Ano Lectivo 2006/2007

Trabalho elaborado por: António Manuel Leitão dos Santos, Nº 7343 Luís Miguel Soares Martins, Nº 7654 Nuno Miguel Lopes de Jesus, Nº 7404

Pág. 1

Índice
1- Introdução 2- Integração do loteamento no local, visando o ponto de vista paisagístico, arquitectónico e social 3- Solução Proposta 4- Proposta de intervenção 4.1 - Estrutura Urbana 4.2 – Parcelamento 4.3- Infra-estruturas 4.3.1- Redes e Sistemas de Infra-estruturas 5- Morfologia das habitações 5.1- Morfologia das moradias unifamiliares e banda contínua 5.2. Morfologia da edificação colectiva 5.3- Áreas de construção e implantação 6- Morfologia dos espaços colectivos e verdes 6.1- Áreas de equipamentos colectivos e espaços verdes 6.2- Estacionamentos 6.2.1 - Estacionamentos em cave 7 - Nota Final Anexo 1 – Tabela Anexo 2 – Cálculos Anexo 3 – Imagens do Loteamento em 3D

Pág. 2

1- Introdução
A presente Memória Descritiva e Justificativa refere-se ao Projecto de Loteamento de um terreno situado na zona norte da Avenida da Bélgica, circundado por esta e pela radial norte, no concelho de Viseu (local referenciado no PDM do município de Viseu como pertencendo ao UOPG1). A área de loteamento encontra-se também sobre um Plano de Pormenor, concretamente o PP2 – Zona a norte da Avenida da Bélgica.

Figura 1 – Planta de localização do Loteamento (extraida da Carta Militar 1:25000 Nº 178, Série M2000; o local do loteamento está localizado com um circulo azul)

Pág. 3

2.Integração do loteamento no local. quer nas suas relações com a rede viária envolvente. que se integre plenamente nas seguintes directrizes: cércea. e 17 blocos multifamiliares. As tipologias dos espaços previstos.O Projecto de Loteamento é compatível com o conteúdo do PDM de Viseu e cumpre a legislação em vigor. Será ocupado por 49 lotes.º 1136/2001 de 25 de Setembro. qualidade e cor dos materiais. Descrição O terreno sobre o qual recai o presente estudo tem a área de 60000 m2. 20 são moradias isoladas. cada um com a sua respectiva área. nomeadamente a portaria n. seja ao nível das edificações são tidas como desejáveis para o local. quer em si mesmo. A nível social efectuou-se um estudo pormenorizado dos hábitos da população. arquitectónico e social Tendo como preocupação as características físicas do terreno e tipo de construção existente na região. estética. 4 . visando o ponto de vista paisagístico. 12 unifamiliares em banda. do comércio e das riquezas naturais da região de modo a que a população que lá irá habitar se integre e tenha uma melhor qualidade de vida. tendo as moradias Pág. procurou-se criar um loteamento. seja ao nível do espaço público. E também com uma distribuição percentual das diferentes ocupações propostas para o solo.

e sendo assim. Os acessos dos veículos. É definido na Planta de Ordenamento do P. com uma boa localização e exposição solar. estão garantidos.isoladas uma distribuição percentual de 40%. As áreas destinadas ás vias são de 8147 m2.M. excepto as moradias multifamiliares. Pág. O acesso ao loteamento será feito através de uma estrada exterior a este. tendo também estacionamentos assegurados na cave. Os espaços de utilização colectiva dividem-se em espaços verdes e equipamentos. serão feitos pela frente dos edifícios. Quanto aos espaços verdes. Os estacionamentos dos veículos são no exterior. baseando-se essencialmente no convívio (e também para que haja uma purificação do ar). as unifamiliares em banda de 25% e as moradias multifamiliares 35%. ao interior dos edifícios. do distrito de Viseu. a solução que se apresenta tem como base as previsões no Plano Director Municipal. nomeadamente no que diz respeito aos índices de construção. uma vez que a zona é dotada destas infra estruturas. rede de esgotos. estes destinam-se ao lazer. 5 . Relativamente aos espaços de equipamentos estes dividem-se em duas áreas: uma delas destinase a futuras instalações de um campo polidesportivo e a outra as futuras instalações de jardim-de-infância. estrada essa que se situa a noroeste do loteamento. que têm 4 pisos acima da cota de soleira e 1 piso abaixo. Os edifícios terão 2 pisos acima da cota de soleira e 1 piso abaixo. energia eléctrica e telefones. O abastecimento de água.D. É um terreno com características urbanas.

