GEOGRAFIA

Interpretação de texto

Kleber Eduardo Escanavaqui

16 junho 2009

Cada povo desenvolve sua cultura. em geral. dos meninos-de-rua . Quanto mais palavras distinguindo as coisas. como forma de sobreviver mais facilmente e usufruir esteticamente. Em suas cidades.Os nomes da criança Cristovam Buarque Para um habitante de cidade brasileira. os brasileiros do começo do século XXI têm muitas maneiras para dizer criança com sutis diferenças manifestas em cada palavra.aqueles que não apenas estão na rua. É a riqueza cultural. à noite. A riqueza de uma cultura se mede pelo número de palavras usadas para definir o meio ao redor. Os habitantes dos desertos. . O português falado no Brasil é certamente o mais rico e o mais imoral dos idiomas do mundo atual. para nós. nomes diferentes para dizer o que entre outros povos teria um nome apenas: criança.redor. em casa. sem uma casa para onde voltar. sem distinção entre elas. para diferenciar as sutilezas do seu ao . em detalhes imperceptível para os demais. os esquimós têm diversos nomes para indicar aquilo que. Ao vê-lo. moram nela. com palavras distintas. têm nomes diferentes para se referir à areia. mas que. em sua cultura. ao contrário. Diferencia até. sutilmente. no que se refere à definição de criança. mais rica é a cultura. é apenas neve. tem uma casa para onde ir. Os brasileiros urbanos também desenvolveram. um habitante de uma das nossas cidades grandes faz logo a diferença com as demais crianças que ali estão apenas passeando. que mostra a degradação moral de uma sociedade que trata suas crianças como se não fossem apenas crianças. todas as árvores de uma floresta são apenas mato. Da mesma forma. Menino-na-rua significa aquele que fica na rua em lugar de estar na escola. manifesta num rico vocabulário. brincando ou estudando.

avião. que por primeira vez recebe em seus diminutos pulmões. Cujo primeiro choro mais parece um lamento do futuro que ainda não prevê do que a inspiração do ar em que vai viver. Cada qual com sua maldita sutileza. daquele país. de uma palmada ou reprimenda recebida. conforme o trabalho que faz. sem direito a sentir o gosto do que carrega para os outros e existe aos milhares no Brasil. nem da perda de um ente querido.a expressão menina-paraguai para indicar criança que se prostitui por apenas R$ 1. para indicar criança deixada para trás por pais que emigram todos os anos em busca de trabalho. Não pela tristeza de um brinquedo quebrado. menor. ninfeta-de-praia. Ou menina-boneca. E existe . menina-da-noite. ela tem suas sutis diferenças. nos estacionamentos ou nas esquinas.99. menino ou menina-de-programa ou michê. Sete nomes para o conjunto das relações de nossas crianças com o crime. É diferente do esquineiro que. no lugar de oferecer o serviço de limpeza. Em um país que lhe nega. reciclador-infantil.Flanelinha é aquele que. Prostituta-infantil já seria um genérico maldito para uma cultura que sentisse vergonha da realidade que retrata. que vive sem o registro que lhe indique a cidadania de sua curta passagem pelo mundo. Tal e qual a maior vergonha da realidade . a riqueza cultural do sutil vocabulário da maldita realidade social brasileira. Criança-triste como substantivo e não adjetivo. ser boy. engraxate. pixote. também a existência legal. de tão jovem quando começa a se prostituir. Pode ser bezerrinha. também. Ainda tem filho-da-safra. tentando vendê-los. Como se não bastasse. no lugar de criança. na tarefa de convencer o motorista a dar-lhe uma esmola em troca da rápida limpeza no pára-brisa do veículo. pobre criança que carrega pequenas caixas de chocolates. de acordo com o artigo do Código Penal em que é enquadrado. o mesmo preço das bugigangas que a globalização trouxe em contrabandos. infrator. trombadinha. menino-do-lixo. há também criança-triste. nos lugares onde há empregos para bóias-frias. ou porque seu primeiro pagamento sirva para comprar a boneca que nunca ganhou de presente.vergonha das vergonhas . como estado permanente de vida . conforme o local onde faz ponto e o gosto sexual do freguês que atende. Ainda o pagão-civil. dribla os carros dos ricos com um frasco de água numa mão e um pedaço de pano noutra. Nome que indica. pivete. quase sempre. Ou do menino-de-água-na-boca. como um verbete adicional. Pode também. No Brasil há um tipo de criança que não apenas fica ou está triste: criança que nasce e vive triste. não só o nome de criança.esta talvez seja a maior das vergonhas no vocabulário da realidade social brasileira. com a maneira de abordar suas vítimas ou com o crime ao qual se dedica. Como resumo de todos estes tristes verbetes. pede esmolas apenas. Delinqüente.

