P. 1
Um Toque de Clássicos - Durkheim Marx Weber - Sociologia Clássica

Um Toque de Clássicos - Durkheim Marx Weber - Sociologia Clássica

4.67

|Views: 111.475|Likes:
Publicado porapi-3828637

More info:

Published by: api-3828637 on Oct 19, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/28/2015

pdf

text

original

Tania Quintaneiro
Maria Ligia de Oliveira
Barbosa Márcia Gardênia Monteiro de Oliveira

Um Toque de Clássicos

MARX, DURKHEIM e WEBER

2ª EDIÇÃO REVISTA E AMPLIADA
1ª REIMPRESSÃO

Belo Horizonte
Editora UFMG
2003

APRESENTAÇÃO

A primeira edição deste livro, fruto de uma década e meia de trabalho na

Universidade Federal de Minas Gerais no campo da teoria sociológica clássica, cumpriu cinco

anos. Nesta edição revista e ampliada mantemos o mesmo objetivo: tentar superar aqueles que

pensamos ser os principais problemas enfrentados pelos que se iniciam na obra dos três

grandes clássicos da sociologia - Marx, Durkheim e Weber. Entre tais obstáculos encontram-

se as dificuldades de acesso e compreensão dos textos originais e o alto grau de abstração das

interpretações avançadas.

Em face da extensão e da densidade da produção que analisamos, o trabalho que

se segue serve fundamentalmente como roteiro para a desco¬berta desses autores. Não é

nossa intenção substituir a leitura dos originais, cuja riqueza somente pode ser conhecida por

aqueles que se lançam a essa aventura. Acreditamos também que nosso trabalho facilita ao

principiante orientar-se num debate imprescindível à compreensão da temática sociológica

contemporânea.

Temos muito a agradecer, na chegada a esse resultado, aos nossos alunos, que

apontaram os pontos obscuros à compreensão, e principalmente à leitura atenta de Afonso

Henrique Borges e de Antonio Fernando Mitre que procuraram desviar-nos de caminhos

equivocados.

O capítulo “Karl Marx” foi produzido por Márcia Gardênia Monteiro de Oliveira

e Tania Quintaneiro, o “Émile Durkheim” foi escrito por Tania Quintaneiro, e o “Max

Weber” é de autoria de Maria Ligia de Oliveira Barbosa e Tania Quintaneiro. O resultado

final, em seu conjunto, é expressão do que logramos desvendar ao final de longas discussões

assim como de nossos equívocos e deficiências.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

KARL MARX

Márcia Gardênia Monteiro de Oliveira
Tania Quintaneiro

Introdução
Dialética e materialismo
Necessidades: produção e reprodução
Forças produtivas e relações sociais de produção
Estrutura e superestrutura
Classes sociais e estrutura social
Lutas de classes
A economia capitalista
O papel revolucionário da burguesia
A transitoriedade do modo de produção capitalista
Trabalho, alienação e sociedade capitalista
Revolução
Comunismo
Conclusões
Bibliografia

ÉMILE DURKHEIM

Tania Quintaneiro

Introdução
A especificidade do objeto sociológico
O método de estudo da sociologia segundo Durkheim
A dualidade dos fatos morais
Coesão, solidariedade e os dois tipos de consciência
Os dois tipos de solidariedade
Os indicadores dos tipos de solidariedade
Moralidade e anomia
Moral e vida social
Religião e moral
A teoria sociológica do conhecimento
Conclusões
Bibliografia

MAX WEBER

Maria Ligia de Oliveira Barbosa
Tania Quintaneiro

Introdução
A objetividade do conhecimento
Os tipos ideais
Os conceitos fundamentais da sociologia weberiana
Os tipos puros de ação e de ação social

Relação social
Divisão do poder na comunidade: classes, estamentos e partidos
A dominação
Carisma e desencantamento do mundo
A sociologia da religião
Tendência à racionalização e burocracia
Racionalização e capitalismo
Conclusões
Bibliografia

CONSIDERAÇÕES FINAIS
CRONOLOGIA DOS PRINCIPAIS FATOS RELACIONADOS A MARX, DURKHEIM E
WEBER

INTRODUÇÃO

A reflexão sobre as origens e a natureza da vida social é quase tão antiga quanto a

própria humanidade, mas a Sociologia, como um campo delimitado do saber científico, só

emerge em meados do século 19 na Europa. Para melhor entender esse processo, é mister

referir-se ao quadro das mudanças econômicas, políticas e sociais ocorridas principalmente a

partir do século 16 e às correntes de pensamento que estabeleceram os alicerces da

modernidade européia - o racionalismo, o empirismo e o iluminismo.1

A marca da Europa

moderna foi, sem dúvida, a instabilidade, expressa na forma de crises nos diversos âmbitos da

vida material, cultural e moral. Foi no cerne dessas dramáticas turbulências que nasceu a

Sociologia enquanto um modo de interpretação chamado a explicar o “caos” até certo ponto

assustador em que a sociedade parecia haver-se tornado. Passemos a considerar, brevemente,

algumas das dimensões sociais e intelectuais envolvidas nessa trajetória.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->