P. 1
PetiÇÃo Processo RevisÃo Inss

PetiÇÃo Processo RevisÃo Inss

4.79

|Views: 12.922|Likes:
Publicado porapi-3798293

More info:

Published by: api-3798293 on Oct 18, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

EXMO. SR. DR.

JUIZ FEDERAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIARIA DE VITORIA/ES

ALMIR PINHEIRO DANTAS Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Miguel Pinheiro Dantas e Amália Fernandes Dantas DN: 02/03/1934 CPF 049.670.117-72 Identidade: 269.188-ES Aposentado em 20/03/1981 NB 72.746.215/6 Endereço: Rua Itacolomi, nº 02, Itaparica, Vila Velha-ES, CEP 29102-220 CARINO DUARTE DE FREITAS FILHO Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Carino Duarte de Freitas e Tharcilla Costa de Freitas DN: 12/03/1929 CPF 049.805.307-53 Identidade: 107.689-ES Aposentado em 30/03/1983 NB 75.293.945/9 Endereço: Rua Luiz Fernandes Reis, nº 117, Apt. 201, Praia da Costa, Vila Velha-ES CEP 29101-120 HELMUT WERNER ROLKE Brasileiro, casado, aposentado Filiação:Hermann Rolke e Augusta Fettinger DN: 04/01/1929 CPF 049.646.837-53 Identidade: 49.016-ES Aposentado em 31/03/1983 NB 74.797.670/8 Endereço: Rua Argônio, nº 10, Serra Doutada I, Serra-ES, CEP 29171-081

JOSÉ GOMES DE SANTANA Brasileiro, casado, aposentado. Filiação: Euclides dos Santos Santana e Lourença Gomes de Santana DN: 29/08/1936 CPF 086.427.617-68 Identidade: 96.770-ES Aposentado em 30/09/1984 NB 78.463.510/2 Endereço: Rua 11, Jardim Guaranhuns, nº 25, Vila Velha, CEP 29103-626 JOSE MATTOS MIRANDA Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Eurides Mattos e Tertulina Miranda Mattos DN: 09/12/1926 CPF 049.770.767-53 Identidade: 496.369-ES Aposentado em 18/05/1981 NB 72.746.324/1 Endereço: TV Roberto Couto, nº 13, caixa 01, Bairro Expedito, Cariacica-ES, CEP 29151-755 MANOEL SALLES COUTINHO Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Seraphin Rodrigues Coutinho e Luiza de Salles Pereira DN: 13/07/1925 CPF 049.862.617-20 Identidade: 50.835-ES Aposentado em 02/06/1981 NB 72.746.349/7 Endereço: Rua José Barroso, nº 195, Consolação, Vitória- ES, CEP 29045-600 NATANAEL BATISTA DE ARAUJO Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Paulo Batista de Araújo e Custodia Rosa Batista DN: 08/08/1930 CPF 049.538.197-72 Identidade: 258.541-ES Aposentado em 30/09/1983 NB 74.797.761/5 Endereço:Rua Japagua, nº 165, Alvorada, Vila Velha-ES, CEP 29117-120

ROBERTO IBIRATAN BARROSO Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Mario Barroso e Balbina Mello Barroso DN: 07/03/1938 CPF 049.547.347-20 Identidade: 95.278-ES Aposentado em 29//04/1986 NB 78485562 Endereço: Rua Cachoeiro de Itapemirim, nº 279, Ipiranga, Guarapari-ES, CEP29200-00 VERGINIO ALMEIDA DE AMORIM Brasileiro, casado, aposentado Filiação: Auto Ferreira de Almeida e Ignacia dos Santos DN: 29/11/1929 CPF 055.080.707-10 Identidade: 93.070-ES Aposentado em 05/01/1988 NB 80.571.580/0 Endereço: Rua Quinze de novembro, 190/1002, Praia da Costa, Vila Velha-ES CEP 29100-031 WILLIAN PEREIRA RIBEIRO Brasileiro, casado, aposentado. Filiação: João de Sant´Anna Ribeiro e Maria José Ribeiro DN: 03/06/1936 CPF: 214.401.907-04 Identidade: 230.061-ES Aposentado em 01/02/1988 NB 80.564.845/1 Endereço: Rua Luiz José Barbosa, nº 05, República, Vitória-ES, CEP 29070-120

Vêm, com o devido respeito perante V. Exa. através de seus procuradores infra-assinados, conforme instrumentos procuratórios anexos, propor a presente AÇÃO PREVIDENCIÁRIA DE REVISÃO DE APOSENTADORIA contra o INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS, Autarquia Federal com Superintendência nesta Capital, que deverá ser citada na pessoa de seu ilustre representante legal, pelos motivos de fato e direito a seguir expostos: Os autores, como se pode verificar pelos documentos apensados, obtiveram suas aposentadorias, concedidas pela autarquia-suplicada nas datas constantes em suas respectivas cartas, cuja finalidade fora lhes assegurar os meios de manutenção através de prestação pecuniária com renda mensal, resultante das contribuições pelos mesmos efetuados

durante os longos períodos de suas vidas laborativas, sendo que nos últimos qüinqüênios de trabalho suas contribuições ultrapassaram o teto máximo (documentos anexos). Que, entretanto, os autores, por ocasião de suas aposentadorias, obtiveram a atualização de seus de seus salários-de-contribuição calculada em valor inferior, e que, veio servir de base, posteriormente, para o cálculo da R.M.I, do que se conclui, pela inobservância da aplicação das disposições contidas na Lei nº 6.423/77 (ORTN/OTN). É importante salientar que, os salários-de-contribuição (base de cálculo) dessas aposentadorias não foram corrigidas pela variação das Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional (ORTN) substituídas posteriormente pela OTN, e após, pela BTN como determina a Lei nº 6.423/77, mas, sim, aos referidos salários-de-contribuição foram aplicados índices editados pela suplicada, através de Portarias e Normas ilegais, que conduziram as aposentadorias a valores inferiores, desobedecidos que foram os índices oficiais, e, conforme disse Aníbal Fernandes in Comentário à CLPS, 2ª. Edição – fls. 63: “... que ela a seu bel prazer, fixou”. Desse modo, não se aplicando os índices coerentes com a Lei, a autarquia suplicada, conseqüentemente, provocara prejuízos nos cálculos das aposentadorias dos autores, pois resultaram em valores pecuniários inferiores a que fizeram e ainda fazem jus, sucessivamente, no decurso do tempo, mês a mês, recebendo agora na inatividade valor pecuniário muito inferior ao que recebia quando na atividade. Cumpre salientar que, a RMI expressa na carta de aposentaria dos autores fora fixada em aproximadamente 40% (quarenta por cento) a menos, e, conforme expresso, tal diferença vem se projetando sucessivamente ao longo do tempo, mês a mês, fruto da conseqüência do ato ilegal mencionado. E, para correção de referida anomalia, a Lei nº 6/423/77, estabelece em seu artigo 1º. “A correção somente poderá ter por base a variação nominal da “ORTN”, devendo ser substituídos por essa variação, quaisquer outros índices acaso existentes”. Assim, a correção dos salários-de-contribuição é decorrência de disposição legal e, o benefício previdenciário é uma obrigação pecuniária. Daí a aplicação inafastável da Lei nº 6.423/77 aos salários-decontribuição anteriores aos últimos doze meses. O antigo Egrégio Tribunal Federal de Recursos já se manifestou sobre o assunto no AC, 149.638-RS 1ª. Turma, sendo relatos o Ministro Trindade: I) – “Somente excluído da abrangência da Lei nº 6.423/77 os benefícios mínimos da Previdência Social, os salários-de-contribução que precedem aos doze últimos meses devem ser corrigidos pela variação da ORTN/OTN”.

II) – CÁLCULO DA RENDA MENSAL DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE SERVIÇO – ATUALIZAÇÃO DOS SALÁRIOS-DE-CONTRIBUIÇÃO – Os salários de contribuição devem ser atualizados a base da variação nominal da Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional, critério oficial da correção monetária a partir da Lei 6.423/77. Qualquer outro índice distorce a finalidade prevista no art. 3º. Parágrafo 1º., da Lei 5.890, de 1.973, que é a de recompor os valores de uma parte dos salários de contribuição. Inaplicabilidade, para esse efeito, dos ditames da política salarial futura porque esta não está atrelada à defasagem da moeda. Apelação improvida. (TRF 4ª. R. AC. 91.04.04392-8 – RS – 1ª. T – Relator Juiz Ari Pargendler – DJU 11.12.91) – EXTRAIDO DO Lirvro Síntese Trabalhista nº 34 – pág. 90 – abril/92. A jurisprudência a respeito da matéria é bastante clara, conforme se depreende das ementas abaixo: “PREVIDÊNCIA SOCIAL. CÁLCULO DA RENDA MENSAL DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE SERVIÇO. ATUALIZAÇÃO DOS SALÁRIOS DE CONTRIBUIÇÃO. Os salários de contribuição devem ser atualizados à base da variação nominal da Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional, critério oficial da correção monetária a partir da Lei 6.423, de 1.977. Qualquer outro índice distorce a finalidade prevista no art. 3º., parágrafo 1º., da Lei 5.980, de 1.973, que é a de recompor os valores de uma parte dos salários-de-contribuição. Inaplicabilidade, para esse efeito, dos ditames da política salarial futura, porque esta não está atrelada à defasagem da moeda. Apelação improvida.” (AC nº 90.04.26801-4/RS – Rel. Juiz ARI PARGENDLER – 1ª. Turma, TRF – 4ª. Região – DJU 17.04.91, p. 7717). “PREVIDÊNCIA SOCIAL. PEDIDO DE ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO. APLICAÇÃO DO DISPOSTO NA LEI 6.423/77, REAJUSTE DE PROVENTOS. GRATIFICAÇÃO NATALINA. APLICAÇÃO DO DISPOSTO PELO ARTIGO 201, PARÁGRAFO 6º., DA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA. REAJUSTE DE PROVENTOS RELATIVAMENTE AO MÊS DE JUNHO DE 1989, INCORPORAÇÃO DE ÍNDICES DO I.P.C., AOS PROVENTOS, A atualização dos 24 (vinte e quatro) salários-de-contribuição anteriores aos 12 (doze) últimos, encontra respaldo no disposto pela Lei 6.423, art.1º. “ (AC 93.03.04293/SP – Rel. Juiz SOUZA PIRES, 2ª. Turma, TRF – 3ª. Região – DJU 25/05/94, p. 25316) “PREVIDÊNCIÁRIO. REAJUSTAMENTO E REVISÃO DE BENEFÍCIO. No cálculo do salário de benefício é aplicável o índice de variação da ORTN/OTN/BTN como fator de correção dos salários-de-contribuição, consoante a Lei n. 6.423/77, vigente á época da concessão do benefício. (AC 92.03.013416/SP – Rel. Sinval Antunes – 1ª. Turma, TRF 3ª. Reg., DJU 06.12.93,p.89). Ante o acima exposto e mais que certamente será suprido por V. Exa., com o devido respeito requerem: A) – Reformulação dos cálculos de reajustamento dos saláriosde-contribuição para efeito de se apurar e fixar o correto valor da RMI dos autores, utilizandose dos índices oficiais da ORTN, OTN, e BTN na conformidade com a Lei nº 6.423/77.

A.1) – E, para tanto, requerem seja intimada a autarquia a fornecer nos autos a relação dos salários-de-contribuição dos últimos trinta e seis meses anteriores às datas das respectivas aposentadorias e que serviram de base para a concessão das mesmas, para se reformular os cálculos e apurar-se o valore das rendas mensais dos autores, ressaltando-se que somente a autarquia possui em seus arquivos referidos documentos. B) – Conseqüentemente, seja condenado o INSS a pagar-lhes as diferenças pecuniárias decorrentes e conseqüentes, inclusive abono anual, desde a concessão de seus benefícios, parcelas vencidas e vincendas, retroagindo-se aos últimos cinco anos, corrigidos monetariamente (Súmula 13 do TRF 1ª. Região), mais juros legais, mantendo-se o benefício sempre na equivalência resultante da correção sentencial. C) – Enfim, condenando-se a autarquia a restituir, corrigidos, os valores pagos das custas antecipadas e suportar com os ônus de honorários advocatícios sobre o total das diferenças vencidas e vincendas, a serem apuradas em liquidação de sentença. Enfim, requerem a V. Exa. se digne determinar a citação do INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS, com sede na Avenida Marechal Mascarenhas de Moraes, nº1737, Vitória, ES – CEP 29.040-570, na pessoa de seu Ilustre Representante Legal para se defender se quiser, e, após os tramites legais, que seja a ação julgada procedente na forma da Lei. Requerem provar o alegado por todos os meios de provas em direito permitidas. Dão à causa o valor de R$18.101,00 (dezoito mil cento e um reais) para efeitos fiscais e de alçada. Termos em que, respeitosamente. Pedem deferimento. Vitória, 05 de Setembro de 2005.

____________________________ Maria da Guia Araújo Gonçalves OAB/MG 26.218 ____________________________ Antônio Temponi Leite OAB/MG 34.867

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->