Você está na página 1de 21

Física

Prof. Edson José (E.J)

CAPÍTULO 6. Estudo do movimento pela dinâmica II

8. Trabalho mecânico

O significado da palavra trabalho, na Física, é diferente do

seu significado habitual, empregado na linguagem comum. O trabalho, na Física é sempre relacionado a uma força que desloca uma partícula ou um corpo.

9. Trabalho de uma força constante

Obs:

“O carro não quer pegar!!!!”

uma força constante Obs: “O carro não quer pegar!!!!” A variação de energia, ou energia transferida
uma força constante Obs: “O carro não quer pegar!!!!” A variação de energia, ou energia transferida

A variação de energia, ou energia transferida e/ou formada ou o trabalho realizado pela força depende:

1- Da componente da força na direção do deslocamento (F.cos θ); onde θ é o ângulo

entre a direção da força e do deslocamento;

2- Do modulo do deslocamento (d).

força e do deslocamento; 2- Do modulo do deslocamento (d). Então: T = F.d.cos  Unidades

Então:

T = F.d.cos

Unidades do SI :


F

newton (N)

  T - joule (J)

d - metros (m)

O trabalho realizado por uma força é uma grandeza escalar e sua unidade no SI é o joule

(J).

Obs.:

Podemos também calcular o trabalho T realizado pela força F através da área sob a curva do gráfico F x d:

Lembretes:

52. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

Lembretes:

Física Prof. Edson José ( E.J) Lembretes: 10. Tipos de trabalho: a. Trabalho Motor (T >

10. Tipos de trabalho:

a. Trabalho Motor (T > O):

10. Tipos de trabalho: a. Trabalho Motor (T > O): b. Trabalho resistente (T < O):

b. Trabalho resistente (T < O):

Motor (T > O): b. Trabalho resistente (T < O): c. Trabalho Nulo (T = 0):

c. Trabalho Nulo (T = 0):

Trabalho resistente (T < O): c. Trabalho Nulo (T = 0): Força Nula (F = 0)

Força Nula (F = 0)

Deslocamento Nulo (d = 0)

Ângulo reto (θ = 90°)

Obs:

E
E

xercícios de Fixação

1. Do ponto de vista físico os homens das figuras, abaixo, estão realizando algum tipo de trabalho mecânico? Por quê?

53. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

 
  Lembretes:
  Lembretes:

Lembretes:

2.

O bloco da figura, de peso P = 50 N, é arrastado ao longo do plano horizontal pela força F

de intensidade F = 100 N. A força de atrito tem intensidade F at = 40 N.

 
 

(a) Determine o trabalho realizado, no deslocamento de módulo 10 m, pelas forças: F, F at , P e pela reação normal N. (b) Calcule a intensidade da força resultante e o trabalho dessa mesma força no deslocamento mencionado anteriormente.

3.

Um boi arrasta um arado, puxando-o com uma força de 900 N. Sabendo que o trabalho

realizado pelo foi de 18000 J, calcule a distância percorrida pelo boi.

4.

Sobre um corpo de massa 10 kg, inicialmente em repouso, atua uma força F que faz variar

sua velocidade para 28 m/s em 4 segundos. Determine:

a) a aceleração do corpo;

 

b) o valor da força F;

c) o trabalho realizado pela força F para deslocar o corpo de 6 m.

11. Trabalho de uma força variável:

 
 
 
E
E

xercícios de Fixação

 

5.

As figuras representam a força aplicada por um corpo na direção do seu deslocamento.

aplicada por um corpo na direção do seu deslocamento. Determinar, em cada caso, o trabalho realizado

Determinar, em cada caso, o trabalho realizado pela força para deslocar o corpo de 5m.

54. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

6. Um carro de massa 1000 kg move-se sem resistências dissipadoras em trajetória retilínea,

Lembretes:

a partir do repouso. O gráfico da força motora na própria direção do movimento é

representado na figura.

própria direção do movimento é representado na figura. Determine: (a) a aceleração do carro quando se

Determine:

(a)

a aceleração do carro quando se encontra a 400 m da origem;

(b)

o trabalho da força F no deslocamento de 200 m a 1000 m;

(c)

o trabalho da força F no deslocamento de 0 a 1000 m.

7.

(U. F. São Carlos-SP) Um bloco de 10 kg

 

em mesa lisa em posição horizontal, sob a ação de uma força variável que atua na mesma

movimenta-se

sobre uma

linha

reta

em posição horizontal, sob a ação de uma força variável que atua na mesma movimenta-se sobre

direção do movimento, conforme o gráfico.

O

trabalho realizado pela força quando o

bloco se desloca da origem até o ponto x = 6

m

é:

a)

1 J;

b)

6 J;

c)

4 J;

d)

zero;

e)

2 J.

8.

