Você está na página 1de 55

ESTG – IPVC

TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS

CADERNO DE EXERCÍCIOS RESOLVIDOS*

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO, ESTG

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO, IPVC

Ricardo Santos e Mário Tomé

*O presente caderno de exercícios é um complemento às aulas práticas de SSBI (TAR) e não substitui as aulas. Note que pode haver erros e omissões neste material. Assim, em caso de dúvida sobre estes exercícios e a sua resolução, contacte o seu docente das aulas práticas.

ESTG – IPVC

Capítulo 1 - Revisões Exercícios de conversão de unidades

Converta para o S.I.:

1. Mgal/min (1 gal = 3.7854 L)

1.00

2. ft 3 /h (1 ft = 0.3048 m)

3. 90 ºF

4. gal/ft 2 s

5. psi (1lb = 4.4482N, 1 in=25.4mm)

1660

1.00

1800

Resolução:

1. Mgal/min = 1.00x10 6 gal/min = 3.7854x10 6 L/ 60s = 0.06309 x10 6 L/s =

1.00

6.31

x10 4 L/s = 6.31 x10 1 m 3 /s

2. 1 ft 3 = (0.3048 m) 3 = 0.02832 m 3

1660 ft 3 /h = 1660x0.02832 ft 3 /h = 47.01 m 3 /3600 s = 1.306x10 -2 m 3 /s

3. Fórmula de conversão para ºK: 0.555x(ºF+459.67) 0.555x(90+459.67)=31x10 ºK Fórmula de conversão para ºC: 0.555x(ºF-32) 0.555x(90-32)=32 ºC

4. 1 ft 2 = (0.3048 m) 2 = 0.09290304 m 2

1.00

gal/ft 2 s = 3.7854 L/(0.09290304 m 2 s) = 40.7 L/m 2 s = 4.07x10 -2 m 3 /m 2 s

5. psi = 1800 lb/in 2 = 1800 lb/in 2 x 4.4482N/lb / (25.4x10 -3 m/in) 2 =

1800

= 1800*4.4482/6.45x10 -4 N/m 2 = 1.27x10 7 Pa Ou, 1 psi = 6.8948x10 3 Pa 1800 psi = 1800x6.8948x10 3 Pa=1.27x10 7 Pa

ESTG – IPVC

Lei de Stokes (Sedimentação)

Velocidade terminal, quando a força gravítica e a de atrito se equilibram :

r

F = F

r

g

a

A força de arrasto de uma esfera num liquido, fórmula derivada por Stokes, é

proporcional à viscosidade do fluido, à área da esfera e à sua velocidade,

F = 6πμ RU

a

μ - viscosidade

R - raio da esfera

U - velocidade da esfera

A força da gravidade é dada pelo peso da esfera menos a impulsão sofrida pela esfera,

De

F

g

r

r

r

F

=

P

I

=

g

ρ - densidade da esfera

esfera

ρ - densidade do fluido

fluido

ρ

esfera

= F

a

vem,

ρ

esfera

ρ

fluido

4

3

ρ

fluido

R

π

3

r

g

=

4

3

R

π

3

6πμ

RU

r

g

Leis de STOKES, válida para número de Reynolds menor que 1:

U =

2

9

R

2

g r

ρ

esfera

ρ

fluido

Exercícios sobre sedimentação

Resolva:

1. Usando a lei de Stokes calcule a velocidade terminal de uma bolha de ar esférica com 20mm de diâmetro em água. Considere para a água μ =1mPa.s, ρ = 1000kg/m3, e para o ar ρ = 1.2 kg/m3. Explique se a lei de Stokes se pode aplicar.

2. Qual o diâmetro mínimo de grãos de areia a percorrerem 1m em água num período de 30 s. Considere para a água μ =1mPa.s, ρ = 1000kg/m3, e para a areia uma densidade de 2.7.

ESTG – IPVC

Resolução:

1. Usando a lei de Stokes

U =

U

=

2

9

R

2

×

9.8

9

×

10

3

(

2

g r

ρ

esfera

0.010

2

)(1.2

ρ

fluido

1000)

= −

217m/s

Para a lei de Stokes ser válida o número de Reynolds, Re, tem de ser menor que 1.

Re

=

ρUD

1000

×

217

×

0.020

=

μ 1

×

10

3

=

4.34

×

10

6

>> 1

Neste caso Re>>1, logo a velocidade terminal da bolha de ar calculada pela Lei de Stokes é muito superior à real.

2. Usando a lei de Stokes

U

=

2

9

R

2

ρ

esfera

ρ

fluido

r

g

U = 1/ 30 = 0.033m/s ,

ρ

esfera

= 2700kg/m

3 , ρ

fluido

= 1000kg/m

3

1

r

2 g

2

×

9.8

R

2

9 U

μ

9

×

0.033

×

10

3

=

ρ

esfera

ρ

=

fluido

(2700

1000)

R =

8 1 1.12 × 10
8
1 1.12
×
10

=

9.45

×

10

5

m;

D

=

189 m

μ

=

1.12

×

Re

=

4

ρUD

=

1000

×

0.033

×

1.89

×

10

μ

1

×

10

3

=

6.24

>

1

10

8

Neste caso o número de Reynolds, embora superior a 1, é da mesma ordem de grandeza pelo que o valor calculado de D=189μm é uma boa estimativa.

ESTG – IPVC

Capítulo 2 – Caracterização de águas residuais Sólidos Suspensos

A uma água residual fizeram-se as seguintes análises:

Num copo com 54.0000g colocaram-se 100mL da água residual. O copo foi seco a 105 ºC numa estufa até um peso constante de 54.0830g. O copo foi de seguida introduzido num forno a 550ºC até apresentar um peso constante de 54.0420mg/L.

Foram filtrados 25 mL de água. O filtro usado foi previamente seco a 105ºC até apresentar um peso constante de 25.0000g. Depois da filtração voltou-se a secar o filtro

a 105ºC até um peso constante de 25.0123g. O filtro com os sólidos foi introduzido num

forno a 550ºC até apresentar um peso constante de 12.0040g. O filtro tem uma massa de cinzas de 12.0000g.

Foram ainda colocados 250mL de água residual num cone Imhoff que após 60min apresentou uma zona de acumulação de lama com 5mL.

Calcule:

1. Concentração de sólidos totais.

2. Concentração de sólidos fixos.

3. Concentração de sólidos voláteis.

4. Concentração de sólidos suspensos totais.

5. Concentração de sólidos dissolvidos mais os coloidais.

6. Concentração de sólidos suspensos fixos.

7. Concentração de sólidos suspensos voláteis.

8. Concentração de sólidos sedimentáveis.

Resolução

1. ST =(54.0830g-54.0000g)/0.100L=0.830g/L=830mg/L

2. SF=(54.0420g-54.0000g)/0.100L=0.420g/L=420mg/L

3. SV=(54.0830g-54.0420g)/0.100L=0.410g/L=300mg/L

4. SST=(25.0123g-25.0000g)/0.025L==0.492g/L=492mg/L

5. S. coloidais+dissolvidos=830mg/L-492mg/L=338mg/L

6. SSF=(12.0030g-12.0000g)/0.025L=0.320g/L=120mg/L

7. SSV=492mg/L-120mg/L=372mg/L

8. S. Sedimentáveis=5mL/250mL=20mL/L

ESTG – IPVC

Capítulo 3 – Parâmetros de Projecto População

Na tabela abaixo apresentam-se dados de censos para três populações.

Ano

1921

1931

1941

1951

1961

1971

1981

1991

2001

Pop1

20000

22630

24301

26890

29012

31010

32900

34000

36000

Pop2

1900

2950

4396

6401

9650

14459

22642

32467

48686

Pop3

9761

13628

17937

22195

25927

28872

31008

32465

33417

1. Determine a lei que melhor exprime a evolução de cada população e os parâmetros dessa lei.

2. Faça uma estimativa de cada população para 2005, 2025 e 2030.

3. Determine o caudal médio e máximo horário de efluente gerado por cada uma destas populações em 2005 e 2025.

4. Estime o CBO 5 e sólidos suspensos em 2005 e 2025.

5. Para a Pop3 considere os seguintes factores horários para o caudal e com base neles dimensione um tanque de equalização.

0

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

0.4

0.3

0.3

0.3

0.3

0.5

0.7

1.4

2

2

1.7

1.5

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

1.3

1.2

1.0

0.8

0.8

1.0

1.1

1.5

1.6

1.0

0.8

0.5

Leis de crescimento:

Crescimento aritmético:

P(t) = P 0 + kt

Crescimento geométrico:

P(t) = P 0 e kt

Curva logística:

( )

P t

=

P

Sat

1 +

e

b

+

at

em que P Sat = 2P 0 P 1 P 2 P 1

P

2

(

P 0

+

P 2

)

0 P 2 P 1

2

Caudais de efluente:

Os caudais de efluente são iguais à capitação, água consumida por habitante dia, vezes

um factor de correcção, geralmente 0.8.

C

t

dia, vezes um factor de correcção, geralmente 0.8. C t = 30 + 0.75 t +

= 30 + 0.75t + (0.250 + 0.00625t) P 1000

ESTG – IPVC

ou:

 

Habitantes

Capitação L/hab.d

 

<10 000

100

10

000 a 20 000

150

20

000 a 50 000

200

 

>50 000

250

Os factores de ponta horários são dependentes da população:

Habitantes

P<2000

2000<P<10 4

 

10

4 <P<10 5

P>10 5

Fp

4.0

3.0

   

2.4

2.0

Carga poluente:

 

A carga de poluição gerada por habitante é dada por:

 

CBO 5

54 g/hab.d

CBO 5 solúvel

23 g/hab.d

CBO 5 no efluente decantado

 

40 g/hab.d

Sólidos Suspensos Totais

 

90 g/hab.d

Sólidos Suspensos Fixos

 

30 g/hab.d

Sólidos Suspensos Voláteis

 

60 g/hab.d

Fósforo

2.8 g/hab.d

Azoto

12 g/hab.d

Resolução:

1.

Gráfico do número de habitantes versus o ano do recenseamento:

6,0E+04 Pop1 - Aritmetico 5,0E+04 Pop2 - Geométrico Pop3 - Logística 4,0E+04 3,0E+04 2,0E+04 1,0E+04
6,0E+04
Pop1 - Aritmetico
5,0E+04
Pop2 - Geométrico
Pop3 - Logística
4,0E+04
3,0E+04
2,0E+04
1,0E+04
0,0E+00
1910
1940
1970
2000

Fazendo o gráfico da evolução das três populações pode identificar-se:

A Pop1 como uma população em crescimento aritmético.

A Pop2 como uma população em crescimento geométrico.

A Pop3 como uma população com um crescimento descrito por uma curva logística

ESTG – IPVC

Pop1

Para a Pop1 fazemos uma regressão linear, y=ax+b, em que x é o ano do recenseamento

e y é o número de habitantes.

a

= 199.0467

b = -361804

R 2 = 0.9931

 

P(t) =

361804 + 199.0467t

Pop2

Para a Pop2 temos de linearizar a lei de crescimento exponencial

P(t)

=

P e

0

kt

ln

(P(t))

+

ln

(P )

0

+ kt

e fazer a regressão linear, y=ax+b, em que x é o ano do recenseamento, t, e y é o logaritmo do número de habitantes.