br/aprendiz/n_colunas/c_buarque/id260900. medida pela riqueza de seu vocabulário. Quem sabe será preciso que um dia chegue ao governo uma das crianças-tristes de hoje. Um dia geral que. sem nomes diferentes. enriqueceu perversamente ao aumentar a quantidade de palavras que indicam criança. prefeitos. não ficam tristes. políticos em não sofrem.política está na falta de tristeza nos corações de nossas autoridades diante da tristeza das crianças brasileiras. refletidas no vocabulário que indica os nomes da criança. sua função e sua casta. Disponível em: http://www2. A cultura brasileira. para a solução do problema dos nomes pejorativos para crianças no Brasil? Você concorda? E acredita que é possível? Justifique? Esta imagem esta ligada a algum nome de criança citado pelo autor? Qual? De que modo as crianças do seu bairro são chamadas? .uol. esta cultura vai se enriquecer criando nomes para os presidentes. em sua maldita apartação. nem ao menos se lembram das crianças-tristes do Brasil. A sociedade brasileira. construindo um dicionário onde criança seja apenas criança.” Em que persiste a esperança do autor. uma rosa é uma rosa. como para o poeta.htm Interpretação de texto: Como se mede a cultura de um povo segundo o autor? O que este vasto vocabulário para se referir a criança criado pelo povo brasileiro demonstra Na verdade? Isto é riqueza de cultura? O que diz o autor? Quais os exemplos citados pelo autor? Você tem o habito de usar algum deles? E conhece outros que não foi citado pelo autor? Comente? “A sociedade brasileira. em sua maldita apartação. não percebem a vergonhosa tragédia de nosso vocabulário. com as sutis diversidades de suas posições sociais. A cultura brasileira. foi obrigada a criar palavras que distinguem cada criança conforme sua classe.com. governadores. foi obrigada a criar palavras que distinguem cada criança conforme sua classe. sua função e sua casta. para que o Brasil faça arcaicas as palavras que hoje enriquecem o triste vocabulário brasileiro. enriqueceu perversamente ao aumentar a quantidade de palavras que indicam criança. medida pela riqueza de seu vocabulário.

A pobreza da riqueza Guernica – Pablo Picasso 19371 Cristóvam Buarque "Em nenhum outro país os ricos demonstram mais ostentação que no Brasil. que já estava pronta pelo artista. e são obrigados a escondê-las atrás de muralhas. Na sexta-feira. Devido ao horror das quase 1600 mortes originadas pelo bombardeamento. Disponível em blogdasanta. mas ficam horas engarrafados ao lado dos ônibus de subúrbio. São pobres porque compram sofisticados automóveis importados. trazido por um manobrista. a aldeia de Guernica foi atacada e praticamente destruída. desenhadas por arquitetos de renome.sapo. e leva o nome da aldeia Guernica. são obrigados a tomar o carro à porta. Pagam fortunas para construir modernas mansões. inspirando uma das mais famosas pinturas de Pablo Picasso. às vezes. Quando terminam de comer escondidos. ir a um cinema ou teatro. são assaltados. seqüestrados ou mortos nos sinais de trânsito. mas vivem encalacrados na pobreza social. sem o prazer de caminhar pela rua. Presenteiam belos carros a seus filhos e não voltam a dormir tranqüilos enquanto eles não chegam em casa. E.pt/2008/07/ .blogs. dependendo de guardas que se revezam em turnos. recebeu então o nome da aldeia. como se vivessem nos tempos dos castelos medievais. mas perdem o apetite diante da pobreza que ali por perto arregala os olhos pedindo um pouco de pão. ou são obrigados a restaurantes fechados. Felizmente isso nem sempre 1 Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937. não é raro que o pobre rico seja assaltado antes de terminar o jantar. Durante a guerra civil espanhola. com todos os exagerados equipamentos da modernidade. esta obra. os brasileiros ricos são pobres. por ocasião da Exposição Internacional de Paris. saem de noite para jantar em restaurantes tão caros que os ricos da Europa não conseguiriam freqüentar. ou depois. Mesmo assim. Os ricos brasileiros usufruem privadamente tudo o que a riqueza lhes oferece. cercados e protegidos por policiais privados. depois continuar até um bar para conversar sobre o que viram. na estrada a caminho de casa. Apesar disso.

