MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo

CAPÍTULO 01
JUROS SIMPLES e composto
INTRODUÇÃO A matemática financeira está presente em nosso cotidiano de forma direta ou indireta. Quanto mais dominarmos esse assunto, maiores serão os benefícios que teremos, tanto para ganhar dinheiro como para evitar perde-lo. Como por exemplo, na escolha do melhor financiamento de um bem ou onde fazer aplicações financeiras. O estudo da Matemática Financeira é todo feito em função do crescimento do capital (C) aplicado com o tempo. Definiremos capital como qualquer quantidade de moeda ou dinheiro. O montante (M), ou seja, o valor final do capital aplicado é dado pela soma do capital inicial e uma segunda parcela, que é uma fração do capital inicial, à qual damos o nome de juro. Juro (J) é, portanto, a compensação financeira conseguida por um aplicador durante um certo tempo ou ainda o aluguel pago por uma pessoa que, durante algum tempo, usa o capital de outra. O juro é cobrado em função de um coeficiente, chamado taxa de juro (i), que é dado geralmente em percentagem e sempre se refere a um intervalo de tempo (ano, semestre, mês, etc), tomado como unidade, denominado período financeiro ou, abreviadamente período (t ou n). Existem duas formas de serem calculados os juros a cada período: calculando sobre o capital inicial ou sobre o montante acumulado. Entenda que no primeiro caso esse crescimento se comporta como um progressão aritmética (P.A.) e no segundo caso o montante aumenta segundo uma progressão geometrica (P.G.). De outra forma temos: Quando os juros são acrescentados, ao capital inicialmente aplicado, somente após o término da aplicação, podemos dizer que estamos calculando juros simples. Quando os juros são incorporados ao capital após cada período de tempo, criando assim um novo capital a cada período, dizemos que estamos fazendo uma capitalização ou calculando juros compostos. Observe que na figura a seguir, a pilha de moedas da esquerda cresce linearmente, ou seja, aumenta a mesma quantidade de moedas por vez (juros simples), enquanto que a da direita cresce muito mais rápido, pois seu aumento é exponencial (juros compostos).

1

www.voupassar.com.br

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo

CAPITAL (C): Aplicação, investimento, saldo inicial, valor inicial, valor atual, valor presente e principal. JUROS (J): Ganho, rendimento, excedente e compessação financeira.

TAXA (i): Taxa de juros, indice da taxa de juros e percentual de juros.

TAXA (i): Taxa de juros, indice da taxa de juros e percentual de juros.

TEMPO (t): Prazo, período, número de períodos e unidades de tempo.

LINK:
Para compreender melhor esse assunto, é de grande valia conhecer bem o conceito de porcentagem, pois é uma ferramenta importante em tudo o que diz respeito a matemática financeira. Lembre-se que x% de y, significa uma fração de y, ou seja, x partes de y para cada 100.
x% de y x .y 100

2

www.voupassar.com.br

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo
JUROS SIMPLES

Na capitalização simples, o juro produzido em vários períodos financeiros é constante em cada período e proporcional ao capital aplicado, sendo este coeficiente de proporcionalidade chamado de taxa de juros. CONSIDEREMOS A SEGUINTE QUESTÃO: A importância de R$ 600,00 é aplicada numa instituição financeira à taxa de 6% ao mês (a.m.), durante 3 meses. Qual o montante após esse tempo? No problema apresentado anteriormente, temos: capital aplicado .............. R$ 600,00 taxa % ao mês .............. 6% = 6/100 = 0,06 tempo em meses .......... 3 meses Temos que: Após o 1º período, os juros serão: 0,06 . R$ 600,00 = R$ 36,00 Após o 2º período, os juros serão: R$ 36,00 + R$ 36,00 = R$ 72,00 Após o 3º período, os juros serão: R$ 72,00 + R$ 36,00 = R$ 108,00 Assim, o montante (capital mais rendimentos) será de: R$ 600,00 + R$ 108,00 = R$ 708,00 Vamos generalizar, deduzindo uma fórmula para calcular os juros simples.
C capital aplicado i taxa % por período de tempo t número de períodos de tempo

Então, temos Após o 1º período, o total de juros será: C.i; Após o 2º período, o total de juros será: C.i+C.i; Após o 3º período, o total será: C.i+C.i+C.i; Após o t-ésimo período, o total de juros será:

C.i + C.i + C.i + .... + C.i.
t parcelas

Assim, a fórmula que fornece o total de juros simples é: J = C.i.t O montante final é de: M=C+J

3

www.voupassar.com.br

3 = 108 O montante será de: M = C + J = 600 + 108 = 708 LINK: Nas aplicações financeiras.t. É importante saber que os bancos trabalham com juros ordinários e tempo exato. 4 www.qi. quando nos referimos apenas ao número de meses.b. Taxa Anual (ao ano) a. utilizando as fórmulas citadas. Taxa Mensal (ao mês) a.q. Taxa Bimestral (ao bimestre) a.06. O tempo pode ser contado de duas formas: ANO CIVIL: 365 dias ANO COMERCIAL: 360 dias JUROS COMERCIAL (ORDINÁRIOS) Adotam o ano comercial. Na contagem dos dias.a.s. Nas aplicações práticas e por convenção.voupassar. de forma indiferente. frequentemente os bancos comerciais adotam convenção diferente para contagem do prazo. Calculando os juros simples. temos: J = 600. em geral. 30 dias para os meses e 360 dias para o ano. LINK: Taxa Diária (ao dia) a. utilizaremos o mês comercial com 30 dias.m.com. JUROS EXATOS Adotam o ano civil e por isso deve ser contado o tempo exato. Taxa Quadrimestral (ao quadrimestre) a.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Vamos resolver novamente nosso problema.d.br .0. Fica implícito que deve ser usado o juro exato quando forem dadas as datas da negociação e do vencimento. Taxa Quinzenal (a quinzena) a. ou seja. portanto a contagem dos dias deve ser exata. Taxa Trimestral (ao trimestre) a. Taxa Semestral (ao semestre) a. exclui-se o primeiro e inclui-se o último dia. inclusive considerando anos bissextos.

Teremos: JUROS SIMPLES ao longo do tempo.100 = 140. com um exemplo: Suponha que $100.100 = 130.00 + 10%.41 + 10%.00 As taxas equivalentes para cada período são proporcionais ao tempo. a render juros.10 = 146.br .100 = 150.100 = 120.00 2 110 + 10%.10 4 133.00 3 120 + 10%.com. somente o principal rende juros. os juros são incorporados ao principal e passam. as taxas equivalentes para cada período não são proporcionais. como já sabemos. Vamos ilustrar a diferença entre os crescimentos de um capital através juros simples e juros compostos. Também conhecido como "juros sobre juros".146.voupassar.00 2 110.00 + 10%. e portanto tem um crescimento muito mais "rápido". 100 +10% 110 +10% 121 +10% 133.00 5 140 + 10%.00 4 130 + 10%. 5 www.133.00 = 133. PRINCIPAL = 100 O N DE MESES MONTANTE COMPOSTO 1 100. PRINCIPAL = 100 O N DE MESES MONTANTE SIMPLES 1 100 + 10%.00 = 110.00 = 121.41% Observe que o crescimento do principal segundo juros simples é LINEAR enquanto que o crescimento segundo juros compostos é EXPONENCIAL. por sua vez.00 3 121.1 +10% 146.100 = 110.100.00 são empregados a uma taxa de 10% a. 100 +10% 110 +10 120 +10 130 +10 140 +20% +30% +40% JUROS COMPOSTOS após cada período. devido aos juros.1% +46.110.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SIMPLES X COMPOSTO O capital inicial (principal) pode crescer.41 5 146.05 Nesse caso. Isto poderia ser ilustrado graficamente como no gráfico ao lado.41 +21% +33.121. segundo duas modalidades a saber: Juros Simples ou Composto.10 + 10%.41 = 161.00 + 10%.m.

observe que se um capital x aumenta 20%. com taxa de 5% a. temos: Inteiros 12 x R$ 40. órgãos governamentais e investidores M particulares costumam reinvestir as quantias geradas pelas aplicações financeiras. o que justifica o emprego mais comum de juros compostos na Economia.00 s EXEMPLOS 6 www. o uso de juros simples não se justifica em estudos econômicos. em regime de juros simples. 12 meses.00 (juros em 1 mês) Z– Logo. Dessa forma não é necessário fazer o desenvolvimento: x + 20%x = 100%x + 20%x = 120%x = 1.. temos que: ais 5% de R$ 800. para 1 ano.20x Observe os aumentos e descontos a seguir: x x x x +20% +50% +84% +136% 120%x 150%x 184%x 236%x x x x x 20% 50% 84% +100% 80%x 50%x 16%x x x x +100% +200% +400% +800% 2x 3x 5x 9x 200%x x R– Reais I– 01. nais Q– 1ª SOLUÇÃO: Racion Sem usar fórmula. ele irá para 120% de x. as empresas.br . ou seja.voupassar.00 = R$ 480. Irracio Determine o resgate e o rendimento dessa aplicação.00 = R$ 1280. o resgate (montante) será Naturai R$ 800. o que é fundamental em concursos.00 (rendimento em juros simples ao fim de 12 meses) N– Portanto.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Na prática.com. Um capital de R$800 é aplicado por 1 ano. C 1 JUROS COMPOSTO JUROS SIMPLES t LINK: Para ganhar tempo em muitas questões. Na verdade.00 + R$ 480.00 = R$ 40.m.

5% ao mês. então M = 800 + 480 Portanto o resgate (montante) é de 1280 reais.080. rendeu R$ 90. Se em 3 meses os juros foram de R$ 90.00: 7 www. Qual foi esse tempo? SOLUÇÃO: 1080 – 600 = 480 (juros obtidos após todo o período de aplicação) x% de 600 = 480 480 80 80% (porcentagem do rendimento) 600 100 Como 80 : 20 = 4.com.t = juros obtidos no fim de t períodos J = C . gerou um montante de R$ 1. aplicado à taxa de juros simples de 20% ao ano.12 J = 800. temos: 4. em um mês foram de R$ 30. aplicado à taxa de juros simples de 1. o tempo de aplicação foi de 4 anos.i.00 depois de certo tempo.br . t = 1 ano = 12 meses (a unidade da taxa deve coincidir com a unidade do tempo) Aplicando na fórmula J = C. rende juros J.00 (90 : 3). podemos escrever um problema de juros simples assim: Se um capital C.5% de x = R$ 30.20% = 80% Logo.00 correspondem a 1.t. Qual foi o capital que.5% do capital. t 03.C). 5 . então: i.voupassar. LINK: Generalizando.C = juros obtidos no fim de 1 período (i. temos J = 800. i . no sistema de juros simples. Um capital de R$ 600.00. Então R$ 30. o tempo deve ser usado em meses (3 meses = 1 trimestre).5%.00 em um trimestre? SOLUÇÃO: 1º modo: Como a taxa está dada ao mês. Fazemos 1. aplicado à taxa i ao período. no fim de t períodos. 02.12 100 J = 480 (rendimento) Como M = C + J.m.00.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 2ª SOLUÇÃO: Dados: C = 800 i = 5% a.

3%.t M=C+J J = 2000000. 05. depois de 4 meses. sabendo-se que a taxa de juros será de dez por cento ao mês. A que taxa devemos aplicar o capital de R$ 4.00. 0.500.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 15 .03 18 000 3% Logo.br .040.i. no sistema de juros simples.t 90 = C.720.015) ao mês J = C.i.i. SOLUÇÃO: J = C.com.t 540 = 4500. SOLUÇÃO: J = C.12 M = 2000000 + 720000 J = 720. 3 0.00.t 2160= 240. Em quanto tempo um capital de duzentos e quarenta reais poderá se transformar em dois mil e quatrocentos reais.i. devemos aplicar à taxa de 3% ao mês. o capital foi de R$ 2000.5% (0.00? 1ª SOLUÇÃO: 5040 – 4500 = 540 (rendimento em 4 meses) 540 : 4 = 135 (rendimento em 1 mês) x% de 4500 = 135 135 4 500 27 900 3 100 3% (taxa de juros ao mês) 2ª SOLUÇÃO: C = 4500 t = 4 meses J = 540 (5040 – 4500) i=? J = C.000 06.10%. 04. Calcule o valor total a ser resgatado por um capital de dois milhões de reais aplicado em um banco por doze meses.045C = 90 C = 90/0. 100 30 x 3000 15 .015. para que.i = 540 i 540 = 0.voupassar. sabendo-se que o banco corrige as aplicações em três por cento ao mês.4 18000.5x = 3000 2000 (capital) x 2º modo: C=? t = 3 meses (1 trimestre) J = 90 i = 1.J J = 2400 240 J = 2.i. 1. o montante seja de R$ 5.160 8 www.000 M = 2.045 = 2000 Portanto.t n = 2160/24 n = 90 meses 2400 = 240.

Em quanto tempo um capital dobra de tamanho.br . Qual o capital que produz dezoito mil reais de juros em quarenta e cinco meses a uma taxa de juros de dois por cento ao mês? SOLUÇÃO: Seja J = C. Como esse capital aumenta 45% a cada ano. devemos converter a taxa para diária (dividindo por 360).i. 1= 45% . ele irá aumentar 100%.t Então 9 www. para encontraremos o tempo em dias.com. teremos: t = 100% / 45% = 20/9 anos t = 2 anos. sabendo-se que a taxa de juros é de quarenta e cinco por cento ao ano? 1ª SOLUÇÃO: Se o capital dobrar. será um valor quebrado.voupassar.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 07.t 360 45 36000 .a. Prevendo que o tempo. Se M = 2C então J=C logo J = C. em anos.t portanto t = 800 dias 08.i.t C = C. 2 meses e 20 dias ou então t = 800 dias Observe que 20/9 = 18/9 + 2/9 = 2 anos e 8/3 meses 2 anos 2/9 de 12 = 8/3 (1 ano = 12 meses) 8/3 = 6/3 + 2/3 = 2 meses e 20 dias 2 meses 2/3 de 30 = 20 (1 mês = 30 dias) 2ª SOLUÇÃO: Dados: C=x M = 2x i = 45% a.

br .10. ou seja.com. Determinar em quanto tempo um capital quadruplicará a juros simples quando aplicado a 10% ao mês.9 C = 20000 09. então J = 2C. Como J = M – C.a. logo J = C. 12. SOLUÇÃO: Se o capital triplica. Calcule a taxa de juros mensal que faz um capital dobrar em 6 meses e 20 dias. 11. Determine o montante ao fim de 3 meses e 10 dias. temos: C = C.i. ou seja.00 sob uma taxa de 36%a. 10. t 3C = C .t Como t = 6 meses e 20 dias = 200 dias.i. Portanto 15% a. t 0. resultante da aplicação de um capital de R$ 500. i .voupassar.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 18000 = C.200 1 = 200i i = 1/200 = 0.10 .t = 3 t = 30 O tempo necessário é de 30 meses. 10 www.45 C = 18000 / 0. portanto: J=C.9 2 = 9i i = 2/9 = 0.02.i.2%.d. SOLUÇÃO: Se M = 2C.m.5/100 = 0. SOLUÇÃO: Chamando de t o número de meses para que um capital C quadruplique.5% a.t 3C = C . temos que os juros produzidos são o triplo do capital inicial. dois anos e meio. J = 3C. 0. então J=M–C J=C Seja J = C.22 Portanto a taxa é de 22% a..i.t 2C = C.m.45 C = 18000 / 0.i. Determine a taxa de juros que triplica um capital em nove meses. temos então que M = 3C.

m. devemos contar o tempo exato. após 1 mês tem-se: 11 www. devemos somar 4 dias ao tempo comercial. Calcular o capital inicial. SOLUÇÃO: Dados: C = 300 Multa = 5% de 300 = 15 i = 1. a quarta parte a 8% ao mês e o restante a 6% ao mês.05% a.C 12 Assim sendo. ou seja. SOLUÇÃO: Chamando de C o capital.00 venceu no dia 10 de março e foi pago no dia 26 de setembro do mesmo ano.d.1% a. admitiremos que os juros sejam ordinários. No fim do mês recebe R$ 1.C 12 3. ou seja t = 6 meses e 16 dias = 180 + 4 + 16 = 200 dias Portanto J = 300.1%.a. C 4. Um boleto bancário no valor de R$ 300.m. C3 = C – C2 – C3 foi aplicado a 6% a.480.m.t Então J = 500.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SOLUÇÃO: Dados: C = 500 i = 36% a. = 3% a.) e uma multa de 5% sobre o valor de face.5% a. = 0.br .0.m. Jul e Ago tem 31 dias.m. Determine o valor pago. = 0. Como Mar. então de 10/03 a 26/09 temos 6 meses e 16 dias. sabendo que são cobrados juros diários (taxa de 1. C2 = C/4 foi aplicado a 8% a.voupassar. Como foram dadas as datas do vencimento e do pagamento.d.05%.m.5% a.200 J = 30 Logo o valor pago será V = 300 + 30 + 15 V = 345 14. t = 3 meses e 10 dias = 100 dias Sendo J = C.C 5 . Uma pessoa aplica a terça parte do seu capital a 5% ao mês.00 de rendimentos.100 J = 50 Logo M=C+J M = 500 + 50 = 550 13. Mai.com.i.0. temos: C1 = C/3 foi aplicado a 5% a.) C C 3 C 4 12 .m. De 10/03 a 10/09 temos 6 meses (180 dias comerciais). Então resta a ser aplicado (a 6% a.

014 110000 portanto i = 1. utilizando juros compostos: Após o 1º período (mês). 15.06 . R$ 600.C2. Quando estudamos juros simples.1 = 1480 5 C .C3.m. por exemplo. o juro produzido no final de cada período financeiro é somado ao capital que o produziu. 100 3 8 C . R$ 636.00.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo J1 + J2 + J3 = 1480 Ou seja 5%. 20 i= 1540 = 0.00.C = 1776000 portanto: C = 24000 Assim.i.000.5% e) 1.8% b) 1. (FCC) Um capital de R$ 5 500.00.06 .16 = R$ 714. A taxa mensal dessa aplicação era de a) 1. i .1 + 6%.00 = R$ 674.C + 24.06 .br . depois de 3 meses.t Temos 1540 = 5500 .C + 30.4% SOLUÇÃO: Dados: C = 5500 M = 7040 t = 1 ano e 8 meses = 20 meses então J = M – C = 7040 – 5500 = 1540 Sendo J=C. nas cadernetas de poupança. Vamos refazer aquele problema.C1..00 = R$ 636. como. No entanto é muito mais comum as aplicações serem feitas a juros compostos. concluímos que o capital inicial era de R$ 24.16 Após o 3º período (mês). calculamos o montante produzido por R$ 600. Obtivemos um montante final de R$ 708. o montante será: 1. os juros são integrados ao capital. 61 12 www.00.C .7% c) 1.m.00 Após o 2º período (mês). passando também a render juros. 100 4 6 5 . o montante será: 1. aplicados a 6% a.6% d) 1.480.00 foi aplicado a juro simples e ao final de 1 ano e 8 meses foi retirado o montante de R$ 7 040. 100 12 1.1 + 8%. JUROS COMPOSTOS Na capitalização composta.com. passando os dois.00 Multiplicando os dois membros da equação anterior por 1200 encontramos: 20.4% a. capital mais juros a render juros no período seguinte. ou seja.voupassar. após cada período de tempo. o montante será: 1. R$ 674.

Sejam: C capital inicial i taxa % por período de tempo t número de períodos de tempo M mon tan te final Então: após o 1º período (mês).(1 + i)2.C M2 = M1+ i.(1+6%)3 Olhando na tabela 1.(1 + i) M3 = C. temos: M = 600. Assim. Observe que esse montante é maior do que o achado anteriormente. vamos encontrar uma fórmula para o cálculo de juros compostos.1. o montante será: Procedendo de modo análogo. como fizemos para juros simples.(1 + i)t Assim. é fácil concluir que.M1 M2 = C(1 + i). J=M–C No exemplo dado.M2 M3 = C(1 + i)2. representado por M.(1 + i)3.voupassar.60 – 600 Portanto J = 114.1910 então M = 714.(1 + i) M1 = C. basta calcular a diferença entre o montante produzido e o capital.com.(1 + i) M2 = C.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Esse é o montante final.60 Para determinar os juros produzidos. quando utilizamos juros simples. logo M = 600.(1 + i). resolvendo novamente o problema dado. o montante será: M1 = C + i. temos (1+6%)3 = 1.(1 + i) M3 = M2 + i.br . o valor Mt. após t períodos de tempo. o montante será: após o 3º período (mês). após o 2º período (mês). que indicaremos simplesmente por M.60 13 www. teremos: J = 714. M2 = M1. será: M = C.1910. M3 = M2.

C. Portanto. Portanto. por exemplo.com. basta olhar o resultado na linha 10 (período). você não precisa calcular o valor de (1+5%)10. A tabela 1.br . você não precisa calcular o valor de (1+8%)6. desde que se conheçam as outras três.voupassar.5869 14 www. LINK: É extremamente importante saber ler e interpretar as tabelas contidas nos anexos.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo LINK: Na fórmula para o cálculo do Montante aparecem quatro variáveis: M. dando o fator de acumulação (1+i)t.5869 (como visto na figura). i e t. 8% 1. A tabela I. basta olhar nessa tabela o resultado na linha 6 (período) associada à coluna 8% (taxa). Podemos encontrar qualquer uma delas.6289. É extremamente importante saber ler e interpretar as tabelas contidas nos anexos. diz respeito à capitalização composta. para encontrar 1. por exemplo. dando o fator de acumulação (1+i)n. diz respeito à capitalização composta. coluna 5% (taxa) e encontrar 1.

436.m. em que: M R $ 41.(1+5%)12 Pela tabela 1. a 5% ao mês.00. SOLUÇÃO: Encontrando inicialmente o montante final. aplicado em caderneta de poupança.br . a 5% ao mês? SOLUÇÃO: M = C .000. 41674. 03. temos: M = 240000 + 37830 = 277830 Então M = C . (1 + i)t C M (1 i )t .m.80.674.voupassar. (1 + i)t.8 Portanto o montante final será de R$ 1. 36000 O capital aplicado é R$ 36.(1 + i)t então M = 800.50 (105)3 . Qual o capital que.00 i 5% a. Determinar em quantos meses um capital de R$ 240. em que: 15 www.50 1157625 . com taxa de 5% a. Determine o resgate e o rendimento dessa aplicação SOLUÇÃO: Dado: M ? C R$ 800. temos: M = 800.00 de rendimento. 02.830. quando aplicado a juros compostos. em regime de juros compostos.796 = 1436.05 ao mês t 3 meses MESMA UNIDADE DE TEMPO Então: C 41674.1.000.00 produz R$ 37..50 C ? i 5% ou 0. MESMA UNIDADE DE TEMPO t 1ano 12 meses Sendo M = C. Um capital de R$800 é aplicado por 1 ano.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXEMPLOS 01.674.50 em 3 meses. produz um montante de R$ 41.com.

A que taxa percentual ao mês foi aplicado. Determinar depois de quanto tempo essa quantia rendeu R$ 23.00 i ? % ao mês t 3 meses MESMA UNIDADE DE TEMPO Então: (1 + i)t = (1 + i)t = 1. 05.voupassar. em que t é o tempo em meses. Foram aplicados R$ 50.50? SOLUÇÃO: Como o problema pede a taxa percentual ao mês. um capital de R$ 300. (1 + i)t e M = C + j.287. Então: 50000.00 C R $ 240.50 C R $ 300.4641 para t = 4. SOLUÇÃO: Temos: M = C .MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo M R $ 277.5 300000 16 www.br .000.205.00.1)t = 73. (1 + i)t. na quanta parte do ano. temos: M = C .com. verifica–se que na linha t = 3 encontraremos 1. em caderneta de poupança. deveremos trabalhar com o tempo em meses. Portanto.1)t = 1.000.(1. 04.15763 e irá encontrar 3.205 (1.00 a juros compostos a 10% a.000.4641 Observando a tabela I.00 para.00 i 5% ou 0.m. Portanto a taxa foi de 5% ao mês. Como a quarta parte do ano equivale a 3 meses. o capital ficou aplicado durante 3 meses. em que M R $ 347. seria você olhar na tabela I. Portanto. veremos que o tempo de aplicação foi de 4 meses.830.287. verifica–se que na coluna de 10% encontraremos 1. para qual valor de t (período) o valor de (1+5%)t é igual a 1.1576 para i = 5%.1)t = 50000 + 23205 50000. produzir um montante de R$ 347. M C (1 + i)t = 347287.15763 Uma forma mais simples.05 ao mês t ? meses MESMA UNIDADE DE TEMPO Assim: (1+i)t= M C (1 0.(1 + 0.05)t 277830 240000 Portanto: (1 + 0.000.05)t = 1.1576 Observando a tabela I.

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo

CALCULO DE MONTANTE PARA Períodos não– inteiros
Para calcular o montante em juros composto em que o período não seja um número inteiro de períodos a que se refere à taxa considerada. Isto decorre do fato de que estamos considerando capitalizações descontínuas, ou seja, os juros supõem-se formados apenas no fim de cada período de capitalização. Devemos, portanto, considerar hipóteses adicionais para resolver o problema. Dessa forma, podemos utilizar dois métodos: convenção exponencial (valor real) ou convenção linear (valor aproximado). CONVENÇÃO EXPONENCIAL É aquela em que os juros do período não-inteiro são calculados utilizando-se a taxa equivalente. Ou seja, se a taxa for anual e o período for dado em anos e meses, devemos trabalhar com a taxa mensal equivalente e o período em meses.
MONTANTE

M2

M
M1 C

t1

t

t2

PERÍODO

CONVENÇÃO LINEAR É aquela em que os juros do período não-inteiro são calculados por interpolação. Ou seja, deve-se calcular os montantes no período anterior e posterior ao período não-inteiro, considerando um crescimento linear entre eles.

MONTANTE

M2

M
M1 C

t1

t

t2

PERÍODO

17

www.voupassar.com.br

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo

LINK:

JUROS SIMPLES J=C.i.t M=C+J J = juros simples C = capital aplicado t = número de períodos de tempo i = taxa % por período de tempo M = montante

JUROS COMPOSTOS M = C . (1 + i)t M=C+j J = juros produzidos C = capital inicial t = número de períodos de tempo i = taxa % por período de tempo M = montante final

EXERCÍCIOS
01. (CESGRANRIO) Aplicações financeiras podem ser feitas em períodos fracionários e inteiros em relação à taxa apresentada, tanto em regimes de capitalização simples quanto compostos. A partir de um mesmo capital inicial, é possível afirmar que o montante final obtido pelo regime composto em relação ao montante obtido pelo regime simples: a) é sempre maior b) é sempre menor c) nunca é igual d) nunca é menor e) pode ser menor 02. Foi feita uma aplicação de R$ 4.000,00 a uma taxa de 20% a.q., em um regime de juros simples, durante três trimestres. Determine o valor do resgate após esse período. a) R$ 6.200,00 b) R$ 5.800,00 c) R$ 4.500,00 d) R$ 2.400,00 e) R$ 1.800,00 03. Diego atrasou o pagamento de um boleto bancário de R$120,00, que venceu dia 12 de janeiro de 2009. Em caso de atraso será cobrada multa de 4% e juros simples de 3% a.m.. Quanto seria o total pago por ele no dia 21 de junho do mesmo ano? a) 139,20 b) 144,00 c) 153,00 d) 162,40

18

www.voupassar.com.br

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo
04. (FCC) Em um regime de capitalização simples, um capital de R$ 12 800,00 foi aplicado à taxa anual de 15%. Para se obter o montante de R$ 14 400,00, esse capital deve ficar aplicado por um período de a) 8 meses. b) 10 meses. c) 1 ano e 2 meses. d) 1 ano e 5 meses. e) 1 ano e 8 meses. 05. (ESAF) O preço à vista de uma mercadoria é de $1.000,00. O comprador pode, entretanto, pagar 20% de entrada no ato e o restante em uma única parcela de $922,60 vencível em 90 dias. Admitindo-se o regime de juros simples, a taxa de juros anuais cobrada na venda a prazo é de: a) 98,4% b) 122,6% c) 22,6% d) 49,04% e) 61,3% 06. (FCC) Num mesmo dia, são aplicados a juros simples: 2/5 de um capital a 2,5% ao mês e o restante, a 18% ao ano. Se, decorridos 2 anos e 8 meses da aplicação, obtém-se um juro total de R$ 7 600,00, o capital inicial era a) R$ 12 500,00 b) R$ 12 750,00 c) R$ 14 000,00 d) R$ 14 500,00 e) R$ 14 750,00 07. (FCC) Determinado capital aplicado a juros simples durante 18 meses rendeu R$ 7.200,00. Sabese que, se o dobro deste capital fosse aplicado a juros simples com a mesma taxa anterior, geraria, ao final de dois anos, o montante de R$ 40.000,00. O valor do capital aplicado na primeira situação foi: a) R$ 24.000,00 b) R$ 20.800,00 c) R$ 15.200,00 d) R$ 12.500,00 e) R$ 10.400,00 08. (NCE) Antônio tomou um empréstimo de R$5.000,00 a uma taxa de juros mensal de 4% sobre o saldo devedor, ou seja, a cada mês é cobrado um juro de 4% sobre o que resta a pagar. Antônio pagou R$700,00 ao final do primeiro mês e R$1.680,00 ao final do segundo; se Antônio decidir quitar a dívida ao final do terceiro mês, terá de pagar a seguinte quantia: a) R$3.500,00 b) R$3.721,00 c) R$3.898,00 d) R$3.972,00
19

www.voupassar.com.br

180.00 foi aplicado a juros simples por 3 meses.000.x (11/10)3. A caixa beneficente de uma entidade rende. por um bimestre.00 e R$ 2. (FCC) Um capital de R$ 400. Os montantes correspondentes obtidos segundo capitalização simples e composta. no início de um mês. c) R$ 2.000.120.00 11. valem a) R$ 2.voupassar.480.000. (ACEP) Fátima aplicou R$ 1. O total de juros obtido nessas duas aplicações foi a) R$ 149. O montante obtido nessa aplicação foi aplicado a juros compostos.00 e R$ 2.00 à taxa de juros simples de 2% ao mês.45 e R$ 2. (FCC) Um capital de R$ 2.00 foi aplicado à taxa de 3% ao mês durante 3 meses.br .785.000.16 13.185. outra pessoa aplica R$8.00.00 R$ 1. qual será o valor do resgate? a) b) c) d) e) R$ 1. depois de 4 meses o saldo será de: a) b) c) d) (11/10)4.com.24 d) R$ 62.x x + (11/10).45 e R$ 2. (FCC) Em determinada data.185.45.00 09. 09 b) R$ 125. e considerando-se que não haja retiradas. Decorridos 2 meses. a cada mês. o saldo era x. 10% sobre o saldo do mês anterior.x 20 www. Tendo sido as capitalizações mensais.300.480. respectivamente.00 à taxa de juros simples de 4% ao mês. Determine quantos meses depois da primeira aplicação o montante referente ao valor aplicado pela primeira pessoa será igual ao montante referente ao valor aplicado pela segunda pessoa.x x + (11/10)4. à taxa de 36% ao ano.485. uma pessoa aplica R$10. d) R$ 2.331.00 R$ 300. 12.45.00 R$ 1.00 R$ 331. a) 22 b) 20 c) 24 d) 26 e) 18 10.00 a uma taxa de juros compostos de 10% ao mês e por um prazo de 1 trimestre. b) R$ 2.10 c) R$ 65. à taxa de 3% ao mês.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo e) R$3.180.00.000.55 e) R$ 62. Se.

Uma aplicação de R$ 3.? a) 9 b) 8 c) 7 d) 6 18.00 b) R$ 1.320.00 b) 8. quando submetido a uma taxa mensal composta de 5%. que rende cumulativamente 4% a.100. Determine o valor mais próximo da aplicação que 14 meses mais tarde gera um montante de R$2.00 c) 7.000.00 16. (ESAF) Ao fim de quantos trimestres um capital aplicado a juros compostos de 9% ao trimestre aumenta 100%.00 d) 6.00. se for submetido a uma taxa de juros compostos de 13%a.310. Quantos meses são necessários para que um capital triplique. Qual a taxa mensal composta de juros dessa operação? a) 2% b) 4% c) 6% 21 www.000.000.00 rendeu R$ 2.voupassar. ao se utilizar de capitalização composta.00 15.010.210. a) 14 b) 12 c) 10 d) 8 e) 6 19. Carol investiu R$3.00 c) R$ 1. Quanto ela irá resgatar dois anos depois? a) 9. a) R$ 1.970.760.00 em um fundo de longo prazo.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo e) x + 40%. (FCC) O capital que quadruplica em 2 meses. deve estar vinculado a uma taxa mensal de a) 50% b) 100% c) 150% d) 200% 17.x 14.m.370.00 d) R$ 1.690.br .00 em 10 meses.m.com.

C 19.000. A 03. B 02. B 08. em regime de juros compostos e taxa de 6%a. A 14.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo d) 8% 20. E 06. E 12. C 22 www.00. Por quanto tempo deve ser aplicado um capital de R$5. A 15.br .. D 17. B 07. E 10. D 04. C 05. A 20.00? a) 7 anos b) 2 anos e 1 mês c) 1 ano e 9 meses d) 1 ano e 3 meses GABARITO 01.518. B 09. E 13. A 16.com.t. A 11. A 18. para gerar um montante de R$7.voupassar.

... podemos encontrar através de média ponderada o capital médio.t 2 ..i n CAPITAL MÉDIO Quando vários capitais são aplicados a taxas diferentes e em períodos distintos.t n PRAZO MÉDIO Quando vários capitais são aplicados a taxas diferentes e em períodos distintos. Observe a teoria e os exercícios resolvidos para perceber a diferença entre cada uma das médias.com.t1 C2 . podemos encontrar através de média ponderada o prazo média em que esses capitais poderão ser aplicados produzindo os mesmos montantes..i n .t 2 .i n .i n .t n C1.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 02 médias Prazo.i 1 C2 . ainda.t n 23 www.t 2 .. tM C1. CM C1. iM C1. Cn .t1 i 2 .t1 C2 . TAXA MÉDIA Quando vários capitais são aplicados a taxas diferentes e em períodos distintos. Cn . Cn .i 1.i 1. É muito utilizado em operações de desconto de títulos quando precisamos saber o prazo médio do desconto.i 1. C n . ou a taxa média (ou única) ou.. com destaque para provas da Esaf.t n C1.t1 C2 ..i 2 .i 2 .br .. C n ..i 2 .t 2 .voupassar. podemos encontrar através de média ponderada a taxa média em que esses capitais poderão ser aplicados produzindo os mesmos montantes.i 2 . i n . Esse assunto vem sendo cobrado em muitos concursos públicos.t1 C2 .. o capital médio.. taxa e capital médio são aqueles que substituem diversas aplicações financeiras por uma única.t 2 .t n i 1.

voupassar. temos t = 8.8 80000.m.br .0.m. Três meses atrás tomei num mesmo dia e ao mesmo credor os seguintes empréstimos a juros postecipados: C1 = 30.12.1 60000.m.t C.000 C2 = 60.1.m.8 80000.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo exemplos 01. i = 11% a.0. Isto quer dizer que posso trocar os três títulos por um único.i .000 i = 10% a.10 30000.11294 24 www. prazo = 7 meses prazo = 8 meses prazo = 10 meses Qual a taxa média de juros desses três títulos? SOLUÇÃO: i i C.m.7 60000. O credor concordou desde que não sofresse prejuízo.11.t 30000.7 60000. i = 12% a.8 80000.000 C2 = 60.11 . prazo = 7 meses prazo = 8 meses prazo = 10 meses Agora estou negociando com o credor para trocar os três títulos por um único de valor igual ao somatório dos três originais.10 i 169800 1490000 0.84375 19200 Como 1 mês = 30 dias. Como eu também não quero ser prejudicado.0.84375 .t C.0.000 C3 = 60.i .0.m. i = 11% a. sem haver perda para ambas as partes. i = 12% a. 30 logo t = 265 dias.000 C3 = 60.000 i = 10% a.0.12 169800 t 8.0.0. qual deve ser o prazo dessa letra única? SOLUÇÃO: t C. Três meses atrás tomei num mesmo dia e ao mesmo credor os seguintes empréstimos a juros postecipados: C1 = 30.i t 30000. cujo vencimento se dará em 265 dias.12 .0.11 80000.com. 7 60000.10 30000.1. 02.

R$ 1.com.0. prazo = 7 meses prazo = 8 meses prazo = 10 meses Nesse caso.m. Os capitais de R$ 2.11 .00.00 e R$ 3. (ESAF) Os capitais de 200.t i .000 i = 10% a.00.5%. R$ 3. 300 e 100 unidades monetárias são aplicados a juros simples durante o mesmo prazo às taxas mensais de 4%.5% d) 4% e) 4. 03. quatro e seis meses. qual o Capital médio desses três títulos? SOLUÇÃO: C C. 2.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Isto quer dizer que se aplicarmos os três capitais. exercícios 01. a uma taxa de 11.14.14 Isto quer dizer que o capital médio aplicado é de R$ 61.12 .1.500. 7 60000. pelos prazos inicialmente estabelecidos.079. Obtenha o prazo médio de aplicação destes capitais.000.m. respectivamente. a) quatro meses b) quatro meses e cinco dias c) três meses e vinte e dois dias d) dois meses e vinte dias e) oito meses 25 www.7 0. Três meses atrás tomei num mesmo dia e ao mesmo credor os seguintes empréstimos a juros postecipados: C1 = 30.11.000 C3 = 60. respectivamente. a) 2.8 80000.t C 30000.voupassar. Calcule a taxa mensal média de aplicação destes capitais.br . o rendimento será igual a se fosse aplicado as taxas de 10%.0.10 0. 11% e 12%.10.000 C2 = 60. i = 11% a.m. i = 12% a.12.i . durante dois. juros simples.500. três.00 são aplicados à taxa de 4% ao mês.5% 02.294% ao período.8 0.10 C 169800 2.000.5% b) 3% c) 3.0.5% e 5.78 61079.

5% 04.00 são aplicados a juros simples durante o mesmo prazo às taxas mensais de 6%. a) 2.00.5% d) 2. B 05.7% c) 2. a) 3% b) 2.00. 3% e 1.000.00 e R$3.br .500. A 03. o capital de R$ 2.00 é aplicado a 2% ao mês. R$3.00 e R$ 3.com. C 02.000. R$ 3.9% b) 3% c) 3. R$4. (ESAF) Os capitais de R$ 2.00 são aplicados a juros simples durante o mesmo prazo às taxas mensais de 6%.voupassar. (ESAF) Os capitais de R$2.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 03. Obtenha a taxa média mensal de aplicação destes capitais.138% d) 3.25% e) 3.00 é aplicado a 4% ao mês e o capital de R$ 5. respectivamente.000.000.500.5% GABARITO 01. E 26 www.00.5%. 3% e 1.138% d) 3. E 04. respectivamente.9% b) 3% c) 3.5%. 4%.000.00 é aplicado à taxa de 3% ao mês. Obtenha a taxa média mensal de aplicação desses capitais.25% e) 3. a) 2.500. Obtenha a taxa média mensal de aplicações de capitais.000. O capital de R$ 3.000.4% e) 2% 05.500. R$ 4. (ESAF) Três capitais são aplicados a juros simples pelo mesmo prazo. 4%.00.

br . menos os juros proporcionais à taxa. num determinado período. o valor pelo qual foi emitido. TEMPO (t ou n) Prazo compreendido entre a data da operação (desconto) e a data do vencimento. VALOR ATUAL ou ATUAL (A) É a diferença entre o Valor Nominal e o Desconto.voupassar. mas empresas especializadas efetuam essas operações. gerando uma operação ativa.com. são instrumentos legais com todas as garantias jurídicas que podem ser negociados com uma instituição de crédito. ou seja. Atualmente. A 1 i . quando quitado “n” períodos antes do vencimento.t D i . que consiste na transferência de direito através de endosso.t N 1 27 www. vezes o tempo compreendido entre a data da emissão até o vencimento do título. DESCONTO (D) Valor obtido pela diferença entre o Valor Nominal e o Valor Atual de um compromisso. Os dias serão contados excluindo se o dia da operação e incluindo se a data do vencimento. TAXA (i) Representa a quantidade de unidade que se desconta de cada 100 (cem) unidades. em troca do seu valor nominal ou de face. Temos os seguinte tipos de descontos: Comercial (Por Fora) Racional (Por Dentro) Bancário NOMENCLATURA VALOR NOMINAL ou de FACE (N) Quantia declarada no título. Duplicata. Letra de Câmbio. o percentual de juros. DESCONTO COMERCIAL (POR FORA) O calculo é efetuado sobre o valor nominal do título. não apenas os Bancos. de forma semelhante ao calculo dos juros simples. tais como Nota Promissória.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 03 DESCONTOS DESCONTO SIMPLES Os títulos de crédito. que chamaremos de DESCONTO.

a.i.br .m. 2 meses antes do vencimento? SOLUÇÃO: Dados: N = 7. t = 3 meses Lembre-se que 36% a.2 D = 840 EXEMPLO: Qual o valor atual de um título de R$ 6.00 descontado comercialmente à taxa de 36% a.a é equivalente a 3% a.t N 1 i .3 A = 5460 DESCONTO RACIONAL (POR DENTRO) Nesse caso o calculo é feito sobre o valor líquido ou atual.. Aplicando a relação. temos: 6000 A 1 3%. Podemos ainda dizer que na fórmula dos juros simples J = C.m. t = 2 meses Aplicando a relação.t A = N – DC EXEMPLO: Qual o desconto comercial.a.000. temos: 7000 D 6%.000. então temos: DC = N.t.com.000 i = 6% a.m.000 i = 36% a.i.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Sendo A – Valor Atual (Valor com desconto) D – Desconto (Valor a ser descontado) N – Valor Nominal (Valor de face e sem desconto) Onde N = A + D.00. A 1 Sendo D i . 3 meses antes do vencimento? SOLUÇÃO: Dados: N = 7. o capital pode ser substituído por N e os juros por DC. sofrido por uma NP de R$ 7.t 28 www..voupassar. à taxa de 6% a.

então temos: DR = A. o capital pode ser substituído por A e os juros por DR.br .00 com prazo de vencimento de três meses.000 i = 6% a.250.(1+3. t = 90 dias = 3 meses (mês comercial) Como o desconto é feito por dentro. à taxa de 6% a. Um no valor de R$ 50.4%) = 3000 (FCC) Edgar precisa resgatar dois títulos.2 D = 750 Observe que o valor atual (A) é igual a R$ 6. 29 www. Edgar propõe ao credor substituir os dois títulos por um único.360. Sabendo-se que a taxa de desconto comercial simples é de 4% ao mês. equivalente a 100%.m. sofrido por uma NP de R$ 7.t A = N – DR EXEMPLO: Qual o desconto racional. os juros foram calculados com base no valor atual. com vencimento em quatro meses.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo A – Valor Atual (Valor com desconto) D – Desconto (Valor a ser descontado) N – Valor Nominal (Valor de face e sem desconto) Observe que sempre N = A + D.00 com data para 90 dias foi trocado em uma Factoring.voupassar.i. determine o valor nominal do novo título.00 com prazo de vencimento de dois meses.i. EXEMPLO: Um cheque de R$ 3.00. Podemos ainda dizer que na fórmula dos juros simples J = C. temos: D 6%. t = 2 meses Aplicando a relação.00 e sofrendo aumento a juros simples de 12% (2 meses) produzirá um montante igual ao valor nominal (N).2 7000 1 6%.000. e seguir o desconto racional? SOLUÇÃO: Dados: N = 3360 i = 4% a. e outro de R$ 100.com.m. vencível em 2 meses? SOLUÇÃO: Dados: N = 7.m..000. Quanto será o valor atual recebido se a operadora cobrar uma taxa proporcional de 4% a.000.t. Portanto A = 3360. Não tendo condições de resgatá-los nos respectivos vencimentos.m. sem considerar os centavos.

SOLUÇÃO: No juro simples as taxa são sempre proporcionais.t.m.t.72% a.A 100 100 A= .N 140 N= A = 0. = 17. logo i = 24% a.N1 50000 = 92 . Deste modo. Indique qual seria o desconto à mesma taxa se o desconto fosse simples e racional.8 Para o segundo temos desconto de 4%.com. temos A = 71.714.m.00 três meses antes do seu vencimento a uma taxa de desconto simples de 3% ao mês.N2 100000 = 96 . 100000 50000 0 1 2 –8% 3 –4% 4 N Para o primeiro valor temos um desconto de 8%.N2 100 N2 = 104166. determine o valor mais próximo da taxa de desconto comercial trimestral que o banco deverá cobrar em suas operações de cinco meses. então i = 5. temos N = 140%.voupassar. 30 www. A 140 .810. logo A1 = 92%.5 (FCC) Um banco deseja operar a uma taxa efetiva de juros simples de 24% ao trimestre para operações de cinco meses. logo A2 = 96%. N Sendo o desconto comercial calculado em relação ao valor nominal. Portanto a taxa em 5 meses será i = 40% Como a taxa efetiva é calculada em relação ao valor atual.16% a. EXEMPLO: Um título sofre um desconto comercial de R$ 9.4%. = 8% a.N o que representa um desconto de 28. devem ser calculados sobre seus valores nominais.7 Portanto N = N1 + N2 N = 158514.N1 100 N1 = 54347.6% em cinco meses.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SOLUÇÃO: Como os descontos são comerciais.br .

09 D = 9000 2ª SOLUÇÃO: Outra maneira é perceber a relação direta que existe entre o desconto comercial (DC) e racional (DR).com. No caso de desconto comercial.09 = 9000 LINK: A seguir serão apresentados os quatro casos que mais aparecem em provas. o valor nominal nos dois casos (comercial ou racional) é o mesmo e a taxa para o trimestre é de 9%.t) Sabendo que a taxa mensal é 3% e para o trimestre é de 9%. D 9% 109000 109% D = 0.09 = 109000 N 109% Já no caso de desconto racional. DC = DR.09.voupassar. 9810 9% N 100% N = 9810/0.(1 + 9%) DR = 9810/1. portanto: A 100% D 9% Ou seja. portanto: A 91% D 9% N 100% Ou seja. temos: 9810 = DR. o valor nominal é o referencial (100%). COMERCIAL (POR FORA) TAXA EFETIVA) A 800 0 –20% RACIONAL (POR DENTRO OU N 1000 N 1000 A 800 0 +25% t N 1000 t N 1000 A 500 0 –50% A 500 0 +100% t N 1000 t N 1000 A 400 0 –60% A 400 0 +150% t N 1000 t N 1000 A 250 0 –75% A 250 0 +300% t t 31 www. o valor atual é o referencial (100%).br .MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 1ª SOLUÇÃO: Na questão. no que diz respeito a equivalências de taxas de descontos comerciais e racionais.(1 + i.109000/1.

00 em quatro parcelas mensais e iguais.00 c) R$ 946.00 c) R$ 540.000.60 para 30.m. sendo o primeiro para 30 dias e os outros com datas para os meses subsequentes.00.com. 60 e 90 dias. Leonardo resgatou uma nota promissória 5 meses antes do seu vencimento e por isso teve desconto de R$100. Quanto receberá o comerciante? a) R$ 450.00 c) R$ 700. que desconta comercialmente todos os cheques a uma taxa simples de 10% a.m.br . Para receber o dinheiro antecipado. Sabendo que a taxa efetiva usada foi de 4%a. e seguir o desconto comercial? a) R$ 600.. Um cheque de R$ 800.00 b) R$ 600.00 b) R$ 896. a) R$ 800. determine o valor dessa NP. quanto receberá o comerciante? a) R$ 431.000..00 com data para 120 dias foi trocado em uma Factoring.00 d) R$ 1. recorreu a uma financeira e descontou-os antecipadamente a uma taxa simples de 10% a.36 c) R$ 480. e o desconto foi comercial. a loja recorre a uma financeira. Sabendo que a taxa usada foi de 4%a. Uma loja de informática vendeu um equipamento por R$ 514.00 c) R$ 800.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXERCÍCIOS 01.00 de seu valor.m.80 e recebeu 3 cheques no valor de R$ 171. O pagamento é feito com quatro cheques no valor de R$ 150. vende uma mesa por R$ 600. em uma financeira.00 d) R$ 360.00 b) R$ 640.a. a) R$ 500.00 d) R$ 1. Quanto será o valor atual recebido se a operadora cobrar uma taxa simples de 60% a. Determine o valor desse cheque. respectivamente.00 04.00 03.voupassar. A loja Alfa Móveis.00 32 www. Para receber o dinheiro antecipado. Nícolas descontou antecipadamente.00 b) R$ 360. Se a financeira utilizar o desconto por dentro. um cheque com data para 3 meses mais tarde e por isso a financeira descontou R$96.00 05.00 02.00 b) R$ 510.00 d) R$ 720..00 cada.m.

um bimestre antes do vencimento.br . Um título público de R$10. (ESAF) Um cheque pré-datado é adquirido com um desconto comercial de 20% por uma empresa especializada. determine o valor de x para que a escolha da opção seja indiferente para o comerciante. ou sem desconto e a prazo.100.voupassar.000. 08. (ESAF) A uma taxa de juros de 25% ao período. Qual seria a taxa semestral. d) 5%. a) 6.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo d) R$ 503. a) 15 b) 18 c) 20 d) 25 07.00 10. sabendo que a taxa mensal utilizada foi de 60%. quatro meses antes de seu vencimento. b) 6%.com. mais uma quantia de 2000 no fim do período t+2. Em uma loja o comerciante pode vender os produtos de duas formas: a vista. Calcule a taxa de desconto mensal da operação considerando um desconto simples por dentro.5%.00 deve ser descontado racionalmente. c) 4%. (ESAF) Um valor de R$1. a uma quantia de: a) $ 4062..s. no fim do período t+1. Sabendo que esse cheque será negociado em uma Factoring com desconto racional de 25% para o mesmo período.25%. são equivalentes. dando um desconto comercial de x%. e) 5.00 d) $ 3250. recebendo um cheque para 60 dias. uma quantia de 1000 no fim do período t. se o desconto fosse comercial? a) 60% b) 40% c) 20% d) 10% 33 www. Determine o valor atual recebido na operação.50 b) $ 3525. com taxa efetiva de 50%a. a) 440 b) 500 c) 550 d) 1000 09.00 c) $ 2850.00 é descontado 3 semestres antes do vencimento.00 06.

C 10. B 09. a) 500 c) 600 c) 800 d) 900 GABARITO 01.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 11. com taxa de 30% a. A 06.00 deve ser descontada um ano antes do vencimento.br . A 05.voupassar.. B 02. onde D é o valor do desconto caso seja comercial e d é o valor do desconto caso seja racional. A 03. C 11. C 12. (CESGRANRIO) Uma duplicata no valor de R$13. C 07. qual teria sido a taxa mensal na operação? a) 25% b) 75% c) 100% d) 300% 12. Determine a diferença entre D – d. é dado a uma duplicada três meses antes do vencimento.m. Se o desconto tivesse sido racional. Um desconto comercial simples de 25% a. D 34 www. para se obter o mesmo valor atual um trimestre antes. A 08.com. B 04.a.000.

TAXAS EQUIVALENTES Duas ou mais taxas são equivalentes quando ao serem aplicadas a um mesmo capital. durante um mesmo período de tempo. = 6%a.t.a. Podemos escrever que então: (1 i ) n (1 I ) 1 i Logo n 1 l i n 1 l 1 EXEMPLO: Qual a taxa bimestral equivalente 2% a. = 60% a.m.com. em regimes de juros simples.m. = 2%a. = 720% a.s.br . = 12%a.b. iS i M i B iT i S iA iD iM iB iT iA ou 1 2 3 6 12 1 30 60 90 180 360 EXEMPLO: 1%a. i taxa do período menor. = 4%a. Assim duas ou mais taxas são equivalentes se.m.a.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 04 TIPOS DE TAXAS TAXAS PROPORCIONAIS Duas ou mais taxas são ditas proporcionais. = 2%a.? 35 www.s.b.a. e somente se: C(1 i a )1 C(1 i s )2 C(1 i t )4 C(1 i m )12 C(1 i d )360 Portanto (1 i a ) (1 i s )2 (1 i t )4 (1 i m )12 (1 i d )360 De maneira geral temos: I taxa do período maior.m. = 3%a. capitalizados em prazos diferentes. = 12%a. durante um mesmo período de tempo. = 6%a.voupassar. produzem um mesmo montante no final do prazo. quando ao serem aplicadas a um mesmo capital. n numero de vezes que o período maior contém o menor. 2% a. produzem um mesmo montante no final do período. 24%a.t.d. em regime de juros compostos.

inferior ao da taxa. é equivalente a 3% a. na linha n = 12 temos uma taxa de 3%.voupassar. capitalizamos mensalmente. na linha n = 12 temos 1. temos: (1+5%)6 = 1. Portanto.58% a. capitalizamos semestralmente.b é equivalente a 34% a. e os períodos de capitalização podem ser mensais.? SOLUÇÃO: Observando a tabela I. 60% a. geralmente a Taxa Nominal é fornecida em tempos anuais.a.04% Portanto.a.? SOLUÇÃO: Do enunciado temos: (1 + iM)12 = (1 + 60%)1 Ou seja. EXEMPLO: Qual a taxa mensal equivalente a 60% a.a. capitalizamos trimestralmente.m.m é equivalente a 4.br . i EFETIVA i NOMINAL n 36 www. temos: (1+2%)2 = 1.m. EXEMPLO: Qual a taxa mensal equivalente 42.a.com.? SOLUÇÃO: Do enunciado temos: (1 + iM)12 = (1 + 42. 42. Portanto.0404 = 1 + 4. EXEMPLO: Qual a taxa anual equivalente 5% a.4258 Observando a tabela I. (1 + iM)12 = 1.b. (1 + iM)12 = 1. trimestrais ou qualquer outro período.a.b.60 para uma taxa de 4%. EXEMPLOS: 12% a.34 = 1 + 34% Portanto.a. TAXA NOMINAL A unidade de referência de seu tempo não coincide com a unidade de tempo dos períodos de capitalização. 2% a. 20% a. 15% a.58%)1 Ou seja.58% a.a.04% a.a. 5% a.60 Observando a tabela I. é equivalente a 4% a.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SOLUÇÃO: Observando a tabela I.

m. 3% a. O que nos interessará será a Taxa Efetiva embutida na Taxa Nominal. a taxa efetiva obedece a seguinte proporção i N i EF 60 % iEF 12 1 12 1 Logo iEF = 5% a.s. capitalizado mensalmente? SOLUÇÃO: Seja iN = 60% a.) Então (1 + iA)1 = (1 + 5%)12 37 www.voupassar.a. 5% a. a. entretanto o seu valor nunca é usado nos cálculos por não representar uma Taxa Efetiva. 3% a. EXEMPLO: Qual a taxa anual equivalente a uma taxa nominal de 60% a. LINK: Nestes casos.m.com..a. TAXA EFETIVA É aquela em que a unidade de referência de seu tempo coincide com a unidade de tempo dos períodos de capitalização. capitalizados anualmente.a.s.m.br . 5% a.) Como taxa nominal é anual e a capitalização é mensal. capitalizados semestralmente. EXEMPLO: 15% a. pois ela é que será efetivamente aplicada em cada período de capitalização. mens. omitindo se o período da capitalização.. 36% a. costuma se simplesmente dizer: 15% a..a. 3% a.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXEMPLO: 36% a. mens. capitalizados mensalmente (Taxa Nominal).a. (cap. (Taxa Efetiva embutida na Taxa Nominal) 12 meses LINK: A Taxa Nominal é bastante difundida e usada na conversação do mercado financeiro. (cap.m. capitalizados mensalmente.

EXEMPLO: Qual a taxa anual equivalente a uma taxa nominal de 42% a. mens.a.voupassar.a.796 = 79. (cap. bimestralmente? SOLUÇÃO: Seja iN = 42% a.265 Portanto IS = 0. EXEMPLO: Qual a taxa semestral equivalente a uma taxa nominal de 24% a.) Como taxa nominal é anual e a capitalização é mensal. (cap.com.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Pela tabela 1.) Então (1 + iA)1 = (1 + 7%)6 38 www. capital. a taxa efetiva obedece a seguinte proporção iN iEF 42% iEF 6 1 6 1 Logo iEF = 7% a.br .s. temos: 1 + iA = 1.s. (cap.) Então (1 + iS)1 = (1 + 4%)6 Pela tabela 1.265 = 26. bim.b.a.796 Portanto iA = 0. bim.s. (cap. capitalizado mensalmente? SOLUÇÃO: Seja iN = 24% a.6% a. temos: 1 + iS = 1.) Como taxa nominal é semestral e a capitalização é mensal. a taxa efetiva obedece a seguinte proporção iN iEF 24 % iEF 6 1 6 1 Logo iEF = 4% a.5% a.m. mens.

o capital C para manter seu poder aquisitivo deve ser corrigido pela inflação. C(1+iINF) é o montante considerando apenas a inflação e C(1+iR)(1+iINF) é o montante considerando o juros reais e a inflação. pois o montante produzido não terá o mesmo poder aquisitivo.50 Portanto IS = 0. a taxa i aplicada sobre um capital é aparente. chamaremos de taxa real de juros iR a taxa que leva o valor MINF ao valor M e de taxa aparente de juros iA a taxa que leva C ao valor M. no final de um período.(1 + iA) Se no mesmo período a inflação foi iINF. temos: 1 + iS = 1. CÁLCULO DA TAXA REAL Ora. TAXA REAL E APARENTE Em uma situação em que a inflação for levada em consideração. C(1+iR) é o montante. obteremos o montante: M = C.com.(1 + iINF) Dessa forma. divulgada pelo mercado financeiro.a. Entenda que se em um certo período aplicarmos um capital C à taxa de juros iA.50 = 50% a. Portanto.(1+iR)(1+iINF) logo (1+iA) = (1+iR)(1+iINF) ou então iR 1 iA 1 iINF 1 Onde iR taxa real iA taxa aparente iINF taxa de inflação 39 www. à taxa real de juros iR. considerando uma economia sem inflação. Como o montante gerado por uma taxa aparente iA.br .(1+iA) = C.voupassar.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Pela tabela 1. temos: C. produz o mesmo montante gerado pelas taxas de inflação iINF e real iR aplicadas uma sob a outra. MINF e C correspondem ao mesmo poder aquisitivo em momentos distintos: um afetado pela inflação e outro não. gerando um montante inflacionado: MINF = C.

00 Portanto a loja aumentou aparentemente 26%.260.com.200.(1 + 11%) 1.br . 111 . Sabendo que nesse mesmo período a inflação foi de 20%.05 – 1 iR = 5% R$ 1. representa 26% de R$1000. portanto essa é a taxa aparente. determine a taxa real de aumento sofrida pelo televisor.00 e hoje a loja cobra R$ 1260.1.1. 40 www.20 1 + iR = 1.000.26 = (1 + iR).00 121 . Qual a taxa real de juros? SOLUÇÃO: Temos que (1+iA) = (1+iR)(1+iINF) Então (1 + 21%) = (1 + iR).21 = (1 + iR).09 iR = 9% EXEMPLO: Um ano atrás um televisor 20” custava R$ 1000.voupassar. mas na verdade ela subiu o preço 5% acima da inflação.00 pelo mesmo produto.20 iR = 1. No mesmo período a inflação foi de 11%. Sendo (1 + iA) = (1 + iR)(1 + iINF) Então (1 + 26%) = (1 + iR)(1 + 20%) 1.11 1 + iR = iR = 0.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXEMPLOS EXEMPLO: Um capital foi aplicado por um ano à taxa de juros nominal de 21% ao ano. SOLUÇÃO: O aumento de R$260.00 iAPARENTE = 26% R$ 1.26/1. iINFLAÇÃO = 20% iREAL = 5% R$ 1.

A quantia de R$ 5. e a inflação do período foi de 20%? a) 30% b) 52% c) 60% d) 68% 02. Qual deve ser a taxa aparente de juros para o período de um ano se a inflação esperada neste período for de 18%? a) 40.a.00 foi aplicada por um período de 2 anos.a.9% d) 49.9% d) 49.6% 06.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXERCÍCIOS 01.br .000.a. 04.com. Se a rentabilidade real no período foi de 100 %.9% b) 42. (CESGRANRIO) Três aumentos mensais sucessivos de 30%. qual foi a inflação medida no mesmo período? a) b) c) d) 100% ao período 200% ao período 300% ao período 400% ao período 03. transformando-se em R$ 40. Qual a taxa anual aparente de um investimento. d) 13% a.a. a) 10% a.6% 05. b) 11% a.a. c) 12% a.0% c) 45. e que a sua taxa de inflação no período foi de 200%. se a retabilidade real foi de 40%a. Qual deve ser a taxa nominal aparente de juros para o período de um ano se a inflação esperada neste período for de 18%? a) 40.9% b) 90% 41 www.00. Se um banco deseja auferir 2% ao mês de juros reais (simples) sobre determinada aplicação.voupassar. determine o ganho real de um aplicador.0% c) 45. Um banco deseja auferir 2% ao mês de juros reais (compostos) sobre determinada aplicação. Sabendo-se que o rendimento anual em caderneta de poupança em um determinado país subdesenvolvido no ano passado foi de 230%. correspondem a um único aumento trimestral de: a) 0.000.9% b) 42.

5% 11.com. 08.3% b) 24. Encontre a taxa quadrimestral equivalente a uma taxa nominal de 60% a. a) 21.056 – 1 c) 1. se o investidor resgatar um semestre após a data da aplicação.s.s. Obter a taxa efetiva anual equivalente a uma taxa nominal de 24% ao ano. Se em um financiamento está escrito que a taxa de juros nominal anual é de 30%. então a taxa equivalente para esse período: a) deverá ser de 5% a.voupassar.q.s.7% 07. d) 38% a.0% c) 26.q.65% a. b) 46. capitalizados mensalmente.br . c) 51.q.056 09.41% a. com capitalização mensal.? a) 32% a.q.s. a) 7% b) 6% c) 5% d) 7.54% a.8% d) 32. com capitalização bimestral. (CESGRANRIO) Um capital é aplicado com taxa anual de 10%. a) 40% a.4% 12. d) 69.056 – 1 d) 1+0. b) deverá ser maior que 5% a.q. Uma aplicação financeira paga juros composto de 28% ao ano. c) deverá ser menor que 5% a.7% e) 119.76 + 1 b) 0.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo c) 190% d) 219.q. 42 www. b) 34% a.q. Qual a taxa quadrimestral equivalente a 8% a. Qual é a taxa de juros trimestral efetiva de aplicação. c) 36% a.m. capitalizados trimestralmente. d) deverá ser maior que 10% a. e) dependerá do valor do capital 10.s.q. então a taxa de juros anual equivalente anual será: a) 0.

A taxa nominal de 120% ao ano. A 11. C 08. capitalizados mensalmente? a) 8.t.27% a.t.27% a. D 43 www. (ESAF) Em uma campanha promocional. E 07. b) 9. C 09. C 03. d) 11.27% a. B 06.6% ao ano e) 244% ao ano GABARITO 01. O Banco B. por sua vez.27% a. os valores mais próximos das taxas de juros efetivas anuais dos Bancos A e B são. B 13.com. respectivamente. D 05. A 04. iguais a: a) 69 % e 60 % b) 60 % e 60 % c) 69 % e 79 % d) 60 % e 69 % e) 120 % e 60 % 15.a. c) 10.br . B 14. Assim.t. C 12. 14.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 13.t. C 10. Qual a Taxa Efetiva trimestral equivalente a uma Taxa Nominal de 36% a. com capitalização trimestral é equivalente a: a) 10% ao mês b) 30% ao trimestre c) 58% ao semestre d) 185. o Banco A anuncia uma taxa de juros de 60 % ao ano com capitalização semestral. anuncia uma taxa de juros de 30% ao semestre com capitalização mensal. C 15.voupassar. D 02.

podemos dizer que o valor atual (A) é equivalente ao valor nominal (N) em períodos diferentes. corresponderão ao montante (M) e ao capital (C). onde o valor descontado (D) corresponde aos juros (J) do período (t). Da mesma forma que o desconto simples. portanto quando não estiver descriminado fica implicito o uso desse tipo de desconto. assim como em uma capitalização. Portanto. logo D N A LINK: Na maioria dos casos é dado o valor nominal. 44 www. a taxa e o período para ser encontrado o valor atual (A<N). logo o valor nominal (N) corresponderá ao montante (M) e o valor atual (A) corresponderá ao capital (C). dependendo do tipo de desconto. o desconto composto pode ocorrer de duas formas: desconto racional e desconto comercial. o valor a ser descontado (D) do valor nominal (N) é exatamente o juro que o valor atual (A) deveria produzir nesse período.voupassar. enquanto o valor nominal (N) e o valor atual (A). logo A= N (1 i )t Podemos ainda escrever da seguinte forma A = N. É importante salientar que na grande maioria dos casos os descontos compostos são racionais. 1 i t 0 A 1 2 3 N t . portanto: N A. o que facilita muito o trabalho do aluno.br .com. assim como representado no fluxo.. Dessa forma. podendo ser usadas as mesma fórmulas. Onde 1 (1 i )t 1 (1 i )t é o inverso do fator de acumulação e seu resultado pode ser facilmente encontrado na tabela 2.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 05 DESCONTO COMPOSTO Os descontos compostos funcionam da mesma forma que as capitalizações. devemos calular o desconto em ralação ao valor atual.. DESCONTO COMPOSTO RACIONAL Sabemos que quando o desconto é dito racional. uma vez que será feita uma simples multiplicação no lugar da divisão.

1 i n VF . 1 i t 0 . envolvidas nos problemas. anterior ou posterior. t Portanto. a uma mesma data de juros.br . devemos calular o desconto em ralação ao valor nominal (N).MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo DESCONTO COMPOSTO COMERCIAL No caso do desconto comercial.com. então $150 deve representar uma saída. dizemos que existe um capital único que é equivalente a todos eles denominado de Valor Futuro. $50 e $200 representam entradas. produzem nessa data. Se for usada a fórmula da capaitalização a taxa de juros (i) deve ser negativa. n 45 www. 1 1 i n 0 VP 1 2 3 VF .. 200 100 50 0 1 2 3 4 5 6 7 8 meses 150 Quando esse conjunto de capitais é transportado para a data final do fluxo de caixa. faremos um esquema gráfico utilizando setas para cima e para baixo ao longo de um eixo horizontal que representa o tempo. com datas diferentes. dizemos que existe um capital único que é equivalente a todos eles denominado de Valor Presente ou Valor Atual... Para melhor representar as entradas e saídas de capitais. VP VF.. se $100. que será sempre menor que o valor nominal. o valor a ser descontado (D) do valor nominal (N) é exatamente a deflação calculada sobre ele.voupassar. O sentido das setas é convencionado. são ditos equivalentes quando transportados para uma mesma data. logo D N A EQUIVALÊNCIA DE CAPITAL Dizemos que dois ou mais conjuntos de capitais. n Quando esse conjunto de capitais é transportado para a data inicial do fluxo de caixa.. mas a forma prática é substituir (i) positiva na seguinte equação: A N 1 2 3 A N. VP 0 1 2 3 VF VP. valores iguais.. logo este corresponderá ao capital (C) e o valor atual (A) corresponderá ao montante (M). No exemplo abaixo.

1. SOLUÇÃO: Do enunciado temos os montantes: BANCO A (i = 3%a..(1+3%)12 e BANCO B (i = 4%a. O restante dessa quantia foi aplicado no Banco B.voupassar.x = 50000 – x 1.m. Deste modo.7 Portanto os valores aplicados são BANCO A 26447. temos: (1+3%)12 = 1. sem considerar os centavos.425760 = (50000–x). a taxa de 4% a. temos: x.br .8905256.8905256.(1+4%)12 De acordo com a TABELA I. EXEMPLO: (ESAF) Paulo aplicou pelo prazo de um ano a quantia total de R$50.m.425760 (1+4%)12 = 1.000. determine o valor aplicado no Banco A e no Banco B.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo É comum usar essa equivalência de capitais para se fazer análise comparativa entre dois ou mais fluxos diferentes..3 46 www.m. x = 26447.m.) MA = (50000–x). Após um ano Paulo verificou que os valores finais de cada uma das aplicações eram iguais.7 BANCO B 23552.601032 0.com. Um parte dessa quantia foi aplicada no Banco A.x = 50000 Logo.) MA = x. Observe que independentemente da data escolhida para os transportes de capital.(1+4%)12 Como MA = MB. a equivalência será verificada.601032 Ou seja. a taxa de 3% a.1.00 em dois bancos diferentes. x.(1+3%)12 = (50000–x).

00 03.514.com.23 (1.00 b) 398. Sejam D o valor do desconto comercial composto e d o valor do desconto racional composto.00 será descontado dois meses antes do vencimento.435 e) $ 50.00 b) R$ 3.84)1/4 = 1. segundo o fluxo a seguir. segundo o fluxo abaixo.00 c) R$ 2.: (1. (ESAF) Uma empresa descontou uma duplicata de $ 55.122 d) $ 47.00 c) R$ 3. 1000 1000 1000 0 1 2 3 a) R$ 2.00 d) R$ 2.00 47 www.000.a. com taxa composta de desconto de 10% ao mês.074 c) $ 45.200. vale a) 399.11 a) $ 42.331.84)1/3 = 1. Três cheques iguais no valor de R$1.630. a uma taxa composta de 10% para cada período.00 02. a uma taxa composta de 10% para cada período.17 (1. Determine o valor atual de três cheques no valor de R$1. 1331 1331 1331 0 1 2 3 a) R$ 3.00 d) R$ 3.00 devem ser descontados comercialmente.br .700.00.930 b) $ 44.00. 60 dias antes do vencimento. (CESGRANRIO) Um título de valor nominal R$24..310.500.000. Admitindo-se que o banco adote a taxa de juros efetiva de 84% a. em reais.000 04.300. A diferença D – d.84)1/6 = 1. sob o regime de desconto racional composto. se forem descontados racionalmente. o líquido recebido pela empresa foi de (desprezar os centavos no resultado final): OBS. Determine o valor atual desses cheques.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXERCÍCIOS 01.993.voupassar.00 b) R$ 2.439.

para resolução da questão seguinte. Pedro quer fazer uma aplicação de R$ 5. da tabela acima. representadas nos fluxos abaixo. para ele: BANCO B 5000 BANCO C a) o Banco A é mais vantajoso b) o Banco B é mais vantajoso c) o Banco C é mais vantajoso d) todos são igualmente vantajosos 06. C 03. E 04.com. B 05. 3000 2000 1000 0 1 2 3 0 1 2 3 0 1 3000 2000 2000 2000 1000 2 3 2000 BANCO A 5000 5000 Dessa forma. O fluxo de caixa.br . que apresenta o maior valor atual (valor no mês zero) é: a) Fluxo Um b) Fluxo Dois c) Fluxo Três d) Fluxo Quatro e) Fluxo Cinco GABARITO 01.voupassar. Cada um deles oferece uma forma de retorno diferente. Pedro verificou que.000. Os valores constantes desta tabela ocorrem no final dos meses ali indicados.m. B 06. C 48 www.00 e) 395.00 d) 396.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo c) 397. (ESAF) Considere os fluxos de caixas mostrados na tabela abaixo. TABELA DE FLUXOS DE CAIXA: Fluxos J F M UM 1000 1000 500 DOIS TRÊS QUATRO CINCO 1000 1000 1000 1000 500 1000 1000 1000 500 1000 800 800 A 500 500 500 600 400 M 500 500 500 400 400 J 500 500 100 200 400 J 250 500 150 200 200 A 50 300 50 100 100 Considere uma taxa efetiva (juros compostos) de 4% a. C 02.00 05.00 em um dos três bancos em que ele opera.

Antecipadas: se os termos são exigíveis no início dos períodos. 49 www. sem que haja amortização. Vamos estudar as rendas certas que são. periódicas e imediatas (postecipadas ou antecipadas) e as diferidas. que podem ser. Podemos então tratar as rendas certas como uma seqüência uniforme de capitais. Imediatas: quando os termos são exigíveis a partir do 1º período. Estes exemplos caracterizam a existência de rendas ou anuidades.voupassar. são fixos e imutáveis. Pode ocorrer também o caso em que se tem o pagamento pelo uso. VF (valor futuro) de uma sequência uniforme antecipada.br . tem-se um processo de capitalização. basicamente de dois tipos: RENDAS CERTAS: são aquelas cuja duração e pagamentos ou recebimentos são prefixados. Exemplo: seguro de vida.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 06 RENDAS CERTAS Nas aplicações financeiras o capital pode ser pago ou recebido de uma só vez ou através de uma sucessão de pagamentos ou de recebimentos. Os diversos parâmetros. como o valor dos termos. taxa de juros. tem-se o processo de amortização. Elas podem ser: Postecipadas: se os termos são exigíveis no fim dos períodos. etc. Estudaremos a seguir cada um dos casos separadamente: VP (valor presente) de uma sequência uniforme postecipada. Diferidas: se os termos forem exigíveis a partir de uma data que não seja o 1º período. VP (valor presente) de uma sequência uniforme antecipada. VF (valor futuro) de uma sequência uniforme postecipada. Quando o objetivo é constituir-se um capital em uma data futura. que é o caso dos aluguéis. simultaneamente: temporárias. quando se quer pagar uma dívida. as rendas podem ser: Temporárias: quando a duração for limitada Constantes: se todos os termos são iguais. Periódicas: se todos os períodos são iguais. Caso contrário. Exemplo: compra a prestação RENDAS ALEATÓRIAS: os valores e/ou as datas de pagamento ou de recebimento podem ser variáveis aleatórias. Nos casos mais comuns e que vamos estudar. prazo de duração.com. Elas também podem ser postecipadas ou antecipadas.

iniciando a primeira parcela um mês após a compra. Trazendo todos os P para a data inicial teremos: VP P (1 i ) P (1 i ) 2 P (1 i ) 2 . ou parcelas. 1 i n n 1 i. portanto: VP = P.. será denominada de postecipada. onde o primeiro termo é a1 = e a razão é q = .. P (1 i )n P P P P 0 1 2 3 n .G. determine qual deve ser o preço a vista dessa TV.91 Portanto o valor a vista da TV é R$ 971.a4 9% Onde P = 300 e pela tabela III vemos que a4 9% = 3.2397 VP = 971. O fator de valor atual an i (a n cantoneira i) está na tabela 3. ou simplesmente P VP. 1 i . ou simplesmente VP P. Trazendo todos os P para a data inicial teremos: 50 www. EXEMPLO: Uma televisão foi comprada no carnê em 4 prestações mensais iguais de R$ 300.br . for feita no final de cada período.an i .3. Nesse caso. 1 i 1 i n n 1 .91.2397. sem entrada. será denominada de antecipada. VALOR PRESENTE DE UMA SEQUÊNCIA UNIFORME ANTECIPADA Quando uma série de pagamentos (P ou PMT) for feita no início de cada período. O fator de recuperação do capital 1/an i está na tabela 4. Sabendo que para esse tipo de transação a loja trabalha com juros compostos de 9% a.m. Substiuindo esses dados.(q n 1) .MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SEQUÊNCIAS UNIFORMES DE CAPITAIS VALOR PRESENTE DE UMA SEQUÊNCIA UNIFORME POSTECIPADA Quando uma série de pagamentos (P ou PMT). teremos: P VP. então VP = 300.. dada por Sn 1 P a1. 1 an i ..com.voupassar. o valor presente (VP) será a soma dessa progressão geométrica (P.00 cada. q 1 (1 i ) (1 i ) temos: VP P. SOLUÇÃO: O preço a vista da TV é o valor presente dessa série. i.. Se desejar encontrar a parcela (P) em função do valor presente (VP).).

P n–1 n Observe que nesse caso. P (1 i )n 1 P 0 1 P 2 P 3 P . ou simplesmente VF P. o valor futuro (VF) será a soma dessa progressão geométrica (P. dessa mesma série. for feita no final de cada período..(1 i )n Por esta razão. temos: sn i an i .a.+ P(1+i)n-1 P P P P 0 1 2 3 n .voupassar.G. onde o primeiro termo é a1 = P e a razão é q = (1 + i).(1 i )n EXEMPLO: Uma pessoa resolveu poupar mensalmente R$400. Trazendo todos os P para a data final teremos: VF = P + P(1+i) + P(1+i)2 +. Um fato interessante é que o valor futuro dessa série de pagamentos é um capital equivalente ao valor presente. quanto ele terá guardado? 51 www..sn i O fator de acumulação de capital sn i (s n cantoneira i) está na tabela 5.. Substiuindo esses dados. q 1 temos: n VF P.com. aplicando no final de cada mês em um fundo que paga 24% a. basta somar P que está no início da série com o valor presente da sequência postecipada que começa no 1 e termina em n-1. Dessa forma teremos: VP P P. na data final do período.. Ao final de um ano. será denominada de postecipada.. pretendendo fazer uma viagem de férias. 1 i i 1 ..an 1 i VALOR FUTURO DE UMA SEQUÊNCIA UNIFORME POSTECIPADA Quando uma série de pagamentos (P ou PMT).00. portanto podemos dizer que: VF VP..MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo P (1 i ) P (1 i ) 2 VP P .(q n 1) Sn ..br . ou depósitos. dada por a1.). capitalizado mensalmente. Nesse caso.

000. então VF = 400.13.00. sendo a primeira para 30 dias. Determine o valor futuro do saldo dessa aplicação na data do ultimo depósito.m. o valor acumulado é de R$ 5. Portanto.250.m.500.687.com. ou depósitos..00.50 b) R$ 5.00 c) R$ 6.voupassar.687.4121 VF = 5364. P n–1 n Essa série é equivalente a uma sequência postecipada com n+1 depósitos. sabendo que a taxa utilizada foi de 4% a.84. dada no problema. Determine o valor atual da dívida.6) a) R$ 4. sabendo que a taxa utilizada foi de 4% a.000.00 e) R$ 7.84 Portanto.. será denominada de antecipada. portanto: VF = P. a taxa efetiva é de 2% a.a.50 b) R$ 5. O montante acumulado ao final de uma ano (n=12) é o valor futuro dessa série.sn 1 i P EXERCÍCIOS 01.00 52 www.. (Use 1.. (Use 1. Trazendo todos os P para a data final teremos: VF = P(1+i) + P(1+i)2 +.264..s12 2% Onde P = 400 e pela tabela 5 temos que s12 2% = 13.00 d) R$ 7.000. Dessa forma teremos: VF P.00 c) R$ 6.0412 = 1.6) a) R$ 4. VALOR FUTURO DE UMA SEQUÊNCIA UNIFORME ANTECIPADA Quando uma série de pagamentos (P ou PMT).MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SOLUÇÃO: A taxa de 24%a.000.m.4121. onde serão aplicados automaticamente doze parcelas mensais de R$ 500. sendo a primeira para 30 dias. O cliente de um banco acerta com o gerente uma poupança programada. for feita no início de cada período..00 d) R$ 7. é nominal.04 12 = 1.00 02.br . menos o depósito R da data final.+ P(1+i)n P 0 1 P 2 P 3 P .250. Uma dívida foi financiada em doze parcelas mensais de R$ 500.

m. c) o valor das prestações será maior se for dado um sinal no momento da compra. Sabendo que a taxa de juros oferecida para financiamento é de 1.00 03.00 c) 3124.105.com. Qual o valor futuro da série de quatro depósitos antecipados mensais e iguais no valor de R$1.500.000. a prazo.25% a.m.30 05.00 à vista e “em espécie”. 06. com juros. sabendo que a taxa utilizada pela financeira foi de 3% a.? a) 4.00 cada.voupassar. (ACEP) Uma família comprou uma geladeira nova. Ela então ofereceu R$ 1. (CESGRANRIO) Uma série de 10 anuidades de R$ 100 mil pode ser usada para amortizar um determinado financiamento.00 04. e) o valor das prestações não depende da quantidade de parcelas. a) para um mesmo valor de prestação.00. pode-se afirmar que o preço justo para pagamento à vista é: a) maior que R$ 1mi b) R$1.00.600. o vendedor informou que a loja estava parcelando em 8 vezes sem entrada e sem juros. Determine o valor à vista dessa moto.400.00 c) 5.400. o valor presente da última prestação é igual ao valor presente da primeira prestação.1 mi d) R$ 1 mi e) menor que R$ 1 mi 07.00 b) 3250. se aplicado a uma taxa composta de 10% a.m.612. em prestações iguais.000.00 b) 4. o valor presente das prestações diminui quando a taxa de juros aumenta. Se a loja aceitar essa proposta. d) o valor das prestações não depende da taxa de juros. sendo a primeira no ato da compra e as demais a cada 30 dias. Assinale a alternativa CORRETA. significa que estará cobrando indiretamente juros no parcelamento mensal.br . Leonardo comprou uma moto em seis parcelas de R$600.00 d) 3012.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo e) R$ 7.. um mês após o último deposito.1 mi c) maior que R$ 1mi e menor que R$ 1. b) no momento da compra. logo o valor da taxa de juros embutida na operação a prazo é de: a) 1% b) 2% c) 3% d) 4% 53 www. Quando Carol foi comprar um televisor de R$ 1. a) 3348.10 d) 5.

MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 08. C 05. Qual a taxa de juros cobrada pela loja? a) 3% ao mês b) 4% ao mês c) 5% ao mês d) 6% ao mês e) 7% ao mês GABARITO 01.00 d) 13. vencendo a primeira em 30 dias. sem entrada.00 b) 15.365. E 03.50 b) 782. sem entrada.50 c) 978. A 02. C 54 www. A 04. E 07. A 10. (ACEP) Em uma loja.voupassar. C 08. Raquel comprou um carro de R$ 20. todos no valor de R$400. A 09. podendo também ser pago em 5 parcelas bimestrais de R$ 615. em um fundo especial que lhe rendia 4% ao mês.232. Ele efetuou 24 depósitos mensais e iguais. determine o valor de cada uma das prestações.00.00 10.20 d) 587.com.00.00 dando 40% de entrada e financiando o restante em 18 parcelas mensais e iguais. um certo computador está a venda por 10 parcelas mensais de R$ 300.br . Sabendo que a taxa utilizada pela financeira foi de 3%. Hoje Felipe foi ao banco retirar a quantia que vinha juntando nos últimos 2 anos. a) 872.257. Qual a quantia resgatada 24 meses após o primeiro depósito? a) 16. A 06.00 c) 14.20 09. até o mês anterior a data da retirada. de forma antecipada.00.000.456.

ou simplesmente 1 P = A. A parcela (P) é dada em função do valor atual (A) que foi emprestado ou financiado. Quando contraímos uma dívida. an . 1 i P = A. EXEMPLO: Um empréstimo de R$ 1. SOLUÇÃO: No plano Price (sistema francês com prestações mensais). SISTEMA FRANCÊS Caracteriza se pelo fato de o mutuário pagar a dívida. Com o decorrer dos períodos. Calcule o valor de cada prestação e monte a planilha teórica do financiamento.00 é concedido para ser pago pelo sistema Francês de Amortização em 5 prestações mensais. à taxa de 10% a. periodicamente. de acordo com a fórmula i. Veremos os tipos mais usado.voupassar. do número de parcelas (n) e da taxa de juros (i).com. Sistema de Amortização Constante (SAC). vai-se pagando menos juros e.br . conseqüentemente. para encontrar a prestação deve ser seguido o mesmo procedimento usado nas séries de pagamento uniformes. an i 55 www. III. devemos saldá-la por meio de pagamentos do principal e dos juros contratados.m. i i Lembrando que an é o fator de valor atual de uma série de pagamentos encontrado na tabela LINK: Inicialmente paga-se muito juro e amortiza-se pouco. VP = P . por meio de prestações constantes. O Sistema Price é um caso particular do Sistema Francês quando as parcelas são mensais. n 1 i n 1 . Sistema de Amortização Crescente (SACRE) e Sistema de Amortização Misto (SAM). amortizando-se mais o principal. que são: Sistema Price (Francês).MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo CAPÍTULO 06 PLANOS DE AMORTIZAÇÃO No Brasil são adotados vários esquemas de financiamento.000.

– 264 264 264 264 264 JUROS – 10%. C. 56 www. (1 10%)5 1 (1 i )n 1 1 a5 10% Pela tabela 4. EXEMPLO: Uma dívida de R$ 1. com amortizações iguais como o próprio nome diz.voupassar. an i P 10%. Calcule o valor de cada prestação e monte a planilha teórica do financiamento.00 vai ser paga pelo sistema SAC em 5 prestações mensais.264 = 264 = 0.(1 i )n = 1000. Os juros também são cobrados sobre o saldo devedor. LINK: A amortização do saldo devedor é constante e prestação decresce.264.836 84 10%. logo MONTAGEM DA PLANILHA TEÓRICA DO FINANCIAMENTO 264 0 1 2 3 4 264 5 1000 N 0 1 2 3 4 5 PREST.com. caracteriza se pelo fato de o mutuário pagar prestações decrescentes de valor.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo Onde VP é o capital (C) emprestado P é a prestação an i é o fator de valor atual Então pela fórmula temos: 1 P = C. 0. à taxa de 10% a.000.m.00 1000 – 164 = 836 836 – 180 = 656 656 – 198 = 458 458 – 218 = 240 240 – 240 = 0 SISTEMA SAC No Sistema de Amortização Constante a dívida também é paga por meio de prestações periódicas que englobam juros e amortização.br . encontramos o fator de recuperação de capital P = 1000 .458 46 10%.1000 = 100 10%.656 66 10%.(1 10%)5 i .240 = 24 AMORTIZAÇÃO – 264 – 100 = 164 264 – 84 = 180 264 – 66 = 198 264 – 46 = 218 264 – 24 = 240 SALDO DEVEDOR 1000. no entanto.

EXEMPLO: Uma dívida de R$ 1. MONTAGEM DA PLANILHA TEÓRICA DO FINANCIAMENTO 300 280 260 240 220 0 1 2 3 4 5 1000 n PREST. então a prestação do primeiro mês será 264 300 P= = 282 2 Então fica claro que devem ser usados os dados obtidos nos exemplos anteriores. pois a cada mês deve ser feito uma média das prestações obtidas nos planos PRICE e SAC.600 = 60 10%. A título de exemplo.br .00 vai ser paga pelo sistema SAM em 5 prestações mensais.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo SOLUÇÃO: No plano SAC o valor amortizado é sempre o mesmo. as prestações no plano SAM também são calculadas todos os meses.1000 = 100 10%. SOLUÇÃO: Assim como no plano SAC.800 = 80 10%. 0 1 2 3 4 5 – 300 280 260 240 220 JUROS – 10%. somando o valor amortizado (A) ao juro produzido em relação ao saldo devedor do mês anterior.voupassar.000.com. construiremos a planilha de financiamento dado no Sistema Price e SAC.m. à taxa de 10% a.200 = 20 AMORTIZAÇ ÃO – 200 200 200 200 200 SALDO DEVEDOR 1000 1000 – 200 = 800 800 – 200 = 600 600 – 200 = 400 400 – 200 = 200 200 – 200 = 0 SISTEMA SAM O Sistema de Amortização Mista é a média aritmética do Sistema Price e do SAC. Calcule o valor de cada prestação e monte a planilha teórica do financiamento.. 57 www. logo temos C 1000 A A 200 n 5 Então no cálculo do valor de cada prestação deve ser feito cada mês.400 = 40 10%.

1000 = 100 10%.818 = 82 10%. a amortização é constante.voupassar.br . 58 www.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo MONTAGEM DA PLANILHA TEÓRICA DO FINANCIAMENTO 282 272 262 252 242 0 1 2 3 4 5 1000 n 0 1 2 3 4 5 PREST. como já é de se esperar.429 = 43 10%. portanto essa diferença (P – J) vai aumentando. AMORTIZAÇÃO: No plano PRICE a amortização é crescente. uma vez que deve existir amortização em todos os períodos. do SAC começa maior e termina menor que nos outros sistemas. PARACELAS: Observe. que as parcelas do PRICE são constantes. enquanto no SAM tem sempre valor intermediário em relação aos outros planos. Por fim. JUROS: Os juros representam um percentual em cima do saldo devedor e por isso também diminuem a cada pagamento em todos os planos. no diagrama a seguir. o que por consequência faz com que a amortização seja crescente.628 = 63 10%. pois enquanto a parcela (P) é constante. os juros (J) caem a cada período.220 = 22 AMORTIZAÇÃO – 282 – 100 = 182 272 – 82 = 190 262 – 63 = 199 252 – 43 = 209 242 – 22 = 220 SALDO DEVEDOR 1000 1000 – 182 = 818 818 – 190 = 628 628 – 199 = 429 429 – 209 = 220 220 – 220 = 0 COMPARAÇÃO ENTRE OS PLANOS SALDO DEVEDOR: Em todos os planos de amortização o saldo devedor diminui a cada pagamento.com. no plano SAM tudo é a média entre os outros dois planos. caso contrário não seria um plano de “amortização”. – (264 + 300)/2 = 282 (264 + 280)/2 = 272 (264 + 260)/2 = 262 (264 + 240)/2 = 252 (264 + 220)/2 = 242 JUROS – 10%. No plano SAC.

00 deverá ser quitada em 10 parcelas mensais e iguais.482. podemos afirmar que: a) No SAC os juros pagos na primeira prestação são maiores e) No SAM os juros pagos na primeira prestação são menores c) No SAC a primeira prestação seria menor d) No SAC a primeira prestação seria maior e) No SAM a primeira prestação seria menor 09.00 b) R$ 1. está CORRETA? a) O saldo devedor tem comportamento linearmente decrescente.00 11.00 c) R$ 518.. a) R$ 1.600. Dessa forma. a) R$ 628.50. Determine o da 1ª parcela.12 e) R$ 1. a) R$ 2.00 d) R$ 3. 08. com taxa de 5% a.00 e) R$ 3.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo EXERCÍCIOS 07.072.295. (ACEP) Qual das alternativas abaixo. d) Todas as amortizações têm o mesmo valor. Uma dívida de R$ 4.m.00 b) R$ 3.00 d) R$ 1.000.br . Determine o saldo devedor imediatamente após o pagamento da 6ª parcela.m.00 b) R$ 582.00 deverá ser quitada em 10 parcelas mensais e iguais. comparando a parcela no PRICE com as parcelas no Sistema de Amortização Constante (SAC) e no Sistema de Amortização Misto (SAM).00 10. se for utilizado o sistema PRICE. Uma dívida de R$ 4. b) Os juros pagos têm comportamento linearmente decrescente.000. e) As amortizações têm comportamento decrescente.83 c) R$ 1. Determine o saldo devedor imediatamente após o pagamento da 1ª parcela. (CESGRANRIO) Para a construção de um galpão.00 c) R$ 3. vencendo a 1ª em 30 dias. c) As amortizações têm comportamento crescente.com. de forma a ser pago em 20 parcelas mensais e utilizando-se taxa mensal composta de 8%.688.00 d) R$ 480.518.836.m. Para amortizar a dívida. com taxa de 5% a.00 59 www.00 e) R$ 400.722. vencendo a 1ª em 30 dias. Uma dívida de R$ 4.612..682. para instalação de uma indústria.000.00 deverá ser quitada em 10 parcelas mensais e iguais. com taxa de 5% a.018.. vencendo a 1ª em 30 dias. foi feito um empréstimo no valor de R$10 mil. as parcelas ficarão em torno de R$1.voupassar. em relação ao Sistema de Prestações Constantes em pagamento de empréstimos.

uma dívida de R$ 4.. com taxa de 5% a.m.00 deverá ser quitada em 10 parcelas decrescentes.com. D 05. C 02.00 GABARITO 01.400.00 d) R$ 580. a) R$ 180.000. com taxa de 5% a. Através do sistema SAC.00 15.m.00 e) R$ 600. B 10.00 d) R$ 580.00 e) R$ 600.00 c) R$ 518.00 d) R$ 580. Através do sistema SAC. D 09.00 deverá ser quitada em 10 parcelas decrescentes.MATEMÁTICA FINANCEIRA | Pedro Evaristo 12. vencendo a 1ª em 30 dias. B 06.00 e) R$ 600. uma dívida de R$ 4. a) R$ 180.00 d) R$ 420.m.600. vencendo a 1ª em 30 dias. a) R$ 180.000.000. D 03.00 c) R$ 400.br .00 c) R$ 518. Determine valor da 10ª parcela.800. com taxa de 5% a.000.00 deverá ser quitada em 10 parcelas decrescentes. Determine saldo devedor imediatamente após o pagamento da 2ª parcela. uma dívida de R$ 4. vencendo a 1ª em 30 dias.00 13.00 e) R$ 600. uma dívida de R$ 4.00 c) R$ 518. com taxa de 5% a.00 deverá ser quitada em 10 parcelas decrescentes. Determine valor dos juros pagos na 2ª parcela. uma dívida de R$ 4.200.. Através do sistema SAC. D 60 www. a) R$ 3. com taxa de 5% a.00 b) R$ 400.00 e) R$ 2.00 16.00 b) R$ 350.voupassar.m. Determine valor da 1ª parcela. A 08..00 deverá ser quitada em 10 parcelas decrescentes.00 c) R$ 2.00 b) R$ 400.00 b) R$ 3.00 b) R$ 400. vencendo a 1ª em 30 dias. vencendo a 1ª em 30 dias.00 d) R$ 2..m. C 04. E 07.000. a) R$ 180. Através do sistema SAC. Determine valor da 2ª parcela.. Através do sistema SAC.000.00 14.