P. 1
Consul to Rio Normas Da Anvisa

Consul to Rio Normas Da Anvisa

|Views: 253|Likes:
Publicado porricardosoaresca

More info:

Published by: ricardosoaresca on Nov 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/13/2012

pdf

text

original

CONSULTÓRIO LEGAL!

Orientação para cumprimento das normas vigentes relacionadas ao funcionamento de consultório médico Dicas para o Urologista

1. Vigilância Sanitária Federal & Vigilância Sanitária Estadual/Municipal A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é o Órgão Federal responsável principalmente pela regulamentação das normas federais de vigilância e fiscalização federal. Está diretamente ligada ao Ministério da Saúde. A Vigilância Sanitária Estadual/Municipal está ligada às Secretarias Municipais de Saúde e portanto às Prefeituras e compreende a estrutura de fiscalização direta das atividades de interesse à saúde no seu Município. Ela é o órgão responsável pela emissão da Licença para Funcionamento, que é o principal documento de uma empresa ou profissional junto àquele órgão.

2. Documentação Para fazer funcionar um consultório médico no território brasileiro a documentação necessária pode variar de estado para estado, porém alguns documentos são indispensáveis e estão previstos em legislação federal:

Alvará de Funcionamento: É um documento referente ao imóvel e registra informações sobre a empresa ou pessoa física (Autônomo) como: Razão Social, localização, ramo de atividade e horário de funcionamento. O Alvará é um documento emitido pela Administração Regional ou Prefeitura e NÃO habilita per se o funcionamento de estabelecimentos de atenção à saúde junto à fiscalização de saúde. Para tal, você deverá obter a Licença para Funcionamento junto à Vigilância Sanitária. O funcionamento sem este documento constitui infração sanitária. (Lei Federal 6437/77 alterada pela Lei 9695/98).

A Licença para funcionamento é um documento expedido pela autoridade sanitária responsável (Vigilância Sanitária Estadual) e é o documento que habilita o estabelecimento a funcionar no território brasileiro pois para sua obtenção é necessário que o profissional comprove entre outros, a formação e habilitação junto aos conselhos de classe (CRM) e especialização na área de atuação pretendida. Embora o profissional médico esteja habilitado junto ao CRM para o exercício da medicina nas mais diversas áreas de especialização, a Vigilância Sanitária vem exigindo comprovação de especialização em certas áreas como (Anestesiologia, Radioterapia, Medicina Intensiva) baseando-se em portarias Estaduais ou Municipais, por entender que

Nesta resolução estão previstas as exigências físicas para consultórios. sobre o processo de renovação da licença. Dica: Antes de solicitar o Alvará de Funcionamento e a Licença de Funcionamento entre em contato com a autoridade sanitária local para saber das exigências em relação aos responsáveis técnicos nas diferentes especialidades pretendidas. no início de todo ano. você como médico não está sendo proibido de exercer a medicina em suas diferentes especialidades. antes de construir ou reformar. de acordo com a legislação local. 4. Evite multas. 3. de 03 de outubro de 2000. Trata-se de um documento extenso e que deve ser consultado na fase de planejamento. A Estrutura física Resolução RDC nº 50 de 2002/ANVISA (Alterada pela Resolução RDC 189/2003) dispõe sobre o Regulamento Técnico para planejamento. centros de diagnóstico e tratamento e hospitais em todos os níveis de complexidade. Entenda bem. Com a incorporação das sugestões recebidas dos gestores estaduais e municipais do SUS e da sociedade em geral. O Alvará de funcionamento. você poderá ou não assumir a responsabilidade técnica dentro da empresa caso não comprove treinamento específico. elaboração e avaliação de projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde. e para obtenção da Licença para Funcionamento é exigido o número do cadastro junto ao CNES. por sua vez. Informe-se junto à Vigilância Estadual como realizar o cadastro do seu estabelecimento. a Licença para Funcionamento será expedida constando apenas as atividades as quais você puder comprovar treinamento. CNES O Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde foi instituído pela Portaria MS/SAS 376. Dica: Informe-se com seu contador se ele está familiarizado com a burocracia necessária para a obtenção de toda documentação e lembre-se de perguntar a ele. Nos casos em que a autoridade local exigir especialização específica.estas áreas exigem treinamento específico devido ao grau alto de complexidade e risco de danos à saúde envolvidos. porém. todo estabelecimento de interesse à saúde deve possuir registro no CNES. Atualmente. Em caso de . clínicas. programação. editou-se em 29/12/2000 a PT/SAS 511/2000 que passa a normatizar o processo de cadastramento em todo Território Nacional. Importante: A Licença de Funcionamento deverá ser renovada anualmente junto à autoridade sanitária. necessitando ou não de renovação. publicada no Diário Oficial da União de 04 de outubro de 2000. poderá ser emitido a título provisório ou permanente a critério da Prefeitura.

oriente-o quanto às mudanças necessárias. sala de procedimentos. especificamente deverá ter ainda: I . O consultório deve permitir livre mobilidade. urgência e outras. área de escovação.br e tentaremos ajudá-lo. . de preferência. clientes. visando a adaptação ao edifício (RDC50/2002). Uma variação de até 5% nas dimensões mínimas poderá ser aceita a critério da autoridade sanitária. Ou escreva um e-mail pra gente: consultóriolegal@sbu. Prevê ainda a necessidade e responsabilidade do profissional em relação aos meios de proteção capazes de evitar efeitos nocivos aos agentes.Ventilação e iluminação adequadas II . impermeável. equipamentos. Dicas Úteis A RDC50/2002 prevê área mínima para todos os tipos de ambientes desde área de recepção. O consultório de urologia.aprova o regulamento técnico com instruções sobre proteção radiológica.dúvidas você pode solicitar à autoridade sanitária local que submeta seu projeto a avaliação e. consultórios. salas cirúrgicas. Em geral um consultório deve ter pelo menos 9m2. e aparelhagem.Banheiro anexo (RDC 50/2002) IV .GOV.Ponto de água (pia) para lavagem das mãos ( preferencialmente com torneira de acionamento não manual) dentro do consultório.org.ANVISA. não absorvente e. III . A área mínima para consultórios e salas de exames irá depender dos procedimentos. Resolução 50/2002 ANVISA (sobre a estrutura física dos estabelecimentos de saúde) Decreto 77052/76 (Sobre a adequação do meio ambiente em estabelecimentos de saúde. porém. equipamento e aparelhagem que serão utilizados.BR) e acesse o portal VISALEGIS ou entre em contato com os Núcleos de Inspeção da Vigilância Sanitária de sua cidade ou município. em caso de não aprovação. LEGISLAÇÃO DE INTERESSE FEDERAL Lei Federal 6437/77 alterada pela Lei 9695/98 (prevê as infrações sanitárias e penalidades cabíveis). Para dúvidas em legislação sanitária visite o site da ANVISA (WWW. 5. poderá ser exigida área maior de acordo com os equipamentos utilizados no consultório. pacientes e circunstantes) Portaria Federal 453/98 SVS MS . 6. resistente.Pisos e paredes revestidos de material liso. em cores claras. instalações.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->