Foi esta pobreza de visão que impediu os ricos brasileiros de perceberem. que viveriam em cidades sem o peso da imigração descontrolada e com uma população sem miséria. gastando cada vez mais apenas para se proteger da realidade hostil e ineficiente. No lugar de usufruir tudo aquilo com que gastam. São ricos empobrecidos pela vergonha que sentem ao serem vistos pelos olhos estrangeiros. não sabem mudar o mundo. Montam modernos hospitais. e ficaram pobres: contratam trabalhadores com baixa produtividade. Os ricos brasileiros continuam pobres de tanto gastar dinheiro apenas para corrigir os desacertos criados pela desigualdade que suas riquezas provocam: em insegurança e ineficiência. E vivem no susto permanente diante das incertezas em que os filhos crescerão. o sobressalto continua. os nossos ricos abandonaram a educação do povo. Se os latifúndios tivessem sido colocados à disposição dos braços dos ex-escravos. de dengue e de verminoses. às vezes. mas certamente. Os ricos brasileiros são pobres de tanto medo. Se tivesse percebido essa riqueza e libertado a terra junto com os escravos. porque eles (os pobres) vivem sem água e sem esgoto. não sabem construir um novo país que beneficie a todos. Esqueceram-se de que precisam desses pobres e não podem contar com eles todos os dias e com toda saúde. os ricos brasileiros teriam abolido a pobreza que os acompanha ao longo de mais de um século. cem anos atrás. mesmo dentro de casa. a viagem é um susto durante todo o caminho. Na verdade. Para poderem usar os seus caros automóveis. E. desviaram os recursos para criar a riqueza que seria só deles. os ricos sabem que no hotel onde se hospedarão serão vistos como assassinos de crianças na Candelária. Quando viajam ao exterior. Por causa da pobreza ao redor. os brasileiros ricos vivem um paradoxo: para ficarem mais ricos têm de perder dinheiro. vivem rodeados de compatriotas que não sabem ler o mundo ao redor. se protegiam das doenças dos pobres. a maior pobreza dos ricos brasileiros está na incapacidade de verem a riqueza que há nos pobres. portadores de malária. mas tem . investem em modernos equipamentos e não encontram quem os saiba manejar. os ricos construíram viadutos com dinheiro de colocar água e esgoto nas cidades. a riqueza que havia nos braços dos escravos libertos se lhes fosse dado direito de trabalhar a imensa quantidade de terra ociosa de que o país dispunha. destruidores da Floresta Amazônica. achando que. Muito mais ricos seriam os ricos se vivessem em uma sociedade onde todos fossem educados. são pobres na falta de segurança para usufruir o patrimônio no futuro. serve apenas para evitar perdas. usurpadores da maior concentração de renda do planeta. uma parte considerável do dinheiro nada adquire. ao comprar água mineral. A pobreza de visão dos ricos impediu também de verem a riqueza que há na cabeça de um povo educado.acontece. Ao longo de toda a nossa história. Por mais riquezas que acumulem no presente. a riqueza criada teria chegado aos ricos de hoje.

As atividades devem: a) Valorizar os conhecimentos prévios dos estudantes. de Cristovam Buarque. procurem discutir e propor atividades que estimulem a leitura. interpretação e reflexão crítica dos estudantes. da insegurança e da insensatez. contratariam centenas de milhares de professores e colocariam o povo para produzir para o próprio povo. Mas isso é esperar demais.os pobres que sairiam da pobreza e os ricos que sairiam da vergonha. e) Identificar e discutir o posicionamento político ideológico dos autores dos textos. Há um grave quadro de pobreza entre os ricos brasileiros. h) Estimular a pesquisa e novas investigações.portalbrasil. Os ricos são tão pobres que não percebem a triste pobreza em que usufruem suas malditas riquezas". Acesso em abril de 2009. Se percebessem a riqueza potencial que há nos braços e nos cérebros dos pobres. Disponível em http://www.htm.net/reportagem_cristovambuarque. realizariam um programa de construção de casas e implantação de redes de água e esgoto. E esta pobreza é tão grave que a maior parte deles não percebe. b) Valorizar a opinião dos alunos acerca dos textos em estudo e estimular as relações sobre o que estão lendo com o que já leram ou viveram antes. Liberariam a terra para os trabalhadores rurais. Após leitura e interpretação dos mesmos. e mesmo com o que estão lendo ou vivendo. . os ricos brasileiros poderiam reorientar o modelo de desenvolvimento em direção aos interesses de nossas massas populares.dificuldades em evitar infecções porque os pobres trazem de casa os germes que os contaminam. Esta seria uma decisão que enriqueceria o Brasil inteiro . Por isso a pobreza de espírito tem sido o maior inspirador das decisões governamentais das pobres ricas elites brasileiras. d) Atribuir e construir sentidos. construíram um país doente e vivem no meio da doença. de Pablo Picasso e leia o texto “a Pobreza da Riqueza. Com a pobreza de achar que poderiam ficar ricos sozinhos. g) Perceber as intenções dos autores do texto. f) Possibilitar o diálogo em sala de aula e favorecer o pensamento crítico dos estudantes. c) Situar o texto no contexto. _________________________________________________________________________________ Observem atentamente o painel Guernica.

Interpretação de texto: Este texto cujo nome é “A Pobreza da Riqueza”. destruidores da Floresta Amazônica. portadores de malária. Utilizando seus conhecimentos de Historia do Brasil você concorda? Teça comentário? Você acredita que com as sugestões do autor o Brasil pode melhorar e enriquecer sua população? Sugira mais soluções? Relacione a pintura de Picasso cuja a historia você conhece com o texto de Cristovam Buarque e seus conhecimentos. . Identifique este problema que o autor levanta no texto? O autor levanta os problemas de segurança que os ricos brasileiros enfrentam. os ricos sabem que no hotel onde se hospedarão serão vistos como assassinos de crianças na Candelária. Você acredita que isto é fruto da ma distribuição de renda que o autor se refere? Comente? “Quando viajam ao exterior. Você concorda com a visão do autor com relação à imagem do brasileiro no exterior? Comente? O autor relaciona este problema de hoje com a forma que foi realizada a abolição da escravidão a mais de cem anos. e que não é só deles. de dengue e de verminoses”. usurpadores da maior concentração de renda do planeta. o autor faz uma critica sobre a elite do nosso país e utiliza como adjetivo pobreza.

é preciso transformar o País em uma imensa escola.Escola Brasil Cristovam Buarque O Brasil não será eficiente nem decente enquanto todo o seu território não for uma enorme e competente escola para toda sua população. mas sua prioridade e sua obsessão estarão na educação. tanto quanto Juscelino nos envolveu na guerra do desenvolvimento. Com um presidente obsessionado pela educação. . Ele cuidará de todas as obrigações de um governo. Fazer escolas é construir prédios. da mesma forma que para os presidentes anteriores as obsessões sempre foram a economia e as obras civis. é ser uma escola. ser uma escola exige dez ações voltadas para a universalização e a qualificação das escolas. o Brasil só será uma grande escola quando um presidente da república assumir que sua principal missão está na educação: sua marca na história será deixar um povo educado. Para fazer o salto brasileiro a uma sociedade eficiente e decente não basta construir escolas. Em primeiro lugar. a Escola Brasil só funcionará se cada cidadão sentir-se envolvido nessa guerra. O problema brasileiro não é ter escolas.

para que a carga horária seja eficiente e para que eles tenham direito a períodos sabáticos. computadores. Além da BolsaEscola.mais importante é que nenhuma criança fique fora destes prédios. o tênis. Além disso. durante os quais se atualizarão. no ar condicionado e na limpeza dos bancos e dos shopping centers. O Brasil precisa de cerca de 30 mil novas escolas e fazer uma imensa faxina nas que já existem. para melhorar o desempenho. é preciso equipá-las. É preciso garantir que todas elas ingressem na escola. se os meios de comunicação se transformam em divulgadores do clima social de prioridade à educação e em promotores de programas educacionais. uma imensa e dinâmica Escola. vídeos. Mas. nossos melhores prédios terão de ser nossas escolas. Belos prédios são necessários e fáceis de fazer . é preciso que cada escola tenha a máxima qualidade. A cara das prioridades de um país está na fachada e qualidade dos prédios de suas atividades. a ser sacado com juros apenas no final do ensino médio. esta cara está nas fachadas de vidro e aço. hoje a escola precisa de bibliotecas. as viagens. Para isso. Para o Brasil ser uma grande escola de qualidade. é preciso dobrar o salário médio atual de nossos professores.Os pais terão de assumir a educação dos filhos como uma prioridade maior do que o carro. não houverá educação. fiscalizar com todo rigor a freqüência dos alunos. As crianças não nascem na escola. Além disso. em quantidade e em qualidade. Criança não espera para crescer depois do cumprimento das promessas de creches ou de empregos para os pais feitas pelos políticos. No Brasil de hoje. nunca atrasar o pagamento um único dia. No entanto. é preciso cuidar de cinco aspectos: aumentar o valor pago às famílias. tendo recebido o atendimento necessário para seu desenvolvimento físico e intelectual. ao longo de sua primeira infância. . Os meios de comunicação terão que considerar-se como parte fundamental da Escola Brasil. Enquanto houver um divórcio entre comunicação e educação. o Brasil dará o passo fundamental para ser. Uma solução imediata é garantir um salário às mães. bastaria levar adiante a proposta que o governo federal já vem desenvolvendo de garantir Bolsa-Escola para 10. Para que o Brasil seja uma escola com qualidade. Já se foi o tempo em que a escola se resumia a apenas um professor com quadro negro. para que todas as crianças sejam atendidas. é preciso aumentar o número deles em 500 mil. pagar por família e não por criança. ele inteiro. conecção para a Internet. Mas. e manter a bolsa até que o menor dos filhos desta família conclua o seu curso básico. a casa. Não há. como condição absolutamente necessária para que a bolsa seja paga. Os empresários terão que aceitar a primazia da infra-estrutura educacional na frente da infraestrutura econômica. para que a família possa cuidar dos filhos. É preciso ter todas as crianças em aulas.7 milhões de crianças. será preciso que o governo implante o programa Poupança-Escola: um depósito para cada criança pobre aprovada no ano letivo. porém. escola sem escolas.

aumenta a dedicação dos filhos. além dos gastos atuais. se o Brasil quiser. mas na Escola Brasil são os ricos os que precisam entrar. É muito pouco para um país tão rico. Com todas as condições que a Escola Brasil lhes oferecerá. de aprendizado de língua estrangeira. em que todos devem estar aprendendo alguma coisa. criar mecanismos de divulgação da leitura por todo o território nacional. ele tem que dar sua contrapartida. a sociedade tem que garantir os recursos para que ele não pare seus estudos por causa de pobreza. Se isso for feito. E depois. aumentaria nossa riqueza. A Escola Brasil tem que ter todos os adultos mobilizados em um imenso mutirão. Mas. Um país que despreza a educação faz um pacto de negarlhe condições de trabalho e pouco exigir dele.Houve um tempo em que o professor se formava e com os conhecimentos adquiridos tinha o saber necessário para ensinar até sua aposentadoria. ser professor é estar em formação permanente. se evitamos desperdícios feitos atualmente. A Escola Brasil tem de começar pelo desafio de abolir o analfabetismo em quatro anos. A Escola Brasil é possível. daria a auto-estima que o Brasil carece. Nossos presidentes dariam um ótimo exemplo se matriculassem-se em algum curso: de uso de computador. no máximo. O Brasil divide-se entre os que não sabem ler e os que sabem e não lêem. Por isso. E o retorno. inclusive material. Ainda menos. em poucos anos. Se o centro do processo educacional está no professor e se tem todo o apoio da sociedade e do governo. aumentaria as receitas de nossos governos. Tudo isso custaria menos de 5% da receita do setor público brasileiro. no conteúdo e nos métodos de ensino. se a universidade pública não for capaz de absorver todos os jovens que desejam estudar nelas. Porque a maior prova da necessidade de transformar o Brasil em uma grande escola é colocar nela sua elite. Isso pode ser modificado com a disseminação de centenas de milhares de pequenas bibliotecas domésticas em todo o território nacional. nossos professores terão que aceitar as exigências de formação continuada e de avaliações permanentes. de história do mundo. Em pouco tempo de formado. se preparando e submetendo-se a avaliações. Os outros são uma exceção de poucos milhões. não basta educar nossos alunos e nossos professores. o Brasil pode levar todos seus jovens para programas de formação de mão-de-obra. Todo jovem tem de ter direito de estudar até o limite que se propor. Por isso. Esse tempo acabou. cada professor está superado em grande parte do que aprendeu. Cada pai que se inscreve em um curso. começando pelos políticos . O desafio é saber como fazer uma Escola Brasil antes que sua elite tenha passado por ela. São os pobres que precisam entrar nas escolas. e acabaria a vergonha que sentimos por não termos feito esse esforço antes. mudaria o Brasil. desde que haja os cursos necessários.

com. as condições para que todas as crianças possam ter acesso a escola.br/aprendiz/n_colunas/c_buarque/id260801. segundo o autor? Você concorda? Dê sua contribuição co algumas sugestões! E o papel da sociedade para o autor tem importância? de que forma? Esta imagem tem a ver com as políticas publicas voltadas para a educação no momento? Porque? .Disponível em: http://www2.uol. devem ser realizadas para garantir escola de boa qualidade para todos? Discuta com seus colegas sobre os problemas de sua escola e levante ações que possa melhoras o qualidade do ensino? O que o governo já esta fazendo? E precisa fazer para melhorar a qualidade do ensino e.htm Interpretação de texto: Quais são as dez ações que. segundo o autor.

alguns ficam fora da escola. faria com que todos fossem igualmente pobres. a probabilidade é igual à de ganhar na loteria. se ela fosse radicalmente repartida.Berço da desigualdade Cristovam Buarque Quando nascem. alguns vão cedo para a escola. porque a renda nacional ainda é baixa. segundo. Ao longo de sua vida. uns freqüentam-na irregularmente. e a orientação para romper o ciclo criado por ela. Há décadas. outros não. A desigualdade de 20 vezes na distribuição da renda aumenta para 80 vezes no gasto com educação. depois. Primeiro. enquanto isso. Aí está a explicação da desigualdade. porque a concentração da educação impede a distribuição da renda. receberá cerca de R$ 250 mil em toda a sua vida escolar. com renda per capita de R$ 1.00 na sua educação. uma criança brasileira nascida entre os mais pobres.600. outros não. receberá um investimento de R$ 3. mesmo que se desejasse distribuí-la. sem perceber que sua causa fundamental está no acesso à educação. . outros ficam na escola por 20 anos. quase nenhum vai garantir ascensão social por meio do diploma. ou o concluem com péssima qualidade. alguns começam a comer. a seguir. economistas tentam explicar a desigualdade pela distribuição da renda. do pré-primário até o final da universidade. não distribuiria riqueza.00 por mês. outros permanecem por quatro anos. com renda per capita de 80 reais por mês. Dos que nasceram em berço pobre. ou a abandonam antes de concluir o ensino médio.200. Já aquela nascida entre os mais ricos.

