P. 1
Paizes de America. Estudio Geographico (1927)

Paizes de America. Estudio Geographico (1927)

|Views: 119|Likes:
Publicado porBibliomaniachilena

More info:

Published by: Bibliomaniachilena on Oct 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/27/2013

pdf

text

original

I

-_.

fi

pai~es da j\merica
ESTUDO GEOGRHHICO
POI{

1

Seba.síï60 Paran6
Ll'nt~ calhedratico cir. Cleog-raphia do Gymnasio Paranacnsc; socto eîieclivu du lentro ùe Letras ùo Paraná, da J\cademia de I.etras do P<lraná e du Instllut') 11Islorico e üeo;.:raphico do Puraná. Socio correspondente do lnslilulo Hlstorlco ( Geo¡{raphlco Braslleiro. do lnstllulo Gl'og-raHl:o i'rg'~nlino; co Instiluto Gcographlco de S Paulo; do lnstilulo l\rchco· lo;..:;cu e Gco~raphico i\lilg'oano; do In'ltitulo ItlslorIco e GeoJ!raphlco Parahybano; do lu:')\ÎLuto Historieo o Gcograr>hicc> Catharlncn.<.;c; di) Socicdade de Geographia de 1.Isboa e da .'ocledade de li(,,¡{raphla do Hlo de Janeiro. lIacharel pela Faculdade de Direilo ùo Hio de Janeiro

oo·

SEGUNDA

EDIÇÂO

Edllor: J. GHIGNONE R.;a 1. de Marco. 5

CORI',OP,
1927

k.J'D<-~
6c-~Lt~
7

c&.-

-to~-"Lcc
¿-6-

O~L~

/-7.l/'; ¡f~¡r

PAIZES

DA AMERICA

Do mesmo a.utor:
Esboço Oeographico da ProvincIa do Paraná. Chorographia do Paraná. GUla do CommerCÍanfe. O Brasll e o Paraná l17.a ediçào}. Os Es/ados da Repubica {J,a ediçàoJ. Galeria Paranaense. Paizes da America {2.a ediçào}, Paizes da Europa.

pai~es da jCmerica
.::: _::..:...--==- __ . --.J::-. -.-.-.'--. -- ----- -"----

ESTUDO

GEOGRAPHICO
POR

Sebôstïa.o I?a.rôo6
Lenle eathedratieo de Geographla do Gymnaslo paranaense; socio ef/eeUvo do Cenlro (lp ',~tr;1", ri,:, P~ran!t; ria Academia de Letras do Pdranâ e do In.~lilulo lHstorico e Geographieo do Paraná. Socio corresponden te do I n~tilulo lIistorieo e Geographieo !lrasilelro. do InsWulo Geogralleo I\rgentlno; do Institulo Geographieo de S. Paulo; do Instlluto l\reheologleo e Geographleo J\la!(oanL; do Instllulo Hlslorleo e Geographleo Parahybano; do InsIllulo Hlslorieo e Geographieo Calharlnense; da ~ocledade de Geographia de Lisboa e da Socledade de GeoR"raphia do RIo de Janeiro.

SEGUNDA

EDIÇÀO

I':dilor

1-< ~ 1

,). C':'HIGNONE Ir ~/;:HCO. 5 :':Vll,II'lA 192. :'

PREAMBULO
Servirá este livra, pallido esboço de um conjunto de patrias novns, opulentas e bellas, para os estudùntes do curso secundario. foi escripto corn sacrificio, corn maxima dispendio de energía, em virfude da -carencia de informes exactos sobre os paizes do Nava Mundo, pouco conhecidos uns dos outras, devido á escassa populaçao de alguns, á vastidao territorial de quasi todos e á difficuldade de transporte nos da America Latind. Cedo nao teria levado ao termo este manual didactico si nao fôra a gentileza dos plenipotenciarios acreditados perante a Governo Brasileiro, os qUùesattenderam corn solícitude ao meu appello, proporcionando-me notas informativas atlinentes a seus respectivos estados. Meu almeja é que esta esmaecida producçao mental possa concorrer para o levontamento do nivel da instrucçao da mocidade brasileira. Coritiba-19ZI.

Sebastilio Paraná

C~nadá .
SITUAÇÀO LI\1ITf::S.-O Canadá (as cabanas, na I¡ngua dos iroquêses (11, estÚ situado ao norte da America Septentrional. Limita-se dO norte corn o oceano Glacial Arctico; a leste corn o mm de Baffin e o At)antico; ao su) corn os fstados Unidos; a oeste corn a oceano Pacifico; a noroeste corn a Alaskü. SUPEI<FIClL-Tem a C<madá ô.2ôô600 ki[ometros quadradros dc superficie. ASPECTO PI-iV S[CO. - O territorio canüdense é urna vastü regi50 banhüda por tres oceanos e constituida de duas partes, a continental e a insu)m, esta formuda pelo archipelogo Arctico Americtlno. r~' desiguéll, dividido, no ponto de vista geo[ogico, cm tres partes. A leste e a oeste veem-se duas reg¡oes montuosds, entre as quaes se a[ongu vusta plunicie, que se estende até <lO oceano Arctico. O systcma orographico de oeste, plaga alcanhlada, é formado pelos montes I<ochosos, corn diversos méJssiços sempre cobertos de neve, e pelos montes das Cascdtas. O de leste é constituido pelas Laurentidüs, na peninsula do Labrador. lia multas lagos e rios, grdndes e pcquenas ilhas sepmddas por diversos estreitos. (') A raça dos iroquêses está. prestes a extinguir-se. Compoe-se de indios pelles vermelhas. estaiJelecidos a SUP¡;tpdos lagos Eric e Ontario.

t:

6 As extensas costas sào muito recortadas, especialmente a septentrional, coberta de gelo, inçada de icebergs (1) e pOIlCOconhecida, apesar das diversas expediçôes organizadas para a exploraçao do archipelago Arctico pelos audaciosos navegadores Frobisher, Devis, Pany, lohu Ross, Mac Clure, Kane, etc. A costa oriental é regada por dais mares: a de Baffin, formado pelo oceano Arctico, entre a Canadá e a ûroenlandia; e a de Hudson, formado pelo Atlantico. O ptimeiro se comrnunicü cam este oceano pelo estreito de Davis, e a segundo pelo estreito de Hudson. O territorio do Canadá é vulcanieo. Deu-se, em 1 de Março de 1925, um phenomeno sismico, considerado a mais violento que se tem observado allí, desde a seculo XVII. [m Shawiningan ¡---ülls casas abateas ram logo ao primeiro abalo. Manifestou-se tambem a phenomeno em Quebee, pavorosamente. CLIMA.- Distinguem-sea Regiào Glacial, composta
(1) Grandes massas de gelo que se desprendem da geleira polar e fluctuam impellidas pelas correntes maritimas. A approximaçâo dessas Illontanhas de gelo é assignalada por notavel mudança de temperatu¡·u, pelo que se diz que os velhos marinheiros "sentem o cheiro" de um iœbl'lX numa distancia de 10 milhas. O:> commandantes, quando o navio se avizinha das zonas dos icebergs, examinarn o thermometro; e quando a columna thermometI'ica rapidamente baixa, elles adoptam as devidas precauçoes. Os primeiros iCl'bC1:fis descem do Labrador, logo no começo do anno. A' medida que se approxima a primavera se tornam mais numerosos, e no principio do estio, a despeito da temperatura, chegam até o golfo do Mexico. O maior ¡ct'br'/X encontrado no percurso dos transatlanticos foi observado pelo vapor "Mineola", em Junho de 11\90. Os naufragIos attribuiveis a essas montanhas fluctuantes sâo em numero avultado. O porto de S. Joáo, capital da Terra Nova, é o refugIo constante dos navios que, damnificados por collisoes corn algum iceber{;, vâo ahi se submetter a reparaçoes. Mas urna das mais terriveis catastrophes occasionadas pelo gel o fluctuante foi a perda do "Titanic", a 14 de Abril de 1912. Nesse desastre pereceram 1.50:1 pessoa!;. Attendendo ao appello lançado por telegraphia sem no, o "Carpathia", da "Cunard Line", surgio. na manha seguinte, no porto do naufragio e poude recolher os sobreviventes, em numero de íO:\,

do arehipelago Arctico, quasi deshabitado e qUi]SI sempre eoberto de gela, e a Regiào Fria, que comprehende o Canadá, excepto d parte de sueste, occllpadü pela bacia do rio S. Lourenço. Pode-se dizer que o clima é geralmente fria e saudavel, variando, segundo as localidades. L::mQuebec e no Baixo Canadá a temperatura é dos extremos: no inveroo attinge a 34" abaixo de zero, e no verao sobe a 360, dando-se edSOS de insolélçilo. lulho é a mês mais quente, e os mais frias silo Dezembro e ]dneiro.
¡U-lAS Sao
nUmer05lJ3 (J3

ilhas dû C.JlIdtiti. .40

nor-

te está a archipclago Arctico, cujus ilhds, cmbord vastas, sâo pouco importantes, qUils¡ desertds. devido á invernia que predomina cm todas. (1) I:ntre muitas sobresaem as seguintes: as ilhas Pélfry, él)mmgendo as do Principe Patrick. Melville, I)i]jhurt e COII\Wé1II¡s; a Terra de Gnmwell, Devon Septentriollül; ü urdnde ilha situada ao norte do estreito de Joncs; il Terri] de Banks, do Principe Alberto, Terra Wollélston, Terril Victoria, as ¡Ihas de Cokburn, Principe Guilhermc, Cumberland, King William, SouthmTlpton, \1éHlsfield, Smith, Akimiski, Charlton, etc. Acham-se no Atl¡¡ntieo uS ¡Ihas do Cuba Bret5o, Principe L::duardo, Anticosti e i] Terrù Nova, corn IIO.()OO kilomctros quadrildos e descobertél, cm 146:5, pelo l1élvegador português Côrte I?eûl. que Ihe deu o nome de Terra dos Baca/haus, devido ti enorme <judldiddde desks peixes que encontrou nas COStdSdesta dlld, separada do continente pelo estrei10 de f'>ellü Ilhù. No oceano Pacifico sao prillcipdes ilS seQlIintcs ilhas: Vancouver, Rùinhù Carlota, Principe I~e¡ll, etc. Na primeira destas ilhas termina él Lstféldél de ¡:erro Trùnscanadiuna. PE:\IINSULAS. - Ha diversas peninsulùs 110C¿¡néld6. As mais notaveis sao: a do Labrador, que é a moior de

(1) O Capit.'io canadense Bernier, que erfectuou viagpns Ús regUjes arcticas. diz que as referidas regiôes nilo silo desTJOyoadas, como geralmente se uercdita.

todas; a de No'Vo Brunswiêk, a da Nova Escocia, a de Melville, a de Boothia, a de Avalon, a leste da Terra Nova. CABOS.-Existem muitos cabos, podendo-se citar o Charles, a leste, e o Wolstenholme, ao norte do Labrador; o Race, a leste da Terra Nova; o Parry, o Bathurst, o Sable, ao sul da Nova Escocia. LAGOS.-Esta grande regiào contém numerososlagos importantes, taes como o dos Ursos, o dos Escravos, a Atabasca, a Winnipeg, a Manitoba, que vertem -para a mar Polar pela rio Makensie. Na parte meridional esiá a regiào denominada dos Grandes Lagos. Encontram-se ahi os seguintes: a Superior, Michigan, Huron, Erie e Ontario. I:stes lagos separam parte do Canadá dos Estados Unidos, excepto a Michigan, que está todo na grande Republica. O lago Superior é a maior de todos, tendo 85.000 kms.2 de superficie. O Huron communica-se par um lado corn a Mechigan e par outro corn a Erie pelo rio Saint-Clair, que se alarga, formando o lago de seu nome. ntre os lagos Erie e Ontario, que se liga m, despenh -se a cataracta do Niagara. ~ RIOS. - Pertencem a 3 vertentes os rios que banham o Canadá: a do Glacial Arctico, a do Pacifico e a do Atlantico. Entram no oceano Arctico o Mackensie, formado nos montes Rochosos pelo rio da Paz; o do Grande Peixe (Great-Fischl, e o das Minas de Cobre (COPpermine), assim denominado por causa dos terrenos cupriferos existentes nas proximidades de sua foz na bahia da Coroaçào. t:ntram no Pacifico o lukon, que atravessa a Alaska e termina, por um delta, no mar de Behring; e a Fraser, que desagúa, por 4 canaes, no golfo de Joào Fuca. Correm para a vertente do Atlantico o Churchill, a Nelson, a Severn, o Albany e a Vermelho, Que desembocd no mar de Hudson. Mas a grande arteria fluvial é o S. Lourenço, que

9
entra por um estuario no oceano, formando a golfo do mesmo nome. l~' a segundo rio da America do Norte, permittindo a accesso a navios de grande' calada. Sae do lago Ontario e serve de escoadouro aos grundes lagos do sul do Cünadá, passando por importantes cidades- Montreal e Quebec. Recebe a rio Ottawa, que rega a capital canadense. GOLfOS E BAHlAS.-Destacam-se a golfo de S. Lourenço, a bahia de rundy, ao oeste da Nava Escocia; a de Ungava, ao norte do Labrador; a de James, ao

:·ul do mùr de Hudson, etc..
ESTRElTOS E CANAfS.-O estreito de Bella llha, entre a Terra Nova e a Labrador; a de Hudson, a canal de fox, os estreitos de Smith e Kennedy, que conduzem ao polo Norte pelo mar de Baffin; os de Lancdster, Barrow, Melville e Bélnks, que fórmam a denominada Passagem de Noroesle. RlQUt7A NATUl~AL.-O Canadó encerra preciosos e abundantes iazigos mineraes. A hulha é encontrada em profusfio. O ferro, a cabre, a ouro, a prata, a nickel, etc tambem propOïcionam lucros cnormes á industria extradiva. t~ncontram-se diversas especies de madeiras em suas cxtensüs florestas. 50b a ponto de vista economico, a Canadá comprehende uma vasta zona glacial, onde é abastosa a caça de animaes de pelles preciosas; uma regiào de pastagens, ande se fM grande creaçào de gado; uma ZOI1<l f1orestal, que constitue urna das grandes fontes de riqueza nacional; urna regiào de cultura, que produz trigo e outras cereûes, tabaco, batatûs, frudas, etc .. A plantaçào de trigo é das mûiores do mundo. POPULAÇAo. -Cresce consideravelmente a populaçào dCYldo û corrente immigrantista. Calcula-se em mais de 10.000.000 de habit<mtes rn a populaçào do Canadá, onde vivem milhares de extrangeiros sobrdudo inglê-

(1) O reccnseamento de ¡'JIO hahitantes.

assignalou um total de

1I..')Il-t.'Xl'J

10

se~, francêses, allemaes, italianos, polacos, portuguêses, chinêses, iaponêses, etc. (1) Os iroquêses e os esquimós, raça indigena, constituida de individuos de baixa estatura, vivem da caça e da pesca, vestem-se de pelIes e permanecem em cabanas pouco asseadas. L1NGUA.-A lingua officiai é a inglêsa. falam-se diversos idiomas, sobretudo o francês no Baixo Canadá. RELlGlÀO.-E' ore dominante o protestantismo, havendo grande numero de catholicos. INSTRUCÇÀO POPULAR, - E' adiantadissimo o serviço da instrucçao. Ha numerosos estabelecimentos deensino elemenhu e secundario, caprichosamente installados, sendo os primeiros gratuitos. As escolas normaes teem excellente organizaçao. O ensino superior é ministrado em 17 Universidades, corn estatutos especiaes e autorizadas a conceder diplQmas. Destas, apenas 5 sao independentes de sei'tas religiosas. A igreia anglicana, nomeadamente nas provincias de Ontario e Nova Escocia, ùdquiriram tal influencia na instrucçao superior que a vereda condu(1) Descoberto em 1497, por Jea.n Cabot e seu filho Sebastillo Cabot, o Canadá foi explorado pela primeira vez por Verazzano e Jacques Cartier. Este desembarcou na. bahia dos Calores, reconheceu, numa primeira viagem, as costas desse golfo; tomou posse da regU\o em nome da França. eml5:l4, e subio o rio S. Lourenço, até aos pontos que. mais tarde, receberam as denominaçôes de Quebec e Montreal. Mas o Canadá s6 se tornou, verdadeiramente, urna colonia Irancêsa no começo do seculo XVII. Habitantes do Poitou e da Normandia ahi SI:: foram estabelecer. Champlain fundou Quebec; quanto a Montreal, começou a sur~ir, em 1641 e, 20 annos mais tarde, Colbert deu á "Nova França' a sua primeira constituiçilo. Nâo obstante urna administraçi\o desfavoravel, a colonia prosperava, quando em 1755 rebentaram as hostilidades entre a .'rança e a Inglaterra. Sào conhecidas as consequencias dessa Jpta. A coragem de Montcalm, de Boujainvile e Vandreuil foi sobrepujada pelO numero dos adversarios. Quebec rendeu-se em 1759. Abandonados pela metropole, 08 colonos francêses continuaram, no emtanto, a combater, aliás em vil.o! O tratado de Paris, emI76:l, cedeu deIinitivamente a "Nova França" á Inglaterra. A despeito de algumas revoItas parciaes, a populaçil.o sub· metteu-se á Gra Bretanha, a quaI permittio, em 1867, que os dois Canadás se constituissem fluma federaçâo autonoma.

11
cente a esse objectiva era quasi vedada aos protestantes nao anglicanos. Algum-.ls das 17 universidades lograram urna importancia nacional. Sao 5 élS mais importantes: a Universidade Catholiea de Laval, cm Quebec; a Universidade Mc GilI, em Montreal; a Universidade de Toronta; a Universidade Queen's, em Kingston; e a Universidade Dalhousie, em Halifax. As universidades sao frequentadas por alumnos de ambos 05 sexos, senda a de Taranta il maior e a mais influente. seguindo-sc a de Mc C'ill. No Canadá 05 estudantes pobres trabalham durante as ferias, que duram quasi 5 mêses, para obter os meios de se mantel' nos estudos na époea do funccionamento das aulas. O estudante canadense que, durante as ferias, trabalha como criado de hotel ou como carregador de bagagens; que se entrega, em summa, a qualquer tmefa, no Intuito de poder se mantel' no curso universitario, nao fica, por isso, desmerecido perante seus condiscipulos. GOVEI~NO.-O Cünadá é, desde 1B67, urna federaçao administrada por um Governador GeraI nomeado pelo governo da Inglaterra. Póde ser considerado mais coma um paiz sob a protectorddo inglês do que urna colonia, tal a autonornia que desfruta e a importancia política que a distingue. O poder legislativo é exercldo pelo Senado e pela Carnara dos Deputados, O poder judiciario está a cmgo do Tribunal Superior ~ de diversos outras tribunaes espalhüdos pelas prOVinCias. DIVISÂO ADMINISTRATIVA. -Comprehende 9 provincias e 2 territorios.

ProvincÏas
Colombia Inglêsa Alberta Manitoba .. i\ovo Brunswick Nava Escocia Ontario .

Cap¡faes Victoria tdmonton Winnipeg f redcri ctown Hé1lildx Toronto

12 IIha do Principe Eduardo-Charlottetown Quebec ... Quebec Sasl<atchewan . Regina INDUSTRIAS.-As industrias fazem alli progressas tanto mais rapidos Quanta as vias de communicaçao se teem largamente desdobrado. «O Canadá-diz o Dr. Lindopho Xavier, é um destes reservatorios de energias, Que estao destinados a representar um grande papel no scenario do mundo em breve luturo. Terra de urna fertelidade extraordinaria para a trigo e as plantas de zonas frias, corn planicies e valles ubertosos, de enormes extensoes de ferra negra rica em humus, phosphatas e ca1cmeos; corn lagos, rios e bahias importantes para a pesca e a navegaçao, atravessado por cordilheiras e rnontanhas ricas em quasi foda especie de minerías, corn pastagens optimas e florestas soberbas, fudo isso está confinado por tres oceanos Que a sulcam em irnrnensa costa retalhada de ílhas, bahias, golfos, penÏnsulas ~ cabos, de indescriptive! valor estrategico e ecO,:, nornlco.» A cultura do trigo é colossal e augmenta dia a dia, sobretudo nas provincias de Ontario e Manitoba. Os outros cereaes: aveia, cevada, centeio, mJlho s80 abundantes. A plantaçao de batatas é feita cm grande escala, por ser este producto agricola muito empregado na .alimentaçào do pavo. Produz tambem linho, canhamo, tabaco, etc. A pomicultura representa notavel pape! na grande exportaçào canadense .. A pecuaria é representada por grande creaçao de gado vaccum, porcino, ovino e cavallar. Ha grande extracçao de madeiras, carvao de pedra, ferro, cobre, nickel e outros míneraes. A caça e a pesca sào prosperas e bem assim a construcçào naval e a prepara de pelles, tecidos, queijas, etc.. O Canadá é a maior productor de bacalhau do mundo, sendo a maior peSCélfeita nas costas da Terra Nova.

A caça das phOCilS é consideravel, encontradas aos milhaïes nus mí1SSe¡s dc ~Jelo f1l1ctllùntes, onde sào ciJçudüs ù pùul¿¡dds. Mudus uutros é.Inir:wcs vivrm no Canadá: ursos, pünthcrils, h:nces, rCllllilS, blsôes, veados, marta s, raPOSi¡S, ciJstore~, ¿mnlllhos, etc .. \Ju AmerlCél d industria cunadense só é inferior ií dos Fstados Unidos. COMMU<CIO. -t-:xpé1nde-se admiravelmente a commerco destí1 rice¡ regi¿¡o. /~xporti! principitlmente trigo
muite
(.:U;

üDünduIIÍl:,

PíUÙ¡,cÍOS dü y¡¡do,

d<J peSC<l e di! cu-

lllinerues, mddell'ijS, Pl.IStd PlHl! />(11.)(.:1, l.Iutomoveis, fruc/i1s, etc .. Importa chú, C...,rl~,1SSUCd, tdbaco, vinho, wis/\Y, i ~Jcnebrü, lecidos de l¡j e de éligoddo, e outras mtigos fil il/Ill fdetur ddos. VIAÇAO.-Lxlskm muitds ViélS de COmmlll1lCdçào interrlds, representiJd,¡:i pdos lagos, pc/os rios, sobresilindo a S. Lourcnç J; por estreitos e cùndes, por VdStd rede ferrovidrid, que tem por cCllÍro él Cide¡de de Montrcdl. O CdneJl Cim¡¡densc corn!TlUniCi1 a Baixo S. I.ollr('nço dO lügo Superior. Umd linhû ferreu (Célnüdléln PilCif,c I<élilway) que comrnunicd //alifiJX, no Atlanticc" COol ü iHw Vi.lncou\'er, 110Pdcifico, PLlssdndo par fertillssimels e ricus regiôcs. Por meio de cuminhos de íCïro a governo cé'l!1iJdel1~..,e logrou po\'our dS tcrrds descrtas do interior do pdiz, ande se notd actudlmente um progredimento extrùordll1drio. Os portas do Atlùr1fico ligam-se üos do DdCifico par estrudas de ferro de grélnde v<lliél. Os mais importdntcs sao: Montreùl, no S. Lourenço, na confluencia do rio Ottawa; Qucbcc, Toronto, no lago Ontario; ¡--¡ùlifüx, S. )050, Vûllcouver e Victoria, estando os dais ultimas [w costa occ¡dentül. «O systema hydrogrüphico canadense, comp/etado corn UITId serie de obras feitas pma ligar os lélgOS (lOS rios, quebrando as quédflS e corredeiras, perOl ¡tte 00 püiz ter urna viél interior de 4.344 kilomctros nùvegaveis, desde a S. Lourenço, péJssé]ndopor Quebcc, Montreal e indo ,lté Chicùgo, no /i¡gO \'fichigün. ~é1vias inglt':ses veern dircctilmcnk de Livernool, Londres

14 e Southampton e, passando pela rio S. Lourenço, vila ter a Chicügo e Duluth, sem transborda. Esta penetraçao no interior do paiz é urna maravilha do engenho e da natureza americana.»
----",,-

Cidades ..

".--

ptinci~~~~ -,,-

OITOWA, corn 120.000 habitantes, capital do Canadá, situada á margem do rio do mesmo nome, affluente do S. Lourenço. Tem grande commercio de madeiras e notavel bibliotheca. MONTREAL, corn habitantes, metropole commercial e industrial do Canadá, situada numa grande ilha do estuario do S. Lourenço, no Baixo Canadá. [' a principai cidade e o segundo porto da America do Norte, depois de Nova York. Centro ferroviario, corn grande exportaçao de hulha, cobre, farinha de trigo, machinas, couros, pelles, gado, peixes em conserva, etc. O inverno é rigoroso e a verao muito quente. [m Dezembro e Janeiro a temperatura desee muitos graus abaixo de zero e em Junho e Julho dao-se casos de insolaçao. QUtBEC, cidade pittoresca, corn 100.000 habitantes, situada á 'margem esquerda do rio S. Lourenço, optima porto servido por notavel rede de caminhos de ferro. E' grande ahi a pesca de bacalhau, sc'llmao, lagosta, harenque, etc.. HALLlFAX, lindo porto fortificado na peninsula de Nova Escocia, cam grande commercio de peixe, refinaçao de assucar. fREDERlCKTOWN, á margem direita do rio S. Joao. Grande arsenal de construcçao naval. CHARLOTTfTOWN, situada na ilha do Principe Eduardo, corn exportaçao de pelles. WINNEPfG, á margem do rio Vermelho, que corre para a la~o Winnepeg. Exporta cereaes, senda urna das grandes cidades do Canadá. TORONTO, grande porto no lago Ontario, corn extraordinario commercio, construcçào naval.

E!Y0oo

.) l,'

tiAMILTON e KINGS'rON, tamb~m situadas no lago Ontario, portos movimentados. NOVA Wt:STMINSTF.:R, á margem do Fraser, perta da foz deste rio. VICTORIA. grande porto ao sul da IIha Vancouver, no estreito de Joâo ruca. Tem ricas minas de hulha. GALGAI-?V, situadü no valle do rio Bow, tributario do Saskatchewan do Sul. TtRRA NOVA.-fsta ¡Iha, situada él leste do Canadá. km 260.000 habitü[\tes. l' ¡~dministrodo par um Gover[\udor Ueral. nomeado pelo governo mglês, e fórmél um districfo Irldependente do CanadÓ. l:' baJxù, humidù e en\'olta por nevoeiros causados pelo enco,ltro das aguas quentes do Gulf-Slream corn oS frias do eorrente de Devis. A pesca, sobretudo do bùcalhau, é a prmclpal industria dd Terril No\'ù. S. JoAO é a caplÍdl deste districfo, situada a leste, no peninsu(a de Avalon. Porto de pesco de grande COmfTIerCIO. BL:RMUDAS. - Estüs ilhas pertencem tambem á Ingluterra e est50 ao norte do mchipclago das Antilhas. Silo ferteis, importantes como estùçào estmtegica. SIIù cùpité11 é <J cldude de lIdmillun.

Estados Unidos
SITUAçAo f LlMrn:5.-fste poiz, leuder dos naç6es ümericémas e rnesmo UlTl dos mais ricos e poderosos dél Terra, está situado no scptenlriilo da America, continente opulento que será o centro de gruvidade do civiliZilçâo do:-; povos, assim como os l::stados Unidos iá constituem a rrwis porlentosd officina dLt humùnidade. Limita-se ao norte corn a Cùnadá; ti leste corn a Atlantico; ao sul corn o golfo do Mexico él a Republicù do Mexico; a oeste corn a occùno Pacifico. supr:l~ncw. - A superficie deste paiz, quasi igual él

16

da Europa, é de 9.695.546kilometros quadrados, inclusive as suas possessoes. (1) ASPECTO PHYSICO-O vasto territorio de~ta naçâo é naturalmente dividido em 3 regiôes: A Oriental, entrc a Atlantico c os montes Apalaches. A Central, entre os Apnlaches e os montes Rochosos, (Rocky Monntains),abrangendo é} Bacia do Mississipi, que comprehende toda a grande regiâo que se estende dos Apalaches il leste, até os I~ochosos él oeste, e desde os Grandes Lagos e a fronteira do Canadá ao norte, até a golfo do Mexico ua sul. A referida Bacia tem 3.443.000 kilometros quadrados e abrange 19 Lstados da Uniâo: Ohio, Indiana, Illinois, Kentucke,;, T~nnesotd, North Dakota, South Dakota, Nebraska, Kansas, Missouri, Arkansas, Oklahoma, Mississipi, LOllsiana e Texas. A Occidental, entre a Pacifico e os montes r~o·· chosos. As costas atlanticas sào recortadas, apresentando saliencias e reentrancias, isto é, pontas, cabos, enseadas e bahias. As do Pacifico s80 pouco franjadas, senda altas e cobertas de rochedos. CLIMA.-O paiz apresentil dimas diversos, devido á sua enorme área e a diversidade de ulturas~e posiçôes geographicas. Quemalliviaia, principalmente cm caminho de ferro, passa alternativUfnente do fria ua calor e do calor ao fria e á temperatura branda, experimentando, portanto, mudanças rapid(ls c1imatericas. A zona baixa e humída, banhdda pelo golfo do Mexico, e os valles do Baixo Mississipi e do Baixo Missouri sâo quentes e pouco saudaveis. No delta do Mississipi, muito <luente no veràa, ha chusmas de mosquitos que aftligem os que vivem alIj.
(1) Territorio de Alaska l.5:lIJ.:¡gO kilometros qUll.dr.; Hawaii 16.703 kms. quadr.; Porto Rico 13.897 kms. quadr.; Philippinas 297.917 kms. quadrs.; IIha8 Virginias :11\6 kms. quads.; llhas SamoaTutuila 1')9 kms. quadrs. ; Ilha Marianlj:-Guam 542 kms. quadrs.; Zona do Canal de Panamá 1.121\ km!>.·quadrs. ' As ¡¡has de Porto Rico e I:'lritippinas passaram ao dominio dos Estados Unidos cm consèquencia da victoria destes na Guerra Espano-Americana (11\91\-1 B99).

17
calor é intenso cm llinho e Jlllho, h¡wendo elS vezes casos de insoluçâo e até incendio nus florestas. l~m algumas localidades a thermometro miJITil 3ô C. Fm Nova York, nos alllldidos mêses, os j¿Hdins s50 franqueados d /laite ilO publico, que dorme el sesta sobre il relva ou bancos. Nas pmças dos i1fredores dormcm tambem milhmes de pCSSous. Os rcgistos de agua das ruas e praçus sào constantemente ubertos pmu dar bûnhos ás creançw;. O fria é r¡goroso, na Pi1ftc septentrional, em De zembro e Juneiro. ('rW il neve Rh!!nrlm:temede, impcdmdo par vezes a tfél!lsito nitS ruas. l~m Nova V orl\, par exemplo, as PCSSOusnüo podcrn ficar inertes: teem, nos referido~ mesês, dc se ogitm, de ugir, de trabillhm sofregamcnte para assím se acquccer, ativ¡mdo a circulaç50 do sungue. A cstaçào mais dgrudû\'cl é a outonal, de Setcmbro a Novembro. Mas, geralmentc falundo, pode-sc dizcr que o clima deste paiz é suudavcl. Além de tudo, 05 norte mnericullos 550 fortes, teem compleiçilo robusta dC\'ido a(:s csportcs éJ que se dedicam: gymnastíca, nataçào, equitaçao, etc. ILHAS.-histern muitas ¡Ihas. \10 AtldntJco estilo ilS seguintcs: Nutllcket, l~ode Island c Long Islétrld, Porto Rico, urna das GféJlldcs Antilha5, kndo por CéJpitiJl S. J050 de Porto Rico; dS ilhilS de S. lhomiJz, Santa Cruz e S. Joâo, compradas él DiniJIThJrc,J. No Pi]Cifico: Sdntd BarbiJfiI, nil CQStd dd Cillifornia; flenciélrlas que fecham o mm de l'>chrin~J; e neste mar as de Kodidk, Bilfé1nO[Í e S. Lourenço. Possue tambcm 05 scguintes iHChipc:\ugos nu Oceania: Hawaü (cup. tfonollllll) e Philippinas (cüp. \1nniIha, na Jlha dc I.uçon, él muior do urchipclilgo composta de cerca de /..000, entre grandes c peqUenœiJ. Transformado este archinel¿¡go em p05sessüo norte arnericana, passou a seï notil'iClrnentc bencficii1do pelo goyerno yankee. Compoe-se a SUd pOfJulaçi1o de rncst¡ços e christilos nativos, muçulnlilnos e pilgdOS Sc\Vilgens. O clima deste archípeldgo só con\'t~rn (Jos nativos e cm f¡lCe dil hosiilidùdc Ildtuféll rontra os fOJ<lSQ
J

o

18

teiros" os capitaes americanos nao affiuem para alli, conforme deveria succeder. PENINSULAS.-Encontra~se a suestea peninsula de florida. assim denominada por haver sido descoberta, em 1612, pelo espanhol Ponce de Léon, em o domingo de ramos (paschoa florida). ê banhada pelo golfo do Mexico e pelo canal de florida. Pertenceu á Espanha até 1820, époça em que passau ao domingo dos Esta~ dos Unidos, mediante endemnizaçao de 5.000.000 de pesos. No Alaska, outrora chamado America Russa, está a peninsula do mesmo nome, banhada pelo Pacifico e pelo mar de Behring e separada do contin~nte pelo estreito deste nome. Este territorio é montanhoso e tem 60.000 habitantes. A mineraçao e a pesca sao suas principaes industrias. Os productos mais exportados sao: ouro, pelles e salmào em lat.1S. Ha tambem no Alaska grandes áreas cobertas de pinho, que estao sendo exploradas pela industria de polpa para papel. SITKA é a capital deste territorio, urna das regiôes mais frias do mundo. Seus rios ficam gelados durante mêses. sendo entào interrompida a navegaçào. Alaska era llntigamente habitado principalmente por esquimós, indigenas de baixa estatura, pedencentes á raça amarella e os quaes se nutrem de peixe e caça, e se vestem de pelles. Hoie, pelo contrario, vivem aHi milhares de individuos da raça branca, especialmente na costa meridional, empregados na caça, na pesca do salmào, da baleia, da phoca e de outros peixes, e na extracçào de madeiras, ouro, carvào. ferro, cobre, etc., abundantes em varios pontos dessa riquissima regiao glacial. muito valorizada actualmente. No interior as viagens se fazem pelos rios, quando nào estào gelados; por estradas de rodagem e por ex~ tensas lillhas ferreas, e tambem em trenós puxados por caes através de desertas dè neve. Regiào muito rica de mineraes e de florestas. Em Klondike, no valle do rio VOlIkon. foram descobedas grandes iazidils de ouro, em 1896. O terreno é fedil e se presta á clIltura de cereaes e á pecuaria. Por isto

a

19 os progressas allí aIcançados nestes ultimas annos sao admiraveis. O indicio mais seguro do progredimento economico de urna regiao Qualquer deve procurar-se no desdobrameIlto de 5Ud5 vídS ferredS. O goveruo norle dlllericana, comprehendendo Que as riquezas do Alaskd, especialm{'nte as mineraes, nao poderiam ser postas em valor sem os adquados meios de circulaçao, estendeu grandes Iinhas ferreas .sobre aquella rica plaga. Entre ellas sobresaem as de Copper-I~iver, BehringRiver, e OutrClS que atravessam paragens dblJIHidlltes de cabre, ferro, carvao, etc. , CABOS. - Na costa oriental estao os cabas Cod HaHeras e Fear. No extremidade meridional da rlorida está a cabo Sable ou Tancha .. À oeste se encontram os cabas Branco e Mendocino, Que mmca il extremidade occidental do paiz. O cabo Fldttery domina a entrada da bahlO de Joao Fuca. LAGOS. - f.ncontram-se muitos lagos, sobresaindo ao norte a Supp.rior, Michigan, Huron, trie e a Ontario, Que fórmam a maior deposito limnologico do globo e 5e escoam para a Atlantico pela rio S. Lourenço. Estao entre os Estados Unidos e a Canadá, excepto a Michigan, Que só banha a grande ReplJblica. O lago Superior tem 55.000 kms.2 de superficie. Contém rnuitas ilhas e fórrna ondas e tempestades iguaes ás do oc~ano. Communlca-se corn a lago Iluron pela rio Santa Maria, e a Huron communica-se de um lado corn a Michigan e de outra corn a frie pela rio SaintClair, Que se alarga para formar a lago de seu nome. Entre a Erie e a Ontario, Que sao ligados pelo rio Niagara CIJ, despenha-se a celebre catawctd do mesmo nome {Niagara Fallsl,-"esse mar Que cae", no dizer de Chateaubriand. O rio Niagara, de 36 milhas de curso e que sae do lago Erie e desemboca no Ontario, é a desaguddor dos lagos Erie, Huron, Michigan e Sup':rior. Além dos referidos lagos, existem aind,'! outras, taes coma a Champlain, descoberto nos montes Apa(1) Vocabulo indigena e si~nifica-cstrondo das aguas.

20
laches, em 1609, por Champlain, colonizador francês, fundador de Quebec, cidade canadense; a Saint-Clair, formado pelo rio do mesmo nome; a Itasca, que origina a rio Mississipi; a Pontchartrain, e, a noroeste do Estado de Utah, a Salgada, cam t .750 milhas quadradas, onde enlrc1mos rios JordaIl, BeaI', etc. As aguas deste lago, apesar de receber varios rios, sao muito salgadas. RIOS.-Os rios sao numerosos e pertencem a duas vertenles: a do Ailanlico e él do Pacifico. Vertente do Atlantico. - O S. Lourenço, grande rio que sae do lago Ontario, corre na parte suestedo Canadá e entra no oceano por um estuario de 70 kilometros de largura, formando a golfo de seu nome. O Richelieu, que nasce no lago Champlain e banha as cidades canadenses de Montreal e Quebc. O Hudson, qlle regél Albany e desagua na bahia de Nova York. Neste rio, em 1007, rulton fez a primeiro ensaio de navegaçao. a vapor, no navio Clermont. O Potomac, que banha a cidade de Baltimore e Washington, e desemboca na bdhia de Chesapeak. O Delaware, que rega Philadelphia. e, alargandose, fórma a bahia de seu nome. f atravessado por grande e bella ponte que dó entradil ó cidade de Philaladelphia. O Connecticut, qlle se lançd no estreito de LongIsland. O Susquehanna, que termina em a bahiélde Chesapeak. No golfo do Mexico entram os seguintes: O Alabama, que desce dos Apalaches e toma a nome de Mobile, em seu curso superior, ü Mississipi que nasce no lago Itasca, banha as cidades de S. Paulo, S. Luiz e Nova Orleans, e desagúa por um delta. E' 11mdos maiores rios do mundo. Recebe muiios affluentes, sobresaindo o Colorado, o Arkansas, a Vermelho e a extenso e caudaloso ¡""lissouri (3.600 kms,), que desee dos montes Rochosos e entra na margem direita do Mississipi perto da cidade de S. Luiz. A largura do Mississipi é de 300 a 900 metros, de S. Paulo, á confluencia do Illinois; 2.500

21 metros na do Missouri; 1.500 em S. Luiz; 2.200 na confluencia do Ohio; 1.500 no do Arkansas. O Ohio é a mais importante tributario da margem esquerda do \tIississipi. Desce dos Apalachcs, banha Cincinati e outrrtS cidades, e recebe a Termesse e o Kentuchy (nome indigena e significa fIO do sangue), que éltravessa a htado do mesmo nomc, ande está Mammo/h Cave, a maior gruta do mundo. Missouri-Mississipl fórmél notavel arteria fluvial nav~gave1. Dcsemboca tambcm no golfo do :-'1exico a I<io Urande ou brovo dei ~orte. de ¿WU kIlometros, o quaI desce dos montes I<ochosos e separa os tstados Unidos do Mexico. Ver/en/es do Puci/¡co. - Poucos rios importlmtes. Os princlpaes silo: () Grande Colorado, del.3:S0 kms.; rccebe a Gila e desemboca no ~]oHo de Cortês ou de CalIfornia. O Sacramento, que rece be a S. Joaq\lim e entra na bahia de S. früncisco. O Oregon, ou Columbia, cam 1.190 kms. largo e encachoeirado. O frazcr, corn 1.300 kms., tendo sllas cabeceiras nos montes ~ochosos. GOLn)S L:: BAIIlAS.-O golfo muis importantc é o do \1exico, nil purte meridionul do paiz. As bühias muis notaveis sfio uS de \:ova York, Massachussetts, BùfTlstüble, Delaware e Chesupcuk, mI costa Atlantica. :\ia bahia de Nova York cstó, na ilhota Bedloe, a [statué} da Libcrdade, concepçilo do esculptor francês Augusto lkrtholdi. Monumento importante, de grandes proporç6es, corn \lm phdfOI na mùo direita suspenso. A naveguçao no grande porto de ]\;ova York, um dos principiles do mundo, é dirigido por rncio de signaes radiographicos, hûvendo 4 estaç6cs que transrnittem os slgnacs uos navios que sc opproximum da entrada do porto. Os signaes luminosos sâo münobrados por eJectricidade. \la costa do Pacifico sobrcsae o bahia de S. francisco. com colossal movimcnto de navios, nâo só

a

22 corn as republicas espano-americanas mas tambem corn as ilhas Hawaii, Philippinas, )apào, China, Indias Orientaes e a Australia. POPULAÇÀO.-O crescimento da populaçao dos Estados Unidos é verdadeiramente prodigioso. Suas grandes cidades augmentam dia a dia. E' actualmente calculada em 125.000.000 a populaçao que vive sob a bandeira deste paiz, inclusive a das suas p05sessôese dos portas militares e navaes no extrangeiro (n A populaçao deste paiz cresceu rapidamente, em cc.nsequencia da grande corrente immigratoria que para alli affluiu em ondas vultosas. Por isto é um estado constituido de populaçao mesclada, tendo alli todas as raças seus representantes. Coma paiz de immigrantes que é, confundem-se aUi todos os sanguese se cultuam todas as religiôes (2) Leis rigososas prohibem a ingresso de cegos, paralyticos, gatunos, caftens, mendigos, mutilados. syphiliticos e leprosos. A raça branca, que é a predominante, é representada pelos europeus e pelos yankees, descendentes dos inglêses. Distinguem-se os yankees par sua grande energia, capacidade de trabalho e intenso aCan de ganho e de independencia. E' urna collectividade vigorosa que constitue poderoso agrupamento humano de vida intensa e que nao recua diante da difficuldade, do perigo, do trabalho mais suaveou mais aspero, O yankee é audicloSO, arrojado. Longfellow, insigne Doeta norte americano, autor do poema Evangelina, dizia: «Sê arrojado! Sê arrojado! Onde quer que estejas, sê arrojado! O arrojo
(1) Em 1')20 a populaçao dos Estados Unidos attingia a . 10:).863.108 habitantes, sendo 94.822.431 brancos, 10.463.013 pretos (coloured men), quasi todos no sul do paiz; 242.959 indios, 111.9.15 japonêses, 61.688 chinêses, 5.í30 philippinos, 2.505 hindus, 1.23() co· re anos e o resto de outras fontes, entre as quaes siamêses, malaios e samoanos. (2) De 111.'\0-1 entraram ')20 nos Estados Unidos :l:I.O()().()()() de extrangeiros, figurando em maior numero os inglêses, allemaes, italianos. russos, scandinavos, chinêses e japonêses.

23
nunca é dcmasiado. Antes a excesso do que a falta; melhor é a mais do Cllle a menas.» Orgulhosa, tangida por absurdo preconceito de raça, procura ¡solar-se de outras muítos membros da familia humana, nomeadamente dos prdos, que vivem el parte, isoladamentc, viven do, entretanto, na mesma patria commum, sob as mesmas leis, religiao e costumes. tstes sao representados por numelOSOS descendentes de africanos, outrora importados para trabalharem cscravisados nR lavoura. Tccm kilo m(!f(!Yilhoso5 progrcsso::. 110 sul do paiz durante 05 ultimas annos. Pos5uem importl1lltes bancos, cstabelccimentos industríaes, notaveis universidades, grande numero de medicos, engenheiros, advoqados, scientistas, literatos, jornalístas, professores, mi:1istros do culto, cùpitalistas (2). 05 t-:stados do nor'ie, onde predominam os yan: kecs¡ eram abolicionistas e os do sul escrùvísÍélS, e Isto motlvou a Guerm de Secessào (lôóO - 1ô(5), cm que foram victoriosos os prímeiros. Um dos homens quc sc notabilizarôm ncssu campanhu abolicionista Foi a udvogéldo Abrahao Lincoln, reeleito Presidcnte da

~kplJhlica,

em 1864.

«Lincoln, () homem de f.stado, que conhecia de experiencia propria as fddigas do trobalho no manejo do machado, ao santificùl-o cm sUù patria, traçou, para suu naçâo, a rota que ella vern seç]IIHldo corn assombro déi humanidade Quando e1lc, nd curaI dé! presidcnclcl, procIamùva u primasia do trol)ùlho corno fonte do célpitul, que ùnteccde il este e deste nao depende; que é superior élO capital e merece deste consideraçfio il môis elevada - a estudista lenhador· inspirüva-se no sublime evangelho dé] grandeza das na(:3) Em 2(, de Outubro de 1')21, falando pcrante o publico, o Presidente Harding expoz o seu ponto de vista sobre o problema norte americano das raças. Disse que cra favoravel ao dil'cito do negro norte americano as mais amplas vantagens de ordem politica. economica e de educaçào. Dirigiu um appello á naç1io para que ponha de parte os prer:oncpitos e antagonismos e apoie lima politicu. constructiva de confratemizaçúo das !'aças,

24
çôes e certamente previa a futuro de seu paiz edificado pelo irabalho. A naçào americana ouviu a palavra sagrada de seu propheta e trilhou a estrada que elle apontou ás varias geraçôes que se succederam, razao por que a America do Norte é hoje iJ terra do ouro, frudo do trabalho de seus gigantescos f¡lhos». Este grande homem, estadista eminente que despedaçou as algemas do captiveiro em sua patria, foi assassinado por um fanatico escravocrata chamado Booth, em um theatro de Washington, a 14 de Abril de 1ô65. Distinguem-se os yankees pelo coraeter altivo, pelo censo pratico, pela força de vontade, pelo amor á liberdade e ao trabalho. llNGUA. A lingua officiaI e geralmente falada

é a inglêsa..
Cumpre, entretanto, dizer que existem nesta grandiosa naçao tantos idiomas quantos sáo os pavos que alli residem. REUGlÀO. - Os Estados Unidos sao a terra classica da liberdade de cultos. protestantismo é predominante. Segundo os dados estatisticos effectuados em Washington, em 1922, havia neste paiz, além de suas possessôes : Protestantes. 74.795.226 Catholicos . 17.ôô5.646 Judeus 3.300.000 Mormons " 1.646.170 il Orthodoxos, gregos e russos 4t 1.054

a

INSTRUCÇÂO POPULAR. - lem-se corporificado admiravelmente a instrucçao neste paiz de intensa vida progressista, - a mais pujante das democracias roo·demas, cujo vertiginoso progredimento nào póde deixar de ser um bello exemplo do valor de suas instituiçôes de ensino. [m verdade, a instrucçào popular foi o grande movel do espantoso progresso dos Estûdos Unidos,

qucr pela ¡¡¡do politico, quel' pela industri(jI. fste paiz de mchimilllonùrios ccnstruiu él SUd ddmiravc\ opulencia no tllnllllto dos nqJocios, rios explof<1ç6es, dos emprehendimcntos giUilntcscos, e\cvélndo ilS energias de seu pavo 00 lTlilximo da cé1pi1clddde productiva. tia grdnde oficio de progre:,so por Bleio do irabalho e da instrucçùo que é bem diffufldidû. Quel' os poderes Pllblicos, quer os particulares cuidarn corn \'C1dddelro inicresse do ensino popular. f.xlstem numerosos collqJiú~, e universidüdes cm todos os t~~I¡ildos d,j lJ!1iiin, f,('(IIWfltiH]O'S por cstlldùntes de díílLu:., u::; ::'0,(;::' . .2.s 111111\"":11..:::; diii idzern concurrencia uos horncns cm fodll:'. il::; profls~ôcs tcchnicils. bll !lJ11 hi1\iu ni! ~FiJlIdc I~cpubtlca (Ú().ooo professores do curso prirnmio. sendo que rnùlS de 400.000 C[¿lm ITllllhercs. \:0 refcrldo <111110 existiiHTl alli 300 escalas IlOrfllélcs. AllI os mlllhcícS !ccrn ~Jr<Índe \'ali,l mcnt<ll e invadern corn \<llltllUClTl a CdfilpO dè todils i.lS actividades. Disl1!1ÇJuelTl-:oe !liJ imprcns<l, n¿¡ burocraci¿¡, no commercia, l1ilS profi:-':iOC5 fu:}¡nicCls, Ilberdcs C mccùniciJs. ". é por i:,to (I'W il rn¡;Iher logrou real prestigio nos htùdos Unidos. onde é: cbtord e clcgivcl, tornando Pélrtc sül:(;lltc nu ddr;llllisjri¡cüo pllblici]. Lilconfrdrn-5c 'télS qïlilHks cidddes ilS nwis notaveis 111~,f¡¡;IIÇ6c~ dllCi::¡.ii~. LC<illZ:l1tildélSflor crcscido C numero de cs!t¡dûl1ies. (! J. A I:lcrdurd (: ilS i1rT2S Id)crdCS süo menas culti(1) O rrCrlH'l','IlH'nto dl' i ":.'11 det('I'minou a somma de . :tï.ï2i;.ïi,¡¡ inuivi(L¡os t~lil idaue ('"coLiI'. ¡:unceiOIlilVaIn rntiio . I:l.".~i cursos "cc\l:l(IaI'i,-,~, jJi' l!lil'o.·. !lO:--' uars q e:,tavam matriculado:; :2.: i ;.:' ,il all¡¡nnas; \\niYll~id,;d('s, (':--('OhiS S\lj'('I'iOI'CS C technicas, ('111 !lUIíll'l'O de

¡,ï:!.

!:Olli

;,

ïl'l'C;Ii('neia

(Il-

('('ITa

de :HWUHJ

estudautes. l' diplolll:llIlIo. HJlIlI!Jln¡¡'¡1l('. :.!.I~lll. a:)J'o~jmadamente. t-lavia ¡l,II l'scoh" de diJ'.'ito. l'olll :.'11.:'.::: m¡ttlÏc'ulas; ï:l de Il1l'dicinu. com il.:,!\lI: ::" lit' (Jd('niulo~i;¡. cam ..,.."I:~-; 5!J de phar¡:weia; IiI rl(' Vi·t::i'Í¡¡,tria; l'" d,' ti'(':llol~i:.t; "-I;2!.le commercio, com :¡::[i.! Ul. ¡¡hImnos. l\ùs ultimas III a!lnO:i ten! lid!) t!:l'unde (L'sdohmmento o enSill() ¡i1·olÏssio¡¡¡tl. cvm escala:; Ôt' l'JIl':/'Il'ciros. ('conomia domestica, agl'icullu¡-a, l:Omllll'l'cio. indu',ll'b'·. et:;., cam 11111total de matricÚ]a (]¡o mais de ~'I.II!WI allllu:il!l!\I1tl'.

26
vadas do que as sciencios e a~ odes mecanicas e industriaes, por serem os Ydnke~ eS:5encialmente praticos. Alli o engenheiro e:5tuda as theorias ~cientificas e ao mesmo tempo aprende afincar um poste e a fazcr funccionar urna caldeira. A educaçâo physica é muito cuidada lIOS Estados Unidos. «E' de notar, diz o Dr. Rodrigues Doria, o esmero, o excesso, talvez, da educaçâo physica na America do Norte; o enthusiasmo corn que se entregam nas universidades a jogos, camo a loolzboU, base-balJ, etc. A~ luctas entre Yale e Harward sâo caracteristicas. Urna multidào de 30 a 40.000 pessoas vâo assistir a esses malches, em que Yale na maioria dos caSO:5ahe s vencedora. O povo norte americano é perdido por esses es~ortes. «No furor de urna lueta entre as duas universidades rivaes, diz Huret ter ouvido um estudante, que de nenhum modo podia ser um assassina, gritar: Kill hitn (mata-o); Break his neck (quebra-Ihe O pescoço), e pondera: um tal frenesi de luetd brutal nâo póde ser bom para a civilizaçâo; creio que ninguem sustentará que seia conveniente para desenvolver a doçura e a bondade». As opiniôes sobre o valor moral desses iogos sào divididas: lIns deseiarn supprimil-os, outros recuzarn esta deliberaçao. Mas, em verdade, esse:5esportes desenvolvem a força de resistencia, a segurança da vista e a combatividade. Em todas as cidades existem bibliothecas. A Bibliotheca Nacional possue mais de :~.OOO.OOO de volumes, t 70.000 cartas geographicas, 425.006 photographias e gmvuras diversas. e 950.000 musicas. O edificio onde funcciona, a mais vasto è o mais custoso do mundo, tem capacidade paHl guardar 7.000.000 de volumes e pode accommodar 1.000 leitores. O numero de leitores deste estabelecimento de instrucçao excede de 900.000 por anno, corn a media diaria de 2.600. Deve-se tambem mencionar a Museu Nacional e a Escala Nacional de Bellas Artes, rnantidos pelo governo federal, em Washington.

FÓRMA DE GOYERNO.· Os Estados Unidos adoptam a fórma de governo republicana federativa. (1). poder legislùlivo é exercido pelo Congresso Federal, composto do Senado e da Camara dos Deputados. O Senado representa os Eslados, na razào de 2 senadores pam cadû um, e a Camara representa a pavo. Os membros de ambas as casas do parlamento sfio eleitos par suffragio popular. O poder executlvo é exercido pelo Presidente da l<eplJhlica, eleito para administrar él né.içào duranie 4 dnnn.~., pcdcndo ser reeleito. O poder ludiciario, que tarnhem funcciona no CapitolIo, é excrcido pelo Supremo Tribunal, constituido

a

(1) Luctas políticas e religiosùs que agital'J.1ll a Inglaterra, cm I fil )'7, COnCOITl'ram para o crescÏmentü ria populaçao das ¡,ua¡.;eolonias na Amer·ica. Porcm certus restricçoes í'eitas ao commercio destas e impostos taxados sobrc o sello e o chá atiçaram a Guerra da Indepcndencia, que estalou em Bostom cm 1ïï:l. Al') de Abdl de 1ï'7.'i Ol; americanos, capit.meados por .Jorge Washington, l'err'otarMll o~ inglê.,es na lnt,tlhu de Lexington. As pelejas suhsequentes l'ol'am favoraveis áquelles, que Re l'cunir!l.m cm Phill1d01phia cm o Congresso Constitucional. Este norneou \Vashington general em cllel'e de 2IWX) homens. A ï de Junho de I '7'7(j drJdurou a Congl'esso a scparaçao das 1] colonias Ù'l m\'lropole. e ai de Julho lIo mesmo anno roi firmada a sua indepenricncia del'initiva. Essa lueta terminou l'om A. capitulaçào do general COl'l1wallis, a 1'/ df.' Outubro de I ïHl, cm Yorktown. Em I JIU a Inglaterra \'econheceu a independencia dos Estados Unidos e Wcl.shillg'ton roi o primeil'o I'residente da Republica. "\V oodrow Wilson roi o Presidente que tomou parte notavel no l'inal da maior guerra qUl' o mundo tem presenciado (191,1-1'1\11). e rl'presentou importante papel nI.'.politica eUI'OJléa. Foi substituido no go\'erllo pela sellado!' Warren Gamaliel Harding-, eleito l'm !\ovembro de jl)21l e empossado a 4 de l\1arço de 1'1~1. A :1 ùe Agosto cIe 1Q2:1 falleceu o Presidente Harding, senda substituido no ¡{overno du Hepubllca pela Vice-Presidente Calvin Coolidge, reeIcÎto para o periodo de 1'12,"0-1 B2'). ,\ :1 de Fevcreiro de 19~4. fallece u Wilson, grande l'igura universal, e, pelo importante papel que desempenhou na Grande Guerra, foi um do:; homens que mais int1uiram para o termo dessa catastrophe. A humanidallc eonse¡'varú a memoria deste estadistct e pellsadOl" eujo almejo roi a,seglll',tl' perpetuamente a paz munùial.

28

por JUlzesnomeados pelo Presidente da Republica, me~ diante approvaçào do Senado. Cada Estado tem sua organizaç~ politica parti~ cular: governador eleito pelo pavo, parlamento (se~ nado e camara), e poder judiciario. A séde do governo federal nao é a principal ci~ dade da Uniao, ficando assim a poder publico ao abrigo da turbulencIa propria dos.grandes centros de populaçào. mesmo succede ils capitaes dos Estados. governo, quer a federal, quel' o dos Estados, está sempre voltado para a causa do pavo. Semeia a instrucçào e organiza leis que redundam em beneficio da collectividade. Em 1 de Julho de 1919 ccmeçou a vigorar, em todo a paiz, a lei que prohibe a importaçào, fabricaçâo e venda de quaesquer bebidas alcoolicas. Essa lei representa a fructo de urna nobre cam~ panhaem pral da perfectibilidade humana, a victoria de urna velha lucta contra o alcoolismo, - inimigo da ordem social, factor criminogeno, causa de graves enfermidades, da angustia dos lares, da desorganizaçào do trabalho. (1)

a

a

(1) Em 1'121 escreveu o Dr. Julio da Silva Araujo: «Como resultado da prohibiçao do alcoolismo nos Estados Unidos, verifica-se, desde já, o seguinte: cm Nova York o decrescimo do crime é de 34 010; èm Chicago os delictos de roubo diminuiram de 25 o!o; e muitos outros beneficios consequentes á humanitaria medida se re~istI'am cm todo o territorio da grande republiea americana, onde fabricas e usinas de bebidas alcoolieas, como cervejarias e outras, se vâo transformando cm oïYieinas de preparar bombons e comestivcis de varias especie:,;. Ao passo que a cadeia publica do condado de Cumberland, em Nova Jersey, só tem dois prc:,;os, sobre urna populaçll.o de ... 60.000 habitantes, e o asylo de vadios (Work-House) de Peoria (minois) está vasio, cm toda a parte se abrem novas caixas bCOnomicas e bancos para a fortuna particular do povo, pois os depositos revelam um augmento de perto de 24 milhOes de contos annllalmente. Emquanto que cm Boston se trata de esw.belecer um regulamento municipal, afim de reduzir á metade as cadeias publicas, cm vista de ir em accentuado decrescimo o numero de detidos, o Dr. William queixa-se da diHiculdade de achar cadaveres de vagabundos para os estudos do seu curso».

Os Estados Unidos representa m actualmente a expressâo maximü de força organizada economica, social e politica, e as suas tendencias liberaes e a influencia de sua modelar democracia estendem-se por toda parte, erguendo mudo dllo 05 fóros e a capacidade das 'laç6es do Nava Mundo. DIVISAO AD\1INISTRATIV A. - [' a paiz poltticamente dividido em 48 Estados, 1 Distrido Federal (Dis/fiel of Columbia) , e 8 Territorios seguintes: Alaska, Philippinùs (1 >, Porto Rico, Hawùii, Zona do Canal fif' PrllliHnrl, ll!i,I:', VIIuiniü5, lIha Sùmoù-Totuilù e IIha MariélClél-Guam Estados da Bacia do Mississipi. -- Esta bacia, de 3.543.000 kms.2 ,cúmprehende 19 t:stùdos: Ohio, Indiana, Illinois, Kentuckey, Tennessee, Alabama, Iowa, WIsconsin, Minnesotu, )'\orth Dakota, South Dakota, Nebraska, Kansas, Missouri, Arkansas, Oklahoma, Mississipi, Loisiéma e Texa;;. Encontram-se 48 o lo da riqueza total do paiz no valle do Mississipi, senda os principaes pro dudas a hulha, a ferro, chumbo, petroleo, mgilla e florestas. Estados do Atlantico. -- Sao os tô seguintes: Maine, New Hdmpshire. Massaehussets, Rhode Island, Conneticut, New York, ]\;ew Jersey, Delaware, Maryland, Virgimêl, North Carolina, Souih Carolina, Georgiù, rIorida, Vermont, PensylVélrtia, West Virginiu e Michigan. [stes Estados est50 na costa atlùntica, corn exccpç50 dos 4 ultimas, que sâo centrues. Seus principaes recursos naturucs sao: hulhel, petroleo, ferro, cobre, lTIadeiras, argilIü, pedro pura construcçao, etc. Estados dos montes Rochosos. -- Silo 8: Montana, Iduho, Wyoming, Colorado, Utah, Nevada, New Mexico e Arizona. Suas principaes riquezas sao: gado bovino e ovino, aura, prata, cobre, chumbo, zínco,
(i) Este archipelago, qlle flcr·tenecu á Espanha até 1Il'J8. foi deseoberto cm 1.~1()pelo navegador português Fernâo de MagaIhúes, entào ua seniço de Carlos V. Sendo Magulhâes assassinado pelos indigenas, numa das ¡¡has do arehipelago. ¡;eu piloto, Sebastiào Eleano, rcgl'essou á Espanha, completando assim a primeira viagE'm de cireumnavegaçâo que se ül'fectuou, ma...;; euja glOT'ia pertenee a Magalhiles.

30 hulha e petroleo. Só o Estado de Idaho fornece 30 % da producçao de chumbo do mundo. ESTADOS DO PAClfICO-Sao 3: California, Oregon e Washinton. O reino mineral ahi apresenta ouro, prata, pedras preciosas, hulha, ferro, chumbo, zarcao, magnesia e petroleo. Ha tambem muitas madeiras, produdos agricolas, pecuarios, manufactureiros, pomicolas e de pesca. «E' dentro dos límites dos ires Estados do Pacifico que estao concentrados mais de 50 % das florestas disponiveis de todo a paiz. A rçgiao mais importante, sob esse ponto de vista, é a que fica â oeste da Serra da Cascata {Cascade Moun/aiTls}, e da Serra Nevada, que, do litoral, corre de norte para sul, em direcçao ao interior do continente, em urna extensao de 200 kilometros, mais ou menos. As arvores dessas florestas teem proporçôes gigantescas, encontrando-se cedros e sequoyas corn 6 metros de diametro e mais de t 00 de altura. Alguns cedros contam mais de 3.000 annos de existencia e, segundo opiniôes abalislldas, sao as arvores mais êmnosas que se conhecem em todo a mundo. Ha ne5ses Estados serrarias que trabalham 225.000 metros de madeiro por dia, funccionando, ininterruptamente, durante as 24 horas, distribuidas por tres periodos de ô horas cada um. A paisagem apresenta aspectos multiplos e variados, de belleza e grandiosldade inexcediveis. Sao especialmente dignos de mençao os parques Nacional de Josemite, na California, e de Raimer, no Washington; o Monte Hood, o desfiladeiro do rio Columbia e a grande estrada do Oregon. Neste ultimo Estado está situado tambem o lago da Cratera, que é considerado urna das sete maravilhas do mundo. E' ainda no Pacifico, no Territorio de Alaska, - a parte mais occidental do continenk americano - que se encontra outra grande belleza natural, dentro dos dominios dos Estados Unidos: a valle das Dez Mil Chaminés». (1)
(1) .A participaçao dos Estados Unidos na Exposiçáo Centenario da Independencia do Brasil». pago 9. do

3\ INDUSTRIAS. - Os t-~stados Unidos sao a malS rica regiâo do orbe em mineraes. (1J ~Ia notu\'el extracç50 de hulhu, ferro, cobre, chumbo, pctroleo, uço, cimento, sal, alluminio, zinco, ouro, prdta, mercurio, nickel, marIT/ore, kaolim, etc. f' o primeirù mercado exportûdor de pefroleo, estando em segundo lagar o Mexico. A hulhü é o maib abundante producto mineral desf¿] nùçâo, que occupù o primeiro logùr no fornecimento deste combusti\Tel, cognominado - o pila da J/JdUS/i id. cstandû em scaundo (j InalütcITù e cm tcrcciro a AlIclTIilnhfl. . A. ùgricultura ió era valiosa nos tempos coloniaes, sendo acÍlléllmcnte extr¡¡ordinariamente prospera. t' o mn¡or productor de milho, trigo e outras cereaes. Seu territorio, gefiJlmente fertil e arroteado corn esmero, produz tnmbem notùvd COplû de algodila, tubaca, batatas, feijâo, Cilnna de assucar, betcrraba, hnho, lupulo, hortaliças, fruetas, feno, etc. (;:» l~' o mnior fornecedar de milho e trigo do mundo, senda a milho cultivado em todos os htodos da Uniâo. O café é planfado na ¡Iha de Porto Rico. O u~SUCùl'é abundante nesta ¡Iha, nas Philippinas e ilhas

tlawau.
(1) Este paiz pl'oduz annuulmentc, ijl~l.lIm.lX~l de toneladas de hlllha; 3m,(HI,I~\() de toneladas de ferro guza; 4l1.!MKI.IIlK) de toneladas de aço; H.lilKl.I~II)toneladas de cob¡'e; 5m.IOI de ehumbo; .'i:Jil.I~~l.rllMl de hectolitl'os de petroleo; 2ï.6(nlll~).IXIl) de kilogrammas de c¡mento; 2.2(1),( ~)( l,t:\Il 1 de kilogrammas de sal, segundo C8tatistica oiiicial.
12) As principaes cifms:

colheitas

8ÜO

aprescntadas

as segllintes
kilos

Milho .. Trigo .. Algodiio. Avcia. ,
Cevada .

!ifl.IIlHIH).IUJ 25.81 ~ l.l ~ l(l.1 ~ X 1 :2,51Hl,1 X Ml.1 X X) 15.1 2r '.1 ~ ~ 1.1H M 1

:¡.a:lll.l~
55U.I

Il).!

XXI

Arroz .. Figos ... Azeitonas .
M~çils , l'pras ... .

