ódulo

Acelerado
Língua Portuguesa Interpretação de texto Redação Literatura
Professor Perdrosa

Volume - Único

Professor Edson Professor Oliverira Neto

Gramática

Língua Portuguesa
01. Assinale a alternativa em que a palavra não tem suas sílabas corretamente separadas. a) in-te-lec-ção. b) cons-ci-ên-cia. c) oc-ci-pi-tal. d) psi-co-lo-gia. e) ca-a-tin-ga.

Considere as frases a seguir e, depois, aponte a alternativa que as completa adequadamente: I - Prevêem-se gastos _____________ para sustentar a próxima campanha à eleição presidencial. II - Diante da ______ de um colapso geral no fornecimento de energia, o governo decidiu postergar outros planos, para investir no setor energético. III - No contexto da atual _______ econômica e social, perder o emprego representa uma verdadeira tragédia para o trabalhador. a) b) c) d) e) vultuosíssimos – eminência – conjetura. vultosíssimos – eminência – conjuntura. vultuosíssimos – eminência – conjuntura. vultosíssimos – iminência – conjuntura. vultosíssimos – iminência – conjetura.

02. A seqüência de palavras cujas sílabas estão separadas corretamente é: a) b) c) d) e) a-dje-ti-va-ção / im-per-do-á-veis / bo-ia-dei-ro. in-ter-ve-io / tec-no-lo-gi-a / sub-li-nhar. in-tu-i-to / co-ro-i-nha / pers-pec-ti-va. co-ro-lá-rio / subs-tan-ti-vo / bis-a-vó. flui-do / at-mos-fe-ra / in-ter-vei-o.

03. As sílabas da palavra psicossocial e traído estão corretamente separadas em ...e... . a) b) c) d) e) psi-cos-so-ci-al / tra-í-do. p-si-cos-so-cial / tra-í-do. psi-co-sso-ci-al / traí-do. p-si-co-sso-cial / tra-í-do. psi-co-sso-ci-al / traí-do.

08. Considere estas frases: 1. A hora da verdade está _______. Aproveite-a. 2. Os familiares estão de acordo com a ______ dos bens. 3. É hora de _____ o fogo, pois o frio está próximo. 4. O fato passou ______ até o momento. 5. Os faltosos foram pegos em ______. A alternativa que preenche corretamente as lacunas acima é: a) iminente-cessão-acendermos-despercebidoflagrante b) eminente-sessão-acendermos-desapercebidofraglante c) eminente-cessão-ascendermos-despercebidofraglante d) iminente-sessão-ascendermos-desapercebidoflagrante e) eminente-cessão-acendermos-despercebidoflagrante 09. Assinale a alternativa em que ocorre erro: a) b) c) d) e) Sei por que razões ele se indispõe comigo. Ele saiu porque estava aqui há muito tempo? Não agüenta mais isso porquê... por que é demais? Foi a mais de dois quilômetros que o avisei. Além de ser mau sujeito, é mal-humorado.

04. Está correta a separação silábica de todas as palavras da opção: a) b) c) d) e) cai-xi-nha, ba-lai-o, pro-fes-sor res-pon-di-a, si-lên-ci-o, a-bo-toan-do i-gno-ra, po-é-ti-ca, his-tó-ria me-lan-co-lia, obs-cu-ro, ar-re-ga-ça-va am-né-sia, qui-e-to, Pi-au-í

05. Assinale a seqüência em que todas as palavras estão partidas corretamente. a) b) c) d) e) trans-a-tlân-ti-co / fi-el / sub-ro-gar. bis-a-vô / du-e-lo / fo-ga-réu. sub-lin-gual / bis-ne-to / de-ses-pe-rar. des-li-gar / sub-jul-gar / sub-scre-ver. cis-an-di-no / es-pé-cie / a-teu.

06. Assinale a alternativa em que a sílaba tônica está destacada corretamente. a) b) c) d) e) mister - decano - avaro - circuito. rubrica - aziago - ibero - mister. Nobel – látex – avaro - recém-nascido. rubrica - látex - ibero - filantropo. decano - êxodo - edito – ureter.

Volume Único - 2007

10. Assinale a alternativa correta: a) b) c) d) e) Os deuses vêm vindo. Todos os vêem. Os deuses vêm vindo. Todos o vêm. Os deuses vêem vindo. Todos os vêm. Os deuses vêem vindo. Todos o vêem. Os deuses vem vindo. Todos o vem.
Prof. Edson

07. A palavra discriminação é parônima de descriminação. Como você sabe, parônimas são palavras parecidas na escrita e na pronúncia, causadoras, por isso, de freqüentes impropriedades na escrita e na fala.
2

Gramática

11. Complete as lacunas adequadamente e indique a alternativa correta: O gerente pediu a ______ dos advogados, para ficar bem ______ antes da tomada de decisão tão polêmica. a) b) c) d) e) intercessão – acessorado. intercessão – assessorado. intersecção – accessorado. intersseção – acessorado. interseção – assessorado.

16. O item em que necessariamente o vocábulo deve receber acento gráfico é: a) historia. b) ciume. c) amem. d) numero. e) todos.

17. Marque a alternativa que apresenta somente palavras paroxítonas. a) b) c) d) e) Eletrodo, rubrica, recorde, nobel. Condor, batavo, omega, avaro. Ciclope, pudico, rubrica, recorde. Agape, pudico, fortuito, intuito. Ariete, aziago, zefiro, condor.

12. Indique a alternativa que completa a frase: Nem todos os alunos ______ do ______ de participar da festa ______. a) b) c) d) e) gozarão – privilégio – beneficiente. gosarão – previlégio – beneficente. gozarão – previlégio – beneficiente. gozarão – privilégio – beneficente. gosarão – previlégio – beneficente.

18. A palavra que pode ser enquadrada em duas diferentes regras de acentuação é: a) b) c) d) e) jao. qüiproco. friissimo. veiculo. todos os vocábulos das alternativas anteriores.

13. Se você não arrumar a porta, não poderá fechá-la, havendo o perigo próximo de um assalto. As palavras destacadas podem ser substituídas por: a) b) c) d) e) concertar – serrá-la – eminente. consertar – serrá-la – iminente. concertar – cerrá-la – eminente. consertar – cerrá-la – eminente. consertar – cerrá-la – iminente.

19. A frase em que ocorre erro de acentuação é: a) É inegável que a mulher pôde, nas últimas décadas, afirmar sua competência profissional. b) Homens e mulheres têm, hipoteticamente, a mesma inteligência. c) De um harmonioso relacionamento homem-mulher, advém vantagens para toda a sociedade. d) Após inúmeras dificuldades, o homem finalmente pára e redefine alguns conceitos ultrapassados. e) Todos concluíram que as conversações tinham fluído satisfatoriamente. 20. Assinale a alternativa que completa corretamente as frases: I. II. III. IV. a) b) c) d) e) Cada qual faz como melhor lhe .... O que ...estes frascos? Neste momento os teóricos ...os conceitos. Eles... a casa do necessário. convém, contêm, revêem, provêem convém, contém, revêem, provém convém, contém, revêm, provém convêm, contém, revêem, provêem convêm, contêm, revêem, provêem

14. Identifique a alternativa que preenche adequadamente as lacunas: Jorge Ossani explicou para Moacyr Scliar ____ os pivetes roubam: praticam crimes ____ gostam dos mesmos alimentos e brinquedos que as outras crianças. Entretanto, nem todos concordam com esse ____ da delinqüência juvenil. ____ será que muitas crianças se transformam em pivetes? a) b) c) d) e) porque – por que – porquê – Porque. por que – porque – porque – Porque. por que – por que – porque – Por que. porque – porque – porquê – Porque. por que – porque – porquê – Por que.

15. Assinale a alternativa incorreta quanto à acentuação: a) A oposição entre os pólos ultrapassou os conceitos da eletrônica para distinguir aproximações afetivas. b) A pêra, o caju, a melancia e o coco são as variedades mais vendidas pelos produtores de hortifrúti. c) Entre sucessos e estigmas, o biquíni comemorou 50 anos, sem tirar o maiô de cena. d) Dentre os itens discutidos, alguns receberam comentários álacres do presidente da múlti. e) Segundos os hindus, o fluído universal é substância que mantém em harmonia nossa percepção mais útil.
Prof. Edson

21. Assinale a alternativa que completa corretamente as frases: 1) Normalmente ela não ...em casa. 2) Não sabíamos onde ... os discos. 3) De algum lugar ...essas ideias. a) pára - pôr - provém b) para - pôr - provêm c) pára - por - provêem d) pára - pôr - provêm e) para - por - provém
3

Volume Único - 2007

Gramática

22. Assinale a frase gramaticalmente correta: a) b) o) d) e) Não sei por que discutimos. Ele não veio por que estava doente. Mas porque não veio ontem? Não respondi porquê não sabia. Eis o porque da minha viagem.

27. Em qual alternativa as palavras estão grafadas corretamente? a) b) c) d) e) receoso, reveses, discrição, umedecer. antidiluviano, sanguissedento, aguarraz, atribue. ineludível, engolimos, sobressaem, explendoroso. encoragem, rijeza, tecitura, turbo-hélice. dissensão, excurcionar, enxugar, asimétrico.

23. Assinale a alternativa que completa adequadamente as lacunas do seguinte período: Algumas pessoas não determinam..... provêm sua insatisfação, porque não sabem..... vão os sentimentos, nem..... mora a consideração pelo próximo. a) b) c) d) e) donde - onde - onde. donde - aonde - onde. aonde - onde - aonde. aonde - aonde - aonde. donde - aonde - aonde.

28. Pense nos ideais..... batalhamos há tanto tempo, e diga-me..... fracassamos. Será.... fomos incapazes ou descuidados em algum ponto ? a) b) c) d) e) porque - porque - porque por que - por que - porque porque - porque - por que porque - por que - porque por que - porque - por que.

29. Os..... reuniram-se na igreja e..... em..... a) b) c) d) e) fiéis - sairam - procissão fiéis - sairam - procissão fiéis - saíram - prossissão fieis - sairam - procissão fieis - saíram - prossissão.

24. Assinale o item em que “a” palavra destacada está incorretamente aplicada. a) b) c) d) e) Trouxeram-me um ramalhete de flores fragrantes. Ajustiça infligiu a pena merecida aos desordeiros. Promoveram uma festa beneficiente para a creche. Devemos ser fiéis ao cumprimento do dever. A cessão de terras compete ao Estado.

30. Não se contabilizou a quantia..... com a festa de..... de funcionários. a) b) c) d) e) dispendida - congrassamento dispendida - congraçamento dispendida - congrasçamento despendída - congrassamento despendida - congraçamento

25. Em qual das alternativas há uma palavra incorretamente grafada? a) A reincidência do crime na mesma semana constituiuse num fato auspicioso na Justiça. b) O Atleta não conseguiu disfarçar a excitação ao perceber a quebra do recorde mundial. c) Entramos numa fase de tensão fantástica, cheia de expectativas duvidosas, como não se via nos últimos doze meses. d) A explosão do consumo e a decolagem da inflação mobilizou a equipe econômica do país na semana passada. e) O conflito defragado entre os países do Golfo Pérsico empurrou as exportações dos produtos petroquímicos. 26. Assinale a alternativa que preencha os espaços corretamente: Com o intuito de ..... o trabalho, o aluno recebeu algumas incumbencias.....datas, ..... o conteúdo e .....um estilo mais moderno.
Volume Único - 2007

31. Assinale a frase em que há erro de grafia: a) b) c) d) e) Passou despercebido, para não ser um empecilho a mais. Mais uma vez queimou o fusível. Todos têm chegado atrasados, ultimamente. Deu apenas cem cruzeiros ao cabeleiro. É necessário discriminar melhor as despesas.

32. O.....do deputado foi..... a) mandato - caçado b) mandado - cassado c) mandato - cassado d) mandato - caçado e) mandato - casçado.

33. Escolha, entre as alternativas, a que propõe a substituição dos termos ou expressões em destaque, sem que haja alteração do sentido da sentença apresentada abaixo: Parecia estar prestes a acontecer a desclassificação, pois os jogadores demonstram usar métodos poucos sábios na realização dos preparativos finais para a partida decisiva. a) b) c) d) e) eminente - incipidos - concecussão eminente - insipientes - conseqüência iminente - insipientes - consecução eminente - insípidos - concecussão iminente - incipientes - conseqüência.
Prof. Edson

a) b) c) d) e)

finalisar - pesquisar - analisar - improvisar. finalizar - pesquisar - analisar - improvisar. finalizar - pesquizar - analisar - improvisar. finalisar - pesquisar - analizar - improvizar. finalizar - pesquisar - analisar - improvizar.

4

Gramática

34. Assinale a alternativa em que todas as palavras estejam corretamente grafadas: a) b) c) d) e) tecer, vazar, aborígene, tecitura, maisena rigidez, garage, dissenção, rigeza, cafuzo minissaia, paralisar, extravasar, abscissa, co-seno abcesso, rechaçar, indu, soçobrar, coalizão lambujem, advinhar, atarraxar, bússola, usufruto.

41. Não tinha.................... para a tarefa; .......... vivia desnorteado, perdido entre.......... e gestos antagônicos. a) b) c) d) e) jeito - por isso - idéias geito - por isso - idéias jeito - porisso - idéias jeito - por isso - idéias geito - ponsso - idéias

35. Marque a única opção em que todas as palavras sejam completadas com “x”: a) b) c) d) en.....oval, .....ingar, cai.....eiro, en.....ergar, .....ícara pu.....ar, a.....atar, en.....ovia, in.....ado, a.....incalhar pi.....e, dei.....ar, en.....ugar, .....adrez, bai.....o. .....u.....u, amei.....a, cartu.....o, deslei.....ada, trou.....a. e) pe.....incha, co.....a, bro.....e, en.....ada, en.....arcado 36. Com...............não raro.......... ele persegue a fama. a) b) c) d) e) tenacidade - obscecado tenacidade - obcecada tenascidade - obscecada tenascidade - obcecada tenacidade - obsecada.

42. Complete as lacunas, usando adequadamente mas/ mais/mal/mau: Pedro e João ......... entraram em casa, perceberam que as coisas não estavam bem, pois sua irmã caçula escolhera um........ momento para comunicar aos pais que iria viajar nas férias;.......... seus dois irmãos deixaram os pais.......... sossegados quando disseram que a jovem iria com as primas e a tia. a) b) c) d) e) mau - mal - mais - mas mal - mal - mais - mais mal - mau - mas - mais mal - mau - mas - mas mau - mau - mas - mais de

37. Reescreva a frase abaixo, corrigindo-a: Se você mantesse a sua linha de pesquiza, o rezultado do programa seria satisfatório. 38. Tantas........................ constituem............... a) b) c) d) e) excessões - previlégio inadmissível exceções - privilégio inadmissivel esceções - privilégio inadmissível excessões - privilégio inadimissível exceções - privilégio inadimissível.

43. Na.......... plenária estudou-se a.......... direitos territoriais a.................... a) b) c) d) e) sessão - cessão - estrangeiros seção - cessão - estrangeiros secção - sessão - extrangeiros sessão - seção - extrangeiros seção - sessão - estrangeiros

44. Em seu olhar não havia..........; havia.......... e.......... a) b) c) d) e) mágua - escámeo - desprezo mágoa - escámeo - despreso mágoa - escárnio - desprezo mágua - escámeo - desprêso mágoa - escárneo - desprezo

39. Observar as orações seguintes: I - Por que não apontas a vendedora por que foste ludibriado? II - A secretária não informa por que linha de ônibus chega-se ao exame. III- Por que será que o governo não sabe o porquê da inflação? Há erro na grafia: a) na 1 apenas b) em duas apenas c) na II apenas d) na III apenas e) em nenhuma

45. Indique a alternativa correta: a) b) c) d) e) O ladrão foi apanhado em flagrante. Ponto é a intercessão de duas linhas. As despesas de mudança serão vultuosas. Assistimos a uma violenta coalização de caminhões. O artigo incerto na Revista de Ciências foi lido por todos nós.

40. Estou........de que tais.......... devem ser .......... a) b) c) d) e) cônscio - privilégios - extintos. côncio - privilégios - estintos. cônscio - privilégios - estintos. côncio - previlégios - estintos. cônscio - previlégios - extintos.
Prof. Edson

a) b) c) d)

provem - provém - provêm provém - provêm - provem provem - provem - provém provém - provém - provêm
5

Volume Único - 2007

46. Assinale a alternativa que completa corretamente os pontilhados abaixo. "É necessário que os cientistas ________________ que a peça encontrada ________________ de outro planeta, pois há objetos semelhantes que ________________ da própria Terra."

III. Complete as lacunas das frases abaixo e assinale a alternativa correta. des-a-lo-ja-rão.ar__ila . por que. ________ (vir) a bonança. a) b) c) d) intenso – freguez – Angelino problemas – audição – cós pertubava – freguez – cozer Angelino – cozer . “Quando o ___________ chegou ao nosso país. Maria falou me sobre o insignificante ____________.conta__em . bandeija.” a) b) c) d) estrangeiro – expontaneamente – intenção extrangeiro – espontaneamente – intensão estrangeiro – espontaneamente – intenção extrangeiro – expontaneamente – intensão 50. por que porque. o povo o recebeu ___________.vem tem .ferru__em .vem . Ca-in-gá. perturbar.vem . A divisão correta das sílabas ocorre na opção: a) es-coa-men-to. con-clu-í-ram. Complete as lacunas do texto abaixo e. respectivamente.É difícil entender ________ há tanta pobreza num país tão rico. Complete as lacunas.tem . Deu me um ______________ desestimulante.extrava__ar ine__orável . cabeleireiro.vi__ilante .vare__ista . "O ser humano ___________ cinco órgãos dos sentidos e ___________ em contato com o meio ambiente através do tato. b) per-su-a-di-ram. es-tra-de-i-ra._______ chegou ao poder.vem . porém. porque.ti__ela . cu-meei-ra. raio X.têm . _______________ chegaram cedo. porque.bra__a 52. há três palavras graficamente incorretas.talve__ ê__ito . 54. visão e audição. porquê 55.cós 49. si-lên-ci-o. por que. b) Nosso desenvolvimento econômico deve-se muito à atuação dos imigrantes europeus que para cá vieram. e assinale a alternativa que completa. por que. Edson a) Seu pai possue muitas preocupações além dos seus problemas.têm . porquê. II. por que.prestí__io . baronesa. a) possui / está b) possue / está c) possui / estar d) possue / estar 53. Qualquer ______________ responde sua ausência. Complete as lacunas. Assinale a alternativa em que elas se encontram. por que. II. olfato. as frases acima.vem . _______________ não foram ao teatro? a) b) c) d) porque.Gramática 47. Nem mesmo Angelino. malcriação. III. IV. Depois da tempestade. Assinale a alternativa em que há erro de grafia na palavra destacada. A norma culta do emprego ortográfico foi empregada em: a) b) c) d) etimologia. Se soubesse.vêem . Todos querem saber _____________ conseguimos a aprovação. por que.vêem 48. Assinale a alternativa cujas lacunas se completam." (Anatomia e Fisiologia Humana. não conseguia cozer direito. II . por que. com X. prostar. porque.vêm . Volume Único . porque. etimologia. Ele _____ (ter) muitos brinquedos que ____ (ter) força própria. in-di-vi-du-almen-te. porque 56. porquê. elas não____ (ver) solução. porquê. a) b) c) d) into__icar . G e Z. hilariedade. estigmatismo. c) sá-bios. sempre com problemas de audição.Observe os períodos abaixo 51. honorários. a) b) c) d) têm . seria menos hospitaleiro. já foi atacado pelos adversários que vinham __________ suas boas idéias.lison__eado . e assinale a alternativa correta. correta e respectivamente.tem . po-vo-a-ções. burguês.vêm . “O barulho estava tão intenso que pertubava o freguez da alfaiataria. freiar. porquê porquê. afeiar. des-te-mi-do. conseguiram uma melhor localização.” No texto acima.vêem têm . Quando as idéias não ____ (vir). assinale a alternativa correta. pa-pa-ga-io. e assinale a alternativa correta. porquê. porque. c) Veja que mimo este vasinho! d) A obra foi paralisada por falta de verba. gustação. prazeirosamente. I. Os barcos _____________ passamos afundaram. sua _________ . a) b) c) d) porque / mal / ao encontro de / senão porque / mau / de encontro a / se não por que / mal / de encontro a / senão por que / mau / ao encontro de / se não Prof. por que porquê. 57. por que por que. perdendo-se na medida do cós da calça.Nada querem fazer __________ criticar as atitudes do líder. Emília Emi Kawamoto) Assinale a alternativa que preenche corretamente a frase citada. porque.si__udo he__itar . por que por que. 6 . I. IV. a) b) c) d) Não sei o ______________ de tanta violência.vem tem .2007 I . d) re-i-nou. III. J. a seguir. cata-cum-bal.vêem . porque porquê. e-flo-re-scên-cia.

. duas calças .. caráteres levas-e-traz. pérola azul-claras... Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase inicial.. “Comprei duas blusas .. No ... e) As couve-flores foram vendidas a preços exorbitantes. pérolas 7 Volume Único .. amores-perfeitos couves-flores. Após muito [leva-e-traz].. d) as bombas-relógio foram examinadas por peritos da Unicamp.. mulas-sem-cabeças 66. xícaras azul-piscinas chá beneficente. tóraxs.. as palavras entre colchetes seriam grifadas: a) leva-e-traz.... exceto: a) b) c) d) As cartas-bilhetes forma trazidas pelo pombo-correio... pão-de-lós.... caracteres 59.... xícaras azul-piscina xá beneficente.. pães-de-ló. Raramente se tem apenas um olho azul-claro. Engraxava com cuidado seu sapato verde-escuro.. foram usadas . caracteres leva-e-traz. amores-perfeitos couves-flores.... Dos substantivos terminados em “N”.... caráteres levas-e-trazes.. caracteres Prof.. obras-primas reco-recos... amor-perfeitos couve-flores... Assinale a alternativa que apresenta a correta grafia de todos os vocábulos... pães-de-ló... amor-perfeitos. pérolas azul-claras. tórax. Assinale a opção em que os dois substantivos composto formam o plural do mesmo modo que arranha-céus: a) b) c) d) e) abaixo-assinado / cabra-cega alto-falante / cirurgião-dentista bate-boca / quebra-mar beija-flor / guarda-civil escola-modelo / sempre-viva 67.... sextas-feiras.. cartões-postais.. O plural dos substantivos couve-flor. a) b) c) d) buchecha / mágua / botequim irrequieto / privilégio / digladiar umidecer / antevéspera / tábua entitular / desonrra / cutucar b) c) d) e) levas-e trazes. muitos admitem duas formas de plural. 69....... verde-oliva. amores-perfeitos.. Pluralizando-se a oração.. pérola azul-claras. de muito sangue vertido do [tórax] dos guerreiros e da debilitação do [caráter] de todos. 63.... tórax. verde-olivas... salários-família.. Há erro na pluralização do nome de cor.. pão-de-lós. c) os decretos-lei foram assinados ontem. sempre-vivas pseudo-esferas.. b) vestiam saias marrom-bombons e vestidos azulborboleta. 64. verde-oliva... A polícia queimou os papéis-moeda falsos... Assinale o item em que o adjetivo permanece invariável: a) b) c) d) A moça comprou dois sapatos azul-marinho. amores-perfeitos couves-flor. 65.Gramática 58. Aponte a alternativa em que haja erro quanto à flexão do nome composto: a) b) c) d) e) vice-presidentes. 61.. verde-oliva. por só admitir uma forma: a) b) c) d) e) espécimen – espécimens e especímenes gérmen – germens e gérmenes hífen – hifens e hífenes abdômen – abdômens e abdômenes cânon – cânons e cãnones 60. sapatos .... a batalha finalmente acabara. Está mal flexionado o adjetivo na opção: a) b) c) d) e) olhos azul-turqueza projéteis ultra-rápidos lenços azul-marinhos pára-quedas amarelho palha relações luso-brasileiras 68.... A colcha verde-amarelada embelezou a cama.... xícaras azul-piscina.. O plural dos nomes compostos está correto em todas as alternativas.. tóraxes.” a) b) c) d) e) azul-claro. Assinale: a) b) c) d) e) Olhos verdes-claro vestidos rosa blusas amarelo-escuras vestidos amarelo-canário fardas verde-oliva 62.. verde-olivas. chefes-de-seção. a) b) c) d) e) chá beneficiente. Não está neste caso.. Os recém-nascidos receberam ajuda da comunidade religiosa. pão-de-ló e amor-perfeito é: a) b) c) d) e) couve-flores... pérola azul-claro... Marque a alternativa errada quanto à flexão em número: a) os soldados usavam fardas verde-oliva... tóraxes.. chícaras azuis-piscinas xá beneficiente.. Edson 70. pães-de-ló pisca-piscas...2007 . chícaras azul-piscina chá beneficente. pão-de-lós.. os bota-fora tico-ticos. e) os meios-termos foram ditos nos alto-falantes do plenário... Os vaivéns no navio deixaram-no tonto e enojado.

A culpa foi desta vida agreste que (2) me deu uma alma agreste.. Com eu estar doente. eu as trouxe para ti levares ao Píndaro. Identifique a alternativa em que há erro gramatical: a) b) c) d) e) Não vá sem eu. Ele é contra eu estar aqui. em três delas é pronome relativo. Indique a alternativa em que o pronome destacado representa CORRETAMENTE o termo a que se refere: a) Mulher apaixonada é um ser fascinante. 74.2007 A palavra que se destaca é: a) b) c) d) e) artigo indefinido artigo definido pronome demonstrativo pronome oblíquo partícula expletiva ou de realce 8 . b) pronome demonstrativo.. parece que as sentia sujas. c) pronome pessoal.. estar aqui é crime. Verifica-se que há falta de uniformidade no emprego das pessoas gramaticais nos enunciados: a) II e IV b) Ill e IV c) I e IV d) I e Ill e) II e Ill 73. pois determina um substantivo subentendido na oração. mas depois que o locutor lhes deu todas as explicações as ruas ficaram vazias. 79.4 . e) Leve o jornal consigo. com tanta culpa nos ombros. II – Você quer que te digamos toda a verdade? Ill – Vossa Excelência conseguiu realizar todos os vossos intentos? IV– Vossa Majestade não deve preocupar-se unicamente com os problemas dos seus auxiliares diretos.. Assinale o item em que há ERRO no emprego do pronome pessoal: a) Recebidas as mangas... d) Ele não nos estendeu a mão. os meninos as repartiam irmãmente entre si. Precisamos do seu apoio. pois substitui um substantivo subentendido na oração anterior.3 .. não houve palestra. d) pronome demonstrativo. Conheci que (1) Madalena era boa em demasia. “.Gramática 71. Identifique a série de pronomes que completa adequadamente as lacunas do seguinte período: Os desentendimentos existentes entre . c) Estas deliciosas balas de mangarataia. Não haveria entre mim e ti entendimento possível... O pronome lhe tem o valor no texto de pronome: a) demonstrativo b) possessivo c) indefinido d) relativo e) interrogativo 76. Procuro recordar o que (3) dizíamos. castanho-escuros 77.4 b) 2 . e julguei ter achado “o” que me convinha:” Volume Único . Ele é contra mim.. Ondeia-lhe os cabelos. dizendo-me que era para eu adquirir o hábito da leitura.4 e) 2 . o fazem unicamente com o objetivo de criar o leitor do futuro”. d) Os altruístas pensam menos em si e mais nos outros.5 d) 2 . a alternativa correta é: a) b) c) d) e) surdos-mudos. 80. vermelhos-sangue peles-vermelhas... Acácio. “Há quem pense que as empresas jornalísticas. 78.. Terá realmente piado a coruja? Será a mesma que (4) piava há dois anos? Esqueço que (5) eles me deixaram e que (6) esta casa está quase deserta... furta-cores verdes-malva..5 Prof. a) b) c) d) e) eu – tu – eu – mim – tu mim – ti – mim – mim – tu mim – ti – eu – mim – ti eu – ti – mim – mim – tu eu – ti – eu – mim – ti 75. b) Sempre me representava livros. c) A multidão protestava. . Em relação ao termo destacado. advêm de uma insegurança que a vida estabeleceu para . Considere os enunciados a seguir: I – O senhor não deixa de comparecer. Quanto ao plural dos compostos.4 .6 c) 3 . Quais? a) 1 . pois substantiva o verbo fazer.. cada um tem suas vantagens e desvantagens. o que aparece seis vezes. elas ficam irresistíveis quando se põem a seduzir. pois situa cronologicamente a ação do verbo fazer. Edson 72. determinando-o. b) Entre a montanha e a praia é difícil escolher. traçar um caminho que vai de . Nas frases acima... a classificação e a justificativa de seu uso são as seguintes: a) artigo definido.3 .2 . ultra-violetas castanhos-claros. e) artigo definido. e) Gosto de filmes policiais e de filmes românticos: estes me fazem devanear.. Já o li desde cedo. a . ao promover o uso de jornais na educação. e . infra-vemelhos couves-flores. pois substitui a idéia expressa pela oração anterior. e os primeiros me excitam..

Demos a ele todas as oportunidades. Fizemos-o. lhe. I. 2. caneta que está aí perto de você. II.. III. ti. avisei de quenão podia confiar neles!” a) o.. convidaram? Não . I. Demos-lhe. Dadas as sentenças: 1. sua abaixos-assinados. todas estão corretas. d) lhe. Coloque-os. desenhar. e para . 3. devem-se realizar 91. II. devem-se realizar conosco. se devem realizar conosco. III. Substituindo as palavras destacadas por um pronome oblíquo. o. teremos: a) b) c) d) e) I. Fizemo-lhe. ti porisso d) eu. porisso c) mim. aqui não serve para . Os diretores não . II.. I. esta. amanhã no escritório”. ti. Dadas as sentenças” 1. Tomo a liberdade de levar ao conhecimento de V.. Demo-lhe. foram encaminhados defendem Prof. Refez a lição que estava errada? Substituindo as palavras destacadas por pronomes. Acharam os livros muito interessantes. mesmo que não me aceites. apenas as sentenças 1 e 2. Enviamo-los. II.Gramática 81.. vossa 87. . lhe e) lhe.. mas esta será? d) Leio muito. decisão para que sejam atendidos. Fizemos o trabalho como você orientou. Refê-la. o 82. Refi-la. III. enviei são confidenciais. Fizemo-lo... III. Demo-lhe. o a) b) c) d) e) causa justa e ficam a depender tão-somente de ... II. tu. Alvimar.2007 .. Ela é uma pessoa bastante arvoada. . a) aquela. Vejo-. que . lhe e) lhe.. por isso 89. gostaria de falar consigo. é que a abri. “Os dados que . I. vossa abaixo-assinados.. Refez-lhe. I.. devem realizar-se com nós. abaixos-assinados.d.. A alternativa que preenche corretamente as lacunas é: a) o. o c) o. mim b) esta. 83. a não falar nada. lhe. Edson Volume Único .. próprios os trabalhos que .a d) essa. Enviamos cartas a vocês.. Foram divididos . Fizemo-lo.. Demos-lhe.. Assinale a alternativa em que a palavra destacada exerce a função de pronome adjetivo. 9 86.. lhe. Exª. Acharam-nos. se devem realizar com nós.. esta. II. Chame seu secretário e instrua-. lhe b) o.. Coloquem os móveis no lugar. vi na festa do clube ontem.. lhe. o. passe . essa. apenas a sentença 3 está correta. lhe. o c) lhe. Peça-. III. n.. O nome do sinal em forma de estrela (*) é asterístico. Enviamo-las. Demos-lhe. II. I. I. o. I. Enviamos-lhes. lhe. lhe. Confesso que fiquei fora de si quando recebi o telefonema. lhe. II. a) Partiu sem ao menos dizer-me adeus. por isso e) eu. Enviamo-lhes.. temos: a) b) c) d) e) I. Ela comprou um livro para mim ler. lhe. “Eu não . que os . III. vos. lhe. lhe. o. 88. II. eu 90.. o.. vos. que destrua as folhas o mais rápido possível. Deduzimos que: a) b) c) d) e) apenas a sentença 1 está correta.. II. II... Verificamos que está(estão) correta(s): a) b) c) d) e) apenas a sentença 1. Por favor. todas as sentenças.. apenas a sentença 3. mim e) aquela. tu. III.. c) Aquela não foi uma obra de arte.. apenas a sentença 2 está correta. em equipe. o. apenas a sentença 2. Coloquem-nos. 3. lhe. o 84. Acharam-nos. III. mim c) essa. Nada há entre mim e ti. a) mim. III.. III.. Coloquem-nos. III. b) Poderíamos reconhecê-lo como um dos nossos mártires. disseram que era ontem? Eu . lhe. Acharam-nos.. o b) o. lhe. o. d) lhe. Enviamos-lhes. Refez-lhe. eu 85. Fizemos-lo. a) b) c) d) e) conosco.. Acharam-los.. Refê-la. o.. III. Coloquem-os. vossa abaixo-assinados. porém não o que me desagrada. Acharam-os. esta. por isso b) mim. II. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. e) Sempre serei assim. sua abaixo-assinados. I. Coloquem-os. lhe. o. A carta vinha endereçada para . I. 2. essa.

esta c) aquele .. o esporádico” a) esse . por isso não vou escrever-te. por isso não vou escrever-lhe.d.. Vou estar consigo amanhã.desses 101. Vós e vossa família estais convidados para a festa. por isso não vou escrever-vos. “Lá vem o acendedor de lampiões da rua! Este mesmo que vem infatigavelmente. por isso não vou escrever-lhe. e) um pronome adjetivo indefinido e três pronomes substantivos indefinidos. À medida que a noite aos poucos se acentua E a palidez da lua apenas se pressente... “Tu não percebes nada e teu pensamento voa em outra direção. a fim de solicitar o seu apoio. Dirijo-me a Vossa Senhoria. por isso não vou escrever-te. a) b) c) d) e) Entre ela e eu não há divergência.. . nenhuma frase imortal.”.este b) essa . 99. Assinale a opção que completa as lacunas da seguinte frase: “Ao comparar os diversos rios do mundo com o Amazonas. dois.aquela e) esta .desse e) deste .. Assinale a única alternativa em que haja erro no emprego de pronomes. b) Ele acende. tem-se: a) quatro pronomes adjetivos indefinidos. Ele fez tudo para mim entrar na faculdade. Entre eu e meus colegas não há grandes divergências..essa 96.daqueles d) deste .. e) Aceden-se. Dirijo-me a ti.esta Volume Único . três lampiões. “Brandura e grosseira alternan-se em seu comportamento: já não o suporto.aquele c) aquele . a fim de solicitar o teu apoio. porém. Mandou-me embora mais cedo. é o traço dominante. b) dois pronomes adjetivos indefinidos e dois pronomes substantivos indefinidos. são bens culturais”. “Se o pronome tu fosse substituído por Vossa Senhoria. O período em que o pronome possessivo destacado está mal empregado é: a) b) c) d) Dirijo-me a ele. Maria e o seu filho dela”. acende e continua Outros mais a acender imperturbavelmente. 10 102.. d) quatro pronomes substantivos indefinidos.. pois . não havia nenhuma fotografia sorridente dele. a) desse .. Dirijo-me a vós. defendia com azedume e paixão a proeminência . Na frase: “Chegou Pedro. Deixei-o encarregado da turma.” Com pronome no lugar da expressão destacada escreveríamos: a) Eles acende. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas da frase abaixo: “Ciência e desenvolvimento tecnológico não se comportam como mercadorias: uma observação mais cuidadosa revela que tanto .daquele b) daquele .. e) Vossa Senhoria não percebe nada e seu pensamento voa em outra direção. três lampiões. Assinale o item que completa convenientemente as lacunas do trecho: “A maxila e os dentes denotavam a decrepitude do burrinho. nada que fosse supimpa”.essa d) esta . teríamos: a) Vossa Senhoria não percebe nada e seu pensamento voa em outra direção. Edson . d) Vossa Senhoria não percebeis nada e vosso pensamento voa em outra direção.” a) esses / aquela b) estes / aquela c) estes / essa d) aqueles / esta e) estes / esses 98.aquela b) essa ..destes c) deste . a) b) c) d) e) Vossa Excelência e seus convidados..esse e) esse .. d) Acende-os. . No trecho: “O presidente não recebeu ninguém. como . 100. Para mim é difícil aceitar a proposta.. Parodiar o sol e associar-se à lua Quando a sombra da noite enegrece o poente! Um. a) este .2007 Prof. 93. acende.. a fim de solicitar o vosso apoio. sobre cada um . a fim de solicitar sei apoio. a fim de solicitar o vosso apoio.. c) Acende-lhes..esse d) esta . b) Vossa Senhoria não percebe nada e vosso pensamento voa em outra direção. c) Vossa Senhoria não percebeis nada e seu pensamento voa em outra direção. 95. e) Dirijo-me a Vossa Senhoria. c) um pronome substantivo indefinido e três pronomes adjetivos indefinidos. Vou estar consigo amanhã. dois.Gramática 92.a 94. por isso não vou escrever-te. estavam mais gastos que . Assinale a opção correta quanto ao emprego do pronome. o pronome possessivo está reforçado para: a) ênfase b) elegância de estilo c) figura de harmonia d) clareza e) n. 97. Um..

prometi-lhes me enviaram. 108.. Os atentados que houveram deixaram perplexa a população. os devolverei. nada o tiravam da apatia. devolvê-los-ei. “Os projetos que . . socorremos o rapaz e a moça . a) b) c) d) e) enviaram-me.Gramática 103. Marque a alternativa cuja seqüência preencha adequadamente as lacunas do seguinte período: “Nós . Assinale a frase gramaticalmente correta... Esperava-se menos perguntas na prova.. n.... c) Se não vier. a fumaça e o fogo. as chuvas. às procurações. ... mas com . para eles . a) Filmes. os bombeiros abandonaram o local do incêndio. para escandalizar os mais arrojados..” a) b) c) d) e) meia – menas – bastantes meia – menos – bastante meio – menos – bastante meio – menos – bastantes meio – menas – bastantes Prof.. certos ser tido.” a) b) c) d) e) fica suspenso fica em suspenso ficam suspensas ficam suspenso fica suspensas . certa serem tidas. todas estão corretas. Dadas as sentenças: 1. lhes prometi enviaram-me.2007 11 115.. a) b) c) d) Considerou perigosos o argumento e a decisão.. “De hoje em diante. ao processo. as licenças mensais. boas conversas.. 3.. ser sete horas quando. o trabalho?” a) b) c) d) e) é necessário – terminassem é necessário – terminar são necessários – terminarem são necessários – terminem são necessárias – terminarem 107. “Pode a presença destes dois grandes nomes do esporte ... Já faziam meses que ela não a via. certo ser tida... como instrumentos .. Depois do que você me fez.. que enviaram .. certo Volume Único . como .” a) mesma – ir anexas b) mesmo – ir anexo c) mesma – irem anexas d) mesmo – ir anexos e) mesma – ir anexa 111. e) Cristina viajou há três semanas. Edson 114... Reparem no que o conferencista está dizendo. Ele comportou-se muito mau durante a entrevista. certas ser tida. “Ela . os devolverei. estão em ordem. . Os atletas apresentavam-se afim de iniciarem a corrida. 112... “Ainda . como faremos? d) É precaríssima as condições do prédio. e) Vossa Senhoria vos preocupais demasiadamente com a vossa imagem. prometi-lhes me enviaram. 113.” a) b) c) d) e) serem tidos.. deduzimos que: a) b) c) d) e) apenas a sentença nº 1 está carreta. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas: “Quantas semanas . “Elas . “Já . b) A pátria não é ninguém: são todos. para os fins colimados...”.. e) A quem pertence essas canetas? 106. Aponte a alternativa correta. os devolverei. . ainda hoje..” a) b) c) d) e) deveria – extinto deveria – extinta deveria – extintos deveriam – extinta deveriam – extintas 105. conforme . proferia injúrias . 109. Indique a alternativa correta.” a) b) c) d) e) mesmos – bastante – machucados mesmo – bastantes – machucados mesmos – bastantes – machucados mesmo – bastante – machucada mesmos – bastantes – machucada 110.. 2. providenciaram os atestados. apenas a sentença nº 2 está carreta..d. lhes prometi enviaram-me. . a) b) c) d) Há menas pessoas hoje. devolvê-los-ei. Devem haver muitas pessoas revoltadas naquele país. É um relógio que torna inesquecível todas as horas....a.. apenas a sentença nº 3 está carreta.. novelas. violência.. ... não sabia se as declarações deviam ou não . acho que estamos quite.. lhes prometi. furiosa. a) b) c) d) e) mesmas – anexos – bastantes mesmo – anexo – bastante mesmas – anexo – bastante mesmo – anexos – bastante mesmas – anexos – bastante 104.

e) Não tinham razão o sonegador e os seus protetores.. Mais de dois constituintes cumprimentaram-se com euforia. b) Não lhes bastou a ajuda em alimentos e agasalhos. fatos concretos. caro Príncipe. acarretando certos deslizes na concordância. Faça a concordância. eu e os primos. andaste 122. b) Fugiu desesperado o homem e toda a sua família... e) Não sobrou aos participantes daqueles jogos outra alternativa. o vento. um curiango e um outro pássaro noturno. Existem fortes indícios de melhoria geral. Mais de um constituinte votaram a favor do projeto. a) Cantavam. Irão de carro tu e os primos. b) Os olhos. nada o fez mudar de opinião. ocorre sujeito composto. Edson . 120. . normalmente. Assinale a alternativa em que houver concordância errada: a) b) c) d) Um e outro renegaram a fé. Um e outro tinha razão. Portanto não está correta a alternativa: a) b) c) d) e) Faltam ainda seis meses para o vencimento. a) b) c) d) e) Você e eu não mais nos veremos. c) Foi chegando aos poucos um vento cada vez mais frio. Serão considerados válidos tais argumentos? 124. Nas alternativas que seguem.. A brisa. Volume Único .” a) b) c) d) seria – iniciou – brasileira seria – iniciaram – brasileiras seria – iniciou – brasileiros seriam – iniciaram – brasileira 118. d) Pouco adiantou o choro e o apelo das mães. c) Pouco adiantam súplicas e pedidos. Assinale a alternativa que não está de acordo com a norma culta: a) Faltava apenas dois minutos para o término do jogo. teremos tempo para os acertos finais. Assinale a alternativa que contraria as normas da língua culta escrita. todos os nossos negócios e a nossa vida privada. Os fatos que o perturbam são bem poucos. “V. andaste está cansado.” a) b) c) d) estais cansada. qualquer barulho atravessavam a cidade de ponta a ponta. 117. andou está cansado.Assinale a alternativa em que a concordância verbal não está respeitando as normas da língua culta. demais. “Já .. tu e os primos. Prof. d) Quando chegarem as férias. Ireis de carro tu e os primos. 12 126. O rancor e o ódio levaram-te à loucura. c) Não nos bastam neste instante palavras de conforto. pois . 125. 8 horas quando se .. (introduzirá / introduzirão) d) No futuro. 119. o corpo mudaram com o tempo..As frases que seguem contêm verbos cujos sujeitos vêm. andou estais cansado. Assinale aquela em que a concordância verbal não é aceita pelo padrão culto. d) Eu e meu assessor iremos cuidar do caso com a máxima urgência.. c) Ficou em casa naquela noite os filhos todos e o pai desesperado. Irão de carro todos os convidados. e) Sois culpados todos vocês e os seus conselheiros. Não provinha daí os males sofridos. _________ desaparecer certos direitos de que hoje todos os indivíduos compartilham. b) Faltava apenas dois minutos para o término do jogo. 121. na noite alta. d) Qualquer ruído. O verbo concorda em número e pessoa com o sujeito. os debates sobre cinema e literatura. (está / estão) c) O computador certamente _________ profundas modificações na estrutura da sociedade moderna... as restantes feições. Caiu naquela tarde chuvas e granizo assustadores. A.2007 a) Deus e o céu são testemunhas do que se passou lá. em ordem inversa. (falta / faltam) b) _________ assumindo aparência de realidade no mundo atual muito sonho e muita fantasia do mundo antigo. provas. Argumentos. Assinale a alternativa em que a concordância não está de acordo com as normas da língua culta escrita.Assinale a alternativa onde haja erro de concordância verbal: a) b) c) d) e) Ireis de carro eu. Irás de carro tu. Assinale a opção em que a lacuna pode ser preenchida por qualquer das duas formas verbais colocadas entre parênteses: a) Não _________ motivos para acreditarmos que o computador constitui séria ameaça contra os direitos individuais. a) A crítica e a opinião pública não acolheram favoravelmente o espetáculo. (poderá / poderão) e) É provável que futuramente. hoje. a cara. c) Vento frio e golpe de ar não fazem mal a ninguém. (fique / fiquem) 123. o tufão não os atemoriza.Gramática 116. _________ sob o controle do computador.

Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. que... cuja figura os mais velhos se comoviam (com) b) uma companheira desta. A frase que mantém o padrão culto da linguagem é: a) b) c) d) e) Esqueceram-lhe os compromissos assumidos.. Reformam-se ternos. A aurora é o terceiro tom .. a que. que. a que a que. A aurora é o terceiro tom . e) Chamei-lhe de bobo. d) Ele aspira muito pouco progresso na vida. d) Ela solicitou para que ninguém interviesse a seu favor. fala o poeta. a que. . origens me referi há pouco. A aurora é o terceiro tom . Comprou-se terrenos no subúrbio. a que de que. Há erro de regência verbal em: a) b) c) d) e) Venha assistir aos debates em minha sala. c) Uma nuvem de gafanhotos invadiu as roças e causou um prejuízo incalculável.cuja figura havia um ar de grande dama decadente (em) d) uma companheira desta. Prof. a) b) c) d) e) Prefiro correr à nadar. Prefiro mais correr que nadar. e) O batalhão. pois não agiu com maldade. 3... a) uma companheira desta.. durante umas doze horas de caminhada. e pela qual ainda estamos subordinados. Notifiquei-o de havia sido convidado.. construção assisti.” a) b) c) d) e) cuja – em que de cuja – onde a cuja – na qual a qual – em que da qual – onde 132. Indique a alternativa correta. Precisam-se de datilógrafas. d) Uma revoada de andorinhas quase cobria a luz do sol por onde passava. se refere o poeta. c) Essas são as idéias das quais ele mais se orgulha. 133. .. a que. Prefiro mais correr a nadar. Obedeceram-se aos severos regulamentos.. Assinale a alternativa que preenche. .. cuja figura já nos referimos anteriormente (a) c) uma companheira desta.. cuja figura os mais velhos se comoviam (por) e) uma companheira desta. Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna da frase.. Lembro-me que tais eram as suas palavras... e) O problema o qual relacionei seu medo de escuro. . “Assim é a obra poética . a fim de não colocar em questão a autoridade que estava investida. merece ser mais bem pesquisado. quase não tinham mais lembranças da cidade grande. 135. daí poder-se concluir que não abrirá mão delas.” a) sobre cuja b) a cujas c) cujas d) de cujas e) em cujas 130. que que. Edson a) Prefiro esforçar-me hoje do que lamentar amanhã. de que. c) Chame os empregados e pague-os os meses atrasados. a) A sugestão a qual devemos acatar suas diretrizes sem questioná-la é que me debato: quero poder externar meus pontos de vista. pela ordem. b) Não lhe procurei mais desde a última discussão. a que. a que. Ninguém lhe convidou para a festa de despedidas. tem mais cômodos do que aquela . a) Uma multidão de torcedores esgotou os ingressos em apenas três horas. 2. 128. cuja figura as crianças se assustavam (de) 134. Eu esqueci os compromissos assumidos. que de que. A regência verbal está correta em: Volume Único . Nas frases que seguem. b) A lei cuja a contravenção pode levar o indivíduo à cadeia. Indique a alternativa correta: a) b) c) d) e) Tratavam-se de questões fundamentais. 1. Este é certamente um direito que não lhe assiste. corretamente as lacunas.. você morou no Rio de Janeiro. faz menção poeta. de que. assinale a alternativa em que o sujeito coletivo não admite o verbo no plural no Português culto escrito contemporâneo. Onde há erro de regência verbal? 136. 4. de cujo já lhe falei.... Prefiro correr a nadar. Assinale a opção cuja lacuna não pode ser preenchida pela preposição entre parênteses.. propõe o poeta. 137. 13 . Nós lhes lembramos o compromisso assumido.Gramática 127. Não me lembram tais palavras. que.. porque perdeu uma grande oportunidade. que. b) A tropa seguia sem descanso. “Esta casa... será submetida a uma nova avaliação.2007 131. a que 129. Prefiro correr do que nadar. Perdoa-lhe as faltas. a) b) c) d) e) A aurora é o terceiro tom .. . durante um ano isolado na densa floresta da Amazônia..

c) O menino preferia contar histórias a ficar sozinho... O verso . mais variado e mais imprevisto. o. Edson 143. que a que. Escolha. 2.. tarefas .. que. de que. preferiu morrer . Todas as regências acima estão carretas. A enfermeira procede . aspiras é muito importante. c) Pagou-lhe a dívida. Aponte a alternativa em que a regência do verbo pagar contraria a norma culta. abaixo. de que. 142. a b) ao.. Assinale a alternativa que preenche. que a que. primeiro lugar no campeonato. a que. “Cônscio . A equipe visa . O cargo .Gramática 138. exame do paciente. a. mas a lição esqueceu. a) O menino preferia contar histórias do que ficar sozinho. que. O escravo ama e obedece a seu senhor. O gerente visa . corretamente as lacunas abaixo.. ao. o.. do que me esperar na rua? c) Porque você preferiu mais vir aqui que me esperar na rua? d) Porque motivo você preferiu vir aqui.. O conferencista aludiu .. se lembraram eram muito grandes. todo o prejuízo que sofrera com a destruição da seca. O fiscal visou os documentos. 144. Não podendo lutar. a que a que. fato. O verso .. antes que me esperar na rua? e) Por que motivo você preferiu vir aqui a me esperar na rua? Prof. 14 . ao. do que c) ao. Antônio? Muito lhe amo. O verso . mais variado e mais imprevisto. a) b) c) d) e) Não tenham dúvidas que ele vencerá. ao.. se refere o poeta é mais belo. enganam-no. b) A cortesia mandava obedecer os desejos da minha antiga dama. O jogo .. Os problemas .. O livro que te referes é célebre... e) Jesus perdoou o pecador. O filme . a) Por que motivo preferiu vim aqui. contra cuja oportunidade me volto. 148. Se lhe disserem que não o respeito. trata o poeta é mais belo... Assinale a frase correta.. é bem agradável mas falha. 147. ao.. que. 139. o. Assinale a alternativa correta.. que d) o. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas abaixo. ao. Sua explanação. Assinale a alternativa gramaticalmente correta. assistimos foi movimentado. a) b) c) d) e) Chamamo-lo inteligente. Assinale a alternativa incorreta. a) b) c) d) e) Os professores visam à formação dos alunos. com ouro.. que. Você não é uma pessoa de que eu goste. se referiu já foi revogada. b) O menino preferia mais contar histórias a ficar sozinho. a que que.. a) ao. de que. o. 141. Prefiro estudar do que trabalhar. pela ordem. que. do que me esperar na rua? b) Por que você preferiu vim aqui. de que. o.. sua grande responsabilidade. que 145.. que. e) O menino preferia contar histórias que ficar sozinho. Chamamos-lhe de inteligente. c) A legenda ficou.. o poeta constrói é mais belo. a) b) c) d) e) que. que. ao.. Assinale a alternativa correta quanto à regência. viver.. Chamamos-lhe inteligente. O atirador visa o alvo.” a) em – nas – que b) de – nas – que c) com – das – a que d) em – às – de que e) de – das – de que 140. Os desempregados visam melhores condições de vida. 1.. O verso . paguei-o com as moedas de meu hábil esforço. Antônio? Eu não lhe agradei. cheque do cliente. 3.2007 146. a) b) c) d) e) Eu o agradei. gostou foi premiado. mais variado e mais imprevisto. mais variado e mais imprevisto. a. a) Aliviando-se de um verdadeiro pesadelo. querendo oferecer-lhe uma espécie de consolo. d) O alto preço dessa doença. 4.. o filho pagava ao pai a promessa feita no início do ano. Assinale a alternativa cuja seqüência completa corretamente as frases abaixo. a) Preferia antes morrer que fugir como covarde. e) Paguei-o. à e) a. b) O empregado pagou-lhe as polias e tachas roídas pela ferrugem para amaciar-lhe a raiva. que. a exata regência do verbo chamar. foi incumbido. Visamos a um futuro mais feliz. d) O país inteiro simpatizou-se com esse princípio. Chamamo-lo de inteligente. saiba disto. Indique a alternativa em que há erro quanto à regência. ao. de que. d) O menino preferia contar histórias à ficar sozinho. A lei .... desempenhou-se muito bem ... a. o poeta monta seu poema é mais belo. que. a) b) c) d) e) Volume Único . a que em que – a que – que – de que com que – que – com que – de que a que – de que – com que – que a que – de que – que – de que que – de que – com que – que 149.

157. Aspirando o perfume das centenas de flores que enfeitavam a sala. é certamente o mais eficiente e adequado recurso . que se podem manifestar até mesmo num anúncio de besta sumida. 15 . II 153.Gramática 150. Formulaste depois o raciocínio: houveram roubos.” Não há. Como era orgulhoso. d) Todos se moviam cautelosamente. e) Não tenho dúvidas que ele chegará breve.” Não há. d) Não se admitirá exceções. Assistiremos amanhã a uma missa de 7º dia. todas as alternativas estão corretas. e) Chegada a sua hora e a sua vez. Eram rapazes os mais elegantes possível.. . a) b) c) d) e) Não se assistia a tais espetáculos por aqui. Pequena parte dos cantores (dar) um agudo. e) “Não há. esse amor à tarefa bem-feita. involuntariamente. Desde criança sempre aspirava a uma posição de destaque. sumiu-me uma besta. que c) que.. a) do qual. b) Seus apartes eram sempre o mais pertinentes passíveis. sobretudo. exceto: a) b) c) d) e) Assistimos ontem um belo filme na televisão. Um bando de andorinhas (pousar) no varal. os lavradores dispõem para proteger a lavoura sem prejudicar o solo”. b) Foi então que começou a chegar um pessoal estranho. Machado de Assis assistia em Botafogo. c) O ministro diz que lhe dói os ouvidos quanto escuta uma nota desafinada.” A partir de 6 de outubro do ano cadente. exceto em uma. Um grande número de maritacas (grasnar). d) “Não há. é: a) b) c) d) Preferiu sair antes do que ficar até o fim da peça. com que b) de que... desmaiou. prejudicou toda uma família. cereais e geladeiras exportados. preferiu declarar falida a firma a aceitar qualquer ajuda do sogro. É necessário cautela com os pseudolíderes. essas criações voltam a existir porque soubeste descrevê-las. Edson 160. senhor Presidente. Não se trata de problemas graves. 155. de que 154. 151. Volume Único . esses amores à tarefa bem-feita.2007 a) Os fatos falam por si só. Todas as alternativas abaixo estão corretas quanto à concordância nominal. III. Todas as alternativas apresentam concordância correta. b) Soltam rojões contra o gabinete do ministro e depois se cotizam para pagar os vidros que a explosão dos rojões quebraram.” . III e) I. entretanto. atestam cultura jurídica indiscutível. III. exceto: a) b) c) d) e) Foi acusado de crime de lesa-justiça. por mais que se os vejam de prismas adversos.. a única inteiramente de acordo com as normas gramaticais é: a) Os votos e as sentenças do ministro. d) Deve haver uma lei geral e devem haver leis especiais. As informações que dispomos não são suficientes para esclarecer o caso. sobretudo. 159. Há de se fazer muitas alterações. Visando apenas os seus próprios interesses. essa criação volta a existir porque soubeste descrevê-la. Das frases adiante. As declarações devem seguir anexas ao processo. c) Queria voltar a estudar. e) Nós é que. mas faltava-lhe recursos.. que se pode manifestar até mesmo num anúncio de besta sumida. Assinale a alternativa que contém as respostas corretas. não podemos concordar com tal ilegalidade. c) O relógio bateu meio-dia e meio. 152.. II.. a) Devem haver outras razões para ele ter desistido. II. entretanto. O cargo a que todos visavam já foi preenchido.. Lembrou de que precisava voltar ao trabalho. Seguiram automóveis. a) II. Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal. intimidou-se. Podem-se respeitar essas convenções Pode-se perdoar aos exilados. I. o verbo pode ir para o plural ou ficar no singular: a) b) c) d) Mais de uma pessoa (atingir) a meta. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas da seguinte frase: “O controle biológico de pragas.. A frase que não apresenta problema(s) de regência. de acordo com a norma padrão. IV d) I. o texto faz referência. 158.. IV. Assinalar a alternativa em que a concordância nominal está correta. o qual d) ao qual. e) Basta-lhe dois ou três dias para resolver isso. b) “A partir de 6 de outubro do ano cadente. III c) I. ele. esses amores à tarefa bem-feita. Os médicos assistiram os feridos durante a guerra. cujos e) a que.. preocupado com o perigo. Com referência à regência do verbo assistir. O técnico assistiu os jogadores no treino. sobretudo. embora fosse tão humilde. Prof. c) “. Em todas as alternativas. sumiramse duas bestas. IV b) I. 156. Assinale a opção em que a concordância verbal contraria a norma culta da língua. exceto: a) “Formulaste depois o raciocínio: houve roubo. esse amor à tarefa bem-feita. levando-se em consideração a língua escrita. III. sobretudo.

d) e) apenas em III apenas em IV. c) apenas em II. devem ser atribuídos consagrada. Ministro. O problema é este: não há o outro lado quando se domina as novas tecnologias.deve ser atribuído consagrados. e) Obrigava sua corpulência a forçada evolução e exercício. b) Já tinham bastante motivos para voltar para casa. notas fiscais e se . d) Escolhe tu mesmo o que julgas ser melhor para teu futuro.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas a frase. as entradas de todos os funcionários.ª está enganado.” (Folha de S. e) Às vezes era solicitado alguns trabalhos extraclasse. c) Que houvesse ou não existido opiniões contraditórias não nos interessava naquele momento. às. II. Muito obrigadas! Disseram as moças. 167 e 168 assinale a alternativa correta. Em todas as alternativas há problemas de concordância segundo a norma culta da linguagem. A eles. indecisa quanto .. V. c) Às vezes eram solicitados alguns trabalhos extraclasse. Regina estava . meia meia. c) “. e) Escolhe você mesmo o que julgas ser melhor para o teu futuro. mesmo assim. 167. c) Vossas Excelências já podeis considerar o projeto aprovado. I. meia meio. d) Sr. a. às. a) Obrigava sua corpulência a exercício e evolução forçada.ª sereis recebido com grande entusiasmo pela população. anexo.” a) b) c) d) e) consagrado. Há uma concordância inaceitável. III e V. às..... V. É proibido entrar.. Assinale a alternativa em que a concordância verbal e nominal está correta.. para a despedida do presidente. meia 16 169. os louvores que ele tem recebido ultimamente. Consegue-se bons descontos aqui. 163..Poulo) b) Compra-se lotes e casas. Edson Volume Único . b) Obrigava sua corpulência a exercício e evolução forçados. a. as.Aponte a alternativa em que a concordância nominal não é adequada. b) Comprei um óculos escuro nesta loja. às. devem ser atribuídos consagradas. 166. à. Ex. São muito estudiosos os alunos e as alunas deste curso. c) Obrigava sua corpulência a exercício e evolução forçadas. deve ser atribuído consagrados. Sr. e lá haviam amigos nossos na fila. III. “Ao esforço e à seriedade . anexo. e) A gente fomos ao cinema no domingo. Ex. meio meio.faturas . de acordo com a gramática normativa: a) em I e II.Gramática 161. a) Já é meio-dia e meia. anexas. ali está a vergonha escancarada da guerra.. exceto: a) “O embarque de June surpreendeu a maioria das pessoas (aproximadamente 100) que foram ao Aeroporto Internacional do Rio. as. 170. meio meia. d) Obrigava sua corpulência a forçado exercício e evolução. na seqüência.. no quintal de todos que fazem questão de virar o rosto para o outro lado. as. a) Já fazem tantos anos assim? b) Acho que devem fazer uns dez anos. 165. as. a) Às vezes era solicitado alguns trabalhos extraclasse. faltam poucos minutos para começar a reunião. A pobre senhora ficou meia confusa.A alternativa em que são atendidas as normas de concordância da língua culta é: a) Precisamos ser benevolentes para com nós mesmos. c) Vão fazer dez anos que trabalho aqui e ainda é proibido a minha entrada na sala da Diretoria! d) Duzentas gramas de queijo são demais para fazer torta. a) b) c) d) e) meia. a. ao estudo é que ..” (Folha de S. 168. Em qual declaração proibitória ocorre incorreção gramatical? a) b) c) d) e) É proibida a entrada. foi-lhes proibida a entrada. b) em II. Deputado. deve ser atribuído Nas questões 166. à. anexas. anexo.. b) Às vezes era solicitados alguns trabalhos extraclasse.2007 . IV. . d) Às vezes eram solicitados alguns trabalhos extraclasses. Proíbe-se a entrada de estranhos. as. folha bastaria para o bilhete. Proibir-se-á. dois vultos enormes.. mandar . 162.. às. na escuridão da noite. 164.Paulo) d) É proibido a entrada de menores de 18 anos em motéis. V.. Prof. fora do expediente.. Os brasileiros somos todos eternos sonhadores. e) Surgiu...

. a pesada suspensão que lhe deram. d) Somente o tesoureiro não simpatizou com a nova diretoria. Assinale a alternativa correta... . “Não foi . exceto em: a) b) c) d) e) Seguem anexo as notas promissórias. A 2 está errada. cabível justa. A justiça declarou culpados o réu e a ré.. A entrada é proibida. o médico assistiu a um programa de televisão porque lhe assistia o direito a um descanso. Ainda não paguei o médico. Edson a) b) c) d) e) a) b) c) d) e) Prefiro mais a cidade do que o campo. n. 177. b) Nunca perdoarei ao homem a quem eu paguei a dívida. estão todos atentos. a) b) c) d) e) Fica no meio do quarto. c) A firma toda não se simpatizou com nova orientação. 175. “.Em todas as frases a concordância se fez corretamente. menos. nem mesmo o filho do novo diretor. Esta é a cidade que mais gosto. Assisti ao concerto de que você tanto gostou. menos. b) Era necessário a permanência do médico no hospital. Para quem a entrada é proibido? A número 5 está errada. . dispomos são poucos. 181. 180. Quero meio quilo. d) Sua discrição era digna de elogios. Escolhemos má hora e lugar para a festa. menos. mas os recursos . 178. Assinale a alternativa gramaticalmente correta.. A 4 e a 5 estão erradas..” Faz – volumoso – luso-brasileiras Deve fazer – volumosos – portuguesa Fazem – volumosos – portuguesa Devem fazer – volumosa – portuguesa Faz – volumosas – luso-brasileira Prof..d.. b) Há alguns dos novos diretores com os quais não simpatizamos. Rosa recebeu o livro e disse:”Muito obrigada”. cabível justo.” a) b) c) d) e) justo. Volume Único . a) Aquele rapaz com quem eu me simpatizo prefere mais aventuras desastrosas do que empreendimentos sérios. c) Eu sempre obedeço a mulheres. Chegamos finalmente em Santo André. a) b) c) d) e) Entrada proibida. As roupas das moças eram as mais belas possíveis. cabível justa. podiam ter pensado em outras penalidades mais . A moça usava uma blusa verde-clara. Assinale a alternativa que apresenta erro. Está meio triste. falhas apresentou. Os ideais . Ela possuía bastante recursos para viajar. para estudar a língua e a literatura . menas. Achei o meio de encontrar-te. porque você foi o que .... a) Simpatizei com a nova diretoria e com as novas orientações. Aponte a alternativa em que haja erro de regência. 5. a) O povo brasileiro anseia por uma constituição digna. cabíveis 173.. agora.Apenas uma alternativa preenche corretamente os espaços existentes na sentença abaixo. graves distúrbios entre os parlamentares. muitos anos que compramos um compêndio e uma gramática . 3. Estou quite com meus compromissos. Assinale a alternativa em que a regência verbal está correta. 2. c) Aconteceu. A 2 e a 5 estão erradas. É proibido entrada.Gramática 171..Assinale a alternativa em que meio funciona como advérbio. e) Não mais se lê bons autores naquela escola.. aspiramos são muitos. simpatizou com as novas orientações.Todas as concordâncias nominais estão corretas. 179.2007 17 176. ao meio-dia e meia. 174. durante a discussão do processo. pois todos estavam ao par das dificuldades de se manter secreta a negociação. 4. Observe a concordância: 1.a. a) b) c) d) e) que – dos quais aos quais – com que a que – que que – que a que – de que 172. porque visava a uma posição destacada.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. e) Antes de assistir o doente. Sairei de São Paulo hoje. Todas estão certas. cabíveis justo.. . exceto em: a) b) c) d) e) Os soldados.. menas. Entrada é proibido. d) O homem visou o alvo depois de ter visado o cheque. e) Nenhum dos que estavam presentes.

d) É preferível combater os males do que intimidar as próprias emoções. com maior segurança.. eficácia supera a de outras modalidades de transporte. . devido os vencimentos serem irrisórios.. a) b) c) d) e) Estes são os recursos que dispomos.. 183. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: “Só não . a) em – de – sobre b) com – em – de c) a – sobre – em d) com – de – a e) em – com – de 187. que te referes. b) Eu me proponho a dar uma nova chance.. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: “Existem muitos meios de comunicação .. “Desta forma. d) pelo substantivo luz. 188. mas as pessoas cujo testemunha ele dependeu são suas amigas até hoje. as respectivas lacunas: 1. 3. b) pelo verbo habitar. principalmente pelo tipo de lazer que eles estão acostumados. lhe falei e . se for o caso. c) Deve haver professores que preferem negociar do que trabalhar.. a qual acabamos de receber a ata. b) A esperança chegou paulatinamente nos já fatigados corações brasileiros.. que concordamos inteiramente. . Assinale a alternativa que complete... 191. cujo padrão ele quer pertencer. c) pela mesma palavra que rege a preposição em (em + a ) antes de choupana.. Paguei a uma dívida atrasada.. a) O povo tem ido nos bares das ruas para aliviar as constantes decepções diárias. As sentenças abaixo. d) Afirmou. Observando a norma culta da regência verbal. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada. c) O grupo de amigos. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: Não é este o livro . 190.. uma solução não poluente. Indique a regência que está de acordo com a norma culta. c) Mudar de vida implica sempre difíceis e embaraçosas acomodações.. e) O carinho com que ele sempre se dispõe a atender os mais necessitados faz dele uma pessoa da qual devemos orgulhar-nos muito. louco.. 189. a) Vi e gostei muito do filme apresentado na Sessão de Gala de ontem. apresentam desvios relativos à regência verbal vigente na língua culta. Edson ... 2.. Perdoei o amigo que me ofendeu. podemos recorrer para chamar os amigos”.. porque .” A preposição em logo após choupana é regida (exigida): a) pelo substantivo choupana. é o maior responsável por seus problemas.” a) b) c) d) e) impõem-se – da qual a impõe-se – que a impõem-se – cuja impõe-se – a qual a impõe-se – cuja 18 Volume Único . estimular as obras do metrô. não se pode dar o luxo de ficar trocando de carro. b) Aquele assalto a que ele foi vítima só lhe trouxe tristezas. exceto uma. Desconheço o trabalho .que divergiras. leitura me deliciei”. muito bem”. Expôs o ponto de vista . “Triste ironia atroz que o senso humano irrita: Ele que doira a noite e ilumina a cidade. e) A importância que eu preciso é vultuosa. a) b) c) d) e) o chamei – lhe quero o chamei de – o quero chamei-o – quero-lhe lhe chamei – quero-o lhe chamei de – o quero 184.. a) que – de cuja b) a que – de cuja c) que – a qual d) de que – a qual e) de que – com cuja 185.2007 Prof..A frase que mantém o padrão culto da linguagem é: a) O projeto que ele se referiu foi analisado ontem e o texto definitivo que se chegou após as discussões será encaminhado a vocês amanhã mesmo. d) Com o empréstimo compulsório. Assinale a que não apresenta esses desvios. de que havia posto o assunto em debate na sessão anterior. Talvez não tenha luz na choupana em que habita. Revi o enunciado .Gramática 182. escolha a opção correta. Perdôo aos teus erros. adequadamente e em correspondência com as frases. Assiste ao trabalhador o direito de férias. e) pelo verbo ter. a) a que b) onde c) nos quais d) os quais e) a cujos 186.

Simpatizo-me com ele. na semana passada alguns fazendeiros levaram no local um ex-funcionário da Funai e um grupo de índios cintas-largas. lhes 194.a ele. a ela.. 4. por sua vez. 195. b) A coordenação do movimento não concordou e quer rever os principais pontos de seu programa. e) Ali. b) Estranhamente. e) Avisaram-no que a reunião começaria no horário marcado? 198. d) De Barbacena. apenas um está de acordo com a norma culta. o complemento está corretamente relacionado com ambos é: a) Esse novo banco não precisa nem exige o comparecimento diário dos clientes a suas agências. a mãe acredita. Tudo que o pai diz.os.” e) “Eles esquecem o que têm de mais humano e sacrificam o que a vida lhes oferece de melhor: as relações de criatura para criatura. os. “.. lhes a ela. mesmo sem se sentir ainda com coragem para propô-lo. Zé Luís.. lhe. lhe. alunos . foge dos homens mas gosta muito dos bichos. exceto em: a) Preferia-me às outras sobrinhas.Gramática 192. aqui estou te escrevendo porque não me perdoaria a mim mesma se fosse embora desta vida sem te dizer umas quantas coisas. 2. lhe. lembro-me do frio e da praça.” c) “O dr. a ela. a ela. contudo não queria os livros. O aluno obedece aos mestres. implica um terceiro. a) b) c) d) e) Assistimos à inauguração da piscina. Assinale a alternativa que substitui corretamente as palavras destacadas. b) Você chama isso de molecagem.” 197. pelo menos nessa época. e) Todos os artistas citados no documento difundem e contribuem para a campanha contra a discriminação aos contaminados com o vírus HIV. lhes a ela. a ele. os convites serão distribuídos amanhã.. Em todos os trechos abaixo.2007 . Edson 199. Ninguém lhe assistiu. “Informamos . há exemplos de regência verbal. b) A vida a que aspirava era uma ilusão... tendendo para a oralidade. d) Apenas na Amazônia. Assinale a alternativa em que a regência do verbo contraria a norma culta da língua. c) Eu lhe acordo antes que meu marido se levante. Meu amigo. 193. a eles. o.. retirados de Olhai os lírios do campo.. Ninguém os assistiu. portanto. Candia é um solitário. Ele aspira o aroma das flores. A única frase em que a regência verbal. a) “Lembras-te daquela tarde em que nos encontramos nas escadas da faculdade?” Prof. a eles. c) Até há pouco tempo todos podiam consultar e aplicar diariamente nos Fundos de Aplicação Financeira. c) Peri ficou imobilizado por centenas de lanças que visavam o seu peito. A alternativa em que os verbos têm a mesma regência e. Ninguém assistiu a ele. 19 Volume Único . freqüentemente empregados na linguagem informal. d) Jamais me esquecerei daquele fato marcante em minha vida. afasta-se a da norma culta escrita é: a) A descoberta da tribo perdida colocou mais lenha na fogueira da disputa pela terra na região. Entre os exemplos abaixo. b) “. 196. 5. isto implicará em sua suspensão. tornando-se incorreta.. a) b) c) d) e) Com quem você está namorando agora? Lá em casa somos em quatro filhos. a regência verbal está correta. c) Os fazendeiros contestam a presença histórica dos índios. O candidato residente na Rua Cosme Velho não compareceu. Ele aspirava a uma posição de maior destaque. Ninguém a assistiu. Em todas as alternativas... os sertanistas dão como certa a presença de pelo menos cinco novos grupos. 1. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. os. o.a. lhes lhe. ninguém assistiu ao formidável enterro de tua última quimera” Com o pronome no lugar do termo em negrito: a) b) c) d) e) Ninguém o assistiu. d) Gilda de Abreu enfrentou e acabou por enfraquecer os preconceitos de uma sociedade que não aceitava a emancipação da mulher. Marque a opção em que a regência foi alterada.os a ela.. 3.” a) aos – que – que b) os – que – que c) aos – de que – de que d) aos – de que – que e) os – que – de que 200. os sertanistas estão no encalço de 22 tribos. a feira de livros começará na próxima semana e .. a) Ele queria aos pais. Assinale-o.. pensava vagamente num desquite.” d) “. O governo assiste os flagelados. e) Um implica o outro que.

223. 234. foi lido há três anos. Edson 212. ( ) Fiz alusão a que morava nesta casa.. 221. 242. 226. 239. a crase. Coloque o acento indicador da crase. Correlacione: 1. Fomos a Europa. 206. quando possível. 237. 227. Fomos a Ásia.Refiro-me aquela menina.Fiz referência aquela mestra e não a esta. 209. 219. Indique os itens onde obrigatoriamente. a) b) c) d) e) a que – de que que – que a que – que que – de que às quais – que Marque o item em que pode ou deve haver acento grave indicador de crase. 202. 216.Queria bifes a cavalo. obrigatoriamente. CRASE PROIBIDA Prof. 230. 214.. 235. 217. 204. 210. Fomos a França. Este é o aluno que o professor deu nota baixa. 211. Iremos a Roma dos meus avós. ( ) A professora a cuja obra nos referimos ganhou prêmio. Volume Único .Dirijo-me a Vossa Excelência com muito respeito. Iremos a Portugal. CRASE FACULTATIVA 3.Olhou aquela menina. 218. 224.Fiz referência a esta mestra e não a de seu irmão. 20 . 240. Fomos a Escócia.Havia doces a beça. teve acesso comprovam suas suspeitas. e) Pagaremos pela casa o preço justo. 228. ( ) Esta é a casa a que fiz alusão. Coloque o acento grave indicador da crase. CRASE OBRIGATÓRIA 2.Assinale a alternativa em que a regência verbal está correta. 236.Vou a praia. 238. 220.. O romance cujas características não me lembro agora.Esperei-a desde as oito horas. 229. 225. 207.( ) Veio de Paris a moça a que me refiro.Dei um desenho igual a uma foto. Iremos a Barra da Tijuca. a crase.Esta foto é igual a que te dei.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. Fomos a Inglaterra.2007 215.( ) Refiro-me a que veio de Paris..Ofereceu um prêmio aquela menina.( ) Chegou o pai da moça a qual ofereci uma flor. quando for possível: 213. Iremos a Lisboa. 203.Queria angu a baiana. 241. Prefiro brincar do que trabalhar.O barco estava a distância de três quilômetros. deve haver. Indique os itens onde deve haver.Aludiu aquela menina. ( ) A moça a quem admiro é muito sincera. ( ) A moça a quem obedeço é muito sincera.( ) Chegou o pai da moça a qual amo. Ele só tinha medo . 208. 233. 222.Dei o livro aquela menina.Dei uma foto igual a esta.( ) Chegou o pai da moça a qual concedi um favor. algo errado acontecesse. 231. 205.O marinheiro queria ir a terra.Gramática 201. Iremos a Brasília. “As informações . 232. a) b) c) d) Dona Maria não pagou o verdureiro nem o açougueiro.Aspiramos a melhor situação.O jogador ficou cara a cara com o goleiro.

. b) É muito bom que o homem. subordinada substantiva completiva nominal. respectivamente: a) subordinada substantiva objetiva indireta. e) valor de adjetivo e função sintática de adjunto adnominal. No período: “Não me parece bonito que o nosso Bentinho ande metido nos cantos com a filha do Tartaruga. Seria necessário a inflação parar de subir.2007 . uma oração subordinada objetiva indireta. 248. Fazer a prova tranqüilo é importante. c) valor de substantivo e função sintática de objeto direto. Ninguém mais acreditava que ainda houvesse meios de salvá-lo. subordinada substantiva objetiva direta. subordinada substantiva completiva nominal. exceto: a) Decidiu-se que o petróleo subiria de preço. As pessoas gostam de que as tratem bem. b) Nunca precisei de que você defendesse os meus interesses. b) valor de advérbio e função sintática de adjunto adverbial de modo. 257. 250. 253. vez por outra.. Edson 256. subordinada substantiva objetiva direta. subordinada substantiva objetiva direta. Bastava que você lhe telefonasse ontem. uma oração subordinada reduzida. n. As orações subordinadas substantivas que aparecem nos períodos abaixo são todas subjetivas.( ) Sua cara é igual a minha. por fim. 247. a) Estou certa de que você nunca me compreenderá. e) subordinada substantiva subjetiva. 246. Quatro alternativas a seguir contêm orações destacadas que desempenham a mesma função. 245. subordinada substantiva objetiva indireta.( ) A assistência a aulas é obrigatória. e no fim declarou-me que eu tinha medo de que você me esquecesse”. c) subordinada substantiva objetiva direta.. A rua onde moras é muito movimentada. b) subordinada substantiva predicativa. e) Lembre-se de que. 254. as orações destacadas são. você ficará sozinha. a uma. Indique a alternativa em que a oração destacada é uma subordinada completiva nominal: a) b) c) d) e) Este é o relatório de que lhe falei ontem. Só me interessa saber uma coisa: onde moras. c) De tanto gritar. Lembraram-se de que a reunião fora adiada. d) subordinada substantiva objetiva direta. no período acima: três orações subordinadas. Sua mãe quer que você vá ao mercado. você acabará ficando rouca.( ) Refiro-me a Joana D’arc.a 260.( ) Todos. Em: “Considerei. 21 Volume Único .( ) Maria foi promovida a diretora. Insisto em que partas logo. em relação à oração não destacada: a) valor de adjetivo e função sintática de predicativo do sujeito. subordinada substantiva subjetiva. e) Convinha-nos que você estivesse presente à reunião.( ) Irei a Escócia no mês que vem. a) b) c) d) e) Não me disseram onde moravas.”. 244. 258. uma oração subordinada subjetiva. disseram a resposta. 255. d) Informei-a de que já conquistei novas amizades. 252. Morarei onde moras.( ) Ele acordará a certa hora. a oração destacada é: a) b) c) d) e) subordinada substantiva objetiva indireta. 259. c) Ignoras quanto custou meu relógio? d) Perguntou-se ao diretor quando seríamos recebidos. Espalhou-se a notícia de que ele chegou.d.( ) Deu a namorada uma rosa. Assinale o período em que a oração destacada exerce a função de complemento nominal. a) b) c) d) e) É conveniente que você estude mais.” a oração destacada tem. Prof. reflita sobre sua vida. 261.. que assim é o amor. com esse gênio. subordinada substantiva predicativa. Assinale o período em que a oração destacada é substantiva apositiva. 251. Em relação ao trecho: “. uma oração principal e uma subordinada.. d) valor de substantivo e função sintática de sujeito..( ) A menina correu até a árvore. 249. 243.( ) Vou constantemente a casa de José. subordinada substantiva predicativa. Assinale a alternativa que contém a oração que não exerce a mesma função que as demais. a) b) c) d) e) Há.Gramática Os acentos foram retirados para efeito deste exercício.

adjetiva explicativa. Edson . subordinada substantiva subjetiva direta. subordinada substantiva objetiva direta. adverbial temporal. subordinada substantiva apositiva. respectivamente: a) b) c) d) e) objeto direto. adjetiva restritiva. restritiva.2007 Prof. c) substantiva objetiva direta. subordinada substantiva completiva nominal. substantiva objetiva indireta. d) adverbial causal. (Rachel de Queiroz) II . 268. subordinada substantiva subjetiva.“Na madrugada. coordenada assindética. b) substantiva objetiva direta. respectivamente. coordenada assindética. e) coordenada assindética. II) O importante é que obtenhamos o sucesso. IV) “Na madrugada que rompe. III) Os meus amigos não me convenceram de que eu deva desistir. d) substantiva objetiva direta. Classifique as orações de acordo com o código: a) substantiva objetiva indireta b) substantiva completiva nominal I .Gramática 262. adverbial temporal. substantiva objetiva indireta. d) substantiva subjetiva. substantiva subjetiva e coordenada sindética conclusiva. substantiva subjetiva e substantiva objetiva direta. subordinada substantiva objetiva direta. substantiva predicativa. c) substantiva predicativa. um preto conta dominando o mar”. Amália errava o ponto. objeto direto. adjunto adnominal. subordinada substantiva objetiva indireta. substantiva predicativa. adverbial concessiva. Jorge Amado.. São respectivamente: a) substantiva subjetiva. na seqüência em que vêm no período é: a) principal. subordinada substantiva objetiva indireta. coordenada assindética e substantiva objetiva direta. adverbial condicional. II .“Lívia tira o vestido. b) substantiva objetiva direta. e) nenhuma das alternativas anteriores Volume Único . como um artista que estuda o seu modelo”. substantiva objetiva direta.( ) “Estava convencido de que todos os habitantes da cidade eram ruins”. IV . coordenada assindética.( )“Fabiano tinha a certeza de que não se acabaria tão cedo”. Jorge Amado. subordinada substantiva subjetiva. Nos seguintes períodos: I . subordinada substantiva objetiva direta. sujeito e adjunto adnominal. substantiva predicativa. objeto direto e adjunto adnominal. coordenada assindética. As orações destacadas são. substantiva subjetiva e coordenada sindética adversativa. No período: “Sabe-se que Jacó propôs a Labão que lhe desse todos os filhos das cabras (. b) adverbial temporal. c) substantiva completiva nominal. adverbial conformativa. (Graciliano Ramos) III . substantiva predicativa.( ) “Aqui ninguém duvida de que a marmota existe”. enxuga as lágrimas. um preto canta que o mar é doce amigo”. subordinada substantiva objetiva direta..“Lívia jura que seu filho não será marítimo”.As orações subordinadas destacadas abaixo: I) É provável que eles ainda venham. passam perto da cabeça de Lívia” III) “Ela achou que na outra viagem trará seu filho”. em: a) substantiva objetiva direta. c) absoluta. subordinada substantiva objetiva direta. 263. subordinada substantiva subjetiva. Os termos em destaque são. 266. subordinada substantiva objetiva direta. adverbial consecutiva. substantiva subjetiva e coordenada sindética explicativa. adverbial proporcional. e) nenhuma das alternativas anteriores. a alternativa que contém análise correta das orações. adjetiva. III . A oração destacada é: a) b) c) d) e) subordinada substantiva subjetiva. 264. coordenada assindética. As orações: I) “Mestre Manuel deixa que ela passe na frente”. substantiva objetiva direta. objeto direto e adjunto adnominal. Na frase seguinte: “A princípio examinou-a friamente. Classificam-se.)”. substantiva objetiva indireta. b) coordenada sindética aditiva. d) principal. adjunto adnominal. sujeito e adjunto adnominal. “Convém que todos se concentrem nesse problema”. coordenada assindética. pela ordem: a) substantiva objetiva direta.“É provável que o destino de Guma seja o destino do seu pai”. e) substantiva apositiva. 22 267. substantiva predicativa. objeto direto. coordenada sindética adversativa. sujeito e aposto. substantiva predicativa. Jorge Amado. IV) Se a olhava quando fazia tricô. substantiva completiva nominal. (Graciliano Ramos) 265. II) “Aves marinhas volteiam em torno ao saveiro.

sabe dizer se é possível algum trabalho encontrar?” (João Cabral de M. a) Fugira e o resultado era aquele: perder Maria Paula. e) Falava-se que botavam o senhor de engenho nas bebidas e tomavam-lhe todo o cobre. adverbial temporal.” A 2ª oração do período acima exerce função sintática de: a) b) c) d) e) sujeito. e) proposição. substantiva predicativas e adverbial causal. A verdade é que você precisa mudar.Quero saber se ainda tens simpatia por aquelas pessoas.. senhora. Volume Único . que nessa janela está.. c) fim. Classifique as orações substantivas de acordo com o código: a) b) c) d) e) f) subjetiva objetiva direta objetiva indireta predicativa completiva nominal apositiva I . II) A mulher que procuro ainda não nasceu.( ) “Tenho certeza de que aqui é o lugar ceto.Nos períodos abaixo: I) O homem chega do trabalho. b) objetiva direta. Prof. Querem que todos colaboremos.Gramática 269.Ninguém se opôs a que manifestasse livremente suas idéias. II . assinale aquele em que há uma oração subordinada substantiva completiva nominal.“Tenho a horrível sensação de que me furaram as mãos pontas de espinho. III . não ganharia a partida. complemento nominal. sujeito b) complemento nominal. a) complemento nominal.” (Clarice Lispector) II . subordinada substantiva objetiva indireta.) “A oposição salvadorenha tem consciência disto. adjuntos adverbial de condição c) complemento nominal. Paulo) 275. adjunto adverbial. objeto direto 274. adjunto adverbial de condição e) objeto indireto. c) adverbial temporal. objeto indireto. d) condição.( ) “Ela não entendeu se ele se referia à hora ou a toda vida passada sem compreensão”(Drummond) III .“ . substantiva objetiva direta e adverbial comparativa.”. 271. 272. complemento nominal.. adjetiva explicativa e adverbial concessiva.. Entre os períodos abaixo.” (Folha de S.Muito bom dia. O período que contém oração subordinada substantiva subjetiva é: a) b) c) d) e) Já não sei o que fazer.(.) “Pareceu-me que o mundo se tinha despovoado. 276. subordinada substantiva objetiva direta. Tenho medo de que você escorregue. subordinada substantiva predicativa. complemento nominal. a oração em destaque encerra idéia de: a) causa. que há uma diferença `fundamental` entre a Guarda Nacional de Somoza e as Forças Armadas de El Salvador como instituição.A notícia de que voltarias mais tarde deixou teus pais intranqüilos. d) adjetiva restritiva. subordinada substantiva completiva nominal..” A oração destacada é: a) subjetiva. Dói-me que o maltratem assim. 270. A opção em que aparece a função sintática de cada uma dessas orações é: I . c) completiva nominal. há três períodos com uma oração em destaque em cada um deles. III) Exijo que meus alunos sejam profissionais como eu. ao passo que a mulher se prepara para o amor. a oração destacada é: a) b) c) d) e) subordinada substantiva subjetiva. d) objetiva indireta. adverbial final e adjetiva restritiva. objeto direto. e) subjetiva completiva nominal. Neto) Nos versos “sabe dizer se é possível/algum trabalho encontrar?”. b) Confessei mais de uma vez que não tinha juízo feito sobre Maria Paula.. c) Era gostoso sentir o vento que vinha dos eucaliptos. substantiva objetiva direta e adverbial comparativa. Francisquinha ficou com medo de que o major Luís de Oliveira viesse a saber das fraquezas do marido. adverbial temporal. substantiva subjetiva. d) D. adjetiva restritiva. 277. adjetiva restritiva. Edson 23 . b) adverbial proporcional.2007 273.(. “Peço que meu nome retifiquem. As orações subordinadas existentes são respectivamente: a) adverbial proporcional. A seguir.”(Graciliano Ramos) IV . b) concessão.(.) “Karl Marx acreditava em que a barbárie era a ausência de socialismo” (Jornal da Tarde) V . objeto indireto. e) predicativa. objeto indireto. adjunto adnominal.No período: “Ainda que fosse bom jogador. objeto direto d) objeto indireto.

esses...”(Folha de S. c) predicativo. 285. coordenada sindética adversativa.. subordinada adverbial consecutiva. d) “D. Dentre as orações destacadas. e) duas subordinadas substantivas. mais velho. d) uma subordinada substantiva e uma subordinada adjetiva..” (Machado de Assis) a) “Dr. Paulo). mas Findam sagrada serenamente. c) Acabou achando que não poderia desertar de forma alguma. sabia esses mil modos que entretêm geralmente senhoras quando elas não gostam. e) consequência.” Há no período duas orações que se iniciam com o conectivo QUE. procurarei emprego”. A alternativa em que aparece uma oração de natureza adjetiva é: a) Pediu que todos saíssem do quarto e fechou a porta a chave.”(Graciliano Ramos) Classifique sintaticamente a oração destacada: a) b) c) d) e) coordenada sindética aditiva. não conseguiram vencer.. a oração destacada pode indicar idéia de: a) concessão. Fontoura.2007 a) b) c) d) 288. “O médico sabia piano e tocava agradavelmente. d) oposição.” (José de Alencar. b) Deus não consentira que ele morresse na guerra. No trecho: “Peri. que na realidade era dentista. coordenada sindética conclusiva.” A oração destacada é. (Manoel Bandeira) A oração No entanto à noite eu chorava é: a) b) c) d) e) subordinada adverbial concessiva. A segunda tem valor de um: a) substantivo. O Guarani). b) oposição. inúteis. a) proporção. d) complemento nominal. Prof. a sua conversa era animada.”(Fernando Sabino). b) adjetivo. começou a pensar em que o chamassem de “Flerêncio Pepé. Subordinada adverbial causal. Assinale a alternativa que expressa a idéia correta da segunda oração.. coordenada sindética explicativa. c) suas subordinadas adjetivas explicativas. coordenada assindética. No entanto à noite eu chorava.. b) sujeito. Outrora e Hoje Meu dia outrora principiava alegre. a oração subordinada substantiva objetiva direta é: Disseram que ele fez um mau negócio. 284. b) “Era esta a hora em que as duas costumavam ir para o caramanchão”(Lygia Fagundes Telles). que me deu uma sova de vara de marmelo. b) duas subordinadas adjetivas restritivas. Subordinada adjetiva explicativa. Subordinada adverbial final. . uma pinça. coordenada sindética conclusiva. 282.”(Adolfo Caminha). 281.” e) O terreno a que o portão dá acesso está todo fechado por um muro alto e espesso. parou de repente tomado por uma idéia que lhe fez correr sob o corpo um calafrio. d) lugar. 24 c) pronome. indique aquela que tem a mesma classificação que a da frase matriz: “(. Dentre as destacadas. Custódia era uma portuguesa que alugava quartos na Rua da Misericórdia. b) conclusão. c) explicação.. e) Fiz-lhe sinal que se calasse. c) “É sempre bom dar preferência aos legumes que podem ser comidos crus.) recebi o pagamento das mãos de meu pai. 286.. considerando a conjunção que a introduz. as porteiras dos currais se abriram. e) Não é certo que as planilhas de gastos sejam apresentadas. e) verbo. coordenada sindética adversativa. c) condição. Hoje. Volume Único . ocorreu com uns ferrinhos. d) advérbio. a) b) c) d) e) Subordinada adjetiva restritiva. que a seguia de longe. Tinha avisado o pai de que não estaria livre naquele horário. coordenada sindética explicativa. Edson 283. há: a) uma oração subordinada adjetiva explicativa e uma subordinada adjetiva restritiva. e) concessão. “Não compreendíamos a razão por que o ladrão não montava a cavalo. e) adjunto adnominal. o açude estancou. 287. Recebeu-o na sala de onde se via todo o jardim.. Nascem-me em dúvidas os dias. “Mas eu o exasperava tanto QUE se tornara doloroso para mim ser o objeto do ódio daquele homem QUE de certo modo eu amava. A torcida incentivou os jogadores.“Sem dúvida as árvores se despojaram e enegreceram. contudo. 280. Na frase “Entrando na faculdade. 279.” (Machado de Assis) A oração destacada no período desempenha a função sintática de: a) predicado nominal. O rapaz cujo currículo analisamos ontem está aqui.Gramática 278. d) Porque andava de muletas. Subordinada substantiva completiva nominal.

subordinada substantiva subjetiva. substantiva. substantiva.. coordenada sindética conclusiva. adjetiva. Creiamos que a Terra é mesmo azul. 4. substantiva. se. uma substantiva e uma adverbial..Tenho necessidade de me apoiares. por isso. foi condenado.. a) b) c) d) e) substantiva.. d) Os mais graúdos percebiam que a viagem era alegre. coordenada assindética. até que. que não de vós”(Garret) a) b) c) d) e) coordenada sindética aditiva. que estudam. adverbial. No período: “No dia em que partir. Quem nos dera que a Terra fosse azul. eu me sentirei mais livre do que todos. Assinale o item correto quanto à classificação das orações sublinhadas nos períodos abaixo: Sê grato a quem te ensina. não sei”. subordinada substantiva objetiva indireta. pois. adjetiva. que era inocente. adjetiva. Analisando os períodos A. de modo que. coordenada sindética explicativa. a) b) c) d) e) portanto. coordenada assindética. duas substantivas e uma adjetiva. Ele. porque as ruas estão molhadas”.. portanto. adjetiva. coordenada sindética explicativa. 293. subordinada adverbial concessiva. a) As virilhas suadas ardiam-me. e) Os alunos. 290. coordenada sindética adversativa. todavia. obteremos. C . Não admitiu a reprovação. adverbial. uma correta relação de sentido: 1. o chouto do animal sacolejava-me. Assinale a seqüência de conjunções que estabelecem. 297. e gozarei de um infantil sentimento de superioridade. caso. à medida que. b) De onde vinham as figuras desconhecidas para encontrar-nos? c) Fiz o resto da viagem com um moço alegre.“Se ele confessou. “Não chores. 25 a) b) c) d) e) subordinada adverbial condicional. coordenada sindética aditiva. porém. adverbial. substantiva. 296. porque. a oração destacada é: a) b) c) d) e) subordinada adverbial consecutiva. 295. entre as orações de cada item. Edson Volume Único . Desenvolvendo-as. foi aprovado sem problemas. se. de acordo com o código abaixo: “De outras ovelhas cuidarei. ___________ os artistas ganham muito pouco. 2. se bem que. coordenada sindética adversativa. Parece que estas figuras têm vida.” a) sindética conclusiva / sindética negativa / sindética explicativa b) assindética / sindética aditiva / sindética explicativa c) sindética explicativa / assindética / sindética conclusiva d) sindética aditiva / assindética / sindética conclusiva e) n.d. Estudou bastante para a prova. 292. uma adjetiva. substantiva. uma adverbial e uma substantiva. 298. A frase em que ocorre oração substantiva subjetiva é: a) b) c) d) e) Haverá ainda esperança de que a Terra se torne azul? Certo astronauta declarou isto: a Terra é azul. não contraríeis a tua índole” “Os alicerces cederam. conquanto. mas. ___________ não tivesse estudado para a prova. são aprovados. Assinale o item em que há uma oração. subordinada adverbial causal. contanto que. subordinada substantiva objetiva direta. Classifique a oração destacada. coordenada sindética conclusiva. 3.2007 294. porque. A .a. quanto à classificação. No seguinte texto: “Choveu durante a noite. B e C. procure compreendêlos.Sua palavra foi a primeira a perder o significado. duas adjetivas e uma adverbial. que a vida é luta” “Segue teu ritmo. 291. ___________ os pesadelos não o deixaram em paz à noite. ___________. cresceram tanto que se transformaram em rios.. respectivamente: a) b) c) d) e) uma adjetiva..” a oração destacada é: a) b) c) d) e) coordenada assindética aditiva. subordinada condicional temporal.Antes de repelir seus mestres. Já se afirmou que a Terra é azul. A estrutura destacada é: . Prof. Surgiam regatos. adverbial. porquanto. que tentou explicar-me as chaminés dos bangüês. idêntica à segunda do período “Pernoitamos depois junto a um açude lamacento.Gramática 289. B . Poucas pessoas vão ao teatro. a casa ruiu. coordenada sindética explicativa. desde que. adjetiva. concluímos que há três orações reduzidas. onde patos nadavam”. uma substantiva e duas adjetivas. embora.. Comeu demais.

305. b) substantiva predicativa. fagocito. b) a II apenas. não é impossível que a notícia da morte me deixasse alguma tranqüilidade. condor. Seria discutível dizer que os artistas mais expressivos não estão nas galerias de arte da cidade . é uma experiência lúdica que não comporta declarações de guerra: batem de frente países.. filantropo. ainda mais pela sogra! III . novel.. obus. a) Hoje. Assinale a alternativa cuja oração subordinada é substantiva predicativa.cheios de grafites . diante da multicolorida seleção de seu país. econômicas e financeiras se desenvolvendo em escala universal. inclito. subjetiva. d) Certo. zenite. objetiva indireta. subordinada substantiva objetiva direta. índice de indeterminação do sujeito. tulipa. o mundo se restringe às ligações financeiras que vão de indivíduo para indivíduo.. por ser da minha gente é que sou rico.e não na Bienal de Arte do Ibirapuera. respectivamente. No texto..” d) “É bom. partícula apassivadora.. mister.. A seguir estão exemplificadas três orações reduzidas de infinitivo: I . também é substantiva: a) a I apenas.. luzidio. c) relativa. diriam todos. e um se que é . interim. é tudo aquilo que emporcalha a cidade. subordinada substantiva predicativa.. no entanto. 303.d. temos uma oração destacada que é . não confundir grafite com pichação! Pichação. crisantemo. Edson 302. II . És tão inteligente como teu pai. “Assim nos encontrou nesta contemplação de Zé Brás. d) a I e a II. refem. é um jogo... libido. Nos trechos “. exodo.” Volume Único . c) a III apenas. Aponte a alternativa em que todas palavras sejam paroxítonas (não se usou o acento gráfico): a) b) c) d) e) textil. primata. com as relações sociais. “Pode-se dizer que a tarefa crítica é puramente formal”.2007 306. do nome do político impresso na parede à piada de mau gosto ou à declaração de amor. do nome do político impresso na parede à piada de mau gosto ou à declaração de amor.. a) b) c) d) e) Espero que venhas hoje. sutil. subordinada substantiva objetiva direta. inaudito. saltando as fronteiras nacionais.. e) subordinada adjetiva explicativa.. d) substantiva subjetiva.” b) “Pichação. é tudo aquilo que emporcalha a cidade. partícula apassivadora.. Assinale a ÚNICA alternativa em que o elemento em destaque NÃO possui a mesma função dos demais. n.Deus o livre de ser logrado. Entre elas. d) subordinada substantiva completiva nominal. É bom. subordinada substantiva subjetiva. qual é aquele que não tem oração subordinada substantiva subjetiva? a) “Seria temerário afirmar que a melhor arte de São Paulo está hoje nos muros cheios de grafite. não confundir grafite com pichação.Gramática 299. orações: a) subordinada substantiva subjetiva. a palavra que está introduzindo. subordinada adjetiva explicativa. e não diferentes imperialismos. improbo. predicativa. 304.. a) substantiva objetiva direta. bramane. diriam todos.” c) “Seria discutível dizer que os artistas mais expressivos não estão nas galerias de arte da cidade e sim exatamente nos muros enfeitados com grafite. noctivago.Era preciso tirar a pressão da gestante. onde as identidades se esvanecem. que para conquistar a vitória era preciso uma equipe só de brancos. pronome reflexivo.. no entanto. b) subordinada substantiva objetiva direta. b) Foi divertido (. índice de indeterminação do sujeito.. 301.) ouvir recentemente um nacionalista francês exclamar.e sim exatamente nos mesmos muros enfeitados com os grafites. especime.. c) subordinada substantiva subjetiva. “Seria temerário afirmar que a melhor arte de São Paulo está hoje nos muros . com o doce aviso de que estava na mesa a ceiazinha”. e) adverbial consecutiva. e) a I e a III. alívio.. c) Não existem mais nações.a 26 . e um ou dois minutos de prazer” “Digo-vos que as lágrimas eram verdadeiras”. A oração destacada é: a) b) c) d) e) objetiva direta.” (Revista Veja) Dos períodos retirados do texto.. 300. refrega....Por ser da minha terra é que sou nobre. latex. Prof. completiva nominal. Meu desejo é que te formes logo. O aluno que trabalha é bom..

sujeito. b) subordinada substantiva objetiva direta e subordinada substantiva predicativa. adjunto adnominal conjunção integrante. c) a partícula que introduz uma oração subordinada substantiva. como: a) b) c) d) e) pronome indefinido. introduzidas pelo pronome relativo que. pronome relativo.2007 27 . 3. b) há. Sobre o trecho: A questão era conseguir o Engenho Vertente. b) 1. 2. Matrizes da linguagem e pensamento. pronome indefinido. c) a primeira oração é subordinada adverbial final. e) a última oração é subordinada adjetiva. uma oração subordinada substantiva. conjunção integrante. conjunção integrante. conjunção integrante. 2001). 310. nas quais se classifica como conjunção integrante e como pronome relativo. é correto afirmar que: a) há duas orações subordinadas adjetivas. conjunção comparativa. sujeito. a) 1. Os cinco sentidos Os sentidos são dispositivos para a interação com o mundo externo que têm por função receber informação necessária à sobrevivência. pronome relativo. sujeito. conjunção integrante. 3. objeto direto. sujeito. conjunção integrante. 4. sujeito d) pronome demonstrativo. objeto direto e) artigo. pronome relativo. conjunção integrante.. Sob o ponto de vista morfológico. 4. sujeito. 308. 2. “Não revelou o que descobrira a ninguém”. adjunto adnominal pronome relativo. sujeito. pronome relativo. sujeito. respectivamente. pela ordem. São Paulo: Iluminuras. pronome relativo. 3. (. assinalada nas duas orações da questão anterior. sujeito conjunção integrante. d) uma das orações é reduzida de gerúndio. objeto direto 311. conjunção integrante. a) b) c) d) e) A palavra relacional que aparece quatro vezes no parágrafo exercendo. respectivamente. conjunção integrante d) 1. No período: E há poetas míopes que pensam que é o arrebol. pela ordem. respectivamente. Prof. Assinalar a alternativa que registra a classificação correta em cada caso. O movimento dos objetos gera ondas na atmosfera que são sentidas como sons. É da história do mundo que (1) as elites nunca introduziram mudanças que (2) favorecessem a sociedade como um todo. a partícula que introduz. conjunção integrante. 4. d) subordinada substantiva predicativa e subordinada substantiva objetiva direta. conjunção integrante. É necessário ver o que há em volta para poder evitar perigos. as seguintes funções: sujeito. conjunção integrante. com o seu riacho que poderia descer em nível para irrigação das terras que dariam flor-de-cuba para uma Catunda. c) subordinada adjetiva restritiva e subordinada adjetiva restritiva e subordinada adjetiva explicativa. 312. a) artigo. voltou sem demora com uma caixinha quadrada de folha-de-flandres. 3. objeto direto. entrando na sala. objeto direto. pronome relativo. e uma oração subordinada adjetiva. sujeito. Volume Único . O olfato e o paladar ajudam a catalogar elementos que podem servir ou não como alimento. e) subordinada adjetiva restritiva e subordinada substantiva objetiva direta. Em relação ao período: E. 4. objeto direto pronome relativo. adjunto adnominal pronome relativo. é incorreto afirmar que: a) há duas orações subordinadas adjetivas. objeto direto. O vocábulo que está numerado em suas quatro ocorrências.. conjunção integrante. sujeito. Estaríamos nos enganando se achássemos que (3) estas lideranças empresariais aqui reunidas teriam a motivação para fazer a distribuição de poderes e rendas que (4) uma nação equilibrada precisa ter. pronome relativo. e) o verbo descer marca o início de uma oração subordinada adverbial reduzida de infinitivo. sujeito. objeto direto. 2. classifica-se. conjunção integrante c) 1. pronome relativo. conjunção integrante. respeitando a ordem em que elas ocorrem. d) a última oração é subordinada adverbial final.Gramática 307. 4. pronome relativo. Assinale a alternativa em que se analise corretamente a classe gramatical e a função sintática das palavras destacadas. sujeito. introduzida pelo pronome relativo que. que trazia com toda a reverência e cujo tampo abriu cuidadosamente. 2. sujeito. 2. a partícula que. b) há uma oração subordinada adverbial. sujeito.) (SANTAELLA. pronome relativo 309. conjunção consecutiva. orações: a) subordinada substantiva completiva nominal e subordinada substantiva objetiva direta. pronome relativo e) 1. Edson 313. conectivo c) artigo. O tato ajuda a obter conhecimentos sobre como são os objetos. 3. pronome relativo. conectivo b) pronome demonstrativo. Lucia. objeto direto. introduzida pela conjunção integrante que.

. com que b) de que. 2. dos quais. de que b) do qual. 2. chegando a hora. Combinando os conjuntos: 1. O controle biológico de pragas. o qual d) ao qual.Este é Renato. que. A solução era esperarmos. . dos quais.. nada 1. Nada obsta a que você se empregue. Assinale o período em que há uma oração adjetiva restritiva. 320.Veja bem estes olhos .. em quais. 2. I .. sobre cujo. Volte aqui. que não foram acatadas.. teremos: a) Este é Renato.Veja bem estes olhos . Os outros advogados não são pintores. a) a cujo. a que e) de cujo. se desenvolve em “Vi um rapaz que pedia esmola a sua irmã”. havia um mito cuja memória não se apagava. aos quais. Vê-se que você é de bom coração. chegada a hora.Veja bem estes olhos . emprego se opõe o uso da comunidade. ficará uns dias aqui. Há um advogado e ele é pintor. méritos você se referiu.Eu posso contar com a ajuda de Renato... se tem ouvido falar. Edson a) Tenho um amigo cujos filhos vivem na Europa. 28 . 318. Refere-se a um advogado apenas. II .Gramática 314. b) Este é Renato.. d) Este é Renato..(PUC-SP) Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas abaixo.(Cesesp-PE) “. b) Rico é o livro cujas páginas há lições de vida. cujos e) a que. ( ( ( ( ( ) ) ) ) ) Refere-se a mais de um advogado.. que d) o qual. e) Afirmam-se muitos fatos de cuja veracidade se deve desconfiar. 1 1. ao qual c) cujo. Penso que você é de bom coração. a cujo. que eu posso contar com a ajuda dele. 1. e) Este é Renato. que. O advogado que é pintor ficará uns dias aqui.. cujo. “O homem. trepado numa rede afavelada cujas varandas serviam-lhe de divisórias do casebre”. 1. sobre o qual. 2.. que não levaram a nenhum resultado. a) do qual. com cuja ajuda eu posso contar. Em qual das alternativas o uso de cujo não está conforme à norma culta? Volume Único .. 2.. que. 2. 315. Há orações reduzidas que podem ser desenvolvidas em oração adjetiva. Exemplo: “Vi um rapaz pedindo esmola a sua irmã”. que não foram oportunas. mostrouse agradecido”. o qual eu posso contar com sua ajuda. c) Naquela sociedade. brilho fala o poeta. que é a capital do Brasil. é certamente o mais eficiente e adequado recurso . c) Este é Renato. 1. Refere-se a mais de um pintor. é linda. II . 321. aos quais. de que 316. A expressão equivalente à palavra inócuas na frase acima é: a) b) c) d) e) que não agradaram. nada nada. nada nada.Veja bem estes olhos . 322. constitue um meio . a) b) c) d) e) A casa onde estou é ótima.2007 323. se dedicaram muitos versos. Estaríamos prontos. Assinale a opção que completa corretamente as lacunas da frase seguinte. 1. Brasília. que. que é pintor. de que. O advogado. Se juntarmos as duas orações num só período. 1. 2 317. sobre os quais.d. a) cujos b) a cujos c) cujos os d) para cujos e) de cujos 319. usando um pronome relativo. 2. cuja ajuda eu posso contar. n. III . 1. a) b) c) d) e) de que. . de onde. .... A seqüência correta é: a) b) c) d) e) 2. “A linguagem especial. a que. “Foram inócuas as medidas tomadas pela direção da escola”. se extraem confissões e promessas.. os lavradores dispõem para proteger a lavoura sem prejudicar o solo. o texto faz referência. I . dos quais.a Prof. do qual. 1. que não foram divulgadas. IV . que c) que. 2. os indivíduos de determinado grupo dispõem para satisfazer o desejo de auto-afirmação”... que. 1. com quem eu posso contar com a ajuda dele. d) Eis o poeta cujo valor exaltamos. Aponte a alternativa em que isso também ocorre: a) b) c) d) e) Eram cadáveres a se erguerem dos túmulos.

exceto em: a) Ela sabia que ele estava fazendo o certo. recolhi-me pouco depois e deitei-me. 2002. embora tenha valor causaconseqüência.. possibilita. “Um dia. 325. correu para a área e abriu a porta da gaiola”. Como estava doente. o coordenador do curso de Comunicação Social da Unitau (. pois o leitor poderia esperar. c) Tamanhas são as exigências da pesquisa científica. Com tantos universitários saindo para o mercado de trabalho. Edson 332. Na frase: Como anoitecesse. que muitos desistem de realizá-la. Devo ir mal na prova. caso continuasse a comportar-se mal. que não saí de casa. subordinada adverbial final. não fui à escola. Em qual dos períodos a seguir há uma oração subordinada adverbial que expressa idéia de concessão? a) Diz-se que a obra de arte é aberta. travado. nem pude comparecer à cerimônia. “Maria das Dores entra e vai abrir o comutador. com 720 universitários [no curso de Comunicação Social]. a palavra destacada expressa uma idéia de: a) b) c) d) e) explicação concessão comparação modo conseqüência. Assinale o item em que a subordinada encerra a idéia de conseqüência: a) b) c) d) Muito distraído devia estar para não vê-la na festa. sendo 130 formandos. Estava tanto frio. 326. (subordinada substantiva subjetiva) c) Mas não estava neles modificar um namoro que nascera difícil. Mesmo sitiada.. que Cirino acompanhou. ao passo que os seres humanos devem ser educados. e) Não obstante haja concluído dois cursos superiores. a cidade não se rendeu. portanto..Gramática 324. 331.. 327. tão parecido são. cercado. d) Os animais devem ser adestrados. desde que fundamente sua crítica em argumentos. embora com menor entusiasmo. respectivamente. mar. Detenho-a: não quero luz”. visto que possuem a faculdade de inteligência. (Monteiro Lobato) a oração destacada é: a) b) c) d) e) coordenada sindética explicativa. Assinale a alternativa que. 3). A classificação da oração destacada está correta em todas as opções. Assoberbado de serviço. A universidade de Taubaté (Unitau) conta. uma: a) b) c) d) e) conseqüência causa finalidade condição proporção 328. é incapaz de redigir uma carta. (Jornal ComunicAção. subordinada adverbial causal. já que não estudei. pois fui despedido. Que tipo de subordinação? a) b) c) d) e) temporal final causal concessiva conclusiva 330. Os dois pontos (:) usados acima estabelecem uma relação de subordinação entre as orações. b) Pode criticar. (subordinada adverbial consecutiva) e) Solta que você está me machucando.) mencionou que o Vale do Paraíba é inexplorado e tem potencial de absorver os fomandos. (Paulo Mendes Campos) As orações destacadas são. comparativa e causal. não contém oração adverbial causal. (ITA-SP) Um leitor pode relacionar o conteúdo da construção “com tantos universitários saindo para o mercado de trabalho. Fiquei chateado. a) b) c) d) e) Cheguei tarde. No período: Da própria garganta saiu um grito de admiração. a partir daquela construção. (subordinada adjetiva) d) O momento foi tão intenso que ela teve medo. 329. 1. (coordenada sindética explicativa) 29 Volume Único . condicional e concessiva. (subordinada substantiva objetiva indireta) b) Era a primeira vez que ficava assim tão perto de uma mulher. Prof. p. n. várias leituras. porque choveu muito. subordinadas adverbiais: a) b) c) d) e) causal e condicional. subordinada adverbial conformativa. subordinada adjetiva explicativa. e) Quase morro de tanto rir.” com o que é mencionado pelo coordenador do curso de Comunicação Social da Unitau. essa leitura torna-se problemática. como lhe dissessem que iam dar o passarinho. no total. É difícil distinguir um do outro. No entanto.2007 . conformativa e consecutiva. comparativa e conformativa.

Classifique as orações em destaque no período abaixo. muitas vezes. o valor da conjunção do período é de: a) causa b) condição c) conformidade 30 343. de Luís Vaz de Camões. adverbial consecutiva.. respectivamente: substantiva subjetiva. adjetiva.. Em: “Agora não se vira mais cidadãos do mundo: você já nasce sendo um”. “Chamam-te ilustre. É uma exigência do mundo. e) subordinada substantiva predicativa. dobrando a finados”. adjetiva. Mesmo que faça calor. reduzida de infinitivo. subordinada adverbial final. Em “Orai porque não entreis em tentação”. No período “É possível discernir no seu percurso momentos de rebeldia contra a estandardização e o consumismo”. não poderemos nadar. essa lógica não diz respeito só a equipes de futebol. a segunda oração é: a) b) c) d) e) subordinada adverbial causal. subordinada adverbial consecutiva. a relação entre as orações pode ser estabelecida por meio de: a) logo b) mas c) desde que d) pois 341. adjetiva. e) principal. adverbial consecutiva. um italiano. b) A mistura é irreversível. substantiva objetiva direta. chamamte subida. c) subordinada adverbial temporal. / Sendo digna de infames vitupérios”. A pontuação pode ser substituída. subordinada substantiva objetiva direta. o conectivo que pode ser usado em substituição ao ponto-e-vírgula tem valor: a) explicativo b) conclusivo c) proporcional d) final e) adversativo Prof. não torci pela Itália nesta Copa.2007 337. subordinada adverbial condicional.. Edson d) explicação e) finalidade . d) subordinada adverbial temporal.. Sei que esperavas desde o início que eu te dissesse hoje o meu canto solene. subordinada adverbial consecutiva. reduzida de infinitivos. a oração destacada é: a) b) c) d) subordinada adverbial causal. que não saía de casa. subordinada adverbial concessiva. 336.Gramática 333. subordinada adverbial concessiva. Sei que a única alma que eu possuo é mais numerosa que os cardumes do mar. 334. Assinale a ÚNICA alternativa em que ocorre oposição entre as idéias estabelecidas nos períodos. subordinada objetiva direta. b) subordinada adverbial temporal. para estabelecer variados tipos de relações sintático-semânticas. a) principal. 340. substantiva subjetiva. a) Os contratos não vêm mais com a chancela do Estado. podia ser escura e fria. por conectivos. substantiva predicativa. 342. uma vez que a produção não aumentou. reduzida de particípio. mas também não caiu. Entre os versos do poema épico Os Lusíadas. substantiva objetiva direta. A oração destacada é: a) b) c) d) e) subordinada adverbial causal. 338. 335. que se percebia o sino de uma freguesia distante. por mais depressa que ande”. subordinada adjetiva restritiva. subordinada objetiva direta. Se tudo correr bem. Na frase extraída do capítulo 1 de Esaú e Jacó: A noite é clara e quente. subordinada substantiva subjetiva. subordinada adverbial condicional. adverbial correlativa. Ao analisar o desempenho da economia brasileira. c) Eu. mas com carimbos de advogados. É possível que o rapaz tenha oportunidades. reduzida de infinitivo. adverbial comparativa. e o efeito seria o mesmo. Ela serve como condição para nossa experiência. Ela era tão medrosa. Em que período a oração subordinada é adverbial concessiva? a) b) c) d) e) Peço-lhe permissão para voltar ao trabalho. reduzida de particípio. adverbial comparativa. (Jorge de Lima) As orações destacadas são orações subordinadas.. 339. subordinada adverbial comparativa. subordinada substantiva objetiva direta. subordinada substantiva subjetiva. No período “Era tal a serenidade da tarde. adjetiva. d) . “Nunca chegará ao fim. levar-te-ei à Europa. a relação que se estabelece é de: a) b) c) d) e) oposição explicação causa modo conclusão a) b) c) d) e) Volume Único . adjetiva. os empresários afirmaram que os resultados eram bastante razoáveis. virei um seguidor apaixonado do Senegal. subordinada adverbial temporal.

conectivo-sujeito. não-compensação. umedecia o ar e punha-lhe um fartum acre de sabão ordinário. d) alternativa e) causal. b) inicial. a) porquanto b) entretanto c) por conseguinte d) dado que e) visto como Textos para as questões 351 e 352. d) O problema é que ainda não se sabe se ele agiu conforme as normas da empresa. Edson Volume Único . ( ) Você não pode desanimar. Em I. que se recusavam a Pedro. . as seguintes orações: a) principal. cujos termos introdutórios atuam como . de acordo com o código abaixo: a) b) c) d) e) I. e os evangelistas as consignariam respeitosamente em suas crônicas. comparação. d) subordinadas adjetivas explicativas. coordenada sindética aditiva..Gramática 344. II . caminhou lisamente sobre o mar. simples conectivo. justificativa. mas a responsabilidade era grande. os peixes. simples conectivo. coordenada sindética adversativa. enchiam a rede que Jesus mandara lançar. perante os discípulos turbados. 31 Prof. ( ) “De outras ovelhas cuidarei. Assinale a alternativa correspondente à frase em que ocorre uso incorreto de conjunção. 350. objeção. não-compensação. coordenada sindética explicativa. objeção. (Garret) II. Teresa para o convento. a oração destacada é: a) adversativa b) conclusiva c) explicativa 347. A leprosos sacava as feridas. que não de vós”. normalmente aditivo. e) principal. mas passou três meses na Europa.Fui às Olimpíadas. idéias ou valores diferentes. João amava Teresa que amava Raimundo / que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili / que não amava ninguém.. no entanto. portanto pode fazer as provas. “Não chegue tarde. coordenada sindética explicativa. II e III há. compensação. gritou que parecia um louco. Fez andar paralíticos. coordenada sindética conclusiva. subordinada adjetiva explicativa. Só há orações coordenadas em: a) Faltou vinho em um casamento.. pois muita gente virá procurálo”. e) coordenadas sindéticas aditivas. pois. conectivosujeito. respectivamente. que ficara de véspera nos coradouros. porém. afinal de contas. e) Ao perceber o que tinham feito com seus livros. e contudo ela correspondeu a essa expectativa. justificativa. “Mauro não estudou nada e foi aprovado”. a) O homem criou a máquina para facilitar sua vida. c) subordinadas adverbiais comparativas. 348. A primeira parte do poema (três primeiros versos) é marcada.2007 . b) coordenadas sindéticas explicativas. justificativa. coordenada assindética.. c) principal. subordinada substantiva completiva nominal. d) Acalmou possessos. e deu à água que corre a cor e o gosto do vinho. subordinada adverbial causal. respectivamente. No período: A roupa lavada. nem todos lhe reconheciam os méritos. III. e) Todas essas respostas seriam impressionantes. compensação. que eu estou com pressa.. I .Todos ficaram apreensivos. A conjunção mas introduz orações coordenadas adversativas que podem apresentar. 349. ( ) José entendeu os testes.. coordenada sindética aditiva. coordenada sindética explicativa. subordinada adjetiva explicativa. temos. simples conectivo. c) Uma noite. / João foi para os Estados Unidos. 346.. 345. coordenada sindética aditiva. Pinto Fernandes / que não tinha entrado na história. a) subordinadas adjetivas restritivas. contraste. sintaticamente. coordenada sindética aditiva. Maria ficou para tia. compensação. III . / Raimundo morreu de desastre. mas perdi o ano na escola. idéia ou valor de: a) b) c) d) e) compensação. subordinada adjetiva explicativa. b) As ondas aplacavam-se a um gesto seu. / Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Comece com: Muita gente virá. coordenada sindética aditiva. compensação. Classifique as orações destacadas. Apesar do e. d) inicial. tudo anda muito bem. não-compensação. (Carlos Drummond de Andrade) 351. como nós outros pisamos o chão.Perdeu o emprego. c) Ele tinha todas as condições para representar bem os colegas. pela presença de orações . b) Diga-lhe que abra logo a porta.

está correta a alternativa: a) Em hipótese alguma mandar-lhe-ei notícias. “ Ó tu Que és presidente Do Conselho MuNicipal Se é que tens muLher e filhos. Aponte a alternativa na qual a palavra que exerça a função de objeto direto. à estrutura sintática das orações. Isso se deve. c) Se esperava que tudo desse certo depois do anúncio das novas medidas econômicas. A cadeira em que sentamos era velha demais. Espero que os homens pensem. 353.pronome relativo. partícula expletiva . o avistamos e não contivemo-nos de alegria. Em que alternativa a expressão destacada é um complemento nominal? a) b) c) d) e) O livro de que tínhamos necessidade foi extraviado. I. 355. a) b) c) d) e) O homem que chegou é meu amigo. A pessoa a quem me refiro é teu amigo.Gramática 352. (conjunção subordinativa condicional) d) Com o susto. com amor. Notei um quê de tristeza em seu rosto. entre outras características. d) Assim que viram-no. embora isso doa-me muito. conjunção integrante . e) coordenadas explicativas e subordinada adjetiva explicativa. Ele julga-se um grande sábio. Ela se faz de boba. A segunda parte do poema (quatro últimos versos) tem um ritmo diferente da primeira. a) b) c) d) e) Que belo dia está fazendo! Contarei a você. segundo preceitua a norma culta. A rua em que estivemos está desobstruída agora. (preposição) Não conheço o rapaz que entrou. se fingindo de desentendidos. 360. A classificação da palavra em destaque está errada em: a) b) c) d) e) Volume Único . Importa que compareçamos. II. assim organizadas: a) coordenadas aditivas e subordinada adverbial conclusiva. (advérbio) Você é que sabe. d) coordenadas aditivas e subordinada adjetiva restritiva. pronome relativo . Era grande a alegria de que estávamos possuidos. Aponte a alternativa na qual o se é índice de indeterminação do sujeito.pronome relativo. Quanto à colocação pronominal.conjunção integrante. deixou-se cair no sofá. (partícula de realce) Que quer você? (pronome interrogativo) 362.pronome relativo. (Arthur Azevedo) A palavra que aparece duas vezes no texto com a seguinte classificação morfológica. e) É necessário que os compreendamos para ajudálos.. respectivamente: a) b) c) d) e) pronome relativo . partícula expletiva . em seu velho planeta.preposição.conjunção integrante. (parte integrante do verbo) b) Venha à festa se estiver disposta.partícula expletiva. 354. que é meu amigo. Prof.substantivo. (conjunção integrante) c) Quero perguntar-lhe se você está satisfeita.. b) coordenadas explicativas e subordinada adjetiva restritiva. Comece com: Tinha uma inteligência.pronome adjetivo indefinido. A criança doente que chorava era a felicidade e a esperança da família. conjunção subordinativa causal .partícula expletiva. “Apesar de ter uma inteligência notável. Identifique a alternativa que classifica corretamente a função do que nas frases a seguir. Pedro atirou-se na piscina. 32 . b) Assim que desceu do avião. A classificação da palavra se está correta em: a) Passavam-se os meses. Edson 357. (partícula apassivadora) 359. e nenhuma notícia chegava. Ele é que disse isso! Vão ter que dizer a verdade. a) portanto b) sendo que c) a fim de que d) no entanto e) desde que 358. pronome substantivo indefinido . c) coordenadas aditivas e subordinada adjetiva explicativa. advérbio . Consertam-se eletrodomésticos. saíram. 356. não conseguia entender as razões-alheias”. O aluno que estuda é recompensado. Este é o exercício que acertei. Este é o prefeito de que precisamos. conjunção integrante . a) b) c) d) e) Trabalha-se dia e noite. (pronome relativo) Ele disse que voltaria cedo.2007 361. Manda tapar os buRacos da rua dos Junquilhos”. (partícula de realce) e) Compram-se bonecas de louça. pronome relativo . Assinale a alternativa em que a palavra em destaque é pronome. a) b) c) d) e) Tenho que ir embora.

pronome indefinido. O pronome relativo que exerce a função de sujeito em: a) “Além. e) Uma vida saudável depende. sujeito de é. que revoada de asas! O vento que vinha desde o princípio do mundo / Estava brincando com teus cabelos. Cinco dias são passados que dali saímos. a) b) c) d) A vida é tão bela que chega a dar medo..d. conectivo. b) Todo jovem deseja ser amado por alguém que o valorize.. e) “A alva rede que Iracema perfumara com a resina de Benjoim. que não é sangria desatada.” Classifica-se a palavra destacada como: a) b) c) d) e) pronome relativo. 371. d) É uma sabedoria saber conviver com as mudanças que acompanham a existência. sua cadeira de rodas. senão a triste. Oh! que revoada.. e) Quem és tu que sabes tanto? 364. conjunção explicativa. longa e aborrecida experiência. Assinale a alternativa em que aparece a conjunção final que. antes de respondê-la. 369.Gramática 363. conjunção concessiva. 370.. “Lá tenho a mulher que eu quero na cama que escolherei” Ambos os que em negrito são pronomes relativos. c) Os especialistas afirmam freqüentemente que as crises do crescimento são positivas. “Catulo não morreu: luarizou-se. objeto direto e sujeito. a palavra que é. 373. “A cláusula mostra que tu não queres enganar”. Leia-o atentamente.. objeto direto e complemento nominal. conectivo. Havia uma escada que parava de repente no ar. pronome indefinido e pronome relativo. no trecho. A palavra que está classificada incorretamente na alternativa: a) Pobre que fosse. muito além daquela serra que ainda azula no horizonte. d) Que foi então. objeto direto e objeto direto. a) b) c) d) Não sei que digo a você. os que amam o mistério. pronome indefinido e partícula de realce. 365. Peço a Deus que te faça venturoso. e) Nós é que vamos empurrando. c) Que não pedes um diálogo de amor. “Mas não precisa correr.2007 33 . d) “Venho das terras que teus irmãos já possuíram e hoje têm os meus”. (conjunção subordinativa concessiva) b) Falou tanto que ficou rouco. No trecho: “Quando se desenhou a perspectiva da seca . da qualidade das relações que mantemos com os nossos semelhantes. e) n.. A questão seguinte refere-se ao texto “Um epitáfio para Catulo da Paixão Cearense”. guardava-lhe um sonho calmo e doce”. é a mesma da palavra que em: a) Ficam desde já excluídos os sonhadores.”. é claro.. de Mário Quintana. Aponte a alternativa que contém um que classificado morfologicamente como partícula expletiva (ou de realce). Edson 368. b) “Sofreu mais d’alma que da ferida”. (conjunção subordinativa integrante) Prof. b) Não foi a religião que te inspirou este anúncio. dia-a-dia. que vês. (pronome relativo) e) Que você venha é necessário. Crio estas crianças. (conjunção subordinativa consecutiva) c) Por que você não compareceu? (pronome interrogativo) d) Não sei por que motivo você faltou. que refrigério sejam de minha velhice. a partícula se é: a) b) c) d) e) índice de indeterminação do sujeito pronome apassivador objeto direto objeto indireto pronome integrante ao verbo. respectivamente exercendo a função sintática de: a) b) c) d) e) sujeito e objeto direto. em parte. nasceu Iracema”. 366. respectivamente: a) b) c) d) e) pronome relativo e conjunção integrante. não o sei eu”. vivia confortavelmente.a Volume Único . c) “O sentimento que ele pôs no rosto. Em “luarizou-se”o se indica: a) reciprocidade b) reflexividade c) passividade d) indeterminação e) condição.. conectivo. A classe gramatical da palavra que. 367. sujeito e sujeito. Nos delicados versos de Casimiro de Abreu “Ai que saudades que eu tenho da aurora da minha vida.”. partícula de realce e pronome relativo. A frase na qual a palavra que estabelece uma relação diversa das demais é: a) O desejo de compartilhar que a maioria das pessoas sente remonta à infância. sujeito de é. conjunção integrante. 372. interjeição e pronome indefinido.

numera corretamente as frases abaixo. 3. predicativo 5. ( ) À janela. e) Os chefes administrativos mantêm-se atualizados quanto a questões existenciais das mais complexas. assomavam todos. no momento em que as discussões se tornaram mais violentas. a) 3. objeto direto 3. a palavra se é: a) b) c) d) e) partícula de realce partícula expletiva pronome reflexivo índice de indeterminação do sujeito nenhuma das alternativas 380. 4 d) 5. ( ) Os exames que terá pela frente não o assustam. b) A vida separa os amigos que a morte vem juntar bruscamente. 1. 1. e) Meu pobre livro inútil. sujeito 2. 5. No trecho: 377. a palavra que é: Volume Único . complemento nominal ( ) Perdeu o único aliado a que se unira. que dava para o mar. por onde andas tu? 382. Nos versos de Vinícius de Moraes. Edson 378. 383. “Uma lagartixa passou correndo à sua frente e sumiu-se por entre as macegas” A palavra se é: a) b) c) d) pronome reflexivo e objeto direto.d. 3. Na frase acima. 2 c) 3. teria o valor de oito mil cruzeiros. 4. 1. “A importância do técnico é muito grande. ( ) O artilheiro que o julgaram ser não se revelou na nossa equipe. 2. ( ) A prova de que tenho mais receio é a de Matemática.a 34 . d) Os dirigentes indagaram se seriam ordens adequadas a seus subalternos. 379. Assinale a frase na qual o se não é pronome apassivador nem índice de indeterminação do sujeito. 1 e) 3. a) b) c) d) e) Estudou-se este assunto Ele se suicidou ontem Falou-se muito sobre aquela festa Aos inimigos não se estima Fizeram-se reformas na casa.Gramática 374. b) Em suas palavras. 4. 2 “Ouves acaso quando entardece Vago murmúrio que vem do mar”. em seqüência. 2. 2. É ele que decide a filosofia do time”.a 376. os conectivos destacados classificam-se como: a) b) c) d) e) pronome substantivado conjunção integrante conjunção causal conjunção explicativa pronome relativo. 381. Aponte o período em que a palavra se seja uma conjunção subordinativa integrante. 1. 1 b) 5. O pronome relativo tem a função sintática de: a) b) c) d) e) objeto indireto complemento nominal adjunto adverbial predicativo do sujeito n. não faltou. não se separam mentiras e verdades. 2. a palavra que pode ser classificada como: a) pronome interrogativo b) pronome exclamativo c) pronome integrante d) pronome indefinido e) pronome relativo. a função sintática do que. 5. c) Gosto desses fotógrafos silenciosos diante da alameda em que a areia estala sob o passo lépido das crianças. Na frase: “Trabalhou-se com prazer”. d) Quero desejar a leitores e amigos as alegrias e suavidades a que o tempo convida. objeto indireto 4. que sempre sonhei escrever e ainda não me deste a honra de te deixares escrever. pronome reflexivo recíproco e objeto direto. Assinale a alternativa em que o pronome que desempenha a função de objeto indireto na frase: a) Falo a amigos que envelheceram. argumentos e opiniões veementes e contraditórias”. partícula de realce . Assinale a alternativa que. c) Se essa obra fosse impressa no Brasil. 375. Prof. indicando. pronome pessoal oblíquo e objeto direto.d.2007 a) substantivo b) pronome adjetivo c) partícula de realce d) pronome indefinido e) n. a) A tristeza daquela jovem se funda em problemas sociais. “Na reunião do Colegiado. “a beleza que não é só minha que também passa sozinha”. 4.sem função sintática. 4. assim.

pronome interrogativo. O que está com função de preposição na alternativa: a) Veja que lindo está o cabelo da nossa amiga! b) Dize-me com quem andas.. “Nos perigos grandes o temor é maior muitas vezes que o perigo”. conjunção subordinativa concessiva. Saberia me dizer se ele já foi? 391. respectivamente. a palavra se é: . 386. 392.Gramática 384. O homem que trabalha vence na vida. índice de indeterminação do sujeito. b) .conjunção integrante. e) Precisa-se de pedreiros. “Vem caindo devagar Tão devagar vem caindo Que dá tempo a um passarinho. sustentar que o Brasil é o único país brasileiro de todo o mundo.. indique em qual das opções nenhum se tem esta função. d) Alugam-se apartamentos. Notei um quê de tristeza em seu rosto. d) O fiscal teve que acompanhar o candidato ao banheiro. muitos clientes se sentiam enleados com o local de conhecida modéstia. Importa que compareçamos. e) Precisa-se de muita calma e jeito para o consolo de um singular amigo. 390. conjunção subordinativa consecutiva. Se vai ou fica é o que eu gostaria de saber. Considerando como conjunção integrante aquela que indica uma oração subordinada substantiva. enquanto olhava para a inexpressiva lista dos pratos do dia. Assinale a alternativa em que o pronome se está apassivando o verbo. No período: “Não se fazem automóveis como antigamente”. Aluga-se apartamento. a) b) c) d) e) A casa que você viu é minha. Quanto ao uso de se. a palavra destacada é: 396. mas pelo vácuo da comunicação entre dois amigos.pronome relativo. Que aconteceu com você? O cargo a que aspiras é nobre. a palavra que classifica-se. 395. Não se vá tão cedo! Trabalhou-se muito hoje. Classifique morfologicamente as ocorrências de que nos segmentos abaixo. Prof. palavra de realce . d) Esqueceu-se dos fardos diários. c) Vão-se embora os mais coloridos sonhos com a chegada de um só momento de maturidade. 394.. 35 Volume Único . Ele é que disse isso! Vão ter que dizer a verdade. conjunção integrante . advérbio de intensidade .” A palavra que dá idéia de: a) comparação b) oposição c) condição d) causa e) conseqüência. mas entrou na faculdade.conjunção integrante.. Uma das alternativas apresenta o pronome reflexivo se: a) “Capitu deixou-se fitar e examinar” (Machado de Assis) b) Voltarei cedo se quiseres. que eu te direi quem és. 393. a) b) c) d) conjunção subordinativa final. ninguém viu”. Na frase: “Você é que pensa que a vida flui segundo as leis do poder”.pronome relativo. Na oração: “Há pouco tempo me disse que quisera ter nascido princesa”. ninguém sabe. Assinale a alternativa em que a palavra em destaque é pronome. a) Há em nosso povo duas constantes que nos induzem a. conjunção subordinativa integrante. A palavra destacada é: a) b) c) d) conjunção subordinativa consecutiva. e) Não chore. Edson a) b) c) d) partícula apassivadora. Comenta-se que ele se feria de propósito. Em: 388. conjunção subordinativa comparativa. pronome relativo. a gramática tradicional não admite a construção: a) b) c) d) e) Vendem-se casas. pronome interrogativo. Conserta-se sapatos.. conjunção integrante. c) João não estudou mais que José. c) Queixou-se das questões do concurso. 387. Assinale o que objeto direto.. a) b) c) d) e) O homem que chegou é meu amigo.2007 389. que eu já volto. b) Ao entrar no recinto novo da confeitaria. a) Tempo não se mede pelos ponteiros do relógio. como: a) b) c) d) e) palavra de realce .pronome relativo. a) b) c) d) “Se subiu. advérbio de intensidade . 385. O rapaz que chegou é meu conhecido.

Classifique.” d) Sonhei que tu estavas tão linda. a) b) c) d) e) Soa um toque áspero de trompa.” c) “A serra do Rola-moça não tinha esse nome não. em três delas somente. Vendeu-se a pá. c) Em I. “a pá”. violentas. composto. Assinale a alternativa que interpreta corretamente o sujeito das seguintes orações: I. simples. em II e III. simples. indeterminado. os sujeitos estão ocultos.. O aluno fez-se passar por doutor. 404. I. composto. pródigas. longe de compadecer-se. 36 Prof. temos sujeitos expressos. simples. Precisa-se de carpinteiro. não pensei mais nem nela nem no altar. Eu e você vamos juntos. Nesta faculdade acolhem muito bem os alunos. que caminhava para a lavoura”. anunciaram o verão. Batem à porta. quanto à predicação. na II somente. Gabava-se das coisas mais corriqueiras o coronel.” e) Nada justifica a tortura. A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo. sorriu e. pronome apassivador.. d) Em I e III. 403... 401. oculto. temos sujeito expresso. na III somente. Observe as orações a seguir: I. partícula expletiva. n. Compreendiam-se as razões dela.” “. pronome reflexivo. a palavra que classifica-se morfologicamente como: a) b) c) d) e) conjunção subordinativa integrante. conjunção subordinativa final. nas três orações. morena Marina... partícula de realce. composto. composto. “a pá”. Não sei se o vinho está bom. e) nda. não encontro nada.Gramática 397. o sujeito é respectlvamente: a) b) c) d) e) composto.” b) “Era primavera na serra. e o largo do jardim está deserto na noite fria. lll. Classifique o sujeito na seguinte oração: “Aí lhe amanheceram dias de perfeita ventura.. Precisa-se de pedreiros.” a) b) c) d) sujeito simples sujeito oculto sujeito indeterminado sujeito inexistente 407. O se na oração acima é: a) b) c) d) e) índice de indeterminação do sujeito.” “. As chuvas abundantes. Obedece-se aos mestres. por esmola. II e III.. II.. Um dia após o outro mencionou-se o jantarzinho medíocre. “O herdeiro.. No período: “Avisou o pai. b) Em I. II. a) b) c) d) “ .. A palavra se é conjunção subordinativa integrante (por introduzir oração subordinada substantiva objetiva direta) em qual das orações seguintes? a) b) c) d) e) Ele se morria de ciúmes pelo patrão. IIl. II e III temos sujeitos indeterminados.” O sujeito da afirmação com que se inicia e Hino Nacional é: a) b) c) d) e) indeterminado um povo heróico as margens plácidas do Ipiranga do piranga o brado retumbante 398. você se pintou. a) b) c) d) e) somente na I. O sujeito está indeterminado: Volume Único . Edson . conjunção subordinativa causal. vagou pelas ruas e becos.d... parte integrante do verbo. 402. II. Assinale a oração cujo sujeito não é indeterminado. pronome relativo. 400. fortes. “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante. atirou-lhe três grãos de milho”. Assinale a única alternativa que apresenta uma oração sem sujeito.a. Falou-se de tudo na reuníao.2007 405.. em qual alternativa aparece um verbo intransitivo. a) “Marina.” 406. simples. indeterminado. a) Em I. simples. III.” “. indeterminados. Nas orações a seguir: 399. Dizem por aí tantas coisas.

inexistente.” Nessa frase o sujeito do verbo é: a) b) c) d) e) nas mãos.adjetivo sujeito .” “Chão..” Os termos destacados são respectivamente.adjetivo sujeito . n. A jovem continua sonhadora.” “Disseram muitas coisas lindas. Havia tempo suficiente para as comemorações. 419. a) b) c) d) “E no céu plúmbeo há uma lua baça. o homem ficará satisfeito? e) O homem procura a si mesmo nas viagens a outros mundos. “Pintaram os antigos ao amor menino.Gramática 408.2007 . 416.” “. transitivo direto e indireto. 410.” todas têm sujeito indeterminado. Em “O tempo estava de morte. de carnificina”. simples. inexistente. Houve por improcedente a reclamação do aluno. 414.objeto direto 412. III.” “Fala-se em liberdade e em sinceridade.. Não havia existido ninguém com tantas qualidades.” “. gente.o líder tucano na Câmara estava mal informado.mas os resultados não foram equivalentes” “Jatene está convicto.” Indique a alternativa que classifica corretamente a função sintática e a classe morfológica dos termos destacados. inexistente. Nesse mês.” 417.. o verbo e: a) b) c) d) e) de ligação. 409. inexistente. simples.d.substantivo objeto direto . oculto. indeterminado. a pau. “O grito foi uma festa contínua. inexistente. eles (determinado).. Assinale-o: a) b) c) d) Faltavam três dias para o batismo. intransitivo.” Ao amor é: 413. simples. Prof. Edson a) b) c) d) e) sujeito objeto indireto objeto direto pleonástico objeto direto preposicionado objeto direto cognato 37 Volume Único .” “A caverna anoitecia aos poucos.predicativo do sujeito adjunto adnominal .” “As declarações parecem viáveis. 418.substantivo objeto direto . Só me resta uma esperança. Nas orações: I. Ficou em casa o dia todo. “Surgiram fotógrafos e repórteres. 415. Só num caso a oração é sem sujeito. vai fazer um ano sua partida. o termo destacado é: a) complemento nominal b) objeto indireto c) adjunto adnominal d) bjeto direto e) pronome possessivo 420. Em qual das alternativas não há verbo de ligação? a) b) c) d) e) “O que está em jogo.” “Fazia um calor tremendo naquela tarde.. inexistente.a. Nas seguintes orações: “Pede-se silêncio. Ele tem andado confuso.. simples.predicativo do sujeito sujeito . “Nesse momento começaram a ferilos nas mãos. Pedro parece adoentado. tudo està enxuto. Choveram tomates sobre o orador.objeto direto adjunto adnominal . transitivo direto. a) b) e) d) e) A criança estava com fome.. a) b) c) d) e) adjunto adnominal . transitivo indireto. Identifique a alternativa em que o verbo destacado não é de ligação. simples. b) Em suas próprias inexploradas entranhas descobrirá a alegria de conviver c) Humanizado tornou-se o sol com presença humana. Mostre a oração que não possui suieito: a) b) c) d) e) A noite caiu repcntinaniente sobre a cicia de. d) Depois da dificílima viagem. oculto. inexistente ou eles: depende do contexto. inexistente. nenhuma delas tem sujeito indeterminado. IV. Em uma das alternativas a seguir.. II. só a I tem sujeito indeterminado. a) b) c) d) e) objeto indireto . No trecho: “Esta lhe deu cem mil contos”. só a III e a IV têm sujeito indeterminado. o predicativo inicia o período Identifique-a: a) A dificílima viagem será realizada pelo homem. lua e estrelas.substantivo 411.” o sujeito classifica-se respectivamentc como: a) b) c) d) e) indeterminado.adjunto adverbial de modo sujeito . O dia amanheceu bastante límpicio.

e) Adjunto adnominal. 38 429. objeto direto. Marque a(s) proposição(ões) verdadeira(s). sujeito. III. Sou apenas um juiz. adjunto adverbial em I. Nunca soube de política mais suja. adjunto adnominal. I. 423. neste setor.a. Prof. objeto direto. Edson Volume Único . meu bem Meu bem. II. em II. sempre menino? d) Por que no-lo pintam os sábios. adjunto adnominal. serrana bela. em II. II. e) n. os sábios. Aponte os adjuntos presentes nas seguintes manchetes de jornais e. trabalho é objeto direto e os vários pronomes “os” também o são. complemento nominal. Muito é: a) b) c) d) e) adjunto adverbial em I e II e adjunto adnominal em III. Atente para as duas manchetes de jornais: “joca critica proteção aos estrangeiros e calendário” (Folha de S. Ocupado com a lavoura. os vários “os” são objetos pleonásticos. Os meninos de rua que procuram trabalho são repelidos pela população. quatro dias sem raspar a cara.d. classifique-os como adnominais ou adverbiais. Identifique a análise errada: a) b) c) d) e) sete anos — adjunto adverbial de pastor — adjunto adnominal jacó — sujeito pai de Raquel — aposto de Labão serrana bela — aposto de Raquel 428. objeto direto. a) b) c) d) e) Todas estão corretas. Apenas I é incorreta. adjunto adverbial em I e adjunto adnominal em II e III.Analise os adjuntos adverbiais da seguinte marchinha de carnaval de 1925: já é demais. — objeto direto composto. — sujeito indeterminado II. já é demais! E hoje já notei Que tu queres me acabar (Seu Canou / Sinhô) 425. respeitando-se a ordem em que eles ocorrem no período. a) Adjunto adnominal. III e IV são incorretas. podemos analisar alguns termos da seguinte forma: a) em I e II. meninos de rua é sujeito. complemento nominal. c) Adjunto adnominal. d) em I e II. sempre menino. existe oferta considerada condizente com a procura.Gramática 421. — predicado verbal V. meninos de rua é sujeito. Paulo) “Proteção a estrangeiros e a atletas consagrados” (Jornal da Tarde) a) É correto dizer que “estrangeiros” écomplemento nominal nas duas frases? Por quê? b) Você nota alguma ambigüidade de enunciado da primeira manchete? Justifique. Os meninos de rua. Minhas mãos eram realmente enormes.2007 . em II. n. Apenas II. Magalhães. adjunto adnominal em I. Observe as funções sintáticas com relação aos termos destacados. Consideradas as frases: I. b) Adjunto adverbial. pai de Raquel. Assinale a alternativa em que se apresenta corretamente a função sintática dos termos em destaque. b) em I. Às vezes suprimem os eleitores e as urnas. sujeito. ficava três. Só pessoas sem visão não admitem que. a) b) c) d) e) Kuerten é eliminado em Pequim BNDES assina com Rio carta de intenções Chavez faz seu 101º combate esta noite Universidade abrigava depósito de armas Mercosul fecha acordo com Bolívia 426. usando o objeto direto pleonástico. II e III. apenas menino? e) Por que ele nos é pintado pelos sábios menino? 422. dr. adjunto adverbial em II e adjunto adnominal em I e III. Há muito livro interessante. — predicado nominal. d Adjunto adverbial. III. — adjunto adnomina) IV. complemento nominal. a população rechaça-os. 427. Sete anos de pastor Jacó servia Labão. II e III. I. Todas são incorretas. 424.a. c) em I e II meninos de rua é objeto direto. no-lo pintam os sábios sempre menino? b) Por que o amor no-lo pintam os sábios sempre menino? c) Por que no-lo pintam eles. Ele é muito simpático. Ela trabalhou muito pouco. Reescrevendo a oração “Por que os sábios pintam para nós o amor sempre menino?”. meninos de rua é sujeito. relegaos à lata de lixo da história. a seguir. os vários “os” são objetos pleonásticos.d. é objeto direto. teríamos: a) Por que a nós.

sujeito. gênio sem ventura e o amor sem brilho as expressões em destaque têm. porque choveu durante o jogo. ) Alguns políticos urbanos procedem do campo. e) complemento nominal e agente da passiva.2.2. complemento nominal. Prof. sujeito. as expressões de um pé e de gerânio são. a imagem de relance no espelho. 5. objeto indireto. como: a) agente da passiva e objeto indireto. 6. III. complemento nominal. 432.” As expressões destacadas são. Por que não se constroem açudes do Nordeste? Na rua. nesta cidade. adjunto adnominal. complemento nominal.Gramática 430. Naquele tempo. Em todas as orações o termo em destaque está corretamente analisado. (Carlos Drummond de Andrade) No texto acima. namorava-se com a sogra a tiracolo. complemento nominal. 1. 6. 3. predicativo do sujeito.” O termo destacado é: a) complemento nominal b) vocativo c) agente da passiva d) objeto direto e) aposto 435. o prato na mesa por engano. adjunto adnominal. (predicativo) e) Renato.4. respectivamente: a) b) c) d) e) adjunto adnominal. 1 434.Assinale a opção em que o sujeito é determinado. 6. (aposto) 438. complemento nominal. 2 c) 2. Já não desperta o mínimo arrepio. 433. 1. complemento nominal. um carpinteiro. pulverizada. O livro foi acolhido com entusiasmo pelos leitores. 2. 2. complemento nominal. o engenheiro. 6. 436.2 e) 3. Edson a) 3. complemento nominal. ) Nada mais sublime que amor de mãe. as expressões em destaque são. II. objeto direto. 3. sujeito. IV. 6. respectivamente. d) 2.” Os termos destacados analisam-se. exceto em: a) Existe. (complemento nominal) d) O estudante permaneceu inalteráveI. ) Ouvíamos interessados aquela ímpar palestra. inclusive velhos amigos. olhavam-me com espanto e respeito. 5. (sujeito) c) Já tínhamos certeza da derrota. logo protestou. adjunto adnominal. ) Os atletas foram ao estádio com o treinador. 4. ( ( ( ( ( ( ( objeto direto objeto indireto complemento nominal adjunto adnominal predicativo adjunto adverbial ) Alguns alunos têm aversão aos estudos. Segunda-feira haverá um jogo importante. complemento nominal. adjunto adnominal. sujeito. 5. adjunto adnominal. Em “Aeromoça na burocracia me dá idéia de um pé de gerânio intimado a viver e florir dentro de um armário fechado”. 2. respectivamente. adjunto adnomina. 2. 3. neste ensaio.2. Não houve gol. complemento nominal. d) predicativo do sujeito e predicativo do objeto.2007 . objeto direto. adjunto adverbial de modo. ) Naquele momento. Cessa o estrondo das cachoeiras. 6. e) adjunto adnominal. e com ele A memória dos índios. 4. complemento nominal. complemento nominal. b) adjunto adverbial de tempo e adjunto adnominal. bastava-me urna só palavra. complemento nominal. 439. de fenômenos químicos. objeto direto. Associe os grupos. c) adjunto adverbial de tempo e adjunto adverbial de causa. Resolva as questões a seguir conforme o código que segue: a) b) c) d) adjunto adverbial de lugar adjunto adverbial de tempo adjunto adverbial de modo adjunto adverbial de causa I. “Três seres esquivos que compõem em torno à mesa a instituição tradicional da família. funções sintáticas de: a) adjunto adverbial de modo. 1. célula da sociedade. Com o mau tempo não podemos trabalhar ao relento. ) Ofendeu a todos. adjunto nominal. 6. 437. 1. d) adjunto adnominal. “Continental 2001 Grand Prix II: nossa homenagem ao bom gosto da mulher brasileira. 5. predicativo do sujeito. 1 b) 3. c) complemento nominal. 4. adjunto adnominal. O automóvel parou perto do rio. 1 39 Volume Único . respectivamente: a) b) c) d) e) sujeito. 2. a) b) c) d) e) Trata-se. objeto direto. Nos versos: E em que Camões chorou no exílio amargo. adjunto adverbial.4. (objeto direto) b) É importante o apoio dos operários. respectivamente: a) b) c) d) e) sujeito. objeto direto. 431. objeto indireto. objeto direto. “Não foi ausência por uma semana: o batom ainda no lenço. b) predicativo do sujeito.

Há mais de três incorretas. V.V 446. objeto direto e predicativo do sujeito. índice de indeterminação do sujeito. não exerce função: é parte integrante do verbo. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) sujeito objeto indireto complemento nominal agente da passiva adjunto adverbial 441. (complemento nominal) 4.V.V.V. Esta é a pessoa por quem tenho respeito. respectivamente. Correr não adianta. “de bens”: complemento nominal. sujeito e predicativo do sujeito. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) complemento nominal agente da passiva objeto indireto objeto direto predicativo do sujeito 444. é preciso partir cedo. Os covardes duram mais. 6. ainda não chegaram os livros. a) V. (predicativo do sujeito) 5. Os boletins científicos a que tiveram acesso os reporteres relatavam o que o grande público esperava. Pelos modos do criado. Assinale a classificação correta do predicado.Gramática 440.” Observe a análise dos termos destacados e escolha a opção correspondente. E V. (verbo-nominal) Gal apareceu sorridente no palco.Qual a alternativa que não tem adjunto adnominal? a) b) e) d) e) No enterro do carcereiro. 1. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal adjunto adverbial 450. As palavras destacadas exercem. 40 . (nominal) Ela saiu rápido em busca de apoio.V. (verbo-nominal) O menino virou uma fera. pode-se julgar o amo. os detentos choravam. funções de: a) b) c) d) e) objeto direto e objeto direto. “que”: sujeito simples. Até hoje. (objeto direto) Volume Único . (verbo-nominal) 443. (verbal) O prédio foi totalmente reformado. A marcha dos sem-terra sobre Brasília. E F. 1. F. F. O que você pensa não é o que sou. respectivamente. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal adjunto adverbial Prof. 4. Os vícios de outrora são os costumes de hoje. d) V. Edson a) b) c) d) e) Todas estão corretas. “de nobreza”: complemento nominal. Esta é a pessoa a que devo a minha vida. (adjunto adnominal) 2. Apenas três incorretas. a) b) e) d) e) O bandido foi encontrado morto. V. V e) F. predicativo do sujeito e predicativo do sujeito. Todo o projeto foi reescrito cuidadosamente. “Meus títulos de nobreza foram outorgados pela humildade que herdei da infância pobre de bens. Apenas duas incorretas. F 445.F.V. Sair à francesa é sair de mansinho. F c) F. mas rica de virtudes. As palavras destacadas exercem. 5. “outorgados”: predicativo do sujeito. F. “O deputado e o senador cumprimentaram-se.V. mas vivem menos. 3. 448. objeto indireto. Observe a análise dos termos assinalados. 447. sujeito e sujeito. funções de: a) b) c) d) e) complemento nominal e objeto direto objeto indiredo e objeto direto objeto direto e objeto direto objeto indireto e objeto indireto complemento nominal e complemento nominal 442.V b) V. Este é o diretor por quem fui apresentado na empresa. Apenas uma incorreta. F. F.F.2007 449. (adjunto adverbial) 3. partícula apassivadora. 2.” A função do se é: a) b) e) d) e) objeto direto. As decobertas de que falam estes relatórios sobre a felicidade eram já esperadas pela comunidade científica. “da infância”: adjunto adverbial de tempo. V. “títulos”: núcleo do sujeito simples. O pronunciamento do deputado sobre economia.

Identifique. quanto aos trechos abaixo reproduzidos. O aluno que estuda é aprovado. d) “Que novidade isto traz? Muita.” índice de indeterminação do sujeito.” parte integrante do verbo. Ela se arroga o direito de ser feliz. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal sujeito 463.2007 457. A palavra destacada exerce função de: a) objeto direto b) complemento nominal c) objeto indireto 459. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) Sujeito complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal adjunto adverbial 461. Ele se jogou do décimo andar. O cargo por que você esperava foi preenchido. pode-se dizer que.”.” pronome pessoal oblíquo reflexivo. a) “Sob o nome de ética. a) b) c) d) e) é oração de sujeito indeterminado.” partícula apassivadora. em Função da forma verbal empregada. que tranquilidade. Paulo quase se mata ao atravessar a rua. 456. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal adjunto adverbial 460. A palavra destacada exerce função de: a) objeto direto b) complemento nominal c) objeto indireto d) adjunto adnominal e) sujeito 453. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal sujeito A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal sujeito Prof. é estrutura de voz passiva sintética. contém verbo pronominal. que consolo! conjunção subordinatíva condicional. Isabel sentiu-se ficar fraca.Gramática 451. . Edson 41 Volume Único . Eles se olhavam constantemente. e) “Mas o que se aprendeu com as ciências do homem é que nenhum ato é bom ou mau em si. Se tivermos um elenco de coisas permitidas e proibidas. A respeito de “E suicidaram-se os operários de Babel. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal sujeito d) adjunto adnominal e) sujeito 452. 455. Eles se obedecem. A palavra destacada exerce função de: a) objeto direto b) complemento nominal c) objeto indireto 462. A aluna deixou-se ficar à janela. que em outros países se vive de maneira mais tranquila. a descrição correta do se. A palavra destacada exerce função de: a) objeto direto b) complemento nominal c) objeto indireto d) adjunto adnominal e) sujeito d) adjunto adnominal e) sujeito 454. constitui estrutura verbal de valor recíproco. se nos disserem o que é certo ou errado. c) “Sabemos. o que se pede é um rol do que deve ou não ser feito. opera-se a regra de concordância do pronome com o complemento. b) “O mundo em que vivemos torna especialmente difícil a cada um orientar-se em suas ações. A cidade por que ele passou foi fundada por imigrantes. Ele se passou por doutor. A palavra destacada exerce função de: a) b) c) d) e) objeto direto complemento nominal objeto indireto adjunto adnominal adjunto adverbial 458. além disso.

sorriu e. e) Alunos queixavam-se. digno. 2. d) Se era primário e tinha bons antecedentes. e) Precisa-se de muita calma e jeito para o consolo de um singular amigo. O único enunciado em que a partícula “se” é empregada como conectivo é: a) . 473. conjunção condicional e conjunção integrante.. 472. muitos clientes se sentiram enleados com o local de conhecida modéstia. 2 Prof. 470. 467. não seria preso.Gramática 464. reflexivo. mas pelo vácuo da comunicação entre dois amigos.” De acordo com a ordem em que se encontra no texto. porque a velhinha encontrara seu netinho. pronome pessoal reflexivo. pronome (partícula) apassivador. reflexivo recíproco. apassivador. um grande plano.partícula apassivadora. 2. c) Mulheres se odeiam subjetivamente. “O herdeiro. foram destacadas. d) Esqueceu-se dos fardos diários. Fala-se de todos os problemas sem solução. não se separam mentiras e verdades. c) Vão-se embora os mais coloridos sonhos com a chegada de um só momento de maturidade.2007 . e) apassivador. teria o valor de oito reais. d) Os dirigentes indagaram se seriam ordens adequadas a seus subalternos. c) Se fosse primário e tivesse bons antecedentes. conjunção integrante e pronome reflexivo. d) Era como se o vigia lhe dissesse. 465. partícula expletiva. b) O operário se mutilara durante a realização de sua atividade diária. e) Retirou-se. apassivador. ) Esteje pronto às vinte e duas horas. 468.. reflexivo. ) Mesmo assim requeiro os meus direitos. 2. c) apassivador. Assinale a opção Em que o verbo foi apassivado pelo pronome se. não era preso. Se puder. escreva (1) para as formas verbais corretas e (2) para as incorretas. c) Se essa obra fosse impressa no Brasil. partícula expletiva e índice de indeterminação. d) Lavam-se cortinas e tapetes por preços módicos e facilitados. a) b) c) d) e) Armou-se um plano inteligente para pegar os ladrões. ouviu-se um pedido de socorro e o padre se fez presente e tudo terminou em paz. na ordem: a) b) c) d) e) conjunção causal e conjunção integrante. longe de compadecer-se. O povo sentia-se feliz. 1 1. 1 2. se cantares. a) Tempo não se mede pelos ponteiros do relógio. reflexivo. e) Os policiais deteram o bandido. por esmola. apassivador.” O “se” no trecho anterior é: a) b) c) d) e) índice de indeterminaçao do sujeito. Ela não se perdoa por ter feito tal descortesia. 1. e o dia se passou na dureza. c) João decidiu-se a penetrar no edifício. “Realizava-se uma grande festa. Assinale a alternativa em que aparece índice de indeterminação do sujeito. ( ( ( ( a) b) c) d) e) ) Nós vimos ontem do pantanal. De repente. índice de indeterminação e pronome apassivador. b) Se fosse primário e tivesse bons antecedentes. apassivador. apassivador. e) Os chefes administrativos mantêm-se atualizados quanto a questões existenciais das mais complexas. 1. 42 469. a) O carro sumiu-se na poeira da estrada ao longe. b) reflexivo... 2. parte integrante do verbo.” e “Vou expor-te um plano. apassivador.”. Em “Rosas te brotarão da boca. reflexivo. enquanto olhava para a inexpressiva lista dos pratos do dia. e sua pena teria sido simplesmente prestar serviços comunitários. 1. Nas frases abaixo. 466. o se aparece como: a) reflexivo reciproco. reflexivo. e foi decifrar palavras cruzadas. não tinha sido preso e sua pena tinha sido simplesmente prestar serviços comunitários. atirou-lhe três grãos de milho. 2 2. Assinale a opção que se apresenta de acordo com a norma culta do Português. professores queixavam-se. reflexivo. b) Em suas palavras. b) . mas as portas mantiveram-se surdas e nada facultativas. 2. só havia queixas. Aponte a alternativa que corresponde à seguinte descrição: se . Zangaram-se com suas reclamações. a) Se era primário e tivera bons antecedentes. a) A tristeza daquela jovem se funda em problemas pessoais. Edson Volume Único . A seqüência correta dos números nos parênteses é: 2. reflexivo.. 1 1. venha conosco ao clube de campo. Aponte o período em que a palavra se seja uma conjunção subordinativa integrante. não tinha sido preso e sua pena tinha sido simplesmente prestar serviços comunitários.. quero ver se o aprovas. 1. 2. e sua pena seria simplesmente prestar serviços comunitários. b) Ao entrar no recinto novo da confeitaria. 471. ) Vós rides de mim sem motivo. d) reflexivo recíproco. apassivador.

b) Naquela situação de tensão. Assinale a correta transposição do trecho sublinhado para a voz passiva. Indique a opção com formas corretas do verbo fazer. na mesma pessoa gramatical.sobrevêm . a) Dessa maneira.haverá.ir .. I. IV. Assinale a opção em que a conjugação do verbo HAVER desrespeita a norma culta. e) Há verbos em formas nominais e formas flexionadas do tempo pretérito. 477. Marque o item em que a frase está incoerente por causa da falta de correlação entre as formas verbais. e em nossa tristeza havia suavidade. c) Fazem-se trabalhos conjuntos com apoio de empresas para salvar espécies marinhas. não haveria arrependimentos nem lamentos. 478. dos Santos) a) b) c) d) e) consigam .haja. relativas às formas assinaladas no segmento abaixo.sobrevenham .ver. III 479. I.ir . d) Sabiam que deveriam haver punições para os que violassem as regras. mas não tanto que ofendêssemos os tristes. e) Mesmo assim.2007 .na 1 pessoa do pretérito imperfeito do indicativo. “Talvez essas duas idéias nos possam levar a uma espécie de neo-humanismo não triunfalista. d) Nas primeiras discussões acerca de programas ambientalistas. os garotos se houveram com muita discrição e elegância.. II. II IV. Acreditávamos nos valores do espírito.. III.. a) Para salvar milhares de filhotes de tartarugasmarinhas. conseguissem . c) Todos eles já haviam vivido situações de tensão semelhantes anteriormente.houver. e) vir .há. e) Talvez possamos ser levados por essas duas idéias.” a) vier .ver. “Naturalmente. Prof.haveria. faz-se necessário o apoio dos próprios predadores. porque éramos pacientes e compreensivos.vir. “Venho de longe e vou para longe: mas procurei pelo chão os sinais do meu caminho e não vi nada. sabíamos partilhar o que tivéssemos. I. e) Há ainda os que argumentam a favor da restauração e tendem a encerrar o assunto. a) Todos os verbos estão em formas nominais. II. I.. IV. IV. c) Há verbos em tempo do pretérito e do presente do indicativo. Mesmo quando não tínhamos muito. b) vir . conseguirão . a) Terminada a fase de restauração.sobrevenha .for . e) Para salvar a espécie. Não é necessário que ________ um confronto de civilizações. estão dispostas na ordem alfabética. Assinale a frase que expressa a afirmativa verdadeira sobre os verbos do seguinte texto.na 2 pessoa do singular do futuro do presente do indicativo. 43 Volume Único . a V .. I . I III. a Capela Sistina explode em cores. Marque o item onde não foram respeitadas as regras de concordância verbal no emprego do verbo “fazer”. Edson d) vier .. consiga . Assinale o item que preenche corretamente as lacunas.sobrevêm . II. “Sabíamos ser alegres.” (Carlos Diegues) a) Talvez poderemos ser levados por essas duas idéias. espera-se que o Brasil e a América Latina ________ associar progresso e liberdade. d) Outros acham que muitos traços acabaram perdidos.na 3 pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo.for . faz cinco meses que muitos recolhem os ovos nos ninhos e guardam em locais protegidos. b) Fazem dez anos que os ambientalistas lutam para salvar as tartarugas-marinhas da extinção. c) Talvez estejamos sendo levados por essas duas idéias. III..vir. d) Talvez podemos ser levados por essas duas idéias.” (Wanderley G. b) Talvez sejamos levados por essas duas idéias.vier . fizeram-se presentes autoridades dos mais diversos setores. IV. b) Há quem considere que as imagens da abóbada restaurada aparecem muito brilhantes e planas. 480. b) Todos os verbos estão em tempo do pretérito do indicativo.Gramática 474. c) vir . d) Há verbos em tempo do pretérito e do presente do subjuntivo.no gerúndio. conseguem . 476. a II . II.. V V. 475. 481. c) Há os que preferem que a aparência com a qual estarão acostumados fosse mantida. a) b) c) d) e) V.. porque as ervas cresceram e as serpentes andaram. a III . sobretudo quando estas são definidas de maneira interessada.no particípio. IIl. respeitando o emprego dos tempos e modos verbais. e neles fundávamos a nossa grandeza e o nosso respeito. Mas se ________ ou não esse confronto é impossível antecipar com certeza científica.vir.sobreviesse . IV . Identifique a série que contém as formas do futuro do subjuntivo. os adultos houveram por bem recomendar cautela. V V.

d.a. mas nada conseguimos. Vocês não são os secretários. Marque o item em que a forma verbal entre parênteses não completa corretamente a frase.Gramática 482. precaveio . 489. Escolha a opção que completa corretamente as lacunas do período abaixo. (Tratam-se) b) ________ a brigar nos Estados Unidos um avanço tecnológico e um princípio jurídico. (serem) 483. Marque a opção que completa corretamente as lacunas. ________ duas pistas: a origem de pessoas inconvenientes e o número de qualquer outro telefonema. d) ver . 485. (consideram) e) Os trotes. detivera .intervindo . Tu és o secretário. se eu não tivesse ______.os defendesse. Assinale a alternativa que corresponderia. _______ uma terrível discussão. “Era certo que eles me remeteriam os livros. e) A mesma questão fora sempre discutida pelos deputados.reaveu. Assinale a alternativa correta de acordo com o padrão culto da modalidade escrita do Português. nada se resolverá. precaviu .intervindo . b) Se o vir. c) Era certo que os livros me teriam sido remetidos por eles. portanto não vás ao Tribunal. c) Vimos aqui diariamente.teria havido. (descobrem-se) d) Há os que ________ perigosos os riscos sociais da quebra de sigilo telefônico. Assinale a opção que apresenta forma verbal incorreta.tinha havido. pedimos a você que averigúe o que está acontecendo. portanto vai ao Tribunal. e) Ele reaveu o que perdeu. além de ________ brincadeiras de péssimo gosto. dir-lhe-ei que você já _____o livro emprestado. portanto não vão ao Tribunal. b) Era certo que os livros me tinham sido remetidos por eles. 491. mas esqueceu de si mesmo. levam a graves conseqüências. “A polícia os ______ e não apareceu quem ________” a) b) c) d) e) deterá . ao período abaixo.2007 487. 490. c) vir .intervido . Prof. 44 .reouve. deterá . é possível que lhe digam amanhã que o documento não valhe nada. a) Se você não requerer logo. Assinale a alternativa correta de acordo com o padrão culto da modalidade escrita do Português. a) b) c) d) e) Tu não és o secretário.” a) b) c) d) e) Todos compreenderam as questões. (Começam) c) Pelo caça-trotes. c) Se eles se mantiverem irredutíveis e não se proporem a conversar. c) A mesma questão ia sendo sempre discutida pelos deputados. d) A mesma questão era sempre discutida pelos deputados. Todos teriam compreendido as questões.lhes defendesse. Todos têm compreendido as questões. Todos tinham compreendido as questões.” a) Era certo que os livros me seriam remetidos por eles. b) ver . “As questões tinham sido compreendidas por todos. a) b) c) d) e) precaveio . Edson 484. diga-lhe que eu me precavejo contra possíveis aborrecimentos.os defendessem. 488. Vós sois o secretário. na voz passiva. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do período. b) Ele proviu as necessidades dos filhos. precaveu . Se eu o____.intervido . a) ________ de um aparelho caça-trotes (o avanço) e de um direito à privacidade (o princípio). d) Era certo que os livros me tivessem sido remetidos por eles. 486. portanto não ides ao Tribunal. Volume Único . detivera . Vós não sois o secretário. Todos compreendiam as questões.os defendesse. na voz passiva. Assinale a alternativa que corresponde. e) Era certo que os livros me estariam sendo remetidos por eles. a) Essas dificuldades previram da pressa com que se propuseram as questões e da irresponsabilidade com que foram tratadas.defendessem eles. Assinale a alternativa cujo sentido corresponderia. “Os deputados estavam discutindo sempre a mesma questão.reouve. portanto ide ao Tribunal. Agora. e) vier .” a) A mesma questão vinha sempre sendo discutida pelos deputados.reaviu. deteram . a) vir .tinha havido.teria havido. na voz ativa. Por que não vige mais? e) Quando o verem. será tarde demais. d) Quando ele obtiver aquilo por que tanto anseia.reaveu. n. ao período abaixo. diga-lhe que estou bem. Como ele não se _______ contra os ataques. b) A mesma questão estava sempre sendo discutida pelos deputados. d) Ainda há pouco esta norma vigia. ao período abaixo.

o orador foi brilhante. o presidente examinará todas as propostas. o presidente terá examinado todas as propostas. efêmera. seção. Esta é uma língua difícil de se aprender. O projeto foi elaborado por ele 497. IV . prescrito. vil. Fama ________ (fugaz) Estilo ________ (conciso) Proposta ________ (ignóbil) Instrumento ________ (obsoleto) a) b) c) d) e) duradoura. prolixo. ser combatidos _____. Devem. Transpondo para a voz passiva a frase: “Funcionários da Prefeitura estavam distribuindo leite C para a população. cessão. abjeta. sub-entendido. o presidente teria de examinar todas as propostas. Por todos é ele respeitado. a) A lei possibilitou que o prazo para o combate à inflação fosse _____(delatado) b) A inflação tem ______ graves danos ao povo brasileiro. digna. arcaico. o presidente terá de examinar todas as propostas. Assinale a opção que preenche todas as lacunas abaixo com antônimos das palavras entre parênteses. sucinto. prescrito.grafia incorreta. Edson 500. cessão. c) Endossou as opiniões do amigo para expiar a sua desconsideração. o presidente terá todas as propostas examinadas.Na última ________ do grêmio. 498. preciso. subtendido. despercebido.Tomou conhecimento de que o regulamento foi ________. seção. na voz ativa. Assinale a alternativa que corresponde. d) Até o fim do mês. sessão. cessão. subentendido. a) b) c) d) e) desapercebido. obtém-se a forma verbal: a) b) c) d) e) vai ser distribuído. b) Todos sabiam que o reflorescimento do matagal era iminente. proscrito. 499.” a) Até o fim do mês.emprego incorreto quanto ao significado. Assinale a opção em que a palavra completa corretamente a lacuna. a) b) c) d) e) sessão. infringido. sub-entendido. estava sendo distribuído distribuía-se. c) Até o fim do mês. a única que apresenta erro quanto à conjugação do verbo grifado é: a) b) c) d) Ela ainda não reouve o que perdera. infame. b) Até o fim do mês. O diretor entreteve o aluno por muito tempo. e) Até o fim do mês.”. (desapercebido) d) O bicho sempre destinou _______ quantias a determinados grupos da nossa sociedade. Sempre passeamos no Aterro e nunca fomos assaltados. Assinale a frase em que as duas palavras sublinhadas apresentam. O prédio foi completamente demolido.Comprei os livros na ________ de brinquedos. fugidia. Os advogados já requiseram os processos. I . passageira. d) Promover a ascenção a altos cargos é a jntensão da nova diretoria. antigo. III . Indique a opção que preenche corretamente todas as lacunas das frases. inflingido. todas as propostas terão sido examinadas pelo presidente. cessão. Das frases abaixo. Prof. seção. transitória. não são menos danosos à sociedade. mas ficou ________. 495. a) O pretensioso senhor esbanjava vultosas quantias em dólar. II . exato. moderno. desapercebido.Devo informar-lhe que o prisioneiro foi ________. está sendo distribuído. Assinale o item que preenche corretamente todas as lacunas das frases: I . portanto. desapercebido. infringido. sessão. o seguinte: .2007 45 . e) Com exceção dos secretários. proscrito. (incontinenti). seção. sessão. . Volume Único . 494. III . ao período abaixo. inflingido. II . despercebido.Gramática 492.O conselho não foi verbalizado. desusado. era distribuído. todos infringiram as ordens do diretor. a) b) c) d) e) Todos se queixaram pelos mesmos motivos. 493. respectivamente. infringido. e) Vocês querem que nós tragamos os exercícios corrigidos? 496. lacônico. (vultuosas) e) Os crimes sofisticados. proscrito. torpe. antiquado. sem violência explícita. sessão.cessão seção.Solicitamos ao diretor a ________ de duas salas.Afirmou que o fato passou-lhe ________. Assinale a alternativa correspondente ao período em que não existe forma verbal com valor de passiva. “Até o fim do mês. (infringido) c) O efeito Denise Frossard não passou _______ àqueles que esperam ver acabar a corrupção no país. subentendido.

Gramática

TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 501 A 504 Não basta a igualdade perante a lei. É preciso igual oportunidade. E igual oportunidade inplica igual condição. Porque, se as condições não são iguais, ninguém dirá que sejam iguais as oportunidades. Ao fazerem uma travessia, ninguém poderá dizer que sejam iguais as oportunidades de alcançar um porto distante, entre o nadador vigoroso e pobre, que se lança ao mar, enfrentando as ondas e os tubarões, e o passageiro franzino e rico, que se dirige ao mesmo ponto, cochilando na poltrona de um barco a motor. Mas a desigualdade é social, é artificial. Porque um tem o privilégio da riqueza e ao outro só lhe resta o mar, que ainda não lhe fecharam, e a força muscular, que a pobreza não pôde tirar. A sociedade embasada na liberdade contratual será sempre, em grande parte, uma sociedade de classes, cuja estrutura é defendida em vantagem dos ricos. Cumpre associar o indivíduo no processo de autoridade, isto é, o trabalhador no poder industrial. A exclusão de alguém de uma parcela do poder é forçosamente, a exclusão daquele dos benefícios deste. Todos deviam e devem, portanto, ter direito a uma parte dos resultados da vida social. E as diferenças devem existir somene quando necessárias ao bem comum. O próprio conceito de liberdade redefine-se através dos séculos, de acordo com as circunstâncias históricas e o desenvolvimento das forças econômicas. E a liberdade no mundo atual só existirá de fato quando assentada na segurança e em função da igualdade. (João mangabeira. Oração de paraninfo. In: Introdução crítica ao direito, com adaptações.) 501. Nas opções a seguir, que apresentam reescrituras, em dois períodos sintáticos, do trecho inicial do segundo parágrafo do texto, assinale a que mantém as mesmas relações de sentido do texto original. a) A estrutura de uma sociedade embasada na liberdade contratual é defendida em vantagem dos ricos. Essa estrutura será sempre, em grande parte de uma sociedade de classes. b) Uma sociedade de classes tem sua estrutura defendida em vantagem dos ricos. Isso porque será sempre embasada, em grande parte, na liberdade contratual. c) Uma sociedade de classes é sempre embasada na liberdade contratual. A estrutura de suas classes é defendida em vantagem dos ricos e isso acontece em grande parte. d) A sociedade embasada na liberdade contratual será sempre, em grande parte, uma sociedade de classes. E a estrutura da sociedade de classes é defendida em vantagem dos ricos. e) Em grande parte, uma sociedade de classes é defendida em vantagem dos ricos. Isso acontece sempre que embasada na liberdade contratual.

502. Com base nas idéias do texto, assinale a opção correta. a) O conceito da liberdade exclui qualquer possibilidade de diferenças sociais. b) O direito aos resultados da vida social decorre da participação do indivíduo no poder. c) Forças econômicas e circunstâncias históricas são a base da segurança no mundo atual. d) A desigualdade social é artificial porque impõe atitudes autoritárias em desacordo com a vontade das pessoas. e) Só uma sociedade que ofereça igualdade de oportunidades e condições propiciará possibilidades de verdadeira liberdade. 503. No primeiro parágrafo do texto, o trecho em que se comparam um nadador e um passageiro de barco tem como principal função. a) demonstrar como a fragilidade pode ser compensada diante do vigor físico. b) exemplificar maneiras alternativas e justas de de atingirem diferentes objetivos. c) mostrar que a desigualdade financeira é naturalmente compensada pelas desigualdades físicas. d) ilustrar como as desigualdades de condições podem comprometer a igualdade de oportunidades no esforço para alcançar objetivos. e) amenizar a seriedade de argumentação, comparando o esforço de nadadores e passageiros na luta pela conquista de objetivos. 504. A respeito do emprego das palavras no texto, assinale a opção incorreta. a) A preposição “entre”(L.6) estabelece a relação do ponto de partida com o ponto de chegada da travessia. b) Na linha 12, o pronome “lhe”refere-se ao nadador que se lança ao mar. c) A expressão “o trabalhador no poder industrial”(L18.) exemplifica a expressão “ïndivíduo no processo de autoridade”(L17). d) O pronome “daquele” (L19) refere-se a “álguém”(L18), “deste” (L20) refere-se a “poder”(L19). e) Apesar da oposição entre as condições de um nadador e de um passageiro de barco, ambos são incluídos no universo a que o pronome “todos”(L20) se refere. TEXTO PARA AS QUESTÕES 505 E 506 Uma pesquisa recente, feita entre os homens mais influentes do país, revelou que 42% dos integrantes da elite brasileira acham que “investir na educação” constitui o melhor camunho para mudar o Brasil e acabar com a miséria, e que a “valorização da educação”é aquilo que os países do primeiro mundo têm de mais admirável. O problema é que, de todos os índices degradantes que compõe a radiografia do Brasil, a educação talvez seja o mais vergonhoso.
Prof. Edson

Volume Único - 2007

46

Gramática

O Brasil tem 19,7 milhões de analfabetos com mais de 14 anos. Dos 137,3 milhões que sabem assinar om próprio nome, 60% (ou cerca de 90 milhões) são “analfabetos funcionais” - incapazes de escrever, por exemplo, uma carta. A educação é um dos três indicadores de progresso que medem p “’indice de desenvolvimento humano”de um país, de acordo com a ONU. Os outros dois são renda per capita e expectativa de vida - e em ambos a colocação do Brasil é lastimável.
(O país da desigualdade. In: História do Brasil. Folha de S. Paulo. p. 295, com adaptações.)

505. Com base nas idéias do texto, julgue os itens a seguir. I. II. III. IV. V. O Brasil poderá d iminuir a miséria se investir mais em educação. 42% da elite brasileira está investindo em educação para que esta seja mais valorizada. Os homens mais influentes de um país reconhecem as verdadeiras necessidades de sua sociedade. Não basta ser considerado alfabetizado para saber escrever uma carta. A redução do número de analfabetos será suficiente para que o Brasil seja considerado país de primeiro mundo. De acordo com os critérios da ONU. A quantidade de itens certos é igual a: a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. e) 5.

enormes contingentes, aumentaram o fosso que separa ricos e pobres. A distribuição desigual da riqueza virou pedra no caminho do desenvolvimento. Inserido na globalização, o Brasil viu-se forçado a olhar para fora de suas fronteiras e a convencer-se de que só terá vez no fechadíssimo clube dos países de ponta se responder ao grande desafio de distribuir. Viu-se também obrigado a compreender que quadros profissionais altamente qualificados são a matéria-prima exigida pela competição econômica. Ao relegar seus cidadãos à subnutrição e à escola de baixa qualidade, o Brasil trai seu futuro. (Adaptado de Correio Braziliense, 22/4/2000, p. 38.) 507. Em relação ao texto, assinale a opção incorreta. a) Se a expressão “a um só tempo” (L.2) fosse substituída pelo advérbio simultaneamente, o período permaneceria de acordo com as exigências da língua padrão. b) Nas linhas de 1 a 6, o recurso estilístico/sintático de elipse em relação a substantivos antecedentes é utilizado como forma de estabelecer coesão e evitar repetição lexical. c) O termo “trilhado” (L. 10) tem o sentido de percorrido. d) No terceiro parágrafo, verbos como ver, convencer, compreender e trair, que se associam semanticamente a agentes animados, são utilizados com referenda ao “Brasil”, configurando o recurso estilístico da personificação. e) Os recursos metafóricos e retóricos utilizados no texto comprovam que se trata de linguagem coloquial, informal. 508. Julgue os itens quanto à correção gramatical. I - O Brasil tem um parque industrial instalado equiparável aos melhores do mundo e é dos poucos países com possibilidade de expansão de fronteiras agrícolas. II - Concretizá-las pressupõe superar os limitadores, ligados à brutal concentração de renda e à elitização do equipamento educacional. Impõem-se a melhoria da qualidade da gestão pública. III - A escala econômica propicia ao Brasil natural liderança entre os países da América Latina. As potencialidades brasileiras são enormes, mas, no mundo globalizado, não são suficientes. IV - Pode-se considerar o Brasil uma das poucas nações com real capacidade de gerar um grande mercado interno pela agregação à economia capitalista dos estratos sociais ainda excluídos. V - O setor privado adaptou-se à realidade da economia digitalizada e adotou metodologia moderna de administração em busca de eficiência e tompetitividade. O setor governamental, apesar da política de desestatização, continua padecendo de grandes deficiências de qualidade de gestão e probidade. A quantidade de itens certos é igual a: a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. e) 5.
47

506. De acordo com as regras de concordância da norma culta, adjetivos devem concordar em gênero e número com o nome a que se refiram; verbos devem concordar em número e pessoa com sujeito a que se refiram. Em face dessas regras e considerando o texto, a) a forma verbal “revelou” (L.2) concorda com “pesquisa”(L.1). b) a forma verbal “constitui”(L.3) concorda com “melhor caminho”(L.3). c) a forma verbal “têm” (L.6) concorda com “aquilo” (L.4). d) o adjetivo “vergonhoso” (L.9) concorda com “problema” (L.7). e) o adjetivo “lastimável” (L.19) concorda com o “Brasil” (L.19). TEXTO PARA A QUESTÃO 507 O Brasil chega aos 500 anos do Descobrimento com uma marca singular. E, a um só tempo, um país com um pé na modernidade e outro no atraso. Foi chamado, por isso, de Belíndia, metade Bélgica, metade Índia. Exibe ilhas de excelência e bolsões de subdesenvolvimento. Está entre as dez maiores economias do mundo, mas convive com índices sociais semelhantes aos das mais miseráveis nações africanas. Os contrastes e as contradições resultam do modelo de desenvolvimento trilhado. O Brasil escreveu sua história com as tintas do privilégio. A concessão de vantagens a poucos em detrimento de muitos construiu o país injusto que hoje conhecemos. A posse da terra, a distribuição de monopólios, o acesso a financiamentos governamentais, a escolha do modelo educacional e de políticas públicas favoreceram grupos da elite. Concentraram brutalmente a renda, marginalizaram
Prof. Edson

Volume Único - 2007

Gramática

509. Assinale a opção em que a redação está de acordo com as exigências da modalidade escrita da língua padrão. a) Comemorar os cinco séculos da chegada de Cabral a Ilha de Vera Cruz obriga à examinar o passado e aprender com ele. A lição enfatiza a urgência de superar as opções que perpetuam os contrastes. Criatividade e inovação são disciplinas obrigatórias para se chegar a uma sociedade mais justa. b) Comemorar os cinco séculos da chegada de Cabral à Ilha de Vera Cruz nos obriga a examinar o passado e a aprender com ele. A lição enfatiza a urgência de superar as opções que perpetuam os contrastes. Criatividade e inovação são disciplinas obrigatórias para que cheguemos a uma sociedade mais justa. c) Comemorar os cinco séculos da chegada de Cabral a Ilha de Vera Cruz obriga a examinarem o passado e aprender com ele e a lição enfatiza a urgência de superar às opções que perpetuam os contrastes. Criatividade e inovação são disciplinas obrigatórias para chegar numa sociedade mais justa. d) Comemorar os cinco séculos da chegada de Cabral à Ilha de Vera Cruz obriga-lhes examinar o passado e aprenderem com ele. A lição, enfatiza a urgência de superar as opções que perpetuam os contrastes. Criatividade e inovação são disciplinas obrigatórias para chegarem a uma sociedade mais justa. e) Comemorar os cinco séculos da chegada de Cabral na Ilha de Vera Cruz obriga-nos examinar o passado e aprendermos com ele essa lição, enfatiza a urgência por superar as opções em que perpetuam os contrastes. Criatividade e inovação são disciplinas obrigatórias para chegar a uma sociedade mais justa. (Opções adaptadas de Correio Braziliense, 22/4/ 2000, p. 38.) TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 510 A 514 Fábula moderna “Você, moleque, com certeza, vai ser bandido!” Essa foi a frase que o menino Roberto Carlos Ramos mais ouviu na infância. Negro, pobre, abandonado, analfabeto até os 13 anos e um dos campeões de fuga da FEBEM tudo levava a crer que o vaticínio se concretizaria. Sua ficha na instituição o definia com uma única palavra: irrecuperável. No entanto, o acaso encarregou-se de inverter os ponteiros da lógica rasteira, Roberto Carlos, hoje com 34 anos, é um exemplo de sucesso na vida profissional e pessoal. Pedagogo com mestrado na Universidade Estadual de Campinas, ele é um dos mais requisitados palestrantes do país. Caçula de uma prole de dez filhos, Roberto Carlos foi enviado à FEBEM com 6 anos. Ao longo de sete que passou lá, fugiu exatas 132 vezes. Aos 9 anos, conhecido como Beto Pivete, já cometia pequenos furtos. Cheirava cola de sapateiro e fumava maconha diariamente. Foi na sala de readmissão da FEBEM que o acaso o acolheu, sob a figura da pedagoga francesa Marguerit Duvas, que
48

o conheceu enquanto visitava a instituição. Intrigada e encantada com o garoto vivaz e indomável, ela transformou seu período de descanso em uma longa estada e conseguiu sua guarda. Ensinou-o a falar francês (língua em que foi alfabetizado) e, depois de três anos, levou-o para Marselha, onde ele concluiu o colegial e viveu até os 19 anos. De volta para o Brasil, fez pedagogia e estagiou na mesma FEBEM onde permaneceu durante a infância. Foi lá que conheceu Alexandre, menor abandonado que acolheu em seu minúsculo apartamento. Em seguida. vieram Moisés, Kleber, Fábio... Atualmente, ele mora com doze filhos, cujas idades variam de 10 a 25 anos, em um casarão de quatro andares, na região metropolitana de Belo Horizonte. Todos estudam e os mais velhos também trabalham. Em seu lar incomum, a primeira regra é ter planos — a curto, médio e longo prazos. “Não importa se é comprar uma bicicleta ou fazer faculdade”, explica ele. A fórmula de Roberto Carlos para guiar seus meninos pela boa estrada é de uma simplicidade franciscana: carinho e educação. Esse binômio está na base das escolas que coordenará para a Fundação M. Officer. Nelas, os menores carentes serão levados a desenvolver suas principais aptidões, para que possam integrar-se como cidadãos plenos em uma sociedade que tende a rejeitá-los. “Sou a prova de que não existe criança irrecuperável”, diz ele. E acrescenta: “No mundo há os que choram e os que vendem lenços. Hoje, estou entre os que vendem lenços”. (Cristina Polés. Vida brasileira. Veja, 11/10/2000. p. 70. com adaptações.) 510. Em síntese, o texto tem por idéia principal a) a história de um menino pobre, criado na FEBEM, que se tornou um empresário de sucesso, vendendo lenços. b) a estigmatizaçâo de que são vitimas as crianças pobres, principalmente quando são negras e órfãs. c) o modo de vida de um pedagogo, benemérito e humanitário que segue na idade adulta os ensinamentos de Marguerit Duvas, sua preceptora na infância. d) passagens da vida do mineiro Robertos Carlos Ramos, negro, pobre e marginal, cçassificado como irrecuperável na infância, mas que, graças à intervenção de uma pedagoga francesa, começou a estudar e teve seu destini mudado, passando de vítima das desigualdades sociais a protetor dos menores desamparados, a quem cria como filhos, devido ao apoio recebido da fundação M. Officer. e) a reabilitação do ser humano, exemplificada com a história de vida de um ex-menor abandonado que, pedagogo de valor reconhecido, age com solidariedade, por meio da educação, em prol da diminuição das injustiças sociais.

Volume Único - 2007

Prof. Edson

Gramática

511. Uma narrativa estrutura-se a partir dos seguintes elementos: quem, quando, realiza o quê, como e porquê. Assinale a opção que, mantendo as informações do texto, contempla todos esses elementos, nessa ordem. a) Os pais de Roberto Carlos, há pouco mais de um quarto de século, deixaram o filho entregue à FEBEM, como menor abandonado, porque eram proletários e marginais. b) Roberto Carlos, na infância, foi enviado à FEBEM, de onde fugiu 132 vezes, porque, irrecuperável, cometia pequenos furtos. c) Beto Pivete já cometia pequenos furtos: cheirava cola de sapateiro e fumava maconha, diariamente, porque era irrecuperável aos olhos da sociedade, antes de ir para a França, felizmente. d) Roberto Carlos Ramos hoje cria doze filhos, em Belo Horizonte, com carinho e educação, pois acredita que eles podem exercer plenamente a cidadania. e) O protagonista da Fábula moderna passou mais de um terço de sua vida na FEBEM, na situação de analfabeto, até ser amparado por uma francesa, corajosa, porque ela acreditava na necessidade de sua recuperação. 512. Assinale a opção que apresenta um provérbio popular associável à ação pedagógica do protagonista do texto. a) b) c) d) e) Quem ri por último ri melhor. Costume e dinheiro fazem do filho bom cavalheiro. Não dê um peixe; ensine a pescar. Quem dá aos pobres empresta a Deus. Pau que nasce tono morre torto.

b) À sorte, sob a aparência de fada francesa que, encantada com a vivacidade do garoto, asseguroulhe a guarda, encarregou-se de inverter à lógica rasteira das educadoras da FEBEM. c) De volta a Pátria, escolheu para fazer estágio à sua instituição de origem; lá convivendo com outras crianças vitimas das desigualdades sociais, às quais tanto condenara. d) A casa de Roberto Carlos, em Belo Horizonte, assemelha-se à uma residência-padrão; no entanto, a presença de regras, como a instituição de metas à prazos fixados, e a educação centrada no carinho tornam-na um lar incomum. e) O binômio afetividade versus educação fundamenta a pedagogia a ser empregada nas escolas da Fundação, em que toda criança será estimulada a desenvolver as suas aptidões, à fim de se tomar um cidadão útil a sociedade brasileira. TEXTO PARA A QUESTÃO 515 Artigo XXIII § 1° Todo homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego. 2° Todo homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho. 3° Todo homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário,outros meios de proteção social. 4° Todo homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses. (Declaração Universal dos Direitos Humanos)

§ §

§

513. Considerando a última fala do protagonista do texto, assinale a opção que apresenta uma relação sintática Incorreta. a) Os termos “No mundo” e “Hoje” são adjuntos adverbiais, respectivamente, de lugar e de tempo. b) O sujeito das formas verbais “há” e “estou” é idêntico: o pronome de primeira pessoa do singular eu, que se encontra subentendido. c) As ocorrências do pronome demonstrativo “os” exercem funções sintáticas diferentes: no primeiro período, é objeto direto; no segundo, predicativo do sujeito. d) As três orações que se iniciam pelo vocábulo “que” têm idêntica classificação: são subordinadas adjetivas restritivas. e) Dos predicados verbais do referido trecho, apenas o que tem por núcleo a forma verbal “choram” é denominado intransitivo. 514. Assinale a opção correta com relação ao emprego do sinal indicativo de crase. a) Robeno Carlos habituou-se a viver sob tensão, à exclamação “Você, moleque. com certeza vai ser bandido!”, reagindo agressivamente àquela pecha de irrecuperável,
Prof. Edson

515. Quanto ao emprego das palavras e expressões no texto, julgue os itens abaixo. I - São cinco os direitos do homem expressos no primeiro parágrafo do texto, II - Na linha 4, a expressão “sem qualquer distinção” representa uma apreciação acerca de “Todo homem” e por isso funciona sintatícamente como aposto. III - Na linha 6, a oração subordinada adjetiva “que trabalha” restringe a expressão antecedente, “Todo homem”, o que justifica o fato de não estar entre vírgulas. IV - O verbo “acrescentarão” (L. 9) está no plural porque deve concordar com seu sujeito, “outros meios de proteção social” (L. 10). V - A palavra “homem”, em todos os parágrafos do artigo, está sendo utilizada no texto na acepção de ser humano, seja do sexo masculino seja do sexo feminino. A quantidade de itens certos é igual a: a) 1. b) 2. c) 3. d) 4. e) 5.

49

Volume Único - 2007

Gramática

TEXTO PARA AS QUESTÕES 516 E 517 Novos empregos Quem folheia os classificados de empregos podem ter notado uma diferença. Em meio aos anúncios de empresas contratando engenheiros, arquitetos e advogados, há vagas para gestores de mudanças webmasters, site acquisitors e uma série de outras funções com nomes igualmente estranhos. Essas profissões são a mais recente transformação feita no mercado de trabalho, principalmente em função da tecnologia. A popularização da Internet deu origem a algumas profissões. Uma delas é o webmaster, responsável por desenvolver e manter em funcionamento os sites. (Veja, 17/6/2000, com adaptações.) 516. De acordo com as regras da norma culta, no texto acima ocorre erro de concordância verbal em a) “folheia” (L. 1) b) “podem” (L. 1) c) “há” (L. 4). d) “são” (L. 7) e) “é” (L. 10)

519. A respeito da organização das idéias do texto, julgue os itens a seguir. a) Na linha 1, o uso do acento gráfico na forma verbal “têm” indica que, no texto, o verbo está concordando com o sujeito simples “União”. b) Respeita-se a idéia de negação e a correção gramatical ao se substituir “nenhuma” (L. 2) por alguma. c) Para respeitar as regras de pontuação, se, no lugar da expressão “uma pergunta” (Ls. 4 e 5), for usada a expressão a seguinte pergunta, então uma vírgula deve ser usada no lugar dos dois pontos. d) Pelo sentido textual, a forma verbal subentendida no início da oração “A justiça, administrar a Justiça” (L. 8) é Seria. e) O pronome “isso” (L.8) tem a função textual de retomar e resumir as idéias expressas pela pergunta das linhas 4 e 7. 520. No texto, a correção sintática do período “Se o Estado abdicar de uma dessas funções, ele simplesmente deixa de ser Estado” (Ls. 9 e 10) será mantida se suas formas verbais “abdicar” e “deixa” forem substituídas, respectivamente, por abdicasse e: a) deixará. b) deixaria. c) deixasse. d) iria deixar. e) terá deixado.

517. No texto, haverá erro de regência caso se faça a substituição da expressão. a) b) c) d) e) “Em meio aos” “contratando” “igualmente” “em função” “deu origem” (L. 2) (L. 3) (L. 6) (L. 8) (L. 9) por por por por por Entre os que contratam de igual modo por causa originou

TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 518 A 520 Os estados e a União não têm recursos para coisa nenhuma. Hoje em dia, com essa preocupação neoliberal de Estado mínimo, de redução das atividades públicas, de sucateamento da máquina pública, eu faço uma pergunta: se todas as atividades ficassem com a iniciativa privada e o Estado fosse reduzido a uma única atividade, qual seria essa atividade? A justiça, administrar a Justiça. E isso pressupõe segurança. Se o Estado abdicar de uma dessas funções, ele simplesmente deixa de ser Estado. A palavra Estado existe desde Maquiavel e significa uma nação com um governo institucionalizado e dotada de estabilidade. Estado e estabilidade têm a mesma raiz. Um Estado que deixa de ter estabilidade deixa de ser Estado. E um Estado que deixa de ter segurança pública deixa de ter estabilidade. (Flávio Bierrenbach. Entrevista. Folha de S.Paulo. 6/8/ 2001. A4, com adaptações.) 518. Quanto às idéias do texto, julgue os seguintes itens. a) Os recursos dos estados são inversamente proporcionais aos recursos da União. b) A “redução das atividades públicas” (L.3) é decorrência de uma “preocupação neoliberal de Estado mínimo” (Ls. 2 e 3). c) Quanto mais antigo o Estado, mais atividades são deixadas à iniciativa privada. d) Nação com governo institucionalizado + estabilidade = Estado. e) Se; há estabilidade, há segurança pública; se há Estado, há segurança pública e estabilidade.
50

TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 521 A 526 O respeito às regras Ser ético e ser político é ser humano. Desde a Antiguidade clássica - em especial pelo pensamento de Aristóteles - a ação humana, pela qual as pessoas se auto-afirmam individual e coletivamente, é uma ação ética e política. Ser ético, agir eticamente, corresponde, na consciência difusa da sociedade, a pautar sua ação por valores morais. A suposição - ou a certeza - é de que todos estariam de acordo com duas coisas: com a necessidade de agir moralmente e com o pressuposto de que esse agir se rege por valores efetivamente existentes na sociedade e em seus costumes. Como não nascemos em um mundo vazio de história, todos deparamos direta ou indiretamente - mais cedo ou mais tarde - com as expressões formais dos valores morais admitidamente vigentes, como é o caso das leis, por exemplo. E não apenas as leis escritas ou tradicionais de um país, mas também as das tradições não estatais, como as religiosas ou familiares. Vivemos em uma cultura que admite ser a pessoa humana detentora de uma dignidade essencial específica, cujo valor se sobrepõe a quaisquer circunstâncias políticas, econômicas e sociais. Essa certeza coletiva profundamente enraizada inclui a concepção de que o homem em sociedade tem, no respeito dos demais, a garantia da consideração por sua dignidade própria. E de que o entendimento mútuo na defesa da vida, da liberdade, da honra, da imagem, da educação, da saúde,
Prof. Edson

Volume Único - 2007

526. d) No último parágrafo. 8) correspondem à expressão isto é entre vírgulas. c) 2 d) 3.A expressão “Essa certeza coletiva” (L. b) Por introduzirem urna explicação. IV . seja ela legítima ou ilegítima. c) A moralidade humana pessoal e coletiva não se esgota em mera função estatal. assinale a opção incorreta. d) A satisfação da expectativa de realização pessoal.A expressão verbal “seja feita” (L. em faça-se. 22) refere-se às ideias contidas no período sintático imediatamente anterior. relações entre idéias. não obstante o respeito dos demais. 525. com adaptações. está de acordo com as idéias do texto. Correio Braziliense. b) 1. e) Ocorre a formulação de uma regra geral por mais que todos estejam convencidos de sua necessidade. fundamenta ações éticas. caso os parênteses sejam substituídos por travessões. qualificando apenas “valores”. 3) pela expressão por que mantém as mesmas relações semânticas entre as orações. Edson 524. do particular. na justa relação social e política. b) Temos valores morais expressos em leis e normas porquanto temos história. os dois-pontos (L. d) posiciona-se a favor da necessidade de que as leis e normas sejam reconhecidas como expressão de um valor social maior. de tipo claramente educacional e cultural. A respeito das idéias apresentadas. e) enfatiza o valor do subjetivo. b) Em uma democracia não se admite que um grupo poderoso e influente torça a lei em seu benefício.Gramática do trabalho e do lazer é penhor de vigência. o texto não a) defende que as ações humanas sejam o fator substantivo da ética e da política. II . 28 e 29) “se todos [os valores] e cada um” (Ls. Para concluir. como o registro for-mal dos valores vigentes. fator substantivo da ética na vida e na política. dá origem ao efeito coercitivo da regra legal. estaria em função restritiva. se todos e cada um não estiverem intimamente convencidos da necessidade de observar tal regra. III . A quantidade de itens certos é igual a a) 0. e) O predomínio de interesses particulares tomados singular e arbitrariamente não é mais tolerado em uma sociedade que se pretende democrática. 17) “[o entendimento] do valor superior” (Ls. garantida sua dignidade. contrariamente ao que se possa imaginar. I . (Estevão de Rezende Martins. justamente a melhor garantia de satisfação da expectativa de realização pessoal dos indivíduos. além de apresentar coerência. e) No último período do texto.2007 . do individual. substituindo-se os travessões por vírgulas. por conseguinte. será mantida a correção gramatical.A substituição da expressão “pela qual” (L. O processo de reflexão e de sustentação dos valores. assinale aquela que. de um bem maior. como. Assinale a opção que apresenta o mesmo fenômeno gramatical referente ao emprego dos advérbios na seguinte oração do texto: “as pessoas se autoafirmam individual e coletivamente”. por exemplo. 34 a 35) Prof. a) A consciência social. por meio dos conectivos destacados em negrito. A hierarquia do todo sobre as partes na complexidade social dos homens (que pode suscitar a objeção entre os defensores do individualismo a qualquer custo) e. a) b) c) d) e) A necessidade de [que] agir moralmente” (L. 32 e 33) “sobre [a hierarquia d]as partes” (Ls. c) ressalta a supremacia da dignidade do ser humano em relação à política e à econômia. 523. e) 4. a) Nas linhas 2 e 7.Na linha 21. 9) “também as [leis] das tradições” (L. o pronome relativo “cujo” refere-se ao valor de “uma cultura”. 522. como base da ética e da moralidade para o comportamento coletivo. legítima e soberana.) 521. A respeito da pontuação do texto. em nome de um valor. assinale a opção cujos colchetes apresentam inserção correta de trecho subentendido no texto. Nas opções abaixo. Ao se estabelecer a coerência de um texto. 30) está empregada em referência a um sujeito não-determinado. d) Já é um fato corriqueiro e amplamente reconhecido a saturação das pessoas para com os descalabros dos políticos. Dessa forma. a) Existem ações éticas ao passo que se pautam por valores morais. do valor superior do ser humano e de sua comunidade. c) Por se tratar de termo de uma enumeração. seja feita uma constatação a mais: não adianta ter se formulado uma regra formal (por exemplo: uma lei). 51 Volume Único . Julgue os seguintes itens a respeito do emprego das palavras e expressões do texto. b) justifica a existência das leis como fruto da história. é opcional o emprego de uma vírgula depois da expressão “do lazer” (L. se a expressão “de tipo claramente educacional e cultural” não estivesse entre vírgulas. que estabelecem. 27). c) O homem em sociedade tem. Série Estudos. respeita-se a estrutura sintática das orações. algumas palavras ficam subentendidas. por conseguinte.

Veja 23/8/2000. b) A idéia de “democracia” está para um produto acabado assim como “democratização” está para um processo. não existe. chocarreiam dos mais adiantados em anos. democracia. os doutores não passarão de meninos. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 530 A 534 Palavras à juventude Mocidade vaidosa não chegará jamais à virilidade útil. Edson Volume Único . e) Não havendo busca do conhecimento como sustentação histórica.Gramática TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 527 A 529 Um desafio cotidiano Recentemente me pediram para discutir os desafios políticos que o Brasil tem pela frente.12) traria. Qualquer flagrante da rotina desse relacionamento arrisca capturar cenas explícitas de desrespeito e pequenas ou grandes tiranias. por isso. Com relação às idéias do texto. também os adjetivos “sustentável” (L.2007 . não pode ser atendido. a construção sintática correia seria só alcançaremo-lo. O grau de legitimidade histórica. 16) estivesse empregado no plural. Extasiados nas frases postiças e nas idéias ressonantes.) Dos seus lentes desdenham. nos seus maiores desfazem. o avanço rumo a um regime cada vez mais inclusivo. antecedendo o verbo. d) Considerando que o verbo existir pode ser substituído pelo verbo haver. julgue os seguintes itens. a) O autor considera que o modelo de democracia do Brasil não resolverá os problemas políticos do país. As regras dessa relação não estão claras. (. 18) e “existem” (L. o pedido estabelecido no primeiro período do texto. conseqüentemente. b) Um regime democrático caracteriza-se pela existência de um processo contínuo de busca pela legitimidade. não há política. justiça.3). mais justo e mais legítimo. e) Se a opção pelo emprego do pronome átono antes do verbo em “só o alcançaremos” (L. que também é de legitimação dela. ou tratar os homens. c) Democracia é uma das condições de sustentação do desenvolvimento. as formas verbais “exista” (L. com adaptações. respectivamente. A síntese de minhas conclusões é que precisamos prosseguir no processo de democratização do país. mais representativo. Julgue os itens a seguir. Para saber a política.1). Não conhecem a obediência aos superiores e a reverência aos mestres. 35) admitem ser substituídas por haja e há. e que deu origem ao ensaio. Existe é democratização. Minha primeira dúvida foi se eles seriam diferentes dos de ontem. 529. A mais formosa das idades ninguém porá em dúvida que seja a dos moços: todas as graças a enfloram e coroam. Os problemas talvez sejam os mesmos. ele deveria ser usado posposto a “pediram” (L. vogam à discrição dos enxurros da borrasca. a capacidade institucional para incorporar gradualmente as forças emergentes e o desempenho efetivo dos governos são elementos cruciais na sustentação da democratização no longo prazo. c) Se o substantivo “movimento” (L. o tribunal das letras. b) Subentende-se o substantivo “desafios” antes da expressão “de ontem” (L. o país é que mudou e reúne hoje mais condições para enfrentálos que no passado. (Sérgio Abranches. o tipo de conflitos existentes na sociedade. em sendo presunçosa. Nossa democracia emergente não tem legitimidade histórica. as relações entre poder público e cidadãos não serão regidas por meio de regras claras. as condições gerais para sua sustentação vão além dela. Na prática. Onde os meninos camparem de doutores. não lhes foi mistério conhecer o mundo. a satisfação dos praticantes da democracia . a) A posição do pronome átono “me” (L. 52 528. Com relação ao emprego das palavras e expressões no texto. de mobilidade social. a respeito das relações de sentido estabelecidas no texto. São os árbitros do gosto. Uma parte importante desse processo tem a ver com as relações rotineiras entre o poder público e os cidadãos. c) Relações entre poder público e cidadãos incluemse no processo de aprofundamento e legitimação da democracia. representatividade e inclusão. a última instância da opinião. Kant dizia que a busca do conhecimento não tem fim. Seus epigramas Prof. não há democracia e.representantes e representados. Esse requisito nos falta e só o alcançaremos no decorrer do processo de aprofundamento da democracia. 17) precisariam estar no plural.. d) Cenas explícitas de desrespeito aos cidadãos têm como causa imediata a emergência de nossa democracia histórica.. julgue os itens que se seguem. Mas de todas se despiu. mas não a única.1). e) De acordo com o desenvolvimento da argumentação. razão pela qual o texto não é conclusivo. e colaboram nas erupções da anarquia.) 527. como um ponto final que uma vez atingido nos deixa satisfeitos e por isso decretamos o fim da política. Não existem mecanismos acessíveis de reclamação e desagravo. 27) fosse alterada. d) Enquanto não houver mecanismos acessíveis de reclamação e desagravo. 16) e “crescente” (L. como consequência. E quais as condições objetivas para tornar sustentável esse movimento de democratização crescente? Embora exista forte correlação entre desenvolvimento e democracia. constitui uma violação às regras da colocação pronominal da norma culta e. Nos tempos de preguiça e ociosidade cada indivíduo nasce a regurgitar de qualidades geniais. a) A decretação do “fim da política” (L.

o metal precioso. perspicazes. visando a mudanças de comportamentos considerados inadequados pelo autor. com alusão à mitologia. É a assiduidade na educação metódica e sistemática de nós mesmos o que descobre as grandes vocações e os grandes observadores. aprendizes e educadores. o termo sublinhado refere-se a “dos moços” (L. tenazes. têm um mesmo referente: a “juventude”. com predomínio de formas verbais imperativas. Prof. nas escolas. c) O texto apresenta inicialmente uma visão negativa dos comportamentos juvenis. De um instante para outro.23 a 32). d) “regurgitar” (L.2) por ufanarem-se ou gabaremse. oblíquos e possessivo. por muito que souberdes. ponde-vos a ouvir. surgem aspectos relacionais dos jovens na família e na sociedade.5) por fazem dar flores viçosas ou florescem. 6356. De um momento para outro. para não presumirdes. debaixo de todos os tetos. para não admoestardes. Edson Volume Único . Para não arrefecerdes. e depois passa a especificar os méritos dos moços em ações particulares. vede que. não lhes enxergam os defeitos. b) O primeiro parágrafo pode ser dividido em duas partes. e) Linhas de 41 a 44: “E a constância na educação comedida e sistemática de nós mesmos que se desvelam as grandes vocações e os grandes observadores. para finalizar. Escritos e discursos seletos. em que são citados jovens e idosos. (Rui Barbosa. e) No último parágrafo do texto. Haveis de ouvir falar amiúde em portentos e monstros. Costumai-vos a ouvir. muito pouco tereis chegado a saber: sejais. d) Linhas de 29 a 32: “Cavai profundamente. os grandes criadores. de forma genérica. Rio de Janeiro: Nova Aguilar. 1995. nem sempre benéficos. sobretudo. Com base nas idéias do texto. 532.6) por vaidosa ou garbosa. imaginai que podeis vir a saber tudo. cuja capacidade nasce consumada e deslumbrante do seio materno. Profundai a escavação. refleti que.Gramática crivam de sarcasmos as senhoras nas ruas. os grandes homens de Estado. c) Em “Não conhecem a obediência aos superiores e a reverência aos mestres” (Ls. não foi necessário a eles conhecer o mundo ou lidar com os homens. o metal valioso”. (. Assinale a opção em que as mudanças não afetam substancialmente a idéia original. no veio resistente se descobrirá. d) A substituição da expressão destacada em “Seus epigramas crivam de sarcasmos as senhoras nas ruas” (Ls. os grandes inventores. mais estéril que a velhice. uma vez que o autor inicia enaltecendo os valores da juventude. seguem-se conselhos para os moços. c) Linhas de 25 a 29: “Para não desanimardes. Cada família se gaba de uma águia. todas as ocorrências de pronomes de segunda pessoa. Os gênios são meteoros raros. 533. 16 e 17) por pronome oblíquo resulta em Seus epigramas crivam-lhes de sarcasmos nas ruas. É uma superficialidade satisfeita e incurável. o autor. uma precocidade embolada e gasta. incansáveis como o mineiro no garimpo.) Habituai-vos a obedecer. e) “chocarreiam dos” (L. b) Em “Dos seus lentes desdenham” (L. 531.9) por humilham os ou deprimem os. 1). ao julgarem os jovens seus afetos. Não delireis nos vossos triunfos. Discurso no Colégio Anchieta. E raramente serão frutos espontâneos da natureza. a) A estrutura do parágrafo introdutório apresenta construções antitéticas. Serão respeitadas as idéias do texto caso se substitua a) “camparem” (L.) d) O segundo parágrafo.7) por gargalhar ou exagerar. O portento pagão se renova. para aprender a mandar. alerta para os desvios de olhar dos mais experientes que. mui pouco tereis chegado a saber. no filão resistente se descobrirá.2007 . para alcançar a compreensão. talvez. o pronome destacado refere-se unicamente a “Mocidade” (L. a) Linhas de 10 a 14: Para exercer a política. sobretudo. para alcançar a entender.4 e 5). por entre a ganga. visando aperfeiçoar-lhes a conduta. Triste ilusão da paternidade mal equilibrada. utiliza a função apelativa da linguagem. imaginai que podeis vir a conhecer tudo. quando o objeto almejado se vos furtar na obscuridade avara do ignoto. Sede. tem-se Não conhecem-nas aos superiores e aos mestres.. c) “presunçosa” (L. suas vaias sobem. b) Linhas de 23 a 25: “Ponde-vos a obedecer. p. Assinale a opção correta a respeito da sintaxe das orações e dos períodos do texto. por entre os resíduos. provavelmente. assinale a opção incorreta. Deus a livre a esta de tais sucessores. por muito que souberdes.. 53 530. As opções a seguir apresentam reescrituras do texto com alterações morfossintáticas. até à cátedra dos professores. e vos preserve de semelhantes modelos. vão e vêm sem direção nos enxurros da borrasca e colaboram nas erupções da anarquia. para aprender a mandar. a) Em “todas as graças a enfloram e coroam” (Ls. entre nós. os grandes homens de Estado”. não delireis com as vossas vitórias”. incansáveis como o mineiro no garimpo. b) “enfloram” (L. e) No segundo parágrafo (Ls. 4).8). 14 a 15). as mais das vezes os cria a paciência e a perseverança. como Palas da cabeça de Júpiter. quando o objeto desejado vos furtarem na obscuridade do desconhecido avaro”. citada no título. extasiados nas frases embrulhadas e nas idéias grandiloqíientes. fazendose a pronominalização das expressões destacadas.

novos diálogos. pelas respostas. 29 e 30) tem o mesmo significado de “que se encontrem”. 10) significa. Isso eu considero um retrocesso”. de uma paixão. nesse primeiro momento está associada a uma força . A propósito do texto. ela está sempre ligada a palavras fortes. assinale a opção correta. assinale a opção incorreta. e) A expressão “serem encontrados” (Ls. A violência. a violência introduz o desregramento e o caos. pelo Departamento de Sociologia da UnB. entre nós. nem sempre benéficos.13) está sendo utilizada no texto com o sentido de nomeiam. quando o terremoto acaba. sem que se altere a correção gramatical ou o sentido do período. os homens afastam-se uns dos outros. 536. c) O pronome “ela” (L. 8). surgem novos discursos. b) Após os momentos de desequilíbrio. Em relação às idéias do texto. 1999. Quando o vento forte passa. revelou ainda a pesquisa. Isso foi constatado em pesquisa iniciada há dois anos. Violência urbana: dilemas e desafiosSão Paulo: Atual. Maria Stela faz uma ressalva: “Percebemos. que sintetizam nosso medo diante do rompimento da ordem e do equilíbrio. o pronome refere-se a “homem” (L. segundo sua coordenadora. Edson 535. então o uso da violência é válido”. do novo equilíbrio. o sinal indicativo de crase é opcional. mas. a) A violência quebra uma situação estável e regular. as árvores caídas. d) “Os gênios são meteoros raros. com destaque para a ideia de que.que em si não é boa nem má . Quanto ao texto.15). Porém. a) A palavra “caos” (L. ainda que se esteja falando da violência do mar ou do vento. um progresso em termos do processo de civilização. ao nosso redor e na história de cada corpo. c) “Triste ilusão da paternidade mal equilibrada” (L. a) “O portento pagão se renova. Um segurança particular defende interesses particulares que podem se opor aos da comunidade. do mar. debaixo de todos os tetos. Mas. vemos seus rastros: as casas destelhadas. b) A expressão “ainda que” (L. A segurança privada é um fator que pode aumentar a violência. da tempestade. novas reuniões entre as pessoas. 36 e 37) / O portento pagão é renovável. Nessa afirmação.Gramática 534. que aplicou 625 questionários aos moradores do Plano Piloto. o termo “que” pode ser substituído por cuja. no texto. Os resultados obtidos até agora mostram. debaixo de todos os tetos” (Ls. c) A violência deixa sequelas e impulsiona à ação. a violência é tomada em um sentido bem geral. A violência exige respostas. força bruta. Considerando a estrutura sintática do último parágrafo do texto. e) “as mais das vezes os cria a paciência e a perseverança” (Ls. a sensatez e o diálogo ainda são as melhores formas de se resolverem conflitos.que foi além dos limites e escapou das previsões. mantendo a correção e o sentido do período. d) Na linha 13.25). um despertar da sociedade” para o problema. palavras que designam sentimentos e emoções também fortes.10) pode ser substituída por de forma que. Passado o momento de luta. com adaptações-) Volume Único . provocando uma ruptura em um mundo considerado “estável e regular”. 54 . e tudo deve ser repensado até serem encontrados os caminhos e as saídas para a construção da nova regularidade. A violência dos homens também deixa marcas: são visíveis os sinais da guerra e da fome. 537. destacada em negrito. 38) / A paternidade mal equilibrada tem julgado os jovens como tristes e iludidos. ou para ‘defender os que me são próximos’. b) Na expressão “o mundo à sua volta” (Ls. percebemos que as construções dos homens não eram tão sólidas e invulneráveis. em contrapartida. assinale a opção incorreta. assinale a opção correta quanto à proposta de apassivamento.28 e 29) e dentre as pessoas são igualmente correias para o período. 38 e 39) / Os gênios são considerados meteoros raros. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 535 A 537 Em um mundo estável e regular. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 538 A 540 Sensatez e diálogo para resolver conflitos Apesar dos índices assustadores da violência e do sensacionalismo dos meios de informação. que há uma recusa à violência. impelemno a procurar novas maneiras de viver e conviver. e) Os seres humanos nem sempre têm o poder de controlar as suas circunstâncias.10). d) As expressões “entre as pessoas” (Ls. 37) / Uma águia é gabada por cada família. eles são criados pela paciência e pela perseverança. e) A palavra “designam” (L. Para Maria Stela. (Andréa Buoro. em uma proporção bastante significativa. dos lagos e das cidades-satélites. os brasilienses têm consciência de que a paz. c) Em “impelem-no” (L. pode ser a violência do vento.24). não é possível ignorá-la: ela nos joga no campo da ação. 11) refere-se a “ruptura” (L. E deixa marcas. por nós. b) “Cada família se gaba de uma águia” (L. segundo ela. Os sinais deixados pela violência revelam os limites do homem em controlar o mundo à sua volta. de uma briga de rua.2007 d) Os seres humanos têm medo diante do desequilíbrio e da desordem. A pesquisa intitulada As Representações Sociais da Violência no DF. professora Maria Stela Grossi Porto. “a proliferação de privatização da segurança confunde o que é público e que é privado. Prof. entre nós. 40 e 41) / as mais das vezes. o pronome refere-se a “violência” L. nem sempre benéficos” (Ls. a) Em “ignorá-la” (L. do Park Way. para ‘me defender’. da guerra ou do crime. 24 e 25). revelou “um tipo de evolução. mas também detectamos a ambiguidade das reações.

Gramática

538. Com base nas idéias do texto, assinale a opção correta. a) De acordo com os meios de informação, a paz, a sensatez e o diálogo ainda são as melhores formas de se resolverem conflitos. b) O Departamento de Sociologia da UnB já realizou 625 pesquisas acerca da violência no Distrito Federal (DF). c) A pesquisa realizada pela professora Maria Stela revelou que os habitantes do DF estão cada vez mais violentos. d) Segundo as pessoas entrevistadas, nenhuma situação justifica o emprego da violência. e) A pesquisadora vê o conflito entre os interesses da segurança privada e os da comunidade como um retrocesso no processo civilizatório. 539. Ainda com base no texto, assinale a opção em que a correlação pronome/referente está incorreta. a) “Isso” (L. 6) As ideias contidas no primeiro parágrafo do texto b) “que”(L.7) “Departamento de Sociologia da UnB” (L. 7) c) “sua (L. 11) “da pesquisa intitulada As Representações Sociais da Violência no DF” (Ls. 10 e 11) d) “ela”(L. 15) “a pesquisa intitulada As Representações Sociais da Violência no DF” (Ls. 10 e 11) e) “que” (L.26) “interesses particulares” (L. 26) 540. Acarretaria erro gramatical ao texto a substutição do trecho. a) “apesar (...) violência” (L.1) por apesar de os índices assustadores da violência. b) “os brasilienses (...) conflitos”(Ls. 2 e 5) por os brasilienses têm consciência de que as melhores formas de se resolverem conflitos ainda são a paz, a sensatez eo diálogo. c) “Isso (...) dois anos”(Ls. 6 e 7) por Constatou-se isso em pesquisa iniciada há dois anos. d) “Porém (...) ressalva” (L.16) por Maria Stela faz, porém, uma ressalva. e) “A segurança (...) pesquisa” (Ls. 22 e 23) por revelou, ainda, a pesquisa que a segurança privada é um fator que pode aumentar a violência. TEXTO PARA A QUESTÃO 541 Tenhamos presente que sobre tudo um valor é decisivo: a regra vale igualmente para todos, sem qualquer outra exceção possível do que aquela que, eventualmente, a totalidade social tenha aceitado fixar especialmente pelos mecanismos das decisões majoritárias na democracia representativa e participativa.

541. Para que o texto acima - que foi transcrito com erro gramatical - fique correto, é obrigatória a mudança de: a) b) c) d) e) “presente” (L. 1) para presentes. “sobre tudo” (ê. l) para sobretudo. “vale” (L. 2) para valha. “do que” (L. 3) para que. ‘aceitado” (L. 4) para aceito.

542. Os períodos nas opções abaixo constituem um fragmento de texto. Assinale a opção em que houve erro de sintaxe na transcrição. a) Pouco valem as constituições de nossos países proclamarem que todos tem igual direito a vida se não são garantidos os meios materiais que torne efetivo esse direito. b) A prática de declarar direitos significa, em primeiro lugar, que não é um fato óbvio para todos os homens que eles são portadores de direitos e, por outro lado, que não é um fato óbvio que que tais direitos devam ser reconhecidos por todos. c) A declaração de direitos inscreve os direitos no social e no político, afirma sua origem social e política e se apresenta como objeto que pede o reconhecimento de todos. d) Os direitos humanos foram evocados, muitas vezes com eficácia, para salvar vidas e ampliar a liberdade, em diversos momentos, em diferentes sociedades. e) Falar em direitos humanos e cidadania, em certos contextos, pode significar omissão quanto à real situação dos que sofrem a opressão económica, mas não falar em direitos humanos e cidadania quase sempre significa cumplicidade com a tirania, a violência despótica e o autoritarismo político.
(Opções adaptadas de Frei Betto a Luiz Eduardo Soares. In: Chico Alencar. Direitos mais humanos. Rio de Janeiro: Garamond. p. 46, 47 e 76.)

543. Os períodos nas opções a seguir constituem um fragmento de texto. Assinale a opção em que houve erro de sintaxe na transcrição. a) Direitos humanos, sob o ponto de vista da Antropologia, são a tradução prática, política e jurídica, de valores de nossa cultura ocidental, de origem humanista e vocação universalista. b) Foram refinados, conceitualizados e praticados, ! politicamente, ainda que de forma limitada, pela Grécia clássica. c) O cristianismo os reelaborou, ampliando-lhes em direção ao universalismo, cujo, entretanto, apenas se configuraria como um horizonte irrestrito na modernidade, sobretudo a partir dos séculos XVII e XVIII. d) Lembremo-nos de que no século XVI ainda eram comuns os debates sobre a humanidade dos “primitivos das Américas”: “Teriam eles almas ou não?”, perguntavam-se teólogos e políticos europeus. e) Claro que os racismos que povoaram o século XX constituem a demonstração mais eloquente de que o universalismo costuma ter a extensão limitada do olhar branco, masculino e ocidental sobre o planeta.
55

Prof. Edson

Volume Único - 2007

Gramática

TEXTO PARA A QUESTÃO 544 Na casa de Detenção do Carandiru, há, entre outras, a seguinte regra: é proibido chorar. Preso que chora ganha fama de afeminado, geralmente é expulso da cela pelos colegas e tem de pedir alojamento nas celas de segurança, sempre superlotadas. Por causa desse veto às lágrimas, há presos que protagonizam uma cena insólita e tocante. Torturados pela tristeza pedem para conversar com o diretor da vigilância e, chegando à sala dele nada dizem: apenas choram copiosamente para desabafar e vão embora. (Veja, 26/08/98, com adaptações) 544. No que se refere ao texto acima, assinale a opção correta. a) A expressão “desse veto” (L. 6) refere-se à frase “geralmente é expulso da cela” (Ls. 3 e 4). b) A palavra “protagonizam” (L. 6) está sendo utilizada com o sentido de desempenham papel vergonhoso. c) Em “cena insólita” (L.7), o sentido do adjetivo é secreta. d) A expressão “Torturados pela tristeza” (Ls. 7 e 6) pode ser substituída por Quando estão torturados pela tristeza, por Se estão torturados pela tristeza ou por Porque estão torturados pela tristeza, sem prejuízo para a correção gramatical do período. e) Se o sinal de dois-pontos após “dizem” (L. 9) for substituído por vírgula, o período se tornará gramaticalmente incorreto. TEXTO PARA A QUESTÃO 545 A ciência, como a religião, tem seus profetas, aqueles que enxergam mais longe do que outros, muito antes do que todos. Claro, as “revelações” vislumbradas pelos profetas da ciência não têm nada de sobrenatural, visto que elas se baseiam em uma combinação de lógica e de intuição, muitas vezes alimentadas por observações ou resultados experimentais. Mas, em casos raros, esses profetas descrevem o que posteriormente se constatará ser verdade de forma tão inesperada que só posso chamá-los de visionários da ciência, os que enxergam sem precisar olhar. (Marcelo Gleiser. Mais! Folha de S.Paulo, 10/12/ 2000. p. 27, com adaptações.) 545. Julgue se as substituições sugeridas nos itens a seguir mantêm a correção do texto, em relação às exigências da língua escrita culta. a) b) c) d) e) “do que” “visto que” “baseiam” “o que” “que” (L. 2) (L. 5) (L. 5) (L. 8) (L. 9) por que por porquanto por baseam por aquilo que por já que

TEXTO PARA A QUESTÃO 546 O século XXI vai consolidar o que foi __(a)__ nos últimos anos. É importante ressaltar que os limites do homem são os limites de sua criatividade __(b)__ do ponto de vista da tecnologia, hoje tudo é possível. O terceiro milênio significará o grande desafio da inteligência, da superação e da determinação __(c)__ na Terra, com os pés no chão, o homem vença os problemas que produziram desigualdades, diferenças raciais, desequilíbrios sociais e guerras. O progresso tecnológico chega para fazer a vida melhorar __(d)__ aumentar a qualidade da existência sobre a Terra. O século XXI insinua desafios inimagináveis, __(e)__ a criatividade humana saberá superá-los em seu próprio proveito.
(Opinião. Correio Braziliense, 31/12/2000, com adaptações.)

546. Julgue se o segmento de texto apresentado em cada item a seguir completa, de forma coerente, coesa e gramaticalmente correta, a lacuna com a mesma letra entre parênteses, existente no texto acima. a) plantado b) embora, c) ,e há esperança de que, d) ,isto é, e) Já que

547. Julgue se os seguintes itens respeitam a norma culta da língua portuguesa.” a) Uma média de dez a doze anos de educação escolar dará condições a população latino-americana de ter 90% mais de oportunidades de não cairem ou continuarem na pobreza, revela um informe da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. b) O informe Igualdade, Desenvolvimento e Cidadania revela que os países da região devem destinar entre 1 % e 2% do gasto anual para que a população tenha acesso à educação escolar. Segundo o documento, a região está atrasada em relação aos concorrentes internacionais, já que a dinâmica educacional têm tido pouca conexão com a evolução do sistema produtivo e com as transformações na sociedade. A capacitação dos professores, os conteúdos dos cursos e o modelo de aprendizagem não corresponde à demanda da economia. c) Segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe, as diferenças na educação constituem o fator mais determinante nas desigualdades e no acesso ao bem-estar, ao passo que o fracasso na criação de empregos de alta qualidade é, sem dúvida, o tendão de Aquiles das reformas políticas de livre mercado que transformaram as economias da região nos últimos anos. d) De acordo com o organismo, embora as taxas de escolaridade bruta sejam elevadas na América Latina e no Caribe essas regiões ainda se encontram em situação intermediária com relação ao mundo em
Prof. Edson

Volume Único - 2007

56

Gramática

desenvolvimento. “Cerca de 40% dos alunos abandonam a escola antes de finalizarem a educação básica e aqueles que continuam estão pouco adaptados à sociedade que os rodeia, o que lhe impede de usar o potencial da educação para romper a cadeia de pobreza em que está inserido e que é transmitida de geração para geração”, afirma o documento. e) A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe adverte que a região requer, para prevenir o aumento do desemprego, pelo menos seis milhões de novos postos de trabalho anuais durante a década atual. Na América Latina, cerca de 200 milhões de pessoas são pobres. Segundo o organismo, os empregos criados nos anos noventa foram, em sua maioria, informais, “que são os de pior qualidade”. Por isso, é necessário que os governos da região, para criarem cadeias produtivas e redes de apoio, amparem com créditos as pequenas e médias empresas. (Itens adaptados de Gazeta Mercantil latinoamericana, 10 a 16/4/2000. p. 21.) TEXTO PARA AS QUESTÕES 548 E 549 A noção de Direitos Humanos está totalmente ligada ao contexto de cada época. Quando não havia escrita e a fala humana ainda se estruturava com sons guturais, primitivos, os “direitos humanos” eram inexistentes, como conceito e como prática: a luta pela sobrevivência era bruta, dura, e favorecia os mais fortes. E assim foi, durante séculos. O princípio cristão do amor ao próximo, nesse processo, representou uma revolução cultural, uma radical novidade (o que não impediu que seu arauto terminasse condenado à morte, e morte na cruz, a mais terrível!). Mas a idéia mais elaborada, doutrinária, dos seres humanos como iguais e, portanto, com os mesmos direitos, é um resultado da luta da burguesia contra o obscurantismo dos senhores feudais e da aristocracia absolutista. Já na Declaração de Independência NorteAmericana, de 1776, os seres humanos eram considerados “naturalmente iguais, livres e independentes”. Uma novidade! Essas idéias novas, afirmativas de direitos e de um original entendimento do humano, foram elaboradas teoricamente com mais detalhes pela Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, da Revolução Francesa, lançada em 26 de agosto de 1789. Em síntese, ela reafirma que “todos os homens são iguais perante a lei” e que “a lei deve proteger a liberdade pública e individual contra a opressão daqueles que governam” - o que o ;o Absolutismo considerava impensável! (Chico Alencar. Direitos mais humanos. Rio de Janeiro: Garamond, p. 21, com adaptações.) 548. Assinale a opção que está de acordo com as idéias do texto. a) A noção de Direitos Humanos é universal e imutável. b) A construção dos Direitos Humanos foi lenta e decorreu da luta da burguesia contra a opressão. c) Os senhores feudais e a aristocracia elaboraram a doutrina dos Direitos Humanos.
Prof. Edson

d) A Revolução Francesa lançou a primeira idéia de igualdade entre os homens. e) Os absolutistas foram os mais empenhados em divulgar os Direitos Humanos. 549. Com referência ao texto, assinale a opção incorreta. a) A palavra “guturais (L.4) está relacionada ao significado de o que vem das cavernas. b) A expressão “nesse processo” (Ls.8 e 9) refere-se a uma ideia implícita no parágrafo anterior. c) A palavra “arauto” (L.10) está sendo utilizada no texto com o sentido de portador de mensagens. d) A expressão “obscurantismo” (L.15) está relacionada à ideia de atitude ou política contrária ao progresso intelectual e à difusão e transmissão de conhecimento. e) Contextualmente, a palavra “humano” (L. 21) é um substantivo. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 550 A 554 Cultura e desenvolvimento Pensar o destino da humanidade deixou de ser um tema de especulação gratuita de adivinhos para transformar-se em matéria de elaborados estudos da lavra de grupos de pessoas de reconhecida competência. A pergunta que emerge de todas as discussões é simples e brutal: por que o aumento da riqueza que trouxe o desenvolvimento deixou tanta gente insatisfeita e tem permitido que a miséria continue a se alastrar? Em face dessa contradição, novo questionamento: que caminhos seguir para não continuar acumulando problemas sociais e ecológicos de natureza cada vez mais grave? A causa fundamental desses conflitos tem sido a carência de desenvolvimento em um mundo dominado pelo consumismo, o que leva muitas populações ao desespero. Em vários países, modelos perversos de desenvolvimento privilegiam minorias e relegam a massa da população à miséria. O compromisso com a segurança territorial deve ser substituído pela preocupação com a segurança das pessoas humanas, que somente pode validar-se mediante um desenvolvimento concebido no contexto cultural. (Celso Furtado. Folha de S.Paulo, com adaptações.) 550. De acordo com o texto, a “contradição” (L. 7) devese ao fato de que: a) o destino da humanidade estava nas mãos de adivinhos. b) o desenvolvimento não tem sido concebido no contexto cultural. c) os caminhos seguidos não logram acumular problemas sociais cada vez mais graves. d) pessoas de reconhecida competência não tem sido solidárias nas discussões sobre o destino da humanidade. e) têm faltado ética e moralidade às ações dos homens responsáveis pelos destinos das sociedades.
57

Volume Único - 2007

Gramática

551. Assinale a opção que dá continuidade coerente ao texto. a) Urge pois, que se inicie no plano internacional uma pesquisa sobre os vínculos da cultura com o desenvolvimento, para se detectar a dinâmica contemporânea da mudança cultural e a natureza e as causas dos conflitos étnicos. b) Por isso, o problema da preservação da herança cultural, considerada patrimônio da humanidade, é tratado de forma original, em consonância com os direitos culturais. c) Assim, torna-se cada vez mais claro que as estruturas sociais, sem as quais não se preserva o respeito ao indivíduo, são a causa da fragilidade da democracia. d) Desse modo, são cada vez mais frequentes, no limiar do terceiro milénio, os casos de perseguição às etnias minoritárias e às culturas em que o Estado não tem influência sistemática. e) O desafio que se coloca, portanto, é o de revitalização dos poderes institucionais por meio de um saneamento moral e ético que retorce a consciência nacional. 552. De acordo com as idéias do texto, é correto inferir que. I. houve tempo em que era tarefa de adivinhos especularem sobre destinos da humanidade. II. já existia miséria mesmo antes que desenvolvimento trouxesse riqueza e consumismo III. há, entre “riqueza” e “miséria”, conforme o segundo período do texto, uma relação direta de proporcionalidade: a “miséria” aumenta na mesma medida que a “riqueza”. IV. a segurança das pessoas humanas é um compromisso que põe em risco a segurança territorial. Assinale a opção correta. a) b) c) d) e) Apenas o item I está certo. Apenas o item III está certo. Apenas os itens I e II estão certos. Apenas os itens I e II e IV estão certos. Apenas os itens II e III e IV estão certos.

c) para não continuar acumulando problemas sociais e ecológicos de natureza cada vez mais grave, que caminhos seguir? d) O que leva muitas populações ao desespero tem sido a causa fundamental da carência de desenvolvimento em um mundo dominado pelo consumismo como causa desses conflitos. e) A preocupação com a segurança das pessoas humanas, que somente pode validar-se mediante um desenvolvimento concebido no contexto cultural, deve substituir o compromisso com a segurança territorial. 554. Considerando o emprego de palavras e expressões no texto, são sinônimos os termos: I - “tema” (L.2), “matéria” (L.3) e assunto. II - “lavra” (L.3), autoria e criação III - “pergunta” (L.5), “questionamento” (L. 9) e inquérito. IV - “se alastrar” (L. 6), grassar e se difundir. V- “carência” (L. 13), ausência e falta. VI- “dominado” (L. 13), subjugado e amortizado. VII -”mediante” (L. 20), por meio de e diante de. A quantidade de itens certos é igual a: a) 2. c) 4. e) 6. b) 3. d) 5. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 555 A 557 A Revolução Industrial provocou a dissociação entre dois pensamentos: o científico e tecnológico e o humanista. A partir do século XIX, a liberdade do homem começa a ser identificada com a eficiência em dominare transformar a natureza em bens e serviços. O conceito de liberdade começa a ser sinônimo de consumo. Perde importância a prática das artes e consolidam-se a ciência e a tecnologia. Relega-se a preocupação ética. A procura da liberdade social se faz sem considerar-se sua distribuição. A militância política passa a ser tolerada, mas como opção pessoal de cada um. Essa ruptura teve o importante papel de contribuir para a revolução, o conhecimento científico e tecnológico. A sociedade humana se transformou, com a eficiência técnica e a conseqüente redução do tempo social necessário à produção dos bens de sobrevivência. O privilégio da eficiência na dominação da natureza gerou, contudo, as distorções hoje conhecidas: em vez de usar o tempo livre para a prática da liberdade, o homem reorganizou seu projeto e refez seu objetivo no sentido de ampliar o consumo. O avanço técnico e científico, de instrumento da liberdade, adquiriu autonomia e passou a determinar uma estrutura social opressiva, que servisse ao avanço técnico e científico. A liberdade identificou-se com a idéia de consumo. Os meios de produção, que surgiram do avanço técnico, visam ampliar o nível dos meios de produção. Graças a essa especialização e priorização, foi possível obter-se o elevado nível de potencial-de-liberdade que o final do século XX oferece à humanidade. O sistema capitalista permitiu que o homem atingisse as vésperas da liberdade em relação ao trabalho alienado, às doenças
Prof. Edson

553. As opções a seguir representam inversões nas estruturas de trechos do texto. Assinale aquela em que a inversão - com os necessários ajustes gramaticais não respeita a relação entre as idéias do texto. a) Pensar o destino da humanidade transformou-se em matéria de elaborados estudos da lavra de pessoas de reconhecida competência, deixando de ser tema de especulação gratuita de adivinhos. b) por que o aumento da riqueza que trouxe o desenvolvimento deixou tanta gente insatisfeita e tem permitido que a miséria continue a se alastrar? Essa é a pergunta, simples e brutal, que emerge de todas as discussões.

Volume Único - 2007

58

Gramática

e à humanidade e à escassez. Mas não consegue permitir que o potencial criado pela ciência e tecnologia seja usado com a eficiência desejada. (Cristovam Buarque. Na fronteira do futuro. Brasília: Ed. UnB, 1989. p.13, com adaptações) 555. Julgue os itens abaixo, relativos às idéias do texto. a) O conceito de “liberdade” é tomado como sinônimo de consumo e de eficiência no domínio e na transformação da natureza em bens e serviços. b) O autor sugere que o sistema capitalista apresenta a seguinte correlação: quanto mais tempo livre, mais consumo, mais lazer e menos opressão. c) Depreende-se do primeiro parágrafo que a ética foi abolida a partir do século XIX. d) No segundo parágrafo, a expressão “Essa ruptura”retoma e resume a idéia central do parágrafo anterior. e) O emprego da expressão “as vésperas da liberdade” (Ls. 31 e 32) sugere que a humanidade ainda não atingiu a liberdade desejada. 556. A respeito da organização sintática das estruturas do texto, julgue os itens que se seguem. a) A oração iniciada por “Perde importância’(Ls.6 e 7) não precisa ter seu sujeito explicitado porque mantém o mesmo da oração anterior. b) Em vez de substantivo, o termo “procura”(L. 8) pode ser classificado como verbo, mas, nesse caso, para que as relações semânticas do texto sejam mantidas, seu sujeito deverá ser “liberdade”. c) Mantêm-se as mesmas relações de dependência sintática, e a mesma classificação das orações, ao se substituir os dois-pontos depois de “conhecidas” (L.18) por um ponto final. d) Se fosse suprimida a vírgula que antecede a oração “que surgiram do avanço técnico” (Ls. 25 e 26), seria mantida correta a pontuação e não haveria alteração da estrutura sintática do período. e) Em “obter-se” (L. 29), sujeito indeterminado expresso pelo pronome indefinido “se”refere à idéia de humanidade em geral. 557. Julgue os itens seguintes, acerca do emprego das palavras e expressões no texto. a) A omissão do artigo “o” imediatamente antes de “tecnólógico” (L.2) indica que “ constitui um item da oposição e “humanista” (L.3), outro. b) A idéia expressa no texto pelo emprego de “mas” (L.11) corresponde à idéia adversativa de porém, expressão que pode ocupar o mesmo lugar na oração. c) A supressão do pronome átono na forma verbal “identificou-se” (L.24) manteria o mesmo nível de formalidade de linguagem e a mesma regência verbal. d) Na linha 28, de acordo com as regras de concordância nominal, o emprego do pronome demosntrativo “essa” no singular indica que tal termo se refere apenas ao substantivo “especialização” e não a “priorização”.
Prof. Edson

e) Nas linhas 32 e 33, o uso de crase em “às doenças” e “à escassez” indica que tais complementos são regidos por “relação” (L.32), do mesmo modo que “trabalho” (L.32) TEXTO PARA A QUESTÃO 558 Nunca a arte brasileira foi tão popular Venha ver a mais completa mostra de arte já feita no Brasil. Mais de 15 mil obras integradas a cenografias especiais para você viajar no tempo e no espaço. Parque do Ibirapuera - SP, a partir de 25 de abril até setembro. Informações no site www.br500anos.com.br Ingressos: 0800-780500 Arte como você nunca viu, Brasil+500 Mostra do Redescobrimento. (veja especial, nº 17, p.41, com adaptações.) 558. Assinale a opção incorreta em relação ao texto. a) No primeiro período, o uso do verbo no modo imperativo “Venha”é adequado para o texto publicitário. b) O segundo período do texto apresenta linguagem sintética própria da propaganda, e poderia ser desdobrado em: Há mais de 15 mil obras Integradas a cenografias especiais para que você viaje no tempo e nos espaço. c) No segundo período, a substituição da preposição “a” por em, transformando expressão em integradas em cenografias, é uma possibilidade da língua portuguesa, mas imprópria para o contexto. d) O uso do pronome “você” é um recurso de aproximação ao leitor que torna o texto informal. e) A opção pela linguagem hiperbólica, superlativa, é evidenciada pela escolha de expressões como: “Nunca”, “tão popular”, “a mais completa”, “nunca viu” TEXTO PARA A QUESTÃO 559 A justiça do Trabalho tem prestado notórios serviços ao país, pois desempenhando (I) relevante papel no tocante à (II) manunteção da paz social entre empregados e empregadores, restabelecendo o equilíbrio social e jurídico entre o capital e o trabalho. No dia-a-dia (III), a justiça do Trabalho procura dar vida à (IV) Constituição, amparando o empregado, parte mais fraca da relação de emprego, no seu direito a (V) trabalho, a salário e a cidadania. 559. No texto acima, cada termo em negrito corresponde à opção que o segue. Assinale a opção que corresponde a erro gramatical no texto. a) I b) I I c) III d) IV e) V
59

Volume Único - 2007

ignorai-o . 30. Daqui ver-se-á todo o espeláculo. ele se tomará um político desacreditado. Prof. assinale a descrição gramaticalmente incorreta. a substituição do objeto direto por um pronome obliquo resultaria em: Fica difícil fazê-lo. comente-se . se não fosse o seu orgulho. comentem-se . e) O professor disse-nos que não haveria mais tempo para recursos. A respeito da colocação pronominal. (ocorre próclise pronominal porque a forma verbal no participio rejeita a posição de ênclise) b) Um candidato terá poder de interferir e atuar onde menos se imagina. quanto à colocação pronominal. Nada far-lhe-á falta. comente-se .12 e 13) e) “desrespeitos às prerrogativas humanas da pessoa” (Ls. o objeto da denúncia da Anistia Internacional é explicitado de várias maneiras. 4 e 5) c) “atentados contra a dignidade e incolumidade física das pessoas” (Ls.vos aborrecerdes. Visitá-lo-ei nas próximas férias. 1 a 3) b) “violações aos direitos humanos” (Ls. à vista da ocorrência. 10 e 11) d) “legalidade democrática” (Ls. É fato notório qua as violações aos direitos humanos se sucedem no país com freqüência indesejável. julgue se o trecho destacado corresponde ao objeto da denúncia. c) A não ser dessa forma. Correio Braziliense. Ali pintam-se geladeiras. Utilizou-se a norma culta para a colocação pronominal em: a) b) c) d) e) Trata-se de um regime que não me agrada. c) O Júri vai entregar-lhe os processos para exame e parecer. 564. _____ para não a) b) c) d) e) Volume Único . assinale a opção incorreta.te aborreceres. Nada impediu-o de resolver seus problemas.ignora-o .se aborrecer. após os anos de vigência do regime militar. servir-nos-á de na termos fossos representantes na Câmara Legislativa. a) “à prática (. há erro de colocação pronominal na alternativa: a) A paz lhes seja concedida. me empreste a obra de Machado de Assis. Marque a opção correta. a) O horário eleitoral não tem permitido que se explique para que serve um vereador. mandarei-os embora. O pronome átono está colocado corretamente apenas no período da alternativa: a) b) c) d) e) Amanhã. aos vereadores cabe acatá-la ou recusá-la. d) É do prefeito quase sempre a iniciativa. 566. (a próclise é obrigatória por tratarse de estrutura sintática de oração subordinada desenvolvida) c) Em “Os cargos executivos monopolizam as atenções”.. a) Não se devem exigir do político atitudes que contrariem sua ideologia. Embora ____ o assunto. b) Isso é certo. b) Lembrarás-lhe que nunca fomos amigos íntimos. 60 . se poderá consertar tudo isso. 20/06/1999. porque. Em cada um dos itens abaixo. os atentados contra a dignidade e incolumidade física das pessoas têm diminuído. com adaptações.Gramática TEXTO PARA A QUESTÃO 560 A denúncia da Anistia Internacional quanto à prática. a) b) c) d) e) Não construir-se-ão apartamentos aqui.) 560. Os inquéritos de organizações internacionais em torno do problema passaram a servir de impulso ao sistema de garantias contra abusos do gênero.ignore-o . Tendo arrependiüo-se da infâmia. retratou-se. (é inaceitável a próclise aos verbos acatar e recusar) e) Em “Fica difícil fazer o mesmo”. No texto. Opinião.2007 se comente .) de torturas e execuções por esquadrões da morte” (Ls. Aqui se vendem camarões frescos. Com relação à colocação pronominal. assim.. 567. já lá se vão mais de três anos. Edson 562. 563. instalou-se outro comportamento.aborrecer-se. d) Essas reflexões nunca encontram-se escritas nos regimentos internos. no Brasil. d) Eu Já havia lido aqueles livros que me deram. 565. Poderá-se queixar na delegacia. e) Mas é nas ações cotidianas que se expressam e que se consolidam os valores políticos e ideológicos de um povo.ignoraro • aborreceres-te. se comente . Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do periodo. De acordo com os preceitos da norma culta.ignore-o . a substituição do objeto direto por um pronome pessoal obliquo resultaria em: Os cargos executivos monopolizam-nas. p. (Direitos humanos. Não os queremos aqui. José. 15 e 16) 561. Com o restabelecimento da legalidade democrática. Desde a criação da Comissão de Defesa de Direitos Humanos no âmbito do Ministério da Justiça. de torturas e execuções por esquadrões da morte de modo algum surpreende as autoridades governamentais. Leis específicas e ações concretas têm sido adotadas para prevenir e punir os desrespeitos às prerrogativas humanas da pessoa. Não empretar-lhe-ei o meu caderno. embora diante da reação indignada da sociedade e dos órgãos oficiais e encarregados de reprimi-las. perdoaria-me.

III. 576. Convencê-lo-ei de que precisa estuda muito.se tentando precaver tentassem evitar-se: c) haviam preparado-o . c) Nunca aborreci-te com pedidos insistentes. d) O aspecto decorativo sobrepuja o aspecto funcional dos presentes natalinos. d) Nunca te aborreci com pedidos insistentes. II .se tentando precaver . Nenhuma está correta. e) haviam-no preparado .Com o passar dos anos. b) Deixar-lhe-ei um canto radioso para seír recordada quando partir. a) b) c) d) e) Perdoar-te-ia mil vezes. nem te quero julgar. a) .. 573. 570. c) Orfeu cativa-os sempre e quando quer. depois. e) Não te julgo. 572. 571. As necessidades económicas deixam-nas de existir. II .O dever o chamará para mostrar-lhe traços patrióticos invisiveis. Ninguém a ousará comprar para o suor com que teremos de conquistá-lo. d) Seria-lhe indiferente a partida ou a vol e) O povo o considerava causa e glória da Revoluçâo 569. Não lhe a passou despercebida.Gramática 568. assinale a opção correta. assinale a correta. Agora. Dizer-se-ia que ela aparenta menos de quarenta anos Dize-me com quem andas. Apenas a sentença III. Conheço-te de ontem. reconhece-o o pai de longe. Todas corretas. Assinale a alternativa incorreta. pois o resto esfuma-se na bruma dos tempos. b) O guarda viu-o passando o sinal vermelho. teriamo-nos acostumado com suas birras. Apenas a segunda está correta. I . d) A urgência fê-lo sair sem autorização. pediam que____ investimentos de grande porte. Ill . 575. c) Não mais justifica-se tanto atraso. Apenas a sentença II. c) As necessidades económicas deixam de existir durante a época do Natal. comprometedores. nem incomodei-te com minhas amizades luso-braslleiras. I . c) Permitam-me falar-lhes antes do encerramento da assembleia. nem incomodei-te com minhas amizades luso-brasileiras.sa tentassem evitar. a construção incorreta é: a) Efetuem-se as reduções do estímulo fiscal em várias etapas. d) haviam-o preparado . e) Ninguém ousará comprar uma boa caixa de sabonetes para o suor com que teremos de conquistar o pão de cada dia. mas o hábito mais uma certa malandragem fazem-no. quando tem-se por diante um teimoso.O hábito não faz o monge. _______contra possíveis mudanças de diretrizes financeiras do Governo.O filho. a) b) c) d) e) Apenas a sentença l. mas. Todas as sentenças estão corretas. b) Nunca te aborreci com pedidos insistentes. Nas proposições abaixo. Observe as frases a seguir. se preciso fosse.2007 .tentando-se precaver tentassem se evitar. b) Aplica-se a presente instrução aos desembarques aduaneiros efetivados apartir de 10 de janeiro de 1980. dir-te-ei quem és. e) De que serve a filosofia. d) Tais rendimentos devem sujeitar-se ao imposto de renda. Assinale a colocação Inaceitável. b) haviam preparado-o . a) b) c) d) e) Apenas a primeira está correta. sujeitar-me-ei às tuas exigências. 574. e) Em todas as alternativas a colocação (pronominal está correta.” a) o haviam preparado .Seria-nos muito conveniente receber tais informações antes da prova. b) Aceitava o indolente estes sen/iços como um sultão. Nenhuma está correta. Assinale a alternativa correta a) Nunca aborreci-te com pedidos insistentes. Observe as seguintes sentenças e.se tentassem evitar. Amanhã. O indolente aceitava-lhes como um sultão.. Indique a alternativa incorreta. Prof. Apenas a terceira está correta. Assinale a opção que refaz corretamente as sentenças.se tentando precaver .tentando precaver-se . Edson 61 Volume Único .se tentassem evitar. O aspecto decorativo sobrepuja-o. a) Não passou despercebida aAurélia essa esquivança do marido.Em tempo algum terias enganado-me tão facilmente. nem te incomodei com minhas amizades luso-brasileiras. a) O cobrador mandou-nos passar pela roleta. “Os economistas ____bem para o comportamento econômico deste final de século. nem te incomodei com minhas amizades luso-brasíleiras.

que se pode manifestar até mesmo num anúncio de besta sumida. d) “Não há.” . e) Se pudessem. exceto: a) “Formulaste depois o raciocínio: houve roubo.. esse amor à tarefa bem-feita. a) b) c) d) e) Não se assistia a tais espetáculos por aqui. o desempenho da Pioneer tem sido quase milagroso para os cientistas que a acompanham. a única inteiramente de acordo com as normas gramaticais é: a) Os votos e as sentenças do ministro. e) Nós é que.. Podem-se respeitar essas convenções Pode-se perdoar aos exilados. Foi então que começou a chegar um pessoal estranho. na laranjeira.” Não há. haveriam-se conseguido outros resultados satisfatórios d) Tudo a perturbará muito. c) Por este processo. 581. fá-las-íamos. e) Em se tratando de problemas jurídicos... sumiramse duas bestas. Assinale a sentença que exige correção. c) Quando meninote. Há de se fazer muitas alterações. principalmente se o marido estiver por perto.. Assinale a alternativa em que a colocação pronominal praticada contraria preceitos gramaticais da linguagem escrita.” Não há. a) O comércio continua a atrair consumidores? Sim. b) Os meninos corriam por todos os cómodos da casa. b) A Nasa usa um gigantesco radiotelescópio. Das frases adiante. a) b) c) d) e) Devem haver outras razões para ele ter desistido. mas faltava-lhe recursos. c) “.. Todas as alternativas apresentam concordância correta. Assinale a opção em que a lacuna pode ser preenchida por qualquer das duas formas verbais indicadas entre parênteses. b) Soltam rojões contra o gabinete do ministro e depois se cotizam para pagar os vidros que a explosão dos rojões quebraram.. Assinale a alternativa em que o pronome pessoal átono está colocado correlamente e admite outra colocação. Edson Volume Único . e) A Nasa. sempre o encontraremos disposto a esclarecer dúvidas. 578. esse amor à tarefa bem-feita.. 585. impedindo-me de pensar. esses amores à tarefa bem-feita. a) Até agora. perdoou-nolas.. se não te amasse como amo ainda. atestam cultura jurídica indiscutível. (quer / quero) 582. em breve.. Assinale a opção em que a concordância verbal contraria a norma culta da língua. 584. sobretudo. eu devorava livros com este título: O que se não deve dizer.Gramática 577. Queria voltar a estudar. que se podem manifestar até mesmo num anúncio de besta sumida. sobretudo. não podemos concordar com tal ilegalidade... sobretudo. b) Seria-me impossível perder suas apresentações no teatro. entretanto. esses amores à tarefa bem-feita. Assinale a única alternativa que não se coaduna com a norma culta da colocação pronominal.. continua a atrai-los. e) Jamais te daria tantas atenções.. a) Quem o trouxe sem convite que se encarregue de acompanhá-lo. b) Quem nos não ofende com calúnias e infâmias? c) Os politicos teriam-nos prometido melhores condições de vida? d) O mestre perdoou-nos as falhas? Sim. Prof. d) Deve haver uma lei geral e devem haver leis especiais. por mais que se os vejam de prismas adversos. c) A nave Pioneer se transformará. fariam as tarefas? Sim. 583. d) Nada se compara aos avanços tecnológicos das pesquisas espaciais neste século. que se comprometeu a desvendar os insondáveis mistérios. (existe / existem) c) Uma porção de sabiás . c) O ministro diz que lhe dói os ouvidos quanto escuta uma nota desafinada. os sítios onde eu brincava. Não se admitirá exceções. morrer na terra natal. Basta-lhe dois ou três dias para resolver isso. d) Se nos procurarem arrependidas. entretanto. em minha terra belezas naturais. essas criações voltam a existir porque soubeste descrevê-las. Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal. sobretudo. (cantava / cantavam) d) Não .2007 . morrer ouvindo o canto do sabiá. essa criação volta a existir porque soubeste descrevê-la. 580. daremos-lhes novas oportunidades. tem-se portado com eficácia indiscutível.. senhor Presidente.. 579. também correta. a) Um de seus sonhos . e) “Não há. Formulaste depois o raciocínio: houveram roubos.. b) “A partir de 6 de outubro do ano cadente. (falta / faltam) e) Sou eu que . que é capaz de distinguir o sinal da nave entre o turbilhão de ruidos produzidos pelas estrelas distantes e ao distingui-lo o faz com perfeita nitidez. (era / eram) 62 b) Aqui não . de acordo com a norma padrão.. no maior laboratório espacial. Não se trata de problemas graves. sumiu-me uma besta. a) Esperamos com ansiedade que nos venha conhecer.” A partir de 6 de outubro do ano cadente.

Paulo) d) É proibido a entrada de menores de 18 anos em motéis. d) Sr..faturas .. às. Prof. mesmo assim. V. deve ser atribuído consagrados. Assinalar a alternativa em que a concordância nominal está correta. c) Vão fazer dez anos que trabalho aqui e ainda é proibido a minha entrada na sala da Diretoria! d) Duzentas gramas de queijo são demais para fazer torta. a) b) c) d) e) meia. Edson 596. meia 587. anexas. intimidou-se. Proibir-se-á.” (Folha de S. d) Todos se moviam cautelosamente. Ela tinha o corpo e o rosto arranhados. Muito obrigadas! Disseram as moças.. . II. As declarações devem seguir anexas ao processo. Proíbe-se a entrada de estranhos. Recebeu o cravo e a rosa perfumado. de acordo com a gramática normativa: a) em I e II. Ex. d) apenas em III e) apenas em IV. meio meio. c) Que houvesse ou não existido opiniões contraditórias não nos interessava naquele momento. V. exceto: a) “O embarque de June surpreendeu a maioria das pessoas (aproximadamente 100) que foram ao Aeroporto Internacional do Rio. a. c) O relógio bateu meio-dia e meio. notas fiscais e se .2007 a) Precisamos ser benevolentes para com nós mesmos. É necessário cautela com os pseudolíderes.deve ser atribuído consagrados. São muito estudiosos os alunos e as alunas deste curso. I. as. ali está a vergonha escancarada da guerra. b) Comprei um óculos escuro nesta loja.ª sereis recebido com grande entusiasmo pela população. b) em II. 588.” a) b) c) d) e) consagrado.Poulo) b) Compra-se lotes e casas. É proibido entrar. c) “. Regina estava . A eles. devem ser atribuídos consagrada. à. Assinale a alternativa correta.. c) Vossas Excelências já podeis considerar o projeto aprovado. no quintal de todos que fazem questão de virar o rosto para o outro lado.. e) Surgiu. Deputado.. Há uma concordância inaceitável. as. a) Já é meio-dia e meia. às. c) apenas em II. folha bastaria para o bilhete. às. anexo. cereais e geladeiras exportados. para a despedida do presidente. III e V. Ex. às. 63 . b) Seus apartes eram sempre o mais pertinentes passíveis.. Seguiram automóveis. as entradas de todos os funcionários.. na seqüência. O problema é este: não há o outro lado quando se domina as novas tecnologias.. a) Os fatos falam por si só. Sr. meio meia.Gramática 586. Consegue-se bons descontos aqui. Ministro. anexas. exceto: a) b) c) d) e) Foi acusado de crime de lesa-justiça. faltam poucos minutos para começar a reunião. ao estudo é que .ª está enganado.. Eram rapazes os mais elegantes possível. as.. deve ser atribuído 594. Assinale a alternativa em que a concordância verbal e nominal está correta. III. anexo. e) A gente fomos ao cinema no domingo. fora do expediente. Tinha vãs esperanças e temores.. dois vultos enormes.. meia meio. Em qual declaração proibitória ocorre incorreção gramatical? a) b) c) d) e) É proibida a entrada. e) Chegada a sua hora e a sua vez. as. “Ao esforço e à seriedade . e) Escolhe você mesmo o que julgas ser melhor para o teu futuro. preocupado com o perigo. Os brasileiros somos todos eternos sonhadores.Em todas as alternativas há problemas de concordância segundo a norma culta da linguagem. na escuridão da noite. a) Já fazem tantos anos assim? b) Acho que devem fazer uns dez anos.. b) Já tinham bastante motivos para voltar para casa. meia meia. IV. as. os louvores que ele tem recebido ultimamente.” (Folha de S. 590. A alternativa em que são atendidas as normas de concordância da língua culta é: Volume Único . O caso de concordância nominal inaceitável aparece em: a) b) c) d) e) Nunca houve divergências entre mim e ti. à... às. indecisa quanto . 592. V. É necessário certeza. 595. A pobre senhora ficou meia confusa.. devem ser atribuídos consagradas. 593. 589. 591. Todas as alternativas abaixo estão corretas quanto à concordância nominal. e lá haviam amigos nossos na fila. foi-lhes proibida a entrada. a. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas a frase. d) Escolhe tu mesmo o que julgas ser melhor para teu futuro. a. mandar .. anexo.

Achei o meio de encontrar-te. exceto em: a) Os soldados.. Quero meio quilo.. É um relógio que torna inesquecível todas as horas.Observe a concordância: 1. Edson Fica no meio do quarto. a) O povo brasileiro anseia por uma constituição digna. . Escolhemos má hora e lugar para a festa. d) Obrigava evolução. muitos anos que compramos um compêndio e uma gramática . pois todos estavam ao par das dificuldades de se manter secreta a negociação. “Não foi . para estudar a língua e a literatura . menos. É proibido entrada. c) Aconteceu. “.. b) Era necessário a permanência do médico no hospital.Assinale a alternativa correta. A entrada é proibida.. cabíveis justo. 3. a) Obrigava forçada.” a) b) c) d) e) mesmos – bastante – machucados mesmo – bastantes – machucados mesmos – bastantes – machucados mesmo – bastante – machucada mesmos – bastantes – machucada 599. Estou quite com meus compromissos. Aponte a alternativa em que a concordância nominal não é adequada. Entrada é proibido. . deduzimos que: a) b) c) d) e) apenas a sentença nº 1 está carreta. Reparem no que o conferencista está dizendo.. menos. 601. e) Obrigava exercício. e) Sairei de São Paulo hoje. apenas a sentença nº 3 está carreta. Todas as concordâncias nominais estão carretas. c) Obrigava forçadas. durante a discussão do processo.Assinale a alternativa gramaticalmente correta.a. exceto em: a) b) c) d) e) Seguem anexo as notas promissórias. Todas estão certas. Entrada proibida.. Está meio triste. e) Não mais se lê bons autores naquela escola. d) Rosa recebeu o livro e disse:”Muito obrigada”.2007 606. a) b) c) d) e) Volume Único ..Gramática 597. A justiça declarou culpados o réu e a ré. c) As roupas das moças eram as mais belas possíveis. a) b) c) d) Considerou perigosos o argumento e a decisão.. socorremos o rapaz e a moça . todas estão corretas. .Assinale a alternativa em que meio funciona como advérbio. Já faziam meses que ela não a via. menas. A moça usava uma blusa verde-clara. podiam ter pensado em outras penalidades mais . 5. 2. cabíveis 600.. Já é meio dia e meia.. Para quem a entrada é proibido? 64 . 3. cabível justa. Os atentados que houveram deixaram perplexa a população. agora. Prof. menos. 602.. menas...d. 605. ao meio-dia e meia. . sua corpulência a exercício e evolução sua corpulência a exercício e evolução sua corpulência a exercício e evolução sua corpulência a forçado exercício e sua corpulência a forçada evolução e a) b) c) d) e) A número 5 está errada.. a pesada suspensão que lhe deram.Aponte a alternativa carreta.” a) Faz – volumoso – luso-brasileiras b) Deve fazer – volumosos – portuguesa c) Fazem – volumosos – portuguesa d) Devem fazer – volumosa – portuguesa e) Faz – volumosas – luso-brasileira 604. acho que estamos quite. Dadas as sentenças: 1. Depois do que você me fez. Devem haver muitas pessoas revoltadas naquele país. d) Sua discrição era digna de elogios.Em todas as frases a concordância se fez corretamente. A 2 está errada. A 2 e a 5 estão erradas. 598.. b) Obrigava forçados. 603.Marque a alternativa cuja seqüência preencha adequadamente as lacunas do seguinte período: “Nós . cabível justo.” a) b) c) d) e) justo.. estão todos atentos. graves distúrbios entre os parlamentares.. cabível justa. b) Ela possuía bastante recursos para viajar. 4. e) A quem pertence essas canetas? 607. Apenas uma alternativa preenche corretamente os espaços existentes na sentença abaixo. apenas a sentença nº 2 está carreta.. 2. porque você foi o que . falhas apresentou. A 4 e a 5 estão erradas. n.

612. 2. e) Antes de assistir o doente... Esta é a cidade que mais gosto.Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: “Só não . d) O homem visou o alvo depois de ter visado o cheque.. e) Vossa Senhoria vos preocupais demasiadamente com a vossa imagem. mas os recursos .Indique a alternativa correta. Prof... leitura me deliciei”. c) Eu sempre obedeço a mulheres..2007 . aspiramos são muitos. 609.. as chuvas.. louco.. simpatizou com as novas orientações. Chegamos finalmente em Santo André.Assinale a alternativa em que a regência verbal está correta. lhe falei e . boas conversas. 3. nada o tiravam da apatia... Ainda não paguei o médico.. Assisti ao concerto de que você tanto gostou. a) que – de cuja b) a que – de cuja c) que – a qual d) de que – a qual e) de que – com cuja 618. Os ideais .que divergiras. às procurações.. a) a que b) onde c) nos quais d) os quais e) a cujos 613.. Expôs o ponto de vista . nem mesmo o filho do novo diretor. a) b) c) d) e) Prefiro mais a cidade do que o campo. podemos recorrer para chamar os amigos”. c) Se não vier. a) que – dos quais b) aos quais – com que c) a que – que d) que – que e) a que – de que 617. Perdôo aos teus erros. b) A pátria não é ninguém: são todos.. adequadamente e em correspondência com as frases...Assinale a alternativa que apresenta erro. Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. e) Nenhum dos que estavam presentes. dispomos são poucos. como faremos? d) É precaríssima as condições do prédio.Assinale a alternativa que complete. furiosa. a) Filmes.“Ainda . d) Somente o tesoureiro não simpatizou com a nova diretoria. que concordamos inteiramente. Edson 619. mas com .” a) b) c) d) e) meia – menas – bastantes meia – menos – bastante meio – menos – bastante meio – menos – bastantes meio – menas – bastantes 614.. a) Aquele rapaz com quem eu me simpatizo prefere mais aventuras desastrosas do que empreendimentos sérios. c) A firma toda não se simpatizou com nova orientação... 615. proferia injúrias .. b) Há alguns dos novos diretores com os quais não simpatizamos.Gramática 608. as respectivas lacunas: 1. para os fins colimados.Indique a regência que está de acordo com a norma culta..Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: “Existem muitos meios de comunicação .. Assiste ao trabalhador o direito de férias. a) Simpatizei com a nova diretoria e com as novas orientações. novelas. b) Nunca perdoarei ao homem a quem eu paguei a dívida. providenciaram os atestados. a) em – de – sobre b) com – em – de c) a – sobre – em d) com – de – a e) em – com – de 65 Volume Único . para escandalizar os mais arrojados.. Desconheço o trabalho . 610. a) b) c) d) e) o chamei – lhe quero o chamei de – o quero chamei-o – quero-lhe lhe chamei – quero-o lhe chamei de – o quero 611. como instrumentos . Paguei a uma dívida atrasada..... muito bem”.. a) b) c) d) e) Estes são os recursos que dispomos. o médico assistiu a um programa de televisão porque lhe assistia o direito a um descanso. que enviaram . Perdoei o amigo que me ofendeu. violência. porque visava a uma posição destacada. que te referes. a) b) c) d) e) mesmas – anexos – bastantes mesmo – anexo – bastante mesmas – anexo – bastante mesmo – anexos – bastante mesmas – anexos – bastante 616..Aponte a alternativa em que haja erro de regência..Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da frase: Não é este o livro .. Revi o enunciado . porque .“Elas .

lhes a ela. reconstitua as frases que seguem com as preposições adequadas. . a ela. Ninguém assistiu a ele.a ele. 4. principalmente pelo tipo de lazer que eles estão acostumados. d) É preferível combater os males do que intimidar as próprias emoções. Ele aspira o aroma das flores. a ele. e) A importância que eu preciso é vultuosa.. a ela. cujo padrão ele quer pertencer.a. c) Até há pouco tempo todos podiam consultar e aplicar diariamente nos Fundos de Aplicação Financeira. eficácia supera a de outras modalidades de transporte. e) O carinho com que ele sempre se dispõe a atender os mais necessitados faz dele uma pessoa da qual devemos orgulhar-nos muito. Ninguém a assistiu. Ninguém lhe assistiu.“. os. b) A esperança chegou paulatinamente nos já fatigados corações brasileiros. Assinale a que não apresenta esses desvios.” a) impõem-se – da qual a b) impõe-se – que a c) impõem-se – cuja d) impõe-se – a qual a e) impõe-se – cuja a) O povo tem ido nos bares das ruas para aliviar as constantes decepções diárias. mas as pessoas cujo testemunha ele dependeu são suas amigas até hoje. o.Gramática 620. 2. ninguém assistiu ao formidável enterro de tua última quimera” Com o pronome no lugar do termo em negrito: 621.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada.. a qual acabamos de receber a ata. d) Gilda de Abreu enfrentou e acabou por enfraquecer os preconceitos de uma sociedade que não aceitava a emancipação da mulher. 625.2007 . O governo assiste os flagelados.. com maior segurança.” A preposição em logo após choupana é regida (exigida): a) pelo substantivo choupana. “Desta forma. lhe. e) Assisti e gostei do filme.Assinale a alternativa que substitui corretamente as palavras destacadas. c) pela mesma palavra que rege a preposição em (em + a ) antes de choupana. Talvez não tenha luz na choupana em que habita. b) A coordenação do movimento não concordou e quer rever os principais pontos de seu programa. 622. apresentam desvios relativos à regência verbal vigente na língua culta.As sentenças abaixo. 624. Prof. b) Eu me proponho a dar uma nova chance. estimular as obras do metrô. exceto uma. e) pelo verbo ter. Assistimos à inauguração da piscina. c) Deve haver professores que preferem negociar do que trabalhar. a) Vi e gostei muito do filme apresentado na Sessão de Gala de ontem.Observando a norma culta da regência verbal. d) Afirmou. a eles. de que havia posto o assunto em debate na sessão anterior. d) Com o empréstimo compulsório. 3.os. b) Aquele assalto a que ele foi vítima só lhe trouxe tristezas. se for o caso. Ninguém os assistiu. o.“Triste ironia atroz que o senso humano irrita: Ele que doira a noite e ilumina a cidade. O aluno obedece aos mestres. 66 a) b) c) d) e) Ninguém o assistiu. a eles.A alternativa em que os verbos têm a mesma regência e. 623. 1... a) b) c) d) e) lhe. lhes 627. devido os vencimentos serem irrisórios. b) pelo verbo habitar. os. portanto. não se pode dar o luxo de ficar trocando de carro.A frase que mantém o padrão culto da linguagem é: a) O projeto que ele se referiu foi analisado ontem e o texto definitivo que se chegou após as discussões será encaminhado a vocês amanhã mesmo. 5. lhe. é o maior responsável por seus problemas.os a ela.. a ela. lhes a ela. 626. uma solução não poluente. . e) Todos os artistas citados no documento difundem e contribuem para a campanha contra a discriminação aos contaminados com o vírus HIV. Edson Volume Único . c) O grupo de amigos. Ele aspirava a uma posição de maior destaque. d) pelo substantivo luz. c) Mudar de vida implica sempre em difíceis e embaraçosas acomodações. lhes lhe. o complemento está corretamente relacionado com ambos é: a) Esse novo banco não precisa nem exige o comparecimento diário dos clientes a suas agências.

e) Um implica o outro que. . 633. retirados de Olhai os lírios do campo.. 635. construção assisti.Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna da frase. isto implicará em sua suspensão. na semana passada alguns fazendeiros levaram no local um ex-funcionário da Funai e um grupo de índios cintas-largas.. Este é o aluno que o professor deu nota baixa. lembro-me do frio e da praça..” a) b) c) d) e) aos – que – que os – que – que aos – de que – de que aos – de que – que os – que – de que Prof. Candia é um solitário... pensava vagamente num desquite. Edson 638. alunos . os convites serão distribuídos amanhã.Em todos os trechos abaixo.” e) “Eles esquecem o que têm de mais humano e sacrificam o que a vida lhes oferece de melhor: as relações de criatura para criatura. d) Apenas na Amazônia. foge dos homens mas gosta muito dos bichos.Entre os exemplos abaixo.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. Marque a opção em que a regência foi alterada.A única frase em que a regência verbal. Lembro-me que tais eram as suas palavras. tendendo para a oralidade. Prefiro brincar do que trabalhar. foi lido há três anos. a mãe acredita. 629.. “Esta casa. a) Ele queria aos pais.Assinale a alternativa em que a regência do verbo contraria a norma culta da língua. e) Avisaram-no que a reunião começaria no horário marcado? 631.. 634. teve acesso comprovam suas suspeitas. você morou no Rio de Janeiro. d) De Barbacena. afasta-se a da norma culta escrita é: a) A descoberta da tribo perdida colocou mais lenha na fogueira da disputa pela terra na região. c) Peri ficou imobilizado por centenas de lanças que visavam o seu peito. Zé Luís.. Não me lembram tais palavras..” a) cuja – em que b) de cuja – onde c) a cuja – na qual d) a qual – em que e) da qual – onde Volume Único . O candidato residente na Rua Cosme Velho não compareceu. e) Ali.Gramática 628. a) a que – de que b) que – que c) a que – que d) que – de que e) às quais – que 636.. c) Eu lhe acordo antes que meu marido se levante. origens me referi há pouco. “Informamos .... Tudo que o pai diz.” d) “.. por sua vez. e) Pagaremos pela casa o preço justo.Onde há erro de regência verbal? a) b) c) d) e) Esqueceram-lhe os compromissos assumidos.. b) Estranhamente.Em todas as alternativas.2007 67 .” 630... Meu amigo. 632. há exemplos de regência verbal. aqui estou te escrevendo porque não me perdoaria a mim mesma se fosse embora desta vida sem te dizer umas quantas coisas. os sertanistas estão no encalço de 22 tribos.Assinale a alternativa em que a regência verbal está correta. a regência verbal está correta. b) Você chama isso de molecagem. b) A vida a que aspirava era uma ilusão. d) Jamais me esquecerei daquele fato marcante em minha vida.. contudo não queria os livros. Simpatizo-me com ele. mesmo sem se sentir ainda com coragem para propô-lo. freqüentemente empregados na linguagem informal. a feira de livros começará na próxima semana e . os sertanistas dão como certa a presença de pelo menos cinco novos grupos..” c) “O dr. “As informações . tem mais cômodos do que aquela . Nós lhes lembramos o compromisso assumido. algo errado acontecesse.” a) sobre cuja b) a cujas c) cujas d) de cujas e) em cujas 637. c) Os fazendeiros contestam a presença histórica dos índios.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. exceto em: a) Preferia-me às outras sobrinhas. a) “Lembras-te daquela tarde em que nos encontramos nas escadas da faculdade?” b) “.. Eu esqueci os compromissos assumidos. “Assim é a obra poética . a) b) c) d) e) Com quem você está namorando agora? Lá em casa somos em quatro filhos. Assinale-o. O romance cujas características não me lembro agora. implica um terceiro. apenas um está de acordo com a norma culta. a) b) c) d) Dona Maria não pagou o verdureiro nem o açougueiro. tornando-se incorreta..Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas.. pelo menos nessa época. Ele só tinha medo .

hão. ter mais elementos no grupo. a. a. imprensa .. muito... à. a 640. a b) Há. mim... a) a.2007 650.. há 646. as d) À. à b) Às. à. a... a. esperar o trem que nos Levaria . a 649. a. Edson . menos de cinco dias do vestibular. Voltou às pressas. uma falha de acentuação gráfica denuncia um erro de: colocação pronominal. . Daqui ... à.. a) a.. a.. 644. “. nenhum de seus moradores se lembrará mais das casinhas que. à d) Às. a. à e) à. à.Assinale a opção cuja lacuna não pode ser preenchida pela preposição entre parênteses. favor ou contra uma decisão sobre a qual já opinei . a. Chegou às três horas. Nessa frase. à e) à. nada mais direi .. à d) a. pontuação. Indique a alternativa que. preenche as lacunas acima corretamente. à. à.” a) À.. Leia as frases abaixo.. à b) há. há.. marcavam a paisagem familiar... à d) A... a. a. Vossa Senhoria e aguardo . às 68 c) A... Prefiro correr do que nadar. . à. as b) A. Trouxe . . a) uma companheira desta. à e) As. à. às Prof..Leia a frase abaixo. 647.. Mostrou-se insensível .. Juca. às e) À. a. que tantos ambicionam por amor .. à. contragosto. a. cuja figura já nos referimos anteriormente (a) c) uma companheira desta.cuja figura havia um ar de grande dama decadente (em) d) uma companheira desta. à. a. há d) à. a) aquele.. cidadezinha. Prefiro correr a nadar. à. a d) à..“De . a. há. Voltou à minha casa... “Quanto .. de onde iríamos. Soube que ele esteve . à e) há. mensagem ... pela ordem. .Indique a alternativa em que o sinal indicativo de crase é facultativo.. a 645. a. Devolveu as provas àquela aluna... a c) há. a c) Há. já estávamos . a. corretamente as lacunas. resposta. a. a.” A alternativa que preenche corretamente as lacunas é: a) Há.. A conclusão do inquérito foi prejudicial . à. ... Mostrou-se submisso as decisões do chefe. listas dos aprovados. a comissão entregou . à. a a) b) c) d) e) 648.. à.... à d) àquele... à. a. a. . a.“O progresso chegou inesperadamente . há e) aquele...... regência nominal regência verbal. ele se desinteressou de chegar a ocupar cargo tão importante. na seqüência. beira de uma crise nervosa . a. pessoa que me enviou. a.. à.. Este prêmio foi atribuído . . à. fim de levar . a. Prefiro mais correr a nadar.. cavalo. à e) A. à.. as. há c) àquele. Prefiro mais correr que nadar. à. coisas mais simples na vida e que valem mais que a posse momentânea de certos postos de relevo . à d) a. à. à.. à b) à. à. há Volume Único . subúrbio... a 643. tão pouco tempo. a) b) c) d) e) Voltou à casa do juiz. a c) à. melhor aluna do curso. a.” a) a.. 642. à. .. a c) As. à.Gramática 639. à. Assinale a alternativa que completa frase. à.. à. a. cuja figura as crianças se assustavam (de) 641. .“.Indique a alternativa correta... ostentação. ã.. à.. à e) a. toda categoria. a.. à.. a b) à.” a) a. concordância verbal. cuja figura os mais velhos se comoviam (com) b) uma companheira desta.. a. qualquer argumentação. Faço restrições . a) b) c) d) e) Prefiro correr à nadar. Assinale a alternativa que preencha.. a. à c) à. a. a. à. a. seis horas da manhã. a) As.. fazenda do Sr. poucos anos. a b) a. a. dois meses que não vejo Paulo. há c) a. à.. . a b) àquele. cuja figura os mais velhos se comoviam (por) e) uma companheira desta. muito tempo. à.

.. poucas horas da cidade .. Com o restabelecimento da legalidade democrática. os atentados contra a dignidade e incolumidade física das pessoas têm diminuído. a. a.” a) b) c) d) e) Àquela. 655.Analisando as sentenças: I.... a e) à. à TEXTO PARA A QUESTÃO 661 A denúncia da Anistia Internacional quanto à prática. “as violações aos” (L. à. à e) à.“Foi . há d) à.. a. a b) a.. com adaptações..“O fenômeno .” a) a.... fizera jus. chegasse primeiro se entregaria .. a b) a. hora.. a. 3) por algum modo. à.. à d) a.. foice. há 660. III.... Os inquéritos de organizações internacionais em torno do problema passaram a servir de impulso ao sistema de garantias conta abusos do gênero. seria correto substituir.. a c) há. a. a c) a.” a) a. a) Há.“Estamos . à 659. qual foram ter por um atalho aberto ...” a) a. a b) a. frente. a 656..9) por há “têm diminuído” (L. devemos tomar sérias medidas.” a) a. todas as sentenças têm crase. à..16) por das pessoas humanas.. a. à que. à. à c) a. . e) há.. à que.. à. à. apenas a sentença IV não tem crase. A vista disso. à. se propôs a maldição do cientista que reduzira o arco-íris . Dia a dia a empresa foi crescendo. à b) há. a d) à. a) b) c) d) e) “modo algum” (L. à.. nenhuma sentença tem crase.. Correio Braziliense. IV.Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas da seguinte frase: Ficaram frente .11) por diminuiu. à qual Àquela. poesia. deduzimos que: apenas a sentença III não tem crase.. numa reunião de escritores. a. há e) A. embora diante da reação indignada da sociedade e dos orgãos oficiais e encarregados de reprimi-las. à.. a. à. à. Maria pediu .d. a. .“Já estavam . resolver o problema que . nossos avós. a 658. 654. as sentenças III e IV não têm crase. a. a qual Àquela. (Direitos humanos.2007 .. à. II. a. que aludi é visível . Desde a criação da Comissão de Defesa de Direitos Humanos no âmbito do Ministério da Justiça. à. tempos. É fato notório que as violações aos direitos humanos se sucedem no país com freqüência indesejável... após os anos de vigência do regime militar. noite e . já lá se vão mais de três anos. pedidos que não forem dirigidos . a.” a) à.. poucos metros da clareira.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. a qual Aquela. fábrica e só deixaram o serviço ..) 661. a. a b) a. ajudasse .a. psicóloga que . a e) à. 652. de torturas e execuções por esquadrões da morte de modo algum surpreende as autoridades governamentais. todos de que não mais se atenderá .Indique a forma que não será utilizada para completar a frase seguinte. a) b) c) d) e) preposição a pronome pessoal feminino a contração da preposição a e do artigo feminino a (à) verbo haver indicando tempo (há) artigo feminino a 657. à d) à. a... à d) à. a. . a. à..Quanto à correção gramatical e à preservação dos sentidos textuais do texto. no Brasil. instalou-se outro comportamento.. mais de um século que. à a) b) c) d) e) 653. à b) A. 30. diretoria.. a.. a que.“Dê ciência . à. se olharem.. “já lá se vão”(L.. a c) há. a. a) à. a c) À. à.j outra. pensando no que dizer uma .. simples matéria: era uma ameaça . Opinião.. uma hora da manhã. . condecoração . Edson 69 Volume Único . a. noite. a. que vieram ter... muito ...Gramática 651. há b) há. Leis específicas e ações concretas têm sido adotadas para prevenir e punir os desrespeitos às prerrogativas humanas da pessoa. Não digo aquilo que me disse. à.4) por violar aos. à d) À. à que.. . a c) a. à. à d) à.. afligia...“. a. à e) à.. à Prof. todos os operários voltaram .. a e) a.. a. p. olho nu. 20/06/1999.. à qual n.. a c) a. Não fale tal coisa as outras. “humanas da pessoa” (L.

O projeto do governo é usá-la para.5). Onde há desmoronamentos de regimes e onde há relações sociais instáveis. (Isto É. como por exemplo. as regras de concordância sejam respeitadas. conceitos antagónicos no segundo. à possibilidade de internacionalização das instituições políticas. muito menos a diversidade cultural.Subentende-se do texto que “algumas cabeças pensantes” (Ls. salvar da criminalidade. uma variante da famosa “tirania da maioria” de que falava Alexis de Tocqueville. como a idéia de fronteira. em dois anos. ao poder de destruição da Guerra Fria. 3 e 4) se enganaram quanto a) b) c) d) e) à persistência da diversidade cultural. informática e artes marciais.“pareciam” (L. a globalização da economia.15) para foi d) “conceitos” (L. Não é um paraíso. Pouquíssimos desses casos foram solucionados até a reformulação da Delegacia Anti-Seqüestro. 70 TEXTO PARA AS QUESTÕES 666 E 667 Esmeralda. com adapatações. mudança no verbo indicado na segunda coluna.) 662. O aperfeiçoamento da polícia brasileira é uma dessas coisas que não pode mais esperar. onde a sociedade se sente insegura. trazendo à tona questões que até a Guerra Fria pareciam adormecidas.11) para parecia c) “genocídios” (L. c) O país tem uma série de questões graves que exigem providências radicais da sociedade. 26 27 e 28). Um dos segredos foi trocar policiais antigos e sem estímulo por mão-de-obra mais jovem. b) Mostram-se relacionadas à “internacionalização das instituições políticas” (L. (Opções adaptadas de Veja. O mérito do departamento paulista foi montar uma equipe de profissionais que está junta há mais de dez anos e que aprenderam a investigar. o direito de um grupo e o direito de um indivíduo. d) Podem vir a causar a “variante da famosa “tirania da maioria” de que falava Alexis de Tocqueville” (Ls. de acordo com o texto. Trata-se de uma saga que condensa e simboliza a tragédia de uma geração que já se dá como perdida — aquela que o país não consegue retirar das ruas. 5/01/2000.23) para é 665. E um índice semelhante ao das melhores polícias do mundo. contraria as idéias de “nacionalismo” e “separatismo”. requalificar todos os policiais paranaenses. no texto. livrar das drogas e preparar para fazer parte da construção de seu futuro. a identidade. a) “algumas” (L.“pareciam” (L.10) para questão . e) Apesar de serem tomadas como sinónimas no primeiro parágrafo. 23) para razão .) 664. d) O Paraná montou uma academia de polícia de primeiro mundo. na primeira coluna não provoca. mas melhorou muito.17 e 18). obrigatoriamente. o separatismo espraiou-se como um rastilho de prova. ter uma língua e uma cultura em comum são razões para acreditar que o nacionalismo é a saída. 15) para genocídio . a internacionalização das instituições políticas e a difusão de uma cultura universal pelas diferentes mídias não eliminaram a realidade do Estado-nação. e o livro. 663. que leva seu nome.Gramática TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 662 A 664 Nova desordem mundial O grande desafio para as lideranças políticas do século XXI é como lidar com a questão do renascimento do nacionalismo. E é exatamente aí que mora o perigo: a exclusão de minorias ameaçadas pelo poder dessas maiorias étnicas. A conseqüência aterrorizadora da febre nacionalista foram os genocídios justamente na era em que a humanidade parecia dar mais importância à consolidação dos direitos do homem. Além dos cursos ligados à profissão e aos direitos humanos. 19) para parecia e) “razões” (L.Assinale a opção que.7) para eliminou b) “questões” (L. Edson Volume Único .2007 . 4/8/99. o “grande desafio” (L.“são” (L. às vantagens de difusão de uma cultura universal. e o índice de crimes esclarecidos subiu para 70%. a academia dá aulas de inglês.“foram” (L. a jovem que não dançou na rua A moça se chama Esmeralda Ortiz.“eliminaram” (L.19) para conceito .Assinale a opção em que a alteração do plural para o singular. para que. 3) para alguma . e) O departamento de homicídios da Polícia Cívil paulista esclarece atualmente metade das ocorrências na capital. Pior: no final deste século. b) O número de seqüestros caiu para treze casos por ano. em 1998. ou seja. contrapostos entre si. Algumas dessas explosões de ódios étnicos desencadearam a destruição dos Estados nacionais e estremeceram conceitos que pareciam já estabelecidos. em última instância. espanhol. Ao contrário do que algumas cabeças pensantes apressadamente imaginaram.Assinale a opção cujo texto apresenta erro de concordância verbal. A história deveria ser leitura obrigatória Prof. tem como subtítulo Por Que não Dancei. ao sucesso da globalização da economia. a) O Rio de Janeiro enfrentou uma epidemia de seqüestro que chegou a mais de cem crimes por ano até o final de 1997. a) Vêm a constituir. c) Estão na raiz dos problemas e “explosões de ódios étnicos” (Ls. 1) para as lideranças políticas.

furtando. a) No título do texto. Não é uma pintura primitiva. um acento grave indicativo de crase pode ser colocado no “a” da expressão “a sua vontade”. ou melhor. a) O livro Esmeralda Ortiz: Por Que não Dancei foi escrito depois que Esmeralda ingressou na faculdade. seus conterrâneos. estuprada.1) e “nós” (L. Vivendo na rua desde os oito anos de idade.2007 . TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 669 A 671 Leia o texto a seguir. Com inato talento para a expressão escrita e falada.) 668. d) Na linha 15. com dezenas de entradas na FEBEM.) 666. maltratada. d) Terapeutas. não tendo. E deixou lá o que a grande maioria das pessoas se orgulharia de carregar: ostentação e esnobismo. o verbo ser está na terceira pessoa do singular porque. c) A leitura do texto leva a interpretar a enumeração de itens que vai de “os fuzileiros” (L. Época. c) Na linha 11. empresários e sobretudo políticos. (Zuenir Ventura. Prof. no qual foram insertas propositalmente algumas incorreções gramaticais. portanto.Em relação ao conteúdo do texto. ouviu tudo isso resumido em um primor de contundente síntese: “Não quero cafetinizar o meu passado”. O Brasil tem experimentado diversas crises. o subtítulo do livro pode ser corretamente grafado “Porque” não dancei. 71 Volume Único . É elaborada. 667. refere-se à expressão “Rever ou conhecer” (L. não aparece nenhum político. é correto inferir que Guignard nasceu na Europa. Rio de Janeiro. e) A oração que aparece entre aspas no final do texto reproduz um trecho da fala de Esmeralda Ortiz. do Império a República. c) Esmeralda Ortiz saiu da marginalidade graças a seus próprios esforços”! mas também à ajuda que recebeu dos educadores do Projeto Travessia e de um grupo de voluntários anônimos. que é a essência da poesia e da alma brasileira. interesse social. graças principalmente a sua vontade. de onde nunca deveria ter saído. Esmeralda quer estudar.11). p.13) como apresentação de temas dos quadros de Guignard. ano de sua morte. cheirando cola e fumando crack. (Texto redigido com base no catálogo da exposição O humanismo lírico de Guignard. refinada.Gramática de autoridades. b) Na linha 2. a plateia. E para algumas gerações. Esmeralda se salvou. 2000. d) Na linha 13. volta ao convívio do público. b) Esmeralda Ortiz: Por Que não Dancei aborda o drama individual da personagem central. 17/9/2001. passando por terapeutas e professores e chegando até um jornalista. Sintomaticamente. 11) a “vasos de flores” (L. A quase totalidade de suas obras encontra-se em coleções particulares e suas últimas exposições foram realizadas em 1958 e 1962. professores. mas também a uma espécie de arrastão do bem.15) tem a finalidade de indicar de forma explícita que o texto foi elaborado por mais de um autor. a lista é longa. a) No primeiro período. uma santa conspiração de voluntários que se dedicam anônima e heroicamente a ajudar os outros por nada. a mente aberta e o coração partido por perdas e desilusões amorosas. influenciada pelo expressionismo alemão. a referência aos quinhentos anos do Brasil como estímulo a outros descobrimentos reforça a idéia. de que Guignard é um artista pouco conhecido do público jovem. e portanto à agricultura. assinale a opção incorreta. dono de um estilo único e inimitável. sem alteração de sentido. julgue os itens abaixo. Edson TEXTO PARA A QUESTÃO 668 Os 500 anos nos fazem viver uma época de descobrimentos. a forma verbal “dançou” é usada em sentido figurado. embora esteja precedido por uma longa enumeração. do Museu Nacional de Belas Artes. No dia em que falou no Méditerranée. as festas de São João. Guignard trouxe de sua experiência na Europa uma técnica maravilhosa. sem que se incorra em erro. ou está se salvando. assinale a opção correta. a expressão “ou melhor” pode ser substituída por “isto é” sem que ocorra alteração de sentido.Ainda com base no texto. para responder às questões de 11 a 13. os noivos. entrar para uma faculdade (“quero mexer nas minhas aflições”). Rever ou conhecer os fuzileiros e suas famílias. sugerida no texto. as naturezas mortas. Esmeralda Ortiz conseguiu comover a platéia que foi ouvi-la no Club Méditerranée. quer em suma construir seu futuro. por tudo: por solidariedade. começando pelo Projeto Travessia. e) Embora não seja uma informação explícita no texto.Com relação ao texto. b) O uso dos pronomes “nos” (L. como a que sobreveio ao trabalho rural.Umas extensivas a todo território nacional. as paisagens mineiras. comovida. os vasos de flores e seu deslumbramento pela exuberância da natureza brasileira é motivo de orgulho para todos nós. políticos e um jornalista colaboraram na recuperação de Esmeralda Ortiz. os retratos. com adaptações. No caso de Esmeralda. e) Apesar de sua dificuldade para expressar-se oralmente. com a abolição do cativeiro. a exposição O Humanismo Lírico de Guignard é a oportunidade para descobrir um mestre entre mestres. educadores. com seus educadores de rua. Guignard. 115.

21/10/2000.No terceiro parágrafo do texto. Hoje. ocorreu a incidência de outros fatores para agravar a perturbação do quadro geral da vida. Não sei quando terminarão esses dias de terror. viva.2). “exceções” (L.Nada de reagir. onde residi mais de um ano.2). a assaltem. faço questão de lembrar-lhe que sua vida é mais importante que o veículo. Hoje em dia. Medo de que abalroem seu carro.21). E chega. descarga de sanitário. Um amigo se lastima de sua incerteza.avanços tecnológicos. b) dois-pontos. com adaptações. d) “abolição” (L. mas divergências abertas. vai por quatro anos. as águas represadas crescem. avião. a seqüestrem. Claro. não se sacrifique por ele.) 669. Os amigos do alheio eram simples ladrões de galinha que podiam ser afugentados aos gritos. “compor” (L. Internet” . logo. 671. Crise em curso. condicionador de ar. o passado supera o presente: na segurança. De outro lado. condicionador de ar. minha primeira preocupação é de não obedecer a tal mando. Minha filha saía com suas colegas. de pé. 670. Tempo bom é agora. com poucas exceções.19). Outra recomendação que lhe faço é de não ceder a certas exigências do assaltante. I II III IV V VI “tem” (L. deixava-a em casa e prosseguia. a exemplo da que acompanhou o declínio da cana-de-açúcar. “divergências” (L. e) ponto de interrogação. descarga de sanitário. Tem apenas uma filha e só consegue dormir quando ela chega. (Lustosa da Costa. avião. Internet. chuveiro. como são os horários da juventude de nossos dias. Então. Estados e municípios. destacada em negrito. os únicos medos eram a rebaixa do preço do algodão e o receio do ataque do bando de Lampião. a) Linhas de 7 a 10: “Tempo bom é agora. Caderno Brasília. dificilmente a conjugação dos males terá sido tão intensa como no presente. Nos tempos do meu avô. será necessário empregar o sinal indicativo de crase no vocábulo “a” que antecede a palavra. É como se a política não fosse a arte de compor interesses para o bem público e a tranqüilidade dos administrados. pílula anticoncepcional. Porque o seu maior receio é por sua segurança. É preferível morrer. A todo instante. E quero ver se ainda escapo dele. Nesse descompasso. “vive” (L. Prof. Enquanto isso. pensando comovê-lo. a) 2. em tal circunstância. Ele morava em um sítio e nunca pensou pudesse ser vítima de assalto. nunca vivi tais sobressaltos. c) “que” (L. com o relato de crimes terríveis. “represadas” (L. pela tevê.Assinale a opção em que a passagem transcrita do texto está intimamente relacionada à idéia essencial do texto. papel e absorvente higiénicos. não há grande impulso de obras do governo federal.16). A quantidade de itens certos é igual a. e) “incidência” (L. se meteram nas malas dos próprios carros e lá morreram desesperadas. Até quando serão contidas? (Josaphat Marinho.Para que o segundo parágrafo do texto constitua um período corretamente pontuado. Vivemos uma das quadras mais intranqüilas de nossa história. em que há água encanada. geladeira. Em uma coisa. pílula anticoncepcional. Jamais tive um instante de preocupação com sua segurança. Entregueo ao assaltante e deixe tudo a cargo da companhia de seguro. podemos usufruir das conquistas do progresso e da tecnologia.) 672. em que há água encanada. de madrugada. será necessário corrigir a palavra. a) “República” (L. Volume Único . será necessário substituir a vírgula por: a) ponto final. Edson TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 672 A 674 Tempos terríveis Não gosto de dizer que tempo bom era o tempo passado. De arriscar a vida.Gramática Outras abrangendo regiões. vinha de madrugada com uma amiga. Correio Braziliense. vive em penúria. geladeira. para que as regras de regência da norma culta sejam respeitadas. b) “todo” (L. Nunca perdi o sono por isso.2007 c) 4. Em Paris. com adaptações. É a angústia de todos os pais. no estacionamento. chuveiro. c) ponto-e-vírgula. 13). em que 72 . e) 6. b) 3. os salários dos trabalhadores estão contidos. Quando Carlos sai em meu carro. Era bom passassem rápido. somos assustados. Se.Nos dois primeiros parágrafos do texto. porém. Assim. sozinha. que em tal horror.18). d) 5. Sou apavorado com o relato de casos em que pessoas atenderam a ordens dos bandidos. antibiótico. papel e absorvente higiênicos. Tempo bom. Não havia disso àquele tempo. É raciocínio de velho.16). até nossa morada. nesses períodos. Os problemas de interesse dos estados não geram coesão.7). para que as regras de concordância e de ortografia da norma culta sejam respeitadas. não poderia viver sem as comodidades que nos advieram no período de minha passagem sobre o planeta. cantando amor febril. 4). e os dos servidores públicos não tem qualquer melhoria. 3). não. asfixiadas e/ou queimadas. d) travessão. antibiótico. ótimo. é o atual.

respectivamente.7) por se “mantêssemos”. O desemprego cairia rapidamente se pudéssemos aumentar os gastos do governo.2007 674. Resultado: a demanda aumenta. a ampliação da “atividade econômica” (Ls 2 e 3) é identificada como um tipo de política. assinale a opção incorreta.e os consimidores ganham um forte incentivo para comprar. assinale a opção incorreta. d) Custos e preços mantêm entre si uma relação de causa e efeito.1) pressupõe a existência de outras maneiras. será obrigatório que todos os demais verbos do texto sejam usados no pretérito. o referente do pronome destacado é “uma amiga” (L. TEXTO PARA AS QUESTÕES 675 E 676 Tributos e políticas de emprego É claro que a maneira mais eficaz de combater o desemprego seria ampliar diretamente a atividade econômica. a) O referente de “dele” (L. e) Em “deixava-a em casa e prosseguia. Com menores custos. Mas essa não é a única maneira de enfrentar o problema. os únicos medos eram a rebaixa do preço do algodão e o receio do ataque do bando de Lampião” . o segundo e o terceiro períodos recuperam o que se passa no pensamento do narrador. d) Linha 45: “Nunca perdi o sono por isso” . 8 e 9) está em oposição à política de redução de juros e da ampliação do crédito.21). induzida pelo lado da oferta.13 e 14). e assim por diante. 673. a “filha” (L. 675. os preços caem” (Ls.1 e 2).43). não se sacrifique por ele. a) Ao substituir a forma de presente em “É” (L. destinado a assegurar o Volume Único .” (Ls. a diminuição dos custos da produção dos bens de serviço. Era bom passassem rápido” passagem do tempo. todas elas construídas em discurso indireto livre. e) No fragmento.Assinale a opção correta com relação ao emprego dos pronomes no texto.Considerando.22) e a “juventude” (L.Gramática b) Linhas 12 a 14: “Nos tempos do meu avô. c) Em “o seu maior receio é por sua segurança” (L.15) é ao “ataque do bando de Lampião” (L. b) O primeiro período do fragmento é composto por quatro orações. 676. a) A expressão “maneira mais eficaz” (L.4). 22 a 25). c) O segundo e o terceiro períodos do fragmento apresentam construções sintáticas de discurso direto. 43 e 44). o fragmento “Quando Carlos sai em meu carro.valorização do passado. cantando amor febril” (Ls. e) Linhas 48 e 49: “Não sei quando terminarão esses dias de terror. Edson 73 .3) é “tempo passado” (Ls. das quais as últimas estão em discurso indireto. a forma verbal “ampliar” (L. b) Pelas demais idéias do texto. ampliar o crédito.10 e 11) por “Se os custos fossem menores. mesmo sem traços gráficos formais de enunciação. sozinha. como advertências que faria caso estivesse na presença do ouvinte. c) Mantém-se a correção gramatical com a substituição da expressão “É possível manter” (L. a) O fragmento é composto por cinco frases. b) A alusão a “disso” (L. os preços caem . se o ponto que separa os dois últimos enunciados for substituído por vírgula. d) Mantém-se a correção gramatical com a substituição da oração “Com menores custos. d) Na seqüência “a seqüestrem. no texto. c) Linha 19: “Vivemos uma das quadras mais intranqüilas de nossa história” . não haverá mudança de sentido. É possível manter e até mesmo ampliar o emprego com outro tipo de políticas: as que focalizam o lado da oferta. Entregue-o ao assaltante e deixe tudo a cargo da companhia de seguro.falta de segurança na atualidade.qualidade de vida no exterior. os dois pronomes possessivos têm o mesmo referente: “amigo” (L. b) Por causa do emprego da pessoa verbal de “pudéssemos” (L.2) admite ser substituída por “ampliarmos”. faço questão de lembrar-lhe que sua vida é mais importante que o veículo. a assaltem” (L. os preços caem”. Por exemplo. 25).Assinale a opção correta a respeito do uso dos tempos e modos verbais no texto. c) As políticas bem-sucedidas de combate ao desemprego incluem sempre aumento de gastos do governo.24). d) No fragmento.26). Prof.1) por “Era”. TEXTO PARA A QUESTÃO 677 Preâmbulo da Constituição da República Federativa do Brasil Nós. e) “O lado da oferta” (Ls. Nada de reagir.De acordo com as idéias do texto. Assim. e) Mantém-se a mesma relação semântica com a substituição de “induzida” (L. reunidos em Assembleia Nacional Constituinte para instituir um Estado democrático. De arriscar a vida. reduzir a taxa de juros. representantes do povo brasileiro. os pronomes oblíquos destacados referem-se. 13) por “induzindo”.

fundada na harmonia social e comprometida. o desenvolvimento. alimentação. o lazer. sem preconceitos.Gramática exercício dos direitos sociais e individuais. a figura de Tiradentes implanta o sentimento de poder e de grandeza que torna cada um de nós um íntimo dos seres sobrenaturais TEXTO PARA AS QUESTÕES 680 E 681 Combate Quando alguém empunha arma para roubar e até matar. que pressupunham os interesses da coletividade brasileira. a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna. a) Linhas 1 e 2: Caprichosamente. que pressupunham os interesses da coletividade brasileira. na condição de representantes do povo brasileiro. e) preservar a ordem interna e a harmonia internacional. O lado generoso do chefe da rebelião anticolonial vem do transbordamento de seus objetivos. Enquanto os ativistas da Inconfidência (Tiradentes o maior e o mais lúcido de todos) e os ideólogos lidavam com categorias universais. como o modelo superior a ser implementado no solo brasileiro. o de Tiradentes. para qualquer fim. na ordem interna e internacional. o trabalho. a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. os magnatas e os devedores da fazenda Real.Nas opções abaixo. assim como discrimina sua família. nos termos de lei complementar. Luzes e trevas . 677. entre outros direitos. salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo. b) garantir o desenvolvimento do país. a mudança na ordem das palavras nem sempre provoca alteração nas relações semânticas entre elas. com a solução pacífica das controvérsias entre as nações. a) São direitos sociais. Pergunto se essa pessoa não foi antes violentada em sua formação moral. 678. d) estabelecer o ideal de uma sociedade fraterna. nacionalmente unificado. sob a proteção de Deus. pluralista e sem preconceitos. Belo Horizonte: UFMG. Pergunto se essa Prof. corrompida pela influência do meio onde vive.Em língua portuguesa. com a solução pacífica das controvérsias. a segurança e o bem-estar dos cidadãos. um parceiro dos deuses. perdeu a razão e usa a violência para conquistar aquilo com que sonhou. a saúde. com adaptações. o sentimento de poder e de grandeza que torna cada um de nós um íntimo dos seres sobrenaturais. sendo vedada. lazer.De acordo com o texto acima. isso ocorre porque essa pessoa ultrapassou o limite de seu equilíbrio emocional. saúde. vestuário. c) instituir. outros aderentes circunstanciais. transporte e previdência social. 1998. a segurança. b) A relação de emprego está protegida contra a despedida arbitrária. a proteção a maternidade e a infância e a assistência dos desamparados. a figura de Tiradentes implanta. ingressaram no processo de luta a fim de resguardar vantagens particulares. os parlamentares estavam reunidos em assémbleia com a finalidade de: a) assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais. mas uma articulação de vulto nacional. que trazem passagens reelaboradas do Capítulo “Dos Direitos Sociais” do Título II da Constituição da República. capaz de atender às necessidades vitais básicas do cidadão e às de sua família com moradia. ou sem justa causa. Julgue-os quanto à manutenção dos sentidos originais do texto. d) Haverá reajustes periódicos que preservem o poder aquisitivo do salário mínimo. a liberdade. no sentido de tornar coletiva a aspiração de ruptura e de liberdade. e) Fica assegurado o piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho. a previdência social. a liberdade. Não apenas um ato de particular conveniência no mundo das relações humanas. educação. a sua vinculação. pluralista. fundada na harmonia social. Edson Volume Único . se não foi humilhada por uma sociedade egoísta que a discrimina. assinale a que apresenta regência incorreta.Minas Gerais no século XVIIÏ. Os itens abaixo reproduzem trechos do texto com alguma alteração na ordem dos termos. Com efeito. garantidos pela Constituição: a educação. na memória e no coração da nacionalidade. um Estado democrático. a segurança. sendo condenada a redutibilidade do salário. a História ofereceu aos brasileiros b) Linha 3 e 4: O lado generoso do chefe anticolonial da rebelião vem c) Linhas 5 e 6: no sentido de tornar a aspiração coletiva de ruptura e de liberdade d) Linhas de 10 e 11: os ideólogos. TEXTO PARA A QUESTÃO 679 A força da História A História caprichosamente ofereceu aos brasileiros um símbolo de forte densidade. que preverá a indenização compensatória. (Fábio Lucas. higiene. a igualdade entre os cidadãos e a justiça social como valores supremos da sociedade brasileira. o bem-estar. lidavam com categorias universais e) Linhas de 16 a 19: na memória e no coração da nacionalidade. promulgamos. c) Será fixado em lei um salário mínimo.2007 74 .) 679. para concretizar o mito do herói nacional.

e perdeu a razão porque a violência tinha sido usada para conquistar aquilo com que ela tinha sonhado. “Quadrilhas agem como empresas”. diz o advogado criminalista Adriano Salles Vanni. Para fazer um grande saque. a modalidade de crime se banalizou.O texto é constituído. Assinale opção que. não foi violenta. basicamente. coordenador do Projeto Segurança Pública do Instituto Cidadania. Considerando as idéias do texto.) 680. “Estão cada vez mais comuns os seqüestros amadores. “As agências têm câmeras. corrompidas. elas migram para outro mais rentável”. pode até ser morto. b) Graças aos novos equipamentos de proteção usados pelo assaltantes. a) Será que essa pessoa. d) Quando uma arma foi empunhada para roubar alguém. roubar bancos tornou-se. b) Quando uma arma é empunhada por alguém para roubar e até matar. com adaptações. Violência não se combate com violência e repressão. 22/10/2000. (Ricardo Pinto Cardoso.Gramática pessoa não foi roubada em seu direito à educação. a carro-forte e a outras categorias de crimes tem sido apontada como responsável pelo número crescente de seqüestros ocorridos em São Paulo.Assinale a opção em que as transformações verbais para a voz passiva realizadas no primeiro período do texto estão corretas. é porque essa pessoa ultrapassou o limite de seu equilíbrio emocional.2007 . portas automáticas e pouco dinheiro nos caixas. mas com educação que conscientize o ser humano de seus direitos e deveres cívicos. sem estrutura sequer para esconder a vítima”. De 1999 até hoje. “Quando aumenta a repressão a um certo delito. Houve um tempo em que seqüestros atingiam apenas pessoas ricas e envolviam quantias descomunais. mantendo o sentido original. ao lazer? e) Além disso. com alterações sintáticas e vocabulares. saúde. pergunto porque motivo no Brasil há uma das maiores concentrações de renda? 681. com adaptações. Edson TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 682 A 684 A economia do crime Especialistas em segurança atribuem o número crescente de seqüestros em São Paulo à eficiência no combate a outras categorias de crimes. é morto. assinale a opção correta. d) Atualmente. é porque o limite emocional dessa pessoa foi ultrapassado. à moradia. Hoje. a eficiência da polícia no combate aos assaltos a banco. da delegacia Anti-seqüestro paulista. pergunto: não é no Brasil onde há uma das maiores concentrações de renda? Onde o povo é enganado e manipulado. antes. moradia. a razão dela foi perdida e a violência foi usada por ela para conquistar aquilo com que sonhou. Além disso. uma tarefa muito fácil. usurpado em seus direitos. isso ocorre porque essa pessoa ultrapassou seu limite de seu equilíbrio emocional. nos últimos três anos. combate-se com preceitos de fé religiosa inabálavel. diz Vanni “E a vítima é escolhida na rua. foi perdida a razão e usada a violência para conquistar aquilo que foi sonhado. Seguindo essa linha de raciocínio. O Estado de S. 75 Volume Único . corretamente escrita. em detrimento do ter. Pauylo. os bancos brasileiros investiram R$ 1 bilhão em proteção. ao lazer. a) Quando alguém empunha arma para roubar. a razão perdida e a violência usada para conquistar aquilo com que sonhou. do PT. Época. mantém a idéia original. Prof. c) Quando alguém. pela influência da zona onde moram? c) Será que não foi humilhada por uma sociedade egoísta que discrimina ela e a sua família? d) Pergunto: Essa pessoa não foi roubada em seu direito à educação. diz. “Roubar bancos anda cada vez mais complicado”. ao empunhar arma para roubar. e até para matar. quando a empunha para roubar e até matar.4. isso ocorre porque o limite do equilíbrio emocional dessa pessoa foi ultrapassado. Algumas dessas perguntas estão reescritas abaixo. 3/9/2001. os seqüestros tomaram o lugar de destaque antes ocupado por assaltos a banco e a carro-forte. avançando sobre a classe média. perde a razão e utiliza a violência para conquistar aquilo com que tinha sonhado. Fórum de debates. admite Wagner Giudice. “O criminoso começa pedindo R$ 500 mil e termina aceitando R$ 5 mil”. é porque o equilibrio emocional dessa pessoa ultrapassa o limite. e) As pessoas que dirigem carros de grande valor estão menos sujeitas a serem seqüestradas que as que andam a pé ou têm carros populares. Violência combate-se com amor. Bandidos inexperientes usam o recurso do cativeiro para extorquir somas modestas.12. nos últimos tempos. um indivíduo de classe média corre menos risco de ser seqüestrado que na década passada. p. (Decio Viotto et al A economia do crime. por questões que objetivam levar o leitor à reflexão. moralmente? b) Essas pessoas não estarão talvez. p.António Carlos Biscaia. é necessário avisar o gerente com antecedência” exemplifica. se o carro chama a atenção”. diz .) 682. à saúde. diz. ele reage com violência na luta pela sobrevivência. a quantia investida pelos bancos em proteção foi inexpressiva. a) Paradoxalmente. e) Alguém com porte de arma. c) Nos últimos três anos. combate-se com formação moral que dê prioridade ao ser.

(Emilson Simões de Moura. a estabilidade se converteu em direito adquirido. a estabilidade se converterá em direito adquirido.. a estabilidade foi convertida em direito adquirido. Assinale a opção que respeita o correto emprego das formas verbais do português para essa situação..1 e 2) / não está circunscrito a um só lugar b) “Já vai longe o tempo” (L. a estabilidade se converteu em direito adquirido. d) a estabilidade do servidor público constitui ato jurídico perfeito mas não coisa julgada. Reforma e direito adquirido.00. ao longo das últimas décadas. 5 de outubro de 1988. anti-horário. assim como já ficou na história a relação quase automática entre diploma e emprego. 7) por território..Haverá alteração de sentido do texto. c) Para aqueles que galgarem postos no setor público (. Já vai longe o tempo em que um trabalhador iniciava e concluía sua carreira sob o teto de uma mesma empresa. a) Do ponto de vista silábico.) e cumprissem estágio probatório.000. assinale a opção cujas expressões apresentam associação correta entre os sentidos figurado e denotativo.. hoje se mostram em constante processo de mutação.De acordo com as idéias do texto.. 13/ 3/2000. caso se substitua a) b) c) d) e) “a repressão” (L. a estabilidade se converterá em direito adquirido. em se considerando que a Carta ainda não tivesse sido promulgada.) e cumprirem estágio probatório. com adaptações. “rentável” (L. antiderrapante. 6) por o combate. aplicada ao último período do primeiro parágrafo do texto. b) O plural da palavra composta “carro-forte” é carrosfortes.. o emprego dos tempos verbais deveria ser alterado. não conhece geografia. É bastante discutível do ponto de vista legal demitir funcionário estável. ‘ c) não havia. “migram” (L. “seqües-tros”. encarnado no povo.Com relação às palavras empregadas no texto..5 e 6) / em casa d) “já ficou na história” (L. 76 Trabalho. TEXTO PARA A QUESTÃO 687 684.Depreende-se do texto que a) há um “branco constitucional” relativo à estabilidade do servidor público. As relações trabalhistas. 6 e 7) / mantém-se viva e) “novo perfil” (L. sem que se incorra em erro. Correio Braziliense. “delito” (L. (Josemar Dantas. “descomunais” (L. Exceto diante de manifestação de eventual Assembléia Nacional Constituinte. c) Na linha 12. Edson . e) Estão corretamente grafados os vocábulos: “AntiSeqüestro”.) e cumprido estágio probatório. a) Para aqueles que galgaram postos no setor público (. os vocábulos a seguir estão todos corretamente divididos: “cres-cen-te”. e) nem mesmo uma nova Assembleia Nacional Constituinte teria competência para cancelar a estabilidade de servidor público estável. nem o ato jurídico perfeito ou a coisa julgada. b) existem servidores públicos com direito adquirido à estabilidade. descuidando da educação básica de suas crianças e de seus cidadãos. 9) / novo contorno físico Volume Único .) 687.:) 685. a) “não conhece geografia” (Ls. Para aqueles que galgaram postos no setor público sob a vigência da Carta de 5 de outubro de 1988 e cumpriram estágio probatório. o vocábulo “câmeras” pode ser grafado câmaras. Folha de S.Na hipótese de que o texto tivesse sido escrito antes da data nele mencionada. b) Para aqueles que venham a galgar postos no setor público (.) e cumprissem estágio probatório. 18) por colossais.000. rápidas e dinâmicas.) e cumprirão estágio probatório. “as-sal-tos”.Gramática 683. TEXTO PARA AS QUESTÕES 685 E 686 A reforma administrativa aprovada pelo Congresso extinguiu a estabilidade do servidor público.7) por se transferem. Ora. e) Para aqueles que tenham galgado postos no setor público (. antes da reforma administrativa. 4) / Perenizou-se o tempo c) “sob o teto” (Ls. A remodelação tecnológica e administrativa das empresas exige hoje um novo perfil de trabalhador e põe a descoberto as falhas graves de um país que veio. sem que haja alteração de sentido do texto.. a necessidade de cumprimento de estágio probatório para que um servidor público alcançasse a estabilidade. a Constituição resulta do exercício soberano do poder constituinte originário. única instância capaz de escrever sobre o branco constitucional o cancelamento de direitos adquiridos. E o povo disse no texto constitucional que a lei não prejudicará o direito adquirido. d) Na linha 16. 686. a quantia “R$ 1 bilhão” pode ser grafada R$ 1 . antes perenes e objetivas. no mundo de hoje.tor-quir”. d) Para aqueles que galgassem postos no setor público (.. anticorpo. assinale a opção incorreta.2007 Prof. 7) por lucrativo. “ad-vo-ga-do” e “ex.. com adaptações. a estabilidade se converte em direito adquirido.Paulo.

a vírgula após “Oviedo” não tem justificativa gramatical. ele é apenas um perseguido político. referendo e iniciativa popular. entre os quais o Brasil e o Paraguai se inserem.7). julgue os itens abaixo. dentro de uma prisão no Paraguai. compelindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercêlos e sobre os interesses que devam por meio dele defender. do Senado Federal ou do Congresso Nacional. Oviedo é um perigo ainda maior. na forma e nos casos previstos nesta constituição. no ano passado. julgue os itens que se seguem. o general paraguaio Lino Oviedo. É um abacaxi para os paraguaios. (Veja. embora atenda aos anseios do governo desse país. impessoalidade. Com sua fama de golpista. dez telefones celulares e uma peruca. com adaptações. corretamente escrito. que já comandou uma tentativa de golpe em 1996.Gramática 688. 21/6/2000. ao supremo Tribunal Federal. b) As decisões definitivas de mérito proferidas pelo STF nas ações declaratórias de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal produzirão eficácia contra todos e efeito vinculante. 689. que defenderá o ato ou texto impugnado. dos Estados. Um dos compromissos dos paísesmembros do MERCOSUL é a adesão ao regime democrático. Oviedo é o principal suspeito de ter planejado a última quartelada para derrubar o governo do presidente LUÍS González Macchi. b) O governo paraguaio solicitou à Polícia Federal do Brasil a prisão do general Lino Oviedo por não ter corporação suficientemente equipada para fazê-lo. e) A ação da Polícia Federal está de acordo com os compromissos assumidos pelos países-membros do MERCOSUL. com valor igual para todos.12). Assinale a opção em que o enunciado. O destino do general no Brasil está nas mãos do Supremo Tribunal Federal. como Oviedo. e) A iniciativa das leis complementares e ordinárias cabe a qualquer membro ou Comissão da Câmara dos Deputados. a Mesa do Senado federal. não é um alento à democracia. No apartamento no qual se escondia. de norma legal ou ato normativo. é acusado de tramar o assassinato do vice-presidente de seu país. e) O Presidente da República. No último fim de semana. a) A justificativa para a vírgula imediatamente posterior a “No último fim de semana” (L. a Polícia Federal deteve Prof. pois estará mais próximo e à vista de seus seguidores.2007 . havia meses foragido. segundo o texto. responsável por julgar o pedido de extradição. 691. já que a oração posterior introduz uma informação explicativa. a) Infere-se do texto que a Operação Condor foi ilegal. publicidade e eficiência. Preso. será dada ciência ao Poder competente para a adoção das providências necessárias e. d) A administração pública direta e indireta de qualquer dos poderes da União. Dar cobertura a golpistas. para fazê-lo em trinta dias. não constitui alívio para o governo paraguaio. Com relação à pontuação do texto. d) Na linha 16. b) Se uma vírgula fosse inserta imediatamente após “apartamento” (L. c) Não há acusações suficientes e fundamentadas que sustentem a prisão do general. a) É assegurado o direito de greve.A seguir foram transcritas ou adaptadas do texto constitucional algumas passagens referentes ao STF.) 690. foge à temática dos demais. a Mesa da Câmara dos Deputados e o procurador-geral da República podem propor a ação de inconstitucionalidade. LUÍS Maria Argana. Edson em Foz do Iguaçu. onde goza de grande simpatia popular e nenhuma do governo. citará previamente. mediante plebiscito. o advogado-geral da União. d) A prisão do general. em se tratando de órgão administrativo. as relações semânticas e sintáticas do período do texto seriam mantidas inalteradas. ao Procurador Geral da República e aos cidadãos. foram encontrados um revólver calibre 38. é assegurada a eleição de um representante destes com a finalidade exclusiva de promover-lhe o entendimento direto com os empregadores. e cuja prisão preventiva com fins de extradição tinha sido pedida pelo Paraguai. d) Quando o STF apreciar a inconstitucionalidade. Para o povo. Assinale a opção gramaticalmente incorreta. relativamente aos demais órgãos do Poder Judiciário e ao Poder Executivo. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 690 A 692 Estava no Brasil A cooperação foi similar à da Operação Condor. ao Presidente da República. em tese. c) Declarada a inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar efetiva norma constitucional. nos termos da lei.3) é a mesma que corresponde àquela posterior a “Preso” (L. há um mês. moralidade. e . só que estritamente dentro da lei e a favor da democracia. Se livre e clandestino. seria correto suprimir a vírgula. O governo brasileiro não podia deixar de prender o general paraguaio. c) A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto. é um incômodo para o governo. no Paraná. ele poderá ser extraditado para o Paraguai. 77 Volume Único . aos Tribunais Superiores. do Distrito Federal e dos Municípios obedecerão os princípios de legalidade. a) O procurador-geral da República deverá ser previamente ouvido nas ações de inconstitucionalidade e em todos os processos de competência do STF.Com relação às idéias e às informações do texto. Oviedo. c) Na linha 9. b) Nas empresas de mais de duzentos empregados. e) O último período do texto poderia ser corretamente reescrito com a locução adverbial “no Brasil” entre vírgulas.

promovendo a miséria na lógica que implanta. c) O emprego do termo “suposição”(L. 695. como aqueles que colocam organizações e suas regras acima do humano. épocas.8) e “iriam”(L. era a que fomos construindo — nada mais nada menos. promove a desumanização ao trocar afetos e sentimentos por competência desligada de consideração ética e potencializa a acumulação econômica que esvazia o significado da vida. em Foz do Iguaçu. reforçada pela crítica ácida e destrutiva sobre quem ousa propor e executar inovações. na forma de uma enumeração de argumentos iniciados por substantivos. que. fases. dez telefones celulares e uma peruca. acumulação causal dos acontecimentos. no Paraná. como pois datam dos séculos XVIII e XIX. dominação dos povos. 78 TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 694 A 696 Se o delírio capitalista exacerba a competição excludente. no ano passado. julgou-se que a ciência (como a sociedade) evolui e progride. Embora evolução e progresso sejam duas idéias muito recentes .”(L. refere-se a “ordem vigente no mundo” (L. de tramar. TEXTO PARA A QUESTÃO 693 Durante certo tempo. Omissão de muitos. c) Quarto período: Acusa-se Oviedo. que tinha sua prisão preventiva decretada pelo governo paraguaio. o assassinato do vice-presidente de seu país. Como tem sido a construção? Iniciativa e proveito de uns. mantendo-a entre vírgulas.12 ). 1997. são muito aceitas pelas pessoas. foi feita a reescrita de um período do texto Julgue-os quanto à manutenção do sentido original e à correção gramatical. no apartamento em que se escondia.2007 . evolução e progresso pressupõem: continuidade temporal. levado para o Paraguai. Em cada um dos itens seguintes. Tempo de clamar por paz.9) indica que as noções de “evolução” e “progresso” não são mais aceitas hoje em dia por nenhum segmento social. a) O uso da forma verbal e do pronome em “julgou-se”(L1) configura voz reflexiva. LUÍS Maria Argana. existência de uma finalidade a ser alcançada.Gramática 692. julgue os itens a seguir. julgue os itens a seguir. a idéia a ser defendida pelo autor. que deve ser evitado porque levanta uma expectativa não-respondida textualmente. períodos. superioridade do futuro e do presente com relação ao passado. julgue os itens que se seguem. Contínuo e cumulativo. entre vírgulas. 17/9/2001.10). períodos. que iriam se somando uns aos outros. 5.7) e das formas verbais “seria”(L. também é frio. uma condição. em 1996. momentos. Assim. d) Seria correto o deslocamento da oração destacada por vírgulas nas linhas de 10 a 12 para imediatamente após “que” (L. 256-B. e de forma duradoura. d) A resposta a “Como tem sido a construção?” (L. acumulando-se de tal modo que o que aconteceu depois é o resultado melhorado do que aconteceu antes. um revólver calibre 38. e) O texto sustenta sua tese em citações indiretas das idéias de outros pensadores ou autores. que é responsável por julgar o pedido de extradição.11) por daquilo altera o sentido original e a correção do período. b) O trecho “.datam dos séculos XVIII e XIX -. com adaptações. d) Quinto período: Ele poderá ser extraditado e. até ocorrer a barbárie planejada para ser exposta frente às câmaras de televisão mundiais. (Marilena Chaui Convite l filosofia São Paulo: Ática. b) Terceiro período: Encontram-se. (Roseli Fischman. fases. Louvação de princípios humanos que engoliram pouco a pouco os seres humanos.7). o general Lino Oviedo. uns sobre os outros. d) A substituição de “do” (L. Incapacidade de construir alternativas efetivas. lugar onde goza de grande simpatia popular e nenhuma do governo. e) Embora pertençam ao mesmo campo semântico de “tempo” (L.datam dos séculos XVIII e XIX -. a) A oração principal do primeiro parágrafo do texto é “o que nos oferece o terror?” (L. contra o cidadão. c) Em “a que fomos construindo” (L. contextualmente as palavras “instantes.8) estabelecem uma ordem crescente de duração.) 694. na semana passada. Prof. 5 e 6). Correio Braziliense. Sucede que a ordem vigente no mundo. e) Mantém-se o sentido textual se as expressões sintaticamente independentes iniciadas nas linhas 14 e 15 por “Omissão” e por “Incapacidade” forem unidas pela conjunção “e”. o que nos oferece o terror? Haverá quem diga que o capitalismo. ódios meramente humanos que são potencializados invocando-se a divindade. momentos. está nas mãos do Supremo Tribunal Federal. Edson Volume Único . b) A primeira oração do texto expressa uma circunstância. e) Último período: O destino do general no Brasil. já comandou uma tentativa de golpe.Quanto às estruturas sintáticas empregadas no texto. o termo sublinhado . com adaptações) 693. preso. 4) permaneceria correto se fosse reescrito. 10). a) Iniciar o texto por uma pergunta constitui um defeito de argumentação. O tempo seria uma sucessão contínua de instantes. a) Segundo período: Foi detido. até o final do texto. o tempo seria um aperfeiçoamento de todos os seres (naturais e humanos). Em relação ao texto. pp. As noções de evolução e de progresso partem da suposição de que o tempo é uma linha reta contínua e homogénea. b) O raciocínio iniciado por “Haverá quem diga” (L. 13 ) é dada. p. subentende-se a idéia da expressão “Se o delírio capitalista” no início da segunda oração do texto. da defesa de Estados que promovem o terror do Estado em múltiplas formas. no caso. c) Pelas ligações sintáticas.A respeito dos mecanismos de coerência e coesão na argumentação do texto. épocas” (L.7) representa a tese.

2007 . e) A preposição “contra” é subentendida no início dos seguintes termos da enumeração iniciada na linha 22: “[contra] dominação”. d) Caberia-nos questionar. sem conhecer bem o sentido dessa expressão. por elas. pois a sua retirada alteraria a mensagem original. c) Por ser opcional o uso do sinal indicativo de crase em certas expressões. c) Caso fosse eliminado o trecho “a toda” (. metafísica ou abstrata. a) A forma singular da palavra “inalienáveis” (L. TEXTO PARA A QUESTÃO 697 “Cabe-nos questionar se a difusão desses valores na formação do caráter das crianças está sendo feita. d) Na forma verbal “garantir-se” (L. De 79 Volume Único . o pronome indica a idéia de a si mesma. p. bem como o estímulo do exercício da cidadania por elas. a burguesia. semelhante a porque. 46. “[contra] uns”. (Aldemir Cacique. 699. (Frei Betto. quando de fato não se questionavam a desigualdade de situações e a mudança mesma das causas da desigualdade.15).Julgue os itens abaixo quanto às estruturas do texto.16) por “a” preserva a correção gramatical e as relações semânticas da oração em que ocorre.13) é explicativo. Não se pode esquecer que. 14 e 15) é obrigatório. preserva-se a correção gramatical ao se escrever pouco à pouco. na linha 18. em seu advento nos séculos XVII e XVIII. o texto toma-se gramaticalmente incorreto. c) Caber-nos-ia questionar se estariam sendo feitos a difusão desses valores na formação do caráter das crianças e o estímulo do exercício. raras vezes em que ocorrem episódios sangrentos. procurou garantir-se contra a ameaça representada pela emergente pobreza coletiva. o “a” que precede “população” (L. a) Nas linhas 15 e 16. Internet. d) O sinal indicativo de crase em “à mera formalidade” (Ls. Ainda hoje. 11). b) Se a expressão “em seu advento” (L. b) Cabia a nós questionar quando estariam sendo feitos a difusão desses valores na formação do caráter das crianças e o estímulo do exercício. Edson tradição doutrináriaíiberal. com adaptações) 697. c) A estrutura sintática “tendo o Estado sob seu controle” (Ls. 14 e 15) está associado à idéia de o que existe de forma duradoura e incontestável. TEXTO PARA AS QUESTÕES 700 E 701 Em matéria de massacres. sem distinção entre ricos e pobres. In: Chico Alencar. no futuro do pretérito. 1) opõese à idéia de civil ou laica. contra o despotismo dos antigos Estados absolutistas”.Assinale a opção correta no que se refere ao texto. os direitos humanos surgiram como “expressão das lutas da burguesia revolucionária. a) Caberá-nos questionar se a difusão desses valores na formação do caráter das crianças estará sendo feita. à mera formalidade retórica que não assegura a toda a população uma vida justa e digna. com adaptações. assinale a opção correta. b) A palavra “confinada” (L 14) refere-se a “população” (L. proclamando a universalidade dos direitos.Assinale a opção que contém uma correta reescritura do texto acima.13) dispensa o acento gráfico.) 698. como se fossem derivados da vontade divina ou da razão natural. com base na filosofia iluminista e na Prof. e) A forma “se questionavam” (Ls. houve o “massacre” da Candelária.15). os Direitos Humanos não podem depender apenas de uma visão religiosa. Uma vez no poder. d) O valor semântico de “como” (L. porém. confinada. a imprensa logo os batiza de “massacres”.14 e 15) corresponde a seriam questionadas. Direitos mais humanos. Rio: Garamond. da cidadania.Em relação ao texto. 5) for substituída em seu nascimento. tendo o Estado sob seu controle. o “massacre” de Vigário Geral. Educação em direitos humanos. e) Nos caberia questionar se a difusão desses valores na formação do caráter das crianças estaria feita. TEXTO PARA AS QUESTÕES 698 E 699 Em uma sociedade secularizada e pluralista. o de Eldorado dos Carajás e outros menos famosos pelo país afora. b) A substituição da preposição “sobre” (L. da cidadania. extensivos a todas as pessoas e povos.Gramática 696. em muitos países a lei consagra os direitos inalienáveis de todos. Assim. bem como o estímulo do exercício da cidadania por elas. por elas. “[contra] ódios”. a) O significado da palavra “secularizada” (L. bem como o estímulo do exercício da cidadania por elas”. eles são campeões O Brasil é um país tão pacífico e o povo brasileiro de tanta boa fé que. bem como o estímulo do exercício da cidadania por elas.10 e 11) corresponde semanticamente a embora tivesse o Estado sob seu controle. e) O sentido da expressão “mera formalidade retórica” (Ls.15) deveria ser grafado com sinal indicativo de crase. se a difusão desses valores na formação do caráter das crianças estivesse sendo feita. a substituição do trecho “reforçada pela” por embora haja acarretaria prejuízo à coerência do texto.

com uma centena de mortos. a imprensa rapidamente os batiza de massacres. os norte-americanos. os franceses. Deles. foi. 1).Guerra entre Irã e Iraque: 700 mil mortos . no Camboja . apesar de legalmente proibida. e o seu povo é de tão boa fé que nas raras vezes que ocorrem episódios sangrentos. só o do Carandiru. não temos porque nos flagelarmos diante do que fizeram os ingleses. de preferência com fuzilamento transmitido ao vivo pela televisão .20 e 21) dos brasileiros deve-se ao fato de que aquilo que a imprensa brasileira batiza de “massacre” é insignificante quando comparado com os verdadeiros massacres. de Eldorado dos Carajás e outros menos famosos ao longo do país.Caso a expressão “expostas na Mostra do Redescobrimento” (L. os turcos. Nise da Silveira (1906-1999). 22/4/2000. os árabes xiitas. a mostra é um reconhecimento importante da luta da Dr. por que os brasileiros têm que andar de cabeça baixa? TEXTO PARA A QUESTÃO 702 O conjunto de mais de 300 peças do módulo Imagens do Inconsciente expostas na Mostra do Redescobrimento representa uma reafirmação da importância das obras criadas em confinamentos psiquiátricos na história da arte brasileira.Com base nas idéias do texto. (Ana Weiss. Se eles não sentem a consciência pesada nem ficam dando satisfações aos brasileiros pelos seus crimes. 2) estivesse entre vírgulas.500 mortos Faltaria incluir. incluindo a I e a II Guerras Mundiais . Revista brasileira de questões estratégicas. por isso. nos sentidos exato e histórico do termo.mais de 20 milhões de mortos.1) e o período estaria igualmente correto.2007 . os sionistas. massacres das ditaduras no Chile e na Argentina mais de trinta mil mortos. b) Linhas de 5 a 9: Dessa forma. um massacre. pois a pena capital é considerada uma “violência” que o Brasil “pacífico” abomina legalmente. de fato.) 702. com adaptações. diversas guerras. Edson Volume Único . II .Khmer Vermelho.Massacre de Ruanda: um milhão de mortos . só o do Carandiru. portanto. vamos recordar o que foram os massacres verdadeiros nos outros países. os russos. informações do texto. julgue os itens abaixo. por isso. não há razões para o autoflagelo por causa do que fizeram outros povos.Com base no texto. nos massacres de negros no Sul dos Estados Unidos pela Ku Klux Klan. E sem falar no milhão de mortos da Guerra de Secessão dos EUA. Nenhuma dessas citadas mortandades é justificável. 80 701. no sentido exato e histórico do termo. país tão pacífico. b) O tema central do texto é a discussão do conceito de massacre. Prof.1 milhão de mortos. por que temos nós de andar de cabeça baixa? (Poder. Mais que isso. a) Linhas de 1 a 4: O Brasil. de Vigário Geral. com adaptações. Sua causa continua a ser defendida por um grupo crescente de psiquiatras e psicanalistas que prosseguem com a bandeira da humanização no tratamento de pacientes com distúrbios mentais. houveram os massacres da Candelária.) 700. com 111 presos mortos. 3) está no singular para concordar com “O conjunto” (L.Massacres da ditadura no Chile: 3. mais os massacres nazistas nos campos de concentração e os massacres de Kosovo pelos sérvios e da lugoslávia pela OTAN. e todos os seus autores deveriam serem fuzilados com transmissão ao vivo pela televisão. os japoneses.Gramática todos. ainda. In: O Estado de S. I . Se nestes não pesa a consciência e se eles não dão satisfações de seus crimes. c) Linhas de 10 a 16: Nenhuma mortandade é justificável. os chineses. mas poderia vir no plural para concordar com “mais de 300 peças” (L. vamos recordar o que foram os massacres em outros países: Khmer Vermelho. Paulo. para o brasileiro perder um pouco do complexo de inferioridade: . os boers sul-africanos e tantos outros povos.coisa impensável aqui. Em matéria de massacres. os alemães. por meio de estruturas gramaticalmente corretas. d) Linhas de 20 a 41: Para que o brasileiro perca um pouco do complexo de inferioridade. nas dezenas de milhões de pessoas massacradas na I e na II Guerras Mundiais. c) Na história mundial dos massacres. a) No Brasil. os africanos.Guerra na Bósnia Herzegovina: 250 mil mortos .Guerra no Afeganistão: um milhão e meio de mortos . foi de fato um massacre. os países africanos são os grandes vilões. o significado do texto não sofreria alterações. coisa que o Brasil abomina mas aplica. somando. a pena de morte.A forma verbal “representa” (L. o Brasil deve continuar evitando-os e. é aplicada na prática. Essa exibição valoriza a mensagem de vida da psiquiatra alagoana que substituiu eletrochoques pelo estímulo à criatividade. e) Linhas de 42 a 51: Em termos de massacres. os massacres em Moçambique. ‘ Só para refrescar a memória dos que não conhecem o real significado da palavra massacre. Assinale a opção em que a reescritura de trechos do texto apresenta. d) O “complexo de inferioridade” (Ls.Massacres da ditadura na Argentina: 30 mil mortos . o Brasil deve continuar evitando-os e. mais um milhão e meio de mortos. e todos os seus autores deveriam ter sido punidos com a pena de morte. no mínimo. embora a aplique na prática. os sérvios. assinale a opção correta. no Camboja: um milhão de mortos . Angola e outras nações africanas nos últimos 25 anos. e) Os brasileiros não precisam andar de cabeça baixa porque não têm do que se envergonhar.

com adaptações. “racionalidade” (L.V. as demais. de bom. estão certos.6) e “melhores” (L. O Estado de S. agora. por que um indivíduo roubaria ou mataria? A punição. b) Em nosso país. Esse é o comportamento aconselhável.12). A demissão muitas vezes atinge pessoas que nunca pararam para pensar na própria carreira. Assinale a opção correta.10) são adjetivos derivados de substantivos. o profissional não se sente diminuído por estar desempregado e tem a segurança necessária para circular pelo mercado. Começou com Caim. Fórum de debates.I . II . a) Na linha 1.IV . “políticoadministrativa” (Ls.) 705.3). Edson 81 . assinale a opção incorreta. 7) e “fornecendo” (L 8) são verbos empregados em formas nominais.Paulo. e teremos a violência reduzida a más condutas individuais. o homicida.2007 TEXTO PARA AS QUESTÕES 703 E 704 Condições melhores A origem da violência é antiquíssima.4 e 5). Com um Estado fornecendo saúde e educação.No texto. 12. Com ele.2) está grafado com inicial maiúscula porque é substantivo próprio.Da reação podem surgir novas oportunidades. I . pois a forma prossegue também estaria correta. iniciada por Caim. É essa reação que poderá abrir novas oportunidades. os vocábulos “origem” e “violência” são substantivos abstratos. político-administrativa é a responsável pela violência. III e V. 11) são decorrentes da flexão em grau dos seguintes adjetivos: a primeira. (Entrevista do consultor José Augusto Minarelli à VEJA.A demissão deve ser encarada como uma parada técnica na carreira. com adaptações. II. poderia ser colocada uma vírgula e o período permaneceria correto. d) No texto. Todos os itens estão corretos.Assinale a opção em que as mudanças em passagens do texto mantêm a concordância verbal correta. inadiável e pessoal. mas não sabe como mudar a situação. Assinale a opção que apresenta uma seqüência correta de acontecimentos dos itens dessa cadeia. É nesse caso que ela pode ser boa. na própria vida. São pessoas que podiam estar até insatisfeitas com o emprego. Apenas os itens I. IV . inadiável e pessoal. d) Mais racionalidade nos gastos são necessários. III. III . é muito antiga. Prof. a medíocre distribuição de renda e a péssima ingerência. (Agostinho Cavalcanti da Costa Júnior. estão disponíveis para trabalhar em outra empresa. “fazer” (L 2).II. “melhor” (L. que obriga a reagir a um problema real. c) Bastava um pouco mais de justiça social e o melhor uso da máquina do Estado para diminuir a violência.Infere-se do texto que o método de tratamento de doenças mentais empreendido pela médica alagoana tem sido reconhecido e seguido. Há demitidos que se comportam como desempregados. p.7) e “readequada” (L. Bastavam um pouco mais de justiça social.II . II. IV e V estão certos. o melhor uso da máquina do Estado e um pouco mais de racionalidade nos gastos e teríamos a violência reduzida à má índole de cada indivíduo.III e) I .Como é possível manter uma atitude positiva em uma situação (de demissão) que só parece ter o lado negativo? Minarelli .Após a palavra “alagoana” (L. “reduzida” (L.I. mais duras devem ser as penas para pequenos e grandes crimes. primeiro homicida. 9) é opcional. que inclui os seguintes itens.II . a) A origem da violência. b) O termo “Caim” (L. Apenas os itens I. 22/10/2000.IV . o uso da forma verbal na terceira pessoa do plural “prosseguem” (L.I. Considerando o emprego das classes de palavras no texto.Gramática III . Aí vem a demissão. Outros agem como se tivessem terminado um contrato com um empregador e. II e IV. De acordo com a primeira resposta da entrevista. a) b) c) d) e) Apenas os itens I. a demissão pode ser boa se houver uma determinada cadeia de ocorrências. Apenas os itens II. e) As formas “antiquíssima” (L 1).O empregado tem de reagir a um problema real.III-II.O empregado é demitido. IV e V estão certos.O empregado não está satisfeito com o emprego. VEJA .IV b) III-II. V . a) V.Faz toda a diferença. no entanto. e) Saúde e educação sendo fornecida pelo Estado. Em nosso país.IV.V Volume Único . 11/8/2000. Quanto mais as condições gerais forem melhores. mas não sabiam como mudar a situação. teria de ser readequada.A atitude do profissional faz alguma diferença nesse processo? Minarelli . e nunca deixou de fazer parte da História. c) Os vocábulos “catapultada” (L. V .IV-V c) III . oferecendo seu trabalho. de antigo. IV . 704.III .) 703.V d) I.O empregado pára para pensar na própria carreira e reorienta sua vida profissional e pessoal. a violência é catapultada pela medíocre distribuição de renda e ingerência polítíco-administrativa. será que o ser humano roubaria ou mataria? TEXTO PARA AS QUESTÕES 705 E 706 VEJA .

Enviados pelo diretor-geral da PF. d) O pronome “ele” (L. e) O pronome “seu” (L. no Paraguai. e) O volume médio de tráfico mensal comandado por Fernandinho em Capitán Bado era de cerca de 400 quilos de cocaína. o Fernandinho Beira-Mar. quarta-feira. Gray é o diretor nacional de narcóticos. 29. A poucos metros da sede da polícia de Capitán Bado.2007 82 . julgue os itens que se seguem. 21). 8/12/99. não eu. b) Na linha 17. Fernandinho aparentava gozar de boas condições financeiras. ligado à quadrilha do exdeputado Hildebrando Pascoal. Procuram em particular um foragido brasileiro. cidade de dez mil habitantes separada apenas por uma rua de Coronel Sapucaia MS. b) Mesmo foragido. 708. A respeito do emprego de palavras e expressões da segunda resposta do entrevistado. Os policiais do serviço antidrogas. a polícia paraguaia prendeu na cidade. brasileiros e paraguaios. a polícia só encontrou dezenas de cartuchos de fuzil e antenas de rádio. um dos membros da família More e Israel. ligada à Confederação de Futebol da cidade. mas com o apoio de pessoas socialmente conhecidas na região e. c) O pronome “Esse” (L. mas a polícia é que deve investigar.) 707. fazendas com pistas de pouso clandestinas tornam-se o esconderijo de armas e drogas. Fernandinho comandava a distribuição de cerca de 200 quilos de cocaína a cada 15 dias. a) Trinta homens da Polícia Federal paraguaia. no Paraguai. mas Fernandinho Beira-Mar ainda não foi localizado. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 707 A 710 Operação Paraguai O comissário Adelio Gray e o oficial Miguel Deguizamón desembarcaram. Ramon é presidente da Federação de Futebol de Salão de Capitán Bado.21) refere-se a “empregador” (L. Usando uniformes de camuflagem. Edson Volume Único . já que a sede de suas ações com o tráfico de entorpecentes foi descoberta pela polícia de Capitán Bado.13) como sujeito da primeira oração. Eu confio na polícia”. A família More circula livremente entre Capitán Bado e Coronel Sapucaia. eles comandam 30 homens da elite da polícia paraguaia que vasculham os 120 quilômetros que vão das cidades paraguaias de Pedro Juan Caballero a Capitán Bado. Agílio Monteiro. várias fazendas já foram investigadas. obtidas a partir de sua leitura. julgue os itens abaixo.Gramática 706.por envolvimento com narcotráfico. juntaram-se a uma equipe da Polícia Federal brasileira para combater o narcotráfico no município de Capitán Bado. ele vinha-se escondendo em uma casa em Capitán Bado. d) Há quinze dias. com adaptações.20) refere-se ao conjunto das idéias do período sintático anterior. Lescano nega qualquer envolvimento com o narcotráfico e se diz surpreso com as acusações: “A gente ouve falar isso tudo. Dos dois lados. Suspeita-se de que se tenha mudado para a Bolívia ou a Colômbia. Figurinha carimbada em festas e eventos em Capitán Bado. subentende-se a palavra demitidos entre os termos “Outros” e “agem”. (IstoÉ. sócio de Fernandinho. Prof. Até a semana passada. até então. c) Fernandinho Beira-Mar é visto constantemente em eventos públicos em Pedro Juan Caballero. Proprietário de uma firma caseira de sofás. 60 agentes cercam a área que vai de Bela Vista a Salto do Guaíra. Nos últimos dias. c) A região escolhida por Fernandinho para a distribuição de drogas apresentava condições favoráveis a esse tipo de atividade. treinados nos EUA. a) Subentende-se a expressão “A atitude do profissional” (L. d) Há suspeitas de que Fernandinho não agia sozinho. assinale a opção incorreta. ligado diretamente à Presidência da República do Paraguai. Ainda com relação às informações do texto e às inferências que podem ser . A partir da leitura do texto. a poucos quilômetros da fronteira brasileira. 19). com o apoio da Justiça. foram mandados de Assunção para ajudar a Polícia Federal (PF) brasileira em uma faxina inédita na fronteira entre os dois países. 23) refere-se ao “profissional” (L. de um helicóptero de combate em uma fazenda perto do município paraguaio de Capitán Bado. No bunker. armados com fuzis M-16 e pistolas 9mm. presidida pelo vereador paraguaio José Lescano. alguns treinados nos Estados Unidos da América (EUA). por isso o governo brasileiro solicitou a colaboração da polícia paraguaia na captura do narcotraficante. de comportamento ilibado. 10. Fernandinho teria mudado para a Bolívia ou a Colômbia. irmão de João e tio de Ramon. Na segunda-feira. Fernandinho andava pela região em uma Blazer e uma Toyota Ranger cercado de pistoleiros armados com metralhadoras Uzi. a) Até bem pouco tempo antes da reportagem. o traficante carioca Luiz Fernando da Costa. e) Depois do início da ação conjunta das polícias paraguaia e brasileira. b) A ação conjunta Paraguai/Brasil é inédita e tem como foco a prisão de um bandido brasileiro conhecido como Fernandinho Beira-Mar. entraram em fazendas de empresários apontados como amigos de Fernandinho. prontos para uma guerra. Fernandinho Beira-Mar circulava livremente pelo município de Capitán Bado.

e) Quando me enviarem o dinheiro. sem prejuízo semântico. lembra-se . é o mesmo que ilegais. ser substituído por procurado.19) poderia ser substituída por Sempre presente. d) O termo “clandestinas” (L.Ele não conseguia saber o que o despertara daquele sono profundo.16) concorda com o sujeito do período anterior. Ele estava preparando-se para o vestibular de Direito. eles comandavam 30 homens da elite da polícia paraguaia que vasculhavam os 120 quilômetros que vão das cidades paraguaias de Pedro Juan Caballero a Capitán Bado.16) poderia. depositei-o no banco. e) Em “Suspeita-se de que se tenha mudado para a Bolívia ou a Colômbia” (L. se lembra . IV .perdoar-lhe. Escolha a opção que completa corretamente as lacunas da frase abaixo. Indique a alternativa que preencha corretamente as lacunas da frase: “Nem____das coisas que____quando____”.disse-me .perdoar-lhe. Com muito prazer. disse-me/encontrá-la/falou-se.nos disponhamos . c) A expressão “Figurinha carimbada” (L. no segundo período. menos a saudade. sem prejuízo semântico. 710. Com relação ao valor semântico das palavras e expressões empregadas no texto. ele deveria ser reescrito da seguinte forma: Usando uniformes de camuflagem. 714. a) b) c) d) e) disse-me Ia encontrar /se falou: disse-me / encontrá-la / se falou. d) Embora me enviassem o dinheiro. passando. d) nos alegraríamos / atendêsseis-vos /vos solicitamos. Observe as frases seguintes. “Quanto________se______no ponto que ______ !” Escolha a alternativa que completa corretamente as lacunas do texto.me disse . Ill . pondo-se à mostra. far-se-á . em seguida. se erguia.lhe perdoar. b) O termo “foragido” (L. o termo destacado tem como referente Fernandinho Beira-Mar. c) alegrar-nos-íamos / nos atendêsseis / vos solicitamos.me disse .2007 Um vento pesado e vagaroso soprava. b) Para que a ação que se refere aos policiais paraguaios e a seus comandantes estivesse no pretérito imperfeito. se lembra . 83 Prof. A colocação pronominal está correta: a) nas frases l e II. a) O texto começa a ser contado no pretérito perfeito. Com relação aos aspectos morfossintáticos do texto.procurei-o. sem prejuízo semântico 711. Cometeu-se um erro de colocação pronominal na opção: .11) e o “oficial” (L. o que configura um equívoco do escritor.me disse .Uma tosse quebrava o silêncio.disse-me . 715. a) b) c) d) e) se lembra .Nada se conhece sobre a situação econômica do pais. julgue os itens que se seguem. “Nada___sem que_______a___” a) b) c) d) e) far-se-á . não o depositei no banco. Assinale a alternativa incorreta. e se precisei lutar para ____ nada ____ a respeito. 713. a) b) c) d) e) Tudo se acaba com a morte. b) alegraríamo-nos / atendêsseis-nos / solicitamos-vos. a ter como referência o presente. O sol. b) Não me enviaram o dinheiro.’ Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas. tembra-se . Edson Volume Único . II. João tem-se interessado por suas novas atividades. não o depositei no banco. me arrebentando os tímpanos. explicaria-lhe todos estes pontos.lhe perdoar se fará . respectivamente. ser substituído por pertencente. b) nas frases lI e IV. a) Enviaram-me o dinheiro. iluminou todo o vale. I- 716. c) O termo “alguns” (L. 1) da polícia paraguaia.o procurei. c) nas frases l e lll.nos disponhamos . “Se ninguém ____ a verdade. o termo “ligado” poderia. me disse / encontrá-la / se falou. um riso curto. a) Na linha 18.disponhamo-nos . 36) poderia ser substituído por conhecidos. e) nos alegraríamos / nos atendêsseis / vos solicitamos. julgue os itens a seguir. se fará . a) alegrar-nos-íamos / atendêsseis-nos / solicitamosvos.30). e) O termo “apontados” (L. d) nas frases III e IV.perdoar-lhe.procurei-o. e) em todas as frases.procurei-o. me disse/a encontrar/falou-se.Gramática 709.nos disponhamos . far-se-à .o procurei. em seguida. 712. 13) tem como referente Adelio Gray e Miguel Deguizamón. depositá-lo-ei no banco. o “diretor nacional de narcóticos” (L. depositá-lo-ia no banco. c) Se enviassem-me o dinheiro. armados com fuzis M-16 e pistolas 9mm. 717. d) A forma verbal “Procuram” (L.nos disponhamos . no texto. sem prejuízo da informação. 33). se soubesse.

Serão considerados válidos tais argumentos? 722. Apenas a frase III é correta. c) Ficou em casa naquela noite os filhos todos e o pai desesperado. . ao processo. o trabalho?” a) b) c) d) e) é necessário – terminassem é necessário – terminar são necessários – terminarem são necessários – terminem são necessárias – terminarem 725. b) Faltava apenas dois minutos para o término do jogo. Ela não me deixou concluir a frase. Considere as frases seguintes. certa d) serem tidas. III.... d) Eu e meu assessor iremos cuidar do caso com a máxima urgência. e) Não tinham razão o sonegador e os seus protetores. Prof. e) Ninguém havia lembrado-me de fazer reservas antecipadamente.. a) b) c) d) e) Apenas a frase l é correta. Existem fortes indícios de melhoria geral.“Já .Nas alternativas que seguem.Retiramo-nos do salão. certo c) ser tida. certos b) ser tido. e) Pouco adiantam súplicas e pedidos.“De hoje em diante. c) A frase II está correta. . e) Cristina viajou há três semanas. Ele comportou-se muito mau durante a entrevista. d) A frase Ill lestá correta. Apenas a frase II é correta. ser sete horas quando..Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas: “Quantas semanas . a) A crítica e a opinião pública não acolheram favoravelmente o espetáculo. não sabia se as declarações deviam ou não . teremos tempo para os acertos finais. II .” a) mesma – ir anexas b) mesmo – ir anexo c) mesma – irem anexas d) mesmo – ir anexos e) mesma – ir anexa 727.. as licenças mensais..Aquele a quem referimo-nos é notável poeta e dramaturgo. a) Cantavam.Nunca mais encontrei ocolega que me emprestou o livro.Tenho escrito-lhes muitas cartas e poemas..O verbo concorda em número e pessoa com o sujeito. ocorre sujeito composto. a) b) c) d) Tudo me era completamente indiferente... II . Os fatos que o perturbam são bem poucos. Assinale aquela em que a concordância verbal não é aceita pelo padrão culto. Todas as frases estão corretas. 723.2007 84 .” a) serem tidos. Aponte em qual das frases abaixo não se colocou corretamente o pronome átono. na noite alta. porém não posso deixar de te dizeraverdade. certas e) ser tida. a) b) c) d) Há menas pessoas hoje.Eu não quero falar-te sobre assuntos desagradáveis. como . um curiango e um outro pássaro noturno...” a) fica suspenso b) fica em suspenso c) ficam suspensas d) ficam suspenso e) fica suspensas 720.. a) Em todas as frases a colocação pronominal está incorreta b) A frase l está correta. Nenhuma das frases está correta.. Não provinha daí os males sofridos. a fumaça e o fogo. 729.Assinale a alternativa em que a concordância não está de acordo com as normas da língua culta escrita. Ill .. b) Fugiu desesperado o homem e toda a sua família. 719.Assinale a frase gramaticalmente correta. c) Não nos bastam neste instante palavras de conforto. Edson Volume Único . Os atletas apresentavam-se afim de iniciarem a corrida. os bombeiros abandonaram o local do incêndio.Não quero magoar-te.. Este casamento não deve realizar-se. 728. Senliamo-nos contentes como se nos tivéssemos presenteado. . I . Esperava-se menos perguntas na prova. Portanto não está correta a alternativa: a) b) c) d) e) Faltam ainda seis meses para o vencimento. Assinale a alternativa correia. deixando-os sós. para eles . certo 726. 721.. e) Em todas as frases a colocação pronominal está correta.“Pode a presença destes dois grandes nomes do esporte . d) Quando chegarem as férias.” a) deveria – extinto b) deveria – extinta c) deveria – extintos d) deveriam – extinta e) deveriam – extintas 724.“Ela .. Observe a colocação pronominal nas frases abaixo. I .Gramática 718.

O apartamento e a casa estão caros. Irás de carro tu. o vento. Um e outro tinha razão. 85 Volume Único . (introduzirá / introduzirão) d) No futuro.Num dos provérbios a seguir não se observa a concordância prescrita pela gramática. a) b) c) d) e) Faltou dez alunos por dia naquela semana. o corpo mudaram com o tempo. todos os nossos negócios e a nossa vida privada. durante umas doze horas de caminhada. os fatos. Assinale a alternativa que não está de acordo com a norma culta: a) b) c) d) e) Faltava apenas dois minutos para o término do jogo. Está caro o apartamento e a casa. acarretando certos deslizes na concordância. De boas ceias. b) As provas. Irão de carro tu e os primos. assinale a alternativa em que o sujeito coletivo não admite o verbo no plural no Português culto escrito contemporâneo. d) Vós e vossos amigos cumpriram a palavra dada. Mais de dois constituintes cumprimentaram-se com euforia.Indique a alternativa correta: a) b) c) d) e) Tratavam-se de questões fundamentais. nada o fez mudar de opinião. Obedeceram-se aos severos regulamentos. 733. e) Mais de um aluno e mais de uma aluna saíram. c) Uma nuvem de gafanhotos invadiu as roças e causou um prejuízo incalculável. (falta / faltam) b) _________ assumindo aparência de realidade no mundo atual muito sonho e muita fantasia do mundo antigo. qualquer barulho atravessavam a cidade de ponta a ponta. c) Tu e teus amigos chegastes a tempo. e) Tu e eu saímos daqui. Quem cabras não tem e cabritos vende. Edson a) b) c) d) e) Não se apanham moscas com vinagre.Assinale a alternativa que contraria as normas da língua culta escrita. Mais de um constituinte votaram a favor do projeto. tu e os primos. Precisam-se de datilógrafas. d) Uma revoada de andorinhas quase cobria a luz do sol por onde passava. 731. Falhou o cálculo e as previsões. Pouco adiantou o choro e o apelo das mães. _________ sob o controle do computador. (está / estão) c) O computador certamente _________ profundas modificações na estrutura da sociedade moderna. bonito lhe parece. Quem ama o feio. c) Vento frio e golpe de ar não fazem mal a ninguém. Foi chegando aos poucos um vento cada vez mais frio. de algum lugar lhe vêm. _________ desaparecer certos direitos de que hoje todos os indivíduos compartilham. Não lhes bastou a ajuda em alimentos e agasalhos. eu e os primos. b) Os olhos. nada o demovia da sua posição. A brisa. provas. os documentos. (fique / fiquem) 732. Casamento e mortalha no céu se talha.Assinale a opção em que a lacuna pode ser preenchida por qualquer das duas formas verbais colocadas entre parênteses: a) Não _________ motivos para acreditarmos que o computador constitui séria ameaça contra os direitos individuais.Assinale a alternativa onde haja erro de concordância verbal: a) b) c) d) e) Ireis de carro eu. Chegaram o resultado e as notas. Indique-a. durante um ano isolado na densa floresta da Amazônia. (poderá / poderão) e) É provável que futuramente. quase não tinham mais lembranças da cidade grande. Reformam-se ternos.2007 734. e) O batalhão. a) Uma multidão de torcedores esgotou os ingressos em apenas três horas.Nas frases que seguem. 740. Caiu naquela tarde chuvas e granizo assustadores. e) Sois culpados todos vocês e os seus conselheiros.Assinale a alternativa em que a concordância verbal não está respeitando as normas da língua culta. 735. Não sobrou aos participantes daqueles jogos outra alternativa. Argumentos. . INSTRUÇÕES PARA OS EXERCÍCIOS 733 E 734 Assinale a alternativa que não ocorre na variante culta escrita do Português. Comprou-se terrenos no subúrbio. O rancor e o ódio levaram-te à loucura. a cara. em ordem inversa.Gramática 730. o tufão não os atemoriza. d) Qualquer ruído. Ireis de carro tu e os primos. a) b) c) d) e) Você e eu não mais nos veremos. 737. normalmente. Irão de carro todos os convidados. 739.Assinale a alternativa em que houver concordância errada: a) b) c) d) Um e outro renegaram a fé. as restantes feições.As frases que seguem contêm verbos cujos sujeitos vêm. a) Deus e o céu são testemunhas do que se passou lá. b) A tropa seguia sem descanso. 738. 736. fatos concretos. as sepulturas estão cheias. a) Prazer e gozo levou-o à ruína. Prof.

c) em ambos os casos. indicação do sujeito pela flexão verbal e silepse ou concordância ideológica.Já _________ anos. haja vista a acentuada queda de consumo. concordância ideológica e silepse.Assinale a alternativa errada: 742. b) Muito obrigado. Pedro e Maria caminhavam pela rua. Ele escreveu capítulos e páginas compactas. d) respectivamente. d) O poder da propaganda é discutível. É proibido consulta a apontamentos. Inclusos estão os processos. hajam vistas as pesquisas sobre a Aids. extraído do capítulo 23 de Lavoura arcaica.2007 86 . d) Eles nos deixaram só. 748. e) Se houvesse melhores condições de ensino._________ dez horas que se _________ iniciado os trabalhos de apuração dos votos sem que se _________ quais seriam os candidatos vitoriosos. c) Remetemos em anexo os catálogos que poderão ampliar-lhes as opções. A consulta a apontamentos é proibida. d) A entrada dos bois nos currais atrapalhou a contagem.”. silepse ou concordância ideológica e indicação do sujeito pela flexão verbal. e) Estamos quite agora que lhe paguei. 743. 749. só _________ ervas daninhas. a possibilidade de eclodir uma revolução. Estou quite com meus credores. b) Não houve argumentos bastantes para convencerme. apresenta. e) Ela própria elaborou o trabalho. 746. 751.Assinale a alternativa que apresenta construção incorreta: a) b) c) d) e) Consulta a apontamentos é proibido. _________ neste local árvores e flores.Assinale a alternativa em que ocorre algum erro de concordância nominal. a) b) c) d) e) O narrador pulou longos páginas e capítulos... concordância ideológica ou silepse.. Ele escreveu páginas e capítulos compactos. e) Ele sentiu que precisava ficar a sós. Prof. e) Chegaram de Brasília os ajudantes para fazer a faxina no consultório. d) Elas mesmas estão convencidas do plano.Assinale a alternativa que contenha erro de concordância. Edson 744.Assinale a alternativa em que ocorra erro de concordância. d) Só Pedro e Maria faltaram à festa. disse a secretária. c) Sós.O trecho “. a) b) c) d) e) Fazia / haviam / previsse Faziam / haviam / prevesse Fazia / havia / previsse Faziam / havia / previssem Fazia / haviam / prevessem a) Estavam meio cansados com a viagem. b) em ambos os casos. A consulta a apontamentos é proibido. quanto à concordância verbal: a) respectivamente. Há menos indecisões do que parece.Assinale a alternativa em que a concordância nominal não está de acordo com as normas da variante culta escrita: Volume Único . existiriam melhores resultados. e) respectivamente. indicação do sujeito apenas pela flexão verbal. c) Não se sabem os motivos que levaram Chico Leitão a essas diatribes. a) Saiba que você cometeu realmente um crime de lesamajestade. b) A medicina tem avançado pouco. Ele pulou longos capítulos e páginas. Ele escreveu capítulos e páginas compactos.Assinale a alternativa em que ocorre erro de concordância nominal. 745. c) Há menos vagas que candidatos. a) Entre um copo de cerveja e outro. a) b) c) d) e) fazem / haviam / existe fazem / havia / existe fazem / haviam / existem faz / havia / existem faz / havia / existe a) Enviamos anexa a relação dos nossos últimos lançamentos. b) A maioria dos alunos chegou às 13 horas. c) Os diagnósticos parecia dependerem do resultado dos exames de laboratório.Gramática 741.Assinale a alternativa incorreta quanto à concordância nominal. os dois permanecemos trancados durante toda a viagem que realizamos juntos. foi considerado. 747.. a) b) c) d) e) Seguem anexos as faturas. b) Estejam prontas. 750.. É proibida a consulta a apontamentos. a) Os resultados pareciam depender da vontade do diretor. Seguem em anexo as faturas. pois o inimigo não manda aviso. Hoje. por algum tempo.

e) Partirá amanhã tu. (Machado de Assis) a) Os lusíadas são o poema onde mais aparece a heroicidade do povo português.. c) Mais de um de nós outros poderíamos dizer com sinceridade tal coisa. nove horas e os operários das fábricas chegavam para o almoço.. surgir de vez em quando Leonor ou Isaura. c) Não só a educação mas também a saúde precisa de muita atenção do governo. 754.2007 . b) Tito eram as delícias de Roma. 756. a) Crianças. ao significado de ser ou estar em “Era pouco mais de meio-dia” ou “Estava uma tarde ensolarada”. 753. 87 Volume Único . ao verbo haver em “Havia-se passado uma semana desde então”. Assinale o item correto quanto à concordância verbal. vieram – são – davam – quer – via. a) b) c) d) Fazem quatro anos que não viajo. arrancar Batista à comissão política reservada.. a aproximação com cinco novos grupos indígenas.”(Machado de Assis) “Os ferreiros . não haverão mais dúvidas sobre o comportamento desleal de alguém da equipe. em “Fazia um pouco mais que manhã”. existiam senadores com cara de vitória-régia”.” (Aluísio Azevedo) são preenchidas com as formas: a) b) c) d) e) vieram – é – dava – querem – viam veio – é – davam – quer – viam.... c) É correto dizer “Haviam-se formado dois grupos contrários”.. e) Se surgir mais fatos duvidosos. Existem fatos que ainda não foram revelados. o verbo fazer é impessoal e não equivale. Assinale a alternativa que apresenta mesma estrutura que: “A causa eram provavelmente os seus poucos projetos eclesiásticos”..” (Aluísio Azevedo) “Algum de vocês . b) Se todos houvessem seguido as normas. Prof. d) O que nos falta é exemplos de bons costumes. onde esta novidade causou sensação. assim como “Devem haver dois grupos contrários em formação”. d) São igualmente corretas as formas “Fazia anos que ela esperava” e “Eram anos de espera”. os sacrifícios que . a) Em “Fazia um pouco mais que manhã”. por sua causa?” a) b) c) d) e) Chega – bastam – foram feitos.. 758. de exigências! Ou será que não . d) Bastam dois toques para sabermos que você chegou. e) O ordenado eram dez mil réis. Ramiro e as crianças. Batem quatro horas o relógio da matriz.“O trabalho da Funai desenvolve-se em nove frentes. e) Estão corretas as formas verbais em “Até há bem pouco tempo. Chegam – bastam – foi feito. e) Alguns fazendeiros chegaram ao local com um grupo de índios cintas-largas 759. Assinale a alternativa que apresenta concordância verbal incorreta.se nas janelas do sobrado. não teria havido centenas de reclamações. d) Fala-se muito sobre os conflitos entre fazendeiros e índios. gramaticalmente. que permitiram.. c) O descuido é tal que. Sobra-lhe motivos para poder considerar-se uma pessoa feliz. as lacunas dos textos “Um ofício ou telegrama . d) Eles têm trazido muitas informações sobre os cuidados no cultivo de orquídeas. Chega – bastam – foi feito. ninguém ficou imune a seus encantos.Assinale a alternativa que completa corretamente o período: “. o sustentáculo da Nação” (Carlos Drummond de Andrade) “. naquela imensa área.. veio – são – dava – querem – viam veio – são – davam – quer – via.. b) O significado de fazer corresponde. na fronteira entre o Amazonas e o Peru. Chegam – basta – foram feitos. Chegam – basta – foi feito. a sacudirem tapetes e capachos.. 755.. ir comigo à missa amanhã?” (Machado de Assis) “Do cortiço.. b) Espero que considerem o problema da demarcação das terras indígenas com a devida severidade c) Discutem-se diariamente questões acerca da posse da terra. b) Mais de mil pessoas compareceram ao comício. já não existem várias espécies de vegetais típicos da região. jovens. e) Boa parte das pessoas está preocupada com o futuro.. Assinale a alternativa incorreta.Gramática 752. Edson 757. até agora. adultos.Em relação à concordância verbal..” A concordância do verbo com o sujeito na frase acima justifica-se pela mesma razão que determina a concordância verbal em: a) A área que concentra o maior número de tribos isoladas é o Vale do Javari.A única frase em que há erro de concordância verbal é: a) Na comemoração certamente havia muitas pessoas que não trabalharam no projeto.

a firmeza de que o homem precisava para o seu equilíbrio. c) Pagou-lhe a dívida. a que. 4. d) O menino preferia contar histórias à ficar sozinho. a que.Assinale a alternativa correta. a) Aliviando-se de um verdadeiro pesadelo.. daí poder-se concluir que não abrirá mão delas. de cujo já lhe falei. a) O menino preferia contar histórias do que ficar sozinho.A regência verbal está correta em: a) Prefiro esforçar-me hoje do que lamentar amanhã. Prof. se refere o poeta. e pela qual ainda estamos subordinados. 767. a que de que. a que a que. O verso . d)O país inteiro simpatizou-se com esse princípio. c) Com a terra tem-se assim o chão. Edson 764. Notifiquei-o de havia sido convidado. Volume Único . de que. 763. que.. 3. faz menção poeta.Assinale a alternativa correta quanto à regência. nasceu a terra. b) O menino preferia mais contar histórias a ficar sozinho. todo o prejuízo que sofrera com a destruição da seca. 2.. c) O menino preferia contar histórias a ficar sozinho. a) Para o grego antigo a origem de tudo se deu com o caos. 761. Este é certamente um direito que não lhe assiste.. d) Ela mesma cria um ser semelhante que a protege: o céu.2007 88 . b) Quais de vós ireis à escola? c) Outrora poderia existir opiniões diferentes sobre o assunto. A aurora é o terceiro tom . pela ordem. b) Não lhe procurei mais desde a última discussão. a que a) Preferia antes morrer que fugir como covarde. 768.. que de que.A frase que mantém o padrão culto da linguagem é: a) A sugestão a qual devemos acatar suas diretrizes sem questioná-la é que me debato: quero poder externar meus pontos de vista. O verso .Gramática 760.. pela ordem. Ninguém lhe convidou para a festa de despedidas. d) O alto preço dessa doença. a) Chamamo-lo inteligente. pois não agiu com maldade. 1. a que. mais variado e mais imprevisto. corretamente as lacunas. A aurora é o terceiro tom . propõe o poeta. e) Chamei-lhe de bobo. a exata regência do verbo chamar. se refere o poeta é mais belo.. com ouro. massa informe. b) Do caos. em amplexo com a terra. c) Essas são as idéias das quais ele mais se orgulha. que.. e) O menino preferia contar histórias que ficar sozinho. d) Ele aspira muito pouco progresso na vida.Assinale a alternativa que preenche. o filho pagava ao pai a promessa feita no início do ano. mais variado e mais imprevisto. 1.Qual a frase com erro de concordância? 765.A concordância verbal incorreta é: a) Os lusíadas imortalizaram Camões. o poeta monta seu poema é mais belo. a que. 766. será submetida a uma nova avaliação. A aurora é o terceiro tom . 770. b) A lei cuja a contravenção pode levar o indivíduo à cadeia. b) A cortesia mandava obedecer os desejos da minha antiga dama. d) Chamamos-lhe de inteligente. Perdoa-lhe as faltas.Aponte a alternativa em que a regência do verbo pagar contraria a norma culta. a) b) c) d) e) A aurora é o terceiro tom ..Assinale a alternativa que preenche. fala o poeta. e) Jesus perdoou o pecador. que. 3. e) Paguei-o.. de que. 762..Escolha. e) O problema o qual relacionei seu medo de escuro. d) Ela solicitou para que ninguém interviesse a seu favor. ordenadora e mãe de todos os seres. mas a lição esqueceu. d) Quem de nós pagará as despesas? e) Somos nós que pagamos a conta.. c) Chamamos-lhe inteligente. e) Do céu estrelado. 769. que que. c) A legenda ficou. a fim de não colocar em questão a autoridade que estava investida. c) Chame os empregados e pague-os os meses atrasados. O verso .. b) Chamamo-lo de inteligente. a que. querendo oferecer-lhe uma espécie de consolo. mais variado e mais imprevisto. b) O empregado pagou-lhe as polias e tachas roídas pela ferrugem para amaciar-lhe a raiva. paguei-o com as moedas de meu hábil esforço. 2.Há erro de regência verbal em: a) b) c) d) e) Venha assistir aos debates em minha sala. e) Todas as regências acima estão corretas. trata o poeta é mais belo. corretamente as lacunas abaixo. abaixo. é que nascerá todos os seres. porque perdeu uma grande oportunidade. que. merece ser mais bem pesquisado..

ao. Você não é uma pessoa de que eu goste. O filme . 780. enganam-no. de que. III. d) Assistiremos amanhã a uma missa de 7º dia..Assinale a alternativa gramaticalmente correta. que. Desde criança sempre aspirava a uma posição de destaque. sua grande responsabilidade. e) Machado de Assis assistia em Botafogo.. ao.. a) b) c) d) e) em que – a que – que – de que com que – que – com que – de que a que – de que – com que – que a que – de que – que – de que que – de que – com que – que A lei . 772.Assinale a frase correta. embora fosse tão humilde.. Edson 89 Volume Único . Lembrou de que precisava voltar ao trabalho. Prof. que. o. mais variado e mais imprevisto. Como era orgulhoso. tarefas . que. que. O fiscal visou os documentos..” a) em – nas – que b) de – nas – que c) com – das – a que d) em – às – de que e) de – das – de que 774. do que me esperar na rua? b) Por que você preferiu vim aqui. gostou foi premiado. O jogo . o. 779. O cargo a que todos visavam já foi preenchido. IV.. saiba disto. que. IV d) I. a. contra cuja oportunidade me volto.. Os problemas .. que. que. do que me esperar na rua? c) Porque você preferiu mais vir aqui que me esperar na rua? d) Porque motivo você preferiu vir aqui. de que. aspiras é muito importante. é bem agradável mas falha. a) b) c) d) e) Não tenham dúvidas que ele vencerá.. II. a b) ao. a) b) c) d) e) que. ao. fato. exame do paciente.. o. todas as alternativas estão corretas.Assinale a alternativa cuja seqüência completa corretamente as frases abaixo. a que a que. assistimos foi movimentado. desmaiou. que... O cargo . III c) I. ao. o poeta constrói é mais belo. Aspirando o perfume das centenas de flores que enfeitavam a sala...“Cônscio . antes que me esperar na rua? e) Por que motivo você preferiu vir aqui a me esperar na rua? 778. exceto: a) Assistimos ontem um belo filme na televisão. a) ao.. b) Os médicos assistiram os feridos durante a guerra. Antônio? Muito lhe amo. a que que. de que.. Os desempregados visam melhores condições de vida.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas abaixo. Antônio? Eu não lhe agradei. ao. III. a) b) c) d) e) Eu o agradei. de que.. a) II.2007 .A frase que não apresenta problema(s) de regência. primeiro lugar no campeonato. levando-se em consideração a língua escrita. O escravo ama e obedece a seu senhor. 775. O livro que te referes é célebre. IV b) I. foi incumbido. As informações que dispomos não são suficientes para esclarecer o caso. III.. de que. que d) o.Com referência à regência do verbo assistir.... desempenhou-se muito bem . do que c) ao. cheque do cliente. A enfermeira procede .Assinale a alternativa incorreta.. III e) I. à e) a. prejudicou toda uma família. preferiu morrer . que. se referiu já foi revogada. 777. preferiu declarar falida a firma a aceitar qualquer ajuda do sogro. Sua explanação. I. é: a) b) c) d) Preferiu sair antes do que ficar até o fim da peça. o. e) Não tenho dúvidas que ele chegará breve. ao. a) Por que motivo preferiu vim aqui. II. viver. que 773. O verso . a que. a. a que 771.. que a que. Se lhe disserem que não o respeito. Prefiro estudar do que trabalhar.. se lembraram eram muito grandes. O conferencista aludiu . que a que.. A equipe visa . c) O técnico assistiu os jogadores no treino. Visando apenas os seus próprios interesses. a) b) c) d) e) Os professores visam à formação dos alunos. O gerente visa .Gramática 4.Assinale a alternativa que contém as respostas corretas. ele.. involuntariamente. Visamos a um futuro mais feliz. O atirador visa o alvo. a. Não podendo lutar.. ao.Indique a alternativa em que há erro quanto à regência. II 776.. o.

. que lhe falei há pouco.. a que. O tema . exigiria toda a dedicação .Em qual das alternativas ocorre um erro de regência verbal? a) Esqueceu-me o desejo discreto de conhecer as coisas do coração. constrói-se a oração com objeto direto. c) Prefiro os casos que a inteligência discute a formas tecnocráticas da resolução dos problemas...... b) Muitas patroas costumam implicar com as empregadas domésticas. apenas no período II. é certamente o mais eficiente e adequado recurso .. a) b) c) d) e) que – de que – cujo – que com que – que – cujo qual – onde com que – a que – de cujo – onde com a qual – de que – do qual – onde que – cujas – do cujo – na cuja 785. II.” a) b) c) d) e) do qual a – que cuja a – da qual de cuja – de que que sua – de cuja cuja – a qual 782. Passamos por uma fazenda . d) Aqui se jogam as sementes para informar-lhes de que a cultura não deve ser acadêmica. a que. Era muito tarde quando cheguei ao colégio... quem conversei há pouco. de que. O livro ...Assinale a opção que completa corretamente as lacunas da seguinte frase: “O controle biológico de pragas. que. doentes aquela enfermeira assistiu? . 5. quem aludi há pouco. que escrevi há pouco.. 787. a que. o esportista mais gosta? . de que. que.. Encontrei um amigo de infância . e) Um novo congelamento de salários implicará uma reação dos trabalhadores. A criança . Certifiquei-o ..2007 789.. se criam búfalos. A fazenda .. . 788.a que... todos sempre implicavam comigo. I.. 2. Ao chegar a casa. Aqui está a fato .... a que que. Edson . a que a que. que estive há pouco. em nenhum dos três períodos. a) do qual. e) Procede-se com brandura quando querem detectar falhas no relacionamento humano. fosse capaz.. o candidato pretende chegar? . A arma . a que que.. a) b) c) d) e) O homem . me referi. que. que a que. a que. que aquela imagem refletia a alvura de seu mundo interno... .. nos três períodos.. c) Pelo que diz o assessor. a que 783.. “produzir como conseqüência”.. você aspira na vida? qual a alternativa que melhor preencheria as lacunas? a) b) c) d) e) que.. que... o texto faz referência. Ele chegou ao curso às dez horas. III.. 90 Prof. o filho pródigo foi bem recebido. como se vê em: a) Quando era pequeno.. 784. a boneca de pano a que me referi”. com que b) de que. de que. 3.. 4. os lavradores dispõem para proteger a lavoura sem prejudicar o solo”.. Lembre-se . nome não me lembrava. De acordo com a regência verbal.. nos períodos I e III. Volume Único . realização sempre duvidara.Assinale a opção em que o verbo exige a mesma preposição que referir-se em “. de que 786. d) O banqueiro implicou-se em negócios escusas. a que. “O projeto. a preposição de cabe: a) b) c) d) e) nos períodos I e II. filme você assistirá a noite? . a que.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. Cientificaram-lhe . se feriu desapareceu.Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada. que. que uma pessoa muito querida aniversaria neste mês. não obterá bons resultados.Quando implicar tem sentido de “acarretar”.. isso implica em gastar mais dinheiro. O noivo chegou atrasado na igreja.Em: 1.Assinale a opção em que o verbo chegar apresenta regência censurada pela gramática normativa. baseada em caprichos.... que c) que. . a) b) c) d) e) Ele chegou na hora do almoço..Gramática 781. o qual d) e) ao qual. cujos a que. b) Lembrou-me a inusitada transformação por que passa a universidade brasileira.

. 4. e . a) em seis.Marque a alternativa que completa: Éramos .. Estes são os livros que precisamos.. Esse foi um ponto que todos se esqueceram.. cargo com ardor. e) Chamei-lhe sábio.. pois não lhe interessa. estime-.. 800. Preferia brincar a trabalhar. d) O presidente assiste em Brasília há quatro anos.. 5. Os fracos abdicam . Preferia mais brincar a trabalhar.jogo. Sua mente é escassa de boas idéias..Assinale a alternativa incorreta quanto à regência verbal. Meu amigo perdoou ao pai. Paulo. a) Ele custará muito para me entender. a) 1 – 2 b) 3 – 4 c) 2 – 5 d) 3 – 5 e) 2 – 3 792.Escolha a alternativa que completa corretamente as lacunas. 91 797.. prefiro João .Assinale a alternativa correta quanto à regência.. as com erro de regência nominal. O governo deve assistir . a) b) c) d) e) A peça que assistimos foi muito boa. então. ao c) seis. simpatia.. a) de que – com as b) a que – com as c) que – as d) à que – às e) que – com as 791. chamei o contínuo e mandei . ao e) em seis.. mais gosto... O ideal que aspiramos é conhecido por todos. 793.. porque aspiram o ar puro.. 2.2007 . Os inseticidas são nocivos às aves que se alimentam de sementes e insetos... assistindo . É um regulamento . a) b) c) d) e) a – por – menos do que – por – menos a – para – menas do que – com – menas do que – para – menos 801. Edson Volume Único . .. 1. vi. a 799. c) O esporte de que gosto não é praticado no meu colégio.. sempre que precisar... 798. . a) Nós nos valemos dos artifícios que dispúnhamos para vencer.. luta pela vida. quando apenas casada. entre as orações abaixo.. c) Em todos os recantos do sítio. 4. 3.Como não .. quem sinto .Quanto a amigos. Lembrou ao amigo que já era tarde. pois sempre soube decifrar os enigmas da vida. .. o b) em seis. Prof.Assinale a alternativa que apresenta incorreção quanto à regência. 1. Sou avesso aos abusos de certas autoridades. trabalhadores. 795.. Guimarães Rosa é o escritor que mais aprecio. 3. Moraram na rua da Paz... Os presidenciáveis aspiram .Gramática 790. b) Hei de querer-lhe como se fosse minha filha. . a) b) c) d) e) Preferia brincar do que trabalhar.. Esta função não é compatível de sua dignidade.o d) seis. d) Sua beleza lembrava a mãe..Assinale a alternativa que indica. a) b) c) d) e) os – os – recorra a eles lhes – os – recorra a eles lhes – lhe – recorra-lhes os – lhes – recorra-lhes os – lhes – recorra a eles 794. Preferia mais brincar que trabalhar. tradições da firma. a) b) c) d) e) lhe – ele – procurar você o – o – procurá-lo lhe – o – procurá-lo o – ele – procurar-lhe lhe – lhe – procurar-lhe 5.O projeto . ninguém obedece.Assinale a única alternativa incorreta quanto à regência do verbo.. O filme de aventuras é o . Preferia brincar à trabalhar. Lembrou de todos os momentos felizes. em observância ao regime dos verbos.São excelentes técnicos. . . Ele é versado com a arte de enganar os trouxas.Obedeça-. a) b) c) d) e) os – que – o – da – a que os – que – ao – pela – que aos – do que – o – da – a que os – de que – o – pela – de que aos – de que – ao – da – a que 796... as crianças sentemse felizes... b) Ele preferiu pudim a groselha. e) Não digo com quem eu simpatizei. a) cuja b) de cuja c) que a d) de que a e) dos quais a 802. 2.. a) b) c) d) e) Perdoou nosso atraso no imposto..Indique a alternativa correta. colaboração não podemos prescindir. estão dando andamento é incompatível .

805. c) Prefiro aspirar a uma posição honesta que ficar aqui. 806. a) à. à.. TEXTO PARA A QUESTÃO 811 A escola deve ser contínua (I). o teatro. a. em todos os períodos. à d) a. a. apresenta incorreção gráfica ou gramatical. à.. marcenaria. sempre disposta a aumentar o prestigio. nos períodos I e II.” a) a. II.Em qual alternativa a crase foi empregada corretamente? a) Não se esqueça de chegar à casa cedo. à d) a.. A assistente social prestou assistência as mais necessitadas pessoas.2007 808. Observava. à b) à.Dados os períodos: I.. sistema de férias e outras vantagens. à b) há. há. há. à b) à. bem. distância. uma estátua que . encadernação.Gramática 803. o ensino religioso e a celebração (III) do culto. à e) há. Com a eloqüência habitual. em negrito. a) b) c) d) e) o queria – lhe tratava – mau o queria – o tratava – mau lhe queria – lhe tratava – mau lhe queria – o tratava – mau lhe queria – o tratava – mal 809. e) V Volume Único . a) Antes prefiro aspirar uma posição honesta que ficar aqui.. deve-se (III) oferecer a cada interno os programas que lhe for adequado (IV). nenhuma das presentes. pois a uma hora da madrugada é um perigo andar a pé. c) III. IV. Chegou . computação.. logo ... Não se referira . d) A jovem que há pouco foi entrevistada é aquela de que eu lhe falei. O ensino profissional é de extrema importância. I. à. tudo contribui para a socialização e humanização dos internos. O oferecimento de tais oportunidades aos presos despertará neles a consciência (IV) de sua dignidade Prof. a.. já que ao se fazer o bem não se olha à quem. os painéis (I) de discussão (II) sobre filmes.. tornearia mecânica... a c) a.. a. a) A jovem que eu lhe falei à pouco vai ser entrevistada. a.“Agradeço . à. a. Viu-se frente .” a) à. 807. à d) a.A mãe não . à 804. funilaria.. à. a pintura e escultura. a. nos períodos II e III.Assinale a alternativa correta. a TEXTO PARA A QUESTÃO 812 A música. e) A jovem que há pouco foi entrevistada é aquela que eu lhe falei. humor. à. e) Suas previsões não deixaram de ter razão... uma hora da madrugada. com preparação e vocação específicas. nos períodos I e III. a. à. entrada do grande bosque. a c) à.. b) Prefiro aspirar uma posição honesta que ficar aqui. à. respeito. V. à. a. Desandou . à. oportunidade para manifestar minha opinião . frente com o inimigo. há.. acabou morrendo. agricultura. à. Edson 92 . a e) a.. e) Prefiro aspirar a uma posição honesta a ficar aqui. assinale a opção cujo termo ou expressão precedente. .. vinte quilômetros. sozinho.. à. o viajante encontrará...Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas. deduz-se que o sinal indicativo da crase está corretamente empregado: a) b) c) d) e) apenas no primeiro período. etc. correr ladeira abaixo. d) Prefiro antes aspirar a uma posição honesta que ficar aqui. d) IV.“Daqui . a. o que estava acontecendo.... a. À força de tanto emagrecer. à c) à. III.. a.. b) A jovem que a pouco foi entrevistada é aquela que eu lhe falei. III. eletrônica. a e) à. b) Prefira isto aquilo. bem. nem . deusa da floresta. Nas prisões. a) I b) II. c) A jovem de cuja eu lhe falei há pouco foi entrevistada é aquela que foi entrevistada. séculos foi erigida em homenagem . uma vez que (II) são condicionados aos programas públicos. à. pois o detento dispõe (V) de todo o tempo para aprender eletrotécnica. Vossa Senhoria . Os professores de escolas publicas não são adequados para trabalhar em presídios. a. telefonia.Leia as frases abaixo e assinale a que está correta.. e as aulas ministradas por professores penitenciários. falava a qualquer pessoa. c) Já que pagaste àquelas dívidas à que situação aspiras? d) Chegaram até à região marcada e daí avançaram até à praia. No texto anterior.. isso talvez explique o seu . a. 811. a 810. II.

1992-1993. Loyola.Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília. 80. _____________ nada se compara ao que acontece quando quem troca de lado é alguém que pertence aos quadros da polícia. o quinto e o sexto períodos sintáticos do texto admitem constituir um só período. A pessoa que recebe uma proposta para trabalhar em outra cidade vive dois momentos. São Paulo: Atual. p. 93 813. com adaptações. 5. esses convites representam uma promoção o que significa maior salário e um avanço na carreira. 14). Edson Volume Único . o terceiro e o quarto períodos sintáticos do texto admitem constituir um só período sintático ligados pela conjunção pois. e) Mantém-se o valor adversativo da oração substituindo-se “no entanto” (L. a) Porquanto b) Em segundo lugar c) No entanto d) Contrariamente e) Por outro lado TEXTO PARA A QUESTÃO 815 Prof. seria correto colocar a) b) c) d) e) duas vírgulas isolando “a maior parte” (Ls. p. d) IV e) V TEXTO PARA A QUESTÃO 814 É terrível quando um servidor público muda de lado. 12). O fato de que muitos policiais se envolvam no crime não quer dizer que as corporações como um todo sejam corruptas. A violência. Violência urbana: dilemas e desafios. c) III. e) V. Direitos humanos no Brasil. de forma correta e coerente. a) I. No texto acima. 17/6/99. ora é um técnico do governo que repassa informações privilegiadas sobre juros ou câmbio. b) II. (Andréa Buoro e outros. assinale a opção cujo termo ou expressão precedente. TEXTO PARA A QUESTÃO 816 Vamos mudar de cidade? Quem já passou por isso sabe. apresenta incorreção gráfica ou gramatical. duas vírgulas isolando “não se pode mais” (L 12).No texto acima. assinale a opção cujo termo ou expressão precedente. apresenta incorreção gráfica ou gramatical. a palavra “Infelizmente” exerce a função sintatica de objeto direto da forma verbal “diga-se”.) 812. d) IV. TEXTO PARA A QUESTÃO 813 As palavras que (I) nos reportamos para falar da violência em nosso cotidiano são as mesmas que encontramos nos textos teóricos que tratam do tema: ela aparece associada ao caos (II). c) III. em troca de uma caixinha. O segundo momento é o da preocupação. diga-se. Outras dúvidas. podem ser esclarecidas com a ajuda de quem já passou por isso. Será que a família vai gostar da notícia? A mulher (ou o marido) vai concordar com a mudança? Deixaria o emprego por você? E as crianças? Será que elas vão adaptarse a outra escola? A maioria das questões em tomo da mudança só será respondida se o convite para trocar de cidade for aceito. da estabilidade. 814.) É preciso ressaltar que a grande maioria dos policiais brasileiros é constituída de gente honesta e trabalhadora. a) I. confrontando-nos (V) com a fragilidade da condição humana. Uma situação de violência se caracteriza pela ruptura (IV) da normalidade. em negrito. com adaptações. (Hélio Bicudo e Roberto lanini . Assinale a opção incorreta a respeito das estruturas sintáticas do texto. uma vírgula após “enérgicas” (L. Algumas providências mais enérgicas precisam ser tomadas para afastar os criminosos. ensina uma empresa a burlar a fiscalização. No texto acima.Gramática e o reconhecimento do trabalho que a sociedade lhe (V) dedica. em negrito. O índice de envolvimento de policiais com o crime no entanto é tão alto que não se pode mais depender da boa intenção dos honestos para recuperar o prestígio e a eficiência da instituição no Brasil.13) por “porém”.Assinale a opção cujo termo ou expressão completa. a lacuna do texto acima. b) II. Também não quer dizer que a maior parte da força policial brasileira deixe de preocupar-se com o mau comportamento de alguns colegas. 1999. 815. com adaptações. à falta de regras. 8) e “Deixaria” (L. Em geral.) 816.2007 . (Veja. mas isso acontece. à (III) imprevisibilidade. ligados por dois-pontos. Ora é um fiscal que. c) As formas verbais “vai concordar” (L. Infelizmente. b) Pelo sentido. uma vírgula antes de “depender” (L. revela a nossa vulnerabilidade. no entanto. O primeiro é de felicidade máxima. 8) referem-se ao mesmo sujeito. d) Na linha 12. do equilíbrio. duas vírgulas isolando “no entanto” (L 11). 5 e 6). ou a vivência de uma situação violenta. a) Pelo sentido. Muitos policiais honestos ficam indignados com a péssima imagem que seus batalhões e delegacias passaram a ter por causa dos maus elementos.

II . Quanto às regras de ortografia oficial. Com relação a aspectos gramaticais do texto. d) 4. Foi conhecer o local em que iria trabalhar.9) por sufoca. faz-se obrigatória a substituição de a) “imperam” (L..Nos fragmentos abaixo (todos de Machado de Assis). que lhe comera o papel. passou quinze dias sozinho na capital do Ceará.” d) “. as quais sufocam aos valores da igualdade. A globalização é um fato inquestionável e tem na informação seu maior agente propulsor.substituir a vírgula depois da palavra “nós” (L..8) por impera.. estavam solucionados havia muito tempo: desde o médico de confiança até o cabelereiro. entrou-lhe o amor no coração. ante um convite. V. reforçando a desigualdade estrutural existente em nossa sociedade.substituir o ponto final depois da palavra “sociedade” (L. de uma democracia participativa. de que o exercício da cidadania ainda está distante para a grande maioria do nosso povo e mesmo diante dessa injustiça. IV . e) “persistem” (L.Todas as palavras do texto estão corretamente acentuadas. exceto em um caso. 12) V . principalmente.. d) Os especialistas em recursos humanos contam que. No texto. b) “sufocam” (L . será necessário corrigir a palavra “coorporativismo” (L. a) “. 1). “Meu maior medo era por em risco a estabilidade da minha família”.Para que as regras de ortografia sejam respeitadas. Todos são unânimes em dizer que a experiência vale a pena. para que as regras de concordância nominal e verbal da norma culta sejam respeitadas.. b) O contador M.Nas linhas 9 e 10. 818.” e) “. Para que o primeiro parágrafo do texto seja pontuado de acordo com as regras gramaticais. IV . 6) por uma vírgula.” c) “Fortunato cortava ao rato uma das patas (. há no rosto de Garcia uma expressão de severidade.20) por necessária. uma política alternativa que promova o desenvolvimento social por intermédio da educação. o desemprego cresce a cada dia. recebeu uma proposta financeiramente inrecusável de se mudar para Fortaleza. onde imperam o individualismo. cujo período. revertendo o processo de exclusão em que vivemos.retirar a vírgula depois da palavra “modelos” (L. 821.. há erro de regência. e) 5.Para que as regras de regência sejam respeitadas. A quantidade de itens certos é igual a a) 1. b) 2. III . . nas suas diversas esferas.. como se acabasse de descobrir-lhe o coração. da solidariedade e. c) “reduz-se” (L. apesar de eventuais percalços. que lhe não é habitual. julgue os itens a seguir. Edson Volume Único .” b) “Manso e manso. mostrou-se enraivecido contra o animal. Para evitar que a mulher e os filhos fossem envolvidos em uma aventura.) dispôsse a fazer o mesmo à terceira.2007 94 . Para garantir o acesso e a participação nesse novo processo. 819. 3). fazse necessário a superação dos vários tipos de coorporativismo que ainda persistem em nosso meio. Começa. os roubos se misturam a miséria e se alastram como um câncer. são conhecidas e sentidas por todos nós.Nas linhas de 17 a 19. c) Pesquizou referências de escolas para as crianças e visitou alguns bairros para decidir onde morar. Levando-nos a viver sob a égide das chamadas leis do mercado. será necessário I .retirar a vírgula depois da palavra “conscientes” (L. d) 4. será necessário empregar o sinal indicativo de crase em mais de uma ocorrência do vocábulo “a”. a maioria das pessoas aceita e viaja. assinale a opção correta. III . d) “necessário” (L. Aponte-o. pois já lhe havia cortado a primeira. o pronome lhe está sendo usado com sentido possessivo. Acreditamos ser plenamente possível conciliar prioritariamente o combate a exclusão social e a estabilidade da moeda. 820. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 818 A 820 Somos conscientes. c) 3. então uma dura fase de adaptação. o que reclama do poder público.incluir uma vírgula depois do termo “e” (L. A quantidade de itens certos é igual a a) 1 b) 2. a) VEJA entrevistou várias pessoas que mudaram de cidade a serviço e ouviu sobre o assunto profissionais de recursos humanos. e) E o tempo sufisciente para que se estabeleça uma nova rotina e se resolvam alguns problemas que.15) por reduzem-se.21) por persiste..M. os valores morais se degeneram e a cidadania reduzse a mero substantivo. de acordo com quem já passou pela experiência. e) 5. há erro de concordância verbal. 21) II . a competitividade e o consumismo. dura acerca de um ano. satisfeitíssimo com a troca. As conseqüências geradas por esses modelos. convivemos com governos que subordinam o desenvolvimento social aos seus modelos de políticas econômicas.13) por dois-pontos. na cidade antiga.. I . declara M.. c) 3.Gramática 817.” Prof. apertou o pulso ao marido. risonha e agradecida.

pela qual não posso reagir. como a nossa. mas é por causa da despesa que estou dando. indispensável à vida humana. bem como redução no prazo de recolhimento dos impostos. 823. estados com 90% do orçamento comprometido com salários e aposentadorias. orientada. c) A linguagem é um mecanismo indispensável à vida humana. assinalar intercalação.Gramática 822. 828. marcar omissão de termo. b) Era certo que os livros tinham sido remetidos por eles. indispensável à vida humana. No entanto. 825. b) O político deixou claro. indignado. na segunda. d) A linguagem é um mecanismo. c) Além de demonstrar que sua prefeitura é uma das que está quite com as obrigações tributárias. da vida. Prof. irresoluto. da vida que como a nossa. c) Era certo que os livros me teriam sido remetidos por eles. e) A linguagem. é plasmada. antes e depois da oração destacada. na primeira. 826. a) b) c) d) e) indicar coordenação. os impostos que a prefeitura arrecada.Identifique o texto que está de acordo com as regras de concordância nominal e verbal do nível culto da língua. indefesso. da vida que. quanto à pontuação. d) Era certo que os livros me tivessem sido remetidos. que não posso reagir. é plasmada. dos membros da própria espécie. graças ao acúmulo. como a nossa. contra a qual não posso reagir.Assinale a opção que contém o sinônimo da palavra sublinhada no texto: “Benedita se revelou uma mulher de ânimo incansável. os dados exaustivamente analisados pela comissão não permite ao auditor fazer uma avaliação segura. estados com 90% do orçamento comprometido com salários e aposentadorias.2007 . enriquecida e tornada possível graças ao acúmulo de experiências passadas dos membros da própria espécie. enriquecida e tornada possível graças ao acúmulo de experiências passadas dos membros da própria espécie. Ressaltou. é justificado por.Confrontadas as orações: “O preço do leite vai subir” e “Se o leite subir”. principalmente em seu último discurso. b) A linguagem é um mecanismo. separar substantiva apositiva. para implementar programas de assistência social. é plasmada. que cada uma das orações exprime significado diferente. denotação.” a) b) c) d) e) insubmisso. é plasmada. da vida que como a nossa.Leia a frase seguinte: “Outra coisa que me chateia e não posso reagir é quando as visitas dizem que sou a cara do pai. orientada. o prefeito assegurou que não bastam. ainda. choro muito. enriquecida.” a) Era certo que os livros me seriam remetidos por eles. d) Devia existir. de experiências passadas. verifica-se: a) b) c) d) e) denotação em ambas as orações. ao período: “Era certo que eles me remeteriam os livros. na primeira. conotação. na segunda. não significaria o repasse do aumento da carga tributária para os preços finais dos produtos.” A oração grifada deveria. graças ao acúmulo de experiências passadas dos membros da própria espécie. O texto correto. orientada. a sua intenção de manter oposição ao Governo.Leia a frase seguinte: “Quero esclarecer que. enriquecida e tornada possível. ser substituída por: a) b) c) d) e) com a qual não posso reagir. na qual não posso reagir. é plasmada. e) Deviam haver.Assinale a opção cujo sentido corresponderia. é um mecanismo. conotação. da vida que. conotação em ambas as orações. orientada. No entanto. 824. denotação. é: a) A linguagem é um mecanismo indispensável à vida humana. a) Corroído pela irresponsável equação que condena o setor público a ampliar indefinidamente a despesa a partir da estabilidade do funcionalismo.” O emprego da vírgula. 827. que seria ingênuo achar que mexidas para cima nas alíquotas do IPI e do IOF. enquanto a receita é podada pela inflação e a sonegação -os orçamentos ficaram totalmente vulneráveis. os dados exaustivamente analisados pela comissão não permite ao auditor fazer uma avaliação segura. quando molho a fralda. indispensável à vida humana. enriquecida e tornada possível. embora o relatório não mencionasse. embora o relatório não mencionasse. isolar adjetiva explicativa. e) Era certo que os livros me seria remetidos por eles. na voz passiva. Edson 95 Volume Único . orientada. que como a nossa. tendo em vista a correção gramatical. e tornada possível graças ao acúmulo de experiências passadas dos membros da própria espécie. entibiado.

“Farta de ouvir os _______ dos animais. O legislador municipal é inteiramente livre para tributar. não é um assunto que preocupa as paulistanas. predatório ou inerme (5). Nossa inflação teria-se agravado. Os meninos freqüentarão escolas sectárias. c) Dizem elas que o chefe onipotente está em extinção e que predominam.alcançasse — cessação — experiências guinchos . Povos podem ser levados à morte em lutas intraraciais. e) Embora poucas tenha-se sentido discriminadas na carreira. O Brasil está sendo precursor neste tipo. mesmo que não existissem pressões no exterior. sem ser indelicada”.” a) b) c) d) e) cujo nome dele eu não falo cujo nome eu não falo cujo o nome eu não falo que o nome dele eu não falo de que o nome eu não falo 832.”É esporádico. Limitado ao horizonte restrito que o pacto com a burguesia a conferia.cessação . Aos poucos o grupo biológico e cultural desaparece. e) Os meninos freqüentarão escolas precárias. fixar as alíquotas e isentar. b) Poucas mulheres confessaram-se já assediadas no trabalho. e) Embora a política de estímulos à exportação tenha tornado a economia brasileira muito mais sensível as variações da conjuntura externa. Edson . de forma plena. Tive de assumir uma postura rígida. c) A década de 50 foi o palco onde se delineou as condições para a consolidação da industrialização brasileira e. mas acontece.seção . após 1964. 830. Indique a opção que substitui o segmento sublinhado no trecho abaixo.Assinale a opção que contém erro. se produtivo.alcança-se — seção — esperiências 96 834. mormente nas regiões metropolitanas e nas macrorregiões (1). podendo utilizar a progressividade das alíquotas no tempo para forçar o uso da propriedade em conformidade com a sua função social. a classe operária industrial tendeu manifestar suas insatisfações dentro das categorias burguesas. o momento onde as contradições sob as quais se firmou o pacto de classes ganharam impulso até explodirem na década de 60.Gramática 829. O imposto imobiliário é fiscal e extrafiscal (2). Assinale a alternativa correta de acordo com o padrão culto da modalidade escrita da Língua Portuguesa. tema polémico nos Estados Unidos. não há por que exagerar os seus efeitos.experiências guinxos . a) A entrada massiva de capitais estrangeiros e a efetiva ingerência do Estado na economia marcaram a entrada do Brasil no capitalismo monopolista.Marque a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto abaixo.alcança-se .experiências guinchos .” a) b) c) d) e) guinchos . Nossa inflação teria-se agravado. que se configurou. como melhor lhe aprouver (4). faltando poucos dias para as eleições. a mulher pediu ao amigo que _______ do marido a ________ das _________ de anatomia com cães e gatos. contraditoriamente. “Na mesma época. apesar do pessimismo e da incerteza que assolam o país.alcançasse . pessoas bastante esclarecidas.cessação . mesmo que não houvessem pressões no exterior. d) Embora a política de estímulos à exportação tenha tornado a economia brasileira muito mais sensível as variações da conjuntura externa. sob a égide do modelo de desenvolvimento associado. d) O assédio sexual no trabalho. d) Povos podem ser levados à morte em lutas fratricidas. b) Aos poucos a etnia desaparece. Há povos que desaparecem epicamente. hoje. Volume Único . disse uma das entrevistadas. no campo e na cidade. não falo o nome para não sujar a minha boca. Doravante compete aos munícipes (3) orientar a política agrária e urbana. não há por que exagerar os seus efeitos. c) O Brasil está sendo pioneiro neste tipo. Aos municípios compete definir como querem o entorno rural.2007 831. 833. impondo sua ruptura. a) Pesquisa DataFolha mostra que as paulistanas estão satisfeitas com suas perspectivas profissionais. entre os itens sublinhados. com adaptações) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 Prof. ganha a sociedade com a “concorrência fiscal” entre os municípios.experiências guinxos . b) Do lado do operariado faltou um organismo capaz de captar as suas reinvindicações e convertê-las em instrumento de elevação do nível de consciência de classe. muito longe do primeiro colocado. Com isso. (Sacha Calmon Navarro Coelho. eu estava em terceiro lugar.A substituição da palavra sublinhada prejudica o sentido original do contexto em que aparece na opção: a) Há povos que desaparecem heroicamente.Indique. passando-o do estilo coloquial para o estilo formal e culto da Língua Portuguesa.alcança-se . quase todas são unânimes em admitir que a possibilidade de gravidez e filhos são empecilhos freqüentes para a contratação de mulheres. que eu. nos cargos de direção e chefia. o que contém erro gramatical ou impropriedade vocabular.

nos grupos cujas línguas desapareciam mais ou menos..consequência. b) “Feliz” e “vadio” são adjetivos que exercem as funções de predicativos de seus sujeitos. um pronome relativo e um pronome demonstrativo. o primeiro verbo é auxiliar e o segundo é o principal. d) Há erro de linguagem nos trechos 1 e 2. Indique a letra que contém a proposição correta em relação aos três trechos abaixo (adaptados de Folha de São Paulo. d) Isso. dois predicados verbais. eminente — insipientes — consequência. falando ao tempo da divisão a mesma língua. c) “Nunca” é um advérbio que atualiza as circunstâncias de tempo e de negação. esse processo de contínua diferenciação lingüística (com desaparecimentos conjunturais de línguas e seus usuários) se saturou.com adaptações). por não mais se intercomunicarem. e) Todos os trechos contêm erro de linguagem. a ter ocorrido. coexistindo. eminente . ocorra a fusão de duas línguas numa só. três predicados nominais. Prof. 838. tornar-se-á: a) Sede trabalhadores e vós também sereis venturosos. pois os jogadores demonstraram usar métodos poucos sábios na realização dos preparativos finais para a partida decisiva. sem que haja alteração do sentido da sentença apresentada abaixo. tem-se: Quem pode dizer orgulhoso que nunca foi vadio é feliz. d) Sejam trabalhadores e vocês também serão venturosos. / Devo ao trabalho o que sou.”. 840. / Devo ao trabalho o que sou. com o processo de unificação lingüística.Escolha.deixando elementos vestigiais na língua perdurante. (Antônio Houaiss . grupos que.insípidos . c) Sê trabalhadores e vocês também serão venturosos. a sugestão “Seja trabalhador e você também será venturoso”. a que propõe a substituição dos termos ou expressões em destaque. a) Eis uma realidade fortemente provável: os homens devem falar desde que existem como homens. e exceção muito rara. assinale a opção incorreta. em breve. de 26/7/93). sobretudo no léxico. “Tal como a chuva caída / Fecunda a terra no estio / Para fecundar a vida. em relação às outras..incipientes . clã . com plenos poderes.” (Olavo Bilac) 836. nova. modificavam sua língua. das quais uma era o proprietário e da outra era o procurador. em alguns pontos do ecúmeno. quanto à morfossintaxe.Considerando a sentença contida no texto. confrontando-se povos com línguas diferentes (oriundas ou não da mesma genealogia). Leia o texto para responder às questões de 836 a 838. / O trabalho se inventou. a) O adjetivo “orgulhoso” está exercendo a função de predicativo do objeto. b) Nenhum dos três segmentos apresenta erro de linguagem. terse-ão multiplicado e progressivamente dividido em grupos. b) A partir de certo momento da ocupação do planeta pelo homem. cujo proprietário e procurador plenipotenciário de uma delas era ele próprio. eminente .Em “se hoje sou venturoso. Parecia estar prestes a acontecer a desclassificação. verificou-se que o coordenador de merenda escolar do Estado X criara duas empresas particulares. e) Reescrevendo a sentença na ordem direta.2007 . b) Sejam trabalhadores e vós também sejais venturosos. d) Na locução verbal “pode. simultaneamente. 839. dotado de plenos poderes. parece ter sido exceção. a) b) c) d) e) eminente — incípidos — concecussao. iminente . 1) Auditoria do TCU revela que o coordenador de merenda escolar do Estado criou duas empresas particulares. entre as alternativas.Seguindo as normas gramaticais da língua culta. e) Sejais trabalhadores e vocês também serão venturosos. se for expressa na terceira pessoa do plural. c) Apenas o trecho 1 está vazado em linguagem escorreita. nação. a) O trecho 3 é o único que apresenta erro de linguagem. 837. mais ou menos documentadas diretamente. nesses lugares e a partir de então.acabasse por sobrepor sua língua a dois. Em uma aparecia como proprietário e em outra como procurador. / Feliz quem pode orgulhoso / Dizer: — Nunca fui vadio / E se hoje sou venturoso. mais ou menos numerosas. um pronome pessoal do caso oblíquo.Assinale o segmento do texto que contém erro de estruturação sintática ou semântica. O “normal” aos processos de unificação lingüística parece ter sido que um grupo povo.Gramática 835. 2) Em auditoria efetuada pelo TCU. e) Unificações desse tipo. Edson 97 Volume Único . c) Essa expressão pode induzir à suposição de que. ocorreram na história humana pelo menos a mais de oito mil anos.consecução. Dizer”. gente.insipientes . há apenas: a) b) c) d) e) duas vezes o sujeito eu.concecussao. cinco. 3) Equipe de auditores constataram que o coordenador de merenda escolar do Estado X criou duas empresas particulares. em discurso direto. temporalmente. dez.

000. já que a ocorrência na linha 4. de regência e de concordância. A titularidade jurídica internacional dos indivíduos é hoje uma realidade irreversível. b) Desde a chegada do novo prefeito. Direito & Justiça. nas palavras “pratica” e “pais”. constituída de seres humanos organizados socialmente em estados e coextensiva com a própria humanidade. 844. b) Para que o segundo período estivesse correto. que admitiu o crime. Paulo Marinho hoje deputado federa) defende-se das acusações. c) Paulo Marinho. José Ribamar. há apenas erros de acentuação gráfica.) 843.3). e) No quinto período. 842. é acusado de ter desviado mais de R$ 1. 27/10/1999. O inquérito da Polícia Federal vai dizer quem está falando a verdade. O Acesso direto à justiça internacional. uma incoerência. Correio Braziliense. e) O prefeito Hélio Queiroz. inicia-se por minúscula. TEXTO PARA A QUESTÃO 842 A consciência humana alcança em nossos dias um grau de evolução que torna possível — como ilustrado recentemente pelo caso dos “meninos de rua” decidido pela Corte Interamericana — fazer justiça no plano internacional mediante a salvaguarda dos direitos dos marginalizados ou excluídos. uma pequena firma de propriedade do engenheiro José Ribamar Costa Serra. no plural. (Antônio Augusto Cançado Trindade. admitiu o crime . p. no Maranhão.. seria admissível a seguinte reescritura: Boa parte desses documentos foi emitida pela Sercil Engenharia. Boa parte desses documentos foram emitidos pela Sercil Engenharia uma pequena firma de propriedade do engenheiro José Ribamar Costa Serra que admitiu o crime. 6) constitui uma violação das regras gramaticais. (IstoÉ. devido à estrutura sintática em que ocorrem.000. a) Na linha 2. a) No primeiro período do texto. está sendo acusado de crimes políticos. cujas normas têm por destinatários últimos os seres humanos. c) existem vários casos relativos a “meninos de rua” tramitando na Corte Interamericana. respectivamente em “enriquecer-lhe” e em “mas”. notas frias vêm reiteramente sendo emitidas com o intuito de camuflar o orçamento da prefeitura. a forma verbal “sustentavam” está empregada no plural porque deve concordar com “fundadores”. mediante a retirada de vírgulas e a introdução de erros de grafia. d) Na linha 6. vem ganhando indícios de uma verdadeira farra orçamentaria. a) A Polícia Federal identificou em Caxias. com adaptações. o que poderia ser um crime administrativo banal. os escritos dos chamados fundadores do Direito Internacional sustentavam o ideal da civitas máxima gentium. A respeito das estruturas lingüísticas do texto acima. d) A firma Sercil Engenharia está envolvida na emissão de notas frias. c) O emprego da inicial maiúscula na palavra “Estado” (L. e) toda realidade irreversível salvaguarda os direitos humanos. e) O emprego textual de “últimos” (L. há um erro de regência verbal e um de grafia. No município de Caxias a 350 quilômetros de São Luís o que poderia ser um crime administrativo banal vem ganhando indíssios de uma verdadeira farra orçamentaria O atual prefeito da cidade Hélio Queiroz (PSDB) recolheu centenas de notas fiscais que garante serem frias e que teriam permitido a seu antessessor Paulo Marinho (PFL) desviar mais de R$ 1 milhão do caixa municipal. c) No terceiro período. Julgue os itens a seguir com relação ao texto. um novo tipo de fraude ao fisco. deveria ter sido escrito como se segue: No município de Caxias. além dos crimes fiscais. Nenhum Estado pode considerar-se acima do Direito. TEXTO PARA AS QUESTÕES 843 E 844 O texto abaixo foi modificado intencionalmente. Prof.2007 98 . As notas frias de Caxias Uma pratica tão ilegal quanto comum nas prefeituras do interior do pais chamou à atenção da Polícia Federal no Maranhão.) 841.Gramática TEXTO PARA A QUESTÃO 841 Nos séculos XVI e XVII. com adaptações. a 350 quilômetros de São Luís. há um erro gráfico na palavra “antecessor”. d) Para que o quarto período estivesse gramaticalmente correto.00 do caixa da prefeitura. Subentende-se do texto acima que a) a justiça para com os marginalizados e excluídos é possível. podem ser tomados como sinônimos. b) Pelo caráter explicativo da oração. o pronome “cujas” corresponde a em que e refere-se a “Estado”. O esquema que serviria para enriquecer-lhe só comprometeu ainda mas suas finanças. d) fazer justiça independe da evolução da consciência humana. julgue os itens seguintes. l. julgue os itens subseqüentes. 6/8/ 2001. seria correto incluir a expressão que era imediatamente antes de “constituída” (L. Edson Volume Único . 7) significa que o Estado e o Direito vêm antes dos seres humanos e são mais importantes que eles. já que seu proprietário .Quantos às idéias do texto. b) os termos “marginalizados” e “excluídos”. linha 6. do PFL.

a) A expressão “diretor-geral da UNESCO” (Ls. 40-1. elas ajudam a manter em uma temperatura aceitável esse barril de pólvora. Depoimento IV (Juliano. Veja Jovem. Essa comunidade se rege por normas próprias e rígidas. ninguém se sente no céu.A propósito do texto acima assinale a opção incorreta. d) Subentende-se de todos os depoimentos que a violência urbana é conseqüência do modo de vida capitalista. o texto acima. Prof. correta e coerentemente. muitos trocarão o purgatório por um inferno: a tentativa de reintegração na sociedade. 15 anos) A violência muda nossa rotina. com adaptações. a Casa de Detenção do Carandiru forma uma sociedade estranha. Eis alguns desses depoimentos. Em um bar. pois sei que é um lugar seguro. 45. 99 Volume Único . é claro. com adaptações. Depoimento II (Luciana. Depoimento I (Camila. c) Morar nele não significa a mesma coisa para todos os presos. Há uma rua próxima de minha casa que é bem escura. Entrevista. a revista Veja reuniu garotos e garotas de classe média de São Paulo. c) O fator distância é decisivo para os jovens: quanto mais longe de casa. 8) corresponde semanticamente a o dever prioritário. Rio de Janeiro: Oaramond. sublinhou que ensinar cada um a respeitar e a fazer respeitar os próprios direitos humanos e os dos demais. e) Além desses faxineiros e dos professores. (Frei Betto. entre 14 e 18 anos. E a segurança de um lugar pesa bastante na hora de escolher um programa. b) Quando policiais encarregados de reprimir o crime saem às ruas para cometê-lo. Prefiro dar uma volta maior para chegar em casa a correr o risco de sofrer algum tipo de violência. o senhor Amadou-Mahtar M’Bow. No dia da liberdade. a) Embora pareçam despropositadas para quem está de fora.000 presos. prefiro ir a um shopping. Direitos Humanos. mas sempre com mais gente. outros 1. Entra qualquer um. mesmo nas mais difíceis: tal é o principal imperativo do nosso tempo. Educação em direitos humanos. TEXTO PARA A QUESTÃO 846 Com uma população de 7. fornecendo mão-de-obra para cerca de quinze empresas. É um choque cruzar aqueles muros gigantescos e encontrar um mundo bem mais rico e complexo que o descrito nas reportagens sobre rebeliões. fico muito exposta. a coragem de afirmá-los em quaisquer circunstâncias. que tem um código de conduta todo próprio. 26/8/98.) 847.Gramática TEXTO PARA A QUESTÃO 845 No Congresso Internacional sobre Ensino dos Direitos Humanos. (Veja. só acompanhada.7) é o plural de qualquer. 17 anos) Também não ando mais sozinha. set. julgue os itens a seguir. celebrado em Viena. p. Depoimento III (Lígia. Lá dentro. e) Os depoimentos deixam de lado temas também polêmicos como o uso de drogas e a gravidez na adolescência porque foram tomados apenas de jovens da classe média. (A vida na bolha de plástico. nunca sozinho. tantas são as gírias internas. 846. o país está posto diante de um desafio. 16 anos) Tenho medo não apenas quando estou longe de casa mas também perto. Não passo mais sozinha à noite por lá. diretor-geral da UNESCO. d) A palavra “quaisquer” (L. b) A forma verbal “sublinhou” (L.Considerando o texto. /n: Chico Alencar. Quando saio.7). Assinale a opção que completa. e possuir. a forma pronominal refere-se a “cada um” (L. Fico também bastante atento para não ter nenhuma surpresa desagradável. 14 anos) Eu até saio e freqüento bares na rua. Edson a) A primeira oração do depoimento I resume o assunto do texto. mais temem a violência. TEXTO PARA AS QUESTÕES DE 847 A 849 A violência é a maior preocupação dos jovens: 64% deles morrem de medo de ser assaltados. Ali vive uma comunidade que fala um idioma apenas assemelhado ao português. na rua. e) A expressão “o principal imperativo” (L. c) Em “afirmá-los” (L. Para discutir até que ponto esse pavor altera a rotina dos adolescentes. com adaptações. uma linguagem peculiar e um dia-a-dia que combina violência e esperança. 3 e 4) está isolada por vírgulas por ser um aposto.4). pp. tédio e atividades educacionais e esportivas. em 1978.000 presos trabalham na Casa de Detenção.2007 . Evito sair à noite. cujo descumprimento pode levar à morte. 2001.) d) Esses três dias que o detento trabalha abatem um em sua pena. A qualidade de vida apresenta todos os matizes entre o purgatório e o inferno. 4) está sendo utilizada no sentido de falou enfaticamente. quando for necessário.) 845. b) A idéia comum a todos os depoimentos é não saio sozinho.

pacífica . mas por saltos ou revoluções.Assinale a opção em que aparecem antônimos das palavras sublinhadas na seguinte passagem: “. assinale a opção incorreta. d) A colocação de vírgula entre as palavras “linear” e “contínua” (L..docilidade .6) e “mas” (L. julgue as expressões destacadas do texto quanto à capacidade de indicarem o gênero do depoente. 2 e 3) pode ser substituído por ao estudar a questão das mudanças ou por com o estudo das mudanças e o período permanece correto. e) O último período do texto. Com respeito às estruturas lingüísticas do texto.. Edson Volume Único . de uma luta de vingança e ódio.) 850. em “morrem de medo” (L. 849. estudando as mudanças científicas. só acompanhada” (L. A ciência não caminha em uma via linear contínua e progressiva. o emprego da regência verbal em “Prefiro dar uma volta (. mais progressiva ou melhor de fazer ciência. 2) deve ser interpretado em seu sentido literal ou denotativo. de uma luta de vingança e ódio. a) O uso do sinal indicativo de crase em “às idéias” (L.. e sim como resultado de diferentes maneiras de conhecer e construir os objetos científicos.Gramática 848. não precisaria ser empregado o sinal indicativo de crase se fosse empregada a forma plural: as noites. 20 e 21) revela um emprego informal. com adaptações. o verbo “ser” (L. o adjetivo. julgue os itens seguintes. pode ser assim redigido: A ciência caminha por saltos ou revoluções e não por uma via linear contínua e progressiva. como de uma aldeia alarmada.2) admite o emprego do infinitivo flexionado: serem. 18) depoimento IV: “sozinho” (L. julgue os itens abaixo.25) depoimento-IV: “atento” (L. bêbedos de calor.amor mansa -repouso -dignidade -amizade calma . 256.descanso .10) tornaria o texto incorreto do ponto de vista das exigências da língua escrita culta. Para resolver as questões 851 e 852. coloquial da língua portuguesa — uma linguagem de jovens. Além de gramaticalmente concordar com o substantivo a que se refere.”. e) No depoimento III.) a correr” (Ls.perdão . (Marilena Chauí.. também serve de indicador para revelar o gênero do usuário da língua. pareciam um punhado de demônios. e a surda zoada ao longe.. o verbo morrer. 1997.. Em relação à estruturação do texto. b) Pelo sentido textual.afeto nociva . de elaborar os métodos e de inventar tecnologias. e o coro dos que lá em cima brocavam a rocha para lançar-lhe ao fogo.8). a) sujeito simples: “O cerrado” b) predicado nominal: “é ainda um ecossistema inconfundível” c) predicativo do sujeito:” um ecossistema inconfundível” d) adjunto adverbial de modo: “ é ainda” e) adjuntos adnominais de “ecossistema”: “um” e “inconfundível” 854. Nos seguintes itens. a preposição “até” está empregada na acepção de também. que vinha do cortiço. sem prejuízo da correção.2007 100 . Convite à filosofia São Paulo: Ática. leia o texto a seguir: “E todo aquele retintim de ferramentas. Indique o número que corresponde a erro de natureza ortográfica ou gramatical ou a alguma impropriedade vocabular. tudo dava a idéia de uma atividade feroz. d) Na expressão “à noite” (L. c) Nas linhas 02 e 24. de perder a vida. bêbedos de calor. nas suas duas ocorrências. Aqueles homens gotejantes de suor.alegria .calma .11) podem ser intercambiados um pelo outro e o texto permanece correto.” 851. tudo dava a idéia de uma atividade feroz. p. e o martelar da forja. a) b) c) d) e) depoimento I: “qualquer um” (L. a espicaçarem. Prof. Nos fragmentos destacados do texto acima “gotejantes de suor. c) Os termos “e sim” (L. Com relação à sintaxe da sentença: “O cerrado é ainda um ecossistema inconfundível. flexionado no masculino ou no feminino.13) depoimento III: “próxima” (L. Há uma descontinuidade e uma diferença temporal entre as teorias científicas como conseqüência não de uma forma mais evoluída. desvairados de insolação”. a quebrarem. a torturarem a pedra.1) é opcional.” a) b) c) d) e) branda . não há: a) b) c) d) e) substantivo concreto substantivo derivado adjunto adnominal complemento nominal paralelismo 853. 11) depoimento II: “sozinha.26) TEXTO PARA A QUESTÃO 850 A Filosofia das Ciências impôs um desmentido às idéias de evolução e progresso. a) Pelo sentido textual. b) O trecho “estudando as mudanças” (Ls.amizade fecunda — regozijo — brandura — amor 852. desvairados de insolação.

além da principal. d) Se houvessem altos índices de oferta habitacional. que se. 859. por coordenação. visando melhorar os índices de oferta habitacional. que será ligada a Brasília com segurança e conforto. deparando (3) o maior dos problemas físiográficos. é o único apto a facultar elementos seguros determinantes de uma síntese ulterior.” a) b) c) d) e) regência verbal. c) Além de conservarem o meio ambiente. Contém quatro orações reduzidas. Prof. e versando-o. pontuação. Estudo do impacto ambiental. 12 Como posso esperar que algum ouvido me escute? 13 Ah! se eu nem sei quem sou. conhecemo-la (1) aos fragmentos. a) O funcionário acendeu as luzes mais cedo. que a Revista Agrária. O governo prescreveu o agitador político. Uma redução na frota de veículos. 2). é composto por coordenação e subordinação. a) b) c) d) e) é constituído por quatro orações. cantando.Gramática “A Amazônia. tem.” (Euclides da Cunha — com adaptações). que destina-se a informar o produtor do que está ocorrendo na pecuária brasileira. d) O médico proscreveu o remédio adequado ao doente.2007 101 . b) Foram adotadas novas tecnologias de escavação. em um período. Marque o item em que as palavras grifadas foram mal empregadas. DISCURSO 855. é composto. Identifique a única expressão em que ocorre adjunto adnominal. por um lado. Volume Único . à intenção de anunciar: a) b) c) d) e) uma citação. Mais de um século de perseverantes pesquisas e uma literatura inestimável de numerosas monografias. Apreender o significado da mensagem poética é um exercício estético. 8 mas houve sempre muitas nuvens. ou mesmo enviar alguma notícia para ser publicada na seção Cenário. O cumprimento do político emocionou o pobre eleitor. tem-se atido (4) a um processo obrigatoriamente analítico.” Assinale a alternativa correta. que preservam toda a área ajardinada. um esclarecimento. O diretor ascendeu à condição de presidente. uma enumeração explicativa. 1 2 3 4 5 6 857. Assinale o período com erro. Um poeta é sempre irmão do vento e da água: deixa seu ritmo por onde passa. 7 Também procurei no céu a indicação de uma trajetória. está aberta à colaboração de todos que quizerem publicar artigos de sua autoria. 11 Se eu nem sei onde estou. “Nos aproveitamos deste veículo para relembrar o leitor. em “um poeta é sempre irmão do vento e da água:”(L. exceto em um. a) As mudanças de tecnologia podem trazer desgaste ambiental. por outro impossibilita o descortino (5) desafogado do conjunto. 858. As características do Plano Piloto. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 c) O comprimento do relatório não determina a qualidade. uma separação. 14 como posso esperar que venha alguém gostar de mim? (Cecília Meireles) 860. duas orações adverbiais. Para responder às questões de 860 a 866. a) b) c) d) e) A implantação do metrô. colocação de pronome átono. Aponte-o. 9 E suicidaram-se os operários de Babel. O espírito humano. 856. os novos trens vão ajudar a reorientar o desenvolvimento do Distrito Federal. Venho de longe e vou para longe: mas procurei pelo chão dos sinais do meu caminho e não vi nada. de orações com a mesma natureza. b) O aluno aprendeu a colocar os pronomes corretamente. um vocativo.Pode-se atribuir o emprego de dois-pontos. foi planejada a nova cidade de Águas Claras. porque as ervas cresceram e as serpentes andaram. 10 Pois aqui estou. e) São iniciativas importantes para os cidadãos viverem melhor. A execução do túnel. a cidade de Águas Claras não teria ocupantes. mostram-no-la (2) sob incontáveis aspectos parcelados. ortografia. apenas. Em relação ao período “No caminho do metrô. Edson E aqui estou. concordância nominal. cantando. ainda sob o aspecto físico. leia o texto a seguir. Para tornar o trecho compatível com os preceitos da modalidade padrão do idioma é necessário reformá-lo em vários aspectos.

vier . Queremos. advérbio de lugar e pronome interrogativo. 866..” (L. pode-se dizer que. 865.5).cobras. pode afirmar. palavra que. “ouvido” (L. 870. / Um eventual descompasso entre o Prof.O par que há relação de sinonímia no contexto do poema é: a) b) c) d) e) “poeta”(L.Assinale o item correto segundo os padrões formais e cultos da linguagem..vir b) Vir . subordinação. contém verbo pronominal.ver c) Vir . b) simultânea. correlação. c) posterior. c) A planetarização é uma realidade. equivalente a uma oração coordenada iniciada pela conjunção “e”. 869..vir e) Vir . 7) .Identifique a série que contém as formas do futuro do subjuntivo.trajeto. o tema percutiu no congresso. sobremodo. 2) . atenuação.falando. 864. Em geral.A respeito de “E suicidaram-se os operários de Babel. mudança da sequência do assunto. 5 e 6. com o aspecto social. correspondente a um adjunto adverbial de modo. 102 . na mesma pessoa gramatical.interesse. o sentido de: a) b) c) d) e) restrição. Tudo que pode causar dano ao planeta passa ser um objeto de justificada preocupação universal. em virtude de aspecto inacabado. creio eu. b) As divergências estão exatamente na concepção de planetarização. retificação. 867. o que se viu foi uma conjugação de esforços.ver 868. 10) .) mas procurei pelo chão os sinais do meu caminho (.vir d) Vier. a) É imprescindível manter a cabeça fria na análise dos acontecimentos diante dos quais o País se defronta. e) durativa que se realiza progressivamente. pronome relativo e pronome interrogativo. 10). “trajetória” (L. adição. justifica-se pela intenção de exprimir além da ideia básica de oposição.2007 advérbio de lugar e advérbio interrogativo. o que prejudicou o andamento do serviço.for . coordenação. 9). 4). nos versos 3 e 11. b) Em nosso pronunciamento de hoje. 6) . em função da forma verbal empregada: a) b) c) d) e) é oração de sujeito indeterminado.Assinale o item em que os dois períodos estão gramaticalmente corretos. provar à comunidade que permanecemos atento a seus interesses. Edson 862. 4) e “vi” (L. exprime ação: a) realizada imediatamente antes da indicada na oração principal. em “(.ir . visando neutralizar os seus efeitos letais. o Governador. constitui estrutura verbal de valor recíproco.O emprego da conjunção mas.escritor. relativas a “Venho” (L.Assinale a alternativa correta de acordo com o padrão culto da modalidade escrita do Português. cantando.Sobre o período sintático constituído pelos versos 4. a) Durante a semana. o Deputado se preocupa. 863. / Torna-se evidente que nossas reflexões estão situadas no contesto desta disputa.ir . advérbio interrogativo e pronome relativo. pronome relativo e advérbio de lugar. “cantando” (L. d) Quando Chernobyl deixou vasar emanações radioativas.for .” (L. a) Vier. “serpentes” (L. d) de progressão indefinida. c) Um eventual descompasso entre o texto escrito e a Constituição farão com que esta seja rasgada pelas forças sociais. b) Impõe-se refletir sobre os limites e possibilidades da força normativa das regras de direito que estruturam a ordem econômica. c) Nas análises que vem procedendo.Pode-se afirmar que. a) Torna-se evidente de que nossas reflexões estão situadas no contexto desta disputa. 12) . dirigimo-nos a Sua Excelência. pois a ele não interessam discutir aquelas questões nem levar em consideração os novos dados que haviam sido apresentados.Gramática 861.. o vocábulo onde é: a) b) c) d) e) Volume Único . e) Nos relatórios mensais tinham vários erros. justaposição.6).)” (L. pode-se afirmar que se trata de período composto por: a) b) c) d) e) coordenação e subordinação. “vou” (L. / Impõem-se refletir sobre os limites e possibilidades da força normativa das regras de direito que estruturam a ordem econômica.se que há um consenso a respeito de não se deixar arranhar a soberania nacional. d) Retiram-se da reunião. é estrutura de voz passiva sintética. opera-se a regra de concordância do verbo com o complemento. em “Pois aqui estou. com isso.O emprego do gerúndio. foi introduzida na temática regional pelo iminente professor Samuel Benchimol.

(N. o verbo “aspirar” (L. de cultivo do solo. a) Desde à Antiguidade. à história e. é preciso que existe o agente consciente. para vários sentidos de Vida Boa. d) A substituição dos parênteses (L. mas aumentou a esperança de vida (remédios. convenhamos.) TEXTO PARA A QUESTÃO 872 Pluralidade ética. e) O sentido do vocábulo “ordens” (L. para o cidadão comum que não possui uma visão científica. c) Do ponto de vista dos resultados práticos. cumpre realizar a força normativa da chamada constituição econômica. que a prática pluralista é também a mais adequada a um amplo exercício de liberdade.15) no texto corresponde ao emprego no seguinte exemplo: Obedecemos às ordens de nossos superiores. é essa possibilidade intrínseca de viver para finalidades (valores. 873. a) Os verbos “viver” (L. Levy.) 871.). b) No caso da atualidade. aquele quem conhece a diferença dentre bem e mal. São Paulo: Ática.7) que o segue. (Marilena Chauí.Julgue os itens a seguir quanto à correção gramatical. uma crença ideológica. pluralidade é também a possibilidade da diferença entre as ordens de valores. In: Ética. deve ser tornada como delimitação de sentido da expressão “finalidades imaginárias” (L. A ciência não caminha em uma via linear contínua e progressiva. Em outros termos. Pressente-se. com adaptações. Convite à filosofia São Paulo: Ática. mais progressiva ou melhor de fazer ciência. p. de comunicação. Com relação ao emprego das palavras e expressões no texto. entre parênteses. Uma reinvenção da ética socialista. virtude e vício. Pluralidade ética.). então assumir o pluralismo como norma prática é o modo mais adequado de fundação de um agir humano sempre aberto à criatividade. permitido e proibido. à diferença. à transcendência. portanto. e) Admitida a existência de um direito constitucional econômico. cirurgias. que aparecem a priori como um Bem para nós. em suma. a) Para que haja conduta ética. exatamente por isso é que podemos postular a imanência da possibilidade da pluralidade do mundo moderno. (Itens adaptados de Marilena Chaui. / Admitindo-se a existência de um direito constitucional econômico. a noção de progresso não possui fundamento. de elaborar os métodos e de inventar tecnologias. 1997. Edson 103 . mas também se reconhece como capaz de julgar o valor das condutas e de agir em conformidade com Volume Único .) 872.Gramática texto escrito e a Constituição fará com que esta seja rasgada pelas forças sociais. de iluminação. Convite à Filosofia. e essa capacidade de criação é intrinsecamente múltipla — uma fonte ilimitada de diferenças —. a superstição e as crendices.2007 Prof. portanto. 167. 1997. estudando as mudanças científicas. b) A consciência moral não só conhece tais diferenças. com adaptações. conhecer sempre foi considerado o meio mais precioso e eficaz para vencer o medo. cumpre realizar a força normativa da chamada constituição econômica. Julgue os itens a seguir quanto à correção sintática.4) c) No sentido em que está empregado. mas por saltos ou revoluções. Companhia das Letras. é antes de tudo uma condição de possibilidade da faculdade humanonatural de desejar. Há uma descontinuidade e uma diferença temporal entre as teorias científicas como conseqüência não de uma forma mais evoluída. Se o ser livre se põe pela criação de valores. sentimos de que estamos em melhores condições que os antigos e por isso falamos em evolução e progresso. 1992. certo e errado. e sim como resultado de diferentes maneiras de conhecer e construir os objetos científicos. 256. deduz-se então. julgue os itens a seguir.12 e 13) por vírgulas mantém o respeito às regras de pontuação e de concordância da norma culta. é porque podemos aspirar a uma Vida Boa — e não apenas à vida em si mesma — .19) estão empregados como substantivos. desejos) múltiplas e. isto é. pelas empresas e pela propaganda como “signos do progresso” e não da diferença temporal.7) toma opcional o uso da crase no “a” (L. desde logo.4) e “ser” (L. à liberdade. o progresso é.4). p. entre as motivações subjetivo-imaginárias para a vida. TEXTO PARA A QUESTÃO 871 A Filosofia das Ciências impôs um desmentido às idéias de evolução e progresso. d) A força vital e a eficácia da Constituição assentamse em sua vinculação às tendências dominantes de seu tempo. como condição de uma Vida Boa. b) A palavra “éticas” (L. e) Do ponto de vista das próprias teorias científicas. etc. o vínculo entre ciência e aplicação prática dos conhecimentos (tecnologias) fez surgirem objetos que não só facilitaram a vida humana (meios de transporte. etc. e . Assim. / A força vital e a eficácia da Constituição assentam-se em sua vinculação as tendências dominantes de seu tempo. Além disso esses resultados tecnológicos são apresentados pelos governos. Faculdade por meio da qual podemos viver para sentidos ou finalidades imaginárias (éticas). d) Em decorrência dessas estratégias.

337. b) O Código de Ética Médica além de garantir a relação de confiança. a) Obrigar o médico a retirar órgãos. d) Ela tem a capacidade para avaliar e pesar as motivações pessoais.3). e do constrangimento psíquico para obrigar alguém. uma vez que há muitas gírias internas. julgue os itens que se seguem. dotados de vontade livre.) 104 875. a) Quando uma cultura e uma sociedade definem o que entendem por mal. Os constituintes do campo ético. É incorreto. imunidade e crime. No texto anterior. usando como artifício o artigo de uma lei impositiva. c) A violência é violação da integridade física e psíquica da dignidade humana de alguém. a conformidade entre meios e fins. a vírgula depois de “arbitrário” (L. 8 ed. os pronomes “lhes” (L. O Acesso direto à justiça intenacional. decidindo e escolhendo uma delas ao lançar-se à ação. tantas são as gírias internas. em um uso mais formal da linguagem. d) (IV) por dois-pontos. e) O campo ético é constituído pelos valores e pelas obrigações que forma o conteúdo das condutas morais. Essas são realizadas pelo sujeito moral. d) Por ser opcional.) 874. localizando a violência em tudo aquilo que reduz um sujeito à condição de objeto. a tortura. haverá erro caso se faça a substituição de: a) (I) por vírgula. a mentira. Convite à Filosofia. a) Na linha l. as exigências feitas pela situação. que constituem tantas gírias internas.) TEXTO PARA A QUESTÃO 875 O acesso direto dos indivíduos à jurisdição internacional constitui verdadeira revolução jurídica. b) Em nossa cultura. A respeito das estruturas lingüísticas do texto acima. TEXTO PARA A QUESTÃO 876 Por mais planejada que seja a mudança(I) imprevistos sempre acontecem(II) e às vezes são muito mais triviais do que se imagina(III) Pode avisar a família(IV) toda mudança envolve uma fase de adaptação profissional mais difícil(V) do que uma troca de emprego dentro da mesma cidade. assinale a opção correta. porque são muitas as gírias internas. Prof. com adaptações. 1997.4) pode ser retirada. a violência é entendida como o uso da força física. sendo por isso responsável por suas ações e sentimentos e pelas conseqüências do que faz e sente. Com referência à pontuação. dá ao médico. Eis por que o assassinato. p. a inserção do artigo indefinido uma antes de “jurisdição” exigiria a retirada do sinal indicativo de crase.3) referem-se a “indivíduos” (L. e) Na linha 4. as conseqüências para si e para os outros. as virtudes. e que dá um conteúdo ético às normas tanto do direito público interno como do direito internacional. Do ponto de vista ético. nenhuma lei pode subverter esse padrão ético. Julgue os itens abaixo quanto ao uso correto da pontuação. crime e vício. c) (III) por ponto de exclamação. a calúnia. In: Correio Braziliense. No texto acima. romper essa relação. 1997. é desumano. o roubo são considerados violência. p. c) A consciência moral manifesta-se. portanto. 877. seria incorreto substituir o trecho assinalado por a) b) c) d) e) já que as gírias internas são muitas. de capacidade para a comunicação e para a vida em sociedade. e) (V) por vírgula. o estupro. e) Assim. não entre adversários. no seu artigo 28 o direito de não executar nenhum ato que seja contrário aos ditames de sua consciência. 1). entre médico e paciente.Gramática os valores morais. Edson Volume Único . (Itens adaptados de Marilena Chauí. de tantas que são as gírias internas. antes de tudo. isso porque a medicina tem como pilar principal a forte relação médico-paciente que se estabelece entre parceiros. Ática. circunscrevem aquilo que julgam violência contra um indivíduo ou contra o grupo. que lhes possibilita reivindicar seus direitos contra as manifestações do poder arbitrário. seja ela qual for. Ática. principal constituinte da existência ética. a substituição da forma verbal “dá” por seu sinónimo fornece obrigaria a retirada do sinal indicativo de crase em “às normas”. se imoral ou injusto. a má-fé. In: Convite à filosofia. de capacidade para interagir com a natureza e com o tempo. (Antônio Augusto Cançado Trindade. admite a substituição por “os”. a injustiça. de serem racionais. Direito & Justiça. a obrigação de respeitar o estabelecido ou transgredi-lo. somos pessoas e não podemos ser tratados como coisas. b) O pronome pessoal “lhes” (L. b) (II) por travessão.2007 . 6/8/ 2001. a agir de modo contrário à sua natureza e ao seu ser. c) Do ponto de vista da coesão textual. TEXTO PARA A QUESTÃO 877 Ali vive uma comunidade que fala um idioma apenas assemelhado ao português. nossa cultura e sociedade nos definem como sujeitos do conhecimento e da ação. (Itens adaptados de Marilena Chauí.3) e “seus” (L. d) A humanidade dos humanos reside no fato. e eticamente indefensável. na capacidade para deliberar diante de alternativas possíveis. l. sem consentimento da família. isto é. 878.

II . d) I . e) Conhecer os debates a cerca das novas leis que regem os transplantes é impresindível. Com referência à concordância.história 883. II . e) I . b) Fígado.Assinale a opção que não reúne vocábulos acentuados devido à mesma regra de acentuação. 884.supersônico . após a morte. uma miniatura do sistema copernicano.geógrafo vôo . nem a sociedade. absolutamente necessário. II . “Nas duas últimas décadas. invadiram bases aéreas. freqüentemente vê-se avisos como este: “Vende-se lotes no condomínio X”. a) I . d) Um maior número de doadores voluntários são necessários para pôr em prática os objetivos do governo. por Prepararam-se tudo. e) Seguem. d) “Tudo é preparado” pode ser substituído.estereótipo .território .café . ditaria a experiência que o homem poderia tirar da própria natureza.O que ajudava a explicar os até então desconcertantes movimentos de vaivém dos planetas. amarraram-se a reatores.Galileu a negar o que lhe mostravam seus próprios sentidos. em relação ás questões de saúde. e) Nem a família.O ano de 1993 marcou o 450° aniversário de publicação da obra De revolucionibus orbium coelestium. nem o governo podem deliberar acerca do destino dos órgãos de um indivíduo: apenas ele próprio. assinale a opção correta. isso não é verdade: o que há é: falta de condições de conservação.Embora fosse um tratado de astronomia.Gramática c) Não se pode falar em defesa da lei. A TV é o megafone o Greenpeace. assinale a opção que apresenta uma sentença incorreta. a) Vários residentes em condomínios do DF fizeram abaixo-assinados solicitando o reconhecimento e a regularização imediatos de suas situações.média . na verdade. a) A discussão da lei de doação vai ao encontro do direito do cidadão de ser participe do processo solidário de construção da História da Humanidade.até . deve-se dar prioridade aquela que está consciente de sua dor. e) O pronome “seus” refere-se a “modernas técnicas”.Foi Copémico quem deu consistência à tese do universo heliocêntrico. d) Mais de um jornal fez alusão ao problema dos condomínios. e o texto continua correto. c) A maioria dos indivíduos são solidários e gostaria de fazer a doação de seus órgãos aproveitáveis. 879. o seu desejo de ser doador (não de não o ser). constantemente. e daria a todos o direito de exercer sua solidariedade.Com referência à concordância. Tudo é preparado com o apoio de modernas técnicas de “marketing” visando ao espetáculo. as normas para a regularização dos condomínios. c) As vezes em que já houve transplantes.A Igreja admitiu formalmente que errou ao forçar Galileu. d) Para que o panorama se modifique. d) Se é inevitável o sofrimento de uma pessoa. como esperar tal demonstração? e) Melhor teria feito o legislador. c) Em “a reatores” o “a” é artigo definido. expressamente.família . após renunciar ao sistema copernicano. de centrais de transplantes. b) Em “se jogaram” e em “amarraram-se” o se pode ser eliminado. nem há pessoas malintencionadas. c) I . e tenhamos um numero maior de doadores espontâneos é. a) b) c) d) e) Brasília . anexas. 882. a) Não existe doadores ingénuos.Nenhuma autoridade filosófica. isso facilitaria o trabalho das equipes de transplantes. 881. mas se o próprio orçamento do setor cai.que é merecedor da confiança dos cidadãos.2007 . à maior exposição possível de seus protestos nos meios de comunicação. 880.” (Mário Vítor Santoscom adaptações). rins. de transporte. II . olhos. Leia o texto abaixo. a) A palavra “megafone” é formada por composição. que termina com belíssimos versos. Edson Em relação aos elementos do texto.série .Assinale a opção em que os vocábulos sublinhados nos fragmentos I e II exercem funções sintéticas diferentes. sem alteração de sentido. b) Nem uma lei que se prese pode ignorar ao padrão moral de respeito ao código de ética médica. assinale a opção correta.condomínios . ágeis. b) Em Brasília.pólos está . II .Galileu concluiu que o que via era. b) I . que há falta de órgãos para transplantes.sofá circunstâncias .No final do julgamento.imobiliário . os ativistas do Greenpeace já se jogaram de pontes. 105 Volume Único . Prof. que o governo demonstreem atos .Na canção dos Beatles The Fool on the Hill (O Tolo da Colina).privilégio pássaro . senão se quer ficar de fora dos acontecimentos atuais. se colocasse na lei que o cidadão deveria expressar nas carteiras de identidade ou de motorista. Assinale a opção em que não há erro gramatical de qualquer natureza. as famílias aquiesceram à doação dos órgãos transplantados. coração são órgãos passíveis de ser retirado do corpo de uma única pessoa. por maior que fosse. c) Os moradores estão alerta a quaisquer medidas que venham em seus benefícios.

cada um dos segmentos contém um erro. Está faltando funcionários. O equipamento se quebrou.Indique o trecho que contém erro de estruturação sintática. minha tentativa é tãosomente (3) apreender (4) um dos fios da trama e com ele tecer uma nova malha. d) Tendo sido elaborado em 1980. a) Se houverem muitos endossos em um mesmo cheque. onde está a ponto de ficar obsoleto. Raimunda lhe (1) amava deveras (2).Gramática 885. consideradas por si 106 Volume Único . Não temos senhas para consultas imediatas. d) As empresas também pagarão IPMF. c) Não há vagas. Equipamento? Quebrado! Consulta só para 3 meses. Mas era involuntário aquele sentimento? Era . Consulta só daqui 3 meses. ela poderá ter isenção de IPMF. (Folheto SINDSAÚDE/SP) a) Não temos vagas nem remédio. Sem a intenção (1) de discordar da essência (2) do pensamento de Freud. Remédio? Também não há. entendeu a modernidade como permanente revolução iconoclasta (4) e niilista (5). nem funcionários. entre os itens sublinhados. e) A nova regulamentação traz vantagens. ou se segue o princípio da proibição (per se condennation). Consultas. desempregados e inempregáveis. a repressão ao abuso do poder econômico faz-se. Abriu-se (1). c) Apesar de ainda ter 1042 artigos. Identifique. b) Caso uma empresa esteje trabalhando com impressão de livros e jornais. a Receita Federal. 892. não há. mediante dois tipos de legislação: ou se adota (1) o princípio do abuso. b) Não tem vagas. ainda esta semana. Prof. este não será aceito pelos bancos. a nova regulamentação consolida com bom aproveitamento das contribuições recebidas. a nova regulamentação do Imposto de Renda simplifica a vida de todos. em que as práticas comerciais tidas como potencialmente anticoncorrenciais são analisadas no contexto que (2) se desenvolvem. de propriedade vocabular ou de adequação à modalidade padrão da Língua. dois caminhos. dispensandose qualquer análise das condições em que ocorrem. a menos que trabalhem com impressão de livros e jornais. c) Se o Secretário da Receita Federal propor novas medidas de combate à sonegação. que pode ser de natureza gramatical. Consultas. elas terão de ser amplamente divulgadas. nem remédios. a) Este ano. a partir da discussão sobre a (2) quem caberia a modernidade no século XX. e) Caso o dinheiro ficar depositado três meses na poupança. a) O que é a sociedade brasileira enquanto sociedade autoritária? É uma sociedade que conheceu e conserva a cidadania como privilégio de classe.25%. aplicando-se-lhes (3) a regra da razão (mie of reason). Não tem remédios. Não há remédios. haverá um adicional de 0. Assinale a modificação que torna o trecho transcrito completamente de acordo com a modalidade formal da língua portuguesa. d) Não há vagas. nem remédios. fazendo-a ser uma concessão regulada e periódica da classe dominante às demais classes sociais. “Não tem vagas. O outro. tem uma boa notícia. Faltam funcionários. Porque aproveita 10% das mais de 500 contribuições recebidas nos três meses de audiência pública.2007 . só daqui a 3 meses. dentre uma profusão de tecituras (5) possíveis. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 891. 886. Está faltando funcionários. e) Vagas. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 890. Está faltando funcionários. O equipamento está fora de uso. Assinale a única opção que não apresenta erro gramatical. Nosso equipamento está quebrado. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 mesmas lesivas à (4) concorrência. O equipamento está quebrado. 887. as milhares de normas e portarias existentes. Um deles centrou foco no substrato dos proscritos (3). Nas questões de números 887 a 889. Indique a única afirmação que apresenta coerência e correção gramatical.\ para os consumidores que não se furtam a pagar aquilo que devem. diante de tantas cobranças novas e ameaças velhas. aquele que merece correção e assinale a opção que lhe corresponde. Consulta só daqui 3 meses”. b) O Presidente Itamar Franco assina. só daqui há 3 meses. Edson 888. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 889. emprenhada em combate a sonegação. Há falta de funcionários.o (3) até o ponto de lhe (4) macular à (5) nossa heroína a honestidade de afeição. geralmente. Nos sistemas jurídicos dos países de regime capitalista. A maioria dos sistemas jurídicos adota (5) ambos os princípios. o último regulamento relativo ao Imposto de Renda é muito antigo.

a cada nova geração de chips que chega ao mercado. ganglionado de lagoas. mas sempre fascinados / pelo poder. que os proporcionaria melhor qualificação profissional.em que . além de agradáveis momentos de lazer. materiais ainda desconhecidos. contas conjuntas __ individuais. “É muito cômodo.cuja a) Calculam-se que existem no mundo cerca de cem milhões de espécies.malversação 894.” a) b) c) d) e) convêm .oscilando entre a posição de ilustrados e de revolucionários. é preciso pagar.que .de cuja convêm .a . uma hipocrisia.malversação mau .depressão . desesperadoramente enleadas. e) É uma sociedade. criam-se novas aplicações para os computadores. uma por hora. e) Havia vários erros naquela carta. 896. o que marca profundamente a vida intelectual e artística. no fundo.intransponíveis prognosticar .tivemos . mas que somente será vitoriosa nos trópicos. situação claramente reconhecida pelos trabalhadores.a cuja convém . que ainda hoje se adivinha no enorme plaino maremático.Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto. reclamar contra o ____ uso dos dinheiros públicos para cuja formação não ______ colaborado. d) Nessa sociedade não existem nem a idéia nem a prática da representação política autêntica. novos alimentos. sons e textos. b) Milhares de espécies desaparecem anualmente. em “furos” inopinados. donde o fascínio dos teóricos pelos modelos tecnocráticos que lhe parecem dotados da impessoalidade necessária para definir o espaço público. c) É uma sociedade na qual as leis sempre foram armas para preservar privilégios e o melhor instrumento para a repressão e opressão.charneca .inesperados perquirir . ou vai. mas o leitor não os detectou.que . são realizadas através de documento _____ preparação é específica. Edson 897.garganta . os microcomputadores custam aqui três a quatro vezes mais do que nos Estados Unidos.tivéramos .ribanceira .injudiciosos presumir . devem preferir. nessas oportunidades. sendo que apenas um milhão e quatrocentos foram classificadas até agora. Mas não permite 107 Volume Único . em relação de hierarquia. mas não deixa de ser.a . Em 1970. computadores não eram poderosos nem baratos o suficiente para executar todas as tarefas que seus usuários desejavam.insuspeitados 898. o disquete de multimídia e o livro eletrônico. ao Brasil. uma delas desaparecia por dia.Baseando-se no trecho “A lei permite que o sujeito atropele.em cuja convém .do que .na maioria oriundo das classes médias urbanas .planície ..malversação mau . mando e obediência. noutros pontos. Para preservá-las será preciso regulamentar a proteção de vastas áreas de habitat natural. volvendose a todos os rumos ou arrojando-se à ventura em repetidos atalhos. e) Os brasileiros têm uma renda per capita oito vezes menor do que os americanos e. d) Lamenta-se que os brasileiros não possam usufruir os modernos recursos do microcomputador.tenhamos . conseqüentemente. c) É uma batalha que deve ser conduzida em escala mundial. afluir nos seus grandes afluentes (. “A inconstância tumultuaria do rio retrata-se ademais nas suas curvas infindáveis. “Os contribuintes aos quais _______ fazer transferências de suas contas para as de outros.Gramática b) É uma sociedade na qual as diferenças e assimetrias sociais e pessoais são imediatamente transformadas em desigualdades. c) Chegará em breve.” a) b) c) d) e) mal . na qual a esfera pública nunca chega a constituir-se como pública. uma riqueza que não pode continuar sendo destruída em nome de interesses de curto prazo. ao contrário.cuja convém . fuja e fique livre.Indique a seqüência de palavras que substitui os termos sublinhados sem prejuízo do sentido original.termos .infrenes procurar . para piorar a situação.a que .A opção cujo segmento contém erro de concordância e/ou regência é: a) Nos últimos anos. novidades tecnológicas que combinam imagens.mal-versação mau . b) Agora. 893. d) Dessa fantástica diversidade vegetal e animal sairão futuros medicamentos. onde ecossistemas quentes e úmidos abrigam dois terços de todas as espécies. em 1990. recordando o roteiro indeciso de um caminhante perdido. Assim ele se precipitou pela angustura afogante e Óbidos num abandono completo do antigo leito.Assinale a alternativa incorreta quanto às exigências do padrão culto da língua.mau versação mal . Antes. quando afirmam que “a justiça só existe para os ricos”.que . Tais operações ______ aludimos aqui. 895. e estas.. mate.que . Prof.teremos . os intelectuais . de Vila Franca. até mesmo para que não faltem legitimidade e força moral às denúncias de ___________.Assinale o grupo de palavras que completa adequadamente as lacunas do período.2007 .)” (Euclides da Cunha) a) b) c) d) e) perscrutar . a esmar horizontes.do que .

a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 900.)”. por sua vez leve numa embolia pulmonar fatal.Marque o texto que contém erro de morfossintaxe ou de ortografia. associações de profissionais. 108 Volume Único . temos obtido progressos.proibir covardia . Muito pelo contrário. conselhos de educação.impedir fingimento . Essa insensibilidade é fruto de um cinismo que domina as autoridades encarregadas de coibir a violência contra a população (. acrescentam-se. Temos. hoje. por último. d) Uma grande dor pode provocar um espasmo coronariano. aproximadamente.Julgue os itens abaixo quanto à regência e à concordância. marrecos e maçaricos pareciam dançar nos estuários da região. a Previdência depositará os benefícios com um adicional equivalente ao que será cobrado na hora do saque. Sabemos que as práticas adotadas nem sempre se pautaram pelo mérito e. que leve no infarto. a formação de professores é uma questão da mais alta relevância e prioridade.3 milhões de professores no Ensino Fundamental. Quanto às exigências da norma culta.Seguro-desemprego.Identifique. de acordo com as normas gramaticais da língua padrão.sanar descaramento . a) b) c) d) e) audácia .Para facilitar a cobrança.IV .tolher e) Dentro do Plano Decenal de Educação para Todos. Os demais não têm a habilitação necessária para o desempenho da função educativa.Gramática que se estacione sem cartão na Zona Azul. ela remoendo a impressão do amor que este (4) lhe (5) tinha. c) Uma dor não pode causar a morte. 901. No entanto. mas os mecanismos psicológicos que associam a ela podem levar nesse resultado. e esteja habituado a guerrear.As jibóias. I .A onça procura por antas e cutias desavisadas. III . a conquistar montanhas e abismos sem mostrar medo. a) Embora seja capaz de dominar feras e de enfrentar tempestades.O mesmo ocorrerá com os assalariados que ganham até dez salários mínimos. de todos os segmentos interessados na construção de uma escola pública de qualidade..IV. o governo procurou restringir as isenções. 903.refrear displicência . desenvolveram-se sob formas clientelísticas. sistemas de ensino. ele pensando que teria sido vantajosa (3) à sobrinha casar com o rapaz. que exige esforços das agências de formação. a) A situação do magistério no Brasil é preocupante. as cascavéis e as jararacuçus são cobra. c) Estudos demonstram que não temos história de uma política educacional sistemática voltada para a formação de professores do Ensino Fundamental. A quantidade de itens certos é igual a: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 899. a) III . II . leva o indivíduo a morte por suicídio. Edson . entre os itens sublinhados.II .Certos animais preferem a companhia das cobras do que a presença do homem. b) As estatísticas demonstram que. 41% com formação em nível de 2° Grau e 39% em nível de Licenciatura. tornando-se insuportável. respectivamente. (Baseado em Maria Aglaê de Medeiros Machado). b) A idéia de sofrimento intenso e intolerável. II .I .III e) IV . enfim. depósitos em poupança com rendimentos trimestrais e saques do FGTS também estão isentos. Assinale a opção que indica a ordem apropriada para que os períodos abaixo formem um parágrafo coerente.. IV . tivemos sempre um divórcio entre as demandas do ensino e as instituições encarregadas da formação e a prática curricular do ensino de 1° Grau. indique aopção cujas palavras apresentam sentido equivalente a cinismo e coibir.I c) III . III .III 902.IV b) IV . o homem possui um inimigo que o aterroriza e do qual prefere nem pensar: a dor.II . à qual está associado o conceito de dor. sindicatos. . I . d) A este cenário. assinale a opção cujo texto está correto. em muitos casos. dos quais. torna-a um flagelo do qual é necessário escapar de qualquer maneira. cerca de 1. questionam-se aspectos relativos ao desempenho dos professores e à qualidade da formação por eles obtida.II . do ponto de vista da titulação formal. sobretudo no que tange a critérios de recrutamento e seleção.I d) I . V .Não diriam (1) nada (2) durante os primeiros minutos.III . e) Há casos que a dor. aquele que deva ser corrigido para que a sentença onde ele ocorre torne-se correta e adequada. as condições de gestão de recursos humanos dos Sistemas Educacionais.Garças.I .2007 Prof.II .II . IV . ou causar um pico de hipertensão que.No caso dos aposentados.A gente custa a crer que o cerrado está em extinção.

porque . O trânsito caminha lento e nervoso.começar puser . rompendo tela.suspender . 908. Pedrosa . a pintura extravasa (4) a cada instante de seus elementos próprios.por que .suspender . e o governo procedendo como aquele sujeito a quem um menino pobre pediu esmola: .começarem 907. Prof.mau . a) A expressão “O país inteiro” (L.Não come pão não.às .bastantes mais . a) b) c) d) e) Heis. não posso.incidem 905. Entretanto. que prescreve.suspenderem .começar pôr . Nas questões de 909 a 912. entre os itens sublinhados.” (M. d) O emprego do modo imperativo (Ls.mau . e) Está igualmente correto o emprego da palavra senão no seguinte período: Você sabe que.insidem Eis ..Luzes . b) A vírgula pôde ser empregada na linha 1.insidem Ex .incidem Eis . b) A palavra “país” (L. me dá um dinheiro pra comprar um pão.2007 109 .6) exercem funções sintáticas distintas. 909.mau . ______ fala muito ____ o Português.4) e “menino”(L. A Igreja andou (1) bem marcando uma data para comemorar os que se foram (2). quando fiz versos.Identifique o item que contém análise gramatical correta. ____ de tons pálidos ______ sobre o cinza dos prédios.1) pode ser substituída. (Fernando Sabino) 906. (2) mais.porque .começarem põe .mal . senão cumprir o que prometeu.1) é acentuada para que se registre a oposição com o plural da palavra pai. . predominância da pesquisa sobre tudo o.Luses ..mau . por tratarse de situação em que as orações ligadas pelo e têm sujeitos diferentes. conservando o sentido do texto.Aquele estudante americano está sempre com a turma. Identifique.Depois que o sol se ____ haverão de _____ o treinamento para ________ o trabalho. c) “procedendo”. abandonando o cavalete.Assinale a opção correta. eles não o apoiarão.mal . por assim dizer.mal . menino. Tristezas não são (3) comigo. que senão você não janta. A reticência que aí deixo exprime o esforço que fiz para escrever estas linhas em melancolia. a) b) c) d) e) mais .adaptação) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 Para responder às questões 906.suspenderem . nestes casos.as . O país inteiro pedindo democracia. indique a seqüência que preencha de forma correta as lacunas do texto dado. o representante do governo foi vaiado”.mal .Luses . a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 d) A colocação do adjetivo em “um menino pobre” (Ls. No tumulto da vida e suas seduções.2 e 3) confere-lhe valor subjetivo.bastantes mas .mal . pois é esforçado e faz_________ trabalhos de pesquisa. _____ os colegas não o entendem direito. nunca os fiz (4) se não (5) tristíssimos. c) “Moço”(L. aquele que deva ser corrigido para que a sentença onde ele ocorre torne-se correta e adequada.porque . em rapaz. nunca pude. por Todo país. na busca afanosa (3) e febril de novos meios expressivos.. aquele que deva ser corrigido para que a sentença onde ele ocorre torne-se correta e adequada.mau .4) tem o mesmo sentido que: a) transigentemente b) convincentemente c) delicadamente d) ironicamente e) coerentemente 910. amanhã é o dos mortos.por que .bastante mas . desprezando as cores tradicionais por tintas industriais novas.bastantes mas . que extrapola o sentido de estado de pobreza material.as .Moço. Edson 911.incidem Ex . a) b) c) d) e) pôs . fique um dia para eles. suprimindo a moldura.suspenderem ..as . 4 e 6 ) contraria o padrão culto da língua. 907 e 908 leia o texto abaixo. devido à colocação destes termos na oração. condescendentemente: . as formas verbais dê e coma. Ele não é ____ aluno.. 1) foi utilizada com o mesmo sentido que em “Quando procedeu à chamada dos participantes.Este é o dia de todos os santos. Ao que ele respondeu. “Como a (1).começarem punha . a) Na linha 2 “a quem”exerce a mesma função sintática que em Descobrimos que o menino a quem socorremos é nosso vizinho. plásticas ou materiais quaisquer (5).bastante Volume Único . entre os itens sublinhados.__ São Paulo __ sete da noite.Luzes .Luzes .às . e) A oração “que senão você não janta”(L 5) estabelece uma relação de conclusão com a oração que a antecede. Identifique.Gramática 904. A palavra condescendentemente (L.

c) A palavra metrô é exemplo de abreviação vocabular. d) As palavras terrorismo. d) As palavras absorver. E assim tais efluentes agridem e comprometem os recursos ecológicos.encaminhado .receberá .anexos .sejam . lata de lixo e esgoto. detritos. no texto. e) A expressão incompatível (L.1) a presença da preposição de é obrigatória. destruição e possibilidade são formadas por sufixos nominais. Só que o dinheiro “que” não valia nada era guardado. Pode estar aguardando “você” à porta da padaria. dejetos e rejeitos.procedentes e) incurso . dimensão. d) Há dígrafos nas palavras: cresce. Isso “se” refletirá no consumo das passagens. Os refugos vêm numa escala que. dejetos e rejeitos. a partir de base verbal. mas como 110 Volume Único . “(Armando Dias Mendes) 916. caso ________ _______.” (Isto É/95) a) O acento gráfico das palavras Tóquio e história obedece à mesma regra de acentuação.Assinale a opção em que os vocábulos grifados nos fragmentos 1 e 2 exercem a mesma função sintática. A inflação era um monstro adormecido “à espreita” em todas as esquinas.Assinale o item incorreto em relação aos elementos do texto.anexos . 917. c) 1. b) Em tanto os (L. Considere o texto a seguir para responder às questões 916 e 917. tal como foto.Os pareceres ______ no processo ____ ao Edital ____ o aval do diretor. no texto. Tudo tinha de ser “ao contrário”. c) Em inabilitando-os (L. c) O circunflexo em “ônibus” e em “metrô” deve-se ao timbre da vogal tônica.seja procedente 913. já agora. Em razão dessa artimanha. e) Refugos. tanto os da produção como os do consumo.4) e em como os (L.anexos . 915. não compactável. e) As expressões “é que” e “será que” presentes em “Gozado.Gramática 912. mas que apresentam diferenças entre si. a) 1. usada de forma conotativa. Edson 914. 2. proporção. o candidato foi eleito.2007 . 2. toma a natureza como o lugar onde o homem procura matéria-prima para o seu abastecimento. não tinha “graça”. o candidato foi eleito. “Cresce a consciência de que a natureza funciona.encaminhados . d) 1. assim.encaminhado .. não só como despensa ou almoxarifado.Assinale a proposição incorreta. e) 1. o candidato foi eleito.Assinale a opção incorreta. 2.receberá . onde é que será que eu ouvi isso antes?” são expletivas. e transformar (L. 918.receberão . b) Em “álcool” tem-se um hiato. Amigo leitor. que “se” enquadra na categoria dos consumidores. A despeito dessa artimanha. consciência. a) A expressão despensa (L. a) A regra que orienta o gênero do vocábulo “dilema” é a mesma que se aplica a telefonema. quarto de despejo. usada no sentido figurado.2). estão. o candidato foi eleito. dejetos e rejeitos. onde são jogados os detritos.sejam . Ainda não aprendeu “que” tem de fazer com o dinheiro. a) incursos . moto e pneu. Diante dessa artimanha. Senão. como sempre.Marque a opção que apresenta preposição ou locução prepositiva similar à da seguinte frase: “Não obstante essa artimanha. Prof. 2. Claro que a culpa cabe.procedentes c) incurso .sejam procedente d) incursos .anexo . você.” a) b) c) d) e) Através dessa artimanha. “Se” você consumir.encaminhados . relaciona a natureza a uma forma de depósito ou reserva de produtos estocados para a utilização humana. no texto.receberá .7) referem-se a processos relacionados. quer.Assinale o item incorreto em relação aos elementos do texto a seguir. inabilitandoos quer para os usos econômicos. 2. b) 1. b) As palavras capítulo e metrópoles são acentuadas por serem proparoxítonas. Depois dessa artimanha.5) o pronome “os” se refere a recursos ecológicos. o candidato foi eleito.5) os elementos sublinhados referem-se às palavras detritos. será imediatamente responsável.anexo .6) significa.receberão . no mesmo campo de significação de lixo. “à classe média”. b) A palavra almoxarifado (L. e) A palavra metrópole designa cidade grande e importante que exerce influência sobre outras.2). d) A regra que orienta a acentuação gráfica do “quê” em “imprimir para quê?” é a mesma que se aplica em Um quê misterioso a distinguia. reciclar e transformar esse lixo. o candidato foi eleito. a) Em de que (L. é incompatível com a capacidade da natureza para absorver. quer para os ecuménicos.5) significa.seja procedentes b) incursos . c) A palavra escala (L. medida.encaminhado .. reciclar. “O atentado no metrô de Tóquio parece ter aberto um novo capítulo na história do terrorismo: a possibilidade do uso de armas de destruição em massa nas metrópoles.

milhares. Esta é a conclusão de rescente estudo sobre o ecosistema da terra. Edson 111 Volume Único .Assinale a opção correta. Assinale a opção incorreta. que a devastação das florestas constitue uma das maiores trajédias da História. 921. c) No vocábulo incluía. o fragmento sublinhado é uma or. intramuros. d) No trecho “Embora esse vírus seja geralmente transmitido pelo abuso de drogas intravenosas. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 924. E. o fragmento sublinhado é o agente da passiva. di-ar-réi-a. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 925. c) No trecho “Em 1989 uma doença fatal entre macacos procedentes das Filipinas mantidos em laboratórios americanos fora relacionada ao vírus ebola. Nas questões de 922 a 925. No Japão. gramatical e sintática.”. em seguida.Gramática 919.A perca (1) de reflexos do motorista embriagado é uma das principais causas de acidentes fatais (2) no trânsito. b) Os acentos gráficos que aparecem em vírus. o caso recebe maior atenção da Justiça (4). Identifique-o e. conclui que o desmatamento indiscriminado constituise uma das maires tragédias da história humana d) Conclui recente estudo sobre a situação atual do meio ambiente. c) No vocábulo Zaire. os guardadores de automóvel vêem. b) Contêm dígrafos todos os vocábulos seguintes: conhecem. um dos termos numerados apresenta erro. intradérmico. e) Os vocábulos a seguir estão todos corretamente grafados: intravenosas. a) No trecho “Entre janeiro e abril. a) A devastação das matas naturais constitui uma das maiores trajédias da história. marque a opção que contém o número correspondente ao erro. o fragmento sublinhado é um adjunto adverbial de tempo. chimpanzé. Mesmo assim.(1) revelando um alto (2) grau de sofisticação.”. d) O plural do vocábulo vírus é vírus ou víruses. compl. órgãos. 922. o fragmento sublinhado é o sujeito da oração.Assinale a opção incorreta. incluía e concluíram justificam-se com a mesma regra de acentuação. tem-se a ocorrência de um ditongo. a) Do ponto de vista da translineação. Prof.Nos Estados Unidos. e bastam (3) três copos de cerveja para que o indivíduo esteja sob (4) o efeito do álcool. o diabete e a diabete.Há (1) muito se sabe que álcool e volante formam uma combinação mortal. eles aparecem com um tipo de papelão mais adequado para cobrir o pára-brisa (4) e alguns chegam a prendê-lo com durex. mis-te-ri-o-so.Assinale o trecho que apresenta correção ortográfica. É assim que conclue recente estudo sobre a situação do meio ambiente no mundo. b) Recente estudo sobre a situação do meio ambiente no Planeta conclui que a devastação das matas naturais constitui uma das maiores tragédias da História. nominal.Nas praias. e) No trecho “Os cientistas suecos estavam convencidos de que ele não se propagou pelas formas mais comuns nem seria fruto de alguma falha nos cuidados de higiene. beber não é apenas aceito.”. subord. quando os acidentes de trânsito ganham repercursão (3) nacional. au-tóp-sia. c) Em recente estudo sobre o ecossistema do planeta. 189 pessoas no sudoeste do Zaire desenvolveram uma grave doença. no Brasil. Mal (3) o carro estaciona. apenas algumas poucas vezes. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 923. tem-se a ocorrência de um tritongo. e) A devastação indiscriminada das matas naturais constitue uma das maiores tragédias da Humanidade. b) Em “O bando a que o animal pertencia na selva tinha sido recentemente dizimado.”. intra-atômico e intra-hepático. hemorrágica. o fragmento sublinhado é um objeto indireto. pessoas. a) O acento grave indicativo de crase que aparece em “O diabetes infantil estava relacionado à infecção com o vírus coxsackie B” é facultativo. como (2) também estimulado. a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 926.”. sangue. basta um convidado sair alcoolizado de uma reuniãozinha etílica (4) e bater o carro para o dono da festa ser autuado como corresponsável pelo acidente. as palavras a seguir estão todas corretamente divididas: in-fecção. e) O vocábulo diabetes tem como variantes a diabetes. 920. d) Uma mesma regra de acentuação orienta o emprego dos acentos gráficos em responsável e diarréia. a polícia submete (1) os motoristas à (2) constantes fiscalizações e à (3) aplicação do teste do bafômetro. subst.2007 .

Analise as construções abaixo. e) Em se a liberdade o “se” indica condição. e) “O que se quer é empurrar com a barriga. carrinhos de madeira e bonecas de pano. d) Em 1. c) A regência não está correta em 1. b) Em se somarem o “se” indica reflexibilidade. 932.do qual onde. d) “Mas que país mais fanático por mudanças!” . passa como um trator sobre a convenção de que a mudança do Código Penal é condição para punir. b) “. c) Com a redação se à liberdade política e ao respeito à lei se somar o respeito a princípios. A atividade legislativa não constitui um sistema linear e unidimensional ____ os atores procedem de forma previsível ou planejada. e) Os dois períodos apresentam a mesma regência e o mesmo sentido.O invés desse . bem como brinquedos artesanais. o texto estaria igualmente correto. ___a atividade legislativa é formada por um conjunto de interesses diferenciados e relações de força no complexo campo político.pronome relativo..Indique o trecho redigido com total correção. brincadeiras de roda e travessuras ao ar livre eram comuns.. além de travessuras ao ar livre..” (Fernando Lira) a) Em respeito à lei a crase é obrigatória. a) b) c) d) e) na qual . travessuras ao ar livre e brinquedos como carrinhos de madeira e bonecas de pano..2007 112 Prof. Porém Volume Único . sem alterar o significado do texto.. é matéria fora de discussão que o maior património econômico de uma nação é formado pelos seus recursos humanos. feitos pelas próprias crianças. II . necessariamente. base da locução pronominal. Entretanto. carrinhos de madeira.A lei permite que o sujeito fique livre.Assinale o item incorreto em relação aos elementos do texto a seguir.estavam . c) “Pergunta-se. por: a) b) c) d) e) Embora.” A conjunção Conquanto pode ser substituída. um programa definido.Assinale a opção cujos elementos preencham as lacunas do texto abaixo..partícula de realce.Por revés .que no qual . a) Em II.Assinale a opção em que é apresentada a classificação correta do “que”. ainda era comum brincadeiras de roda. 929.pronome relativo.” pronome relativo. o pronome pessoal não exerce função de complemento verbal. a função de objeto direto.estejam .” .de que nos quais . No entanto. b) Há algumas décadas. Conquanto não se possa aferirem termos imediatos a repercussão para a economia nacional de uma crescente deterioração do ensino.que 931. Embora os procedimentos atinentes à formação da lei _______ previstos de modo mais ou menos detalhado na Constituição. embora apresentem regências diferentes..Gramática 927. d) Há algumas décadas anteriores à esta em que estamos. c) À algumas décadas passadas. para começar: que iniciativas?” . I . o conectivo “que” tem. Edson . “O conceito de democracia só adquire sabor se a liberdade política e o respeito à lei se somarem ao respeito a princípios e eqüidade e justiça social.estão . também. d) A substituição de a princípios por aos princípios mudaria o significado e a correção do texto. b) Os dois períodos têm sentido equivalente. não subsiste a dúvida ______ a metodologia empregada na elaboração das leis não observa.” . 930. de forma a assegurar as exigências de coesão e de correção.da qual em que .A lei permite-lhe ficar livre.“Não existem duvidas quanto à premente necessidade de se disciplinar a questão do piso salarial dos professores. e) A algumas décadas precedentes a esta que vivemos..estão . fazerem travessuras ao ar livre e terem como brinquedos carrinhos e bonecas feitos em casa. Assinale a opção correta. Por conseguinte.De revés . bonecas de pano e travessuras ao ar livre. 928. ainda eram comuns brincadeiras de roda. são tão amplamente difundidas que até parecem verdadeiras. a) A algumas décadas anteriores a esta que vivemos ainda era comum brincadeiras de roda.Ao revés . ainda era comum as crianças brincarem de roda.estejam . a) “.Ao revés dessa .advérbio de intensidade.

“alcance”. “exigir” e “taxando”. precisam. e) I . Assinale esta opção. precisam freqüentá-la ou que estão impossibilitados de abandoná-las.Os poucos que continuavam fumando eram. “riscos” e “extinguindo”. / Hesse nos diz que a vontade da Constituição tem origem em três vertentes ontologicamente semelhantes. admite-se a crase. precisam freqüentá-lo ou que estão impossibilitados de abandoná-la. II .. c) .. milhares de jovens e adultos que. freqüentá-la ou que estão impossibilitados de abandoná-la.E os poucos que continuavam fumando eram... as letras sublinhadas representam o mesmo fonema.fine_a e) firme_a .. Prof. a) I .esperte_a d) ace_o . na ordem dada. o grafema “x” representa três fonemas distintos. o vocábulo “populosos”. milhares.rábico”. e) As desgraças do excessivamente rico ainda não estão em nada disso. precisam freqüentá-la ou que estão impossibilitados de abandoná-la. II . Marque o item em que os dois períodos estão gramaticalmente corretos. “anti-social”. “pessoas”.. e) Nos vocábulos “expõe”.A maior contribuição da América do Norte para a campanha de abandono do fumo relacionava-se à descoberta de formas inovadoras de ataque. ________ a uma constante acuidade reflexiva sobre os seus próprios desejos e 936. “continuassem”.bele_a b) pobre_a .” tivéssemos que substituir os segmentos sublinhados por pronomes. “antisséptico” e “anti. movidos pela sobrevivência.. “Por outro lado. movidos pela sobrevivência. c) I . / Existe a crença que a Lei Fundamental não é e não deve ser encarada como um subproduto mecanicamente derivado das relações de poder. b) I .Assinale a opção incorreta. 935. /Em posição distinta situam-se aqueles que entendem que as normas jurídicas possuem um razoável grau de autonomia. movidos pela sobrevivência. 938. além de perder o “s” final. / Daí a conclusão que a Constituição deve refletir os fatores reais do poder. e) Hesse nos diz que a vontade da Constituição tem origem em três vertentes ontologicamente semelhante.. d) . milhares de jovens e adultos que. II . a) Daí a conclusão de que a Constituição deve refletir os fatores reais do poder. “doenças”. Edson 113 Volume Único . d) Existe a crença de que a Lei Fundamental não é e não deve ser encarada como um subproduto mecanicamente derivado das relações de poder. “causa”.Em apenas um das seguintes frases. milhares de jovens e de adultos que precisam freqüentar.2007 ..Os países que aboliram a propaganda de cigarros incentivaram outros a fazer o mesmo. “antiherói”. movidos pela sobrevivência.. d) No singular. sofre mudança no timbre da vogal central da sílaba tónica. as lacunas do texto com correção gramatical e adequação à modalidade padrão do idioma... b) Contêm dígrafos todos os vocábulos seguintes: “chegou”... “cigarro”. e) . / A Constituição deve refletir necessariamente e fielmente os fatores reais do poder... b) Não se pode amar mais do que a nossa medida de amor.. o fragmento ficaria assim redigido: a) . talvez.Se. 939. precisam freqüentá-lo ou que estão impossibilitados de abandoná-las.prince_a c) milane_a . milhares de jovens e adultos que..Os fumantes podiam legalmente permitir-se o seu hábito. movidos pela sobrevivência... a) Nos vocábulos “saúde”. d) I . a) Um grande capitalista passa os dias a vigiar as oscilações da bolsa. II . essa inquietude acompanha a _________ em que vivem mergulhadas as personagens femininas. c) Todas as palavras seguintes estão corretamente grafadas: “antitabagista”.Assinale a alternativa em que ocorre a letra “z” na grafia das duas palavras. um posto de trabalho ou que estão impossibilitados de abandonar suas comunidades. 934. d) O mais que ele faz é chegar a um compromisso. talvez. realizou-se como que uma arrancada em direção a uma reforma total. “antiaristocrático”.. Assinale a opção em que os vocábulos sublinhados nos fragmentos I e II exercem funções sintáticas diferentes. c) O rico tem que viver a espreita do ladrão. de jovens e adultos que. a) clare_a . “milhões” e “campanha”.Em suma..A mensagem já se tornara corriqueira. b) A Constituição deve refletir necessária e fielmente os fatores reais do poder. em “.O ano 2000 seria o prazo final para atingir a meta. irrecuperáveis.Marque o conjunto de palavras que preenche.surpre_a 937. c) Em posição distinta situa-se aqueles que entendem que as normas jurídicas possuem um razoável grau de autonomia. b) . II .Os governos desenvolveram campanhas sobre os riscos do fumo.. movidos pela sobrevivência.Gramática 933.. irrecuperáveis.A OMS previu que o cigarro ainda mataria 500 milhões de pessoas. milhares de jovens e adultos que.

o que as torna constantes ________ de si mesmas.subjulgando-as .. complemento nominal sujeito. é: a) necessariamente b) realmente c) justificadamente d) evidentemente e) comprovadamente 948..Em: “Desconheço as marcas de carro pelas quais. (José Ramos-Horta. 21/10/96) 945.A função sintática dos termos “do Brasil” (l.... adjunto adnominal. eles próprios. campanha de vendas. “da elite brasileira” (l. predicativo do sujeito. fica sujeito a (2) todas as (3) vicissitudes da expansão burguesa. em combates contra a ditadura.” 942. a função sintética do termo em destaque é: a) b) c) d) e) objeto indireto. adjunto adnominal. Marque o item em que se deve colocar o acento grave de crase para que a sentença fique correta. objeto direto / P. 947.2007 d) à — à — a e) a — a — à 944. Obviamente não têm a sensibilidade de muitos outros países ou diplomatas que conheço. Edson . nasceu Iracema” b) “Sofreu mais d’alma que da ferida.d. adjunto adnominal. objeto direto / P. 1) b) tiveram (l. Tiveram sempre vida fácil. b) adjunto adnominal. a) à — à — à b) a — a — a c) a — a — à 114 d) a — à — a e) à — a — a Prof. com quem aprendi .intenções expectadoras b) introspecção . relativo. sem prejuízo do sentido. adjunto adverbial. sujeito / P. 949. e) n. 943. sujeito / P.A palavra que não se liga semanticamente aos homens do Itamaraty é: a) o segundo que (l.O texto acima registra a presença de três “quês”. relativo. guardava-lhe um sonho calmo e doce. 3)..subjugando-as . .. adjunto adverbial. sujeito / conjunção. a) objeto direto / P. ler a linguagem da natureza. sujeito / P. parte. relativo. partir daquele instante. “fácil” (l. relativo. “pragmáticos” (l. 5).a. “O proletariado.intensões espectadoras - Texto Julgo que os homens que fazem a política externa do Brasil. Discordâncias . d) objeto direto / conjunção. são excessivamente pragmáticos. não tenho interesse”.” d) “Venho das terras que teus irmãos já possuíram. sujeito / conjunção. relativo b) objeto direto / conjunção.. não o sei eu. 2).. objeto direto / P.intenções expectadoras c) introspecção ... dedico meu trabalho .” a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 946. 3) são respectivamente: a) adjunto adverbial. adjunto adnominal.. predicativo do objeto. predicativo do objeto. que .Gramática ______. 4) e) o terceiro que (l. O trabalhador torna-se apêndice da máquina e a (4) sua capacidade produtiva condiciona-se a (5) noção de lucro.O pronome relativo que exerce a função de sujeito em: a) “Além.” e) A alva rede. d) Adjunto adnominal. que Iracema perfumara com a resina do benjoim.. no Itamaraty. adjunto adverbial. c) sujeito / conjunção.intensões expectadoras e) intro-inspecção .subjulgando-as . adjunto adnominal.subjugando-as ..A palavra que pode substituir. surgido com a (1) grande indústria urbana. objeto direto / P.” c) “O sentimento que ele pôs no rosto. relativo. Assinale a alternativa que indica a função e a classificação correta deles.. ela. predicativo do sujeito. contra o colonialismo. vêm da elite brasileira e nunca participaram.intenções espectadoras d) intro-inspecção .A oração iniciada por “obviamente” tem um claro valor de: a) consequência b) causa c) comparação d) condição e) tempo 941. adjunto adnominal. adjunto adverbial. na Folha de São Paulo.. muito além daquela serra que ainda azula no horizonte. predicativo do objeto. predicativo do sujeito. relativo. 6) 940.Senti. adjunto adnominal. a) à — a — a b) a — à — à c) a — à — a Volume Único . 2/3). 3) c) vêm (l. relativo. empresa pouco importara minha dedicação . e o hoje têm os meus.subjugando-as .” (Benedito Nunes) a) instrospecção ... 3) d) eles (l. e) adjunto adnominal. a palavra “obviamente” (l. c) adjunto adverbial.

vos Observa . (Sérgio Buarque de Holanda. Dificilmente se acomodavam.deixes – te 954.atravessa . 952. rizotônica e arrizotônica todas arrizotônicas todas rizotônicas nenhuma das respostas anteriores Texto Pode dizer-se que a presença do negro representou sempre fator obrigatório no desenvolvimento dos latifúndios coloniais. um pobre cão. a) b) c) d) e) repor . A expressão “do gado” (l. II e V.deixas . o favor de colocar . Envenenado morria Um pobre cão. a rua como o devido cuidado e não . O verbo dizer (l.2007 955. V. in Raízes) 956. II. são.. ao sol de verão. São corretas I. Os antigos moradores da terra foram.. São erradas I. a) b) c) d) e) Observa . fazei-me vossa repuserdes .tua repuser .8) é adjunto adnominal. a) b) c) d) e) Nós hemos de vencer.Gramática 950.. II. prestimosos colaboradores da indústria extrativa. o trânsito ..As formas verbais aprovamos. Edson 115 Volume Único .lhe Observai . eventualmente. 1) é complemento nominal. faças-me . faça-me .” Aparece aí a inversão do: a) b) c) d) e) objeto direto: um pobre cão.vossa 958..pediste. ao trabalho acurado e metódico que exige a exploração dos canaviais. sujeito. predicado: lembra-me. predicativo do sujeito: me.lhe Observa . 6) é complemento nominal. Se irdes tarde.. Eu reavi o meu caderno que estava perdido. Pode-se afirmar que: a) b) c) d) e) São corretas I.associada ao radical. Não vedes agora. em determinados ofícios mecânicos e na criação do gado. Deixa que eu coloro este desenho. pela ordem: a) b) c) d) e) rizotônica. Na rua. A expressão “do negro” (l.“Trabalho acurado” (L.(EsSa) A alternativa em que não há erro de flexão no verbo é: . que facultativamente se empregam no processo da derivação 951. na caça.Assinale a alternativa em que se erra na definição: a) RADICAL . mas não é por muito tempo! Prof.deixa . São erradas I. reprovais e tiramos. sujeito. aprendereis..atravessais .Assim que . Detende-vos... Observe a estrofe: “Lembra-me que.. arrizotônica e rizotônica arrizotônica.. A palavra “se” (l. não prossigais a marcha. compõe o tema verbal ou nominal c) AFIXOS (prefixos . certo dia.. II e IV. eu adero.pediu.é o morfema (segmento) que contém a significação fundamental b) VOGAL TEMÁTICA .. assinatura. pedi.. 1) é verbo transitivo direto e indireto.te Observe . A expressão “dos canaviais” (l... Pega a pasta e a flanela e pole o meu carro. Aderir.atravessa . 953. a importância que me . II e III. encontrareis o portão fechado. fazei-me .pedistes.sufixos) -partículas significativas que se antepõem ao radical (ou tema) para formar derivados d) DESINÊNCIAS . 7) é o mesmo que: a) b) c) d) e) trabalho apressado trabalho aprimorado trabalho lento trabalho especial trabalho duro 957.Nos fragmentos do texto acima: I.partículas significativas meramente gramaticais que se pospõem ao radical (ou tema) para indicar aspectos da flexão e) VOGAIS E CONSOANTES DE LIGAÇÃO elementos significativos pertencentes ao radical ou ao sufixo. em certo dia. Sua tendência espontânea era para as atividades menos sedentárias e que pudessem exercer-se sem regularidade forçada e sem vigilância e fiscalização de estranhos. na pesca. III.deixa .pediu.. Marque a frase errada: a) b) c) d) e) Se revirdes a lição. pois faz dez minutos que chegastes.atravessa . IV e V.sua repores . Precatem-se que há muitos assaltantes na cidade.atravessa .deixeis . IV.tua repordes . III e V. porém... de trazer-me o jornal que . São corretas I.. faça-me ..pedistes.. 1) é partícula apassivadora.

beija-flor / guarda-civil. objeto direto. levas-e-traz. sujeito. b) Nada se pode fazer. c) 2-4-5-6-1-3 d) 3-4-5-1-6-2 e) 2-6-4-1-5-3 a) 2-4-6-5-1-3 b) 6-2-4-3-5-1 As questões de análise sintática de 964 a 968 serão formuladas com base no seguinte texto: “Nota-se facilmente que nunca perceberam o papel secundário que exerciam naquele período. relativo. subordinada substantiva completiva nominal. 962. Assinale a série em que todas as palavras são compostas: a) b) c) d) e) arco-íris. passatempo.Após muito [leva-e-traz]. conectivo subordinativo (integrante). igualdade. pernilongo.Em “o papel secundário que exerciam” o que é: a) b) c) d) e) conectivo subordinativo (consecutivo). levas-e-trazes. 966. antedatar. e antecedido de artigo definido (o. Edson Volume Único . bate-boca / quebra-mar. Superlativo absoluto analítico 116 967. a) Dois são os graus de significação do adjetivo: comparativo ou superlativo.A” frase em que a conjunção pois exprime idéia de conclusão é: a) Não receio que ela se aborreça. d) Em todas as modalidades o grau pode apresentarse em forma sintética (uma palavra derivada com sufixo específico) ou analítico (duas palavras) e) Grau superlativo relativo. a batalha finalmente acabara. caracteres. objeto direto. mais de um radical. península. predicado. subordinada substantiva objetiva direta. subordinada adjetiva restritiva. 968. leva-e-traz. nas palavras derivadas deve haver um radical mais afixo (ou afixos) e. nas compostas. ) Admiro as pessoas muito educadas. Superlativo absolto sintético 5. d) Elas avisaram que poderiam se atrasar. subordinada adverbial consecutiva. pois o encarregado já saiu. de muito sangue vertido do [tórax] dos guerreiros e da debilitação do [caráter] de todos. pois já expliquei o que houve. caráteres. as palavras entre colchetes seriam grafadas: a) b) c) d) e) leva-e-traz. na forma. subordinada substantiva subjetiva. passatempo. inferioridade. amor-perfeito. varapau. relacionados a chave abaixo com os exemplos que seguem. 963. os. caracteres. tóraxes. 961. a. cisplatino. planalto. as). tóraxes. a) b) c) d) e) subordinada substantiva objetiva indireta. ) A vida é mais agradável no campo que na cidade.Assinale a opção em que os dois substantivos compostos formam o plural do mesmo modo que arranha-céu: a) b) c) d) e) abaixo-assinado / cabra-cega.Gramática 959. conectivo subordinativo (causal). tóraxs. levas-e-trazes. tórax. b) Grau comparativo apresenta três modalidades: superioridade. caracteres. e) Ele não lhe disse a verdade? Pois exija que o faça! Prof. ) Esse quadro é menos interessante que aquele. tórax. desejo explicações. Comparativo de superioridade sintético 3. malmequer.A oração “que nunca perceberam o papel secundário” é: a) b) c) d) e) subordinada substantiva objetiva direta. Assim. meu amigo. ) A tarde era agradabilíssima. Superlativo relativo de inferioridade ( ( ( ( ( ( ) Este projeto é maior que o outro.A oração “que exerciam naquele período” é: 960. Comparativo de inferioridade 4.Os processos regulares de formação de palavras são dois: composição (utiliza palavras) e derivação (utiliza palavra mais partícula). caráteres. ) Rui era o menos aplicado de todos. devemos pois. 965.Assinale a afirmação falsa. c) Você diz que não se importa. alto-falante / cirurgião-dentista. bem-te-vi. nenhuma das alternativas anteriores.” 964. depois. pois eu. c) Superlativo apresenta duas modalidades: absoluto. mandachuva. DENTRE). 6. escola-modelo / sempre-viva. é o grau comparativo (superioridade e inferioridade). guarda-chuva. Pluralizando-se a oração. objeto indireto. metamorfose. subordinada adjetiva explicativa.2007 .Determine o grau dos adjetivos.Em “Nota-se facilmente que”. aguardá-las mais um pouco. subordinada adverbial causal. assinale a numeração encontrada: 1. sujeito. despojado da oração comparativa (substituída por preposição DE. o que é: a) b) c) d) e) pronome relativo. Comparativo de superioridade analítico 2.

Jatene está convicto de suas idéias.. se por agora Não tens motivo nenhum de pranto. na ordem em que aparecem: a) objeto direto — objeto indireto — complemento nominal. palavra expletiva. Ill. são respectivamente: a) complemento nominal — objeto indireto — adjunto adnominal. conjunção integrante — pronome relativo.“Assim dos lábios a vida corre” O termo em destaque exerce função sintática de: a) b) c) d) e) objeto indireto adjunto adnominal complemento nominal adjunto adverbial agente da passiva 973. E nestes versos de angústia rouca Assim dos lábios a vida corre..Nas frases seguintes: I.” O termo destacado é: a) b) c) d) e) símbolo de indeterminação do sujeito. e) sujeito — objeto indireto — complemento nominal. IV. 974. A pesquisa à qual me refiro foi realizada no mês passado. Os setores do governo discordam do modelo proposto. pronome relativo — substantivo.a.d. Deixando um acre sabor na boca – Eu faço versos como quem morre. logo eu não fui. Identifique a alternativa correta: Volume Único . Dói-me nas veias. não vai. O menino. de desencanto.O sujeito do verbo fechar (verso 3) é: a) b) c) d) e) indeterminado meu livro Eu oculto (tu) inexistente 971. Prof..” Os termos as pessoas.“Viam-se muitos carros estacionados no pátio.. d) objeto direto — predicativo do sujeito . disse ele. A criança doente que chorava era a felicidade e a esperança da família.. 117 . gota a gota. b) sujeito — objeto direto — objeto indireto. c) sujeito — objeto indireto — adjunto adnominal.2007 970. Meu verso é sangue. advérbio — pronome adjetivo indefinido. muda-se o sentido da frase. remorso vão. d) objeto direto — complemento nominal — adjunto adnominal. d) complemento nominal — complemento nominal — objeto indireto e) complemenio nominal — adjunto adnominal — objeto indireto 972. 976. Cai.complemento nominal — agente da passiva. Sempre demonstrou grande confiança em ti. Espero que os homens pensem. respectivamente as seguintes funções sintáticas: a) objeto indireto — adjunto adnominal – predicativo do sujeito – adjunto adverbial. b) objeto indireto — adjunto adnominal — complemento nominal c) adjunto adnominal — adjunto adnominal — objeto indireto. c) predicativo do sujeito — complemento nominal — objeto direto — adjunto adnominal. Os termos destacados exercem. As pessoas saíam apressadas do metrô.Gramática Texto para as questões 969 e 970. e) complemento nominal — predicativo do sujeito — objeto direto — adjunto adverbial. Tristeza esparsa. Deus. que é Pai.. não nos abandona. Eu faço versos como quem chora De desalento. 975. b) complemento nominal — predicativo do sujeito — objeto indireto — agente da passiva. IV. Volúpia ardente. III. II. faltam dois pontos depois de “disse”.. Amargo e quente. II.Identifique a alternativa que classifica corretamente a função do que. (Manuel Bandeira) 969. a formar padrões de respostas. a constantes ataques e à sua integridade física e moral são..“Ao expor as pessoas a constantes ataques à sua integridade física e moral. a) b) c) d) e) pronome substantivo indefinido — preposição. Os móveis foram carregados pela chuva. em seu velho planeta. II. do coração. conjunção subordinativa causal — partícula expletiva. pronome apassivador. parte integrante do verbo. Edson a) Em l há erro de pontuação. nas frases a seguir: I. c) Na l. com amor. d) Na II. Fecha o meu livro. pronome reflexivo. e) n. quanto à função sintática.Observe as frases: I. Ele foi.. b) Em II e III as vírgulas podem ser retiradas sem que haja erro. Saindo ele e os demais. Os termos destacados. se se mudar a vírgula de posição. os meninos ficarão sós. a violência começa a gerar expectativas..

Leia o poema de Manuel Bandeira antes de responder à questão: Tempo-será A Eternidade está longe (Menos longe que o estirão Que existe entre o meu desejo E a palma da minha mão). b) final. Prof. do padrinho. tem como sujeito “tribuno popular”. d) objeto indireto de “houve” e) adjunto adverbial de “açoitasse”. mas não há de ser já: A Eternidade está longe. das mãos do padrinho. “ Estava na hora. respectivamente: a) b) c) d) e) objeto direto e objeto indireto.” 4. respectivamente: a) b) c) d) e) sujeito e sujeito. verbo sem sujeito. adjunto adverbial e predicativo do do sujeito. Um dia serei feliz? Sim. Os termos longe e feliz são. “ O camarada esperava uma velha cadeira de rodas que tinha sido enviada para o campo. e) agente da passiva 978. recebeu. a cobiça e a soberba dos grandes. era evidente que estava na hora final.“Houve” é: a) b) c) d) e) verbo pessoal. adjunto adnominal e objeto indireto. adjunto adnominal e adjunto adverbial. 3. d) A menina chorando. c) sujeito de “açoitasse”. c) adjetiva restritiva. adjunto adverbial e adjunto adverbial. substantiva predicativa. respectivamente.Gramática 977. 118 . recebeu o presente das mãos do padrinho. e) A menina. 984.” 2. chorando de emoção recebeu o presente das mãos. adjetiva restritiva.” (Garret) 982. substantiva objetiva direta. como subordinadas: a) adjetiva restritiva. O princípio. substantiva predicativa.Os períodos apresentam diferenças de pontuação.O termo “A tirania dos reis. chorando de emoção recebeu o presente. permaneceu ao telefone. “ Ainda que estivesse zangada.“Tribuno popular” funciona como: 979. c) A menina. de emoção recebeu o presente.. das mãos do padrinho. o presente das mãos do padrinho. 1. embora fossem mentirosos e hipócritas os que o invocavam. Detenho-a: não quero luz.2007 980.” As orações destacadas classificam-se. vieres – veres – dize-lhe.” Os dois-pontos (:) usados acima estabelecem uma relação de subordinação entre as orações. substantiva subjetiva. Carlos . d) aposto. do colégio e . 985.. b) sujeito composto. Texto para os testes 982 a 986 “A tirania dos reis.. que preciso falar-lhe. d) adjetiva restritiva. b) substantiva objetiva direta. vieres – veres – diga-lhe.. vier – ver – diga-lhe. e) substantiva objetiva direta. Brinca de tempo-será. Identifique a alternativa que corresponde ao período de pontuação correta: a) A menina chorando de emoção.Marque o item que completa corretamente a frase: Assim que . substantiva subjetiva. a) b) c) d) e) vires – veres – diga-lhe. nunca houve tribuno popular que as açoitasse mais sem dó nem piedade.. objeto direto pleonástico e predicativo do objeto. adverbial concessiva.. adverbial concessiva. b) A menina. vieres – vires – dize-lhe. a) sujeito de “houve”. Edson Volume Único .. adjetiva restritiva.. d) concessiva. b) objeto direto de “houve”. substantiva predicativa. predicativo do sujeito e predicativo do sujeito. “ Que aquele era um livro só para mestres. eu não o sabia”. predicativo do sujeito e adjunto adverbial. substantiva subjetiva. e) conclusiva.. 981. tem como sujeito “A tirania dos reis”. porém da monarquia antiga. Que tipo de subordinação? a) temporal. adverbial concessiva. c) objeto direto.“Maria das Dores entra e vai abrir o computador. defendia-o por verdadeiro. a cobiça e a soberba dos grandes” funciona como: a) sujeito simples. substantiva subjetiva. adverbial concessiva. chorando de emoção. objeto direto pleonástico e predicativo do sujeito. c) causal. Os termos “as” (“que as açoitasse”) e “por verdadeiro” são. 983. tem sujeito indeterminado. adverbial concessiva.

O velho sorriu-se. (Unesp-SP) Emprega-se o termo solecismo para indicar o uso errado da concordância. II. de que.. desobedeceram.Gramática 986. ficaremos alojados. III.. deixando apenas escapar em tom de dúvida um significativo – Qual. voz reflexiva e pronome apassivador. b) I. nunca tivemos acesso. II. III.. objeto direto pleonástico e objeto direto. II. pronome reflexivo. O desafio . . que. Em fez-se desânimo. a que. Aponte a única alternativa em que não ocorre tal erro. III.. partícula apassivadora. As promessas .” III. IV. conjunção subordinativa condicional. “. Os termos “os” e “que” (“hipócritas os que”) são respectivamente: a) b) c) d) e) objeto direto e objeto direto. e) l. voz reflexiva e pronome reflexivo. Em: “Nesta casa serve-se comida caseira” quanto à voz do verbo e à função do se. III. aonde. aonde. que.. cujas.. pronome reflexivo. II...” IV. V. que. de que. a quem. a) l.. com que. deves declarar-te depressa. revela-nos segredos . a IV e V estão erradas.” Aponte a seqüência correta quanto a classificação morfológica da palavra se nessas frases de Manuel Antônio de Almeida. 988. II. Aponte a alternativa que supõe o emprego correto do pronome relativo nestes períodos: I.” II. que. cujas.2007 993. IV... “As três velhas conversaram por largo tempo não porque muitas coisas se tivessem a dizer.. IV. c) I. partícula expletiva. partícula expletiva... a que. a) b) c) d) e) índice de indeterminação do sujeito. V.. objeto indireto e sujeito. voz ativa e índice de indeterminação do sujeito. partícula apassivadora. Os alunos . lI. a que. você visa. aonde.. A entrada é proibida.. II.Só lhe direi. se me prometerdes guardar todo o segredo... objeto direto de “fossem” e sujeito de “invocavam”. sujeito de “fossem” e sujeito de “invocavam”. onde. conjunção subordinativa condicional... respondeu a comadre depois de alguma hesitação.. partícula expletiva. III. Prof. a) colisão b) anfibologia c) preciosismo d) eco e) cacofonia a) b) c) d) e) Faz cinco anos completos que não visito o Rio. (OMEC-SP) Assinale o vício de linguagem da frase seguinte: “Ele prendeu o ladrão em sua casa”. a que. IV. que. d) l. “Nada (. O desagradável incidente . iremos no começo das férias. Haviam vários objetos espalhados sobre a mesa. II. que. o pronome se é: 990. partícula apassivadora. a quem. III. e) I. a quem. III. IV. IV. a II está errada. IV. II. me refiro é tão ambicioso quanto os objetivos . III. Entrada é proibido. II. de que.. que. pronome reflexivo recíproco. todas estão erradas. Fazem já vinte minutos que começaste a prova. temos respectivamente: a) b) c) d) e) voz ativa e pronome reflexivo. a que. 992. que. notas estão aqui devem pedir perdão à professora . 987. aonde. III. onde. Edson 119 Volume Único . que. aonde. voz passiva e pronome apassivador. que.. IV. (Fameca-SP) Observe a concordância: l.) se conseguiu com a receita. partícula apassivadora. que. É proibido entrada. regência ou colocação. pronome reflexivo objeto direto. que. ela duvidava não eram piores do que os sonhos . de que... II.. pronome reflexivo. que. V. o mal continuou. conjunção subordinativa integrante. IV pronome reflexivo. de que. II. III. Para quem a entrada é proibido? a número V está errada. a que. dos quais. III.. pronome reflexivo objeto indireto. Devem haver explicações satisfatórias para este fato. V. ela sempre se lembrava.. de que. onde. onde. é o lugar . partícula apassivadora.. 991. IV.. conjução subordinativa condicional. partícula apassivadora. IV. IV.. pronome reflexivo. a que.. a que. que. V. III. V. aos quais. pronome apassivador. V. d) I. Se lhe amas. I. partícula apassivadora. conjunção subordinativa condicional. b) l. c) l. você aludiu hoje à tarde. que o caso é muito sério. Já foi terminada a casa . cujas. todas estão certas. a) I. aonde. 989. a que. dos quais.. que. a) b) c) d) e) Entrada proibida.

Gramática

994. (FAUS-SP) Leia o texto e responda à questão. Num tribunal, a testemunha afirmou: — Eu vi o desmoronamento do barracão. O juiz ficou em dúvida quanto às hipóteses: 1 : A testemunha viu o barracão desmoronar. a 2 : A testemunha estava no barracão e de lá viu um desmoronamento. Este fenômeno é chamado de: a) ambigüidade d) silepse b) pleonasmo e) redundância c) cacofonia 0 995. Identifique as frases que apresentam regência verbal correta: I. Jaime aspirava a ser médico.
a

998. (Vunesp-SP) Examine os enunciados a seguir: I. Este é um pormenor .... que nem todos se lembram. II. Esta é a razão .... que deixei de entregar o trabalho. III. As informações .... que lhe passei são sigilosas. IV. Estes são os livros .... que lhe falei. Os enunciados nos quais o pronome relativo que deve vir antecedido de preposição são os seguintes: a) I e II. b) I, II e IV. c) I, II e III. d) III e IV. e) I, III e IV.

999. Indique a alternativa em que haja erro de concordância: a) b) c) d) Terminadas as aulas, os alunos viajaram. Esta maçã está meia podre. É meio-dia e meia. Dinheiro, benefícios pessoais, chantagens, nada podia corrompê-lo. e) Ajudaram no trabalho amigos e parentes. 1000. Indique a alternativa que preenche corretamente as lacunas das seguintes orações: I. II. III. IV. Precisa falar.... cerca de três mil operários. Daqui .... alguns anos tudo estará mudado. .... dias está desaparecido. Vindos de locais distantes, todos chegaram .... tempo.... reunião. a — a — há — a — à. à —a — a — há — a. a — à — a — a — há. há — a — à — a — a. a — há — a — à — a.

II. Algumas pessoas, de longe, assistiram ao comício. II. Esqueci-me o nome do livro. IV. Ele perdoava seus devedores. V. Prefiro trabalhar a passar fome. A seqüência que contém, somente, frases corretas é: a) b) c) d) e) I, IV e V. I, II e V. I, II, III e V. II, III e V. todas estão corretas.

a) b) c) d) e)

996. I. II. III. IV.

Observe as frases a seguir:

FONOLOGIA
É a parte da Gramática que estuda os fonemas, tomando-os como unidades sonoras capazes de criar diferenças de significado. * Letra: sinal gráfico que representa o som (fonema). * Fonema: menor unidade distintiva de significação da fala.

Quais de vós dirias a verdade? Tudo eram alegrias naquela casa. Como é bom cerveja gelada no verão! Bateu dez horas agora mesmo na Catedral. Identifique a alternativa correta quanto à concordância: II e IV estão corretas. II e III estão corretas. todas estão corretas. I e III estão corretas. n.d.a.

a) b) c) d) e)

I - Classificação dos fonemas:
* Vogais: passam livremente pela cavidade bucal. São elas: a, o, e, i, u. Características: São fonemas centrais; São a base da sílaba; Recebem acento gráfico ou tônico, quando em sílabas tônicas; e

Volume Único - 2007

997. (FCC-BA) O projeto .... estão dando andamento é incompatível .... tradições da firma. a) b) c) d) e) de que – com as. a que – com as. que – às. à que – às. que – com as.
120

Prof. Edson

Gramática

-

Exercem função silábica, isto é, são capazes de formar sílaba isoladamente.

Obs.: Número de vogal = número de sílaba. * Semivogais: São as letras o, e, i, u, desde que não sejam base de sílaba.

xs — Ex.:exsuar, exsicar gu — Ex.:sangue, guia qu — Ex.:aqui, quero b) Dígrafo vocálicos am e an — Ex.: tampa, tanto em e en — Ex.: exemplo, tenda im e in — Ex.: jasmim, tinta om e on — Ex.: tombo, ponto um e un — Ex.: algum, nunca obs.: os grupos am, em e en, em fim de palavras ou em vocábulos derivados ou compostos, representam ditongo ou tritongo. Ex.: falam, bem, trenzinho, embora. VI - Sílaba: é formada por um ou mais fonemas pronunciados em uma só emissão de voz. Em português, as sílabas são sempre centradas numa vogal. * Quanto à tonicidade, classifica-se em tônica, átona e subtônica. Ex.: rubricazinha. Divisão silábica: deve ser feita a partir da soletração. Usa-se o hífen para marcar a separação silábica. Ex.: sub-li-nhar, su-bo-fi-ci-al. VII - Palavra: uma ou um conjunto de sílabas, pronunciados separadamente. * Quanto ao número de sílabas, classifica-se em:

Características: * São fonemas laterais; Exercem função assilábica, isto é, não são capazes de formar sílaba isoladamente. Consoantes: encontram obstáculos ao passar pela cavidade bucal.

Obs.: para classificar os fonemas é essencial que se faça a transcrição fonética, isto é, escrever a palavra, conforme a pronunciamos. Ex.: campo (kãpu). II - Encontros vocálicos: agrupamento de fonemas vocálicos. a) ditongos: v + sv , ou vice-versa. Classificam-se em crescente ou decrescente, aberto ou fechado e oral ou nasal. Ex.: pátria, mãe, chapéu. b) tritongos: sv + v + sv. Classificam-se em oral ou nasal. Ex.: Paraguai, saguão. c) hiatos: é a quebra de uma seqüência vocálica. Ex.: saúde, história, feio. III - Encontros consonantais: agrupamento de fonemas consonânticos. Classificam-se em perfeitos e imperfeitos. Ex.: abrupto, tungstênio. IV - Dífono: dois sons diferentes representados por uma única letra. Ex.: Tóxico ( tóksiko) Obs.: Todo dífono é um encontro consonantal perfeito. V - Dígrafos: duas letras, representando um só fonema. a) Dígrafos consonantais ch— lh — nh rr — s — s sc — sç — xc— Ex.:chave, Chile Ex.:cartilha, folha, molho — Ex.:ganho, banho, nenhum Ex.:carro, barra Ex.: massa, passo Ex.: nascer, descer Ex.: desço, cresça Ex.:exceção, excelente

a) monossílabos — formados por apenas uma sílaba: é, há, ar, lá, dar, crer, qual, etc.; b) dissílabos — formados por duas sílabas: aí, aqui, rever, claro, ida, volta, etc.; c) trissílabos — formados por três sílabas: aliás, perspicaz, tungstênio, etc.; d) polissílabos — formados por mais de três sílabas: camarada, psicologia, constitucional, etc. * Quanto à tonicidade, classifica-se em: a) oxítona: sílaba forte sendo a última. Ex.: Nobel. b) paroxítona: sílaba forte sendo a penúltima.
Volume Único - 2007

Ex.: recorde c) proparoxítona: sílaba forte sendo a antepenúltima.

Prof. Edson

121

Gramática

VIII - ACENTUAÇÃO GRÁFICA • Acentuação dos Proparoxítonos
- todas as palavras proparoxítonas devem ser acentuadas, sem exceção: lêvedo(substantivo), elétrodo, biótipo, aríete, Alcíone, ímprobo, protótipo, ágape, bávaro, zênite, zéfiro,álacre, munícipe, chávena.

• Acentuação do quê
* Quando substantivo Ex.: seu quê é ilegível. * Fim de frase. Ex.: Você vive de quê? * Interjeição de espanto. Ex.: Quê! Você não sabe ler?

• Acentuação dos oxítonos
- devem ser acentuados os oxítonos terminados em: a(s): Paraná, está. e(s): Tietê, português. o(s): jaó,cipós. em, ens: alguém, detém, parabéns.

• Acentuação dos grupos gue, gui, que, qui:
* “u” sem trema ou acento (não-pronunciado= dígrafo). Ex.: guerra, quilo. * “ü” com trema (semivogal= ditongo ou tritongo) Ex.: tranqüilo, enxagüei * “ú” com acento (vogal=hiato) Ex.: averigúe

• Acentuação dos Paroxítonos
Receberão acento, desde que não estejam inclusos nas regras dos oxítonos. Ex.: caráter, júri, Nélson, útil, vírus, tórax, bíceps, médium, ímã, órfão, róseo, jóquei, hífen, item, fênix, ônix, ônus, hifens, álbum, itens, pólen, bônus, Antônio, polens, outrem, órgão, idem.

TEORIA COMPLEMENTAR PROSÓDIA
A prosódia trata da correta acentuação tônica das palavras. Quando o falante desloca a posição do acento tônico da palavra, comete uma infração denominada SILABADA. A acentuação gráfica tem como pré-requisito principal a correta pronúncia de determinadas palavras: São palavras oxítonas: Cister Condor Gibraltar Masseter Novel Hangar Obus Recém Ruim Sutil Parabéns Também Nobe Refém Ureter

• Acentuação dos Ditongos
- devem ser acentuados as vogais dos ditongos abertos tônicos: éi(s): assembléia, anéis, epopéia, papéis. éu(s): chapéu, céu, troféus. ói(s): jibóia, paranóica, heróis, heróico.

• Acentuação dos Hiatos
“I”/”U”: - isolados ou com “s”; - não-repetidos; e - não seguidos de “nh”. Ex.: Luís, balaústre, saída, faísca, uísque,rainha, ruim, ainda, xiita, Raul, juiz, raízes, iídiche, seriíssimo, feíssimo, veículo, substituí-lo, saúde, Itaú, grajaú, tainha,juuna, contribuição. “ÊE”(Lembre-se da palavra credelevê). Ex.: Crêem, relêem, prevêem. “ÔO” Ex.: vôo, enjôo, perdôo.

l

• Acentuação dos monossílabos tônicos
Volume Único - 2007

Terminados em a, o, e. Ex.: há, dó, pé.

• Acentuação das formas verbais tônicas
Terminadas em a, o, e Ex.: amá-la, compô-la, vendê-la, puni-la.

São palavras paroxítonas: Alano Alcácer Algaravia Âmbar Avaro Austero Aziago Azimute Barbárie Batavo Cânon Caracteres Cartomancia Ciclope Cível Clímax Decano Díspar Efebo Estalido Exegese Filantropo Filatelia Psicologia Fortuito Gratuito Circuito Hungria Ibero Pudico Látex Opimo Inaudito Maquinaria Transido Rubrica São palavras proparoxítonas: Acônito Aeródromo Aerólito Ágape Álacre Álibi Anátema Antífona Aríete Autóctone Azáfama Bávaro Brâmane Chávena Écloga Égide Êmbolo Fagócito Gárrulo Ímprobo Ínterim Zênite Elétrodo Munícipe
Prof. Edson

122

Gramática

Apresentam pronúncia oscilante as palavras: Acróbata ou acrobata oceânia ou oceania Ambrósia ou ambrosia ortoépia ou ortoepia Anídrido ou anidrido projétil ou projetil Bálcãs ou Balcãs réptil ou reptil Catéter ou Cateter Crisântemo ou crisantemo sóror ou soror Geodésia ou geodesia xérox ou xerox Homília ou homilia zângão ou zangão safári ou safári autópsia ou autopsia necrópsia ou necropsia Nesse caso, as duas formas são consideradas corretas pela forma culta.

Eu não o entendo porque não consigo. Ainda não entendi o porquê dessa situação. Você não me entende porque não consegue? Não entendo por que você não me entende. Este é o caminho por que passa todos os dias. Onde / aonde / donde Onde você está? Para onde você vai? Onde você mora? Donde vens? Até onde (aonde) você vai?

Ex.:

Mal (contrário de bem) mau (contrário de bom) O mal não vence o bem. O mau aluno não estuda. Mal o professor chegou, a aula começou. Ele fala muito mal.

Ex.:

Há = existir ou fazer(indicando tempo decorrido) a (tempo futuro) Há alunos na sala. Ela saiu há dez minutos. Estou a dez metros de você. O time fez o seu gol a dez minutos do fim do jogo. O aluno entregou a prova há dez minutos. Irei daqui a dez minutos. Em vez = no lugar de ao invés = sentido contrário Em vez de sair, ele dormiu. Ao invés de chorar, ele riu. Em vez de criticar, faça você mesmo. Ao invés de subir, ele desceu.

FORMAS VARIANTES
Catorze/quatorze Bilhão/bilião Porcentagem/percentagem Aluguel/aluguer Cota/quota Cotidiano/quotidiano Coisa/cousa Ouro/oiro Taverna/taberna Assoviar/assobiar Choparia/choperia Chocolataria/chocolateria Chipanzé/ chimpanzé Mobiliar/mobilhar/mobilar

Ex.:

Ex.:

FORMA ÚNICA
Empecilho Digladiar Cabeleireiro Iogurte Privilégio Disenteria Mortadela Mendigo Seriíssimo Bandeja Manteigueira Interstício Superstição Perturbado Meteorologia Depredar Estupro Mertiolate Mimeógrafo Tabuada Caranguejo Soçobra

De encontro = contra ao encontro = a favor O carro foi de encontro ao muro. Aquelas atitudes vão ao encontro do que eles pregavam. Senão = do contrário/ a não ser Se não = caso Estuda senão será reprovado. Se não estudar será reprovado.

Ex.:

Ex.:

À - toa = inútil(adjetivo) à toa = inutilmente(locução adverbial) Ex.: Era uma pessoa à - toa. Andava à toa na vida.
Volume Único - 2007
123

* Dificuldades cotidianas •
Porque / porquê / por que / por quê

Perguntou = separou Respondeu = juntou Substantivou = juntou = acentuou Ex.: Por que você não me entende? Você não me entende por quê?
Prof. Edson

Afim =semelhante(adjetivo) afim de = estar com vontade a fim de = para que O genro é um parente afim. Estou afim de você. Estudou a fim de ser aprovado.

Ex.:

Gramática

Cerca de = aproximadamente há cerca de = existe ou faz aproximadamente acerca de = a respeito de a cerca = substantivo

EMPREGO DO HÍFEN
1. Separar as sílabas de uma palavra. Ex.: Me-lan-ci-a 2. Ligar os pronomes obliquos. Ex.: Amá-lo. 3. Ligar os elementos dos adjetivos compostos. Ex.: Econômico - financeiro, 4. Ligar os sufixos “açu”, “guaçu” e “mirim”. Ex.: capim-açu, sabiá-guaçu, caja-mirim. 5. Ligar os prefixos “além”, “aquém”, “recém”, “vice”, “ex”(=anterior), “pós”, “pré”, “pró”(tônicos). Ex.: Além-mar, aquém-mar, recém-nascido, vicepresidente, ex-aluno, pós-operatório, pré-contrato, pró-ecologia. 6. Ligar os prefixos “auto” ,”contra”, “extra”, “infra”, “intra” “neo”, ”proto”, “pseudo”, “semi”, “supra” e “ultra”, quando a palavra seguinte começar por vogal, h, r ou s. Ex.: Auto- análise, contra- regra, extra-oficial, infraestrutura, intra-uterino, neo-republicano, protohistória, pseudo-hermafrodita, semi-reta, suprasensível, ultra-som. Exceção: extraordinário.

Ex.: Cerca de cem pessoas estavam naquela festa. Há cerca de uma semana, discutíamos política. Falávamos acerca de política. A cerca é de arame.

A par = estar bem informado ao par = equivalente

Ex.: Ele estava a par de tudo. O dólar está ao par do euro.

Fim = início final = inicial

Ex.: O fim do jogo é iminente. Os momentos iniciais do jogo foram marcantes.

Mas = porém mais = menos Estudou, mas foi reprovado. Estudou mais neste ano.

Ex.:

Demais = muito de mais = de menos Ex.: Elas falam demais. Não haviam feito nada de mais.

7. Ligar os prefixos “ante”,”anti”, “arqui”, “sobre”, quando a palavra seguinte começar por h, r ou s. Ex.: Ante-sala, anti-higiênico, arqui-rival, sobre-saia. 8. Ligar os prefixos “ab”, “ad”, “ob”,” sob”,” sub”, quando a palavra seguinte começar por r . Ex.: Ab-rogar, ad-rogar, ob-repetício, sob-roda, subraça. OBS.: o prefixo “sub” tabém se separa por hífen se a palavra seguinte começar pela letra b. Ex.: sub-base. 9. Ligar os prefixos “pan”, “mal” e “circum”, quando a palavra seguinte começar por vogal ou h. Ex.: Pan-americano, mal-assombrado, circumadjacente. 10. Ligar os prefixos “ super” e “inter”, quando a palavra seguinte começar h ou r. Ex.: super-homem, inter-relação.

Dia - a - dia = cotidiano(substantivo) dia a dia = dia riamente(locoção adverbial) Meu dia-a-dia é agitado. Os preços das mercadorias sobem dia a dia.

Ex.:

Em nível de = dentro de A nível de = medida O desemprego aumenta em nível de Brasil. Minha casa fica ao nível da rua.

Ex.:

A princípio = inicialmente Em princípio = teoricamente

Volume Único - 2007

Ex.: A princípio estudamos fonologia e depois morfologia. Em princípio nenhum funcionário poderá sair da empresa.

SEMÂNTICA
I. ANTÔNIMOS São palavras de significados contrários. Ex.: feio / bonito - raso / fundo II. SINÔNIMOS São palavras de significados semelhantes. Ex.: amor / paixão - bonito / belo

124

Prof. Edson

Ex. a mesma escrita ou a mesma pronúncia. HOMÓGRAFOS – possuem a mesma grafia. Ex.CONOTAÇÃO Emprego da palavra em seu sentido figurado.: Meu coração mendiga amor.: são (verbo) . A.: manga (verbo) manga (fruta) manga (parte de vestuário) VI.são (adj. Ex. isto é.2007 . tendo. PARÔNIMOS São palavras diferentes no sentido.: cozer / coser .Gramática III. HOMÔNIMOS PERFEITOS . V.eminente / iminente IV.possuem a mesma pronúncia.: este (pronome demonstrativo) . LISTA DOS PRINCIPAIS HOMÔNIMOS E PARÔNIMOS Prof.: O mendigo morreu do coração.possuem a mesma escrita e pronúncia. Ex. Ex. Ex.: mau / mal C.este (substantivo).seção / sessão / cessão Os homônimos podem ser: homógrafos.: retificar / ratificar . ou em apenas uma delas. DENOTAÇÃO Emprego da palavra em seu sentido próprio. no entanto. B. Edson 125 Volume Único . HOMÓFONOS . fora do real. que se assemelham tanto na escrita quanto na pronúncia. HOMÔNIMOS São palavras diferentes no sentido. Ex. ou ambas. homófonos e homônimos perfeitos. POLISSEMIA São palavras de significados variados. Ex.são (= santo). VII. = sadio) .

: menino * Número (DNN) Ex. Ex. Desinências: Elemento indicador da flexão * Gênero (DNG) Ex. DISpor.: felizMENTE. DESorganizar.. Tema: radical + vogal temática. EMpobrecer.: ANTEver. Edson . EX. 5. gordUCHO. a formação. b) Sufixo: afixo que se coloca depois do radical. lealDADE. Dividem-se em: a) Prefixo: afixo que se coloca antes do radical. analisando a estrutura. a classificação e a flexão. com a finalidade de dar nova significação à palavra. com a finalidade de mudar a classe gramatical ou emprestar idéia acessória à palavra. Ex. Ex.: ALUNo.2007 Prof.: ROSA 4. EX. Singular é representado por zero. etc.Estrutura das palavras a) Nominal 1. feliz. Afixos: Elementos que se acrescentam antes ou depois do radical de uma palavra para a formação de uma nova. 2. maré. c) Interfixos: São os elementos que se interpõem aos vocábulos por necessidade de eufonia: 126 Volume Único . I . Radical (ou Semantema): elemento que contém a base de significação do vocábulo.: mar. Obs.: rosA 3.: meninos Obs. café.Gramática MORFOLOGIA Estuda a palavra isoladamente. Ex. itu.: vocábulos terminados em consoante ou vogal tônica são palavras e radical ao mesmo tempo. MENINo. Vogal Temática: elemento que se opõe à desinência.

O Sr. basta desprezar as terminações AR. Ex. pé + moleque = pé-de-moleque. gasÔmetro. Edson Ex. ENvergonhAR. Ex.: AMAr. laranjAL.: vender . redução e mudança na estrutura gramatical.: guarda + chuva = guarda-chuva. DESalmADO. Volume Único . Vogal Temática: elemento indicador da conjugação. IR. moto (motocicleta). felizMENTE.o choro. Obs. em Português. Derivação: Formação de nova palavra através de agragação de elementos. Coelho: substantivo comuns usados como próprios. PARTir. aceiro: aço (falsa analogia com emprego de sufixo). Leitão foi recebido pelo Sr. ao mesmo tempo. Ilegal. PÔR 2. filho + de + algo = fidalgo. mas não ao mesmo tempo.: AlistAR.temporal(DMT): é aquela que se repete. ratazana. vendEr. DESleal.: infelizmente d) PARASSÍNTESE: formação de uma palavra nova por meio de acréscimo de prefixo e sufixo ao radical da primitiva. O cantar do pássaro alegrava a todos: verbo usado com valor de substantivo. Radical (ou Semantema): para encontrá-lo.: lealDADE.o combate. cinema (cinematógrafo). ER. chorar .a venda. 3. c) AFIXAÇÃO: formação de uma palavra nova por meio de acréscimo de prefixo e sufixo ao radical da primitiva. pneu (pneumático).Processos de Formação das Palavras Há. dois grandes processos básicos para a formação de novas palavras: Derivação e Composição. b) SUFIXAÇÃO: (Derivação Sufixal): formação de uma palavra nova por meio de acréscimo de sufixo ao radical da primitiva: Ex. MEC (Ministério da Educação e Cultura). Todos ficaram encantados com seu andar: verbo usado com valor de substantivo. b) AGLUTINAÇÃO: união com alteração fonética. partIr. Ex. II . Ex. cine (cinema). a) PREFIXAÇÃO: (Derivação Prefixal): formação de uma palavra nova por meio de acréscimo de prefixo ao radical da primitiva: Ex. EX. Assim. VENDEr.o abalo.2007 b) SIGLA: emprego das iniciais de várias palavras formando uma que as represente: ONU (Organização das Nações Unidas). Ser.: ANTEver. VENDer. Tema: radical + vogal temática. passa + tempo = passatempo. EmpobrECER. 127 . Desinências: Elemento indicador da flexão * Modo.: amAr.: plano + alto = planalto. e) DERIVAÇÃO REGRESSIVA: formação de uma palavra nova por meio de redução de elementos ao radical. usados somente para facilitar a pronúncia. . 2. temos: a) JUSTAPOSIÇÃO: união sem alteração fonética.Gramática São eles: Vogal e Consoante de Ligação EX: chaLeira.: Amar. gira + sol = girassol. b) Verbal 1. PARTIr 4. Observação: Incluem-se nesse processo os casos de falsa analogia ocorridos em algum momento da língua falada: sarampão: sarampo (falsa analogia com o aumentativo). Dar. meninINHO. foto (fotografia). Outros Processos a) ABREVIAÇÃO: forma reduzida com que podem se apresentar certas palavras: auto (automóvel). Ex. Prof. CONter. fonte + seca = fonseca. Inapto. DERIVAÇÃO IMPRÓPRIA: formação de uma palavra nova por meio de mudança na estrutura gramatical da primitiva. combater . em + boa + hora = embora. Composição: Formação de uma palavra nova através da união de dois ou mais radicais.abalar .: amáSSEmos * Número-pessoal (DNP): é aquela que não se repete. 1. Ex. NGB (Nomenclatura Gramatical Brasileira).: amásseMOS f) Ex.: Não são elementos estruturais. cafeZal. Ex.

lua. correrei (futuro). centauro. Esse procedimento é prático. as entidades reais ou imagináveis e também as noções abstratas. Ex.: mesa.CLASSES GRAMATICAIS FUNDAMENTOS SOBRE AS CLASSES DE PALAVRAS A classificação das palavras depende fundamentalmente das funções por elas exercidas nas orações. mas fenômenos genéricos. concebida como se estivesse separada dos seres que correm. interessam as generalidades sobre cada uma das dez classes gramaticais em que se dividem as palavras do português. Adjetivo Classe de palavras que serve para indicar as qualidades. Ex. também. ilusão. metro: grego) alcoômetro (álccol: árabe. padecer. lactômetro (lacto: latim. é impraticável.: * Locução adjetiva Trata-se de uma expressão formada de preposição mais substantivo. tristesa Os substantivos abstratos não designam seres 128 4. urrar. qualificadora de outro substantivo. Estudar uma a uma. d) HIBRIDISMO: palavras formadas por meio da união de elementos pertencentes a língua diferentes: automóvel (auto: grego. miar.Gramática c) ONOMATOPÉIA: palavras formadas a partir da imitação de ruídos ou vozes da natureza: tilitar. há duas que podemos chamar de básicas ou nucleares: o substantivo e o verbo. Ex. propriedades. por exemplo. o triplo. sorrir. que consiste em agrupar aquelas que possuem propriedades comuns.2007 1. é desprezar diferenças importantes para compreendê-las e usá-las com propriedade. o quádruplo. o substantivo corrida designa uma ação. cacarejar. serve para indicar a quantidade dos substantivos. Prof. ter O verbo é a única classe de palavras em que o tempo é marcado por uma desinência própria. correr.: brilhar. A Classificação das Palavras O número de palavras de uma língua moderna é muito alto (em torno de 500 mil). na medida em que permite descrever modelos genéricos para todas as palavras que pertencem a uma mesma classe. em príncipio. As particularidades e exceções são registradas quando necessárias. fada. pôr. corri (passado). Ex. dois. designa uma qualidade. quantos são eles (um. estudá-las num só bloco. luz. tais como: propriamente ditos. como se fossem todas iguais. Edson . Verbo Pertencem a essa classe as palavras que designam ações. Por outro lado. Só o verbo admite desinências demarcadoras de tempo: corro (presente). metro: grego) III . levando em conta suas particularidades. um terço. tique-taque. 2. Os Satélites dos Substantivos 3. um quinto). as propriedades do substantivos. Numeral Classe que. Dentre as dez classes gramaticais. Neste capítulo. Outros capítulos serão dedicados à descrição de cada uma dessas classes. reco-reco. estados ou ações dos seres.: Volume Único . Assim. dez. Há um meio-termo. O substantivo velocidade. processos que ocorrem com os seres em geral. móvel: latim). concebidos como se existisem separados deles. Substantivo pertencem a esta classe todas as palavras que designam os seres em geral. isoladamente. Com apenas essas duas classes de palavras podem-se construir frases. mas uma qualidade concebida como se existisse separada (abstraída) dos seres que a suportam.

Ex. Ex. sobre. Ex. após em. por. perante de. 7. Artigo Classe que serve. Ex. o lobo disse para o cordeiro: por que está você sujando o córrego em que estou bebendo? Como se vê. trigésimo. considera-se: a – 1 pessoa. O Satélite do Verbo: 6. a que fala: a – 2 pessoa. basicamente. por convenção. os artigos indefinidos (um) no primeiro trecho servem para indicar que os substantivos cordeiro. a com quem se fala: a – 3 pessoa. 8.: * Pronome Adjetivo Acompanha um substantivo na frase. os artigos definidos (o) indicam que os três substantivos já são dados como conhecidos. centésimo). Edson .Gramática O numeral ordinal indica em que posição se localiza certo substantivo numa escala de números dispostos em série (décimo. de entidades indefinidas. Advérbio Como o próprio nome indica. No trecho final. Ex. ante. Então. Prof. até. O advérbio pode também ser associado: – ao adjetivo – ao outro advérbio As preposições mais usuais são: a. Preposição classe de palavras que serve para estabelecer conexão entre uma palavra e outra. pertencem a esta classe as palavras que associam ao verbo para indicar as várias circunstâncias que envolvem a ação.: Era uma vez um cordeiro e um lobo que bebiam água á beira de um córrego.: Volume Único . Chegou a notícia sobre ele (pronome substantivo) Conectivos Duas classes de palavras possuem a função de conectar elemento da frase: a preposição e a conjunção. Pronome É uma classe de palavras que servem para indicar uma das três pessoas do discurso ou situar alguma coisa em relação a essas três pessoas.: * Observações: 1.: * Locução Adverbial trata-se de uma expressão formada de preposição mais substantivo. 5. pois.: 2.2007 129 Ex. Ex. contra para. a de quem se fala. tratando-se. modificadora do verbo. entre com. dentre sob. Há advérbios que se referem até mesmo a um enunciado inteiro.: Chegou a notícia sobre o governador (substantivo). lobo e córrego não haviam ainda sidp citados. para indicar se o substantivo é concebido como algo já definido e conhecido previamente ou como algo indefinido e ainda não nomeado no interior do trecho. * Pronome Substantivo Substitui um substantivo na frase. por terem sido anteriormente mencionados.

Também as conjunções estabelecem relações com certos significados entre as orações que conectam: Abriu a porta e entrou rapidamente. 10.presidentes. além de sua função de conector.2007 4. 5. agente da passiva. complemento verbal (objeto direto/objeto indireto). Formam o plural de acordo com as seguintes normas: a) flexionáveis: substantivo. aposto e vocativo. pois é considerada vocábulo-frase. complemento nominal. Ex. 2) comuns-de-dois (o/a): estudante. o ídolo.: Ah! oh! alô! olá! *MORFOSSINTAXE DAS CLASSES GRAMATICAIS* 1. adjetivo e numeral.: diretores . relação de adição Abriu a porta para que ela entrasse. VERBO: Nucleo de predicado. * ESTUDO DAS CLASSES GRAMATICAIS 1. pardal (pardoca).: abelhas . rival. jovem.mestras. 2) heterônimos (radicais diferentes): cavaleiro (amazona). Ex. sentimentos e reações de natureza emocional. onça. número e grau. 8. terças feiras.. ADJETIVO: predicativo e adjunto adnominal. borboleta. coisas e idéias. tatu. SUBSTANTIVO: sujeito. INTERJEIÇÃO: não exerce função sintática.(Para indica lugar para onde). 9. *Adjetivo: as mesmas funções do adjetivo. relação de finalidade A) Uniformes (única forma para ambos os gêneros) 1) epicenos (macho/fêmea): jacaré. *idéia de exclusão (só o primeiro) Ex. anta. Número: Singular e Plural. CONJUNÇÃO: não exerce função sintática.. rinoceronte (abada). ADVÉRBIO: adjunto adverbial. guri (guria). Ex. 2. O prefeito dirigiu-se para o local do desabamento. c) palavras repetidas e onomatopéias (só o último) Prof.. FLEXÃO: GÊNERO E NÚMERO Gênero: Masculino e Feminino. de maneira inarticulada (impossível de segmentar).. bispo (episcopisa).Gramática As preposições.: 6. (A preposição de estabelece uma relação de causa). mosca. apresenta flexões de gênero. predicativo.Como palavra variável.. Muita gente no mundo ainda morre de fome. estabelecem com que significado uma palavra se prende a outra. Interjeições Pertencem a essa classe de palavras invariáveis que exprimem.. 130 . ARTIGO: adjunto adnominal. Edson 10. SUBSTANTIVO: tudo que recebe nome.. adjunto adnominal. PRONOME: *Substantivo: as mesmas funções do substantivo. agente. quando for significativo (indicador de ação ou fenômeno). 3) sobrecomuns (sem flexão do artigo): o sósia. frei (sóror). NUMERAL: *Substantivo: as mesmas funções do substantivo. A mesma preposição pode estabelecer relações de vários sentidos: Os assaltantes arrombaram a porta com uma barra de ferro e com violência.. Volume Único . Conjunção Classe de palavras que estabelece conexão entre uma oração e outra. guardas . fã. motorista. a criatura. zangão (abelha).. jornalista. PREPOSIÇÃO: não exerce função sintática. B) Biformes (uma forma para cada gênero) 1) flexão desinencial: búfalo (búfula). apenas é chamada de conectivo.: bananas-maçã.. É a palavra que usamos para nomear seres. 7.civis. *Adjetivo: as mesmas funções do adjetivo. indica Instrumento indica Modo 9. a mascote. adjunto adverbial. barata. a vítima. b) substantivo + substantivo: *idéia de soma (os dois) Ex. ilhéu (ilhoa). 3. apenas é chamada de conectivo.

: O brasileiro tem sido o mais confiante dos sulamericanos. sagrado (sacratíssimo).. tenro (teneríssimo). d) absoluto sintético (apenas um radical) Ex. humilde (humílimo). cristão (cristianíssimo).: os quero-queros. pior(= mais mau ou ruim) sempre indicam superioridade.. Ex.do que) Ex. quando se comparam qualidade do mesmo ser: Ex. menos.. Edson 131 Volume Único .: Aquele aluno é mais bom que inteligente. os tico . livre (libérrimo) magnífico (magnificientíssimo). d) elementos ligados por preposição (só o primeiro) Ex. Ex.. ternos azul-marinho fardas verde-oliva paredes branco-gelo Obs.de) Ex. os reco recos os ruge ..: os sobe-desce c) absoluto analítico (dois ou mais radicais) a) relativo de inferioridade (o menos. mais grande e mais pequeno. Flexão: Gênero e Número: Só o último.. célebre (celebérrimo). b) relativo de superioridade ( o mais. Grau: Comparativo e Superlativo * Perguntas para detectar grau: 1. b) de inferioridade (menos. manso (mansuetíssimo).. O salário era menos interessante que/do que necessário.: cabelos castanho-escuros saudades doce-amargas ciências político-sociais crises sócio-político-econômicas..: 2 (comparativo) 1 ( superlativo . fiel (fidelíssimo). Ser ou qualidade destacados? Resp. áspero (aspérrimo)..2007 . Os alunos eram tão dedicados como/quanto inteligentes. c) de superioridade (mais. miúdo (minutíssimo). mais mau.de) Ex.: Português era mais fácil que/do que Matemática. cruel (crudelíssimo). Português era mais fácil que/do que complicado. mais.Gramática II) Superlativo Ex. negro (nigérrimo).: Obs.. senil (senilímo). pobre (paupérrimo).: O salário era menos interessante que/do que o trabalho.: Paulo é pior que Pedro.ticos. ADJETIVO: usado para modificar substantivo. miserável (miserabilíssimo). frio (frigidíssimo). quando essencial..que.. Prof. Quantos seres ou qualidades? Resp..: 1) adjetivos e seus respectivos superlativos eruditos: amargo (amaríssimo)..: Os concursos têm sido exageradamente difíceis.: Seu chute era o menos confiável do time. melhor(= mais bom). 2. a) de igualdade (tão/tanto. velho (vetérrimo). íntegro (integérrimo).fazer a pergunta nº 2) 2.: Sim (relativo) Não (absoluto) I) Comparativo Ex.do que) Ex.ruges.: 3) Usam-se as formas mais bom. menor(= mais pequeno).que. 2) As palavras maior(= mais grande). Ex.: pés-de-moleque e) verbos de sentidos opostos (invariáveis) Ex. Os concursos têm sido dificílimos. doce (dulcíssimo). magro (macérrimo).como/quando) Os alunos eram tão dedicados como/quanto os mestres.: Flexionam-se os dois elementos de SURDOMUDO.

adjunto adnominal.1. Os pronomes pessoais classificam-se em RETOS e OBLÍQUOS. TRATAMENTO: usados no tratamento íntimo.2. onde estás? 3. as.: Tu./ Tudo é bonito para mim. Edson . convosco si.: Meu livro é velho. PRONOMES POSSESSIVOS . São eles: eu tu ele. contigo si. os.2. senhora. QUADRO DE EQUIVALÊNCIA DOS PRONOMES PESSOAIS Ex.2. adjunto advérbial e agente da passiva.I. Ex. 2) *tratamento direto(quando se fala com a pessoa): Vossa. Ex. Átonos: funcionam como sujeito.: Gostei dela.: Isabel trouxe o livro consigo. PRONOMES PESSOAIS . eles.elas Ex. consigo. Obs. comigo ti./ Ela deixouse ficar na varanda. Obs. ainda./ Deram-lhe na cara. São eles: me te se. mas pedem verbos e outros pronomes de 3a pessoa. vós./ Irão conosco.1. / Ele se feriu. a) REFLEXIVOS – quando se referem à mesma pessoa. a.: “Si” e “consigo” são reflexivos. Ex.Tônicos: funcionam como complemento verbal.1. / Eu sou eu./ Amem a ela.ela nós vós eles.Gramática 03. recíproca.: Vi-o na rua. 3. Ex. 3. o.: Eles se morderam. São eles: mim.D./ Ela ficou fora de si. conosco vós.2. indefinidos. adjunto adnominal e complemento nominal.). possessivos. 132 Os pronomes oblíquos podem ser./ O livro dele é velho. consigo.1. / Deu-lhe uma boa surra. PRONOME Palavra que acompanha (adjetivo) ou substitui (substantivo) um nome. a si mesmo.quando indicam idéia mútua. Os pronomes se classificam em: pessoais. São eles: você senhor. 3.: 1) Ele. Ex. lhes Ex. quero falar com você.são palavras que indicam a posse em referência às três pessoas do discurso.são os que funcionam como sujeito ou predicativo do sujeito.1. ó Deus. senhorita vossa senhoria vossa excelência vossa alteza vossa majestade vossa reverendíssima vossa eminência vossa santidade vossa onipotência vossa magnificência Volume Único . ela./O.2007 Obs.1. logo só podem ser usados para se referir ao sujeito. RETOS . respeitoso e cerimonioso. REFLEXIVOS e RECÍPROCOS.: 1) são pronomes de 2a pessoa. mas o seu não. Ex. OBLÍQUOS 3.1.: Sempre precedidos de preposição. lhe nos vos se.1. Ex. 3. eles e elas.: Vossa Excelência já resolveu seus problemas? * tratamento indireto(quando se fala da pessoa): Sua. complemento nominal. Ex. ela nós. b) RECÍPROCO . São pronomes possessivos: Prof.são os que designam as três pessoas do discurso. etc. 2) “Tu” e “vós” podem funcionar como vocativo.: Deram o livro a mim./ Tudo lhe é bonito.2. elas Obs.: Paulo. Correspondem a mim mesmo. / Nós nos abraçamos.3. demonstrativos. virá aqui na próxima semana. pois seu livro está comigo. complemento verbal (O. nós. 3.: Sua Excelência. interrogativos e relativos. ele.: Eu me cortei.: Ele não veio hoje. quando precedidos de preposição passam a oblíquos tônicos. o Presidente da República. Ex./ O projeto foi feito por mim.

QUEM QUER. Ex.2007 . corresponde a NENHUM. ninguém. minha(s) nosso(s). PRONOMES INDEFINIDOS . aquela(s). respectivamente. cujo e quanto. a seleção brasileira foi desclassificada pela italiana. espaço e tempo. isso aquele(s). pouco. Ex. qualquer. essa(s). qual. aquela é a capital da França. 3. alguém. onde e como. nossa(s) 2ª pessoa: teu(s). Ex. OBS. AQUELA. Ex. e esta. QUEM. tanto. CADA QUAL.: Certo livro = pronome indefinido / Livro certo = adjetivo b) O indefinido ALGUM.: Esse livro que está com você é ótimo. vossa(s) 3ª pessoa: seu(s). naquele ano os brasileiros ficram tristes. 3. PRONOMES RELATIVOS . Ex. PRONOMES INTERROGATIVOS – são os pronomes indefinidos QUE. Ex. QUEM QUER QUE. Ex.: Livro algum é igual a este. * para aquilo que foi citado: 2a pessoa.: Por que não vieste aqui ontem? Para que estudas? Quando virás aqui? Onde moras? Como fizeste a prova? 3. em frases interrogativas.: Paris e Roma são belas cidades. Emprego: 1)Em relação ao discurso: * para aquilo que será citado: 1a pessoa. posposto a um substantivo.: O que ele disse era verdade. esse material custou caro. procede-se da seguinte maneira. A. etc.: Beijou-me o rosto. quando equivalerem a AQUELE. ALGUMA COISA. o qual substituem. mais. certo. / Qual livro doaste? / Indagou qual livro doaste/Quantos alunos estão na sala? OBS. assume a classe de adjetivo. = Beijou o meu rosto. = Pisou os seus pés. nenhum. aquilo a) Os pronomes O. Prof.: Saí ontem. SEMELHANTE e TAL serão considerados pronomes demonstrativos quando denotam identidades ou se equivalem às regras anteriormente expressas.são os que se referem às pessoas do discurso de maneira vaga ou indeterminada. Invariáveis: algo. finalidade. As principais locuções pronominais indefinidas são: CADA UM. A gasolina subirá no próximo mês.: Para duas referências já citadas. 2)Em relação ao espaço: * para o falante ou tudo que o envolva: 1a pessoa. AQUILO. tudo. Os pronomes átonos podem ser usados com valor de possessivo. AQUELAS serão considerados como pronomes demonstrativos. Ex. * para o ouvinte ou tudo que o envolva: 2a pessoa. isto esse(s). da Itália. quanto. 133 Volume Único . PRÓPRIO. QUAL. b) MESMO. tempo. cada. para que. lugar e modo.: Comprei livros e cadernos. 3. Ex. * para a referência: 3a pessoa. Variáveis: O qual. Ex. Ex. QUANTO na interrogação direta ou indireta Ex. = nenhum livro LOCUÇÃO PRONOMINAL INDEFINIDA É o grupo de palavras que equivale a um pronome indefinido.: A gasolina sobe nesta semana.: a) O pronome indefinido CERTO. AS. OBS. vário. nada.: Este livro que está comigo é ótimo. tua(s) vosso(s). não são pronomes e sim advérbios interrogativos de causa. AQUELES.6. QUALQUER UM. quando. sua(s) * pretérito distante: 3a pessoa. São eles: Variáveis: Algum. 3) Em relação ao tempo: *presente e futuro: 1a pessoa. / Pisoulhe os pés. um.são os que se referem a um termo anterior chamado antecedente. outro. Ex. essa noite entrou para a minha história. Ex. outrem.: Aquele livro que está com o Paulo é ótimo. todo. posposto a um substantivo. muito.:Que fazer agora?/Quem fez isso? / Perguntou quem fez isso. OS. Ex. Edson Ex. *pretérito próximo: 2a pessoa. esta(s).5.Gramática 1ª pessoa: meu(s).: Tal fato já me aconteceu.: Este material custou caro: livros e cadernos. PRONOMES DEMONSTRATIVOS .são os que indicam a posição das pessoas ou coisas em relação ao discurso.: Em 1982. sua(s) seu(s).4. menos. São eles: este(s).: As palavras por que.3.

mas ainda não totalmente concluído 4. tempo e voz. 4 1.exprime o fato que ocorreu antes do momento em que se fala.: Este é o lugar onde moro. MODOS / TEMPOS VERBAIS .exprime o fato passado e totalmente concluído.1. como e quando. Ex.1. certo. * Obs.exprime o fato passado.: Esta é a pessoa a qual admiro.: Sempre precedido da preposição (“a”.1.1. função sintática: através do antecedente. IMPERFEITO . O futuro subdivide-se em: FUTURO DO PRESENTE e FUTURO DO PRETÉRITO.1. * Como: para indicar modo. modo. O pretérito é subdividido em PERFEITO.elas 04. flexionando-se em pessoa.1.: Este é o modo como fiz a prova. tanto ou todo. / Senti que ela não voltaria. PERFEITO . Ex.2. PRETÉRITO e FUTURO. função sintática: através do antecedente. Ex. INDICATIVO . estado ou mudança de estado.três são os modos em português: INDICATIVO. 4. IMPERFEITO e MAIS-QUEPERFEITO. Existem três tempos fundamentais: PRESENTE.1.3.2.2007 4.1.2. * Quando: para indicar tempo. SUBJUNTIVO e IMPERATIVO. positivo. Prof. Emprego: * Que: para antecedente coisa ou pessoa.1. Volume Único . caso o verbo seja transitivo direto) e de outras de acordo com a regência.quando enuncia o fato de um modo real. função sintática: através do antecedente. onde. * Cujo: para indicar posse. Edson 134 . FUTURO .: Irei à escola.: Este é o dia quando nasci eles.2. * Obs.1. função sintática: adjunto adverbial.3. * O qual: para antecedente coisa ou pessoa.Gramática Invariáveis: Que. número. função sintática: adjunto adnominal e complemento nominal. Ex. * Quem: para antecedente pessoa.1. Ex. Ex.exprime um fato que se realizará depois do momento da fala. fenômeno. VERBO Palavra que exprime ação. Estas são as lembranças de cujo autor guardo. quem.1. PRETÉRITO . função sintática: adjunto adverbial.: Esta é a pessoa a quem admiro. 4. 4 1. Ex. * Onde: para indicar lugar físico.1 PRESENTE . função sintática: adjunto adverbial. Ex.exprime o fato que ocorre no momento da fala. 4. 4.: Tudo quanto quero é o seu amor.: Esta é a pessoa que admiro. * Quanto: precedido de tudo. função sintática: através do antecedente.1. Ex.: Não admite preposição com mais de uma sílaba. MAIS-QUE-PERFEITO – exprime um fato passado já realizado antes de outro também passado.2.1.: Esta é a obra a cujo autor me refiro.

.quando enuncia o fato como objeto de uma ordem. 4.: Volte. Prof.1. a um advérbio. IMPERATIVO ... normalmente.2. Ex.1. FUTURO DO PRESENTE . 4. FUTURO . 4.1.3. IMPERFEITO . QUADRO DO IMPERATIVO AFIRMATIVO E NEGATIVO 4.Gramática 4.3.3.2007 .exprime um fato cuja realização se dará depois do momento em que se fala. Ex.1. 4. Ex. GERÚNDIO e PARTICÍPIO PASSADO. conselho.exprime uma ação passada mas posterior e dependente de outra ação passada. Ex.equivale-se a um adjetivo. ele saiu. SER E ESTAR 4. temporal ou conformativa .1.: Amar é o que interessa.) 4. PARTICÍPIO . SUBJUNTIVO .1.1.2.equivale-se a um substantivo. súplica.1. exortação. 4. INFINITIVO .: Chegando a hora. possibilidade.expressa uma ação vindoura condicional. podendo flexionar-se em gênero e número. todos se foram. HAVER.2.2.3.1. .2. CONJUGAÇÃO DOS VERBOS AUXILIARES: TER. / Vencidas as dificuldades.2.2.dependente de outra ação também futura.. (= o amor) 4.2. continuamos a luta. meu filho! / Senhor.quando enuncia o fato de um modo duvidoso.equivale-se. GERÚNDIO . / Se fôssemos ao teatro .1. suposição 4.1.3.1. Edson 135 Volume Único . PRESENTE . 4.exprime uma ação subordinada a outra e que se desenvolve no momento atual.2. Ex. (= quando chegou a hora.exprime um fato futuro enunciado no passado.: Chegado o momento. FORMAS NOMINAIS Três são as formas nominais do verbo: INFINITIVO. FUTURO DO PRETÉRITO .3.2. expressa dúvida. tende piedade de nós! O imperativo pode ser AFIRMATIVO e NEGATIVO.: Talvez chova.2.

Edson .2007 136 Prof.Gramática Volume Único .

Gramática

4.5.1.1. PERFEITO - com o auxiliar no presente. Ex.: Tenho amado. 4.5.1.2. MAIS-QUE-PERFEITO - com o auxiliar no imperfeito. Ex.: Tinha amado. 4.5.1.3. FUTURO DO PRESENTE - com o auxiliar no futuro do presente. Ex.: Terei amado. 4.5.1.4. FUTURO DO PRETÉRITO - com o auxiliar no futuro do pretérito. Ex.: Teria amado. 4.5.2. SUBJUNTIVO: 4.5.2.1. PERFEITO - com o auxiliar no presente. Ex.: Tenha amado. 4.4. VOZES VERBAIS Três são as vozes do verbo: ativa, passiva e reflexiva. 4.4.1. ATIVA - quando o sujeito pratica ou sofre a ação verbal, sem estrutura de passiva. O sujeito é chamado de agente ou paciente. Ex.: Cabral descobriu o Brasil. / o animal levou um tiro. 4.4.2. PASSIVA - quando o sujeito sofre a ação verbal, com estrutura de passiva. A voz passiva pode ser de duas maneiras: VERBAL ou ANALÍTICA e PRONOMINAL ou SINTÉTICA. 4.4.2.1. VERBAL ou ANALÍTICA - formada pelo auxílio do verbo SER mais PARTICÍPIO. Ex.: O Brasil foi descoberto por Cabral. 4.6. CLASSIFICAÇÃO DO VERBO QUANTO À FORMA 4.4.2.2. PRONOMINAL ou SINTÉTICA - formada com o acréscimo do pronome “SE” a um verbo transitivo direto ou direto e indireto. Ex.: Descobriu-se o Brasil. / Deu-se à menina o nome de Maria. 4.4.3. REFLEXIVA - quando o sujeito pratica e sofre uma ação verbal. O sujeito é chamado de agente-paciente. Ex.: Ele se queimou. (pronome reflexivo) / Eles se odeiam. (pronome recíproco) 4.5. TEMPOS COMPOSTOS São os formados pelos auxiliares TER ou HAVER acompanhados do verbo pnncipal no PARTICÍPIO. Usamos os tempos compostos no indicativo, no subjuntivo e nas formas nominais. 4.5.1. INDICATIVO: 4.6.1. REGULAR - é aquele cujo o radical permanece inalterado foneticamente em toda a conjugação e as desinências são as mesmas do verbo modelo. Ex.: AMAR,VENDER, PARTIR, BRINCAR, CORRIGIR,DESCER. Obs.: Basta conjugar o verbo no presente e pretérito perfeito do indicativo. 4.6.2. IRREGULAR - é o que possui variação ( fonética) no radical ou nas desinências. Ex.: CABER, FAZER, ESTAR, VALER, POLIR, PASSEAR.
Volume Único - 2007

4.5.2.2. MAIS-QUE-PERFEITO – com o auxiliar no imperfeito. Ex.: Tivesse amado. 4.5.2.3. FUTURO - com o auxiliar no futuro. Ex.: Tiver amado. 4.5.3. FORMAS NOMINAIS: 4.5.3.1. INFINITIVO - com o auxiliar no infinitivo. Ex.: Ter amado. 4.5.3.2. GERÚNDIO - com o auxiliar no gerúndio. Ex.: Tendo amado.

Não há os seguintes tempos compostos: presente, imperfeito e particípio.

4.6.3. ANÔMALOS - são os verbos que apresentam profundas variações nos seus radicais, não se enquadrando em conjugação alguma: SER e IR. 4.6.4. ABUNDANTE - é o que apresenta mais de uma forma de conjugação.

Prof. Edson

137

Gramática

Ex.: NASCER (nascido, nato), ACEITAR, ENTREGAR, EXPRESSAR, EXPULSAR, ISENTAR, LIMPAR, MATAR, SALVAR, HAVER, CONSTRUIR, IMPRIMIR.

4.8.1. Os verbos terminados em EAR recebem a vogal de ligação I depois da vogal E nas formas rizotônicas. Ex.: verbo ARREAR pres. ind. - arreio, arreias, arreia, arreamos, arreais, arreiam. pres. subj.- arreie, arreies, arreie, arreemos, arreeis, arreiem. 4.8.2. Os verbos terminados em IAR são normalmente regulares. Ex.: verbo ARRIAR pres. ind. - arrio, arrias, arria, arriamos, arriais, arriam. pres. subj. - arrie, arries, arrie, arriemos, arrieis, arriem.

a) As formas regulares (particípio em -DO-) são empregadas na voz ativa com os auxiliares “TER” ou “HAVER”; as formas irregulares são usadas na voz passiva com os auxiliares “SER”, “ESTAR” ou “FICAR”. Ex.: O servente havia limpado a sujeira. / A sujeira foi limpa pelo servente. b) Os seguintes verbos possuem apenas particípio irregular: ABRIR (aberto); COBRIR (coberto); DIZER (dito); ESCREVER (escrito); FAZER (feito); PÔR (posto), VER (visto); VIR(vindo). c) Os seguintes verbos possuem apenas particípio regular: GANHAR(ganhado); GASTAR(gastado); PAGAR(pagado); PEGAR(pegado). 4.6.5. DEFECTIVO - é o que não possui todas as formas ou pessoas. *Não possuem a 1a pessoa do singular: ABOLIR, BANIR, COLORIR, DELINQÜIR, DEMOLIR, EMERGIR, EXPLODIR, URGIR, HAURIR. *São conjugados somente nas formas arrizotôncas(1a e 2a do plural): ADEQUAR, REAVER, PRECAVER, FALIR, REMIR. * É conjugado somente no plural: COMPUTAR. * Os impessoais: HAVER, FAZER, ESTAR, SER, IR, PASSAR, CHEGAR, BASTAR, CHOVER, TROVEJAR. *Os unipessoais: LATIR, MIAR, MURGIR. 4.7. FORMAS RIZOTÔNICAS E ARRIZOTÔNICAS 4.7.1. RIZOTÔNICAS - quando o acento tônico cai no radical. Ex.: AM/ O, AM/ AS 4.7.2. ARRIZOTÔNICAS - quando o acento tônico não cai dentro do radical. Ex.: AM/ ARÁS, AM/ AREMOS 4.8. VERBOS EM EAR / IAR QUADRO DOS VERBOS EAR / IAR
Volume Único - 2007

Os verbos MEDIAR, ANSIAR, REMEDIAR, INCENDIAR e ODIAR (M.A.R.I.O.) trocam o I por EI nas formas rizotônicas. Ex.: verbo MEDIAR. pres. ind. - medeio, medeias, medeia, mediamos, mediais, medeiam. pres. subj. - medeie, medeies, medeie, mediemos, medieis, medeiem.

4.9. COMBINAÇÃO DO VERBO COM PRONOMES 4.9.1 VERBO + O, A, OS, AS 4.9.1.1. Se o verbo terminar por vogal ou ditongo oral, os pronomes O, A, OS, AS não se alteram. Ex.: amo + a = AMO-A; amou + os = AMOU-OS 4.9.1.2. Se o verbo terminar por som nasal, os pronomes O, A, OS, AS vêm precedidos de um -N- eufônico 5. ARTIGO : determina o substantivo. *definidos: o, a, os, as *indefinidos: um, uma, uns, umas Obs.: Um e suas variações: 1) Artigo indefinido: acompanha substantivo. Ex.: Ele disse uma palavra. 2) Pronome indefinido: substitui substantivo. Ex.: Uma saiu da sala e outra voltou. 3) numeral: acompanha ou substitui substantivo, mas desde que haja um outro numeral ou uma expressão que denote exclusão. Ex.: Ele disse apenas uma palavra Uma saiu da sala e duas voltaram. Emprego dos Artigos

138

Prof. Edson

Gramática

1. É obrigatório o emprego do artigo definido entre o numeral ambos e o substantivo a que esse numeral se refere: Ex.: O juiz solicitou a presença de ambos os cônjuges Compareceram pessoas de ambos os sexos. 2. Nunca deve ser usado artigo depois de pronome relativo cujo (e flexões): Ex.: Este é o homem cujo amigo desapareceu. Este é o autor cuja obra aprecio. 3. Não se deve usar artigo antes das palavras casa (no sentido de lar, moradia) e terra (no sentido de chão firme), a menos que venham especificadas: Ex.: Eles estavam em casa. mas Eles estavam na casa dos amigos. Os marinheiros permaneceram em terra. mas Os marinheiros permaneceram na terra dos anões. 4. Depois do pronome indefinido todo emprega-se artigo quando se quer dar idéia de inteiro, totalidade. Quando se quer dar idéia de qualquer, omite-se o artigo: Ex.: Ele leu todo o livro. (o livro inteiro) Todo homem é mortal. (Qualquer homem) Todo o país comemorou a conquista. (o país inteiro) Todo país tem seu governo. (qualquer país, cada país) No plural , todos e todas sempre virão seguidos de artigo, exceto se houver palavra que o exclua, ou numeral não seguido de substantivo: Ex.: Todos os alunos compareceram. Todos estes alunos compareceram. Todos cinco compareceram. Todos os cinco alunos compareceram. 5. Não se emprega artigo antes dos pronomes de tratamento, com exceção de senhor(a), senhorita e dona: Ex.: Vossa Excelência resolverá os problemas de sua Senhoria. Conheci Vossa Alteza no ano passado. O que o senhor deseja? A senhorita não vai a festa? Não vi a senhora ontem. 6. É facultativo o emprego do artigo definido diante dos pronomes possessivos adjetivos: Ex.:
Prof. Edson

Deixaram meu livro na sala. ou deixaram o meu livro na sala. Não conheço sua namorada. ou Não conheço a sua namorada 7. Com nomes de pessoas, é facultativo o uso, exceto personalidades históricas: Ex.: Ligia não compareceu à cerimônia. Capitu é personagem de um romance de Machado de Assis. Napoleão mudou os rumos da Revolução Francesa. 8. Não se une com preposição o artigo que faz parte do nome de revistas, jornais, obras literárias: Ex.: Li a notícia em o Estado de S.Paulo. A notícia foi publicada em O Globo. ‘Inês de Castro’ é um episódio de Os lusíadas. 6. NUMERAL: Indica quantidade, posição, aumento e diminuição. *Cardinal quantidade Ex.: Zero, um, ambos *Ordinal posição Ex.: décimo, vigésimo, octogésimo. *Multiplicativo: aumento Ex.: dobro, triplo. *Fracionário: diminuição Ex.: meio, um terço, um quinze avos.

139

Volume Único - 2007

Gramática

QUADRO DOS NUMERAIS

Obs.: 1) meio e suas variações: 1.1) Substantivo (=recurso) Ex.: O meio utilizado foi o avião. 1.2) adjetivo (= inacabado) Ex.: Ele sempre usava de meias palavras 1.3) Numeral (=metade) Ex.: Ela acordou meio dia e meia. 1.4) Advérbio (=um pouco) Ex.: Ela chegou meio triste 2) um e suas variações: 2.1) Artigo: acompanha nome. Ex.: Comprei um jornal. 2.2) Pronome: substitui nome. Ex.: Um saiu e outro voltou. 2.3) Numeral: acompanha ou substitui nome, desde que haja um outro numeral ou expressão que denote exclusão no contexto. Ex.: Comprei apenas um jornal. Emprego dos Numerais 1. O numeral anteposto ao substantivo deve ser lido como ordinal, concordando com esse substantivo. Se estiver posposto ao substantivo, deve ser lido como cardinal, concordando com a palavra número, que se considera subentendida: Ex.: segunda casa ou casa dois décima quinta cabine ou cabine quinze décima primeira vaga ou vaga onze III Salão do Automóvel (teceiro) II Maratona Estundantil (segunda) VIII Copa do Mundo (oitava) Obs.: Quando se quer fazer referência ao primeiro dia do mês, deve-se utilizaro numeral ordinal: Ex.: Primeiro de maio, primeiro de abril 2. Na indicação de reis, papas e séculos, temos um caso particular: quando pospostos ao substantivo, usam-se os numerais ordinais até décimo, inclusive. A partir de onze, devem-se empregar os cardinais: Ex.: século VII (sétimo) século XXI (vinte e um) João Paulo II (segundo) João XXIII (vinte e três) Henrique VIII (oitavo) Luís XV (quinze)

Volume Único - 2007

(Cunha, Celso Ferreira de, Gramática da Língua Portuguesa, 8ª ed., R.J. - FENAME, 1982). 140

Prof. Edson

Gramática

Obs.: Se o numeral anteceder o substantivo, será obrigatório o uso do ordinal: Ex.: vigésimo primeiro século, décimo terceiro capítulo 3. Nas partes de uma obra (capítulo, inciso, alínea, tomo, etc) temos um caso particular: quando pospostos ao substantivo: * Até décimo, inclusive (ordinal) * A partir de onze (cardinal) Ex.: capítulo II (segundo) capítulo X (décimo) capítulo XIII (treze)

7.2.1.2. DE IGUALDADE - Ele chegou tão tarde quanto esperava. 7.2.1.3. DE INFERIORIDADE - Ele chegou menos tarde do que esperava. 7.2.2. SUPERLATIVO: 7.2.2.1. ABSOLUTO SINTÉTICO - O rio ficava pertíssimo. 7.2.2.2. ABSOLUTO ANALÍTICO - O rio ficava muito perto.

4. Em artigos de decretos e leis: * Até nono, inclusive (ordinal) * A partir de dez (cardinal) 07. ADVÉRBIO Palavra invariável que modifica o verbo, o adjetivo ou o próprio advérbio. PRINCIPAIS ADVÉRBIOS OU LOCUÇÕES ADVERBIAIS a) TEMPO - hoje, ontem, amanhã, nunca, jamais, sempre, antes, etc. b) LUGAR - aqui, aí, ali, cá, acolá, lá, longe, perto, dentro, fora, etc. c) MODO - bem, mal, depressa, devagar, às pressas, etc. d) INTENSIDADE - mais, menos, muito, pouco, bastante, etc. e) AFIRMAÇÃO - sim, certamente, efetivamente, positivamente etc. f) NEGAÇÃO – não, de modo algum, de forma alguma, etc. g) DÚVIDA - talvez, porventura, provavelmente, acaso, etc. 7.1. ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS São os que introduzem uma pergunta direta ou indireta, exprimindo circunstâncias. São advérbios interrogativos: ONDE - lugar - Onde está o teu livro? QUANDO - tempo - Quando ela partiu? COMO - modo - Como construíram o prédio? POR QUE - causa - Por que você ficou feliz? PARA QUE - fim - Para que você estuda? 7.2. GRAU DO ADVÉRBIO Alguns advérbios podem sofrer flexões de grau. 7.2.1. COMPARATIVO: 7.2.1.1. DE SUPERIORIDADE - Ele chegou mais tarde do que esperava.
Prof. Edson

Certos advérbios de lugar e tempo podem no diminutivo assumir o valor de superlativo absoluto: cedinho, pertinho, pouquinho, melhorzinho, etc. Ex.: Residia pertinho do céu. / Iremos cedinho para casa. 7.3. LOCUÇÃO ADVERBIAL É a reunião de uma preposição mais substantivo com valor e emprego de advérbio. Ex.: às vezes, às claras, às escuras, às cegas, às tontas, às pressas, de tempos em tempos, de quando em quando, de vez em quando, com certeza, sem dúvida, por acaso, etc. 7.4. PALAVRAS DENOTATIVAS 1. DE INCLUSÃO - até, também, inclusive, mesmo, etc. 2. DE EXCLUSÃO - apenas, salvo, só, somente, senão, etc. 3. DE DESIGNAÇÃO - eis 4. DE RETIFICAÇÃO - isto é, ou melhor, aliás, ou antes, etc. 5. DE REALCE - cá, lá, é que, só, etc. 6. DE SITUAÇÃO - afinal, agora, então, mas, etc. 7. DE EXPLICAÇÃO - a saber, por exemplo, isto é, etc. * EMPREGO 1. Na coordenação de advérbios, usa-se “mente” para o último e o(s) anterior(es) fica(m) no singular e feminino; ou “mente” para todos. Ex.: O estudante saiu apressada, contente e educadamente. O estudante saiu apressadamente, contentemente e educadamente.

141

Volume Único - 2007

Ex.são as que ligam duas orações.1.. BEM COMO. VISTO QUE. COMO. mediante. As principais são: MAS. As conjunções são: E. a respeito de. Ex. durante. As principais são: EMBORA.2. mas não aprende. EM QUE. JÁ. SEJA. ASSIM COMO. além de. Ex. POR CONSEGUINTE. INTEGRANTES .: Fique calmo. ESSENCIAIS . 8. CONCESSIVAS .1.. desde. As principais conjunções são: QUE. em. PORQUE. Ex.são as que sempre se apresentam como preposição.: abaixo de. Ex. e sim as analíticas “mas bem” e “mais mal”. As conjunções classificam-se em: coordenativas e subordinativas. não obstante. trás. senão.Gramática 2. para.2007 142 Prof.3. após. Ex. visto. POIS (no meio ou no fim da oração). CONTUDO.são as que indicam uma oposição. OU. As principais conjunções são: SE. COMO (= porque). uma vez que chova. até. Ex. JÁ . Ex. As preposições podem ser: essenciais ou acidentais. exceto.: Estudas ou não passarás. QUANTO (depois de tanto).2. 9. 9.5. POR ISSO. ALTERNATIVAS . As principais são: QUE ou DO QUE (depois de mais. As conjunções integrantes são: QUE e SE. sobre. .3.: Livro de matemática.1.: Ainda que chova.4. QUER.2.4.. POSTO QUE. segundo. ADITIVAS . a fim de. DESDE QUE. Edson . CASO. PREPOSIÇÃO Palavras que ligam dois termos entre si. OU . entre.2. assinaladas pela vírgula ou ponto e vírgula.são as que iniciam orações exprimindo a causa ou o motivo de outra oração. CONQUANTO. menor. etc.: Ficarei em casa. consoante. MAIS QUE. uma pausa mais marcante no final destas orações. por. menos. CAUSAIS . UMA VEZ QUE. ORA . Ex.são as que iniciam orações indicando uma hipótese ou uma condição. CONDICIONAIS . apesar de. CONCLUSIVAS . porque ele já vem. NO ENTANTO. ADVERSATIVAS . etc. sob. conforme.1. VISTO COMO. Ex. logo vencerá. JÁ QUE. etc.: Soube-se que ele não vinha. a par de..1. ante. POIS (no início da oração).: Ele é tão estudioso quanto você. advérbios.verbos.2. perante. 8. ao lado de. CONJUNÇÕES COORDENATIVAS 9. acerca de. 9. CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS 9. fora. 9.5. LOCUÇÃO PREPOSITIVA É o grupo de palavras que possui valor de preposição. Há. 9. etc. contra.. PORTANTO. sem. AINDA QUE.. QUAL (depois de tal).1. Ex. salvo. sairemos. / Passou por lá. de. As conjunções explicativas aparecem normalmente precedidas por orações que têm o verbo no imperativo ou na forma optativa. ao redor de. PORQUANTO. fazendo com que a Segunda explique o sentido da primeira. acima de. estabelecendo uma subordinação do conseqüente ao antecedente. Ex.. 09.: Desta vez estou mais bem preparado. As principais conjunções são: OU. QUER .são as que indicam uma alternância ou uma exclusão da palavra ou oração a que se ligam.2...são as que ligam orações encerrando uma conclusão. TANTO QUE. / Não sabia se ele viria. 08. adjetivos. com.quando estabelecem uma comparação entre duas orações.quando o fato expresso na oração subordinada não impede a realização da oração principal. Ex. ACIDENTAIS .: a. Ex. 9. etc. etc. antes de. TODAVIA. COMPARATIVAS .: Ele luta. maior.1. etc. melhor e pior).são as que introduzem orações substantivas.1. Ex.são palavras de outras classes gramaticais . gritou desesperadamente. 8.2. ORA. também. 9.1. As principais conjunções e locuções conjuntivas causais são: PORQUE. ENTRETANTO.2.que se empregam com valor de conjugação. 9.ligam termos ou orações sem acrescentar outra idéia. 9. um contraste entre os elementos que coordenam.: Como ninguém o percebia.. As conjunções mais freqüentes são: LOGO.: Estuda e trabalha. NEM. PORÉM. SEJA .2. CONJUNÇÃO É a palavra que liga orações ou palavras que possuem a mesma função e valor. EXPLICATIVA .: afora. conjugações. Não se usam as formas sintéticas “melhor” e “pior” com particípios e adjetivos.: Lê. Volume Único .

agente da voz passiva. Eurico. INTERJEIÇÃO Palavra com que traduzimos nossas emoções súbitas ou violentas para chamar a atenção de alguém. PROPORCIONAIS .7.6. Essenciais: sujeito e predicado. DE SATISFAÇÃO .upa! oba! opa! 10. além do núcleo do sujeito e do núcleo do predicado. SEGUNDO. DE ADVERTÊNCIA .2. CADA VEZ QUE. 9.4.silêncio! psiu! 10.1.complemento nominal Se vem ligado a um verbo.: “Vem. etc.bis! 10. DEPOIS QUE. DE DÚVIDA . DE ALÍVIO .2. Ex. adjunto adnominal e aposto.exprimem conseqüências. DE ALEGRIA . A FIM DE QUE. 2. ou vem ligado a um verbo (termo determinante do verbo). A conjugação é QUE.introduzem orações que exprimem conformidade de um pensamento com o da oração principal. etc. ASSIM QUE. complemento nominal e agente da passiva. * Observe que. Ex. Segundo o sentimento que exprimem.cuidado! alerta! alto lá! LOCUÇÃO INTERJETIVA É um grupo de palavras com valor de interjeição.bravo! apoiado! muito bem! 10. TEMPORAIS . SINTAXE – Estuda as funções dos termos na oração e das orações no período.: “Vive de maneira que ao morrer não te lastimes de haver vivido. DE DOR .ah! oh! oba! viva! 10.12. precedida pelos termos correlatos TÃO. * Classificação dos termos 1. VISTO QUE. 9. e 3.: ai de mim! ora bolas! com todos os diabos! raios te partam! valha me Deus! ainda bem! bem feito! Às vezes. Ex.fiau! 10.aposto . foi trabalhar. MAL (= quando). .2. * À parte: vocativo.2007 São esses os termos da oração. etc.9. pode ser: . etc. 9. Edson 4. ANTES DE. para que reverdeçam os louros da tua glória. CONSECUTIVAS . .alô! ó! olá! 10.” (Marquês de Maricá). Acessórios: adjunto adverbial. *FUNDAMENTOS PARA ANÁLISE SINTÁTICA Fazer as seguintes perguntas: 143 . FINAIS . pode desempenhar uma das quatro funções: .eia! avante! upa! coragem! 10.13.10. DE REPETIÇÃO . DE DESEJO . Ex.2. Ex. Integrantes: complemento verbal (objetos).8.adjunto adverbial. UMA VEZ QUE. DE APLAUSO . DE SILÊNCIO . qualquer elemento que aparece na oração enquadra-se dentro destas duas possibilidades: 1. as interjeições classificam-se em: 10. DESDE QUE. DE ANIMAÇÃO . Volume Único .Gramática 9.hum! heim! hein! 10.são as que introduzem orações referindo-se a um fato realizado ou para realizar-se simultaneamente com o da oração principal..objeto direto. TANTO ou CADA (com valor de intensidade). DE ZOMBARIA . QUE (= para que).: À medida que estudo.11. POSTO QUE. ANTES QUE. TODAS AS VEZES QUE. LOCUÇÃO CONJUNTIVA É o grupo de palavras que tem o valor de conjugação: AINDA QUE.2. À PROPORÇÃO QUE. As conjunções são: CONFORME. As conjunções e locuções são: PARA QUE. mais aprendo.2. 10. pode haver omissão do correlato. PORQUE (= para que). 2. As principais conjunções e locuções temporais são: QUANDO. Ex. DE APELO . TAMANHO. CONFORMATIVAS . As principais locuções são: À MEDIDA QUE.3. Ou vem ligado a um nome (termo determinante do nome).: Ele é tão estudioso que só tira o primeiro lugar.ah! eh! 10. Herculano) 9. Se um termo da oração vem ligado a um nome. COMO (= conforme).: Mal surgiu o dia.7. JÁ QUE.8.10. CONSOANTE..9.: Conforme falei. que é um termo isolado e será analisado oportunamente.introduzem orações estabelecendo uma relação de finalidade expressa na oração principal.adjubnto adnominal . AO PASSO QUE.6. ATÉ QUE. (A.ai! ui! 10.5. com exceção do vocativo.predicativo . 10. QUANTO MAIS . Ex.oxalá! pudera! tornara! Prof.objeto indireto . todos vieram à festa. TAL.introduzem orações exprimindo circunstância de tempo.

pode ser colocado antes. 2. elíptico. 1. c) a posição usual do sujeito é antes do verbo (mesmo que venha depois. um sujeito no plural e o verbo no singular). A oração deve ser interpretada como se as margens do riacho Ipiranga tivessem ouvido o grito estrondoso (brado retumbante) da proclamação da Independência (de um povo heróico). A primeira relação que se detecta dentro de uma oração é a do sujeito com seu predicado . a) O verbo é ouviram. concordando como presumível sujeito margens. o verbo concorda com o sujeito em pessoa e número (não é possivel. temos: As margens plácidas do Ipiranga ouviram de um povo heróico o brado retumbante. indeterminado e inexistente. b) Quem é que ouviu? – As margens plácidas do Ipiranga ouviram de um povo heróico o brado retumbante. podem-se usar os seguintes artifícios: a) localiza-se o verbo da oração. Para conceituá-los. os dois eixos básicos de uma oração. ocorre um termo ao qual está sendo atribuída a ação de danificar a lavoura.Gramática 1) Termo destacado ligado a nome ou a verbo? 2) Termo destacado ligado a nome substantivo... c) passando o presumível sujeito para antes do verbo. fazer análise sintática dos termos de uma oração implica dois procedimentos básicos: 1. Volume Único . b) colocam-se as perguntas quem é que ou o que é que antes do verbo ( a resposta a essa pergunta é uma boa pista para se detectar o sujeito). A de sujeito Chamamos e B de predicado 1. adjetivo ou advérbio? 3) Termo destacado ligado a substantivo concreto ou abstrato? •Nome termo destacado adjunto adnominal complemento nominal aposto predicativo Em A. 2. eles. Edson . observe a frase que segue: O sujeito pode ser classificado como determinado. descobrir relações.2007 ! Determinado claro ou não-claro(oculto. sem que a frase fique estranha). d) O verbo está no plurla. pois. desinencial) / simples ou composto / oracional(= oração subordinada substantiva subjetiva).1 Artifícios para localizar o Sujeito Quando se pretende localizar o sujeito de uma oração. TIPOS DE SUJEITO •Nome Substantivo concreto termo destacado adjunto adnominal aposto •Nome Substantivo abstrato termo destacado adjunto adnominal complemento nominal •Nome adjetivo: termo destacado complemento nominal •Verbo: termo destacado objeto direto objeto indireto agente da passiva adjunto adverbial Sujeito e Predicado Uma das preocupações da análise sintática é dividir a oração nos seus termos constituintes e interpretar o papel que cada um deles desempenha no interior da oração considerada. não há dúvida de que o sujeito da oração é as margens plácidas do Ipiranga. 144 Prof. ocorre um termo que atribui uma ação (danificar) ao termo que ocorrem em A. Sujeito Determinado Ocorre sujeito determinado quando a terminação do verbo e o contexto permitem reconhecer que existe um elemento ao qual o predicado se refere e é possível identificar quem é esse elemento. implícito. d) em português.1. elas). e) As margens plácidas do Ipiranga é uma expressão que pode ser substituida por elas (elas ouviram. e) se o sujeito for um substantivo. Desse modo. Sujeito . ele pode ser substituído pelo pronome ele (ela. do seu significado dentro dessa relação.). Em B. Por tudo isso. 2. Vamos aplicar esses artifícios à seguinte oração: “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas De um povo heróico o brado retumbante”.é o suporte sobre o qual recai uma afirmação feita pelo predicado.

2007 . Ex.: Retirei-me imensamente satisfeito daquela primeira aula. índice de indeterminação do sujeito. O verbo é transitivo direto e não vem seguido de preposição. cairemos no caso de sujeito determinado. 2) Verbos intransitivo. transitivo preposicionado.2.: No caso. Para tirar qualquer dúvida. é possível reconhecer que existe um elemento ao qual se atribui o ato de dizer. É possível converter o verbo para a voz passiva analítica: foi comprada muita mercadoria. Dizem maravilhas sobre o Rio de Janeiro. * Pronome “se” índice de indeterminação do sujeito O promome se funciona como índice de indeterminação do sujeito junto a verbos intransitivos. O pronome se nem sempre funciona como indeterminador do sujeito: pode funcionar como partícula apassivadora. Ex.: É claro que. o pronome se deve ser analisado como partícula apassivadora e o sujeito sempre estará presente na oração. transitivos acompanhados de complemento preposicionado ou de ligação.: É preciso não confundir duas construções aparentemente iguais. Ex.mas não se pode identificar quem é esse elemento. (Rubem Braga) Qualquer palavra de valor substantivo Ex. (Fernando Sabino) – pronome substantivo: Ex.Gramática Ex. determinando implícito na desinência verbal. (Rachel Queiroz) Ex.:Ele usa os músculos com uma calma energia. Ex. obs. há três maneiras de se indeterminar o sujeito: 1. justapondo-se ao verbo o pronome se. mas não se pode precisar quem é esse elemento. o sujeito de dizem é eles (os turistas). Ex. Obs.: O zelador comparteceu ao fem de três semanas e cinco pgorjetas. O sujeito determinado pode ser constituído por: – Substantivo: Ex.: Obs.: 3) Verbo de uma oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo. sem referência a nenhum antecedente.:A bela pagou com um sorriso. Suponhamos a seguinte oração: Comprou-se muita mercadoria. Teremos então a seguinte análise: No caso. ligação(3a pessoa do singular)+ se(índice de indeterminação do sujeito).: A calça rasgada e o paletó eram cor de piche. * Pronone “SE” Apassivador Quando o pronome se agrega-se a um verbo transitivo direto que não vem seguido de preposição. é possível reconhecer que existe o elemento ao qual se atribui o ato de dizer e identificar quem é esse elemento: os turistas. Nesse caso.: Os turistas semprem voltam entusiasmados do Brasil. colocando-se o verbo na 3ª pessoa do plural. transporta-se o verbo para a voz passiva com o verbo ser (passiva analítica). e Prof. Sujeito Indeterminado Ocorre indeterminação do sujeito quando a terminação do verbo e o contexto permitem reconhecer que existe um elemento ao qual o predicado se refere. havendo referência a qualquer antecedente. ! Três maneiras de indeterminar o sujeito: 1) Verbo na 3a pessoa do plural sem a presença do sujeito. (Rubem Braga) Ex.: 2.: em português. pode ser analisado como partícula apassivadora.: 2. Se essa transformação for possível. Edson 145 Volume Único .

2. – predicado verbo-nominal(núcleos = verbo indicador de ação ou fenômeno = TD/ TI/ TDI/ INT. Ex. Obs. 7) Verbo passar + preposição de indicando tempo. 2.1 Tipos de Predicado – predicado nominal(núcleo = nome = predicativo do sujeito). sub. 8) Verbos chegar e bastar + preposição de indicando limite. São quinze quilômetros. 6) Verbo ir + preposição “para” indicando tempo.:Trovejou durante a noite. a ação indicada pelo verbo nevar não está sendo atribuída a sujeito algum. que será oportunamente estudado na parte de concordância verbal. Está quente. nessa oração. e nome = predicativo do sujeito ou do objeto). como se pode observar. Sujeito Inexistente Diz-se que o sujeito é inexistente quando não existe elemento ao qual predicado se refere. * Verbo siginificativo = Ação ou fenômeno = TD/ TI/ TDI/ INT. Mas pode também ser constituído por um verbo acompanhado de seus complementos e agregados.é o termo. Fez noites frias naquelas férias. gear. nevar. Ex. 5) Verbo ser indicando tempo.Gramática Observe que. Amanhece na paisagem desolada de areia. anoitecer. Observação O predicado pode ser constituído por um verbo apenas. Obs. data ou distância.Predicado . ! Situações de sujeito inexistente: 1) Verbos que indicam fenômenos da natureza(chover.: Ex. – predicado verbal(núcleo = verbo indicador de ação ou fenômeno = TD/ TI/ TDI/ INT. trovejar. ficam sempre na 3ª pessoa do singular. Edson Volume Único . amanhecer). deve-se levar em consideração a predicação verbal. ventar. reduzida de infinitivo 2.=PV ou PVN.: 146 . Ex. São quatro horas. Prof. * Verbo insiginificativo = Estado ou mudança de Estado= lLigação = PN.: É bom estudar or. subj.: 2) Verbo fazer indicando fenômeno da natureza ou tempo transcorrido. subst. 3) Verbo haver no sentido de existir ou indicando tempo transcorrido. Chega de mentiras. relampejar. 4) Verbo estar indicando fenômeno da natureza. isto é. que através de um verbo.3. se o verbo é significativo ou insignificativo. Faz quinze anos que não o vejo. Faz exceção a essa regra o verbo ser. Passa das dez horas.2007 Ex.). entardecer. Vai para as dez horas. Basta de tolices.: para a classificação do predicado. Há alunos na sala.: Os verbos que não têm sujeito são chamados de impessoais e. Há anos raiou no céu fluminense uma nova estrela. São vinte de março. projeta alguma afirmação sobre o sujeito.

Não faz sentido pensar em algo como: O que ocorre é: O verbo transitivo indica uma ação que transita ( que passa) do sujeito para um outro elemento (o objeto). Verbo Intransitivo Observe: Ex. a ação (morreu) não recaiu sobre o outro elemento . comecemos por confrontar as duas frases que seguem: Confrontando esses dois tipos de verbo.: Prof.A ação não recai sobre um alvo: ela fica retida no próprio sujeito. Verbo Transitivo Observe com atenção as características desse verbo: A ação do verbo intransitivo não pressupõe dois pólos. antes de tratar deles. os verbos podemser divididos em várias classes. Vamos compará-los para daí depreenderas diferenças e conceituá-los. poderíamos fazer a seguinte representação: Verbo Transitivo . Esquematicamente: 2. 2. Verbo Transitivo Direto Aquele que exige um complemento não obrigatoriamente precedido de preposição. Dizemos que o verbo da primeira frase é transitivo e que o verbo da segunda é intransitivo. No exemplo dado. . que pressupõe dois pólos: Observação Há casos em que o verbo transitivo aparece sem sujeito. No exemplo dado. Classificação dos Verbos Quanto à Predicação Classificar um verbo quanto à predicação é o mesmo que classificá-lo a partir dos complementos que exige. Segundo esse critério. vamos tentar precisar essaas duas noções básicas. mas ficou retida no próprio sujeito. Por isso. o sujeito (cão) efetuou uma ação (matou) e esta recaiu sobre o objeto (lebre).: Ex. 1. Edson 147 Volume Único . Verbo Intransitivo . 1. Verbo Transitivo Indireto Aquele que exige um complemento obrigatoriamente precedido de preposição.2007 O verbo intransitivo indica uma ação que não transita (que não passa) do sujeito para um outro elemento. Esquematicamente. mas isso não é muito frequente.Gramática Transitividade e Intransitividade As noções de transitividade e de intransitividade são um pressuposto indispensável para compreender a função de cada um dos termos determinantes do verbo. Vejamos cada uma delas. podemos observar que a ação do verbo transitivo é tal.A ação sai do sujeito e projetase sobre um alvo diferente do sujeito (o objeto).

isto é.é aquele que tem como núcleo um nome. ocorre um tipo de verbo que não dá idéian de ação. O verbo pode ser: – intransitivo. o verbo é sempre intransitivo ou transitivo e não ocorre predicativo. é sinônimo aproximado de ser ou estar Predicado verbal . contida no verbo (andam) – diz-se por isso que: o verbo é o núcleo do predicado  o predicado é verbal No eixo A. observação: O nome que funciona como núcleo do predicado. Observe a frase que segue: Note que: – por meio desse tipo de predicado. Predicado Nominal Já vimos que é por meio do predicado que fazemos alguma atribuição ao sujeito e que o predicado contém. designa sempre um estado (nunca ação). – transitivo indireto – transitivo direto e indireto. sem ter conteúdo próprio e sem indicar ação. nem sempre a idéia central do predicado está contida no verbo: pode estar contida no nome. portanto. como já vimos. No predicado verbal não ocorre verbo da ligação. chama-se predicativo No predicado nominal ocorre obrigatoriamente verbo de ligação + predicativo do sujeito. Observe: Veja que: – por meio desse tipo de predicado. liga um modificador ao sujeito 2. –diz-se por isso que : Ex. Note que. um verbo. Ex.: o nome é o núcleo do predicado  o verbo é de ligação o predicado é nominal  predicado nominal . Verbo Transitivo Direto e Indireto Aquele quie exige um complemento não precedido de preposição (objeto direto) e um complemento precedido de preposição (objeto indireto). o núcleo do predicado. Ex. Observações: 1. Predicado Verbal Observe: 4. o que se atribui ao sujeito é basicamente um estado (o cansaço). há uma terceira classe dos verbos. Trata-se de um verbo sem conteúdo definido. necessariamente. jamais ocorre predicativo (nem do sujeito.: Volume Único . – transitivo direto. estabelece uma relação entre um modificador e um sujeito. contida no nome (cansados) e não no verbo (andam). Mas não é o verbo. 148 Prof.Gramática 3. – a idéia básica do predicado está. 2.é aquele que tem como núcleo um verbo. nem do objeto). o que se atribui ao sujeito é basicamente uma ação (andar). nem objeto indireto). O verbo de ligação possui três marcas típicas: 1. Verbo Intransitivo Aquele que não exige complemento (nem objeto direto. Resumindo: No predicado verbal. necessariamente. 3.2007 1. Edson . 2. Verbo de Ligação Além do verbo intransitivo e do transitivo. Verbo de ligação . – a idéia básica do predicado está. portanto. que serve como ponte de ligação entre um modificador do sujeito (eixo B) e o sujeito. dentro do predicado verbal.: 5.é aquele que.: Ex. A essa classe de verbos chamamos de verbo de ligação .

Nesse caso.: Termos Associados ao Verbo e Predicação Verbal Observe a oração: Essa oração se compõe apenas do núcleo do sujeito e do núcleo do predicado. Edson 149 . análise sintática está terminada.um estado ao  objeto (falsa)  – dentro desse predicado há também dois núcleos: um no verbo (consideraram). pois. predicado Verbo .nominal  Observação Na verdade.nominal é o resultado da síntese de duas orações distintas: – uma com predicado verbal – outra com predicado nominal Por isso se diz que.nominal . com predicado verbo nominal: Por meio desse predicado: .nominal. – trata-se de um predicado verbo .nominal ocorre sempre: verbo transitivo ou intransitivo e predicativo do sujeito ou do objeto. há sempre um verbo de ligação implícito antes do predicativo. predicado verbo . tendo separado sujeito e predicado.Nominal Observe: Por meio desse tipo de predicado uma ação (andam) – faz-se dupla atribuição  um estado (cansados) ao sujeito – a idéia básica do predicado está. No predicado verbo .Gramática 3.uma ação ao   sujeito (consideraram)  – está se atribuindo . Examine o que vem a seguir: Essa duas orações podem ser reduzidas a uma só. o predicado verbo . contida num verbo (andam) e num nome (cansados): há dois núcleos dentro  desse predicado (um no verbo/outro  – diz-se por isso que   no nome) o predicado é  Observe ainda: verbo . Volume Único . outro no nome (falsa).2007 aparecem outros elementos dentro do sujeito e do predicado e outras segmenteções poderiam ser feitas.é aquele que tem dois núcleos: um no verbo e um no nome. Prof. Ex. no predicado verbo-nominal.

como no caso anterior. o paciente ou simplesmente o objeto sobre o qual recai a ação do verbo derrubar Essas características nos permitem chamar o termo do eixo B de objeto direto. por definição. Sonhei um sonho lindo.está associado a esse verbo sem preposição. a vós (sempre precedidos de preposição) podem funcionar como objeto direto e como objeto indireto. A mim. Objeto Indireto Observe: Volume Único . Ex. – está associado ao verbo do eixo A. O termo do eixo B.1. a ti. objeto direto: . Ex. os as ) como complemento verbal. Eles comeram . te. mas pode ocorrer com verbos transitivos indiretos apenas. Para analisá-los. 150 . objeto indireto: – quanto à relação: vem sempre associado a verbo transitivo. como complemento verbal. O termo do eixo B: .: Convidei-o para a ceia de Natal. (lhe = objeto indireto) Os demais pronomes oblíquos.é um verbo de ação transitiva. Se o pronome é permutável por um substantivo não precedido de Prof. (o = objeto direto) O pronome oblíquo lhe (lhes). o objeto indireto. O pronome oblíquo o (a.Gramática – está indicando o alvo ou o elementio sobre o qual recai a ação do verbo gostar. se. . por definição. Ex.:Bastou-lhe a minha palavra.quanto à relação: vem sempre associado a verbo transitivo. vos (nunca precedidos de preposição). a nós. distingue-se do objeto direto apenas pela forma: – o objeto indireto se associa a verbos que exigem obrigatoriamente preposição. vi-o no curso. – quanto à forma: liga-se ao verbo através de preposição obrigatoriamente exigida por este – quanto ao valor: indica o alvo ou o elemento sobre o qual recai a ação do verbo. funciona sempre como objeto indireto.: Eles comeram o pão. .quanto ao valor: indica alvo ou o elemento sobre o qual recai a ação do verbo. quanto as formas tônicas: a mim. assim definido.XX O objeto indireto com esse valor ocorre mais normalmente com verbos que exigem duplo complemento (transitivo direto e indireto). Então. TERMOS DETERMINANTES DO VERBO 1. Desejo que todos sejam felizes. – vem associado ao verbo através de preposição (de). Observações 1.2007 O verbo do eixo A. 1. Como se pode notar. . pode-se lançar mão do seguinte artifício: permuta-se o pronome por um substantivo masculino.está indicando o alvo. – o objeto direto se associa a verbos que não exigem obrigatoriamente preposição. Edson O aluno. . tanto as formas átonas: me. Complemento verbal 1. * Observação Sobre a Análise dos Pronomes Oblíquos A análise dos pronomes oblíquos apresenta certas particularidades que justificam uma preocupação específica. Creio que todos chegaram.2. Então.quanto à forma: liga-se ao verbo sem preposição obrigatória.vem associado ao verbo do eixo A. funciona sempre como objeto direto. a ele. nos. Objeto Direto Observe a oração que segue: O verbo do eixo A é um verbo de ação transitiva. a si. ninguém me obedece.

deve ser analisado como objeto direto.Gramática preposição obrigatória. o pronome me está funcionando como objeto direto. Ao lado da construção ativa. Para conceituá-lo. Agente da Passiva Observe: Permutando o pronome por um substantivo: Dizemos que essa oração está na voz ativa.: antecedente. o que está funcionando como sujeito de noticiou. deve ser analisado como objeto indireto. vamos observar melhor suas características: Na frase 2. Corresponde ao objeto direto na oração ativa. pois o sujeito é o executor da ação verbal (sujeito agente). observe o que vem a seguir: Dizemos que essa oração está na voz passiva. pois: – O sujeito é o paciente. 2. Para entender esse mecanismo. * Observações Sobre a Análise do Pronome Relativo Chama-se relativo o pronome que retoma um nome de uma oração antecedente e o projeta dentro de uma oração conseqüente. ocorre. o promome relativo que substituiu a palavra casa. temos: Permutando o pronome por um substantivo: Então. a construção passiva com o mesmo sentido básico.2007 . estabelecendo uma relação entre as duas orações. com os verbos transitivos diretos ou transitivos diretos e indiretos. mas com uma estrutura diferente. Edson 151 Volume Único . que está na voz passiva. Prof. – aquilo que funcionava como sujeito na voz ativa passa a desempenhar outra função na voz passiva. Ex. Se é permutável por um substantivo precedido de preposição obrigatória. o elemento sobre o qual recai a ação verbal. Permutando-se o pronome relativo que pelo seu antecedente. No caso. Para analisar o pronome relativo. Compare: No caso. pode-se usar o seguinte artifício: permuta-se o pronome pelo seu O termo do eixo B: – está associado ao verbo do eixo A. o pronome me está funcionando copmo objeto indireto. O termo substituído pelo pronome relativo recebe o nome de antecedente. A função que cabe ao termo permutado cabe ao pronome relativo.

Muitas vezes oadjunto adverbial não se refere a um verbo especificamente. mas uma circunstância (de lugar. os elementos do eixo b estão funcionando como objeto dos respectivos verbos. Em ambas as frases. mas indicando uma circunstãncia: de lugar na primeira frase e de tempo na segunda. – quanto à forma: liga-se ao verbo sempre astravés de preposição (normalmente a preposição por/per). na segunda oração. – quanto ao valor: não indica o objeto. de tempo. nem o beneficiário de uma ação.) em que ocorre a ação verbal. Na primeira oração.. Adjunto Adverbial Observe: 2. Eis as mais importantes. – quanto ao valor:indica o elemento que executa a ação verbal. chamamos esse termo de agente da voz passiva. – está indicando o executor (ou agente) do processo expresso pelo verbo. Edson . se um termo está associado a um nome. mas a um campo de significado mais amplo. agente da voz passiva: – quanto à relação: vem sempre associado a um verbo passivo. B se associa ao verbo através de preposição. pode desempenhar uma das quatro funções sintáticas: – adjunto adnominal. 152 Prof. Observações 1.. de modo. os elementos que ocorrem no eixo B estão associados ao verbo do eixo A. – quanto à forma: liga-se ao verbo com ou sem preposição. nem o alvo. Ex. 3.: Volume Único . Isto ocorre quando o adjunto adverbial serve de modificador de adjetivos ou de advérbios.Gramática – está ligado ao verbo através de preposição (pelos = per + os). adjunto adverbial: – quanto à relação: vem sempre associado ao verbo. Por causa dessas características. que pode abranger o contexto da frase toda. Em nenhum dos casos. Por definição. São muitas as circunstâncias expressas por um adjunto adverbial. Por definição. Há um caso em que o adjunto adverbial se refere a nomes.2007 Temos Associados ao Nome Como já vimos. sem preposição ( a preposição não é um diferenciador. Os elementos do eixo B classificam-se como adjuntos adverbiais. no caso).

2007 . por exemplo. – quanto à forma: sempre por meio de um verbo. o termo fortes está caracterizando o sujeito (ventos) e não o verbo (sopravam). por sua vez. O adjunto adnominal. não se deve confundir. Em 1. – quanto ao valor: qualifica. uma diferença: na frase 1. o adjunto adnominal. pode-se referir ao núcleo de várias funções sintáticas. em 2. caracteriza ou determina o nome a que se associa. porém. o adjunto adnominal que modifica o objeto com o predicativo do objeto. Na verdade. caracteriza ou determina o nome a que se associa.: 2.Gramática – predicativo. Há.Daí o fato de ser classificado como predicativo do sujeito e predicativo do objeto. – quanto à forma: sem a mediação de verbo. na frase 2. – complemento nominal. Na frase: Prof. – estão qualificando o nome a que se associam. o que se pode notar pelo próprio mecanismo de concordância: se fortes estivesse associado a sopravam funcionaria como um advérbio e ficaria invariável. Observações: 1. B está qualificando o nome por meio de um vebo. Ex. não se deve confundir. Adjunto Adnominal e Predicativo Como há características comuns entre o adjunto adnominal e o predicativo. A está qualificando o nome sem verbo intermediário. tudo o que vimos sobre o predicativo: é um termo que caracteriza o nome por meio do verbo. por exemplo. Ex. vamos confrontá-los antes de defini-los. o termo fortes está funcionando como predicativo do sujeito e não como adjunto adverbial de modo. contudo. Observe as seguinte frases: Os ventos sopravam fortes. Em ambos os casos vale. como pode aparecer à primeira vista . A classifica-se como adjunto adnominal. Predicativo do Sujeito e Predicativo do Objeto O predicativo pode referir-se tanto ao sujeito da oração quanto ao objeto. podemos dizer que: O adjunto adnominal: – quanto à relação: vem sempre associado a nome. Definindo cada um desses termos. Confronte: Em ambas as frases.: Assim. – quanto ao valor: qualifica. pode-se lançar mão do seguinte artifício: 153 Volume Único . Vejamos cada um deles. qe uir iV f 2. B classifica-se como predicativo. os elementos A e B: – estão associados a um nome (professor). – aposto. 1. O predicativo – quanto à relação: vem sempre associado a nome. Edson Assim. Tanto o adjunto adnominal quanto o predicativo podem vir precedido de preposição.

nosso . Ex. Complemento Nominal Observe a frase: O elemento do eixo A: – está associado a um nome (resposta): – vem precedido de preposição (de). O complemento nominal está para o nome assim como o complemento verbal está para o verbo. isto é.vosso). complemento nominal: – quanto à relação: vem sempre associado a um nome de significação transitiva. temos: 3.: Observação Quando o adjunto adnominal vem precedido de preposição. Passando a frase para a voz passiva. o que era adjunto adnominal continua como adjunto.Gramática passa-se frase para a voz passiva. Chamamos B de complemento nominal.2007 Ex. – o adjunto adnominal nunca funciona como alvo ou endereço da ação de um nome. Ex.seu . Na frase transformada. – vem procedido de preposição (a). Ex. –está indicando o efetuador da ação do nome e não o alvo.: A frase equivale a: Não vejo os seus olhos 4. temos de distingui-lo pelo valor. por definição. Assim.teu . – quanto ao valor: indica o alvo ou o ponto sobre o qual recai a ação do nome. não pode haver confusão com o adjunto adnominal. Edson . – está indicando o alvo para o qual se dirige a ação do nome. que indica uma ação transitiva. Volume Único . Assim – o complemento nominal sempre funciona como o alvo.: O elemento do eixo B: – está associado a um nome (resposta). Aposto Observe o que segue: 154 Prof. São várias as caracterizações que o adjunto adnominal projeta sobre o nome. Os pronomes oblíquos funcionam como adjuntos adnominais quando assumem o valor de possessivos (meu . ao passo que o predicativo do objeto se torna o predicativo do sujeito. O termo do eixo B está indicando o alvo ou o ponto sobre o qual recaiu a ação do nome (destruição). – quanto à forma: liga-se ao nome sempre por meio de preposição. Os pronomes oblíquos podem funcionar como complementos nominal ou como adjunto adnominal. B está associado a A por meio de preposição (de). formalmente ele se torna igual ao complemento nominal. Ex.: quando o complemento nominal vem associado a adjetivos ou advérbios.: O termo do eixo B está associado ao nome A. Ele simplesmente caracteriza o nome a que se associa. pois este nunca vem associado àquelas duas classes. o destino da ação nominal. Neste caso. uma ação que se projeta sobre um alvo.

dizendo quem é o elemento do eixo A.: Comi do bolo. Ex. O aluno chegou doente. um apelo. por definição. O amor à mãe é bonito. Assim. OBJETO INDIRETO X COMPLEMENTO NOMINAL * Termo antecedente Termo antecedente não pode pode ser eliminado ser elminado Ex. do ouvinte. Gostei do bolo. A cidade de São Paulo é violenta.Gramática O termo do eixo B: – vem associado a um nome do eixo A. O amor de mãe é bonito. Por definição. ADJUNTO ADNOMINAL X COMPLEMENTO NOMINAL *Ativo *Passivo *Posse *Alvo Ex. – não vem precedido de preposição.D. aposto: – quanto à relação: vem sempre associado a nome. portanto. indicando-lhe em equivalente.: COMPLEMENTO NOMINAL *Não é possível inversão Note que: – o elemento do eixo A representa as pessoas a quem o falante está dirigindo a palavra. Em outros termos. O. dai o nome que se dá a este termo: vocativo. isto é. – quanto ao valor: põe a explícito na frase a pessoa ( ou a coisa personificada) a quem o falante dirige um apelo ou faz um chamado. O rapaz foi apaixonado pela namorada. vocativo é a palavra ou expressão que o falante usa para interpelar o ouvinte.2007 . – quanto à forma: liga-se ao nome sem preposição ( com raras exceções) e normalmente separado por vírgulas. ADJUNTO ADNOMINAL X *Posse APOSTO *Especificação Ex. * Vocativo (à parte) Para conceituar o vocativo.: Devo minha vida a Deus. não se liga sintaticamente a nenhum outro elemento da frase. fazendo um chamado. Vi um homem alto. vocativo: – quanto à relação: vem sempre isolado. Sua função é a de explicitar na frase a pessoa (ou as pessoas) a quem se dirige o falante.: O rapaz foi amado pela namorada. PREPOSICIONADO X OBJETO INDIRETO *Prep. É um equivalente do nome a que está associado. Edson 155 Volume Único . Prof. – este elemento não vem ligado a outro. – está identificando. – quanto ao valor: serve para identificar ou esclarecer o nome que se associa. – quanto à forma: seu núcleo é sempre um substantivo ou palavra equivalente e vem sempre separado por vírgula. não pode ser eliminada Ex.: A população de São Paulo sofre com a poluição. Chamar em latim é vocare. Trata-se.: O aluno doente chegou. Tenho necessidade de Deus.pode ser eliminada *Prep. Encontrei o homem triste. O embarque do automóvel aconteceu ontem.: O embarque dos passageiros aconteceu dentro das normalidades. AGENTE DA PASSIVA X *É possível inversão Ex. observe a frase que segue: ! DIFERENÇAS SINTÁTICAS ADJUNTO ADNOMINAL X PREDICATIVO *Característica própria *Característica imprópria *Característica permanente *Característica transitória *Acompanha o núcleo *Não acompanha o núcleo Ex.

: Tenho necessidade.3) misto: orações independentes e orações dependentes.: Silêncio! Os alunos estão felizes. que a oração 2 está desempenhando uma função sintática em relação à oração 1. Tenho necessidade de ajuda. por isso.2007 observamos que: – o verbo pode ser transitivo direto. por isso elas se classificam. 2) verbal com verbo significativo (ação ou fenômeno: TD / TI / TDI / INT).: Estudei naquele Pré-Vestibular. – a função sintática de objeto direto está sendo desempenhada basicamente por um substantivo: recuperação. desempenhando alguma função sintática em relação a ela. – adjetivas: Aquelas que desempenham função sintática própria do adjetivo. ORAÇÃO E PERÍODO: Frase: enunciado de sentido completo. Edson 156 . Ex. com função própria de substantivo. segundo a função que desempenham. Ex.Gramática ESTUDO DE FRASE. como vimos. Ex. 2.:Desejo/ que você estude naquele Pré-Vestibular. Ex Classificação das Orações Subordinadas As orações subordinadas.: Estudei naquele Pré-Vestibular / e fui aprovado 2.: Desejo/ que você estude naquele Pré-Vestibular / e seja aprovado.2) subordinação : orações dependentes (principal e subordinada) Ex. Classificação das Orações Até aqui analisamos o período simples: separamos cada um de seus termos e os classificamos segundo a sua função. bastando apresentar sujeito e predicado. Oração principal – é aquela na qual se encaixa uma subordinada.: Perceba que a oração 2 encaixou-se na oração 1. exige um complemento (objeto direto). Ex. Assim. Dizemos. desempenhando a função de objeto direto desta. 2. 1) simples: uma oração (absoluta) Ex. temos: Prof.: Volume Único . definimos: Oração subordinada – é aquela que se encaixa em outra oração. vamos analisar o período composto .: Os alunos estudam muito Oração: enunciado de sentido completo ou não. em: – substantivas: Aquelas que desempenham função sintática própria do substantivo. Período: enunciado de sentido completo estruturado com uma ou mais orações. Chamamos a oração 2 de subordinada e a oração 1 de principal. Mas suponhamos que se complete o verbo com uma oração inteira em vez de um substantivo apenas: Ex. – adverbiais: aquelas que desempenham função sintática própria do advérbio. Oração Subordinada e Oração Principal No período: Temos ai uma única oração (período simples). desempenham funções sintáticas semelhantes às das palavras. Apartir deste capítulo. Ex. 1) nominal sem ou com verbo de ligação (estado ou mudança de estado). separando suas orações e classificandoas segundo a sua função. 2) composto: duas ou mais orações. Encaixando uma oração na função de objeto direto (função própria do substantivo). * Oração Subordinada substantiva Oração subordinada substantiva é aquela que se encaixa na oração principal.1) coordenação orações independentes (assindéticas e / ou sindéticas) Ex.

para. de.). para. com. Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta É aquela que funciona como objeto indireto do verbo da oração principal. vem introduzida pelas conjunções integrantes (que / se) – pode ser permutada pelo pronome substantivo isto. – o verbo da oração principal está sempre na 3ª pessoa do singular. há sempre sujeito (explícito ou implícito) nos limites da oração principal.: A oração predicativa: – sempre se liga ao sujeito da principal. por. Ex.. – sem preposição. a. Ex. de. – completa o sentido do verbo. – por meio de preposição (a. Ex. – a objetiva indireta sempre se liga a um verbo da oração principal: Prof. A oração completiva nominal: – sempre se liga a um nome da oração principal.: Quando a oração é subjetiva: – não ocorre sujeito dentro dos limites da oração principal (o sujeito é a própria oração subordinada). a oração é subjetiva.: . leve em conta que: – a completiva nominal sempre se liga a um nome da oração principal: A oração objetiva direta: – sempre se liga ao verbo da oração principal... – completa o sentido desse verbo. Edson 157 Volume Único . Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta É aquela que funcioma como objeto direto do verbo da oração principal.: O pronome se está funciomando como partícula apassivadora: decidiu-se equivale a foi decidido. em.). Observação Note que.2007 Ex. Orações Subordinadas Substantivas Associadas ao Verbo da Principal Oração Subordinada Substantiva Subjetiva É aquela que funciona como sujeito do verbo da oração principal. por. no caso que se segue.Gramática Observação: Quando a oração substantiva é objetiva direta. – por meio do verbo da ligação (normalmente o verbo ser). Observação: Para não confundir a completiva nominal com a objetiva indireta.. Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal É aquela que funciona como complemento nominal de um nome da oração principal. Classificação das orações Subordinadas substantivas Há seis subtipos de oração subordinada substantiva: três se ligam ao verbo da oração principal. Orações Subordinadas Substantivas Associadas a um Nome da Principal Oração Subordinada Substantiva Predicativa É aquela que funciona como predicativo do sujeito da oração principal Ex. Observação A oração subordinada substantiva tem duas marcas que merecem nota: – em geral. – por meio de preposição (com.: A oração objetiva indireta: – sempre se liga ao verbo da oração principal. três se ligam ao nome.

Podem. desde que.. Principais conjunções condicionais: se. mas não suficiente para desmenti-lo. já que.com exceção da conjunção subordinativa integrante. como. caso. ela indica em que circunstância ocorre a ação do verbo a que se liga. A oração subordinada adverbial liga-se ao verbo da oração principal por meio de qualquer conjunção 158 Concessão é o ato de admitir uma condição contrária.) – advérbios interrogativos (onde. 2. consoante. A oração apositiva: – sempre se liga a um nome da oração principal. Se a oração subordinada adverbial desempenha a função de adjunto adverbial. Prof.: condição éum fato do qual depende do outro. sem que (=se não).: Oração Subordinada Substantiva Apositiva É aquela que funciona como aposto de um nome da oração principal. que.: Volume Único . as orações subordinadas adverbiais classificam-se de acordo com as circunstância que exprimem. Edson . entretanto. Oração Subordinada Adverbial Conformativa Exprime um evento que se coloca em relação de acordo com o evento expresso na principal.2007 Observações: 1.: * Orações Subordinadas Adverbiais Oração subordinada adverbial é aquela que se encaixa na oração principal. de acordo entre dois eventos. Principais conjunções causais: porque..qual. quando. Classificação das Orações Subordinadas Adverbiais Como os adjuntos adverbiais.Gramática subordinativa. como. Ex.: Orações Subordinadas Substantivas Iniciadas por Pronomes ou Advérbios Interrogativos As subordinadas substantivas normalmente se iniciam por conjunção subordinada integrante (que / se). como.. vir introduzidas por outras partículas: – pronomes interrogativos (quem. Ex. Principais conjunções conformativas: conforme. Oração Subordinada Adverbial Causal Indica a causa que provocou o evento expresso na oração principal. que. visto que. que introduz a oração subordinada substantiva. Oração Subordinada Adverbial Concessiva Oração que concede. contanto que. (sempre em oração anteposta à principal).) Ex. Causa é tudo aquilo que provoca uma ocorrência qualquer.: Encaixando uma oração na função de adjunto adverbial (função própria do advérbio) temos: Conformidade é uma relação de concordância. – sem preposição e sem mediação de verbo. Ex. funcionando como adjunto adverbial. admite um argumento contrário ao evento expresso na oração principal. Ex. Ex. segundo.. Oração Subordinada Adverbial Condicional Exprime condição da qual depende o evento expresso na oração principal.

: Proporção é todo tipo de relação (entre dois pólos quaisquer) em que a alteração de um provoca alteração no outro.: Como se nota.. logo que.. quanto (em correlação com tanto). – conta com o pressuposto de que o evento ou a característica expressos por ela abarcam apenas uma parcela do conjunto a que se refere. o qual (a qual. onde.) Oração Subordinada Adverbial Comparativa Exprime se um fato ou um evento é equivalente ou diferente daquele expresso pela oração principal.. . Edson 159 Volume Único .: Comparação é o confronto entre dois fatos ou eventos para avaliar as semelhanças ou diferenças entre eles. que/do que (sempre em correlação com mais ou menos). porque. Oração Subordinada Adverbial Final Exprime a finalidade do evento expresso na oração principal. quanto.. à proporção que.2007 Tempo é um conceito primitivo cujo significado se conhece por intuição. principais conjunções proporcionais: à medida que. ainda que. tanto mais. cujo. as quais).. antes que. Ex.: Consequência á aquilo que resulta de um evento qualquer. qual (em correlação com tal). a passagem acima quer dizer que os romanos não escravizavam a todos os soldados mas apenas a parcela daqueles que eram derrotados por suas legiões. Principal conjunção consecutiva: que (em correlação com intensificadores: tão. Ex. Observação: A oração subordinada adjetiva retritiva: – não vem isolado entre duas vírgulas. os quais. Ex.Gramática Principais conjunções concessivas: embora. tal. Principais conjunções temporais: quando. que.: Finalidade é o resultado que se pretende atingir com uma atitude qualquer. tamanho. se bem que. – inicia-se por um pronome relativo: quem.quanto mais. Oração Subordinada Adverbial Temporal Serve para marcar em que tempo (em que momento) se deu o evento expresso na oração principal. que. Ex.: Serve para dizer que um dado ou evento está em relação proporcional com o que ocorre na oração principal. Subordinadas Adjetivas Explicativas Oração Subordinada Adverbial Proporcional Prof. Ex. para que. desde que. Principais conjunções finais: a fim de que.: Note que: – a oração subordinada adjetiva sempre se liga a um nome da oração principal. enquanto. tanto menos. conquanto. quanto mais. tanto.. Classificação das Orações Subordinadas Adjetivas As subordinadas adjetivas subdividem-se em: Orações Subordinadas Adjetivas Restritivas São aquelas que se referem a um nome da oração principal para particularizar (restringir) uma parcela de elementos dentro de um conjunto tomado como referência. Principais conjunções comparativas: como. * Orações Subordinadas Adjetivas Oração subordinada adjetiva é aquela que se refere a um nome da oração principal e funciona como adjunto adnominal. Ex. Oração Subordinada Adverbial Consecutiva Oração que exprime a consequência proveniente do evento expresso na oração principal. Ex. depois que. mesmo que.

a passagem acima quer dizer que todo tipo de petróleo mas a todo e qualquer. pois. Considera-se como reduzida a oração subordinada que: Tranferindo essa análise para oração reduzida. Observação: A oração subordinada adjetiva explicativa: – vem sempre isolada entre duas vírgulas (ou uma vírgula no início e ponto no final). Oração reduzida Funcionando como Substantiva Oração Reduzida Funcionando como Adverbial – não se inicia por conjunção ou pronome relativo. – analisa-se a oração desdobrada.2007 Para conceituar a oração coordenada. Observe os enunciados que seguem: Ex. de uma propriedade explicativa e não restritiva. oração subordinada é aquela que desempenha função sintática em relação a outra. Tipos de Orações Subordinadas Reduzidas As orações subordinadas reduzidas podem funcionar como: – substantivas – adverbiais – adjetivas (caso mais raro) Vejamos um exemplo de cada uma. Assim. procede-se da seguinte maneira: – desdobra-se a oração reduzida (desdobrar uma reduzida significa transformá-la numa oração iniciada por conjunção ou pronome relativo). não desempenha função sintática em relação à oração anterior. Tratase.: Como analisar as orações Subordinadas Reduzidas Para analisar as orações reduzidas. – transfere-se à reduzida a mesma análise da desdobrada. a oração B liga-se sintaticamente a um verbo (falou) da oração A exerce a função de objeto direto em relação a ele. – apresenta o verbo numa das formas nominais: a) infinitivo (cantar/pôr) b) particípio (cantando/posto) c) gerúndio (cantando/pondo) Oração Reduzida Funcionando como Adjetiva Ex. Edson 160 . teremos: Como se nota. Prof. vamos confrontá-la com a subordinada. * Orações Subordinadas Reduzidas As orações subordinadas podem apresentar-se sob a forma de orações reduzidas. B classifica-se como subordinada. Justamente porque desempenha uma função sintática em relação a outra oração. Ela não se liga sintaticamente nem a um verbo nem a um nome da oração A. – conta com o pressuposto de que a característica ou o evento por ela expressos abarcam todos os elementos de um conjunto tomado como referência.: No enunciado 1.Gramática São aquelas que não particularizam (não restringem) uma parcela de elementos dentro de um conjunto tomado como referência: Desdobrando. Agora veja a oração B do enunciado 2. acrescentando-se o tipo de reduzida: a) de infinitivo b) de particípio c) de gerúndio Volume Único . teremos: Aceito o princípio da força = oração subordinada adverbial condicional reduzida de particípio.

contudo. Oração Coordenada Alternativa Aquela que estabelece uma relação de alternância..é aquela que sinplesmente se põe ao lado de outra. Ex. Ex. sem problema algum.: Continua havendo quatro orações coordenadas. Mas as coordenadas sindéticas subclassificam-se em cinco tipos. as coordenadas dividem-se em: Sindéticas .ou já. com uma diferença: elas não vêm introduzidas por conjunção. A oração conclusiva ocorre para tornar explícito algo interpretado como contido implicitamente na oração anterior. sem desempenhar função sintática alguma. portanto..ora quer. Oração coordenada .. Prof. Observe o que se segue: porém.já ora. Oração Coordenada Explicativa Aquela que estabelece relação de explicação.aquelas que não se iniciam por conjunção. Então. cada uma delas introduzida por uma conjunção (e). mas também A oração coordenada aditiva ocorre no período para exprimir algo que é interpretado como acréscimo ao que se diz na oração anterior. Mas poderíamos. então.: Principais conjunções conclusivas: logo. Oração Coordenada Conclusiva Aquela que estabelece uma relação de conclusão. Ex.: Temos ai uma seqüência de orações coordenadas. porque.: Principais conjunções adversativas: mas.. A oração adversativa contém um argumento suficientemente forte para desdizer o que se disse na oração anterior ou para quebrar uma expectativa criada por esta.quer A oração alternativa exprime um evento que não pode ocorrer ao mesmo tempo que o evento expresso na oração anterior. numa primeira classificação.: Principais conjunções aditivas: e. Edson Oração Intercalada ou Interferente 161 Volume Único .2007 Principais conjunções explicativas: pois.. Assindéticas . isto é. Ex... de confirmação.aquelas que se iniciam por conjunção. Oração Coordenada Adversativa Aquela que estabelece uma relação de contradição ou adversidade. entretanto. nem. . excluir as conjunções que iniciam as referidas orações: Principais conjunções alternativas: ou. que A oração explicativa serve para dizer que há fundamento para que se afirme o que está declarado na oração anterior. Ex. Oração Coordenada Aditiva Aquela que estabelece uma relação de soma ou adição. Funciona como argumento a favor do que se diz na oração anterior. As coordenadas assindéticas não recebem outras classificações. de inicio. Classificação das Orações Coordenadas Há.Gramática Isto é o que caracteriza a oração coordenada e a diferencia da subordinada. pois (depois do verbo).. duas classificações para as orações coordenadas. todavia.

: Os brasileiros gostamos de carnaval. * Ideológica ( com a idéia e não com o termo expresso) Ex. Há dois tipos de concordância: * * Verbal Nominal 1. CONCORDÂNCIA É o mecanismo pelo qual as palavras alteram suas terminações para se adequarem harmonicamente na frase.2.Substantivo Ex. o verbo ficará no singular. Come-se deste bolo.: Passaram-se dez anos. VERBAL A.: Tenho que estudar hoje. Está-se feliz agora. 6. 7. Não fique parado que o tempo voa.: Que linda ela esta hoje! 3. Edson . A rigor. Fiz-lhe sinal que se calasse.2007 Há três maneiras de efetuar a concordância: * Gramatical ( com o termo expresso) Ex. (C. Realce ou Expletivo Ex.” (C. Pronome 3.: O quê é uma palavra importantíssima. Se o sujeito for simples no singular. opinião. 3.A. sintaticamente independente.: O se é sempre questão de prova. * Atrativa ( com o termo mais próximo) Ex. Se o sujeito for composto.Gramática Note que: – a oração B interrompe a sequência da oração A e se interpõe a ela a título de esclarecimento ou de informação pararela. Índice de indeterminação de sujeito (PIS) Ex. Ex.Reflexivo Ex.: Vive-se bem aqui. – a oração B é totalmente independente da oração A. Intercalada ou interferente é aquela oração. Conjunção Ex.1. 3.: Comprei mamão e maçã gostosa.: Que dia lindo! Que fazer agora? A questão que errei foi mal formulada.: Ela se feriu. – por parênteses. Pronome Ex. Se o sujeito for simples no plural. o verbo ficará no plural..Advérbio Ex. Estudou tanto que foi aprovado. Conjunção Ex.Interjeição Ex. Se ela vier ficarei feliz. 162 Prof.) 3. *EMPREGO DAS PALAVRAS “QUE” E “SE” * Que 2.. I.D. Entre B e A não há nenhum conectivo subordinante ou coordenante. Apassivador (PA) Ex. ressalva. advertência. Precisa-se de bons profissionais.5.: Quê! você não toma banho? 5.: “O outono é mais estação da alma . 3.: Nós é que somos inteligentes. REGRA GERAL O verbo concorda com o sujeito em número (singular e plural) e pessoa (1ª. Substantivo Ex.: Vendeu-se este imóvel. verifica-se o seguinte: * Se 1. chamamos B de oração intercalada ou interferente.: Referiu-se a mim. Parte integrante.3. trata-se de uma oração absoluta inserida em outra. 4.: Não sei se ela virá. que se encaixa dentro de outra a título de explicação.D. 3. – por travessões.A. A oração intercalada pode vir isolada: – por vírgulas. Por causa dessas características.: Comprei mamão e maçã gostosos. Estudou que foi reprovado. Ex. Sei que você virá. 2ª e 3ª).: “Todas estavam ainda verdes”.4. Ex.Preposição Ex. Realce ou Expletivo Ex.) 2. 2. Riam-se muito naquela festa. 3.: Trabalha que trabalha e não fica rico. Volume Único . REGRAS 1.

posposto ao verbo .: “Aqui FAZ verões terríveis”. anteposto ao verbo . Ex.(ou correram)/A maioria dos jovens não mente. concordará com o substantivo que acompanha a expressão. o verbo só poderá ficar na terceira pessoa do singular. 163 Volume Único . 5. Ex.: O povo não revelou nada. obrigatoriamente. seguida de substantivo no plural. COLETIVO O verbo concorda com o coletivo ou com sua especificação. SÍMBOLO DE INDETERMINAÇÃO DO SUJEITO 5. G E A R . (C.: Obedeceu-se às leis.: Vai para as dez horas. 1. QUANTIDADE APROXIMADA Quando houver uma quantidade aproximada (PERTO DE. Ex. / Falou-se que os privilégios iriam acabar. 1.: Já passa das dez horas. MAIS DE. COMPETE. Edson 3.: Eu e tu saímos Eu e o cidadão saímos.1. ficando na terceira pessoa do singular. Os verbos chegar e bastar quando indica limite. VERBOS UNIPESSOAIS São os que possuem sujeito. etc. Os que denotam fenômeno da natureza: C H O V E R . 3 2. PRONOME APASSIVADOR 4. Ex. O verbo ir + para quando indica tempo.:Cerca de dois mil candidatos passaram no concur so. O verbo passar + de quando indica tempo. Ex. 6. etc. tu e o cidadão.7. O verbo estar quando indica fenômeno da natureza.6. C Branco) FAZ dez anos que eles chegaram. IMPORTA. FALTA.Quando o sujeito estiver indeterminado pela partícula SE.1. 1.: Caíram uma flor e duas folhas (ou caiu) / Saiu o ancião e seus amigos. ANOITECER. Os principais verbos unipessoais são: ACONTECE. (ou saíram) 2.1. o verbo ficará no singular. / Faltam apenas quatro linhas. RELAMPEJAR. Saíram Saíste B. saíram Saímos eu. OCORRE.2. A M A N H E C E R . etc. Se os sujeitos forem de pessoas diferentes.: HAVIA muitos garotos na rua. Ex. * * * Eu + tu = nós Eu + tu + ele = nós Tu + ele = vós ou eles Ex. Prof. CERCA DE. Ex. N E VA R . Eu.: Basta uma só reflexão. Ex.Quando o verbo vier acompanhado do pronome apassivador.1. ficando na terceira pessoa do singular ou plural. / Ficou-se feliz. / Compraram-se todas as coisas disponíveis. Ex. Saí Saístes tu e o cidadão.o verbo ficará no plural. REGRAS ESPECIAIS 1. / As esquadras partiram pela manhã.5. tu e o cidadão saímos. (ou mentem)./Um grupo de professores viajou.Gramática 3. Ex. concordará em número e pessoa com o sujeito. CONVÉM. Ex. INTERESSA. Ela saiu HÁ dez minutos. Tu e o cidadão saístes. São verbos impessoais: 1./ O bando de homens correu. 4.: Chega de tolices. URGE.o verbo ficará no plural (concordância rígida) ou concordará com o núcleo mais próximo (concordância atrativa). ENTARDECER. CUMPRE. Ex. O verbo haver no sentido de existir ou indicando tempo decorrido.). / Urge que tornemos uma atitude cordial. BASTA. Ex. VERBOS IMPESSOAIS São os que não possuem sujeito. TROVEJAR. Ex.: Vendeu-se o lápis. COISA DE. a 1ª pessoa prevalecerá sobre as demais. CABE. SUJEITO ORACIONAL Se o sujeito for oracional. / Vive-se muito bem. Ex.4.: Está quente. 1 3. 1. e a segunda terá preferência sobre a terceira. CONSTA. Falta apenas fazer quatro linhas. O verbo fazer quando indica fenômeno da natureza ou tempo decorrido.: É provável que eles venham.2007 . (ou viajaram) 7. PARECE. o verbo. constituído ou não por verbos unipessoais.: As imagens e os sons não estavam adequados. RESTA.: CHOVEU muito. 1.

professores.: Mais de um casal se agrediram mutuamente na ocasião.: Voce é um dos que fala (ou falam) menos. ou no plural. TÍTULOS DE OBRAS E NOMES PRÓPRIOS DE LUGAR O verbo concordará com o artigo ou ficará invariável se o sujeito estiver sem artigo. o verbo concordará com ele.: Um cinco doze avos dos trabalhadores optou pela volta ao trabalho. HAJA VISTA A palavra “vista” ficará invariável.: Quais de nós sairão antes? (ou sairemos) Se houver número inteiro. mais de uma folha foram arrancadas pelas crianças. / Foste tu que chegaste por último. PRONOME RELATIVO “QUEM” Quando aparecer o pronome relativo QUEM. PRONOME DE TRATAMENTO O verbo concordará na terceira pessoa. o verbo ficará no singular. nem Pedro fará (ou farão) a prova.: Qual de nós sairá antes? Cada um de nós estudará para o concurso. OU. (serão convocados) Waldir Peres ou Paulo Sérgio será o goleiro titular. Ex. Pelé. Ex. b) NO PLURAL: se houver reciprocidade ou expressão repetida.2007 164 . UM E OUTRO/UM OU OUTRO/NEM UM NEM OUTRO O verbo fica no singular ou no plural. ninguém chegava a um acordo. Ex.:Waldir Peres ou Paulo Sérgio será convocado. 18. Hajam vista os casos. 17. APOSTO RESUMITIVO O verbo concordará com o aposto. Ex. Haja vista o caso.: “O rio Tietê é um dos rios que atravessa o Estado de São Paulo”. Ex. Ex. 16.: Vossa Excelência é muito digno.. no singular e feminino. 15. Ex. SUJEITOS LIGADOS POR OU . 9. (Luís Antônio Sacconi) “É uma das tragédias de Racine que se apresentará hoje no teatro”. Ex. O Presidente com sua digníssima esposa foi almoçar. Haja vista aos casos. (ou chegou) 10.. isto é. 20. todos foram campeões do mundo. o verbo concordará com o pronome pessoal antecedente. Um ou outro jogador fez(ou fizeram) gols. Ex. Ex.: Fui eu quem cheguei por último. Didi. 14.: Fui eu que cheguei por último. PORCENTAGEM O verbo concordará com o numeral ou com a especificação. com sua digníssima esposa. nem Pedro. FRAÇÃO O verbo concordará com o numerador. concordando com UM. Oitenta por cento do curso foram aprovados (foi aprovado) no último vestibular. UM DOS QUE Com a expressão UM DOS QUE o verbo ficará no singular.: Um terço dos alunos foi embora. No entanto. se o interrogativo estiver no plural. O Presidente.: Haja vista os casos. Mais de uma flor.: O Presidente com sua digníssima esposa foram almoçar. Nem José. NEM O verbo ficará no singular ou no plural. PRONOME RELATIVO “QUE” Se o sujeito for um pronome relativo QUE. (Carneiro Ribeiro) 11. Ex. Ex. Ex.: Mais de uma máquina estava quebrada. desde que não haja exclusão obrigatória. Prof. NEM . Ex.. SUJEITOS LIGADOS POR “COM” Quando os sujeitos estão ligados pela preposição COM. Garrincha. Edson ! Obs.. nem ninguém fará a prova. foi almoçar. o verbo ficará no plural (realce de todos os sujeitos) ou concordará com o primeiro dos elementos (ênfase especial para ele).: Um e outro jogador fez (ou fizeram) gols. 12. diretores. 19. Vossas Senhorias são pouco exigentes.: Alunos.Gramática Com a expressão MAIS DE UM o verbo ficará: a) NO SINGULAR: caso normal.: Se o interrogativo estiver no singular. Volume Único . Ex. Dois quartos dos concorrentes não conseguiram vencer. concordando com OS (DOS = DE + OS). 8. o verbo concordará com o pronome pessoal antecedente ou ficará na terceira pessoa do singular. salvo se houver exclusão necessária. Nem José. Ex. Nem um nem outro jogador fez (fizeram ) gols. Ex. 13. PRONOME INTERROGATIVO OU INDEFINIDO + DE (DENTRE) + PRONOME PESSOAL OU VOCÊ(S) O verbo concordará com o interrogativo ou com o pessoal.: Um por cento dos alunos saiu (saíram).

Com esta expressão. MEDIDA. Minas Gerais ganhou todas as competições. Bateu oito horas o sino.. O (= AQUILO. ETC. “SOAR” Concordam normalmente com o sujeito a que se referem. Ex.. Hoje são 21 de maio. Acessos proibidos. É tão pouco cinco sentidos.(educado) ! Adjetivo ADN anteposto: Somente atrativa Ex. NADA. Acesso proibido. Ex. Ex. Ex. leso. PRONOME PESSOAL OU NOME SOBRE PRONOME INTERROGATIVO Ex. 2. vier seguido por mais de um adjetivo. 2) Quando um substantivo (singular ou plural). Edson 165 Volume Único . 21. PRONOME PESSOAL SOBRE NOME Ex.: Maria era as esperanças de todos. Os Estados Unidos perderam muitos troféus. concordando com a palavra obra subentendida. 3. É MUITO. e o adjetivo.: Comprei mamão e melão gostosos. obrigado e quite concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número. As línguas portuguesa e inglesa. Oito reais é muito. DISTÂNCIA – HORAS – DATAS Se o verbo SER indicar distância.. As portas do sucesso não se abrem por si mesmas. Prof.(educada) ! Adjetivo PREDICATIVO anteposto: Gramatical ou atrativa Ex.(gostoso) Comprei maçã e pêra gostosas. 4) MESMO/PRÓPRIO/LESO/OBRIGADO/QUITE/ GRATO/AGRADECIDO As palavras mesmo.. ! Adjetivo ADN ou PREDICATIVO posposto: Gramatical ou atrativa Ex.: Quem és tu? Que são devaneios? 4. Um ou outro candidato competentes. o verbo pode. PLURAL SOBRE SINGULAR OU PALAVRA INVARIÁVEL Ex.: Deu quatro horas o relógio. o verbo ficará sempre no singular.(gostosa) Comprei mamão e maçã gostosos.. próprio. Soaram uma hora os relógios.: Era uma vez dois reis e urna rainha. ERA UMA VEZ . Ex. Os culpados éramos nós.: A língua portuguesa e a inglesa. AQUILO. ISSO. ficar no singular. Era meio-dia e meia. PESSOA SOBRE COISA Ex.(gostosa) Julgo o aluno e a aluna educados. B.: As estrelas parecem tocar o céu. Deram quatro horas no relógio.Gramática Ex. horas ou datas. o artigo. QUANTIDADE. o ve rbo concordará com estas. determinado pelo artigo. É MAIS DE.: Entrada proibida. ISTO. o verbo poderá ficar no singular. Os Lusíadas são a obra máxima de Camões. CONCORDÂNCIA DO VERBO “SER” A.2007 . Quando estas expressões denotarem PREÇO. os adjetivos ficarão invariáveis.: A casa eram umas folhas. 22. É POUCO. CONCORDÂNCIA DOS VERBOS “DAR”.: O rei sou eu.. no plural. II . Ex. “BATER”. 3. também.: Para os títulos de obra.: Ele mesmo falou.. REGRA GERAL O adjetivo. ou AQUELE). o pronome adjetivo. Ex.: O Amazonas é um dos maiores rios do mundo.: Os Lusíadas é a obra máxima de Camões. PREDOMINÂNCIA DO VERBO SER 1. O mundo são os homens.: Julgo educados o aluno e a aluna.: Da Tijuca à Barra são oito quilômetros.: Três metros é mais do que preciso. Ex. o verbo fica invariável.: Um e outro professor dignos.: Comprei gostoso mamão e maçã. CONCORDÂNCIA DO VERBO PARECER SEGUIDO DE INFINITIVO Flexiona-se um ou outro. Ex. o numeral adjetivo concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número. Tudo são sonhos. 3) UM E OUTRO/UM OU OUTRO/NEM UM NEM OUTRO O substantivo que acompanha estas expressões ficará sempre no singular. a) Quando o sujeito é representado pelos pronomes TUDO. B. Ex.NOMINAL A. 23. 2.: Tudo é sonhos. Soaram duas horas. Ela mesma falou. As estrelas parece tocarem o céu. Ex. REGRAS ESPECIAIS 1) Se houver mais de um substantivo. Entradas proibidas. Obs. OUTROS CASOS DO VERBO SER 1.. Nem um nem outro jogador profissionais.

carinhos). / Vai inclusa uma certidão. Estamos quites com vocês. É proibido entradas. (= muitos) Eles estavam bastante tristes. .variável. / Anexos vão uma carta e um recibo. APENAS .(= muito) Elas chegaram todo desconfiadas.: Vossa Magestade está preocupado. 9) A OLHOS VISTOS A expressão fica invariável. Ex. 13) CARO/BARATO Serão flexionadas. Regência Verbal É a maneira de o verbo relacionar-se com seus complementos. Ex. falou Maria.: Vão. (= muitas) Havia bastantes livros. O.: Eles só queriam comer.fica invariável. Como é gostoso aspirá-lo. respirar). duas certidões e cinco requerimentos.D. Ex.: Ela era menos bonita do que você. Vai apenso um recibo.2007 . 5) SÓ Observe o seguinte: a) SÓ = SOMENTE.INCLUSO . / Vai anexa uma certidão. Os sapatos custaram caro. Ex. O. Foi um crime de lesa-pátria. Ex. Não os agrade com doces. Ex. .: Não agrade os meninos com doces. satisfazer) Ex. 11) BASTANTE/TODO/MEIO(= MUITO) Ex. Obs. Estou quite com vocês. Elas próprias falaram. Quando o sujeito destas expressões estiver determinado pelo artigo ou por qualquer determinante. Ela e ele ficaram a sós.D.: Cadernos o mais limpos possível. Ele praticou um crime de leso-patriotismo.sorver. quando usadas com verbo de ligação. se. Iniciados os trabalhos. O.. Ex. Ex.D. * (T.: Como é gostoso aspirar seu perfume. 10) CONFORME Quando a palavra conforme corresponder a idêntico. Aspirar * (T. *REGÊNCIA Estuda a relação entre verbo ou nome com seu complemento. Ex.: Os sapatos eram caros. Os guardas estão sempre alerta. Ex. O.: Elas eram conformes até no pensamento. * Verbos Com Mais de uma regência 1. / Vai apensa uma certidão. ETC. Os pseudo-dólares estão no mercado.(= muito) 12) MENOS . É proibido entrada. Agradar/Desagradar * (T. 8) É BOM. Prof. Ex. Vão anexos um recibo e uma certidão. disse José.: Ela ficou a sós.: Ele falava bastantes besteiras.I. São proibidas as entradas.Gramática Eles próprios falaram. Vai incluso um recibo. b) SÓ = SOZINHO .I.: Eles jamais ficarão sós.:O resultado não agradou aos concursados. não existir determinante algum.. . O resultado não lhes agradou. É NECESSÁRIO.D. todos saíram. todos saíram. a concordância será feita normalmente.ser agradável. em anexo. 6) ANEXO . É PERMITIDO.: Eles crescem a olhos vistos.: Iniciado o trabalho.: A expressão “a sós” fica invariável. É PROIBIDO. 14) PARTICÍPIPOS Concordam normalmente com o substantivo a que se referem. a expressão ficará invariável. Ex. Vossa Magestade está preocupada. será variável.: É proibida a entrada. É PRECISO.D.fazer agrados. Cadernos os mais limpos possíveis. Ex. Existiam menos pessoas ali. 166 Volume Único .(= muito) A porta estava meio aberta. 15) PRONOMES DE TRATAMENTO O adjetivo concordará com o sexo da pessoa representada por este pronome.I.ALERTA . Muito obrigada. Ex.PSEUDO Sempre invariável. Edson EM ANEXO: locução adverbial invariável.: Vai anexo um recibo. 2. O. entretanto.APENSO Concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere. Ex. 7) POSSÍVEL Concorda com o artigo que precede o superlativo. Muito obrigado.

D. Chamaram-lhe de inteligente. O. O. pertencer) Ex.: Esse direito so assiste ao Presidente. * (T. sujeito ( = oração subordinada substantiva subjetiva) Custa-lhes entender tais assuntos. Ex.: D.D.I. O. Principais verbos que seguem o mesmo modelo: aludir. O. Ex. O. Custar * (T. sujeito ( = oração subordinada substantiva subjetiva) Custa a eles entender tais assuntos.pede sujeito oracional.D. Chamaram-lhe inteligente.dar asistência. O. O.D. Chamaram o aluno de inteligente. anuir.I.invocar) Prof. . O.I.(Errado: Quem não lhe aspira. O.D. O. O. O.) Ex. lugar) 4.I.I Predic. O. *(T. O.I.I.I. * (T.I.I.D. O. O. apelidar).I. O.avaliar) Ex.: O professor atende os / aos alunos. 5. Pedro assistia em Petrópolis.: O remorso custava lágrimas ao pecador.: Quem não aspira a uma vida saudável? O. (Adv. ou T.I.: O Governo assiste as populações carentes. implicar). O governo assiste a elas. 6.2007 167 . O professor atende-os / lhes. Predic.D/O. * (INT.I. Predic. O.referir-se. a Virgem.I.I.Gramática O. Ex. Quem não aspira a ela. Assistir (a) * (T. . * (T.D. visar ( sentido de pretender).I.D.) O.: Chamaram o aluno inteligente. . Atender * (T. O. O.I. O.D. Chamaram ao aluno inteligente. atrair.D. sujeito ( = oração subordinada substantiva subjetiva) (Errado: Os alunos custaram a entender tais assuntos.I.: O Governo assiste às populações carentes.) * (T.: Chamei meus amigos e pedi discrição. Adv. dar nome. O. convocar. preço Volume Único .para objeto coisa).D.I. Predic.D. O. O. . provocar. Ex.: Este imóvel custou caro. assistir (sentido de ver) . 3. Ex.I. O. Chamar *(T.D. .difícil. (Errado: O Negrinho lhe chamou.I. Esse direito só lhe assiste. Deus lhes atenderá. ou T.para objeto pessoa ).) O. a Virgem. O. O.D.D. Aquele fato chamou a atenção da polícia. . Predic. Edson Ex.D. (Errado: O governo assiste-lhes. Predic.convidar.D.I.D.morar.I. Chamaram-no de inteligente. O. O. * (T. .D. * (T. dar ajuda) Ex.I O remorso custou-lhas. O. O. O Governo assiste-as. almejar). O. O.ser custoso.I..: Deus atenderá às nossas súplicas. Chamaram-no inteligente. Predic.pretender.D.I. O. considerar. O. . O. O. O Negrinho chamou por ela.I.I.I.: O Negrinho chamou por sua madrinha.I. a Virgem. Ex.I. portanto esse verbo ficará sempre na 3º pessoa do singular). Observação: Esse verbo(sentido de pretender) não admite o pronome “lhe”.I.caber.ver) Ex. . .I Predic.) *(INT. Ex.D. demorado . O.I. residir). Chamei-os e pedi discrição.: Custa aos alunos entender tais assuntos. + predicativo preposicionado ou não tachar.D. .acarretar. Chamaram ao aluno de inteligente.

O. * (T. Ex.) Prof.) .I. provir. O.D.I. .I.I.ir . recordar). seu pleito não procede.não-pronominal). Ex. lugar Infelizmente.D.D.: Todos deveriam responder ao questionário.pretender.: Implicou-se em conspirações.um objeto. 8.: Lembrou-me aquele fato inusitado. O. (Errado: Visam-lhes apenas.D. O.descer . O pequenino visava conquistar a simpatia de todos.I.I. O guarda não o precisou.I. Responder * (T. O.I. * (T. O. Implicar * (T.: Quem não precisa de dinheiro ? O.: Quero sucesso imediato. . * (T. * (T.) Obs. 11. .D. 12. Ex. iniciar). bem-querer).D. O.: Lembramos aos presentes a necessidade do convite. Ex. O. Todos deveriam responder à população..:Vivia com austeridade.: Cacilda implicara o namorado em crimes. Ex.I. * (T.I.acarretar).I.advertir. Adv.) * (T.I.I.indicar com exatidão). . pode a preposição ficar subentendida ou não.D.D. Lembrar/Esquecer * (T. * (T. sujeito 9.: Os políticos visam apenas aos seus interesses.amar.: O homem respondeu qualquer coisa à mulher.: Ele vive implicando com as crianças.exigem a preposição a.pronominal . Não te esqueças de visá-lo. O. Quero-o. . O.D. .: O guarda não precisou o local da infração.I. * (T.D. 13. .I. e procedia como rei. O. O.coisa = direto e pessoa = indireto) Ex. Quem não precisa dele ? O. * (T. carecer).I. Ex. Ex. almejar.ter necessidade. estimar. executar. O.I.: Não lembramos as datas de aniversários. modo 168 Os retirantes procediam de longínquas terras. Visar * (T.D. O. Ex. Não o visava.coisa esquecida/lembrada. . Ex.I. Ex.D.: Contratação de pessoal implica despesas.D. O.2007 .D.D. * Verbos de uso problemático (decorrentes da linguagem coloquial) 1. O pequenino visava a conquistar a simpatia de todos.pronomial ). Ex.ter implicância ..subir (INT. Ex. Visam apenas a eles. * (T. Ex. Proceder * (INT. A polícia procederá a ele.não-pronominal). funcionando como sujeito).D.pôr visto. 10.realizar.Gramática 7. O. .envolver-se). O.D.envolver). .I. Precisar * (T. O.I. Adv. ter em vista). Ex.: A polícia procederá ao inquérito.D.I.I.I. Apontou o arcabuz mas não visava o alvo.Querer * (T. .I. . Ex. . apontar para). O. O.: Lembre-se dos fatos marcantes da vida.D. O. O.I. independente de ser coisa ou pessoa).: Seguido de infinitivo. (Errado: Ele vive se implicando com as crianças. . quando indicam movimento e de quando indicam origem .comportar-se.I. O.: Não te esqueças de visar teu passaporte. O. .D. Ex.desejar). O.I. ter fundamento).I.: Quero muito a meus pais. O.D. (Errado: Contratação de pessoal implica em despesas.dois objetos . . Chegar .I. O. Edson Volume Único . . O. Ex.) * (T. . Quero-lhes muito.

“antes”.: Estou alheio a tudo.) Ex. para) Ex. indiferentemente.: Estava apto ao / para desempenho das funções.I. Pisar .desobedecer (T.O.) Adv. “pessoa”).) Ex. Afeiçoado pela vizinha.(T. lugar (Errado: Amanhã chegaremos cedo no colégio. O.D. (Errado: Nunca me simpatizei com modas.) O.: Um aluno devoto às / das artes. 6. comunicar.” ou O.: Não pise a grama. para.: Esse verbo não admite os reforçativos “mais”.) Ex.: Há indivíduos que preferem o sucesso fácil O.I.exigem a preposição com).: Estou contente por tudo que Deus me deu.D. O. por.D.: Não há analogia com / entre os fatos históricos.D. /T. O. sito na casa 10. Afeiçoado (a. Aversão(a. “coisa”. Já paguei ao cobrador. Ávido (de. O.: Estou ansioso pela aprovação. por) Ex. O. Prof. Adv. Apaixonado (de. Aflito (com. Atento(a.I.(T. de) Ex. com./ T. contra) Ex. “mil vezes” e os comparativos “que” e “do que”.: Do amigo que muito o estima.) Ex.D. (Errado: Avisei-os que a prova fora transferida. O. por) Ex. Aconselhar. Aflito por não ter notícia.: Aflito com a notícia. Preferir .I.(T. em) 169 Volume Único . lugar Obs. (Errado: Não pise na grama. . 5. para. isto é.(T.) 8. O. “Informei os alunos do fato. (Errado: Prefiro mil vezes um inimigo do que um falso amigo. com) Ex. Namorar . por) Ex. (Errado: Paula namorava com todos os rapazes da rua. O. ensinar. Simpatizar . Pagar . Ex. O. Ex.D.I. Estimar (T. por) Ex.D. lugar Elas chegavam de Taguatinga e iam a Sobradinho.) 3.I. autorizar.Estabelecer (INT.D. dissuadir. estabelecido. O. residente. por) Ex.I. Ela reside na SQN 315. Analogia (com. por) Ex.: “Informei o fato aos alunos.: Têm a mesma regência os adjetivos derivados sito.D.D.: Paula namorava todos os rapazes da rua. avisar. . participar. Alheio (a) Ex. de) Ex.I. Residir .D.I.I. por. O. Contemporâneo (a.D.I. Afável (a.: Estou atento a tudo.: Tenho aversão a estrangeirismo. cientificar. Ex. O.: Um grupo constituído de / por várias turmas. lembrar.(T. por) Ex. Amizade (a.: Alguns não simpatizavam com o treinador.I. de) Ex. Ansioso (de. Contente(com. lugar 2. com) Ex.D. etc.D.” O.2007 .: Um homem ávido de / por novidades.(T. incubir.: Era um apaixonado das / pelas flores. O. Avisei-lhe de que a prova fora transferida. informar. 4. Falho (de.: Estava acostumado a / com qualquer coisa.D.) 10. Regência Nominal É a relação de subordinação entre o nome e seus complementos.Situar . objeto direto e undireto de “coisa” ou “pessoa”. Alguns desses verbos admitem alternância. O. sito à SCLN 314.Morar . certificar. Edson O.: Seria bom obedeceres aos teus estímulos.) Ex. notificar.: Um estilo contemporâneo ao / do Modernismo.) 9. Adv.: Ela reside na Avenida das Nações.: Afeiçoado aos estudos.D.exige a preposição em). morador.tocar . Devoto (a. . Adv. devidamente estabelecida por intermédio das preposições correspondentes.: Amizade à/ pela/ com a irmã mais velha. Obedecer .D. Constituído (de.: Parecia afável a / com para com todos.I. Acostumado (a.I. “menos”.perdoar . Apto (a.I.antipatizar .I. para com) Ex.) Ex. O. entre) Ex. estabeleceu-se na QNG.: Aquele homem era entendido em eletricidade.D. (Errado:Todos estarão no local determinado.Gramática Amanhã chegaremos cedo ao colégio. O. Obs. Já paguei a prestação.) 7.I. Entendido(em) Ex. Não desobedeças ao teu pai. ao triunfo meritório.: Já paguei a prestação ao cobrador.

Se vier modificada por um adjetivo ou locução adjetiva.: Ele não se referia a nós.: Estarei em sua casa às nove horas.: Sejam propensos ao / para o bem. à maneira de ainda que a palavra moda fique subentendida.: Imbuído de / em vaidades. • diante de verbos Ex. * Casos particulares O uso da crase apresenta casos que devem ser estudados com detalhes. geralmente. Ex.: * Casos em que não ocorre crase Volume Único .: se a palavra terra estiver adjetivada ou empregada no sentido de planeta. Passível (de) Ex. 3) não se usa crase diante da palavra “terra” quando esta indicar “chão forme” em oposição a bordo de uma embarcação. Ex.: Ela ia melhorando seu desempenho dia a dia. de) Ex. ocorrerá crase.: Refiro-me à senhora.: As crianças são vulneráveis a tudo.: No almoço. dona e madame admitem o emprego da crase.: Não comecem a discutir. (a = preposição + a qual = pronome relativo) e é representada pelo acento grave (à qual). • em expressões formadas por palavras repetidas Ex. • diante da palavra distância.Gramática Ex. Dei o livro à aluna. 170 . (a = preposição + aqueloutro = pronome demonstrativo / indefinido) e é representada pelo acento grave (àqueloutro). Esta é a pessoa à qual me refiro. Refiro-me a França.: Sou rico de saúde.: Um prédio vizinho ao / do meu. na indicação das horas. em) Ex. 4) não se usa crase diante da palavra casa quando empregada no sentido de lar.: Quando chegou a casa. para) Ex. 2) usa-se a crase nas expressões à moda de. (a = preposição + a = pronome demonstrativo) e é representada pelo acento grave (à).: Isso é inerente a mim. • diante de palavras no plural Ex. em) Ex. (a = preposição + aquele = pronome demonstrativo) e é representada pelo acento grave (àquele). Versado(em) Ex. Solicitamos a Vossa Senhoria providências imediatas. Ex. Referi-me àquela pessoa. O astronauta chegou à Terra ontem. São eles: 1) diante de nomes próprios geográficos. Propenso (a. (a = preposição + aquela = pronome demonstrativo) e é representada pelo acento grave (àquela).: Entreguei o recibo a você. Obs. Residente/ sito/ estabelecido/ morador (em) Ex. chovia torrencialmente. será servido bife à parmegiana. Refiro-me à França. Refiro-me à Roma antiga. Prof.: Refiro-me a Roma. Eles visavam a novas condições financeiras. A água caía gota a gota.: Assistimos a todas as peças teatrais da temporada. Vulnerável(a) Ex. • diante de pronomes de tratamento Ex. Ex. Quando chegou à casa dos irmãos. Obs.: Andei a pé o dia todo. Observou tudo a uma distância de cem metros. (a = preposição + aqueloutra = pronome demonstrativo / indefinido) e é representada pelo acento grave (àqueloutra).: Um político falho de / em caráter. (a = preposição + aquilo = pronome demonstrativo) e é representada pelo acento grave (àquilo).: os pronomes de tratamento senhora. a não ser que ela apareça determinada.: O projeto é passível de modificações.: A verdade é incompatível com a realidade. • diante de pronomes que não admitem artigos Ex. Ex.2007 • diante de palavras masculinas Ex.: Observou tudo a distância. 5) usa-se crase. Ele saiu após as dez horas. só se usa a crase se ele admitir o artigo a. Edson * * Ex. haverá crase: Ex. Minha blusa é igual à que compraste. Ex. Observou tudo à distância de cem metros. chovia torrencialmente. Ele chegou à zero hora. Vizinho (a.: Os residentes na Capital Rico(de. Incompatível (com) Ex.: Os tripulantes da aeronave voltarão a terra amanhã. Referi-me àqueloutro livro. Inerente(a) Ex.: Ele era versado em comércio exterior. Ex. senhorita. * CRASE Crase é a fusão de duas vogais idênticas * * * * * * (a = preposição + a = artigo) e é representada pelo acento grave (à). Imbuído (de.: A tripulação da aeronave voltará à terra de seus sonhos.

. Ex. Ex. Mostre suas fotos à Helena. Verbos no particípio. f) Gerúndio preposicionado. Verbo(s) auxiliar(es) + principal no infinitivo ou gerúndio: livre colocacão (sem contrariar normas ou gerar cacofonia). • locuções adverbiais femininas. Ex.: Saiu às pressas para o trabalho. por favor compreendam-me.: Se pudesse.: Dada-lhes a notícia.: Mostre suas fotos à simpática Helena.: se o nome feminino estiver adjetivado ou especificado.:Leia atentamente as questões antes de resolvêlas. Não havendo próclise obrigatória. 2. o uso da crase é obrigatório. À noite costuma sair com os amigos. Ex.: Chamam-me de sonhador. à esqueda. Ex. Viajaram num barco a vela. 1. Escreveu uma carta a máquina. Ele trabalha de treze a dezoito horas. Obs. à vontade. desde que não haja casos obrigatórios de próclise.:Modificou a frase.: Quem te convidou para o baile? d) Frases optativas. Palavras atrativas a) Advérbios. minha irmã. Ele ficou lá até às dez horas.: Em o vendo. Ex. Ex. Ex.: Mostre suas fotos às suas irmãs.: Obrigado por dizeres-me (por me dizeres) a verdade. continuou . 5.. Ex.: Bons ventos o levem. tornando-a clara.: Vendo a prazo. ofereceria-te (oferecer-te-ia) o cargo.: Não aceitava as objeções que lhe faziam.: O jogo iniciar-se-á dentro de instantes.: se as locuções forem masculinas ou de instrumento. Obs. Tipologia frasal. Ex. Ex. Sujeito expresso. *A Mesóclise (pronome oblíquo átono no meio do verbo) Com verbos no futuro do indicativo. Gerúndio não preposicionado. à direita).à exceção de. Verbos no imperativo afirmativo. mas se queixava / queixava-se da vida. b) Pronomes indefinidos. às pressas. Conjuncão coordenativa.: Tudo se fez conforme a lei. b) Frases exclamativas. às escondidas.. Verbos no infinitivo flexionado. não haverá crase.: Chegou cedo e perguntou-me pelo filho.: Mostre suas fotos a/à sua irmã e não à minha.: Quem lhe deu essa informação? e) Conjunções subordinativas.: Como se fala mal no Brasil! e) Frases interrogativas. * Casos em que ocorre Crase * 2. • diante de pronomes possessivos adjetivos Ex. Ex.: Era rico. Ex.: se o possessivo adjetivo estiver no plural. Todos aplaudiram-na à uma.: Muito nos honra tua visita. Ex. Edson 171 Volume Único . brioso barco. *A Ênclise (pronome oblíquo átono depois do verbo) Ocorrerá ênclise sempre que não haja próclise obrigatória (exceto com verbos no futuro). Uso facultativo da crase O uso da crase é facultativo no seguintes casos: • diante de nomes próprios de mulheres Ex. Ele chegou à uma hora. Obs. Ex.: casos de próclise facultativa 1. Verbo no infinitivo impessoal. Feriu-se a faca. • depois da preposição “até” Ex. Obs. 2. à beira de. Ex. à procura. Ex. Ex. Ex. Verbos no início da oração. à proporção que. e) Pronomes relativos. Ex. *Locuções Verbais e Tempos Compostos 1. Ex. A mulher sempre estava à frente das decisões. Ex. o uso da crase é obrigatório. * Colocação Pronominal *A Próclise (pronome oblíquo átono antes do verbo) 1.: Alunos. à noite.Gramática Ele estava lá desde as dez horas. Ex. 2. Contratar-se-ão todos os profissionais habilitados. Ex. Vendo à vista. À medida que corríamos. 3.: Nunca o esqueceremos. Ele ficou lá até as dez horas.: Mostre suas fotos a/à Helena. prepositivas e conjuntivas(à terde. Prof.: O gato se lambia / lambia-se. Ex.) 3.: Eles foram correndo até a/à sala de aula. Obs. à medida que. (Dada a notícia a eles.: Já era muito tarde quando nos atenderam. a) Frases negativas.2007 .. d) Pronomes interrogativos. nosso fôlego ia acabando. fizeram justiça.: Ênclise proibida 1.. 4. Ele trabalha das treze às dezoito horas. Ele chegou a uma hora qualquer. Verbos no futuro do indicativo.

vi.: Ela tem a voz rouca. portanto.Gramática Ex. Não se usa a vírgula para separar as orações adjetivas restritivas. Ex. *ESTUDO DOS SINAIS DE PONTUAÇÃO *Ordem direta: Sujeito-verbo-complemento-ADV *Pecados capitais: 1 . Ex. Saí embora estivesse chovendo.separar nome de ADN. aliás. contudo. naquela fazenda. Ex. Quando a conjunção e é repetida.: Paulo estudou. 172 7.: E vim. As vírgulas são facultativas o adjunto adverbial é de pequena extensão.: A população. Usa-se a vírgula para separar as orações coordenadas sindéticas. deve ser sempre precedida de vírgula (polissíndeto). de Manaus.: Os homens. e Maria viajou.: O pai lhe devia dar apoio. 6.: Brasília. Não se usa a vírgula para separar a oração principal e a subordinada substantiva.: Ontem à tarde. saí. foi. que é a capital federal. está crescendo. quando estudava.: Aqui. Usa-se a vírgula separar as orações subordinadas adverbiais( desenvolvidas ou reduzidas). Ex. quando antepostas à principal.: Havendo palavra atrativa Pronome antes do auxiliar. rouca. Ex. capital federal. 12.: O aluno estudou. 5. 18.separar nome de CN.: Paulo. 11. porém. Ex. logo. ou seja. preciso falar contigo. O pai devia-lhe dar apoio. Ex. Usa-se a vírgula para separar as orações intercaladas. vi-o ontem.separar nome de aposto especificativo. 9. e minha irmã. de Manaus.: O aluno. O aposto é separado do termo a que se refere por vírgula ou por dois. 15. Ex. Usa-se a vírgula para isolar as expressões explicativas ou corretivas. como por exemplo. Usa-se a vírgula para separar as orações coordenadas assindéticas. Ex. Ex. que iria ao cinema.: Viajarei hoje. e venci. Ex. O vocativo deve ser sempre separado por vírgula.: A cidade. venci. Ex. 10. Obs.: Os diretores nunca nos tinham prestigiado.separar sujeito de predicado. Ex. descobrem a escrita. 13. amanhã. 17. Ex. à saúde. ao teatro. 8. Ex.: Paulo estudou. Ex. 19.: Fui ao cinema. é hospitaleira.: Havendo palavra atrativa Pronome antes ou depois da locução. Aqui aluga-se carro. 2. Ex. foi planejada. Ex. Ex. 3 . e vi. usa-se a vírgula. foi planejada. exceto as iniciadas pela conjunção e. Ex. fizemos a pesquisa. qualquer que seja a sua posição. Usa-se a vírgula entre palavras repetidas. entretanto. Ex. não sei. exceto o especificativo. O pai havia-o elogiado. embora estivesse chovendo. reprovado. 4.: O aluno que chegou é educado. Ex. O pai devia dar-lhe apoio. mas foi reprovado. e Ex. Usa-se a vírgula para separar certas conjunções deslocadas. Ex. rouca. O pai devia lhe dar apoio. Edson Volume Único .: Fumar causa. 4 . Usa-se a vírgula indicar a zeugma (supressão de um termo expresso anteriormente). como: pois. 6 .: Paulo disse. Se tivermos um termo pleonástico. Ex. 5 .: Havia homens. 2 .2007 . *Regras 1.: Vim. ou melhor. todavia. desde que esta não seja apositiva nem apareça na ordem inversa. Prof.: Saí.: Se ela virá. ou melhor. impotência sexual. A vírgula será facultativa quando a oração subordinada aparecer após a principal. 16.: Fumar é prejudicial. 14. Obs. aluga-se carro.pontos. Usa-se a vírgula para separar adjuntos adverbiais antepostos ou intercalados.separar verbo de complemento. 3. Ex. introduzindo várias orações de uma seqüência. Usa-se a vírgula para separar as orações coordenadas sindéticas introduzidas pela conjunção “e” quando têm sujeitos diferentes.separar ADV na ordem direta. Ex.: A equipe nao lhe quis fazer justiça.: O pai o havia elogiado. Usa-se a vírgula para separar as orações adjetivas explicativas. A equipe nao quis fazer-lhe justiça 2. Verbo(s) auxiliar(es) + principal no particípio: proclítico ou enclítico ao auxiliar. porém. tais como: isto é. Ex.: Brasília.: Embora estivesse chovendo.

quando o homem fala. apanágio do ser humano. para a expressão do seu pensamento. É a escolha pessoal que o indivíduo faz dos signos da língua. normalmente. etc. Edson Vemos abaixo os componentes do processo de comunicação e a relação entre eles. individual. assim. Na comunicação oral ou escrita. (Fernando Sabino) Volume Único . que obedece à situação de momento que o falante está vivendo. o uso individual da língua. Ex.:Doente. quando emite gestos. O aluno. constitui a língua. as funções da linguagem podem ser resumidas assim: 5. quando escreve. Quando essa faculdade passa a pertencer a um determinado povo. muito caro. Aos lingüistas interessam apenas a linguagem falada e a linguagem escrita. ESTILÍSTICA Discurso ou fala . Prof. Tipos de discurso São três os tipos de discurso: 1) DISCURSO DIRETO É a personagem falando. quando ela for fragmentada. O discurso é. com o seu complexo sistema de sons e sinais. custa.: A gasolina é indispensável. A língua é. a contrariedade se anunciou: –– A sua passagem já está paga . experiências. O discurso é a parte máxima da linguagem. Pode ser diacrônica (estuda os fatos de uma língua em épocas diferentes) e sincrônica (estuda os fatos de uma língua em determinada época). mas.2007 173 . chegou. usa a linguagem mímica.Gramática 20. a palavra se decompõe em sílabas e a sílaba se decompõe em fonemas.Língua e discurso O discurso ou fala é a utilização da língua pelo falante a seu modo. Foi o lingüista suíço Louis Ferdinand de Saussure o responsável pela dicotomia língua/discurso ou fala (em francês. utiliza sinais (usa a linguagem escrita). a oração se decompõe em palavras. o período se decompõe em orações. a linguagem articulada. ao saltar. Assim. Lingüística é a ciência da linguagem. –– Paga por quem? –– Esse cavalheiro aí. enfim. A língua é. com todas as suas implicações de criatividade e liberdade. um dos elementos é mais enfatizado que outros.disse o motorista. em suma. doente. segundo suas possibilidades. Usa-se a vírgula para isolar o predicativo do sujeito que aparece anteposto ao verbo. já que se trata de uma sistematização de elementos vocais representativos. o aluno chegou. “la parole” é a sua expressão particular. o discurso é uma realização pessoal. A linguagem envolve sons e sinais de que pode servirse o homem para transmitir suas idéias. lingüística Linguagem é a faculdade que possui o homem de poder expressar seus pensamentos. um organismo. sensações. Usa-se ponto e vírgula na base de uma oração. Linguagem e língua: funções da linguagem. desta forma. de que o fonema é a parte mínima. Enquanto “la langue” constitui um sistema. Funções da linguagem Em síntese. Ex: A moça ia no ônibus muito contente da vida. porém. uma conseqüência da evolução da linguagem. Ex. etc. Preferimos a denominação discurso à denominação fala. A função principal da linguagem é a comunicação. porque nos permite entender tanto a modalidade realizada oralmente (fala) quanto a realizada graficamente (escrita). “langue/parole”). a saber: o discurso se decompõem em períodos. emite sons (usa a linguagem falada). um instrumento. 21. A língua é um instrumento social à disposição do indivíduo falante. É. a concretização da linguagem falada.

conosco → Eles. → O professor disse que esperava que ele fizesse o exercício. ela. o.é o erro de pronúncia. aquelas. demonstrativos e verbos da primeira pessoa passam para a terceira pessoa: Eu. de concordância. ordenar. Ex: — O que faremos aqui? → Eles perguntaram o que fariam ali. com grande simpatia. os. ou seja. se. 3. podemos sistematizá-los em dez tipos diferentes. perguntou-me: –– O que você deseja? Respondi-lhe prontamente: –– Desejo um lugar na expedição. ar um tanto cansado. doispontos. grafia ou forma de palavras: rúbrica em vez de rubrica excessão em vez de exceção abóboda em vez de abóbada cidadões em vez de cidadãos São barbarismos também a troca de parônimos (iminente por eminente. aqueles. Ex: — O que fiz? → Ele perguntou o que fizera. com grande simpatia. (O. lhes. geralmente vírgula. → O professor pediu que ele o avisasse quando fizesse o exercício. ar um tanto cansado. comigo → Ele. por parte do narrador. possessivos. em frente de sua mesa de trabalho. nosso.Gramática Além da fala visível da personagem. Ex: O doutor Fábio. Vícios de linguagem Vício de linguagem é qualquer infração às normas vigentes do idioma que falamos.. etc. em vez de Faltaram recursos. Solecismo . Na falta do verbo dicendi. sua. o verbo dicendi vem seguido de uma oração substantiva. No exemplo visto. esta. respectivamente. isto é. — Avise-me quando fizer o exercício. as. Respondi-lhe prontamente que desejava um lugar na expedição. lhe. b) Os advérbios aqui e cá passam a ali e lá.). foi usado depois do enunciado: –– A sua passagem já está paga . perguntou-me o que eu desejava. aquilo — O que faremos? → Eles perguntaram o que fariam. cúmplices. em frente de sua mesa de trabalho. Para efeito didático. Note: o pensamento da personagem se confunde com a própria linguagem do narrador: Não se usa verbo dicendi nem conectivos. flagrante por fragrante. a. embora sejam possíveis outros tipos de infração: 1.é o erro de sintaxe. Trata-se de um tipo de discurso que aproxima o narrador da personagem. si. pedir. consigo Nós. o presente e o futuro do subjuntivo passam ao imperfeito do subjuntivo. etc. Seus olhares. esse mesmo texto se veria desta forma: O doutor Fábio. Esta fita é para mim ver. No discurso direto. de qualquer verbo que denote o ato de falar: afirmar.é o erro de usar palavras ou expressões que já caíram em desuso: boticário em vez de farmacêutico Prof. consigo Meu. — O que faremos agora? → Eles perguntaram o que fariam naquela ocasião. d) O pretérito perfeito do indicativo passa ao mais-queperfeito desse mesmo modo.disse o motorista. me. em vez de Esta fita é para eu ver. Arcaísmo . Ex: — O que fazemos? → Eles perguntaram o que faziam. mas não quero precipitar-me. perguntar. seus. Barbarismo . iniciada pelo conectivo que ou se. 3) DISCURSO INDIRETO LIVRE OU SEMI-INDIRETO É um narrador reproduzindo o pensamento da personagem. — Espero que faça o exercício. Transposições Na transposição do discurso direto para o indireto se observam algumas modificações na linguagem: a) Os pronomes pessoais. 2) DISCURSO INDIRETO É o narrador falando pela personagem. aspas ou mudança de linha. suas 174 Este. Ex: Um dia acabou encontrando-se com ela numa rua escura e semideserta. mim. o emprego de estrangeirismos desnecessários (menu em vez de cardápio. c) O presente do indicativo passa ao imperfeito desse mesmo modo.2007 . nos. etc. em vez de Houve muitos. isto → Aquele. B. assim como agora passa a naquela ocasião e hoje a naquele dia. indagar. regência ou colocação: Houveram muitos problemas. se. elas. mandar. Mott) No discurso indireto. nossa → Seu. Edson Volume Único ..) ou expressões viciadas por outros idiomas (todos os dois em vez de ambos os dois: influência do francês). o verbo dicendi. 2. Chegou a hora de espantar incertezas. No exemplo visto. responder. Ex: — Faça o exercício! → O professor mandou que ele fizesse o exercício. si. travessão. de um verbo dicendi. o discurso direto se caracteriza pelo uso. exclamar. e) O futuro do presente passa ao futuro do pretérito. minha. f) O imperativo. se cruzam. aquela. o narrador usou o dois-pontos (anunciou:) e o travessão (–– A sua passagem). Ex: — O que farei? → Ele perguntou o que faria. dizer. Faltou recursos. o narrador utiliza um recurso de pontuação. Não.

O Pão de Açúcar é um negócio. apenas um copo e uma cebola murcha. usada por ausência de um termo apropriado para determinadas coisas. Observação: Há a gíria bem empregada e oportuna. Eco . e) Polissíndeto: repetição expressiva da conjunção coordenativa. (Garrett) • De pessoa: Os brasileiros choramos a derrota da seleção. Ele fez a orelha do livro. O rato roeu a roupa da rainha. Metonímia: substituição de um termo por outro com o qual mantém uma relação de proximidade. É um contentamento descontente É dor que desatina sem doer”. Sinestesia: aproximação na mesma expressão de sensações percebidas por diferentes órgãos dos sentidos. (Bandeira) f) Anáfora: repetição de uma mesma palavra ou construção no início de várias orações. Plebeísmo .é a seqüência das mesmas consoantes numa frase: Eram comunidades camponesas com cultivos coletivos. 9. Neste momento tenho um sentimento de contentamento. Ex: O pais da aviação (Dumont)/O salvador (Cristo)/ O poeta dos escravos (Castro Alves) 2. da sujetividade de quem cria a metáfora. Figuras de palavras: a) Comparação metafórica ou símile: comparação simples entre dois elementos de universos diferentes. Senti saudades amargas. dormiu. “Amor é fogo que arde sem se ver. Desceu para baixo.. Venceu o Brasil a Holanda. b) Metáfora: um termo substitui outro em vista de uma relação de semelhança entre os elementos que esses termos designam. Figuras de construção: a) Silepse: concordância com um termo subentendido. feito ou fato que a distingue das demais. despiu-se. Ex: Uma melodia azul tomou conta da sala. número ou pessoa: • De gênero: São Paulo é movimentada. corriqueira. Antonomásia ou Perífrase: Designação de uma pessoa não pelo nome. que pode produzir palavra ridícula e até obscena: Você viu a boca dela? Meu coração por ti gela. (é inteligente) Do continente pelo conteúdo: Ela come vários pacotes de bolacha. Ex: Ele é forte como um touro.. que não constitui vício. Pode consistir no emprego: Da causa pelo efeito: Sou alérgico a cigarro. Essa semelhança é Prof. • De número: “Esta gente está furiosa e com medo... Pode ser de gênero.) Do concreto pelo abstrato: Ele tem cabeça. Hiato é a seqüência acumulada de vogais produzindo som desagrável: “Vai o aio à aula”. Teve uma hemorragia de sangue. Pleonasmo vicioso . Edson c) d) e) • • • • • • • f) resultado da imaginação. Ex: Ela chegou. (Carlos Pereira) Já há alguns anos. e as lavadeiras da redondeza”. capazes de tudo”. e as crianças das burguesinhas ricas e as mulheres do povo. Ex: Quero uma namorada.. c) Zeugma: omissão de um termo que já foi expresso.é a repetição de palavras e expressões sem que haja necessidade nem intenção expressiva: Subiu para cima. b) Elipse: omissão facilmente subentendida de um termo ou de uma oração inteira. mas por uma qualidade..é o uso inadequado de palavras ou expressões triviais ou de gíria: O Corcovado é um troço. Ex: Você é minha flor. nada original. uma que me ame de verdade. Do nome do lugar pela coisa nele produzida: Jô só fuma Havana. Ex: Sob a mesa. característica. Colisão . 6. 7.é o uso na frase de palavras que rimam sem intenção expressiva: O superior dava valor ao seu inferior. 5. Do nome do autor pela obra: Gosto de ouvir Djavan. trancou-se. É ferida que dói e não se sente. Ambigüidade é a construção malfeita.. Ex: O poema está no pé da página. d) Assíndeto: omissão de conectivo. Ex: “Vãochegando as burguesinhas pobres. períodos ou versos. Andava com os pés cautelosamente. Entrou para dentro. Ganho dez mil cruzeiros por cada serviço. Catacrese: é uma metáfora desgastada. Saiu para fora... (à fumaça) Do efeito pela causa: Ela ganha a vida com o suor. por conseguinte. que permite duas ou mais interpretações: O policial deteve o ladrão em sua casa. Cacófato é o mau som produzido na junção de palavras. (trabalho) Do abstrato pelo concreto: O amor vê defeitos (quem ama vê. (Camões) 175 Volume Único .. FIGURAS DE LINGUAGEM 1. Sou eu ou ainda é o outro? 8.Gramática arreio em vez de enfeite Vossa Mercê em vez de você 4. 10.2007 .

f) Gradação: Era algo que me perturbava. Formas claras” (Cruz e Sousa) c) Paranomásia: emprego de palavras parônimas. 3. mas não idênticas. i) Anacoluto: ocorre quando um termo fica deslocado. g) Prosopopéia: O vento beija meus cabelos. (E agora. e) Hipérbole: Fazia um século que ele não me ligava. pelo menos ela descansou.. Figuras de som a) Aliteração: provocada pela incidência reiterada de algumas consoantes ou fonemas consonantais. ouve aquele tempo!) d) Onomatopéias: “E o sino da igrejinha com voz fina de menina tem dlins-dlins/ para o batismo dos pimpolhos” (Jorge de Lima) Volume Único .Gramática g) Pleonasmo: repetição com fim enfático. Ex: “Ó Formas alvas. Senhor. desligado sintaticamente da oração.. Edson . c) Ironia: Você é sutil como um elefante. d) Eufemismo: Foi bom. Figuras de pensamento: a) Antítese: consiste em opor a uma idéia outra de sentido contrário. h) Hipérbato ou inversão: inversão da ordem natural e direta dos termos da oração. “Não existiria som se não/ Houvesse o silêncio/ Não haveria luz se não/ Fosse a escuridão/ A vida é mesmo assim/ Dia e noite. quanto de teu sal são lágrimas de Portugal. que a chuva chora. uma vez que raramente o interlocutor está presente e muitas vezes ele é um ser abstrato ou um ser que não terá condições de ouvir nossa interpelação. É utilizada para dar ênfase à expressão. Ex: “Ó mar salgado. me seduzia. (Lulu) b) Paradoxo: reunião de idéiascontrárias na mesma unidade da frase.2007 176 Prof. (Cruz e Sousa) b) Assonância: repetição de vogais e de sílabas semelhantes. me envolvia. Ex: Ela é bonita e feia. Ex: Passarinhos. Ex: Eis-me aqui. me invadia. brancas. não se pode confiar nelas. Ex: “Brancas Bacantes Bêbadas o Beijam”. envia-me a mim. h) Apóstrofe: ocorre quando nos referimos a uma pessoa ou coisa que pode ser real ou imaginária. Ex: “Houve aquele tempo. não e sim”. Ex: Essas empregadas de hoje. (Pessoa) 4. desisti de ter.

b) foto da porta semi-aberta com o mesmo homem espreitando o interior de um aposento. por meio dessas atividades. Quando esses sinais se organizam formando um sistema. Para citar o exemplo da fotografia. para isso. pode-se pensar que o texto não-verbal seja uma cópia fiel da realidade. Também essa impressão não é verdadeira. cada signo e cada som são usados num momento distinto do outro. pois representa uma realidade singular e concreta. Tais sinais admitem a seguinte classificação: a) Verbais. que cria um efeito de verdade. ao passo que nas outras exploram-se outros signos. Mas podemos organizar uma seqüência de fotos em progressão narrativa. utilizam-se de signos. ao cinema ou a televisão. Semelhanças e Diferenças Uma diferença muito nítida vai encontrar no fato de que a linguagem verbal é linear. por um processo analítico. etc. mesa. eles passam a constituir uma linguagem. há outras formas de linguagem. por exemplo. configura-se a narração e não a descrição. Observe: Incêndio destruiu o Edifício Z. os sons musicais. o ângulo. Se na linguagem verbal. várias figuras ocorrem simultaneamente. a escultura clássica) ou não-figurativos e abstratos. Os textos verbais podem ser figurativos (aqueles que reproduzem elementos concretos. ao contrário. a mímica.como as formas. de acordo com certas leis. comunica-se e influencia os outros. é impossível conceber uma palavra encavalada em outra. na primeira. Quando se fala em texto ou linguagem. em latim). o mesmo rosto. Essa característica pode ser observada em qualquer tipo de enunciado lingüístico. c) foto de uma mulher deitada na cama. os gestos. o homem também representa o mundo. Como nessa seqüência se relata uma transformação de estados que se sucedem progressivamente. os signos são constituídos dos sons da língua (por exemplo. Prof. mas se sucedem destacadamente um depois do outro no tempo da fala ou no espaço da linha escrita. Nele. Edson 177 Volume Único . b) Linguagem Verbal ??Código que utiliza a palavra falada ou escrita. na pintura. a música e outras mais. Quando contemplamos um quadro. um ovo pode virar uma esfera. num ponto estático do tempo. Esses recursos podem utilizar sinais de diferente natureza. produzindo um efeito de realidade) e não-figurativos (aqueles que exploram temas abstratos). Em outras palavras. Sobretudo com relação a fotografia. com a mão na maçaneta de uma porta é descritiva. Na linguagem não-verbal. depois. vários signos podem ocorrer simultaneamente.Interpretação de Texto Interpretação de texto PRÁTICA TEXTUAL Introdução: A Linguagem e os processos de Comunicação. os signos são combinados entre si. a dança. Linguagem: O homem dispõe de vários recursos para se expressar e se comunicar. Neste Para expressar o mesmo fato. um rosto iluminado pode passar a impressão de alegria. O texto não-verbal pode em princípio. árvore). normalmente se pensa em texto e linguagem verbais. fotonovelas. cinema etc. a cor. pois capta um estado isolado e não uma transformação de estado. de um homem de capa preta e chapéu. Mesmo o texto não-verbal. assim: a) foto de um homem com a mão na maçaneta da porta. há uma simulação de realidade. b) Não-Verbais. Também os textos nãoverbais podem ser dominantemente figurativos (as fotos. gritando com desespero. ser considerado dominantemente descritivo. como a pintura. por exemplo. A estatura do indivíduo pode ser alterada pelo ângulo de tomada da câmera. captamos de maneira imediata a totalidade de seus elementos e. por exemplo. Isto quer dizer que seus signos e os sons que a constituem não se superpõem. Em todos os tipos de linguagem. Uma foto. podemos ir decompondo essa totalidade. naquela capacidade humana ligada ao pensamento que se concretiza numa determinada língua e se manifesta por palavras (verbum. exprime seu pensamento. além dessa. Essa disposição de imagens em progressão constitui recurso básico das histórias em quadrinhos. obedecendo a mecanismos de organização.2007 . Linguagem é todo sistema organizado de sinais que serve como meio de comunicação entre os indivíduos. típica da narrativa. Com efeito. Tanto a linguagem verbal quanto à linguagem não-verbal expressam sentidos e. Mas. o enquadramento. ou seja. pode dar impressão de tristeza. recria e transforma a realidade segundo a concepção de quem o produz. fada. o fotógrafo dispõe de muitos expedientes para alterar a realidade: o jogo de luz. etc. sombrio. com a diferença de que. foram utilizadas duas linguagens diferentes: a) Linguagem Não-Verbal ??Qualquer código que não utiliza palavra.

por e-mails. são poucos os signos e comum. 2º Caso: A comunicação é restrita. pode ser um indivíduo ou um grupo (firma. Ele pode ser definido. trepidações. uma administração. pela escrita. a inteligibilidade dos signos não é total: certos elementos da mensagem proveniente de E não serão compreendidos por R. mas ela será longa e incerta. pelos meios técnicos aos quais o destinador tem acesso. etc.. a comunicação só se realiza efetivamente se a recepção da mensagem tiver uma incidência observável sobre o comportamento do destinatário (o que não significa necessariamente que a mensagem tenha sido compreendida: é preciso distinguir cuidadosamente recepção de compreensão). 178 R 1º Caso: A comunicação não se realizou. Conversa (?) entre um brasileiro e um alemão. e-mails.. mas não compreendida: o emissor e o receptor não possuem nenhum signo em comum. uma ou várias informações dirigidas a um destinatário. Exemplos: mensagem cifrada recebida por um receptor que ignora o código utilizado. um perfume só constituem mensagens se veicularem. mensagens radiofônicas ou televisionadas. indicados no esquema abaixo: _ _ _ as mensagens tácteis: pressões. ela é constituída pelo conteúdo das informações transmitidas. internet.Interpretação de Texto caso. as mensagens gustativas: tempero quente (apimentado) ou não.. organismo de difusão. e) O código é um conjunto de signos e regras de combinação destes signos. d) O canal de comunicação é a via de circulação das mensagens. cartazes. etc. O esquema da comunicação Existem vários tipos de comunicação: as pessoas podem comunicar-se pelo código Morse. um grupo. luz e sombra. o destinador lança mão dele para elaborar sua mensagem (esta é a operação de codificação). músicas. Toda comunicação tem por objetivo a transmissão de uma mensagem. neste caso. Observação: um choque. Edson . percepção da retina. Exemplos: Conversa entre um inglês eu um estudante brasileiro de 1º grau que estuda inglês há um ano. pode ser um indivíduo.2 Comunicação – Os processos da comunicação. poderá haver uma operação de decodificação. esculturas modernas com seus jogos de formas e volumes).. por gestos. e se constitui por um certo número de elementos. 1.. etc. Teoria da comunicação. sons diversas.2007 3º Caso: A comunicação é mais ampla. por exemplo. a fim de assegurar o encaminhamento de sua mensagem para o destinatário: Meios sonoros: voz. Em todos estes casos. um aperto de mão. em que um não fala a língua do outro. c) A mensagem é o objeto da comunicação. ouvido.) b) O receptor ou destinatário é o que recebe a mensagem. Prof. etc. a mensagem é recebida. ou mesmo um animal ou uma máquina (computador). uma empresa. choques..O destinatário identificará este sistema de signos (operação de decodificação) se seu repertório for comum ao do emissor for comum ao do emissor. até mesmo um Estado podem comunicar-se com seus membros por intermédio de circulares. pode-se empreender uma primeira classificação das mensagens: as mensagens sonoras: palavras.. de maneira geral. De acordo com o canal de comunicação utilizado. as mensagens olfativas: perfumes. Meios visuais: excitação luminosa. ondas sonoras. mas também um contato psicológico: pronunciar uma frase com voz alta e inteligível não é suficiente para que um destinatário desatento a receba. pelo telefone. por vontade do destinador. A transmissão bem-sucedida de uma mensagem requer não só um canal físico. Volume Único . Este processo pode se realizar de várias maneiras (representaremos por dois círculos os repertórios de signos do emissor e do receptor): E Os elementos da comunicação a) O emissor ou destinador é o que emite a mensagem. entretanto. não pretendem sumular elementos do mundo real (pintura abstrata com oposições de cores.

por que não? _Aí. galera. f) O referente é constituído pelo contexto. surpreendido pela reversão inesperada do fluxo da ação.à sua situação no momento da produção (da escrita) do romance. pela situação e pelos objetos reais aos quais a mensagem remete. Finalmente. definidos no seu próprio interior.2007 . num bate-papo com os amigos. valendo-nos na desestruturação momentânea do sistema oposto. aqui presentes ou no recesso de seus lares. _Minha saudação aos aficionados do clube e aos demais esportistas. aparelho de televisão. um cartaz numa parede difundem mensagens sem receber resposta. Galera Tipos de comunicação Comunicação unilateral: é estabelecida de um emissor para um receptor. Há dois tipos de referentes: Referente situacional: constituído pelos elementos da situação do emissor e do receptor e pelas circunstâncias de transmissão da mensagem. sua mensagem remete a uma situação espacial. _Ahm? 179 Volume Único . É o que acontece durante uma conversa. Edson “Jogadores de futebol podem ser vítimas de estereotipação. recuperado o esférico. comentando sobre nossas recentes férias na praia. dois brasileiros não possuem necessariamente a mesma riqueza de vocabulário. _Quais são as instruções do técnico? _Nosso treinador vaticinou que. por exemplo. com energia otimizada. com um trabalho de contenção coordenada. Por exemplo. temporal e a objetos reais. no entanto. um professor. Níveis de Linguagem Texto: Aí. um Prof.Interpretação de Texto Exemplos: um curso de Mestrado a alunos não preparados para recebe-lo. não remetemos. ERERE RERER 2. pois o destinador (o romancista) não faz alusão salvo raras exceções . Assim. sem reciprocidade. Referente textual: constituído pelos elementos do contexto lingüístico. deve ser observado que certos tipos de comunicação podem recorrer simultaneamente à utilização de vários canais de comunicação e de vários códigos (exemplo: o cinema). nem a do destinatário (seu futuro leitor). Da mesma forma. nem o mesmo domínio sintaxe. você pode imaginar um jogador de futebol dizendo ‘estereotipação’? E. com a palavra”praia” ou com a palavra “areia”. R R R Comunicação bilateral se estabelece quando o emissor e o receptor alternam seus papéis. campeão. _Como é? _Aí. aumentam as probabilidades de. concatenarmos um contragolpe agudo. Por exemplo. em que há intercâmbio de mensagens.) Não basta. que o código seja comum para que se realize uma comunicação perfeita. todos os referentes são textuais. um professor durante uma aula expositiva. Uma palavrinha pra galera. no entanto. Os elementos de sua mensagem remetem a outros elementos do romance. na zona de preparação. E R 4º Caso: A comunicação é perfeita: todos os signos emitidos por E são compreendidos por R (o inverso não é verdadeiro. com parcimônia de meios e extrema objetividade. as realidades presentes no momento da comunicação. Assim é que quando uma professora dá a seguinte ordem à seus alunos: “coloquem o lápis sobre a carteira”. um bate-papo. mas estamos considerando um caso de uma comunicação unidirecional: ver mais abaixo. num romance.

Prof. do contexto. Caracteriza-se pela seleção e combinação das palavras. apresentava um conceito clássico de gramática: “a arte de falar e escrever corretamente”. podemos distinguir o padrão coloquial do padrão formal culto. num único longo período) fogem da situação a que a fala está relacionada. tanto que. Qualquer que fosse o interlocutor.2007 . para quem e para que se estava falando. sempre tendo em conta o contexto e o interlocutor. ou seja. etc. galera). a estrutura sintática e a frase extensa (releia. o assunto. _Um jogador que confunde o entrevistador. Você quis dizer mais alguma coisa? _Posso dirigir uma mensagem de caráter sentimental. um. entende-se que o uso que cada indivíduo faz da língua depende de várias circunstâncias: do que vai ser falado e de que forma. algo banal. talvez mesmo previsível e piegas. podemos reconhecer em uma mesma comunidade que utiliza um único código – a língua portuguesa. Em outras palavras: só falava e escrevia bem quem seguisse o padrão imposto pela gramática normativa. era o padrão formal culto que deveria ser seguido. a intenção do falante. mamãe!” Mamãe sabota a estereotipação? Assim. Função metalingüística. Funções da Linguagem As funções da linguagem são seis: a) b) c) d) e) f) Função referencial ou denotativa. Função Fática. a terceira resposta do jogador. genéticas? _Pode. _Certo. o chamado nível ou padrão formal culto. ante a 180 De maneira geral. mais adequado àquela situação: “_Uma saudação para a minha progenitora. uma entrevista dada ainda no campo de jogo durante um programa esportivo. Padrão Coloquial – faz referência à utilização da linguagem em contextos informais. a combinação das palavras. E o mais curioso é que o jogador tem nítida consciência de qual é a função da linguagem e de qual é o seu papel como falante. do nível social e cultural de quem fala e de para quem se está falando. a uma pessoa à qual sou ligado por razões. pela adequação a um conjunto de normas.. _Como é? _Alô. por exemplo – vários níveis e formas de expressão. por exemplo.Interpretação de Texto _É pra dividir no meio e ir pra cima pra pega eles sem calça. a pontuação. Edson Volume Único .. Quem fugisse desse padrão incorria em erro. períodos e parágrafos. Isso significa que a linguagem do texto deve ser adequada à situação. Padrão Formal Culto – é a modalidade de linguagem que deve ser utilizada em situações que exigem maior formalidade . em linguagem coloquial: “_Alô. _Uma saudação para a minha progenitora. Esse padrão mais informal também é encontrado em propagandas. inclusive. Função emotiva ou expressiva. surpresa do entrevistador. entre elas. Reflexo do momento histórico . Função conativa ou apelativa.” Luis Fernando Veríssimo. não importando o que. Função poética. Voltemos ao texto acima (Aí. As falas do jogador de futebol são inadequadas ao contexto: a seleção vocabular. a concordância. 3. que permitem maior liberdade de expressão. as relações entre termos. Padrão Formal Culto e Padrão Coloquial A primeira gramática da língua portuguesa foi publicada em Portugal. passa do padrão formal culto para o padrão coloquial. orações. mamãe! _Estou vendo que você é um. íntimos e familiares. a regência. pois não corresponde à expectativa de que o atleta seja um ser algo primitivo com dificuldade de expressão e assim sabota a estereotipação? _Estereoquê? _Um chato? _Isso. Hoje. ao interlocutor e a intencionalidade do falante.” Tradução.a Europa vivia o auge do movimento renascentista -. no ano de 1536. a organização das orações e dos períodos. programas de televisão ou de rádio. a situação. o emprego correto das palavras quanto ao significado.

São Paulo. In: Morangos mofados. a mulher há séculos. 93 Texto E Mulher. 1982 Texto B Uma morena Não ofereço perigo algum: sou quieta como folha de outono esquecida entre as páginas de um livro. Aurélio Buarque de H. raramente admito um cálice de vinho branco. se porventura a fizesse. me esfarelo em poeira dourada. você está entendendo. dentro dos dias! Teus sentimentos. através de uma operação cesariana. quase imperceptível me movo. eu quero a mulher que passa. ABREU. Texto C _ Você acha justo que se comemore o Dia Internacional da mulher? _ Nada mais justo! Afinal de contas.. p. Muliere. Seu dorso frio é um campo de lírios Tem sete cores nos seus cabelos Sete esperanças na boca fresca! Oh! Como és linda. B – Função emotiva ou expressiva No texto B. a finalidade é apenas informar o receptor sobre um fato ocorrido. não admitindo mais de uma interpretação.A mulher que passa. são poesia. [Aum. descrevem-se as sensações da mulher. Função referencial ou denotativa é aquela que traduz objetivamente a realidade exterior ao emissor. minhas palavras são magrinhos como eu. 1982. Não dispense X: ele a tornará tão bela quanto à estrelas de cinema. mesmo assim insisto: meus gestos. mãos tão leves que uma carícia minha. Prof. de acordo com o objetivo do emissor. No início. 2. O que provoca essa diversificação é o objetivo de cada emissor. após ter permanecido no Hospital Base de Brasília desde o dia 16 de março. Esposa. Teus sofrimentos. melancolia. In:____. mas que seja seco para não esbrasear em excesso minha garganta em ardores. Teus belos braços são cisnes mansos Longe das vozes da ventania. use o sabonete X.] S. mulheraça. No entanto. o tema é um só: mulher. ed. sabe. Vinícius de. Texto F A mulher que passa Meu Deus. que faz uma descrição subjetiva de si mesmo. impressentida. que organiza sua mensagem utilizando uma fala específica. Pessoa do sexo feminino após a puberdade. se tocada por dedos bruscos. da tribo Caiabi. vai ter alta depois de amanhã. [Do lat. 1960. dos muitos toques. e tão morenos. ainda hoje a situação da mulher continua desfavorável em relação à do homem. que esboçados a sombra. Fotografias. seria mais branda que a brisa da tardezinha. Rio de Janeiro.. Ed. vem sendo vítima de exploração e discriminação. 1975.] 2. Todos os textos lidos. Portanto. Jornal da Tarde. Antologia poética.Interpretação de Texto Leia os textos a seguir: Texto A A índia Everon. A – Função Referencial ou denotativa No texto A. a maneira de cada autor varia. Tenho pensado se não guardarei indisfarçáveis remendos das muitas quedas. sou definida e clara como o jarro com a bacia de ágata no canto do quarto – se tomada com cuidado. Nova Fronteira. Brasiliense. Caio Fernando. meus passos são inaudíveis feito pisasse sempre sobre tapetes.: mulherão. Edson 181 Volume Único .90. mal se destacam do escuro. A linguagem é objetiva. nas conquistas femininas. Do autor. Teus pêlos leves são relva boa Fresca e macia. Quando isso acontece. ed. os índios da tribo foram contrários à idéia de Everon ir para o hospital mas hoje já aceitam o fato e muitos já foram visitá-la. eu quero a mulher que passa! MORAIS. Rio de Janeiro. 4. concorda? Já houve alguns avanços. Meu Deus. p. embora sempre os tenha evitado aprendi que minhas delicadezas nem sempre são suficientes para despertar a suavidade alheia. predomina a função referencial ou denotativa da linguagem. verto água limpa sobre as mãos para que se possa refrescar o rosto mas. que deu a luz a três meninas. num segundo me estilhaço em cacos. alem do chá. cada mensagem tem uma função predominante. Uiara e Potiara. FERREIRA. certo. mulherona. 1. Novo dicionário da língua portuguesa. entende? Texto D Mulher. Everon não falava uma palavra de Português até ser internada e as meninas serão chamadas de Luana. f. 13 jul. Para beber. mulher que passas Que me sacia e suplicias Dentro das noites.2007 . Você percebeu? Apesar disso.

os textos têm função e cada esfera de utilização de língua. predomina a função metalingüística da linguagem. ao elabora-la. E – Função metalingüística O texto E. O que é falado. se repetem tanto no assunto. ata de reunião. texto Literário: expressa a opinião pessoal do autor que também é transmitida através de figuras. temos um ou outro entendimento. também chamada de função expressiva. notícia jornalística. Uma função sempre predomina num texto. ou notícia jornalística. na forma. caracteriza a função poética da linguagem Função poética é aquela que enfatiza a elaboração da mensagem. saberá como iniciar a carta. predomina a função emotiva da linguagem. ou poesia. C – Função Fática No texto C. se tiver de ditar uma carta para que o outro escreva. as instruções de uso de um produto qualquer. Volume Único . Messe caso . impregnado de subjetivismo. em determinado momento.. Como as situações de comunicação em nossa vida social são inúmeras. ou bula de remédio. carta comercial. poesia. Da mesma forma. Função conativa ou apelativa é aquela que tem por objetivo influir no comportamento do receptor. Edson . em que uma professora aposentada vive de escrever cartas ditadas por pessoas não alfabetizadas. mas nunca é exclusiva. porque todos nós temos um modelo de carta na mente. inúmeros são os gêneros textuais: bilhete. uma poesia. D – Função conativa ou apelativa A mensagem do primeiro texto contém um apelo que procura influir no comportamento do receptor. saberá o que precisa ser dito e como deve ser dito. predomina a função fática da linguagem. uma vez que.”. se depararmos com um texto que se inicia com “Alô? quem fala?”. No processo comunicativo. crônica. já que estamos nos comunicando o tempo todo. por meio de um apelo ou ordem. TIPOLOGIA TEXTUAL 1. Essa mensagem explica um elemento do código – a palavra mulher – utilizando o próprio código nessa explicação. Se você colocar na situação de remetente. etc. ou seja. isso é tão marcante que uma pessoa não alfabetizada tem interiorizado esse modelo e.. venho por meio. o emissor utiliza expressões que tentam prolongar o contato com o receptor.. resenha crítica. Função fática é aquela que tem por objetivo iniciar. sabemos que se trata de uma correspondência formal. a maneira como é falado e a forma que é dada ao texto são características diretamente ligadas ao gênero. O mesmo ocorre ao lermos uma bula de remédio. prolongar ou encerrar o contato com o receptor. etc. em que o emissor exterioriza seu estado psíquico. os textos desempenham papel fundamental em nossa vida social. carta pessoal. escrevo. Função metalingüística é aquela que utiliza o código como assunto ou para explicar o próprio código.2007 Prof. receita culinária. e-mail. São características dessa função: a) verbos no imperativo. horóscopo. O filme Central do Brasil. Ex: um romance. bula de remédio. palestra.. por exemplo. exemplifica muito bem essa situação. romance. instruções de uso. Como já vimos. Função emotiva ou expressiva é aquela que traduz opiniões e emoções do emissor. Pense numa situação bem corriqueira: um colega se aproxima e começa a contar algo que. no estilo.”.. até que um dos ouvintes indaga “è piada ou você está falando sério?”. testando freqüentemente o canal Neste caso. texto didático. Identificar o gênero textual é um dos primeiros passos para uma competente leitura de texto. É importante observar que nenhum texto apresenta apenas uma única função da linguagem. de modo a ressaltar seu significado. passa a soar esquisito. Gêneros e Tipos textuais Os gêneros textuais 182 Ao depararmos com um texto que se inicia com “Querido Fulano. como na função. b) presença de vocativos. É isso que nos permite reconheceram texto como carta. sabemos que se trata de uma conversa telefônica. um horóscopo. Quando a mensagem visa a explicar o próprio código ou utiliza-o como assunto. aula expositiva. um conto. elabora determinados tipos de textos que são estáveis. 4. Observe que o interlocutor quer confirmar o gênero textual. conto. verbete de enciclopédias e dicionários. cada campo de atividade. piada. c) pronomes de 2ª pessoa. cardápio. F – Função Poética A preocupação intencional do emissor com a mensagem. editorial de jornais e revistas. Se o texto se iniciar com “Prezados Senhores.Interpretação de Texto Nesse caso. sabemos que se trata de um bilhete ou de uma carta de caráter pessoal. telefonema.. um cardápio de restaurante. dependendo do gênero. predomina a função conativa ou apelativa. é a transição de um verbete de um dicionário.

. A última fase de interpretação concentra-se nas perguntas e opções de respostas. incorreta. Cuidado com as questões voltadas para dados superficiais. 02.). Os adjetivos ligados a um substantivo vão dar a ele maior clareza de expressão. TEXTO LITERÁRIO Conotação Figurado. partes) para melhor compreensão. III. definindo o tema e a mensagem. mas a opção que melhor se enquadre no sentido do texto. é o estado em que “ele” se encontrava quando morreu. tente ligar uma palavra à idéia-central de cada parágrafo. Durante a interpretação grife palavras-chave. de pormenores individualizantes. narrar ou descrever. texto não-literário: preocupa-se em transmitir uma mensagem da forma mais clara e objetiva possível. As orações coordenadas não têm oração principal. 18. São seus elementos constitutivos: personagens. Interpretativa. mediante a indicação de aspectos característicos. o enunciado de cada questão. exatas.: Ele morreu de fome. impõe-se o uso de palavras específicas. errada. mas de captar os traços capazes de transmitir uma impressão autêntica. Ler com perspicácia. Por quê? A causa dos acontecimentos. ação. VI. Ex: uma notícia de jornal. A primeira deve ser feita cuidadosamente por ser o primeiro contato com o texto. Quando duas alternativas lhe parecem corretas. Aqui não basta expor. palavras que aparecem nas perguntas e que. O autor defende idéias e você deve percebê-las. Procure estabelecer quais foram as opiniões expostas pelo autor. A Narração envolve: I. Marque palavras com NÃO. 13. parte) do texto correspondente. 08. 14. Como? O modo como se desenvolveram os acontecimentos. É pintar. etc. ler profundamente. mais brilhante será o desempenho. Ex. IV.: Ele morreu faminto. analisálas. um lugar. ler bem. Quando? A época em que ocorreram os acontecimentos.. 20. circunstâncias. 10. Ex. vá até o fim. 3. Voltar ao texto tantas quantas vezes precisar. certa. O raciocínio é que deve imperar neste tipo de composição.Interpretação de Texto 2. uma pessoal. dificultam a entender o que se perguntou e o que se pediu. procurar um fundamento de lógica objetiva. sutileza. e quanto maior a fundamentação argumentativa. aumentando-lhe ou determinando-lhe o significado. às vezes. ler o texto pelo monos umas três vezes ou mais. INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS Para ler e entender um texto é preciso atingir dois níveis de leitura: Informativa e de reconhecimento. ininterruptamente. Verificar. faminto: predicativo do sujeito. 19. 09. Centralizar cada questão ao pedaço (parágrafo. Dicas de Interpretação: 01. Não se deve procurar a verdade exata dentro daquela resposta. Dissertação: dissertar é apresentar idéias. procurando ter uma visão geral do assunto. 17. Por isso. Não permitir que prevaleçam suas idéias sobre as do autor. para tornar aquilo que vai ser descrito um modelo inconfundível. subjetivo Pessoal TEXTO NÃO-LITERÁRIO Denotação Claro. Quando o autor apenas sugerir idéia. Não se trata de enumerar uma série de elementos. ou seja. não interrompa a leitura. enredo. não. objetivo Informativo TIPOS DE COMPOSIÇÃO 1. apenas as idéias estão coordenadas entre si. extraindo-se informações e se preparando para a leitura interpretativa. 04. 11. Partir o texto em pedaços (parágrafos. procurar a mais exata ou a mais completa. Cuidado com os vocábulos: destoa (=diferente de . 06. Descrição: descrever é representar verbalmente um objeto. uma bula de medicamento. que estão quase sempre em conflito. com atenção e cuidado. pois fazem diferença na escolha adequada. Quem? Personagem. e o que a distingue da descrição é a presença de personagens atuantes. o seu núcleo é o incidente. Narração: é um relato organizado de acontecimentos reais ou imaginários.. V. Às vezes a etimologia ou a semelhança das palavras denuncia a resposta. Requer observação cuidadosa. passagens importantes. Descrever é mais que apontar. determina a causa na realização do fato (= morte de “ele”). falsa. 2. II. Quê? Fatos. RESPECTIVAMENTE. e outras. é muito mais que fotografar. Onde? O lugar da ocorrência. Edson 03. 183 Volume Único . verdadeira. Ler todo o texto. correta.de fome: adjunto adverbial de causa. Os adjuntos adverbiais e os predicativos do sujeito são importantíssimos na interpretação do texto. é estabelecer relações de causa e efeito. 07. malícia nas entrelinhas. 05. é estabelecer um ponto de vista baseado em argumentos lógicos. 15. Prof. 16. o episódio. é necessário explanar e explicar. 12. é criar.2007 . EXCETO. Ler. exceto. Se encontrar palavras desconhecidas.

É contar. acontecimentos. vindo ninguém sabia de onde. Uma das partes bem distintas do parágrafo é o tópico frasal. o objeto ou ambiente são importantes. motivo do fato. À esquerda fica a reitoria e alguns pontos comerciais.a conseqüência dos fatos. Seguiremos pela BR-232 onde encontraremos várias formas de relevo e vegetação. chamamos de descrição denotativa. Definição. Cada um desses textos possui características próprias de construção. Há duas descrições: Descrição denotativa Descrição conotativa. Hoje o sol amanheceu sorridente. A caracterização é indispensável. Por isso: . OS TIPOS DE TEXTO Texto narrativo. Volume Único . Onde? – local onde se desenrolou o acontecimento. O emissor capta e transmite a realidade através de seus sentidos. Deve haver um centro de conflito. Fazemos um texto narrativo com base em alguns elementos: O quê? . O indispensável da ficção é a narrativa. por isso existe uma grande quantidade de adjetivos no texto. ricas em polivalência. É importante só uma ação centralizadora para envolver as personagens. O que acontece? (enredo). desprovida de ação. Convencionalmente. sem movimento. tal que o receptor a identifique. Alusão histórica. Na descrição o ser. Serve para dividir o texto em pontos menores. respondendo os seus elementos a uma série de perguntas: Quem participa nos acontecimentos? (personagens). Exemplo: João estava tão gordo que as pernas da cadeira estavam bambas do peso que carregava. No início da viagem observamos uma típica agricultura de subsistência bem à margem da BR-232. Na descrição 184 . Os pássaros felizes cantarolavam pelo ar. no céu alegre. Leia a frase anterior e posterior para ter idéia do sentido global proposto pelo autor. A primeira é totalmente dinâmica. Quando? – o tempo dos acontecimentos. Texto dissertativo. No texto narrativo. ORGANIZAÇÃO DO TEXTO E IDÉIA CENTRAL Um texto para ser compreendido deve apresentar idéias seletas e organizadas. Era notório o sofrimento daquele pobre objeto. ocupando lugar de destaque na frase o substantivo e o adjetivo. Edson DESCRIÇÃO DENOTATIVA Quando a linguagem representativa do objeto é objetiva. Consiste na elaboração de um texto inserindo episódios. Exemplo: Saímos do campus universitário às 14 horas com destino ao agreste pernambucano. À direita o término da construção de um novo centro tecnológico. leve e repleto de nuvens brancas. Divisão. enquanto a segunda é estática e sem movimento. através dos parágrafos que é composto pela idéia central. Um dia chegou a cavalo. único de acordo com a definição do dicionário. A seguir um exemplo de texto narrativo: Toda a gente tinha achado estranha a maneira como o Capitão Rodrigo Camborá entrara na vida de Santa Fé. DESCRIÇÃO CONOTATIVA Em tal descrição as palavras são tomadas em sentido figurado. Onde e como acontece? (ambiente e situação dos fatos). sendo o verbo o elemento principal. fazendo uso de recursos lingüísticos. um núcleo do enredo. a idéia central extraída de maneira clara e resumida. asseguramos um caminho que nos levará à compreensão do texto. Como? – o modo que os fatos aconteceram. ou seja. brilhava incansável. Isso provavelmente facilitará o transporte desse cultivo a um grande centro de distribuição de alimentos a CEAGEPE. Podemos desenvolver um parágrafo de várias formas: Declaração inicial. Os verbos são predominantes num texto narrativo. Atentando-se para a idéia principal de cada parágrafo.2007 denotativa as palavras são utilizadas no seu sentido real. tendo em vista os diversos enfoques. Texto descritivo. A descrição é estática. o parágrafo é indicado através da mudança de linha e um espaçamento da margem esquerda. argumentação e/ou desenvolvimento e a conclusão do texto. Quem? – personagem principal e o anti-herói. o fato é o ponto central da ação. DESCRIÇÃO Descrever é explicar com palavras o que se viu e se observou. A narração difere da descrição.Interpretação de Texto Retorne ao texto mesmo que pareça ser perda de tempo. com o chapéu de barbicacho puxado Prof. NARRAÇÃO Narrar é falar sobre os fatos. direta sem metáforas ou outras figuras literárias. Por quê? – a razão.Fato narrado.

porque a sobrevivência.”. Aos quarenta e sete minutos do segundo tempo o juiz finalmente apontou para o centro do campo e encerrou a partida.Mas. era menos complicado...Compadre por que tanta tristeza? Ele me respondeu: . “. “. O goleiro não teve chance. por outro lado.complicado. A narrativa se vale de tal recurso. já que ele era considerado o melhor batedor do time.Mas.. o problema.. ambos precisavam da vitória.” c) “. ou o contrário? Prevalecerá a preferência pessoal de cada um.Interpretação de Texto para a nuca. Isso facilitará o seu trabalho: O bom selvagem e a sociedade cruel Roberto Campos 1º Parágrafo: Uma das perguntas mais intratáveis da vida moderna é sobre se o indivíduo tem precedência sobre o ente coletivo. Edson 185 Volume Único ... Exemplo: Parei para conversar com o meu compadre que há muito não falava.. Eu notei uma tristeza no seu olhar e perguntei: . “.Mas... Exemplo: O jogo estava empatado e os torcedores pulavam e torciam sem parar.2007 . pela burocracia.sociedades primitivas. O estádio quase veio abaixo de tanta alegria da torcida. O técnico chamou Neco para bater o pênalti. por outro lado.”.. se o indivíduo.” e) “..”.... Neco dirigiu-se até a marca do pênalti e bateu com grande perfeição. Mas por outro lado.. o indivíduo adquiriu autonomia. “.. é sobre.”. e pelo gigantismo das sociedades... com gola vermelha e botões de metal. (Um certo capitão Rodrigo – Érico Veríssimo) A relação verbal emissor – receptor efetiva-se por intermédio do que chamamos discurso.. de se sacrificar.complicado..foram complicados. estou tão triste. na vida moderna. c) Há dúvidas.. “..burocracia e pelo gigantismo. Corrigindo-os.” d) “. trazia bombachas claras. os laços de solidariedade tornaram-se indiretos e difusos.. b) Não se trata de elaborar perguntas na vida moderna. 02. “. “...Compadre minha senhora morreu há pouco tempo... por outro lado. Fora do círculo íntimo da família nuclear. o egoísmo grupal era implacável. na vida moderna.. o problema era menos complicado porque a sobrevivência individual estava estreitamente ligada à do grupo.”.. quando de repente o juiz apitou uma penalidade máxima. pois o indivíduo tem preferência sobre o ente coletivo.. “. a bela cabeça de macho altivamente erguida e aquele seu olhar de gavião que irritava e ao mesmo tempo fascinava as pessoas. É o foco narrativo de 3ª pessoa. ou a vocação altruísta de se sacrificar pelos demais? Nas sociedades primitivas. E xercícios Leia o texto abaixo e responda às questões de 01 a 25.”... Os minutos finais eram decisivos. “. botas com chilenas de prata e o busto musculoso apertado num dólmã militar azul.... quanto a quem é mais importante: o indivíduo ou a sociedade? d) Há dúvidas.. o egoísmo.. o egoísmo. tornou-se cidadão votante e consumidor soberano. Devia andar lá pelo meio da casa dos trinta. Os conflitos entre egoísmo e altruísmo foram complicados pelo anonimato. 01. porque a sobrevivência.” b) “.... pelo anonimato.....”.” Prof. porque a sobrevivência. teremos: a) “. Na era moderna. Há erros de pontuação no primeiro parágrafo do texto..o problema.... Há tanto tempo sem nos falarmos e justamente num momento tão triste nos encontramos... o egoísmo.. O primeiro período do texto diz que: a) Há dúvidas quanto a se o indivíduo proveio do ente coletivo ou se foi o contrário.” . quanto ao que surgiu antes: o indivíduo ou o ente coletivo? e) Há dúvidas quanto à possibilidade de se sacrificar o indivíduo. efetivando o ponto de vista ou foco narrativo.... montava num alazão. para melhorar a sociedade.complicado.”. Isto constitui o foco narrativo da 1ª pessoa.da vida moderna. Terá sido o destino? Já o narrador-observador é aquele que serve de intermediário entre o fato e o leitor. Quando o narrador participa dos acontecimentos diz-se que é narrador-personagem. exporemos o texto parágrafo por parágrafo. Por isso... Fora do círculo íntimo da família nuclear. Para fins didáticos.burocracia e pelo gigantismo.a vocação altruísta.

Serão valores embutidos em nossa cultura por um legado religioso? Ou um impulso inato. b) O liberalismo político e econômico era uma das caraterísticas do racionalismo humanista. Edson . c) A vitória do racionalismo humanista extinguiu o liberalismo político e econômico. Considerando-se algumas palavras do texto. que escreveu obras contra a Igreja. d) Embutida está para imbutida assim como emigrar está para imigrar. c) Errou. na sociedade primitiva. altruísmo e valores. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. 05. No texto. No século 18. Indique a afirmação correta em relação ao texto: a) Era mais fácil viver na sociedade primitiva. Rousseau. uma das contribuições iniciais da descoberta do Brasil ao pensamento europeu. e degenera na sociedade. e) Contribuiu para a descoberta do Brasil. substituiu-a por uma idéia oposta: a do homem que nasce virtuoso. 09. c) Discute a validade de se levarem em consideração os ensinamentos da Igreja. há laços de solidariedade. tradição e idéia. e) Porquanto o problema residisse na sociedade. ao inverter a visão da Igreja. Se o problema residia na sociedade. 3º Parágrafo: A inversão de Rousseau teve conseqüências imprevistas. degenera na sociedade. J. e rios de tinta. sangue e rios. que sempre acreditou ser o homem virtuoso. e) O problema realmente residia na sociedade. de alguma maneira. O autor do texto: a) Afirma que as pessoas. 04. embutida na tradição cristã. c) Como o problema residia na sociedade. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. d) Em toda família nuclear. 2º Parágrafo: Mas há sempre algum altruísmo nas pessoas. d) A Era da Razão e a Idade Média são nomes para uma mesma época. Durante três séculos. b) Uma vez que o problema residia na sociedade.2007 186 Prof. e a sociedade o corrompe. quando nasce virtuoso. devido à tradição cristão. c) A burocracia existente na vida moderna arrefeceu os conflitos entre o egoísmo e o altruísmo. b) Os grupos que se formavam. invertendo muitos séculos da visão pessimista do homem naturalmente pecador e mau. teve início a IdadeMédia. d) Embora o problema residisse na sociedade. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. ao afirmar que o homem nasce virtuoso. é errado afirmar que: a) Altruísmo está para altruísta assim como escotismo está para escoteiro. b) Explica que existe nas pessoas algum conceito que a leva a praticar atos estranhos. 06. Segundo o texto: a) Três séculos depois de Rousseau. d) Contradisse a tradição cristã. É o “bom selvagem”. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. e) Contribuições está para contribuir assim como intuições está para intuir. recebido da natureza ao nascer? Sangue. considerado legado religioso. E a vitória do racionalismo humanista trazia no bojo o liberalismo político e econômico. não eram isolados uns dos outros. Volume Único . cultura e legado. Segundo o texto. são solidárias com as demais. A frase que altera a idéia básica do segundo período desse parágrafo é: a) Já que o problema residia na sociedade. d) Mostra o pensamento de um ateu. 07. c) Impulso está para impelir assim como decurso está para decorrer. J. ao afirmar que o selvagem que aqui habitava era naturalmente bom. e) A vida moderna fortaleceu os conflitos entre o individualismo e o altruísmo. mas degenerador da sociedade. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. Rousseau: b) Embutidos está para embutir assim como vindo está para vir. J. a Era da Razão vinha abalando os alicerces intelectuais da cosmovisão religiosa que sustentara a grande unidade espiritual da Idade Média. 08. Tentação tanto mais irresistível quanto estava acontecendo a transição do mundo pré-industrial para os horizontes inexplorados da Revolução Industrial. J. e) Revela que nossa cultura tem valores embutidos por um cidadão. foram empregadas em sentido conotativo as seguintes palavras: a) b) c) d) e) visão e pecador. ainda não responderam a essa pergunta. pois todos se ajudavam mutuamente. bastaria ao homem transformá-la para voltar ao paraíso. a) Afirmou que o homem é naturalmente pecador e mau. mas.Interpretação de Texto 03. b) É o bom selvagem que contribuiu para a descoberta do Brasil.

Considere as seguintes afirmações sobre o texto: I. De acordo com o contexto. em relação à formação de idéias. Houve um período fértil... Apesar de o texto estar claro ao leitor leigo. a fim de voltar ao paraíso. mas. um estudo mais profundo traria à tona um erro que modificaria totalmente o sentido do primeiro período desse parágrafo. se propunham refazer a sociedade segundo uma utopia generosa. Prof. c) Ao pular-se denota interrupção na ação... c) mais e idéias. como diria Machado de Assis.. d) Stalin era considerado o paladino da pátria do socialismo.E o triunfo do racionalismo humanista trazia no bojo o liberalismo político e econômico. A expressão que indica tempo é “a princípio”. Não é certa a substituição de elementos do texto em: a) “. d) Florescência significa “iluminação”. a Era da Razão vinha abalando as bases intelectuais da cosmovisão religiosa. pois: a) Em princípio só aparentemente tem sentido temporal. para que outra se iniciasse. b) somente II. c) “. respectivamente. exterminou os hereges biólogos mendelianos. porque. abriu-se uma grande florescência de socialismos que. em princípio.. Quais os termos do texto que retomam uma idéia já citada anteriormente? a) imutável e amoldáveis. na verdade. b) Deve-se colocar logo depois de entendida... está certo o que se afirma em: a) somente I. pois são adjetivos que qualificam substantivos anteriores. a aparecer extrapolações como o “darwinismo social”. segundo a qual as características adquiridas pelo indivíduo se transmitiam por via hereditária. 12.. mas o autor quis indicar que eles surgiam naquele momento. 13.. Edson c) Há dois advérbios. O certo seria “Ao se pular”.2007 . Stalin. 14. essa. b) a natureza física e ação política. mais ou menos imutável. Na frase “Essa idéia não foi logo entendida como ameaça pelos socialistas. sem se decidir de vez quais os fatores determinantes do comportamento humano: a natureza física. e) Não se deve substituir essa por esta. c) somente III. II e III 15. representados por humano e sociedade. III. isso daria o significado de que a sociedade não mais existia. pois são pronomes relativos que retomam Stalin e biólogos mendelianos. e) científica e hereditária.” d) “. “Ao vencedor as batatas”. ou a sociedade e a cultura. de Darwin. que duvidavam da verdade científica socialista.. compreendendo o perigo das idéias. os seres vivos evoluíam pela disputa de uns com outros no jogo da sobrevivência do mais apto.. veio um golpe: a teoria da evolução das espécies. pois claramente retomam elementos anteriores. isso. portanto não cabe neste texto. pois retomam verdade e indivíduo.bastaria o homem transformá-la. segundo a qual. pois os pronomes demonstrativos que indicam algo já apresentado anteriormente no texto são este. Nada muda a natureza física do homem. porém.” 4º Parágrafo: Ao pular-se do pecado original para o “homem naturalmente bom num mundo mau”. Segundo o texto: a) Stalin exterminou os biólogos mendelianos. pois não se deve separar os verbos que formam locução verbal por elemento algum. podendo ser substituído por “apesar de”. 187 Volume Único . e) Os que duvidavam da verdade científica socialista compreenderam o perigo das idéias dos biólogos mendelianos. que. pois retomam ação e socialismo. porque compreendeu o perigo das idéias científicas..” a) Deve-se substituir essa por esta. c) Os biólogos mendelianos não acreditavam que as características adquiridas pelo indivíduo eram transmitidas por via hereditárias. para voltar ao paraíso.. d) Os dois que. Em meados do século passado. Não demorariam. porque estes acreditavam que as características adquiridas pelo indivíduo se transmitiam por via hereditária.” e) “. amoldáveis em princípio pela ação política? Talvez o mais consistente tenha sido o paladino da “pátria do socialismo”.. Essa idéia não foi logo entendida como ameaça pelos socialistas. b) Refazer possui o sentido de “fazer novamente”. É difícil encontrar o fator determinante do comportamento humano. como se uma ação abruptamente fosse interrompida.” b) “. isto. na natureza. tem valor concessivo. pois os advérbios que indicam algo já apresentado anteriormente no texto são esse. e) Generosa é qualidade que só pode ser admitida em pessoas. esta. e as idéias racistas supostamente “científicas”. como os seus coetâneos. II. d) somente I e II. 5º Parágrafo: Ondas ideológicas se sucederam. tinham um profundo temor reverencial pela “ciência”. b) Os biólogos mendelianos compreenderam o perigo das idéias científicas socialistas.Interpretação de Texto 10.bastaria ao homem transformá-la. o que não condiz com a realidade.. e) I. d) Não há emprego de preposição. o que denotaria que os socialismos já existiam. respectivamente. 11.vinha abalando os alicerces intelectuais da concepção religiosa do mundo.

Nem se uma eficiente engenharia social é viável. d) Apesar de enfraquecida a idéia. b) Apesar de não ser totalmente comprovado. d) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco. ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. 16.2007 . por isso ocorrem tantos males na nação. Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco. acreditase que o comportamento do homem seja determinado por seus genes. devido à inveja que eles têm de seus vizinhos. o que se sabe é que o homem é determinado pelo contexto social. E em São Paulo. no texto. e) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco. e) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. ao mesmo tempo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. A frase que altera a idéia básica da frase “Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco. Mas certamente ficou enfraquecida a corrente externa que reduzia o indivíduo a meras determinações do contexto social. desde que sugeriram que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. ao sugerir que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. 17. É certo afirmar que: a) há. d) Todas as penitenciárias de São Paulo deixam de atender os pedidos dos presos condenados. b) É errado atribuir à sociedade a culpa por todos os males que afligem a nação. c) O maravilhoso está presente em muitas das histórias infantis. presos condenados tocaram fogo nas celas porque queriam televisão a cabo e ar-condicionado!. por isso não devem ser levadas a sério. Edson Volume Único . mas um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. b) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco.” A palavra grifada no trecho tem o mesmo significado da palavra grifada da letra.” é: a) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco.. Naturalmente. c) Um IKung do deserto de Kalahari contenta-se com muito pouco. no entanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. sem dúvida. no momento em que sugeriram que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. 21. a ignorância e as desigualdades. Carências há. e) Perdia-me a olhar-lhe os cabelos bem arrumados. c) Os únicos males possíveis e imagináveis do Brasil são a Seca do Nordeste. e) Há grande preocupação com a simplicidade existente na sociedade. c) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. que acentuou o aspecto plástico das marcações e os efeitos de luz. por sugerir que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. d) O conjunto harmonizava-se ao toque do diretor. 18. Segundo esse parágrafo: a) O homem se comporta de acordo com o que aprende no contexto social.Interpretação de Texto 6º Parágrafo: Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. criadas pela insaciabilidade das veleidades humanas. Assinale a letra que não altera a idéia básica do primeiro período do parágrafo: a) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. ao passo que um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. quando sugeriram que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. Prof. 188 7º Parágrafo: Não se está aqui. uma crítica aos americanos.. b) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. c) O homem é totalmente determinado por seu material genético. pois é isso que cria a ignorância e as desigualdades. “Mas certamente ficou enfraquecida a corrente externa que reduzia o indivíduo a meras determinações do contexto social. na hora em que sugeriram que muitos traços comportamentais têm base física nos genes. 20. 19. b) o autor não acredita que haja carência verdadeira no Nordeste. pretendendo debater a tese do “gene egoísta”. quando um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. e) O comportamento do ser humano depende das correntes externas que o reduz a determinante comportamental. viajando pelas ondas caídas para trás alisando as mechas irrequietas que saltavam pelas orelhas. conforme a polêmica expressão de Richard Dawkins. d) As carências existentes na sociedade são todas relativas. enquanto um americano fica infeliz se tiver um pouco menos do que o vizinho do lado. Segundo o autor: a) A sociedade é a grande culpada pelos males que assolam a nação brasileira. Mas podem ser relativas. nenhum cientista respeitável chegou ao ponto de afirmar que o homem seja totalmente determinado pelo seu material genético. Penso nessas questões porque me preocupo com o simplismo obtuso de inculpar-se a sociedade por todos os males possíveis e imagináveis: da seca do Nordeste à ignorância e às desigualdades. d) Avanços recentes da genética trouxeram um complicador. a) Trata-se de simples questão gramatical. e) Muitas carências são criadas pelo desejo leviano de o homem querer ter mais do é necessário. b) Depois de marcar o meio da linha vamos dividi-la em duas partes iguais. c) A sociedade é insaciável.

Possivelmente. “Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa. Estados e municípios estão reduzidos quase à indigência. A idéia não passou no “provão” da história. e a renda real per capita cresceu três vezes no período. por conta do que produzem. c) O fato de que alguns conseguem maior produtividade e. As desigualdades nas sociedades modernas provêm sobretudo de que alguns conseguem maior produtividade. Hoje. b) Está errada. o adjetivo passado também deveria estar no singular.”· Prof. piorando ao invés de melhorar as oportunidades de emprego. as diferenças de renda per capita entre os países ricos e os mais pobres eram de duas ou três vezes. A idéia não passou no “provão” da história. d) O verbo haver deveria ser substituído pelo verbo fazer. o crescimento da renda per capita dos atuais países industrializados foi proporcional ao crescimento da produtividade dos mesmos países. 22. e) A algazarra dos soldados foi interrompida com a chegada do correio. e se fez multibilionário com suas inovações tecnológicas.. entre 1820 e 1913. O crescimento da produtividade dos atuais países industrializados. acumulam mais por conta do que produzem é fundamental para existir a desigualdade. d) Luiz da Cunha era estranho às apressadas solicitudes da Viscondessa de Bacelar com o futuro de sua filha. o fator mais perverso terá sido o crescimento populacional descontrolado. tributar mais reduz a produtividade e a competitividade. superior à de qualquer país em desenvolvimento. d) A inovação e a acumulação são fatores preponderantes para a subsistência do progresso. a diferença entre a Suíça e o Burundi. é incorreto afirmar que: a) Entre 1820 e 1913. pois. Possivelmente. é de 390 vezes. o fator mais perverso terá sido o crescimento populacional descontrolado. Releia o oitavo parágrafo do texto e elabore uma dissertação. c) julga improcedente a discussão acerca do cumprimento das funções sociais do Estado. Hoje. Aacumulação aumenta a desigualdade em relação ao que não acumulou. 9º Parágrafo: Os governos já nos tungam uma proporção altíssima do PIB.Interpretação de Texto 8º Parágrafo: Há século e meio. A acumulação aumenta a desigualdade em relação ao que não acumulou. Há dois séculos passados.. b) O partido desagregado dos fundamentos da Pátria não deve ser respeitado pelo eleitor. Edson 189 Volume Único . a diferença entre a Suíça e o Burundi. É preciso que se diga que a carga fiscal reinante em nosso manicômio tributário é exagerada para nosso nível de renda. sem qualquer outra mudança na frase. e se fez multibilionário com suas inovações tecnológicas. conseqüentemente. que condenou os subdesenvolvidos a carregar água em peneira. apresentando seu ponto de vista em relação ao assunto abordado. e) Está errada. como o verbo haver já indica tempo decorrido. e acumulam mais. que condenou os subdesenvolvidos a carregar água em peneira. é de 74 vezes. como o verbo haver é impessoal. e) comenta que o nível de renda brasileira é baixo devido ao aumento dos impostos no país. é certo afirmar que: a) Está absolutamente certa. Bill Gates começou na garagem de casa com talento e informação.2007 . e acumulam mais. Em relação à frase “Há dois séculos passados. por conta do que produzem. 25. foi quase sete vezes maior do que entre 1700 e 1820. pois o verbo haver deveria estar no plural. As desigualdades nas sociedades modernas provêm sobretudo de que alguns conseguem maior produtividade. c) Está errada. Bill Gates começou na garagem de casa com talento e informação. Há dois séculos passados. b) argumenta favoravelmente ao governo no tocante ao aumento de impostos no país. 23. A partir de certo patamar. Nesse parágrafo o autor: a) critica a ação do governo em relação ao aumento exagerado dos tributos no país. Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa. O mistério do progresso está na inovação e na acumulação. O mistério do progresso está na inovação e na acumulação. O crescimento da produtividade dos atuais países industrializados. retirada do texto. d) acredita que o patamar mais elevado da produtividade está no tributar mais e reduzir a competitividade no mercado. é de 74 vezes. 24. No entanto. e entre a média dos industrializados e a dos de mais baixa renda. as diferenças de renda per capita entre os países ricos e os mais pobres eram de duas ou três vezes.”. e entre a média dos industrializados e a dos de mais baixa renda. c) A abonação de suas faltas pela diretoria foi justíssima. e a renda real per capita cresceu três vezes no período. é de 390 vezes. e não cumprem direito suas funções sociais. entre 1820 e 1913. b) Modernamente a teoria de Marx não mais é aceita como verdadeira. União. O problema social brasileiro não se resolve gastando mais e sim gastando melhor. 26. Considerando-se o texto. e) É provável que o crescimento populacional descontrolado seja o fator mais importante para o aumento das desigualdades sociais. foi quase sete vezes maior do que entre 1700 e 1820. Marx achava que a riqueza resultava da exploração da mais-valia do trabalho proletário pela classe burguesa. “Há século e meio. pois. não se deveria usar o adjetivo passado.” Os elementos destacados têm a mesma função sintática que os da frase: a) O crítico proferiu palavras discordantes das obras do artista.

Gêneros · · · Lírico: eu (expressa sentimento) Épico: poema em verso narrativo (passado histórico) Drama: peça teatral Função Conativa (ou Apelativa) Ocorre quando o receptor é posto em destaque. Os gêneros literários · Gêneros lírico: texto no qual o eu lírico(a voz que fala no poema. Neste tipo de função é comum o emprego de verbos no imperativo e verbos e pronomes na 2° ou na 3° pessoas. Os textos desta linguagem são dotados de objetividade. Componentes de um ato de fala: -Locutor: é quem passa a mensagem. que nem sempre corresponde à do autor) exprime suas emoções. espaço. diferente daquele que lhe é próprio. é representada por atores. a linguagem se organiza no sentido de convencer o receptor. subjetivo. aos temas. É um texto pessoal. pode apresentar semelhanças entre duas obras quanto à linguagem. ou seja. -Denotação:quando empregamos a palavra no sentido comum(dicionário). desfecho. Apelativa: quando o receptor é posto em destaque(ex: propagandas de produtos). -Código: convenção social que permite ao interlocutor compreender a mensagem. ou seja.expressa o eu-lírico(ex: prosa ou poesia centradas nos sentimentos ou emoções do locutor). o objetivo do emissor é simplesmente o de informar o seu receptor. narrador.informa objetivamente o interlocutor(ex: jornais e revistas). Bons exemplos da função conativa são os textos de publicidade e propaganda. É comum o uso de verbos e pronomes em 1° pessoa e também o uso de pontos de exclamação e interjeições. Referencial: quando o referente é posto em destaque. Ex: a língua oral o referente: o assunto da mensagem Sendo assim temos as FUNÇÕES DA LINGUAGEM: · Função Referencial Ocorre quando o referente é posto em destaque. No ato da fala. -Referente: assunto da mensagem. conflito. ou seja.existem obras de autores que apresentam certa afinidades entre si. Funções da linguagem. · Função Emotiva (ou Expressiva) Ocorre quando o emissor é posto em destaque. Bons exemplos da função referencial são os textos jornalísticos e científicos. fato(enredo. - - · Texto Literário · Verso e prosa. · Gênero épico: há a presença de um narrador que fundamentalmente conta a história passada de terceiros. -Mensagem: tudo que é transmitido para o interlocutor. chamado de estilo de época. usa-se o código lingüístico para transmitir aos receptores reflexões sobre o próprio código lingüístico. pode-se observar: emissor: aquele que diz algo a alguém receptor: aquele com quem o emissor se comunica a mensagem: tudo o que é transmitido do emissor para o receptor o código: a convenção que permite ao receptor compreender a mensagem.2007 . -Canal: o meio físico que conduz a mensagem ao receptor. 190 Volume Único . ou seja.à forma de ver e sentir o mundo.Ela “acontece” no palco. Fática: quando o canal é posto em destaque(ex: para iniciar um diálogo:”Oi!”). Bons exemplos da função metalingüística são as aulas de línguas. Funções da linguagem: Emotiva: quando o emissor é posto em destaque. -Interlocutor: quem recebe a mensagem. Oliveira Neto Elementos da narrativa · Personagem. a mensagem está centrada na expressão dos sentimentos do emissor. que assumem os papéis das personagens. A ênfase é dada ao conteúdo.Literatura Literatura Introdução à Literatura. clímax. ou seja. · Gênero dramático: trata-se do texto escrito para ser encenado no teatro. ação). idéias e impressões em face do mundo exterior. Ex: Língua Portuguesa o canal: o meio que conduz a mensagem ao receptor. Metalinguística: quando o código é posto em destaque(ex: dicionário ou aula de português). Poética: quando a mensagem é colocada em destaque(ex: poema). · Função Metalingüística Ocorre quando o código é posto em destaque. tempo. às informações veiculadas pela mensagem.Ou seja. -Conotação: quando a usamos em sentido figurado. Estilo de época · Em cada período da literatura. Literatura: litera(palavra) Trabalha a palavra de maneira artística. Bons exemplos da função emotiva são textos líricos. gramáticas e o dicionário. uma vez que procuram traduzir ou retratar a realidade. Prof.

. a América surge como o paraíso perdido. Oliveira Neto 191 Volume Único . Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso. com a cabeça ou com os olhos. Em 1434. sereias. “pronto”. A ocidentalização da América será feita. as inovações da tecnologia marítima.. O interesse do emissor ao emitir a mensagem é apenas testar o canal. com isso.. especiarias e quaisquer outros produtos que gerassem lucro. foi ultrapassado pelo português Gil Eanes. quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos. chama-se a atenção para o modo como foi organizada a mensagem. monstros marinhos. e que modificará radicalmente a face do mundo. “sentem-se”. e súbitos buracos. sem se dar conta da destruição que os aguarda. Em regra geral. os nativos vivem na Idade da Pedra e costumam praticar o canibalismo.) * Bojador: Cabo na África que foi durante muito tempo o limite geográfico das navegações européias. Anima tais homens o espírito mercantilista Prof. mas que acontecerá tanto pela superioridade bélica dos europeus e as doenças que trazem quanto pela inocência dos indígenas. LITERATURA INFORMATIVA As primeiras manifestações literárias sobre a América estão delimitadas pelo seu caráter informativo. Bons exemplos da função poética são textos literários. A princípio. da escravidão e dos arcabuzes. Um país como Portugal. serão submetidos a um poderoso processo de deculturação. No lado hispânico. Em nenhuma outra época houve movimento expansionista tão abrangente e avassalador. O encontro com os nativos Civilizações díspares povoam as terras “descobertas” por portugueses e espanhóis. dada a ânsia imperialista dos países europeus e a incapacidade indígena de autodefesa. o papel economicamente empreendedor de uma burguesia de origem judaica e a espetacular audácia de milhares de homens garantem a portugueses e espanhóis a primazia na grande expansão européia. ou seja. Trata-se de uma façanha épica sem precedentes. Em Mar português. a ferro e fogo. . a visão européia é idílica. portanto. astecas. as prováveis riquezas. Exemplos típicos da função fática são: “alô”. Nada parece deter essas frágeis caravelas e seus marinheiros que enfrentam calmarias. O A Literatura dos Conquistadores Dança dos índios tapuias. fome. etc.2007 . a paisagem física e humana. a sua identidade histórica. quantas mães choraram. Uma destruição que não foi programada. No lado luso. Quem quer passar além do Bojador* Tem que passar além da dor. a centralização política em torno de um Estado forte. ou seja. Por ele. ao contrário. · Função Poética Ocorre quando a própria mensagem é posta em destaque. São documentos a respeito das condições gerais da terra conquistada. As cartas de Hernán Cortez sobre a conquista do México são o exemplo mais famoso desse tipo de literatura. os contatos do europeu com o novo mundo. ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena. “oi”. Fernando Pessoa traduz essa admirável vocação de seu povo para as grandes navegações: Ó mar salgado. os que conseguirem escapar das doenças. sem maiores intenções artísticas. etc. Está se abrindo um processo civilizatório que durará mais de quinhentos anos. este processo era dramaticamente inevitável. tanto em prosa quanto em verso.desejo de ouro. que tinha apenas um milhão de habitantes. perderão os seus valores culturais e. sob domínio ocidental. estende o seu domínio por vastos territórios. as lutas de dominação. local de maravilhas e abundâncias.Literatura · Função Fática Ocorre quando o canal é posto em destaque. tela de Albert Eckout O fim das guerras dentro dos territórios ibéricos Portugal e Espanha . maias e incas apresentam surpreendentes níveis de organização social e de conhecimento científico e tecnológico. sede.(. iniciada no século XV e consolidada no século XVI. Expressam. num processo doloroso para os primitivos donos do território. À conquista comercial dos países asiáticos e africanos soma-se a conquista direta do continente americano. localizados nos confins do oceano para tragar as embarcações. Entre estes. todos os medos serão superados e todas as aventuras se tornarão possíveis. deixando de ser “índios” sem alcançar a condição de homens brancos. o que tem o mesmo valar de um aceno com a mão. todos recebem os brancos com hospitalidade e oferendas. Do ponto de vista histórico. gigantes. “tudo bem?” “boa tarde”. Dentro da tradição utópica do Renascimento. Neles se descrevem os problemas.

mas vale ainda mais pela agudeza com que Caminha revela a paisagem física e humana daquilo que ele julga ser uma imensa ilha. O crítico Sílvio Castro aponta alguns dos aspectos mais significativos do texto: . sobre o Brasil. se alguém vier. bolos. mas apenas haviam provado o sabor. com um colar muito grande no pescoço e tendo aos pés. como querendo dizer que ali havia ouro. Todavia. o rei D. E segundo o que a mim e a todos pareceu.. do comprimento de uma mão travessa* e da grossura de um fuso de algodão. ao sentar-se.que é um dos móveis da conquista . e nisso são tão inocentes como quando mostram o rosto. um deles fixou o olhar no colar do Capitão e começou a acenar para a terra. pelos dois degredados que Prof. mel e figos passados.por ser o primeiro registro escrito sobre a realidade local . Depois de dançarem.não lhe queriam tocar.. algo avermelhada. Trouxeram-lhes vinho numa taça.) Os cabelos deles são corredios. e sua vergonha . de baixo a cima. Em geral são bem feitos. (.. Verdadeiro homem do Renascimento. para além do rio.. não se lembrava de o estender muito para se cobrir. caídos pelas espáduas. o qual é homem gracioso e de prazer. Não quiseram comer quase nada de tudo aquilo..na ótica colonizadora mas os habitantes da terra são pintados como seres boçais e animalescos. com respeito ao pudor.Literatura país de Eldorado seduz a imaginação e os nativos aparecem sob tintas favoráveis. A CARTA DE PERO VAZ DE CAMINHA Entre os testemunhos deixados pelos portugueses no século XVI. não deixe logo de vir clérigo para os batizar. e certamente era tão bem feita e tão redonda. com grande espanto nos olhos. Não fazem o menor caso de cobrir ou mostrar suas vergonhas. iniciando a guerra contra os invasores. Porém. confeitos.A simplicidade no narrar os acontecimentos.) Mostraram-lhes um papagaio pardo que o Capitão traz consigo: pegaram-no logo com a mão e acenavam para a terra.) E bem creio que. A natureza continua exuberante . Caminha traduz esse sentimento. que todos serão tornados e convertidos ao desejo de Vossa Alteza. e eles folgavam e riam. Diogo Dias. a muitas mulheres de nossa terra. E faziam-no bem. uma galinha: quase tiveram medo dela .) E uma daquelas moças era toda tingida. O texto tem um notável valor histórico . à medida que os índios começam a se opor aos desígnios imperiais. e suas vergonhas tão altas e tão cerradinhas e tão limpas das cabeleiras que. a inocência desta gente é tal que a de Adão não seria maior. A mistura de danças e música Um dos momentos mais curiosos da Carta é quando índios misturam suas danças com a música européia de um gaiteiro: E do outro lado do rio andavam muitos deles dançando e folgando. Vejamos como ele descreve o primeiro contato com os índios: A feição deles é parda. (.. o escrivão da frota lusa transforma a Carta num monumento de curiosidade antropológica e de abertura intelectual à diversidade. 192 A nudez das índias A imagem mais desconcertante para os marinheiros lusos é a da nudez das índias. (. bem vestido. E andam tosquiados. não lhes falece outra coisa para ser toda cristã do que nos entenderem (. e o acompanhavam muito bem ao som da gaita. Deram-lhe de comer: pão e peixe cozido.A disposição humanista de tentar entender os nativos. a qual esteve sempre à missa e a quem deram um pano para que se cobrisse.. em 1500. um tapete. provocaria vergonha por não terem as suas como a dela. Passou-se então. para logo depois pegá-la. tomando-os pelas mãos. de tosquia alta (. uns diante dos outros. Assim. Oliveira Neto Volume Único . com cabelos muito pretos e compridos.A atenção objetiva pelos detalhes.. em especial. daquela tintura. mas com seu particular espírito renascentista. Logo meteu-se com eles a dançar. muitas voltas ligeiras e o salto mortal.mostra-se na possibilidade de conversão dos primitivos habitantes. logo a cuspiam com nojo. companheiro de viagem do almirante Cabral. não tínhamos nenhuma vergonha.tão graciosa que. E se provaram alguma coisa.) Quando eles vieram a bordo o Capitão (Cabral) estava sentado em uma cadeira. Vindos de um mundo onde o corpo era censurado e reprimido. na segunda metade do século XVI. admitida por Caminha e sugerida ao destinatário da Carta. . imediatamente demonstraram não gostar e não mais quiseram. Andam nus.. fezlhe ali. Manuel. de que eles se espantavam muito e riam e folgavam. O ideal salvacionista A profunda religiosidade portuguesa . E eles entraram sem qualquer sinal de cortesia ou de desejo de dirigir-se ao Capitão ou a qualquer outra pessoa presente. vendolhes tais feições. andando no chão. Senhor. que fora tesoureiro da Casa Real em Sacavém. (. Mostraram-lhes um carneiro: não fizeram caso dele. de acordo com as convicções medievais.2007 . se Vossa Alteza aqui mandar quem entre eles mais devagar ande. porque então terão mais conhecimento de nossa fé. . por estrado. e o puseram em volta dela. . Todavia. sem cobertura alguma. eles não escondem o assombro diante do que vêem. procura ver os corpos femininos desnudos dentro do quadro cultural da sociedade indígena: Ali andavam entre eles três ou quatro moças. a visão rósea transforma-se. Ambos traziam o lábio de baixo furado e metido nele um osso branco. sem se tomarem pelas mãos.) Entre todos estes que hoje vieram não veio mais que uma mulher moça. de bons rostos e bons narizes..A capacidade constante de maravilhar-se. esta gente. E por isso. o mais importante é a Carta do escrivão Pero Vaz de Caminha..que ela não tinha .. muito novas e muitos gentis. e levou consigo um gaiteiro nosso com sua gaita. de as muito bem olharmos. como a dizer que ali os havia.

O céu é limpo. que nós deste ponto temos vista. calor. eu. umas vermelhas. A visão do paraíso Como diz o crítico Sílvio Castro “o europeu. através da Carta. Alguns entre eles resolvem registrar suas andanças pelos trópicos e esses relatos obtêm êxito na Europa. extraído do livro de Hans Staden Enquanto homens. no litoral paulista. a curiosidade sexual ou o ideário religioso. conforme Jean de Léry Durante todo o século XVI. A terra é ampla.a levá-lo até lá. numa caçada. o aventureiro alemão imagina como poderia fugir de seu destino. Rico de cores. porque. nem o vimos. frutos. Move-os a cobiça. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza nela deve lançar. como se percebe no final do texto de Caminha: Essa terra. em algumas partes. grandes barreiras. parece-me que. ao qual está condenado. Contudo a terra em si é de muito bons ares. Ali. astúcia e presentes.terra que nos parecia muito extensa. o desejo de aventuras. RELATOS DE VIAJANTES Dois desses viajantes escrevem textos definitivos sobre a vida cotidiana e os costumes dos tupinambás que dominavam uma expressiva faixa litorânea do Brasil: o alemão Hans Staden e o francês Jean de Léry. de Theodore de Bry. cantos. DUAS VIAGENS AO BRASIL Sob este nome. um livro no qual descreve as suas aventuras em território brasileiro. Sabedor. e a terra por cima é toda chã e muito cheia de grandes arvoredos.Literatura aqui entre eles ficam. Usando de muita persuasão. ou ferro. o melhor fruto que dela se pode tirar pareceme que será salvar esta gente. e outras brancas. Dirige-se então . ele convence o chefe .a São Vicente. especialmente os nove meses e meio em que esteve prisioneiro dos nativos. porque neste tempo de agora os achávamos como de lá. infinitas. Em tal maneira é graciosa que. seguros. por fim. os quais hoje também comungaram. Em busca de aventuras (e dinheiro. Ao mesmo tempo. talvez até pelo interesse que o assunto despertava na Europa. da ponta que mais contra o sul vimos. é obrigado a gritar para as mulheres. os portos. A chegada dá-se em Pernambuco e logo está metido em batalhas contra índios inimigos. de que havia um navio francês nas imediações. toma conhecimento da existência de um novo mundo. imensa na linha do horizonte. Pelo sertão nos pareceu. muito grande. mulheres e crianças fazem sinais para indicar a forma que o devorariam.” A imagem é a do paraíso terral. querendo-a aproveitar. por causa das águas que tem! Porém. onde alimentam a imaginação de leitores excitados pelos descobrimentos. Imediato. provavelmente) o autor vai de Bremen para Lisboa e daí parte para o Brasil como artilheiro de uma nau portuguesa. a vossa comida”.sempre pelo mar e com outros marinheiros portugueses . ao longo do mar. será feito prisioneiro pelos tupinambás. permanecendo no local por cerca de dois anos. Prof. ou outra coisa de metal. muito chã e muito formosa. Oliveira Neto 193 Volume Único . observa com enorme curiosidade os costumes dos índios. outros europeus visitam a terra recém conquistada.a quem fora presenteado . vista do mar. ele apresenta vivas descrições dos costumes indígenas: onde e como Moquém indígena. Esta primeira viagem encerra-se em seguida porque a caravela retorna à Europa. De ponta a ponta é tudo praia redonda. até a outra ponta que contra o norte vem. Nos dias e meses seguintes alternará a observação meticulosa com tentativas de escapar do ritual antropofágico. a estender os olhos. A antropofagia é o motivo principal de seu livro. o Brasil desperta grande fascínio entre os europeus. será tamanha que haverá nela bem vinte ou vinte e cinco léguas de costa. árvores. A antropofagia Banquete antropofágico. A segunda viagem é a mais emocionante: Hans Staden participa de uma expedição que alcança a ilha de Santa Catarina. pássaros. Levado à aldeia indígena. Concreto. tanto no texto principal quanto num relatório que acrescenta como arremate das Viagens. Até agora não podemos saber se há ouro ou prata nela. Tem. Porém. frescos e temperados como os de Entre Douro e Minho. não podíamos ver senão terra e arvoredos . Staden livra-se de seus captores e acaba sendo resgatado pelos franceses. Senhor. Hans Staden publica na Alemanha.2007 . dar-se-á nela tudo. em língua tupi: “Estou chegando. em 1557. As águas são muitas. frescura. Além dos colonos portugueses e dos invasores franceses.

A seguir colam-lhe ao corpo penas cinzentas. sobre-saias e outras bagatelas que as mulheres de cá (européias) se enfeitam e de que jamais se fartam. transformando o seu livro num notável êxito editorial do século XVI. cabelos encrespados. como acendem o fogo.) Quando principiam a beber. relativizando moralmente certos hábitos que na Europa passavam por bárbaros. de modo que lhe saltem os miolos. pois tua gente também matou e comeu muitos dos meus amigos”.. revela uma percepção histórica mais apurada dos costumes nativos pelo fato do autor ser um homem culto. tornando-o totalmente branco e tapando-lhe o ânus com uma madeira. fazendo grande alarido. o livro do calvinista francês Jean de Léry. como preparam a bebida e com ela se embriagam. conforme Theodore de Bry Obviamente também a antropofagia é um dos temas predominantes da obra. junto com as nádegas. determinam o tempo em que ele deve morrer e convidam os selvagens de outras aldeias para que venham assistir. (Costume indígena já referido em outra página por Staden) Separam após as costas. levam consigo o prisioneiro que bebe com eles. Logo que estão reunidos todos os que vieram de fora. a maneira que cozinham e o que comem. Quando tudo foi partilhado. de formação humanista e. Oliveira Neto 194 . da parte dianteira. na análise da nudez feminina: Quero responder aos que dizem que a convivência com esses selvagens nus. mostra aos leitores europeus os animais da terra. incita à lascívia e à luxúria.2007 moram. Depois de esfolado. golas de rendas. principalmente entre as mulheres. o viajante francês descreve com minúcias o ímpeto guerreiro dos homens tropicais.. medicinais. Se tem dele um filho. Essa compreensão revela-se. o chefe da choça diz: “Vinde agora e ajudai a comer o vosso inimigo”. portanto. dançam em seu redor e amarram-no bem.) O guerreiro que vai matar o prisioneiro diz para o mesmo: “Sim aqui estou eu. Movido por um espírito universalista. raspam-lhe toda a pele. em sinal de alegria. VIAGEM À TERRA DO BRASIL Igualmente centrado no cotidiano da vida indígena. levando cada um o seu quinhão. educação dos filhos. As crianças comem os miolos. Observe-se esta cena. etc. Acabada a bebida. sendo mostrada com uma riqueza de detalhes em muito superior à obra de Hans Staden. ocorrida logo após a morte do prisioneiro: Prof.) e de mostrar certas práticas desconhecidas na época. encara com simpatia os índios. Conservam-no por algum tempo e então se preparam. (. a língua e tudo o que podem aproveitar. sociais (casamentos. As vísceras são dadas às mulheres. Fervem-nas e com o caldo fazem uma papa rala que se chama mingau que elas e as crianças sorvem. as árvores. Ali tem a oportunidade de conviver (em liberdade) com os tupinambás. para servir a Villegagnon. Direi que (. são causas de males incomparavelmente maiores do que a nudez habitual das índias. Responde-lhe o prisioneiro: “Quando estiver morto. a vegetação. Aí passa a noite. Dão-lhe então uma mulher para servi-lo... um homem o pega e lhe corta as pernas acima dos joelhos e os braços junto ao corpo. Além de detalhar um significativo conjunto de costumes religiosos. como enviado do líder religioso Calvino. Vêm então quatro mulheres que apanham quatro pedaços. vendo as batalhas entre as tribos de forma quase poética. aberto às diferenças entre as civilizações..) a nudez grosseira das mulheres é muito menos atraente do que comumente imaginam. Vejamos como ele descreve a execução e a devoração de um inimigo pelos tupinambás: Quando trazem para casa um inimigo. Enchem de bebidas todas as vasilhas. quero te matar. por exemplo. voltam para casa. Dão de comer bem ao prisioneiro. e de imediato as mulheres arrastam o morto para o fogo. batem-lhe as mulheres e as crianças primeiro.) Assim que está tudo preparado. Além disso. criam-no até grande e o matam e o comem quando lhes vem à cabeça. Comem também a carne da cabeça. sua destreza no manejo do arco e flecha e de outros instrumentos. terei ainda muitos amigos que saberão me vingar”. suas formas de guerrear. Repartem isso entre eles. fazendo uma série de anotações interessantíssimas a respeito de sua existência. fundador de uma colônia francesa na futura cidade do Rio de Janeiro. descansam no outro dia e fazem para o inimigo uma pequena cabana no local em que deve morrer. O canibalismo dos tupinambás Esquartejamento de inimigo dos tupinambás.. Léry permanece no país durante um ano (1557).Literatura Volume Único .. seus utensílios. no que acreditam. funerais. Depois. etc.. sendo bem vigiado. a fim de que nada dele se escape. pintando um quadro intenso e colorido da realidade brasileira de então. correndo com eles em torno das cabanas. (. anquinhas. (. Viagem à terra do Brasil. Os atavios. ele é golpeado na nuca. entre os quais a preparação e o uso do cauim e do fumo. raspam-lhe as sobrancelhas.

vão criar os primeiros colégios no país: Bahia (15 ).de sorte que todas as manifestações culturais da sociedade brasileira. Enquanto isso. estimulando a delação. Caberia a ela o papel de ponta-de-lança da irradiação do catolicismo. contudo. Oliveira Neto acompanham as expedições a fim de converter os gentios. se reúnem para recolher a gordura que escorre pelas varas dessas grandes e altas grelhas de madeira. como apóstolos sem medo e sem mácula. que prefeririam sem dúvida morrer de uma vez a definhar assim lentamente. de Fernão Cardim. todas as partes do corpo.Literatura Em seguida. E então . uns após outros. desde 1536. . as riquezas que embelezam essa terra do Brasil. servindo de grande inquisidora na guerra santa contra o Mal. ao lado de registros realistas dos primeiros esforços de colonização. Portugal e Espanha afundam. ao mesmo tempo que amplia a missão evangelizadora dos padres em terras americanas. Rio de Janeiro (1568) e Olinda (1576).desencadeada pelo papa Paulo III. Os Soldados de Cristo no Brasil Os primeiros jesuítas desembarcam no Brasil em 1549. de Gabriel Soares de Souza e Tratados da terra e gente do Brasil. os Soldados de Cristo (jesuítas). A ordem dos dominicanos sobressaise na tarefa de satanizar e punir os rebeldes. Nesses países. funciona o Tribunal do Santo Ofício da Inquisição. as mulheres. no célebre Concílio de Trento de 1545 . pelo ardor místico. a abundância de animais. às Artes e tudo aquilo que representasse liberdade de expressão e de idéias.assim como os nossos caçadores jogam a carniça aos cães para torná-los mais ferozes. em Lisboa. A Contra-Reforma e os jesuítas A Contra-Reforma . Ao espírito capitalista-mercantil associam um forte ideal religioso. LITERATURA JESUÍTICA Os impérios ibéricos contêm em sua expansão uma profunda ambigüidade. quando revejo assim a bondade do ar. entretanto. em geral. mas a desgraça econômica que se abaterá sobre a Península Ibérica em função do expurgo das forças modernizadoras. como tuas diversas obras são maravilhosas em todo o universo! . a Companhia de Jesus sempre primou pelo alto nível intelectual. Sem uma classe empresarial audaciosa e empreendedora. de Pero de Magalhães Gadavo (1576).interrompido por sua expulsão de Portugal e demais colônias em 17 . a formosura das árvores e das plantas. esses selvagens pegam os filhos.” OUTROS VIAJANTES Ainda dentro de uma linha de exaltação da terra. e lhes esfregam o corpo. dando aos negócios autonomia frente à religião. Lá iriam exercer papel decisivo na transformação da Holanda em grande potência mundial. os braços e as pernas com o sangue inimigo a fim de torná-los mais valentes. que Deus me permitiu ver. nos três primeiros séculos nascem sob a órbita do jesuitismo. 195 Volume Único . bruxas e demais “hereges”. que são mais gulosas de carne humana e anseiam pela morte dos prisioneiros. Tratado descritivo do Brasil. admitindo apenas o pensamento único e celebrando um bárbaro retorno ao mundo medieval.. logo me acode a exclamação do profeta no salmo 104: “Senhor Deus. quando a imagem desse novo mundo. inclusive as tripas depois de bem lavadas. a excelência das frutas e. definido por Darcy Ribeiro como salvacionista. e o tornam tão branco como na mão dos cozinheiros os leitões que vão para o forno. a Inquisição estabelece o terror nos países católicos. mas também a apreciar a terra brasileira como um paraíso terreal: Por isso. sugando o sangue e o tutano. Contrária à Ciência. protestantes.2007 . a burguesia comercial e financeira (normalmente judaica) se vê impedida de impor a sua visão leiga de mundo. chegam com água fervendo. o que quer dizer “está muito bom!” Tais exemplos de crueldade dos índios para com seus inimigos são. abrandados pelo relativismo moral que Léry estabelece: É útil. se apresenta a meus olhos. que ao ler sobre semelhantes barbaridades. no intuito de apontar aos povos de outros continentes as excelências do catolicismo. O resultado desse sombrio processo de opressão não é apenas o retrocesso científico. Desde a década de 1540. principalmente as velhas gulosas. os leitores não se esqueçam do que se pratica entre nós. esfregam e escaldam o corpo a fim de arrancar-lhe a epiderme. promovendo a tortura e o assassinato dos inimigos. Em seguida. a variedade de aves. em torno do qual as mulheres. Fundada alguns anos antes da Contra-Reforma por Ignácio de Loyola. pela disciplina e pela fé inquebrantável de seus componentes. representadas pela burguesia judaica. perseguindo judeus. juntamente com o governador Tomé de Sousa. são colocadas no moquém).intensifica o combate contra os protestantes. sobretudo as velhas. Em seguida exortam os homens a procederem de modo que elas tenham sempre tais petiscos e lambem os dedos e dizem iguatu. não triunfará por completo em Portugal e Espanha. comem vivos órfãos. se lançarão a mundos desconhecidos. Além do trabalho catequético.incrível crueldade . encontramos a História da Província de Santa Cruz. A visão abrangente e humanista do viajante francês leva-o não apenas compreender o nativo. Iniciam desta forma um domínio absoluto sobre o sistema educacional. O racionalismo capitalista. Em boa e sã consciência acho que excedem em crueldade aos selvagens os nossos usurários (agiotas) que. São Paulo (1554). já no fim do século XVI. numa decadência secular. viúvas e outras criaturas miseráveis. A mais importante entre as ordens religiosas dedicadas à conversão dos gentios é a jesuítica. Logo depois o dono da vítima e alguns ajudantes abrem o corpo e o esquartejam com tal rapidez que não faria melhor um açougueiro ao esquartejar um carneiro. Pelo contrário. Dezenas de padres Prof.. os judeus expulsos transferem-se majoritariamente para os Países Baixos.

Os autos anchietanos contribuem para deculturar os índios. apontadas como mentirosas e demoníacas. sem que isso signifique uma contradição maior. 196 Volume Único . já que o contato com os brancos traz a morte de seus deuses e de sua cultura. desencadeiam-se milagres e apocalipses. canções e especialmente autos*. dulcificando a sua vida. pois as idéias que triunfam nos espetáculos são evidentemente as do padre.apesar de todos os erros . • Uma produção didática . apelando para a consciência mítica dos nativos. o jogo coreográfico. os elementos culturais indígenas presentes em seu teatro são destruídos . numa espécie de sociedade comunista cristã primitiva. pelas mãos dos jesuítas. o primeiro é defendido por santos e anjos. conforme depoimentos de época . religiosos e profanos. no Brasil.a liberdade formal salta aos olhos: o teatro anchietano pressupõe o lúdico. o trabalho de catequese dos jesuítas acaba se realizando. Saravaia Vão para o inferno. O que se pode afirmar hoje é que .Literatura Já o seu trabalho com os índios até hoje gera discussões. Tal argumentação é refutada pela maioria dos estudiosos. onde os índios se tornam presas mais fáceis dos bandeirantes e capitães de mato. Simultaneamente. Do ponto de vista da encenação dos autos. Por isso. os admiradores. Também a incansável luta contra a escravidão dos índios torna-se a marca registrada dos discípulos de Loyola. Neste confronto perpétuo entre o bem e o mal. Por seu turno. sobretudo. Satanás. Dirige-se mais aos sentidos do que à razão. pois o padre possui uma visão de mundo tipicamente européia. Os elementos sagrados do catolicismo europeu ligam-se aos mitos indígenas. de enorme fascínio visual. os quais expressam o cristianismo e subjugam o segundo. a obra teatral de Anchieta. As crendices e superstições dos nativos acabam vinculadas ao pecado e seu poderoso agente.hinos.dentro da ação dramática . Santos e demônios duelam. • A adoção de uma religiosidade que não podem compreender e que domestica seus instintos de defesa. De um lado. • A substituição da vida nômade pela vida de aldeamentos. Aimbiré. deixando-os numa terrível orfandade que só o catolicismo preenche. os inimigos dos jesuítas argumentam com idéias antagônicas: • A implacável destruição de valores culturais dos indígenas como a poligamia. • A luta para organizar os índios em aldeamentos e missões. Desajustados ante a nova ordem social e psicológica. É algo arrebatador. Os que defendem os jesuítas alegam: • A denúncia contínua dos massacres cometidos contra os nativos.com pleno apoio do autor que se serve deles Prof. ele criará simultaneamente: • Uma produção refinada: poemas e monólogos em latim que parecem destinadas a satisfazer suas necessidades espirituais mais profundas. que assim perdem a sua identidade. de outro. Avulta então o nome de José de Anchieta. irão se ver. Assim.2007 . José de Anchieta seria o nosso primeiro escritor. o som. Independentemente de tais posicionamentos.a ação jesuítica acabou produzindo uma ideologia protetora das comunidades indígenas e impedindo a destruição completa dos antigos habitantes da terra. Enviam aos superiores notícias da obra catequética e dos problemas da ordem. Desta forma. a antropofagia e a nudez. Dotado de sólida formação religiosa e com senso artístico acima do comum. misturados com os demônios da tradição católica. que visavam infundir o pensamento cristão nos índios. os índios (sobremodo os curumins) percebem que os seus valores são falsos e corruptos e aceitam de melhor grado os princípios cristãos. Nela. a cor. • A impugnação das crenças das tribos. o autor intenta conciliar os valores católicos com os símbolos primitivos dos habitantes da terra e com os aspectos da nova realidade americana. a um ponto que os colonos manifestarão ódio visceral aos padres da Companhia de Jesus. • A transmissão da fé católica aos indígenas garante a estes um lugar no mundo ( e no além-mundo). Alegrem-se os nossos filhos Por Deus os ter libertado Guaixará vá para o inferno Guaixará. Todos (a seu modo) com razão. Os autos Interessa-nos hoje. destinada à conversão dos indígenas. JOSÉ DE ANCHIETA Boa parte da literatura escrita pelos padres possui uma dimensão meramente informativa.” O papel de Anchieta em nossa literatura O crítico Afrânio Coutinho sustenta que a literatura teria nascido. surgem os primeiros religiosos dispostos a elaborar uma tosca literatura. constituído por deuses e pajés dos nativos. os detratores. Perante essa festa para as emoções e o coração. alternam-se elementos históricos e fictícios. pequenos sermões musicados irrompem no meio das cenas. “dolorosamente arrancados à cultura materna e dolorosamente desarmados ante a bruta realidade da experiência colonial. o indígena vacila em suas crenças. como disse José Guilherme Merquior. Oliveira Neto • A resistência contra a escravidão indígena levada a cabo pelos colonos.

o desnível de desenvolvimento entre ambos os mundos explica a relativa facilidade com que sucumbiram as civilizações nativas. a consciência e ma história claramente colocada no tempo conhecido e no espaço cultural correspondente. Os cavalos e as bactérias. sobre os dois elementos que podem ser considerados a base do futuro indivíduo brasileiro. dispersavam as massas indígenas e semeavam o terror e a morte. cobertos de arreios de guerra. Isso lhes bastou. do papel e da bússola. com refinamento e sabedoria. Não deixa nenhum rastro. as cáries que apodreciam as bocas. porém tinham se extinguido nestas terras. os aliados mais eficientes. aos brasileiros. suas armas lançavam raios mortíferos e obscureciam a atmosfera com fumos irrespiráveis. As bactérias e os vírus foram. • Gênero: literatura de viagem ou de testemunho. Outros mensageiros chegaram depois. a capital dos astecas. o tifo.. pelo fato de ser o duplo testemunho. Mas nenhuma das culturas nativas conhecia o ferro ou o arado. 37 cavalos e encontrou um exército de 100 mil índios. contudo. Compõe-se de uma multiplicidade quase estática de quadros e cenas.(. como pragas bíblicas. A varíola foi a primeira a aparecer. seus organismos não opunham defesas ante as novas enfermidades. brilhantes capacetes que devolviam os dardos e as pedras. Fora essa circunstância. a maior das cidades Espanholas. convencido de que o mesmo formava parte do conquistador: Alvarado se levantou e o matou. São brancas como se fossem de cal”. de Pero Vaz de Caminha. nem o vidro. Poucos cavalos. “A Carta de Caminha tem para o Brasil um duplo valor: o primeiro é aquele imediato de ser a memória estável dos primeiros atos de seu nascimento — ela permite. o segundo. a técnica da traição e da intriga. o português e o índio. que soube dar contemporaneamente. Os europeus traziam consigo. o tracoma. a varíola e o tétano. engenheiros e selvagens da Idade da Pedra. que exigiam unidade de ação. Os estrangeiros traziam “veados que os carregavam tão alto como nos tetos”. a lepra. da imprensa.. várias enfermidades pulmonares. Francisco Pizarro. • Criação do mito do Eldorado tropical e da cordialidade do homem brasileiro. era na época cinco vezes maior que Madri e duplicava a população de Sevilha. presa de pânico. Os cavalos. a sua obra teatral não tem seguidores. Além disso. 10 canhões de bronze e alguns arcabuzes. degolou com a sua lança o cavalo de Pedro de Alvarado. a febre amarela. Oliveira Neto 197 Volume Único . Souberam aliar-se aos tlaxcaltecas contra Moctezuma e explorar com proveito a divisão do império incaico entre dois irmãos inimigos.) Os deuses vingativos que regressavam para acertar contas com seus povos traziam armaduras e cotas de malha. contribuíram para dar forças mágicas aos invasores.2007 . mosquetões e pistolas. • Texto fundador da cultura brasileira. à frente dos maias.Literatura apenas para reafirmar um sistema de idéias alheio ao universo dos próprios índios. “somente apareciam suas caras. por exemplo. Quando reapareceram na América através da conquista. LITERATURA DE INFORMAÇÃO: • Carta de Achamento (1500). * Auto: forma teatral oriunda da Idade Média e caracterizada por sua liberdade em relação às leis clássicas do teatro. E. entrou em Cajamarca com 180 soldados. (EDUARDO GALEANO . O antropólogo brasileiro Darcy Ribeiro estima que mais da metade da população aborígene da América morreu contaminada logo ao primeiro contato os homens brancos. incorporada à da pólvora. Não inicia qualquer tradição no gênero dramático brasileiro. prestaram imensa utilidade militar e econômica.” Silvio Castro. O cacique Tecum. Tenochtitlán. A civilização que se abateu sobre estas terras vivia a explosão criadora do Renascimento: a América aparecia como uma invenção a mais. o inca caiu de costas no chão. montados em briosos cavalos ornamentados e que corriam num rastro de pó com seus cascos velozes. LEITURA SUPLEMENTAR O LADO BRUTAL DA CONQUISTA Havia de tudo entre os indígenas da América: astrônomos e canibais. tempo e espaço. sua importância no panorama da literatura nacional é insignificante. Aqueles que sobreviviam ficavam debilitados e inúteis. Introduzidos na Europa por ginetes árabes. intestinais e venéreas. Fernando Cortez desembarcou em Vera Cruz acompanhado por apenas 100 marinheiros e 508 soldados. Os indígenas foram também derrotados pelo assombro. no entanto. O imperador Moctezuma recebeu em seu palácio as primeiras notícias: um morro grande andava movendo-se pelo mar. “Não seria um castigo sobrenatural aquela epidemia desconhecida e repugnante que acendia a febre a decompunha as carnes?” Os índios morriam como moscas. Moctezuma acreditou que era o deus Quetzalcóalt que voltava. Por toda a parte os seus corpos estavam vestidos. Os conquistadores praticavam também. como os camelos. Mas outros fatores trabalhavam objetivamente para a vitória dos invasores. nem a pólvora. por seu lado. haviam sido originários da América. por isso mesmo. Prof. in A Carta de Pero Vaz de Caminha. A originalidade de Anchieta consiste na criação de objetos culturais com fins religiosos para um público que jamais teria acesso à produção estética dos homens brancos. Atahualpa viu chegar os primeiros soldados espanhóis. trazia 16 cavalos.As veias abertas da América Latina) 1.

querendo-a aproveitar.. teatro moralizante.) Águas são muitas. “A experiência técnica e a capacidade criadora de José de Anchieta ou. De ponta a ponta é tudo praia redonda. revoltada. infindas.. foi abandonada logo em seguida em proveito de uma versificação não só imperfeita como pretensiosa e falsamente erudita. Esmeralda é para os trouxas. Tão fértil eu nunca vi.2007 Pero Vaz de Caminha lendo sua carta para Pedro Álvares Cabral e Frei Henrique de Coimbra. Tem goiabas. Tem. no caso. Óleo sobre tela. in História do Brasil). (Pero Vaz de Caminha. 0. nem prata. nem lho vimos. grandes barreiras. deleitar os índios e ser útil a Deus.) Nelas até agora não pudemos saber que haja ouro.96. • Arte e pragmatismo: delectare et prodesse. 01. assim frios e temperados como os de Entre-Douro e Minho. E em tal maneira é graciosa que. mas de audiência ampla e assegurada. Porém a terra em si é de muito bons ares. 198 Prof. São Paulo. Oliveira Neto . Vossa perna encanareis. os versos “Banana que nem chuchu”. Senhor. pelo menos. dos jesuítas que inauguraram entre nós ao mesmo tempo a poesia e o teatro (. A gente vai passear. No chão espeta um caniço. medida velha. No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro. in A Carta de Pero Vaz de Caminha). me parece que. • Influência medieval: trova. por bem das águas que tem. (. Colégio São Luís. Quanto aos bichos.68 × 0. ou seja. nem coisa alguma de metal ou ferro. Tem macaco até demais. mais adiante. da ponta que mais contra o sul vimos até outra ponta que contra o norte vem. alegoria religiosa. melancias. B. será tamanha que haverá nela bem vinte ou vinte e cinco léguas por costa. ao longo do mar.) ficaram por muito tempo estéreis: a poesia feita para o povo. dar-se-á nela tudo. Carta de Pero Vaz A terra é mui graciosa. De plumagens mui vistosas. “Tem macaco até demais” e “Esmeralda é para os trouxas” exprimem a representação literária da visão do colonizador de maneira: Volume Único . outras brancas. A Terra Esta terra. de que nós deste ponto temos vista. Ficarei muito saudoso Se for embora daqui. (Murilo Mendes. a arca. ingênua.. ainda que por caminhos bem diversos dos jesuíticos. Cruzados não faltarão. tem-nos muitos. Reforçai. Senhor.. de alto nível técnico. 2. em algumas partes. a) b) c) d) e) séria. (. muito chã e muito formosa. e a terra por cima toda chã e muito cheia de grandes arvoredos. leal. No texto de Murilo Mendes. Banana que nem chuchu. Calixto. Poema à Virgem Maria. a poesia voltaria ao povo... Diamantes tem à vontade. irônica.Literatura E xercícios (ITA/2002) Textos para os exercícios 1 e 2. deleitar e ser útil. LITERATURA JESUÍTICA: • Obras do padre José de Anchieta (1534-1597): poesia e teatro. Somente com Gregório de Matos. convertendo-os ao Cristianismo. 1901. in De Anchieta aos Concretos).” (Mário Faustino. Salvo o devido respeito. algumas vermelhas.

Meu Criador (Não Há Cousa Segura) Não há cousa segura: tudo quanto se vê se vai passando. Aponte e comente a ambigüidade com que o substantivo “amargura” é empregado no último verso do poema. Em Deus. (UFPA) A gênese da nossa formação literária se encontra no século XVI. (FUVEST) Entende-se por literatura informativa no Brasil: a) o conjunto dos relatos de viajantes e missionários europeus. in Pau-brasil -1925). muito novas e muito gentis. Pero Vaz de Caminha. Faça a escansão (contagem de sílabas poéticas) dos versos da primeira estrofe. Oliveira Neto BARROCO (séc. Qual palavra do texto de Oswald desloca o poema no tempo. Martins Fontes). d) os poemas do padre José de Anchieta. b) os escritos que os donatários das capitanias hereditárias faziam ao rei de Portugal. meu gosto e meu amor e bem-aventurança. está todo bem e esperança. do doce amor de Deus toda ferida. e) os sonetos de Gregório de Matos Textos para os exercícios 3 e 4. caídos pelas espáduas. Correm doces licores das grandes aberturas do Penedo. toda criatura passa voando. isto é.2007 . de as muito bem olharmos. d) as produções arcádicas. representantes de dois períodos literários distantes. revelam duas perspectivas diferentes. Os dois textos da questão 1. que sentido possui o adjetivo “gentis” no poema de Oswald? Texto para as questões 05 a 07. Indique: a) A diferença entre o texto original e o segundo. 03. XVII ao começo do séc. Em Deus. não tínhamos nenhuma vergonha. As Meninas da Gare Eram três ou quatro moças bem moças e [bem gentis Com cabelos mui pretos pelas espáduas E suas vergonhas tão altas e tão saradinhas Que de nós as muito bem olharmos Não tínhamos nenhuma vergonha (Oswald de Andrade. A vida não tem dura. Justifique a afirmação. XVIII) 199 Volume Único . atualizando-o à contemporaneidade do poeta? 04. 07. vi estar aberta a fonte do verdadeiro lume. com cabelos muito pretos e compridos. na qual deseja ser toda absorvida. in A Carta de Pero Vaz de Caminha (1500). Quem serve a tal Senhor não faz mudança. A segunda estrofe do poema é uma resposta antitética à primeira. longa duração o bem se vai gastando. 08. 06. b) O período literário a que corresponde cada texto.Ed. Ali andavam entre três ou quatro moças. minha alma. meu criador. Levantam-se os errores. Do pé do sacro monte meus olhos levantando ao alto cume. c) as obras escritas com a finalidade de catequese do indígena. e suas vergonhas tão altas e tão cerradinhas e tão limpas das cabeleiras que. b) a história dos jesuítas que aqui estiveram no século XVI. 09. o mundo deixa em calma. duração. e) as poesias de Gregório de Matos. sobre a natureza e o homem brasileiro. 05.Literatura 02. em função da descrição da terra. Dela fazem parte: a) as obras produzidas pelos degredados que eram obrigados a se instalar no Brasil. buscando a outra vida. erros levanta-se o degredo e tira-se a amargura ao fruto azedo! (José de Anchieta. que as trevas de meu (ser) todas consume. in Poemas . Contente assim. Prof. Com base no deslocamento temporal. c) os relatos dos cronistas viajantes.

O homem tenta conciliar a glória e o valor humano despertados pelo Renascimento com as idéias de submissão e pequenez diante de Deus e a igreja. que hei. Incêndio em mares de água disfarçado.. “Para um homem se ver a si mesmo. Se tem espelho e é cego. sentem-se no Brasil os “ecos” do Barroco.. o uso de antíteses e de paradoxos que expressavam a visão de mundo barroca numa época de transição entre o teocentrismo e o antropocentrismo. “Goza... assonância. Metáfora Revolução da poética barroca com o surgimento das metáforas erótico-anatômicas que associavam o amor ao prazer e a natureza à mulher. espelho e luz. Senhor. hipérboles. ” Ofendi-vos. jogo de idéias através do raciocínio lógico. é bem verdade. —Gregório de Matos É de se esperar que os recursos dessa visão de mundo sejam. em sombra. braços sagrados Nessa Cruz sacrossanta descobertos” —Gregório de Matos Prof. É verdade. em que se destacam as obras de Aleijadinho. há uma tentativa de conciliação de idéias antagônicas: Bem – Mal / Deus – Diabo / Céu – Terra / Pureza – Pecado / Alegria – Tristeza / Espírito – Carne Há um crescente pessimismo em face da vida (oposto à vontade de viver e vencer do Renascimento) e tudo lembra ao homem sua morte e aniquilamento. te converte essa flor.. em pó.. analogias e comparações. há mister espelho e há mister olhos. na poesia. Homem está entre céu e terra. para completar-se numa obra. essa beleza. ou resistir à obra para persistir fIel a si mesmo” —J.2007 Na segunda metade do século XVIII. Meu Deus. antítese. goza da flor da mocidade. Pastor Divino. clímax. e o barroco se define pelo movimento e instabilidade. que apura.” Gregório de Matos. uso de metáforas. as figuras: sonoras (aliteração. Há o uso da parábola com finalidade mística e religiosa. em cinza. onomatopéia. consciente de sua grandeza. inversão. e é de noite. Rousset Conhecido também por Seiscentismo (anos de 1600).Literatura “Toda forma exige fechamento e fim. Pranto por belos olhos derramado.” Pe. anacoluto. paradoxo. senédoque. Vieira “Se uma ovelha perdida e já cobrada Glória tal e prazer tão repentino Vos deu. Rio de neve em fogo convertido.” Gregório de Matos • Conceptismo ou quevedismo . Logo.. este foi um estilo literário marcado pela linguagem rebuscada. Senhor. se tem espelho e olhos. e como vivem as chamas.). “Ó não guardes. que ele se encontra ante um dilema: ou negar-se como barroco. em nada. há mister luz. estão presentes duas vertentes: cultismo e conceptismo: · Cultismo ou gongorismo .” —Gregório de Matos Hipérbato denota a desordem do pensamento do homem barroco “A vós correndo vou. Referências históricas • • • renovações culturais trazidas pelo Renascimento fim do ciclo das navegações Reforma Protestante combatida através da ContraReforma contraditórias do artista em face do mundo. Eu sou. da vida. seu dualismo “Ardem chamas n’água. Características Essa situação contraditória provoca o aparecimento de uma arte que expressar também atitudes 200 . são ditosas Salamandras as que são nadantes turbas” —Botelho de Oliveira Paradoxo demonstra a tentativa de fusão dos opostos que atormenta o homem barroco “Ardor em firme coração nascido. em terra. mas perseguido pela idéia de pecado e busca a salvação de forma angustiada. Oliveira Neto Volume Único . que a madura idade. delinqüido Delinqüido vos tenho. No Barroco. silepse. a ovelha desgarrada Cobrai-a e não queirais. eco.) e principalmente semânticas (metáfora.). parece-nos.valorização do conteúdo/conceito. Assim. metonímia. jogo de palavras. pois. como afirmais na Sacra História. dos sentimentos e de si mesmo.. Perder na Vossa ovelha a Vossa glória. não se pode ver por falta de luz. O ciclo do ouro propicia o desenvolvimento das artes em geral. notadamente em Minas Gerais. sintáticas (elipse. não se pode ver por falta de olhos.” —Gregório de Matos Antítese reflete a contradição do homem barroco. são necessárias três coisas: olhos.valorização de forma e imagem. Manifesta-se uma expressão da angústia de não ter fé. Que o tempo trata a toda ligeireza E imprime em toda a flor sua pisada.

capaz de traduzir sua angústia metafísica e religiosa. tendo famosos encontros amorosos com freiras e compondo poemas satíricos. Voltando ao Brasil. Estudou no colégio dos jesuítas. em 1652. Porque no assombro do primor luzido Tem o Sol em seus olhos duplicado. João IV. descreve com todo o esmero de vocabulário típico dos barrocos os muitos frutos brasileiros. ao lado de poesias sérias e reflexivas sobre a condição humana. As frases interrogativas ajudam a refletir a dúvida e a incerteza que caracterizam esse período. Nunca em vida Gregório de Matos publicou um livro. Sua própria produção poética — lírica. ventos. Oliveira Neto Padre Vieira. notadamente a baiana. no açúcar deleitoso. Tinha por apelido “Boca do Inferno”. Por nove anos enfrentou os escravistas. ordenando-se aos 26 anos. e suas poesias. Em 1640. João IV e tendo a confiança dos cristãos-novos. neve. Este poema é um dos primeiros a louvar a terra. lembrando sempre a inveja que fariam às metrópoles européias. devido ao teor de seus poemas. sutil para expressar seus sentimentos amorosos e objetiva e popular nas sátiras. Ao lado de expressões de amor carnal. por que não dura? / Como a beleza assim se transfigura? / Como o gosto da pena assim se fia?” —Gregório de Matos A ordem inversa torna a frase pomposa e traduz os maneios de raciocínio. encontrava-se o jovem rei D. em que se destaca o poema À Ilha Maré. Frei Itaparica e Padre Antônio Vieira. por isso foi banido em 1694 para Angola. alto funcionário da Coroa. sobrevive até hoje em antologias. em nada.Literatura Gradação “Oh não aguardes que a madura idade Te converta essa flor. tornando-se o grande pregador da Corte. manifestou aspirações religiosas. Entre os seus aficionados. Padre Antônio Vieira (1608-1697) Vida: Nasceu em Lisboa e veio menino (seis anos) para a Bahia com seu pai. A pedido dele. sempre ledos. Em terra. como eram chamados) para que injetassem capitais na economia portuguesa. debochou e satirizou a sociedade da época. Vejo ao céu e ao jardim ser parecido. religiosa. litografia do arquivo histórico ultramarino. levou vida desregrada. foi duramente combatido pela Inquisição que terminou por indispô-lo com a autoridade real. onde despertaria o ódio dos colonos por sua encarniçada defesa dos índios. que refrescam o peito. A dualidade Prof. e são sadias. o quarto A. terminando por ser expulso do Maranhão e recambiado para Lisboa. essa beleza. fixou-se no Maranhão. satírica — já mostra a alma barroca deste poeta.” —Botelho de Oliveira barroca percorre toda a obra de Gregório de Matos.” —Gregório de Matos São usados vários símbolos que traduzem a efemeridade e a instabilidade das coisas: fumaça. em cinzas. Sentindo-se fortalecido. em pó. Em Salvador. À Ilha Maré “Quando vejo de Arnada o rosto amado. se acaba o Sol. executou várias funções políticas e diplomáticas. No ano seguinte. tem o segundo A. nos ares puros na tempérie agradáveis e seguros. vazada numa linguagem bem trabalhada. além de retratar a falta de clareza. prega o seu audacioso sermão Contra as armas de Holanda. tem o terceiro A nas águas frias. Sua poesia religiosa é sempre do pecador que se penitencia através de uma lógica argumentativa. Lisboa 201 Volume Único . chama. enquanto a poesia lírica é sensualista e elogiosa. “Porém. que é do Mundo o regalo mais mimoso. já reconhecido. faz uso constante de analogias (campos semânticos) e acentua os contrastes através de antíteses e paradoxos. por que nascia? / Se tão formosa a Luz é. Autores Destacam-se Botelho de Oliveira. colecionadas e publicadas apenas por seus admiradores. Sua principal obra é a coletânea de poemas Música do Parnaso (1705). numa espécie de exílio involuntário.” “Tem o primeiro A nos arvoredos sempre verdes aos olhos. Assim a revolução capitalista que ele propunha para o seu país também naufragou. Em sua obra.2007 Gregório de Matos Guerra (1623 – 1696) . Embora apoiado por D. onde brotaria sua vocação sacerdotal. juntamente com outros missionários. em sombra. Manuel Botelho de Oliveira (1636 – 1711) O primeiro escritor nascido no Brasil a ter um livro publicado. Gregório de Matos. volta para Lisboa. de certeza diante das coisas. espuma etc. água. Vieira passou a defender abertamente o retorno dos judeus (“gentes de nação”.

deslindando as metáforas da linguagem bíblica e as “aparências enganosas” do universo através de interpretações pessoalíssimas. a revelar uma inteligência voltada para as coisas sacras e. à capacidade de compreensão das pessoas.deter-se nos “pormenores da vida”. lírico.). Oliveira Neto 202 . uma extraordinária força poética emerge de seu texto. Como hão de ser as palavras? Como as estrelas. violência. Vieira quer ser entendido e chega a atacar os excessos formais que obscurecem o significado: Se gostas de afetação e pompa de palavras e do estilo que chamam culto. religiosidade medieval e messianismo*. João IV. O ornamento barroco às vezes vira encantadora simplicidade. estabelecendo residência definitiva na Bahia. com seu artificialismo e seu gosto exagerado pela antítese. que ressuscitaria para levar Portugal a seu grande destino religioso e político. Usa todos os truques da oratória para seduzir os ouvintes: é ao mesmo tempo dramático. Ele vai buscar no passado o comentário alusivo ao tempo presente. o padre Antônio Vieira é um caso singular da época barroca com sua curiosa mistura de idéias avançadíssimas. Para nascer. Mas se nos deu o brasão que nos havia de levar da pátria. O principal alvo de sua crítica são os pregadores cultistas. levando Fernando Pessoa a designá-lo como o “Imperador da língua portuguesa”. irônico. História do Futuro (1854). o mundo. como no fragmento abaixo. para que entendêssemos que o brasão de nascer portugueses era a obrigação de morrer peregrinos: com as armas nos obrigou Cristo a peregrinar. Vieira prefere . Disposto a retomar a luta a favor dos cristãosnovos. para a vida social portuguesa e brasileira de então. a glória em Roma não lhe bastava. da outra hão de dizer subiu. A Lógica Bíblica de Os Sermões: Eloqüente e apaixonado. pouca terra. Os sermões. etc. também nos deu a terra que nos havia de cobrir fora dela. extraído do Sermão de Santo Antônio: Sermão.ao pregar em público . (“O verdadeiro Império de Cristo”). O Vigor da Oratória: Apesar do alto nível de sofisticação filosófica e teológica. traduzido para o holandês em 1646 Quis Cristo que o preço da sepultura dos peregrinos fosse o esmalte das armas dos portugueses. Porém. Nascer pequeno e morrer grande é chegar a ser homem. pedantismo. isto é. ocorrida em 1656. Por vezes. Vieira começara a forjar a utopia do Quinto Império. elabora os sermões dentro da técnica medieval. Obra principal: Os sermões (1679-1748). em 1669. indignado. sua utilização visa sempre a realçar a mensagem. torná-la mais convincente. muito distinto e muito claro. Além disso. Aprendamos do céu o estilo da disposição e também o das palavras. notável conjunto de obras-primas da oratória ocidental. No conhecido Sermão da Sexagésima. Condenado pela Inquisição. constituem um mundo rico e contraditório. atacando os vícios (corrupção.2007 Após a morte de D. modéstia. de Vieira. caridade. e elogiando as virtudes (religiosidade. simultaneamente. Isso lhe dá um enorme campo de assuntos e garante o caráter variado e inesperado dos sermões.). da outra há de estar negro. Amargurado. para morrer. a Inquisição usaria essas profecias para persegui-lo. Por isso nos deu Deus tão pouca terra para o nascimento e tantas para a sepultura. mas nos deparamos também com uma atormentada ânsia da eternidade. Prof.Literatura Volume Único . viajou para Roma. de uma parte dizem desceu. toda a terra. mas sem renunciar à visão messiânica sobre o futuro de Portugal. se de uma parte dizem luz. Cardeais e membros da realeza deslumbravamse com os seus sermões. João IV. para nascer. para morrer. Ordenado. Se de uma parte está branco. não me leias. decidiu voltar em 1681 para o Brasil. Neles encontramos uma grande crônica da história imediata. (Vieira jamais se absteve das grandes questões cotidianas e políticas do seu século). Suas poderosas construções verbais mesclam imagens retóricas com graciosos engenhos de linguagem. fulmina a linguagem rebuscada e defende a argumentação clara e harmoniosa. As estrelas são muito distintas e claras. da outra há de estar noite. Em Lisboa. Não fez Deus o céu em xadrez de estrelas como os pregadores fazem o sermão em xadrez de estrelas. se de uma parte está dia. e com a sepultura nos empenhou a morrer. analisando as incontáveis paixões humanas. onde morreria com oitenta e nove anos. O pregar há de ser como quem semeia e não como quem ladrilha ou azuleja. seja das sociedades. Assim há de ser o estilo do pregador. que só a religião parece atender. etc. regressou a território português. da outra hão de dizer sombra. Apesar de pertencer à tradição do pensamento português. Mais uma vez fracassaria em seus intentos. a ser comandado pelo próprio D. Se o grande orador não foge de muitos dos artifícios estilísticos da época barroca. conseguindo absolvição e prestígio. o padre está sempre atento às condições objetivas do auditório. Basta que não havemos de ver num sermão duas palavras em paz? Todas hão de estar sempre em fronteira com o seu contrário. Portugal. mas como as estrelas. seja dos indivíduos. Vieira passou vários anos se defendendo de seus inquisidores. e portanto mais próximo da literatura lusa que da brasileira. Em sua segunda estada no continente europeu (1661-1681).

os vivos dos mortos.) E que duas coisas enigmáticas são estas? Pulvis es et in pulverem reverteris. chegando a requerer a substituição dos escravos índios por negros. porque sei que me espera uma eternidade ou no Céu ou no Inferno. ambas temerosas. Acompanhe o engenho e o brilho desse texto: Duas coisas a Igreja prega hoje a todos os mortais: ambas grandes. os vivos são pó que anda. como se não houvera tal vida. No entanto. Ora senhores. Uma é presente. porque nos esquecemos tanto da vida eterna. é tomado de ira santa. estes ossos. É odiado pelos grandes proprietários que o tem como o maior inimigo.diz o Santo . Mas uma de tal maneira certa. por onde se entra à eternidade. como se esta vida fora eterna. outra de tal maneira certa. Mas reviver e ressuscitar à imortalidade.. e da outra como imortais. matar-me pelo que forçosamente hei de deixar. A Questão do Escravismo: A ambigüidade de Vieira é visível no problema da escravatura. assim como se distingue o pó do pó. porque sei que hei de viver para sempre. tanto receio da morte temporal. temo a imortalidade. são enforcados. roubam e despojam os pobres. em 1655 e do qual esta passagem é bastante conhecida: Não são só ladrões . Em pó vos haveis de converter é a futura. nós também somos pó. E o objetivo do padre é fornecer a tradução da cifrada linguagem divina para o seu momento histórico.. e por meio dessas referências. saibamos usar da morte e da imortalidade. Eu não temo hoje o dia de Cinza. os escravos despidos e nus. (.) Ora suposto que já somos pó e não pode deixar de ser. Assim. em que nos distinguimos os vivos dos mortos? Os mortos são pó. se furtam. Tomemos como exemplo: Os senhores poucos. este corpo.. estes furtam e enforcam. ou a administração das cidades. os outros furtam debaixo de seu risco. Oliveira Neto temor? Mortos. onde as questões da morte e da eternidade avultam a todo momento. porque tratamos das coisas desta vida. já que somos cristãos. para lhe colher a roupa.. esta carne. Distinguimonos. ambas tristes. O Olhar sobre a Vida Concreta: Inúmeros outros sermões desse padre jesuíta partem de alusões religiosas para comentar criticamente aspectos da sociedade brasileira ou portuguesa. Quando considero na vida que se usa.os que cortam bolsas ou espreitam os que se vão banhar. outra futura. e não outro. negada aos que os brutalizavam. A mim não me faz medo o que há de ser o pó. acho que nem vivemos como mortais. que nenhum entendimento basta para a alcançar. já que sabemos que havemos de morrer e que somos imortais. Tratemos desta vida como mortais. os senhores rompendo galas.) Este homem. desenganai estes vivos. uma passagem do Livro Sagrado funciona como espelho de uma situação atual. os escravos muitos.. não fazer nenhum caso? Tantas diligências para esta vida. e com muita razão.2007 . Como intelectual e homem de ação envolve-se na luta em defesa dos índios contra os colonos que desejavam aprisioná-los. os senhores tratando-os como brutos. os outros. fulminou-os no Sermão do bom ladrão. Contraditoriamente. não manifesta o mesmo ardor contra a escravidão de africanos. mas depois do pó. Eu não temo na morte a morte. estes sem temor. pode haver cegueira mais cega do que empregar-me todo na vida que há de acabar. Implacável inimigo dos corruptos. e da eterna nenhum Prof. os senhores em pé apontando para o açoite. (. mostrando sua profunda relação com a vida pública. João IV. Mortal até ao pó.Literatura Sempre há um episódio ou uma citação da Bíblia em suas pregações. Embora isso hoje pareça hipocrisia ou ideologia justificatória do escravismo. Pode haver loucura mais rematada. este eu. Diógenes que tudo via com mais aguda vista que os outros homens. Uma porta de vidro por onde se sai da vida. temo hoje o dia da Páscoa. estes olhos. perguntar-me-eis. mortos. Dizeinos que pensamentos e que sentimentos foram os vossos. os senhores nadando em ouro e prata. que não é necessário entendimento para a crer. os mortos são pó caído. e do que hei de lograr ou perder para sempre. Tudo na Bíblia têm um sentido oculto. Temas religiosos: O interesse pela existência cotidiana da Colônia e pelo futuro histórico de Portugal não impedem Vieira de desenvolver uma oratória estritamente religiosa. afligir-me. 203 Volume Único . e evidente. O fragmento abaixo pertence ao Sermão de Quarta-feira de Cinzas. os escravos perecendo à fome. Sois pó é a presente. estes roubam cidades e reinos. os mortos são pó que jaz. nem vivemos como imortais. os escravos adorando-os e temendo-os como deuses. A morte tem duas portas. os senhores banqueteando. é o que há de morrer? Sim. ambas certas. no ano de 1672. ou o governo das províncias. Os vivos são pó levantado. viu que uma grande tropa de varas (juízes) e ministros de justiça levavam a enforcar uns ladrões e começou a bradar: “Lá vão os ladrões grandes enforcar os pequenos. apresentado diante de D. já com força.” Ditosa Grécia que tinha tal pregador! Quantas vezes se viu em Roma ir a enforcar um ladrão por ter furtado um carneiro. os quais já com manha. e no mesmo dia ser levado em triunfo um cônsul ou ditador por ter roubado uma província. ele penetra no turbilhão do cotidiano. atacando os senhores rurais e comparando os sofrimentos dos cativos ao sofrimento de Cristo. pregado em Roma.. ao ver as torturas e humilhações aplicadas aos últimos no Brasil. os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões. nem perigo. Os outros ladrões roubam um homem. na época tal pregação tinha um fundo sentido subversivo porque conferia aos escravos uma condição humana (em oposição á desumanidade dos senhores) e oferecia-lhes um passaporte para a eternidade. outra porta de diamante. esta pele. quando entrastes e saístes pelas portas da morte. imortal. porque sei que hei de ressuscitar. nenhuma diligência para a outra vida? Tanto medo. pois Deus o disse. os escravos carregados de ferros. e dificultosa. Sois pó e em pó vos haveis de converter. Não vivemos como imortais. e não tratar da vida que há de durar para sempre? Cansarme. Não vivemos como mortais. (.

migrando para os Países-Baixos. o padre jesuíta estuda a história de seu país e descobre que a decadência lusa decorrera da expulsão da burguesia judaica pelo clero e pela nobreza feudal. de Cláudio Manuel da Costa em 1768 Principais autores: Gregório de Matos e Pe. pelos “caminhos arbitrários de uma fantasia prodigiosa”. poderá tornarse. Sabe que o reerguimento econômico de Portugal passa pela existência de uma burguesia próspera e criativa. Sinopse Marco inicial do Barroco no Brasil: poema épico Prosopopéia. no século XVI. meu Senhor. Oh Deus! Quantas graças devemos à Fé que nos destes. Maldade. ele sintetiza genialmente. a iniciativa e a capacidade de criar riquezas. Agora. Surpreendentemente. reconheçamos contudo vossa justiça e providência! Estes homens não são filhos do mesmo Adão e da mesma Eva? Estas almas não foram resgatadas com o sangue do mesmo Cristo? Estes corpos não nascem e morrem com os nossos? Não respiram o mesmo ar? Não os aquenta o mesmo sol? Que estrela é logo aquela que os domina tão triste. Abraços. Caracetrísiticas: * * * Influência da Escolástica (razão e fé) Representante do estilo barroco conceptista Temas políticos. grêmios eruditos e literários. De coração vos busco. como aponta Antônio José Saraiva. Terra Prometida. o padre Antônio Vieira representa as contradições. Vieira cria o mito do “Quinto Império português”. Misericórdia. Nele se daria o advento final de Cristo. tão ao gosto dos portugueses. Percebe também que esses homens de negócios. que me rendem vossa luz. Vaidade. mestre das palavras. é bem verdade. b) Cartas (1735/46). não se tornará. que claro me mostra a salvação. e ofendido. meu Deus. que esperam até hoje pelo retorno de D. 1718. sociais. como imagens valíssimas da servidão e espetáculos de extrema miséria. que todo me há vencido. c) História do Futuro. os extremos e os excessos do espírito barroco. Sebastião. profeta enlouquecido. Vencido quero ver-me e arrependido. dai-me abraços. Volume Único . de Bento Teixeira Pinto em 1601. quer trazê-los de volta. à vista destas desigualdades. Ofendido vos tem minha maldade. na condição de cristãos-novos. os escravos prostrados com as mãos atadas atrás. Um Homem Barroco: Orador sacro fascinado pelos dramas humanos. Luz. inimigo da Inquisição. econômicos. porque só ela cativa o entendimento para que.” Manoel de Barros – poeta (1916 . As mais fecundas foram Basílica dos Esquecidos. a exemplo de Portugal. que encaminha a vaidade. 15 vols. ao lado dessa visão utópica e irracional. Obras de Padre Antônio Vieira: a) Sermões (1679-1748). morto em 1578.Literatura como estátuas da soberba e da tirania. Sob este ângulo. A salvação pretendo em tais braços. Final do Barroco brasileiro: Obras Poéticas. 1856/57. Espírito que. indivíduo ao mesmo tempo místico e realista. Arrependido estou de coração. amor. Jesus! —Gregório de Matos Prof. com a derrota de todas as heresias e rebeliões protestantes. Arrependido a tanta enormidade.2007 204 . suas idéias econômicas são revolucionárias para a época. formam-se academias. tão inimiga. Jesus. como nenhum outro escritor do século XVII. Delinqüido vos tenho. 3 vols. tão cruel? O Líder Utópico e o Líder Pragmático: Atormentado. Oliveira Neto Quinta onde Vieira passou os últimos anos de sua vida. a ser localizado no Brasil. Basílica dos Renascidos e Academia dos Felizes (RJ). levaram consigo a audácia. Verdade é. Antônio Vieira Textos Pecador contrito aos pés de Cristo crucificado Ofendi-vos. combatente religioso. d) Esperanças de Portugal.) Academias No Brasil. que hei delinqüido. defensor dos judeus e dos escravos. Trata-se do mais delirante messianismo. Se quiser tornar-se escritor. morais e religiosos * Atuação político-religiosa destacada Sermões Famosos: * * * * Sermão da Sexagésima Sermão de Santo Antônio aos Peixes Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda Sermões do Mandato “Se você quiser tornar-se cristão lendo Vieira. Foram as academias brasileiras o último centro irradiador do barroco literário e o primeiro sinal de uma cultura humanística viva na sociedade brasileira.

são os ladrões de maior calibre e de mais alta esfera.. Vieira BARROCO (SÉC XVII — SEISCENTISMO) SITUAÇÃO HISTÓRICA • Absolutismo / Contra-Reforma / Mercantilismo / Colonialismo MARCO INICIAL • Publicação do poema Prosopopéia. surpreendente. paradoxo. gradação Aliteração. Os outros ladrões roubam um homem. que é infinito. os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título. assonância Hipérbato. quiasmo TEMÁTICA • • • • • • • Angústia mística: salvação / perdição Angústia existencial: Vida/morte (efemeridade da vida) Fugacidade do tempo Angústia existencial: Sensualismo / platonismo Carpe diem / pessimismo ESTILOS • • • • Cultismo (gongorismo) Descrição.. firme e inteiro: neste lance. Não são só ladrões. e abater os que aqui nascem? Se o fazeis pelo interesse de que os estranhos vos gabem.Literatura Meu Deus. em 1601 CARACTERÍSTICAS • • • • • • • Dualismo fusionista: Teocentrismo e Antropocentrismo Sinuosidade labiríntica: obscuridade / complexidade Ornamentalismo (figuração abundante) Antítese. Porque no assombro do primor luzido Prof.) —Gregório de Matos Ladrões Suponho. poeticamente chamada Anarda: Quando vejo de Anarda o rosto amado. —Gregório de Matos Descreve com mais individuação a fidúcia com que os estranhos sobem a arruinar sua república Senhora Dona Bahia. sobre a beleza de sua musa. neste conflito Espero em vosso amor de me salvar. Dizei-me por vida vossa em que fundais o ditame de exaltar os que aqui vêm.2007 . por ser o derradeiro pois vejo a minha vida anoitecer. por mais que pequei. Oliveira Neto 205 Volume Único . que estais pendente de um madeiro em cuja lei protesto de viver. que os ladrões de que falo. O ladrão que furta para comer. mas levam. ou a administração das cidades. e não o vosso amor. de Bento Teixeira. Todavia.. a quem a pobreza e vileza de sua fortuna condenou a este gênero de vida. Vejo ao céu e ao jardim ser parecido. Meu Deus. ou espreitam os que vão se banhar. diz o Santo. roubam e despojam os povos. Cultismo: estilo barroco derivado do poeta espanhol Luís de Gôngora.) —Pe. madrasta dos naturais. são aqueles a quem os reis encomendam exércitos e legiões. já com força. e dos estrangeiros madre.. não vai nem leva ao inferno: os que não só vão. o manso cordeiro. intelectualismo — engenhosidade conceitual (plano abstrato-racional) AUTORES E OBRAS • • Gregório de Matos — Poesia lírica e satírica Padre Antônio Vieira — Prosa doutrinal (Sermões) DUALISMO ESTILÍSTICO: Cultismo e Conceptismo 1. se tem força desta sentença.. em cuja santa lei hei de morrer animoso. não se trata de um retratismo sereno e equilibrado mas de um quadro exuberante. finalmente. (.. a hora de se ver a brandura de um pai. Mui grande é o vosso amor e o meu delito: Porém pode ter fim todo o pecar. ou o governo das províncias. intenso. Que. nobre e opulenta cidade. isso os paisanos fariam com conhecidas vantagens. mor força terá a verdade. de que eu trato. os quais debaixo do mesmo nome e do mesmo predicamento distingue muito bem S.. que estais pendente. para lhes colher a roupa. o cultismo ou gongorismo manifesta-se sobretudo pela descrição. oxímoro Metáfora. os quais já com manha. porque a mesma sua miséria ou escusa ou alivia o seu pecado. pela pintura com palavras.. hipérbole. em que predominam as metáforas visuais de sugestões cromáticas e hiperbólicas.. como diz Salomão.. é. constante. meu Jesus. Vejam-se como exemplo as duas primeiras estrofes de um soneto do poeta baiano Manuel Botelho de Oliveira. Basílio Magno. não são aqueles miseráveis. Esta razão me obriga a confiar. estes roubam cidades e reinos (. os que cortam bolsas. E suposto que os louvores em boca própria não valem. sensorialismo — agudeza metafórica (plano material-formalista) Conceptismo (quevedismo) Idéia.

a inquisição. o roubar com pouco poder faz os piratas. d) Identidade entre serpente e o mês de maio (= primavera). as ações. “A definição do Pregador é a vida e o exemplo. o pregador tenta convencer os ouvintes de que entre eles “há muita diferença”. voltados para a exploração aguda do raciocínio. o absolutismo. e) Ao descrever a cena em que Alexandre repreende o pirata. e) Texto predominantemente conotativo. Reparai. sou ladrão. Ter o nome de Pregador. uma coisa é o semeador e outra o que semeia. que procura racionalizar. O texto é exemplo de poesia cultista ou gongórica. em que o conceito se sobrepõe às imagens. prados amenos. hoje pela conquista do espaço e os avanços da técnica — e as peias de uma estrutura anacrônica que o aliena das novas evidências da realidade — ontem a contra-reforma. No exemplo aseguir. Assinale a alternativa que apresenta a melhor explicação para essa classificação: a) No texto. 01. da insegurança. Porque se vê nas faces reduzido Todo império de Flora venerado. seminare. as obras. dilacerado entre a consciênciade um mundo novo — ontem revelado pelas grandes navegações e as idéias do humanismo. (MACK/2004) Texto para os exercícios 2 e 3. in O Lúdico e as Projeções do Mundo Barroco). logicizar.2007 . o exemplo. porque roubais em uma armada. em que ocorre a sobreposição de metáfora com metonímia. são as que convertem o mundo. uma coisa é o Pregador e outra é o que prega. 206 E xercícios Texto para o exercício 1. donde resulta uma descrição abstrata fundada na agudeza dos procedimentos. A serpe. com o gosto pela sutileza de pensamento. sois imperador? Assim é. d) A história de Alexandre evidencia a submissão dos pescadores do mar Eritreu. tanto o artista barroco quanto o moderno exprimem dramaticamente o seu instante social e existencial. A tradição historiográfica aponta o poeta e prosador espanhol Quevedo como o mais ilustre representante desse estilo. Em oposição ao materialismo imagístico (e imaginoso) do cultismo. daí quevedismo corresponder à conceptismo. o sistema cruel das sociedades altamente industrializadas. Assinale a alternativa correta. qui seminat. Tais relações partilham tanto da natureza da metáfora quanto da metonímia. (Manuel Botelho de Oliveira. O semeador e o Pregador é nome. denomina uma tendência estilística barroca cujo interesse recai sobre o argumento. e vós. extraído do Sermão da Sexagésima. que não era medroso nem lerdo. 02. Entre o semeador e o que semeia há muita diferença. o subdesenvolvimento das nações pobres. Vivendo aguda e angustiosamente sob a órbita do medo. Com passos mais oblíquos que serenos. da linguagem. Trata-se de um esforço retórico. Conceptismo: termo derivado do espanhol “concepto” (= idéia). respondeu assim: Basta. senão ao que semeia. que eu. os Alexandres. b) Identidade conceitual entre serpente e primavera (= maio). ou ser pregador de nome não importa nada. Entre belos jardins. senhor. c) O autor utiliza-se de episódio narrativo como estratégia argumentativa. É maio errante de torcidas flores. o estilo conceptista preocupa-se com o plano semântico. perplexas. o que semeia e o que prega é ação. da instabilidade. o roubar muito é grandeza. b) A pergunta do pirata é argumento para o autor inocentá-lo. fazendo com que a arte também assuma formas agônicas. Navegava Alexandre em uma poderosa armada pelo mar Eritreu a conquistar a Índia. do padre Antônio Vieira. o autor revela o lado agressivo dos imperadores. Por isso Cristo no Evangelho não o comparou ao semeador. Antônio Vieira. Prof. perplexo. donde resulta uma descrição sensorial fundada na metáfora aguda. a) A partir de uma idéia geral. Equivalentes na aparência. in Música do Parnaso). (Pe. O roubar pouco é culpa. hoje o risco da guerra nuclear. donde resulta insinuante descrição denotativa. e as ações são as que dão o ser ao Pregador. 2. pelo engenho conceitual. Oliveira Neto Volume Único . O melhor conceito que o Pregador leva ao púlpito. c) Associação das cores da serpente com o mês de maio (= primavera. Nas faces considero equivocado De açucenas e rosas o vestido.” “O homem barroco e o homem do século XX são um único e mesmo homem agônico. saiu a semear o que semeia: Ecce exiit. senão. pelo acirrado raciocínio lógico aplicado às idéias. porque roubo em uma barca. procedimento que demonstra a propensão do texto para a dissertação imaginosa. o autor chega a uma conclusão de caráter particular.Literatura Tem o sol em seus olhos duplicado. repreendeu. “serpente” está para “maio”. que por ali andava roubando os pescadores. o jesuíta esforça-se para diferenciar os conceitos de “semeador” e “o que semeia”. qual cuidais que é? É o conceito que de sua vida têm os ouvintes. o roubar com muito. dilemático. Uma coisa é o soldado e outra coisa é o que peleja. na Europa). portanto abstrato.o muito Alexandre de andar em tão mau ofício. Da mesma maneira. que adornando várias cores. (Affonso Ávila. Sermão do Bom Ladrão). assim como “maio” está para “primavera”. a vida. razões suficientes para aproximar o texto da tendência denotativa do cultismo. pois se funda na ordem racional dos termos. uma coisa é o governador e outra o que governa. Não diz Cristo: Saiu a semear o semeador. e como se fosse trazido à sua presença um pirata. porém ele. dilemáticas”.

Airosa rompe. b) hipérbato. na galhardia De uma mulher. é bem verdade. Matem-me. ÂNGELA Não vira em minha vida a formosura. . que não era medroso nem lerdo. A N. Ontem a vi por minha desventura Na cara. Vencido quero ver-me e arrependido. c) ( ) O fato de a beleza angelical da mulher provocar a perdição do eu lírico é um paradoxo. e ofendido. que encaminha a vaidade. segundo o qual o homem deve dirigir-se a Deus para. uma vez mais e sempre. disse então por defender-me. que da manhã lisonjeada. Sulca ufana.Literatura 03. 04. respondeu assim. que hei delinqüido. presente em o roubar muito. de forma que o bem torna-se agente do mal. Florida galeota empavesada. Ofendido vos tem minha maldade. Essa modalidade poética é um dos traços da exclusividade estilística da poesia atribuída a Gregório de Matos. Abraços. quer afastar-se. Fábio. O texto apropria-se de um lugar comum do discurso ideológico da Contra-Reforma. Com base nas respostas dadas às questões 2 e 3. 05. SENHOR JESUS CRISTO COM ATOS DE ARREPENDIMENTO E SUSPIROS DE AMOR Ofendi-vos. que claro me mostra a salvação. que se trajava em criatura. preocupado com a perdição do pecado. do que eu perder-me. in Obra Poética) [Ed. arrasta presumida. Luz. II. que em Anjo se mentia. Delinqüido vos tenho. que consiste na retomada do último vocábulo de um verso no início do seguinte. e tanto exagerar-me. Rosa. o roubar muito é grandeza. Maldade. A salvação pretendo em tais abraços. ao mesmo tempo. no bom ar. reiterar seu permanente estado de culpa. 207 Volume Único . É verdade. o excerto do padre Antônio Vieira deve ser classificado como barroco cultista ou barroco conceptista? Justifique. Púrpuras mil com ambição dourada. Somente I e II estão corretas. c) hipérbole. Texto para os exercícios 9 e 10. Texto para o exercício 05. Se esta a cousa não é. Senhor. Olhos meus. Funda-se em processo cultista chamado anadiplose. Somente I está correta. Texto típico da lírica religiosa atribuída a Gregório de Matos. 07. Arrependido estou de coração. presente em O roubar pouco é culpa. “Sol” e “criatura”. Record]. e me movia A querer ver tão bela arquitetura. que encarecer-me Sabia o mundo. que de abril favorecida Por mares de soberba desatada. e) sinestesia. navega destemida. Record]. meu Deus. que todo me há vencido. Somente II e III estão corretas. presente em repreendeu-o muito Alexandre de andar em tão mau ofício. Todas estão incorretas. assim como a perdição que ele pode provocar está para o mal. 08. nesta vida. que pode representar o apreço do estilo gregoriano pelo movimento sinuoso. Antes olhos cegueis. já o desejo de quererse cego diante da beleza da mulher provém do lado espiritual do poeta. Observe as asserções e responda. 06. Oliveira Neto a) b) c) d) e) Todas estão corretas. a constituição íntima do sujeito lírico tal como se apresenta no poema é uma e indivisível. Jesus! Jesus! (Gregório de Matos. E ouvida me incitava. Gregório de Matos. disse eu vendo abrasar-me. pelo modo como estão dispostos nos versos 7 e 8. d) ( ) “Anjo” está para bem. De coração vos busco. Trata-se de: a) metáfora. in Obra Poética [Ed. o que consiste em mais um traço da exclusividade estilística de Gregório de Matos. Encontra-se no texto figura de linguagem típica do estilo seiscentista. formam um quiasmo. “Anjo”. PONDERA AGORA COM MAIS ATENÇÃO A FORMOSURA DE D. DESENGANOS DA METAFORICAMENTE VIDA HUMANA É planta. presente em porém ele. III. Vaidade. o roubar com muito. com medo de perder-se no pecado. b) ( ) Os vocábulos “mulher”.2007 É a vaidade. Logo. que me rendem vossa luz. Ouvia falar nela cada dia. o texto pode ser considerado conceptista por apresentar esforço dialético no sentido de apresentar a defesa de um princípio ou de uma posição retoricamente assumida. Se a beleza heis de ver para matar-me. d) antítese. os Alexandres. De um Sol. Prof. a) ( ) O poeta expõe sentimentos contraditórios ao contemplar a beleza de uma mulher: sente-se atraído e. Assinale C para certo e E para errado. dai-me os braços. e) ( ) O desejo de “querer ver a formosura” provém do lado humano carnal do eu lírico. Arrependido a tanta enormidade. presente em o roubar com pouco poder faz os piratas. Misericórdia. Apesar disso. amor. I. A disposição dos vocábulos do início e do final dos versos sugere uma espiral descendente. os Alexandres.

LHE ATIRA COM SEU APAGE1. o verde. no século XVIII. tarde a rosa? Gregório de Matos. Com sua língua. ao ouro. com as formas sociais de convivência rígidas. A que se referem os dois últimos versos do soneto? 208 . em uma gravura do século XVIII A relação com o Iluminismo As mudanças estéticas terão por base uma revolução filosófica: o Iluminismo. ser rosa. A que estilo do Barroco o soneto anterior pertence? Texto para os exercícios11 e 12. ontem garlopa. Galhardias apresta. proteção Mostra o patife da nobreza o mapa. defeco. os iluministas conciliarão os interesses da burguesia com certas parcelas da nobreza. que em breve ligeireza. tampouco a fé cega nos mandatários da Igreja. na música. preferem-se materiais mais simples. in Obra Poética . Os criadores do Iluminismo (ou Ilustração) já não aceitam o “direito divino dos reis”. são construídas igrejas e palácios solenes que causam um misto de respeito e admiração por aquilo que significam . A flor baixa se inculca por tulipa. ferramenta de Mais isento se mostra o que mais chupa. alentos preza: Mas ser planta. com a pesada solenidade do Barroco. baseada mais no sensitivo do que no racional.o Poder de Deus e o Poder do Estado .2007 ARCADISMO ORIGENS Se no século XVII. insatisfeitas com o absolutismo real. 10. perenidade × efemeridade. pode ser Papa. voltado para o desconhecido. o rosa. Em seu primeiro momento. Marcenaria Para a tropa do trapo vazo a tripa. 11. Ao mármore. através da celebração do despotismo esclarecido . resolvidas e decididas pelo poder da razão.Literatura É nau. ipa. opa. e) pessimismo quanto à possibilidade de redenção do homem. Por oposição ao século anterior. As luzes do esclarecimento ajudam os homens a entender o mundo e a combater preconceitos.no século XVIII são construídas casas graciosas e belos jardins. ou seja. in Obra Poética [Ed. c) temor diante dos perigos que a vida errante oferece. ferro a planta. ao nobre o vil decepa. mais increpa. As novas idéias assentam um golpe definitivo na visão de mundo barroca. O tema central do soneto poderia ser resumido pelo binômio: Volume Único . simplificar a arte. O velhaco maior sempre tem capa. porque a Musa topa pouco me importo Em apa. anunciando um novo sentido de vida. b) espírito de aventura. na literatura e na arquitetura Prof. As manifestações artísticas do século XVII (Arcadismo ou Neoclassicismo e Rococó*) refletem a ideologia da classe aristocrática em decadência e da alta burguesia. Record). E agora é a razão (e não mais a crença religiosa ) que aparece como sinônimo de verdade. principalmente atento à conclusão contida na última estrofe. Quem mais limpo se faz. razão × fé. Com presunção de Fênix generosa. tem mais carepa. flor nobre Bengala hoje na mão. Ao pomposo. Montesquieu. Considerando o soneto anterior. upa. Record]. preferem-se o pastel. enfim. prazer × dor. ao bronze. mais no religioso do que no civil. Mas o aspecto revolucionário do pensamento de Voltaire. 09. Qualquer poder ou privilégio precisa ser submetido a uma análise racional.Ed. Quem dinheiro tiver. durante o período do Barroco. assinale a alternativa que traduz corretamente uma das posturas existenciais típicas do Barroco. ser × parecer. ligeiro trepa. Às cores carregadas das igrejas e dos castelos. Diderot e outros é a afirmação de que todas as coisas podem ser compreendidas. artificiais e complicadas. Voltaire e Rousseau. dois pilares do Século das Luzes. (Gregório de Matos. se prefere o íntimo e o frívolo. E mais não digo. d) desengano e abatimento em face da brevidade da vida. procura-se. Quem menos falar pode. Quem tem mão de agarrar. E esta simplificação se dará na pintura. se aguarda sem defesa Penha a nau. 12. nau vistosa De que importa. a) atribuição de um estado de espírito a elementos da natureza.valorizando reis e príncipes que se cercavam de sábios para gerir os negócios público. epa. CONTEMPLANDO NAS COUSAS DO MUNDO DESDE O SEU RETIRO. Oliveira Neto a) b) c) d) e) esperança × desalento. COMO QUEM A NADO ESCAPOU DA TORMENTA Neste mundo é mais rico o que mais rapa.

estes pastores e estes rebanhos são artificiais como aqueles cenários de papelão pintado que a gente vê no teatrinho infantil. essa literatura pastoril não surge da vivência direta da natureza. Como na literatura clássica. cobrar dos árcades realismo do cenário e sim atentar para os sentimentos e idéias que eles. no século seguinte. o homem que “imita” a natureza em sua ordenação. que é proporcional à reação antibarroca do movimento. perderá de todo o caminho. e os neoclássicos franceses retornam às fontes da antiguidade que definiam a poesia como cópia da natureza.ao avesso da confusão e do retorcimento barroco . Não devemos. 2) IMITAÇÃO DA NATUREZA Ao contrário do Barroco. exacerbação das emoções.como pode o artista ter certeza de que sua obra é integralmente simples? A saída está na imitação (que significa seguir modelos e não copiar). Que em tudo quanto vive nos descobre A sábia natureza. Sendo assim.Literatura pelo domínio da razão. racional. e não poderá jamais alcançar aquela força. minha bela Marília. em estilo rococó O pintor francês Watteau é o grande intérprete do refinamento das elites francesas do século XVIII. em sua serenidade. nos sentemos à sombra deste cedro levantado. antes da Revolução. preferencialmente os pastoris. do espanhol Luis Paret. E para atingir esses requisitos exige-se a imitação dos autores consagrados da Antiguidade. isto é. * Rococó: estilo artístico de fins do século XVIII marcado pela delicadeza e pela ornamentação excessiva CARACTERÍSTICAS 1) BUSCA DA SIMPLICIDADE A fórmula básica do Arcadismo pode ser representada assim: Verdade = Razão = Simplicidade Mas se a simplicidade é a essência do movimento . Perdendo suas ligações com a realidade. energia e majestade com quem nos retratam o formoso e angélico semblante da natureza. ou seja. num inconseqüente jogo de espíritos ociosos. inteligível. Cultua-se o “homem natural”. Porém. a natureza adquire um sentido de simplicidade. porventura. . Um pouco meditemos na regular beleza. a exemplo dos textos do Arcadismo A literatura pastoril Esta aproximação com o natural se dá por intermédio de uma literatura de caráter pastoril: o Arcadismo é uma festa campestre. estes campos.2007 Processa-se um retorno ao universo de referências clássicas. e condena-se toda ousadia. Pode-se dizer que uma distância infinita separa os pastores reais dos “pastores” árcades. pela aproximação com a natureza e pela valorização das atividades galantes dos freqüentadores dos salões da nobreza européia. uma espécie de modismo de época a que todo escritor deve se submeter. O escritor árcade está preocupado em ser simples. No exemplo abaixo. pela imitação dos clássicos. que cristaliza uma animada cena da vida cortesã. pois. em seu equilíbrio. Diz um árcade português: O poeta que não seguir os antigos. E que sua poesia campestre é meramente uma convenção. percebemos que o mundo pastoril é apenas um quadro convencional para o poeta refletir sobre o sentido da natureza: Enquanto pasta alegre o manso gado. entre ovelhinhas. a obra literária se converterá muitas vezes. tanto da natureza quanto dos velhos clássicos. harmonia e verdade. extravagância. ao Prof. de Tomás Antônio Gonzaga. 3) IMITAÇÃO DOS CLÁSSICOS Detalhe do quadro Passeio em frente ao Jardim Botânico. que é urbano. contrário do que aconteceria com os artistas românticos. há no Arcadismo um retorno à ordem natural. Oliveira Neto 209 Volume Único . expressem. representando a descuidada existência de pastores e pastoras na paz do campo. O bucolismo (integração serena entre o indivíduo e a paisagem física) torna-se um imperativo social. os quais encontrarão na estilizada natureza pastoril algo como um paraíso perdido. Festas galantes. cenas campestres e referências pastoris constituem o seu universo temático.

bem ao gosto cortesão do século XVIII. médios. o romance As ligações perigosas. a leva de habitantes do reino. e sim a natureza das Éclogas de Virgílio e dos Idílios de Teócrito. a paixão normalmente transforma-se num jogo de galanteios. O ARCADISMO NO BRASIL CONTEXTO HISTÓRICO A descoberta do ouro na região de Minas Gerais. Então consentirei que ela me diga: ‘Adoro-te’. que aqui chega. entre maio e agosto. A corrida em busca do metal precioso desloca para serras. disseca de forma implacável a galanteria. Um esquema de abastecimento para as minas é organizado por tropeiros paulistas. O ouro parece ser suficiente para todos.2007 . 4) AUSÊNCIA DE SUBJETIVIDADE galanteria. Deduz-se daí que a natureza principal elemento de sua estética . em fins do século XVII. são dissolvidos em pura 210 Volume Único . Observe-se. agora se converte apenas num recurso poético de valor duvidoso. Conquistador profissional. Que ela acredite na virtude. Eventualmente sobra algum encanto na fantasia mitológica. o Visconde de Valmont encara o amor apenas como um processo de sedução: Possuirei aquela mulher. Festa Galante. desalojando a “língua geral”. os tropeiros e. onde se encontram vendedores e compradores de animais e mantimentos. significa o início de grandes mudanças na sociedade colonial brasileira. ousarei tomá-la ao próprio Deus que ela adora. baseada no tupi. como nestes versos de Marília de Dirceu: Pintam. Desta forma. ligeiras asas nos ombros. acima de tudo. mas para sacrificá-la a meus pés. o seu “amor” pode ser apenas um fingimento. o reino português. Síntese desta época.já que nada se produzia nelas . baianos e. O escritor não anda com o próprio eu. genéricos. São paulistas ainda os que avançam cada vez mais para o Sul. Depois. e de Amor ou de Cupido são os nomes que lhe dão. Eles aumentarão minha felicidade e minha glória. a contínua utilização da mitologia clássica. até então desertas. não possa esquecê-los e dominá-los senão em meus braços. Que delícia ser alternadamente o causador e o vencedor de seus remorsos! Longe de mim a idéia de destruir os preconceitos que a assaltam. que era um acervo cultural concreto de Grécia.Literatura Logo. que suas faltas a amedrontem sem poder detê-la. Sorocaba. Roma e mesmo do Renascimento. só a imitação dos clássicos asseguraria a vitalidade. A todo momento nos deparamos com deuses e deusas que não têm significado histórico. Oliveira Neto Pormenor do quadro de Lancret. também. a impulsividade e o frenesi íntimo. arrebatá-la-ei do marido que a profana. Este sistema de abastecimento das cidades mineiras . do francês Choderlos de Laclos. arco empunhado na mão. no interior de São Paulo. um artifício de imagens repetitivas e banalizadas. onde predomina uma atmosfera de frivolidade e leve erotismo. irrompem nos campos da serra e no pampa rio-grandense para capturar o gado que vivia em liberdade (milhões e milhões de cabeças). A constante e obrigatória utilização de imagens clássicas tradicionais acaba sedimentando uma poesia despersonalizada. isto é. A abundância do ouro gera extraordinária riqueza e os primeiros acampamentos de mineiros transformam-se rapidamente em cidades. o racionalismo e a simplicidade da manifestação literária. Primeiro. Assim. Silva Alvarenga é Alcino Palmireno. Centenas de toneladas do Prof. os poetas a um menino vendado. os comerciantes. tornada obrigatória pelo prestígio dos modelos antigos. exatamente porque as regras desse jogo exigem o respeito à etiqueta afetiva. desenvolvem roças e fazendas de criação bovina na região de Curitiba. Adota uma forma pastoril: Cláudio Manuel da Costa é Glauceste Satúrnio. adquire-se também uma unidade linguística.integra e unifica as várias regiões do Brasil. que costumamos ver no amor. em seguida. torna-se o maior centro de transporte das tropas de gado vacum e muar para Minas Gerais. e tampouco artístico porque suas imagens já foram desgastadas pelo uso excessivo. criando a noção de que poderíamos constituir um país.não é a dos poetas do período. Tomás Antônio Gonzaga é Dirceu. portugueses. O poeta deve expressar sentimentos comuns. Marília. o faz de uma maneira elegante e discreta. Por outro lado. e agitada por mil terrores. A renúncia à manifestação subjetiva faz parte do “decoro e da dignidade” do homem virtuoso. os dois autores mais imitados pelos árcades. Esta mitologia. Ali realiza-se uma grande feira. com uma aljava de setas. e que imperava nos sertões e entre os paulistas. Enriquece os mineiros. O conteúdo passional. Mais outra convenção. o terno corpo despido. Quando o poeta declara seu amor à pastora. reduzindo suas criações à fórmulas convencionais. uma multidão de aventureiros paulistas. impõe a língua portuguesa como a língua básica. Basílio da Gama é Termindo Sipílio.

em concorrência.2007 precioso metal são levadas para o luxo. como elemento de ligação social. aumentando ainda mais a pressão econômica sobre a Colônia. Este imenso setor público e mais os mineradores e comerciantes enriquecidos. Logo Vila Rica alcança trinta mil habitantes e Portugal apresta-se a montar uma poderosa rede burocrática. criadores e receptores de obras literárias tinham surgido e desaparecido em ondas dispersas e descontínuas. emitirão opiniões. Não são apenas aventureiros à cata de pedras preciosas. A morte de D. D.muito comuns na época . transformam a sedição no episódio de maior grandeza do passado colonial brasileiro. As novas cidades estimulam serviços e ofícios: uma multidão de carpinteiros. Possuir livros (mesmo que os “subversivos”) torna-se indicação de nobreza espiritual e de interesse pelo destino da humanidade. Além dos impostos extorsivos. vida religiosa. CONTEXTO CULTURAL A riqueza gerada pelo ouro amplia espetacularmente a vida urbana em Minas Gerais. pedreiros. na arte literária. em 1777. entendida como a articulação de um grupo numeroso de letrados em torno de valores estéticos e ideológicos. O Período de Pombal Neste momento histórico. produzidas por adeptos do Século das Luzes. Tudo isso termina por estimular membros das elites e alguns representantes populares ao levante de 1789. A sociedade urbana começa a estimular e aplaudir os seus artistas: músicos. vai funcionar. Eduardo Frieiro registra que os principais inconfidentes mantinham boa quantidade de volumes em suas casas. Pombal inicia uma série de reformas para salvar Portugal da decadência em que mergulhara desde meados do século XVI. assinala também a queda de Pombal. amplia as necessidades financeiras do tesouro luso e os impostos são brutalmente aumentados. no esforço revolucionário. comerciantes. Criam-se assim as condições para o surgimento de um sentimento nativista.Literatura Prof. temos uma noção de escola artística. algumas “obras perniciosas”. Na consciência de muitos ecoa o sucesso da Independência Americana. tecelões. financiando a Revolução Industrial. capaz de controlar toda a vida social e impedir o contrabando do ouro e a sonegação dos impostos. Devemos assinalar também a existência de ótimas bibliotecas particulares na época. Apenas a traição de Joaquim Silvério impedirá que a Inconfidência Mineira chegue a bom termo. ela proíbe toda e qualquer atividade industrial em nosso país. É claro que estes últimos. sobretudo. advogados e prostitutas encontram trabalho nestas ruas quase sempre tortuosas e íngremes. pintores. Monopólios comerciais privados e empreendimentos fabris comandam a tentativa de mudança do modelo econômico. como Vieira ou Gregório de Matos. traduz-se em relações sociais. recebem as maiores honrarias e distinções. Não se trata mais de fugir da indiferença do meio e preservar uma mesquinha vida cultural. O reformismo de Pombal enfrenta resistências. E também a força subversiva das idéias iluministas expressas em livros que circulam clandestinamente por Vila Rica e outras cidades. que permanecerá no poder de 1750 a 1777. procura tapar os rombos (cada vez maiores) do Erário Real. nesta circunstância. Oliveira Neto 211 Volume Único . No interessante estudo O diabo na livraria do cônego. Parte considerável deste ouro vai parar na Inglaterra. e ele decide expulsar os jesuítas dos territórios portugueses. D. no país. trocarão impressões e acabarão constituindo o núcleo de um público regular e permanente. A Inconfidência Mineira O crescente endividamento dos proprietários de minas com a Coroa aumenta o desconforto e a repulsa pelo fisco insaciável. Maria. A necessidade de organização administrativa e a obsessão portuguesa pela aparelhagem estatal levam à nomeação de milhares de funcionários civis e militares. etc. José. aglutinavam em torno de si um número expressivo de ouvintes. em 1755. como não podia deixar de ser. ourives. Típico representante do despotismo esclarecido. Porém. textos sobre oratória. José assume o reino e nomeia como primeiro-ministro o Marquês de Pombal. por fim. escultores. na medida em que o domínio comercial dos ingleses sobre a economia portuguesa era absoluto. teoria estética. Um grande esforço industrial sacode a pasmaceira da Corte.. interessado em arte. O ouro do Brasil funciona como lastro destas reformas. que desde o início da colonização até meados do século XVIII. no ano de 1758. embora o dono da maior biblioteca privada fosse o padre Luís Vieira da Silva. os tropeiros endinheirados. A literatura. de conversação e de prestígio. A sucessora do trono. de 1776.pessoas ilustradas vão ouvir recitais de poemas e pequenas peças musicais. a exemplo da música. este bom cônego guardava oitocentos livros em sua residência. associações de intelectuais . o martírio de Tiradentes e a participação de poetas árcades (ainda que tênue e por vezes equivocada). Contudo. possivelmente alguns imitadores. Nos saraus . a produção aurífera começa a cair e as minas dão sinais de esgotamento.geralmente poetas . O violento terremoto que destrói Lisboa. arquitetos. arquitetos e poetas. entre dicionários. A Função Social da Literatura A existência citadina (medíocre até o século anterior) aproxima as pessoas através da vizinhança. e. Influenciado por idéias iluministas. Surgem Academias e Arcádias. Sublinhe-se. a partir da segunda metade do século XVIII. o desperdício e a ostentação da Corte. por pertencerem ao grupo dominante. Também a parcela da nobreza que se opunha a seus projetos é aprisionada e silenciada.com objetivos e princípios literários comuns. em novos estímulos. os profissionais liberais e os trabalhadores livres rompem o dualismo senhor-escravo que até então caracterizara a nossa estrutura social. . Explosões de talentos isolados. Pela primeira vez. Novas classes aparecem e dão complexidade ao mundo urbano que se forma.

Os autores árcades seguem completamente os modelos poéticos em voga nos países imperiais. sem leitores permanentes. Motivos barrocos. Estudou com os jesuítas no Rio de Janeiro e formou-se em Direito na cidade de Coimbra. não o encontra: Nise? Nise? onde estás? Aonde espera Achar-te uma alma que por ti suspira. nenhuma literatura pode se desenvolver. troncos. E a construção de um incipiente sistema literário durante o Arcadismo.. Vila Rica (1839) 212 Cláudio Manuel da Costa é um curioso caso de poeta de transição. Ele reconhece e admira os princípios estéticos do Arcadismo. existe apenas o sofrimento: Ouvi pois o meu fúnebre lamento Se é que de compaixão sois animados. Claro que o Arcadismo não é o grito de autonomia da literatura brasileira. contudo. para o homem barroco do século XVII.para registrar os seus conflitos pessoais.comprovando o projeto de literatura árcade . o autor de Obras poéticas vale-se de antíteses . Tanto mais de encontrar-te desespera! Ah! Se ao menos teu nome ouvir pudera Entre esta aura suave.) tempo em que Portugal apenas principiava a melhorar de gosto nas belas letras. rejeições. a brevidade dolorosa do amor. filho de um rico minerador português. cuido que diz. Aliás. Contudo. se os poemas estão cheios de pastores .Literatura mas não chegavam a estruturar um verdadeiro movimento artístico.e que não mais seria destruído.embora tímido . estabeleceu-se este sistema . No soneto LXXXIV. cria também as condições mínimas para o surgimento de uma literatura autônoma. pela qual manifestara vagas simpatias. O desencanto com a vida. mas é mentira. Obras: Obras poéticas (1768). A Importância do Arcadismo Durante a vigência do Arcadismo. aos quais pretende se filiar.) Bastará para te satisfazer. O poeta admite a contradição que existe entre o ideal poético e a realidade de sua obra. Voltando para o Brasil. É infelicidade confessar que vejo e aprovo o melhor. e tal não era. a rapidez com que todos os sentimentos passam são os motivos principais de sua expressão. que respira! Nise. Oliveira Neto Volume Único .. Ocupou altos cargos na máquina burocrática colonial. Se o meu bem. o lembrar-te que a maior parte destas Obras foram compostas ou em Coimbra ou pouco depois (. Mostrai. Devemos entender. Ou seja. Se quanto a vista se dilata e gira.típico procedimento barroco . Com efeito. mas não consegue vencer as fortes influências barrocas e camonianas que marcaram a sua juventude intelectual.2007 . debates. penhascos de espessura. procurando o objeto de sua paixão. Este último constitui o componente essencial do referido sistema. Os fatores básicos de um sistema literário são: a) autores. Quando foi preso por suposta participação na Inconfidência. temos um belo exemplo de contraste entre a dureza da pedra e a ternura do coração: Prof. b) obras: produzidas dentro de um mesmo código lingüístico e perspectivas mais ou menos comuns.1789) VIDA: Nasceu em Mariana. emotivamente um barroco. Nise. era um dos homens mais ricos e poderosos da província. Nem ao menos o eco me responde! Ah! como é certa a minha desventura! Nise? Nise? onde estás? aonde? aonde? A todo instante. Grutas. O Sistema Literário Entende-se por sistema literário um conjunto de fatores que garante à arte da escrita certa regularidade. quando o crescimento urbano estrutura o sistema literário. Do sofrimento dos amores perdidos e de sua ânsia em revivê-los. com permanência. cuido que ouvia. se a minha alma em vós se esconde. Deprimido e amedrontado. condenadas ao esquecimento das gerações posteriores. Eram manifestações soltas. pois a dependência econômica e política gera também a dependência cultural. Para o poeta de transição. estabeleceu-se em Vila Rica. CLÁUDIO MANUEL DA COSTA (1729 . autores produziriam obras que seriam consumidas por gerações de leitores. Neste aspecto. exercendo a advocacia. fragmentárias. São eles que criam uma linha de continuidade entre o passado. Através deles se estabelece uma rede de transmissão de idéias.o seu gosto pela antítese e a preferência pelo soneto indicam a herança de uma tradição que remonta ao Camões lírico e à poesia portuguesa do século XVII. os seus temas são quase sempre barrocos. A partir de então. c) público leitor permanente. gostos. estímulos. Porque é óbvio que. conforme ele mesmo confessa no prólogo de Obras poéticas: (. nasce a desolada angústia de alguém que. ressonância.. OS AUTORES DO ARCADISMO A) POESIA LÍRICA 1. mostrai-me a sua formosura. Racionalmente um árcade. mas sigo o contrário na execução. havia a perspectiva da divindade. que a criação de uma literatura não é trabalho de apenas uma geração e sim de várias. de forma contínua. representa o primeiro e decisivo passo no processo de fundação da literatura brasileira. o presente e o futuro da vida literária de um país. Só a partir do Arcadismo se consolidaria o que Antonio Candido chama de “sistema literário”. certa permanência e certa capacidade de ultrapassar o desaparecimento dos artistas.. experiências e valores estéticos. durabilidade. pouco contribuíram para a efetivação de uma arte diferenciada das européias. acabou suicidando-se na prisão. gerando algo como uma tradição cultural.

Com dezessete anos foi para Coimbra estudar Direito. o pastor Fido chora a sua desventura de amor e. Sentado sobre o tosco de um penedo* Chorava Fido a sua desventura.1792. donde manava D’ânsia mortal a cópia derretida. a pedra. a todo momento elas afloram em seus poemas europeizados. estátua de dor. o seu inconsciente está preso a sua pátria afetiva. aonde a escura Noite produz a imagem do segredo. Morreu no continente africano em 1810. um peito sem dureza! A síntese admirável desta visão pungente das relações amorosas. a rocha e os penhascos. No entanto. é encontrada no soneto XXII: sentado sobre uma rocha. enquanto ele. Abalava-se a penha comovida. Portugal. uma vista de Ouro Preto. que ele não quer (ou não consegue) eliminar. TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA (1744-1810) Vida: Filho de um magistrado brasileiro. Por algum tempo exerceu a profissão de advogado em terras portuguesas. Uma das obras líricas mais estimadas e lidas no país. na cidade da Bahia. quem cuidara Que entre penhas * tão duras se criara Uma alma terna. em Porto. Marília de Dirceu permite duas abordagens igualmente válidas. Ele tinha mais de quarenta anos e ela era pouco mais do que uma adolescente. as lágrimas que derrama fazem brotar um rio na pedra. Ficou preso três anos numa prisão no Rio de Janeiro e depois foi condenado a dez anos de degredo em Moçambique. o penhasco afloram a todo momento nos poemas de Cláudio Manoel da Costa como um símbolo de um mundo que ele não pode esquecer. Cláudio Manuel da Costa tenta a epopéia num poemeto chamado Vila Rica. num belo jogo de inversões. Parte III . a doce pastora Marília. A família retornou ao Brasil quando o menino contava sete anos. O crítico Antonio Candido mostra que esta preferência por imagens e cenários onde predominam a pedra. Obras: Marília de Dirceu (Parte I . Em que apenas distingue o próprio medo Do feio assombro a hórrida figura Aqui. Lá se casou com a filha de um rico traficante de escravos e voltou a ocupar postos importantes na burocracia portuguesa. Gerais. eis alguns dos elementos que configuram o Arcadismo nas liras de Tomás Antônio Gonzaga. Parte II 1799. transforma-se em estátua: Neste álamo sombrio. 2. indica a maior das contradições de Cláudio Manuel da Costa. lá dialoga com a cultura do Ocidente. mas em 1782 foi nomeado Ouvidor de Vila Rica. lá encontra a sua pátria intelectual. a clareza. o racionalismo neoclássico que transforma a vida num caminho fácil para as almas sossegadas. Ocupou altos cargos jurídicos e em 1787 tratou casamento com Maria Joaquina Dorotéia de Seixas. lá forja suas concepções artísticas. A primeira mostra-a como o texto árcade por excelência. *Álamo: árvore de grande porte *Penha: rocha *Zéfiro: vento suave *Penedo: rocha do penhasco A Pedra como Símbolo A montanha mineira. Por isso. se congelava. no entanto. A detenção pelo envolvimento na Conjuração Mineira impediu o enlace. cristalizando (eternizando) a sua dor. o resultado é de uma mediocridade irremediável. Às lágrimas. O pastoralismo. produzidas ainda em liberdade 213 Volume Único . onde canta a fundação da cidade e procura mostrá-la já incorporada aos padrões civilizatórios europeus.2007 . Fido. nem murmura Zéfiro* brando em fúnebre arvoredo. nasceu. Educado em Portugal. capital de Minas Gerais. os árcades passeavam e também Maria Joaquina Dorotéa. Sua memória gira em torno deste mundo feito das rochas e das pedras de Minas Prof. a penha enternecida Um rio fecundou. da infância e da adolescência. como símbolos das raízes brasileiras. Cartas Chilenas (1845) A natureza em ambos se mudava.1812). Por essas ruas. Apesar da influência visível de O Uraguai. a futura Marília. onde não geme. A segunda aponta para sua dimensão pré-romântica. Além do gênero lírico. a galanteria. a pátria das primeiras emoções. a recusa em intensificar a subjetividade. a penha. Oliveira Neto Na bela foto de Euler Cássia. de Basílio da Gama. especialmente as da primeira parte do livro. Aqui estudou com os jesuítas.Literatura Destes penhascos fez a natureza O berço em que nasci! Oh.

e convoca Marília para o “carpe diem” renascentista: Ornemos nossas testas com as flores.na lira XXVII . Marília. em laço estreito. Prendamo-nos. em Marília de Dirceu. Hoje. Marília de Dirceu segundo a visão contemporânea (1957) de Alberto Guignard O Pré-romântico A tristeza da prisão domina a segunda e a terceira partes do poema. ele esquece a condição pastoril e afirma orgulhosamente sua verdadeira profissão. Contudo. Por isso. Marília. e dos sóis queimado. Sem que o possam deter. Oliveira Neto Volume Único . a cópia é tua. Percebe-se no poema o enquadramento dos impulsos afetivos dentro do amor galante. é só teu rosto Que ele foi quem me venceu. Por causa de tal mediania. do casamento.2007 . surgem flagrantes de grande beleza lírica. aqui e ali.Literatura As vinte e três liras iniciais de Marília de Dirceu são autobiográficas dentro dos limites que as regras árcades impõem à confissão pessoal. agora vendo Do Amor o lindo retrato Contigo estarás dizendo Que é este o retrato teu. certo de que a domesticidade gratificará Marília. nos ritmos e na pintura das emoções. sobre as qualidades do pastor Dirceu e sobre a felicidade do futuro relacionamento entre ambos. Consiste o ser herói em viver justo: E tanto pode ser herói o pobre. Sobre as nossas cabeças. que com os anos os corpos se entorpecem. que conquistou o seu coração: Tu. Tomás Antônio Gonzaga tende à generalização insossa dos sentimentos e ao amor comedido e discreto. Como o maior Augusto. Graças. que se passa. Que viva de guardar alheio gado. São momentos de emoção genuína: o poeta lembra que o tempo passa. é progressista. a aspiração a uma vida comum. Das brancas ovelhinhas tiro o leite. há um esforço para cantar as qualidades da vida em família. Marília. Espalha o sangue humano. E façamos de feno um brando leito. Sim. morre. Dos frios gelos. de que me visto. E para nós o tempo. E mais as finas lãs. das módicas alegrias que sustentam um lar. ele trata de ressaltar a estabilidade de sua situação econômica: Eu. E despovoa a terra 214 Também o mau tirano. Por outro lado. o ideal de equilíbrio. Vamos encontrar um conjunto de frases feitas sobre os encantos da amada. Dirceu pode afirmar a sua amada . Estamos longe do passionalismo romântico. legume. frutas. Assim um pastor (que é o poeta) celebra. azeite. as graças da pastora Marília. Conforme o gosto do período. Há uma tendência maior à confissão. Gozemos do prazer de sãos Amores.as virtudes civis em oposição aos desmedidos heróis guerreiros: O ser herói. o pastor Dirceu é um pacato funcionário público que sonha com a tranqüilidade do matrimônio. isto é. Ao imaginar o convívio entre ambos. Graças à minha Estrela! *Casal: pequena propriedade rústica Há em Tomás Antônio. Também. que continuam controlados nas imagens. Nem sempre a amargura confere vigor poético aos versos. as convenções arcádicas diminuem e o equilíbrio neoclássico é várias vezes rompido pelo tom de desabafo que percorre o texto. que indicam um desejo de confidência e onde aparecem atrevimentos eróticos surpreendentes. Tenho próprio casal* e nele assisto. ao mesmo tempo que garante à futura esposa o privilégio de não viver a realidade cotidiana brasileira do século XVIII: Desvios Sensuais Estando ligado às concepções rígidas do Arcadismo. Mas há vários momentos. Dá-me vinho. Marília. da “mediania de ouro”. Marília. Marília. não sou algum vaqueiro. A expressão sentimental vale-se de alegorias mitológicas e concentra-se em fórmulas mais ou menos graciosas. O Desejo da Vida Comum (“Aurea Mediocritas”) Na verdade. em seu tempo. De tosco trato. alheio a qualquer sobressalto. Mas. o EU não deve expor nada além do permitido pelas convenções da época. de expressões grosseiro. Marília bela. em tom moderadamente apaixonado. Que Cupido é Deus suposto: Se há Cupido. isto é. o gosto típico do século XVIII pela existência moderada e amena. centrados nos Prof. Enquadra-se no princípio da “aurea mediocritas”. o tempo corre. não consiste Em queimar os Impérios: move a guerra. uma vida de classe média. compostura e honradez. chamaríamos esta perspectiva de pequeno-burguesa.

a grandeza do assunto de Os Lusíadas .Literatura sentimentos de injustiça. acima de tudo. Segundo alguns críticos. o racionalismo e a Ilustração triunfam. permanecendo preso por três anos até receber o indulto real. o estilo continua simples.a tomada das Missões jesuíticas do Rio Grande do Sul pela expedição punitiva de Gomes Freire de Andrade. Compare-se. foi para Portugal. Marília de Dirceu possui um encanto que mantém cativo os seus leitores: a linguagem simples e aparentemente espontânea. Mudou-se de Vila Rica para o Rio de Janeiro. na lembrança dolorosa de Marília. filho de um músico mulato. * * Rondó: composição poética com estribilho constante. Este se tornaria seu protetor. o refinamento da galanteria e a lânguida musicalidade inseririam o texto numa linha rococó. por vezes. Suspeito de conspiração. por exemplo. a dicção sentimental revelaria traços pré-românticos.para se ter uma idéia das diferenças que separam as duas obras. Preso por suspeita de “atividades jesuíticas”. em 1769. 3. Voltou ao Brasil em 1776 e continuou fiel as suas idéias iluministas. enquanto os outros são brancos. deixando o pastor imerso em depressão. onde o poeta (Alcindo Palmireno) louva a Prof. Mesmo quando as imagens clássicas tornam as liras afetadas e artificiais. Estas passagens induziram alguns críticos a considerá-las manifestações de pré-romantismo. Eu beijo a tíbia* luz em vez de face. O desertor. A Linguagem Singela Apesar de seus inúmeros defeitos. Morreu no Rio de Janeiro. combinado o segundo e o quarto versos. salvou-se do desterro dirigindo um poema de louvor à filha do Marquês de Pombal. foi detido. onde animou uma importante sociedade literária. Estava para professar na Companhia quando ela foi dissolvida por ordem de Pombal. BASÍLIO DA GAMA (1741 -1795) Vida: Basílio da Gama nasceu em Minas Gerais e. Vejase o exemplo: Quando em meu mal pondero. O poeta disfarça o seu esforço na construção da obra. órfão. E aperto sobre o peito em vão os braços. Obra: Glaura (1799) Identificado com a filosofia da Ilustração. numa era onde as concepções burguesas. Vale-se. O que já se tornou consenso é o caráter pessoal dos ataques. após um tempo em Roma. apesar do encanto melodioso de alguns rondós. Oliveira Neto pastora Glaura. que colocava o autor dentro dos padrões ideológicos do Iluminismo. envolvente. mas quase como farsa. de medo do futuro e de medo da morte e. o heroísmo guerreiro ou aventureiro parecem irremediavelmente fora de moda.com o mesquinho tema de O Uraguai . a exemplo de outros árcades. direto. Vem esta aura lisonjeira. O sofrimento de Alcindo acabará sendo recompensado pela retribuição do afeto. porém Glaura morrerá em seguida. Tomás Antônio Gonzaga ironiza nas Cartas chilenas a prepotência e os desmandos do governador Luís da Cunha Meneses. para exaltar as reformas do primeiro-ministro. a fim de freqüentar a Universidade de Coimbra. Madrigal: composição poética galante e musical. O certo é que. Usa também uma espécie de rima quebrada. Abandonou-a e. Dois anos após. através de um ritmo gracioso. E suave os dons de Flora Neste prado vê brotar. No entanto. foi para o Rio de Janeiro estudar em colégio de jesuítas. SILVA ALVARENGA (1749-1814) Vida: Nasceu em Vila Rica. Trata-se de um poema composto por rondós* e madrigais*. não havendo nenhuma insinuação nativista ou desejo de sublevação revolucionária nos mesmos. escreveu um poema heróico-cômico. especialmente depois da publicação de O Uraguai. Então mais vivamente te diviso: Vejo o teu rosto e escuto A tua voz e riso. Ainda há algumas dúvidas a respeito da autoria desta obra satírica. publicou Glaura. Ardoroso defensor de Pombal. Movo ligeiro para o vulto dos passos. A epopéia ressurge.os notáveis descobrimentos de Vasco da Gama . ó Glaura. também cultiva uma lírica de inspiração galante. em Glaura. é verdade. apelidado no texto de Fanfarrão Minésio. B) POESIA ÉPICA l. que a princípio parece se esquivar desse canto amoroso. em 1756 . Sobre a relva o sol doirado Bebe as lágrimas da Aurora. 215 Volume Único . E a mangueira já florida Nos convida a respirar. alternando versos de dez e seis sílabas (decassílabos e hexassílabos). em 1794. Manuel Inácio da Silva Alvarenga. Fez Humanidades no Rio e estudou em Coimbra. do refrão e foge de todo e qualquer ornamento retórico de origem barroca.2007 . Obra: O Uraguai O esforço neoclássico do século XVIII leva alguns autores a sonhar com a possibilidade de um retorno ao sentido épico do mundo antigo. Cartas chilenas Sob o pseudônimo de Critilo. mas todos os indícios apontam para o autor de Marília de Dirceu. Segundo outros. Silva Alvarenga é um poeta de superfície: Carinhosa e doce.

Mas deveis entregar-nos estas terras. em qualquer outra parte. Cacambo é preso e envenenado pelo jesuíta Balda. Gomes Freire fala a respeito dos motivos da expedição. 216 Volume Único .Literatura A Estrutura do Poema Tanto era bela no seu rosto a morte! Além disso.. Dura inda nos vales O rouco som da irada artilharia. que mescla genuína revolta e pesar pela chegada dos europeus no Novo Mundo. Narrativa Dramática e Lírica As ruínas do templo de São Miguel testemunham a dimensão da sociedade criada por índios e jesuítas e revelam simultaneamente a brutalidade dos impérios ibéricos. Ah! não debalde Estendeu entre nós a natureza Todo esse plano espaço imenso de águas. (O livro. com Lindóia. Esta ambigüidade manifesta-se na argumentação dos dois lados em confronto. Que vos dizem a todos que sois livres. Quer dizer. é a parte mais fraca do poema. com a derrota dos últimos. No terceiro canto. No segundo. Só que o efeito deste expansionismo do Império é o apocalipse dos Sete Povos das Missões como já se vê nos versos iniciais do primeiro canto: Fumam ainda nas desertas praias Lagos de sangues tépidos e impuros. em O Uraguai. o momento supremo do texto é lírico e não épico: Inda conserva o pálido semblante Um não sei quê de magoado e triste. mas ela prefere se deixar picar por uma serpente e morre. O enredo situa-se todo em torno dos eventos expedicionários e de um caso de amor e morte no reduto missioneiro: No primeiro canto. a apologia das façanhas de Gomes Freire de Andrade e seus soldados. Porém não pode dar-lhe os nossos povos (. não-épico) quando o general Gomes Freire dialoga com os chefes indígenas. Imperialismo Europeu versus Civilização Natural O choque das intenções racionalistas da Europa e o primitivismo americano torna-se melancólico (e portanto. nunca vos trouxera O mar e o vento a nós.2007 . Que os corações mais duros enternece.. temos a vitória final da expedição lusoespanhola e a descrição do templo central das Missões. Cacambo e Sepé. Que lhe dê Buenos Aires e Corrientes. ele se coloca ao lado dos europeus mas. que tem por estes vastos climas. O curioso é que. por motivos que o autor não aponta. versos sem rimas. aliás.)Se o rei de Espanha Ao teu rei quer dar terras com mão larga. de 1750. Se não obedeceis. constituídos por versos brancos. o poema narrativo de Basílio da Gama tem passagens de excelente força dramática e lírica. Assim o manda o rei.) Gentes de Europa. Não sendo aqui. ou seja. que se suicida para fugir a um casamento indesejado.são os bons padres. De longe a cena mais conhecida de O Uraguai é a da morte da jovem Lindóia. como eu sou. O sossego da Europa assim o pede. simpatiza com os índios. Pasto de corvos. Sois livres. Em que ondeiam cadáveres despidos.. e sereis livres. E se servem de vós como de escravos. No último canto. A justificativa do oficial branco. E outras. fracassando como epopéia. A pobreza temática impele Basílio da Gama a substituir o modelo camoniano de dez cantos por um poema épico de apenas cinco cantos. E armados de orações vos põem no campo. Ao bem público cede o bem privado. embora coerente. responsável pela ação destruidora e símbolo da ordenação racional européia. incluindo-se aí guerreiros e padres: (. O sopro épico que o autor pretende insuflar nos soldados imperiais dissolve-se diante do lamento indígena. esposa de Cacambo. Cacambo e Sepé. nos remete para a hipocrisia de todos os discursos imperialistas: O rei é vosso pai: quer-vos felizes. apesar da valentia de seus principais chefes.. Percebe-se aí a louvação implícita ao Marquês de Pombal. que invadem e conquistam as reduções missioneiras para o cumprimento do tratado de Madri. é visível. Já as razões de Cacambo são muito mais convincentes que as dos conquistadores. trava-se a batalha entre conquistadores e índios. é dedicado ao irmão do primeiro-ministro). A ambigüidade de Basílio da Gama sobre o assunto. em termos sentimentais. No quarto canto. Vós sois rebeldes. provavelmente. Prof. tudo se esclarece: Balda queria casar o índio Baldeta. O ponto-de-vista de Basílio da Gama diante da conversa entre os inimigos revela-se paradoxal: em termos ideológicos. seu filho. Oliveira Neto Índios missioneiros arrebanhando cavalos com boleadeiras. seu protegido e. mas os rebeldes Eu sei que não sois vós .

foi perseguido e abandonou Portugal. Santa Rita Durão lembra o período pombalino como uma época de horrores. É Moema. retornando então ao país luso. rumo à Europa. nem ideológica. o guerreiro Sepé reafirma a resistência e espera o julgamento do próprio mundo europeu a respeito de quem representa o lado justo: Que estas terras que pisas. Com a mão já sem vigor. se defendemos Tu a injustiça. Se nele um resto houver de humanidade. detestamos jugo. Nem formal. Já no poema. Incitou-me a escrever este. Que não seja o do Céu. como não há padres para efetivar o matrimônio. numa caravela francesa. contudo não existe uma continuidade entre ambos. Resumo O poema narra a história (lenda?) do aventureiro Diogo Álvares Correia. o amor pela Pátria. nas quais acusa os padres como responsáveis pelo conflito. sendo recolhido por índios. Prof. A contradição que envolve Basílio da Gama por glorificar tanto o conquistador quanto o índio missioneiro é equacionada pela crítica feroz a um terceiro elemento: o jesuíta. Ele os maravilha com sua espingarda. Alguns assinalam a presença de um forte sentido antieuropeu neste indianismo. soltando o leme. Ao contrário de Basílio da Gama. e nós o Deus. prefere morrer a perder de vista o homem branco. por mão dos padres. Entre as salsas* escumas desce ao fundo: A crítica se divide a respeito do indianismo do autor. Seria apenas a rejeição do “homem natural” do Arcadismo ao mundo urbano. Em certo momento. o bom frei segue rigidamente o modelo camoniano de Os Lusíadas. entretanto. Julgará entre nós. Sua pretensão. a visão anti-jesuítica de seu antecessor cede lugar a uma narrativa de inspiração religiosa. os noivos embarcam. porém a maioria inclinase a ver em O Uraguai apenas pastores árcades travestidos de indígenas. nós também livres As recebemos dos antepassados. já debilitadas resolvem retornar à terra. Desconhecemos. e o vosso Mundo. pasma e treme. partindo depois para a Europa. padre Balda. não seria motivada por qualquer nacionalismo. As frechas partirão nossas contendas Dentro de pouco tempo. Oliveira Neto 217 Volume Único . o Céu livres Deu aos nossos avós. O Indianismo Obra: Caramuru (1781) O poema épico Caramuru é publicado doze anos depois de O Uraguai. 2. Livres as hão de herdar os nossos filhos. Noiva então com a casta Paraguaçu. Uma indígena. Pálida a cor. No entanto. Lá. de acordo com o poema e com as intenções do escritor.2007 . Durante o governo de Pombal. procurando depois catequizá-los e colonizá-los. o autor se vale de notas explicativas em profusão. Realiza seu poema em dez cantos. não se pode deixar de reconhecer que O Uraguai será retomado pelos românticos como um precursor do indianismo do século XIX. SANTA RITA DURÃO (1722-1784) Vida: Nascido em Mariana. ainda puros. Assim. suplicando que o herói não se fosse.Literatura Interrompendo Cacambo. a exótica dupla dos trópicos vai deslumbrar a requintada Corte da França. Também ao inverso de Basílio da Gama. que naufraga na costa da Bahia. admirador de Pombal. Ao Brasil não voltaria mais. filha de um cacique e. Esta junção do herói português com o herói católico é representado pelo desejo de Caramuru em desposar uma jovem indígena e assim sacramentar a união entre os nativos e os conquistadores. Na partida do litoral brasileiro. com estrofes de oito versos decassílabos e rimados. no século XVI. tão maiúscula quanto a sua falta de criatividade. E a repulsa dos mesmos aos desígnios dos governos europeus. Não satisfeito. é compor uma obrasíntese sobre a colonização do Brasil: Os sucessos do Brasil não mereceriam menos um poema que os da Índia. que vai perecer tragada pelas ondas: Perde o lume dos olhos. ocorre a cena mais famosa de Caramuru: jovens indígenas apaixonadas pelo “filho do trovão” nadam em desespero atrás do navio. onde se tornaria padre agostiniano. estudou no Colégio dos Jesuítas na Rio de Janeiro até os dez anos. e a Pátria. é ambicioso e pérfido. Trabalhou em Roma como bibliotecário até a queda de seu grande inimigo. e sua epopéia é uma forma de demonstrar que ainda tinha lembranças de sua terra natal. o único jesuíta que aparece. que procurou inovar usando versos brancos e dividindo o poema em apenas cinco cantos. o aspecto moribundo.

boca mui breve. era de rosa. ( ) Quem deixa o trato pastoril. Faça a correspondência entre os fragmentos abaixo transcritos e os temas da convenção árcade. E os panos feitos com as lãs mais grossas. Ela é sem dúvida uma moça branca: Paraguaçu gentil (tal nome teve). E donde não é neve. Marília. adia A si. frouxo. armazena toda a bibliografia existente a respeito de sua terra. trasladado No gênio do Pastor. façamos.” O resultado dessa mistura é uma obra prolixa. além de monótono. Gonzaga. Ou desconhece o rosto da violência. Seu poema. Trata-se de uma epopéia anacrônica. *Salsas: salgadas Como o tema era pobre em demasia. A si próprio fere. Tornando a aparecer desde o profundo: “Ah! Diogo cruel!” disse com mágoa E sem mais vista ser. XVIII – SETECENTISMO) SITUAÇÃO HISTÓRICA * * * * Iluminismo (“Verdade. é banal. De cor tão alva como a branca neve. Um coração que. Oliveira Neto CARACTERÍSTICAS • • • • • • • • • Ideal clássico: oposição ao Barroco Convencionalismo: clichês árcades “Aurea Mediocritas”: equilíbrio/harmonia “Inutilia Truncat”: concisão/simplicidade/clareza “Fugere Urbem”: fugir da cidade “Locus Amoenus”: bucolismo/lugar aprazível “Carpe Diem”: aproveitar o tempo presente Pastoralismo: pseudônimos pastoris Pré-Romantismo: transição para o Romantismo 218 Volume Único . o da inocência! E que mal é no trato. Poesia lírica * * Cláudio Manuel da Costa: Obras (1768) Tomás Antônio Gonzaga: Marília de Dirceu (17921812) II. in Obras). Poesia satírica * Tomás Antônio Gonzaga: Cartas Chilenas (1845) E xercícios 01. por minhas mãos cosido. etc. e na aparência Ver sempre o cortesão dissimulado! (Cláudio M. Gonzaga. Este é o seu principal objetivo. por exemplo. A grata posse de seu bem difere. NEOCLASSICISMO / ARCADISMO (SÉC. Podem mui bem cobrir as carnes nossas As peles dos cordeiros mal curtidas. Olhos de bela luz. dissolvendo qualquer possibilidade de significado épico. onde os episódios se atropelam sem unidade. a si próprio rouba.2007 . escrita por alguém que. A descrição da “doce Paraguaçu”. sim. Os nossos breves dias mais ditosos. há ainda na sua visão um pesado tributo aos preconceitos da época. Santa Rita Durão enche os dez cantos do Caramuru com “guerras. amado. E mesmo que os seus índios sejam retratados de forma um pouco mais realista que os de Basílio da Gama. selva Vai saudoso para o mar. (Tomás A. (Tomás A. Que bem é ver nos campos. Razão e Natureza”) Despotismo Esclarecido Inconfidência Mineira (1789) Ciclo do ouro AUTORES E OBRAS I. o que infelizmente não consegue. sorveu-se n’água. Poesia épica * * Basílio da Gama: O Uraguai (1769) Frei José de Santa Rita Durão: Caramuru (1781) III. matagal. testa espaçosa. Bem diversa de gente tão nojosa. Inexiste em Santa Rita Durão aquela fascinante ambigüidade com que Basílio da Gama trata o relacionamento entre brancos e nativos. ( ) Este Rio vagaroso. viagens. Mas ao menos será o teu vestido Por mãos de Amor. vivendo longe do Brasil desde a infância. visões da história do Brasil dos séculos XVI a XVIII. Ou do retiro a paz não tem provado. contraria todo o princípio da realidade fisionômica e da cor dos indígenas. doce amada. in Marília de Dirceu). Mesmo não sendo padre. O nariz natural. a) b) c) d) e) “Aurea Mediocritas”” “Fugere Urbem” “Locus Amoenus” “Carpe Diem “Inutilia Truncat” ( ) Ah! enquanto os Destinos impiedosos Não voltam contra nós a face irada. Pela ingrata. Diogo Álvares está interessado em conduzir o índio ao caminho do cristianismo. que irado freme. Ele quer conferir ao Caramuru uma atmosfera fidedigna e objetiva. especialmente da ação civilizadora do português. in Marília de Dirceu). Que enamora as altas penhas. Uma Epopéia Medíocre Caramuru é o elogio do trabalho de colonização e de catequese do europeu. festas na Corte. Prof. da Costa. civil correspondência. ( ) Se não tivermos lãs e peles finas. Façamos.Literatura Mas na onda do mar. Apartando-se das brenhas.

que lhes tem pervertido as cores. o autor que não pertence ao estilo em questão. há um questionamento do contexto sobre a validade de adotar esse modelo literário no Brasil. deixa ponderar a ambiciosa fadiga de minerar a terra. e) a linha européia que prega a “arte pela arte . pelos gêneros bucólicos que visam representar a inocência e a sadia rusticidade pelos costumes rurais.2007 . Leia o poema seguir e responda. sentimental. Daí o apreço pela convenção pastoral. a famosa “chave de ouro”.” (Cláudio Manuel da Costa. Sobre o Arcadismo brasileiro só não se pode afirmar que: a) tem suas fontes nos antigos autores gregos e latinos. exercitando a precisão descritiva e dissertativa. de Tomás Antônio Gonzaga. d) a produção de poesia lírica nacional com retórica aprimorada. c) a produção de poesia lírico-amorosa da geração byroniana. envolvida com as questões sociais do seu tempo. mas que deseja exprimir a realidade tosca de seu país. no qual se reconhece qualidade literária destacada em relação ao primeiro. recusa a motivação bucólica e os modelos camonianos da lírica amorosa. 04. b) tentava exprimir a insatisfação do mundo contemporâneo. onde o som das águas inspirava a harmonia dos versos. isto é. O que havia de mais simples. enquanto pastava. a produção dos versos de Marília de Dirceu. Exaltação da natureza. d) norteou. de forma original. que têm atraído a este clima os corações de toda a Europa! Não são estas as venturosas praias da Arcádia. Candido & A. “Acaso são estes os sítios formosos. mais “natural”. obra que celebrizou Tomás Antônio Gonzaga e que destaca a originalidade de estilo e de tratamento local dos temas pelo autor: e) apresentou uma corrente de conotação ideológica. então. b) Cláudio Manuel da Costa manifesta. Evasão da morte. Entende-se por literatura árcade: a) a linha européia de produção literária com linguagem rebuscada. c) Depreende-se do texto uma forma de conflito entre o academicismo árcade europeu e a realidade brasileira que passaria a ser a nova matéria-prima do poeta. Turva e feia. 05. se prosperassem por muito tempo. taças. do que abandonar as fingidas Ninfas destes rios. sobretudo dos pastores. o manso rebanho que Alceu me deixou?” Os versos acima. d) Apesar dos índices do Arcadismo presentes no texto. Assinale. em termos dos valores estéticos básicos. e sepultar-me na ignorância! Que menos. revestindo freqüentemente o poema do tom solene da meditação. aonde brincava. na Europa.Literatura 02. leques. de onde retirava suas inspirações poéticas. Tranqüilidade no relacionamento amoroso. fragmento de “Prólogo do leitor”) a) O poeta estabelece uma conexão entre as diferenças ambientais e o seu reflexo na produção literária. e destinado a buscar a Pátria. perdendo-se na minúcia descritiva dos objetos raros: vasos. aonde passava os anos gostosos? São estes os prados. Assinale a alternativa em que aparece uma característica imprópria do Arcadismo: a) b) c) d) e) Bucolismo. Leia atentamente o texto a seguir e assinale a alternativa incorreta. primeiro que arrebate as idéias de um Poeta. contemplar as praias da Arcádia. e) tentava brincar com os sentimentos que possuía para satirizar a mulher amada. que menos pudera eu fazer que entregar-me ao ócio. entre a grosseria dos seus gênios. a corrente destes ribeiros. e no centro deles adorar a preciosidade daqueles metais. o jogo intelectual. Tanto a busca da simplicidade formal quanto a da clareza e eficácia das idéias se ligam ao grande valor dado à natureza. b) a linha européia de produção literária que volta aos padrões clássicos. são expressão de um momento estético em que o poeta: a) buscava expressão para o sentimento religioso associado à natureza. 06. Presença de entidades mitológicas.” (A. Cláudio M. aqui. “Não permiti o céu que alguns influxos. que a vida dos pastores e contemplação direta da natureza? d) tinha predileção pelo soneto. a) b) c) d) e) Tomás Antônio Gonzaga.e) acentuava a busca da elegância e do requinte formal. 03. dos quais imita os motivos e as formas. b) teve em Cláudio Manuel da Costa o representante que. c) nos legou os poemas de feição épica Caramuru (de Frei José de Santa Rita Durão) e O Uraguai (de Basílio da Gama). como base da harmonia e da sabedoria. Oliveira Neto 219 Volume Único . Castello) Esse excerto relaciona-se a um determinado estilo literário. a sua formação intelectual européia. 07. no texto. tornando o coração a medida mais exata de sua existência. da Costa Santa Rita Durão Manuel Botelho de Oliveira Basílio da Gama. dava grande ênfase à vida Prof. que por espaço de cinco anos havia deixado. que devi às águas do Mondego. c) buscava a “naturalidade”. com a crítica aos abusos do poder da Coroa Portuguesa. e) O poeta sofre mediante o fato de nâo mais poder.

de escárnio de profecia. o título da obra (2) e o nome do autor (3): a) b) c) d) e) Moema. espera. Estão os mesmos deuses sujeitos ao poder do ímpio fado: Apolo já fugiu do céu brilhante. b) Presença da mitologia grega na poesia de alguns poetas desse período. a) Desenvolvimento do gênero épico. b) os prazeres da vida vêm. Consulta o seu amor e o seu dever ignora. (3) José de Alencar. Iracema. Em suas obras. Gonzaga. Pasma. e de ira e temor ao mesmo tempo cheio Resolve. Aponte a alternativa cujo conteúdo não se aplica ao Arcadismo.2007 c) Alvarenga Peixoto e o louvor do homem que consegue assimilar o social ao natural. Assinale a alternativa correta em que se mencionam o nome da heroína (1). Espalha o sangue humano. ROMANTISMO a) Cláudio Manuel da Costa e o repúdio do poder militar representado por César Augusto e por Alexandre. sempre. (3) Santa Rita Durão. E despovoa a terra Também o ma tirano. Lindóia. d) Circulação de manuscritos anônimos de teor satírico e conteúdo político. Marília. registrando o início da corrente indianista na poesia brasileira. apresentam novas concepções literárias. faz-se alusão ao episódio de uma obra em que a heroína morre. O trecho acima exemplifica uma das características do homem ilustrado do século XVIII e pertence a um dos poetas que conseguiu aliar a ideologia do Iluminismo com a sensibilidade poética própria do Arcadismo. e) Penetração da tendência mística e religiosa. (2) Iracema. b) Silva Alvarenga e o elogio do homem comum que. de Basílio da Gama. vacila.Literatura 08. (2) O Uraguai. respectivamente: Volume Único . poeta árcade e ilustrado. 12. (3) Gonçalves Dias. base de uma vida harmonizadora das disposições individuais e das vicissitudes sociais 11. Voa a farpada seta da mão. a partir da metade do século XVIII. “Minha bela Marília. se vem depois dos males a ventura. a sorte deste mundo é mal segura. e) a existência é considerada sob o prisma da religiosidade 10. Por sua temática. que não se engana. d) Tomás Antônio Gonzaga e a exaltação do homem comum que se forma e se constrói segundo um ideal de bondade inata e de urbanidade. 09. Marília. gela e cora. contrasta com os grandes conquistadores militares. Na Europa. libertando-se parcialmente dos limites traçados pela poética neoclássica. Como o maior augusto”. presentes em outras estrofes do poema. O Uraguai. que já não vives. (3) Basílio da Gama. Consiste o ser herói em viver justo: E tanto pode ser herói o pobre. Leia o poema a seguir e responda. satírico. é: a) a vida é breve e a felicidade inconstante. O autor do trecho e a característica aí patente são.” A única idéia não expressa pelo poeta. Quem vê girar a serpe da irmã no casto seio. seguidos da desventura. tudo passa. por sua bondade inata e sua vida justa. Leia com atenção: “O ser herói. nesse texto. não consiste Em queimar os impérios: move a guerra. (3) Tomás A. eles expressam sentimentos inspirados nas tradições Prof. Oliveira Neto 220 . e) Tomás Antônio Gonzaga e a construção ideal de um homem heróico cuja medida seria a bondade inata. (2) Marabá. c) os homens e os deuses estão sujeitos às mesmas leis d) destino determina a existência humana. vinculada a expressão de ter ou não fé. teme. lírico. (2) Marília de Dirceu. já foi pastor de gado. (2) Caramuru. c) Propagação do gênero lírico em que os poetas assumem a postura de pastores e transformam a realidade num quadro idealizado. Mas aí. Assinale a alternativa correta. ó mísera indiana!” Nestes versos de Silva Alvarenga. pode ser considerado um poema: a) b) c) d) e) épico. o Grande. Marabá. surgem autores que. vem depois dos prazeres a desgraça.

Não gorjeiam como lá. Urânias (1862).2007 . que nunca esqueci: Valente como era. pois durante o naufrágio em Prof. Obras Principais: “Liras dos vinte anos” . ou campos. Tendência aos aspectos mórbidos e depressivos da existência. entre outros.livro-síntese dessa geração pois revela a força lírica e a v ironia romântico-macabra “Macário” .. A obra Suspiros Poéticos e Saudades foi considerada a obra inaugural do Romantismo no Brasil. que era uma forma de protesto e fuga.prosa narrativa fala da boemia estudantil da época. “Canção do Tamoio”. que aqui gorjeiam.chegada ao Brasil de D. que vai até 1840 (maioridade de D. Sentimentos liberais e Geração Social Sousândrade. as chamadas Gerações Românticas: Gerações Nomes 1ª Nacionalista Geração ou Indianista Principais poetas Principais temas Gonçalves de Exaltação da natureza. Os Timbiras. Últimos Cantos (1851). ufanismo Araújo Porto-Alegre (exaltação da pátria) 2ª UltraÁlvares de Azevedo. Esta linguagem. Tobias abolicionistas Barreto que o poeta morreu perderam-se também os textos. “Seus olhos” . amor à pátria. subjetivismo. instalações de bibliotecas e escolas de nível superior.Literatura nacionais. decadentismo e até satanismo.” —I-Juca Pirama Álvares de Azevedo Poeta que melhor representou a estética ultraromântica.. mas não apresenta passionalidade. em 1882. meio diálogo. idealizada. onde teve contato com a poesia romântica. distinguem-se três fases. início da atividade editorial. As aves. Seu grande poema indianista Os Timbiras ficou incompleto. Obras Principais: “I Juca Pirama”. Além da vertente indianista. ou florestas. Obras: Suspiros Poéticos e Saudades (1836). “Os Timbiras” sentimento de honra e valentia do índio “Leito de folhas verdes”. “Ainda uma vez . degeneração dos sentimentos. João VI e da família Real 1808/1821 . Era o nascimento do Romantismo que foi desenvolvendo-se e enriquecendo-se à medida que se expandia. Geração Romântica ou Casimiro de Abreu. Pedro I e início do Período de Regência. “A noite”. Referências históricas Contexto sócio-político da época (início do Romantismo no Brasil): 1808 . Seu poema de destaque foi Noite tempestuosa do livro Urânias. chorou sem ter pejo. 1822 . Parece que o vejo. realizando uma poesia mais comunicativa e espontânea do que a neoclássica. Cantos (1857). Gonçalves Dias e amor indianista.solidão. Segundos Cantos (1848). Viveu na Europa. Tremei!. Sextilhas de Frei Antão (1848). Onde canta o Sabiá. “fúnebre clarão”. “Como? És tu?”.poesias impregnadas de religiosidade sobre a majestade da natureza Livros . acrescida de termos científicos. Oliveira Neto 221 Volume Único . Morreu em Roma. Abandonou aos poucos o tom lusitano. também se destaca a lírica amorosa. tédio. “Minha terra tem palmeiras. Assim. tristeza. Daí nasce o desejo de uma literatura autenticamente brasileira. Cantar prisioneiro Seu canto de morte.composição livre. sentimentalismo exagerado. O autor procurou criar e consolidar uma literatura nacional para o país. Aqui a mulher é sempre um anjo. numa ótica platônica. voltará no Simbolismo com Augusto dos Anjos.adeus!”. No Brasil. não sendo reunida em livro sua obra. Morreu tuberculoso aos 20 anos de idade.” —Canção do Exílio “Por onde quer que fordes de fugida Vai o fero Itajuba perseguir-vos Por água ou terra.abertura dos portos às nações amigas. Mal do Século Junqueira Freire e morte.Proclamação da Independência. “A tarde” . A escolha vocabular reflete essa tendência: “pálpebra demente”. Magalhães. “boca maldita”. Cânticos Fúnebres (1864) e outros Gonçalves Dias Primeiro grande poeta do Romantismo brasileiro.Primeiros Cantos (1846). exílio. solidão. Assim representou a primeira tentativa consciente de se produzir literatura verdadeiramente brasileira. “matéria impura”. A temática indianista que caracteriza sua obra apresenta forte colorido e ritmo. Fagundes Varela melancolia. a fim de dar lugar a um estilo mais próximo da fala brasileira. retomada por muitos modernistas “O mar”. Egocentrismo. percebe-se o desejo de criação de uma literatura nacional. 1831 .”Os Timbiras “Eu vi o brioso no largo terreiro. Pedro II). acabou adquirindo características tão variadas que se torna impossível descrevê-lo em todas as suas dimensões. excesso de sentimentalismo.abdicação de D. fundação da Companhia Dramática Nacional. meio narração O Conde Lopo” “Poema do Frade” “Pedro Ivo” (poemetos) “Noite na Taverna” . Autores Gonçalves de Magalhães Domingos José Gonçalves de Magalhães nasceu no Rio de Janeiro. falam de amor e saudade num tom pessoal. 3ª Condoreira ou Castro Alves. idealização da mulher. Que o tenho nest’hora diante de mi. “Se se morre de amor”.sentimento amoroso “Canção do Exílio” . em 1811. início da Guerra do Paraguai até 1840) Na poesia.

em fazer delas a temática sempre retomada em sua obra. 9. Imaginação criadora. Não se pode esquecer a profunda influência do medievalismo na construção do mundo romântico. do Corcunda de Notre Dame e a ambiência que os rodeia). É também esse senso de mistério que leva grande número de autores românticos a buscar o sobrenatural e o terror. Esta característica manifesta-se na participação de autores românticos em movimentos contestadores e libertários. loira. Tenho-as visto que fazem empalidecer—e meu peito parece sufocar meus lábios se gelam. o aperto de dois sexos. nos ideais libertários alimentados nas figuras dos heróis. Oliveira Neto CARACTERÍSTICAS Grande é o número de características que marcaram o movimento romântico. à noite. Foi uma sina terrível. Reformismo. o artista romântico evade-se para os universos criados em sua imaginação. Recuava. É o mundo pessoal. O escapismo romântico manifesta-se tanto nos processos de idealização da realidade circundante como na fuga para mundos imaginários. 2. como universos em que a extrema emoção se realiza no belo associado ao terrificante (vejam-se as figuras do Drácula. apertou-os no peito. na revelação de anseios. Prof. que melodia é mais doce que sua voz.. muitas vezes. 3. Dois gemidos sufocaram-se no estrondo do baque de um corpo…” —Noite na Taverna “Mais claro que o dia.. que formosura há mais divina que a dela—eu nunca amei. do mágico. crença na justiça procurada. Entre um charuto e uma chávena de café lembro-me às vezes de alguma forma divina. interior. Não é um conto. morena. O universo conhecido se alarga. Se chamas o amor a troca de duas temperaturas. 6. a dependência social e econômica. e ao seu coração. Quando acompanhado de desesperança. Revela-se na idealização do mundo. dir-vos-ei uma história. a inconsciência. Com plena liberdade de criar. Senso de mistério. com grande influência em sua produção. Fé (Religiosidade).” —Noite na Taverna “A mulher recuava. como foi a campanha abolicionista abraçada por Castro Alves e o movimento republicano assumido por Sílvio Romero. crença que se revela ainda em diferentes manifestações de religiosidade cristã – fé. desloca-se o centro do poder. podeis tremer a gosto. Aspectos considerados os mais significativos: 1. às harmonias da música. Era horrível de ver-se. O moço tomou o punhal. branca. Ela deu um grito. pregou os lábios nos dela. o artista romântico não se acanha em expor suas emoções pessoais. do Frankstein. que faz chorar o amante na relva onde passou a beleza. Ó meu pai! ó minha segunda mãe! ó meus anjos! meu céu! minhas campinas! É tão triste morrer!” Num movimento de escapismo. É a fé que conduz o movimento: crença na própria verdade. companheira desejada por muitos e tema recorrente em grande número de poetas. Evasão. dele fazendo parte a religiosidade cristã. que pergunta às aves.. Mas quanto a essa. e caiu sobre ela. a buscar refúgio no próprio eu. o Século das Luzes deixa um rastro de anseios libertários. sucumbe ao chamado da morte. e caiu-lhe das mãos. no entanto. umas desencadeando outras e formando um amplo painel de traços reveladores. A valorização do mistério. vão-se entrelaçando. que adivinha o perfume dela na brisa.. minha mão se esfria…” —Macário “Esse amor foi uma desgraça. Conseqüência do exacerbado subjetivismo. A fantasia leva os românticos a criar tanto mundos de beleza que fascinam a sensibilidade. uma existência marcada por limitações de toda ordem. Ainda não achei uma mulher assim.2007 222 . o desconhecimento estabelecem para a imensa maioria. crença nos ideais perseguidos. 7. do maravilhoso acompanha a criação romântica. centradas sempre na valorização do eu e da liberdade. 4. em terras distantes envoltas na magia e no exotismo. é uma lembrança do passado. podeis suar a frio da fronte grossas bagas de terror. 5. que dá ao autor romântico um sentimento de inadequação e o leva a sentir-se deslocado no mundo real e. a convulsão de dois peitos que arquejam. Subjetivismo. O moço tomou-a nos braços. 8. os sentimentos do autor que se fazem o espaço central da criação. o beijo de duas bocas que tremem. Volume Único . características essas que. Sonho. ambientados no passado ou no futuro idealizados. de duas vidas que se fundem tenho amado muito e sempre! Se chamas o amor o sentimento casto e poro que faz cismar o pensativo. Contraste entre os ideais divulgados e a limitação imposta pela realidade vivida.Literatura —Lira dos Vinte Anos “Pois bem. umas atadas às outras. crença nos sentimentos revelados. Consciência da solidão. à manhã. na busca por verdades diferentes daquelas conhecidas. fechou os olhos. de cabelos castanhos ou negros.

A natureza sobrepõe-se à obra construída. O índio é um ser idealizado (nobre. de países distantes. a renovação do teatro. Mal do Século voltando-se inteiramente para dentro de si mesmos. 17. Exagero. Costuma-se afirmar que. fiel). valoroso. 18. na visão maniqueísta a dividir o bem e o mal.Literatura b) Byronismo irônico: * Humor/Ironia/Paródia * * “Spleen”/Tédio/Mal-do-século Prosaísmo Prof. 20.poesia social e libertária que reflete as lutas internas da Segunda metade do reinado de D. sensualismo) Angústia interior . Culto da natureza. 24. Gosto pelo noturno. é o estado de fruição estética que se manifesta em extremos de exaltação ou de cinismo e libertinagem. Gosto do pitoresco. mal que deu nome à fase 25. Estilos de época na literatura. a natureza foi também personagem. A poesia do eu. refúgio. da paixão. dando lugar à criação de novas formas poéticas. 21. na busca pelas raízes históricas. GONÇALVES DIAS — 1ª. Ilogismo. Manifestações emocionais que se opõem e contradizem. Valorização do gênio criador e renovador do artista. O artista quer ver-se reconhecido e admirado. 19. a confusão dos gêneros. Função sacralizadora da arte. para os românticos. do amor. do mundo oriental. O poeta sente-se como guia da humanidade e vê na arte uma função redentora. 16. a liberdade no uso do ritmo e da métrica.Geração da Poesia Romântica GONÇALVES DIAS (1823-1864) Obras principais: Primeiros Cantos (1846) Segundos Cantos e Sextilhas de Frei Antão (1848) Últimos Cantos (1851) Os Timbiras (1857). 15. nas figuras do herói e do vilão. Domício. Valorização de terras ainda não exploradas. p. Idealização da mulher. 12. 11. Em harmonia com a atmosfera de mistério. medievalismo e indianismo.Geração da Poesia Romântica ÁLVARES DE AZEVEDO (1831-1852) Obras principais: a) Poesia: Lira dos Vinte Anos (1853) b) Prosa: A Noite na Taverna (1855) c) Teatro: Macário (1855) Características: Binomia byroniana a) Byronismo sentimental: * Sentimentalismo * * * * Subjetivismo Escapismo (sonho/morte) Mulher-anjo (platonismo vs.2007 10. Anjo ou prostituta. São Paulo: Ática. do exótico. 22. colocado acima de qualquer regra. mais que qualquer outro sentimento. 216-227. mas sempre o amor. tão próxima do gosto de todos os românticos. Testemunha e companheira das almas sensíveis. 14. O amor. Acrescentem-se a essas características os novos elementos estilísticos introduzidos na arte literária: a valorização do romance em suas muitas variantes. Sentimentalismo. as origens que dignificam a pátria. Importância da paisagem. apesar disso demonstra a valorização das origens da nacionalidade. Liberdade criadora. o passado individual. 1995. nos sentimentos. poema inacabado Poemas famosos: “Canção do Exílio” “I-Juca Pirama” “Leito de Folhas Verdes” “Se se Morre de Amor” “Ainda Uma Vez — Adeus!” Temas e características: * Rigor e equilíbrio herdados do espírito clássico * Idealização do índio e da natureza pátria (nacionalismo) * Idealização da mulher (platonismo) * Resgate da Idade Média (religiosidade) ÁLVARES DE AZEVEDO — 2ª. A natureza adquire especial significado no mundo romântico. A paisagem é tecida de acordo com as emoções dos personagens e a temática das obras literárias. 23. a figura da mulher é sempre idealizada. mãe acolhedora. 15 ed. exagero que se manifesta nas características já listadas. proteção. Ânsia de glória. é. Oliveira Neto 223 Volume Único . Indianismo uma das formas mais significativas do nacionalismo romântico. também. [1] PROENÇA FILHO. Tal retorno deu origem a diversas manifestações: saudosismo voltado para a infância. Muitos marcados pela tuberculose. Gosto pelas ruínas. com papel ativo na trama. Pedro II. Exagero nas emoções. 13. esses poetas expressaram em seus versos pessimistas um profundo desencanto pela vida. Retorno ao passado. Condoreirismo .

nos ânimos fortes. (Moniz. Mudos os lábios não descerram queixas Do coração. António & Paz. Que agora anda errante Por fado inconstante. descendo Da tribo tupi. Alteiam-se os tetos d’altiva nação. que em densas coortes Assombram das matas a imensa extensão. amarrar prisioneiros “Ou se mais te apraz. guerreiros valentes! 224 Volume Único . Já meigos atendem à voz do cantor: São todos Timbiras. que outro sol no ocaso lugar onde o sol se põe Jamais verá! (.) Meu pai a meu lado Já cego e quebrado. teus feitos canta. Meu canto de morte Guerreiros. Guerreiros. Do colo à cinta a muçurana desce: corda usada para “Dize-nos quem és. c) Natureza: poesia panteísta que “encontra sinais de presença e atuação divinas em todos os seres naturais.. Cercadas de troncos — cobertos de flores. Cobertos d’espinhos Chegamos aqui! Prof. Canto IV (Fala o prisioneiro sobre o fim de sua tribo. Nas selvas cresci.Geração da Poesia Romântica CASTRO ALVES (1847-1871) Obras: Espumas Flutuantes (1870) A Cachoeira de Paulo Afonso (1876) Os Escravos (1883) Hinos do Equador (1921) Poema famoso: “O Navio Negreiro” Poesia desdobrada em três principais temas: a) Sociedade: defesa veemente do valores do Liberalismo (liberdade. Sentado está. São rudos. Já prélios incitam. Guerreiros.. que encobrir não pode. A estrofe seguinte. Firmava-se em mi: Nós ambos. Condão de prodígios. Oliveira Neto E xercícios As estrofes a seguir transcritas foram extraídas de “I-Juca Pirama” (que em tupi significa “aquele que deve morrer) e resumem o poemeto épico-indianista de Gonçalves Dias. Temíveis na guerra. é um pequeno exemplo de panteísmo literário: Ontem à tarde. Canto I (Apresentação da tribo timbira e do prisioneiro tupi) No meio das tabas de amenos verdores. Estilo condoreiro. ouvi. cuja morte anseiam. Ontem à tarde. mesquinhos. Seu nome lá voa na boca das gentes. igualdade.) Contudo os olhos d’ignóbil pranto Secos estão. sedentos de glória. de tal modo que os interpreta como uma identificação da natureza divina: tudo é Deus”. Olegário. Pede que o poupem da morte. que mistura retórica grandiloqüente com temática social. Mas um martírio... com destaque para o lirismo abolicionista. extraída do poema “Murmúrios da Tarde”. publicado em Espumas Flutuantes. O prisioneiro.” Começa O índio. São muitos seus filhos. Por ínvios caminhos. Sou bravo. quando o sol morria.) O prisioneiro. Da tribo pujante. in Dicionário Breve de Termos Literários).. sou forte. De cada gruta rebentava um canto. Guerreiros. severos. nasci. De penas ralado. De cada moita a escuridão saía. que ao redor derrama os olhos. Com triste voz que os ânimos comove. lutas. defende-te. ouvi: Sou filho das selvas. Em rugas faz A mentirosa placidez do rosto Na fronte audaz! Canto III (O inimigo Timbira dá a palavra ao prisioneiro Tupi) Vem a terreiro o mísero contrário.Literatura CASTRO ALVES — 3ª. quando o sol morria. de glória e terror! Canto II (O prisioneiro dá sinais de inquietação e angústia perante a morte iminente) (.. fraternidade). b) Amor: lirismo amoroso sensualista que se afasta da tendência platônica dominante nas primeiras gerações românticas. mas não por medo de morrer e sim por causa de seu pai cego) Meu canto de morte. (. Sou filho do Norte. A natureza era um poema santo.2007 . já cantam vitória.

E tu choraste!.. quero provar-te Que um filho dos Tupis vive com honra. cobarde. — De que nação? — Timbiras. Ao velho Tupi guerreiro Responde com torvo acento: — Nada farei do que dizes: É teu filho imbele e fraco! Aviltaria o triunfo Da mais guerreira das tribos Derramar seu ignóbil sangue: desonroso Ele chorou de cobarde. Que receio morrer! — És livre. voltarei... meu filho não és. — Dos índios? — Sim. Pois choraste. quando transmonta. não coro Do pranto que choro: Se a vida deploro. — Debalde. porrete indígena (. Canto V (O chefe timbira solta o prisioneiro. morto meu pai. Que filho lhe sou. a flor desfaleça.. Só de heróis fazemos pasto. e sozinho na terra. Mas os timbiras recusam a oferta) Mas o chefe dos Timbiras. Tu.) Prof. Da morte o passo glorioso afronta. em que não veja. tu? — Vós o dissestes. parte! — Ora não partirei.2007 . Que resta? — Morrer.. — E quereis ir?.. A só alegria Que Deus lhe deixou: Em mim se apoiava. Ao contacto dos lábios sedentos. Donde fujas com asco e terror! (. Pois que a tanta vileza chegaste. Em mim descansava. mas bravo.. Os sobrolhos encrespando. descendente maldito De uma tribo de nobres guerreiros.Literatura (. Dos falsos manitôs quebraste a maça.. acreditando ser ele um fraco) — És livre. Nós outros. qual chora: és livre. Canto VII (O pai entrega o filho aos inimigos para que seja sacrificado.” Canto IX (O filho prova ao pai que ainda é forte e valente. parte! — Acaso tu supões que me acobardo. — E voltarei. Implorando cruéis forasteiros Seres presas de vis Aimorés. se existe... Murchem prados. não ignavo. Suas águas depressa se tornem. que um Tupi não chora nunca.. Começa sozinho 225 Volume Único .) Eu era o seu guia Na noite sombria. Enquanto descreve O giro tão breve Da vida que teve. — E a muçurana funeral rompeste. — Mentiste. Deixai-me viver! Não vil. — Na direção do ocaso. — Fica essa taba? — Na direção do sol. Oliveira Neto — Nada fiz. Mais te acenda o vesano furor.. — Tens razão: partamos.. Serei vosso escravo: Aqui virei ter. Mas forte. Lago impuro dos vermes nojentos. fortes Timbiras. E o regato que límpido corre. lamento. E com honra maior. Guerreiros.. Que filho tem. — E depois? — Eis-me aqui. que em mim só vivia. mas souberam da existência De um pobre velho. Que em presença da morte choraste..) “Um amigo não tenhas piedoso Que o teu corpo na terra embalsame. se acaso o vencem. Tratase da passagem mais famosa do poema) “Tu choraste em presença da morte? Na presença de estranhos choraste? Não descende o cobarde do forte. Já cego e quebrado.. Ao velho coitado De penas ralado. Canto VI (O pai descobre que o filho esteve prisioneiro de inimigos) — Tu prisioneiro. parte. (. Também sei morrer. — Canto VIII (O pai amaldiçoa o filho que chorou na hora da morte. — Sim. — Não voltes! É bem feliz. Pondo em vaso d’argila cuidoso Arco e frecha e tacape a teus pés! Sê maldito. Em mim se firmava. — Longe? — Não muito. não queremos Com carne vil enfraquecer os fortes.) “Que a teus passos a relva se torre. meu filho não és! Possas tu. parte.

nas tabas. Oliveira Neto Volume Único . b) Cavaleiro das armas escuras Onde vais pelas trevas impuras Com a espada sangüenta na mão? Por que brilham teus olhos ardentes E gemidos nos lábios frementes Vertem fogo do teu coração? c) Como se lê num espelho. Compare o poemeto épico de Gonçalves Dias com as epopéias neoclássicas. — Basta. ou Maria. Já o vento soluçou na arapuca do mato E o arco-da-velha já engoliu as virgens. Dizia prudente: — “Meninos. b) Não há multiplicidade de ritmos e metros. e) Vamos caçar cotia. podemos afirmar: a) Trata-se de um poema lírico. É de fato o nosso primeiro poeta romântico a se identificar imediatamente com a sentimentalidade de seu povo e a dar um exemplo fecundo à nossa criação literária. A sua vista não ia além Dos quatro muros que a enclausuravam E ninguém via — ninguém. “Corram livres as lágrimas que choro.. isto é.. in Últimos Cantos). O guerreiro parou. que não desonram.. deu exemplo de extraordinário equilíbrio e sobriedade. Assinale a opção que apresenta versos do poeta referido no texto: a) Na velha torre quadrangular Vivia a Virgem dos Devaneios. se alguém duvidava Do que ele contava. revigorando as intenções nacionalistas do Romantismo. Ambos choram. Com lágrimas de júbilo bradando: “Este.Literatura uma guerra contra os timbiras. Nesse caso. irmão pequeno. in Presença da Literatura Brasileira). qual sempre o tive. Textos para as questões 5 e 6 TEXTO I Lembrança de Morrer (fragmentos) Quando em meu peito rebentar-se a fibra Que o espírito enlaça à dor vivente. 02. A partir da comparação. que o cinge contra o peito. Tão lindos seios.. coberto de glória.. d) Desenvolve o forte amor platônico de Lindoya. Pude ler os olhos seus! Os olhos mostram a alma. 01.. d) O anjo pousa de leve No quarto onde a moça pura Remenda a roupa dos pobres. 04.) qualquer que seja a preferência temática: contemplação panteísta e sentimento religioso. caiu nos braços Do velho pai. de reconsideração de idéias e visões tomadas à tradição medieval. (UFPE) A respeito de “I-Juca Pirama”. Não se sabe mais se o anjo É ele mesmo. caracterizando sua monotonia formal. Nasceu uma claridade Naquele quarto modesto: A máquina de costurar Costura raios de luz. mas por alegria e não por covardia. (Candido. estabeleça alguns aspectos sobre a evolução do gênero e dos estilos na literatura brasileira. Mas ai de mi! Nem já sei qual fiquei sendo Depois que os vi. resultantes sobretudo de longa experiência com a tradição poética em língua portuguesa. guerreiro ilustre! assaz lutaste. em que o indianismo é exaltado. o belo poema de Gonçalves Dias.) — Basta! clama o chefe dos Timbiras. (Gonçalves Dias. em que não se percebem momentos de intensa dramaticidade.. que é meu filho muito amado! “E pois que o acho enfim.. Que as ondas postas em calma Também refletem os céus.. “Estas lágrimas..2007 d) Álvares de Azevedo e) Casimiro de Abreu . e) Trata-se de um poemeto épico. c) Trata-se de um poema intensamente autobiográfico. Que teremos boas horas sem razão. no sentido da associação de Deus à Natureza: lirismo pessoal que concilia a sua experiência sentimental com o ideal amoroso revestido de significação autobiográfica. Não derramem por mim nem uma lágrima Em pálpebra demente Prof. ____________________________________________________ _______________________________________________ (ITA-SP/99) As questões 02 e 03 referem-se ao seguinte texto: (. O pai reconhece no filho um guerreiro e o perdoa. Do ponto de vista da expressão. ninguém — E os meigos olhos que suspiravam. Tão alvos braços. Antonio & Castello. eu vi!”. sim. E para o sacrifício é mister forças. Tão alvos seios por afagar. sim. José Aderaldo.” Canto X (A história do índio tupi e de seu pai tornou-se lenda entre os timbiras) Um velho Timbira. deve-se entender a sua poesia indianista como antevisão lírica e épica das nossas origens. indianismo e inspiração medievalista. Guardou a memória Do moço guerreiro. Assinale a opção com o nome do poeta a que se refere o texto: a) Fagundes Varela b) Gonçalves Dias c) Castro Alves 226 03. do velho Tupi! E à noite.

À sombra de uma cruz. TEXTO II É ela! é ela! — murmurei tremendo... Tinha na mão o ferro do engomado.2007 ... Ó minha virgem dos errantes sonhos.. E o eco ao longe murmurou — é ela! Eu a vi — minha fada aérea e pura — A minha lavadeira na janela! Dessas águas-furtadas onde eu moro sótão Eu a vejo estendendo no telhado Os vestidos de chita.. Boa-noite.. suave Quase caí na rua desmaiado! Álvares de Azevedo. badalada Como o desterro de minh’alma errante. O aroma dos currais...) Ah! vem. de joelhos. Como roncava maviosa e pura!. e) Na exaustão causada pelo sentimentalismo. __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 06. Oliveira Neto Textos para a questão 07 TEXTO I (. E os sapos que cantavam no caminho! (..) Se uma lágrima as pálpebras me inunda.. Onde fogo insensato a consumia: Só levo uma saudade — é desses tempos Que uma amorosa ilusão embelecia. na tua fronte Beijar a luz de Deus. Filha do céu. e caiu do céu sentindo exaustas as suas asas de oiro. Como o cisne de outrora.... e escrevam nela: — Foi poeta — sonhou — e amou na vida...Literatura E nem desfolhem na matéria impura A flor do vale que adormece ao vento: Não quero que uma nota de alegria Se cale por meu triste passamento.. c) Há uma crise nos séculos como nos homens. Maria! É tarde. Verei cristalizar-se o sonho amigo. e cantem nela Os amores da vida esperançosa! Cantem esse verão que me alentava. in Lira dos Vinte Anos. morte Eu deixo a vida como deixa o tédio Do deserto... Se ela ao menos dormisse mascarada! (Álvares de Azevedo.. TEXTO II O Poeta Moribundo (fragmentos) Poetas! amanhã ao meu cadáver Minha tripa cortai mais sonorosa!. A postura do eu lírico perante a morte é a mesma nos dois poemas? Justifique. as saias brancas.) Eu morro qual nas mãos da cozinheira O marreco piando na agonia. Se viveu.. 07. Assinale o item que se relaciona ideologicamente com o texto I. in Lira dos Vinte Anos.. É quando a poesia cegou deslumbrada de fitar-se no misticismo. 05. E devo então dormir com ela?. Dá vida em teu alento à minha vida.. ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ _______________________________________________________ ______________________________________________________ Prof. pálida virgem. As aves que na sombra suspiravam. Beijar-te nos cabelos soluçando E no teu seio ser feliz morrendo! Álvares de Azevedo. in Lira dos Vinte Anos). a) Aqui dissipa-se o mundo visionário e platônico. a alma que ama e canta porque sua vida é amor e canto. vibrações doridas da lira interna que agitava um sonho. Façam dela uma corda.. o que pode senão fazer o poema dos amores da vida real? 08. 227 Volume Único .. A lua nas janelas bate em cheio... e morre amando. Os excertos foram retirados dos dois prefácios da Lira dos Vinte Anos. Se um suspiro nos seios treme ainda É pela virgem que sonhei. se tens pena De quem morre por ti. Une nos lábios meus minh’alma à tua! Eu quero ao pé de ti sentir o mundo Na tua alma infantil.. embelezava (. Coração. Não me apertes assim contra teu seio. Eu a vejo e suspiro enamorado! Esta noite eu ousei mais atrevido Nas telhas que estalavam nos meus passos Ir espiar seu venturoso sono. Compare os dois textos pelo ponto de vista da forma poética.. Vê-la mais bela de Morfeu no braços! deus do sono na mitologia Como dormia! que profundo sono!.. E a teus pés.. — Álvares de Azevedo.. (UNIUBE-MG) Boa-Noite Boa-noite.. o bezerrinho. a alma ainda trêmula e ressoante da febre do sangue. d) O poeta acorda na terra.. Beijarei a verdade santa e nua. Maria! Eu vou-me embora. é tarde. Que noiva!. nos teus suspiros Sentir as virações do paraíso. b) Cantos espontâneos do coração. crer ainda Que não mente o amor que um anjo inspira. Os dois poemas de Álvares de Azevedo desenvolvem o mesmo tema: a morte. eu vou amar contigo! Descansem o meu leito solitário Na floresta dos homens esquecida. in Lira dos Vinte Anos.. foi por ti! e de esperança De na vida gozar de teus amores. que gemendo Entre os hinos de amor se enternecia. Que eu posso na tua alma ser ditoso. Ali vem lazarenta e desdentada.. o poento caminheiro — Como as horas de um longo pesadelo Que se desfaz ao dobre de um sineiro. que nunca Aos lábios me encostou a face linda! Só tu à mocidade sonhadora Do pálido poeta deste flores. por que tremes? Vejo a morte.

... se é verdade Tanto horror perante os céus. por que não apagas Co’a esponja de tuas vagas De teu manto este borrão?.. Ouvem-se gritos. Um de raiva delira. fitando o céu que se desdobra Tão puro sobre o mar.. E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais! Qual num sonho dantesco as sombras voam. (. geme e ri! No entanto o capitão manda a manobra E após. O tombadilho alojamento de um navio Que das luzernas avermelha o brilho... Mas não m’o digas descobrindo o peito.2007 . Esta a quem o eu São os filhos do deserto lírico se dirige é provavelmente Onde a terra esposa a luz. por meio do excesso de figuras de linguagem. E voam mais e mais...) IV Era um sonho dantesco... outro enlouquece. Negras mulheres. Presa nos elos de uma só cadeia.. bebo atento! (.. como a lira ao vento. Diz do fumo entre os densos nevoeiros: “Vibrai rijo o chicote.. Se a estrela se cala. d) uma renovação em relação à de seus antecessores.. Sobre mim desenrola teu cabelo........... espantadas.. irônica. — Mar de amor onde vagam meus desejos. Dize-o tu. ais.. Fechemos sobre nós estas cortinas.... c) a preocupação de ocultar... Senhor Deus! Se é loucura.... Mulher do meu amor! Quando aos meus beijos Treme tua alma. fantasma E ri-se a orquestra... severa musa.. b) a idealização da mulher.. Perante a noite confusa. instrumento de cordas Das teclas de teu seio que harmonias. observase: a) uma posição platônica em relação ao amor. preces ressoam! E ri-se Satanás!..Literatura Boa-noite!. tufão!. É noite..) Como um negro e sombrio firmamento. mas nuas... Ó mar. Astros! noite! tempestades! Rolai das imensidades! Varrei os mares. pois! Durmamos.. moças. e) a mesma timidez revelada nos devaneios líricos dos poetas da geração byroniana... clarões Em sangue a se banhar. Oh! Deixa-me aquecer teus pés divinos Ao doido afago de meus lábios mornos. os mais recônditos desejos do poeta... E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais.. E tu dizes — Boa-noite. Na poesia lírico-amorosa de Castro Alves..” E ri-se a orquestra irônica. O Navio Negreiro Tragédia no Mar (Fragmentos) I ’Stamos em pleno mar. V Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós.. estridente. Que escalas de suspiros... Cantando.. Texto para as questões 1 e 2.......) É noite ainda! Brilha na cambraia — Desmanchado o roupão.. (Castro Alves... musa da tragédia. ser incorpóreo. marinheiros! Fazei-os mais dançar!. Mas não digas assim por entre beijos... estridente.... pela expressão ousada dos impulsos eróticos. Onde voa em campo aberto que fala nas próximas estrofes Prof. in Espumas Flutuantes)..... Horrendos a dançar.. Se a vaga à pressa resvala Como um cúmplice fugaz. Outro. Gritos..... Quem são estes desgraçados Que não encontram em vós Mais que o rir calmo da turba Que excita a fúria do algoz? carrasco Quem são?.... — São as asas do arcanjo dos amores. cantada constantemente como objeto inacessível ao poeta. Julieta! Recende a alcova ao trescalar das flores. Eram nove. A frouxa luz da alabastrina lâmpada Lambe voluptuosa os teu contornos... Em ânsia e mágoa vãs.... cujas bocas pretas Rega o sangue das mães: Outras.... o chicote estala... E deixa-me dormir balbuciando: gaguejando — Boa-noite! —.. No turbilhão de espectros arrastadas. Legiões de homens negros como a noite. E chora e dança ali! .... Tinir de ferros.... suspendendo às tetas 228 Magras crianças.. sobre o qual versifica em linguagem racional e contida.. (... formosa Consuelo!. Melpomene. a espádua nua — O globo do teu peito entre os arminhos Como entre as névoas se balouça a lua. A multidão faminta cambaleia.... que de martírios embrutece.. a História e a Astronomia. maldições. Se o velho arqueja se no chão resvala.. Oliveira Neto Volume Único ... audaz! as Artes.. estalar do açoite. entidade da Mitologia que preside Musa libérrima.

Oliveira Neto um cadáver Extingue nesta hora o brigue imundo O trilho que Colombo abriu na vaga. colocando os termos em ordem direta. Ismael Trazendo com tíbios passos fracos.. (. adeus!.. heróis do Novo Mundo.. contesta e busca alterar.. . .. Adeus! amores. Adeus! ó choça do monte!..) Senhor Deus dos desgraçados! Dizei-me vós. por sua arte. Viveram — moças gentis. ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ ____________________________________________ b) Justifique o uso do pronome pessoal “tu”. que da liberdade após a guerra. tufão!.Mas é infâmia demais... (FUVEST) As questões abaixo tomam como base a penúltima estrofe do poema de Castro Alves. hipérbole.. apóstrofe — esta última.. Hoje míseros escravos Sem ar.. Como um íris no pélago profundo!.. um pelo outro.. 2. Astros! noite! tempestades! Rolai das imensidades! Varrei os mares. Foste hasteado dos heróis na lança. chora tanto Que o pavilhão se lave no teu pranto. diverte-se. impactantes.. Da etérea plaga Levantai-vos...2007 229 . por fome e por sede no deserto. sem luz.Literatura A tribo dos homens nus....A moreninha (relato sentimental da ligação entre dois jovens. 09.. manchados Combatem na solidão... que o artista.. VI E existe um povo que a bandeira empresta Pr’a cobrir tanta infâmia e cobardia!. alquebradas.... ..... Estandarte que a luz do sol encerra.... sem saber que são eles próprios os noivos prometidos) Características da obra: · Adaptação do folhetim romântico europeu: a) a cenários brasileiros b) aos valores morais e afetivos da família patriarcal brasileira · Possibilita aos leitores brasileiros uma identificação com a realidade local Volume Único ... hipérbato. Que a brisa do Brasil beija e balança. Que com os tigres mosqueados pintados.. Passa um dia a caravana Quando a virgem na cabana Cisma da noite nos véus. Andrada! Arranca este pendão dos ares! Colombo! fecha a porta de teus mares! (Castro Alves. ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ ______________________ O ROMANCE ROMÂNTICO O romance romântico 1. E deixa-a transformar-se nessa festa Em manto impuro de bacante fria!.. São mulheres desgraçadas Como Agar o foi também. a) Reescreva o quinto e o sexto versos.. bravos. São os guerreiros ousados.. por que não apagas Co’a esponja de tuas vagas De teu manto este borrão?. Todos os itens abaixo são válidos para caracterizar a poesia social de Castro Alves. fortes. Adeus! palmeiras da fonte!.. Das palmeiras do país. muito representativa do discurso oratório. Que impudente na gávea tripudia?!... levando em conta seus referentes. bem longe vêm. Tu. b) Arte engajada ou comprometida: temática vinculada a aspectos da realidade político-social. e) Barroquismo: construção textual marcada por figuras de linguagem. De longe.. Nasceram — crianças lindas. Que servires a um povo de mortalha!... como metáfora. sem razão..... cobre E as promessas divinas da esperança. Augusto e Carolina. junto com seu filho. humilha Auriverde pendão de minha terra. sem vigor Filhos e algemas nos braços N’alma — lágrimas e fel.. Senhor Deus! Se eu deliro. c) Condoreirismo: mistura de retórica grandiloqüente e arte engajada. d) Titanismo: incorporação de personagens bíblicas no discurso poético... . antítese.. Silêncio!. Lá nas areias infindas. in Os Escravos). Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta. Ó mar..... exceto: a) Grandiloqüência: gosto por um discurso de sonoridade e imagética grandiosas.... presos a uma promessa amorosa infantil e que na adolescência se apaixonam. Joaquim Manuel de Macedo O moço louro . Como Agar sofrendo tanto Que nem o leite do pranto Têm que dar para Ismael. ou se é verdade Tanto horror perante os céus.. Musa! chora... Antes te houvessem roto na batalha. personagem bíblica que sofreu Que sedentas. Homens simples.. Fatalidade atroz que a mente esmaga! Prof.

Cecília. elegante) e Fernando Seixas (ambicioso.mas que acaba se realizando . Martim leva então consigo o filho Moacir. Mal) * idealização do selvagem Temática alegórica nacionalista: * conquista do sertão * confronto de raças e de cultura * assimilação do índio idealizado * imposição da cultura branca * imposição do Cristianismo Prof. designado pelo escritor como o “primeiro cearense”. casando-se com ele. SENHORA (1875).Literatura Não esqueça: A importância de Macedo é que ele desperta no público o gosto pelo romance ambientado no Brasil 2. Aimorés) * maniqueísmo (Bem vs. mas o rapaz especula na bola e ganha o dinheiro para se resgatar.entre Iracema. Aurélia recebe vultuosa herança e compra o antigo noivo por 100 contos. · Tentativa de criar uma língua brasileira (Iracema) · Aspectos pré-realistas nos romances Lucíola e Senhora (análise psicológica mais complexa. Martim Soares parte. “o filho do sofrimento”. em seu passado histórico (romances históricos) e em sua dimensão lendária/mítica (romances indianistas). bela. honra e dignidade humanas * problematização do casamento por conveniência. JOSÉ DE ALENCAR Gênero: romance urbano Foco: 3ª pessoa.romance sobre a paixão de um jovem bacharel. traduzindo os valores patriarcais do autor. encontra a índia às portas da morte.O sertanejo . Contudo.2007 230 . Romances regionalistas (ou sertanistas): O gaúcho . Oliveira Neto Volume Único . Antônio de Mariz) vs. rio Paquequer. espécie de poema em prosa.O tronco do ipê (relatos cujo objetivo é exaltar a unidade nacional na diversidade regional). narra a paixão proibida . suspense e emoção Personagens planas e idealizadas: * heróis (Peri. os dois se retiram do centro do Rio de Janeiro em busca de um cenário favorável para o triunfo do amor. análise do peso da sociedade sobre a vida individual e temas relativamente proibidos: o casamento por interesse e as complicações resultantes do amor entre dois grupos sociais distintos). Mesmo assim. surpresa. rio Paraíba.romance sobre o casamento por interesse. porém. JOSÉ DE ALENCAR Gênero: romance histórico / romance indianista Foco: 3ª pessoa. Lucíola . que a troca pelo dote de 30 contos de Adelaide Amaral. Lúcia morre. Antes do nascimento da criança. Iracema ainda lhe entrega a criança e só depois morre. O GUARANI (1857). Aurélia é abandonada pelo noivo. a nossa literatura começa o seu processo de emancipação definitiva da literatura portuguesa. providencialmente. · Estrutura narrativa romântica. tendente ao poético. D. narrador onisciente Tempo: Início do século XVII (domínio espanhol) Espaço: Serra dos Órgãos.Ubirajara . a pressão social e as angústias naturais do amante constituem a base da narrativa. Não esqueça: Com José de Alencar e seu projeto estético-ideológico (a defesa de temas nacionais e a luta por uma linguagem brasileira). Idealização da natureza (cor local) Ação folhetinesca: rapidez. vilões (Loredano e cia. · Em Senhora e Lucíola: vitória final da ótica moral conservadora. espécie de sacerdotisa da tribo tabajara e o português Martim Soares.A guerra dos mascates (romances de muita ação e pouca historicidade objetiva). Aurélia vinga-se então de Fernando Seixas. por interesse. Paulo. O desfecho é absolutamente convencional: os dois se perdoam e são felizes para sempre. valorização da natureza e estilo metafórico. Características gerais da obra: · Projeto nacionalista: revelar o Brasil em seu espaço físico-geográfico (romances urbanos e regionalistas). por uma cortesã (prostituta). entrega-se a Martim e desta relação nasce Moacir. Ao regressar. prática muito comum à época. JOSÉ DE ALENCAR (1829 – 1877) Romances urbanos: Senhora . com forte influência de Walter Scott e Fenimore Cooper. a guardadora do segredo de Jurema e que deveria permanecer virgem. As dificuldades deste tipo de relacionamento. Romances indianistas: O guarani (que Alencar considerava um relato histórico) . Lúcia. · Idealização permanente da realidade nacional. Romances históricos: As minas de prata . que no final é resgatado pelo sentimento amoroso) Temática crítica: * o valor do dinheiro em oposição ao sentimento. rica — apesar do início pobre — charmosa. narrador onisciente Tempo: Segundo Reinado Espaço: Rio de Janeiro Ação: menos dinâmica e mais psicológica Personagens principais: * Par romântico: Aurélia Camargo (personalidade forte — caprichosa e autêntica —. tratando-o como um ser desprezível. Fernando Seixas.Til . aliado dos pitiguaras. No final.Iracema (“Lenda do Ceará”. Iracema.

4. Barbeiro (padrinho). Mestre de Reza. e um falso médico vindo da cidade. Inocência.(romance sertanista–regionalista . Chico-Juca. · · · Prof. José Manuel. c) Romance indianista e histórico. a jovem deixa-se morrer de tristeza.Compadre (o protetor de Leonardo). Este.sobre uma paixão proibida entre a jovem sertaneja. comprometido com o passado e descompromissado com a realidade social de seu tempo. O pai da moça. Tomalargura. Maria-Regalada Estilo: costumbrismo: retrato de usos e costumes populares (cor local) cenas do cotidiano técnica folhetinesca: rapidez e surpresa coloquialismo / diálogo com o leitor humor / ironia carnavalização Romantismo excêntrico / “Pré-Realismo” • • • • • Personagens planas e alegóricas Araken (pajé tabajara. D. a prometera a um tipo rústico chamado Manecão. Vigário (mestre de cerimônias). b) Romance indianista com nítida inclinação para a fantasia e para o descompromisso social..” Protagonista: Leonardo (anti-herói / “pícaro” / malandro) Personagens típicas e planas: Leonardo Pataca. Leonardo (irresponsabilidade.Major Vidigal (o representante da ordem e o perseguidor de Leonardo) . etc. Tomás da Sé (sacristão). Parteira (madrinha). Visconde de Taunay Inocência . Major Vidigal. · E xercícios 01. Vidinha. pai de Iracema) = sabedoria Cauby (irmão de Iracema) = amor fraterno Irapuã (cacique tabajara) = ciúme Jacaúna (cacique potiguar) = valor marcial Poti (guerreiro potiguar) = amizade racema (sacerdotisa tabajara) = América virgem Martim (guerreiro português) = Europa conquistadora Moacir (filho de Iracema e de Martim) = Brasil mestiço 3.. Luisinha (a ideal) e Vidinha (a sensual) Leonardo Pataca (o pai do anti-herói) . pela ausência de idealização social e pelas características do anti-herói. Personagens principais: Leonardo .Literatura IRACEMA “LENDA DO CEARA” (1865) • • • • • • Gênero: romance indianista / romance histórico Foco: 3ª pessoa onisciente Estilo: prosa poética Tema: alegoria da colonização brasileira e americana Espaço: Ceará (metonímia do Brasil) Tempo: século XVII • MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS (1854–55) Gênero: romance de costumes / romance picaresco / romance “malandro” Foco: 3ª pessoa (observador / onisciente) Espaço: Rio de Janeiro Tempo de enunciação: meados do século XIX Tempo da história: início do século XIX — “Era no tempo do rei.suas duas paixões. e) Romance de aventuras com importante papel na formação do ideário do Segundo Reinado. Maria.acontecimentos que desmentem a hipocrisia dos indivíduos . Maria da Hortaliça. Mestre Escola. Um caso à parte: Manuel Antônio de Almeida Memórias de um sargento de milícias · Narrativa de costumes: Os hábitos das classes populares no “tempo do rei” (1808-1821) Destruição do Romantismo: Ironia aos cacoetes românticos . encerrando tragicamente a história. D. assassina Cirino. gosto pela vagabundagem e estratégias espertas de sobrevivência).personagens semimarginais (Leonardo é “filho de uma pisadela e de um beliscão”) . Assinale a alternativa correta sobre O Guarani. Chiquinha (filha da comadre). Luisinha. Porém. sensualidade.profusão de situações cômicas. Cirino. o romance tem sido classificado como a primeira narrativa da malandragem em nossa literatura. de José de Alencar: a) Romance indianista cuja ação independe de fatos históricos. além de apresentar uma visão crítica do patriarcalismo brasileiro. ao descobrir a paixão de Inocência.) Não esqueça: O romance de Taunay já foi designado como uma espécie de Romeu e Julieta caboclo. Cigana. Predomínio do humor: Personagens caricaturizados .2007 . Oliveira Neto 231 Volume Único . entretanto. • • • Não esqueça: Por seu teor cômico. d) Romance romântico preocupado com a fantasia e com o perfil psicológico das personagens.ausência de idealização Um romance precursor do realismo: Objetividade na visão sobre o mundo social.

tendo perdido as graças de menina. pobre e sem nobreza de caráter. pálida. as relações sentimentais entre pessoas de classes sociais distintas. pois se justifica por seu caráter de transição da estética romântica para a realista. temas recorrentes na obra de Alencar. Assim costumava ela indicar o merecimento relativo de cada um dos pretendentes. b) representa o romance urbano de Alencar. de José de Alencar. Nele. tematiza o casamento como forma de ascensão social. aplicando a esse indivíduos o mesmo estalão. em que o pretendente é considerado pelo seu “valor monetário”. tal como a história de O Sertanejo. e) A palavra Iracema é o resultado da aglutinação de duas outras da língua guarani e significa “lábios de fel”.Claude Bernard Positivismo . Martim e Moacir participam da luta fraticida entre tabajaras e pitiguaras. representada nesta obra por Luisinha.Arthur Schopenhauer Prof. Essa obra explora tanto aspectos do regionalismo nacional como os valores da vida urbana. uma grande porção lhe caía sobre a testa e olhos. c) mescla o regionalismo e o indianismo. o cabelo. c) O livro trata das peripécias do protagonista. Aurélia reagia contra essa afronta. o escritor tematiza. magra. c) não fere o estilo romântico de descrever e narrar. apesar das características negativas da personagem. ilustrado pelo trecho. REALISMO E NATURALISMO SITUAÇÃO HISTÓRICA • • • • • • • • • 2ª metade do século XIX Sociedade burguesa / luta de classes Racionalismo materialista Evolucionismo . Dele pode afirmar-se que a) confirma o padrão romântico da descrição da personagem feminina. que fazem dela legítima representante da dialética da malandragem. e) insere-se na estética romântica. tinha os braços finos e compridos. com escárnio. além de explorar as relações extraconjugais. (ITA/99) Assinale a opção correta em relação à obra Memórias de um Sargento de Milícias. Aurélia cotava os seus adoradores pelo preço que razoavelmente poderiam obter no mercado matrimonial. (UNIFESP/2004) Leia o trecho a seguir. b) As personagens Iracema. de José de Alencar. d) A história se passa num ambiente rural.) Sobre Iracema. como uma viseira. de Manuel Antônio de Almeida: a) O livro trata da história de um amor impossível passada no século XIX. dando-lhes certo valor monetário. (PUC-SP/2003-adap.Charles Darwin Experimentalismo . A história de Aurélia e de seus pretendentes mostra a concepção do amor. A reação de ironia e de desprezo com que Aurélia trata seus pretendentes. O trecho lido é do romance Memórias de um Sargento de Milícias.Hippolyte Taine Socialismo científico . Trata-se de um romance urbano de Alencar. representados pelo interesse financeiro como forma de se ascender socialmente. 232 04. trazia as pálpebras sempre baixas. de José de Alencar. Em linguagem financeira. dentro do Romantismo. assinale a alternativa correta: a) Iracema é uma índia criada por Alencar para explicar poeticamente as origens das raças indígenas da América.2007 . e olhava a furto. sem exceção de um. e) tematiza o adultério e a prostituição feminina. d) justifica. a pretendiam unicamente pela riqueza.Literatura 02. d) O nome da personagem-título é anagrama de América e essa relação caracteriza a obra como um romance histórico. e como andava mal penteada e trazia a cabeça sempre baixa. b) A história é contada numa linguagem popular da mesma maneira como foram escritas outras obras da época. em “linguagem financeira”. andava com o queixo enterrado no peito. vistos sob a ótica do “mercado matrimonial”. personagem cômico. porém que. a caracterização sempre idealizada do perfil feminino de suas personagens. como forma de privilégio monetário. 03.Karl Marx Pessimismo . dava-lhe apenas até o pescoço. cortado. elaborado com recursos de linguagem figurada. O romance Senhora.Auguste Comte Determinismo . (PUC-SP/2004) Era a sobrinha de Dona Maria já muito desenvolvida. b) exemplifica a afirmação de que o referido romance estava em descompasso com os padrões e o tom do Romantismo. Oliveira Neto Volume Único . ainda não tinha adquirido a beleza de moça: era alta. c) O romance. é considerado o exemplar mais perfeito de prosa poética na ficção romântica brasileira. de Manuel Antônio de Almeida. em especial as conjugais. a) denuncia as relações humanas. d) é obra ilustrativa do regionalismo romântico brasileiro. Convencida de que todos os seus inúmeros apaixonados. como responsáveis por levar as pessoas à tristeza e à solidão dada a superficialidade e ao interesse com que elas se estabelecem. e) A história é contada numa linguagem que segue os padrões clássicos da época.

o amor. Temas: a natureza humana. a filosofia. A insegurança de Bentinho. melancolia.análise psicológica Naturalismo . ironia. Trata-se de um velho ensimesmado. ALUÍSIO AZEVEDO • • Gênero: romance de tese e crítica social Estilo: Naturalismo (Cientifismo: determinismo. pessimismo. a morte. zoomorfismo. cético. destacase o problema do conhecimento do outro a partir de um ponto de vista inseguro de si. um acaso). Personagens: Brás Cubas / mulheres de Brás: Marcela. Marcas ideológicas e estilísticas: digressão. estética do feio. denúncia social e moral) Foco: 3ª pessoa (onisciente / observador) Tempo: próximo da Abolição Espaço: Rio de Janeiro Cortiço: baixas camadas sociais Sobrado: burguesia Personagens planas e típicas: João Romão / Bertoleza / Comendador Miranda / Dona Estela / Zulmirinha Jerônimo / Piedade / Rita Baiana / Firmo / Pombinha / Léonie etc. de alguma forma.2007 . Cláudio = intelectual cientificista Alunos (Rabelo. Oliveira Neto • –’ –’ –’ ALUÍSIO AZEVEDO (1857-1913) AS DUAS FACES DO AUTOR 1. Sanches. Ezequiel. Espaço: Rio de Janeiro. a riqueza. atua como elemento autodevastador e aniquilador daqueles que.perspectiva crítica Descritivismo . Capitolina (Capitu). um gesto. Rômulo. Bento Santiago narra a própria vida no intuito de restaurar no presente o equilíbrio perdido no passado. com mania de insinuações irônicas e reticentes. perspectiva crítica. Franco. seres arrasados pelo ciúme de Bentinho. Naturalismo • • • O Mulato (1881) Casa de Pensão (1884) O Cortiço (1890) O ATENEU “CRÔNICA DE SAUDADES” (1888) • • • • • • –’ –’ –’ –’ –’ • –’ • –’ –’ Gênero: romance memoralista / romance de formação Foco narrativo: 1ª pessoa (Sérgio adulto) Espaço: Rio de Janeiro / internato (microcosmo da sociedade) Tempo: fim do século XIX Protagonista: Sérgio (jovem) — personagem esférica Personagens: planas. a literatura. Eugênia. provocam esse sentimento. Romantismo • • Uma Lágrima de Mulher (1879) O Mistério da Tijuca (1882) 2. Eulália (Nhã-Loló) / Lobo Neves (marido de Virgília) / Quincas Borba (criador do Humanitismo). análise patológica. Temática acumulação primitiva de capital superexploração do trabalho ascensão social criminosa e sem escrúpulos morais TENDÊNCIAS • • • –’ –’ • MEMÓRIAS PÓSTUMAS DE BRÁS CUBAS (1881). típicas e caricatas Aristarco = caricatura do poder monárquico Ema = anagrama de “mãe” e de “ame” Ângela (criada de Aristarco) = personificação da sexualidade Prof. Tema: Dentre os temas que o romance aborda. Sua visão ou ponto de vista domina toda a narrativa. Tempo: A história desenrola-se durante o Segundo Reinado. o poder. As demais personagens podem ser consideradas projeções de sua psicologia meio esquizóide e misantropa (incapaz para o convívio social).Deformação e intensificação da realidade Impressionismo . DOM CASMURRO (1899). minimalismo (dar importância a coisas mínimas: um olhar. no caso. Virgília. a ciência. Escobar. Personagens: Bento Santiago (Bentinho). a sociedade burguesa e escravista. Bento Alves.análise patológica / cientificismo / zoomorfismo / estética do feio Expressionismo .) = tipos diversos Estilo eclético realismo / naturalismo / expressionismo / impressionismo Temática denúncia da deformação dos jovens pela escola alegoria da decadência da monarquia 233 Volume Único . Foco narrativo: 1ª pessoa (“defunto autor”). Espaço: Rio de Janeiro. Prof.Literatura CARACTERÍSTICAS GERAIS • • • • • • • Oposição ao Romantismo . Egbert etc. Tempo: entre 1805 e 1869 (nascimento e morte do protagonista). Malheiro. O seu livro possui a forma de uma autobiografia. MACHADO DE ASSIS Gênero: Romance urbano de tipo psicológico.observação e análise da realidade Realismo . Capitu e Ezequiel. Bento é personagemnarrador e pseudo-autor.esteticismo (Arte pela Arte) O CORTIÇO. derivada sobretudo de sua criação.sugestão da realidade por sensações e impressões Parnasianismo . Foco narrativo: Primeira pessoa. a loucura. MACHADO DE ASSIS Primeira edição:1881 (marco inicial do Realismo no Brasil).

porque eu tinha-lhe voltado as costas. com muito zelo e arte. uma congestão. mas o diabo do bicho está a olhar para a gente com tanta graça. não sem esforço nem perigo. Bom almocreve! enquanto eu tornava à consciência de mim mesmo. um pouco vexado. parecia constituí-lo simples instrumento da Providência. cabeça partida. ao temperamento. pagara-lhe talvez demais. lancei o cruzado à conta das minhas dissipações antigas. viu vosmecê que não aconteceu nada. uma moeda. em lugar do cruzado em prata. tento agarrar-me ao ventre do animal. mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. entrou a falar ao jumento de um modo significativo. em cujo bolso trazia as cinco moedas de ouro. lá se me ia a ciência em flor. acudiu a tempo de lhe pegar na rédea e detê-lo. tive (por que não direi tudo?) tive remorsos. mas um almocreve2.. O almocreve salvara-me talvez a vida. dizia-lhe que tomasse juízo. cavalguei o jumento. com a ajuda do Senhor.. cedeu a um impulso natural. mas porque era uma recompensa digna da dedicação com que ele me salvou. que me sacudiu fora da sela. focalizando o patológico. vi-a reluzir à luz do sol.o. focalizando tipos humanos. mas. dou-lhe as três moedas.. não mais adiante nem mais atrás. qualquer transtorno cá dentro. melhor direi um pouco incerto do efeito da pratinha. Porque. um monólogo paternal. b) geralmente de cunho social e psicológico. era positivo. Oliveira Neto Volume Único . Portanto. empacou o jumento em que eu vinha montado. disse ele. mas já então. eram os vinténs que eu devera ter dado ao almocreve. enfim mais um. dissolvendo-se à Prof. in Memórias Póstumas de Brás Cubas). não os olhos. d) normalmente documental da exuberância da natureza. (UEL-PR) O Realismo na literatura brasileira faz um romance a) estritamente regionalista. Está dito.2007 . ele cuidava de consertar os arreios do jumento. que o “senhor doutor” podia castigá-lo. Vai então. e durante esse tempo cogitei se não era excessiva a gratificação. o mérito do ato era positivamente nenhum. ele deu dous corcovos1. eu pagara-lhe bem. chamei-me pródigo. que o pé esquerdo me ficou preso no estribo. Digo mal: tentou disparar. E xercícios 01.. Examinei-lhe a roupa. e segui a trote largo. 234 — Queira vosmecê perdoar. deixa-me. fustiguei. não porque tal fosse o preço da minha vida. — essa era inestimável. Ri-me. se o jumento corre por ali fora. a ação narrativa decorre com mais intensidade no plano externo (meio) ao narrador ou interno (psicológico) do mesmo? ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ _____________________________________ _____________________________________ 02. que nunca jamais vira uma moeda de ouro. e efetivamente deu dous saltos.Literatura RAUL POMPÉIA (1863-1895) OBRA • • • • Uma Tragédia no Amazonas (1880) O Ateneu (1888) Canções sem Metro (1900) As jóias da Coroa (1962) Texto para os exercícios 1 e 2. Tirei-a. ele não levou em mira nenhuma recompensa ou virtude. abrindo.. — Olé! exclamei. olhei para trás. — Ora qual! — Pois não é certo que ia morrendo? — Se o jumento corre por aí fora. Valha-me Deus! até ouvi estalar um beijo: era o almocreve que lhe beijava a testa. eu sentia-no no sangue que me agitava o coração. espantado. Fiquei desconsolado com esta reflexão. e de um ou de outro modo. contundiame deveras. disparou pela estrada fora. mas suspeitou-o talvez. disse o almocreve. uma moeda era bastante para lhe dar estremeções de alegria. Meti os dedos no bolso do colete que trazia no corpo e senti umas moedas de cobre. que ainda não estou em mim. Resolvi dar-lhe três moedas de ouro das cinco que trazia comigo. dava-lhe conselhos. — Olhe do que vosmecê escapou. depois mais três. Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava.. tirei um colete velho. o almocreve fazia-me grandes cortesias. Talvez uma. meti-lhe na mão um cruzado em prata. Com efeito. com evidentes mostras de contentamento. é possível. e não sei se a morte não estaria no fim do desastre. c) basicamente de tese experimental. Como que se sentiam ainda na indolência de neblina as derradeiras notas da última guitarra da noite antecedente. que ali estava. apresentando-me a rédea da cavalgadura. Dominado o bruto. com tal desastre. aos hábitos do ofício. não a viu o almocreve. Texto para a questão 4. enfim. O desenho psicológico do narrador é do tipo simples/ linear ou complexo/sinuoso? Por quê? ________________________________________________ ________________________________________________ _______________________________________________ _________________________________________________ _________________________________________________ ________________________________________________ ________________________________________________ 03. mas justamente no ponto do desastre. se não bastavam duas moedas. E era verdade. Um acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada sete horas de chumbo. Mas a algumas braças de distância. voltada para o ambiente rural. desvencilhei-me do estribo e pus-me de pé. Adverti que devia ser assim mesmo. (Machado de Assis. — Daqui a nada. — Pronto. e) primordialmente de costumes. Fui aos alforjes3. De acordo com o texto. hesitei. era um pobre-diabo. acresce que a circunstâncias de estar. respondi.

A partir dos trechos selecionados. a sintonia com os ideais naturalistas é acentuada. d) por se notar a preocupação dos autores de voltarem para o passado ou para o futuro ao criarem seus personagens. o cheiro quente do café aquecia. Entretanto. debaixo do fio de água que escorria da altura de uns cinco palmos. esbranquiçadas no lugar da lavagem e em alguns pontos azuladas pelo anil.. umedecia o ar e punha-lhe um farto acre de sabão ordinário. (UFPA) Os personagens realista-naturalistas têm seus destinos marcados pelo determinismo. esbranquiçadas no lugar da lavagem e em alguns pontos azuladas pelo anil. cacarejar de galinhas. reatavam-se conversas interrompidas à noite. o coletivo sobrepõe-se ao individual.. umedecia o ar e punha-lhe um farto acre de sabão ordinário. . o psicológico sobrepõe-se ao social. que ficara de véspera nos coradouros. esses não se preocupavam em não molhar o pêlo. Prof.. fortes como o marulhar das ondas.. ensarilhavam-se discussões e resingas. em volta das bicas era um zunzum crescente. Não se demoravam lá dentro e vinham ainda amarrando as calças ou as saias.” c) “. por detrás da estalagem ou no recanto das hortas. um entrar e sair sem tréguas. 06. o cheiro quente do café aquecia. fossando e fungando contra as palmas da mão. o trabalho sobrepõe-se ao capital.aglomeração tumultuosa de machos e fêmeas. e) por representarem a tentativa dos autores nacionais de reabilitar uma faculdade perdida do homem: o senso do mistério. pela seguinte característica básica: a) b) c) d) e) a personagem sobrepõe-se ao ambiente. suspendendo o cabelo todo para o alto do casco. os bons-dias. no capinzal dos fundos. sem se saber onde. O chão inundava-se.. a força sobrepõe-se à razão.os homens. Começavam a fazer compras na venda. das portas surgiam cabeças congestionadas de sono.) . destacavam-se risos... o zunzum de todos os dias acentuava-se. No confuso rumor que se formava.Literatura 04. cumprimentavam-se ruidosamente. a pequenada cá fora traquinava já. mostravam uma palidez grisalha e triste. de Aluísio Azevedo. a triunfante satisfação de respirar sobre a terra. já se não falava. a) “Eram cinco horas da manhã.. que ficara de véspera nos coradouros1. c) por ser fruto. ao contrário metiam a cabeça bem debaixo da água e esfregavam com força as ventas e as barbas. naquela gula viçosa de plantas rasteiras que mergulham os pés vigorosos na lama preta e nutriente da vida. que nem um suspiro de saudade perdido em terra alheia. já se não destacavam vozes dispersas. das portas surgiam cabeças congestionadas de sono. b) pelas forças atávicas e/ou sociais que condicionam a conduta dessas criaturas. começavam as xícaras a tilintar. in O Cortiço). sons de vozes que altercavam. esses não se preocupavam em não molhar o pêlo. da imaginação e da fantasia dos dos autores.. trocavam-se de janela para janela as primeiras palavras. começavam as xícaras a tilintar. condensando-se. mostravam uma palidez grisalha e triste. ouviam-se amplos bocejos. dentre outras.” b) “A roupa lavada. Identifica-se esse determinismo: a) pela preocupação dos autores em criar personagens perfeitos. feita de acumulações de espumas secas. e lá dentro das casas vinham choros abafados de crianças que ainda não andam. na parede. pigarreava-se grosso por toda a parte. Oliveira Neto 235 Volume Único . ao contrário metiam a cabeça bem debaixo da água e esfregavam com força as ventas e as barbas. naquela gula viçosa de plantas rasteiras que mergulham os pés vigorosos na lama preta e nutriente da vida. As pedras do chão. o prazer animal de existir. uma aglomeração tumultuosa de machos e fêmeas. despachavam-se ali mesmo. incomodamente. A roupa lavada.. mas um só ruído compacto que enchia todo o cortiço. sem defeitos físicos ou morais. As mulheres precisavam já prender as saias entre as coxas para não as molhar.. via-se-lhes a tostada nudez dos braços e do pescoço.. pigarreava-se grosso por toda a parte. O rumor crescia. e os louros.. as crianças não se davam ao trabalho de lá ir. As portas das latrinas não descansavam. oprazer animal de existir. a gaiola do papagaio. De alguns quartos saíam mulheres que vinham pendurar cá fora. suplantando todos os outros. suspendendo o cabelo todo para o alto do casco. os homens. lavavam a cara.2007 luz loura e tenra da aurora. grasnar de marrecos. via-se-lhes a tostada nudez dos braços e do pescoço.” e) “Sentia-se naquela fermentação sangüínea. a triunfante satisfação de respirar sobre a terra. destaque características próprias do estilo naturalista. As pedras do chão. ouviam-se amplos bocejos. cantar de galos. espanejando-se à luz nova do dia. fossando e fungando contra as palmas da mão.” 05. Uns.. (Aluísio Azevedo. após outros.. ouviam. especificamente. Entretanto. (UFRGS) No romance O Cortiço. (. e algumas vezes marcados. Sentiase naquela fermentação sangüínea.se gargalhadas e pragas.” d) “As mulheres precisavam já prender as saias entre as coxas para não as molhar.. que elas despiam. fortes como o marulhar das ondas. feita de acumulações de espumas secas. suplantando todos os outros. Daí a pouco. à semelhança dos donos. que elas despiam. era um abrir e fechar de cada instante. gritava-se.

Oliveira Neto 09... Senhores! A imoralidade entrou nesta casa! Recusei me a dar crédito. meus senhores!” Era uma carta do Cândido. 08. da solidão a dois. cavernosamente. e) Fixando a região de campanha. e que negar espontâneo auxílio ao procedimento da justiça. tão ligadas à criminalidade e à prostituição. e) todas as personagens.. Emílio Tourinho. constituindo o escalão mais inferior da sociedade. d) as personagens. possuem temperamentos distintos. Uma cinta de trovões no horizonte. b) as personagens. um mundo. a Srª D. iludam-me! Está em meu poder um papel. Este é o cúmplice. tendo por base sempre a atividade econômica açucareira. vivem quase que exclusivamente em função dos impulsos do desejo e da perversidade sexual. tais como Bertoleza. Qual? a) b) c) d) e) uma compreensão psicológica do Homem. começou. a esfervilhar. rendi-me à evidência. monstruoso corpo de delito! assinado por um nome de mulher! Há mulheres no Ateneu. que. começou a minhocar.. mulatos e brancos em pleno processo de caldeamento e formação.no em guarda de honra muitos professores. como prometera.” Com todo o vigor tenebroso dos quadros trágicos. apresenta uma característica fundamental do Naturalismo. frêmito de sensação pelo refeitório: “Tenho a alma triste”. na sua maioria. daquele lameiro. (Unijuí-RS) O Cortiço. escrito em 1890. meus senhores!” Prof. A hora da ceia. restos da tormenta da tarde. em que a sobrevivência da estrutura colonial punha à mostra uma parcela de portugueses enriquecidos a empolgar as posições de comando e uma região mal definida de negros. (FUVEST) “E naquela terra encharcada e fumegante. é considerado a obra-prima de Aluísio Azevedo. castigado pela curiosidade pública.Literatura 07. ao longo dos relatos. e a multidão bisbilhoteira dos criados. sem exórdio: “Levante-se. ainda que todas sejam pobres.. acrescentou com uma ironia desanimada. b) Retrata a falência da sociedade patriarcal nordestina.. Amanhã é o dia da justiça! Apresento-me agora para dizer somente: serei inexorável. faziam fundo às palavras em coro esquiliano. louro. ao contrário de outros textos ficcionais da época. de olhos verdes e maneiras difíceis de indolência e enfado9.. Calculando magnificamente os passos pelos do diretor.” O fragmento de O Cortiço. inundando o espaço com um bafejo de todopoderoso. pouco se modificara desde os fins do século XVIII. dobrando a cabeça. será reputado cúmplice e como tal: punido!” (. d) No plano da temática. a) Um dos melhores retratos que já se levantaram do Brasil do Segundo Império.) Ao retirar-se.2007 . de Aluísio Azevedo. “Para o meio da casa! e curve-se diante dos seus colegas!” Cândido era um grande menino. cobrindo o rosto com a manga. uma concepção religiosa da Vida. Atravessou devagar a sala. na sala de espera. assinada Cândida. por serem muito pobres. não é correto dizer que a) a vida difícil das personagens. Não há nele nenhum delineamento saudosista. a crescer. De preto. seguiam. mas fracassa em seus objetivos.. que se distinguia nítido o tiquetaque do relógio. Rita Baiana e Pombinha. palpitando os ansiados segundos.. Escolha nas colocações que seguem a que melhor caracteriza a obra. Sr. tenho cem olhos. O protagonista tenta colocar em prática certas idéias reformistas.) À hora do primeiro almoço. c) homens e mulheres são. “Tenho a alma triste. beiçudo. Sr. a obra descreve a crise e as divisões entre estancieiros do sul do Brasil. Cândido Lima! “Apresento-lhes. a multiplicar-se como larvas no esterco. enveredam pelo mundo do crime ou da prostituição.. E. sombrio como nunca. uma concepção idealista do Universo. Aristarco mostrou-se em toda a grandeza fúnebre dos justiçadores. Pausa preliminar. o rompimento com a tradição narrativa brasileira se dá pela inserção. uma coisa viva. do sossego do bosque.. c) Reflete as transformações que afetaram a região da campanha na segunda metade do século XIX. um poema de pouca-vergonha! É muito grave o que tenho a fazer. “Levante-se. ali mesmo. vagaroso como os compassos de réquiem2. entrou o diretor.. (.. historiou-nos uma aventura brejeira. uma geração. meus senhores. vítimas de uma situação de pobreza que os desumaniza muito. esta cortesã fala-nos da segurança do lugar. Aristarco soprou duas vezes através do bigode.. “Esta mulher. é condicionada pelo meio adverso em que vivem e por problemas biopatológicos. uma visão sentimental da Natureza. na sua maioria. Leia o texto a seguir para responder as questões 10 e 11. o diretor deixou na sala uma estupefação de pavor. naquela umidade quente e lodosa. tenho a lista dos comprometidos. (ITA/04) Acerca do romance O Cortiço. Uma carta cômica e um encontro marcado no Jardim. À porta fronteira.. tétrico como o Juízo Final. na mesma porta em que se lia a gazetilha1 das aulas. uma compreensão biológica do Mundo. Cândida”. romance de Aluísio de Azevedo. Tão grande a calada. sejam homens ou mulheres. Se são capazes. 236 Volume Único . mais professores de pé e os bedéis ainda. formidando! E para prevenir: todo aquele que direta ou indiretamente se acha envolvido nesta miséria. de elementos inverossímeis.. “Ah! mas nada me escapa. que parecia brotar espontânea.

não conheci o casamento. Mais. que ele não conheceu. e conseguintemente que saí quite com a vida. 14. moreno. e) refere-se ao mistério do casamento e da paternidade. de forma caricatural. e) a capacidade de sintetizar. d) o gosto pela frase lapidar. (FUVEST) O texto II é o capítulo final de Memórias Póstumas de Brás Cubas.” “Agora. (Machado de Assis. Texto para as questões 13 e 14 Capítulo CLX / DAS NEGATIVAS ENTRE A MORTE do Quincas Borba e a minha. que quase prejudica a compreensão do sentido. ao lado dessas faltas. mas era com efeito o amante. não padeci a morte de D. O interrogatório. Levando isso em consideração. sobrancelhas crespas.” Desde as cinco horas da manhã trabalhava Aristarco no processo. pelo menos uma das características principais de Machado de Assis: a) o pessimismo ingênuo dos escritores realistas e naturalistas do século XIX.Literatura Tourinho era um pouco mais velho que o outro. c) um pessimismo irônico. b) alude ao fato de não ter conseguido tornar-se ministro. pelo qual ele já passou. in O Ateneu). de tal modo ambígua. Assim sendo. fazendo um só arco pela testa. PARNASIANISMO Características • * * • • • • • • • • • Oposição ao Romantismo objetividade impassibilidade Descritivismo Plasticidade poesia-pintura poesia-escultura Preciosismo: linguagem elegante e esmerada Formalismo: rigor e perfeição formal Esteticismo: Arte pela Arte Tradição clássica (forma e conteúdo) Autores principais: Olavo Bilac..) 13. E imaginará mal. pois só agora percebe como a sua vida foi inútil e negativa. b) o romance é narrado num tom intimista. comprometera apenas dez alunos. Divino emplasto. Verdade é que. o narrador: a) refere-se ao mistério da semidemência do Quincas Borba. porém mais baixo. 10. examine a expressão “ao chegar a este outro lado do mistério”. e aí vos ficais eternamente hipocondríacos. coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Este último capítulo é todo de negativas. Plácida. os auxiliares. embora tivesse condições para tanto. que é a derradeira Prof. Alberto de Oliveira e Raimundo Correia OLAVO BILAC (1865-1918) Obra Poética Poesias (1888) Tarde (1919) Temática 237 Volume Único . achei-me com um pequeno saldo. por causa da moléstia que apanhei. todo o enredo do romance. mediaram os sucessos narrados na primeira parte do livro. O principal deles foi a invenção do emplasto Brás Cubas. Oliveira Neto negativa deste capítulo de negativas: — Não tive filhos. muitas vezes. d) as pessoas são descritas. cuja causa nunca pôde compreender. (FUVEST) O texto evidencia. porque eras a genuína e direta inspiração do céu. que morreu comigo. Somadas umas cousas e outras. “Estes são os acólitos da vergonha. os co-réus do silêncio!” (Raul Pompéia. Com ela. Tratase de um subtítulo irônico ou sincero? 11. A chamado do diretor. c) a narrativa expressa um tom de ironia e ressentimento. A cena descrita é representativa do romance como um todo. não fui ministro. com clareza. foram deixando os lugares e postando. não se pode afirmar que: a) o colégio Ateneu reflete o modelo educacional da época. de Raul Pompéia. “Crônica de Saudades”. atarracado. acima da ciência e da riqueza. d) refere-se ao mistério da morte. e) são comuns comparações entre pessoas e animais. Memórias Póstumas de Brás Cubas. em apenas um parágrafo. b) a linguagem rebuscada. tu me darias o primeiro lugar entre os homens.. de Machado de Assis. Nada absolutamente conformado para galã. carregada de expressões inusitadas. A qual tendência do Realismo filia-se a descrição acima? Por quê? 12. ventas arregaladas.2007 . não fui califa*. O acaso determinou o contrário. nem a semidemência do Quincas Borba. porque ao chegar a este outro lado do mistério.se de joelhos em seguimento dos principais culpados. não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria. disfarçado sob a aparência de conformidade indiferente. “Venha ajoelhar-se com o companheiro. bem como os valores da sociedade da época. (ITA/2000) Sobre O Ateneu. com o apêndice das delações da polícia secreta e dos tímidos. qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra. como você classificaria o subtítulo de O Ateneu. c) alude ao próprio passado. Não alcancei a celebridade do emplasto. em terceira pessoa.

quando a rígida nortada Sopra. Prof. Estilo • • • • Face ortodoxa: Parnasianismo Face heterodoxa: forma parnasiana conteúdo neo-romântico E xercícios 01. É a força e a graça na simplicidade.. Apenas II está correta. Enfatizam-se no texto as seguintes condições para o trabalho de criação poética: isolamento. Apenas III está incorreta. distante de tudo e de todos. Apenas I está correta. o poeta. e lima... o efeito agrade. escreve! No aconchego Do claustro. Apenas III está correta. III. c) “Esforço” e “artifício”.2007 238 . II. de acordo com o texto. Rica mas sóbria. é a base para as questões de números 5 a 7. III. de acordo com o texto. deve privilegiar o espontâneo e banir a aflição e o artificialismo ao construir a obra. Dadas as informações: I. Apenas II está correta. religiosidade.. e a trama viva se construa De tal modo. II. in Tarde. Não obstante o poeta não deva se preocupar com problemas existenciais. b) “Beneditino” e “na paciência e no sossego”. aos pombais de novo elas. Trabalha. 03. 01. Apenas I está incorreta.. apenas Raia sangüínea e fresca a madrugada. O referencial de perfeição e o retorno aos motivos clássicos — ideais propostos pelo autor — remetemnos a um texto próximo do Simbolismo. para agradar. que: a) b) c) d) e) Todas estão corretas. Arte pura. de formas simples e imponentes. À maneira do pedreiro sobre os andaimes. impedido de manifestar e revelar seus anseios e suas preocupações. (Unifesp/2004) O poema a seguir. e sua! Mas que na forma se disfarce o emprego Do esforço. o poeta. de Raimundo Correia. E à tarde. enfim dezenas De pombas vão-se dos pombais. sem deixar transparecer o esforço e a dedicação do poeta. Apenas II está incorreta.Literatura • • • • A poesia: metalinguagem A mulher e o amor (erotismo) Assuntos greco-romanos Assuntos cívicos e patrióticos 02. Todas estão incorretas. Vai-se outra mais. Oliveira Neto II. Evidenciam-se no texto alguns dos princípios básicos da estética parnasiana. metafísicos ou políticosociais. depois de pronto. Olavo Bilac. Sem lembrar os andaimes do edifício: Porque a Beleza.. embora parnasiano. Todas estão incorretas. o poema. Não se mostre na fábrica o suplício Do mestre. que a imagem fique nua. e sofre. Instado a viver fora do mundo. O poeta. Todas estão incorretas. deve com afinco e denodo preocupar-se apenas com suas próprias angústias e inquietações. E. III. como um templo grego. inimiga do artifício. Beneditino. deve paciente e sossegadamente dissimular todo o esforço que lhe custa na feitura da obra. d) “Emprego do esforço” e “os andaimes do edifício”. e teima. natural. a) b) c) d) e) Todas estão corretas. ao trabalhar o poema. como um beneditino. que: a) b) c) d) e) Todas estão corretas. Apenas III está correta. A um Poeta Longe do estéril turbilhão da rua. erudição e sentimentalismo.. ele não pode e não deve tornar-se um ser impassível. As Pombas Vai-se a primeira pomba despertada. deve se impor naturalmente. na paciência e no sossego. Dadas as informações: I. Inferimos. mais outra. e) “Turbilhão” e “trama viva”. (ITA) As questões de 1 a 4 referem-se ao soneto seguinte. Acentua-se no texto o caráter anti-romântico do movimento a que pertenceu o autor dos versos: valorização do racional e do universal. Volume Único . serenas. gêmea da Verdade. Inferimos. As duas expressões do texto que resumem melhor a proposta estética são: a) “Longe do estéril turbilhão” e “no aconchego do claustro”. Qual um templo grego.. 04. Dadas as informações: I. Apenas I está correta.

com predominância de narração e ênfase nos aspectos sonoros. d) soneto com versos livres. — e que volta sensual descreve Para abranger todo o quadril! — prossegue. Pára confusa. b) versos livres.. Doura os espelhos e os cristais inflama. o envelhecimento. 06. diante Da luz mais bela dos seus grandes olhos. solto o cabelo às costas. com descrição e presença de mitologia. cinge-lhe a perna longamente. Vem lhe beijar a pequenina ponta Do pequenino pé macio e branco. e) uma visão pessimista da condição humana em relação à vida e ao tempo. contraria alguns postulados parnasianos. como um rio enorme De áureas ondas tranqüilas e impalpáveis. Morde-lhe os bicos túmidos dos seios. Dele.. 05. Os dois últimos versos do poema revelam: a) um enobrecimento da velhice após a realização dos sonhos de juventude. os sonhos.. mais leve. Na alcova perfumada e quente. a desilusão.. c) uma irritação com a dificuldade de se realizarem os sonhos. b) uma mentalidade conformista em relação ao amor e às desilusões vividas na juventude. tremendo. é correto afirmar que pombas. os corações. metaforicamente.. morte Ilogismo Estilo • • • • • • • • • Expressões vagas e insólitas Versos nominais Reticências Iniciais maiúsculas (universalismo) Parataxe (sintaxe de coordenação) Sensorialismo musicalidade (aliterações e assonâncias) cromatismo (fixação pelo branco e pelos tons claros em transparências) sinestesias (mistura de sensações) Volume Único . desenrola-se. Voltam todas em bando e em revoada. Satânia Nua. Prof. 08. representa: a) b) c) d) e) a adolescência. E eles aos corações não voltam mais. a palpitar. Sobe .Literatura Ruflando as asas. de pé. e. Como uma vaga preguiçosa e lenta. d) um relativo menosprezo para com os sentimentos humanos vividos na juventude. e) soneto com rimas raras. Como voam as pombas dos pombais. em parte. Olavo Bilac. abraça-lhe a cintura.. como a arfar.. exploração do plano imagético e sonoro. Na densa noite dos cabelos negros. acende-lhe o coral da boca.. um por um. Corre-lhe a espádua. Os sonhos.2007 239 AUTORES E OBRAS • Cruz e Sousa (1861-1898) Missal e Broquéis (1893) Faróis (1900) Últimos Sonetos (1905) . Justifique destacando um aspecto temático e um formal do excerto que comprovem a afirmação. O poema de Raimundo Correia ilustra o Parnasianismo brasileiro. Fogem. Mas aos pombais as pombas voltam. Entra. Sorri. No azul da adolescência as asas soltam. podem-se depreender as seguintes características desse movimento literário: a) soneto em versos decassílabos. espia-lhe o recôncavo Da axila. Sobe . SIMBOLISMO Noções Fundamentais • • • • • Arte = sugestão Palavra = símbolo das coisas Coisas = mistério Poesia = expressão do mistério = dizer o indizível Senso de efemeridade: ser é não-ser 07.. sacudindo as penas. Também dos corações onde abotoam. O trecho de “Satânia” exemplifica uma faceta da poesia bilaquiana que. in Sarças de Fogo. Oliveira Neto Atitudes Gerais • • • Anseio de Absoluto: espiritualismo Escapismo: sonho. com predominância de descrição e vocabulário seleto. liberdade na expressão dos sentimentos e recorrência às imagens. E antes de se ir perder na escura noite. Lambe-lhe o ventre. Há uma equivalência entre os dois quartetos e os dois tercetos do poema. céleres voam. Assim. loucura. parte-se em feixes rutilantes.. Depois. Pela janela. Profusamente a luz do meio-dia Entra e se espalha palpitante e viva. de Olavo Bilac. desliza Pelo chão. Aviva as cores das tapeçarias. c) versos sem rima. A questão 08 baseia-se no fragmento a seguir.

amareladas Os mais estranhos estremecimentos. essência. Flores da Lua Brancuras imortais da Lua Nova. espiritualidade. cristalinas. jovial.. Mistérios virginais dormem no Espaço.. 03. antítese.. Elabora. Flores negras do tédio e flores vagas De amores vãos. materialismo. É preciso admitir que o poeta pretende sugerir a imensidão do mistério cósmico e as ligações de seus sentidos com ele. imaginosos. Monótono. Nos turbilhões quiméricos do Sonho. portanto. e é o objetivo da literatura — e não há outro — evocar os objetos”. in Faróis). fatigado E das Origens da luxúria forte poder cósmico Abrem nos astros. Ele vai apenas elaborando cadências envolventes e imagens absurdas que geram uma atmosfera desconhecida de nós. espiritualidade.. Na mais branda. que abre o livro Broquéis (1893). Dormem o sono das profundas seivas. afirma: “Nomear um objeto é suprimir três quartos do prazer do poema. a) Demonstre neste trecho de Cruz e Sousa como esta afirmação se confirma. de neblinas!. um objeto estranho que simbolize este confronto”. pela extrema rarefação do referente. a) Temática social. valorização das tonalidades verdes. ânsias. numa trêmula dormência. Quer dizer.Literatura • Alphonsus de Guimaraens (1870-1921) Dona Mística (1899) Setenário das Dores de Nossa Senhora (1899) Kyriale (1902) Pastoral aos Crentes do Amor e da Morte (1923) E xercícios 01.. referindo-se ao Simbolismo... Inefáveis. Formas claras De luares. deve haver sempre enigma em poesia. materialismo.. ocultismo.. Que o pólen de ouro dos mais finos astros Fecunde e inflame a rima clara e ardente.. mais leve florescência Tudo em Visões e Imagens se renova. aéreos. Forças originais.) Infinitos espíritos dispersos.2007 Prof. Cabala designa uma espécie de ciência esotérica praticada desde a Idade Média Assinale a alternativa que contém apenas características daestética simbolista.. abertas. O poeta francês S. nas sidéreas leivas elevação de terra entre sulcos Flores amargas do palor da Morte. alegre. d) Temática bucólica. de neves. Sobre o soneto transcrito. hermetismo.. Cristais diluídos de clarões alacres. espiritualidade. e) Temática bucólica. cansado.. brancas. tantálicos. escreveu o Prof. de Cruz e Sousa.. sinestesia. Que brilhe a correção dos alabastros Sonoramente.. escorrendo em rios. Mallarmé. graça De carnes de mulher. cantando. antítese. Álacre seria o correto. Do Sonho as mais azuis diafaneidades transparências Que fuljam. Ó Formas alvas. que é feito da felicidade em adivinhar pouco a pouco. valorização dos tons fortes. (. Nossa inteligência vai sendo burlada à medida que a leitura prossegue... Incensos dos turíbulos das aras. ocultismo. ante o perfil medonho E o tropel cabalístico da Morte.. doentios.. exalação Do Éter nas róseas e áureas correntezas. (UEL-PR) As estrofes abaixo pertencem ao poema “Antífona”. pelos versos cantem. delicadezas.. todas as castidades Da alma do Verso.. valorização dos tons fortes. Ó Formas vagas. o poeta não fala sobre algo que exista fora do texto. sacrificado por causa da rima Fulvas vitórias. sinestesia. Oliveira Neto . eis o sonho. fantasiosos Passe. Desejos. hermetismo. (PUC) A estrofe abaixo inicia o poema “Antífona”.... b) Que recurso estilístico o poeta usa para criar a sugestão? 02. valorização do branco e da transparência. A saída única para sua apreciação é aguçar a sensibilidade e procurar perceber nele apenas uma misteriosa corporeidade sugestiva. hermetismo. fluidas. valorização do branco e da transparência. b) Temática intimista. sinestesia. que na Estrofe se levantem brilhem E as emoções. Frios de nostalgia e sonolência. vibrações. Tudo! vivo e nervoso e quente e forte. infinito. sofredor 240 Fundas vermelhidões de velhas chagas Em sangue. palidez (Cruz e Sousa.. estranho e lasso. edênicos... Todo esse eflúvio que por ondas passe emanação.. de Cruz e Sousa.. luminosamente. alentos. c) Temática intimista. sugeri-lo. triunfamentos acres. Sonhos brancos da Lua e viva essência Dos fantasmas noctívagos da Cova. Ivan Teixeira: “O poema deve ser tomado como uma típica realização simbolista.. Da noite a tarda e taciturna trova Soluça.. indefiníveis Fecundai o Mistério destes versos Com a chama ideal de todos os mistérios. Volume Único ..

Expressionismo. automóveis. o avião.abolição de todos os clichês. Descreva alguns aspectos formais do texto e compare os ao tema desenvolvido na composição... Na dolência velada das sonatas Como um perfume a tudo perfumava. Perfeição formal...a substituição da psicologia do homem (destruindo o eu na literatura) pela obsessão da matéria. objetividade..2007 Prof. o cinema deslocaram e aceleraram o olhar do homem moderno.. ... Futurismo e fascismo tinham em comum: o desprezo pela democracia e pelo socialismo. . clareza.a exaltação da guerra. in Pastoral aos Crentes do Amor e da Morte. Na torre pôs-se a cantar. Queria a lua do mar.. E como um anjo pendeu As asas para voar.Literatura a) Destaque um paradoxo presente no primeiro verso.exaltação da bofetada e do soco: Não há beleza senão na luta”. Queria subir ao céu. Banhou-se toda em luar. Futurismo. assim como. objetividade. Estava longe do mar. para que se adapte elasticamente ao substantivo e possa dar o sentido de continuidade e da intuição que nele se percebe. E... Surrealismo -. Assinale a alternativa que reúne as características simbolistas presentes no texto.. (ITA/2002) Leia os seguintes versos: Mais claro e fino do que as finas pratas O som da tua voz deliciava. no desvario seu. Perfeição formal. Vanguardas Européias As transformações tecnológicas por que o mundo passou na virada para o século XX modificaram as maneiras de o homem perceber a realidade.. aliteração. Queria a lua do céu. Aliteração. Brancas sonoridades de cascatas. uma delas encontra-se no par forma versus conteúdo. . moral. eram volatas Em lânguida espiral que iluminava. academicismo.a abominação do passado: arqueologia. Oliveira Neto 241 . publicado em Milão. o primeiro de uma série (foram publicados pelo menos vinte manifestos) – Marinetti propunha: . entre outros assuntos. ritmo constante. para que o substantivo guarde sua “cor essencial”. 04.abolição do advérbio. do patriotismo: “A guerra é a única higiene do mundo”. . Tanta harmonia melancolizava.supressão dos elementos de comparação: como. objetividade. nostalgia.a destruição da sintaxe.. perfeição formal. parecido com.o emprego do verbo no infinitivo. Viu uma lua no céu.abolição do adjetivo. Cubismo. Ismália Quando Ismália enlouqueceu. ... escultura. do militarismo. à energia. O automóvel. Exemplo de texto futurista Trecho de Ode triunfal Volume Único . onde são apresentados minuciosamente os pontos básicos de uma reforma radical: . Dadaísmo. multidões de trabalhadores. à verdade. . acabou fazendo desse movimento um meio de divulgação do fascismo de Mussolini. (Cruz e Sousa. “que dá à frase uma cansativa unidade de tom”.. Estava perto do céu. . O propósito de fazer do Futurismo o estilo de arte que expressasse o progresso. Dentre as várias tensões que o poema encena.o amor ao perigo. aviões. que ficariam conhecidas como “correntes de vanguarda” e que conjugadas. Pôs-se na torre a sonhar. Seu corpo desceu ao mar.. sinestesia. Sua alma subiu ao céu. Clareza. publicado em Paris. Dos manifestos que seguiram que envolveram pintura.substituição dos sinais tradicionais de pontuação por signos matemáticos: X-:+=>< e pelos sinais musicais. a) b) c) d) e) Sinestesia. . in Broqueis). sentimentalismo. Queria descer ao mar. Alphonsus de Guimaraens. mulher e arte mecânica. 05. dariam origem ao Modernismo. Leia o texto a seguir e responda a questão 04. Viu outra lua no mar. datado de março de 1912.. música. sinestesia. com os substantivos dispostos ao acaso.a incorporação de novos objetos como temas de poesia: locomotivas. assinado pelo italiano Filippo Tommaso Marinetti. fábricas. Nesse documento. o antifeminismo.. navios a vapor. Em meio a essas transformações surgem várias manifestações artísticas – Impressionismo. em 1909. Futurismo Surgiu por meio do Manifesto do Futurismo. . No sonho em que se perdeu. o caráter antiburguês. sugestão.. Era um som feito luz. o mais importante foi o Manifesto Técnico da Literatura Futurista. . “Cristais”. a vida mecanizada.. . As asas que Deus lhe deu Ruflaram de par em par.

Quase não conversa. poder exprimir-me todo como um motor se exprime! Ser completo como uma máquina! Poder ir na vida triunfante como um automóvel últimomodelo! Poder ao menos penetrar-me fisicamente de tudo isto. O movimento nasceu no Cabaret Voltaire. deixassem transparecer uma estrutura superior. não houvesse tantos desejos. pergunta meu [coração.a procura da verdade deve centralizar-se na realidade pensada. desmontando os objetos para que. E arde-me a cabeça de vos querer cantar com um excesso De expressão de todas as minhas sensações. que transita entre o consciente e o subconsciente. mas uma transformação dela.a obra de arte não deve ser uma representação objetiva da natureza.. Com um excesso contemporâneo de vós. criada. Entre esses artistas estavam: Hans Arp.Literatura Álvaro de Campos (Heterônimo de Fernando Pessoa) À dolorosa luz das grandes lâmpadas eléctricas da fábrica Tenho febre e escrevo. essencial. ó máquinas! Em febre e olhando os motores como a uma Natureza tropical Grandes trópicos humanos de ferro e fogo e força Canto. abrir-me completamente. e canto o presente. simples e forte. e também o passado [e o futuro. Mundo mundo vasto mundo. ao mesmo tempo objetiva e subjetiva. O bonde passa cheio de pernas: pernas brancas pretas amarelas. mais vasto é meu coração. ponto de encontro de artistas vindos de várias partes da Europa e que procuravam proteção contra a Primeira Guerra Mundial na neutralidade política da Suíça. Por todos os meus nervos dissecados fora. isto é. Os cubistas afirmam que as coisas nunca aparecem como elas são. lido em 1916. um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai. de vários ângulos ao mesmo tempo.) Ah.. Leia um texto cubista: Poema de Sete Faces (Carlos Drummond de Andrade) Quando nasci. Na literatura podem ser apontados os seguintes elementos do estilo cubista: . e não na realidade aparente. Oliveira Neto Volume Único . meu Deus.2007 . seria uma rima.a valorização do humor. r-r-r-r-r-r-r eterno! Forte espasmo retido dos maquinismos em fúria! Em fúria fora e dentro de mim. Tem poucos . A tarde talvez fosse azul. . Porque o presente é todo o passado e todo o futuro (. Escrevo rangendo os dentes. desajeitado) Dadaísmo Surgido em Zurique. ó grandes ruídos [modernos. Mundo mundo vasto mundo se eu me chamasse Raimundo. o Dadaísmo foi a mais radical das correntes de vanguarda. A técnica dos cubistas é a da representação da realidade por meio de estruturas geométricas. a guerra evidenciava a crise de uma civilização cujos valores morais e espirituais já Prof. Picasso procura captar o objeto em simultaneidade. remontados pelo espectador. . Carlos! ser gauche na vida. de 1907 propunha uma nova forma de apreensão do real. Rasgar-me todo. por que me abandonaste se sabias que eu não era Deus se sabias que eu era fraco. embaralhando o tempo. raros amigos o homem atrás dos óculos e do bigode. com o primeiro manifesto do romeno Tristan Tzara. O homem atrás do bigode é sério. na Suíça. fera para a beleza disto. Ó rodas. mas deformadas em todos os sentidos. preferência pelo pensamento-associação. Marcel Jancso e Hugo Ball.. Eu não devia te dizer mas essa lua mas esse conhaque botam a gente comovido como o diabo. O quadro “Les Demoiselles d’Avignon”. As sensações e recordações vão e vêm do presente ao passado. De vos ouvir demasiadamente de perto. Por meio de formas geometrizadas.. As casas espiam os homens que correm atrás de mulheres. não seria uma solução.a supressão da lógica. quer dizer torto.) Cubismo O ponto de partida do Cubismo foi a pintura de Pablo Picasso. Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos. artificial e insaciável! (. Meu Deus. negra. Para que tanta perna. . deformadas. Porém meus olhos não perguntam nada. (Gauche: termo francês. tornar-me passento A todos os perfumes de óleos e calores e carvões Desta flora estupenda.a ordem cronológica deve ser eliminada. Por todas as papilas fora de tudo com que eu [sinto! Tenho os lábios secos. 242 . Para os dadaístas. a fim de afugentar a monotonia da vida nas modernas sociedades industrializadas. ó engrenagens.

Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar a seu poema. provocar escândalo. a negação da lógica. expôs. com a razão. A partir dessa plurissignificação. em certas regiões da África. de desconfiança para com a sociedade em geral: “Não reconhecemos nenhuma teoria. Bebidas alcoólicas foram distribuídas em abundância. que recebiam um martelo ao entrarem no recinto. Basta de academias cubistas e futuristas: laboratórios de idéias formais”. movimentos neodadaístas são chamados de “arte do lixo” e a “popart”. desordem. o próprio Tristan Tzara explica como surgiu o nome do movimento: “Encontrei o nome por casualidade. o niilismo e na autofagia. Apoiados na pesquisas de Sigmund Freud. Os surrealistas procuravam fundir a imaginação. Agite suavemente. Expostos numa cervejaria. O movimento nasceu de uma ruptura com o Dadaísmo. Volume Único . Pintou também. a fim de destruírem as obras de que não gostassem. O poema se parecerá com você. um dos mais geniais criadores do “ready made”. baseadas nas mesmas idéias de protesto e de antiarte. os “ready made” aguardavam os visitantes. uma roda de bicicleta cravada num banco e um Prof. quando André Breton lançou o Manifesto do Surrealismo. sobretudo. na Alemanha. certa vez. urinol. apareceram. Oliveira Neto Eram propostas dos surrealistas: .valorização do inconsciente. Por isso. A partir da década de 1950. e. Em meio à confusão. os dadaístas inventaram a técnica dos “ready made”. que identifica zonas (o subconsciente e o inconsciente) muito importantes 243 . eles se propunham destruí-la. que consiste em retirar um objeto do uso corrente de seu ambiente normal. Hannover e Paris. A mostra foi fechada pela polícia. Marcel Duchamp. o rabo da vaca sagrada. Meu propósito foi criar apenas uma palavra expressiva que através de sua magia fechasse todas as portas à compreensão e não fosse apenas mais um – ISMO”. Numa prova dessa liberdade total. Com o tempo. uma forma de chamar a mãe em italiano. entre outras coisas. Questionando a sociedade e a arte. uma jovem vestida de primeira comunhão recitava poemas pornográficos. a desmistificação da arte: “a arte não é coisa séria”. para recria-la a partir de técnicas renovadoras. como Nova Iorque. Juntar o maravilhoso do sonho. em Paris. Tire em seguida cada pedaço um após o outro. a primeira linha que me chamou a atenção: Dada. dúvida. a recusa dos valores racionalistas da burguesia. em 1920. para criar máquinas impossíveis de utilização. ainda que incompreendido do público. da arqueologia. Tzara dá uma receita para fazer um poema dadaísta: Pegue um jornal. A mais sensacional de todas foi realizada em Colônia. a obra dadaísta passa a ser improvisação. Enquanto os dadaístas insistiam na mera destruição.2007 No último manifesto do movimento (ao todo foram sete). da arte e da ciência. Colônia. com o maravilhoso e externo: a fantasia e a realidade unidas permitiram captar uma super-realidade. uma Mona Lisa decorada com bigodes. Pegue a tesoura. Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco. . Faziam parte das propostas dadaístas: a denúncia das fraquezas por a Europa passava. da linguagem. “Dada” significa cavalo de balanço em francês. a abolição da memória. Recusavam o racionalismo absoluto que permite apenas captar os fatos relacionados unicamente com a nossa experiência.Literatura não tinham mais razão de serem preservados. afirmavam o desejo de independência. mas atingiu seu objetivo: escandalizou a burguesia. inserindo uma espátula num tomo fechado do Petit Laorousse e lendo imediatamente. Certos de que a arte não precisa ser compreensível. Breton e outros artistas como Louis Aragon e Salvador Dali achavam que a ação demolidora deveria somente uma das etapas do processo criativo. “sim” em romeno. ao abri-lo. Leia um texto dadaísta: Parafins gatins alphaluz sexohnei la guerrapaz Ourake palávora driz okê Cris expacial Projeitinho imanso ciumortevida vidavid Lambetelho frúturo orgasmaravalha-me Logun Homenina nel parais de felicidadania: Outras palavras (Caetano Veloso) Surrealismo O Surrealismo foi o último dos movimentos de vanguarda. Recorte o artigo. o Dadaísmo irradiou-se para outros centros. Queriam elaborar uma nova cultura. dos profetas e do futuro. oposição a qualquer tipo de equilíbrio. Surgiu em 1924. sobretudo nos Estados Unidos. preocupação em conduzir o carrinho do bebê em alemão. E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa. encontrar um caminho de acesso às zonas profundas do psiquismo no humano. que dorme no inconsciente.abolição da lógica. Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco. dos estados de alucinação e até de loucura do homem. As exposições dadaístas visavam. Berlim.

produzindo imagens insólitas. morte feliz. CAUDA: dade dade a reali dade dade a realidade A real a real idade idade dá a reali ali a re a realidade era uma vez a REALIDADE. procuram a inspiração nos sonhos. Os pensamentos devem ser exprimidos caoticamente. para se tornar ação mágica. mito. O texto deve ter como preocupação maior captar o funcionamento real do pensamento. tal como nos ocorrem.automatização da escrita. .2007 • • • • • • Regionalismo crítico Decadência do Vale do Paraíba O caipira (Jeca Tatu) e a vida cabocla Cultura e crendices populares (folclore) Humor/Ironia Coloquialismo versus purismo lingüístico LIMA BARRETO (1881-1922) TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA (1915) Prof. cadáver agradável. . como: anjo torto. Oliveira Neto . (Louis Aragon) Estilo • Prosa: permanência do Realismo e do Naturalismo • Poesia: mescla de Parnasianismo e Simbolismo • Experiências precursoras da linguagem modernista na poesia e na prosa EUCLIDES DA CUNHA (1866-1909) OS SERTÕES (1902) Estrutura determinista • • • 1ª parte: “A Terra” — Meio 2ª parte: “O Homem” — Raça 3ª parte: “A Luta” — Momento Temáticas • • Os dois brasis (litoral e sertão) A Guerra de Canudos Estilo • “Barroco científico” AUGUSTO DOS ANJOS (1884-1914) EU (1912) • • • • • • Virtuosismo e experimentalismo Expressionismo (o grotesco e o bizarro) Materialismo e ateísmo Temática metafísica e escatológica Cientificismo Pessimismo e niilismo MONTEIRO LOBATO (1882-1948) OBRAS PRINCIPAIS (livros de contos): • • • Urupês (1918) Cidades Mortas (1919) Negrinha (1920) MARCAS CARACTERÍSTICAS: PRÉ-MODERNISMO PRÉ-MODERNISMO (1902-1922) Situação histórica: • República Velha • Revoltas populares • “Belle Époque” • I Grande Guerra • Revolução Bolchevique Ideologia • Materialismo cientificista • Visão crítica da realidade brasileira 244 Volume Único . . Com o propósito de fugir aos lugares-comuns. Na noite era uma vez uma realidade que sofria de insônia Então chegava a madrinha fada e realmente levava-a pela mão a re a re a realidade.atribuição de um caráter lúdico à arte. meio de conhecimento. No trono havia uma vez um velho rei que se aborrecia e pela noite perdia o seu manto e por rainha puseram-lhe ao lado a re a re a realidade.presença do humor negro.Literatura para a ação do ser humano. etc. A poesia deixa de ser em entendida como canto ou como meio de comunicação de vivências. Leia um texto surrealista: As realidades (fábula) Era uma vez uma realidade com suas ovelhas de lã real a filha do rei passou por ali E as ovelhas baliam que linda que está a re a re a realidade. sem preocupação com o ordenamento lógico. os surrealistas juntam muitas vezes uma palavra logicamente adequada a uma outra absurda.

de tal forma que muitas vezes o homem irrepreensível se sai menos bem do que aquele que tem por móveis o egoísmo ou a rotina vulgar. de atáxica. — rompia. época da Revolta da Armada. in Marc-Aurèle. O parasitismo da burocracia. ágil apesar da idade.. Tempo: fim do século XIX. Agarravam-na pelos cabelos. Não gemiam. E xercícios 01. suspensos pelas pernas e pelos braços. atraindo a atenção geral. as qualidades tornam-se defeitos. Pelo contexto. então. em que desfilam os derrotados. (Euclides da Cunha. e não apenas exibir vocação para o grotesco. e nervosa e agitante. canhestras amas-secas. há passagens dominadas por termos técnico. feito mortos.Literatura • • • • • • * * * • • * * * * * • Gênero: romance. se para ela transportarmos os princípios do ideal. Lá se foi com o seu andar agitante. Leia o fragmento abaixo. de sorte que os ossos dos maxilares se destacavam alvíssimos. Uma megera assustadora. I. Estilo: coloquial. Tinha nos braços finos uma menina. III. Assinale a alternativa correta. Um golpe único. Apesar de três séculos de atraso. tataraneta talvez.” — Ernest Renan (18231892).. chorando. Oliveira Neto Chegando à primeira canhada1 encoberta. esgargalando-lhe o pescoço. francamente exposta a garganta.2007 02. A face direita sorria. tempo da Primeira República. Aquela velha carregava a criação mais monstruosa da campanha. em que se narra propriamente a Guerra de Canudos. extraído de Os Sertões. Era o prólogo invariável de uma cena cruel. Foco narrativo: 3ª pessoa. correndo. Um destripamento rápido. Incompetência. os cabelos brancos e cheios de terra. in Os Sertões). Ação: divisão em três partes: 1ª: projeto lingüístico. tácita e explicitamente sancionadas4 pelos chefes militares. Personagem central: Policarpo Quaresma. como faúlhas6. trata-se de fragmento da terceira parte: “A Luta”. Quixotismo patriótico. os sertanejos não lhes levavam a palma no estadear idênticas barbaridades. mais expedito: varavam. a facão. Os menores vinham às costas dos soldados agarrados às grenhas despenteadas há três meses daqueles valentes que havia meia hora ainda jogavam a vida nas trincheiras e ali estavam.. pelos grupos miserandos. A sua face esquerda fora arrancada. Espaço: Rio de Janeiro. clamando. no vácuo de um gilvaz. E essa criança horrorizava. que nos mostra elementos da natureza humana dos militares e dos sertanejos. Somente I e II estão corretas. 3ª: projeto político de defesa da República. Leia o seguinte trecho de Os Sertões. prestes. resolvendo desastradamente. 245 . entre os bordos vermelhos da ferida já cicatrizada. II. Aos lados. em que a linguagem é bastante direta e não muito difícil para os padrões da época. Epígrafe do romance: “O grande inconveniente da vida real e o que a torna insuportável ao homem superior é que.na. corrupção e hipocrisia de políticos e de governo. Não raro a sofreguidão do assassino repulsava esses preparativos lúgubres. desorientadamente. seguindo a extensa fila de infelizes… (Euclides da Cunha. granada. Tínhamos valentes que ansiavam por essas cobardias repugnantes. Os soldados impunham invariavelmente à vítima um viva à República. entrando pelo baixo ventre. Volume Único . passagens com acúmulos de vocábulos do português erudito e passagens jornalísticas. ruxa rebarbativa e magra — a velha mais hedionda5 talvez destes sertões — a única que alevantava a cabeça espalhando sobre os espectadores. Todas estão incorretas. O trecho lido exemplifica essa terceira hipótese. emaranhados. Somente I está correta.científicos. Somente I e III estão corretas. procurando os pais que ali estavam entre os bandos ou lá embaixo mortos. Alguns enfermos graves vinham carregados. Mediocridade e autoritarismo dos militares. em que a linguagem deveria funcionar como veículo e não como anteparo de idéias. o autor pretende denunciar os horrores da campanha da República contra os sertanejos. a) b) c) d) e) Todas estão corretas. 2ª: projeto agrícola. neta. entre quatro praças. por um estilhaço de Prof. e. O processo era. olhares ameaçadores. dobrando-lhe a cabeça. olhos muito abertos e muito fixos. que era poucas vezes satisfeito. em andar sacudido. agora. a) Trata-se de uma passagem da segunda parte — “O Homem” —. desafetado. passavam.. Caídos logo aos primeiros passos. Ao acentuar os aspectos desagradáveis de uma vítima da guerra. um patriota exaltado. realizava-se uma cena vulgar. não estortegavam1. observe as asserções e assinale a alternativa correta. havia tempos. lá se iam imóveis e mudos. bisneta. tendo sobre as espáduas de todo despidas. adolescentes franzinos. in Os Sertões). até 1893. Temáticas ou focalizações: A vida suburbana. Em Os Sertões. E era apavorante aquele riso incompleto e dolorosíssimo aformoseando9 uma face e extinguindo-se repentinamente na outra. O trecho pertence aos momentos finais do livro. o problema difícil de carregar uma criança. degolavam-na.

Oliveira Neto Volume Único .2007 . as imagens visuais e auditivas antecipam. Como os velhos Templários medievais Entrei um dia nessas catedrais E nesses templos claros e risonhos.se contrário à ação dos militares. Apenas II e III estão corretas. d) antigüidade e claridade. origem A influência má dos signos do zodíaco. Temática da decomposição. em serenatas. Dadas as afirmações: I. de forma plástica e viva. faz parte dos movimentos de protesto surgidos logo após a proclamação da Independência do Brasil. 03. 05.. e) exaltação e riqueza.. e) No texto. de Euclides da Cunha. Na frialdade inorgânica da terra! 04. Com relação às duas estrofes iniciais. (ITA) Todos os elementos abaixo são caracterizadores da poesia do autor e estão presentes no poema. (ITA – adap. Psicologia de um Vencido Eu. pode-se afirmar que nelas permanece respectivamente a idéia de: a) saudosismo e brilho. Texto para as questões 4 e 5. desde a epigênesis da infância. Todas estão incorretas. Produndissimamente hipocondríaco.a do seu compromisso com o belo convencionado pela tradição. Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia Que se escapa da boca de um cardíaco. No desespero dos iconoclastas curtas – lanças Quebrei a imagem dos meus próprios sonhos! (Augusto dos Anjos. (UFRGS-RS) Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) para as afirmações a seguir sobre Os Sertões. c) Segundo se pode depreender do texto. ao longo do poema. Apenas I e III estão corretas. Canta a aleluia virginal das crenças. retratado no texto de Euclides da Cunha. o poeta. são incivilizados. Prof. Onde um nume de amor. e à vida em geral declara guerra. Já na estrofe inicial. o que empresta à narração do episódio um caráter de relatodenúncia. exceto: a) b) c) d) e) Linguagem exótica. Agudo pessimismo. basicamente. Já o verme — este operário das ruínas — Que o sangue podre das carnificinas Come. Coerente com a visão determinista das Ciências Naturais. brilho Sofro. ou seja. 246 II. o narrador mostra. desvinculando. Vandalismo Meu coração tem catedrais imensas. Monstro de escuridão e rutilância. misturam-se o requinte da linguagem. ( )Euclides da Cunha escreveu Os Sertões com base nas eportagens que realizou como correspondente do jornal Estado de São Paulo. Resignação enternecida. Evidencia-se no poema um dos elementos caracterizadores do autor: a dessacralização da palavra poética. que estavam três séculos atrasados. Na ogiva fúlgida e nas colunatas Vertem lustrais irradiações intensas Cintilações de lâmpadas suspensas E as ametistas e os florões e as pratas. (ITA) Texto para as questões de 6 a 8. in Eu. ( )Antônio Conselheiro é uma personagem fictícia criada ela imaginação do autor. E erguendo os gládios e brandindo as hastas. ( )O episódio de Canudos. ( )A obra euclideana insere-se numa tradição da literatura brasileira que tematiza o povoamento do sertão. os sertanejos. ( )No texto de Euclides da Cunha. que. d) Os militares são considerados bárbaros. Templos de priscas e longínquas datas. se funda na adoção pessoal do vocabulário científico para produzir o efeito poético de angústia existencial diante da inexorabilidade das leis da natureza.. O poema contém elementos centrais da poética de Augusto dos Anjos.. c) otimismo e suntuosidade.Literatura b) O texto relata o lado bárbaro dos militares mas poupa os republicanos. b) plasticidade e musicalidade. pois aqueles não se confundem com estes.) 06. Crueza do tema. iniciada ainda no Romantismo com Bernardo Guimarães. Anda a espreitar meus olhos para roê-los.nos. 07. Apenas I e II estão corretas. a intenção científica e o propósito jornalístico. melancólico Este ambiente me causa repugnância. civilização e barbárie não se confundem. filho do carbono e do amoníaco. E há de deixar-me apenas os cabelos. revela-se conformado e indiferente com o fatalismo da morte.) Dadas as afirmações: I. III. mas não tão bárbaros quanto os sertanejos. pois os bárbaros. a) b) c) d) e) Todas estão corretas. a desilusão e o desencanto final do eu poemático.

a todos sobreleva em beleza d’alma e corpo.. Todo clã plumitivo deu de forjar seu indiozinho refegado de Peri e Atala. 09.. todo o mundo logo adivinha o que ele traz: sempre coisas que a natureza derrama pelo mato e ao homem só custa o gesto de espichar a mão e colher — cocos de tucum ou jiçara. fidalguia. o que é “caboclismo”.. Seu grande cuidado é espremer todas as conseqüências da lei do menor esforço — e nisto vai longe. Do contrário. Os fragmentos abaixo transcritos são uma continuação do texto anterior.. de amar Ceci.) Quando comparece às feiras. ombro a ombro com altos tipos civilizados.. de acordo com o texto. Morreu Peri. maracujás. Contrapôs-lhe a cruel etnologia6 dos sertanistas modernos um selvagem real.” “. Pura biboca de bosquímano... (. gerúndio e pretérito. guarda-a no corpo. Apenas III está correta. protótipo de tantas perfeições humanas. 08. o que ainda o obrigaria a nivelar o chão. Nada mais. independência. como o Ariel benfazejo do Paquequer. pios de caçador. maravilhoso epítome de carne onde se resumem todas as características da espécie.) O indianismo está de novo a deitar copa. Apenas I está correta.. in Urupês). o tacape afilou. metem-se a palmilhar sertões de Winchester em punho. todo o recheio em suma. cujo início. Nada de armários ou baús. Sua casa de sapé e lama faz sorrir aos bichos que moram em toca e gargalhar ao joão-de-barro. segundo o texto.” “. umas cuias. consumiram. bacuparis. rachados calcanhares sobre os quais se sentam? Nenhum talher. A sedução do imaginoso romancista criou forte corrente. lá teríamos o filho de Araré a moquear a linda menina num bom braseiro de pau-brasil. coragem. Defina. ao invés de imaginarem índios num gabinete. . Todas estão incorretas. a ocara virou rancho de sapé. portanto. a tanga ascendeu à camisa aberta ao peito. Qual a posição de Lobato diante do “caboclismo”. Três pernas permitem equilíbrio. cestinhas. ou artefatos de taquarapoca — peneiras.iconoclastas” Prof.) O mobiliário cerebral do Jeca. (Monteiro Lobato. Oliveira Neto 247 Volume Único . Não é a munheca um talher completo — colher... sem faltar uma azeitona. ou utensílios de madeira mole — gamelas. que: a) b) c) d) e) Todas estão corretas. Antônio de Mariz — não os viu Alencar. uma mudança de ordem temporal a partir da qual se inicia o processo de dissolução e destruição do eu poemático.velhos Templários medievais. tipitis6. dos Peris e Ubirajaras. pinhões4. anguloso e desinteressante. inútil.. o boré descaiu lamentavelmente para o pio de inambu. hoje esquecidos. como incapazmoralmente. criou gatilho. feio e brutesco.2007 Leia o texto a seguir para responder ao que se pede. III. um pote esbeiçado.) Pobre Jeca Tatu! Como és bonito no romance e feio na realidade! (.” “. meter a quarta.. Mobília. virilidade heróica.. Jeca Tatu é um piraquara1 do Paraíba. Esboroou-se o balsâmico indianismo de Alencar ao advento dos Rondons que. prosseguimento e clímax correspondem respectivamente às formas verbais de presente.. com reminiscências de Chateaubriand na cabeça e a Iracema aberta sobre os joelhos.. O cocar de penas de arara passou a chapéu de palha rebatido à testa. Crismou-se de “caboclismo”.. com virtudes romanas por dentro e penas de tucano por fora. Leia-o para responder à questão 11. in Urupês ). vale o do casebre. que no romance.. tão incapaz. Opera-se no primeiro terceto. (. pilõezinhos. muscularmente.ogiva fúlgida.Literatura II. orquídeas. gamelinhas. Apenas II está correta. guabirobas. de arrancar uma palmeira.) E que chambões e sornas os Peris de calça. de nome mudado. deitou ouvido e é hoje espingarda troxada16. colheres de pau. (. (. samburás.. Começa na morada. além da retomada das idéias básicas dos quartetos. jataís.. à parte o suculento recheio de superstições. Inferimos. Mas o substrato psíquico não mudou: orgulho indomável.as hastas” “.se tabas inteiras de aimorés sanhudos. 10. A cama é uma espipada esteira de peri posta sobre o chão batido. um que traz no uso e outro na lavagem... Qual das expressões abaixo melhor se relaciona com o título do poema? a) b) c) d) e) “Templos de priscas.. sonhou-os qual Rousseau. “Urupês”. garfo e faca a um tempo? No mais. a pichorra e a panela de feijão. A roupa. em vez de acompanhá-la em adoração pelas selvas. ocorre um processo gradativo de rebeldia devassadora. Só tem dois parelhos. se a natureza os dotou de sólidos. “Urupês”. contos e novelas. Para que assentos.. Em sonetos. camisa e faca à cinta! (Monteiro Lobato. Às vezes se dá ao luxo de um banquinho de três pernas — para os hóspedes. nenhuma. incomparável idealização dum homem natural como o sonhava Rousseau. Por felicidade nossa — e de D. Ao longo do poema..

Não queira levar ao ridículo aqueles que trabalham em silêncio. Desde dezoito anos que o tal patriotismo lhe absorvia e por ele fizera a tolice de estudar inutilidades.. e se naquele quarto pusesse uma mesa com papel. disse em tom chocarreiro3: “Você já viu que hoje o Ubirajara está tardando?” Quaresma era considerado no Arsenal: a sua idade. na sua vida? Tudo. quem sabe se naquela noite mesmo? E que tinha ele feito de sua vida? Nada. aí pelos vinte anos. as guerras holandesas. ou melhor: o que o patriotismo o fez pensar. O importante é que ele tivesse sido feliz. o amor da pátria tomou-o todo inteiro. tendo notícia desse seu estudo do idioma tupiniquim. in Cidades Mortas). de gozar. e lhes dissesse: “Ou vocês pensam meia hora naquele papel ou botam abaixo aquela mata”. na sua história. Não brincara. foi num conhecimento inteiro do Brasil. levantou o dedo indicador no ar e respondeu: — Senhor Azevedo. não amara — todo esse lado da existência que parece fugir um pouco à sua tristeza necessária. nas suas riquezas naturais. Ai de quem o citasse na sua frente! Em geral. Defendia com azedume e paixão a proeminência do Amazonas sobre todos os demais rios do mundo. ele não provara. a sua ilustração. A sua vida era Prof. Quaresma sabia as espécies de minerais. a mofa. Sentindo que o alcunha lhe era dirigida.. Todas as manhãs.Literatura 11. grave e absorvente.. pena e tinta. não pandegara. não perdeu a dignidade... o escárnio. Gastara a sua mocidade nisso. E restringindo o asserto1 à classe agrícola: — Se o governo agarrasse um cento de fazendeiros dos mais ilustres e os trancasse nesta sala. Havia um ano a esta parte que se dedicava ao tupiguarani. sem reparar quem lhe estava às costas. Para isso ia até ao crime de amputar alguns quilômetros ao Nilo e era com este rival do “seu” rio que ele mais implicava. Onde estava a doçura de nossa gente? Pois ele não a viu combater como feras? Pois não a via matar prisioneiros. na sua literatura e na sua política. com cem machados naquele canto e uma floresta virgem ali adiante. como ela o premiava.. o escrevente Azevedo. antes que a “Aurora.) Durante os lazeres burocráticos.. e 248 estudava o jargão caboclo com afinco e paixão. o que achara? Decepções. mas estudou a pátria. como essa afirmação se comprova? (PUC-SP) Texto para a questão 14 Iria morrer. com pleno conhecimento de causa. Foi? Não. daí a cinco minutos cento e um machados pipocavam nas perobas. como ela o recompensava. (Monteiro Lobato. para a grandeza e a emancipação da pátria. palrador1 e vazio. agora que estava na velhice. Com relação à língua tupi. a modéstia e honestidade de seu viver impunham-no ao respeito de todos. 13. não prorrompeu em doestos e insultos. as nascentes e o curso de todos os rios. (. Em que lhe contribuiria para a felicidade saber o nome dos heróis do Brasil? Em nada. de fruir. sabia o valor do ouro. Levara toda ela atrás da miragem de estudar a pátria. Certa vez. concertou o pince-nez6. Lembrou-se das suas coisas de tupi. por amá-la e querê-la muito. como ela o condecorava? Matando-o. As terras não eram ferazes e ela não era fácil como diziam os livros. Não fora o amor comum. dos diamantes exportados por Minas. os pequenos empregados. Restava disso tudo em sua alma uma satisfação? Nenhuma! Nenhuma! O tupi encontrou a incredulidade geral. calmo e delicado. as batalhas do Paraguai. e levou-o à loucura. o major ficava agitado e malcriado. vegetais e animais que o Brasil continha. inúmeros? Outra decepção. 12. É comum afirmar-se que Quaresma é um “idealista sem nenhum senso prático”. De acordo com os textos apresentados nesta aula. o que Quaresma pensou. ele não vira. (Lima Barreto. Nada de ambições políticas ou administrativas. ele não experimentara. ao assinar o ponto. não seja leviano7. in Triste Fim de Policarpo Quaresma) (Primeira parte). do folclore. estudou. quando o seu patriotismo se fizera combatente. das suas tentativas agrícolas. Arte y diccionario de la lengua guaraní ó más bien tupí. amanuenses e escreventes. na sua geografia. Outra decepção.. quando se discutia a extensão do Amazonas em face da do Nilo. Desde moço. com seus dedos rosados abrisse caminho ao louro Febo”. “Vidinha Ociosa — Apólogo”. Qual a principal característica do Jeca Tatu. deram não se sabe por que em chamá-lo — “Ubirajara”. a sua virilidade também. distraído. e. E a agricultura? Nada. E o que não deixara de ver.2007 . as medidas progressivas. ele se atracava até ao almoço como Montoya. fora um sentimento sério. para depois então apontar os remédios. Uma decepção. E. o riso. Oliveira Neto Volume Único . Que lhe importavam os rios? Eram grandes? Pois que fossem. Na repartição. no intuito de contribuir para a sua felicidade e prosperidade. pode-se concluir que Lobato demonstrou mais simpatia pelos caipiras ou pelas elites latifundiárias? Texto para a questão 13 Policarpo era patriota. segundo o texto? Texto para a questão 12 O velho Torquato dá relevo ao que conta à força de imagens engraçadas ou apólogos. Endireitou-se. levando-o a meditações sobre os seus recursos. Ontem explicava o mal da nossa raça: preguiça de pensar.

No entanto. Lima Barreto. nem a política que julgava existir. tentando. O novo planejamento urbano. porque se sentia decepcionado com a realidade brasileira. a opressão. as reivindicações eram várias. Inicialmente. brigou por eles a vida toda e foi condenado à morte justamente pelos valores que defendia. in Triste Fim de Policarpo Quaresma (Terceira parte). contudo. uma série. foi encarada com desprezo pelo governo federal. o subdesenvolvimento. nem a intelectual. Em 1896.2007 por conduzir a I Guerra Mundial. as situações eram bem diferentes. os marinheiros de dois navios de guerra. A disputa das nações desenvolvidas por mercados e por fontes de matéria-prima acabaria Prof. embora um pouco distante desse âmbito de luta internacional. manifestaram-se contrários aos castigos corporais ainda costumeiramente aplicados a eles na Marinha: era a Revolta da Chibata. b) perpetrou seu suicídio. pressionando a Marinha para que as atendesse. Oliveira Neto 249 Volume Único . Depois de um ano de renhida resistência. Mas os problemas sociais não foram resolvidos. MODERNISMO NO BRASIL E EM PORTUGAL PRÉ-MODERNISMO: · CONTEXTO HISTÓRICO · CARACTERÍSTICAS · AUTORES MODERNISMO: · PORTUGAL · CONTEXTO HISTÓRICO · CARACTERÍSTICAS · AUTORES · BRASIL · CONTEXTO HISTÓRICO · CARACTERÍSTICAS · AUTORES 2º TEMPO . estourou na Bahia a revolta de sertanejos que ficou conhecida como Guerra de Canudos. Os motivos eram diversos. perseguidos. ocorrida em São Paulo. que eram militares) para a República do café-com-leite (predominantemente civil) e no enfraquecimento da República Velha (1889-1930). 14. exigia a renúncia do presidente Floriano Peixoto. contudo. por isso. Os fatos falam por si. que. com a República recémproclamada (1889). as causas mais profundas da Guerra eram outras: a miséria. A insatisfação popular explodiu quando o governo lançou a campanha de vacinação obrigatória. tendo sido violentamente reprimida. Os revoltosos foram anistiados. Mas esses acontecimentos tiveram um papel decisivo na passagem da República da Espada (primeiros governos republicanos. levante de uma facção monarquista da Marinha brasileira. O próprio governo reconheceu a pertinência das reivindicações. o arraial de Canudos caiu em outubro de 1897. mas nunca estudou com afinco as coisas brasileiras.Literatura uma decepção. nem a moral.POESIA: · CARACTERÍSTICAS · AUTORES 3º TEMPO . tem lugar no Rio de Janeiro a Revolta da Armada. um encadeamento de decepções. não foi levado a sério pelas pessoas que o cercavam. Mas a persistência dos revoltosos e o arraigado apego à terra que demonstravam. O restante das Forças Armadas. Outro acontecimento importante do período foi a greve geral de 1917. que contava anda com forte apoio civil.TEMPO: · CONTEXTO HISTÓRICO · CARACTERÍSTICAS · PROSA · AUTORES PRÉ-MODERNISMO CONTEXTO HISTÓRICO Na Europa. reivindicando . Em 1910. Em 1893. havia. e) era um louco e. recebeu o nome de Revolta da Vacina . e o misticismo e o cangaço continuaram sendo respostas populares à opressão e à miséria. era um fantasma criado por ele no silêncio do seu gabinete. angariar a simpatia da população e o auxílio de forças militares dos diversos estados. A verdadeira batalha que se travou no Rio de Janeiro. e que contava com péssimas condições de higiene. as autoridades do Rio de Janeiro resolveram urbanizar e modernizar a cidade. previa uma recolocação da moradia dos mais pobres. mas logo depois. Uma série de revoltas eclodiu em todo o país. em 1904. d) foi considerado traidor da pátria. liderados por João Cândido (o “Almirante Negro”). colocou-se ao lado do governante. em 1914. c) defendeu os valores nacionais. porque participou da conspiração contra Floriano Peixoto. começo do século foi uma época de conturbação política. podemos afirmar que: a) foi um nacionalista extremado. A pátria que quisera ter era um mito. excluindo-os das benesses da modernização e desamparando grande parte da população. que era a capital do país. O panorama social brasileiro. A propaganda oficial divulgava o fato como um levante de monarquistas. não era menos complexo. com isso. melhor.PROSA: · CONTEXTO HISTÓRICO · CARACTERÍSTICAS · AUTORES 2º TEMPO . opondo policiais aos pobres . presos e torturados. o abandono a que a população da região estava relegada. já massacrada pelo desemprego e pela carestia. insatisfeita. Nos primeiros anos do século XX. de Lima Barreto. muito populosa. O trecho anterior pertence ao romance Triste Fim de Policarpo Quaresma. Nem a física. graças à sua imensa popularidade. organizada por trabalhadores anarco-sindicalista. Da personagem que dá título ao romance. A revolta foi sufocada após seis meses. obrigaram o Exército a uma ação mais dura.

mais que um fato artístico. essa prática literária não chegou a se constituir em escola. principalmente em um momento em que uma das propostas artísticas em vigor toca justamente no ponto de uma retomada da literatura social. Oliveira Neto Volume Único . A rapidez da imagem e a simultaneidade narrativa passaram a ser instrumentos utilizados em todos os ramos da arte. Seus autores mais significativos são: Euclides da Cunha. tomadas como elementos de cristalização e acomodação de uma estrutura de poder que resultava na cegueira às reivindicações de vastas camadas da população brasileira. Através dele. No terreno artístico. na França. Esta “licença histórica” se explica pela importância que esta data teve na história das idéias artísticas que vieram depois. que ganham grande impulso na época. sempre tinha existido.nem sempre muito distantes dos centros populosos. Podese entender essa prática como uma ponte de ligação entre a linguagem dicionaresca e cientificista do século XIX e aquela. Na visão dos representantes dessa corrente. É bom que se perceba. convivem com um vocabulário mais livre e popular. Dedicada ao estudo do inconsciente humano. De certa forma. mais despojada. artigos e comentários eruditos. discutindo alternativas para ele. entre outros) começaram a marcar presença no cenário brasileiro. Formalmente. os subúrbios. ou mesmo narrativa. Monteiro Lobato. que já apareciam antes em romances e natureza viviam em comunhão. CARACTERÍSTICAS As transformações sociais. Ainda em 1895. o suburbano não é mais alegre e expansivo. estruturada e organizada em um programa estético definido. por exemplo. os personagens que figuraram nessas produções estão muito distantes dos modelos assumidos em estéticas anteriores: o sertanejo não é mais servil e ordeiro.Literatura melhoria nos salários e nas condições de trabalho (redução da jornada. experimentada no Brasil. que o levaram a constituir um novo ramo médico: a Psicanálise.2007 250 . agora são retratados como representações do atraso brasileiro. os pré-modernistas caracterizar-seão por uma linguagem oscilante: expressões eruditas. Em seu conjunto. um marco importante na divulgação de suas descobertas científicas. os irmãos Lumière lançaram. segurança. que caracterizaria a arte moderna do século XX. A imagem que essas personagens passam a representar liga-as à decadência. era possível registrar imagens em movimento. Um Brasil que. soldados de baixa patente. que tenta funcionar como registro de expressões regionais. a ciência psicanalítica forneceu vasto material à Arte. miseráveis. nas quais forças políticas até então tímidas (sertanejos. objetivo perseguido durante muitos anos por técnicos de toda a Europa. ao desmazelo. que guardaria a face obscura dos desejos do indivíduo. um momento importante do desenvolvimento das letras brasileiras. o cinema impôs-se como um meio de comunicação artística que viera para modificar fundamente as estruturas artísticas até então existentes. Graça Aranha. Lima Barreto. Augusto dos Anjos. essa oscilação reflete ainda um contato crescente entre as culturas popular e erudita. imigrantes. porém. O sertão. O progresso e o cosmopolitismo que caracterizava a auto-imagem de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo eram contrapostos ao subdesenvolvimento e à miséria estrutural de vastas regiões nacionais . o caipira não é mais saudável e trabalhador. Da mesma forma. Logo. bastante diferente. mas que fora até então presença excessivamente reduzida na literatura. na verdade. visando apenas a explorar as então incipientes possibilidades da nova descoberta. à ignorância. o austríaco Sigmund Freud lançou o livro Estudos sobre a histeria. o período que vai do final do século XIX (aproximadamente 1870) até as primeiras décadas do século seguinte (anos 20) recebe o nome geral de “belle époque “. da passagem do século. O Pré-Modernismo é. explicitando as razões do nosso atraso. necessariamente impregnariam a literatura. essas revoltas todas podem ser vistas como manifestações de uma nova paisagem social. o interior. Assim. pode ser considerada regionalista. mas também os ensaios. Essa redescoberta pode ser notada a partir da renovação temática que se opera no âmbito literário. Um aspecto comum a essa produção intelectual é a crítica às instituições. etc). Como dissemos. um nov invento: o cinematógrafo. que se trata de um regionalismo crítico. no cenário. Essa literatura que tematiza habitantes e ambientes de determinadas regiões. e. da idealização romântica. Os primeiros filmes lançados pelos Lumière não tinham nenhuma pretensão artística. entre outros. A revelação da existência de um verdadeiro universo no interior da mente humana serviu de impulso decisivo para o surgimento de teorias estéticas baseadas na tentativa de expressão desse universo. francamente influenciadas pelo Parnasianismo. AUTORES EUCLIDES DA CUNHA LIMA BARRETO MONTEIRO LOBATO AUGUSTO DOS ANJOS GRAÇA ARANHA MODERNISMO CONTEXTO HISTÓRICO MUNDIAL O início do século XX poderia ser datado no ano de 1895. No terreno da ficção os ambientes antigos são explorados agora de forma a evidenciar seus aspectos mais tristes e pobres. a literatura tinha uma missão a cumprir como instrumento de denúncia social. Prof. A preocupação com a realidade nacional ocupa não apenas as obras de ficção. como mostraram as obras tematizando o caipira e o morador dos subúrbios cariocas. podemos falar mesmo em uma redescoberta do Brasil pela literatura. Nesse ano.

Essa liberdade buscava se realizar tanto no plano formal quanto no temático. regulamentada. Foram. a Revolução russa transformou profundamente as bases socioeconômicas do país. estrangeirismo. Como aspectos comuns. a transformá-la-á em bandeira de luta. provocando o surgimento de muitos concursos. a partir de contribuições artísticas do século XIX). erros gramaticais. a tentativa de responder à desintegração social provocada pelo panorama da guerra. criações espontâneas do povo. Oliveira Neto PORTUGAL CONTEXTO HISTÓRICO Em 1890. a busca de inovações formais cada vez mais radicalistas. era fundado o Partido Comunista Brasileiro (em 1922). é sua sistemática oposição ao academicismo. o desejo de chocar a opinião pública. contudo. Acreditava-se. A abolição da propriedade privada e o fim dos privilégios da nobreza jogaram o país em uma crise de grandes proporções. Esse ambiente favorece o surgimento de novas idéias estéticas (surgidas. a linguagem artística absorve gírias. essas idéias possuíam: a ruptura com o passado.versos sem rima) e livre (sem métrica regular. Essa postura de destruição dos símbolos artísticos aceita generalizadamente. Vejamos algumas propostas dos principais movimentos artísticos do início do século na Europa. Essa inovação formal era propriamente modernista. mas da qual emergiu uma nação vitoriosa e forte. quando entenderem necessário. por exemplo. uma nação se retira do conflito para resolver problemas internos. Essa dificuldade de comunicação artística contrariava a tendência democrática da arte de vanguarda. A rebeldia. Uma ressalva. quase sempre. etc. os modernistas defendiam a abolição da rima e da métrica. a ousadia e a alegria eram palavras de ordem: tudo era discutido. a Grande Guerra chega ao fim. ficaram famosos os poemas-piada de Oswald de Andrade. o Modernismo tinha. Tratava-se. que buscava aproximar a arte erudita das camadas populares. feito proclamado no mundo inteiro. como tema fundamental. Era o auge e o fim da chamada “belle époque”. O Modernismo. os simbolistas já faziam uso dela. No Brasil. Em 1919. o desejo de fugir de qualquer convencionalismo preestabelecido provocou o surgimento de uma arte excessivamente pessoal. Essa vitória contaminou o mundo. Em 1914. que premiavam aqueles que conseguissem ultrapassar obstáculos até então intransponíveis. Em 1906. a intenção de reproduzir esteticamente um mundo que se transformava rapidamente. O reverso da medalha. à arte regrada. antes deles. tanto quanto os grandes amores e as emoções profundas tratadas pela arte mais tradicional. e nova onda otimista atingiu a Europa. ressalte-se. A década de 20 ficou conhecida como “anos loucos”. já que. O homem parecia vencer limites importantes: o conhecimento da própria personalidade. de uma maneira geral. esse tipo de verso deixou de ser condição prioritária para a obtenção da boa poesia. com a exploração do verso branco (ou solto .Literatura A febre dos inventos varria a Europa. No terreno da forma. obras-primas de síntese e sutileza crítica. Enfim. contudo. e de desprezo pela norma culta Prof. neologismo. A partir de então. Tais idéias e contribuições artísticas do século XIX. como resultado de lutas imperialistas (disputa de mercados e regiões de produção de matéria-prima) que se davam em várias partes do mundo. Distanciando-se da postura que defendia uma arte voltada para si mesma. o verso rimado e regular. O otimismo do início do século justificava a crença na capacidade criativa do ser humano. acontecimentos banais e aparentemente sem importância podiam ganhar estatura artística. . deve ser feita: defensores da liberdade formal absoluta. A transposição da fala das ruas para o texto escrito confere a este um alto grau de oralidade. isto é. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO MODERNISMO Um primeiro elemento. Coerente com essa postura de utilização de uma linguagem mais próxima do falar rotineiro. comum a toda manifestações do Modernismo. Apenas cinco anos depois da Revolução. tanto criar. Além disso. era capaz de destruir. Tais idéias constituíram o fundamento do que se convencionou chamar de Arte Moderna. ao comportamento sisudo e aristocrático que a arte assumira até então. o brasileiro Santos Dumont realizou com seu 14-bis o primeiro vôo mecânico do mundo. não tardou a aparecer. a valorização da subjetividade artística no trabalho de tradução dos objetos ao redor. Muitas vezes. por exemplo. os modernistas a atitudes de antipatia à cultura estabelecida. muitas vezes perseguidos e ridicularizados. podemos resumir a proposta modernista. o governo inglês lançou um ultimatum a Portugal : o país deveria abandonar imediatamente as 251 Volume Único . as vanguardas estéticas do período manifestaram a preocupação social própria de um mundo sacudido por guerras e disputas internacionais de todos os tipos. o cotidiano. No meio da guerra. então. a partir desse momento. os próprios modernistas praticarão. que uma catástrofe suicida daquelas proporções nunca mais ocorreria. e representou. porém. assim. sem o mesmo número de sílabas). Em todos os níveis. repleta de truques convencionais.2007 conduziu. uma de suas contradições mais profundas. quase sempre incompreensível. os modernistas opõem uma valorização do humor. a linguagem coloquial será adotada pelo Modernismo. eclode a I Grande Guerra Mundial. isto é. em Paris. Com isso. Em 1917. com a introdução prática das idéias comunistas que Marx divulgara a partir de meados do século anterior. a arte do século XX. de fato. em uma única expressão fundamental: liberdade. por causa disso. porém. o registro do movimento e o espaço. O homem mostrava que. de todas as formas. todas as liberdades eram proclamadas. Além da versificação mais livre. de uma arte voltada para o mundo e que fazia dele sua grande miséria. e a propaganda comunista alcançou todos os países. A demolição dos edifícios estéticos convencionais tinha como contrapartida uma proposta de uma arte livre.

Fernando Pessoa . Ferreira de Castro . ademais. quando comparada com a primeira . ganhou força entre os membros da “geração de Orpheu “. Assim. mesmo que parcialmente formada por antigos cafeicultores. sempre dependente das oscilações do panorama internacional. Durante o conflito bélico. de seu maior representantes . por “geração de Orpheu”. Ao lado disso . no panorama modernista português . enquadrando-os dentro de propostas modernistas . então.os ataques dos artistas se dirigia mais à facção agrária da classe dominante. a luta republicana ganhou espaço e importância. sinônimo de modernização. exata