P. 1
SLIDE - Semana de Arte Moderna

SLIDE - Semana de Arte Moderna

|Views: 1.651|Likes:
Publicado porbrucintra

More info:

Published by: brucintra on Oct 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/27/2013

pdf

text

original

Semana de Arte Moderna

Brasil

Revista Klaxon – a principal revista do modernismo

“Viu a realidade pelo lado de dentro, com seu embuste, sua fraude, seu artifício; viu, também, o lado de fora: a reverência, o respeito, a genuflexão. Esse contraste fez nascer a flor clara e trêmula de um sorriso.”

As propostas e realizações da Semana de Arte Moderna
...e a Semana de Arte Moderna chacoalhou tanto a arte brasileira que ela nunca mais foi a mesma!  Em fevereiro de 1922, os jovens artistas,
atrevidos e intelectuais da Semana de Arte Moderna, foram defender seu caldeirão de ideias em ebulição no campo do “adversário”, em pleno Teatro Municipal de São Paulo.

 As propostas modernistas: “A emoção estética na arte moderna”, de Graça Aranha, e “A pintura e a escultura moderna no Brasil”, por Ronald de Carvalho – 1º dia;

 Ambos tinham função de legitimar a .  Graça Aranha estratégica. no Teatro Municipal. tinha uma posição  Já Menotti não era tão bom interprete das premissas revolucionarias.As ideias de Graça Aranha e Menotti Del Picchia  Foram os principais apresentadores da Semana de Arte Moderna.

ao tentar desvincular-se do futurismo. A querela passadistas x modernistas e a rejeição das escolas. . se comparadas à época.  Aranha tem propostas velhas. em relação às correntes do inicio do século à que os modernistas se vincularam. utiliza repertório modernista e acaba por opor o velho do novo. Menotti.  Aranha e Menotti eram fortes o suficiente para resistir à atualização que a semana propunha.

não leva em conta os avanços para a livre expressão. “esculturas absurdas”.Graça Aranha  O problema é que Graça permanece nas origens. Para ele. “poesia aerea e . “música alucinada”. a arte apresentada na Semana de Arte Moderna são consideradas: “pinturas extravagantes”.

Arquitetura – Antonio O desenhista e arquiteto Antonio Moya nasceu na Moya cidade Atarfe. sócio de Moya. Moya apresentou 18 trabalhos durante a Semana de Arte Moderna de 1922. abusava da imaginação. Guilherme Malfatti. Espanha. Monument o Residência . com 4 anos. Granada. dizia que o trabalho apresentado pelo arquiteto não correspondia à realidade. Formado pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. fator este que fez com que nenhum de seus projetos apresentados fosse realizado. porém foi para o Brasil ainda criança.

Participou da Semana de Arte Moderna de 1922. Estilisticamente. filiou-se à arquitetura eclética. Chegou ao Brasil em 1912 ou 1913. Przyrembel nasceu na Silésia. estabelecendo-se em São Paulo. Taperinha na praia grande .Georg Przyrembel Georg Przyrembel (1885-1956) foi um arquiteto polonês de destacada atuação no Brasil. atual Polônia. e estudou arquitetura na Alemanha. na qual apresentou projetos em estilo neocolonial.Arquitetura .

Pietá Cabeça de Mulher Ídolo . Além de modelagem. na Itália Brecheret começou sua formação artística no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Brecheret estudou entalhe em madeira e desenho. Província de Viterbo.Escultura .Vittorio Brecheret Vittorio Brecheret nasceu em 1894 na localidade Farnese.

na Itália Brecheret começou sua formação artística no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Província de Viterbo.Escultura . Pietá Cabeça de Mulher Ídolo .Vittorio Brecheret Vittorio Brecheret nasceu em 1894 na localidade Farnese. Brecheret estudou entalhe em madeira e desenho. Além de modelagem.

o maior escultor figurativo do século XX no Brasil.  A Abstração iria se desenvolver nas décadas seguintes. Vicente do Rego Monteiro.  A Interpretação é a que se exercia ou se buscava. Foi através dela que se efetuou a ruptura com o Realismo/Naturalismo e é nela que se inclui Anita Malfatti que apresentou o maior numero de obras. sendo três delas expostas na exposição de 1917.  O Realismo representava a arte acadêmica que os modernistas combatiam. Realismo. Interpretação e Abstração.  Dois únicos escultores estiveram presentes na amostra. assim como Victor Brecheret.Os principais artistas plásticos que participaram da Semana foram os pintores Anita Malfatti. John Graz e Emiliano Di Cavalcanti. também representada no . Wilhelm Haarberg e Victor Brecheret. Os Artistas Plásticos Foram expostas varias tendências entre elas três conseguiram maior destaque. mas em 1922 ainda não havia adeptos.  Quanto à arquitetura.

Anita Malfatti A Estudante Russa O Homem Amarelo O Japonês A ventania .

A mulher dos .Anita Malfatti Anita Catarina Malfatti. em 1896. após curto estágio em Dresden. nasceu em São Paulo. pintora amadora. e seus primeiros estudos artísticos foram orientados pela mãe. Em 1912 foi enviada para a Alemanha. a fim de cursar a Academia de Belas-Artes de Berlim.

Entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 idealiza e organiza a Semana de Arte Moderna no Teatro Municipal de São Paulo. Possível autor da iniciativa de 1922. em 6 de setembro de 1897 foi um pintor. . desenhista.Di Cavalcanti. criando para essa ocasião as peças promocionais do evento: catálogo e programa. nasceu no Rio de Janeiro.Di Cavalcanti Emiliano Augusto Cavalcanti de Albuquerque Melo . ilustrador e caricaturista brasileiro.

(Rio de Janeiro).Nasceu em Recife. 19 de dezembro de 1899 e morreu em 5 de junho de 1970. em 1908. desenhista. Vicente do Rego Monteiro . Em 1920 expôs algumas obras em São Paulo. conhecendo o grupo de modernistas da cidade e abrindo caminho para a exposição de 8 obras suas na Semana de Arte Moderna de 1922. enfatizando temas nacionais. Iniciou seus estudos artísticos na Escola Nacional de Belas Artes. professor e poeta brasileiro. Foi um pintor.

Entretanto não é este necessariamente o vínculo de Villa-Lobos que embora tivesse aceitado a dissonância e a técnica estrangeira. a movimentação geral da cultura europeia.A música erudita no Brasil acompanha. sendo Debussy de maior importância. junto com as demais artes. Segundo José Miguel Vinisk. que os modernistas brasileiros encontravam seu ponto de referência. Blanchet e Vallon. os compositores estrangeiros que se encontravam na fonte da música moderna eram Debussy. sendo um dos A Música . Mas é em: O Grupo dos Seis e em Stravinski. submeteu repertório popular brasileiro.

que por outro lado era identificada à música pura. temática e patriótica (que foi classificada por Oswald como “horrível”) e da música moderna. ou segundo Mário de Andrade “arte de pensar sem conceitos.Heitor Villa-Lobos No Municipal Villa-Lobos apresentou composições de 1914 à 1921. . por meio de sons”. matrizes de sua evolução posterior que o fariam um compositor apreciado em todo o mundo. Seu repertório continha elementos da música romântica que era descritiva.

.Heitor Villa-Lobos Heitor Villa-Lobos foi um dos participantes mais importantes e atuantes da Semana de Arte Moderna de 1922.

A Escrava que não é Isaura (1922-1924) é uma espécie de manifesto que em sua globalidade é um texto "mais sério" do que o Prefácio Interessantíssimo. Aproxima-se mais de um ensaio. durante o intervalo. Mário ajudou a preparar a Semana de Arte Moderna. Constitui-se por uma parábola: primeira parte. segunda parte e posfácio. em pé na escadaria do Teatro Municipal.Poetas – Mário de Andrade Junto com Oswald e outros intelectuais. No segundo dia de espetáculos. reagiu com vaias. O público. . despreparado para a ousadia. leu algumas páginas de seu livro de ensaios "A Escrava Que Não É Isaura". Tem por subtítulo "discurso sobre algumas tendências da poesia Moderna".

A luz os deslumbra. lido por de Carvalho. provocou reações radicais na segunda noite do acontecimento.. Ele criticava indiretamente o Parnasianismo.] Brada em um assomo O sapo-tanoeiro: . Os Sapos – Manuel Bandeira Enfunando os papos.. O poema “Os Sapos” contém uma crítica ao poema Profissão de Fé – de Olavo Bilac. Bandeira Ronald mas seu poema "Os Sapos“. Aos pulos. principalmente Olavo Bilac.Poetas – Manuel Não participou diretamente da Semana de 22. . Saem da penumbra. os sapos.A grande arte é como Lavor de joalheiro. [.

como o elemento mais rebelde do grupo. tornando-se um dos grandes nomes do modernismo literário brasileiro. Foi considerado.Poetas – Oswald de Foi um dos promotores da Semana de Arte Andrade Moderna que ocorreu 1922 em São Paulo. foi o autor dos dois mais importantes manifestos modernistas: o Manifesto da Poesia PauBrasil e o Manifesto Antropófago. pela crítica. Um dos mais importantes introdutores do Modernismo no Brasil.Brasil. “Não sabemos o que queremos.” Frase que resume o espírito modernista. Pau. dita por Oswald de . bem como do primeiro livro de poemas do modernismo brasileiro afastado de toda a eloquência romântica. Mas sabemos o que não queremos. sendo o mais inovador entre estes.

