PATOLOGIA GERAL – Diego Freitas Tavares – 3º ano MEDICINA

1) INFLAMAÇÃO: a) definição: *é uma resposta protetora do organismo à injúria, com o objetivo de destruir o agente agressor e reparar as lesões teciduais decorrentes da injúria *possui como componentes principais uma reação vascular e uma reação celular *os processos de inflamação devem estar em equilíbrio com os processos de reparação em que o tecido danificado é substituído por meio de regeneração de células parenquimatosas e preenchimento com tecido fibroso (cicatrização) *entretanto a inflamação e o reparo podem ser potencialmente prejudiciais: primeiro pode culminar em doenças como artrite reumatóide e o segundo em doenças como a fibrose pulmonar b) inflamação aguda: 1.características: *início súbito *curta duração (horas ou dias) *predomínio de processos exsudativos (devido a congestão vascular, edema e exsudato inflamatório) *tipo celular principal: neutrófilos *os processos infecciosos não controlados podem se disseminar pelos sangue determinando bacteremia, septicemia e hepato-esplenomegalia ou podem se disseminar para outros órgãos causando endocardite infecciosa, pielonefrite hematogênica e meningite supurativa *sinais da inflamação: locais (dorbradicinina e PG, calor, rubor, tumor e perda de função) e sistêmicos (febreIL-1, IL6, TNF e PG, leucocitose, linfocitose, eosinofilia e leucopenia 2.fatores desencadeantes: *infecções e toxinas *traumas *agentes físicos e químicos *infarto *necrose *corpos estranhos *reações de hipersensibilidade 3. características morfológicas: *infiltrado PMN (neutrófilos, basófilos e eosinófilos) *alterações vasculares (vasodilatação e aumento de permeabilidade) *edema *congestão *exsudatos 4.mediadores químicos envolvidos: *classes: a.mediadores pré-formados em grânulos: histamina, serotonina, enzimas lisossomais b.mediadores de síntese imediata: PG, leucotrienos, PAF, ON, cictocinas, radicais livres

c.mediadores plasmáticos (forma zimogênica): proteínas do complemento e cininas *tipos: I) AMINAS VASOATIVAS: 1) histamina *fontes: mastócitos, basófilos e plaquetas *estímulos para a degranulação: 1.lesão física (trauma, frio, calor) 2.resposta imune 3.anfilatoxinas do complemento (C3a e C5a) 4.proteínas leucocitárias 5.neuropeptídeos (substância P) 6.citocinas (IL-1, IL-8) *função: vasodilatação das arteríolas e vasoconstrição de artérias de maior calibre 2) serotonina *fontes:plaquetas e células ECA *estímulos para degranulação: agregação plaquetária *função: ↑ permeabilidade vascular II) PROTEASES PLASMÁTICAS: A) sistema complemento *fontes: fígado *C3a, C4a e C5a↑ permeabilidade vascular *C5aquimiotaxia *MAClise celular *C3bopsonização B) sistema das cininas: 1) bradicinina *fonte: substrato plasmático(cininogênio) *funções: ↑permeabilidade vascular, contração muscular e indução de dor C) sistema da coagulação: *fator de Hangeman, trombina e fibrina↑permeabilidade, quimiotaxia, expressão de moléculas de adesão no endotélio III) METABÓLITOS DO ÁCIDO ARACDÔNICO: 1) leucotrienos e eicosanóides: *fontes: memebrana celular *funções: vasoconstrição, broncoespasmo ,↑ permeabilidade vascular, quimiotaxia 2) prostaglandinas: *fontes: mastócitos e fosfolipídeos de membrana *funções: estimula agregação plaquetária, ↑permeabilidade vascular diretamente, produção de PGI2 (vasodilatação) e TXA2 (vasoconstrição) IV) CITOCINAS: *fontes: linfócitos, endotélio e macrófagos *IL-1 e TNF-αrespostas sistêmicas da fase aguda associadas a infecções ou traumas (febre, sono, perda de apetite, choque, neutrofilia), quimiotaxia e ativação endotelial *quimiocinasativação de leucócitos e quimiotaxia *INF-γhematopoiese *fatores de crescimento (PDGF, TGF-β, VEGF)imunidade natural

V) PAF (fator ativador plaquetário): *fonte: plaquetas, basófilos, neutrófilos, macrófagos e endotélio *funções: vasoconstrição, broncoespasmo, ↑ permeabilidade vascular, quimiotaxia, agregação plaquetária e adesão celular VI) ENZIMAS LISOSSOMAIS: *fonte: PMN e macrófagos função: bactericida *grânulos secundárioslisozima, lactoferrina, t-AP, fosfatase alcalina, colagenase e histaminase *grânulos primárioshidrolases ácidas e mieloperoxidases VII) OXIDO NÍTRICO: *vasodilatação, ↑ permeabilidade vascular, quimiotaxia, inibe a agregação plaquetária VIII) RADICAIS LIVRES: *fonte:leucócitos *função: ↑permeabilidade vascular, liberação de citocinas e injúria celular 5.etapas da inflamação aguda: A) eventos vasculares: 1)vasodilatação: *algum tempo após injúria tecidual ocorre a liberação de mediadores vasoativos (histamina, ON e PG) que induzem uma vasodilatação na microcirculação (arteríolas, vênulas e capilares) que por sua vez promove alteração no fluxo sanguíneo local (estase) que aumenta o represamento de sangue no local da lesão (congestão) 2)aumento da permeabilidade vascular: *pode ser desencadeada por vários mecanismos: (1) fendas endoteliais devido à contração endotelial: *mecanismo mais comum *processo rápido e de curta duração (minutos) *afeta vênulas *desencadeado por mediadores vasoativos (2) lesão direta: *mecanismo visto em queimaduras ou infecções bacterianas *processo rápido e de longa duração (horas a dias) *afeta arteríolas, capilares e vênulas (3) extravasamento retardado prolongado: *mecanismo visto em lesão térmica, exposição a radiação e toxinas bacterianas *processo de início lento e de longa duração (horas ou dias) *afeta vênulas e capilares (4) lesão dependente de leucócitos: *os leucócitos aderidos ao endotélio liberam mediadores líticos que lesam e descolam o endotélio aumentando da permeabilidade *processo de início lento e de longa duração (horas) *afeta vênulas e capilares pulmonares e glomerulares (5) transcitose endotelial aumentada: *determinados mediadores como o VEGF leva a formação de canais no endotélio *afeta vênulas (6) angiogênese: *novos vasos são formados no local da inflamação e até que as junções intercelulares se amadureçam a permeabilidade fica aumentada

*são mediadores indutores de aumento da permeabilidade vascular: histamina, serotonina, bradicinina, C3a, C5a,leucotrienos e PAF *o aumento da permeabilidade do endotélio acarreta extravasamento de plasma pro interstício (transudato) ou de proteínas plasmáticas junto ao plasma (exsudato) B) eventos celulares: 1)marginação: *é o processo de aproximação de células inflamatórias do endotélio buscado um receptor específico para fazer a adesão celular *no caso de inflamação aguda (principalmente bacterianas) chegam inicialmente PMN (neutrófilos) e predominam nas primeiras 6 a 24h sendo posteriormente substituídos por monócitos 2)adesão: *estas células ao serem ativadas liberam mediadores (histamina, trombina, PAF, TNF e IL-1) que estimulam a expressão de moléculas de adesão (selectinas e integrinas) e com isso vão fazer a adesão ao endotélio vascular 3)diapedese: *é a passagem das células inflamatórias através das junções intercelulares do endotélio vascular para o tecido 4)migração: *é o deslocamento das células inflamatórias pelo tecido até o sítio da infecção através de estímulo quimiotático 5)quimiotaxia: *os leucócitos no sítio da infecção atraem novas células inflamatórias para o local *para isso são utilizados mediadores: exógenos (produtos bacterianos) ou endógenos (C5a, leucotrienos,quimiocinas) 6)ativação: *é um processo estimulado pela presença dos microorganismos, por produtos das células necróticas, complexos Ag-Ac *os leucócitos (neutrófilos e macrófagos) ativados vão estimular: 1.produção de metabólitos do ácido aracdônico 2.degranulação de enzimas lisossomais 3.secreção de citocinas 4.modulação das moléculas de adesão leucocitária; que por sua vez vão intensificar a resposta inflamatória celular através da fagocitose 7)fagocitose: *mediada pelos neutrófilos e macrófagos que fazem a endocitose dos antígenos dos microorganismos *formação de um fagossomo com os antígenos no interior *fusão do fagossomo com o lisossomo formando um fagolisossomo *destruição dos antígenos: 1.com consumo de O2 e formação de radicais livres formados durante a glicogenólise e oxidação da glicose 2.pela liberação de enzimas lisossomais e substâncias líticas dos grânulos 6. resultados da inflamação aguda: 1) resolução completa: *uma vez eliminado o estímulo nocivo, ocorre: a.eliminação dos mediadores químicos b.retorno da permeabilidade vascular normal c.drenagem do exsudato (fluidos e proteínas) através dos vasos linfáticos ou pinocitose por macrófagos d.fagocitose de neutrófilos apoptóticos por macrófagos e.fagocitose de fragmentos necróticos por macrófagos f.eliminação dos macrófagos g.substituição das células danificadas h.restabelecimento da função normal do tecido

*esse processo ocorre quando: a. a lesão é limitada, de curta duração b.quando houve pouca destruição tissular e as células destruídas podem ser regeneradas 2) cicatrização pela substituição do tecido conjuntivo (fibrose): *ocorre um processo chamado de organização em que o tecido conjuntivo cresce na área do exsudato transformando-o em um tecido fibroso *ocorre perda de função *esse processo ocorre: a.após destruição tecidual considerável b. quando há envolvimento de tecidos incapazes de se regenerar c.quando há excesso de exsudato de fibrina no local 3) formação de abscesso (pus) com posterior reabsorção: *ocorre em infecções piogênicas em que há intenso infiltrado neutrofílico 4) progressão evoluindo para inflamação crônica: *quando há persistência do agente nocivo ou alguma interferência com o processo normal de cicatrização (ex:úlcera péptica gastro-duodenal ou abscesso pulmonar crônico) 7. padrões morfológicos da inflamação aguda: 1) inflamação serosa: *é o extravasamento de um fluido diluído (líquidos > células) derivado do plasma ou de efusões (secreções produzidas por células mesoteliais que recobrem as cavidades do corpo) *ex: bolha cutânea por queimadura ou infecção viral 2) inflamação supurativa ou purulenta: *é quando há produção de grande quantidade de pus (exsudato purulento constituído de neutrófilos, restos celulares necróticos, restos de microorganismos e fluidos) *ex:apendicite aguda 3) abscesso supurativo: *é quando há coleção localizada de exsudato supurativo dentro de um tecido, órgão ou espaço confinado *ex:abscesso pulmonar na broncopneumonia, abscesso cerebral, microabscessos renais,etc *obs:enpiemacoleção de pus na cavidade pleural por exemplo no derrame pleural 4) inflamação fibrinosa: *ex:pericardite fibrinosa na IRC, febre reumática, etc 5) inflamação pseudo-membranosa no intestino: *ocorre a formação de uma pseudo-membrana formada a partir de necrose de células inflamatórias da mucosa *ex: infecções graves, quimioterápicos, difteria, colite, etc 6) inflamação ulcerada: *é a escavação da superfície de um órgão ou tecido devido a descamação do tecido inflamatório necrótico ex:úlceras da mucosa da boca, estômago, intestino e trato urinário ou úlceras cutâneas em portadores de distúrbios circulatórios *UPGD: durante o estágio agudo existe infiltrado PMN, vasodilatação, exsudação, congestão e edema e no estágio crônico existe infiltrado mononuclear c) inflamação crônica: 1.características: *início insidioso e assintomático *pode ser continuação da inflamação aguda *longa duração

*predomínio de processos proliferativos (proliferação de vasos (angiogênese) e fibroblastos (deposição de colágeno)) *predomínio de células mononucleares (fibroblastos, linfócitos, macrófagos e plasmócitos) *macrófagofagocitose do agente agressor e de células lesadas, produção de enzimas hidrolíticas degradantes de ME, secreção de mediadores químicos (citocinas e fatores de crescimento) que modulam a resposta inflamatória e o processo de reparação que co-existem na inflamação crônica 2.fatores desencadeantes: *infecções persistentes como na tuberculose, na sífilis, etc *exposição prolongada a agentes potencialmente tóxicos como na silicose (exposição à sílica) e na aterosclerose (exposição a lipídeos do plasma) *auto-imunidade como na artrite reumatóide e o LES 3.características morfológicas: *infiltrado mononuclear *destruição tecidual induzida pela persistência do agente nocivo ou das células inflamatórias *tentativa de reparação caracterizada pela cicatrização com angiogênese (tecido de granulação) e deposição de colágeno 4. padrões morfológicos: 1) inflamação crônica supurativa: *agente piogênico *ex: abscesso crônico e empiema crônico 2) inflamação crônica inespecífica: *agente não-piogênico ou agente antigênico de fácil digestão 3) inflamação crônica específica (granuloma epitelióide): *agente antigênico de difícil digestão ou agente inerte 4) granuloma de corpo estranho 5.distinção morfológica: 1) inflamação crônica específica(granuloma): *macrófagos *arranjo nodular *etiologia limitada *necrose especial 2) inflamação crônica inespecífica (tecido de granulação): *PMN, linfócitos e plasmócitos *arranjo difuso *etiologia variada *supuração 6.reação inflamatória granulomatosa: a) definição: acúmulo organizado de macrófagos diferenciados ou ativados b) classificação: 1)morfológica: *epitelióide *de corpo estranho ou de célula gigantes (talco, fios de sutura, silicone, tatuagem, sílica, amido e óleo mineral) 2) etiológica: *infeccioso: bacteriana (tuberculose, hanseníase, sífilis, arranhadura de gato), verminosa (esquistossomose e cisticercose) e micoses (PB micose, esporotricose,etc) *observação: tuberculose (necrose caseosa, sem centro supurativo, halo linfoplasmocitário) X fungos (necrose caseosa variável, com centro supurativo, halo linfocitário)

*não-infeccioso *desconhecido (doença de Crohn, sarcoidose, tireoidite, cirrose biliar primária) 3) patogenética: *imunológico *não-imunológico 4) quanto à cinética celular: *alta renovação: granulomas epitelióides, sustâncias tóxicas (microorganismos), migração e mitose intensos, presença de macrófagos de vida curta, agente indutor em poucos macrófagos, alta ativação de macrófagos *baixa renovação: granuloma de corpo estranho, substâncias inertes (carbono), pouca mitose, renovação lenta dos macrófagos, agente indutor na maioria dos macrófagos, baixa ativação de macrófagos c) células efetoras do granuloma: *centromacrófagos ativados (células gigantes e epitelióides) *periferialinfócitos T e B, plasmócitos, neutrófilos e eosinófilos d) formação do granuloma: 1) indução: *fases: 1) desenvolvimento do infiltrado mononuclear 2) agregação, maturação e organização dos macrófagos 3) evolução para granuloma epitelióide *processo ativo *depende de quimiotaxia específica *ocorre quando nos imunocomplexos há excesso de Ac *há persistência de substâncias quimiotáticas e de citocinas específicas 2) ativação dos macrófagos: *tempo: horas após o estímulo *estímulos: 1.interação entre moléculas aniônicas (nucleotídeos e Ac) 2.fagocitose de eritrócitos e carragenina 3.endotoxinas e lecitinas 4.agentes patogênicos (estreptococos e BK) 5.produtos de linfócitos (citocinas) *macrófago ativado: ↑conteúdo protéico ↑RNA ↑enzimas oxidativas ↑metabólitos do O2 ↑hidrolases lisossomais ↑secreção de TNF e IL-1 *funções do macrófago ativado: 1.aumento do espraiamento e da capacidade de emissão de pseudópodes(endocitose) 2.aumento na capacidade fagocítica 3.aumento da resistência à agressão 4.aumento da capacidade de destruir célula neoplásicas 3) manutenção: *depende da migração e proliferação de fagócitos imaturos e) célula epitelióide: *é formada a partir dos macrófagos ativados *duração de semanas

*capazes de se dividir *citoplasma aumentado, entrelaçado e com mais organelas *tipos: fagocítico e secretor f) células gigantes: *são formadas a partir da fusão de macrófagos ativados *duração de poucos dias *não são capazes de se dividir *fatores envolvidos na formação: espontânea, mediante presença de Ac, mediante presença de citocinas (INF-γ, IL-3,IL-4 e GM-CSF) e de lecitinas *tipos: tipo langhans, tipo misto e tipo corpo estranho(célula de Langherans) g) linfócitos: *tipos presentes: B, T helper (20x mais que o Tc), T citotóxico, plasmócitos e NK h) regulação ou tempo de formação do granuloma: 1.natureza do agente iniciante: * Mycobacterium tuberculosis (3dias), BCG (9 dias), sulfato de bário (10 dias) 2.resposta imune do hospedeiro: *reação de hipersensibilidade tipo IV intensifica a formação de granuloma mas não é obrigatória para tal *RH tipoIVinduz transformação epitelióide, infiltrado linfocitário e necrose 3.liberação de mediadores químicos: *citocinas (IL-2, INF-γ, TNF-α, IL-4, IL-5, IL-10) *componentes do C’ *fatores pró-coagulantes *hidrolases ácidas *proteases neutras *oxigênio reativo *fibrinogênio i) fases evolutivas: *24hinflamação aguda, predomínio de monócitos na lesão e a maior parte do agente é fagocitado *3 a 7 diaspredomínio de macrófagos ativados e células gigantes, início de transformação para epitelióide *3 semanastendência nodular, circunscrição do antígeno, possibilidade de necrose, resolução ou fibrose j) necrose: *do tipo caseosa *leva a formação de cavitação pela destruição tecidual *ocorre quando há excesso de antígeno, quando tem início a RH tipo IV e quando a região central é de alta renovação *macrófagos liberam radicais livres, PG, leucotrienos, elastases e colagenases por ingestão de partículas l) fibrose: *célula dendrítica apresenta o antígenos captado pra linfócitos que vão secretar citocinas que promovem atração e ativação de macrófagos *estes secretam TGF- β que estimula a proliferação fibroblástica *os fibroblastos vão sintetizar colágeno que vai produzir a fibrose 2) SISTEMA IMUNE E INFLAMAÇÃO: a) introdução: *a resposta inflamatória é inespecífica porque apresenta eventos padronizadas (dor, calor, rubor, turgor, pus, etc) e é desencadeada por um antígeno inespecífico (ex:queimaduras, pneumonia bacteriana, apendicite,etc) *a resposta imune é ambivalente porque assim como a inflamação tem um lado benéfico (proteção e imunidade) e um lado maléfico (reações de hipersensibilidade, doenças auto-imunes, imunodeficiências, rejeição de enxertos etc)

b) reações de hipersensibilidade: TIPO I) reação de hipersensibilidade imediata: a.tiposlocalizada (atopias ou alergias) ou sistêmica (reações anafiláticas) b.atopias: *exemplos: alergias cutâneas, urticárias, rinite alérgica, conjuntivite, febre do feno, asma brônquica, alergia alimentar,verminoses, picadas de insetos *é um processo limitado porque o antígeno está restrito a uma via de inoculação definida * resposta inicial (5-30min): *ocorrem em indivíduos previamente sensibilizados ao antígeno, de forma que no segundo contato com este os Ac IgE já produzidos se ligam aos mastócitos pela fração Fc e aos Ag pela fração Fab e esta ligação estimula a degranulação de mediadores que promovem vasodilatação, aumento de permeabilidade vascular, espasmos de ML, secreções glandulares e quimiotaxia *resposta tardia (2-24h): *infiltração dos tecidos por eosinófilos, neutrófilos, basófilos, monócitos e linfócitos e destruição tecidual c. reação anafilática: *ocorre após a administração de proteínas estranhas, hormônios, enzimas, polissacarídeos e drogas (antibióticos) *sinais clínicoscoceira, urticária, eritema cutâneo, dispnéia, edema de glote e até choque *gravidadedepende do nível de sensibilização (IgE), histórico familiar de alergia e da carga antigênica d.reação pseudo-anafilática ou anafilactóide: *provocada por stress, frio excessivo, exercícios intensos, contrate de raio X, etc TIPO II) reação de hipersensibilidade mediada por anticorpos ou citotóxica: a.opsonização via C3b: *ocorre a deposição de Ac (IgM ou IgG) na superfície das células o que facilita a fixação do C’ que vai produzir C3b que se liga a superfície das células atraindo fagócitos facilitando com isso a fagocitose *clínica: 1) reações de transfusãoas células de um doador incompatível reagem com Ac pré-formados do receptor sendo opsonizadas pelo mesmos 2) DHRN (doença hemolítica do recém-nascido)Ac maternos atacam hemáceas do feto 3) trombocitopeniasão produzidos Ac contra as plaquetas do próprio indivíduo 4) anemia hemolítica auto-imune no LESsão produzidos auto-Ac contra as hemáceas b.ADCC: *ocorre a deposição de Ac (IgG) na superfície das células o que facilita a ligação de células como neutrófilos, NK, eosinófilos e monócitos que vão com isso degranular componentes tóxicos que lisam a célula *clínica: 1)infecção viral 2) neoplasias 3)rejeição de enxertos c.inflamação mediada por C5a: *quando ocorre deposição de Ac na ME os quais vão fixar o C’ que produz C5a que recruta neutrófilos e monócitos que se ligam aos Ac fazendo então degranulação de mediadores líticos que vão causar lesão tecidual *clínica: rejeição vascular d.disfunção celular mediada por Ac: *ocorre quando os Ac são direcionados contra receptores da superfície celular causando lesões nos mesmo ou inflamação *clínica: 1) miastenia gravisAc contra receptores de Ach na junção neuro-muscular da placa motora 2)pênfigo bolhosoAc contra desmossomos o que faz que se rompam as junções intercelulares da epiderme levando a formação de vesículas 3) doenças de GravesAc contra receptores para TSH estimulam as células da tireóide acarretando hipertireoidismo

TIPO III) reação de hipersensibilidade mediada por imunocomplexos: *são formados complexos Ag-Ac que podem se depositar nos tecidos lesando-os principalmente por provocarem inflamação no local da deposição *as doenças mediadas por imunocomplexos podem ser sistêmicas (formados na circulação e depositados em muitos órgãos) ou localizadas (restritos a alguns órgãos como rins (glomerulonefrite), articulações (artrite)) *glomerulonefrite geralmente antes da doença o indivíduo teve um infecção bacteriana (faringite ou piodermite), pós malária, pós sífilis e ao produzir Ac contra esse antígenos formaram-se imunocomplexos que se depositaram no glomérulo simulando uma doença do soro *LESdoenças auto-imune em que a produção de Ac anti-DNA ou outras células formando com isso imunocomplexos que podem se depositar na pele, rins e coração *doenças do soroantigamente doenças como difteria, tétano e escarlatina eram tratadas com soro de cavalo imunizados contra os Ags das respectivas doenças, mas alguns desses paciente passaram a apresentar artrite, exantema cutâneo e febre o que levou a dedução de que os paciente produziam Ac contra as proteínas do soro de cavalos os quais formavam imunocomplexos com estas causando a doença *LES,poliarterite nodosa, GN, doença do sorosão todas doenças em que ocorrem vasculites pela deposição de IC nos vasos sanguíneos evoluindo para uma necrose fibrinóide TIPO IV) reação de hipersensibilidade tardia ou celular: *respostas mediadas tardiamente por linfócitos (auxiliares e citotoxicos) *dermatite de contato *hanseníase *tuberculose *tumores *rejeição de enxertos 3) TIPOS DE REPARAÇÃO TECIDUAL: REGENERAÇÃO, CICATRIZAÇÃO E FIBROSE: a) regeneração: *definição: é um processo em que após a lesão aguda, ocorre: morte da célula parenquimatosa porém a estrutura tecidual está intacta; feridas superficiais e alguns processos inflamatórios mas que por seus mecanismos é possível obter a restituição da estrutura normal anterior à lesão *exemplos: 1) após hepatectomia parcial no fígado remanescente ocorre crescimento compensatório dos lobos que restaram a partir de hipertrofia e hiperplasia celular 2) feridas cutâneas superficiais 3) reabsorção do exsudato na pneumonia lobar b) cicatrização: *definição: é um processo em que após a lesão aguda, ocorre: morte da célula parenquimatosa, inclusive com estrutura tecidual danificada; feridas profundas de forma que a resposta do organismo é a formação de uma cicatriz e a organização do exsudato *exemplos: 1)feridas excisionais profundas 2) infarto do miocárdio *etapas da cicatrização: 1)indução de um processo inflamatório em resposta à lesão inicial: *a reparação por cicatrização inicia-se após 24h da lesão aguda, logo no início da inflamação 2) proliferação e migração de células teciduais parenquimatosas e conjuntivas 3) formação de tecido de granulação: * a partir de proliferação das células endoteliais (angiogênese) e dos fibroblastos (deposição colágena)

4) síntese de proteínas da MEC e deposição de colágeno 5) remodelação tecidual 6) contração da ferida 7) aquisição de resistência pela ferida *fatores que influenciam a cicatrização: 1)o ambiente tecidual 2) a extensão do dano tecidual 3) a intensidade e a duração do estímulo nocivo 4) presença de fatores que inibam a reparação (baixo fluxo, diabetes, uso de esteróides) *cicatrização da ferida cutânea: 1) inflamação 2)formação do tecido de granulação e reepitelização 3)contração da ferida, deposição de MEC e remodelagem *tipos de cicatrização cutânea (baseado na natureza da ferida): 1)cicatrização por primeira intenção: *ocorre nos ferimentos com margens opostas (ex:incisão cirúrgica) *a incisão causa morte de um número limitado de células do tecido epitelial e conjuntivo, e o rompimento da continuidade da membrana basal *o espaço incisional se preenche com sangue coagulado contendo fibrina e células sanguíneas *após minutos a desidratação da superfície do coágulo forma uma crosta sobre a ferida *com 24hos neutrófilos aparecem nas margens da incisão, movendo-se em direção ao coágulo de fibrina *com 48h há a estimulação de células epiteliais que faz com que elas se movam a partir das bordas da ferida ao longo das margens do corte da derme depositando componentes da membrana basal e se fundindo na linha média abaixo da superfície da crosta, produzindo uma fina camada epitelial que fecha a ferida *com 3 dias os neutrófilos foram substituídos por macrófagos e o tecido de granulação invade o espaço incisional de forma que as fibras colágenas margeiam a incisão (orientação vertical) e ocorre espessamento da camada epitelial *com 5 dias o espaço incisional é preenchido com tecido de granulação, há angiogênese e as fibras colágenas se dispõem horizontalmente unindo a incisão; a epiderme recupera sua espessura normal e ocorre queratinização da superfície *com 2 semanas há acúmulo de colágeno e intensa proliferação de fibroblastos; desaparecimento do infiltrado leucocitário, edema e da vascularização; empalidecimento contínuo pela deposição de colágeno e desaparecimento dos vasos *fim de um mês a cicatriz está pronta, com um TC celular desprovido de infiltrado inflamatório, recoberto de epiderme intacta; os anexos dérmicos que foram destruídos não se restituem; a força tensil da ferida vai retornando com o tempo 2) cicatrização por segunda intenção: *ocorre mos ferimentos com margens separadas (ex: raspado de pele) *quando há perda mais excessiva de tecido e a regeneração das células parenquimatosas não pode restaurar completamente a arquitetura original *o tecido de granulação cresce a partir da margem para o centro *o coágulo de fibrina, a reação inflamatória e o tecido de granulação são maiores *o fenômeno de contração da ferida é responsável em grande parte pelo fechamento da mesma devido a formação de uma rede de miofibroblastos que contém actina na margem da ferida e que por contração destas reduzem o tamanho da ferida *da mesma forma, aqui também ocorre formação de cicatriz e diminuição da epiderme c) fibrose: *comum em doenças inflamatórias crônicas (cirrose, pancreatite crônica, fibrose pulmonar, artrite reumatóide) em que ocorre a persistência de um estímulo nocivo e substituição do tecido normal por tecido fribroso

*em tais reações as interações linfócitos-monócitos induzem a síntese de fatores de crescimento e citocinas fibrogênicas e enzimas proteolíticas *na cirrose hepática há intensa produção de colágeno o que altera estrutura e a função do órgão

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful