Você está na página 1de 32

Capítulo 5 - Mundo x Brasil

Workshop - A utilização de LEDs na iluminação arquitetural: Mitos & Verdades

5.1 - Visão Geral

O título deste capítulo parece até uma grande rivalidade como em jogos de
futebol (Brasil x Argentina), mas não se trata disso. Não estamos querendo
uma disputa na aplicação de LEDs e sim uma panorâmica do que tem sido
feito lá fora e o que é possível fazer aqui no Brasil.

Quando fazemos esta análise, uma questão que rapidamente vem às
nossas mentes é a questão dos investimentos nos projetos de iluminação.
A cultura do Light Design no exterior é mais difundida e existe a
consciência da qualidade da iluminação, a valorização do projeto
arquitetônico, a diferenciação e conseqüentemente o retorno do
investimento. O projeto luminotécnico integrado à arquitetura não é
considerado desnecessário ou investimento à fundo perdido. O que anima
é que este pensamento tem mudado no Brasil.

O acesso a tecnologia também é mais facilitado. Equipamentos, controles,
softwares, etc, têm um custo menor e são mais facilmente encontrados no
mercado. Aqui no Brasil temos que importar quase tudo e com as taxas e o
câmbio, o custo do obra vai às alturas. Mesmo quem desenvolve e fabrica
no Brasil as luminárias, como a LedPoint, tem que importar o LED, pois não
existe fabricação nacional do componente. Por outo lado já temos oferta de
controles de cenas e softwares fabricados aqui no país.

Sem dúvida, nestes quesitos, as diferenças são enormes, mas no que tange
a criatividade, arrojo e competência dos profissionais da iluminação,
nossos projetos (brasileiros) têm ocupado espaço, vêm ganhando alguns
prêmios internacionais e principalmente respeito.

Respeito este que é fundamental, pois como diz o light designer e amigo
Guinter Parschalk: “Luz é suporte para a comunicação visual”. Sem ela não
conseguimos ver nada. Nem a mais bela obra de arte ou a melhor
arquitetura seria percebida se não houvesse a LUZ.

114

5.2 - No Mundo

Selecionamos algumas obras realizadas em várias partes do mundo que
exemplificam bem a aplicação e evolução da tecnologia de LEDs na
iluminação arquitetural.

Paver - LightsMartini Illuminazione S.p.A. - Modena, Italy

Hotel Anna - Bocom. - Munich, Germany

115

Loja Louis Vuitton - Hong kong, China

Loja Louis Vuitton - Hong kong, China

116

Odeco .Denmark 117 .Lumodan . Spain Rosenborg Castle .Rabat Jewellery Shop .Barcelona.

Vienna.Megabay .Sisi Museum Vienna .Bettina Grass .Melbourne. Italy Density . Australia 118 .

Philips .Greece Sofitel Athens Airport . Technopolis .Athens.Philips . Greece 119 .

LoH20 . China 120 . Australia Symphony of Light .Melbourne.Megabay .SpaceCannon .Hong Kong.

Solar GB . UK 121 .Bristol.United Kingdom Royal & SunAlliance . Newry .James Thomas .

Hotel Alvear / Argentina – LedPoint Hotel Alvear / Argentina – LedPoint 122 .

Grande flexibilidade de ajuste. . Em consonância com os propósitos do museu. .Ausência de manutenção. Museu de Gemas do Pará Em 2001. evitando contaminações ou quebras de segurança oriundas das eventuais aberturas das vitrines para trocas de lâmpadas. o Museu de Gemas de Belém do Pará precisava de fontes de luz de pequenas dimensões para iluminar aproximadamente 550 pontos nas vitrines. . 123 .Ausência de radiações eletromagnéticas (UV e IV) que poderiam vir a alterar as características originais do material exposto. o projeto de iluminação das vitrines alcançou os seguintes objetivos: .Propiciar em função de todas as características anteriores a dramaticidade esperada e necessária para a adequada valorização por parte do público do material exposto. Daremos destaques a algumas realizações que foram verdadeiros marcos na história de nossa empresa e da aplicação de LEDs na iluminação arquitetural no país. posicionamento.5. dimerização e correções de cor sem necessidade de troca dos equipamentos.Mínima temperatura de trabalho para evitar danos aos materiais construtivos dos displays expositores. aberturas de facho. . em atenção às recomendações governamentais.No Brasil Selecionamos agora algumas obras realizadas pela LedPoint aqui no Brasil. .Valorização dos materiais expostos propiciando o brilho indispensável para a adequada apreciação por parte do público.Mínimas dimensões para que caibam nos espaços a que se destinam.3 . . .Mínimo consumo de energia.

redutores ou ainda difusores para os fachos luminosos. razão pela qual a LedPoint é membro do LUXEON LUMINAIRE MANUFACTURER CERTIFICATION.Convencionalmente o atendimento destes parâmetros levaria ao uso de fibras óticas para iluminação das vitrines. . .Tempo de vida útil superior a 50. . o saldo de manutenção de luminárias é zero.Consumo de energia mínimo .000 h. .Simplicidade de montagem e instalação. . ou para o uso de 6 horas diárias aproximadamente 20 anos.Os equipamentos aceitam uma grande variedade de filtros corretores de cor. . cabendo sem dificuldade em qualquer nicho disponível. . porém a LedPoint foi escolhida como fornecedora dos equipamentos.Disponível em duas versões spot externo em trilho modelo Gallery ou spot para embutir modelo Disc. . 124 . pois ofereceu mais vantagens.Para garantir os parâmetros de utilização dos LEDs e seu tempo de vida útil foram utilizadas drivers em corrente constante.Spots com emissão de luz a partir de um único LED na cor branca por equipamento. ou seja uma certificação internacional de qualidade emitida pelo fabricante americano Lumileds.Mínima temperatura de trabalho 35ºC. . . . em 2007.Absoluta ausência de radiações danosas como ultravioleta ou infravermelho. O sucesso do projeto foi tão grande que faz parte do roteiro cultural da cidade uma visita a este museu e até hoje.Menor custo.Mínimas dimensões. .Articulação orbital com grande manuseabilidade e fácil ajuste.1W por ponto de luz.

Museu de Gemas do Pará .Vitrine pirâmide 125 .Vitrine de parede Museu de Gemas do Pará .

Museu de Gemas do Pará .Detalhe das Gemas 126 .Vitrine Museu de Gemas do Pará .

Detalhe dos Ornamentos Indígenas 127 . Museu de Gemas do Pará .Vitrines Museu de Gemas do Pará .

etc.Museu do Universo . . estrelas. Experiências sensoriais.000 pontos). foi concebido para a utilização por estudantes. no planetário da Gávea .Diversas luminárias para os experimentos. além do aspecto custo.30 Luminárias Disc para os displays dos planetas e simulação de órbitas. desenvolvidas para simular o Sol. visto que o orçamento era limitado. . (com uma simulação de viagem em uma nave espacial) módulos com explicações práticas sobre astronomia são atrações imperdíveis para turistas e moradores da cidade. pequenas dimensões permitindo que as luminárias permanecessem ocultas . Os equipamentos da LedPoint foram escolhidos em função de sua adequação aos materiais dos módulos das experiências (ausência de calor).RJ O Espaço Museu do Universo.363 Luminárias Orion simulando um céu estrelado (25. Alguns produtos foram desenvolvidos especialmente para o museu como seqüenciais e luminárias curvas para os displays. .Fachada 128 . eclipses. Museu do Universo .Rio de Janeiro. complementando o já tradicional uso do local com atividades interativas.

Displays Museu do Universo . Museu do Universo .Detalhe da fixação da LedLine 129 .

Display Museu do Universo . Museu do Universo .Displays interativos 130 .

Museu do Universo .Experimento Órbita Museu do Universo .Céu de estrelas e silhueta do relevo do Rio 131 .

Roberta Santos 132 .Arq.Arq. Roberta Santos Clínica Harmonya / RJ .Algumas realizações Clínica Harmonya / RJ .

Isay Weinfeld Hotel Fasano / SP .Arq.Arq.Hotel Fasano / SP . Isay Weinfeld 133 .

Fábio Sena 134 .Loja Free Shop / RJ – Arq.

Beto Marques Luna Joalheria / RJ .Luna Joalheria / RJ . Beto Marques 135 .Arq.Arq.

Teatro Municipal / RJ – Alain Maitre e Fabiano Xavier Teatro Municipal / RJ – Alain Maitre e Fabiano Xavier 136 .

LedPoint Hotel Sofitel / RJ 2006 .Hotel Sofitel / RJ 2006 .LedPoint 137 .

Cristina Maluf Fotos: Nelson Kon 138 . Loja Conceito Melissa /SP Arquitetura: Redesenho de Imagem Iluminação: Arq.

Norte Shopping / RJ 2006 .LD Studio Norte Shopping / RJ 2006 .LD Studio 139 .

Sesc Pinheiros / SP .Franco e Fortes 140 .Franco e Fortes Sesc Pinheiros / SP .

Stand LedPoint / Expolux 2002 .Isabela Saramago 141 .

Arq.Arq. Angela Frota 142 .Morar Mais por Menos 2006 . Angela Frota Morar Mais por Menos 2006 .

Ana Maria Índio da Costa Adega JCB / RJ .Adega JCB / RJ .Ana Maria Índio da Costa 143 .

Tecnobras Eng.Tecnobras Eng.Apartamento / RJ . 144 . Apartamento / RJ .

Até o próximo capítulo! 145 . porém com muitos “cases” de sucesso e excelentes perspectivas. Este capítulo trouxe vários exemplos da aplicação de LEDs no exterior e no Brasil e muito se fala que a utilização de LEDs no nosso país ainda é um sonho. Este workshop tem como tônica mostrar o que é mito e o que é verdade e sem dúvidas. o mito acima foi quebrado.A história da Iluminação com Leds no Brasil ainda é curta como em todo Mundo. A LedPoint vem viabilizando as mais inovadoras e importantes obras utilizando a tecnologia de LEDs e que hoje somam mais de 2500 realizações.