(UFRGS - Adaptada) Um guindaste ergue verticalmente um caixote a uma altura de 5 m

em 10 s. Um segundo guindaste ergue o mesmo caixote à mesma altura em 40 s. Em ambos

casos o içamento foi feito com velocidade constante. O trabalho realizado pelo primeiro guindaste, comparado com o trabalho realizado pelo segundo, é

os

a) igual à metade.

b) o mesmo

c) igual ao dobro.

d) quatro vezes maior

e) quatro vezes menor.

12. Potência

quatro vezes maior e) quatro vezes menor. 12. Potência O que significa dizer: “um carro potente”?

O que significa dizer: “um carro potente”?

 

55. Cursinho DCE/UFRN

 

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física Prof. Edson José (E.J) Lembretes: O conceito de potência de um sistema físico está
Física
Prof. Edson José (E.J)
Lembretes:
O
conceito de potência de um sistema físico está relacionado com a rapidez que um
trabalho é realizado por este sistema.
Portanto, temos que a potência num intervalo de tempo Δt em que é realizado um
trabalho t é dado por:
 Unidades do SI :
T
P =
T - Joule (J)
t
t - segundo (s)
 P - Watts (W)
A
potência é uma grandeza escalar e sua unidade no SI é o joule por segundo que
recebe o nome de Watt (W).
Além da unidade mencionada, existem algumas unidades muito usuais no que se refere
a
potência.
1 cv = 735,5 W
1 HP ≈ 746 W
E
xercícios de Fixação
9. Utilizando o conceito de velocidade média, determine uma expressão que relacione:
potência, força e velocidade.
10.
Uma maquina de levantamento deslocou verticalmente com velocidade constate 5 sacas
de café do chão até uma altura de 15 m em 20 s. dado que cada saca pesa 40 kg, a potencia
que
o
motor
aciona
a
maquina de levantamento é (desprezando possíveis atritos e
considerando g = 10 m/s 2 ):
A)
1,5 KJ.
B)
5 KW
C)
5 KJ
D)
1,5 KW
11.
Um pequeno veículo de 100 kg parte do repouso numa superfície horizontal polida.
Despreze qualquer resistência ao movimento e suponha que o motor exerça uma força
constante e paralela à direção da velocidade. Após percorrer 200 m atinge 72 Km/h.
Determine a potência média da força motora referido de 200 m;
12.
Uma criança de 30 kg desliza num escorregador de 2 m de altura e atinge o solo em 3 s.
Calcule o trabalho do peso da criança e sua potencia média nesse intervalo de tempo (Dado
g
= 10 m/s 2 )
13. Rendimento
A
palavra rendimento é muito conhecida do cotidiano dos alunos. Dizemos que um
aluno que vinha tendo notas ruins e melhorou sensivelmente suas notas melhorou o seu
rendimento.
O
fabricante de um automóvel procura sempre o melhor rendimento possível na
construção de um motor.
56. Cursinho DCE/UFRN
Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!
Física Prof. Edson José (E.J) No início do século, o principal meio de transporte urbano
Física
Prof. Edson José (E.J)
No início do século, o principal meio de transporte urbano em São Paulo era o
bonde a burro. Todo trabalho de transportar pessoas e cargas eram feito através do esforço
físico dos animais. No período imperial, as
damas da corte eram transportadas em uma
espécie de cadeira coberta (liteira)
transportada por dois escravos. Esse meio de
transporte, porém, levava uma única pessoa
por vez, enquanto o bonde a burro
transportava por volta de 10 pessoas ao mesmo
tempo, com dois burros. Podemos dizer, portanto que um par de burros tinha uma eficiência
muito maior que um par de pessoas.
Enfim o conceito físico rendimento tem um significado muito especial ele mede a taxa
Lembretes:
de
eficiência na utilização da energia fornecida a uma máquina física.
Obs.:
Para entendermos melhor o que seja isso, comecemos dividindo o conceito de Potência
em três partes:
Matematicamente, temos:
 Unidades do do SI :
P
u
=
Pu
Watts (W)
,onde η indica a taxa de eficiência
P
T
P
- Watts (W)
T
- Não possui dimensão
ou rendimento e P T = P D + P U .
Obs.:
E
xercícios de Fixação
13.
Um motor de potência 10000 W utiliza efetivamente em sua operação 7000 W. Qual o
seu rendimento?
14.
O rendimento de uma máquina é 80 %. Se a potência total recebida é 6000 W, qual a
potência efetivamente utilizada?
15.
O rendimento de uma máquina é de 70 % e a potência dissipada vale 300 W. Determine:
a) a potência útil;
b) a potência total fornecida à máquina.
16.
Uma máquina precisa receber 3500 W de potência total para poder operar. Sabendo que
2100 W são perdidos por dissipação, qual o rendimento da máquina?
17.
Um motor tem rendimento de 60 %. Esse motor eleva um corpo com massa de 6 kg a 20
m
de altura, com velocidade constante em 4 s. Determine a potência total consumida pelo
motor. Adote g = 10 m/s 2 .
57. Cursinho DCE/UFRN
Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!
Física Prof. Edson José (E.J) 18. A água é retirada de um poço de 18
Física
Prof. Edson José (E.J)
18.
A água é retirada de um poço de 18 m de profundidade com o auxílio de um motor de 5
Lembretes:
HP. Determine o rendimento do motor se 420 000 litros de água são retirados em 7 h de
operação.
Dados: 1 HP = 3/4 kW; g = 10 m/s 2 ; densidade da água d = 1 g/cm3 = 1 kg/l.
19.
Um motor de 16 HP utiliza efetivamente em sua operação 12 HP. Qual seu rendimento?
14. Energia
Quando você escuta a palavra energia de que você se lembra?
Obs.:
Faça uma lista abaixo dos vários tipos de energia que existem:
Certamente você deve ter citado vários tipos de energia. A partir de agora
conheceremos mais duas modalidade de energia que passaremos a estudar.
15. Energia Cinética (E c ):
 Unidades no SI :
2
m v
.
E
=
m
quilograma (kg)
c
2
v
velocidade (m/s)
 E
Joule (J)
c
Obs.:
58. Cursinho DCE/UFRN
Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

