Você está na página 1de 3

z mcgill

na barriga do boi

denize

i
Denize, meu sol. Em primeiro lugar, perdoe minha longa falta em nossas correspondncias. Saiba que a saudade e a vontade que sinto quando penso em voc no minguaram, de forma alguma. Pelo contrrio, busco foras para tolerar o suplcio que causa a distncia que nos separa. Acontece que, nos ltimos dias, Jussara essa monstruosidade peonhenta que chamam de minha mulher foi acometida do mais alto grau de desconfiana e irritabilidade de que tenho conhecimento desde o malfadado dia em que nos casamos. Estvamos sentados mesa de jantar, na noite da ltima tera-feira, quando a infeliz largou os talheres sobre o prato e iniciou uma srie de perguntas sem sentido, imersa num estado de alterao que me deixou atemorizado. Depois disse que havia encontrado, minimizado na tela do computador, um daqueles nossos e-mails fogosos, recheados com a nossa intimidade, e finalmente me perguntou, entre os dentes cerrados: Quem Denize?. Pergunta qual recusei resposta retrucando com imediata indignao e fazendo a discusso enveredar para o mbito da invaso de minha privacidade. Me custa crer que tenha sido leviano a esse ponto! Todavia, cuidarei para que Jussara no tome mais cincia da nossa troca de mensagens e voltarei a lhe 15

escrever assim que possvel. Ela me vigia. Vigia o computador. Um inferno. Com carinho, Jofre.

ii
_enize, meu sol. Aproveito este momento em que a casa est vazia para lhe escrever e para confirmar o recebimento _e sua ltima mensagem. Sim, provvel que eu consiga subir a serra na prxima sexta-feira, sob o pretexto _e presi_ir um seminrio em Belo Horizonte. Como voc reparou, a quarta letra _o alfabeto sumiu _o tecla_o _o meu computa_or. Logo a letra que inicia o seu nome, o nome mais belo que h! Oh, pequena garbosa! Se voc soubesse o calor que sinto quan_o mentalizo nossos feria_os secretos em Saquarema! Envio notcias assim que possvel e assim que conseguir consertar o problema no tecla_o. A miservel chegou, preciso ir agora. Um beijo na sua coxa. Eternamente seu, Jofre.

iii
M&u sol. Jussara ficou louca! Foi &la qu&m arrancou a inicial _o s&u nom& _o t&cla_o. Agora, tirou o & tamb&m, com uma colh&r. Avisou ain_a, qu& as prximas l&tras s&ro o N, o I & o Z. No s&i mais o qu& faz&r com &ssa vaca! Por favor, t&nha paci&ncia. No posso subir a s&rra na s&xta-f&ira. Jofr&.

iv
Sol, &sta s&r a lt!ma v&s qu& m& comu~!co com voc&. Pr&c!so f!car com Jussara, &la ~o &st b&m. M& p&r_o&, por favor!

&u t& amo

16