Você está na página 1de 17
Relações trigonométricas nos triângulos Profa. Dra. Denise Ortigosa Stolf
Relações trigonométricas nos triângulos
Profa. Dra. Denise Ortigosa Stolf

Sumário

Página

Razões trigonométricas no triângulo retângulo

1

Seno

1

Cosseno

2

Tangente

2

Tabela trigonométrica

4

Tabelas importantes

6

Resolvendo problemas no triângulo retângulo

6

Relações entre seno, cosseno e tangente

9

Relações trigonométricas em um triângulo qualquer

10

Lei dos senos

11

Lei dos cossenos

12

Referências bibliográficas

16

1

Relações trigonométricas nos triângulos

Razões trigonométricas no triângulo retângulo

Um triângulo é uma figura geométrica plana, constituída por três lados e três ângulos internos. Esses ângulos, tradicionalmente, são medidos numa unidade de medida, denominada grau e, cada um deles tem medida entre 0 o e 180 o , de modo que, em qualquer triângulo, a soma dessas medidas é 180 o .

Num triângulo retângulo definimos as chamadas razões trigonométricas que são relações entre os lados do triângulo e que têm a propriedade de determinar a medida dos ângulos do triângulo, uma vez que seus lados sejam conhecidos.

Um triângulo é dito retângulo quando um de seus ângulos é reto, isto é, tem medida igual a 90 o . Os outros dois ângulos, evidentemente, são agudos.

o . Os outros dois ângulos, evidentemente, são agudos. No triângulo retângulo ABC, consideremos, por exemplo,

No triângulo retângulo ABC, consideremos, por exemplo, o ângulo que tem vértice em B, cuja medida , em graus, é um número real que está no intervalo ]0,90[. Entre os lados do triângulo podemos estabelecer as seguintes razões:

Seno

ˆ

Seno de

comprimento da hipotenusa do triângulo. Indicando o seno de AC

temos:

é a razão entre o comprimento do cateto oposto ao ângulo B

.

por

e o

sen ,

sen α =

BC

Dado um segmento

AB = med( AB ).

AB , indicamos o comprimento de

AB

por AB, onde

2

Cosseno

ˆ

e

o comprimento da hipotenusa do triângulo. Indicando o cosseno de por cos , AB

Cosseno de

é a razão entre o comprimento do cateto adjacente ao ângulo B

temos:

cos α =

.

BC

Tangente

Tangente de é a razão entre os comprimentos do cateto oposto e do cateto AC

adjacente ao ângulo B . Indicando a tangente de x por tg , temos:

ˆ

tg α =

.

AB

Observação: De acordo com a definição, é fácil verificar que

todo variando no intervalo ]0,90[.

 

sen α

tg α =

, para

 

cos α

Exemplo:

No triângulo retângulo ABC, determine o valor do seno, cosseno e tangente

ˆ

do ângulo C .

Resolução:

cosseno e tangente ˆ do ângulo C . Resolução : Representando a medida da hipotenusa por

Representando a medida da hipotenusa por x, calculamos esse valor aplicando o teorema de Pitágoras no ABC.

x

x

x

x

x

2 2 = + 5 2 = + 25 2 = 169 = 169
2
2
= +
5
2
= +
25
2
= 169
=
169

= 13

12

144

2

sen β =

sen β =

CO

H

5

13

cosβ =

cosβ =

CA

H

12

13

tgβ =

tgβ =

CO

CA

5

12

3

EXERCÍCIOS A

3 EXERCÍCIOS A (1) Considerando que 5 = 2,23 , determine o valor do seno, do

(1) Considerando que 5 = 2,23 , determine o valor do seno, do cosseno e da

ˆ

tangente do ângulo B

no triângulo retângulo ABC da figura abaixo.

do ângulo B no triângulo retângulo ABC da figura abaixo. (2) A figura seguinte é um

(2) A figura seguinte é um triângulo eqüilátero ABC, onde cada ângulo interno

vale 60º. Traçando-se a altura

Sabendo que

retângulo AHC e determine o valor de sen 60º, cos 60º e tg 60º, deixando esses

valores na forma de radical.

AH , teremos um triângulo retângulo AHC.

(você já conhece essa fórmula), considere o triângulo

l 3
l
3

2

h =

radical. AH , teremos um triângulo retângulo AHC. (você já conhece essa fórmula), considere o triângulo

4

(3) Usando a mesma figura e o mesmo triângulo retângulo AHC (do exercício

anterior), determine o valor de sen 30º, cos 30º e tg 30º, pois a altura AH coincide com a bissetriz do ângulo interno A , no triângulo eqüilátero (deixar a resposta na forma de radical).

ˆ

eqüilátero (deixar a resposta na forma de radical). ˆ (4) No triângulo retângulo, determine o valor

(4) No triângulo retângulo, determine o valor do seno, do cosseno e da tangente do ângulo de 45º (deixar a resposta na forma de radical).

do ângulo de 45º (deixar a resposta na forma de radical). Tabela trigonométrica Em muitos casos,

Tabela trigonométrica

Em muitos casos, para resolver problemas com triângulos retângulos é necessário conhecer as razões trigonométricas dos ângulos agudos do triângulo. Como a cada ângulo agudo está associado um único valor para o seno, para o cosseno e para a tangente, podemos elaborar uma tabela que nos forneça esses valores, evitando assim a necessidade de calculá-los a toda hora.

A tabela a seguir foi construída há séculos, e nos dá os valores do seno, do cosseno e da tangente de ângulos de 1º até 89º, com aproximação até milésimos. A maioria das calculadoras, hoje em dia, nos fornecem esses valores.

5

TABELA DE RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS

Ângulo ( º )

sen

cos

tg

Ângulo ( º )

sen

cos

tg

 

1 0,017

1,000

0,017

46 0,719

 

0,695

1,036

2 0,035

 

0,999

0,035

47 0,731

 

0,682

1,072

3 0,052

 

0,999

0,052

48 0,743

 

0,669

1,111

4 0,070

 

0,998

0,070

49 0,755

 

0,656

1,150

5 0,087

 

0,996

0,087

50 0,766

 

0,643

1,192

6 0,105

 

0,995

0,105

51 0,777

 

0,629

1,235

7 0,122

 

0,993

0,123

52 0,788

 

0,616

1,280

8 0,139

 

0,990

0,141

53 0,799

 

0,602

1,327

9 0,156

 

0,988

0,158

54 0,809

 

0,588

1,376

10 0,174

 

0,985

0,176

55 0,819

 

0,574

1,428

11 0,191

 

0,982

0,194

56 0,829

 

0,559

1,483

12 0,208

 

0,978

0,213

57 0,839

 

0,545

1,540

13 0,225

 

0,974

0,231

58 0,848

 

0,530

1,600

14 0,242

 

0,970

0,249

59 0,857

 

0,515

1,664

15 0,259

 

0,966

0,268

60 0,866

 

0,500

1,732

16 0,276

 

0,961

0,287

61 0,875

 

0,485

1,804

17 0,292

 

0,956

0,306

62 0,883

 

0,469

1,881

18 0,309

 

0,951

0,325

63 0,891

 

0,454

1,963

19 0,326

 

0,946

0,344

64 0,899

 

0,438

2,050

20 0,342

 

0,940

0,364

65 0,906

 

0,423

2,145

21 0,358

 

0,934

0,384

66 0,914

 

0,407

2,246

22 0,375

 

0,927

0,404

67 0,921

 

0,391

2,356

23 0,391

 

0,921

0,424

68 0,927

 

0,375

2,475

24 0,407

 

0,914

0,445

69 0,934

 

0,358

2,605

25 0,423

 

0,906

0,466

70 0,940

 

0,342

2,747

26 0,438

 

0,899

0,488

71 0,946

 

0,326

2,904

27 0,454

 

0,891

0,510

72 0,951

 

0,309

3,078

28 0,469

 

0,883

0,532

73 0,956

 

0,292

3,271

29 0,485

 

0,875

0,554

74 0,961

 

0,276

3,487

30 0,500

 

0,866

0,577

75 0,966

 

0,259

3,732

31 0,515

 

0,857

0,601

76 0,970

 

0,242

4,011

32 0,530

 

0,848

0,625

77 0,974

 

0,225

4,331

33 0,545

 

0,839

0,649

78 0,978

 

0,208

4,705

34 0,559

 

0,829

0,675

79 0,982

 

0,191

5,145

35 0,574

 

0,819

0,700

80 0,985

 

0,174

5,671

36 0,588

 

0,809

0,727

81 0,988

 

0,156

6,314

37 0,602

 

0,799

0,754

82 0,990

 

0,139

7,115

38 0,616

 

0,788

0,781

83 0,993

 

0,122

8,144

39 0,629

 

0,777

0,810

84 0,995

 

0,105

9,514

40 0,643

 

0,766

0,839

85 0,996

 

0,087

11,430

41 0,656

 

0,755

0,869

86 0,998

 

0,070

14,301

42 0,669

 

0,743

0,900

87 0,999

 

0,052

19,081

43 0,682

 

0,731

0,933

88 0,999

 

0,035

28,636

44 0,695

 

0,719

0,966

89 1,000

 

0,017

57,290

45 0,707

 

0,707

1,000

90 1,000

 

0,000

-

6

Tabelas importantes

Na resolução de alguns problemas é mais conveniente usar os valores da seguinte tabela:

Ângulo

sen

cos

tg

30º

1

3
3
3
3

2

2

3

45º

2
2
2
2

1

2

2

60º

3
3

1

3
3

2

2

Por extensão da definição, consideramos:

Ângulo

sen

cos

tg

0

0 1

90º

não

existe

1 0

Resolvendo problemas no triângulo retângulo

Usando os valores do seno, do cosseno e da tangente de um ângulo agudo de um triângulo retângulo, podemos resolver problemas como veremos nos exemplos a seguir.

Exemplos:

7

a) No triângulo retângulo da figura, determinar as medidas x e y dos catetos.

da figura, determinar as medidas x e y dos catetos. x sen 32 123 20 o

x

sen 32

123 20

o

=

0,53

0,53 =

x

20

x

x

=

= 10,60 cm

20 0,53

cos32

123

0,848

0,848 =

o

y

=

20

y

20

y

y

=

= 16,96cm

20 0,848

b) Em um triângulo isósceles, cada ângulo da base mede 71º. Sabendo-se que a base desse retângulo mede 8 cm, determinar a medida h da altura relativa à base.

8 cm, determinar a medida h da altura relativa à base. tg 71 123 2,904 2,904

tg 71

123

2,904

2,904 =

o

=

h

4

h

4

h

=

4 2,904

h

= 11,616cm

(1) No

sen 65

o

EXERCÍCIOS B

triângulo

retângulo

determine

=

0,91

; cos 65

o

=

0,42

; tg 65

o =

as

2,14

medidas

)

B triângulo retângulo determine = 0,91 ; cos 65 o = 0,42 ; tg 65 o

x

e

y

indicadas.

(Use:

8

(2) Considerando o triângulo retângulo ABC, determine as medidas a e b indicadas.

retângulo ABC, determine as medidas a e b indicadas. (3) Na figura temos que PA =

(3) Na figura temos que PA = 18 cm. Nessas condições, calcule:

Na figura temos que PA = 18 cm. Nessas condições, calcule: a) o comprimento r do

a) o comprimento r do raio da circunferência;

b) a distância x do ponto P ao centro O.

(4) A determinação feita por radares da altura de uma nuvem em relação ao solo é importante para previsões meteorológicas e na orientação de aviões para que evitem turbulências. Nessas condições, determine a altura das nuvens detectadas pelos radares conforme o desenho seguinte.

; tg 28

(Use: sen 28

o =

0,47

; cos 28

o

=

0,88

o =

0,53

)

detectadas pelos radares conforme o desenho seguinte. ; tg 28 (Use: sen 28 o = 0,47

9

Relações entre seno, cosseno e tangente

As razões trigonométricas seno, cosseno e tangente se relacionam de várias formas, como veremos a seguir:

1ª) sen

2

θ

2ª)

tg θ =

+

2

cos θ

=

sen θ

cos θ

( 0

Exemplo:

1

o

( 0

o

< θ < 90

< θ < 90

o

)

o

)

Sabendo que sen α = 0,6 , determine o cos α e a tg α .

2 2 sen α + cos α = 2 2 (0,6) + cos α =
2
2
sen α
+ cos α
=
2
2
(0,6)
+ cos α
=
2
0,36
+
cos α
=
1
2
cos α
=
1
0,36
2
cos α
=
0,64
cos α
=
0,64
64
cos α
=
100
8
cos α
=
10
cos α
=
0,8

1

1

tg α =

tg α =

tg α =

sen α

cos α

0,6

0,8

0,75

Então, cos α = 0,8 e tg α = 0,75 .

10

(1) Sabendo que

sen α =

EXERCÍCIOS C

2 2 17 e cos α = 5 5
2
2
17
e cos α =
5
5

, calcule o valor de tg α .

(2) No triângulo retângulo da figura, temos

de tg α . (2) No triângulo retângulo da figura, temos a) o sen α e

a) o sen α

e a tg α ;

b) a medida x da hipotenusa.

cos α =

12

. Calcule:

13

Relações trigonométricas em um triângulo qualquer

As relações trigonométricas estudadas até agora foram utilizadas em triângulos retângulos. Vamos conhecer outras relações que valem para quaisquer triângulos.

11

Lei dos senos

Em todo triângulo, as medidas de seus lados são proporcionais aos senos dos ângulos opostos.

lados são proporcionais aos senos dos ângulos opostos. a b C   = = ˆ ˆ

a

b

C

 

=

=

ˆ

ˆ

ˆ

sen A

sen B

sen C

Exemplo:

Um agrimensor quer medir a distância entre duas árvores, A e B, que se

encontram em margens opostas de um rio, como mostra a figura. A partir de um

e

ponto C, ele tomou as seguintes medidas: AC = 14 m,

ˆ

med( C ) =

80º

ˆ

med( A ) = 72º. Com esses dados ele determinou a distância de A até B. Qual é

essa distância?

Resolução:

Utilizando os dados do problema, temos:

ˆ

med( B

) = 180

o

(80

o

+

72

o

)

= 28º

Aplicando a lei dos senos no ABC:

BC

ˆ

sen A

=

AC

ˆ

sen B

=

AB

ˆ

sen C

BC

sen 72

o

=

AC

sen 28

o

BC

=

14

sen 72

o o

sen 28

14 AB

sen 28

o

=

sen 80

o

=

=

AB

sen 80

AB

o

sen 80

o

B = AB ˆ sen C BC sen 72 o = AC sen 28 o BC

12

Na tabela trigonométrica encontramos os valores de

14 AB

=

0,469

0,469 AB

0,985

=

14 0,985

AB =

AB

=

13,79

0,469

29,4

sen 28

o

e sen 80

o

.

Portanto, a distância entre as duas árvores é aproximadamente de 29,4 m.

Lei dos cossenos

Em todo triângulo, o quadrado da medida de um dos lados é igual à soma dos quadrados das medidas dos outros dois lados menos duas vezes o produto das medidas desses dois lados pelo cosseno do ângulo oposto ao primeiro lado.

dois lados pelo cosseno do ângulo oposto ao primeiro lado. Exemplo: a b c 2 2

Exemplo:

a

b

c

2

2

2

=

=

=

b

a

a

2

2

2

+

+

+

c

c

b

2

2

2

 

ˆ

2

b

c

cos A

ˆ

2

2

a

a

c

cos B

ˆ

b cos C

13

No triângulo ABC, as medidas de dois lados são 10 cm e 6 cm e o ângulo formado por esses lados mede 50º. Qual é a medida do terceiro lado?

Resolução:

Como são dadas as medidas de dois lados e o ângulo formado por eles, podemos
Como são dadas as medidas de dois lados e o
ângulo formado por eles, podemos aplicar a lei dos
cossenos.
2
2
2
ˆ
a
= b
+
c
2
b
c cos A
2
2
2
o
a 10
= 6
+
2
◊ 6 ◊ 10 ◊ cos50
Na tabela trigonométrica temos cos 50
o =
0,643
2
2
2
o
a 6
=
+
10
2
6 10 cos50
2
a 36
=
+
100
120 ◊ 0,643
2
a
=
136
77,16
2
a 58,84
=
5884
a =
100
2 1471
a =

a =

10

1471
1471

5

Portanto, o terceiro lado mede

= 136 77,16 2 a 58,84 = 5884 a = 100 2 1471 a = a

1471 cm.

5

= 136 77,16 2 a 58,84 = 5884 a = 100 2 1471 a = a

14

EXERCÍCIOS D

ˆ

ˆ

(1) No triângulo ABC, o ângulo B

mede 3

mede 60º, o ângulo C

triângulo ABC, o ângulo B mede 3 mede 60º, o ângulo C 2 cm. Calcule a

2 cm. Calcule a medida do lado AC.

mede 60º, o ângulo C 2 cm. Calcule a medida do lado AC. mede 45º e

mede 45º e o lado AB

(2) No triângulo RMP, determine o valor de x sabendo que: MP = 18 cm,

ˆ

ˆ

med( M ) = 45º e med( P ) = 75º.

lado AB (2) No triângulo RMP, determine o valor de x sabendo que: MP = 18

15

15 (3) O CNT possui dois lados que medem 4 cm e 3 3 cm. O

(3) O CNT possui dois lados que medem 4 cm e 3 3 cm. O ângulo formado por esses lados mede 30º. Qual é a medida do lado oposto a esse ângulo?

mede 30º. Qual é a medida do lado oposto a esse ângulo? ˆ (4) Observe as

ˆ

(4) Observe as medidas marcadas na figura e calcule a medida do ângulo A

.

a medida do lado oposto a esse ângulo? ˆ (4) Observe as medidas marcadas na figura

16

Referências bibliográficas

ANDRINI,

Álvaro;

VASCONCELLOS,

Maria

José.

matemática. São Paulo: Brasil, 2002.

Novo

praticando

BIGODE, Antonio José Lopes. Matemática hoje é feita assim. São Paulo:

FTD, 2006.

DANTE, Luiz Roberto. Tudo é matemática. São Paulo: Ática, 2005.

E-CÁLCULO. Disponível em: <http://ecalculo.if.usp.br>. Acesso em: 9 de outubro de 2008.

EDIÇÕES EDUCATIVAS DA EDITORA MODERNA. Projeto Araribá:

Matemática. São Paulo: Moderna, 2007.

GIOVANNI, José Ruy; GIOVANNI JUNIOR, José Ruy. Matemática: pensar e descobrir. São Paulo: FTD, 2005.

GIOVANNI, José Ruy; CASTRUCCI; Benedito; GIOVANNI JUNIOR, José Ruy. A conquista da matemática. São Paulo: FTD, 1998.

GUELLI, Oscar. Matemática em construção. São Paulo: Ática, 2004.

IMENES, Luiz Márcio; LELLIS, Marcelo Cestari. Matemática paratodos. São Paulo: Scipione, 2006.

KLICK

EDUCAÇÃO:

O

PORTAL

DA

EDUCAÇÃO.

Disponível

em:

<http://www.klickeducacao.com.br>. Acesso em: 9 de outubro de 2008.

MIANI, Marcos. Matemática no plural. São Paulo: IBEP, 2006.

MORI, Iracema; ONAGA, Dulce Onaga. Matemática: idéias e desafios. São Paulo: Saraiva, 1997.

<http://www.somatematica.com.br>.

MATEMÁTICA.

Disponível

em:

Acesso em: 21 de agosto de 2008.