P. 1
Geriatria - Capítulo IV -Envelhecimento e Pele - Dr. João Campos

Geriatria - Capítulo IV -Envelhecimento e Pele - Dr. João Campos

|Views: 742|Likes:
Publicado porregileite

More info:

Published by: regileite on Oct 19, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/21/2013

pdf

text

original

Geriatria – Capítulo IV ENVELHECIMENTO E PELE Dr.

João Campos

As enfermidades da pele, além de sua morbidade, morfologia, cronicidade e condições pessoais de quem as padeça, apresenta uma característica: comprometem em maior ou menor grau os cânones da Beleza, por serem inestéticas. De conformidade com os anos vividos pelas pessoas, na pele fica impressa, desde o recém nascido, o adolescente, o adulto e o geronte, as características próprias de sua estrutura e atividade. Mesmo as pequenas alterações em sua patologia, determinam uma série de cuidados higiênicos, cosméticos, terapêuticos e profiláticos que podemos chamar de peculiares. Para o estudo da pele em Geriatria, ao nosso ver, seria interessante, do ponto de vista didático, a abordagem de alguns itens a saber: 1 – CARACTERÍSTICAS DA PELE DO IDOSO Quando o indivíduo atinge a idade senil, a involução fisiológica da pele apresenta uma tendência a uniformizar as suas características no homem e na mulher. O peso, que até os 50 a 60 anos aumentou, apresenta um tendência a diminuir, em função da perda de água; o cabelo rarefazse e a pele em geral apresenta uma coloração amarelada, perdendo a TONICIDADE e a ELASTICIDADE da juventude. Encontramos uma verdadeira ATROFIA SENIL, decorrente de uma DEGENERAÇÃO COLÓIDE DE SUA REDE CONJUNTIVA, que lhe confere uma cor de marfim velho e é acentuada pela PROGRESSIVA DIMINUIÇÃO DA GORDURA HIPODÉRMICA.

As TELANGIECTASIAS. . muito embora os homens se preocupem e valorizem mais a queda de cabelo (calvície) e as mulheres a ocorrência das preocupantes rugas. PÚRPURAS e ANGIOMAS senis são a expressão na pele das alterações vasculares. afloram às proeminências ósseas e percebem-se vasos endurecidos. Vale ressaltar. formando-se novas rugas. – IMPORTÂNCIA DA PELE – A pele tem uma importância considerável. muito embora muitas vezes o excessivo medo de contágio seja uma decorrência da ignorância da fisiopatologia das dermatopatias. com aumento da secreção. diminuição secretora e a tendência a hiperceratose difusa. sobretudo no dorso das mãos. que serpenteiam sob os tegumentos.A pele fica FROUXA e se apresentam mais visíveis sulcos e pregas. uma vez que constitui uma barreira de proteção do indivíduo contra todas as agressões do meio ambiente. Algumas estruturas antes invisíveis (ou dissimuladas por cosméticos). A superfície cutânea fica SECA e FINAMENTE DESCAMATIVA. De uma maneira sucinta são estas as modificações que ocorrem na pele do geronte. acentuando-se a coloração de manchas e ceratoses senis. 2. pode haver uma hiperplasia das glândulas sebáceas faciais. Há uma predisposição às DISCROMIAS. pois muitas de suas patologias segregam os seus portadores. contudo. em face da instabilidade do metabolismo melânico. bem como tem um valor psicológico acentuado. que algumas pessoas. pelo comprometimento que proporcionam à estética. como uma decorrência da desidratação. Por todas estas razões as patologias da pele merecem muita atenção dos médicos e os padecimentos cutâneos devem ser cuidados visando-se não somente a parte terapêutica propriamente dita mas também a parte psicológica.