Il H 1.1 X X I

13.01 H 1,1 M M 1

fi3.lIl M l.I

8.51MI.lilXl XJlI 5,;\1 MU ~lr I

hectolitros

32
A pomicultura é feita em grande escala, augmen· tando sempre a producçào de maçà, pecego, damasco, pera, figo, ameixa, azeitona, uva, laranja, sobretudo na California, de clima igual ao do sul da Europa. A exportaçào de frudas é calculada em mais de 30.000.000de dollars. A industria manufactureira assume cada dia pro· porçôes descommunaes. Preoccupa-se o povo corn o progresso collectivo, e por isto em nenhum paiz do globo o espirito industrial se expande como nos Es':' tddos Unidos, cuja evoluçào material cada vez mais admiraçào desperta. Os aperfeiçoamentos introduzidos alli nas machinas de fiaçào, reIoioaria, ourivesaria, quinquilharia, tecelagem de algodào, là" linho, seda, etc., tornaram os norte americanos competidores dos europeus e attrahiram para o seu paiz urna clientela , universal. Fazem-se artefactos delicados de cautchu e gutapercha. Inventam-se apparelhos diversos, machinismos excellentes, locomotivas, utensilios de precisào e redificaçào. A fabricaçao de relogios faz concurrencia á da Suissa. As machinas de coser, de bordar, de escrever, de registar a receita, de compor, de imbutir os metaes sào Quasimonopolizadas por esse povo forte e" diligente. Seus altos fornos produzem, em media, mais do dobro dos da I"":uropa. A industria de fundiçao de ferro e aço é importante. Ha grande construcçâo de navios, de casas transportaveis de madeira, de moveis; fabricas de calçado, chapéo, roupas, louça, papel, ferragem, apparelhos de artes graphicas, armas, material para estrada de ferro e milhares de üutros, productos manufacturados, taes como automoveis, aeroplanos, motocyclos, bicycletas, bondes e outras viaturas, instrumentos musicaes, cirurgicos, etc. A industria dos automoveis occupa hoje' a vanguarda das industrias norte americanas, iendo sobre~ pujado outras muito mais antigas. O preparo da forinha de trigo e de carnes con~ servadas assume proporçôes colossaes. A pecuaria é notabilissima. O rebanho bovino

33
deste paiz é a segundo do globo, senda a pnmelro a das India~ Britannicas. E' tambem a primeira regiao creadora de gado porcino. Ha numerosas especies de animaes indigenas: ur:so, jdYUdl", lobo, bisào (bai selvogem), raposa, castor, Iynce, oves e passaros diversos, serpentes, etc" havendo animaes exoticos, taes como a bufalo e a camelia, que presta serviço no Texas. A pesca de baculhou, salmao e outras peixes é exercida cam grande proveito. A colheita de ostras é ('1I111 "'t: Ild bahia de ChCSùPCuK e no estreito de Long Island. A flora é riquissima, apresentondo notavel qUdntidade de m~deiras preciosas. (t) Nas selvas da California sobresae, por suas dirnens6es estupendas, él sequoya gigan/ea, arvore que se nào encontra em outra parte do mundo. No tronco desta arvore colossal abrem-se brechas par onde padern passar éllJtomoveis! COMMfl~CIO. Os fstados Unidos occupam actualmente a primeiro logO[ entre as naç6es expodi1doras do munoo, estando il Inglaterra em segundo, a Allemanha cm terceiro e él I--rlHlça em quarto. As esfùtisticas mostram, quando comparadas cam as de outras paizes, que a sOITIma dos productos exportados pelil gri.wde I~epublicn è muior do que i1 de qUillqucr outra naçào. Desde 1914 que este paiz começoll il mostrar a sua cspùntosa cUPélcidùde productivü. (1) Os Estados lJ nidos l'oram dos maiores fornecedores de madeil'us. Essa grande fonte de riqueza natural era explorada em gl'ande quantídade, nào só para a consumo interno mas t'ambem para abastecer os mercados extrangeiros. Hoje suas enormes florestas estilo senda desfalcadas, em virtude, principalmente, do vultoso consumo do paiz. E' grande alli a construcçao de casas de madeira. Os caes dos principaes portas sao de madeira, de sorte que este producto l'Iorestal tem gTunde applicaçâo na Hepublica, que, par isto. já começou fi explorar as mattas virgens do Alasha, muito ricas de abetos e r.le outras essencias de construcçilo. A sup2rficie total coberta de selvas era, outrora, de cerca de :1.:l6ï.lHJ() kms.2 Presentemente restam cerca de 1.867.750 dos quacs 55:'i.fHHI ainda em mattas virgens. A proàucçao das serl'arias e das derribadas para combufitiyel (> ol'çada em lïll,(HI,IHHI de metros cubicos.

De 1917, época em que tomou parte na Grande Guerra, mostrou que sosinho suppriria todos os mer~ cados americanos, e todas as naçôes alliadas da Eu~ ropa, impedidas de produzir durante a conflagraçào. Dos Estados Unidos os AlIiados receberam entao vi~ tualhas, armas e muniçôes,que muito concorreram para acalmar as suas agruras até o termo do monstruoso conflicto internacional, a 11 de Novembro de 191ô. Os Estados Unidos exportam muito, principal~ mente petroleo, ferro, carvao, cobre e outros mineráes; trigo, milho, algodao, arroz, aveia, batatas, frudas, gado, carne, peixe, machinas differentes, tecidos de toda especie. armas, muniçôes, b~rracas e outros pe~ trechos bellicos, automoveis, relogios, papel, calçado, chapéos, ferragens, louça, etc. Importa café (1J, cacau, chá, borracha, assucar das Philippinas, da America Central e sobreiudo de Cuba; côcos das Antilhas e do Brasil, castanhas do Pará, pelles preciosas, seda, potassa, manganez,polpa para papel, etc. O commercio interno é avultadissimo. 'As permutas externas se fazem em maior escala co~ o InglQterra, Allemanha, França, Belgica, Canadá, Antllhas, Mexico, America Central, Brasil e outros es~ tados da America do Sul. VIAÇÀO. - O grande progresso dos EstadosUnidos é tambem motivado por seu perfeito systema de viaçào. Outrora suas vií'lS de transporte eram os rios e canaes principalmente. Hoie, além dessas, está a Republica cheia de estradas de rodagem e de ma~ gnifica rede ferroviaria. Possue a maior estrada de rodagem do mundo, partindo do Atlantico e terminando no Pacifico, em S. Francisco. Atravessa 12 Es~ tados e conta· 5.995 kilometros de extensao, tendo 20 metros de largura. Este paiz tem mais estradas de ferro do que todas as naçôes européas! Em 1917,a rede ferroviaria norte

-------(1) Este paiz é o maior consumidor Colombia. É tambem o maior consumidor de café do Brasil e lfa de borracha do mundo.

35
americana era de 650.000 kilometros. Actualmente ul~ trapassa d~ 500.000. Além du navegaçao nos grandes lagos, a Missis~ sipi e seus affluentes fórmam importante systema de navegaçào interna, senda avaliada em 40.000 kilometras a extensâo dos rios e canaes navegaveis. Esta portentosa Republica é rival da Inglaterra em poder naval. SC\lSprincipaes portos maritimos sâo: Nova York, quc é haie a primeiro do mllndo; Philadelphia, Bos~ ton, \)altllnore, Norf >Ik, 110 Ailantico; NOVd Oïleans e Galve:;ton, no golfo dû Mexico; S. francisco, Senttle e Portland, no Pacifico.

WASHINGTON, capital do paiz, situada no Districto de Columbia, que tem 500.000 habitantes. Porto importante na margem esquerda do Poto~ mac, caudaloso rio que desagúa na bahia de Chesa~ peake. E' urna das cidades lindas da Republica. Pos~ sue edificios notaveis, taes coma il Casa Blanca lWhi/c }/,1use), residencia presidencial; a Capitolio, gigantesco predio onde funccionam as duas casas do parlamento e a Supremo Tribunal de Justiça; a Arsenal de Mari~ nha, a Observatorio, a Camara Municipal, a Theatro, a celebre Museu de Historia Natural, a Correio, a Uniao Railway Station, a monumento 'consagrado a Jorge Washington, grandiosa columna de marmore, em fórma de obelisco, corn 555 pés de altura e assente sobre ponto elevado, podendo, por isto, ser avistado de todos os lados da cidade, na quaI foi tombem erecto \1m grande monumento a Abrahâo Lincoln. NOVA YORK, porto mais movimentado do mundo, actualmente cam 10.000.000 de habitantes, inclusive os

seus .arredores. (1) Esta cidade babylonica contém 'extraordinario numero de extrangeiros, - urna especie de museu de raças, urna Babel contemporanea ande se falam todas as linguas. Está situada na bahía de seu nome, ande dr.sem~ boca o rio Hudson. Mais de metade das exportaçôes e importaçôes da Republica passam por este porto, onde se nota febril adividade commercial. O forasteiro que alli chega pela primeira vez sente atordoamento dianle do movimento estonteante de transways electricos, auto omnibus, automoveis, transwais aereos rodando veloz e ruidosamente sobre pontes de ferro. Gente apres~ sada por toda parte, se acotovelando, avançando como quem nao póde perder tempo para fazer dinheiro Jo make money. Em tunneis extensos correm trens eledricos trans~ portando milhares de peSSOétSe um lado a outro da d cidade gigantesca. Nenhuma cidade do globo augmentou tao de,.. pressa como esta. Em parte alguma o phenomeno do povoamento attingiu tao notavel amplitude como nesle formigueiro humano, situado na ilha Manhattan, se com~ municando corn Brooklyn, nao só por 3 subtcrraneos e barcas, mas tambem por 7 grandes pontes de ferro suspensas, tendo a maior cerca de 2 kilometros de comprimento e 500 metros de largura. E' dividida em cidade alta e baixa, estando nesta quasi todo o movimento commercial, sendo a Broadway kaminho largo), a arteria de mais inten~o bulicio.
(1) Possue a mais vasta estaçáo de caminho de ferro do mundo; o maior gazometro, ,a maior fabrica de brinquedos, a,maior bibliotheca, edificada em Bryant Square, corn luxuoso 8alâ.o de leitura, onde está a seguinte inscripçao: "Por meio da educaçilo diffundida preservamos e ptlrpetuamosas nossas livres ínstituiçoes". Contém hoteis colossaes, sobresaindo o Pensylvania Hotel, corn :!.2(X) quartos. Sâo admiraveis pelo tamanho e architectura as estaçoes ferroviarias:-8. Grand Central e a Pensylvania Station. Seus estabelecimentos de ensino silo no la veis, destacandose as universidades Columbia, a mais frequentada do mundo, e New-York City University. Cumpre tambem mencionar o Museu de Historia Natural e o Museu de Artes.

.\1

"/"'

histcm mudas avenldils, llllüsi todas numeradas, hem corna a s80 as fllùS qlle (lS cortam perpendIcular-

mente.
Cidade knkuiler, (cm edificlo:'> l\ciopiccs, os 'nd!Ore<; do n,llndo, (;cncrnil\ddos arrônhû - céus (:o.kysUripers¡' L'!liI clo,¡de balxa qce ~e enccntrmn, ~obrcti!dn. ('5S(<; prf'dl(\S descommunaes. (1) htire dS (t\crlldiIS sobresae a Quinf¿l A\cnidù (f¡flh i~ I'cI;uel, slImpl(Jo<;i) e exlri~ordinariamente mOVllflel\tdda. Ahl r(sidem os mIlliof1ilïlOS. \:a fIIil di¡ Pmcde r'\Fa// 5.'1('('/;, estilo os maiores c .... t¡¡iJeit:CiIlICidos iJiíliCdl¡U:, ù(; mundo. /.' celebre a Ccntrill Parh, lilfdllfl nCjlJlSSlmO, onde cstj a MlJ~Cll, deposito dos rnéJis raros <jllddrcs de pintl/rd, etc. I-oram encorpor¿:düs a !\OVéJ York tlS i1hdS 51'00¡drn, Lmlg-lsl<Înd, ~tdkll-I:,I<ll;d e Coner-lsliJfld, est¿mdo lIesld a nlilior porque de di\(~rsëes do mundo, ande dimmmentc, no \nao, ùff!llcm Dom moIS de tCO.CCO pessoas. / m urna pmlc da c¡dude está a Arrub¿¡lde Chmês (Chinrl/L'Ir!'), qt:e é i¡¡teirûmen~e hahitado por filhos da griwde l?epubh:iJ BsjaticiJ, os qlli:~es aècptê!m tcdos os usos e costumes de scu pili? Phil2 delphia, a méJior celliío rncJi l1t!rÇJ:( a do pdiz e onde estao D rcc'cro~a \J~illü R¡;)¿v. n, c5tnlelros, ftmdiç6es, cte. Cidaàe fllf.ldadd por \Villiôrn ~'crrL erdre 05 nos
l

Dclôwüre e Schuylkill.
1'\estil cidède, onde rcsidiu Bcn;ilmin I'rDnldin CI), e/iste a celebre sino (;I:C rcchcll rOl' bdter demüsiadamente peli1 liberdade. Pódc-se obscrvm de todos 05
(1) Foi construiùo, cm Hl27, na Oitava l\vcnida, a edil'icio quc ultl'apassa os já cx,ii:itentes: tem loH andares. podendo nelle habitar 15,101 pe"~ollsl E milis alto que Ii l'one Eiffel. que tcm 3m metros de altura. Está cm segundo logar o Woolhvorth Building. que tem 264 metros de altura, 2!:l elevadores, Si1.IX IC) lampadas electricas e !:ill andares, inclusive 2 no subsolo. (1) Estadista

americana,

e um dos fundadores inventor do pararai!)

da independencia

norte

pontos a estatua do fundador desta linda cidade e centro notavel do movimento manufactureiro e commercial. O porto, no rio Delaware, comprehende 8 milhas de enseada e ahi fazem carga e descarga numerosos vapores. Este rio é nùvcgavel até 30 milhas além da cidade. A Estrada de ferro da Pensylvania, talvez o maior systema ferroviario do mundo, favorece esta grande cidade, ligando-a com todos os centros de populaçao do paiz. Dhiladelphia tambem se distingue sob o ponto de vista historico: foi ahi que se estabeleceu o primeiro banco; que se fundou a primeira casa da moeda; que se reuniu a primeira Convençao Nacional que orgemizou a Constituiçâo dos Estados Unidos; onde esteve situada a capital do paiz; onde Benjamin Franklin fez os seus trabalhos scíentificos e Jorge Washington proferiu o seu discurso de despedida. É grande centro universitario A mocidade tem ahí ampla opportunídade para se instruir em milhares de escolas publicas excellentes. Nao só póde receber lacilmente a instrucçao elementar, como a mais alta na Universidade de Pensylvania. Detroit, corn t .500.000habitantes, porto commerciante no rio do mesmo nome, que communica os lagos Erie e Saint-Clair. E' centro dd construcçao de automoveis. Quasi fodos estes vehiculos estao alli constantemente em mo•. vimento vertiginoso ou enfileirados ao longo das ruas. Bo~ton, cidade tradicionalmente socegada, corn 1.800.000habitùntes, situada na bahia de Massachuset-

tes.
Centro literario, cognominado A/henas AmerIcana, por ser residencia de grandes scientistas e literatos. Ahi está a a[amada Universidade de Harward, onde o nosso compatriota Dr. Oliveira Lima foi contractado para fazer um curso de Historia do Brasil. Grande exportaçao de peixe, tecidos de algodao e calçado. Em Dezembro e Janeiro o frio é rigoroso

39 em Boston, ficando as ruas cobertas de impedir a passeio a pé. de neve, a ponta

Baltimore, corn BOO.OOO habitantes, situada na bahiu de Chesapeake. l\otavel centra commercial e manufactureiro. Exporta ¡rigo, tabaco e outras productos agricolas. Pittsburgo, corn activo commercio de hulha e importûntcs estabelecimentos metallurgicos. Buffalo, corn 500.000 habitantes, ó margem do lago hie, corn grande exportaçào de curne de porco. Conté:n mudos templos cutholicos, protestantes e judcJicos. Nesti1 c¡dude, cm 1901, foi assùssinado. par um élnurchista, a Presidente da Republica, Mac-Kinky. Chicago, corn ~U()O.OOO habitantes, grande centro fcrrovimio e cornmcrciûl, productor, sem ¡guul, de instrumentos agrarios. f' situada á margem do lago Michigan, muito rica e prospera, denominada a Chave do Oes/c, por ser cam efFeito a centro das estradas de ferro da Republica. faz enorme commercio de productos agricolas e é poderoso mercado de carnes. Cleveland, cam 1.000.00U de habitantes, situada il margem do lago trie. Exporta hulha, petroleo e productos déls industrias agricola e pecuaria. S. Luiz, corn 850.000 habitantes, grande cidade commerciante, á mmgem direita do Mississipi e porto de notavcl movimento. Cincinnati, situada á margem do Ohio, cam elevado cornmercio de productos da lavoura e da indusria pastoril. Nova Orleans, cam 400.000 habitantes, na mór parte de origem francêsa. Porto importante no Mississipi, cam ompla exportaçao de algodao, tabuco, assucar e farinha de trigG. Clima quente. Los Angeles, 900.000 habitantes, banhada pela rio do Illesmo nome. S. Francisco, importante eidade, corn BOO.Oao habitantes, situada na bahía do mesmo nome e porto mais importante do oceano Pacifico. Grande exportaç50 de fruetas e muitos outras productos industriaes.

Communica-se corn Nova York por estrada de ferroe, por navegaçao a vapor, corn o )apao, China, Nova Zelandia, Melburne e ilhéls Hélwau e Dhilippinas. Deu-se nestél cidade, a lB de Abril de 1906, um phenomeno sisrnico que reduziu é1lgumasnms a monioes de cinZéls,nao escapando o Muscu onde estavo [l preciosél collecçâo dc quadros dos celebres pintores Rembrandt e Murillo. Admira-se em S. hancisco o Golden Güte Park. enorme rectangulo de 1 kJlometro de largurél por 6 de comprimento, onde está o Museu da Academiél de Sciencias, corn urna collecçâo notavel de iodos os animaes do Far West.

Mexico
SI1UAÇÂO [ LIMITES. - Os t:stéldos Unidos Mexicanos estao situados na America Septentrional. (D Limitam-se ao norte corn os Estéldos Unidos; a leste corn o golfo do Mexico e o mm das Antilhas ou mar Coribe; a sueste corn Honduras Britannica e Guatemala; ao 5111 e a oeste corn o oceano Pucifico. SUPtW":ICIf.. - A superficie deste paiz é de 1.9ô3.100 kilometros quadrados, segundo o Jllllstre geographo mexicano Henríque Santibañez. Diminuiu il área do Mexico, em consequenciô da perda, cm 1MB, do Texas, de pmte de COdhuila, de Chihuahua, de Sonora e dos territorios do Novo Mexico e da Alta California, que passaram para o domininio dos Estados Unidos, cujas forças se tinham apoderado da capital mexicana em lM7. A extensao do litoral do Pacifico, inclusive o golfo
(1) O primeiro nome deste paiz foi Allá/mac, que qucr dizer junto da agua, ou terra que está entre aguas. Tomou a nome dc lllovu Espallha cm 1522. Repllblica .I{exicana foi a denominaçao que recebeu em 1824, e finalmente, em 18.')7, foi-lhe dado a quarto nome, isto é, Estados Cnidos Mexicanos.

41
de Cortês (California), é de 6.283 kilometros. Tem este golfo 1.000 kílomcfros de comprimento e 150 de largura. ASPECTO PIIYSICO. - O territorio tem a fórma tridnyular. c' rnontanhoso, percorrido pela importante Serra Madre, nome este que Ihe deram os conquistadores espanhoes, a quai tem differentes denominaçoes locaes. O Zempoaltepec é urna eminencia de 3.400 metros soore o nivel do fIldr, havendo outras serranias muis altas.
f)i;;It>I,dt>"I-~I~11't>~ lIrrlllrlt>~ rd"ltI~~
dr1 S~IT'l

Mrulre.

seguindo o primeiro em' rumo de noroeste, o segundó ao norte e o fercei a él sudoeste. Céldfl um destes constitue um system] crogrélphico importante. A Serrél Méldre di ¡ide o paiz em dois plùnaltos: o de Chihuac, uo norte, e o de Anahuac aa sul. bistem muitos picos culminantes, onde fazem erupçào diversos vulcoes, sendo importantes os seguintes: Orizaba (5.550 mets.); Popocatépetl (5.462 mets) ; Colima (4.300 mets), no t:stado de lülisco; Cofre de Perote (4.090 metsJ; \levado de Toluca {4.578 metsJ, que tem um lago em sua cratera extincta; TuztIa, Ixtacinatl, JuruIlo, que, em 16)9, appareceu inesperadamente em urna alta planiî.ie, sendo rodeado de diversos cones fumegantes de (Inde saem filetes de agua quente. Cumpre mencionar o imponenie vulcáo Ixtaccihuatl, corn a crutera occulta pela neve, tendo 5.382 metros de altura acima do nivel do mar. fncontram-se na peninsula da Baíxa California cumes elevados, de 1.800 a 2.000 metros de altura. Ahí está o vulcào de las Virgenes, que fez a ultima erupçào cm 1746. CLIMA. - Ha no Mexico climas diversos, em virtu de do relevo tâo accidentado do solo e de sua sítuaçào, porte no zona torrida e parte na temperada. As costas dos dois oceanos, collocadas ao sul do Tropíco de Cancer, silo quentes durante o anno. As costas da zona temperada, ao norte do alludido Tropico, sâo quentes no verao e frescas no inverno.

42
A humidade e as chuvas sao mais Crequentesnas costas do golfo do Mexico do que nas do Pacifico. As costas da peninsula de Yucatan sao ás vezes atacadas por cyclones Que se formam no mar das Anfilhas. As do PaciCico nao estao isentas desses tufoes Que se deslocam redemoínhando corn extrema rapidez, senda a época delIes Julho a Outubro. As localidades situadas entre 1.800 a 2.500 metros de altura sao muito Crias no inverno. persistindo a neve durante dias inteiros. Nas regioes de mais de 4.000 metros sobre a mvel do mar a neve é perpetua. O clima do Planalto Central do Mexico é saluberrimo. ILHAS. - Enconfram-se na costa occidental diversas ilhas, taes como as Angel e Tiburon no golfo de Cortês, onde existem outras menores; ao sul deste golfo estao as seguintes: Revilla Gigedo, S. José, Espirita Santo, Cerralvo e o grupo das Tres Marias. No Atlanfico tambem ha algumas ilhas pequenas : Carmen, ao sul da bahia de Campeche; Cozumel, onde a conquistador do Mexico, Fernando Cortês, aporfou em 1518, situada perla da costa oriental da peninsula de Yucatan. t~,~, Teem a superficie de 4.195 kms.2 as ilhas situadas em diversos Estados mexicanos. PENINSULAS. - Apresenta o Mexico duas grandes peninsulas : a da Baixa California, no Pacifico, estreita e longa, tendo cumes de 1.ôOO metros de altura, e a de Yucatan, no Atlantico, apresentando apenas ondulaçoes que se levantam a 30 e 40 metros sobre a nivel do mar. ISTHMO. - Nota-se apenas um isthmo: a de Tehuantepec, na parte mais estreita do paiz, no extrema

sul.
Fernando Corlês pensou em cortar este isthmo, para alli communicar a Atlantico e a Pacifico. Mais _rde outras tambem tentaram realizar semelhante em'lcehendimento, dando começo lis obras do canal, sempre interrompidas pelas Crequentesdiscordias que appa·~ciam.

43

CABOS. de S. Lucas, na extremidade meridional da Baixa California; o Corriente5, na costa do Estado de Jalisco; o Catoche, na parte oriental de Yucatan. LAGOS E LAGUNAS. - Existem poucos lagos e lagunas no Mexico. principal é o piscoso lago de Chapala, no Estado de Jalisco, tendo no centro do lago a ¡Iha Mexcala. Apresenta paisagens lindissimas para regalo dos turi~tas e margens fertilissimas. Está cm sCQund() logm e luQû PÚiZCUdrG, no Esl¿¡do de Michoacán. corn diversas ilhas, entre as Quaes se destaca a de Janicho. Este lago offerece agua potave/ e formosos panoramas. As lagunas, mais dignas de referencia, sao as seguintes: Cuitzeo e Yuriaria, no Estado acima referido; a Bacalar, no Territorio de Quintana Roo, desaguando na bahia de Chetumal e no rio Hondo; as de Parras e Mayrán, no Estado de Coahuila; as de Texcoco, Xochimilco, Xaltocán, San Christóbal, Chalco e Zumpango, situadas no Valle do Mexico. RIOS. - As numerosas correntcs de agua do Mexico nao sao propriamente navegaveis, corn excepçao das que perfencem á regiao de Veracruz e Tabasco. Sendo o paiz montuoso, fórmam os rios abundantes cachoeiras, que substituem a hulha, escassa nesta naçao. Os principaes rios sao; O Bravo do Norte. cuja barra larga e pouco profunda, de areias movediças, nao permitte a passagem de navios de grande tonelagem. Desagúa no golfo do Mexico e serve de linha de separaçao entre este pail e os Estados Unidos. Recebe no Mexico os rios S. Joao, Salado e Conchos, Que nasce na serra de Tarahumara. Soto la Marina, Que nasce em Nuevo León e passa por Tamaulipas, formando limite entre estes dois referidos paizes e desembocando na barra de seu nome. Pánuco, Que desagúa na bahia de Tampico, onde está o porto deste nome. rival de Veracruz. Tuxpam, Que nasce na serra de Huauchinango,

a

a

a

a a

44
no Estado de Puebla, banha a cidade de seu ;nome e desemboca no golfo do Mexico. O-Tecolutla,que tambem nasce na serra acimu .referida, senda engrossado pelo rio Necaxa, que fórma urna cachoeira de 160 metros de altura. rio Branco, que fórma diversas quédas de agua e. desemboca na laguna de Alvarado, que se commu-· mca corn o mar. Sâo igualmente dignos de nota os rios Dapaloapam, Coatzacoalcos, Tancochapa, Grijalva, Osumacinta, etc. Para o mar das Antilhas corre apenas um rio notave!, o Hondo, que nasce em terras de Guatemala e desemboca na bahia de Chetumal. O rio Balsas é um dos principaes da vertente do Pacifico, senda mais importante o rio de Santiago~que tem 940 kilometros de extensâo. Correndo os rios do Mexico sobre terrenos montanhosos fórmam numerosas cachoeiras, que embell€zam os sitios onde se acham. . GOLFOS E BAHIAS. - O golfo mais importante é a do Mexico, um dos maiores do mundo. Tem 1.800 kilometros de comprimento e 1.000 de largura, ou a superficie de 1.560.000 kilometros quadrados e a profundidade maxima de 3.875 metros. (1) A extensâo do litoral deste golfo e do mar das Antilhas é de 2.580 kilometros, assim repartidos: Tamaulipas 400, Veracruz 640, Tabasco 190, Campeche 360, Yucatan e Quintana Roa 990. ·Na costa do Pacifico, alta e rochosa, existem o golfo de Cortés e o de Tehuantepec.. DOPULAÇÂO. - Tem o Mexico 15.000.000 hade bitantes. (2) Terri decrescido <l populaç-âo mexicana, devido á

a

(1) Parte deste golfo, pelo canal de Florida, a corre.nte do Gu/f-stream, que attenua a inclemencia da temperatura das COBtas orientaes dos Estados Unidos e do Canadá, e a das Costas do arcbipelago Rritannico e da Noruega. (2) O recenseamento de 1921 consignou para o Mexico a populaçiio de 13.637.779habitantes, numero inferior ao verificado pelo censo ce 1910, que apuro u 15.1J63.2t'XI habitantes.

45
guerra civil e á emigraçâo para os Estados Unidos, onde 05 camponêses do Mexico encontram maior somma de trabalho e maiores salarios. (H A regiâo mais povoada é o Valle do Mexico, em virtude da influencia Que ü capital da Republica vem cxercendo desde o seculo XIV. E' pequena a corrente immigratoria Que se dirige ao Mexico, podendo-se dizer que nâo é paiz de immigraçào. Os extrangeiros Que alli vivem em maior numero sâo espanhoes, norte americanos, francêses, allemâes e chinêsf's. Foi o Mexico Importante Imperio, habitado por diversos pOVOS, obresaindo os Aztecas e os ToUecas. s Seu ultimo imperador foi Guatimozin, flIho de Moctezuma, Que acolheu carinhosamenie Fernando Codês, conquistador espanhol. Este maculou seu nome, submetiendo os naturaes do Mexico a cruciantcs tormentos. Guatimozin defendeu heroicamente o seu Imperio. Vencido, cm conseQuencia da superioridade de armas dos conquistadores, foi enforcado em 1521, por ordem de Cortês. Antes de ser victimado, Guatimozin e seu ministro Tucuba foram submetiidos á tortura, afim de Que indicassem o esconderijo do thesouro imperial de Moctezuma. imperador revelou entâo calma espantosa. Oiz-se Queas duas victimas foram collocadas sobre grelhas, debaixo das Quaes se ateou carvâo vegetal. Tucuba supportou, a principio, o tormento corn resignaçào. Mas, em cedo momento, sentiu-se desfallecer e voltou o olhar para Guatimozin, como se lhe solicitasse permissào para falar. Comprehendendo a muda supplíca do ministro, o soberano interrogou corn serenídade: - «Julgas Que cstou num leifo de rosas 7»

a

(1) "Las principales causas de la disminución de la población, proceden de la prolongada guerra civil de los ùlimo años, de lai epidemias que se desarrollaron como consecuencias inmediatas de la guerra y por la emigración que principalmente tomó el rumbo de los Estado!; Cnidos".-Enl'ique Santiqañez,-Ueup,rafill ,Yaciolla! de J/exim, pa~. 63.

46
cssas palavras lembraram a' Tucuba o seu dever, e, sem um lamento, succumbiu á vista de Guatimozin. Cortês ordenou, entao, que cessasse aquelIe supplicio, e Guafimozin foi retirado Quasi morio de cima da grelha. LINGUA. - A lIngua castelhana é a officiaI e il mais usada, havendo cerca de 2.000.‫סס‬oo de mexicanos Que conservam seus idiomas indigenas. RELlGIÀO. - Predomina o catholicismo, imposto pelos conquistadores iberos. Ha liberdade -de cultos. INSTRUCÇÁO POPULAR. - Tem-se desenvoJvido notavelmente a insfrucçào publica no Mexico, nestes ultimos tempos. As classes altas da colledividade sào muito cultas. Nas camadas inferiores do povo ainda perdura grande numero de illetrados. Mas o governo se esforça em proJ da diffusào do ensino popular. cm 1922 foram fundadas alli 2.000 escoJas ruraes e mais 8 escolas normaès. A instrucçao secundaria e superior é ministrada em excellentes institutos bem organizados. Quando os espanhoes chegaram ao Mexico era essa regiào habitada por naçôes de civiJizaçào adeanfada, como attestam as ruinas de seus monumentos, muitasdas quaes, nos Estados de Chiapas e Yucatan, recordam as pyramides egypcias. As referidas naç6es fundaram alli importantes nucleos de populaçào, conheciam a pintura, a astronomia, etc. Abriram estradas e canaes, usavam caracteres hierogJyphicos. Os Aztecas eram os mais poderosos do Mexico, fundadores de um Imperio prospero, cruelmente destruido velos conquistadores. fÓRMA DE GOVERNO. - R~publica federativa. Presidente é eleifo por 4 annos. a poder legislativo é composto do Senado e da Camara dos Deputados. . O poder judiciario é constituido pela Côrte Suprema e por outros tribunaes inferiores. Sua nova Constituiçao foi promulgada a 5 de . fevereiro de 1917. O Mexico, privilegiada regiào, onde se caldeou

a

:fI
o sungue dos colonizadores ibericos corn o dos Jendurios Aztecas, já senhores de notùvel civilizaçilo antes dù chcgadü daqllellcs ao Novo Continente; a Mexico, cuia historia ~ lima das mais insignes pelas seus episodios heroicos, pelas Judas que tev~ dc sustentar em prol dt" sua rndt"pendencia e nas quaes tantos mexicanos illustres ornaram cam o seu martyrio a coroa de gloriùs de sua péltriél, foi uma das colonias mais opulentils du F.spanhù e é haie 11m dos htados mais prosperas da AmcricéJ I (¡fini] SlIa historia é um exem-, plû de dlJùdcid e cflergid cOIIIJT1ovente. Desde o inicio do seCl¡)o passodo, qllando as primeifds nwnifestdç6es de espirito lib~féll se assignalamm nu Americü, uS popu lélç6es dù «Nova [spanha» como se chuTT1Üvao \; ice-I~einudo do Mexico, começaram ù se agitélf e u obru da revoluçao foi se infiltrando pouco a pouco até ganhar todos os animos, Inflammundo-os num fervor putriotico, gue nem oS mais dufùs penas, sacrificios e martyrios conseguirum dom lTlur.

A emancipaçao dos F.:stùdos Unidos, a nova éra creada pela l<evoluç50 hancêsa e pela divulgùçào dos principios contidos na declamçào dos Direitos do t lomern, tiveram 110 Mexico fundù rcpercussào e a rnovimento de Idéas no sentido das nOVâS conquistas do libefélli.smo nâo pÔdc ser obstíldo nem pela fiscalizaçao e oppressüo espiritué]1 dos dorninadores, nem pela repressao songrenta dé] tyrunnia. Seus fjlhos, fartas dü crueldade extrangeifd, se insurgiram contra o poder do mctropole. A campùnha fOI iniciada a IS de Setembro de 1610, pelo Pùdre Miguel Hidùlgo, o heroe dé.! independencia mexicana, e terminada él 27 de Sefembro de I ô?t, diù em que foi proclamadù é.! independencia do paiz, tornando-se a gfé1nde nùçao que hoje é, graças ao civismo e ao espirito emprehendedar de sells filhos que honram a America Espanholé.!. Sua historiù encerra os mais bellos exemplos de patriotismo e amor á liberdade. A cultura e a Jilbor dos mexicanos, suùs trudiç6es gloriosos, SUé.!Sinstituiç6es de ensino, seus estudista."i üttfilhcm pi11'éJ a Mexico il dttenç80 mUlldiéll.

48
Povo de heróes e de guerreiros, o Mexico tem sabido manter, através de todas as vicissitudes da sorte, o regimen federntivo republicano. Nos cern annos de independencia tem atmvessado phases difficeis e dolorosas. Um dos obstaculos que teve de enfrentar foi contra a' intervençao européa, a occupaçao dos francêses e a imposiçao de Maximiliano, archiduque d' Austria, como Imperador do Mexico. Porem a reacçao nacional, chefiada pelo Presidente Benito Juarez, inutilizou o imperio ephemero de Maximiliano, que foi fuzilado na cidade de Querétaro, a 19 de Junho de 1ô61. Actualmente os beneficios da paz interna e o patrIotismo dos cidadaos conseguem o deseji'ldo ideal. O Mexico entrou desde alguns annos em sua marcha triumphal. O brilho de suas instituiçôes renasce e seu glorioso papel se accentua, honrando o tronco latino, que nos é commum e do quaI corn razao nos desvanecemos. O paiz mantém a unidade de justiça e de liberdade, demonstmndo que no seu povo está toda a pujança do sangue energico e altivo de seus antepassados. Corn a bizarria propria de sua raça tem dado magniffcas provas de seu patriotismo e de .sua operosidade, alcançando notavel desenvolvimento em todos os ramos da actividade humana. lntensificam-se cada vez mais as relaçôes intellectuaes e economicas do Brasil corn o Mexico. DlVISÁO ADMINISTRACTIVA. - E' o Mexico dividido em 2ô Estados, 1 Districto Federal e 2 Territorios seguintes, corn a respectiva populaçao, assignalada pelo recenseamento de 1921 :

Es/ados
Aguascalientes Campeche . Coahuila Colima Chiapas

PopuJaçào
106.625 14.110 391.335 ôS.2ô2 404.929

49 Es/ados
Chihuahua . Durango . Guanaiuato. Guerrero Hidalgo Jalisco México . Michoacán. Morelos Nayarit . ;\Juevo León Oaxaca Puebla . Querétaro . San Luis Potosi Sinaloa Sonora Tabasco Tamaulipas Tlaxcala . Veracruz . Yucatán . Zacatecas . Districto Federal .. Baja California (Territorial . Quintana Roa ( l .

Popll/açâo
397.998 327.469 886.986 550.513 626.100 1.190.446 &)9.432 ô94.150

1U.H>22
138. 179 317.412 785.939 978.200 221.514 428.313 34ô.122 269.136 132.132 285.391 lOO.1M 1.043.054 310.168

372275
ô47.942 62.144 5.334

INDUSTRIAS. - O Mexico é paiz opulento, tendo inexgotaveis fontes de riquezas nüturaes. Corn sua populaçao operosa, elle só carece de paz interna para lograr a progressa a que tem direito, em virtude dos grandes thesouros que encerra. Sua riqueza mineral tem attrahido do extrangeiro a mór parte dos capitaes que dao vida a localidades outrora desertas. Encontram-se alli em abundancia os seguintes mineraes: petroleo, aura, prata, chumbo, cobre, zinco muito explorado em Tampico por comp~mhia inglêsa; mercurio, antimonio, arsenio, graphite, soda caustica, cimenta, bismuto, ferro, manganez, hulha. granito, marmore, pe-

so
dras preciosas, perolas (no golfo de Cortêsl, aguas mineraes, etc. Este paiz é grande productor de prata e foi o maior fornecedor deste metal. Cm todos os centros mineiros, situados nos Estados de Chihuahua, Durango, Coahuila, Guanajuato, Hidalgo, México, Guerrero e Zacatecas exístem empresas metallurgicas montadas corn apparelhos modernos. Houve tempos em que a maior pade dos mineraes extrahidos eram enviados ao extrangeiro para ser manipulados industrialmente. Hoie, porem, nao succede assim, pois a capacidade das empresas beneficiadoras nacionaes é mais do que sufficiente para satisfazer as necessidades da producçao mineral. Ha fundiç6es, cujos productos nao só sao bastantes e de qualidade superior para annullar a impodaçao de similares, mas tambem teem grande procura em mercados do exterior.
Fur¡diçào de Mon/errey. - E' a mais notavel do paiz, em nada inferior ás melhores dos Estados Unidos e da Europa. Tem ampla e variada producçao e de optima qualidade, senda por isto collocada entre as primeiras fundiç6es de ferro do mundo.

Fundlçào de Aguâscalientes .. - Posta que de menor valor do que a acimo mencionado, completa corn ella a importancia da industria metallurgica mexicana, cuja valia é confirmada pela concorrencia victoriosa nas praças extrangeiras. Indus/riéJ PelroJi/era. - O Mexico continúa sendo o segundo paiz do mundo productor de petroleo, senda de 25 % a seu contingente na producçao mundial petrolifera. Ha muitas companhias nacionaes e extrangeiras destinadas á esta exploraçao, tendo quasi todas refinaç6es annexas aos poços. As mais importantes perte\1cem á Compañia Mexicana de Peholeo El Aguila e a Waters Pierce ail Co. As duas principaes da pri~eira estao, urna em Tampico e outra em Puerto MéXICO.

SI
Quasi todas dS locomotivas dds estradas de ferro nacioñaes e alguns cstabelecimentos metal\urgicos usam a pctroleo corna combllstivel. A exportüçao dc pctrolco é kita pürd os [stí1dos Unidos, Cwwdá, CUbil, S. Domingos, todos os paizes dd Amcric¡;¡ Central e <jllusi todos da America do Sul. A flom é tambem riquissima, especialmente na zonii di] Tierra CufJ(:nle, H1uito fedil e ande se encontrarn Iodos os prodlJctoS da regiùo tropical, vastos pínhCII'llcS. /lOS pontos c1c\'ûdos, e outras mûdciras de cons!JïJcçiio; dbundi1ntcs pld!1tdS mCdICIndCS. leitosas, OleOSilS, tdnifcfils e textis. A prodllcçdO c'a borfdcha, que constitue um dos ITllliores recursos dl! regiôo meridionlll du Repllblica, pmcrc dcstinildü a i1uspicioso futuro. As industrids do Mexico 550 ncccssoriùmente um reflexo de SUél producçào natum\. A abundancia de mütcrias primas e a grande numero de q uédas d'agua, que resolvem a problema das forças motrizes de modo decisivo e brilhante, estao ¿.Jttrahindo um;¡ corrcnte de capitacs, tanto nncionücs corno extrangeiros, em prol duS cm presas industriaes. bte paiz é essencialmcnte agrícola e mineiro. Fm 1921, disse a Presidente Generol Alvüro Obregón: cc f:n nuestras montanüs \IéJr\UfélS vûl\cs hay riquezas incaly culubles. Applicando métodos cientificos en ugriculturil e irrigdción nucstra superficie mahle pudiera mantener d Un¿l pcblilclón de cien mtllones. Tenemos hierro, carbón y fuerzo hidréÍulicil suficiente para mover todas IdS máquinas del mundo.» O terreno é fecundo e convém a todas as culturas élgriro!us fropiciles e intertropicaes. 05 principaes productos sao: cereùes, cilcau, baunilha, algodao, tabaco, cufé, cunna de assucar, feijao e outras graos Iegllmiferos, frudas, etc. r:m 1922 a producçao de trigo ùttinç]iu d 233.431.921 kilos e a de milho a 2.137.6-/4.430 kilos, segundo dados officiaes. O tabaco pradl1zido na zona quente dos r:stùdos do golfo do \1cxico e do sul é matcriéJ primd dù industriD tabaql1eiru, uma délS muis imporÍ¿mtes da RepllblicD. tiQ fübricDs, corno u de El I3uC!! 7 N10, a ins-

52
tallaçao tabaqueira maior do mundo, que nos mercados europeus, triumpha em qualidade e preço. O preparo do alcool constitue um ramo saliente da industria. Existem fabricas espalhadas em diversas localidades, no centro do paiz, principalmente. Fiaçào e Tecidos. - Este é um dos grandes ramos da industria nacional. Desde épocas da dominaçao espanhola existiam, em quasi todas as cidades do Vice-Reinado, centros manufactureiros de teclqos de la e algodao, chamados obrajes e explorados por conta da Coroa, como urna empresa do Estado. Desde a Independencia; porem, começaram os obrajes a se transformar em fabricas de fiaçao e tecido, as quaes sao actualmente numerosas, disseminadas por todo o paiz e corn força motriz electrica e hydraulica. Em tecidos de algodao, sobretudo, a competencia ao fabricante extrangeiro fern-se decidido a favor da producçao nacional, a ponto de haver quem pense na supremacÏa da industria dos tecidos mexicanos nos mercados exteriores. Fabricas ha, como as de Rio Blanco, no Estado de Veracruz, que empregam milhares de braços e sao por sua vez modelos como empresas bem organizadas e fortes, - ricos centros industriaes na regiao que occupam.

Indus/ria do Papel. - Attinente a este ramo, a luda que a industria regional tem sustentado para obter a preponderancia sobre o competidor extrangeiro representa o resultado de um poderoso esforço. Existem grandes fabricas de papel. A de San Rafael, por exempto, montada corn todos os melhoramentos da moderna industrià papeleira, nada tem a invejar ás melhores installaçôes européas e basta por si só pora supprir as necessidades do periodismo nacional.
Indus/ria Tex/il. - E' consideravel o numero de especies productoras de fibras. Existe grande variedade de cactus que concorrerao para Que as fabricas apresentem maiores variedades de productos textis.

S3
O henequén, no Estado de Yucatan e na reglao central de Tamaulipas; a ix/le dos Estados de Peto~i e Durango; a yute do btado do México sao outro~ elementos valiosos da industria do paiz. Actualmente os fabricantes mexicanos buscam mercados extrungeiros para seus productos e é certo Que se iniciará uma corren te de exportaçào para a centro e sul da America. r::xistcm fabrica,; cie louça no Estado de Morelos. No de Michoacán, por èxemplo, os fabricantes teem conservi1do todo o f'~t!!o (iR orr!mnenti1çfm i17teCfl, sendo estes resto~ di) ('ivilizaçào indigena preispaniclt, algo tào typicos e representativos como a ceramica ehinêsa e japonêsa. As mantas de Saltillo, a ceramica de Guadalaiara e Puebla sao outras tanté.ls industrias typicas nacionaes Que tecm grande procura e ¿¡lta cotaçâo nos mercados extrangeiros. FAUNA. - E' tùrnbem rica e variada. Além de animaes domesticas, creados em grande Quantidade, ulli se encontram a juguar, loba, veudo, lebre, bisao (bai selvagemJ, puma, ophidios de diversos tamanh05 e muitos individuos da opulenta fauna é.Imericana. As classes das aves e dos insectos sao admiravelmcnte ricus. O perú e a pato sao originarios do Mexico. A fauna icthyologica é abundante: os rios, lagos e especialmente os portas oceanicos sao piscosos. A pecuaria é prospera, principalmente no norte do paiz.· No \1exico, assim como na Venezuela, Colombia, Brosil, Paragu~y, Uruguoy e Argentina, a cavallo se tornou um objecta de primeira neces~idade para os camponezes, creadores de gado, todos excellentes c~valleiros. No Brasil sao celebres a vaqueiro do norte e a guucho do sul. COMMERClO. - f' activissima a industriu commercial do Mexico. Importa productos manufacturados dos tsté.ldos Unidos e da [mapa.

54
Exporta quasi exclusivamente materias primas e só em urna relativa pequena escala artigos manufacturados. Os productos exportados em maior quantidade sao: petroleo, gazolina, asphalto e ouhos sub-productos de petroleo; prata, ouro, zinco, estanho, ferro, antimonio, manganez, pequena porçao de hulha, couros, frudas, tabaco, cacau, oleos vegetaes, algodao, café, borracha, etc. Em 1925 este paiz expodou, só para 05 Estados Unidos, 5.686 toneladas de café. Hoje o Mexico é um estado de grande riqueza e de adividade admiravel, cujo futuro constituirá urna das mais bellas paginas da historia economica do Novo Continente. Tomado ao regimen de paz, depois de longos annos de ludas intestinas, durante as quaes a sua industria e o seu commercio soffreram todas as vici~situdes que d guerra civil occasiona, se encontra ~m <?ondiçôes excellentes, promittentes de um grandioso porvlr. VIAÇÂ.O, - O transporte interior é feito por estradas de rodagem e por grande rede ferroviaria. A capital da Republica e as principaes cidades do planalto estao ligadas á rede dos caminhos de ferro norte àmericanos do Texas. A linha ferrea de tracçao electrica que communica a referida capital á cidade de Veracruz é notavel pelas enormes differenças de nivel que tem de vencer. Os portos abertos. ás embarcaçôes de longo curso, sao:

No gollo do Mexico: Veracruz, o mais importante do paiz ; Tampico, Progreso, Campeche, frontera, Tuxpam, Coatzacoalcos, Matamoros.
No Pacifico: TopoIobampo, Guaymas, Manzanilla, Salina Cruz, Mazatlán, San Bias, NeapuIes, T0nala, Acapulco.

55

Ç~da~es _pr~ncipaes
Mexico é a estado da America Latina que apresenta maior regularidade na distribuiçào do pava, sem ter, como a mór parte das naçôes dmericanas, só urna zona de seu territorio Dovoada e a resto falto de habitantes, Dahi a grande numero de cidades prosperas que se encontram em todas as regiôes do paiz, mesmo no centro, no norte e em ambas as costas oceanicas, estando quasi todas cm sitios elevildos. MfXICO, corn 550,000habitantes Cerntodo a Distrido federaD, capital da Republica, grande, antiguissima e bella cidade central, situada no planalto de Anahuac, a 2.336 metros sobre a nivel do mar, perto da laguna Texcoco, Possue bellos edificios e monumentos, lindos parques, amplas ruas arborizadas, afamada universidade, notavel bibliotheca, rico museu de antiguidades e pintura, clima suavissimo, grande industria e grande movimento commercial. Par suas condiçôes naturaes é a centra ferroviario mais importante da Republica. (t) GUADALAJARA, situada a 1,500metros de altura, capital do t-:stado de Jalisco, a centro productor de cerei1es mais importante do paiz, f' a metropole do occidente do Mexico e a chave das communicaçôes corn a Pacifico. Centro commercial, agricultor e manufactureiro de primeira ordem, PUEBLA, capital do Estado do mesmo nome. Cidlide moderna, centro industrial e commerciante, Slfuada il 2.162 metros de altura. SA\] J_U1SPOTOSI, a 1.893 metros de altura, ca(1) A capital mexicana é urna das cidades fundadas pelos Aztecas e tinha o nome de l'muelzfit/cilz, "OS numerosos palacios dos imperadores, diz um escriptor. eram tào magnificos, que os espanhoes julgavam ver alli realizadas as maravilhas que tinham lido nos romances daquclla época .•

a

56
pital do Estado do mesmo nome. E' a t metropole de urna grande regiâo mineira e corn grande commercio. MONTERREY, capital do Estado de Nuevo León. E' a mais moderna cidade do septentriâo mexicano e centro commercial e fabril de grande valor. MÉRIDA, capital do Estado de Yucatan. foi fundada pelo conquistador Francisco de Montejo, sobre as ruinas da cidade de T¡haa. E' gronde centro henequeano. CHIHUAUHA, capital do Estado do mesmo nome. Centro mineiro importante. SALTILLO,capital do Estado de Coahuila. Cidade commercial, agricola e mineira. PACHUCA, situada a 2.446 metros de altura, capital d'o Estado de Hidalgo. Um dos pr\ncipaes centros mineiros do Mexico. GUANAJUATO, a 2.044 metros de altura, capitdl .do Estado do mesmo nome. Centro mineiro importante, tendo os jazigos de prata mais ricos do mundo. MORELIA, situada a 1.950 metros de altura, capit~l do Estado de Michoacán. Centro agricola muito florescente. QUERÉTARO, a 1.ô52 metros de altura, capital do Estado do mesmo nome. Cidade tradicional por excellencia, plena de reminiscencias historicas de todas aS épocas. Ahi foi fuzilado, em 1ô67,o imperador Maximiliano, vencido pelo Presidente )uarez, Que restabeleceu a Republica do Mexico. E' centro fabril e agricola. ZACATECAS, situada a 2.490 metros de altura, capital do Estado do mesmo nome.

TOI~RFÓN, umù dos cidùdcs mais opulentas do Mexico. l' a mais moderna e centra de importante regiâo algodoeira. Cidadc fabril de primeira ordem c notaveI centro ferroviario. LEÓN, cidade manufactureira mercio de productos bgricolils. e cam grande com-

VERACRUZ, principal porto da Republica, no golfo do ~1exico. Continl!d senda a porto preferido pam a e'T'hilrfl!W com df'~.k!() i1 F!lro¡')(~ T\\1PICO, porto pcfrolifcro de grande golfo ilcima referido e cidade de ùuspicioso MAZATLÁ\.', Pùcifico. cidilde mais attrahente, na villar no futuro. costa do

TOPOLOBAMPO, a porto natural mais perfeito do litoral do Pacifico. Tem regular movimento commercial e cstá destinado il se tornur um dos principaes do Mexico. OUA y\-tAS, porto cam grande movimcnto commercial cam os portos dos btados Unidos. F' ponta de sillda dos productos de uma extensa zonù da vcrtente do Pacifico. \-tANlANILLO, occidcntal. o milis snliente de todos dé! costa

SALINA CRUZ, porto e ponto terminal do Importante caminho de ferro de Tehuantepec, no isthmo deste nome. TLAXCALA, capital do Estado do mesmo nome;

Chilpancingo, cap. do Estado dc Guerrero; TuxfIa Gulierrez, cap. do Estado de Chiapas; Vii/a Hermosa, cap. do Estado de Tabasco; Cuernavaca, cap. do Estado de Morelos; Caliacim, cap. do Estado de Sinaloa; f lermosdillo, cap. do Estado de Sonora; 7 epic,

5ô situada a 918 metros de altura, cap. do Estado de Nayarit; Campeche, cap. do Estado do mesmo nome; Cilldad '\Iicloria, cap. do Estado de Tamaulipas; Ja: lapa, situada a 1.450 metros de altura, cap. do Estado de Veracruz; Calima, cap. do Estado do mesmo nome; Toluca, a 2.6M metrosde altura, cap. do Estado do Mexico; Durango, cap. do Estado do mesmo nome; Oaxaca. a 1.535 metros de altura, cap. do Estado do mesmo nome; Aguascalientes, a 1.930 metros de altura, cap. do Estado do mesmo nome; Mérida, cap. do Estado de Yucatan; La Paz, cap. da Baja California; Santa Cruz, cap. de Quintana Roa.

America Central
Esta parte do Nova Munda constituia outrora a capitania geral de Guafemala, que era urna dependencia da vice-realeza do Mexico. Quando este paiz sublevou-se, em 1821, contra a dominaçào espanhola, a capitania de Guatemala separou-se do Mexico e constituiu-se em republica federativa em 1 de Julho de t823. Esta porem durou pouco tempo, até 1839, anno em que a pacto federal foi desfeito, constituindo-se em 5 republicas soberanas. Em 3 de Novembro de 1903 o 'Panamá, que até entào era um dos departamentos da Colombia, conQuistou SU) independencia por influiçào dos Estados Unidos. Encravada na costa norte-oriental de Guatemala e na meridional do Estado mexicano de Yucatan a Inglaterra possue urna pequena colonia denominada Honduras Britannica, corn 22.337 kilometros Quadrados e cerca de 45.000 habitantes, tendo por capital Be/iza, porto commercial na foz do rio de seu nome, que desagúa no golfo de Honduras. Todas as republicas da America Central, situadas na zona tropical, exportam principalmente madeiras de

59 construcçâo e tintureira, borracha, café, assucar, ani!. bananas, côcos e outras fruetas, couros, pelle, etc. Esta estreiia rcgiao abrange os seguintcs paizes que adoptam a fórma de governo repllhlicnné1 unitorín, a Iingua cspanhola e a religiâo catholica:

(Il1ilkrní::llR

GwÜema!f!

fI Salvador
Honduras Nicaragua Costa Rica Panamá

Sal \radar
Tegucigalpa Munagua San José
I

13~.OOO =~4.000

?.:~oo.r/l'O
1 .sOO.OOO

120.000 130.000 50.000
52.COO

Pan amó

700.000 600.000 500.000 450.000

A America Central é montanhosa, vulcanica e provida de golfos, bahias e bons portas nas duas costas oceanicas. Sua maior largura ùttinge a '120 kilometras. A populaçao das 6 repuhlicas é constituida de brancos, pretos, aborigenes e mestiços. SeRRAS. - Ha tres grandes grupos de montùnhas, cada um dos qUùes se divide em varias ramificaç6es, formando serras altas e !ongas.

VULCOf.S. - Ha müis de JO vulc6e5, uns que se encontram na cordilhciru e ourros enfileiwdos cm linha para!lela á costa do Pacifico. Os mais notaveis sao: a Tacaná, Santa Maria, San Pedro, a da Agua, a do Fogo que fez notavel erupçüo em 1/)('¡0, e a Pacayo em Guatemr1la; a Sùnta Arma, a Iza leo, a San Vicente e a San Miguel em El Sùlvador; a C05eguina, que em 1835 cobriu de CillZOS as regi6es visinhas; Telica e o Mornotombo em :--Jicaraguél, ande se encontra a cabo Gracias a Dios; a TlIfríùlba, a IrdzÚ e a Blanco em Costa I~ica. Honduras tem os vulc6es de Arapuca, CayaglHlnCa e Tigre, que fizeram erupç6es em épocas prehistoricas

60 MINERAES. - O reino mineral é rlqUlsslmo: ha minas de ouro, prata, ferro, cobre, carvao de pedra, fontes de aguas thermaes, ferruginosas, salinas e sulfurosas. RIOS. - Cerca de 25 rios caudalosos correm nesta parte da America, indo 16 desaguar no Atlantico e os outras no Pacifico. Os mais notaveis que desembocam no Atlantico, sao: o Polochic, Motagua, Usumacinta em Guatemala; Ulúa, Rio Negro e Chamelecón em Honduras; Coco entre Honduras e Nica'ragua; San luan e Blewfields em NIcaragua; e a San Carlos em Costa Rica. Correm ao Pacifico: a Paz, entre Guatemala e EJ Salvador; a Rio Grande e a Lempa, que nasce em Guatemala; a Choluteca e Goascoran em Honduras e ~ R!o Grande em Costa Rica, banhada pelo golfo ChiflQUl. O Goascorán serve de lImite entre Honduras e El Salvador, e t> Paz entre El Salvador e Guatemala. LAGOS. - Ha muitos e consideraveis na America Central. . Os principaes sao os seguintes: Izábal, Petén, Atilán e Amatilán em ûuatemala; a Yojoa e Caratasca em Honduras; a Guija e a llopango em El Salvador; a Managua e a Nicaragua, senda este o maior de todos, (170 kms. de comprimento e 70 de largura), ambos em Nicaragua; a Barba em Costa Rica, e a Gatun, no Panamá. GOLFOS E BAHIAS. - No lado do Atlantico se encontra o golfo de Honduras que banha as costas de Guatemala e Honduras. Na costa do Pacifico existem a golfo Fonseca, Que banha as costas de El Salvador; a de Honduras, a de Nicaragua, a de Papagallo corn as bahias de Salinas e Santa CInTa, separadas pela ponta de Descartes; a Nicoya e a Dulce, e a bahia de Culebra em Costa Rica. PORTaS. - Os principaes sao situados no Atlant,ico: o de Izábal ou Puerto Barrios, na margem me-

61 ridional do IDgo de seu nome; Livingston, cm GUüJemalei; Cortês e Trujillo em HOlldufüS; San luan del Norte ou Greytown néi cmbocüduru do rio San Juan cm NiciJ[ügUil; Mütinil e Limón en Costa l<icù, e 05 da l<cpubliciJ de Pù!Ji]m<Í, nos dais oce<Jnos. Na costa do Pacifico a de Punta Arenas em Costa I<ica; San Juan de! Sur e Corinto cm Nicaragua; Ampala em Honduras; La Unión, LI Triunfo, La Libcrdad e Acaiutla em fI Sôlvilrlor; Sein Jos{~,Champeflco e Ocós em GtntcITldld. ILHAS. - Contam-se nil Americi1 Ccntrü!::>6 i1has principaes, estnndo 14 no At!antico e 1::> 110 Par.ifico. Sâo essenciülmente agricolas as scgllinks: a PUllta de Zacatc, corn bouS pastagens para il crcaçâo e engorda de gùdo e sihlélda nù entradù da bahié1 de La UniÓn; il COnChéjguitël, nô rf'fcrido buhiù; ù tvlianguera, a sueste da antecedcnte; a 'vl{jrtin Pérez, em sUù major parte constituida de terreno plano e muito fcrtil ; a fspiritu Santo, que mede ::>0 kilometros, situada na bahia de jequilisco e a mais linda da America Centrül. tstôs ClflCO i1has estilo situadas em territorio de El Salvador. A Roatán é urru düs de mùior extensâo cm Ilonduras; a Guanùja, que foi a primcira terra centro-americana onde plSOU Colombo cm sua quarta e ultimü viagem á Amerira ; a lacelie Gronde, no golfo fOllsecü, corn terreno ùccidcniüdo cride sc crea grande quantidade de gado. bias tres ill1éls pertencem á J.<epublica de I-Ionduras. cncontrarn-se em Costa Ricd as ¡lhas de Cdiio e Coco, afastadas da costa, e a de San Lucas, em frente ao porto de Punta Arenas e ande existe urn presidio. PRODUCÇOfS. - :'>Ja Americd Central, corn terras geralmente ferteis, se cultivam com exito a café, cacau, baunilha, canna de assucar, algodâo, anil, borracha, tabùco, cercues, plantus leguminosas, tubereulosas, forragcirus e horficolas, bananas e outrùs fruetas. !\Ja zonü quente ou subtropicul e em suas grandes montanhas ha preciosas madeiras de cOllstrucçao, tintureiras, textis, medicinaes, gomm Ifcrùs e fructiferas.

62 Entre os animaes indigenas existem o jaguar, o leao americano, a anta, o javali, o lobo, etc. TRANSPORTE. - E' feito nas 6 republicas por navegaçao, estradas Cdffoçélveis e estradas de ferro ainda insufficientes para o desenvolvimento commer~ cial,

Guatemala
Este paiz é o mais importante da America Cen~ tral. Deu~se a sua independencia a 15 de Setembro e ella marca na historia da emancipaçao americana um dos seus factos gloriosos. Banhado por dois ocea~ nos, rios e lagos, e accidentado o terreno por altas montanhas e picos vulcanicos. O clima é benigno e a temperatura varia dé acôrdo corn as latitudes e alturas, existindo lugares quentes, temperados e frios. O major calor que se experimenta alli é de 320 centigrados e o menor de BO. Nas costas reinam febres paludosas e outras enfermidades hoje de facil illimi~ naçao pelos processos scientificos modernos. PRODUCÇÔES. - Tem productos mineraes. Pos~ sue grandes recursos naturaes. Cultiva canna de assucar e café em grande porçao; cacau, tabaco, bana~ nas e outras frudas; arroz, milho, mandioca, feijao, algodao, trigo, cevada, batatas.. Tem creaçao de gado de diversas especies. [m 1925 este paiz exportou para os Estados Unidos 19.236 toneladas de café. Exporta mineraes, café, assucar, cacau, tabaco, aIgodao, borracha, madeira, couros, bananas, henequén (fibra textil>, etc. Importa artigos manufacturados, te~ cidos e outras productos. Os rios navegaveis e caminhos de ferro facilitam o transporte, dando por consequencia grande impulso ás industrias.

63 A instrucçao publica primaria é bem diffundida. A Universidade é frequentada por numerosos alumnos. Divide-se a Republica em 21 departamentos. A capital, Guatemala la Nueva, tem 130.000 habitantes. Está em lugar elevado (1.4~0m.J, a 160 kilometros da costa do Pacifico e 40 dos vulcôes do Fogo e da Agua, tendo o primeiro 4.000 metros de altura e o segundo 3.753. As casas sâo elegantes e baixas, por ser il cidade suieita a terremotos. Cidades princiraes: - QuezalJenanf¡o, corn 80.000 hùbit¡:mtcs.centro qri'lnde COmmf'rCIO.IlgiJdG pOi Imha lerrco a ChampeT·co. porto no Pacifico. Santo Tomas, Uvineston, situadas na foz do rio Dulce; Izábi¡J, á mar;]erTi da lagoa do mesmo nome, todas estas no litorül do Atlantico .. No centro do paiz está Gua/emala la Antigua, entre os vulcôes acima referidos, os quaes a têm damnIficado corn suas erupçàes.
(J(~

El Salvador
E' o maior dos paizes da America Central e o segundo em populaçao. E' o unico que nao é regado pelo mar das AntiIhas (mar Garibe). Confina ao norte e a leste corn Ilonduras; ao sul corn a Pacifico, que fórma o golfo ronsecél; e a oeste corn Guatemala. E' rico de mineraes e florestas que encerram preciosas madeiras. Seus podos principaes sao: Acajutia, La Union, Libedad e Grajuela. Tem clima mais regular do que os paizes vizinhos e geralmente saudave!. ü solo é muito fertil, produzindo excellente café, tabaco, canna de assucar, arroz, milho, anil e outros mudos produdos das regiôes tropicaes. O café alli é de optima qualidade. A exportaçâo é adiva nos primeiros mêses do anno, sendo o transporte pma os

64

portos feito tambem em tropas de mulas. A producçâo total cafeeira é de 500.000saccas. Exporta tambem cacau, tabaco, borracha, madeira, salsaparrilha, assucar, anil, mineraes. Importa productos manufacturado~, fdfinha de trigo dos Estados Unidos, etc. E' insignificante a creacâo de gado: Existem diversüs estrüdüs de rodagem e viüs ferreas. Comprehende a Republica 14 departamentos. Sua cüpital, Salvador, tem 95.000 habitantes e está situada a 1.659 metros acima do nivel do mar, sendo sujeita a terremotos. [m 1917 foi damnificada por um abalo sismico causüdo pela erupçâo violenta do vulcâo Jabaly, situado em suas circumvizinhanças. Dossue bons e numerosos estabelecimentos de instrucçâo, inclusive él Universidade. Destacam-se, entre suas cidades, as seguintes: Santti Anna, situada em valle fertilissimo, communicando-se corn o porto de Acajutla, por linha ferrea; Unión, na bahia do mesmo nome, grande emporio commercial; S. Miguel, ZacaJecoluca, S. Vicente. Ahua-

chapan, Chalchuapa, Liberdad, Acajutla,
-"-,----

Honduras
limita-se ao norte com o mar dlls Antilhas; a leste corn Nicaragua; ao sul corn tI Salvador e o golfo Fonseca; e a oeste corn Guütemüla. Grande parte da populaçâo se emprega na industria pastoril, Que é a principal fonte de riQueza do paiz. Exporta productos pecuarios, madeira, borracha, mineraes, tabaco, bananas e outros productos agricolas. E' dividido em 13 departamentos. Tegucigalpa, capital da Republica, tem 40.000habitantes e está situada no rico valle de seu nome, no centro de minas de ouro e prata. Seu nome indigena significa collina de prata.

ó5
Cidades principaes: - Comayagua, antiga capital; Cho/uleca, Yuscaràn e E.speranza, situüdds no interior; e no littoral as seguintes: 7rujillo, Pueda Cor: lés, La Ceiba e Omoa, no mar das Antilhas; c La Brea, Amapa/a e San Lorenzo, na cosia do Pacifico.

Nicaragua
E' um dos paizes mais prosperos da America Central e a que aprcsenta a mais variado aspecto topographico. Confina ao norte corn Honduras; 11 leste corn a mar das Antilhas; ao Sul corn Costa Rica; a oeste corn a Pacifico. O clima ahi é muito quente c pouco saudave1 cm alguns lugares. Divide-se em ô departamentos.

O territorio é fedil, rico de mineraes, de productos vegetaes e optimas pastagens para a pecuaria. A agricultura é prospera: produz tabaCO, canna de assucar, café, algodào, henequén, caco u, anil, bananas, côcos, etc. lia extrncç80 de borracha e rninemes.
Seu cornmercio Unidos.

é quasi todo feito corn os Estados

Managua, capital da Republica, cidade situada na parte meridional do lago do rnesrno nome, em cuja margem levanta-se a vulcào \1omotombo. O lago Managua communica-se corn o vasto lago Nicaragua pelo pequen o rio Tipitápa.
Cidades principaes: -

León, antiga capital, corn
por linha ferroviaria. do Pacifico e

70.000 habitantes, favorecida
sas, havendo outras no litoral das Antilhas.

Ma-

saya, Granada, e Ri\'as sào tarnbem cidades populono mar

Costa Rica
Limita-se ao norte corn a Republica e o lago de Nicaragua; a leste corn o mar das Antilhas; ao sul corn o PanaméÍ; a oeste corn o Pacifico, que fórma os golfos Dúlce e de Nicoya. Este paiz é montanhoso, atravessado pela cordilheira Talamanca, onde ha mais de urna vintena de vuIcôes, dos quaes se destacam o Irazu (3.507mJ, o Turriabla (3.435m.) e o Vieja, que é o mais temivel de todos. Grande parte do terreno é coberta de grandes pIantaçôes de café, que é o principal artigo da producçào agricola. E' um paiz propicio, fertilissimo e rico de minemes preciosos. Exporta café, cacau, bananas e outras fruetas, madeiras, etc., especialmente para os Estados Unidos. Em 192'5 a exportaçào de café attingiu a 4.393toneladas. Comprehende 5 provincias. Cidades princioaes: - San José, capital da Republica, corn 30.000habitantes, no planalto central, Ii•• ga~a por estrada de ferro aos principaes portos do
paIZ.

Punta Arenas, porto no golfo Nicoya; limón, porto no mar das Antilhas; Car/ago, fferadj{j e AjueJas, situadas no interior.

