P. 1
MEDIDAS OU EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA

MEDIDAS OU EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA

|Views: 4.079|Likes:
Publicado porlorenalou

More info:

Published by: lorenalou on Oct 29, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/11/2013

pdf

text

original

EPCs E EPIs

MEDIDAS OU EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO COLETIVA Equipamentos de Proteção Coletiva (MPCs ou EPCs) são todos os dispositivos instalados ou decisões gerenciais tomadas com o objetivo de proteger a integridade física e a saúde dos trabalhadores, através da eliminação, do isolamento ou da diminuição dos efeitos de um agente de risco agressivo, permitindo como máxima exposição os níveis legalmente aceitos. As medidas ou equipamentos de proteção coletiva devem ser sempre prioritários em relação à adoção de equipamentos de proteção individual e devem possuir caráter técnico, administrativo e/ou educacional. Ao contrário dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que visam proteger a integridade física do trabalhador que os utiliza, as medidas ou equipamentos de proteção coletiva têm por objetivo proteger a coletividade dos trabalhadores, visitantes, da comunidade e do meio ambiente, quando aplicável.

Geralmente os EPCs atuam de duas maneiras básicas: Na fonte: agindo diretamente sobre a origem do problema. Por exemplo, a substituição de peças de um equipamento ruidoso para torná-lo mais silencioso. • Na trajetória: impedindo que o agente atinja os trabalhadores. Por exemplo, a utilização de cabines acústicas em ambientes ruidosos.

São exemplos de EPCs ou MPCs: • Adequação das instalações para a atividade; • Distribuição física dos equipamentos; • Proteção dos equipamentos; • Iluminação eficiente; • Sinalização; • Proteção contra incêndio; • Manutenção, limpeza e conservação do ambiente e dos equipamentos; • Treinamento de segurança; • Programas de prevenção.

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

Por esse motivo. especificar ou utilizar máscara de proteção respiratória não adequada ao risco (poeira. se diz que A PIOR FORMA DE PROTEÇÃO É A FALSA PROTEÇÃO. Ao especificar um EPI. Os Equipamentos de Proteção Individual devem ser vistos como último recurso a ser adotado em programas de prevenção à saúde e segurança dos trabalhadores. É obrigação da empresa treinar os funcionários e fiscalizar sua correta utilização. Deve-se sempre priorizar a adoção de medidas de caráter geral. Quando utilizados corretamente podem proteger o trabalhador de um dano. É obrigação dos funcionários utilizar e manter adequadamente o EPI. que define os critérios de fabricação. visitantes. gás químico. comercialização. • A utilização eficaz do EPI está diretamente relacionada ao treinamento e à manutenção deste equipamento. fiscalização. etc. já que o trabalhador pensa que está protegido e muitas vezes deixa de tomar outras medidas preventivas garantido pela falsa proteção de um EPI especificado ou utilizado erradamente. A NR-6 prevê que as empresas são obrigadas a fornecer gratuitamente os equipamentos de proteção individual adequados aos riscos e em perfeito estado de conservação e funcionamento nas seguintes circunstâncias: . Por exemplo. pois não eliminam o risco. que têm por objetivo proteger a coletividade dos trabalhadores. Os EPIs são tratados pela Norma Regulamentadora nº 6 (NR-6). vapor tóxico. já que a utilização de um EPI inadequado ao risco e às suas características não neutraliza o risco. etc.) com o filtro não adequado às características e concentração do agente (poeiras de diâmetros variados. A adoção de EPIs reportam a várias observações às quais deve-se dar total atenção: • EPIs não constituem ações corretivas no ambiente de trabalho. utilização. agente biológico.) pode fazer com que o trabalhador se “sinta” protegido sem efetivamente estar.Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são todos os dispositivos de uso individual destinado a proteger a saúde e a integridade física do trabalhador. apenas têm por objetivo evitar danos pessoais. • A especificação ou uso inadequados do EPI também pode causar danos ao trabalhador pela não neutralização do risco. como EPCs e MPCs. • Não é suficiente fornecer EPI aos trabalhadores. • A especificação de um EPI deve ser feita com base em análises qualitativas e quantitativas dos riscos aos quais o trabalhador está exposto. quando aplicável. • EPIs não evitam acidentes. entre outros. mesmo que este seja corretamente especificado. é necessário observar todos os critérios técnicos de aplicabilidade e efetiva redução do risco ao qual o trabalhador está exposto. da comunidade e do meio ambiente. restrições ao uso.

Os EPIs podem ser classificados de acordo com o tipo de proteção que oferecem. • Para atender a situações de emergência (ex. . o uso de máscaras respiratórias durante o conserto de um vazamento de contaminantes). • Enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas (ex. manuseio de produtos químicos). Existe uma grande variedade de Equipamentos de Proteção Individual disponíveis no mercado.• Quando medidas de proteção coletiva forem tecnicamente inviáveis ou não oferecerem completa proteção contra os riscos de acidente do trabalho e/ou doenças profissionais e do trabalho (ex. a utilização de máscaras contra poeira enquanto um sistema de ventilação ou exaustão está sendo implantado).

Trabalhador equipado com EPI .

etc. protetores de palma da mão e punho. fluídos corpóreos. Aventais. Cortes. umidade. etc. gases. impacto de objetos. agentes térmicos. substâncias nocivas. Máscaras. queimaduras. poeiras. etc. mangotes. contaminantes (gases. perneiras. Ruído Cortes. infectantes). abrasão. respingos. calor. mangas. AUDITIVA TRONCO Auriculares tipo concha. capas. arrancamento do cabelo. jaquetas. etc. Deficiência de oxigênio no ambiente. abrasão. anteparos. penetrações. Impactos. insolação. substâncias nocivas (ex. compressões. bonés. redes. CORPO INTEIRO Vestimentas de amianto. Sapatos. tipo inserção. poeiras. respingos. visualização noturna Queda PROTETORES Óculos. coletes. SEGURANÇA . Temperaturas extremas. MEMBROS INFERIORES CABEÇA Capacetes. respiradores. umidade. queimaduras. golpes. etc. radiações. choques elétricos. queimaduras. botinas. perfurações. vapores. gorros. etc. etc. RESPIRATÓRIA MEMBROS SUPERIORES Luvas. vapores. radiações. dedeiras.TIPOS DE EPIS PROTEÇÃO VISUAL E FACIAL RISCOS Projeção de partículas. trava quedas. cinturão com talabarte. protetores faciais. capas e bonés fluorescentes Cinturão com corda. choques elétricos. projeção de partículas. etc. substâncias nocivas. aventais de chumbo. botas. choques elétricos.microorganismos e fumos) Cortes.

mucosas ou pele não-íntegra Exame de paciente. incluindo contato com sangue. urina e fezes Aplicações medicações parenterais de Luvas Capote (avental) - - x x -* - x x -* -** x x - -** Punção ou dissecção venosa profunda Aspiração de vias aéreas e entubação traqueal Endoscopias. fluidos corporais.Recomendações para utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) nas Precauções Básicas de Biossegurança Lavar as mãos x Máscara e óculos de proteção - Procedimento Exame de paciente sem contato com sangue. são obrigações das empresas com relação aos Equipamentos de Proteção Individual: • Adquirir o tipo de EPI adequado à atividade do empregado. adequado ao risco existente. mucosas ou pele nãoíntegra Coleta de exames de sangue. . fluidos corporais. ou seja. broncoscopias x x x x x x x x x x x x Procedimentos dentários Procedimentos com possibilidade de respingos de sangue e secreções x x x x x x x x OBRIGAÇÕES DA EMPRESA Segundo a NR-6.

• Usar o EPI apenas para a finalidade a que se destina. • Substituir imediatamente o EPI danificado ou extraviado. • Comunicar ao Ministério do Trabalho qualquer irregularidade observada no EPI. OBRIGAÇÕES DOS EMPREGADOS Segundo a NR-6. são obrigações dos empregados com relação aos Equipamentos de Proteção Individual: • Utilizar corretamente o EPI fornecido. Trabalhador desrespeitando a obrigatoriedade do uso do EPI . • Comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para o uso. • Promover treinamento do trabalhador sobre a adequada utilização do EPI. • Promover higienização e manutenção periódica do EPI. • Tornar obrigatório e fiscalizar seu uso.• Fornecer ao empregado somente EPI aprovado pelo Ministério do Trabalho. • Responsabilizar-se por sua guarda e conservação.

SEGURANÇA AMBIENTAL E DO TRABALHO. PAULO R. SEGURANÇA. ÚLTIMA REVISÃO: SETEMBRO/2006 . MEIO-AMBIENTE E SAÚDE..QUALIDADE.MALHEIROS.QSMS . APOSTILA DO CEFET NILÓPOLIS-RJ .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->