A proposta de ordenamento do sistema viário e pedonal tem como objectivo geral melhorar a circulação e acessibilidade à zona.1 . • Promove uma gestão criteriosa de recursos naturais salvaguardando os valores naturais e culturais da área do município. bem como proporcionar um espaço de lazer e convívio da população. 6 . garantindo a melhoria da qualidade de vida da população. 4. • Dota a urbanização de um conjunto de equipamentos que possibilite a ocupação de tempos livres de jovens e idosos e a prestação de serviços comunitários. Houve uma preocupação em aproveitar acessos já existentes no terreno.Estrutura Urbana A Proposta de Loteamento visa proporcionar uma área edificável que consolide o espaço urbano de Viseu.PROPOSTA DE INTERVENÇÃO 4.SOLUÇÃO PROPOSTA O Loteamento proposto satisfaz os objectivos do PDM de Viseu visto que: • Garante as condições necessárias para um desenvolvimento socio-económico equilibrado na medida em que irá encorajar a recuperação de zonas menos desenvolvidas. As medidas propostas visam: Pág. Existem ainda caminhos pedonais devidamente iluminados e arborizados que dão acesso aos estacionamentos e ás zonas de lazer e equipamentos.3 .

• 17 Lotes para a implantação de construções multifamiliares. essencialmente pedonais. O espaço “semi-privado” é constituído por vias de acesso às habitações (que permitem a circulação de automóveis. que permitam acolher os veículos que na situação actual estacionam em locais que provocam perturbações na vida e circulação urbanas. que melhorem a acessibilidade dos peões. Racionalizando a circulação e a utilização do espaço público da rua. Vias de distribuição Vias pedonais. permitindo a ligação entre os vários espaços através dos arruamentos existentes. 4.Parcelamento Em termos de parcelamento. em especial pelo recinto desportivo a céu aberto. Pág. propõe-se um total de 49 lotes: • 20 Lotes para implantação de moradias unifamiliares.2 .• Estruturar um sistema hierarquizado de vias que se definem como:    Vias estruturantes. mas que suportam também a função de espaço de convívio). • 12 Lotes para implantação de moradias unifamiliares em banda contínua. Os espaços não edificados no interior do quarteirão assumem um carácter “semi-privado”. pelos espaços verdes. • Introduzir novas vias. 7 . e também pelos equipamentos colectivos. • Criar zonas de estacionamento em áreas centrais devidamente tratadas.

Número total de lotes: 49 .54 m2/ha .Moradias em Banda Continua: 12 Frente do lote: 8 m Profundidade do lote: 27 m Frente da moradia: 8 m Profundidade da moradia: 14 m Recuos: Frente: 7 m Tardoz: 6 m Laterais: 0 m Área do lote: 216 m2 Pág.Moradias Unifamiliares Isoladas: 20 Frente do lote: 22 m Profundidade do lote: 25 m Frente da moradia: 12 m Profundidade da moradia: 14 m Recuos: Frente: 5 m Tardoz: 6 m Laterais: 5 m Área do lote: 550 m2 Área de construção: 336 m2 Número de pisos: 2 Tipologia: 4 frentes Densidade habitacional bruta: 16 fogos/ha Percentagem de ocupação do lote: 31% Índice bruto de construção: 0. 8 .

Área de construção: 224 m2 Número de pisos: 2 Tipologia: 2 frentes Densidade habitacional bruta: 35% Índice bruto de construção: 0.Blocos para habitação multifamiliar: 17 Frente do lote: 27 m Profundidade do lote: 38.79 m2/ha .86 m2/ha Pág.7 m Frente do bloco: 15 m Profundidade do bloco: 30 m Recuos: Frente: 2.7 m Tardoz: 6 m Laterais: 6 m Área do lote: 1045 m2 Área de construção: 1800 m2 Número de pisos: 4 Apartamentos por piso: 4 Tipologia: T3 Densidade habitacional bruta: 77% Índice bruto de construção: 0. 9 .

1. • Rede de drenagem de águas pluviais. e moradias em banda. Pág.Redes e Sistemas de Infra-estruturas As redes e sistemas de infra-estruturas são as que adiante se indicam: i) Rede Viária ii) Redes de infra-estruturas de saneamento básico • Rede de abastecimento de água. • Cerca de 35% dos fogos são oferecidos em edifícios de habitação colectiva. • Rede de drenagem de esgotos domésticos. utilizando para este efeito 30 % da área total. • As moradias unifamiliares encontram-se segundo duas tipologias: moradias isoladas. que representam 25% do total de fogos e 5 % da área total.Infra-estruturas 4.3.3. 4. 10 . que representam cerca de 40 % do total dos fogos e 18 % da área total.Área Total do Terreno Área Total de Lotes Espaços Verdes e de Utilização Colectiva Equipamentos Área de Estacionamentos Circulação Área (m2) 60000 31355 9788 10107 1840 6307 Tabela 1 – Síntese da distribuição das diversas ocupações.

