P. 1
Considerações LEI 4950 A DE 1966

Considerações LEI 4950 A DE 1966

|Views: 631|Likes:
Publicado porOinotno

More info:

Published by: Oinotno on Oct 26, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/06/2012

pdf

text

original

O SALÁRIO MÍNIMO PROFISSIONAL

A Lei 4.950-A/66, de 22 de abril de 1966 normatiza a remuneração dos profissionais diplomados em Engenharia, Química,

Arquitetura, Agronomia e Veterinária.

A remuneração mínima regulamentada por essa Lei está baseada na quantidade de horas diárias da jornada de trabalho. O artigo 1º dessa Lei prevê: “Art. 1º O salário-mínimo dos diplomados pelos cursos regulares superiores mantidos pelas Escolas de

Engenharia, de Química, de Arquitetura, de Agronomia e de Veterinária é fixado pela presente lei”. O valor do salário profissional está fixado nos artigos 5º e 6º da referida legislação, conforme quantidade de horas diárias da jornada de trabalho e tempo de diplomacia, previstos respectivamente, nos artigos 3º e 4º, verbis: “Art. 3º - Para os efeitos desta lei as atividades ou tarefas desempenhadas pelos profissionais enumerados no art. 1º são classificadas em: a) atividades ou tarefas com exigência de 6 (seis) horas diárias de serviço; b) atividades ou tarefas com exigência de mais de 6(seis) horas diárias de serviço. Parágrafo único. A jornada de trabalho é a fixada no contrato de trabalho ou determinação legal vigente. Art. 4º Para os efeitos desta lei os profissionais citados no art. 1º são classificados em:

a fixação do saláriobase mínimo será feita tomando-se por base o custo da hora fixado no art. de Química. 6º Para a execução de atividades e tarefas classificadas na alínea “b”. de Arquitetura. de Arquitetura. acrescidas de 25% (vinte e cinco por cento) as horas excedentes das 6 (seis) diárias de serviço”. de Química. 3º fica fixado o saláriobase mínimo de 6 (seis) vezes o maior salário-mínimo comum vigente no País. 5º desta lei. de Agronomia e de Veterinária com curso universitário de 4 (quatro) anos ou mais. Art. para jornada diária superior a fixação do salário-base mínimo será feito tomando-se por base o custo da hora normal com o acréscimo de 25% nas horas excedentes das 06 (seis) diárias de serviço. para os profissionais da alínea “b” do art.a) diplomados pelos cursos regulares superiores mantidos pelas Escolas de Engenharia. de Agronomia e de Veterinária com curso universitário de menos de 4 (quatro) anos. Art. 4º e de 5 (cinco) vezes o maior salário-mínimo comum vigente no País. 3º. para os profissionais relacionados na alínea “a”. do art. Para uma jornada de 06 horas diárias de serviço foi fixado o salário-base mínimo de 06 (seis) vezes o salário mínimo comum vigente no País e. 5º Para a execução das atividades e tarefas classificadas na alínea “a” do art. . 4º. do art. b) diplomados pelos cursos regulares superiores mantidos pelas Escolas de Engenharia.

59. pelo menos. À luz dos princípios que norteiam o direito do trabalho. sim. 50% (cinqüenta por cento) superior à da hora normal”. 59. da CLT) que determinava que a remuneração da hora suplementar fosse. § 1º.Resta claro que o legislador. 20% (vinte por cento) superior à da hora normal.A duração normal do trabalho poderá ser acrescida de horas suplementares. para o cálculo do valor das horas adicionais à sexta hora da jornada diária de trabalho.Do acordo ou do contrato coletivo de trabalho deverá constar. que será. com o percentual de 50% sobre a hora normal. Entretanto. o artigo 59 da CLT sofreu modificações passando a vigorar com a seguinte redação: “Art. face ao disposto no artigo 7º. Dessa forma e de acordo com a legislação em vigor. em número não excedente de duas. obrigatoriamente. pelo menos. § 1º . XVI da Constituição Federal de 1988. notadamente do princípio da norma mais favorável ao trabalhador. levou em conta a legislação vigente em vigor à época (art. ao determinar o acréscimo de 25% sobre o valor da hora normal. o valor do salário profissional do engenheiro para a presente data é assim calculado: . nos casos de contrato de trabalho com jornada superior a 6 horas.. mediante acordo escrito entre empregador e empregado. para os profissionais que têm jornada contratual de 8 horas diárias. não deve ser mais calculado com o acréscimo de 25% mas. a importância remuneração da hora suplementar. é que o valor das horas trabalhadas além da 6ª hora. ou mediante contrato coletivo de trabalho.

17 por hora R$ 18. indiscutível não só a plena aplicabilidade da Lei 4950-A/66 como a definição do Salário Mínimo Profissional para os profissionais que laboram em jornada de 08 horas diárias em 09 (nove) salários mínimos..5+1. inciso IV. JONAS DA COSTA MATOS ASSESSOR JURÍDICO . 7º.25 x 60 horas = 1. TST e concluiu pela sua constitucionalidade com a edição da Orientação Jurisprudencial nº. A estipulação do salário profissional em múltiplos do salário mínimo não afronta o art.270.. 71 que assim prescreve: “71. da Constituição Federal de 1988 (.00 + R$ 3270. Múltiplo de salário mínimo.00 b) Para uma jornada com exigência de 08 (oito) horas diárias de serviço: Piso salarial = (6+1.)” Concluindo. Salário Profissional.635.a) Para uma jornada com exigência de 06 (seis) horas diárias de serviço: Piso salarial = 6 SM x R$ 545.00 R$ 3.25 R$ 27. a justiça do trabalho pacificou a matéria por meio da Súmula 370 do C.00 R$ 1.5) X Salário Mínimo = 9 Salários Mínimos 6 SM = R$ 3.270.270.00 : 180 = R$ 18. Ação Rescisória.905.00 = R$ 4.17 x 50% = 27. Fixação.00 = 09 SM Com relação à aplicabilidade da Lei.635.00 = R$ 3.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->