Você está na página 1de 4

1

Era uma manhã como todas as outras, podia chover ou fazer sol, era uma manhã como todas as outras. Acordei cedo nesse dia e fiquei meio a esmo. Minha TV tinha sido roubada, o que não mudava muita coisa. Aborreciam-me todas aquelas asneiras que despejavam como se fossem nossas vidas. Sentei por um breve momento no chão da porta da sala ao lado de um velho sofá. Acendi o cigarro de costume, dei alguns tragos e fiquei meio tonto. O telefone tocou. Um amigo! _ O que vai fazer hoje? Respondi que não sabia e fiquei quieto. Tinha alguns trabalhos da faculdade para fazer. _Vamos beber? Enrolei um pouco, disse que sim e nos despedimos. Há alguns dias, eu e este amigo chegamos à conclusão de que sempre que nos sentávamos à mesa de um bar, nunca havíamos de beber o bastante em garrafas de cerveja. Era nosso pretexto para encher a cara. Cada garrafa cheia que era colocada na mesa ia sempre ficar vazia. A expressão matemática é simples: 1 -1 = 0. O que significa: com o tempo, as garrafas sempre se anulam. E, a gente sempre fica bêbado. Levantei-me e entrei na sala, o sofá verde me olhava de frente. Tinha um aspecto abatido. Pensei, desde a semana passada, muitas bundas, nele, deviam ter sentado. Ignorei e fui até a cozinha que ficava ao lado, separada da sala por uma bancada de mármore polida. Coloquei água em uma leiteira, que achei debaixo

Porém. não haveria motivo para esta historia. representam os nossos desejos reais. me dá a impressão de uma espécie de pensamento oculto. É curioso pensar como certas ações são automáticas e. São coisas do tipo: há alguém nesse momento dançando tango do outro lado do planeta? Não sei.2 da pia e depois liguei o fogão para fazer café. não confundam com a idéia do inconsciente. o que aqui lhes digo. o café ficou pronto. Por favor. vai além e engloba desde a memória celular até o mais caótico dos segredos. No momento. Caso contrário. mas as coisas acontecem. Será que o pedreiro que construiu a casa 18 ainda estava vivo? Ou será que havia deixado a profissão para se tornar um homem de sucesso na indústria dos laticínios? Não tinha a menor idéia. eu disse a mim mesmo que aquele era o meu tempo. estava sem açúcar e queimou a língua. Pois. coloquei um jeans velho que gostava muito de usar. o universo e seus sistemas inconstantes. O que. mas que anda comigo e faz coisas por mim 24 horas por dia. uma camiseta marrom e calcei um tênis preto. às vezes. Tomei um pouco. por mais que aconteçam de forma espontânea. percebi que cada relógio da casa marcava uma hora diferente. Enfim. Fiquei horas navegando sem rumo. Quando a noite caiu. mas seguia . Segui para o bar imaginando sobre a vida daqueles que construíram a paisagem da minha rua.

Olhei em minha volta e lembro-me de ter reconhecido o rosto do meu amigo. Nisso. é hora e o lugar em que ela é dita que vão determinar sua veracidade? Afundei-me em indagações durante todo o resto de meu percurso. Tinha uma expressão de silêncio pousada em sua face. já tinha um texto grande no estômago. Sobre a cabeça dele. mas as palavras desciam do cérebro. Quando voltei à tona. paravam na língua e pulavam garganta abaixo. Queria dizer alguma coisa. Fiquei fascinado com aquilo. pesquei um com a mão direita e comecei a mastigá-lo. Olhei meu amigo e ele continuava calado. Enchi na mesma pressa em que bebi. Tinha um gosto diferente. uns três ou quatro mosquitos acompanhavam qualquer movimento. já estava envolvido pela atmosfera que só um bar possui. algo me disse que eram pensamentos . nunca havia experimentado tal sensação. Dei quinze passos e me sentei na frente dele. Tinha um copo sobrando. dotado de eloqüência. Quando dei conta.3 imaginando sobre a vida de todos e de tudo. Sem saber o porquê. Ele estava sentado numa mesa de canto com duas cadeiras. Limitava-se a beber a cerveja e a olhar pro nada. Até que ponto o que está em nossas mentes pode ser verdadeiro? Uma palavra realmente possui a verdade do seu significado ou. Era como se o mosquito tivesse um gosto em três dimensões. Observei novamente e os mosquitos pareciam exercer uma forte influência sobre mim.

Os mosquitos ou pensamentos foram acabando e assim nossa conversa ia chegando ao fim. nos entendemos por outras vias. Soube a hora exata de ir embora. Devorava compulsivamente aqueles pensamentos. Sem palavras produzidas naquele encontro.4 materializados. . pareciam mais complexos. Não questionei e fui pescando mais mosquitos. Ele também. E não eram simples devaneios que eu estava ingerindo.

Interesses relacionados