as escolas precisam de equipamentos. enquanto poucos chegam ao final da universidade. Não há igualdade entre crianças que começam a brincar com computadores em idades diferentes. é preciso que ele estude. outros não têm recursos nem mesmo para educar a todos. como faz o Bolsa Família. Porém. se forme. é preciso não parar no ensino fundamental. no Brasil. Outro elemento vital para o rompimento do círculo da pobreza é o professor. O caminho para eliminar a tragédia da desigualdade no Brasil está na garantia da educação de qualidade a todos. É uma vergonhosa causa de desigualdade o descaso com que aceitamos que grande parte da população só estude até os 14 anos. só chegaria àqueles que têm emprego. Não se pode esperar igualdade em um país onde algumas crianças entram na escola aos 4 anos e outras aos 7.A promessa de romper o círculo da desigualdade por meio da distribuição direta de renda é demagógica. em creches ou outros sistemas que assegurem seu desenvolvimento intelectual. Alguns países dispõem de renda suficiente para distribuí-la quase independentemente da educação de seus indivíduos. . O Brasil precisa tornar obrigatório o ensino médio. ela é construída por políticas sociais que beneficiam uns mais do que outros. caso contrário não terá qualquer papel no esforço de construção da igualdade. As instalações estão quase todas disponíveis. a desigualdade é conseqüência da pobreza natural. com a condição de que seus filhos estudem. Ao lado do professor. com alimentação e cuidados pedagógicos. os meios de gerenciá-las já existem. mas sobretudo porque nenhum outro agente social produz mais igualdade do que um professor em sala de aula. é preciso pagar bem aos professores e professoras. do pré-natal até o primeiro emprego. se fosse. mas tem os recursos para educar todos os brasileiros. Sobretudo. Para distribuir renda. se dedique. A garantia de vaga na escola a todas as crianças de quatro anos é o caminho para vencer a desigualdade. porque não há renda suficiente para todos e porque ela não se distribui simplesmente por decreto. é preciso acompanhar seus filhos desde o dia em que nascem. Esse seria um gesto simples dos brasileiros para com suas crianças. Não apenas porque no Brasil eles somam 2 milhões de mal remunerados. Em alguns países. o que hoje exige educação. O Brasil não tem renda suficiente para distribuí-la bem. O aumento do salário mínimo não será suficiente para tirar os pobres da pobreza e. Além de pagar às mães uma renda suficiente para garantir a alimentação da família.

no máximo 30 anos.Com essas medidas. O Unicef fez sua parte. brasileiros. A hora é esta e é possível. Mas é preciso mais. é possível perceber nas ruas a desigualdade que o autor se refere no texto? Qual é o principal motivo da desigualdade brasileira? Você com a tese do autor? Segundo o autor como se constrói a desigualdade no Brasil? È possível reverter este quadro? Qual é a forma que o autor sugere? Comente as imagens e relacione com o texto? . o que cria o maldito círculo da vergonha nacional. iniciando um grande programa de capacitação e formação de professores e implementando ações de inclusão escolar. em 15.com. bem como com livros e equipamentos.br/html/noticia/noticia_clipping_jjig. O Unicef mostrou como a desigualdade social transfere-se para a desigualdade na educação e nos ajuda a perceber que a desigualdade ao acesso à educação é a causa da desigualdade social. É preciso olhar para os berços desiguais onde nossas crianças nascem e passam sua infância. sem a vergonhosa desigualdade de hoje. o Brasil será um país com uma distribuição decente de renda. É tempo de romper o círculo da desigualdade. 20. precisamos fazer a nossa.html Interpretação do texto: Qual é o assunta principal do texto? Segundo Cristovam Buarque. similar ao compromisso de décadas com o crescimento econômico. Nós. temos a vontade política e já estamos dando os primeiros passos. incentivos e um compromisso radical com a educação. discutindo a criação do Fundeb. E também que deve ser verdadeiro o contrário: o investimento no berço quebrará esse círculo. (Disponível em http://www.universia. Sabemos como fazer.