Você está na página 1de 4

Reproduo Sua reproduo sexuada externa, este processo se d quando o macho lana seus gametas nos vulos liberados

s pela fmea. De modo geral, este processo ocorrer em gua doce, e, uma vez fecundados, os ovos permaneceram em ambiente aqutico at o nascimento dos girinos. Pelo fato de estarem protegidos pela gua, os ovos dos anfbios no necessitam de anexos embrionrios adaptativos como, por exemplo, a bolsa amnitica. Esta das caractersticas que os tornam diferentes dos vertebrados terrestres.

Como nos peixes ovparos, a fertilizao externa e o ovo que foi fecundado desenvolve-se fora do corpo da me. Dependendo da espcie de anfbio anuro, os ovos so depositados na gua, sob pedras, dentro de uma toca escavada no cho, em folhas, etc. O importante que haja bastante umidade, o suficiente para o embrio crescer e transformar-se em girino (nome dado a larva dos anuros). Quando sai do ovo, o girino j nada e procura o seu prprio alimento mas para se protegerem de predadores ficam agrupados em grandes cardumes (veja uma imagem). Os pais de anfbios anuros so muito cuidadosos com a prole e procuram garantir locais seguros para que ela se desenvolva. Os girinos crescem preparandose para a vida fora da gua: primeiro surgem o par de pernas traseiras, depois as dianteiras, a cauda vai sendo perdida e, finalmente, a preparao para respirar fora da gua.

orpo da fmea, por meio de uma expanso da cloaca. Nos sapos e nas rs externa. Na poca do cio, os machos desses anfbios emitem sons ruidosos (o "coaxar") por meio de seus sacos vocais e formam verdadeiros coros em que vrios indivduos cantam alternadamente. Durante o acasalamento montam sobre as costas das fmeas, que costumam ser maiores do que eles.

O casal permanece unido e imvel em longo abrao, que pode prolongar-se durante horas, at

que a fmea expele

os ovos,

que so fecundados pelo esperma do macho na gua. Os ovos se dispem em longos cordes ou fileiras, envoltos por uma bainha gelatinosa, e se depositam no fundo de guas paradas. Todos os anfbios sofrem metamorfose. Assim, o aspecto da larva no igual ao do adulto, especialmente no caso de rs e sapos, nos quais

dotada de ca uda e se chama girino. o desenvolvimento e que, para atuar, depende da presena de iodo no organismo. Na ausncia

desse elemento, a metamorfose no se processa. Muitos anfbios conservam o aspecto larvar durante grande parte de sua vida e at ao longo de toda ela.