P. 1
Parafuso

Parafuso

|Views: 309|Likes:
Publicado porAllain Hass

More info:

Published by: Allain Hass on Nov 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/18/2014

pdf

text

original

Parafuso

Os parafusos são formados por um corpo cilíndrico roscado, que pode ter vários formatos e suas dimensões normalizadas.

d = Diâmetro L = Comprimento b = Comprimento da rosca k = Altura da cabeça S = Abertura da chave de aperto e = Medida do diâmetro para execução do sextavado.

Parafuso cabeça sextavada DIN 931

Segundo as normas os parafusos se diferenciam pela rosca, forma de cabeça, haste e forma de acionamento. A figura abaixo mostra os tipos usuais de cabeças

Fenda em cruz (phillips)

Cabeça cilíndrica abaulada

a união é feita de parafusos com haste ( ou colo) de dilatação. distribui-se a tensão por toda a haste. gases ou líquidos. . Enquanto num parafuso comum a tensão se concentra no final da rosca. nas situações citadas. A vantagem em usar um parafuso com haste de dilatação é que. por isso é bastante usado em motores de combustão interna.usa-se parafuso sem cabeça com pontas adequadas ao trabalho a que se destinam Quando o parafuso está sujeito a forças de serviço severas como na figura abaixo por exemplo: pressão de vapor. Esse elemento absorve muito bem as forças pulsatórias.Cabeça lenticular Cabeça escariada Cabeça redonda Cabeça cilíndrica Havendo necessidade de travar elementos.

Rebaixo simples Parafuso tratado termicamente e encaixe calibrado Encaixe interferência Auxilio do pino guia Postiço centrador Ressalto centrador . As uniões roscadas sujeitas à solicitação transversal necessitam de recursos adicionais para proteger o parafuso contra o cisalhamento e manter a posição das partes. e entre o diâmetro maior da rosca e o diâmetro da haste é necessário um ângulo de 20º.Segundo norma DIN o diâmetro da haste deve ser 10% menor que o diâmetro do fundo da rosca.

Nas porcas aparece apenas o algarismo indicador da resistência à tração. 8 . 100 = 800N/mm2 Le = 8 .8 – 6.IDENTIFICAÇÃO NORMALIZADA Identificação segundo DIN 267 Ela é feita por dois algarismos parafuso e um na porca. 10 = 640N/mm2 Classes de resistência: 3.9 Identificação segundo SAE j429 Ela é feita por marcas na cabeça do parafuso e na porca .6 – 5.8 – 10. O primeiro algarismo multiplicado por 100 fornece a resistência à tração do material.6 – 4.6 – 4.8 – 8.8 – 5. Rt = 8 . Multiplicando por 10 o produto do primeiro pelo segundo obtemos o limite de escoamento do material.9 – 12.9 – 14.

. o qual requer um furo proporcional.Danos típicos em roscas Quebra do parafuso Cisalhamento ou arrancamento da cabeça Neste caso. para extrair a parte restante usa-se extrator apropriado para casos em que a quebra tenha se dado no mesmo plano que a superfície da paca. À figura mostra a seqüência para o uso do extrator. no centro do parafuso.

múltipla. A tabela abaixo mostra a seqüências adequadas de aperto. cônica e à esquerda.O extrator é constituído de aço-liga especial e possui uma rosca dente-de-serra. . Deve-se observar ainda que os parafusos que estão sujeitos a forte solicitação de trabalho em altas temperaturas precisam ser reapertados a estas temperaturas. deformações e desalinhamentos. é encontrado em jogos para vários diâmetros diferentes Apertar os parafusos evitando cisalhamento.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->