Você está na página 1de 14

O HOMEM BESTIAL

de Joo Paulo Cotrim e Maria Joo Worm

Algum me contou E at a minha orelha se espantou! Era uma vez um homem que era bestial todas as vezes Toda a gente que via aquele homem tinha um medo dos diabos.

Tinha cara de garoupa E usava rabo de cavalo .

Os seus olhos eram de lince E no parava de papaguear.

Bl blbl

De to peludo parecia um macaco Mas os amigos chamavam-lhe camelo.


Seu camelo!!!

Seu camelo!!!

Seu camelo!!!

Outros contavam que apesar de ser corajoso como um leo, Cheirava como uma doninha.

Alm disso, nadava com ps de pato, Mas corria como uma lebre. Parecia impossvel!

s vezes era pachorrento como os elefantes, Noutros borboleteava por a.

Ainda comia que nem um porco E ria maneira das hienas.

IH IH IH IH IH IH

IH IH IH

Era to inteligente como os golfinhos E mais chato que uma melga .

zzzzzzzzz

Claro, todos diziam que era mau como as cobras. Mas as cobras no so ms, embora andem aos esses.

Agora que o conheci sei que, afinal, o homem era mesmo bestial. No assustava ningum: at tinha um corao de manteiga.

No devemos julgar as pessoas pelo seu aspeto


Marta Lus Duarte

No devemos fazer juzos sobre as pessoas sem as conhecermos


Gonalo Figueiredo

BIBLIOTECA ESCOLAR

DESAFIO DE NOVEMBRO 2011


AG 2A