Instituto de Segurança Social, Centro Distrital de Viseu Exmo(a) sr.

Director do Centro Distrital de Viseu do Instituto de Segurança Social Paulo Miguel dos Santos Pereira, residente em [morada], Concelho de [Município], Nº Segurança social [….], tendo sido notificado de que é devedor ao ISS no montante de [valor] mais juros de mora vem por este meio apresentar a sua DEFESA O que faz nos termos e com os seguintes fundamentos: 1 – Após pedido de declaração de não dívida à segurança social, foi o exponente notificado de que era devedor em 5079,07 mais juros de mora ao ISS 2 – Os anos em falta seriam os de [intervalos de anos de actividade aberta nas finanças]. 3 – Segundo o nº 2 do Artigo 63º da Lei nº17/2000 de 8 de Agosto que aprova as bases gerais do sistema de solidariedade (cobrança coerciva e prescrição das contribuições), “A obrigação de pagamento das cotizações e das contribuições prescreve no prazo de cinco anos a contar da data em que aquela obrigação deveria ter sido cumprida”. 4 – Com efeito, a notificação recebida pelo requerente foi com a data de [data da notificação da dívida] pelo que, de harmonia com o disposto no Artigo 63º da Lei nº17/2000 de 8 de Agosto nº2, apenas será considerado o período a começar em [data 5 anos anterior], tendo o resto da divida prescrito. 5 - Segundo o nº 3 do Artigo 63º da Lei nº17/2000 de 8 de Agosto que aprova as bases gerais do sistema de solidariedade (cobrança coerciva e prescrição das contribuições), “A prescrição interrompe-se por qualquer diligência administrativa, realizada com conhecimento do responsável pelo pagamento, conducente à liquidação ou à cobrança da dívida”. 6 – Tendo sido comunicado a situação de dívida do Exponente, e se, após a vigência da referida Lei n. 17/2000, e nos cinco anos seguintes, não foi feita, com aquele fim, qualquer diligência administrativa com conhecimento do executado, aqui revertido, a dívida exequenda, no tocante ao dito executado prescreveu. Com efeito, até à data de [data da notificação], o exponente nunca tinha sido contactado pela Segurança Social para liquidar a dívida existente, sendo esta desconhecida do exponente até ao recebimento da declaração de dívida, não se verificando assim o nº3 do Artigo 63º da Lei nº17/2000 de 8 de Agosto. 7 - Em 31 de Janeiro de 2007 o exponente fechou actividade (documento em anexo) voltando a abrir actividade apenas em Dezembro de 2008 (documento em anexo) pelo que efectivamente a sua dívida à segurança social é de 4 meses X 147,03 + juros de mora (Outubro, Novembro e Dezembro de 2006 e Janeiro de 2007). [Fica apenas como exemplo, adaptar a cada situação particular; descrever nos últimos 5 anos as datas em que teve actividade aberta] Espera Deferimento, [data] (nome)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful