P. 1
Vigas Gerber - Conceito e Exercicios

Vigas Gerber - Conceito e Exercicios

|Views: 6.873|Likes:
Publicado porAndré Luis Serra

More info:

Published by: André Luis Serra on Nov 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/03/2013

pdf

text

original

Universidade Federal de Alagoas

Centro de Tecnologia Curso de Engenharia Ci il C d E h i Civil

Teoria das Estruturas I
Aula 10

Prof. Prof Flávio Barboza de Lima

Aula 09
Cenário – Estruturas Isostáticas Planas Esforços Internos Solicitantes
Esforços Normais Esforços Cortantes Momento Fletor Momento torsor ( ã ) t (não)

Aula 09 Equação Diferencial dos Esforços Solicitantes q ç ç Representação Gráfica dos Esforços internos Vigas Gerber .

as vigas com estabilidade própria suprem as demais dos vínculos que lhes faltam. tendo em vista o desenvolvimento das técnicas de pré-fabricação e montagem de estruturas pré- . e a tendência é de cada vez mais serem utilizadas. ficando o conjunto estável A ligação entre as partes se dá por meio de articulações (fixas ou móveis) O aparecimento das vigas Gerber ocorreu para resolver problemas de ordem estrutural e construtiva As vigas Gerber têm lugar de importância na engenharia estrutural.Vigas Gerber Introdução A viga Gerber consiste na associação de vigas com estabilidade própria com outras sem estabilidade própria Nesta associação.

Vigas Gerber .

Vigas Gerber Exemplo 1 Viga com estabilidade própria Viga apoiada (adquire estabilidade através do apoio) (adq ire atra és C A B Decomposição em vigas simples ç g B C A B .

Vigas Gerber Exemplo 2 Viga com estabilidade própria Viga apoiada Viga com estabilidade própria A B C D E F Decomposição em vigas simples ç g C D E A B C D F .

Vigas Gerber Exemplo 3 Viga com estabilidade própria Viga apoiada (na viga A-B) Viga apoiada (na viga B-D) A B C D E Decomposição em vigas simples ç g D E B C D A B .

engastadas. vigas engastadas. portanto. exclusivamente. forças que se opõem aos õ í l i t ã t t f õ deslocamentos lineares. sendo nulas as reações momentos . vigas biapoiadas e vigas biapoiadas com extremidades em balanço Os vínculos entre as vigas não impedem rotações relativas As A reações nos vínculos internos são.Vigas Gerber As vigas que compõem o conjunto são.

Vigas Gerber Determinação das reações de apoio externas e internas Inicialmente. e d dê i estática: táti i i i i d depois i as vigas que dão apoio Determinar as reações de apoio externas e internas. a viga Gerber deve ser decomposta nas vigas isostáticas que a formam (vigas apoiadas e vigas que dão apoio) Deve ser construído o diagrama de corpo livre da estrutura decomposta. utilizando as equações ç p . com apresentação das reações de apoio externas e internas A construção do diagrama de corpo livre deve ser feita por ordem decrescente d d d t de dependência estática: primeiro as vigas apoiadas. q ç de equilíbrio .

Vigas Gerber Determinação d reações de apoio externas e internas D t i ã das õ d i t i t Exemplo 50 kN 20 kN/m A C B 4m 4m 8m .

Vigas Gerber 1 .Decomposição em vigas simples C A B B C A B .

Construção do diagrama de corpo livre após decomposição 1 1º 20 kN/m 2º RHB B C RVB RVC 50 kN MA RHA A B RVB RHB RVA Reações de apoio internas Reações de apoio externas .Vigas Gerber 2 .

Vigas Gerber 3 – Utilização das Equações de Equilíbrio Viga B-C B20 kN/m y + x RHB B RVB 8m C RVC ∑M B =0 ∴ RVC = 80kN ⎛8⎞ −(20. ⎜ ⎟ + RVC .8 = 0 ⎝2⎠ ∑F y =0 ⇒ RVB = 80kN RVB + RVC − 20 8 = 0 20.8).8 C RVB = 160 − 80 ∑F x =0 ∴ RHB = 0 .

8 + 50.Vigas Gerber 3 – Utilização das Equações de Equilíbrio Viga A-B AMA 50 kN RVB = 80 kN y + x RHA RVA A 4m 4m B RHB = 0 ∑F y =0 ⇒ RVA = 130kN RVA − 50 − RVB = 0 RVA − 50 − 80 = 0 ∑F x =0 ∴ RHA = 0 ∑M B =0 M A − RVA .4 = 0 = 0 M A − 130.m .8 + 200 ⇒ M A = 840kN .

m 80 kN 80 kN C 80 kN B A 130 kN .Diagrama de corpo livre 20 kN/m B 50 kN 840 kN.Vigas Gerber 3 .

Vigas Gerber Traçado do diagrama de esforços internos solicitantes T d d di d f i t li it t Os diagramas de esforços internos solicitantes podem ser traçados como para uma viga contínua. apenas observando-se que as articulações não observandotransmitem momentos (Mart =0) e o esforço cortante é contínuo ( ç Não há sentido preferencial para início do traçado dos diagramas de p p ç g esforços internos solicitantes .

Vigas Gerber Traçado do diagrama de esforços internos solicitantes T d d di d f i t li it t Exemplo 50 kN 20 kN/m A C B 4m 4m 8m .

m 80 kN 80 kN C 80 kN B A 130 kN .Vigas Gerber Diagrama de corpo livre 20 kN/m B 50 kN 840 kN.

m 80 (+) B 130 80 80 (-) C DEC [kN] (+) A B 130 (+) 80 (+) A B (-) C 80 .Vigas Gerber 20 kN.

Vigas Gerber 20 kN.m 840 B (+) C 160 DMF [kN.m] 320 (-) A 840 B 320 (-) A B (+) C 160 .

Vigas Gerber 20 kN.m B 0 C DEN [kN] (-) 0 A B (-) A B (+) C .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->