16. Teorema Trabalho- energia cinética

Supondo uma força F constante, aplicada sobre um corpo de massa m com velocidade v A , no início do deslocamento d e velocidade v B no final desse mesmo deslocamento.

d e velocidade v B no final desse mesmo deslocamento. O Trabalho realizado pela força resultante

O Trabalho realizado pela força resultante que atua sobre o corpo é igual a variação da energia cinética sofrida por este corpo. Matematicamente:

T=

E

c

= E

c

A

E

c

B

D emonstração: 2 2 Partindo da equação de Torricelli: v = v + 2. a
D
emonstração:
2
2
Partindo da equação de Torricelli: v
=
v
+ 2.
a
.
S .
B
A
2
2
v
v
B
A
Isolando a aceleração, temos:
a =
.
2. d
Substituindo a equação acima na segunda Lei de Newton, temos:
2
2
v
B
A
F
=
m a
.
=
m   v
R
2.
d
Rearranjando os termos:
2
2
m v
.
m v
.
B
A
F
.
d =
, mas F R .d = T.
R
2
Então:
2
2
m
.
v
m
.
v
2
2
B
A
m v
.
m v
.
F
.
d
=
B
A
T =
=
E
R
C
2
2
2
2

17. Energia Potencial Elástica (E pe ):

B A m v . m v . F . d = B A ⇒ T
B A m v . m v . F . d = B A ⇒ T

59. Cursinho DCE/UFRN

Prof. Edson José (E.J)

Lembretes:

p e ) : 59. Cursinho DCE/UFRN Prof. Edson José ( E.J) Lembretes: Seja federal antes

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física Prof. Edson José (E.J)  Unidades no SI : Lembretes: 2 k x .
Física
Prof. Edson José (E.J)
 Unidades no SI :
Lembretes:
2
k x
.
 
Newton por metro (N/m)
E pe
2
x
velocidade (m)
E
Joule (J)
pe
Obs.:
18. Energia potencial gravitacional (E pg ):
 Unidades no SI :
 m
quilograma (kg)
E
= mgh
g
metro por segundo (m/s)
pg
h - metro (m)
Obs.:
E
xercícios de Fixação
20. Uma bala de 10 g atinge normalmente um obstáculo com velocidade igual a 600 m/s e
penetra a 20 cm no mesmo, na direção do movimento. Determine a intensidade da força
média de resistência oposta, pela parede, à penetração, suposta constante.
21. O bloco de peso P = 10 N parte do repouso e sobe a rampa, mediante a aplicação da
força F, cujo gráfico em função de x está indicado. O trabalho da força de atrito de A até B,
em módulo é 10 J. Calcule a velocidade do bloco ao atingir o ponto B. (g = 10 m/s 2 )
19. Principio da Conservação da energia mecânica
Num sistema conservativo (sistemas em que não existam forças dissipativas, como
atrito, resistência do ar, etc.) a energia mecânica será sempre a mesma em qualquer
instante.
Matematicamente:
= E MB
E MA
E CA + E PA = E CB + E PB
60. Cursinho DCE/UFRN
Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

=

k

E

pg

- Joule (J)

 

Física

Prof. Edson José (E.J)

E
E

xercícios de Fixação

 

Lembretes:

22.

Uma pedra é atirada verticalmente para cima com velocidade inicial de 30 m/s.

Desprezando a resistência do ar e adotando g = 10 m/s 2 , determine a altura máxima atingida pela pedra.

23.

(FUVEST-SP) Numa montanha russa, um carrinho com 300 kg de massa é abandonado do

repouso de um ponto A que está a 5 m de altura. Supondo que o atrito seja desprezível, pergunta-se:

(a)

o valor da velocidade do carrinho no ponto B (ele passa pelo chão logo após passar por

A).

(b)

a energia cinética do carrinho no ponto C que está a 4 m de altura.

(c)

Mostre que a energia mecânica se conserva nos 3 pontos.

24.

