P. 1
Resenha "O Clube da Felicidade e da Sorte"

Resenha "O Clube da Felicidade e da Sorte"

|Views: 1.017|Likes:
Publicado porGustavo Couceiro
Resenha do filme "O Clube da Felicidade e da Sorte" para a disciplina de Mov. Sociais
Resenha do filme "O Clube da Felicidade e da Sorte" para a disciplina de Mov. Sociais

More info:

Published by: Gustavo Couceiro on Oct 31, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as RTF, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/15/2013

pdf

text

original

Disciplina: GF 102 - Mov.

Sociais Professoras: Leda Gitahy e Nanci Stancki Nome: Gustavo Correia Pires Couceiro RA: 117137

Resenha Filme "O Clube da felicidade e da sorte" No filme passado na última aula vimos alguns pontos fortemente discutidos no texto "O fim do patriarcalismo: movimentos sociais, família e sexualidade na era da informação", de Manuel Castells. Entre os principais pontos em comum destaca-se: o patriarcalismo, a estrutura familiar, o machismo e as transformações da sociedade. A película mostra quatro mulheres emigrantes da China para os Estados Unidos, todas constituíram suas famílias no América, após uma época de sofrimento no país asiático e tiveram pelo menos uma filha. Essas quatro emigrantes se conhecerem nos Estados Unidos da América e decidiram formar um grupo, que denominaram de O Clube da Sorte e da Felicidade, neste grupo se reuniam para tomar chá, conversar e jogar. Como já dito essas mulheres tinham um passado muito parecido que é relatado individualmente pela autora. A primeira personagem a ser destacada é Suyuan Woo. Mãe de June, é forçada a abandonar duas filhas na China e migrar para a América. Vive com esse trauma durante toda a vida e seu maior sonho é reencontrar suas filhas. Falece antes de descobrir o paradeiro delas, no final sua filha June reecontra as irmãs na China. Posteriormente contam a história de Lindo Jong. Destinada desde os 2 anos para se casar com um jovem rico chinês, Lindo vê um futuro de tristeza na Ásia. Seu marido era uma jovem criança e era diariamente maltratada pela sogra por não da-la um neto. Bola um plano, consegue se livrar do casamento e ganha uma passagem para Xangai, onde faz sua vida antes de migrar para os EUA. A terceira personagem destacada é Ying-Ying St. Clair. Quando jovem se relacionou-se com Lin Xiao, com quem casou-se e teve um filho. Porém sua esperança de felicidade com seu amor durou muito pouco tempo. Lin começou a levar prostitutas e mulheres que se relacionava fora do casamento para casa, só dormia em casa uma ou duas vezes por semana e quando durmia humilhava sempre Ying-Ying, que não respondia e apenas obdecia as ordens do marido. Em um momento de raiva e descontrole, ela acabou afogando seu filho na banheira de sua casa, o matando. Como Suyuan levou uma culpa e tristeza interna durante o resto de sua vida. An-Mei Hsu é a última mulher a ser mencionada. Não tem memórias de seu pai, morto quabdo era muito pequena. Sua mãe, quando era viúva foi estuprada por Chao-Li Chi e assim expulsa de casa. Aos 8 anos, em um reencontro com sua mãe se muda com ela

Todas essas mulheres passaram na vida elementos presentes no texto de Castells. o que mostra que o machismo e a estrutura patriarcal ainda está presente na sociedade. humilhação e violência tem sua origem na cultura. Em segundo lugar. Se fragilizou mentalmente ao ponto de matar o próprio filho.). que era um reflexo da sociedade chinesa da época. na adolescência se casou a força com um garoto desconhecido e tinha por obrigação dar um neto a sua sogra. Porém um paradoxo presente nesse ponto são os casamentos das filhas de Ying-Ying e An-Mei. vem às transformações tecnológicas ocorridas na . An-Mei viu sua mãe viver na casa do homem que a estuprou junto com mais três mulheres também estupradas por ele. Suas lutas pelos direitos das mulheres. não fazendo voz ativa e viveram tempos de submissão a seu marido. Ambas se acoaram no casamento. era humilhada de todas as maneiras porém sempre devia obedecer as regras de seu marido. mas com suas atitudes ajudaram a quebrar os paradigmas da sociedade. Essas relações de submissão. Há um grande avanço do feminismo. que levam uma vda totalmente diferente da das mães. tem uma vida fora de casa e direitos na sociedade.. já que a sociedade não aceitava uma mulher que tivesse tido relações soltas pós a morte de seus maridos. já que todas são autonomas e totalmente independentes. O filme mostra isso nas próprias das mães chinesas. Um reflexo que o texto de Castells nos ajuda a fazer é a comparação da sociedade vivida pelas mães e a sociedade das filhas. Todas trabalham fora. Ying-Ying viviu na pele o machismo e a sociedade patriarcal chinesa da época. Lindo sofreu dos mesmos problemas. Era humilhada e agredida por isso constantemente. o ingresso ao mercado de trabalho e a equalização social conscientizaram as mulheres de seu lugar na sociedade e modificaram bruscamente a estrutura social. devido alguns fatores. a transformação da economia e do mercado de trabalho associada à abertura de oportunidades para as mulheres no campo da educação. O movimento feminista tem um grande influência nessa mudança de paradigma. porém são reflexos de uma sociedade patriarcal e machista.. logo com 2 anos foi prometida a uma "casamenteira". (. segundo Castells: “Sugiro a hipótese de que o motivo tem por base a combinação de quatro elementos: primeiro. Lá descobre toda a verdade sobre a vida de sua mãe e após a morte dela jura vingança e superação a todos. que faz alterar as estruturas familiares. Há um choque entre as gerações que é visto nas crises de relacionamento delas. Outro exemplo e mais claro ainda são as filhas. Apanhava.para a casa do poderoso chinês. tomam decisões. As mulheres chinesas não faziam parte de nenhum movimento social na época. tinha que ser submissa à família de seu marido e não tinha voz em sua residência. atualmente.

1999. tecendo rapidamente uma imensa colcha de retalhos formada por vozes femininas.. 1999. p. Cap. tendo como pano de fundo a transformação econômica e tecnológica. proporcionando controle cada vez maior sobre gravidez e a reprodução humanas (. em um mundo interligado por onde pessoas e experiências passam e se misturam. 1999. “Se as tendências atuais continuarem a se expandir por todo o mundo. 1999. M. mudanças tecnológicas no processo de reprodução da espécie e o impulso poderoso promovido pelas lutas da mulher e por um movimento feminista multifacetado.).. 4: O fim do patriarcalismo: movimentos sociais. O quarto elemento a induzir o desafio ao pariarcalismo é a rápida difusão de idéias em uma cultura globalizada. Paz e Terra. família e identidade na era da informação.). . as estruturas familiares aliadas ao aumento de direitos das minorias são diariamente alteradas. São Paulo. São Paulo. tornar-se-ão uma relíquia histórica no futuro não muito distante. Paz e Terra. São Paulo.p. Hoje percebe-se cada dia mais a decadência do patriarcalismo nas grandes metrópoles. (1999) O Poder da Identidade. Para que essas mudanças acontecessem. conseqüência dos movimentos sociais da década de 60.. perder como já citado. as famílias.(. tal como as conhecemos. três tendências observadas a partir do final da década de 60” (Castells.” (Castells. Referência Bibliográfica: Castells.M. 170). Terceiro.M. (1999) O Poder da Identidade. 171-174). (1999) O Poder da Identidade. além do avanço do movimento feminismo é necessário citar o “crescimento de uma economia informal global. cada vez sua expressão e legitimação. o patriarcalismo foi atingido pelo desenvolvimento do movimento feminista. estendendo-se sobre quase todo o planeta. se divergindo cada vez mais do modelo patriarcal e machista chinês mostrado filme. farmacologia e medicina. e asseguro que continuarão.M. São Paulo.” (Castells.biologia. (1999) O Poder da Identidade. p. Paz e Terra.. Paz e Terra.191).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->