Você está na página 1de 1

As crticas mais fortes ao estruturalismo foram dirigidas ao seu mtodo: a introspeco, especialmente a introspeco praticada nos laboratrios de Titchener

e Klpe pois estava voltada mais para os relatos subjectivos dos elementos da conscincia, enquanto que a concepo wundtiana estava voltada mais para respostas objectivas a estmulos externos. O movimento estruturalista foi tambm acusado de artificialismo por causa da sua tentativa de analisar processos conscientes atravs da sua decomposio em elementos. Os crticos alegaram que a totalidade de uma experincia no pode ser recuperada por nenhuma associao das suas partes elementares. Para estes crticos, a experincia no ocorre em termos de sensaes, imagens ou estados afectivos, mas em totalidades unificadas. Algo da experincia consciente inevitavelmente perdido em qualquer esforo artificial de analis-la e a Gestalt fez uso desta crtica para lanar o seu movimento contra o estruturalismo. Para Titchener, a Psicologia animal e a Psicologia infantil nada tinham de Psicologia, aspecto que tambm foi criticado. A Psicologia desenvolvia-se tambm em reas que os estruturalistas excluam.

"A mente pode observar todos os fenmenos excepto os seus prprios O rgo observador e o rgo observado so idnticos, e a sua aco no pode ser pura e natural. Para observar, o nosso intelecto deve fazer uma pausa em sua actividade; contudo, o que se quer observar precisamente essa actividade. Se no se puder fazer essa pausa, no se pode observar; se se conseguir faz-la, nada h a observar. Os resultados desses mtodos so proporcionais ao seu carcter absurdo" (Comte).