Você está na página 1de 21

VIABILIDADE DE DEPÓSITOS DE BAIXO TEOR: UM ESTUDO DE CASO DO PROJETO VIGA DA FERROUS RESOURCES DO BRASIL

Belonio K. Hashizume Eder de Silvio Lucinei Quirino Marcelo Batelochi Rogério M. Patente

RESUMO
O presente trabalho descreve como a Ferrous estudou e viabilizou técnica e economicamente um depósito de minério de baixo teor de Fe contido (~ 34% Fe), gerando uma produção de 25Mtpa de pellet feed de alta qualidade. Essa iniciativa vem de encontro com o atual contexto de desenvolvimento sustentável, convertendo em riqueza mineral depósitos que sem a tecnologia adequada seriam inviáveis.

ABSTRACT
This paper describes how the Ferrous studied technically and economically feasible and an ore deposit contained low amounts of Fe (34% Fe), generating a 25Mtpa production of high quality pellet feed. This initiative is in line with the current context of sustainable development, converting deposits in mineral wealth without the appropriate technology that would be unachievable.

Palavras-chave: Mineração, minério, baixo teor, Ferrous, Viga.

AUTORES
Belônio K. Hashizume é engenheiro geólogo formado pela UFOP tendo trabalhado na Nuclebrás e na Vale. Desde 2008 trabalha na Ferrous, na área de processo como engenheiro máster. Eder de Silvio é engenheiro de minas formado pela USP, tendo trabalhado na Mineração Taboca e na ECM. Desde 2010 está na Ferrous, atuando como superintendente de Implantação. Lucinei Quirino é engenheiro de minas formado pela UFOP. Trabalhou na Vale e, desde 2007, atua na área de planejamento de longo prazo da Ferrous como engenheiro máster. Marcelo Batelochi é geólogo formado pela UNESP tendo trabalhado na Rio Tinto (12 anos) na Vale (4 anos) e ,desde 2007 , atua na Ferrous como gerente de Geologia e Planejamento de Lavra. Rogério M. Patente é engenheiro de minas formado pela UFMG, tendo trabalhado na Mineração Taboca e na Vale. Desde 2008 está na Ferrous, onde atua como gerente de Desenvolvimento de Processos.

Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil

______________________________________________________________________________________

1 - Apresentação A Ferrous Resources do Brasil (“Ferrous”), fundada em 2007, é uma empresa de pesquisa, prospecção, exploração, beneficiamento e comercialização de minério de ferro nos mercados interno e externo, com logística integrada. O plano de negócios da Ferrous inclui a aquisição de ativos minerários e construção de logística própria (mineroduto e terminal portuário), além de projetos de pelotização e siderurgia com a finalidade de tornar-se um importante player no mercado mundial de minério de ferro. A Ferrous investe na inovação para o desenvolvimento da atividade de mineração, buscando aliar a tecnologia a uma atuação responsável e comprometida com o desenvolvimento sustentável. Atualmente, a Ferrous possui seis ativos minerários, sendo cinco em Minas Gerais (Esperança e Serrinha, em Brumadinho; Santanense, em Itatiaiuçu; Viga, em Congonhas; e Viga Norte, em Itabirito – figura 1) e um na Bahia (Jacuípe, em Coração de Maria – figura 2). Nesses depósitos minerais, a empresa vem realizando trabalhos de pesquisa geológica, desenvolvimento de processos, engenharia e meio ambiente para viabilizar a implantação de seus projetos.

Figura 1 – Localização dos depósitos de minério de ferro em Minas Gerais

Figura 2 – Localização do depósito de minério de ferro na Bahia ____________________________________________________________________________________
Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010

 Fase 3 – Implantação do Projeto Jacuípe: mineroduto e porto para a produção de 15Mtpa. Os recursos para implantação desses projetos provêem de investidores institucionais.  Fase 2 – Implantação do Projeto Serrinha e Esperança: para produção de mais 25Mtpa. constituído de um porto e usinas de pelotização e siderúrgica.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Os investimentos da Ferrous estarão concentrados nos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. expansão do mineroduto e do porto para a produção de 50Mtpa. interligado por um mineroduto de aproximadamente 400km à mina de Viga. no município de Coração de Maria. na implantação de seus projetos. a Ferrous desenvolve o projeto Jacuípe. pode ser dividido em três fases:  Fase 1 – Implantação do Projeto Viga e Viga Norte: mineroduto e porto para a produção de 25Mtpa de pellet feed. em Congonhas (MG). a empresa construirá um complexo industrial no extremo sul do estado (município de Presidente Kennedy). em 2013. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . também em 2016. e pretende construir um mineroduto de aproximadamente 80 quilômetros e um porto próprio na Bahia de Todos os Santos. Nesse último. Na Bahia. O plano de desenvolvimento da Ferrous. em 2016. que acreditam no potencial produtivo do Brasil.

00 10.00 40. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .00 70.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 2 . O projeto caracteriza-se por ser um depósito de grandes recursos minerais e de baixo teor de ferro. desenvolvimento de processos e planta piloto. avaliação de recursos minerais. planejamento de mina.00 0. principalmente. ao grande esforço desenvolvido nos estudos das opções tecnológicas que permitiram otimizar uma rota de beneficiamento visando à produção de pellet feed com alta recuperação e excelente qualidade.00 20.00 50. principalmente. conforme demonstra a tabela 1: Teor Fe (%) Teor de Ferro Contido Médio nos Principais Depósitos de Minas Gerais 80. O desenvolvimento do projeto Viga foi estruturado. em estudos nas áreas de geologia. mapeamento geometalúrgico.Introdução O presente estudo refere-se à implantação do projeto Viga (fase 1).00 30.00 60.00 Tabela 1 – Comparativos dos teores médios dos depósitos de minério de ferro em Minas Gerais (Fonte: Anuário Mineral Brasileiro de 2006 – DNPM) A viabilidade técnica e econômica do projeto Viga foi possível devido. que se encontra em estágio avançado de desenvolvimento de engenharia. caracterização tecnológica.

O QF é constituído por sequências vulcano-sedimentares arqueanas. O depósito de minério de ferro de Viga consiste de uma estrutura do tipo nappe dobrada. cobrindo aproximadamente 7 mil km2. Figura 3 – Malha de sondagem geológica do depósito de Viga O depósito de minério de ferro de Viga consiste basicamente em itabiritos silicosos friáveis e compactos com bandas de hematita (com ou sem magnetita) intercaladas com bandas de quartzo. 35. A figura 4 mostra a malha de sondagem geológica do depósito de Viga. ferro.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 3 . do tipo greestone belt (Supergrupo Rio das Velhas). na parte sul do Cráton São Francisco do leste do Brasil. O Supergrupo Minas hospeda a maioria dos clássicos BIFs proterozóicos depositados na plataforma continental e classificados como tipo Lago Superior.165.Geologia O depósito de Viga localiza-se no Quadrilátero Ferrífero (QF). alumínio e manganês. Os procedimentos de sondagem e de amostragem foram documentados em uma série de protocolos que permitem uma abordagem padrão a ser seguido no estudo de ativos minerais. Sobrejacentes aos itabiritos estão os filitos.30 metros perfurados e 5. de itabiritos da Formação Cauê (Supergrupo Minas) arremessada sobre filitos do Grupo Sabará. provavelmente da Formação Cercadinho.104 amostras. sujeito aos limites da topografia e da licença minerária. A sondagem foi fechada a uma malha de 100m por 100m. um distrito metalogenético para ouro. O banco de dados tem 154 furos de sondagem. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . sobreposta por sedimentos plataformais paleoproterozóicas (Supergrupos Minas e Espinhaço).

magnetismo variando de moderado a forte e cor predominante cinza. em geral. No último caso.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Figura 4 – Seção geológica vertical esquemática do depósito de Viga O depósito de minério de ferro de Viga é constituído por rochas da Formação Cauê. esses itabiritos apresentam granulação fina. O minério de ferro é formado por litotipos que foram denominados de itabirito silicoso. Em geral. os afloramentos de formação ferrífera são. manganês e perda ao fogo também apresentam elevações nos teores. No entanto. Esta observação corrobora com a interpretação de enriquecimento supergênico visto que alumina. que ocorre na porção central da área do projeto. principalmente. fósforo. os litotipos de alto teor ocorrem associados a estruturas como falhas ou lineamentos. No depósito de Viga. Litotipos de alto teor de ferro são classificados como itabirito hematítico (Fe% >50%) ou hematita (Fe >63%). ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . em análise de testemunho de sondagem. friáveis. ocorrem próximo à superfície caracterizando enriquecimento supergênico ou como lentes em profundidade. Esses litotipos são pouco freqüentes no depósito. Os corpos compactos são frequentemente encontrados em níveis profundos do depósito. Em geral. itabirito goethítico/manganesífero e itabirito carbonático. observa-se que este enriquecimento supergênico não se mantém na medida em que aumenta a profundidade.

verifica-se a grande predominância do litotipo itabirito silicoso (compacto e friável). orientação dos testemunhos de sondagem.59 34.79 76.48 35.37 31.43 31.21 27.60 0.46 65.90 0.53 IHMF 16.09% ICAC 20.51 0.98 3.94 54.96 2.58 63.01 50.36 35.11 0.77 32.03 Total Massa (Mt) Teor Fe (%) 10.39 0. que estão demonstrados na tabela 2 e figura 5: Litototipo Colúvio/Elúvio Minério Laterítico Hematita Compacta Hematita Friável Itabirito Hematítico Compacto Itabirito Hematítico Friável Itabirito Carbonático Compacto Itabirito Goethítico Compacto Itabirito Goethítico Friável Itabirito Silicoso Compacto Itabirito Silicoso Friável Recursos Projeto Viga Medidos Indicados Massa (Mt) Teor Fe (%) Massa (Mt) Teor Fe (%) CEL 6.40 65.03% HEMC 0. seguido por itabirito carbonático e goethítico: PERCENT OF TOTAL RESOURCES (Measured + Indicated + Inferred) CEL CGA ISIC 32.98 54.11 TOTAL 578.42 ISIS 161.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 4 – Avaliação dos Recursos Minerais A avaliação geoestatística de recursos minerais foi feita com base nas informações do mapeamento geológico.44 ICAC 58.53 ISIF 290.98 29.53 618.18 57.95% ISIF 39.00 29.85 54.90 243.26 20.11 7.31 36.78 27.03 56.35 IHMC 1.56 1.61 110.01% 0.21 57.92 54.21 35.00 Tabela 2 – Recursos minerais do projeto Viga Essa avaliação de recursos é anualmente auditada e certificada por reconhecidas empresas especializadas internacionalmente em avaliação de recursos.75 241.13 0.15 35.61 756.42 35.37 27.07 330.38 27.63% IGOF 4.19% Figura 5 – Distribuição dos recursos minerais de Viga por litologia ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .576.61 63.35 49. medida de desvio do furo.98 HEMC 0.64 35.27 CGA 0.03 64.89 0.94 30.32% CGA HEMF 0. foi determinado os recursos minerais de Viga.63% ISIC ISIF IHMC 0.33 35.76 54.92 29.61 1.91 53. Após o modelamento geológico e a krigagem dos blocos. furos de sondagem. com base em uma experiência de consultores e certificados por auditores independentes.06 68. interpretação geológica vertical (100m de espaçamento) e seções horizontais (12m de equidistância) e banco de dados de densidade.66 31.96 3.66 50.22% HEMC HEMF IHMC IHMF ICAC IGOC IGOF IHMF 1.23 320. Os procedimentos de sondagem geológica.60 0. amostragem.73 IGOC 0.08 HEMF 0.33 148.84 514. medida de densidade e procedimentos de QAQC foram implementadas em 2007/2008.04 35.80 33.72 Inferidos Massa (Mt) Teor Fe (%) 123.88% IGOC 0. Pela figura 5. com base nos critérios australianos JORC (Joint Ore Reserves Committee).04% CEL 0.41 IGOF 40.

