Você está na página 1de 2

Página Textos da Reforma

Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria
http://www.geocities.com/Athens/Bridge/3039
Responsável: Dawson Campos de Lima
E-mail: dawson@samnet.com.br

Estudo Sobre as Noventa e Cinco Teses de


Martinho Lutero*
(teólogo e reformador alemão, 1483-1546)
Por Calvin Gardner, da Igreja Batista de Catanduva - SP

*O presente estudo tem uma perspectiva batista.

"Na era da Reforma, os reformadores confrontaram-se com um


sistema no seu todo. Eles não disseram que não existiam
Cristãos na Igreja Católica Romana, nem disseram que não
existiam diferenças no ensino e nas ênfases das várias Ordens
Católicas Romanas. Mas, eles entenderam que havia um sistema
oculto que prendia a igreja no seu todo, e era esse sistema,
_como um sistema, que eles diziam ser errado e oposto ao
ensino da Palavra de Deus" (SHAEFFER, Francis A. Francis A.
Shaeffer Triology. Wheaton, Crossway Books, 1999, p. 51 -
Tradução do autor)

Mesmo que os reformadores tenham ido longe na sua oposição


ao sistema eclesiástico dos seus dias, a oposição não foi
suficiente. Eles protestaram as práticas papais e
hierárquicas em relação ao purgatório (#10-29), às
indulgências (#31-41, 50-81) e a hierarquia da igreja (#5-7,
48, 82-91), mas o ensino destas doutrinas não foi condenado
por eles. A prática, mas não o ensino desses erros, era
protestada. Segundo os reformadores, o meio da justificação é
a fé, mas entendiam que a aquisição dessa fé se dá pela sua
obediência e sofrimento em prol dela (#44, 94,95). Portanto,
a posição de Martinho Lutero, revelada pelas suas 95 teses,
evidenciou uma salvação que se dá por obras boas e santas.

A verdade de que o espírito do período da reforma não foi


suficiente entende-se por duas manifestações claras:

* Nenhum dos reformadores se manifestou que o batismo


da Igreja Católica era inválido. Cada reformador
continuou com o batismo católico que tinha. Assim, eles
consentiram que a prática e a doutrina desta ordenança
Página Textos da Reforma
Sola Scriptura, Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria
http://www.geocities.com/Athens/Bridge/3039
Responsável: Dawson Campos de Lima
E-mail: dawson@samnet.com.br

da Igreja Católica era correta. Eles, pelas suas


práticas, creram que a Igreja Católica continuou sendo
autorizada, como se fosse uma igreja verdadeira, a
administrar as ordenanças que Cristo deu somente à Sua
igreja. Tal posição dos reformadores diante da ordenança
do batismo manifesta que o espírito da reforma não foi
suficiente. Na verdade, se a prática é errada, a
doutrina, também (Mat. 7:15-20; 15:5,6).

* A prática atualmente das igrejas da reforma mantém, em


um grau ou outro, que as obras do "crente", e/ou as
ordenanças da igreja, dão uma forma de graça salvadora.
Essa posição manifesta que o espírito da reforma não foi
suficiente. Na verdade, a justificação se efetua somente
pela obra única de Cristo (Romanos 3:24).

Em Resumo: As 95 teses de Lutero eram contra um sistema e


algumas práticas horríveis da Igreja Católica. As teses eram
declarações fortes contra esse sistema e essas práticas.
Todavia, foram fracas por não enfatizar que somente a obra de
Cristo é suficiente a salvar completamente o pecador e traze-
lo ao ponto de não ter mais nenhuma condenação diante de
Deus, o Juiz (Romanos 8:1,2).

Precisa ser dito claramente que a fé salvadora é


responsabilidade de todos os homens diante de Deus mas não é
uma obra natural ou o resultado de algum esforço, bom ou
religioso, de qualquer homem (Tito 3:5,6). A fé salvadora é o
dom de Deus (Efésios 2:8,9) e um fruto do Espírito Santo
(Gálatas 5:22) dada a todos que o Pai tem dado ao Filho Jesus
Cristo antes da fundação do mundo (João 6:39,40; 17:6-9;
Efésios 1:3-6).