P. 1
ABC das Alagoas A-F

ABC das Alagoas A-F

|Views: 925|Likes:
Publicado porDuda Soares

More info:

Published by: Duda Soares on Nov 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/27/2013

pdf

text

original

“Alagoas ad austrum” Ilustração do livro O Brasil Holandês sob o Conde João Maurício de Nassau, de Gaspar Barléu.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

ABC DAS ALAGOAS
DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO, HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE ALAGOAS

Mesa Diretora
Biênio 2005/2006 Senador Renan Calheiros Presidente Senador Tião Viana 1º Vice-Presidente Senador Efraim Morais 1º Secretário Senador Paulo Octávio 3º Secretário Senador Antero Paes de Barros 2º Vice-Presidente Senador João Alberto Souza 2º Secretário Senador Eduardo Siqueira Campos 4º Secretário

Suplentes de Secretário Senadora Serys Slhessarenko Senador Álvaro Dias Senador Papaleo Paes Senador Aelton Freitas

Conselho Editorial
Senador José Sarney Presidente Joaquim Campelo Marques Vice-Presidente

Conselheiros Carlos Henrique Cardim Carlyle Coutinho Madruga

Raimundo Pontes Cunha Neto

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Edições do Senado Federal – Vol. 62-A

ABC DAS ALAGOAS
DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO, HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE ALAGOAS
Tomo I A–F Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Brasília – 2005

EDIÇÕES DO SENADO FEDERAL Vol. 62-A O Conselho Editorial do Senado Federal, criado pela Mesa Diretora em 31 de janeiro de 1997, buscará editar, sempre, obras de valor histórico e cultural e de importância relevante para a compreensão da história política, econômica e social do Brasil e reflexão sobre os destinos do país.

Projeto gráfico: Achilles Milan Neto © Senado Federal, 2005 Congresso Nacional Praça dos Três Poderes s/nº – CEP 70165-900 – DF CEDIT@senado.gov.br Http://www.senado.gov.br/web/conselho/conselho.htm

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Barros, Francisco Reinaldo Amorim de. ABC das Alagoas : dicionário biobibliográfico, histórico e geográfico das Alagoas / Francisco Reinaldo Amorim de Barros. -- Brasília : Senado Federal, Conselho Editorial, 2005. 2v. -- (Edições do Senado Federal ; v. 62-A) 1. Alagoas, história, dicionário. 2. Alagoas, geografia, dicionário. 3. Alagoas, biobibliográfia, dicionário. I. Título. II. Série. CDD 981.35

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Sumário

Nota de abertura Senador Renan Calheiros pág. IX ABC das Alagoas Senador José Sarney pág. XI Prólogo Bráulio Leite Júnior pág. XV Apresentação Francisco Reinaldo Amorim de Barros pág. XXV Letras A a F págs. 1 a 570

em . . . mas que. . A verdade é que estava-se no dia 4 de outubro. o navegador florentino Américo Vespúcio avistou a foz do rio que batizou de São Francisco. Somente assim podemos respeitar a cultura de uma gente e devotar-lhe a atenção. . ABC das Alagoas. . . . . data consagrada ao santo. . . e daí a homenagem. Acredito na importância de se conhecer os dois lados de uma história. do professor Francisco Reinaldo José de Barros. ao se aproximar da terra. . percebeu que o frade inexistia. cumpre este papel de abalizar a história real e tornar conhecidas as lendas alagoanas.. . . . Mesmo assim resolveu dar ao rio o nome do Santo de Assis em respeito à visão. a lenda nascida do povo e a verdade impressa nos compêndios. É uma obra fundamental e pioneira. . . . . . . Nota de abertura SENADOR RENAN CALHEIROS Presidente do Senado Federal 1501. . . Outros estados brasileiros já ganharam livros de cunho enciclopédi- A HISTÓRIA oficial das Alagoas começa quando. . Uma lenda conta que ele teria avistado um frade franciscano à beira-mar.

Se forma como obra de referência. se constrói como parte de um bem maior: a cultura do Brasil. traziam tatuado no caráter coragem para luta e ousadia para vencer os desafios. como presidente desta Casa. No entanto.X Francisco Reinaldo Amorim de Barros co. E não poderia deixar de expressar meu contentamento. Gabino Besouro. mas no fundo é obra de reverência à memória à cultura que construímos ao longo de cinco séculos. Costa Rego. Herdamos de caetés e abaticoaras a determinação de proteger nossas raizes. Pontes de Miranda. Graciliano Ramos. Aurélio Buarque. Este espírito moldou a ação de muitos de nossos conterrâneos. mas também com a leveza necessária à boa leitura. o Francisco Reinaldo ainda se investe de requisitos literários e trabalha seu texto com a segurança do acadêmico. em 16 de setembro de 1817. como instituição brasileira com sua essência. em fazer parte de um projeto de tamanha gandeza e ousadia. como capitania independente. E como isso por si só já não se fizesse suficiente. como Teotônio Vilela e Tavares Bastos. enfim. logo eram reconhecidos como gente das Alagoas. O Senado Federal. . quando recebemos a carta régia proclamando nossa independência da capitania de Pernambuco. mas nenhum com a riqueza de detalhamento do presente ABC. Nada passou aos olhos atentos do autor. que certamente servirá de provocação para que outros intectuais se aventurem na saga de desvendar cada unidade federativa do Brasil. Nise da Silveira. sente-se orgulhoso em somar forças com este projeto de defesa da cultura das Alagoas que. Alagoas nasceu. Elysio de Carvalho. levamos sempre conosco a paisagem de nossas lagoas. O ABC consegue traduzir este espírito contando da vida e da obra dos alagoanos. Eles. Deodoro da Fonseca. Por mais que migremos. o espírito aguerrido de luta nos é ancestral. Jorge de Lima e tantos que se viram obrigados a buscar trabalho em outras terras.

. mas também da cena nacional. . já que seus atores (políticos. . . . . . nomes dados às comarcas e outros dados importantes para a compreensão da constituição do município) e suas vinculações com o homem que vive nos seus limites. o ABC das Alagoas está inserido no mapa maior do Brasil. ABC das Alagoas SENADOR JOSÉ SARNEY Presidente do Conselho Editorial do Senado Federal E desejam conhecer nossa História. . seus dados históricos (elevação à categoria de vila e de cidade. . . . Ainda que se circunscreva a um estado. . Aqui o leitor também encontrará uma abrangência de verbetes referentes aos aspectos geográficos. abrangente e audaciosa que cumpra com a pretensão de cobrir todos os fenômenos da vida nacional e retê-la numa enciclopédia da cultura brasileira. a fisionomia física dos municípios. . . . . . incluindo a topografia. . . homens públicos) participaram ou ainda participam não apenas da vida estadual. artistas. Há muito que o Brasil necessita de uma obra de amplo espectro. . Este livro fornece material e exemplo a fim de que STE livro será de consulta permanente para aqueles que . . . ..

via internet. o ânimo operoso. o trabalho minucioso de coletar dados. mapeia o estado de Alagoas. Francisco Reinaldo Amorim de Barros se preocupou em deixar registro de fontes assemelhadas que contribuíram para respaldar e engrandecer seu projeto enciclopédico assim como de pesquisas em arquivos públicos e particulares. possamos ter um mapa não apenas geográfico. foi bem recompensado com a redação final deste volume. a Biblioteca Nacional.XII Francisco Reinaldo Amorim de Barros este projeto de produção biobibliográfico e de conhecimeto sistemático da nossa realidade se consubstancie e tenhamos uma rede de informações tão generosa e ampla que permita se ler o Brasil em suas páginas. Assim poderemos perpetuar as ações dos homens que constroem a nação em diversificadas áreas de atuação. a pesquisa sistemática. O ABC das Alagoas conta com a aguda percepção do seu autor de que um estado não é apenas um conglomerado de municípios e uma população sem face. visitas às bibliotecas as mais variadas como. Vê-se que o denodo. Um trabalho dessa envergadura requereria muitos anos e vários auxiliares. fisicamente. a do Congresso norteamericano e. O autor. mas histórico em amplo sentido. . relatórios oficiais. no Rio de Janeiro. e que contemple todas as manifestações da vida pública estadual. sociais e culturais da terra de seus pais. compôs o autor verdadeiro resumo das ações da saga alagoana para erguer a civilização num dos mais prestigiosos estados brasileiros. ao final. Ao registrar de maneira cuidadosa e criteriosa dados de fundamental importância para a compreensão do “ser alagoano”. de alma e coração alagoanos. Observe-se também o critério do empreendedor de obra tão vultosa. o aparecimento de um livro como o ABC das Alagoas serve de modelo a que outras manifestações do gênero ocorram nos demais estados da Federação e que. paulista de nascimento. Desta maneira. Cria uma “enciclopédia” regional das expressões políticas.

ABC das Alagoas XIII O Conselho Editorial do Senado Federal vem há muito tempo realizando de certa forma o projeto de abranger todas as especificidades da cultura do homem brasileiro. Que os demais estados da Federação se inspirem neste trabalho e promovam uma obra similar sobre sua história e cultura. de fazer publicar pelo Conselho Editorial do Senado este livro tão importante para a história de Alagoas e a historiografia brasileira. Era sempre o estudioso exemplar. todas elas fontes de informação fundamental para pesquisas e mesmo para deixar registro do que vimos comentando aqui: a presença da nacionalidade através dos atos dos seus homens e de sua gesta para formar o Brasil. existem aquelas de caráter analítico e de estudo sobre a realidade brasileira. Tenho a felicidade de. em homenagem ao Senador Renan Calheiros. econômicos e históricos. um dos melhores e mais promissores homens públicos do Brasil. Reinaldo de Barros durante muitos anos trabalhou comigo. Escondeu-me este livro que levou décadas pesquisando e escrevendo. o que implica comentário e análise. . agora. seja em sua expressão política. E há outras obras que são de referência. O leitor que acompanha as publicações do Conselho Editorial percebe que um fio condutor embasa nossas publicações: o registro do homem brasileiro em nossas terras e a aventura humana mais fundamental que é a construção de uma nacionalidade e de seu ethos. seja na manifestação de seus comportamentos sociais. Entre as obras por nós publicadas. intelectual de grande talento e profunda honestidade.

. na publicação histórica do Diário do Presidente Getúlio Vargas pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – CPDOC. Obsequioso. literariamente. contei. . . . através das referências elogio- . . .” Anos mais tarde. . . desde o início de 1993. . me acompanhou em leituras. filha de dona Alzira Vargas e do senador Amaral Peixoto quando. . . com a ajuda de Francisco Reinaldo Barros. . . . afirma: “No esforço de coordenar e rever os trabalhos. .. naturalmente motivado em atender a quem J Á O CONHECIA. que. . surgindo assim a minha mais recente e uma das melhores amizades e convivências deste meu tempo de vida. . . conheci-o por interesse de terceiros e através do telefone. . Pedi sua interferência junto a pessoas sobre as quais eu precisava ter informações. . discussões e buscas de informações. . mais uma vez. . . Prólogo BRÁULIO LEITE JÚNIOR sas que lhe faz a pesquisadora e escritora Celina Vargas do Amaral Peixoto. prestativo.

Do Ministério transfere-se para o Senado Federal. vai fazer pós-graduação. com exatidão. se fez. embrenha-se pelos cerrados brasílicos e inicia a experiência de servidor público. ainda. uma cartografia histórica. Serve. que assumira o Ministério da Agricultura. se não é (nem poderia ser) definitivo. mas nascido em São Paulo. inclusive financeiro. em obediência à sua vocação. se faz e se poderá fazer. Cuida. Tudo que aqui aconteceu. boa vontade e compreensão. ao Presidente da República. apaixonou-se por Alagoas.XVI Francisco Reinaldo Amorim de Barros lhe solicita colaboração. é. o de ampliar o apoio. integra. Em 1974. como uma bússola. adotou a nossa terra como sua. sentimental. De regresso. a equipe da Fundação Getúlio Vargas. buscando – sabe Deus como! – durante quatro longos anos conhecer e escrever este ABC que. para muitos assuntos culturais de Alagoas. acontece. atendendo a apelo de Alysson Paulinelli. entre outros projetos. na área de ciência política. entidade voltada a pensar sobre o Brasil e o seu futuro. Descendente de família alagoana. não se fez. que acabara de criar a Escola Interamericana de Administração Pública. Após 1964. tornou-se. na Universidade George Washington. embora integrado ao grupo de assessores mineiros. como pesquisador no Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB). amando-a e servindo-a como se um bom alagoano fosse. em especial de Alagoas. No Ministério sua ação sofre a força telúrica e. passa a ser o defensor do Nordeste. abstraindo-se das suas dificuldades e peculiaridades voltando seu intelecto e interesse cultural para a sua história e valores pessoais. uma excelente obra biobibliográfica que não existia e que nos servirá e aos pósteros. na capital dos Estados Unidos. como assessor. à Colônia Pindorama. como professor. Portador de um caráter com alto índice de tolerância. lhe toca de perto a sensibilidade e a inteligência privilegiada. Iniciou sua vida profissional. poética capaz de elucidar dúvidas e marcar . um incansável embaixador e participativo amigo.

transformou sua pertinaz busca nesta obra de fôlego e de muito mérito. generoso e justo. com episódios e galeria de personalidades especiais. digno da sua obra literária. julho 2005 . que “Alagoas é terra de náufragos”. respeitando-a. Sítio Velho. expressando a memória do que fomos e do que somos. para melhorar a minha modesta biografia e fazer-me conhecido e lembrado ainda por muito tempo. No caso presente.. escritores. como espaço e rincão bendito da terra brasileira. aduzindo-se que é mãe carinhosa para aqueles que aqui não nasceram e severa madrasta para os seus próprios filhos. considerou. servirá como subsídios corretos e preciosos para quem quiser escrever sobre nossa terra e nossa gente.ABC das Alagoas XVII presença em todas as bibliotecas que assim mereçam ser chamadas. como o fez quando me escolheu para fazer esta apresentação. reuniu. Claro que sua teimosia servirá. Costuma-se dizer. legitimamente alagoana e nascida do desejo de bem situar o nosso povo e o nosso existir. artistas. No mínimo. amorosamente conhecendo-a. acontece o oposto. com certeza. Alagoas. O autor deste trabalho é um neto pródigo que volta à casa dos seus antigos. Tentei por razões óbvias fazê-lo desistir e não logrei êxito. O receio que faz é que ele continue a tomar decisões levadas pelo sentimento de amizade. pensando revelá-la aos olhos já desconfiados e incrédulos da nossa nação. políticos e famílias que enobrecem e causam orgulho à própria história de nossa pátria. Paripueira. pois pelo que ele pesquisou. E tudo isto se deve a este irmão caçula. procurou como um desesperado condensar.. repetindo-se reclamos do passado.

ABC DAS ALAGOAS .

tudo começou .Aos alagoanos Josefa Morena e Joaquim com os quais. para mim.

FACIANT MELIORA POTENTES “Façam melhor. Porque considerando o trabalho de escrever.FECI QUOD POTUI.” Frei Luís de Sousa. fora impossível haver nenhum sisudo. que de forças humanas. é mais uma obra da providência divina. e poderão fazê-lo. que movera espíritos. se o quiserem. que se sujeitara a tamanha carga. . em Dicionário Bibliográfico Brasileiro “Que na verdade escrever história com as partes que ela requer. porque necessariamente lhe há de aproveitar muita cousa desse trabalho mau e imperfeito que aí deixo” Augusto Vitorino Sacramento Blake. em Vida de Dom Frei Bertolameu dos Mártires. e os descontos que a escritura (ainda que seja a mais acertada) tem por prêmio de juízos torcidos por muitas vezes errados de quem lê: se não houver instinto do Céu.

. é um retrato do patrimônio do Estado. . . . o autor espera. . Obra de referência. em lugar de Mello). Trabalho pessoal. . com o seu trabalho. . . Política. ou com vínculo a Alagoas –. os títulos de obras (Geografia Física. de ordem sentimental e afetiva de filho de alagoanos nascido em São Paulo. STE ABC das Alagoas é o cumprimento de um com- . . . personalidades da vida pública – alagoanos. . no lugar de Geographia Phisica. Apresentação FRANCISCO REINALDO AMORIM DE BARROS E promisso meu para comigo. . atualizando os nomes dos biografados – sem letras repetidas (Melo. .. escritores. Política. . história e geografia da terra. instituições. bem como. (Filangelho ao invés de Philangelho). . Histórica e Administrativa da Província de Alagoas) ou o nome dos periódicos. . . Histórica e Administrativa da Província de Alagoas. . políticos. Adotou-se o sistema ortográfico vigente. . . . com informações sobre artistas. . . poder ajudar estudiosos e estudantes interessados em nossa Alagoas. Respeitou-se a grafia dos nomes estrangeiros.

senadores do Império e senadores federais. Com relação aos autores procurou-se identificar poetas. deputados provinciais e estaduais. uma obra publicada. Para outros autores. prosadores. ainda. interventores e governadores.XXVI Francisco Reinaldo Amorim de Barros mesmo quando usados por brasileiros. Ou ainda os que. não se cuidando de acompanhar as edições subseqüentes. Também são listados os que ocuparam altos cargos na administração federal ou em administrações estaduais. Sempre se procura citar a primeira edição de cada livro. antes de publicada. com. participaram de antologias. cargo que existiu até 1930. Os verbetes dedicados aos membros e patronos da Academia Alagoana de Letras (AAL) têm. os documentos pesquisados na própria instituição. também. cientistas etc. pelo menos. os ministros dos tribunais federais (STF. SUP. Escola Técnica Federal de Alagoas. deputados gerais e deputados federais. a qual tive o privilégio de consultar. os senadores estaduais. STM) e ministros ou conselheiros do tribunal de contas do Estado. Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. E as autori- . filósofos. por extrema generosidade do autor. As lideranças políticas formais são: presidentes da província. sem que se diga o estado. TCU. em prosa ou verso. Sempre que aparece o cargo ocupado – seja na representação legislativa ou no executivo –. São. Jaime Lustosa de Altavila: Bibliografia de Autores Alagoanos – Levantamento das Obras Existentes nas Bibliotecas: Pública Estadual. historiadores. como fonte. FEJAL/CESMAC. trata-se de mandato exercido em Alagoas. citando-se nos outros casos. onde o alagoano foi representante ou ocupou cargo no Executivo. como George Samuel Sanguinetti Fellows. E. SESI e Central da Universidade Federal de Alagoas. geógrafos. ensaístas. foi de imensa valia a obra do prof.

de Tânia Pedrosa. Ao não se citar a cidade. a data da sua morte. José Abílio Dantas e Pierre Chalita. Com relação a músicos. e. os bispos de Penedo e Palmeira dos Índios. Na ausência de qualquer uma dessas informações. ainda. bem como os bispos alagoanos que dirigiram dioceses de outros estados. neste bloco. músicos. Como norma. se falecido. sua vida escolar e . Os artistas plásticos estão listados tomando por base suas exposições. de teatro estão citados. da Igreja Católica e seus dirigentes na história do Brasil. de Joel Bello Soares foi consulta básica. de Elinaldo Barros. nos baseamos em Panorama do Cinema Alagoano. Escultores.ABC das Alagoas XXVII dades religiosas católicas: arcebispos e bispos de Maceió. de Romeu de Melo-Loureiro. pelo menos durante um largo tempo. fica implícito que a exposição se deu em Maceió. pintores. ao nome de cada biografado segue-se o local e data de seu nascimento e. para Arte Popular de Alagoas. foram. Carmen Lúcia Almeida Dantas. Segue-se o nome dos seus pais. Arte Alagoas I. artesãos. de Solange Berard Lages. tendo em vista a importância. coordenada por Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. bem como a sua 2ª edição. artistas de rádio. publicada em 2001. usa-se um ponto de interrogação (?). com local e data em que ocorreram. fotógrafos. além de Alagoas Roteiro Cultural e Turístico. Para cinema e cineastas. ainda. revista e aumentada. Destaque. O Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro 1930/1983 do CPDOC – FGV. de televisão. o livro Alagoas e os seus Músicos. fontes permanentes de consulta. Fundamental para este item foram as obras: Arte Contemporânea de Alagoas. em especial nas informações sobre artesãos. individuais ou coletivas. mesmo aqueles que tenham desenvolvido seu trabalho fora do estado. com coordenação do mesmo autor e Arte Alagoas II. de Tancredo Moraes. o Resumo Histórico Antropogeográfico do Estado de Alagoas.

passa a denominar-se Colégio Marista quando muda sua sede para o bairro do Farol. Filho. OLIVEIRA. pois. bem como aqueles seguidos de apóstrofo. o destaque é para o nome parlamentar. MENDONÇA NETO. mas aceitamos os casos em que a identificação ocorre. com prova de suficiência. era o nome dado. Adotou-se. a personalidade ou o artista é mais tradicionalmente conhecido. Antônio Saturnino e SAMPAIO FILHO. Para alguns senadores e deputados. Assim. vol. As expressões Primário e Ginásio utilizados como período de estudos equivale. caso de SANT’ANGELA. em especial no século XIX. I . quase sempre realizada no Liceu Alagoano. Manteve-se nomes duplamente consagrados. Os nomes procedidos de São. Neto e Júnior são usados como último componente do sobrenome. de maneira consagrada. Frei João de. ou seja: LIMA JÚNIOR. São registradas as instituições. sempre com um remissivo no seu último nome. João Rodrigues. porém. enquanto Clássico e Cientifico são os equivalentes ao 2º Grau. por outra forma. muito citado. O Colégio Diocesano.Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. A entrada dos verbetes se faz pela ordem alfabética do último nome. além da pesquisa . Os dados sobre jornais e revistas se baseiam na A História da Imprensa em Alagoas. Graciliano Ramos entra como RAMOS. Santo ou Santa são mantidos na ordem alfabética do título. o nome pelo qual o autor. Graciliano com uma chamada em OLIVEIRA. Além de jornais e revistas citam-se as estações de rádio e de televisão. de Moacir Medeiros de Sant’Ana e Anais da Imprensa Periódica Brasileira. “Humanidades”. Parte II. a partir de 12 de março de 1962. a um preparatório. inclusive aquelas das quais somente se encontrou o nome. atualmente ao 1º Grau. Felix. tais como CASTELO BRANCO.XXVIII Francisco Reinaldo Amorim de Barros profissional.

Bibliografia Analítica. seja o caráter dinâmico da mudança da informação ou já estarem suficientemente divulgados em publicações específicas. Reproduziu-se o índice dos dezenove números da revista da AAL. Ao final do verbete. Acrescentaram-se. Quanto à não menos importante revista do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (IHGA). algodão. tendo em vista. abacaxi. pois os anteriores estão suficientemente identificados no importante trabalho Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. optamos por listar somente os índices dos números 45 e 46. O mesmo se fez. Para os primeiros municípios incluiu-se a criação das freguesias. Cana-de-açúcar. Com relação às atividades econômicas de cada município consta. com a revista do Grêmio Literário. por sua importância cultural. hidrografia.ABC das Alagoas XXIX em periódicos da Biblioteca Nacional. Os 102 municípios alagoanos estão apresentados com introdução histórica. no Império a Igreja estava ligada ao Estado. coco-da-bahia. distância da sede para a capital deixaram de ser tomados em conta. de José Maria Tenório Rocha. limites. Dados como: área. os dados sobre a comarca a que tenha pertencido ou quando foi criada a sua própria comarca. orografia. uma vez que. população. estabelecimentos de crédito. a quem cabia nomear bispos e prover os benefícios eclesiásticos. é o verbete municipal de maior extensão. incluindo seus intendentes e prefeitos. produtos da área da pecuária e outros estão no verbete monográfico ALAGOAS. por ordem da produção de cada município. capital do Estado. distritos. . a mera citação do nome das empresas de rádiodifusão. a mais significativa. nomina-se o gentílico. clima. por considerar material de difícil acesso. nos municípios. ainda. ainda. altitude. datas de elevação à categoria de vila e de cidade. Encontra-se. eleitores inscritos. município do qual foi desmembrado e topônimo. Maceió.

Volume XIX. Com relação às Secretarias de Estado. ao Estado de Alagoas. pesquisou-se em outras fontes: dicionários. assemelhado ao que se tentou no verbete Secretaria de Administração. o trabalho CONVÊNIO SEMA/SUDENE/GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS. ainda. Recursos Humanos e Patrimônio. com informações desde Alagoas em sua condição de território pertencente à capitania de Pernambuco. Quanto aos dados históricos. Alagoas. enciclopédias.XXX Francisco Reinaldo Amorim de Barros Os dados municipais são do Anuário Estatístico de Alagoas. do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e o Apontamentos Para o Dicionário Geografico do Brasil. posteriormente. editado pela Associação dos Municípios Alagoanos – AMA. Quanto aos secretários de estado. a partir de 1817. O resultado oficial das eleições para o Executivo e o Legislativo estão registrados a partir de 1946. Evidentemente. à Província das Alagoas e. Estudo. tentou-se um levantamento. Além de trabalhar toda a bibliografia especifica local. fica o desafio aos que forem escrever a história administrativa das Alagoas. 2000. Enquadramento e Classificação das Bacias Hidrográficas de Alagoas. Sergipe. Os dados hidrográficos e orográficos se baseiam em Geografia de Alagoas. Procurou-se fazer com que a abrangência do trabalho fosse a mais ampla. memórias. Caberia ser feito o histórico de cada uma – inclusive com a seqüência dos seus secretários –. além das obras acima citadas. publicado pela Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento e Alagoas. que sabemos ser incompleto. os dados passam a se referir. também foram utilizadas a Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. No referente aos rios utilizamos. de Ivan Fernandes Lima. 1998 – Guia dos Municípios. explicitamente. de Alfredo Moreira Pinto. com sua independência política. .

da Biblioteca Nacional. ainda. dos Estados Unidos. não tivemos oportunidade. realizada pela Internet. senão raramente.ABC das Alagoas XXXI depoimentos. assim como jornais e revistas. relatos e testemunhos. Em verdade. . da utilização de fontes primárias. pois. da Biblioteca do Instituto Histórico e Geográfico. na Biblioteca do Congresso. da Biblioteca Pública Estadual e. do Arquivo Público de Alagoas. e registros parlamentares e relatórios oficiais. nas informações da bibliografia citada. por fim. nos detendo. da Biblioteca da Academia Alagoana de Letras. no Rio de Janeiro. Vale destacar o apoio que sempre encontramos. almanaques profissionais – dos militares e diplomatas –. Arquivos públicos e particulares foram consultados. E. Bem como extensa pesquisa. dos funcionários e dirigentes.

A
ABACATIARAS ou ABATIARAS ou ABACOATIARAS Uma das tribos da subdivisão do grupo de indígenas Tupi que habitavam Alagoas. ABERALDO Santos Costa Lima (Pão de Açúcar AL 3/10/1960) Artesão. Filho de Manoel da Costa Lima e Maria do Carmo Lima. Um dos componentes do grupo que trabalha na Ilha do Ferro, em Pão de Açúcar. Com seu pai aprendeu a moldar em madeira, pois este fabricava grandes canoas. Esculpe, na madeira, entre outros: bonecos, barcos, cobras e pássaros. Participou da Exposição Arte Popular. Coleção Tânia de Maia Pedrosa, realizada no Museu Théo Brandão, em Maceió, janeiro, 2002. Teve trabalho exposto em Arte Popular Alagoana 2003, realizada na Galeria SESC/Centro, de 19/8 a 5/9/2003. Citado em Arte Popular de Alagoas, de Tânia Pedrosa, p. 59. ABREU, Boaventura Gonçalves de (Maceió ? AL 14/7/1864 - Rio de Janeiro DF 9/7/1916) Militar. Filho de Raimundo Gonçalves de Abreu. Sentou praça em 26/4/1887, sendo promovido a alferes em 3/11/1894. Esteve a serviço do Ministério da Justiça, servindo na prefeitura de Alto-Purus (AM). Promovido a primeiro-tenente em 31/12/1908. Colaborou na Modesta Homenagem da Mocidade Republicana do Estado de Alagoas, 29-jun1900, à Sagrada Memória do Grande Cidadão Marechal Floriano Peixoto, 1895-1900, número único, fazendo parte da comissão composta de Gabriel Jatobá, Craveiro Costa, Pedro Soares e Fileto Marques. Colaborou, ainda, no O Arrebol e no Dezesseis de Setembro. ABREU, José (Maceió ? AL) Músico. Filho de Felício Santiago de Abreu e Epifânia de Pontes Abreu. Compôs: Amizade; Chuva de Lírios; Ninhos em Festa, op. 1, Oficinas Litográficas da Casa Viúva Guerreiro, 1914, VG338; Suplício Eterno, op. 2 -AN6460, todas valsas. ABREU, Rita veja SANDOVAL, Rosália. ABREU, Sebastião Rodrigues de (Maceió AL 20/1/1883 - ? 21/2/1909) Poeta. Filho de Felício Santiago de Abreu e Epifânia de Pontes Abreu. Freqüentou a escola primária e com 13 anos estreou no Almanaque Alagoense. Autodidata, conseguiu firmar nome na imprensa e nos círculos intelectuais. Ingressou nos Correios, porém por pouco tempo, tendo sido afastado por abandono de emprego. Seus versos, compostos entre 1906 e 1909, foram reunidos por Rosália Sandoval e publicados: Angelus: Versos, Rio de Janeiro, 1951. Patrono da cadeira 25 da AAL. Redigiu O Madrigal (1899) e colaborou na A Miragem (1900) ambos de Maceió. ABREU, Severina Lins de (AL ?) Obra: Da Linguagem ao Poder: Os Discursos de Collor e Lula Nas Eleições Presidenciais de 1989, Maceió, EDUFAL, 1977, juntamente com Belmira Rita da Costa Magalhães, Maria Virginia Borges Amaral e Tânia Nobre. ACADEMIA ALAGOANA DE LETRAS Instituição cultural fundada, após algumas tentativas mal sucedidas (em 1915, Jaime de Altavila tentou e chegou a elaborar os estatutos, publicados em 7 de abril daquele ano, mas a iniciativa não vingou) em Maceió, em 1/11/1919, em solenidade sob a presidência de Manuel Moreira e Silva. “Finalidade precípua: incentivar o cultivo das letras, estimulando os escritores e desenvolvendo a cultura literária em Alagoas. Para tanto, promove lançamentos de autores pertencentes ou não a seus quadros; adquire livros, documentos e manuscritos; mantém biblioteca com significativa coleção de autores alagoanos, como também de outros estados, aberta ao público com sala de leitura; arquivos e museu de objetos pertencentes aos sócios falecidos; estabelece relações com as sociedades congêneres; publica a sua Revista; promove cursos, reuniões, conferências sobre temas culturais, em especial sobre os literários; institui prêmios e honrarias e colabora com os poderes públicos no aprimoramento das letras em Alagoas. A solenidade de instalação ocorreu em 17/7/1920, no salão nobre do Teatro Deodoro, ocasião em que se votaram a escolha do seu nome e o número de cadeiras, sob a

2

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

presidência de Demócrito Gracindo. É uma sociedade de direito privado, administrada por uma diretoria eleita com o mandato de dois anos. Há quatro categorias de sócios: efetivos, em número de 40, dos quais por exigência estatutária, 25 residem em Maceió; beneméritos, honorários e correspondentes” Funciona diariamente, contando com a assistência do Presidente e da Secretária. Os demais membros só comparecem para as reuniões mensais, realizadas na primeira 4ª feira de cada mês. Edita a Revista da Academia de Letras, cujo último número é o 19, de 2004. Antes de fixar-se definitivamente na sede atual, inaugurada em 12/3/1971, esteve nos salões do Teatro Deodoro, Conselho Municipal e Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. O Governador Lamenha Filho doou à instituição o Grupo Escolar D. Pedro II, antiga Escola Modelo. A arquiteta Zélia Maia Nobre adaptou-o às novas funções de “Casa das Letras”. Sócios Fundadores: Manoel Moreira e Silva, Artur Acioli - a quem coube a iniciativa da fundação - Virgílio Guedes, Agripino Éther, Manoel Rodrigues de Melo, Barreto Cardoso, Jorge de Lima, Povina Cavalcanti, Teótimo Ribeiro, Mário dos Wanderley, Tito de Barros, Teodoro Palmeira, Ranulfo Goulart, Guedes de Miranda, Lima Júnior, Jayme de Altavila, Cipriano Jucá, Luiz Acioli, Fernando Mendes de Oliveira Mendonça, Hermann Byron de Araújo Soares, Carlos Garrido, Fernandes Lima - representado por Moreira e Silva, Orlando Araújo, Gilberto de Andrade - representado por Agripino Éther-, José Avelino da Silva, Moreno Brandão - representado por Jaime de Altavila -, Paulino Rodrigues Santiago, Luiz Joaquim da Costa Leite - representado por Agripino Éther-, Leonino Correia, Padre Júlio de Albuquerque - representado por Lima Júnior-, Cônego João Machado de Melo representado por Guedes de Miranda -, Demócrito Gracindo, Aurino Maciel, Diegues Júnior, Joaquim Diegues, Carlos de Gusmão, Júlio Auto Cruz Oliveira, Cassiano Rodrigues de Albuquerque. Embora não tenham sido fundadores, Américo Melo, Luís Lavenère, Leite e Oiticica, e Otávio Gomes foram os primeiros ocupantes das cadeiras n° 23, 36, 38 e 40, respectivamente. Patronos: Cadeira 1 - Adriano Jorge, 2 - Pedro Paulino da Fonseca, 3 - Ambrósio Lira, 4 - Torquato Cabral, 5 - José Alexandre Passos, 6 - Ciridião Durval, 7- Cônego Domingos Fulgino, 8 - Fausto de Barros, 9 - Tavares Bastos, 10 - Manoel Moreira e Silva (fundador, falece antes da instalação), 11 - Tomás Espíndola, 12 - José Duarte, 13 - Alves de Amorim, 14 - Joaquim Cavalcante, 15 - Sabino Romariz - 16, Guimarães Passos, 17 - Correia de Oliveira, 18 - M. J. Fernandes de Barros, 19 - Cônego João Machado de Melo (fundador, falece antes da instalação), 20 - Augusto de Oliveira, 21 - João Severiano da Fonseca, 22 - Rosalvo Ribeiro, 23 - Visconde de Sinimbu, 24 - Alves de Farias , 25 - Sebastião de Abreu, 26 - Melo Moraes, 27 - Oliveira e Silva, 28 - Franco Jatobá, 29 - Aristeu de Andrade, 30 - Inácio de Barros Acioli, 31 - Ladislau Neto, 32 - Dias Cabral, 33 - Olimpio Galvão, 34 - Barão de Penedo, 35 - Roberto Calheiros, 36 - Inácio dos Passos, 37 - Mesquita das Neves, 38 - Messias de Gusmão, 39 - Afonso de Mendonça 40 - Zadir Índio. Primeiro ocupante: Cadeira 1 - Demócrito Gracindo, 2 - Leonino Correia, 3 - Lima Júnior, 4 - Jaime de Altavila, 5 - Aurino Maciel, 6 - Fernandes Lima, 7 - Júlio de Albuquerque, 8- Tito de Barros, 9 - Orlando Araújo, 10 - Carlos de Gusmão, 11 - Manoel Balthazar Pereira Diégues Júnior, 12 - Carlos Garrido, 13 - Júlio Auto, 14 - Virgílio Guedes, 15 - Cipriano Jucá, 16 - Ranulfo Goulart, 17 - Povina Cavalcante, 18 - Luiz Joaquim da Costa Leite, 19 - Guedes de Miranda, 20 - Cassiano de Albuquerque, 21 - Teótimo Ribeiro, 22 - Jorge de Lima, 23 - Américo de Melo, 24 - Moreno Brandão, 25 - Rodrigues de Melo, 26 - Joaquim Diégues, 27 - Luiz Acioli, 28 - Agripino Éther, 29 - Gilberto de Andrade, 30 - Artur Acioli, 31 - Herman Byron de Araújo, 32 - Mário dos Wanderley, 33 - Barreto Cardoso, 34 - Teodoro Palmeira, 35 - Fernando Mendonça, 36 - Luiz Lavenère, 37 Paulino Santiago, 38 - Francisco de Paula Leite e Oiticica, 39 - José Avelino, 40 - Otávio Gomes Segundo ocupante: Cadeira 1 - Costa Rego; 2 - José Maria de Melo, 3 - Paulo de Castro Silveira, 4 - José Francisco da Costa Filho, 5 - Abelardo Duarte, 6 - Luís de Medeiros Neto, 7 - Guiomar Alcides de Castro, 8 - Mendonça Júnior, 9 - Cléa Marsígilia, 10 - Ricardo Ramos, 11 - Ferreira Pinto, 12 - Raul Lima, 13 - José Sílvio Barreto de Macedo 14 - Armando Wücherer, 15 - Fernando Iório, 16 - Arnon de Melo, 17 - Divaldo Suruagy, 18 - Oiticica Filho, 19 - Teotônio Vilela, 20 - Ezequias da Rocha, 21 - Alves Mata, 22 -Manuel Diegues Júnior, 23 - Paulo de Albuquerque, 24 - Reinaldo Gama, 25 - Silvestre Péricles de Goés Monteiro, 26 - Eunice Lavenére, 27 - Pedro Teixeira Cavalcante 28 - Aurélio Buarque de Holanda, 29 - Théo Brandão, 30 - Antônio Santos, 31 - Cyridião Durval e Silva, 32 - Romeu de Avelar, 33 - Humberto Cavalcante, 34 - Félix Lima Júnior , 35 - Luiz

ABC das Alagoas

3

Gonzaga Leão, 36 - José Pimentel Amorim, 37 - José Aloisío Vilela, 38 - Carlos Pontes, 39 - Augusto Galvão, 40 - José da. Silveira Camerino Terceiro ocupantes: Cadeira 1 - Carlos Moliterno, 2 - Humberto Vilela, 3 - Teófanes Barros, 5 - Tobias Medeiros, 6 - Arriete Vilela Costa, 7 - Margarida de Mesquita, 8 - Freitas Cavalcanti, 10 - Aloísio Américo Galvão, 11 Lobão Filho, 12 - Heliônia Ceres, 13 - Marcos Bernardes de Melo, 14 - Osman Loureiro, 16 - Douglas Apratto, 18 - Manoel Wanderley de Gusmão, 19 - Ledo Ivo, 20 - Ib Gatto Falcão , 21 - Ilza do Espírito Santo Porto, 22 - Luiz Gutenberg, 24 - Francisco Valois da Andrade Costa, 25 - Oliveiros Litrento, 26 - Anilda Leão Moliterno, 28 - Solange Lages Chalita, 29 - Moacir de Medeiros Sant’Ana, 30 - José Maria Tenório da Rocha, 31 - Aristeu Bulhões, 32 - Waldemar Cavalcanti, 34 - Ernani Méro, 36 - Paulo Malta Ferraz 37 - João Ferreira de Azevedo 38 - João Arnoldo Paranhos Jambo 39- Adalberon Cavalcanti Lins, 40 - Gilberto de Macedo Quarto ocupante - Cadeira 1- Dirceu Accioly Lindoso , Cadeira 2 - Aloísio Costa Melo, 3 - Antonio Sapucaia 8Diogenes Tenório de Albuquerque Júnior 11 - Mário Marroquim, 12 - Luiz Nogueira Barros; 14- Rui Medeiros, 18 - Aldo Rubens Flores, 21 - Ilza do Espírito Santo Porto, 32 - Luiz Renato de Paiva Lima, 34 - Edson Mário de Alcântara, 36 - Maria Teomirtes Barros Malta, 37 - Jaime Lustosa de Altavila; 38 - Enaura Quixabeira Rosa e Silva 39 - Ivan Bezerra de Barros. Quinto ocupante - Cadeira 2 - Carlos Barros Méro , 11- João Leite Neto, 14- Sylvio Von Söhsten Gama, 18Humberto Gomes de Barros, 21 - 32 - José Uberival Alencar Guimarães, Ocupantes quando se publica o I°. número da revista (como regra geral são os segundo ocupantes): cadeira 1 - Carlos Moliterno (3º), 2 - José Maria de Melo, 3 - Paulo Silveira, 4 - J. F. da Costa Filho, 5 - Abelardo Duarte, 6 - Medeiros Netto, 7 - Guimar Alcides de Castro, 8 - Mendonça Júnior, 9 - Cléa Marsiglia, 10 vaga, 11 - vaga , 12 - Raul Lima, 13 - Sílvio de Macedo, 14 - Osman Loureiro (3º), 15 - Fernando Iório, 16 - Arnon de Melo, 17 vaga , 18 - Manoel V.de Gusmão (3º), 19 - Teotônio Vilela, 20 - Ezechias da Rocha, 21 - Alves Mata, 22 - Manuel Diégues Júnior, 23 - Paulo de Albuquerque, 24 - Francisco Valois de Andrade da Costa (3º), 25 - Oliveiros Litrento (3º), 26 - Anilda Leão (3º), 27 - Pe. Pedro Teixeira, 28 - Aurélio Buarque de Holanda, 29 - Théo Brandão, 30 - Antônio Santos, 31 - Cyridião Durval e Silva, 32 - Waldemar Cavalcanti (3º), 33 - Humberto Cavalcante, 34 - Félix Lima Júnior, 35 - Luiz Gonzaga Leão, 36 - José Pimentel de Amorim, 37 - Aloísio Vilela, 38 - Arnoldo Jambo (3º), 39 - Aldaberon C. Lins (3º), 40 - Gilberto de Macedo (3º) Presidentes da AAL: desde a sua Fundação:- Moreira e Silva - eleito em 1/11/1919 (1919-20). Demócrito Brandão Gracindo - empossado no dia 14/7/1920 (1920-27); foi substituído pelo Vice-presidente Júlio Auto. Guedes de Miranda - eleito e empossado a 16/11/1927(1927-31). Renunciou no dia 19 de junho de 1931. Domingos Paes Barreto Cardoso - eleito em 15/7/1931(1931-36). Jaime de Altavila - eleito em 6/8/1936 (193637). Augusto Galvão - eleito em 27/3/1938 (1937??-46). Luis Medeiros Neto - eleito em 1/8/1945 ????; Orlando Araújo - eleito em 1946 (1946-53). Augusto Galvão (1953-58) Antonio Saturnino de Mendonça Júnior - eleito em 1/10/1958 (1958-61); Jaime de Altavila (1961-64); José Maria de Melo, eleito em 7/10/1964. Foi reeleito várias vezes continuando no mandato até 1973. Carlos Moliterno (1983-98) até maio de 1998, quando falece, sendo substituído pele vice-presidente, Uberival Alencar. Em 7 de outubro é eleita a nova diretoria, tendo Ib Gatto Falcão como presidente, empossada em 4/11/1998. Diretoria em 2004: Ib Falcão, composta, ainda, por Aloysio Galvão, 1º vice-presidente; Tobias Medeiros, 2º vice-presidente; Douglas Apratto, 1º secretário; Edson Alcântara, 2º secretário; J. F. da Costa Filho, tesoureiro; Margarida de Mesquita, bibliotecária. Sócios efetivos em 1/9/2004: Tobias Medeiros, Cléa Marsiglia, João Leite Neto, Douglas Apratto Tenório, Ib Gatto Falcão, Ilza Porto, Francisco Valois, Anilda Leão Moliterno, José Francisco da Costa Filho, Arriete Vilela Costa, Margarida de Mesquita, Aloisio Américo Galvão, Fernando Iório Rodrigues, Divaldo Suruagy, Ledo Ivo, Luiz Gutenberg, Paulo de Albuquerque, Oliveiros Litrento, Pedro Teixeira Cavalcante, Solange Lages Chalita, José Maria Tenório, Moacir Medeiros de Sant’Ana, Aristeu Bulhões, Ubireval Alencar Guimarães, Humberto Cavalcante, Luiz Gonzaga Leão, Edson Alcântara, Teomirtes Malta, Ivan Barros, Gilberto de Macedo, Humberto Gomes de Barros.

4

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Publicou: Academia Alagoana de Letras. Estatutos e Regimento Internos, Jaraguá, Tip. Oriental, 1922; Estatutos e Regimento Internos da Academia Alagoana de Letras, Maceió, Casa Ramalho; Estatutos da Academia Alagoana de Letras. Regulamento dos Prêmios ‘Othon Bezerra e Cidade de Maceió “, Casa Ramalho; O Livro da Academia Alagoana de Letras, Edição Comemorativa do 10o. Aniversário de Fundação da Academia. 1o. de Novembro de 1919, Maceió, Tipografia da Livraria Vilas Boas, 1931; Estatuto Regimento Interno Regulamento Geral de Prêmios ACADEMIA ALAGOANA DE LETRAS JURIDICAS Fundada em 1982, instalada em 14 de outubro de 1983, sendo Milton Gonçalves Ferreira o seu primeiro presidente. ACADEMIA ALAGOANA DE MEDICINA Fundada em 31/1/1994. Primeira diretoria: presidente: Milton Hênio Neto Gouveia; 1o. vice-presidente: Antônio de Paula Cavalcante; 2o. vice-presidente: Valéria Hora de Albuquerque Melo; secretário-geral: Agatângelo Vasconcelos; 1a. secretária: Gláucia Maria de Sá Palmeira; tesoureiro: Jairo Leite da Silva; diretor de protocolo: Ismar Malta Gato e bibliotecário: Marcos Davi Lemos de Melo. ACADEMIA ARAPIRAQUENSE DE LETRAS E ARTES - ACALA Criada em 14/6/1987, inicialmente era denominada Academia Arapiraquense de Filosofia, Letras e Artes, com 24 componentes. Em 9/5/2001, mudamse seus Estatutos e o nome passa a ser o atual e 30 o número de associados. Funciona na Casa de Cultura de Arapiraca. Seu primeiro presidente foi Oliveiros Nunes Barbosa Patronos: Cadeira 1: José Rodrigues Rezende; 2: Mons. Francisco F. Macedo; 3 - Virgílio Maurício; 4 - Anfilófio C. S. Guerra; 5 - Graciliano Ramos; 6 - Lourenço de Almeida; 7 - Rodolfo Coelho, 8 - Joge de Lima; 9 - Manoel Firmino Leite; 10 - Judas Isgorogota; 11 - Théo Brandão; 12 - Domingues Rodrigues; 13 - Pe. Antônio Lima Neto; 14- Francisca P. de Macedo; 15 - Jovino Cavalcante; 16- Pedro de França Reys; 17 - Virgílio Rodrigues Silva; 18 - Domingos Correia; 19 - Breno Acioly; 20 - Serapião Rodrigues de Macedo; 21- Olegário Magalhães; 22 - Antônio Rocheri; 23 - Guimarães Passos; 24 - Artur Ramos; 25 - Lourenço Peixoto; 26 - Zaluar Santana; 27 - Nelson Palmeira; 28 - Pedro Teixeira de Vasconcelos; 29 - José Maria de Melo 30 - Jaime de Altavila. Acadêmicos em 2004: Cadeira 1 - Sdolon Barroso Barreto; 2 - Manoel André de Melo; 3 - Manoel Dionísio Neto; 4 - Cláudio Olímpio dos Santos; 5 - Dionísio Barbosa Leite; 6 - Carlindo de Lira Pereira; 7 - João Gomes de Oliveira; 8 - Oliveiros Nunes Barbosa; 9 -Rosendo Correia de Macedo; 10 - Manoel Tenório Sobrinho; 11 - Erasmo Soares de Araújo; 12 - Antônio Machado Neto; 13 - José Firmino de Oliveira; 14 - Emanuel Fay da Mata Fonseca; 15 - Elpídio Enoque de Araújo; 16 - Zezito Guedes; 17 - Clerisvaldo Braga Chagas; 18 - Ronaldo Oliveira e Silva; 19 - Judá Fernandes de Lima; 20 - Edmilson José Alves; 21 - José Edílson Penha; 22 - Valdemar Oliveira de Macedo; 23 - José Antônio Soares da Costa; 24 - Enivaldo Souza Vieira; 25 - Cledja dos Santos Silva; 26 - Ataíde Alves de Oliveira; 27 - Simone Bastos Silva Dantas; 28- Erady Moraes Sena; 29 - Roberto Lúcio Barbosa e 30 - Maria Madalena B. de Menezes. Diretoria na gestão junho/2003-junho/2005: Cláudio Olímpio dos Santos, presidente; Judá Fernandes de Lima, 1o. vice-presidente; Carlindo de Lira Pereira, 2o. vice-presidente; Dionísio Barbosa Leite, 1o. secretário; Maria Madalena B. de Menezes, 2o. secretário; Simone Batista Silva Dantas, 1o. tesoureiro; Manoel Tenório Sobrinho, 2o. tesoureiro; Ronaldo Oliveira Silva, bibliotecário. Publica, a partir de 14 de junho de 2002, Informativo ACALA, sendo o nº 2, ano II de 14/6/2003, sob a responsabilidade da jornalista Mônica Nunes. Publicou Canteiros de Poesia, uma coletânea de artigos de seus associados; além do folhetim Da Flor, o Amor. ACADEMIA DE CIÊNCIAS COMERCIAIS DE ALAGOAS Fundada em 23 de abril de 1916 e à época mantida pela “Sociedade Perseverança e Auxílio dos Empregados do Comércio”. A Academia, posteriormente é sucedida pela Escola Técnica de Comércio de Alagoas, enquanto a Sociedade Perseverança é sucedida pelo Sindicato dos Empregados no Comércio do Estado de Alagoas. Seus Estatutos, foram aprovados, em 12 de maio de 1916, pela seguinte diretoria: Presidente: Bento Valença; 1º secretário: Santino Silva; 2º secretário: Jerônimo Macieira; 1º tesoureiro: Filadelfo Lessa; 1º Bibliotecário; Manoel Sidney Valença; 2º Bibliotecário: Manoel Costa; arquivista; Antônio Viveiros. Da Comissão Fiscal; Júlio de Castro; do Conselho Supremo: Antônio Martins Murta; da Comissão do Museu: Fontino França e Arthur Brandão. Sócios: Antônio Bispo de

ABC das Alagoas

5

Melo, Benedito Cotrim e Jônatas Menezes Barreto. Publicou: Estatutos da Academia de Ciências Comerciais de Alagoas, Fundada em 23 de Abril de 1916 e Mantida Pela Sociedade “Perseverança e Auxílio dos Empregados no Comercio”, Jaraguá/Maceió, Tip. Oriental, 1916. ACADEMIA DOS DEZ UNIDOS Fundada, em Maceió, em 23 de setembro de 1923, tinha como uma de suas finalidades a divulgação dos escritos de seus membros por uma revista literária, objetivo não alcançado. Dela fizeram parte, inicialmente: Zaneli Caldas , Joaquim Maciel Filho, José da Costa Aguiar, Amarílio Santos, João Soares Palmeira, Carlos Paurílio, Felix Lima Júnior - na casa de sua família, na rua do Comércio, se realizou a primeira reunião -, Agnelo Rodrigues de Melo (Judas Isgorogota, seu idealizador), Hildebrando Oséas Gomes e Astério Machado Melo. Participaram, ainda, nas vagas abertas por afastamento de alguns fundadores, Paulino de Araújo Jorge, Renato Cardoso, Cesar Sobrinho e Mendonça Braga. Uma das últimas informações sobre a instituição foi a reunião, em março de 1925, festejando o centenário do escritor português Camilo Castelo Branco. ACADEMIA GUIMARÃES PASSOS Denominação que o GRÊMIO LITERÁRIO GUIMARÃES PASSOS passou a ter, a partir de 1930. ACADEMIA MACEIÓENSE DE LETRAS Fundada em 11 de agosto de 1955. Augusto Vaz Filho foi o seu primeiro presidente, seguido por José Rodrigues de Gouvêia. Reconhecida de Utilidade Pública pela Lei Estadual 2.353, de 21/01/1961 e pela Lei Municipal 963, de 05/08/1963. Seu Estatuto de Reorganização foi aprovado em Assembléia-Geral de 5/12/1959. Diretoria atual: Cláudio Antônio Jucá Santos, presidente e Miguel Vassalo Filho, secretário. Entre seus membros: Isvânia Marques da Silva. Durante algum tempo funcionou no antigo prédio do Montepio dos Artistas, na praça Bráulio Cavalcante. Em 27/6/2005 tomaram posse: Bárbara Heliodora Jambo Lessa, na cadeira 39, da qual é patrono João Arnoldo Paranhos Jambo; Belkiss Campos Gomes de Barros, cadeira 32, patrono Carlos Moliterno; Enaura Quixabeira Rosa e Silva, cadeira 20, patrono Iracema Feijó da Silveira; Jaime Lustosa de Altavila, cadeira 28, patrono Jaime de Altavila; Romeu de Melo Loureiro, cadeira 30, patrono Bráulio Cavalcanti e Selma Teixeira Brito, cadeira 21, patrono Rosinha Pereira do Carmo. Publicou: Caderno Literário - Prosa e Versos, Maceió, 1963 [s.ed.] (Coleção Waldir Moreira). Jucá Santos foi responsável pela publicação Alagoas Sesquicentenária, editada pela AML quando do sesquicentenário de Alagoas. ACADEMIA MAÇÔNICA DE LETRAS DE ALAGOAS - AMLA Fundada, em Maceió, em 30 de julho de 1994, com a finalidade de: a) Difundir as letras, as ciências e as artes maçônicas. b) Congregar os maçons que se dedicam a estes misteres. c) Reivindicar junto aos poderes competentes as justas aspirações afetas a estes ofícios. d) Promover os escritores, os cientistas e os artistas maçônicos e ampará-los em seus direitos autorais e intelectuais. e) Publicar obras literárias, cientificas e artísticas de interesse maçônico de cujos lucros participará a AMLA. f ) Promover congressos, conferências, seminários, palestras e outras atividades culturais e artísticas visando difundir a filosofia, as letras, as ciências e as artes maçônicas. Seus membros são de cinco categorias: Fundadores, Efetivos, Beneméritos, Correspondentes e Honorários. Constituída de 33 cadeiras, são seus patronos: Cadeira 1: Abelardo Duarte; cadeira 2: Manoel L. Sampaio Marque; cadeira 3: João Craveiro Costa; cadeira 4: Domingos Paes Barreto Cardoso; cadeira 5: Antônio Guedes de Miranda; cadeira 6: Waldemar Cavalcanti de Lima; cadeira 7; Jaime Lustosa de Altavila; cadeira 8: João Francisco Dias Cabral; cadeira 9: Adalberon Cavalcanti Lins; cadeira 10: Manoel Aristeu Goulart de Andrade; cadeira 11: Ezequias Raimundo Alves; cadeira 12: José Pereira de Lucena; cadeira 13: José Sílvio Barreto de Macedo; cadeira 14: José Jerônimo de Albuquerque; cadeira 15: José Carneiro de Albuquerque; cadeira 16: Francisco Inácio de Carvalho Moreira (Barão de Penedo); cadeira 17: Antônio Scipião da Silva Jucá; cadeira 18: Manoel Deodoro da Fonseca; cadeira 19: Elmo Nunes de Carvalho; cadeira 20: José Tavares de Souza; cadeira 21: Corinto Ferreira da Paz, faltando definir os patronos das outras cadeiras. Fundadores: José Sílvio Barreto de Menezes, Gerson Pinto de Campos, Wolney Cavalcanti Leite, José Alfredo Machado da Silva, João Alves da Silva, Domingos de Oliveira Prado, Moacir de Carvalho Ribeiro, Luiz Napoleão Vieira de Medeiros, Klinger da Costa Bezerra, Cícero Herculano Machado, Jamerlino Jorge de Souza e Cláudio Vicente Santos. Sua primeira diretoria, empossada em 16 de setembro de 1994: Klinger Costa Bezerra, presidente; João Alves da Silva, vice-presidente; Gerson Pinto de Campos, secretário; Cícero Herculano Machado,

6

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

tesoureiro; José Alfredo Machado da Silva, relações públicas. Estatutariamente o mandato da diretoria é de dois anos, sendo proibida a reeleição. Publicou: A Maçonaria ao Seu Alcance, 1986, dividido nos seguintes capítulos, com seus respectivos responsáveis: Administração Maçônica, por Domingos de Oliveira Prado; Doutrina e Filosofia, por Sílvio de Macedo; História Maçônica, por Levi Câmara Scala; Liturgia Maçônica, por João Alves da Silva; Moral e Cívica, por José Pereira de Lucena; Relações Humanas, por Romany Roland Cansanção Mota e Simbologia Maçônica, por Volney Cavalcanti Leite. ACADEMIA PALMEIRENSE DE LETRAS, CIÊNCIAS E ARTES - APLCA Seu patrono é Luiz Barros Torres 2001: Pe. Antônio Melo de Almeida, presidente; Jorge de Araújo Vieira, secretário. Cadeira 11- Patrono Pedro Torres Neto ocupante: Isvânia Marques da Silva. ACADEMIA PENEDENSE DE LETRAS Fundada em 1970, sendo Ernani Méro um dos seus fundadores. ACAIÊME Revista literária, editada em Maceió, por Cléa Marsiglia e Francisco Valois, tendo saído só um número, em março de 1953. Colaboraram: Valdemar Cavalcanti e Ledo Ivo. Fez transcrição de uma lenda de Alfredo Brandão. ACIÓLI, Artur... Lopes Ferreira (Maceió AL 16/7/1895 - Maceió AL 5/10/1954) Secretario de Estado, deputado estadual, jornalista, advogado. Filho de Manuel Lopes Ferreira e Edméa Acióli Lopes Ferreira. Iniciou seus estudos em escola pública primária, tendo a seguir freqüentado os colégios dirigidos pelos professores Joaquim Goulart de Andrade e Alfredo Wucherer, passando depois para o educandário do professor Domingos Feitosa e, finalmente, concluiu o curso secundário no Liceu Alagoano. “Por convite de Sinfrônio de Magalhães, seguiu com este para a Europa, estando na Bélgica, juntamente com o citado escritor e ainda, Carlile Silveira e Ismael Acioli, quando as tropas alemãs, ocuparam aquele pais, durante a Guerra 1914-18. Voltando a Alagoas, passa a trabalhar com Leonino Correia, então Intendente de Maceió”. Matricula-se na Faculdade de Direito de Recife, onde se bacharelou em dezembro de 1922. Volta a residir em Alagoas, sendo nomeado Coletor Federal de Utinga. Foi deputado estadual nas legislaturas 1919-20; 21-22; ^l23-24; 25-26, 27-28 e 29-30, tendo renunciado em 1929. Foi, ainda, Secretario de Fazenda, no governo Álvaro Paes. Após a revolução de 1930, passou a se dedicar às atividades de advogado. Eleito deputado estadual constituinte e para a legislatura 1935-38 Um dos fundadores da AAL, sendo o primeiro ocupante da cadeira 30; e membro do IHGA. Pertenceu, ainda, à Academia de Belas Artes do Ministério da Educação da França. Membro da Comissão Diretora do PEDA. Colaborou no Jornal de Alagoas, inclusive no setor literário e humorístico, com o pseudônimo de Astêmio. Desse jornal foi diretor, bem como do Banco de Alagoas. Obras : o capítulo Histórico do 10 Anos de Atividades da Academia Alagoana de Letras, no Livro da Academia Alagoana de Letras; Dez Anos, Revista da AAL, n. 14, p. 321-325 (Documento - reproduz o trabalho anteriormente citado) - Lide Temerária: Razão dos Apelados, Contestação dos Réus. Herdeiros do Cel. Carlos Lira, Usina Serra Grande S/A e Carlos Lira Cia. Ltda. na Acão Contra Eles Movida por Mário e Morse Sarmento Pereira de Lira. Pelos Advogados Artur Acióli Lopes Ferreira e A. V. de Andrade Bezerra. Comarca de S. José da Lage, Alagoas, Recife, 1940; Lide Temerária: Apelação Civil no. 1414. Razões dos Apelados - Herdeiros do Cel. Carlos Lira, Usina Serra Grande S. A. e Carlos Lira Cia. Ltda, Pelos Advogados Artur Acioli Lopes e A. V. de Andrade Bezerra, Recife, 1940. Revista do IHGA v.18, ano 1935, Jaime de Altavila: Discurso de Recepção do Socio Efetivo Dr. Arthur Acioly. ACIÓLI, Benedito Barreto (? AL 23/12/1922) Magistrado, advogado. Formado pela Faculdade de Direito de Alagoas (1951). Juiz de Direito na Comarca de São Braz, Quebrangulo, Atalaia e Maceió. Desembargador a partir de 1966. Tem publicado acórdãos, artigos de doutrina e sentenças no Diário Oficial, na Revista Forense (RJ) e Letras Jurídicas. Apresentou o trabalho O Poder Judiciário e a Constituinte, no X Congresso Brasileiro de Magistrados, em Recife, 1986. ACIÓLI, Carmen Corrêa (São Miguel dos Campos AL 7/5/1897 - Niterói RJ 21/10/2001) Pintora. Estudou no Colégio Sagrado Coração de Jesus, em Maceió. Aos 19 anos morou em São Paulo e fez, por dois anos, curso de pintura. Ao regressar a Maceió passa a ensinar pintura no Colégio onde estudar anteriormente. Por muitos

[ s. Edilma Acioli de Melo ACIÓLI. fotógrafo. para onde tinha ido como protegido de um tio..Niterói RJ 21/3/1981) Jornalista. 176.. festejado o Centenário de Alagoas -. Maceió. cargo no qual permaneceu até 12/6/1918. Francisco de Paula (?) Deputado estadual na legislatura 1897-98.no qual foi. Resposta ao Senador Fernandes Lima. Sócia da Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro . sob a proteção do presidente da província. Membro do Grupo Literário Alagoano. além de manter o respeito às decisões da Justiça. p. Arte em Porcelana. João Batista (Maragogi AL 19/8/1877 .trovas lamentosas). onde se aposentou. Curso básico no Les Dames de l’Instruction Chrétienne. ACIÓLI. por vezes. veja BOMFIM. Sócio do IAGA e patrono da cadeira 30 da AAL. reunindo discurso na Câmara de Deputados. 1987. Artes na União Pernambucana de Artes em Porcelana. para o mandato que se extinguiu em 1930. com severa redução de despesas. Obras: Temporão. Estudou eletrotécnica na Alemanha. voltando após 80 anos. Em 1927 elege-se senador federal. Após 1918 regressa à atividade agrícola. vitima do mal que lhe ancilosou os dedos da mão. in Arte Popular de Alagoas. ed. de Tânia Pedrosa. (poesia). na Câmara dos Deputados . Maceió. Em seu governo -. Recife. Obra: Bica da Pedra. Criou a primeira escola particular de Inglês em Maceió. mas não completou o curso por ter estourado a I Guerra Mundial. de alguém para escrever-lhe os versos que improvisava.Seu primeiro ano de governo foi prejudicado pela tentativa de intervenção federal incitada pelos conservadores. Fez o primário no interior de PE. ACIÓLI JÚNIOR. Trabalhou no Banco de Londres. abandonando-os com 15 anos de idade. no Rio de Janeiro. bancário. Recife (1930-37).Maragogi AL 9/11/1928) Deputado federal. de Tânia Pedrosa. jornalista. pois teve paralisia da perna direita e outros sofrimentos que o impediam de freqüentar as aulas. onde também recebeu o 3º lugar no Concurso de Poesias Inéditas. ACIÓLI. 49. com apartes de Deoclécio Duarte. no Diário Oficial e um discurso pronunciado por Álvaro Paes. jan. Presidente do CRB. 1927. em especial à cana-de-açúcar e à indústria açucareira. Obras: Ilusões Perdidas. 1995. Citada in Arte Popular de Alagoas. Política de Alagoas. e que o nomeia para essa instituição”. Creusa de Souza (Maceió 18/11/1920) Pintora. Um editorial. senador federal. foi um dos introdutores do futebol em Maceió. retornou a AL. Rio de Janeiro. se socorria. Teria ainda publicado Esperanças Mortas . 1922. Filho de João Baptista Acióli e Antonia Vieira Accióli. International Women’s Club. após radicar-se. “Antes mesmo dos 20 anos. Vasconcelos (Maceió AL 11/12/1848 . Participou da Exposição Arte Popular. em 1917. Aliança Francesa. Participou da luta política contra os Malta. A Harpa do Desespero.Documentação Commentada. Maceió. em julho de 1927.] 1995 (poesia e prosa). 2002.Recife. que afirmavam ser Antônio Guedes Nogueira o candidato eleito. professora. Filho de José de Barros Acioli de Vasconcelos e Ana Carlota de Albuquerque e Melo. inclusive na integração de inúmeros funcionários públicos demitidos na gestão anterior. Faleceu vitima de “elefantíase dos gregos”. governador. dramaturgo. o padre Antônio de Melo Albuquerque. 1873 ou 1875 (poesia). além de cinco editoriais publicados em junho de 1927 no Jornal de Alagoas. Eleito pelo Partido Democrático.. Deputado federal na legislatura 1912-14. Inácio de Barros. Este mal impediu-o de concluir os estudos preparatórios em Maceió e Recife. Regressa à terra natal. que o ouvira recitar. Colaborou. Maceió. assumiu o governo em 12/6/1915. como fotógrafo e redator na Revista da Semana. em Maceió. 1868 (poesia . Formado. o secundário em Recife e o curso de Engenharia Civil. na Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1900). Edilma. agropecuarista.cuidou da recuperação das finanças estaduais. 1997. engenheiro. Colaborações no O Jornal e Gazeta de Alagoas. Expositora em: V Salão de Arte da Mulher Alagoana. dedicando-se também à pecuária e à cultura do coco. Regressa para Maceió. onde se dedicou à agricultura. Arte em Cerâmica. em 1935. p. dirigindo o engenho Maçangano. realizada no Museu Théo Brandão. Coleção Tânia de Maia Pedrosa.Recife PE 31/5/1878) Poeta. de sua família. ACIÓLI. em 4/7/1927. XII Salão de Arte da Mulher. 1870 ou 1871 (cena dramática). ACIÓLI. Mensagem Apresentada ao Congresso Legislativo do Estado de Alagoas no Dia . Maceió.ABC das Alagoas 7 anos deixou de pintar. em um festa de caridade na Santa Casa de Misericórdia. Glórias e Desventuras ou O Rimador Alagoano. tradutora. Viriato Correa e Marrey Júnior. Maceió. Obras: Pobre Alagoas ! Ao Paiz . Ismael Clack (Maceió AL 4/10/1890 . em 1993 e 1994. Maceió.

Maria Rocha Cavalcanti (Pilar AL 17/1/1930) Estudou no Colégio São José. Pedro da Rocha (Murici AL 7/3/1925 -) Ministro do Supremo Tribunal de Justiça e do Tribunal Federal de Recursos. Ana Lins. em direção às Ilhas Molucas. e a partir dos 15 anos no Colégio Santa Sofia. Manoel Maria de Moraes (?) Deputado provincial padre. (19 p. 10. sendo nomeado para a comarca de Major Isidoro e transferido. em 1967.. Quando Pretendia Realizar um “Meeting” em Prol das Candidaturas do Coronel Clodoaldo da Fonseca e Dr. Gráfica do Senado Federal. Dom Rodrigo de. em Maceió. Mensagem Dirigida ao Congresso Legislativo do Estado de Alagoas. ACIÓLI. Maceió. de Tânia de Maia Pedrosa. Ciências e Letras (1969). ACIÓLI. São Paulo.8 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 15 de Abril de 1916. Tip. Maceió. Comandava um dos navios da expedição de Garcia Jofre de Loyasa. sendo o primeiro ocupante da cadeira 27. ACIÓLI. São Paulo. Licenciou-se em História pela Faculdade de Filosofia. habitavam as margens do Rio São Francisco. onde se formou em Contabilidade. Yeda Rocha Cavalcanti Jucá e Bartyra Rocha Cavalcanti Nogueira). Trigueiros. Luíz (? AL . datilografadas. no Santíssimo Sacramento. Sob o patrocínio da Escola de Extensão/PROEX/UFAL. João Batista Accioly Júnior. Poemas. jornalista. . para Porto de Pedras.) ACONÃ ou ACONANS Índios. Deputado provincial no período 1858-59. Nomeado para o cargo de Ministro do Tribunal Federal de Recursos em 28/5/80. Revista do IHGA. eleito pelo segundo círculo. ACIÓLI. ACIÓLI JÚNIOR. O Primeiro Centenário de D. Além de artista plástico é professor de História. “Navegador espanhol dos fins do século XV e começos do XVI. Foi professor de História em Pilar. Participou de exposições. Foram aldeados pelos jesuítas em Porto Real do Colégio. Filho de Ulisses da Rocha Cavalcante e Lina da Rocha Acioli.Santa Luzia do Norte AL ?) Advogado. para Viçosa. Ed. Maceió. Manifestações da Imprensa e Outras Homenagens. 1916. João Batista Accioly Júnior. Antologia . quando a esquadra se desbaratou no Estreito de Magalhães. 1987 . Pelo Governador do Estado. Descendentes dos Tupinambás. Formou-se pela Faculdade de Direito de Alagoas (1952). em 1974. ACUÑA. É nomeado. Maceió. História de São Miguel dos Campos. em 1958. 1992. As Melhores Receitas das Irmãs Rocha. professor. Delícias da Cozinha Alagoana. p. 1987. Brasília. 1917. Em 1953. Um dos fundadores da AAL. Quebrangulo e. Rosalvo (AL 1955) Obras: Maceió. Bráulio Cavalcante.32 Poetas Alagoanos Inéditos. Global Editora. EPS Publicidade. ano 53. Arapiraca e Viçosa e no Colégio Municipal Rui Palmeira. SERGASA. Editora e Gráfica Ltda. em Garanhuns (PE). Pedro II. entre as quais o IV Salão TRT 19a Região de Pintores Alagoanos (1999). Maceió. Juiz Federal substituto e. Tradições Culinárias Alagoanas. Imprensa Oficial. também em Maceió. estudou Pintura com Luiz Coelho Neto e Desenho e Pintura com Pierre Chalita. 1925. Pelo Governador do Estado Dr.. Diretor de Estatísticas do Estado. 164-166. Navegou para o Norte e se refugiou num porto ao Sul da ilha de Santa Catarina. Assassinado no Dia 10 de Maio de 1912. 1997 (Juntamente com Jacy Rocha Cavalcanti Medeiros. Poema. 22-34. Sonhos Imaginários. 1984. Juiz Federal. v. José Cabral (AL) Obra: Um Pacote de Riso. no Dia 15 de Abril de 1917. Dr. José Fernandes de Lima. João da Rocha (AL ?) Deputado estadual nas legislaturas 1925-26 e 27-28. Fez seus estudos primários em Murici e o ginásio e colegial no Colégio Estadual de Alagoas. ACIÓLI. in Arte Popular de Alagoas. Posteriormente. magistrado. em Maceió. Personagens. Lemos Moreira (PE) Pintor. Maceió. Obras: Biografia do Dr. na série Mulheres Alagoanas. publicada na Gazeta de Alagoas. Senha. Obras: Fatos. Aumentada com a Genealogia. Luciano . foi membro do Supremo Tribunal de Justiça. prefácio de Ledo Ivo. ACIOLI. Casa Ramalho.. posteriormente. Lit. p. foi aprovado no concurso para Juiz de Direito. ACIÓLI. 1912. de 10/8/2001.

Continuando viagem. no último ano. Tereza dita Terezinha ou Tagra (Penedo AL) Pintora. Ano 1. ADA Clube de futebol. viaja para São Paulo mas regressa a Maceió. inicialmente no Colégio Diocesano e.ABC das Alagoas 9 designado posteriormente de Porto de D. em 1560. Trabalha. como também. Funda e dirige a revista Última Palavra. atualmente terras no município de Coruripe. de Joaldo Cavalcante. sendo inclusive um dos dirigentes do jornal A Tesoura. AGRA. que estudou no ateliê de Pierre Chalita. ainda.) Em todo o seu período de estudante teve constante participação na vida política estudantil. Seus “teco-tecos” colaboraram executando transportes de urgência ou cooperando nos exercícios da tropa e auxiliando na cobertura de comboios ao longo do litoral. onde funda um jornal. Deputado provincial na legislatura 1835-37. carregando pau-brasil. Prefeitura Municipal.Maceió AL 22/5/1992) Jornalista. Trabalha nos Diários Associados e. como editor na nascente Tribuna de Alagoas e na Folha Miguelense. com o mesmo nome. ÁERO CLUB DE MACEIÓ Na época da guerra presidido por Aloisio Freitas Melro. torna-se o primeiro ombudsman da imprensa do Norte e Nordeste. ADMINISTRAÇÕES PROVINCIAIS veja GOVERNANTES. . posteriormente. Propriedade dos mesmos. de autoria de Pedro Nolasco Maciel e publicado em 1886 pela Tipografia Mercantil AFERVENTA Rio. Libório Lázaro. Inicia sua atividades de jornalista profissional como diagramador do Jornal de Alagoas. ADRIANO JORGE. onde é repórter e responsável pela pauta e. ADMINISTRAÇÕES ESTADUAIS veja GOVERNANTES. Fez a apresentação do livro O Que Há Por Trás das Tiragens dos Jornais. Agélio. AGÉLIO veja NOVAES. Rodrigo. Nac. tenente-coronel. Posteriormente foi para Pernambuco e teria morrido no Brasil”. AGRA. 1 (março 1983) Editor: Maceió. Órgão do Internato Alagoano. aproou a umas dez léguas ao Norte. Max. em local que passou a ser conhecido por Baixos de D. na Gazeta de Alagoas. A FILHA DO BARÃO Primeiro romance de costumes alagoanos. ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA Publicação da Prefeitura Municipal de Maceió Bibl. Domingos J. Participou do Campeonato Alagoano de 1945. Com Célia Campos. Em 1981 é eleito dirigente do Sindicato dos Jornalistas. Redator-chefe: M. Rodrigo. em 1985. Na altura do Rio São Francisco foi atacado e roubado por franceses concorrentes no tráfico daquela madeira. Denis Jatobá (Viçosa AL 7/6/1950 . Inicia o curso de Medicina. literário e noticioso. Evadindo-se. Bimensal. no Colégio Moreira e Silva. onde se forma em Medicina (1974. da Costa (?) Deputado provincial. esteve na Bahia. depois. Fez parte de O Grupo. AGRA. médico. AFES. freqüentando o Curso de Desenho Livre e Pintura. segundo o Relatório do Convênio SEMA/ SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. Um dos principais afluentes do Rio Jiquiá. um curso com Carmem Lúcia Dantas. realizou o Curso de História da Arte. Em 11/12/1904 publicou um número especial. que circulava em São Miguel dos Campos. n. Diretor: Jovino Xavier de Araújo. Fez o curso primário em sua terra natal e o secundário em Maceió. Libório Lazdro Lial veja LIAL.

Em 1998. em data que não se pode precisar. Quanto à comarca. Desmembrado de: Mata Grande. da Conceição . Delmiro Gouveia. ÁGUA. Topônimo: Deve-se ao fato de existir em seu território uma fonte de água muito límpida. Em 1911. Piranhas. entre os quais se destaca a casa então pertencente ao Barão de Água Branca. Por motivos de incompatibilidades surgidas entre o então Governador Gabino Bezouro e membros da política local. 603. provavelmente. ondulada. 74. somente a 7/7/1910 foi desligada de jurisdição de Paulo Afonso. AGUA BRANCA Município. Francisco. mandioca e cereais. de 2/6/1919. Elevada à categoria de cidade pela Lei 805.º. por ter sido suprimida a comarca do mesmo nome. “Seu território. Outros destaques arquitetônicos: Igreja de N. e a Caatinga. criando então o respectivo juizado de Direito. da Conceição. AGREMIAÇÃO ESPORTIVA ARAPIRAQUENSE (ASA) Clube esportivo.Do século XIX. ainda hoje. que ocupa cerca de um terço da área territorial. Várzea do Pico possuiu. de 30/5/1893. há muitos anos. Galeria Krandash. A elevação à Categoria de Vila se deu pela Resolução 681. porém. Mário (AL ?) Secretário de Estado. foi a sede do município transferida para a povoação de Várzea do Pico. restabeleceu na vila de Água Branca a sede do município”. a Lei n. dedicada a N. Apresenta duas zonas fisiográficas distintas: a Serra. na fase em que foi sede do município. d’ Serra. do qual foi povoado. sob a invocação de N. faz parte da Escarpa Cristalina Oriental. AGRA JÚNIOR. principalmente alpercatas sertanejas. 1999: III Salão TRT 19a Região de Pintores Alagoanos. O Capitão torna-se tronco de tradicional família aguabranquense.º. em razão da fertilidade de suas terras. Galeria da Embratel. um dos mais homogêneos conjuntos do Estado. Ai se encontram as principais fazendas de criação. por pequeno período foi-lhe anexado o termo de Mata Grande. Para diferenciar de Mata Grande. Semana de Combate a AIDS. de 24/4/1875. Mesorregião sertão alagoano e microrregião serrana do Sertão Alagoano. Mata Pequena ou Matinha de Água Branca. algodão herbáceo. com a chegada do Capitão Faustino Vieira Sandes. Fundado em Arapiraca em 1952. Os produtos mais cultivados são feijão. Coletivas: 1988: Pequenos Formatos. A povoação logo se desenvolveu em razão da localização geográfica: região serrana de clima ameno verdadeiro oásis no meio do sertão. atualmente em Porto Real do Colégio. Existem pequenos estabelecimentos que se dedicam ao fabrico de redes de algodão e pequenas industrias de calçados. sendo que a Lei 733. conhecia um período de progresso. com todas as características de região sertaneja. embora não seja de grande expressão econômica. em meados do século XVII. de 3/7/1876. fazia parte das sesmarias que compreendiam também os atuais municípios de Mata Grande. então denominado Paulo Afonso. Secretário de Agricultura e Irrigação no governo Ronaldo Lessa. Base econômica: agropecuária. que lhe deu mais o termo de Piranhas. Antes. confirmou a criação da vila. de 1º de junho de 1864. do Rosário. 1995. na Fundação Pierre Chalita. milho. de 1º de junho. pela Lei n. S. Situada na Zona da Caatinga. povoação à margem do S. A criação da freguesia se deu pela Lei Provincial no.S. mandioca entre outros. Em 1931 a comarca de Água Branca torna a incorporar o termo de Mata Grande. com exemplares do século XIX. de meados do século XVIII. Ë um dos artistas citados em Arte Alagoas II. Atualmente. pela Lei 35. Em 1895. Coletiva de Natal. terreno de constituição arenosa. onde durante muito tempo as boiadas vindas de municípios alagoanos e pernambucanos encontravam pouso para se refazer. esta subordinada eclesiasticamente à Diocese de Penedo. Os primeiros indícios de seu povoamento datam. porém logo restabelecida. vindo de Itiuba. S. sua fachada apresenta frontão com recortes . no Shopping Iguatemi. uma feira de gado e. primitivamente. que somente em 1949 volta a ser restabelecido. foi erigida uma capela na povoação. concluída em 1871. que foi instalada em 20/9/1876. Segundo Ivan Fernandes Lima. com suas terras argilosos e acidentadas. que ai se fixou em função dos terrenos feracíssimos e próprios para a exploração agrícola e a pecuária. A criação de gado tem se desenvolvido. com Marinha participou da exposição Iguatemi Arte98. chamou-se. Em termos de arquitetura conserva. 413. que passou à denominação de Capiá. onde se desenvolvem as lavouras de cana-de-açúcar.10 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Individuais: 1992: Galeria da Maceió Turismo.

onde permanece até 1955. No ano seguinte é nomeado bispo diocesano de Campina Grande (Paraíba). Curso de Filosofia no Seminário de Nazaré. Moisés (Distrito Federal RJ 19/7/1949) Economista. Criada a Diocese de Palmeira dos Índios é nomeado. Aguabranquenses. ainda. no centro. tais como: Introdução ao Mercado de Capitais. Diversos cursos de aperfeiçoamento em áreas de sua especialização. ÁGUA BRANCA Serra. São Paulo (1972). Graduado em Economia pela UFAL (1968) e Administração de Empresas pelo CESMAC (1984). Filho de Antônio Bertino Aguiar e Zita Barbosa Aguar. 181. na legislatura 1866-67. de Tânia Pedrosa. sendo nomeado bispo auxiliar de São Luís do Maranhão. porta ladeada por duas janelas iguais às do coro. são revestidas de azulejos. Localizada no município do mesmo nome. Fachada com frontão triangular e telhado de beira-seveira. afluente da margem esquerda do Rio Piauí. tomou posse no governo alagoano em 6 de fevereiro. Igreja de N. Realizou.ABC das Alagoas 11 e decorações fitomórficas. deputado geral. José Alves de (?) Deputado provincial. O interior é simples e uniforme no estilo dos seus altares. Um dos membros da Academia dos Dez Unidos. Ordena-se sacerdote em 28/4/1935. criado. Nomeado em 20/1/1849. em espessa cercadura de talha branca e dourada. do Rosário . ambos em Maceió. em Jaraguá (Lei 125 de /6/5/). Assessor da Presidência da Companhia Hidroelétrica do São Francisco . Publicou: Zinga Bar. nichos e adornos. S. Ginasial no Colégio Batista Alagoano e Científico no Colégio Estadual Moreira e Silva.De pequeno porte. Antônio Nunes de (Província Fluminense RJ) Presidente de província. data do início do povoamento. Iniciou seus estudos em sua cidade natal. AGUIAR. seu primeiro bispo. onde permanece por seis anos. advogado. totalmente rendilhada. Entre 1937 e 1941 é professor secundário. Teria publicado: Princesa Vasthi. Filho de Adolfo Aguiar e Cacilda Medeiros de Aguiar. Formado pela Faculdade de Direito do Recife (1928). AGUIAR. Em sua administração foi criado o Liceu de Humanidades. na capital (Lei 106 de 5/5/1849). AGUIAR. Na altura do coro vêem-se duas janelas simples e. ÁGUAS BELAS Nome pelo qual também era designada a vila de Porto de Pedras. militar. tendo feito o segundo grau no Seminário de Olinda. Neste último ano é nomeado paróco da cidade de Limoeiro (PE). um curso de extensão sobre problemas rurais. A 30/1/1955 é sagrado bispo. S. Chefe de Gabinete e Secretário Substituto da Secretaria de Planejamento (1988). do IBMEC (1976) ou Programação da Produção Industrial do Instituto de Organização Racional do Trabalho . p. De 1962 a 1978 . da Conceição. AGUIAR. segundo o Relatório do Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. Realça o trabalho de talha da varanda do coro. Dom Otávio Barbosa (Orobó PE 22/4/ abril 1913 . em certo período denominado Colégio Estadual de Alagoas. No interior destacam-se trabalhos em madeira. ÁGUA DOS MENINOS Rio. componente da Bacia do Riacho Talada. regressando ao Seminário de Olinda para cursar Teologia. e. o antigo Liceu Alagoano. bem como Adjunto da Presidência da mesma empresa (1997-98). permanecendo até 14/7 do mesmo ano. na Universidade Rural do Recife. AGUIAR. eleito pelo 1º Distrito. Ivan Fernandes Lima a classifica no Pediplano Sertanejo. em 18/2/1962. ainda. Suas torres no mesmo alinhamento do frontispício. Deputado geral na legislatura 1850-52. em Nazaré da Mata.Criou a Noite in Arte Popular de Alagoas. das tribunas e da portada que dá acesso à capela lateral. segundo o Relatório do Convênio SEMA/ SUDENE/Governo do Estado de Alagoas.IDORT. Coordenador do Projeto Xingó-CHESF (1988-99). ÁGUAS MORTAS Rio. José da Costa (AL ?) Poeta. Na altura do coro existem três balcões com grades em ferro batido. o Consulado Provincial. No forro da nave encontra-se um medalhão com uma pintura representando N. passando o ocupar o cargo de secretário do Bispado de Nazaré.Maceió AL 9/12/2004) Bispo.CHESF (1995-96 e 1998-2000).

1984. 14. Esplendor e Miséria dos Programas Institucionais do CNPq (in Fernandes. Orientador e membro de bancas de dissertações e teses de doutorado. UnB Revista. 16 a 22 de setembro de 1993). n° 3. bem como organizou a Biblioteca do Arcebispado. 24 a 30 de junho de 1993). Ana Maria & Sobral. nº 4. ano II. Maceió. Topbooks. orgs. Amarelinha em Campo Minado (Brasília. maio de 2002). n° 2. 58 p. entre outras atividades. fundando o seminário. Colapso da Ciência e Tecnologia no Brasil. Diocese de Alagoas Alguns Subsídios Históricos. Caderno Cultura. pp. jul/ago/set/2001). Fernanda. nº 6. 1973. Momento Político. O Brasil Nação: Um Livro Admirável (São Paulo. capa de Júlio Silveira. 30/11a 6/121993). v. 1993). AGUIAR. Momento Político. 3/4/2001). 2002). Esquina – Jornal Laboratório do UniCEUB – Centro Universitário CEUB. Maria Francisca. v. Brasiliense. o Arquivo da Diocese. ano 1. UnB Revista. Universidade de Brasília. da UNB. Paralelo 15. São Paulo. O Futuro da Democracia (Correio do Livro da UnB – Universidade de Brasília – ano 2. 1985. org. UnB. Bispo da Diocese de Palmeira dos Índios (Alagoas). 30/9 a 6/10 1993). transferido para sócio honorário em 28/11/2001. mimeo. Depois de resignar ao bispado. n° 3 – jan/junho 2001). Papirus. 39. 2000. Ronaldo Conde (Penedo-AL 28/12/1942) Professor. Em colaboração com Hildebrando Souza Menezes Filho. empossado em 2l/6/1972. Argentina (Brasília. Momento Político. Rio de Janeiro. Pobre México (Brasília. Maceió. As ONG’s Postas em Questão (Brasília. Adeus ao Paraíso: A Internacionalização da Amazônia (Brasília. 2002) Participou como ensaísta de quatro outros livros (coletâneas): Crise Social e Meio Ambiente (in Bursztyn. Para pensar o desenvolvimento sustentável. Publicou ensaios em revistas e periódicos do Brasil. p. Atualizou. Polis. viva Marx! Campinas. julho/agosto de 1983). Discurso de Posse de Dom Otávio de Aguiar. Mestre e Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília. Paralelo 15. Marx morreu. no governo Cristóvam Buarque. Primário. 1994) . Autor de prefácios. ano de 1973. criando obras sociais. trabalho elaborado com vistas a subsidiar o Relatório Nacional Brasileiro para a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento – ECO 92. Como Sócio Efetivo. Chanchada Histórica (Brasília. Vida e Obra de Manoel Bomfim.). UnB Revista.30. . Obras: Alagoas. Pequena Bibliografia Crítica do Pensamento Social Brasileiro. 2003). 14 e 15.12 Francisco Reinaldo Amorim de Barros estrutura a nova diocese. Relume Dumará. ginásio e clássico no Rio de Janeiro. Correio do Livro da UnB – Universidade de Brasília – ano 1. Chore Por Nós. pelo Conselho de Consultores. Departamento de Sociologia. Visões e Imagens Contemporâneas (Brasília. que perdera o seu Arcebispo e esperava o novo dirigente. Vice-presidente do Fórum Nacional de Secretários de Estado de Ciência e Tecnologia. Momento Político. tendo sido escolhido. Paulo. Universidade de Brasília. Brasília. no Colégio Santo Antônio Maria Zaccaria e na Escola Municipal Souza Aguiar. nos centros universitários UniCEUB e Unieuro e no Instituto de Ensino Superior de Brasília (IESB). Casa da Palavra Produção Editorial. Brasília. Ano II. UnB Revista. Trabalhou durante 22 anos no CNPq. Momento Político. Rio de Janeiro. O Mundo da Bola (Brasília. O Dilema da Esfinge e as Dúvidas do Moderno Édipo (in Freitag. 6/8/1996). Revista Ethos – Sociedade de Estudos e Pesquisas Éticas de Brasília. Momento Político. em Maceió. 2000 (Prêmio de Melhor Tese de Doutorado no I Concurso Brasileiro CNPq-ANPOCS de Obras Científicas e Teses Universitárias em Ciências Sociais. Rio de Janeiro. ano 1. As Grandes Palavras e a Podridão Ética (Brasília. 8 a 14/2/1994). Virtude Demais é Pecado (Brasília. Uma Experiência de Vida. passou a residir em Maceió. Universidade de Brasília – ano 1. 1979. Consultor do PNUD. n° 1 – jan/fev/mar 2001). Secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal. Edição 1999). Um Estelionato Intelectual (Brasília. orgs. Filho de Manoel de Aguiar Melo Filho e Dalva Conde Aguiar. ano III. Bárbara & Pinheiro. 18. Posteriormente. Revista do IHGA. na Sessão Solene de 21 de Junho de 1972. 1991. 2004. O Estado de S. Obras: Abrindo o Pacote Tecnológico – Estado e Pesquisa Agropecuária no Brasil. O Brasil Faminto (Brasília. 23 a 29 de setembro de 1993). v. Vitória na Derrota: A Morte de Getúlio Vargas. Brasília: da Utopia à Dura Realidade (Sociedade e Estado. março/abril 2002). Marcel. construindo igrejas. UnB Revista. 189-198. Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira: a Unidade na Divergência (Brasília. Professor de sociologia e pesquisador do Centro de Desenvolvimento Sustentável. p. nº 1 e 2 jan/dez 2003). n° 2 – abr/mai/jun 2001). 107-122. Manoel Bomfim. 1986. O Rebelde Esquecido: Tempo. O Risco do Apagão Científico (Brasília. Colabora na imprensa. Universidade de Brasília. Revista Brasileira de Tecnologia. na cadeira em que é patrono Sílvio Caroatá. v. Às Vésperas da Catástrofe (Brasília. Universidade de Brasília. Universidade de Brasília. manteve-se no cargo de bispo emérito. Nosso Intérprete Ignorado (Brasília. em fevereiro de 1985. n° 4. para o cargo de Administrador Arquidiocesano da Capital. em especial em O Semeador. Freyre e o Orgulho da Nacionalidade (Brasília. entre os quais: Modernização e Miséria (Brasília. Revista do IHGA. Membro do IHGA. nº 7. 1993).

Bahia e Sergipe. ALAGOANO. fez o papel de “mocinha” no primeiro filme alagoano: Um Bravo do Nordeste. Órgão oficial do grupo denominado Lisos.aproximadamente 1/307 do território brasileiro -. Propriedade de João Mourão. Foi deputado provincial pelo partido Conservador. Frei Joaquim da ALAGOAS. PB e RN. seu redator principal. para se diferençar da Alagoa do Norte. Independente. Surgido em 3/11/1890 na cidade de Alagoas. era impresso na Tipografia Amintas de Mendonça. aliou-se aos Caminha. Joaquim Inácio Wanderley. 84-85. ou seja a vila de Santa Luzia do Norte. Frei João de . Bissemanal. em papel almaço. O. Exercia as profissões de advogado e médico. Aliou-se em política à família Castro. AIRES.. AIRES. Segundo o seu testemunho. principalmente lagoas. Era seu administrador Bartolomeu José de Carvalho. casou-se e se dedicou à família. Vicente Alves de (?) Deputado provincial nas legislaturas 1878-79.uma área de 79 kms2 é ocupada por águas internas. ALAGOA DO NORTE Denominação antiga da vila de Santa Luzia do Norte ALAGOA DO SUL Nome pela qual era conhecida a vila de Alagoas. 80-81. Por ele. com duas colunas de impressão. Alagoas ALAGOAS Estado do Brasil. Possui uma faixa litorânea de 229 km. De volta. Redator e proprietário: Theófanes Brandão. Joaquim Emilio (? AL . ambos em Maceió. em in-quarto. Redigido pelo professor Mateus de Araújo Caldas Xexéo.Maceió AL 7/8/2003) Estudou no Colégio Santíssimo Sacramento e no Coração de Jesus. em Maceió. onde obteve carta de cirurgião.se situado entre 8º55’ 30’’ e 15º28’50’’ de Lat. e logo desavindo-se. em Maceió. desempenhando os cargos de suplente de juiz municipal e de juiz de paz. Acusado pelos adversários de exercer ilegalmente a Medicina. conhecida como a dos Cabeludos. de inicio semanalmente. em tipografia própria. AGUIAR. A Publicação surgida em janeiro de 1885. e ao norte do Rio São Francisco. Fundado em 15/11/1843 ou 1845. Nessa última qualidade. do ano 1. Conservava o tipo das publicações primitivas. Logo depois. microf. no litoral. jornalista. ALAGOANO. pelo Ceará. Bibl. 1. Surgido em Penedo em 5/4/1908. retorna à política.. ALABAMA. Publicado. O Semanário.ABC das Alagoas Revista. Publicado na tipografia do Diário das Alagoas. Universidade de Brasília. do Rio de Janeiro. José Tavares Bastos. Nac. com os quais também veio a romper. S. e entre 27º 27’e 28º58’ de Long. ano VI – nº 11.Cidade do Príncipe Imperial CE 25/2/1850) Deputado provincial.1 kms2 -. Sua publicação foi suspensa em 1846. insuflou a luta armada contra a facção contrária. ALAGOANO. O Jornal. o n. depois passa a ser nas quintas-feiras e nos domingos. dito FREI veja PURIFICAÇÃO. mai/jun/jul 2005). publicado às quartas e sábados. Editor e diretor: Macário Romão. obrigava rapazes sem ocupação a aprender um ofício. Chamou-se. Acha. em 1831. em certo período.933. foi à Bahia. Depois de atravessar PE. O Jornal. dado pessoalmente em 23/12/2001. entre o Oceano Atlântico e os Estados de Pernambuco. Frei João de Sant’Angela veja SANT’ANGELA. Nice da Rocha (Maceió AL 15/6/1913 . Luiz Cesário Cardoso (AL ?) Deputado estadual nas legislaturas 1917-18 e 19-20.. chegou a Aracati (CE) onde fundou e redigiu O Clarim da Liberdade. ALAGOAS. . De sua superfície de 27. 13 AIRES.

. em 1516 e 1526. Os habitantes primitivos das Alagoas eram selvagens bronzeados. quanto à lagoa grande.919. com 10 º 29’12’’. Aconãs. ao Sul com Sergipe. O rio de que trata Caminha presumimos que seja o CORURIPE. reprimindo o contrabando de pau-brasil e. a montante de Jacutinga. Gr.. 621. Gr. Chocós.por conseguinte. E é numa descrição de um reconhecimento feito na região próxima ao fundeadouro da esquadra. ou seja o ângulo reto está oposto à mesma. Linhas Extremas . que está junto com a praia. Um ano após a descoberta do Brasil. como não poderia deixar de ser . Pontos Extremos: Ao Norte. a Leste.distribuído entre os Cariris. a expressão “é apaulada por cima. daí. em Vouvés. duas léguas para o sul do mesmo rio e o Porto dos Franceses na enseada do Coruripe”. de estatura mediana. dia em que a Igreja Católica festeja aquele santo. Em 1501. O aspecto físico do Baía Cabrália. Esta faixa territorial com uma flora rica atraiu a pirataria francesa e espanhola na traficância do pau-brasil com o íncola da região. limite ocidental do Brasil. em uma curva no rio Jacuipe. a Leste com o Oceano Atlântico e a Oeste com Pernambuco e Bahia. que se subdividiam. manteve-se o comércio entre os índios do litoral alagoano e os piratas e mercadores franceses. a enseada do Pontal do Coruripe. sendo 1.882 rural. A afirmação de que a terra “traz ao longo do mar.na costa --. havia o Porto Novo dos Franceses. entre outras tribos.no interior -. mais para o sul. quatro léguas antes do rio São Miguel.739 urbana e 902. População: 2. os quais afirmam que as primeiras terras avistadas pela armada portuguesa estavam localizadas a 10º de latitude sul. Mariquitos e Abacoatiaras e os Chucurus. Prova do intercâmbio constante e em toda parte do produto utilizado na tinturaria mundial A presença do corsário francês concorreu para a decisão de colonizar-se o Brasil. tiveram como objetivo afastar os franceses da costa nordestina. a perderiam. que se aponta como o ancoradouro das naus portuguesas. Oriundos principalmente do grupo Tupi -. RESUMO HISTÓRICO Jaime de Altavila. grandes barreiras vermelhas. e fomos até uma lagoa grande de água doce. entende-se pelas barreiras de Jequiá. sem a sua ocupação. apenas. muito pantanosa (apaulada). com 8o 48’ 12’’ Sul. fundamentada no erudito historiador pernambucano Fernandes Gama e em Alexandre von Humboldt. em sua História da Civilização das Alagoas defende que o primeiro ponto avistado pela frota portuguesa de Cabral “é de se presumir que tenha sido um dos cabeços da Serra da Nacêa. é semelhante ao nosso. fronteira com Pernambuco. entre os quais os Caetés e o grupo Tapuia -. Esta é a nossa opinião. a expedição marítima comandada por Américo Vespúcio. Concluíram os portugueses que. com 35º 09’36’’Oeste de Greenwich (W. e então o Capitão passou o rio.). assim chamado por ter ocorrido a 4 de outubro. constante da carta de Pero Vaz Caminha. com 38º 13’54’’ W. o território alagoano já figurava nos mapas portugueses. Gabriel Soares revela que nada menos de três portos existiam nas costas das Alagoas com a denominação dos franceses. e sai água por muitos lugares. a Oeste.. “Havia o porto Velho dos Franceses. com o Rio São Francisco. . na confluência do rio Moxotó. existindo. As duas expedições de Cristóvão Jacques. sugerindo a forma de uma “borboleta”. cabelos pretos e lisos e olhos castanho-escuros. talvez. e sai a água por muitos lugares”. também alcança terras alagoanas. na desembocadura do rio São Francisco. Apesar desta e de outras expedições exploratórias. que vamos encontrar um reforço a esta tese: “. “três pequenas lagoas salgadas. umas vermelhas e outras brancas”.822. Forma . Romaris. ao Sul. mas naquela região baiana não existe nenhuma lagoa de água doce. por conseqüência entre Jequiá e Coruripe. nos primeiros anos do século XVI.As maiores distâncias entre os pontos extremos correspondem às linhas de 186 quilômetros norte-sul e 339 quilômetros leste-oeste.14 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Limita-se ao Norte com Pernambuco. italiano a serviço da Coroa portuguesa. através da fundação de feitorias e atalaias costeiras. no Pontal de Piaçabuçu.-. no município alagoano de Anadia. pelo menos com relação às barreiras vermelhas e brancas. região esta. cujas comunicações com o mar só se estabelecem em marés altas”. confundindo-se finalmente com as águas do aludido rio Poxim. adiante do curso d’água mencionado na carta que se reúnem por vários canais. porque toda aquela ribeira do mar é apaulada por cima. o possível ancoradouro da esquadra. com todos nós outros. segundo o Censo de 2002. subdivididos em diversas tribos. A topografia é a mesma e lá está. cuja hipotenusa é paralela à linha do equador. É mais alongado no sentido leste-oeste.De um triângulo-retângulo. Descobre a embocadura do Rio de São Francisco. em algumas partes. na barra do rio Persinunga.. seriam então as diversas lagoas localizadas um pouco antes da foz do rio Poxim.

também das demais Capitanias do Brasil. inclusive na terra alagoana em Porto Calvo. com a fundação de dezenas de engenhos. Antônio Martins Ribeiro. A sesmaria doada a Diogo Soares da Cunha. na sesmaria doada a Antonio de Moura Castro -. Na guerra holandesa foi teatro de lutas. “incluindo 60 léguas da costa da Barra de São Francisco e Igarassu. surgiu a Vila da Madalena. como Pilar. A invasão holandesa. o tráfico africano coopera com a economia da região e integrar-se ao seu amálgama étnico. e sete léguas de fundo. extensa faixa banhada pelos Rios Manguaba. foi ocupante pioneiro do Vale do Mundaú. abrangendo cinco léguas de litoral. e. local de asilo da primeira imigração pernambucana. Decidido a limpar o litoral da presença dos franceses. Dela. em verdade. para miscigenação étnica de nosso povo e para ajuda ao desenvolvimento econômico À roda dos engenhos disseminados no norte alagoano. Com diz Abelardo Duarte “foram os negros escravos os que mais trabalharam para a prosperidade de nossa terra. à exploração do açúcar. . Rica em terras. começa no Porto do Francês e vai até o Picão. surge a cidade de São Miguel dos Campos. Alagoas. ou arraial fortificado. expandiuse pela Lagoa Manguaba. segundo foral de 24 de outubro de 1534”. onde se fixou com sua mulher. fundou dois engenhos. cingindo a Lagoa Mundaú. vizinha de Cristóvão Lins. Desde o século XVI. favorecida pelos extensos e ricos pastos. Dividida a Capitania em sesmarias. quando D. Fundou sete engenhos. subindo o São Francisco. antes. foram surgindo vilas e burgos. provedor da Fazenda Real. aparecem as fazendas e currais de gado. os colonizadores anônimos “. Adriana de Holanda. Camaragibe e Santo Antonio. o próprio donatário explorou o litoral e. Vastíssimas foram as concessões a Miguel Gonçalves Vieira. duas expedições. de Pajuçara do Porto do Francês. estava Cristóvão Lins. Nas sesmarias da região sanfranciscana. já então rica. exemplo da reação do negro africano. No comando da primeira. E. sendo cinco no hoje território alagoano. Maceió e Santa Luzia. Alagoas integrava o pedaço que coube a Duarte Coelho Pereira. praticamente. destacam-se os que dão origem a Maceió e a Santa Luzia do Norte (Alagoa do Norte). Porto Calvo e Alagoas (atual Marechal Deodoro). a cultura da cana gera a cidade de Coruripe e a Vila do Poxim. logo se cobriu de canaviais. em 1630. diretamente. A prosperidade da Capitania de Pernambuco atraía colonos de Portugal. mas admite-se que nossa formação originou-se de três grupamento básicos: Penedo. João III implantou o sistema feudal da divisão das terras em Capitanias Hereditárias que o combate aos piratas se acentuou. em especial o dos Palmares. transportado do Congo. lá teriam estado. nos primórdios coloniais. São Miguel e Camaragibe. no decênio 1575-1585. desceu até o Rio São Francisco. Do engenho São Miguel. Com. Mas foi só em 1534. parte um processo de irradiação econômico-social. Santa Luzia do Norte. Abrangiam uma faixa costeira que ia de Santo Antônio do Meirim à Enseada de Pajuçara. São Luis do Quitunde e Porto de Pedras. Penedo. veio o escravo negro. se integra na civilização do couro. das ilhas e colônias lusas na África e na Ásia. No comando da segunda expedição. a sete léguas de sua foz. do qual resulta a fundação de outros importantes marcos de povoamento. que se tornaria um dos grandes núcleos do povoamento e expansão agrícola. pelo litoral. de Angola e de Moçambique. A Antônio de Barros Pimentel foi doada a sesmaria de Santo Antonio dos Quatro Rios. Data dessa época o surgimento de Penedo. que conquistou as terras dos índios potiguares e se aliou a outras tribos. O primeiro donatário foi um empresário e chefe militar de qualidades excepcionais. o extermínio dos indígenas. o segundo donatário. embora acredite-se que franceses . O povoamento do território alagoano se processou lentamente. Empreendeu-a Duarte Coelho de Albuquerque. o território alagoano foi considerado pronto para a colonização. depois Alagoa do Sul e Alagoas. com suas fazendas de gado de corte ou leiteiro. Seu filho. o qual se denominou Nova Lusitânia. No processo de colonização portuguesa. pela prosperidade advinda da industrialização da cana-de-açúcar. e. em Coruripe --. deu motivo a que se iniciasse uma luta pela ocupação da capitania. que se tornaram centros de atividade agrícola e comercial. campo de batalhas e de vitórias e ponto principal dos Quilombos. Lançou os fundamentos de Porto Calvo. na capitânia de Pernambuco. fundado pelo sesmeiro Antônio Barbalho. que recebera uma légua em quadra dessa sesmaria. define-se a vocação monocultora da grande propriedade. comerciando com os Caetés. Assim. num penedo ali existente. como Camaragibe. trazida por Mathias de Albuquerque. Na raiz de cada um desses núcleos está o engenho de fabricar açúcar. Alagoas possuía os fatores essenciais para a exploração da cana-de-açúcar e sua industrialização.uma faixa que. pela sucessão dos latifúndios dedicados ao mesmo fim. Entre os engenhos levantados nela. Cristóvão Lins recebeu um feudo. Gabriel Soares. Tatuamunha.“ Penedo é o único núcleo que não se vincula. Foram eles. o Novo e o Velho. Das suas terras.ABC das Alagoas 15 procurando consolidar o domínio português. Sua sesmaria. Com o colono branco e cristão. e que seria a cabeça da Comarca e antiga capital. fundou uma feitoria. águas e matas.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

30-33) Manoel Duarte Ferreira Ferro (1838-39. 42-43. 44-45. 84-85) Manoel Melchisedeck de Farias Maia (1880-81. 88-89) Manoel Pereira Baracho (1874-75) Manoel Ribeiro Barreto de Menezes (1878-79) Manoel Rodrigues da Costa ( Membro do 2o. 56-57. 88-89) Macário José de Omena (1838-39) Manoel Amancio das Dores Chaves (1858-59. 68-69. 72-73) Manoel José da Costa Batinga (1860-61. 42-43. 86-87. 56-57. 1829 e do 2o. 60-61) Manoel Lino da Silva Tavares (1844-45) Manoel Lourenço da Silveira (1842-43. 76-77) Manoel Teixeira da Silva ( 1835-37. 56-57. 42-43) Manoel Verissimo da Costa Moreira (1876-77) . 42-43. 30-33) Manoel do Rosário Tavares (Membro do 1o. 1830-33) Manoel de Farias Cabral (1842-45) Manoel de Messias Gusmão Lira (1880-81) Manoel do Nascimento Pontes ( Membro do 1o. 70-71. 76-77) Manoel Casimiro Lúcio de Souza (1880-81) Manoel Cavalcanti de Albuquerque (1866-67) Manoel Cesar Bezerra de Góes (1854-55. 68-69) Manoel Claudio de Arroxelas Jaime (1852-53. 62-63. 88-89) Manoel da Costa Moraes (1852-53. 40-41. Conselho da Província. 64-65. 40-41. Conselho da Província 1830-33. 60-61) Manoel Januário Bezerra (1854-55) Manoel Joaquim Coirana (Suplente do 2o. 48-49. 84-85. 52-53. 56-57. 50-51. 62-63) Manoel da Porciuncula Lins Wanderley ( Suplente no 2o. Conselho da Província. 86-87) Manoel Mendes da Fonseca (1838-39. 86-87. 58-59. Conselho da Província 1830-33) Manoel Joaquim de Souza (1842-43) Manoel Joaquim dos Santos Patury (1866-67. 54-55. 54-55. 66-67) Macário das Chagas Rocha Lessa (1884-85. 62-63) Manoel Fernandes de Araújo Jorge (1874-75) Manoel Fortunato de Paiva (1866-67) Manoel Gomes Ribeiro ( 1876-77 e 84-85) Manoel Gomes Ribeiro Júnior (1838-39. 54-55. Conselho da Província 1829 e do 2o. 80-81) Manoel Balthazar Pereira Diegues (1878-79) Manoel Buarque de Macedo Lima (1860-61) Manoel Casimiro da Rocha Junior (1874-75. 82-83. 84-85. 44-45) Manoel Felipe da Fonseca (1860-61. 44-45) Manoel Maria de Moares Acioli (1858-59) Manoel Martins de Miranda (1860-61. 64-65. 35-37) Manoel Rodrigues Leite Oiticica (1858-59) Manoel Ronaldsa de Castilho Brandão (1882-83) Manoel Rufino Mais (1888-89) Manoel Soares de Albuquerque (1842-43) Manoel Sobral Pinto (1835-37. 66-67. 74-75. 68-69) Manoel José Teixeira de Oliveira (1844-45. 40-41. 35-37) Manoel Messias de Gusmão Lira (1878-79.ABC das Alagoas 267 268 269 270 271 272 273 274 275 276 277 278 279 280 281 282 283 284 285 286 287 288 289 290 291 292 293 294 295 296 297 298 299 300 301 302 303 304 305 306 307 308 309 310 311 312 313 314 315 316 323 Luiz José de Barros Leite (1835-37) Luiz José de Barros Leite Júnior (1835-37) Luiz Laurindo Paz e Lima (1860-61. 66-67) Manoel Antônio Pereira (1878-79. 58-59) Manoel Clementino do Monte (1882-83.

68-69. 48-49. 66-67. 84-85) Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro (1882-83. 78-79) Tiburcio Valeriano de Araújo (1870-71. 1829. 56-57) Pedro Aires da Silva Costa (1888-89) Pedro Izidoro Freire de Souza (1868-69) Pedro Manoel da Costa (1854-55) Pedro Nolasco Buarque de Gusmão Lira (1888-89) Pedro Nolasco dos Reis Lima (1882-83. 58-59) Pedro Antonio da Costa (1838-39) Pedro Antônio da Costa Moreira (1848-49. 74-75) Numa Pompílio Passos (1884-85) Olimpio Euzébio de Arroxelas Galvão (1868-69. 82-83) Silvério Fernandes de Araújo Jorge (1844-45) Silvestre Domingues da Silva ( Membro do 1o. 56-57. 62-63. 35-37. 72-73. 38-39. 64-65) Rodrigo Neto de Firminiano e Moraes (1852-53. 40-41. 86-87) Mateus Casado de Araujo Lima Arnaud (1838-39. 84-85. 70-71. 76-77. 78-79) Sebastião José de Moraes Belo (1880-81. 54-55. 66-67) Marianno Joaquim da Silva (1858-59. 66-67. 86-87. 50-51. 58-59. 64-65) Miguel Veloso da Silveira Nobrega e Vasconcelos ( Membro do 2o. 78-79. 76-77) Mathias da Costa Barros (1882-83) Miguel Alvares Teixeira de Mendonça (1846-47) Miguel Alves Feitosa (1864-65. 48-49. 52-53. 60-61. 60-61. 84-85. 66-67) Tertuliano José dos Santos Paturi (1874-75. 78-79) Teotônio de Santa Cruz Oliveira (1882-83. 66-67.324 317 318 319 320 321 322 323 324 325 326 327 328 329 330 331 332 333 334 335 336 337 338 339 340 341 342 343 344 345 346 347 348 349 350 351 352 353 354 355 356 357 358 359 360 361 362 363 364 365 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Manoel Vitorino da Costa Barros (1878-79) Manoel Vieira da Fonseca (1876-77) Manoel Vieira de Melo (1864-65. 35-37) Simplício Pereira da Rosa Calheiros (1846-47) Socrates de Carvalho Moreira Guimarães (1868-69) Teofilo Fernandes dos Santos (1864-65. 74-75. 70-71. 56-57. 56-57. Conselho da Província. 64-65. 56-57. 72-73. 74-75) Tomaz de Gusmão (1884-85) Tomaz do Bom-Fim Espíndola (1860-61. Conselho da Província 1829. 68-69) Miguel de Moares Melo (1882-83) Miguel Felício Bastos da Silva (1868-69. 80-81) Miguel Soares Palmeira (1858-59. 50-51) Sátiro José Barbosa (1850-51. 60-61. 78-79) Tertuliano José Eliseu Canuto (1882-83. 62-63. 54-55. 42-43. 58-59. 38-39) Nicolau Tolentino da Costa (1854-55. 72-73) Ovídio Saraiva de Carvalho Júnior (1846-47) Paulino Salvador da Rosa e Silva (1874-75) Paulo Joaquim Teles Júnior (1852-53. 72-73. 54-55. 54-55. 64-65. 88-89) Ricardo Pereira da Rosa Lins (1856-57. 52-53. 68-69. 88-89) Tiburcio Alves de Carvalho (1886-87) Tiburcio Valeriano da Rocha Lins (1866-67. 64-65) Roberto Calheiros de Melo (1850-51. 60-61. 78-79) Salvador Correia de Sá Benevides (1856-57) Salvador Pereira da Rosa e Silva ( 1835-37. 84-85) Teotônio Ribeiro e Silva (1842-43. 56-57) Rozendo Cesar de Góes (1870-71. 52-53. 74-75) Timoteo Romero (1844-45) .

70-71.secretário José de Melo Corrêa José Fernandes de Bulhões .secretário José Fernandes de Bulhões João Francisco de Cerqueira e Silva -suplente José Francisco Leite José Leite da Silva . 52-53.ABC das Alagoas 366 367 368 369 370 371 Ursulino Barbosa da Silva (1886-87) Vespasiano A. 66-67) Vicente de Paula Cascaes Teles (1862-63.vice-presidente Manoel do Nascimento Pontes Manoel do Rosário Tavares Manoel Rodrigues da Costa Miguel Veloso da Silveira Nobrega .presidente Suplentes Afonso de Albuquerque Melo Alvaro Arnaud Souto Maior e Moura Antônio Ribeiro de Moura .presidente José Henrique de Amorim José Tavares de Mendonça Sarmento . 56-57. 64-65. 54-55.suplente da mesa Suplentes Bonifácio Bezerra de Melo José Gregório Ribeiro José Leite da Silva Segundo Conselho Cipriano Lopes de Aroxelas Galvão Floriano Vieira da Costa Delgado Perdigão Francisco Remígio de Albuquerque Jacinto Paes de Mendonça João Camillo de Araújo . 68-69) 325 CONSELHO GERAL DA PROVINCIA Primeiro Conselho Bento Francisco Alves Francisco José Corrêa Inácio Joaquim da Costa . 48-49. de Mendonça Sarmento (1854-55) Vicente Alves de Aguiar (1878-79.vice-presidente Manoel do Nascimento Pontes Manoel do Rosário Tavares Manoel Soares de Albuquerque Silvestre Domingues da Silva . 84-85) Vicente de Paula Carvalho (1846-47. 50-51. 80-81. 74-75) Virgilio Peixoto de Araujo Palmeira (1866-67.

Canavarro Manoel Sobral Pinto Manoel Teixeira da Silva Miguel Veloso da S. da Costa Agra Firmino Antonio de Souza FlorianoVieira da Costa Delgado Perdigão Francisco da S. Bethlém e Andrade Francisco de Assis Barbosa ( declarou não aceitar o mandato) Francisco de Assis Ribeiro Francisco Elias Pereira Francisco Frederico da Rocha Vieira Francisco Joaquim Gomes Ribeiro Francisco Manoel Martins Ramos Inácio Joaquim Passos Sénior João Camillo de Araújo Joaquim Serapião de Carvalho José Cândido Visgueiro José de Souza Machado José Gomes da Rocha José Henriques de Amorim José Tavares da Cunha Uchôa José Tavares de Mendonça Sarmento Lourenço Wanderley A. e Vasconcelos Salvador Pereira da Rosa e Silva Silvestre Domingues da Silva Suplentes que tomaram assento: Alexandre de Melo Pinto Afonso de Albuquerque Melo Antônio Ribeiro de Moura Bento Francisco Alves Francisco Braz Romeiro Francisco Pereira Freire Jesé Fernandes de Oliveira Santos Joaquim da Silva Freire José Corrêa da Silva Titára . N.326 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Francisco José Corrêa de Albuquerque João Eduardo Colaço Amado João Rabelo de Almeida Joaquim da Silva Freire José de Melo Corrêa Manoel da Porciuncula Lins Wanderley Manoel Joaquim Coirona DEPUTADOS PROVINCIAIS POR LEGISLATURA 1a. Legislatura 1835-1837 Antonio Andrade Luna Antonio Joaquim Monteiro de Sampaio Antonio Luiz Dantas de Barros Leite Domingos J.

N. 1838-1839 327 Antônio Luiz Dantas de Barros Leite José Tavares Bastos José Fernandes de Oliveira Santos José Cândido Pontes Visgueiro Manoel Gomes Ribeiro Júnior Francisco Braz Romeiro Francisco de Assis Barbosa Francisco Elias Pereira Francisco Joaquim Gomes Ribeiro Francisco Manoel Martins Ramos Floriano Vieira da Costa Delgado Perdigão Afonso de Albuquerque Melo Joaquim Timoteo Romeiro José Caetano de Moraes Manoel Mendes da Fonseca Luciano Pereira de Lira Pedro Antônio da Costa José Tavares de Mendonça Sarmento Iago Francisco Pinheiro Antônio de Andrade Luna José Bernardo de Aroxelas Galvão Francisco Frederico da Rocha José Corrêa da Silva Titára Francisco Pereira Freire Lúcio Soares de Albuquerque Eustáquio Macário José de Omena Félix José da Costa Francisco de Assis Ribeiro Tomaram assento os suplentes: Inácio Vieira de Barros Cajueiro Manoel Duarte Ferreira Ferro Miguel Veloso da S. e Vasconcellos Mateus Casado de Araújo Lima Arnaud Inácio Joaquim da Costa Lourenço Cavalcanti d’ Albuquerque Maranhão Salvador Pereira da Rosa e Silva João Camillo de Araújo José Paulino de Albuquerque Sarmento . Alarcão Ayalla Lourenço de Albuquerque Maranhão Luciano Pereira de Lira Luiz José de Barros Leite Manoel Mendes da Fonseca Manoel Rodrigues da Costa 2a. Leg.ABC das Alagoas José de Farias Lobo José de M.

328 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1840-1841 3a. Leg. Ramos Iago Francisco Pinheiro Inácio de Barros Vieira Cajueiro Inácio Hipolito Gracindo Inácio Joaquim Passos Júnior João Lins Vieira Cansanção do Sinimbú Joaquim José de Araújo Lima Rocha Joaquim Timoteo Romeiro Joaquim Serapião de Carvalho José Antônio Caldas José Antônio Marques José Bernardo de Aroxelas Galvão José Caetano de Moraes José Correia da Silva Titára José Fernandes de Oliveira Santos José Francisco da Silva Amaral José Tavares Bastos Lourenço Cavalcanti de Albuquerque Maranhão Luciano Pereira de Lira Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Manoel Gomes Ribeiro Júnior Manoel Mendes da Fonseca Salvador Pereira da Rosa Suplentes Antônio Buarque de Gusmão Francisco Antônio Fernandes P. 1842-1843 Afonso de Albuquerque Melo Floriano Vieira da Costa Delgado Perdigão Francisco de Assis Ribeiro Francisco Elias Pereira Francisco Manoel Martins Ramos Inácio de Barros Vieira Cajueiro Inácio Hipolito Gracindo João Lins Vieira Cansanção do Sinimbú . Legislatura Afonso de Albuquerque Melo Floriano Vieira da Costa Delgado Perdigão Francisco de Assis Barbosa Francisco de Assis Ribeiro Francisco Elias Pereira Francisco Manoel M. Júnior Francisco Pereira Freire Inácio Acioli de Vasconcellos José Antônio da Costa José de Farias Lobo (faleceu antes da apuração) Manoel Teixeira da Silva 4a.

de Albuquerque José Bernardo de Aroxelas Galvão José Correia Brasil Luciano Pereira de Lira Manoel Joaquim de Souza Manoel Lourenço da Silveira Manoel Soares de Albuquerque 5a. Leg. Cerqueira Francisco Pereira Freire Guilherme José da Graça Inácio Joaquim da Costa João Lins de Vasconcellos Joaquim José Domingues da Silva Joaquim T.M.ABC das Alagoas Joaquim José de Araújo Lima Rocha Joaquim Timoteo Romeiro Joaquim Serapião de Carvalho José Cândido de Pontes Visgueiro José Caetano de Moraes José Correia da Silva Titára José Fernandes de Oliveira Santos José Francisco da Silva Amaral José Joaquim Calheiros José Paulino de Albuquerque Sarmento José Tavares Bastos José Teixeira Barbosa Lourenço Cavalcanti de Albuquerque Maranhão Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Manoel de Farias Cabral Manoel Duarte Ferreira Ferro Manoel Gomes Ribeiro Júnior Manoel Sobral Pinto Manoel Teixeira Silva Salvador Pereira da Rosa Teotônio Ribeiro e Silva Suplentes Antônio da Costa Moraes Antônio Luiz de Araújo Antônio Ribeiro de Moura Junior Barnabé Pereira da Rosa Francisco de Meira Lima Francisco de P. P Júnior Francisco Elias Pereira . 1844-1845 329 Afonso de Albuquerque Melo Agostinho Moraes Guerra Antônio da Costa Moraes Antônio Luiz de Araújo Francisco Antônio F.

dos Santos Francisco Frederico da Rocha Iago Francisco Pinheiro Inácio de Barros Vieira Cajueiro Inácio Joaquim Passos João Lins Vieira Cansanção do Sinimbú Joaquim José de Araújo Lima Rocha Joaquim Serapião de Carvalho José Antônio de Mendonça José Antônio Marques José Cândido Pontes Visgueiro José Caetano de Moraes José Correia da Silva Titára José Paulino de Albuquerque Sarmento José Tavares Bastos Lourenço Cavalcanti de Albuquerque Maranhão Manoel Duarte Ferreira Ferro Manoel Gomes Ribeiro Júnior Manoel José Teixeira de Oliveira Manoel Lourenço da Silveira Silvério Fernandes de Araújo Jorge Suplentes Francisco Fernandes de O. Delgado Perdigão Francisco das Chagas Muniz Francisco Elias Pereira Francisco José da Silva Porto Guilherme José da Graça Iago Francisco Pinheiro Inácio Hipolito Gracindo Jacinto Paes de Mendonça Joaquim Timoteo Romeiro José Bernardino de Aroxelas Galvão . Santos Francisco Pereira Freire João Corrêa de Araújo José Bernardo de Aroxelas Galvão Lúcio Soares de Albuquerque Eustáquio Manoel Lino da Silva Tavares Timoteo Romero 6a. Leg. 1846-1847 Afonso de Albuquerque Melo Antônio Buarque de Gusmão Antônio Buarque de Lima Antônio da Silva Lisboa Antônio Luiz de Araújo Antônio Rodrigues Leite Gijuiba Azarias Carlos de Carvalho Gama Floriano Vieira da C.330 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Francisco F.

ABC das Alagoas
José Corrêa da Silva Titára José de Souza Moreira José Joaquim Calheiros José Ricardo de Sá Rego José Tavares de Mendonça Sarmento José Tomaz da Costa José Tomé Corrêa Lúcio Soares de Albuquerque Eustáquio Miguel Alves Teixeira de Mendonça Ovídio Saraiva de Carvalho Júnior Vicente de Paula Carvalho Suplentes Antônio da Costa Moraes Antônio de Carvalho Raposo Galdino Augusto da Natividade e Silva Inácio José de Mendonça Uchôa José Bernardo da Costa Graça José Lopes Ferreira Simplício Pereira da Rosa Calheiros 7a. Leg. 1848-1849

331

Antônio da Silva Lisbôa Antônio de Carvalho Raposo Antônio José Pinto Antônio Teixeira da Rocha Azarias Carlos de Carvalho Gama Esperidião Eloi de Barros Pimentel Francisco das Chagas Muniz Francisco Domingues da Silva Francisco Elias Pereira Francisco José da Silva Porto Guilherme José da Graça Iago Francisco Pinheiro Inácio Hipolito Gracindo Inácio José de Mendonça Uchôa Jacinto Paes de Menonça Joaquim Timoteo Romeiro José Antônio de Mendonça José Bernardo de Aroxelas Galvão José Fernandes de Oliveira Santos José Joaquim Calheiros José Lopes Ferreira José Vieira de Araujo Peixoto Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Manoel Gomes Ribeiro Júnior Pedro Antônio da Costa Moreira Salvador Pereira da Rosa e Silva Teotônio Ribeiro e Silva

332

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Vicente de Paula Carvalho Suplentes que tomaram assento: Antônio da Costa Moraes Antônio Luiz de Araújo 8a. Leg. 1850-1851

Antônio da Silva Lisbôa Antônio de Melo Albuquerque Antônio José Pinto Antônio Teixeira da Rocha Azarias Carlos de Carvalho Gama Cândido José de Moura Francisco Elias Pereira Francisco José da Silva Porto Guilherme José da Graça Iago Francisco Pinheiro Inácio Hipolito Gracindo Inácio José de Mendonça Uchôa João Gomes Ribeiro Joaquim Timotêo Romeiro José Antônio de Mendonça José Bernardo da Costa Graça José Bernardo de Aroxelas Galvão José Fernandes de Oliveira Santos José Joaquim Calheiros José Lopes Ferreira José. V. de Araújo Peixoto Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Manoel Gomes Ribeiro Junior Roberto Calheiros de Melo Salvador Pereira da Rosa e Silva Satiro José Barbosa Teotonio Ribeiro e Silva Vicente de Paula Carvalho Suplentes mais votados: Antônio Alves Monteiro Bernardo Antônio de Mendonça Esperidião Eloi de Barros Pimentel Fernando Afonso de Melo José Alexandre Passos José Antônio Marques José Inácio de Mendonça José Thomé Corrêa Lourenço Acioli Wanderley Canavarro 9a. Leg. 1852-1853

ABC das Alagoas
Antônio da Silva Lisbôa Azarias Carlos de Carvalho Gama Cândido José de Moura Esperidião Eloi de Barros Pimentel Félix da Costa Moraes Francisco Antônio de Souza Pinto Francisco José da Silva Porto Guilherme José da Graça Iago Francisco Pinheiro Inácio Hipolito Gracindo Inácio José de Mendonça Uchôa Jacinto Cândido de Mendonça Joaquim Timotêo Romeiro José Alexandre Passos José Bernardo de Aroxelas Galvão José Casado Acioli de Lima José Fernandes de Oliveira Santos José Lopes Ferreira José Sizinando Avelino Pinho Manoel da Costa Moraes Manoel Claudio de Aroxelas Jaime Manoel Gomes Ribeiro Junior Pedro Antônio da Costa Moreira Paulo Joaquim Teles Junior Rodrigo Netto Firmiano de Moraes Satiro José Barbosa Teotônio Ribeiro e Silva Vicente de Paula Carvalho Dos suplentes só tomou assento: José Prospero Jeova da Silva Coroatá 10a. Leg. 1854-1855

333

Ambrosio Machado da Cunha Cavalcante Antônio da Silva Lisbôa Azarias Carlos de Carvalho Gama Esperidião Eloi de Barros Pimentel Félix da Costa Moraes Francisco Antônio de Souza Pinto Francisco de Paula M. Cerqueira Francisco Carneiro da Cunha Tiririca Francisco Fernandes dos Santos Guilherme José da Graça Inácio José de Mendonça Uchôa Jacinto Cândido de Mendonça Joaquim Timotêo Romeiro José Bernardo de Aroxelas Galvão José Casado Acioli de Lima

334

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Lourenço Acioli Wanderlei Canavarro Lucio Soares de Albuquerque Eustáquio Manoel da Costa Moraes Manoel Claudino de Aroxelas Jaime Manoel Cezar Bezerra de Góes Manoel Gomes Ribeiro Junior Nicolau Tolentino da Costa Pedro Antônio da Costa Moreira Paulo Joaquim Teles Junior Rodrigo Neto Firmiano de Moraes Vicente de Paula Carvalho Teotônio Ribeiro e Silva Suplentes mais votados; José Rafael de Macedo Manoel Januário Bezerra Pedro Manoel da Costa Vespasiano A de Mendonça Sarmento 11a. Leg. 1856-1857

Ambrosio Machado da Cunha Cavalcante Antônio da Silva Lisbôa Francisco de Araújo Barros Francisco de Paula M. Cerqueira Francisco Fernandes dos Santos Getúlio Vespasiano A. da Costa Hermelindo Acioli de Barros Pimentel Inácio José de Mendonça Uchôa Jacinto Cândido de Mendonça Jacinto Paes de Mendonça Joaquim Timotêo Romeiro José Antônio Bahia da Cunha José Bernardo de Aroxelas Galvão José Prospero Jeova da Silva Caroatá José Sizinando Avelino Pinho Lourenço Acioli Wanderley Canavarro Lucio Soares de Albuquerque Eustáquio Manoel da Costa Moraes Manoel Claudino de Aroxelas Jaime Manoel Gomes Ribeiro Junior Manoel José Teixeira de Oliveira Nicolau Tolentino da Costa Pedro Antônio da Costa Moreira Paulo Joaquim Teles Junior Rodrigo Neto Firmiano de Moraes Salvador Correa de Sá e Benevides Teotonio Ribeiro e Silva Vicente de Paula Carvalho

ABC das Alagoas
Suplentes: Antonio de Carvalho Raposo Azarias Carlos de Carvalho Gama Francisco Antônio de Souza Pinto Manoel Cezar Bezerra de Góes Ricardo Pereira de Rosa Lins Satiro José Barbosa 12a. Leg. 1858-1859

335

Antônio Buarque de Lima Antônio Casado de Lima Azarias Carlos de Carvalho Gama Barnabé Pereira da Rosa Calheiros Bernardo Antônio de Mendonça Carlos Augusto da Silveira Lobo Francisco A F. Pinheiro Francisco Carneiro da Cunha Tiririca Francisco Fernandes dos Santos Francisco de P. M. Cerqueira Francisco Serafico de Assis Carvalho Jacinto Cândido de Mendonça Jacinto Paes de Mendonça João da Costa Silva Bousset João da Gama Lopes Bentes João Ferreira da C. Imbuzeiro José Angelo Márcio da Silva José Bernardo da Costa Graça José Cândido de Albuquerque Maranhão José Francisco Soares Leopoldino Antônio da Fonseca Lino Martir de São José Ferreira Manoel Amâncio das Dores Chaves Manoel Claudino de Aroxelas Jaime Manoel Gomes Ribeiro Junior Manoel Maria de Moraes Acioli Manoel Rodrigues Leite Oiticica Miguel Soares Palmeira Satiro José Barbosa Teotonio Ribeiro e Silva Suplentes que tomaram assento: Antonio Alvares de Souza Antonio José Pinto Candido José Alves da Silva Francisco A da C. Palmeira Getulio A V da Costa Joaquim Lopes da S. Viegas José do Rego B. Mendonça

336

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Mariano Joaquim da Silva Paulo Joaquim Teles Nunes 13a. Leg. 1860-1861

Antônio Eustaquio Alves da Silva Antônio José Pinto Apolinário Rabelo Pereira Torres Aristides da Silveira Lobo Barnabé Pereira da Rosa Calheiros Benjamim Franklin da Rocha Vieira Bernardo Antônio de Mendonça Domingos Leopoldino da C. Espinosa Felipe de Melo Vasconcellos Filinto Elisio de Lemos Gonzaga Francisco Antônio Fernandes Pinheiro Francisco José Meira Ildelfonso Josino de A Vasconcellos Correia Jacinto Cândido de Mendonça Jacinto Paes de Mendonça José Angelo Marcio da Silva José Bernardo de Aroxelas Galvão José Correia da Silva Titára José Torquato de Araujo Barros Lúcio Soares de A Eustaquio Manoel Buarque de Macedo Lima Manoel Felipe da Fonseca Manoel Gomes Ribeiro Junior Manoel José da Costa Batinga Manoel José Teixeira de Oliveira Manoel Martins de Miranda Mariano Joaquim da Silva Satiro José Barbosa Teotonio Ribeiro e Silva Tomaz de Bonfim Espindola Suplentes que tomaram assento: Antônio Alvares de Souza José Bernardo da Costa Graça Lino Martir de S. José Ferreira Luiz Laurindo Paes e Lima Nicolau Tolentino da Costa 14a. Leg. 1862-1863

Ambrosio Machado da C. Cavalcante Aristides da Costa e Silva Bernardo Antonio de Mendonça Castelo Branco Domingos Mondim Pestana Felipe de Melo Vasconcellos

Brandão Filho Cândido Cavalcanti de A Melo Carlos Augusto da Silveira Lobo Delfirio José de Oliveira Clarck Filigonio Avelino Jucundino de Araújo Floriano Vieira da Costa Delgado Perdigão Francisco Carneiro da Cunha Tiririca Jacinto Paes Pinto da Silva José Francisco Soares José Paulino d’ Albuquerque Sarmento José Vieira de A Peixoto Luiz Barreto Corrêa de Menezes Manoel Amâncio das Dores Chaves Manoel Vieira de Melo Miguel Soares Palmeira Ricardo Pereira da Rosa Lins Roberto Calheiros de Melo Tomaz do Bonfim Espindola 1o. Viana José Corrêa Paes Junior . Viana José Antonio de Mendonça Júnior José Bernardo da Costa Graça José Bernardo de Aroxelas Galvão Lourenço Bezerra Carneiro da Cunha Lúcio Soares de A Eustaquio Manoel da Costa Moraes Manoel Felipe da Fonseca Vicente de Paula Cascaes Teles 1o. Distrito 15a. Vasconcellos Domingos Fulgino da Silva Lessa Domingos L. 1864-1865 337 Anacleto de Jesus M. Batinga Satiro José Barbosa Teotonio Ribeiro e Silva 2o. Imbuzeiro José de Maia José Torquato de Araújo Barros Manoel José da C. Distrito Anacleto de Jesus Maria Brandão Filho Aureliano Nobrega de O. Distrito Eutiquio Carlos de Carvalho Gama Francisco Frederico de Cerqueira Valente Galdino Augusto da Natividade e Silva Joaquim Telesforo F. L.ABC das Alagoas Jacinto Candido de Mendonça Jacinto Paes Moreira de Mendonça Joaquim José de Araújo Joaquim Telesforo Ferreira L. Leg. M Cerqueira Filinto Elísio de Lemos Gonzaga João F. da C. da Costa Espinosa Francisco de P.

V. Brandão Filho Candido R. Distrito 16a. Leg. Distrito Delfiro José de Oliveira Clarck Eutiquio Carlos de Carvalho Gama José Corrêa Paes Júnior José Torquato de Araújo Barros Lourenço Cavalcanti de A Maranhão Manoel César Bezerra de Góes Manoel Joaquim dos Santos Paturi Manoel Vieira de Melo Miguel Alves Feitosa Satiro José Barbosa Theofilo Fernandes dos Santos Virgilio Peixoto de Araújo Palmeira 2o. 1866-1867 Alexandre Mariz da Fonseca Anacleto de Jesus M. Distrito 17a. Leg. e Silva Hermelindo Acioli de B. Pimentel José Alves de Aguiar José Pedro Carneiro da Cunha Lourenço Acioli Wanderley Canavarro Luiz Barreto Corrêa de Menezes Luiz Laurindo de Paes Lima Manoel Amancio das Dores Chaves Manoel Cavalcanti de Albuquerque Manoel Fortunato de Paiva Tomaz de Bonfim Espindola Tiburcio Valeriano da Rocha Lins Vicente de Paula Carvalho 1o. 1868-69 Bernardo Antônio de Mendonça Cândido Cavalcanti de Melo Delfiro José de Oliveira Clack Felipe de Melo Vasconcellos Floriano José de Miranda Getúlio Vespasiano Augusto da Costa Jacintho Cândido de Mendonça João da Silva Rego e Melo . Cavalcante de Albuquerque Luiz Ferreira de Souza Lessa Manoel César Bezerra de Góes Miguel Alves Feitosa Satiro José Barbosa Teofilo Fernandes dos Santos Vicente de Paula Carvalho 2o. de Araújo Felix da Costa Moraes Francisco Carneiro da C.338 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Lourenço B. Tiririca Galdino Augusto da N.

Batinga Socrates de Carvalho Moreira Guimarães Teófilo Fernandes dos Santos Tiburcio Valeriano da Rocha Lins Virgilio de Araújo Palmeira 2o. Distrito Francisco Frederico de Cerqueira Valente João Lopes de Aguiar Silva Muritiba José Correia Paes Júnior José Torquato de Araújo Barros Luiz Barreto Correia de Menezes Manoel César Bezerra de Góes Manoel Joaquim dos Santos Paturi Manoel José da C. Canavarro Lúcio Soares de A Eustáquio Luiz Barreto Corrêa de Menezes Miguel Alves Feitosa Miguel Felício Bastos da Silva Olimpio Eusebio de Aroxelas Galvão Pedro Isidro Freire de Souza 1o. Torres Antônio da Pureza Vasconcelos Barnabé Elias da Rosa Calheiros Bernardo Antônio de Mendonça Felipe de Melo Vasconcellos Francisco José Meira Jacinto Cândido de Mendonça João da Costa Silva Bossuet João Fernandes Chaves João Lopes de Aguiar Silva Muritiba José Antônio de Magalhães Bastos José Bernardo de Aroxelas Galvão José Gomes de Lima Lúcio Soares de A Eustáquio Luiz Antônio Moreira de Mendonça Rosendo César de Góes Tiburcio Valeriano de Araújo Vicente de Paula Cascaes Teles 1o.ABC das Alagoas João Fernandes Chaves José Gomes de Lima Levino Vieira de Macedo Lima Lourenço Acioli W. 1870-71 339 Antônio Candido de Mendonça Apolinário Rabello P. distrito Antônio de Melo Albuquerque Cândido José de Moura Floriano José de Miranda João F. da C. Distrito 18a. Imbuzeiro João Luiz da Silva Reis Joaquim José de Araújo . Leg.

Leg. 1874-1875 Antônio Cardoso Sobral Antônio Máximo de Moura Apolinário Rabelo Perreira Torres Aureliano A. E. C. distrito Aureliano Numeriano Pontes da Silveira Felipe de Melo Vasconcellos Felinto Elisio de Lemos Gonzaga Floriano José de Miranda João Fernandes Chaves João Luiz da Silva Reis José Cândido de A.340 Francisco Reinaldo Amorim de Barros José Antônio Bahia da Cunha José de Maia Melo José Virginio Teixeira de Araújo Manoel Joaquim dos Santos Paturi Olimpio Eusebio de Arroxelas Galvão Teotonio Ribeiro e Silva 2o. 1872-1873 Antônio da Pureza e Vasconcellos Apolinário Rabelo Pereira Torres Barnabé Elias da Rosa Calheiros Bernardo A. Leg. Eustáquio Olimpio Eusébio de Aroxelas Galvão Teotônio Ribeiro da Silva 2o. Distrito 19a. da Rosa Calheiros Bernardo da Costa Graça Cândido José de Moura Epaminondas Hipolito Gracindo Francisco Pedro da Costa Moreira Jacinto Paes de Mendonça Jaraguá . Umbuzeiro João Lopes de Aguiar Silva Murituba Joaquim José de Araújo José Antônio Lopes José Bernardo de Aroxelas Galvão José Gomes de Lima Júlio Cezar de Mendonca Uchôa Luiz Antônio Moreira de Mendonça Manoel Joaquim dos Santos Paturi Rozendo Cezar de Goes Tiburcio Valeriano de Araújo 1o. R. da C. Maranhão José Correia da Silva Titará José Virginio Teixeira de Araújo Lúcio Soares de A. de Mendonça Castelo Branco Cândido José de Moura Francisco de Vasconcellos Mendonça João F. e Silva Barnabé. distrito 20a.

da Cunha Sales Júlio Cezar Leal Manoel Casimiro da Rocha Júnior Manoel Fernandes de Araújo Jorge Tiburcio Valeriano de Araújo Vicente de P. distrito 21a. Lessa José Libânio da Silva Monteiro José R. distrito Felipe de Melo Vasconcellos Floriano José de Miranda João F. Distrito Filinto Elisio de Lemos Gonzaga Francisco de Borja Barros Loureiro Francisco de Vasconcellos Mendonça João Luiz da Silva Reis Joaquim Albino de Oliveira Lessa José de Maia Melo Ladislau de Souza Melo Neto Manoel Casimiro da Rocha Manoel Gomes Ribeiro 341 . Leg. Cascaes Teles 1o. S. Paturi 2o. 1876-1877 Apolinário Rabelo Torres Cândido Cavalcante de Albuquerque Melo Cândido José de Moura Dionisio Rodrigues de Melo Castro Francisco de Melo Vasconcelos Iago Francisco Pinheiro João da Costa Bousset Joaquim Pontes de Miranda José Bernardo de Aroxelas Galvão José Gomes de Lima José Lopes Ferreira José Marinho de Alcantara Lima José Virginio Teixeira de Araújo Júlio Cezar de Mendonça Uchôa Luiz Antônio Moreira de Mendonça Lúcio Soares de Albuquerque Eustáquio Manoel Verrisimo da Costa Moreira Mateus Casado de Araújo Lima Arnaud 1o.ABC das Alagoas Joaquim Albino de O. de C. Imbuzeiro João Fernandes Chaves João Lopes de Aguiar Silva Muritiba José Correia da Silva Titara ( faleceu antes da apuração) Manoel Martins de Miranda Manoel Pereira Baracho Nicolau Tolentino da Costa Paulino Salvador da Rosa e Silva Teotonio Ribeiro e Silva Tertuliano J.

1878-1879 2o.342 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Manoel Sobral Pinto Manoel Vieira da Fonseca Tertuliano José dos Santos Paturi 22a. 1880-1881 Agapito de Lemos Medeiros Alexandre Mariz da Fonseca Ambrosio Cavalcante de Gusmão Lira Antônio dos Santos Aranda Antônio Ferreira de Novaes Melo Antônio Jerônimo Marques Arestides Arnaldo Bezerra Cansanção Aureliano Nobrega Olinda e Vasconcelos Pereira Torres Ernesto Alves Rodrigues Francisco da Rocha Holanda Cavalcante Francisco de Albuquerque Holanda Cavalcante Francisco Frederico de Cerqueira Valente . Leg. distrito Ambrosio Cavalcante de Gusmão Lira Eustaquio Apolinario Rabelo Pereira Torres Felinto Elisio de Lemos Gonzaga Felipe de Melo Vasconcelos Francisco de Albuquerque Holanda Cavalcante Francisco Borja Barros Loureiro Francisco Frederico de Cerqueira Valente Francisco Vital da Silva Hermelindo Acioli de Barros Pimentel João da Silva Rego e Melo José de Maia Melo José Francisco Soares José Januário Pereira de Carvalho José Paulino de Albuquerque Sarmento José Pedro Carneiro da Cunha José Tomaz da Silva Lúcio Soares de Albuquerque Luiz Antônio Moreira de Mendonça Manoel Antônio Pereira Manoel Baltazar Pereira Diegues Manoel Messias de Gusmão Lira Manoel Ribeiro Barreto de Menezes Manoel Vitorino da Costa Barros Miguel Felício Bastos da Silva Rozendo Cesar de Goés Satiro José Barbosa Tertuliano dos Santos Paturi Teofilo Fernandes dos Santos Tiburcio Valeriano da Rocha Lins Vicente Alves de Aguiar 23a. Leg.

ABC das Alagoas Francisco Vital da Silva Hermelindo A. Leg. de Barros Pimentel Hermino de Paula Mesquita Cerqueira João Lins Vieira Cansanção de Sinimbú Júnior João Moreira de Carvalho José Antônio Ribeiro de Araújo José Francisco da Silva Braga José Januário Pereira de Carvalho José Paulino de Albuquerque Sarmento José Pedro Carneiro da Cunha José Tomaz da Silva Manoel Antônio Pereira Manoel Casimiro Lúcio de Souza Manoel de Messias Gusmão Lira Manoel Melchisedeck de Farias Maia Miguel Felício Bastos da Silva Sebastião José de Moraes Bello Vicente Alves de Aguiar 24a. 1882-1883 Afonso José de Mendonça Uchôa Alexandre Mariz da Fonseca Antônio Inácio da Silva Antônio Victor de Barros Teixeira Apolinário Rabelo Pereira Torres Epaminondas Hipolito Gracindo Esichio de Barros Bezerra Fortunato Benjamim Lins de Vasconcellos Francisco de Borja Barros Loureiro Jacinto Paes de Mendonça Filho João Baptista Acioli Lins Joaquim Machado da Costa Cunha Cavalcante José Antônio Ribeiro de Araújo José Correia Paes José Francisco da Silva Braga José Januário Pereira de Carvalho José Ramalho dos Reis José Tomaz da Silva José Virgínio Teixeira de Araújo Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Manoel Clementino do Monte Manoel Melchisedeck de Farias Maia Manoel Ronaldsa de Castilho Brandão Matias da Costa Barros Miguel de Moraes Melo Pedro Nolasco dos Reis Lima Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro Sebastião José de Moraes Belo Tertuliano José Eliseu Canuto Teotônio de Santa Cruz Oliveira 343 .

Leg. Legis 1886-1887 Antônio Alves Feitosa Antônio Cardoso Sobral Antônio Soares de Melo Apolinário Rabelo Pereira Torres Aprígio Gonçalves de Andrade Augusto José de Melo Cândido Augusto de Mendonça Sarmento Epaminondas Hipolito Gracindo Esichio de Barros Bezerra Filigônio Avelino Jucundino de Araújo Francisco de Borja Barros Loureiro Francisco Lins de Meira Lima Francisco de Melo Vasconcellos Francisco de Paula Bittencourt Jacinto Paes de Mendonça Filho . 1884-1885 Agapito Moreira Lemos Antônio Vitor de Barros Teixeira Apolinário Rabelo Pereira Torres Aprígio Gonçalves de Andrade Augusto Acioli de Barros Pimentel Cândido Calheiros de Melo Dionisio Rodrigues de Melo Castro Francisco de Borja Barros Loureiro Francisco Vital da Silva Jacinto Paes de Mendonça Filho João Alberto Ribeiro João Baptista Acioli Lins José Correia de Lima José Felipe de Gusmão Uchôa José Francisco da Silva Braga José Ramalho dos Reis José Tomaz da Silva José Virgínio Teixeira de Araújo Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Clementino do Monte Manoel Gomes Ribeiro Manoel Martins de Miranda Manoel Melchisedeck de Farias Maia Mariano Joaquim da Silva Numa Pompilio Passos Pedro Nolasco dos Reis Lima Tertuliano José Elyseu Canuto Teotonio de Santa Cruz Oliveira Tomaz de Gusmão Vicente Alves de Aguiar 26a.344 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 25a.

do Governo Provisório. Leg. 1888-89 345 Afonso José de Mendonça Antônio Cardoso Sobral Antônio Eustorgio de Oliveira e Silva Antônio Inácio da Silva Apolinário Rabelo Pereira Torres Bernardo Lindolfo de Mendonça Cândido Augusto de Mendonça Sarmento Epaminondas Hipolito Gracindo Ernesto Alvim da Silva Filigônio Avelino Jucundino de Araújo Firmino José de Góes Francisco de Paula Bittencourt Jacinto Paes de Mendonça Filho João Capistrano de Mendonça João Francisco da Rocha Rijo Joaquim Inácio Loureiro Joaquim José de Araújo Lima Rocha José de Barros de Albuquerque Lins José Felipe de Gusmão Uchôa José Ramalho dos Reis José Vicente Pereira Neto José Virgínio Teixeira de Araújo Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Clementino do Monte Manoel Messias de Gusmão Lira Manoel Rufino Maia Pedro Ayres das Silva Costa Pedro Nolasco Buarque de Gusmão Lira Pedro Aires das Silva Costa Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro Tertuliano José Eliseu Canuto Por decreto de 20 de novembro de 1889. foram extintas as Assembléias Provinciais .ABC das Alagoas João Baptista Acioli Lins João Coimbra João Francisco da Rocha Rijo José Felippe de Gusmão Uchôa José Ramalho dos Reis José Virgínio Teixeira de Araújo Lúcio Soares de Albuquerque Eustaquio Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Clementino do Monte Manoel Melchisedeck de Farias Maia Mariano Joaquim da Silva Tertuliano José Eliseu Canuto Tiburcio Alves de Carvalho Ursulino Barbosa da Silva 27a.

1913-14) Afrânio de Araújo Jorge (1917-18) Ageo Velloso Freire (1891-92. 23-24.346 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEPUTADOS ESTADUAIS POR ORDEM ALFABETICA. 1907-08. 28. 29-30) Antônio José Rodrigues Braga ( 1899-1900) Antônio Lopes Vieira (1905-06) Antônio Machado Dias (1895-96. 9. 31. Congressso se reúne a 21 de abril de cada ano. 17. 93-94) Afonso Toledo de Albuquerque (1897-98. 5. 22. 38. 11. 33. 11-12 e 17-18. 03-04. 17-18. 09-10) Achiles de Melo Lelis (1903-04) Adalberto Marroquim (1917-18. 29-30) Alfredo de Carvalho (1901-02) Alfredo de Maia ( 1905-06. 19-20. 19-20. 27-28. 24. 19. Senado Estadual. 05-06. 27-28) Afonso José de Mendonça (1891-92. 35. 23-24) Antônio Anacleto de Oliveira (1903-04. 4. 07-08. 27-28) Aloisio Aderito de Menezes (1913-14) Álvaro Cardoso (1907-08) Álvaro Corrêa Paes (1913-14) Álvaro de Almeida (1929-30) Álvaro Flores (1901-02. 1901-02. 2. 93-94) Agostinho Rodrigues da Cunha Monteiro (1899-1900) Alexandre Eraldo Pompílio Passos (1913-14. 23-24) Adolfo Augusto de Camerino (1915-16. 15 membros. 17-18. Achiles Balbino Leles Melo (1899-1900. 46. 97-98 e 99-1900) Antônio Pinheiro (1903-04 e 05-06) Antônio Quintela Cavalcante (1895-96) Antônio da Silva Barbosa (1897-98) . 10. 99-1900. 3. 8. 32. 25. 45. 29-30) Alfredo Uchôa (1929-30) Alípio Minervino da Silva ( 1923-24. 20. 21. 26. 15. 05-06 e 09-10) Antônio Maurício da Rocha (1911-12) Antônio Máximo da Cunha Rego ( 1891-92. 25-26. 21-22. 1901-02. 09-10 e 11-12) Antônio Cândido Vieira (1919-20 e 21-22. 12. 23. 05-06. 39. 03-04) Amaranto Filho (1917-18) Ambrosio Cavalcante de Gusmão Lira ( 1891-92) Américo Melo ( 1913-14. 07-08. 42. 6. 03-04. 23-24.23-24. 27. 1. 27-28 e 29-30) Antônio Cardoso Cabral ( 1911-12) Antônio Cansanção (1929-30) Antônio Espíndola de Oliveira (1901-02) Antônio Florentino da Cerqueira Cavalcante (1896. 36. 21-22. 19-20. 40. com mandato de 9 anos. 09-10) Alfredo Oiticica (1909-10. 7. 41. 34. 09-10. 99-1900. 29.25-26. 21-22. 37. 29-30) Anfilófio de Melo (1929-30) Ángelo Graciliano Martins ( 1915-16. 18. 30. 25-26. 09-10 e 11-12) Antônio Francisco Leite Giquiba (1896) Antônio Guedes de Miranda (1909-10. 97-98. 17-18 e 29-30) Alfredo de Santa Rita ( 1919-20. 13. 16. 43. com mandato de 3 anos. 14. 44. 15-16) Alfredo de Barros b ( 1927-28. ATÉ 1930 Constituição de 1891 – Câmara dos Deputados 30 membros. 11-12) Antônio Augusto da Cunha (1893-94) Antônio Barreiros Filho (1909-10) Antônio Buarque de Gusmão (1907-08. 21-22.

17-18. 48. 62. 73. 1901-02. 1903-04. 93-94) Crisanto do Nascimento Carvalho (1925-26. 82. 88. 1917-18. 72. 25-26. 99-1900) Ernesto Bezerra (1921-22. 19-20 e 21-22. 11-12) 347 . 49. 93-94. 81. 09-10 e 11-12) Cândido Ferreira Machado (1903-04. 57. 51. 95-96. 25-26) Francisco Antônio de Melo (1897-98 e 99-1900) Francisco Augusto da Silveira (1895-96) Francisco Avelino Cabral (1913-14) Francisco da Rocha Holanda (1915-16) Francisco da Rocha Santos ( 1893-94. 23-24) Ernesto Lopes (1929-30) Euclides Celso da Silva (1909-10) Euclides Vieira Malta (1891-92. 75. 03-04. 66. 58. 95-96. 97-98. Antônio de Melo Machado ( 1929-30) Antônio de Sá Quintella (1897-98) Argêmiro Joviano da Silva (1895-96 e 97-98) Arsênio Araújo (1917-18) Artur Acioli Lopes Ferreira ( 1919-20 e 21-22. 96. 1901-02. 05-06) Carlos Frederico Barbosa Valenta (1901-02) Carlos Luís de Araújo (1913-14 e 15-16) Carlos Pontes (1917-18 e 29-30) Carlos Povina Cavalcanti (1921-22) Clementino da Silva Tavares (1899-1900) Cornélio José da Silva (1913-14) Crodegando Mendes Ferreira (1891-92. 69. 89. 68. 56. 78. 03-04. 92. 86. 53. 95-96) Filigônio Avelino J. 27-28) Francisco de Paula Acioli (1897-98) Francisco Gonçalves Vasco (1915-16. 67. 76. 95-96) Fausto de Barros (1895-96) Feliciano da Silva Taboca ( 1893-94. 61.23-24. 05-06) Ernani Teixeira Basto (1919-20. 80. 85. 64. 97-98 e 99-1900) Aurélio Lins (1929-30) Balthazar de Mendonça (1921-22) Belarmino Cavalcante de Albuquerque (1895-96) Bonifácio Magalhães da Silveira (1893-94. 83. 23-24) Francisco Itabira de Brito ( 1909-10. de Araújo (1893-94) Firmino de Aquino Vasconcellos (1893-94) Firmo da Cunha Lopes (1907-08. 07-08 e 09-10) Democrito Brandão Gracindo (1925-26. 70. 21-22) Francisco Henrique Moreno Brandão (1921-22. 94. 21-22) Ernesto Alvim da Silva (1897-98. 29-30) Firmo Ferreira de Castro (1919-20 e 21-22. 27-28) Damaso do Monte (1893-94. 93. 27-28 e 29-30) Augusto Costa (1917-18) Augusto José de Melo (1893-94 e 1901-02) Aureliano de Lemos Lessa (1891-02. 79. 27-28) Domingos Lima (1919-20) Edgard da Cruz Ferreira (1913-14 e 15-16) Enéas Augusto Rodrigues de Araújo (1897-98. 65. 63. 91. 1915-16) Francisco de Albuquerque Holanda Cavalcanti (1891-92. 19-20. 54. 84. 1907-08 e 09-10) Caetano Valverde Brandão (1925-26. 95. 74. 97-98. 09-10. 87. 90.ABC das Alagoas 47. 99-1900. 59. 77. 97. 23-24. 27-28) Cândido Calheiros de Melo (1897-98) Cândido de Almeida Botelho (1899-1900. 50. 07-08. 55. 23-24. 60. 71. 99-1900. 52.

João Duarte de Barros (1895-96) 123. João Ferreira Tavares Lessa ( 1901-02. João Saraiva de Albuquerque (1901-02. 17-18 e 19-20) 129. 09-10. José Bezerra Barros (1909-10. João da Rocha Cavalcante Neto (1891-92. Jacinto de Assumpção Paes de Mendonça ( 1891-92) 116. José Correia Paes (1891-92) . Ildelfonso Pereira de Melo ( 1897-98. Joaquim Alves da Gama (1909-10) 132. Isidro Teixeira de Vasconcelos (1929-30) 113. Gregório Alves Caldas (1925-26. Inácio Uchôa de A. Joaquim Goulart d’Andrade ( 1905-06. 05-06) 104. João da Rocha Acioli ( 1925-26. 25-26. Joaquim Lopes de Farias Lima ( 1895-96) 137. José Antônio Marques (1913-14) 144. José Antônio Duarte (1893-94. 05-06. Francisco Xavier de Almeida (1897-98) 102. 11-12. 05-06. 27-28) 120. Higino Espíndola da Costa Belo (1903-04 e 11-12) 108. Hildebrando Nicolau Batista ( 1913-14) 107. 15-16) 126. 21-22) 139. 95-96) 143. Inácio de Moraes Sarmento (1915-16) 109. 25-26. 1903-04. João Emidio de Albuquerque ( 1901-02) 124. 07-08) 101. 07-08. Sarmento (1917-18) 111. 11-12) 131. Jorge de Lima (1919-20. 15-16) 114. 09-10. 29-30) 135. José Alves Pires Tojal (1893-94) 140. João de Alcântara Farias (1897-98) 122. Galdino de Alcântara Taveiros (1899-1900. 1905-06. 23-24. 95-96) 100. 05-06. 07-08. 13-14. 03-04. José Bezerra Montenegro (1915-16) 147. 1913-14. Francisco Venâncio Barbosa ( 1905-06. João Batista da Costa e Silva (1893-94) 119. 11-12) 146. 03-04. Frederico Neto Rabelo Maia (1899-1900. Joaquim Alves de Araújo (1907-08 e 11-12) 133. 05-06) 110. Januário Procópio do Rego (1899-1900) 118. 1901-02. José Ângelo Vieira de Brito ( 1913-14. 07-08) 138. 11-12 e 17-18) 121. João Vieira Lisboa (07-08.348 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 98. 03-04. João Firmino dos Reis Lins ( 1895-96. Joaquim de Freitas Melro ( 1909-10 e 21-22. 05-06) 112. Francisco Soares Palmeira (1893-94. 21-22) 145. José Avelino Silva ( 1919-20. Francisco Izidoro Rodrigues da Costa (1895-96) 99. João Francisco da Costa Rijo ( 1903-04) 127. José Calheiros (1929-30) 148. Inácio Joaquim Pereira Lobo (1903-04. Jacinto Buarque de Holanda ( 1905-06) 115. Jacinto de Moraes Salles (1899-1900. João Francisco de Assis Lima ( 1921-22) 128. 99-1900. 15-16) 141. 1901-02) 117. 13-14) 130. 29-30) 106. Joaquim Alves Rego (1909-10) 134. 1901-02 ) 103. Joaquim Pontes de Miranda Filho (1901-02. 03-04. José Antônio de Mendonça Netto ( 1899-1900 e 1903-04) 142. Jacinto Anacleto do Nascimento (1913-14. 09-10) 136. 09-10. 27-28) 125. 27-28. Gilberto de Andrade (1917-18) 105. João Machado de Melo (1901-02. 07-08.

25-26. 09-10. 191. 194. 25-26) Luiz Eugênio da Silveira Leite (1897-98) Luiz Freitas Melro (1919-20) Luiz Gonzaga de Almeida Araújo (1891-92) 349 . 27-28 ) José Mateus da Graça Leite (1891-92) José Nicodemos de Pontes (1905-06. 183. 05-06. 181. José da Rocha Cavalcante Filho (1919-20) José de Aquino Ribeiro (1919-20. 182. 11-12) Jovino Odorico de Menezes (1895-96) Jovino Pereira da Luz (1895-96) Júlio Auto da Cruz Oliveira (1905-06) Júlio César de Mendonça Uchôa (1921-22. 07-08. 27-28) Luiz de F. 27-28. 187. 169. 27-28) José de Sá Peixoto (1891-92 e 1911-12) José Domingues Lordsleem (1893-04. 19-20) Luiz Carneiro de Albuquerque (1913-14. 151. 25-26. 174. 180. 164. 176. 27-28. 27-28) José Felipe de Azevedo (1907-08. 159. 19-20) Luiz da Cunha Lima (1923-24. 190. 11-12) Luiz Antônio Moreira de Mendonça Filho ( 1913-14) Luiz Barreto Correia de Menezes (1901-02. 07-08. 186. 09-10. 29-30) José Joaquim de Freitas (1907-08) José Jovino Marques Júnior (1915-16) José Leão de Araújo Rego (1909-10. 188. 03-04. Castro Barroca (1893-94) Luiz de Mascarenhas (1917-18. 165. 154. 23-24) José Rodrigues de Lima (1919-20. 184. 199. 19-20 e 21-22. 29-30) José Inácio (1927-28. 179. 162. 155. 17-18. 23-24) José Vieira de Araújo Peixoto (1913-14) José Vieira de Figueiredo (1913-14) José Vulpiano de Araújo Jatobá (1903-04. 25-26) José Honório de Carvalho (1915-16) José Inácio Pereira Rego (1915-16. 158. 25-26. 25-26) José de Barros de Albuquerque Lins (1891-92 e 1913-14) José de Barros Wanderley de Mendonça ( 1895-96) José de Castro Azevedo (1917-18. 19-20 e 21-22. 168. 11-12) José Fernandes de Barros Lima (1893-94 e 1917-18) José Fernandes de Barros Lima Filho (1925-26) José Gonçalves Lages (1917-18. 157. 11-12) José Quintela Cavalcante (1921-22. 152. 198. 05-06. 163. 167. 172. 160. 1899-1900. 166. 173. 195. 1901-02. 177. 189. 156. 170. 21-22. 25-26. 1903-04) José Malta de Sá (1923-24. 171. 197. 99-1900. 161. 29-30) José Leonel de Melo (1915-16) José Macário Barbosa (1893-94. 23-24. 19-20) Luiz Cesário Cardoso Aires (1917-18. 23-24. 196.ABC das Alagoas 149. 29-30) Ladislau Pereira da Costa (1895-96) Leonidas José Vieira Barbosa (1907-08 e 11-12) Leonino Corrêa (1917-18) Liberato Mitchell (1905-06) Ludgero Rodrigues de Carvalho (1893-94) Luduvico da Costa e Silva (1907-08. 27-28. 17-18. 23-24. 192. 153. 193. 178. 185. 29-30) Júlio Mendonça (1927-28) Juvêncio da Rocha Ramos (1921-22. 13-14) José Faustino Marinho Falcão (1901-02. 23-24. 25-26. 150. 21-22. 25-26. 03-04) Luiz Carlos de Souza Neto (1915-16. 175. 15-16.

27-28. 11-12) . 07-08) Luiz Machado de Andrade (1915-16) Luiz Magalhães da Silveira (1917-18) Luiz Menezes Silva Porto (1909-10. 99-1900. 09-10. 07-08. 19-20. e 19-20 ) Macário das Chagas Rocha Lessa ( 1891-92. 09-10) Luiz Lavenére Wandeley (1905-06. 228. 1905-06. 29-30) Manoel Tomaz da Silva (1911-12) Miguel Soares Palmeira (1895-96) Minervino Alves Prado (1893-94 e 1897-98) Natalício Camboim de Vasconcelos (1901-02. 249. 250. 241. 222. 25-26. 03-04. 210. 244. 1901-02. 17-18. 230. 11-12) Manoel Antônio Supardo (1891-92) Manoel Aristeu Goulart de Andrade (1901-02) Manoel Baltazar Pereira Diégues Júnior (1891-92 e 1901-02) Manoel Clementino da Silva Tavares (1897-98) Manoel Correia de Araújo Rocha (1895-96) Manoel da Costa Bivar (1919-20) Manoel da Graça Leite (1899-1900) Manoel de Sampaio Marques (1895-96) Manoel Duarte Vieira Ferro (1901-02) Manoel Eugênio da Silva Carvalho (1897-98) Manoel Firmino Pinheiro (1903-04. 237. 05-06. 03-04. 27-28. de Albuquerque (1893-94) Pedro Martirio de Góes (1907-08. 1901-02. 07-08. 99-1900. Francisco Reinaldo Amorim de Barros Luiz Joaquim da Costa Leite (1895-96) Luiz José da Silva e Melo ( 1897-98. 29-30) Odilon Auto Cruz de Oliveira (1911-12. 217. 203. 27-28. 25-26. 213. Rodrigues Mota (1893-94) Otavio Amazonas (1919-20 e 21-22. 219. 99-1900. 09-10. 23-24. 238. 201. 242. 1915-16. 214. 1901-02. 29-30) Olimpio Bezerra Pinto Coelho ( 1919-20 . 15-16. 99-1900. 243. 13-14. 11-12) Pedro Pierre da Silva Braga (1921-22. 05-06. 25-26. 09-10. 99-1900. 205. 17-18) Luiz Moreira Filho (1915-16) Luiz Prudente de Moraes Barros (1896. 204. 29-30)) Manoel Joaquim de Mendonça Martins (1913-14) Manoel Joaquim Nóbrega de Vasconcelos (1891-92) Manoel Josias de Monteiro ( 1911-12) Manoel Leopoldino Pereira Neto (1891-92) Manoel M. 215. 211. 23-24. 15-16.350 200. 221. 03-04. 208. 97-98 ) Luiz Velho Barreto de Mendonça (1901-02) Luiz Vieira da Siqueira Torres (1897-98. de Farias Maia (1893-94) Manoel Messias de Gusmão (1915-16. 246. 220. 223. 07-08. 225. 234. 226. 1901-02. 233. 239. 03-04. 236. 21-22) Manoel Otaviano Guedes Nogueira (1907-08) Manoel Pinto do Amaral Lisboa Filho (1925-26) Manoel Rodrigues de Melo (1917-18) Manoel Felino Tenório (1923-24. 216. 11-12) Luiz Mesquita ( 1913-14.faleceu antes de tomar posse) Orlando Marinho Falcão Sucupira ( 1897-98. 229. 05-06. 212. 19-20 e 21-22. 97-98. 11-12) Pedro Cabral (1913-14) Pedro Cavalcante de Souza ( 1897-98. 25-26. 03-04) Pacheco Ramalho (1923-24. 218. 27-28. 245. 248. 202. 206. 29-30) Pedro Barbosa da Silva (1905-06. 209. 227.e 27-28) Pedro Pierre Dantas Barreto (1899-1900. 224. 240. 232. 07-08) Pedro da Cunha C. 231. 247. 09-10. 23-24. 05-06) Nelson Flores (1929-30) Nicolau R. 05-06. 235. 207.

253. 252. 272. 25-26) Tito de Barros (1915-16 e 17-18. 23-24) 351 DEPUTADOS ESTADUAIS POR LEGISLATURAS Congresso Constituinte do Estado ( instalado em 3/abr. 265. 15-16. 267. 263. 261. 262. 270. 25-26. 255./1891) e 1a. 11-12 e 15-16) Vicente Coiro ( 1913-14) Virgílio Uzeda ( 1901-02. 258. Legislatura Afonso José de Mendonça Ageo Veloso Freire Ambrosio Cavalcante de Gusmão Lira Antônio Máximo da Cunha Rego Aureliano de Lemos Lessa Crodegando Mendes Ferreira Euclides Vieira Malta Francisco de Albuquerque Holanda Cavalcante Jacinto de Assumpção Paes de Mendonça João da Rocha Cavalcante Neto José Correia Paes José de Barros de Albuquerque Lins José de Sá Peixoto José Mateus da Graça Leite Luiz Gonzaga de Almeida Araújo Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Antônio Supardo Manoel Baltazar Pereira Diegues Junior Manoel Leopoldino Pereira Neto Manoel Joaquim Nobrega de Vasconcelos Raimundo Pontes de Miranda Rodrigo Corrêa de Araújo Silvestre Otaviano Loureiro Tiburcio Alves de Carvalho 1891-1892 . 19-20 e 21-22. 1901-02) Salvador Calmon (1909-10. 15-16) Rodrigo Corrêa de Araújo ( 1891-92) Salustino Tavares de Mendonça Sarmento (1897-98. 23-24. de Mendonça (1893-94) Pinto Filho (11927-28. 11-12) Serzedelo Maia de Barros Correia (1925-26) Sérgio de Oliveira Costa (1893-94) Severino Correia de Oliveira (1913-14) Silvestre Otaviano Loureiro ( 1891-92) Sinfrônio Paes Barreto (1893-94) Soares Pinto ( 1923-24) Tiburcio Alves de Carvalho ( 1891-92) Tiburcio Nemésio (1913-14. 259. 266. 264. 257. 03-04) Wenceslau José de Almeida ( 1915-16. 269. Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro (1897-98. 256. 29-30) Pio Jardim (1917-18) Raimundo Pontes de Miranda (1891-92) Roberto Otaviano de Souza Machado (1913-14. 27-28) Vicente Alves da Gama (1909-10. 99-1900) Pedro Velho B. 260. 99-1900. 23-24. 254. 268. 271.ABC das Alagoas 251.

Rodrigues Mota Pedro da Cunha C. de Albuquerque Pedro Velho B. Leg. de Farias Maia Minervino Alves Prado Nicolau R. Afonso José de Mendonça Ageo Veloso Freire Antônio Augusto da Cunha Augusto José de Melo Bonifacio Magalhães da Silveira Crodegando Mendes Ferreira Damaso do Monte Euclides Vieira Malta Feliciano da Silva Taboca Filogônio Avelino J. de Araújo Firmino de Aquino Vasconcellos Francisco da Rocha Santos Francisco Soares Palmeira João Baptista da Costa e Silva José Alves Pires Tojal José Antônio Duarte José Domingues Lordsleem José Fernandes de Barros Lima José Macário Barbosa Ludgero Rodrigues de Carvalho Luiz de F. Antônio Machado Dias Antônio Quintela Cavalcante Argemiro Joviniano da Silva Belarmino Cavalcante de Albuquerque Bonifacio Magalhães da Silveira Damaso do Monte Euclides Vieira Malta Fausto de Barros Feliciano Taboca Francisco Augusto da Silveira Francisco Izidoro Rodrigues da Costa Francisco Soares Palmeira João Duarte de Barros Joaquim Lopes de Farias Lima 1895-1896 1893-1894 . de Mendonça Sergio de Oliveira Costa Simfronio Paes Barreto 3a.352 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Em 1892. 2a. que não tomou posse. tendo sido eleito para a vaga José Fernandes de Barros Lima. Leg. faleceu Ambrósio Cavalcante de Gusmão Lira. Castro Barroca Manoel M.

Leg. nas vagas de Miguel Palmeira. J. Luiz. José Duarte. Afonso Toledo de Albuquerque Antônio da Silva Barbosa Antônio de Sá Quintella Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Máximo da Cunha Rego Argemiro Joviniano da Silva Aureliano de Lemos Lessa Bonifacio Magalhães da Silveira Cândido Calheiros de Melo Damaso do Monte Enéas Rodrigues de Araújo Ernesto Alvim da Silva Francisco Antônio de Melo Francisco de Paula Acioli Francisco Xavier de Almeida Ildelfonso Melo João de Alcantara Farias Luiz Eugênio da Silveira Leite Luiz José de Melo Luiz Prudente de Moraes Barros Luiz Vieira de Siqueira Torres Macario das Chagas Rocha Lessa Manoel Clementino da Silva Tavares Manoel Eugênio da Silva Carvalho Minervino Alves Prado Orlando Sucupira Pedro Cavalcante de Souza Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro Salustiano Tavares de Mendonça Sarmento 1897-1898 . foram eleitos: Antônio Florentino da Cerqueira Cavalcante Antônio Francisco Leite Giquiba Luiz Prudente de Moraes Barros Euclides Malta 4a.ABC das Alagoas José Antônio Duarte João Firmino José de Barros Wanderley de Mendonça Jovino Odorico de Menezes Jovino Pereira da Luz Ladislau Pereira da Costa Luiz Joaquim da Costa Leite Manoel Correia de Araújo Rocha Manoel de Sampaio Marques Miguel Soares Palmeira 353 Em 1896. da Costa Leite e João Duarte de Barros.

Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1899-1900 Achiles Balbino Leles Melo Afonso Toledo de Albuquerque Agostinho Rodrigues da Cunha Monteiro Antônio José Rodrigues Braga Antônio Machado Dias Antônio Máximo da Cunha Rego Aureliano de Lemos Lessa Cândido de Almeida Botelho Clementino da Silva Tavares Damaso do Monte Eneas Agapito Rodrigues de Araújo Ernesto Alvim da Silva Francisco Antônio de Melo Frederico Neto Rabelo Maia Galdino de Alcantara Taveiros Ildelfonso Pereira de Melo Jacinto de Moraes Sales Januario Procopio do Rego José Antônio de Mendonça Neto José Domingues Lordsleem José Macário Barbosa Luiz José de Melo Luiz de Siqueira Torres Macario das Chagas Rocha Lessa Manoel da Graça Leite Orlando Sucupira Pedro Cavalcante de Souza Pedro Pierre Dantas Barreto Pedro Rodrigues de Oliveira Ribeiro Salustiano Tavares de Mendonça Sarmento 6a. Leg. Alvaro Flores Antônio Espindola de Oliveira Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Machado Dias Augusto José de Melo Cândido de Almeida Botelho Carlos Frederico Barbosa Valente Eneas Agapito Rodrigues de Araújo Frederico Neto Rabelo Maia Galdino de Alcantara Taveiros Jacinto de Moraes Sales João Emidio de Albuquerque João Ferreira Tavares Lessa João Machado de Melo 1901-1902 . Leg.354 5a.

Achiles de Melo Lellis Álvaro Flores Antônio Anacleto de Oliveira Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Machado Dias Antônio Pinheiro Cândido de Almeida Botelho Cândido Ferreira Machado Damaso do Monte Enéas Augusto Rodrigues de Araújo Galdino de Alcantara Taveiros Higino Espindola da Costa Bello Ildelfonso Pereira de Melo Inácio Joaquim Pereira Lobo João Ferreira Tavares Lessa João Francisco da Rocha Rijo João Saraiva de Albuquerque Joaquim Pontes de Miranda Filho José Antônio de Mendonça Neto José Domingues Lordslleem José Macário Barbosa José Vulpiano de Araújo Jatubá Luiz Barreto Correia de Menezes Luiz José da Silva e Melo Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Firmino Pinheiro Natalicio Camboim de Vasconcellos Orlando Marinho Falcão Sucupira Pedro Pierre Dantas Barreto Virgilio Uzeda 1903-1904 355 .ABC das Alagoas João Saraiva de Albuquerque Joaquim Pontes de Miranda Filho José Domingues Lordsleem José Faustino Marinho Falcão Luiz Barreto Correia de Menezes Luiz José da Silva Melo Luiz Velho Barreto de Mendonça Macario das Chagas Rocha Lessa Manoel Aristeu Goulart d’Andrade Manoel Baltazar Pereira Diegues Júnior Manoel Duarte Vieira Ferro Natalício Camboim de Vasconcellos Orlando Marinho Falcão Sucupira Pedro Pierre Dantas Barreto Salustiano Tavares de Mendonça Sarmento Virgilio Uzeda Alfredo de Carvalho 7a. Leg.

Leg.356 8a. Achiles Balbino Leles de Melo Álfredo de Maia Antônio Buarque de Gusmão Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Alvaro Cardoso Antônio Buarque de Gusmão Bonifácio Magalhães da Silveira Cândido de Almeida Botelho Damaso do Monte Firmo da Cunha Lopes Francisco Venancio Barbosa Jacinto Buarque de Holanda João da Rocha Cavalcante Neto João Saraiva de Albuquerque João Vieira Lisboa 1907-1908 . Leg. Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1905-1906 Álfredo de Maia Antônio Anacleto de Oliveira Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Lopes Vieira Antônio Machado Dias Antônio Pinheiro Cândido Ferreira Machado Enéas Augusto Rodrigues de Araújo Francisco Venancio Barbosa Galdino de Alcantara Taveiros Inácio Pereira Lobo Ildelfonso Pereira de Melo João da Rocha Cavalcante Neto João Ferreira Tavares Lessa João Saraiva de Albuquerque Joaquim Goulart d’Andrade Joaquim Pontes de Miranda Filho José Domingues Lordslleem José Nicodemos de Pontes José Vulpiano de Araújo Jatubá Júlio Auto da Cruz Oliveira Liberato Mitcheil Luiz José da Silva e Melo Luiz Lavenére Macário das Chagas Rocha Lessa Manoel Firmino Pinheiro Natalicio Camboim de Vasconcellos Pedro Barbosa da Silva Pedro Cavalcante de Souza Pedro Pierre Dantas Barreto 9a.

Leg.ABC das Alagoas Joaquim Alves de Araújo Joaquim Goulart d’Andrade Joaquim Pontes de Miranda Filho José Felipe de Azevedo José Joaquim de Freitas José Nicodemos de Pontes José Vulpiano de Araújo Jatubá Leonidas Vieira Barbosa Luiz José da Silva e Melo Luiz Lavenére Wanderley Ludovico da Costa e Silva Manoel Otaviano Guedes Nogueira Pedro Barbosa da Silva Pedro Cavalcante de Souza Pedro Martirio de Góes Pedro Pierre Dantas Barreto 10a. 1909-1910 357 Achiles Balbino Leles de Melo Álfredo de Maia Antônio Anacleto de Oliveira Antônio Barreiros Filho Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Buarque de Gusmão Antônio Machado Dias Bonifácio Magalhães da Silveira Cândido de Almeida Botelho Damaso do Monte Euclides Celso da Silva Firmo da Cunha Lopes Francisco Itabira de Britto João da Rocha Cavalcante Neto João Saraiva de Albuquerque João Vieira Lisboa Joaquim Alves da Gama Joaquim Alves Rego Joaquim Freitas Melro Joaquim Goulart d’Andrade José Bezerra Barros José Leão de Araújo Rego José Nicodemos de Pontes Luiz José da Silva e Melo Ludovico da Costa e Silva Macario das Chagas Rocha Lessa Pedro Barbosa da Silva Pedro Martirio de Góes Pedro Pierre Dantas Barreto Salvador Calmon Vicente Alves da Gama .

1911-1912 Antônio Anacleto de Oliveira Antônio Buarque de Gusmão Antônio Cardoso Cabral Antônio Florentino de Cerqueira Cavalcante Antônio Guedes de Miranda Antônio Maurício da Rocha Cândido de Almeida Botelho Francisco Itabira de Brito Higino Espíndola da Costa Belo João da Rocha Cavalcante Neto João Saraiva de Albuquerque João Vieira Lisboa Joaquim Alves de Araújo José Bezerra Barros José de Sá Peixoto José Felipe de Azevedo José Nicodemos de Pontes José Vulpiano de Araújo Jatubá Leonidas José Barbosa Ludovico da Costa e Silva Luiz Menezes Silva Porto Macario das Chagas Rocha Lessa Manoel Josias Monteiro Manoel Tomaz da Silva Odilon Auto Cruz Oliveira Pedro Barbosa da Silva Pedro Martirio de Góes Pedro Pierre Dantas Barreto Salvador Calmon Vicente Alves da Gama 12a.358 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Em novembro de 1909 houve eleições para as vagas de Alfredo de Maia. Antônio Barreiros Filho e Luiz José da Silve Melo. Leg. tendo sido eleitos: Alfredo Oiticica Antônio Guedes de Miranda Luiz Menezes da Silva Porto 11a. Leg. Afonso Albuquerque Alexandre Eraldo Pompilio Passos Alvaro Corrêa Paes Aloisio Aderito de Menezes Américo Melo Carlos Luiz de Araújo Cornélio José da Silva Edgard da Cruz Ferreira Francisco Avelino Cabral 1913-1914 .

1915-1916 359 Adolfo Augusto de Camerino Alexandre Eraldo Pompilio Passos Angelo Graciliano Martins Carlos Luiz de Araújo Edgard da Cruz Ferreira Francisco da Rocha Holanda Francisco da Rocha Santos Francisco Gonçalves Vasco Inácio de Moraes Sarmento Jacinto Anacleto do Nascimento João Fimino dos Reis Lins José Angelo Vieira de Britto José Bezerra Montenegro José Honorio de Carvalho José Inácio Pereira Rego José Jovino Marques Júnior José Leonel de Melo Luiz Carlos de Souza Neto Luiz Carneiro de Albuquerque Luiz Machado de Andrade Luiz Mesquita Luiz Moreira Filho Luiz Vieira de Siqueira Torres Manoel Messias de Gusmão Odilon Auto Cruz Oliveira Roberto Otaviano de Souza Machado Tiburcio Nemésio .ABC das Alagoas Hildebrando Nicolau Batista Jacinto Anacleto do Nascimento João Fimino dos Reis Lins João Machado de Melo João Saraiva de Albuquerque José Angelo Vieira de Brito José Antônio Marques José de Barros Albuquerque José Domingues Lordsleem José Vieira de Araújo Peixoto José Vieira de Figueiredo Luiz Antônio Moreira de Mendonça Filho Luiz Carneiro de Albuquerque Luiz Mesquita Manoel Joaquim de Mendonça Martins Odilon Auto Cruz Oliveira Pedro Cabral Roberto Otaviano de Souza Machado Severino Correia de Oliveira Tiburcio Nemésio Vicente Coiro 13a. Leg.

360 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Tito de Barros Vicente Alves da Gama Wenceslau José de Almeida 14a. Sarmento João Machado José da Rocha Cavalcante Filho José de Castro Azevedo José Fernandes de Barros Lima José Lages Leonino Corrêa Luiz Cardoso Aires Luiz Carlos de Souza Neto Luiz Carneiro de Albuquerque Luiz Magalhães da Silveira Luiz Mascarenhas Luiz Mesquita Manoel Messias de Gusmão Manoel Rodrigues de Melo Pio Jardim Tito de Barros 15a. Leg. Leg. Adalberto Marroquim Afrânio de Araújo Jorge Alfredo Oiticica Amaranto Filho Américo Melo Angelo Graciliano Martins Antônio Guedes de Miranda Arsenio Araújo Augusto Costa Carlos Pontes Francisco de Holanda Cavalcante Francisco Gonçalves Vasco Gilberto de Andrade Inácio Uchôa de A. Adalberto Marroquim Alfredo de Santa Ritta Américo Melo Angelo Martins Antônio Cândido Vieira Arthur Acióli Domingos Lima Ernandi Basto Firmo de Castro Francisco de Holanda Cavalcante Francisco Vasco João Machado de Melo 1919-1920 1917-1918 .

1921-1922 361 Adalberto Marroquim Adolfo Augusto de Camerino Alfredo Santa Ritta Angelo Graciliano Martins Antônio Cândido Vieira Artur Acioli L. Leg.ABC das Alagoas Jorge de Lima José Avelino Silva José da Rocha Cavalcante Filho José de Aquino Ribeiro José Faustino Marinho Falcão José Lages José Rodrigues Luiz Carlos de Souza Neto Luiz Carneiro de Albuquerque Luiz Cesário Cardoso Aires Luiz Freitas Melro Luiz Torres Manoel da Costa Bivar Manoel Messias de Gusmão Odilon Auto Cruz Oliveira Otavio Amazonas Olimpio Bezerra Pinto Coelho ( faleceu antes de tomar posse) Wenceslau de Almeida 16a. Ferreira Baltazar de Mendonça Carlos Povina Cavalcanti Ernandi Basto Ernesto Bezerra Firmo Castro Francisco da Rocha Holanda Cavalcante Francisco Henrique Moreno Brandão Francisco Gonçalves Vasco João Francisco de Assis Lima Joaquim de Freitas Melro Jorge de Lima José Avelino Silva José de Aquino Ribeiro José Faustino Marinho Falcão José Gonçalves Lages José Quintela Cavalcante José Rodrigues de Lima Júlio César de Mendonça Juvêncio da Rocha Ramos Manoel Messias de Gusmão Odilon Auto Cruz Oliveira Otavio Amazonas Pedro Pierre da Silva Braga Wenceslau de Almeida .

Leg.362 17a. Leg.Presidente Antônio Cândido . vice presidente Artur Acioli Lopes Ferreira 1o. secretário Alípio Minervino da Silva Antônio Cândido Vieira 1o. secretario Caetano Valverde Brandão Crisanto do Nascimento Carvalho Demócrito Brandão Gracindo Firmo Ferreira de Castro Gregório Alves Caldas Joaquim de Freitas Melro João da Rocha Acioli João Ferreira Tavares Lessa José de Aquino Ribeiro José de Castro Azevedo José Faustino Marinho Falcão .1o. secretário Artur Acioli 2o. Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1923-1924 Adalberto Marroquim . 1925-1926 Adolfo Augusto de Camerino 2o. secretário Adolfo Camerino Alípio Minervino Ângelo Martins Aquino Ribeiro Cunha Lima Ernesto Bezerra Firmo de Castro Freitas Melro Holanda Cavalcanti José Lages José Malta José Rodrigues Juvêncio Ramos Manoel Tenório Marinho Falcão Mendonça Uchôa Moreno Brandão Odilon Auto Otávio Amazonas Quintela Cavalcanti Pacheco Ramalho Pedro Pierre Santa Rita Soares Pinto (padre) Tiburcio Nemésio Tito de Barros Wenceslau Almeida 18a.

secretário Antônio Cândido – Presidente Cunha Lima . vice presidente Serzedelo Maia de Barros Correia Presidente Tiburcio Nemésio Tito de Barros 19a.ABC das Alagoas José Fernandes de Barros Lima Filho José Gonçalves Lages José Malta de Sá Júlio César de Mendonça Uchôa Juvêncio da Rocha Ramos suplente de secretarios Luiz da Cunha Lima Luiz de Mascarenhas Manoel Felino Tenório Manoel Pinto do Amaral Lisboa Filho Odilon Auto da Cruz Oliveira suplentes de secretários Otávio da Costa Amazonas Pedro Pierre da Silva Braga 2o. 1929-1930 Alfredo Oiticica . Leg. secretário Alípio Minervino Artur Acioli Castro Azevedo – 1o.1o.Suplente de secretário Otávio Amazonas Pacheco Ramalho Pedro Pierre Pereira Rego Pinto Filho Rocha Acioli Santa Rita Tito de Barros Caetano Valverde Brandão 20a. vice presidente José Malta José Inácio João Lessa Alfredo de Barros Lima Júnior Manoel Tenório Marinho Falcão Odilon Auto . vice presidente Crisanto de Carvalho Francisco Cavalcanti Freitas Melro Júlio Mendonça Júlio Uchôa Juvêncio Ramos – 2o. 1927-1928 363 Adolfo Camerino .2o. Leg.Suplente de secretário Demócrito Gracindo .

”A Câmara reunia-se. na forma que a lei indicar.... igual e direto. 30/04/1929) Antônio Cândido Presidente Antônio Cansanção 2o.. em seu artigo 23 inovava ao afirmar que “A Câmara dos Deputados compõe-se dos representante do povo. eleitos mediante sistema proporcional e sufrágio universal. em total equivalente a um quinto da representação popular... os das profissões. Secretário Antônio de Melo Machado (eleição suplementar em 18/05/1929) Araújo Rego Artur Acioli Lopes Ferreira (renuncia em 1929) Aurélio Lins Carlos Pontes Ernesto Lopes Firmo Lopes 1o. e de representantes eleitos pelas organizações profissionais. anualmente. sesão 30/04/1929) José Inácio Julio Uchôa Juvêncio Ramos Lima Júnior Manoel Firmino Manoel Tenório Nelson Flores (eleito em 16/03/1930 para ocupar a vaga de Artur Acioli) Odilon Auto Otavio Amazonas (perde mandato por ocupar cargo incompatível... e funcionaria durante seis meses...364 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Alfredo Uchôa Álvaro de Almeida (eleição suplementar em 18/05/1929) Américo Melo Anfilófio de Melo (perde mandato por ocupar cargo incompatível.. podendo ser convocada extraordinariamente. sessão 30/04/1929) Pacheco Ramalho Pereira Rego Pinto Filho Santa Rita DEPUTADOS ESTADUAIS DE 1934-37 A Constituinte Federal de 16 de Julho de 1934. ses.” Assembléia Constituinte e 1a. Secretario Freitas Melro Gregorio Caldas ( Ata da sessão de 06/05/1929) Guedes de Miranda Isidro Texeira de Vasconcelos (eleição suplementar em 18/05/1929) José Calheiros (perde mandato por ocupar cargo incompatível. O número de deputados seria fixado por lei: os do povo proporcionalmente à população de cada Estado e do Distrito Federal. Legislatura Albino Pereira de Magalhães Alfredo de Barros Lima Júnior Alfredo Elias da Rocha Oiticica Álvaro Peixoto Angelo Graciliano Martins Antônio Arnaldo Bezerra Cansanção Antônio Baltazar de Mendonça Artur Acióli Lopes Ferreira 1935-1937 eleitos em 14 de outubro de 1934 . no dia 3 de Maio.

10. 13. 8. 19. 79-82) Alexandre Milito Filho (1975-78. eleitos. 55-58) Antenor Correia Serpa (1955-58. Art. 4. 6. 9. 12. 39 “O Congresso Nacional reunir-se-á na Capital da República a 15 de março de cada ano e funcionará até 15 de dezembro”. 7. 3. 59-62. 57 “Cada legislatura durará quatro anos”. pelos Estados. 1. 17. 67-70) Adalberon Cavalcante Lins ( 1951-54) Adalberto Cavalcante (2003-06) Adeildo Nepomuceno Marques ( 1959-62) Ademar Medeiros ( 1967-70) Aderval Vanderlei Tenório (1955-58. 18. 14. segundo o sistema de representação proporcional.ABC das Alagoas Francisco Cândido de Oliveira Mendonça Francisco Cavalcanti Gustavo Paiva Hermilo de Freitas Melro presidente Inácio Brandão Gracindo João Felino Tenório João Teixeira de Vasconcelos Joaquim de Barros Leão José da Mota Maia José da Rocha Cavalcante José de Castro Azevedo José Evilásio Torres José Paulino de Albuquerque Sarmento José Quintela Cavalcanti Lourival de Melo Mota Luís Moreira de Mendonça Mons. pelo seu art. pelo Distrito Federal e Territórios”. 71-74. Art. “A Câmara dos Deputasdos compõe-se de representantes do povo. 67-70) Agenor Berardo Carneiro da Cunha (1947-50) Agripino Alexandre dos Santos ( 1979-82) Alcides dos Santos Andrada (1979-82) Alcides Muniz Falcão (1967-70. Abelardo Lopes (1963-66) Abrahão Fidelis de Moura (1951-54. 55-58) Adaski Damara de Omena Freitas (1963-66. 67-70) . 11. 75-78. Manuel Capitulino de Carvalho Manuel Joaquim de Mendonça Martins Manuel Rodrigues de Melo Maria José (Lily) Salgado Lages Mario Gomes de Barros Oscar Maurício da Rocha Pedro Pierre da Silva Braga Serzedelo de Barros Correia DEPUTADOS ESTADUAIS DE 1947 a 2006 365 Constituição Federal de 1946. 63-66. 56. 79-82) Aloísio da Silva Nogueira (1947-50) Alonso de Abreu Pereira (1967-70) Alves Correia (2003-06) André Papini Goés (1947-50) Antenor Claudino da Costa (1951-54. 2. 5. 15. 16.

59-62. 63. 21. 87-90. 43. 51-54) Benedito de Lira (1983-86. 44. 67-70. 45. 71-74) Antônio Gomes de Barros (1955-58. 26. 91-94. 63-66. 83-86) Antônio Semeão Lamenha Filho ( 1955-58. 99-2002. 75-78. 95-98. 50. 59-62. 95-98) Cícero Almeida (2003-06) Cícero Amélio da Silva (1991-94. 27. 71-74) Artur César Pereira de Lira (1999-2002. 91-94) Antônio Holanda Costa (1983-86. 70. 38. 99-2002) Antônio Lopes de Almeida (1967-70) Antônio Machado Lobo ( 1955-58. 03-06) Claudenor de Albuquerque Lima (1951-54. 33. 41. 99-2002. 34. 52. 57. 99-2002) Demuriez Leão Barbosa (1995-98) Dilton Falcão Simões (1987-90) Dinei Soares Torres (1967-70. 87-90. 99-2002. 63-66. 62. 55-58. 87-90. 67-70) Antônio Guedes do Amaral (1959-62. 55-58) Antônio Balthazar de Mendonça (1947-50) Antônio Carlos . 32. 91-94) Bonifácio José Bezerra ( 1959-62) Carlos Gomes de Barros (1947-50. 65. 63-66) Aril Pontes Lira (1951-54) Armando Moreira Soares ( 1959-62. 25. 37. 56. Ari Boto Pitombo (1947-50) Augusto de Freitas Machado (1947-50. 64. 99-2002) Antônio Saturnino de Mendonça Neto (1975-78. 36. 61. 28. 59-62. 03-06) César Eustáquio Malta Amaral (1987-90.Cacalo (1999-2002) Antônio Ferreira de Andrade (1965-68. 87-90) Dionísio José de Góis (1963-66) Divaldo Suruagi (1971-74) Dudu Albuqerque (2003-06) Edmundo Tojal Donato ( 1967-70) Edson Tenório de Almeida Lins (1955-58. 55. 99-2002. 39.366 20. 55-58) Cícero de Siqueira Torres ( 1959-62. 69. 58. 63-66) Arnaldo Pinto Guedes de Paiva ( 1955-58. 23. 63-66. 83-86. 47. 60. 35. 51-54. 48. 63-66) Dalmario Freitas de Souza (1951-54) José Danilo Dâmaso de Almeida (19995-98) Délio José de Souza Almeida (95-98. 63-66) Aroldo Dorvilé Loureiro Farias (1967-70. 51-54. 29. Francisco Reinaldo Amorim de Barros Antônio Albuquerque (1995-98. 49. 51-54) Austeclínio Lopes de Farias (1947-50) Austeclínio Lopes de Farias Júnior (1963-66) Benito de Freitas Melro (1947-50. 63-66) Celso Luiz Tenório Brandão (1995-98. 03-06) Cícero Paes Ferro (1991-94. 46. 30. 67. 79-82) Edson Silva Porto (1947-50) . 51. 42. 40. 54. 53. 2003-06). 59-62. 22. 59. 66. 63-66 ) Cláudio de Albuquerque Lima (1963-66) William Cleto Falcão de Alencar (1987-90) Cleto Marques Luz ( 1959-62. 31. 55-58) Aurélio Viana da Cunha Lima (1947-50. 51-54) Antônio Ribeiro de Albuquerque (95-98. 68. 24. 03-06) Antonio Albuquerque Malta (1951-54. 67-70) Antônio Moreira ( 1955-58) Antônio Ribeiro Casado ( 1947-50. 95-98.

Geraldo Medeiros de Melo (1971-74. Isnaldo Bulhões Barros Júnior (1999-2002. Hermann Élson de Almeida ( 1955-58. 67-70) 77. João Rodrigues Sampaio Filho (1979-82) 117. 63-66) 76. 87-90) 367 . 2003-06) 111. Edeval Tenório de Souza (1963-66) 73. Hilton de Lima Pimentel (1947-50) 102. João Carvalho (1991-94) 114.ABC das Alagoas 71. 51-54) 88. 75-78) 96. 99-2002. Francisco José Galdino Pimentel (1975-78. Geraldo Costa Sampaio ( 1955-58) 90. Ismael Pereira Azevedo (1983-86. 03-06) 86. 83-86. 59-62) 100. Elionaldo Maurício Magalhães Moraes (1983-86. Francisco Arlindo Gomes Ferreira (1947-50. Heloísa Helena de Moraes Carvalho (1995-98) 98. 71-74) 101. 63-66. João Barbosa Neto (1987-90. Eraldo Malta Brandão Filho (1991-94) 81. 91-94. 75-78) 91. José Francisco Cerqueira Tenório (1995-98. Francisco Porcino (1991-94) 89. João Malta Tavares ( 1959-62) 116. Gervásio Raimundo (1991-94. 99-2002. 75-78) 120. Eraldo Malta Brandão (1959-62. Guilherme Gracindo Soares Palmeira (1967-70. 87-90. 67-70) 99. 71-74. 83-86. Eliseu Teixeira Cavalcante ( 1959-62. 87-90) 79. Emílio Silva ( 1979-82. 91-94) 78. Ezequias Raimundo Alves (1967-70) 82. Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro (1983-86) 72. 03-06) 107. João Batista de Moraes ( 1959-62. Jorge Duarte Quintela Cavalcanti ( 1959-62. João Caldas da Silva (1995-98) 113. 03-06) 85. Francisco Roberto Holanda de Melo (1983-86. João Cabral Toledo (1951-54. 67-70) 112. 2003-06) 94. 87-90) 87. Gilberto Gonçalves (2003-06) 93. 79-82) 84. 99-2002. Humberto de Melo Souza (1971-74. Elísio da Silva Maia ( 1959-62. João Clímaco da Silva (1947-50) 115. 03-06) 92. 95-98) 109. Jerônimo da Cunha Lima (1947-50) 108. Henrique Equelmann ( 1959-62. 83-86) 97. 75-78) 104. 91-94) 75. 99-2002. Higino Vital da Silva (1967-70. 87-90) 106. 2003-06) 83. 59-62. Elísio Sávio dos Anjos Maia ( 1979-82. 63-66. 63-66) 110. José Afonso de Melo ( 1955-58) 121. Joaquim de Barros Leão (1947-50) 119. 95-98. 55-58. José Afrânio Vergetti de Siqueira (1979-82. Edival Vieira Gaia (1987-90. João Beltrão Siqueira ( 1995-98. 99-2002. Hélio Nogueira Lopes ( 1979-82. 67-70) 80. Humberto Gustavo Altamiro Guedes de Paiva (1947-50) 105. 67-70. 63-66. Humberto Correia Mendes (1955-58) 103. 95-98) 74. Fernando Juliano Gaia Duarte (1999-2002. Francisco João Carvalho Beltrão (1995-98. Gilvan Gomes Barros (1991-94. João Teixeira Cavalcante (1947-50) 118. 71-74. Gonçalo Menezes Tavares (1963-66) 95.

153. 83-86. 83-86. 159. 125. 87-90. 141. 51-54. 79-82. 91-94) Juca Sampaio (Manoel Sampaio Luz) (1963-66) Judá Nicácio (1999-2002) Júlio de Farias França (1951-54. 152. 95-98) José Júnior Leão de Melo (1987-90. 157. 67-70. 63-66) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho ( 1947-50. 79-82. 147. 165. 170. 95-98. 123. 131. 164. 55-58. 91-94) Manuel Freire Borges (1955-58) Manuel Valente de Lima (1947-50) Marcelino Alexandre José dos Santos (1991-94. 87-90) Manoel Lins Pinheiro ( 1987-90. 139. 150. 59-62) José Lobo Ferreira ( 1959-62) José Lopes Duarte ( 1951-54) José Lucena de Albuquerque Maranhão (1951-54) José Lúcio de Melo (1963-66. 169. 136. 03-06) Maria Fátima Cordeiro (1991-94. 75-78. 148. 172. 87-90) José Evilásio Torres (47-50) José Jadson Pedro de Farias (1995-98) José Jota Marques Duarte ( 1979-82. 138. 71-74) José Pinto de Barros (1947-50. 126. 158. 67-70) José Maria Cavalcante (1947-50) José Marques da Silva ( 1955-58) José Onias de Carvalho (1955-58) José Pedro (2003-06) José Pereira Lúcio (1959-62. 124. 51-54) Luciano Suruagi do Amaral (95-98) Lucila Regis Albuquerque Cabral Toledo (1995-98. 130. 1987-90) Manoel Pereira Filho (1983-86. 87-90. 162.82. 132. 156. 155. 149. 128. 144. 51-54) José Renan Vasconcelos Calheiros (1979-82) José Romariz (1947-50) José Humberto Vilar Torres -Zeca Torres (1987-90. 168. Francisco Reinaldo Amorim de Barros José Augusto Filho (1987-90) José Bandeira de Medeiros (1971-74. 91-94. 75-78. 127. 133. 129. 99-2002) José Lobo Bezerra ( 1955-58. 142. 99-2002) . 67-70) Cabo Luiz Pedro (2003-06) Luiz Novais Tavares ( 1967-70) Manoel Afonso de Melo Neto (1975-78. 99-2002) Marcos Barbosa (2003-06) Marcos Ferreira (1999-2002. 167. 83-86. 140. 163. 59-62. 160. 143. 134. 171. 99-2002) Luiz Augusto da Rocha Tenório ( 1959-62) Luiz de Freitas Rezende ( 1955-58) Luiz de Gonzaga Mendes de Barros ( 1959-62) Luiza Evangelista da Silva (1975-78) Luiz Gilberto Pereira do Carmo Sarmento (1967-70) Luiz Gonzaga Malta Gaia ( 1955-58. 154. 145. 135. 151. 79-82) Manoel Ferreira de Barros (1951-54) Manoel Gomes de Barros (1983-86. 137. 161. 83-86 Lauro Farias (1963-66) Lourival de Melo Mota (1947-50. 55-58) Laércio Malta Brandão (1979. 166. 91-94) José Caralâmpio de Mendonça Braga (1947-50) José de Medeiros Tavares (1963-66. 63-66.368 122. 146. 87-90. José Bernardes Neto (1983-86.

95-98. 214. 220. 51-54) Selma Bandeira Mendes (1983-86) Sérgio Toledo (2003-06) Sertório Ferro (1991-94) Siloé Valeriano Tavares (1951-54. 54-58. 63-66. 55-58. 221. 2003-06) Paulo Nunes (1999-2002) Pedro Buarque de Gusmão (1951-54) Pedro Timóteo Filho ( 1959-62. 99-2002. 2003-06) 369 . 51-54. 217. 67-70) Renato de Alencar Vilar (1955-58) Rogério Auto Teófilo (1995-98. 79-82) Nenoi Pinto Araújo (1983-86. 83-86 e 95-98) Robson Tavares Mendes (1963-66) Ronaldo Augusto Lessa Santos (1983-86) Rubens de Mendonça Canuto ( 1959-62. 59-62) Remi Tenório Maia (1951-54. 219. 177. 206. 208. 222. 213. 189. 99-2002) Roberto Tavares Mendes (1967-70) RobertoVilar Torres (1979-82. 185. 204. 182. 67-70. 71-74) Temóteo Correia Santos (1991-94. 59-62. 196. 191. 180. 210. 59-62) Mário Fernandes Torres (1951-54) Miguel Soares Palmeira (1983-86) Miguel Torres Filho (1947-50. 83-86) Moacir Rodrigues de Andrade (1947-50) Narcisio Lúcio da Silva (1975-78) Nascimento Leão (1991-94) Nelito Gomes de Barros (2003-06) Nelson Simões Costa (1963-66. 190. 223. 55-58) Reinaldo Gama (1951-54. 95-98) Oseas Cardoso Paes ( 1947-50. 197. 87-90) Neusvaldo Barbosa Leão ( 1983-86) Nivaldo Jatobá (1995-98) Oceano Carleial (1947-50. 179. 188. 203. 193. 63-66. 218. 174. 51-54) Olavo Uchôa Omena (1951-54) Oscar Ramalho Fontes Lima (1987-90. 178. 195. 55-58) Talvane Albuquerque (1991-94) Tarcísio de Jesus ( 1959-62. 55-58. 209. 55-58. 212. 59-62) Osvaldo Gomes de Barros (1979-82) Otacílio Silveira Cavalcanti (1955-58) Paulo Fernando dos Santos . 187. 75-78. 184. 63-66. 186. 192. 67-70) Milton Buarque Wanderley (1947-50. 67-70. 71-74. 200. 194. 67-70) Sinval Rodrigues Gaia (1963-66) Sizenando Nabuco de Melo (1947-50. 207. 51-54. 75-78. 71-74. 91-94. 215. 63-66) Petrúcio Bandeira (1999-2002) Raimundo Tavares (1991-94) Ramiro Costa Pereira (1951-54. 181.Paulão (1999-2002.ABC das Alagoas 173. 199. Maria José Viana (2003-06) Mário da Costa Guimarães (1947-50. 176. 216. 183. 201. 175. 205. 67-70) Rubens Vilar de Carvalho (1975-78) Sabino Romariz ( 1987-90) Segismundo Andrade (1947-50. 51-54. 79-82) Theobaldo Vasconcelos Barbosa (1967-70. 202. 211. 51-54) Moacir Cavalcante Peixoto ( 1959-62) Moacir Lopes de Andrade (1967-70. 198.

229.(1999-2002. 225. 71-74.370 224. Legislatura Antônio Baltazar de Mendonça (PSD) Antônio Ribeiro Casado (PSD) Aloísio da Silva Nogueira (PSD) Augusto de Freitas Machado ( PSD) Agenor Berardo Carneiro da Cuna (PSD) Aurélio Viana da Cunha Lima (UDN) Austeclínio Lopes de Farias (PSD) Andre Papini Góes (PCB) Ari Boto Pitombo (PTB) Benito de Freitas Melro (PSD) Carlos Gomes de Barros (UDN) Cícero Cabral Toledo (PSD) Edson Silva Porto (PTB) Francisco Arlindo Gomes Ferreira (UDN) Humberto Gustavo Altamiro Guedes de Paiva (PSD) Hilton de Lima Pimentel (PSD) José Pinto de Barros (PSD) José Evilásio Torres (PSD João Clímaco da Silva (PSD) João Teixeira Cavalcanti (PSD) Joaquim de Barros Leão (UDN) Jerônimo da Cunha Lima (PTB) José Caralâmpio de Mendonça Braga (PSD) José Romariz (PSD) José Maria Cavalcante (PCB) Lourival de Melo Mota (UDN) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho (UDN) Manuel Valente de Lima (PSD) Miguel Torres Filho (PSD) Milton Buarque Wanderley (PSD) Mário da Costa Guimarães (UDN) Moacir Rodrigues de Andrade (PCB) Oseas Cardoso Paes (PSD) Oceano Carleial (UDN) Segismundo Andrade (UDN) Sizenando Nabuco de Melo (PTB) Tércio Vanderlei (PSD) Vital Meira Barboa (PSD) . 75-78) Walter Pitombo Laranjeiras (1979-82) Washington Luiz Damasceno Freitas (1991-94. 231. 227. 226. 55-58. 232. 2003-06) (1947-1951) Assembléia Constituinte e 1a. 59-62) Tércio Wanderley (1947-50) Ulisses Vitorino Botelho (1951-54. 59-62) Virgílio Barbosa (1951-54) Vital Meira Barbosa (1947-50) Walter Dória de Figueiredo ( 1959-62. 95-98) Zé Pedro da Arável (2003-06) Ziane Costa . 230. 233. 228. Francisco Reinaldo Amorim de Barros Teotônio Brandão Vilela ( 1955-58.

ABC das Alagoas 2ª LEGISLATURA (1951 a 1954) Abrahão Fidelis de Moura (PST) Adalberon Cavalcante Lins (PST) Antenor Claudino da Costa (PSD) Antônio Albuquerque Malta (UDN) Antônio Ribeiro Casado (PSD) Aril Pontes Lira (PST) Augusto de Freitas Machado (PST) Aurélio Viana (PSB) Benito Freitas Melro (PST) Carlos Gomes de Barros (UDN) Claudenor de Albuquerque Lima (PST) Dalmário Freitas de Souza (PST) Francisco Arlindo Gomes Ferreira (PST) João Cabral Toledo (PST) José Lopes Duarte José Lucena de Albuquerque Maranhão (PST) José Pinto de Barros (PST) Júlio de Farias França (PSP) Lourival de Melo Motta (UDN) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho (UDN) Mario da Costa Guimarães (UDN) Mario Fernandes Torres (PST) Manoel Ferreira de Barros (PST) Milton Buarque Wanderley Oceano Carleal (UDN) Olavo Uchôa Omena (UDN) Oséas Cardoso Paes (PSD) Pedro Buarque de Gusmão (PSD) Ramiro Costa Pereira (PSP) Remi Tenório Maia (PSD) Segismundo Andrade (UDN) Siloé Valeriano Tavares (UDN) Sizenando Nabuco de Melo (PST) Ulisses Vitorino Botelho ( PST ) Virgílio Barbosa (PST) Suplentes: Hilton de Lima Pimentel Ivan Vilela Joaquim Leão 371 3ª LEGISLATURA (1955 a 1958) Abrahão Fidélis de Moura (PTB) Aderval Vanderlei Tenório (PSD) .