uma série de cavas foram traçadas. associado aos resultados dos testes padrão. Curvas de enriquecimento de teores foram elaboradas visando estimativa preliminar da qualidade e recuperação do pellet feed (Al2O3. O modelo geológico do depósito.Planejamento de Mina A atividade de planejamento de mina vem sendo validada durante toda a fase de desenvolvimento do projeto. sendo os recursos e inferidos e potenciais considerados como estéril. em uma escala de 25Mtpa durante 17 anos. Dessa forma. selecionou-se uma cava que traz o máximo de retorno financeiro ao projeto. P. Os avanços dos estudos geológicos e de processo possibilitaram utilizar somente recursos medidos e indicados para definição do pit final. foram realizados em mais de 600 amostras dos testemunhos de sondagem. 6 .Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 5 .2% e uma relação estéril/minério (REM) de 0. FeO. Mn. perda ao fogo e recuperação mássica) e. conseqüentemente. Fe. permitiram identificar os agrupamentos de minérios e definir critérios litogeoquímicos de classificação das amostras mineralizadas. Desta forma. manganesífero.46/1. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . o depósito de Viga foi mapeado geometalurgicamente em quatro grandes grupos de minérios: goethítico.Mapeamento Geometalúrgico Testes padronizados de bancada. silicoso e carbonático. A cava escolhida permitirá uma produção de aproximadamente 704Mt de ROM com um teor médio de ferro de 36. a partir de uma variação do preço base comercial (variando o preço entre 50% a 150%). Usando o software Whittle Pit Optimisation. Estes estudos possibilitaram a obtenção de uma cava final matemática e posterior operacionalização dos planos de lavra anuais. a vocação do depósito. SiO2. incorporando-se todos os estudos de avaliação geológica e de desenvolvimento de processo. simulando a rota de processo.

este método consiste em subdividir o pit final em algumas fases de lavra.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Figura 6 – Determinação da cava ótima do depósito de Viga e sua classificação por litotipo Um dos desafios do planejamento de lavra será equalizar a alimentação da planta de beneficiamento no que se refere à relação friável/compacto e distribuição de estéril. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . esta subdivisão permitirá a lavra nos primeiros anos com a menor relação estéril minério e ao mesmo tempo garantir que a planta receba a maior parte de minérios friáveis. Figura 7 – Perfil correlacionando minério e estéril do depósito de Viga Para tanto o método de lavra a céu aberto foi direcionado para uma operação por fases.

Do sétimo ano em diante. gerando um produto com qualidade comercial. Do terceiro ao sexto ano de operação.00 45. o teor de ferro médio é de aproximadamente 36%.00 35. Teor de decrescente na medida em que a lavra se desenvolve: nos dois primeiros anos de operação. tornou-se o maior desafio deste projeto.00 40. Além de se tratar de um depósito de baixo teor de ferro.00 30.00 25.00 1 2 3 4 Teor Fe ROM Viga (%) 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Figura 9 – Evolução do teor do ROM de Viga ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . outros fatores identificados durante a evolução dos trabalhos. o teor de Fe médio no ROM é de aproximadamente 44%. o teor de ferro médio no ROM é de aproximadamente 34%.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Figura 8 – Fases de lavra do depósito de Viga 8 – Desenvolvimento de Processos O desenvolvimento de uma rota de processo que maximiza a produção e minimiza o CAPEX. Teor Fe (%) 50. também se tornaram grandes dificultadores para o desenvolvimento da rota de processo:   Depósito de baixo teor de ferro contido conforme já demonstrado anteriormente.

0 60.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________  Inversão ao longo do tempo da relação minério friável / minério compacto (figura 10).0 0.0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 Friável Compacto Figura 10 – Proporção de itabirito silicoso friável e de itabirito silicoso compacto  Crescente aumento no WI (Work Index) da moagem ao longo do tempo em função da inversão da compacidade do ROM (figura 11): kwh/st 12 Evolução do WI (kWh/t) R² = 0. % ROM 100.0 20.0 40.0 Evolução da Partição Friável x Compacto 80.7283 10 8 6 4 2 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Figura 11 – Evolução do WI de moagem com o desenvolvimento da cava ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .

Laboratório de Análises Químicas. Laboratório de Desenvolvimento de Processos. sinter feed fino e pellet feed. poços. Laboratório de Caracterização Mineralógica. somados à execução de outros testes externos. fornecem o suporte tecnológico básico e necessário para o desenvolvimento de processos para seus projetos:      Laboratório de Preparação de Amostras e Teste Padrão. foi elaborado o seguinte roteiro:  Determinação do teor de ferro e contaminantes nas faixas granulométricas correspondentes aos produtos granulado. Teor e recuperação na flotação do pellet feed. Caracterização Tecnológica e Testes Preliminares de Processo Para caracterizar tecnologicamente o minério do Projeto Viga. trincheiras e testemunhos dos furos de sondagem dos litotipos geológicos do depósito de Viga. na Mina de Esperança (Brumadinho/MG). Amostragem A amostragem representativamente distribuída para o desenvolvimento dos trabalhos de processos.    Distribuição mássica e metálica por faixa. Os estudos/testes desenvolvidos nos laboratórios Ferrous. à minimização de perdas e à previsibilidade da operação da planta industrial. criaram todas as condições para desenvolver alternativas técnicas que viabilizaram o projeto Viga. foi feita tanto nos afloramentos. Planta Piloto. visando à determinação da melhor estratégia de processamento do minério. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Os cinco laboratórios implantados pela Ferrous. sinter feed grosso. Grau de liberação.

06 0.54 0.00 0.019 0. não se obtém produtos (lump.20 1.01 PPC 6.50 20.25mm +0.055 0.60 38.0mm -2.08 0.070 0.10 0.0mm +6.0mm +0.30 45.26 0.2 29.70 13.04 0.12 0.170 0.35mm -6.109 0.40 70.40 1.90 49.0 100.170 0.0mm -4.10 0.35 0.17 0.18 0.12 1.0mm +1.0mm +2.68 0.16 1.70 29.95 1.50 19.0 1.0 100.039 0.25mm +0.08 0.68 0.10 0.30 44.98 44.20 47.90 44.16 0.00 51.40 46.07 5.049 0.50 22.0mm +6.25mm -0.74 1.7 3.50 52.016 0.42 1. hematitinha e sinter feed) com qualidade comercial.35mm +4.0mm -1.58 2.130 0.057 0.076 0.5mm +0.5 5.0mm +0.10 26.05 0.13 0.15mm Global calculado 25.5mm -0.180 0.10 20.22 0.9 3.10 0.35mm +4.03 0.78 5.20 59.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Os estudos seguiram o procedimento ilustrado na figura 12: Amostra Incial Peneiramento (32mm) Homogeneização Britador de Mandíbulas Quarteamento Caracterização Tecnológica Amostra Reserva Análise Química Global Caracterização Mineralógica Testes de Conc.25mm -0.10 0.9 3. Magnética Testes de Flotação Figura 12 – Procedimentos experimentais dos ensaios de caracterização tecnológica Análise Granuloquímica A análise química por faixa granulométrica gerou os seguintes resultados: Análise Química por Faixa Granulométrica Litotipo Faixa Granulométrica % Massa -32.80 36.60 31.3 18.60 5.15mm Global calculado -32.15mm -0.02 0.0mm +2.5mm +0.15mm -0.82 0.47 0.36 1.5mm -0.94 Teor (%) Mn P 0.038 0.70 47.00 58.80 31.98 Itabirito Silicoso Friável Itabirito Silicoso Compacto Tabela 3 – Análise química por faixa granulométrica Os resultados da tabela 6 indicam que a partir de uma simples classificação granulométrica.0 58.9 11.0mm -4.10 52.12 Fe 51.13 0.90 1.30 18.9 16.04 0.3 6.7 7.10 67.041 SiO2 20. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .80 49.00 53.0mm -2.06 0.35mm -6.0mm +1.053 0.00 16.10 36.042 0.0mm -1.11 0.160 0.94 0.40 32.7 1.1 2.0 Al2O3 0.22 0.9 4.18 0.38 0.94 1.70 29.48 0.42 0.10 0.03 0.10 28.

 Os principais minerais ferro são a goethita.212mm. 0.  O minério silicoso compacto possui um maior teor de FeO (magnetita) do que os minérios friáveis. gerando os seguintes resultados:  O litotipo itabirito goethítico mostrou-se com o maior teor de ferro contido (45.149mm.150 mm.  As partículas na granulometria de lamas (partículas menores que 10 microns) apresentaram cerca de 10% de minério goethítico.3% Fe) em relação ao itabirito silicoso friável (41.106mm em amostras do itabirito silicoso friável e itabirito silicoso compacto.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Determinação do Grau de Liberação Os estudos de liberação dos minerais de ferro foram realizados nas malhas de 0. Esses estudos indicam que.149 mm 0.2% Fe) e itabirito silicoso compacto (37. a liberação dos minerais de ferro varia de 87% (compacto) a 93% (friável).150mm e 0. hematita e magnetita. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .212 mm Itabirito Silicoso Friável 0. na fração de 0.  Os estudos de liberação utilizando algumas técnicas como MLA e MEV mostraram que a liberação adequada do minério de ferro é em 0.9% Fe). % Fe Liberado 100 80 60 Grau de Liberação 40 20 0 0. enquanto a principal ganga é o quartzo.106 mm Itabirito Silicoso Compacto Figura 13 – Grau de liberação Caracterização Mineralógica Amostras representativas dos cinco (5) primeiros anos de operação da Mina de Viga foram selecionadas e caracterizadas mineralogicamente na USP-LCT.

12 1.00 0.70 45.25mm + 0.78 5.70 25.6 Al2O3 0.27 0.15 45.3 0.15mm -6.50mm -0.57 1.9 4.180 0.0mm + 0.032 0.30 19.0mm -1.3 1.30 18.35mm + 4.4 0.0mm + 2.20 56.060 0.140 0. O rejeito desta separação foi então submetido ao segundo estágio em campo magnético de 7.28 0.10 0.3 0.1 17.80 65.80 32.14 0.50 Teor (%) Mn P 0.08 0.0mm -2. Testes de pré-concentração gravítica utilizando espirais concentradoras foram feitos não gerando resultados satisfatórios.49 0.30 0.90 34.120 0.7 1.77 1.81 0.0mm + 1.3 0. utilizando bromoformio (densidade 2.50mm + 0.09 0.80 11.10 52.50mm -0.91 5.15mm ISIC 1.50mm + 0. Testes de Separação Magnética Os testes de separação magnética foram realizados com amostras nas faixas de sinter feed.0mm -4.500 Gauss (imã de mão) gerando o segundo concentrado magnético.10 48.19 0.170 0.0mm -1.50 53.00 0.2 2.000 Gauss gerando o primeiro concentrado magnético.25mm -0.48 0.25mm -0.20 4.90 ISIF -6.50 60.88 33.1 1.16 0.091 0.050 0.4 0.80 1. sendo então descartada esta alternativa de rota de processo.70 50.26 0.8 1.060 SiO2 24.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Testes de Líquido Denso Foram feitos testes de separação por líquido denso nas faixas correspondentes ao sinter feed.10 49.23 0.44 0.03 0.16 51.0mm -2.38 0.25mm enquanto a partição de afundado para o itabirito silicoso compacto foi de aproximadamente 25% não obtendo em nenhuma fração um produto com qualidade comercial (minério ainda não liberado).9 g/ml) como meio separador. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .39 0.140 0.25mm + 0.040 0.0mm + 0.90 53.35mm + 4. Os testes consistiram em submeter a amostra em campo magnético de 1.00 26.0mm + 2.42 Fe 51.070 0.20 49.0mm -4.60 3.58 Tabela 4 – Resultados dos ensaios de líquido denso Os resultados indicam que para o itabirito silicoso friável a partição de afundado foi de aproximadamente 23% gerando um produto de boa qualidade (minério liberado) somente na fração <0.18 0.70 PPC 1.040 0.07 0.090 0.9 1.07 1.00 16.70 21.09 0.70 27.94 1.80 7.0mm + 1. gerando os seguintes resultados: Separação em Líquido Denso Litotipo Faixa Granulométrica Produto Sobrenadante Afundado Afundado Afundado Afundado Afundado Afundado Sobrenadante Afundado Afundado Afundado Afundado Afundado Afundado % Massa 34.06 0.57 0.

09 0.10 1.5 21.051 0.1 49. -1.500 G.00 50. o minério foi moído a um d95 de 0.69 0.0 40.00 56.0 50.58 61.40 1.34 -0.15mm).000 G.500 G.000 G.50 0.052 0.90 PPC 7.60 42.1 3.49 1.22 ISIF ISIC Conc.09 0. 1.0mm Conc.050 0.40 43.25 ISIF Tabela 6 – Resultados dos testes preliminares de flotação Os testes preliminares de flotação geraram produto (pellet feed) com boa qualidade comercial.06 0.149 0.06 0.30 37.12 0.10 0.09 0.6 1. 7.056 0.5 35.02 0.6 10.023 0.6 6.09 0. não geraram um produto final com qualidade comercial.69 67.085 0.16 0.18 1.32 34.50 1.60 17.0 36.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Litotipo Faixa Granulométrica Resultados dos Testes Preliminares de Separação Magnética Massa Teor (%) Produto % ROM % Teste Al2O3 Fe Mn P 2.500 G.30 67.20 0.40 59. -1.23 0.0 43. 7.6 33. 7.1 4. 7.015 Litotipo Produto Lama Concentrado Rejeito Lama Concentrado Rejeito SiO2 23.70 30.0 55.78 0.02 0.017 0.32 1.47 0.88 74.00 39.6 18.14 0.96 0. 1.68 0.15mm Conc. Resultados dos Testes Preliminares de Flotação Teor (%) % Massa Al2O3 Fe Mn P 14.36 0.31 0.87 33.0mm + 0.62 8.30 42.035 0.40 29.93 62.3 36.130 0.86 4.6 23.88 0.081 0.000 G.23 73.35mm + 1.5 0. indicando ser esta a rota de processo vocacional do depósito de Viga.0 12.094 0.045 0.50 49.15mm.91 1.500 G.35mm + 1. seguidos de testes cinéticos de flotação.8 3.60 18. Não Magnético Magnético Total Não Magnético Total Conc.0mm + 0.221 0. Não Magnético Conc.2 2. -6.63 12.56 1.0 64.1 4.0 53.0 31.27 PPC 3.44 0.077 0.32 22.73 57.100 0.80 0.03 0.70 66.00 12.81 1.80 33. 1.2 2. Não Magnético Conc.10 0.10 14. Não Magnético Magnético Total Não Magnético Total Tabela 5 – Resultados dos testes preliminares de separação magnética Pode-se observar que os testes de separação magnética para a fração na faixa granulométrica de sinter feed (6.65 0.225 0.0 14.69 2.60 39.05 0.35mm +0. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .14 0.16 0.20 78. além de recuperar aproximadamente 70% do ferro contido.10 0.4 27.10 45.20 0.08 0.11 56.43 0.03 0.108 0.019 SiO2 20.74 59.70 31.00 42.50 35.24 1.44 0.60 0.000 G.15mm Conc.19 0.60 1.05 0.0mm Conc.20 0.60 20.06 0. deslamado e submetido a testes fatoriais para determinação das melhores dosagens de amido e amina.30 15.00 0.053 0.50 16.5 44.148 0.0 46.9 17.0 10.0 34. Testes de Flotação Para os ensaios de flotação. -6.7 4.10 0.3 3.54 0.0 13.12 0.77 4.3 60. 1.5 7.26 ISIF 3.

estes foram realmente os que mais agregaram informações para o desenvolvimento do projeto. uma vez que embutiram conhecimento necessário que possibilitaram viabilizar um depósito com características bem distintas do que na prática se lavra no Estado de Minas Gerais. que foi agregado ao Projeto Viga.Testes Planta Piloto Apesar de todos os estudos anteriormente citados servirem de base para os testes em planta piloto. onde o da esquerda mostra a concepção de processo anterior a inauguração da planta piloto Ferrous e o da direita mostra o fluxograma de processo adotado posterior à inauguração da planta piloto Ferrous. Antes de ter sua própria planta piloto. somente após a inauguração de sua própria planta piloto é que a Ferrous deslanchou em desenvolvimento tecnológico.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 10 . Um exemplo da otimização ao Projeto advinda dos testes em planta piloto são os fluxogramas esquemáticos de processo abaixo. tornando-o viável técnica e economicamente. a Ferrous utilizou-se da estrutura da Fundação Gorceix para realizar dois ensaios piloto que confirmaram a rota adotada de concentração por flotação. Porém.Comparativo do fluxograma antigo de processo e o fluxograma atual do Projeto Viga ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . ROM ROM Britagem Britagem Moagem Moagem Deslamagem Deslamagem Flotação Mecânica Remoagem Flotação Colunas Classificação Flotação Grossos Flotação de Finos Remoagem Concentrado Final Rejeito Final Concentrado Final Rejeito Final Figura 14 .

 Por último a taxa de sedimentação também foi otimizada acarretando a na redução do diâmetro do espessador de lamas/rejeitos.10 65. 44.0 75. Porém o maior e mais importante ganho foi na produtividade do Projeto.76 3.53 Tabela 7 – Otimização dos resultados do Projeto Viga Pelo exposto acima a planta piloto agregou ao Projeto Viga um ganho na recuperação mássica prevista de aproximadamente 19.27 2. Mássica (%) Metalúrgica Fe (%) Fe Conc. que trouxe uma redução na demanda de energia para os moinhos de aproximadamente 25%. quando comparados com concepção inicial do projeto:  Através de testes conjugados de moagem primária.Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Além da simplificação de processo (layout) da usina.5%. Todos estes ganhos possibilitaram a Ferrous a tornar o empreendimento viável técnica e economicamente.  A remoagem também foi otimizada trazendo ganhos não só em redução de energia mas também em otimização do mineroduto.0 49.9 84. também foram agregados ao projeto as seguintes otimizações.2 41.0 74. conforme ilustrado abaixo: Teste Teste Padrão Previsão Geoestatísca Teste Piloto Otimização dos Resultados do Projeto Viga Teor (%) Recuperação Recuperação SiO2 Conc. um ganho na recuperação metalúrgica do Fe de 13% além de ganho considerável na qualidade do produto final.80 66. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .  Outra otimização foi na taxa unitária de filtragem que possibilitou a redução nas unidades de filtragem previstas. superando todas as dificuldades inerentes de depósitos de baixo teor.57 0. Todas estas otimizações foram agregadas ao Projeto trazendo uma redução no CAPEX.7 66. otimizou-se o ponto ótimo de moagem do minério. deslamagem e flotação mecânica.

Rio de Janeiro e Espírito Santo. Figura 15 – Traçado do mineroduto ligando a cidade de Congonhas (MG) a Presidente Kennedy (ES) Para exportar o produção do Projeto Viga. garantido toda a logística própria da Ferrous. onde ocorrerá o desaguamento. contando com todo o aporte logístico necessário (mineroduto e porto). O minério de ferro será concentrado em uma planta de beneficiamento próxima à mina e transportado através desse duto sob a forma de polpa. um porto inicialmente para 25Mtpa será implantado no município de Presidente Kennedy (ES). a polpa de minério será recebida em uma planta de filtragem. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 .Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ 11 – Mineroduto e Porto O Projeto Viga é um projeto integrado. A figura 15 mostra o traçado do mineroduto e os municípios atravessados pelo mesmo nos estados de Minas Gerais. Ao final da linha.

Porém este maior OPEX do beneficiamento agregado a logística própria (de menor OPEX) torna o empreendimento bastante competitivo como um todo. Nesse sentido é que a Ferrous inovou em buscar o desenvolvimento de tecnologias que permitissem viabilizar a implantação de projetos lavrando e beneficiando minérios de baixo teor de Fe contido e gerando produtos com qualidade comercial. 12 .Conclusão Os depósitos mais ricos em teor de Fe contido hoje existentes no Brasil já possuem detentores dos direitos minerários. O Projeto Viga é um exemplo disso. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . necessariamente tem-se que alimentar uma taxa maior de ROM ocasionando conseqüentemente num maior OPEX. possibilitaram ter um CAPEX rigorosamente competitivo. uma vez para manter a produção desejada. conseguiu-se viabilizar um projeto de classe mundial (exportação de 25Mtpa de pellet feed) com excelente qualidade comercial de seu produto (teor Fe > 65.5%).Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Figura 16 – Foto ilustrativa do porto em Presidente Kennedy É importante ser dito que o baixo teor de ferro contido penaliza o OPEX do Projeto. pois trata-se de um depósito de grande reserva com um teor médio de ferro contido na ordem de 34%. Outro ponto importante é que o desenvolvimento de processo gerando os parâmetros (dimensionamento dos equipamentos) para a engenharia. com um custo de produção menor do que de alguns dos principais players. que após exaustivamente estudado pela Ferrous. mesmo se comparado com usinas que processam teores mais elevados.

Viabilização de Depósitos de Baixo Teor: Um Estudo de Caso do Projeto Viga da Ferrous Resources do Brasil ______________________________________________________________________________________ Agregado aos grandes avanços de processo obtidos neste projeto. ____________________________________________________________________________________ Ferrous Resources do Brasil – dezembro 2010 . Mineração e Transformação Mineral (J.Referências Bibliográficas Desenvolvimento de estudos para elaboração do plano duodecenal (2010 – 2030) de Geologia. mineroduto e porto que. Mendo Consultoria / agosto 2009). somados. Anuário Mineral Brasileiro de 2006 (DNPM). O resumo final de tudo o que foi desenvolvido pela Ferrous a partir de um depósito de baixo teor permitirá à empresa implantar um projeto com um OPEX e um CAPEX bastante competitivo. mesmo quando comparado a outros projetos que beneficiam minérios com teores mais elevados. somam-se ainda os ganhos obtidos em engenharia. tornaram a fase 1 dos Projetos Ferrous (mina de Viga + mineroduto + porto) um dos maiores e mais importantes projetos de mineração do Brasil. 13 .