2.Morfologia das habitações 5. • Rede de “TV por cabo”. 11 . v) Rede de distribuição de gás A concepção e execução destas redes e sistemas obedecerão ao legalmente estabelecido. iv) Sistemas de telecomunicações • Rede telefónica. apresentando assim um fogo por lote. satisfazendo as necessidades geradas pelo loteamento. 5. 5.1. mas ainda assim existem espaços verdes e de lazer em quantidade satisfatória. • Rede de baixa tensão.iii) Redes eléctricas • Rede de iluminação pública.Morfologia das moradias unifamiliares e banda contínua A área ocupada pelas moradias unifamiliares e em banda contínua é inferior á área de edificações colectivas. As moradias unifamiliares contemplam dois pisos habitáveis acima e outro abaixo da cota da soleira (cave). Morfologia da edificação colectiva Pág.

O arranjo exterior do condomínio contempla espaços de acesso e de lazer com pavimentos para circulação pedonal.Morfologia dos espaços colectivos e verdes 6. de modo a responder às necessidades pontuais e futuras da população.A edificação colectiva é composta por 17 lotes. 5.Áreas de equipamentos colectivos e espaços verdes Relativamente à área de cedência para equipamentos colectivos.3.Áreas de construção e implantação As áreas de construção e de implantação serão medidas pelo perímetro exterior das paredes. bem como espaços verdes.1. 12 . 6. considerando todos os pavimentos cobertos. Cada edifício é composto por quatro andares acima da cota da soleira com 4 fogos T3 por andar e um abaixo da mesma para garagens e arrumos. Os acessos ao condomínio são feitos através de uma entrada com circulação para o interior do mesmo. para que exista uma maior harmonia em toda a urbanização. foi considerada a implantação de um recinto desportivo a céu aberto e um infantário. tendo apenas um edifício por lote. Pág.

Moradias isoladas: 2 lugares por fogo.. A urbanização também é munida de vias interiores que dão acesso tanto às edificações urbanas bem como às moradias unifamiliares. Lisboa.Estacionamentos em cave Edifícios de habitação colectiva: 1.6. Moradias em banda: 2 lugares por fogo. Cabrita.Bibliografia  Coelho. Pág.2.Estacionamentos Existe um número de estacionamentos suficiente para as necessidades dos utilizadores do loteamento. António – Espaços exteriores em novas áreas residenciais – Arquitectura.1 . António B.5 lugares por fogo. perfazendo 12 lugares por bloco. 8. 6. 13 .2. Todas as edificações têm estacionamento assegurado na cave. em estrutura edificada enterrada (cave). sendo que as respectivas Obras de Urbanização satisfarão não só o mesmo como as boas regras de execução de Obras Públicas e de arranjo de espaços exterior. 7 – Nota final O presente Projecto de Loteamento cumpre a legislação e normativa em vigor. LNEC.

D.  Regulamento Geral das Edificações Urbanas Pág.R.I Série . 14 . de 19/12/1995 – Plano Director Municipal de Viseu.B. Resolução do conselho de Ministros n.º 555/99 de 16 de Dezembro – Regime Jurídico da Urbanização e da Edificação.º 173/95.  Decreto-Lei n. 1136/2001 de 25 de Setembro.  Portaria nº.

Anexo 1 – Tabela Lotes Área do Lote Área (A0) Moradias Unifamiliares Moradias Em Banda Continua Moradias Colectivas Nº De Tipo De Nº De Fogo s Nº Médio de Habitante s ΣAj Lugares De Garagem Andares Fogo 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 Lotes 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 550 168 216 112 216 112 216 112 216 112 216 112 216 112 216 112 216 112 216 112 Área do Lote Área (A0) X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X Moradias Unifamiliares Moradias Em Banda Continua Moradias Colectivas 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 Nº De T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 T2 Tipo De 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Nº De Fogo s 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 Nº Médio de Habitante s 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 336 224 224 224 224 224 224 224 224 224 ΣAj 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 2 Lugares De Garagem Andares Fogo 30 31 32 33 34 216 216 216 104 5 104 112 112 112 450 450 X X X X X Pág. 15 2 2 2 4 4 T2 T2 T2 T3 T3 1 1 1 16 16 4 4 4 51.2 224 224 224 180 0 180 2 2 2 32 32 .2 51.

