P. 1
Consciência Crítica e Filosofia

Consciência Crítica e Filosofia

|Views: 7.276|Likes:
Publicado porribeiro2412

More info:

Published by: ribeiro2412 on Nov 04, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/22/2014

pdf

text

original

CONSCIÊNCIA CRÍTICA E FILOSOFIA

Prof. Ms. Francisco Cavalcanti www.o-hermeneuta.blogspot.com

O desenvolvimento da consciência
O homem sistema aberto: Desenvolvimento da atividade mental que nos permite estar no mundo com algum saber.  Homo sapiens sapiens – o ser que sabe que sabe O processo contínuo do homem relacionando-se com o mundo e consigo mesmo. (ser, saber e fazer).

Consciência crítica: a dialética do eu e do mundo
Sobre

o próprio sujeito, sondando sua interioridade ou na alteridade. Consciência de si: reflexão Consciência do outro: atenção “Consciência crítica: depende da harmonia entre as duas dimensões da consciência”.

GOETHE (1830)

“O HOMEM SÓ CONHECE O MUNDO DENTRO DE SI SE TOMA CONSCIÊNCIA DE SI MESMO DENTRO DO MUNDO”. Eu ao mundo e do mundo ao eu (dialética)

OS MODOS DA CONSCIÊNCIA
 CONSCIÊNCIA

MÍTICA: transmitir valores desejados pelas sociedades.  CONSCIÊNCIA RELIGIOSA: verdades reveladas pela fé religiosa. “O coração tem razões que a razão desconhece”.  CONSCIÊNCIA INTUITIVA: “insight” Intuição sensível: conhecimento imediato de algo universalmente válido. Intelectual:conhecimento imediato restrito.

CONSCIÊNCIA RACIONAL
 Busca

a compreensão da realidade por meio de certos princípios estabelecidos pela razão, como, por exemplo, o de causa e efeito.  Abstrair : separa, isolar as partes.  Analisar : decompor o todo em suas partes.  A busca pelo objeto de estudo.

CIÊNCIA versus FILOSOFIA
 CIÊNCIA:

Métodos empíricos = TEORIAS = especialização do conhecimento.  FILOSOFIA: ênfase teórica, pois não condiciona o objeto em laboratório e não pretende um objeto especializado. UMA COMPLEMENTA A OUTRA Pois, a filosofia questiona as descobertas da ciência de forma global.

SENSO COMUM
 CONSENSO:

manifestação dos juízos de valores emitidos pelo ser - humano.  Senso comum: consiste em uma série de crenças admitidas por um determinado grupo social, cujos membros acreditam serem compartilhadas por todos os homens.  Falta fundamentação sistemática.

Bertold Brecht (1950)
Nós pedimos com insistência: Não digam nunca: isso é natural! Diante dos acontecimento de cada dia. Numa época em que reina a confusão. Em que corre sangue, Em que se ordena a desordem, Em que o arbitrário tem força de lei, Em que a humanidade se desumaniza. Não digam nunca: isso é natural!

FILOSOFIA
 Recusa

da Doxa = busca da teoria.  Uso metódico da razão.  Todos os conhecimentos.  Recuperar a unidade do saber:  Epistemologia, ou teoria do conhecimento, fundamentos do saber científico, lógica, política, ética, estética etc.

Sinto-me perto de todos os pérfidos, e pergunto: Quem me quer enganar? A minha primeira circunspecção humana é deixar-me enganar para me não ver obrigado a estar em guarda contra os enganadores.  Ai! Se eu me pusesse em guarda contra o homem, como poderia ser o homem uma âncora para o meu barco? Facilmente me veria arrastado para o largo. Não me precaver: tal é a providência que preside ao meu destino.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->