72 Julho 2010 Distribuição gratuita Director: Francisco Leite

VILA DA MADALENA

As Obras Continuam
Concluída a requalificação da Rua do Choupelo e da Urbanização José Domingues Poças, iniciaram-se as obras de instalação de colector de águas pluviais na Rua do Crasto, o que implicará a requalificação da referida rua até ao Ribeiro da Madalena, cujos trabalhos ficarão concluídos, em meados de Setembro. De seguida, iniciar-se-ão as obras na Rua António Francisco de Sousa, no troço compreendido entre a Rua Orfeão da Madalena e o Largo da Cabine. Está pedido aos STCP que seja efectuado um serviço de transbordo no início e no fim do referido troço, durante o período das obras. Pedimos a melhor compreensão para os transtornos causados.

Procissão de Velas
Realizou-se no passado dia 29 de Maio a procissão de velas em honra de Nossa Senhora de Fátima que partiu pelas 21h e 15m da igreja de Nossa Senhora de Fátima (Capela) em direcção à igreja paroquial de Santa M.ª Madalena atravessando sucessivamente os lugares do Maninho, Aguim, Bocas, Orfeão, Costa, Ateães e Marmoiral tendo chegado á igreja paroquial pelas 23h 30m. Foi uma rara demonstração de fé que já não se fazia desde os anos 50 do século passado no tempo do padre António da Fonseca Soares. Na caminhada, em que se rezou e meditou o terço, participaram cerca de 600 pessoas o que estava fora das mais optimistas previsões da organização. Cada lugar organizou-se, acolheu e viveu de forma muito especial este acontecimento desde o profundo silêncio à passagem da procissão, às criativas iluminações com velas, às colchas nas janelas, aos quadros vivos... uma surpresa para muitos... com certeza será para repetir...

Comemorações Do Sonho do 25 de Abril à Realidade
Página 4

Última Página

Festas de St.ª M.ª Madalena e Senhora da Hora
“Madalena na Onda”

Os Nossos Seniores em Convívio
Última Página

Página 4

Festival de Verão
Página 5

noticiasdamadalena@jf-madalena.pt

2010

2 07

ACTIVIDADES e INFORMAÇÕES da AUTARQUIA
VILA DA MADALENA

Assembleia de Freguesia
Alfredo Napoleão Caro(a) Madalenense: É com enorme prazer que tenho a oportunidade de me dirigir a si pela segunda vez, como Presidente da Assembleia de Freguesia. Fiel aos meus princípios e aos meus ideais, pretendo manter a mesma linha editorial já iniciada no último “Notícias da Madalena”, de forma a manter informada toda a população Madalenense. Desde a última Sessão Extraordinária que se realizou a 8 de Março do corrente ano, (data essa talvez, digna de comemoração, num futuro próximo, quem sabe), tiveram lugar duas Sessões Ordinárias de que seguidamente vos darei conta, focalizando principalmente os aspectos mais relevantes. Assim, realizou-se a 30 de Abril de 2010, uma Sessão Ordinária, cuja Ordem de Trabalhos se dá a conhecer: 1 Período de Intervenção do Público. 2 Período Antes da Ordem do Dia. 3 Período da Ordem do Dia. 3.1 Leitura, análise e votação da Acta da Sessão anterior. 3.2 Análise, discussão e votação das Contas de Gerência do ano de 2009. 3.3 Análise discussão e votação do Relatório de Actividades do ano de 2009. 3.4 Análise, discussão e votação de proposta do Executivo para aprovação do novo Regulamento de Taxas e Licenças. 3.5 Análise, discussão e votação de proposta do Executivo para aprovação do novo Regulamento do Cemitério. 3.6 Informação da Actividade do Executivo nos primeiros quatro meses do corrente ano e situação financeira da Junta de Freguesia. 3.7 Análise do Inventário e do Património da Freguesia da Madalena. 3.8 Segundo Período de Intervenção do Público. Inicialmente foram dados a conhecer, todos os convites endereçados por diversas Instituições a esta Assembleia de Freguesia, para a realização de diversos eventos sociais: Município de Gaia – (Comemorações do 25 de Abril.); Fundação Portuguesa do Pulmão – (Dia Mundial da Saúde, destinado ao tema “Urbanismo e Saúde); Casa do Povo da Madalena – (Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra da Creche e Jardim de Infância.); Orfeão da Madalena – (Grande Concerto Sinfónico, alusivo à Primavera.); Ideal Clube Madalenense - (Baile de Carnaval e Apresentação do Torneio Internacional de Andebol Manuel Martins.); Grupo Folclórico da Madalena – (Tomada de Posse dos novos Corpos Gerentes.) Na sua primeira intervenção, o Grupo de Eleitos do Partido Socialista, solicitou a apresentação de um Ponto Prévio, evocando essencialmente duas irregularidades ocorridas na Sessão Extraordinária de 8 de Março último, relativamente ao facto do Presidente da Assembleia ter convocado uma Sessão Extraordinária Ilegal, bem como, e segundo o entendimento deste Grupo, ter excedido as suas competências legais. Seguidamente, desenvolveu-se a apresentação de vários documentos para análise e discussão de que a seguir se dá conta: • Voto de Congratulação à Refer, pela célere colocação de protecções de segurança na ponte sobre o caminho de ferro, na Rua António Francisco de Sousa (aprovado por unanimidade). • Proposta de Recomendação para o não pagamento das Scut´s, (aprovada por unanimidade). • Proposta de Recomendação tendo em vista a integração das linhas de transportes públicos e privados, no tarifário da rede andante, (aprovada por unanimidade) • Voto de Protesto contra a Câmara Municipal de Gaia, pela pretensa transformação do Parque de Campismo, segundo informação do jornal “Público”, (rejeitado) • Voto de Protesto contra a Câmara Municipal de Gaia, pela diminuição de transferências para as Freguesias de Gaia, (rejeitado). • Proposta para que não sejam pagas as senhas de presença da Sessão Extraordinária do dia 1 de Março, (rejeitada). • Proposta para que o Executivo desta Junta comparticipe, no mínimo, com cerca de 5% do valor transferido do Fundo de Financiamento de Freguesias, (rejeitada). • Voto de Congratulação ao Ideal Clube Madalenense, pela realização do “XVI Concurso e a 4.ª Promoção de Pesca Desportiva de Mar”, (aprovado por unanimidade). • Voto de Congratulação ao Ideal Clube Madalenense, pela realização do “VIII Torneio Internacional de Andebol – Manuel Martins”, (aprovado por unanimidade). Foi apresentada uma Declaração de Voto pelo grupo do PS para justificar o sentido de voto quanto à proposta do Executivo para actualização de Taxas e Licenças. Entretanto e por se ter excedido o tempo legal, esta Sessão teve que ser retomada no dia 10 de Maio de 2010. Reiniciada a Sessão nessa data, os pontos constantes da Ordem de Dia foram analisados, discutidos e votados com elevação e postura democrática, tendo-se obtido a seguinte votação: Pontos 3.2 e 3.3 – Aprovados por maioria. Ponto 3.4 – Aprovado por maioria. Ponto 3.5 – Aprovado por unanimidade. Finalmente foi posta à votação a Minuta da Acta, tendo sido aprovada por unanimidade. Relativamente à Sessão Ordinária que teve lugar no passado dia 30 de Junho de 2010 e cuja Ordem de Trabalhos, passo a descrever: 1 Período de Intervenção do Público. 2 Período Antes da Ordem do Dia. 3 Período da Ordem do Dia. 3.1 Leitura, análise e votação da Acta das Sessões anteriores. 3.2 Primeira revisão ao Orçamento de 2010. 3.3 Cumprimento da alínea h), nº 2 do art.º 17 da Lei 5-A/2002. 3.4 Informação sobre a actividade do Executivo e resumo diário de Tesouraria. 3.5 Segundo Período de Intervenção do Público. Como é apanágio, o Presidente da Assembleia dá sempre a conhecer, todos os convites formulados a esta Assembleia, para os mais diversos eventos sociais: Clube Atlântico da Madalena – (40º Aniversário do Clube e Carta de Congratulação para compartilhar com a Edilidade e a Autarquia, a brilhante actuação dos seus atletas na época 2009/2010.); Associação de Defesa da Praia da Madalena – (Sessão Comemorativa do Dia Mundial do Ambiente e Dia do Agrupamento Vertical das Escolas da Madalena); Junta de Freguesia da Madalena – (Torneio Paulo Mota em Futebol de Praia.); Ideal Clube Madalenense – (Convite para assistir ao Musical “Ele Pagou por Nós” e Jantar de Encerramento da época dos Escalões de Andebol.). Iniciou-se a apresentação por parte das forças políticas de alguns documentos para análise, discussão e votação que de seguida se dá a conhecer: Voto de Congratulação à Empresa Municipal, Águas de Gaia, pela manutenção da qualidade da orla costeira da Madalena, (aprovado por unanimidade); Proposta de Recomendação para que um dos elementos do Executivo, se dedique à actualização de dados e Notícias da Madalena, (rejeitada).; Proposta no sentido de se realizar uma reunião com a Rede Social da Madalena, (rejeitada); Proposta de Recomendação para a melhoria das condições de limpeza de utilização e segurança nos Parques Infantis da Madalena, (rejeitada); Voto de Protesto pelo facto do Executivo não ter comemorado o Dia Mundial da Criança, (rejeitado); Voto de Protesto ao Executivo, por este manifestar “tiques ditatoriais e anti-democráticos”, (rejeitado); Voto de Protesto ao Presidente da Mesa, pela análise discussão e votação tardia da acta n.º 3, (rejeitado); Voto de

EDITORIAL
Caros Madalenenses, Caros Leitores,
Sempre foi minha convicção de que, com o decorrer do tempo, a Oposição acabaria por aceitar democraticamente a escolha que os Madalenenses sufragaram em 11 de Outubro último, ajudando a construir uma Madalena onde cada vez fosse mais agradável viver. Com críticas e opiniões construtivas que visassem a resolução dos problemas da nossa vila, pressionando o Executivo da Junta de Freguesia a promover o seu desenvolvimento. Mas não! Ao que se assiste é a uma atitude de permanente terrorismo político, com tentativa de explorar demagogicamente alguma inexperiência dos elementos do Executivo que, por vezes, não darão cumprimento integral a todos os procedimentos legais, no seu dizer. De toda a capacidade reivindicativa de que o anterior Executivo, actual Oposição, se arroga, quais foram os benefícios que a Vila da Madalena retirou? Porquê a interposição da providência cautelar à Câmara somente a poucos meses de eleições, quando os protocolos que, dizem, não eram cumpridos há mais de dois anos? Se havia tanta certeza no desfecho das acções interpostas, se havia um asfixiamento financeiro, por que não o fizeram quando perceberam que a atitude da Câmara era persecutória, segundo as suas palavras? Se não havia dúvidas quanto ao desfecho da batalha jurídica por que é que as outras Juntas, que não mudaram de cor partidária, aceitaram retirar a providência cautelar? Todos sabemos as respostas às questões formuladas, até a Oposição, mas dá jeito continuar a fazer demagogia, à falta de argumentos válidos relativamente à actividade do Executivo. Não contem connosco para alimentar folhetins ou querelas estéreis, tão do agrado de alguns políticos demagogos e pouco sérios, que estão sempre à espera de retirar dividendos do folclore político que vão fazendo! Para nós o importante é o bem comum, sem esperar compensações futuras!... Durante a nossa campanha fizemos poucas promessas, sabendo do período de dificuldades que atravessamos e que condicionará, naturalmente, a obra a executar, quer a de nossa responsabilidade, quer aquela que vai sendo desenvolvida em parceria com o Município ou até com entidades governamentais, mas faremos todas as diligências para levar a bom porto a missão a que nos propusemos: ajudar a promover o desenvolvimento da Madalena, e melhorar a qualidade de vida dos Madalenenses. Entretanto, aproveito para esclarecer os leitores de que, dada a conjuntura e as dificuldades financeiras, se decidiu passar a tiragem do Notícias da Madalena para quadrimestral.

Francisco Leite
Congratulação ao Clube Atlântico da Madalena, pela conquista do Campeonato Nacional de Ténis de Mesa, por equipas, individualmente e em pares, masculinos e em pares mistos, no escalão de iniciados na época 2009/2010, (aprovado por unanimidade); Proposta de Recomendação para a colocação de mais e melhores locais de estilo, (rejeitada). Feitas todas as considerações que se acabaram de reproduzir na íntegra, entrou-se no Período da Ordem do Dia com a análise discussão e votação dos pontos em agenda. O único ponto digno de realce reside no facto do Grupo de Eleitos do Partido Socialista ter, após a votação das Actas nº 3 e 4, apresentado uma declaração de voto, por cada Acta. Nesta conformidade, os pontos constantes do Período da Ordem de Dia foram analisados, discutidos e votados com elevação e postura democrática exactamente como na Sessão anterior, aliás como se exige, tendo-se obtido a seguinte votação: Ponto 3.1 – Aprovado por maioria. Ponto 3.2 – Aprovado por unanimidade. Foi por último posta à votação a Minuta da Acta, tendo esta sido aprovada por unanimidade. Para concluir esta minha intervenção referindo o que de mais importante se passou na Assembleia de Freguesia da Madalena, fui confrontado com uma notícia de última hora, onde o Grupo de Eleitos do Partido Socialista, solicitou uma Sessão Extraordinária para a apresentação de uma Moção de Censura ao Executivo da Junta de Freguesia da Madalena, “em virtude do actual Executivo não ter comemorado, no passado dia 12 de Junho, a elevação da Madalena a Vila”. Obviamente que na próxima edição do “Notícias da Madalena”, vos darei conta do que entretanto se irá desenvolver sobre este assunto.

ACTIVIDADES e INFORMAÇÕES da AUTARQUIA
VILA DA MADALENA

2010

3 07

De novo perante vós!
O Executivo O trabalho com responsabilidade, o empenho com total disponibilidade e a abertura ao diálogo e acessibilidade a todos os madalenenses são já (e para sempre) timbres deste Executivo. Queremos que os madalenenses reconheçam no nosso trabalho, os princípios que nos diferenciaram e elegeram. A obra que começou continua! Como poderia parar? É mais do que legítimo continuar a sonhar o melhor para a Madalena e os seus habitantes. Demos início à formação modular e processo de RVCC Escolar (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências) com vista à obtenção de uma certificação escolar de nível básico até ao 9.º ano de Escolaridade, em parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, IP, Centro de Formação Profissional do Sector Terciário do Porto e com a Baloiço do Tempo Associação. Iniciámos em Maio a Formação com Certificação, até final de Julho de 2010 os seguintes cursos:Acompanhamento em creches e jardins de Infância - 2 Turmas - 30 Formandos- Prevenção em Primeiros Socorros - 2 Turmas - 36 formandos- Inglês nível I e II - 2 turmas - 26 formandos - Inglês nível III e IV - 1 turma - 12 formandos- Animação Sociocultural - 1 turma - 13 formandos- Informática - 3 turmas - 33 FormandosAtendimento a Clientes - 1 turma - 11 formandos Estão a frequentar as nossas formações 161 pessoas. O processo de RVCC do 9.º ano está a ser frequentado por 25 pessoas. As acções de formação estão a decorrer nas sedes do Ideal Clube Madalenense e do Orfeão da Madalena, aos quais, aproveitamos, a ocasião para lhes agradecer publicamente o espaço cedido e a disponibilidade demonstrada. Em Setembro dar-se-á início a novas Formações Modulares bem como ao processo de RVCC para o 12.º ano. (veja neste jornal quais as formações e como se inscrever). Oferecemos 1 livro a cada aluno que integrou (por ano de escolaridade) o Quadro de Excelência da EB 2/3 da Madalena, bem como aos alunos que concluíram o curso do CEF. Nunca na Madalena se investiu tanto na educação, daí o nosso espanto caros Madalenenses, quando, em Assembleia de Freguesia, o grupo de eleitos do PS apresentou um voto de protesto contra o Executivo, em especial ao seu pelouro da educação. O motivo: o não termos festejado o Dia Internacional da Criança. De repente tivemos saudades do grande Fernando Pessa: “E esta hem”!! O Dia Internacional da Criança foi comemorado em todas as escolas da nossa Freguesia de forma eficaz e espontânea, tendo na linha da frente os mais habilitados intervenientes: Crianças, Professores, Auxiliares de Educação e Associações de Pais. As nossas crianças, os nossos/ vossos filhos precisam de nós/vós todos os dias. É que todos os dias, independentemente da data, elas são crianças. dos jardins e zonas verdes da Freguesia. Mais uma vez as nossas praias foram contempladas com Bandeira Azul, simbolo de qualidade ambiental. informação de que, o processo está para ser lançado a concurso público. Uma vez este concluído serão iniciadas as obras.

Segurança

Obras

Concluíram-se os trabalhos na Rua do Choupelo e na Urbaniza-

Tem-se mantido contactos regulares com a PSP e Bombeiros com vista a melhorar as condições de segurança dos madalenenses.

Educação

Acção Social

Mantivemos os apoios às actividades da ASSM, com cedência gratuita de instalações e de transporte. Efectuou-se uma reunião na Câmara Municipal de Gaia em conjunto com a Sr.ª Vereadora do Pelouro da Acção Social e Património e a Associação de Solidariedade Social da Madalena, para se encontrar uma nova localização para a construção do Centro de Dia.

Cultura

Criamos um grupo de Teatro Infantil. Este grupo já iniciou a sua actividade, estando a decorrer os ensaios ora nas instalações do Orfeão da Madalena ora no Auditório da Junta de Freguesia. Está praticamente concluída a reorganização da Biblioteca da Junta de Freguesia, fazendo o levantamento e classificação das obras existentes. Brevemente, será colocada ao serviço dos madalenenses, restituindo assim direitos e incentivando bons hábitos.

Desporto

Instituições Ambiente

A Madalena participou nos XXIX Jogos Juvenis de Gaia, com as modalidades de Andebol à Roda do Círculo, Andebol de 7, Futebol de 5 e Voleibol. Apoiamos a realização do Torneio de Voleibol de Praia da ASSP. Apoiamos a realização do Torneio Paulo Mota em Futebol de Praia. Apoiamos a realização do Torneio Internacional de Andebol “Manuel Martins” do Ideal Clube Madalenense. Apoiamos a realização da etapa Nacional de Andebol de Praia do Ideal Clube Madalenense.

ção José Domingues Poças. Iniciaram-se (e estão a decorrer) os trabalhos de requalificação da Rua do Crasto, até à Ribeira da Madalena. Efectuaram-se permanentemente intervenções na rede viária para suprimir buracos, com especial incidência nas Ruas do Cerro, Suas Vilas, Guiões e Bocas. Efectuamos uma intervenção na 9.ª Secção do Cemitério, com a finalidade de consolidar a base das sepulturas e corrigir as pendentes às bermas, para facilitar o escoamento das águas, quer as pluviais, quer as resultantes da limpeza e manutenção das mesmas. Trabalho a desenvolver em todo o cemitério. Substituímos os locais de estilo existentes e acrescentamos três novos: no Passadouro, junto à entrada da E.B.1 da Pena e no largo Conde D. Henrique. Instalamos novo sistema de som no Auditório da Junta de Freguesia.

Instalamos um sistema de segurança no edifício da Junta de Freguesia e no Auditório, com câmaras de vigilância. Fizemos um levantamento das passadeiras para peões existentes e solicitamos ao Departamento de Mobilidade e Vias do Municipais uma nova pintura das mesmas, aproveitando para propor a pintura de mais algumas, em locais que o justificassem.

Tempos livres:

Apoiamos a realização da festa ao S. João na Costa. Apoiamos a realização da festa da Freguesia em honra à N.a S.ra da Hora e Santa Maria Madalena. Apoiamos as colónias de Férias da Associação de Pais da E.B.1 da

Pena, do Infantário da Casa do Povo e da Baloiço do Tempo Associação, com transporte e barracas na praia (estas cedidas pelo concessionário Irene Vieira). Realizamos o passeio dos “Nossos Seniores” (ver texto dedicado ao passeio) Realizamos o festival de verão “Madalena na Onda” I Encontro de Bandas de Garagem da Madalena. Para além das actividades mencionadas, informamos que, após solicitação da Escola IEFA, a Junta de Freguesia facultou o estágio a 2 alunos. Efectuamos uma reunião com a direcção da Associação de Solidariedade Social da Madalena, de modo a tentar atingir um acordo quanto à devolução das verbas adiantadas no contrato promessa de compra e venda da casa da cultura. Este Executivo tem-se feito representar em todos os actos ou cerimónias realizadas na Freguesia pelas nossas Instituições e, sempre que possível, em actos oficiais para os quais é convidado. O nosso trabalho não é solitário. Não podemos apenas falar de nós, mas de todos nós. Todos os madalenenses, que de uma forma surpreendente, têm acompanhado o nosso trabalho, dando-nos força com os seus elogios e coragem com as suas críticas construtivas. Tem sido uma caminhada partilhada. Os madalenenses sabem que ainda não têm tudo que queriam, mas já não aceitariam mudar o que conseguiram.

Apoiamos as Instituições da nossa Freguesia através de meios logísticos e transporte. Comemoramos o Dia Mundial do Ambiente em colaboração com a Associação de Defesa da Praia da Madalena e com o Agrupamento Vertical de Escolas da Madalena. Providenciamos a manutenção

Procedeu-se à reposição da traça original do largo do Cruzeiro.

Saúde

Temos acompanhado o processo do Centro de Saúde, tanto junto da ARSN, quanto do Pelouro da Acção Social, Saúde e Emprego do Município de Gaia, havendo

Por força da elevação da Madalena a Vila, o Executivo da Junta de Freguesia promoveu as diligências necessárias para efectuar o registo da nova simbologia heráldica, a respectiva publicação no Diário da República e o necessário registo na Direcção Geral das Autarquias Locais - DGAL. A nova ordenação heráldica do brasão, bandeira e selo da Vila da Madalena, de acordo com o parecer emitido em 28 de Setembro de 2009, pela Associação dos Arqueólogos Portugueses – Comissão de Heráldica, foi apresentada na Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia de 30 de Dezembro, aprovada na sua reunião de 11 de Janeiro e publicada em Diário da República – 2ª. Série, Edital 341/2010, de 13 de Abril de 2010. A alteração verificada resume-se à substituição da coroa mural que passa de três para quatro torres.

2010

4 07

ACONTECIMENTOS
VILA DA MADALENA

Festas da St.ª M.ª Madalena e Senhora da Hora
Decorreram entre 16 e 19 de Julho, com muita afluência, as Festas de Santa Maria Madalena e Senhora da Hora que se realizam na nossa Vila desde tempos imemoriais. De facto, o culto a Santa Maria Madalena data pelo menos de meados do século XII e o da Senhora da Hora é pelo menos do último quartel do século XIX. As duas festas, primeiro independentes, uniram-se provavelmente por volta de 1940 e chegaram mesmo com visível sucesso. Entretanto já arrancava em Bicheiros, no local do arraial, a actuação da Banda Delta a que se seguiu o fogo de artifício tendo terminado depois da 1h da manhã com muito Povo a participar. No domingo, dia 18, entraram na Vila com alegria as bandas filarmónicas de Lagares (Penafiel) e de S. Cipriano – A Nova (de Resende), além da Fanfarra de Lever. Uma das bandas foi de imediato buscar a D.ª Fátima pela Virgem e pelos Santos da nossa igreja. Os andores são levados por grupos organizados de homens ou mulheres que, em recolhimento e com muito esforço, conduzem os santos da sua devoção. Por muitos forasteiros considerada “a mais digna e mais bem organizada do Concelho”, a procissão é um acto de profunda fé cristã que a todos interpela e a ninguém deixa indiferente. Das 21 às 24 horas houve um participado concerto das bandas filarmónicas nos coretos e a actuação no arraial da banda Música e Som. No dia 19 às 21h houve eucaristia em honra de Santa M.ª Madalena a que se seguiu o fogo de jardim na rua David Vaz Martins tendo a festa terminado com o conjunto SOS no recinto do arraial. Durante toda a festa foram muitas as visitas à igreja, festivamente decorada pelas zeladoras, mas também à exposição intitulada “os santos da nossa igreja” que teve lugar no salão do 1.º andar e à exposição de andores que decorreu no salão paroquial. Dado o sucesso é pois para continuar! Esta Comissão, cuja formação base já data de 1996, é composta de 16 elementos, todos do sexo masculino (mas parece que brevemente poderá haver novidades...) e apesar do interregno de 2006 a 2008, motivado pelas obras, recomeçaram e, com a experiência que se lhes reconhece, voltaram a organizar uma bela festa. Está pois de parabéns a Comissão de Festas que tão bem organizou as festas de 2010. É tempo de preparar as de 2011! Bom trabalho! Agradecemos ao Sr. José Moreira os elementos que nos forneceu para este artigo.

Redenção

a fazer-se duas procissões em dias sucessivos. Este ano, e como já vem sendo habitual, as festas duraram 4 dias. No dia 16 de Julho, sextafeira, exibiram-se os ranchos de Correlhã (Ponte de Lima) e de São Tiago de Lobão (Santa M.ª da Feira) além do Grupo Folclórico da Madalena, com muito agrado do público presente. No dia 17, o grupo “os Delaenses” percorreu as ruas da nossa Vila entre as 9 e as 18h. Seguiu-se a eucaristia vespertina. Depois do jantar actuou nos coretos da igreja o Grupo de Cavaquinhos do Ginásio Clube de Mafamude

Ribeiro (Juiza da Festa) para abrir oficialmente os festejos. Pelas 11h houve a eucaristia solene em honra de Nossa Senhora da Hora que foi animada pelos corais da Paróquia e teve como pregador o Padre Doutor Luís Castro, da Boa-Nova. Às 16 horas foram rezadas vésperas e depois seguiu-se a procissão que é sempre o ponto alto e se realiza entre as 17 e as 18h 30m. Preparados por muitos os belos tapetes de flores, a procissão, muito bem organizada, com 14 andores, sai da igreja e decorre num ambiente de profundo respeito e veneração por Deus,

No passado dia 9 de Julho, no adro da igreja Paroquial da Madalena, foi inaugurada a obra de arte “Redenção”, na qual estiveram presentes cerca de 250 pessoas, entre as quais representantes de muitas das Instituições da Freguesia e também do Concelho. A obra “Redenção” é a materialização da capa do livro “A casa da Igreja da Madalena” que foi lançado no dia 8 de Janeiro de 2010 na presença do bispo do Porto D. Manuel Clemente por ocasião da sua visita pastoral à Madalena. Do programa fez parte uma intervenção do artista Pedro Moreira, nascido na Madalena em 1979, que explicou o sentido da sua obra. Esta consta de dois belos painéis em azulejo e uma imagem em ferro de Cristo triunfante que seguidamente foi benzida pelo Padre António da Silva Martins. Da cerimónia constaram ainda uma intervenção inicial de Viriato Santos que interpretou o Agnus Dei (Cordeiro de Deus) e uma intervenção de encerramento dos corais da Paróquia que interpretaram o cântico “Cristo Reina” e momentos de “poesia nos textos biblicos: palavra e música” que, após uma introdução feita pelo Dr. Manuel Sousa, sobre a beleza da arte, foram declamados e acompanhados musicalmente por membros da Comunidade Paroquial. Foi um

raro momento de contemplação em que os textos biblícos inspiraram um maravilhoso silêncio só encerrado por uma prolongada salva de palmas que assinalou o final das declamações. Depois do acto solene, e de surpresa, foi inaugurada uma placa de homenagem ao pároco da Madalena que tem a seguinte inscrição: “No dia 9 de Janeiro de 2010, durante a visita pastoral de sua Excelência Reverendíssima D. Manuel Clemente, Bispo do Porto, e por ocasião da finalização das profundas obras de restauro e conservação da igreja paroquial e estruturas anexas que tiveram lugar durante os anos de 2007 a 2009, foi dedicado o novo altar da igreja paroquial de Santa Maria Madalena. Quer assim a Comunidade Paroquial da Madalena prestar uma justa homenagem ao Padre António da Silva Martins no trigésimo ano do seu múnus paroquial, pelo empenho e dedicação à nossa Paróquia e ao seu Povo”. A placa ficará a perpetuar a memória destes factos no interior da igreja junto das de outros benfeitores da Paróquia. A noite foi encerrada com um Porto de honra onde muitos expressaram a sua alegria e reconhecimento pela nova obra de arte que a partir de agora fica a embelezar o adro da igreja paroquial.

Comemorações do 25 de Abril
A Junta de Freguesia da Madalena levou a efeito as comemorações do 25 de Abril, com um programa variado e no qual participaram algumas das instituições da nossa Vila. Assim, o dia começou com o desfile da Fanfarra Juventude da Madalena, seguido do içar das bandeiras na sede da Junta de Freguesia. Seguiu-se a sessão solene, que teve lugar no auditório da Junta de Freguesia, cerimónia dirigida pelo Presidente da Assembleia de Freguesia e com a presença da Vereadora Amélia Traça, em representação do Presidente da Câmara, Presidente da Junta de Freguesia, os representantes dos grupos eleitos à Assembleia de Freguesia, pela Coligação Gaia na Frente e pelo Partido Socialista e ainda um representante da Associação 25 de Abril. Durante a manhã, decorreram actividades desportivas, no Pavilhão Atlântico da Madalena e no Polidesportivo do Cruzeiro, nas modalidades de Ténis de Mesa, Voleibol e Andebol, desenvolvidas, pelo Clube Atlântico da Madalena e pelo Ideal Clube Madalenense. De tarde, o Grupo Folclórico da Madalena actuou no Largo da Costa e as comemorações encerraram no salão do Orfeão da Madalena, com a distribuição de diplomas às instituições que participaram e um concerto do coral desta instituição É de louvar o entusiasmo com que as instituições desenvolveram as actividades que lhes foram cometidas, e de realçar o elevado número de pessoas que se associaram a cada um dos actos, dando-nos a certeza de que o 25 de Abril é uma data marcante na vida dos cidadãos. A Junta de Freguesia da Madalena deixa aqui o seu agradecimento pela colaboração de todos quantos se associaram às comemorações.

ACONTECIMENTOS
VILA DA MADALENA

2010

5 07

III Capítulo da Confraria da Pedra
tituição vai finalmente poder contar com a sua Autarquia Local sem ter de ter em conta algumas prepotências que em nada dignificavam a Madalena. Mas, factos são factos e dos fracos não reza a história. Sem misturar questões políticas que não são habituais nesta Confraria apenas pretendemos, por exemplo, poder ser recebidos na Junta aquando dos nossos Capítulos com a certeza de que aqueles que lá vão e que, inclusive, vem de longe serão respeitados, independentemente de ter opção política diferente. Estamos certos que agora não mais vão acontecer indelicadezas que a ninguém passam despercebidas. Estou completamente CONVICTO! Na verdade custou muito trazer um PREMIO NOBEL DA PAZ à nossa terra sem que fosse possível ser feita uma simples recepção na Junta! Só porque entre este Madalenense e Chanceler da Confraria e quem então estava na Junta não existia nenhuma relação. Assim aconteceu com o nosso Confrade Carlos Ximenes Belo em Outubro de 2008 como assim já tinha acontecido em 2007 quando, entre outras Personalidades, ENTRONIZAMOS o Comendador Rui Nabeiro; o Presidente do CA da Porto Editora, Eng. Vasco Teixeira e o Reitor da Universidade do Porto, Eng.º Marques dos Santos. Temos a certeza de que não mais o Presidente da Junta vai repetir essa situação, até porque também ele é Confrade e será ENTRONIZADO em 23 de Outubro durante o nosso III Capitulo. Aliás, estou certo, que na Junta irão ser recebidos os nossos Confrades de Honra que irão ser ENTRONIZADOS como, por exemplo, os Empresários Manuel Violas e Augusto Ferreira Machado ou Personalidades como Lino Ferreira; Manuel Moreira, César Oliveira, Veneranda Carneiro, Luis Capoulas Santos e outras que aguardamos confirmação, bem como, os ESTANDARTES das seis Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários de Gaia, da CBS e da Câmara de Vila Nova de Gaia que tutela a Protecção Civil e Bombeiros, bem como, as muitas Confrarias que nos vão visitar nesse dia 23 de Outubro. “ A VIDA NA PEDREIRA ERA TAO DURA COMO A PEDRA” é a nossa divisa. Temos como objectivos estatutários dignificar e divulgar a indústria da pedra e a arte de pedreiro, como referência histórica, económica e social, que marcou a freguesia da Madalena, promover a discussão para um maior conhecimento sobre a pedra, as pedreiras e os pedreiros, para além de outros assuntos de interesse local e realizar e participar em acções de âmbito social, cultural e outras que tenham como fins a concretização dos objectivos da Confraria ou sejam de interesse da comunidade. Temos feito por esse Portugal fora várias visitas onde divulgamos a Madalena e quem trabalhou o GRANITO AZUL DA MADALENA com tanta dureza e nobreza. É isso que nos anima e acreditamos que podemos divulgar a nossa MADALENA sem aproveitamentos pessoais até porque o fazemos pagando dos nossos bolsos TODAS as despesas. Já somos mais de cem Confrades e Confreiras. Mensalmente fazemos um jantar / tertúlia onde tantos convidados lá vão passando. Ficamos TODOS mais ricos. Finalmente no dia 23 de Outubro faremos o nosso III Capitulo e dele daremos notícia no próximo número deste jornal, agora de TODOS os Madalenenses e ao seu serviço.

Foi com satisfação que, enquanto Chanceler da Confraria da Pedra, vi ser eleito em Novembro de 2009 um novo Presidente de Junta que agora vai liderar um Executivo que nos respeita e compreende. É caso para dizer: “tardou mas, finalmente, chegou”. Desde logo senti que esta Ins-

Festival de Verão
“Madalena na Onda”
Noite de 24 de Julho de 2010. Aconteceu na praia da Madalena o 1.º Encontro de Bandas de Garagem que visava, essencialmente, proporcionar oportunidades aos jovens da Freguesia em particular e aos do Município, em geral, de apresentar o seu trabalho desenvolvido e oferecer à população jovem um evento caracterizado por diferentes estilos musicais. Esta iniciativa da Junta de Freguesia cumpriu assim uma promessa feita. A satisfação demonstrada pelas bandas que actuaram, bem como pelo muito público presente, foram a confirmação que a Madalena precisa de dinamismo e entusiasmo a nível cultural. Os jovens são uma das apostas deste Executivo. Criar meios e veículos canalizadores das suas capacidades é um dever que nos compete e que cumprimos com grande prazer e satisfação. Agradecemos às bandas que participaram e ao público que se associou ao evento.

Grupo Folclórico da Madalena

O Grupo Folclórico da Madalena vai realizar no dia 1 de Agosto o 5º festival de folclore, com a participação dos Mareantes do Rio Douro, Rancho Folclórico e Etnográfico de Cabeço de Montachique, Rancho Folclórico CRCD Amigos do Castelo, Rancho Folclórico e Etnográfico de Reboreda, Rancho Folclórico Sargaceiros da Apúlia. Publicamente queremos agradecer a todo o comércio da nossa vila todo o apoio e disponibilida-

de para a realização deste evento que tanto dignifica a nossa vila e o nosso concelho. Aos patrocinadores oficiais, Inatel, Junta da Freguesia, Município de V. N. Gaia. Entretanto, o Grupo Folclórico da Madalena convida todos os que estiverem interessados em participar neste projecto de promoção da cultura e da tradição da nossa Vila. A todos os que nos ajudam um bem hajam e como dizemos no folclore, até breve.

2010

6 07

O P I N I ÃO
VILA DA MADALENA

Qual o bem maior, afinal?
Luís Carrinho - Representante da CDU O Inverno de 2009-2010 ficou na nossa memória como um daqueles em que se registaram mais catástrofes com a perda de numerosas vidas e grandes prejuízos materiais. A mais próxima de nós, portugueses, foi aquela que atingiu a ilha da Madeira. Várias conclusões referiram que a tragédia teria sido muito menor se não se tivessem cometido autênticos atentados urbanísticos na ilha. Esta falta de visão estratégica no planeamento urbanístico, tantas vezes motivada pelo interesse meramente económico, foi várias vezes denunciada em tempo útil por alguns técnicos, logo marginalizados, como o Eng.ª Silvicultor Cecílio Gomes da Silva que, em 1985, terminou um extenso artigo a este propósito com a tristemente premonitória frase “Dei o alarme. Pensem nele…”. Vem esta amarga introdução a propósito da morte anunciada do Parque de Campismo da Madalena, cuja qualidade é reconhecida por todos. Uma mancha florestal das poucas que restam na Madalena. Uma morte que se anuncia e da qual pouco se sabe. Porque a história deve ser contada e perdurar na memória de todos, voltemos atrás no tempo e recordemos um passado recente: a revisão do Plano Director Municipal (PDM) de Gaia que foi concluída no ano de 2009 e que passou a permitir a construção de edifícios naqueles terrenos cuja proprietária é a Câmara de Gaia; durante o período de discussão pública do PDM, a Assembleia de Freguesia da Madalena, em Dezembro de 2008, aprovou uma proposta da CDU que contou com os votos favoráveis do PS e alguns votos da bancada das forças políticas que suportavam e suportam a maioria da Câmara (PSD/PP/Independentes). Através desta aprovação a Assembleia de Freguesia da Madalena tomou uma posição, consensual, contra a alteração prevista no PDM. Insensível à opinião maioritária dos representantes dos madalenenses, a Câmara aprovou o PDM e assim está viabilizou a utilização dos terrenos do Parque de Campismo da Madalena, satisfazendo a gula dos especuladores imobiliários e o lucro em detrimento de uma visão estratégica de futuro em termos ambientais e do respeito pela sua sustentabilidade; em detrimento da projecção do nome da Vila da Madalena pelo mundo, graças também ao seu parque de campismo; em detrimento de um excelente espaço de lazer utilizável por muitos, para benefício de alguns poucos que, concretizando-se esta intenção, usufruirão da infra-estrutura a ser criada naquele local. “Fala-se” num hotel/spa e em residências de luxo em condomínio fechado. Repito “fala-se” porque pouco mais se sabe acerca do projecto concreto existente para aquele local. A Câmara Municipal guarda “a sete chaves” este segredo, respondendo aos requerimentos apresentados na Assembleia Municipal, entre eles o da CDU, com evasivas e esclarecimentos vagos na tentativa de ir conduzindo o processo discretamente, sem levantar muitas ondas antes do facto consumado. Pretende assim a Câmara colocar-nos perante as já habituais inevitabilidades, contando com o nosso conformismo. Se calhar só se irá conhecer verdadeiramente o que está projectado quando as máquinas estiverem no local… O nosso Presidente da Junta na Assembleia de Freguesia do dia 30 de Abril de 2010, quando questionado, durante o período de intervenção do público, acerca da posição da Junta de Freguesia, afirmou que partilhava das preocupações colocadas pela CDU, mas que não era “fundamentalista” e que se o empreendimento previsto beneficiasse a freguesia ele seria favorável à sua construção. Estamos perante o velho dilema: qual é o bem maior? O benefício e o lucro de alguns poucos privilegiados ou a possibilidade de usufruto por muitos, privilegiados ou não e a manutenção de uma mancha florestal… Os madalenenses devem estar atentos e devem ser interventivos. Tal como se uniram as diversas sensibilidades e se esqueceram as divergências em prol de um bem comum quando se tratou de “salvar” uma jóia da nossa vila, o Edifício da Casa da Cultura, também agora é possível que as diversas forças (não me refiro apenas às forças políticas) se juntem para impedir a morte de uma outra jóia, de um equipamento como o Parque de Campismo da Madalena e do que ele significa para a nossa vila e para o nosso concelho. Faça-se ouvir. Indignese. Vá à Assembleia de Freguesia onde estão os nossos representantes e exponha o que pensa no período de tempo legalmente destinado ao efeito. Reflicta: Qual é o bem maior, afinal?

Caros Conterrâneos
Joel Freitas - Porta-voz do Grupo do PS Caros Conterrâneos: O Grupo de representantes do PS, na Assembleia de Freguesia da Vila da Madalena, através do Estatuto do Direito da Oposição, informa toda a população, que o actual executivo, decorridos cerca de 10 meses após a tomada de posse e debaixo da capa de uma “maior abertura” do órgão local “Notícias da Madalena”, está a cometer ilegalidades, omissões e até chegou ao ponto de não comemorar no passado dia 12 de Junho, o 1º aniversário de elevação da freguesia da Madalena à categoria de VILA. Assim, e a título de exemplo, a coligação de direita, que tomou o poder em Outubro de 2009, tomou as seguintes atitudes: desistiu da providência cautelar, prejudicando a Vila da Madalena, em cerca de 700 mil euros, (dinheiro referente a Protocolos assinados entre a Câmara e a Junta, não pagos); não aprovação do Voto de Protesto à Câmara, apresentado pelo Grupo do PS, pela diminuição dos valores a transferir para a Vila da Madalena; logo, o executivo não se pode queixar que não tem dinheiro, além de concordar com a venda do Parque de Campismo da Madalena, pelo executivo municipal, (transformando-o num condomínio de luxo…). Apesar de sabermos que não se tratou de uma iniciativa do actual executivo, embora lhe tenha dado continuidade, porque razão o Presidente da junta, omitiu, nas suas informações escritas de 30 de Abril e de uma forma reiterada em 30 de Junho, que o novo brasão, bandeira e selo da Vila da Madalena, tinham sido publicados em Diário da República, no dia 13 de Abril de 2010? Porque razão omitiu, nas suas informações escritas, a sua presença numa reunião, realizada a 4 de Junho, pelas 11 horas, na Câmara, com a presença do executivo municipal? Que assuntos com interesse para a nossa Vila, foram tratados? Porque razão omitiu à Assembleia de Freguesia, em 30 de Junho, que a dívida à ADSE, nos primeiros seis meses deste ano, aumentou cerca de 6.200€? Porque não informou a Assembleia de Freguesia e a população do custo do sistema de vigilância dos edifícios da Junta e do Auditório da Madalena, (sem autorização da Comissão Nacional de Protecção de dados)? Porque razão omitiu, nas suas informações de 30 de Abril e de 30 de Junho, o custo do sistema de controlo de assiduidade, através de registo biométrico (colocação de dedo, num equipamento electrónico, controlando, dessa forma, as entradas e saídas dos funcionários da Autarquia? Ao mesmo tempo que diz não ter dinheiro, para apoiar as instituições que efectuam um relevante trabalho em prol da comunidade local? Em termos de ilegalidades, o executivo, não responde aos pedidos de informações efectuados pelos representantes do PS, de acordo com a Lei 5-A/2002, de 11 de Janeiro, e de acordo com o Código de Procedimento Administrativo. Ou seja, o executivo age, como se vivesse num outro país, que não Portugal. O Presidente da Assembleia de Freguesia, e apesar da sua formação, convocou já, uma Assembleia de Freguesia ilegal, (por não cumprir com a Lei 5-A/2202, de 11 de Janeiro), este, chega ao ponto de ultrapassar os prazos legais, para convocar uma Assembleia de Freguesia Extraordinária, solicitada pelo Grupo do PS, dentro da legalidade e por causa de um “esquecimento” do executivo – não ter assinalado, (por qualquer forma), a elevação da Madalena à categoria de Vila, no passado dia 12 de Junho. Ou será que se estavam a preparar, apenas comemorar esta data, em 12 de Junho de 2013? Cara(o) Conterrânea(o), para finalizar, permita-nos, que o mantenha sempre actualizado, e para ver a trapalhada criada por alguns “aprendizes de políticos”, como se auto intitulou o Sr. Presidente da Junto, na Assembleia de Freguesia de 30 de Junho, eis o que se passou na reunião do executivo com as colectividades sem sedes, no passado dia 8 de Maio: Em vez de apresentar um terreno para uma futura construção de uma “Casa para as instituições”, no terreno onde se localizava a extracção de inertes, nas Pedreiras da Benjor, (hoje transformado num espaço verde); na defesa dos superiores interesses dos Madalenenses e no engrandecimento da Vila da Madalena; era bom que o Sr. Presidente, exigisse à Câmara, a construção do Centro Cívico da Madalena, aprovado em reunião de câmara, a 22 de Outubro de 2003, (no terreno da Misericórdia, quase em frente ao Orfeão da Madalena), uma vez que este contempla além da “Casa das Instituições”, uma piscina coberta com 25 metros, ao serviço de todos os Madalenenses. Caros Conterrâneos, o Grupo de eleitos do PS, vai continuar a defender os interesses dos Madalenenses e da Vila da Madalena. Votos de Boas Férias, e se não for antes, até Março 2010.

Ventos de futuro
J. Serafim Freitas - Membro da Assembleia de Freguesia
Independente eleito na Lista da Coligação Gaia na Frente pelo PPD/PSD

A concepção de um projecto estruturante não é uma obra que se pense todos os dias mas a criação de uma nova centralidade em Vila Nova de Gaia anda na mente do Executivo camarário e a Madalena poderá vir a beneficiar disso. Falamos a propósito de um sonho que a freguesia já tem há largas dezenas de anos. Uma estrada até à praia... parece que desta vez é a sério... mas o sonho é muito maior! Abandonado o projecto inicial de simples via rápida para a VL 3, projecta-se agora uma “avenida para o mar” com um canal mais largo, de 25 metros, que se destina a acolher no seu centro o futuro metropolitano de superfície. Poderá assim ligar-se o centro da cidade,

desde Santo Ovídio, até ao mar, atravessando Vilar do Paraíso e entrando na Madalena na zona do Sameiro, onde cruzará o caminho de ferro em passagem inferior, atravessando a zona de Bocas, a zona da Cabine e a rua do Loureiro até chegar à praia da Madalena, dirigindo-se depois para sul na direcção de Valadares onde se reconstrói agora o antigo Sanatório Marítimo do Norte que vai ser o futuro Centro de Reabilitação do Norte. Tratase de um projecto de futuro com pés para andar em que se conseguirá dar uma rápida acessibilidade do centro da cidade à orla marítima. Entretanto completou-se já mais um troço das obras na orla marítima na transição entre

Canidelo e Madalena faltando em termos práticos melhorar quase toda a orla da Madalena e uma boa parte de Valadares, que foram deixadas para o fim dado o maior grau de dificuldade da intervenção urbanística que, a bem do interesse público, exigirá até algumas demolições. Gaia tem assim projectos e realidades e são estas duas faces do mesmo poder autárquico que fazem a diferença. De facto é fundamental realizar mas também é importante sonhar com os pés bem assentes na terra, pois só quem sonhou algum dia conseguirá realizar obra amanhã, mesmo em tempo de crise! Parece que o executivo camarário sabe bem para onde quer ir! De facto, Gaia é obra!

OPINIÃO e CIDADANIA
VILA DA MADALENA

2010

7 07

O papel dos autarcas no desenvolvimento do país.
Madalena está a ser um bom exemplo.
Com o fim do Estado Novo e a restauração da democracia em Portugal, o poder local voltou a assumir poderes e importância na construção e desenvolvimento das populações. Nos últimos anos temos assistido a um desenvolvimento nas nossas cidades, vilas e aldeias, eliminando-se as carências mais dramáticas. E isso só foi possível graças ao poder local, seja pelas competências que lhes foram consagradas pelo poder central, seja pela pressão constante dos eleitos locais para a resolução dos problemas quotidianos que penalizam as populações que representam. Hoje as responsabilidades, desafios e oportunidades que se coloFernando Couto - Presidente do Núcleo do CDS/PP da Madalena e Membro da Assembleia de Freguesia cam às Autarquias Locais são bem diferentes e mais ambiciosos. Da quantidade passámos ao domínio da qualidade, e dos tempos de fartura passámos ao tempo dos recursos escassos que têm de ser optimizados e sobretudo bem geridos. São grandes os desafios colocados hoje também ao nosso Executivo, que tem vindo a desenvolver um trabalho sólido, analisando cuidadosamente as carências da nossa vila e as dificuldades dos madalenenses. Temos vindo assistir a um desenvolvimento sustentável, pois o Executivo da junta tem de gerir muito bem o pouco dinheiro disponível , e tem-no feito de uma forma muito eficaz, começando por apoiar os mais necessitados, exemplo disso foi a reabertura do balneário da Costa, tem tido um diálogo exemplar com todas as colectividades da nossa vida, pois estas são muito importantes para a integração dos nossos jovens na sociedade, tem vindo apoiar e colaborar com as Escolas e Associações de Pais, e a requalificar as nossas vias rodoviárias, que durante muitos anos foram esquecidas. Acredito que melhor qualidade autárquica, melhores investimentos e melhores competências profissionais, são vectores fundamentais para o desenvolvimento da nossa vila e para o futuro de Portugal.

“A Morte Política - Prenúncio”
Miguel Costa Almeida Desde 2001 que a história da Madalena se escreve com pena torta, melhor, escrevia. No uso da palavra, os que (re) escreviam a História da Madalena, não mais fizeram do que propaganda. Os resultados são-nos desconhecidos mas os meios sobejamente sabidos mais não aspiravam do que à exultação da família e à sua perpetuação no poder. Nunca acabaremos de criticar suficientemente aqueles que deformam o passado, que o reescrevem, que o falsificam, que dilatam a sua importância ou enaltecem acontecimentos. Estas críticas foram justas, não se fez outra coisa durante esse período, mas não têm grande importância se não foram acompanhadas de uma crítica mais elementar, profunda, sobre a real situação. E esta tem sido feita de modo exemplar nas Assembleias de Freguesia. Com casa cheia como há muito não se via. E ainda não acabou… A alternância é um dos mais importantes valores da Democracia; saber estar no poder com humildade e na oposição com dignidade, é do mais elementar para poder aspirar a um cargo político. Para ser digno da confiança do voto popular, para ser mandatário do Povo. E estes valores estiveram ausentes nos anteriores Executivos e, pasme-se, continuam agora ausentes naqueles que agora são Oposição. O comportamento que têm tido nas AF, embora afirmem e se comprometam com uma postura construtiva, são do mais indigno que se viu e revelador, afinal, que não são efeito do estatuto que ocupam de momento mas sim intrínseco a eles mesmos. Exilados do poder executivo, a essa vida aspiram, já o disseram. Entretanto, levam uma vida paralela à actividade desejada como se um sucedâneo das anteriores funções se tratasse. Uma actividade superficial surgindo aqui e ali com uma (quase) notícia desejando mostrar trabalho e reconhecimento. Só posso interpretar deste modo a criação da «Madalena Socialista». Foi com espanto que, ao abrir a caixa do correio, no passado mês de Março deparei com o folhetim. Da sua leitura retira-se um qualquer valor de inocência, de falta de realidade, de não-aceitação dos factos; a Madalena deixou de ser Socialista e nem deram conta ou ainda não acreditam? Há sem dúvida, uma predisposição de deslumbramento dos seus autores. Quem nada tem a dizer deve estar calado. Deixo, por fim, uma advertência; a (des)vantagem da política face à guerra é que em política se pode morrer várias vezes e (tentar) renascer… o ex-presidente da Junta, não consegue deixar rotinas. Dizem ser apego ao poder, mas quero pensar que é vício. É sabido que nas coisas da vida política as opiniões e as posições têm o prazo de validade de um iogurte. São, portanto, efémeras embora algumas delas possam ser de longa vida, assim o espero. Cada um tem uma ideia do inferno. Eu tenho a minha.

Scuts - O Segredo de Estado…
Luis Moreira A instalação de portagens em algumas das scuts portuguesas é um assunto muito em voga na actualidade, levando à formação de distintas opiniões entre os portugueses. As scuts (estradas sem custos para o utilizador) são estradas construídas por empresas, sem qualquer custo para o Estado, que funcionam como estradas concessionadas, onde o governo remunera a empresa construtora por cada automóvel que passa nessas estradas, ou seja, o pagamento dos utilizadores que usufruem das scuts é transferido para Estado e, consequentemente, para todos os contribuintes. Visto isto, a criação das scuts está associada às restrições orçamentais que o governo tinha de cumprir para aderir à zona euro em 1997. A discussão sobre as Scut e os “chips” tem-se centrado em duas questões, uma sobre cobrar portagens, e outra sobre o facto de os “chips” colocarem problemas à liberdade e à privacidade dos cidadãos. Não é correcto nem partilho da ideia de que as minhas deslocações em automóvel fiquem registadas numa base de dados, como também não gosto que exista um registo dos meus telefonemas, dos meus movimentos bancários, ou seja ter “os meus passos” controlados ao pormenor, no entanto, basta olhar para os cartões que acumulamos na carteira, para a via verde nos carros ou para as câmaras nas ruas, para perceber que tudo isto está já a acontecer um pouco, sendo esta uma nova forma mais sofisticada de controle. Quando perdemos o bilhete do parque de estacionamento ficamos a saber que a hora a que o nosso automóvel entrou foi registada por um “software” que lê matrículas. Este “software” é usado pela polícia dos EUA para identificar veículos com multas ou dados como roubados. A identificação ou o registo do movimento de veículos a partir das matrículas (com ou sem “chips”) é já feita como mencionei nos EUA, em Inglaterra, na Suécia e noutros países com forte tradição de defesa da privacidade dos seus cidadãos. É provável que nos próximos anos se assista a um aumento dos exemplos de implementação de sistemas de registo automático de movimentos dos automóveis, por duas razões, a primeira prende-se com a gestão do tráfego nas cidades, a segunda prende-se com os efeitos fiscais da alteração tecnológica que se anuncia para os veículos automóveis (aparecimento em massa dos Carros Eléctricos). A introdução de portagens nas auto-estradas sem custos para os utilizadores (Scuts) é um tema que não é novo, mas num contexto político em que quem governa não tem maioria, e em que quem quer governar começa a ganhar nas sondagens, o tema passou a ser discutido a nível nacional, como se a introdução cega de portagens nessas vias (muitas das quais sem qualquer tipo de alternativa) fosse a tábua de salvação da situação económica em que o país se encontra. A guerra pelo Poder não deve contribuir para a construção de um País mais desequilibrado e as Scuts estão a ser utilizadas, erradamente, como um instrumento político, como o foram outros no passado, sendo penalizados e como sempre os cidadãos comuns que as utilizam diariamente para aceder aos seus empregos, sendo mais um encargo ao já deficitário Orçamento que a maior parte dos Portugueses dispõem para fazer face a todas as despesas inerentes de cada família.Para quando uma resposta concreta a todas as nossas questões, a discussão tem sido bastante agitada, no entanto a pouco tempo da efectividade de entrada dessas denominadas “Portagens nas Scuts” todos nós nos perguntámos, como vão ser, como funcionará, será que vão mesmo ser activadas…. Enfim questões às quais não conseguimos dar eventualmente resposta pois como sempre o “Povinho” é o último a saber de tudo, primeiro decide-se nas altas esferas do País, de seguida impõem-se e o mais pequeno da sociedade só tem de aceitar e sujeitar-se… Este é o País que nós temos… Portugal sempre em grande estilo…

Tem alguém na sua Família com um

Problema de DROGA?

Quer ajuda?
Procure

FAMÍLIAS ANÓNIMAS
ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE FAMÍLIAS ANÓNIMAS
5ª Feiras 3ª Feiras 3ª Feiras 3ª Feiras 3ª Feiras 21.30 H 21.30 H 21.30 H 16.00 H 21.30 H

SEDE NACIONAL: Rua Manuel Almeida Vasconcelos - Lote 52, 2º Dtº Quinta do Barão • 2775 CARCAVELOS • Telf./Fax: (01) 453 87 09 GRUPO LOCAL: PORTO - Antas - Rua Naulila, 312 CRISTO REI - Centro Paroquial de Cristo Rei FOCO - Centro Paroquial do Foco FOZ - Rua Marechal Saldanha GONDOMAR - Centro Social de VALBOM

Famílias Anónimas é um programa de entreajuda para todos aqueles que enfrentam problemas de consumo de drogas ou de comportamento de um familiar ou amigo. Completamente anónimo, não pro ssional e não religioso. Não são devidas jóias ou quotas. Não está ligado a qualquer instituição.

2010

8 07

C I DA DA N I A
VILA DA MADALENA

O dever de estar presente nas Assembleias
Filipa Barbosa Até finais de 2009 nunca estive presente em qualquer Assembleia de Freguesia. É certo que nas primeiras sessões a que assisti, enervei-me um pouco com o que ouvia e via. Contudo, a partir do momento em que me apercebi que são acontecimentos memoráveis, dificilmente me poderão “marcar falta”. Não me cabe o papel de manifestar votos de protesto, nem tão pouco de apresentar recomendações. Apenas deixarei algumas sugestões: - Gostaria que na Madalena se pudesse praticar uma política de proximidade, de interesses comuns. Espero poder ouvir falar, de forma concisa, do que foi feito em determinado período de tempo e os projectos para um futuro próximo; por parte da Oposição, gostaria de ouvir sugestões práticas, medidas alternativas…tudo em prol de uma melhoria da vida dos Madalenenses. - Temos um Presidente que, pela boca da Oposição não quer equipamentos sociais, nem a criação de emprego! Quem é que pode ouvir isto e calar? Isto mais parece uma gravação, ou um disco rachado. Que tal podermos assistir, pela Oposição, a uma ou outra sugestão de um local alternativo, adequado ao equipamento social (creche e centro de dia) e, preferencialmente que sirva o objectivo desse equipamento sem colocar ninguém em risco e, não obrigue a demolir parte de edifícios em utilização ou mesmo até, alguma casa habitada. - Na última Assembleia, atendendo à rapidez com que um membro da oposição lia questões às 00:15h, foi-me possível tomar notas de todas as perguntas feitas ao executivo e, denoto aqui o franco interesse para a população da maior parte delas, nomeadamente: qual é o funcionário que actualmente recebe o abono para falhas; qual o gasto em material de expediente por sala; como é que se tornou possível legalizar campas apenas por determinado jazigo ser enfeitado semanalmente (!!!?); porque se encerrou a secretaria do cemitério; a reunião com a enfermeira, terá sido com a pessoa correcta do respectivo pelouro do executivo; uma enfermeira que vasculha a aptidão de outra enfermeira; o encerramento do posto de enfermagem (informação obtida através de duas Madalenenses utilizadoras daqueles serviços!); a quantidade de banhos vendidos nos Balneários da Costa… - Quando se pretendem aprovar Actas, não serão os erros dactilográficos uma questão a ser tratada fora da Assembleia? São documentos extensos e em nada melhora a vida dos Madalenenses que a discussão desta correcção ocorra entre portas da Assembleia. Aliás, o mesmo terá sido referido nesta Assembleia, mas pouco tempo depois, alguém se voltou a esquecer… - A certa altura afirmou-se que a diferença de remuneração do actual Presidente do Executivo face ao anterior, se prende apenas com o facto de agora se tratar de uma pessoa já aposentada. Porque não, passar a ser uma regra “moral”, a opção por pessoas aposentadas para encabeçar as listas? Poderia ser considerado um exemplo de esforço suplementar, já que estamos em tempo de crise. - Nestes actos solenes de democracia gostava de assistir a uma demonstração de respeito e educação, por quem ora e por quem escuta. Estranhei a existência de uma “vuvuzela” permanente na sala e, denote-se que me encontrava numa das últimas filas de cadeiras. Educação, de facto, ou se tem ou não se tem e… é tão simples quanto isso. - A experiência e a excelência de governação autárquica conseguese com tempo, talvez cometendo alguns erros, desde que se aprenda com eles, com análise pormenorizada dos diversos assuntos, com muita dedicação e paciência e, acima de tudo, ouvindo as preocupações constantes e diárias dos fregueses. Da mesma forma, os Madalenenses poderão ter vantagens quando conseguirem ter uma Oposição mais experiente no seu papel e, com vontade efectiva de colaborar, não necessária e obrigatoriamente com o executivo mas, pelo menos, com a população; Por uma questão de curiosidade, transcrevo a origem e um dos significados possíveis da palavra “Assembleia”: “Do lat. *assimuláre, «pôr em conjunto; juntar», pelo fr. assemblée, «assembleia»); reunião dos membros de um grupo ou organismo, regularmente convocados para deliberar sobre assuntos particulares ou de interesse público.” Despende-se dinheiro do erário público para, em cada Assembleia de Freguesia, custear a presença do Presidente da Assembleia, Secretárias, Membros do Executivo e Membros da Assembleia. Não será o objectivo reunir, para que em conjunto deliberem sobre assuntos de interesse público, justificando assim a despesa? Meus Senhores: cansar, adiar, atrasar, entediar, não é de interesse público e uma oposição experiente não actua definitivamente desta forma. Um auditório repleto incomodará? Talvez. Mas conformem-se porque há gente entediada, que pacientemente… vai continuar a marcar presença nestas Assembleias.

Notas do Presidente da Assembleia
Alfredo Napoleão - Presidente da Assembleia de Freguesia conforme estipulado no art. 13.º da Lei 5-A/2002. Em relação às Sessões Extraordinárias, estas podem ser solicitadas a todo o tempo, pelo Presidente da Assembleia, pelo Presidente da Junta de Freguesia, por um terço dos seus membros ou por um número de cidadãos eleitores inscritos no recenseamento eleitoral da Freguesia, obedecendo a alguns requisitos, com uma antecedência mínima de cinco dias, conforme também preceitua o art. 14.º da mesma Lei. Em cada uma das Sessões Ordinárias da Assembleia de Freguesia é apreciada uma informação escrita do Presidente da Junta acerca da actividade exercida por si ou pela Junta, no âmbito de competência própria ou delegada, bem como da situação financeira da Freguesia, conforme está plasmado na Lei 169/99, com a nova redacção da Lei 5-A/2002. A primeira nota que gostaria de referir, prende-se com as Sessões Ordinárias que regularmente vão tendo lugar, particularmente no que toca ao Período Antes da Ordem do Dia. Como sabem, aberta a sessão, chamados os elementos do órgão, verificadas as presenças e substituições e, essencialmente, a existência de “quórum”, (número mínimo de elementos para que a Assembleia possa deliberar), entra-se no Período Antes da Ordem de Trabalhos ou Antes da Ordem do Dia. Os pontos da Ordem de Trabalhos, que constam da convocatória, não esgotam os assuntos. É natural que os autarcas pretendam informações, discutir outras questões, suscitar problemas, aprovar moções, questionar o Executivo, apresentar reclamações e sugestões. Em suma, o Período Antes da Ordem do Dia, destina-se fundamentalmente a abordar os mais variados assuntos, que não constam da convocatória. Para evitar que se eternize, os regimentos contêm limites à sua duração. De acordo com a Lei 5-A/2002, não devem exceder sessenta minutos, devendo restringir-se “aos assuntos gerais de interesse para a Freguesia”. Tudo isto para vos referir que estes preceitos não têm sido respeitados nas nossas Sessões Ordinárias, no que diz respeito ao Período Antes da Ordem do Dia. São tratados todos os assuntos possíveis e imaginários, muitos deles sem qualquer interesse para a Freguesia sendo por vezes a mesma questão apresentada duas vezes por elementos diferentes do mesmo grupo político. Sinal evidente que o trabalho de casa não foi suficientemente bem elaborado, originando desacerto no grupo e consequente perda de tempo da Assembleia. Neste sentido e de forma a rentabilizar todo o tempo disponível, é minha intenção gerir de forma mais rigorosa e apertada utilização desse tempo, de acordo com a lei, bem como a natureza dos temas trazidos à colação, de forma a evitar que certas intervenções possam parecer autênticos “comícios políticos”. Para concluir, uma última nota, por sinal, muito positiva que não quero deixar de evidenciar. O Público, os MADALENENSES. Têm sido inexcedíveis no acompanhamento dos trabalhos desta Assembleia. Quero-vos prestar a minha homenagem e o meu reconhecimento pela forma como têm acompanhado os trabalhos desta Assembleia. Esta é seguramente, a forma mais aliciante e motivadora para prosseguirmos o nosso trabalho, em prol do bem-estar e das melhores condições de vida de todos os Madalenenses. Bem hajam. Não poderia contudo finalizar estas considerações, sem formular a todos os Madalenenses, votos sinceros de umas ÓPTIMAS e merecidas FÉRIAS, com muita saúde e boa disposição.

Antes de mais, gostaria de dizer aos Madalenenses que não tenho, nem nunca tive, qualquer pretensão em ser escritor, ou até mesmo cronista. No entanto, sou tentado a escrever, de forma livre e espontânea algumas notas, de maior ou menor relevância, sobre factos que entretanto vão ocorrendo nesta Assembleia de Freguesia e que contribuem para que os Madalenenses possam estar cada vez mais informados e esclarecidos. Fazendo um pouco de história e dando a conhecer alguns aspectos funcionais, gostava de referir que enquanto a Junta executa, administra e governa, a Assembleia de Freguesia discute e define as orientações gerais, exactamente como sucede, a outro nível, com a Assembleia da Re-

pública. Compete à Assembleia acompanhar e fiscalizar a actividade normal da Junta, sem prejuízo do exercício normal desta e das suas competências; a acção de fiscalização e acompanhamento consistem numa apreciação concreta, posterior à prática dos actos pela Junta de Freguesia. A título informativo gostava de informar os Madalenenses que a Assembleia de Freguesia tem, anualmente quatro Sessões Ordinárias, em Abril, Junho, Setembro e Novembro ou Dezembro, que são convocadas por edital, (sendo este afixado nos locais de estilo da Freguesia e na própria Junta de Freguesia), por carta com aviso de recepção ou através de protocolo com uma antecedência mínima de oito dias,

EDUCAÇÃO e ENSINO
VILA DA MADALENA

2010

9 07

Agrupamento comemorou o seu dia
Manuel Joaquim Correia da Silva, Director do Agrupamento de Escolas da Madalena No passado dia 5 de Junho, comemorou-se, pela primeira vez, o Dia do Agrupamento de Escolas da Madalena, que, ao longo da tarde e noite, contou com a presença de cerca de um milhar de pessoas, maioritariamente, alunos, pais, familiares, pessoal docente e não docente. A iniciativa foi promovida em parceria com a associação de pais da escola-sede, nela tendo também participado as associações de pais das demais escolas do agrupamento, e alguns artesãos, que expuseram os seus trabalhos aos forasteiros. Esse evento constituiu o ponto alto de mais um ano lectivo, tendo tido como propósitos essenciais: • Celebrar o Dia Mundial do Ambiente, porquanto somos uma EcoEscola; • Reforçar o sentido de pertença, cimentando uma maior proximidade e cumplicidade entre todos os membros da comunidade educativa; • Incentivar a comunidade educativa a participar, cada vez mais, na vida das nossas escolas; • Reconhecer, valorizar e premiar os resultados escolares, nos domínios curriculares e das atitudes. Através do “Reconhecimento Público de Mérito”, iniciativa igualmente inédita no nosso agrupamento, procuramos prestar homenagem aos alunos que, no ano lectivo 2008-2009, se distinguiram não apenas pelo bom desempenho ao nível escolar, mas também pela sua conduta, mormente pelo respeito evidenciado relativamente a terceiros, e pelo sentido de justiça, tolerância, solidariedade e honestidade. Porque o merecem, eis, pois, o nome de cada um desses alunos: Adriana Maria Rodrigues Magalhães, Adriana Tavares da Silva Soares, Alexandre Oliveira Sala, Amélia Helena Angélico Fidalgo, Ana Catarina Gomes Branco Pereira, Ana Catarina Soares Rodrigues da Silva, Ana Filipa dos Santos Ribeiro, Ana Miguel Marques Cardoso, Ana Patrícia de Castro Peneda, Ana Sofia Pereira Mota, André Filipe Pinto Gonçalves, André Macedo da Costa, Bárbara Sofia Coutinho Teixeira, Beatriz da Silva Castro, Bernardo Sá de Sousa, Catarina da Silva Oliveira, Catarina Moreira Soares, Cátia Ângela Pinto Moreira, Cláudia Raquel Tavares Conceição, Cláudia Sofia Moreira Freitas, Daniel Ricardo Tavares Alves, Diana Filipa Soares Santos, Diogo André Pinto Batista, Filipe Daniel Nogueira Barbosa Pereira, Francisca Sofia Miranda O. Pimenta, Francisco Gomes Pedra Moreira Ramos, Gabriela Gonçalves Pereira, Gonçalo Manuel Vitorino Santos, Helena Isabel Meireles Lopes, Inês Catarina Jesus Lima Leal, Inês Ribeiro da Silva de Lima Santos, Joana Filipa Mota Carrinho, Joana Loureiro Rangel, João António Morgado Parada, João Bernardo Coutinho dos Santos, João Daniel Teixeira de Freitas, João Pedro de Sousa Santos, João Pedro Meireles Pinto Moreira, João Pedro Pinto da Costa, Laura Maria Oliveira Costa, Liliana Sofia da Silva Pereira, Luís Pedro Marques Poças, Mariana Martins Magalhães, Mariana Pinto Ferreira, Mariana Teixeira de Jesus, Marta Gomes Pinto Basto, Marta Sofia Ribeiro Pereira, Micael Moreira Monteiro, Nuno André Pires Coelho, Nuno Fernando Rodrigues e Sousa, Nuno Rafael Miranda dos Santos Lai, Patrícia Isabel da Silva Longo, Patrícia Raquel Martins dos Santos, Pedro Nuno, Filipe Caranguejeiro, Rafael Filipe da Silva Dias, Rafaela Tavares Seixas, Raquel Alexandra Nunes Palos, Ricardo Antunes Lopes Soares, Ricardo Gil Alves Heleno Monteiro, Rita Sofia Baldaia Alves, Sara Alexandre Afonso Araújo, Sara Daniela Soares Rodrigues Silva, Sérgio Miguel Rodrigues Martins, Sofia Carolina Silva Ferreira, Sofia Cristina Ribeiro Eira-Velha, Sofia Santiago Gomes, Tiago Filipe Rocha Barros, Tiago José Pinto Correia, Tiago Nuno Dias da Rocha Brito, Tiago Rafael Alves Rocha. Espelhando o excelente clima de entendimento e cooperação, que não queremos deixar de enaltecer, foi com particular agrado que, uma vez mais, pudemos contar com o apoio da Junta de Freguesia, que presenteou cada um dos alunos supra mencionados com um livro e nos deu a honra da sua presença. Não obstante o período difícil que atravessamos, a todos os madalenenses, votos sinceros de umas férias retemperadoras.

Formação Modular Certificada
Informática - 125h Acompanhamento de Crianças Processo de socialização, técnicas de animação, planificação e programação das actividades do quotidiano da criança - 125h. Técnicas de expressão e actividades práticas em creches e jardins de Infância - Expressão dramática, expressão musical, expressão plástica - 125h. Recursos Humanos - Comunicação no atendimento, processos de recrutamento, selecção e admissão, processamento de vencimentos, balanço social, mapas de pessoal - 125h. Técnico de Contabilidade - Noções de fiscalidade, imposto sobre o valor acrescentado (IVA), imposto sobre o rendimento (IRS), imposto sobre o rendimento (IRC)) - 175h.

A Mudança
Joel Reis Cunha Destinam-se a adultos com idade igual ou superior a 18 anos e deverão ter pelo menos o 4.º ano de escolaridade completo. A todos os formandos é atribuído um subsídio de alimentação de 4,27 euros/dia de formação. NOTA: Este valor nada interfere com outros apoios recebidos pelos formandos, nomeadamente subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego, nem rendimento social de inserção, pelo que a aposta nestes percursos formativos são em tudo uma vantagem. INSCREVE-TE NA JUNTA DE FREGUESIA OU NA BALOIÇO DO TEMPO-ASSOCIAÇÃO. Tudo muda. É inevitável. “Todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades”, como dizia Camões. É um facto incontornável para o qual não há alternativa. Chega a ser uma condição para a existência de vida. A mudança é uma característica da Natureza e, exceptuando as leis da Natureza, não há como não mudar. Já alguém tentou parar, fazer-se eternamente jovem? À luz dos nossos conhecimentos actuais não é de todo possível. Bom, talvez haja uma secreta esperança vinda de Einstein ou da Física Quântica ou mesmo duma tal de Entropia. Aguardemos! A grande consequência da mudança é a adaptação. Desde Darwin que o sabemos. O pescoço da girafa não “cresceu” para se adaptar às folhagens elevadas? E não estamos nós a perder gradualmente os sisos pelo facto da nossa ementa ter deixado de ser tão exigente para com a nossa dentição e aparelho digestivo? A adaptação traduz a capacidade plástica de sobrevivência, o poder de encaixe do ser ao meio, a única via de reposição do equilíbrio ferido pela mudança. A mudança é em si um acto de adaptação, porque surge da necessidade de ajustar o que está desajustado: o desajustamento gera tensão e desconforto que, por sua vez, precipita a mudança. A mudança é uma transição, uma passagem de um estado para outro com “novas qualidades”. As transições são momentos importantes porque nelas intervêm invariavelmente rupturas e hábitos. A despedida dalgumas rotinas que cedem lugar a novos comportamentos, como acontece na aprendizagem, pode fazer-se com alguma resistência. Cada um reage à mudança à sua maneira, esgrimindo a sua artilharia pessoal de forma mais ou menos musculada, manifestando maior ou menor vontade de adaptação. Mas há um consenso generalizado sobre as boas práticas acerca desta matéria, uma espécie de manual cultural aprendido na convivência familiar, escolar, social que prescreve o leque de reacções a ter em conteúdo, forma e intensidade. A quebra de velhos hábitos tanto pode ser acompanhada de sofrimento como de alegria, tanto pode ser um manifesto de tristeza como de regozijo. No crescimento, tal como noutras áreas, a transição é obrigatória mas a crise é opcional. Esta é uma introdução a um ciclo de temáticas relacionadas com a Psicologia. Nele serão abordadas questões como o desenvolvimento, a educação, o papel dos pais, a doença mental, a sexualidade, a dor, o raciocínio, as emoções, os impulsos, a escolha vocacional, a depressão, a hiperactividade, o défice de atenção, os distúrbios do comportamento alimentar, as dependências, a auto-estima, todo um leque assuntos que ajudem a compreender a complexidade de que se reveste o ser pensante.

Cursos com início em Setembro
Prevenção em Primeiros Socorros - 50h Técnicas de Socorrismo - 50h. Técnicas de Acção Educativa Acompanhamento em creche e jardim de infância - técnicas pedagógicas, modelos pedagógicos, acompanhamento em creche e jardim de infância - áreas de conteúdo - 125h. Técnico de Higiene e Segurança no Trabalho - Fundamentos gerais de higiene do trabalho, fundamentos gerais de segurança no trabalho, segurança no trabalho – avaliação e controlo de riscos, segurança no trabalho – equipamentos ) 125h. Estas acções procuram elevar os seus níveis de qualificação profissional através do acesso a módulos de formação de curta duração.

Centro de Formação Profissional Sector Terciário do Porto

Processo RVCC - 9º Ano
Inscrições:
Inscricões na JUNTA de FREGUESIA da MADALENA

Contactos: 910 279 273 220 924 613

10 07
2010

ACÇÃO SOCIAL, AMBIENTE e CULTURA
VILA DA MADALENA

ADPM celebra

Dia Mundial do Ambiente
Presidente da Junta de Freguesia, Mercês Ferreira (vereadora do Ambiente da Câmara Municipal de V. N. de Gaia) , José Maciel (Presidente das Águas de Gaia, EEM), o Comandante Barros Loureiro dos Bombeiros de Valadares e o Sargento Couceiro, representante da Capitania do Porto de Leixões. de sensibilização e por isso a ADPM apostou na reformulação do seu site tornando-o mais apelativo, funcional e didáctico. Agora ao passo de um “click” é possível conhecer melhor esta Associação, assim como a sua história, os seus objectivos e informações sobre o desastre ecológico com o navio Reijin ( que ditou a fundação desta Associação). As futuras actividades a desenvolver e notícias sobre o ambiente serão também frequentes, uma vez que esta será uma nova forma de contacto entre a ADPM e os seus sócios e colaboradores assim como todos aqueles que estão sensibilizados para esta causa. de fotografia e do Ambiente estão convidados a mostrarem o seu olhar fotográfico sobre a nossa freguesia. Os participantes devem enviar os seus trabalhos para a secretaria da Junta de Freguesia até ao dia 17 de Setembro. Os resultados deste concurso serão divulgados a 7 de Dezembro. O regulamento do concurso pode ser consultado no site da ADPM, assim como as inscrições.
Concurso de Fotografia

Campanha de sócios
A 5 de Junho celebra-se o Dia Mundial do Ambiente. Para assinalar esta data, que este ano teve mais simbologia por 2010 ser o Ano Internacional da Biodiversidade, a Associação de Defesa da Praia da Madalena organizou juntamente com a Escola EB2/3 da Madalena algumas iniciativas. A ADPM centrou as suas actividades junto da camada mais nova na nossa freguesia por estar nas mãos destes o futuro do ambiente, e porque muitas das vezes são ao mais jovens que alertam os adultos para as problemáticas ambientais. Daí a comemoração do Dia Mundial do Ambiente ser um dia de sensibilização e ter a EB2/3 da Madalena como parceira. Correia da Silva, Director do agrupamento de escolas, foi um dos intervenientes na palestra justamente subordinada ao tema do ambiente e da biodiversidade. Estiveram ainda presentes os dirigentes e associados da ADPM bem como Francisco Leite, A Associação está ainda a realizar uma campanha de novos associados. Para tal, basta aceder ao site da ADPM e preencher a ficha de inscrição para integrar esta associação que há 20 anos protege o Ambiente na nossa freguesia da Madalena.

Madalena e Ambiente
Entrega as tuas fotografias na
JUNTA DE FREGUESIA DA MADALENA Rua António Francisco de Sousa, n.º 491 4405-726 Vila Nova de Gaia.

Site com nova cara
Nesta sessão comemorativa foi lançado o site da ADPM, que poderá ser consultado em www. adpmadalena.com. As novas tecnologias são também um meio

Concurso de fotografia “Madalena e ambiente”
Durante as comemorações do Dia Mundial do Ambiente a ADPM lançou oficialmente o concurso de fotografia “Madalena e Ambiente” . Nesta iniciativa todos os amantes

Consulta o regulamento em
http://www.adpmadalena.com/

Organização: Associação de Defesa da Praia da Madalena

Apoios

Jogos Juvenis de Gaia
O RFEÃO DA M ADALENA
FUNDADO EM 01 DE JANEIRO DE 1927 PESSOA C O L E C T I VA D E U T I L I D A D E P Ú B L I C A MEMBRO HONORÁRIO DA ORDEM DO MÉRITO

A Junta de Freguesia da Madalena participou com uma delegação de 54 atletas nos XXIX Jogos Juvenis de Gaia, realizados pela Gaianima, EEM., que decorreram, nos meses de Abril, Maio e Junho, com as jornadas centralizadas no Pavilhão Municipal e na Escola EB 2/3 da Baiza. A Madalena esteve representada nas modalidades de Andebol de 7, Andebol à Roda do Círculo, Futebol de 5, Voleibol e Ténis de Mesa. Neste evento o importante é proporcionar aos jovens a possibilidade de praticar desporto, provando, de uma forma saudável, a emoção da competição. O resultado não é muito importante, mas sabe sempre bem obter boas classificações. Assim, podemos afirmar que, para além do êxito que foi a participação da Freguesia da Madalena, no que diz respeito ao entusiasmo gerado nos atletas e ao convívio que entre

eles se viveu, se obtiveram resultados interessantes: um 1.º lugar em Ténis de Mesa, um 3.º lugar em Andebol e em Voleibol e honrosas participações nas restantes modalidades. É de destacar o bom trabalho desenvolvido pelo Clube Atlântico da Madalena e pelo Ideal Clube Madalenense, na captação de atletas e na dinamização da fase de freguesia. Por último, uma palavra de apreço para as dinamizadoras Ana Vieira e Ana Rita, bem como para os treinadores das modalidades, Vítor Martins, Mário Ferreira e Pedro Soares, pelo excelente trabalho desenvolvido. A participação da Freguesia da Madalena nos Jogos Juvenis de Gaia encerrou com a distribuição de prémios, seguida de um lanche convívio, acções que tiveram lugar nas instalações da Junta de Freguesia.

JUVENTUDE e DESPORTO
VILA DA MADALENA

11 07
2010

Atlântico em Festa
lugar no campeonato nacional. Equipa Sénior sagrou-se campeã regional da 1.ª divisão. A secção de ténis de mesa contribuiu ainda este ano com outros triunfos em iniciados masculinos, individualmente por Diogo Machado e graças às duplas Diogo Machado/Pedro Nunes e Pedro Nunes/Raquel Martins. No voleibol, Artur Resende foi distinguido melhor atleta do ano e Filipe Costa a revelação, ambos atletas da equipa de infantis. Na festa de aniversário tivemos a colaboração musical dos nossos amigos Eduardo Loureiro, Fernando Jorge Almeida, João Freitas, Rosalina Machado, Adolfo Bastos e Mário Bernardino e da Tuna Académica da Faculdade de Economia do Porto e o Clube Atlântico da Madalena quis homenagear ainda em breve cerimónia Francisco Leite, Vítor Hugo Gomes, Vítor Martins e João Pato, e distinguir a Gaianima EEM, representada pelo seu Director Fernando Ribeiro, pela cooperação institucional. A época desportiva de 2009/2010 veio a saldar-se pela conquista de 5 títulos de campeão nacional, 4 segundos lugares e 5 terceiros lugares, prenda excepcional que os atletas acabaram por oferecer ao “Atlântico da Madalena” neste seu aniversário, que a distinção na Gala da Associação de Ténis de Mesa do Porto aos nossos campeões nacionais com atribuição dos prémios de “melhor atleta do ano” e de “melhor treinador do ano” ao jogador Pedro Nunes e ao técnico Serafim Vitorino, respectivamente, veio tornar mais saborosa.

Actividades do Ideal
Cerca de três meses volvidos desde a última edição do nosso Jornal da Vila da Madalena, o Ideal Clube Madalenense como uma das forças vivas da nossa Vila no que diz respeito ao Associativismo, já realizou diversos eventos, e muitos mais estão programados pois somos uma instituição que está sempre em movimento constante, seja no desporto, na cultura ou na própria ajuda à sociedade civil. Informações e eventos realizados e a realizar pelas Secções desportivas do Ideal Clube Madalenense: PESCA DESPORTIVA - Actividades: Surf Casting – Subida de 3 atletas ao nacional da 2.ª Divisão, Subida de um atleta ao regional da 1.ª Divisão. Pesca à Bóia – 3 atletas a disputar o Nacional da 1.ª Divisão. Concursos – I. C. Madalenense – 1.º classificado individual Mário Pereira; 1.º por clubes e 2.º por equipas. Naval Povoense – Participação na prova. APPCDM (Viana do Castelo) – 2.º classificado por equipas e 3.º individual. ANDEBOL - Actividades: VIII Torneio Internacional Manuel Martins, dias 2, 3 e 4 de Abril, com a presença de 24 equipas num total de mais de 300 atletas e 50 agentes desportivos, incluindo equipas espanholas e cujos vencedores foram o F. C. Porto (Juvenis masculinos), o S. C. Salgueiros (Juvenis Femininos) e o S. C. Espinho (Iniciados Masculinos). Campeões Regionais no escalão de Juniores masculinos e Vencedores da Taça A.A.P. Organizámos a 1.ª Etapa oficial da A. A. Porto de Andebol de Praia (nos campos do Parque Marbelo) com mais de 600 praticantes. 17 a 24 de Julho participação no Torneio Maia Handebol Cup. Agosto - Organização do 48 horas de andebol de praia nos campos do Parque Marbelo na Madalena, dias 30 , 31 de Julho e 1 de Agosto. ANDEBOL VETERANOS - Actividades: A equipa de Veteranos Masculina do Ideal Clube Madalenense foi 1.ª classificada na zona Norte de Apuramento para a fase final, e sagrou-se posteriormente Vice Campeã Nacional de andebol (Campeonato do Inatel) no dia 13 de Junho em jogo realizado em Lisboa. Outros eventos realizados e a realizar pelo Ideal Clube Madalenense: Decorrem nas nossas instalações diáriamente Cursos das Novas oportunidades frequentados por diversos esclões etários. Organizámos a Noite de S. João, abrilhantada pelo conjunto Órbita, e com lançamento de fogo de artíficio. Realizámos no nosso salão o Musical “Ele Pagou por nós” baseado na Paixão de Cristo, interpretado pelo Coro Infantil de Gulpilhares, com imenso sucesso. Agosto/Setembro – Vamos organizar um Arraial Minhoto. Organização do Passeio Mistério. Como colectividade integrada na Sociedade e para a Sociedade, trabalhámos em colaboração com todos e estaremos sempre ao dispôr de todos, isto é o IDEAL CLUBE MADALENENSE.

No ano em que comemora o seu 40.º aniversário, o Clube Atlântico da Madalena recebeu boas prendas dos seus mais jovens praticantes, com significativas vitórias em Ténis de Mesa, a subida da equipa de seniores masculinos à 3.ª Divisão Nacional e o 3.º lugar obtido pela equipa de voleibol de infantis masculinos no campeonato nacional. Na festa realizada no dia 22 de Maio na sua sede, o Clube distinguiu os seus bi-campeões nacionais em iniciados: Pedro Nunes, Diogo Machado, João Miguel Sousa e Lulunzi Ntoni João, que conquistaram também vitórias individuais ou em pares, sob a orientação de Serafim Vitorino. A equipa feminina de infantis, integrada por Renata Paiva, Maria Inês Soares, Joana Soares e Beatriz Magalhães, que foi eleita revelação do ano, classificou-se em 3.º lugar no campeonato nacional. José Miguel Castelo Branco, Filipe Vitorino Pinto e Luís Miguel Silva foram campeões regionais de infantis e a equipa de cadetes constituída por Nuno Gonzaga (atleta do ano), José Rafael Gonçalves, Diogo Gama e Alexandre Cardoso, ficou em 3.º

A.T.M.P. distingue “Ténis de Mesa do Atlântico”

Olímpicos na 3ª Divisão Distrital de Futsal
Reabre a sede e vai participar no Campeonato Distrital de 3.ª Divisão de Futsal. A Direcção deste Clube, na oportunidade dada pelo Notícias da Madalena, informa todos os Madalenenses que reabriu a sua sede, sita na Rua da Costa, 224, no horário das 9 às 24 horas, bem como que, com o empenho da nova Direcção, foi possível recomeçar a modalidade de Futsal, que já nos deu grandes motivos de orgulho, tais como o de Campeões Regionais de Juniores da 2.ª Divisão da Associação de Futebol do Porto em 2002/2003. Nesta modalidade encontra-se inscrita para a época de 2010/2011, uma equipa sénior, na 3.ª Divisão Distrital da AFP, que irá disputar na nossa Freguesia os jogos do respectivo Campeonato, nas instalações do Pavilhão Municipal Atlântico da Madalena, com inicio no mês de Setembro. Os novos Corpos Gerentes para o mandato de 2010/2011,foram eleitos em Assembleia Geral, realizada no passado dia 22 de Março, sendo constituídos pelos seguintes associados: Assembleia Geral: Presidente, José Carlos Leitão; Vice-Presidente, Fernando Ribeiro, 1.º Sercretário, Vítor Rocha e 2.º Secretário Carlos Soares. Direcção: Presidente: António Mota André; Vice-Presidente, Diamantino Moreira; Tesoureiro, Joaquim Mota André; 1.º Secretário, Pedro Ribeiro, 2.º Secretário, Nuno Barbosa, Vogais José Ribeiro e Fernando Joaquim Ribeiro.

FANFARRA

Fanfarra Juventude da Madalena
Rua Beco do Sameiro – Madalena – Vila Nova Gaia

CONVOCATÓRIA
termos Estatutários convocam-se os senhores associados para reunirem em Assembleia Geral Ordinária, no próximo dia 22 (Domingo), pelas 09.000 horas, na sede social, sita na Rua Beco do Sameiro – Madalena, a fim de tratar da seguinte Ordem de Trabalhos: Leitura e aprovação da acta da Assembleia Geral anterior. Leitura, discussão e aprovação dos Relatórios e Contas de 2008 e 2009. Eleição dos Corpos Gerentes para o biénio de 2010 e 2011. 30 minutos para tratar de assuntos de interesse para a Colectividade Se à hora marcada não estiver presente o número de sócios necessários, a mesma realiza-se uma hora depois com o número de sócios presente. Madalena, 2 de Agosto de 2010
O Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Fernando da Silva Ribeiro

12 08
2010

ÚLTIMA PÁGINA
VILA DA MADALENA

Do Sonho à Realidade
No seguimento das obras de modernização das instalações do Infantário da Casa do Povo da Madalena, realizou-se no passado dia 28 de Maio uma visita para verificar o desenvolvimento das mesmas, esta visita contou com uma delegação da Câmara Municipal de Gaia, estiveram presentes o Sr. Vice-Presidente da Câmara Marco António Costa, os Srs. Vereadores Firmino Pereira e Amélia Traça, o Sr. Presidente da Junta Francisco Leite, e alguns jornalistas, na visita foi consensual a agradável surpresa pelo edifício estar bastante adiantado, verificando-se o cumprimento integral dos prazos previamente estabelecidos, tendo sido enfatizado pelos presentes a beleza e a funcionalidade do mesmo. Assim o Sr. José Rangel da Costa (Presidente da Casa do Povo) reafirmou que as novas instalações deverão estar concluídas para que em Março do próximo ano possam as nossas crianças usufruir delas, adiantou ainda que o problema maior são os constrangimentos financeiros porque este edifício custará cerca de 870.000 euros mais o mobiliário para o equipar, e que o esforço suplementar que a Instituição fez e está a fazer com as instalações provisórias montadas na Escola do Maninho (espaço este gentilmente cedido pela Câmara) e para as refeições, despesas estas que são na íntegra da responsabilidade da instituição, e que se prevê que em doze meses totalizem 120.000 euros, este esforço suplementar poderá ser o único obstáculo a ultrapassar, para a concretização do SONHO. O Sr. Presidente da Junta, elogiou o desenvolvimento dos trabalhos disponibilizando-se na medida do possível, em ajudar a Instituição mormente em aspectos administrativos e logísticos, realçando o empenhamento de todos os membros que coordenam todo o processo de modernização do Infantário. Por sua vez o Vice-Presidente da Câmara realçou a capacidade de trabalho, de coragem e de energia do Sr. José Rangel em ter abraçado este projecto e em ter a coragem de o tornar realidade, exaltando assim que esta Instituição e o seu Presidente são uma lição, o exemplo cabal para aqueles que são pessimistas por natureza e que estão sempre do lado do problema e nunca se esforçam para encontrar soluções. Esta instituição é a força viva da vontade, do crer, da ambição e de dinamismo. Paralelamente a esta visita muito agradável, tem-se realizado quinzenalmente visitas á obra com todos os elementos dos órgãos sociais da Instituição, tendo sido também realçado o bom e rápido desenvolvimento do edifício. Realizou-se no passado dia 2 de Julho a festa dos nossos meninos, nas instalações do Ideal Clube Madalenense á qual nos sentimos muito gratos quer pela cedência do espaço, quer pela colaboração demonstrada, na pessoa do seu Presidente o nosso muito obrigado. Esta festa contou com a presença do Sr. José Barbosa representando a Junta de Freguesia, tendo sido evidente toda a satisfação dos pais, convidados e familiares na alegria, entusiasmo e satisfação com que as nossas crianças representaram, cantaram e dançaram. As crianças efectivamente são o melhor do mundo. Gostaríamos de fazer um agradecimento a todos os pais que têm sido compreensivos e sensíveis em perceberem que apesar desta fase transitória e provisória ela é a alavanca para o futuro melhor quer em condições físicas, de serviços e pedagógicas. Nesta festa o Presidente da Direcção, Sr. Rangel da Costa enfatizou o excelente trabalho de todos os colaboradores da Instituição realçando o trabalho fantástico das Educadoras. Para finalizar gostaríamos de salientar que as inscrições para a Creche e para o Pré-Escolar para o novo edifício (Março de 2011) se encontram abertas e agradecendo aos Pais que o pretendam fazer, que se desloquem às instalações provisórias na Escola do Maninho ou o façam pelo contacto 227 120 978.

Os Nossos Seniores em Convívio
Realizou-se, no passado dia 15 de Julho, o “PASSEIO ANUAL DOS NOSSOS SENIORES”, que teve como destino a Quinta do Cruzeiro, freguesia de Vile, Caminha. O evento teve a participação de mais de 400 pessoas, que se fizeram transportar em 8 autocarros. A caravana foi acompanhada por uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Valadares, instituição humanitária à qual desde já endereçamos os nossos agradecimentos pela disponibilidade, habitual aliás, enaltecendo o zelo e a simpatia demonstrados por parte da tripulação no acompanhamento e apoio prestados. A comitiva efectuou paragem no Monte de Santa Luzia, Viana do Castelo, em cuja igreja foi celebrada uma missa em homenagem aos madalenenses que já partiram, tendo, de seguida, rumado à Quinta do Cruzeiro. Fomos muito bem recebidos, nas óptimas instalações daquela unidade hoteleira, tendo-nos sido servido um almoço muito bem confeccionado e farto. Não podemos deixar de realçar o profissionalismo e afabilidade de todo o pessoal, a qualidade do serviço, bem como a excelência das instalações. Durante o almoço, tivemos a honra de contar com a presença do Vereador do Município de Gaia, Dr. Mário Fontemanha, em representação do Sr. Presidente da Câmara, e do Sr. António Barbosa, adjunto do Sr. Vice-Presidente da Câmara. Atendendo aos compromissos que tinham, os convidados retiraram-se após o almoço, não sem que antes o Vereador, Dr. Mário Fontemanha, tenha dirigido aos presentes algumas palavras de circunstância. Tendo começado por agradecer o convite, referiu que era a primeira vez que, a convite endereçado para o efeito, o Presidente da Câmara se fazia representar num almoço de convívio dos “Seniores da Madalena”. A atitude que consistia na falta de convite formal ao Presidente da Câmara, constantemente reiterada pelo anterior Executivo da Junta de Freguesia, contrastava com a das outras freguesias do concelho. Referindo-se à Madalena, afirmou que era já notória a diferença de estilo na gestão da freguesia, e que os resultados começavam a aparecer, tais como as obras de beneficiação da rede viária e o desenvolvimento de novos projectos, dos quais destacou o prolongamento da Av. da República até ao mar, que servirá fundamentalmente a Madalena, permitindo uma melhor acessibilidade à freguesia, nomeadamente às suas praias. Terminou, desejando a todos um dia bem passado e uma boa viagem de regresso a casa. Seguiu-se, então, uma tarde de animação, durante a qual se dançou ao som da orquestra, que terminou com a intervenção do Presidente da Junta de Freguesia, que referiu alguns aspectos que considerou importantes. Uns para fazer o ponto da situação em relação a alguns processos em curso, outros para esclarecer alguns boatos postos a circular, que deviam ser desmontados. E sobre os rumores, começou por referir que aquele que afirmava que o Passeio dos Nossos Seniores não se faria, estava, ali mesmo, cabal e efectivamente desmentido, reafirmando que o passeio será para manter nos anos vindouros, desde que a situação financeira o permita; quanto ao Gabinete de Enfermagem informou que nunca foi intenção do Executivo encerrá-lo, como tinham posto a circular, criando angústia em alguns madalenenses mais carenciados deste serviço, mas sim tentar alargar o seu horário de funcionamento, para além do horário normal do Posto de Saúde; quanto aos rumores que referiam o fim do apoio à ASSM esclareceu que tudo se tem mantido tal como quando chegaram à Junta, salientando o Centro de Convívio, a funcionar na Casa das Tílias, espaço que a Junta cede à Associação de Solidariedade Social da Madalena,a custo zero, afirmando não ser intenção da Junta alterar a situação, aproveitando para esclarecer que o seu funcionamento era da exclusiva responsabilidade da ASSM, pelo que qualquer alteração de horário ou de funcionamento seria totalmente alheio à Junta de Freguesia; no que diz respeito aos projectos para o futuro salientou o Centro de Saúde, em relação ao qual informou que, em conversa muito recente tida com o Sub-Director da Administração Regional de Saúde do Norte, lhe foi comunicado que o processo estava pronto para ser lançado a concurso; quanto ao alargamento do cemitério, comunicou que o processo está a decorrer e espera-se que poderá ter um desfecho favorável, durante este mandato; referiu ainda as obras em curso na rede viária, pedindo paciência para os contratempos que acarretam. Procedeu-se, então, ao corte do bolo comemorativo, oferta da Quinta do Cruzeiro, seguido de um brinde à Madalena, ao qual os presentes se associaram entusiasticamente. Em jeito de conclusão poderemos afirmar que o passeio foi um êxito, testemunhado por todos os presentes, que manifestaram o seu agrado pelo dia de convívio muito bem passado. Esperemos que para o próximo ano, haja condições financeiras para se voltar a realizar.

Ficha Técnica: Notícias da Madalena - registado na ERC | Director: Francisco Leite | Director Adjunto: Vitor Rocha | Redacção: Alfredo Napoleão, Fernando Ribeiro, Francisco Leite, J. Serafim Freitas, Mário de Almeida e Vitor Rocha | Colaboradores: Alfredo Napoleão, Correia da Silva, Fernando Couto, Fernando Ribeiro, Filipa Barbosa, Joaquim Pinto, Joel Cunha, Joel Freitas, L. Miguel Moreira, Luis Carrinho, Miguel Almeida e Sandra Fernandes | Fotografia: Fernando Ribeiro, Francisco Leite, Joaquim Pinto, José Barbosa, Marco Ramos e Serafim Vitorino | Arranjo Gráfico: Daniel Gaspar | Impressão: Quadra - Produções Gráficas, Lda | Tiragem: 5.000 exemplares | Propriedade e distribuição: Junta de Freguesia da Madalena - Rua António Francisco de Sousa, 491 | 4405-726 Vila Nova de Gaia | Telf. 227 151 170 | Fax 227 151 179 | E-mail: geral@jf-madalena.pt | noticiasdamadalena@jf-madalena.pt

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful