P. 1
book-dc640bee1480d79d113190719d93f5a29fd855b7

book-dc640bee1480d79d113190719d93f5a29fd855b7

|Views: 118|Likes:
Publicado porcelpaiva

More info:

Published by: celpaiva on Nov 01, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/23/2013

pdf

text

original

Sections

Muitas pessoas - pensam que falar em macumba
é coisa do outro mundo. Alguns dos mais
renomados dicionários afirmam que a macumba
é um sincretismo religioso. Palavra que tem
derivação da (quimbanda ma'kôba), sua
sinonímia aqui na terra brasilis representa a
designação genérica dos cultos sincréticos afro-
brasileiros derivados de práticas religiosas e
divindades de povos bantos, influenciadas pelo
candomblé e com elementos ameríndios, do
catolicismo, do espiritismo, do ocultismo. O
ritual desses cultos nada mais é do que uma
representação de nossos antepassados que aqui
vieram como escravos. Denominação atribuída à
quimbanda pelos seguidores da umbanda da
chamada linha branca. Pode ser também a
designação de um antigo instrumento de

145

145

percussão, espécie de reco-reco, de origem
africana, e que produz um som rascante. Na
quimbanda sua sinonímia apresenta poucos
diferenciais em relação à macumba. A
quimbanda origina-se do quicongo que é uma
espécie de linha negra da umbanda, considerada
seu lado maléfico; macumba.

O ritual desse culto é muito forte e continua até
os dias atuais pelo esforço conjunto de seus
adeptos, que mantém a tradição religiosa banta
numa vertente considerada feiticeira, mesclada
a elementos populares do espiritismo e do
catolicismo, e que cultuam entidades de feição
ameríndia, outras nagôs, mas especificamente os
Exus. Os adeptos da quimbanda são chamados
ou conhecidos como curandeiros, adivinhos e
exorcistas. Queríamos deixar bem claro que
nada temos contra estes rituais, pois não
podemos interferir na crença alheia, mas uma
coisa precisa ser colocada em pratos limpos.
Eles usam o nome Espiritismo para fortalecer
seus cultos, visto que o Espiritismo surgiu em
1857 em Lyon na França com Allan Kardec. A
macumba é um sincretismo de origem afro-
brasileira, amalgamando elementos de várias
religiões indígenas brasileiras e do cristianismo.
Por exemplo, os macumbeiros substituíram os
nomes dos santos da igreja pelos da mitologia
africana. Vejamos dois exemplos; o nosso irmão
maior Jesus é chamado de Oxalá, e a Maria é
Iemanjá; e assim sucessivamente. Existem

146

146

catimbozeiros conterrâneos de Idi Amim Dada,
eles praticam o ocultismo em Uganda na África,
como também a Pomba - gira que é conhecida
como a eterna companheira o malandro Zé
Pelintra, um famoso cabôco do Candomblé.

Certa vez recebemos um e-mail de um senhor de
nome Thiago, criticando nossa matéria sobre
Umbanda e Macumba publicada no site
Artigonal afirmando que o escritor epigrafado,
nada sabia e que na realidade o neófito é ele.
Macumba e Umbanda, Quimbanda no duro
representam a mesma linha de tradições,
conhecimentos e rituais. Baseado nas
afirmações desse senhor e de outra crítica de
nome Virgínia, resolvi escrever somente o título
Macumba. Outros estudiosos sobre cultos dizem
com certa braveza o que se pode entender por
Macumba, no Brasil é uma significação ou
mescla de rituais africanos, espíritas e católicos.
Não foram os descendentes africanos os
principais responsáveis pela difusão e pela
propagação da Macumba no Brasil.

A principal responsável foi a Igreja Católica
Apóstata Romana, a traidora de Cristo. Estas
palavras não são nossas, pois como afirmamos
antes, o uso da ética nos ensinamentos
religiosos é primordial e não acusamos A e nem
B. Mas o que, afinal de contas, é a Macumba?
Impossível termos uma visão detalhada sobre a
Macumba, a Umbanda e o Candomblé, a não ser

147

147

que partamos no sentido da origem destes
rituais. A Religião Yorubá - Esta tem sido a
religião de povos que vivem no oeste africano,
mais precisamente na Nigéria e em Benim. Tem-
se caracterizado, há séculos, como um conjunto
de práticas e de rituais que visam adorar a
natureza e reverenciar os ancestrais.

A religião Yorubá é essencialmente politeísta,
pois adoram e servem a falsos deuses a quem
chamam de Orixás. Na concepção nigeriana de
adoração, prestam cultos a entidades as quais,
segundo acreditam, manifestam-se em uma
relação com a natureza. Tais entidades
(espíritos) possuem personalidade, e dentre os
mais conhecidos estão Ogun, Oxóssi, Obatalá,
Iemanjá, Xangô, Oxum, Oiá, Orulá e Babalu Aiê.
Vejamos a crítica de nossa irmã Virgínia a nossa

maneira enunciada anteriormente: “Bem se vê

que o autor do artigo nada sabe sobre o que vem
a ser a Religião de Umbanda, ou se omite,
querendo denegrir uma religião de amor,
fraternidade e caridade. Nas verdadeiras casas
de Umbanda, aquelas que honram o nome que
tem nada se cobram por consulta alguma, não se
faz "trabalho"... E usar o termo "macumba",
como algo pejorativo, é realmente uma afronta a
quem estuda a religiosidade afro-brasileira.
Sugiro que estude mais antes de colocar
palavras tão infundadas sobre a (Umbanda),
religião brasileira centenária”. As afirmativas da
irmã não coadunam com o que afirmam os

148

148

estudiosos do sincretismo africano ou afro-
brasileiro. Já o irmão Thiago diz o seguinte: “Ao
Autor deste “Artigo”, Primeiramente informo
que perdeste oportunidade de ficar quieto”. O
termo "macumba", além de pejorativo, nada
mais é do que uma espécie de árvore, e sabemos
que você usou estes termos para agredir. Se
quiser ser respeitado, por favor, respeite as
pessoas. Pelo que vi você é cearense. Seria legal
alguém vir aqui e te discriminar pelo fato de ser
NORDESTINO? Seria legal alguém usar aqueles
termos, tais como "cabeça-chata", "Paraíba",
entre outros de menor calão?

Já pensou se eu achasse que seus conterrâneos
são os grandes responsáveis pela favelização
maciça do Sudeste, e sua consequente
criminalidade? Se não quer ser vítima do
preconceito, por favor, dê-se ao respeito e não
seja HIPÓCRITA! Demais disso, você age
igualzinho à maioria dos espíritas: aquele
complexo de superioridade intelectual, moral e
espiritual. Vocês são superiores em quê? Em
arrogância e hipocrisia, só se for. Fui espírita por
mais de seis anos, e me afastei deste meio de
falsidade. Vocês vivem de doações também, não
seja omisso quanto a isto, e se algumas casas
cobram pelas consultas, certamente o fazem
porque precisam manter-se também. Estas casas
não recebem ajuda de ninguém, e, os zeladores,
em sua maioria, precisam se dedicar quase que
exclusivamente aos trabalhos mediúnicos. Já os

149

149

espíritas não precisam se dedicar a atividade
religiosa o tempo todo. Se contar que em casas
de culto afro-brasileiro muitos trabalhos de
feitiçaria são desfeitos. Eu nunca soube de um
trabalho desses em casas espíritas. Isso sem
contar que as sessões mediúnicas do espiritismo
são totalmente antidemocráticas. Qual critério
vocês usam para saber se pessoa X tem ou não
um problema a ser resolvido? Eu sei a resposta:
panelinha, pena, sensação de autopromoção
perante os outros irmãos etc.

Sei disso porque fui espírita. Além do mais,
vocês são tão Caridosos que "idolatram" um
racista da pior espécie, chamado Allan Kardec,
não é? Se acha que estou mentindo, leia Isto e
tire suas conclusões: "O progresso não foi, pois,
uniforme em toda a espécie humana; as raças
mais inteligentes naturalmente progrediram
mais que as outras, sem contar que os Espíritos,
recentemente nascidos na vida espiritual, vindo
a se encarnar sobre a Terra desde que chegaram
a primeiro lugar, tornam mais sensíveis a
diferença do progresso (sic!). Com efeito, seria
impossível atribuir a mesma antiguidade de
criação aos selvagens que mal se distinguem dos
macacos, que aos chineses, e ainda menos aos
europeus civilizados" (Allan Kardec, A Gênese,
ed. cit. p. 187). ISSO É O QUE VOCÊ CHAMA DE
CARIDADE? AFINAL, QUEM SÃO VOCÊS, MEROS
MORTAIS, IMPERFEITOS, PARA CRITICAREM E
JULGAREM AS PESSOAS? SEJA MENOS

150

150

SOBERBO, HIPÓCRITA, E PROCURE O CAMINHO
DO BEM! Lamentável saber que existem muitas
pessoas como você espalhadas pelo mundo. Sem
mais. Companheiros o que podemos dizer diante
de tais acusações: nada a comentar, pois os
arrogantes serão julgados pelo altíssimo e nosso
amigo se quisesse mostrar conhecimentos teria
usado outros termos e não nos agredindo desta
forma. Cada um dá o que tem. Aqui vai uma
citação da nossa matéria criticada pelos dois: “A
Umbanda ou Macumba é prática religiosa dos
negros africanos bantos que, juntamente com os
sudaneses, foram trazidos para o Brasil, com

escravos”.

“Existindo entre os negros bantos, segundo

alguns historiadores, o culto aos antepassados,
ou a crença na existência da alma dos mortos, os
negros brasileiros fundiram esse culto com as
praticas do Catolicismo e do mediunismo,
assimilando-o ao seu ritual supersticioso, daí
nascendo então o culto banto-ameríndio da

‘Umbanda”. Todos os macumbeiros e

umbandistas e outras ramificações se dizem
Espíritas, mas não o são. Eles na dura realidade
são apenas espiritualistas. Ressalte-se que todo
Espírita é espiritualista, mas nem todo
espiritualista é espírita. Para reforçar, fortalecer
suas tradições eles nas suas entidades colocam:

“Sociedade Espírita de Umbanda”, termo

totalmente inadequado, pois de espíritas eles
não têm nada.

151

151

Existe um, porém nisto tudo, todo serviço
executado por umbandista ou macumbeiro são
remunerados e uma consulta sai em média por
R$ 50, enquanto o espírita tem como lema a
Caridade (daí de graça àquilo que recebestes de
graça). O site intellectus mostra muito bem
certas nuanças sobre a Macumba e resposta de
modo correto aos críticos da seita em alusão.
Não há relação entre a etnia raça negro-africana,
com as antigas tradições satânicas da religião
Yorubá. Qualquer forma de racismo ou de
preconceito étnico está completa e totalmente
fora de questão. O mal que Satanás conseguiu
fazer penetrar na América por intermédio de
sacerdotes Yorubás não é melhor do que o mal
que tem sido espalhado pela Índia, por parte dos
sacerdotes Hindus, não é diferente dos danos
espirituais causados pelos mestres budistas da
China, não é diferente dos padres e teólogos
católicos que conduzem multidões ao Inferno e
nem tampouco diferente das desgraças
difundidas pelos sacerdotes do Islamismo do
falso profeta Maomé. Aqui insiro uma das
palavras do grande Mestre Jesus quando
agonizava na cruz:

“Pai perdoa-lhes, pois n~o sabem o que fazem”.
Andreza (06:33, 21.04.2009) outra crítica diz o
seguinte: você com certeza não faz ideia do que
é a umbanda e se, realmente tivesse estudado
saberia o que significa macumba só para te dar
uma mãozinha no seu esclarecimento na

152

152

umbanda ou você tem uma conduta perfeita ou
você está fora. Para se desenvolver você precisa
estudar muito, não é uma religião de ignorantes
como você deve pensar como todo kardecista
deve pensar que sabe tudo, na (umbanda) nunca
se sabe todo o aprendizado é constante inclusive
nos momentos de caridade é uma religião
baseada na igualdade, fraternidade, e evolução
do espírito pela caridade.

