P. 1
PPP e NSS Em Meio Eletrônico

PPP e NSS Em Meio Eletrônico

|Views: 1.582|Likes:
Publicado porapi-3738414

More info:

Published by: api-3738414 on Oct 18, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

Projeto Transmissão PPP em Meio Eletrônico

1. Propósito
Desenvolver sistemas corporativos para o envio do Perfil Profissiográfico Previdenciário – PPP em meio eletrônico para a Previdência Social, criando banco de dados corporativos e mecanismos de geração e acesso às informações, de modo integrado aos sistemas já existentes.

2. Justificativa
Como fazer com que o Estado tenha informações precisas sobre os resultados dos programas de segurança e saúde de todas as empresas em seu território, possibilitando, assim, estratégias efetivas de ação? Como o Estado pode garantir a tutela da segurança e da saúde de cada trabalhador, individualmente, se seus recursos são limitados? Uma das grandes dificuldades existentes é a incapacidade do Estado em abranger todas as empresas e seus estabelecimentos, por mais que seja ampliado o quadro de auditores fiscais e de outros agentes públicos. Os programas de segurança e saúde do trabalho das empresas, bem como seus resultados, são verdadeiras “caixas-pretas”, que o Estado não consegue alcançar. A doença que acomete ao trabalhador não consegue ser rastreada, impossibilitando identificar sua causa e seu responsável. Com isso, o custo decorrente da negligência é repartido por toda a sociedade, indevidamente, por meio da Previdência Social. Por sua vez, as empresas, conhecedoras das limitações estatais, constroem falsos cenários, camuflando a verdadeira situação da segurança e saúde nos seus ambientes de trabalho, com intuito de se eximir de suas responsabilidades. Observa-se um crescente número dos benefícios por incapacidade, pagos pela Previdência Social. Uma grande parcela desses é decorrente de acidente de trabalho, embora não sejam reconhecidos como ocupacionais.

O não reconhecimento de um benefício como ocupacional, por meio do não registro da Comunicação de Acidente de Trabalho – CAT, acarreta na perda de diversos direitos por parte do trabalhador. Entre eles, podemos destacar a perda da estabilidade no emprego – que vai de 12 (doze) meses até 5 (cinco) anos para os acidentes reconhecidamente ocupacionais. Embora, nesses casos, a Previdência Social ampare o trabalhador com o pagamento de um benefício por incapacidade, como, por exemplo, o auxílio-doença, o trabalhador é demitido quando volta ao trabalho, pois a empresa não quer manter em seu quadro de pessoal a prova viva do crime. Dificilmente, esse trabalhador demitido conseguirá novo emprego. Uma das soluções adotadas no Brasil, dentro de uma nova política em Segurança e Saúde do Trabalho – SST, é similar à utilizada para a gestão patrimonial: tornar obrigatória a prestação de informações relativas à saúde e segurança do trabalhador, por meio de um documento, transmitido em meio eletrônico, que dará origem a um grande banco de dados. Ainda que sejam prestadas informações falsas nesse documento, o Estado poderá cruzar estas informações, gerando indicadores de má gestão das empresas em SST e direcionando as ações do Estado, similarmente à chamada “malha-fina” fiscal, utilizada pela Receita Federal. Com esse intuito, o Brasil criou o Perfil Profissiográfico Previdenciário – PPP: um documento histórico-laboral do trabalhador, elaborado pela empresa ou equiparado à empresa durante seu contrato de trabalho. Reúne, cronologicamente por período, informações administrativas, ambientais e biológicas, já preexistentes nos documentos da empresa, de forma individualizada, por trabalhador. A maioria das informações existentes nesses documentos primários, que estão dispersos por diversos setores da empresa, é registrada de forma coletiva e reflete somente um determinado período de tempo. O PPP coleta, organiza e individualiza essas informações, registrando o “filme” e não somente a “fotografia” da vida laboral do trabalhador, uma vez que não se limita somente a determinado limite de tempo. Embora instituído desde Outubro de 1996 pela Medida Provisória n° 1.523, de 11 de outubro de 1996, teve seu primeiro formato definido apenas com a Instrução Normativa – IN INSS/DC n° 78, de 16 de julho de 2002.

