P. 1
Qual é o custo de um funcionário

Qual é o custo de um funcionário

|Views: 28|Likes:
Publicado porRaquel Quel

More info:

Published by: Raquel Quel on Nov 12, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/02/2013

pdf

text

original

Qual é o custo de um funcionário?

É comum ouvirmos que o custo de um empregado é muito alto no Brasil. Porém, quando se pergunta qual o custo efetivo de um empregado, as respostas nem sempre são uniformes. Para auxiliar os empreendedores e empresários neste assunto, proponho uma análise, com abordagem simples e direta. Determinando o custo de um empregado Para determinarmos o custo de um empregado é preciso, inicialmente, analisar quais são os seus direitos, uma vez que tais direitos representam um custo para o seu empregador. O empregado tem os seguintes direitos 1. Ter registrado na sua Carteira de Trabalho e Previdência Social seu contrato de trabalho, a partir do primeiro dia de trabalho. 2. Realização dos exames médicos admissional, periódico e demissional. Estes exames médicos, que visam verificar a saúde do empregado, serão realizados por empresa especializada contratada e paga pelo empreendedor. 3. Descanso semanal remunerado ou simplesmente DSR. A regra geral é que o empregado tem direito a um dia de descanso remunerado por semana, coincidindo tal folga preferencialmente com o domingo, além da folga nos feriados. Estas folgas são remuneradas, apesar do empregado não trabalhar nestes dias. 4. Salário mínimo ou piso salarial da sua categoria profissional, pagos até o 5º dia útil de cada mês, podendo receber adiantamento salarial equivalente a 40% do seu salário, que será pago até o dia 20 de cada mês. 5. 13º salário, que equivale a 1/12 do seu salário sobre os meses trabalhados. O 13º salário será pago em duas parcelas. A primeira parcela deverá ser paga no período de fevereiro até o dia 30 de novembro de cada ano, ou ainda juntamente com as férias do empregado caso ele faça tal solicitação até o mês de janeiro daquele ano. A segunda será paga até o dia 20 de dezembro de cada ano. 6. Férias de 30 dias com acréscimo de 1/3 do salário, lembrando que o empregado poderá vender até 10 dias de suas férias para o empreendedor. 7. Vale-transporte. Neste caso, caberá ao empreendedor entregar para o seu empregado o termo de opção do vale-transporte. Neste termo o empregado dirá se quer vale-transporte e também qual o percurso que ele faz de casa ao trabalho, ida e volta, e quantos vales utilizará por dia. O empreendedor comprará esses vales-transporte na quantidade suficiente para o deslocamento desse empregado durante o mês, entregando estes vales mediante recibo para o seu empregado. O empreendedor poderá descontar até 6% do valor do salário desse empregado para o pagamento do vale-transporte, arcando com o restante do seu custo. 8. Licença maternidade (mãe) de 120 dias, com garantia de emprego até 5 meses depois do parto. 9. Licença paternidade (pai) de 5 dias consecutivos. 10. Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS), devendo a empresa depositar mensalmente 8% do valor do salário do empregado na sua conta do FGTS. 11. Horas extras com adicional. A hora trabalhada além da jornada de 8 horas diárias ou 44 horas semanais é considerada hora extra. O adicional mínimo da hora extra é de 50% sobre o valor da hora normal. Assim, se o valor da hora normal for de R$ 1,00, a hora extra será paga pelo valor de R$ 1,50. Vale lembrar que o empregado poderá realizar no máximo duas (2) horas extras diárias ou 10 horas extras semanais. 12. Estabilidade de 12 meses, caso o empregado venha a sofrer algum acidente do trabalho. Assim sendo, se o empregado for afastado devido a acidente do trabalho, quando ele receber alta do INSS e retornar ao trabalho, terá a garantia de emprego pelos próximos 12 meses. 13. Adicional noturno. Quando o empregado trabalhar no período que vai das 22 horas de um dia até as 5 horas do dia seguinte, deverá receber um adicional de no mínimo 20% sobre o valor da hora normal. Neste horário noturno cada hora terá a duração de 52 minutos e meio. 14. Abono de faltas, ou seja, quando acontecer alguma das situações a seguir descritas o empreendedor não poderá descontar essas faltas do salário do empregado. Caso a falta ocorra por outros motivos que não esteja aqui relacionado, o empreendedor terá o direito de descontar do salário do empregado o dia que ele faltou e também o DSR daquela semana. Motivos para abono

