P. 1
Fertilidade Do SoloApostila

Fertilidade Do SoloApostila

|Views: 7.990|Likes:
Publicado porHenrico Puente

More info:

Published by: Henrico Puente on Nov 11, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/09/2014

pdf

text

original

Sendo os fertilizantes orgânicos fonte da maioria dos nutrientes, porém em
concentrações baixas e muito variáveis, dependendo da natureza e origem do
material, a adubação orgânica é geralmente empregada independentemente da
adubação mineral ou em substituição parcial a esta. De qualquer forma, o
aproveitamento de resíduos e outros materiais orgânicos disponíveis na propriedade
ou que possam ser adquiridos a um custo compensatório deve ser priorizado, visto
que os efeitos para o solo, planta e ambiente são altamente favoráveis.

8.2.1 Fertilizantes sólidos

Conhecendo-se o teor de nutrientes no fertilizante orgânico sólido, que é
dado com base na matéria seca, o teor de matéria seca ou matéria orgânica e o
índice de conversão da forma orgânica para a forma mineral, pode se calcular,
dentro de um raciocínio lógico, a quantidade de fertilizante a ser aplicada para
atender à necessidade de um dado nutriente ou a quantidade de nutriente suprida
por uma certa quantidade de fertilizante aplicada. A seguinte fórmula pode ser útil
para os referidos cálculos:

em que,

X = quantidade do fertilizante orgânico sólido aplicado ou a aplicar (kg/ha;
g/planta);

A = quantidade do nutriente aplicado ou a aplicar (kg/ha; g/planta);

B = teor de matéria seca do fertilizante (%);

C = teor do nutriente na matéria seca (%) – vide Quadro 6.7;

D = índice de conversão (%), apresentado no Quadro 6.6.

Tanto para a adubação com fertilizantes sólidos quanto líquidos, é muito
provável que as necessidades de nutrientes para uma certa adubação não sejam
supridas de forma equilibrada com a adubação orgânica. Isto porque a
concentração de nutrientes nos mesmos é variável e pode diferir em muito das
relações das quantidades de nutrientes desejadas na adubação.

Considerando a baixa disponibilidade normalmente verificada para os
fertilizantes orgânicos e considerando que se deve evitar a aplicação de nutrientes
em quantidades muito superiores às recomendadas, os cálculos devem tomar por
base, inicialmente, o nutriente cuja quantidade será satisfeita com a menor dose.

X = A .
B/100 . C/100 . D/100

118 UFLA/FAEPE interpretação de análise de solo e manejo da
adubação

8.2.2 Fertilizantes líquidos

Para o caso dos fertilizantes orgânicos líquidos (chorume, vinhaça, etc), a
fórmula passa a ser a seguinte:

em que,

X = quantidade do fertilizante orgânico líquido aplicada ou a aplicar (m3

/ha;

L/planta);

C‟ = concentração do nutriente no fertilizante (kg/m3

; g/L), Vide Quadro 6.8;

D = índice de conversão (%), apresentado no Quadro 6.6.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->