2

Ainda assim, a legislação permitia a substituição do PPP pelos antigos formulários de requerimento da aposentadoria especial: SB-40, DISES BE 5235 e DSS-8030. Em regra, as empresas optavam pelos formulários em detrimento da elaboração do PPP. A partir de Janeiro de 2004, com a perda da eficácia dos antigos formulários, determinada pela IN-INSS/DC n° 99, de 5 de dezembro de 2003, o PPP passou a ser efetivamente exigido das empresas. Por ter um conteúdo mais completo, o PPP passou a substituir, por sua vez, os antigos formulários de requerimento da aposentadoria especial. Em sua primeira fase de implantação, o PPP está sendo exigido em meio papel, no formato publicado pela IN-INSS/DC n° 99, de 2003, e apenas para os trabalhadores expostos a fatores de risco ambientais contemplados pela aposentadoria especial, ainda que não haja as condições que dão direito a esse benefício. Em uma fase posterior, proposta deste projeto, ele será elaborado e transmitido à Previdência Social em meio eletrônico e sua exigência será estendida para todos os trabalhadores, incluindo também as informações relacionadas aos fatores de riscos ergonômicos e mecânicos.

3. Benefícios do Projeto
3.1 Permitir a análise holística do indivíduo, quando da investigação epidemiológica, na avaliação médico-pericial dos benefícios por incapacidade e da aposentadoria especial, ou no atendimento do segurado pelo Sistema Único de Saúde – SUS, entre outros. Instrumentalizar a justiça social, no campo da saúde e segurança do trabalhador, a partir do controle social pelas empresas, pelos trabalhadores e pelos sindicatos, por meio da disponibilização dos dados do PPP em meio eletrônico. Possibilitar ações públicas da União, Estados e Municípios integradas e descentralizadas com maior efetividade, no âmbito da Política Nacional de Segurança e Saúde do Trabalhador – PNSST, dentro de um planejamento estratégico, a partir de alvos definidos, entre outros, por indicadores extraídos da base de dados relativa ao PPP, selecionando as empresas-alvo por segmento econômico. Possibilitar o desenvolvimento de políticas de saúde coletiva, de vigilância sanitária e epidemiológica, a partir de indicadores extraídos da base de dados relativa ao PPP. Diminuir a burocracia, tanto para a empresa, quanto para a Previdência Social, com a condensação de todas as informações necessárias transmitidas em meio eletrônico, possibilitando maior brevidade no deferimento dos benefícios e assegurando maior confiabilidade e eficácia aos procedimentos já existentes.

3.2

3.3

3.4 3.5

3

4. Objetivos Gerais
4.1 Rever o atual formato atribuído ao PPP pela IN-INSS/DC n° 99, de 2003, com a avaliação da necessidade de criação de mais de um formato, bem como de modelos completo e simplificado, considerando: • • • • • • • os diversos segmentos de empresas existentes; os diversos tipos de segurados existentes; a extensão de sua exigência para todos os trabalhadores; a inclusão dos fatores de riscos ergonômicos e mecânicos; a automatização de sua transmissão; os aspectos jurídicos relacionados; as diretrizes aprovadas pela PNSST.

4.2 Determinar a forma e a periodicidade de transmissão do PPP, considerando a possibilidade ou não de sua incorporação pela Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e Informações à Previdência Social – GFIP. 4.3 Especificar o projeto lógico de transmissão do PPP, observando: • • • • • • sua implementação de modo gradativo, por meio da separação de fases; sua integração com os demais sistemas e projetos da Previdência Social; a identificação de suas interfaces; a construção de mecanismos de acesso e geração de informações, tanto interna como externamente; os aspectos jurídicos relacionados; as diretrizes aprovadas pela PNSST.

5. Objetivos Específicos
4.1 4.2 4.3 Realizar levantamento das necessidades para implementação e implantação da transmissão do PPP em meio eletrônico; Efetuar planejamento referente ao gerenciamento e à implantação da solução. Executar o projeto em conformidade com 4.3

6. Metas
5.1 5.2 5.3 Realizar levantamento das necessidades para implementação e implantação do PPP em meio eletrônico até 30 de junho de 2005. Efetuar planejamento referente ao gerenciamento, à construção, à implementação e à implantação da solução até 31 de julho de 2005. Apresentar a especificação do projeto lógico até 31 de julho de 2006.

7. Restrições •
As definições do item 4.1 deverão ser submetidas à aprovação do Conselho Nacional de Previdência Social – CNPS ou aos representantes que ele subdelegar.

4

• •

A equipe responsável pela GFIP deverá ser envolvida para especificação do item 4.2, A evolução do projeto deverá ser submetida ao CNPS para avaliação.

8. Premissas
• • • • • • • • • Alimentação dos dados do PPP no CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais). Integração com demais sistemas e projetos da Previdência Social. Desenvolvimento de módulos de acesso e de geração de informações internas e externas; Assessoria no desenvolvimento dos fluxos de informações e procedimentos pela Assessoria de Pesquisas Estratégicas da Secretaria Executiva – APE/SE e da Auditoria Geral do INSS – AGE/INSS. Orientação e Acompanhamento do projeto pelo Departamento de Tecnologia e Informações – DTI/xxx. Avaliação dos riscos corporativos do projeto pela Assessoria de Gerenciamento de Riscos da Secretaria Executiva – AGR/SE. Emissão de Portaria MPS constituindo o(s) grupo(s) de trabalho para execução dos itens 4.1, 4.2 e 4.3. Emissão de Resolução CNPS para aprovação do item 4.1. Publicação de Instrução Normativa INSS/SRP com o(s) novo(s) formato(s) do PPP aprovado(s) pelo CNPS.

9. Detalhamento dos Recursos Necessários
9.1 Humanos
Item 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Quantidade 03 02 01 01 01 01 01 10 01 01 Descrição Auditores Fiscais da Previdencia Social – SRP Servidores da área de benefícios – INSS Procurador Federal Especializado – AGU/INSS Consultor Jurídico – SE AGR APE AGE Analistas de Sistemas – DATAPREV SPS (Gerência do Projeto) DTI (Orientação e Acompanhamento do Projeto)

9.2 Orçamento
Há recurso orçado? Para o os itens 4.1 e 4.2 Valor: a definir Origem: [ x ] Próprio - SPS [ ] Externo [ ] Outro Para o os itens 4.3 a definir [ ] Próprio - SPS [ ] Externo [ ] Outro

10. Regras de responsabilidade a serem cumpridas

5

10.1 P elo Ór gão Pr oponente – SP

S e SE

Item Descrição A Informar sobre todas as iniciativas em andamento que possam ter relação com o projeto, para fins de alinhamento. B Validar os produtos dentro dos prazos acordados por meio de termo de aceite dos produtos, a fim de não provocar impactos na seqüência dos trabalhos. C Disponibilizar acesso a instalações, documentos, informações e pessoas conforme solicitações da equipe do projeto, desde que obedecidos os prazos e critérios previamente estipulados. D Disponibilizar os recursos para o projeto pelos quais seja direta ou indiretamente responsável. E Assinar Termo de Aceite Final do projeto em até três dias úteis após sua entrega. F Acompanhar todo o desenvolvimento do produto, contribuindo com críticas ou sugestões, através da documentação disponibilizada pelas equipes de gerência e execução.

10 .2 P elo Ger enciamento em Pr
Item A B C D E F

ojetos – S PS

Descrição Apresentar periodicamente relatório de status do projeto. Entregar o termo de aceite de produtos na entrega de cada produto previsto no projeto. Solicitar a assinatura do Termo de Aceite Final do Projeto, após este ter sido considerado concluído. Atualizar o plano de projeto. Gerenciar a atualização e divulgação de toda a documentação do projeto para acompanhamento e participação da gerência do projeto e da equipe de execução. Proceder à liberação dos pagamentos dos serviços realizados conforme plano de trabalho elaborado pela Dataprev e previamente aprovado pelo Gerente de Projetos.

10 .3 P ela Ár ea Ex ecutor a (SRP, DIRBEN-INS S, PFE-I NSS, CJ , A GR, APE, A GE, DATAPREV , S PS e DT I)
Item Descrição A Apresentar toda a equipe do projeto e eventuais colaboradores ao proponente do projeto, a fim de credenciá-los para acesso a instalações e informações. B Apresentar os produtos com a qualidade e nos prazos acordados. C Alertar sobre os impactos no projeto das eventuais alterações de escopo ou de eventos de caso fortuito, força maior ou equívocos de estimativas, principalmente em termos de prazos e recursos. D Manter atualizada e disponível toda a documentação do projeto para acompanhamento e participação da gerência de projeto e da equipe de execução.

6

E

Apresentar fatura dos serviços realizados até dia 15 do mês subseqüente à prestação dos serviços que devem constar do plano de trabalho previamente aprovado pelo Gerente do Projeto.

Responsáveis pelo Projeto
Órgão Proponente: 1) Patrocinador: Helmut Schwarzer – MPS/SPS ; Lieda Amaral de Souza – MPS/SE 2) Facilitador(a): Geraldo Almir Arruda – SPS/DRGPS; Sérgio Ricardo Prates – SE/DTI Área Executora: 1) Gerente do Projeto 2) Suplente

Kátia Viana Coelho de Souza – SPS/CGEP Geraldo Almir Arruda – SPS/DRGPS

Nada mais havendo a ressaltar, declaramos que concordamos com Proposição de Projeto supra especificada. Brasília, 15 de junho de 2005

Helmut Schwarzer Patrocinadores

Lieda Amaral de Souza

Geraldo Almir Arruda Facilitadores

Sérgio Ricardo Prates

7

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->