Panamá
Limita-se ao norte corn o mar das Antilhas; a leste corn a Colombia; ao sul corn o golfo de Panamáe o Pacifico; a oeste corn Costa Rica. O territorio do Panamá está situado no isthmo do mesmo nome, - o mais extenso do mundo, tendo 190 kilometros na maior largura e 50 na mais estreita. foi um departamento da Colombia, da quai se desaggregou por effeito de urna insurreiçào fomentada pelos

67
Estados Unidos, por nao querer a Colombia ratificar a tratado para a abertura do canal. O progressa destù Republica é imporhmte: começou após a abertura do canal, procurando relaç6es commerciaes corn todos os portas do mundo. Neste pequeno paiz, modela de organizaçao, ha grande cultura de sellS homens pubhcos, dedicados ás sciencias, ás artes e ils industrias. Entre os monumentos panamenses, o mais grandioso é o levantado, em 1()~J, na capital du I~cpublicél, em homenagem aos Saoadores IrulIcéscs, do canal mter-oceanico, Junto ás forttficaç6es da cidade. Circundando a enorme columna, cm cujo topo está a gallo gaulez, encontrarn-se os bustos dos que iiveram il vida sacrificadas na gigantesca obra da abedura do canal. A área é estreita e rnontnnhosa, existindo elevaç6es de mais de 3.000 metros de aHura. Contém terrenos apios para as cllHuras proprias do clima quente. Os principaes rios que desemboca m no mar das Antilhas sao: a Culebra, a Chiriqui e a Chagres que é a mai:, importante, corn 100 milhas de comprimento, navegavcl numa secçao de "1 milhas, aié a lago Gatun, formado pelas aguas do rio Chagres, tendo 425 kms.2. Dos que desagúam no PaCIfico sao dignos de nota a Tuira, a Samba, a ron seca e a Golfito, que serve de hmiie com Costa Rica. Gerulmente montuoso, apresenia serras muito altas, sahentando-se a Chiririqui, corn 1.CJôl metros sobre a nivel do mar, desiacando-se a monte do mesmo nome, corn 3.453 metros de altura e a Blanco, corn

3.56ô.
Para a lado mais afastado da costa de leste a systema de montanhas recebe O' nome de Montanhas do Veragua, cujas picos principaes, a monte Santiago e a Tuta, teem respectivamente 2.ó60 e 1.525 metros de altura, Justamente no meio do territorio panameano, na direcçao de leste a oeste, a systema orographico soffreu grande depress80 no lugar denominado PassoCulebra, reduzindo a altura a 90 metros para lago eIe-

var-se corn a nome de serra de Darien, cUJO piCO principal tem 915 metros de altura. Os principaes portos, na costa atlantica, silo: Colón, Bocas de Toro, Chiriqui e Porto Bello. Os do Grande Oceano silo: San Miguel, Parita, Balbôa e Montejo. O clima é quente, senda abrandado pelas chuvas constantes e pelas brisas maritimas. Nos lagares montanhosos do interior ha temperaturas suaveis. Nas regiôes baixas a clima é malsilo. Os yankees, para effectuarem a abertura do canal de Panamá, foram previdentes, saneando O' terreno ande levaram a effeito essa obra grandiosa. O impaludismo grassava epidemicamente em todo a isthmo, eliminando numerosas vidas. Porem essa regiilo tropical, assolada pela hematozoario de Laveran; foi completamente saneada pelo benemerito Coronel·GÓrgas corn a applicaç50 de methodos scientificos, permittindo assim a construcça.o do canal, que resolveu a problema da communicaçâo rapida entre a Aflantico e a Pacifico. O 'Panamá é um paiz agricultor, havendo grande p]antaç30 de fructas, especialmente bananas, côcos e ananazes. Seus bosques offerecem plantas medicinaes e leitosas; suas costas coral e perolas; suas montanhas diversos mineraes, inclusive gemmas preciosas. O commercio é teito corn os palzes vizinhos e nomeadamente corn a Uniao Norte Americana. Divide-se a Republica em 4 provincias. Adopta a lingua castelhana e a religiao cathohca. A cidade de Panama, capital do paiz, a quai mantém os velhos costumes, possuindo edificios de estilo colonial, como a Cathedral e a Palacio do Governo, foi começada em 1518por Pedro de Avila; incendiada em 1610 pelo flibusteiro Morgan, senda reedificada a duas leguas distante do primitivo sitio, na parte septentrional do golfo de Panamá. E" actualmente cidade progressista e sadid, corn 80.000 habitantes e prosperrimo commercio. Communica-se por estrada de ferro corn Cojón, cidade insular, no mar das Antilhas, e corn clima calido. [m urna praço desta

pequena c¡dude le\'unt3-se do Nova Continente.

a estatua

do descobridor

«O c..\N.L\L. - '\io isthmo de Panamá foi uberto um canal, - obrû cojossdl do eSÍOíço do governo lIorte americano no sccu\o XX, pdrd dm á nùvegaça.o mundial a redllcç[¡o de dist¿lIlcias entre os dais enormes oceilnos que serldrmarn a '\:0\'0 \1undo do Antigo.» O isthmo de PdlIUilliJ, desde rjOl, ljllando Balbôa a descobriu, km :~Id,} Ilmil dils importantes rotas comrrwrri;;i"<; rln r;lí'lJrí·) Ill: ¡'¡¡.f ctllll(J t:111 que a cdnal foí entrqJlIC ¿lO l,d"'.!,, universol. CSSd viô maritima centupllCou ;¡ '.\lil I¡¡¡l'l;! lil1l('id, dHr¿lhindo pilfa aIli mais de <JO % h, kl:,) I\ldl,l,roo que éHltcS era kito pela cstreiÍo de \':, 1 :":,C5. ! )d!'il construir a canal foi aproveitddo o IdUO (j, [lIil, ¡¡liC existe no centro do isthmo. As OqlL':; do 1<1-;('. "<d"1l1l il lim nivel ."lIPCrior tís do ccèon ). j .)i "',1:,\, [),¡¡,( tJlln:dldr CSSél differençil de n¡\~1 <¡UC l cie i"'i 1l0s, djHesentdva-se \lm prohlemíl de en'l~'\llt, <.; \ '¡'íS ITIIS (,():1I[lticildos. Assim ficou o rdCliUO ¡dUO (:i \ ,):,id( ;0 (.UI1l os daIS OCCilnos, At]()ntico e (),Wi¡'ICO, !lor lIIcio de rcprCSdS ou diques que, es\'ü5lando d dgUél do lugo, ullgmenlüm a seu ni\'el üté C<jlld]m dO nivcl do logo. Destd fórma, cruzundo tres repreSdS os nil \ lOS sob~m d Wj pés. As outros tres escodndo ~lJé]S (lglJélS fWI,] a lT1m lcvdm os barcos até o TH\ ci do OCCtlno As rcprcsas sfio do Da-· cifico para a Atlanjico: Mir:.llorcs, cam dUéls r{'presas duplüs; Putra J'vJ:~JI1( l. corn uma represa dllpla; e Gd/un, corn tres reprcsas duplüs. «I~lT1 toda ü ZOllél do canal as machinds hydraulicas qlle desüloialT1 uS (l~JIJ(]S das represus, as locomoti\'ds que puxum os n¡wios peléIS represas, as officinùs e todos 05 opparelhos mecanicos sao movidos a cledricidade. A força electrica é produzida par urna usinù hydrilulicél cenirnl, qlw él[HO\cita o escoamento do lugo Gatun pmù as SUdS turbillùs. «Um dos muis custosos trobnlhos foi a construcç80 do grande Ca.'1al dé; Cu:ébra, l'louve necessidade de cortm urna montanha de Ô.CO() pés de nltura em umù extensao de 9 milh¿ls.

on

70

«Os trabalhos foram administrados pelo Loronel George Goefhals, do corpo de engenheiros militares dos Estôdos Unidos. canal de Panomá encurtoll 10.0?O milhas a distancia entre a costa leste e oeste dos Estados Uni... dos. Seu comprimento é de 81 kilometros e a sua travessia é feita em 10 horas, das quaes 3 sao gastas na travessia das represas, tendo cada urna 305 metros de comprimento por 33 % de largura, e que enchem ou esvasiam em 15 minutos apenas. «Trabalharam alli 35.000homens. «Nas entradas do canal o governo norte ameri . c,Qnomantém as fortalezas mais poderosas da Ame . rIca. «Urna das grandes difficuldades que se apresen..taram para a execuçao das obras era o estado sanitario da zona do canal, pois o isthmo foi sempre in... salubre, infestado de febre amarella, fypho e outras molestias. O Coronel Oórgas, do serviço sanitario do exercito, tomou a si a tarefa de sanear o territorio do Panamá, o que conseguiu corn grande despeza e es... tabeleceu rigoroso controle sanitario alli. «Em ioda a zona o inglês é mais falado do que o castelhano. «A temperatura é excessivamente quente e humida. A zona do canal propriamente dita é secca, nao obstante Panamá e Colón, cidades panameanas, vizinhas de Balbôa e Cristóbal, serem humidas. «As antigas cidades de Colón e Panamá sao ha . bitadas por pretos candomberos muito alegres e can . tadores ao som das guitarras». O canal de Panamá, grande aspiraçao de Boli ... var, está sob o dominio e vigilancia do governo dos Estados Unidos, que reservou a área de t.128 kms. 2 para o paiz, denominada Zona do Canal. foi aberto ao frafego a 15 de Agosto de 1914. Nesta obra cyclopica despenderam os Estados Unidos 400.000.000 dollars. de

-o

71

Paizes insulares
As Republicas situadüs em duas ilhas düs Grandes Antilhas (11 sâo: Cuba, na grande ilha do mesmo nome, Haiti e S. Domingos, na ilha do Haiti.

Cuba
«Es la tierra más hermosa que jamás ojos humanos vieron." - Palavféls de Colombo, 00 aportar pela primeira vez áquelld ilha, a 2"/ de Outubro de 1492. Com effeito, Cuba é denominüda i) Perola das AnJilhas. Colonia da Esp¿¡nha, durante 4 seculos, 10grou sua independencia a ?O de Maio de 1902, com a coadjuvaçâo dos lstados Unidos, aos quaes se acha vinculada por transacç6es economicüs e reciprocidade de affecto e de ideaes democfélticos. Para desprender-se do jugo extrangeiro empenhou-se o povo cubano numa campanha homerica em que uns tombaram varados pelo ferro inimigo e outros sobrevivem e conserva m inflammado até hoje o fogo sagrado do amor patrio. A participaçâo de Cuba na obm de solidariedade americana tem sido brilhantissima e efficiente. No terreno cultural soube conquistar urna posiçâo de destaque, signal expressivo do alto nivel politico, scientifico e literario a que atti ngiu. _ «Se a descoberta do Novo Continente é urna gloriosa pagina para as naç6es maritimas européas que lograram tal feito, a conquista, no emtanto, das

(1) Pensam muitos sabios que as Antilhas sao a resto de um continente que se estendia até ás Canarias e que submergiu essa famosa A flan/il/a, euja recordaçao guardam ainda as ¡endas dos pavos do Mediterraneo.

72 novas ferras offerece um contraste entristecedor, pois marca como estygma de vileza o dominio do extrangeiro na America. As raças autochtones, que a habitavam, viviam sob urna ceda fórma de selvageria. Na mesma época a civilizaçào na Europa era bastante requintada, mas nào menos brutal. O imperialismo, que tinha enfào urna feiçào especial pelos meios empregados, determinava a directriz de alguns paizes europeus. Portugal iniciou o açambarcamento do mundo, penetrando nos mares tenebrosos, conquistando glorias e imperios. A Espanha seguiu-lhe as pégadas. Mais tarde, a Inglaterra, a frança e a Hollanda imitaram-n'a. Estas naçôes fartaram-se corn o apossar das presas. De resto, a America foi o quinhào mais rico e inexhaurivel das noyas conquistas. Os processos empregados, porém, eram antes proprios de barbaros do que de representantes da éra mais brilhante da humanidade - o Renascimento. Cuba, como cada paiz do continente americano, tem urna historia coberta de sacrificios, de heroismo e de dores. A sua redempçào, porém, surgiu gloriosamente, depois de muita luda e anciedade. Colombo juntou-a tÍ corôa da Espanha. Esta, para garantir-se na posse do novo dominio, escravizou os habitantes naturdes, que na época da descobeda podiam ser avaliados em duzentos mil, eram das raças mayas, nahacas, caribes e da que primitivamente povoara a ilha. Os seus costumes efilm pacatos, de alma generosa; viviam sob uro regimen patriarchal ; eram bastante industriosos e pacificos. Diogo Velasquez teve o encargo de os submetter. Aléro de tropas aguerridas, Ífouxe em sua companhia Hernan Cortéz, que se celebrizou mais tarde no Mexico, e o frel Bartholomeu de las Casas que, alguns armos depois, vendo a destruiçào da raça indigena lembrou a introducçào de negros. O valente cacique Hatuye, que deixara S. Domingos, offereceu resistencia ao espanhol, mas os elementos bellicos deste eram superiores, e o chefe indio foi vencido e supliciado».

LI"TC dœs gmras do conquistador insensive! á dar de ~ua presa; politic.'-lmente organizada sob a fórma de governo democratica, frue Cuba haie tranquillidade e urna excellente situüçao economiea, graças ao civismo e ao trùbalho de seus filhos intelligentes, patriotas e progressistas. Em poucos minas da vida independente torno u-se i.m~a das naçôes mais adeantadas da America. Seu desenvolvimento é incessante. No concerto dos estados americanos, Cuba tem sido desde a dIa em que conquistou a SUd soberania um factor ;,'¿j;iG~>J de cûncûrdia ':ontln~ntAI

SIIUAÇAO r SUPU<f1CIL - Acha-se no oceano Atlantico e no mar das Antill:as, na zona torrida. A grande ilha é sepurudd da peninsulu de Yucatan pela canal destc nome, e da peninsulu de florida pelo canal de Florida, forméllldo ambos as duüs entradds do golfo do Mexico. Do Haiti é separada pelo canal do Venta. Cuba km 120.000 kilometros quôdrados de superficie. f' estreitil e pouco larga: 1.200 kilo metros de comprimento, variando a larguru entre 200 kilometros né! pilrte mais Iorga e 40 nël mais estreita. Calculil-se seu contorno em 3.500 kilo metros. ASPECTO PHYSICO. - A ill1él é montanhosd. Apresentil bons portos em sUùScostas recortadüs, !cndo excellentes ùncoradores nas bahlas e enseadas capé!zes de dur entrada franca a navios de grande calado. Na C0cta septentrional sobresaem os seguintes fundeadOl1.ùs:' BahiéJ lionda, Cabañas, Marie!, Habana, Matanzus, Segua la Grande, Nuevitas, J¡bara, \lice e Baracoa; e na meridional: Guantánamos, Santiago de Cuba, Manzanillo, Cienfuegos, Batábano e Corrientes. Dividcm-se os montes da iiha em tres grupos chamados Occidental, Centféll e Oriental. A montanha de major elevaçao é a Pico de Tarquino, corn ?-.OOU metros sobre a nivel do mar. A parte montanhosa e os valles íegudos por pequenas torrentes s50 sujeitos a uba!os sismicos.

74
CLIMA. - O clima de Cuba é temperado e secco no inverno, e calido e humido no verào. Sua femp.eratura media é de 250 C. Esfende-se a estaçào invernal de ]unho a Outubro, havendo entào temperatura agradavel que attrahe numerosos visitantes á ilha. Cuba, considerada um dos fócos de febre amarelia, foi radicalmente saneada, graças á applicaçào dos processos prophylaticos decorrentes das hypotheses de Charles Finlay, de Habana, demonstrados á saciedade pela commissào de sabios dos Estados Unidos, e que consistem na transmissào do typho amarilico pelos mosquitos cuIcinos (slegom¡a lascialal. E' hoje a estaçào invernal favorita dos norte americanos, devido ao delicioso clima da ifha, «templado por los rayos de un sol radiante que rara vez las nubles cubren por largas horas, agradabilis¡mo ¡nverno tropical que refresca la 'continuada y suave brisa del mar de las Antillas». RIOS. - Regam a ilha varios rios, sendo mais caudalosos os seguintes: o Cauto, navegavel e corn 333 kilometros de curso; o Sagua la Grande, o Yumurí, a Damují, a Canimar e outras que serpeiam por terras ferteis. POPULAÇÂO. - Cresce muito a populaçàú cubana, ascendendo actualmente a mais de 3.000.000 de habitantes (1), pertencentes á filça branca, distinguindo-se pela viva intelligencia, caracter generoso, hospitaleiro e patriotico.
(1) «Quando os espanhoes occuparam a i1ha era ella habitafIa por urna populaçao (provavelmente de Caraihas, etc,) de ,cerca de 200.0m habitantes. Em menos de 50 annos nao havia mais do que :lO.OOO; e, no principio do se culo XVII, este numero tinha baixado a 6.000! Multos delles fugiram, pelo suicidio, á crueldade e ás exigencias dos conquistadores. O desapparecimento da populaçao indigena tornou necessario o emprego de trabalhadores pretos: até 1860 mais de 3.0()() foram importados da Afriea. Aelimataram-se e acabaram por constituir quasi a maiaria da populaçao da ¡¡ha.»

75
LlNGUA. A lingua que se fala em toda a ilha

é a formosa lingua castelhana.
RELIGlAO. - Existe liberdade predomina a catholicismo. de cultos, porem

INSTRUCÇÂO POPULAR. A instrucçào publica é obrigatoria. Canta cam uma universidade, seis institutos de ensino se'cundario, sete escalas normdes, diversas academias de sciencias, escolas de artes e ofíieÎus, Escolü de Dintüra e r_",~l!lf)h!rf!, co!!eqios ~ acadcmiùs, que excedcm dc 6.000, e numerosas bibliothecas. E' adeantada a instrucçilo desta joven Republica, que tem homens de grande mentalidade. Seus jurisconsultos e seus cstüdistas tecm levado <1S mais solemnes assembléas do mundo a voz de seu liberalismo e de sua elevada cultura. FÓRMA DE GOVER:\10. - Politicamente é este paiz organizado sob ti fórma republicana unitaria. Cololilia espanhola desde seu descobrimento, conquistoll sua independencia com a incessante esforço patriotico de seu s filhos, proclamando a republica a 20 de Maio de 1907-. O Presidenic é a chcfe supremo da naçào, assistido por um Conselho de Secretarios. Comp6e-se a Senado de 24 membros, 4 para cada provincia, e é presidido pelo Vice-Presidente da Republica. Constitue-se a Camara dos Representantes de um representante por grupo de 2~.000 habitantes. Cuba tem representaçào diplomatica e consular em todos os paizes do mundo. DIVISÂO ADMINISTRATIVA. provmclélS: Pinar del Rio . cap. Habana .. cap. Matanzas. cap. Santa Clara cap. Comprehende 6

Pinar del Rio Habana Matanzas Santa Clara

76 Camaguey . cap. Camaguey Oriente .... cap. Santiago de Cuba. -Cada provincia é administrada por um Governadar Provincial. INDUSTRIAS. - Sao muito ferteis as terras da parte oriental da ilha, principalmente, ande funccionam talvez as melhores usinas de assucm do mundo, todas corn machinismos modernos e motores e1eciricos. A parte occidental (provincias de Dinar del Rio, Habana e Matanzas), apresenta terrenos quasi exhauridas de elementos fertilizantes. Todavia seus velhos engenhos de assucar resistiram á grande exigencia da exportaçâo durante a Grande Guerra. A lavoura de Cuba é das mais prosperas. A canna de assucar constitue a primeira fonte de riqueza deste paiz, - o maior productor de assucar do globo. O desenvolvlmento da industria assucareira tem sido, nos ultimas tempos, verdadeiramente notavel na Republica ao Assucar, conforme a denominou um escriptor francês. A Conflagraçao Européa, impedindo durante quasi um lustra, á exploraçâo do assucar de beterraba na Europa Central, facilitou a introducçao do assucôr de canna nos mercados europeus. Os índustriaes cubanos, procurados pelos importadores dos paizes alliados, desdobraram suas plantaç6es e augmentaram a capacidade de suas usinas. Concorreram sobremodo para ù realizùçâo de vultosos contracios él optima qualidade do producio e a distancia relativamente curta entre a ilhll e os portas da Europa. Os Estados Unidos, antigos consumidores do assucar de Cuba, augmentando dia ù dia a total das suas compras no mercado assucareiro de Habana, contribuiram para valorizar aquelle producio e provocaram, corn suas acquisiç6es em larga escala, urna sensivel alta nos preços, que, naturalmente, nao diminl:lirá tao ceda, devido ás aciuaes condiç6es economicas da Europa, ande a industria do assucar de beterraba só muito lei1famentese restabelecerá. I~' provavel até que

Il esses preços augrnentem, pOîque a consuma mundial do üssucar cresce incessüntemente. A prohibiçao do fabrico e venda de bebidas alcoolicas na Uníao Norte Americana trouxe, como consequencia, maior consumo de bebIdas aromaÍlcas : café e chá, provocando um augmenta de 20 % nos gastos de assucar na grande e poderosa l-<epublica. A exploraç50, em alta escala, da indush ¡a assucareitd tomou propicias as condiçoes economlcas de Cubé). T:::m 1971 a SUd prodllcÇdO de assucar attingiu (j J.O(l[WOO (if- t(lne!f1(j(l~ fi J, ilhR~tf"f'ndo o':· mercados nortc "lmcricdnos c diriuindo tambern suas cxporfaçôes pcriodicilS <Í Ingldtcrïd e él algumas das praçi1S do Oriente, por meio do canal dc Panamá. O aSSllcar é paw Cuba a que é a célfé para a Bwsil, - a base princípùl dc SI.W riqueza agrícola. O iélbilCO é dû melhor q\Ié'llidùde lJue existe por seu aroma e seu eS(jllisito silbar, gosando de fama universal. t' tombem grande a producçao de café, cacau, fruetas tropiCéles, fibfùS diversas, madeiras, cobre, ferro, manganez, chumbo, zinco, mercurio, antimonio, ni1phta, ùSphé..l!tO, tc. e A fabncaç50 de alcool, cigarros e charutos é illlPOrtiIf1te, scndo dfé:mados os charutos de Habana.

COMMD<CIO. - O movirnento commercial dc Cubd (~ um dos mé1is adcuntéldos das nüçôes lütinoiHTlCricanus, apesar de seu pequeno territorio c dc sun eXigua populüçilo. [Ill 1926 foi estimado cm ôOO.OO.(}(J(JO de dolldrs americùnos.
A cxportaçilo é muito mùioT do que a imporhlçao. lxportù principalmente aSSUCaT, tabaco, aguardente, mel de übelhas, CCrtl, café, cacau, trudùs, mùdeir<Js, ~spollja, cobrc, ferro e mùngüncz. Importa fminha dc trigo, milito, mroz, carne e peixe dos estados Unidos e do C:mad6; xarque do r~félsiI, vinho, licores, tcci-

(1)

Era de

:!,fUifi,fUl

a producçào annual, antes da Grande

Guerra.

dos, etc. de diversas procedencias, senda a malor Intercambio feito corn os Estados Unidos. A situaçào geographica de Cuba é favoravel ao commercio externo. VIAÇÀO. - Atravessam a ¡lha imporhmtes vias ferreas. Em todas as provincias ha boas estradas de ro~agem, percorridas por grande numero de automoveIs.

flabéJlIa, capital da Republica, corn 500.000 habitantes, situada a noroeste da ilha, na formosa bahia de seu nome, porto excellente e de gn.mde adividade industrial. Seu clima é quente e saudavel. Esta cidade offerece aos turistas todo a conforto das grandes capitaes. Suas communicaçôes urbanas sao numerosas, corn completa rede de tranviéls e ómnibus e notavel circulaçfio de automoveis. Possue Universidade, bibliothecas, museus, theatras, senda a Nacional considerado, por sua optima condiçào acustica, coma um dos melhores da America. Seus clubes, cassinos e outms sociedades padern competir corn os das principaes metropoles. Os parques, as avenidas, os malecones (diques) offerecem, pela avultada concurrencia, que por elles circula alegre e elegante, um dos mais attrahentes espedaculos. As quintas de saude, os hospitaes e sociedades beneficentes collocam esta c¡dade na cuspide do progressa sanitario, senda todos estes estabelecimentos. modelos de hygiene, providos do qùanto él sciencia vae creando, attendidos por um carpa medico de famu mundial e servidos por enfermeiros e enfermeiras zelosos e competentes. A parte antiga da c¡dade é composta de ruas estreitas e feias, apesüf de existirem alegretes corn flores nos baIcôes de quasi todas as casas particulares, como succede nas cidades andahJzas.

79
A parte nava é obra dos yankees, realizada durante os :~ annos em que csteve Cuba sob a gestfio do governo dos f:stados Unidos. Corn cffeito, os norte i1mericanos, além de outras trabalhos relevantes, sanema In él capitdl cub<lnn, extinguiram a feule dmùrellû que era alll endemicü; constnJlram, á beira-mal', a ¡'vhlec:oll, lindissimù avenida ande se nota a major movimento depois dûs lB horas, devido á inclemencia dos mlos solares e éÍ carencia de arborizaçâo, que nâo póde ser fcita éllli CIlI consequcnciû dùs ventùn¡f1s que, com frequenclél rC"!]!dm, ,1rr<Jrerem nos ,"~ses de Setembro e Outubro Após a desappureclmento do Sol cnche-se a Made poSSeiJf\tes C automoveis, viaturas abundantissirnas em Habana. ~cndo ti Vedûdo a bairro plediledo da prospero capital cubana.
lec(Jn

Seu porto, um dos mais activas da America, dista 161 kilometros de Key West, pequena cidade dos Estüdos Unidos e optima porto, ande ha grandes fabricas de charutos feitos corn a tabaco importüdo de

Cuba.
Séln/idgo ¡je Cuba, cam 7.00.000 habitantes segundd cidade du Rcpublicu, excellente porto na costa llIeridionûl e u mais antigü c¡dade do pi'llZ, cam activa movimento commercial.

fm ugUélS destél cidüde foi, em 1595, desbaratada eSCjuùdm espanhclù pela cSQuadrû dos [sta dos Unidos.
1I

Cicnluego.<;, porto !lu costa do sul, ft m¡¡rgem b¡lhin do mesmo nome.

du

,\f<¡lnnzas, cidade populosa, porto commerciante na costa septentrional da ilhù e ligadu a ~tabmlil por viél ferreil e por boa estrada de rodügem ürborizüdc1 corn gmndes tümboris e figueiras Beniùminü. Célibi1riéll e Càrdenas, cam mùgnificos portos de uründe movimento commerciu\.

ôO

Santa Clara, Camaguey e Pinar del Rio, cidades que se distinguem entre as mais importantes do inte-

nor.

Haiti
fsta ilha,
él

que Colombo em 1492 denominou ls-

paniola, está a leste de Cuba, da quaI é separt1dapela
canal do Vento. O canal de Mona a separa a leste de Porto Rico. E' a segunda das Grandes Antilhas. Tem cerca de 30.000kilometros quadrados e comprehende duas republicas: a do Haiti, na parte de oeste e a de S. Domingos na de leste, separados por urna linha artificial determinada pelo tratado de 1870. O terreno rnontanhoso é regado por muitos rios de Douca extensao. O clima é temperado e saudavel nos planaUos, e -.muito quente e humido no litoral, onde grassam di.'ersas molestias. As terras sâo ferteis, ricas de mineraes e de mndeiras. A populaçâo dedico-se il lavoura. ÜS principaes produetos sao: canna de .assucar, Café, tabaco, cacau, algodao, fruetas, etc. A ilha foi povoada por espanhoes que, em 1697, cederam á Franca a parte occidenlal. fm 1'191 05 pretos da referida parte se insurgiram contrü seus senhores e, victoriosos, tomaram conta da colonia que foi organizada em Republica do Haiti, em 1ô20. A populaçâo, avaliada em mais de 2.000.000de habitantes, é constituida na maxima parte de descendentes da raça preta, os quaes falam o francêse adoptam a religiâo catholica. Divide-se o paiz em 5 departamentos. O Dresidente da Repblica é eleito por 7 annos pelo Senado e pela Camara dos Deputados reunidos em assembléa nacional. A capital do paiz é ª' .idade de Porto do Principe (Port-au-Prince), corn 100.000 habitantes, principal porto situado a oeste, na linda bahia de Gonave. Ex-

51 porta assucar, café, algodào, cncau, milho e madeicidaquei •. terredeste agri-

ras.
Sào tambem dignas de mençào as seguintes des maritimas; Cayes e Celbo fiai/iano, que foi mada em 1793 e damnificada em 1ML por um moto; S. Marcos e Gonave, situadas na bahia nome, eom exportaçào de madeiras e productos colas.

s.

Domingos

Este paiz, antiga possessilo espanhola, está situado na regiào oriental da ilha do Haiti. Tem 45.000 kilometros quùdrados e cerca de 700.000 habitantes, quasi todos da raça africana. Adopta a lingua castelhana e a religiào catholica. E' dividido em 5 provincias. O clima é quente. As chuvas silo frequentes no inverno. O terreno montanhoso e fedil. Suas costas recortadas apresentam bühias e bons portas. O reino mineral offerecc aura, prata, cobre, ferro, hulha, fontes thermaes. A flora é rica de differentcs essencias: magno, campeche, ¿Hvores fructiferas, ete. A industria agricola é prospera: produz tabaco, cannn de assucm, cacau, algodào, feijào, milho, mandioca e outros productos. E' grande a producçào de tabaco e cacau, exportados para os Estados Unidos. A capital da Republica é a cidùdc de S. Domingos, corn 40.000 habitantes, fundada cm 1494 e situada na parte meridional da ¡Iha. Exporta aSSUCdr, tabaco e outros productos da J¿wollra; ffiùdeira, cera, mel e couros. Acham-se na Cathedral desta cidade os restas mortuarios de Christovào Colombo. Pode-se tambem citar as cidades de Puerto Pla/a, na costa septentrional; La Vega, central, á margem do

82
rio ~Sana, corn creaçao de gado e cultura de canné} de assucm; AZlla, porto meridional, n(,} bahia Ocoa, corn grande commercio de assucar, cacau, madeira, mel e fruetas. "--

America Meridional
Venezuela
SITUAÇÀO E LIMITES. - Esta regiao americana foi explorada, em 1499, pelos espanhoes Oieda e America Vespuccio, que lhe deram a nome de Venezuela (Pequena Venêsa), por terem encontrado alli mudos indios estabelecidos em ¡Ihas do lago Maracaibo. E' situada no extremo norte da peninsula sul americana. Limita-se ao node corn o mar das Antilhas; a nordeste corn o Atlantico; a leste corn a Guyana Inglêsa ; ao sul corn o Estado do Amazonas; a oeste corn a Colombia. SUPERFICIE. - Nao se sabe a superficie ~xacta deste paiz, sendo desencontrados os documentos officiaes e padiculmes a este respeito. O Annuario da Venezuela determina t :000.000 kilornetros quadrados. ASPECTO PHYSICO. - Cornprehende 3 regiôes: l.a a do Litoral, separada da planicie do Orinoco por urna cordilheira que tem os nomes de serra Laura, Mérida (ramificaçao dos Andes), Barguisimeto, Turumique, etc. 2.a a das Savanas ou Llanos (n, sem accidentes, inundada no verao corn as aguas pluviaes. Após a retirada das aguas os !Ianos que estao á esquerda do Orinoco cobrem-se de viçosas graminea5, transfor(1 Pronuncia-se
lia1IOS,

do espanhol planicie.

mùndo-se entào num vasto mar de hervas, ande animaes domesticas e selvagens encontram farta e nutriente alimentaçâo. Esta è regiâo apropriada ci pecuaria. O gado alli prolifera admiravelmente. «Além disso as planicies da Venezuela sào VdstO campo de insfrucçdo guerrcira para seus habitantes. Acostumados desde muito navas a domar cavallos fogosos e selvagens, a luctar corn touros, a passar a nado os rios caudalosos e a vencer em combates singulares a jacûré e a tigre, 05 htlbítnntes destas planicies acostumam-se a despresdl u::, peri~los e qUdlloû (1 gUCffLl 05 vcm distrahir das suas occupaç6es hilbitudes encontra-os iá soldados valentes e aguerridos». 3,a a Guyanica, montanhosa, coberta de mattas atfilvessadéls par serras do systema Parimu. A costa, a partir da fronteira guyanica, é bùixa e alagadiça, corn portas numerosos e coberta de vegetaçâo alimentada pelus aguas do rio Orinoco, gue de~ sugúa por numerosüs bocas no oceano, formando diversas ilhas. MO\lTA\lHAS. - Os Andes cstendem ramificaç6es ¿¡té ¿¡ Venezuela, ande ellas se dividcm em dais ramos, um que se dirige para a norte, até a ponta das Gallinas, e outro que tambem toma a rumo septentrional até as costas do golfo de Paria, para depois seguir pura leste até a cabo 'Paria. A serra \levada, ramo da eordilheira andina, é das mais elevadas da America. Um de seus vertices mais culminantes é a denominado La Columna, cm frente á cidade de Méridil, tendo s.om metros sobre a nivel do mar. Na bacia dos rios Apure e Orinoco existem poucas elevaç6es que attingern a 1.000 metros, tacs coma il serra de lmataca, a cerro Danta e a Tacuto, corn 1.04B metros de altura. \la sul correm muitas serranias, algumas de notélvel altura, entre ellas a de Aniena, Caranaimé, Turucupán e Rinconoto, corn 2.400 metros de elevaçào; ,"l<" <;,prr,,<;, rl(" Àrnhn. Mazoaca. Muritani e Umarida, corn :S.500 metros, e outras da regiâo montanhosa de SUI e sueste e pertencentes ao systema Parima.

ô4

A Venezuela nao tem vulcôes em acfividade, Todavía grandes abalos sismicos ieem alli arruinado diversos centros de populaçâo. CLIMA, - O clima varia de acôrdo corn as condiçôes orographicas. A costa septentrional é muito quente, em consequencia da perpendicularidade dos raios solares e da reverberaçao das montanhas circumvizinhas. Ahi a temperatura media annual é de 30° C. A nordesie a clima é quente e humido, originando febres perniciosas. Aa sul do litoral está a regíâo montanhosa, ande exisiem agradavel temperatura nos Estados occidentaes e neve perpetua nas cumiadas dos montes de mais de 4.000 metros de altura. Desdobra-se no sul da referida regiao a vasta zona iorrida, pouco povoada. E' na parte montuosa, mais sadia e temperada, on~e se agglomera de preferencia a populaçao do PalZ. IlHAS. - Ha mais de 70 ilhas na costa, abrangendo fadas a superficie de 38.000 kilomefros quadrados, approximadamente. Entre ellas sobresaem as ilhas Zapara, Oruba, Chimanas, Margarita, tambem chamada ilha dos Perolas por ter sido abundante de ostras peroliferas. (1) PENlNSULAS. - As mais importantes sao as seguínies: Paraguana e Goagira, esta entre a Colombia e a Venezuela.. CABOS. - Sao dignos de mençao os seguinies cabos: Paria, Tres Pontas, Mala Pascua, Codera, Blanco, San Román e Chichivacoa. LAGOS.-Conta a Venezuela 2 lagos: a de Ma-

(1) Diversas coroas de monarcbas europeus contém perolas americanas, pescadas nas COltM da ilba Margarita e no golfo Cortês ou de California.

T<1caibo, cujùs margcils sâo cobertds de l'iCi] vegetaçao. e o de Valenciô. I<IOS. - O terr.torio venezuelano é percorrido por innumeros fIOS, fnllitos rJo~ qllües lIüvegaveis. O mais importünte é a Orinoco, rie- extenso e caudaloso, que desagúi], por gründe d~ltc, no AtliJntico. Tem numerosos nffluentes, senda principùes o Apure, Caura, Caror1!, Cl\,lmi, ParaQllil, Cé.ltûtumbo, Escalantc, Zulii], AmaClIrO e ml!itos outros.
lJ( JL,-ùS. - ~ c¡\ícitSu ~0Ji~ je versos golfos: o de Venezucla 011 Cmií1co, o ¡-l'iste e o de CfJl'o

pai:·:2presert.1 rliMnrncùibo, O de

POPULAÇÂO.-A de habitantes. Llf\:GUA.-A linguü ta pelas conquistadores

popu:açilo

ùdual

é de 3.000.000
impos-

officiaI

é ti espanhola.

I<EUOlAO. - Pïedomina porem, liberdûde de cultos.

o catholicismo,

huvendo,

I\:ST!~UCÇAO POPULAR. -A instrucçâo primaria é gratlliJi} C obrigûtoria, desde lô/O. f-Ill Collegios Nücionnes para Ambos os sexos, nas diversas cupit<les dos htados, ¡--:SCOlilS rederaes e Municipaes, numerosos institutos de ensino privado em todo o territorio di] I<epllblicil, A instrllcç50 sllperior é rninistrada nas Universidades de 1vléridé.l e Carucas. FÓt<\1A Dl: GOVl:R\!O,-A Venezuela adopta il IÓrmo do governo republicana federativa. foi a Mmechal Jean Crisóstomo ¡--dlcón, nascido em Caro, qucm proclùmou il federaçao, senda chefe dos l¡berùes. f-:rn !ôlU os venezuclanos se insurgiram contrù a dominùçao hespunhola e a 5 de lulho de 1511 um con .. grcsso procIamou a indepcndenciù do p¿~iz. Por vezes hOllve ludas renhidùs er.tl'e espanhoes e os nùturùcs do paiz, :lté que Simón Bolivar, Q .Libertador

ô6 á frente de heroicos patriotas foi de encontro ao exercito da metropole e o derrotou em Carabobo, a 24 de Junho de 1821. Esta victoria decisiva firmou a independencia da Venezuela, Colombia e Equador e permittiu Bolivar libertar depois o Perú e Cundar ainda a Republica da Bolivia, que assim foi denominada em honra deste insigne patriota, que paim como grande vulto na historia da independencia das colonias ispano~ amencanas. O governo espanhol reconheceu a soberania da Venezuela ¡] 26 de Março de 1845. Este paiz tem por vezes sido victima de commaçôes politico-intestinas; mas nem por isso se apagou alli o potriotismo no animo de seus filhos que com afan tmbalharam pe!<l evoluçfio d<l patria, honrando-a tambem pela cultura espiritual. DIVISAO ADMINlS11~ATIV - A naçào está diA. vidida em /.0 Estados, 2 Territorios e 1 Districto federal que tem por capital a cidade de Caracas, Quetambem o é da Uniâo Federal.

Es/ados
Anzoátegui Apure Aragua Bolivar Carabobo Gojedes Falcón Guárico Lara Mérida Miranda Monagas Nueva Esparte Portuguesa Sucre Táchira Tru;iIIo

CéJpjfaes
Barcelona San fernundo Maracay Ciudad Bolivar Valencia San Carlos Coro Calabozo Barquisimeto Mérida Ocum~re Maturin La Asunción Guanare Cumaná San Cristóbal Trujillo

y (lfDCUV
Zamora

7ulin
Os territorios _,,;0:

San Felipe Barinas :Y1aracélibo Delta-Amacura e Amazonûs.

INDUSTI<IAS. - Di\'ide-se o paiz cm diversas 7.onas. A zona agricolû comprehende il area de 300.000 kms.··; iÇJlI(l1llumere c'Jîresponde n zonil pecuaria; a ¡onn rJorestal sc esit:nde cm UffiJ ÓfCél de 295.400 !<:ms0 [1<1fil os hosques puhlicos e ¡;::~.()llO kms.2 para
U~ UU;:'4Ut::~¡J.iï¡¡ui¡uïC" .

.L\ \iellczucld pradu,,: fudo. L' u !erra ùe \'cgctaç50 Yi1[:ôda e de di "esos ~iimùs. Produl c<lfé, Cdcau, hôlJrl!ihû, tübdcO,hgo, ülgod80, conno de éJssucar, milho, .::lITO/, fcijüo, uni!, lrueías, 1¡l1ho, rûmie e outras flbms; müdclrüs rcpreser¡!ddélS por 600 especies disilflclas; borrachü, pdro)co, hulJw, dguas mincrues, etc. grande a creüçilo de gado. [m I havió no zona peeum¡él 2.600.000 bovinos. Ha extracçüo de borrdeha, ouro, cabre, asphalta e petroleo. cm 1<P:) uma eompanhia Ilorte amer ¡cunil ¡n¡ciou ü explofùçào do maior deposito petrolifero eXIstente na mmgem do lûgo Maracaibo e que produz diuriJiTlente mùis de 5U 000 bmris. fm 1924 a Venezuela produ/ill 9.~OO.0()() barris de petroJeo. Os principoes productos manufacturados sao: conservas alimenticiéls e papel de :Y1uïûcuY; eerveja de Carac<1s e Maracaibo; chocolate de Caracas; Iecido::; de algoddo de Curacas e Valencia; vidro de CurDCilS, phosphoros, cord{ls, etc.

c'

no

CO\1M'-]~C]O, - O commercio é adeantfldo. Sfio os principaes artigos de exportoçfio: petroleo, cufé, caeall, carnes congeladas, pelles, pennas de garçél, perolüs da ¡lha Vlargmita, tabaco, éissucar, asphalto, borracho, hulhél, etc. VIAS Dl COMMUNICAÇAO. - O transporte é feito pela navegaçao maritima e fluvial, por estradas de rodagem modernas, de :5.000 kilometros de extensao, que cruznm o pail. cm todas as direcçôes, e por mais de 1.(JOU Kilometros de vias ferrcas,

Os princlpaes portos silo: La Guayrd, Maracaibo, Ciudad Bollvm, Puedo Cabello, Guanta, Cumaná, la Vela de Coro e Amacuro.

Caracas, corn \20.000 habitante:), capital da I~epublica e edificada nas faldas de Avila, a 900 metros sobre a nivel do mar. Communica-se corn La Guayro, principal porto do paiz, por linha ferreù, durando a trajecto duas horas, e por estrada de rodagem mdcadamilélda. Possue bellos edificios publicas, importantes obras de arte, estatuas de heróc'i nacionaes. O clima é delicioso, desfructando il c¡dade urna perpetua primavefél. Em Caracas nasceu Simón Bolivar, em 24 de Jll~ Iho de \7ô.5. (Il

VaJencii1, situada á mmgem do lago do mcsmo nome. Esta cidade foi notavel na Guerra dil Independencia, em virtude do patriotismo de SCllSfilhos.
Barquisimeío, em regida agricola e f1oresccnte, orn c producçao de cacau, café, etc. Maracaibo, cidade prosper(] á mmgem do lago do mesmo nome e corn exportaçao de café, caCéHI,méldeiras, resinas, plantas medicinaes, couros curtidos,

etc.
Nesta c¡dade nasceram a General Rafael Urdaneta, \lm dos chefes da causa emancipadora e urn dos primeiros Presidentes da Gran Colombia, e Rafael Maria BaraIt, um dos escriptores que na tspanha e na America souberam dar lustre á Iingua castelhana.
(¡) Bolivar, notavel patriota que, regressando da Europa, onde fôra estudar, se collocou á frente da rebelliâo contra o dominio espanllol na Venezuela, Colombia e Equador, pelo que foi cognominado () Libertador. Na principal praça da cidade erguese a estatua deste grande Ilomem.

89
CIudad Bolivar, grande porto á margem Grinoco, exportador de madeiras, borracha, cau, tabaco e pelles. direita do café, ca-

Reuniu-se nesta cidade a Congresso de Angostura e alli pronunciou Bolívar a mais formoso de seus discursos politicos pela fórma e pela grandeza de suas intençôes. umená, fundada pelos espílnhoes, em 1520. Nesta cidade nûsceu Sucre, em 1/93, cognornirwdo o (¡r,wc.fc jvíorechal de Ay.-Kuchù, CUla espada cumpnu a ultIma )oflwda da Ilberd¡¡de na America. CI)

e

La Asunción, tambem fundada pelos espanhoes em 1525, na ilha Margarita, a quaI represento u nolavcI pareI na Guerra da Independencia. TrujiIlo, situada na falda septentrional da serra Nevada. Nesta cidade firmou Bolívar a decreto de guerra a muer/a, para corresponder deste modo a ferocidade corn que os espanhoes faziaIP a guerra na Venezucla. San Cristóbal, situada no extremo occidente da Republica, em zona salutifera. E' centro commercial de grande importancia e possue excellentes instituiçôes de ensino. Puerfo Cab~llo, porto movimentado, antiga praça forte e ultimo reducto da Vice-RedIeza de ~OVél Granada, derrotado pelos patriotas
As outras cidades importantes sao: La

Vic/aria,

Mérida, Va/era, San

remando,

Carupano,

Maracay.

(1) Na celebre bataIha de Ayacucho, a 9 de Dezembro de commandados pelo general Suere, venceram difinitivwnente os espanhoes e conquistaram a almejada indepenI H:.!4.os patriotas

dencia ..

90

Cololnbia
SITUAÇÂO E LIMITES. - Este paiz foi denominado Colombia em homenagem ao audaz navegador a quem cabe a gloria officiai de descobridor do Novo Mundo. Está situado a noroeste da America do Sul, na zona intertropical, e é o unico paiz da America Meridional banhado pelo Atlantico e pelo Pacifico. Limita-se ao norte corn o mar Caribe (das AntiIhas); a leste corn a Venezuela; a sueste corn o Estado do Amazonas, o Equador e o Perú; a oeste corn o Paciffco e a noroeste corn a Republica do Panamá. SUPERFICIE. - 1.217.537 kilometros quadrados, segundo o General Rafael Uribe Uribe. (1) ASPECTO PHYSICO. - O paiz é montanhoso e apresenta panoramas deslumbrantes. A costa atlantica tem 2.650 kilometros e a do Pacifico 2.570. A primeira é em gerdl baixa e quente. A segunda é alta e menos quente. Referindo-se á configuraçfio deste paiz diz o General Uribe que «nao ha outra reglao que tcnha sido tao atormentada como a Colombia pelas revoluçôes e forças do planeta. Alli erguem-se formidaveis muraIhas graniticas, parecendo á::.vezes que a natureza se propoz a apresentar certamen de geometria, offerecendo aqui pyramides perfeitas, cones completos; alli massas quadradas; acolá penhascos redondos. Por aberturas caprichosas do terreno se arrastam turbu(1) Na descripçao dest!:: paiz recorremos aos interessantes informes contidos na Conferencia realizada na Sociedade de Geographia do Rio de Janeiro, em 20 de Julho de 1907, pelo General Rafael Uribe Uribe, entao Ministro da Colombia acreditado junto ao governo do Brasil e uma das glorias colombianas. Em t<JlB, o Dr. Roberto Ancizar, tambem Ministro colombiano no Rio de Janeiro, nos remetteu dados importantes a respeito de seu paiz.

91 lentos os rios e ribeirêies, ntirùndo-se por desfílüdeiros t(llhüdos ü pique, formando catadupllS formidaveis como as de TequendûmiJ, GUùdelupc, Jigdimô e Arncuürô. Levantam-se, t1iJnqueündo os valles, serranius de decliveis suaveis, corotldils, muifas vezes, pela neve perpetua ou pela pennacho igneo dos vulcêies». Póde-se dlser quc a Colombiü é um dos puizes mais montimhosos do mUlldo, com excepçào das cos-IdS e di'ls feffets Sil\'iHlas 0\1 plal1lCCIS orientües e mci iJ;I.'i1dC:', LuLei i';J Jt: l..hj.)luyclI..; (: ¡"(;QúJliS pOi liîü¡iûs rios ndYegil\'cis que vuo dcs<1Uúû[' no Orincco ou nos affluentes deste. A ::;uperíicie dcStd regl50 baixi'1, sepafi.lda cm dUils pnrks pelo rio Guüviare, é calculada cm <:í50.000 1<llomdro:'> qUildrudos, e fica em Pélfie inundadil dUfilntc os (l f1lêses dd estaç50 chuvosa. CLl\1A. - I~m virlude da dcsiguûldade do aspecto physico do soio ulli se encontram uS quatro estaçoes do élnno : as cuspides nevadas da serrùnia apre5('ntGm o inverno; ilS CCStilSe valles protundos a estio; e em diversas ül!urtJs, nas félldüs, a primavera e a outono. O cillaI' eqllùiorial, cam media de :50° , predomina até SOO mctro~ sobre a TIIvcl do oceano ; a zona quente de ¿)' illcançü (lIé 1,',00 metros; u ternperaturil de 20° ùté 1..500; ù fl'id de 1S" ilté :5.000, e os pc1famos de lOa Y ëté 4.500 metros, ande começam as neves perpeÍllils e ande desappmecc a vida animal e vegetal: nem um mbusto, nem um rnammifero, nem um insecto, nem um reptil, !lem LIma ave, a nilo ser o candor, UntCO que ùlli estende liS asüs sobre a cima nevado dos montes, Diz a General Uribe: «l~n Colombia puede el hombre, con el thermórneiro, el bmómetro y ci higrómetro en la mano, emprender la ascenclón desde Id lIallurd c{¡lidd hûstd IdS crestas heladas, y escoger {¡ SLl gusto Id temperatura que quiera, ia presiàn que le convenga y ci grildo de humedad ùtmosférica que desée, según sus necesidades personilles Ó IF! clase de cultivo á que piense dt'dicmse. Con lù ventaja de que en Colombia, por su siillación geográfica intertropical,

92
los climas. son constantes, esto es, no sujetos á las grandes variaciones que experimentan en las zonas templadas ó en las frigidas, por causa de la posición del sol. fn cadd lugar, las oscillaciones térmicas son limitadas, y asi podemos procurar primavera y otoño perennes á quienes los busquen, ó calor ó fria invariables á quienes de ellos precisen, porque esas estaciones, que en otras latitudes el año hace rodar á todo la largo de su durilción, alli las tenemos superpuestas á diversa altura». Tm summa, a clima do piJiz é um dos mais sadios do mundo, sobretudo a dos plilnaltos, verdadeiros sunatorios nafuraes. SERRAS. O territorio é atravessado pela cordilheira dos Andes, que fórma a bellissimo planalto de Túquerres, de 3.000 metros de altura, chamada par Humboldt a ThibeJ do Nova Munda. Alli os Andes se dividem em 3 cadeias denominadas Oriental, Central e Occidental, que formam bellezas extraordinarias. A Oriental toma oblicuamente a ruma de nordeste, se dilata em planaltos de 2.000 a 2.700 metros de altura, que compôem os Departamentos de Cundinamarca, Boyacá e Santander. Em Pamplona se bifurca, indo terminm a rilmal esquerdo da peninsula de Goagira e unindo-se a direito corn os Andes venezuelanas. A Central segue ruma septentrional, abaixando na confluencia dos rios Magdalena e Cauca, depois de ter formado em Antioquia urna regiâo muito mm:¡fanhosa e por isto denominada SUlSSa Colombiana. Aa norte nota-se a Serril Nevada de Santa Marta ao sueste da peninsula d~ Goagirn. A Occidental estende-se, costeando a Pacifico, desprendendo urna ramificaçâo que se prolonga ilté a mar das Antilhas. Ha diversidade de altura, ondulaçôes successivas de variados matizes thermicos, de modo que em a espaça de meia hora de viagem passa-se de campos cobertos de searas de trigo aos cafesaes.e vice-versa.

93
Por cstu circumstaJicJa hu na Colombia cidades como Bogotá, Sagamoso, Sdnta Rosa, Sansón, Pasto, Zipaqiuró, Ubi1fé, etc. e mudas aldeias ande a temperatura oscilla entre 9 c 13 grdus, chegondo raras vezes, em os mùiores dias de fria. a grou zero. Nas vizinhanças da Rcpubheo do Equador estilo 4 vulc6es activos: Chilés, Curnba!, Galera e Purúcé (4.975 m.), hovendo numerosos pmcaros nevados. Deu-se, em Dezembro de 1923, urn terremoto em di\'er~~os pontQ~. do pn~/, rnntlVfH1rln nnmerOSf!S victimas. Pl::NINSULAS. - Fm ambas as costas existe m peninsulils, tiles como u de Goagira, parte miiÎs septentrionül do ¡lfliz: Toboló, San Bias, Mestizos, Ve1'ilgUéIS,Azuero e Buric<l. CABOS. - O cabo mais importante é a Corrientes, m.l costa do Pacifico. r.xistem muitas pontes nesta castel e na do mar dos Antilhas, destacando-se il dus Gallinas, na península de (Joaglra, e a de Garibuna, a nordeste da bahiél de Ufdbá, situada da sul do golfo de Dmién. ILHAS. - Possue ilhas e archipelagos, como os de San Andrés e Providencia, Dré,lgo, fscudo de VeI(JgUil, Bdrú, :VluldtdS, Sdn Bernardo, Bomba Gómez e r~osario, no mar das Antilhas; e no Pacifico Alanje, Sebilço, Taboga, Secns, Contreras, Las Perlas e Gorgoml. Todas as ilhas teem 1.?50 kilometros C)uadrados de 3uperficie. GOLfOS [: BAHIAS. - Nos dais litoraes ha muitos golfos e bohias que fórmam portas abrigados como os seguintes : C.llabozo, Bahia Ilanda, Portete, Santamartel, que é bahiil profunda; Cartilgenil, que é um dos melhores do Atlantico e a principal da costü septcntrionùl do Colombia; Tolú, Cispütù, Urubá, San BilIs, Puerto Escondido, Puerto bcocés, Culidonia, Portobelo, \1andinga, Mmmmillo, Chagres, Tiburón, Bocas del Toros e Bahia del Almirante.

94
Notam-se no Pacífico os seguintes: Golfo Dulce, Montijo, Parit.-j, Piñas, Puerto Quemado, Darién, Cupico, Limones, Nabugá, Solano, Utrica, Málaga, Charambirá, Buenaventura, que é o principal da costa occidental; Carrizo e Tumaco. LAGOS. - Na regiao andina existem varias lagoas, e tambem na parte baixa do territorio encontram-se diversas, destacando-se as seguintes: Chiriqui, Aguila, Zapatosa, Sarare, Término, Chucuri, Ayapel, Simiti, Betanci, etc. RIOS. - Este paiz é regado por grande numero de rios que desagúam no Pacifico, no Atlantico e nos rios Amazonas e (¡ r¡noco. Eis 05 princípaes que correm para o Pacifico: O Mira, San Juan, Datia, Iscuandé, Tapaje, Guapi, Timbiqui, Cajambre, Anchicayá, Micay, Dagua, Calima, San Juan,Baudó, Truandó,Tuira, Chucunaque, Chepo e Bayamo, navegaveis alguns em todas as estaç6es do anno. O principal da verfente do Atlantico é o caudaloso Magdalena, que nasce na lagoa de Buey, corre de sul a norte, entre as cordilheiras Central e Occidental e desemboca, por importante delta, no mar Caribe. Recebe muitos affluentes, sendo mais notôvel o Cauca, á margem esquerda. Seus valles fórmam a regiao central do paiz, a mais conhecida e habitada. Estes dois rios recebem muitos affluentes e constituem a melhor linha de navegaçao fluvial da Colombia. O outra affluente importante do Magdalena' é o funza ou Bogotá, que se despenha de urna altura de 146 metros, formando o s61to de Tequendama, nao distante da capital da Republica, e iulgado maravilhoso pelo sabio allemao Humboldt. . O funza corre serenamente pelo planalto de Bogotá até a formidavel muralha de onde se despenha. Vao tambem ao mar Caribe, entre outras, os rios Sinú e Chocó, ambos navegaveis. A regiao Oriental é regada por grandes rios, sobresaindo o Napo, o Putumayo (lçá brasileirol, o Caquetá, o Japurá, affluentes da margem esquerda do

Marañon (Amazonas), e navegaveis, bem como seus tributarios principaes, a Aguarico, a Carapaná, a Igurapaná e a Apoporis. Segue-se a rio Negro, cam seus affluentes; a Vaupes, a Isana e a Guaiania. Ha àinda uma infinidade de outras rios tem da cadeia Oriental para augmentar d'¡'lgua do cüudaloso Orinoco, taes como o o Inirica, o Guaviare, o Oichada, o Méta, o o Arauca. que para volume Atabapo, Apure e

~\i¡¡ f(>nifjn mOflfrlnnnSn mlJi/rls lorrelJt~:'> fórmam quédas ad~;¡~ve'i~, produzindo perenne hulha brancéJ, - força motriz perpetua e gréltuita pura il producçào de energia, luz e calor. \1esmo na estaçào secca os rios nâo baixam. em virtude do degelo nos pontas culmimmtes.

POPULAÇÀO. - 6.000.UOO de habitantes constituem esse pavo forte, honesto e hospitaleiro, oriundo das mças espanhola, aborigene e africana. Sua populaçao ascenderia hoje a mais de 8.000.000, si os colombianos nao tivessem sido sacrificados pela Guerru da Independencia, que durou 15 annos, e por diversos ludas intestinas que causaram grandes desfalques á colledividade. (1 ) (1) En 1780, el territorio de la Audiencia de Santafé, que es hoy el de Colombia, aumentado con algunas provincias del que pertencia á la Presidencia de Quito, hoy República del Ecuador, tenia H40,IKXI habitantes, de los cuales eran psclavos fJIl.lKK). Dos décadas más tarde, al iniciarse la separación de España, el pais contenia 1.106.lXlOpobladores, ó sea un aumento de casi 20oIO cada diez años. Los quince que duró la guerra de Independencia impedieron que la población continuara desarrollándose en la misma proporción; por eso en 1825sólo tenia 1.2:!8.:!59. Para 11\35~'a era 1.685.o:IR,ó sea un aumento de 4.'i6.íï", aunque el periodo, si de paz, no fue de completa normalidad, á causa de los desórdenes posteriores á toda contienda larga y de los ensayos que la Kación empezaba para constituirse. El censo de 1843 arrojó un total del.93:2.:2ï'J, á despecho de la primera guerra civil: y el de W51 dió la cifra de 2.2·n.R37, es decir 31U5H de aumento en S años. Para 11I76los habitantes eran tres milloneS, en 1890 cuatro y hoy son ya cinco. (General Cribe. - COlljál'llcia.)

<,

96

Disse a General Uribe, em 1907: «La población colombiana, así como la riqueza, están diseminadas por todo el territorio. Los colombianos no gustan de aglomerarse en grandes poblades; prefieren la vida de campo y la de las aldeas, que son numerosissimas. No tenemos una gran metrópoli, uno de esos enormes centros reguladores de la vida económica y politica de un pais, pero con los cuales se corre el riesgo de que acaben también por adquirir el carácter anórmalo de unll especIe de congestión ó macrocephalia, por la absorción de la mayor y la mejor parte de las energlas ndcionales. Nuestra Capitlll apenas tiene P5.000 habitantes, mientras que pasan de 30 las ciudades que poseen de 20.000 il ~O.OOO y asi mismo están distribuidas por regiones independientes la actividad industrial, comercial, intelectual, administrativa y politica, con arreglo á una autonomia derivada de las divisiones Que la naturaleza misma marcó sobre el suelo, y contra las cuales poco pueden las instiiuciones de los hombres. Hasta ahora, las colonias extranjeras son escasas. Si se exceptúan la mineria y los ferrocarriles, iodas las demás industrias - comercio, agricultura, fábricas, navegación fluvial, B¿1ncOS están em manos de los naciorldles. Más bien tienes éstos fuerza exp<Jnsiva que los lleva il emigrar, especialmente ti los p<líse6 vecinos, y asi hay muchos colombianos establecidos en Ecuador, Venezuela, Centra-Améric;] y el Amazonas.» O sr. Abelardo Rocas, Ministro do Brasil na Colombia, ande residiu quatro annos e rneio na cidade de Bogotá, communicou suas impress6es ti imprensa do Rio de Janeiro sobre a Colombia, que, no seu dizer, é um dos paizes mais ricos da America do Sul, senda a mais populoso depois do Brazil e da Argentina. A Colorqbia ¡il começou o seu desenvolvimento economico e industrial. A sua vizinhança corn os Estados Unidos, cujo enorme progressa naturalmente virá a benificial-a, e as boas relaçôes Que se estabelecerem entre aquellas duôs naçôes, depois da recente approvaçào do tratado de Panamá, vào corn segurança

97
transformar a Colombiil de urna muneira que difficilmente poderemos avaliar. Mas nao é de SUil fortuna, nem do seu commercialismo que tunto promeHe, que u Colombia se mostra orgulhosa. O que ella poe acima de tudo e acaricia cam maior amor é, de um lado. il fina intelledualidade dos seus homens de letras e, de outra, a cultura social de suas mulheres. Tulvez cam ruz50. dizem os colombianos, ser Bogotá a Athenus du America do Sul; e a graça e a distinr.c50 corn que il rnulhcr colombiiJna recebe em seus ~mlñes, nAo km r¡vaes no resto da Amenca. Os sentí mentas que nutrem tanto a Colombia como uS dCllwis republicas vizinhds para cam a Brasil, é a de umei vivu sympathiil e de uma grande ildmifélçâo. Nunca teve a sr. .!\belurdo Rocus occasiâo de observùf a menor memifestaç50 desse espirito rudicdt, corn quc, nilo fflro, sc pretende separar a AmeriCa espanholiJ du America portuguêsa. Pela contrario, os colombianos consideram a nosso desenvolvimento como um progressa que interessa igualmente a todo a continente; alludem, corn frequenciil, ti oratoria brusileiru, já nos reputilm um grande puiz, sem rival nestil parte do mundo; iJdmira[!l os nossos podùs, cscrintores, artistils, iuristéJs e homens publicas e nos iulgam os nldis habeis politicos dé1 America do Sul. \;0 dominio politico. grûças 00 criterio seguro cam a quaI ternos scmpre rcsolvido 6S nossas qucstoes internas considerum-nos elles coma havendo difinitivumcnte reulizado u consolidaçâo do nosso progressa politico e referèm-sc frequentcmente ao Brasil como u lIma republica iá em plcna phase do seu desenvolvimento commercial. Na arde m economica ildmiram elles a nossa intelligencia, os nossos esforços para mnpurur e desenvolver as forças productivas do paiz, apontando, como exemplos, as soluçoes que temas dado ás nossas crises, r. poucas reservas fazem sobrc il nossu capilcidade de findncistas. Nossa politica internucional tilmbem é par elles olhada corn sympathia. inspirando a maior confiilnçiJ a soluçâo pacifica que !cm os sempre dado ¡JOS nossos litigios de frontciras e a attitude que sem¡yc kmos mdntido ante ilS divergencias que ùinda Sepilr;¡tTI illquns l~stddos sul mncricanos. O piJpcl que d dipJonldci<l bwsileira dcsenvolveu no scenélfio euro-

peu muito contribuiu para impor o nosso prestigio. A diplomacia brasileira é sempre citada como intelligentemente dirigida e como fundada num grande espirito de tolerancia e de paz. A Colombia, pela acçào progressista e liberal do seu povo, muito contribuiu para a obra da emancipaçào da America Meridional. Sua historia é urna das mais brilhantes em feitos de bravura e rasgos de energia e independencia. Os espanhoes encontraram nesta regiào um pavo civilizado que se defendeu corn heroismo até conquistar sua liberdllde á custa de muito sangue derramado de parte a parte. Corn effeito, os conquistadores iberos alli encontroram urna civilizaçào semelhante a dos Aztecas. «O soberano de Bogotá vivia cercado de urna côrte sumptuosa. O reino tinha urna historia. A tradiçào popular guardava lembrança da origem das instituiçôes. Numeros05 templos e palacios aftestavam, pela sua fascinante riqueza e luxa, a adiantamento das artes. Nos harens do soberano havia cerca de 300 mulheres, e no grande templo as vestaes cuidavam do culto do fogo». (U L1NGUA. castelhana. A officiaI e geralmente falada é a

RELlGlAO. - Catholica romana. A liberdade de culto é expressamente garantida pela Constituiçào Nacional e pela indole tolerante do povo. INSTRUCÇÀO PUBLICA. - E" satisfactoriamente diffundida, havendo, todavia, grandes massas populares ignaras, como succede em todos os estados americanos, ande a analphabetismo campeia, excepçào dos Estados Unidos. •Las clases supe¡iores se distinguen por su alta cultura cientifica y literaria, el humor festivo y los impulsos generosos».
(1 Rocha Porobo, -- Historia da America, pago 119.

99

A instrucçao publicil na Colombia vern tendo nos ultimas annos um notavel desenvolvimento, havendo a governo consignado para a seu custeio avultadas som~ mas e augmentado o numero de escalas prinwrias e profissionaes e de ùCùdemids superiores. Quanta il instrucçao primaria, conta haie a Re~ publica 4.350 escalas primarias, corn 2.0no edificios proprios, entre- os Quaes sobrcsahem alguns recentemente construidos na Capitd!. Cada um dCls Depártamcntos tem urna escol¿¡nor~
mal pnra rôpûzcs e outrü
À
lJlirïl

~enhormhCls.

illstrucçâo secundaria é profcs~ùda no Collegio Nacional de S. Bartholomeu, que tem grande frequen~ cia de alumnos. tste ensino tambem é ministrudo no Colleqio Maior de Nossa Senhora do Rosorio e na Escala de Commercio de Bogotá, t1ssim como nas es~ colas de philosophia e letras das Universidades de Antioquia, Cartagena, Narino e Papayán; nos coIle~ gios officines de Bogotá, Sao Simao de Ibagué e Santa Librada de Neiva, e em differentes institutos particulùres como nos de La Salles, Lyceu de Pia X e no Collegio Universitario. O primeiro estabelecimento de ensino industrial é a Instituto Technico Central, no quai além do ensino theorico cm differenlcs ramos de letras e mathematicas, sao dadas aulas praticas de mecanica. tecelagem, carpintaria, eIedricidade. desenho. esculptura e ornamen~ taçâo. Tambem existem cm Bogotá as seguíntes escalas: Escala de Bellas Artes, Conservatorio Nacional, E5cola de Philosophia c Letras do Collegio de Nossa Se~ nhora do Rosario; [scola Superior de Agronomia e Veterinaria, bcola de Medicina. Escala de Engenharia, e bcola de Direito, a Academia Nacional de Historia de Bogotá, a mais antiga e importante corporaçao scientifíca do paiz. fÓR\1A DE GOVERNO. - Depois de haver ensaÍado duwnte 20 annos a regimen federal, ti Colom~ bia p<tSSOll adoptar a republica universitaria. ti O Presidente é eleito por 4 annos.

100 Esta ex~colonia da Espanha foi governada par vice~ reis, sob a nome de Vjce~Rejnado de Nova Granada, até a época de sua independencia, em 2 de Julho de 1ôlO, data em que a Cabido e o pavo de Bogotá, che~ fiados par Camillo de Torres, Marquez de Sfio Jorge, Dr. Ignacio de Herrera, o astronomo e philosopho Francisco José'de Caldas, José de Acevedo y Gomez, depois feito general, e a Conde de Villavicencio de~ puzerom a Vice~Rei D. Amar de Bourbon e proclama# ram a republicêl, movimento que encontrou éco e apoio em todo a Vice~Reinado. (1) A historia desta naçao, os feitos gloriosos dos seus caudilhos, a vigor e a brilho dos seus intellectuaes deram á Colombia e ai fóros superiores de urna patria prede~tinada. Haie a bella terra de Santander, que fôra ao mesma tempo general e politico, honra, no concerto dos estados americanos, a grandeza commum e pureza dos ideaes supemos em que se funda a solidariedade de todos os pavos da America. DIVISÀO ADMINISTRATIVA. - Divide-se em 11 Departamentos: (2) Chocó e Putumélco. Os Departamentos teem os seguintes nomes: An(1) Como era natural, o poder espanhol nao cedeu áquelJe primeiro movimento e algun8 aonos de lucta roram necessario s para firmar a independencia. Nessa guerra, ao lado da figura austéra de Simón Bolivar e do General Santander, "o organizador da victoria e da Republica". Cordoba, Ricaurte, Paez, Infante, Almirante Padilla, San Martin, O' Higgins, Cochrane e multos outros heróes que, terminada a tarera da libertaçlio da sua patria, ajudaram efficazmeote a independencia de outros povos. DRhi por diante, a historia da Colombia foi urna serie de acontecimentos em que muitas vezes o espirito revolucionario, tilo cornmum aos povos jovens, irrompia violentamente para depois acalmar-se, entrando entiio a nova Republica na trajectoria magnifica do progresso que lhe deu a situaçao importante que hoje occupa no concerto da¡¡; naçôes americanas. (2) O Departamento de Panamá, em :3 de Novembro de 1903, sem consentimento da Colombia desligou-sc desta, e, protegido pelos Estados Unidos, proclamou a sua independencia, constituindo-se cm Republica Unitaria.

101

tioquia, Bolivar, Boyacá, Caldas, Cauca, Cundinamnrca, Huila, Santander del Norte, Santander del Sur, Tolima e Valle. Subdividem-se os Departamentos em Provincias e estas em Municipios. Os Departamentos, assim co~ ma os Municipios, gosam de certa autonomía quanta á d¡sposíçâo de suas rendas e outras ramas. ~m";[l~ALS. - t.' um pail. muito rico de mineraes. .•. O espûnhol Pedro Heredia, que fundou {\ cidade de Cartagena em uma ¡Iha na embocadura do Magdalena e a quem foi doada a Provincia de Calflmary, encontrou tanto aura nessa regiao, que só a quinto deste metal remettido ao erario de Madrid aftingiu em pouco tempo a 20.000 quintaes. foi enorme a quantídade de ¡oías de ouro e prata arrebatada aos indígenas ou retiradas das sepulturas pelos conquistadores. (1) Ha extraeçao de aura, qlle é abundante, sobretudo nos Departamentos de Callea e Santunder, e na Intendencia de Chocó, que é urna das zonas ande se encontra platina em grande porçao. ~1aquem diga que os depositas de platina de Condoto sao os maiores do mundo. A mór parte da platina cxtrahída é exportada pelo porto de Buenaventura, no Pacifico. r.xistem minas de cobre em quasi todos os Departamentos, sobresaindo as de Moniquirá, que muito ímpressionaram a sabio Humboldt. O mesmo póde-se dizer do ferro de boa qualidade e faeil exploraçâo.
(1) .Se estima en ûO milliones de pesos oro que produjo la Conquista, es decir las joyas arrebatadas por los espanoles á los indios, ó extraídas de sus sepulcros, y el obtenido en el trabajo de las minas en los primeiros cincuentas años del siglo XVI; durante el siglo XVII, la misma explotac ón rudimental dió 2()() millianes; en el xvrn produjo otro tanto, no obstante retroceso que sufrió la industria por la prohibición de las lJIitus ó trabajo obligatorio de los indigenas, y por las sublevaciones de éstos; en la primera mitad del XIX, la larga guerra de independencia disminuyó III producción en un cincuenta por ciento; y luego al comenzar la segunda mitad padeció nuevo contratiempo con la abolición de la esclavitud y el periodo de las guerras civiles,» (GENERAL CRIBE)

102

05 outros mineraes existentes sâo: prata, chumbo, esfanho. zinco, antimonio, manganez, ,petroleo, alumen, talco, nitro, jesso, ocre, kaolin, phosphata de cal, magnesia, crystal de rocha, marmore, jaspe, etc. Das pedros preciosas destacam-se a rubi. a amethysta, a cornolina e él esmemlda que é a unica explorada. As esmeraldas de Muzo sâo muito apreciadas. A mina pertence á naçâo, que de seu arrendamento aufere urna renda mensdl de 100.000 pesos ouro. Tambem perfencem á naçâo as miníils de sal gemma, situadas perto de Bogotá. Na costa atlantica ha extracçâo de sol marinho,
A hulha é exportada. E' de superior qualidade e abundante, segundo Barret. ex-Ministro dos Estados Uñidos junto ao governo de Bogotá. Elle se expressou assim: «Se o carvâo de pedra chegasse a se esgotar nos Estados Unidos, a Colombia poderia seguil-o provendo-os par seculos na America para todas as necessidades destc continente». Grande futuro offerecem as minl'ls de petroleo e de asphalto, algumas já exploradas. Nào faltam á Colombia bellas fontes de aguas mineraes de varias classes e virtudes therapeuticas: sulphurosas, salinas, ferruginosas, carbonatadas, olcalinas, iodadas e magnesianas, taes como os de Choachi, Tabio e Tocaima, perto de Bogotá; as de Salitre e Guicán. em Boyacá; as de San Andrés e Damplona, em Sántander; e as de Usiacuri, em Bolivar, mencionando somente estas que siío excellentes e teem esfabelecimentos apropriados. fontes ricas de acido sulfurico padern ser alli exploradas industrialmente. Pedo de Dopayán ha um rio notavel, chl'lmado Vinagre, por serem suas aguas impregnadas de sul. furico e de outras acidos. E' a Colombia, em conclusâo, um paiz opulento, mas a major porçiío de suas riquezas naturaes está ainda inexplorado, como succede a todos os vastos e pouco povoados paizes da America Latina.

103 fLOl~A. - Dispondo de todos o~ climas, desde a cal ido dos vdlles profundos até a glacial dos pincaros andinos, a Colombia apresenta grande varicdade de vegetaes, Referindo-sc á flora colombiana, díz Humboldt: «O habitante destas regiôes conhece todas as fórmas vegetaes que a natureza colIocou em seu favorecido paíz, e a terrü ostenta a SCIIS 01h05 um espectaculo tao Vrlrim10 ,omo o que ¡¡IC dlJresent~ a abobada do firmamento, no quai nilo ha constellaçâo que se Ihe occulte», Devida, pois, á feracidade do solo e á diversidade de clima, nâo ha ser organico, quer do reino vegetal, quer do reino animal que se nao adapte na Colombia. lia enormes florestas virgens, ricas de llIadeira de construcçao nav<11 civil, de plantas fructiferas, ti ne tureirüs, taniferas, textis, leitosas, oleagineas e medicinaes, inclusive il quina e a coca. A quina é planti1 valiosa da quai se extrahe a quinina, especifico do paludismo, cujas parasitas destróe. A coca é originaria das selvas montah0sas do sul da Coiombia, do Perú e do t:quador. Prepara-se corn ella él cocaína, valioso anestesico local.

rAUNA. ~ Nos selvas vivem muitos Quadrupedes indígenas, taes como a ¡aguar e a puma, a a gato mentez, a zorra, a veado, a lebre, etc., bem como varias especies de monos e ophidios. estes especinlmente na regiào do Chocó. A classe ornithologica é tao abundante que se póde dizer que é a Colombia um dos paizes mais ricos de aves e passaros, Os portas oceanicos, os ríos e as lagoas pululam de peixes que servem de base á alimentaçào do pavo. Conforme acontece no Brasil, a major parte das riquezas naturaes da Colombia está infelizmente ainda inexplorada e perdida para o cornmercio mundial.
INDUSTRIA AGRICOLA.- Verdadeíramente pódese dizer que está progredindo muíto, senda a solo em geral fertilissímo.

104 Os agricultores colombianos, como 05 mexicanos, distribuem as terras de lavoura cm 3 regiôes, corn as denominaçôes de Tierra Cabenfe, Tierra Templada e Tierra fria. A primeira regiao é composta dêiS costas e dos valles do sul e do oeste. E' a zona do cacau e do tabaco, muito cultivado, dando abastosas colheitas. E' tambem a zona da canna de assucar, da banana, exportada esta frueta em grande quantidade para os Estados Unidos; do algodao que é empregado em fabricas de tecidos; do milho, do feijao, da mandioca, de diversos legumes e de outras plantas alimenticias. A segunda regiav, faixa que cinge os Andes e cuja área é calculada em 135.000 kilometros quadrados, gosa de temperatura nao inferior a 13" nem su•• perior a 2°. E' urna plaga amena, iscnta de frio e de calor e que se recommenda pelo seu clima delicioso. E' a zona do café, cujas plantaçôes fructificam satisfactoriamente, dando em abundancia para o consumo do paiz e ainda para exportar. Na America a Colombia occupa o segundo lugar quanta á exportaçào de café Que aUinge a 2.000.000de saccas. A producçao de 1921foi de 2.251.326saccas. Agora a Colombia conta mais de 200.000.000de pés de café e dispôe de terrenos que permittem o plantío de 600.000.000de cafeeiros. A cultura desta planta augmenta consideravelmente naquella rica naçao. «Como zona de transición, diz a General Uribe, a Tierra Templada es propria para muchos de los cultivos de la Caliente y de la fria, que aIli se confunden, alcanzando con una mano los variados fructos de la primeira, y recibiendo con la otra los de la segunda. Es donde más fácilmente se aclimatan los árboles y plantas de Europa. Tenemos, verbigracia, tierras y climas magnificos para la vid y el oJiva, pero sólo ahora empiezam á ensayarse en serio esos cultivos, y otro tanto puede decirse de los del lino y la morena, base esta última de la sericicultura ó cria del gusano de seda, industria ya iniciada felizmente.» A Tierra fria, comprehendida entre os 2.000 e os

105

3.600 metros de altura é a zona caracteristica dû batata, que é tambem muito abundante alli. Ao lado della cultivam-se em pequena escala as plantas introduzldas pelos conquistadores esoanhoes, começand(l pelo trigo, cevadd, ilveia, milho e feljao, sendo estüs dURS ll!timiJs (,ll!t¡v¿ida~ no pñi7 cm todas ~s: ôltllfAs. Medram perfeitamente os productos de cultivo hortense, taes como a cebola, couve, repolho, alcachofa, rabanete, pepino, ervilhn) nabo, tomate, etc. E' nesta regi80 que as flores das tres referidas zonas se mostram mais lindas e perfumosas, e ande as frudas européas bem se aclimam. ~os paramos andinos m6is elevados, de 3.370 metros de altura para cima, as arvores :5ào enfezadas, d vegetaçâo toda é rachitica, assolada pelas tempestades, pelo granizo que cae corn frequencia. Mais acima, a 4.740 metros sobre o nive] do mar, predomina a neve perpetuo, desapparecendo, portanto, a vegetaçao. A vida animal tambem se extingue nessa plaga culminante. Somente a condor lá espalma, ás vez es, as grandes asas sobre a cuspide das montanhas nevadas para descobrir ao longe d sua presa appetecida. Diz o General Uribe: «Pocas cosas hdY que igualen Y ninguna que supere ]a belleza de un panoruma de los Andes, visto de esta altura, con sus perspedivas soberbias y sus horizontes anchos Y magnificos".
INDUSTRIA PECUARIA. - c' feita especialmente na regiào quente, onde existem abundantes e excellentes pastagens naturaes nos valles do Magdalena, do Cauca e dos affluentes deste; nos savanas da costa atIantica e nas da regiao oriental, nas quaes os gados proliferam satisfactoriamente. As chapadas andinas tambem se prestam admiruvelmente á pecuarid. A Colombia tem gado vaccum para seu consumo e ainda para exportar paru Cuba e outras ¡Ihas das Antilhas. ~Iù tambem creaçao de godo cavallar, muldr e asinino, devido á deficiencia de V¡ilS fí]Cei5 de tmnsporte ..

106

A producçào do gado porcino é pouco prospera. O gùdo ovino adapta-se perfeitamente nos altos Andes, ande ha espaças suf.icientes para desenvolver-se por dezenas de milhôes. A pecuaria será uma das mais prosperas industrias do paiz, devido ás optirnas vantagens que a natente territorio apresenta, muito bem regado e coberto de pastagens nativas, nomeadamenfe nas savanas, nomes dados alli ás planicies forradas de pastos naturaes. Os creadores se esforç~m por melhorar as raças dos animaes por mcio da seIecçào e do cruzamento. Teem grandes elementos de desenvGluçào na Colombia a apiculfurn e a sericiculfura. INDUSTRIA EXTRACTIV - f' importante e reA. presentada pela extracçào de aura, prata, platina, esmeraldas, carvào, petroleo e outras mineraes; pela extracçào de madeira, borracha, coca, quina, ipecacuanha, etc., e pela pesca. [[TI toda a regiào da costa existem ricos iazigos de hulha, ferro, cobre, chumbo, cinabrio, etc. A mór parte das riqu~zas natmaes está ainda inexplorada, por falta de capitaes e de facilidade de transporte entre a interior e os portas oceanicos. INDUSTRIA FABRIL. - Os productos principaes desta industria sao: tecidos de là e algodào, calçado, louça, vidro. ladrilho. telha, productos chimicos, licores, cigarros, phosphoras. Prepuram-se na Colombia os afamados chapéos de palha toquilla, impropI iamente conhecidos no Brasil pe/o nome de chapéos panamás, apesar de ser notorio que elles sào fabricados apenas na Colombia e no Equador. (1)
(1) A este respeito diz o General Uribe: «COll los tallos de la iraca ó nacuma, proprias de esta altura, sa prepara la paja toq.uilla de que se tejen los sombreros aqui (Bral"i1) llamados de Oulf' y en otras partes de Panamá. sin embargo de que ni en Panamá ni en Chile producen uno solo, pues todos son fabricados en el interior de Colombia y en el Ecuador.>

107 INDUSTI<IA CO\1MI::J<CIAL. - A exccllcnte situa~ çao do paiz, banhado por dais oceùnos; os ferteis valles e frias planicies concorrem para favorecer a ex~ ploraçao de seus grandes recursos naturaes. O commercio é animado pela producç50 das ou~ tras industrias. Os principaes productos exportados s50: café. em grnn(if> quantidade; cacau, tabaco. banema, CiJyoùJO, quina, borracha, madelra, aura, prata, pldlirw, cmvao e outras mineraes, inclusive o asphalta; goda vaccum, couros, murfim vegetal, chapéos de palha toquillla, etc. As principaes importnç6es consistem em f arinha de trigo, Oli.Jllteiga, petroleo, kcidos de algodào, as~ sucar, arroz, bütota, ferragem. louça, cigarros, objectas de luxa e outras productos de artes mechanicas. commercio externo é feito pelos portas do A tlanfico e do Pacifico, em maiar escala cam 05 Estados Unidos, Inglalerra, Allemanha. Italia. Espanha e frança, e em menor cam a \1exico, Cuba, etc. canul de Panamá (2) que facilita a communicaçào do Pacifico cam a Atlantico, favorece hoje a commercio dos partos dos dais litoraes colombianos. O cornrnercio interno é éldivo, posta que ainda. ernhmaçéldo pcli:l cûrencia de vias de communicaçâo rupidds e economicéls.

a

a

VIAÇÀO. - O tfilnsporfe no interior é feito de preferencia nos rios nùvegaveis, entre os quaes se avantaiam a Magdalena, em primeiro lugar, e em seguida a Cauca e a Méta. A construcç50 de vias feneas e de rodagem é difficil e dispendiosa, por ser a Colombia muito mon~ tanhosa, razào por que é ainda pequena él sua rede (2) Este canal está na Republica de Panamá. Foi aberto corn capitaes dos Estados l'nidos e inaugurado em 1!J14. Estende-se da eidack de Colón, na costa atlantica. até a cidade de Panam¡'!. no ~olïo de Panamá, formado pf'lo Pacifico, tendo 41) milhas de e~·:ll'il·,[jn. Cerca de 24 kilometros do canal sfio alimentados pelas H!-;UH:' dol' dois oceanos : o restante é servido peJas aguas do rio ChugTes e do lago Gatun.

106

de víaçilo. Suas I¡nhas ferreas principaes sào as seguintes: de Amagá, .À.ntioquia, Barranquilla, Caldas, Cartagena, Cúcuta, La Dorada, del Norte, del Pacifico, Puerto Wilches, Santa Marta, del Tolima, Uraba, etc. serviço de Correios e telegraphos é bem organizado.

a

-------

Bogo/á, prosperrima metropole, corn 200.000 habitantes, copital da Republica, linda cidade central situada em um respaldo dos Andes, sobre um planalto, a 2.611 metros de altura, e a 250 leguas distante da costa atlantica. Possue grandes e bellos edificios publicos. Seu clima é saluberrimo e a temperatura m..edia é de 15°, havendo manhàs em que b<lixa a 5.°

Attinente á metropole colombiana, diz o General Uribe: «Todo extrangeiro que vá á Bogotá se sorprende de hallar tan lejos del mar y en lo alto de una sierra, tánto conforto para la vida, una sociedad tan pie n educada, un espiritu literario y artistico hm avanzado y refinamentos de cultura tan esquisitos, todo lo cual como centro de educ(ición y de gobierno, se refleja sobre la nación y influye poderosamente en su progresso». As outras cidades silo: Medellin, corn 65.000 habitantes; Barranquif/a, corn 65.000; Car/agena, corn 25.000,principal porto colombiano no mar das Antilhas; Cali, corn 35.000; Popayán, Pas/a, corn 40.000; Cúcuta, corn 35.000; Bucamaranga; Manizales corn 40.000; Ibagué, corn 30.000; San/a Mar/a, Ocaña, Pamplana, Soccorro, Sogamoso, Tunja, La Mesa, Honda,

Giranda!, Neiva, Pereira, Palmira, Buga, lpiales, Túqueres, Buenaven/ura, principal porto da costa do
Pacifico e distante apenas 46 horas de viagern da cidade de Panamá; San/a Rosa, Sansón, Zipáqiura, Ubaté

109

Equador
SITUACÂO [ LIMITES. - Acha~se o Equador (1) situado na parte occidental da America do Sul e üpre~ senta a fórma de um triangulo cujo vertice está no lado oriental. Limitrl~~t': nO norte e i1 leste com f! Colomb:a; LlO slll corn a Perú, a oeste corn a Pacifico. (2). Em éras remotas a Equador formava a Reino de Quito e constituiu depois a metade do Imperio dos Incas. foi conquistado pelos espûnhoes, nos annos de 1S30 a 1535, sendo reunido ao Vice~l~einado de Santù Fé, em duas épocas, e em lima ao do Perú. SUPFRflCIL - A superficie deste paiz é cal~ culada em 4S1.1ôO kilometros quadrados, inclusive a archipclago de Galápagos ou Colón, que tem ·/.43U kms.2, ASPFCTO PHYSICO. - O territorio equatoriano é montanh050, atravessodo de norte a sul pela cordi~ Iheira dos Andes, que se divide alli cm duas cûdeias parallelas. Comprehende 3 partes distinctas: a do litoral, fertili~sima; a Inierandina ou Central. e a Trasandina
011

Orie:nk.

Estende-se a costa, de norte a sul, desde a em~ bocddura do rio Mataje até a do rio Túmbez, numù (') E' assim denominado em "irtude de estar situado sol> èl. Hnha do equador. (:¿) Ao norte tem perfeitamente limitada sua fronteira, de conformidade corn o tratado celebrado corn a Colombia, cm 1,') de .Julho de 191Ú e ratificado pelos congressos de ambos 08 paizcs. Náo aSllÍm ao sul, pois mantém um litigio pendente, que nilo foi possivel resolver-se desde o anno de 11I29,em que se celebrou o tratado, depois da Batalha de Tal'qui, entre ïorças colombianas e peruanas, batalha favoravel á Colombia. O referido tratado náo foi cumprido alnda, de modo que nenhum dos paizcs tem suas fl'ontciras delimitadas.

110 extens50 de 555 l\ilomctros. O ponto que m<1is ùvança para a oceano é a eübo Santa Clena. [stn porte comprehende todas as ¡Ihas, inclusive a archipeldgo de Galápagos, que se acha muito distante dél costa. A zona Interandina ou Centrdl, larga c muito montanhosiJ, é atravessada pelos Andes que dhi apresentum montimhas colossacs e fumegnntes, corn seus apices coroudos de ncve. r-:' nestêl purte, abrupta e alcantilosi1, de atmosphera !impida c leve, que sc encontf(] quasi toda a populaç¡]o do f'qllddor. Ah¡ csMo as cidades mais importiinte5: Quito, CucnCd, I~iobamba, laja, Ambato, Ibarra, etc. Na regiiío Trasandina ou Oriente existem grandes selvas, rios caudalosos, numerosds lagunds, vastos pdntan os, valles e prddos fertcis. MO"JTANHAS. - Dcstdcüm-se ilS dUds referidi:ls cadeias em que se divide a cordilhcira dos Andes no [quador. Referindo-se ao aspecto geral dessuS serraniéIS dssim 3C exorime a ílbdlisùdo escriptor equdtoridllo león Mim: «T¿¡nto il cordilheiw principdl camo suns ramificaçèes I'Iprescntilln, scí¡¡ qUéll fôr a 11Igm ande as contemplemos, um éJSpccto bello, maicstoso e sublime: oru i1prcsentam u figuw de umù serra de dentes desegudes, desenhtmdo-sc no azul da dtmosphera, ara deprirn:ndo-se SLFl\'emente ou lev¿llIdo a surprehendentes alturas pincüros dglldos cobertos de neve. Aqui adrnird-se il profundidade de um abysmo, onde sem duvidù seclllos atwz fervid incùndescentc él li:lva vlllcünicu; além, suspenso, um monte Clljil brnncura do vertice pmece tocm éÍs estrellas; mais dlém selvas revestidas de verduri:l e flores, atfüvessildds por crystùllinos arroios ou banhé'ldùs por H1uitos rios CilUdalosos que se dcspcnhdln em magnificas e estrondosas cachoeirus. Sobre seus cumes desencadeiélm-sc par vezes terriveis fcmpcst,ldes, ilO pùsso que os vùlles esfendidos ¿} seus pés sâo acmicii'ld05 pelos raios de 11msol esplendido e vivificilnte e que tres ou mais arco-iris abrasdfn corn seus raios cidades e campos forenosos e risonhos. O viajante que visita csta rnaravilha da Credç50 Vde de surpresd em surpresa, agitado

111 de vandS emoç6es, úindù que por ve/es T'dO ¡he f¡:¡ltcm os lllcornmodos e os perigos, os ventas que i !Igcm furiosos, é1neve que cuhe repentinùmentc e tudo sepulta no seu manto de broncuru geladù; os tempestudes, os roios, as corrcntcs, os precipicios amcaçùm frequentemente ù sua vida. Todavia a amor á sciencia ou simulcsmeiite o descio de expcrimcntur novüs e fortes commoçoes !('vilm muitos visitélntes él essas pengosas pülelgens", A neve nuque/la reglBo éJpPdI'cce de 4.000 metros piJlel Cllllù, ~!ém das referidas cordilheiras hù v<irias ramificdçoes que p¿ntindo dd5 cddeids prillcipiles vila dirninllindo cm él1tur¿¡(lté se COflfulldirem corn us plimuras bé!l1hadas pelo Ivtùruñon él lesle e pelo Grùndc üeeano il oeste. A cordilhcirù Orit:ntül ¿¡prescniü C) monJes principaes: a Cüy¿¡mbe, a Sétl'ùurco, o AniiSiir.ù e o Sincholùgua, nù Provinclil de Pichinchü; o CotOpaXI, corn 5.().:j3 metros sobre a nivel do mur; e o Quilindaña na Provincld de León; o T\JIl~lllruhlld nù deste nome; a Altm e a Silngél\ nu de Chimborazo. i\ù cordilhelr¿¡ Occidental se encontram ô princip¡-¡eó: o Chile5 f1él Prov!nciu de Corehi; a Cotùcùchi ni! de Jrnl)iJblJiéJ; o Pichindw, a AtaeélZo, a Coru/Ón e lIini/u ¡¡¿¡ de Pichinch,,; a Cürhuairuzo na de TUI\qurdl1ua; u Chimborc:zo COI1I6.560 metros de ¿¡lturd, ù :lOroeste de l-?iob¿lInbil, chamüdo i~el dos Andes. [xistem yulcoes notélveis no [qllador. Sâo de primeira ordcm os segllintcs; a Cotopüxi. o Tllngurahuù, o 5iHlgilY e a Pichincha. Silo tambem picos vulcilnicos o Chiles, a Cotachi e a SüïüUfCO. O Si1!lgùy. situado na regiâo do Oriente, é um dos yulcôes mais pavorosos de IT;undo. Continuùmenle mrojiJ raga e fumo, peins SlJil5 di\erstls aberturds, dcsde lempo immcmoridl. O Tun~JllI'(lhll¡1 é vulcilo activo e Sl!a crtipçilo de I086 f~)i lJíTliJ dùs müis lerriveis que CI historiù contempOrdrlCl I'('gistó. ():' U!liOS milis s¡¡]ientcs do pude CC!;!;,:: d¡lS cordil1:c;¡'ùS stio: a Yùnùurco e a Inlbnlura nù pfovineia

112 deste nome; a Rumiñahui e a Pôsuchoa na de Pichincha ; a Azuay na de Cañar. O Chimborazo, chamada Reí dos Andes, se acha a noroeste de Riobamba. De longa distancia avista-se a sua prateada cupula que attinge a 6.310 metros de altura sobre a nivel do mar. O Carhuairazo, Que excedia ao Chimborazo em elevaçâo, majestade e belleZà ôté a época em Que se fundiu a sua copa, causando um terremoto Que assolou as Provincias de León, Tungurahua e Chimborazo, nâo passa hoje de um conjuncto de gigantescos escombros cobertos de neve. O Altar é um monte cuja fórma irregular constitue sua principal belleza: ¿ urna especie de semicirculo composta de innumeros picos de cortes differentes Que Ihe dâo a apparencia de altar, de Quelhe vern a nome. Está a leste de Riobamba. O Sangay, collocado no Oriente, como phmol desse mar de selvas, é um dos vulcôes mais activos e terriveis do mundo. Conserva-se ardendo conhnuadamente e arrojando fogo e fumo por suas varias crateras desde tempo immemorial. O Tungurahua é urna formosa montanha ligeiramente truncada; sua larga base se acha afundada em urna profunda rotura, a sUeste de Ambato. E' vulcâo activa e sua erupçâo de t Bô6 é uma das mais terriveis que a historia contemporanea regista. O grande vulcâo Cotopaxi se acha a noroeste de Latacunga. Suas erupçôes atiram grandes porçôes de agua, pedras inflammadas, terra e cinzas vulcanicas, chegando ás vezes estas ultimas a mais de 30 leguas de distancia causando grandes damnas, especialmente em Latacunga e outros centros de populaçâo circumvizinhos. O Pichincha, em cujas faldas está a capital da Republica, foi indubitavelmente urna gigantesca cupula Que, ao destruir-se, deixou innumeraveis picos irregu-

113 lares ao redor de SUil cratera. Uma de suas erupç6es victimou cerca de 40.000 pessoas. (1) O Anlisuna se acha a sueste de Quito. f' montanha cOfpulentù e estende suas enormës faldas até os bosques do Nüpo. O Cayambe está a leste da cidade de seu nome, sob a linha equinocial. E' uma das maiores e mais lindas montùnhas do mundo. Chamam-no Cerro Blanco em consequcncia dél grande quantidade de neve que a

envnlvt:.
CLIMA. - O tquador está situado na lOna torrida. Nilo km estaç6es muito irregulmes, todavia se póde ilssignalar duas: o verao, caracterizado por \lma sccca mais ou menas prolongada, de Junho il Dezembro, e o inverno ou estaçao das chuvas, de Dezembro a }unho. As maiores ChUVilS cahem em Dezembro e sobretudo em Março que é o mês mais chuvoso, e JuIho a mais frio. Nil zona Central, a temperatura e o clima variam segundo a profundidadc dos valles, a altura dos planaltos, a proximidadc dos vertices e as correntes dos ventas. Ahi a temperatura media é de 15.0 centigrados, predominando portanto urna perpetua primavera. [xperimenta-se nos valles profundos do Oriente a calor da zona torrida. Nas Provincias do Litoral a clima é quente e humido. A temperatura media é de 27.0 centigrados. NélS alturas frue-se a temperütura correspondente á sua elevaçao. Outrera grassava em Guayaquil a febre amarella; porem esta molestia desappareceu por completo do fquador, groças á acçao bemfeitora da Commissao do Instituto Rockefeller, cujo programma de actuaçao humanitaria e civilizadora concretiza 05 mais elevados sentÍmentos da alma americana. Extirpada essa enfermidadc que alli grassava endemicamente, os extra nAs erupçoes deste vulcào foram pa varosas cm 15:19, e 1(¡(jO. Quito, em certos dias, ficou nas trevas! Este vulcáo yomitava violentamente cinza, fumo, pedra, etc

(1)

1561), ¡i,ïï, IfiSI)

114 geíros Que forem ao EQuador gosarâo das delicias do seu clima e do mais fraternal acolhimento. ILHAS. - Encontram-se no golfo de Guayaquil as seguintes ilhas: Duná, que é a mais importante e povoada; Santa Clara ou El Muerto, o grupo de Jambelí, as ilhas Verde, Matorrillo, Mandragón, a noroeste da Duná; e Santay, em frente de Guayaquil.
Ni1 costa de Esmeraldas estâo as ilhas Santa Rosa e Zapota!. A oéste de Manabí está a isla de la Plata. Distante 925 kilometros da costa existe o archipelago de Galápagos ou Colón (1), pouco povoado, composto de 13 ilhas, senda 6 qrandes e 7 peQuenas, todas corn optima clima. Existem neste archipelago bahias, enseadas, canaes, cabos e pontas.

PENINSULAS. - Ha apenas urna peninsula lor. mada pelo rio Guayas e o estero Salado, e onde se acha a cidade de Guayaquil. CABOS. - A costa é pouco recortada; notam-se apenas os seguintes cabos: o Son Francisco, a oeste de ESmeraldas; o San Mates, a oeste de Múnabí, e a ponta de Santa Elena, extremidade occidental do paiz, a oeste de Guayas. LAGOAS. - No f:quador nâo ~xistem lagos e sim diversas lagoas, urnas contiguas aos grandes rios da regiâo oriental, e outras nos valles e nos taboleiros das cordilheiras. As principaes sâo as cinco de Imbatura: laguarcocha ou lago de Sangue, ao norte de
(1) A este archipela~o seu descobridor, frei Tomás de Berlanga deu o nome de islas de las Tortugas (ilhas das Tartarugas), por haver encontrado alli grande numero de tartarugas de dimensôes anormaes. Encontram-se allí abundantes lobos m8.rinbos, balejas, bacalhau e outros individuos da fauna maritima. Começou o povoamento deste archipelago em 1&11pelo General José VilIamil, que organizou a ComisiÓn colonizadora. Sua populaçil.o é calculada eml.O(JO habitantes, mais ou menos.

115 Ibarra; a de San Pabro, Moianda e Cuicocha; Calta, a oeste de I<iobamba, em Chimboraso. a de

RIOS. - Os rios equatorianos pertencem a duas vertentes principües: u do Marañon (Amazonas) e a do Pacifico. Os principaes que desagúam no Marañon s80: a Nupo, a Tigre, a Chambira, a Pastala, a Morona e a Santiago. Sao principaes affllJentes do Napa: a Coca, a Aguardo e a Curara\,. '-órma-se a Pas!ùzù do Patate c do Chambo, que bnnha os arredores de Riobumba, e recebe a leste a BobonaZd. O Patate se origina do Cutuchl, que banha a Latacullga, c do Ambato. O Sünti¡;¡go se fórma do Paute e do Zamora. Os maiore's rios que dcsembocam no oceano sâo : ao norte a Mira, que sae de 1mbabura, e a Esmemldas, que sae de Pichincha; e ao sul a Guavas. Póde-se tümbem citar os seguintes rios menores, e que tambem corre m para o Pacifico: o Santiago, CaVdpas, I-<io-Verde e a Muisne, na Provinciél de fsmeraldas; a rio de Chane e a de Portoviejo, na Provincia de Mandbi: o Tüura e a Naranjéjl, lid Provincia de Guvas; a Jubones, Santa I<osa e a Túmbez, na Provincia de tI Oro. Os ultimas cinco desagúam no golfo de GlJayuqlJii. Os principaes rios, que se reunem para formar a Guavas, s50: a Daule e o Caracol; o Zapotal, que recebe á direita o Vinees e á esquerda a Babahoyo e a Chimbo. \iotam-se na costa os seguintes cana es : a del Morro ao norte e a Jambeli ao sul da ilha Puná. \lo archipelélgo de Galápagos ha diversos esteiras, destacando-se a de Bolivar, entre as ilhas Isabela e Fernandina. GOLfOS E BAHIAS. - O ocemlO Pacifico fórma na costa do fquador dais golfos: o de Ancón de Sardinas ao norte, e o de GuayqlJil élO sul, mI ernbociJdura do rio Guayas.

116

Fórma tambem as seguintes bahias: a de Pailón, no golfo de Ancón, a oeste de Manabi, e a de Santa Elena, a oeste da Provincia de Guayas. DOPULAÇÀO. - A populaçào equatoriana ascende actualmente a 2.500.000 habitantes, pertencentes ás raças branca, procedente da Europa; indigena ou americana, que é a natural do paiz; negra, imporiada da Africa; mestiça. oriunda do cruzamento das referidas raças. O conquistador Francisco Pizarra e seus soldados foram os primeiros europeus que chegaram ao territorio haie occupado pelo Equador, entào dominado pela naçào Quichua. O pavo deste paiz prefere viver no Litoral e sobreiudo na regiào lnterandina ou Central, onde se encontram os principaes centros de populaçào da Republica. Os mestiços e os descendentes de europeus sào mais propensos á civilizaçào do que os outras. Os que habitam uS regiôes Litoral e Central sào mais cultos. Os da zonu Trasandina ou Oriente sào na maior parte selvagens. As altas classes da colledividade sfio intelligentes e de grande energía moral, procurando scmpre se adaptar á corrente evolutiva mundial. A partir de 1 de )ùneiro de 19?2foi prohibida, em todo a territorio do [quador, a venda de bebidas alcoolicas. Depois de entrar em vigor a referidd prohibiçào, ficou estabelecido que as dividas contrahídas em estabelecimentos publicas por bebidas alcooltcas nào fossem cobraveis em processos civis. LINGUA. - Fala-se a castelhano que é a lingua officiai, no paiz, estando alti mui alterado entre os mestiços e os camponê5es. Na regiào denominada Oriente os indios falam a lingua quichua, dividida em varios dialectos. RELIGIÀO. - Predomina o catholicismo adoptado pelo Estado. A Constituiçào garante a liberdade de cultos.

117

Ha um arcebispado em Quito e seis bispados nas cidades de Ibarru, Riobomba, Cuenca, Lo;ü, GUayaquil e Portoviejo. I~STRUCÇÂO POPULAR. O cnsmo primario

é gratuito e obrigatorio.
A instrucçâo secundaria é ministrada em Collegios !\'acionucs nas cupitaes das Provincias, havendo tùmbem diversas Escoléls Normaes. ,<1 inSTfl ¡("cuo superior é <iadd nas Univer5irlades ùe Quito, GUdYdqUl1 e Cuencd, iíli f;::culd;:1rlp. livlt: de LOJo, na hcola de Agronomiü de Ambato; rlil [scola dc Bellas Artes e no Conservatorio de \-1usiccj; em escolas dc commercio, seminarios, etc, 1-:' imporbnte a vida literaria do Equador, que se de<Ji,coll brilhantementc desde as prirneiréls Iudas pela indcpendencia das colonias cspùnholas di! America. Mcsmo em pleno regimen colonial a naçao equatoríana sobresaiu pcla intensidadc de sua culturu mental, sobretudo no terreno literario, ande produzira algumas das mais celebres figuras da literatura ispano-americand daquelle tempo. Quito foi chamada pelo historiador Oeberle a Primogenita da Indeper¡dencia, pois, em 1809, nella rebentou o prirneiro levante contra a oppressao da Mctropole. Jó bem untes, havia o [=.quadorproduzido homens da cstatura do Padre Aguirre, poeta e theologa, que desterrado do paiz, pela pressâo dos dominadores, encontrou em I<oma a mais honrosll acolhida, devido ao seu talento e erudiçâo, tendo sido nomeado consultor e confessor do Papa Pia VII. (1)
(1) Out¡'OS homens de valor apresenta este glorioso paiz, tlles como \'iJlaroe!. philosopho e historiador, celebre arcebispo de Charcas; Santa Cruz, J::spejo, Almedo, Frei \'icente Solano, Rocat'uerte. Garcia :lloreno; e na época moderna Xuma Pompilio L1ona. Luis Cordero. ,Juan Leon ;lIera, ,Julio Zaldumbide. Rafael Arizaga. Luis Feline Borja. PalIares Arteta. Gonzalo Zaldumbide, Clement" Ponce, Honorato Yasquez, Remigio Crespo, 'l'oral e Remigio '1' ¡maris Cr'espo, Benalcuzar, esclllprol' de grande talento, J\'liguel ';:l!lti:1g0 e GOl'iYar. cujas obras rivalisam corn as dos maiOJ'e~;genios eUl'opeus; Capiscara, o famoso esculptoI' indio,

t 18 fÓRMA DE GOYERNO. - Adopta a fórma de governo republicana unitaria. Coube ao Equador a gloria de ser a primeira naçâo da America Espanhola a dar o brado contra a dominaçâo ibcrica no Continente, pouco se importando de sellar corn o sangue de seus filhos o paeto da liberdade. E', pois, o decano dos Estados sul americanos, sendo o primeiro reconhecido pela Espanha cómo naçâo soberana. O Equador tem na historia do Novo Mundo um dos mais brilhantes postos pelo espirito de independencia e pelo heroismo e abnegaçâo de que tâo bellas provas soube dar o seu povo aguerrido e altivo. O alarme dos patriotas equatorianos, posto que abafado pela reacçâo do conquistador sdnhoso, ecoou • fundamente em todos os planaltos e valles andinos como urn toque de reunir, como um signal vibrante de acordar para a lueta que rebentou assanhada nas colonias do Continente .~mericano e foi urna das epopéas mais gloriosas da historia da liberdade dos povos. Deu-se a sua independencia a 10 de Agosto de 1830. (2) O poder legislativo é ùttribuiçâo do Congresso, composto de duos camaras: Senado e Camara dos Deputados, as Quaes se reunem ùnnualmente a 10 de Agosto. As sessôes duram 2 mêses. podendo ser prorogadas. O poder executivo é exercido pelo Presidente da Republica, eleito Quatriennalmente por votaçâo popu~ lar. No mesmo periodo sao eleitos 05 membros do Senado e biennalmente os deputados. autor do grupo representando a Exaltaçáo da Cruz e que se acha na Cathedral de Quito; Frei Antonio Rodriguez, o architecto inspirado de Santa Clara, e outros que floresceram desde os tempos coloniaes e dcram a Quito urna tradiçilo imperecivel de creaçào artistica. (2) O F.quador fez parte do vice-reinado do Perú e mais tarde de Nova Granada ou Colombia. Constituiu-se em estado soberano desde que a Nova Granada se dividiu, cm 11130, em tres paizes distinctos: Colombia, Venezuela e Equador.

119 poder judiciario é cxcrcido pela Côrte Suprema e pelas Côrtes Superiores de Quito, Guayaquil, I~iobambfl, Cuenca, Laja, Portovieio, Ambato e Ibarra; por mcio dos iuizados de Letras que ha em todas as Provincias, e por ultimo, os juizes civis, designüdos ünnufllmentc pelo Conselho Municipal de cada cantao. A ConstitUlçao Nacional garante a inviolabilidade da vidii, liberdade de suffragio, de imprensa, de cultos e tem todas as garanÍlas consigIlddas nas constituiç6cs moie; l¡beraes do mundo, corn restricçôes e sancç6es leU<1l:::. p<iïd os übusc" r!~<;<;i-je; 1 i\¡t:rdadcs. Cam SUd pOIJulaç50 cm pleno desenvolvlmellto; corn sells maiores portos saneados, coma a de GuayaQuil; corn seu commercio em franca prosperidade, a l:qlJíldor vae se firmôndo no conccito do ~ovo Mundo e déls grandes naç6es do planeta. DIVISAO ADMI\:ISTRA TIV A. - Divide-se a [quadar politicamcnte em 16 Provincias; estando 11 no illterio! c 5 no litoral: [stao no litoral: tsmerdldas Manabí Guayüs Los I~ios [\ Oro Estao no Interior: Charchi Imbabura . Pichincha León Tungurahua . Chimborazo . Bolívar Cañar . Azuay . Laja Oriente " . Conta tambcm 1 Tel ritorio, de Galár1agos cap. Esmeraldas Portoviejo Guayaquil Babahoyo Machala

o

cap.
cap. cap. cap. cap. cap. cap. cap. cap. cap. cap.

Tulcán Ibarra QUIto Latacunga Ambato Riobamba Guaranda CélP. A:lOgues cap. Cuenca cap. Laja cüp. Archidon¡¡ - a do archípelago

120

Cada provincia é administrada par um Governador. Dividem-se as Provincias em Cantóes e estes em Parochias, tendo cada Cantao um Conselho Municipal e um Presidente. Oriente é a Provincia /liais vasta e rica do Equadar, mas tambem a menos explorada e conhecida. Aguarda um futuro brilhánte quando os navios a vapor sulcarem seus rios caudalosos e élS locomotivas penetrarem por ~uas selvas virgens e opulentas. Sua populaçao é quasi toda constituida de indios puros, senda relativamente pequeno a numero de individuos de origem caucasíca. RIQUEZA NATURAL. - O reino mineral é muito rico: offerece ouro, prata, platina, cobre, ferro, manganez, hulha, petroleo, esmeraldas, sal, marmares, aguas mineraes, etc. As florestas de um e outra lado dos Andes ostentam enormes thesouros naturaes. Em varios pontas a vegetaçao exhibe um viço prodigioso. As mattas l'lao abundantes de rnadeiras excellentes, seringueirôs, plantas resinosas, t~ninosijs, textis e llIedicinaes. Desde tempos immemoriaes os indígenas conheciam as virtudes therapeuticas da quina, que empregavarn contra as febres. foi corn elIes que, em 16Sl\, Juan de Vega aprendeu a emprego deste vegetal como poderoso febrifugo, introduzido na t:urcpa pelas espanhoes. INDUSTRIA AGRICOLA. - A agricultura é a principal fonte de riqueza publica e prívada do Equador. Os principaes productos agrícolas das Provincias do Litoral sao: a cünna de assucar, a arroz, a tabaco, muito café, alqodao, él banana, il laranía e outras fructas, e mormente a cacau. que é "el producto más notable, más vùlioso y más abundante de la agricultura ecuatoriana.» O Equador figura entre 05 paizes mais productores de cacau do mundo. (1)
(1) Em 1!)24 a maior producçáo mundial de cacau foi a seguinte, em toneladas: 198.om Costa do Ouro (Africa) 6;;.600 Brasil. , .

Equador.

:IO.2(M)

121 Em 1925 a producçao de assucar de canna attinglU a 45.000 quintaes. a tabaco é optima. a de Esmeraldas e a Daule, melhorando a cultivo, podcm rivalizar corn o de Habana. café é identico ao do Brasil. Na zona chamada Bosques Húmedos de Los Andes a cascarrilha podcrá ser importante fonte de rir¡lleza equatoridna. ~<,j regioo r entro!. que se esknde entre as duas cordi:hcirds dos Andes, predOmInd éi ll.fv·ouíà dos cereaes. Os principoes productos desta parte do pail sào; trigo, cevada, milho, feijao, batatas, hortaliças,

a

etc.
Em diversos pontos tem prosperado a viticultura. Trata-se de incrementar a apicultura e a sericiculturé!. PECUARIA. - Tem grande importanci.3 e é feita principalmente na regiâo Central. O gado bovino nacional é de boa qualidade. A introducçào de raças extrangeiras, taes coma a Holstein - Frisian, Shorthorn e outras tem produzido optimas resultados em prol da prosperidade da pecuaria do paiz. A industria ladicinia tambem tem tomado consideravel desdobramcnto. No archipelago de Galápagos ha abundancia de gado selvagem. Encontram-se o Ihama, a alpaca e outros animaes uteis das plagas andinas. A fauna indigena é rica e variada. INDUSTRIA EXTRAL:TIV - E' representada pela A. extracçâo de aura das minas de Zuruma, cantao da Provincia de El Oro; pela extracçao de madeiras. borracha, salsaparrilha, quina, coca, cascarrilha, pita, breu, orzella, pedra parnes, palha toquilla, marfim vegetal, petroleo, etc. Explora-se o petroleo em Santa Elena, a 60 milhas a sudoeste da cidade de Guyaquil. A producçao petrolífera no Equador está em franco

122 desenvolvimento e 05 capitaes norte americanos estilo sendo empregados na explomçào desta industria. Faz-se a pesca na costa oceanica, porem ainda em pCQuenaporçào. lia kndenciû de se desenvolver esta industria em orande escala no archipelago de Galápagos. faz-se tambem a pesca de perolus, nomeadamente lias costas de Manabi. INDusn~IA ¡-'ABWL. - A industria de chapéos de palha toquilla, erradamente chamados chapéos Pdnamá (t) é um rnùnancial de riqueza do [Quador, nào só da regiüo Central m<lStambem da do Litoral. Os mais finos e apreciildos sfio os das Provincias de Manahi, Azuay e 1mbdura. A finura, elegancia dos modelos e a larga duraçüo destes chapéos asseguram a sua preferencia em todos os mercudos do mundo. Os tecidos mais delicados sao vendidos por alto preço. Ha tambem fabricas de fiûçilo e tecidos de algodào e là lias Provincias de Pichincha, Imbatura, Tungurahua C Chimborazo. O assucar é preparado sobrefudo em quantidade em Imbatura e Guayas, em grande quantidade. [xistem tambem moinhos em adívidade, fabncas de chocolate, c<1chaçél, oveis, louça ordinaria, sùbào, m velas, roupa. cûlçado, rendas, bordados, tapetes, redes, pelles curtidas, etc. [mpregalll-se nas fabricüs as correntes de uglld e a electncidade. Pmu a producçào de força e luz eledríca ha vmias installaç6es em Quito, Machaclll, Latacunga, Plliilli, Ambato, Riobamba, Gu~ründd, Guayaquil, Azougues, Cuenca, Loia e Ofüvnlo. COMM[RClO. - O cacau é o principal artigo de exportaçào do [quadoL Seguem-se os chapéos de palha toquillél reputados em fodo o mundo; madeirus, rnarfim vegetal, couros, ca~ca de mangue, anil, là de
(1) Os referidos chapéos sao fabricados somente no Equador

e na Colombia.

17.3 carnelro, 18 de ceibo (seda vegetaD, aura, tabaco, borrucha, assucar, café, palha mocoru, canhamo, orzclla, salsaparrilha, cùscarrilha, pita, breu, couros, aspas e crina, pedra parnes, sola, fructas, pennùs de garça, redes e outras muitas producç6es induslflaes. O [qua dar entretém transacç6es corn 05 pùizes vizinhos e distantes, enviando-lhes materias primus e artigos de sua industria. Importa machinas, tecidos, livras, pape!. IOIlÇil, obiectos de luxa, instnlll\enfos de toda a especie, ÎC:iidyClli, etc.. VIAS DE CO;vt~U~ICAÇÀO. - Nas regi6es baixas do Litoml e do Oriente silo abundantes os rios navegaveis. ~a prime ira destas regi6es exisfem tamhem vIas terrestres que prestam importanies serviços ás industrias agricola e commercial. Na regiao Central, alcm de muitos caminhos, existe a estrada carretejra que communica a capital da Re•. publica corn a porto de Guayaquil. A majar ljnha ferrea em trafego é a Ferrocarril de Guayaquil il Quito. rem 464 kilometros de extensâo e desde o nivel do mur sobe até alturas de 4.500 metros. Cantil tambem as seguintes vias ferreas: de Puerto Bolivar a Pasaie; de Manta il Santa Ana; de f)ahia de Caráguez a Chane; de Quito a Esmeraldas; de Ambato a Curaray; de Sibame a Cuenco. ¡-la diversas I¡nhas projectadas. Em Janeiro de 1924 a Governo assignou a contracta cam a Fondation Company de ~ova York, para a construcç50 de estradas de ferro de Quito a Esmeraldas e de Sibamhe a Cuenca. bistem differentes caminhos de tropas, sendo principal o que cruza a paiz de norte a sul, partindo da Colombia e atmvessando as Provincias inferandinas nara sail' no Perú, por Maracá. Deste longo caminho péJrtemvarias ramificaç6es. 't\il qronde regi50 Orientul ha somente vias fluviaes, scndo fllgurnas importantes.

124

o transporte marítimo é feito por companhias inglêsa, peruana e chilena e por navios nacionaes. faz-se a cabotagem em vapores peQuenos.Todos os rios navegaveis sâo sulcados por embarcaçôes de peQueno porte que sobem e descem abarrotados de productos industriaes. Além do cabo submarino Que do Panamá attinge â Esmeraldas e Guayaquil, o Equador tem grande rerle telegraphica e telephonica, que serve a todas as povoaçôes da Republtca, inclusive as mais insignificantes villas. Guayaquil é o principal porto do Equador, por onde se faz quasi toda a exportaçâo e importaçâo. Existem tambem os seguintes portos secundarios: Ballenita, Manglaralto, Manta. Bahia de CaráQuez, Esmeraldas, San Lorenzo e Puerto Bolivar.

Quilo, capital dû Republica, cidade antiguissima, corn 100.000habitantes, situada a 2.850 metros sobre o nivel do mar, nas faldas do vulcâo Pichincha (1) e rodeada de formosos cerros. [-:' banhada pelo rio Machángara, illuminada a luz electrica, percorrida por bondes e ligada a Guayaquil por estrada de ferro. Seu clima é delicioso, mais frio do Que temperado. Temperatura media 13,2° C. Seu commercio é importante. Entre os altos montes que circumdam a cldade destaca-se o Panecillo, onde estâo as ruinas do tempo do Imperio Inca e tambem da dominaçâo espanhola, sendo esta montanha ponto magnifico para se contemplar a bellissima vista panoramica desta attrahente ca-' pital. Quito, suspensa sobre os Andes e guarnecida pela massa branca do Pichincha, guarda famosas collecçôes
(1) Ern urna das erupçóes pessoa.'!. deste vulcllo perecerarn
40.<X)O

e reliouias de arlc admiruveis, trubalhos executados por artistas nacionac5. Sells templos, seu s edificios publicas sào museus de grande valor. A Praçô da lnderwndencia é notavel pelo monumento alli construido em honra dos martyres de 10 de Aqos~o de lô09. t'.', tù!vez, \lm dos mais bellos da AmeriCé] do Sul. [' c¡rcumdado de jardins que encerrélm variùdos esp~cimens da flora do pail.. (t)

m:GIÀo DO LITORAL. - GuavaQuil, corn 100.000 h:,h¡bptF'~ () millcillal Dorto Cd' malS notél\'cl cidLldc do r:C]l!iHior Dar .;'Cl! 111lP0r1dfl1C 1ll0Villtt..:tiÏO IlILiritirno e commerciùl. ]~' situada á margem occidentûl do rio (Jllayas, él 3 pés sobre a nivel do mar. O clima é qllentc. A temperatura mediù é de /./.0 C. Os traoalhas rcalil.ùdos nos ultimas annos nesta cidade meIharméJm seu estüdo sd!litclrio. As obras de sanCilmento feitos sob Q direcçào da Commissào do Instituto I~ocl(efeller concorreram para a desapparecímento da febre amarellél de Guüyaquil. Tem ruas asphültadas, illuminaç50 electrica, agua cumlllzuda. bondes electricos. Seu s principaes edifi(1) Quito I'oi capital dos Slliris e dcpois capital do norte do fmperio dos fncas, scndo Cuzco (hojc cidade peruana), a côrte do sul. Foi igual a Cuzco cm opulencia. Possue varios templos sumptuosos. bellos p~;.\acios tacs como a do Governo. a da ,Justiça, a Al'cebi:spado, o Collcgio dos ,Jc!iuital<, etc; estabeJecimentos puhlicos de ensino primario, secundario e superior, dentre os quaes se de:;taca a ['niversidade Central; duas bibliothecas, soberba penitenciaria, dive/'stls casas de benel'icencia e de diversáo. Seu Observatorio Astronomico é considerado um dos melhores do mundo. por estar cm ponto nmito elevado. Diz Ernesto Charton: "Quito tem attractivos j1aturaes que se lem inveja de nao se monr alli: um al' puro, sitio lindo, temperatura agradavel e fresca pelas brisas dos montes; uma abundancia e variedad e de v¡yeres extraordinaria, cuja barateza pOe-os á m:1o dos mais pobres; finalmente e sobretudo a bondade dos hab tantes. seu humor condescendcnte e Ilospitaleiro." Quito roi conquistada pelo inexoi'avel F¡'ancisco Pizarra. RefpJ'indo-se Il Cftc t'acto. diz Pereira da Silva: "A mortandade dos habitantes. o saque. os destroços nilo t'oram ahi menores que os que manchantm pm Cuz(:u o nome do conqui!,tador e quc lile gl'angeal'<l111I'l'plltci\~ilo do mais t'craz e sanguinario aventureiJ'o dos tl'rn¡HIS ,tIltigos (' mOllernos."

126 cios sao : os palacios do Governo e [piscopa!. o da Bibliotheca Municipal, a Municipólidade, a Alfandega. Possue 3 theatros, 2 hospitaes, um civil e outra militar; hospicio, manicomio, orphanato, collegios, templos, parques, aveniclas, as estatuas de Bolivar, Sucre, Pedro Carbo, Olmedo e I~ocafuerte. Destaca-se a grande Avenida 9 de Outubro, Que termina na praça do mesmo nome, em cuio centro se levanta o monumento dos heróes de 1820. (1) Esmeraldas, porto situado na foz do rio do mesma nome, tendo 9.noo habitantes.
PorJoviejo, 6 murgem do rio do mesmo nome, a 20 kilometros db Pacifico. SUil populilçao é de 6.000 habitantes. foi rica outrora, tendo decahido em vlrtude dos incendios ateados por piratas.

Babahoyo, porto principal do rio do mesmo nome, situada a 5 metros sobre a nivel do mar. Esta cidade, Que tem cerca de 4.000 habitantes, foi florescente pela adívidade de seu commercio de transito: era a porta por ande se introduzia a Guyaquil os productos do interior e por onde poSSilvam ilS mercadorias do exterior. Machala, corn 6.00n hnbitantes, cidade prosper<J, a 10 metros sobre a nivel do mar. lem cm suas Immediaç6es el Puerto Bolivar.
REGIÂO CENTRAL. - 7ulcán, corn 8.000 habitantes, situada a 2.977 metros sobre o nivel do mar, ao norte do paiz, distante urna legua da Colombia. f'
(1) Em16% um incendio arrasou Guayaquil, sendo construida outra com o nome de Ciudad Nueva no local hoje chamado el Centro. Em épocas passadas diversas causas impediram a desenvoluçao de Guayaquil: as frequentes invasôes de piratas e os incendios que a arruinaram por vezes, nâo dispondo entilo de recursos para abafal-os. Foi tambem theatro de acontecimentos politicos e ás vezes sangrentos no governo colonial e quasi sempre ponto ne luctas civis da Repuhlica.

127 cidade importante por seu commercio as localidades meridionaes de Cauca de 1mbabllw e Pichincha. de transito entre e as Provincias

[barra, corn 10.000 habitantes, situada il 2.ns metros sobre a nivel do mar. foi fUlIdada em 1606 por Cristóbül Troya, em nome de Don Miguel Ibarro, Presidente de Ouito. f.sta cidade foi arrasada pelo terremoto de 1&'>8, sendo, fJOrCIll, reconstrllidél no mesmo ¡agur.
!.fI/aeUf/g,-], corn 16.000 hilbltantes, situada a 2.ôOl metros sobre a nivel do mar, á margcm esquerda do rio Cutuchi. Cidade antiq[Üssima, f10rescente no tempo dos Incos e do governo espanhol, apesar de vanas vezes arruinada pelas erupç6es do Cotopaxi.

Ambato, corn 15.000 habitantes, a 2.603 metros sobre a nivel do mur, á margem meridional do rio do mesmo nome. Climij temperado (16° C), mui favorave! á lavouro. Possue urna escala de agronomia.
Riobamba, a 2.793 metros sobre a nivel do mar, corn ~O.OOO habi1élntes. urna das cidades mais antigùs e de maior importancia historica. «La antigu,'i Riobamba, capital del reino de Puruhá, que se hallaba a tres leguas al occidente de la actual, donde hoy está asentado el pueblo de Cicalpa, fué destruida por el terremoto de 1"197, producido por el hundimiento del Carhuairazo".
GUé1randa, situada a 2.663 do mar, corn B.OOO habitôntes. metros sobre a nivel

AZ')ugues, corn 10.000 habitantes, situada a 3.176 metros sobre a nivel do mar. [' ahi orospera a fùbricaçfio de chapéos de palha toquilla, errada mente chamados panamá:;,. CuenCéJ, corn 40.000 habitantes, situada il 2.5ô1 metros sobre a nivel do mor, na linda planicie de

128

Bamba, que é regada pelos rios Machángara, Tarqui, Matadero e Yanuncay. E' a terceira cidade do Equador cm populaçao e por sua importancia intellectual. Laja. a 2.220 metros sobre a nivel do mar, corn 14.000habitantes. Fundada por Alonso Mercadillo, á margem do Zamora. Foi prospera e populosa no dominio colonial.

Archidona, capital da major e mais rica Provincia do EQllador, porem a menos conhecida e povoada.

Perú
SITUAÇÀO [ LIMITES. - E' situado na parte occidental da America do Sul. Limita-se ao norte corn a EQuador e a Colombia; a leste corn a Brasil e a Bolivia; ao sul corn a Chile, separado pelo rio Sama; a oeste corn a Pacifico. SUPERfiCIE. - 1.433.000 kilometros quadrados, comprehendendo as regiôes em litigio· de fronteiras corn o EQllador e a Colombia. e as Provincias de Tacna e Arica, em poder do Chile. (1) ASPECTO PHYSICO. - O Perú é montanhoso e em parte vuIcanico, atravessado pela cordilheira dos Andes, - él mais larga da Terra, él mais contimlêl e a mais constante cm direcçào.
(1) Nega-se o Chile até agora a cumprir o Tratado de Ancón, (111m) pelo quaI se fez a paz na Guerra do Pacifico, qUI::rebentou em .'i de Abril de 1Il79 e terminou em 11\8:3, corn a victoria do Chile sobre o Perú e a Bolivia, tratado pelo quaI se deveria celebrar em lRq3 um plebiscito que determinaria a nacionalidade definitiva das Provincias de Tacna e Arica, cujos habitantes tantas vezcs e com sacrificios teem patenteado o desejo de ser peruanos.

129

Póde-se considerar o Perú dividido em 3 7.onas: a Costa, a Serf<] e (j Montanha A primeira, entre o Pacifico e él falda dû referida cordilheiru, é composta de ter ::no baixo, secco e arenoso, onde élSchuvüs sao rmus, sendo refrescada apen,tS por orvalhos e neblinas. A segunda, riquissima e situada no cordilheira, apresenta montes elevados, cobertos de neve e formando valles e plalliJllos imponentes. de clima temperado e onde se acha conccntrddii él mór parte da popu!ûçùo. As ChUVclS silo ilhi ff'Q!dme5, dc'\idû ¡} influenCléldas florestas e das montùnhus. A ierceira estó entre ù regiao da Serm e os limites do Perú, él leste, corn o Brasil, Colombiù, [quador e a Bolivia. MO't\:T A~HAS. - Dividcm-se os Andes peruanos em 3 cadeias principaes: a Occidental, que é a mais alta; a Central e a Oriental. t:ssas cadeias sao vulcanicas, coniend0 a primeira, entre 15° e 21 de latitude sul o maior numero de vulc6es. dos quaes os mais notaveis sao : o Tutupoca, datùndo a sua ultima erupçào de 1ô02; e o Uvinas, ambos na Provincia de MoquegUiJ; o Coropuna, considerado um dos mais altos dos Andes; o Misti, com 6.100 metros de altura, él nordeste da cidade de Arequipa. Este vulcao, em 1009, quasi que sepultou sob suas cinzas a referida cidade. Em Fevereiro de 1921 fez erupçao formida0

ve\.

O Huaynaputina, em 15 de Fevereiro de î 906, 5epultou, sob ilS Idvas que expilliu, as povoaç6es situadas em suas circumvizinhanças. cm 1746 destruiu Callao. e em 185B deixou em Arequipa e no litoral consideraveis vestigios de sua erupçao. Ainda em 1877 causou um tremo: de terra que se estendeu por toda a costa meridional peruana. A 26 de Maio de 1917 um terremoto assolou o Departamento de Arequipa. Derrocou parte da cídade Caillom~, caus:mdo grande numero de mortos e feridos. f-sta cidade está distante alguTls kilome1ros de Arequipa, pJr<l élSbandas do noroeste.

130 CLIMA. - Quente e secco no litoral, sempre falto .de aguas pluviaes; temDerado e saudave! na serra, onde as chuvas sâo frequentes; quente e humido na parte oriental, ande se estendem grandes planiceis ferfilissimas. Nos pontas culminantes da cordilheira a neve existe perpetuamente. ILHAS. - A costa peruana, que tem 2.400 kilometros de extensâo, apresenta muitas ilhas, senda dignas de mençâo as seguintes: Chinchas, Lobos e a grupo yemol, situado no porto de Chimbote. Nestas e em ilhotas do sul do paiz milhares de alcatrazes e outras aves marinhas fazem grandes depositas de guano, estrume precioso das referidas aves e que constitue valioso producto fertilisante. LAGOS. - Possue diversos lagos, taes como a Lauricocha e outros; porem nenhum se compara ao celebre Titicaca (1 J, cir~mdado de montanhas cobertas de neve. Está no centro de um planalto, entre a sul do Perú e a parte occidental da Bolivia, a 3.960 metros de altura, senda portanto um dos lagos mais altos da Terra. Suas costas de norte e de oeste perfencem ao Perú (Departamento de Puna), e as de leste e de sueste á Bolivia. Os Incas comparavam a Titicaca a «urna enorme esmeralda derretida, fluctuando no meio dos Andes». A superficie do lago é de ô.300 kilometros quadrados. Assemelha-se a um pequeno mar interior, comprehendendo peninsulas. isthmos, ilhas e ilhotas, estreitos, bahías e cabos, nâo Ihe faltando tempestades que arregaçam ondas encapelladas. Sll~S aguas sâo doces e potaveis, pobres de peixes, devido talvez á invernia que predomina naquella regi50. Suas principaes ilhas sâo as seguintes: Amantaní, Taquilli, Soto, Coati e o archipeIago composta de 7
(1) Titi significa, no idioma indigena, estanho ou chumbo, e ccu.:a, montan ha. Porem ainda nao foi encontrado nenhum desteR metacR nos arredores do lago.

Ut ilhotas e da grande ilha Titicaca, quc deu seu nome ao lago e km 6 lf2 kilomdros de comprimento e outro tanto de largura. As peninsulas teem os seguintes nomes: Copachica, Chicuito e Copacabana, que é a principal da parte boliviana. l\ia primeíra os espanhoes detinham os patriotas que caiam prisioneiros, como succedia na i¡hot¿¡ Esteves, perto da cidade de Puno. As bahías mais importantes do lago sfio: Azángara, a noroeste; Chicuito, a oeste, e VinnmnrC'f1, il ;:'de",k. [:;1u lem 1::j¿j ;';¡!u,nd¡u;, Ge cümprirlleniu e J? de Imgura, senda suas nwrgeIls cultivadds. O estredo pelo qUdl se communica ella com a lago chama~se Tiquina, estando em suas margens os centros de populaçao denominados San Pedro e San Pablo, UfTI ed fronte do outra. ]\.;âo ha fluxo e refluxo periodicos no Titicaca, porem existem cheias e vasantes em periodos irreguliHcs, que coincideITI corn as chuvas e degelo das montanhas. Os principaes rios e arroios que desagúam no lago sâo: o t~ámis, a Súchis, a Ylave, a Coatn e a )uliaca, em territorio peruano; e a Ococoya, na parte boliviana. Situadas á margem do celebre lago estâo as Cldades de Puna e muitas povoaç6es de indios civilizados, pertencentes ao Perú e á Bolivia. Este lago é celebre na historia antigd do Perú. Diz a tradiçào que na ilha Titicaca, onde existem as Tuinas de um grande palacio e de um majestoso templo appareceu Manco Capac, fundador do Imperio do Perú e a prirneiro dos Incas (t). Conseguintemente se assim é, a referida ilha foi a berça da notavel dynastia peruana. RIOS. - Pertencem os rIOS do Perú, uns á vertente do Pacifico, outras á do Atlantico. Os principaes, que arroiam suas aguas ao Paci(1) A palavra I¡¡Cil, signil'ica senhor, l'eL imperador. quel' dizer virtuoso. poderoso. O appellido

Ca/){fe

132
,

fico, sào, começando pelo norte: o Tumbes, Chira, Piura, Catacaos, Lambayeque, Jetetepeque, Chicama, Moche, Santa, Casma, Huarmey, Huaura, Chancay, Rimac, que passa pel<l capital do paiz; Cañete, Ica, Mages, Camaná, Moquegua e o Sama. Os outros rios que nascem no Perú pertencem ao systema hydrographico do Atlantico. Os mais importantes sào o Ucayali e o Marañon, que desee dos Andes Peruanos, e de cuja confluencia nasce o Amazonas; o liuallaga, Pachitea, Urubamba, Madre de Dios, Putumayo, Napo e tantos outros navegaveis quasi todos. PORTOS. - Os principaes portos maritimos sào os seguintes: Paita, Pimentel, [ten, Pacasmayo, Saldverry, Chimbote, Callao, a 15 kilometros de Lima; Pisco, Moliendo ello, seguindo o litoral, de norte a sul. O de Iquitos, no rio Amazonas, é o principal porto fluvial. Segue, em importancia, o porto lacustre de Puno, no Titicaca. POPULAÇAo. - Attinge a 6.000.000a populaçâo do Perú (1), raça forte que fundou o celebre Imperio dos Incas. LlNGUA. - fala-se o castelhano, que é o idioma officiaI. Os indios adoptam seus dialectos proprios. RELIGIAo. tituiçào do paiz. Catholica romana, aceita pela Cons-

INSTRUCçAo POPULAR. - Subdivide-se a mstrucçào em primario, secundaria e superior.
(1) Segundo dados que nos foram gentil mente fornecidos, em Maio de 1921, pelo Coronel Dalmace Tolmos, Ministro peruano acreditado junto ao Governo do Brasil. Attinente a este assumpto assim se expressou este diplomata: cPoblacÙín.-4.609.99lJ habitantes son los calculados el año 11196,con los dados existentes en esa fecha, pero los censos parciales posteriores hacen considerar actualmente en seis millones el número de pobladores.-Las razas predominantes son la blanca, la indigena, la negra y la amarilla. y las variedades provenientes de su cruzamiento.»

133

Em 1926 havia no Perú 4.000 escolas de ensmo primarIo. Existem 23 Collegios de ínstrucça.o secundaria. O ensino superior é ministrado nas Universidades, das quaes é principal a Mayor de San Marcos de Lima, a mais antiga da America: Seguem em importancia as Universidades Menores de Arequipa, Trujillo e Cuzco. Ha tambem a Universidade Catholica de Lima. Na capital da Republica ha escolas superiores de h1aenharIâ Cld, ~,1mas, :lectricidùdc, Industrias e Agrot nomiù, Que adoptam os methodos e in:strumenfal mais modernos. Existem no paiz diversas F.scolas de Artes e Officias, assim como faculdades de Arte Textil, Alfaiataria e Trabalho Manual. Encontram-se [scolas Normaes em Lima e nas capitaes de varios Departamentos, nao só para homens mas tambem para mulheres. A educaçao artistica canta corn a Escala de Bellas Artes e a Academia ;-..Jacional e Musica, além de oud tras instituiçôes de caracter particular. A capital do paiz conta tambem corn os Museus Nacional, Larca tlerrerü (Museu Archeologico), Museu Bolivariano, Museu da Universidade e a Pinacoteca da MlInícipalidad~ de Lima. Ha em Lima diversas bibliothecas publicas, entre ilS qllaes se destacam a ~acional, fundada pelo General San Martin, e a da Universidade. (1)

(1) Os conquistadores encontraram na America Austral bem como na America Central e no ~1exico pavos civilizados e políticamente constituidos. Foi importante a cultura no Imperio dos Incas. que, durante mais de ;,I)() annos antes da chegada de Colombo ao ~ovo Mundo, exereeu um governo relativamente prospero. Os monumentos, pontes e estradas excellentes através dos Andes. importantes canaes de irrigaçao. edificios. muralhas, vasos, vestimentas, armas, instituiç6cs poIiticas e religiosas, agricultura e productos da industria manufactora. etc., constituem signal indelevel do alto grau de civilizaçiio a que chcgaram os Imperios

134

fÓRMA DE GOVfRNO. - O Perú adopta a fórma de governo republicana unitaria., O Presidente da Republica, assim como os senadores e deputados sao deitos em votaçao popular directa. O Vice-Reinado do Perú esteve sujeito ao governo espanhol até 1ô21. \ Em 12 de Julho daquelle anno a General San Martin entrou em lima á frente de sua tropa, e a 2ô do mesmo mês, perante a pavo reunido na Plaza Mayor, proferiu as seguintes palavras: «O Perú é, desde este momento, livre e independente pela vontade geral dos pavos e pell'! justiça de sua causa, defendida por Deus. Viva a patria! Viva a Liberdade! Viva a independencia !» A obra de San Martin, unida ao heroismo dos patriotas peruanos, consagra, nos acontecimentos memoraveis que determinaram a proclamaçao da independendia peruana, a alto espirito de cooperaçao, a nobre sentimento de soliduriedade, que foram e hao de ser sempre a grande força p¡')pulsora do progressa politico, economico e cultural do nosso Continente. O Perú é urna qrande naçao. O alto nivel moral do seu pavo e a sua prosperidade economica lhe dao lagar de destaque entre os pavos americanos. Nas savanas e sobretudo no planalto, na regíao andina, cujas oincaros, sempre alvejantes de neve, parece que desafiam as nuvens, paira a idéa de liberdade, lá bem alto, onde a condor desdobra as grandes asas. DlVISAO ADMINISTRATIVA, - Comprehende a Perú 20 Departamentos seguintes: Piura, Cajamarca, Amazonas, San Martin, loreto, lambayeque, libertad, Ancahs, Huánuco (no norte) : lima, Junin,Huancavelica,

dos Incas e dos Aztecas, destruidos corn crueldade por Francisco Pizarro, que abate u a dynastia peruana, e Fernando Cortês, que derrocou o Imperio de Montezuma, O Imperio dos Incas abrangia os territorios actuaes do Perú, Equador, Bolivia c parte septentrional do Çhile.

135 Ica (no centro); Ayacucho, Apurimac, Cuzco, Madre de Dias, puna, Arequipa, Tacna (no sul). Ha tambem as Provincias Litoraes de Tumbes, ao norte, e de Moquegua, ao sul; e a Provincia Constitucional de Callao, que se padern cansiderar como Departamentos. 05 Departamentos se subdividem em Provincias e estas em Districtos. Ha 113 Provincias e 951 Districtos. REINO MINERAL. BCILlC::'. SUII)ICilcIlJt:lùlil-~C

O Perú é riquissimo de miU~ t:~¡Jûl¡j¡UC.sljuûl\dü ûhi

chcgaram e viram a grande porçao de aura, prata e gemmds existentes nos palacios dos Incas, nos templos e nas sepulturas, ande os morios eram collocados corn todas as suas joias. Todos esses cabedaes, arrebatados pelos conquistadores. foram remdtidos ao erario da Espanha. Possue, além de outras mineraes, ouro, prata. chumbo, hulha, ferro, mercurio. bismutho, dntimonio, ricas minas de cobre. algumas exploradas corn vulluosos capitaes, especialmente no Departamento de Junin, que apresenta urna das fundiçôes mai~ grandiosas e modernas do mundo. Acha-se florescente a fundiçao do Departamento de Libertad, occupando iá a Pcrú um dos primeiros lúgares dôs r~epubJ¡casdmericanas exportadoras de cobre. Ha abundancia de petroleo em Zorrilos, Lé1gunitas, Lobitos e Negritos, na costa do norte; e nos Departamentos de Cuzco e Puna, no sul. Na America Meridional a Perú occupa a primciro lagar, tanto na producçào camo na exportaçâo petrollfera, feitas em Piura e Tumbes. O petroleo bruto continúa saliente na lista das exportaçôes peruanas, nào obstante a existencia de refinarias no paiz. valor total da producçao de petroleo excede de 5.000.000 de libras esterlinas e de \.000.000 de toneladas annuaes.

a

RENO VEGETAL. -- E' rica a flora do Perú. Suas florestas encerram grande copia de madeiras, borracha, a quina e a coca, dais vegetaes preciosos que constituiam e constituern ainda a fortuna therapeutica

136 dos indigenas, que usam a coca, quando em marchas ou trabalhos forçados, mastigando as folhas e engulindo o succo de5te arbusto. Ella mitiga a fome e a sede, e preserva o corpo de diversas molestias. fAUNA. -- Encontram-se no Perú todos os individuos da fauna sul americana. Na regiào da Serra vivem o lhama, a vicunha, o guanaco, a alpaca, que fornecem là de Qualidade superior. Estes animaes domesticaveis sào originarios dos Andes peruanos. O lhama é empregado no transporte de cargas petas montanhas. A vicunha tambem presta serviço como animal de carga. Aves, passaros. peixes, insectos innumeraveiscontribuem para a opulencia da fauna deste paiz. Q condor vive nas serranias. Ha grande quantidade de aves aQuaticasnas ilhas da costa, onde essas aves accumulam espessas camadas de guano, considerado como o mais importante entre os adubos azotados. Graças fi elle os peruanos conseguem fartas colheitas nas terras arenosas do paiz. INDUSTRIAS. -- A lavoura é prospero. Ha grande cultivo de canna de assucar (1), excellente algodào (Algodon Tanguis); arroz, videiras, olivciras, trigo, cevada, milho, tuberculos, tabaco, cacau, café, coco e muitas outras fruetas, legumes, hortaliças, etc. A pecuaria é .bastante desenvolvida, sobretudo no centro e no sul da Republica (junin e Puno), onde existem granjas modelos creadas pelo Governo. Calcula-se actualmente em 3.000.000 de cabeças de carneiros de raça fina. Posto que menos desenvolvida do Que na zona da Serra, é importante tambem a industria pastoril na Costa, principalmente nos Departamentos de Piura e lambaye e na Provincia de Chancay em o Departamento de lima.

(1) Em 1<)21a producçào de assucar attingiu a :l50'c)()() toneladas. Em 19211 produziu o Perú 3:-1.71\2 toneladas de algodào.

I ',1

137 A industria extractivfl é representada pela exploraçào dos mineroes menciona' )5, madeirds, borracha, plantas medicinaes, etc. Das producçôes rTlélnufactureiras a mais importante é a textil: na elaboraçao de tecidos de là e algodao compete corn 05 melhores productos similares europeus. Ha grande viticultura e vinicultura. Corn a milho p¡-eparam él chicha, apreciada bel:;íd':l 'Vl~innAI

COMMr]<CIO. -- r.m 1925, segundo informes da Lcqaçâo do Perú, a total dû eXj.Jortüçao chegou a cere¿¡ de 25.000.000 de libras esterlinas, correspondendo 1.5.500.000 il productos agricolas e a resto a productos mine;îos. SÓ de Algodfio languis ¡producto originario e exclusivo do PerÚ), e cobre cm barra a Perú exporta 4500.000 libras. A exportaçao de petroleo e seus derivados uttingiu, no referido anno, a 5.000.000 de librus. r.xporta êJSSUCar,a, couros, cabre, prata, vinho, l borrùcha, etc.
VIAS Of CO\1:-dU;-..i!CACÀO. - A principal linha ferrea do Perú é c) do Centro, qlle une a porto de Cél!lao e él ciddde de Lima corn a Oroya, Cerro de Pasco, Joui¡:] e ttuancayo. Este ferrocarril é urna das obras de engenhéll'ia müis granèicsas por seu dcsenvolvimento cm um territorio accidentado que forçou a construcçào de numerases iur.neis e pontes, senda a gronde extensào de seu percurso mudo pinturescû. Chega i1 s.non meiros sobre a nivel do mar, senda portanto a mùis alto do mundo. Segue-se, em ~mpodancil1, a linha ferroviaria que urIe a porto de Moliendo, a mais importante da regíao do sul da RePllhlica, corn Areqllipu, Puna e Cuzco. [OstélI¡nha cm }uliôca se divide em dais ramacs: a primeiro \'de ao porto de Puna, á mùrgem do Titicaca, e une, por pm serviço de v¡:J:Jores que faï:em a Cilfreirü Puna - QU¿j~JlJi,él ícde ferrovil:uiél boliviana corn a pCfllilnü; o segundo Vêle (í cidade de CU7.CO, - [,1-

138

masa centro de turismo mundial e legendaria capital do Imperia dos Incas. '[m a norte existem os ferrocürris de Tumbes a Puerto Pizarro, de Paita il Piura, de Piura i.l Ciltucaos, de ften a Chidwo, Ferreñafe e Pátapo, Pimentel el Chicalayo e Lambayegue, de Pascasmayo a Guadalupe e Chilete, de Salaverry a Trujillo e Ascope. No centro: él linha ferrea de Lima a Ancón, Huacho e Sélyan; de Lima a Callao; de Lima a Chorrillos e Lmin; de Pisco a Ica, de Cerro Azul a Cañete; de Tambo de Mora a Chincha Alta. No sul: de 110 a Moquegua; de Cuzco a Santü Ana; de Enseada a Pampa Blanca. fm construcçào: a mais importante dos caminhos de ferro em construcçào é o de Huancayo a Ayacucho, que faz parte do trdçado peruano do ferrocarril peln= americano. Segue a que vae de Tambo del Sol (Iinha do Ferrocarril Central) a Dachitea; depois a de Chimbote a Huaráz e Recuay, que será um dos transadinos mais importemtes da America. Ha outfélS linhas construidas e em construcçào.

pornos. - Os principéles portos oceanicos silo os seguintes: Paita, Pimentel, I~ten, Pascélsrnayo,Séllaverry, Chimbote, Cüllüo, Pisco, Moliendo e lia, seguindo a territorio de norte a sul. O porto fluvial mais importante é o de Iquitos, no rio Marañon (AmelZonüsl, senda tümbem not¡:¡velo porto lacustre de Puna.

Lima, capital da l~epublica, Cidade central, actualmente corn 250.000habitantes, fundada por Frc1Ocisco Pizarro il 6 de Janeiro de lS:S5, á mélrgem do rio Rimac e distilnte 15 kilometros do porto de Callao. [' c¡dade linda, rica e de grilnde movimento, ("om universidade antiquissima fundada em 1636. Possue bello iardim centml, avenidas, linhi'ls de bondes electricos. impo~rtanks edificios, nllmerosos institutos educil-

tivos: estûbelecimentos d(' ùssi.,tenciù publica, thcatros, OOIlS hoteis, de. [~sta cidade é sujeita il abalos sismicos. fm lulho de!913 UflI desse:; I!IOVilllCllÍos dùnInificou Lima e

C:JIIBO.
Callao, principé~1 porto da I~epubliea e pelo qUùl a Perú exportù él mór pmte da Silo qrande produeçâo industrial. f~',por éls5im dizer, um éHfèJbalde de Lima . .A. ilrltlQil Cûllilo tOI <lITiI~ildél Dela terremoto de 1746.
Arequipu, li¡¡d¿¡ e imporfilflk cidddc sihll!dil nl! trildü do .celebre \ulcJo Misti e por isto sllieita a terremotos. I~stc vulci'io, em revcreiro de 197.1, fez erupçfío formidél\'el, arrOié1ndo sobre il cidilde grélnde parçi'io de cinZil e enxofre. f'oi fundadu por rriH1cisco Pizarro, cm 1~40.

Cuzco, notavcl par SlIftS rtllnuS do Imperia dos Incas e par ter sida il cüpih.ll deste, indubitavelmente o organismo politico mais ùdeantado da America do ~Iil, Ilii época anterior 00 descobrimento pelos europeus. l:ntre as üntiguidades peruanas destacam-se os restos dil fortùlew, edificdda com pcdri1s enormes, semelhante ás constrllcçoes pelasgicas dü Grecia. Cuzco é c¡dade mclrovilhosü que os Andes sustcntam no ar, a ).')00 metros de altura. fm éras remotas foi fonte da civillZélÇào incéllcéJ que causou espanto ao espé.lllhol conquistador. bte centro de popU](lÇdO tem grande valor para os archeologos, que encontfélm aIli lingo Célmpo de pcsquizas, e as picmetas teem aind¡¡ muitùs maravilhas a desvendm, muitas joias da legendaria cidade dos Incas e Quichuüs il trazer á luz.
Trujillu, irnporldllte ciddde li\Jddd (la porto de Sa·· laverr\,. f.' Ci.lpitcll do Dcporf¡1mento de Libcrtnd, no véllle do rio \1achc. Piura, prImellël PerÚ, vindo do porto
cidélde fundada por de Tumhes, c¡dude Pizmro no importante

140
dos Incas, situada no extremo norte do palZ e onde os espanhoes desembarcaram pela primeira vez, em 1525, e onde começaram a notar a civilizaçao de um povo de costumes mais dignos do Que os dos conQuistadores europeus. Ahi se cultiva o melhor algodao do paiz.

Cajamarca, a 2.814 metros de altura sobre o nivel do oceano. t' celebre pelo drama sanguinolento de Que foi theatro, em 1532, Quando Pizarro aprisionou traiçoeiramente o principe Atahualpa, Que foi sacrificado. E' centro commercial e manufactureiro. Seus principaes productos sao tecidos de la e linho, estando tambem prosperos o cortume e a metallurgia. Perto da cidade ha fontes de agua thermal e sulphurosiJ. Chíclaya, capital da Provincia do mesmo nome, no Departamento de LambayeQue .. Seus terrenos produzem café. cacau, canna de assucar, mroz, etc. Ha tambem creaçao de gada. Iquitos, á margem eSQuerda do rio Marañon. Porlo muito freQllentado por navios Que aUi vao fazer carregamento de borracha, cacau, baunilha, etc. Ayacucho, celebre por ter sido o ponto ande a General Sucre derrotou as tropas espanholas, a 9 de Dezembro de 1ô24, senda a batalha decisiva Que f¡rmou a independencia do Perú, proclamada por San Martin a 28 de Julho de 1821. SlIcre, lima das figuras mais suggestivas e impressionantes da Guerra da Independencia. possuia admiraveis Quaiidadcs de estmtegista, conforme demonstroll nô referida batalha, cuio centenario foi ruidosamente commemorc1do em Limd, a 9 de Dezembro de 1924. Puna, porto na margem occidental do lago Titicaca, () :~.ô24 metros élcimfl do nivel do mar. Posslle mineraes preciosos e km grande commercio de 15 de alpaca e de carneiro.

141

Cerro de Pasco, a 4.000 metros de altitude. Celebre pelas ricas minas de ouro, prata, chumbo, etc., exploradas desde o tempo da denominaçào espanhola. lea, capital do Departamento de igual nome, ligada ao porto de Pisco por linha ferrea. Regiào rica de mineraes, corn cultura algodoeira, creôçào de gado, viticultura e vinicultura.
Moquegua, capital do Departamento do mesmo nome. Estao (llli desenvolvidas ri f1f'('UQrid, ë1 agrIcultllra, a fabríci'!çâo dé yillho e aquardente de uva. ComIllUnlca-se par caminho de ferro corn a porto de Pacocha, situado ao sul do antigo porto de 110.

Moliendo,

segundo porto de entrada da Republica.

Paila, um dos melhores portas da America. Apurimac, damnificada em Novembro de 1913por um terremoto, que soterrou cerca de 200 pessoas.

Bolivia
SITUAÇÂ0 E LIMITES. - A Bolivia, (assim denominada em honra a Simón Bolívarl, antigo Alto Perú ou Charcas. dependente da vice-realeza de Buenos Aires até 1776, é um dos grandes paizes da Amertca. Urna circumstancia, no enfanta, actua de maneira a deprimir-lhe a influencia no conjuncto dos estados ~ul americanos. Esse circumstancia, assim como acontece ao P,traguay, é ser a Bolivia um paiz central, nâo possuindo, portanto, costa oceanica, tendo perdido, em

142 virtude da Guerra do Pacifico, seus portos de Tocopilla e Antofagasta, hoie sob o dominio do Chile. Está situada a oeste da America Meridional, em regiâo muito elevada. Limita~se ao norte e a leste corn o Brasil; a su~ este corn o Paraguay; ao sul corn a Argentina; a oeste corn o Chile e o Perú. SUPERfICiE. - O territorio boliviano tem 1.332.ô08 kilometros Quadrados. (1) ASPECTO PHVSICO. - Divide~se o territorio da Bolivia em 5 regioes: a A iliplanicie, a MO!ltètnha e os Llanos (em espanhol Llanos, - planicies). A Serra occupa a regiâo comprehendida entre as cadeias occidental e oriental. A Montanha é a regiâo situada nos flancos ou vertentes do systema oriental. Os Llanos se estendem a leste da Bolivia, sobre um solo baixo e regado por caudalosos rios, Que serpeiam por selvas imponentes. Está Quasi todo o paiz num grande planalto, com a altitude de 3.600 metros, em media, acima do nivel do mar. O territorio é eminentemente montanhoso. E' notavel por sua varieddde de aspecto e por sua formosura, pois dos valles mais profundos arrancam monfanhas altissimas da cordílheira andina, e dos eleva~ dissimos paramos de Oruro originam-se as densas florestas situadas a leste, resurtdndo disto Queha na Bolivia todas as alturas, todos os climas, todas as variaçoes thermicas e barometricas, typos de todas as producçoes em os tres reinos da natureza; os mais lindos panoramas e as mais contrapostêls perspectivéls, desde as ne(1)- Quaudo a Bolivia logro u a sua independencia, a fi de Agosto de 182.\ seu territorio abrangia cerca de 3.mO.(l(() de kms.2; porem em consequencia de tratados e convençóes corn o Brasil (1B()6 e 19l14),a Argentina (19m), Chile (1866, 1874 e i9(4). e corn o Perú (1909) sua superficie ficou reduzida. SÓ pelo tratado del866 a Bolivia perdeu, cedendo ao Brasil, 8.616 leguas quadradas, e 9~2 leguas ao Chile, naqut'lle me~mo anno, e em lH74, sem contar a ccssào definitiva do litoral em 1904 e a do Territorio do Acre, ao Brasil, em 190:\.

143

ves eternas, ande impera a morte }Jar congelamento, alé (-S ardentes vaJle~, .)nde as palmeiras ostenlam seus hirsutos pennachos. Em harmonia corn seus climas, suas altitudes e suas zonas, este }Jajz encerré] muItiplas riquezas, em sua mór pé]rte ainda inexploradé]s, em virlude de SUé] situaçao no centra ('a America Meridional e sem facilidade de transporte ra;Jido e economico. Póde-se dizer que a Bolivia, assim como a Brasil e outras grandes paizes é]mericanos, é imperfeitamente desveladù. ùpesar dcl~ djfferentp.~ vingens realizadas aill. desde él época da conquista espanholé] até hojeo A regiao oriental, limitrophe corn a Brasil, nem pelos proprios naturaes tem sido explorada em todos os pontas. 05 roteiros mais é]ntigos sâo os que abriram os bandeirantes paulistas e 05 jesuitas, em direcçâo a Santa Cruz de la Sierru, rofeiros esses pel05 quaes a dictador paraguayo Solano Lop~z, batido pelas forças brasileiws, pretendia galgar ás cordilheiras. Seguem-se, em ordem de importancia, as veredas que vao ter aos affluentes do rio Madeira, e só ultimamenle, após a esforço brusileiro no Acre, foram abertos caminhos em ruma ao Alto Durús. Fóra destes tres rumos principaes - norte, nordeste e sul, nenhum conhecimento exacto existe sobre élSregiôes comprehendidas em tal direcçâo. Nas viagens realizadas no interior deste paiz segue-se gcralmente a curso dos rios. !v10NTA\iHAS. - Todas as montanhas da Bolivia pertencem á grande cordilheira dos Andes, que se divide em dois 5ystemas de montanhas: a Occidental ou Exterior e a Real .ou Interior. Estes systemas, depois de formarem curvas mé]is ou menos sinuosas e extensas, unem-se a noroeste no parallelo 14° 35' formundo a planalto de Apolobamb<i. û systema Occidental segue as sinuosidéldes do Pacifico, deix¿mdo urna estreita faixa de terra arenosa e mida, que fórnw a deserto de Atacama e a pmnpü de "[¿lmarugal, cOlltinuüçào do deserto norte, vürié.indo SUé) )mQlIril media de 200 û 4&) kJlometros, dé]

ao

144 costa ao pé dos Andes. Na parte septentrional deste systema estao os picos de Tatasabaya, Darinacocha, Pomarapi e o grandioso pico de Sajama, sempre coberto de neve. A cordilheira Real, no parallelo 22 0, fórma o altiplano de Chorolque, de onde prosegue seu curso ao norte em ramaes parallelos, taes como: Tasna, ChocaYd, Ubina e Chichas. Estes ramaes se reunem em GUélcaso, urna das obras mais elevadas do orbe, e continuam seu rumo boreal pela cordilheira dos Frailes, formando-se, a leste desta ultima, os planaltos de Porco e Potosí, centro das montanhas deste nome e das de Chayanta. Erguem-se grandes montanhas em todos os Departamentos bolivianos, senda principaes as seguintes. corn as respectivas alturas em metros sobre o nivel do mar: Illampu (6.645);lIlimani (6.619); Sa;ama {6.563}; Chachacomani (6.302); Toroni (6.500); Parinacota (6.259); Quimzachata (6.070); Huaina Potosí (6.220); Mururata (6.041); Nuevo Mundo (5.949); Cololo l5.91 1); Todo Santos (5.902); Ollagüe (5.848); Ascotán (5.006); Allarani (5.794); Pulumani (5.763); Puquintica (5.760); Bonete (5.764); Uiscaya (5.689); Huanacuni (5.64ôJ; Chorolque (5.603); Quinza Cruz (5.598); Sapaleri (5.5201; Malmisa (5453); Tátabaya (5.4301; Cuzco (5.3951; Thunapa (S.300l; Azanaques (5.13S); Sapa;o (5.107); Aullagas (4.964); Coipasa (4.935); Tunari (4.850; Cerro de Potosí (4.ô62). CUMA. - O clima deste paiz é muito variado, em virtude de sua situaçao especial e do excepcional aspecto, que apresenta altas serranias, pampas, valles profundos e planicies cortadas por volumosos rios. Acha-se a Bolivia nël zona torrida. «LaS estaciones no siguen el curso del sol; al paso que en la altiplanicie y lugares elevados se experimentan las cuatro estaciones, en los valles profundos. y llanos del Oriente, reina lIna primavera perpétua. "Las lluvias generalmente principian por noviembre y acaban por marzo, notándose atrasos y adelan-

r

145

tos relativos, según los años. En las regiones llamadas Yungas, llueve por la general, en diez meses del año; a esta ~articuláridad, deben su prodigiosa fertilidad esas regIones. «Los fuertes calores se experimentan en los meses de octubre y noviembre, dejándose notar aún en la altiplanicie. «Las nevadas no tienen periodicidad fija; caen indistintamente en los meses de mdYO, junio, julio y agosto. "Lu k¡nperafur<:l mcd¡û de los lugmes hi'lbltad05, más altos, vuría entre 14 o y 10°. En Yungas y en los llanos del Oriente entre 22 e: y 19 o). (¡ ) LAGOS. -- Existem, no planalto boliviano, dais lagos importantes: a Titicaca e a Pampa Aullagas. O Titicaca tem 3.885 milhas quadradas de superficie e se comp6e de dais lagos pequenos, que se communicam pelo estreito de Tiquina. Estó a 3.31.14 metros sobre a nivel do mar. Apresenta as peninsulas de Capachica, Chucuito, Copacabana e Huarina. Entre suas ¡lhas sobresae a de Titicaca ou do Sol, notave! por haverem saido della, segundo a tradiçào, Manco Capac e sua esposa Mama Oello, fundadores do Imperio Inca. F:xistem outras ilhas habitadas no grande lago. Os portas principaes stio: Huaicho, Ancoraimes, Carabuco, Copacabilna, bcoma, Puerto Pérel, Iluata e a porto de Guaqui, de ande parte a estrada de ferro que vae á cidade de La Paz. O lago Pampa Aullclgas tem 2.790 kms.2 de superficie e estci situado a 3.700 metros sobre a nivel do mar. Pertencem-Ihe as ilhas Panza e Filomena. Encontram-se outras lagos menores, taes como os seguintes: a Rogoagudo ou Domú, e a Rogurgua, no Departamento de Beni; a Cotantica, Súchez e a Naruro, na Provincia de Caupolicán; a Hichocota, junto

(I)-E.
jisiclI

y j>OlitiCII,

Diez de Medina, pago :iï.

Ho/h'ia,

hrl"l.·('

rt'sumnz

his!lIrho,

1'K)

ao nevado Cotia, na cordilheira Real; o de Carmen, em Mojas; o Chitipoa, situado na cabeceira do rio Blanco; o Chungara, nn cordilheira Occidental, pertencente á Provincia de Carangas; e outros. RIOS. - Dïz E. Diez de Medina: «La hidrografia de Bolivia, es el centro de separación de todas las vertientes que corren a los gigantes del Atlántico: el Amazonas y el Plata». Pertencem á vertente do Amazonas os rios mais caudalosos da Bolivia, taes como o Guaporé, a Mamaré, a Beni e a Purús. O Guaporé serve de linha divisoria entre este paiz e o Brasil. O Mamoré tem sua origem no rio Grande ou Guapay, que descreve grande curva de sudoeste a nordeste, em seu extenso curso recebe os rios Piray, Chapacani, Chimoré, Securé, Tijamuchi, Apere, Yacuma, confluindo corn a Guaporé no parallelo 1t o 30' de latitude sul. O Beni, cuja origem se acha nas alturas de Chacaltaya, no rio Chuquiyapu, tem par principaes affluentes a rio de La ¡Jaz, que em seu curso recebe o Miguilla, a Cotacajes, o Altamachi, etc. O Madre de Dios tem suü origem no Inümbari, e desagúa no Beni, que se reune corn a Mamaré na liltitude 10 o 30'. Oeste ponto começa a Madeira, termi-. nando na margem meridional do Amazonas. A' vertente do Prata pertencem os rios ParaguilY e Pilcomayo. O Paraguay, que nasce no tstado de Matta Grosso, corre de norte a sul, separando a Bolivia do Brasil e da I~epublica do Paraguay. Recebe a rio Negro, formado pelo Otuquis, o Tacubaba e outras. Dos remansos do rio Paraguay, na Provincid de Chiquitos, se rórmarn as lagoas Uberaba, Gaiba, Mandioré e Cáceres, divididas par rnetade corn a Brasil. .. O Pilcomayo lem suas cabeceiras nas altas planiCies dos Andes Bolivianos, em Yocalla e Vizcachillas; recebe o Cachimayo, o Pilayù e outras; atravessa a

147 Chaco e entra na margem direita do rio Paraguay, em frente á cidade de Asunción. Das cordilheiras descem torrentes que, engrossados pelos riachos, desembocam nos lagos do Planalto. A mais notavel dessas torrentes é o rio Desaguadero, que communica a lago Tiiicaca corn o Pampa Aulagas, recebendo em seu curso navegavel de S4 leguas os rios Mauri, Pontezuelo, Sicasica, Caracalla e outros. Aa Titicaca affiuem os rios Escama, Colorado, Olleca, Següenka, Peñas, Laja, Viacha, etc. POPULAÇAO, - f' avaliada a populoçao da Bolivia em :S.OOO.OOO de habitantes, na mór parte concentrados na regiào l'indina e provenientes de 3 raças: a branca, a indígena e a mestiça, senda maior a numero da segunda. fxiste tambem a raça ethiope em alguns pontos del Republica, mas em numero restricto. L1NGUA - A nacional é a castelhana, falada pelas raças branca e mcstiça. A raça indigena adopta os idiomas aymara e quechua. Nas tribus andinas falam-se a quechua, tacana e cabina. Nas tribus orientaes e pampas empl egam-se a gllarany, a yuracarez e outras derivaçôes do guarany mais ou menas adulteradas. RELlGIÀO. - Predomina a catholicismo, reconhecido e sustentado pelo [stado, permittindo-se o exercicio publico de outras cultos. INSTl<ucçAO POPULAR. - E' livre a instrucçào neste paiz, podendo qualquer diffundil-a, sob as unicas condiçôes de capacidade profíssional e moralidade comprovadas. A creaçao e direcçao das escolas de ensino primario depende principalmente das Municipalidades e do fstado, que mantém Fscolas fiscaes. A instrucçáo secundaria é ministrada em 6 annos de curso.

148

Ha, em La Paz, o Instituto Superior para a formaçâo de professores de instrucçao secundaria, creado em 1917. O ensino superior comprehende as faculdades de Direito, Medicina, EngenhariB, Commercio e Theologia, Agricultura e Veterinaria. Hoie é prospera a instrucçâo popular na Bolivia. As classes superiores sâo muito cultas. O Dr. Carneiro Leâo, Director da Instrucçâo Publica do Rio de Janeiro, na instaIlaçâo da Escola Bolivia, a 6 de Agosto de 1925, disse, em bello discurso: .«Em parte alguma da terra a vida e a civilizaçâo se conquistam corn esforço maior e a maiores golpes de audacia, de intelligencia, de energia, de infatigabilidade e sacrificio. Estradas de ferro cavadas na pedro, suspensas dos abysmos, em altitudes superiorès aos cimos brancos dos Alpes; patria dos condores e das neves eternas; gigantes reservatorios, construidos pela mâo do homem a 4.700 metros; dragagens levadas' a effeito por instrumentos, cuio transporte se fez quebrando rachas vivas para abrir caminho, alargando kilometros e kilometros de rios; todo esse prodigio de inteIligencia realizadora define esse paiz e esse povo como um dos maiores detentores de energia e de coragem, Ha America». fÓRMA DE GOVERNO. - A Bolivia adopta a fórma de governo republicana unitaria, desde sua independencia. (1) O poder executivo é exercido pelo Presidente da Republica, auxiliado por 6 Ministros d'Estado. O Presidente é eleito conjunctamente com dois Vice-Presidentes, durando seu mandato 4 annos. O poder legislativo está a cargo do Congresso Nacional, composto de duas camaras, a dos Senadores
(1) A acta da Independencia da Bolivia fol &ssignada na cidade de Sucre. a 6 de Agosto de 1825. A unica data que se commemora na Republica é a de 6 de Agosto, auniversario da Independencia Nacional.

149

e a dos Deput1'idos,sendo aquelIes eleitos por 6 annos e estes por 4. O poder judicial tem por orgaos as Côrtes de Justiça, Tribunaes de Partidos, Juizes e outros funccionario:;. O mais ùlio tribunal de justiça é a Côrte Suprema, composta de 7 membres el~itos pela Camara dos Deputados, cm vis:a de listas triplices passadas pelo Senado. lId Côrtes SuperIores :lOS 7 districtos judiciaes. No Departamento de J)eni 5Ó existe um Juiz Superior. DIVISAO ADMINISTRATIVA ... -' Comprehende Boliviél /\ Departamentos e 3 Territorios Nacionaes: Territorio Nélcional do \loreeste . ., " Gran Chaco. Oriente.
il

"

Dl:'parlamcn"':>

Capiteles Ln Paz . Sucre Cochabamba. Potosí . Oruro . Tariiil .. Santa Crul Trinidad

kms.2 105.406 94.125 65.51J
116.662

La Paz . Chuquisaca . Cochabamha . Potosí , Oruro

Turiia
Santa Cruz Beni ... Territorios Nùcionaes

53.51/\ ôl.T/ô
375.'163

247.033
193.010

FLORA. - Nes tres reinos da natureza póde a Boliviù ostentar um mostruario singular, rico e vaflado, assim como urna capacidade productiva admiravel, sendo suas grnndes fontes de riqueza relativamente (lindo pouco exploradas. A flora varia de acôrdo corn il altitude e, conforme a lei que rege a distribU1çao das especies vegetaes sobre o globo, gradualmente empobrece á medida que se deixa uS planicies baixas e se galga ás empinadas encostù5 das montanhas. () espaço comprehendido entre os affluentes do Madeirn e do Pnraguay é semelhante a urn horto Opll-

150 lento, ande a botanico encontw numerosas especies vegetaes, vendo-se mesmo, lado a lado, representantes de duas floras distinctas, - a amazonica e a platina, em certas regiôes confundidas e depois pouco a pouco differenciadas. Aa norte da referida regiào predominam os vegetaes proprios da grande bacia amazonica. A' medida, porem, que se desce para a sul a flora vai perdendo a aspecto gigantesco, até se encontrarem os vegetaes relativamente mesquinhos da flora platina. Nesta parte crescem abundantes plantas medicinaes, destacando-se a quina, a coca, a salsaparrilha, a guayaca, a copahyba, o tolú, a chiriguana, a jalapa, a vl:Ileriana e muitas outras de alto valor therapeutico. Esta circumstancia faz corn que dalli partam indios para diversos pontas, vendendo plantas medicamentosas. Na parte occidental, antes de se chegar á regiào andina, encontram-se ás vezes extensas campinas, a Que os bolivianos chamam pajonaJes. A planta predominante nellas pertence á familia das gramineas, como em tadas as pradarias naturaes. Na regiào dos valles ferteis ou yungas recomeça a flora que arIa a cordilheira, quasi de modo continuo. A selva dos yungas é tilo densa corno a do litoral brasileiro, senda a solo de notavel fertilidade. Nas terras quentes crescem abundantemente as palmeiras e <1S arvores productoras de borracha, cuja exploraçào é urna das fontes mais importantes e seguras da riqueza nacional, assim como a quina. As regiôes que produzem mais borracha estào situadas no Territorio Nacional de Colonias, nos Departamentos de Beni e Santa Cruz e em alqumas regiôes de La Paz e Cochabamba. Ha muitas madeiras de construcçào. fAUNA. - Obedece ás condiçôes impostas pelo clima, senda, portanto, rica e variada na regiào dos llanos e selva amazonica, e tornando-se gradativamente mais rara na parte andina, até chegar-se aos pontas culminantes dos Andes, onde a vida animal é

1~1 inhibida cm conscquencia da intensidadc do fria e da rarefacçào do ar. O Ihama, a í1lpaCél e a vicunhél, que teem a seu principal centro de distribuiçlío nos pldnaltos pcrUilllOS, sào tambem encontrados na Bolivia. De todo:; estes o mais util é a Ihuma, pelos serviços que presta ao homemo E' a mclhor animal de carga nas rcgi6cs andina~: él là é empregadü em tecidos, a leite serve de alimento nùs cubanas ilborigcnes e as dejecç6es SdO ufili7ildas coma esrnHnc excellente.
~ ;::¡ljJ;::¡c;¡, r.Kliú;, J0lilc;,¡¡cLivcl

Ju

que

() ih(lllld,

e furtlece preciosa 15 flélra tecidos corn que se abri~lam do fria os que vivem nessas regi6es Wo elevadas. A ùntù, a pumù, o jùgum, él célPi¡,ara sao élhlln.· dantcs. Junto ós neves eternas existem roedores de pelles finissimas. A fauna ornithologicù é igualmente rica. Todas ùs pernilltas que percorrem os p:unpélS do sul, todas as variedades trepadoras e canoras que embeHecem as f10resfùs amùzonicas encontram-se na regUlo boliviaO'I limitrophe do Brasil. O candor libra-se sobre a cumiada das montélnhas. \1INERAES. - A nqueza mineral da Bolivia é verdadeiramente espantosa. O eshmho e a prata sào abundantes. A grundc porçào deste ultimo metrll aHí tornou celebre a cerro de Potosí al! Potocchi CI >, descoberto em 152.1, por Aleio Garcia e scus companheiros. A producçâo de estanho é consideruvel e constitue um dos principacs factores da riqueza bolivic'mil. As minas de prata mais Importantes silo as de I-Iuanchaca, e em seguida as de Oruro. O aura, menos abundante de que a prata, é encontrado sob a fórmel de pepitds nas areias do Maipiri Palavra indigena que significa

é toclavid reunidû cm rCb¡Hlhos pastoreaveis

(1)

('('1'1'0

qUI'

hrofa prafa.

152 e do TipuQri, bem como no cascalho de algumas torrentes dos derradeiros valles andinos. Os depositos.-de cobre nas vizinhanças da cidade de Corocoro, assim como os de estanho e bismutho sao dos mais ricos do mundo. Os outros mineraes mais communs no paiz sao o zmco, ferro, chumbo, mercurio, manganez, a platina, o "arsenico, a naphta, asphalto, alumen, salitre, sal gemma e a antimonio, cujas grandes jazidas occupam tres quartas partes do territorio nacional. Ha tambem borax, eIlxofre, alabastro, argillas, pedras preciosas. Os depositos carboniferos estao destinados a constituir urna grande fonte de riqueza. Existem fontes de aguas mineraes, todas afamadas por suas optimas qualidades medicinaes. As fontes thermaes mais conhecidas sao: as de Caiza e Chaqui, na Provincia de Limares; as de Urmiri, Pazña e Machacumarca, em Oruro; as de Talula e Moiotoro, em Sucre; as de Don Diego e Miraflores, em Potosí; as de Urmiri, Vizcachani e Calachaoi, em

La Paz.
INDUSTRIAS. - A escassez de linhas ferreas que facilitem o ingresso de braços e cijpitaes extrangeiros tem embmaçado o desdobmmento completo da industria nacional. A mineraçao é il unica que até hoie tem prospe.rado, constituindo él principal fonte de riqueza do paiz. O estanho, u prata, o cobre, a quinu e u borracha sao os princípdes productos du industria extractiva, havendo tambem cxploraçào de outros mineraes. Dedicando-se os boliviano:; sobretudo á extracçào do estunho, da prilta e da' borracha, a agricultura foi descurada durante algum tempo, contribuindo isto paru a decadencia do paiz. Nestes ultimos dnnos, porern, a lavoura tem sido intensificadu, havendo plantio de milho, orroz, café, canna de assucar, cacau, algodao, baunilha, Quina, coca, trigo, cevada, feiiao, tabi!lco e Cruetasdiversas. A creaç¡)o de gado é rcliltivamente pequenu. Importa bois, cavallos e muarcs da Argentinu.

I ).~ \las regloes frias e temperadas dùs raças bovinü, ovina e caprina. existem rebanhos

A industria fabril é incipiente. Seu retardamento é oriundo de causas diversas, entre ellas a seducçâo exercida pela vida aventureira da mineraçâo, a pequena porçào de materias primas provenientes da lavoura e a insufficiencia de vIas de communicaçào faeil e eeonomica em tào vasto terrlto"'o. As fabricas de fiaçào e tecelagem de La Paz sao ainda cm pequena esc,)ln. A mdioriu dos ùrtiQo~ rn¡lllufaclmnrl0." "Be impü¡)uùo::, Jus tstiidos Unidos e de
Pt'IZCS ellfopellS.

liR fabrictlçào de víllho. cerve)a, licores, cigarros, sobao, ehocolute, assucar, etc. /'
Een Sllmmù, i:I Bo\iviü produ7 lIm pouco de tudo e muito produzirá qllémdo seus rios forem grandemente singrados por Vdpores numerosos e ~ôr estendida sobre a poi/. extensd rede ferroviariù. O cornmercío boliviono é f1orescente, senda él exportaçdo majar do que u imnortaçdo. O estunho, él pmta e il borrachü sâo os princirlûes productos exportddos. VIAS Dt CO\1MU\IICAÇÂO. - )\'os ultimas tempos él Boli\ia km melhorado suas vias de communic¿¡ç50 corn a exterior ~uùs prifIcjpaes estradas commerciùes dtrdvessam os territorios do Chile e do Perú iJté a Pacífico, attingindo os portas de Moliendo, Arica e AntofÙQastcl. O commercio cam a Atlantlco verificéJ-se pela Argentinü e pelo Amazonas e seus tributarios, no territurio brüsileiro. Por viù a;nazonicfl realiza-se a saida desde a Abunj e Villa Bellü, partos e alfimdegéls da Bolivia, no fronteirù do BrosJl. A distancia, de Villa Bella até a Pará, é de 3.421 kiloJ11c:ros. Por via do 1 io ParaQuay, a Departamento de Santa Cruz e gfdl\de parte de Beni e ChuquisdCa se COmmUnlCi11Tl con a referido rio, por meio do porto

154

Suárez. Da cidade de Santa Cruz a este porto ha lima distancia de 630 kilometros. faz-se do porto Suárez a navegaçâo pela bahía Cáceres, pelo Paraguay e o Prata até Buenos Aires ou Montevidéo, em 7 dias. Umel linha ferrea directa porte de La Paz, passô por Oruro e Uyuni e termina no porto de Antofagasta. Os trajectos mais curtos ao Pacífico sâo os Que de Oruro se dirigem a Iquique e Pisagua e de La Paz ao porto de Arica. faz-se o trajecto ferroviario de La Paz a Arica em 20 horas, numa extensào de 439 kilometros, estando 233 em territorio boliviano e o restante em regiâo chilena, subindo a linha nos Andes 4.237 metros sobre o nivel do mar. commercio principal do Departamento de La Paz effectua-se tambem por linha ferrea de La Paz a GuaQui e por vapores que atrovessam o lago Titicaca até a cidade peruana de Duno, e dahi, por via ferrea até Moliendo, grande porto do Derú, passando pela cidade de Arequipa. Existem outras linhas ferreas, facilitando o corn•. mercio da Republica, Que tem actualmente 2.260 kilometros de estradas de ferro em trafego e 3.07ô em estudos. I<ealizou-se em Maio de 1924 a inauguraçào da Estrado de ferro de Tupiza a Villazon, na fronteira corn a Argentina. Tambem ainda prestam serviço as velhas estradas de tropas. Calcula-se em 9.000 kilometros a extensào dos rios boliviônos navegavcis cm lanchas a vapor. O Pilcomayo tem 600 milhas de curso e póde ser navegado cm sua parte inferior. O Bermejo, assim denominado em virtude da cor de suas aguas, é affluente do Paraguay e tem 1.ôoo kilometros de curso, sendo navegavel desde sua foz até a Esquina Grande, em urna extensâo de 1.200kilometros. O río Negro é navegavel em mais de 30 milhas, desde 5ua embocadura e o será em urna extensào de 240, Quando forem retirados de seu leito os enormes

a

15)
troncos de arvores que impedem a passagem de vehiculas fluctuantes. Mencionam-se no Alto Paraguay os lagos navegaveis de liberaba, Gaiba, Mandioré e 05 de ramaes da bahia Negm, tendo todos seus Cdnaes de communicaçâo cam a grande rio. Communica-se a Bolivia cam todos os paizes por meio de correspondencia telegraphica e postal.

Cidades

principaes

La Paz, cam 100.000 habitantes, capital da Repupublica, pittore~ca cidade situaàa a 3.636 metros sobre a nivel do mar. roi fundada em 20 de Outubro de 1545 pela espanhoi Capitao Alonso de Mendoza. DellIhe este a nome de Nuestm Señora de La Paz, que depois foi substiiuido pela de La Paz de Ayacucho, em homenagem á celebre victoria alcançada pelo General Sucre, 9 de Dezembro de 1524, contra os espanhoes. Nem sempre La Paz foi capital da Bolivia. As constantes guerras c¡vis que ensanguentaram a pail, no seculo passado, determinaram por vezes a transladélçao da séde do governo pam Sucre, Oruro ou Cochabamba. t:' banhada pela Beni, que ahi começél par um simples regato. E' mal edificada em consequencia da desigualdade do terreno. Todavia a panorama é realçado pelo majestoso lIlimani. Seu unico edificio notavel, pelü mchitectura e opulencia interna, é a Cathedral, derradeiro attestado das riquezas extraordinarias que outrora sairam de PotosÍ. Possue universidade e grande cultura na alta roda social. Actualmente é a emporio do commercio boliviano, senda alli que se effectua a permuta dos productos agricolas dos yungas cam os artigos manufacturados procedentes do extrangeiro. Aas domingos, indios de ambos os sexos, exhibcm no Mercado pro-

t 56
ductos de diversas especies. E' urna muito interessante e movimentada. completa feira

Sucre, corn 30.000 habitantes, situada a 2.844 metros acima do nivel do mar e cercada de altos picos. foi-Ihe dado este nome em honra ao heroico vencedor da batalha de Ayacucho. roi fundada por Don Pedro de Anzures, capitâo de francisco Pizarro,em Agosto de 1551). Seu primitivo nome foi Chuquisaca, que significa ponle de <.'ur<', no idioma indigena. E' séde de antiga lIniversidade e centro agricold e mineiro, distante 4 t 5 kilometras de La Paz.
COI habùmbù, corn 40.000 hnbitantcs, fllndadil cm 1572 por Don Jerónimo de Osario e Don r~uy Dius de Melgareio, nos V<llles preincüicos de K"!J-p,¡nkdfâ (flor dos mares), em um("1depressâo Idcustre, u 2S-¡7 metros acima do nivel do mar. E' uma das cidades mais industrioséls dd Bolivia, existindo idll fabricas de fiaçào, tecelagem, tdnc.arias, sélbod[ ias, etc. E' capital do Departamento mais prospero em lélvoura. l:xporta C("reaes, farinha, cóca, ]à e gado. As transacç6es commerciaes sâo feitas em feiras mui concorridas pelos habitantes das regi6es dél Montimha. funccionü nestéJ cidade él Univcrsidade de San Simón.

P,'/osi, corn :~o.()OO habrtéHltes, fundadu em 1''4.-) por Don GonZillo Pizarra, a 4.0/0 metros sobre o nivel do mar. SUus ricas minas de prata, IIoie esgotadw;, foram explorüdas pelas InCélS. Devido il sua opulencia argentifera, foi d cidude mais f10rescente da f~oli\'i(l. Chegou a possuir /.00.000 tldbitimfes, nu éPOCd colonial, dUfdnfe tl explorûçâo de sUüS celebres minlls de prafa. cm pmte ilfruin<lda, ainda apresentu edificios que attestam sua passada grandeza. S,wtd Cruz. corn ::5.000 h¿lbitantes, fundilda em 1358 por Don ]\Juno de (havez sobre ilS ruinas preinCHicas chilnwdas ¿.lpll-f>hr"If1i., (fe,¡falczas do SobefilIlO Eterno). [sM situad,) ilH;? e pyramides metros sobre

15! a nivel do mar, em localidade sadia cm consequencla dos ùlislos de leste que aUi sopram levemente. L' a cidade bolivlüna moiS proxima do estado de Mutto Grosso. Perto corre a rio Grande, navegavel par pequends embmcaçôcs. Desde 05 tempos colonides foi a ponto de partida dos \íüiùntes qlle se dirígídm Pélfû a sul c leste, índo alli tmnbem arronchar os anhgos exploradores dos sert6cs brusileiros. Seus habitantes sào mllito jnboríosos e se rerommendélm tûmbem pela Ilospí:eJlidûde qlle stll1pre dlspensûír (j Iodos que alli chcqUfl\. Oruro, cam 30.000 ~ltIbit(llltes, ~lJndéda em 1606 por DOrl MüJluel Cdslro, <1 5.! 1 ~'> :nCí"os s::>ore a '1ive\ do [lléJf, cam o nome de San h,J,pe de Ails/ria de Orum, cm honre) elO rei da A~lsiria. II u¡¡nch,)(~a, sitUddil ii .. L114 metros sobre a nivel do mm. (iclade florcscente, devido iis SIIi.lS ricas rlllnas de prata, em explorùçüo. l'.' fmorecidu par lImd linha ferrcd de OrllrJ él Anto[agas;iJ.

Tanïa, cam 10.000 hablkll1ks, fund¿¡dd ~m 1574 par Don Luis de Fuentes, il 1.905 metros sohre o nivel do mm, nos valles do cerro Maleo ViJrnpü Oll Millümbo, na bacia do rio Bermejo. Dcstacil-se cst<l cidùdc pelas Se115interessdntcs jardins, horhs, pOfTlüres c pmdos.
CorOCOTl" situadn Ó mmgcm do rio Dcsaguüdero, a 4.050 metros sobre a nivel do mar. lem progredido em conseQl1cncia das suas ric(is minas de cobre.

1rinid,j(I, cam 8.000 habitantes, fundudû em 1~j6? pelos ct'lebres explorddores do rio Marañon, capitàes Tristán de lexada e Juan de Sulinas, sobre as ruinas do palacio prehístorico do Gran Moxo, a duas leguas do rio Mamaré, a 2:S6 metros sobre a nivel do mar. E' centro do commercio de borracha. Ha outras cidadcs digm:ls de referencia, situadas cm pontas elevndos, tacs como: Colquechaca {4.221 m.l; V/Dcha. (3.919 mJ; flnCÍd (3.515 m.); GUêqlJi

158

(3.813 m.); Uyuni (3.72') m,): La Quiaca (3.439 m,); Tupiza (3.005 m,); Tanaro (2.000 m.); PUl/ala (2.750 mJ; Sorarala (2.656 m,); Yacuiba (639 m.); Rurrenabaque (227 m,); Vi/)a Bel/a (159 m.); PuerJo Suárez(llOm.); Puerto Pacheco (100 m.), etc. . A aldeia de Tíahuacano, perto do porto Huaqui, no Titicaca, demonstra, pelas suas ruinas colossaes, que allí existiu grande e rica cidade aymara, quiçá o centro da prehistorica civilizaçào boliviana.

Chile
SITUAÇÂO E L1MlTfS. - Acha-se o Chile situado a sudoeste da America do Sul, entre a cordilheira dos Andes e o Pacifico. Estende-se desde o pequeno rio Sama, limite septentrional da Provincia de Tacna, até o cabo de Hornos, extremidade austral do continente americano. Limita-se ao norte corn o Perú; a nordeste corn a Bolivia; a leste corn a Argentina, da quai é separado pela referida cordilheira; ao sul e a oeste corn o Pacifico. SUPfRFlCIE. - Tem o territorio chileno 753.216 kilometros Quadrados, inclusive os terrenos de Que ainda está de posse, em virtude de ter sido victorioso na Guerra do Pacifico (1ô79-1M3). ASPECTO PHYSlCO. - O paiz é montanhoso e apresenta a fórma de urna extensa faixa, euja largur<l varia de 170 il 360 kilometros. SÓ no extremo sul, na regiáo magalhanica, estende-se o terreno a leste dos Andes, occupando em ambos os lados do estreito de Magalháes, na Patagonia Oriental e na Terra do fogo, urna zona, cuja largura attinge a 460 kilometros. ~';'i~ '~'E' constituido de altas montanhas e profundos valles. Os Andes, corn altuHls majesfosas e neves eternas, fórmam no Chile o mais imponente panorama.

1~9

Suas serranias, seus ferteis valles, seus extensos bosques, seus lagos, rios e canaes; seus archipelagos, tudo isto, sob um céu diaphano, constitue um conjuncto admiraveJ, tornando este paiz um dos mais lindos do Nova Mundo. A costa meridional é recortada, cheia de ilhas, peninsulas, golfos e canaes naturaes, sobresaindo a estreito de Magalhàes. (1) A regiao septentrional ou zona salitreira é secca, escassa de rios e de chuvas. Ahi está a deserto de
Afi"!('ilm(1.

O territorio chileno está dividido em 5 zonas distindas : il do Norle, con~titlljd(l pelas terrenos da Provincin de Tacna; a Cenlral; a dos 'valles Transversaes, él do Grande Valle Longitudinal, que é a mais importante e poyoada, e a do Sul.

\10;-..JT ANHAS. - fstendem-se de sul a norte duas cadeias de montanhas: a dos Andes a leste, a da Costa a oeste. A cordilheira dJs Andes, a que Humboldt deu a nome de Espinha dorsal da Àmerica, é notavel par sua regular eontinuaçao e Imponencia de seus montes altissimos e precipicIos assombrosos, destacando-se os seguintes montes: Aconcagua, corn -/.019 metros de altura, na Provincia do mesmo nome e a mais alto da Terra, depois do Gurisankm m.MO m.} e do Dapsang
(1) Este estreito, que separa a Terra do Fogo do continente, permanece neutral: nem o Chile, nem Il. Argentina póde construir por'tos fortificados sobre as costas do estreito, Foi descoberto a 22 de ~ovembro de 152ll,pelo navegadol' pOl'tuguês Fernâo de Magalhâes, que, ao serviço da Espanl1a, emprehendeu a primeira viagem de circumnavegaçâo. Aa passaI' em frente d; urna grande ¡¡ha contemplou enormes fogueiras ateadas pelos indigenas. dando par este facto, á ilha o nome de Terra do Fogo. Magalhaes, atravessallùo o estreito que tomou seu nome, penetrou no Pacifico. onde, fazenda-se ao largo, descobriu as ilhas Mariannas e a archipelago das Philippinas, onde desembarcou e foi assassinado p~los indigenas. Seu piloto, Sebastiao Elcano, conseguiu re gressal' á Espanha na Victoria, unica caraveJa que restava das cinco confiadas á expediçao pOI' Carlos Vea quai realizou a celebre viagem á volta da Ter·ra.

160 (8.680 m.), estes na cadeia do Himalaya; Cerro del Mercedario (6.810 m.>, na Provincia de Coquimbo; lIullaico (6.750 m.); Tupungato (6.718 m.l; Parinacota (6.330 m.); luncal (6.028 m.), na Provincia de Santiago; Tacora (5.950 m.); Maipo (5.834 m.); San José (5.537 m); Cerro de San francisco (5.200 m.l, em frente á cidade de Santiago; Descabezado (4.18<) m.); Nevado de Chillan (:S.OOO m.). A cordilheira da Costa differe da antecedente, nao só pela inferior elevaçâ.o mas tambem por seu interrompiclo encadeiamento, apresentando aberturas por ande passam os rios que desccm dos Andes e vilo desaguar no Pacifico. Os pontas culminantes della sâo: a Cerro de Agua Amarga (3.200 m.); a de Colhguai (??.30 m.), na Provincia de Santi¿lgo; a de Alhué (2.230 m.), na Provincia de O'Higgins; e o Cutemll (2.000 m.>, nu Provincia de Aconcagllu. VULCOES. - lem a paiz numerosos vulcôes activas e apagados. Os mais notaveis sâo: a Aconcagun, lacora, L1ullaico, a San José, Maipo, Petorca, (apagados); Chillan, Antuco, VIII<l Rica, Corcovado, Puychué, Descabezado, linguiririca, Osorno 'e a C<1Ibuco. tstes dais ultimas, que durante cem annos se conservararn npagados, fizcrüm erupçâo em 24 de Junho de 1907, época cm que rebentou um nava vulcâ.o em Hllnué, destruindo as aldeias vizinhas. tm suas proximidades apparecemm geysers de 40 e 70 metros de altura. Differentes pontas do Chile estâo sujeitos a abalos sismicos. lm 1825, urn tremor de term destruiu a cidade de Concepción, que depois foi reedlficadd. A 16 de Agosto de 1906 deu-se i:1Ili um pavoroso terremoto. que damnihcoll cidades de diversas Provincias. A 4 de Dezembro de 1915 gmnde abalo subterraneo vidimou cerca de dez por cento das construcçôes existentes nos arredores de l:opiapó e na cidade de Vallemar, causando martes e ferimelltos. Em Setembro de 19?2 houve navas desastres motivados por terremotos. damnificando Copiapó, Valkmar, Chanaral e freirina.

I ()1 CLIMA. - [' geralmeníc saudüvel. Ndo ha molestiùs endemicas. O impaludismo que êifflíge em outras paizes americanos, é desconhecido no ChIlc. O clima allí é glacial nas regi6es culminantes dos Andes e no sul. E' temperado no centro e quente nH frontelfa do Perú, ande as chuvas só uppurecem nas montanhas. clima do litoral é agradavel e sadio, a ponto de ser reputado como um dos melhorcs do mundo. As chuvas sâ.o f[equentes no Vülle Central e na pürte meridional. A capital do palZ qosa de temr1f'ri'ltura merii¡4 de I :s," 'f. De Outllbro a \-laio nilo choye em Süntiago. Aa norte do paiz, na rcgiâo do sdlitre, nâo appmece a chuva, havendo secca rigorosa.

a

ILHAS. - Sâo numerosas as ilhas situadas na costa chilena. As principaes, a purtir do norte, sao: a Alacran, em frente da porto de Arica; Iquique, fronieira ao podo deste nome; Pascua. San Ambrosio e San félix, em frente il PïOvincia de AtilCi'lma; as Coquimbanas ou de Los Paiaros, dese) t<1Se situadas em frente .1 Coquimbo; as duas de jUun fOernandc/, àescobertas em1571, pelo piloto desIe Ilomc e distantes 670 kilometros de Valparaiso, a primeiro duS qlJélC5 chilmada Mas a Tierra, corn 14 leguas de circuito e distante 120 da costa, e a segunda, muito menor, denominada Mas a fuera, por estar 14 Icguüs disiank da outm ; a Ql1iriql1inéi, na entrada d'l. biJhiü de Tûlcahu<Jno; a Santa Mmia, corn excellentes portos, em frente á bahía de Arauco; a \1ocha, corn ),0 leguas de circuito e dois bons ancoradouros, sitllùdù na costd de Arauco, de que é separada por esircito canal; a (1[chipelago de Chiloé e o de los Chonas, senda mais notaveís üs ilhas Wellington, Carnp¡ma, MGdre de Dias, rlanover, Rainha Adelaide, etc. No extrema sul este'! a archipelago de lvlagalhâes, constituido pela grande ilha de In Tierrildel fuego (pertencente a parte occidental ao Chile e a oriental á Argentina) e pelas ilh(js Desolacion, Si1ntù Inés, Clùrcnce, Dawson, Hermitas, Hostes, Navarino e Diogo

162

Ramirez, que se acha na extremidade meridional do continente. PENINSULAS. - Ha 3 peninsulas dignas de mençao: a de Taitao e as de Muñoz Gamero e Brunswick, banhadas estas duas pelo estreito de Magalhàes. Nesta ultima começa a cordilheira dos Andes. CABOS. - Sào de pouca importancia os cabos, sendo principaes os seguintes: Angamos, que fórma a bahia de Mejillones; Lengua de Vaca, que fórma a bahia de Tongoy; Curaumilla ao sul de Valparaiso, servindo de ponto de mira aos navios que se dirigem a este porto; Lavapié, na bahia de Arauco; Galera ao sul de Valdivia; Huechecuquen, em Ancud; Pilares, na entrada do estreito de Magalhàes; e a de Hornos, ponta mais austral do continente, na ilha de Diogo Ramirez. LAGOS. - Possue alguns laqos de aguas salobras no litoral, taes como o Bucalemu, Cahuil, Vichuque e Bolleruca; e outras de agua doce na parte central, dentre os quaes se distingue a de Aculeo na Provincia de O' Higgins; a Ranco, corn 400 kms.2; o Llanquihue, corn BOO kms. 2, etc. RIOS. - Os rios silo de pequeno curso, por ser o territorio muito estreito. Stio todos alimentados pelas chuvas no ¡nverno, e no verào pelo degelo na cumiada dos Andes. Desagúam todos no Pacifico. A regiào septentrional possue limitado numero de torrentes, mas a do centro e do sul apresentam muitos rios, sendo alguns navegaveis, taes como o Copiapó, Huasco, Elqui, Limari, Choapa, Petorca, Ligua, Aconcagua, Bio-Bio, o maior de todos (253 kms), que rega, corn seus affluentes, a Provincia de seu nome e a de Concepción; o Tolten, Cautin ou Imperial, Maule, Bueno, Valdivia, corn 122 kilometros de curso; !tata, Mataquito, Rapel, Maipo, que nasce perto do vulcào do mesmo nome e recebe a Mapocho.

ESTREITOS e CANAES. - E' importante a estreito de Magalhaes, que cornmunica a Atlantico corn a Pacifico, E' digno de mençao o canal de Beagle, entre a parte meridional de la Tierra del fuego e él septentrional das ilhas Hostes e Navanno, tendo 120 milhas de extensao e 1 7íI de largura, orlado de montçmhasde 900 a 1.200 metros de altura. GOLfOS E BAHIAS. - Nao existem golfos na costa pouco recortada da parte septentrional. Desrendo-sc porem Dard Il <;11i en('ontram·sc divCl:'05, ides cumo o de l?eloncavl, em cujo extremo noroeste se dcha a c¡dade de Puerto Montt; o Ancud, limitado ao sul pela ilha Chaques; a Corcovado a sueste da ¡Iha de Chiloé; a de Penas e a San Esteban ao sul da peninsula de Taitdo. Aa longo da costa ha :6 portas grandes e 45 pequenos. Os grandes sao: Arica, na Provinciô de Tacna, ligado á capital da Bolivia por estrada de ferro; Pisagua e Iquíqui na Provincia de Tarapacá; TocopilIa e Antofagasta que se communiea corn Oruro, cidade boliviana; Taltal, Caldera e Carrizal Baia na Provincia de Atacama; Coquimbo, ophmo porto, e Valparaiso, que é a principal do Chile, nas Provincias dos mesmos nomes; Constitucion na Provincia de Maule; Talcahuano, Lota e Coronel, estes na bahia da Arauco (1), na Provincia de Concepción; Puerto Montt e Ancud nas Provincias de Valdivia, lIanquihue e Chiloé; Punta Arenas no estreito de Magalhaes. Os menores portas estao situados,4 em Tarapacá e Antofagasta, 6 em Atacama, 3 cm Coquimbo, 9 dependentes da Alfandega de Valparaiso e o restante nas Provincias meridionaes. POPULAçÀO. A populaçao do Chíle é ava-

(1) As bahias de Arauco

tivamente

e Concepción silo fechadas respecpelas ilhas Quiriquina e Santa Maria,

164 liada em 4.000.000 de habitantes, na mór parte de OfIgem espanhola. (1J Destaca-se este paiz pela homogeneidade de sua populaçào. Seus primitivos habitantes formavam duas raças principaes: a Araucana, composta de tribus altivas, Querreiras e k¡boriosas e .se dividia em outras afins e pouco numerosas, como os Changos, de origem peruana, que residiam na costa do norte; os Promaucaes, na parte central até o rio Maule; os Araucanos propriamente ditos, Que formavarn (j raça typica chilena, 00 sul do Maule até Valdivia; os Pehuenches nos valles dos Andes e 05 Hllilliches ao sul de Valdivia. A outra ruça, a dos flleguinos, occupa as ilhas do sul aié o mchipelago de Magalhàes. Conquistado o Chile, a populaçâo se formou da mistura de sangue espdnhol e araucano que, corn o conlingenfe da immigraçào de diversos estüdos europeus, originou iJ populaçào adual. Assim, em sua massa predomina a origem européa corn tenues matizes da mçiJ indigena, d·]Jldo afinal urna populaçào quasi uniforme, de constliuíçào forte e physíonomía agradavel. As mlllheres sào formosas, em grande parte. fncontram-se, no sexo leminino, espiritos verdadeirarnenlc cultos: jornalistas, poetisas, pintoras, musícistas, etc. Ha, infelizmente, no Chile divisâo de classes sociaes. A elite vive afastada dos rufos, considerados plebeus. Paiz, cuja historia, cujns trarliçôes s50 um conjunto de feitos edificuntes e gloriosos. O chileno é forte de corpo e de alma. E' guapo marinheiro e excellente soldado. O povo (~ um dos mais patriotas do

(1) A raça caucasia predomina quasi cm absoluto. A raça aborigene existe cm estado mais ou menos puro na re~iào Araucana, cm numero de cerca de J((U()() individuos que se dedicam ás lides ruraes. Na regiiío Magalhánica "ivem centenares de indigenus pescadores. Durante o periodo colonial foram importados ah·icanos. em pequena escala. e a escravidáo aIli existiu até 1B11. lIoje a I'aça ethiope está extincta no paiz.

IU5
mundo. O 18 de Setcmbro, illmiversario dü independencia nacional, é commernofildo corn fervoroso enthusiasmo. E' pouco volumosa il corrente immigrantista que tem affluido ao Chile, tfllvez dev!do á sua situaçao geographica. A regiào central é il mais povoflda. [sta naçào é muito élmiga do Brasil. Disse f. Canella, em suas lmpress,">es do Chile: «O brasileiro no Chile é scmpre recebido ,Of() carínho e corn vcrdadClro enthusiasmo. As sympalhias Delo Brasil nüo se hmítam a fcstas, i1 r~~epço(':, '1 bûnqueks, él discursos. ?~o 50:;: è:J ~\ i"idi0 .~iiLIUll(ti t: dO aCl!riO dos uppl"llsos regaLas û champaQIlt:. \,110! As sympathias pelo Brasil se tradu7.cm e cxprimem tumbem por meio da nomenclatllfa porque em Santiago, principalmente, em Valparaiso e alhures hu dm cem numero de ruas, de prùças, de negocios COrI' a nome do I~rusil. Isto se vê d Cada momento e cm todu piJrte. «tm Santiago ha él Prùçu Brasil, G Avenida Brasil, a Calle Almirante Barroso, il Calle rio de Janeiro, a Pharmôcía Brasil, a Cinema Brasil, a LiVI aria Brasil, a Theatro Brasil, o Café Rio de Janeiro C nté a Esta-

bulo Bmsil.
Em Valparaiso tem tùmbem a Avenida Brasil, ü CùlIe Almírtmte BaífOSO, a Café !<io de Janeiro, ete.» LlNGUA [ Predomina de cultos. RL'.UGlAO. a catholicismo fùlu-se a espanhol. que

é a idioma officiaI.
romano. Ha liberdade

INSTRUCÇÂO PUBLICA. - E' prospera il instrucçào popuiar. O ensino primario preoccupa os dirigentes do paiz e é obrigatorio e gratuito, dado em escoliJs espalhadas por todas as localidades. O secundario é ministrado em Lyceus Nacionaes. A instrucçào superior é dada no. Importante Unlversidad e de SiJntiago; na Academia Superior de Guerra, na Escolù Naval, etc. Recommendam-se as escalas de minùs de (opiapó e La Serena, ùs escalas indusiriélcs de sùlitre de Iquique e Antofagasta.

166

Além dos referidos estabelecimentos ha institutos commerciaes, de bellas artes, escolas normaes, de agricultura, de minas, pintura, musica, surdos-mudos,cegos, artes e officios e excellentes bibliothecêls. As altas classes do povo chileno teem grande cultura scientifica e literaria. As sciencias, as letras e ôs artes sâo cultivadas allí esmemdamente. A medicina e a jurisprudencia teem feito vôos admiraveis. Os chilenos sâo um povo de romanos antigos, daquella Roma guerreira e juridica, que creou a Direito e as leis que ainda haie prevalecem em todo a mundo. Através de suas cardilheiras gigantescas labuta él raça chilena, intelligente, viril e {j\)daciosa, digna por certo de grandes destinos. Cedo, o Chile constitue um dos estados leaders da America Latina, gmças tí intelligencia, á energia, <la Péltriotismo desse povo oriundo da nobre raça espanhola e de urna das mais altivas e valorosas naç6es autochthones. FÓRMA DE GOVEI~NO. - Adopta a regimen republicano unitario. A soberania nacional reside no povo que delega seu exercicio em tres poderes que funccionam de acôrdo corn a Constituiçâo Politica. O poder legislativo é representado pelo Congresso Nacional, composto de duas camaras: a dos Senadores, c1eitos por 6 annos, e a dos Deputados, eleitos par :S. Suas sess6es ordinarias começam a 1 de )unho e terminam (j 1 de Setembro de cada anno, podendo ser prorogadas e convocadas extraordinariamente pelo chefe do estado. O poder executivo é exercido pelo Presidente du Republica, eleito por 5 annos. , O poder judiciario é exercido pda Côrte Suprema, por tribunaes de justiça e Côrte de AppelIaçiio. E' tradicional él amizade que vincula os chilenos aos brasileiros. Desde él viagem do nosso vaso de guerra Almira_7/e BaT/oso, em lô&"l, os ilossos irm50s do Pacifico se esforçam por demonstrar affecfuosidade ao Brasil, separado do Chile apem.lS geographicamente, porern él elle unido por laços de cordial fratcrnidade.

~o concerto das naçôes sul americanas, a Chile desempenhô a papel importante que lhe consagram a patriotismo de seu pavo culto e a sabedoria de sua Constituiçao. Descenderttes dos bpunhoes e dos Arallcanos,-raças éldmiíùveis por suas virbdes guerreiras, os chilenos conservam de seus heroicos antepassadûs a traça vigoroso da energia indomita e do amor extremo pelo solo patrio. A epopéa dcsta naçào indigena que resistiu intrepidnmcnte a invasor iherico, constitue um d::s ~e~tc-,:, Tlr'li,; nnl'lveis du historia d"l r.onquista esT ¡Jan hola. rei com a trnnstusao 00 ~dIlYUC til LlUCuna que os chilenos emprehenderam ousadamente il jornada de :,lla eméwcipaçao politica. A constituiçâo da Junta de <Joverno, a 1<'3 de Setembro de 1810, foi a primeira (lefa importante do movimento emancipador do Chile. Em 1573, a Perú e a Bolivia firmaram um tratado secreto de alli@nça offensiva e defensiva contra a Chile. Assim, a 5 de Abril de 1<'379 ateou-se a Guerra do Pacifico, que terminou cm 1M3 corn a victoria deste ultimo oaiz. Em 1B91, o Presidente José Manuel Balmaceda, envolvido em grave conflicto constitucional, mandou fechar a Congresso, declmando-se dictador! O Congresso organizou um exercito ao norte do paiz e derrotou as tropas presidenciacs na,; batalhas de Cancón e La Placilla, a 27 ~ 21'3 de Agosto daquelle onno. Vencido Balmaceda, paz termo á sua vida corn um tira de revolver. OIVISÂO ADMINISTI~ATIVA, - E' a paiz dividido em 23 Provincias e 1 Territorio, a de Magalhàes. Dividem-se as Provincias em Departamentos, estes em Subdelegacias e estas em Districtos. A gestao de cada Provincia está a cargo de 11m Intendente, nomeado por 3 annos pelo Presidente dél l<epublica. O Departamento é administrùdo por um Governadar subordinado 00 Intendente dél Provincia.

16ô O Territorio de Magalhaes está sob il éllltoridade de um Governador, que depende directamente do chefe do poder executivo nacional. As Provincias, corn suas capítaes sao as seguintes. a pm\ir do norte: Plov'incJas Tdcna TémlDacá Antofagasta Atucama Coquimbo Aconcagua Valparaiso Santiago O' liiggins Colchagua Cu/'icó CálJilaes Tdcna Iquique ..~~ Antofagasta Copiapó La Serena San rehpe Valparaiso Santiago l~aneüglld San f:ernando Curieó e superficie,

•.......

22500 '.

50.000
187.000 73 500

33.42:S
16.126

4.297 13.527 6.537
9.829

laIca
Maule Linares
X-J ..
l 1 ¡,",uul\....

Talca
(:auquenes Linares

'1.545 9.52"
'/391

Chillün
Conc{'pcion

9.036 9.210
9.155 11.000

Concepcion Afiluco Bio-I~io Malleco CUlltín Valdivia L1imquílllJe

LeblJ
Los Anieles Angol T cm ueo Valdivio Puerto Montt Ancud Punto Arenas

10.769 7.400 ô.l0n 21.536
?O.?60 10.348

Chilo{~
Territ. de Magalhiles

195.000

TOTAL
MINfl?AI'.S. - Posslle o Chile grande riqueza no subsolo, tímndo él mó/' parte de sua renda da exploraçilo dos mineraes que contém. O ouro e fi prdta jci eram explorados antes da conquistü espünholi1, recebendo os Incas annualmenfe um certo tributo destes dais mineraes.

169

O cobre é abundante, especialmente nas Provincias de Coquimbo, Atacama e Aconcagua e nas cerranias de Santiago. Mauve tempo em que a Chile estava á frente de todos os paizes do mundo na producçao destc metal. Haje, porem, é excedido pelos Estados Unidos, que produzem dez vezes mais, seguindo-se o Japao. Os outras mineraes existentes em grande quantidade sào o salitre (nitrato de sodio), e a carvao, a primeiro muito explorado no norte, nas Provincias de Taraoacó e Antofagasta, e a segundo em loto e Coronel e nos archlpelagos de ChIloé e ~vidYdlhaes. O Chile é a unico paiz da Amenca do Sul que extrae carvao em grande quantidade. A extracçao do salitre é enorme, senda hoje a mineral mais explorado. f' empregado como prodigioso agente fertiliza dar. Corn os progressas da lavoura intensiva, estando os nitratos cada vez mois procurados, os preços teem subido e a industria salitreira prospéra, nomeadamenie nestes ultirllos tempos. A Provincia do Tarapacá exporta salitre para a extrangciro pelos portas de Iquique e Pisügua, especialmente. lia ainda muita prata em Atacama, Antofagasta e Coquimbo. O ouro é encontrudo nos montes e nas areias de varias rios, na Terra do fogo, nas vizinhanças de Santiago e em Coquimbo, onde tambem existe a manganez. ;'\la interior das Provincias de TmaDacá e Antofagasta ha grandes depositas de sal e borax, ramo importante de riqueza daquellas regiê5es. O iodo, ferro, chumbo, zinco, manganez e sal sao abundantes. A mina de sal da Provincia de Tarapacá contém mais de 14.UOO.000.000 de toneladas, senda, portanto, urna das mais ricas do mundo. Existem numerosas fontes de aguas thermaes. As mais recommendadas da parte central silo: as de Colina e ADoquindo na Provincia de Santiago; Cauquenes, a noroe~¡fede Rengo; Panimávida na Provincia de Linares, e Baños de Chillan na Provincia de Ñuble.

170 Esta ultima está na cordilheira, a grande altura, e no ¡nverno a neve cobre seus edificios. Na Provincia de Talca estao as fontes thermaes do Campanario, cujas aguas teem a temperatura de 40 graus. Na Provincia de Aconcügua sao mui procuradas as fontes thermaes de Jùhuel, distantes 20 kilometros da cidade de San Felipe. Em summa, a industria mineira concorre para a maior riqueza oublica do Chile. FLOI~A. - f' variada. As ricas florestas existentes desde o rio Maule para o sul, sobretudo nas Provincias de Valdivia, L1anquihue e Chiloé, contém preciosas madeiréls. A zona septentrional é mida, secca e pobre de vegetaçao. A do centro e a do sul sao fertilissimas e cobertas de mattas virentes, graças á variedade do clima e á abundancia de chuvas. Ha muitas plantas medicinaes no paiz. FAUNA. - Os quadrupedes indigenas mais importantes silo él vicunha, o guanaco, a chmchilla {Chinchilla lé.JfligeraJ, cuja pelle é preciosa, e o huemul (Cervus chi/cnsis). Estes vivem na regiào secca do norte. Entre os carniceiros sobresaem o pequeno leào americano {Felix conc%r}, a zorra ou raposa, e o gato silvestre. A vicunha, o gllanaco e o Ihama sao cmpregados, nas plagas cordilheiranas do norte, como anímaes de carga e productores de là. Todos os Quadrupedes domesticos procedentes da E,uropa teem proliferado notavelmente neste paiz, assim como as aves. Ha escassez de ophidios, tào abundantes em outras regi6es americanas. A classe ornithologica é rica e variada. A ave mais notavel é o condor {Sarcoramplus}, especie de aguia de grande porte, habitante nas cordilheiras e cognorninado rei cins Andes. Das palmipedes é digno de mençao o cysne de cabeça negra.

1"/1 Encontra-se a avestruz só da regiao magalhanico. ;\las aguas chilenas vivem peixes, crustaceos e moluscos. Sao desconhecidos i1lguns homem, inclusive a mosquito transmissor do impaludísmo, nas planicies numerosas orientaes de

classes

insectos que affligem a do genero anopheles,

I\;DUSTRIA AGRICOLA. - A lavoura e sobretudo a mineraçào constituem élS priílcípaes fontes de riqueza do Chile. que é 11m fmi¡ ¿1~flcu!tor e mineira por exce:!lC(¡':';LL ..:... Zulla a~Iicuid nila e ITll:lto vasta: só 330.000 kilometros qUüdmdos dPproximadamente sao aproveitados pela lavoura, devido á secca do norte do paiz, a fria e as chuvas abllndantes do sul, a dbrupto das serranias e a neve andina. Todavia, a producçào agrmia dá para a consumo regional c ainda para él exportaçao. A regiao Central, a mais povoada, desde Aconcagua até Valdivia, é tambem a mais cultivada e abastosa de variados productos da lavoura, analogos aos do centro e do sul da Europa, consagrando-se ahi a POPUlélÇâo ás lides georgicas. entre 05 productos da lavoura [iguram principalmente a trigo e a cevdda que sao dos principaes ramos de expartaçao, especialmente para a IJerú, Bolivia e t:quddor. Seguem-se a milho, aVCla, centeio, arroz, batatas cultivddas em todo a paiz; nozes, ervilha, lentilha, [ava, canhmTIo, ¡¡nho, linhaça, tabaCO, beterraba, canna de assucm cultivada na Provincia de Tacna e na ilha de Pascua, na Provincid de Atacama. Ha tambem plantaçao de forragens, especialmenie alfafa nas Provincias de Coquimbo, Aconcüguél, Santiago, O' Higgins e Colchagua. Cultiva-se a algodao na Provincia de Tacna. [m virtude da perfeita acclimaçao das videiras européas a viticultura é prospera, senda esta e a vinicultura uma das principaes industrias do Chile. t'la producçao de vinhos excellentes, sobretudo na Provincia de Aconcagua, ande está a major estabelecimento v¡ticoJa da America do Sul, denominado Esc0rial

172 de Panquehua. Em 1924 a producçào de vinho attingiu naRepublica a 2.217.279 heetolitros. A horticultura é tambem florescente. Toda essa grande producçào agricola, a que se deve juntar diversas fruetas frescas abundantes, per~ mitte ao Chile prover él sua proJ.>riaalimentaçào e exportar muitos productos da lavoura. No litoral do seprentriào ha grandes depositas de guano, que convem a todas as terras e a todas as plantas porque entre seus componentes figuram os phosphatas, os sulfatas de potassa, soda, cal e magnesia e uns 15 % de azoto, precisamente todas as materias primas que alimentam os vegetaes. PECUARIA. - faz-se grande creaçào de gado de differentes especies, estando, todavia a pecuaria chilena muito longe de ser comparada á dos paizes platinos, pois a Chile importa gado vacum da Argentina pelos passos de Los Andes. Os animaes abundantes sào os das raças ovelhum e bovina: em 1921 havia no Chile 4.569.~66 da primeira e 1.995.5JÔ da segunda. Grandes estancias existem na Terra do fogo e na Patagonia, ande se faz enorme creaçào de gado ovino. O gado vaccum está muito aperfeiçoado em consequencia do cruzamento de optimas raças européas. Seus productos sào : couros, carne e sebo que fórmam ramo consideravel de commercio, assim como a manteiga e os excellentes queijos de Chanca, pequeno centro de populaçào da Provincia de Maule. O gado cavallar rivalisa em belleza e agilidade corn a da Andaluzia, do quaI descende. O gado caprino e porcino é creado em menor escala. Na Provincia de Valdivia é ande se faz major creaçào desta especie animal. INDUSTRIA EXTRACTlVA. - A actividade do commercio externo do Chile é devida á grande producçào mineral. Os mineraes mais explorados sào a salitre e a cobre. () Chile é a maior fornecedor de salitre do mundo. A exportaçào deste produeto constitue sua

IT~
principal fonte de riQuem. Durante a Grande Guerra 0914-1915), a enorme procura de nitratos nas fabricas de explosivos contribuiu para a progressa da mineraçao chilena. A zona salitreiro, isto é, as Provincias de Tdrapacá e Antofagasta sfio aridas, um verdadeíro deserto. Suas minas estilo proximas dos portas de embarque e toda essa regiao é favorecida por optimas vias de communicaçao a vapor. O salitre, empregado na fabflcaçao de adubos, polvora, ete., é um producto muito procurado para satisfazcr ús necc:'>:-.idndes agricolas e fabris mundiCtc:s. O cobre é o segundo producto de exportaç50 do Chile. As Provincias de Atacama, Coquimbo e Antofagasta sao as mais ricas deste metal. Explora-se o carvao de pedro em Lotn e Coronel, onde é abundante e optimo este mineml, identico da das minas de \1agalhacs e Chiloé. Segue-se em menor escala a explorüçdo do ouro, da prata, do ferro. etc. A metôllurgia disp6e de importantes estabelecimentas de fundiçao, dotados de machinismos modernos. f' tamhem prospera nas Provincias do sul a extrücçâo de madeiras, exportadas em quantidilde>. A pesca é importante neste paiz de extensn costél oceamî.a. INDUSTRIA f ABRIL. - lnteres!>u-se o governo do Chile pelo desellvolvimento da industria manufactureíra, que, apesar disto, ainda deixa muito él desejar. O paiz disp6e de numerosas e abundantes materias primas: o carvao, cobre, ferro, la, couros, etc. Além disto conta corn a poderosa huI ha branca, calculada em :).000.000 de cavdllos vapor. Em differentes pontas existem fabricas de assucar de beterraba, de tecidos de algodao, la, linho e canhamo, de moveis, productos chimic05, louça. vidro, garrafas, carruagens, papel, calçado, roupas, chapéos, artefactos de aluminio e de argilla, vellas, sabuo, polvara, behidas alcoolicàs e fermentadas, massûs éllimen-

174 tidas, conservas de carne e de fruetas, produetos metallurgicos, fundiçôes, refinarias, cortumes, serrarias, etc. Como succedeu em todas as naçôes americanas, a industria fabril floresceu no Chile, durante a Grande Guerra. COMMERClO. - Embora sacudido, ás vezes, por violentos terremotos, que arruinam aldeias e cldades, o Chile progride sempre, graças ao valor de seu povo e ás suas grandes riquezas naturaes. O salitre constitue o producto por excellencia do commercio chileno, muite, animado em Iquique e outros portos salitreiras. Segue-s(' a exportaçâo do cobre, ferro. hulha, prata, borax e outras mineraes. O paiz exporta tambem trigo e' outr05 cereaes, couros, sebo, carne, lâ, queijo, manteiga, feilào, nozes, optimo vinho, madeiras, canhamo, adubos chimicos, guano do litoral das Provincias de Tarapacá e Antofagasta. Importa café e matte do Brasil, produetos da industria textil, gado vaccum da Argentina. tabaco, cacáu, chá, algodâo, frudas do Perú e productos diversos da industria fabril norte americana e européa. Segundo informes do Consul do Bmsil em Valparaiso, o Chile importa anmmlmente do Perú cerca de 90.000 toneladas de assucar bruto, que é beneficiado nas refinarias chilenas. VIAS DE COMMUNlCAÇAO. - O transporte é feito pelos portos maritimos. por pequena navegdçâo fluvial, por estradas de rodagem e por estradas de ferro. Apesar dos grandes obices topographicos impost05 pela natureza, o Chile dispôe de extensa rede ferroviaria. O caminho de ferro que communica o porto de Arica corn a capital da Bolivia atravessa os Andes em urna altura de 4.257 metros. O de Antofagasta a

1"15 Oruro, c¡dade boliviana, attinge, no passa de Ollangue, a 3.900 metros de elevaçao. (1l. O ferrocarril Transandino communic~ Santiago cam Buenos Aires e foi inaugurado il 10 de Abril de 1910. Facilita a commercio do Chile cam a [uropa, servindo-se do grande porto da metropole argenfind. Comrnunica-se tambem a Chile cam a ArgeIlfina . par alguns pfJ:3S0S da cordilheira, taes coma a de Uspallafa, que é a principal e por ande passa a linha ferrea transandina; e os de las Damas, Antuco e I~aríloche. passa de Uspallafa foi a preferido par San ~,1;]rt¡n pufG conduzif, ûbl'·:é::: da cordilhcirù, o cxcrcito libertador. Tcrn uma alfura media dc 3.000 mefros, e enfre silas curiosidades se desfaca a ponte n¿]fural do Inca, sob a qUoi corre a rio \1endo7.a.

a

Cidades

principaes -.---

Séinljago, cam 600.000 habitëlnfes, capital da Rcpublica e da Provinciù de seu nome. F' situada em delicioso valle, o 550 metros sobre a nivel do mar, em terreno vu\canico, em ambas ùs margen s do \1ùpocho, pequeno affluente do rio Maipo. Apresenta lindos panoramas, que se diviséHn, especialmente, do Cerro de Santa LUCie], do Ccrro de
(¡) Em 1923 escreveu o seguinte o Dr. Holpho Villanova Machado, que foi ao Chile, na qualidade de lllembr'o da d('legaçao brasileira á 5.a Conferencip. Pan Americana: -O ponto mais elevado do Transandino tem 8.205 metros de altitude, Quem faz a travessia da cordilheira está sujeito a um certo mal estar, pequena molestia. que é a ¡¡¡f1/U, parcce. occa¡;ionada pela rarefacçao do al' em grandes alturas. A tal respeito 01> medicos nao estao de accordo. Assemelha-se muito, pelos I>ymptomas, ao enjoo do mar: vomitos, prostraçilo corn tendencia a verligem, circulaçáo acceler'ada, ¡'cspil'açào dilficullosa, etc. i\aùa CHtendo de medicina, mas, dentr·o de vagües fechados, em urna atmosphera viciada por tudo quanto é cigarro. charuto e cachimbo fóra mesmo das condiçoes de maior altura. durante ¡il horas consecutivas. é ¡'aro que o pasl>ageiro se nao abol'l'eça, enjoe e acabe por ricar a/>llluu/O."

176

San Christobal, do C1ube Hippico, que é o prado de Santiago e a agremiaçào mais elegante do Chile. E' cidade central, distante BO kIlometros de Valparaiso, corn a quaI se communica por linha ferrea, senda o percurso feito cm duas horas e meia. Communica-se tambem par vias ferreas corn il regiào septentrional, e corn a meridional até Puerto Montt, ponta terminal da Estrada de ferro Longitudinal. Communicu-se corn a cidade argentina de Mendoza pela Terrocarril Transandino, fazenda-se a viagem em 36 horas, de Santiago a Buenos Aires, por urna combinaçào ferroviaria em trafego mutuo, num percursa de 1.437 kilometros. Santiago é cidade importante. A formosura de seus edificios; seus estabelecimentos scientificos, literarios e de beneficencia; seu grande commercio e seus lindos parques tornam-na urna das mais attrahentes metropoles da America Austral. Possue lindos edificios publicas e privados, numerosos monumentos historicos e artisticos, diversas estatuas, entre as quaes sobresaem as de O' Higgins, San Martin, Carrera e Freire, heróes da independencia chilena; a de Pedro Valdivia, fundador desta cidade a 12 de fevereiro de 1541. Das vias publicas destaca-se a Alameda de Las Delicias, corn 100 metros de largura e mais de 2.000 de extensào. Valparaíso {Valle do Paraiso}, corn 300.000,habitantes principal porto do Pacifico na America do Sul e segunda cidade do Chile, damnificada por um terremoto em 1906. Tem dOÓISande padern atracar grandes navios; bellos edificios, ruas largas, nào só na parte baixa mas tam.•. bem na parte alta dél c¡dade, para ande se sobe por meio de elevadores. Centro de importaçào e exportaçào, ande se abastecem nao só as Provincias chilenas mas tambem a Perú e a Bolivia. ëxporta trigo, cobre, mercurio, là, gmxa, fructas, etc., e importa productos que faltam no paiz, mclusive a matte do Brasil.

Arica, porto natllfal que a Bolivia perdeu. f' C'i-

ln
dade nava e plena de yida commercial. Comrnunica-se corn a pequena cidade de Tacna par linha ferrea de 60 kilometros e atravessa um deserto onde nao se avista nenhuma cabana e nem um arbusto. Cornmumcase tambem corn a capital holiviana par estrélda rie ferro.
AnfoJagas/a, cidade muito maior do que Arica. E' porto commerciante ligado á cídade boliviana de Oruro por estrada de ferro. Iquique,

porto ao sul dé1 hRhíñ

de scu

r¡Ofill:.

PiSé.Jquo, porto pelo quaI se faz activo commercio de importaçào para os estabelecimentos salitreiros e pelo <jlldl se exporto qrande quantidade do salitre da . ProvlIlcld de TilrílpdcíÍ.
Toc()!;i/la, porto que deve sua importancia commcrcllll LlOSestabcleclmentos de fundiçao de cobre.

TalaI, porto corn optima fundeadouro par onde se exporta m todos 05 productos do deserto de Atacamü e qlle consistem cm salitre, cobre e pratü. Copiapó, linda cidade, corn bons edificios e ligada á cidade argentine de La Rioja pela passo de Vinchina.
VaIlemaT, á margem do rio Huasco, corn ricas minas de cobre, prata e aura. fm 191ôe 192;> esta c¡dade foi victima de terremotos.

La Serena, formoso centro de populaçào ligado ao porto de Coquimbo par I¡nha ferrea de 14 kilomefros de extensào.

Coquimbo, excellente porto corn 15.000habitantes.
Cabildo, centro de varios estabelecimentos de fundiçào.

178

SanJa Rosa, capital do Departamento de los Andes, favorecida pelo ferrocarril Transandino.
Viña del Mar, ligada a Valparaiso por estradù de ferro, com bellos jordins e quíntaes de recreio. Estaçâo de verâo e centro de prazer, habitado principalmente por familias abastadas.
San Fernando,

situada em valle fedil.

CauGuenes, sobre urna planicie enire os rios Cauquenes e Tutuben.
Concepción, situada á margem direita do Bio-Bio e da bahia de seu nome; centro de commercío e de lavoura, denominada Metropole do Sul, fundada por Pedro Valdivia, a 23 de Fevereiro de 1550.

Penco, porto muito concorrido durante a estaçâo de banhos e ligado a Concepción por Iinha ferrea. Coronel,
de Lautaro.
Lola, corn importantes minas carboniferas, fundiçôes de cobre, fabricaçiio de ladrilhos, garrafas e crystaes

bom porto e capital do Departamento

Lebu, á margem do rio do mesmo nome, corn ricas minas de carvao. Cañete, urna das cidades mais antigas do Chile, fundélda em 1557. Los Anje/es, fundada em 1739, destruida vanas vezes pelos Araucanos. Valdivia, situada no centro de vasta rede fluvial. Pue'rto Monll, á margem do golfo Reloncavi.
Ancud.

Dodo situado na parte septentrional da

17l) ilha de Chiloé, cam optima üncoradouro. ilha Ô.OOO kilometros quùdrados. lem esto

PUlIla Arenas, capltùl do Territorio de M<:lgalhâes, situada na parte occidental da peninsula de Brunswick. [' a cidade mais oustml do globo. Serve de esciila aos navios que pôem em communicaçâo periodica, pelo estreito de Magülhàes, os portas chilenos cam os do Atlantico. Exporta pelles de lobo marinho e guunaco, madeir¿,s, la dc carneiro, etc. Fm ?2 de \Jovembro de 19~O hou\'e nestil cidade
Yiullùe.-,

lcsiü.-,

üffic¡ûcs \..úiíliliClïiÜlÜi¡\ùs

ÙO

-i.

C

CCiilc-

nario da pa5sagem de f:-ernào de Mogalhàes, illustre navegador portuqU(~S, ern 22 de :'\iovclllbro de 15?O, pela cstreito que lem a seu nome.

Argentina
SITUAÇÀO F LIMITES. - A Argentind é um dos cstados ITlnis prosperas e civilizados da America Léltinu. btá situada na parte <:lustral do Noya Mundo, estando il maior Dorçào de sua árca comprehendidn ni) regiào tempcradi'l de sul. Limita-se ao norte corn a Boliviü c a ChuCO Pùraguayo; a nordeste cam a Paraguay e os Estados do Paraná e Santa Catharina; a leste corn a lstado do Rio Grande do Sul, a Uruguay, a rio da pratü e a Atlantico; ao sul cam o Chile c u conflucncia dos dais oceanos; e a oestc com a Ch;tc (Ii. (1) Os limites corn a Bolivia foram fixad06 pelo tratado de é separada pelos ¡jos Pilcomayo, Paraguay e Paraná. DOt; Et;taùo:s do Paraná e Sauta Calhal"ina pelas rios Iguassú, Santo Antonio e Pepiri-Guassú (Decisao arbitral de 6 de Fevereiro de 1895 do Presidente Cleveland). Do Rio Grande do Sul e do l-I'uguay pelo rio Cruguay. Do Chile pela cordilheira dos Andes, em virtude da lei de II de Outub¡'o de 1881 que approvou a tratado firmado entre a Argentina e a Chile.
1891. Do Paraguay

160 SUPERfICIE. - A superficie do territorio argentino é calcuiada em 2.9ô7.353 kilometros Quadrados. E' a segundo paiz da America do Sul em superficie e populaçào. ASPECTO PliYSICO. - O terreno, observado em seu conjuncto, apresenta aspecto varíado, senda plano em sua major parte. Dóde-se dividil-o em duas regiôes distinctas: a Occidental ou Andina e a Oriental, Que abrange a maior parte do paiz constituida pela zona C.mpeana ou vasta planicie. A regiào Andina, formada pela cordilheira dos Andes e suas ramificaçôes, apresenta aspecto bellissima, nào só par suas montanhas nevadas milS tambem pelos formosos valles regados por numerosas torrentes. Comprehende as Provincias de jujúy e Catamarca, a Terrítorio de los Andes e a maior parte das Provincias de La Rioja, San Juan, Mendoza, Salta e Tucu" mán. Destaca-se esta regiào pela salubridade do clima, pela riqueza mineral, inclusive numerosas fontesthermomineraes, e pela fertilidade do solo, optima á viticultura Que tem contribuido para a grandeza desta zona attrahente. A regiào Oriental começa no sapé dos Andes e se estende até a Atlantico e ás grandes arterias f1uviaes. Toda esta grande regiào, exeptuando as parte5 percorridas por serras de pouca altura, é plana e em J,Jarte desprovida de arvores. Apresenta caracteres diversos, segundo a situaçào, a clima, a natureza do terreno e as producçôes. Apresenta excellentes pastagens. Distinguia-se a Pampasica como plaga productora de gado por excellencía; mas a lavoura tem feito alli surtas admiraveis, graças á uberdade extrema das terras. Denomina-se Mesopo/amia Argen/ina a regiào comprehendida pelos rios Paraná e Uruguay, e ande se acham a Tenitorio de Misiones a nordeste, a Provincia de Corrientes ao norte, e a de Entre Rios ao sul. A Planicie Patagonica fica situada entre os Andes e a Atlantico, e entre a rio Colorado e a estreito de Magalhàes. Abrange os Territorios de NeuQuén, Rio Negro, Chubut e Santa Cruz; e suas terras se des-

1 ti t
dobrilm da retenda cordilheira ¿¡té as costas do AlIantico, ande se encontram golfos, ilhas e bons portas nüturaes. A Patélgonia offerece lagares oplimos à pecuaria, scoretudo nos valles andinos e éÍ. margem dos rios caudalosos e lagos ndvegaveis, A Argentina apresent¿¡ dais htorucs: o do AtldniJco e o do Prata, tendo ambos 7..500 kilometros de extcnsfio. [stende-se a costa atlantic(l desde a cabo S<1I110 Antonio até a extremid¡ide meridiolldl da Terra do l'aga. t' b~lixL!J areno~,a .. ·;Jrr~C;;;~!ltRnrl0 riqn~v' q1t~ S(.Jo t'"i(~vam de t () u ·10 metros de ùltura. A começar do sul da fo7. do rio \!egro, aorem-se golfos e bùhliJS, que offerecem partos seguros durante uS altas mmés, O litoral do Prata é baixo e cingidu de um bar.co de oreja de ? I<itomdrns de comprimento, flbrindo-se ndle il b,Ülld de S'ITlllJorombón, limitada pela pontn dils Pedrds dO norte e o cabo de Santo AntOniO, que ilssi~¡rlillil ¡lO sul il descmbocoUllrd do Prata, \10\'TA.!\iliAS. - A gigantesca cordilheirél dos Andes. entre esle PdlZ e a Chile, constitue a mais notavel systema orogrupl\lco da Argentinü rstü cordilheira tem diversos rclrlllleS e apresenta flliliores alturas nas ProvincJas de 'vlcndol.d e San Juan, onde sc encontrum os imponentes montes nevados Aconcélgull U(J¡CJ m., ponta culminante do systema Ofogrtlphico ¡1ffiCriCilno); Ylercedario (6,610 m.l, e TupunÇJil!o {6.J\ô ml. 05 Andes, na regiÙo V1endo7.él- SunÍldgo, sfio desnudados, escûbrosos, bellamente en!eitéldos pela lleve. Aa longo da cordilhelra hé]hrechas ou ¡;O!>SC':':, par ande se faz a intercambio mgentino-chileno. [stas passagens, u começm de norte ù sul, sfio as seguintes: Vinchinü, em La I<ioja, communicando esta Provinciù cam a cídade chilena de Copiapó; Oliva e los PéltoS. cm San Juan; Uspullata a mais freouentùdo e que liga as cidades de Mendoza e Santiago, que se communiCélm pelo ferrocarril Transandino. OS P':¡S,'OS de Portillo e Planchón conduzem ás c¡dades chilen(l<;, df" S¡mtiéigo, laica e (micó. Aa sul do lago Nahuel-Huùpi, ande a cordilheiro é cortadù par valles trùnsversùes. a .ran-

tô2 sito de viageiros e gado é mais facil, pelos paSS0S de las Damas, Bariloche e Antuco lNeuquén}. lia vulc6cs nos Andes: no Territorio de Neuquén e na Provincia de Mendoza notam-se os seguintes: Osorno, Chinai, Callaqui, Detorca, Maipo, San Jo-

sé, etc.
CLIMA. - A Argentina está situada na zona temperada austral, estando na zona torrida apenas urna pequena parte da PrOVincia de )ejuy, na fronteira bo.: liviana. Em geral o clima deste paiz é temperado, na maior parte do territorio, senda reconhecidamente saudave!. A temperatura Varía, segundo as regi6es. O clima é Quente ao norte, ande a neve é rara; temperado no centro e fria no sul e na parte ándma, sendo alterado pelas circumstancias locaes que cm todas as regi6es da Terra modificam os climas, iá pela elevaçaú do terreno, já pela proximidade do oceano, pela influencia dos ventas Que sopram, como tambem devido ás grandes torrentes que banhilm a regiào. Torna-se intenso a calor no verào em BuenosAires: em Dezembro e Janeiro a columna ihermometrica sobe ás vezes a 36° e, á sombra. moiivando casos de insolaçào, posta que fùros. Junho e Julho sào os mêses mais frias. Nas Provincias do litoral a clima é humido, senda as chuvas frequentes cm todas iJS estaç6es do anno. pampeiro sopra da Pampa: é um venta secco, frio e violento, manifestando-se geralmente depois das chuvas. No centro do paiz as chllvas appmecem no verào e no outono. clima das montanhas occidentaes é fria, modificando-se nos valles. Alli ha pontas ande Quasi nunca choye, senda, porem, as neves frequentes. E' afamndo o clima dôs Provincias andinas. A benignidade do clima argentino é urna das causas que attrahem os forasteiros: a Argentina moderna é um paiz fundido por forte correntes de immigraçào e a seu progressa acfual é incessante.

a

a

1<33 . ILHAS. - A Argentina possue pOllcas ilhéls no seu extenso litoral. As mais importantes sao: a Terf(] do fogo, pertencente a este pail. somente a órea de 21.499 kilometros quadrados, situodd nii port~ ori~ntal dil ilhil, senda o outra metade projJrieddde do Chile. roi dividido por umo linha rectü con\'enciorwl, que parte do cabo l.spirito Santo ao norte e termina no cimal de Beagle, seguindo a meridiano dos MO e 34'. A ilha dos tstados, . separada da Terf(} do raga pelo estreito de Lemaire, senda ~UdS costdS recortdudS p nndl" /"xl"k rnrto ntmU'1do rmfl 0" !l(!\,ios. Aa norte da ¡¡ho dos L:)tddus estú d illlotû Aîio Nuevo. Encontf(]m-se pedo da costa da Potagonia algumas p~quenas ¡Ihüs, taes como as de rlat, \->inguln e Pianu, no Territorio de Sünto Cru/.; Leones, Tova, Chubut. Grect, I~uste, Gil mas e ]<1balí, á entrada dus buhiüs Unión c ~an Blëls; ZunÍt.1, Trinidad e Verde, nd Bahia Blanca. As illlas 'vl¡¡lvinas ou )-"alkland, situados a leste dil Pat<1gonin, pertcnccrn tí Argentina; mas desde :~ de ]uneiro de 153:5 forum urbitrarimIlente occupiJdus pela Inglaterra, em cuio poder perméweccm até hoic. hte archipelago é dividido em dU<1spmtcs sepilfddds pelo cstreito de )-"alklond. Offerece bons ïlnCOfddollros 11dturues e pastagens pma a creaçào de gildo. Suus costéIS sào piscosas. ~o rio da Prata existcm algumas i¡hotas, sendo m,lis intcressante a de \1artin Garcid, situüdu nil Piute ande se reunem os rios ParanéÍ e Uruguüy. CABOS - Ha multos cabos, sendo principaes os seguintes: Santo Antonio e Corrientes, na Provincia de Buenos Aires; Watehmann, ~\'firabién, Düñoso, Curioso, Son rrancisco de Paula, Sanchez, de las Virgens e <1 ponta Dúngeness, na extremidade sueste do continente. l\ü Terra do fogo estào os cabas Espirito Santo (ponta onde começù ù Iinha limitrophe cam a Chile); San Sebastián, Domingo, Peñas, San Pablo, Sun Policarpo, Sdn Vicente e Sùn Diego, esfc no eslreito de Lemaire.

184 LAGOS E LAGOAS - Sào numerosos os lagos e lagoas neste paiz, mormente na regiào Patagonica, ponteada de montanhas cobertas de neve e em cujas faldas existem bosques e valles uberrimos. O Nahuel Huapí é a maior lago dá referida regiâo, ande se encontram tambem os seguintes: Trarú Lauquén, Traful, Aluminé e Lacar (em Neuquén); Fontana, .La Plata, Colhué e Múnsters Cern Chubutl; Buenos Aires, Gló, Misterioso, Belgrano, Esperanza, Tal', Pueyrredón, Nánsen, Gutiérrez, Rivadavia, Puelo, Kruger, Viedma, San Martin e Argentino (em Santa Cruz). Ha muitas lagoas na regiào Pampeana, constituidas quasi todas pelas chuvas nas depressoes das planicies das Provincias de Buenos Aires e Santa Fé e no Terriitorio de la Pampa. As principaes sào as de Chañar, Mar Chiquita, Gómez, Encadenadas, Chascomús e Dolores, em Buenos Aires; Urre Lauquén, na Pampa; Amarga, 00 sul de Córdoba; Cristal, Viboras, Guadalupe, Palmar e outras, em Santa fé. Acha-se no centro da Provincia de Corrientes a grande lagoa Iberá, que se communica pelo rio Batel corn a caudaloso Pardná e tem 5.000 kilometros quadrados. Na Provincia de Córdoba estào as lagoas denominadas Mar Chiquita, los Porongos e do Salado, e em San Luis está a lago Bebedero, corn 350 kilometras quadrados, extenso e profundo. Encontram-se na regiào Andina a lago L1anquiguelo, na Provincia de Mendoza; as lagoas dc Guanacache, entre esta Provincia e a de San Juan; a Blanca e a Colorada, em Catamarca; as de Toro ou Cazuelas e Guayatayoc, em Jujúy.

mas. - Sào muitos os rios que serpejam pela territorio argentino, pertencentes a duas vertentes: a do Prata, que comprehende os rios mais importantes, e a do Atlantico. O Rio da Prata foi descoberto em 1516 par Juan Díaz de Salis, que morreu ás màos dos indios Charruas, quando este navegador europeu desembarcava. E' formado, na ponta Garda, pela iuncçào dos rios Pa-

185 i<1niÍ e Uruguél), e engrossado por muitos triblltûnos. E' a mûis notavel desfc paiz e um dos mais lürgos do mundo, teIldo apenas 370 kilometros de extensào. Seu estuario tem 185 kilometros de larguru, desde o coho S,mtu \1aria, na I<epublica do Uruguay, até o CdiJO Santo Antonio, no Argentina. A profundidüde deste rio vùïiú euit e lOa 3ü IIICtras, existindo nelle diversos bancos de <Heia, entre os quaes se destücü a Odiz, a mais extenso e perigoso, e que divide a estuario em dais canaes: a do Sul, em frente ¿J cidddc de Lu Plûtü. e o do :\orle. No Dodû [\1adero, ni! Capdill t-'ederitl, Iló(km ilhicélf ndvios de gmnde cillado. O rio Paran6, (4.?90 kmsJ que separa a Territorio de 'vlisiones e a norte da Provincia dl~ Corrientes da Republica do Pafilgllay, rccebe, á margem esqllerda, a Iguassú, quc rórrrw os celebres saltos do mesmo nome. l':' chamada .A.lto Par¿lllá desde as suas cûbeceiras até a ilhd argentina de Apipé, ande se encontrn a salto do mesmo nome. Seu maior affluente é a Pi1raguilY, a mais extenso e cûudaloso dil mmgern direitn do Paraná, tendo ?.OOO kilometros de curso. Segue-se o Sal¿¡do, (?.OOO kms.J, que nilsce na Pro\'inclil de Silltri, iltmvessa as de Santiilgo del btcl a e Sanlil IOé e desembocû tambem na margem dircitiJ do P¿Jl(lflá. O rio Paraguay recebe, á margem direitd, a Pilcomayo [! .300 kmsJ, e a Bermeio, que r1ilscem nl) Bolivia. rio Uruguay [1.500 kmsJ nüsce no l:stado de Santa Catharina e entra, por um estuarIo de 1) kilometros de largura, na margem esqllcrda do P<HiiIl6, formando cam este a Rio da Prata. l~' chaméldo Alto Uruguay desde suas nascentes até Concordia. Desta c¡dade até a foz do Gualequaychú a rio alarÇJa-se muito e torna-se francamente navegavel, no Bmxo UruguayRecebe a Uruguay diversos tributarios, senda principal, da margem esquerda, a rio Negro, que tem 470 kilometros .de curso; a Queguay, Cuùrém, I¡uhy e Ihlcuy; e Pepiri -Guassú, pela murgern direiiü. Os principaes rios que corrern direcfamente pma

a

156 o Atlantico, tendo suas ndscentes nos Andes, sâo os seguintes, a começùr de norte a sul: o Colorado, o Negro, que é o mtlis consideravel di! P¡¡tagonlü; o Chubut, o Deseddo, o Belgrano, a Seco, o Santa Cruz e o Gallegos. GOLfOS E BAHIAS. - No Rio da Prata estâo os grandes portos da l::nsedda ou Plata, o Madero, na Capital Federal, e o Magdalena, que é o mais profundo de todos. Na Provincia de Buenos Aires fica a Bahia Blanca com a enseada de Belgrano, onde foi construido o im~ portante porto militùr do mesmo nome. Entre as bocas dos ric,s Colorado e Negro ha duas peQuenas enseadéls que teem os nomes de Unión e San BIas. Abre-se tambem a grande golfo de San Matids, limitado da sul pela peninsula de Valdez, em cuja costa septentrional está o profundo porto de San José, e na do Sul a golfo Nuevo, com os portos Madrín e Roca. Proseguindo-se p,lra a sul destdcam-se a golfo de Sém Jorge, a maior da Argentina, e do quai dependem as bahias de Malaspina, Mangara, Mazaredo e Sanguinctti; él enseada de ')anta llena e a bahia de Camarones; as bahias de Spiring e de los Desvelos, e os partos naturaes de San Julián, Deseado, Santa Cruz, Coyle e Gallegos. Nas costas meridiorwes, no CélIldl de Beagle, ha os portos naturaes de Ushuaia, caplfal da 1erra do 1'0go; Thethis, Aguirre e Buen Suceso. Os principaes portas argentinos no rio Uruguay silo: Concepción del Uruguay, Colón, Concordia, I':e~ deración (Entre l?iosJ; Monte Caseros, Paso de 105 Libres, San \1artin, La Cruz, Alvear; Santo Tome (Corrientes); Barra Concepción e San Jíwier (Misiones). Os portos principaes, situados no Baixo ParéHlá, sào: Célmpana, Zárate, Baradero, San Pedro e San Nicolós. No Medio Paraná, á mmgern direita: Constitución, Rosario, San Lorenzo, Santa fc e Reslstenciél; e á margem csquerda: Diamante, Paranél, Lél Paz, [squina,

Gaya, Bella Vistd, I~mpedrûdo e COrrIcntes. Pmanú: ltufí, !tuzuingó e Posadas.

"0

Alto

POPULAÇÀO. - A populaçûo actual da Argentina é calculada em mais de 10.000.000 de habitantes, augmentando diü ù diû pelù cOlTente immigrôntistíl, principulmente. As Cilusas que concorrem poderosamente pur<:! a crescimento da populaçilo de UITI paiz s50 a benignidade do clima, é1é1usencia de endemias, u hygiene PUblicù c p¡ïvûdi.i, ilS instifuiçoc:; nosocomiùc3, os bons costumes do pava, a desprcso votado dOS VICIOS noxios, como, por exemplo, a alcoolismo que conduz á miseria. á loucura, ao suicidio, ao crime, senda causa de doençds hereditariûs. A começaï de IôS3, gmndes ondas immiqrurlt¡stas teem ¡;}lTluido ù este puiz, ande, ao l¿¡do do brûço !lilcional, contribuefT1 corn a contingente do seu trubalho pura a desdobramento dd riqueza nf:lcional. Alem disso a pava ürgentino é forte, emprehendor, éludacioso. diligente, pelo que progride sempre, engrandecendo-se aos 01h05 do mundo. Lstd l<epublicu, pelé1 infclligencié1 e patriotismo de SUé1 fiente, vai realizando progre'iSO em IodoS ûs esplwrds du dCtividade e logrando victorias nas camp¿¡nllus sociacs, politicas e econùmicas. Lntre os extrange¡ros residen!cs (llIi (¡vu!film os italianos, seguindo-sc em ordem dccrcsccntc os espé'll1hoes, fmncêses, inglêses, allemûc5, l'liSSaS, dllstriiJCOS, hungaros, portuguêses, belgiJs, suissus, dc. Lncolltrmn-se nas Provincias andinûs muitos mcsi¡ços de espanhoes corn indigénas. ~l'l época da conquista tres n<lçoes i1lJrhóchtones dominavdm na regiào haie occuPüda pelo Arç¡enfll1ù : 05 Pampas, os Guaranys e os Quichúas. Os prirneiros v¡viam nas planicies banh¿¡das pelo Rio da Prato e pelo Atlantico, até seu s terminas corn os Andes e a estreito de Magalhàes. Os segundos, localizados ás margens dos grandes affluentes do Pratd, subrnetteramse sem relutancia aos conquistodores. Os QuichúélS, estabelecidos nos valles e abrupios tùboleiros do centro e do noroeste, possuidores de urna cultura fT1flis

1M
elevada do que a dos Pampas e Guaranys, oppuzeram resistencia ao jugo extrangeiro e seus descendentes conservam os costumes de seus avoengos. Os conquistadores, subjugando pelas armas a maior parte dos aborigenes, dmalgamaram-se corn estes. originando assim o mestiço que constituiu o typo preponderante da populaçào, durante os prirneiros tempos da conquista e do penado colonial. Hoie a naçào al'· gentina é constituida na quüsi totalidade, do elemento ethenico europeu. Os immigrantes teem preferido as Provincias littomes: - Buenos Aires, Santa fé, entre Rios e Corrien. tes, actualmellte as mais povoadas da Republica. As regiôes andina e patagonica, pasto que ricas, teem recebido restricta influiçâo do progresso, devido á carencia de meios faceis de transporte. LINGUA. castelhano é a idioma officiaI e geralmente falado em todo o paiz. I~ELIGIAo. - A rnaioria da pOJJulaçàoargentina professa o catholicismo. Ha plem3 Iiberdade de cultos. INSTRÚCÇAo POPULAI~. - Nobilita-se este paiz pela sua cultura mental. por seu amor á liberdade e ao direito, pelo trabalho e pela consciencia de seu grande destino. O paiz apresenta notavel desenvolvimento material, intellectivo e social, que constitue grande motivo de ufania para todo o continente ameriCano. Louvavelmente a governo argentino envida o maximo de sua dedicaçâo em prol do f10rescimentq do ensino popular, que alli tem feito surtos sensiveis. O paiz anceia por se tornar grande pela instrucçâo, sobreiudo pela instrucçào primaria, modernizada, obrigatoria e gratuita. A porcentagem de analphé,3betos decresce e os poderes publicas estao empenhados no combate proficuo contra a obscurantismo. O forasteiro que chega á Argentina notélde prompto a preoccupélçào do governo dél I~epublica. das Provin-

a

159 ciôs. dos Territorios. - de todos. emfim, pelo victol'if! dé] instrucç50 do pava. O ensilla civico é ministrddo corn viva solicitude. O culto du flôJriil attinge <10fanôtismo. por ôssím dízer. tendo qUülquer COUSéJ lórn do cornmum. A data da lndependenciû \lücionûl. <J de ]ulho. proclümadi1 pelo celebre Congresso de Tucumán. é cornmemorada com i1lvoroço, com exaltaçâo patrioticè1. Nesse dia sônto da patria em todos 05 edificios publicas, no peito déls creanças das e'i('oléls, rwrcorrendo as ruas em prestistos enthuslùsticos, iJ Ddtldeiro mç¡enlinu ùpPilIT('f' ~flIhardamente .. '\e~tas condlçoes, corno dlJ\ ¡(iCiI UU :'111glmento tlïumphéll dél futulël grandeza desse pavo que sc éll)pmelha pmu as grandes conquistos sociaes? Pdri1 a escoldr dcste paiz nao ha naçdo no mundo mais b~llil, nlél!S rica. mais forte, mais cuita do que il Argcntillil! Scus cstùdistéls. desde [klgrano. comprehendcram sempre que a segredo do progressa dos pavos reside !lu Imgu dilTusi:io do en~lno publico. O gréinde vencedor de Sa!! él desti nou il Íundilçao de escalas a premio que' seus l'OnHJilílheiros Ihe haviam doado corn enthusiasmo. Silrf1l1ento dvif! que sem escolôs nao htlVerd liberddde. fa! a instrucç[ío relalivamcnte hem d!5Se!llirlilda que ¡ormou a lTleio que souhe _ ùttr¿¡hir e él5~;lrnililj- a immigrilnte C que soubc élpro\'eiÍm os V¿JqUC¡1Il0S, 05 rebanhos. ilS mtmadils que sc multiplicmiJm pelos Pmn,. pus e oriundils das cento e DOUCélS rezes que Ci¡bcça de Vacca e \t1endo/.d irouxerum dil metropoie. A instrucçao secundiHif! é dad] cm Colleç¡íos ]\Ídclonaes. ensino sunerior é mif!is'h-l1do nils Universidades de Buenos Aire~, Lü PlélÜl e Córdoba. Recentcmente foriJlTI fundados Clrsos ~uperiores em Rosario e TUCUllli:in. ria escalas profissionaes cm todi1s as Provincias. institutos de ensinc especial. custeados pelo [stado. tacs como a hcolü Militar, [SCCiLl "JaviJl, [SCOil de Com- _ mercio, Escoiél de Surd(¡s -~·ludos, Lsco!ù de \1inas, bcola de Agricultura. [SCOlil de Artes e Officias. Seminmios, etc.,

a

190

FÓPMA DE GOVERNO. - A naçâo argentina adopta a fórma de governo republicana federativa, segundo a Constituiçâo Nacional. A administraçâo suprema tem sua séde na cidade de Buenos Aires, decI.:.lfada Capital Federal pela lei de 21 de Setembro de 1ôôO. O poder executivo é exercido pelo Presidente da Republicél, eleito juntamente corn o Vice-Presidente, durando 6 annos o mandato de ambos. O poder legislativo é composto do Senado e da Camara dos Deputados. O poder judicial é desempenhado pela Suprema Côrte, Camarüs de Apella.çôes no Civil, Commercial e Criminal, Juizes de Secçào. etc, As Provincias teem suas Constituiçôes, organizadas de acôrdo corn as bi}ses fundarnentaes da Constituiçâo Nacional. DlVISÁO ADMINISTRA TIV A - Divide-se o paiz em 14 Provincias, 1 Districto Federal e 1O Territorios:

Provincias
C'-I (

Capitaes

Kms!
305.304 131.382 75.'/54 ô6.ô'l9

=:¡

:= (

~

Buenos Aires Santa fé .. Lnfre l<ios . Corrientes.

La Plilta . Santa Fé . Pmaná .. Corrientes . Córdoba .... Süntiago del Estero Tucumán San Luis Juiúy . Saltü .. Catamarca La Rioja. San Juan. Mendozi} .

f3 (Córdoba . ~ Santiago del htero ~ ( TlIcumán.. ~ San Luis.. ' Jujúy ... Salta. .. ~ \ Catamarca ~ ) La Rioja e r San Juan Mendoza , . . . .

173.349
143.4M 2'/.000 75.7. 19 3ô.34'/ 125.134 95.337 9ô.030 98.096 146.37ô

Districto Federal

.. ~ô5

191

Ter rilorios
Misiones . Formasa Chaco . La Pampa. Neuquén . Rio l'<egro ChubJt . Santo Cruz Tierrú del rueÇJo
I ~ L.v":"" " ...• ~_ ..J ''''''Hiu;''',,:j

CapJiaes Posadas . Formosa . Resistencia Genercll Lagos. Neuquén . ViedíT1a Rawon . Porto Gallegos Ushaiü

29.822 107.25ô
136.635

14S.91.f/ 105.00U 206.750 242.039 282.750 2/ .499

Cada I-JrovJncia tem o governo tambem constituido de tres poderes. As Provincias silo entidades autonomas que se regem por suas Constiiuiç6es e leis proprias, de acôrdo com a Constituiçao Nacional. Os Territorios sao administrados por governadores nomeados pelo Presidente da Republica, com ácquiescencia do Senado. Servem durante 3 annos, podendo ser reconduzidos. Poderao ser elevados a categoria de Provincias os Territorios que tivertm mais de 60.000 habitantes, renda sufficiente e meios de vida proprios. RIQUIJA "I.ATURAL. - O reino mineral offerece ouro, prata, cobre, ferro, chumbo, asphalto, nickel, estanho, gesso, zinco, bismutho, cobalto, mercurio, pedra calcarea, hulha, marmore, granito, salitre, sal, e numerosas fontes de aguas mineraes. fm 1908 foram descobertas iazidas petroliferas em Chubut e posteriormente em outros pontos do paiz. O petroleo de Comrnodoro l~ivadavia lChubut), km a mais alta importancia pard o futuro economico, industrial e militar da Republica. [n¡ t 926, dos poços de Plaza rluincu\ foram extrahidos 215/56'/0 metros cubicos de petroleo, e ... '/ZI.708 380 dos poços de Commodoro Rivadavia. A regiào occidental é a filais rica de mineraes. O reino vegetal, nomeadamente no septentriào da Republica, apresenta madeiras de construcçào e marcenaría, vari .iS especies de arvores ffllctiferas, plantas medicinaes, textis e tintureiras. As mddeiras nao sao

192 exploradas, excepto a quebracho, de que se extra he optima tanino. Lntre os animùes proprios do paiz sobresé1em a Ihama, él "icunha, a éllpaca e él chInchilla, que se cream ao norte, nos Andes, e rtIjélS pdles 550 hem cotéld¡¡s no commerclo. O gUiJniJCO e é1lebre dél Patagonia vivem nos véllles dûs zonas meridiorléles, limitrophes cam a Chile . . A fauna terrestre dél Péltagonia é rica e variada, e constitue fonte de riqueza üinda nao explorada. Encontram-se rardmente rléls selvùs da zond subtropical a ¡aguar, él pumiJ, a guará, gato montez, pampeana, coati, a 10nt[(1, ù ant<l, o cervo e outros (1uadrupedes silvestres. Os rios, lagos e lagoas silo plSCOSOS.

lNDusn~IA PASTORIL. - A creaçao de gado de cüstas finas constitue urna das grandes fontes da riqueza economicd do péliz, graçüs ao seu privilegiado climü e ás suas excei'c;¡tes pélsidgens, que contribuem pam que esta naçao figure entre as de maior riqueza pecuilfiél. Seus rebanhos, sobrellldo os de bovinos e avinas, sâo numerosos e se destilcilm pelas filças seleccionadas. Actualmente a Argentina <: competidora dos Estados Unidos na producçào de cmnes congeléldas. A irnportancii1 de seus gados nilo deve ser considerada somente (jUillltO á qUélntidéldc. mas tambem (juélnto ti qualidade. Os creadores !lila poupam esforços I]() ¡ntuito do é1perfeiçoamento dilS fùÇilS, nilo senda l'mas os que é1dquirem reproductores bovideos, equideos e O\iidcos DOl' preços exorhitmtles. Culculél-se o s/,'Ck do géldo ovino em l'JO.OOO.OOO de cabeçils e o de gado vaccum em 30.000.000. 05 outras gados hgurélm cm menor porçào. As r>ro\'lllcius ande d pecuaria attingiu maior desenvolvimcnto silo: Buenos Aires, que é a mais importcmte centro crcùdor do püi/; ¡entre I<ios, Corrientes.

A industria sülddeira é lmport:mtissimû, senda notave! o preparo de carnes, extrada de carne e muitos productos alimenticios. Vultoso é a numcro de impodanJes moinhos él vapor, destinados 00 preparo de iorinha, e que IUllccionillo de preferencia nos partos de embarque. A indus;ria dssucarelfù tem por centro principdl (1 Provincia de Tucumán, havel1do importantes refinariës na c¡dade de l<csùf!o. !:' florcscente o preparo de tübaco, passas, quei;:J, r:12r1tcigü) etc. ,1} :'lu lundlçocs, cortumcs, f¿¡bricûs de tecid::Js, calçtlrlos, roupas, chilr)i,~os, :no\'cis, cmros, papel, vidro, phosphora, ioi;,s, rcloglos, sLlbào, velas, perfumes, daces, "Inno, cerveld, licores e tantos outras productos dû industria mafiufüdmeiféi. As aries grilphicdS cstGO em Gllo grau de prosperidade. O paíz dispoe de vüriadôs e ùbundantes materias primus: 16, ¡inho, couros, ¡eite, cm summa, todos os productos derivudos dns industnils ilgro-pecuaria e cxtmclive. CO:YIV¡[RCIO. - Tem-se Ifltenslficado notavelmente o commercio mgentino nestes ullimos tempos. A Gîémde Gucrra, corneçadd él 2 de Agosto de 1914, muito concorrelJ pma o desdobrilfllento .ncrcantil dcste paiz. [sic conflleto interndciollul, que iJbalou profundamente il vida economica de todos os continentes, pOllCO di1mno CcJusou ó Argentlnll, Dela fileta de produzir esta ni.lçao importcJntes generas de primeifd necessidtlde: curne, trigo, milho, linho, !elfe i.lssucm, là, etc .. L', coma se vê, llm p¡¡¡iz que tem, em abundanciel a que comer e a qlle vestir, poden do, em C¡¡SOde guerra, supportm llm bloqueio demofûdo.

(1) Durante o anno ùe 1'J25 a Argentina produziu 33.2114.26f1 kgR. de mantciga; 15.432.087kgs. de queijo de !eíte de vacca; :1.977kgs. de queijo de !('Ïte de ovelha e 18.461.5ï3 kgR. de caseína.

196 Sâo notorias a prosperidade economica argentina e a influencia no mercado mundial dos productos de suas grandes industrias pastoril e agricola, senda ~ste paiz um dos principaes exportadores de carne e tngo. Sao seus principaes productos de exportaçâo: trigo, milho e ¡¡nho, que sao 05 grandes 9roductos da lavourtl; farinha, gado, carnes de bovinos e ovinos, aveia, cevada, queijo, manleiga, alfa fa, uvas das Provincias de Mendoza e San )uiln, e peras dos arredores da capital du I~epublicll e dil Provincia de Buenos Aires Importd rnadeiras, dutomoveis, café, assucar, arroz, tilbaco, ülgodào, CéIC<lU, piaçaba, charutos, tminha de mandiocil, tecidos, artigos de luxo e de metal, papel, machinas, louçil e outras artefactos manufacturados. E' a maior mercado importador das fructas (bammas sohretudol c do m¿1Ítebrasileiro. Dos 120.000.000 de kilos de matte exportados annualmente pelos Estados do sul do l~rasil, cerCil de 80.000.000 se destinam <Í Arç¡entilld, 30.000.000 ilO Uruguay e 10.000.000 ilO Chile. As naçôes corn <¡Ile il Argentina mantém maiores trilnSdCçÔes commercioes 55.0, em ordem decrescente: Inglaterra, Allemanha, rrança, Belgicil, f:stildos Unidos, Iklliil, Bf<1sil. Espanha, Austria, Hungria, Cuba, PuraglWY, Uruguay, Chile, Ilollanda e )apao. O commercio externo é feito por alf(lndegas terrestres e maritimas, senda mais importantes il de BIJenos Aires. l~osario, Lü Plata, Concordia e Bùhiû Blanca. VIAS DE COMMUNlCAÇAO.-A prosperidade di1 Argentina é em gn-lOde parte devidô <Í facilidôde de transporte por vias f1uvlûes, terrestres e pelo Atlantico . que é il principal mferid do intercambio mundial. l~m sua extensil costa allimticil e platina existem portos accessiveis il niwios de gfdnde tonelagem. Ao longo das margens do Pratd e Pdran<Í escalonam-se, do exterior para o interior, 05 portas de La Plata, Buenos Aires, ¡árate, S(ln ~ícoláo, Pmanó, Diamünte, Santa Fé e Corrientes; e, ao longo do Uruguay, os de Colón, Concepción del Uruguay e (·oncordid.

19/

o maior moyimento é feito pelos portas fluviaes, senda de grande actividüde a notavel porto da capital da Republica. A redc fluvial navegave! é constituida pelos rios Parùn6, Uruguay, Pürüguay, PilcomêlYo, Teuco, Bermejo, Colorado e \iearo da Patagonia, Chubut, Santa Cruz e Gallegos. Os rios dû verten:e pl(J:ina sao singrados par optimos navios, que proparcionam [(lcil communicaçào entre 0~ n~)rl():-, do )itûïul ùrqent:nc e 05 mais irnrortêHlks ua UruglJdY, PilriJQuúy e él re(Jtao au~j¡d¡ hwsileira . ..\ naturem plano, na mór parte, do territorio argentino tem [ücilitad:> a desdobramento da rede ferroviuriù, que excede de lO.OOO kilometros de extensâo. O r-errocarri! Tc"':f1silrldillo communica Buenos Aires corn él cùpihll dJ Chile, atravessando a maiestosa cordilheira par 1I:ll tunnel de 3.167 metros de comprimento, desde las CUC\'éls (Mendozd) élté Caracoles (Chile). Pôrie de McndoZü, communicando esta cidùde corn Los Andes e Si1ntiago; tem 2:.1 l<ilometros de exfens50, dos quaes lôO em territorio argentIno e 71 em terros chilenas. frgue-se, sobre o tunnel de las Cuevas, ù :~.¿rsô metros de altura, a imagem de Christo, monumento symbolico do tratado de pdZ entre a Argentir1i1 e a Chile. De Junho a fins de )ulho, cm rcgra, os trcns deixam de gûlgdf û cordilheiru, em consequencia do accumula da neve. CommlJniCél-Sc t¿¡mbem Buenos Aires cam il capital do Parnguay por linh¡:¡ ferrea, e corn a regiào meridionoJ boliviana, corn a quaI é] Argentina mantém um commercio antigo.
Cidades principaes
---

-

Buenos Aires, situada

ci

margem

direita

do Rio

100 da Prata,no Districto Federal, (1), corn mais de 2.000.000 de habitantes, capital da Republica. E' a me~ trapo le mais povoada da America Meridional e a se~ gunda da raça latina, em populaç60, estando em pri~ meiro logar París. Cídade brilhante, centro cosmopolita de grande luxo e prazer, congestionado e de extensa vida com~ mercial, sendo inferior, em illuminaçao e belleza natu· raI, á capital do Brasil. Apresenta imponentes edificios, esplendidas ruas, avenidas e praças, destacando-se a Avenida de Mayo, a Calle florida e a Calle Callau. Entre scus edificios publicos póde~se mencionar o Congresso Nacional, o Palacio da Justiça, o Theatra Colór, o Collegio Nacional Central, o Palacio de Aguas Corrientes, o Parque 3 de Fevereira, etc.. Possue diversas obras de arte, taes como.a estatua de San Martin, o riquissirno monumento commemorativo da Independencia; a estatua de Colombo, inaugurada a 15 de Junho de 1921 e offerecida á Argentina pela colonia italiana alli residente. Conta numerosos hoteis confortaveis, bancos, theatr05, hospitae5, estabeleci~ mentos primorosos de instrucçào-a Universidade, es~ . COI;15 normaes, il Bibliotheca Nacional, o Museu, fun~ dado em 1823. O porto de Buenos Aires é profundo e movimen~ tadissimo pelo facto de ser o centro de quasi todo o commercio da Republica. Nos ùrredores ha um logradouro publico que tem muitos pontos semelhantes aos Campos Elysios de Da~ ris :-é Palermo, grandioso parque onde os argenta~ rios ostentam grande luxo. lem, em summa, esta metropole todos 05 confor~
(1) Por lei de 21 de Setembro de 1880 foi declarada capital da Argentin.l, sendo até entao da Provincia do mesmo nome e residencia provisoria das autoridades naclonaes. Por lei de 6 de Dezembro daquelle anno a Provincia cedeu á naçào o territorio daquella cidadc, corn limites que entào tinha seu municipio. Em 1884 foram incorporados os partidos de Flores e Relgrano, que passaram a fazer parte do Districto FederaL

199

tos das grundes cidades européas e norte americanas. Ha extensas linhas de bondes ¡tramways) milhares de automoveis e uma via ferrea e1edrica subterranea, corn 8 kilometros de exfensao. Da cidade partem diversas linhas ferreas.

Rosario, corn 350.000 habitantes, grande porto commercial á margem do rio Paraná, segunda cidade da Republíca e primeira da Provincia de Santa fé. Cldade elegante e progressista, distante 400 kilometros de Buenos Aires. Sfio dIgnos de mençâo a Parque Independenciù e ú [lruçü de :,ld\o, UIlÙC esWo as esiatuas de 5an Martin, Belgrdno, Morcno e Rivadavia. Diversas linhílS fcrrovimias partem de Rosario e communicanl esta c¡dade corn todas as regi6es da Republica. La Pla/a, corn 150.000 habitantes, fundada em 19 de Novembro de 1882, senda a mais nava das cdpitaes. Optima porto á margem direita do Rio da Prata, na enscùda de Barragán, distante 57 kilometros de Buenos Aires. t' cidade elegante, simetricamente delineada, fendo activo commercio, excellentes institutos de ensino, entre os quaes a Bibliotheca e a Universidade, moderno estôbelecimento que honra a cultura amencana. Bahia Blanca, corn excellente porto na fol. do rio NdPostá e distante MO kilometros da Capital federal, á quai se communica por linha ferrea. E' um dos centros de commercio mais importantes da RepubJica. Porto militar e a ponto de saida dos productos industriaes da zona que comprehende a parte meridional da Provincia de Buenos Aires e Territorios de la Pamna, ~euquén e Rio Negro. Depois de Buenos Aires e Rosario, é a centra commercial mais importante do paJZ.
Mercedes, na Provincia de Buenos Aires, á margem esquelda do rio Quinto, corn grande commercio e centro de convergencia de varias linhas ferreas.

200 Paraná, porto á morgem esquerda do rio do mesmo nome, capital da Provincia de t:ntre Rios, desde 1M3, tendo sido tambam capital da I~epublica, desde 1553 até 1561.
Concepción del Uruguay, pittoresca cidade situada á margem do mroio da China, affluente do rio Uruguay. ConcordiD, porto commerciante no rio Uruguay, em frente á cidade uruguuya do Salfo. Communica-se, por Iinha ferreél, com uS cidades de Monte Caseros, Libres, S,]nto Tomé c Posudas, e cam o litoral atlantIco pelo rio Uruguay. Corul:nlcs, centro de importante navegaçào fluvial, fundada a :S de Abril de 1 :j83, á margem esquerda do rio Paranii, a poucos kilornetros da foz do rio Paraguay. O rio Puraná tem alli grande profundidadc e cerca uma legua de largura

Có,âobéJ, cam 150.000habitanfes, importante cidade rundada, em 1573, por Don Jerónimo Luis Cabrera, no centro da Provincia do mesmo nome, il margem do rio Primeiro. lem antiga Universid<lde, funda: da cm 1iO:>, muitos templos catholicos c instlfutos scientificos e literarios. Communiul-se, por caminhos de ferro, cam Buenos Aires, Rosario e outros centros de populaçào. Tucurndl/, corn 17.0.000 habitantes, linda cidade situada cm umu plélnicie, Ó murgern do rio Salí, a 451 metros de altura e a 6 kiJometros dos Andes, dominando csplendido panorama. E' a centro da industria assucmelra do pdiz c se communica, por Imhu ferrcu, corn Córdobu, r~osario e Buenos Aires.

Santiago, cidade ùntiquissima, fundada em 1553. Communica-se corn Buenos Aires, Rosario, Córdoba, etc., par estradi'is de ferro.
Sâlla, funduda por Don Hermano de Lerma, em

?Ol 15ô?, á mmgem do fia Ariüs, a 1.150 metros sobrc a nivel do mm. lem activa commercio cam a Bolivia.

San juan, fundada em 1581, por Don Juan Jofré,
ti mflrgem do rio do mesmo nome. Communica-sc
a cidade gentino. de Mendoza pelo Fcrrocarril corn Gran Oeste Ar-

Mendoza, linda cidade, situfldfl ti margem do rio do mesmo nome, perto dc grandes vulcôes, urna dus mais modernas das capltaes, pOIS a antJga cldade, lundada em 158?, nas immediaçôes da actual, foi destruida por grande terremoto, a 20 de Março de 1861, morrenda entâo cerca de 10.000 pessoas. Parte dahi a ferrocarril Transandino, que commumcn estn cldùde corn a capital do Chile, corn a quai mantém grande commercio. f' a cidade müis prosperü da regiâo andinfl e centro da viticultura da Republica. Nâo chove em Mendoza. O solo é fertilizado por ùguas trazidas de pontas elevados, dos ¿¡rredores, por meio dc optima sysfcma de canaes de irrigélçâo, intclligcntemcnte proiectùdo para annular os effeitm dn
SeCCil.

Uruguay
SITUAÇAo r-: L1\1ITtS. - I-:stá vflntajosflmcnte situado a sueste da Americd Austrdl, ml parte chamndfl Regiâo Platina. Limita-se ao norte e a nordeste corn a Estddo do Rio Grande do Sul; a leste corn a rderido fsté.}do e a AtIantico; ao sul corn a Rio da Prata; a ostc corn (j Argentina. Do Brasil é separado pelo rio Quarahy e seu pequeno afflucnte a arroio da Invel nadé); pelas coxilhas '\!egra e de Sant'Anna; pelo arroJO S. Luiz que desemboca no rio Negro; por urna linhd dté encontrar a ar-

?02 rala dil Mina; por este ùI'fOIO e a rio }aguarao que entra na laqoa Mirim; por esta l<lgoa e os arroios S. Miguel e Chuy (¡) Da Argentina é separodo pelo rio Urugu(jY· SUDf-:RFICIL -A 186.926 kilometros

é a menor pdiz dé] America

Republica Oriental do Uruguay MeridIonal. Tem apenas quadrados de superficie.

ASPECTO DI-IVSICO.O territorio é gemlmente plano, tendo suaveis ondulaçôes .. denominadas coxiIhas de pouca elevaçao que servem para estabelecer as vertentes dos mnumeros rios e arroios que cruzam a solo em vanas direcçôes, h¿.lVendo, portanto, abundanci<l d:: aguas correntes, alimentadas por chuvas frequentes. \iao ha necessidnde de se abrirem poços éllli para ~er"enti,1 do gado, camo succede na Argentina. Ha tres coxilhél5 dignas de mençao: a Coxilha Grande, 'lue é mais Ilnportùntc, vem do Brasil, passa perto da cidade de Minns e termina em Montevideo, tendo mvitas ramificaçôes; él de Simta Anna, que se estende, 20m diversiJs filmificaçôes, de leste a oeste, separando a Departamento de I~ivefil do btado do Rio Gmnde do Sul; e él coxilha de Héledo, que pmte da C(lxilhél Negfil e termind !la Rincao délS Oallimls, formado pelos rios UrugllélY e Negro. Estendem-se par toda parte pradarias bizarféls e cobertéls de excellentes PélsÍélge!ls. As COSt<IS do Atlantico e do Rio dél Pratél élpresentam praius pinturescas, tiles como as de I~amirez. Pocitos, t"uceo, Malvin, Carrasco, Santa I~OSêl,Plriápolis e Punta del Este. Sao pouca recortadas, senda o cabo Santa Marin a UniCi} snliencin notavel, no Depmtamento de Rocha.

(Il A Iinha di\'isoria ¡!plu lagoa Mirim foi lïxada pelo tratado de :lo de Outubro de 19m. Antes destc tratado toda a referida lagoa e o rio .Jaguarâo pertenciam ao Brasil. de conformidade com o tratado de 11\51.

CLI\IA. pûiz gosù de '1m dos climas mais 0gradaveis e sadios. N50 se conhece alli a neve que cobre os altos pincmos da cordilheira andina, nem se experirncntùm calores excessivos. lm todo a territorio a thermometro nào desee, no in\erno, ù mais de 3 graus abnixo de zer'J, nem nos dios mais quentes do vcràe u1t~üpi]SSa de -o. ,6, quadro rrwis calida do anno se estenàe de \;ovembro ü Abr~, e a mais algida de \\a¡o a Outubro. ,\ Ti"rTlfWlill," il niuJj;, je 1"/ qralls. '\.~ûscostas (1 c]i'f'd t: nldis tempcriHio n~ Jnvc:no e mms iresco do (;liC no 1l1tcrior ea CnmpanhéJ ~~OrHdiÍs vezes o pû,T\p'.~lro, venta secco e VIOlento, procedenle dG PdrT1PiJurgcntjnd.

-o

e

ILHAS. - his:em ¡lhas, em gerùl pCCjllcnas. \lo I<io GÜ Pmtü cst50 ùs segunies: Juncal, Solü e Dais ¡rmdcs, rliJ enseudü dilS V aCC:1S; 1iOfflOS, corn barn iHlcera,'.ollfo, e ~i1n Gdbriel. em [rente da porto de Colonia; Corriti, fi en:fCldû de Müldonado; flores, perto de iViontevideo e onde cstó a LilZürctO; Inglês, López, ¡<<1Íosou Llberdude; Lobas, ussirn dellollllllddà par ser freqllcntüdü por lobos Tllilrinhos; I'ilrdllón, no Depi.lrtillllcnh de Colon Id. '\0 Atlimtico tilfnhe:1l ha VüriilS ilhûs, podendo-se mC!lCiOfldf il CoronilliJ, il 2 kilomdros dil I'ortillez¿) de Süntl1 Thcrczd, il Verde, Cdstillo Uri.HlUe, Torres, Pilloma e Tund. [xistem mllitüs ilhils no rio UrugllllY. LAGOAS. -- No parte orientill está il lilgaa Mirirn, entre este Püiz e o htndo do I<io Gmnde do Sul, tendo 178 kilometros de comprimento e 54 de Imgura, ligadil il lagoû uos Patos pela rio S. Gonçalo. A obra in¡ciilda pelo l~ilfctO do Rio BféJnco, dundo espontaneilmente ao Uruguayo que il iusliça e as proprids condiçôes geographicas determinavam. no que respeita á navegaçâo e condominio dus aguas da léigoa Mirim e do río \aguarilo, foi abençoada por urugUaYOSe bmsikiro5, corno lImil (~fil nOVil nilS relaçôes entre os dois pdlZCS.

204
Do tratado celebrado de 30 de Cuiubro de 19G9 até hoje as relaçôes entre os dais povos irmaos têmse alargado em manifesiaçôes da mais alta significaçao nao só de urna sincera amizade, mas tambem de urna admiravel cooperaçao na obra de justJça, de ordem e de progressa dos dois povos sul-americanos.

Encontram-se a sueste, nos Departamentos de Rocha e Maldonado, pequenas laQods, sendo principaes as seguintes: Bicho, Difuntos, Castillos, Rocha, CardaI, Garzón, José Ignacio e Sauce OIJ Potrero. RIOS.- E' a paiz regado por numerosos. rios e arroios, estando dividido em tres vertentes: a do Uruguay, a do Prata e a da lagoa Minm. Os princípaes rios da pnmeira sao: o rio Negro, que recebe os rios Taquarembó, Yi e muiios arroios; o Quarahy, Daimán, Arapey, Queguay e arroio Negro, que desembocam na parte septentrionnl do Uruguay, excepto os rios Negro e San Salvador, que desagúam na parte meridional de Uruglli:lY. O rio Negro nasce no fstddo do Rio Grande do Sul, atravessa a paiz de nordeste ('} sudoe5te e termina, por um delta, na margem eSQuerdu do UrllglldY. [' o maior e o mais lindo rio interior di] l~epublicù e divide esta em duas partes chùmadas l~egiào do Norte e I~egiâo do Sul. Seu curso é de 500 kIlometros, desde as cabeceiras até a foz. f' navegdvel, por pequenos navios, até a cidade de Mercedes. Nas épocas de cheias pequenas embarcùçôes a Vlipor podem chegar até o Paso de los Toros. Pelo rio San Salvador sulcam pequen05 vehiculos até Dolores. O rio Uruguay rega este paiz nU!Tltl extensao de 530 kilometros, desde a confluencia de Quarahy até formar corn o rio Paraná o Rio da Prata, tendo o curso total de 1.500 kílometros. Da foz do Quarahy Pélra baixo a Uruguay alarga-se continuadamente, tendo, nas maiores vazantes, 700 metros de largura em frente á cidade do Salto, 10 kilometros cm Frey Bentos e 1S na foz. A sua navegaçâo termina na referida cidade, acima da quaI está o Salto Chico e mais acima

205
deste se encontm a Salto Grande, os quaes interrompern a passagem de navios na mór parte do anno. Corn as grandes enchentes, porem, padern os navios iranspor os alludidos obsta culos, tornando-se a rio navegavel em grande extensao. O Rio da Prata banha a parte austral da Republica. Tem apenas 3,0 kilometros de comprimento, senda, porem, um dos mais largos do mundo. Começa na ponta Garda, no Departamento de Colonia, corn 40 kilometros de lurgura e entra no Atlantico por um estUôriCJ ùe 200 kilometros, d~sde a cabo Santa Maria. neste paiz, até a de Smllo Antonio, ¡w Argentma. Fstes dais cabos sao considerados os limites entre as agllOs do Prata e do Atlantico. 1'\a vertente do Prata figuram a rio San José, que desemboca no Santa Lucía, e os arroios Rosario, Cufré, Pavón, Salis e outras. Na vertente da logoa Mirim existem rios navegaveis, taes coma a !uguarao, corn 130 kilometros; Taquary, Olimar e Cebollaí, recebendo este mUltas arroios, que a tornam caudaloso. No Atlantico desemboca m poucos arroios, destacc:mdo-se a Chuy. POPULACA.O.-A populaçôo actual do Uruguay é de mais de 1.BOO.000 habitantes, quasi todos da ruça bronca. Os primitivos habitantes desta regiao foram os indios Charrúas, que nâo existem mais. Limitadissimo é a numero de individuos da raça ethiope. Os espùnhoes forum os primeiros habitantes broncos que alli appmeceram. Os descendentes desles sao considerados crioulos. Sâo intelligentes, laboriosos, patriolas, esbeltos e sadios, distinguindo:se pela formosura de grande parte das mulheres. A populaçào do Uruguay, assim como a todas as olltras naçoes da costa atlantica, augmenta dia a dia, gruças á irnmigraçào européa. L1NGUA.-r:nld-se tclhan¡-¡. em todo a paiz a l¡ngua cas-

206
RElIGIAO.-O catholicismo é predominante, havendo liberdade de cultos. INSTRUCÇAO POPULAR.-f' tratado cam muito desvelo e solicitude este importantissimo ramo da administraçao. Elle preoccupa a consciencia geral do paiz, e por isto o progressa deste avança desassombradamente. O Uruguay sente enciedade de vencer a analphabetismo e, nessa campanha dignificilnte, despende grande parte de sua renda publica .. O ensino elementar é adeantado, distribuido em numerosas escalas bem organizadas, regidils por conceituado corpo docente. O Uruguay é a segundo estado da America do Sul que possue major proporçfío na freQuencia escolar. Ha muitas escalas custeadas por diversas sociedades, taes como élS catholicas, itali(lnas, espanholas e a de Amigos da Instrucçao~Popular. A instrucçào secundaria é ministrada nos Lyceus Departamentaes, perfeitamente constituidos. Para a instrucçào superior existem () Univcrsidade de Montevideo, il Escala Militar e a fscol<l NùV<ll, havendo tambem <:1 hcolo Superior de Commercio, a Instituto de Agronomia, Instituto de Chimica Industrial e outros. cm summa, está cm condiç6es satisfddoriiJs a serviço do ellsino popular na culta e liberal nüçiio uruguaya, cuio progressa, no que diz respeito ils instituiç6es politic<:ls,é um dos mais brilhantes exernplos de capacidüde e intelligenci~l de seus homens de 1'5t<1do. Therrnometro importante de QualQuerestado SOCIal, a escala ocrupa situac;üo culminante nestü futUroSil naçi'ío pliltina. fÓRMA DE GOVERNO.-Este püiz odopta a fórma de governo republicana unitaria. Nas ludas pela independencia dos coloniùs espanholas du America, a Uruguay leve tombem sua Pclfte saliente. graças (la General Artigas. que inflingiu repe-

20/
tidos revezes aos espanhoes e é a grande vulto da independencia uruguaya. A 25 de Agosto de 1825 a territorio, entâo chamado Banda Oriental, foi declarado independente pela assembléa popular, dando ent80 o povo urna prova solenne de que era senhor de seu destino. Este acon1ecimento politico é o episodio culminante da Revoluçao dos Trinta e Tres, chefiada por Lavalleja. Organizada a ~kpubJica Oriental do Uruguay, foi eleita a Assembléa Constituink, que elaborou a ConstittliçBO. jllrada il lB de )!¡Iho de lô30. Em 10 de Setemhro de 1917 foi VOti:H.ld u llÜ\'a Certa Con"tillJcional, arwrovada por um plebiscito importante, e entrando em vigor cm 1 de Março de 1919. Nessa nova Carta, a poder executivo é delegado ao Presidente da I<epublica e tambem a um Conselho Ndcional de Administraçao. ü primeiro Presidente da Republica foi o General Fructuoso Rivera. (l) DIVISAO ADMINISTRA T[VA. - Divide-se o Uruguay em 19 Departamentos:
DEP.\RTAMENTOS CAPITAES

K~lS.2 11.3'/8 1?.603 13.252 ô.471

Artigas Salto . Paysandú nia Negro Soriano Colonia

Sal! José
Montevi(leo Cimelones

San fugenio Salto . Paysandú Fray Bentos Mercedes Colonia . Son José Montevideo. Guadalupe .

9.27.4 5.6ô? 6.963

664
4.752

(1) Este paiz fez parte de Portugal e posteriormente do Brasil. até IH~4. Em 1825, os uruguayos pegaram cm armas contra os braRileiros e mais tard~, auxiliados pelos argentinos, lograram livra¡'-se do contcndor. Em 1ï de Agosto de 18:18 D. Pedro 1 reconhecpu a independencia da Banda Oriental.

Maldonado . Rocha Rivera .. Treinta y Tres Cerro Largo Tacuarembó Durazno flores florida Minas

Maldonado Rocha. Rivera ... , Treinta y Tres. Melo .. Tacuarembó Durazno Flores florida Minas.

4.111 11.089 9.ô20 9.539 14.929 21.022 l4.315 4.519 12.107 12.4ô6

PRODUCÇOt:S NATURt..ES.-O reino minerol 01ferece ouro, prata, chumbo, cobre, manganez, estanho, mercurio, CùfVaO de pedra, marmore, granito pedra calearia, agatas, onyx, opalas e outras pedms. argilla plastica, .sal gemma e aguas mineraes. O reino vegetal apresenta plantas dos climas temperados. Ha mattas ás margens do~ rios. onde se encontrdm madeiras apreciadas, taes como o sarandí, o Quebracho e muitas outras. Ha tambem pl<1flÍasfructiferas exoticas proœdentes da Europa: laranieíra, pereira, pecegueiro, macieru, figueira, oliveira, videira, etc. A fauna indigenü é pequena e pouco variad¿1.Sâo rarissimos o jüguar e a pumél. l-:ncontralTl-seo guard, zorro, coati, veados, etc. Nos campos ha muitos avestruzes e nas costas de Mélldonado e I-<ochdexístem lobos marinhos. INDUSTRIA PASTORIL. - A creaçao de Qíldo constitue a industria fundamental do Uruguay, cujo solo offerece elementos importantes ao f1orescimento da pecuaria, que representù notavel movimento de cilpitaes e a occupaç<'io de milhares de pessoas. Sao vultosos os rebanhos de avinas e bovinos, sendo mais armentos os Departamentos do interior e os situados na fronteira do Brasil. Ha muitos saladeiros em Montevideo. Salto, Paysandú, Fray Bentos, Mercedes e Paso de los Toros, ande annualmente sao abatidos milhares de cabeças

)()<) de godo. (\) Em fray Bcntos está il grande fabrica de Liebig, onde prepara m extracto de carne, carne e línguas conservadas e outros muitos productos. !\JDUSTRIA AGRICOLA, - Apesar da grande uberdade do solo, esfu industria nao chegou ainda ao maxima desenyolvímento, devido á carenr:ia de braços e ó difficuldadc de transporte interior. Os principaes productos cultivados sâo o trigo, milho, aveia, linho, fei¡ao, ,dfufn. bututilS, tubuca, Jcgumcs e fructas, cs!as cxpodndos pc1fél Buenos Aires. A yicultura é flolescellte nos Departamentos de Montevideo, ConeIones, Salto e \1oldonado, onde tambem ha culrura de olivciras, que produ7.em regular qllùnlidade de ai'citonas e uzeite. l~m 192), os vinhedos do Uruguay produziram , ... 40.000.000 de litros de vlIlho, Os Departumen-fos muis agrieolus sao Canelones, San losé, Colonia e ~oriano. I\JDU5TRIA FABRIL. -C ainda atrasada esta industria no paiz. ¡-xiste, todavia, fabricaçâo de queijo, Olanteiga, maSSélSalimenticias, vinho, alcool de milho, sé1bao, velas, moveis, vidros, calçados, roupas, cen'cia, licores, aguas gazozas, phosphoras, cigarros. charutas, carrUé1gens, objectas para montaria. couros cortidos, etc .. Os productos alimenticios de conservas teem alcançddo griJnde reputaçao. A industria farinhcira é prospera, hayendo muitos mOJIlhos bem montûdos corn apparelhos modernos. CO\1Mf.RClO. -

f'

bustantc

activa

a

industria

(1) A sarra pastor'i\ do Uruguay, no periodo de 19:¿r)-19~(j. foi a seguintc: Xm'quc, IUt. jl J() toneladas; conservas e !'xtrarto
dL' carne :l.'J(KI

toneladas;

¡'('zes abatidas

IÜ,~.()()().

210 commercial do Uruguay, favorecida pela excellente Sltuaçào geographica do pail. Seus principaes artigos de exportaçào consistem em gado e productos do gado: carne, couros, linguas, extracto de carne, sebo, ossos, e cinza de ossos, crilla, là, e aspas. Os productos agricolas exportados sào: trigo, miIho, alpista, farinha, fructas, vinho, alfafa, etc.. O commercio importador é tào consideravel como o de exportaçao. Importa cerca dc 30.000.000 de kilos de matte do Brasil, annualmente; Café, cacau assucar, madeira, ferramentas, machinas, automoveis, ferragem, louça, tecidos, chá. arroz, tabaco, azeite, obiectos de luxo, etc. As naçôes corn que o Uruguay mantém maiores transacçôes commerciaes sao: Inglaterra, F.stados Unidos, Belgica, Allernanha, rrança. Espanha, Brasil, Argentina e Chile. VIAS DE COMMUNlCAÇAO.-O Atlantico, os rios da Prata, Uruguay e Negro sao as princlpaes vias de transporte da RepubliciI. As vias nuvi,les offerecem cerca de 1.300 kilometros de navegaçao. Os principaes portos sao: Paloma, Mi1ldonado, Piriápolis, Montevideo, Sauce, Colonia, Nueva Palmira, Mercedes, fray Bentos, Paysandú e S<1lto. Os secundarios sao: Rosario, Soriano, Carmelo e Dolores. Percorrem o paiz diversas I¡nhas ferroviarias, que muito teem concorrido para a properidddc nacional.

Cidades

prin,cipaes

Montevideo, corn 460.000 habitantes, capital dé) Republica, bellissima c¡dade situada numa península <1 margem esquerda do Rio da Prat,}, Fundada em 1726 por Don Bruno Mé)uricio de Zabala. Seu porto é ex-

211 cellente, espaçoso, muíto frequentado por grundes nùvias extrangeiros. Quasi todos 05 producías pecuarios e agricolas convergem a esta cidade, ande sao emborcados para a exterior. Montevideo é um centro de grundcs recursos, de grande cultura intellecíiva e acíividade industrial. E' cidade cosmopolita: mais da metade da populaçfio é extrangeira, predominando os ít¿-lIiùnos e os espanhoes Tem edificios sumJ..lluosos, ides cailla a Congresso Legislativo, a Universidùde, a L':scolù de Medicinü,

o P.11"ciú

'vlIJ1licipr11, () 'vlillisl~rl()

d~

¡Ildll"itrin"i,

ii

Fs-

colü Militar, a Hospital Italiano, ü rüculdüde de Mathematicas, a C\ube Uruguay, o Atheneu, él h,taçilo Centrat de lo"errocarriles, etc .. A Municipalidélde deu a nome 13rasil á Avcnidü Cünclones, cm signal de agrüdecjmento ao go\'uno bmsi\ciro pela concessao feita por este, referente á lagoa Mirim e ao rio ]aguarao. l~m 11 dc Março de 1926 foi inüugurada em \1ontevideo él estatua do cxcelso diplomata Barào do I?io Branco, mandé1dij erigir pelo qoverno uruguayo.
Sal/(I, porto de gfûnde movimento commercidl, éí mmgem csquerda do rio UruguélY, cm frente a Concordia, c¡dade argentina. Communica-se, por linhü lerrea, cam Uruguayana, cidade do COstadodo I?io (]féll1de do Sul. c', depois de \1ontevideo, a cidade rTl<1is commerciünte dü Republicé1.

Paysandú, flarescente clàode situudd él mmgem esquerdü do rio Uruguay. Communicü-se com Montevideo par VIé1fluvial c par eaminho de ferro. f' a terceiro porto commerciante do poiz.

Melo, á margem erquerda do éHroio dos ventos e ligada a \1ontevideo por I¡nha ferrea.

Con-

Minas, situada em pittaresco \'ülle circllmdado de diversos cerros, dos quaes se descortirwm bcllissimos péll10ramas.

212

Durazno, á margem esquerda do rio Yi, atravessado por duas grandes pontes, urna de ferro, de 700 metros de largura, e outra para o transito de tropas e vehiculas rodantes. Communica-se corn Montevideo e Rivera por estrada de ferro.

Rivera, edificada em frente da cidade brasileira de Santa'Anna do Livramento, em urna planici e dominada pelo cerro do Marco, élssim denominado por assignalar o marco que determina o limite corn o Brasil. E' favorecida pelo ferrocarril Central, que se liga ás linhas ferreas do Estado do Rio Grande do Sul.
J-Jorida, celebre por ser il localidade onde se reuniu, a 25 de Agosto de lô25, a Assembléa que proclamou a independencia nacional. Na Praça Indepencia esfá o monumento onde se levanta a estatua da Liberdade, sustentada por 33 pedros de granito, nas quaes foram gravados os nomes dos :n patriotas que desembarcaram na Agraciada para libertar a péltriil do dominio brasileiro.
Mercedes, linda cid(lde corn salutifero climn, situada á margem esquerda do rio Negro. foi outrora cidade predilecta dos argentinos, que a visitavam por causa de seus banhos no alludido rio. Corn íl CI eaçào de sitios que offerecem maiores distracçôes, Mercedes, posto que attrühente. foi perdendo a importancia como ponto de recreio. Seu commercio é feito pelo rio Negro, corn serviço de vapores que vâo a Montevideo, Buenos Aires e outros mercados.

Dolores, situada em (lptimas terras de lavoura. bdnhadas pelo rio Son Salvador, affluente do Urugu¡w e navegaveI por pequenos vapores.

Rocha, situada á margem do arroio do mesmo nome e cidade f10rescentee de auspicioso futuro.
- San José, col\ocada em terreno alto, á rnargern

213 direita do rio do mesmo nome, uffluente do Santa LuCÍu. E' cidade que progride dia a di~. Possue diversos moinhos cam apparelhos modernos. Sào dignos de mençao a Theutro Mucció e a monumento a Artigas, situado na Praça lndependencifl.

Trt:inla y Tres, situada na confluencia do arroio Yerbal cam a rio Olimar. Communica-se par linha ferrea, que passa par Nico Pérez, corn Montevideo, da QuaI dista 333 kilometros. A pecuaria é a principul industria do Departamento dt' CJ1W: r.sb cidade é a capItal.
GlléJdclllpe, tendo a departamento 4 vias ferreas de communicaçao. A principéll industria do Departamento de Canelones é il ùgricultura. Depois do de Montevideo é () que tem mùiores vinhedos. lem tilmbem grandes olivaes.

Trinidad, situada pOLlCOdistante da lllargem esqucrda do arroio de Porongos e ligi1da il Dum/no e Coloniü por estradil de ferro
Colonia, fundada em 1650 peJo governador português Manoel de Lobo, él entrada do rio Ufllgllü\, em frente a Buenos Aires. t' celebre Dar ter motivildo vmiils guerras entre espanhoes e portuguêses. Rosario, segunda cidudc do Depdrtamento de Colonia, corn grande comrnereio exportador de productos ügricolas: trigo, milho, ¡inho, farinha.

Fray Benlos, á margem esquerde do rio Uruguay, porto accessivel él grundes navios. Cidude de grande futuro, fundada cm 1559. Distante 3 kilometros du cidade está a grande fabrica de extracto de carne, denominuda Liebig, fundada em 1564.
Tacuarembó, situada á margern Chico, perto da serra dos Tambores, dils paisagens. do Tacllarembó que offerece lin-

214 SdnEugenlo, á margem esquerda do rio Quar?hy, em frente á cidade rio-grandense de S. Joao Baphsta. Communica-se corn a cidade de Salto par estrada de ferro.
Sant,} Ros.1, corn activa commercio corn o Estado do Rio Grande do Sul, situada na confluenciél do rio Quarahy corn a Uruguay. L' ligada él cidade do Salto por linha ferrea.

Paraguay
SITUAÇAO 1:, L1MITf~S. A regiao paraguaya, bele auspiciosa, está encfélvada no centro da America do Sul. Povoada outrora par pavas selvagens, suas montanhes seus rios, lagos, etc. conservam nomes do idioma de seus primitivos habitantes. Limita-se ao norte corn a Bolivia e cam a F.sfado de Matto Grosso. A leste cam os btados de Matta Grosso e Paraná, e corn é! Argentina. Aa sul corn a Argentint.!. A oeste corn él Argentina e a Bolivia.
III

SUPERflClL - lem a temtorio pùrilguayo 315.994 kilometros (jlladféldos, segllndo a llbalisado geographo paraguayo Héctor f. Decoud. ASP[CTO PHYSICO.- O no Paraguay, qlle dell seu nome ao paiz, divide este em duas regiôes dlstinctas: a Oriental, situi)da á margem esquerdil do referido rio, e a Occidental, Grün ChiJCO 011 Chaco Boreal á margem direita. A primeiro tem 165.741 kilometros quadrados de superficie e a segunda 147.~5:S. A regiào Oriental é a parte mais rici), interes5élllte e ande se encontra quasi toea a populélçao pmilguaya. c' tllmbem a de aspecto mais variado, a zona que apresenta maior copia de accidentes topographicos, bem corno bellezas natufé.les, clima souddve!, terras pingues, ahund<'lncia de rios e arroios, grandes e

pequenos depositas limnologicos, optimas pastagens, f1ores1as nbundélnies de madeiras preciosas, hervù matte explorada desde (j época da conquista, plantas tan¡feras, medicinaes, epiphytas, etc .. Todas estas dadiVDS da nutureza attrühirâo sem duv!da, em futuro proxima, a immigraçâo e a capital europeus, considerados como fontes importantes do engrandecimento das ¡avens ni1ç6es da APlerica Latina. A regiào Occidental é gerulmente plana, sem monf¿lnhas, suieiia a in'lundilç6es corn as aguas pluviiH'S rk DezcfTlbrc él Março. ¿;s quaes escàsseiam nos ollil u::>tlléses ÙO dtlI.ll OCCd~'UII(j(\do seccas prejudlcldes. I-_~tazon,-" de solo tambem leridlssímo e Que apresentu bosques espes~os, abunddnícs de Quebracho, puu santc-, jacàrund6, péllrleiras. dc., é pouco povoada, existndo nella apenas l't'stricto numero de individos de o:'igern c¡vili/adu, dlém dos indios Tabas. Diz Luis de Gásperi: (,Muchos son los favores Que la t\aturaleza ha dispensado al Paraguay. Desde este punto de vista, es uno de los países de América que más rIquezas y encantos naturales Ílene. «Lo único Que le faHù son costùs de mar. [star sobre el mar es la nllsmo que tener acceso d todas pmfcs y contacto directo con lus naciones más aparti1das del pldnd¿l.l>

MO\lT A'1\TIAS. - As pnncipaes serras da reglao Oricnt[l] sfio ôs de AmonlbélY e I\,lbmélcflYll, Que cobrcm umu superficie de 316 kilometlos. lstende-sc a serra de Amambay, de norte a sul, desde Ponta Para até SUé! rellniâo corn él serra de Mbarucuyú. DaQllcllc ponto da fronteira brasileira desprende ramificaç6es paIë) leste. Da serrû de \'1baracayú, que se prolonga desde Vpejú até a Salto das Sete Quédas. Da extrcmidadc meridianül da serra de MbaraeayÚ começa il de C<laguél7l1 (1 J, 'lIle divide él regiâo
(1) Cang'uHzú signiïica grande' ïloresta. Al' scrras hay e CaaguazÜ dao ol'igE'll1 a todos os rios E' al'l'oios dc Amamtributarios

do:;

T'Ïos

Paraná

e Paraguay,

216 Oriental em duas partes: urna alta, ondulada e coberta de florestas que vâo até a rio Paraná, e outra em geral plana, corn poucas selvas e limitada a oeste pelo rio Paruguay. As principaes ramificaçoes da serra de Caaguazú sào a sena de 105 Altos, que se estende desde Arecut6-cuá, na margem esquerda do rio Paraguay, até as proximidades do rio Tebicuary. Ha tambem muitos cerros isolados, ¡ambas e pequenas serranias que se desdobram do rio Paraguay e se prolonga m a principio paw Iesie e depois para a sul, sobresaindo as de Tacumbú e Lambaré, pedo de Asunción; Lomas Valentinas em Villeta; e os cerros Yaguarón, Hú, Pelado, Santo Tomás, Yariguahay, Acahy, Cordillerita de Caüpucú, Ibitimi, Sapucay, León, e nas Misiones os cerros San Miguel, Santa Rosa, San Ignacio e Santa Maria. Todas e~tüs serras sào cobertas de vegetaçào e isentas de neves. Na regiào Occidental a unicii serra consideruvel é a de Chochí, que tem a extençào de 240 kilometros, situada ao norte, servindo de linha natural de divisa entre a Paraguay e a Bolivia. Mais ao sul, na regiâo das salinas, existein iJ!guns cerros ¡salados, como por exemplo a de ~an Miguel. Nas margens do arroio Celinas, nas proximidades de Puerto Cijsado, ha lambem diversos curos, tacs como a Oalván, Siete Cabezüs, ek., e pedo dc Villa lidyes a cerro Confuso. CLIMA.-Acha-se este paiz no zona torrida. O clima delicioso é urna das suüs riquezas Ilaturaes, especialmente a da regiào Oriental, de configurüçâo V<1fIf1da e enaltecida de planuras, serraniéls, cerros e lomdas cobertos de espessa vegetaçâo arbcrea que purifica a meio ambiente, A tempewtuféJ media annual varia na capital da Republica entre 22 e 23.' centigrados, senda alli a clima agradavel, apesar de quente. O clima do sul é mais temperodo do que o do norte. A cidade de Encarnación é a ponto mais fria do paiz. A temperatura nâo exede ?ôo nos mêses mais quentes CDezembro, Janeiro e fevereiro), nem baixa 16° nos mais frias (Maio a Agosto).

217
O clima da reglào Occidental é mais Cluente do que a da outra metélde do puiz. «Dada lû bondüd y salubridad de su clima, no se conocen las pestes ni lus enfermidfldes endémicas en el PmagllilY.» LA.GOS.- A reliilo Oriedal apresenta, no sul, diversos lagos, ser,do mais importuntes os seguintes: O Ypoá, distan1e cerca de 45 kilomctros da margcm esqlJerdfl do rio ParôÇ]ud)'. l<ec'2be varias torrentes e da origcm ü OUL'ilS, s(Jbrcsuindo a rio Negro, ¿¡Iiucntc do ParuÇlu<J)'. l () Ypacilfaí. cam 22 kilomctros de leste él oeste e 5 cm sua maior lélrg~lm. L' um dos mais lindos, ùberio ao pé da semI de los Altos e dos cerros de Ibitipané. Recebe dif~erentes arroios e dá nascimento ao Salado, tributario da margem esquerda do Paraguay. fm SUilS mmgells estilo as interessantes povoaç5es de San t)t.rnardino e Areguá, que possuem bons hoteis. O 'Neembucú, situado na extremidade meridonal, vertendo ~UdS aguas no rio Paranú pelas rios Pirüguôzú, Yabebiry c lacuarí. ~otam-se as lagoas Verá, Paraná-mi e Aguamcùtí, esta ao norte, bi:mhéwdo as terras eomprehendidas entre os rios \1ünduvirá e Guarepotí, e formada pcl¿¡s aguas dfl vertente occidenÍlJl da serra de Am<lmbal' e de seus cordrcJfortes. I~IOS. - bta naçilo é regada por muitos rios e arroios de aguas crystallinas. Os principaes rios que banhafTl seu fecundo territorio silo a Paraná e a DaraÇJlJi1Y, gfflnde afluente da margem direita daquelle. Os ouhos tributarios milis importantes do Paraná, comprehendidos na regiào Oriental, sao os rios Acaray, MondilY, Taeumy e outras menores. Os ûffluentes do Paraguay, na referida regiào, siio os rios Apa, Ipané, leqllí, Mandllvirá, Piribebuy, Salado, lebieumí-gllCJZú, Tebicuarí-mi, etc .. Os tLibuturios do Pilraguay, nil regi50 Occiden-

21ô

tal, sao os rios Salinas, Galván, Verde, Yabebirí, Confuso e Pilcomayo, Que nasee na Bolivia. O caudaloso no Paraná, Que rega grande parte de leste e sul da regiao Oriental, é navegavel a vapor. Sua largura é variavel: attinge a 5 kilometros ao sul da ilha Grande; a 2.100 metros em frente á cidade de Encarnación; a 5.000 em frente ao Puerto de Ybycuí, e a 3.000 no Paso de la Patria. Entre este paiz e a Estado do Paraná a grande rio fórma a Salto do Guayra ou das Sete Quédas, a mais notavel do mundo. O rio alli se estreita de repente! As aguas correm iracundas, convulsivas, apertadas nos rebajas e nos abysmos, se estorcendo, se atirando fragorosamente contra rochedos enormes, for!'l.ando vapor de agua no QuaI apparecem as cores do Ins. O rio Paraguay corre de norte a sul, dividindo a paiz nas duas regiôes já mencionadas. E' um dos mais importantes da America do Sul, par servir de «estrada Que anda», de via de transporte do Brasil, do lJar.pguay e da Argentina (1). Divide-se em Alto Paraguay, desde suas cabeceiras, em Matta Grosso, até a Tropico de Capricornio, ao sul da cidade de Concepción, e Baixo ParagudY, desde este ponto até sua embocfldura. lLHAS. - Ha diversas ilhas cobertas de virente vegetaçao, formadas pelos rios Paraná e Paraguay. As mais importantes, Que se encontram no primeiro destes rios, em seu curso pelo territorio paraguayo, sao ilS de APlpé, Yacyretá, Bobi-Ñú, Lengua, Costa Larga, Cerrito, Aguapey, MediO, Talavera, Ybicuí, Toro, Tacuá, etc.. senda maior de todas a de Yacyretá, corn 461 kilometros Quadrados, mattas e campos de creaçao. As principaes ilhas do rio Paraguay sao as seguintes, a começar do sul: Médano, Nacional e Flores,
(1) A navegaçâo deste rio é feita por empresas que dispôem de muitos navios, que fazem o serviço de Buenos Aires e Montevideo a Asunción, e desta capital a Corumbá.

219 entre as costas hrasileiras e a Chaco Septentrional; Confiuencia, Peña Hermosa, Arrecife, San Salvador, Tdgatiyá, ilhas do Norte e do Sul, na foz do Aquidaban; Pindoty, Bunco Guazú, Gapiipobó, Paragua-mÍ, Ypecuá, San francisco, e a Banco de San Miguel, em frente á Capital do paiz, ao sul da quai se enfileiram outras ilhas, tacs coma as de Angostura, Santa Rosa, Lobato, Paray, Paraiso, Sanjita, Villacué, Aquino, Piray, San Rafael, Hermanas, Yuqueri, Monterito, Arasá e Curuzú. ¡-uraQuùy e ùctualmente calculudù cm BOO.OOO, habtfantes segundo dados que nos foram remettidos, em ]unho de 197/, pelo Departamento de Tierras y Colonias, de Asunción {1 J. pavo é constituido da mescla do sangue espanhol cam o do indio, que se achava alli desde tempos imrllemonaes. ASSlm surgiu um typo ethnico nova, de sangue misto em que predomina a lucidez do visigodo e a cùwcter altivo do autóchthone americano. Os aborigen es que twbit{jVam esta regiào era m os GUdfùnys e os Payaguás, subdivididos pm diversas tribus espalhadas pelas margens dos rios Paraná e Paraguay (?J Deu-se a independencia do Pmagllay a 14 de Maio de 1Bl1. Desde ent50 começou él prosperar, á sombra de sua soberania, posta que tivesse de passar ás vezes par phases difficeis, tacs coma il do governo do dictador rrancia, que mündou fechar quosi todas as escalas e prohibiu a entrada de livras e jornaes no paiz! ... ~ ultima caligem que toldou os horizontes de seu futuro appareccu em 1564: francisco Solano López, mal inspirado, cavou a ruina de sua patria. A guerra
.4 POPUldÇÜÛ

,,,,.,

1",' ,r ,r- "i' r'\.Jo I.JUI-./UU-H,...4U.-

,-

-1

n

'

a

(1) O illustre escriptor Luis de Gaspari avalia a populaçao de seu paiz em 963.330 habitantes e a sua superficie ern 457.772 kilornetros quadrados, em sua Geograjï{( del !'araKuay, pago 4 (21 As principaes tribus eram a dos Irnbeguás, Caracarás, Tirnbùs, Corondás, COlastinés, Acahai. Curupaity. Tabas, Charnacocos, Payaguá. Chiriguanacs, GlIaycurú, Guaicrúcs, Nohaaques, etc.

220
que emprehendeu foi urna cartada perdida contra a vida economicado paiz, que ficou exhausto e arruinado. Referindo-se a essa luda, disse o Dr. Joaquim Nabuco: «Para os Alliados ella foi Ull\ accidente, um episodio na sua historia; para o Paraguay a consagraçào de todo o seu ser, o suicidio mesmo da naçào.» Mas, pouco e pouco, o paiz vai resurgindo dos escombros, restaurando seu antigo f1orescimento, endo t esperança de attingir ao grau de progresso que Ihe garantern suas enormes riquezas naturaes e o labor de seU5f¡lhos. Esta naçào, cuja historia attesta a energia patriotica de sua gente,marcha6g0fù ovantemente,certade que ha de desempenhar a sua missâo nu obra gloriosa do Novo Mundo. Diz Luis de Gásperi: «Dado el exiguo número de extranjeros que habitan en el Paraguay, y teniendo en cuenta la extensión de su territorio y el número de sus nativos, puede decirse que su progresso se debe principalmente a los naturales que, «con su genio, su edu: cación, tradiciones, caráder nacional. riqueza propria e industrias peculiares, proprredad de la tierra e IOStituciones liberales» le han infundido todo el uliento que. era necesario para que se levônfe de Id postri:lción en que lo deió la guerra. LINGUA.- A (ingua officiôl do Paf<1guay a casé telhana, derivada do latim e introduzida pelos espfinhoes em todoS dS suascolonias. fala-se tambem no paiz o gUé1rtmy, ue é d I¡nq gua autóchthone, il dos naturaes, il lingud verndculil, Nào é nenhum diülecto, mas sim lima verdüdeira lingua, cuidadosamente estudada pelos jesuitas, que desempenharam alli a tarefa de catechistds e enSIl1i1l'am a 1er e escrever cm guarany (1 l. RELlGlÂO.- [' predominante no Para~uay o CdI Il O Padre Montoya escrevcu em guaran~' o precioso livra «Arte, Vocabulario, Tesoro y Cateci¡;;mo», e a Padre Luis Bolanas compoz um diccionario cuma grarnrnatica da referida Iingua. O Dr. Manuel Domingues escreVCll as "Raíces Gllaranie¡;;» obra moderna e interessante.

tholicismo, protegido pelo Estado, conforme determina il Cúnstituiçi10 Nélcional. Ha plena liberdade de cultos. INSTRUCÇÂO POPULAI<.-A intrucçao pnmana é gfùtuita e obrigatoria, distribuida em escolas de diverSélS categorias, inclusive as normaes. O ensino secundario está u cargo dos Collegios Nacionaes, estabelecidos em Asunción, Concepción, Villarrica, Pilar e encarnación, onde se preparam os estudantes para a matricula no curso superior. A instrucç50 superior é minislradll na Universidade, !nstillludü ëlll i090; nô Escoid de Agncultura, s]tuada d 4 kilomctros de Asunción; na fscola MilItar; na I.':scola Naval de Mecanicos; 110 Instituto Pafûguayo; nos consery¿lIorios de \1usica e Pintufû; no Seminélfío COflcJ!i~H, etc. (l) ¡:OI<MA Dr (JOVU<NO, - O Paraguay adoptil u fórrnu de governo republicana unitélflû, de conformiddde com el Constituiç50 de 24 de ;'\)ovembro de 1370. O poder executivo é exercido pelo Presidente da Republica, com manduto de L1 annos. f' deito Juntdmente corn o Vice-Presidente, que preside o Senado. Compoe-se a poder legislativo de duus cammas: o Senil do e a Camara dos Deputados, a primcira constituida de 13 membros eleitos por 6 [lnnos, e ¿¡ Sq)lIl1dd de 26, eleitos por 4 annos. funccion<Jm em scssocs anntwes, de 1 de Abril û :50 de Setcmbro. O poder judicial é exercido pelo Superior Trihunal de Justiça, composta de :5 mernbros nomeùdos pelo chefe do poder executivo, medi[lnte approvaçào do Senado; e por outros juizados inferiores, inclu~i\'e o Tribunal do Jury. DIVISÂO ADMINISn~ATIVA.O territorio deste palZ, foi dividido, por lei de Agosto de 1906, em duos
(1) O serviço da instrucçao popular Ú tratado cam solicHude pelo Governo nacional. Segundo a l\lensagem do Presidente Eligio À)'aJa, a quantia destinada a este SCl'víço, no exercicio de I92-t-1 925 era de I(i.8S9.45H pesos, e, actnalmente, no exercicia de 1926-192ï, subiu a ;Jo.393.9!l4pesos, accusando um augmenta de HOa!".

222
gnmdes secçôes em que geographicamente o divide o rio Paraguay: a regiào Oriental e a regiào Occidental. A primeira, corn excepçao da Capital da Republica, comprehende 12 Departamentos. Dividem-se os Departamentos em Partidos. Cada Departamento, que tem por capital a cidade do mesmo nome, é administrado por um Governador nomeado pelo Presidente da Republica. Regiao Oriental:
1.0 Deparlamenlo-

Capital Concepción.

Par/idos de: Concepción, Bella Vista, Belén, Loreto, Horqueta, Pedro Juan Caballero.

San Pedro. Partidos de: San Pedro, Rosario, San Estanislao, Unión, Lima, Tacuatí, 19atimí, Curuguat)', ltacurubí deI Rosario e Capitán Bado.
2.° Deparfamenfo,-Capital 3.° Departarnen/c - Capital Caragudtay.

Parfídos de: Ci'1raguatay, Barrero Grande, Caacupé, Arroyos e Esteras, Emboscada, Altos, Atyrá, Tabatí San Bernardino, Piribebuy, San José, Valenzuela, It(}curubí de la Cordillera. 4.° Departamento - Capital Villarica.

Partidos de:- Villarica. Mbocuyaty, Vatait)', Hihaty, !tapé e Coronel Martínez. S. Departamento-Capital

Vhú.

Par/idos de: Vhú, Ajos, Carayaó, San Joaquín,Caaguazú.
6 Depar/amenJo

-Capital

CaazÇlpá.

Parlidos de: Caazapá, Vhacanguazú, San luan Nepomuceno, Vegros, \turbe, Vuty e Maciel.
7.° Departament(J-Capifal

EncarnacÍón.

Partidos de: cncmnëlción, lesús e Trinidad, Carmen del Paraná, San Cosme, Sun Pedro del Paroná, Bobí e Coronel Bogado.
8.0 Deparlamenlo-Ci'lplÍal

San IgnilCio.

Par/ldus de: San Ignacio, Santa I<OSél, Santa Maria, Santiago, San IUun B. (Misiones), San Miguel, Florida e Ayolas. 9.0 DepdrJamenlo-C(1pital
[JolJiJ'JS Je. Quyyndy, pey, Quyquyó e AcahélY.

Quyyndy. Ybyeuí, CadlJUcÚ, MblJYd-

10. o Depilrlamento

- Capital ParaguarÍ.

Par/idos de: Paraguarí, Cafélpeguá, rabapy, Caballero, Escobor, YélglJarÓn, PirayÚ, Ipacarai, Itallgllá, Sapucay, Ybytimí. 11.0 Dep;nfamen/o-

Cflpital Villeta.
(¡¡-

Parl1dos dt:.: Villda. Areguá, ltó, Guarambaré, piatá, Ipané, Oliva, hanca. 12.0 Departamentù - Capital Pilu r.

Parlidos de: Pilar, Humaitá, Laureles, Paso de P<lt[\a, Desmochados, Guazú-cu<Í, Pedro Gonzalez, San Illon de Ñeembucú. Tacuaras, Isla Umbú e Yubebyry. CapiloJ e sua jurisdicçào-AsunciÓn, Limpio, Luquc, San Lorenzo del Campo Grande, San Lorenzo de la frontera e San Antonio. I<egiao Occidental (Chacol-Capitul Villa Hayes. Povoaçoes: Vill~ Hayes, Puerto Oalileo, Puerto Casado, Puerto Sastre, Puerto Palma Chica, Puerto Pinasco, Puerto Guaraní, r'uerte Olimpo e Bahia Negra.

RIQUEZAS NA TURAfS,-

O Paraguay tem gran-

224
des riquezas naturaes em seu territorio fertilissimo. O reino mineral contém ouro, outrora muito explorado .pelos jesuitas; manganez, ferro (1), na regi~io Oriental, entre os rios Apa e Aquidaban; cobre, chumbo, mercurio, zinco, sal gemma, porphyrio, calcario, granito, gesso, marmore, quartzo, agata, kaolin de differentes cores, argilla, talco, bismutho, antimonio, etc. O reino vegetal é abundante de madeiras preciosas, existentes nas mattas qlle eobrem o territorio, numa área de 220.000 kilometros quadrudos, segundo calculo do sabio naturalistfl Dr. Moisés Bertoni. As terras da margem direita do rio Paraguay sâo ricas de quebracho. tia grande qUdntidade de cdrandahy e outras palmeiras que servem para consfrucçâo; planta$ medici.naes leitosas, textis, fructiferas, ferroginosas e epiphytas, sobresaindo as orchideas. Entre as pl(ltas f¡brosas destaca-se o mapajo, de Quese utilizam os indios na conffecçâo de seus vestidos. A herva matte. Que é abundante, principalmente nos Departamentos de Vhú e Encarnación, constitue um dos grandes thesouros naturaes do Paraguay e é explorada desde él época em que os jesllitils espanhoes iniciaram allí a catechese dos gentios. Este paiz é o segundo productor de hervü milIte, sendo o Brasil a primeiro. f:xistem no Paraguay zonüs de hervaes, que se estendem sobre Uffid superficie de 1.f>óS kilometros Quadrodos. A fauna indigena apresentil numelosos individuos, taes como o jaguélf (yaguart~/é, em guari1ny), PUlllû, guará, gato montez, anta, javali ou pareo selvagem, capivara, cotia, paca, coati, t(lmanduá, zorro, ouriço, tatú, diversas especies de simios e de cervos, lélgarto, crocodilo e outras reptis. As selvas do Departélmento de Villarrica foram o centro das pesquiz,!s de .Azmà e outras naturalistas que visitaram este paiz.
[1) Durante a Guerra do Paraguay a fundiçao de ferro de Ibycui, fundada em 'H54, forneceu material belli('o aa exercito paraguayo. No Departamento de San Ignacio, no cerro de San Miguel, estáo as mínas de ferro mais importantes do Parag¡¡ay.

A classe orniihologica é tambem rica, élSSlm como ti ichtyologlca e a dos insectos. Azma conseguiu p~1fticulari7.ar 44ô especies de aves. Os rios e Ingos sao plSCOSOS. i~ntre os insectos uteis avultnm n cochonilha, que se en,:olltru cm iodos os cactus, havendo telmbem differenies especies prúdudorus de me!. PLCUARIA. - Constitue esta uma das mais consideriJveis fordes de riqueza do P¿Jfaguay, que dispôe ch- vd.'iiCl.'i CcllllllOS (obeïtos de qrùmíneas nutrientes nus duil'; /ondS em que \ ·stií n¡ltilrdlmente dividido. Üs gados \ilCCllm, 0\'1n0 e cO\ullar estâo melhorados, cm conscqucncia du introducçt1o nas estancias de re prodllcto~es de boas cüs:ùs extrangeiras: hcreford, durham, ho!sfcin, po[led-¿JnQ1l5. etc. Hd importantes estabelecimentas de creaçüo, sûbretudo nos DepartAmentos de Sem Ignacio, Quyyndy, Pillar a outras. iNDUSTRIA EXTRACTIV A. - A herva matte, explorada desde a tempo colonial, representa a pnncipal artigo de intercâmbio externo. t' cxplorada em grande quantidade, occllpando-se milhares de braços no prepûro dessa preciosa dadi\'a du natureza A extrncçt10 de mûdeirùs e n confecçt1o de extruda de quebmcho c:onstituem tambem grande fonte dd riqueza parngunyu. Cam effcito, a explornçt1o do quebracho é ù principal industria do Grnll Chùco. ande :-;e dchü;n lTlontndus grandes fabricùs de tonina da referidil essenciil. I\!DUSTI~IA AGR1COLA.-I'.' florescente e por ista cOllsJitue import,JIltc fùctor dil riqueza publica. As terras sao fcrieis e offcrecern os recursos de uma alirnentaçâo facil. A uberdüde do solo garantiró um futuro éIl1spicioso cIO PmélQl1ùy, qUdndo a immigraçao européd, cm ondus crescidas, pam alli affluir, cam seu tmhi.Il:¡o, sendo considerada como elemento proficuo e indispensavel ás vastas e pouco poyoadas Tmçôes délArrwricil Meridio!léll. Apesm di} prodiÇ]illidade extrema do terreno, da

226
benignidade do clima e facilidade que offerece a lavoura pela barateza das terras de cultura georgica, em relaçao á capacidade productiva, a agricultura deste pail nao attingiu ùinda o grau de progredimento a Que tem direito. Existem granjas agricolas onde se faz a plantio dos seguintes generos: tabaco, algodao, canlla de assucar, café, milho, feijao, mandioca, batata, arroz, aveia, trigo, cevada, alfafa, linho, forragens, bm ana, laranja, ananáz, uva, hortaliças, etc. O Paraguay se esforça por intensificar o plantio do algodao. Na safra de 1925-1926 a producçao desta malvacea attingiu él 9.998.200 kilos. Grandes propriedades agro-pecuarias estao em poder de extrangeiros: inglêses, allemaes, francêses e argentinos! ... INDUSTmA FABRIL.- f' representada pelo preparo do matte, assucar, cachaça, melado, tecidos, sabao, velas, cigarros, ladrilho, productos chimicos, bebidas aleoo .~as e fermentadas, calçado, roupa, telha, tijolo, moveis, phosphoros, objectos paro montaria, vehiculas rodantes e fluctuantes, ñandlJlí, Que é um interessante bordado caseiro e que constitue industria typica do p<liz. tendo grande aceitaçào no interior e no exterior. Ha tdmbem saladeros, cortumes, serrarias,olarias, caieras, dc. COMMFJ~CIO.-O intercambio da Copital da ~~cpublica é activo. Alli existem numerosas casas importadoras e exportùdoras, que giram corn grandes capitaes. Exporta matte, tabuco, madeiras, extructo de quebracho, gado vaccum, carne e linguas conservadas, extracto de carne, COUIOS, cfina, la, sebo, ossos, aspas, pennas de avestruz e de garça, cigarros, assucar, cachaça, ananáz, laraniô, banana, alfafa, café, cera, vinho, etc. Importa artigos manufacturados de toda a especie, bebidas, materias primas, drogas, substanci"s alimenticias, carvao de pedra, azeite, azeitonas, arroz, cacau, café, chocolate, queijos e outros comestiveis,

')7/ bebidas alcoolicas, cigarros, tabaco brasileiro e cubano, automoveis, pelles curtidas, calçado, moveis, instrumentos rnusicaes e de lavoura, mflchinas, artigos de electricidade e illuminaçao, armas, louça, ferragens, artigos de luxa, etc. As alfandegas par onde se faz a exportaçâo e a importaçao, sao as de Asunción, Concepción, encarnación, Pilar, Humaitá e ViUda, O maior comrncrcio é feito corn a Argentina, Uruguay, Brasil, fst'ldos Unidos e diversas naçôes européas. Buenos Aires é a PfélÇil principal do commercio paragUi:l"¡'O (lO mesmo tunpo o podo de tïi:lïlsitû dû que e este pail. importa e exporta. VIAS DL: CO\IMU\JICAÇAO.Senda este um pail. central, conta somente corn vias de comrnunicaçao fluvial e terrestre. Os rios Paraguay e Paraná, principalmente a primeiro, pôem esta Republica em cornmunicaçao cam a Brasil c COlo os estados platinos. Por estas Vi,lS completumente livres para todas as bandeiras, pódc-se viüiar de Asunción ás cidades de Montevideo e Bueno Aires, e ddlli sair pelo oceano afóra. Numerosos navios de grande e pequeno calado sulcam constantemente estas duas arterias fluviaes. O rio Paragu iy é nûvegavel desde a cidade argentina de Rosario até Asunción por embürcaç6es de 4 metros de calado, se reduz a ?,50 no tempo das aguas baixas. Até Corumbá sobem navios de ? il? lf2 metros de calado, e até Cuyabá só padern chegar vehiculas fluctuantes de 1 metro de calado, subindo os rios S. Lourenço, affluente do Paraguay, e Cuyabá, affluente do S. Lourenço. A rede ferroviaria é ainda relativamente pequena. fxistem algumas I¡nllas ferreas, senda principal a ferrocarril Central, que communica a capital da Republic<l corn a cidade de fncarnación, situada no extremo sul, á margem dlreita do rio Paraná, em frente a Posadas, ande a linhu entronca corn a ferrocarril Noroeste Argentino, atravessando a comboio a rio em barcas a vapor (ferry-boaJ-barca balsa), As outrus I¡nhas 5&0: a que une a cidade de Concepción corn Horqueta; a que une a Estaçao Boria corn Posruio Potrero; a que une Puerto Casado (Cha-

228 co Paraguay) corn seus quebruchaes, na extensao de 54 kilometros; a de igual classe de Puerto Marques Max; a que une Puerto Guaraní corn seus bosques, etc. Estas perooencema empresas destinadas a exploraçao de madei ras de construcçao e de quebracho. As estradas carroçaveis sao numerosas e antigas, e classificadas em geraes e vicinaes. A rede telegraphica poe em communicaçao a Capital da Republica corn as cidades do interior e corn 05 paizes extrangeiros.

Cidades

princieae~

Asunción, corn 105.000 habitantes, capit'll da Republica e situada á margem esquerda do rio Paraguay, a 70 metros sobre a nivel do mar e sobre diverséls coIlinas. Foi fundada a 1S de Agosto de 1537, pelo Capitao luan de Ayolas. Pos::,ue diversas praças e é'lvenidas, bondes electricos, numerosos autornoveis, edificios elegimtes, clima delicioso.
Concepci6n, segunda cidade da r~epublica, por sua populaçüo e desenv01vimento industrial. f:' situada á margem esquerda do rio Paraguay, a 1l'lO metros sobre a nivel do mm e distante 305 kilometros de Asunción. ViJla rrica, corn clima sèluberrimo, situada sobre um outeiro de ~ôO metros de alturtl sobre o nivel do mar. E' centro commercial e communica-se cam a Capital da Republica por linha renea de 150 kilornetros de extensâo. Encarnación situada ao sul, á margem direita do rio Paraná, defronte de Posadas, cidade argentina. [' porto fluvial de valor, ande fundeam os navios que fazem a cabotagem do Alto e Baixo Paraná. Bonita e

?29 prospera cidade, corn importantes casas importadoras e exportadoras. f' ponto terminal do Ferrocarril ~oroeste Argenti-

no.
fm 20 de Setembro de 1926 um furactio ficou esta cidade, derruindo casas e causando e ferimentos. ddmnimartes

PijiJr, linda e prospera cidade, circumdada de la·· ranjaes á margem esquerda do rio Paraguay, 32 kilometros ao norte de Humaitá.
HUllldiliJ, cidade historica, construida numü das curvas do rio Paraguay, fortificada durante a guerra e ande Solano López concentrou todos os meios de defesa, sendo por isso considerada inexpugnavc!, mas que foi bombardeada pelas forças brasileiras.

Paraguélrí, situada numa formosa collina. [' a chave do commercio da maior parte dos centros de populaçào de las Misiones. Communica-se corn Asunción par estrada de ferro, pela quai se escoam seus productos agrícolas e florestaes. \lille/a, bonita cidade situada á margem esqllerda do rio Paraguay, porto importante, por onde sae grande porçào das laranjas cultivadas no paiz. Distinguese esta cidade tambem pelo seu clima saudavel e por sua excellente situaçào geographica. Caazapá, fundada pelos espanhoes, em 1607. Cidade florescente. San Pedro, prospera cidade, situada a 3 kilometro ao sul do rio )ejui, em cuja margem está a porto de seu nome Pedro juan Caballero,
nome de Punta Pará, situada Amambay. outrora conhecida pela nas faldas da serra de

Coronel, San juan B. de las Misiones, Luque, e/c.

230

Brasil
SITUAÇAO.-E' situado no parte oriental da America do Sul, comprehendido quasi todo no hemispherio austral, estando apenas urna pequena parte no septentrional. Sua posiçao geographica é excellente: a Brasil flue, de 11m lado, as caricias do Atlantico e de outra a amplexo de quasi todos os paizes sul americanos. LlMITES.- Limita-se ao norte corn a Venezuela e as Guyanas Inglêsa, Hollandêso e Francêsa; a nordeste, leste e sueste corn a Atlantico; ao sul corn a Uruguay; a sudoeste corn a Argentina e a Paraguay; a oeste corn a Bolivia e a Perú; a noroeste corn a Colombia. Limita-se, portémto, corn todos os paizes sul americanos, á excepçao do Chile e do Equador. Sao na mór parte naturaes as Iinhas que separam a Brasil da~ republicas limitrophes. SUPERfICIE. - E' avaliada em 5.767.011 kilometros. E', pois, a Brasil urna regiao colossal que occupa área vastissima á superficie do planeta.· Nelle se encontra notavel reserva de terras natentes corn que póde contar a hurnanidade, que sente falta de espaça em 011tras partes da Terra para viver folgadamente, agir, labutar e ser feliz. ASPECTO PHYSICO. - O territorio braslleiro é bastante largo ao norte e estreito no sul. t' em sua maior parte montanhoso, possuindo, todavia, grandes planicies, nomeadamente no Amazonia, que é1brélnge os Estéldos do Amazonas e Pará. Parte da grande reqiâo brasileira constitue um planalto de 300 a 1.000 metros de altura, apresentando valles sulcados por numerosas torrentes que rolam, ora serenamente, ora tumultuosas, formando corredeiras, catadupas assombrosas. Estende-se a costa desde a foz do rio Oyapock até a do arroio Chuy, no extensao de 7.no kilometros,

/:51
formùndo pOl' iJssim di/el' um ¿¡ngulo tice é a cabo de S. l~oque. 1-:' baix¿!, recorl¿¡d<l, pelo que i1presen1i1 pOllcas entretanto greJnde numero de portas faci] accesso ás crnbarcaç6cs. aberto CUJOverurenosa e pouco bahias, havendo ~brigados e de

C.ó,BOS. -LilcoIltrüm-se apenas 13 cabos na extensa costa atlanlicu: 110 Pará - Orange, Cassiporé, Norte, I~ùso do \!ortc e \1aguary, este na parte oriental dl! i1hd de \Iarajó; 110 Maranhao-o Gurupy; no. I-<io Ofélnde do \!ortc - o S. I~oquc; na Parahyba-o BrLlnco; l~"1 Pt'rn¡mlDW:O-0 SiH1tO Agostinho; no [~tado do J<io de Janei:'o-o S. Thomé e a fria; cm Santa CdhmiTliIo Sante! Marthd Gmnde e Santa Martha Pequcllo. ¡-Iél nurnerOSdS pontus i10 longo da costa, das qUí1es se oestnCi1m dU:1s, par screm as que mais aVdnçiJm pmu a occano: a ddS Pedras em Pernambuea, e é1de TambubÚ nn Parùhyba do 0Jorte. Pf.:'\JI\iSULAS. - bistem dUé1Sno Estado do I~io (Jfélnde do Sul: él do Albardao, ande se acha o municipio de Santa Vicioria do Palmar, e a do fstreito, b¿¡nhi1da pelo Atlantico e peld lagoa dos Patos. SD<I-<L\S.-Ainda está imperfeitamente estudé1do a systemu orographico brasileiro. Nossas innumcfélveis serras, geralmentc pouco c1evi1das, pódem sel' grupadels cm 2 systcmas: a ParirncJ e a Brasileiro. As serras do primeiro estendem-se pela fronteira septentrional da I<epublica, sepmando-a das GUYé1né1s da Venee ZUeld e tornando os nomes de Tumac-Humac, Acaray, Pill-¿ICüina, etc. O systema Bwsileiro apresenta J cadeié1S principoes: 1.a a Orienté1l, Marítima ou Scrra do Mm; ?a il Central ou do hpinhaço; J.a éJ Occidental ou dils Vertentes. A endeia Oriental é formada pelas serras que 01'lam grande parte da costa, seguindo-a quasi parallelamente, desde a monte Paschoal, na Bohia, até a ~~io Grande do Sul, e tomando denominé1ç6es especidCS em cado fstado que atravessa. r.ntrc esta cadelél

232 e o oceano está a regiâo atlantica meridional, composta de terras baixas e ponteada de lago as e rios que vertem no Atlantico. A cadeia Central estende-se desde a margem do rio S Francisco até o Estado de S. Paulo, onde se liga á serra do Mar, atravessando os Estados da Bahia, Minas e S. Paulo. E' a prirn::ipal, por sua elevaçâo. Nella está o ponto culminante de todo o nosso systema orographico,-o pico de Itatiaia, corn 3.000 metros de altura. O referido pico está na serra da Mantiqueira, ao sul de Minas Geraes, que é o ëstado mais montanhoso do paiz, pelo que Ihe foi dado o cognome de Suissa da America Meridional. A cadeia Occidental estende.•. desde a fronteira se do Ceará corn o Piauhy até á estremidade de Matto Grosso. E' a mais longa, sendo, porem, pouco elevada. Espalhadas pelo territorio existem muitas serras isoladas, algumas de grande importancia. ILHAS.- As ilhas do Brasil sâo oceanicas, costeiras, f1uviaes e lacustres. Sâo oceanicas somente as 3 Hhotas de Martim Voz, a ilha da Trindade, a 700 milhas distante da costa, e o archipelago de Fernando de Noronha, distante 196 milhas do cabo de S. Roque e 300 do Recife. Este archipelago vulcanico, pertencente a Pernambuco, é composto da fertil ilha de Fernando de Noronha, de 9 kilometros de comprimento e 3 na maior largura; da ilha Rata, rica de guano, tendo 1 kilomefro quadrado e 1 pharol; e de 17 ilhotas. Todos os Estados possuem ilhas costeiras e Ouviaes,algumas importantes e povoadas. BAHIAS e PORTOS.- Ha poucas bahias, existindo porem innumeraveis portos, alguns importantes, taes como os do Rio de Janeiro, Santos, Bahia, Recife, Belém, Rio Grande e Porto Alegre, que silo os mais importantes da Republicá. A bahié1mais notavel é a do Rio de Janeiro ou Guanabara, descoberta em 1501 Dela primeira expediçilo mandada por D. Manoel para explorar a costa brasileira. Tem 50 milhas de circumferencia, 55 metros de profundidade na barra, talhada na rocha e

?33 corn 1.500 de largura. Aclm-se entre a t:stado do Rio e a Districto redcrul, e banhü il capital da Republica e a cidade de \!itheroy. Outm bahia di~Jnil de nota é a de Todos os Santos, descoberfil cm 1)0 l, por America Vespuccio e pelo mc:smo no\'amenie vlsitüda em 150:). lem 70 kilometros de norle il sul e outras tantos de leste a oeste, e duas barros, lormüdüs pela ilhü ltapmica: a de Santo Antonio, cOin 3 ü -+ milhas de largurü, desde a ponto do mesmo nome tÍ Ironicird da refenda ilha, e il I~ illsü, desdc LI POIlti! dc Cd IXLI- prenos até a conti11(:1111"":, UIICIl'
lÎ(>.'WlllilllCd

fil)

lio

¡,tljllrlript:.

Os prlllcipdcS portos di! castil SilO: '\Jo Pilf<1-Plc\{'rn, Santo Antonio, Sol, Limoeiro, Mélrapahí, Portel, \lcll]ilçr-, (Joiubül, Plocas, Pracuúba, Marapûnirn, S(Jlmùs, (Jlliltipllrú, Cdeté e GIlrUPY. 1\]0 \,Iilrilnhiïo-Cs OilS tmhiils de S. \t1mcos e S. José, o lury-Assú, Cllmiln, Arra¡al, porç80 meridional da bühid de .s. losé; o diJ TutoYiJ e. a das f'>mreirinhas. :-.JoPldulr'!" - () di! Anwrraçi'io, formado pelo Igarassú, blëlço m<1is oricnhl do rio Parrldhyba. :\0 Cei1['Ó- O d<1¡:ortûlew, que é a principal, e a de Ciimocim, ml bûlTil do rio do lTlesmo nome, além de milIS Il. de menor Importoncia. \:0 r~¡o Orùndc do \o arte - O do 1\ùtül, ù duus rnilhi!s ilClmû di! 10/ do Potcllgy; o de Macau, cuja barro é él do ArnmÇJoso, lJrll dos bruços do rio Assú; e o dil Arcii! PlriHlCil. \iu r>iJri!hybü -- O de Cûbedello, !lU foz do rio Parahyba. Cm Pernmnbuco - Os do Recife, TamilIldaré, rio t~ormoso, ülém de outras de imporld!lcia secundaria. Lm AliJgoils - O dc ]iIfilOUi'i, parla de Maceió; a Pajussárél, f>ilrril (Jrflnoe, Cclmarilgibc. Simto Antonio Grande, P,tub,l, S. '1¡gud, I)dtc\, Porto das Pedros, Francê:s e OCqUiií. tm Sergire - O de AfilCéljÚ, nél mmgcm direita do rio Sergipe, erdre a CaDital e él ilha dos Coqueiros. \ia Bélhid - O dd cidildc do Salvador, no quai padern ancorar grimdes ndvios, exisiindo outras portos abrigados.

234
No Espirito Santo - O da Victoria, na bahia do mesmo nome. As barras dos principües rios que desagúam no oceano sào fundas, formando portos para pequenas embarcaçôes, taes como os seguintes: Santa Cruz, Nova Almeida, Rio Doce, S. Matheus, Benevente, Diurna, Itapemirim, Guarapari, Mucury e Itabapoana. Em S. Daulo- Além do exellente porto de Santos, ha outros: Ubatuba, Villa Bella, S. SebastJào, Bertioga, S. Vicente, Itanhaen, Cananéa e 19uape, estes dois na bahia de Trüpandé. No Paraná-Na vasta bahia de Daranaguá existem 3 por~os: o de D. Pedro II, o de Antonina e o de Guarak~ssaba.N~ pequena bahia de Guaratuba está o po rto do mesmo nome. Em ~;anta Catharina- Ha duas optimas bahias; a de Santa Cathùrina, entre a ¡Iha do mesmo nome e o continente e a de S. Francisco. Conta ainda outros portos: o de Itaiahy, na foz do rio Itajahy-Assú; o de T¡jucas, formado pelo rio do mesmo nome; o Porto Bello, na ens~ada das Garoupas; o Caixa de Aço; o da Laguna, o de Imbituba, o de Massiambú, ande entra o rio do mesmo nome. No Rio Grande do Sul - Dódem ser mencionados os seguintes portos lacustres e fluviaes: o do I-<ioGrande, na cidade do mesmo nome; o de S. José do Norte; o da capItal do Estado, na margem eSQuerdado Guahyba; o de Pelotas, o de Uruguayana, na margem esquerda do rio Uruguay. O porto fluvial mais importante do Brasil é o de Manáos, á rnargem eSQuerdado rio Negro, 18 kilometros acima de sua ;uncçào corn o Amazonas. E' tambem digno de nota o porto de Corumbá, o principal de Matto Grosso, á margem direita do rio Paraguay. LAGOS e LAGOAS- Possue o Brasil um numero incalculavel de lagos e lagoas, mas mencionaremos apenas os seguintes: No Pará-O de Villa Franca. Grande de- Monte Alegre, Juruty, Faro, Curumucury, Curuá Botos, Tostào, Curumú; Urubuquara, Curupitomba, Surubijú, Paracary, Uruarú, Tapary, Agua Preta, Salé, Tracajatllba do Re¡, Anabijú, Amapá, ClIlluxá, Bagres, Comprido, Redonda,

Ouro, Diamantes, Vermelho do )acundá, Sapucuá, Ma~ racá, na ilha do mcsmo nome; e Arary, na ¡Iha de Mmajó. No 'vliHanhaoO de Maraeassumé, Cajary, Aqui~ ry, Cruvinas, Escal\'ados, Fartura, Funil, Taboa, Magú, Morte, jacmehy, Cùfllndocëi. Lùguillho, laveira, Grande e lagoa da Matta, onde nasce o rio Codá. No Pinuhy - As logoas de Parnaguá, Dourada, Palmeiras, Matto, Ibiraba e Itans. \lo Cemá - Igudú. Cabcceiras, Trahiry, Igarassú, Meceiana, [ncantûda, Urumó, Sarco da Velhd, Lagoa Gründe. COI1Cl':I(.:,l(j~ f)dlTrl AltR No I~io Grandc do '-!ortc - Apody, Piató, Papary, GUélfahiras e Lxtremoz. Nüs Alagoas[' grande o numero de lagoas existentes ncste t:st'ldo, sendo as principdes as seguintes: Mùnguabù, com 50 kilometros de comprirnento c 6 de largurù; a do ~orte, com lJ kilometros de comprimen~ to c 12 de largura; il Gequiá, Taboleiro, Escura, Pa~ cas, Doce, Comprida, Mangue, Taboado, Azeda, )acarecicù, Niquirn. rm Sergipe- A do Cedro, Caiú, hcmial, Algodao, Cabo, Vermelha, Mastros, Grande, Tübúa, Secca, Aleixo, Poço Azul. Itdcélflcma. Cabrita, Varzea Ver(k, Ca~ chorro, ~ipá, [spinho, \t1acano, Zambi, Canoél, Feiticciri! c Breiào. \lé!. 5ahiùAs do Dique, Itahypc, Secca, Malheiros, Branca, Itapmicfl, f3agres. Encantada, Carlos f7a_ gundes, Sacco Gronde, Conceiçâo, Timotheo, Mormosa e Poxim. ;\0 f.spírito Sonto- Mile-Bá, luparana, Aguiar, Pùlmas, A viz, Meio, Cccy, Morobá, Caculllcagem, Funda, Monte Alegre, Caixilo, Domad;), Limao, Pao Doce, Pau Gigante, Boqueirao, Choro d'Agua, Tena Alta, JuparanaMirim, Testa, S. Martim, )acunem, Piabanha, Taquaral, 130él Vista ou Tabuá. ".'0 [Stado do I<io - A feia, Araruama, Saquare~ ma, Campello, Maricó, Carapebús, Imboassica, )uturnahy~ ba, Cornpridil, Salgada, Matto, CururUpin<l, tPiabanha, DmJlisÍél. lurllbatibù e laearé.

236 No Districto federal- Marapendi, Camorim, Jacarépaguá e Rodrigo de freitas. Em Santa Catharina - A do Sombrio, Caverá, Estevào, Urussanga, Jaguaruna, Laranjal, Camacho, Quadros, Santa Martha, Laguna, lbiraquera e Encantada. No Rio Grande do Sul - A dos Patos, corn 303 kilometros de compnmento e fXJ de largura, communicando-se corn a Atlantico pelo estreiio denominado Barra do Rio Grande; a Mirim corn 173 kilometros de comprimento e 54 de largura, communicando-se corn a do~ Patos pela rio S. Gonçalo; a do Albardao, corn 130 kilometros de comprimer.to e 6 a 1L de largura. Em Minas Gerae5-A Grande, a Santa, a Agua Preta e Santa fé. Em Goyaz- A Feia, a Formosa e a Grande, esta na ilha do Bananal. Em Matta Grossa-A Mandioré, Guahyba, Uberaba, lamengos, Amolador, Rabeca e il Xarayés, depositas alluviaes permanentes formados pelilS enchentes do rio Paraguay. No Amazonas- Encontrarn-se innumeravcis bgos e lagoas, ás margens do grande rio e dos seus principaes affluentes. RlOS- O estudo da rêde potamographica de quôlquer regiao é ¡;) chave para a soluçao de problemas importantes. Os rios brasileiros sao de origem pluvial e poucos os que teern suas nascentes,fóra do paiz. Hil urna só vertente, quer dizer: todos elles, directa ou indirectamente, desagúam no Atlantico. A bacia do Amazonas é a mais importante, nao só do Brasil mas tambem do nosso planeta. Calculase Que a Amazonas e seus tributarios pOSSllem63.360 kilometros de aguas navegaveis. Nasce a grande rio nas altas regi6es do Perú. Emterritorio peruano é chamada Marañon; ao entrar no Brasil toma a nome de Solim6es até a foz do rio Negro, e dahi em diante recebe a nome de Amazonas propriamente dito até entrar no Atlantico. lem um curso de 6.ooU kilometros, dos quaes cerca de 4.000 pertencem ao Brasil. Na época dds enchentes, de Fevereiro a )ulho, occasio-

'!.SI

nudus pelo dcgelo dos Andes e por chuvas iorrenciùes, n50 se (wistam as ribunceiras, cm diffcrentcs lugures: a rio dssume entilo proporc;ôes de verdadeiro mediterranelJm mare. Sua largura varia: élO entrar !la Brasil ella mede 2.T1'S metros, tendo ) 000 !la foz do Madeira e 13.000 na do Xingú. Ao pcnetrur no oceano a fia ülmga-se extmordinariamente, formando notahilissimo estuurio de 333 kilometras de largura. Dó-se no Amazonas um phenomeno curioso él que dào a nome de porNócd. Attribuem esse phenomeno dO choque das duas aqUi1S, ¡sto é, qlJilnrlo a eorrente rb mfHé sobrcpuil1 ¡) COilellÎe ÍÍuviai. A porarûcd dura tres dliJs, nas mmés de plenilunio e de lua nava. lnc1wm as aguéls, empünturra a rio. O vuglllhào que sobe altereso en!lovelù-se e estourô como a trovilo, ouvindo-se a estampido ù duas leguas de distanci¿l. Outras vugülhêics dppurecem cOllvulsivos, mregnçùndo as (IYUdS e leVillltùndo trincheiras de espumllS. I:ntre os ùffluentes import¿llltes do Amazonas dcstüeüm-se, na margem direita os rios lüvmy, que ndsce no Perú; Iutahy. Juruá, Teffé, Coury, PlIfÚS, \1ddeiru. fornwdo nü Bolivia pela jUllcÇ{iO dos rios Ikni e \r1ümoré; TüPéljo7. formüdo pelos fias JUfllemù e Arinos, e a Xingú. Os principaes tributílrios do Amfl/'Qnas, dd mdfgem eSQuerdù, sao: a lçá, que desce dos Andes colombinnos cam a nome de Putumayo; o JùpurÜ e a Negro, que tômbem nascem nô Colombia; a lamllndá. o Trombeta5, O Tocantins nilsce no sul de Goya/.. na lagon I"ormOSél, corn a nome de Mélfi1nhào; km 3.000 kilometros dc curso, dos quaes ::>.200 se desenvolvem pelo territorio goyano, e desdgúü no oceano, cam a nome de rio Pm6, por um cstuurio de lO kilometros, desde el extremidade oriental do cabo Maguary até a ponta dn T¡joca O Alto Tocantins, desde a foz deste rio até a burra do Araguaya, e que pertence a (Joyaz, é nnvegavel da cidnde de Palma para baixo. O re~to do rio, na parte comprehendida em Goyez, aprcsentù urna serie de cechoeiras, eOlredeiras e outras obices á navegaçào. O Bdixo Tocanfins, que tem tdmbem o no-

23fi

me de rio Pará, apresenta igualmente embaraços á passagem de vehiculas fluctuantes. O affluente mais notavel do Tocantins é a Araguaya, da margem esquerda, a que os indios Carajás chamam BerOCêL'l(rio Grande). Nasce na serra de Cayapó Grande, em Matta Grosso, c tem 1.%0 kilometras de extençao. Em certo ponto de seu curso dividese em dais braços, formando a maior ¡Iha fluvial do mundo-a do BananaI. O S. Francisco (1) nasce na serr<l da Canastra, em Minas Geraes. Atravessa Minas e Bahia, constituindo él grande arteria fluvial de5tes dais grandes Estados da Uniao e desagúa no oceano, por dois canaes, tendo um curso de 3.160 kilometros. E' dividido em Alto e Baixo S. Francisco, pela Cachoeira de Paulo Affonso, situada entre AI~goas e Bahia. E' em grande parte navegavel, sobretudo desde a foz áté Piranhas, em Alagoas, nô distancia de 250 kilometros. A cachoeil'a de Paulo Aftonso é urna das obras maravilhosas da natureza. A seu respeito disse o Dr. Theodora Sdmpaio: «O espectaculo f. devéras, indiscriptivel, tao vario, tao grande, tao estupendo elle se nos offerece, através dos mais bellos effeitos de luz e càroado corn a diadema phantastico, fugindo do Iris, tantas vezes apilgado quantas renovado ao embate da luz obliqua e dos vapores ascendentes,que nao me sinto corn forças para pinta-lo. «PenIlo Affonso vê-se, sente-se, nao se descreve.» Rio Paraná- Tem suascabeceiras em Minas Geraes, senda formado pelil juncç80 dos rios Grande, que nasce na serra da Mantiqueira, e Paranahyba, que se forma na serra da Matta da Corda, formando estes dois rios o Triangulo Mineiro, entre S. Paulo e Goyaz. Tem 4.290 kilometros de extensao. E' um dos mais importantes do Brasil, por sell longo curso, pela natllreza das
(1) Foi assim denominado por ter sido descoberto no dia de S. Francisco, a 4 de Outubro de 1501, por Americo Vespuccio, sendo sua barra rela primeira vez transposta, a lO de Outubro de 1556, por Duarte Coelho Pereira. primeiro donatario da capitania de Pernambuco.

tclTdS que dtro\CSsa, pel¡IS cüudülosds torrentes que recebe, par suas mnjestosas catiJdupüs, pelas bOdS condiçocs de nnvegabiJidade em grande pdrte de seu leita e por muibs vdntagens que serâo aproveItadds quan· do (j locornotivn silvar em suas margens flcas, csplcndidas, mùgnificas fórma diversos saltos, senda mais notavel a das Sete Quédds ou do Guayra, entre a htado do Paraná e a ~~epublica do Paruguay. I~ecebe numerosos affluentes, senda a rio Paraguay a milis notavel da mmgem direitô. CLIMA -. f)(>]i.l SU,] enorme vAstidâo, o Br(lsil possue quasi todos u:, C¡ílll<j:,. flllburd ~iludJu iudu eutre os hOPlcos e cOl'jüdo pelo equador ni} pmte septentriOI1<ll, possue cm gerul um clima mais sU¿lve e sùlubre, dcvido !lào só á constituiçào do terreno, como tarnbcm ás condiçoes de ültitudc, vegctdçi:ío, corrcntes i1CrCdS, prll1clpi1lmenk dos ventas ¡¡{¡su;:,. Aa norte a c1ifTIn é quente e humldo, milS iIttenuado pela brisil constûnte do nHlr; (lO sul é tcmperudo e secco. \Jo interior do paiz, em certas altitudes, a elimü é de lima suaviddde como os rnlllS !'cputildos dil [uroPi1. Sao TIa Brasil lIot¡weis as riqllcws clirn,1fcricds. Devida á \'flstidâo territorial, ós difkrençns do seu rclcvo C das 1Iltitudes, temas todos os climos, dcsde a quente do \ítoral e dos lugares baixos do 1I0rte e do interior do paiz nté a fria e a tempcfi1do dos pl¿mùltos. tia 501 equôtorial que tisna ¡-¡s f1orest(ls do septcntri5.'J e gcadas que ùlvciarn as céHnpinns do sul. T50 VélSto é a Brnsil que naturillrnente se divide cm grdlldes regioes distincfas, nào obstante-. {î llnidade geogUlphico do todo. Cuda [stüdo da U:liâo tem c1imlls diversos, senda reputado e xcellente a do sul dn Repllblica, ande 05 europeus se aclirnarn focilrnentc. Póde-se dizer <lue a clima do Brasil é saud;lvel, pasto que grassem endemicilmente a impRludismo e 05 verminoses (ancilostomiase) sobretudo, nos lugélres baixos e humidos. ~50 é somentc 1I zona allstral que se recomrnenda pela slllubridùde do clima: no norte do paiz, no interior do Cemi1 e de outras htados hi! lugmes pma-

240
disiacos, de clima suavissimo, confortaveI, verdadeiros refugios de tuberculosos. FLORA- [' das mais opulentas do mundo, pela abundancia e variedades de especies preciosas, das quaes sâo conhecidas milhares, muitas descriptas na flora Brasiliensis de Martius. Nossas selvas imponentes encerram preciosos productos que jázem intactos, sem que o braço do homem diligente tenha podido aproveital-os, «Su<::-t delicioso frescura, disse Hooker, encantam o viajor, que admira ao mesmo tempo as prodigiosas dimensoes dos gigantes dessas florestas, o inaudito vigor da vegetaçâo luxuriante e a extraordinaria variedade de fórmas vegetaes que apresentam. Nâo satifeitas em produzir esses colossos vegetaes, a natureza ainda reveste-os de numerosas parasitas e f1exuososcipós, que misturam suas folhagens e swas flores corn as arvores Que Ihes servem de apoio. f:mQuanto as florestas européas apresentam um aspecto monotono pela insignificante variedade de :mas essencias, as florestas virgens do Brasil nos offerecem urna multidâo de arvores de differentes especies, variando todas nâo só por suas dimencoes, fórma e porte, como tambem pelo colorido de sua folhagem e matiz de suas flores.» O Estado do Paraná é riquissimo de herva matte e pinheiros. O pinheiro é vantajosamen1e empregado na construcçâo civil e naval, e na mnrcenaria. Incomparavelmente superior 00 norte americano, ao c(')nadense, ao sueco e ao russo, vae dia a dia alcançando grande cotaçâo nos mercados nacionaes e platinos. Só na flora epiphyta o Brusil offerece t .059 especies, sendo admiradas suas orchideas. «Ha em nossa Patria, dlz o Dr. Nicoláu Moreiru, innumeros elementos naturaes capazes de eleva-a á culminancia de primeira naçâo agricola do mundo. A vastidâo, porem, do territorio, a pouca populaçâo disseminada em tâo ampla regiâo, a carencia de capitaes, a mingua de instrucç80 profJssional, a immobilizaçâo de grandes sommas e grqndes estensoes de terras baldias, e tambem a falta de vias de communicaçâo faceis e baratas, hgilndo todos os centros produ-

241
dores aos mercados consumidores teem retèudado a expansdo progressivn do Brasil. Mas, felizmente, começa i1 despertar urna phase de notavcl progredimento. A idéa salvadora d::I vulgarizaçao do ensino por todas as camadas de sociedade; f:I iniciativa particular, tao fecunda em resultados PrutICOS; a intcrcsse dos poderes publicas em amp,Hilr as industrias incipientes e antigas; a vinde:l de immigrantes ordejro~ e laboriosos garantem-nos uma éra illuminada e feliz.» Gründe é a quantidadc de plantas alimentares, forragin05i:1s, indushiacs e medicinaes existentes no
Ddll.

A AmélZolllil é a rcçliilo du sennguelra, tdmbem abundèllltc no Territorio do Acre e no norte de Matta Grosso e GOyûl. Cam cfîcito, a flevea brasiliensis é a Tr.ina vegetal, il drvore do ouro da plaga amazonica. Vive sem clJlturù éllÇ1uma,vegeta no ernmaranhado matto virçJem. O t)rasil é a terra predilecta das palrneiras, de que ha muItéls csnecies, sobresaindo il carnaúbeira, de excepcional belleza e de grande Iltilidade. l-:AU~A I:.JD1GC'¡A.- l' lnmbem riquissimo a con¡uncto de iHlimiJcs exiskntes no F>rosil, sobre a quaI a Suprema força derrurnou seus dons profusamente. ]\jus h(:lhlélS e partos dél costa, nilS léJgoas e nos rios que se esncdhéJm cm lahyrinlho sobre todu a superficie do nosso territorio v¡vem inextinguiveis cardumes, peixes de diffcrentcs especlcs e dimens6es, muitos dos quaes lornecem preciosos recursos á ulimenti1çào do homem, O sdbio suisso Luiz Agassiz encontrou no AmalondS 1.1D especies de peixes, pelo que considerou adrnirilvel il opluenc:i:1 icthyologic'1 brusileira. Por emincntes nüturûlishs tem sido proclamada il supremucict dd f'HlIlél oï!lithologicil do Bri1sil, que sobrepuiu u de todos os pui/cs americélnos na variedade de fórmu, no matiz dé1 plullagem, nu multiplicidade de individuos e /là melodia suavÍssÍma do gorgeÍo dos paSSéHOS canoros.

\-<[1:\0 \tI]"JD~ÀL- O reillo
um dos mùis ricos e voriados do

mineral do Brasil é mundo. De Minas

242 Geraes, Ooyaz e Mafia Grosso 'extrahiu-se, nos tempos coloniaes, avultada Quantidade de ouro Que deu fausto ao erario da metropole. Após alguns annos da descoberia do Brasil, parte do grande territorio do interior, Que depois foi denominado Minas Geraes, se tornou celebre por sua enorme riqueza mineral, representada r:-rincipalmente pelo aura e l)edras preciosas. Par este facto Minas Geraes afirahiu a attençào dos aventureilos, dos emboabas, das EnJradas e Bandeiras,famosas expediç6es Que se organizavam para a expJoraçao e conquista do interior do paiz. «Minas Geraes, diz Paulo Walle. a nome a indica, épor excellencia a regiào das minas, e sua historia foi feita sobre ar.hados maravilhosos de aura e diamante~" operados por antigos aventureiros paulis-. tas, sempre a procura de um nova Eldorado.» Goyaz é outra regiào rica de mineraes preciosos. Grandes thesouros existem alli a granel, tao abundantes Quào abandonados, devido á difficuldade de transporte e á carencia de braços. O ferro é abundantissimp, sobretudo nos Estados de Minas Geraes, Bahia, Goyaz, S. Paulo e Paraná. Na opiniào do Dr. Gonzaga de Campos, a Brasil é a maior campo ferrifero por lavrar conhecido no mundo. Dizia a sabio HenriQue Gorcex Que em Minas Geraes só a minerio existente em urna superficie do raio de 10 kilometros, a partir de Ouro Preto, é sufficiente para produzir 100 milh6es de tonelladas de ferro; e, pelos calculas dos engenheiros Calogeras e Arthur Guimurfies, só a conglomerato ferruginoso ou ganga existente na bacia do Gandarella póde produzir ôO miIh6es de tonelladas desse metal. O manganez existe em enormes depositas naturaes, especialmente nos Estados da Bahia, Goyaz, Mafia Grosso e Minas Geraes, senda neste bastante explorado em Miguel Burnier, Queluz, etc. O Brasil é a maior exportador de areia monazitica, existente no litoral da Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro, e tambem em Minas Geraes, nos municipios de Mar de fspanha, Palma e Alêm Parahyba.

?·n
O ùiamente tem sido explorado na Bahia, Minas, Paranó (municipio do Tibagy), e Matta Grosso, no rIO das Oraças. Outras pedras preciosas existem, taes como as saphirds, granadas, tOPùl.ios, turmalinas, etc. O carvâo de pedra é explorado no Rio Grande do Sul, em Santa Cnthurina e no Paraná. t:' a pail. riquissimo de aguas mineraes. O unico btado que as espac á venda é Minas Gerues. No Paraná, apcsar de exi~tirem excellentes fontes de ùguas t!lf'rmilCS, a\cùlinns, sulfurosas, ete., só é
cOllllllcrci<1illle¡¡ie CXpiOldÙd CI fûilfc

de Ouro

f'/!?(),

distante cerca de 5 leguas dû cidode de Campo Lmgo e -¡ de Coritiba. Das fontes de ('guas mineraes de Gumùpuava, a mais procumd¡j é a de Santa Clam. Gozam tambem de merecido rcputaçào ns dos municipios de Palmas e Tibagy. INDUSTRIA r:XTRACTIVA. - A borracha constitue a rama mais importante da industria extrtldiva do Brasil, figurando esta em segundo lagar nos quadros estatisticos da exportaçâo nacional, nos quaes a seu valor só é excedido pelo do café. A borracha da seringueira é explorada no Pará, no Ama7onôs, no Acre, em Matta Grosso e Goyaz. Em outras btados do norte extrahe-se tambem muita borrachi! da mangabeim e da maniçobeira. As cidades de Manáos e Belém 580 os prillcipaes empori05 nacionaes da borracha. Depois da borfélcha, a hervd nwtte occupa a segundo lugar no quadro da nossa industria extractiva. O fTwior porto exportador de matte é Paranaguá, seguindo-se a de S. Francisco em segundo lagar e a da raz do Iguassú, em terceiro. Dos 120.000.000 de kilos de maite exportados annualIncnte pelo Brasil, cerca de ao.ooo.OOO seguem para a Argentina, 30.000.000 para a Uruguay e 10.000.000 para a Chile. E' a maite a terceiro producto da expodaçào nacional.

244
Os Estados do norte produzem piaçaba, cera da carnaubeira, senda a Brasil a primeiro productor de cera vegetal, figurando em segundo lagar a )apao. Produzem tambem os seguintes artigos: castanha, extrahida da BerlhoJec/é1 ExceJexà, arvore que espontanea e abundantemente cresce na Amazonia e cujo valor commercial provém da quantidade de oleo que a fructo produz; a camarú, favas de que se extrahe delicado oleo que serve á perfumaria e contra certas enfermidades; a baunilha, a andiroba, de cujas fructos se obtem azeite que dá boa luz; guaraná, producto de urna planta trepadeircl e corn a quaI se prepara excellente bebida muito élpreciada como estomJcal, refrigerante e antifebril. Matta Or05so é rico de poaiil. Possuindo diversos climas e variada zona vegetativa; coberto de florestœ; gigante:o.cas, a Brasil offerece á industria notavel quùntidude de OIadeiras de grande resistencia, belleza e durabilidade. Em summa, este péliz tem grande opulencia florestaI ainda intacta. enorme regiao madeireira co. berta de notaveis mattas virgens. Mas toda ess'l reserva, toda essa riqueza, accumulada durante seculos, está inexplorada ainda no interior da Republica por falta de m~ios faceis e economicos de transporte. A producçao mineral é representada pela exploraçao de ouro, ferro, carvao de pedru, manganez, areia monaziticél, cal, sal, etc .. A producçao nacional de sal é calculada em mais de dezeseis mil contas de reis. Brasil pode produzir curvào para a seu consumo e tarnbern a ferro e aço. Tuda depende da exploraçào sysfernalica de nossas minas. O ferro é abundmte. A Usina Esperança, em Minas Geraes, é a unica que se mantém como fonte de recursos ás fundiçôes e officinas mechimicas nacionaes. Existem diamantes em Minas Geraes, Bahia, Matta Grosso, ûoyaz e Paraná. A exportaçào de manganez augmenta. À pesca ainda nào está convenientemente org.Jnizada, apesar de contm a paiz corn grande riqueza ict~yologica.

F:

a

/.4') INDUSTRIA AGI~ICOLA. - O Brasil possue grande reservù de terras natentes Par sua situaçào geogruphica, por suas condiç6es c1imateflcas e geologicas está fadado a ser 11m paiz de gfùnde producçao agricola. «[ quem estuda a Brasil pelos lados ecollomico, social e politico, diz Waldyr de ;\;iemeyer, descobre facilmente os mais promettedorcs han/antes. Silo estes horizontes sadios e reluzentes que vao afastando a pessimismo corrosivo e semeiJndo él fé profunda na grandeza de nossos destinos. Temas de ser a prímeiro paiz na America Latina e por isso dispomos de todos os c1ement()~ flrimord¡fH~s: !"xtensüo tcrritûriül, ::.upeflofldnde numerica de populuçào e um rcpedorio va "tissimo de energias que oro 511hem de sua vida embryonariil. » () territorio nacional, ümplo, fecundo, pleno de thesouros n<lturnes de toda especie, offercce vnsto Cilmpo pélf<l a seu descnvolvimcnto materiùl. A plùntiJ mais cultivada no Brosil é a café. A quuntidade colhida ùnnuulmente ni] Republica é incomparavclmente maior do que a fornecidu por todos os outros pailes que tambem cultivam esta planta. O caCélU é outra producto agricola colhido em grande qUiJntidade. Depois da Costa do Omo, a Bri1síl é a major exportador de cacau (1 J. f' a Brasil a segundo pro dudar de milho, estunda em primeiro lagar os btildos Unidos. O arroz é cultivado em grande porç50. De Importadores püssamos il cxportadores. A mandioca é cultivndél em todos os fstüdos, senda consumidü no paiz e exportiJda para a extefiar. O trigo é cultivado somente no Rio Grande do Sul, e em pequena escala cm Santa Catharina e no Paraná, onde existe a plantio de centeio nas 10cùlidiJ: des povoadas por immigrantes allemiles e polacos.
(1) Em \lJ25 a producçao de cacau I'oi a spguinte. cm toneCosta do Ouro ... HlHJK I ~ Brasil .. 55.ti( K 1

ladas:

Equfldor

:n2m

246
O Brasil, Que já foi o maior productor de assucar, no seculo XVII, vai augmelîtando a sua satra e, systematizando as suas installaçôes, poderá adquirir posiçào importante nos mercados mundiaes. Os Estados mais productores de assucar sào: Pernambuco, Que é o grande centro da industria assucareira nacional; Parahyba do Norte, Rio de Janeiro, Minas Geraes, Alagoas e Bahia. Os Imtros productos valiosos sào o algodao, batatas, teij 'io, cebolas e tabaco, muito cultivado em todo o p¡¡iz, sobretudo nos Estados da Bahia, Rio Grande ¿o Su\, S. Paulo, Minas Geraes e Goyaz, (1). A viticultura tem prosperado em Minas Geraes, S. Paulo, I~io Grande do Sul, Santa Catharina e Paraná. As frudas que o paiz mais exporta sào, na ordem de ~ua Quantidade: bananas, laranias, abacaxis, côcos, bébassú, castanhas, abacates, etc. As bananas, Que sào dS frudas mais exportadas, saem, principalmente, do Rio de Janeiro, Santos, Paraná, Santa Catharina e Rio Grande do Sul para a Inglaterra, o Uruguay e a Argentina. Os figos, as ameixas, os kakis encontram tambem optimos elementos de prosperidade no Brasil meridional. O Brasil é dos mais ricos estados em frudos 0leoginosos, cujas applicaçôes sào cada vez mais variadas nas industrias modernas. INDUSTRIA PASTORIL.- Attentas ás excellentes condiçôes de suas enormes pastagens naturaes, o Bra-:sil, paiz vasfissimo, de multiplos recursos naturaes, offerece sobeios elementos de prosperidade á creaçào de gado. Entretanto esta industria ainda nào attingiu á culminancia él Que tem direito, esf¡:mdo em algumas regiôes Quasi Que entregue aos unicos recursos da natureza..

(1) O Brasil é o 3.0 productor de tabaco do mundo, estando cm 1.ologar os Estados Unidos c cm 2.0 a Russia.

;}..rf

Os btados mais urmentosos sâo: Rio Grande do Sul, Minas Gcmes, Bahia, Motta Grosso, Goyaz e S. Pilulo. Os dais primeíros teem na pecuaria um grande e crescente füclor de riqueza, que poderá por si só assegurar-Ihes a equilibrio economico. As especies mais numerosas no paiz sao d bovina, a porcinél e a equina. Já cxistem na Republica grandes matadouros frigorificos. A entrada de carnes congeladas do Brasil no extrangeiro é um facto rccente e data do segundo anno da guerra euronéo. [' corn effeito notdvel i] SOllHllf! do~ recursos IlühJrnf'~. que o lm:lsíi ¿¡presentû fi peCUélfla.Mas, devido á cmencid de ol'lentaçao zootechnica da parte da maioria dos estancieiros nacionaes esta industria all1da nao OCCUPël situaçilo preponderante no economia nacionôl. Entretcmto nâo está longe a época cm que o Brüsil será klvez lIm dos maiores fornecedores de productos da pecuaria, si se utlender aos grandes elementos de que dispoe para tornar importantissima él creaçâo de reb¡mhos. O Brasil, antes dn Grande Guerra, era importador de xarque, senda hoie exportador deste producto. Prospemm as industrias derivadas da pecuaria. Minas Geraes é a maíor exportador de productos lacticinios. A industria butiríca faz lambem progressas nos t:stados do Rio Grt1nde do Sul, Santa Catharína e Rio de lùneiro. Os mùiores ímportadores do couro brasileiro sao os Estados Unidos, a Inglaterra, a frança e a Aller

manha.

INDUSTRIA MANUf ACTUREIRA.- Esta industria é representada por innumeras fabricas de differentes especies. A industria brasileira de tecidos, principalmente, nao só no ponto de vista economico, como tambem no ponto de vista technico, represento actualmente um valor consideravel. Nos suas diversas modalidades, desde o nlgod50,

24ô
a juta, o linho, a lâ e até a seda, póde já concorrer corn cerios artigos extrangeiros. H~ innumeraveis fabricas de moveis, chapéos, calçado, roupa, renda sedas, sabâo, velas, perfumaría, charuto, cigarro, rapé, phosphoros, papel, louça, vidro, massas alimenticias, banha, cerveja, licores, agua gazoza, cachaça, telha, tijollo, ladrilho, vassoura, escovas, ferragens, sola, instrumentos de lavouru, objectos de luxo, productos pharmaceuticos, etc., etc. S. Paulo e o Districto federal sâo os pontos onde a nossa industria manufadureira está mais desenvolvida. COMMtRCIO.-O movimento commercial do Brasil, tanto interno como externo, é consideravel. Mùntém transacçôes corn os principaes mercados mundiaes e sempre em ~scala ascendente. Os principaes productos da exportaçâo brùsileira sâo: café. borracha, matte, cacau, assucar, (1) casfanha, coquílhos de bùbassú, banha, carne congellada, couros, lâ, sebo, cera de carnauba, farinha de mandioca, tabaco, algodâo, arroz, xùrque, feijâo, madeira, ouro, manganez, areia monazitica, frudas, etc., etc. A exportaçâo de oleo de cùrroços de algodiio começou corn a Gmnde Guerra. O intercambio com os Estados Unidos, a Argentina, a Inglaterra e outros pùizes lem crescido admiravelmente. O Rio de Janeiro continúa a ser o meior porto importador, ù grande praça de distribuiçâo. O movimento dos outros portos nacionaes, posto que menor do que o do ùcima referido, é tambem considemvel. O 2.° porto é o de Santos, o :s.0 é o do Recife, o 4.° o da cidade do Salvador. A importaçâo é tambem colossal. O Brasil rece(1) Augmenta a producçao de assucar: em 1922 as remessas deste producto subiram a 252.111 toneladas. marcando assim um 1'pcord em n0880 movimento dos ultimos tempos. Tudo indica que o Brasil ainda poderá ser o que roi no seculo XVII--o maior productor de assucar do mundo.

be cürvao dos Fstados Unidos e da InglatcrfíJ, tecidos, ferragern, trigo, vinho, ilzeite, bacalhau, tinta, louça, artefactos de ferro e de aço, rnachinismos, papel, cimenta, automoveis, objectas de luxa, instrumentas musicaes e cirurgicos e muitos outras ortigas da industria norte omericana c européa. O paiz consome grande quantid<lde de trigo Importada na mór parte da Argentina. VIAS Dl:. COMMU'\lICAÇÂO. -O 1ransporte é kita rela novegi1ç50 milritima e fluvinl, pelas estmdas C¿lffOÇil\'cis e por vié¡çào fcrrcil de milis de 30.000 kilometros de extensao. Se a ()félsil tívesse umél completa e perfeitél rede ferrovimiil que estendessc suas malhas pela intcrior do PélÎz; se selJS IflcalculélVeis rios fossern utiliwdos pcla navegaçao il vapor, scm dlJvida él SlJo expansdo commcrciéll jti tcriù tocado ao apogClJ. Apesar de nao dispor aind,l de facilidade de transporte, de um bom systema de viaçao, emprehendimento difflcil de ser levado él effeito, attenta il va5tidao do territorio nacional, todavia nao se pódc dizer quc a nosso c:ommercio nao lem avançado. A,) contrario, nao obstante esses obices e élS crises por quc ils vezes teem rmsséldo seus principacs productos de cxportaçao, elle vem de progrcsso e([l progressa desde J~Oô, época cm que D. Joao VI ¡¡ssignou nü [)élhlü él carta régia, autorizando a abertllfa dos portas brasileiros ao commercio de tOdé)S as naç6es allligéls. O intercmnbio interestadoéll tambcm uugrnentél quotidianamentc, favorecido pela navegaçao C'osteira e pelùs cstradüs de ferro em trafego, infelizmente ainda pOLlCOextensas. Os célminhos de ferro sao a idcal dos meios locomotivos. Suprimem distanciéls, facilitam a circulaçao da riqueza, valorizam élSterras e dao grande impulso ás industrias. S. Paulo, Minas Geraes, Rio Grande do Sul, ~~io de Janeiro e Bahia sao os Estados que disp6em de mil ¡ores redes ferrOViarias. Matta Grosso e Goyaz cstdo w) COruÇdOdo f)rdsil, ande tudo está por fazer. Progressa notélvel apporece-

250
rá aIli, no 'centro do paiz, quando as estradas de ferro, fadores importantes da evoluçao humana, cor~ rerem por aquella plaga maravilhosa, NA VEGAÇÀO.[' teita ainda em peQuena eSCdla, tanto a de longo curso, por navios brasileiros e extrangeiros, como a de cabotagem pela frota das companhias nacionaes. Infelizmente a cabotagem nacional deixa muito a deseiar, devido á falta de material sufficiente para satisfazer ás necessidôdes crescentes do commercio. A navegaçao fluvial é mais adivd no interior 'e sobretudo na regiiio septentrional, onde a rio Amazonas e seus tributarios sao sinyrados por vehiculas fluctuantes. Manáos é a mais importante porto fluvial do Brasil. Offerece notavel fundo e capacidilde sufficiente para accommodar até mesmo umd grande eSQuadra. O rio S Francisco é importante «estradél Que anda». O rio Paraguay apresenta dois portos de valor: Corumbá e Porto Esperança. A extensao de nossas linhas telegrc1phicas augmenta satisft:lctoriamente. O serviço dos Correios, Que está a cargo da Uniao, torna dia a dia maiores proporçôes, em conseQuencia do augmenta da populaçao e do desdobramento das relaçôes socléles e economict:ls da I<epublica .. O serviço telephonico é explorado em Quasi fadas as capitaes e outras cidudes dos r:stildos, feito exclusivamente por empre'SélSparticulares. O Estado de S. Paulo possue um serviço regulélr de telephonia urbano e inter-urbano. tendo communicaçâo telephonica entre S. Paulo e r~io, - a maior distancia em trafego regular. POPULAÇÀO, - Na America do Sul a Brasil occupa a prillleiro lagar qUilfitO á superficie e á populaçtio, estando em segundo él Argentinu. Apesar dus operi1çôes censitarias realizildas decennalmente, após a procIamaçào da Republica, ainda

251 nao é conhecido cxactamente a numero da POPUlllÇ80 nacional. Attendcndo-se á corrcnte immigrantisté1, que nao cessa de affluir ao Brasil, é a natalidade, indubitavelmente superior fi sommü de obitos, póde-se avaliar approximmJarnenfc (1 populaçào uctuLlI da Republica em :~6.490.()OO habItantes. Achü-se irregulmmente aspalhûda pelo territorio nacional, occupando de preferencia él zona da costa, atlantica e élS mmgens dos rios navegaveis, Apenas cm \1inas Geroes, Lstudo müis populoso di) Rcpublica, (. qlw () (Jll\'ûéliï1Cnto sc lez consideravclmente, destac¿lfldo-se dd rCÇJrélacrdl, sem dUVlda cm consequencia dds gemmas de Dii1müntinél, do metal precioso abundill1te cm Ouro Preto, cm Ouro rino e em outras sitios di:1quella regiilo cubiçada. \·1illto Grosso, GOYilZ, Amazonas, a Acre sao plagùs qlJa~1 descrtus, posta que oftereçam incalculaveis thesouros naturùcs. O cscriptor M,x-I.eo Gerard, que acompanhou, em 191.0, a l'ci Alberto I ao Brasil publicou intcressante opusculo referente (lO nosso paiz e intitulado « Un gründ pays: le Brésil. Max-Leo encerra seu trdbdlho assim: «Quiz vos fa/el' sentir, ncste trabalho, nao somente minhd ildlTllrdç¡}o pcliJ cspiendidéJ nillllfeza e as riquczûs innuTTlc:ûveis do Brasil, mas igualmente minha v¡vu, profundd e sincera symp<llhia pelo pavo brasileiro. "O PO\'O brélsi!ciro é de lImél cultura essencialmente l(jtina. lile é funddlllelltdlrnentc arnuvcl, cartez, cordial nas rclilç6cs, ùmélfldo il libcrdadc e il igualdade. h1Z bom ucuihirnento no cxtrungeiro e Ihe dá unld hospitiilidade cdlarosd e delicada, que [junco poder50 esquccer os que tiverarn a privilegio de experirnentilf seu Y<llor. «Ulc é digno dos dons que ii fortuna Ihe deu largamente, ~ c>shí opio a seguir seus' grandiosos destmos». O not¡¡vel proíessor Chmles Sarolea, cathedratlco dll celebre Uníversidilde de ldímbmgo e que tambern fez pùrle da comitiva do rei du Bclgicü, reurcssando á [uropü, cm conferenciu reulizudü no [scossia, disse

252 «Na superficie, o Brasil nâo é um PaIZ, mas um continente. Tem trezentas vezes o tamanho da Belgica. E' quasi igual aos Estados Unidos e mais do que a Europa, excluindo a r~ussia de leste. Urna consideravel parte desses vastos territNÍos sao planaltos elevados, de clima saudavel e favoraveis á colonizaçao européa. BrasIl tem longa costa, corn magnificos portos e possue corn o Amuzonas e seus affluentes o principal syskma fluvial do planeta, o quaI permitte aos vapores de alto mar penetrar, terru u dentro, 3.000 milhôes, até o verdadeiro coraçâo do continente. «Urna natureza generosa offerece em ¡Ilimitada Quantidade toda qualidade de productos como a borracha, o café, o tabaco, o assucar, o arroz, o milho e a carne. E' mais simples enumerar os artigos que o Brasil nao produz do que mencionar os que elle produz. subsolo nao é menos produtivo do que o solo. lem todos os productos mineraes, a prata, a platina, o ouro, e os diamantes; e o Que mais import¿mte pard o futuro tem em abundancia o ferro, o carvao e o petroleo. Visitei no Estado de 1\1inasGeraes a mina do Morro Velho, explorada por tscocesês, a QuaI produz ouro ha tres geraçôes. f', por fim, a exceder em tudo pelo alcance que terá no futuro, estilo as suas magnificas Quédasd'agua, cujo poder hydraulico ,é sufficiente para electrificar todos os caminhos de ferro da AmerIca.» O Brasil é um mundo novo aberto ao trabalho de todas as raças. Seu vasto territorio, seus thesouros natumes, sua poplllaçao, SUélS industrias, seu commercio Ihe garantirilo sempre u hegemonii.l Que mantém na peninsula sul americana.

a

a

Disse o poeta e orador colombiano Guilherme Valencia: «o Brasil, em sua potencialidade üinda nao medida, Que, il sernelhança da India vedica, guarda no seu selo fecundo tod'os os arcanos da sabedoria e todos as surpresus da vida.» CARACTE~ E COSTUMES DO pavo. - Distinguern-se os brasileiros pela lucidez da intelligencia, pe-

25:5
la urbm1idade, pela magnanimidade, pelas sentimentos affectivos. Di/. a sübío francês flisée Reelus, referindo-se aos brasileiros: «Seu genio natural é pouco ambicioso, mas elles teem urna notavel flexibilidûde de intelligenciü e rilfa fücilidildc dc elocuç50: como 05 ispanoamericiln05, 580 um pavo de oradores. A literaturû brasileirü, dispondo de urna lingun que accrescenta no português um copioso vocabulario e phrascado locaes, revela irnaginüç50 viva e uccenhlûdo culto dû drmonin. Antes do penado da Independencia a Brasil ¡tí déra a Dortugûl muil05 c5criptorcs, entre 05 qUilcs Antol1lo tose da :::lllva, que 101 quelmûdo em LISboil pela InquIslçào, em 1739. A conspiraçào republicana de n¿'¡9 custou igualmente a vida aos mûi~ celebres escriptores brùsileiros: um suicidou-se nd cadeiil e dais dos seus ùmigos succumbiram no exilio. «los{~ de Lùcerda, a Idmoso vidjilIlte ljue atr¡¡vessou a Afncil cm 17\.jô, cm bfilsilelro e da mesma nacionülidüde Gusm80 que em I J09, foi a primeiro physica que fez subir ao ar um aerostcüo.» \180 hü pava müis hospitalciro, mais afíél\:el do que a pavo brasilciro. ['-Ihe peculiar i.l v¡rtude sublimc dl! cariddde. ~Jurte effeito sincero qualquer appella, qualquer brada cm pral da assistenclél publica e privadu. Ao contrario dos anglo-ümericilnos, nào se preocclJpùm 05 brüsilciros cam preconcelÍos Inconfessôveis dc cùstôs. de raças. de côr, de culto religioso. A fômiliù brnsiIeira ITwntém um estricto codigo de mOfdlidùde domesÍlca muito superior aos dos mais cuitas cstôdos europeus. O pavo, de indole pucifistù, é infenso ás soluçôcs violentas quc tantas pertubaç6es eélUSilm ils ve!hôs Ilélçôes çuropéas. Nào é um povo ocioso, como injustamente tem sido cIassificado pelos maldizentes e pelos que nào a conhecem de pedo. Toda a historia do Brasil, moderno km sido urna triumphante lucía cam as forçûs hostlS dos elementos. [' pelo trabalho, pelo esforço que 05 brasileiros teem conquistado e dom ¡nado a sertao

254
E' cedo Que ha apathia nas regiôes malsàs do interior, mdS somente devido ao analphabetismo e ao estado valetudinario do caboclo, infelizmente abandonado pelo poder publico, que mais se preoccupa corn a immigraçào exfrangeifil, deixando á margem o cerne da raça n¡Kional, isto é, a populaçào do interior, victima do sezonismo e do obscurantismo. A sélude proporciona a alegria. A instrucçao esparge luz, illumina a cerebro, nobilíta a intelligencia, enaltece o trabalho. (umpre tratar a Brasil corn ardor patriotico da redempçao physica e intellectuùl do seu povo, movendo campanha sem tregua contra dois males: a analphabetismo e as endemias Que ainda embaraçam a Patria em sua traiectoria avante. O sertanejo é enfermo e analphabeto. Mas I¡bertem-no da malaria, da verminose e da rnyopia espiritual e elle será energico, ousado, prospero como qualquer individuo das mçélSfortes e caldeadas pela civilizaçao. ETHNOGRAPHIA.-A naçao brasileira é constituida de tres elementos ethnicos: o português, o africano e a aborigene. Do caldeamento destas tres raças originou-se o mestiço, constltuindo a grande parte da populaçao nacional. Ninguem contesta de bOcl mente que dé! assimilaçao destas tres raças resistentes resultaram vantagens á collectividade O português, tronco genealogico da actual ruça brasileiru, muito contribuiu para a progressa da humanidade, descobrindo navas plilgas, qlwndo enveredavam suas naves «por mares nunca dantes navegéldos.'> O africano, em extremo affectivo, docil, submisso, nao é um inhibido, um indigno como errudamente muitos o Qualificam, tangidos por preconceitos injustificaveis. A crueldade dos homens a atirou ao trabalho forçado, á ignominia do captiveiro ùviltante. E por ista foi transformado em pária na bemdita terra americana. Mas a índole affectiva dos brasilelros se OPPOZ a esse hediondo attentado contra a liberdade e a escravagem ruiu para sempre em 13 de Maio delôôô.

o dborigene é cioso de SUd liberdüdc. Celebrizou-se Poty na pugna contra 05 invasores batavos. Commandou a ala direita do exercito pernambucano na primeiru batalha dos Guararapes. Sua mulher, nü luctü de Porto Calvo, combatiü capitüncando um batalhilo de indias guerreiras. O é1borigene bmsileiro foi sempre coroioso nos combates em pral de sua independencia, assim como docil ao ~ell bernfeitor. Foi amistoso a primeiro encontro entre a expcdiçûo de Cabral e os selvicolas em Podo Seguro. A docilidade e ü obidienciü destes se conserv(][um firmes emqu¡:mto 05 conquistadores nilo ¡he; derillll I)JOV<!:'l de crueldadc. Brioso e ültanelro, coma a esculpe Alencm na fIgura bimrra de Pery, a selvügem insurglu-se de mûo mmadü contra seus ülgazes, contw a cüptiveiro execrando a que a submettcrilm. «Nilo fossem, diz Reís Cmvülho, os bmbmos trdÍos infligidos aos ingenuos selvicoli1s pelos occideIltaes, e deixaria de havcr na historia brasileira esse funebre cortejo de massacres cam que o europeu exterminou o indio, e as justas reprcsaliüs da wça opprimida. ) que Caminha observou !lOS primelros dii15 dn descoberta teria persistido indefinitivamente: «ûIldavam iéÍ [)wis mansos e seguros elltre IIÓS, do que nós üIldavamos entre elles,» esereve o potochronisÍil p<ltrio. C' que as ingenuas crcnças do selvdÇ.}eITl, descnvolvenda, sobretudo, o sentimento, os Icvmélm il m:har cm tudo objectas de amor, que tambem se trünsformil cm odio, desde que saffre a disillu5üo do rrimciro impulso affectivo. O amor ou o odio, mas sempre o sentlmcnlo cm toda a sua exhuberancia, é a feiçào caïactcristicfl nd dlma selvicola. Alliündo este elemento psychico predominante á coragcm de homens affcitos éÍ lucta cam a natureza physiea e a sagacidade dc cspiritos hnbituados á contemplaçuo perenne de seres a quem extremamente amam ou odeiam, conforme lhes sao hencficos ou maleficos, os selvicolas, conduzidos pelo conselho amigavel é docil e iamais coagidos pclo mando imperioso e cruel, ter-se-iarn incorporado pacificamente éÍ civilizaçào occidentdl.» L si nindu hoie éÍs veles se irritil e in\'este contra a hronco o faz por

256 um desforço natural, em legitima defe5a, 'fememorando as penurias por que passaram seus avoengos e vendo que dia a dia perde suas terras, de onde é destIlojada a ferro e a fogo!... Louvores! louvores á raça autochthone que entrou como elemento de formaçâo de nossa nac-ionalidade e â que devemos, diga-se a verdade, grande parte das beJlas qualidades que nos distinguem como pavo altivo, valente e cioso de sua independencia. Sâo aqui apagados os antagonismos,as divergencias ~bsurdas de castas, em virtude da uniformidade ethnica e pelo' obsoluta igualdade de todos perante a Ici. Ha de cahir, por falta de base estavel, a questâo de superioridade de raças. «A especie humana, diz a eminente Dr. Belisario Penna, é só urna, dividida em varios grupos, slljeitos a condiç6es mesologicas, resultantes da situaçâo geographica, de altitudes e longitudes, de temperaturas, de natureza do solo, etc., que fazem variar o porte, a cor da tez, dos olhos e dos cabeJlos, mas que a eugenia e a hygiene moderna ensinam os meios de mO(;Jficare melhorar.» Absurdo e odioso o preconceito de raças. Cada raça lem em verdade um ponta de ~uperioridade, mas todas se fllndem, moral, social e biologicamente numa só-a raça humana. IMMIG~AÇÀO.-Procedente da Europa continúa a affluir ao Brasil a corrente immigrantista, especialmente para os Estados meridionaes da ~epublicu. Portuguêses, ituliéUlos, uIlem8es, i1l1striacos,polacos, hollandêses, iaponêses, sirios, flISS0S, belgas, em summa, individuos de quasi todas as nacionalidades vivem felizes no Brasil, ande encontram climas brandos e benignos nos planaltos, terras fertilissimas, leis liberrimas, franco e amistoso acolhimento. «Decedo a Brasil-disse na frança a sabio geographo Elisée Reclus- tdn todas as vantagens naturaes do solo, c1imd e productos: para poder abastecer amplamente ás necessidades dns multid6es que aJli forem um din habitar. Graçcls ÓS differençns de relevo e das altitudes, 05 f¡lhos de qualquer procedencia aIli

?5/
encontrum o perfeito melo que convem ao seu pleno desenvolvlmento.» A voluma-se o elemento ethnico proporcionado pela immigraçao européa, notando-se claramente na po~ pulaçao hrasíleíra os característicos, peculiares do san~ guc teutollico e latino. O movimento immigratorio tende a crescer, hélvendo bem fundadas esperanças de que daquí a pou~ co tempo a Brasil recomcçará a receber os contigen •. tes de braços necessarios á desenvoluçao da industria nociondl. O imiT,igïdldc que Vefll espontaneamente ~m moior numero é a poriuguês, oriundo de um pavo ù cuia forte e nobre raça só podemos ter orgulho de pertencer. Aa pavo poduguês estamos íntimamente vinculùdos pelo sangue, pela lingua, pelo religiao, pelos costumes, peléls tendencias e pelo affecta. INSTRUCÇÁO PUBLlCA.Cedo, na vIda das na~ çôes nenhuma questao existe mais franscendente do que a da organizaçao do ensino. f.' qlJesÎao de vida ou de morte para as colledividades modernos. Da soluçao deste problema depende a evoluç50 du Patria. Obscurantismo e democracia sao idéas que se rcpulsam. «Um pail sem instrucçao será sempre um paiz sem moral politica. O fundamento da democrùciô deve ser a educaçao do pavo. l~' esclmecendo as mossas pela ensino que os governos servem ci causo do progressa e da civJ!lzoçao». Bondivenne dizid que o instrucçao encerra cm seu regaço mais do que il togù do romano, mais do que él pnz ou a guerra: encerrù a destino dos homens e das naçoes. Nada ha que mais ennobreça um pava do que él cultura intellediva. Diz Iules Simon: O pavo que tem as melhores escalas é o primeiro pavo: se nao fôr haie scl~o-á amanha. ,) A ínstrucçao e a frabalho sao os dais factores da valorizaçao do homem e das sociedades. O progrcs~ so admiravel a que os Estados Unidos e a japao attingiram cm cllrtO tempo é devido em maior pmte á ins-

25ô trucçao derramada corn solicitude sobre todas as classes populares. O Brasil entrará francamente numa phase de progredimento e civismo na época em que os poderes publicos nacionacs cuidarem de erguer corn anciedade a instrucçâo popular· sobre bases inabalaveis e scientificas. Mas, infelizmente, o serviço do ensino popular é problema que ainda depende de soluçao Jefinitiva. A instrucçao elementar, a cargo dos Estados, deixa muito a desejar. Ella existe milis ou menos prospera em S. Paulo, na séde do governo federal e nas capitaes de algumas das circumscripçôes em que se acha administrutivamente dividida a Republico. Ha carencia de escolas: o numero dellas nao basta para éttender ás necessidades das creanças em i.•. dade de receber instrucçao. A il1strucçao elementar é ministrada em grupos escolares e em escolëts ¡soladas. A instrucçao secundaria está a cargo do Collegio Pedro II, no Rio de Janeiro, e dos Oym'nasiosequiparados áquelle instituto modellar. A instrucçao superior, custeada pelo governo fe<':¿ralé dada na Universidade do Rio de Janeiro,creada a 7 de. Setembro de 1920; nas Faculdades de Direito de S. Paulo e Recife; na Academia de Medicina da Bahia; nas escolas Militar e Naval; na Escola Superior de Agricultura e Medicina Vetirinaria de Nitheroy; na Escola de Minas de Ouro Preto; na Escola Nacional de Bellas Artes. Existem tambem insti.· tutos de ensino superior nas cdpitaes de diversos btados e equiparados aos congeneres da Uniao; escolas de commercio, de agronomia, de bellas artes, de artes e officias, etc.. [' digna de especial referencia a Universidade do Paraná. O progredimento social só se realiza pelo melhoramento da instrucçao popular. Todo o desenvolvimento futuro, toda a grandeza que possa ter o Brasil-tudo isso depende da organizaçao do serviço do ensino. Tornar-nos-emos fortes na proporçao em que desenvolvermos e aperfeiçoarmos as nossas instituiç6es e processos educativos.

Quando il instrucç¡}o populur estiver bem upparelhadél e funcciononào de acôrdo corn as aspiraç6es contemporancéls; qUillldo todos os brasileiros souberem 1er e escrever e tiverem conhecimentos geraes, praticos e uteis, ent50 o I~rusil despertará Dara o progresso intenso e nilo invejurá il grande/ti dos povos mais i.!fortunados dé! Terr¡¡. ¡:Ól-{\IA Dl~ GOVLR'\O. Brusil adopta () fórmi.! de governo republicéll1a iederativa, proclamada a 1~) de NovcllIbro de ¡MC). (1)
.èJ..

-o
1 K(}J

/4 d('

h'V('f(!f0

+,

¡O!

derrC'bda

e pro

c\onmd[l il Constitui<. fia da l~cpubJiCll dos t-:stados Unidos do Brdsil. Nesse codi~)o politico estâo condensadé!s dS mais elevadils conquistaS do direito, da iustiça consi.!grudas na culturd juridir.u da humanidade. (ilda uma das ¡Hltigas Provincias fórma hoie um Lstado, e o ex-MunicIpIo I\ClJtro, d1mexo dO Lstûdo do r~io de JéH1ciro,conslitue o Districto r-=ederûl, que seró opportunumentc translerido para o Planûlto Central do Bréisil, conforme determina o mt. 3.' da Constituiçâo ':ederi.!l, tendo sido iá demé.lrcudu, por urna commiss50 tcchnlca, no lstado de Goya/, a áreél de 14.400 kilomelros qlJé..ldmdos. Lffectuüdél a lTludança da capital da Uniao, o achldl Districto l:ederal passarÚ éJ constituir um r-.stéldo. Suo org<'ios da soberûI1iél rldciollal o Poder Leç)islativo, o hecutivo e o JudiciariO, hmmonicos e tndependentes entre si O Poder Lcgislé.ltivo é exercido pelo Congresso Nar.ional, corn il séHlcçao do Presidente da Republica, e comp6em-se da Camma dos Deputad05 e do Senudo. Comp6em-se a Camara de 21~ membros e o Senado de 6:5, dar.do Céwa lstéldo, inclusive o Districto r-:ederal, 3 senadores, maiores de 3~ annos de ¡da de.
(1) Assim (;tlmo Yoio Brasil a primeira naçào que reconheceu a Doutrína do President(~ .!times Monroe, roram os Estados Cnidas os primeiros que reconheceram a fÓrma de governo repuhlicana do Brasil.

260 o Senado pelo terço, triennalmente. '. O Vice-Presidente da Republica é Presidente do .Senado onde só tem o voto de qualidade . . Cdda Estado e1ege o numero seguinte de representantes federaes: Es/ados Pará .. Maranhao Piauhy Ceará ... , . " Rio Grande do Norte. Parn~ba Pernambuco Alagoas .. Sergipe .. Bahia .... Espirito Sa'nto. Rio de Janeiro . Districto Federal. S. Paulo Paraná .... Santa Catharina .. Rio Grande do Sul. Minas Geraes . Go'yaz . Matto Grosso . Amazonas ..

o mandato de senador dura nove annos, renovando-se

Senadores
3 3 3 3 , 3 3

Depu/ados

'1 7
4

10
4

:3
j

5 17 6
4

3 3 3 3

.22

· 4
· 17
· 10

:3

3 3 3 3 3 3 3 3

.22
4

4
· 16 · 37 4

· 4 · 4

o

Poder Executiyo é exercido pelo Presidente da Republica, como chefe electivo do paiz. Para ser Presidente da Republica é necessario gosar de direitos politicos, ser brasileiro nato e maior de 35 annos. ' O Presidente é eleito pelo voto directo do povo, exerce o cargo por quatra bnnos e nao póde ser reeleito parfl o periodo presidencial immediato. O Poder Judiciario tem por orgaos o Supremo Tribunal Federal, corn séde na cidade do Rio de Ja-

o

nelro, e ¡uucs c tribulléles federaes cr('ados pelo Congresso. O Supremo Tribunal compôe~sc de 15 mimstros nomcad05 pelo Presidente da Republicù dentre os cidadaos dc notavel saber e reputaçào, sujeitando a nomeaçao á approvaçào do Senado. DIVISAO ADMINlSTI~ATIVA.O Brasil está dividido em )lJ r'stados, I Districto Federal e 1 Territorio:

EsfaJos

Capilaes

Kms.'

PopuJaçáo

Amilzond5 Mimáo5 1.891.000 410.000 Pará " Belém 1.14Y.'/I? 1.200.000 \1aranhào S. Luiz 4;.9.èlô4 1.000.000 Piôuhy Therezina 301.J9J 700.000 Ceôró ... IOortülcl.ô H5.nOO 150U.000 I~io G. do \iode-Natal 'jJ,:lô5 60ú.OOU Parûyba . Pmaybi1 111.075 1.100.000 Perndmbllco I~ecife. 122.)10 2.60U.000 Alagoas Maceió 58.491 1.100.000 Sergipe .. Aracajú ):'>.250 :j30.000 Bahia .... Salvador 426.421 3SjO.OOO Espirito Santo. Victoria 44.540 550.00U Rio de janeiro Nitheroy M.Y8? 1.500.000 S. Paulo S. Paulo 7.60.000 ~j.5(JU.(JOO Pümná ... Coritibü. 200.'/00 900.000 Santù Catharina-rIorianopolis 93.000. 550.000 I~io G. do Sul Porto Alegre 300.000 2.600.0()0 Minas (Jeraes . Bello liorizonte 602.Ô9 l.ooU.OOO Goyaz ... Goyaz. 800.000 650.0UO Matta Grosso . Cuyabá . 1.5UO.000 550.000 Districto Federal.... 1..116 1.600.000 Territorio do Acre-Río Branco 140.500 100.000 MinciS Geraes, Goyaz, Matta Grosso e Amazonas sao centra es ; os outras sao banhados pela Atlantico. Ciida fstado rege-se pela constituiçao e pelas leis que adopta, respeitados os principios constitucionaes dü Uni80, vista sel' a Constituiçfio t-'ederal a lei suprema do paiz, a élo que vincula todos os Estados da Federüçào.

262 A organizaçao administrativa rudimentar dos Estados é geralrriente a municipal, senda os municipios autonomos em tudo quanta respeita ao seu peculiar interesse. MunicÍpios sao as diversas circumscripçôe15 em que os Estados se dividem. Elles dependem do Estado i:issim como estes dependem da Uniao. Cada Estado é (Idministrado por urna autoridade: Governador ou Presidente, chefe do poder executivo, e tem tambem os seus poderes legislativo e judiciario. O Districlo Federal é administrado pelas autoridades municipaes, senda a poder executivo exercido por urna autoridade nomeàda pelo Presidente da Repubhca e denominada Prefeito Municapal, e a legislativo exercido por 15 lntendentes eleitos pelo pavo. , O Territorio do Acre é administrado por um Governador Gerai, nomeado pelo governo federal. Divide-se em 5 municipios: Rio Branco Rio Branco cap, Xapury Xapury . cap. , , Senna Madureira Purús cap. Seabra Taraucá cap. " Cruzeiro do Sul Juruá . cap.

Cidades

principaes

Rio de Janeiro, corn t .600.000habitantes (em todo a Districto Federal), capital do Brasil (1), situada á margem occidental da bahia de Guanabara, a mais ampla, profunda e majestosa do mundo. E' a «Perola da America Latina», no dizer de Claud Albaret, escriptor francês.
(1) .Fundada a 20 de Janeiro de 1567 por Estacio de Sá. Cidade notavel, que tem desempenhado saliente papel na historia patria, tendo sido successivamente: cidade colonial portuguêsa (1567-1608), capital de um dos governos geraes do Brasil (160817G2), capital do vice-reino português (1762-1808), capital do reino do Brasil unido ao de Portugal (1R08-1822), capital do Imperio do Brasil (1822-188<), e finalmente capital da Republica (15 de Novembro de 11\1\9).

Fartamente illuminada e ùsseada, esta cidade tambem se impôe pelas suas incomparaveis bellezas naturaes, pelas seus drrl:lbaldes, pelas suas admiraveis avenidas e praias lindlssimas; pelas suas paisagens encnntadoras, pelo seu commercio, peJo seu intenso movimento scientificc, e litertlrio. Oswaldo Cruz, grande bactenologo e hygienista, applicando os principios de hnlay e defendendo-os cam vigor, consq]uiu transformm il metropole brasileira, de fóco endemico de febre amarella numa das cic!i1c!t"'\ mélls
5iJdi¡¡'\

nn

mnf'

S. Paulo, corn ')oO.OUO Ildbituntes, segunda cidade do Brasil em populaçào, industria, commercio, cultura intellectual, estabelecirncntos educativos, etc. fstá situada a /61 metros acima do nivel do mar á margem do rio Tieté, senda atravessada pelo riacho Tamanduatchy. f~' capital do tsJado - leader da Republica e communica-se cam a grande porto de Santos por estrada de ferro de 50 kilometros de extensao. San/os, cam 155,000 habitimtes, fundada por Braz Cubas, a 25 de Setembro de 1)36, na ilha de S. Vicente, outrora hùbitùda por indios das tribus dos Carijós e Tupys. f' a segundo porto commerciank do Brasil e a maior entreposto de café do mundo. Campinas, cam 154.000 habitùntes, cognominada a Princesa d'Ges/e. f' situùda a 69:S metros sobre a mve! do mar. Centro de uma das mais importantes regiôes cafeeiras, distante 105 kilornetros da cidade de S. Paulo, Ribeirào Preto, corn 'IB.OOO habItantes, centra de grande lavourëJ. situada entre os ribeirôes Preto e Retiro, a 150 metros sobre a nivel do mar e distante 423 kilometros da Capital do opulento Estado de S. Paulo. Salvador, corn 300,000 habitantes, cidade mais antiga do Brasil, fundada em 1)49, por Thomé de Souza, á margem oriental da bahía de Todos os Sardos.

264 foi célpital do Brasil até 1763, época em que o rei D. José transferiu a séde do governo dos vice-reis para o Rio de Janeiro, certo de que deste ponto mais facilmente poderiam ser effectuadas as operaçoes militares nas Provincias de Santa Catharina e Rio Grande do Sul, frequentemente ameaçadas pelas espanhoes. E' grande emporio commercial, sendo a cidade dividida em duas partes: Cidade Alta e Cidade Baixa, communicando-se por ascensores mecanicos e ladeiras, sendo mais importante a da Montanha. Recife, corn 250.000habitantes, linda cidade banhada pelos rios Capibaribe e Beberibe, que a dividem nos elegantes bairros do Recife, Santo Antonio, S. José e Boa Vista, ligados por pontes metallicas. E' um grande centro de populaçao do norte do Brasil e, em consequencia de sua belleza topographic?, foi, por Gonçalves Dias, denominada VeneZd Americana.

Belém, corn 240.000habitantes, situada <l lô metros de altura e distante J 3ô kilometros do Atlantico, situada numa ponta de terra, entre o rio Guamá e á margem direita d<1bahía de Guaiará. E' a mais importante cidade do extremo septentriao do paiz e urna das mais lindas e prosperas da Republica. Seu porto, em optima situaçao geographica, tem grande movimento de navios nacionaes e extrangeiros.

rorlaleza, corn 100.000 habitantes, situada numa planicie arenosa, a 25 metros sobre o nivel do mar e a 12 kilometros distante da foz do rio Ceará. S. Luiz, corn 70000 habitantes, situada a 12 metros sobre o nivel do mar e na parte noroeste da ilha de S. Luiz, que tem 54 kilometros de comprimento, de nordeste a sudoeste, e 30 de largura, de noroeste a sueste. foi fundada em 1612 pelos francêses, sob o commando de Daniel de La Touche, que assim él denominou em honra do rei Luiz XIII. Parahyba, corn 65.000 habitantes, situada 'a 4ô

265
metros sobre o nivel do mar, em urna collina á margem direita do rio Sanhauá, em sua confluenCÍa corn o Parahyba do Norte. foi fundada, em 5 de Agosto de 15B5, por Joao Tavares, que, auxiliado pelo mdio Piragibe, conseguiu harmonizur-sc corn os Tabaiaras, inimigos dos portugllêses. Maceíó, corn BO.OOO habitantes, sifuada sobre pequena peninsula baixa e dividida em 4 bairros: Maceió, Juraguá, Levada e )acutinga. f' cidade pittoresc!j e prospera, centra de fodo a movimenfo commercial do ¡:stf\rlo rlR~.A.!i1g0G5.

Manáos, corn BO.OOO habitantes, situada il Illdfgem esquerda do rio Negro, 1Ô kilometros aeima da foz destc principal affluente dü /lIargelll septentrional do majestoso Amazonas. f' importante porto fluviül, tendo o rio Negro, em frente á cidade, 4 kilometros de largura e 3) metros de profundidade. Dista 1.11,3 kilometros da cidade de Belém.

Coritiba, com 70.000 habitantes no qundlO urbano e cerca de 120.000 em todo o municipio. Sihlilda no planalto de seu nome, il 90B metros sobre o nivel do mm e distante 110 kiJometros do porto de Pmanagllú, corn o quai se communica par estrada dc ferro, que iiÍravessa a serra do Mar por meio de tunneis, gmgantas estreitas, á beirn de horriveis precipicios. E' cidade aHrahente, de clima saluberrimo, sendo porem, muito fno nos mêses de Maio a )ulho. Centro de populaçao prospero, de feiçào alegre e de grande futuro commercial, com optimos estübelecímentos de instrucçao primaria, secundaria e superior, entre os quaes se destaca m a Universidade do Paraná, o Gymnasio Paranaense e a Escola Normal Secundaria, que funccionam em edificios elegantes.
florianopolis, corn 25.000 habitantes no qlladro urbano ou 50.000 em todo a municipio constituido da ilha de Santa Catharina, onde se acha a cidade, na parte occidentéll da ilha. a 4 metros sobre o. nivel do

266 mar. Communica-se corn o continente pela ponte Hercilio Luz, que tem 850 metros de comprimento ou 350 de vao livre e inaugurada a 13 de Maio de 1926.
Parla Alegre, corn 200.000 habitantes, situada á' margem esquerda do rio Guahyba, a 46 metros sobre o nivel do mar. Porto commerciante e ligado ao interior do Estado do Rio Grande do Sul por linhas ferreas.

BeJ/o Horizonle, corn 75.000 habitantes, situada a 920 metros sobre o nivel do mar, na encosta occidental do valle do rio das Velhas, em bellissimo local que domina esrlendido horizonte, de que se originou seu nome. E' cidade moderna, começada em 18 de Fevereiro de 1894 e para onde se transferiu o Governo de Minas Gerues em 12de Dezembro de 1897. Acha-se a 605 kilometro~ da Capital federal corn que se communica por estrada de ferro. E' cognominada «Rainha do Planc1Jlo Cenlral do Brasil».

-~

..---

Indice
Ctll1ûdÚ
[lill]
')

')

I:stados IJnidos Mexico Americi1 Central GlIi1teméili1 Sulvi1dor . Honduras j\jicélragua Costa Rica Panamá Paizes insulmes Cuba Haiti S. Domingos Venezuela Colombia h¡uador Perú Bolivia Chile Argentina Uruguay Pmagllay Brasil

»
»

I~ 40
~)ô

» »
» » » » »

ó:>.

63
ó4

66 66
71 II

" »
» »
»

l'lO l'lI
Ô?

90

" " »
»

109 12{',
141

»
»

1~)l'l 179
201 ?14

»
»

;30

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->