de faltas: 3 dias em decorrência do casamento do empregado. abono do período em que o empregado tiver que comparecer na justiça como testemunha em algum processo. serão realizados por empresa especializada contratada e paga pelo empreendedor. cônjuge ou sogros). com abordagem simples e direta. filhos. Recebimento da multa de 40% do FGTS no caso de demissão sem justa causa. A regra geral é que o empregado tem direito a um dia de descanso remunerado por semana. Neste caso. a partir do primeiro dia de trabalho. as respostas nem sempre são uniformes. quando se pergunta qual o custo efetivo de um empregado. além da folga nos feriados. temos ainda as obrigações tributárias. Sistema S e Incra). 2. que visam verificar a saúde do empregado. coincidindo tal folga preferencialmente com o domingo. Estas folgas são remuneradas. O empregado tem os seguintes direitos 1. o recolhimento que o empreendedor deverá fazer será de 50% do valor dos depósitos efetuados na conta do FGTS do empregado demitido sem justa causa. uma vez que tais direitos representam um custo para o seu empregador. No caso de micro e pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional. Já nas empresas que não são optantes pelo Simples Nacional. incidentes sobre a folha de pagamento das empresas. Ter registrado na sua Carteira de Trabalho e Previdência Social seu contrato de trabalho. conforme o tipo de atividade que ela exerça. 4. 2 dias no caso do alistamento eleitoral do empregado. ¢ É comum ouvirmos que o custo de um empregado é muito alto no Brasil. a tarefa de se estabelecer o custo de um empregado não é uma das mais fáceis.8% incidentes sobre a folha de pagamento. tais encargos poderão ou não ser reduzidos. Aviso prévio de 30 dias no caso de demissão sem justa causa. Para auxiliar os empreendedores e empresários neste assunto. apesar do empregado não trabalhar nestes dias. e pelo período indicado no atestado médico no caso de doença do empregado. Todos os custos que também são bancados pelo empregador. pagos até o 5º dia útil de cada mês. Descanso semanal remunerado ou simplesmente DSR. podendo tal alíquota ser reduzida ou acrescida conforme o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) estabelecido pelo INSS para aquele tipo de atividade. Conforme demonstrado acima. teremos os seguintes encargos sociais incidentes sobre o valor da folha de pagamento da empresa: a) contribuição patronal para o INSS – alíquota de 20% sobre o valor da folha de pagamento. 16. 1 dia por ano caso o empregado faça doação de sangue. que será pago até o dia 20 de cada mês. cuja alíquota variará de 1 a 3% sobre o valor da folha de pagamento. . cuja alíquota será de 5. fornecimento de alimentação. sendo que 10% desse valor para o governo federal e o restante para o empregado. Por isso. Estes exames médicos. fornecimentos de equipamentos de proteção individual dos empregados. Porém. também conhecidas como encargos sociais. podendo receber adiantamento salarial equivalente a 40% do seu salário. 15. 2 dias no caso de morte de parente do empregado (genitores. c) contribuição patronal para terceiros (salário educação. b) seguro de acidente de trabalho a ser recolhido para o INSS. que analisará o seu caso específico. fornecimento de uniformes. Encargos sociais por conta do empregador Além dos direitos que representam custos para o empregador. O conselho é: este custo deve ser sempre analisado em conjunto com o contabilista da empresa. proponho uma análise. para analisar estes encargos o empregador deverá recorrer ao seu contabilista. Outras despesas com a manutenção do empregado Devemos lembrar também que o empresário tem despesas relativas ao treinamento. 3. Determinando o custo de um empregado Para determinarmos o custo de um empregado é preciso. periódico e demissional. Salário mínimo ou piso salarial da sua categoria profissional. inicialmente. Realização dos exames médicos admissional. analisar quais são os seus direitos.

Licença maternidade (mãe) de 120 dias. a hora extra será paga pelo valor de R$ 1. Encargos sociais por conta do empregador Além dos direitos que representam custos para o empregador. podendo tal alíquota ser reduzida ou acrescida conforme o Fator Acidentário de Prevenção (FAP) estabelecido pelo INSS para aquele tipo de atividade.00. b) seguro de acidente de trabalho a ser recolhido para o INSS. caberá ao empreendedor entregar para o seu empregado o termo de opção do vale-transporte. 2 dias no caso de morte de parente do empregado (genitores. ida e volta. A segunda será paga até o dia 20 de dezembro de cada ano. 15. c) contribuição patronal para terceiros (salário educação. Vale-transporte. que equivale a 1/12 do seu salário sobre os meses trabalhados. A hora trabalhada além da jornada de 8 horas diárias ou 44 horas semanais é considerada hora extra. caso o empregado venha a sofrer algum acidente do trabalho. incidentes sobre a folha de pagamento das empresas. deverá receber um adicional de no mínimo 20% sobre o valor da hora normal. 1 dia por ano caso o empregado faça doação de sangue. A primeira parcela deverá ser paga no período de fevereiro até o dia 30 de novembro de cada ano. 9. devendo a empresa depositar mensalmente 8% do valor do salário do empregado na sua conta do FGTS. ou seja. 13º salário. filhos. cuja alíquota será de 5. cuja alíquota variará de 1 a 3% sobre o valor da folha de pagamento. 11. entregando estes vales mediante recibo para o seu empregado. 10.5. arcando com o restante do seu custo. Férias de 30 dias com acréscimo de 1/3 do salário.50. e pelo período indicado no atestado médico no caso de doença do empregado. 14. Fundo de Garantia Por Tempo de Serviço (FGTS). Já nas empresas que não são optantes pelo Simples Nacional. Aviso prévio de 30 dias no caso de demissão sem justa causa. quando acontecer alguma das situações a seguir descritas o empreendedor não poderá descontar essas faltas do salário do empregado. Neste horário noturno cada hora terá a duração de 52 minutos e meio. tais encargos poderão ou não ser reduzidos. para analisar estes encargos o empregador deverá recorrer ao seu contabilista. que analisará o seu caso específico. 12. 13. Estabilidade de 12 meses. 8. Vale lembrar que o empregado poderá realizar no máximo duas (2) horas extras diárias ou 10 horas extras semanais. Neste caso. Horas extras com adicional. com garantia de emprego até 5 meses depois do parto. Motivos para abono de faltas: 3 dias em decorrência do casamento do empregado. temos ainda as obrigações tributárias. O adicional mínimo da hora extra é de 50% sobre o valor da hora normal. Abono de faltas. lembrando que o empregado poderá vender até 10 dias de suas férias para o empreendedor. 6. Por isso. terá a garantia de emprego pelos próximos 12 meses. conforme o tipo de atividade que ela exerça. Adicional noturno. Licença paternidade (pai) de 5 dias consecutivos. . se o valor da hora normal for de R$ 1. abono do período em que o empregado tiver que comparecer na justiça como testemunha em algum processo. também conhecidas como encargos sociais. 16. Neste caso. sendo que 10% desse valor para o governo federal e o restante para o empregado. ou ainda juntamente com as férias do empregado caso ele faça tal solicitação até o mês de janeiro daquele ano. Sistema S e Incra). Neste termo o empregado dirá se quer vale-transporte e também qual o percurso que ele faz de casa ao trabalho. o empreendedor terá o direito de descontar do salário do empregado o dia que ele faltou e também o DSR daquela semana. No caso de micro e pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional.8% incidentes sobre a folha de pagamento. O empreendedor comprará esses vales-transporte na quantidade suficiente para o deslocamento desse empregado durante o mês. Quando o empregado trabalhar no período que vai das 22 horas de um dia até as 5 horas do dia seguinte. O empreendedor poderá descontar até 6% do valor do salário desse empregado para o pagamento do vale-transporte. Assim sendo. O 13º salário será pago em duas parcelas. Assim. cônjuge ou sogros). teremos os seguintes encargos sociais incidentes sobre o valor da folha de pagamento da empresa: a) contribuição patronal para o INSS – alíquota de 20% sobre o valor da folha de pagamento. 7. se o empregado for afastado devido a acidente do trabalho. Caso a falta ocorra por outros motivos que não esteja aqui relacionado. o recolhimento que o empreendedor deverá fazer será de 50% do valor dos depósitos efetuados na conta do FGTS do empregado demitido sem justa causa. e quantos vales utilizará por dia. quando ele receber alta do INSS e retornar ao trabalho. Recebimento da multa de 40% do FGTS no caso de demissão sem justa causa. 2 dias no caso do alistamento eleitoral do empregado.

Outras despesas com a manutenção do empregado Devemos lembrar também que o empresário tem despesas relativas ao treinamento. O conselho é: este custo deve ser sempre analisado em conjunto com o contabilista da empresa. Conforme demonstrado acima. a tarefa de se estabelecer o custo de um empregado não é uma das mais fáceis. fornecimentos de equipamentos de proteção individual dos empregados. Todos os custos que também são bancados pelo empregador. . fornecimento de uniformes. fornecimento de alimentação.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->