Você está na página 1de 1

Raa e cultura em Casa Grande & Senzala Larreta e Giucci O artigo sobre a obra de Freyre centrado na discusso de como

mo o autor de Casa Grande & Senzala concebe e distingue os conceitos de raa e cultura. Os autores atribuem influncia de Boas na trajetria intelectual de Freyre um papel fundamental na formao do relativismo cultural de Freyre. Larreta e Giucci apontam a relativizao atribuda ao papel da raa na obra de Freyre, o que d lugar para uma interpretao do Brasil mais centrada num critrio histrico-cultural. Nesse sentido, a questo racial no est ausente em Freyre, mas aparece sob uma nova perspectiva influenciada pela viso lamarckiana de transmisso de caracteres adquiridos. Freyre reafirmava, segundo o artigo consta, a possibilidade de modificaes raciais em interao com o ambiente, sugerindo a formao de novas raas histricas. Freyre incorpora tambm a ideia de conscincia racial de Boas, que consiste numa crtica diferena hereditria entre raas, colocando em seu lugar que as categorizaes de grupos de acordo com seus caracteres e comportamentos no so de raiz biolgica, mas sim social e cultural. Logo, os autores explicitam no artigo o carter social das diferenciaes raciais que constituem a linha de raciocnio de Freyre na seguinte passagem: A formao de grupos raciais deve ser entendida sobre bases sociais. Do ponto de vista social, numa comunidade que compreende dois tipos claramente diferenciados, a aparncia um signo de pertencimento ao grupo. As anlises de Freyre no excluem o conceito biolgico de raa, apenas enfatizam os efeitos da interao social na vida cotidiana e da miscigenao. Portanto, Freyre indica em sua obra que as zonas de interao de grupos sociais diferentes atenua a segregao. Tal zona de interao seria, segundo Freyre, maior na sociedade portuguesa e na colnia devido a caractersticas culturais do lusitano. Nesse sentido, os autores destacam para finalizar que a preocupao de Freyre em Casa Grande & Senzala criticar o fixismo biolgico e destacar aspectos plsticos e flexveis do meio.* *O texto de DaMatta vem a combater no a crtica de Freyre ao fixismo biolgico, mas os aspectos flexveis do meio. Onde Freyre identifica plasticidade, DaMatta reconhece uma rgida hierarquia que justificada por argumentos do racismo cientfico.