T

1921

1931

1941

1951

1961

1971

1981

1991

2001

Pop2

1900

2950

4396

6401

9650

14459

22642

32467

48686

Ln(P)

7.5496

7.9896

8.3884

8.7641

9.1747

9.5791

10.028

10.388

10.793

Da regressão linear vem

a = 0.040438

( )

P t

P

0

=

=

e

P e

0

b = -70.1145

70.1145

= 3.5453×10

-31

R 2 = 0.9931

kt

=

3.5453

×

10

31

e

0.040438

×

t

Pop3

Para a Pop3 calcula-se a população de saturação:

P Sat

=

2

×

9761

×

P Sat = 2P 0 P 1 P 2 P 1 P 0 P 2 P 1

P 0

+

2

(

P 2

)

2

13628

×

17937

13628

2

×

(

9761

+

17937

)

9761

×

P

2

13628

2

Para linearizar a curva logística:

( )

P t

=

P

Sat

1

+ e

b

+

at

P

Sat

( )

P t

( )

P t

=

e

b

+

at

ln

P

Sat

( )

P t

( )

P t

=

=

b

35000

+

at

Faz-se posteriormente a regressão linear, y=ax+b, em que x é o ano do recenseamento,

P

Sat

( )

P t

t, e y é

ln

T

Pop3

ln

P

Sat

( )

P t

P(t)

P(t)

.

1921

1931

1941

1951

1961

1971

1981

1991

2001

9761

13628

17937

22195

25927

28872

31008

32465

33417

0.95

0.45

-0.05

-0.55

-1.05

-1.55

-2.05

-2.55

-3.05

Da regressão linear vem

ESTG – IPVC

2.

Pop1

Pop2

Pop3

a = -0.05

( )

P t

=

b = 97

R 2 = 1.0000

P Sat

35000

=

1

+ e

b

+

at

1

+

e

97

0.05

t

P(t) = −361804 + 199.0467t

P(2025) = 41266

P(2005) = 37285

P(2030) = 42261

( )

P t

P(2005) = 57703

=

3.5453

×

P(2025) = 129549

10

31

e

0.040438

× t

P(2030) = 158578

P(2005) = 33694

( )

P t

=

35000

1 + e

97

0.05 t

P(2025) = 34508

P(2030) = 34615

3.

Pela fórmula da capitação

C

t

= 34508 P (2030) = 34615 3. Pela fórmula da capitação C t = 30 +

= 30 + 0.75t + (0.250 + 0.00625t) P 1000

Pop1

Em 2001 a Pop1 = 36000

Para 2005, t=4, pela fórmula da capitação

C

t

= 36000 Para 2005, t =4, pela fórmula da capitação C t = 30 + 0.75

= 30 + 0.75 × 4 + (0.250 + 0.00625 × 4) 36000 1000 = 84 L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2005)

=

0.8

×

84

×

37285

=

2.51

×

6

10 L/d

=

2.51

×

10

3

3

m /d

Para populações de 37285 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.4, logo

Q =

2.4

×

2.51

×

10

3

3

m /d

=

6.02

×

10

3

3

m /d

Para 2025, t=24, pela fórmula da capitação

C

t

3 3 m /d Para 2025, t =24, pela fórmula da capitação C t = 30

= 30 + 0.75 × 24 + (0.250 + 0.00625 × 24) 36000 1000 = 122 L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2025)

=

0.8

×

122

×

41266

=

4.06

×

6

10 L/d

=

4.06

×

10

3

3

m /d

Para populações de 41266 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.0, logo

ESTG – IPVC

 

Q =

2.4

×

4.06

×

10

3

Pop2

3

m /d

=

9.74

×

10

3

3

m /d

Em 2001 a Pop2 = 48686

Para 2005, t=4, pela fórmula da capitação

C

t

=

Para 2005, t =4, pela fórmula da capitação C t = 30 + 0.75 × 4

30 + 0.75 × 4 + (0.250 + 0.00625 × 4) 48686 1000 = 93L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2005)

=

0.8

×

93

×

57702

=

4.30

×

6

10 L/d

=

4.30

×

10

3

3

m /d

Para populações de 57702 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.4, logo