Uma bola de massa 0,5 kg é lançada verticalmente de baixo para cima, com velocidade

inicial v o = 20 m/s. A altura atingida pela bola foi de 15 m. Supondo-se a aceleração da gravidade local g = 10 m/s 2 , calcule a energia dissipada devido a resistência do ar.

A
A

umentando o nível:

 

9.

Um pêndulo simples, cuja esfera pendular tem

massa de 1 kg, é abandonado em repouso na posição A, indicada na figura. No local, a aceleração da

massa de 1 kg, é abandonado em repouso na posição A, indicada na figura. No local,

gravidade é g = 10 m/s 2 e a resistência do ar é nula. Determine, quando a esfera passa pela posição B:

(a)

qual sua energia cinética;

(b)

qual sua velocidade escalar.

E
E

xercícios de Fixação

25.

Determine a velocidade que um corpo adquire ao cair de uma altura h, conhecida, a

partir do repouso. Dado g = aceleração da gravidade local.

 

26.

Numa superfície plana e polida um carrinho tem velocidade v o e descreve a pista

indicada. Conhecendo-se R, raio da curva da pista, e g, a aceleração da gravidade local, determine o

menor valor da velocidade inicial para que o fenômeno seja possível.

 
 

27.

Um menino desce um escorregador de altura 3 m a partir do repouso e atinge o solo.

Supondo que 40 % da energia mecânica é dissipada nesse trajeto, determine a velocidade do

menino ao chegar ao solo. Considere g = 10 m/s 2 .

 

28.

(FUVEST-SP) Um bloco de 1,0 kg de massa é posto a deslizar sobre uma mesa horizontal

com energia cinética inicial de 2 J. Devido ao atrito entre o bloco e a mesa ele pára após

percorrer a distância de 1,0 m. Pergunta-se:

 

(a)

Qual o coeficiente de atrito, suposto constante, entre a mesa e o bloco?

(b)

Qual o trabalho efetuado pela força de atrito ? Dado g = 10 m/s 2 .

61. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

CAPÍTULO 7. Estudo do movimento pela dinâmica III

1. Introdução

Estudamos a existência de várias grandezas físicas que se inter-relacionam. Passaremos a estudar agora a relação entre a força aplicada a um corpo com o intervalo de tempo de sua atuação e seus efeitos.

2. Impulso (I)

Conceito Físico Impulso:

3.1. Força constante

( I ) Conceito Físico Impulso: 3.1. Força constante Lembretes: I = F . t 

Lembretes:

Conceito Físico Impulso: 3.1. Força constante Lembretes: I = F . t  Unididades no SI

I

=

F.

t

Unididades no SI :

 

F - Newton (N)

t - segundo (s)

  I - Newton vezes segundo (N.s)

O Impulso é uma grandeza que necessita de direção e sentido para sua total caracterização, portanto ela é uma grandeza vetorial. A unidade de Impulso no SI é o N.m (Newton vezes metros).

CARACTERÍSTICAS :

E
E

xercícios de Fixação

Módulo : I

=

F .

t

Direção :igual à direção da força.

  Sentido : igual ao sentido da força.

1. Um ponto material fica sujeito à ação de uma força F, constante, que produz uma aceleração de 2 m/s 2 neste corpo de massa 50 000 gramas. Esta força permanece sobre o corpo durante 20 s. Qual o módulo do impulso comunicado ao corpo?

62. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

 

Prof. Edson José (E.J)

 

3.2. Força variável:

 

Lembretes:

Imaginemos uma força constante aplicada sobre um corpo durante um intervalo de tempo Δt. O gráfico F x t seria:

 
   
 

É importante dizer que esta propriedade vale também para o caso da força variar.

E
E

xercícios de Fixação

 

2. O gráfico a seguir nos dá a intensidade da força que atua sobre um corpo, no decorrer do tempo. A partir desse gráfico, calcule o impulso comunicado ao corpo entre os instantes t 1 = 0 e t 2 = 14 s.

 
 

3.

Quantidade de movimento (Q)

 

Obs.:

 
Obs.:  

A

grandeza quantidade de movimento envolve a massa e a

velocidade.

 
 

Unidades no SI :

 
 

Q

=

m . v    

m.v

m

quilograma (kg)

 

Q - quilograma vezes metro por segundo (kg . m/s)

v - metro por segundo ao quadrado (m/s)

 
 

Obs.:

 

A

Quantidade de Movimento é uma grandeza vetorial, portanto precisamos além do

módulo sua direção e sentido.

 

63. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

CARACTERÍSTICAS :

Módulo : Q

= m . v

Direção : igual à direção da velocidade.

  Sentido :igual ao sentido da velocidade.

umentando o nível: :

10. Mostre que as grandezas Quantidade de Movimento e Impulso são dimensionalmente iguais.

xercícios de Fixaçãode Movimento e Impulso são dimensionalmente iguais. 3. Uma partícula de massa 0,5 kg realiza um

3. Uma partícula de massa 0,5 kg realiza um movimento obedecendo à função horária: s = 5 + 2t + 3t 2 (SI). Determine o módulo da quantidade de movimento da partícula no instante t = 2 s.

4. Teorema Impulso e Quantidade de Movimento

Imagine uma criança num balanço com uma certa velocidade. Imagine também que num certo instante o pai desta criança aplica-lhe uma força durante um intervalo de tempo, ou seja, lhe dá um impulso. O resultado do impulso dado pelo pai é um aumento na quantidade de movimento que o menino possuía.

um aumento na quantidade de movimento que o menino possuía. O teorema do impulso diz que

O teorema do impulso diz que se pegarmos o “movimento” que o menino passou a ter no final e compararmos com o “movimento” que ele tinha veremos que ele ganhou um certo “movimento” que é exatamente o impulso dado pelo pai. Matematicamente:

O impulso resultante comunicado a um corpo, num dado intervalo de tempo, é igual à variação na quantidade de movimento desse corpo, no mesmo intervalo de tempo.

Obs:

 

D

emonstração:

Vamos demonstrá-lo para o caso de uma partícula que realiza um movimento retilíneo

uniformemente variado (MRUV).

 
 

Partindo da Segunda Lei de Newton: F R =

m a

.

, mas a aceleração é igual a taxa de

variação da velocidade no tempo.

 
 

Então:

64. Cursinho DCE/UFRN

Prof. Edson José (E.J)

Lembretes:

  Então: 64. Cursinho DCE/UFRN Prof. Edson José ( E.J) Lembretes: Seja federal antes mesmo de

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

I=

Q = Q

Final

I = Q = Q Final Q Inicial

Q

Inicial

Física

v

t

Utilizando a propriedade distributiva:

Então:

F

t

=

m.v

 

mv

 

.

R

2

1

I = Q Q 2 1
I = Q
Q
2
1

xercícios de Fixação  mv   . R 2 1 I = Q Q 2 1 4. Uma força

4. Uma força constante atua durante 5 s sobre uma partícula de massa 2 kg, na direção e no

sentido de seu movimento, fazendo com que sua velocidade escalar varie de 5 m/s para 9

m/s.

Determine:

(a)

o módulo da variação da quantidade de movimento;

(b)

a intensidade do impulso da força atuante;

(c)

a intensidade da força.

5.

Um corpo é lançado verticalmente para cima com velocidade inicial 20 m/s. Sendo 5 kg a

massa do corpo, determine a intensidade do impulso da força peso entre o instante inicial e o instante em que o corpo atinge o ponto mais alto da trajetória.

em que o corpo atinge o ponto mais alto da trajetória. Questões 1. (UFRN-07) O teste

Questões

1. (UFRN-07) O teste de salto vertical fornece uma indicação da força muscular de um atleta. Nesse tipo de teste, o atleta salta sobre uma “plataforma de força”, que registra, em função do tempo, a força exercida durante o salto. Em um teste de força muscular, realizado por um atleta, foi registrado o gráfico abaixo.

Informações necessárias para os cálculos: • Impulso de uma força: I F = F.Δt •
Informações necessárias para os cálculos:
Impulso de uma força: I F = F.Δt
Variação da quantidade de movimento: Δp =
I
F
• Quantidade de movimento ou momento
linear: p = mv
O módulo do impulso de uma força variável
no tempo é numericamente igual à área sob a
curva do gráfico da força em função do tempo.

A) Calcule o impulso exercido pela “plataforma de força” sobre o atleta entre os tempos de 200x10 -3 s e 400x10 -3 s. B) Supondo que o atleta possua uma massa de 60 kg, determine a velocidade imediatamente após sua saída da “plataforma”.

A) I = 144 N.s

B) v = 3,0 m/s

2. (UFRN) Na praia de Rio do Fogo, no Rio Grande do Norte, está sendo implantada uma central de energia eólica, como mostra a figura abaixo. Essa central terá 62 aerogeradores de 800 kW cada, totalizando uma capacidade instalada de 49,6 MW.

65. Cursinho DCE/UFRN

Prof. Edson José (E.J)

Lembretes:

de 49,6 MW. 65. Cursinho DCE/UFRN Prof. Edson José ( E.J) Lembretes: Seja federal antes mesmo

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

F

R

=

m

.

F R = m . ⇒ F R . t = m . v

F

R

.

t

=

m

.

v

Física

 

Prof. Edson José (E.J)

Energia eólica é a energia contida nas massas de ar em movimento (vento). Considerada uma fonte renovável e inesgotável de energia, empregam-se turbinas eólicas ou aerogeradores para que energia do vento seja transferida para a hélice, e esta, ao girar o eixo de um dínamo, produza energia elétrica.

que energia do vento seja transferida para a hélice, e esta, ao girar o eixo de

Lembretes:

Nesse caso, é correto afirmar que

 

A)

o vento transfere quantidade de movimento linear para a hélice e, nesse processo, o

momento de inércia do vento é transformado em energia cinética de rotação da hélice.

B)

o vento transfere quantidade de movimento linear para a hélice e, nesse processo,

energia cinética de translação do vento é transformada em energia cinética de rotação da hélice.

C) o vento transfere momento de inércia para a hélice e, nesse processo, energia cinética de translação do vento é transformada em energia cinética de rotação da hélice.

D)

o vento transfere momento de inércia para a hélice e, nesse processo, o momento de

inércia do vento é transformado em energia cinética de rotação da hélice.

LETRA B

 

3.

(ITA) Um automóvel pára quase que instantaneamente ao bater frontalmente numa

árvore. A proteção oferecida pelo "air-bag", comparativamente ao carro que dele não

dispõe, advém do fato de que a transferência para o carro de parte do momentum do

motorista se dá em condição de

 

a)

menor força em maior período de tempo.

b)

menor velocidade, com mesma aceleração.

c)

menor energia, numa distância menor.

d)

menor velocidade e maior desaceleração.

e)

mesmo tempo, com força menor.

4.

(UFRN) O pêndulo balístico foi um dispositivo bastante usado pelos peritos em armas de

fogo para medir a velocidade de um projétil, antes da invenção de aparelhos eletrônicos para esse fim. Um pêndulo desse tipo pode ser feito com um bloco de madeira suspenso por cordas, como ilustrado ao lado. Nessa ilustração, uma bala de massa m, vindo horizontalmente com velocidade v, fica cravada no pêndulo de massa M e o conjunto “bala-bloco” se eleva até uma altura h. Para fins de análise, considere g o valor da aceleração da gravidade local e suponha que a colisão, perfeitamente inelástica, seja instantânea. Face ao acima exposto, pode-se afirmar que a velocidade da bala, ao atingir o pêndulo, é:

seja instantânea. Face ao acima exposto, pode-se afirmar que a velocidade da bala, ao atingir o
seja instantânea. Face ao acima exposto, pode-se afirmar que a velocidade da bala, ao atingir o

LETRA B

 

66. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

5.

(UFRN-11) Num jogo de futebol, os jogadores exercem forças de contato sobre a bola, as

Lembretes:

quais são detectadas pelos seus efeitos, como deformação da bola e modificações do seu estado de repouso ou de movimento. Quando o jogador chuta a bola, aplica-lhe uma força de intensidade variável e há uma interação entre o pé e a bola durante um curto intervalo de tempo. Com os recursos tecnológicos de que se dispõe atualmente, é possível determinar tanto a força média exercida pelo pé quanto o tempo de contato entre o pé e a bola. Considerando que a força média multiplicada pelo tempo de contato é o impulso exercido sobre a bola, pode-se afirmar que este produto é igual à variação da

A) quantidade de movimento angular da bola devido ao chute.

 

B) energia cinética da bola devido ao chute.

C) energia potencial da bola devido ao chute.

D) quantidade de movimento linear da bola devido ao chute.

 

5.

Principio da Conservação da Quantidade de Movimento

Num Sistema Isolado, a quantidade de movimento no início é igual a quantidade de movimento no fim, ou seja, ela permanece constante.

E
E

xercícios de Fixação

Q = Q 1 2
Q
= Q
1
2

6. Um canhão de artilharia horizontal de 1 t dispara uma bala de 2 kg que sai da peça com velocidade de 300 m/s. Admita a velocidade da bala constante no interior do canhão. Determine a velocidade de recuo da peça do canhão.

7.

Um foguete de massa M move-se no espaço sideral com velocidade de módulo v. Uma

repentina explosão fragmenta esse foguete em três partes iguais que continuam a se

movimentar na mesma direção e no mesmo sentido do foguete original. Uma das partes está se movimentando com velocidade de módulo v/5, outra parte com velocidade v/2. Qual

módulo da velocidade da 3a parte.

o

8.

Ao da o saque “viagem ao fundo do mar” num jogo de voleibol, um jogador aplica uma

força de intensidade 6 . 10 2 N sobre a bola, durante um intervalo de 1,5 . 10 -1 s. Calcule a intensidade do impulso da força aplicada pelo jogador.

9.

Um projétil de massa 20 g incide horizontalmente sobre a tábua com velocidade 500 m/s

e

a abandona com velocidade horizontal e de mesmo sentido de valor 300 m/s. Qual a

intensidade do impulso comunicado ao projétil pela tábua ?

 

10.

Um vagão de trem, com massa m1 = 40 000 kg, desloca-se com velocidade v1 = 0,5 m/s

num trecho retilíneo e horizontal de ferrovia. Esse vagão choca-se com outro, de massa m2 =

30 000 kg, que se movia em sentido contrário, com velocidade v 2 = 0,4 m/s, e os dois passaram a se mover engatados. Qual a velocidade do conjunto após o choque ?

11.

Um tenista recebe uma bola com velocidade de 50 m/s e a rebate, na mesma direção e

em sentido contrário, com velocidade de 30 m/s. A massa da bola é de 0,15 kg. Supondo que

o

choque tenha durado 0,1 s, calcule a intensidade da força aplicada pela raquete à bola.

12.

Quando um atirador dá um tiro, ele é lançado para trás, devido ao coice da espingarda.

Sabendo que a bala da espingarda sai com uma velocidade aproximada de 200 m/s, que sua

67. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

 

Prof. Edson José (E.J)

massa é de 10 g e que a massa da espingarda é de 2 kg, determine a velocidade com que a espingarda é lançada para trás.

Lembretes:

13. Que velocidade deve ter um Fusca, de massa igual a 1.500 kg, para ter a mesma quantidade de movimento de um caminhão de carga, que tem uma velocidade de 60 km/h e uma massa de 7.500 kg?

Questões

Questões

 

6.

(ITA-SP) Na figura temos uma massa M = 132 g, inicialmente em repouso, presa a uma

mola de constante elástica k = 1,6 . 104 N/m, podendo se deslocar sem atrito sobre a mesa

em que se encontra.

Atira-se uma

bala

de massa

m

= 12 g que encontra o bloco

horizontalmente, com uma velocidade v o = 200 m/s incrustando-se nele. Qual é a máxima deformação que a mola experimenta ?

(a)

25 cm;

(a) 25 cm;

(b)

50 cm;

(c)

5,0 cm;

(d)

1,6 m;

(e)

n.r.a.

7.

(UEPI) Um filme mostra o Super-Homem, parado no ar, lançando ao espaço um asteróide,

com velocidade igual à de uma bala de fuzil (aproximadamente 800 m/s). O asteróide tem

uma massa aproximadamente igual a mil vezes a massa do Super-Homem. Após esse lançamento, o Super-Homem permanece em repouso. Caso ele obedecesse às leis da Física, ao invés de ficar parado, deveria ter adquirido, após o lançamento, uma velocidade cujo módulo seria:

a)

igual ao da velocidade do asteróide.

 

b)

cem vezes maior que o da velocidade do asteróide.

 

c)

mil vezes maior que o da velocidade do asteróide.

d)

cem mil vezes maior que o da velocidade do asteróide.

e)

mil vezes menor que o da velocidade do asteróide.

8.

Um casal de patinadores desloca-se para a direita, com velocidade de 1 m/s sobre a

superfície de gelo, como mostrado na figura. Ele, que está atrás, tem massa 80 kg e ela, 60

kg.

 
   
 

Num dado instante, ele a empurra, fazendo com que ela saia para a direita com velocidade de 3 m/s. Qual o módulo e o sentido da velocidade que ele adquire?

9.

Na copa de 94, no jogo Brasil Holanda, Branco fez um golaço de falta classificando o

Brasil para as finais. O tira-teima da Rede Globo detectou que a bola atingiu a velocidade de 108 km/h durante um tempo 0,1 s de contato com o pé do jogador. Sendo 420 g a massa da bola:

a) Qual a intensidade da quantidade de movimento adquirida pela bola?

b) Qual a intensidade do impulso aplicada a bola?

 

c) Qual a intensidade da força média aplicada na bola durante o chute?

68. Cursinho DCE/UFRN

 

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

6. Colisões Mecânicas

Coques mecânicos ou colisões mecânicas são resultados de interação entre corpos. Podemos dividir essas interações em duas partes:

Deformação:

Restituição:

Lembretes:

6.1. Tipos de colisões

a) Colisão elástica: Neste tipo de colisão a energia cinética antes da colisão é igual à

energia cinética após a colisão, portanto não existe dissipação de energia.

Obs.:

Esquematicamente temos:

dissipação de energia. Obs.: Esquematicamente temos: b) Colisão parcialmente elástica: Obs.: Esquematicamente

b) Colisão parcialmente elástica:

Obs.:

Esquematicamente temos:

parcialmente elástica: Obs.: Esquematicamente temos: Para onde foi à energia dissipada? c) Colisão inelástica:

Para onde foi à energia dissipada?

c) Colisão inelástica:

Obs.:

Esquematicamente temos:

c) Colisão inelástica: Obs.: Esquematicamente temos: 69. Cursinho DCE/UFRN Seja federal antes mesmo de passar no

69. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física Prof. Edson José (E.J) Lembretes: Obs.: 6.2. Coeficiente de restituição Para se fazer a
Física
Prof. Edson José (E.J)
Lembretes:
Obs.:
6.2. Coeficiente de restituição
Para se fazer a medição e caracterização matemática de uma colisão utilizaremos o
coeficiente de restituição. O coeficiente mostra a taxa de energia cinética que é restituída
após a colisão, logo na colisão elástica esta taxa é máxima e na colisão inelástica ela será
mínima.
 Unidades no SI :
v
af
e =
v
metro por segundo (m/s)
af
v
ap
v
metro por segundo (m/s)
ap
 e
não possui dimensão
d
d
v
v
B
A
d
Podemos reescrever a expressão anterior da seguinte forma:
e =
, onde
v
=
a
a
B
v
v
B
A
a
velocidade de B depois da colisão,
v
= velocidade de B antes da colisão,
v
A d velocidade de A
B
depois da colisão e
v
A a velocidade de A antes da colisão.
E
xercícios de Fixação
14. (UFRN) Para demonstrar a aplicação das leis de conservação da energia e da quantidade
de movimento, um professor realizou o experimento ilustrado nas Figuras 1 e 2, abaixo.
Inicialmente, ele fez colidir um carrinho de massa igual a 1,0 kg, com velocidade de 2,0 m/s,
com um outro de igual massa, porém em repouso, conforme ilustrado na Figura 1. No
segundo carrinho, existia uma cera adesiva de massa desprezível. Após a colisão, os dois
carrinhos se mantiveram unidos, deslocando-se com velocidade igual a 1,0 m/s, conforme
ilustrado na Figura 2.
Considerando-se que a quantidade de movimento e a energia cinética iniciais do sistema
eram, respectivamente, 2,0 kg.m/s e 2,0 J, pode-se afirmar que, após a colisão,
A) nem a quantidade de movimento do sistema nem sua energia cinética foram
conservadas.
B) tanto a quantidade de movimento do sistema quanto sua energia cinética foram
conservadas.
C) a quantidade de movimento do sistema foi conservada, porém a sua energia cinética não
foi conservada.
70. Cursinho DCE/UFRN
Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!
 

Física

Prof. Edson José (E.J)

D) a quantidade de movimento do sistema não foi conservada, porém a sua energia cinética foi conservada. LETRA C

Lembretes:

15.

(UFRN) Durante a preparação para uma competição de patinação no gelo, um casal de

patinadores pretendia realizar uma acrobacia que exigia uma colisão entre eles. Para tanto,

eles resolveram executar a seguinte seqüência de movimentos: Inicialmente, o patinador ficaria em repouso, enquanto sua companheira se deslocaria em linha reta, em sua direção, com velocidade constante igual 10m/s e, em um dado instante, ela colidiria com ele, que a tomaria nos braços e os dois passariam a se deslocar juntos com determinada velocidade, como previsto pala Lei de Conservação da Quantidade de Movimento. A Figu ra acima ilustra as situações descritas no texto.

 
 

Considere que a massa do patinador é igual a 60 kg e a da patinadora é igual a 40kg e que, para executar a acrobacia planejada, após a colisão eles deveriam atingir uma velocidade de 5,0m/s. Considere ainda que o atrito entre os patins e a pista de patinação é desprezível.

entre os patins e a pista de patinação é desprezível. Diante do exposto: A) Identifique qual

Diante do exposto:

A) Identifique qual o tipo de colisão que ocorre entre o casal de patinadores e justifique sua resposta. B) A partir do cálculo da velocidade do casal após a colisão, explique se é ou não possível a realização da acrobacia planejada por eles.

16.

Uma partícula de massa m desloca-se num plano horizontal, sem atrito, com velocidade

v A = 12 m/s. Sabe-se ainda que ela colide com uma Segunda partícula B de massa m, inicialmente em repouso. Sendo o choque unidimensional e elástico, determine suas

velocidades após o choque (faça o desenvolvimento matemático).

17.

Um corpo A de massa m A = 2 kg, desloca-se com velocidade v A = 30 m/s e colide

frontalmente com uma Segunda partícula B, de massa m B = 1 kg, que se desloca com velocidade v B = 10 m/s, em sentido oposto ao de A. Se o coeficiente de restituição desse choque vale 0,5, quais são as velocidades das partículas após a colisão ?

18.

Seja um choque perfeitamente elástico de dois corpos A e B. A velocidade de cada corpo

está indicada na figura e suas massas são m A = 2 kg e m B = 10 kg. Determine as velocidades

de A e B após o choque.

19.

(FUVEST-SP) Dois carrinhos iguais, com 1 kg de massa cada um, estão unidos por um

barbante e caminham com velocidade de 3 m/s. Entre os carrinhos há uma mola comprimida, cuja massa pode ser desprezada. Num determinado instante o barbante se rompe, a mola se desprende e um dos carrinhos pára imediatamente. (a) Qual a quantidade de movimento inicial do conjunto? (b) Qual a velocidade do carrinho que continua em movimento?

20.

(FUVEST-SP) Dois corpos se movem com movimento retilíneo uniforme num plano

horizontal onde as forças de atrito são desprezíveis. Suponha que os dois corpos, cada com

71. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!

Física

Prof. Edson José (E.J)

energia cinética de 5 J, colidam frontalmente, fiquem grudados e parem imediatamente, devido à colisão. (a) Qual foi a quantidade de energia mecânica que não se conservou na colisão ? (b) Qual era a quantidade de movimento linear do sistema, formado pelos dois corpos, antes da colisão?

edjosecosta@ig.com.br

Lembretes:

72. Cursinho DCE/UFRN

Seja federal antes mesmo de passar no vestibular!