372 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Antenor Claudino da Costa (PTN) Antenor Correia Serpa (UDN) Antonio de Albuquerque Malta (UDN) Antônio Gomes de Barros (UDN) Antônio Machado Lobo (UDN) Antônio Moreira (PSD) Antônio Semeão Lamenha Filho (PSD) Arnaldo Pinto Guedes de Paiva (PSD) Augusto de Freitas Machado (PSD) Carlos Gomes de Barros (UDN) Claudenor de Albuquerque Lima(PSD) Edson Tenório de Almeida Lins (PSD) Geraldo Costa Sampaio (UDN) Herman Elson de Almeida (UDN) Humberto Correia Mendes (PTN) João Cabral Toledo(PTN) José Afonso de Melo (PTN) José Lobo Bezerra ( UDN) José Marques da Silva (UDN) Júlio Farias de França (PSP) Luiz Gonzaga Malta Gaia (PSD) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho(UDN) Luiz de Freitas Rezende (UDN) Manuel Freire Borges (PTB) Mário da Costa Guimarães (UDN) Oséas Cardoso Paes (PTN) Otacílio Silveira Cavalcanti (PSP) Ramiro Costa Pereira (PSP) Renato de Alencar Villar (UDN) Sizenando Nabuco de Melo (PTB) Siloé Valeriano Tavares (UDN) Teotônio Brandão Vilela (UDN) Ulisses Vitórino Botelho (UDN) Suplentes: Ademário Vieira Dantas (UDN) Antônio Marinho de Melo ( PSD) Antônio Martins Pinto (PTN) Antônio Nunes de Araújo (UDN) Antônio Ribeiro Casado (PSD) Aristeu Teixeira Cavalcanti (PTB) Armando Moreira Soares (PSP) Aroldo Dorvilé Loureiro de Farias (UDN) Artur Santos (PTN) Aril Pontes Lira (UDN) Benito Freitas Melro (PTB) Clínio Pereira de Aguiar (PSP) Dionísio José de Góis (PSD) Divaldo Acioli Lindoso (PTN) Domingos de Araújo Lima (PTN) .

ABC das Alagoas Efísio Fontes Cunha (PTN) Eraldo Malta Brandão (PTB) Francisco Arlindo Gomes Ferreira (PSP) Francisco Teixeira de Vasconcelos (PTN) Gladstone de Araújo Barros (PSP) Jarmelino Jorge de Sousa (PSP) João Beltrão de Castro (PSP) João Faustino da Silva (PTB) João Malta Tavares (PTN) João Teixeira Cavalcanti (PSD) Jorge Duarte Quintela Cavalcanti (UDN) Jorge Luiz Reis Assunção (PTB) José Amorim Pereira (PTB) José Correia Filho (UDN) José de Medeiros Aprato (PTN) José de Medeiros Sarmento (PTB) José Evilásio Tôrres (PSP) José Ferrer e Silva (PTB) José Onias de Carvalho (UDN) José Pinto de Barros (PSD) Jovino Lins de Gusmão lira (PTN) Luiz Alberto Cansanção (PTN) Luiz Gonzaga Alapenha do Amaral (UDN) Luiz Vieira de Barros (PSP) Manoel Ferreira de Barros (PSD) Manuel Machado Pontes (PSD) Manuel Valente de Lima (PSD) Mário Fernandes Tôrres (PSD) Nelson Tenório de Oliveira (PSP) Osmário Gomes da Silva Rêgo (PTB) Pedro Timóteo Filho (PTB) Reinaldo Carlos de Carvalho Gama (PSD) Tarcísio de Jesus (UDN) Valdemir Lopes de Farias (PSP) Virgílio Barbosa (UDN) 4ª LEGISLATURA (1959 a 1962) Adeildo Nepomuceno Marques (PSP) Antenor Correia Serpa (UDN) Antônio Gomes de Barros (UDN) Antônio Guedes Amaral (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Antônio Machado Lôbo (UDN) Antônio Semeão Lamenha Filho (Frente Dem Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Armando Moreira Soares (PSP) Bonifácio José Bezerra (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Cícero de Siqueira Torres (PSP) Claudenor de Albuquerque Lima (PSP) Cleto Marques Luz (PSP) Eliseu Teixeira Cavalcante (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Elísio da Silva Maia (PSP) 373 .

Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Henrique Equelmann (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Hermann Elson de Almeida (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) João Batista de Moraes (UDN) João Cabral Tolêdo (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) João Malta Tavares (PSP) Jorge Duarte Quintela Cavalcante (UDN) José Bezerra (PSP) José Lobo Ferreira (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) José Pereira Lúcio (UDN) Luíz Augusto da Rocha Tenório (PSP) Luíz de Gonzaga Mendes de Barros (PSP) Luíz Gonzaga Moreira Coutinho (PSP) Mário da Costa Guimarães (UDN) Moacir Cavalcante Peixoto (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Oséas Cardoso Paes (UDN) Pedro Timóteo Filho (PSP) Remy Tenório Maia (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Rubens de Mendonça Canuto (PSP) Tarcísio de Jesus (Aliança. Socialista Cristã:: PSB-PDC-PST) Ulisses Vitorino Botelho (PSP) Walter Dória de Figueiredo (Al.374 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Eraldo Malta Brandão (Al. Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) SUPLENTES: Abílio Moreira Lima (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Adalberto de Andrade Lima (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Adroaldo Alves Camêlo (PSP) Adulfo Ribeiro (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Alberico Pimentel Penha (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Alfredo de Paula Cavalcante (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Alípio Luís da Silva (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Américo Gonçalves de Lima (PSP) Antenor Claudino da Costa (UDN) Antônio Afrânio da Silva (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Antônio de Albuquerque Malta (UDN) Antônio de Araújo Azevedo (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Antônio de Mendonça Braga (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Antônio Germano de Souza (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Antônio Machado Guimarães (PSP) Antônio Medeiros Neto (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Aroldo Dorvillé Loureiro Farias (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Artur Santos (UDN) Augusto de Freitas Machado (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Augusto Pereira da Costa (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Aurélio Rodrigues Monsinho (PSP) Avilonel Alves Lemos (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Benedito Manuel dos Santos Silva Filho (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Clinio Pereira de Aguiar (PSP) Corino Rafael de Oliveira (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Cristóvão Vieira Rêgo (PSP) Dalmário Freire de Sousa (PSP) Dionísio José de Góis (PSP) .

ABC das Alagoas Djalma de Albuquerque Barros (UDN) Djalma Saldanha da Silva (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Donizete Calheiros Marques Barbosa (UDN) Duerno Vanderlei de Melo (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Edmundo Tojal Donato (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Edson Tenório de Almeida Lins (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Edvaldo de Melo Sena (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Ernandi de Castro Azevedo (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Epitácio Afonso Pereira (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Ernesto Ferreira Tenório (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Floriano de Sousa Castro (UDN) Francisco de Morais Lins (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Francisco Rocha Cavalcante (PSP) Francisco Teixeira de Vasconcelos (UDN) Francisco Tibúrcio da Silva Rizzo (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Geraldo Costa Sampaio (UDN) Guilherme Duarte de Barros (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Hamilton Santana Cardeial (PSP) Hélio Tavares Lisbôa (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) João Bezerra da Costa (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) João de Omena Fireman (PSP) João Lins de Albuquerque Uchôa Filho (PSP) João Xavier de Araújo (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Joel Almeida Amorim (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Jonas Nutells (PSP) José Afonso de Melo (UDN) José Casado da Cunha Lima (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) José Cavalcante Maranhão (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José da Silva Cardoso (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José de Medeiros Sarmento (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) José Evilásio Torres (PSP) José Gomes da Cunha (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José Limeira Filho (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José Lopes Duarte (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) José Maria de Omena (PSP) José Pinto de Barros (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) José Portugal Ramalho (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José Reis de Campos (PSP) José Sales (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José Sebastião Bastos (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) José Sílvio Barreto de Macêdo (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Júlio de Farias França (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Lauro Farias (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Leônidas Barbosa Filho (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Luís Alberto Cansanção (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Luís de Araújo Morais (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Luís de Freitas Rezende (PSP) Luís Gonzaga Alapenha do Amaral (PSP) Luís Gonzaga Malta Gaia (PSP) Luís Vieira de Barros (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Manoel Miguel dos Santos (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) 375 .

376 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Manuel Alves de Oliveira (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Manuel Dias da Silva (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Manuel Ferreira de Barros (PSP) Milton Buarque Vanderlei (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Milton Militão da Silva (PSP) Murilo Mendonça de Oliveira (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Nelito Nunes Carvalho (PSP) Nestor de Figueiredo Gomes (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Odílio de Oliveira Lisbôa (PSP) Ortegal Pontes Jucá (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Otacílio Silveira Cavalcante (UDN) Pedro Cavalcante (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Pedro Farias da Silva (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) Pedro Rocha Cerqueira (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Plácido Feliciano Alvim (UDN) Ramiro Costa Pereira (PSP) Reinaldo Carlos de Carvalho Gama (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Rubem Monteiro de Figueiredo Ângelo (PSP) Rui Meira Barbosa (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Sandoval Ferreira Caju (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Siloé Valeriano Tavares (UDN) Teotônio Brandão Vilela (UDN) Umberto Cavalcante Lins (Aliança Socialista Cristã: PSB-PDC-PST) Valdemir Lopes de Farias (PSP) Vanildo Galvão de Barros (Frente Democrática Trabalhista: PSD-PTB-PRP) 5ª LEGISLATURA (1963 a 1966) Abelardo Lopes (PTB) Aceski Damara de Omena Freitas (UDN) Aderval Vanderlei Tenório (PSD) Antônio Gomes de Barros (UDN) Antônio Guedes do Amaral (PSP) Antônio Machado Lobo (UDN) Antônio Simeão Lamenha Filho (PSD) Armando Moreira Soares (PSP) Arnaldo Pinto Guedes de Paiva(PSD) Austeclínio Lopes de Farias Júnior (PST) Cicero de Siqueira Torres (PL) Claudenor de Albuquerque Lima (PSP) Cláudio de Albuquerque Lima (PDC) Cleto Marques Luz (PSP) Dionísio José de Góis (PDC) Edeval Tenório de Souza (PDC) Elisio da Silva Maia (PSP) Elizeu Teixeira Cavalcante (PSD) Gonçalo Menezes Tavares (PL) Henrique Equelman (PTB) João Batista de Morais (PL) João Cabral Toledo (PSD) José de Medeiros Tavares (PDC) .

ABC das Alagoas José Lúcio de Melo (UDN) Lauro Farias (PST) Luiz Gonzaga Malta Gaia (PDC) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho (PSP) Manoel Sampaio Luz dito Juca Sampaio (UDN) Nelson Simões Costa (UDN) Pedro Timóteo Filho (PSP) Remy Tenôrio Maia (PL) Robson Tavares Mendes (PSP) Rubens de Mendonça Canuto (PSP) Sinval Rodrigues Gaia (UDN) Tarciso de Jesus (PL) Suplentes Abel Ferino de Moura (PL) Adaiton Pereira Rocha (PSD) Adalberto de Andrade Lima (PL) Adalberto Ferreira dos Santos (PL) Adelino César e Silva (PST) Aloísio de Almeida Vasconcelos (UDN) Angélico Gomes de Melo (PST) Antenor Correia Serpa (UDN) Antônio Antonino da Silva (PL) Antônio Aurélio Duarte (PSD) Antônio Azevedo Rocha (PSP) Antônio da Silva Frazão (PTB) Antônio de Albuquerque Malta (UDN) Antônio de Araújo Azevedo (PDC) Antônio de Barros Castro (PST) Antônio dos Santos (PDC) Antônio Saturnino de Mendonça Júnior (PST) Aquino Costa Japiassu (PTB) Ariel França Pitombo (PTB) Aroldo Dorvillé Loureiro de Farias (PSD) Audálio Santos (UDN) Augusto de Freitas Machado (PSD) Aurélio Rodrigues Mousinho (PDC) Aurino Malta de Oliveira (UDN) Benedito de Albuquerque Vasconcellos (PSP) Benedito Marques da Silva (UDN) Bonifácio José Bezerra (PDC) Ciridião Florentino de Araújo (PSP) Cristovam Vieira Rego (PSP) Ciro Casado Rocha (PTB) Dácio Ferreira da Silva (PSD) Danilo de Carvalho Houli (PDC Darnis Fireman de Araújo (PSP) Delfino Cavalcante (PTB) Deoclécio Ferreira da Silva (PDC) Diógenes Jucá Bernardes (PTB) 377 .

378 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Djalma Marinho Muniz Falcão (PSP) Edson Tenôrio de Almeida Lins (PSD) Edvaldo de Melo Sena (PTB) Eraldo Canuto de Sá (PST) Eraldo Malta Brandão (PL) Ernestino Bianor dos Passos (PDC) Ernesto Ferreira Tenório (PDC) Eurico Acioli Wanderley (PST) Fábio Cavalheiros Vanderlei (PSP) Francisco Alves Mata (PDC) Frederico Otto Kümmer (PSD) Geraldo Vasconcelos de Castro (PDC) Gesival Macedo da Costa Fonseca (PL) Hamilton Santana Cardeal (PSP) Hélio de Miranda Taveiros (PSD) Humberto Maia Alves (PDC) Jaime Amorim de Miranda (PSP) João Batista Pinheiro (PDC) João Bezerra da Costa (PST) João de Oliveira Lima (PDC) João de Omena Fireman (PSP) João Nunes Leite Sobrinho (PTB) João Xavier de Araújo (PST) Joaquim de Barros Leão (PDC) Joel Marques (PSP) Jorge de Medeiros Pacheco (UDN) Jorge Duarte Quintela Cavalcante (UDN) Jorge Luiz Reis Assunção (PST) José Afonso de Melo (PDC) José Aniceto de Lima (PSP) José Benedito de Melo (PST) José Camilo Cabral (PL) José Correia de Melo (PL) José da Silva Cardoso (PDC) José Evilásio Torres (PSP) José Ferreira de Souza (PL) José Gomes de Barros (UDN) José Lobo Ferreira (PSD) José Lopes Duarte (PDC) José Lourenço do Monte (PDC) José Maria de Omena (PL) José Martins Filho (PDC) José Miguel da Silva Pereira (PSD) José Paulo Moura (PSD) José Pinto de Barros (PDC) José Reis de Campos (PSP) José Sales (PST) José Soares Filho (PSP) José Teixeira de Carvalho Sobrinho (PSD) José Veridiano Sarmento (UDN) José Wanderley de Barros Lima (PTB) .

ABC das Alagoas Josenildo Ferreira de Carvalho (PSD) Júlio de Farias França (PST) Jurandir Rodrigues Gila (PDC) Leônidas Barbosa Filho (PTB) Luiz Augusto da Rocha Tenório (PSP) Luiz Carlos Falcão (PSP) Luiz de Barros Wanderley (PDC) Luiz Gonzaga Cavalcante Guimarães (PSP) Luiz Gutemberg Lima Silva (PL) Luiz Pereira Alves (PST) Luiz Vieira de Barros (PDC) Manoel Freire Borges (PSD) Manoel Gomes de Vasconcelos (PST) Marcello Lavenère Machado (PL) Mariana Monteiro (PST) Mário da Costa Guimarães (UDN) Mário Peixoto da Silva (PSD) Maurício de Albuquerque Melo (PSP) Merice de Andrade Pereira (PSP) Miguel Alcides Filho (PSP) Miguel Fidelis de Moura (PSP) Miguel Pedrosa de Macedo (PST) Milton Buarque Wanderley (PST) Mironildes Vieira Peixoto (PDC) Moab Amorim Silva (PDC) Odilio de Oliveira Lisboa (PSP) Oséas Rabelo Maia (PTB) Osmar Oliveira de Almeida (UDN) Osmundo Donato da Silva (PL) Otacilio Silveira Cavalcanti (PDC) Paulo Duarte Cavalcante (PSP) Paulo José Brandão (PDC) Pedro Guimarães Amorim (PDC) Reinaldo Galvão Lima (PST) Rubens Braga Quintela Cavalcante (PL) Rubens Peixoto Costa (UDN) Rui Lobão Barreto (PDC) Sebastião Barbosa de Araújo (PSP) Sebastião Correia dos Santos (PL) Sebastião Ribeiro de Carvalho (PST) Siloé Valeriano Tavares (UDN) Teobaldo Vasconcelos Barbosa (UDN) Ulisses Vitorino Botelho (PTB) Vinícius Cansanção Filho (PSD) Walter Dória de Figueiredo (PDC) Walter Tavares Mendes (PSP) Wilson Lucena Maranhão (PTB) Zadir da Silva Cassela (UDN) 379 .

Ademar Medeiros (MDB) Aderval Vanderlei Tenório (ARENA) Alcides Muniz Falcão (MDB) Alonso de Abreu Pereira (ARENA) Antenor Correia Serpa (ARENA) Antônio Gomes de Barros (ARENA) Antônio Guedes do Amaral (MDB) Antônio Lopes de Almeida (MDB) Antônio Machado Lôbo (ARENA) Areski Dâmara de Omena Freitas (ARENA) Aroldo Dorvillé Loureiro Farias (ARENA) Dinei Soares Torres (MDB) Edmundo Tojal Donato (ARENA) Elísio da Silva Maia (MDB) Eraldo Malta Brandão (ARENA) Ezequias Raimundo Alves (ARENA) Guilherme Gracindo Soares Palmeira (ARENA) Henrique Equelman (ARENA) Higino Vital da Silva (MDB) João Cabral Tolêdo (ARENA) Jorge Duarte Quintela Cavalcanti (ARENA) José de Medeiros Tavares (ARENA) José Lúcio de Melo (ARENA) Luiz Gilberto Pereira do Carmo Sarmento (ARENA) Luiz Gonzaga Moreira Coutinho (MDB) Luiz Novais Tavares (ARENA) Miguel Torres Filho (ARENA) Moacir Lopes de Andrade (MDB) Nelson Simões Costa (ARENA) Remy Tenório Maia (ARENA) Roberto Tavares Mendes (MDB) Rubens de Mendonça Canuto (MDB) Siloé Valeriano Tavares (ARENA) Tarcísio de Jesus (ARENA) Teobaldo Vasconcelos Barbosa (ARENA) Suplentes: Alexandre Milito Filho (ARENA) Alfredo de Paula Cavalcante (ARENA) Angélico Gomes de Melo (MDB) Antonino de Albuquerque Malta (ARENA) Antônio de Barros Castro (MDB) . 41. Art. de 1o.. de agosto a 30 de novembro”. Cada legislatura durará quatro anos”. na Capital da União. Art.. anualmente. de março a 30 de junho e de 1o.380 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 6ª LEGISLATURA (1967 a 1970) Constituuição de 1967: Art. em cada Estado e Território.. “A Câmara dos Deputados compõe-se de representantes do povo eleitos pelo voto direto e secreto. 31: “O Congresso Nacional reunir-se-á. 29 “ O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal”.

ABC das Alagoas Armando Moreira Soares (MDB) Arnóbio Silva (ARENA) Airton Batinga de Mendonça (MDB) Clodoval de Barros Pereira (MDB) Dácio Ferreira da Silva (MDB) Dionísio José de Góis (ARENA) Ednor Rodrigues Amorim (ARENA) Edval Tenório de Souza (ARENA) Eliseu Teixeira Cavalcante (MDB) Everaldo Lamenha de Carvalho (ARENA) Flavius Flaubert Pimentel Torres (MDB) Francisco Guilherme Tobias Granja (MDB) Francisco Roberto Holanda de Melo (ARENA) Genésio Marques de Carvalho (ARENA) Genildo Capitulino Lessa Santos (MDB) Geraldo Penha Amorim (ARENA) Hélio de Miranda Taveiros (MDB) Hélio Ferreira de Araújo (ARENA) Homero de Albuquerque Malta (ARENA) Jader de Lima Araújo (MDB) João Batista de Morais (ARENA) João de Omena Fireman (MDB) João José de Melo (ARENA) João Xavier de Araújo (MDB) Jorge Higino de Albuquerque (ARENA) José Correia de Melo (ARENA) José Lourenço do Monte (MDB) José Paulo Moura (ARENA) José Pereira de Lucena (MDB) José Pinto de Barros (ARENA) José Vasconcelos dos Santos (MDB) José Vicente Barbosa (ARENA) José Wanderley de Barros Lima (ARENA) Josenildo Ferreira de Carvalho (ARENA) Júlio Soriano Bonfim (ARENA) Lauro Farias (ARENA) Luiz Gonzaga Malta Gaia (MDB) Luiz Pereira Alves (MDB) Manoel Aureliano Reis (MDB) Manoel de Medeiros Salgado (MDB) Manoel Francisco da Silva (ARENA) Maurício de Albuquerque Melo (MDB) Minervo Fernandes Pimentel (ARENA) Nelson Marinho de Araújo (ARENA) Nelson Tenório de Oliveira (ARENA) Odílio de Oliveira Lisbôa (MDB) Oduvaldo de Araújo Persiano (ARENA) Paulo Duarte Cavalcante (ARENA) Paulo José Brandão (ARENA) Pedro Farias Sarmento (ARENA) Pedro Teixeira Duarte (MDB) 381 .

382 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Pedro Timóteo Filho (MDB) Ramiro Costa Pereira (MDB) Raul Ferreira dos Santos (MDB) Sinval Rodrigues Gaia (ARENA) Waldemar Bernardes de Melo (ARENA) Wanilo Galvão de Barros (ARENA) 7ª LEGISLATURA (1971 a 1974) Alcides Muniz Falcão (MDB) Antônio Ferreira de Andrade ( MDB) Aroldo Loureiro Dorvillé Farias(ARENA) Divaldo Suruagi (ARENA) Geraldo Medeiros de Melo (ARENA) Guilherme Gracindo Soares Palmeira (ARENA) Higino Vital da Silva (MDB) Humberto de Melo Souza (ARENA) Jorge Duarte Quintela Cavalcanti (ARENA) José Bandeira de Medeiros (ARENA) José Lúcio de Melo ( ARENA) Nelson Simões Costa (ARENA) Tarcísio de Jesus (ARENA) Teobaldo Barbosa (ARENA) Walter Dória Figueiredo (MDB) Suplentes Ademar Medeiros Alexandre Milito Filho Antonio de Barros Castro Apolonio Arcanjo de Melo Cícero Torres Cristiniano Fortes Nunes Ediel Lima Dias Edmundo Tojal Donato Edson Tenório de Almeida Lins Ivan Bezerra Barros José de Almeida Araújo José Sampaio de Medeiros José Wanderley de Barros Lima Luiz Gonzaga Cavalcante Guimarães Luiz Novais Tavares Milton Maux Lessa Natanael Calaço Rodrigues Plácido Feliciano Alvim Ramiro Costa Pereira Filho Remi Tenório Maia Sinval Rodrigues Gaia Waldemar Freire Pereira Waldemar Pereira Lima MDB ARENA MDB MDB ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA MDB ARENA MDB MDB MDB ARENA MDB MDB ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA .

ABC das Alagoas 8ª LEGISLATURA (1975 a 1978) Alcides Muniz Falcão (MDB) Alexandre Milito Filho (ARENA) Antônio Saturnino de Mendonça Neto (MDB) Edson Tenório Lins (ARENA) Francisco José Galdino Pimentel (MDB) Geraldo Medeiros de Melo (ARENA) Guilherme Gracindo Palmeira (ARENA) Humberto Melo Souza ( ARENA) Jorge Duarte Quintella Cavalcanti (ARENA) José de Medeiros Tavares (ARENA) José Bandeira de Medeiros (ARENA) Luiz Evangelista da Silva (MDB) Manoel Afonso de Melo Neto (MDB) Narciso Lúcio da Silva (ARENA) Nelson Simões Costa (ARENA) Humberto Melo Souza (ARENA) Rubens Villar de Carvalho (ARENA) Tarcísio de Jesus (ARENA) Walter Dória Figueiredo (MDB) Suplentes Antônio de Barros Castro (MDB) Ari de Medeiros Lage ( ARENA) Fernando Correia Ribeiro ( ARENA) Fernando Elias da Rosa Oiticica ( ARENA) Ismael Pereira de Azevedo (MDB) José Figueiredo dos Santos ( ARENA) Luiz Fernando Barros (MDB) Manoel Antônio Machado ( ARENA) Manoel Aureliano Reis (MDB) Manoel Miguel Filho (MDB) Milton Maux Lessa (MDB) Paulo Roberto Malta Brandão (MDB) Luiz Machado Lemos (MDB) Pedro Ferreira Lima ( ARENA) Remi Tenório Maia ( ARENA) Aroldo Dorvillé Loureiro de Farias ( ARENA) Edvaldo Barbosa Leão ( ARENA) Rubens Carvalho Souza ( ARENA) Sebastião Monteiro da Costa ( ARENA) 9ª LEGISLATURA (1979 a 1982) Agripino Alexandre dos Santos (MDB) Alcides dos Santos Andrade (MDB) Alcides Muniz Falcão (MDB) Alexandre Milito Filho (ARENA) Edson Tenório de Almeida Lins (ARENA) Elísio Sávio dos Anjos Maia (ARENA) 383 .

384 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Emílio Silva (ARENA) Francisco José Galdino Pimentel (MDB) Hélio Nogueira Lopes (ARENA) João Rodrigues Sampaio Filho (ARENA) José Afrânio Vergetti de Siqueira (MDB) José Bandeira de Medeiros (ARENA) José de Medeiros Tavares (ARENA) José Jota Duarte Marques (ARENA) José Renan Vasconcelos Calheiros (MDB) Manoel Afonso de Melo Neto (MDB) Nelson Simões Costa (ARENA) Osvaldo Gomes de Barros (ARENA) Roberto Vilar Torres (ARENA) Tarcísio de Jesus (ARENA) Walter Pitombo Laranjeiras (ARENA) Suplentes Alan Rodrigues Brandão (MDB) Alonso Abreu Pereira (ARENA) Antônio Lins de Souza (MDB) Antônio Milton Pessoa Falcão (MDB) Benício Pedro dos Santos (MDB) Bernardino Souto Maior Neto (MDB) Dalton Dória Braga (ARENA) Denis Loureiro Farias (ARENA) Filadelfo Bispo (ARENA) Gervásio Raimundo dos Santos (ARENA) Hamilton Santana Cardeal (MDB) Herílio Machado (ARENA) João Batista Costa Boleado (ARENA) João Tavares Paulo (MDB) João Teixeira Cavalcante (ARENA) Jorge Duarte Quintela Cavalcante (ARENA) José Bezerra Neto (MDB) José Buarque do Nascimento (MDB) José Jurandir de Oliveira (ARENA) José Maria de Omena (MDB) José Pereira Lúcio (ARENA) Laércio Malta Brandão (ARENA) Luiz Fernando Vieira Lopes (MDB) Manoel Aureliano Reis (MDB) Manoel Pereira Filho (ARENA) Marcos Rubem de Medeiros Pacheco (ARENA) Milton Maux Lessa (MDB) Milton Vieira da Silva (ARENA) Nestor Ferreira Tenório (MDB) Neusvaldo Barbosa Leão (ARENA) Nivaldo Alves de Lima (ARENA) Orival José de França (MDB) Paulo Correia Ribeiro (ARENA) .

ABC das Alagoas Pedro Pereira Lima (ARENA) Remi Tenório Maia (ARENA) Walter Dias Sant’Ana (MDB) Walter Dória de Figeiredo 385 (MDB) 10ª LEGISLATURA (1983 a 1986) Antônio Holanda Costa (PDS) Benedito de Lira (PSD) Dinei Soares Torres (PMDB) Eduardo Bonfim Gomes Ribeiro (PMDB) Elionaldo Maurício Magalhães Moraes (PDS) Emílio Silva (PDS) Francisco Roberto Holanda de Melo (PMDB) Hélio Nogueira Lopes (PDS) Ismael Pereira Azevedo (PMDB) José Afrânio Vergetti (PMDB) José Jota Duarte Marques (PDS) José Bandeira de Medeiros (PDS) José de Medeiros Tavares ( PDS) José Bernardes Neto (PDS) Manoel Gomes de Barros (PDS) Miguel Soares Palmeira (PDS) Moacir Lopes de Andrade (PMDB) Antônio Saturnino de Mendonça Neto (PMDB) Manoel Pereira Filho (PDS) Neusvaldo Barbosa Leão (PDS) Nenoí Pinto Araújo (PDS) Ronaldo Augusto Lessa Santos (PMDB) Roberto Vilar Torres (PDS) Selma Bandeira Mendes (PMDB) Suplentes Abel Ferino de Moura (PDS) Alcides Muniz Falcão (PMDB) Baltazar Teixeira Cavalcante (PDS) Ednaldo Soares da Silva (PMDB) Edson Tenório d’Almeida Lins (PDS) Eduardo Davino (PMDB) Edval Vieira Gaia (PDS) Elísio Sávio dos Anjos Maia (PDS) Gesival Macedo da Costa Fonseca (PDS) Gilberto Braga de Melo (PMDB) Hadi Teixeira da Silva (PDS) Humberto Melo Souza (PDS) João Nascimento Silva (PMDB) João Tavares Paulo (PMDB) José Alves de Oliveira (PDS) José Felix de Oliveira (PDS) José Soares da Silva (PDS) .

PDC e PDS) Emílio Silva (Coligação PMDB .PSB .PSB .PTB .386 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Laércio Malta Brandão (PDS) Luiz Correia da Costa (PDS) Manoel Lins Pinheiro (PDS) Marcos Afonso de Sá Peixoto ((PMDB) Maria José de Carvalho Nascimento (PDS) Miguel César Rocha (PDS) Nilson Amorim de Miranda (PMDB) Nilton Maux Lessa (PMDB ) Osvaldo Gomes de Barros (PDS) Osvaldo Semião Lins (PDS) Pedro Ferreira Lima (PDS) Renato Vilar de Carvalho (PMDB) Walter Dias Sant’Ana (PMDB) Walter Dória de Figueiredo (PMDB) Walter Toroca Pitombo Laranjeiras (PDS) William Cleto Falcão de Alencar (PMDB) 11ª LEGISLATURA (1987 a 1990) Antônio Holanda Costa (Coligação PMDB .PT – PCB) Manoel Gomes de Barros (Coligação P F L .PTB .PC do B e PSC) José Bernardes Neto (Coligação P F L .PC do B e PSC) Francisco Roberto Holanda de Melo (Coligação PMDB .PTB .PC do B e PSC) Ismael Pereira Azevedo (Coligação PMDB .PDC e PDS) Elísio Sávio dos Anjos Maia (Coligação P F L .PSB .PDC e PDS) José Humberto Vilar Torres (Coligação PMDB .PTB .PDT .PTB .PSB .PC do B e PSC) Dinei Soares Torres (Coligação P F L .PDC e PDS) César Eustáquio Malta Amaral (Coligação P F L .PDC e PDS) José Bandeira de Medeiros (Coligação PFL .PC do B e PSC) Sabino Romariz (Coligação PL .PT – PCB) Nenoí Pinto Araújo (Coligação P F L .PT – PCB) Suplentes: Abel Ferino de Moura (Coligação PFL –PDC e PDS) .PTB .PTB .PTB .PDC e PDS) José Nascimento Leão de Melo (Coligação PFL .PC do B e PSC) José Jota Duarte Marques (Coligação PMDB .PT – PCB) João Barbosa Neto (Coligação PL .PDT .PC do B e PSC) José de Medeiros Tavares (Coligação PMDB .PTB .PDC e PDS) Manoel Pereira Filho (Coligação PMDB .PC do B e PSC) Manoel Lins Pinheiro (Coligação PL .PTB .PC do B e PSC) Antônio Guedes do Amaral (Coligação PMDB .PTB .PTB .PDT .PDC e PDS) Oscar Ramalho Fontes Lima (Coligação PMDB .PDC e PDS) Wiliam Cleto Falcão de Alencar (Coligação PMDB .PC do B e PSC) Benedito de Lira (Coligação P F L .PDC e PDS) Dilton Falcão Simões (Coligação PMDB .PC do B e PSC) José Augusto Filho (Coligação PL .PC do B e PSC) José Afrânio Vergetti de Siqueira (Coligação PMDB .PDT .PC do B e PSC) Edval Vieira Gaia (Coligação P F L .PTB .

PTB – PC do B e PSC) João Rodrigues Sampaio Filho (Coligação PFL –PDC e PDS ) José Soriano (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) José Antônio de Souza (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Edmundo Tojal Donato (Coligação PFL –PDC e PDS ) Eduardo Davi (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Eliel José de Morais (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Euclides Afonso de Melo Netto (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Fernando Chaves da Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Filadelfo Bispo (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Corinto Onélio Campelo da Paz (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Daniel Guedes de Lima (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Denício Calixto de Oliveira(Coligação PMDB .ABC das Alagoas Aílton Renovato dos Santos (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Alcides Muniz Falcão (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Jefferson Simões Marcelino (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) João Caldas da Silva (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Ildo Rafael de Vasconcelos (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Isaac Samuel de Carvalho Nascimento (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Hélio Nogueira Lopes (Coligação PFL –PDC e PDS ) Hildeberto Cordeiro Lins (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Genivaldo Barbosa de Melo (Coligação PFL –PDC e PDS ) Geraldo Mendonça de Araújo (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Gilberto Gonçalves da Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Guilherme Celso Vilar de Carvalho (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Arion de Albuquerque Ávila (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) 387 .PTB – PC do B e PSC) Elionaldo Maurício Magalhães Moraes (Coligação PFL –PDC e PDS ) Elizeu Antonio Maciel (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Claudionor Correia de Araújo (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Edilene Ferreira Lima (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Flaudísio Barbosa Santos (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Flaviano Manoel Melo Pacheco (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Flávio Francisco Oliveira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Florival Alexandre Costa (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Francisco das Chagas Porcino Costa (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Francisco de Assis Serpa de Menezes (Coligação PFL –PDC e PDS ) Francisco de Sales Ramos Pereira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Francisco José Galindo Pimentel (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Denis Jatobá Agra (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Dimas Teogenes dos Santos (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Almir Rodrigues Lisboa (Coligação PFL –PDC e PDS) Amadeu Sebastião da Silva ( Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Ana Maria Vieira Soares (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Antônio Aranda da Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Antônio G i l s o n da Silva Belo (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Aquino Costa Japiassu Filho (Coligação PFL –PDC e PDS ) Baltazar Teixeira Cavalcante (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Benedito Guilherme Falcão Farias (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Carlos Abrahão Gomes de Moura (Coligação PFL –PDC e PDS ) Carlos António Apratto Pinheiro (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Claudenor de Albuquerque Lima (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Edberto Melo Souto (Coligação PMDB .

PTB – PC do B e PSC) José Pereira da Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) José Pereira Mendes (Coligação PMDB .388 Francisco Reinaldo Amorim de Barros José Batista Pereira (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) .PTB – PC do B e PSC) Orestes Ferreira Alves (Coligação PFL –PDC e PDS ) Orival José de França (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Oswaldo Gomes de Barros (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Luiz Geraldo de Mendonça Araújo (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Rubens Peixoto Costa (Coligação PFL –PDC e PDS ) Salomão Setton Neto (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Sandoval Ferreira Caju (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Barbosa de Oliveira (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Evaldo Lino Moreira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) José Hélio Torres Laranjeiras (Coligação PFL –PDC e PDS ) José Luciano Barbosa da Silva (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Luiz Gonzaga Costa (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Luiz Carlos da Silva (Coligação PFL –PDC e PDS ) Luiz Carlos Rodrigues Tavares(Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Valmiro Gomes da Costa (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Newton Montenegro Imbuzeiro (Coligação PFL –PDC e PDS ) José Nllton de Oliveira Correia (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Paulo Correia Ribeiro (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Mauro Sélvio Barbosa de Melo Murilo (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Mércia Lemos Fontes Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Miguel Soares Palmeira (Coligação PFL –PDC e PDS ) Milton Maux Lessa (Coligação PFL –PDC e PDS ) Milton Praxedes de Oliveira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Nilson Amorim de Miranda (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Nuesvaldo Barbosa Leão (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Rostand José Miranda de Lima (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Temóteo Correia Santos (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Ricardo Coelho de Barros (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Roberto Tavares Mendes (Coligaçãob PFL –PDC e PDS ) Rosinete Gonzaga Lima (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Luiz Machado Brandão (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Manoel Celestino da Silva (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Marcelo Lavenére Machado (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Veridiano Sarmento (Coligação PFL –PDC e PDS ) José Vieira Guimarães (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Reinaldo Cabral Silva (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Pedro Ferreira Lima (Coligação PFL –PDC e PDS ) Pedro Timóteo Acioli Neto (Coligação PFL –PDC e PDS ) Petrucio Bandeira de Medeiros (Coligação PFL –PDC e PDS ) Petrúcio Ferreira Lopes (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Plínio Sampaio Visgueiro Filho (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Radi Teixeira da Silva (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Sebastião José Palmeira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Sebastião Lopes Cavalcante (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) Maria Alba Correia da Silva (Coligação PMDB .PTB – PC do B e PSC) José Zaronir Ramalho de Freitas (Coligação PFL –PDC e PDS ) Josias Vieira Calado (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Laércio Malta Brandão (Coligação PMDB .

ABC das Alagoas Tales Barbosa Lima (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Valter Guimaraes (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Valvir Azarias de 0liveira (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Wagner Monteiro Cavalcante Manso (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Walter Dias Sant’Ana (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) Zanoni de Lima (Coligação PL-PDT-PSB-PT e PCB) 12ª LEGISLATURA (1991 a 1994) Antônio Guedes do Amaral (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Benedito de Lira (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) César Eustáquio Malta Amaral (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Cícero Amélio da Silva (PTR) Cícero Paes Ferro ( PDC-PL-PRN-PRP) Edval Vieira Gaia (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Elionaldo Maurício Magalhães Moraes (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Elísio da Silva Maia (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Eraldo Malta Brandão Filho (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Maria do R. Fátima Braga Cordeiro (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Francisco Holanda Costa (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Francisco das Chagas Porcino Costa (PTR) Gervásio Raimundo dos Santos (PL) Gilvan Gomes Barros (PDC/PL/PRN/PRP João José Sarmento de Carvalho ( PDC-PL-PRN-PRP) José Bernardes Neto (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) José Jota Duarte Marques (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) José Humberto Vilar Torres . Filho.ZecaTorres (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Manoel Lins Pinheiro (PL) Marcelino José dos Santos (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) José Nascimento Leão de Melo (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Oscar Ramalho Fontes Lima (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) José Raimundo de Albuquerque Tavares (PDC/PL/PRN/PRP) Manoel Sertório Queirós Ferro (PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B) Talvane Luis Gama Albuquerque (PTR) Temóteo Correia Santos (PTR) Washington Luiz Damasceno Freitas (PTR) Suplentes: Alexandre Milito Filho Alonso Cavalcante de A. Altamir Urbano Pinto Álvaro Ferreira Guimarães Filho Amaro Alves de Lima Amilton Rodrigues Melo Antônio Caetano Silva Antônio Carlos da Silva PT DO B Antônio Lins de Souza 389 PTR PSD/PST PL PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ .

390 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PT do B Antônio Lourenço Pontes PT DO B Antônio Luna da Silva Júnior Antônio Pedro de Alcântara PT DO B Aquino Costa Japiassu Filho Areski Damara de Omena F. Júnior Argeu Alves da Silva Filho PT DO B Ary Alves de Oliveira Augusto de Oliveira Galvão Sobrinho Bartholomeu Valeriano Cavalcante Benedito Manoel Gonçalves Benedito Umbelino de Godoy Breno Lins de Oliveira PT DO B Carlos Alberto Goes Guedes Carlos Alberto Mendes Monteiro Carlos Alfredo B. Lessa de Azevedo Carlos Avelino da Silva Filho Caubi Damara de Omena Freitas Filho Cícero Cerqueira Cavalcanti Neto Cícero Fernandes Ocrécio Cícero Herculino Machado Cícero Jorge Teixeira Cavalcante Cícero Mendonça de Lima Cícero Timóteo da Silva PT DO B Claudionor Correia de Araújo PT DO B Cornélio Batista da Silva Cosme Alves Cordeiro PT DO B Cosmo José Calheiros Pedrosa Daniel Houly de Almeida Daniel Miguel do Nascimento Denício Calixto de Oliveira Jendevaldo Cícero dos Santos Denis Jatobá Agra PT/PCB/PSB/PC DO B Dilton Falcão Simões Djacy Correia Barbosa José Barros e Silva Filho Tácito Yuri de Melo Barros Domingos de Oliveira Prado Edësio Manoel Cavalcante Costa Edilson Ferreira de Sá Edivaldo Rodrigues Araújo Edlene Ferreira Lima PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PL PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PTR PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PL PTR PL PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PTR PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PTR PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP .

de M.ABC das Alagoas Edmilson Torres de Lima Ednaldo Francisco de Holanda Silva PT do B Ednaldo Miguel da Silva Ednaldo Moreira Paes PT DO B Edson Leocádio dos Santos PT DO B Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro Eduardo Pereira Nunes Eldio de Gusmão Verçosa Eliaquim Tenório da Silveira Emanuel Batista Luz PDC/PL/PRN/PRP Eraldo Firmino de Oliveira Erisvaldo Bandeira Rios Ernando Costa Cavalcante Evaldo Guedes de Lima PT DO B Everaldo Umbelino da Silva Expedito dos Santos PT DO B Fábio Rodrigues de Lima PT DO B Fernando Cavalcanti Baracho PT DO B Fernando Correia Ribeiro Filadelfo Bispo PT DO B PTR Francisco de Assis Serpa de Menezes Francisco de Sales Ramos Pereira Francisco de Souza Irmão Francisco Geraertes Caldas da Silva PT do B George Samuel Sanguinetti Felows PT do B Geovan Siqueira de Melo Geowex Pereira Moura Geraldo de Majella F. Marques Geraldo Ferreira de Mendonça Hamilton Bahia Maia Gomes Heliete Maria da Costa Amorim Hélio Nogueira Lopes PT do B Hugo de Carvalho Mandarino Ireno Francisco Noberto Isaac Samuel de Carvalho Nascimento PT do B 391 PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT/PCB/PSB/PC do B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PTR PSD/PST PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ Flavius Flaubert Pimentel Torres PTR PT/PCB/PSB/PC DO B PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PL PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PTR PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ .

392 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP Ismael Pereira de Azevedo PT do B Isnaldo Bulhões Barros PT do B Isve Cavalcante de Lima Jasobean Delfina da Silva Jefferson Simões Marcelino Jesser Alves Branco PDC/PL/PRN/PRP João Alves Vilela PSD/PST João Barbosa Neto João Batista da Silva PDC/PL/PRN/PRP João Crispim dos Santos João Eudes Ferreira Cavalcante PT DO B João Izidoro da Costa João Lins Pessoa Filho Joaquim Andrade de Carvalho Brito José Afrânio Vergetti de Siqueira PT do B José Anselmo de Oliveira José Augusto Filho José Aurino de Lima José Barbosa de Oliveira José Batista dos Santos Filho José Carlos dos Santos José Correia da Silva José de Fátima Buarque Cavalcanti José Dirson de Albuquerque Sousa José Édson da Silva Montenegro Pita José Edvaldo da Silva PT DO B José Ernesto de Souza Filho José Fernandes dos Santos José Helenildo Ribeiro Monteiro PT do B José Januário Nicácio Neto PT do B José Joaquim Barros PSD/PST José Joval Pereira da Silva PT DO B José Lopes de Carvalho Júnior José Maia Fernandes PDC/PL/PRN/PRP José Marculino Barros da Silva PT DO B José Maria de Omena José Maria Melo da Costa José Marinho Muniz Falcão PT DO B José Medeiros PT/PCB/PSB/PC do B PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT/PCB/PSB/PC DO B PTR PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PTR PTR PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PL PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PL PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ .

ABC das Alagoas PT do B José Moreno da Silva PT DO B José Muniz Gama PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B José Názaro da Silva José Nelson L. da Silva Sobrinho José Nilton da Silva José Nilton Montenegro Imbuzeiro José Nivaldo Cardoso Mota José Osvaldo Cavalcante da Silva José Ozório do Nascimento José Pedro Cardoso Santos José Pereira da Silva Pereirinha José Santana da Silva José Serafim do Nascimento Filho José Severino Rosas de Andrade José Tenório Filho PTR José Walmiro Gomes da Costa José Wanderley Neto Josefa Santos Cunha PT do B Joseildo Teotônio da Silva Juarez Orestes Gomes de Barros PT do B Judson Cabral de Santana Júlio Sérgio de Maia Pedrosa Moreira PT do B Laércio Malta Brandão Lairto Santos da Silva Leomax Correia de Oliveira Linaldo Araújo Lívio Araújo Calixto PL Lourival Vasconcelos dos Santos Lucas de Albuquerque Silva Luiz Alberto da Silva PSD/PST Luiz Geraldo de Mendonça Araújo PT DO B Luiz Gonzaga Mendes de Barros PT DO B Luzimar Fernandes da Silva Manoel Barbosa dos Santos PT DO B Manoel Chaves Granja Manoel Gomes da Silva Manoel Mariano da Silva Manoel Messias da Silva Nunes Manoel Vicente Gomes Manoel Vieira da Silva Marcelo Alves de Sales 393 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PTR PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PL PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PTR PDC/PL/PRN/PRP PL PTR PSD/PST PTR PSD/PST .

394 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Marcelo Fortes Silveira Cavalcanti PDC/PL/PRN/PRP Marcos Antônio Nunes PL Marcos Santa Rita de Melo PDC/PL/PRN/PRP Marcus Antônio Vieira de Vasconcelos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B Maria Augusta Cardoso de Vasconcelos PL Maria Helena de Jesus Leite PSD/PST Maria Ivone Ramos de Carvalho PDC/PL/PRN/PRP Maria Leda Cardoso PL Maria Nita Silva PSD/PST Maria Petrúcia Dias Camelo PL Mário Fragoso de Vasconcelos Bóia PTR Mário Peixoto da Silva PTR Marivaldo Albuquerque Silva PDC/PL/PRN/PRP Maurício Vieira Dias PT/PCB/PSB/PC DO B Mauro Sélvio Barbosa de Melo PSD/PST Miguel Soares Palmeira PT/PCB/PSB/PC DO B Milton Canuto de Almeida PT/PCB/PSB/PC DO B Moisés de Aguiar PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Murilo Houly Rocha PL Nelson Miguel Dias PSD/PST Nenoi Pinto Araújo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT do B Neusvaldo Barbosa Leão PTR Nildson José Gomes da Silva PL Orestes Ferreira Alves PSD/PST Orlando Alves de Farias PT/PCB/PSB/PC DO B Osman Gaia Nepomuceno PDC/PL/PRN/PRP Oswaldo Gomes de Barros PTR Paulo Edmilson de Andrade Silva PL Paulo Góis Machado PDC/PL/PRN/PRP Paulo José Guimarães dos Santos PSD/PST Paulo Roberto Pontes de Mendonça PDC/PL/PRN/PRP Petrúcio Bandeira de Medeiros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT do B Petrúcio Cláudio da Silva PSD/PST Petrúcio dos Santos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Plínio Sampaio Visgueiro Filho PSD/PST Quitéria Bezerra de Melo PSD/PST Rcardo José Moroni Valença PT/PCB/PSB/PC DO B Raimundo Nonato Nunes Melo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT DO B Raymundo Rodrigues Rego PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Regivaldo Francisco dos Santos PSD/PST Reinaldo Cabral Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Renato Reis da Silva PL Rogério Auto Teófilo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT do B Rogério Henrique de Medeiros Pacheco PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ Romeu Potiguar Costa Romão .

Marques Cirqueira Tancredo Pereira Valter Guimarães PSD/PST Wagner Monteiro Cavalcante Manso Waldemar Correia da Silva Walter Dias Sant-Ana Walter José da Silva PTR Warner de Magalhães Maurício Wellington Apratto Torres PT do B 395 PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B PSD/PST PSD/PST PTR PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PSD/PST PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ 13ª LEGISLATURA (1995 a 1998) Antônio Ribeiro de Albuquerque (PMDB) Celso Luiz Tenório Brandão (PSC) César Eustáquio Malta Amaral (PP) Cícero Amélio da Silva (PSB) Cícero Paes Ferro (PPR) José Danilo Damaso de Almeida (PMN) Demuriez Leão Barbosa (PMDB) Délio José de Souza Almeida (PRP) Edival Vieira Gaia (PFL) José Francisco CerqueiraTenório (PSB) Gilvan Gomes Barros (PSC) Heloísa Helena Lima de Moraes Carvalho (PT) Francisco João Carvalho Beltrão (PSC) João Caldas da Silva (PMN) José Jadson Pedro de Farias (PFL) João Barbosa Neto (PMDB) José Jota Duarte Marques (PSC) João Beltrão Siqueira Luciano Suruagy do Amaral (PMDB) Lucila Regis Albuquerque Cabral Toledo (PSC) Marcelino Alexandre José dos Santos (PFL) Nivaldo Jatobá (PMDB) Oscar Ramalho Fontes Lima (PSC) Roberto Villar Torres (PTB) .ABC das Alagoas PT DO B Ronaldo Augusto Lessa Santos Ronice Bertoldo Santos Rosiber Oliveira Melo PT do B Rubens Pinheiro dos Santos Sabino Romariz Kristhian Douglas Pinaud Calheiros Salomão Monteiro dos Santos Saulo Emanoel de Oliveira Sebastião dos Santos PT/PCB/PSB/PC DO B Severino Lúcio da Silva Siloel Vítor dos Santos Tancredo L.

396 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Rogério Auto Teófilo (PFL) Temóteo Correia Santos (PP) Washington Luiz Damasceno Freitas (PP) Suplentes: Abel Gomes de Siqueira Torres Aderbal Quirino Santos Aderval Viana de Oliveira Afranio José Vieira Aguinaldo Cardoso Ramos Alita Lopes Andrade de Alencar Aloisio Gomes Lacerda Andre Melo de Onofre Araujo Anivaldo de Miranda Pinto Antonio Claudino da Costa Neto Antonio Gilson da Silva Belo Antonio Jose de Melo Moreira Antonio Saturnino de Mendonca Neto Ary Jose Sobrinho Benedito Leite da Silva Bruno Mendes Carlos Abraão Gomes de Moura Caubi Damara de Omena Freitas Filho Cicero Vital da Silva Claudionor Correia de Araujo Corintho Onelio Campelo da Paz Diva Paulo da Silva Edmar Soares Baracho Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro Elisio Sávio dos Anjos Maia Eloisio Barbosa Lopes Junior Eraldo Bulhoes Barros Junior Eraldo Malta Brandao Filho Evanildo Fernandes Santos Francisco Holanda Costa Francisco Luiz de Albuquerque Geovan Siqueira de Melo Gervasio Raimundo dos Santos Gileno Costa Sampaio Ismael Pereira Azevedo Jefferson Simoes Marcelino Joao Batista da Silva Jorge Luiz Reis Assunção Jose Barbosa de Oliveira Jose Cícero Valentim dos Santos Jose de Oliveira Barbosa Jose Eduardo Leão Praxedes Jose Ferreira de Oliveira Jose Lessa Gama Jose Marcio Garcia de Alencar Jose Marinho Muniz Falcao PTB PRP PRP PPR PMDB PSC PMN PDT PPS PFL PDT PDT PDT PMDB PDT PSDB PMN PRP PSB PSDB PDT PP PT PC DO B PFL PSB PSC PSC PSDB PSC PRP PSB PMN PDT PMDB PSD PRP PL PSC PMDB PMN PMN PSB PDT PMDB PMDB .

Cacalo (PSL) Antônio Holanda Costa (PTB) Cícero Amélio da Silva (PSB) Cícero Paes Ferro (PTB) Celso Luiz Tenório Brandão (PSDB) Délio José de Souza Almeida (PSD) PMN PV PSB PDT PMN PMN PRN PFL PSD PP PPS PSC PMN PSDB PSB PMDB PL PPS PSDB PSB PDT PMN PSB PL PPR PSC PP PTB PRP PSD PFL PSD PSB PRP PSDB PMDB PRP PSDB PPR PP PDT 397 .ABC das Alagoas Jose Nailton da Silva Souza Jose Raimundo dos Santos Jose Reinaldo de Sa Falcão Jose Ubiratan Ferreira Nunes Jose Valério da Silva Jose Zaronir Ramalho de Freitas Kristhian Douglas Pinaud Calheiros Luciano de Albuquerque Aguiar Luiz Pereira de Melo Junior Manoel Lins Pinheiro Manoel Sampaio Luz Neto Manoel Sertorio Queiroz Ferro Manuel Francisco Cavalcante Manuel Valente de Lima Neto Marcus Antonio Vieira de Vasconcelos Maria do Rozario de Fatima Braga Cordeiro Maria Leda Cardoso Maria Socorro Franca da Silva Mauricio Fernandes dos Santos Mauricio Vieira Dias Messias Lino Balbino Miguel Cesar da Rocha Miguel Soares Palmeira Murilo Houli Rocha Neusvaldo Barbosa Leao Nilton Rocha Ozires Goncalves Lins Paulo de Tarso Medeiros Sobrinho Pedro Afonso Collor de Melo Pedro dos Santos Petrucio Bandeira de Medeiros Petrucio Claudio da Silva Raul Carlos Brodt Reinaldo Cabral Silva Sebastiao Petrucio Wanderley Lins Sergio Francisco dos Santos Theo Fortes Silveira Cavalcante Usiel Mariano de Oliveira Wellington Apratto Torres Wilson Alfredo Perpetuo Wilson Cosmo da Silva 14ª LEGISLATURA (1999 a 2002) Antônio Ribeiro de Albuquerque (PSD) Arthur César Pereira de Lira (PSDB) Antônio Carlos Lima Rezende .

398 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Maria do Rosári de Fátima Braga Cordeiro (PSL) Fernando Juliano Gaia Duarte (PTB) Francisco Julião Carvalho Beltrão (PSDB) José Francisco Cerqueira Tenório (PSB) Gilvan Gomes Barros (PTB) Gervásio Raimundo dos Santos (PTB) Isnaldo Bulhões Barros Júnior (PSD) João Beltrão Siqueira (PMDB) José Júnior de Melo (PSDB) Ismael Judá dos Santos Nicácio (PT do B) Lucila Régia Albuquerque Toledo (PFL) Marcelino Alexandre José dos Santos (PTB) Marcos Antônio Nunes (PSL) Petrúcio César Bandeira Mendes (PSB) Paulo Fernando dos Santos (Paulão) (PT) Paulo Roberto Nunes Calaça (PT) Rogério Auto Teófilo (PFL) Temóteo Correia Santos (PTB) Ziane Costa – Eliziane Ferreira Costa (PMDB) Suplentes: Abel Ferino de Moura Adailton da Silva Aderval Viana de Oliveira Alfredo Afonso Ramos da Silva Aloisio Gomes de Lacerda Angela Maria Moreira Canuto Mendonça Antonio de Padua Tavares Silva Antonio Ferreira de Andrade Antonio Jose dos Santos Antonio Moises da Silva Antonio Sotiris Garyfalos Aristeu Rodrigues de Souza Bartolomeu Jose Rodrigues Filho Carlos Alberto Barros Celso Kennedy Rodrigues Cicero Bispo dos Santos Cicero Ferreira de Albuquerque Cicero Luciano Peixoto da Silva Claudia Correia da Silva Claudio Luiz de Sousa Clovis Pereira da Silva Corintho Onelio Campelo da Paz Cosmo Jose Calheiros Pedrosa Daniel Jose de Pontes Demuriez Leao Barbosa Denilma Vilar de Bulhões Barros Denisval Basilio Silva Deraldo Tenório de Barros Dermeval Tenório de Mesquita PRN PRP PSL PSN PMN PDT PSDB PTB PT do B PSB PRN PMDB PSB PPB PSB PSDB PT PPB PSD PTN PSD PDT PTN PSL PSB PMN PSC PTN PSL .

ABC das Alagoas Edival Vieira Gaia Filho Egmar da Rocha Barros Elisio Castro de Omena Elisio Sávio dos Anjos Maia Everaldo Figueiredo Nobre Fenelon Rodrigues da Silva Fernando Antonio Barreiros de Araujo Fernando Antonio Jambo Muniz Falcao Flavius Flaubert Pimentel Torres Genesio Rodrigues dos Santos Geonaldo Omena de Oliveira George Samuel Sanguinetti Fellows Geraldo Amorim Silva Geraldo Ferreira de Mendonca Geronimo Ciqueira da Silva Giovanni Moreira Santos Glaube Fireman Tenorio Helio Costa de Souza Helio Silva de Oliveira Heth César Bismarck Athaide B. de Oliveira Horacio Pereira de Almeida Neto Ib Heber Pita de Araújo Irineu Torres da Silva Filho Ismael Pereira Azevedo Jalbas Gama Feitosa Jaudeni da Silva Coutinho Jesonias da Silva João Alberto Brito de Oliveira João Barbosa Neto João Luiz Rocha John William Buyers Junior Jorge Luiz Ferreira de Franca Jorge Luiz Gonzaga Vieira Jose Airton dos Santos Soares Jose Alberto de Oliveira Silva Jose Alves Ferreira Jose Cícero Valentim dos Santos Jose Danilo Damaso de Almeida Jose Dantas Rodrigues Jose de Oliveira Barbosa Jose Edson de Lima Lins Jose Ernesto de Sousa Filho Jose Gildo Rodrigues Silva Jose Jorge Malta Amaral Jose Lessa Gama Jose Levino de Oliveira Santos Jose Lourenco da Silva Jose Maynart Tenorio Jose Roberto Mendes do Amaral Jose Roberto Silva Jose Rosalvo da Silva 399 PSL PT PSL PTB PPB PPB PSDB PMDB PSDB PRONA PRN PMDB PPS PRONA PTB PRP PSL PT do B PFL PDT PSL PT PPS PMDB PPB PSD PSL PSB PSDB PTB PSL PSL PT PSL PSL PSN PTB PMDB PSD PSL PSTU PSL PSL PSD PSB PSL PRN PRN PC do B PTN PRP .

400 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PSB PL PSN PSDB PSD PMN PSDB PPB PSL PSTU PTN PSB PTN PSB PFL PSTU PMDB PT PPB PAN PTB PSL PSB PT PL PRONA PSL PPB PSL PMDB PTB PDT PSTU PRN PSB PMN PFL PRN PTN PT PTN PSL PMN PSL PSDB PSL PV PFL PPB PTN PSL Jose Santana da Silva Jose Valmir Goncalves de Vasconcelos Jose Vieira da Silva Jose Vieira dos Santos Jose Zaronir Ramalho de Freitas Kleber Marques da Silva Luciano Suruagi do Amaral Luiz Barbosa Carnaúba Manoel Lins Pinheiro Manoel Moises Santos Marcelo Alves de Sales Marcionila Verçosa do Rego Marcos Andre Omena da Silva Marcos Antonio da Silva Marcos Antonio Duarte Marcos Ricardo de Lima Maria Aparecida da Silva Pereira Maria Cristina Wysotchansky Brandao Petry Maria Jose Araujo de Gusmão Verçosa Maria Risomar Moraes de Lima Mario Augusto Vilar Torres Marli Ribeiro de Souza Aprigio Mauricio Vieira Dias Milton Canuto de Almeida Murilo Houly Rocha Nereu Tenorio da Silva Neulivan Vasconcelos Souza Niedja Santos de Oliveira Nilton Rocha Noel Ferreira de Macedo Oscar Ramalho Fontes Lima Osvanilton Adelino de Oliveira Paulete Barbosa da Silva Paulo Fernandes da Silva Pedro Jose Filho Pedro Vieira da Silva Petrucio Bandeira de Medeiros Raimundo Ernandes Evangelista da Silva Raudrin de Lima Silva Reginaldo Souza Lira Regivaldo Francisco dos Santos Renato Tadeu Fragoso e Silva Ricardo Lobo Ramires Malta Roberto Ferreira Wanderley Ronaldo Pereira Lopes Roney Tadeu Valenca Silva Sandra do Carmo de Menezes Sandro Cabrales Vieira Sergio Toledo de Albuquerque Siloel Vitor dos Santos Ubiratan Alves Dantas .

ABC das Alagoas
Usiel Mariano de Oliveira Valgetan Ferreira de Oliveira Vania Maria da Silva Veraldino Apolinário dos Santos Veronica Maria Ferreira Soares Vicente Higino de Oliveira 15a. LEGISLATURA ( 2003-06) Adalberto Cavalcante (PRONA) Alves Correia (PSB) Antônio Albuquerque (PTB) Artur Lira (PTB) Celso Luiz Tenório Brandão (PL) Cícero Almeida (PDT) Cícero Amélio da Silva (PPS) Cícero Ferro (PTB) Dudu Albuquerque (PT do B) Fernando Duarte (PTB) Francisco Carvalho – Chicão (PSDB) Francisco Tenório (PPS) Gervásio Raimundo (PTB) Gilberto Gonçalves (PMN) Gilvan Barros (PL) Isnaldo Bulhões Barros Júnior (PL) João Beltrão Siqueira ( PSL) José Pedro (PSDB) Luiz Pedro (PRP) Marcos Barbosa (PT do B) Marcos Ferreira (PSB) Maria José Viana (PSB) Nelito Gomes de Barros (PFL) Paulo Fernando dos Santos ( Paulão) (PT) Sérgio Toledo (PSB) Temóteo Correia (PTB) Zé Pedro da Arável (PSDB) Ziane Costa (PTB) Suplentes: Aderval Viana Adoniran Guerra Alexandre Fleming Alfredo Pereira Angela Lopes Anselmo William Antônio Holanda Aranda Aranildo Elisiário Arestides Castro Barnabel Cabo Lopes PRONA PRONA PSTU PSB PT PAN PTB PPB PHS PRONA PPS PMN

401

PSL PRONA PTN PSL PPB PFL

402

Francisco Reinaldo Amorim de Barros
PRONA PRONA PPS PRONA PSDB PMN PDT PMN PV PT do B PRONA PTB PT do B PPS PSB PDT PPS PSDB PRONA PSDB PV PT do B PAN PTN PTB PPB PDT PMN PT do B PMN PSB PFL PT do B PT do B PMN PSB PAN PT do B PFL PT do B PSB PV PSB PSB PSB PDT PL PMN PDT PT do B PMN

Carlinhos Três Irmãos Cicero Naro Cicinha Monteiro Claudia Calheiros Cleo Coronel Goulart Cristina Brandão Daniel Malta Débora Mansur Delegado Barbosa Delegado Osvanilton Delio Almeida Dora Dr Everaldo Dr Joab Duda Moreira Edilson Gaibu Edival Gaia Edmundo do Ferro Velho Eduardo Davino Elpídio O Poeta Euclides Melo Euzebio Omena Expedito Suíça Fátima Cordeiro Fenelon Rodrigues da Silva Fernando Valões Firmino Maia França Galego do Veneno Genilda Leão Geonaldo Omena George Clemente Geraldo Amorim Geraldo Siqueira Gerônimo da Adefal Gerson Guarines Gilson Gama Hélio Silva Ideraldo Rocha Jaudeni Coutinho Jefferson Alcântara João Alberto João Santos Jota Cavalcante Judá Nicácio Junior Leão Kleber Marques Lalá de Paula Landersson Leopoldo

ABC das Alagoas
Lucila Toledo Luiz César Luiz Galdino Luiz Lopes Maciel Borges Maestro Cap Ivanildo Rafael Major Lucena Maninho Manoel Moisés Marçal Fortes Marcelão Marco Toledo Marcos André Marivone Loureiro Mauricio Vergeti Niedja Oliveira Nobre Nunes Padre Eraldo Paladino Papai Noel Pastor Benigno Pastor João Luiz Pastor Mario Rodrigues Pastor Saulo Pastor Tavares Paulo Nunes Paulo Rego Paulo Silva Pedro Anselmo Pedro Cardoso Petrúcio Bandeira Prof Paulo Veiga Professor Robinho Regina Reginaldo Roberto Almeida Roberval Cabral Ronaldo Lopes Ronaldo Miranda Rui Palmeira Sabino Romariz Sanguinetti Sargento Cahet Sargento Germano Sebastião Filho Severino Lúcio Silvio Camelo Socorro Pereira Tarcizo Freire Tenente Assunção PTB PSDC PT do B PL PDT PMN PRONA PT do B PSTU PT do B PTN PT do B PSC PC do B PT do B PRTB PPB PRTB PT PT do B PAN PRONA PGT PDT PT do B PMN PT PAN PTB PSDB PT PSB PTB PT PRONA PV PSB PL PSDB PMN PFL PMN PT do B PAN PT do B PSDB PSDB PMN PPS PT do B PV

403

404

Francisco Reinaldo Amorim de Barros
PMN PRONA PPS PMN PRTB PGT PSB PMN PMN

Toninho Lins Usiel Mariano Valgetan Ferreira Vaninha Nutels Vitório Malta Vladimir Barros Wellisson Miranda Williams Vasconcelos Zé Enéas b Francisco de Assis Barbosa Francisco Manoel Martins Ramos Manoel Marques Granjeiro Luiz José de Barros Leite - suplente

Esta representação foi reconhecida em 15 de dezembro de 1821, ou seja quase um anos depois da instalação das Cortes Constituintes, que se deu em 26 de janeiro de 1821. PERÍODO IMPERIAL - DEPUTADOS-GERAIS 1. Assembléia Geral Eleição em 1822 dos Deputados Constituintes

Caetano Maria Lopes Gama Inácio Acioli de Vasconcelos José de Souza e Melo José Antonio de Caldas Miguel Joaquim de Cerqueira e Silva DEPUTADOS FEDERAIS, POR ORDEM ALFABÉTICA, ENTRE 1891 a 1930 A Constituição de 1891 estabeleceu o mandato de 3 anos. A Câmara não poderia mais ser dissolvida. Reunia-se anualmente, iniciando-se as sessões a 3 de maio e prolongado-se por 4 meses. 1. Alfredo Alves de Carvalho ( 1912-14) 2. Alfredo de Maia (1915-17; 18-20) 3. Álvaro Corrêa Paes (1927-29) 4. Ângelo José da Silva Neto (1897-99; 1901-02; 03-05,06-08) 5. Artur Vieira Peixoto (1897-99) 6. Bernardo Antônio de Mendonça Castelo Branco (1891-93) 7. Cândido de Oliveira Lins de Vasconcelos ( 1894-96; 97-99 – representante do D.Federal) 8. Carlos Jorge Calheiros de Lima (1894-96) 9. Demócrito Brandão Gracindo (1909-11) 10.Epaminondas Hipolito Gracindo (1900-02; 03-05; 06-08; 09-11) 11.Euclides Vieira Malta ( 1891-93; 97-99; 1921-23; 24-26) 12. Euzébio Francisco de Andrade (1903-05; 06-08; 09-11; 12-14; 15-17) 13. Francisco de Paula Leite e Oiticica (1891-93) 14. Gabino Bezouro (1891-93) 15. Helvécio da Silva Monte (1894-96; 97-99- representante do Ceará) 16. Hermilo de Freitas Melro (1924-26; 27-29) 17. João Baptista Acioli Júnior (1912-14) 18. João de Aquino Ribeiro (1903-05 – representante do Mato Grosso) 19. João Francisco de Novais Paes Barreto (1906-08 – representante do Mato Grosso; 09-11)

ABC das Alagoas
20. Joaquim Pontes de Miranda (1891-93) 21. José Antônio Duarte (1900-02) 22. José Bernardo de Aroxelas Galvão (1897-99; 1900-02; 03-05; 06-08) 23. José da Rocha Cavalcanti (1894-96; 97-99; 1912-14) 24. José da Rocha Cavalcante Filho (1921-23; 24-26; 30) 25. José de Almeida Martins Costa (1894-96 – representante do Rio Grande do Sul) 26. José de Barros Albuquerque Lins (1894-96; 1912-14) 27. José de Barrros Wandeley de Mendonça (1903-05) 28. José de Castro Azevedo (1930) 29. José Fernandes de Barros Lima (1894-96) 30. José Paulino de Albuquerque Sarmento (1915-17) 31. Ladislau de Souza Melo Neto (1891-93) 32. Luiz Magalhães da Silveira (1918-20; 30) 33. Manoel Clementino do Monte (1894-96) 34. Manoel de Sampaio Marques (1906-08; 09-11) 35. Manoel Joaquim de Mendonça Martins (1915-17; 18-20) 36. Manoel José Araújo Góis (1894-96; 97-99; 1900-02; 24-26; 27-29; 30) 37. Manoel Leite Novaes Melo (1891-93 – representante do Espírito Santo) 38. Mário Alves da Fonseca (1930) 39. Miguel Soares Palmeira (1918-20) 40. Natalício Camboim de Vasconcelos (1909-11; 12-14; 15-17; 18-20; 21-23; 24-26) 41. Otávio Rocha de Lemos Lessa (1906-08) 42. Pedro da Costa Rego ( 1915-17; 18-20; 21-23; 27-29) 43. Raimundo Pontes de Miranda (1900-02; 03-05; 06-08; 09-11; 21-23) 44. Rodrigo Corrêa de Araújo (1891-93) 45. Silvestre Otaviano Loureiro (1894-96) 46. Teofilo Fernandes dos Santos (1891-93; 97-99) 47. Tiburcio Alves de Carvalho (1912-14) 48. Virgílio de Lemos (1906-08 – representante da Bahia)

405

DEPUTADOS FEDERAIS, POR ORDEM ALFABÉTICA, ENTRE 1946-2006, INCLUINDO SUPLENTES QUE ASSUMIRAM EM ALGUM PERÍODO DA RESPECTIVA LEGISLATURA Constituição de 1946 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. Abrahão Fidelis de Moura (1959-63; 63-67) Albérico Cordeiro da Silva ( 1979-83; 83-87; 87-91; 95-99, 99-2002) Aloysio Ubaldo da Silva Nono (1959-63; 63-67; 67-71) Antônio de Freitas Cavalcanti (1946-51; 51-55) Antônio Ferreira de Andrade (1975-79; 79-83; 87-91;95-99) Antônio Holanda Costa ( 1991-95) Antônio Marco Toledo (1995-99) Antônio Mário Mafra (1946-51) Antônio Saturnino de Mendonça Júnior (1951-55; 55-59) Antônio Saturnino de Mendonça Neto (1979-83; 91-95) Armando Salgado Lages (1955-59) Ary Boto Pitombo ( 1951-55; 55-59; 59-63; 63-67) Augusto César Cavalcanti Farias (1991-95; 95-99; 99-2002) Aurélio Viana da Cunha Lima (1955-59; 59-63) Benedito de Lira (1995-99; 2003-06) Carlos Augusto Maciel da Silva (1995-99)

406
17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. 26. 27. 28. 29. 30. 31. 32. 33. 34. 35. 36. 37. 38. 39. 40. 41. 42. 43. 44. 45. 46. 47. 48. 49. 50. 51. 52. 53. 54. 55. 56. 57. 58. 59. 60. 61. 62. 63. 64. 65. 66. 67.

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Carimbão- Givaldo de Sä Gouveia (1999-2002, 2002-06) Carlos Gomes de Barros (1959-63; 63-67) Ceci Cunha ( Josefa Santos Cunha (1995-99; 1999-2002) Divaldo Suruagy (1979-83) Djalma Marinho Muniz Falcão (1967-71; 83-87) Edmundo Tojal Donato (1995-99) Eduardo Bonfim Gomes Ribeiro (1987-91) Enio Lins de Oliveira (1995-99) Erivaldo dos Santos (1995-99) Eustáquio Gomes de Melo ( 1951-55; 55-59) Evilásio Torres (1951-55) Esperidião Lopes de Farias Júnior (1945-51) Fernando Afonso Collor de Melo (1983-87) Fernando José Torres (1995-99) Francisco Afonso de Carvalho (1946-51) Francisco das Chagas Porcino Costa (1995-99) Geraldo Bulhões Barros (1971-75; 75-79; 79-83; 83-87; 87-91) Geraldo Majela Melo Mourão (1963-67) Geraldo Sampaio (1963-67) José Helenildo Ribeiro Monteiro (2003-06) Henrique Oest (1963-67) Hildebrando Martins Falcão ( 1951-55) João Caldas (1999-2002; 03-06) João Crisostomo Farias (1951-55) João Lira (2003-06) Joaquim de Barros Correia Viegas (1951-55) José Afonso Casado de Melo (1955-59) José Alves de Oliveira (1971-74; 75-79) José Caralâmpio de Mendonça Braga (1951-55; 55-59) José Carneiro da Cunha Sarmento (1971-75) José Cerqueira de Medeiros Filho (1995-99) José Costa Sampaio (1971-75) José Humberto Vilar Zeca Torres (1995-99) José Maria de Melo (1946-51; 51-55; 55-59) José Marinho Muniz Falcão (1971-75) José Oliveira Costa ( 75-79; 79-83; 87-91; 95-99) José Pereira Lúcio (1963-67; 67-71; 71-74) José Quintela Cavalcanti (1955-59) José Regis de Barros Cavalcante (1999-2002) José Renan Vasconcelos Calheiros (1983-87; 87-91) José Thomaz da Silva Nonô Netto (1983-87; 87-91; 91-95; 95-99, 99-2002, 03-06) José Wanderley Lopes (1995-99) Laércio Malta Brandão (1995-99, assume na qualidade de suplente) Lauro Bezerra Montenegro (1946-51) Lauro Farias (1995-99) Luiz Dantas Lima (1991-95; 95-99, 1999-2002) Luiz de Medeiros Neto (1946-51;51-55; 55-59; 59-63; 63-67; 67-71) Luiz de Souza Cavalcante (1959-63; 67-71) Manoel Afonso de Melo Neto (1983-87) Manoel Xavier de Oliveira (1946-51) Mário Gomes de Barros (1946-51; 51-55)

71. 70. que renunciou) Teofilo Fernandes dos Santos Euclides Vieira Malta ( Substitui. 59-63. 67-71.ABC das Alagoas 68. 72. 63-67) Sérgio Maia Pedrosa Moreira (1983-87) Segismundo Andrade (1955-59. 95-99 ) 407 DEPUTADOS FEDERAIS POR LEGISLATURA Congresso Constituinte do Brasil (1891) e 1a. distrito José da Rocha Cavalcante Manoel Clementino do Monte Silvestre Otaviano Loureiro 2o. 59-63. 95-99. 91-95) Rogério Teófilo (2003-06) Rui Soares Palmeira (1946-51. 74. 51-55) Sebastião Marinho Muniz Falcão (1951-55. 73. 82. 78. F. 71-75. 75. 69. 87-91) William Cleto Falcão de Andrade (1991-95. 86. Legislatura 1891-1893 Bernardo Antonio de Mendonça Castelo Branco (Não tomou posse) Francisco de Paula Leite e Oiticica Gabino Bezouro Joaquim Pontes de Miranda Ladislau de Souza Melo Neto (Renunciou a 8/11/1890. 79. 67-71) Silvestre Péricles de Góis Monteiro (1946-51) Talvane Luís Gama Albuquerque (1995-99. 1897-1899 . 71-75) Odilon Liam de Souza Leão Filho (1959-63) Olavo Calheiros Filho ( 1991-95. no ano anterior. na vaga pela renúncia. 1894-1896 Carlos Jorge Calheiros de Lima José de Barros Albuquerque Lins José Fernandes de Barros Lima Manoel José de Araujo Góis (Eleito. 1999-2002. 63-67. distrito Cândido de Oliveira Lins de Vaconcelos ( representando o D. 63-67. Leg. antes da abertura da Constituinte) Rodrigo Corrêa de Araujo ( Substituiu Ladislau de Souza Melo Neto. 77. 76. 81. 67-71) Roberto Vilar Torres ( 1987-91. Leg. de José de Barros de Albuquerque Lins ) 1o. em 31 de janeiro de 1895. 03-06) Oséas Cardoso Paes (1963-67. em 1892. 75-79. 80. Maurício Quintela (2003-06) Moacir Lopes de Andrade (1995-99) Murilo da Rocha Mendes ( 1979-83) Nelson Simões Costa (1983-87) Oceano Carleial (1955-59. 99-2002) Teobaldo de Vasconcelos Barbosa (1975-79) Vinicius Cansanção Filho (1967-71. que havia sido eleito governador) Manoel Leite de Novaes Melo ( representando o Espírito Santo ) 2a. 84. ) José de Almeida Martins Costa ( representando o Rio Grande do Sul ) Helvécio da Silva Monte ( representando o Ceará ) 3a. 85. 83. Gabino Besouro.

na vaga de Teofilo Fernandes dos Santos. distrito José Bernardes de Arroxelas Galvão Manoel José de Araujo Góis Raimundo Pontes de Miranda 2o.408 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Angelo José da Silva Neto Arthur Vieira Peixoto José da Rocha Cavalcante 1o.F. 1900-1902 Angelo José da Silva Neto Epaminondas Hipolito Gracindo José Antonio Duarte 1o. nascido do PE. distrito Suplentes: Costa Leite Miguel Palmeira 5a. na vaga de Ângelo José da Silva Neto. Epaminondas Hipolito Gracindo José de Barros Wanderley de Mendonça 1o. de Maceió. ) Helvécio da Silva Monte ( representando o Ceará ) 4a. Leg. falecido em 08 de fevereiro daquele ano) 2o. Leg 1909-1911 . distrito Cândido de Oliveira Lins de Vasconcelos ( representando o D. falecido em 11 de dezembro de 1906) Virgilio de Lemos ( Representando a Bahia ) João Francisco de Novais Paes Barreto( Representando do Mato Grosso) 7a. Leg. Leg. distrito Euclides Vieira Malta Manoel José de Araujo Góis Teofilo Fernandes dos Santos José Bernardes de Arroxelas Galvão (Eleito em 20 de julho de 1897. em 1896) João de Aquino Ribeiro ( representando o Mato Grosso ) 6a. (distrito único) 1906-1908 Angelo José da Silva Neto Epaminondas Hipolito Gracindo Euzébio Francisco de Andrade José Bernardes de Arroxelas Galvão Otávio Rocha de Lemos Lessa Raimundo Pontes de Miranda Manoel de Sampaio Marques ( Eleito a 9 de março de 1907. distrito Euzébio Francisco de Andrade José Bernardes de Arroxelas Galvão Raimundo Pontes de Miranda 2o. foi redator-chefe de Diário do Comércio. distrito José da Silva Costa Netto ( representando o Mato Grosso. 1903-1905 Angelo José da Silva Neto .

1912-1914 Alfredo Alves de Carvalho Euzébio Francisco de Andrade João Baptista Accióly Junior José da Rocha Cavalcante José de Barros Albuquerque Lins Natalício Camboim de Vasconcelos Tiburcio Alves de Carvalho ( eleito em 26 de fevereiro de 1913.ABC das Alagoas 409 Epaminondas Hipolito Gracindo Euzébio Francisco de Andrade João Francisco de Novais Paes Barreto Manoel de Sampaio Marques Natalício Camboim de Vasconcelos Raimundo Pontes de Miranda Demócrito Brandão Gracindo ( Eleito em 23 de abril de 1911. na vaga do falecimento. Leg. em janeiro. de José da Rocha Cavalcante) 9a. falecido em 13/01/1911) 8a. Leg. 1921-1923 Euclides Vieira Malta José da Rocha Cavalcante Filho Luiz Magalhães da Silveira Natalício Camboim de Vasconcelos Pedro da Costa Rego Raimundo Pontes de Miranda 12a. Euclides Vieira Malta Hermilo de Freitas Melro 1924-1926 . Alfredo de Maia Euzébio Francisco de Andrade José Paulino de Albuquerque Sarmento Manoel Joaquim de Mendonça Martins Natalício Camboim de Vasconcelos Pedro da Costa Rego 10a. Leg. 1918-1920 1915-1917 Alfredo de Maia Luiz Magalhães da Silveira Manoel Joaquim de Mendonça Martins Miguel Soares Palmeira Natalício Camboim de Vasconcelos Pedro da Costa Rego 11a. Leg. na vaga de Epaminondas Gracindo. Leg.

de Góes Monteiro Orlando Valeriano de Araújo ( Partido Republicano de Alagoas) Rodolfo Pinto da Mota Lima Assembléia Nacional Constituinte e 1a. Legislatura Antônio de Freitas Cavalcanti (UDN) Antônio Mario Mafra (PSD) Ari Pitombo (PTB) Esperidião Lopes de Farias Júnior (PSD) Francisco Afonso de Carvalho (PSD) José Maria de Melo (PSD) Lauro Bezerra Montenegro (PSD) Luiz de Medeiros Neto (PSD) Manoel Xavier de Oliveira (PSD) faleceu em 1947 Mário Gomes de Barros (UDN) Rui Soares Palmeira (UDN) 1946.410 Francisco Reinaldo Amorim de Barros José da Rocha Cavalcante Filho Luiz Magalhães da Silveira Manoel José Araujo Góis Natalício Camboim de Vasconcelos 13a. Leg. 1930 1927-1929 José de Castro Azevedo José Paulino de Albuquerque Sarmento José da Rocha Cavalcante Filho Luiz Magalhães da Silveira Manoel José Araujo Góis Mário Alves da Fonseca Deputados Federais 1934-37 Constituição de 1935 Assembléia Nacional Constituinte 1934-35 e Legislatura Ordinária 35-37 Álvaro Guedes Nogueira Antônio de Melo Machado (Partido Nacional) Armando Sampaio Costa (Partido Nacional) Carlos Cavalcanti de Gusmão Emílio Eliseu de Maia Isidro Teixeira de Vasconcelos. Leg.1951 . Álvaro Corrêa Paes Hermilo de Freitas Melro Luiz Magalhães da Silveira Manoel Clementino do Monte Manoel José Araujo Góis Pedro da Costa Rego 14a. José Afonso Valente de Lima ( Partido Nacional ) Manuel C.

Antônio de Freitas Cavalcanti ( UDN) Antônio Saturnino de Medonça Júnior (PSD) Ari Boto Pitombo (PST) Eustaquio Gomes de Melo (UDN) Hildebrando Martins Falcão (PSD) Joaquim de Barros Correia Viegas (PST) João Crisostomo de Farias (PST) José Caralâmpio de Mendonça Braga (PST) José Maria de Melo ((PSD) Luiz de Medeiros Neto (PSD) Mário Gomes de Barros (UDN) Rui Soares Palmeira (UDN) Sebastião Marinho Muniz Falcão (PST) 3a. PSB. PDC. 1955-1959 1951-1955 411 Armando Salgado Lages (UDN) Ari Bôto Pitombo (Oposições Coligadas: PSD-PTB-PDC-PSB-PSP-PR) Aurélio Vianna da Cunha Lima (Oposições Coligadas: PSD-PTB-PDC-PSB-PSP-PR) José Afonso Casado de Melo (UDN) José Maria de Melo (UDN) Luís Medeiros Neto (Oposições Coligadas: PSD-PTB-PDC-PSB-PSP-PR) Oceano Carleial (UDN) Sebastião Marinho Muniz Falção (Oposições Coligadas: PSD-PTB-PDC-PSB-PSP-PR) Segismundo Andrade (UDN) Suplentes: UDN Cícero Virginio Torres Eustáquio Gomes de Melo Hildebrando Martins Falcão José Quintela Cavalcanti Mário Gomes de Barros Remy Tenório Maia Pelas Oposições Coligadas (Aliança Partidária do PSD. Leg. Leg.ABC das Alagoas Silvestre Péricles de Góis Monteiro (PSD) 2a. PTB. PSP e PR) Antônio Góes Ribeiro Antônio Saturnino de Mendonça Júnior Clóvis Calheiros Maia Gomes Joaquim de Barros Correia Viegas José Caralampio de Mendonça Braga José Mendes Guimarães Oscar Maurício da Rocha .

Leg. Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1959-1963 Abrahão Fidelis de Moura (Coligação: PDC-PSP-PST-PSB) Ari Boto Pitombo (Coligação: PSD-PTB-PRP) Aurélio Viana da Cunha Lima (Coligação: PDC-PSP-PST-PSB) Carlos Gomes de Barros (UDN) Luiz de Medeiros Neto (Coligação: PSD-PTB-PRP) Luiz de Souza Cavalcante (Coligação:PSD-PTB-PRP) Oceano Carleial (UDN) Odilon Lima de Souza Leão Filho (Coligação: PDC-PSP-PST-PSB) Segismundo Andrade (UDN) 5a. Leg. Leg.412 4a. Abrahão Fidelis de Moura (PTB-PSP) Aloísio Ubaldo da Silva Nonô (UDN) Ari Boto Pitombo (PTB-PSP) José Pereira Lúcio (UDN) Luiz de Medeiros Neto (PSD) Oceano Carleial (UDN) Oséas Cardoso Paes (UDN) Sebastião Marinho Muniz Falcão (PTB-PSP) Segismundo Andrade (UDN) Suplentes Geraldo Costa Sampaio Carlos Gomes de Barros Francisco Elias da Rosa Oiticica Cid Feijó Sampaio Armando Salgado Lages José Tenório Cardoso Getúlio Magela Melo Mourão Henrique Cordeiro Oest Luiz de Gonzaga Mendes de Barros José Clóvis de Andrade Lumar Fonseca de Machado Antônio Góis Ribeiro Daniel Almeida Guimarães Ezequais Jerônimo da Rocha Silvestre Péricles de Góis Monteiro Antônio Bandocchi Alves Frederico de Moaraes Júnior Oscar Pessoa Tenório Cavalcante de Albuquerque Odilon Lins de Souza Leão João Climaco da Silva João Crisostomo de Farias 6a. Aloísio Ubaldo da Silva Nono (MDB) 1967-1971 UDN UDN PSD PSD UDN PSD PTB/PSP PTB/PSP PSD PTB/PSP UDN PSD PTB/PSP PTB/PSP PSD PSD PSD PSD PTB/PSP PSD PSD 1963-1967 .

Leg. ARENA Antônio Ferreira de Andrade Geraldo Bulhões Barros José Alves de Oliveira Theobaldo de Vasconcelos Barbosa MDB José Oliveira Costa Vinicius Cansanção Filho 1975-1979 1971-1975 MDB ARENA MDB MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB 413 MDB . Leg. Geraldo Bulhões Barros (ARENA) José Alves de Oliveira (ARENA) José Carneiro da Cunha Sarmento (ARENA) José Costa Sampaio (ARENA) José Marinho Muniz Falcão (MDB) Oceano Carleial (ARENA) Sebastião Teixeira Cavalcante Neto (MDB) Vinícius Cansanção Filho (MDB) Suplentes: Astério Loureiro Donvillé Farias (ARENA) José Bezerra Melo (MDB) Lauro Farias (ARENA) Silvestre Péricles de Góes Monteiro ( MDB) 8a.ABC das Alagoas Cleto Marques Luz (MDB) Djalma Marinho Muniz Falcão (MDB) José Pereira Lúcio (ARENA) Luiz de Medeiros Neto ( ARENA) Luiz de Souza Cavalcante (ARENA) Oceano Carleial (ARENA) Oséas Cardoso Paes (ARENA) Segismundo Andrade (ARENA) Suplentes: Edson Tenório D`Ameida Lins Luiz de Gonzaga Mendes de Barros Vinicius Cansanção Filho Lumar Fonseca de Machado Ary Botto Pitombo Antonio Saturnino de Mendonça Júnior João Lins de Albuquerque Uchôa Filho Antonio Milton Pessoa Falcão Herman de Medeiros Torres Geraldo Majella de Melo Mourão Clóvis Calheiros Maia Gomes 7a.

Leg.414 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Suplentes: ARENA Francisco Guilherme Tobias Granja Leda Color de Melo Oceano Carleal MDB José Bezerra Filho 46a. ARENA Antônio Ferreira de Andrade Albérico Cordeiro da Siva Divaldo Suruagy Geraldo Bulhões Barros Murilo da Rocha Mendes MDB José de Oliveira Costa Antônio Saturnino de Mendonça Neto Suplentes ARENA José Alves de Oliveira Lauro Farias Oceano Carleial Osvaldo Semião Lins MDB Djalma Marinho Muniz Falcão Geraldo de Lima e Silva José Falcão de Gusmão Sebastião de Oliveira Lima 47a. Leg Alberico Cordeiro da Silva (PDS) Djalma Marinho Muniz Falcão (PMDB) Fernando Afonso Collor de Melo (PDS) Geraldo Bulhões Barros (PDS) José Thomaz da Silva Nonô Netto (PDS) José Renan Vasconcelos Calheiros (PMDB) Manoel Afonso de Melo Neto (PMDB) 1983-1987 1979-1983 .

ABC das Alagoas Nelson Simões Costa (PDS) Suplentes. PDS Alonso de Abreu Pereira Antônio Ferreira de Andrade José Hélio Torrres Laranjeiras Oséas Cardoso Paes MDB Benício Pedro dos Santos Júlio Sérgio de Maia Pedrosa Moreira Murilo Rocha Mendes Sandoval Ferreira Caju Assembléia Nacional Constituinte (1987) e 48a. Legislatura Coligação PFL-PDC-PDS Albérico Cordeiro da Silva Antônio Ferreira de Andrade José Thomaz da Silva Nonô Vinicius Cansanção Filho Coligação PMDB-PTB-PC do B e PSC Eduardo Bonfim Gomes Ribeiro Geraldo Bulhões Barros José Oliveira Costa José Renan Vasconcelos Calheiros Roberto Vilar Torres Suplentes: Coligação PFL-PDC-PDS Bráulio de Freitas Cavalcanti Júnior Carlos Germano Cardoso da Silva José Alves de Oliveira Roberto de Paiva Torres Coligação PMDB-PTB-PC do B e PSC Agripino Alexandre dos Santos Artur Armando Gondim José Marinho Muniz Falcão Júlio Sérgio de Maia Pedrosa Moreira Lauro Mendes Filho Manoel Afonso de Melo Neto Coligação PL-PDT-PSB-PT-PCB 415 1987-1991 .

1991-1995 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B Vitório Manoel Malta Marques B Augusto César Cavalcante Farias B Luiz Dantas Lima B William Cleto Falcão de Alencar Antônio Holanda Costa B José Thomaz da Silva Nonô Netto B Olavo Calheiros Filho Roberto Villar Torres B Antônio Saturnino de Mendonça Neto Suplentes: Manoel Sampaio Luz Neto Albérico Cordeiro da Silva Antônio Ferreira de Andrade Ted France Roque Pereira Fernando Antônio Barreiros de Araújo Vinícius Cansanção Filho José Oliveira Costa Luciano Jorge Peixoto Nilson Ernesto Bezerra Usiel Mariano de Oliveira PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP .416 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Antônio Fernando Ocrécio Benedito Umbelino de Godoy Benício Pedro dos Santos Elisénio de Carvalho Emanoel Domingos Ribeiro da Silva Emanoel Oliveira Cavalcante Fernando Antônio Barreiros de Araújo Fernando Antônio Neto Lobo José Maurício Pedrosa Gondim José Moura Rocha José Sales Josefa Ferreira Rodrigues Kátia Born Ribeiro Luiz Torres de Melo Nereu Cavalcante Pedro dos Santos Filho Ronaldo Bastos Trindade Severino Barbosa Lopes Walber Luiz Castro Noleto 49a. Leg.

Legislatura 1995-1999 Albérico Cordeiro da Silva Augusto Cesar Cavalcante Farias Benedito de Lira Ceci Cunha ( Josefa Santos Cunha ) Fernando José Torres José Thomaz da Silva Nonô Netto Luiz Dantas Lima MoacyrLopes de Andrade Talvane Luís Gama Albuquerque Suplentes: Ademir Rodrigues Sales Antonio Ferreira de Andrade Antonio Jacinto Filho PRN PMDB PSTU PTB PSC PFL PSDB PSDB PMDB PSD PPR PP 417 PL PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDBB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP PTR PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PL PL PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP .ABC das Alagoas Lauro Farias João Ferreira Azevedo Anivaldo de Miranda Pinto Djalma Marinho Muniz Falcão Luiz de Souza Cavalcante José Alves de Oliveira Marcos José Dantas Kummer José Luiz Malta Gaia Amaro Calheiros Pedrosa Bergson Toledo Silva José Djalma Batista de Almeida Gesival Macedo da Costa Fonseca Diney Soares Torres Ronaldo Bezerra de Almeida José dos Santos Filho Carlos Alberto Barbosa Xavier Nailton Alves da Silva Pedro Carlos Tenório Cavalcanti Arlírio da Silva Oliveira Dimas Teógenes dos Santos Etevaldo Alves Amorim Hélio Flamarion da Cruz Borges Kátia de Oliveira Barros José Luiz Pereira Neto Ubiratan Pedrosa Moreira Yuri Patrice Rocha de Miranda Daniel Nunes Pereira Marcelo Silva Malta Victor Antônio Cavalcante Pereira Oberman Alves Silva Alberto de Amorim 50a.

Josefa Santos Cunha (PSDB) João Caldas da Silva (PMN) Luiz Dantas Lima (PSD) José Thomaz da Silva Nonô Neto (PSDB) Olavo Calheiros Filho (PMDB) José Regis Barros Cavalcante (PPS) Nascido em Alagoas José ALDO REBELO Figueiredo Suplentes PC do B São Paulo . Legislatura 1999-2002 São Paulo Rio de Janeiro Alberico Cordeiro da Silva (PTB) Augusto César Cavalcante Farias (PFL) Carimbão – Givaldo de Sá Gouveia (PSB) Ceci Cunha .418 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PFL PSB PSB PFL PL PC DO B PMN PP PRP PPS PPR PP PRP PDT PPR PSB PMDB PMDB PL PL PDT PSB PMDB PT PRN PRN PSB PSD Antonio Marco Toledo Antonio Roberto Brandao Barbosa Arnaldo Fontan Silva Carlos Augusto Maciel Silva Edmundo Tojal Donato Enio Lins de Oliveira Erivaldo dos Santos Francisco das Chagas Porcino Costa Geraldo Ferreira de Mendonça Joao Vicente Freitas Neto Jose Alves de Oliveira Jose Cerqueira de Medeiros Filho Jose Djalma Batista de Almeida Jose Helio Torres Laranjeira Jose Humberto Vilar Zeca Torres Jose Mauricio Pedrosa Gondim Jose Oliveira Costa Jose Wanderley Lopes Laercio Malta Brandão Lauro Farias Marcus Vinicius Tavares da Cunha Melo Marx Bezerra Scala Olavo Calheiros Filho Paulo Fernando dos Santos Paulo Francisco da Silva Paulo Roberto Pontes de Mendonca Pedro Luiz da Silva William Cleto Falcao de Alencar Nascidos em Alagoas e representando outros estados PC do B José ALDO REBELO Figueiredo NILTON de Albuquerque CERQUEIRA PP 51a.

Legislatura 2003.ABC das Alagoas Alexandre César Barbosa de Oliveira Amara Cristina da Solidade Andre Paiva Lopes Antonio Jose Lessa Santos Antonio Saturnino de Mendonça Neto Cesar Eustaquio Malta Amaral Claudia Muniz do Amaral Divaldo Suruagy Edilmo Vieira de Carvalho Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro Elizaldo Eulálio Costa Eraldo Firmino de Oliveira Junior Filadelfo Bispo Francisco de Souza Irmão Francisco Rinaldo Moreira Ildo Rafael de Vasconcelos João Eudes Ferreira Cavalcante Joaquim Antonio de Carvalho Brito Jorge Venerando de Lima Jose Cicero da Silva Jose Helenildo Ribeiro Monteiro Jose Helio Torres Laranjeira Jose Maria Cerqueira Tenório Jose Maria Melo da Costa Jose Marinho Muniz Falcão Jose Raimundo de Albuquerque Tavares Laercio Malta Brandão Linaldo Araújo Luiz de Gonzaga Mendes de Barros Luiz Pereira de Melo Junior Maria Luiza Teles Guimarães Moacyr Lopes de Andrade Nadeje Amália do Nascimento Neuton Dantas Lira Nireide do Nascimento Gama Albuquerque Pedro Carlos Tenorio Cavalcanti Pedro dos Santos Pedro Talvane Luis Gama de Albuquerque Neto Romeu Silva Pita Rubens Braga Quintella Cavalcanti Saulo Emanoel de Oliveira Thomaz Dourado de Carvalho Beltrão William Cleto Falcão de Alencar 52a.2007 Benedito de Lira (PTB) Givaldo Carimbão – Givaldo de Sá Gouveia (PSB) João Caldas da Silva (PL) João José Pereira de Lira (PTB) PSTU PDT PRTB PSB PDT PSD 419 PSN PC do B PPB PRTB PT PMDB PPB PRONA PRN PT PSB PSDB PSD PSB PMDB PMDB PL PSB PSD PSB PPB PSN PAN PPB PSB PFL PMDB PL PT PL PTN PPB PMDB PSB PDT PT PSD .

Eraldo Firmino Edlene Ferreira Eli Mario Magalhães Evaristo Ever Santos Everaldo Gomes de Souza Evio Lima Fernando Dias Filadelfo Bispo Gavazza Genisete Lucena Gomes Helenildo Ribeiro Jarbão (Jarbas Mata Fonseca) João Eudes João Silva Joaquim Brito Jorge Vi Lamenha Lins José Buarque Jossicler Meneses Jurandir Bóia Luiz Dantas PSTU PV PRONA PSB PMDB PRTB PPB PTB PSDB PRONA PMDB PSDB PMDB PTN PMN PTN PHS PRTB PRONA PRTB PSDB PTN PMDB PT PRTB PMDB PAN PT PHS PSDB PSDB PTC PMDB PT PSDB PDT PSB PSB PTB São Paulo .420 Francisco Reinaldo Amorim de Barros José Helenido Ribeiro Monteiro (PSDB) José Thomaz da Silva NonôNeto (PFL) Maurício Quintela Malta Lessa (PSNB) Olavo Calheiros Filho (PMDB) Rogério Auto Teófilo (PFL)) Nascido em Alagoas José Aldo Rebelo Figueiredo (PC do B) Suplentes: Alexandre Barbosa Aliete Bezerra Antonio Carlos Chamariz Antonio Ferreira Antônio Saturnino de Mendonça Neto Arnon de Melo Augusto Farias Autanildo de Freitas Betto Som Capitão Fidelis Chico da Capial (Francisco de Souza Irmão) Cleia Cunha (Maria Cléia Santos de Oliveira) Cliuton Santos Cosmo Calheiros Cristina Cordeiro Deraldo Tenório de Barros Dr Joathas Dr.

Surge. segundo elas. Bibl. DESUMANO Rio. Um dos principais afluentes. Antônio Teixeira. esta arte poética tende a desaparecer com a proibição pelas fumageiras do canto durante o trabalho que. de temática acentuadamente lírica. Bibl. Diretor: José Lins C. . “Órgão dos interesses gerais do município e da província”. DEVER. Passos Barreto e João Cândido de Oliveira Mendonça. O Jornal. Publicado aos domingos. do Rio Ipanema. nº 8 e nº 9 4/10/1887. 1978 e 79: todos os meses de cada ano. microf. Redigido por Leopoldino Gitahi. como “órgão jacobino. em Maceió em 5 de junho de 1887. O Jornal. Nac. de Albuquerque. F. literário e noticioso”.1977: dezembro. J. impresso na SERGASA IHGA . Publicado quinzenalmente. DESTALADEIRAS DE FUMO “Cantoria de improviso das destaladeiras de fumo de Arapiraca. À medida que trabalham. O Jornal. Impresso na tipografia da Drogaria Alagoana. 1980: janeiro a abril DESPERTADOR. pela margem direita. Semanal. cantam versos. O Jornal. Diversos redatores. “Órgão literário. DEVER. ano I nº 1 05/6/1887. ano II nº 10 7/1/1888. microf. científico e noticioso”. dos alunos do Colégio Bom Jesus.ABC das Alagoas Luiz Eustaquio Toledo Filho Manoel Augusto de Azevedo Marcelo Malta Marcia Azevedo Mendonça Miguel Bezerra Nanderson Padre Manoel Padre Motinha Patrícia Mourão Paulo Bomfim Paulo Max Pedro Paulo Regis Romeu Pita Rory Sergio Kummer Severino Leão Sidney Ramalho Soldado Wagner Simas Tania Gomes Thaisa Leão Tia Elielza Tonho da Rita Vera da Agência (Vera Lúcia Silva Macedo) Zé de Almeida Zé do Burro Zé Muniz PSB PMDB PC do B PTB PRONA PPS PFL PT PPS PSB PT PSB PL PPS PMDB PSDC PMDB PL PMN PT PL PL PRONA PT do B PSDB PTB PTC PMDB 421 DESAFIO. Dirigido por Barros Leite. nº 02. lembrando as cantigas medievais portuguesas. tem um tipo de cantiga de maldizer. Semanário surgido em Maceió. interfere na produtividade”. crítico. Nac. Também. Infelizmente. publicado em São Luiz do Quitunde. Surge em Maceió em 1896.

dezembro. Em 1995. nº 882 a 1026. tendo pois 46 edições. por Barreto Cardoso. APA . Tem como subtítulo: Revista de Diálogo com a Inteligência. Marênio (pseudônimo de Elias da Rocha Barros) em Minhas Notas”. Diogo Theotônio. Tip. Norton Sarmento Filho. Tradução e Literatura. e. Porto Júnior. tendo surgido em 23/6/1896. no Orbe. ano III n. diretor presidente. 1882. Publicado pela Empresa Editorial Alagoana Ltda. IHGA . Américo Melo. em 18/12/1891. em Maceió. 1996 (janeiro a abril e julho a agosto). Nac. Gerente: Aureo Calheiros de Leite. DIABO. 1. Elício Murta. por morte do redator principal. A partir do nº 101 de 20/5/1882. microf.422 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEZESSEIS DE SETEMBRO Poliantéia publicada em Recife em 16/9/1887. DIALÉTICA. Do seu desaparecimento se ocupou. Impresso na Tipografia do Camaragibe. IHGA . Bi-semanal. Conselho Consultivo: Veríssimo de Melo. surge em Maceió. Inicialmente publicação mensal. 19 de abril a 31 dez. é suspensa a publicação.1882 a 1884. DIA. quintas e sábados. 1896. Luciano Maia. “À Província das Alagoas no septuagésimo aniversário de sua emancipação política. Xavier Placer. O Surge Maceió em 22/9/1991. Surge. de janeiro de 1882 até 1889. microf. ano III nº 583 a 881. e ano IV. Jaime de Altavilla e Cipriano Jucá.1915: abril e maio. Publicado em Passo de Camaragibe. de Oliveira. fevereiro de 1997. Mário Wanderlei. Bleine Oliveira e Manoel da Nobrega. e Puff (Guimarães Passos) na “Croniqueta”. O último número qué é o 8. nº 01 de 18/12/1891. ano II nº 286 a 582 . passou a ser impresso com o título de Diário da Manhan. Paulo Malta. ano IV 1887 e ano VIII nº 2062 5/1/1889. Proprietário: Nereu e redator Orfeu. todos os meses de cada ano. exclusivamente crítico. 1931: janeiro a agosto. Nac. “Crítico. DIÁRIO DA MANHÃ Publicado diariamente. junho de 1995 e ano IV. Alberto Vieira e Nilton de Oliveira. de 1/1 a 28/6/1885. 3/1 a 30/12/1883. diretor financeiro. entre 1911 e 1920./out. Artur Acioli. ano I nº 11 17/1/1882. José Paulo Paes. .proprietários. Redator-chefe: Alexandre Passos. Homenagem de seus filhos residentes nesta cidade. uma secção naquela folha. Majela Colares. O Jornal. F. DIABO. sextas-feiras e domingos.1991 (outubro a dezembro). e 15 ago. Luiz Dantas era o presidente do Conselho Consultivo. é de 25/4/1897. Erwin Theodor. DIÁRIO. nº 4. em Maceió. Bibl. Afrânio Godoi. Matutino publicado. G. abr. Antônio G. Surge em Maceió Ano 1. O Conselho Editorial era composto por: Nilton de Oliveira (presidente). microf. publicado às quartas. 871. Formato pequeno. Laporte & Cia. 1992. às terças. Nele escreveram Maciel Pinheiro. depois quinzenal. literário e joco-sério”. gerente comercial. O Jornal. do Rio de Janeiro. teve 46 edições. O Jornal. Do seu aparecimento até 6/9/1885 teve como principal redator Mariano Joaquim da Silva. Iniciativa de alguns acadêmicos alagoanos”. editor geral e James Alves. BPE . 23 jun. de O Filhote. Irene Maria Dietschi. sua direção era assim composta: Eduardo Jorge Viana Davino. Bibl. Editor: Marcos de Farias. Seu proprietário era José Alves de Araujo Rego. Gabriel Mousinho. ainda. “Pequeno e interessante períodico. Welington Aires de Souza. entre junho de 1930 e setembro de 1931. diretor industrial. Gilberto Braga de Melo. Foi órgão oficial de 1882 a 1885. 1995. janeiro a dezembro 1884. ano II. UFAL: Ano III. Seu último número é de 1/4/1897. caracterizava-se por ser exclusivamente crítico. n. muito espirituoso e buliçoso”. IHGA . diretor de editoração. Revista de Poesia. Bibl. Nac. DEZESSEIS DE SETEMBRO Jornal. Bibl.1930: junho a DIÁRIO. ano I. Fernando Fiúza.ano I nº 75 a 285. Revista. Abelardo Duarte afirma ter surgido em 1º de outubro). Estela Torres. Eram seus sócios. em Maceió em 16/9/1901. O Publicado em Maceió. diretor superintendente. Adler Sady Rijo Farias Costa. Marcondes Costa. Em 23/5/1889. 1992.

1922: setembro a dezembro. Ano VIII n. nº 1 a 294. Redigido por Inácio Joaquim Passos Júnior. em Maceió. 13/1 a 24/12/1869. do primitivo Diário das Alagoas tudo o que era de propriedade da herdeira e sucessora de seu proprietário e fundador. 1860: agosto a dezembro. ano XXVI nº 272 30/11/1883 e ano XXVIII nº 72 13/4/1883. dirigido pelo deputado Rubens Canuto. filho de Mariano Joaquim da Silva. Foi mantida a contagem dos anos de fundação do jornal primitivo. “estabelecida tão somente para curar dos interesses provinciais alheios à política”. ano III nº 81 9/4/1860. iniciada em janeiro de 1907 e terminada em fevereiro de 1908. 150 a 225. Foi em 1914. Seu redator principal foi Francisco de Paula Leite e Oiticica Filho. ano XXXI nº 363 9/3/1878 e ano XXIII nº 258 13/11/1880. 1923: março a dezembro. 1865: janeiro a junho.1933: janeiro a dezembro .ABC das Alagoas 423 DIÁRIO DA MANHÃ Surge em 7/9/1922. os debates da Assembléia Provincial. que comprou. Administrador: Antônio José da Costa Sobrinho. DIÁRIO DA NOITE O primeiro jornal a ter. 1955 a 1963: janeiro a dezembro. Posteriormente. impresso na Tipografia Comercial. nº 9 a 295. nº 83 a 87. Reaparece. APA: Ano II. como órgão oficial. em 1892 foi suspensa sua publicação. DIÁRIO DE NOTÍCIAS Jornal. 124 a 293. 1880: janeiro a junho.ATE AQUI. nº 206 a 289. Ano XXIX nº 1 a 146. Inicialmente. Ano XXVIII. semestre de 1886. 2/1 a 30/6/1886 e 2o. e 1924: janeiro a setembro. nº 1 a 297. publicou o expediente e atos do governo da província. Nesta fase. 1866: janeiro a junho. 2/1 a 30/06/1889. nº 1 a 148. BPE . segundo Moacir Medeiros de Sant’Ana. passa a ser seu diretor e proprietário o cônego Antônio José da Costa. 1953: janeiro a dezembro. Publicado ininterruptamente durante 35 anos. 1965: junho a dezembro. 1867 a 1872: janeiro a dezembro de cada ano. de 2/1/ a 28/6/1872. 1o junho a 23 de dezembro de 1865. aproveitando o interesse do público pelo conflito EUA X México. em sua segunda fase. então o único proprietário da Tipografia Comercial. Ano XII . 1882: janeiro a dezembro. IHGA. 1907: janeiro a dezembro. ano III. janeiro a março. quando seu diretor resolve mudar-se para o Rio de Janeiro. junho a dezembro. duas edições diárias. 1859: janeiro a dezembro. 21/9 a 31/12/1885. 3/1 a 24/12/1887.. segundo Moacir Medeiros de Sant’Ana em O Romance e a Novela em Alagoas.+ DIÁRIO DE ALAGOAS. 2 de julho a 29 de setembro de 1860. Em seus primeiros anos teria uma coluna intitulada Viola. assinado por Sylvius. 1967. 1861 a 1863: janeiro a dezembro de cada ano. Publicou. proprietários de Gomes & Cia. de 2/1 a 24/12/1888. 3/1 a 24/12/1870. de cada ano. de propriedade de Muniz Falcão. nº 1 a 294. onde eram publicados romances em folhetins. como jornal da oposição. posteriormente. 3 de janeiro a 24 de dezembro de 1859. 1965. de 1/3/1858 a 1892. Luiz de Mascarenhas. como “órgão das classes coligadas do Estado” e foi publicado até 24/9/1924. DIÁRIO DO COMÉRCIO Surge em Maceió em 29/4/1861. 1955: maio a dezembro. de Moraes & Costa. em sua segunda fase. Publicado em Maceió a partir de 5/7/1892. nº 1 a 293. IHGA: 1858: março a dezembro. 1868-73 e 1885-89. IHGA . Ano XXXII. ainda. e de propriedade de Otavio da Rocha. circulou em Maceió. abril e maio e julho a novembro. iniciou-se neutro mas depois passou a defender os interesses do Partido Conservador. inicialmente seu diretor foi Antônio Guedes Nogueira e. DIÁRIO DE MACEIÓ Surge em 1921. Nos períodos 1859-60. 1934: janeiro e fevereiro. em Maceió. dirigido pelo Cônego Valente e tendo como redatores Baltazar de Mendonça e Tertuliano Mitchel.1954. regularmente. quando pertenceu a Luiz de Mascarenhas e Manoel Gomes da Fonseca. n° 94. Bibl Nac. Foi o primeiro jornal a se apresentar com . nº 1 a 146. APA . 1966: janeiro a novembro. Ano XIII. sem definir ou números. Teve o primeiro Folhetim Literário da Província. Deixa de ser publicado no Governo Costa Rego. 2/1 a 23/12/1871. A partir de 16/4/1871 passou a ser impresso em prelo mecânico comprado do jornal Mercantil de Alagoas. Ano XIV. outubro a dezembro. auxiliado por Joaquim Rafael da Silva. O Em 14 de julho de 1952 começa a circular em Maceió. microf.1952: julho a dezembro. Ano XV. Ano XXX. 1954: janeiro a outubro. 1883 e 1884: janeiro a junho. Ano XXXI. de cada ano. DIÁRIO DAS ALAGOAS Primeiro jornal diário do estado. Ainda existia em 1967. 1873: julho a dezembro. 1964: janeiro a setembro. 1874 a 1879: janeiro a dezembro de cada ano. nº 1 a 293.

microf. surge. como órgão do Partido Republicano Liberal das Alagoas. de cada ano. seu redator-chefe. fundado em 15 de janeiro de 1912. Propriedade de Mariano Joaquim da Silva & Cia. passa a sair com oito colunas. Ajalmar Mascarenhas e Godofredo Ferro. Em 1916 passou a ser feito com linotipo. Fauto de Almeida e José Magalhães da Silveira. Circulava nos dias úteis. Zadir Cassela. as oficinas do jornal A Tribuna. Publicado até março de 1863. segundo Moacir Medeiros de Sant’Ana. o deputado estadual Lourival de Melo Mota. Direção da empresa: Joaquim da Silva Costa. Bibl . 2001: janeiro a setembro. IHGA . 19/9/1916 . de 28/6/1896. Aloísio de Menezes (fev. Lincoln Cavalcante. Seu primeiro redator-chefe foi o deputado estadual Segismundo Andrade. Nac. Apresentou-se com nove colunas de impressão. em Maceió. com o pseudônimo de João Prata. Publicação do Serviços Gráficos de Alagoas (SERGASA). IHGA .1995: outubro a dezembro. DIÁRIO DO POVO Defensor do pensamento da UDN. Nac. Propriedade de uma associação. DIÁRIO DO POVO “Órgão do Club Centro Popular Republicano de Maceió”. e em dezembro de 1949 o jornal foi empastelado. 1996 a 2000: janeiro a dezembro. Foi publicado até o número 62. pelo governo estadual. Teria sido inaugurada a composição mecânica em 1934 e a máquina rotoplana. conforme o Diário Oficial afirma em sua edição de 8 de junho. De seu primeiro número até o número 15. conservou aquela dimensão. destinada especialmente à defesa dos interesses do comércio. De 6 de fevereiro a 3 de julho. DIÁRIO DO POVO Órgão do Partido Republicano Conservador. a partir de 4 de julho. antes de 1940. Para seu lançamento foram adquiridas. Substituiu o Correio Oficial. secretário da redação.nº 287 ano II a 25/12/1917. Teria começado em 9/10/1915. Carlos Gomes de Barros.. órgão dos futuros progressistas. tendo sido o maior formato de jornal até hoje publicado em Alagoas. A partir de 16/5/1961 passa a ter. nº 1 de 12/4/1896 . hoje denominada Graciliano Ramos. Impresso na Tipografia do Amintas. mais uma vez. Redatores: Otávio Lima. 1912 ). microf. inicialmente. publicação fundada por Guedes de Miranda para se contrapor à situação dominante. Bibl. DIÁRIO DO NORTE Em /11/1913 começa a ser publicado em Maceió. ano I. a primeira a funcionar no estado. Segundo Moacir Medeiros de Sant’Ana “em 6 de junho de 1918 ocorreu a primeira experiência com a máquina linotipo. caráter noticioso. DIÁRIO DO NORTE Surge em Penedo em 2/6/1897. de cada ano. o primeiro órgão da imprensa alagoana a acionar eletricamente sua máquina impressora. Redação: Aurino Maciel. e diretor o deputado federal Rui Palmeira. reduzindo-se. Redator-chefe: José da Silva Costa Neto. em versos. 1946 a 1949: janeiro a dezembro. Foram seus diretores. Dele ainda participaram João Tertuliano de Almeida Lins. participava na seção de crítica.424 Francisco Reinaldo Amorim de Barros cinco colunas de impressão.1945: novembro e dezembro. Guedes de Miranda nele colaborava. Foi. em especial. Bibl. Alípio Goulart ( maio 1912). DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE ALAGOAS Órgão estatal de difusão. anteriormente na Imprensa Oficial. Redigido pela mocidade da “Sociedade Perseverança”. ainda. diariamente. Redator-chefe. DIÁRIO DO COMÉRCIO Surge em Maceió a 12/4/1896. Seu primeiro número seria de 17/1/1912. microf. tendo o ano III começado em 9/10/1917. Genésio de Carvalho e. DIÁRIO OFICIAL DE MACEIÓ Órgão oficial da administração municipal. Em 1947. também. Gilberto Andrade. foi agredido. de 4/2/1912. Em 1916. ano I nº 1 de 10/1/1890. em 7/11/1945. Publicado à tarde. O segundo linotipo do Estado só iria aparecer em 1928. surge em Maceió em 10/1/1890. com o pseudônimo de Sattan ou/e Petit-Grand. Publicação diária. Baltazar de Mendonça era redator-chefe e Correia de Oliveira. o formato e o número de colunas. porém. como ocorreu em outros estados. Armando Wucherer. Donizetti Calheiros. ano I nº 27 e ano I n. 65 16/4/1890. era impresso na tipografia do mesmo nome. no mesmo ano. Manoel Ribeiro Barreto de Menezes. Fernando de Mendonça. Orlando Araújo ( maio/julho 1912) e Álvaro Correa Paes ( ( 12 de junho de . Circulou até 1915. que passam a ser quatro. Nac. Aurélio Viana.

01-02. 1932. 1962. Com os trabalhos Forrobodó e Noitada participou da X Universid’Arte. Iate Clube Pajuçara (2002). 2001. 1934. DIAS. 1979.1917 e 1918. Em 1996. também por concurso. em Praga. 1975. 1947. ambas em 1998. a patente de cabo e governador dos crioulos. inclusive as da passagem de Lampião. 1961. Florentino ( Traipu AL ) Maestro. Mestre em Regência pela Washington University. do IV Salão Alagoano do Livro e da Arte. participou da exposição Arte Popular Alagoana 2003. 1963. 1937. 1915. de cada ano.Recife PE 1662) “Filho de escravos libertos. Teve êxito ao defender que o Ministério da Educação reconhecesse o Canto Coral como disciplina. de junho a setembro de 2002. 1981. DIAS. Argentina. Vive no povoado de Ilha do Ferro. realizada de 27 a 31/8 e. 1944. 1987. 1938. 1919 a 1970. 1978. . ainda em 2002. 1965. DIAS. 1966. 1952. de cada ano. 1982. 1955. Tornou-se. 05- DIAS. da exposição Liberdade. in Arte Popular de Alagoas. atuou frente a orquestas sinfônicas nos Estados Unidos. ainda. de Tânia Pedrosa. ainda. Formou-se em Regência pela Escola de Música da UFRJ. Professor titular da Escola de Música da UFRJ. Curso de desenho e pintura na Escola de Belas Artes de Alagoas (CENARTE). Washington (EUA). 1972 a 2001. Conta histórias do local. janeiro a junho. 1967. princípios do século XVII . França. Em Comandaituba perdeu a mão. 1972. 1997. Antônio Machado ( 06 e 09-10. 1985. 1941. ambas em 2001. 1992. Aos nove anos de idade passou a viver no Rio de Janeiro. de 11/6 a 20/10. 2002. e nem por isto abandonou o campo de luta. 1983. 1971.1960. 1939. 1957. por concurso. alcançou o posto de Oficial Regente. 1977.Jaraguá. Membro da Academia Internacional de Música e da American Symphony Orchestra League. AL ) Publicou: O Perfil do Turismo das Agências de Viagens Receptivas de DIAS. 1976. Grécia. IHGA . Graça nome artístico de Maria das Graças Lima Dias (AL 6/11/1949) Pintora. 1986. no Campus Jaraguá da FAL. 2000. 1980. dedicando-se à produção de rendas de bilro de almofada. Regente convidado em Festivais de Verão na Florida e em Nova York. Deolinda ( Pão de Açúcar ? AL 1908 ) Artesã. faltando por vezes dias ou mesmo meses. Entrou para a Marinha. 1992. realizada no SESC/Alagoas. Maceió. 1951. a Orquesta Sinfônica e Coral da UFRJ (1969) e a Orquesta Filarmônica do Rio de Janeiro (1978) da qual é o Regente Titular. Região de Pintores Alagoanos e. da Escola de Música da UFRJ (1962). professor. 1946. 1973. do VII Salão TRT 19a Região de Pintores Alagoanos. Henrique (Pernambuco. p. ? ) Deputado estadual nas legislaturas 1895-96. DIAS. Itália.ABC das Alagoas 425 1912). 1995. foi quem decidiu a vitória na Batalha de Porto Calvo. da Exposição Coletiva Arte Iguatemi. 1999. 1974. Casa da Palavra e Museu Pierre Chalita. do VII Salão TRT 19a. 1959. I Bienal do Livro e das Artes e III Salão TRT 19ª de Pintores Alagoanos. Shopping Iguatemi (1995 a 2001). 1935. 1956. janeiro a junho. 1998. 1899-1900. 1936. 1996. entre 7/30/10 na Escola de Magistratura de Alagoas – ESMAL. 1970. 1994. Em 2003. Villa-Lobos e Lorenzo Fernandes. 1968. 1940. 1914. 1964. negros e mulatos do Brasil”. Galeria Armazém 384 ( 1999 e 2000). Reitoria da UFAL (2000 e 2001) Jaraguá Art´Estudo (2000). realizado de 18 a 26 de outubro no Armazém Dom José. 1984. No Rio de Janeiro fundou três orquestas: A Filarmônica Estudantil do Diretório Acadêmico Padre José Maurício. realizada na FAL. regeu o “Virtuosi di Praga” na apresentação da ópera “Il Guarani”. ainda. 1971: janeiro a março e julho a dezembro. BPE: Diário Oficial: 1913. Participou. 1945. Salientou-se em vários outros combates. Egito. 1969. ofereceuse para lutar contra os holandeses. Participou das exposições: Caixa Econômica Federal (1995 e 1996). janeiro a dezembro. sendo que em alguns anos a coleção não está completa. Sob o comando de Matias de Albuquerque. 1950. Elessandra Ferreira ( Maceió. distingiu-se pelos atos de bravura. 1948. em Jaraguá. 1953. 1931. Regeu. Recebeu o foro de fidalgo. 1958. 1990. Livre Docente daquela instituição. entre 19 de agosto a 5 de setembro. Aprisionado pelo inimigo em 1635 e libertado pouco depois. Constantemente convidado para reger no exterior. atuou na Banda do Corpo de Fuzileiros Navais e. 1943. 1993. 80. a Orquesta Sinfônica da Croácia na apresentação de obras de Carlos Gomes. 1933. da exposição A Universid’Arte XI. 03-04. Graciliano Ramos foi seu diretor de 31/5/1930 a 26/12/1931.

participante ativo da política estudantil. Filme Sobre Filme. (1985). Rio de Janeiro. Depois da crônica da vida suburbana em Chuvas de Verão (1978). Vicente Pereira. Vinicus Viana e Carlos Diegues. 1999 e Deus é Brasileiro (2002 ). Rei dos Palmares (1964) cujo tema retomaria. Dias Melhores Virão: Do Roteiro Escrito por Antônio Calmon. Nossa. Filho de Manoel Baltazar Pereira Diegues e Maria Joaquina da Fonseca . de Rodolfo Brandão (1988). onde seu pai era diretor do IBGE. A Grande Cidade . Universidade Rural. ao lado de Glauber Rocha. (1974). Rio de Janeiro. Associou-se a vários colegas de ofício e co-produziu.uma das primeiras coproduções internacional do país. Estudante fez jornalismo. Às inquietações do Cinema Novo. Cinema Íris. p. Veja Esta Canção.1966. 1991. Quilombo. juntamente com Everardo Rocha. v. vinte anos depois. Baseado em Argumento de Antônio Calmon. seleção de textos de Roberto Silva. 1984. Bye Brasil ( 1980) . em episódios inspirados e musicados por canções de Caetano Veloso. Capitu. com Quilombo (1984). em especial no jornal O Metropolitano. Filho de Manuel Baltazar Pereira Diegues Júnior e Zaira Fontes Diegues. Achiamé. de Renata Magalhães (1983). de Rodolfo Brandão ( 1987). bem como do movimento cineclubista. 1998. Ed. Gustavo Dahl e Paulo César Saraceni. Escola de Samba Alegria de Viver. co-produzido pela TV-Cultura de São Paulo e primeiramente exibido na emissora. E. 1990. Réveillon 2000 (1999) e Carnaval dos 500 Anos (2000). Batalha do Transporte (1986). Chico Buarque. Prova de Fogo. realizado pelo CPC . Objetiva. editado pela União Metropolitana de Estudantes (UME). de Isabel Diegues (2003). Joaquim Pedro de Andrade. em Alagoas. Brasília (1960). compositor. de tom alegórico e tropicalista ). Formou-se em Direito pela Universidade Católica do Rio de Janeiro. um longa metragem em quatro episódios. Mentiras e Democracia (1992). professor. (1994). Domingo (1961). de Bruno Barreto. Vídeo Clip: O Exército de um Homem Só (Engenheiros do Hawaí) (1991). Record. ainda. em longa metragem: Terra em Transe. Joaquim Thomaz Pereira ( Maceió AL 7/3/1871 . Garganta. Um dos realizadores mais ativos do lançamento do Cinema Novo. advogado. publicou as obras: O Diário de Deus é Brasileiro. 256 (Literatura Brasileira) 1977. Rio Fundo Editora. tendo sido. Chuvas de Verão: Um Filme.426 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DIAS Juliana Michaello Macedo ( AL ? ) Com o poema Lágrimas participou da Coletânea Alagoana Contos e Poesias. Cinema Brasileiro: Idéias e Imagens. Fundação Cultural Cidade de Maceió. Aníbal Machado (1975). ÉCOS. Além do cinema. Rio de Janeiro. de Arnaldo Jabor (1965).Centro de Cultura Popular. e passa. Rio de Janeiro. de Andrucha Waddington (1991) e Marina. aliam-se ao desejo de chegar mais perto do público em Quando o Carnaval Chegar (1972) e Joana a Francesa (1973 ) -. Há quem afirme ter nascido no ES. (1996). Palmares: Mito e Romace da Utopia Brasileira. Orfeu. em curta metragem: O Circo. o vasto painel de um país que se transforma em Bye. 1988. DIDA veja ROSA. movimento que ajudou a criar. Vídeo: Mídia. de Paulo César Saraceni (1967). [Porto Alegre]. Edivaldo Alves de Santa DIÉGUES. de Glauber Rocha (1966).111. seguem-se Dias Melhores Virão (1990) lançado primeiro na televisão. acompanhando seu pais.. juntamente com Nelson Nadotti. Oito Universitários (1967). Os conflitos da juventude são o tema de Um Trem para as Estrelas (1987). 1969. da União Nacional dos Estudantes. DIÉGUES. Civilização Brasileira. Maceió. de Antônio Pitanga (1978). e Nova Carta (1999) para a TV Globo. advogado. Amazônia (1985) para a TV Bandeirantes. Carlos José Fontes dito CACÁ DIÉGUES ( Maceió AL 19/5/1940 ) Cineasta. Roteiro do Filme e Crônica das Filmagens. Leon Hirzsman. Ponto de Ervas. a viver em Maceió. Na Boca do Mundo. logo depois. Gilberto Gil e Jorge Benjor. Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. de Marcos Altberg (1979) e Dedé Mamata. ambos para a televisão francesa. de Celso Brandão (1978). Roterizou A Estrela Sobe. Rio de Janeiro. Com seis anos de idade. Oitava Bienal de São Paulo (1965). Seus filmes estão associados com a música popular. Neste período é quando dirige os filmes em longa metragem: Ganga Zumba. Curtas metragem: Fuga (1959). no longa metragem Cinco Vezes Favela (1962). 1984.Maceió AL 27/12/1943) Jornalista.e em especial no sucesso de bilheteria de Xica da Silva (1976). protagonizado pela estrela francesa Jeanne Moreau -. poeta. este último filmado. jornalista. Carlos Diegues: Os Filmes Que Não Filmei [Entrevistado por] Silvia Oroz. mudase para o Rio de Janeiro. 2003. Rocco. Os Herdeiros. em grande parte. Davi Neves. Coleção Vera Cruz. Tieta do Agreste. Para a Televisão: Un Séjour (1970) e Les Enfants de La Peur (1978). Batalha da Alimentação. Receita de Futebol (1971).

colaborações na imprensa. Trabalhos sobre folclore: Padecer Morte Natural. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 59. Maceió. juiz do Tribunal Eleitoral. p. Discurso Proferido pelo Bacharel Joaquim Thomaz Pereira Diegues . Poesias: Campesina Lira Alagoana. Jornais. ano 55. onde advoga. membro da Sociedade Alagoana de Folclore. 1893. e é patrono da cadeira 36. Discurso do Orador. Após a morte de seu pai. da qual foi fundador. p. em Belo Horizonte. Deputado provincial na legislatura 1878-79 e deputado constituinte estadual nas legislaturas 1891-92 e 1901-02. 1901. por ocasião de sua visita em 31 de Maio de 1906. publicada no O Gutenberg. que. 128-136. Representante. v. 697 a 773. no qual se manifestaram sobre a questão dos limites entre Alagoas e Pernambuco. 103-109. bem como da Caixa Comercial. O Passado e o Futuro. Colégio Isabel. Estado de Alagoas. professor. Como músico. Membro da AAL. Participou. A Descoberta da América. Obras: Liberdade de Ensino. Colaboração em O Orbe e O Gutenberg. 1927. Desmanchando a Igrejinha. Revista do IAGA. Fundador da AAL e primeiro ocupante da cadeira 11. de 11/9/1893 . no mesmo jornal. quando criou o Instituto dos Professores e publicou o jornal escolar O Magistério . publicada entre 12 de março a 28 de maio de 1894.Um dos fundadores do IHGA. p. 1883. em O Momento. sendo um dos membros da Sociedade Libertadora. Foi diretor da Instrução Pública. Obras: Recepção ao Exmo. Teoria das Preposições: Curso de Língua Nacional. Com o Catálogo dos Periódicos Alagoanos. juntamente com Manoel Moreira e Silva. nº 02. quando funda o Colégio Bom Jesus. série de artigos divulgados em O Momento. Maceió. Patrono da cadeira 53 do IHGA.e História e Geografia no Colégio Santa Genoveva. 1907 (discurso). DIÉGUES JÚNIOR. 57. 1882. IV. todos em Maceió. na área das artes. Representante de Alagoas . Rio de Janeiro.175178. Dr. Comemorativo do Centenário do Descobrimento do Brasil. de 3 de setembro. sob a assinatura de J. Pertenceu ao Instituto Histórico e Filosófico. Oficina Fonseca. 1901. em 31/5/1924. . Tip. Sr. e do qual foi orador oficial.no Congresso Agrícola de Recife. 1876. juntando-se a outro estabelecimento transformase no renomado. pág. p. Compêndio de Geografia e Cosmografia. 202-209 e no Jornal de Alagoas. Cachoeira e Rio Largo. junho 1907. Revista do IAGA. a cada quinze dias. Parte II V. Maceió. já agora na República e como titular. quando cria o Pedagogium e publica. pág. Regressa para Maceió em 1891. durante quase vinte anos. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito do Recife (1893). secretário do Tribunal de Justiça ou Tribunal de Apelação. respectivamente. da Sociedade Cysne Maceioense. foi diretor das fábricas de tecidos de Fernão Velho. Discurso do Orador Oficial de Saudade e Homenagem ao Professor Adriano Jorge. de início interinamente. empossado em 25/11/1894.do qual chegou a vicediretor -. No Liceu Alagoano foi catedrático de Geografia. Discurso do Orador Oficial. entre 30 de maio a 2 de junho de 1908. associação dos acadêmicos de Direito e colaborou na revista Culto às Letras. e Dante. Marinho. de 10 de setembro.ABC das Alagoas 427 Diegues. 1908. vol. de 16 de setembro e 60. Saudando a Visita do Conselheiro Afonso Pena. respectivamente. Gramática Elementar da Língua Nacional.por ter participado do Comício Agrícola de Quitunde e Gitituba . do qual foi diretor por vários anos. 58.. Litografia J. de A Ordem. e primeiro ocupante da cadeira 26. advogado. 01. Funda a Escola Filotécnica. Maceió. Foi professor do Liceu Alagoano. jornalista. de 27 de agosto. Maceió. publicados no jornal O Momento. Manoel Baltazar Pereira ( Maceió AL 29/10/1852 . ainda. 1908. 683-773. em outubro de 1878. a Revista do Ensino. de 1/10/1894. Conselheiro Afonso Augusto Moreira Pena. Maceió. é um dos colaboradores no trabalho sobre Exposição Comemorativa do 1º Centenário da Imprensa Periódica no Brasil. O Primeiro Diário em Alagoas (1/3/1858).III. Obras De Natal e Ano Bom. Recife.Orador do Instituto. A Alma do Povo na História Pátria. nº 01. ao Sexto Congresso Brasileiro de Geografia. Curso primário e preparatórios em Maceió. Jornais e Revistas. nº 1. 3. do qual foi o 4º presidente. 1895. Não Por a Mão no Fogo. Revistas e Outras Publicações Periódicas de 1831 a 1908 in Anais da Imprensa Periódica Brasileira. à época. publicado em tomo especial da Revista do IHGB. onde lecionou Português no Colégio 2 de Dezembro -. Joaquim Thomaz Pereira Diégues. diretor da Companhia de Águas de Maceió e guarda-livros da Caixa Comercial. nos números 56. Dever os Cabelos da Cabeça. destacando-se: A Literatura e a Arte. Revista do IHGA. (Aprovado pela Congregação dos Lentes do Liceu Alagoano para Uso do Curso em Escolas Primárias Deste Estado) Maceió. em 1919. Filho de Manoel Baltazar Pereira Diegues e Maria Joaquina da Fonseca Diégues. Volta àquela diretoria. Estudos primários e secundários concluídos no Liceu Alagoano. em 22/1/1894. v. 2v. Imprensa Nacional. Colaborador na Campanha Abolicionista. Muda-se para Recife.Maceió AL 29/8/1922 ) Deputado provincial e estadual. valsa para piano. Sócio do IHGA. de Maceió. Revista do IHAA. Bacharelou-se em Direito (1877) e advogou. em 1886. Regressa a Maceió. Diégues. nº 12.

Professor de Etnologia da Faculdade de Filosofia. Tipografia Comercial (c/colaboradores). 3. Variações Sobre Temas Regionais. assistente da Comissão Nacional de Política Agrária. membro da Union International por l’Etude Scientifique de la Population. O Bangüê nas Alagoas. Filho de Manuel Baltazar Pereira Diegues Júnior e Luísa Amélia Chaves Diegues. eleito pela Assembléia Geral do referido Conselho. ainda. 1902. quando foi eleito membro do IHGA. jan/jun 1915. promovido pelo Conselho de Imigração. Em 1942 foi Diretor-Geral do mesmo Departamento em Maceió. 2. Revista do IAGA. do curso técnico para formação de Especialistas em Imigração e Colonização. Diplomado em Direito pela Universidade do Recife (1935). v. Sócio do IHGA. Tip. Imprensa Oficial. advogado. p. coleção Cadernos de Cultura. Livraria Fonseca. Professor assistente de Etnografia da Faculdade de Filosofia da Universidade Católica do Rio de Janeiro e de Sociologia da Escola de Serviço Social da mesma Faculdade. nº. Rio de Janeiro. Consultor Técnico Nacional. da Sociedade Brasileira de Sociologia. IAA. 1915. 1949. Organizados Pelos Drs. v.E. O Engenho de Açúcar no Nordeste. Documentário da . Em 1937 ensinou. junho 1907. Em 1943 presidiu a Comissão de Economia Popular em Alagoas. Ed José Olympio. Fez os estudos primários no Grupo Escolar Diegues Junior e os secundários no Liceu Alagoano e no Ginásio de Maceió. órgão da UNESCO. da American Ethnological Association. estudo ao final do livro Maceió. Maceió. Diretor do Centro Latino-Americano de Pesquisas em Ciências Sociais (19581974).17. Estudou Sociologia Rural com os professores Lynn Smith e John Kolb. 9-11. de Craveiro Costa. em 1948.G. da American Anthropological Association. Consolidação das Leis da Instrução Pública. v. Congresso Agrícola do Norte. Diretor do DAC-MEC (1975-1979). Curso de Língua Nacional: Theoria das Proposições. Ciências e Letras. Diegues Júnior. IV.VI. Memórias e Documentos que Provam os Direitos de Alagoas. Revista do IAAA. foi examinador do concurso para provimento do cargo de professor catedrático da cadeira de História do Brasil do Instituto de Educação de Maceió. 1910. 1909. na vaga de Oliveira Viana. 04. Sociologia e Antropologia. empossado em 16/9/1942. Foi fundador e primeiro presidente do Grêmio Literário Guimarães Passos (1928 ). p. Maceió. membro da comissão examinadora do concurso de habilitação ao título de Docente Livre de Sociologia da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil. capa e vinheta de Santa Rosa . dez. do Instituto Santa Úrsula. Ciência e Cultura (IBECC). Maceió. em Maceió. Nesse ano. 1921. v. prefácio de Gilberto Freyre. 7. Manoel Moreira e Silva e Manuel Balthazar Pereira Diegues Júnior. MEC. p. Maceió. e fundou em Maceió o Centro de Estudos Econômicos e Sociais. Delegados ao Congresso de Belo Horizonte. p. Notícia Histórica de Alagoas. dezembro 1908. Ocupou o lugar de Diretor-Geral do Departamento Estadual de Estatística do Espírito Santo (1940). A Descoberta do Brasil: Discussão Sustentando a Verdeira Data Contra Três de Maio. 1942. Traços da Influência do Sistema Econômico do Engenho de Açúcar na Vida e na Cultura Regional. 1913. n. Em 1932 e 1933 secretariou a Comissão de Folclore. e em 1948 é escolhido para dirigir o Serviço de Biblioteca e Intercambio Geral da mesma secretaria. Elaborada pelo Bacharel Manoel Balthazar Pereira Diegues Júnior. Obras: Evolução Urbana e Social de Maceió no Período Republicano. Estudos. Discurso de Abertura da Sessão Solene de 2 de Dezembro de 1908. DIÉGUES JUNIOR. Indicador Geral do Estado de Alagoas. IV. Membro da AAL. Revista do IAGA. 1939. no Rio de Janeiro. Imprensa Oficial. Rio de Janeiro. Sócio da Assóciación Tucumana de Folclore. No ano seguinte foi assistente da Delegacia Regional do Trabalho. em cursos ministrados por Gilberto Freyre. Mercantil.Rio de Janeiro RJ 27 ou 28 (AAL) novembro/ 1991) Professor. Revista do IAGA. Limites Entre os Estados de Alagoas e Pernambuco. Mudou-se em 1939 para o Rio de Janeiro. Discurso Pronunciado na Sessão de Recepção de Sócios em 14 de Julho de 1914. sociólogo. designado para assistente da Secretaria-Geral do IBGE. História da Civilização no curso complementar do Liceu Alagoano. Maceió. Estudou. Membro do Conselho Federal de Cultura. como professor contratado. Maceió. Etnias e Culturas no Brasil. do Instituto Arqueológico e Geográfico Alagoano. Rio de Janeiro. Publicação Oficial Feita por Ordem do Governador de Alagoas e Coordenada de Acordo com o Delegado do Estado Dr. 53-57. Maceió. ocupando a cadeira 22. Manoel Baltazar Pereira ( Maceió AL 21/9/1912 . n.428 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1890. Discurso de Abertura da Sessão Solene de 2 de Dezembro de 1909. Maceió. do qual foi o primeiro presidente. 1889. Maceió. Ex-Diretor Geral da Mesma. Membro da Comissão Nacional de Folclore do Instituto Brasileiro de Educação. Tip. como chefe de Difusão Cultural da Secretaria Geral do I. sócio correspondente do Instituto Histórico e Geográfíco de Sergípe e titular da Sociedade Brasileira. 79-86. Professor de Estudos e Pesquisas de Aculturação. Cônego Antônio José da Costa. Em 1945 volta para o Rio de Janeiro. 1952.B. Instituto Arqueológico e Geografico Alagoano.de Geografia. nº 01. 1893. 1913. IV.

História de Alagoas . Saudação a Valdemar Cavalcanti. ano 1944. Ministério da Educação e Cultura. 7-17. p. n. crônicas. Aspectos Históricos e Geográficos de Maceió. Maceió. 1986 [et al. Etnografia. 113-117 (folclore). volume V. (palestra). Ministério da Agricultura. 1977. v. Brasil Açúcareiro. Ocupação Humana e Definição Territorial do Brasil. Estabelecimentos Rurais na América Latina. José Maria de Melo. n. 15. Discurso de Recepção no Instituto Histórico de Alagoas em 16 de Setembro de 1942. 1965. 177-181. Genebra. p. 101-115. 1949. 24. Notas à Margens do Seu Texto e dos Seus Mapas. 03. n. 1950. e no Diário de Pernambuco. Puerto Rico. Itatiaia/UNSP. Rio de Janeiro. 1947. 1959. Maceió. Estudos e Pesquisas de Aculturação. 1944. Rio de Janeiro. Estudos de Assimilação Cultural no Brasil. p. Colaborou. separata da Revísta de História. Tentativa de Classificação da Literatura de Cordel. Revista AAL . Gazeta de Alagoas. nº 2. A Realidade Brasileira em Tavares Bastos. Revísta Mexícana de Sociologia. 133-148. in Tavares Bastos Visto por Alagoanos. 1991 (coordenação de João Azevedo. S. Discurso de Manuel Diégues Júnior Sobre o Marechal de Ferro. tradución por Carlos H. 1981. Louvação do Bumba-Meu-Boi. p. Francisco Domingues. p. 1975. Casa Ramalho. Ed. Alba . Publicou-se: Estudos de Folclore em Homenagem a Manuel Diegues Júnior . História. Maceió. v. Rio de Janeiro. 1964. 1973. 1977. Cadernos de Cultura. As Companhias Privilegiadas no Comércio Colonial. Antropologia. Revista da AAL. juntamente com Felipe Herrera e Benedicto Silva. Literatura de Cordel: A Literatura Oral e Sua TradiçãoIbérica. Globo ( citado por Abelardo Duarte.Análise dos Fatôres Psicossociais. com estudos. Os Santos de Junho na Tradição Brasileira. 1960. O Livro que dá Razão do Estado do Brasil. 1976. Casa do Estudante do Brasil. Maceió. Imprensa Oficial. Regiões Culturais do Brasil. p. Revista IHGA. 29. Literatura Popular em Verso. Rio de Janeiro. San Juan. Rio de Janeiro. Comissão Nacional de Alimentação/Gráfica Carioca. prefácio de Arthur Cezar Ferreira Reis. O Engenho de Açúcar no Século XVI. p. Revista da AAL. 1939. Rio de Janeiro.191-193. em colaboração com Artur Hehl Neiva. Novas Frentes de Promoção de Cultura. 1952. 25. Diario Oficial de Maceió. Bráulio Nascimento e Luiz Antônio Barreto . L’ Assimilation Culturelle des Immigrants au Brésil. p. 271-273. Maceió. Série Cadernos de Folclore nº 2. 154-161. in Antologia do Negro Brasileiro. Revista do IHGA. Revista da AAL. Rio de Janeiro. Antecedentes Históricos e Conseqüências Sociais da Independência. Instituto Arnon de Melo.INEP/MEC. ano 1942. p. 05. 1954. Urbanização e Industrialização: Estudo Sobre Alguns Aspectos da Contribuição Cultural da Imigração no Brasil. O Brasil e os Brasileiros: Ensaio Sobre Alguns Aspectos das Características Humanas das Populações Brasileiras. p. Paulo. 1972. DAC/MEC/ Funarte. Maceió. Théo Brandão. 63-72. p. coordenação de Moacir Medeiros de Sant’Ana. Alagoas e Seus Municípios. Confederação do Comércio. Anais do IV Congresso de História Nacional. Danças Negras no Nordeste. 1975-1976. Maceió. 22. Revista IHGA. Manaus. Land Tenue and Use in the Brazilian Plantation Systems. História da Cultura Brasileira. Univ.reunião de trabalhos de diversos especialistas na área ). México. 1955. Discurso de Sudação na Recepção de Posse do Sócio Efetivo Dr. Pan American Union.]. juntamente com Thomaz Pompeu de Acioli Borges. .ABC das Alagoas 429 Vida Rural. v. 1959. Revista do IHGA. Campanha de Defesa do Folclore Brasileiro. também. 85-87. Martins. Assembléia Legislativa Estadual. Estudos Belo Horizonte. Imprensa Oficial. apresentado no 2º Festival de Artes e Cultura Mundial. Revista do IHGA. Rio de Janeiro. ensaios. curso dado no DASP. sobre Sociologia. 1971. Análise sócio-econômica da Estrutura Agropecuária das Nações Americanas. 1964. Conselho Federal de Cultura. 1954. Ano 1947. p. 1977. Jornal. Imigração. 1956. 24. v. Revista da AAL. 23. 1950. Folclore em Observador Econômico e Financeiro. Revista da AAL.32. São Paulo.Cem Anos de Vida da Capital. s/d. 52-55. Semeador. Imprensa Oficial. 1956. Com Um Século de Vida Social participou in Maceió . Variações Sobre Temas Regionais. Ano 1945-1946. Revista Bancária Brasileira entre outras. Sociologia e Política. em Conferência em Estudos Latino-americano. 13. Delegacia da ADESG de Alagoas. Revista de Imigração e Colonização. nº 1. Lagos (Nigéria). Rio de Janeiro. Maceió. Revista do IHGA. v. Ciências Sociais na América Latina. Revista do IHGA. 1964. 41-60. A África na Vida e na Cultura do Brasil. Serviço de Documentação. Ano 1972. População e Propriedade de Terra no Brasil. v. 1949. São Paulo. José Osmando Araújo. n. 1962. Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais. Revista Brasileira de Estatistica. Autonoma. Discurso de Agradecimento. 1947. Região. Estudo de Relações de Cultura no Brasil. Carta Mensal. Imprensa Oficial. Um Grêmio de Jovens Que se Chamou Guimarães Passos. 1971. 40-46. União Pan Americana. Revista do Brasil. Ano 1945-1946. Artes Gráficas Schulze. IBGE. 12). População e Açúcar no Nordeste do Brasil. na Sessão Solene de 16 de Setembro de 1943. Desenvolvimento e Cultura. Revista Brasileira de Folclore. Econômicos e Militares da Ocupação Humana do Território. p. Governo do Amazonas. nº 14. 1966. n. Rio de Janeiro/Washington. v. [IGASA]. Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais . Amigo e Companheiro. Maceió. Maceió. Introduccíon a la Sociologia Regional .

as dioceses de Penedo e Sergipe como sufragâneas. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. Reside em Arapiraca. Trabalha como cenógrafo e figurinista para a televisão.Galeria Maria Augusta.430 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1975. 1997: Artistas de Arapiraca. em Maceió. Santino Maria da Silva Coutinho. e foi elevado de bispo a arcebispo. em Penedo (1980) e Coletiva Moviart . Beto ( AL ? ) Pintor Com os trabalhos Mulher Peixe e Casal participou da X Universid’Arte. em Maceió. A Música do Nordeste. Participou. com apresentação de Walmir Ayala. Seguiram-se: em 1923. em Mestre Gaciliano. Manoel Antônio de Oliveira Lopes que também é o último. Arapiraca. Publicação bi-mensal. D. pois durante sua gestão. pela Bula de 13 de fevereiro de 1920. no Rio de Janeiro (1981). onde recebeu as primeiras aulas de desenho. Coletiva de Artistas Alagoanos. 1993: Artistas de Arapiraca. DI MENEZES nome artístico de RAIMUNDO RIBEIRO DE MENEZES (Delmiro Gouveia AL ) Desenhista. O Recife de há 100 Anos. no Shoping Center Cassino Atlântico (RJ). pelo decreto Postremis hisce temporibus. Rio de Janeiro (1976). que faleceu em 1939. como “Órgão do Internato Alagoano”. Fundação Universidade Estadual. O Negro na Música do Nordeste. Feira de Ciência do Colégio Bom Conselho. Posição da Inconfidência na História Brasileira. outra exposição. Ranulfo da Silva Farias. D. p. Redatores: Cícero de Vasconcelos e Graciliano Ramos. agora na Galeria Sucata Decorações. da exposição Arte Popular Alagoana 2003. realizada na FAL. em 24/6/1904. 141-145. como também em Arte Alagoas II.Banco do Estado de Alagoas. Coletivas: 1990: Artistas Alagoanos. no discurso de recepção vol 22 IHGA. de 18 a 26 de outubro no Armazém Dom José. Manoel Antonio de Oliveira Lopes seu primeiro arcebispo. Caixego-GO (1977). Conta atualmente com 43 paroquias e duas dioceses sufragâneas: Penedo e Palmeira dos Índios.e Aracaju. José Lamartine Soares -. Miguel Fenelon Câmara. Surge em Viçosa. sendo D. Em 1960 realiza. em 2 de julho de 1900. Entre as coletivas das quais participou estão: Salão de Artes Visuais no MEC. Em 1940. Um Brinquedo Infantil. figurinista. em Maceió. em 1993. O Coco e suas Origens. agora no Cesar Park Hotel. Arapiraca. realizada na Galeria SESC/Centro. Artistas de Arapiraca. na Galeria Espaço. realizado. de junho a setembro de 2002. DÍNAMO Clube de futebol. Em 1980. publicado. DIOCESE DE ALAGOAS Criada. Morou em São Paulo. que iria ser substituido por D. sua primeira exposição individual. . Edvaldo Gonçalves Amaral. nova exposição individual. Suas Causas e Efeitos. do PRODUBAN. assume D. Arapiraca. É um dos artistas divulgados no livro Arte Contemporânea de Alagoas. tendo Maceió como sede. DIJA nome artístico de Deocleciano Florentino da Silva (Traipu AL 4/3/1976) Pintor. na Biblioteca Pública Estadual. Em 1986. Tinha. em Jaraguá. Em 1982. é de 16/4/1905. ainda. então. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. pintor. O Jornal. em São Paulo. A Abolição. Em 1988. Praça Marques da Silva. Introdução do Negro em Alagoas. Impresso na tipografia de O Baluarte. Rio de Janeiro. se criou o Arcebispado de Maceió. Semana da Cultura. Arapiraca. do IV Salão Alagoano do Livro e da Arte. Seguem-se D. Manteve-se ligada à provincia de Pernambuco até 1920. Théo Brandão. por decreto do papa Bento XV -. em 2003. quando é criada a província de Alagoas. tendo se transferido em 1967 para o Rio de Janeiro. Seu último número. IV Salão Universitário de Artes Plásticas de Florianópolis-SC (1979).Jaraguá.que faleceu antes de assumir -. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1972 a 76 e de 1997 e 98. DIOCESE DE MACEIO Criada pelo Decreto Consistorial de 25/8/1917. seguido de D. Adelmo Cavalcante Machado. DILÚCULO. Arapiraca. do Papa Leão XIII. 8ª FENAR-SEBRAE. Salão da Catedral de Nossa Senhora do Bom Conselho. volta a expor em Maceió.que havia sido criada em abril de 1916. realiza uma exposição individual na Galeria de Arte Maria Augusta.e D. Sede de Arcebispado desde 1921. Os Franceses e a Colonização de Pernambuco. Seu primeiro bispo foi D. de 19/08 a 05/09 e. em 1993. com duas dioceses sufragâneas: Penedo -. segundo Clara Ramos. Formação Histórica do Folclore do Nordeste. cenógrafo. Estudou no Colégio Marista. em Maceió. IV Salão Nacional de Artes Plásticas. DINIZ. Antônio Manoel de Castilho Brandão.

Estevão Brioso de Figueiredo. Santana do Ipanema. Frei Diogo de Jesus Jardim. Seu primeiro bispo. Carneiros. Belo Monte (parte regida pelo vigário de Traipu). Minador do Negrão. D. que permaneceu até 1949. O Príncipe Medroso. D. o sediado em Penedo. D. Porto Real do Colégio. D. No teatro para adultos apresentaram. Inhapi. pelo vigrio geral forense de Alagoas (Marechal Deodoro).bispo de 1893 a 1900 -. Mata Grande. Seguem-se D. o primeiro romance difundido em Alagoas. visitou pastoralmente o território alagoano em grande parte do ano de 1835). Antes. Pariconha. tendo falecido em Maragogi. D. Fernando Gomes dos Santos. DIONÍSIO. Frei Francisco Cardoso Ayres. D. Foi seu primeiro bispo o penendense D. Dirigidos por Valter de Oliveira. em 13/3/1895. D. Felício César da Cunha Vasconcelos. chegaram a ter uma platéia de cerca de mil estudantes primários. Foram seus bispos: D. Frei Vital Maria Gonçalves de Oliveira. filho do Barão de Água Branca. dados biográficos para afirmar se era alagoano. centralizadamente. Armadilha Para um Homem Só. Criada diocese pela bula Ad Sacram Beati Petri. . Igreja Nova. encenando entre outras peças O Rei Mentiroso. por D. DIÓGENES. de 5/7/1614. A vastidão territorial fez com que D. D. Foi elevada à categoria de prelazia pela bula do Papa Paulo V. Frei Francisco de Assumpção e Brito. Autor de O Mendigo. o mais longo período de pastoreio registrado na crônica do bispado de Pernambuco. Mathias de Figueiredo e Melo. o do leste de Alagoas (com sede em Água Branca e composto pelas freguesias de Ipanema. Igaci. Cacimbinhas. José Pereira da Silva Barros. José Bastos. Valério Breda. João da Purificação Marques Perdigão (bispo de 1821 a 1864. e D. membro do Teatro de Amadores de Pernambuco. Frei Manoel Alvares da Costa. São José da Tapera e Senador Rui Palmeira. Major Isidoro. Frei Constantino Leurs. Jaramataia. Fernando Iório. Engloba os municípios de Água Branca. pela Bula Quam Suprema do papa João XXIII. Pão de Açúcar. Edna Pontes. Canapi. Quebrangulo. Francisco Xavier de Aranha. São Bras. Queixa Contra o Desconhecido. D. Durante certo período dedicaram-se ao teatro infantil. Maravilha. Olho d’Água do Casado. Aguas Belas Belas (PE) e Belo Monte (parte regida pelo vigário de Pão de Açúcar) e . Palmeira dos Índios. D. D. Mata Grande. Batalha. Mar Vermelho. último bispo da diocese de Olinda a estar em Alagoas. D. bispo de 1881 a 1891. D. Thomaz de Noronha e Brito. João ( ? ) Escritor. Thomaz da Encarnação Costa e Lima. Paulo Jacinto. Piaçabuçu e Coruripe. de 26/11/1676. Criado por Braúlio Leite. D. D. Monteirópolis. finalmente. seguido. e parece ter sido o primeiro a visitar pastoralmente o território de Alagoas -. Belo Monte. Frei José de Santa Escolástica. DIONÍSIOS. Água Branca. Poço das Trincheiras. Eunice Pontes e Rui Lessa. Estrela de Alagoas. Maceió.ABC das Alagoas 431 DIOCESE DE OLINDA A ela estava ligado eclesiasticamente o território de Alagoas até a criação da Diocese de Alagoas. Jonas de Araujo Tabatinga. João Duarte do Sacramento. que assumiu o cargo em 23/11/1997. D. compreedendo as paróquias de Traipu. Seguiram-se D. 1986. José Terceiro de Souza. D. Frei Antonio de S. Olivença. DIOCESE DE PALMEIRA DOS ÍNDIOS Criada em 10/2/1962. que tomou posse em 16//4/1976 e permaneceu até 1994. Emanuel do Rego Medeiros (tomou posse em 21/1/1866 e nesse mesmo ano esteve em Alagoas. Tacaratu (PE). em 1943. por decreto do papa Bento XV. Olho d’Água das Flores. A primeira peça que encenaram foi . OS Grupo teatral. Otávio de Aguiar. as atividades outrogadas aos arciprestes eram exercidas. egressos do TAM. D. onde foi sepultado). Pão de Açúcar. Palestina. de autor francês. nomeado bispo em 30/7/1997. cujo bispado foi de 30/3/1949 a 3/4/ 1957. D. entre outras peças. três arciprestados: o do Oeste de Pernambuco. José Maria de Araujo. Jacaré dos Homens. Penedo. Delmiro Gouveia. fase. Frei Francisco de Lima governou entre 1695 e 1704. D. desde 1755. tomou posse em 19/8/1962. Dois Riachos. Grafitex. José Joaquim da Cunha Azeredo Coutinho. Epaminondas Araújo e D. no Teatro Deodoro. D. Frei Luiz de Santa Thereza. Manuel dos Santos Pereira -. como parte da província eclesiastica de Alagoas. Eliseu ( AL ? ) Obra: Perspectivas do Planejamento Brasileiro a Nível Macro e Microregional. DIOCESE DE PENEDO Criada em 3/4/1916. D.criasse. Ouro Branco. porém. Piranhas. Frei José Fialho. O primeiroro arcipreste do Oeste de Alagoas foi o padre Joaquim de Siqueira Torres. Frei Gregório José Viegas. D. Faltam. O Soldadinho do Rei e. Edmilson Pontes. D. do papa Inocêncio XI. por acordo com o governo e a prefeitura. de 9/11/1957 a 24/3/1976. na sua 3a.

Maceió. v. Colaboradores: Joaquim Diégues. 1999. em Alagoas e Seus Músicos. Linha do Equador. Nuvem negra. Som. TV Globo). Odeon. Editada Centro de Ciências Jurídicas da UFAL. Nem um Dia. CBS. Luz. DOCE. Fato Consumado. Meu Lado. Som Livre. de Maceió. Esquinas. Maria das Mercedes. Banho de Rio. Limão. com o qual. DOCE Lagoa. p. Surge em 8/7/1894. De Flor em Flor. SECULT. 1987. Alagoas. Para Viver um Grande Amor. Adriano Jorge. Asa. Novena./jun. 1992. chamado LSD (Luz. Na Boca do Beco. que é partido. 1979. a partir dos 18 anos. No ano seguinte inicou a gravação de uma série de LPs que o consagraram como compositor e intérprete: A Voz. no verbete do cantor e a seguir relacionados: A Ilha. Manoel ( Arapiraca ? AL ) Filho de José Dionizio da Silva e Regina Dionizio da Silva. e assim denominada por dizer a lenda que viveram no seu cimo. Curso de Filosofia na Universidade Federal de Pernambuco A Presença do Hedonismo e do Pragmatismo na Visão Ética Contemporânea. o Violão. da Mercearia Porto Arthur. A Rota do Indivíduo. 1994 . Mal de Mim. como vocalista e guitarrista. Obi. Doidice. Bicho Solto XIII (1998).2. do Rio Traipu. Me Leve. Esquinas. Lilás. Dou-não-Dou. 1984. Dor e prata. passa a viver no Rio de Janeiro. Cara de Índio. Pobre em peixes. EPIC. Faz parte da Bacia das Lagoas. Estória de Cantador. Alumbramento. Lei. que se classificou em 2º lugar. Participou de festivais estudantis. Avião. DJAVAN Caetano Viana (Maceió AL 27/1/1949 ) Cantor. Luz. Seduzir. Um dos componentes da Bacia do Rio Pratagi. Azul. comemorativa do Centro Literário Estudantesco. a Música de Djavan. CBS. Em Viçosa. Não é Azul Mas é Mar. Miragem. Maçã do Rosto. Baile. 1984. Um dos principais afluentes. Rio. pela margem esquerda. crustáceos e moluscos. em 24/6/1905. Projetouse nacionalmente ao participar. Bouquet. de um festival de musica (Abertura. segundo Abelardo Duarte. EMI. Mil Vezes. Aliás. 1983. EMI. Beiral. 1981. juntamente com Carlos Moura. em 1975. 1992 -CD. Sulvio Raynal. Pétala. formada por igarapés e sendo uma das temporárias. 1996. Entre as formadas pelo entulhamento dos depósitos da praia que se alonga nas falésias do Jequiá. Diégues Júnior. Malásia. Êxtase. Água. Açaí. composto de anúncios do mesmo estabelecimento. Que Foi My Love? DOCE Rio. Cigano. também citada no Patamar Crístalino do Nível de 500 metros. Vaidade . 61-74. Entre seus êxitos estão: Meu Bem Querer. jan. Djavan Ao Vivo Volumes 1 e 2. dois irmãos. Flor-de-Lis. CBS. Curumim. no município de Roteiro. Infinito. Luanda. CBS. Carnaval do Rio. Sony Musical. Teve seu próprio conjunto. Alumbramento. Dupla Traição. CBS. E que Deus Ajude. Faltando um Pedaço.no qual é autor das doze letras e músicas . Em 1973. Lilás. apresentou-se em Maceió. Pedro Brasil. sua própria gravadora. Columbia. F. nº4. além de vários outros. Odeon. Nereci. Minha Mãe. Capim. Segundo IFL faz parte da Escarpa Cristalina Oriental. Odeon. Quantas Voltas dá Meu Mundo. 1999. DISPENSA SÃO JOÃO Surge em Maceió. Oceano. compositor. Pára-raio.CD. 1986. 1980. Malásia. Dimensão). Muito Obrigado.CD. DOIS DE JULHO Revista. Lambada da Serpente. Jogral. Djavan. Domingues. Esfinge. Coisa de Ascender. segundo o Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. Florir. Outono. Aquele Um.432 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DIONIZIO NETO. 1976. EPIC. com forma de jornal. Oceano. Maçã. Álibi. Nobreza. com a musica Fato Consumado. CBS. 1988 DIREITOS & DEVERES Revista. Navio. Milagreiro. . segundo o Convênio SEMA/ SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. EMI. Canto da Lira. Djavan. segundo o Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. Quase de Manhã. 2001. DOIS IRMÃOS Serra. gravados seja pelo autor ou por diversos outros interpretes e relacionados por Joel Belo Soares. Desejo. Morena de Endoidecer. Minha Irmã.editado pela Luanda Records. Avulsos para sorteio. Numa Esquina de Hanói.

Presidente do Instituto dos Advogados de Alagoas. Doutor em Direito pela Faculdade de Direito do Recife. Pouco tempo depois. da Silva ( Alagoas. Francisco . mais tarde. Em 1936. Há uma coleção de partituras suas no Arquivo Público . choros.por causa do riacho do mesmo nome que passa no local -. Maceió. funcionário público. foi atacado por um bando de cangaceiros. foi designado para chefiar a turma encarregada dos trabalhos naquele trecho. foi engenheiro de estradas de ferro -. DOMINGUES. Outra versão é a de que Novaes já teria encontrado alguns habitantes. Batonier JOSÉ Verres ( AL ? ) Advogado. Membro da AML. O território. Foi advogado da União. tendo criado clubes para defesa dessa posição.. num total aproximado de 90 obras. em Alagoas -. DOMINGUES. onde começou um pequeno comércio. Riachenses. Foi vice-diretor do Colégio São Domingos e fundador. Nessa época chegou a Garcia. tendo prosseguido no Seminário de Olinda e. por três vezes. publicação que defendia o abolicionismo. DOIS RIACHOS Rio. pela Lei 2. Esta situação permaneceu até 7/6/1960.ABC das Alagoas DOIS IRMÃOS 433 Cachoeira. Diplomou-se na Faculdade Nacional de Direito (RJ). Coube a ele a idéia da realização da primeira feira. jornalista. passou a Major Isidoro. da Academia Maçônica de Letras Jurídicas.. 1997. No Colégio Bom Jesus criou a Escola Central. músico. como também da Federação das Academias de Letras do Brasil (RJ). uma polca para piano. Especialização na UFAL e pós-graduação em Direito Penal/Penal Militar. exatamente onde hoje se situa a Praça da Independência. chefiados por Corisco. depois de terminado o curso. Miguel Vieira... que foi instalado em 8/7/1960. foi criado o município. em 1878. Universidade do Rio de Janeiro.e no Pará. com Inácio da Cunha Costa e Joaquim Inácio Loureiro a Revista do Ensino. Foi defensor dos ideais republicanos. regressou a Alagoas.238. Retornando a Maceió. Francisco . Iniciou os estudos em sua terra natal. da Silva (Alagoas AL 4/10/1847 . pela margem esquerda do Rio Ipanema. já compunha. em Maceió. Afluente. polcas.entre 1892 e 1908 -. lecionou Desenho. DOIS RIACHOS Município. Estudou em sua terra natal e a seguir no Colégio São Domingos. No Colégio Bom Jesus. Filho de Arthur Verres Domingues e Alcina Verres Domingues. ainda na UFAL. DOMINGUES. Desmembrado de Major Isidoro. Localizada no Rio Paraiba-do-Meio. foi Miguel Vieira de Novaes. da Seccional de Alagoas da Ordem dos Advogados do Brasil. lançado Mininha. a revista O Magistério. engenheiro. Porém. em 1872. e diretor do Colégio Bom Jesus.Colaborações em Jornal de Alagoas. IFL informa ser o maior dessa margem. Passou grande parte da vida fora da terra natal. em 1887. Um dos criadores da Sociedade Libertadora Alagoana. onde hoje fica a cidade. De espírito dinâmico. Pará Paraíba -. por ser muito conhecido no local.Júlio Firmino Lima. Misael . Sua chegada teria ocorrido em 1907. maxixes. da Silva ( ? ) Deputado provincial na legislatura 1848-1849. “Conta-se que o primeiro habitante do local. Está na microrregião de Santana do Ipanema e na mesorregião do Sertão Alagoano.. Formou-se pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro (1885).Recife PE 13/10/1918) Deputado estadual. DOMINGUES. Filho de João Domingues e Marquina da Conceição Domingues. fundado por seu irmão Francisco Domingues. como era chamada a localidade -. Dirigiu. Profissionalmente. Jornal de Hoje. Base econômica: agricultura.e ao mesmo tempo autor de valsas. Colaborou no Lincoln. da Academia de Letras Jurídicas de Alagoas. em Maceió. trazendo mais trabalhadores para os serviços da rodovia. Diário de Alagoas e na Revista Crítica Judiciária (RJ). EDUFAL.trabalhando em Pernambuco. quando este atravessa a serra do mesmo nome. onde os filhos dos escravos eram educados. juntamente com Diegues Junior. Assistente Social pela Faculdade de Serviço Social. inclusive com hospedaria para viajantes. professor. hoje Marechal Deodoro AL 21/12/1857 . quando da emancipação deste último”. tendo. quando. e por isto recebeu a patente de coronel honorário. e. então pertencente a Santana do Ipanema. Obra: História e Filosofia do Direito. redator da Tribuna Livre do Advogado (RJ).Recife PE 2/10/ 1932) Compositor. aproveitou a oportunidade e construiu um barraco. Gazeta de Alagoas. a região foi alcançada pelos serviços de construção da estrada entre Delmiro Gouveia e Maceió.. Diretor da Instrução Pública e Administrador dos Correios. foi presidente.

Valsa.setembro de 1898. Maceió . Caita. 1983. 1983. 1º Caderno de Compositores Alagoanos. 301. UFAL.(hoje João Pessoa). Sucessor. 1983. Préalle & Comp. Democrata (§). Ufal .243. 1982 Saudade . Caderno de Compositores Alagoanos nº 8.1983.Sophia . Aline. Volante (§) (Valsa ). Maviosa. UFAL. e 1º Caderno de Compositores Alagoanos. UFAL. 1924 . 1899 . .e Préalle & Comp. Pequena Valsa). PE . Compositor Misael Domingues. nº 108. 1983. Impetuoso (§).valsa. UFAL/Arquivo Público de Alagoas/SEC. UFAL .1983. morceau. Jaboatão. gavota. polca . Diva.1982. PE . .valsa . 1983. UFAL. UFAL. Mimo do Céo. 309.1983. 269. n° 24..1983. É de sua autoria Saudade (valsa de salão).1982. Edith. Polka.valsa brilhante ..Cavalinho de Pau . valsa.2º Caderno de Compositores Alagoanos.Victor Préalle. Lágrimas de um Anjo. nº 72 .Balbuciando. Arquivo Público do Estado de Alagoas/Secretaria de Educação. polka carnavalesca (inédita). (Successores de Victor Préalle). gavota.. Caderno de Compositores Alagoanos nº 2.(inédita). (inédita). (Sucessores de Victor Préalle) PE. Préalle & Comp. Ao longe!. PE. (inédita). Belezas do Recife (§).Jaboatão. 1982. polca . PE. Préalle & Comp. polca.Paraíba . 1899. Cantilena . Romance Sem Palavras.1983. romance para Violino. Préalle & Cia.Victor Préalle. Um Brinde.(inédita). 258. PE . polca.4842. 237 e 1º Caderno de Compositores Alagoanos. Magnética (2a. Dulce. Préalle & Comp. 1902. barcarola.(inédita). nº 89. Brasileira. PE e 1º Caderno de Compositores Alagoanos. Zeni . .Salve Alagôas.Editha . PE e 2º Caderno de Compositores Alagoanos. serenata . Grande Marcha Triunfal. 264. Maceió. Jaboatão. 1899.1897. Inocência. Polka dos Calouros.1982. nº 83.7 de setembro de 1888. polca . p. Cadernos de Compositores Alagoanos nº 1.valsa . Guiomar.grande valsa de salão . pas de quatre. Estão publicados trabalhos de sua autoria em: Misael Domingues: Polcas. Mazurca Sentimental. Gentil (§). PE. polca. Zeny (§) (polkas). nº 82 . valsa . no 2º Caderno de Compositores Alagoanos. Victor Préalle. Polka para piano. ( Sucessores de Victor Préalle) PE. Julieta (pas-de-quatre).rêverie. Brasileirinha (§). 14 de setembro de 1900.247 .. Préalle & Co. nº 54. Ufal . nº 109. polca. Polka (polka original). Victor Préalle. 1983. Serenata . UFAL . nº 71 ..polca (1901) . 1982. (inédita). Nilza (§).nocturno . valsa.244. Viva a República . Coordenadoria de Extensão Cultural/UFAL.1982. nº 75 .Mazurka . PE e 8º Caderno de Compositores Alagoanos. 264 e 1º Caderno de Compositores Alagoanos. nº 96. Galope para piano (galope).. Caderno de Compositores Alagoanos. 290. 26-29: 1º Volume: n° 4. n° 16.(inédita). Pierrot. 1903. 285. Ufal . Hino Escolar (letra de Gaspar Regueira). 246. Valsa de Concerto. Ufal . nº 50.Mazurka. nº 55.De Joelhos . Eu Era Assim.valsa . n° 22. Zazá . polca. Mazurka.434 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Estadual. Sinhazinha. polkamarcha.PE. Ufal .Inahsinha. Gargalhada. dados biográficos de Moacir Medeiros de Santana. Valse Ballet.Préalle & Comp. nº 88 . PE. Veneza Brasileira. (inédita). (Sucessores de Victor Préalle) PE e. Caderno de Compositores Alagoanos. valsa .Valsa . nº 78 . .1982. 1984. Sucessor. 2º Caderno de Compositores Alagoanos. nº 56.Cabedelo. Azevedo Junior & Cia.DC . Cirne & Irmãs. Pequena Valsa). PE. Meiguice.Typo-Litho-Zincografhia Trigueiros. 1899. nº 92.250. Vamos dançar? .Vacilante. Cismando. Ufal . Coordenadoria de Extensão Cultural . Tempestade . (Successores de Victor Préalle).polca . 3º Volume nº 68 . Divinal. PE. 2o. Arrulhos. nº 95. Valsa para piano. e 1º Caderno de Compositores Alagoanos. nº 97. APA/SEC. Polcas. Coordenadoria de Extensão Cultural. Revelação. Viva a República (§) (valsa brilhante). Maceió. valsa . 283. 2º Volume. 1903. Adelaíde (§). nº 87. UFAL .Jaboatão. e 1º Caderno de Compositores Alagoanos.4º Volume.Victor Préalle .Vaporosa . Jaboatão. Préalle & Comp. Dulce.. nº 76 . Préalle & Comp. nº 73 . Maceió. PE e 1º Caderno de Compositores Alagoanos.valsa . Onze de Junho (marcha triunfal).Victor Préalle & Cia 316. nº 80 . 2º Caderno de Compositores Alagoanos. SEC/EDUFAL. Meiguice.Maria do Monte . Préalle & Comp. Sanita.. nº 91.Jaboatão. polca.19/06/1898 .redução para piano.(inédita) . Século XX (marcha a 4 mãos).polca . nº 103 . poesia de Aníbal Lima. 1983. 198-. Innah (§). Ingênua. Préalle & Comp. Doux Souvenirs. 29 de maio (dobrado).valsa . Ufal.Ultima Ilusão . Maria José (1a. . UFAL. Volante . nº 86. Noturno para piano (Noturno). nº 81 . nº 77 . Vivam os Noivos. Besinha. Ufal .1º Caderno de Compositores Alagoanos.(inédita). 2º Caderno de Compositores Alagoanos. Queixumes (valsa . 1919 .Victor Préalle. À Beira Mar. introdução e dados biográficos de Moacir Medeiros de Santana. Misteriosa.2º Caderno de Compositores Alagoanos. Olha o Urso . Soupirs d’amour. Viva a República . Yolita. SEC/EDUFAL. Préalle & Cia.polca brasileira . grande valsa. Quadrilha brilhante. 1984.valsa de salão .Victor Préalle Successor. Maceió. Sucessor. Segundo Soares. nº 85 . Gavotta. Maceió.1982. Outras composições: Alaide.(inédita). Nininha. Ao relento (§). valsa (inédita ). Maceió. Mes Songes.UFAL/APA-SEC SEC/EDUFAL.UFAL. 1984. PE.2º Caderno de Compositores Alagoanos. 323. Ufal. Ufal . Sucessor. Belezas do Recife. para canto e piano. Préalle & Comp.Préalle & Comp. Guiomar (§). valsa (inédita). (Successores de Victor Préalle). PE . Sucessor.Pas-de-Quatre. também.

Em 1920 é nomeado Diretor-Geral de Instrução Pública. LP 992624-1. foi executado pela Euterpe Alagoana. Editora . sua tese para a cátedra da Escola Normal. em 1939. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo (1908).Innahsinha. Educação Moral e Educação Econômica. Neste cargo deu grande desenvolvimento à instrução pública. 5. A Questão Social. O Espírito das Democracias. Yolita. São Paulo. LP FENAB-002. Antônio de Sampaio (Belo Monte AL 25/3/1883 . Edmundo Tojal ( ? ) Deputado estadual. onde é redator-chefe do jornal Imparcial. Olha o Urso. Ministro da Justiça do governo José Linhares coube-lhe preparar as primeiras eleições presidenciais realizadas no Brasil. Recordações de um Sarau Artistico . da qual era um dos componentes. São Paulo Ed. para a legislatura 1995-99.Marena Isdebski Sales. apresentado em 15/12/1889. São Paulo. violino. onde passa a ser professor de Direito Público Constitucional e. valsa. Ed. valsa. A reforma do ensino que havia promovido. Instituto D. Rio de Janeiro. São Paulo. 1914. Ed. flauta e Joel Bello Soares. fez a reforma do ensino de 1920 e criou a primeira Faculdade de Educação do Brasil. São Paulo.001 DONATO. Pedagogia e Educação Cívica na Escola Normal Secundária de São Paulo. Nas eleições de 1958. romance. em récita da Sociedade Dramática Particular Pantheon Alagoano. porém só é nomeado professor livre docente. Última Ilusão. São Paulo. Monteiro Lobato. o Colégio Macedo Soares e foi professor de Psicologia. Funda a Faculdade Paulista de Direito -. Em 1889. Ensaios. desde a Revolução de 1930 Ao deixar o ministério. polca e Saudade. São Paulo. 1922. na legislatura 1967-70. para dois violinos (ou bandolins) e piano. polca. 1926. dedica-se à advocacia e ao magistério. valsas. SALGEMA . Ed. Questões de Ensino: A Reforma de 1920 do Ensino em São Paulo. Eleito deputado estadual. Recenseamento Escolar. 1922. Membro da comissão que elaborou.que iria mais tarde se integrar à PUC de São Paulo -. serenata . Ed. suplente de deputado federal. polca. Em 1914 passa a viver novamente em São Paulo. Em maio de 1945 foi nomeado juiz do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Doux Souvenirs. São Paulo. pela ARENA. piano. faz concurso para a Faculdade de Direito de S. Durante um certo período mora no Rio de Janeiro. 1919. Nilza. São Paulo. DÓRIA. O Que o Cidadão Deve Saber. Monteiro Lobato Ltda 1923. acaba por ser revogada em 1925.e o Liceu Rio Branco Posteriormente. Enquanto fazia o curso superior lecionava na Escola de Comércio Álvares Penteado e também Psicologia e Lógica no Colégio Macedo Soares. 1923. . Princípios Constitucionais.São Paulo SP 26/12/1964) Ministro da Justiça. 1919: Manual de Instrução Cívica. tendo promovido o primeiro recenseamento escolar efetuado no estado e no país. 1919. De 1908 a 1920 dirigiu. Brazileira. polca. Liv.ABC das Alagoas 435 característica). Arrulhos. Manual de Instrução Cívica. da cátedra na Faculdade de Direito.109. O Que o Cidadão Deve Saber. Sônia Maria Vieira Revela Misael Domigues . 1925. retorna a São Paulo. Obras: Princípios de Pedagogia. Problemas de Direito Público. Suspende-se no Sítio o Habeas-Corpus ?. Polka dos Calouros.Em Pleno Luar. Victor Préalle & Cia. Gentil. 1970 e 1986 ficou como suplente de deputado estadual. Em abril de 1922 afasta-se e retorna à sua cátedra na Escola Normal.PE e Préalle & Comp. Instrução Pelo Estado. advogado. Membro da Delegação Brasileira à VIII Sessão da Assembléia Geral da ONU. pelo voto direto. troca a cadeira para Direito Internacional Privado. 1924. De 1934 a 1937 é procurador-regional do Tribunal Eleitoral de São Paulo. em 1930. mazurca sentimental. Relatório.Besinha. Em Pleno Luar. Filho de Cândido Dória e Cristina Sampaio Dória. prefácio de Lourenço Filho. piano. piano. pelo PL. e é nomeado superintendente do banco daquele estado. São Paulo. DÓREA. LP SMV. Monteiro Lobato. Paulo. muda-se com sua família para São Paulo. em 1939. 1915.1897 e Vaporosa. composto para ser executado pela Filarmônica dos Artistas.Valsas. Ocupa. Monteiro Lobato. em 1925. Psicologia e Educação. em São Paulo. São Paulo. tese de concurso para a Faculdade de Direito de São Paulo. Olegário Ribeiro. Tip Piratininga. Discografia: Momentos Musicais .A Música Alagoana do Ínicio do Século . piano LP FENAB . valsas e Mazurka. 1920. eleito em 24/6/1953. Secretário de Saúde e Serviço Social no primeiro governo Divaldo Suruagi e também no governo Geraldo Melo. Joel Bello Soares. Ana Rosa. Revelação. Sônia Maria Vieira. ainda. Joel Belo Saores. em 1953 Membro honorário do IHGB.. Suplente de deputado federal. Formado. Primeiro Hino do Estado de Alagoas. Polkas e Mazurkas . 1987. Liga Nacionalista de São Paulo. professor.De Carlos Gomes a Nazareth . Nivaldo Francisco de Souza. onde termina o curso primário e faz o secundário. Lágrimas de um Anjo. o Código Eleitoral. Demitido. pas de quatre. Como Se Ensina e Como Se Aprende a Língua. seria readmitido em 1941. a Secretaria de Educação. jurista. Gonçalo Tavares ( AL ? ) Secretário de Estado.

436

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

Melhoramentos, 1928, Coleção Biblioteca da Educação; Psicologia, São Paulo, Editora Nacional, 3ª edição, 1930; Educação, São Paulo, Editora Nacional, 1933; O Comunismo Caminha no Brasil, São Paulo, Editora Ltda 1933; O Problema da Educação dos Bem Dotados, São Paulo, 1933; La Educacíon de los Bien Dotados, Madrid, Espanha, 1933; Os Direitos do Homem, São Paulo. Cia. Editora Nacional, 1942 que em 1946 iria ser reeditado com o título Curso de Direito Constitucional; Como se Aprende a Lingua, ou Nova Gramática. Primário, 2ª edição, São Paulo, 1935 ou 1946; Democracia Pelo Bem de Todos, São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1948; Direito Constitucional, São Paulo, M. Limonad, 1958/1960, 2 v. ; Sintaxe de Pronomes, 1959; Psicologia da Educação; O Império do Mundo e As Nacões Unidas, São Paulo, M. Limonad, 1962; Comentários à Constituição de 1946. DÓRIA, Dalton ( AL ? ) Advogado. Membro do Conselho de Cultura de Maceió. Obra: Theobaldo Barbosa. A Ética nos Difïceis Caminhos da Política , em Memórias Legislativas, Doc. nº. 34, Maceió, 6/9/1998. DÓRIA, Odair Lisboa ( AL? ) Obra: Cooperativismo Como Técnica Subsidiária do DOC, Maceió, Escola de Serviço Social Padre Anchieta, 1971. DÓRIA, Sérgio Roberto Uchôa ( AL ? ) Secretário de Estado. Filho de Luiz de Gonzaga Dória. Secretário da Fazenda (2000) no governo Ronaldo Lessa. DORTA, José Robertson Pereira ( Maceió AL 11/6/1965) Pintor. Autodidata. Entre as coletivas ds quais participou figuram: Shopping Center Iguatemi; Workshop Livre Brasil-Alemanha; I Mostra Meliá de Artes; Espaço Cultural Aliança Francesa, e, ainda, no Claustro do Convento São Francisco, em Marechal Deodoro. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II, publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima, pela Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, sob a curadoria de Lula Nogueira e Tania Pedrosa. DORVILLÉ, Ernani ( ? ) Desembargador, advogado. Na condição de presidente do Tribunal de Justiça, assumiu o Governo de 14 de agosto a 14 de setembro de 1978, por motivo de renuncia do governador e morte do vice-governador. DOUS DE JULHO Revista. Comemorativa do 1o aniversário do Centro Literário Estudantesco, editada em Maceió em 8/7/1894. DRT - DUAGRESTE RÁDIO E TELEVISÃO LTDA. Mantém, em Arapiraca, uma rádio FM Canal 287. DUARTE, Abelardo ( Maceió AL 18/5/1900 - Maceió AL 7/3/1992) Professor, jornalista, médico. Filho de José Antonio Duarte e Maria Clementina Coutinho da França Duarte. Estudo primário no Colégio São Domingos e secundário no Colégio 15 de março e no Liceu Alagoano. Doutourou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia (1926), com a tese Contribuição ao Estudo dos Grupos Sanguíneos na Bahia. Quando estudante fundou, em 1923, juntamente com Artur Ramos, Mário Magalhães da Silveira, João Lessa Azevedo, Eduardo Santa Rita, entre outros, a Revista Acadêmica, dedicada à ciência e à literatura, tendo sido publicada até 1926, quando da formatura do grupo responsável por seu lançamento. Foi médico do Serviço de Saneamento Rural,e organizou o primeiro Serviço de Higiene Infantil. Entra para o magisterio em 1930, por concurso, sendo nomeado catedrático de Cosmografia do Liceu Alagoano, ocupando, depois, a catedra de Geografia do Brasil, na Escola Normal. Como médico, foi chefe de Clinica Pediátrica do Hospital Infantil da Santa Casa de Maceió e Diretor-Médico do Instituto de Assistência e Proteção à Infância de Alagoas. Fundou, com colegas, a Faculdade de Medicina de Alagoas, tendo proferido a aula inaugural, sob o tema Conquistas e Tendências da Medicina Contemporânea. Professor de Clínica Pediátrica e Higiene Infantil da mesma Faculdade, da qual, também foi diretor (1954/57 e 1964/70). Professor, ainda, de Higiene e Legislação Farmacêutica da Escola de Farmácia e Odontologia. Membro da AAL, tendo ocupado a cadeira 5, e membro da Academia Carioca de Letras. Sócio do IHGB, eleito sócio correspondente em 17/12/1975. Sócio do IHGA, empossado em 16/9/1940, sendo patrono

ABC das Alagoas

437

José Antônio Duarte da cadeira 1. Secretário Perpétuo, da instituição, tendo publicado diversos trabalhos na sua revista. Membro, ainda, da AAI, da Sociedade Alagoana de Folclore, da Sociedade de Medicina de Alagoas, da Sociedade Brasileira de Pediatria e dos Institutos Históricos de S. Paulo, Santos, Sergipe e Bahia. Obras: Contribuição ao Estudos dos Grupos Sangüineos na Bahia, Tese Apresentada à Faculdade de Medicina da Bahia em 30/10/1926 e Publicamente Defendida em 22 de dezembro do Mesmo Ano, Bahia, Oficinas da Livraria Duas Américas, 1926; Lua. Tese de Concurso à Cadeira de Cosmografia no Liceu Alagoano. Dissertação. (Ponto Sorteado pela Egregia Congregação do Liceu Alagoano), Maceió, Casa Ramalho, 1929; Da Classificação Estelar Espectral (Ponto do Livre Escolha). Tese de Concurso à Cadeira de Cosmografia no Liceu Alagoano, Maceió, Casa Ramalho, 1929; Alocução. Proferida na Abertura do Curso de Puericultura no Dispensário João Pedro Xavier, em Junho de 1931, Maceió, M. J. Ramalho Editora, 1931; Discurso Proferido em Nome da Sociedade de Medicina de Alagoas na Sessão Solene Inaugural do I Congresso Médico de Alagoas, realizada no IHGA na Noite de 5/6/1933, Maceió, M. J. Ramalho, 1937; Ladislau Neto (1838-1894), Edição Ilustrada, Contendo o Regulamento do Museu Nacional de 9/2/1876, Maceió, Imprensa Oficial, 1950 (biografia), prêmio Oton Bezerra de Melo, da AAL; A Língua, o Povo e os Escritores, Maceió, Casa Ramalho, 1951, discurso de posse na AAL, proferido na sessão solene de 15/11/1951; Conquistas e Tendências da Medicina Contemporânea. Aula Inaugural dos Cursos da Faculdade de Medicina de Alagoas, Proferida a 5/3/1951, Maceió, Imprensa Oficial, 1951, Separata dos Arquivos da Sociedade de Medicina de Alagoas, jan. dez. 1951); Oração do Centenário do Liceu. Separata da Revista do Ensino, V.I, nº 1, 1952, Maceió, Alagoas, Maceió, Casa Ramalho Editora, 1952; Aspectos das Mestiçagens nas Alagoas, Separata da Revista do IHGA, v.27, anos 1951/53), Maceió, Imprensa Oficial, 1955; Caminhos do Ensino Médico. Discurso Pronunciado na Solenidade de Abertura dos Cursos em 6/3/1954, Maceió, Diretório Acadêmico da Faculdade de Medicina de Alagoas e Sociedade de Academicos de Medicina de Alagoas, Maceió, 1955; Um Folguedo do Povo: o BumbaMeu-Boi, (Ensaio de História e Folclore), Maceió, Ed. Caeté, 1957; Negros Mulçumanos nas Alagoas: Os Malês, Maceió, Ed. Caeté, 1958, ( Memória lida no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, em 16/7/1956); Aspectos da Mestiçagem nas Alagoas, separata da Revista do Instituto Histórico de Alagoas, v.XXVII, anos de 1951,1952/1953; Maceió, Imprena Oficial, 1955; Discurso. Pronunciado na Noite de 22 de Junho de 1960 na Sessão Solene da Congregação do Colégio Estadual de Alagoas, no Auditório Deste, por Motivo da Outorga e Assinatura, pelo Governador do Estado, do Regimento (do Citado Colégio), Maceió, s.edit. 1960; História do Liceu Alagoano: Desde sua Criação até o Ano de 1960, Maceió, DEC, 1961, Série de Estudos Alagoanos, XI; Acréscimo e Retificações à “História do Liceu Alagoano”, Arquivo Público de Alagoas/Imprensa Oficial, Maceió, 1963; O Periodismo Literário nas Alagoas, Maceió, DEC, 1961, Série Estudos Alagoanos, 3 (ensaio), também publicado na Revista da AAL, n. 14, p. 11-36, com uma apresentação de Carlos Moliterno; Tribos, Aldeias e Missões de Índios nas Alagoas. Considerações Sobre o Contigente Indigena e Sistematização dos Seus Grupos Históricos e Sobreviventes, (separata da revista do IHGA, v.28, 1968), Maceió, Imprensa Oficial, 1969; Aspectos da Formação Sócio-Histórica das Alagoas, Maceió, ADESG, Delegacia de Alagoas, 1970 (palestra); Alagoas e a Independência. Conferência Realizada no Recife, em 23/10/1972, no Gabinete Português de Leitura, Revista da Universidade Federal de Pernambuco, julho/dez. 1972, n.3 e 4, p. 127-167; Folclore Negro das Alagoas (Áreas da Cana-de-Açúcar). Pesquisa e Interpretacão, ilustração de Getúlio Mota e capa de Pierre Chalita, Maceió, DAC/ SENEC 1974 , Departamento de Assuntos Culturais MEC/APA, (folclore); Três Ensaios: Do Republicanismo nas Alagoas. Episódios do Contrabando de Africanos nas Alagoas. Os Jesuítas nas Alagoas, Maceió, DEC, 1966, Estante Alagoana de História, 01 ; As Alagoas na Guerra da Independência, Maceió, APA/Conselho Federal de Cultura, 1974 (prêmio Costa Rego, da AAL); Catálogo Ilustrado da Coleção Perseverança, (Do Museu do Instituto Hitórico e Geográfico de Alagoas ) Elaborado pelo Professor Abelardo Duarte, Secretário Perpetuo, Maceió, IHGA/SENEC- DAC, 1974; Dom Pedro II e Dona Tereza Cristina nas Alagoas , A Viagem Realizada ao Penedo e Outras Cidades Sanfranciscanas, à Cachoeira de Paulo Afonso, Zona Lacustre e Região Norte da Província (1859/60), Maceió, IHGA/SERGASA, 1975 (Edição comemorativa do sesquicentenário de D. Pedro II- prêmio Baltazar Pereira Diégues Júnior); Autores Alagoanos e Peças Teatrais, (Contribuição Para a História do Teatro de Alagoas), Maceió, FUNTED, 1980, (crítica), Episódios do Contrabando de Africanos nas Alagoas, Maceió, reeditado pela Comissão Estadual do Centenário da Abolição, Secretaria da Cultura, 1988, Tavares Bastos, Abolucionista. In : Tavares Bastos Visto por Alagoanos, coordenação de Moacir Medeiros de Sant’Ana, Maceió, Assembléia Legislativa Estadual, [IGASA],

438

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

1975, p. 13-22; Discurso de Posse Pronunciado pelo Dr. Abelardo Duarte, Revista do IHGA, v. 21, anos 194041, Maceió, s/d, p. 63-84; Nosografia do Negro em Alagoas, Revista do IHGA, v. 21, anos 1940-41, Maceió, s/d, p. 120-145; A Revolução Pernambucana de 1817 e a Emancipação Política de Alagoas, Discurso Pronunciado Como Orador Oficial da Sessão Solene de 16-9-941; Revista do IHGA, v. 21, anos 1940-41, Maceió, s/d, p. 146-155; João Severino da Fonseca, Revista do IHGA, v. 22, ano 1942, Maceió, p. 89-103; O Negro na Colonização de Alagoas, Revista do IHGA, v. 23, ano 1944, Maceió, Imprensa Oficial, 1945. p. 2229; A Primeira Geografia Alagoana (Em Torno do Centenário de sua Publicação), Revista do IHGA, v. 24, Ano 1945-1946, Maceió, Imprensa Oficial, 1947, p. 47-65;; Notas Sobre as Fortificações Holandesas em Alagoas, Revista do IHGA, v. 24, Ano 1945-1946, Maceió, Imprensa Oficial, 1947, p.75-80; Tricentenário da Restauração de Porto Calvo e Penedo, Revista do IHGA, v. 24, Ano 1945-1946, Maceió, Imprensa Oficial, 1947, p. 110-123 ; Os Primórdios do Povoamento das Alagoas, Revista do IHGA, v.25, Ano 1947, Maceió, Imprensa Oficial, 1949, p. 7-33; Notas Para História do Liceu Alagoano (Na Passagem do Seu Centenário) Revista do IHGA, v. 26, Ano 1948-1950, Maceió, 1952. p. 32-51 ; Sobrevivência do Culto da Serpente (Dãnhgbi) nas Alagoas, Revista do IHGA, v. 26, ano 1948-1950, Maceió, 1952, p. 60-67; Sobre o Panteão AfroBrasileiro (Divindades Africanas nas Alagoas) Revista do IHGA, v. 26, ano 1948-1950, Maceió, 1952, p. 6879; Aspectos da Mestiçagem nas Alagoas, Revista do IHGA, v. 27, ano 1951-1953, Maceió, 1955, p. 7-49; Tribos, Aldeias e Missões de Índios em Alagoas, Revista do IHGA, v. 28, ano 1968, Maceió, 1969, p. 83-153; Discurso do Professor Abelardo Duarte, No Dia 6 de Junho de 1965, na Sessão Solene do Instituto Histórico de Alagoas, Comemorativa do Centenário do Dr. José Antônio Duarte, Em Agradecimento, Revista IHGA, v. 28, ano 1968, Maceió, 1969, p. 171-187; Discurso Pronunciado pelo Dr. Abelardo Duarte na Recepção do Prof. Afrânio Salgado Lages, na Sessão Solene de 29 de Novembro de 1969, Revista IHGA, v 29, Ano 1972, Maceió, 1972, p. 27-39; Discurso Pronunciado pelo Professor. Abelardo Duarte na Sessão Solene de 2 de Dezembro de 1969, , Revista IHGA, v. 29, Ano 1972, Maceió, 1972, p. 79-89; À Guisa de Introdução; Os Papa-méis Alagoanos, Revista do IHGA, v.30, Ano de 1973, Maceió, 1973, p.57-73; Discurso de Saudação aos Consócios Aldo Sá Cardoso e Jayme Lustosa de Altavilla Pronunciado Pelo Consócio Abelardo Duarte na Sessão Solene de 30 de Abril de 1968, Revista do IHGA, v.30, Ano de 1973, Maceió, 1973, p. 125-134; Discurso de Saudação à Pofessora Venúzia de Barros Melo, Pronunciado em Nome do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas, pelo Consócio Dr. Abelardo Duarte, na Sessão Solene de 2 de Dezembro de 1971, ao lhe Serem Entregues o Título de Sócia Benemérita e a Medalha Io. Centenário do Instituto Histórico de Alagoas, com Diploma, Revista do IHGA, v.30, Ano de 1973, Maceió, 1973, p. 179-187; Registro Bibliográfico; Craveiro Costa, Históriador, Revista do IHGA, v.31, 1974-1975, Maceió, 1975, p. 107-122; Presença de Alagoas no Diário de Pernambuco, Revista IHGA, v.32, 1975-1976, Maceió, 1976, p.159-177; Recebendo o Prêmio Manuel Balthazar Pereira Diégues Júnior, Revista IHGA, v.32, 1975-1976, Maceió, 1976, p.199-203; Discurso, Recebendo o Novo Sócio efetivo Dr. Jorge Duarte Quintela Cavalcanti, Revista do IHGA, v.33, 1977, Maceió, 1977, p.123-136; O Adeus do Instituto, Revista do IHGA, v.33, 1977, Maceió, 1977, p.161163; Saudação a Arnoldo Jambo e ao Seu Livro “Diário de Pernambuco, História e Jornal de Quinze Décadas, Revista do IHGA, v.33, 1977, Maceió, 1977, p.189-195; Influência Recifense, Revista do IHGA, v.33, 1977, Maceió, 1977, p. 213-214; Discurso: Focaliza a Posse dos Novos Sócios do IHGA: Wérther Brandão, Moacir Medeiros de Sant’Ana, Renan Falcão e Humberto Vilela, Revista do IHGA, v.34, 1978, Maceió, 1978, p.. 147148;Discurso, Revista do IHGA, v.34, 1978, Maceió, 1978, p.153-155, O Arquivo do Instituto, Revista IHGA, v.35, 1979, Maceió, 1979, pág. 81-83; Tavares Bastos (Aurélio Cândido) Perante a História Literária Brasileira, Revista IHGA, v.35, 1979, Maceió, 1979 pág. 109-132; População da Vila de Maceió e seu Termo no Ano de 1827, Revista IHGA, v.36, 1980, Maceio, 1980, pg 169-174.; O Retrato de José Duarte Pintado por Visconti, Revista do IHGA, v.37, 1979-81, Maceió, 1981, p. 13-19; As Caracteristicas Histórico-Geograficas da Cidade de Maceió, Revista IHGA, v. 38, 1982-1983,[ Maceió, 1984,] p. 13-30; Geografia de Alagoas, Revista IHGA, v. 38, 1982-1983,[ Maceió, 1984,] pg 111-114; John Casper Branner, Revista do IHGA, v.. 39, 1984, Maceió, 1985, p. 9-12; Saudação a Estácio de Lima, Revista do IHGA, v. 39, 1984, Maceió, 1985, p. 177-178 ( Discurso proferido no Salão Nobre da Faculdade de Medicina, da UFAL.em 21/09/1965). Zé-do-Pato, Revista da AAL, n. 01, p. 110-113; José Aloísio Vilela: A Última Sessão na Academia, Revista da AAL, n. 02, p. 198201; A “Oração da Academia”de Guedes de Miranda, Revista da AAL, n. 03, p. 155- 174; A “Revista Acadêmica”, Revista da AAL, n. 4, p. 135-137; Discurso de Posse, Revista da AAL, n. 06, p. 215-243 (sessão

ABC das Alagoas

439

de 15/11/1951); Origem do Coco Alagoano: Dança e Nome, Revista da AAL, nº. 07, p. 67-77; Discurso de Recepção, Revista da AAL, n. 07, p. 185-191( na posse de Paulo de Albuquerque); O Tema da Maconha no Folclore, Revista da AAL, n. 08, p. 107-117; Baianas, Revista da AAL, n. 09, p. 49-60(folclore); O Esquenta Mulher, Revista da AAL, n. 10, p. 59-64 (folclore); José Maria de Melo - 1906 - 1984, Revista da AAL, n. 10, p. 157-159; Reisado, Revista da AAL, n. 11, p. 65-79 (folclore); Folclore Negro das Alagoas, Revista da AAL, nº. 12, p. 83-91; O Esquenta-Mulher, Revista da AAL, nº 15, p. 177-184 (folclore). Publicou, ainda, trabalhos na área especifica da medicina: Grupos Sangüineos na Raça Negra, Ariel Editora, Rio de Janeiro, I Congresso Afro-Brasileiro do Recife; A Mortalidade Infantil em Maceió Rio de Janeiro, Confederação Nacional de Proteção à Infância, V.V, 1933; Esquistossomose Mansoni. Em Torno de Alguns Casos Clínicos, Rio de Janeiro, Gráfica SANER, 1937, Separata do Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, 04(10-11), out. nov. 1937; Doença Celiaca; Distrofia Muscular Progressiva [ s ed] , Tipo Pseudo-Hipertrófico Duchenne-Griesinger, Rio de Janeiro, 1948, Separata de O Hospital, Rio de janeiro, 34(6): 927-936,dez. 1948; Doença de HeineMedin. Subsídio para o Estudo da sua Incidência e Formas Clínicas do Estado de Alagoas, Salvador, 1953, Separata de Pediatria & Puericultura, Salvador, 22 (1), 1953; O Negro nas Alagoas. Colaborou no jornal literário Novidades, no Jornal de Alagoas (Sobre o Elemento Indígena nas Alagoas e Aldeias Indígenas nas Alagoas), in Suplemento Literário do Jornal de Alagoas, Maceió, ano II, nº 34, 1953 e idem, idem, ano III, n. 36, 1953) , na Gazeta de Alagoas, de Maceió e no Diário de Pernambuco, em revistas de Alagoas, em especial da do IHG e de outros Estados. DUARTE, Ana Sampaio ( Palmeira dos Índios AL 25/7/1870 - ? ) Advogada. Filha de José Vieira Sampaio e Ana Capitulina Sampaio. Em 1882 matricula-se no Liceu Alagoano, onde termina o preparatório em 1888. Em abril do ano seguinte viaja para Recife. Em 9/12/1893 forma-se na Faculdade de Direito do Recife sendo, assim, a primeira mulher alagoana a concluir um curso superior. DUARTE, Antonio veja SILVA, .... .... Leite da DUARTE, Antonio José ( AL 1931) Intendente de Maceió, jornalista, professsor, farmacêutico. Filho de Antônio José Duarte da Silva Braga e Maria Margarida da Rocha Duarte Braga. Formou-se pela Imperial Faculdade de Farmácia do Rio de Janeiro. Abolicionista, membro da Sociedade Libertadora Alagoana. Professor do Liceu Alagoano. Foi intendente de Maceió de 1899 a 1901. Sócio do IHAA admitido em 27/9/1876. Obras: Apostilas de Aritmetica Elementar (Curso Completo), Maceió, Tip. de T. de Menezes, 1884, Memória Histórica Sobre Domingos Calabar. Discurso Pronunciado na Sessão de 5 de novembro de 1897 do Instituto Arqueológico e Geográfico Alagoano, Maceió, Oficinas Maneco, 1897. DUARTE, Carlos José ( ? AM 20/9/1912 - ) Filho de Egas Carlos Duarte e Adília Pinho Duarte. Sua família é de origem alagoana. Estudou no Liceu Alagoano e bacharelou-se em Direito pela Faculdade do Recife. Em 1927 sua família muda-se para o Rio de Janeiro, mas neste mesmo ano volta a morar em Maceió, após a morte de seu pai. Fez parte do grupo da revista Novidade. Passando a viver em Recife, foi vereador e presidente da Câmara, tendo nesta qualidade assumido, por breve período, o cargo de prefeito da capital pernambucana. Leu na Canjica Literária o seu conto regional Miss Boneca de Milho. Com Fim e Solidão participou de Notas Sobre a Poesia Moderna em Alagoas. Antologia, de Carlos Moliterno, p. 159-160. Colaborou, em Recife, nas revistas Pra Você e Rua Nova, bem como em jornais. DUARTE, Egas Carlos ( AL ) Professor, médico. Filho de José Antônio Duarte e Maria Clementina França Duarte. Formou-se em Medicina pela Faculdade da Bahia. Obras: Breves Considerações Sobre o Desvio Cirurgico do Sangue da Veia Porta e Desenvolvimento de uma Dupla Circulação Complementar no Tratamento de Algumas Moléstias Hepato-splenicas. Tese Apresentada à Faculdade de Medicina da Bahia em 23/10/1907, Bahia, Tip e Encadernação do Liceu de Artes, 1907; Contribuição ao Estudo dos Moluscos no Brasil, Maceió, Litografia Trigueiros, 1926 , tese com a qual concorreu à cadeira de História Natural, no Liceu Alagoano. DUARTE, Fernando Juliano ... Gaia ( AL ? ) Deputado estadual, eleito na legenda do PTB, em 1998, para

440

Francisco Reinaldo Amorim de Barros

a legislatura 1999-2002 e, reeleito, também pelo PTB, na legislatura 2002-2006. DUARTE, Francisco Peixoto ( AL 24/7/1888) Padre, cônego Membro do IHGA, empossado em 2/12/1869. Patrono da cadeira 4. Obras: Genealogia da Família Alagoana. Revista do IAGA, v.III, nº 2, Maceió, Tip. de Menezes e Filhos, 1901, p. 90-92; Apontamentos Para a História Patria; Revista IHGA, Vl. I nº 2 (sem data), Maceió , p. 32; Quaes as Causas de Haver-se Malogrado a Revolução de 6 de Março de 1817, na Província de Pernambuco ?, Revista IHAA, v.I.nº 5, 1874, Maceió, p. 119-130 ( com XVIII anexos ); Genealogia da Familia Alagoana, Apontamentos para a História Pátria; Revista IHGA, Vol III, nº 2, 1901, Maceió. p. 89-91; Os Mártires Pernambucanos Vítimas da Liberdade nas Revoluções de 1710 e 1817, segundo a Revista. IHGA, vl. 4 , p. 80, ofereceu este trabalho na sessão de 13/9/1873. Honra ao Dogma da Virgindade da Mae de Deus. DUARTE, Guido ( ? AL 1842- Salvador BA 11/10/1893) Jornalista, poeta, guarda-livros. Começou a trabalhar, como guarda-livros, na Companhia União Mercantil, de Fernão Velho, em janeiro de 1876. Atuou nas campanhas abolicionista e republicana. Foi redator, até 1877, de O Século, juntamente com João Gomes Ribeiro, e colaborou com A Estréia e a Gazeta de Notícias. Dirigiu A Nova Crença, desde seu aparecimento em 6/1/1884; atuou também, no José de Alencar, órgão do Clube Literário do mesmo nome, jornal que foi lançado em 07 de setembro de 1882 e, finalmente no O Gutenberg, onde criou a seção Cofre de Pérolas, na qual foi responsável pelo lançamento de muitos poetas da província, todos este jornais editados em Maceió. Foi eleito, em 1883, presidente da Sociedade de Instrução e Amparo dos Caixeiros de Maceió, e em 1884, diretor da Sociedade Libertadora Alagoana. Foi secretário da Associação Comercial de Maceió, em 1890. Lutou pela abolição do cativeiro e pela República. Sócio do IHGA admitido em 3/9/1884. DUARTE, Irene ... da Silva nome artístico IDUART ( Palmares PE 20/7/1937 ) Pintora, assistente social. Radicou-se em Alagoas desde os finais dos anos 1950. Autodidata, posteriormente fez curso no ateliê da Fundação Pierrre Chalita, (1979-84). Em 1976 realizou o Curso Intensivo de Artes Infantis, com Maria Tereza Godinho Veigas, promovido pelo SENEC e a Associação Profissional de Assistentes Sociais de Alagoas - APASAL. Em 1975, curso de Técnicas de Desenho a Mão Livre, da UFAL e International Women´s Club of Alagoas. Em 1987, curso A Estética do Mundo Moderno, ministrado por Marcus de Lontra Costa, sob o patrocínio da Pinacoteca Universitária/SESC e Galeria Karandash. Nesse mesmo ano participou do Seminário sobre Criatividade, Análise Crítica e Problemas da Comunicação na Linguagem Visual, da UFAL/IHGA. Trabalhou, como assistente social, na Secretaria de Saúde. Individuais: 1986: Espaço Galeria; Galeria do PRODUBAN, promoção do International Women´s Club of Alagoas. Coletivas: 1978: Galeria Rosalvo Ribeiro, da Prefeitura Municipal de Maceió, FEMAC; Galeria Miguel Torres, FUNTED; Galeria Lourenço Peixoto, DAC. 1979: Galeria Rosalvo Ribeiro; Galeria Lourenço Peixoto; VII Festival de São Cristóvão, São Cristóvão-SE.; Festival de Verão de Marechal Deodoro. 1980: Galeria Rosalvo Ribeiro; Galeria Miguel Torres, Pinacoteca da UFAL; Dez Artistas da Fundação Pierre Chalita, Museu do Estado de Pernambuco, Recife-PE; Museu de Arte Contemporânea de Olinda, Olinda-PE. 1981; Galeria Lourenço Peixoto, Línea Decorações; IHGA; Festival do Cinema de Penedo; Museu de Arte Contemporânea de Salvador, BA. 1983: Galeria Miguel Torres; Línea Decorações; IHGA; Associação Comercial de Maceió. 1984: Galeia Miguel Torres; Sucata Decorações; Pinacoteca da UFAL; Caixa Econômica Federal, Grupo Vivarte; 1º Festival do Mar. 1985: Pinacoteca da UFAL - Promoção Women´s Club of Alagoas. 1986: Galeria do SESC; Galeria Karandash, Galeria Mário Palmeira; Núcleo de Arte e Cultura Nova Era, São Paulo-SP. 1987: Centre Internacional D´Art Contemporain, Paris-França; Fid Arte, Itália; Academia Pietro Vannuci, Itália ; Teatro Mohamed V, Rabat, Marrocos; Galeria do SESC; Galeria Karandash; Galeria Mário Palmeira; Núcleo de Arte e Cultura Nova Era, São Paulo-SP; I Salão de Artes Plásticas de São Paulo/RioGrande do Sul; II Salão Nacional de Artes Plásticas São Paulo/Paraná/Curitiba/Londrina; Núcleo de Arte e Cultura, no Salão das Artes Plásticas; Galeria ADECAP, São Paulo-SP. 1989: Alagoas Arte Atual, Fundação Pierre Chalita. Menção Honrosa no Prêmio Internacional de Artes Plástica atribuído pelo Núcleo de Arte e Cultura Nova-Era, de São Paulo e, desde então, pela mesma instituição, tem participado de coletivas: duas vezes na Itália, em Paris e em Marrocos. É um dos artistas divulgados no livro Arte Contemporânea das Alagoas, editado em Maceió, em 1989, sob a coordenação de Romeu de Melo-Loureiro, bem como na obra Arte Alagoas II, publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de

ABC das Alagoas

441

Lima, pela Fundação Casa de Rui Barbosa, Rio de Janeiro, sob a curadoria de Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. Prêmios: 1980: 1º lugar no concurso Aurélio Buarque de Holanda, promovido pelo Funchalita e Caixa Econômica Federal. 1986: Diploma de Menção Honrosa pela participação no I Premio Internacional de Artes Plásticas Brasil/Extremo Oriente (China). 1987: Diploma Paleta Internacional, pela participação no II Prêmio Internacional de Artes Plásticas Brasil/Marrocos - Teatro Mohamed V, Rabat-Marrocos; 1º lugar no Salão de Arte da Mulher Alagoana; 1988: Diploma Menção Honrosa - Salão Brasil Contemporâneo de Artes Plásticas; Núcleo De Arte e Cultura Nova Era; Diploma de Participação e Medalha de Honra ao Mérito do Salão Destaques de Ouro das Artes Plásticas - NACNE, São Paulo-SP. DUARTE, João Francisco ( AL ) Presidente interino da província, bacharel. Como 1o. vice-presidente, cargo para o qual fora nomeado em 13/7/1867, tomou posse no governo em 6 de agosto e permaneceu no cargo até 9 de setembro do mesmo ano. Em seu governo foram abertos os portos do Rio São Francisco à navegação estrangeira, tendo esta iniciado no dia 7/9/1867. Sócio correspondente do IAGA, desde sua fundação. Obras: O Seis de Março de 1817 (2 mar. 1871); História Pátria: Bernardo Vieira de Melo, 1871; Sonhos e Realidades, Recife, 1883 (poesia); Cintilações, Recife, 1883 (poesias); Peregrinas, Recife, 1884 ( poesia); Sonetos e Sonetinhos, Maceió, 1888 (Coleção de sonetos de 1878 a 1888 com retrato do autor); Os Palmares História Pátria, Revista do IAGA, v. III, nº 1, 1901, p. 67-79; História Pátria. Bernardo Vieira de Melo, Revista IAGA, v. IV, nº 1, Ano 1904, p. 5-19. No jornal União Liberal, posto à disposição dos sócios do IHGA por Mariano Joaquim da Silva, publicou Os Índios da Palmeira, na edição de /10/1870. DUARTE, José Antônio ( 1865 AL - 1919) Deputado federal e estadual, secretário de Estado, médico. Deputado federal nas legislaturas 1893-94 e 95-96. Deputado estadual na legislatura 1901-02 Sócio do IHGA admitido em 5/8/1897. Obras: Relatório que ao Governo do Estado de Alagoas Dr. Manoel José Duarte Apresenta o Secretário do Interior José Antônio Duarte, no dia 31 de Março de 1899, Maceió, Empresa A Tribuna, 1899 DUARTE, José Antônio ( AL ? ) Jornalista. Estudou no Colégio Marista. Formou-se em Direito. Obra: Também a Vida É Culpada. Série Ficção Alagoana. Divulgação do Departamento de Cultura, Maceió, Imprensa Oficial, 1967 DUARTE, José JOTA... Marques ( Palmeira dos Índios AL 1925 ) Deputado estadual. Filho de Antônio Marques de Amorim e Ana Adelaide Duarte de Amorim. Deputado estadual em cinco legislaturas, entre 197898, sendo que em 79-82, pela ARENA; 83-86 pelo PDS, 87-90 pela Coligação PMDB-PTB-PC do B-PSC; 91-94 pela Coligação PDT-PTB-PMDB-PSC-PFL-PMN-PSDB e PT do B, e, em 95-98 pelo PSC. Presidiu a Assembléia Legislativa. Prefeito de Palmeira dos Índios. DUARTE, José Lopes ( AL ? ) Deputado estadual na legislatura 1951-54. DUARTE, Manoel da Costa ( - Palmeira dos Índios AL 1836 - 26/7/1893 ) Agricultor, tenente-coronel da Guarda Nacional. Filho de José da Costa Duarte. Recebeu a patente de tenente da Guarda Nacional da Comarca de Palmeira dos Índios. Representando o Partido Liberal, foi vereador, entre 1865/68, à Câmara Municipal de Palmeira dos Índios. Em 1881, foi nomeado Delegado Literário - ou seja Inspetor de Ensino - em Palmeira de Fora, distrito de Palmeira dos Índios, onde residia e trabalhava como produtor agrícola. No biênio 1883/84 presidiu a Câmara Municipal de Palmeira dos Índios, para onde havia sido reconduzido. Posteriormente, entre dezembro de 1891 e agosto de 1892, foi membro do Conselho Municipal daquele município. Foi o primeiro presidente do Clube Republicano de Palmeira dos Índios, fundado em 3/3/1889. DUARTE, Manuel José ( Maceió AL 6/4/1859 - Rio de Janeiro DF 11/6/1914 ) Governador, senador estadual e federal, professor, médico, jornalista. Filho de Antônio José Duarte da Silva Braga e Maria Margarida da Rocha Duarte Braga. Estudou no Colégio Pinheiro (RJ) e na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Em 1880 passou a clinicar em Maceió, sendo Diretor de Enfermaria e, posteriormente, Provedor da Santa Casa de Misericórdia ( 1900-1905). Neste último posto dirigiu a construção do Asilo de Mendicidade. Alcançou

Filha de José Antônio Duarte e Maria Clementina da França Duarte. Fundou e dirigiu o Colégio Ateneu para educação de meninas. Rio de Janeiro. Decorador de Interiores. como também do Almanaque Literário Alagoano das Senhoras para 1889. No Diário do Povo. 93-94.. 1888 . Do Organismo (Anatomia Geral e Patológica) e Do Sangue (Fisiologia). Paisagem Alagoana. Senado Federal. professor de Física e Ciências Naturais do Liceu de Alagoas. ainda. 1989: Alagoas Arte Atual. Monitora na área de Expressão Artística-Plástica II. Filho de José Antônio Duarte e de Maria Clementina da França Duarte. casou-se com João Francisco Duarte. Presidente do Diretório do Partido Republicano Federal de Alagoas. considerado como a primeira publicação nesse gênero no país. Em seu governo este partido se cindiu.Santos SP 8/2/1962 ) Pintora. 1990.Galeria do SESC. pintura com Getúlio Mota e desenho e pintura na Fundação Pierre Chalita. FUNCHALITA. sob a curadoria de Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. Discurso Pronunciado em 12 de Junho de 1899 pelo Dr. DUARTE. Guará do Amazonas. Foi um dos redatores do jornal A Tribuna. de 16/9/1916. Maceió. 1991: FUNCHALITA. Guedes de Miranda. Senador Federal (1900-1908). Rio de Janeiro. A Estética do Espírito Moderno. Sócio do IHAA empossado em 27/8/1879. Casou-se com Antônio de Almeida Romariz. sob o pseudônimo de João Prata. Filha de José Vieira Sampaio e Capitulina Clotilde Alves Vieira. na Enciclopédia de Literatura e Artes. Estudou no Colégio do Santissimo Sacramento e foi aluna de Rosalvo Ribeiro. Rio de Janeiro. dos Santos. Citada como “Destaque nas Artes em Alagoas” Gazeta de Maceió. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. e tornou-se oposicionista ao governo. Flocks. DUARTE. Manuel José Duarte na Ocasião de Renunciar ao Cargo de Governador do Estado de Alagoas. patrocinada pela Academia Guimarães Passos. Pedro José ( AL ) Médico e cirugião-dentista. educadora. Obrigatoriedade da Vacinação e Revacinação. Discurso do Senador Federal Manuel José Duarte. 95-96 e 97-98. arquiteta. Ano II. Lavandeiras de Reginaldo. Tip.. Tip. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. 1988: Galeria Cheios e Vazios. também. Desenho Urbano para Climas Quentes e Úmidos. Imprensa Nacional. Outros cursos: Criatividade. Obras: Operações Reclamadas Pelos Cálculos Vesicais Rio de Janeiro. Oriental. Fayga Ostrower (1988).442 Francisco Reinaldo Amorim de Barros renome como clínico. Noemia ( Maceió AL 5/7/1897 . 1878 (tese de doutorado). senador estadual ao Congresso Constituinte de AL e presidente do Senado Estadual. Museu de Arte da FUNCHALITA. de Domingos L. 1986: I Mostra de Novos . 1904. Marcus Lontra (1987). Governador de 12/6/1897 a 17/6/1899. 1987: Coletiva na Exposição de Artes Plásticas da IIª FIP . Tip. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II. SENAC 1988: Coletiva promovida pelo Diretório de Arquitetura e Urbanismo na UFAL (DEAU). Foi. Coordenação de Arte e Cultura do Diretório de Arquitetura e Urbanismo (UFAL) 1987-88. e foi redatora da A Revista Alagoana. Pinacoteca da UFAL. Patrícia Vivacqua. Depois. Desde 1917 participou de coletivas em Maceió. Catedrático de História Natural do Liceu Alagoano e diretor do Asilo Santa . Tip.Feira de Informação Profissional . SENAC. enviuvando aos 20 anos. Quadros no acervo da Caixa Econômica Federal. Fez seus estudos no Liceu de Maceió. 1899. MM Arquitetos. tendo sido eleito para as legislaturas 189192. 1877(dissertação) e três proposições: Do Aborto Criminoso Tese apresentada à Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro em 20/8/1877. Orquídeas. Morgana Maria Pita . na 5ª Reunião Regional da Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência (1988).. Maceió. professor. quando renunciou para se candidatar ao Senado. Curso de desenho com Eulália Cabral. em 1930. Rio de Janeiro.Cavalcante ( Maceió AL 5/2/1968 ) Pintora. Coletiva da Fundação Pierre Chalita. criando-se um agrupamento que se denominou Concentração. Fundou. Participou da SEMANA DAS CORES. DUARTE. de Domingos Luiz dos Santos. ainda. Maria Lúcia ( Palmeira dos Índios AL 5 ou 15/4/1863 ) Jornalista. sendo substituído pelo vice-presidente. Coletivas: 1985: Coletiva da Fundação Pierre Chalita. Análise Crítica e Problemas de Composição na Linguagem Visual. doutrinando pela sua emancipação. Incluída. UFAL. Gloxínias. listava entre outros os seguintes trabalhos de sua autoria: Estudos de Juju. Espirradeiras. DUARTE. Novo Mundo. (Medicina Legal ). Tipografia de Domingos Luiz dos Santos. Individuais: 1983: Aliança Francesa. Francisco Manoel dos Santos Pacheco. Residiu em Recife (PE) e em Santos (SP). 1877. (1887) dedicada ao sexo feminino. 1993.