2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 51.2 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 180 0 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 32 Pág.2 51.2 51.2 51.35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 104 5 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 450 X X X X X X X X X X X X X X X 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 4 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 T3 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 16 51.2 51. 16 .

31 = ⇔ Slote = 550 m 2 Slote Slote Área do logradouro privado (Slog) Slog = Slote – A0 = 382 [m2] Área máxima de construção (∑aj) nm = ∑Aj ⇔∑Aj = nm x A0 ⇔ A0 nm = 2 pisos ⇔ ∑ j = 168 [m2] x 2 ⇔ A = 336 [m2] Cedências Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 2 lugares/fogo  0. 17 .2 x 2 x 20 [m2/fogo] = 8 [m2/fogo] Pág.Anexo 2 – Cálculos LOTES CORRESPONDENTES A MORADIAS UNIFAMILIARES: Plote=31% Área de implantação da construção (A0) Ao=12*14=168 m2 Superfície do lote: Plote = Ao 168 ⇔ 0.

18 .Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 8 [m2/fogo] Slote= 550 [m2/fogo] ___________________ ∑ = 621 [m2/fogo] Índice bruto de construção (ib) ib = = = A ∑ Sb j ∑Aj Slote +Sced 336 621 = 0.54 Densidade habitacional bruta Db = F / Sb [fogos/ha] = 16 [fogos/ha] Superfície líquida Sl = S(lote+ced)*nºlotes = 621*20 = 12420 [m2] Pág.

19 .LOTES CORRESPONDENTES A MORADIAS UNIFAMILIARES EM BANDA CONTÍNUA Plote=52% Área de implantação da construção (A0) Ao=8*14=112 m2 Superfície do lote: Plote = Ao 112 ⇔ 0.2 x 1 x 20 [m2] = 4 [m2/fogo] Assegurados Por Cave Pág.52 = ⇔ Slote = 216 m 2 Slote Slote Área do logradouro privado (Slog) Slog = Slote – A0 = 216 [m2] – 112 [m2] =104 [m2] Área máxima de construção (∑Aj) nm = ∑A A0 j ⇔∑Aj = nm x A0 nm = 2 pisos ∑ j A =224 [m2] = 112 [m2] x 2 Cedências Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 1 lugar/fogo  0.

Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 4 [m2/fogo] Slote= 216 [m2/fogo] ___________________ ∑ = 283 [m2/fogo] Índice bruto de construção (ib) ib = = = A ∑ Sb j j Slote +Sced 224 283 ∑A = 0. 20 .79 Densidade habitacional bruta Db = F / Sb = 35 [fogos/ha] Superfície líquida Sl = S(lote+ced)*nºlotes = 283*12 = 3396 [m2] Pág.

31 = ⇔ Slote = 550 m 2 Slote Slote Área do logradouro privado (Slog) Slog = Slote – A0 = 382 [m2] Área máxima de construção (∑aj) nm = ∑Aj ⇔∑Aj = nm x A0 ⇔ A0 nm = 2 pisos ⇔ ∑ j = 168 [m2] x 2 ⇔ A = 336 [m2] Cedências Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 2 lugares/fogo  0. 21 .LOTES CORRESPONDENTES A MORADIAS UNIFAMILIARES: Plote=31% Área de implantação da construção (A0) Ao=12*14=168 m2 Superfície do lote: Plote = Ao 168 ⇔ 0.2 x 2 x 20 [m2/fogo] = 8 [m2/fogo] Sver = 28 [m2/fogo] Seq = 35 [m2/fogo] Sest = 8 [m2/fogo] Pág.

54 Densidade habitacional bruta Db = F / Sb [fogos/ha] = 16 [fogos/ha] Superfície líquida Sl = S(lote+ced)*nºlotes = 621*20 = 12420 [m2] Pág.Slote= 550 [m2/fogo] ___________________ ∑ = 621 [m2/fogo] Índice bruto de construção (ib) ib = = = ∑ j A Sb ∑Aj Slote +Sced 336 621 = 0. 22 .

1 x 60000 = 6000 [m2] Sb = A0 + Slog + Sarr + Seq Slote 60000= Slote + 6000 + Seq 54000= Slote + Seq 54000=283x0.35(Nl) Nl = 49 lotes Pág.CÁLCULOS FINAIS: Cálculo do número total de lotes por tipologia (1ª fase) Superfície de arruamentos (valor teórico) Sarr = 0.4(Nl)+2086x0.1 x Sb = 0.25(Nl)+621x0. 23 .

Anexo 3 – Imagens do loteamento em 3D Pág. 24 .

Pág. 25 .

Pág. 26 .

27 .Pág.

Pág. 28 .

29 .Pág.

30 .Pág.

Pág. 31 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful