Você está na página 1de 16

Faculdade Santa Emília de Rodat Professor: Márcio Coutinho Disciplina: Informática em Saúde

INFORMÁTICA EM SAÚDE
Equipe:Ana Letícia; Camila Bandeira; Kalina Barros; Stéphany Soares; Thaysa Mayara.

O QUE É INFORMÁTICA EM SAÚDE?  A Informática Médica ou Informática em Saúde é definida como "um campo de rápido desenvolvimento científico que lida com armazenamento. . dados e conhecimento biomédicos para a resolução de problemas e tomada de decisão". recuperação e uso da informação.

1976: Montado os primeiros sistemas de monitoração fisiológica digital e de apoio aos testes hemodinâmicos do país. . atualmente um dos grupos de maior expressão do país. com um certo atraso em relação aos EUA e a Europa. 1982:Fundado o primeiro curso de pós-graduandos na área de informática médica.CRONOGRAMA NO BRASIL      Chegou ao Brasil no início da década de 70. 1983:Criação de novos grupos especificamente dedicados a esta área de pesquisa e ensino. 1976: Originou-se à coordenadoria de informática em saúde.

1986: Realizado o primeiro congresso de informática em saúde e posteriormente fundada a sociedade brasileira de infrormática em saúde. . 1988 à 2010: Foram realizados 12 congressos nacionais na área de informátia em saúde.   1984 e 1988: Foram iniciados os grupos de pesquisa e docência da Faculdade de Medicina da USP e da Escola Paulista de Medicina.

PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO         Sistemas de Informação em Saúde Prontuário Eletrônico do Paciente Telessaúde Sistemas de Apoio à Decisão Processamento de sinais biológicos Processamento de Imagens Médicas Internet em Saúde Padronização da Informação em Saúde .

SISTEMAS DE INFOMAÇÃO EM SAÚDE  São aplicativos de TI destinados a fornecer informações e estatísticas de interesse médico hospitalar. Necessariamente. são banco de dados. com capacidade de geração rápida de relatórios e interação com internet. enciclopédias digitais. que armazenam textos. fóruns.etc.chats.bibliotecas. etc. . médico ambulatorial. medicina pública. dados quantitativos e imagens.

 Sistemas no Brasil  Alguns dos principais sistemas de informação em saúde do Brasil: Sistema de Informações sobre mortalidade (SIM)  Sistema de informações sobre nascidos vivos (SINASC)  Sistema de informações da atenção básica (SIAB)  Sistema nacional de agravos de notificação (SINAN)  Sistema de informações hospitalares (SIH-SUS)  Sistema de informação de orçamento em saúde (SIOPS)  .

 .PRONTUÁRIO ELETRÔNICO DO PACIENTE É um registro computadorizado dos pacientes.  Confidencialidade dos dados do paciente.  Assistência à pesquisa.  Para que serve:  Acesso remoto e simultâneo.etc. onde a informação é mantida eletronicamente sobre o estado de saúde e os cuidados que um individuo recebeu durante toda sua vida.  Flexibilidade de layout.  Legibilidade.

Padronização.  Economia de papel.  Vantagens:  Rapidez. Segurança e confidencialidade.etc.etc.  Facilidade. .    Obstáculos críticos no desenvolvimento e implantação do PEP: Falta de entendimento das capacidades e benefícios do PEP.

.

Podendo ser simples. inclui o uso de um programa que permite a troca de informações via internet entre médicos do SUS. médicos especialistas e pacientes.TELESSAÚDE   Telessaúde é a promoção de saúde. o Programa Nacional de Telessaúde realizado desde 2007 em parceria do ministérios da Saúde e da Ciência e Tecnologia. . ou mais sofisticada com uso de redes de vídeo e webconferências e até o uso da robótica. No Brasil. relacionada a serviços de informação. como dois profissionais de saúde discutindo um caso por telefone. através de tecnologias de telecomunicações.

Visa também o aumento progressivo da quantidade de dados e informações utilizados pelo médico. há um aumento na qualidade do atendimento e otimização do tempo. dando assistência diagnóstica e também no armazenamento. destinados a fornecer informações aos médicos auxiliando no reconhecimento e interpretação de imagens. servindo assim. Com isso. como ferramentas de informação.SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO EM SAÚDE   São sistemas especializados de consulta. sem grandes custos adicionais. recuperação de informações e geração de alertas e lembretes . na crítica e planejamento terapêuticos. EX:PUFF e HELP .

como resultado de seu funcionamento. onde o organismo emite sinais de mais variadas naturezas indicando alterações patológicas do órgão ou sistema.PROCESSAMENTO DE SINAIS BIOLÓGICOS   O termo sinal biológico se refere mais especificamente às variações temporais que ocorrem em alguma forma de energia no corpo humano. como a energia térmica e mecânica. .como ECG e EGG e não elétrica. Ex: pode ser de natureza elétrica.

quadros de vídeo. Utiliza software que criam modelos virtuais tridimensionais de estruturas anatômicas a partir de imagens médicas tomográficas.análise e segmentação de modelos virtuais além de viabilizar modelos físicos com auxílio de prototipagem rápida por meio da exportação de dados no formato apropriado. O software permite a visualização. aprendizagem de máquina ou reconhecimento de padrões. .PROCESSAMENTO DE IMAGENS MÉDICAS   É qualquer forma de processamento de dados no qual a entrada e saída são imagens tais como fotografias.

através do registro eletrônico do paciente. onde e quando for necessária. Organização da informação em saúde: possibilitando a conexão entre os órgãos prestadores de serviços de saúde.INTERNET EM SAÚDE   A Internet coloca à disposição do profissional de saúde e da comunidade não acadêmica. incluindo unidades básicas de saúde. a Internet permitirá a circulação da informação administrativa. . bem como facilitará a informação médica. A informatização do prontuário do paciente já é uma realidade em muitos serviços médicos. serviços de atendimento secundário e terciário. a informação.

. Objetivo principal de padronizar as trocas eletrônicas de informações administrativas e financeiras.PADRONIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO EM SAÚDE   Aproximar as operadoras e prestadores de serviços de saúde através de uma uniformização do intercâmbio de dados por um sistema eletrônico de envio de informações. o que deve aprimorar a eficiência e efetividade do sistema de saúde. o consumidor de plano de saúde. passasse a receber melhoria de atendimento com agilidade. onde o maior beneficiário.