Muito mais complexa e profunda do que pessoas
que nunca tiveram real acesso imaginam, então,
aí vai uma dica, fale sobre o que você realmente
conhece. Não seja como outros que se dizem
espíritas e só ficam lendo sobre o kardecismo e
acham que sabem alguma coisa de umbanda,
mais respeito, por favor. Quem acha que sabe de
tudo, nunca estará pronto para aprender nada.
Macumba é uma espécie de árvore que existe na
África, mas com certeza você vai me encher de
"qualidades" e me chamar de ignorante etc., mas
não me importo, porque sei que estou no
caminho certo na busca por uma evolução nesse
planeta e pelo aperfeiçoamento. Se quiser,
continue com suas ideias erradas e
preconceituosas sobre essa religião linda,
complexa e que surgiu antes mesmo do
catolicismo. Merece muito mais respeito.
Pensem Nisso!

153

153

NO CAMINHO DE EMAÚS

No Evangelho do dia, publicado nos populares
do jornal o Povo de Fortaleza, este meio de
comunicação nos oferece a oportunidade de
lermos in loco passagens destes belos
ensinamentos cristãos. Ano-B: Dia 15/04/2009
- onde explicita Lucas 24, 13-35, vemos a parte

bíblica denominada de: “No caminho de Emaús”.

Lendo atentamente como gostamos de fazer
vemos que dois seguidores de Jesus estavam
indo para um povoado chamado Emaús. Este
povoado dista 10 quilômetros de Jerusalém, e
eles estavam comentando o que acontecera com
Jesus, a sua morte através da crucificação.

154

154

O próprio Jesus se aproximou dos dois homens e
passou a caminhar na companhia deles, mas
com a preocupação de não ser reconhecido. No
entanto Jesus perguntou aos dois? O que é que
vocês estão conversando pelo caminho? Eles de
repente pararam e com jeito triste um deles,
chamado Cleopas, disse: - Será que você é o
único morador de Jerusalém que não sabe o que
lá aconteceu, nestes últimos dias? Jesus
perguntou: o que foi? E eles responderam de
imediato. O que aconteceu com Jesus de Nazaré.
Esse homem era profeta e, para Deus e para
todo o povo, ele era poderoso em palavras e
atos. Os chefes dos sacerdotes e os nossos
líderes o entregaram para ser condenado à
morte e o crucificaram.

E a nossa esperança era que fosse ele quem iria
libertar o povo de Israel. Porém já faz três dias
que tudo isso aconteceu. Algumas mulheres do
nosso grupo nos deixaram espantados, pois
foram de madrugada ao túmulo e não
encontraram o corpo de Jesus. Voltaram dizendo
que viram anjos e que estes afirmaram que ele
está vivo. Alguns de seu grupo foram
comprovar indo ao túmulo e viram o que
realmente aconteceu, às mulheres confirmaram
tudo, mas não chegaram a ver Jesus. Então Jesus
lhes disse: - Como vocês demoraram a entender
e crer em tudo o que os profetas disseram! Pois
era preciso que o Messias sofresse e assim
recebesse Deus toda a glória.

155

155

Explicou todas as Escrituras sagradas que
falavam dele, iniciando com o Pentateuco
Mosaico e os escritos de todos os profetas.
Quando chegaram perto do povoado para onde
iam, Jesus fez como quem ia para mais longe.
Mas eles insistiram com ele pra que ficasse,
dizendo: - Fique conosco porque já é tarde, e a
noite vem caindo. Então Jesus entrou para ficar
com eles, pegou o pão e deu graças a Deus. Aí os
olhos deles foram abertos e conheceram Jesus,
mas ele desapareceu.

Ficaram espantando porque o Mestre estava ali
com eles se o mesmo foi morto e crucificado. A
ciência tem estudado com seriedade os
fenômenos mediúnicos de origem físicos e entre
eles está a ectoplasmia. O que seria a
ectoplasmia? A sinonímia refere-se à formação
de objetos diversos, os quais, as mais das vezes,
parecemos sair do corpo humano e tornam a
aparência de uma realidade material. O
ectoplasma é o nome que se dá ao fluido, de
natureza psicossomática, oriundo de médiuns de
materialização e do qual se servem os Espíritos
para tornarem-se visíveis e tangíveis aos olhos e
ao tato humano.

Como Jesus cristo ressuscitou em espírito e para
passar 40 dias no orbe terrestre teve que fazer
uso dessa substância. Quando Maria de Magdala
o viu pela primeira vez, Jesus estava na forma
quase intangível, mas como sua simetria com

156

156

Madalena era muito grande, ela o reconheceu e
correu para abraçá-lo. Porém ele disse não me
toques, pois ainda não subi ao Pai. Quando
Thomé afirmou que só acreditava que o Mestre
estaria na terra se o visse e o pegasse. Então
Jesus aparece a Thomé e disse: homem de pouca
fé toca aqui nas minhas chagas e disse a frase: -
Feliz daquele que não vê e acredita. Jesus
sempre aparecia com constância em diversos
lugares, ele usava a substância viva,
exteriorizada e amorfa, sobre a qual se exercem
as ideias-forças, inerentes à subconsciência do
médium.

Matéria viva no seu estado mais indiferenciado
é notadamente sensível à ação do pensamento.
Esta força materializante é como as outras
manipuladas em nossas tarefas de intercâmbio,
independente de caráter e das qualidades
morais daqueles que a possui, constituindo
emanações do mundo psicofísico, das quais o
citoplasma é uma das fontes de origem. Todo ser
humano e mais ou menos médium e também
possuidor de ectoplasma. Paulo em suas
epístolas já afirmava que no mundo espiritual
não havia lugar para carne e sangue.

Depois de cumprida a sua missão terrena, Jesus
não poderia levar para o mundo espiritual nada
que fosse material e quando ele subiu aos céus
deixa uma substância esbranquiçada que muitos
neófitos dizem ser nuvens, mas o que acontece

157

157

realmente é a desmaterialização com a liberação
do ectoplasma que ele mesmo usou para
materializar-se aqui na terra. Qualquer espírito
quando deseja se comunicar com o mundo
material o faz através do ectoplasma a sua
materialização. O maior médium de efeitos
físicos era conhecido carinhosamente como
Peixotinho, sendo cearense e nascido na cidade
de Pacatuba.

“E assim, por processos de laboratório, o Dr.

Osty ia surpreender a formação ectoplasmática,
ab ovo, a substância na sua fase ainda invisível,
aquilo a que já Crawford, o professor de
mecânica de Belfort, dava o nome de alavanca
psíquica, isto é, o aparelhamento fluídico de que
os Espíritos se serviam ou se servem para
produção de fenômenos físicos.

Já o cientista Russo Alexandre Asakof passou
grande parte de sua vida estudando o corpo
humano e na conclusão de seus estudos chegou
à conclusão de que o corpo humano não é
constituído somente de matéria. Nele está
inserido outro corpo semimaterial que ele
chamou de corpo bioplasmático e de tão sutil
não era perceptível aos olhos humanos quando
o mesmo se libertava corpo, após a estagnação
biológica. A este mesmo corpo Allan Kardec deu
o nome de Perispírito. Jesus subiu aos céus em
Perispírito. A ressurreição dá idéia de voltar à
vida o corpo que já está morto, o que a Ciência

158

158

demonstra ser materialmente impossível,
sobretudo quando os elementos desse corpo já
se acham desde muitos tempos dispersos e
absorvidos. Os mais céticos diriam, mas para
Deus tudo é possível. Porém Deus jamais
derrogou sua própria Lei e por isso Jesus teve
que passar por nove meses de gestação. Jesus
Cristo foi o maior médium, o único Espírito Puro
a pisar o Orbe Terrestre.

159

159

FENÔMENOS PSÍQUICOS

A sequência de fenômenos psíquicos imantados
no rol desta matéria poderia ser enunciada de
fantasias, ou simplesmente coisas que
acontecem na rotina de nossas vidas. Imagens,
ideias, atos, ilusão, desejo, aspiração, que
involuntariamente ocorrem durante o sono.
Alguns mais afoitos dizem que os sonhos são
apenas bolinhos leves, fritos, feitos com farinha,
leites e ovos. Já pensaram num furdunço de um
sonho com tantas comidas, poderia se tornar
num grande tormento ou num pesadelo sem
proporções. O sonho na visão espiritual é mais
abrangente, profundo e com detalhes que só os
estudiosos poderão explicá-lo. Alguns escritores,
especialistas afirmam que são vastos e

