http://oenigmadahistoria.blogspot.com/2010/11/complexo-deze-carioca-lilia-katri.html http://galaxy.intercom.

org.br:8180/dspace/bitstream/1904/190 52/1/2002_NP16SANTOS.pdf http://www.google.com.br/#hl=ptBR&sa=X&ei=bBLVTouVDMfh0QHynIyPAg&ved=0CB sQBSgA&q=texto+complexo+do+ze+carioca+lilia&spell =1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=380fc2cec4602320 &biw=1280&bih=539
Em seu texto Complexo de Zé Carioca, Lília Schwarcz, cita o intelectual Sílvio Romero que na geração de 1870 já dizia haver pouca originalidade da cultura brasileira e apontava para a cópia como pista, um sinal revelador de nosso maior “mal”. Lília nos chama à atenção para a imagem que insistem em vincular a respeito da nossa identidade, como sendo uma espécie de mestiçagem racial e deprimente, que nos identifica moral e racionalmente.Essa mestiçagem que segundo a autora re-sigifica em malandragem, se converte em ícone nacional, pois quando se fala no jeito do brasileiro, sempre procuram definí- lo como malandro, que dá um “jeitinho” em qualquer situação.  Essa imagem foi enfatizada com a criação do personagem Zé Carioca pela Walt Disney em 1942 para o filme “Alô; amigos”. Nessa ocasião, Zé Carioca é introduzido com Pato Donald nas terras brasileiras, bebendo cachaça e dançando samba. O turista aqui interpreta a cultura das regiões que visita como uma  seleção de monumentos. O que a Disney pretendia criando o Zé Carioca? - Num plano simbólico, pretendia mostrar os laços de afeto que uniam o Brasil aos Estados Unidos. O Brasil sempre foi visto com preconceito por estrangeiros devido à miscigenação de seu povo. Muitos intelectuais olhavam para essa característica nacional de forma negativa.

Símbolos étnicos viram símbolos nacionais nesse ambiente que parece ainda levar a sério a máxima de Silvio Romero. Esse é o retrato de nossa miscigenação traçado por intelectuais do mundo inteiro. Foi que a miscigenação de raças passou a ser vista de forma diferente. São todos mulatos a ralé do gênero humano. no esquema brasileiro. e até do próprio país.O Conde Arthur de Gobineau. a fábula das três raças criou um país teoricamente miscigenado.o branco a empretecer e o preto a embranquecer.de cabelo louro. por exemplo. .que em finais do século passado introduzida a idéia de uma “mestiçagem na alma”.traz na alma quando não na alma e no corpo a sombra.na sociedade brasileira. sendo o mestiço a personificação da diferença. “todo brasileiro. na verdade. o branco está sempre unido e em cima.O “mito das três raças” uma reelaboração sempre metafórica desse processo constante que leva. enquanto o negro e o índio formam as duas pernas de nossa sociedade estando sempre abaixo.) somos mestiços. O Brasil tem uma cultura resultante da combinação de elementos das “três raças”.mesmo o alvo. com costumes condizente".. onde nem todos tem direito iguais.do indígena ou do negro”.. Somente depois de Silvio Romero escrever que: “somos um país  mestiço (. se não no sangue ao menos na alma”.ou pelo menos a pinta. A identidade surge por meio da constatação de que é a mistura racial que nos particulariza. que esteve no Brasil em missão oficial afirmava em 1853: “Os brasileiros só tem em particular uma excessiva depravação. a mistura de raças era vista de forma negativa.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful