P. 1
Articulações

Articulações

4.5

|Views: 8.095|Likes:
Publicado porFafnir Kesk

More info:

Published by: Fafnir Kesk on Oct 18, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/18/2014

pdf

text

original

ARTICULAÇÕES

JUNTURAS

Articulações (Junturas)
Conexão entre quaisquer partes rígidas do esqueleto, quer sejam ossos, quer sejam cartilagens.

Classificação
Classificação: 3 grandes grupos: 1. Fibrosas 2. Cartilaginosas 3. Sinoviais O critério para esta divisão é o da natureza do elemento que se interpõe às peças que se articulam.

Articulações Fibrosas
tecido conjuntivo fibroso maioria no crânio mobilidade reduzida

Subdivisão
Subdivide-se em: A. Suturas (entre os ossos do crânio) A1. Planas (entre os nasais) A2. Escamosas (temporal) A3. Denteada (entre os parietais) B. Sindesmoses (sindesmose tibio-fibular) Ocorre entre as extremidades distais da tíbia e da fíbula

Articulações Cartilaginosas
Tecido cartilaginoso Subdivide-se em: A. Sincondroses (cartilagem hialina) sincondrose esfeno-occipital B. Fibrosa (Sínfises) - Sínfise púbica, disco intervertebral (disco de fibrocartilagem)

Articulações Sinoviais
Sinóvia ou Liq. Sinovial O meio de união nessas articulações é a cápsula articular, que envolve a articulação, prendendo-se nos ossos que se articulam. O espaço onde se encontra o líquido sinovial é chamado de cavidade articular.

Superfícies articulares das articulações sinoviais
São aquelas que entram em contato numa determinada articulação. Estas superfícies são revestidas em toda sua extensão por uma cartilagem hialina, sendo assim lisas, polidas e de cor esbranquiçada. A redução da mobilidade nestas articulações leva a fibrose da cartilagem articular e posteriormente a anquilose articular (perda da mobilidade). A cartilagem articular é avascular e não possui inervação. Sua nutrição é precária, tornando a regeneração difícil e lenta em casos de lesão.

Cápsula Articular
Apresenta duas camadas: A. Membrana Fibrosa (externa) B. Membrana Sinovial (interna) A. Membrana Fibrosa 1. Mais resistente 2. Reforçada em alguns locais por ligamentos capsulares

Cápsula articular da articulação do quadril

Em algumas articulações sinoviais há ligamentos independentes da cápsula articular, denominados “extra-capsular” ou acessório. Tem ainda os ligamentos intraarticulares, como os do joelho.

Ligamentos e cápsulas articulares têm por finalidade manter a união entre os ossos e em impedir os

movimentos

planos

indesejados, limitando, ainda, a amplitude dos movimentos

considerados normais

Membrana Sinovial (Interna)
1. É abundantemente enervada e vascularizada 2. Ácido Hialurônico (Viscosidade de Liquido lubrificante) Semelhantes às cavidades sinoviais das articulações temos as bainhas sinoviais dos tendões e bolsas sinoviais que têm um revestimento interno semelhante à membrana sinovial e são lubrificadas por um líquido semelhante ao sinovial.

Membrana Sinovial

Bainha sinovial dos tendões
Facilita o deslizamento de tendões que passam através de túneis fibrosos ou ósseos (retináculo dos flexores do carpo). São “sacos” fechados com uma camada de membrana sinovial

Bolsas Sinoviais
São fendas no tecido conjuntivo entre músculos, tendões, ligamentos e ossos. São “sacos” fechados de revestimento sinovial que podem ser contínuos através de uma abertura de sua parede. Facilitam o deslizamento de músculos ou tendões sobre proeminências ósseas ou ligamentares. Subcutânea, submuscular e subtendínea.

Bursite

Discos e Meniscos
Servem à melhor adaptação das superfícies que se articulam ou se destinam a receber violentas pressões, agindo como amortecedores. Meniscos (articulação do joelho) Discos(Articulação esternoclavicular e temporomandibular)

Discos e meniscos

Disco intervertebral

Vista superior da Tíbia - Meniscos

Menisco – Vista endoscópica

Histologia do disco

Vista endoscópica da articulação do Joelho

Classificação Morfológica das Articulações Sinoviais
O critério de base para a classificação morfológica das junturas sinoviais é a forma das superfícies articulares. Sem sombra de dúvida o simples exame destas superfícies indica consideráveis variações morfológicas. Há grandes divergências entre os autores quanto à nomenclatura empregada nesta classificação.

Plana - As superfícies articulares são planas ou ligeiramente curvas, permitindo deslizamento de uma superfície sobre a outra em qualquer direção. Ex.: articulação sacro-ilíaca Gínglimo - Este tipo de articulação é também denominado de dobradiça e os nomes referem-se mais ao movimento que elas realizam do que a forma das superfícies articulares. Ex.: articulação do cotovelo

Cotovelo normal

Fixação cirúrgica da articulação do cotovelo

Luxação da articulação do cotovelo

Trocóide - Neste tipo as superfícies articulares são segmentos de cilindro e por esta razão cilindróides talvez fosse um termo mais apropriado para designá-las. Estas junturas permitem rotação e seu eixo de movimento, único, é vertical: são monoaxiais. Ex.: articulação radio-ulnar proximal (entre o rádio e a ulna). Condilar - As superfícies articulares são de forma elíptica e elipsóide seria talvez um termo mais adequado. Esta junturas permitem flexão, extensão, abdução e adução, mas não a rotação. Ex.: articulação radio-cárpica e temporomandibular.

Articulação temporomandibular

Articulação rádio-ulnar

Em sela - Nesse tipo de articulação a superfície articular de uma peça esquelética tem a forma de sela, apresentando concavidade num sentido e convexidade em outro, e se encaixa numa segunda peça onde convexidade e concavidade apresentam-se no sentido inverso da primeira. Este tipo de articulação permite flexão, extensão, abdução, adução e rotação (e consequentemente circundução). Ex.: articulação carpo-metacárpica do polegar.

Esferóide - As articulações de tipo esferóide apresentam superfícies articulares que são segmentos de esferas e se encaixam em receptáculos ocos. Permite movimentos de flexão, extensão, adução, abdução, rotação e circundução. Ex.: articulação do ombro e do quadril.

Articulação do ombro e quadril

Articulação do joelho

Tendosinovite aguda

Prótese de Quadril

Exame de Articulação do Quadril

Flexão do Quadril

Extensão do Quadril

Abdução do Quadril

Rotação Lateral do Quadril

Rotação Medial do Quadril

Adução do Quadril

Artroscopia do Joelho

Artroscopia

Cirurgia para correção de cartilagem danificada no joelho

Articulação do Joelho

Cartilagem óssea

Conjunto ósseo do membro inferior

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->