Você está na página 1de 2

lampi�o arrependido da vida de cangaceiro

por: an�nimo

agora caro leitor


pe�o licen�a primeiro
para eu descrever a vida
de um infeliz brasileiro
este ente � um bandido
por�m vive arrependido
da vida de cangaceiro.

no ano de dezesseis
seu pai foi assassinado
e deflorou-lhe uma irm�
um sujeito desgra�ado
ele usou de viol�ncia
por n�o tomar provid�ncia
o governo do estado.

no ano de dezenove
lampi�o foi convidado
por coronel z� Pereira
para ser seu empregado
ficou este coronel
com esta fera cruel
dando-lhe um bom ordenado.

em novecentos e vinte
esta fera carniceira
brigou sem necessidade
com o coronel z� Pereira
temendo seu inimigo
levou somente consigo
o rifle e a cartucheira.

no rio grande do norte


lampi�o quase que morre
foi atacar mossor�
Depois que tomou um porre
com toda sagacidade
naquela grande cidade
levava fim se n�o corre.

no estado de alagoas
tamb�m fez perversidade
ouro, platina e brilhante
ele roubou � vontade
entrou no estado alheio
sem ter [o] menor receio
da distinta autoridade.

quando ningu�m esperava


em itumirim entrou
foi logo na esta��o
todo dinheiro roubou
depois dele ter roubado
n�o matou o empregado
porque ele n�o falou.

o que lampi�o tem feito


neste pa�s brasileiro
s� paga sendo queimado
assim diz o mundo inteiro
na fazenda do bom gosto
lampi�o ferrou no rosto
a filha de um fazendeiro.

todo dinheiro que havia


ele desta vez levou
a mesma mo�a ferrada
o infeliz deflorou
um filho do fazendeiro
ele pegou no terreiro
de punhal assassinou.

o tenente juraci
interventor da bahia
manda a for�a persegui-lo
com cuidado e energia
o presidente encomenda
aonde encontr�-lo prenda
que o governo auxilia.

este desgra�ado hoje


vive lastimando a sorte
em alta noite no mato
j� tem desejado a morte
anda sujo e mulambudo
arrependido de tudo
que praticou pelo norte.

j� foi preso volta seca


do grupo o mais estimado
est� Lampi�o vivendo
cada vez mais apertado
passa dias sem comer
sem �guas para beber
vendo a morte em cada lado.

pelo nordeste este monstro


tem sofrido horrivelmente
at� fome tem passado
esta fera cruelmente
s� tem consigo de um lado
dois cabras e um empregado
e dois cahorros somente.

virgolino lampi�o
se achar meu verso ruim
deus queira que o governo
brevemente d�-lhe fim
falei somente a verdade
lampi�o por caridade
n�o tenha queixa de mim.