160

160

fascinantes repositórios de fatos assombrosos,
quase todos ainda por explicar é o mundo dos
chamados "fenômenos psíquicos". Esses
fenômenos sempre despertaram as atenções
gerais; hoje, são estudados cientificamente pela
Parapsicologia, com técnicas precisas e
fidedignas. Centenas e centenas de casos de
telepatia, clarividência, clauriaudiência, sonhos
premonitórios, levitações, ruídos misteriosos,
aparições de pessoas mortas ou vivas etc., já
foram relatados e investigados, embora não se
tenha chegado ainda a um consenso no que
respeita à sua origem: serão produzidos pela
exteriorização de forças mentais ou são
manifestações de seres que habitam o mundo
invisível?

Diante de tais fatos os médiuns de hoje tem
procurado um viés seguro para descobrir este
mistério. O grande espírita Ernesto Bozzano diz
que os fenômenos psíquicos são presenciados
até no momento da estagnação biológica
(morte). Ele evidencia o zelo científico com que
foram tratados os fenômenos espíritas desde o
advento do Espiritismo, reduzindo a - pó as
apressadas negativas de seus adversários.
Refere-se a casos de aparições no leito de morte,
ação ou percepção telepática, lucidez e
telestesia, precognição e retrocognição, visões
extáticas, simbólicas e panorâmicas. É um brado
que proclama a realidade da ação dos Espíritos
no mundo físico e a indiscutível imortalidade da

161

161

alma. Uma doutrina altamente científica tem
causado a outras crenças espantos, pois a
maioria desconhece estes fatos tão comuns no
Espiritismo. Um fato que narramos agora e que
nos chamou a atenção: Era época de eleição e
um dos candidatos a governador de uma cidade,
durante a campanha tinha como lema principal
acabar com a miséria e a fome na cidade se fosse
eleito. Quatro anos seria a duração do seu
mandato político. O sonho do candidato era
vencer, e o esperado aconteceu vencendo com
uma grande margem de votos as eleições.

No entanto, no decorrer do tempo, a miséria e a
fome persistiram. Não existem momentos
ordinários, todos os momentos são preciosos,
mesmo os que passam despercebidos por nós.
Momentos de sono e sonho tranqüilos, de
alegrias despretensiosas e de olhar as formas
das nuvens, de ouvir o latir do cão e a risada das
crianças são tão preciosos quanto aos momentos
de estudos e trabalhos, se estivemos abertos
para saboreá-los.

Nossa vida é a soma total de todos esses
momentos, bem que desejaríamos que nossa
cidade fosse assim! Político tanto dorme como
sonha demais. Só que seu sono ou sonho são de
clamores e perturbações, visto que a consciência
é ‘maculada’ e manchada na maioria das vezes
pela mentira e pelo descompromisso assumido.
Insere-se no meio da corrupção, da lavagem de

162

162

dinheiro e no mundo das drogas. Mesmo
trazendo para si a responsabilidade de
promessas que não poderia cumprir. O
brasileiro vive de sonho e de esperanças, de
promessas que não se cumprem. No final das
contas vão passar por fenômenos psíquicos,
quer acordado ou não. Nosso povo vive
sonhando. Bem que este sonho poderia ser real,
que os bolinhos leves, fritos, feitos com farinha e
leite poderiam fazer à alegria matinal da
criançada todas as manhãs, antes de irem para a
escola.

Sonhar acordado é um fenômeno psíquico ou
apenas uma esperança? Quem mata a esperança
alheia pode ser considerado criminoso? Quem
destrói a alegria de muitos que sinonímia
recebe? São velhas indagações que deixaremos
para os bons observadores responderem. De
antemão queremos afirmar que a fome, a
miséria, a desnutrição irão causar sérios
problemas de saúde a população menos
aquinhoada. Existem dois meios de adoecer,
segundo a psicopatologia fenomenológica: o
desenvolvimento - o adoecer é compreendido
pela constituição, personalidade e história do
paciente; e o processo - algo diferente e novo na
constituição e história do paciente. Nesse écran
entram com certeza a péssima qualidade de vida
que leva a maioria da população brasileira.

163

163

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->