– CUTIS RHOMBOIDALIS . por alterações no tecido elástico. São encontradas sobretudo na face. dando à pele o aspecto de losangos. couro cabeludo em áreas de alopecias e em outras regiões expostas ao sol. influenciando direta ou indiretamente na etiopatogenia das doenças cutâneas.É comum em pescadores e lavradores. . 2. colo.Vários fatores interferem na dermatologia geriátrica. ou Ceratose Solar). provocadas por leves traumatismos ou expontâneos devidos à diminuição do suporte conjuntivo pericapilar. A pele da nuca fica enrugada. Localizando-se principalmente na face e porção lateral do pescoço. – ATROFIA SENIL – (ou Elastose Senil. Na histopatologia constata-se. com a presença freqüente de telangiectasias. observada em pessoas após a Quarta década. – 1. CERATOSE ACTÍNICA (ou Ceratose Senil. Dermatose considerada potencialmente maligna. – PURPURA SENIL . ou Elastose Actínica.São sulfusões hemorrágicas bem delimitadas (equimoses ou hematomas) geralmente nos membros superiores. cuja profissão os obriga a expor-se a muita irradiação solar. ATIVIDADE PROFISSIONAL e ALTERAÇÕES METABÓLICAS.C. antebraços. dorso das mãos. 3.I. os HÁBITOS HIGIÊNICOS e DIETÉTICOS. 4. como o frio e a luz solar. Entre esses podemos destacar o CLIMA. além da atrofia da epiderme. 3. Caracterizam-se por pele seca. uma degeneração basofílica do colágeno. – PRINCIPAIS PATOLOGIAS DERMATOSE CUTIS INVOLUTIVA) SENÍS – D. fina e frouxa. Elastose Solar).

predominando a atrofia e as atipias celulares. O quadro é de evolução longa. hipocromicas. As lesões são porcelânicas.As pessoas de pele clara e que se expõem excessivamente ao sol. vento e frio apresentam essa dermatose com maior freqüência. Histologicamente são descritas em 3 (três) variedades: a) FORMA HIPERTRÓFICA ou HIPERCERATÓSICA. O tratamento é feito pela eletrocauterização ou pela quimioterapia tópica (5-fluoracil). que é a mais freqüente. e onde se vê paraceratose. As lesões podem sofrer transformações em EPITELIOMA BASOCELULAR ou CARCINOMA ESPINOCELULAR. verrugosas. uso prolongado de corticóide. sendo provocadas por uma fibrose e pela diminuição das fibras elásticas da derme. c) FORMA BOWENOIDE (histologicamente semelhante à doença de BOWEN. radiadas com formato de estrela. . atuam como agentes desencadeantes. com limites nítidos e irregulares. Fatores genéticos. irradiação solar. b) FORMA ATRÓFICA com pouca hiperceratose. expõe uma superfície erosada e facilmente sangrante. Nas três variedades encontramos degeneração das fibras elásticas da derme. papilomatose e atipia celular. 5. quando retirada. recobertas por um induto ceratósico. de forma alongada. – CICATRIZES ESTELARES – São cicatrizes lisas. áspero e bem aderido à lesão. Geralmente ficam situadas na superfície de extensão dos braços e das mãos e face anterior das pernas de pessoas idosas. Inicialmente se observam múltiplas manchas pardacentas que se tornam depois elevadas.

face e couro cabeludo. Auricular).– PRURIDO ESTEATÓSICO – É o prurido devido à diminuição da atividade das glândulas sebáceas da pele e costuma ser maior nas pessoas que tomam banhos demorados e quentes. pequenas como um confete ou lentilhas. compostas por vasos dilatados neoformados. utiliza-se a eletrocoagulação. Podem ser única ou múltiplas e seu tamanho usual é de 2 a 3 mm de diâmetro. -LEUCODERMIA PUNCTATA . São múltiplas. – HIPERPLASIA SEBÁCEA – (ou Nevo Sebáceo Senil) – São pápulas amareladas e umbilicadas. tais como: dorso das mãos e antebraços. 8. que surgem com predileção nas áreas da pele expostas ao sol. como CREME DE URÉIA a 10%. Orienta-se o paciente nesse sentido e recomenda-se o uso de hidratantes. Na histopatologia.– MELANOSE SOLAR ou LENTIGO SENIL São manchas pigmentadas. de preferência na região frontal.São lesões acrômicas. O tratamento indicado é eletrocoagulação das lesões. Quando interferem na estética do paciente. 7. Aconselha-se o uso de cremes antiactínicos. que podem variar de diminutas máculas até mais de 1 cm. assim como evitar excessiva exposição solar. de evolução benigna. em pessoas após os 40 anos. O desaparecimento das lesões não ocorre e o tratamento é profilático e não curativo. Algumas vezes se originam de hemorragias traumáticas. com excesso de sabonete. 10. situadas geralmente na face. que surgem em qualquer área da pele. . (pequenas lesões azul escura localizadas geralmente nos lábios e na orelha (pav. Outro tipo de angioma senil é o chamado LAGO VENOSO ou LAGOS VENOSOS. São formados por vasos sangüíneos muito dilatados. a maioria das lesões consiste de uma ENORME GLÂNDULA SEBÁCEA. composta de numerosos lóbulos agrupados ao redor de um ducto sebáceo alargado.6. 9.– HEMANGIOMA SENIL ou NEVO RUBÍ – São pápulas vermelhas. de significado estético apenas.

no tronco ou extremidades. GLOBOSO ou VEGETANTE. estando associadas à púrpura senil. Histologicamente se encontram massas celulares semelhantes as células da camada basal da epiderme. pescoço e pálpebras. O tratamento é feito com “peeling” químico. localizado geralmente na face. PLANOCICATRICIAL. A exérese é a indicação terapêutica. ceratose seborácica ou ceratosa retínica. não havendo tendência a formar metástase ganglionar ou visceral. atrófica. semitransparentes. 11. – PAPILOMA FIBROEPITELIAL – São pequenas lesões saculares. clara. TEREBRANTE. O tipo clássico é o nódulo-ulcerado com os bordos de aspecto perolado.Freqüentemente são observadas em pessoas de pele seca. O tratamento de escolha é a eletrocoagulação. com degeneração basófila do colágeno. Histologicamente se nota um aumento dos melanócitos da camada basal. devido ao crescimento endofítico podem destruir estruturas. 12 – EPITELIOMA BASOCELULAR – É um tumor epitelial composto por pequenos nódulos céreos ou perolados. NÓDULOULCERATIVO. SUPERFICIAL. pedunculadas. múltiplas e localizadas em regiões de dobras como axilas. com grandes núcleos ovalados ou alongados e de citoplasma escasso. enrugada. Na derme encontram-se presentes melanócitos dérmicos e infiltrado linfocitário. fina. FRANCAMENTE ULCERATIVO. O tumor é de malignidade puramente local. Não sofre degeneração maligna. Podem ser solitárias. . sendo também usadas com sucesso por algumas quimioterapias e a crioterapia. Apresenta-se sob as seguintes variedades: NODULAR.

Os tumores originados de ceratoses actínicas raramente metastatizam. Predomina no sexo masculino. nas células névicas juncionais de nervos celulares ou. O tratamento de eleição é a cirurgia. circundada por bordo largo. quando se comprime a área entre os dedos. CARCINOMA EPIDERMOIDE ou EPITELIOMA ESTRATIFICADO) – É um tumor menos freqüente que o epitelioma basocelular e também mais agressivo que esse. No melanoma maligno nodular as metástases podem ser precoces e o prognóstico é o pior. – EPITELIOMA ESPINOCELULAR – (Sinonímia CARCINOMA ESPINOCELULAR. As dermatoses pré-cancerosas geralmente o precedem. na maioria dos casos. mas felizmente o menos freqüente. face e dorso das mãos. pênis. em nevo azul. É mais maligno que os tumores anteriores. enquanto aqueles dos lábios inferiores costumam causar metástases gangliconares e. A lesão pode aparecer em qualquer área da pele ou mucosa.13. indurado e elevado e coberto por crosta. A EXÉRESE é o tratamento de escolha. Outro aspecto freqüente é o de ASPECTO VEGETANTE. O tipo mais comum consiste de ulceração superficial. disseminação hematogênica. – MELANOMA MALIGNO . 14. mas em todos os casos pode-se sentir uma induração. TÍMIDA ou ULCERADA. ocasionalmente. É mais comumente observado nos lábios. Surge em pessoas após os 40 anos de idade e. . A maioria dos melanomas são lesões solitárias. língua. A lesão pode ser VERRUGOSA. raramente. associada à imunoquimioterapia. ânus. em geral.Tem origem nos melanócitos epidérmicos. A primeira evidência clínica da malignidade é a induração. mais tardiamente que o epitelioma basocelular.

de aspecto pseudo-vesiculoso.QUERATODERMIA CLIMATÉRICA . São encontradas freqüentemente em torno dos olhos e pavilhão auricular. muito dolorosas. freqüentemente à luz solar intensa por períodos longos. observam-se cistos de conteúdo córneo produzidos pela transformação do folículo pilosebáceo. em geral. na face e no dorso das mãos. soluções antisépticas e ceratolíticos. 16. As lesões são de cor amarelada. Geralmente são bilaterais e simétricas. estando sujeitas a infecção secundária.Encontra-se em mulheres após a menopausa. após a terceira década e em indivíduos que se expõem. peroladas. localizadas. . As lesões são papulosas. O sol. . quase sempre. Histologicamente. 17. Há degeneração das fibras elásticas da derme superior e o colágeno encontra-se alterado.ELASTEIDOSE NODULAR – É mais freqüente em homem do que em mulher. translúcidas. salientes. de cor amarelopardacento. Esta alteração é chamada também de elasteidose cística e comedônica ‘FAVRE RACOUCHAT”. hiperceratose mais acentuada nos pontos de pressão onde se encontram placas duras e fissuradas. corrigir a insuficiência hormonal. o vento. Há espessamento da pele. O tratamento local faz-se com banhos emolientes. Surge após os 50 anos. . contornando os bordos da região palmoplantar. . pele seborréica são alguns dos fatores que favorecem o seu aparecimento.15. Quando necessário. Tem a configuração de ferradura. o frio. pontilhadas de cistos e comedões delimitados por pregas ou sulcos.MILIUM COLÓIDE ou PSEUDOMILIUM COLÓIDE – A degeneração colóide ocorre.

glossite e estomatite leucoplástica). bochechas. . passando em seguida por um período estacionário. um estudo 20. lábios. brilhante. fica em seu lugar leve cicatriz deprimida. tornando-se.18. Leucoma. Placas brancas dos fumantes. exceto na superfície superior. . 19. que ao ser destacada deixa descoberto fundo áspero papilomatoso. no prepúcio e na glande. em média. A lesão é lisa. Ceratose da Mucosa Bucal. mais freqüentemente na língua. Estas lesões são consideradas como pré-cancerosas. nas mãos. cuja base é rodeada por um halo rosado e é mais larga que a extremidade livre.CORNO CUTÂNEO – É uma formação córnea de cor da pele.CERATOACONTOMA – Tumoração hemisférica de crescimento rápido e tamanho variável. Psoríase Bucal. São lesões em placas brancas ou branco róseo que se localizam na mucosa e semimucosa. leucoqueratose. Sobre ela podem ser vistas telangiectasias. A lesão encontra-se geralmente encoberta pela pele normal. fazendo-se anatomopatológico minucioso da peça extraída. firme e indolor. O crescimento da lesão é muito rápido. pois estão sujeitas à degeneração carcinomatosa. onde se observa escama aderente. após a décima oitava semana. . para desaparecer espontaneamente. Com freqüência é encontrado no couro cabeludo. muito bem delimitada. então. Com a involução da lesão. Glossoestomatite superficial epitelial. encurvada como um chifre de carneiro.LEUCOPLASIA ( Sinônimos: Placas brancas da boca. . rebordo alveolar ou ao nível da mucosa comissural na porção interna próxima à bochecha. Deve ser retirada cirurgicamente. A lesão pode atingir dimensões variáveis. levemente deprimida.

. – ENFERMIDADE DE BOWEN – Pode aparecer em qualquer área da pele e caracteriza-se por lesão única ou múltipla. 21. de limites nítidos. Inicialmente surgem manchas eritematosas ou pardacentas. Freqüentemente. Localiza-se na porção média do lábio inferior. com superfície lisa e brilhante. Pode haver confluência de várias lesões. de superfície escamosa e crescimento muito lento. Ocorre principalmente em fumantes. tendendo à vegetação. há início de cancerização. O tratamento da doença de Bowen pode ser feito mediante retirada cirúrgica ou eletrocirúrgica. Nesse estágio há enfartamento ganglionar regional e pode ocorrer metástase visceral. QUEILITE ABRASIVA PRÉ-CANCEROSA ( MANGANOTTI 1934) . A evolução da lesão é lenta e está sujeita a constantes recidivas. Em sua evolução passa por três (03) períodos: a) Fase Inicial ou Eritematosa. 22. seja medicamentoso (licor de Fowler) ou em conseqüência de águas que contêm quantidade superior às taxas consideradas normais. Sua transformação em epitelioma epidermóide é freqüente.A afecção é cancerizável ou definidamente um carcinoma “in sito”. Não há sintomas subjetivos. b) Fase de Leucoplasia e c) Fase final ou Carcinomatose. onde pode ser observada uma lesão erosiva não infiltrada. sobretudo em fumantes. A faixa etária dos pacientes portadores da doença de Bowen é acima dos 50 anos. Quando no interior das placas aparecem ulcerações cobertas por crostas ou áreas erosadas.Afecção própria de pacientes idosos entre 50 e 70 anos. formando uma única lesão de configuração policíclica. a enfermidade de Bowen está associada à ceratose arsenical ou surge em pacientes com antecedentes de ingestão prolongada de arsênico. após longos anos de tabagismo.

simultaneamente ou não. a lesão infiltra-se. tem evolução crônica e pode ser confundida com o eczema ou com as micoses. couro cabeludo. que pode ulcerar. As vezes há prurido. mucosa bucal e nasal. a invasão ganglionar. de acordo com a topografia: uma FORMA MAMÁRIA e outra EXTRA-MAMÁRIA. centro disceratótico. de contorno nítido. genitália masculina. pré-micotica ou inespecífica e uma fase infiltrativa. Após um período variável de evolução. . pleura. Metástase visceral para fígado. Raramente aparece na raça negra.É um retículo-blastoma que se observa com relativa freqüência após a quarta década da vida. ossos. iniciando-se por mancha vermelha granulosa com áreas erosadas ou exulceradas. Seu curso clínico compreende um fase pré-fungosa. tórpida e fatal a longo prazo. dor e hemorragia. axilas. pulmão. . região anal. com ou sem erosão e retração progressiva do mamilo que se apaga e é substituído por mancha de consistência fibrosa.DOENÇA DE PAGET – A enfermidade de Paget é descrita sob duas formas.23. supra-renal. o quadro é semelhante à forma mamaria. peritônio. O quadro é de evolução crônica. superficial ou profunda. tumoral. Normalmente a lesão é única. com fina orla escamosa e arciforme (face eczematosa).LINFOMAS DA PELE a) MICOSE FUNGOIDE . 24. A forma extramamária da enfermidade de Paget. sobretudo quando se localiza na região inguinal. Com a invasão cutânea pode verificar-se. Clínica e histologicamente. tem origens nos territórios de glândulas apócrinas como a vulva. assume um aspecto de placa indurada com bordos nítidos. . pontilhadas por ilhotas epidérmicas de cor rósea. eritemato-crostoso. cérebro e bexiga pode ocorrer. A forma mamaria é geralmente unilateral. umbigo.

c) LINFOMA FOLICULAR GIGANTE – É uma lesão pouco freqüente . Após esse período aparecem lesões tumorais nodulares. predomina o polimorfismo b) SÍNDROME DE SEZARY ou INFILTRAÇÃO LINFÓCITARIA DA PELE Surge em indivíduos após os 50 anos e caracteriza-se por eritrodermia e linfadenopatia superficial. aproximadamente. Os nódulos têm aspecto de “cogumelo “ ou “tomate “. infiltradas. Simula várias dermatoses. Na fase infiltrativa celular. A imagem histológica deste período é de uma dermatite crônica inespecífica. como parapsoríase. Na pele podem ser vistas lesões em placa eritematoviolácea. e tumoral. eczematide e dermatofitose. em forma de U. eczema. A faixa etária dos pacientes varia de 40 aos 50 anos. não tem predileção racial e ataca mais o sexo masculino. o paciente apresenta prurido persistente. no sangue periférico e nos glânglios encontram-se histiócitos muito grandes com núcleo cerebriforme. O prurido é generalizado e persistente. A doença não oferece boa resposta ao tratamento e a morte ocorre após 3 a 5 anos. O paciente apresenta estado geral bom por longo período. com estreita faixa de citoplasma vacuolado. mamelonadas ou lisas. Há alopecia difusa e hiperceratose palmoplantar. Na pele. sem nucléolo. de bordos circinados. placas eritemato-escamosas. com contorno bem definido. não aderidos aos planos. áreas de eritema. Os gânglios são indolores. de consistência firme. As lesões geralmente se localizam na face. Ocorrem episódios de calafrios e ardor. A pele apresenta-se de cor vermelho vivo. de cor vermelha ou violácea. intensamente infiltrada e edemaciada. O tratamento é feito pela radioterapia ou emprego de citostáticos. as chamadas células de Sezary. O prurido é intenso. com erupções variadas.No primeiro período ou inespecífico. . Essa fase é insidiosa.

. que ocorre em crianças e adultos. genitália externa. Com a evolução pode ocupar todo o corpo. Tem elevado grau de malignidade. Muitas vezes a vida do paciente depende da precocidade do tratamento. O câncer interno é 5 vezes mais freqüente em adulto com dermatomiosite do que em adultos de população normal. O quadro clínico inicia-se por dor e fraqueza muscular e pela presença de eritema de cor azul arroxeado na região periorbitária. 25. Com cardioterapia. b) . Clinicamente se observam lesões bem delimitadas. hiperpigmentadas e hiperceratósicas. – DERMATOSES PARANEOPLÁSICAS – São aquelas relacionadas com o câncer visceral. O conhecimento das dermatoses paraneoplásicas serve como orientação valiosa na descoberta precoce de um tumor interno que venha evoluindo silenciosamente. quimioterapia e tratamento cirúrgico pode haver involução completa das lesões.DERMATOMIOSITE – É uma doença do tecido conectivo. região periumbilical e mamaria. As dermatoses paraneoplásicas são: a) – ACANTOSE NIGRICANS MALIGNA – São lesões papilomatosas. Tem curso benigno. Podem surgir anunciando a presença da neoplasia ou aparecer durante a evolução do câncer. Localiza-se preferentemente na face e região superior do tronco. em placa ligeiramente elevada e eritematose. localizadas especialmente nas axilas. assintomáticas.d) INFILTRAÇÃO LINFOCÍTICA DA PELE ou INFILTRADO LINFOCÍTICO DE JESSNER – Incide com maior freqüência em homens após os 40 anos. regride com ou sem tratamento. Em 100% dos casos há associação com lesão visceral. No adulto pode estar associada a neoplasia visceral.

As áreas correspondentes apresentam-se internamente eritematosas. internamente pruriginosa. ERITEMA MULTIFORME – Lesões como: eritemas. Aparece no curso de câncer digestivo ou respiratório. rarefação pilosa. Hiperceratose palmar e plantar. DERMATITE DE DUHRING – É uma afecção onde se concentram vesículas e bolhas sobre base eritematosa. Podem vir associadas ao câncer interno ou surgir durante o tratamento radioterápico de tumores malignos. marcada por sulcos. . bolhas. f.c) . Há prurido e lenca-menodermia.ESTADO ICTIOSIFORME ADQUIRIDO – A pele tornase seca.TROMBOFLEBITE MIGRANTE – Geralmente as veias são afetadas. vesículas e pápulas acometem a pele e as mucosas. As lesões são em placas recobertas por escamas aderentes. d) . edemaciadas e dolorosas.ACROQUERATOSE DE BAZEK ou DERMATOSE PSORIASIFORME ACROMEGÁLICA – Predomina nos membros. e) . recoberta por escamas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->