Você está na página 1de 4

Universidade Federal de Campina Grande - UFCG / CCT / UAME Disciplina: Algebra Linear I (Graduação) Professor: Jefferson Abrantes Turma 06 Manhã

Lista de Exercícios

1. Abaixo é dado algumas transformações lineares, encontre o polinômio característico de cada uma e a partir deles encontre os autovalores e autovetores correspondentes:

a).

b). T : R 2

c).

d). T : R 3 R 3 , T (x, y, z) = (x + y, y, z);

e). T :

T : R 2 R 2 , T (x, y)

= (x + 2y, x + 4y);

R 2 , T (x, y) = (5x y, x + 3y);

T : R 3 R 3 , T (x, y, z) = (x + y + z, 2y + z, 2y + 3z);

P 2 (R) P 2 (R), T (a + bx + cx 2 ) = a + (a + b)x + (b c)x 2 ;

f). T : M 3 (R) M 3 (R), T

a

d

g

b

e

h

c

f

i

=

a + b

0

0

0

e + h

0

0

0

i + f

.

2. Determine as multicidades algébrica (m a ) e geométrica (m g ) dos auto- valores das transformações lineares dadas na questão 1.

3. Sabemos que o polinômio caracteristíco é encontrado pela seguinte re- lação

p(λ) = det(A λI),

onde A é a matriz da transformação na base canônica ou seja, A = [T ] α onde α é a base canônica, λ é um autovalor e I é a matriz identidade de mesma ordem de A. Abaixo é dado matrizes A, encontre os seus polinômios característicos, seus autovalores e autovetores:

α

a).

A =

b). A =

c). A =

3

1

1

2

4

2

1

4 ;

1

1

3

2

3

2

1

2 2

2

0

;

1

1

3

;

1

c). A = 2

1

2

2

3

2

1

1

2

;

4. Os vetores v 1 = (1, 1) e v 2 = (2, 1) são autovetores de um operador linear T : R 2 R 2 associados a λ 1 = 5 e λ 2 = 1 respectivamente. Determine a transformação T , seu núcleo e sua imagem. Verifique se é isomorfismo e calcule sua inversa em caso afirmativo.

5. Se λ 1 = 4 e λ 2 = 2 são autovalores de um operador linear T R 2 R 2 associados aos autovetores u = (2, 1) e v = (1, 3), respectivamente, determinar T (3u v).

6. Seja T : R 2 R 2 o operador linear definido por T (x, y) = (7x 4y, 4x + y).

a). Determinar uma base do R 2 em relação a qual a matriz do operador T é diagonal.

b). Dar a matriz de T nessa base.

7. Seja T :

R 3 R 3 onde T (x, y, z) = (2x + 4y 4z, x 2y + z, 3x

6y + 5z) α a

base canônica e β = {(0, 1, 1), (1, 0, 1), (1, 1, 1)} e

[T]

β

β =

1

0

0

0

2

0

0

2

0

α =

e [T] α

2

1

3

4

2

6

4

1

5

.

Determine as matrizes P e P 1 tais que

[T] β β = P[T] α

α P 1 .

Agora, considerando γ = {(1, 0, 2), (0, 1, 2), (1, 1, 1)} base de R 3 , de- termine.

a). A matriz mudança de base [I]

γ . b). A matriz mudança de base [I] γ

α

α

.

c). A matriz associada a transformação linear [T ] γ

α

.

8. Abaixo são dadas algumas matrizes. Verifique se A é diagonalizável.

2

a). A =

b). A =

2

3

9

4

c). A = 5 1

3

1

.

1

6 .

1

3

.

d). A =

1

1

0

e). A =

f). A =

1

2

0

1

1

0

2

3

2

0

3

4

2

3

2

1

1

2

0

1

3

1

1

2

  .

.

.

8. Seja T : R 2 R 2 o operador linear definido por T (x, y) = (7x 4y, 4x + y).

a). O polinômio característico de T .

b). Os autovalores de T .

c). O polinômio minimal de T .

e). T é diagonalizável? Se for encontre a matriz diagonal da base de autovetores.

9. Seja T : R 3 R 3 o operador linear definido por T (x, y, z) = (2x + y, y z, 2y + 4z)

a). Determine o polinômio característico de T .

b). Os autovalores de T e suas multiplicidades algébricas (m a ).

c). Determine os autoespaços de T e as multiplicidades geométricas (m g ) dos autovalores.

d). Conclua se R 3 possui uma base β constituída de autovetores de T e ache [T ] β β , caso β exista.

e). T é diagonalizável.

10. Seja T : R 2 R 2 o operador linear que dobre o comprimento do vetor u = (2, 1) e triplica o comprimento do vetor v = (1, 2), sem alterar as direções nem inverter os sentidos

a). Calcular T (0, 3).

b). Determinar T (x, y).

c). Qual a matriz do operador T na base {(2, 1), (1, 2)}.

e). T é diagonalizável?

3

11. Se

0

2

0

0

é a matriz de um operador linear T : R 4 R 4 , verifique se T é di- agonalizável, e em caso afirmativo determine a matriz diagonal que representa T .

12. Seja T : R 3 R 3 o operador linear definido por T (x, y, z) = (x, x + y 2z, x 3y + 2z), determine:

1

0

0

0

1

1

2

0

0

0

1

1

A =

a). O polinômio característico de T .

b). Os autovalores de T .

c). O polinômio minimal de T .

d). Se T é diagonalizável. Se sim, encontre a matriz diagonal da base de autovetores.

4