P. 1
Cap 2 FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO INDIVIDUAL

Cap 2 FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO INDIVIDUAL

|Views: 981|Likes:
Publicado porEduardoCruzAC

More info:

Published by: EduardoCruzAC on Nov 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/18/2013

pdf

text

original

PARTE II

O INDIVÍDUO

CAPÍTULO

2
FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO INDIVIDUAL

© 2006 by Pearson Education

OBJETIVOS DO APRENDIZADO

Depois de ler este capítulo, você será capaz de:
1.
2. 3. 4. 5.

Definir as principais características biográficas.
Identificar dois tipos de habilidade. Moldar o comportamento dos outros. Distinguir os quatro programas de reforço. Esclarecer o papel da punição no processo de aprendizado.

6.

Praticar a auto-administração.

© 2006 by Pearson Education

2–1

CARACTERÍSTICAS BIOGRÁFICAS

Características pessoais — tais como idade, sexo e estado civil — que são objetivas e facilmente obtidas nos registros pessoais dos funcionários.

© 2006 by Pearson Education

2–2

HABILIDADES

A capacidade de um indivíduo para desempenhar as diversas tarefas de uma função.

© 2006 by Pearson Education

2–3

Habilidades intelectuais

Habilidade intelectual
É aquela necessária para o desempenho de atividades mentais.

© 2006 by Pearson Education

2–4

QUADRO 2-1 Dimensões da habilidade intelectual

• Aptidão para números • Compreensão verbal

• Rapidez de percepção
• Raciocínio indutivo • Raciocínio dedutivo • Visualização espacial • Memória

© 2006 by Pearson Education

2–5

Habilidades físicas

Habilidade física
É aquela necessária para a realização de tarefas que exigem resistência, destreza manual, força nas pernas ou talentos semelhantes.

© 2006 by Pearson Education

2–6

QUADRO 2-2 Nove habilidades físicas básicas

Fatores de força
1. Força dinâmica 2. Força no tronco 3. Força estática 4. Força explosiva

Fatores de flexibilidade
5. Flexibilidade de extensão 6. Flexibilidade dinâmica

Outros fatores
7. Coordenação motora 8. Equilíbrio 9. Resistência
Fonte: Adaptado de HRMagazine, publicada pela Society for Human Resource Management, Alexandria.

© 2006 by Pearson Education

2–7

Adequação entre o trabalho e a habilidade

Habilidades do funcionário

Adequação entre o trabalho e a habilidade

Requisitos da tarefa

© 2006 by Pearson Education

2–8

APRENDIZAGEM

Qualquer mudança relativamente permanente no comportamento que ocorre como resultado de uma experiência.

APRENDIZAGEM:
• Envolve mudança. • É relativamente permanente. • É adquirida por meio da experiência.

© 2006 by Pearson Education

2–9

Teorias de aprendizagem

Condicionamento clássico
Um tipo de condicionamento no qual um indivíduo responde a algum estímulo que originalmente não produziria tal resposta.

Conceitos básicos:
• Estímulo não-condicionado. • Resposta não-condicionada. • Estímulo condicionado.

• Resposta condicionada.

© 2006 by Pearson Education

2–10

QUADRO 2-3 O lado oculto, por Gary Larson

Fonte: The far side® by Gary Larson. Copyright 1993 by Far Works, Inc. Reproduzido com autorização. Todos os direitos reservados.

© 2006 by Pearson Education

2–11

Teorias de aprendizagem

Condicionamento operante
Um tipo de condicionamento em que um comportamento voluntário desejável conduz a uma recompensa ou evita uma punição.

Conceitos básicos:
• Comportamento reflexivo ou não-aprendido. • Comportamento voluntário ou aprendido. • Reforço.

© 2006 by Pearson Education

2–12

Teorias de aprendizagem

Aprendizagem social
As pessoas podem aprender tanto pela observação como pela experiência.

Conceitos básicos:
• Processos de atenção.
• Processos de retenção. • Processos de reprodução motora. • Processos de reforço.

© 2006 by Pearson Education

2–13

Modelagem: uma ferramenta gerencial

Modelagem do comportamento
Reforço sistemático de cada um dos passos que conduzem o indivíduo para a resposta desejada. Conceitos básicos:
• É necessário algum tipo de reforço para mudar o comportamento. • Alguns tipos de recompensa são mais efetivos. • A rapidez do aprendizado e a permanência de seus efeitos serão determinados pelo momento do reforço.

© 2006 by Pearson Education

2–14

Tipos de reforço

 Reforço positivo
• Recompensa pelo comportamento desejado.

 Reforço negativo
• Eliminação de uma consequência desagradável quando ocorre o comportamento desejado.

 Punição
• Consiste em causar uma condição desagradável na tentativa de eliminar um comportamento indesejado.

 Extinção
• Suspensão de um reforço para extinguir um comportamento.
© 2006 by Pearson Education 2–15

Esquemas de reforço

Reforço contínuo
Um comportamento desejável é reforçado todas as vezes em que se manifesta.

Reforço intermitente
Um comportamento desejável recebe reforço para que continue a se repetir, mas não o recebe todas as vezes em que ocorre.

© 2006 by Pearson Education

2–16

Esquemas de reforço

Intervalo-fixo
As recompensas são espaçadas em intervalos de tempo uniformes.

Intervalo-variável
As recompensas são espaçadas no tempo de maneira imprevisível.

© 2006 by Pearson Education

2–17

Esquemas de reforço

Proporcional-fixo
As recompensas são dadas após um número fixo ou constante de respostas.

Proporcional-variável
As recompensas variam de acordo com o comportamento do indivíduo.

© 2006 by Pearson Education

2–18

QUADRO 2-4 Esquemas de reforço

© 2006 by Pearson Education

2–19

QUADRO 2-5 Esquemas de reforço intermitente (continua)

© 2006 by Pearson Education

2–20

QUADRO 2-5 Esquemas de reforço intermitente (continuação)

© 2006 by Pearson Education

2–21

Modificação de comportamento

OB Mod
A aplicação dos conceitos de reforço para os indivíduos dentro do ambiente de trabalho.

Modelo de resolução de problemas em cinco passos:
1.
2. 3. 4.

Identificação dos comportamentos críticos.
Desenvolvimento dos dados básicos. Identificação das conseqüências dos comportamentos. Desenvolvimento e implementação de uma estratégia de intervenção.

5.

Avaliação da melhoria do comportamento.

© 2006 by Pearson Education

2–22

Aplicações específicas na empresa

 Substituição da remuneração da ausência por doença por um plano de recompensa por freqüência
• Reduz o absenteísmo recompensando a presença, e não a ausência.

 Enquadramento de funcionários
• O uso de punições pode ser contraprodutivo.

 Desenvolvimento de programas de treinamento
• Os métodos de modificação de comportamento aumentam a eficácia desses programas.

 Autogestão
 Reduz a necessidade de controle externo.

© 2006 by Pearson Education

2–23

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->