Meditações (Sonetos e Outras Poesias). Patrono da cadeira 6 da AAL. Alegações de Defesa. abraçando o franzino poeta o ergueu-o e o beijou na testa. (poesia. Aprendeu as primeiras letras no lugarejo onde nasceu. Também por concurso. Imprensa Economica. Com a criação da Faculdade de Direito passou a ser. da Bahia Teria deixado inéditos: Currente Calamo e Poesias. promotor em Santa Luzia do Norte. que o transcreveu em sua Coletânea de Poetas Alagoanos. sobrinho de Ciridião Durval Silva. Obra: Estudo Clínico das Oclusões Intestinais e seu Tratamento. da ‘torrinha’ ode ao maestro que. segundo o Convênio SEMA/ SUDENE/Governo do Estado de Alagoas.Maceió AL 8/12/1984 ) Poeta. Enquanto acadêmico. sua carreira na nagistratura como Promotor Público em Ilhéus. Afluente. Sócio do Instituto Histórico Bahiano. numa récita de apresentação de ‘Salvador Rosa’. DUAS POMBAS. . Filho de Rogério José de Santana e Teotônia Durval de Santana. e Silva ( Passo de Camaragibe AL 7/12 ou 4/11/1904 ou 1906 . Recife 1881. Silva (Tatuamanha distrito de Porto de Pedras AL 3/3/1860 . entusiasmados com a vivacidade do filho. nº 12. por entender que um único advogado não poderia cuidar dos interesses dos alagoanos necessitados de Justiça. 1890 (poesia). na Província. advogado. Maceió. do Instituto e da Ordem dos Advogados. Situada no Rio Manguaba. seu professor. chefe da delegação que esteve em Pernambuco na campanha de apoio à candidatura de Getúlio Vargas.. Imprensa Popular. Seu sepultamento foi em Salvador. uma légua da sesmaria obtida por Diogo Soares da Cunha. (poesia). em 1956.ABC das Alagoas 443 Leopoldina.. enfrentaram todas as dificuldades e mandaram-no para o Colégio Santo Amaro... teria deixado. onde ficou internado. Faleceu. Na interventoria de Afonso de Carvalho foi nomeado delegado auxíliar em Maceió. Tese Apresentada à Faculdade de Medicina da Bahia. pela margem esquerda. advogado. Revista da AAL. Imprensa Oficial. 1953. Colaborou no Jornal do Recife. no Diário de Pernambuco. com um professor público. onde. Tese de Concurso à Cadeira de Direito Judiciário Penal da Faculdade de Direito de Alagoas. não aceitou o cargoe voltou para Alagoas. uma Coleção de Sonetos. do Riacho Talhada. “Durante seu curso foi redator da Revista de Pernambuco e da A República. no sertão da Bahia. Filho de João Maurício da Silva e Celina Durval. Da Acusação no Tribunal de Juri. Manoel Antonio ( ? ) DURVAL. era figura obrigatória do teatro Santa Isabel em Recife. em 1611. Segundo Romeu de Avelar. Formado pela Faculdade de Direito do Recife (1930 ). Obras: Alagoas. recitou. professor. 1889. DUQUE DE CAXIAS Clube de futebol. orador. 127 (Antologia do Soneto Alagoano). 1884. onde ocupou a cadeira 31. em 1934. 1952. Recebeu. Em 1887 pede remoção para Vila Nova da Rainha . Sócio do IHGA empossado em 2/12/1942. Amor Materno. após conclusão do curso. Bahia. Obras: Pedindo Justiça. cargo que pediu que fosse extinto pelo interventor Tasso Tinoco. Acordes. Recife. Os pais. tendo saudado Assis Brasil. no interior da Bahia.Serrinha BA 17/8/1895 ) Poeta. alcançou a cátedra da mesma disciplina. DURO. arrebatado. em junho de 1882. Terminou o curso de humanidades em 1881. A congregação da Faculdade deu seu nome à sala em que lecionava”. À beira do túmulo falaram doze oradores. Ciridião . também. magistrado. Nomeado promotor de Vertentes (PE). Atalaia e Maceió. p. juiz substituto seccional. nas cadeiras de Direito Criminal e Direito Administrativo. conquistando por concurso a livre docência de Direito Judiciário Penal. Presidente do Conselho Penitenciário do Estado. Ciridião . de Carlos Gomes. tuberculoso. Professor emérito da UFAL. Foi. Versos. no Repórter e no Jornal de Notícias. Diplomou-se em Direito pela Faculdade de Recife (1885). Estudou em Maceió. editado em Recife. Maceió.. em fevereiro de 1866. Ruínas. tendo sido Advogado do Povo. órgão do Clube Republicano Acadêmico. com preparatórios no Colégio 11 de Janeiro e Liceu Alagoano. DURVAL. Foi membro do Ministério Público. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1933 e 1934. (poesia ): Versos. Advogou em Maceió. também. delegado do Poder Legislativo do Tribunal de Conflitos e professor da Faculdade de Direito da Bahia. com Francisco Peixoto de Lacerda Werneck). subiu as escadarias e. 1885. Iniciou. no Recife (PE). Razões de Apelação. foi um dos defensores da Aliança Liberal. Membro da AAL. DUAS BOCAS Cachoeira. Rio. transferindo-se mais tarde para o Ginásio Provincial. com uma verdadeira consagração por parte dos estudantes.

Revista da AAL. nº. p. Revista da AAL. Editora Gráfica de Alagoas. 21-23. Sonetos. Guedes de Miranda. 1947. 199-212. Revista da AAL. B. Revista da AAL. Salão da Antiga Faculdade de Direito. 22. 119-120 (poesia).444 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Maceió. 193-200. Discurso de Posse. pág. Revista da AAL. 67-79. Revista da AAL. nº3. Maceió. p. nº 4. Ciridião Durval no Instituto Histórico de Alagoas em 2/12/1942. Oração Pronunciada na Ordem dos Advogados. Participação de H. Revista da AAL. 4. Sonetos. nº 2. 1942. Imprensa Oficial. 17-19. Sonetos. v. Revista do IHGA. Ante-Projeto da Constituição de Alagoas. José Carlos. ano 1942. p. nº 8. 101-105. Discurso de Posse do Dr. p. (no cinquentenário da Ordem dos Advogados do Brasil). p. de Araújo Soares/Osório Calheiros Gatto/ Mario Marroquim/ Francisco José da Silva Porto Júnior/ Marcial de Alencar Barreto Coelho e Ciridião Durval e Silva. nº 1. 1972. p. O Pregão. Maceió. . 16-18. nº 7. DYDHA veja LIRA. p.

Bibl. ECONNOL – EMPRESA DE COMUNICAÇÃO NOVO NORDESTE LTDA. publicado nos dias 10. “Periódico literário e noticioso”. Logo depois de transferido deixa de circular. com a tipografia.Nac. Nac. comprado fora da província. Nac. “Órgão dos alunos do Colégio Bom Jesus”. “Periódico literário e notícioso”. “Periódico ilustrado”. Nac. Editado em Palmeira dos Índios a partir de 28/7/1930. O Jornal. Impresso na tipografia do Diário das Alagoas. Bi-semanário. ano II n. como órgão do Partido Governista. ECO VIÇOSENSE. Impresso na tipografia do colégio. em Maceió. Propriedade de Trigueiros. O Jornal. segundo Ivan Barros. ECO ALAGOANO Jornal. “Periódico comercial. Impresso na tipografia de José Vieira de Araújo Peixoto. editado em Maceió Bibl. 3 11/4/1866 e ano I n. 12 6/1886. Nac. Nac. 1 15/8/1876 e ano I n. religião”. Em julho de 1837 foi transferido. 30/04/1837 incompleto ECO COLEGIAL Jornal.. a partir de 15/6/1894. O Jornal. n. era de madeira e bastante gasto pelo uso. Publicação em dias incertos. microf. Colaboradores: Orlando Duarte. editado em Maceió a partir de 1/2/1859. quatro vezes por semana. Frutuoso José Gomes Calaça. R. 31/10/1887.0 KHZ. Bibl. Redatores: João Cândido de Oliveira Mendonça. microf. ECO MACEIOENSE Jornal. 2 14/11/1886. 1 15/06/1894 ECO.E ECO originalmente ECHO Jornal. O Jornal. Litografado na tipografia do mesmo nome. editado em Viçosa a partir 1/2/1906. Napoleão Francisco de Almeida. Bibl. Bibl. ECMAL: REVISTA OFICIAL DA ESCOLA DE CIÊNCIAS MÉDICAS Publicada em Maceió. literário e noticioso”. publicado em Maceió a partir de abril de 1886. . 14. Ano 1. José Tavares Bastos nele escreveu contra a administração Souza Franco e Sinimbu. Oliveira Ramos (como Graciliano Ramos assinava). arte. surge em Maceió. “Periódico político”. 13. com quatro colunas. Periódico ilustrado. 27 e 32. uma OM Freq. Redatores: J. microf. Surge em Maceió em 5/2/1836 ou 1837. José Pinto e Graciliano Ramos. 4 31/09/1876. em janeiro de 1888. Mantém em Arapiraca. Constantino Falcão. 20 e 30 de cada mês. ECO DE JARAGUÁ. editado em Maceió a partir de 1885. ano I n. “Revista quinzenal de ciências. plea Escola de Ciências Médicas de Alagoas. letras. Redatores: Rodrigues Maia. microf. publicado. ECO DO POVO Jornal. Júlio Acioli e Mário Venâncio. ano I n. 1 ( 1983 ) nº 3. Saturnino Acioli. Passa a ser seu administrador: Bartolomeu José de Carvalho. 1986. sendo o primeiro periódico impresso na antiga capital. ano I n. In-quarto. l4 17/3/1860. microf. Administrador: João Simplício das Silva Maia. Litografado. micro. ano I n. Bibl. Bimensal. da Cunha Sales e Antônio de Almeida Romariz Bibl. Seu prelo. Nac. 570. Impresso na Tipografia Protásio. erditadio às quintas e domingos. ECO DO SÃO FRANCISCO. Direção de Duarte Costa e gerência de Paulo Costa. editada em Penedo a partir de 15/8/1876. Tamanho tablóide. microf. ano II números 09. para a cidade de Alagoas. Redator: José do Rego Barros. como órgão da Sociedade Conservadora Alagoana. este último de 10/9/1888. ECO DO MANGUABA Jornal.

Surge em maio de 1921. uma FM Canal 245. ELEIÇÕES 2002 Eleitorado 1.741 50.579 SITUAÇÃO Eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito SENADOR CANDIDATO Renan Calheiros Teotonio Vilela Filho Eduardo Bomfim Ildo Rafael Geraldo Bulhões Heth César Raimundo Palmeira Manoel de Assis PARTIDO PMDB PSDB PC do B PMN PFL PDT PTN PSTU Brancos 187. publicado em Pilar a partir de 4/12/1891. O Jornal. n. 1993. junho.446 Francisco Reinaldo Amorim de Barros EDIAL – EMPRESA DIVULGADORA ARAPIRACA LTDA. 1. ELBA. 1996 e julho de 1997. Nac. Barros Bibl. 2. dez. 17. “Periódico comercial. ano 2. n. 1 3/4/1887. ano 3. Nac.998 25. da UFAl.405 69. literário e notícioso “. n. surge em 3/4/1887 .W. em Arapiraca.820 17.312 Nulos 407. 4. 2002. n. 15.333 2. n. EDUCAÇÃO Revista.325 VOTOS 815.724 VOTOS 553. ano 10. dez. dez.869 21. A Jornal. semestral.932 Nulos 170. microf. surge em junho de 1993. UFAL: ano 1. 1.539 SITUAÇÃO Eleito Eleito Eleito .891 11.023 97. 16.092 eleitores GOVERNADOR CANDIDATO Ronaldo Lessa Collor Judson Cabral Geraldo Sampaio Elias Barros Dias Ricardo Barbosa PARTIDO PSB PRTB PT PDT PTN PSTU Brancos 45. Editada pelo Centro de Educação da Universidade Federal de Alagoas. teve pouca duração.035 419. ano I n. Acredita-se que ainda circulava em 1922 Bibl.025 SITUAÇÃO Eleito Eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito DEPUTADO FEDERAL CANDIDATO João Lyra Olavo Calheiros João Caldas PARTIDO PTB PMDB PL VOTOS 112. 2001.600. ano I n. ano 5. Impressa na Tipografia Fernandes.331 1. sob a direção de J. Mantém. Bibl. n. julho 1995. “Órgão do Externato Pilarense “. julho 1996. dirigida por Virgílio Guedes. ano 4. EDUCAÇÃO Revista. junho 2002. em Maceió.675 126. Impresso na Tipografia da Sociedade Fratenidade e Instrução. Segundo Abelardo Duarte. n.949 80. ano 9.736 67.136 762. EDUCAÇÃO. junho 1994. ano 10. microf. 5/6. n. publicado em Maragogi. 1.

520 16.899 63.064 55.216 2.550 13.004 1.354 56.209 3.031 23.429 2.158 10.223 4.535 1.453 2.300 19.590 17.002 992 902 860 770 764 694 658 650 PFL PSB PFL PSB PTB PSDB 64.728 5.727 2.123 1.963 1.770 4.736 18.ABC das Alagoas Rogério Teófilo Givaldo Carimbão Nono Mauricio Quintella Lessa Benedito de Lira Helenildo Ribeiro Suplentes Luiz Dantas Arnon de Mello Jurandir Bóia Augusto Farias Regis Joaquim Brito Severino Leão Antonio Carlos Chamariz Jorge Vi Lamenha Lins Cleia Cunha (Maria Cléia Santos de Oliveira) Patrícia Mourão Zé Muniz Marcelo Malta Tia Elielza Evio Lima Edlene Ferreira Chico da Capial (Francisco de Souza Irmão) Luiz Eustaquio Toledo Filho Padre Motinha Soldado Wagner Simas Padre Manoel Antônio Saturnino de Mendonça Neto José Buarque Paulo Max Vera da Agência ( Vera Lúcia Silva Macedo) Paulo Bomfim Antonio Ferreira Dr Joathas Dr.283 51.691 32.390 1. Eraldo Firmino Cliuton Santos Genisete Lucena Capitão Fidelis Manoel Augusto de Azevedo Mendonça Alexandre Barbosa Eli Mario Magalhães Autanildo de Freitas Pedro Paulo Aliete Bezerra Zé do Burro Everaldo Gomes de Souza Betto Som PTB PRTB PSB PPB PPS PT PL PRONA PSDB PSDB PSB PMDB PC do B PRONA PT PRONA PMDB PSB PPS PT PT PMDB PDT PSB PSDB PT PSB PHS PRTB PMDB PT PRONA PMDB PRONA PSTU PRTB PTB PL PV PTC PMDB PSDB 51.615 5.890 1.276 45.876 6.032 53.229 14.039 46.409 45.219 7.013 1.085 Eleito Eleito Eleito Média Média Média 447 .457 2.614 3.736 6.

726 2.408 926 707 616 556 519 509 404 323 .648 3.559 5.054 2.555 2.416 4.468 3.110 6.448 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PSDB PTB PT do B PMDB PMN PSB PAN PMN PTN PTB PSDB PTC PTN PTN PHS PFL PRTB PL PSDC PPS PL PMDB PMDB PMDB 589 584 535 502 493 463 444 399 391 325 295 271 214 193 188 177 163 131 90 57 46 34 25 3 Evaristo Zé de Almeida Tonho da Rita Filadelfo Bispo Cristina Cordeiro Jossicler Meneses Gavazza Sidney Ramalho Ever Santos Marcia Azevedo Jarbão (Jarbas Mata Fonseca) João Eudes Deraldo Tenório de Barros Cosmo Calheiros Gomes Nanderson Fernando Dias Thaisa Leão Rory Miguel Bezerra Tania Gomes João Silva Romeu Pita Sergio Kummer Legenda PDT PTB PSB PSDB PRTB PMDB PT PFL PPS PPB PT do B PL PRP PSL PRONA PMN PC do B PSTU PTC PST PGT PHS PSC PAN 20.159 15.939 8.593 12.387 8.372 11.913 6.758 2.

248 20.234 SITUAÇÃO Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Média Média Média Média .971 16.180 16.765 12.982 12.130 22.236 19.022 13.579 17.966 26.823 449 DEPUTADO ESTADUAL CANDIDATO Antonio Albuquerque João Beltrão Celso Luiz Cicero Almeida Isnaldo Bulhões Francisco Tenório Ziane Costa Cicero Amélio Alves Correia Sérgio Toledo Arthur Lira Marcos Ferreira Zé Pedro da Aravel Paulão Temoteo Correia Fernando Duarte Maria José Viana Nelito Gomes de Barros Marcos Barbosa Chicão Gilberto Gonçalves Dudu Albuquerque Adalberto Cavalcante Gilvan Barros Gervásio Raimundo Cabo Luiz Pedro Cícero Ferro Suplentes Padre Eraldo Antônio Holanda Cristina Brandão Lucila Toledo Edival Gaia Jota Cavalcante Genilda Leão Junior Leão Fátima Cordeiro Gerônimo da Adefal Rui Palmeira PT PTB PDT PTB PSDB PSB PSB PL PTB PSB PFL 17.866 26.240 19.042 15.774 19.211 34.565 21.086 12.610 14.059 43.398 25.997 15.318 24.581 12.006 17.166 24.153 16.239 35.148 PARTIDO PTB PSL PL PDT PL PPS PTB PPS PSB PSB PTB PSB PSDB PT PTB PTB PSB PFL PT do B PSDB PMN PT do B PRONA PL PTB PRP PTB VOTOS 55.ABC das Alagoas PTN PV PSDC Brancos Nulos 314 310 126 52.767 25.702 14.305 18.273 14.476 20.858 18.862 27.618 18.754 18.452 20.

620 4.480 1.747 10.565 11.399 2.829 2.151 8.578 3.428 1.167 5.490 1.795 6.986 1.609 3.168 1.243 1.224 4.375 5.045 994 Pastor João Luiz Jaudeni Coutinho George Clemente Ronaldo Lopes Severino Lúcio Petrúcio Bandeira Marçal Fortes Silvio Camelo Paulo Nunes Luiz Lopes Sanguinetti Maninho Angela Lopes Dr Joab Delio Almeida Vaninha Nutels Tarcizo Freire Vitório Malta Alfredo Pereira João Santos Adoniran Guerra Edmundo do Ferro Velho Zé Enéas Toninho Lins Marco Toledo Regina Cicero Naro Euclydes Mello Carlinhos Três Irmãos Mauricio Vergeti Aranildo Elisiário Delegado Barbosa França Aderval Viana Marivone Loureiro Nunes Coronel Goulart Wellisson Miranda Pastor Saulo Delegado Osvanilton Luiz César Usiel Mariano Kleber Marques Socorro Pereira Roberval Cabral Major Lucena Nobre Sabino Romariz Firmino Maia Judá Nicácio Duda Moreira .487 1.407 2.934 4.232 1.368 2.962 4.431 11.619 6.423 4.450 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PGT PSB PT do B PSDB PSDB PSB PT do B PMN PT PL PT do B PT do B PT PSB PTB PMN PT do B PRTB PSB PSB PRONA PRONA PMN PMN PT do B PRONA PRONA PT do B PRONA PT do B PHS PT do B PT do B PRONA PC do B PRTB PMN PSB PT do B PRONA PSDC PRONA PMN PPS PL PRONA PPB PMN PMN PDT PDT 11.131 5.411 2.916 5.219 1.265 1.418 2.968 1.382 1.929 8.994 10.698 6.275 5.586 2.132 10.178 1.098 1.173 3.516 2.759 1.085 4.730 4.702 2.

ABC das Alagoas Palladino Barnabel Pastor Tavares Arestides Castro Eduardo Davino Daniel Malta Fernando Valões Marcos André Gilson Gama Edilson Gaibu Vladimir Barros Professor Robinho Gerson Guarines Tenente Assunção Pedro Cardoso Claudia Calheiros Dr Everaldo Landersson João Alberto Sebastião Filho Expedito Suíca Cleo Anselmo William Sargento Cahet Valgetan Ferreira Alexandre Fleming Maciel Borges Geraldo Siqueira Dora Paulo Silva Pastor Mario Rodrigues Ronaldo Miranda Débora Mansur Paulo Rego Hélio Silva Pedro Anselmo Maestro Cap Ivanildo Rafael Aranda Geonaldo Omena Manoel Moisés Papai Noel Prof Paulo Veiga Sargento Germano Williams Vasconcelos Luiz Galdino Geraldo Amorim Reginaldo Pastor Benigno Marcelão Ideraldo Rocha Cabo Lopes PT do B PPS PMN PRONA PSDB PMN PDT PSC PT do B PPS PGT PT PAN PV PT PRONA PPS PT do B PSB PSDB PTN PSDB PAN PAN PPS PSTU PDT PMN PT do B PTB PDT PMN PV PAN PFL PSDB PMN PPB PFL PSTU PAN PTB PT do B PMN PT do B PT do B PV PRONA PTN PT do B PMN 959 906 893 881 872 855 817 635 630 624 617 579 568 567 528 507 484 480 471 462 455 453 389 388 361 339 322 319 312 306 288 271 263 263 258 238 231 223 212 206 202 202 199 194 191 188 185 184 169 166 164 451 .

149 Brancos Nulos 69.544 39.772 66.266 233.473 Brancos Nulos 73.721 5.931 247.021 259.426 45.792 65.274 47.252 Brancos Nulos DEPUTADO FEDERAL (Eleitos) CANDIDATO Olavo Calheiros Filho Joao Caldas da Silva Josefa Santos Cunha Jose Thomaz da Silva Nono Netto Augusto Cesar Cavalcante Farias Luiz Dantas Lima Givaldo de Sa Gouveia Carimbao Jose Regis Barros Cavalcante Alberico Cordeiro da Silva PARTIDO PMDB PMN PSDB PSDB PFL PSD PSB PPS PTB VOTOS 82.452 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PDT PV PMN PMN PRTB PPS PAN PSB PV PPB 163 158 155 152 152 147 147 147 130 128 Lalá de Paula Elpídio O Poeta Galego do Veneno Leopoldo Niedja Oliveira Cicinha Monteiro Euzebio Omena Roberto Almeida Jefferson Alcântara Fenelon Rodrigues da Silva Eleições 1998 GOVERNADOR CANDIDATO Ronaldo Augusto Lessa Santos Manoel Gomes de Barros Adeilson Teixeira Bezerra Manoel de Assis da Silva PARTIDO PSB PTB PSL PSTU VOTOS 387.622 3.352 35.094 SITUAÇÃO Eleito Não eleito Não eleito Não eleito SENADOR CANDIDATO Heloisa Helena Lima de Moraes Carvalho Guilherme Gracindo Soares Palmeira Elionaldo Mauricio Magalhaes Moraes Jose Rubem Tenorio Padilha Erisvaldo Bandeira Rios Antonio Jacinto Filho PARTIDO PT PFL PPB PSL PAN PSTU VOTOS 374.209 25.358 SITUAÇÃO Eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito .109 259.968 54.633 3.463 11.525 33.099 SITUAÇÃO Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Média 89.975 2.968 51.

793 1.253 2. G de Albuquerque Neto Joaquim Antonio de Carvalho Brito Jose Helenildo Ribeiro Monteiro Rubens Braga Quintella Cavalcanti Divaldo Suruagy Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro Jose Cicero da Silva Antonio Jose Lessa Santos Thomaz Dourado de Carvalho Beltrao Jose Marinho Muniz Falcão Jorge Venerando de Lima Cesar Eustaquio Malta Amaral Jose Maria Cerqueira Tenório Saulo Emanoel de Oliveira Antonio Saturnino de Mendonça Neto William Cleto Falcão de Alencar Luiz Pereira de Melo Junior Romeu Silva Pita Claudia Muniz do Amaral Nadeje Amalia do Nascimento Pedro Carlos Tenorio Cavalcanti Jose Helio Torres Laranjeira Francisco de Souza Irmão Filadelfo Bispo Elizaldo Eulalio Costa Maria Luiza Teles Guimarães Linaldo Araújo Pedro dos Santos Luiz de Gonzaga Mendes de Barros Jose Maria Melo da Costa Joao Eudes Ferreira Cavalcante Francisco Rinaldo Moreira Amara Cristina da Solidade Laercio Malta Brandão Nireide do Nascimento Gama Albuquerque Andre Paiva Lopes Edilmo Vieira de Carvalho Jose Raimundo de Albuquerque Tavares Eraldo Firmino de Oliveira Junior Não Eleitos Ildo Rafael de Vasconcelos Alexandre César Barbosa de Oliveira Neuton Dantas Lira Fonte:TSE PRONA PSTU PAN 838 336 142 PARTIDO PPB PFL PT PSDB PSB PMDB PC do B PSB PSB PT PMDB PT PSD PSB PDT PDT PSD PSD PMDB PT PSN PSB PSD PL PMDB PPB PSB PTN PPB PSB PL PRN PPB PDT PL PPB PRTB PSN PMDB PRTB VOTOS 35.175 8.537 3.901 14.909 7.580 24.170 3.793 2.439 726 476 395 336 278 249 109 106 94 82 54 14 11 453 .623 6.644 11.444 15.680 10.199 14.ABC das Alagoas Suplentes CANDIDATO Moacyr Lopes de Andrade Pedro Talvane L.180 1.342 2.582 4.768 11.374 3.632 1.957 2.552 4.436 9.572 1.609 15.222 12.

161 15.129 20.736 SITUAÇÃO Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito .296 18.986 16.151 14.760 12.503 19.709 12.734 3.284 13.869 13.946 12.968 13.769 6.295 984 977 958 958 718 625 523 360 268 225 210 136 DEPUTADO ESTADUAL (Eleitos) CANDIDATO Antonio Ribeiro de Albuquerque João Beltrao Siqueira Rogerio Auto Teófilo Marcelino Alexandre Jose dos Santos Isnaldo Bulhoes Barros Junior Celso Luiz Tenorio Brandão Antonio Holanda Costa Cicero Amélio da Silva Jose Junior de Melo Jose Francisco Cerqueira Tenório Arthur Cesar Pereira de Lira Eliziane Ferreira Costa Francisco Joao Carvalho Beltrão Fernando Juliano Gaia Duarte Gervasio Raimundo dos Santos Marcos Antonio Nunes Lucila Regia Albuquerque Toledo PARTIDO PSD PMDB PFL PTB PSD PSDB PTB PSB PSDB PSB PSDB PMDB PSDB PTB PTB PSL PFL VOTOS 29.421 16.730 3.985 24.914 3.668 14.761 1.740 12.066 9.214 2.717 14.990 17.500 14.787 6.350 20.614 18.454 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEPUTADO FEDERAL (Votos de Legenda) PARTIDO PSDB PTB PDT PT PSB PMDB PFL PPB PPS PSD PMN PRN PRP PL PSN PC do B PRONA PSTU PT do B PV PTN PST PSC PGT PAN PRTB VOTOS 37.

525 4.620 10.617 6.465 6.366 4.941 5.391 Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Média Média 455 Brancos 64.980 11.330 10.399 3.920 4.988 9.339 .398 5.707 10.512 12.110 4.132 4.645 8.244 7.783 5.454 5.016 63.558 12.278 8.027 3.458 Nulos Suplentes CANDIDATO João Barbosa Neto Oscar Ramalho Fontes Lima João Luiz Rocha Geronimo Ciqueira da Silva Flavius Flaubert Pimentel Torres Jose Cícero Valentim dos Santos Luciano Suruagy do Amaral Ronaldo Pereira Lopes Edival Vieira Gaia Filho Jaudeni da Silva Coutinho Jose de Oliveira Barbosa Sergio Toledo de Albuquerque Fernando Antonio Barreiros de Araujo Roberto Ferreira Wanderley Manoel Lins Pinheiro Demuriez Leao Barbosa Jose Gildo Rodrigues Silva Jose Alberto de Oliveira Silva Milton Canuto de Almeida Corintho Onelio Campelo da Paz Ricardo Lobo Ramires Malta Denilma Vilar de Bulhoes Barros Glaube Fireman Tenorio Jose Santana da Silva Sandro Cabrales Vieira Elisio Sávio dos Anjos Maia Fernando Antonio Jambo Muniz Falcao George Samuel Sanguinetti Fellows Veraldino Apolinário dos Santos Daniel Jose de Pontes Jose Roberto Mendes do Amaral Reginaldo Souza Lira Jose Maynart Tenorio Neulivan Vasconcelos Souza PARTIDO PSDB PTB PTB PTB PSDB PTB PSDB PSDB PSL PSD PSL PPB PSDB PSL PSL PSB PSL PSL PT PDT PMN PMN PSL PSB PFL PTB PMDB PMDB PSL PSL PC do B PT PRN PSL VOTOS 11.025 6.171 4.217 8.620 7.653 8.420 4.494 8.692 11.ABC das Alagoas Cicero Paes Ferro Antonio Carlos Lima Rezende Paulo Fernando dos Santos Petrucio César Bandeira Mendes Maria do Rosario de Fatima Braga Cordeiro Delio Jose de Souza Almeida Paulo Roberto Nunes Calaca Ismael Judá dos Santos Nicacio Gilvan Gomes Barros Temoteo Correia Santos PTB PSL PT PSB PSL PSD PT PT do B PTB PTB 12.157 4.520 5.206 5.118 5.940 6.409 3.852 4.820 4.552 3.347 6.458 9.

433 2.572 1.418 1.456 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PSD PMN PTB PPS PT PPB PSB PT PMN PSL PMDB PSL PSL PSL PSL PDT PMDB PSDB PSL PDT PMDB PT PSL PSL PSL PRP PSL PPB PSB PSB PSL PSDB PT PSB PT PSN PSN PSB PSL PSD PDT PV PSN PFL PL PSL PRN PSB PT do B PPB PPB 3. Brandao Petry Mauricio Vieira Dias Egmar da Rocha Barros Jose Vieira da Silva Alfredo Afonso Ramos da Silva Marcionila Vercosa do Rego Horacio Pereira de Almeida Neto Clovis Pereira da Silva Heth César B.183 3.930 1.139 1.819 2.059 1.827 1.013 990 969 893 890 825 688 641 640 620 619 605 587 493 463 407 400 397 369 352 342 313 303 283 Jose Jorge Malta Amaral Pedro Vieira da Silva Mario Augusto Vilar Torres Irineu Torres da Silva Filho Jorge Luiz Gonzaga Vieira Luiz Barbosa Carnauba Pedro Jose Filho Cicero Ferreira de Albuquerque Kleber Marques da Silva Jose Ernesto de Sousa Filho Maria Aparecida da Silva Pereira John William Buyers Junior Marly Ribeiro de Souza Aprigio Usiel Mariano de Oliveira Nilton Rocha Osvanilton Adelino de Oliveira Noel Ferreira de Macedo Antonio de Padua Tavares Silva Dermeval Tenorio de Mesquita Angela Maria Moreira Canuto Mendonca Ismael Pereira Azevedo Ib Heber Pita de Araújo Renato Tadeu Fragoso e Silva Ubiratan Alves Dantas Jose Airton dos Santos Soares Jose Rosalvo da Silva Aderval Viana de Oliveira Everaldo Figueiredo Nobre Joao Alberto Brito de Oliveira Jose Lessa Gama Jose Levino de Oliveira Santos Jose Vieira dos Santos Maria Cristina W.051 2.948 1.212 2.289 2.857 1.428 1. Athayde B.693 2.367 1.441 2.701 1.027 1. de Oliveira Sandra do Carmo de Menezes Jose Alves Ferreira Helio Silva de Oliveira Jose Valmir Goncalves de Vasconcelos Elisio Castro de Omena Geonaldo Omena de Oliveira Antonio Moises da Silva Antonio Jose dos Santos Fenelon Rodrigues da Silva Niedja Santos de Oliveira .912 1.077 1.332 3.043 1.201 1.263 2.810 1.

ABC das Alagoas Jesonias da Silva Bartolomeu Jose Rodrigues Filho Helio Costa de Souza Marcos Andre Omena da Silva Adailton da Silva Carlos Alberto Barros Geraldo Amorim Silva Murilo Houly Rocha Jalbas Gama Feitosa Jose Roberto Silva Antonio Sotiris Garyfalos Antonio Ferreira de Andrade Cosmo Jose Calheiros Pedrosa Raudrin de Lima Silva Siloel Vitor dos Santos Aloisio Gomes de Lacerda Marcelo Alves de Sales Maria Jose Araujo de Gusmao Vercosa Jose Lourenco da Silva Petrucio Bandeira de Medeiros Vania Maria da Silva Cicero Luciano Peixoto da Silva Marcos Antonio da Silva Deraldo Tenorio de Barros Cicero Bispo dos Santos Abel Ferino de Moura Paulo Fernandes da Silva Regivaldo Francisco dos Santos Veronica Maria Ferreira Soares Celso Kennedy Rodrigues Raimundo Ernandes Evangelista da Silva Claudio Luiz de Sousa Marcos Antonio Duarte Vicente Higino de Oliveira Jose Dantas Rodrigues Giovanni Moreira Santos Jose Danilo Damaso de Almeida Jose Zaronir Ramalho de Freitas Jorge Luiz Ferreira de Franca Claudia Correia da Silva Denisval Basilio Silva Roney Tadeu Valenca Silva Aristeu Rodrigues de Souza Não Eleito: Genesio Rodrigues dos Santos Nereu Tenorio da Silva Manoel Moises Santos Jose Edson de Lima Lins Valgetan Ferreira de Oliveira PRONA PRONA PSTU PSTU PRONA 811 329 174 167 92 PSL PSB PT do B PTN PRP PPB PPS PL PPB PTN PRN PTB PTN PTN PTN PMN PTN PPB PRN PFL PTN PPB PSB PTN PSDB PRN PRN PTN PPB PSB PRN PTN PFL PFL PSD PRP PMDB PSD PSL PSD PSC PSL PMDB 282 280 274 272 216 192 189 185 179 134 115 114 113 91 91 83 81 80 78 78 69 65 65 63 62 59 51 46 46 45 43 30 24 21 19 18 10 8 7 6 6 5 3 457 .

938 41.706 50.646 62.452 235.248 50.814 343.449 35.018 111.636 105.254 Brancos Nulos SITUAÇÃO Eleito Não eleito Não eleito Não eleito 249.410 Brancos Nulos DEPUTADO FEDERAL (Votos de Legenda) PARTIDO PT VOTOS 2.233 SITUAÇÃO Eleito Eleito Eleito Eleito Eleito Média Média Média Média SITUAÇÃO Eleito Eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito Não eleito 632.236 61.124 SENADOR CANDIDATO Teotonio Brandão Vilela Filho Jose Renan Vasconcelos Calheiros Antonio Holanda Costa Jose Regis Barros Cavalcante Jose Moura Rocha Arlete dos Santos Leite Luiz de Gonzaga Mendes de Barros PARTIDO PSDB PMDB PSC PPS PP PDT PTB VOTOS 331.770 37.191 44.905 58.013 206.442 31.159 16.217 32.221 30.173 Brancos Nulos DEPUTADO FEDERAL (Eleitos) CANDIDATO Talvane Luis Gama Albuquerque Jose Thomaz da Silva Nono Netto Alberico Cordeiro Luiz Dantas Lima Moacir Lopes de Andrade Benedito de Lira Augusto Cesar Cavalcante Farias Fernando Jose Torres Josefa Santos Cunha PARTIDO PP PMDB PTB PSD PPR PFL PSC PSDB PSDB VOTOS 61.418 34.458 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PRONA PSTU PSTU PAN 77 49 7 2 Geraldo Ferreira de Mendonca Marcos Ricardo de Lima Paulete Barbosa da Silva Maria Risomar Moraes de Lima Eleições 1994 GOVERNADOR CANDIDATO Divaldo Suruagy Pedro Vieira da Silva Marcos Antonio da Rocha Vieira Angela Maria Moreira Canuto Mendonca PARTIDO PMDB PP PSB PDT VOTOS 495.617 282.427 .332 140.

679 5.145 881 316 181 172 168 136 136 121 106 88 65 61 54 34 17 459 .449 2.854 1.851 10.933 20.328 1.143 3.390 4.957 9.726 1.002 1.797 3.050 842 536 528 105 102 1.991 1.773 1.134 5.039 807 502 396 386 231 PARTIDO PP PMDB PMDB PMDB PSD PL PL PPR PC DO B PL PFL PMDB PMN PFL PP PPR VOTOS 29.ABC das Alagoas PSDB PRN PMDB PTB PSC PFL PDT PP PPR PSB PL PMN PRP PSD PPS PC DO B PSTU Suplentes CANDIDATO Francisco das Chagas Porcino Costa Olavo Calheiros Filho Jose Oliveira Costa Antonio Ferreira de Andrade William Cleto Falcao de Alencar Lauro Farias Laercio Malta Brandão Jose Alves de Oliveira Enio Lins de Oliveira Edmundo Tojal Donato Carlos Augusto Maciel Silva Jose Wanderley Lopes Erivaldo dos Santos Antonio Marco Toledo Jose Cerqueira de Medeiros Filho Jose Humberto Vilar Zeca Torres Não Eleitos Paulo Fernando dos Santos Joao Vicente Freitas Neto Jose Mauricio Pedrosa Gondim Antonio Roberto Brandao Barbosa Antonio Jacinto Filho Marcus Vinicius Tavares da Cunha Mello Marx Bezerra Scala Jose Djalma Batista de Almeida Pedro Luiz da Silva Geraldo Ferreira de Mendonca Paulo Francisco da Silva PT PPS PSB PSB PSTU PDT PSB PRP PSB PRP PRN 14.586 4.

437 567 .275 12.092 11.936 Votos de Legenda PARTIDO PT PRN PMDB VOTOS 1.796 7.648 11.598 9.865 6.057 10.131 13.608 12.660 17.661 17.137 11.113 12.566 1.104 8.977 9.749 PP PFL PSC PFL PTB PMDB PSB Brancos Nulos 11.128 13.608 16.693 11.917 10.670 13.491 13.302 15.922 223.564 16.910 159.460 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PDT PRN PSB PRN 118 80 53 45 Jose Helio Torres Laranjeira Ademir Rodrigues Sales Arnaldo Fontan Silva Paulo Roberto Pontes de Mendonca Fonte:TSE DEPUTADO ESTADUAL Eleitos CANDIDATO Washington Luiz Damasceno Freitas Nivaldo Jatobá João Barbosa Neto Cicero Paes Ferro Luciano Suruagy do Amaral Jose Jota Duarte Marques Francisco Joao Carvalho Beltrão Antonio Ribeiro de Albuquerque Heloisa Helena Lima de Moraes Carvalho Lucila Regia Albuquerque Toledo Jose Jadson Pedro de Farias Celso Luiz Tenorio Brandão Cesar Eustaquio Malta Amaral Jose Danilo Damaso de Almeida Marcelino Alexandre Jose dos Santos Joao Caldas da Silva Oscar Ramalho Fontes Lima Demuriez Leao Barbosa Cicero Amelio da Silva Delio Jose de Souza Almeida Pela Média Temoteo Correia Santos Edival Vieira Gaia Gilvan Gomes Barros Rogério Auto Teófilo Roberto Villar Torres Joao Beltrao Siqueira Jose Francisco Cerqueira Tenório PARTIDO PP PMDB PMDB PPR PMDB PSC PSC PMDB PT PSC PFL PSC PP PMN PFL PMN PSC PMDB PSB PRP VOTOS 18.769 12.732 12.

319 7.892 4.543 7.582 7.246 9.896 4.098 8.520 7.311 5.817 7.109 5.929 4.119 6.348 7.733 4.280 513 199 160 128 123 113 109 102 83 65 41 41 33 27 21 461 .416 5.ABC das Alagoas PSDB PSC PFL PDT PMN PTB PPR PL PSB PP PRP PPS PSD PV PC DO B Suplentes CANDIDATO Jose Junior de Melo Gervasio Raimundo dos Santos Francisco Holanda Costa Jorge Luiz Reis Assunção Jose Nailton da Silva Souza Jose Cicero Valentim dos Santos Petrucio Bandeira de Medeiros Eraldo Bulhoes Barros Junior Elisio Savio dos Anjos Maia Manoel Lins Pinheiro Carlos Abraao Gomes de Moura Antonio Claudino da Costa Neto Nilton Rocha Ismael Pereira Azevedo Maria do Rozario de Fatima B.443 7.229 3.921 3.643 5.026 4. Cordeiro Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro Pedro Affonso Collor de Mello Aderval Viana de Oliveira Jose Valerio da Silva Manuel Francisco Cavalcante Manoel Sertorio Queiroz Ferro Jose de Oliveira Barbosa Usiel Mariano de Oliveira Eraldo Malta Brandao Filho Jose Zaronir Ramalho de Freitas Marcus Antonio Vieira de Vasconcelos Jose Eduardo Leao Praxedes Corintho Onelio Campelo da Paz Aderbal Quirino Santos Manuel Valente de Lima Neto Jose Barbosa de Oliveira Claudionor Correia de Araujo PARTIDO PSC PMN PSC PL PMN PMDB PFL PSC PFL PP PMN PFL PSC PMDB PMDB PC DO B PRP PRP PMN PMN PSC PMN PSDB PSC PMN PSB PMN PDT PRP PSDB PSC PSDB VOTOS 10.397 5.607 5.451 7.267 4.501 3.455 4.418 4.325 9.391 4.728 6.

540 2.759 2.879 1.130 1.011 2.044 3.763 1.200 1.096 1.223 1.133 1.321 1.170 3.347 2.087 942 893 873 741 679 589 516 501 495 469 457 447 397 388 363 355 339 311 299 249 244 205 119 92 84 83 52 50 44 Maria Leda Cardoso Ary Jose Sobrinho Francisco Luiz de Albuquerque Paulo de Tarso Medeiros Sobrinho Antonio Gilson da Silva Belo Miguel Cesar da Rocha Alita Lopes Andrade de Alencar Caubi Damara de Omena Freitas Filho Gileno Costa Sampaio Miguel Soares Palmeira Antonio Saturnino de Mendonca Neto Manoel Sampaio Luz Neto Ozires Goncalves Lins Neusvaldo Barbosa Leao Evanildo Fernandes Santos Joao Batista da Silva Aloisio Gomes Lacerda Jose Reinaldo de Sa Falcao Sergio Francisco dos Santos Jose Ferreira de Oliveira Jose Marinho Muniz Falcao Wilson Alfredo Perpetuo Eloisio Barbosa Lopes Junior Jose Marcio Garcia de Alencar Jose Lessa Gama Afranio Jose Vieira Anivaldo de Miranda Pinto Mauricio Fernandes dos Santos Pedro dos Santos Cicero Vital da Silva Mauricio Vieira Dias Luiz Pereira de Melo Junior Sebastiao Petrucio Wanderley Lins Diva Paulo da Silva Wilson Cosmo da Silva Maria Socorro Franca da Silva Aguinaldo Cardoso Ramos Andre Mello de Onofre Araujo Edmar Soares Baracho Reinaldo Cabral Silva Jefferson Simoes Marcelino Jose Ubiratan Ferreira Nunes Benedito Leite da Silva Messias Lino Balbino Petrucio Claudio da Silva Jose Raimundo dos Santos Geovan Siqueira de Melo Bruno Mendes Theo Fortes Silveira Cavalcante Wellington Apratto Torres Murilo Houli Rocha .920 2.171 3.924 1.402 2.128 1.924 1.729 1.462 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PL PMDB PRP PTB PDT PMN PSC PRP PDT PSB PDT PPS PP PPR PSDB PRP PMN PSB PMDB PSB PMDB PP PSB PMDB PDT PPR PPS PSDB PSD PSB PSB PSD PSDB PP PDT PPS PMDB PDT PT PRP PSD PDT PDT PDT PSD PV PSB PSDB PRP PPR PL 3.

283 1.175 1.098 934 617 611 514 375 264 220 210 174 PRN 246 PFL PSB PTB PDT 43 31 22 22 463 1990 GOVERNADOR COLIGAÇÃO *Geraldo Bulhões Barros José Renan Vasconcelos Calheiros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PT do B PDC/PL/PTR/PRN/PRP 2º.804 12.701 9.118 2.964 9.480 218.880 6.945 .821 6.920 2.735 6.115 1.052 20.151 1.534 21. Turno VOTO 424.498 13.ABC das Alagoas Luciano de Albuquerque Aguiar Raul Carlos Brodt Abel Gomes de Siqueira Torres Antonio Jose de Melo Moreira Não Eleito Kristhian Douglas Pinaud Calheiros Fonte:TSE Votos de Legenda PARTIDO PSDB PSB PTB PT PMDB PFL PDT PSD PPS PMN PPB PSL PRN PRP PC do B PRONA PL PSN PSTU PV PT do B PST PTN PAN PGT PSC PRTB VOTOS 55.530 7.325 21.

PTB-PSDB) 338.PSB-PCdo B-PCB) 23.588 40.015.659 288.598 (PRN-PL-PTR-PRP-PDC) 303.384 190.887 Vice-governador: Francisco Roberto Holanda de Melo SENADOR PARTIDO/COLIGAÇÃO *Guilherme Gracindo Soares Palmeira Francisco Carlos Rocha de Melo José Régis Barros Cavalcante Abstenção: Comparecimento: * Candidato Eleito DEPUTADO FEDERAL PARTIDO/COLIGAÇÃO PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Vitório Manoel Malta Marques *Augusto César Cavalcante Farias PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Luiz Dantas Lima PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *William Cleto Falcão de Alencar PDC/PL/PRN/PRP *Antônio Holanda Costa PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *José Thomaz da Silva Nonô Netto PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Olavo Calheiros Filho PDC/PL/PRN/PRP *Roberto Villar Torres PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Antônio Saturnino de Mendonça Neto PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT do B VOTOS 47669 47569 42482 38125 33250 32749 29802 25703 25598 VOTOS 334.628 1. Turno COLIGAÇÃO VOTOS Geraldo Bulhões de Barros Renan Calheiros Antônio Corveira de Moura Antônio Grilo Batista de Oliveira (PSC –PFL-PMDB-PDT-PT do B-PMN.275 163.384 1.089 (PSD) 14.464 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 643425 25580 184681 * Candidato Eleito Abstenção: 450585 Votos Nominais: Votos Brancos: Votos Nulos: Comparecimento: 853686 GOVERNADOR 1º.941 Votos Nominais: Abstenção: Votos Brancos: Votos Nulos: Comparecimento: 680.886 (PT.015.887 .745 144.514 288.

ABC das Alagoas Suplentes Manoel Sampaio Luz Neto PDC/PL/PRN/PRP Albérico Cordeiro da Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Antônio Ferreira de Andrade PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Ted France Roque Pereira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT DO B Fernando Antônio Barreiros de AraújoPDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT DO B Vinícius Cansanção Filho PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B José Oliveira Costa PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT DO B Luciano Jorge Peixoto PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Nilson Ernesto Bezerra PDC/PL/PRN/PRP Usiel Mariano de Oliveira PDC/PL/PRN/PRP Lauro Farias PL João Ferreira Azevedo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Anivaldo de Miranda Pinto PT/PCB/PSB/PC DO B Djalma Marinho Muniz Falcão PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Luiz de Souza Cavalcante PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B José Alves de Oliveira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Marcos José Dantas Kummer PDC/PL/PRN/PRP José Luiz Malta Gaia PT/PCB/PSB/PC DO B Amaro Calheiros Pedrosa PDC/PL/PRN/PRP Bergson Toledo Silva PTR José Djalma Batista de Almeida PDC/PL/PRN/PRP Gesival Macedo da Costa Fonseca PDC/PL/PRN/PRP Diney Soares Torres PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Ronaldo Bezerra de Almeida PDC/PL/PRN/PRP José dos Santos Filho PDC/PL/PRN/PRP Carlos Alberto Barbosa Xavier PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Nailton Alves da Silva PL Pedro Carlos Tenório Cavalcanti PL Arlírio da Silva Oliveira PDC/PL/PRN/PRP Dimas Teógenes dos Santos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Etevaldo Alves Amorim PT/PCB/PSB/PC DO B Hélio Flamarion da Cruz Borges PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Kátia de Oliveira Barros PDC/PL/PRN/PRP José Luiz Pereira Neto PDC/PL/PRN/PRP Ubiratan Pedrosa Moreira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Yuri Patrice Rocha de Miranda PT/PCB/PSB/PC DO B Daniel Nunes Pereira PT/PCB/PSB/PC DO B Marcelo Silva Malta PT/PCB/PSB/PC DO B Victor Antônio Cavalcante Pereira PT/PCB/PSB/PC DO B Oberman Alves Silva PT/PCB/PSB/PC DO B Alberto de Amorim PDC/PL/PRN/PRP Votos Nominais: 456.384 37.737 Votos Nulos: 171.251 23745 19719 18537 15184 9217 7049 6298 5401 4267 4243 3390 2379 2147 1707 1612 1578 1246 1077 953 707 580 524 502 397 350 254 143 141 127 112 34 23 23 17 15 14 14 8 8 7 3 465 Comparecimento:1.887 .200 * Candidatos Eleitos Abstenção: Votos Legenda: 288.015.699 Votos Brancos: 350.

de Fátima Braga Cordeiro PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *José Nascimento Leão de Melo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Cícero Amélio da Silva PTR *Gilvan Gomes Barros PDC/PL/PRN/PRP *Temóteo Correia Santos PTR *Manoel Lins Pinheiro PL *Gervásio Raimundo dos Santos PL Suplentes João Barbosa Neto Wellington Apratto Torres Petrúcio Bandeira de Medeiros Nenoi Pinto Araújo Isnaldo Bulhões Barros Rogério Auto Teófilo José Helenildo Ribeiro Monteiro Daniel Houly de Almeida Maria Leda Cardoso Flavius Flaubert Pimentel Torres Ismael Pereira de Azevedo Josefa Santos Cunha Júlio Sérgio de Maia Pedrosa Moreira José Dirson de Albuquerque Sousa José Barbosa de Oliveira PT/PCB/PSB/PC DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PTR PL PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PTR PDC/PL/PRN/PRP 9651 8813 8080 7662 7155 7050 6760 6647 6578 6561 6333 6285 6258 6232 5981 VOTOS 13842 13052 12636 12491 11877 11868 11587 11577 11570 10862 10682 10363 10037 9979 9742 9615 9511 9141 9140 9079 8915 8861 7368 7143 7024 6771 6688 .466 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEPUTADO ESTADUAL PARTIDO/COLIGAÇÃO *Francisco das Chagas Porcino Costa PTR *Oscar Ramalho Fontes Lima PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Benedito de Lira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Cícero Paes Ferro PDC/PL/PRN/PRP *Eraldo Malta Brandão Filho PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *José Humberto Vilar Zeca Torres PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *João José Sarmento de Carvalho PDC/PL/PRN/PRP *Elísio da Silva Maia PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *José Raimundo de Albuquerque Tavares PDC/PL/PRN/PRP *José Jota Duarte Marques PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Talvane Luis Gama Albuquerque PTR *José Bernardes Neto PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Edval Vieira Gaia PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Manoel Sertório Queiroz Ferro PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Francisco Holanda Costa PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Washington Luiz Damasceno Freitas PTR *Antônio Guedes Amaral PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *César Eustáquio Malta Amaral PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Elionaldo Maurício Magalhães Moraes PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Marcelino José dos Santos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B *Maria do R.

Júnior PTR 3873 Antônio Lins de Souza PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 3849 Mário Fragoso de Vasconcelos Bóia PTR 3661 Claudionor Correia de Araújo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 3504 Lairto Santos da Silva PSD/PST 3330 3195 Francisco de Assis Serpa de Menezes PTR Rosiber Oliveira Melo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 3143 José Valmiro Gomes da Costa PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 2989 Caubi Damara de Omena Freitas FilhoPL 2977 Paulo Edmilson de Andrade Silva PL 2889 Oswaldo Gomes de Barros PTR 2736 Quitéria Bezerra de Mello PSD/PST 2701 Manoel Messias da Silva Nunes PTR 2672 George Samuel Sanguinetti Fellows PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 2648 Geovex Pereira Moura PL 2590 José Augusto Filho PTR 2464 Juarez Orestes Gomes de Barros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 2443 Severino Lúcio da Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 2236 Marcelo Fortes Silveira Cavalcanti PDC/PL/PRN/PRP 2232 Sabino Romariz PDC/PL/PRN/PRP 2158 Kristhian Douglas Pinaud Calheiros PDC/PL/PRN/PRP 2109 Ricardo José Moroni Valença PT/PCB/PSB/PC DO B 2097 Álvaro Ferreira Guimarães Filho PDC/PL/PRN/PRP 2068 Raymundo Rodrigues Rêgo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 2062 Ronaldo Augusto Lessa Santos PT/PCB/PSB/PC DO B 1933 José Marinho Muniz Falcão PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 1923 Neusvaldo Barbosa Leão PTR 1822 Maria Petrúcia Dias Camelo PL 1788 Edlene Ferreira Lima PDC/PL/PRN/PRP 1773 Benedito Manoel Gonçalves PTR 1650 Judson Cabral de Santana PT/PCB/PSB/PC DO B 1613 Miguel Soares Palmeira PT/PCB/PSB/PC DO B 1507 467 .ABC das Alagoas José Medeiros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 5820 Dilton Falcão Simões PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 5659 Francisco Geraertes Caldas da Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 5647 José Januário Nicácio Neto PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 5591 Ednaldo Francisco de Holanda Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 5498 Laércio Malta Brandão PL 5487 Eduardo Bomfim Gomes Ribeiro PT/PCB/PSB/PC DO B 4944 Hélio Nogueira Lopes PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 4735 Cícero Jorge Teixeira Cavalcante PDC/PL/PRN/PRP 4709 Waldemar Correia da Silva PDC/PL/PRN/PRP 4656 Ednaldo Miguel da Silva PDC/PL/PRN/PRP 4571 Edésio Manoel Cavalcante Costa PTR 4556 José Afrânio Vergeti de Siqueira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 4399 Tancredo Pereira PTR 4206 Isaac Samuel de Carvalho Nascimento PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 4008 Marcus Antônio Vieira de Vasconcelos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 3996 Areski Damara de Omena F.

468 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1495 1436 1413 1327 1315 1290 1285 1200 1146 1138 1136 1112 1098 1042 1041 1027 985 953 893 878 870 841 787 712 694 682 674 667 659 628 585 578 566 558 503 485 471 468 446 441 426 422 421 411 410 406 395 367 Denício Calixto de Oliveira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Jendevaldo Cícero dos Santos PTR Antônio Carlos da Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Paulo Roberto Pontes de Mendona PDC/PL/PRN/PRP Alexandre Milito Filho PTR Rogério Henrique de Medeiros Pacheco PTR Joaquim Andrade de Carvalho Brito PT/PCB/PSB/PC DO B Antônio Luna da Silva Júnior PDC/PL/PRN/PRP Nelson Miguel Dias PSD/PST José Wanderley Neto PDC/PL/PRN/PRP José Aurino de Lima PDC/PL/PRN/PRP José Correia da Silva PDC/PL/PRN/PRP Altamir Urbano Pinto PL Manoel Chaves Granja PTR Cosme Alves Cordeiro PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Fernando Correia Ribeiro PTR Luiz Geraldo de Mendonça Araújo PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Francisco de Souza Irmão PL Djacy Correia Barbosa PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B José Barros e Silva Filho PDC/PL/PRN/PRP Tácito Yuri de Melo Barros PT/PCB/PSB/PC DO B José Fernandes dos Santos PTR José Santana da Silva PT/PCB/PSB/PC DO B Saulo Emanoel de Oliveira PDC/PL/PRN/PRP Edson Leocádio dos Santos PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Marcos Antônio Nunes PL Ary Alves de Oliveira PL Paulo Góis Machado PDC/PL/PRN/PRP Augusto de Oliveira Galvão Sobrinho PDC/PL/PRN/PRP Cícero Cerqueira Cavalcanti Neto PT/PCB/PSB/PC DO B Breno Lins de Oliveira PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Luiz Gonzaga Mendes de Barros PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B João Batista da Silva PDC/PL/PRN/PRP Wagner Monteiro Cavalcante Manso PSD/PST Osman Gaia Nepomuceno PDC/PL/PRN/PRP Bartholomeu Valeriano Cavalcante PSD/PST José Maria de Omena PL Reinaldo Cabral Silva PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Francisco de Sales Ramos Pereira PT/PCB/PSB/PC DO B José Batista dos Santos Filho PSD/PST Eraldo Firmino de Oliveira PL José Nelson L. da Silva Sobrinho PL Romeu Potiguar Costa Romão PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Valter Guimarães PSD/PST Maria Augusta Cardoso de Vasconcelos PL Linaldo Araújo PDC/PL/PRN/PRP José Pedro Cardoso Santos PTR Maria Nita Silva PSD/PST .

Filho Joseildo Teotônio da Silva José Maia Fernandes Leomax Correia de Oliveira Orlando Alves de Farias Jefferson Simões Marcelino Edilson Ferreira de Sá Carlos Alberto Goes Guedes Carlos Alberto Mendes Monteiro José de Fátima Buarque Cavalcanti José Nivaldo Cardoso Mota Erisvaldo Bandeira Rios Evaldo Guedes de Lima Luiz Alberto da Silva Petrúcio dos Santos Manoel Vicente Gomes Lourival Vasconcelos dos Santos Ednaldo Moreira Paes José Osvaldo Cavalcante da Silva Rubens Pinheiro dos Santos José Pereira da Silva Pereirinha Carlos Avelino da Silva Filho José Moreno da Silva Orestes Ferreira Alves Fábio Rodrigues de Lima Jesser Alves Branco João Eudes Ferreira Cavalcante Benedito Umbelino de Godoy Marcelo Alves de Sales Lívio Araújo Calixto Cícero Fernandes Ocrécio Manoel Mariano da Silva Antônio Lourenço Pontes João Izidoro da Costa Maria Helena de Jesus Leite Emanuel Batista Luz Cícero Herculino Machado Cícero Mendonça de Lima Salomão Monteiro dos Santos Argeu Alves da Silva Filho Expedito dos Santos José Ozório do Nascimento Paulo José Guimarães dos Santos José Nilton Montenegro Imbuzeiro Luzimar Fernandes da Silva PSD/PST 359 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 355 PT/PCB/PSB/PC DO B 335 PSD/PST 312 PL 310 PDC/PL/PRN/PRP 299 PDC/PL/PRN/PRP 294 PT/PCB/PSB/PC DO B 280 PDC/PL/PRN/PRP 278 PDC/PL/PRN/PRP 272 PDC/PL/PRN/PRP 267 PT/PCB/PSB/PC DO B 256 PTR 248 PT/PCB/PSB/PC DO B 246 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 245 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 234 PSD/PST 224 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 214 PSD/PST 209 PDC/PL/PRN/PRP 201 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/ PT DO B 191 PL 188 PSD/PST 187 PT/PCB/PSB/PC DO B 182 PTR 176 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 172 PSD/PST 168 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 168 PDC/PL/PRN/PRP 161 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 159 PSD/PST 156 PSD/PST 156 PL 155 PSD/PST 153 PL 151 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 147 PSD/PST 143 PSD/PST 135 PDC/PL/PRN/PRP 134 PSD/PST 129 PSD/PST 125 PSD/PST 123 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 122 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 120 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 119 PSD/PST 116 PDC/PL/PRN/PRP 114 PSD/PST 114 469 .ABC das Alagoas João Alves Vilela José Muniz Gama Maurício Vieira Dias Alonso Cavalcante de A.

Lessa de Azevedo Aquino Costa Japiassu Filho Eduardo Pereira Nunes Geraldo de Majella F. Marques Manoel Barbosa dos Santos José Joval Pereira da Silva Cícero Timóteo da Silva .470 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PTR 110 PL 109 PSD/PST 103 PDC/PL/PRN/PRP 101 PTR 99 PSD/PST 99 PSD/PST 98 PDC/PL/PRN/PRP 96 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 93 PDC/PL/PRN/PRP 91 PDC/PL/PRN/PRP 88 PL 86 PSD/PST 80 PDC/PL/PRN/PRP 79 PL 77 PSD/PST 77 PTR 76 PSD/PST 76 PSD/PST 74 PL 74 PSD/PST 74 PL 73 PSD/PST 73 PSD/PST 71 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 64 PSD/PST 61 PDC/PL/PRN/PRP 61 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 60 PSD/PST 56 PSD/PST 54 PDC/PL/PRN/PRP 52 PSD/PST 52 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 51 PL 46 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 45 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 44 PTR 43 PL 43 PTR 42 PSD/PST 41 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 37 PL 35 PSD/PST 33 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 30 PT/PCB/PSB/PC DO B 27 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 25 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 22 PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B 19 Walter José da Silva José Severino Rosas de Andrade Plínio Sampaio Visgueiro Filho Jasobean Delfina da Silva Eldio de Gusmão Verçosa Petrúcio Cláudio da Silva Warner de Magalhães Maurício Marivaldo Albuquerque Silva Antônio Pedro de Alcântara José Carlos dos Santos José Édson da Silva Montenegro Pita Murilo Houly Rocha Eliaquim Tenório da Silveira Everaldo Umbelino da Silva Daniel Miguel do Nascimento Tancredo L. de M. Marques Cirqueira Manoel Vieira da Silva Cornélio Batista da Silva Siloel Vítor dos Santos Edmilson Torres de Lima Regivaldo Francisco dos Santos Renato Reis da Silva Geraldo Ferreira de Mendonça Lucas de Albuquerque Silva José Nilton da Silva Mauro Sélvio Barbosa de Melo Cosmo José Calheiros Pedrosa José Názaro da Silva José Serafim do Nascimento Filho Amaro Alves de Lima Ronice Bertoldo Santos José Joaquim Barros Raimundo Nonato Nunes Melo Nildson José Gomes da Silva José Edvaldo da Silva Walter Dias Sant-Ana Mário Peixoto da Silva João Crispim dos Santos José Tenório Filho Antônio Caetano Silva José Marculino Barros da Silva Carlos Alfredo B.

246 (eleito) 327.232 30.324 .015.555 61.255 Votos Brancos: 252.887 Fernando Afonso Collor de Melo (Coligação PMDB-PTB-PcdoB-PSC) Guilherme Gracindo Soares Palmeira (Coligação PFL-PDC-PDS) Ronaldo Augusto Lessa Santos (Coligação PL-PDT-PSB-PT-PCB) Vice-governador: Moacir Andrade SENADOR Divaldo Suruagy (Coligação PFL-PDC-PDS) Suplentes Carlos Benigno Pereira de Lyra Neto e José Valdomiro Mota Sublegenda 1 e 2 Luiz Gonzaga Mendes de Barros João Ferreira Azevedo 400.406 18 17 16 14 12 11 11 7 5 5 5 5 5 5 4 4 4 3 3 3 3 2 2 1 1 471 Votos Nominais: 588.899 Votos Nulos: 149.073 334.ABC das Alagoas José Lopes de Carvalho Júnior Geovan Siqueira de Melo Hamilton Bahia Maia Gomes Filadelfo Bispo José Maria Melo da Costa Sebastião dos Santos Marcos Santa Rita de Melo Edivaldo Rodrigues Araújo Moisés de Aguiar Denis Jatobá Agra Ernando Costa Cavalcante José Ernesto de Souza Filho Amilton Rodrigues Melo Manoel Gomes da Silva Milton Canuto de Almeida Isve Cavalcante de Lima Antônio Nunes de Lima José Anselmo de Oliveira Domingos de Oliveira Prado Ireno Francisco Noberto Heliete Maria da Costa Amorim João Lins Pessoa Filho Maria Ivone Ramos de Carvalho Hugo de Carvalho Mandarino Fernando Cavalcanti Baracho PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PTR PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PL PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PL PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B PT/PCB/PSB/PC DO B PSD/PST PDC/PL/PRN/PRP PT/PCB/PSB/PC DO B PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDC/PL/PRN/PRP PDT/PTB/PMDB/PSC/PFL/PMN/PSDB/PT DO B Abstenção: Votos Legenda: 288.137 (eleito) 70.327 * Candidatos Eleitos 1986 GOVERNADOR Comparecimento: 1.384 25.

221 11.201 6.185 (eleito) 34.668 21.716 5.912 655 589 584 420 307 255 19.441 20.199 32.070 17.888 46.481 54.933 27.305 9.377 3.606 6.537 918 330 202.526 24. 94.472 Francisco Reinaldo Amorim de Barros (Coligação PMDB-PTB-PCDB-PSC) 298.658 10.149 14.080 16.978 .719 Teotônio Brandão Vilela Filho Rubens Vilar de Carvalho Suplentes Rubens Vilar de Carvalho e João do Nascimento Filho Sublegenda 1 e 2 Antônio Saturnino de Mendonça Neto DEPUTADO FEDERAL Coligação PFL-PDC-PDS José Thomaz da Silva Nono Neto Albérico Cordeiro da Silva Antônio Ferreira de Andrade Vinicius Cansanção Filho Suplentes José Alves de Oliveira Roberto de Paiva Torres Carlos Germano Cardoso da Silva Bráulio de Freitas Cavalcanti Júnior Coligação PMDB-PTB-PC do B e PSC José Renan Vasconcelos Calheiros José Oliveira Costa Roberto Vilar Torres Geraldo Bulhões Barros Eduardo Bonfim Gomes Ribeiro Suplentes Júlio Sérgio de Maia Pedrosa Moreira José Marinho Muniz Falcão Manoel Afonso de Mello Neto Agripino Alexandre dos Santos Artur Armando Gondim Lauro Mendes Filho Coligação PL-PDT-PSB-PT-PCB Fernando Antônio Barreiros de Araújo José Moura Rocha Severino Barbosa Lopes Kátia Born Ribeiro Antônio Fernando Ocrécio Josefa Ferreira Rodrigues Nereu Cavalcante José Sales Walber Luiz Castro Noleto Ronaldo Bastos Trindade 16.467 4.

868 217 213 164 146 99 82 73 34 16 473 .799 1.179 8.300 8.968 2.301 6.719 10.223 9.719 9.249 4.597 13.819 12.203 989 620 503 473 249 237 198 162 55 15.501 2.163 4.981 8.ABC das Alagoas Luiz Torres de Melo Emanoel Oliveira Cavalcante Benedito Umbelino de Godoy Elisénio de Carvalho José Maurício Pedrosa Gondim Pedro dos Santos Filho Emanoel Domingos Ribeiro da Silva Benício Pedro dos Santos Fernando Antônio Neto Lobo DEPUTADO ESTADUAL Coligação PFL-PDC-PDS Manoel Gomes de Barros José Bernardes Neto César Eustáquio Malta Amaral Benedito de Lira José Leão de Melo Nascimento Edval Vieira Gaia Elísio Sávio dos Anjos Maia José Bandeira de Medeiros Diney Soares Torres Nenoi Pinto Araújo Suplentes João Rodrigues Sampaio Filho Hélio Nogueira Lopes Elionaldo Maurício Magalhães Moraes Francisco de Assis Serpa de Menezes Miguel Soares Palmeira José Zaronir Ramalho de Freitas Rubens Peixoto Costa Roberto Tavares Mendes Edmundo Tojal Donato Orestes Ferreira Alves Carlos Abranhão Gomes de Moura Genivaldo Barbosa de Melo Pedro Timóteo Acioli Neto José Hélio Torres Laranjeiras José Veridiano Sarmento Almir Rodrigues Lisboa Luiz Carlos da Silva Pedro Ferreira Lima Aquino Costa Japiassu Filho Milton Maux Lessa Abel Ferino de Moura José Newton Montenegro Umbuzeiro Petrúcio Bandeira de Medeiros 8.061 3.327 1.018 6.985 6.676 12.801 4.484 10.731 6.

335 8.184 4.679 13.542 6.673 1.615 6.056 3.176 6.376 1.457 4.110 3.865 1.879 8.782 10.846 1.314 7.239 4.528 3.172 5.621 8.159 2.669 2.331 8.057 966 614 16.085 3.474 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Coligação PMDB-PTB-PC do B-PSC Antônio Holanda Costa Antônio Guedes Amaral Oscar Ramalho Fontes Lima José Humberto Vilar Torres Emílio Silva Dilton Falcão Simões José Medeiros José Jota Duarte Marques William Cleto Falcão de Alencar Manoel Pereira Filho Francisco Roberto Holanda de Melo Ismael Pereira Azevedo José Afrânio Vergetti de Siqueira Suplentes Euclides Afonso de Melo Neto Isaac Samuel de Carvalho Nascimento Alcides Muniz Falcão Laércio Malta Brandão Temóteo Correia Santos José Barbosa de Oliveira Claudinor Correa de Araújo Maria Alba Correia da Silva Oswaldo Gomes de Barros José Pereira Mendes Marcelo Lavenére Machado Rosinete Gonzaga Lima Edlene Ferreira Lima João Caldas da Silva Denício Calixto da Silva Neusvaldo Barbosa Leão Guilherme Celso Vilar de Carvalho Rady Teixeira da Silva Eliel José de Morais Dimas Teógenes dos Santos Francisco José Galindo Pimentel Hildeberto Cordeiro Lins José Vlamiro Gomes da Costa Claudenor de Albuquerque Lima Elizeu Antônio Maciel Paulo Correia Ribeiro José Vieira Guimarães Reinaldo Cabral Silva José Luciano Barbosa da Silva Edvaldo Terto da Silva Luiz Geraldo de Mendonça Araújo Sandoval Ferreira Caju Luiz Carlos Rodrigues Tavares 6.366 10.036 2.563 2.720 6.783 .145 11.357 2.556 2.753 5.181 4.483 12.495 1.076 1.876 2.670 2.912 1.270 4.559 3.491 13.

558 3.785 6.606 1.065 2.986 560 496 432 398 375 211 136 475 .836 1.146 809 790 763 728 601 530 458 457 405 377 375 365 305 263 259 257 244 216 205 198 34.722 3.405 4.416 1.665 3.414 1.944 3.ABC das Alagoas José Batista Pereira Rostand José Miranda de Lima José Nilton de Oliveira Correia Sebastião Lopes Cavalcante Filadelfo Bispo Edberto Melo Souto José Antônio de Souza Coligação PL-PDT-PSB-PT-PCB Sabino Romariz João Barbosabbbb Neto Manoel Lins Pinheiro José Augusto Filho Suplentes Francisco das Chagas Porcino Costa Antônio Gilson da Silva Belo Flaviano Manoel Melo Pacheco Corintho Onélio Campelo da Paz Flandísio Barbosa Santos Nilson Amorim de Miranda Florival Alexandre Costa Ricardo Coelho de Barros Denis Jatobá Agra Wagner Monteiro Cavalcante Manso Gilberto Gonçalves da Silva Benedito Guilherme Falcão Farias Baltazar Teixeira Cavalcante Ildo Rafael de Vasconcelos Ana Maria Vieira Santos Francisco de Sales Ramos Pereira Sebastião José Palmeira Valter Guimarães Valcir Azarias de Oliveira José Soriano José Pereira da Silva Luiz Machado Brandão Amadeu Sebastião da Silva José Evaldo Lima Moreira Manoel Celestino da Silva Milton Praxedes de Oliveira Orival José de França Flávio Francisco Oliveira Antônio Aranda da Silva Fernando Chaves da Silva Thales Barbosa Lima Petrúcio Ferreira Lopes 3.115 1.863 1.295 1.

476 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 196 189 184 182 171 135 131 119 108 99 97 68 44 15 11 11 Ailton Renovato dos Santos Jéferson Simões Mascarenhas Mércia Lemos Fontes Silva José Airon de Albuquerque Plínio Sampaio Visgueiro Filho Geraldo Mendonça de Araújo Carlos Antônio Apratto Pinheiro Walter Dias Sant’Ana Salomão Setton Neto Josias Vieira Calado Zanoni de Lima Mauro Sélvio Barbosa de Melo Murilo Daniel Guedes de Lima Luiz Gonzaga Costa Rogério Gomes Beleza Eduardo Davino 1982 GOVERNADOR Divaldo Suruagy (eleição indireta) José de Medeiros Tavares ( vice-governador) SENADOR Guilherme Palmeira 259.573 (PMDB) Suplentes Antônio Lenine Pereira e Antônio Moreira DEPUTADO FEDERAL Partido Democrático Social PDS Fernando Affonso Collor de Mello Nelson Simões Costa José Thomaz da Silva Nono Netto Albérico Cordeiro da Silva Geraldo Bulhões Barros Suplentes Oseas Cardoso Paes Antônio Ferreira de Andrade José Helio Torres Laranjeiras Alonso de Abreu Pereira 30.683 27.526 .745 55.128 4.122 35.581 (eleito) PDS Suplentes João José Pereira de Lira e Noé Simplício do Nascimento José Moura Rocha 202.881 45.927 31.124 46.215 1.

579 9.690 12.449 7.673 5.088 2.452 3.890 14.694 31.717 8.192 185.741 7.270 27.156 477 .ABC das Alagoas Votos para a legenda Total de votos Partido do Movimento Democrático Brasileiro PMDB José Renan Vasconcelos Calheiros Manoel Affonso de Melo Neto Djalma Marinho Muniz Falcão Suplentes Júlio Sérgio de Maia Pedroso Moreira Murilo Rocha Mendes Sandoval Ferreira Caju Benício Pedro dos Santos Votos para a Legenda Total de votos DEPUTADO ESTADUAL PDS José Bernardes Neto Manoel Gomes de Barros José Bandeira de Medeiros José Medeiros Antônio Holanda Costa Benedito de Lira Miguel Soares Palmeira Elionaldo Maurício Magalhães Moraes Roberto Vilar Torres Hélio Nogueira Lopes Manoel Pereira Filho Emílio Silva José Jota Duarte Marques Nenoi Pinto Araújo Neusvaldo Barbosa Leão Suplentes Edval Vieira Gaia Laércio Malta Brandão José Alves de Oliveira Elísio Sávio dos Anjos Maia Osvaldo Gomes de Barros Walter Toroca Pitomba Laranjeiras Edson Tenório d’Almeida Lins Manoel Lins Pinheiro Humberto Melo Souza José Soares da Silva Baltazar Teixeira Cavalcante Pedro Ferreira Lima 8.728 7.353 13.278 9.106 10.616 31.436 50.942 3.179 2.260 912 1.931 2.631 14.106 15.085 279.425 12.532 11.692 14.456 11.948 18.453 1.058 22.113 29.307 9.817 11.642 8.

796 1.301 2.650 Vice-governador: Francisco Roberto de Holanda Melo (PDT) ?? Teobaldo Barbosa .408 1.947 1.474 6.575 961 643 611 164 1.238 344 1.398 4.898 1.113 1.484 14.478 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1.895 10.692 18.884 10.484 10.075 12.375 2.773 11.366 2.391 181.082 Luiz Correia da Costa Maria José de Carvalho Nascimento Rady Teixeira da Silva Miguel César Rocha Gesival Macedo da Costa Fonseca José Felix de Oliveira Osvaldo Semião Lins Abel Ferino de Moura Votos só para a legenda Total dos Votos do PDS PMDB Antônio Saturnino de Mendonça Neto Diney Soares Torres Moacir Lopes de Andrade Francisco Roberto Holanda de Melo José Afrânio Vergetti Eduardo Bonfim Gomes Ribeiro Ismael Pereira Azevedo Selma Bandeira Mendes Ronaldo Augusto Lessa Santos Suplentes Alcides Muniz Falcão João do Nascimento Silva Walter Doria de Figueiredo William Cleto Falcão de Alencar Gilberto Braga de Melo Nilson Amorim de Miranda Renato Vilar de Carvalho Eduardo Davino Ednaldo Soares da Silva Nilton Maux Lessa Marcos Afonso de Sá Peixoto Walter Dias Sant’Ana João Tavares Paulo Votos só para a Legenda Total de Votos do PMDB 1978 GOVERNADOR Guilherme Gracindo Soares Palmeira (eleição indireta) 25.188 6.777 10.874 2.283 8.140 15.693 1.317 278.

789 14.751 157.ABC das Alagoas SENADOR Luiz de Souza Cavalcante (ARENA) Suplentes Rubens Vilar de Carvalho José Costa Sampaio José Moura Rocha (PMDB) Suplentes Francisco Melo Pedro Marinho Muniz Falcão Arnon de Melo ( Votação Indireta) DEPUTADO FEDERAL ARENA Divaldo Suruagy Antônio Ferreira de Andrade Albérico Cordeiro da Silva Geraldo Bulhões Barros Murilo da Rocha Mendes Suplentes José Alves de Oliveira Oceano Carleial Lauro Farias Osvaldo Semião Lins Votos Só Legenda Total MDB José de Oliveira Costa Antônio Saturnino de Mendonça Neto Suplentes Djalma Marinho Muniz Falcão Sebastião de Oliveira Lima Geraldo de Lima e Silva José Falcão de Gusmão Votos só Legenda Total 18.108 18.963 204.908 567 549 3.983 18.652 7.728 (eleito) 479 .116 112.703 189.386 3.632 1.552 26.007 15.486 8.414 14.574 102.647 7.937 54.

491 4.136 12.067 2.609 7.480 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEPUTADO ESTADUAL ARENA João Rodrigues Sampaio Filho José de Medeiros Tavares Tarcísio de Jesus Nelson Simões Costa José Bandeira de Medeiros Elísio Sávio dos Anjos Maia Hélio Nogueira Lopes Emílio Silva Edson Tenório de Almeida Lins Alexandre Milito Filho Walter Pitombo Laranjeiras Osvaldo Gomes de Barros José Jota Duarte Marques Roberto Vilar Torres Suplentes Laércio Malta Brandão Jorge Duarte Quintela Cavalcante Marcos Rubem de Medeiros Pacheco Manoel Pereira Filho Dalton Dória Braga Gervásio Raimundo dos Santos Denis Loureiro Farias João Teixeira Cavalcante Neusvaldo Barbosa Leão Pedro Pereira Lima João Batista Costa Boleado Paulo Correia Ribeiro Remy Tenório Maia José Pereira Lúcio Milton Vieira da Silva Filadelfo Bispo Herílio Machado Alonso Abreu Pereira José Jurandir de Oliveira Nivaldo Alves de Lima Votos só Para a Legenda Total MDB Agripino Alexandre dos Santos Manoel Afonso de Melo Alcides Muniz Falcão Francisco José Galindo Pimentel 11.540 7.834 9.884 11.489 6.747 13.034 1.040 2.048 3.458 .663 14.635 13.927 5.774 4.525 7.680 7.009 5.822 1.236 10.155 209.972 2.155 8.893 9.773 9.405 695 577 447 186 133 2.874 8.881 11.012 7.246 6.899 1.282 3.189 15.

215 9.519 2.787 7.305 1.308 21.943 115.787 2.755 481 1974 GOVERNADOR Divaldo Suruagy (eleição indireta) SENADOR ARENA Teotônio Brandão Vilela Suplente: Noé Simplício do Nascimento MDB Pedro Marinho Muniz Falcão Suplente: Ademar Medeiros DEPUTADO FEDERAL ARENA Theobaldo de Vasconcelos Barbosa Geraldo Bulhões Barros José Alves de Oliveira Antônio Ferreira de Andrade 33.213 .355 25.810 1.673 4.253 5.791 1.ABC das Alagoas José Renan Vasconcelos Calheiros José Afrânio Vergetti de Siqueira Alcides dos Santos Andrada Suplentes Walter Dória de Figeiredo Antônio Lins de Souza José Maria de Omena Nestor Ferreira Tenório Hamilton Santana Cardeal Manoel Aureliano Reis Antônio Milton Pessoa Falcão Luiz Fernando Vieira Lopes Bernardino Souto Maior Neto José Buarque do Nascimento Alan Rodrigues Brandão Milton Maux Lessa Orival José de França José Bezerra Neto Walter Dias Sant’Ana Benício Pedro dos Santos João Tavares Paulo Votos Só Para a Legenda Total 6.011 1.269 2.183 3.848 3.312 22.134 741 670 257 159 3.496 140.698 1.503 8.989 98.

263 3.380 140.807 7.684 2.551 8.061 11.061 MDB José Oliveira Costa Vinicius Cansanção Filho Suplentes José Bezerra Filho Votos de legenda Total 1.440 7.021 6.221 1.747 6.591 2.482 Suplentes Francisco Reinaldo Amorim de Barros Oceano Carleial Leda Collor de Melo Francisco Guilherme Tobias Granja Votos de legenda Total 18.394 7.421 7.560 14.997 1.278 29.538 .421 DEPUTADO ESTADUAL ARENA Tarcísio de Jesus José de Medeiros Tavares Guilherme Gracindo Soares Palmera Narcísio Lúcio da Silva Geraldo Medeiros de Melo José Bandeira de Medeiros Nelson Simões Costa Jorge Duarte Quintella Cavalcanti Alexandre Milito Filho Rubens Vilar de Carvalho Humberto Melo Souza Edson Tenório D’ Almeida Lima Suplentes Pedro Ferreira Lima Remy Tenório Maia Aroldo Dorvillé Loureiro de Farias Edvaldo Barbosa Leão Fernando Elias da Rosa Oiticica Ary de Medeiros Lage José Figueiredo dos Santos Manoel Antônio Machado Fernando Correia Ribeiro Rubens Carvalho Souza Sebastião Monteiro da Costa 6.247 2.721 5.065 5.669 1.844 12.852 6.308 12.260 2.905 4.040 7.024 40.656 73.167 6.627 3.

171 8.067 1.ABC das Alagoas Osvaldo Timóteo da Silva Votos de legenda Total MDB Antônio Saturnino de Mendonça Neto Manoel Afonso de Melo Neto Alcides Muniz Falção Luiza Evangelista da Silva Walter Doria de Figueiredo Francisco José Galindo Pimentel Suplentes Paulo Roberto Malta Brandão Luiz Machado Lemos Ismael Pereira de Azevedo Antônio de Barros Castro Manoel Aureliano Reis Milton Maux Lessa Luiz Fernando Barros Manoel Miguel Filho Votos de legenda Total 6.098 Suplentes NOME João Lucio da Silva Luiz de Medeiros Netto PARTIDO/COLIGAÇÃO ARENA ARENA VOTOS 100.367 2.235 7.635 99.794 1.378 1.396 443 1.522 6.801 77.402 147.922 7.044 6.260 2.281 78.759 2.953 1.874 6.563 15.566 .652 22.851 483 1970 GOVERNADOR Afrânio Salgado Lages ( eleição indireta) SENADOR NOME Arnon Affonso de Farias Mello Luiz de Souza Cavalcante PARTIDO/COLIGAÇÃO ARENA ARENA Abstenção: Votos Brancos: Comparecimento: Votos Nulos: VOTOS 100.983 208.635 99.566 66.

091 16.122 1.906 4.941 4.328 3.669 4.495 PARTIDO ARENA MDB ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB VOTOS 9.883 17.652 DEPUTADO FEDERAL NOME José Costa Sampaio Vinicius Cansanção Filho José Alves de Oliveira Geraldo Bulhões de Barros Oceano Carleial José Carneiros da Cunha Sarmento José Marinho Muniz Falcão Sebastião Teixeira Cavalcante Neto Lauro Farias Silvestre Péricles de Góes Monteiro Astério Loureiro Dorvillé Farias José Bezerra Melo PARTIDO ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB ARENA MDB ARENA MDB Abstenção: Comparecimento: VOTOS 23.758 5.013 7.844 4.069 18.265 6.479 1.550 5.125 4.033 6.816 3.281 208.374 2.253 5.231 17.605 8.089 5.610 .064 66.214 5.621 15.291 5.805 5.746 12.281 208.529 3.579 4.012 5.497 5.484 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Abstenção: Comparecimento: 66.652 DEPUTADO ESTADUAL NOME Tarcisio de Jesus Antonio Ferreira de Andrade Divaldo Suruagy Alcides Muniz Falcão Geraldo Medeiros de Melo Theobaldo Vasconcelos Barbosa Jorge Duarte Quintela Cavalcante Nelson Simões Costa José Lucio de Melo Aroldo Loureiro Dorvillé Farias José Bandeira de Medeiros Guilherme Gracindo Soares Palmeira Humberto Melo Souza Walter Dória de Figueiredo Higino Vital da Silva Suplentes Edson Tenório de Almeida Lins Luiz Novais Tavares Remy Tenório Maia Alexandre Milito Filho Antonio de Barros Castro Sinval Rodrigues Gaia Ivan Bezerra Barros ARENA ARENA ARENA ARENA MDB ARENA MDB 4.

087 11.970 VOTOS 73.443 3.337 1.875 485 .578 17.929 2.624 64.737 58.652 23.120 2.205 PARTIDO ARENA VOTOS 73.650 14.214 10.920 2.465 845 784 750 647 251 218 66.379 10.780 2.281 45.410 3.484 1.048 160.902 208.ABC das Alagoas José Sampaio de Medeiros Waldemar Freire Pereira Edmundo Tojal Donato Ademar Medeiros Cristiniano Fortes Nunes Plácido Feliciano Alvim Luiz Gonzaga Cavalcante Guimarães Waldemar Pereira Lima José de Almeida Araújo Ediel Lima Dias Cícero Torres Ramiro Costa Pereira Filho Milton Maux Lessa Apolonio Arcanjo de Melo José Wanderley de Barros Lima Natanael Calaço Rodrigues MDB ARENA ARENA MDB ARENA ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB MDB MDB MDB Abstenção: Votos Brancos: Comparecimento: Votos Nulos: 1966 GOVERNADOR Antônio Semeão de Lamenha Filho SENADOR NOME Teotônio Brandão Vilela Silvestre Péricles de Góis Monteiro PARTIDO ARENA MDB Abstenção: Votos Brancos: Comparecimento: Votos Nulos: Suplentes NOME Arnaldo Guedes Pinto de Paiva DEPUTADO FEDERAL NOME Oséas Cardoso Paes Djalma Marinho Muniz Falcão Segismundo Andrade Luiz de Souza Cavalcante PARTIDO ARENA MDB ARENA ARENA VOTOS 25.737 (eleição indireta) 3.537 2.

578 160.423 2.486 Francisco Reinaldo Amorim de Barros ARENA MDB ARENA ARENA MDB 8.567 5.460 8.641 2.431 3.296 2.775 2.917 8.557 2.708 3.206 6.854 8.561 2.707 2.632 2.955 2.218 2.201 .939 2.097 3.831 2.818 2.629 5.354 2.347 2.044 2.613 2.800 916 754 735 59 64.159 1.327 Oceano Carleial Cleto Marques Luz José Pereira Lúcio Luiz de Medeiros Neto Aloysio Ubaldo da Silva Nonô Suplentes Edson Tenório D`Ameida Lins Luiz de Gonzaga Mendes de Barros Vinicius Cansanção Filho Lumar Fonseca de Machado Ary Botto Pitombo Antonio Saturnino de Mendonça Júnior João Lins de Albuquerque Uchôa Filho Antonio Milton Pessoa Falcão Herman de Medeiros Torres Geraldo Majella de Mello Mourão Clóvis Calheiros Maia Gomes MDB ARENA MDB MDB MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB Abstenção: Comparecimento: 7.899 2.605 5.499 2.510 2.757 2.614 2.379 DEPUTADO ESTADUAL NOME Tarcísio de Jesus Alonso de Abreu Pereira José Lúcio de Melo Higino Vital da Silva Luiz Novais Tavares Aderval Vanderlei Tenório Elísio da Silva Maia Theobaldo Vasconcelos Barbosa Remy Tenório Maia Antonio Gomes de Barros Nelson Simões Costa Rubens de Mendonça Canuto Luiz Gilberto Pereira do Carmo Sarmento Alcides Muniz Falcão Eraldo Malta Brandão João Cabral Toledo Siloé Valeriano Tavares Diney Soares Torres Antonio Guedes do Amaral Guilherme Gracindo Soares Palmeira José de Medeiros Tavares Antenor Correia Serpa Aroldo Dorvillé Loureiro Farias Antonio Machado Lobo PARTIDO ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB ARENA MDB ARENA ARENA ARENA MDB MDB ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA VOTOS 3.

942 1.227 1.496 1.756 487 .344 1.928 1.594 1.394 1.944 1.108 1.495 1.889 1.518 1.205 1.671 1.609 1.212 1.ABC das Alagoas Antonio Lopes de Almeida Henrique Equelman Areski Dâmara de Omena Freitas Miguel Torres Filho Moacir Lopes de Andrade Ezequias Raimundo Alves Jorge Duarte Quintela Cavalcante Edmundo Tojal Donato Roberto Tavares Mendes Luiz Gonzaga Moreira Coutinho Ademar Medeiros Suplentes Júlio Soriano Bonfim Pedro Farias Sarmento Sinval Rodrigues Gaia Paulo José Brandão João Batista de Morais Hélio Ferreira de Araújo José Vasconcelos dos Santos Manoel Francisco da Silva José Paulo Moura Alexandre Milito Filho Jader de Lima Araújo Nelson Tenório de Oliveira Ednor Rodrigues Amorim Francisco Roberto Holanda de Mello Josenildo Ferreira de Carvalho Pedro Timóteo Filho Edval Tenório de Souza Lauro Farias Angélico Gomes de Melo Genildo Capitulino Lessa Santos Alfredo de Paulo Cavalcante Francisco Guilherme Tobias Granja Arnóbio Silva Minervo Fernandes Pimentel Luiz Gonzaga Malta Gaia Manoel de Medeiros Salgado Eliseu Teixeira Cavalcante Wanilo Galvão de Barros José Lourenço do Monte Oduvaldo de Araújo Persiano Maurício de Albuquerque Mello Luiz Pereira Alves Armando Moreira Soares Dácio Ferreira da Silva José Correia de Melo José Pereira de Lucena João de Omena Fireman ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA MDB MDB ARENA MDB ARENA ARENA MDB MDB MDB ARENA MDB ARENA MDB MDB MDB MDB ARENA MDB MDB 1.901 1.035 1.115 2.001 1.373 1.338 1.994 1.675 1.128 1.126 2.917 1.007 970 963 944 852 834 797 779 734 689 668 MDB ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA ARENA MDB MDB MDB 2.260 1.764 1.327 1.257 1.510 1.829 1.954 1.275 1.897 1.

271 1.584 27.488 Francisco Reinaldo Amorim de Barros ARENA MDB MDB ARENA MDB MDB MDB MDB MDB ARENA ARENA ARENA ARENA MDB MDB ARENA ARENA ARENA MDB ARENA ARENA MDB ARENA ARENA Abstenção: Votos Brancos: Comparecimento: Votos Nulos: 644 612 583 542 523 448 427 385 371 359 359 357 305 280 260 245 216 179 172 171 153 77 26 8 64. 1962 SENADOR Arnon Afonso de Farias Melo Rui Soares Palmeira PDC UDN 66.466 Votaram 143. conforme exigência da legislação eleitoral da época. em um eleitorado de 203.303 .452 160.654 eleitores.398 Paulo Duarte Cavalcante Ramiro Costa Pereira Manoel Aureliano Reis Dionísio José de Gois Pedro Teixeira Duarte Raul Ferreira dos Santos Ayrton Batinga de Mendonça Clodoval de Barros Pereira Antonio de Barros Castro Genésio Marques de Carvalho Waldemar Benardes de Mello Everaldo Lamenha de Carvalho Jorge Higino de Albuquerque Flavius Flaubert Pimentel Torres Helio de Miranda Taveiro José Wanderley de Barros Lima José Pinto de Barros Antonino de Albuquerque Malta Odílio de Oliveira Lisbôa José Vicente Barbosa Geraldo Cunha Amorim João Xavier de Araújo Nelson Marinho de Araújo Homero de Albuquerque Malta 1965 GOVERNADOR Muniz Falcão Rui Palmeira Arnon de Melo Geraldo Sampaio João Uchôa 59.578 15.379 7.391 3. que permaneceu no cargo até a eleição indireta do novo governador.260 50. Como o mais votado não obteve maioria absoluta. foi nomeado interventor João José Batista Tubino. em 1966.285 43.040.

736 1.613 1.150 .149 1.286 2.535 DEPUTADO ESTADUAL NOME Claudenor de Albuquerque Lima José Lúcio de Melo Elisio da Silva Maia Rubens de Mendonça Canuto Aderval Vanderlei Tenório PARTIDO/COLIGAÇÃO PSP UDN PSP PSP PSD VOTOS 3.637 4.ABC das Alagoas Hermann Medeiros Torres Mário Gomes de Barros Teotonio Brandão Vilela PDC UDN UDN 489 DEPUTADO FEDERAL Abrahão Fidelis de Moura Sebastião Marinho Muniz Falcão Aloísio Ubaldo da Silva Nono Oséas Cardoso Paes Ari Boto Pitombo Segismundo Andrade Luiz Medeiros Neto Oceano Carleial José Pereira Lúcio Suplentes Geraldo Costa Sampaio Carlos Gomes de Barros Francisco Elias da Rosa Oiticica Cid Feijó Sampaio Armando Salgado Lages José Tenório Cardoso Geraldo Magela Melo Mourão Henrique Cordeiro Oest Luiz de Gonzaga Mendes de Barros José Clóvis de Andrade Lumar Fonseca de Machado Antônio Góis Ribeiro Daniel Almeida Guimarães Ezequais Jerônimo da Rocha Silvestre Péricles de Góis Monteiro Antônio Bandocchi Alves Frederico de Moaraes Júnior Oscar Pessoa Tenório Cavalcante de Albuquerque Odilon Lins de Souza Leão João Climaco da Silva João Crisostomo de Farias UDN UDN PSD PSD UDN PSD PTB/PSP PTB/PSP PSD PTB/PSP UDN PSD PTB/PSP PTB/PSP PSD PSD PSD PSD PTB/PSP PSD PSD 5.438 1.315 3.181 1.351 4.324 1.731 2.599 3.991 12.339 12.593 8.848 5.653 15.214 5.322 2.095 477 370 338 245 233 180 51 23 PTB/PSP PTB/PSP UDN UDN PTB/PSP UDN PSD UDN UDN 15.098 1.386 6.970 8.485 2.695 4.

743 1.340 1.480 1.802 1.222 1.016 1.523 1.790 1.819 1.515 1.487 1.392 1.490 Francisco Reinaldo Amorim de Barros UDN PDC PL PSP PSD UDN UDN UDN PSP PL UDN PSD UDN PSD PL PSP PDC PL PSD PSP SP PL PTB PST PSP PTB PDC PDC PDC PST UDN UDN PL PSD UDN PSD PSP PL PL PSP PSP UDN UDN PTB PSP UDN PSD PSD PSD PDC PTB 2.061 Sinval Rodrigues Gaia José de Medeiros Tavares Cícero de Siqueira Torres Antonio Guedes do Amaral Arnaldo Pinto Guedes de Paiva Nelson Simões Costa Antonio Machado Lôbo Manoel Sampaio Luz Luiz Gonzaga Moreira Coutinho Remy Tenório Maia Antonio Gomes de Barros Antonio Simeão Lamenha Filho Aceski Damara de Omena Freitas João Cabral Toledo Tarciso de Jesus Robson Tavares Mendes Cláudio de Albuquerque Lima João Batista de Morais Elizeu Teixeira Cavalcante Cleto Marques Luz Pedro Timóteo Filho Gonçalo Menezes Tavares Henrique Equelman Lauro Farias Armando Moreira Soares Abelardo Lopes Dionisio José de Góis Luiz Gonzaga Malta Gaia Edeval Tenório de Souza Austeclínio Lopes de Farias Júnior Theobaldo Vasconcelos Barbosa Antenor Correia Serpa Eraldo Malta Brandão Edson Tenório de Almeida Lins Siloé Valeriano Tavares José Teixeira de Carvalho Sobrinho Sebastião Barbosa de Araújo José Maria de Omena Osmundo Donato da Silva Jayme Amorim de Miranda Luiz Augusto da Rocha Tenório Jorge Duarte Quintella Cavalcanti Jorge de Medeiros Pacheco Ulysses Vitorino Botelho Joel Marques José Gomes de Barros Aroldo Dorvillé Loureiro de Farias Manoel Freire Borges José Paulo Moura José Lourenço do Monte Ariel França Pitombo .185 875 1.146 1.886 1.415 1.303 1.237 1.208 1.531 1.751 1.880 1.247 1.730 1.271 1.082 1.021 2.310 1.558 1.614 1.639 1.311 1.377 1.150 1.252 1.325 1.501 1.580 1.452 1.189 1.761 1.024 2.415 1.749 1.093 1.181 1.579 1.743 1.761 1.

061 1.ABC das Alagoas José Lopes Duarte Djalma Marinho Muniz Falcão Mário da Costa Guimarães Marcello Lavenére Machado José Afonso de Melo Aquino Costa Rapyassú Diógenes Jucá Bernardes Mauricio de Albuquerque Melo José Reis de Campos Luiz Gutemberg Lima Silva Adalberto de Andrade Lima Meríce de Andrade Pereira Walter Dória de Figueiredo Dácio Ferreira da Silva Frederico Otto Kummer Angélico Gomes de Melo Aloísio de Almeida Vasconcelos Hamilton Santana Cardeal Paulo José Brandão Humberto Maia Alves Miguel Fidelis de Moura Otacílio Silveira Cavalcanti Aurino Malta de Oliveira Joaquim de Barros Leão Euríco Acióly Wanderley Audálio Santos Mironildes Vieira Peixoto José Lôbo Ferreira Luiz Pereira Alves Rubens Braga Quintella Cavalcanti Edvaldo de Melo Sena Deoclécio Ferreira da Silva Wilson Lucena Maranhão Jorge Luiz Reis Assunção João Bezerra da Costa Josenildo Ferreira de Carvalho José Veridiano Sarmento José Evilásio Torres Leônidas Barbosa Filho José Martins Filho José Correia de Melo Adalberto Ferreira dos Santos Sebastião Ribeiro de Carvalho Antonio de Barros Castro Jurandir Rodrigues Gíla Bonifácio José Bezerra Gesival Macêdo da Costa Fonsêca Augusto de Freitas Machado Pedro Guimarães Amorim João de Omena Fireman Luiz Gonzaga Cavalcante Guimarães PDC PSP UDN PL PDC PTB PTB PSP PSP PL PL PSP PDC PSD PSD PST UDN PSP PDC PDC PSP PDC UDN PDC PST UDN PDC PSD PST PL PTB PDC PTB PST PST PSD UDN PSP PTB PDC PL PL PST PST PDC PDC PL PSD PDC PSP PSP 1.035 1.004 984 957 954 932 922 916 907 857 854 841 833 816 816 815 812 808 775 767 764 756 733 709 693 667 665 660 657 647 637 637 634 606 555 553 547 535 526 505 488 479 468 451 421 415 384 383 376 491 .038 1.

492 Francisco Reinaldo Amorim de Barros UDN PDC PST PDC UDN PL PDC PTB PSP PST PDC PSD PSD PSP UDN PTB PSD PSD PDC PDC PDC PDC PST PSP PDC PDC PST PSP PTB PST PSP PSP PTB PDC PL PST PL PSP PL PDC PST PSP PDC PTB PST PDC PST PDC PSP PSP PDC 339 338 311 311 304 297 290 282 273 268 257 251 247 237 235 214 209 200 199 194 186 183 182 177 166 156 147 146 145 145 117 114 101 101 86 86 84 82 82 81 75 73 65 61 60 52 41 40 36 29 26 Antonino de Albuquerque Malta Antonio de Araújo Azevedo Júlio Farias de França Luiz Vieira de Barros Osmar Oliveira de Almeida José Ferreira de Souza Francisco Alves Mata Oséas Rabelo Maia José Aniceto de Lima José Salles João Batista Pinheiro Hélio de Miranda Taveiros Vinicíus Cansanção Filho Paulo Duarte Cavalcante Benedito Marques da Silva Antonio da Silva Frazão Antonio Aurélio Duarte Adaílton Pereira Rocha Geraldo Vasconcelos de Castro Danilo de Carvalho Houli Luiz de Barros Wanderley Aurélio Rodrigues Mousinho Manoel Gomes de Vasconcelos Cristóvam Vieira Rêgo José Pinto de Barros Antonio dos Santos Miguel Pedrosa de Macêdo Darnis Fireman de Araújo Delphino Cavalcante Antonio Sartunino de Mendonça Júnior Antonio Azevedo Rocha Miguel Alcides Filho José Wanderley de Barros Lima Ernestino Bianor dos Passos José Camilo Cabral Eraldo Canuto de Sá Sebastião Correia dos Santos Odílio de Oliveira Lisbôa Abel Ferino de Moura Moab Amorim Silva João Xavier de Araújo José Soares Filho Rui Lobão Barreto Cyro Casado Rocha Reinaldo Galvão Lima Ernesto Ferreira Tenório José Benedito de Mélo João de Oliveira Lima Benedito de Albuquerque Vasconcelos Luiz Carlos Falcão José da Silva Cardoso .

673 2.647 Votos Nulos: 4.623 3.483 Comparecimento: 145.816 50.358 Comparecimento: 124.454 VOTOS 51.327 Votos Brancos: 5.164 5.609 VOTOS 42.222 38.103 1961 GOVERNADOR Luiz de Souza Cavalcante 1958 SENADOR NOME Silvestre Péricles de Góis Monteiro Arnon Afonso de Farias Melo Ezechias Jerônimo da Rocha Antonio Guedes de Miranda PARTIDO/COLIGAÇÃO PST UDN PR/PDC PSD/PTB/PRP Abstenção: 10.311 24 21 19 18 8 7 7 3 1 1 1 1 493 .327 Comparecimento: 124.ABC das Alagoas José Miguel da Silva Pereira Adelino Cesar e Silva João Nunes Leite Sobrinho Antonio Antonino da Silva Fábio Calheiros Vanderlei Walter Tavares Mendes Milton Buarque Wanderley Mariana Monteiro Mário Peixoto da Silva Ciridião Florentino de Araújo Zadir da Silva Cassella Rubens Peixoto Costa PSD PST PTB PL PSP PSP PST PST PSD PSP UDN UDN Abstenção: 44.609 Suplentes NOME Nelson Tenório de Oliveira Teotônio Brandão Vilela Hernani Junqueiro Ortiz de Monteiro Edson de Carvalho PARTIDO/COLIGAÇÃO PST UDN PSD/PTB/PRP PR/PDC Abstenção: 10.045 Votos Brancos: 11.

578 4.483 1.327 Votos Brancos: 23.115 9.227 2.996 2.270 Comparecimento: 124.267 2.836 1.919 5.970 6.806 3.226 1.089 7.496 1.774 4.956 1.883 1.906 4.251 1.609 DEPUTADO ESTADUAL NOME Oséas Cardoso Paes Claudenor de Albuquerque Lima Adeildo Nepomuceno Marques José Pereira Lúcio Luiz Gonzaga Moreira Coutinho Rubens de Mendonça Canuto Antonio Semeão Lamenha Filho Cléto Marques Luz Antonio Gomes de Barros Elisio da Silva Maia Luiz de Gonzaga Mendes de Barros Ulisses Vitorino Botelho Pedro Timoteo Filho PARTIDO/COLIGAÇÃO PDC/PSP/PST/PSB PSP PSP PDC/PSP/PST/PSB PSP PSP PSD/PTB/PRP PSP PDC/PSP/PST/PSB PSP PSP PSP PSP VOTOS 3.345 3.810 6.806 VOTOS 11.994 1.772 6.883 1.892 1.782 9.262 6.428 3.840 1.194 5.709 5.748 3.374 2.494 Francisco Reinaldo Amorim de Barros DEPUTADO FEDERAL NOME Abrahão Fidelis de Moura Aurélio Viana da Cunha Lima Ary Boto Pitombo Luiz Medeiros Neto Odilon Lima de Souza Leão Filho Carlos Gomes de Barros Segismundo Andrade Aloísio Ubaldo da Silva Nonô Luiz de Souza Cavalcante Armando Salgado Lages Oceano Carleial José Maria de Melo Ismar de Góis Monteiro Francisco Elias da Rosa Oiticica Jorge Luiz Reis Assunção José Clovis de Andrade José Afonso Casado de Melo José Coralâmpio de Mendonça Braga Antonio Saturnino de Mendonça Junior Luiz Coutinho Duarte Antonio Góis Ribeiro Geraldo Majela Melo Mourão Hildebrando Falcão Manuel José da Silva Filho Edson de Carvalho Cícero Virgínio Torres João Clímaco da Silva PARTIDO/COLIGAÇÃO PDC/PSP/PST/PSB PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB UDN UDN PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP UDN UDN PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP UDN PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PDC/PSP/PST/PSB PDC/PSP/PST/PSB PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP Abstenção: 10.262 819 563 482 286 89 .515 2.

116 1.164 1.301 1.308 1.298 1.618 1.020 1.455 1.348 1.ABC das Alagoas Armando Moreira Soares Antonio Guedes Amaral João Cabral Toledo Luiz Augusto da Rocha Tenório Remy Tenório Maia Jorge Duarte Quintela Cavalcante Eliseu Teixeira Cavalcante José Bezerra Antonio Machado Lobo Mário da Costa Guimarães Hermann Elson de Almeida José Lobo Ferreira Moacir Cavalcante Peixoto João Batista de Moraes Walter Dória de Figueiredo João Malta Tavares Cícero de Siqueira Torres Antenor Correia Serpa Tarcisio de Jesus Henrique Equelman Bonifácio José Bezerra Eraldo Malta Brandão Siloé Valeriano Tavares Antenor Claudino da Costa Teotônio Brandão Vilela José Afonso de Melo Ramiro Costa Pereira Milton Militão da Silva Edson Tenório de Almeida Lins José Reis de Campos Aroldo Dorvillé Loureiro Farias José Evilásio Torres Alfredo de Paula Cavalcante José Maria de Omena Augusto de Freitas Machado Geraldo Costa Sampaio Otacílio Silveira Cavalcante Júlio Farias de França Luis Gonzaga Malta Gaia Dalmário Freire de Souza Duerno Vanderlei de Melo José Lopes Duarte Edmundo Tojal Donato Valdemir Lopes de Farias Nelito Nunes Carvalho Luiz Alberto Cansanção João Bezerra da Costa Dionísio José de Góis Luiz Gonzaga de Alapenha Amaral João de Omena Fireman Antonio Medeiros Neto PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSP PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP PSP PDC/PSP/PST/PSB PDC/PSP/PST/PSB PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PDC/PSP/PST/PSB PSB/PDC/PST PSP PSP PDC/PSP/PST/PSB PSB/PDC/PST PSD/PTB/PRP PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST UDN PSD/PTB/PRP UDN UDN PSP PSP PSD/PTB/PRP PSP PSD/PTB/PRP PSP PSD/PTB/PRP PSP PSD/PTB/PRP UDN UDN PSD/PTB/PRP PSP PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSP PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSP PSP PSP PSD/PTB/PRP 1.464 1.297 1.577 1.530 1.021 1.442 1.772 1.516 1.397 1.342 1.029 1.378 1.219 1.305 1.053 1.750 1.431 1.054 1.143 973 1.066 1.727 1.177 1.441 1.487 1.625 1.234 1.601 1.000 990 956 943 935 897 894 859 853 843 495 .577 1.442 1.538 1.668 1.

496 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST UDN PSD/PTB/PRP PSP PSB/PDC/PST PSP UDN PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP UDN PSP PSB/PDC/PST PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSP PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSB/PDC/PST PSD/PTB/PRP UDN PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST UDN PSB/PDC/PST PSP PSD/PTB/PRP PSD/PTB/PRP PSP PSB/PDC/PST PSP PSP PSB/PDC/PST PSP PSD/PTB/PRP PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSP UDN PSB/PDC/PST UDN PSD/PTB/PRP 795 734 731 688 681 669 657 652 636 630 601 575 559 529 527 515 510 508 492 455 442 437 430 422 421 417 391 382 379 379 359 347 338 331 327 308 307 305 296 295 275 240 231 217 210 185 167 164 162 157 156 Reinaldo Carlos de Carvalho Gama Antonio de Araujo Azevedo Adalberto de Andrade Lima Leônidas Barbosa Filho José Sebastião Bastos Francisco Teixeira de Vasconcelos Djalma Saldanha da Silva Manuel Ferreira de Barros Edvaldo de Melo Sena Antonio Machado Guimarães Artur Santos Clínio Pereira de Aguiar Vanilo Galvão de Barros Antonio de Mendonça Braga Ernandi de Castro Azevedo Djalma de Albuquerque Barros Hamilton Santana Cardeial Nestor de Figueiredo Gomes José de Medeiros Sarmento José Pinto de Barros Luiz de Freitas Rezende Aurélio Rodrigues Mousinho Pedro Farias da Silva Lauro Farias Hélio Tavares Lisbôa Ortegal Pontes Jucá Luiz Vieira de Barros Plácido Feliciano Alvim Francisco de Morais Lins Sandoval Ferreira Caju Rui Meira Barbosa Antonino de Albuquerque Malta Corino Rafael de Oliveira Adroaldo Alves Camelo Guilherme Duarte de Barros Milton Buarque Vanderlei Rubem Monteiro de Figueiredo Ângelo João Xavier de Araújo Cristóvão Vieira Rêgo Jonas Nutels José Sales Francisco Rocha Cavalcante Epitácio Afonso Pereira Manuel Alves de Oliveira Pedro Rocha Cerqueira Abílio Moreira Lima João Lins de Albuquerque Uchôa Filho Floriano de Souza Castro Luiz de Araújo Morais Donizetti Calheiros Marques Barbosa Francisco Tibúrcio da Silva Rizzo .

609 1955 GOVERNADOR Sebastião Marinho Muniz Falcão Sizenando Nabuco de Melo (vice-governador) 1954 SENADOR Antônio de Freitas Cavalcanti Rui Soares Palmeira Não Eleitos: Ismar de Góis Monteiro Antônio Guedes de Miranda Silvestre Péricles de Góis Monteiro Suplentes Afrânio Salgado Lages Luiz de Souza Cavalcante 53.763 56.309 43.674 47.ABC das Alagoas José Portugal Ramalho Américo Gonçalves de Lima José Silvio Barreto de Macedo Augusto Pereira da Costa Manoel Miguel dos Santos Antonio Afrânio da Silva Albérico Pimentel Penha José Limeira Filho Pedro Cavalcante Joel Almeida Amorim Odélio de Oliviera Lisbôa Manuel Dias da Silva José Gomes da Cunha Ernesto Ferreira Tenório Benedito Manuel dos Santos Silva Filho Humberto Cavalcante Lins José da Silva Cardoso José Cavalcante Maranhão José Casado da Cunha Lima Avilonel Alves Lemos Antonio Germano de Souza Odulfo Ribeiro Alípio Luiz da Silva Murílio Mendonça de Oliveira PSB/PDC/PST PSP PSD/PTB/PRP PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSP PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSD/PTB/PRP PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST PSB/PDC/PST Abstenção: 10.832 .556 8.865 154 142 137 124 123 113 113 82 82 80 76 74 72 69 68 61 42 38 31 24 22 11 5 1 497 60.036 Comparecimento: 124.327 Votos Brancos: 6.894 55.085 (eleito) 50.061 56.

PDC.056 3.410 2. PTB.444 7.498 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 47.760 6.201 3.501 2. PSB. PSP e PR) Sebastião Marinho Muniz Falcão Luiz de Medeiros Neto Aurélio Viana da Cunha Lima Ari Boto Pitombo Suplentes José Caralampio de Mendonça Braga Antônio Saturnino de Mendonça Júnior Joaquim de Barros Correia Viegas Clóvis Calheiros Maia Gomes Antônio Góes Ribeiro José Mendes Guimarães Oscar Maurício da Rocha PST Silvestre Péricles de Góes Monteiro Alfredo Monteiro Quintela João Clímaco da Silva 4.501 1.487 4.580 2.868 3.613 8.208 4.983 2.145 43.663 1.817 .273 Não Eleitos: José Sebastião Teixeira Agenor Bernardo Carneiro da Cunha Esmeraldino Menezes de Oliveira DEPUTADO FEDERAL UDN José Afonso Casado de Melo Oceano Carleial Armando Salgado Lages Segismundo Andrade José Maria de Melo 8.069 5.239 426 Pelas Oposições Coligadas (Aliança Partidária do PSD.126 Suplentes Eustáquio Gomes de Melo José Quintela Cavalcanti Mário Gomes de Barros Remy Tenório Maia Hildebrando Martins Falcão Cícero Virginio Torres 5.254 votos 254 votos 159 votos DEPUTADOS ESTADUAIS UDN José Marques da Silva Ulisses Vitorino Botelho 3.408 13.953 7.403 1.115 7.814 1.183 7.

439 1.590 1.188 499 .455 1.417 1.263 1.ABC das Alagoas Geraldo Costa Sampaio Luiz Gonzaga Moreira Coutinho Luiz de Freitas Rezende José Bezerra Renato Alencar Vilar Antenor Correa Serpa Teotônio Brandão Vilela Carlos Gomes de Barros Herman Elson de Almeida Antônio Gomes de Barros Antônio de Albuquerque Malta Antônio Machado Lobo Mário da Costa Guimarães Siloé Valeriano Tavares Suplentes Virgílio Barbosa José Onias de Carvalho Antônio Nunes de Araújo Ademário Vieira Dantas Luiz Gonzaga Alapenha do Amaral Aroldo Dorvilé Loureiro de Farias José Correia Filho Jorge Duarte Quintela Cavalcanti Aryl Pontes Lira Tarcísio de Jesús Demócrito Vanderlei Sarmento Filho Leônidas Barbosa Filho Adalberon Cavalcanti Lins Abelardo Pontes Lima Lincoln de Souza Cavalcanti João Felino Tenório Olavo Uchôa de Omena José Lourenço do Monte Valter Dória de Figueiredo Pedro Buarque de Gusmão João Batista de Morais Joaquim Homero Galvão Fernando Dâmaso Sampaio João Carlos de Albuquerque Filho Jorge de Medeiros Pacheco Manuel Casado de Melo Valdemar de Souza Lima PSD Claudenor de Albuquerque Lima Aderval Vanderlei Tenório Arnaldo Pinto Guedes de Paiva Augusto de Freitas Machado Antônio Semeão Lamenha Filho 1.904 2.345 1.471 1.070 991 981 951 941 908 906 890 880 827 798 768 739 735 702 698 692 547 529 482 429 340 314 2.095 1.276 1.765 1.113 1.387 1.177 1.773 1.273 1.358 1.518 2.572 1.175 1.315 1.691 1.

456 1.321 1.500 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1.216 1.138 Edson Tenório de Almeida Lins Luiz Gonzaga Malta Gaia Antônio Moreira Suplentes Reinaldo Carlos de Carvalho Gama Mário Fernandes Torres José Pinto de Barros João Teixeira Cavalcanti Antônio Ribeiro Casado Manuel Ferreira de Barros Manuel Valente de Lima Antônio Marinho de Melo Manuel Machado Pontes Dionísio José de Góis Roberto Sarmento de Castro Milton Gonçalves Ferreira João Araújo de Abreu Carlos do Vale Ferro Leonídio Tojal Muritiba Mário de Vasconcelos de Cavalcanti Gilberto Menezes Nascimento Alberto Soares Silva Vasconcelos Lizanel Duarte José Ferreira Sampaio Mário Duarte de Barros PTN – Partido Trabalhista Nacional Oséas Cardoso Paes Humberto Correia Mendes João Cabral Toledo Antenor Claudino da Costa José Afonso de Melo Suplentes João Malta Tavares Artur Santos Luiz Alberto Cansanção Jovino Lins de Gusmão Lira Elísio Fontes Cunha José de Medeiros Aprato Antônio Martins Pinto Domingos de Araújo Lima Francisco Teixeira de Vasconcelos Divaldo Acióli Lindoso Mateus Carlos de Barros José Correia Peixoto Plácido Feliciano Alvim Luiz dos Santos Leal 984 885 834 831 769 746 615 501 377 344 320 308 270 233 217 141 141 94 90 83 67 2.785 2.096 843 631 626 603 537 446 428 427 361 318 295 239 156 143 .775 1.180 1.

681 1.191 1.ABC das Alagoas Antônio de Góis Barbosa Ulisses Marinho de Albuquerque José Rossiter Correia Antônio de Araújo Costa José Cavalcanti Maranhão João Serrano Júnior Bertulino Alves Feitosa PTB Abrahão Fidelis de Moura Sizenando Nabuco de Melo Manuel Freire Borges Suplentes Jorge Luiz Reis Assunção Pedro Timóteo Filho Benito Freitas Melro Osmário Gomes da Silva Rego José Amorim Pereira Eraldo Malta Brandão João Faustino da Silva Aristeu Teixeira Cavalcanti José de Medeiros Sarmento José Ferreira e Silva Pedro Barbosa Júnior Ataíde de Oliveira Mah Lobão Barreto Josué da Silva Júnior Jacy França e Silva Fernando Freitas França Irailda Lins de Oliveira Genésio Herval Nascimento Elias Casado Gonçalves José Raimundo Nascimento Francisco Viveiros PSP –Partido Social Progressista Otacílio Silveira Cavalcanti Ramiro Costa Pereira Júlio Farias de França Suplentes João Beltrão de Castro Armando Moreira Soares José Evilásio Torres Nelson Tenório de Oliveira Valdemir Lopes de Farias Gladstone de Araújo Barros Francisco Arlindo Gomes Ferreira 746 736 694 678 661 529 471 809 790 754 713 647 572 502 439 429 429 407 157 144 104 76 65 55 36 35 32 24 111 92 75 56 35 29 16 501 1.103 1.004 946 829 .

962 36.482 38.927 SENADOR NOME Ezechias Jerônimo da Rocha Pedro Aurélio de Góis Monteiro PARTIDO/COLIGAÇÃO UDN Comparecimento: VOTOS 49.676 99.478 38.927 Comparecimento: DEPUTADO FEDERAL NOME Antonio de Freitas Cavalcanti Rui Soares Palmeira Arnon Afonso de Farias Melo Ari Boto Pitombo Joaquim de Barros Correia Viegas PARTIDO/COLIGAÇÃO UDN UDN UDN PST PST VOTOS 9.041 5.502 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 463 366 366 333 255 249 237 219 199 155 139 136 105 86 47 46 25 13 Clínio Pereira de Aguiar Luiz Vieira de Barros Jarmelino Jorge de Souza José Vanderlei de Barros Lima João de Omena Fireman Oséas Santos José Reis de Campos Luiz Gonzaga Lira Aurélio Rodrigues Mousinho Armando Davino Francisco Rocha Cavalcante Euclides de Andrade José Gomes da Cunha Miguel Alcides Filho Luiz Graccho de Franca Jatobá José Maria Martins Cavalcanti Djalma Aragão Valença Manuel Monteiro da Silva1 1950 GOVERNADOR NOME Arnon Afonso de Farias Melo Luiz Campos Teixeira PARTIDO/COLIGAÇÃO UDN Comparecimento: VOTOS 56.651 99.896 8.370 8.209 7.516 .338 99.927 Suplentes NOME Antonio Ribeiro Casado Abelardo Lopes PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD VOTOS 49.

927 5.135 99.502 1.718 1.237 1.894 3.917 1.136 2.005 1.066 2.234 1.255 1.526 1.344 3.776 1.881 1.288 568 560 515 489 362 252 251 104 503 .439 1.ABC das Alagoas Luiz de Medeiros Neto Antônio Saturnino de Mendonça Junior Sebastião Marinho Muniz Falcão José Caralampio de Mendonça Braga Mário Gomes de Barros José Maria de Melo José Evilásio Torres Antônio Gois Ribeiro Álvaro Calheiros João Crisóstomo de Farias João Clinaco da Silva Hildebrando Martins Falcão Adauto Leão Viana Ismar de Gois Monteiro Eustáquio Gomes de Melo Francisco Afonso de Carvalho Cícero Virginio Torres Luiz Ferreira Tavares Lessa Ezechias Jerônimo da Rocha Antonio Baltazar de Mendonça José Lins de Gusmão Lira Luiz Magalhães da Silveira Mac Dowel Bezerra Montenegro Murilo Marroquim de Souza PSD PSD PST PST UDN PSD PST PST PST PST PST PSD PST PSD UDN PST PSD PSD UDN PSD UDN PST PSD PSD Comparecimento: DEPUTADO ESTADUAL NOME José Lucena de Albuquerque Maranhão José Pinto de Barros Adalberon Cavalcanti Lins Lourival de Melo Mota Claudenor de Albuquerque Lima Augusto de Freitas Machado Dalmário Freire Souza Segismundo Andrade Luiz Gonzaga Moreira Coutinho Ulisses Vitorino Botelho Francisco Arlindo Gomes Ferreira Mário Fernandes Torres Oséas Cardoso Paes Oceano Carleial Siloé Valeriano Tavares Carlos Gomes de Barros Remi Tenório Maia Mário da Costa Guimarães Ramiro Costa Pereira João Cabral Toledo PARTIDO/COLIGAÇÃO PST PST PST UDN PST PST PST UDN UDN PST PST PST PSD UDN UDN UDN PSD UDN PSP PST VOTOS 2.768 2.035 2.047 3.449 2.385 1.753 1.802 1.834 1.197 1.622 2.428 4.804 3.192 1.289 3.171 1.985 3.371 2.408 1.620 2.

103 1.028 1.011 953 938 925 913 835 536 1.039 1.078 1.504 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PST PST PST PST PST PST PST UDN PSB PSD PSD PSD PSD UDN PSP PST PST PST PST PST PST PST PST PSD PST PST PST PSD UDN PST UDN PSD PSD UDN PST UDN PSD PST UDN UDN UDN PST PSD PST UDN PST PST PST PST UDN PST 1.126 1.006 1.134 1.000 928 906 905 893 881 877 831 831 824 823 804 780 752 745 729 705 677 624 621 613 608 606 587 567 564 558 543 540 500 499 496 496 Abraão Fidelis de Moura Aril Pontes Lira Manuel Ferreira de Barros Benito Freitas Melro José Lopes Duarte Sizenando Nabuco de Melo Virgilio Barbosa Antonio de Albuquerque Malta Aurélio Viana da Cunha Lima Antonio Ribeiro Casado Milton Buarque Vanderlei Antenor Claudino da Costa Pedro Buarque de Gusmão Olavo Uchôa de Omena Júlio Farias de França José Lourenço do Monte Teonilo Cravo Gama Euclides da Silva Boia Ademário Vieira Dantas João Malta Tavares Carlos Santa Rita José Afonso de Melo José Cesar Sobrinho Reinaldo Carlos de Carvalho Gama Aderbal da Costa Raposo Melquiades João de Deus João Beltrão de Castro José Romariz Manuel Ivan de Albuquerque Vilela Alfredo Gaspar de Oliveira Mendonça Joaquim de Barros Leão João Teixeira Cavalcanti Austeclinio Lopes de Farias Antonio Machado Lôbo João José de Freitas Geraldo Lúcio da Silva Agenor Berardo Carneiro da Cunha Mário Marroquim João Carlos de Albuquerque Filho José Marques da Silva José Soares de Souza Edson da Silva Porto José Ferrer e Silva Moacir Cavalcante Peixoto Osvaldo Souto da Rocha Jorge Luiz Reis Assunção José de Medeiros Sarmento Otacilio Silveira Cavalcante Marêncio da Costa Barros Fernando Dâmaso Sampaio Jeronimo da Cunha Lima .115 1.041 1.127 1.018 1.

ABC das Alagoas Manuel Valente de Lima José Bruno Ferrari Hilton de Lima Pimentel Divaldo Acioli Lindoso Lincoln de Souza Cavalcante Milton Gonçalves Ferreira Teófilo Pereira José Maria de Albuquerque Claudenor de Albuquerque Sampaio Orlando Tertuliano de Almeida Lins João Lins de Gusmão Lira Mário Brandão Gomes de Sá Hélio Rocha Cabral de Vasconcelos Antônio Fernandes de Melo Costa Waldir de Andrade Bitú Geraldo Pereira Brasil Paulo de Castro Silveira José de Morais Mendonça Wilson Rodrigues Câmara Osvaldo Veloso Rosas José Maria de Omena José Ferreira de Macêdo Vital de Meira Barbosa Edson da Rocha Falcão Francisco Alves Mata Carlos Cansanção Guimarães Luiz da Silva Fausto Miguel Pedrosa de Macêdo João Xavier de Araújo Aloísio Barbosa de Souza Jeremias Gomes Costa José Antônio da Silva Paulo Ramalho Pedrosa Francisco Marroquim Souza José Teixeira Neto Bertulino Alves Feitosa Antônio Mário Mafra José Reis de Campos Gercino Moreira Cerqueira João Batista de Morais Hamilton de Carvalho Morais José Vanderlei de Barros Lima José Batista dos Santos Manuel Casado de Melo Manuel da Silva Ferro Manuel Ribeiro da Rocha José Sales José Mário Soares Mariêncio de Almeida Leite Diniz Fireman de Araújo José Cavalcante Manso PSD UDN PSD UDN UDN PSD PSP PST PSD PSD UDN PSP PSD PSP PSP PSB PST PSD UDN PST PSP UDN PSD PSP PSD PSD PSP UDN PSD PSP PSB PST PSD PST PSB PST PSD PSP PSB UDN PSD PSP PST UDN PSD PSP PSB PSP PSP UDN PSD 437 435 431 429 429 420 419 407 406 406 391 390 390 386 377 377 375 364 358 355 351 350 347 345 344 344 334 324 286 275 262 258 241 231 231 222 216 212 206 205 201 201 200 196 190 179 175 170 168 167 162 505 .

506 Francisco Reinaldo Amorim de Barros UDN PSP UDN PSD PSD PSP PSD PSB PSD PSB PSD UDN PSB PST PSD PSP PSB UDN PSB PSP PSD PSB PSP PSD PSP PSD PSP PSB PSP PSP PSB PSP PSP PSB PSB PSB PSB PSP UDN PSD PSP UDN UDN PSB PSB PSB PSB Comparecimento: 99.927 149 148 140 134 132 129 125 114 111 111 101 99 97 93 87 84 84 80 79 72 71 70 70 68 66 59 58 58 57 54 51 42 39 37 34 32 31 29 28 26 18 3 0 0 0 0 0 Mateus Carlos de Barros Armando Davino Antônio da Silva Frazão Afrânio Augusto de Araújo Jorge Manuel Miguel dos Santos Nemesio Machado da Cunha Paranhos Alexandre Dantas Cavalcanti José Augusto Tenório Costa Luiz de Araujo Morais Antonio Pedro da Silva José Ludovico da Costa e Silva Petrônio Ferreira Sarmento Gaspar Vieira de Melo Argeu de Souza Pimentel Luiz Alves Montenegro Manuel Alves da Rocha Lira Miguel Raimundo do Nascimento Filho José Ferreira Sampaio Murilo Mendonça de Oliveira Djalma Aragão Valença José Cavalcante Maranhão Benedito Brasil Romeu Costa Lima Afonso Gonçalves Jaime Galvão Otávio Cavalcante Zau Rubem Reinaldo Barbosa Leão Júlio Cavalcante Lima Manuel Dias da Silva Cipriano da Silva Jucá José Pedrosa de Medeiros Pedro Alves Neto Teódulo Augusto da Luz Abdon de Lima Torres Ulisses Mendes dos Reis Manuel Nunes dos Santos Miguel Pereira de Omena Antônio de Barros Castro Aloísio Ferreira de Mélo Eunice Lavenere Reis Luiz Gonzaga Filho Benedito Alves da Silva Álvaro de Oliveira Góis Leônidas Barbosa Filho Eraldo Leão Calado José Policarpo de Mendonça José Lins de Albuquerque Uchôa Filho José da Silva Leite .

900 22.273 1.399 1.002 1.472 1.282 3.415 1.633 PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD PSD VOTOS 33.876 507 .875 22.897 1.034 1.516 117 5.020 1.009 970 945 936 922 904 903 PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD UDN UDN UDN UDN PSD PSD UDN VOTOS 25.070 1.ABC das Alagoas 1947 GOVERNADOR NOME Silvestre Péricles de Góis Monteiro Rui Soares Palmeira SENADOR NOME Pedro Aurélio de Góis Monteiro Pedro da Costa Rêgo Suplentes NOME Reinaldo Carlos Carvalho Gama Joaquim de Barros Correia Viégas Espiridião Lopes de Farias Júnior José Quintela Cavalcanti Lourival de Melo Mota Alfredo de Barros Lima Júnior Hildebrando Martins Falcão Francisco Cândido de Oliveira Mendonça Lauro Bezerra Montenegro Antonio de Melo Machado José Maria de Melo DEPUTADO ESTADUAL NOME Humberto Gustavo Altamiro Guedes de Paiva Antonio Baltazar Mendonça José Pinto Barros Manoel Valente de Lima Oceano Carleial José Evilásio Torres Tércio Vanderlei Antônio Ribeiro Casado Oséas Cardoso Paes João Climaco da Silva Segismundo Andrade José Caralâmpio de Mendonça Braga Carlos Gomes de Barros João Teixeira Cavalcanti Sizenando Nabuco de Melo Miguel Torres Filho Mário da Costa Guimarães Ari Boto Pitombo Aloísio da Silva Nogueira PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD PSD PSD PSD UDN PSD PSD PSD PSD PSD UDN PSD UDN PSD PTB PSD UDN PTB PSD VOTOS 2.171 18 3 1 PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD UDN VOTOS 32.140 1.796 9.643 1.065 21.094 1.296 1.

508 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PSD PCB PSD PSD PSD PSD UDN PSD UDN PTB UDN PTB PCB PCB UDN UDN PSD PSD PSD PSD PSD UDN UDN UDN PSD UDN PSD PCB UDN UDN PSD PSD PTB UDN PTB PTB PSD UDN UDN UDN PTB UDN UDN UDN PTB PCB PCB PCB PCB UDN PCB 896 895 862 843 803 764 764 684 682 597 568 562 506 441 Augusto de Freitas Machado André Papini Góis Agenor Berardo Carneiro da Cunha Hilton de Lima Pimentel Benedito Freitas Melro Milton Buarque Vanderlei Luiz Gonzaga Moreira Coutinho José Romariz Joaquim de Barros Leão Jerônimo da Cunha Lima Francisco Arlindo Gomes Ferreira Edson da Silva Porto José Maria Cavalcante Moacir Rodrigues de Andrade Lourival de Melo Mota Aurélio Viana da Cunha Lima Cícero Cabral Toledo Austeclinio Lopes de Farias Vital Meira Barbosa Coaraci Mota Fonseca João Teixeira de Vasconcelos Alcides Marques de Sá João Carlos de Albuguer Filho Benon Maia Gomes José de Mendonça Alves Lincoln de Souza Cavalcanti José Afonso de Melo José Almeida Jaques Azevedo Carlos Santa Rita Armando Goulart Wucheres Agrícola Guerra José de Medeiros Sarmento José da Cruz Rezende João Freitas Pedro Buarque de Gusmão Mário Marroquim do Nascimento José Lourenço do Monte Alfredo de Barros Lima Júnior Luiz Calheiros Júnior Antonio Góis Ribeiro Francisco Tiburcio da Silva Rizo Paulo Silveira de Castro Medeiros Luiz Serapião Simões Antonio Sapucai Cavalcanti Lins Filho Jaime Barbosa da Silva José Francisco de Oliveira José Lira Sobrinho Oscar Silva Hermano Sampaio Plech Júlio de Almeida Braga 662 652 643 630 608 564 554 507 451 448 432 421 406 404 399 398 391 385 362 356 338 333 326 322 296 294 276 275 273 264 262 262 260 255 247 .

ABC das Alagoas Alberto Passos Guimarães Afrârnio Augusto de Araújo Jorge Inácio Brandão Gracindo José Antonio da Silva José Austregesilo Feliciano de Ataide Euclides da Silva Bóia Diógenes Jucá Bernardes Florentino Cavalcante Donizeti Calheiros João Martins do Rego Filho José Cláudio de Farias Cardoso Ciridião Durval e Silva Samuel Lima Manoel Miguel dos Santos Ulisses de Mendonça Braga Júnior Antonio Nunes Leite Luiz Antonio Moreira de Mendonça Antonio Góis Barbosa Cícero Virgínio Torres Mário Silva Lima Hélio de Sá Carneiro José Fernandes Barreto George de Barros Cabral Jorge Luiz Reis Assunção Armando Almeida Vasconcelos Bertulino Alves Feitosa Laurindo Vieira Vasconcelos Pedro Cavalcante Alexandre Dantas Cavalcante Manoel Marques Soares David Mendonça da Rocha Cirilo Gomes da Rocha Manoel Procópio de Melo Júnior João Batista Lamenha Lins José Paulino de Albuquerque Sarmento José Batista dos Santos Eustáquio Gomes de Melo José Maria de Morais Floriano Ivo Júnior José Alfredo de Carvalho João Malaquias de Almeida Filho José Magalhães da Silveira Ernandi Maia Lopes Marcial de Alencar Barreto Coelho Auristelo Pradinis Rego Benedito de Oliveira Costa Francisco José da Silva Porto Junior Durval Coelho Normande Raul de Freitas Melro José Rossiter Correia Ezequiel Simplício de Miranda PCB PSD UDN PTB PTB PTB UDN PCB UDN UDN PTB PSD PTB PCB UDN PTB UDN PTB PTB PTB PCB PCB PCB PTB PCB PTB PSD PTB PTB PTB PCB PCB PTB PTB UDN PTB UDN PCB PCB PSD PTB UDN PCB PTB PCB PCB PSD PSD UDN PTB PCB 245 241 238 232 222 213 209 196 187 185 175 165 164 159 148 147 147 144 132 124 120 117 108 106 103 100 98 86 85 84 83 81 80 78 71 65 64 62 61 61 57 54 53 53 52 50 50 45 44 44 42 509 .

388 2.684 2.390 1.921 2.105 5.314 2.178 2.638 2.588 3.510 Francisco Reinaldo Amorim de Barros PCB PCB PTB PCB PCB PTB PTB PCB PCB PCB PTB PTB PTB PCB PCB 41 36 33 33 28 27 19 17 16 14 14 9 8 2 1 Gervásio Francisco dos Santos Eufrazio Luiz dos Santos José Viana Filho Péricles de Araújo Neves Clodoveu de Ávila Fernandez Luiz Cornélio Regis Manoel Cícero dos Santos Lauro Leite Martins José Carmo da Silva Murilo Leão Rego Delorei Amaral Romualdo de Oliveira Lima Boaventura Vieira Dantas José Torres Lins Valfredo Galindo 1945 SENADOR NOME Cônego Cícero Teixeira de Vasconcelos Tenente Coronel Ismar de Gois Monteiro Pedro da Costa Rego Hermilo de Freitas Melro Luiz Carlos Prestes José Francisco de Oliveira Afrânio de Araújo Jorge Luiz Lavénere DEPUTADO FEDERAL NOME Silvestre Péricles de Gois Monteiro Cônego Luiz de Medeiros Neto Lauro Bezerra Montenegro Ari Boto Pitombo Mário Gomes de Barros José Maria de Melo Rui Soares Palmeira Ezequias Jerônimo da Rocha Esperidião Lopes de Farias Júnior Francisco Afonso de Carvalho Antonio Mário Mafra Antonio de Freitas Cavalcanti Ulisses de Loureiro Luna Alfredo de Barros Lima Júnior José de Castro Azevedo Manuel Xavier de Oliveira Lourival de Melo Mota Arnon Afonso de Farias Melo PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD PSD UDN UDN PC do B PC do B PRP PRP VOTOS 33.532 5.251 194 PARTIDO/COLIGAÇÃO PSD PSD PSD PTB UDN PSD UDN UDN PSD PSD PSD UDN UDN UDN UDN PSD UDN UDN VOTOS 6.482 2.232 2.640 31.365 3.300 .319 3.838 5.713 22.328 3.297 2.327 2.126 1.277 3.504 20.

088 1. Antônio Abrânio da Silva João Lins de Albuquerque Uchoa Filho 505 359 311 293 274 223 219 218 189 174 103 91 .093 911 771 751 473 417 255 237 209 193 180 125 79 71 62 24 20 10 4 0 511 José Lopes Duarte José Ferreira de Macedo José Moacir Teófilo Cooracy Mata Fonseca José Sales 157 José Correia da Silva Aziz Abud Cabús Wilson Tavares Correia Benedito Brasil Delfino Cavalcante José da Silva Cardoso Américo da Silva Oliveira Júlio Auto da Cruz Oliveira PSB Diógenes Jucá Bernardes Hildebrando de Almeida Guimarães Carlos de Gusmão Miranda Antônio de Araújo Azevedo Artur Meyere Leite Jeremias Gomes Costa Antônio Souto Dantas José Policarpo Mendonça Pedro Soares Vieira Ernesto Ferreira Tenório.ABC das Alagoas Luiz Magalhães de Silveira Pedro de Mota Lima Luiz Carlos Prestes Audemaro de Albuquerque Alves Hildebrando Martins Falcão André Papini Góis Antonio Gois Ribeiro Abdon de Lima Torres Anfilofio de Melo Julio de Almeida Braga Oscar Fiel de Carvalho Angelito Souto de Medeiros José Maria Cavalcante Hélio de Sá Carneiro Luiz de Araújo Morais Edson de Carvalho Graciliano Ramos Benedito Carlos Rufino Washington de Almeida Loiola Fernando de Freitas Melro Romeu Otavio da Silva Azevedo Delorizano de Araújo Morais PDC PSD PC do B PC do B PTB PRP PC do B PTB PRP PRP PC do B PTB PC do B PC do B PC do B PRP PRP PC do B PC do B PRP PRP PRP PRP VOTOS 609 452 369 268 149 97 91 76 74 53 39 22 178 2.

Editor proprietário: Saturnino de Souza. microf. Nac. em 1884 em Passo de Camaragibe. a mesmo de O Camaragibe. Apareceu. O Jornal. pelo 2o. com o fim especial de advogar a candidatura de Messias de Gusmão à Assembléia Geral. Distrito. . Impresso em tipografia própria. Saíram apenas cinco números. Bibl. ano I n. 5 ?/11/1884.512 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Albérico Pimentel Penha Antônio Germando de Souza Antônio Cícero Barbosa Togo Falcão José Limeira Filho 57 53 22 448 90 PST PR Rioguli Jerônimo da Rocha Vital de Meira Barbosa Edson da Silva Porto João Xavier de Araújo Manoel Miguel dos Santos Antenor Guilherme João de Araújo Góes Antônio Nunes Leite Raul Lopes de Oliveira Luiz de França Neto José Ludovico da Costa e Silva Walfrido de Barros Góis 365 263 223 218 157 84 72 66 31 29 14 13 PRP Luiz Leite e Oiticica 103 1934 Deputados Estaduais Hermilo de Freitas Melro Lima Júnior Castro Azevedo Albino Magalhães Serzedelo Correia Francisco Cândido Artur Acioli Quintela Cavalcante Luiz Mendonça Afrânio Lages Lili Lages Oposição Rodrigues de Melo Melo Mota Mota Maia ELEITOR.

como “órgão de defesa da classe”. Surge. 1989. n. EDUFAL. Além do mais. Mantém em Palmeira dos Índios uma rádio FM Canal 223. UFAL: Ano I. Juliana Lopes ( AL ? ) Obra: Índios do Nordeste: Temas e Problemas 2. contava com a cultura do algodão. 870. e o mais que decorrer enquanto não lhe der sucessor. Sou servido isentá-la absolutamente da sujeição. Impresso na Tipografia Constitucional. v. VI. Trimestral. n. entre o quarto crescente e a lua cheia. (juntamente com Luiz Sávio de Almeida e Marcos Galindo). e em particular dos seus habitantes. Bibl. posteriormente substituido por Inácio Passos Júnior. padre Jonas Tertuliano Corsino de Macedo e Filigoneo Avelinio de Araújo. ano V. em sua obra História da Civilização das Alagoas. em plantas resinosas e tinturarias. trimestres). em 16 de setembro de 1817. Majestade ( D./ dez. EMISSORA RIO SÃO FRANCISCO LTDA. 5 ( 1o e 2o. Com a rubrica de S. como prescrevia o contrato. constituída por Adriano de Oliveira Maia e José Antunes Loureiro. a Empresa de Luz Elétrica de Alagoas e os velhos lampiões de querosene. para servir por tempo de três anos. semestres de 1992). As lampadas públicas eram apagadas às 3 da manhã. e. ainda. EMANCIPAÇÃO DE PERNAMBUCO “Convindo muito ao bem regimen deste Reino do Brasil e à prosperidade a que me proponho elevá-lo. Freq. A sua indústria açucareira contava com cerca de duzentos engenhos. em Maceió em 25/3/1859. 5 (1990 ). Explorava-se a riqueza vegetal -. em Penedo. a pecuária. que desveladamente se empregue na aplicação dos meios mais convenientes para dela se conseguirem as vantagens que o seu território e situação podem oferecer em benefício geral do Estado. Em 1817. João VI ) “ ( *) Jaime de Altavila. n. Nac: n. em lugar de COMARCA DAS ALAGOAS. deu-se mais pelo fator econômico e não. O fornecimento de luz particular se limitava ao período de 6 da tarde a 1 da manhã. semestres 1991). pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. 7 ( 1o. ano II. A firma concessionária era Adriano & Loureiro. Mantém. EMPRESA DE LUZ ELÉTRICA DE ALAGOAS Ao final do século XIX. Quarto Trimestre. pois. Substituia. ( out. ou seja. em 14/1/1896 foi inaugurado o sistema de iluminação elétrica de Maceió. além de uma OM. era caro o . O Jornal. A vida agrícola prosperava. (jan. ano de 1997.com 47 engenhos de açucar. como obra de agraciamento. oleoginosas e texteis. 2o. 1989 ) n. sem. segundo as minhas reais ordens. ano IV n. VII. n. “governador de Pernambuco./mar. e da minha real fazenda. O comércio era próspero. n. funcionarem nas noites de lua.em madeiras de construção civil e naval. em que até agora esteve do governo de Pernambuco. Redatores: Domingos Pires de Freitas. com um governo independente. e 2º. pois. alerta para o fato de “Por um inexplicável lapso. da mandioca e de vários cereais. do fumo. EMENTÁRIO DE JURISPRUDÊNCIA ALAGOANA Publicado em Maceió.ABC das Alagoas 513 ELIAS. . Redator-gerente: José de Barros Acioli Júnior. e atendendo ao boas qualidades e mais parte. 4.0 Khz. 01. fazia sobressair a prosperidade das Alagoas. simples comarca. Acreditam alguns historiadores que o desligamento político das Alagoas. trimestre 1990). ano 1998. que a reja na forma praticada nas mais capitanias independentes. no decreto real de 16 de setembro de 1817. além da cana de açúcar. Palácio do Rio de Janeiro. Suspensa a publicação em 23/4/1859. dando conta de tudo diretamente pela secretaria de Estado competente. vem grafado Província das Alagoas. que a Província das Alagoas ( * ) seja desmembrada da Capitania de Pernambuco e tenha um governo próprio. 10. 1490. “. contava oito vilas e sua população seria de cerca de 100 mil habitantes Eclesiasticamente estava dividida em dez freguesias. 8 ( 1o. 6 ( 3o e 4o. EMPRESA DE COMUNICAÇÃO SAMPAIO LTDA. Duarte Sodré Pereira. ao sugerir a El-Rei a extinção da capitania da Paraíba. 10 freguesias e uma renda anual de 3:800$000 em dízimos para o erário real. EMPREGADO PÚBLICO. erigindo-a em capitania. com o número 4. v. 9. que concorrem na pessoa de Sebastião Francisco de Mello. 1989) ano 2. contudo. Alagoas. Em janeiro de 1817 já se manifestara a câmara da vila de Maceió pela emancipação da Comarca”. a partir de janeiro de 1989. uma OM Freq. sendo que os dois últimos se retiraram ao ínicio da publicação . hei por bem nomeá-lo governador dela.0 Khz. de Pernambuco. Bibl. caída em visível decadência. n. Explorava-se. Maceió. Já em 1730. com faculdade de conceder sesmarias.

Localiza-se após São Brás.514 Francisco Reinaldo Amorim de Barros fornecimento. Localiza-se após São Brás. Pertence ao município de Piranhas ENXADA. Maceió. 2. Segundo Jaime de Altavila “muitas vezes foi chamado para pregar na Bahia. do IHAA. . 1977 ENFOCA Jornal. Revista dos alunos do 3o ano de Jornalismo da UFAL. Diretor comercial. 1923/24. entre aquelas formadas pelo processo erosivo do rio ou de seus depósitos nos terraços marginais. Anteriormente. e tanto para a luz pública como para a domiciliar o fornecimento foi estendido até 3h30 da manhã. de sua terra natal. Mantém em Arapiraca uma rádio FM.. Empresa Agropecuária do Estado de Alagoas – Epeal. Rapidamente os geradores deixaram de ter capacidade para atender à demanda. e as públicas viviam em constante colapso. Diretor de redação Cleto Falcão. No 1º número: Diretor responsável Joaquim Braga de Lima. Foi literato. Maceió. Em 1926 foi liquidada a Empresa de Luz Elétrica de Alagoas. EMPRESA GRÁFICA DE COMUNICAÇÃO PAJUÇARA LTDA. em Maceió em 1868. segundo MMS. Impresso na Tipografia do Progressista. de 1874. em 1913. Canal 277. uma emissora FM. O número mais recente conhecido. em offset. Livaria Machado. músico./fev. sendo o seu primeiro número de out/nov 1976. As lampadas residênciais mal iluminavam. Organizado por Oscar Leal.. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DO ESTADO DE ALAGOAS . foi ampliado até o amanhecer. Canal 258. entre aquelas formadas pelo processo erosivo do rio ou de seus depósitos nos terraços marginais. Ligada ao sistema de pesquisa federal da EMBRAPA. Surge. que se tornou mais admirado pelas composições musicais . não podendo ser recebido pelos de renda mais baixa. Publica: Comunicado Técnico. dadas as facilidades das trevas. Diretor Administrativo. Situada às margens do Rio São Francisco. ENTREVISTA Revista publicada em Maceió. O horário da iluminação pública. dá-se notícia do oferecimento do número de jan. agravado pela impossibilidade de se importar o necessário carvão combustível. orador insigne. Editor Petrucio Vilela. devido à primeira guerra mundial. Editor de texto. ENTRE MONTES Distrito. 1981. sendo organizada para substituí-la a Companhia Força e Luz de Maceió.” ENSAIO LITERÁRIO Jornal. Lagoa..EPEAL Um dos órgãos componentes da Secretaria de Agricultura e Irrigação.. professor. com periodicidade irregular. cujos bondes começaram a funcionar naquele ano. aboliu-se a parte do contrato que previa a iluminação pela Lua. Osvaldo de Paula Oliveira. em 1924. Só volta a circular em junho de 1980. Cezar Braga. orador sacro. Filho de José Joaquim Pacheco. José de Santa ( Penedo AL . com o temor das com o temor das autoridades pelos possíveis reflexos em Maceió. Em sessão de 28 de março de 1874. em conseqüência da revolução que explodira em São Paulo. Romeu Vieira Belo. EMPRESA NOVA ARAPIRACA DE RADIDIFUSÃO LTDA... ENGENHO Lagoa. cantor de nomeada. Professor do Convento de São Francisco. a concessionária passara a vender energia à Companhia Alagoana de Trilhos Urbanos. é o 7. Mantém em São Miguel dos Campos ENCICLOPÉDIA DOS MUNICÍPIOS ALAGOANOS. Indicador Comercial do Estado de EMPRESA DE PUBLICAÇÕES E INFORMAÇÕES COMERCIAIS Alagoas. de Félix da Costa Moraes. ano.Penedo AL 1838 ) Frade. De outra parte. Situada às margens do REio São Francisco. ENGRÁCIA.

Deputado estadual em três legislaturas: 1959-62. em Maceió a 1/5/1908. como também peças do bumba-meu-boi. Em 2003. ESCOBAR. publicado em Penedo como órgão do Externato José Batinga a partir de 15/6/1910. “a base desta escarpa difere da oriental. Batente. prefeito de Maceió de 6/2/1970 a 5/3/1971. Miguel Guedes Nogueira. Joaquim Goulart de Andrade. 81 ESCOLA. 1910. na parte voltada para o mar. Indústria e Comércio. Suas serras: Azul. 3. pelo Diretor da Escola de Aprendizes Artífices do Estado de Alagoas. pelo Dr.Vento. no Campus Jaraguá da FAL. Produz bonecas de pano. Ministro da Agricultura. Programa dos Cursos Primário de Desenho. 3 de 8/6/1884 e n. ano I n. Bacharel em Direito pela Faculdade de Recife. 1 1/2/1892.ABC das Alagoas 515 EQUELMAN. ano II n. do mesmo colégio. Cruzes. no Governo Muniz Falcão. Maricota. microf. Quinzenal. Destacam-se as serras Bonifácio. 1 15/6/1910. Em Alagoas denominamos Escarpa Cristalina Oriental. Ministro da Agricultura. em 1/2/1892. T. Relatório Referentes aos Anos de 1912-1915. Nac. sob a direção da Sociedade Recreio Científico. ano I n. Bananal. como órgão da Escola Central. 1913-1916. Bibl. ainda. Maceió. de 11/6 a 20/10 e. em janeiro de 2002. pelo PTB. Maceió. Cedro. Livraria Fonseca. na parte do Planalto de Garanhuns. Ouricuri. do IV Salão Alagoano do Livro e da Arte. realizada no Museu Théo Brandão. Liv. Impressa na Tipografia da Pátria. Nac.Segundo Ivan Fenandes Lima. Cocal. microf. pois não existe depressão periférica”. prefeito de Maceió. Secretário da Fazenda e também. Apresentados ao Exmo. ESCOLA. 63-67 e 67-970. de Tânia Pedrosa. porque uma outra existe. Palmeira. em 1883 torna-se uma publicação mensal. Situada no Rio Mundaú. Mariquita. de 18 a 26 de outubro. no Armazém Dom José.Maceió AL 5/1979) Deputado estadual. D’água Dois Irmãos. secretário de estado. Pedra Talhada. Americana. realizada de 27 a 31/8. como órgão dos alunos do Colégio Bom Jesus. da Educação. A Surge em Maceió em 16/9/1882. Muro. p. Fundado pelo aluno Joaquim T. Sr. ESCOLA DE APRENDIZES ARTÍFICES DO ESTADO DE ALAGOAS Publicou: Relatório Apresentado ao Exmo. A Periódico literário e recreativo. Dr Pedro de Toledo. 1911. bem como da exposição A Universid’Arte XI. 2. Coleção Tânia de Maia Pedrosa. microf. Nac. Em in-oitavo.IAPB e IPASE. Aquiles ( AL ? ) Artesão. Diretor do Mesmo Instituto Técnico Profissional Primário. advogado. “Revista literária e cientifica”. 9 e ano IV n. Em 20/4/1885 passou a ser impresso na tipografia do colégio. Ouro. A Surge. participou da Exposição Coletiva Arte Iguatemi. Naceia. ESCOLA ALAGOANA. Pinhas ou Piãs. I n. de Mendonça. Impresso na tipografia de Amintas J. “quando se findam os tabuleiros e passamos pela depressão periférica deparamo-nos com a Escarpa Meridional do Planalto da Borborema. Tip. para o lado ocidental do sertão”. do qual foi líder na Assembléia. ESCOLA. Eng. realizado. ano II números 1 e 3. Suspendeu-se a publicação nesse mesmo ano. ano III n. Sr. Bibl. em Jaraguá. Indústria e Comércio. Cotia. Luciano. Fundado e redigido por Dario Gomes. Maceió. Citado in Arte Popular de Alagoas. Foi delegado de polícia em Maceió. São Pedro. Diégues. . na divisa com Pernambuco ESCARPA CRISTALINA OCIDENTAL . com três colunas. Procurador de Institutos de Aposentadorias . das Flores. ESCADA Cachoeira. Bibl. Henrique (Paraíba 1908 . quando concluiu o mandato do então prefeito Divaldo Suruagi.” ESCARPA CRISTALINA ORIENTAL Segundo Ivan Fernandes Lima. Participou da Exposição Arte Popular. Cuscus. Publicado bimensalmente pelo Grêmio Literário Tavares Bastos. Comércio. Tamoatá. P. A Surge em Maceió. Roberto Costa e outros. 1 de 8/4/1884.

sempre destinados a magistradores e servidores do Poder Judiciário. ESCOLA DE MAGISTRATURA DE ALAGOAS . Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas. 1996.516 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Publicou: A Nova Escola de Aprendizes ESCOLA DE APRENDIZES MARINHEIROS DE ALAGOAS Marinheiros de Alagoas. Valdemar Graça Leite. .298. ESCOLA NORMAL DE MACEIÓ Criada pelo Lei Provincial n. Conselho Estadual da Magistratura e Escola Superior da Magistratura do Estado de Alagoas – ESMAL). que é o presidente do Tribunal de Justiça e cujas atividades são coordenadas por uma secretaria-geral. aperfeiçoamento e de atualização de magistrados ( Art. Paulino Santiago foram alguns dos alagoanos precursores dos estudos folclóricos no Estado. parte da Escola. José Ysnaldo Alves Paulo. existe todavia como um apreciável núclo de cultura. seja na área jurídica. e José Pimentel de Amorim. inclusive a linguagem especializada. no exercício da vice-presidência do Estado de Roberto Calheiros de Mello. Carlos Mero. quando seria nomeado. ESCOLA DE VIÇOSA Joaquim Diegues. As professorandas da turma de 1918 publicaram A Nota. para aprendizagem do professorado das primeiras letras.Evilásio Torres.ESMAL Criada pela Lei 4. transforma a Escola Normal em Instituto de Educação. que se cria a Escola Normal do Estado de Alagoas. Publicados: Rotina Básica de Ação Ordinária. Casa Ramalho. ainda. folclorista nato. Fica o vale do rio Canhoto. advinhas. Nela se destacam: José Aloisio Vilela – dedicado à poesia popular. eram Diretor-Geral do curso o desembargador Orlando Monteiro Cavalcanti Manso. pertence ao Patamar Cristalino do Nivel de 500 metros. com notas remissivas de Antônio Carlos Barros Lima. um pequeno jornal. de doutrinas. embora sem ligação direta com o folclore -. Editora Scortecci. atualização. como parte do Liceu Alagoano. dedicado à literarura oral: contos. José Aragão. José Rebelo. 1996. Manoel Diegues Junior chamou o grupo de Escola de Viçosa afirmando que “se não existe como um corpo de métodos. Sua vida autonoma é. Théo Brandão – entregue aos estudos dos folguedos populares. curta. que os estimulava a estudar cientificamente a sabedoria popular. José Maria de Melo. Ademar Vasconcelos. Fizeram. de 18/11/1937. Sua finalidade é o planejamento e a realização de cursos de preparação. de certa forma. ESCOLA TÉCNICA DE COMÉRCIO DE ALAGOAS Sucede a ACADEMIA DE CIÊNCIAS COMERCIAIS DE ALAGOAS. continuando a obra. pelo Decreto 601. São Paulo. 86 do Código de Organização e Divisão Judiciárias do Estado de Alagoas). ESCOLA TÉCNICA FEDERAL – ETFAL veja CENTRO TECNOLÓGICO FEDERAL DE ALAGOAS ESCONSO Serra. que irá desanexar a diretoria da Escola Normal da direção do Liceu Alagoano. Em 1872 forma sua primeira turma. Gráfica Editora Gazeta de Alagoas. composta de quatro alunos. e secretário-geral o juiz aposentado Romualdo da Silva Monteiro. E mais. onde se congregam elementos de valor intelectual”. Tem promovido sucessivos cursos de formação. será o Decreto 1731 de 1/2/1933. com nove meses de duração. mas é somente em 11/11/1912. quando o desembargador Eraldo de Castro Vasconcelos presidia o Tribunal de Justiça. de 9/9/1986. teve início em 30/1/1989. Alfredo Brandão. Organização Judiciária de Alagoas. Paulo Roberto de Oliveira Lima. 424. Regimentos Internos Consolidados (Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas. 1991. pois o Decreto 2. então. Maceió. O primeiro curso. Em 1906 o curso é reformulado. 1997. bem como na área da informática. Segundo Ivan Fenndes Lima. dedicado a desenvolver pesquisas sobre a medicina popular. Como a maioria deles era procedente de Viçosa. Editora GRAFITEX.804. sentinelas. SERGASA.segundo Arnon de Melo em seu depoimento sobre o cinqüentenário do Grêmio Guimarães Passos -. Instalada em 9/6/1869. treinamento e aperfeiçoamento. Outros nomes ilustres surgiram posteriormente. Execução Civil – Singular e Coletiva. com o corpo discente composto por vinte e dois magistrados de primeira instância. o seu primeiro diretor. Em 2002. Instalada em 26/2/1988. Os dois primeiros voltaram-se para o folclore conduzidos pelos exemplo de seu tio Olegário Vilela. Luís Lavenère. Arnóbio Graça. Gráfica Editora Gazeta de Alagoas. Seu corpo docente é formado por magistrados e professores de Direito contratados pelo Diretor-Geral.

em 13/5/1897. Nomeado. surge em Maceió em 5/4/1887. rofessor de Geografia. . do projeto que criou a Biblioteca Pública Estadual. Propriedade de José Vicente. Tipografia de Amintas de Mendonça. Proprietário: José Rufino de Moares. ESPIÃO. permanecendo até 11 de março do mesmo ano. Redator principal: José Canário. surge em Maceió. tendo defendido a tese Dissertação Acerca da Influência Progressiva da Civilização Sobre o Homem. unem-se por meio de canais que formam a continuação do Rio Poxim. 25 20/10/1895. na legislatura 1860-61. Direção: Antônio Monteiro. Surge em Maceió em 1/5/1905. Nac. ESCOVA. Sócio efetivo do IHGA – empossado em 18/2/1870. Publicado em dias indeterminados. Thomaz do Bomfim (Maceió AL 14 segundo IHGA ou 18 setembro/1832 . em 30/1/1878. ?/11/1887. Eleito para a Assembléia Provincial pelo Partido Liberal. inspetor de Higiene. Publicado quatro vezes por mês. os cargos de inspetor-geral da Instrução. Redatores: Antônio de Almeida Romariz e José Bitinga. assume a administração em 8 de fevereiro. Surge em Penedo em 1876. presidente interino da província. e volta a se reeleger em 1866-67. ESPIÃO. Proprietários: Riagano Ragiose. Redator-chefe: Dr. como “órgão popular”. 15 e 25 de cada mês. ESCOVA. Redatores diversos. Em in-quarto. Nac. Nac. é profunda e viscosa. O Jornal. Palmatória. 10 Direção: Jacinto Marinho. em folheto. surge em Penedo em 1906. ESPIA. O Jornal. tomou posse no governo de Alagoas a 30/7/1867. Stigma. Bibl. ESPELHO. médico. “Crítico e notícioso “. O “Periódico crítico de pequeno formato”. Ocupou. Publicação semanal. Localizada no município de Coruripe. 39 de 13/2/1896. O Jornal. Nac. Secretário: Dr. ESCRINIO. Diversos redatores. jornalista. Estudos inicias e preparatórios em sua cidade natal. Uma das formadas por entulhamento de terraços flúvio-marinhos em área onde deságuam varios riachos e.Maceió AL 6/3/1889) Deputado provincial e geral. reelege-se em 64-65. microf. depois de tapados. surge em Pilar em 05/4/ 1892. Fundado por Orestes Lima e Olegário Lima. Autor. Impresso na tipografia de O Manguaba.pelo 1º círculo. 1o.2 de 22/4/1892. ainda pelo mesmo distrito. “Crítico e noticioso “. surge em Pão de Açúcar em março de 1895. n. ESCURA Lagoa. Redatorchefe: Antonio Serva. como publicação semanal. Em sua administração. Patrono da cadeira 11 da AAL. Deputado geral nas legislaturas 1878-81 e 81-84. n. A Revista literária. ainda. ano I n. Bibl. O Jornal. Bibl. Jornal. Surge em Pilar em 1/3/1894. ESPÍNDOLA. Literário e humorístico. A Jornal. com três colunas. microf. pelo Partido Liberal. permanecendo até 6 de agosto. microf. surge em Maceió em junho de 1894. Como presidente da Câmara Municipal . de apenas sete dias. em março de 1908. Editor e proprietário: Fernando Mendonça. “Crítico e noticioso”. surge no Pilar. Vide Timbó ESPARELA. vice-presidente. ano II n. sendo patrono da cadeira 38 da instituição. já agora pelo 1º distrito. foi inaugurada a navegação do Rio São Francisco. Filho de Thomaz Florêncio do Bomfim Espíndola e Rosa do Bomfim Espíndola. crítica e humorística. Publicado nos dias 5. secretário: Antonio Sabino. unindo Penedo a Piranhas. Litografado. microf. Cronologia e História do Liceu Alagoano. Publicado semanalmente. A Jornal. tem seis quilômetros de comprimento. entre outros.ABC das Alagoas 517 ESCOVA. A Jornal. Formou-se em Medicina pela Faculdade da Bahia (1853). ESPIA. como “crítico e noticioso”. Publicou: Geografia Física. Bibl.

O Método dos Resultados. da Gazeta de Notícias. Profilaxia do Cólera Morbus Epidêmico. onde concluiu o ginasial.? 29/1/1937) Filho de Alfredo Artur do Espírito Santo e Zulmira Nunes do Espírito Santo. Racionalização do Uso de Energia Elétrica na Iluminação Pública de Maceió. p. Maceió. Engenheiro da CEAL. na Fundação Getúlio Vargas. na primeira eleição por distritos. EDUFAL. Francisco Duarte. A Participação do Nordeste no Processo Decisório. ESPORTE CLUBE ALAGOAS Clube de futebol. Antologia. 1988. Convalescença. Claudenor ( Maceió AL 24/4/1913 . de Carlos Moliterno. da Base Oriental da Escarpa Cristalina ou ESPINOSA. Maceió. Redatores diversos. Ginkana Operacional na Distribuição . [ INDUSGRAF]. Dessa obra foi tirada uma segunda edição. do Bonfim Espíndola. Energia: Um Mergulho na Crise. Maceió. 1866. em 6/8/1867. ( ? ) Deputado provincial. 1871. ano I n. Relatório da Instrução Pública. Thomaz Bomfim Espíndola.518 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Política. Segurança de uma Empresa de Energia Elétrica. Coleção Luiz Sávio de Almeida. ESPÍRITO SANTO.: Ex-votos de Alagoas.167-168. e. Serra. Secretário de Administração da Prefeitura Municipal de Maceió. “da Terra e do Espaço”. Exposição Alagoas – Um Estado do Nordeste. Publicou. 5 de 15/4/1901 ESPÍRITO SANTO. Exposição Alagoana Hoje. Assessor da Subcomissão de Energia do Senado Federal e consultor do PNUD/Eletrobrás. 1976. Bibl. . 1985. fundado em 12/4/1869. Democratização da Energia. A Crise Energética. no qual se afirma ser publicado aos 15 e 20 de cada mês e ano II n. ESPÍRITA ALAGOANO. sob o titulo Geografia Alagoana. Principal redator de O Liberal. Posteriormente. Considerações Gerais Sobre um Projeto de Iluminação Pública. Geoberto ( AL ) Engenheiro. corrigida e aumentada. A Democratização da Energia. Considerações Gerais e Clinicas. 1983. pelo 2º distrito. em folha especial. Política e Histórica da Província das Alagoas.Nac. Primeiros estudos no Colégio 11 de Janeiro. 1860. ano I n. Histórica e Administrativa da Provincia de Alagoas. Base Para uma Reforma Institucional no Setor Política Energética de Base Municipalista. Membro da AAI. Maceió. Cursos de especialização em Confiabilidade de Sistemas. do Jornal de Maceió. Maceió. Tip. 1878. Maceió. O Órgão do Grupo Espirita São Vicente de Paulo”. professor. Dieta. Começou a ser publicado nas próprias páginas da Orbe. 1874. Colaborou em Novidade e Alvorada. microf. Com Último Adeus e Religião participou de Notas Sobre a Poesia Moderna em Alagoas. ESPINHAÇO DA GATA “Depressão Periférica “. sofrendo transformações no formato e no número de páginas. O Liberal. onde se aposentou. Descrição das Viagens do Dr. Protestos e Propostas. EDUFAL. padre. Relatório com que o Dr. EDUFAL.. Professor da UFAL. 9 de 21/6/1900 contém a informação de que “publica-se às quintas-feiras”. EDUFAL. 1862. Maceió. 1989. Entregou a Administração da Provincia de Alagoas ao 1º Vice-Presidente Dr. Sintomas. 1870. pelo 4º círculo e reeleito para a legislatura 1862-63. Dedicou-se a atividades comerciais. Impresso na Tipografia Mercantil. Arquitetura e Consumo de Energia. alterou a ortografia do título para Espirita Alagoano. ESPORTE Clube de futebol. Maceió.. Domingos Lepoldino da C. ou Descrição Física. Localização de Bancos Capacitores em Redes de Distribuição. Maceió. T. surge em Maceió em 5/5/1900 com o título de O SPIRITA ALAGOANO. Maceió. Presidente da Câmara Municipal de Maceió. depois. Viagem do Presidente da Província Francisco de Carvalho Soares Brandão a Povoação de Piranhas e Paulo Afonso. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1944 a 1947. Alternativa Para a Sua Superação.Rio de Janeiro. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1954 a 1958. Engenheiro Civil pela UFAL (1971). Publicado nos dias 15 e 30 de cada mês. Artigos Selecionados. Eleito deputado provincial na legislatura 1860-61. Operação Automática de Bancos de Capacitores em Redes de Distribuição. Tratamento Curativo Desta Moléstia. José Bento Cunha Figueiredo Júnior ao Interior da Província de A1agoas. Segundo Ivan Fernandes Lima. na Universidade do Chile e Especialização para Executivos. Ceará. Tip. 13 15/8/1900. Elementos de Geografia e Cosmografia Oferecidas à Mocidade Alagoana pelo Dr.

IHGA – 1932: março a dezembro.ABC das Alagoas 519 ESPORTE CLUBE PENEDENSE Clube de futebol. na verdade. 4 a 31/12/1889. ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DA CANA-DE-AÇÚCAR Relatório Anual � Dezembro de 1969. desde então. 1979. sextas e domingos. dirigido por João Palmeira. 1985. Neste último se anuncia que é publicado às quintas e domingos. O Jornal. A partir de 13/1/1890 passou a vespertino. era dirigido por Rui Palmeira e secretariado por Clódio Rodrigues. O Jornal. O Jornal. Dizendo-se republicano era. Publicado semanalmente. aparecendo novamente a 1/10/1890. o Liberal com nova denominação. abr. surge em Maceió em 15/11/1891. agora dirigido por Ambrósio Cavalcanti de Gusmão e. Participou dos campeonatos alagoanos de 1962 a 64. Exposição: Galeria da Sucata Decorações (1993). ano II n. Redator Principal: Pedro Nolasco Buarque de Gusmão. Impresso na tipografia da Drogaria Alagoana. até 11/3/1890. em Paris (1984). “Órgão republicano “. Ana Maria Ramos (AL ) Publicou: O que é o Serviço Social. André Henrique Nunes ( ? 30/7/1966) Pintor. o caso é que. Publicado em Maceió. Deixa de circular por um período. Ano II. Nac. Publicado em Maceió entre 16 março a 31 de dezembro de 1932. Diário. 1. em Penedo. Bibl. Publicado em Maceió entre abril de 1921 e maio de 1922. também dono da tipografia onde era impresso. nac. Jaime de Altavila. estabelecemos e promulgamos a seguinte Constituição do Estado de Alagoas”. ESTÉA. para ter a circulação suspensa emmaio de 1891. 1 a 23. por razões políticas Baltazar Mendonça muda-se para Recife. ESTÁDIO REI PELÉ veja TRAPICHÃO ESTADO. ESTANDARTE. 106 22/2/1885. fundado em 3/1/1909. São Paulo. só voltando a circular com a saída do interventor Afonso Carvalho (2/3/1934). em 22/6/1883. Nele atuaram Tito de Barros. Suspensa sua publicação em 1935. ESTADO DAS ALAGOAS e ESTADO DE ALAGOAS A denominação. dirigido e redigido por Baltazar Mendonça. . Diretor: João Francisco Duarte. IHGA – 1921: abril a dezembro. ESTEVAM. 66 a 71. sendo na época órgão do Partido Socialista de Alagoas. Ao completar três anos.micro. Pretendia defender os postulados da Revolução Paulista. ano I n. Ano I. 7 4/2/1892. ESTATÍSTICAS DE ALAGOAS Publicação da Fundação Instituto de Planejamento de Alagoas. depois. por José Duarte. No entanto. É pois a Constituição de 1891 o primeiro ato oficial a adotar a locução Estado de Alagoas. Bibl. Levou três meses suspensa a sua circulação. quando. 88 a 90. O mais antigo do futebol alagoano. E esta foi a utilizada na proclamação dirigida ao povo pelo Governo Provisório. até a República. Também conhecido como Penedense. ano I n. pois circulara até 12/12/1933. Jaime de Altavila e Povina Cavalcanti. Publica-se as quartas. 1934: março a setembro. n. Propriedade de Mello Rocha. 1933: janeiro a dezembro. era das Alagoas. Instituto de Informática. 2001 e 2002. Surgiu em Maceió em 4/12/1889. o preâmbulo da Constituição de 1891 declarava “ Nós os representantes do Povo Alagoano. em 18/11/1889. ESTADO. em 15/3/1934. ESTADO DAS ALAGOAS Jornal. Brasiliense. ESTEVÃO. surge em Maceió. Formação artística na Escola de Arte Rougier Plé. reunidos em Congresso Constituinte para organizar um regime autônomo democrático. 1 22/6/1883. em sua História da Civilização de Alagoas não encontra justificativa para a mudança: “Por uma lacuna do copista ou por um erro injustificável dos nossos constituintes. 74 a 86. as Alagoas passaram a chamar-se oficialmente estado de Alagoas”. ano I n. Foi órgão oficial de 4/12/1889 a 20/11/1890. ESTADO DE ALAGOAS Jornal. 16 3/11/1883 e ano III n. A Jornal. microf.

“Periódico literario. em vista do progresso que teve o lugar com pouco tempo de existência. O Jornal. em Maceió. A. Município. surge em Maceió em 5/8/1878.520 Francisco Reinaldo Amorim de Barros ESTEVES. IHGB Ano I.672 foram concedidas à empresa os favores da Lei de 24 de setembro de 1873. n. Em 1952. juntamente com Osvaldo Viegas. tendo destaque Antônio. Manuel e Augusto Gonzaga. 563 de 24 de maio de 1870.5%. Mazoni.. de. “Semanário de literatura. Tipografia própria. na casa de Honorato Gonzaga.096 de 12 de janeiro de 1876 autorizou a Alagoas Brazilian Central Railway Company a funcionar no império. . autorizou a construção da E. Tem em tráfego 10 kms sendo sete kms de Jaraguá a Bebedouro e três kms. “Revista literária. pelo comerciante Luiz Duarte. 5. Acelera-se o desenvolvimento. Registra a história que seus fundadores pertenciam à família dos Gonzagas. “Órgão dos estudantes do Liceu de Maceió”. ESTÍMULO. Bi-semanal. havia na região muitos animaes selvagens. IV). X. segundo o Convênio SEMA/ SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. e “órgão do Externato Pilarense”. J. ESTRELA D’ALVA Jornal. 1977 (Meio Ambiente. a 17 de maio de 1879 foi considerada caduca a concessão da garantia de juros feita pelo Dec. 6. F. a Lei Geral n. inaugurou-se o trafego no trecho já construido. ESTRELA DE ALAGOAS. Maceió. ciências. autorizou o governo a conceder isenção de direitos de importação sobre todo o material necessário às estradas contratadas pela provincia. Nac. 1-5 (abr/mai. Estrelenses. Impresso na Lit. Propriedade de uma associação. ESTREA. “Conta a tradição que em meados do século XIX. O Jornal. Daí haver sido denominado de “Bola” o povoamento que se formou. le-se no trabalho do Dr. renovados mensalmente. de Felix da Costa Moraes. 1980. Brasileiro. entre os quais se destacava o tatu-bola. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1961 a 1965. Maceió. os demais na do Partido Liberal. Assis e Amarante Filho fundam em Penedo um periódico “órgão crítico e literário” publicado duas vezes por mês. atravessa a capital e vai até o povoado do Bebedouro. Vegetação Ocorrênciais e Usos. n. Um dos principais afluentes do Rio Piauí. Seus primeiros números foram impressos na tipografia do Progressista. semanal. Dirigido por uma associação tipográfica e impresso na tipografia do Partido Liberal. incansáveis na luta pela prosperidade do povoado. SERGASA. microf. ESTRADA DE FERRO JARAGUÁ A BEBEDOURO. Gerleni Lopes ( AL ) Publicou: Contribuição ao Conhecimento da Vegetação da Restinga de Maceió. o Dec. Propriedade de Leopoldo Brazileiro. nos. noticioso e humoristico”. letras e artes”. ESTIVA Rio. a primeira feira livre”. ESTIVADORES Clube de futebol. da Imperatriz. porto da capital. o ramal do Trapiche. 1951 de 17 de julho de 1871. O município foi criado em 5/10/1989 e instalado em 1/1/1993. pela margem direita. Em 16/7/1893. Dirigida por dois alunos. o vigário de Palmeira dos Índios celebrou a primeira missa no povoado e instalou uma escola. A Jornal. Picanço: ‘A Lei Prov. instrutiva e noticiosa”. Sobre o histórico desta Estrada.44m. o ramal que dirigese ao trapiche da lagoa do Norte. Sua base econômica é a agricultura. 5672. e a idéia de emancipação cresce entre a população. ESTÍMULO. surge no Pilar em 7/5/1905. declividade máxima 2. Por sugestão do padre foi mudado o nome de “Bola” para “Estrela “. Desmembrado de Minador de Negrão e Cacimbinhas. ESTRELA DO NORTE Jornal. surge em 1868. Os trilhos são do tipo Vignole-ferro. Pouco antes de Maceió entronca-se na linha principal. A empresa não pode construir a linha além do Bebedouro’ “. ano I 5/8/1878. em 19 de outubro de 1873. Em 9 de janeiro de 1959 foi promovida. As condições técnicas da linha são: bitola 1. O padre Ludgero justificou “esta localidade é uma estrela brilhante”. Encontra-se na mesorregião do Agreste Alagoano. Bibl. raio mínimo das curvas 120 m. Administrador: Jaime Barbosa. surge em Maceió em 21/4/1878. em 17 de junho de 1874 pelo Dec. “Parte de Jaraguá.

. Rio de Janeiro. Rictus Faciais no Crime. Agripino Alves (São Luís do Quitunde segundo a informação da AAL. 1931. Nac. Tese ao 3o. tendo sido um dos fundadores de O Semeador. Revista Brasil Odontológico. 3. Congresso LatinoAmericano de Odontologia. n. ano I n. Surge em Maceió em 1860. UFAL: n. Moldagem em Prótese Buco-Facial. O Mercúrio nas Obturações Metálicas. Professor honorário da Faculdade de Farmácia e Odontologia de Manaus. Escute. 1923. jan. 3. 1923 (estudo crítico). Nac. 1935. dedicada à mocidade maceióense”. ESTUDOS Jornal. 1922. Solange Lages. Publicado nos dias 10. em offset. surge em Maceió em 10/6/1907. Maceió. segundo Abelardo Duarte. dirigido por Oliveira Lima e Estácio de Lima. pela Faculdade de Medicina da Bahia. Odontologia ou Estomatologia. ago. Revista Brasil Odontológico. Pongetti. contudo. 2. 1986. contador do Tesouro. A Luta Contra a Tuberculose. ESTUDO. Bibl. quando tinha sido escolhido paraninfo pelos doutorando da Faculdade Fluminense de Medicina. Bibl. 4 7/9/1888. 1982. O Molar dos Seis Anos. 1934. Dirigiu a revista Brasil Odontológico. O Jornal. 1935. Rio de Janeiro. O primeiro número é de 1977. Diplomado em Odontologia (1909). Retorna a Maceió. Patrono da cadeira n. Revista Brasil Odontológico. Empresa Número. Pertenceu a sociedades científicas nacionais e internacionais. v. livreto. impresso na Gráfica Universitária. Anuário do Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Alagoas. Por razões políticas muda-se para o Rio de Janeiro. J. afirma ter nascido em Maceió AL 21/7/1886 (segundo Adalberto Marroquim). 6. abr. Letras e Artes da UFAL. 1 10/8/1888. 1925. no Liceu Alagoano. 1979.Nunes e Alberto Caparica. 1926. Pulpectomia versus Despulpação. Mantém. Faleceu. Pequeno jornal literário. esta última da então Universidade do Brasil. 1987 e n. livreto. Cinzas (poesia). 1938. Bacharelou-se em Letras. de propriedade de Domingos Pires de Freitas. no discurso de posse. professor. 97 da Academia Brasileira de Medicina Militar. seguiu para a Bahia. Bibl. jul. O Jornal. 170-172. 1920 (palestra literária). pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro (1930). Ed. 1925. Discursos Pronunciados na Academia Alagoana de Letras. 1925. 1930 . “Folha literária de educação e recreio. surge em Maceió em 10/8/1888. Secretario Geral do Instituto Brasileiro de Estomatologia (1935/36). Estudou no Colégio 24 de Fevereiro. Rui Barbosa. As Infecções Dentárias. Congresso Odontológico Latino-Americano. 1982. (3):1/3. v. sua atividade de jornalista. tese ao 2o. Membro-fundador da AAL. Redatores auxiliares: A.Rio de Janeiro RJ 23/10/1954) Jornalista. Rio de Janeiro. sendo o primeiro ocupante da cadeira 28. 1981.ABC das Alagoas 1878) 521 ESTUDANTE. Propriedade e redação de Gastão Melo Guerra e Júlio Lopes. 10(10). 1979-dez. Buenos Aires. Bibl. Brasil Odontológico. Mentira (poesia). onde instala sua clínica. 5/4/1995. O Jornal. 1929. ESTUDO. Publicou: Inverno. Com a “Vida Médica”.Moura. ETHER. advogado. Órgão de divulgação da produção científica dos professores do Departamento de Ciências Sociais do Centro de Ciências Humanas. ano I n. v. Moldagem. surge em 1912 em Maceió. 20 e 30 de cada mês. Silêncio. Infecções em Foco. ESTUDOS Jornal. 1934. 4. 1926. dentista. O Câncer. ESTUDANTE. UFAL: v. tendo sido o primeiro gabinete eletrodentário de Maceió. 1925. Forma-se em Direito. O Jornal. Um dos membros fundadores a Academia Brasileira de Odontologia. Homenagem à Memória de Rui Barbosa. 1920 (palestra literária). Ed. Um Dente Infectado Como Causa de Êxito Letal. Glândulas Endócrinas. Filho de Olímpio Dias Ferreira Ether e Francelina Alves Ether. repentinamente. “Órgão literário e instrutivo”. da qual o poeta Franco Jatobá é o patrono. Redator-chefe: Domingos de Farias Falcão. Professor catedrático da Faculdade Fluminense de Medicina e da Faculdade Nacional de Odontologia. Brasil Odontológico. 3 (1-2): 5. ou 23 ou 26/7/1885 ou 1887 . conferência na Associação Médica Cirúrgica de Alagoas. Revista de Farmácia . out. microf. onde terminou o Curso de Filosofia. Borsoi. Ninféia. depois no Seminário de Olinda e posteriormente no de Maceió. 5. Revista Farmacêutica Odontológica. 1980. e logo depois. Antro de Highmore. pois o sucedeu. Com periodicidade anual.

Litografia Trigueiros. tendo sido vice-diretor (1978-1979) e diretor em exercício dessa última faculdade. 1954. 1967. Obas: Manual de Odontologia do Departamento da Criança e do Adolescente. 1907. Contribuição ao Estudo das Hipo-Vitaminoses nos Pré-escolares.522 Francisco Reinaldo Amorim de Barros e Odontologia. Ed. p. no programa de Coopération Téchnique. Rep.. A Sistematização na Eliminação dos Focos Dentários. 8(2):7-22. 175-202. traduziu cursos e conferências. Teria deixado inéditos: Ururbu e Florilégio. Chefiou o Serviço de Odontologia da Prefeitura do Distrito Federal. palestra no Curso de Preparação da Reserva Odontológica (1942-43). Companhia Artes Gráficas. Rio de Janeiro. A Diafanização nos Domínios da Anatomia Patológica. Francina da Silva ( ? AL 17/1/1873 . A & Feller. na Seção de Odontologia.p. (88): 1-6. O Granuloma Periapical no Dente Temporário. Em 1967 estagiou na França. para concorrer à cadeira Agripino Ether. do Instituto de Odontologia da PUC do Rio de Janeiro e docente da Faculdade Fluminense de Medicina. tese para livre docência. Rio de Janeiro. São Paulo. 97. Formou-se pela Faculdade Nacional de Odontologia da Universidade do Brasil (1941). Publicou 82 trabalhos científicos. Revista Farm. ocupando a cadeira n. na década de 1950. seis teses e quatro livros. Diagnóstico e Tratamento da Dor Oral e Perioral de Origem Endodôntica. com êxito. 1929. 179. tendo se diplomado. Aspectos Clínicos da Virose Herpética. pág. Curso Odontológico. no Brasil e no Exterior. (2):32-42. 1984. 1948. UERJ. 1929. Artes Médicas. 1982. da Faculdade Fluminense de Odontologia. anexa à Faculdade Fluminense de Medicina. Faculdade Fluminense de Medicina. no Rio de Janeiro. ainda. livro impresso como separata da Revista Médica do Estado da Guanabara e publicado sob o número 32 (2) abril/maio. C. Ligeiros Traços de Sua Vida. Astrogilda. Grosmann. Filha de Olímpio Dias Ferreira Ether e Ursulina Alves Ether. ETHER. ( Maceió ? AL ) Poetisa. 189-217. capítulo do livro Atualização Clínica em Odontologia. Iniciou-se no magistério na Escola de Odontologia. Filho de Agripino Ether e Maria Soares Ether. de Bottino. junho. Artes Médicas. Revista Farmácia e Odontologia. N. em Washington. nos Estados Unidos. entre as quais capítulos de livros de autoria de Ingke-Beveridge e do Prof. 1960 em Genebra (Suíça).abr. Atlas Anatômico de Baillères. ./jun. 58 dos quais em Endodontia. como titular da cadeira de Endodontia. Presidiu o Conselho Regional de Odontologia. Tese apresentada à School of Dental Medicine`University of Pennsylvania. Gráficos Block. em 1962.Bebedouro – Maceió – 1904. ambos em 1975. para concorrer à vaga Professor Agripino Ether. Ministrou aulas em Portugal e nos Estados Unidos. bem como a Federação Nacional dos Odontologos (1961-62). Maceió. Fundador e professor títular da cadeira de Endodontia da Faculdade de Odontologia de Valença (RJ). Traduziu: Profilaxia do Câncer de Darier. da Academia Nacional de Farmácia. Cronologia Endodôntica. Professor. Odont. realizando. o estágio “dans le domaine de la Stomatologie”. 1957. Avaliação da Infiltração Marginal em Obturações de Canais Radiculares em Função de Variações Térmicas. out.. 1925.Nunes Leite dita SINHÁ ETHER. In Agripino Ether (Necrológio). Rio de Janeiro. ETHER. . dentista. Fraturas Mandibulares. 1950. Concluiu. (trabalho apresentado à Academia Brasileira do Odontologia (1952). do qual foi aluno na Pensilvania. Uma Retrospectiva dos Últimos 20 Anos – Endodontia. Considerações Históricas Sobre a Endodontia. 1956. Revista Portuguesa de Estomatologia e Cirurgia Máxilo-facial. ETHER. para preenchimento de exigência para curso de pós-graduação “Special Student – Endodontics”. São Paulo.. Obra: Árvore Sagrada em Festa da Árvore. Membro da Academia Brasileira de Medicina Militar. Stênio Soares ( Maceió AL 10/5/1917 – Rio de Janeiro RJ 6/5/1998) Professor. T. Cirurgia Oral de Francisco Pucci. o cargo de professor catedrático.1990 (colaboradores: Antonio Rothier e Geraldo Halfeld). 1950. junho. A Diafanização: Sua Importância e o que a Mesma Nos Revela. 1937. Membro. a partir de 1957. Em 1951 ocupou o cargo de professor livre docente. Realizou cursos no exterior: 1959. M. de membro titular. na University of Pensylvania – School of Dental – Endodontic Special. ainda. tese para catedrático do Curso Odontológico da Faculdade Fluminense de Medicina (Universidade Federal Fluminense). I – Técnica de Cone Único de Prata./nov. Comparativr Study os Clinical and Histopathological Findings From Periapical Chronic Disease. capítulo do livro Atualização Clínica em Odontologia de Lascala. Revista do Sindicato dos Odontólogos do Rio de Janeiro. Por Francina da Silva Ether . Tese apresentada à Academia Brasileira de Odontologia. Louis I. Lemaitre e Monier. 1963. 93 cursos de pós-graduação.? 12/7/1906) Obra: Flora. Dirigiu a Revista Brasileira de Odontologia –RBO. Coord. Tese apresentada à Academia Brasileira de Medicina Militar. por concurso. atingindo. eleito em 10/5/1961.

1954. foi a primeira sociedade musical de Viçosa. II. Revista Sind.. italiano. Tuberculose Ganglionar. Anestesia em Odontopediatria. Congresso Brasileiro de Medicina Militar. traduziu teses do inglês. Siqueira Júnior e Paulo Correa Filho. 509-511. 1965. Asssed. p. Ficha Dentária Para Serviços Públicos Odontológicos. 1967. 2 EVANGELISTA. 1 2/5/1886 e ano II n. Inversão e Anadotia Parcial Dentária Hereditária ?. EVANGELISTA. (148):541-63. realizada na Galeria SESC/Centro. Bahia. A Sensibilidade da Dentina. 1955. O Flúor em Profilaxia da Cárie Dentária¸Anais do Io. (126) 319-324. 40-41. Fundada em 19/5/1907. 46-47. op. sucessivamente.deputado provincial nas legislaturas 1838-39. Ano 1954. Odont.. Revista Farmácia e Odontologia. 1997. Odont. maio/jun. . (5):9-14. Arrufos Alagoanos. 1 a 5. in Odontologo Moderno. Tic Dolorosos e Clínica Dentária. Palais-Roial (valsa). Odont. Official Journal of American Association of Endodontics. EVANGELISTA. finalmente.. L. Eleitaem 1974 pelo MDB. O Jornal.. Tratamento de Canais em Dentes Temporários. Rev. 217-22. Odont. Odont. number 7. abr. V. Foi sub-diretor do Clube Atheneida (1905). Nac. Lúcio Soares de Albuquerque ( ? ) Deputado provincial. 1955. Endodontia em Odontopediatria. Higiene Dentária.ABC das Alagoas 523 Tese apresentada à Academia Nacional de Farmácia para concorrer à vaga de membro titular. Manoel . 1951. publicado nos Anais do I Congresso Brasileiro de Odontopediatria. EUSTÁQUIO. Anais Fac. Revista Farmácia e Odont.. Congresso Brasileiro de Odontopediatria. Obstrução de Canais Radiculares. tornando a voltar em 1860-61 e 62-63 ( pelo 1º círculo e pelo 1º distrito. jul. Revista Far. III. 1951. respectivamente) em 1868-69 e 70-71 (17ª e 18ª legislaturas) sempre pelo 1º distrito e. 1989-1990 e 1991-1994 da Academia Brasileira de Odontologia Segundo se informa. . Rio de Janeiro. (125): 275-79. Separata da Revista de Farmácia e Odontolgia. juntamente com M. . “Órgão da propaganda evangélica nesta cidade”. EUTERPE MUSICAL VIÇOSENSE. Harpa Alagoana (valsa). 1953. com distribuição gratuita. O Método de Grossman em Dentes Temporários. Rev. S Ultrilla e S.232 trabalhos cientificos.I. músico. Suplente de deputado geral.Histopatologic Evaluation of Periapical Repair After Endodontic Treatment. 446... advogado. 73. (Jornal da ABORJ. Nevralgias por Variação de Tensão. V. . Calcium Hydroxide Root Canal Sealers. da Silva ( ? AL ) Compositor. Raios X. “Candida” e “Pseudonomas”. microf. 1954. em 5/6/1902. Luiza. 1 (valsa). “Órgão dedicado aos interesses do Evangelho”. V. volume 23.. (23):253-287. Rio de Janeiro. Flum. surge em Maceió em 2/5/1885. 1978. Compôs: Ai! Das Minhas Ilusões. Eleito. 1900 . 44-45. EURICO dito Mestre Eurico ( Maragogi ? AL ) Artesão. (3): 9-14. O Jornal. Pulpites Anacoréticas. 42-43. Ano XLV../maio/jun. 1 (polca lundu). juntamente com Edison Oliveira e L. jul. 82-83. da Silva ( ? ) Deputada estadual. Farm. EUSTÁQUIO. 1989. Revista Sind. Silva. Estudo Comparativo Sintomatológico Pós-Operatório em Biopulpectomias Com Obturações Imediatas e Mediatas. 1955. 1955. n. Conceito de Infecção Focal. Judith. que era deputado estadual. july 1957. Álbum de Alagoas../mar. XXIV. jul. junho de 1998). 87-96. presidiu a Comissão Elaboradora dos Anais dos anos 1988. José F. agosto. publicado nos Anais do Io. apresentado ao 2º Congresso Pernambucano de Odontologia. 86-87. Rev. pg. Foi orientador de monografias. n. R Leonardo. Homenagem ao Marechal Marques Porto.. B. “publicou 1.. 78-79. maio/jun.P. (113):373-75.. Odont. 76-77. Zincong. Farm. Mensal. 1958. Ano I. v. de 19/08 a 05/09/2003. publicou cinco livros.. em Journal of Endodontics. latim e espanhol”. L. jun. set. surge em Maceió. Perigos e Cuidados.. 1955. Teve seu trabalho exposto em : Arte Popular Alagoana 2003. Med. Aspiração em Endodontia. Ingressou na política após ficar viuva do Higino Vital../ago. Dor em Odontologia. Bras. 45-47. Porto.. Bibl. Avaliação do Efeito Antimiccrobiano de Vários Cimentos Endodônticos Sobre “Enterococcus”. apresentado para concorrer ao título de Membro do Centro de Estudos de Anestesia Odontológica . juntamente com Altair Antunes Zebral. O Traumatismo Oclusal. Mazurka. (14):221-31. . para a legislatura 1975-78. p. jan. agosto. N. Filha de João Evangelista da Silva. 56-57 (10ª e 11ª legislaturas). 48-49 e 50-51 (da 2ª à 8ª legislatura) retorna à Assembleia Provincial em 1854-55. nas legislaturas 1872-73. francês. fev. . ano I n.

Deixa de ser publicado em dezembro de 1906. Passa a ser diário a partir de 1903. Surge em Penedo em 2/2/1890. Foram: Alberto Mello da Costa. Eduardo Gomes dos Santos e José Guilherme da Silva. saindo às segundas-feiras. 1985: janeiro a outubro. Nac. 1906: janeiro a junho. a partir de 17/6/1907. Informativo do Sindicato dos Bancários de Alagoas. IHGA -. EXCELSIOR Jornal. Propriedade de uma associação. IHGA – 1902: setembro a dezembro. EZEQUIEL. 11/9/1903 a 1905. Revista literária publicada.1983: novembro e dezembro. 24.J. ano 1 n. n. Boletim FUNTED n. com três colunas. EVOLUCIONISTA. Hamilton. Ribeiro. com oito colunas de impressão. mensalmente em Maceió. Fundado por Antônio Teixeira Osório. todos os meses de cada ano. 2 de 8/9/1902. E. O Jornal. editado em Maceió. Órgão dos alunos da Faculdade de Filosofia de Alagoas. Editor-proprietário: M. ano I Proprietário: o pastor evangélico J. 1986: agosto a novembro.524 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Bibl. Publicado em Maceió. publicado em Maceió pelo Sindicato dos Bancários de Alagoas. 3 1/8/1902. Redatores: Barrreto Cardoso. Bibl. 1984: janeiro a dezembro. . Impresso na Oficina Fonseca. Cipriano Jucá. segundo Abelardo Duarte. sob a direção de Luiz Lavenère. Dolores ( AL ? ) Publicou: Porto de Jaraguá. Olivaldo Barbosa Vila Nova. Fonseca. Inicialmente. Raimundo Pontes de Miranda assumira a parte política da redação Foi um dos jornais com o maior formato do Estado. 198? Fev/1993. um jornal semanal.G. EVOLUÇÃO Jornal. Cassiano de Albuquerque. EXPEDIENTE BANCÁRIO. como “jornal da tarde”. EXPEDICIONÁRIOS ALAGOANOS DA FEB MORTOS EM COMBATE. Gerente: J. Semanal. Surge em 1/9/1902. Em formato in-quarto. EXEDRA Jornal. Romeu de Avelar. Benevides Valente Monte. Nesse ano. Carlos de Araújo. microf. Machado de Lemos. microf. EXTRA Jornal. Impresso nas oficinas da Livraria Fonseca. Nac. Maceió. Correia de Olveira.

o prof. José Xisto Gomes de Melo. bem como os doze nomes entre os quais seriam escolhidos os seis componentes do Conselho Técnico Administrativo. Edson Lobão Barreto e Joaquim Tomaz Pereira Diegues com a finalidade de fundarem uma escola de engenharia em Maceió. Albérico de Carvalho Lima. foi escolhido para diretor. . Paulo de Albuquerque. História das Doutrinas Econômicas. Instituições de Direito Público. José Cavalcanti Cajueiro. José Cavalcante Cajueiro. Nelson Tenório de Oliveira. Valor e Formação de Preços. José Otávio Pereira Acioli. Demócrito Sarmento Barroca. História Econômica Geral e História da Formação Econômica do Brasil. José Sílvio Barreto de Macedo. o Conselho Universitário. Alfredo Gaspar de Mendonça. Economia Política. José Cavalca0nti Manso. O Conselho Departamental e a Congregação da Faculdade e. composta pelos citados acima e. Repartição de Renda Social. Antônio Maria Mafra.F FACULDADE DE DIREITO veja FACULDADE LIVRE DE DIREITO FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONOMICAS DE ALAGOAS Fundada pelo Sindicato dos Empregados do Comércio do Estado de Alagoas. Com a criação da UFAL passou a ser uma das suas unidades integrantes. assim ficou constituído: Milton Gonçalves Ferreira. ela é instalada em 17 de fevereiro do mesmo ano. Em março de 1954 realizaram-se as provas do primeiro concurso de habilitação. Geografia Econômica.962 de 19/1/1954. Albérico de Carvalho Lima. Estrutura das Organizações Econômicas. Hermano Cardoso Pedrosa. Petrônio Viana. Ciências das Finanças. José Franklin Casado de Lima. O primeiro corpo docente.Benedito Manoel dos Santos Silva Filho. no prédio então ocupado pela Escola Industrial de Maceió. Benedito Manoel dos Santos Silva Filho. Benedito Manoel dos Santos Silva Filho. no Sindicato dos Empregados no Comércio do Estado de Alagoas. José Franklin Casado de Lima. Estudo Comparado dos Sistemas Econômicos. Comércio Internacional e Câmbios. Jaime Fonseca. a Congregação. Everaldo de Oliveira Castro. Pompeu de Miranda Sarmento. Antônia de Omena Fireman. José Xisto Gomes e Nelson Tenório. Hermano Cardoso Pedrosa. depois. José Steremberg. Manoel Bezerra da Silva e Milton Gonçalves Ferreira. Contabilidade Geral. José Sílvio Barreto de Macedo. Complementos de Matemática. no triênio 1954/1956. Bidionaques Casado do Nascimento. em 14 de dezembro ocorreu a formatura da primeira turma de economistas. FACULDADE DE ENGENHARIA Em 13/8/1951. de 30 de dezembro. Talvanes Augusto de Barros. Dois dias depois. Jair Gaspar de Mendonça e José Xisto Gomes de Melo. Domingos Gonçalves Lima e José Cavalcanti Manso. foi nomeado seu diretor o professor Milton Gonçalves Ferreira. quando a Congregação se reúne pela primeira vez. Estrutura e Análise de Balanços. Antônio Mário Mafra. Nesse mesmo ano foi nomeado o professor Nelson Tenório como seu diretor e. ainda. José Cavalcanti Manso. o qual nomeou. Em 30/8/1951 foi eleita e empossada a diretoria da Sociedade Civil mantenedora da Escola de Engenharia de Alagoas. Instituições de Direito Privado. Nelson Tenório de Oliveira. Carlos de Gusmão Miranda. presidente. Apresentadas à entidade mantenedora. quando aprovaram os estatutos da Sociedade Civil mantenedora da Escola. escolheu a lista tríplice para diretor. No dia seguinte. por Anfilófio Jaime de Altavila Melo.como elaboração do regimento. José Franklin Casado de Lima. todos eles professores da Escola Técnica de Comércio de Alagoas. Manoel Bezerra e Silva. e para membros do Conselho: Alfredo Gaspar de Mendonça. Princípios de Sociologia Aplicados à Economia. Em 1957 foi reconhecida pelo Decreto 42. Estatística Econômica e José Sílvio Barreto de Macedo. Política Financeira. Antônio César de Moura Castro. Autorizada a funcionar pelo Decreto 34. organização do corpo docente. Carlos de Gusmão Miranda. aprovaram a instituição do Curso Superior de Contador. José Cavalcanti Manso. com as respectivas matérias. para providências iniciais -. Jaime de Altavila. entre outras -. ainda. depois. Inicialmente ficou instalado no prédio anteriormente pertencente à Sociedade Perseverança e Auxílio e. Paulo de Castro Silveira. então presidido por Agérico Vieira. Jair Gaspar de Mendonça.928. Evolução da Conjuntura Econômica. tornaram a se reunir. Em 1960. Estatística Metodológica. constituída por: Aloísio Freitas Melro. na Praça Sinimbu. vice-presidente. Ciência da Administração. José Cavalcanti Cajueiro. por comporem a lista anteriormente enviada ao Ministério da Educação. com aprovação de 17 dos 34 candidatos inscritos. Moeda e Crédito. também considerados fundadores. reuniram-se os engenheiros Aloísio Freitas Melro. Petrônio Viana. estando presentes os professores Alfredo Gaspar de Mendonça.

catedrático da Universidade da Bahia. que incorporou a Escola de Engenharia. Hermano Cardoso Pedrosa. a então denominada Campanha Nacional de Educandários Gratuitos havia criado diversas escolas de nível médio no interior do Estado Aumentara. e era composta de sete alunos. O Governo Estadual doou. foi fundada a Faculdade de Filosofia de Alagoas. O parecer favorável foi apresentado em 21/3/1955.Astronomia de Campo. representante da Congregação e Edson Lobão Barreto.376. A partir de 18/12/1967 a Escola passou a denominar-se Faculdade de Engenharia. Prosseguindo no processo de criação da Faculdade foram indicados os seguintes professores: Aloísio Freitas Melro. Higiene Geral . Resistência de Materiais-Grafostatica. O primeiro concurso de habilitação foi realizado de 3 a 10 de junho de 1955. Anselmo Botelho.Elementos de Geometria Projetiva-Prospectiva . e José Steremberg. Antônio Maria Mafra. Mário Dubeaux Leão. Dos 38 candidatos somente sete foram aprovados. Talvanes Augusto de Barros e Joaquim Tomaz Pereira Diegues Júnior. Somente em 9/10/1959 o Conselho Nacional de Educação aprovou o parecer 421. Odilon Lima de Souza Leão Filho. Grandes Estruturas Metálicas e em Concreto Armado. 2o. colou grau em 11/12/1961. Organização das Indústrias . de acordo com a Lei Estadual 1. Somente em fins de 1953 foi designado o Inspetor Federal para proceder à verificação indispensável à autorização. Portos Rios e Canais. já na nova estrutura. Antônio Mário Mafra. composta de sete alunos. que autorizou a transferência dos bens estaduais doados à sociedade mantenedora. Emerson Lourenço Jatobá. pelo professor Pedro Tavares. Termodinâmica.Motores Térmicos e de Ar Comprimido. Carlos Alberto Padilha de Figuiredo. Posteriormente. quando então o Conselho Nacional de Educação aprovou o parecer 53 que permitia o funcionamento da instituição. Flávio Correia da Rocha. Rodrigo Lopes.Tecnologia e Processos Gerais de Construção. Eletrotécnica. Joaquim Tomaz Pereira Diegues Júnior. Hidráulica Teórica e Aplicada. além dos educandários já existentes. Antônio de Freitas Nogueira e Aloísio da Silva Nogueira. Para tanto criouse uma sociedade civil da qual foram seus diretores o Padre Teófanes Augusto de Araújo Barros e o professor . 37. Estradas de Ferro e de Rodagem. secretário. No início dos anos de 1950. no auditório do Colégio Guido de Fontgalland. secretário. a 11 do mesmo mês. favorável ao reconhecimento definitivo da escola. Em 16/6/1950. 1o.356. José Maurício Pedrosa Gondim. A aula inaugural foi proferida. o que ocorreu pelo Decreto 47.Contabilidade Pública e Industrial Direito Administrativo . Geodésia-Elementar. em 14/6/1955.Aplicações Técnicas. No dia seguinte. Iniciaram-se então as medidas para aprovação das exigências para instalação da Escola. Na nova estrutura. o Diretor do Ensino Superior. Fernando de Rosa Oiticica. Topografia. José Alexandre Teixeira de Melo. tesoureiro. Construção Civil e Arquitetura.371. e Joaquim Gonçalves. portanto. Demócrito Sacramento Barroca. o prédio onde a sociedade civil vinha se reunindo para instalar a Escola.650 de 26/8/1952. Mecânica Aplicada-Bombas e Motores Hidráulicos. A terceira turma. a necessidade de professores habilitados. Jalbas Tavares Lira. Desenho a Mão Livre. para o patrimônio da instituição federal. Com a criação da UFAL. E seis dias depois. Química Tecnológica e Analítica. Desenho Técnico. o Conselho Universitário escolheu Everaldo de Oliveira Castro para diretor da escolas. colavam grau os quatro componentes da primeira turma de engenheiros civis. Everaldo de Oliveira Castro. Materiais de Construção . Seu primeiro corpo docente. Nessa mesma sessão foram aceitos os primeiros sócios contribuintes: Humberto Guedes Pinto de Paiva. Por decreto n. em 24/5/1955 autoriza o funcionamento da Escola de Engenharia de Alagoas. com as respectivas cadeiras. Física. concedeu à nova escola um calendário especial para que pudesse funcionar ainda naquele mesmo ano. baseada na Lei Estadual 2. Fernando Cardoso Gama para vice-diretor. Aldemo Lobão Barreto. Augusto Alves dos Santos. suplente do representante da Congregação.Legislação. Edson Lobão Barreto. Geologia Econômica e Noções de Metalurgia. Complementos de Geometria Descritiva . FACULDADE DE FILOSOFIA DE ALAGOAS A idéia de sua criação surgiu da necessidade de habilitar professores para as escolas de nível médio. por parte do Governo Federal. Complementos de Geometria Analítica e Noções de Nomografia-Cálculo Infinitesimal. Manfredo Perdigão do Carmo.Saneamento e Traçado das Cidades. Joaquim Tomaz Pereira Diegues Júnior. em face do Plano de Reestruturação da UFAL. Everaldo de Oliveira Castro. Demócrito Sarmento Barroco. Talvanes Augusto de Barros. o Presidente da República. Everaldo de Oliveira Castro.526 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Talvanes Augusto de Barros. uma assembléia autorizou a sociedade mantenedora da referida escola a transferir seu patrimônio para a UFA. para o seu funcionamento. colou grau em 11/12/1960. Mecânica Precedida de Cálculo Vetorial. Antônio Maria Mafra. de 5 de dezembro do mesmo ano. assim ficou constituído: Aloísio Freitas Melro. tendo como tema “A Deficiência do Curso Superior no Ramo da Engenharia”.Higiene Industrial e dos Edifícios . vice-tesoureiro. Estabilidade das Construções. Pontes. seriam aceitos como sócios contribuintes Luiz Calheiros Júnior e Flávio Luz. Manoel Messias de Gusmão. A segunda turma.

