é de: a) 4π. c) do diâmetro interno do solenóide d) do numero e espira por unidade de comprimento e da intensidade da corrente. devido à passagem de uma corrente de intensidade 0. em tesla. é de: a) 24 π x 102 b) 12 π x 102 c) 6 π x 102 d) 3 π x 102 e) π x 102 36. no interior do cilindro de ferro. 10 -3 T b) 5π.

aproximando-o e afastando-o do solenóide. para dentro do plano da figura. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. e) lateralmente. lançada com velocidade v num campo r magnético uniforme de indução B . para fora do plano da figura. é gerado no solenóide um campo magnético que atua sobre o ímã e tende a mover o carrinho: a) aproximando-o do solenóide. Assim. Força sobre uma carga móvel em um campo magnético. c) de forma oscilante.br 20 . d) lateralmente. b) afastando-o do solenóide. o solenóide é ligado a uma fonte de tensão e passa a ser percorrido por uma corrente continua cujo sentido está indicado pelas setas na figura. Força Magnética 1.com. têm as seguintes características: A força magnética Prof. r r FM que age sobre uma carga elétrica q.Estando o carrinho em repouso.

br 21 . (UFSM . Em qual das figuras a seguir está representado corretamente o campo magnético? a) d) b) e) c) 15. está melhor representado em a) b) c) d) Prof. o sentido será oposto àquele dado por essa regra. portanto perpendicular ao plano definido por B e r v. sendo.cftmg 2011) Em uma região de campo magnético uniforme B. O vetor forca magnética. como ocorre nas ondas eletromagnéticas.com. Sentido: determinado pela regra da mão esquerda (existe outra regra) se a carga for positiva. Observe que a força magnética r r FM é sempre ortogonal a v e a r r B . perpendicularmente a B. conforme figura seguinte. Testes 14.2011) O campo magnético pode ser produzido pelo movimento de cargas elétricas ou. pela variação do fluxo de campo elétrico local. penetra nesse campo com velocidade v. (G1 . Intensidade ou módulo: Em que o ângulo r θ é o ângulo que v forma com r B. Se a carga for negativa. que atua sobre a partícula no ponto P. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol.• • • Direção: perpendicular ao plano formado por r r ve B. uma partícula de massa m e carga elétrica positiva q.

na posição da partícula indicada na figura: a) a força magnética atuante sobre a partícula e o campo magnético produzido pela corrente têm direções paralelas. uma partícula com carga 2. b) a corrente e o campo magnético por ela produzido têm direções paralelas e o mesmo sentido. é paralela ao vetor v. é correto afirmar que. 17. e sentido para cima. Uma partícula carregada com carga +q se move com velocidade v perpendicular ao fio. 10-8 N c) 2.4.br 22 . em uma direção que forma um ângulo de 30º com a direção do campo magnético. 105 m/s. 10-6 N 19. A intensidade da força que atua sobre a partícula é: a) 4.16.0.com. e) o movimento da partícula não é afetado pela presença da corrente. 10-7 N e) 6.0. conforme a figura.0. 10-14 C é lançada com velocidade 2.0. 10-11 N b) 5. d) a aceleração da partícula. o fio retilíneo longo transporta uma corrente elétrica de intensidade i. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. (UFPI) Na figura abaixo. Sobre a partícula lançada atua uma força que tem: a) a mesma direção e o mesmo sentido de B. c) a corrente e a força magnética sobre a partícula têm direções paralelas e sentidos contrários.0. 10-7 N d) 1. e) direção perpendicular ao plano de B e v. Sobre essa situação.0. mas sentido contrário ao de v d) direção perpendicular ao plano de B e v. causada pela força magnética. c) a mesma direção. A força magnética terá máxima intensidade se o ângulo formado entre v e B for igual a: a) zero b) 30º Prof. e sentido para baixo. (UFBA) Em um campo magnético de intensidade 10² T. b) a mesma direção e o mesmo sentido de v. 18.

(Mackenzie-SP) Dispõe-se de dois condutores infinitos. Um próton (q = 1. (UFTM .2010) Na figura. uma corrente elétrica de valor constante i é estabelecida no fio condutor que se encontra no plano yz e paralelo ao eixo z. na direção e sentido indicados pelo eixo z.0 * 106 m/s. Ao passar pela origem 0 dos eixos cartesianos. no sentido de seus valores negativos. b) sofra ação de uma força de direção igual à do eixo x.com. m/A) 21. segundo uma direção paralela aos condutores e sobre o plano que os contém. 10 -17 N c) 6. a) sofra ação de uma força de direção igual à do eixo x.6. retilíneos e paralelos. 10-19 C) é “disparado” do ponto A com uma velocidade v0 = 1.8.2. 10 -17 N d) 1.c) 60º d) 90º e) 180º 20. Prof.4.br 23 . A intensidade da força a que esse próton fica sujeito no instante do disparo é: a) zero b) 3.6. percorridos pelas correntes i1 e i2 de intensidades iguais a 10 A e de sentidos contrários. apresenta-se um elétron inicialmente em movimento retilíneo e uniforme no vácuo. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. 10 -17 N e) 4. no sentido de seus valores positivos. 10 -17 N (Dado μ0 = 4π 8 10-7 T.

saindo pela fenda F2. perpendicularmente. e sabendo que as placas são paralelas ao plano xz. seguindo na direção do eixo z. sem sofrer desvio. d) sofra ação de uma força de direção igual à do eixo y. com velocidade constante de módulo v. Prof. e E tiver a mesma direção e o sentido oposto ao do eixo z. isso será possível se u r u r a) B tiver a mesma direção e o mesmo sentido do eixo x. 22. sem alteração de sua velocidade. Desconsiderando-se qualquer outra interação. u r u r c) B tiver a mesma direção e o mesmo sentido do eixo y.eB d) emerge da . Considerando o sistema de referência xyz. Um elétron atravessa. de módulo B. é correto afirmar que o campo elétrico _______________ página.E/B 23. mas o campo elétrico não está representado. e que seu módulo vale __________________________. Na figura abaixo.br 24 . e E tiver a mesma direção e o mesmo sentido do eixo y. e a velocidade do elétron. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. (Uftm 2011) Um elétron penetra numa região entre duas placas planas e paralelas pela fenda F1 e a atravessa segundo a direção tracejada mostrada na figura. u r u r b) B tiver a mesma direção e o mesmo sentido do eixo z. na ordem em que aparecem. Durante a travessia. (UFRGS 2011) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas no fim do enunciado que segue.vB c) penetra na .vB b) emerge da .c) sofra ação de uma força de direção igual à do eixo y. a) penetra na . no sentido de seus valores negativos. o elétron fica sujeito a um u r campo de indução magnética B e a um u r campo elétrico E .com. e) não sofra efeitos da corrente i. ambos uniformes. estão representados o campo magnético. no sentido de seus valores positivos. uma região do espaço onde existem campos elétrico e magnético uniformes e perpendiculares entre si.eB e) penetra na . e E tiver a mesma direção e o mesmo sentido do eixo z.

respectivamente. r b) 2x106 T. a meia distância entre eles. r c) 2T. paralelo à v e saindo do plano xy. paralelo à v e entrando no plano xy. em certo momento. e) retilínea no sentido –z. perpendicular à v e entrando no plano xy. r d) 2T. Considerando q = 2 x 10-7 C e g = 10 m/s2. (UFRGS 2010) Observe a figura a seguir Nesta figura. r a) 2 x 106 T. A origem do sistema de coordenadas está localizada sobre o eixo dos cilindros. c) defletida no sentido +y. emite um elétron cuja velocidade inicial aponta perpendicularmente para dentro dessa página (sentido –z). a trajetória seguida pelo elétron será a) defletida no sentido +x.u r d) B e u r e) B e u r E tiverem a mesma direção e o mesmo sentido do eixo z. Nessa origem encontra-se um núcleo β -radioativo que. A e B representam ímãs permanentes cilíndricos idênticos. suspensos por cordas. de tal forma que a u r força magnética equilibre a força peso P . Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. a direção e o sentido do vetor campo magnético são.br 25 . b) defletida no sentido –x. 24. com velocidade v de 100 m/s. Desejau r se aplicar à partícula um campo magnético B . r conforme a figura a seguir.2010) Uma partícula eletrizada positivamente de massa 4 mg é lançada horizontalmente para a direita no plano xy. perpendicular à v e saindo do plano xy. Prof. 25. o módulo.com. r e) 2T. d) defletida no sentido –y. Os ímãs estão em equilíbrio com seus eixos alinhados. Desprezando-se o efeito da força gravitacional. (PUCRS . u r E tiverem a mesma direção e o mesmo sentido do eixo x. perpendicular à v saindo do plano xy.

resulta FM = 0.br 26 r r .2. Movimento de uma carga em um campo magnético uniforme. 2º caso: Partícula eletrizada lançada paralelamente às linhas de indução de um campo magnético uniforme ( v é paralela a B ) Prof. Portanto. Os diversos tipos de movimentos que uma carga q descreve num campo magnético uniforme dependem r da direção da velocidade v com que é lançada no campo: 1º caso: Se v = 0 (partícula abandonada em repouso). Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol.com. partículas eletrizadas abandonadas em repouso não sofrem ação do campo magnético.

Prof. por: r r R= m. 3º Caso: v é perpendicular a B ( θ = 90º) A carga descreve movimento circular uniforme.br 27 .| q | 4º caso: Partícula lançada obliquamente às linhas de indução. concluímos que a força magnética é nula. realizando um movimento retilíneo e uniforme (MRU). Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol.| q | T= 2. Portanto.m B. π .v B.com. respectivamente. a partícula desloca-se livre da ação de forças. θ = 0 ou θ = 180º e sendo sen 0 = 0 e sen 180º = 0. cujo raio e período são dados.Neste caso.

K e L representam duas partículas eletricamente carregadas e as setas indicam suas velocidades em certo instante. d) nenhuma das duas conclusões está certa. Testes 26. aproximadamente.“Se a partícula K tiver carga elétrica negativa. decompomos a velocidade de lançamento v nas componentes: v1 (paralela a B) e v 2 r r (perpendicular a B). • Clara .“Independentemente do sinal da sua carga.com. que são lançadas no espaço. sua velocidade será reduzida pelo campo magnético da Terra e poderá não atingi-la”. Considerando-se a situação descrita. Nesta figura. a partícula L terá a direção de sua velocidade alterada pelo campo magnético da Terra”. Ele é uniforme. é CORRETO afirmar que a) apenas a conclusão de Alice está certa. Alice e Clara chegam a estas conclusões: • Alice . 22. as linhas indicam. (Ufc 2010) Analise as afirmações abaixo em relação à força magnética sobre uma partícula carregada em um campo magnético. a partícula descreve MRU e devido à v 2 . MCU. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. A composição de um MRU com um MCU é um movimento denominado helicoidal. Muitas dessas partículas vêm em direção à Terra e podem interagir com o campo magnético desse planeta. (UFMG 2010) Reações nucleares que ocorrem no Sol produzem partículas – algumas eletricamente carregadas –. Pode desempenhar o papel de força centrípeta.r r r Neste caso.br 28 . Devido à v1 . c) ambas as conclusões estão certas. b) apenas a conclusão de Clara está certa. I. a direção e o sentido do campo magnético em torno da Terra: Nessa figura. Com base nessas informações. Prof.

b) a força elétrica e a força magnética são sempre perpendiculares à velocidade. β e emitidas após o decaimento radioativo.2010) Uma cavidade em um bloco de chumbo contém uma amostra radioativa do elemento químico bário. a) Somente II é verdadeira. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol.II. o que não acontece com a força magnética. aumentando o módulo de sua velocidade.br 29 . Nunca pode ser nula. III. 24. c) para um dado campo elétrico uniforme. A figura (a) ilustra as trajetórias das partículas α. IV. Assinale a alternativa correta. Aplica-se um campo magnético uniforme entrando no plano da folha. γ Prof. O comportamento representado pelas trajetórias ocorre porque a) a partícula β tem carga positiva e quantidade de movimento maior que a de α. c) a partícula α tem carga positiva e quantidade de movimento maior que a de β. d) a partícula α tem carga maior e quantidade de movimento menor que a de β. diferente de zero. e) Somente I e IV são verdadeiras. d) Somente II e III são verdadeiras. b) as partículas α e β têm cargas opostas e mesma quantidade de movimento. Pode acelerar a partícula. desde que a partícula esteja em movimento. podemos afirmar corretamente que a) a força elétrica e a força magnética são sempre paralelas à velocidade. enquanto a força elétrica sempre realiza trabalho. b) Somente IV é verdadeira. conforme ilustrado na figura (b). existe sempre uma direção da velocidade para a qual a força elétrica é nula. e) a partícula γ tem carga positiva e quantidade de movimento menor que a de β. (UECE 2010) Quando comparamos as forças exercidas por campos elétricos e magnéticos sobre uma r partícula carregada de velocidade v . d) a força magnética nunca realiza trabalho sobre a carga. c) Somente I e II são verdadeiras. (UFG . É sempre perpendicular à direção de movimento. 23.com.

onde se movimentam em órbitas circulares de períodos Tp. 26. (Epcar (Afa) 2011) Considere um elétron partindo do repouso e percorrendo uma distância retilínea. respectivamente.com. e) 2 e 2. por um campo elétrico uniforme de intensidade E. respectivamente.25.br 30 . o raio da semicircunferência descrita é igual a Prof. deuterons (carga e e massa md = 2mp) e partículas alfas (carga 2e e u r massa ma = 4mp) entram em um campo magnético uniforme B perpendicular a suas velocidades. d) 2 e 2 . até passar por um orifício e penetrar numa região na qual atua somente um campo magnético uniforme de intensidade B. (Ita 2011) Prótons (carga e e massa mp). somente sob a ação de um campo elétrico uniforme gerado por uma ddp U. o elétron descreve uma semicircunferência atingindo um segundo orifício. b) 1 e 2 . c) 2 e 2. diametralmente oposto ao primeiro. Pode-se afirmar que as razões dos períodos Td/Tp e Ta/Tp são. Devido à ação desse campo magnético. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. a) 1 e 1. Td e Ta. e penetra em uma região de campo magnético uniforme de intensidade B. O raio da trajetória circular que a partícula descreve dentro do campo magnético é igual a: a) (2mEd/Bq)1/2 b) (2mEd/B2q)1/2 c) mEd/Bq d) mE/Bq e) (mE/Bq)1/2 27. cuja direção é perpendicular a sua velocidade. Após percorrer uma distância d. (Udesc 2010) Uma partícula de massa m e carga q é acelerada a partir do repouso. Considerando o módulo da carga do elétron igual a q e sua massa igual a m. a partícula deixa a região de atuação do campo elétrico com uma velocidade v.

será. Se a massa da partícula é M = 3 x 10-25 kg. 29.com. (Unimontes 2011) Uma partícula carregada é injetada em uma região onde atua apenas um campo magnético de módulo B. Esse campo é suficiente para fazer com que a partícula descreva um movimento circular. o raio R. é correto afirmar: a) A partícula atravessa a região do campo magnético em movimento retilíneo uniformemente acelerado. descrito pela partícula. A carga da partícula é o triplo da carga do elétron. de massa m e carga q. o módulo do campo é 2 T.6 x10-19 C. em que c é a velocidade da luz no vácuo. d) 1 m.br 31 . perpendicular ao movimento inicial da partícula (veja a figura abaixo). descrevendo um movimento retilíneo e uniforme. e o módulo da velocidade da partícula é V = 10-4 c.a) Bq mU 2  Bq  b)    mU  1  2mU  c) ⋅   B  q  d)  1 2  2mU    Bq  12 28. que penetra e sai da região onde existe um campo magnético uniforme de módulo B. c) 1 dm. Dados: e = 1. Sabendo-se que a partícula abandona a região do campo no ponto P. c = 3 x 108 m/s a) 1 cm. com velocidade de módulo v. b) 1 mm. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. (Uesc 2011) A figura representa uma partícula eletrizada. Prof. aproximadamente.

conforme figura a seguir. b) a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P2 é maior que a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P1. penetra em um campo magnético B com mesma velocidade v. c) O espaço percorrido pela partícula na região do campo magnético é igual a πmv . de u r mesma massa. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. (Ufla 2010) Um feixe de partículas eletrizadas P1 e P2. qB d) O tempo de permanência da partícula na região do campo magnético é de e) O módulo da aceleração centrípeta que atua sobre a partícula é igual a qB .b) A partícula descreve movimento circular uniformemente acelerado sob a ação da força magnética. percorrendo trajetórias circulares de raios R1 = 2 R2. É CORRETO afirmar: a) a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P1 é maior que a força magnética que atua nas partículas eletrizadas P2. (Ita 2010) Um elétron e acelerado do repouso através de uma diferença de potencial V e entra numa região na qual atua um campo magnético. 31. Observa‐se que o feixe. b) RP > RE e TP > TE. e) RP = RE e TP < TE.br 32 . c) RP > RE e TP = TE. onde ele inicia um movimento ciclotrônico. 2qB πm . e por isso descrevem uma trajetória de raio R1 maior que R2. movendo-se num circulo de raio RE com período TE. e por isso descrevem uma trajetória de raio R2 menor que R1. Se um próton fosse acelerado do repouso através de uma diferença de potencial de mesma magnitude e entrasse na mesma região em que atua o campo magnético. d) RP < RE e TP = TE. Prof. ao penetrar no campo magnético. divide‐se em dois. poderíamos afirmar sobre seu raio RP e período TP que a) RP = RE e TP = TE.com. mv 30.

no ponto A perpendicular ao campo magnético uniforme e descreve uma trajetória circular indicada na figura. sendo a carga da partícula P2 menor que a da partícula P1. a ordem de grandeza da energia cinética desse íon ao penetrar na câmara no ponto A. como.6 T.c) as cargas elétricas das partículas P1 e P2 são de mesmo sinal. por exemplo.1 cm. Sabendo-se que a distância AC é de 0. sendo a carga da partícula P1 maior que a da partícula P2. Um cíclotron foi construído de maneira a utilizar um campo magnético uniforme. a cada volta. nos cíclotrons. F . capaz de gerar uma força magnética. O princípio básico dessa tecnologia consiste no movimento de partículas eletricamente carregadas submetidas a um campo magnético perpendicular à sua trajetória. vale em joules: a) 10-27 b) 10-19 c) 101 d) 10-17 e) 10-45 33.7 x 10– 27 u r r kg e carga igual a 1.6. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol.0 x 104 m/s. faça com que a partícula se movimente em uma trajetória que. sempre perpendicular à velocidade da partícula. de módulo constante igual a 1. d) as cargas elétricas das partículas P1 e P2 são de sinais contrários.6 x 10–19 C. atingindo o ponto C. com velocidade igual a 3. Considere que esse campo magnético. pode ser considerada circular e uniforme. Nessas condições.0 . B . b) 2 x 10–4 m. (Unesp 2010) Uma tecnologia capaz de fornecer altas energias para partículas elementares pode ser encontrada nos aceleradores de partículas. 32. 10-27 kg e carga elétrica 1. ao atuar sobre uma partícula positiva de massa igual a 1. 10-19 C entra numa câmara de espectômetro de massa. (Upe 2010) Um íon de massa 8. o raio dessa trajetória circular seria aproximadamente a) 1 x 10–4 m.com.br 33 . Prof.

(Cesgranrio 2010) Um próton penetra perpendicularmente em um campo magnético uniforme.6 x 10-19C e massa igual 1. A intensidade do campo magnético é 10–2 T e a velocidade do próton é constante e igual a 5 ⋅ 105 m/s. Qual a ordem de grandeza da velocidade da partícula (dados: carga igual a 1.c) 3 x 10–4 m. e descreve. e) 5 x 10–4 m.6 ⋅ 10–19C e considerando-se π = 3 .com. uma trajetória semicircular.67 x 10-27 kg)? a) 103 m/s b) 105 m/s c) 107 m/s d) 109 m/s 35.br 34 . Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. em seu interior. d) 4 x 10–4 m.6 ⋅ 10–27 kg e 1. (Ufop 2010) O cíclotron é um acelerador em que partículas carregadas executam movimento circular em um plano perpendicular a um campo magnético uniforme de módulo B. a velocidade angular do movimento circular resultante depende somente da razão carga/massa e de B. como ilustra a figura acima. respectivamente. desse percurso é a) 300 b) 200 c) 150 d) 100 Prof. em centímetros. 1. o valor de B é de 1 tesla e as partículas percorrem uma trajetória de raio de 50 cm. 34. o perímetro. Sabendo-se que a massa e a carga do próton valem. Em um acelerador típico. Se o campo magnético for o único campo aplicado.

e) 50 36. vale a) 5 b) 10 c) 15 d) 20 e) 25 Prof.14 ⋅ 10−3 T de acordo com a figura a seguir. em mm. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol.br 35 . α 30º e sen α 0. (Upe 2011) Um elétron com velocidade v = 109 cm / s penetra na região de um campo magnético uniforme de intensidade B igual a 1.com.5 .76 = = A profundidade máxima h de penetração do elétron na região do campo magnético. Dados: considere a relação carga do elétron / massa do elétron = 1 ⋅ 10 11C / kg. A direção da velocidade do elétron é perpendicular às linhas de indução do campo magnético.

a regra da mão direita. tem intensidade dada por: FM = BiL sen θ Como o sentido convencional da corrente elétrica é o mesmo das cargas positivas. em um campo magnético uniforme de indução B .com. Força magnética entre condutores paralelos Prof. A força magnética tem direção perpendicular ao plano r r formado por B e i.3. pode-se utilizar. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. 4.br 36 . O ângulo θ é o ângulo entre B e a direção do condutor (i). Força sobre um condutor reto em um campo uniforme r A força magnética FM que age sobre um condutor reto. percorrido por corrente elétrica de r intensidade i. r para o sentido de FM .

Entre dois condutores retos e extensos. Uma forma de realizar essas medidas é através de um instrumento denominado eletrocardiógrafo de fio. e) vertical e diretamente proporcional ao comprimento do fio. eletrodos são posicionados em pontos específicos do corpo e conectados ao fio. perpendicularmente ao plano da página. (Pucrs 2010) Resolver a questão com base nas informações a seguir. Utilizando um modelo simplificado. A força magnética por unidade de comprimento que o campo magnético terrestre exerce sobre essa linha de transmissão possui intensidade igual a: a) 0. entre determinados pontos do corpo. b) lateral e inversamente proporcional à intensidade do campo magnético em que está colocado. Nessa região. ou tensões elétricas. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 e-mail rpante@uol. se as correntes tiverem o mesmo sentido. pode-se dizer que. e com o sentido da corrente saindo do plano da página. quando o músculo cardíaco se contrai. as quais geram pequenas diferenças de potencial. Quando o músculo cardíaco se contrai.com. Durante o exame. se tiverem sentidos opostos. O músculo cardíaco sofre contrações periódicas. paralelos. A medida dessas tensões fornece importantes informações sobre o funcionamento do coração. (Ufal 2010) Numa certa região.br 37 . o fio sofre uma deflexão a) lateral e diretamente proporcional à corrente que o percorreu. Esse instrumento é constituído de um ímã que produz um campo magnético intenso por onde passa um fio delgado e flexível. o posicionamento do fio retilíneo no campo magnético uniforme do ímã do eletrocardiógrafo pode ser representado como indica a figura a seguir. d) lateral e diretamente proporcional à resistência elétrica do fio. c) vertical e inversamente proporcional à tensão entre os eletrodos. uma linha de transmissão paralela à componente Bx é percorrida por uma corrente elétrica de 5000 A. e uma componente Bz perpendicular à superfície terrestre. Com base nessas informações.10 N/m Prof. uma tensão surge entre esses eletrodos e uma corrente elétrica percorre o fio. o campo magnético gerado pela Terra possui uma componente Bx paralela à superfície terrestre. 38. percorridos por correntes. com intensidade de 2 × 10−5 T. Em ambos os casos. a intensidade da força que um condutor extenso exerce sobre um comprimento L do outro será: Testes 37. com intensidade de 5 × 10−5 T. a força magnética será de atração. e de repulsão.

(Upe 2011) Um condutor retilíneo de comprimento l percorrido por uma corrente elétrica i é imerso em um campo magnético uniforme B.com. III.br 38 .0 N/m d) 2. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. 40. II. O fio pesa 180 g e seu comprimento é 20 cm. Nessas condições. III.5 N/m e) 10 N/m 39.25 N/m c) 1. d) 2. IV e V.b) 0. o valor e o sentido da corrente que deve passar pelo fio para remover a tensão da mola é: a) 3 A da direita para a esquerda. (Ufu 2011) Considere um fio condutor suspenso por uma mola de plástico na presença de um campo magnético uniforme que sai da página.5 A da esquerda para a direita. é a) b) c) Prof. estão disponibilizadas as seguintes situações I. O módulo do campo magnético é B = 3T. o conjunto que melhor representa o sentido da força magnética que atua sobre o condutor nos itens I. II. como mostrado na figura abaixo. Considerando g = 10 m/s. IV e V. c) 0. respectivamente. b) 7 A da direita para a esquerda.5 A da esquerda para a direita. Na figura a seguir.

b) Apenas a afirmação I. II. conforme figura: A respeito da situação anterior. Prof.d) e) 41.com. (Pucpr 2010) Considere um campo magnético uniforme de intensidade B e um condutor retilíneo deslocando-se com velocidade constante v.br 39 . e) Todas as afirmações. O movimento das cargas do condutor no campo magnético produz uma força magnética perpendicular à velocidade e ao campo magnético. c) Apenas a afirmação II. perpendicular às linhas do campo. d) Apenas as afirmações I e III. Ricardo – Telefone para contato: 9631 – 1879 - e-mail rpante@uol. são feitas as seguintes afirmações: I. III. O módulo da velocidade do condutor no equilíbrio das forças pode ser calculado através da expressão: v= E B Está(ão) correta(s): a) Apenas as afirmações I e II. A separação de cargas nas extremidades do condutor gera um campo elétrico que exerce uma força elétrica sobre as cargas.