Q =

2.4

×

4.30

×

10

3

3

m /d

=

10.30

×

10

3

3

m /d

Para 2025, t=24, pela fórmula da capitação

C

t

=

2025, t =24, pela fórmula da capitação C t = 30 + 0.75 × 24 +

30 + 0.75 × 24 + (0.250 + 0.00625 × 24) 48686 1000 = 135 L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2025)

=

0.8

×

135

×

129549

=

14.03

×

6

10 L/d

=

14.03

×

10

3

3

m /d

Para populações de 130000 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.0, logo

Q =

2.0

×

14.03

×

10

3

3

m /d

=

28.06

×

10

3

3

m /d

Pop3

Em 2001 a Pop3 = 33417

Para 2005, t=4, pela fórmula da capitação

C

t

=

Para 2005, t =4, pela fórmula da capitação C t = 30 + 0.75 × 4

30 + 0.75 × 4 + (0.250 + 0.00625 × 4) 33417 1000 = 83L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2005)

=

0.8

×

83

×

33694

=

2.22

×

6

10 L/d

=

2.22

×

10

3

3

m /d

Para populações de 33694 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.4, logo

Q =

2.4

×

2.22

×

10

3

3

m /d

=

5.33

×

10

3

3

m /d

Para 2025, t=24, pela fórmula da capitação

C

t

=

3 m /d Para 2025, t =24, pela fórmula da capitação C t = 30 +

30 + 0.75 × 24 + (0.250 + 0.00625 × 24) 33417 1000 = 120 L/h.d

Considerando que 80% do caudal consumido é rejeitado, o caudal de água residual é,

Q =

0.8

×C

t

× P

(2025)

=

0.8

×

120

×

34508

=

3.31

×

6

10 L/d

=

3.31

×

10

3

3

m /d

Para populações de 34508 habitantes podem-se considerar factores de ponta de caudal máximo horário de 2.4, logo

Q =

2.4

×

3.31

×

10

3

3

m /d

=

7.94

×

10

3

3

m /d

ESTG – IPVC

Pelos caudais médios típicos

Pop1

P(2005) = 37285

×C

Factor de ponta 2.4

C t = 200 L/h.d

t

× P

(2025)

=

Q =

0.8

0.8 200

×

Q =

2.4 5.97

×

×

10

P(2025) = 41266

×C

Factor de ponta 2.4

Q =

0.8

t

C t = 200 L/h.d

× P

(2025)

=

0.8 200

×

Q =

2.4 6.60

×

×

10

×

37285

3

3

m /d

=

×

41266

3

3

m /d

=

=

5.97

×

14.3

×

10

=

6.60

×

15.8

×

10

6

10 L/d

3

3

m /d

6

10 L/d

3

3

m /d

=

=

5.97

6.60

×

×

10

10

3

3

3

m /d

3

m /d

Pop2

P(2005) = 57703

×C

Factor de ponta 2.4

Q =

0.8

t

P(2025) = 129549

×C

Factor de ponta 2.0

Q =

0.8

t

Pop3

P(2005) = 33694

×C

Factor de ponta 2.4

Q =

0.8

t

C t = 250 L/h.d

× P

(2025)

=

0.8 250

×

2.4

C t = 250 L/h.d

Q =

×

11.5

× P

(2025)

=

0.8

×

×

10

3

250

×

57703

=

11.5

×

6

10 L/d

=

3

m /d

=

27.6

×

10

3

×

129549

=

25.9

×

3

m /d

6

10 L/d

Q =

2.0

×

25.9

×

10

3

3

m /d

=

51.8

×

10

3

3

m /d

11.5

×

=

25.9

C t = 200 L/h.d

× P

(2025)

=

0.8 200

×

Q =

2.4 5.39

×

×

10

×

33694

3

3

m /d

=

=

5.39

×

12.9

×

10

6

10 L/d

3

3

m /d

=

5.39

×

10

3

3

m /d

×

10

3

3

m /d

10

3

3

m /d

P(2025) = 34508

 

C t = 200 L/h.d

 

Q =

0.8

×C

Factor de ponta 3

t

× P

(2025)

=

0.8 200

×

Q =

2.4 5.52

×

×

10

×

34508

3

3

m /d

=

=

5.52

×

13.2

×

10

6

10 L/d

3

3

m /d

=

5.52

×

10

3

3

m /d

Caudais de efluente m 3 /d

 

2005

     

2025

 

Médio

 

Máximo

   

Médio

 

Máximo

 

Pop1

Fórmula

2.51x10

3

6.02x10

3

   

4.06x10

3

 

9.74x10

3

Tabela

5.97x10

3

14.3x10

3

6.60x10

3

15.8x10

3

ESTG – IPVC

Pop2

Fórmula

4.30x10

3

10.30x10 3

14.03x10 3

28.06x10 3

Tabela

11.5x10

3

27.6x10 3

25.9x10 3

51.8x10 3

Pop3

Fórmula

2.22x10

3

5.33x10

3

3.31x10

3

7.94x10

3

Tabela

5.39x10

3

12.9x10

3

5.52x10

3

13.2x10

3

4.

Pop1

P(2005) = 37285 e P(2025) = 41266

CBO 5 =

54000mg/h.d

54000

=

C L/h.d

t

200

= 270mg/h.d

SST =

90000mg/h.d

90000

=

C L/h.d

t

200

= 450mg/h.d

Pop2

P(2005) = 57703 e P(2025) = 129549

CBO 5 =

54000mg/h.d

54000

=

C L/h.d

t

250

= 216mg/h.d

SST =

90000mg/h.d

90000

=

C

t

L/h.d

250

= 360mg/h.d

Pop3

P(2005) = 33694 e P(2025) = 34508

54000mg/h.d

54000

=

200

90000

CBO 5 =

SST =

C L/h.d

t

90000mg/h.d

= 270mg/h.d

= 450mg/h.d

=

C

t

L/h.d

200

5.

Para a Pop3 o caudal médio máximo é obtido em 2025, Q = 5.52x10 3 m 3 /d = 230 m 3 /h

Considerando um factor de ponta diário de 1.5, Q = 345 m 3 /h

Usando o método analítico, a variação de volume no tanque de equalização é dada por:

dV

dt

=

Qin

Qout

⇔ Δ

V

=

(Qin

Qout) t

Δ

⇔ Δ

V

= Δ

Q

× Δ

t

em que Q in é o caudal de entrada e Q out ó caudal à saída do tanque que é igual ao caudal médio.

O volume de efluente acumulado no tanque é dado pelo volume presente no tanque V i-1 mais o volume acumulado ΔV,

ESTG – IPVC

V

=

V

i 1

+ Δ

Q

× Δ

t

Hora

F

Qmédio

Qhorário

ΔQ

ΔV= ΔQx Δt

V=V i-1 +ΔV

7

1.4

345

483

138

138

138

8

2.0

345

690

345

345

483

9

2.0

345

690

345

345

828

10

1.7

345

586.5

241.5

241.5

1069.5

11

1.5

345

517.5

172.5

172.5

1242

12

1.3

345

448.5

103.5

103.5

1345.5

13

1.2

345

414

69

69

1414.5

14

1.0

345

345

0

0

1414.5

15

0.8

345

276

-69

-69

1345.5

16

0.8

345

276

-69

-69

1276.5

17

1.0

345

345

0

0

1276.5

18

1.1

345

379.5

34.5

34.5

1311

19

1.5

345

517.5

172.5

172.5

1483.5

20

1.6

345

552

207

207

1690.5

21

1.0

345

345

0

0

1690.5

22

0.8

345

276

-69

-69

1621.5

23

0.5

345

172.3

-172.5

-172.5

1449

0

0.4

345

138

-207

-207

1242

1

0.3

345

103.5

-241.5

-241.5

1000.5

2

0.3

345

103.5

-241.5

-241.5

759

3

0.3

345

103.5

-241.5

-241.5

517.5

4

0.3

345

103.5

-241.5

-241.5

276

5

0.5

345

172.5

-172.5

-172.5

103.5

6

0.7

345

241.5

-103.5

-103.5

0

O volume do tanque de equalização é V = 1690m 3

ESTG – IPVC

Capítulo 4 – Obra de entrada

Para a população 3, que tem os seguintes caudais, m 3 /d:

2005

2025

Médio

Máximo

Médio

Máximo

5.39x10 3

12.9x10 3

5.52x10 3

13.2x10 3

Admita como o volume de areia de 0.01m 3 /10 3 m 3 de água residual.

Dimensione uma obra de entrada com uma grade média, um desarenador rectangular e uma caleira Parhall.

Considere as seguintes dimensões para a caleira Parshall

 

Dimensões, mm

 

Parâmetros

Capacidade m 3 /s

W

A

B

C

D

K

u

 

min-max

25.4

363

356

93

167

0.0604

1.55

0.09x10 -3 - 5.4x10 -3

50.8

414

406

135

214

0.1207

1.55

0.18x10 -3 - 13.2x10 -3

76.2

467

457

178

259

0.1771

1.55

0.77x10 -3 - 32.1x10 -3

152.4

621

610

394

397

0.3812

1.58

1.50x10 -3 - 111x10 -3

228.6

879

864

381

575

0.5354

1.53

2.50x10 -3 - 251x10 -3

304.8

1372

1343

610

845

0.6909

1.522

3.324 x10 -3 - 0.457

457.2

1448

1419

762

1026

1.056

1.538

4.80

x10 -3 – 0.695

609.6

1524

1495

914

1206

1.428

1.550

12.1

x10 -3 – 0.937

914.4

1676

1645

1219

1572

2.184

1.566

17.6

x10 -3 – 1.427

1219.2

1829

1794

1524

1937

2.953

1.578

35.8

x10 -3 – 1.923

1524.0

1981

1943

1829

2302

3.732

1.587

44.1

x10 -3 – 2.424

1828.8

2134

2092

2134

2667

4.519

1.595

74.1

x10 -3 – 2.929

2133.6

2286

2242

2438

3032

5.312

1.601

85.5

x10 -3 – 3.438

2428.4

2438

2391

2743

3397

6.112

1.607

97.2

x10 -3 – 3.949

3048

 

- 4267

3658

4756

7.463

1.60

0.16 – 8.28

3658

 

- 4877

4470

5607

8.859

1.60

0.19

– 14.68

4572

 

- 7620

5588

7620

10.96

1.60

0.23

– 25.04

6096

 

- 7620

7315

9144

14.45

1.60

0.31

– 37.97

7620

 

- 7620

8941

10668

17.94

1.60

0.38

– 47.14

9144

 

- 7620

10566

12313

21.44

1.60

0.46

– 56.33

12192

 

- 8230

13818

15481

28.43

1.60

0.60

– 74.70

15240

 

- 8230

17272

18529

35.41

1.60

0.75

– 93.04

A equação característica da caleira é:

Q = KH em que Q tem dimensões de m 3 /s e H a de m.

a

u

A largura do canal de ligação da caleira Parshall ao desarenador é de:

W [mm]

152.4

228.6

304.8

457.2

609.6

914.4

1219

1524

1828

2133

2438

P

[mm]

902

1080

1492

1676

1854

2222

2711

3080

3442

3810

4172

ESTG – IPVC

As grades médias têm as seguintes dimensões:

Grade

Espessura x Altura

Espaçamento

 

8x50 mm

Média

10x40 mm

20 a 40 mm

10x50mm

E considere a seguinte fórmula para a perda de carga:

Fórmula no Metcalf & Eddy

0.7

1

V 2 υ 2

h L =

2g