Mário de Andrade e outros jovens artistas e escritores paulistas. . 1920 e 1940. Foi um dos mais combativos militantes da estética modernista. além de diversos outros jornais e revistas. Com Oswald de Andrade. participou da Semana de Arte Moderna em fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo.Poetas – Menotti Del Picchia entre Foi diretor de A Noite e A Cigarra.

a qual continha características neoclássicas. . a principal revista dos modernistas. jornalista e ensaísta. Ele era poeta.Poetas – Guilherme de Almeida Guilherme de Almeida foi um dos promotores da Semana de Arte Moderna de 1922. com a obra Nós . tradutor. Foi fundador da Klaxon .

 O mesmo aconteceu com Os sapos. o que Paulo Prado gritava da primeira fila da platéia. revelaram-se "algumas vocações de terra-nova e galinha d'angola muito aproveitáveis". inclusive a Ode ao burguês. de Manuel Bandeira. que criticava o parnasianismo.  Oswald de Andrade debochou do fato. a vaia era tão grande que não se ouvia. . gente latindo como cachorro ou cantando como galo. enquanto Menotti Del Picchia expunha as linhas e objetivos do movimento e Mário de Andrade recitava sua Paulicéia desvairada. naquela ocasião. afirmando que.Poetas – Curiosidades  Na segunda noite da Semana de Arte Moderna. Sob um coro de relinchos e miados. Sérgio Milliet nem conseguiu falar. do palco.

apesar de considerados fracassos. grotesca. exagerada.  Linguagem: estereotipada. foram importantes ao buscar novos rumos para a narrativa moderna. . recitou a prosa de ficção.A Prosa  Oswald de Andrade com a obra Alma.  Os livros de prosa de Oswald de Andrade: “Memória Sentimentais de João Miramar” e “Serafim Ponte Grande”.

A Prosa .

Cinema e Danças  O modelo cinematográfico modernistas estava na Europa.  A dança também não teve grande representatividade no período. dos  O cinema não se fez representar no municipal. .

seja através do contato direto. de Victor Brecheret. Luta de Índios. seja através de publicações estrangeiras e informações de terceiros.Considerações Finais A formação europeia foi um fator comum entre a maioria dos artistas brasileiros. .

ao mesmo tempo. ela mostrava indivíduos identificados a realidades sensíveis diferentes: Anita Malfatti.  Os modernistas falaram de tudo que os rodeava: o desejo de atuação.  A polêmica passadista versus modernista não era uma mera questão estratégica.  Os modernistas queriam combater as fórmulas importadas das artes acadêmicas com as fórmulas igualmente importadas das novas correntes estéticas. . configurando uma nova estética. voltaram-se para o cotidiano. conservando assim uma relação de significação com a realidade presente .Considerações Finais  As chamadas “vanguardas históricas” originadas da Europa no século XX deram origem ao Modernismo Paulistano.

 1922 foi um acontecimentos.  No século XX. .Considerações Finais  Somente no final da década de 20 os modernistas se deixam explicitamente pela ideologia. ano de influenciar grandes  Os modernistas de 22 compartilhavam de uma ingênua crença no progresso. São Paulo passava por um período de incrível desenvolvimento.

a atualização da inteligência artística brasileira e a estabilização de uma consciência criadora nacional. modernista depois da semana de arte moderna – é o momento em que se põem em prática as propostas e começam a experimentá-las.  Fusão dos princípios fundamentais para a realidade que o movimento impôs: O direito permanente à pesquisa estética. . Construção e Período estabilização construtivo do movimento  Campanha intensa de divulgação de novas ideias através revistas.

 Novas tendências surgem e no final da década de 60.Construção e estabilização  Modernismo foi se tornando aos poucos fenômeno nacional. o modernismo ressurge com força – Modernismo se estabiliza.  Fase nacionalista do movimento – momento em que o modernismo fica abalado. .

Floresceu no século XX e caracteriza-se pela diversidade das suas formas de expressão.  Movimento: Supõe ruptura da tradição e polêmica.Vocabulário Crítico  Escola: Regras a serem reproduzidas e ensinadas.  Modernismo: Movimento moderno organizado. representa uma ameaça à ordem .  Moderno: Oposição aos códigos antigos. mantém uma relação de significação com o presente.  Estética: Manifestação da beleza na arte. erigem uma tradição à qual os discípulos darão continuidade.

Vídeo Semana de Arte Moderna .

Andressa Laisna Coek Batista Acadêmicas Ângela Maria Pereira Bruna Ramos Cintra Isabela Campiolo Lembi Joice Silvana Pereira Juliana Coitinho Mayara Cardeal Calcagni Leila de Sousa Althaus Lucilene Valeriano Alves .

..989. 30.248397..08 #000 .3.07. :../0$4:8.4934 . 8.2544 02- 4..-0. #03.7./020/.989...7.8 3/7088..!0707.#.7/0. 7:3.9.7. 40 .!0707.3 0.030 './H2.3..0$..:8 :.. .83.34..$:003 .9.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->