Fisioterapia e Radiologia. Rubens de Mendonça Canuto. A primeira turma formou-se em 10/12/1956. então diretor desta última instituição. Em fevereiro daquele mesmo ano realizaram-se os primeiros vestibulares. José Lira. Lages Filho.. Odontotécnica. emitiu o Parecer 225. Gilberto de Macedo. em solenidade presidida por Jaime de Altavila. Prótese Dentária. tendo como diretoria: Alberto Mário Mafra. Sebastião da Hora. Letras Neolatinas e Letras Anglo-Germânicas. Farmacologia. Luiz de Medeiros Neto. Eduardo da Mota Trigueiros. Nilo Ramalho Ferreira.. Théo Brandão. Com a criação da UFAL. A primeira turma concluiu em 1954 o curso de bacharelado. Higiene. anteriormente criada. Maria Hermínia Oiticica. Patologia. Dario Ramos Barbosa. João Paulo Neto. 2o. Maciel. Nabuco Lopes Tavares da Costa Santos. Hélvio José de Farias Auto.238/52. João Lessa de Azevedo. Pedro Reyes. pela Lei 3. Ezequías da Rocha. favorável ao funcionamento da instituição. Patologia Clínica. as aulas foram dadas na Escola Industrial de Maceió. Em 10/10/1950 foi requerida ao Ministério da Educação a autorização para seu funcionamento.867/61. As Cadeiras foram assim definidas. 10° Aniversário da Faculdade de Medicina de Alagoas. inclusive o patrimônio representado pelo prédio que construíra. 1960. Prótese B M F. Ortodontia. e Hélio Ramalho Ferreira. Tecnologia de Materiais. Aristóteles Calazans Simões (1956-1959). divulga o seu primeiro concurso de habilitação. após cumpridas as exigências que havia feito. Foram. a turma diplomada foi já sob a égide da UFAL. Letras Clássicas. a Sociedade Colégio Guido de Fontgalland passou para aquela instituição a Faculdade. Maceió. a Faculdade de Odontologia de Alagoas. inicia suas atividades em 5 de março de 1951. Odorico.núcleo inicial da Faculdade de Odontologia. por convênio. Seus diretores: Ib Gato Falcão (1950-1953). 3/5/1960. Maceió. Histologia. proferida pelo cônego Hélio Lessa Souza. se incorporou à sociedade civil. 1950. Durval Cortez. Théo Brandão. As cinco turmas que se seguiram já receberam o diploma de licenciatura. AbelardoAlbuquerque. Gastão Oiticica (1959-1962). Fisiologia. pelo decreto federal 30. que obteve parecer favorável do Conselho Nacional de Educação em 27/4/1955. Enquanto construía sua sede própria. Casa Ramalho. Simões. Nilo de Carvalho Lima. Antônio Marinho de Gusmão. História e Geografia. secretário. pois já estava autorizado o funcionamento do curso de Didática. Abelardo Duarte (1953-1956).092 de 8/1/1951. Em 1961. 36. Imprensa Oficial. fundadores conosco de nossa Faculdade. possibilitou que suas instalações fossem utilizadas para as aulas práticas.357. de 24/12/1954. FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE ALAGOAS Fundada em 14 de julho de 1955 a Sociedade Civil Faculdade de Odontologia de Alagoas. além do material didático e a biblioteca do Colégio Guido de Fontgallland..encontrou em Aristóteles C. Segundo Ib Gato “idéia magnífica de Abelardo Duarte . José Mário Mafra. João Leite Neto. Microbiologia. O Conselho Nacional de Educação. o patrimônio da Escola Técnica do Comércio Guido de Fontgalland e o do Ginásio São José . Roland Simon. Mas a autorização só seria concedida em 22/1/1952. ainda professores fundadores: José Sílvio Barreto de Macedo. Para tanto. Antônio Assunção Araújo. no prédio que abrigara o antigo Quartel do 2º B. Mariano Teixeira. Jorge Duarte Quintela Cavalcante. presidente. O reconhecimento dos primeiros cursos se deu pelo Decreto federal n.” Teve autorização para funcionar pelo Decreto 29. FACULDADE DE LETRAS Palmeira dos Índios FACULDADE DE LETRAS Penedo FACULDADE DE MEDICINA Fundada em 3 de maio de 1950. Renato Gama Vieira da Silva. Paulo Senouillet. Aurélio Viana Cunha Lima.ABC das Alagoas 527 Theobaldo Augusto de Barros. com os cursos de Filosofia. em 26/9/1951. Recebendo autorização para funcionar no início de 1957. A 20 de março foi dada a aula inaugural. Odontologia Legal e Deontologia. Alberto Mário Mafra. Cirurgia e Anestesiologia. A Santa Casa de Misericórdia. Renato Gama Vieira da Silva. Publicado: Estatutos da Faculdade de Medicina de Alagoas (Sociedade Civil). tesoureiro. Nesse mesmo ano foi solicitada autorização para o funcionamento dos cursos de Pedagogia e Didática. Helder de Artur Jucá. Rubens de Mendonça Canuto. entre seus fundadores: Hilton Paulo de Omena Duarte. Funcionou. no auditório da Faculdade de Direito. e Hélio Gazzaneo.. Odontopediatria. Aristeu Lopes. Rodrigo Ramalho. Edição Comemorativa. localizada então na Praça Floriano Peixoto. entre outros.C. Discutido e Aprovado em Sessão de 16 de Junho de 1950. inicialmente. Em nome do corpo discente falou Igor Tenório. Gilberto de Macedo. Hélio Lessa Souza. fixando em 40 o número . Clínica Odontológica. secretário. Alfredo Ramiro Basto. Anatomia.

João Borba Gouveia. em pouco tempo ficou patente a consciência de que não seria conveniente a existência de duas faculdades ao mesmo tempo. mas a da Faculdade de Odontologia de Maceió. em reunião de professores de ambas decidiu-se sugerir às duas congregações: a) unificação dos dois estabelecimentos. cadeira). cadeira). tendo sido eleitos: Alberto Mário Mafra. presente também na reunião. secretário. no anfiteatro da Faculdade de Medicina de Alagoas. como assistentes dos professores não contemplados com cadeiras. 2o. José Zeno Barbosa. 1o. onde recebeu o título de Professor Honoris Causa nos festejos do Jubileu de Prata da Faculdade de Direito de Alagoas. somente com a lei que criou a UFAL. 1o. tesoureiro. Radiologia e Eletroterapia. Metalurgia e Química Aplicada. foi autorizado o seu funcionamento. Entre os fundadores foram distribuídas as diferentes cadeiras: Renan Falcão. e ainda para paraninfar a primeira turma da Faculdade de Medicina de Alagoas. vice-diretor e como membros do Conselho Técnico Administrativo: Renato Gama Viera da Silva. Técnica Odontológica.528 Francisco Reinaldo Amorim de Barros de vagas. assim distribuídas: sete para a última citada acima e seis para a primeira. mudando a partir do segundo ano do seu reconhecimento para Faculdade de Odontologia e Farmácia de Alagoas. FACULDADE DE ODONTOGIA DE MACEIÓ A Sociedade Civil Faculdade de Odontologia de Maceió foi fundada em 4/2/1956. na qualidade de professores catedráticos e os demais. Togo Falcão. Histologia. ele presidiu a solenidade da instalação da Faculdade de Odontologia de Maceió. Farmacologia. diretor. Clínica Odontológica (1a. Os 13 professores designados para as cadeiras resultantes da fusão foram incorporados aos quadros da UFAL. Dorival Lemos de França. para formar cirurgiões-dentistas em um mercado relativamente restrito. Prótese (1a. Em dezembro de 1956. e Ordener Cerqueira. recuou. O intento parecia difícil de se concretizar. c) aproveitamento. presidente. Hilton Lamenha Lins. José Pontes Bahia. b) estudo da possibilidade de desdobramento de algumas cadeiras para maior e melhor aproveitamento dos alunos. José Braga de Lira. ao qual concorreram 45 candidatos. em sua maioria. Cícero José da Silva. o Presidente Juscelino Kubitschek. exigiu-se a sua fusão com a Faculdade de Odontologia de Maceió. Gilberto de Medeiros Neto. No início de maio daquele mesmo ano realizou-se o vestibular. mas seguiram-se as reuniões em busca de solução comum. sob a alegação da impossibilidade de seus professores renunciarem às respectivas cadeiras. João Tenório Lins. Odontopediatria. Sua aula inaugural foi ministrada em 11/5/1957. cadeira). sob o tema História da Odontologia. Esta se deu em reunião na qual se fixou que o currículo seria de 13 cadeiras. vice-presidente. Microbiologia. Pelo Decreto federal 41. ficou evidente. e também pelo fato de a legislação federal não permitir o desdobramento de cadeiras de novas Faculdades. cadeira). Odontologia Legal. o qual desenvolveu o tema Anestesia e Odontologia Moderna. Deontologia. Oswaldo de Araújo. em abril de 1960 as congregações das duas Faculdades concordarem em: a) adoção do currículo de 21 cadeiras. No entanto. Finalmente. Porém. Patologia e Terapêutica Aplicada. logo depois. b) o provimento interino de cada cadeira ficaria a cargo das respectivas congregações. como professores assistentes. Higiene. José Pontes Bahia. secretário. Inscreveram-se 13 candidatos. esteve em Maceió. e sua primeira diretoria ficou assim constituída: João Borba Gouveia. João de Omena Fireman. Antônio Florentino Cavalcante. pelo professor Alberto Maia Mafra. de 17/4/1957. Praticamente na mesma data tinha inicio o curso na Faculdade de Odontologia de Maceió. oito para a Faculdade de Odontologia de Alagoas e uma a ser distribuída a critério do então Diretor do Ensino Superior do MEC. Clínica Odontológica (2a. Anatomia. Porém. e c) a escola resultante denominar-se-ia Faculdade de Odontologia e Farmácia de Maceió. Bento Chagas. Antônio Gerbase Filho. Manoel Bezerra da Silva. Wild Silva. José Braga Lira. Ortodontia. . Iniciaramse as conversações para a integração das duas unidades mantenedoras das duas instituições e. Antônio Gerbase Filho e Hindenburg de Alencar Coelho. As aulas se iniciaram em 11 de maio. Fisiologia. Em 2/2/1961 se deu a primeira reunião da nova Faculdade de Odontologia. 2o. embora inicialmente tenha se manifestado favorável. que incorporou a Faculdade de Odontologia de Alagoas. Durante a visita. Prótese (2a. Prótese B M F. das quais 12 para a Faculdade de Odontologia de Maceió.350. e d) estudo do patrimônio das duas faculdades no sentido de um equilíbrio financeiro entre as duas sociedades civis mantenedoras. com base na divisão eqüitativa das diversas cadeiras dos cursos. tesoureiro e José Zeno Barbosa. a consciência de que parecia não caber dois cursos para formar cirurgiões-dentistas para um mercado relativamente restrito. A congregação da Faculdade de Odontologia de Alagoas aceitou a idéia da fusão. Oswaldo de Araújo Costa. com a aula de sapiência proferida pelo professor José Bahia. Hindenburg de Alencar Coelho. Eraldo Leão Calado. Domingos Sávio Brandão Lima. já agora acrescido da nova pressão gerada pela possibilidade da criação da UFAL.

Alcides Muniz (Ouricuri PE 30/8/1930) Senador federal. Programas das Cadeiras do 1o. e um empréstimo para a obra. Discursos Pronunciados por Ocasião da Entrega dos Diplomas de Doutor Honoris Causa aos Exmos. como assistente de . concedeu prazo para que se adaptasse à legislação em vigor. 1955.. Filho de Luiz Falcão de Almeida e Celina Belo Falcão de Almeida. Maceió. pelo PSP. em 17/9/1955. em 1979. Em 1965. Barbosa Júnior. 1955. na chapa encabeçada por Guilherme Palmeira. Santiago e Barcelona. por Ocasião da Sessão Solene da Recepção do Magnífico Reitor. pela Lei 1014 . 1958. Professor. Osman Loureiro. Casa Ramalho Editora. em 82-86. Buenos Aires. Estatuto da Faculdade de Direito de Alagoas. pelo PMDB. 86-90.ABC das Alagoas 529 FACULDADE LIVRE DE DIREITO DE ALAGOAS. de Alencar FALCÃO. A Faculdade de Direito de Alagoas. FALCÃO. Teve seu reconhecimento no nível estadual pelo Decreto 1. de 22/6/1938. Dirceu Belo . Externato São Luiz Gonzaga e Colégio Batista Alagoano. Manoel Onofre. Filho de Lídio Marinho Muniz Falcão e Florípides Muniz Falcão. na Câmara Municipal de Maceió. Litografado. Fundada a 24 de maio de 1931. Domingos Correia. Maciel Pinheiro. vereador. Biologia e Química. Diretório Acadêmico “Prof. Casa Ramalho Editora. como suplente. saindo às quartas-feiras. Lavenère Machado.745. Publicou-se : Regimento Interno da Faculdade de Direito de Alagoas (Aprovado pela Congregação em 6/5/1933). Ciridião Durval. Mal. Apresentada ao Diretório Acadêmico e ao Conselho Técnico Administrativo da Faculdade de Direito de Alagoas. Rio de Janeiro e. Oficial de gabinete do seu irmão. A “Periódico livre”. Cursos de especialização em Salvador. Leão Tavares Bastos. ano I n. pelo MDB e. governador Muniz Falcão (1957-61). no Salão Nobre da Faculdade de Direito de Alagoas. Maceió.. 74-78. de 25/2/1933. Reconhecida pelo Conselho Federal de Educação. Maceió. Entre seus fundadores e iniciadores destacam-se: Jaime de Altavila. Livraria Vilas Boas. Foi terceiro-secretário da Mesa da Assembléia.Maceió 28/7/1992) Professor. Inácio Gracindo. Maceió. de 4/10/1937e desestadualizada em 30 de dezembro mesmo ano. Dr. É considerada a célula-mater da UFAL. Dutra e Prof. William . ao qual se filiou após a extinção do bipartidarismo. Santos Ferraz. Foram seus primeiros diretores: Virgilio Guedes e Domingos Correia da Rocha. Mário Guimarães. Curso primário no Grupo Modelo. funcionário público. na noite de 15 de Outubro de 1951. no Instituto Mota Trigueiros. 1939. Nac. Relatório de Diretoria . 1961. ainda. a instituição recebeu a doação do terreno onde foi construída sua sede. Ano da Faculdade de Direito de Alagoas. Xavier Acioli. O Decreto-Lei 509. Deputado estadual nas legislaturas 1966-70. e 2o. Semanal. tendo ocupado a cadeira de junho a outubro de 1998. no exterior. em 20 de fevereiro de 1942. Maceió. Solenidade da Faculdade de Direito. Discursos Pronunciados no Salão Nobre. Maceió. 1939. Livraria Vilas Boas. Guedes de Miranda”. Virgílio Guedes. nas legislaturas 1958-62 e 1962-66. eleito em 1990. Na Comemoração do Seu Jubileu de Prata 24/5/1931-24/5/1956.. Estadualizada pela Lei 1. Tip. Lages Filho. 78-82. Surge em Maceió em março de 1886.250 de 6/61936. Professor e Universitários de Coimbra. Reconhecida como de utilidade pública. Quintela Cavalcanti. em Bogotá. Relatório-Gestão Renovadora 60/61. 70-74. Afrânio Lages.009. posteriormente passa a denominar-se Faculdade de Direito de Alagoas. líder da bancada do PMBD e presidente regional dessa agremiação. Faculdade de Direito. Maceió. com a extinção dos partidos políticos e a criação do bipartidarismo. Maceió. o interventor Osman Loureiro perdoou a dívida.. filiou-se ao MDB. Maceió. Funcionário da antiga Comissão do Vale do São Francisco. de Almeida (Maceió ? AL 18/4/1934 .Gestão 1954-1955. Jurandir Lodi. CLETO veja FALCÃO. Hermínio Barroca. Carlos de Gusmão. no Instituto Penal. no Colégio Estadual Moreira e Silva e na Escola Técnica Federal Deodoro da Fonseca. Guedes de Miranda. Srs. Bibl. Primeiro suplente de senador de 1991-99. Alfredo Gaspar de Mendonça. Diretório Acadêmico da Faculdade de Direito. Eurico G. FAÍSCA. 31 30/10/1886. e ginasial e científico no Guido de Fontgalland e Colégio Estadual de Alagoas Formou-se pela Faculdade de Medicina de Alagoas (1957). médico. Na interventoria de Afonso Carvalho. no curso superior. 1952. Imprensa Oficial. Casa Ramalho. Teodoro Palmeira e Augusto Galvão. Professor na área de Ciências Físicas e Naturais. A partir de 1961 passa a integrar a UFAL. Regimento Interno da Faculdade de Direito de Alagoas (Aprovado pela Congregação em 11/4/1939). 1933.. microf. é a pioneira do estudo superior no Estado. FALCÃO. Vereador. Lima. Em termos federais foi equiparada às suas congêneres pelo Decreto Federal 2. Foi federalizada em 24/12/1949. deputado estadual. Tip.

Radicado em Alagoas. à Câmara. 1973. II Jornada Alagoana de Angiologia. entre os quais: Câncer do Pênis. Membro do Conselho Cientifico do International College of Angiology. Obras: A Clínica Cirúrgica da Casa de Saúde Neves Pinto e a Evolução da Cirurgia em Alagoas.Consideraciones Sobre 200 Casos. Publicou: Um Homem e Seu Destino. em 1971. Bogotá. Maceió (1963-67). Foi. Escreveu cerca de 50 trabalhos em publicações especializadas. também. Assume a presidência regional do partido em agosto de 1979. Centro Gráfico do Senado Federal. 1966. prefácio de Anivaldo Aires. Brasília. como. jornalista. Apresentou cerca de 120 trabalhos em congressos. Carcinóide da Região Ceco-apendicular. [s. realizada em Haia. mais de 60 trabalhos publicados em revistas médicas do Brasil e em outros países. Varizes Esofágicas. Redator e Diretor do Diário de Alagoas (1957-1966). da Sociedade Brasileira de Angiologia. Pertenceu à SOBRAMES-AL.formada por PMDB. Entre 1997 e 1998 chefia a Casa Civil do governador Manuel Gomes de Barros. VIII Congresso Latino-Americano e 1º Venezuelano de Angiologia. Colombia. . Maceió. do qual foi presidente. Maceió. em União dos Palmares. Selma. Entre 1971-75 foi Diretor-Geral do Departamento Estadual de Educação e Diretor-Geral da Rádio Difusora de Alagoas. prefeito de Maceió. participou da organização do MDB. ambas de Arapiraca. IIo. Assume o mandato de senador de abril de 1998 a julho de 1999. 1959. XIV Congresso Latino-Americano de Angiologia e IV Congresso Argentino de Angiologia. Sócio fundador da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Prefeito de Maceió. Membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. a Clínica Cirúrgica e Vascular e o Serviço de Cirurgia do Hospital São Vicente de Paula.530 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Clínica Cirúrgica da Faculdade de Medicina de Alagoas e professor convidado da Escola de Medicina de Alagoas. vice-líder do MDB na Câmara. Tratamento Cirúrgico das Varizes do Esôfago. Não se candidatou à reeleição ao término do seu mandato. 1968. Patologia e Cirurgia das Vias Biliares. Fundou a Clínica Cirúrgica da Casa de Saúde Neves Pinto. v. Secretário de Educação e Cultura. e nessa legenda elegeu-se à Câmara dos Deputados no pleito de novembro de 1982. Em outubro de 1994 é eleito suplente do senador Renan Calheiros. Brasília. Peru. Congresso Norte-Nordeste de Patologia. Incidência de Câncer do Colo do Útero. Revista Brasileira de Cirurgia e editor e redator dos Anais da Clínica Cirúrgica. 1976. como também de Governo (1959) Com a extinção dos partidos políticos. bacharelou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Alagoas (1960). [s. Carcinomas Primitivos do Fígado (Considerações Sobre Cinco Casos). Com a extinção do bipartidarismo. Membro do Tribunal de Contas de Alagoas a partir de 1975. Leiomiossarcoma do Jejuno. 1972. Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Tratamiento Quirúrgico de las Varices Del Esofago . nesse mesmo ano. Temas de Patologia Cirúrgica: v. 1a. bem como da Sociedade Brasileira de Cancerologia. e iniciou os Serviços de cirurgia das Casas de Saúde Nossa Senhora de Fátima e São José. Maceió. filiou-se ao PMDB. em 1985 pela União das Oposições -. obtendo apenas uma suplência. Lesion del Linfático de la Pierna. 1990. Macéio. 1992. O Periodismo Médico em Alagoas. n. 1967. A Operação de Boerema-Crile Jr. v.]. Hérnia Crural.Angiologia e Cirurgia Vascular. III . Argentina. por cuja legenda elegeu-se deputado federal em novembro de 1966 para a legislatura 1967-71. XI Congresso LatinoAmericano e III Colombiano de Angiologia. tais como Honduras. PC do B e PSB. eleito. Honduras. Tegucigalpa. I . XIII Congresso Latino-Americano Cardiovascular. todos em Arquivos de Oncologia. foi presidente. da qual.] 1991. 1978. Gazeta Esportiva. Universidade Federal de Pernambuco (1976). secretario de estado. apresentação de Divaldo Suruagi. destacando-se: Aneurismas Bilaterais e Simétricos das Femurais. Gazeta de Alagoas. professor-coordenador do curso de Mestrado em Cirurgia no Centro de Ciências da Saúde. Secretário para Assuntos do Gabinete Civil (1995-07/97) do terceiro governo Divaldo Suruagy. Buenos Aires. em novembro de 1978. Colômbia. Episódios. Confederação Interparlamentar. simpósios e jornadas. Ainda como estudante colaborou no O Alvorada e no O Acadêmico. pelo MDB. Candidatou-se novamente. Maceió. Em 1970 foi delegado à 59ª. IV-Ginecologia e Urologia.Oncologia. Maceió. 1991. Maceió. SERGASA. Filho de Lídio Marinho Falcão e de Floripe Muniz Falcão. v. todos juntamente com GOMES. para a legislatura 1983-87. Jornada Alagoana de Cirurgia. Djalma Marinho Muniz (Araripina PE 13 ou 31/12/1933) Deputado federal. Venezuela. Colaborou no Jornal de Alagoas. e o reforça com a adesão de líderes políticos e empresariais alagoanos. II .Cirurgia Geral. Faculdade de Medicina. Lima. conselheiro do Tribunal de Contas. Caracas. na qual manteve uma coluna dominical sobre assuntos médicos intitulada “Gazeta na Medicina” entre 1963-1964. em 1977. Membro da Comissão de Constituição e Justiça. 1990. 1969. IX Congresso Latino-Americano e I Congresso Peruano de Angiologia. Modificada no Tratamento das Varizes Sangrentas do Esôfago. Complicações em Cirurgia Biliar. Síndrome do Desfiladeiro Cervical. e ainda.ed. Espanha e Finlândia. SERGASA. em Folha Médica. FALCÃO.

Logo após a posse de Vargas na presidência foi promovido em sua carreira funcional e removido para o Rio de Janeiro. posteriormente. retornou às funções de fiscal. no Rio de Janeiro. Câmara dos Deputados. finalmente. o PSP . mas logo depois filiou-se ao PSP. Recorreu porém ao Supremo Tribunal Federal (STF). pois a sessão da Assembléia transformou-se em campo de luta. a intervenção no estado. José Faustino Marinho (AL ?) Deputado estadual nas legislaturas 1901-02. Nomeado Fiscal do Imposto do Consumo. jornalista. Mais uma vez candidato. na legenda do PST. levando o governo do presidente Kubitschek a decretar. depois.J. pelo MDB. ocupa uma das secretarias da Prefeitura Municipal de Niterói (RJ). o impeachment. mas em 11 de setembro a Assembléia Legislativa decidiu votar seu impeachment. Na Revolução de 1930. A votação não ocorreu. 1998. Mais tarde fundou O Tempo. em outubro de 1958. dividido entre seus opositores e seus correligionários. Antes. onde não concluiu o curso. que deixou de circular em 1930. Membro das comissões de Legislação Social. Nas eleições de outubro de 1934. transferiu-se para Minas Gerais. Coordenação de Publicações 1983. em 18 de setembro. Em outubro de 1955 tenta a reeleição. o PST e o PSB. com mortos e feridos de ambos os lados. Interrompido o seu mandato pela instauração do Estado Novo. na legenda do PSP. participou como oficial combatente e após a vitória das forças revolucionárias voltou a transferir-se para Alagoas onde integrou o governo estadual chefiado pelo interventor Hermilo de Freitas Melro. ficou visado no Rio de Janeiro por sua atuação na imprensa oposicionista e em comícios. professor. governador. Em 1950. Retornou então a Alagoas. Ao final de 1931. Votado. no Rio Grande do Sul. Brasília. em São Paulo. 25-26 e 27-28. Exerceu o cargo de Delegado Regional do Trabalho nos estados de Alagoas. Filho de Lídio Marinho Falcão e Floripes Muniz Falcão. dessa vez na legenda da UDN .ABC das Alagoas 531 Senado Federal. elegeu-se deputado à Assembléia Legislativa alagoana como candidato sem partido. 1915 . FALCÃO. não tendo retornado à Câmara Federal.composta pelo PDC. Estudos secundários no Ginásio do Crato (CE). A partir de 1953. José Marinho Muniz (AL ?) Deputado federal. Foi empossado em janeiro de 1956. No auge da campanha aliancista em Minas foi encarregado pelo presidente Antônio Carlos de assumir a direção do jornal O Libertador. colaborando com o Diário da Bahia e. Ainda estudante iniciou a carreira de jornalista. Militante da Aliança Liberal. Obteve novamente a suplência e deixou a Câmara em janeiro de 1955. na legislatura 1971-75. Radicado em Penedo. que pouco depois foi empastelado por situacionistas estaduais. Hildebrando Martins (Igreja Nova AL 25/10/1904 -) Deputado federal. na legenda da Coligação Nacionalista Democrática . elegeu-se deputado federal. FALCÃO. vindo a bacharelar-se no Rio de Janeiro (DF). FALCÃO. em Mar de Espanha (MG). para chefiar o movimento aliancista. elegeu-se governador. advogado. na legenda do PSD . Nas eleições de outubro do mesmo ano. que lhe deu ganho . candidatou-se a deputado federal.23-24. Preso e expulso de Alagoas. 1966) Deputado federal. trabalhando no estado do Rio de Janeiro. onde foi nomeado presidente da Fundação Rádio Mauá. Nomeado professor da Escola Normal de Rio Branco (MG). tornou-se vice-líder da bancada do PSP. de Justiça e do Vale do São Francisco. ficou novamente na suplência. em 15 do mesmo mês. com A Esquerda e A Batalha. Assume na Câmara Federal em julho de 1954. O episódio teve repercussão na imprensa e nos meios políticos nacionais. onde foi inspetor-geral e. diplomando-se pela Faculdade de Direito de Alagoas (1947). reorganizou o jornal A Semana. Em outubro de 1955.Maceió AL 14 jun. poeta. em face do clima de violência que imperava no estado. a cargo do general Armando de Morais Âncora. Sergipe e Bahia (1938-1943). Resistir é Preciso. FALCÃO. na chapa encabeçada por Pedro Aurélio de Góis Monteiro. Joel Silveira e Rafael Correia de Oliveira. Elegeu-se suplente de senador na legenda do PSD. 1980 (Temas políticos de Alagoas e do Brasil). esteve na Escola Militar de Realengo (R. onde permaneceu até janeiro de 1955. em fins de 1950. foi afastado do governo e substituído pelo vice-governador Sizenando Nabuco. Sebastião Marinho Muniz (Ouricuri PE 06 jan. Nos últimos meses do governo Dutra. funcionário público. Coleção Machado de Assis. Estudou no Colégio Diocesano de Maceió e ingressou em seguida na Faculdade de Direito de Salvador. juntamente com os jornalistas Murilo Marroquim. colaborou em diversos jornais do estado. reeditou o semanário O ABC.). Brasília. ficando com a segunda suplência. Senado Federal. de quem iria discordar das orientações. Primeiro ano de Direito na Faculdade de Direito de Recife. Um Brasileiro Envergonhado: Discursos de Estréia Proferidos Pelo Senador Djalma Falcão. no pleito suplementar de janeiro de 1947. o que lhe valeu várias prisões.

ainda. coordenação de Moacir Medeiros de Sant’Ana. Em 1962.532 Francisco Reinaldo Amorim de Barros de causa. ambos lançados pela UDN. para fazer a transição com o governo Sarney. PTB e PSB venceu as eleições para o governo do estado. optou pelo PMBD. do qual foi vice-presidente. Membro da Comissão de Constituição e Justiça e de Redação. Análise Feita no Dia 25 de Maio de 1956. escolhidos pelo presidente eleito. tornou-se presidente do MDB Jovem de Alagoas. 1943. Carta Aberta ao Todo-Poderoso. Vice-líder da maioria e do PSP na Câmara. concorrendo pelo PSP.Maceió AL 5/9/1945) Jornalista. tendo apresentado. Em novembro de 1982 tentou eleger-se deputado estadual. Um dos coordenadores da campanha de Collor à presidência da República e um dos membros. para a legislatura 1963-1967. No entanto. Obras: Política é Isso Mesmo. FALCÃO. Promoveu-se. Maceió. in Tavares Bastos Visto por Alagoanos. Ib Gato Marinho veja GATO. a construção do fórum de Maceió. (Separata da Revista Brasileira de Estatística. concorrendo pela coligação PTB/PMDB/PL/PSD/PSDB/PC do B. ficou como suplente. Ib . em 1934. Imprensa Oficial. Em 1976. Maceió. Em 1939.. Colaborou na Gazeta de Alagoas. da qual Tomaz Espíndola é patrono. conforme estabelecia a Emenda Constitucional n. Dez Anos de Silêncio.. n. I. empossado em 31/10/1977 na cadeira 38. Entre 1979-82 foi assessor político do senador Teotônio Vilela. FALCÃO. FALCÃO. 1979. Notícia Histórica Sobre a Bioestatística em Alagoas. Maceió. Maceió. na legenda do PSP. Ed. 13. a ligação Maceió-Recife. Separata de Alagoas: 150 Anos. Em outubro de 1990 elegeu-se deputado federal pelo PRN. 1943. publicação do Departamento Estadual de Estatística.. de 8 de abril daquele ano. Publicou-se: O Sentido Nacionalista da Obra de Tavares Bastos. (Informações Prestadas a Propósito do Processo de “Impeachment”).? 11/7/1993) Membro do IHGA. UFAL. o trabalho Vinte Anos Difíceis . 1957. a pavimentação da rodovia que liga o aeroporto dos Palmares ao município de Rio Largo. Pedro Barreto (Viçosa AL 14/5/1902 . 1956. Meu Depoimento Sobre o Caso de Alagoas. 19-20 e 21-22. Revista do Arquivo Público. 1984. 1981. Porém. Proprietário do jornal O Diário. Foi redator-chefe do Jornal de Alagoas. Bacharel em Direito pela UFAL (1979). p. . Sua eleição não foi ratificada pela Assembléia Legislativa Estadual. 1962.. a construção do moderno II Centro de Saúde e da Estação Rodoviária de Maceió. pela Câmara. do pedido de impeachment do presidente Collor. a eleição para deputado federal. 195-202. Filho de Valdemir Nunes de Alencar Barros e Expedita Muniz Falcão de Alencar. José Faustino Marinho (?) Deputado estadual nas legislaturas 1901-02. 13 p. Empossado em fevereiro do ano seguinte. Em seu governo. chefiava uma secção do Departamento Estadual de Estatística quando foi requisitado pelo IBGE e nomeado Diretor de Estatística do Rio Grande do Sul. 1970. Brasília. criou-se a Comissão de Desenvolvimento de Alagoas. 1975. torna-se líder do governo Collor na Assembléia. não foi empossado por não ter obtido maioria absoluta de votos. Com o fim do partidarismo. Pelo Governador Muniz Falcão. Jan/mar. Missão Secreta em Igaci. elegeu-se deputado federal. só iria ter êxito na eleição de 1986. a Companhia de Eletricidade e a Companhia Telefônica de Alagoas. Voltando para Alagoas organizou e dirigiu o Departamento das Municipalidades. Renan (? AL 1915 . a ampliação da rede escolar. derrotando Rui Palmeira e Arnon de Melo. estatístico. Na eleição de 1994.. advogado.Obras: Defesa do Mandato. Afasta-se do PRN na véspera da votação. ao Microfone da Rádio Difusora de Alagoas. . e em maio de 1965 foi eleito vice-líder do bloco parlamentar da maioria. IBGE. LGE.. na ocasião. 1957. de Alencar (Recife PE 7/11/1952) Deputado federal e estadual. FALCÃO. por estrada asfaltada. [IGASA]. e retornou à chefia do executivo estadual em 24 de janeiro de 1958. Maceió. Foi diretor e colaborador de diversos jornais de Alagoas. tendo chefiado naquele estado os trabalhos do recenseamento de 1940. 2004. Marinho Falcão FALCÃO. Em 1998 volta a disputar. Publicou: Uma Interessante Experiência de Revitalização das Células Municipais. William CLETO . Filia-se ao PSD. presidente da Comissão de Constituição e Justiça e membro da Comissão de Redação. Obras: Contribuição para a História da Medicina em Alagoas. outra vez sem êxito. Situação Político-administrativa de Alagoas. Rio de Janeiro. Assembléia Legislativa Estadual. exercendo-a até janeiro de 1961. 13. Em outubro de 1965.

Teriam sido publicados: Estudos sobre Ibsen. Moreno Brandão. Cará. Ano I. (novela). ingressando na Faculdade de Direito. Na sua fase acadêmica. FARIAS. romance realista em que defendia o divórcio. em 1899. Colaborou no O Gutenberg. microf. Maceió. Clara Charf. Os trajes. São muitas as variedades: Anú.50-138. do Rio de Janeiro. Pecadora. O Jornal Ilustrado e Cidade do Rio de Janeiro. 1999. outro sobre a poetisa Alcina Leite e inúmeras cartas para a Gazeta de Alagoas. embora narrem acontecimentos peculiares à vida no mar. Gazeta de Alagoas. Serrana. Aroldo Dorvilé Loureiro (AL ?) Deputado estadual nas legislaturas 1967-70 e 71-74. O Semanário. Pega-fogo. Meia-canha. Os versos que pretendia reunir sob o título de Satã. 10 de 17/12/1900. Sarrabulho. Obras: O Oceano. Patrono da cadeira 24 da AAL. João Fernandes. Gerente: José Fernandes Costa. em 1895.ABC das Alagoas 533 FALCON. na série Mulheres Alagoanas. 1902 (poesia) FARIAS. como na Chegança. em Memória Cultural de Alagoas. em São Paulo. Théo Brandão. Marujos. J. Amor. Compõe-se de cantigas náuticas de épocas e origens diversas. Chico-da-ronda. dançando e sapateando ao som da viola. Rodolfo Alves de (Maceió AL 23/3/1871 . Foi promotor em Carangola (MG) onde criou o jornal O Rebate. Em Sergipe. Chora. onde colabora na imprensa. Teria também inédito um trabalho sobre Calabar. 27 . Doutor-Cirurgião. para onde se mudou. FARIAS. Surge em Maceió em 15/10/1900. escreveu um ensaio sobre Ibsen. Chamarita. Antônio Joaquim Alves de (AL ?) Poeta. Biografia e Crítica Sobre a Poetisa Alagoana Alcina Leite. mas acabou por bacharelar-se pela Faculdade do Recife (1892). em Memória Cultural de Alagoas. no Rio. Filho de Gilberto Lopes Farias e Joselita Holanda Cavalcante Farias. em Minas Gerais. participou dos grupo simbolista. e outras. não foram editados. entre outros. não têm unidade em seu conjunto. Revista do IHGA. Yara (AL ?) Obras: Pálidos Crisântemos. Capitão de Mar-e-Guerra. cantando. advogado. O País (de Aracajú). Na eleição de 1974 ficou como suplente. corresponde à Chegança dos Mouros. A Pena. ou Barca Nau Catarineta ou Marujada de outras regiões. (Maceió AL 26/3/1872 -. de propriedade de uma associação.Maceió AL 25/6/1906) Poeta. sempre pela ARENA. Chicote-puxado. Curitiba. de José do Patrocínio e a revista simbolista Tebaida. Segundo Romeu de Avelar deixou inédito o livro Sacrário do Mistério. Foi promotor e juiz em Penedo e no estado de Minas Gerais. Redatores diversos.Tentou um romance histórico mas acabou por concluir Pecadora. Benzinho. D. que o incluiu em sua obra Coletânea dos Poetas Alagoanos. publicada na Gazeta de Alagoas de 13/7/2001. afirma que teria muito jovem se mudado com a família para Penedo. Em Alagoas. Oficinas dos Dois Mundos. em seguida. Romeu de Avelar. H. Padre Capelão. FARIA. Nac. em especial. São seus figurantes: Almirante. 26/3/1872 – 25/6/1890) Poeta. Retorcida. Tatu. Foi para São Paulo. no qual teria reunido as suas poesias. Nise da Silveira. Perfumes Pinturescos. Tirana. Feliz-meu-sem. Gejeiros. (poesia). que. nos jornais A Pena. imitam o fardamento dos oficiais e marujos da Marinha Brasileira”. Bibl. Sem drama e enredo próprio. pela Faculdade do Recife. FANDANGO “Nome de bailes ruidosos. cujos nomes se ressentem de origem castelhana (Coruja). Livros Editora. Estudou Direito em São Paulo mas bacharelou-se. de Théo Brandão: O Fandango. 312 da Revista do IHGA. e procurador e juiz de Direito em Sergipe. advogado. Obras: Mar. segundo Moreno Brandão. advogado e empresário. entre a gente do campo.Maceió AL 25/6/1899. pg. Bahia. Muda-se para o Rio de Janeiro. e secretariou a Cidade de Rio. Espectro Sentimental. Fez apologia da “prosa ritmada” e abjurou o parnasianismo. Gazeta de Alagoas. Candieiro. Estudos Sobre a Vida Intelectual de Sergipe. 14/4/2000. em 1891. 1899 (romance). foi companheiro de Alphonsus de Guimarãens e. Recortada. Pagará. Filho de Antônio Alves de Faria. segundo informa o Doc. Foi redator do Carangola. Bambaquerê. n. O Sul de Alagoas. Aos 16 anos já ensinava rudimentos de Latim no educandário do prof. 1897. Veja. jornalista. FARIAS. Augusto César Cavalcanti (Passo de Camaragibe AL 29/12/1956) Deputado federal. vl. FANAL. Alves de J. Formou-se em Direito . 10/11/2000. Estudo. Contramestre.

Tenta. realizado no Rio de Janeiro. Bacharel em Direito pela Faculdade Nacional de Direito. Em 1990 filia-se ao PSC. (1966). Filho de Antônio da Silva Farias e Emilia da Silva Farias. circulares e discursos impressos. advogado. em 1941. com a morte de Josefa Santos Cunha . ainda em 95.Ceci . com sede em Chicago (USA). aperfeiçoamento em Direito Privado. Osman FARIAS. José Jadson Pedro de (?) Deputado estadual. Direito Internacional Privado e Economia Política. FARIAS. na legislatura 1963-1966. Laureado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro com o Prêmio Gunning. onde se formou em 1924. Suplente de deputado federal. legenda pela qual se elege deputado federal para a legislatura 1991-95. João de Alcântara (?) Deputado estadual na legislatura 1897-98. para o período 95-99. tendo. bem como a de Viação e Transportes. movimento de apostolado implantado nos diversos setores da sociedade alagoana.PTB. pelo PL.PFLPFL-PMN-PSD-PT DO B. Obras e Recursos Naturais em 1987-88. a reeleição em 2002. na legislatura 1951-55. Dom Ranulpho da Silva (Nazaré Ba 12/9/1887 -Maceió AL) Terceiro Arcebispo de Maceió. do Rio de Janeiro (1956). Secretario de Transportes. Membro da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. doutorado em Direito Público. no Brasil. da Pan American Congress of Ophtalmology Comitee for the Prevention of Blindness. 1966) e de Direito Processual. sendo o segundo daquela diocese. agora pelo PP. Tem inúmeras cartas pastorais. FARIAS. FARIAS. Lauro (Santana do Ipanema AL) Deputado estadual. 1968. Professor de Direito Civil. UFAL. depois. ocupou sua cadeira na Câmara de outubro a dezembro de 1954 . Expulso do PSC. pelo PST. FARIAS. 1984). Lingüista renomado. no governo Fernando Collor. FARIAS. Publicou artigos em revistas especializadas. tomando posse a 23 de novembro daquele ano. na legislatura 1963-67. Natalício Lopes de (Engenho Mauriti AL 16/11/1900 --) Médico. sem êxito. legenda na qual se reelege para a legislatura 1999-2003. Presidente do Centro Esportivo Alagoano (CSA) em 1989. pelo PFL. pelo PSD. em Maceió. como suplente. FARIAS. Integra as Comissões de Defesa do Consumidor. na Faculdade de Direito da UFAL. Secretariou o IV Congresso Brasileiro de Oftalmologia. porém assume. professor. FARIAS JÚNIOR. Membro fundador do PL em Alagoas e membro do seu Diretório Nacional. Em 12/9/1920 foi sagrado bispo de Guaxupé (MG). em Salvador. Deputado estadual. permanece neste partido até 1997. Filho de Esperidião Lopes de Farias e Cândida Lopes Lamenha. Faculdade de Direito. na legislatura 1995-98. como também de Direito Processual Civil. na do Rio de Janeiro. Foi. FARIAS João Crisóstomo (?) Deputado federal Eleito deputado federal pelo PST. UFAL (1967) e especialização em Direito Civil. pelo PSD. quando ingressa no PFL. na legislatura 1947-1950. quando foi promovido a Arcebispo de Maceió. dirigiu a Revista Eclesiástica. se transferido para o PPB. Osman Loureiro de veja LOUREIRO. . Austeclínio Lopes de (AL ?) Deputado estadual. Presidente da COHAB de Maceió (1988-89). UFAL. Fundador da Ação Católica. e. Foi assistente do Serviço de Oftalmologia do Hospital São Francisco de Assis. Curso primário em sua casa e o secundário no Colégio 15 de Março. Reeleito pelo PPB para a legislatura 1999-2003. onde permaneceu até 1939. em coligação com o PDT. na legislatura 1995-1999. Sinal de Lues Congênita. tendo se ordenado sacerdote em 3/4/1910. é reeleito. Austeclínio Lopes de (AL ?) Deputado estadual. ainda. Curso superior na Faculdade de Medicina da Bahia. Estudou no Seminário Santa Tereza. Curso de Direito Internacional Privado (Holanda. (Inglaterra. dos quais se destacam: Tratamento da Atrofia do Nervo Óptico pela Malarioterapia e Tortuosidade dos Vasos Retinianos.PMDB. Subsecretário do Arcebispado em Salvador.534 Francisco Reinaldo Amorim de Barros pelo CESMAC (1982). chefe do Serviço de Oftalmologia do Centro Médico Pedagógico Oswaldo Cruz e delegado. Meio Ambiente e Minoria. no então Distrito Federal. surgido da união do PP com o PPR. dominando inclusive o tupi-guarani.

FAROL. crítico e joco-serio”. sua bacia rega os municípios de Monteiropólis.Maceió AL 28/9/1987) Deputado federal. onde permanece até outubro do mesmo ano. surge em Maceió. de Palmeira dos Índios. FAY. São Brás. publicação semanal. Nac. FAROL “Periódico literário e noticioso”. Proprietário e editor: Boaventura José de Castro e Azevedo. surge em Maceió em 5/8/1888. em Murici. Mata da Fonseca (São José da Laje AL 19/7/1937) Poeta. pois. senador federal. na legenda do PSD. Atravessa a denominada Bacia Leiteira do Estado. Pão de Açúcar e São José da Tapera. introdução da contabilidade pública e criação de uma comissão permanente de inspeção nos órgãos regionais da autarquia. microf ano I nº 1 5/8/1888. FAROL.. Ajudante de inspetor agrícola em Minas Gerais e diretor da Fazenda de Sementes de União dos Palmares. Bacharel e licenciado em História. sendo Francisco Caldas e Joaquim Moreno. Dirigido por Airton M. Em abril de 1954. Foi intendente de São Luiz do Quitunde em 1922. Filho de Manoel Fonseca e Emília Mata Fonseca. Prefeito de Murici. Esperidião Lopes de (São Luis do Quitunde. agrônomo. Publicado às quartas e sábados. Engenheiro agrônomo pela Escola de Agronomia de Socorro (PE). surge em Maceió em outubro de 1900. da vertente meridional-ocidental. Traipu e Arapiraca. Em janeiro de 1947 foi eleito suplente do senador Ismar de Góis Monteiro. Bacharel em Direito pela UFAL (1965). Publicado na Tip. Um dos principais afluentes do Rio Moxotó. O Semanário noticioso. Elegeu-se. Sant’Iago FAVEIRA Rio. Emanuel . deputado à Assembléia Nacional Constituinte. ainda pela UFAL Adjunto de Promotor de Justiça. tendo sua gestão se caracterizado por melhorias administrativas na instituição. Passou a viver em Maceió em 1951. membro fundador do Teatro Estudantil Alagoano. sendo. durante a interventoria de Ismar de Góis Monteiro (1941-45). onde se aposentou. como também do Colégio Estadual Humberto Mendes. FARIAS Rio. Primeiros estudos no Colégio 15 de Maio. Ingressou na Magistratura e foi Juiz de Direito em Major Isidoro. noticioso e humorístico”. da Academia Arapiraquense de Letras e Artes e da Associação Teatral das Alagoas. advogado. segundo o Convênio SEMA/SUDENE/Governo do Estado de Alagoas. e “onde advoga seus interesses nessa cidade”. O “Órgão literário. Impresso em tipografia própria.AL. Conta com diversos afluentes de pouca importância e com denominação local. Secretário da Fazenda. da Costa. Obras: : Canto Livre: . noticioso. permanecendo na presidência do IAA até maio do ano seguinte.. Al 28/9/1899 -. Bibl. Empossado em fevereiro de 1946. tais como: reestruturação de todos os serviços e do quadro do pessoal. O “Órgão do Partido Republicano no Estado”. secretário de estado. Comercial de A. Palestina. magistrado. em 1889. Sócio colaborador da SOBRAMES. A partir de então passou a se dedicar à administração de sua fazenda. Membro da AML. em 1907. em dezembro de 1945. vicepresidente da Associação Teatral das Alagoas. Filho de Esperidião Lopes de Faria e de Cândida Lopes Lamenha Lins. diplomado em 1920. Deságua na margem esquerda do São Francisco. renunciou no mês seguinte a fim de assumir. Conseguiu manter o equilíbrio entre produção e consumo por meio da política intervencionista do instituto. Nasce em Olho d’Água das Flores. em abril. Secretário-geral do Teatro Universitário de Alagoas. Professor de História do Brasil e Moderna do Colégio Estadual de Alagoas. surge em Maceió em 3/12/1862. assume cadeira no Senado. segundo o convênio SEMA/SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. editores e proprietários. FAROL.ABC das Alagoas 535 FARIAS JUNIOR. J. a presidência do Instituto do Açúcar e do Álcool. Surge em Coruripe. onde terminou o curso secundário. FAROL “Periódico literário.

Hebdomadário. e 2o. e sua administração estendeu-se até abril de 1988. Teve em sua primeira direção: presidente de honra: Noemi Licio. Relatório de Atividades. Porfírio Moreira Soriano. Veio substituir a Coligação Esportiva de Alagoas. A partir dessa data.FAEAL. Imprensa Universitária. Ser Feliz é um Dever. 1o. secretários. FEDERAÇÃO ALAGOANA DE FUTEBOL Passa a assim denominar-se. respectivamente. Arapiraca. A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Alagoas. segundasecretaria: Baby Paes. desenvolvimento. vice-presidentes.536 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Poemas. Center Graf. Impresso na tipografia de O Trabalho. Francisco Edílson Maia da Costa. defesa. bibliotecárias: Hilda Calheiros e Miriam Lima e oradora: Flora Ferraz.174 de 10 de maio de 1933. Federação da Agricultura e seus filiados. FEDERAÇÃO ALAGOANA DE DESPORTOS (FAD) Fundada em 14/3/1934. Entidade sindical de grau superior. é constituída para fins de estudo. ano I. 1975. EDUFAL. Entre 1959/60 foi presidida por Kleber Rodrigues de Andrade. A entidade foi considerada de utilidade pública pelo Decreto 1. por meios conciliatórios dos dissídios ou litígios concernentes às atividades compreendidas em seu âmbito de representação. coordenação. Maceió. Clóvis Lemos de Farias e Nelson Tenório da Rocha. anteriormente (de 1953 a 1968) denominada Federação das Associações Rurais do Estado de Alagoas – FERGOAS. Maceió. os Sindicatos dos Produtores Rurais. que em 14/2/1991 transformou-se na Federação Alagoana de Futebol. seguindo-se Álvaro Artur Lopes de Almeida. José Francisco Assis de Melo. 1974 (contos). UFAL. Dirigido por Achilles Mello. proteção e representação legal da categoria econômica dos ramos da agropecuária e do extrativismo rural. Publicouse: Relatório 1973. A Semanário. Relatório 1974. quando couber. do Colégio Guido de Fontgalland FÉ CRISTÃ. prestando-lhes assistência e apoio em consonância com os interesses gerais da categoria. a presidência ficou a cargo de João Eudes Leite Soares. primeira-secretaria: Linda Mascarenhas. vice-presidente: Francisquinha Accioly. Bibl. Jornal de Hoje e revista Mocidade. FAD. 1 de 11/1/1902. organizar e manter os serviços que possam ser úteis aos sindicatos filiados. José de Almeida Araújo. São Miguel dos Campos e São José da Laje. com sede e foro em Maceió e jurisdição em todo o Estado de Alagoas. estudar e buscar soluções para as questões e problemas relativos às atividades rurais. A no original FÉ CHRISTÃ. Mário César Tenório e Nilson Agra de . microf. secretário. Luiz Alves Ribeiro e Gildo Inojosa de Andrade. Surge. Maceió. tesoureiro. 1982. onde também tinha o escritório. Do Monte Alto a Mensagem Eterna: Crônicas. presidente efetiva: Lily Lages. em Penedo. Libertas. Nac. Diretoria para o quadriênio 2002-2006: Álvaro Artur Lopes de Almeida. n. sendo o seu primeiro presidente Ulisses Cerqueira. João Carlos de Albuquerque Filho foi seu primeiro presidente. primeira e segunda tesoureiras: Georgina Casado e Maria Alice Braga Neto. sem fins lucrativos. a Federação Alagoana de Desportos. FAD.. promover. que também era seu proprietário e redator. FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DE ALAGOAS . Talvanes de Albuquerque Pontes. até julho de 2000. em 14 de fevereiro de 1991. Prêmio Nacional de Poesia do Governo do Estado do Rio de Janeiro (1968). É parte integrante do Sistema CNA. Canto Livre. respectivamente 1o. que a presidiu até 1968. Maceió. Jornal de Alagoas. 1973. a solução. Maceió. em solenidade num dos salões do Teatro Deodoro. FAD. FEDERAÇÃO ALAGOANA PELO PROGRESSO FEMININO Instalada em 13/5/1932. dedicado aos interesses da religião católica. além de sacerdotes e seculares de reconhecida competência na área de religião. 2002. que ao se licenciar foi substituído por José Sebastião Bastos. constituindo-se em defensora e cooperadora ativa e vigilante de tudo quanto possa concorrer para a prosperidade da categoria que representa. que é composto pela Confederação Nacional da Agricultura. Tem como objetivos pleitear e adotar medidas cabíveis aos interesses dos sindicatos filiados. Não mantinha secção de polemicas pessoais de natureza estranha aos interesses da religião. Maceió. José Adailton Barbosa Lopes. presidente. a 6o. Colaboração na imprensa: Diário das Alagoas. Chegou a ter três filiais: Pilar. foi reconhecida pelo Ministério do Trabalho em 9/9/1968.. em 11/1/1902. dat.

FBA Fundada em 25/11/1983 por um grupo de adeptos do esporte liderados por Ivone Araújo Santos. foi criado pela Lei 8. suplentes: Martírio de Oliveira Rego. 2o. Sindicato Rural de Maceió. Associação dos Agropecuaristas da Região Norte . Sindicato Rural de Capela. Sindicato Rural de Coruripe. tv e um acervo de fitas de basquete com vídeo. Tesoureiro: Bartolomeu Edson de Lima. Severino Lourenço da Silva e Antônio Braz da Silva. Sindicato Rural de Mar Vermelho. O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural -. Associação dos Produtores de Coco de Alagoas . beneficiando um total de 56. Sindicato da Indústria de Construção do Estado de Alagoas. Márcio Tenório Peixoto.ASPLANA.678 treinamentos de Formação Profissional Rural. entidades estatais. suplentes: José Roberto Pimentel Lopes. Sindicato Rural de Mata Grande. a renda e a qualidade de vida do homem do campo.Sindileite FEDERAÇÃO DE BASKETBALL DE ALAGOAS . Entre suas principais atividades destacam-se aquelas realizadas pelo SENAR .Tem como objetivo executar. como suplentes. é uma entidade sindical de grau superior e tem por finalidade a coordenação e proteção das categorias econômicas pertencentes ao ramo da indústria.que é presidente nato do Conselho Administrativo. Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de Maceió.PROCOCO. Sindicato Rural de Santana do Ipanema. para melhorar a produção e a produtividade agropecuária.a formação profissional rural e a promoção Social do pequeno produtor e do trabalhador rural e sua família. um da Federação dos Trabalhadores Rurais na Agricultura . Associação dos Criadores de Alagoas. Sindicato Rural de Atalaia. Tesoureiro: Nelson Gomes. Sindicato das Indústrias de Beneficiamento de Mármore e Granito do Estado de Alagoas. 1.Serviço Nacional de Aprendizagem Rural . Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Alagoas. José Aprígio Brandão Vilela. Sindicato Rural de Junqueiro. Vice presidentes: José Ferreira Costa.FETAG e dois membros representantes do setor agropecuário do Estado. João Nogueira Júnior. um representante da Administração Central. FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE ALAGOAS Fundada em 11/11/1947. Outras Entidades do Setor Produtivo Rural de Alagoas: Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas . Sindicato Rural de São Miguel dos Campos. Sindicatos filiados à FAEAL: Sindicato Rural de Arapiraca. Maceió. É dirigido por um Conselho Administrativo composto pelos seguintes membros: o presidente da Federação da Agricultura -. Pecuária.1. Diretoria. através de ato do presidente do Conselho Deliberativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural. e a educação de jovens e adultos. através das Administrações Regionais -. Sindicato das Indústrias de Marcenaria de Maceió.ABC das Alagoas 537 Albuquerque. Para a consecução dos seus objetivos de aprendizagem trabalha em parceria com os sindicatos rurais (patronais e dos trabalhadores). Cooperativa de Crédito dos Plantadores de Cana de Alagoas . 1o. trabalhadores rurais e suas famílias.AGRONAL.520 pequenos produtores. tesoureiros. Sindicato Rural de Palmeira dos Índios. Efetivos: Hélcio Deni Colodete. Vice-presidente: João da Silva Nogueira Neto. contando com uma sala de estudos do basquete. 2o. Zélia Barbosa Batinga e Marconiedson Napoleão de V. um mini-auditório. José Araújo Barros Filho. Organizado e administrado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil -. Sindicato Rural de Porto Calvo.Administração Regional do Estado de Alagoas foi criado em 23/4/1993. 1o.204 de Promoção Social e 286 turmas de alfabetização de jovens e adultos.315 de 23/12/91. Sindicato da Indústria de Calçados de Maceió. Sindicato da Indústria de Fiação e Tecelagem em Geral do Estado de Alagoas. Secretário: Oscar Cunha Júnior. . Fernando Márcio Cunha. Núcleo Criador de Gado Girolando e Sindicato Rural dos Produtores de Leite de Alagoas . os trabalhadores rurais assalariados e o trabalhador em regime de economia familiar. como titulares e Noêmio de Melo Lôu. Sindicato Rural de Viçosa e Sindicato Rural de Penedo. Mirocles Cavalcante Alves. Sua sede atual é no Estádio Rei Pelé. Bonfim. Sindicatos filiados: Sindicato da Indústria de Alfaiataria e Confecções de Roupas de Homem. etc. Atual Diretoria: Presidente: José Carlos Lyra Andrade. Conselho Fiscal. Sindicato da Indústria de Extração Mineral do Estado de Alagoas.CNA Brasil. os pequenos produtores. Sindicato Rural de São Luiz do Quitunde.COPLAN. José Alves Pinheiro. Valdomiro Feitosa Batista. Secretário: Romildo Ramos Rocha. 1o. Desde sua fundação. realizando cursos práticos nas áreas de Agricultura. Conselho Fiscal. e 2o. 1o. Seu público são os trabalhadores autônomos. Agroindústria. prefeituras municipais. José Joaquim de Almeida. Atividades de Apoio Agro-Silvo-Pastoril e outras relativas à prestação de serviços. atendeu quase todos os municípios do Estado com treinamentos -. O Conselho Fiscal é composto por: Carlos Antônio de Moraes e Lima. Sindicato Rural de Pão de Açúcar.

Publicou: Dicionário do Progresso da Alagoas. Joaquim Grevy. sendo Bernardo Guimarães seu secretário-geral. Cadastro Industrial . Imprensa Oficial. 2º vicepresidente. Sindicato das Indústrias Metalúrgicas. Bibl.e o advogado pernambucano Félix José de Melo e Silva passam a ser os seus redatores. FEIJÓ. tem por finalidade defender os anseios da classe empresarial. Abaixo do seu título lia-se que “O Governo do Império do Brasil será uma Monarquia Federativa”. realizado no Rio de Janeiro. Sindicato da Indústria de Milho. Para Atualizar o Documento Preliminar Sócio-Econômico Realizado em 1961/62. após sofrer um atentado. foi constituída por: Sindicato do Comércio Varejista de Maceió. Diretoria em 2. Sorvetes. Doces e Conservas do Estado de Alagoas. Sindicato do Comércio Varejista de Palmeira dos Índios. Assessoria e Organização Industrial. presidente. Em dimensão igual ao Iris Alagoense. que. Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado de Alagoas. 1º secretário. Buscando recursos para o envio de seu representante ao Segundo Congresso Operário Brasileiro. FEDERAÇÃO ESPÍRITA ALAGOANA Fundada em 6/1/1908. FEDERAÇÃO DOS CLUBES SOCIAIS DE ALAGOAS Em 1997 era dirigida por Casimiro de Farias Cardoso. FEDERAÇÃO OPERÁRIA DE ALAGOAS Fundada em maio de 1913.. literário e moral”. Penedo. Leopoldo Pereira e Virgínio de Campos. 3 vls. Como entidade patronal. Órgão da Sociedade Patriótica Federal. Torrefação e Moagem do Estado de Alagoas. FEDERALISTA ALAGOENSE. José Marques Vieira. todos de Maceió. Atualmente são seus sindicatos filiados: Sindicato do Comércio Varejista de Penedo. promoveu conferência. Elaborado pelo Escritório Técnico Paulo Assis Ribeiro. O Denominação que o jornal Iris Alagoense assumiu a partir de 22/2/1832. Sindicato do Comércio Atacadista do Estado de Alagoas. de Barreto Cardoso. Maceió. Manoel Ferreira dos Santos e Jaime de Oliveira do Sindicato dos Marcineiros e Tomaz de Aquino do Sindicato dos Sapateiros. em 25 de julho de 1913. Maceió.538 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Sindicato da Indústria de Açúcar e do Álcool do Estado de Alagoas. 1º vice-presidente. Cadastro Industrial de Alagoas 1970-1971. Nac. Diagnóstico Sócio-Econômico de Alagoas. Era seu comitê executivo: Flaviano Domingus Moreira. passa a morar em Recife. Honoré Cémeli. Seu primeiro presidente foi o comerciante Vicente Gerbase. Sucos e Concentrados. União dos Palmares. do Sindicato dos Estivadores. Luiz Gonzaga. 1971. É integrada à Confederação Nacional do Comércio e ao Sistema Confederativo da representação sindical do comércio. representando Alagoas. Sindicato das Indústrias Alimentares de Congelados. Wilton Malta de Almeida. promover o desenvolvimento e a prosperidade do comércio. Mário Jorge Calheiros (AL ?) Cineasta. microf. s/d. . O Padre Afonso de Albuquerque Melo -.considerado o primeiro jornalista alagoano -. Epaminondas Leite. 1º tesoureiro e Álvaro Ferreira Júnior. Assembléia (como então se denominava Viçosa) e Sindicato dos Hotéis e Similares de Maceió. Intitulava-se um “jornal político. Sindicato do Comércio Varejista de União dos Palmares e Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado de Alagoas. Sindicato das Indústrias Químicas. Petroquímicas e de Resinas Sintéticas do Estado de Alagoas.000: Canuto Medeiros de Castro. s/d. nele ingressa o padre Francisco do Rego Baldaia. Sindicato dos Representantes Comerciais no Estado de Alagoas. quando comparado à direção anterior. Deixa de ser redigido por Adolphe Emile de Bois Garin. Seu representante no referido congresso foi Virgínio de Campos. Sindicato da Indústria do Vestuário do Estado de Alagoas. adotar medidas de interesse dos sindicatos filiados. que usava o pseudônimo de Cláudio Alencar para os seus artigos na imprensa. FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO ESTADO DE ALAGOAS Fundada em 4/11/1948.Volume I . Maceió. Saia às quartas e sábados. Jarbas de Souza Cunha. Diagnóstico Sócio-Econômico de Alagoas. Em 1833. Supercongelados. 2º secretário. Palmeira dos Índios. Sindicato do Comércio Varejista de Arapiraca. n. 1970. Maceió. médico Presença constante no Festival de Cinema de Penedo. Imprensa Oficial. de 8 a 13 de setembro de 1913. tendo ainda participado. que embora um exaltado era considerado um moderado. 2º tesoureiro. ETPAR. Adelido Sotero da Silva. Laerte Barros Simões. do Sindicato dos Gráficos. Circulou até o início de 1836. 1964. Mecânicas e de Material Elétrico do Estado de Alagoas. sob o tema “Luta de Classes”. 49 03/10/1832.

e participou do I Festival de Penedo. Sua elevação a categoria de vila se deu em 30/11/1938. da revista da AAL. Maria Obdulia (AL) Publicou: Festa da Árvore. Confecciona estandartes para blocos e bonecos para festas de carnaval. Alves (?) Publicou: Notícia Bibliográfica do Autor de A Rosa da Manhã Nascente. 10) FEITOSA. 1914.785. Obras: Gramática das Escolas.902 de 1953. Deduz-se que foi essa a origem do nome do lugarejo.156 e 158. que o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas publicou O Sonho de Zé da Feira. sendo um dos três premiados. dito Zé da Feira. Foram publicados 29 números. Natureza Terapia é a sua participação no IV Festival de Penedo e com Divina Comédia Humana está presente no V Festival de Penedo. O município foi criado em 23/7/1960. artes e sociedade. desmembrou o distrito de Arapiraca e o anexou a Traipu. A construção do trecho ferroviário ligando Palmeira dos Índios a Porto Real do Colégio expandiu ainda mais a região. suas terras eram ocupadas por um aldeamento dos índios Caetés. n. sendo o local por demais deserto. Dedicou-se. p. pela Lei 2. Com Início de uma Neurose e Repetições participou. juntamente com outros autores. pelo Decreto-lei 2. Mãe dos Homens debaixo de um cajueiro. SERGASA. Os Três Estados (Explanação Positiva) 1878. S. fixando residência. Editor: Organizações Breda.264 e instalado em 7/8/ 1960. 1886. Maceió. ainda. em 1977 apresenta Epílogo. No III Festival de Penedo.435. formaram o primeiro núcleo populacional da região. 1985 (poesia popular . pela Lei 1. Tipografia Alagoana. especialmente. é seu primeiro filme. Citado in Arte Popular de Alagoas. em primeiro lugar. 66-67 e 68-69. FEITOSA.ABC das Alagoas 539 A Maldição de Klemenn. Pertencente à microrregião de Penedo e à mesorregião do Leste Alagoano. e sua instalação em 25/4/1954. seu topônimo nasceu de uma lenda que procura explicar o nome do município. FEITOSA. os seus sobreviventes. O povoado pertencia a São Brás. FEITOSA. Seria FEITOSA. que ficaria em quarto lugar. dentre os quais Domingos Mendes e Maria Mendes. Desmembrado de São Brás deve seu topônimo por ser a maior feira entre as que se realizavam nos povoados e vilas das imediações. Domingos Mendes encontrou uma imagem de N. Com Hora de Visita se apresenta no VI Festival de Penedo e A Vida Começa ao Entardecer é o filme que apresentou no VII Festival de Penedo. A Volta da Exposição. “Consta que vindo de Lagoa de Cima. Uma iniciativa de Silvio de Macedo e Carlos Moliterno. Premiado. Antônio Alves (?) Deputado provincial na legislatura 1886-87.422. Campinas. tendo assim início a povoação. chegou Francisco José Gonçalves à região. FELIZ DESERTO Município. pelo grande número de operários chegados para trabalhar na obra. Mas somente por volta de 1945 é que o desenvolvimento e crescimento recebeu um impulso maior e iniciou-se a luta pela sua emancipação”.G. Diz a estória que após o naufrágio. no I Festival Alagoano de Super 8. sendo diretor de colégios. p. o decreto 2. Deputado provincial nas legislaturas 1864-65. Base econômica: agricultura. ao encontrar a imagem o homem explodiu de felicidade. 1979. Feiragrandenses FEIRA LITERÁRIA Revista de ciências. pelo decreto-lei 2. que fixou a divisão territorial para o qüinqüênio 1944-1948. de Tânia Pedrosa. tendo sido publicada em Maceió a partir de julho de 1961. até junho de 1964. Base . FEIRA GRANDE Município. sendo este último premiado. realizado em 1975. José Alves. o nome Mocambo foi substituído por Feira Grande.lugar. Maceió. Manoel (AL) Artesão. Miguel Alves (AL -) Deputado provincial. Desmembrado de Piaçabuçu. em 1976. Coleção dos Trabalhos Literários Comemorativos Realizados no Dia 1º de Maio de 1914. letras. do II Festival de Penedo. A fertilidade do solo serviu de atração a outras famílias. Sua matriz foi construída em 1930. município de Traipu. FEITOSA. Oficialmente. professor. Maceió. Macedo. “Originalmente. com o nome de Mocambo. Quando do naufrágio de uma nau portuguesa. que foi extinto em 19/2/1938 e anexado a Arapiraca. ao ensino. em 2o. 178. Depois. A elevação à categoria de cidade deu-se em 5/4/1954. Encontra-se na microrregião de Arapiraca e na mesorregião do Agreste Alagoano.

Publicou: A Xícara do Padre: Crônicas de um Médico do Interior. a Praia de Macunin é a principal atração turística local. deixou inédito um livro pronto. 249-250. foi na Rua da Igreja. tesoureiro: José Amorim Leão. Scpione. então. de início. prefácio de J. microf. haviam se reunido. 1 9/02/1902. p. Faz o Curso de Aperfeiçoamento na área da medicina militar. George Samuel Sanguinetti (Recife PE 2/4/1945) Médico. atuou também na área da comunicação. Eduardo Morais. no EFORN. Passa a viver em Maceió em 1969. 1997. da qual é presidente. São Paulo. Alves Tosta. José Amorim Leão. além de dedicar-se às suas atividades profissionais (foi o primeiro médico cirurgião a estabelecer-se na cidade). Estabelecimentos Prisionais de Alagoas. Obras: Saúde Mental Para a Criança e o Adolescente: Orientação aos Pais e Mestres. Sua primeira diretoria: presidente: Napoleão Goulart. 1o. ano I n. Cursa 1o. Filho de Sidney Fellows e Angelita Sanguineti Fellows. uma Assembléia Geral. segundo o convênio SEMA/SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. de Carlos Moliterno. Maceió. Maceió. Fortes. pesca. Antônio G. em Jaraguá. Em 9/6/1933. na Rua da Igreja.540 Francisco Reinaldo Amorim de Barros econômica: agricultura. da Marinha do Brasil. Manoel B. e 2o. em sua cidade natal. O Surge em Maceió em 9/2/02. em sua cidade natal. Guimarães. Jorge Washington. Ao morrer. pelo PL.Maceió AL 17/9/1998) Juiz de direito. professor. poeta. tendo criado o jornal Novo Nordeste. Dois anos de especialização em São Paulo. como “órgão de propaganda da emancipação da mulher”. Filho de Raimundo Fernandes de Queiroz e Áurea Nunes de Queiroz. da Academia Arapiraquense de Letras. América A. eleito para o período 2000-04. Curso primário no Grupo Escolar 13 de Outubro e Ginasial no Colégio da Assembléia. a atual sede. além de Napoleão Goulart. Nesse mesmo local. e 2o secretários: Manoel Tosta e Manoel B. Cristiano Nunes (Manaus AM 9/4/1931 . FELLOWS.] 1982.ed. Com Do Azul do Céu e do Olhar da Amada e Certas Rosas e Cavalos do Outono participou de Notas Sobre a Poesia Moderna em Alagoas. História de Loucos. Guimarães. comércio e turismo. no Rio de Janeiro. O Dossiê de Sanguinetti. J. bi-mensal. Nac... e sócio da SOBRAMES-AL. Professor na Faculdade de Medicina da UFAL.. desde 1977. Construiu-se. FERNANDES. Francisco de Amorim Leão e Alfredo P. Felizdesertenses FELIZ DESERTO A Bacia do Riacho Feliz Deserto envolve os municípios de Coruripe e Feliz Deserto. FEMINISTA. Antologia. Sociedade recreativa fundada em 7/9/1886 na residência de Napoleão Goulart. Bibl. Sua família mudou-se quando ele era criança para Maceió. radicou-se em Arapiraca onde. De volta. Vereador em Maceió. [s. Leonel P. sua sede. tendo. na continuação da Avenida Duque de Caxias. o Miai de Baixo e o Jaou. de Vasconcelos. de Lima (Viçosa AL 25/3/1933) Médico Filho de João Fernandes de Costa e Gertrudes Magna Lima da Costa. autorizou a venda da sede da Rua da Igreja a fim de construir outra em melhores condições e local. tem como afluentes principais o Miai de Cima. Em setembro de 1953 passou a publicar a revista FÊNIX ALAGOANA. Guimarães. FERNANDES. Formase pela Faculdade de Ciências Médicas do Recife (1968).]. F. de Vasconcelos. publicada aos domingos. A Morte de PC Farias. Seu principal artesanato é de chapéus e bolsas confeccionados com a palha do ouricuri. . em 18/3/1886. além da rádio com o mesmo nome. graus no Colégio Nóbrega. Formado pela Faculdade de Medicina de Alagoas (1960). Cientifico no Liceu Alagoano. Com águas esverdeadas. Maceió. [s ed. quando discutiram a criação do clube. Neste último ano faz concurso para a Polícia Militar e chega ao posto de coronel médico. Membro da AAI. SEGAL. Virgilio Carvalho. vice: Agostinho Gavazza. Segundo Felix Lima Junior. 1975. vereador. Publicou versos na página cultural de Francisco Valois de O Jornal. Além do rio que lhe empresta o nome. durante muitos anos. Prêmio da AAL com o original de um livro de sonetos que se intitularia A Rosa Rubra. Com Soneto Sem Motivo ganhou o 2º lugar do Concurso de Poesia Falada da Fundação Cultural Cidade de Maceió. Jorge Barros como diretor e Francisco Valois como redator-chefe.Serviços Gráficos Offset Ltda. Judá. FÊNIX ALAGOANA Seu nome original foi Clube Carnavalesco Fênix Alagoana. onde hoje funciona o Grupo Escolar Ladislau Neto.

prefácio de Divaldo Suruagy. em Maceió e em diversas cidades de Santa Catarina. Teresópolis. Gráfica Bom Conselho. professor de Sociologia na Escola Normal Pedro II. A partir de 1917 passou a trabalhar na Ilha do Ferro. de 1970 a 1977. 1971. lugar no XVIII Congresso Nacional da SOBRAMES. Editora Rio. FERRARI. FERRAZ. n. (ensaio literário). Citado em Arte Popular de Alagoas. de 19/8 a 5/9/2003. em Blumenau (SC). no Rio de Janeiro. Maria Iêda de Almeida Barbosa (Arapiraca ? AL) Publicou: Ecos Prateados. de Tânia Pedrosa. Rio de Janeiro. DOM veja IÓRIO. como Juiz de Direito na cidade do Rio de Janeiro. Estudou no Grupo Escolar Fernandes Lima. da Academia Teresopolitana de Letras e da Academia Duquecaxiense de Letras e Artes. o ginasial no Liceu Alagoano e o superior. jan. onde sempre residiu. prefacio de Agripino Grieco. Coleção Pedra do Sino. cerca de 10. Arapiraca. 15. Museu Pierre Chalita. na Faculdade de Direito do Recife (1936). pág.Guimarães Passos e Oliveira e Silva. de 1946 a 1952. 81-84. 159-170. na Faculdade de Direito de Alagoas.ABC das Alagoas 541 Costa Filho. ainda estudante. n. Professor contratado da cadeira de Economia Política. Membro. Revista da AAL. tendo ocupado a cadeira 36. 59 Teve trabalho exposto em Arte Popular Alagoana 2003. Dois Poetas Líricos . com o qual recebeu o prêmio Quero-Quero. FERNANDES. Blumenau. Fernando FERNÃO VELHO Distrito do município de Maceió. Blumenau. FERNANDES. primeiro como Juiz Substituto e. Gráfica Novo Nordeste. Fundação Casa Dr. Participou da Exposição Arte Popular. na então Faculdade Nacional de Direito (1963) no Rio de Janeiro. 7. 25 Anos de Magistério. Membro da AAL. no jornal A Cidade de Recife. 1949 (estudo histórico). D. 3o. Jorge de Lima . Local onde se instalou a primeira fábrica de tecidos do Estado. n. Shopping Center Iguatemi (1989). p. professor contratado da cadeira de Direito Civil da Faculdade de Direito Gama Filho. Filho de Francisco José dos Santos Ferraz e Zedê Malta Ferraz. caracterizando-se por mensagens escritas em suas obras. ainda. Dolores (AL ?) Publicou-se: Poesias de Dolores Ferrari (Obra Póstuma). pág. Galeria Espaço 20 (1989) e International Women´s Club (1990). Coleção Tânia de Maia Pedrosa. 1979 (conferência). Colaborou. 377-392. entre 1985-1995. Em 1963 inicia sua carreira na magistratura. Neila (? AL 25/11/1934) Pintora. Instituto Hans Staden. a partir de 1968.Aspectos de Sua Vida e Sua Obra. Um Genuíno Tangerino: Crônica de uma Família do Interior. ovos de cabaça etc. Foi delegado auxiliar e regional em Santa Catarina. Ideal. moringas. Com A Toalha do Noivo. Obras: Tomaz Antonio Gonzaga -. FERNANDO. Maceió. Revista da AAL. Pequena História da Colonização de Blumenau 18501883. em 1941. Doutorado em Direito. ambos no estado do Rio de Janeiro. Filho de Manoel Inácio Rodrigues e Maria Carolina dos Santos. Os Maias. 1990. e a dedicar-se a objetos de madeira: bancos e mesas. Compreende o Tabuleiro e povoado do mesmo nome até o ponto que limita com o termo de Santa Luzia do Norte. todas em Maceió. Rio de Janeiro. 2002. VI Salão de Arte da Mulher Alagoana. FERNANDO Rodrigues Santos (Pão de Açúcar AL 1/12/1928) Artesão. 1997. Editora Forense. Edições Cadernos da Serra. Durante grande parte da sua vida fez tamancos. De 1937 a 1963 exerce advocacia em Recife. Florianópolis. (1965-1990). 36 da Academia Alagoana de Letras. p. 9. advogado. 1944 (ensaio líterohistórico). em Maceió. Discurso de Posse na Cadeira n. realizada no Museu Théo Brandão.Rio de Janeiro ? RJ 30/4/1989) Magistrado. Viagem ao Portugal de Eça de Queiroz. realizada na Galeria SESC/Centro. Paulo Malta (Maceió AL 13/1/1916 . São Paulo. Coletivas das quais participou: Semana de Combate a Aids. Revista da AAL. e bem assim o povoado das Goiabeiras. Arapiraca. . Curso de Pintura com Pierre Chalita. 2002.30 Anos de Ausência. Imprensa Oficial. realizado em Gramado-RS em maio de 2000. 1976. da Companhia União Mercantil. professor. venceu o II concurso promovido pela Academia Alagoana de Medicina. Apontamentos Para a História da Colonização de Blumenau (1850-1860). 1998.

em 1956. Crodegando Mendes (?) Deputado estadual nas legislaturas 1891-92 e 93-94. Atuação Parlamentar. Porém. Brasília. pelo PST. Secretário de Fazenda no segundo governo Ronaldo Lessa (2002-06). 1979. pelo MDB. Artur . em 1994 volta a concorrer. Câmara dos Deputados. como a instalada sobre a Sudene. agora pelo PSP. Nos períodos em que não foi parlamentar. in Arte Popular de Alagoas. Mergulho de Olhos Abertos. Edgard da Cruz (?) Deputado estadual nas legislaturas 1913-14 e 15-16. Obra: Água. em 1970. Comunicação e Poder. Visitou a Alemanha a convite do Ministério da Agricultura e do Parlamento desse país. Andrade (Desterro PB 31/5/1929) Deputado federal. Filho de José Francisco de Andrade e Quitéria Digna das Neves. v. Empossado em fevereiro do ano seguinte. sem êxito. Lopes Ferreira FERREIRA. 1981. agora pelo PMDB. Aurélio Buarque de FERREIRA. Não concorreu às eleições de outubro de 1998. tendo ficado como suplente e exercido o mandato em janeiro de 1999. Francisco Arlindo Gomes (?) Deputado estadual na legislatura 1947-51. no cine-teatro do SESC-Centro apresentou Nova Consciência na Saúde: O Holismo em Foco. pelo qual concorre. Câmara dos Deputados. Maceió.. 1999. Reelege-se em 1978. 1980.542 Francisco Reinaldo Amorim de Barros FERREIRA. Brasília. Everaldo (AL ?) Médico.. Arnaldo (AL) Jornalista. 1982. Artur Acióli Lopes veja ACIÓLI. em Alagoas. Ao final do mandato filia-se á ARENA. . Maceió./jun. Antônio. Câmara dos Deputados. Com o fim do bipartidarismo filia-se ao PDS. torna-se membro da Comissão de Minas e Energia e participa de comissões temporárias. um dos membros da CPI sobre a reforma do ensino de primeiro e segundo graus. Volta à Câmara em 1986. FERREIRA. Discursos Pronunciados e Projetos Apresentados. 1979. 1998. agora eleito pelo PFL. à reeleição em 1982. partido pelo qual concorre a deputado federal em novembro de 1974. Adeano Quirino (Palmeira dos Índios AL) Artesão. Arco e flecha. Eduardo Henrique Araújo (?) Secretário de estado. Técnico de Estradas pelo Instituto Carneiro Leão. último mês da legislatura. em 1981. Nas eleições de 1954 ficou como suplente. n. 1978. Brasília. EDUFAL FERREIRA. Obra. FERREIRA. 1998. Atuação Parlamentar. Durante os trabalhos da Assembléia Constituinte foi segundo vice-presidente da Comissão de Nacionalidade. Presidiu a Fundação Frei Damião de Assistência Social. Revista do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal de Alagoas. FERREIRA. em Recife. colares em madeira. Câmara dos Deputados. empresário.4. 61-74. in Coletânea Alagoana Contos e Poesias. sempre na área da construção civil. 1981. 1980. Trabalhou no Extra e na Gazeta de Alagoas. onde atua no setor de construção civil. EDUFAL. p.2.. FERREIRA. Aurélio Buarque de Holanda veja HOLANDA.. Fundação Cultural Cidade de Maceió. Obras: Atuação Parlamentar. Maceió. da Soberania e das Relações Internacionais. Neste último mandato é escolhido como vice-presidente da Assembléia. cuidou de suas atividades. Eleito deputado estadual em 1965. Brasília. Radica-se. em 1990. de Tânia Pedrosa.. No V Encontro de Medicina Holística. FERREIRA. juntamente com Vinicius Nobre Lages. Erinalva Medeiros (AL ?) Obra: Alguns Aspectos Ético-jurídicos da Questão Ambiental. in Direitos & Deveres. 215 . Não tenta a reeleição. p. pela UDN e na legislatura 51-55. semente e pedra. 37 FERREIRA. FERREIRA. p. Cristiano Nunes (AL ?) Publicou: Soneto Sem Motivo. FERREIRA. jan. Reeleito. ÉCOS. tendo sido. Discursos. Atuação Parlamentar.

Obra: Desnutrição: Magnitude. Filho de João Ferreira Filho e Sebastiana Lopes Ferreira. Implantou e coordenou a Assessoria de Comunicação da UFAL. onde cordena o curso de Nutrição. Haroldo da Silva (Rio de Janeiro DF) Médico. Geraldino FERREIRA. Atalaia e Maceió Professor da UFAL. Milton Gonçalves (Barra de São Miguel AL 15/7/1913) Advogado e professor. Maceió. 2003. UFPE. Porto de Pedras. Aos cinco anos de idade passou a viver em Recife (PE). José Lopes (?) Deputado provincial. sob a curadoria de Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. p. onde atua no jornalismo. Mestrado em Nutrição pela Universidade Federal de Pernambuco. Diretor do Departamento de Assuntos Culturais no governo Guilherme Palmeira. realizada na FAL. Dirigente da União dos Estudantes Secundários de Alagoas. pelo 5º círculo. Eleito pela Coligação PSD-PTB-PRP. 1983. com a dissertação Utilização de Proteínas na Desnutrição Induzida Pela Dieta Básica Regional Associada à Esquistossomose Mansônica. José Paulo (AL) Publicou: A Incrível Prisão de Rui de Castro. 1998. Marcos (AL ?) Deputado estadual. Em 1975. FERREIRA. São Paulo (1983). Maceió. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II. FERREIRA. Manoel Floriano veja NENEN. 39-41 (poema). tenente-coronel. Com o trabalho Cachoeira e Tarde de Sol participou da X Universid’Arte. professor. pela Universidade Federal de Pernambuco. no Rio de Janeiro com a tese Faces da Desnutrição e Suas Interfaces Com o Processo Saúde/Doença (1996). 50-51. Maria Elza Gama (AL ?) Pintora. José Lobo (AL ?) Deputado estadual. Faz concurso e ingressa na magistratura. EDUFAL. Rio de Janeiro. Fundação Cultural Cidade de Maceió.Maceió AL 24/5/1996) Jornalista. em Camundongos (1991). Silva (? AL 14/5/1939) Pintora. volta a viver em Maceió. pelo PSB..Jaraguá. FERREIRA. Chefiou o Gabinete do Presidente do PRODUBAN. tendo sido promotor público em Mata Grande. ÉCOS. assim como para a legislatura 2003-2006. FERREIRA. Especialização em Saúde Materno Infantil na Universidade de São Paulo. tendo feito uma conferência sobre A Imprensa Alagoana nas Décadas de 20 a 30. padre. Deputado provincial na legislatura 1858-59. USP. na legislatura 1959-62. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. FERREIRA. Colaborou nas comemorações do cinqüentenário do Grêmio Guimarães Passos. chegando a chefe de redação da revista O Cruzeiro. magistrado. Doutor em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. FERREIRA. Membro efetivo do Conselho Estadual de Segurança Alimentar. (?) Deputado provincial. Consultor da Revista European Journal of Clinical Nutrition. Muda-se para o Rio de Janeiro. Consultor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Pernambuco. na primeira eleição realizada pelo sistema de círculos. 2003. Desde 1986 é professor da UFAL. Joarez (Palmeira dos Índios AL 16/2/1945 . de junho a setembro de 2002. Filho de . 52-53 e 76/77. Eleito para a legislatura 2002-06. Marília . Graduação em Nutrição. veja BRASIL. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. Diversas exposições individuais e coletivas. e suplente em 60-61.ABC das Alagoas 543 FERREIRA. Consultor da Revista Brasileira de Saúde Materno-Infantil. 2000. Geraldo Lopes. 2001. Suplente de deputado provincial na legislatura 1846-47 e titular em 48-49. FERREIRA. 2003. in Coletânea Alagoana Contos e Poesias. Significado Social e Possibilidade de Prevenção.. Maragogi. Diversos artigos publicados em periódicos especializados. Arapiraca. Lino Martir de S. professor. Manoel FERREIRA. FERREIRA. FERREIRA.

A Guerra e o Progresso. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II. A Águia e a Lesma. Lima dito FERREIRINHA (Messejana CE 22/5/1927) Pintor. p. 35 (poesia). Maceió. 1987: Karandash-Arte Contemporânea. 1978: VIII Festival de Verão. 1983: exposição realizada no Museu Sant’Egidio. Fundação Cultural Cidade de Maceió. da AAL. sendo ao mesmo tempo pintor de letreiros da Rede Ferroviária Federal. 1992. surge em Jaraguá. O Semanário. Maceió. pela Coligação PDC-PL-PRN-PDC. FERRINHO. 7-10. em ambas pelo PTB. Valente. Pintou retratos de corpo inteiro. publicado em 1989. Membro do IHGA. 1989: Alagoas Arte Atual. da UFAL. empossado em 27/4/1973. Maceió. Você e a Poesia. na Fundação Casa de Rui Barbosa. de Walmir Ayala. Bolivar Valle (AL) Obra: Eu. Maceió. 1981. Participou da Exposição Arte Popular. 1988 -crítica literária) FERREIRA. Maceió. Fundação Pierre Chalita. 1989: EMATUR. a Série Vegetação do Agreste. Aspectos da Criação Literária (prêmio Othon Bezerra de Melo. em 1993. bem como no Arte Contemporânea das Alagoas. promovida pela UFAL.. um dos mais conhecidos tocadores de forró. Rio de Janeiro. realizada na Galeria SESC/Centro. com os trabalhos: Galião. Maceió. 1961. realizada no Museu Théo Brandão.. em 1949 radica-se em AL.. 1979: Galeria de Arte Miguel Torres. Tip. Anos 1991-1992. pela ARENA. FERREIRA. ECOS. Rogério Henrique . onde se registra. para a legislatura 199498 pelo PPR. Diversos redatores. 1941. Musée Beaubourg.. Foi incluído no livro BrasilArte do Nordeste. do Padre Cícero. Publicou: Cantos Intimos de Vicente F.. 1985: Primitivos. Esboço Histórico da Fundação da Faculdade de Ciências Econômicas. Copacabana. em Roma (Itália). nas eleições de 1974. em 10/10/1901. Museu de Artes Plásticas da Bahia. Dois Estudos: Os Atos Inexistentes no Direito Administrativo [e] A Responsabilidade do Estado. Classificação dos Climas. Tese Apresentada ao Liceu Alagoano.. composta de 22 quadros. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. também suplente na legislatura 87-90. Transferido para a categoria de sócio honorário em 29/10/1997. Coleção Tânia de Maia Pedrosa. em Concorrência à 2ª Cadeira de História da Civilização. de 19/8 a 5/9/2003. Maceió. História e Sociologia. “Órgão crítico e noticioso”. 2 17/10/1901. Mês deMaio. Lavrador. Bibl. Obras: História e Sociologia. S. [1947]. in Coletânea Alagoana Contos e Poesias. suplente. FUNTED.Lima (?) Deputado estadual. de Assis (SP). ano I. FERRO. EDUFAL. Professor na Faculdade de Ciências Econômicas de Alagoas. A Memória de Helena Gilka e Amor. Reeleito. Maceió. microf. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. tese. sob a coordenação de Romeu de Melo-Loureiro. Memórias. da qual é patrono Aurino Maciel. Em 1997 foi relator da CPI dos Precatórios da Assembléia Legislativa. v. em Maceió. a Constituição e o Código Civil Brasileiro. n. Foi um dos artistas divulgados na Exposição Arte de Alagoas. no Rio de Janeiro. 1984.544 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Misael Gonçalves Ferreira e Maria Rosa Ferreira. finalmente. em Maceió. Tem quadros no acervo de diversos museus: Museu de Pintura Primitiva. Em 1973 realiza sua primeira exposição individual na Pinacoteca Universitária de Maceió. p. na Coligação PFL-PDS. FERREIRA. bem como para a legislatura 2003-06. na cadeira 28. Coletivas: 1975: DAC. Eleito para a legislatura 1991-94. Sanfoneiro do Trio Maceió. Ozenir Alexandre (AL ?) Publicou: Sintaxe. Formou-se pela Faculdade de Direito do Recife (1938). 2002. Revista do IHGA. sendo sua a primeira parte. A Anunciação. Maceió. de Paris e Museu de Arte Naïf montado no Castelo de Laval (França). 1998. SERGASA. Vicente . promoção da SECULT no Museu Théo Brandão. como também de Arte Popular Alagoana 2003.agora pelo PDS e . Começa a pintar em 1961. Nélia. realizada. XLIII. jan. Reeleito em 1999 para a legislatura 1999-2002. Pedro . em Maceió. João Batista. Fereira FERREIRA. FERRO. de tamanhos variados. músico. Maceió. após peregrinação como figurante de um circo mambembe. catedrático de Geografia Geral no Instituto de Educação e de História Geral e do Brasil em diversos colégios. Rogério Henrique Gomes veja GOMES. ainda suplente na legislatura 82-86. . Conceito de Direito Social. Nac. Cícero Paes (AL ?) Deputado estadual Filho de Romão de Oliveira Ferro e Leonor Paes Ferro. Lima e Mário Silva Lima. Marechal Deodoro. Museu de Artes do Recife.

1958 (poesia). Bahia (poesia). 1971. de Sinhá Ether. Natalício. com Fases da Produção da Cana de Açúcar. Bahia. Com o documentário Alegrando. Obras: Flores do Outono. Criado em 2/5/1937. Bahia. Em 1928 ingressou no Convento do Carmo de Salvador (BA). fundou o Museu do Carmo. . Árvore. de Kleiner Cardoso Gomes. Mário Brandão e Carlos Paurilio. Participou dos Campeonatos Alagoanos de 1951 a 1960. (São Miguel dos Campos AL) Deputado provincial. Auxiliar do comércio. veja FERRO. onde fez o noviciado e a profissão religiosa. 1964 (poesias). Cântico às Árvores. Tip. onde. Suplente de deputado provincial na legislatura 1838-39 e titular em 42-43 e 44-45. A Árvore. então com doze anos de idade. Árvore. Filho de Isiano Ferreira Ferro e Maria Rosa Medeiros. Integrada por: Discurso da professora Maria Obdula Feitosa. Extasiei-me ao contemplá-lo. de Elias Sarmento. Buscaram a valorização dos nossos temas regionais que tanto marcaram a literatura e outras manifestações de arte da época. Poesias Completas.) Senti alegria grande ao perceber que muita gente não passava por perto sem fitá-lo longamente e elogiá-lo como eu”. Sempre residiu no Convento. de Ranulfo Goulart. e com honra de grandeza a 14/3/1860. FERRO. Árvore Sagrada. de Paulino Santiago e Árvore de Cipriano Jucá. na ordem dos carmelitas. Manuel Duarte Vieira (?) Deputado estadual na legislatura 1901-02. Nomeado barão em 11/4/1859. com outros irmãos. Manoel Sertório Queiroz (AL ?) Deputado estadual. Árvores. capitão.. Cânticos do Arrebol. 1914. de L. Como menção honrosa. Ao final da vida passou a morar em Maceió. Frei Elias Medeiros FERRO. Mesquita. Este se destacou com o quadro “Idílio” ao qual se referiu depois o crítico Raul Lima: “Admirei-o. A Faca. Luiz Silva. Autodidata. Programada pelo pintor Lourenço Peixoto e por alguns membros do Cenáculo Alagoano: Waldemar Cavalcanti. seu parente. Mendonça Júnior. Eleito pela Coligação PDT-PTB-PSC-PFLPMN-PSDB-PT do B. frade. FESTA DA ARTE NOVA Manifestação pública de adesão de artistas e escritores ao Modernismo. ocorreu uma só vez.. Alagoana.nos moldes da que ocorrera em São Paulo em 1922 --. em Alagoas.ABC das Alagoas 545 FERRO. realizada no Instituto Rosalvo Ribeiro a 17/6/1928. Soneto ás Árvores. A Cajazeira. Bahia. Manuel Duarte Ferreira . trabalhou quatro anos na casa comercial do escritor Graciliano Ramos. FERRO. FESTIVAL ALAGOANO DE SUPER-8 Promovido pelo Movimento Estudantil de Cultura Artística. Poesias Escolhidas. de Jaime de Altavila. Não freqüentou escola. Participou da Revolução Republicana de 1817 e da de 1824.Barão de Jequiá. e em terceiro Adelvan Henrique. além de uma exposição de Pintura. de Rosália Sandoval. além de Eurico Maciel. Inicialmente proposta por Mendonça Júnior para se realizar uma Semana de Arte Moderna -. Realizada em Maceió no Dia 1º de Maio de 1914. Coleção dos Trabalhos Comemorativos. de Fernando Mendonça. Tarde de Outono. 1956 (poesia). 1968 (poesia). (. em novembro de 1976. leitura de conto regional e de trabalhos teóricos sobre o Modernismo. 1962 e 63 e 1966 a 1989. de Algo. FESTA DA ÁRVORE. acabou sendo uma festa de um só dia. A Árvore. Manoel Messias de Melo. Árvore. Celso Brandão foi o vencedor. FERROVIÁRIO ATLÉTICO CLUBE Clube de futebol. de Fernandes Tavares. Hino à Árvore. Elias Medeiros (Palmeira dos Índios AL 15/3/1905 -) Poeta. Velho Tronco. Constou de hora de arte com declamação de versos livres. Maceió. Árvore. de Barreto Cardoso. José de Menezes e Zaluar de Sant’Ana. de Estevam Pinto. com trabalhos do já consagrado Lourenço Peixoto. Filho de Ana Lins e do Capitão Miguel Vieira Dantas. 2ª edição. com A Maldição de Klemenn. 1961. FERRO. de Menezes Júnior. no Teatro de Arena Sérgio Cardoso. Bahia. Na eleição de 1994 ficou em uma suplência. Em segundo lugar classificou-se Mário Feijó.

em 16 mm. de José Márcio Passos e Natureza Terapia. de Otávalo Casado de Medeiros. de José Márcio Passos. de Aldevan Henrique. os dois de Joaquim Silva Santos. Fantástico Sonhador. Seria o último do qual da Mostra Competitiva de Super-8 só participaram alagoanos: São Gonçalo d’Água Branca. entre os quais As Duas Faces e Vida e Obra de Frei Damião. Nós Somos Todos Assassinos. ambos de Benício Calixto.546 Francisco Reinaldo Amorim de Barros FESTIVAL DO CINEMA BRASILEIRO DE PENEDO Instituído pelo Departamento de Assuntos Culturais. Vaquejada e Cavalhada. de Kleiner Cardoso Gomes. de Mário Jorge Feijó. Shup. Misticismo. Viagem ao Reino da Fantasia. O sétimo festival realizou-se de 8 a 11 de janeiro de 1981. Casamento de Uma Maria. de Kleiner Cardoso Gomes. de Paulinho do Codoz. Maceió. de Kleiner Cardoso Gomes. de Otávalo Casado de Viveiros. de Carlos Bezerra Brandão e Enigmas Populares de Celso Brandão. o total de filmes já chegou a 19. de Marcelino Batista da Silva. Contou com o apoio da Fundação Cinemateca Brasileira. de Júlio Simon. Epílogo. de Celso Brandão. O Cérebro Eletrônico. de Cícero Amorim e Lourenço Peixoto. de Antônio Souza. de José Márcio Passos. O Contrabando. Testes e Conteúdo. e Ponto das Ervas. A Sede e a Fonte. Hora de Visita. de Carlos Hora. Penedo. Maldição de Klemenn. Participaram os seguintes filmes alagoanos: E Eles Ainda Brincam. teve como concorrentes os documentários: Medicina Popular e Cerâmica Utilitária Cariri. Premex. de Gustavo Quintela. Foi um incentivador da realização de filmes em bitola super-8 por cineastas alagoanos. de José Maria Tenório Rocha. pela sua forte presença é que surge a Mostra Competitiva em Super 8: O Primeiro Festival ocorreu de 9 a 12 de janeiro de 1975. Zé Gente. Hoje e Amanhã. Experiência . Jornada e Folguedos e Danças de Alagoas. de Flávio Aloísio de Barros Oliveira. A Ilha. de Mário Jorge Feijó. Barril de Lixo. Perdoai-nos. Paisagem Brasileira. Alegrando. de Antônio Souza. Encontro com Pierre Chalita. que se estendeu a três bitolas: Super-8. de Celso Brandão. de Mário Jorge Feijó e Reflexos. de Mário Jorge Feijó. Taipa e Sobre Viventes do Lixo. de Edson Silva. de Otávalo Casado de Viveiros. teve como participantes alagoanos: A Vida Começa ao Entardecer. de Otávolo Casado de Viveiros. Alívio. Neste. de José Maria Tenório Rocha. Na Mostra tomaram parte: Crise.Torres e Andores e Feira do Passarinho os três de Celso Brandão. Iemanjá. de Luciano Agrelli Sarmento. de Mário Jorge Feijó. e Patrão. Mandioca da Terra à Mesa. . Velhos Tempos e O Jornal. de Inácio Manoel da Nóbrega. 16 e 35 mm. de José Paulo de Barros Melo. Passeio no Céu . Menor Carente. Fases da Produção de Açúcar. entre eles: O Artesanato e Agonia. de Joaquim Silva Santos. de José Marcio Passos. de Carlos Hora Santos. de Adelvan Henrique da Silva. realizado de 6 a 8 de janeiro de 1978. Reencontro com a Vida e Somos Todos Culpados. de Edson Silva. de Benício Calixto. Por Viver. de Adelvan Henrique da Silva. Palmeira em Foco e Desprezo. No terceiro Festival. em 35 mm. As Andorinhas. Alagoanos participantes: Povo de Fé. de Celso Brandão. de José Jaime Braga Filho. de 8 a 11 de janeiro de 1976. também abrangendo as três bitolas. de Antônio Souza. Farinhada. Início de uma Neurose e Repetições de Mário Jorge Feijó. Revolta de Viver. de Antônio Souza. Rendeiras do Nordeste e Expressão do Saber. de Adelvan Henrique da Silva. Festa de Bravos Vaquejada. de Antônio Souza. O oitavo Festival ocorreu entre 14 a 17 de janeiro de 1982.A Ilha das Máquinas. E. e Destino. Linda Mascarenhas. quando dirigiu do DEC. Tarzan Depois da Gripe e Transportes: Ontem. todos em Super 8. a Mostra Competitiva de Super 8 teve caráter nacional. FESTIVAL DE CINEMA DE ARTE Criado por Luiz Gutenberg. O quarto Festival. de Joaquim Silva Santos. O quinto Festival realizou-se de 12 a 14 de janeiro de 1979. de Antônio Souza. de 6 a 9 de janeiro de 1977. de Marcelino Batista. Tiborna. de São Paulo. de José Márcio Passos. foram apresentados 13 filmes. de Celso Brandão. Semeadura e Faramim. dirigido por Solange Lages. O Divórcio. A Promessa. Somos Culpados e Reencontro na Vida. Meu Nome é Miss Paripueira. No segundo Festival. Divina Comédia Humana. Enquanto a Natureza Morre e São Rafael. de Joaquim Alves. A Mostra Competitiva. tendo sido o primeiro o filme vencedor daquele ano. Guerreiro e Orgasmo. de Celso Brandão. de Celso Brandão. Comandamos a Morte dos Poetas Para Depois Cantá-los (Píer Paolo Pasolini) de José Geraldo Marques. todos em Super 8. de Benedito Ramos Amorim. Os Bandos. Palmeira em Foco. de José Márcio Passos. de Mário Jorge Feijó. A Sombra da Morte. Cidade Sorriso e Graças a Deus. Briga de Galo. O sexto Festival realizou-se de 11 a 13 de janeiro de 1980. A Volta. ambos de Carlos Hora Santos. o Grande.

200A de 8 de Fevereiro de 1890. Em 3/12/1884 inaugura-se a Estrada de Ferro de Maceió a União. 1982. Revista do IHGA. numa promoção da Secretaria de Cultura daquele município. normalmente no mês de abril. Formou-se em Direito pela Faculdade de Olinda (PE). José Aldo Rebelo veja REBELO. toma posse no Governo em 26 de novembro do mesmo ano. Publicou-se: Fala com que o Exmo. 32. Iniciou-se em 11 de abril com uma exposição de fotografias do Carnaval de 2003. Sr. e de 30 de abril a 22/9e 1852 -. de 30 de junho a 14/10/1852. 1983 (prêmio Romeu de Avelar. 21. FIGUEIREDO. Fundação Cultural Cidade deMaceió. (1844). Livraria Azevedo. seguido do espetáculo musical “D’Outro Lado do Circo”. Artur Napoleão (?) Sócio-correspondente da AAL. L. Maceió. 1981. 1975-1976. ECOS. Governo do Estado do Pará. C. 2ª edição. em Penedo. Nomeado em 15/11/1884. 221-225. ainda pelo mesmo estado. a cada ano. Peças Arqueológicas do Pará Estão Num Museu em Alagoas. embora mantendo o nome. 1976. Posteriormente. v. José ALDO Figueiredo. FESTIVAL DE VERÃO Iniciou-se em 1972. depois Visconde do Bom Conselho (Vila da Barra do Rio São Francisco. Maceió. Maceió. recebeu menção honrosa da AAL. Foi o 52º presidente. Falangola Editora. dividida com o 1º vice-presidente Manoel Sobral Pinto -. Shogum Arte. São Paulo. Foi o 23º presidente. A proposta inicial reunia. criado por Solange Lages Chalita. 1979-81. Deputado Provincial.. p. 37. Nomeado em 8/6/1849. (AL ?) Publicou: Testamento. Revista IHGA. deputado geral por PE. professor. FIGUEIREDO. Revista IHGA. Maceió. FIGUEIREDO. n. Antônio Tibúrcio (?) Presidente da província. SEC. 113-114 (poesia). Maceió. FIGUEIRA.Rio de Janeiro DF 14/7/1891) Presidente da província. Com o conto A Promessa. pág. magistrado.ABC das Alagoas 547 FESTIVAL DE TRADIÇÕES POPULARES Ocorre. p. Filho de Manuel da Cunha Figueiredo e Joana Rosa Alves de Figueiredo. cavalhadas e outras manifestações folclóricas. da AAL. então PE 22/4/1808 . Revista IHGA.43 (ensaio). Dr. in Coletânea Alagoana Contos e Poesias.p. Alexandre Rodrigues Ferreira. No período de sua administração. promovido pela Prefeitura. quando também se festeja o aniversário da cidade. José Bento da Cunha. Antônio Rodrigues de (Atalaia ? AL) Publicou: Manual do Eleitor. apresentações de orquestras e coros de igrejas. 1976. (AL ?) Obra: Obscuridão. pertencente à companhia inglesa Alagoas Railway. Revista da AAL. bem . tomou posse no governo a 14 de julho do mesmo ano. 12. Publicou: A Presença Africana na Amazônia Colonial: Uma Notícia Histórica.extingui-se a Insurreição Praieira. Seguido da Legislação Eleitoral e Acompanhada de um Completo Formulário dos Trabalhos da Junta ou da Comissão dos Distritos de Paz e da Guia do Alistamento dos Eleitores de Acordo com o Decreto n. Entre 1850/51 esteve na Corte como Deputado Geral. 1975-1976. suas características são totalmente diferentes. FIDELIS. 1981. 89-94. Assim é que ocorreram exposições de artes plásticas. 37. p. foi Deputado Geral. Antônio Tibúrcio Figueira Abriu a 2a Sessão da 25a Legislatura da Assembléia Legislativa Provincial de Alagoas. Repensando os Estudos Sobre a Presença Africana no Brasil e o Tráfico de Escravos na Amazônia Colonial. O XX realizou-se em 2004. em PE. 41-52. 1890. v. 32. 1983). FIGUEIREDO. diversas modalidade de criação artística e folclórica. Belém. Pajelança e Catimbó na Região Bragantina. 1850-52 e 1856-60).Arquivo Público do Pará. juntamente com Anaiza Vergolino Henry. em 16 de Abril de 1885. 1979-1981. quando na direção do DAC. FIGUEIREDO. Encerrou-se com o 6o Concurso de Poesia Falada. (1849. v. advogado. bacharel. Felipe Alexandre A. p. representando PE. Rio de Janeiro. no hall do Teatro Sete de Setembro. v. fundou-se a Colônia Militar de Leopoldina. prefácio de Anilda Leão. As Coleções Etnográficas da Universidade Federal do Pará.157166.presidente de 4 de junho a 2/11/1850. em Marechal Deodoro. permanecendo até 15/6/1885. construiu-se o edifício sede da Assembléia Legislativa Provincial. 1998. permanecendo até 18/4/1853.

Fundador. José Vieira de (?) Deputado estadual na legislatura 1913-14. Maceió. juntamente com Raul C. de Sant’Ana publicou Tavares de Figueiredo. do grêmio Vila Beethoveniana. 1924. Saudosa Bahia.Homenagem a Jorge Lima . Graph. 1916. integrando a série “Soirées Brasileiras”. Organizou a primeira orquestra sinfônica em Maceió. S. valsas. De J. Sonhando a bordo. músico.versos de Jayme d’Altavilla . FIGUEIREDO JUNIOR. Alvorada das Flores. Em 1875 foi ministro no Gabinete chefiado por Caxias. posteriormente. sendo. presidente de Minas Gerais (1851/1862) e do Pará (1868/1869). 1987 .versos de Jayme d’Altavilla . Musical Campassi & Camin. Foi Você ? Eu Não. funcionário público.Joel Belo Soares. entre 18 de julho e 22 de agosto de 1868. 1914. 34-35. Acorda Escuta. Coordenação de Extensão Cultural-UFAL.impressora Drechsler . S. 1917. Senador por Pernambuco de 1869 até 15/11/1889.Recife . tango-maxixe. Sonhando a bordo .Maceió AL 15/6/1925) Compositor. Libinha . Sr. por luto. Freqüentou a escola pública e depois o Colégio 15 de Março. Valsa da Paz. em especial a navegação a vapor nos rios São Miguel. editada na Casa Carlos Wears. 19 da Res. Em seu Dicionário.SALGEMA .polca.1916. Organizou a orquestra do Cinema Odeon. .1924. 1851. Muitas de suas peças estão transcritas no 4º Caderno de Compositores Alagoanos. Livraria Santos. Dados Biográficos. Olhos Que Rezam. instalaram-se os partidos políticos gerais: Liberal (Luzias) e Conservador (Saquarema). para Fiscal do Imposto do Consumo. Instalou-se o Consulado Provincial. José Bento da Cunha Figueiredo ao Exmo. Em 1852. José Luitgard Moura de (AL ?) Secretário de Estado. incentivou a remodelação da capital. tango-maxixe. que funcionou no mesmo Liceu. fundado em 1/5/1915. inaugurou-se o Liceu da capital. Obras: Relatório que Dirige O Exmo. Canção do Trabalho. samba sertanejo (1920). Vence Quem Ama . que depois seria a Recebedoria Central. Autor de Despedida à Faculdade. Tip. Teu Beijo (versos de Ranulfo Goulart).Of. p. Nomeado em 22/8/1868. de Morais e Luiz M Gil. Pelo Teu Amor. foi nomeado para União dos Palmares e logo depois para Maceió. José Tavares de (Maceió AL 25/6/1891 . de 18/6/1864) . publica lista de sua obra. Paulo. Alvorada das Flores.of. Sr. Tendo feito concurso. tango-carnavalesco (1922). FIGUEIREDO. todas as sete. tomou posse do governo a 2 de outubro do mesmo ano e permaneceu no cargo até 2/7/1871. Filho de José Bento da Cunha Figueiredo. VicePresidente Dr. Secretário da Educação e Cultura de 18/1/1989 a 6/5/1989. Coração de Noiva.Valsas. Polcas e Mazurcas . José Bento da Cunha (PE) Presidente da província. .548 Francisco Reinaldo Amorim de Barros como o Farol. do Rio de Janeiro. pas de quatre.A música Alagoana do Início do Século . contratou o serviço de navegação fluvial e lacustre. Paulo. João Ulysses Moreira. Dobrando a Esquina. todas as 11. Ressuscitando um Coração. FIGUEIREDO. composta por: Hino do Centenário (da Independência do Brasil). Maceió. Moacir M. onde ficou entre 1853 e 1856. em 1917. Conselheiro Dr. piano: Nove e Meia . Canção dos Jangadeiros. Saudades de Maria. Aí Meu Tempo. Campassi. . .Valsa dos Príncipes . Canção dos Jangadeiros e Canção da Pátria. em 23/04/1911. valsa. Maceió. 1918. O Caruru. foi nomeado presidente da província de Pernambuco. da Silva Maia.pas de quatre. oferecida ao Prof. Obras: Moderna Arte da Música. inclusive identificada pelos dois cadernos publicados pela UFAL. em Maceió. 1983 ou no 7º Caderno de Compositores Alagoanos. Libinha. Amor que Dá Vida. Instalou o Liceu da capital. 1914. 1984. versos de Jaime de Altavila. voltado para a divulgação da obra daquele compositor. melhorou as condições de navegabilidade das lagoas. & Camin. Joel Belo Soares. Music. contratou-se a Navegação Costeira Bahiana (9/4/1853) e criou-se a vila de Passo do Camaragibe. 1923. Canção dos Escoteiros. FIGUEIREDO. Prov. dotou Maceió do serviço de abastecimento d’água. Coração de Criança. Casa Artur Napoleão. De outra parte. S. 424. Rio de Janeiro. 1914. Filho de Carlos Francisco de Figueiredo e Maria Aristéa Tavares de Figueiredo. Está na Hora !!! (polca). Valsa dos Poetas. Discografia: LP 992624-i . Minha Vida.Rio de Janeiro. ambos publicados pela UFAL.Maceió. valsa. Coração de Bertini. Manoel Sobral Pinto no Ato de Passar-lhe a Administração da Província das Alagoas em 20 de Junho de 1851.pas de quatre. tendo ficado afastado. 1916. Coração Vencido. Litografia Trigueiros . 1914. Depois de um Sonho. em homenagem às Nações Aliadas. Quando o Amor Fala. 1919. prestigiou a fundação do Instituto Arqueológico e Geográfico Alagoano (2/12/1869). a Escola Normal (criada pelo art.Versos de Jayme d’Altavilla . Tango das Moças. Misteriosa. Cantos Escolares .

e. Tendo sido assinado. Surge. Bartolomeu José de Carvalho. firmou contrato para a construção da estrada de ferro de Maceió a Imperatriz (União dos Palmares). da Exposição Coletiva Arte Iguatemi. no qual obteve o terceiro lugar. pelo menos de 1/12/1853 a 1856. no Campus Jaraguá da FAL.ABC das Alagoas 549 Coruripe. em Jaraguá. Em 1975. realizada de 27 a 31/0. Frei José de Santa Engrácia Cavalcanti afirma que sua produção poética. 152-158. Maceió. para a publicação do expediente de governo. Camaragibe e Manguaba. Galeria Novo Rumo. . 1990. I Mostra de Artes Plásticas de Alagoas.Estação Ferroviária. realizada na Galeria SESC/Centro. Foi o 37º presidente. Exposições: Ceci N’Est Pas Une Pipe: 25 Anos de Carreira de Edgar Bastos . Carlos (AL) Pintor Estudou com Leonilson. a fim de prestar ou não o seu consentimento”. Teria sido orador. de junho a setembro de 2002.ESMAL . Redigido por José Alexandre Passos. dentista. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. em 2003. (organizador. da exposição Arte Popular Alagoana 2003. Persivaldo (Vertentes PE 21/6/1963) Pintor. em Maceió. FIGUEIROA. realizada na FAL. participou ainda da exposição IX Universid’Art realizada no campus Jaraguá da UFAL.Alagoas AL 28/9/1811) Frade. da exposição Liberdade. 75-78. ano 57. 1978 e 1982..“uma das folhas oficias”. de 11/06 a 20/10. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II. 1930. IHGB 2/4/1854) publicado às quintas e domingos. FIUZA. Passos Júnior & Cia. Obra: Pajuçara. Pseudônimo: Luís de Santa Rita. músico e poeta sacro. Patrono da cadeira 34 do IHGA. Órgão da facção conservadora. instalou o serviço telegráfico em toda a província. realizado de 18 a 26 de outubro no Armazém Dom José. Amaranto (?) Deputado estadual na legislatura 1917-18. v. Luís Cavalcanti (São Luís do Quitunde AL 5/10/1905 -) Poeta. Em 2001 participou do VI Salão TRT 19a de Pintores. Revista do IAGA. 1993. jan. Com o trabalho Contemplação à Maria participou da X UniversidaArte. Cursos de Desenho e Pintura no Instituto Universal Brasileiro (SP) e no Ateliê de Edmilson Sales e Pintura com Edgar Bastos. José de Santa Margarida de Cortona (Alagoas AL . Primeiro lugar no concurso de criação do logotipo para o BIC Clube Maceió. de 19/08 a 5/09. pertencente a seu irmão Inácio Joaquim Passos Júnior. no Rio de Janeiro Participou do movimento “Como Vai Você Geração 80 ?”. (Rev. Maceió. Santana. ficando como suplente nas eleições de 1958. J. em três colunas. Livraria Machado. em 1/12/1853. José Alexandrino Dias de Moura. impresso na Tipografia de I. todas em Maceió. Seu número 135 é datado de 24 de maio de 1855. O Jornal. poesias) FIUZA. Eleito pelo MDB nas legislaturas 197174. Participou. Viviane Casella de (AL ?) Obra: Economia Fumageira. do IV Salão Alagoano do Livro e da Arte. da exposição A UniversidadeArte XI. 1993 e Exposição de Arte . FIRPO. Com Menina com Flores. de 7 a 30 de outubro na Escola de Magistratura de Alagoas . possivelmente.Teatro Deodoro. ficando estipulado que “nenhum artigo ou correspondência se (deveria) imprimir na folha oficial sem que (fosse) pelo Secretário (de Governo) revista. contrato com o Secretario de Governo da Província de Alagoas. Rio de Janeiro. 14. em 15 de dezembro de 1851. ainda. foi o 3º secretário da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa. 1978. Os dispêndios em sua gestão obrigaram a sacrificar as rendas futuras da província. criou uma Caixa de Beneficência para os órfãos desvalidos. FIGUEIREDO. 2002. Participou da Exposição Arte Popular. participou da exposição Iguatemi Art98. 1992. FIGUEIREDO. Segundo Moacir M. 1991. Walter Dória de (Rio Largo ? AL) Deputado estadual. p. José Bento da Cunha Figueiredo Júnior no Ato da Instalação do Instituto. com o administrador da Tipografia Constitucional. FILANGÉLHO. Coleção Tânia de Maia Pedrosa. Diplomado em Odontologia (1933). realizada no Museu Tho Brandão. Seu princípio de governo era de que o desenvolvimento se deveria fazer da capital para o interior.Jaraguá. Publicou-se: Discurso do Dr. Galeria Belas Artes. FILHO. radicado em Maceió. embora numerosa.

Base econômica: agroindústria. Diretor Geral do Patrimônio do Estado. especializando-se em Psicologia Social. Diretor Geral do Departamento do Interior. 1 11/8/1909 e ano I n. Bruno Cabral. Vinte e três cursos de Extensão Universitária.Maceió AL 23/9/2001) Jornalista. Gráfica Rápida. onde foi. Cursou Iniciação às Artes na Academia Prof. Entre 1930-35 foi elevado à condição de vila”. Formou-se em Educação Artística. [Uma Contribuição Para Alagoas]. foi tomando maiores proporções. FLAMENGO Clube de Futebol. Desmembrado de São Luiz do Quitunde. Formado em Engenharia pela Universidade Federal de Pernambuco (1981). engenheiro. Revista IHGA. O segundo grau foi dividido entre o Colégio União de Recife (PE) e o Amethyst High School. Miranda. Filho de Horácio Florêncio e Cármen Duse Ribeiro Toledo Florêncio. e da qual é patrono Joaquim Goulart de Andrade. Formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais. o topônimio antigo foi “Frecheiras” em virtude do grande número de árvores existentes na região nas quais brotavam flechas semelhantes às da cana-de-açúcar. 129-134. ano 1995-2000. “Naquela época. em especial a cana-de-açúcar. na qual está representado um sacerdote. publicado semanalmente a partir de 11/8/1909. Realizou sua formação artística em Colônia e Dusseldorf. Alemanha 1823 . que. transferiu-se para o Brasil (1858) tendo. sendo que neste último cursou o ginasial.Rio de Janeiro. A convite de seu amigo e mestre. Instalado em 1/06/1960. ano I n. o povoado de Messias. p. FLORÊNCIO. microf. dedicandose especialmente ao desenho. disputado em 1927 e. entre 194/95 de exposições na Academia de Artes Pancetti. Nac. Trabalhou na Usina Capricho. 2001. em Cajueiro. por ter pintado a aquarela Cena Religiosa em Maceió. Flexeirenses FLOR. em Maceió.216. tendo sido reeleito por duas vezes. onde ocupou a . Desconhece-se a razão da grafia do nome ter sido alterada. FLORÊNCIO. Henrich dito Henrique (Colônia. Publicou: Meio Ambiente. Alder (AL ?) Filho de Aldo Flores e Zulnária Ribeiro Flores. eleito presidente do Sindicato da Indústria de Açúcar e do Álcool de Alagoas. Verônica Barros (? AL 23/7/1954) Pintora. permanecido algum tempo nas províncias do Norte. Carmem Valéria Neves dos Anjos e Marcos Antônio Barros. posteriormente. na Alemanha. indo a seguir. Em 1915 deu-se o início do povoado. Bibl. FLEXEIRAS Município. residir em Maceió. 11 20/10/1901. em Virginia (EUA). Jorge Toledo (Recife PE 18/3/1958) Secretário de Estado. professor . transportando o viático por uma das estradas que rodeavam Maceió. O município foi criado em 28/4/1960. Participou do primeiro campeonato alagoano. desenhista. Presume-se que esteve em Alagoas. o naturalista Von Martius. FLORÊNCIO. 1999. além do distrito sede. A “Órgão dedicado ao Belo Sexo”. Em pouco tempo o local apresenta características de povoado. FLEIUSS. à aquarela e à xilogravura. fotos de Alder Flores. Membro da AAL. v. 15/11/1882) Gravador. em 1963. uma fazenda existente no local onde hoje é a prefeitura. Participou da esposição IX Universid’Art realizada. Aumentou o número de moradias e da população. em Penedo.550 Francisco Reinaldo Amorim de Barros foi inteiramente perdida. integrando. onde ocupa a cadeira 10. Membro do IHGAL. Maceió. em 16 de Dezembro de 1998. FLORES. Primeiro grau no Instituto Santo Antônio e Colégio Diocesano em Caruauu (PE). inicialmente. Filho de José Barbosa Neto e Marieta Flores Barbosa. seguido de acólitos. Arte Digital. desde 16/12/1998. formando-se. Secretário de Planejamento no terceiro governo Divaldo Suruagy. Eduardo Quintela (AL ?) Pintor. em 2001 no Campus Jaraguá da UFAL. aos poucos. funcionário público. sendo que este último seria elevado a município dois anos depois. Propriedade de uma associação. em Campina Grande-PB e no Museu de Arte de Campina Grande. Imp. 45. pela Lei 2. Publicou: Discurso de Posse na Cadeira 10. Maceió. um pequeno comércio. em 1989. FLORES. Participou. advogado. Encontra-se na microrregião da Mata Alagoana e na mesorregião do Leste Alagoano. passou por fase de grande desenvolvimento. MN. Aldo Rubens (Maceió AL 4/12/1934 . professor. inclusive.

Marcos Correia (Quebrangulo ? AL) Pintor. participou da exposição A Universid´Arte XI. Danças Cortejos: Maracatus. FOLCLORE veja DANÇAS FOLCLÓRICAS e FOLGUEDOS O folclorista Théo Brandão dividiu os folguedos populares alagoanos. que se divide em Chegança. Somente em 1949 voltou ao seu nome original de Piranhas. p. 1998. FLORIANO PEIXOTO Nome pelo qual. Publicada em Maceió tendo Gérson Martins Pontes como editor e diretor responsável. FOLGUEDOS Segundo Ranilson França. Nelson (AL ?) Deputado estadual na legislatura 1929-30. Catavento. FLORES. SERGASA. Arthur Besouchet. Chegança. Revista da AAL. Álvaro (?) Deputado estadual nas legislaturas 1901-02 e 1903-04. SERGASA. Arquitetura. Baianas. (romance). Rio de Sombras Curitiba. Maceió. Participou somente do 2o campeonato alagoano. 1999. as manifestações de folguedos. É um dos artistas divulgados na obra Arte Alagoas II. Maceió. no Campus Jaraguá da FAL. o Caboclinho e o Guerreiro 2. Catavento. FLORES. pela Fundação Casa de Rui Barbosa. 26-27. em : 1. atualmente. ainda. Livros Editora. Caboclinhos e Quilombos 5. Comissão da festa: Craveiro Costa. editorialista e cronista na Gazeta de Alagoas. FLORES. que se concentram durante o Natal. FLORIANO PEIXOTO Publicado em Maceió em 29/6/1898. Reisados. dos Mouros e Fandango. foi criado o atual município de Piranhas. 1994 (crônica). n. classificadas inicialmente por Théo Brandão. agrupam-se. José Avelino da Silva. que compreendem o Reisado propriamente dito. do Conselho de Cultura Municipal. Obras: Cristais de Tempo Maceió. em Arte Popular de Alagoas. Pastoris. de Tânia Maia Pedrosa. Taieiras. FLORIANO Clube de Futebol. 17. divididos em Presépio (Pastoril Dramático) e Pastoril (de Jornadas soltas) 4. em 1891. que abrangem as Cavalhadas. no Jornal de Alagoas e no Diário de Alagoas. FLORES. Estudou com Lourenço Peixoto e com Maria Tereza Vieira. Decoração e Estilo de Vida. classificação continuada por José Maria Tenório. Torneios. em: Folguedos Natalinos: Reisado Guerreiro Bumba-meu-Boi Chegança Fandango Marujada Presépio . Ed. disputado em 1928. publicada quando da exposição em homenagem ao centenário de nascimento de Jorge de Lima. 1994. p. Antônio Martins Murta e Antonio Duarte da Silva. de 11/06 a 20/10. Em 2003. o Bumba-meu-boi. Luz dos Teus Olhos. 1996 (romance). (crônicas). prefácio de Ledo Ivo. das Serra. Rio de Janeiro. Pedaços de Saudade Maceió. Membro. 63 (crônica). Professor de Inglês. 3. Trabalhou como repórter policial. HD. FOCO. Construção. EM Revista. sob a curadoria de Lula Nogueira e Tânia Pedrosa. A Borboleta Azul. político.ABC das Alagoas 551 cadeira 18. FLORIANO PEIXOTO Distrito do município de Maceió. segundo IFL da Escarpa Cristalina Ocidental. “Poliantéia comemorativa das homenagens da mocidade à sua memória”. esta última a Chegança dos Marujos.

FOLGUEIRA. FOLHETINS FUNTED Publicação da Fundação Teatro Deodoro. abril 1981. 235) IHGA: 1971: outubro a dezembro. FOLHA DE LETRAS Maceió. 1982.552 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Pastoril Pastoril Profano Maracatu Taieiras Baianas Quilombo Cavalhadas Folguedos de Festas Religiosas: Mané do Rosário Bandos Folguedos Carnavalescos: Cambindas Negras da Costa Samba do Matuto Caboclinhas Folguedos Carnavalescos com Estrutura Simples: Boi de Carnaval Ursos de Carnaval Gigantões (Bonecos) A Cobra Jararaca Os Torés: Toré do Índio Toré de Xangô As Danças: Dança de São Gonçalo Rodas de Adulto Coco Alagoano Outras Manifestações Cantadas e Dançadas: Quadrilha Banda de Pífano. FOLHA DE ALAGOAS Jornal publicado em Macéio. os Poetas Repentistas. os Cantadores de Viola e as Destaladeiras de Fumo. segundo Ivan Barros. Jornal literário da Universidade Federal de Alagoas. Destacam-se. FOLHA DO SERTÃO Jornal que. novembro. 1972: janeiro a julho. no qual Bráulio Leite tinha uma coluna intitulada De Tudo e de Todos. sobre temas diversos. IHGA Vol 30 p. Manuel Rodrigues (?) Publicou: Álbum Artístico e Comercial dos Estados de Alagoas e Sergipe. FOLHA MIGUELENSE Publicação mensal. ano I. Nele trabalhou Dênis Agra. Editor: Edson Mário de Alcântara. O primeiro número foi de responsabilidade de Patrício Vilela e o segundo de Iremar Marinho. Em sua apresentação . em off-set. a Vaquejada. ainda. possivelmente a partir de fevereiro de 1981 e teria terminado no nº 3. teria circulado em Palmeira dos Índios. em São Miguel dos Campos. Direção: padre Fernando Iório Rodrigues. FOLHA DE ARAPIRACA Jornal publicado entre 1971 e 1972 (Ver. AL.

Ano 1. FUNTED. FF-28 Folclore e Memória Cultural. FF-21 Folguedos Natalinos. de Ernani Otacílio Méro. FF-22 Igreja do Rosário dos Pretos. FF-9 Catedral. de Lauthenay Perdigão... Fez os estudos secundários no Liceu Alagoano. e bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de São Paulo (1914). advogado. Os primeiros Folhetins FUNTED foram: FF-1 Teatro Deodoro. Folhetim FUNTED. FF-26 Boemia de Ontem . FUNTED. FF-25 Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas. n. Maceió. e no Seminário Nossa Senhora da Assunção. FF6 Praça Deodoro. simples. antropologia ou sociologia. 1.Petróleo. 53.Série Boêmia I. FF-33 Futebol de Outrora. FF-13 Liceu Alagoano. FF-12 Correios de Maceió. FF-27 Advinhas. de Floriano Ivo Júnior. de Pedro Teixeira de Vasconcelos. Maceió. 1983). de Arnoldo Jambo. Filho de Manoel Félix da Fonseca e de Laura Pontes da Fonseca.De Menino de Engenho a Mestre de Fama Internacional.ABC das Alagoas 553 propunha-se a “em caráter eminentemente popular. de Félix Lima Júnior. Folhetim FUNTED n. Folhetim FUNTED.Bibliografia Básica. em 1906. de Pedro Teixeira de Vasconcelos. 50. de Aldo Cardoso. janeiro de 1984. FONSECA. FF-16 Origens do Futebol em Alagoas. FONSECA. Têm-se notícias de que foram publicados pelo menos 73 folhetins. n. CRB. Filho de José Bento da Fonseca e Maria do Ó da Fonseca. FF-44. Formou-se no Conservatório Brasileiro de Música. de José Maria Tenório Rocha. Ezequías Jerônimo da Rocha. Deputado provincial na legislatura 1866-67. FF-2 Catedral. FF-34 . FF-38. em sua cidade natal. de José Maria Tenório. FF-4 Colégio Bom Conselho. o Último Remanescente da Escola de Viçosa. n. FF-8 Natais de Maceió. agosto 1982. Pastoril dos Estudantes.MG ?) Magistrado. Maceió. num linguajar informativo. 57. de Félix Lima Júnior. FF-11Carnavais de Outrora. FON-FON Órgão Informativo dos Compositores Algoanos. capitão. FF-32 Trapiche. Maceió. agosto de 1983. e em 80-81 e 82-83. FF-29 Província de Alagoas. Maceió. de Dolores Ezequiel. no Rio de Janeiro . maestro. logradouros públicos. Grandes Compositores Brasileiros. de Ernani Otacílio Méro. entidades. de Lauthenay Perdigão. São registros feitos sem preocupação de refinamento literário sobre qualquer aspecto interessante da nossa cidade.5 Capela de São Gonçalo. Nada mais”. de Félix Lima Júnior. Otaviano Romero. FF-48. José Maria de Melo. objetivo. FF-15 Festejos Juninos. FF. Aspectos Históricos. n. FF-30 Théo Brandão . folclore. falar da nossa Maceió através de sua História e Costumes. FF18 Tribunal de Justiça. FF-19 CSA. O Jornal. de Luiz Veras. de José Maria Tenório Rocha. eleito pelo 1º distrito. em Penedo. por Luiz Alves. de Ernani Méro. de Haroldo Miranda. professor. de José Maria Tenório Rocha. de Bráulio Leite Júnior. FF-14 Salustiano Cacete (Tipos Populares). Alexandre Maris da (?) Deputado provincial. de José Maria Tenório da Rocha. FF-31 Associação Comercial de Maceió.. FONSECA. Fundado e dirigido por Fernando de Mendonça. FF-20 Carroças e Carroceiros. Folhetim FUNTED. Maceió. FONÓGRAFO. FF-10 Maceió Década de 30. Editado pela União dos Compositores Alagoanos. presente. Fixando-se em Minas Gerais.Tipos Populares do Carnaval. Natais de Outrora. Estuda na Escola Pública Mista de Ipioca. FF 37. Aspectos Artísticos. Maceió. Artur Pontes da (Maceió AL 1/11/1890 . de Félix Lima Júnior. de José Franklin Casado de Lima. FF-17 Folclore . de Gustavo Guilherme Leite. Igreja do Livramento. FF-23 Seus Fortes (Série Tipos Populares). de Luiz Veras. FF-24 Porto de Jaraguá. de Solange Lages. Gonçalves Fialho e Carvalho Filho. FF-35 . de Floriano Ivo Júnior. de Félix Lima Júnior. Estádio Gustavo Paiva: O Mutange. Ruas. FF-7 Pastoril. de Hélio Rocha Cabral de Vasconcelos. Benedito José da (Ipioca. de Ernani Otacílio Méro. de José Maria Tenório Rocha. ingressou na magistratura. 73. de Ernani Otacílio Méro. FON-FON veja MONTEIRO. Folhetim FUNTED. FF-36 Quadrilha. de Ernani Otacílio Méro. monumentos. de Luiz Veras. Surge. Alvarengas e Barracas. de Luiz Araújo e Maria José Menezes. FF-3 Sururu. chegando a desembargador do Tribunal de Apelação. artes. É o povo escrevendo para o povo. Folclore Infantil. ou outro assunto que diga de perto sobre o nosso passado. de Maria José de Moraes. Maceió AL 27/4/1938) Músico. (set.

Mensagem Apresentada ao Congresso Alagoano em 15 de Abril de 1915. 1979: Galeria Mario Palmeira e Palácio Floriano Peixoto. posteriormente. Emanoel . 1912. e neste mesmo local. para apoderar-se de uma ponte fortificada. como membro da comitiva do ministro da Guerra. 1989. Gazeta de Alagoas. Clodoaldo da (Rio de Janeiro 12/3/1860 . Espaço Cultural do Restaurante Gstaad (1983). Membro do Conselho de Cultura do Estado. Eduardo Emiliano da (Alagoas AL 24/7/1833 . 1979: Galeria Mário Palmeira. Governador do Estado. se entrincheiravam. 109-111. seminários na área de música em Campos do Jordão (SP) e Curitiba (PE). . o Capella Gaudium et Spes único coro feminino no Brasil para execução de canto gregoriano. 1922. FONSECA. posteriormente. Natal na Praça. teatro em parceria com o prof. Fundou em Maceió. no mortífero fogo da passagem de Itororó. ainda. o Coral Bach.. em Marechal Deodoro. da Academia Paraense de Música e sócio-correspondente do IHGA. A Vida do Padre Cícero. Como general-debrigada. Rio de Janeiro. Pelo Coronel Clodoaldo da Fonseca.. FONSECA. Fotografo. Coletivas: 1976: I Encontro das Artes. Everson . Cante e Seja Feliz. Grafitti Galeria. iriam se unir no Coral da UFAL. 1984: Galeria Arte Pura. numa das três arrancadas suicidas comandadas por Caxias. Em 1908 esteve na Alemanha. Maceió. Participou da Revolta de 1922. 1977: V Festival de Verão. Em 1976. comandando o 40º de Voluntários. Formou e dirigiu diversos grupos corais. FONSECA. SERGASA 1985. 1915. em Penedo. Mensagem Dirigida à Câmara dos Deputados de Alagoas em 17 de Junho de 1912 pelo Coronel Clodoaldo da Fonseca. Mensagem Enviada ao Congresso do Estado. Formou.. e permaneceu até 12/6/1915. Subsídios Para um Julgamento. Maceió. de “O Dia”. No Cumprimento de um Dever Cívico. de Tânia Pedrosa. Sessão da 13a. Coral da Faculdade de Medicina. do Instituto Penal de Alagoas. 1978: V Festival de Cinema de Penedo. Quilombos do Palmares. 1912. 2002 (estudo descritivo e musicográfico) premio folclore de Alagoas da AAL. Fundou o Coro Menestréis de Alagoas 1992 que mais tarde se transforma em Coro Maçayo. Coro Sacro de Ipioca. Por Ocasião da Abertura da 1a. no Curso de Educação Artística do CESMAC (1964). da FUNARTE. 1986: Galeria Ponto e Linha. Promotor e rganizador do primeiro e do segundo “Grande Recital de Coros de Alagoas”. Oficinas Gráficas do Jornal do Brasil. Individuais. Maceió. Coral da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Comercial. Maceió. 1980: Exposição Comemorativa do 70º aniversário do Teatro Deodoro e O Anjo São Miguel. (show sacro para coro cênico). Eleito governador a 12/3/1912. 1994 . Litografia Trigueiros. SERGASA. a Região Militar do Estado do Pará. Sessão da 12a Legislatura. Maceió. Rio de Janeiro. ao qual ficou ligado até 1977. CIAN. Composições e Arranjos com Heraldo Trindade. Perdeu a vida no posto de major. Mata da Fonseca. onde os paraguaios. a favor dos revoltosos. Em 1964. tomou posse a 12 de junho do mesmo ano. dirigiu e regeu o Coral Expressionista de Maceió. Caderno de Partituras. cursos de especialização na Universidade do Ceará e na UNISINOS. da Fundação Municipal de Ação Cultural. João Lemos. Tip. no Rio Grande do Sul.Rio de Janeiro DF 24/3/1936) Governador. Filho de Manoel Mendes da Fonseca e de Rosa Paulina da Fonseca. em 15 de abril de 1913. Governador do Estado. Foi um dos membros do Projeto Villa Lobos. para assistir às grandes manobras do exército germânico. o Coral São Leonardo. ainda.Batalha de Itororó 6/12/1868) Militar. em especial de espetáculos artísticos. in Arte Popular de Alagoas.. Secretario Municipal de Cultura. militar. 1913. em número muito superior. em Penedo (1987-1992). Governador Por Ocasião da Abertura da 1a. também. II Salão Atalaia de Artes e Festival de Artes de São Cristóvão. Autodidata. Filho de Pedro Paulino da Fonseca Francisca Catarina Francioni. Maceió. Tip. Coral da Fundação Educacional de Maceió. Rio de Janeiro-RJ. Rio Design Center. Oliveira (São Luís do Quitunde AL 8/2/1960) Pintor. Fez. desenhista. 1977. Legislatura. Obras: Aos Alagoanos . tais como o Coral da Polícia Militar de Alagoas. comandou em 1921. em 1989. p. 1976 (melodrama). criou o Coro Vozes de Penedo. Emanoel Fay Mata da Veja FAY. ambos na UFAL que. Solfando em Alagoas. teatro sala 1973. FONSECA.Manifesto Inaugural do Coronel Clodoaldo da Fonseca ao Assumir o Governo do Estado de Alagoas a 12 de junho de 1912. pelo Coronel Clodoaldo da Fonseca. Tipografia do Jornal do Comércio. Obras: Guerreiro e Chegança. Vozes de Penedo. Galeria Ambiental e Semana Estadual da Cultura. 1982. SERGAS.554 Francisco Reinaldo Amorim de Barros (1962) e. Freqüentou. adaptação da obra de Henrie Gheon para teatro ao ar livre. em 1964. A Mãe do Senhor no Ano Litúrgico. ambos em Sergipe. Foi o organizador e regente do Coral Universitário.

foi nomeado Marechal do Exército. e esteve como alferes em 6 de outubro do ano seguinte. 151 Deodoro e as Questões Militares. a capital paraguaia. Fez os primeiros estudos em sua vila natal. em seguida. História Geral. após o término da guerra e o transporte dos soldados feridos. em 1841 sentou praça e. Hipólito Mendes da (Alagoas AL 13/8/1831 . Museu do Estado de Pernambuco. o registro de sua visita a Alagoas. daí ao Rio Verde. Rio de Janeiro-RJ. Publicou: Sobre História (Do Homem Primitivo. XIII. Recife. Revista do IAGA.162 Deodoro Evolue Para a República. sendo ferido em Itororó. foi transferido para o Rio Grande do Sul. Maceió. A viagem com a comissão duraria cerca de cinco anos. FONSECA. dos trabalhos contra a epidemia de cólera-morbo. em 1989. Correspondência. Promovido a capitão. Em 1875 é posto à disposição dos Ministério dos Estrangeiros. Hermes Ernesto da (Alagoas AL 11/9/1824 . Doutor pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro com a tese Da Moléstia em Geral. Por encontrar-se em Bagé participou da Campanha do Uruguai (1864-1865) em especial no ataque a Paissandu. por ter concluído todas as matérias. FONSECA. até . Conselheiro de Guerra (1890). 2000. Foi chefe do Corpo de Saúde do Exército e legionário da campanha do Paraguai. A revista do IHGA publica em seu número XII. chegando ao Forte Príncipe da Beira e Rio Mamoré. onde se casou. em diligência na província de São Pedro do Sul. Imprensa Oficial. Hotel Copacabana Palace. ainda. 1989: Alagoas Arte Atual. onde. alcança o Rio Apa. publicado em Maceió.Batalha de Curupaiti 22/9/1866) Militar. ocorrida em 1854. 125. FONSECA. Fatores e Evolução da História). Catavento. em 13/8/1846. ano 56. 1928. Polca do Regimento e Icamacuá. 162-163. Recife-PE. na Guerra do Paraguai. pelo rio Paraguai. Livraria Machado. Autor de músicas sacras. FONSECA. XIII. Aos 17 anos seguiu para o Rio de Janeiro. compôs. Participou da Campanha do Uruguai. 1º lugar. 13. Filho de Manoel Mendes da Fonseca e de Rosa Maria Paulina da Fonseca. 1988: Exposição em BrodósquiSP. de onde só regressaria em 1871. com destaque nas duas Batalhas de Tuiuti. Tese de Concurso para Provimento da Cadeira de História Geral (1º Ciclo) do Colégio Estadual Moreira e Silva. 1987: SHARP . 1985: Produban Galeria de Arte. Radicado em São Paulo. É um dos artistas divulgados no livro Arte Contemporânea das Alagoas. terminando humanidades na Corte. Ed. Arte Contemporânea Brasileira. morreu em Curapaiti. juntamente com seu irmão Afonso. musicólogo. 1º lugar (Medalha de Ouro) no II Salão de Artes de Atalaia-SE. Em 1862. Tomou parte nas expedições a Montevidéu. Filho de Manoel Mendes da Fonseca e Rosa Maria Paulina da Fonseca. Forte Coimbra. como major. uma mazurca. em 1864. Sentou praça no Batalhão da Praia Vermelha. sob a coordenação de Romeu de Melo-Loureiro. FONSECA. Governador da Bahia (1890). em 1854 e 1858. Hercílio (AL) Colaborou no Suplemento Literário do Jornal de Alagoas. Contribuição à Primeira Semana Jurídica do Recife. em São Gabriel. Corumbá. Tenente. Presidente da Província de Mato Grosso (1874/1876).Menção Honrosa no Festival de Arte de São Cristóvão. Patrono do 59° Batalhão Motorizado.Rio de Janeiro DF 7/11/1897) Senador federal. Participou. Maceió.SP. Antes mesmo de formar-se participara. João Severiano da (Alagoas AL 27/5/1835 . Fundação Pierre Chalita. p. Em 1883. 1981: Salão Oficial de Artes.ABC das Alagoas 555 na Galeria Mário Palmeira. 1946. Saindo da Corte. médico. como integrante da Comissão Demarcadora de Limites Brasil-Bolívia. da Guerra do Paraguai. 1984: Uni Forma. Em 1844 era nomeado alferes-aluno. em direção à província do Mato Grosso. militar. matriculou-se na Escola Militar da Corte. (Segundo apontamentos manuscritos na Academia Nacional de Medicina sua tese seria Da Morte Real e da Morte Aparente). Filho de Manoel Mendes da Fonseca e de Rosa Maria Paulina da Fonseca.Salão de Artes de Ribeirão Preto . Foi um dos responsáveis pela invasão e posse de Assunção.Semana Estudantil da Cultura. Prêmio Pierre Chalita . Maceió. 1953. v. ainda. Encontro das Gerações.Rio de Janeiro DF 7/2/1891) Militar. segundo Ricardo Maia. Ainda no Paraguai é nomeado brigadeiro do império. ingressa no Corpo de Saúde do Imperial Exército Brasileiro. onde participou do movimento de repressão à Revolta Praieira. Maceió. Serviu na Bahia e em Pernambuco. Maceió. . como acadêmico. Gesival (AL ?) Obra: Tanque d’Arca e Sua Gente.

ter renunciado à presidência da República. na primeira eleição realizada por círculos. Origem de Alguns Nomes Patronímicos da Província das Alagoas. Tipografia de Pinheiro & Cia. FONSECA. Obras: Raças e Povos. Rosália Sandoval. participou da exposição A Universid´Arte XI. Diário da Campanha do Paraguai. Mestrado em Letras/UFAL. eleito pelo terceiro círculo. FONSECA. 1881. Mestra em Literatura Brasileira. Rio de Janeiro. n. Climatologia de Mato Grosso. professora. Em 1848 teve seu batismo de fogo. Um Herói de Diamantina (1850-1868). Deputado provincial na legislatura 1858-59. Iniciou seus estudos em sua cidade natal. Prosseguiu na carreira. permanecendo até 18/12/1891. 152 (371) 518532. como aluno da Escola Militar. juntamente com outros 12 generais. Maceió. Participou da Brigada Expedicionária enviada ao Prata. Brazões da Cidade do Mato Grosso. pela ação em diversas batalhas. Leopoldino Antônio da (?) Deputado provincial . no IAGA). quando renunciou ao mandato pelo fato de. Maceió. Foi reformado no posto de general-de-divisão em 7/4/1892. abr/jun. Maceió. intitulado Serafim Moreira da Silva Júnior. Rio de Janeiro. Sócio correspondente do IAGA. coronel. seu irmão. 1858. Fundador do Instituto Farmacêutico do Rio de Janeiro. onde ingressou com o trabalho A Gruta do Inferno em 1/10/1881 e do qual foi vice-presidente. Foi eleito senador. Afinidades. pelo litoral. FONSECA. 197-199. entre elas Stero Dellaco. Sonho de Papel. por força de ato do Supremo Tribunal Federal. como inspetor geral do Serviço Sanitário do Exército. Moléstias em Geral. de 22/6/2001. eleito em 1872. Reintegrado ao Exército em 1895. em 23 de novembro. Obras: O Lirismo Amoroso e Ambíguo de FANTASIA e AVESSO. A Poética da Agressão em O ÓCIO DOS ANJOS IGNORADOS. Novas Investigações Sobre o Mato Grosso (lida na sessão de 7/12/1888. Manoel Deodoro da (Alagoas AL 5/8/1827 .Maceió AL 13/11/1906) Jornalista. colaboração em periódicos. tendo falecido em pleno exercício de sua função militar. Em 1940 foi escolhido como Patrono do Serviço de Saúde do Exército. 1864. 1991. por ter assinado. EDUFAL. Contestação à Carta Pastoral do Bispo de Cuiabá. Luciana (AL ?) Pintora. 1998. 1888. na Revista. Especialista em literatura infantil (Gazeta). 1882. Viagem ao Redor do Brasil.556 Francisco Reinaldo Amorim de Barros Manaus. por bravura). Revista do IAGA. 1858. Professora da FAL e INEI. mimeo. publicada na Gazeta de Alagoas. o manifesto que solicitava a Floriano que mandasse proceder a nova eleições. 1888. da cadeira 27 de Academia Brasileira de Medicina Militar.1876. em 1864. apresenta um inédito. Índios do Guaporé. professor. mimeo. que em 1842 se mudaram para o Rio de Janeiro. pelo Distrito Federal.Rio de Janeiro DF 23/8/1892) Presidente da República. 2000. partiu para a Campanha do Paraguai. ainda. Pertenceu ao IHGB. tendo sido o primeiro médico militar a entrar para seus quadros. 1883. de 11/6 a 20/10. o Marechal Deodoro. da Sociedade Auxiliadora da Indústria Nacional. Identidades. A seguir. p. Em 22/4/1880 ingressou na Academia Imperial de Medicina do Rio de Janeiro. 1997. 1880 sendo o 2 v. 1875-1878. com a tese Climatologia de Mato Grosso. FONSECA. Novas Investigações sobre Mato Grosso. . professor. A Gruta do Inferno na Província de Mato Grosso. Origens das Sociedades de Estudo (Anais da Academia Filosófica. Dicionário de Brasileirismos. 1861. Origens das Sociedades de Estudo.. Tuiuti. Origens. 1894. conquistando medalhas e promoções: tenentecoronel (set. 1886. Publicou: Contos Periódicos. da Sociedade Geográfica de Lisboa. ao combater a Revolução Praieira em Pernambuco. militar. que teria chegado às suas mãos por intermédio de familiares do autor. Relatório do Qüinqüenário do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. tendo colaborado na revista dessa instituição – e também nas da Academia Nacional de Medicina. O Celibato Clerical e Religioso. da Sociedade Geográfica do Rio de Janeiro. Ingressou na vida militar em 1843. Foi professor de Ciências Físicas e Naturais no Imperial Colégio Militar e no Colégio Pedro II. Patrono da cadeira 44 do IHGA e da cadeira 21 da AAL. da Sociedade Geográfica de Madrid. Patrono. em 15/11/1890. José Egídio da (Maceió AL 1856 . Major em setembro de 1857. tendo acompanhado os pais. Popular 1861. Desta cidade volta ao Rio de Janeiro. 1818-1882. jun. proclamador da República. como médico do Hospital Militar. Filho de Manoel Mendes da Fonseca e Rosa Maria Paulina da Fonseca. IHGB. Dicionário Geográfico da Província de Mato Grosso. 8. Alberto Martins da Silva. optando pela Artilharia. no Campus Jaraguá da FAL. As Savanas e as Florestas. Em 2003. Distinções. Mestrado em Letras/UFAL. na série Mulheres Alagoanas.

se insurgiam contra a mudança da Capital do Estado. com exceção do paraense. Em 23 do mesmo mês eclodiu no Rio de Janeiro uma revolta na Esquadra. FONSECA. O Livro de Posse só tem início em 1891. foi promovido a marechalde-campo. passando o governo a seu substituto legal. sob a liderança do Contra-Almirante Custódio José de Melo. pelo governador da capitânia de Pernambuco. Fundador e primeiro presidente do Clube Militar (1887). tendo sido eleito pelo 2º círculo. em 62/63. na Sessão da Assembléia Geral do Congresso. Faleceu no intervalo das sessões. pondo-os em estado de alerta contra os insurgentes.Rio de Janeiro MN 24/8/1859) Deputado provincial. na segunda e última eleição realizada por círculos. logo após a respectiva promulgação. Enquanto isto. Manoel Felipe (?) Deputado provincial na legislatura 1860-61. vencendo o Presidente do Congresso. Fiel a suas convicções. a massa popular exigia a demissão do Ministério chamado dos “Marqueses”. Foi suplente de deputado provincial na legislatura de 1835-37 e titular em 1838-39 e 1840-41. Como capitão. o Vice-Presidente Marechal Floriano Peixoto. por ter tentado estabelecer um poder pessoal (Deodoro elegera-se pela pequena diferença de 32 votos. foi nomeado Comandante das Armas da Província do Mato Grosso. Foi um dos líderes das chamadas Questões Militares que surgiram no último decênio do Segundo Reinado. agora como o primeiro presidente constitucional do Brasil. Em seguida. De acordo com uma disposição transitória da Constituição aprovada. sendo eleito pelo 1º distrito. Em 1824. FONSECA. Irritado com diversas iniciativas dos deputados e senadores. perante a Câmara Municipal.. resolveu dissolver o Congresso. Deodoro solicitou sua reforma. permaneceu ao lado de D. que seria apresentado ao futuro Congresso Constituinte. os constituintes deveriam eleger. revoltados. assumiu a chefia do Governo Provisório. o presidente e o vice-presidente da República para o quadriênio por terminar em 1894. instituindo o casamento civil. Sentou praça no Regimento de Infantaria de Linha.. é preso e julgado como traidor. . separando a Igreja do Estado. Após empossado nomeia uma comissão especial encarregada de elaborar o projeto de Constituição. Interessante assinalar que o primeiro governo republicano. do que resultou a deposição do então Presidente da Província. que julgou ofensiva à sua administração e à sua honra pessoal. concedendo nacionalidade brasileira a todos os estrangeiros que a solicitassem. e as quais. Decretada a dissolução. bem como de outras vindas de Pernambuco. Partidário do grupo que defendia a volta do Imperador deposto. Filho de Manoel Mendes da Fonseca Galvão e Maria Mendes. que. ao invés de assinar um termo de posse nos moldes que se tornariam padrão na República. em Recife. regulamentando o trabalho industrial dos menores. Deodoro renunciou à presidência em 23/11/1891. Retornou ao Rio de Janeiro em setembro de 1889. Era intransigente monarquista. incumbiu-se de apresentar à Princesa Isabel o documento no qual a classe militar se negava a prender escravos fugidos. contou com a solidariedade de todos os governadores. embora nada fosse apurado. bem como a lei de falência e o Código Penal. encabeçou um levante dos moradores de Alagoas. Com o advento do novo regime. Para evitar uma guerra civil. pelas tropas alagoanas. Pedro I quando. embora sem fundamento constitucional para isso. publica um ato de proclamação e o Decreto n. e novamente. da antiga cidade de Alagoas para a de Maceió. inclusive com a apresentação de uma Lei de Responsabilidade dos Presidentes. Nesse mesmo ano. a 6/4/1831. forçando a abdicação do Imperador. Já em 28/7/1822 se manifestava a favor da Independência. luta contra o movimento republicano e separatista denominado Confederação do Equador. o Governo Provisório legislava criando o regime federativo. Em 1884. em 25/2/1891. em 15 de novembro. muito contribuíram para a posterior proclamação do novo sistema político. Vencido. no qual se estabeleceram as normas governamentais que passariam a vigorar. Em 1839. A Sociedade Federal de Maceió representa contra sua posição. bem exploradas pelos republicanos. reformando a lei hipotecária. Em outubro de 1874 atingiu o generalato. logo depois reforçou-se o movimento de oposição ao governo. 1. na primeira eleição realizada por distritos. Prudente de Morais). Galvão (Anadia AL 24/7/1785 . toma posse no dia seguinte. Manoel Mendes da. foi encarregado. constituindo-se no principal chefe militar do movimento que culminou na Proclamação da República. em 25/9/1806. pelo Congresso Nacional. em 1817. porém. militar. Eleito. Foi. ainda Comandante das Armas da Província do Rio Grande do Sul e presidente da mesma província até outubro de 1887. foi encarcerado. Porém. a 3/11/1891.ABC das Alagoas 557 Itororó e Campo Grande. de ir a Alagoas para armar os seus habitantes. morrendo nove meses mais tarde.

sendo substituído pelo vice-governador. Rápido Esboço Sobre as Administrações Desta Província no Ponto de Vista Histórico. ainda. Foi. Deputado federal de maio de 1930 a 23 de outubro do mesmo ano. depois. v. em 1873. tendo tomado posse a 2/12/1889 e deixado o governo a 25/10 do ano seguinte. ano 1942. n. FONSECA. ao Rio de Janeiro. até 16 de junho. Em 1876. publicado no Diário das Alagoas. 1916. o Assembleense. Saudação à Província de Alagoas. patrono da cadeira 2 da AAL. quando ainda estudante. p. n. v. Retorna a Alagoas. quando ministro da Indústria. Renuncia ao Senado em 21/10/1891. Rio de Janeiro. governador do estado./junho 1916. II. Obras: Memória Histórica da Fundação dos Conventos da Província das Alagoas. para o Rio de Janeiro. Tipografia de Pinheiro Cia. Filho de Manoel Mendes da Fonseca e Rosa Maria Paulina Barros Cavalcanti. seu íntimo amigo. permanecendo somente por quatro dias. ambos no Rio Grande do Sul. n. Antônio Paulino Limpo de Abreu. 168. por Pedro Paulino da Fonseca.v. onde o pai já estava residindo. 16.39. Enviado para o Rio de Janeiro. Genealogia da Família de Christovão Lins Extraídas das Memórias de Roque Leme.Rio de Janeiro DF 16/11/1902) Governador. Lista Geral dos Presidentes e Vice-presidentes que . onde assume em 6/10/1872. I n. Revista do IAGA. p. Maceió. Gutenberg. FONSECA. p. então vice-governador. Cursou a arma de Artilharia na Escola Militar. p. tendo em vista ser. Coronel Pedro Paulino da Fonseca. mas em 12/4/1842 chega. Membro correspondente do IHGB (1883) como também do IHAA. 247-8 Genealogia dos Galvões e Fonsecas. Revista do IHGB. com parte da família. Em julho de 1846 senta praça no Exército. onde passa a residir. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito do Recife. Falece como coronel honorário do Exército Brasileiro e diretor da Casa de Correção do Rio de Janeiro.Salto Uruguai set. t. a fim de poder manter-se e à família. II. 15. v. no dia 12/6/1891. Anotada Por Pedro Paulino da Fonseca. Foi o introdutor da imprensa em Viçosa. 105-129. 1874. Passou a Administração ao 1o. Recordações de Suas Antigas Festas. em Bagé. Vice-Governador. Dr. Eleito governador de Alagoas. Apontamentos Para a Biografia de Frei João Capistrano de Mendonça. pág. Revista do IAGA. Manoel Raimundo da (Viçosa AL 2/8/1958 . jornalista. O primeiro número desse jornal foi manuscrito. dez. Memória de Roque Leme e Notas de Paulino da Fonseca. n. secretario da Fazenda. v. Memória dos Fatos que se Deram Durante os Primeiros Anos de Guerra com os Negros Quilombolas dos Palmares. VIII. Revista do IAGA. possivelmente em 1875 (IAHA. seu Destroço e Paz Aceita em Junho de 1678. Em 1842 muda-se. Foi nomeado promotor público de Porto Calvo. fica preso na fortaleza de Santa Cruz. Maceió. Era especializado em estudos de estatística. 164-167. 1942. Juiz Municipal em Livramento e. 12. advogado. Pedro Paulino da (Alagoas AL 6/7/1829 . 1890. Juiz de Direito. 243. p. Roberto Calheiros de Melo. passando depois a ser impresso em letras de cajá. por motivo de saúde. onde foi submetido a um Conselho de Guerra. pelo fato de aquela casa legislativa excluir seu voto. cargo a que também renuncia ao mesmo tempo. fez publicar o segundo jornal de Viçosa. 9. chamou-o para exercer um cargo subalterno no ministério. FONSECA. sendo deste último o patrono da cadeira 54 e. Reformou-se em 1859. Revista do IAGA. Manoel Vieira da (?) Deputado provincial na legislatura 1876-77. Mário Alves da (?) Deputado federal. Maceió. tendo fundado o primeiro jornal A Mocidade. de 1872 a 1889 divulgou a série O Dia 16 de Setembro. pg. II. Tip. Foi secretário da Fazenda no Governo Costa Rego. 49-50. como segundo-tenente. 1896) Magistrado. A Velha Cidade das Alagoas. também. 22. ao mesmo tempo. Elegeu-se Senador à Constituinte e à primeira legislatura ordinária do Congresso Nacional (189193). FONSECA. Na Revista IHGB. Revista IAGA. que o absolveu. v. um dia depois da promulgação da Constituição Republicana do Estado. Com a proclamação da República foi nomeado coronel honorário e governador de Alagoas. em 25 de Outubro de 1890. senador federal. 18-26. 1876. com sua família. Relatório Com Que o Governador do Estado de Alagoas. Roberto Calheiros de Melo. Revista do IHGA. reassumindo no Senado e sendo substituído por Manoel de Araújo Góes. 2. Primeiro viçosense a receber diploma de curso superior. abril. sessão de 25 de setembro de 1875). Reformado como Tenente-Coronel. militar. Genealogia dos Marinhos Falcões.558 Francisco Reinaldo Amorim de Barros sendo denunciado ainda como conspirador e partidário da restauração do príncipe português.

FRADES Ilha na Lagoa Manguaba. Cronográfico e Industrial da Província de Alagoas nos Arquivos do IHAA e. Eleito para a legislatura 1986-90 pela Coligação PMDB-PTB-PC do B-PSC. Coreográfico. publicado no Diário das Alagoas. Ed. Saudação à Província das Alagoas . Testamento Político. em Penedo. Rosa Maria Paulina Barros (Alagoas AL 18/10/1802 . 298. Diretor da Escola Militar de Porto Alegre. 63-65. teria deixado inéditas inúmeras poesias. v. Instrução Sobre Toques de Cornetas e Clarins. para a legislatura 94-98. Lenda Alagoana. 1877. . Editora Henriqueta Galeno. Rio de Janeiro. 01. Georges Byron (?) Obra:Nivaldo. Ano 1933. FORTE MAURÍCIO Fortificação construída pelos holandeses. Anos de 1942-1943. Conselheiro de Guerra do Imperador. Saudação a Esta Província no Aniversário de Sua Criação. p. 1980. Alagoas e Minha Pessoa. Um Batismo Póstumo. FONTES. magistrado. Com as Datas de Sua Nomeações e Tempo Que Estiveram no Exercício do Governo. Veterano da Guerra do Paraguai.. Revista IHGA. a quem os rebeldes prestigiaram. Fortaleza. com honras da grandeza. Recordações de Suas Festas. para a legislatura 91-94. Haveria. Lima (?) Deputado estadual . Veador da Imperatriz. no Teatro de Bolso Lima Filho. v. A Velha Cidade das Alagoas. Organizado pelo Coronel Severiano Martins da Fonseca. 33-37. pelo PTB. A Vinha de Nabot. v. Genealogia de Algumas Famílias do Brasil (1878). p. v.1. Memória da Fundação da Igreja de São Sebastião no Rio de Janeiro. Grande do Império. Capitão Luiz Carlos de Moraes Pinheiro e Outros Oficiais do 2º Regimento D’Artilharia a Cavalo. Revista IAGA. Imprensa Oficial. Revista do IHGA. Segundo Nely Novaes Coelho. pela Coligação PDT-PTB-PMDB. Filho de Manuel Mendes da Fonseca e de Rosa Maria Paulina da Fonseca. Baby Paes (Murici AL 12/2/1904 -) Poetisa. Marechal-de-Campo. Imperial Instituto Artístico. v.ABC das Alagoas 559 Tem Tido a Província de Alagoas desde o Seu Primeiro Governador em 1818. Oscar Ramalho .Rio de Janeiro MN 11/7/1873) Rezam as crônicas que todas as vezes que obtínhamos vitória na Guerra do Paraguai. sessão de 9 de outubro de 1877. 1971. Revista do IAGA.Rio de Janeiro MN 19/3/1889) Militar. FONTES. p. Obras: Regulamento para a Instrução do Serviço de Artilharia. ainda que lhe morresse na batalha um de seus descendentes. 1944. p. n. ano 1904. não teve habilidade necessária para adesão desejada e fugiu.. comprometendo o êxito da Revolução FONTENELE. publicado no número 210 do Diário das Alagoas (Sessão do IAGA de 27/9/1876).. FONTE GRANDE Um dos principais afluentes do Rio Tatuamunha.141-168. Biográfico. Rio de Janeiro.B. Nomeado Barão. em seu Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras. um Dicionário Histórico. p. FORUM ALAGOANO DE CULTURA O primeiro realizou-se em Maceió em 17/18 de setembro de 1998. Severiano Martins da . em 2 v. A Província de Alagoas. Vitoriano Borges da (?) Comandante das armas na Revolução de 1817. 17. À Memória de um Amigo. IV. 1980. pelo PSC e. morreu poucos dias depois. e totalmente destruída pelos penedenses quando da expulsão dos holandeses da região. FONSECA. Fortaleza. 1901. que teria ficado em manuscrito. A. FONSECA. Obras: Minha Terra de Leite e Mel. n. Desde 1822 a 1900. Curso de Artilharia. inédito.F. em 2/3/1889. Geográfico. Maceió. 22. 36. Coadjuvado pelo Major Francisco Antônio de Moura. segundo o convênio SEA/SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. pg. nunca deixava de engalanar de festões e iluminar com lanternas a fachada de sua residência. 113-135 e Revista do IAGA. ainda. Revista do IHGA.Barão de Alagoas (Alagoas AL 8/11/1825 . 18-26. para a legislatura 98-2002 ficou como suplente. FONSECA. Carvalho. III. 1978.

brancos e escravos sempre tiveram comutadas as suas penas de morte. Em 1953 assumiu a direção da Revista Mocidade. próximo à enseada formada pelo Rio Coruripe. jornalista. 1961. Maceió. 1944.que iria ocorrer em 1555 -. professor. Publicou: Folguedos e Danças das Alagoas. Nas eleições de 1958 e 1962 ficou como suplente.Visconde de Souza Franco (Belém PA 28/7/1805 . advogado. de Souza (AL) Folclorista. Publicação Feita Pelos Amigos do Autor Após Sua Trágica Morte na Cachoeira de Paulo Afonso. 1956. FRANÇA. Júlio de Farias (?) Deputado estadual nas legislaturas 1951-55 e 55-58. funcionário público. ainda. 1961. Coletânea de Trabalhos Literários. Estudou no Seminário de Belém (PA) e na Faculdade de Direito de Olinda (PE). Elio de Lemos (Maceió AL 1938 .Cachoeira de Paulo Afonso 1954) Estudou no Colégio Guido de Fontgalland. o tráfico do pau-brasil. da qual é patrono João Craveiro Costa. para o escoamento das mercadorias trazidas pela lagoa Mundaú -. Mocidade. Maceió. na Câmara de 50. que estreou com a encenação da peça A Longa Espera. Filho de Manuel João Franco e Catarina de Souza Franco. FRANCO. Presidiu a província do Pará de 1839 a 1840. de Tânia Pedrosa. Deságua na margem esquerda do Rio Coruripe. fato ocorrido em 28/4/1876. Recebeu o Prêmio Nacional Esso de Reportagem com sua prosa poética intitulada Torvelinho. FRANCISCO (?) Escravo. FRANCISCO ALVES Riacho. de sua autoria. Em 1838. inédita. Maceió. localizado a cerca de 12 km ao sul de Maceió. o nome de “franceses”. em terras alagoanas levam. Foi. Rodrigo. A partir de então. também. José de (Rio Largo AL) Compôs: Conceição. No ano seguinte fundou o Grupo Teatral Anchieta. Fiscal de Tesouraria em PE (1836).560 Francisco Reinaldo Amorim de Barros FRANÇA. o ibira-pitanga dos selvagens. Professor do CESMAC. sendo logo depois dissolvida a Câmara Geral. Foi. formando-se em 1835. 26-46. deputado geral. quatro léguas antes do Rio São Miguel. Aos 18 anos conspirou contra o domínio português e foi preso e deportado para Lisboa. na cidade de Pilar. Dácio Macedo (AL 1928 -) Obra: Syntactic Survey of the Word-Classes. FRANÇA. Aspects of English Syntax.. tendo se aposentado como Desembargador. valsa. toma posse no Governo de Alagoas a 1º de julho daquele ano e permanece no cargo até 9 de dezembro seguinte. Um dos 24 deputados que votaram pela sustentação do ministério. em seu “Tratado descritivo do Brasil em 1578” consigna três portos no território alagoano com aquela denominação: “Porto Velho do Franceses”. Ranilson . durante o período colonial. Porém outros portos. segundo o convênio SEMA/SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. Gabriel Soares de Souza. Nomeado em 25/5/1844. FRANÇA. ou seja o acima descrito. na cadeira 46. empossado em 25/10/2000. presidente do Rio de Janeiro . FRANÇA. Falece em acidente quando de visita à Cachoeira de Paulo Afonso. Em 1951. foi Secretário da Diretoria daquele colégio. 1845-55). duas léguas adiante da foz do rio São Miguel. in Arte Popular de Alagoas. professor.. representando o Pará (1838. ou seja a madeira vermelha como a pitanga. Procurador Fiscal da Fazenda e Juiz de Direito em Belém (PA).o Porto dos Franceses. Foi o 16o presidente. “Porto Novo dos Franceses”.os franceses freqüentaram as costas alagoanas. 40. na barra do Rio Jequiá. p. Teria sido o último a sofrer pena de execução no Brasil. nome que se mantém como praia de veraneio. Publicou-se: Períodos. 1843/44. Ed. Sócio do IHGA. Colaborou nos jornais A Voz do Beberibe e no Diário de Pernambuco. FRANCESES EM ALAGOAS Mesmo antes das tentativas de fixação em território do Brasil -. Bernardo de Souza . Sua presença está até hoje consignada na denominação do porto que serviu. com o fim puramente comercial. Nessa presidência teve lugar a Rebelião de 1844 ou Rebelião dos Lisos e Cabeludos. e “Porto dos Franceses” protegido pelos Baixios de D.Rio de Janeiro RJ 8/5/1875) Presidente da província. pelo PSP. o único representante liberal do Império. de 1948 a 1954.

advogado. Vice-Presidente Passou a Administração da Província das Alagoas ao Exmo. 1863. 1863. 1835. Obras: Discurso Recitado Pelo Exmo. Biblioteca Brasileira. a qual revê a Tarifa Alves Branco. 1763. Pilar. Anadia. 1713. Rio de Janeiro. anterior a 1796. Nacional. a ordem cronológica da criação das freguesias da província é : Século XVII. Nossa Senhora do Carmo. Água Branca. sec. Porto Real do Colégio. Maceió. 1819. Nossa Senhora da Conceição. Dr. Rio de Janeiro. de 1855 até sua morte. Atalaia. Limoeiro. pelo Pará. Nossa Senhora da Conceição. São Miguel. tendo estabelecido a denominada Tarifa Souza Franco. sua História. Tip. séc. Tip. Os Bancos do Brasil. Poxim (Coruripe) 1726. 1802. XVI. Rio de Janeiro. em 26 de Fevereiro de 1882. Pará. cidade onde exerceu a advocacia e a função de delegado de polícia. 1912. Nossa Senhora do Ó. Em 1848 ocupou o cargo de ministro da Fazenda. 1866. Sr. Atalaia. Séc. Tip. Levada. 1854. Lei de 27/7/1861. Realizou Aparências. Tip. em Super 8. Alagoas. Nossa Senhora da Conceição. Lei de 1/6/1864. XVII. 1918. Pilar. Ipioca. Lei de 24/2/1836. Nossa Senhora da Conceição. Lei de 13/6/1856. Nossa Senhora da Apresentação. Palmeira. Maceió. José Barbosa Torres Passou a Administração da Província das Alagoas o Exmo. vivia longe das rodas literárias. FRANCO. do “Liberal”. Limoeiro. Lei de 10/4/1835.ABC das Alagoas 561 (1864/65). Mata Grande (Paulo Afonso). Século XVIII . Vice-Presidente da Mesma Província. Nossa Senhora da Conceição. Defeitos de Organização Atual e Reforma do Sistema Bancário. Nossa Senhora do Ó. São Bento. Palmeira dos Índios. 1865. Traipu. 1864. de Aroxellas Galvão. Imperatriz e Assembléia. Murici. Cândido Augusto Pereira Franco. FRANCO. 1778. Porto de Pedras. FRASSY. Nomeado Visconde com honra de grandeza em 15/10/1872. Lei de 11/7/1859. Jaraguá. Nossa Senhora da Glória. Junqueiro. em 16 de Março de 1882. Piassabuçu. 1802. porém não aprovado na seleção prévia do V Festival de Penedo. Belo Monte. Nossa Senhora das Graças. Como 1º vicepresidente. Obras: Relatório com que o Exmo. Camaragibe. Coruripe. Diplomado em Direito pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro (DF). Alagoas. Estreou como poeta aos 27 anos. anterior a 1754. Rio Largo. Nossa Senhora da Piedade. do Jornal do Comércio. A Situação Econômica e Financeira do Brasil. Jaraguá. Nossa Senhora dos Prazeres. . Nossa Senhora da Conceição. Dr. em Evolução Eclesiástica de Alagoas: Porto Calvo. Santana do Panema. Fortaleza. FRANKLIN. Modesto. Nossa Senhora Mãe do Povo. FREGUESIAS . anterior a 1826. Maceió. Porto de Pedras. 1848. Porto Real do Colégio. Sr. 1o. Tip de Santos & Menor. 1o. Sr. filmes de Mário Feijó. Cândido Augusto Pereira Franco. Nossa Senhora do Ó. José Eustáquio Ferreira Jacobina. Lei de 19/5/1875. Porto Calvo eram paróquias em 1633. 1885.. 1882. Penedo. Dr. inscrito. Membro do IHGB. Traipu. 1837. Foi senador. 1841. ao qual voltaria em 1857. bacharel. 1760. Maceió. e Conselheiro de Estado (1859). Nossa Senhora do Pilar.Santa Luzia. 1882. Presidente da Província do Pará. São Miguel dos Campos. Jeová (?) Obra: Penedo. 1978. nomeado em 29/9/1881. Luís (Maceió AL 7/8/1887 . Nossa Senhora do Amparo.Segundo Olympio E. Lei de 18/4/1835. XVII. Publicou: Sol do Trópico. Pioca. Cândido Augusto Pereira (AL ?) Presidente interino da província. Capela. Nossa Senhora do Rosário. Alvará de 5/7/1821. 1912. Artur José Rocha (AL ?) Ator nos filmes Natureza Terapia e Divina Comédia Humana e assistente de direção de A Vida Começa ao Entardecer. Lei de 18/3/1837. 1913 (poesia lírica e parnasiana). anterior a 1705. Lei de 11/6/1853. Nossa Senhora da Conceição. assumiu o governo em 26 de fevereiro do ano seguinte e só permaneceu no cargo até 16 de março. de Rodrigues & Cia. 1789. Nossa Senhora da Conceição. anterior a 1796. Leopoldina. Mata Grande.Rio de Janeiro DF 1937) Poeta. Snr. São Luís do Quitunde. Lei de 8/5/1854. S Braz. 1714. anterior a 1798. de O Liberal. 1882. 1865. Doutor Bernardo de Souza Franco. 1941. BNB. Tomo I. . Penedo 16. na Abertura da Assembléia Legislativa Provincial do Dia 14 de Abril de 1841. Sr. Era considerado antiliberal na área econômica. Lei de 27/6/1865. Água Branca. Nossa Senhora do Bom Conselho. Nossa Senhora da Conceição. 1760. Nossa Senhora das Brotas. 1763. Dr. Relatório com que ao Exmo. Lei de 26/6/1865. Século XIX : Anadia. Pão de Açúcar. Manoel Diégues Júnior. Quebrangulo.

sob o patrocínio do Sagrado Coração de Jesus. ambas em 20 de julho de 1885. 26/6/1865. Gazeta Mercantil e na TV Tupi. Trabalhou como repórter. Obras: Um Tango. Piaçabuçu. transferida para São Miguel dos Milagres em 1864 e restaurada em 1868. Nossa Senhora da Conceição. 1760. já faz referência. que também não foram confirmadas canonicamente. Palmeira dos Índios. 13/6/1856. Limoeiro. 1999. São Bento. Otávio Aguiar: Porto Calvo. Nossa Senhora do Bom Conselho.562 Francisco Reinaldo Amorim de Barros 1912. O Jornal. quando foi suprimida a freguesia da Ipioca. desmembrada de São Miguel. Nossa Senhora da Conceição. FREIRE. orago Senhor Bom Jesus. Nossa Senhora da Divina Pastora. Murici. 1717. Colônia Leopoldina. Por razões familiares viveu em Arcoverde (PE). Traipu. a do Passo foi mantida. tendo como padroeiro Santo Antônio. de (AL ?) Obras: Análise do Discurso Jornalístico: Caso EDUFAL. Maceió. Palavra: Signo Ideológico. p. Suplente de deputado provincial na legislatura de 1835-37. Rio de Janeiro. 17. editada em 1985. Nossa Senhora do Carmo. 17/6/1880. Pão de Açúcar. da antiga freguesia de Anadia. Nossa Senhora Mãe dos Pobres. Pilar. sob o patrocínio do Senhor do Bonfim. “pouco anterior a 1754”. FREITAS. Por Favor. Nossa Senhora da Conceição. Antônio Francisco R. Nossa Senhora da Glória. na legislatura 1963-66 e pela ARENA de 1967-70. Atalaia. 27/7/1861. em 24/2/1836. Igreja Nova. Ageo Velloso (?) Deputado estadual nas legislaturas 1891-92 e 93-94. bem como em 35-37. por ter se casado com um norte-americano. É uma das alagoanas citadas no Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras (1711-2001) de Nely Coelho. ambas em 10/4/1835. já agora sob o orago de Nossa Senhora da Penha. EDUFAL. pela UDN. Nossa Senhora das Graças. . FREIRE. 1998. em Chicago (Estados Unidos). EDUFAL. Nossa Senhora da Piedade. 8/5/1854. nos jornais O Globo. FREITAS. Matriz de Camaragibe. São João Batista. padroeira Nossa Senhora do Amparo. 1733. 11/7/1859. 42-43 e 44/45. em 11/6/1853. que não chegou a se instalar oficialmente. só recebendo instituição canônica em 3/5/1884. 1708. 27/6/1889. Jaraguá. 1/6/1864. Nossa Senhora da Apresentação. 1763. teve seu conto O Fascista publicado na antologia Histórias de Amor Infeliz. Santo Antônio do Meirim. Senhor Bom Jesus dos Pobres. Assessora de imprensa da Comissão de Financiamento da Produção. 19/5/1875. No Rio de Janeiro formou-se em jornalismo. 18/7/1885. em 1886 é transferida para Coruripe. Maceió. Passo de Camaragibe. Construindo a Cidadania: Uma Experiência ¸ 1999. Suplente de deputado provincial da legislatura 1830/33. Água Branca. São Luiz do Quitunde. São Francisco de Borja. FREIRE. Nossa Senhora da Conceição -. 131. e. Iório na revista da AAL. sendo a segunda paróquia criada em Maceió. São Brás. do Ministério da Agricultura. São Sebastião. 22/6/1882. mas irá se transferindo para Batalha. Nossa Senhora dos Prazeres. Nossa Senhora do Ó. segundo D. 9/6/1864. Nórdica. 1987 (contos). Santa Luzia do Norte “no ano de 1654 já era povoação e tinha vigário”. Joaquim da Silva (?) Deputado provincial. Alvará de 10/6/1617. bem como Piranhas. Anadia. 1713. FREIRE. 1999. São Miguel. Porto de Pedras. Recife. orago Santa Madre de Deus. possivelmente entre 1616 e 1633. 30/6/1882. Nossa Senhora da Conceição. Ana Maria (Penedo AL 13/3/1946) Jornalista. A Palavra: Signo Constitutivo da Maceió. com o primitivo padroeiro. titular em 38-39. Nossa Senhora da Saúde e Poço das Trincheiras. transferida para São Brás em 1853. Palavra e Contrapalavra na Sala de Aula. 27/7/1865. desmembrada de Santa Luzia do Norte e instalada em 8/1/1821. alvará de 5/7/1819. Poxim. FREITAS. 2/2/1802. 1718. Belo Monte. volta à suplência em 40-41. Rio de Janeiro e Brasília. n. naquela cidade.restaurada a freguesia da Matriz. Acésio ou Adaski Damara de Omena (AL ?) Deputado estadual. São José das Lajes. Quebrangulo. União dos Palmares. XVII. Francisco Pereira (?) Deputado provincial. Porto Real do Colégio. o que oficialmente só ocorreria em 1968. 1768. Penedo (Nossa Senhora do Rosário) e Alagoas (Nossa Senhora da Conceição) ambas do início do séc. Nossa Senhora do Ó. 28/4/1835. D. Santa Maria Madalena e Viçosa. Alzira (Penedo AL) Poetisa: Obra: Doce de Vidro. Santana do Ipanema. transferida em 1875 para Maragogi. Ipioca.

panela. em 14/6/1981. Revista do Instituto Archeológico. José de Mendonça de Matos. veja LESSA. entretanto. Vereador e presidente da Câmara Municipal de Piranhas (1998-90). 215. Até o Rio de Ipojuca Distante Dez Léguas de Pernambuco. 1908. juntamente com Aljamar Mascarenhas. Segundo IFL pertence ao Patamar Cristalino do Nível de 500 metros. tendo sua ordenação episcopal se dado em sua terra natal. como pároco da Paróquia da Catedral (1978-81) e diretor espiritual do Seminário Menor daquela cidade. Recife. 13 (73): 371-383. pela Constituição. set. FRIO Serra. Discurso da Mídia: Um Estudo de Caso. ainda. Sua vocação efêmera não permitiu. A cerca de nove quilômetros ao norte da União. na Academia de Belas Artes do Rio de Janeiro. Secretário de Saneamento e Energia no governo Geraldo Bulhões. Maceió. José Joaquim de (?) Deputado estadual na legislatura 1907-08. p. Deputado estadual nas legislaturas 1990-94. José Portugal Ramalho. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Sergipe. quando em 25/1/1987 assume o bispado de Nazaré (PE). Eulina Alves de (Taquarana AL) Artesã. Neste último ano é nomeado desembargador do Tribunal de Justiça na vaga reservada. que Têm Princípio no Lago do Pescoço. Histórico e Geográfico Pernambucano. FREITAS. em Palmeira dos Índios. secretário de estado. através de lei provincial. FREITAS. Washington Luis Damasceno (Piranhas AL 30/8/1958) Magistrado. tendo sido um projeto de Romeu de Avelar. à 6a. o Curso de Teologia Pastoral. tendo. Foi publicada na Tipografia Fernando Costa. cujo pseudônimo era Berilo Prates. EDUFAL. pelo PTR e 1995-98. FULGINO. em 10/1/1965. EDUFAL. de 25 a 29 de novembro de 2002. coordenador. in Arte Popular de Alagoas. foi concedida a este pintor em 25/6/1853. José Joaquim da Silva (?) Publicou: Relação das Matas das Alagoas. o subsídio de 600$000 réis anuais para pagar seus estudos de Desenho e Pintura. fogareiro. de Tânia Pedrosa. FROU-FROU Revista literária publicada em Maceió em 1914. coordenador de Liturgia da Regional NE II. Dom Jorge Tobias de (Palmeira dos Índios AL 14/6/ 1935) Bispo. da Catequese Diocesana. FREITAS. que deixasse obra significativa. ao representante do Ministério Público Estadual. em 1981. José Guedes Quintela e Amarílio Santos. como também. . sobre cuja esplanada existem bons sítios cafeeiros e uma lagoa permanente.ABC das Alagoas 563 Maceió. entre 1966-1978. séries no Colégio Pio XII. FULNI-Ô veja CARNIJÓS. e de Todas que Ficam ao Norte Destas. Filosofia pelo Seminário Maior de João Pessoa -PB (1960) e Teologia no Seminário Maior de Fortaleza (1965). Pároco da paróquia de Batalha. sido seu administrador diocesano. Ingressou no Ministério Público. em Alagoas. onde também cursou o ensino médio. Domingos Fulgino da Silva. Filho de Rosalvo Machado Freitas e Cacilda Damasceno Freitas. juntamente com MOREIRA. Cuscuzeiro. Ordenou-se presbítero. Os Tipos Textuais e os Gêneros Discursivos Aplicados na Alfabetização de Jovens e Adultos. trabalho apresentado no Seminário do Programa de Pós-Graduação em Letras e Lingüísticas. pseudônimo Joseph Ramalho. Domingos. ainda. e pelas dificuldades financeiras só saiu um número. Estudou da 1a. Licenciatura plena em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco (1974). deputado estadual. FREITAS. advogado. Coordenador da Pastoral Vocacional (1965). em Palmeira dos Índios e as duas últimas séries no Seminário Diocesano de AracajuSE. pelo PP. Fez. Bispo de Caxias do Maranhão (1981-87). já como bispo. Pedro Rodrigues (AL ?) Pintor De acordo com o resultado das pesquisas de Moacir Medeiros de Santa’Ana. FRÓES. FREITAS. Neste último ano é transferido para Palmeira dos Índios. Em 11/3/1981 foi nomeado bispo.

do Diretor Administrativo e do Diretor Cientifico. anualmente. cultural e social da região geo-educacional da qual o município de Arapiraca é o centro. com prioridade nas áreas estratégicas para o desenvolvimento do Estado. com seu primeiro concurso vestibular realizado em maio de 1971. Estudos Sociais e Ciências. em nível de curta duração. teve seu nome modificado para FUNESA Fundação Universidade Estadual de Alagoas por força da Lei Estadual n° 5. 215 e 216).Fundação Educacional do Agreste Alagoano. que já treinou mais de seiscentos professores nas disciplinas de Matemática. Maceió. Francisco Pereira Lima. na qual o então prefeito João Batista Pereira da Silva acatava a decisão de um grupo de arapiraquenses que defendiam a idéia da criação da instituição. Física. sem contar com as centenas de bolsas e auxílios que a FAPEAL oferece. de 27/9/1990. Esta ocorreu em 10 de dezembro daquele mesmo ano. José Moacir Teófilo. e na qual estavam presentes: João Batista Pereira da Silva. Química e Biologia. criada pela Lei 719/70. promoveu o Projeto Nordeste de Pesquisa e Pós-Graduação. publicada no DOE de 13/1/1990. Seu órgão máximo de deliberação é um Conselho Superior composto de nove membros. José Lima Mota. em sessão realizada na Câmara de Vereadores da cidade. em nível de licenciatura plena. Manoel Gouveia Santos e Mário de Oliveira Lima.394 de 20 de dezembro de 1996 em assembléias realizadas na FUNESA nos meses de agosto e setembro de 1999 e aprovadas pelo Conselho Universitário Provisório. 5. Geraldo Lúcio da Silva.119. as unidades: 1) Faculdade de Formação de Professores de Arapiraca – FFPA. Imprensa Oficial. origina-se do preceito aprovado na Constituição Estadual de 1989. Nascia objetivando o progresso material. Manoel de Oliveira Barbosa.FUNESA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO ESTADO DE ALAGOAS . Miguel Valeriano da Silva. José Djalma Rocha. com período de funcionamento indeterminado. Raimundo de Araújo. Pedro Nivaldo. Teve. de 13/10/1970. inicialmente. bem como a manutenção do estabelecimento de ensino de qualquer grau compatível com as atuais necessidades. FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE ALAGOAS -. e o Regimento Interno pelo seu Conselho de Administração em reunião realizada no dia 6/5/1993. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL Publicou: Dossier da Fundação Educacional.FUNEC. A Fundação mantém desde seu início. além da realização do Programa Pró-Ciências. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO AGRESTE ALAGOANO. veja FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DO ESTADO DE ALAGOAS . com os cursos de Letras. Em 12 de janeiro o governo estadual sancionou a Lei N° 5. Viabilizando projetos de pesquisa induzidos. José Maria de Vasconcelos. melhor qualificando e contribuindo para a formação de recursos humanos de alto nível. Geraldo Silva. conquista obtida pela luta travada por esta comunidade universitária e todos os segmentos da sociedade alagoana. FUNDAÇÃO CASA DO PENEDO. veja CASA DO PENEDO.762 de 29/12/1995.FAPEAL Agência financiadora de pesquisas. aprovado e registrado em cartório em 6/3/1991. A FUNEC . que vincula parcela da receita a investimentos diretos na área de ciência e tecnologia (arts. estadualizando a Fundação.920 de 21/5/1991. veja FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AÇÃO CULTURAL . Adalberto Pereira Rocha.FUNESA Sua origem é a Fundação Educacional do Agreste Alagoano -. sendo os mesmos adaptados em conformidade com a Lei N° 9. 1954. Pedro Cavalcante Neto. onde tem sua sede. no Campus I Na cidade de Arapiraca. Torna-se realidade com a promulgação da Lei Complementar n. No texto da lei já se encontrava um esboço do estatuto da Fundação. Neusvaldo Correia de França. com habilitação em Português/Francês e Português/Inglês. do município de Arapiraca. Luiz Torres Barbosa.564 Francisco Reinaldo Amorim de Barros FUNDAÇÃO CULTURAL CIDADE DE MACEIÓ. Ciências: . e sendo administrada por um Conselho composto do Diretor Presidente. os quais assinaram a Ata de Constituição da FUNEC. que estimulou cursos de pós-graduação realizados em Alagoas. O estatuto da Fundação foi aprovado pelo governo do estado através do decreto 34. implantados os cursos de Letras.

autorizou o funcionamento de nove cursos. Em Palmeira dos Índios. a Fundação criou o Centro de Ensino de 1o. com competência para decidir sobre os destinos da instituição. com Habilitação em Supervisão. Por fim. Informática e Engenharia Sanitária) e Centro Universitário de Ciências Biológicas e da Saúde . Em 1993. Odontologia. Atualmente se estrutura no: Centro Universitário de Ciências Humanas . agora denominada Faculdade de Ciências Contábeis. João Rodrigues Sampaio.520.000 mil alunos e já diplomou mais de 20. sertão e zona rural de mata criou: Campus II Na cidade de Santana do Ipanema: Escola Superior de Ciências Humanas. Em 2004. Mantém. um Conselho de Curadores.CESMAC.ABC das Alagoas 2) 565 Biologia. Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Maceió . além de eleger sua Diretoria. secretários e 1o. Medicina Veterinária e Nutrição. em Porto Calvo. respectivamente e Hermann de Medeiros Torres e Luiz Eustáquio Silveira Moreira. tesoureiros. Pedagogia. A FEJAL é constituída da Assembléia Geral. ainda. A Fundação Universidade Estadual de Alagoas atendendo às necessidades das regiões do agreste. por iniciativa do padre Teófanes Augusto de Barros e apoio do governador Afrânio Lages e do prefeito João Sampaio. instalou o Centro de Letras. o Decreto 74. Magistério da Educação Infantil.FEJAL . na cidade de Arapiraca. Séries Iniciais do Ensino Fundamental. Sua primeira diretoria: Pe. Ciências Contábeis. Química. composta de 21 membros. de Arapiraca. Química e Formação de Professores para os Quatro Primeiros Anos do Ensino Fundamental). 2o e 3o. composta do presidente. de 20/9/1973. e 2o. Desde 1979 a Fundação possui uma Biblioteca denominada Craveiro Costa. presidente. e 3o. Geografia e História.000 concluintes de seus diversos cursos. Fisioterapia. Orlando Rocha Filho e Hermes Cavalcante de Oliveira.FAFIMA e o Instituto de Psicologia de Maceió . do Presidente Geisel. Centro Universitário de Ciências Sociais Aplicadas . 1o. Engenharia Agrícola. graus CIEPS. com os cursos de Pedagogia. vice-presidente. Matemática.FACCON. História e Geografia. agrupados em quatro instituições de ensino superior.044.CCH (Psicologia). secretários. desde 1998 e em São Miguel dos Campos. Engenharia Civil. e 2o. Físicas e Biológicas do Sertão – ESSER. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL JAIME DE ALTAVILA . Farmácia. Letras. Ciências. uma federação de escolas. Comunicação Social. cuja principal atribuição é fiscalizar e apreciar as atividades financeiras da Diretoria no referente à gestão financeira da FEJAL. tesoureiros. 1o. ainda. mediante convenio com o Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho. de 9/9/1974. integrada pela Faculdade de Direito de Maceió . a que se denominou Colégio Universitário Padre Teófanes de Barros.540/68 que estabelecia que escolas universitárias deveriam ser mantidas por uma fundação. desde 1999. Centro Universitário de Formação de Profissionais da Educação .CCJUR (Direito). Posteriormente.CISE (Biologia. Letras. foram criados os cursos de Ciências Contábeis e Direito. a FFPA. com cinco membros titulares e cinco suplentes. Ivan Vasconcelos Brito. Tem. Engenharia da Produção. Escola Superior de Administração do Agreste – ESAG.CCSA (Administração de Empresas.IPM. Campus III Na cidade de Palmeira dos Índios: Escola Superior de Ciências Humanas e Econômicas – ESPI. Enfermagem. a FEJAL instalou o curso de Pedagogia. Ciências Econômicas e Turismo). O órgão gestor do aglomerado foi denominado Centro de Estudos Superiores de Maceió . com os cursos de Zootecnia e Pedagogia. Matemática.2o. 1o.CCET (Arquitetura e Urbanismo.CCBS (Biomedicina.FADIMA. História. cursos de Letras em União dos Palmares. Conta com mais de 12. Teófanes Augusto de Araújo Barros. com os cursos de Administração e Ciências Contábeis. Centro Universitário de Ciências Exatas e Tecnológicas . Centro Universitário de Ciências Jurídicas .CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES -CESMAC Criada pela lei 2. Por fim. vice-presidente. João Rodrigues Sampaio Filho é o Diretor Geral da CESMAC e Presidente . Jurídicas e Sociais do Estado de Alagoas-FAJEAL. as duas últimas em Marechal Deodoro). Orientação e Administração Escolar. Engenharia Elétrica. Sua finalidade: cumprir as exigências da Lei 5. que instituiu a Universidade Autônoma de Maceió. Faculdade de Administração e Ciências Contábeis . e 2o.

desenvolver ações culturais de formação e difusão nas áreas de artes plásticas. de 31/12/ 2000. contudo. possui dois museus com obras de artistas diversos. emitir parecer sobre assuntos que lhe sejam submetidos pela Chefia do Poder Executivo Municipal. É de sua competência: estabelecer premissas básicas para uma política cultural do município. regulamentada pelo Decreto nº 5775. realizar gestões para a formação de centros de criatividade. sergipanos. formular e promover uma política de defesa do patrimônio histórico. O Museu de Arte Sacra ou Museu Pierre Chalita -.DIRETORIA ESTADUAL DE ALAGOAS Pesquisa Sócio-Econômico dos Municípios Alagoanos. Tem sede e foro em Maceió. artístico. antropologia e de outras ciências correlatas. propiciando o desenvolvimento das atividades no município. todos designados pelo Chefe do Poder Executivo Municipal. administrar as unidades culturais existentes no âmbito municipal. reunindo pintores alagoanos. celebrar convênios com entidades e instituições culturais do país e do exterior. também fundado em maio de 1980. arqueológico. Órgão de Fiscalização: Conselho Fiscal. preservação da memória. e Jaime Lustosa de Altavila o vice-presidente das duas instituições. compete orientar e coadjuvar o Governo Municipal no planejamento. compete a averiguação. pessoas físicas ou jurídicas. informática. arquitetônico.o maior da Fundação -localiza-se em um casarão secular. AL. Coordenação de Formação Cultura.566 Francisco Reinaldo Amorim de Barros da FEJAL. paraibanos. técnico e orçamentário dos projetos. arqueológico. em maio de 1980. Nele estão obras de arte do século XXIII até . permitida a recondução uma única vez. com mandato de dois (2) anos. teatro. de 18/5/1998. e modificada pela Lei nº 5118. música. se restringe exclusivamente aos aspectos legal. Em 2004. órgão de deliberação coletiva. artístico. Maceió. assim como organizações não governamentais. preservar o universo cultural e a memória do município de Maceió.FMAC. avaliação e aprovação dos projetos apresentados por produtores culturais. FUNDAÇÃO PIERRE CHALITA Fundada em Maceió. FUNDAÇÃO LEGIÃO BRASILEIRA DE ASSISTÊNCIA . cinema. Coordenação de Ação Cultural. O Museu de Arte Brasileira. pernambucanos e cearenses. difundir as diversas formas de produção artística e literária e proteger e recuperar o patrimônio histórico e cultural do município. Nele se encontra uma das maiores coleções de pintura nordestina. É composto de quinze (15) membros titulares e igual número de suplentes. Tem por finalidade: coordenar e executar a política cultural do Poder Executivo Municipal. posteriormente passa a denominar-se Fundação Municipal de Ação Cultural . dança. de 23/12/1997. órgão independente e autônomo. Órgãos de Apoio: Departamento de Cultura e Coordenação de Administração e Planejamento e Órgãos de Execução: Departamento de Preservação da Memória. fica em dois antigos armazéns no bairro de Jaraguá. Diretoria Estadual LBA. etnográfico e bibliográfico do município de Maceió. À Comissão Municipal de Incentivo à Cultura . além de um acervo de arte sacra. mediante convênios ou recursos próprios. bem como de proteção e resguardo do patrimônio histórico. paisagístico. com vistas à obtenção do incentivo fiscal de que trata a Lei nº 4657. incentivar a criação de núcleos de cultura. Sua estrutura organizacional: I Órgãos consultivos: Conselho Municipal de Cultura e Comissão Municipal de Incentivo à Cultura. vídeo. Coordenação de Documentação e Arquivo e Coordenação da Biblioteca Pública Municipal. O espaço também é ocupado com exposições eventuais e outros eventos culturais.Órgãos de Assessoramento Superior: Assessoria Especial e Gabinete da Presidência. FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE AÇÃO CULTURAL Inicialmente denominada Fundação Cultural Cidade de Maceió. história. Personalidade jurídica de direito público interno. gestão administrativa e financeira descentralizada. 1972. com exceção daquelas expressamente vinculadas a outras fundações ou Secretarias. Sua analise. Girafa Promoções. formulação e execução da política de ação cultural. Maria Petrúcia Dias Camelo é a presidente da instituição. sendo indeterminado o prazo de sua duração. vinculada à Secretaria Municipal de Educação. folclore. fotografia. paisagístico e cultural do município.COMINC. na Praça dos Martírios. Ao Conselho Municipal de Cultura. como o lançamento de livros. captar recursos em benefício do desenvolvimento artístico-cultural do município de Maceió. literatura. Criada pela Lei nº 4513. folclórico. sendo-lhe vedada se manifestar sobre o mérito dos mesmos. de 31/12/1996. por igual período.

[1966].MISA. mantendo exposição permanente de parte expressiva deste acervo e colaborando. seminários. Publicou: Relatório da Diretoria. a FM Canal 211 E. presidente. Estelita Bandeira de Andrade Dorvillé. cursos. que permite. beneficiando uma população de aproximadamente 13. em Penedo a FM Canal 247. dependências e serviços. como pintura. considerado como pertencente à Bacia do Rio Moxotó. Laurinda Vieira Mascarenhas. organizou o programa “ARTE NOSSA”. Fundação Teatro Deodoro . afinal. Sua diretoria se compõe de um Diretor-Presidente. inclusive para a Bienal de São Paulo. Tem. “É um subterrâneo por debaixo de uma rocha escarpada. Maceió. com cerca de 2. de 21/8/1978. Maceió. em Maceió a Televisão Canal 16+E. Conselho de Curadores: Julieta Buarque Lima. Aurea Lima de Santa Maria. Maceió. a existência de cerca de 90 microempresas trabalhando com energia solar fotovoltaica no semi-árido do estado. uma área onde são apresentados espetáculos teatrais. 48 ms. A Fundação possui em seu acervo cerca de 2. 2ª secretária. de largura. FUNDAÇÃO TEATRO DEODORO (FUNTED) Instituída pela lei nº 3. Seu artigo 2º estabelece como finalidades maiores do órgão: imprimir o aperfeiçoamento da cultura artística no Estado. de 13/9/1978. Conta. a FM Canal 297 E. concursos.938.500 pessoas. da margem esquerda. criada em 1965. .Relatório das Atividades de 1980. Publicou os Folhetins FUNTED como também: Fundação Teatro Deodoro .ABC das Alagoas 567 o atual. estimulando. estas em suas múltiplas manifestações. o Centro de Belas Artes de Alagoas -CENARTE e o Centro Cultural Lagoa do Mundaú (Papódromo). Desde sua criação. Ivone Werneck de Aguiar. FUNDAÇÃO QUILOMBO Mantém. Dentro desse espírito. vicepresidente. para exposições fora de Alagoas. o Teatro Sete de Setembro. Maria Helena Soares Cardoso. Fundação Teatro Deodoro . Maria Lessa de Azevedo Gama. através do qual tiveram oportunidade de se apresentar em público.734. com empréstimo de obras. FUNDO Rio. teve como sua primeira direção: Ítala de Andrade Lima Cardoso. 1ª secretária. SERGASA. Fundação Santo Antônio de Educação e Assistência. festivais. em Palmeira dos Índios. Olga Calheiros de Moura. 1966. Maceió. tesoureira. Leurides Braga Maga e Maria Luiza Quintela de Oliveira. Coube à Fundação administrar o Teatro Deodoro e o Teatro de Arena Sérgio Cardoso. e colaborando com as entidades públicas e privadas voltadas para o aprimoramento intelectual da comunidade. Seu primeiro presidente foi Bráulio Leite Júnior.5 ms.. a FM Canal 294 E. Os Estatutos desta pessoa jurídica de direito privado foram aprovados pelo Dec. Maria Ferraz de Andrade. de um Diretor-Artístico. músicos e atores alagoanos. a instituição vem dando apoio a grupos artísticos. mantendo.700 sistemas voltaicos residenciais instalados. FUNDO Rio. FURNA DOS MORCEGOS Gruta situada abaixo das catadupas do Paulo Afonso.000 pessoas.Relatório das Atividades de 1982. com capacidade para abrigar 2. SERGASA. Entidade assistencial. FUNDAÇÃO SANTO ANTÔNIO DE EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA. o Museu da Imagem e do Som . em 1966. inclusive efetivação de festas. Raquel de Melo. 1ª tesoureira. FUNDAÇÃO TEOTÔNIO VILELA Instituiu o projeto Luz e Sol. Margaret Fox Cardoso. diariamente. Teresinha de Jesus Mendonça Setton. e no interior. cuja . Fundação Teatro Deodoro . 1981. 1980. Tem na entrada mais de 6 ms. Gráfica São Pedro. numa política de valorização dos nomes da terra. segundo o convênio SEMA/SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. 1982.300 obras.Relatório das Atividades de 1983. de altura e 1. de altura. Maria José Peixoto Lima. especialmente aos locais. 1983. 3. estatuaria e mobiliário. e em União dos Palmares. promovendo. ainda.Relatório das Atividades de 1981. e de um Diretor-Administrativo. 2ª. Orione Rosa Acióli. Maceió. destinados a assegurar a consecução de seus fins. coordenando e selecionando realizações de arte. em Rio Largo. em Penedo. um dos principais afluentes. ainda. do Riacho Talhada. segundo o convênio SEMA/ SUDENE/ Governo do Estado de Alagoas. de comprimento e 88 mts.

.Geografia Alagoana). Wanderley (Palmeira dos Índios 9/10/1942) Pedagoga. comunica-se com uma gruta que se prolonga para dentro e para cima na altura seguramente de 40 braças e em comprimento de 220 palmos. Tomáz do Bomfim Espíndola . alargando-se para dentro. Flora. o que demonstra a pequena quantidade de ar atmosférico aí existente. e no seu começo.568 Francisco Reinaldo Amorim de Barros entrada principal parece talhada a cinzel. As paredes laterais parecem lajeadas.. hipótese razoável a mais de 2. FURTADO. Essa furna é a residência dos morcegos. a qual mina água. Chegando-se a 170 passos uma luz apaga-se por si e a respiração é comprimida.000 pessoas. notando-se apenas um pequeno defeito de um lado . próximo a entrada principal. o teto é abobadado e o pavimento térreo é atapetado de uma massa mole e pulverulenta. (Dr. há uma outra entrada mais estreita e que se comunica com um imenso corredor em linha reta. 1973 (poesia). Obra: Navegação dos Sentidos. Essa entrada que tem três braças de altura e seis palmos de largura.um ângulo oblíquo. Ao lado esquerdo é a parede de argila.. A abóbada desse túnel é muito elevada e o espaço pode dar abrigo. Formada em Pedagogia (1968).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->