Você está na página 1de 293

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA MOZAR MARTINS DE SOUZA

MOZAR MARTINS DE SOUZA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

ÍNDICE

ALICATES:

Alicate 139 Alicate de Corte Pesado Alicate Tridente Alicate De La Rosa Alicate de Corte de Amarrilho Alicate de Corte de Extremo Distal Alicate How Curvo Alicate Condutor Distal. Alicate para Fio Retangular Alicate Conformador de Amarrilhos Alicate Saca-Banda Alicate Johnson (Bombé) Alicate Vibende Alicate Conformador de Ômega Alicate Removedor de Brackets Passo-a-passo para confecção de aparelhos removíveis Técnica de Glaze ou Banho de Brilho Placa para Bruximos Placa de Contenção (Hawley) Arco Vestibular Molas Tipos Mola Nortthwest

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

2

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Molas para recuperação de espaço. Mola em “Z” Mola em forma de chicote Mola para extruir um dente. Mola para vestibulari-zação do canino com baioneta. Placa de Contenção (Hawley) com arco vestibular de canino a canino Placa de Contenção (Hawley) com arco vestibular de molar a molar Placa com Grade Palatina ou Placa Impedidora de Língua Placa com Grade Palatina - Confecção do Aparelho:

Placa de Hawley Modificada Parafusos Expansores Tipos de Parafusos Parafusos Colocação Placa com Parafuso Expansor Mediano Plano Anterior de Levantamento de Mordida. Placa com Mola Coffin Placa com Apoio Oclusal Características do aparelho:

Redutor de Diastema Removível Redutor de Diastema Removível Confecção Redutor de Diastema Removível Ativação e Uso Aparelho Mantenedor de Espaço Fixo Placa com Mola para Tração de Canino:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

3

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Molas Com Helicóides Disjuntor Palatino

Soldagens

Soldagem a Gás Confecção de aparelhos Aparelhos fixos

A - Como Fazer um Arco com Alças em Losango para redução

de espaços:

B

- Como Fazer um Cursor:

C

Como fazer uma Mola de Verticalização:

C

Como fazer um Arco Auxiliar de Torque (tipo Kitchton)

D

Como fazer um Arco Auxiliar de Intrusão:

E

Como Amarrar um Arco em menos de 3 minutos, sem ajuda:

Segredo n o 1:

Segredo n o 2:

F Como aplicar um Alastic em dez segundos:

G Como remover um arco:

H Como facilitar a reutilização de Bandas e Braquetes:

Bandas:

Braquetes:

Aparelhos Removíveis

A Métodos de Retenção:

Sistema número 1:

Grampo de Adams:

Sistema número 2:

“Splint” Parcial Anterior:

Sistema número 3:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

4

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Extensões Vestibulares de Acrílico:

Como Fazer um Grampo de Adams realmente eficiente:

Grampo de Adams para Pré-molar:

Passos para Construção de um Grampo de Adams:

Os dez erros mais comuns na construção do Grampo de Adams:

Erro n o 1:

Erro n o 2:

Erro n o 3:

Erro n o 4:

Erro n o 5:

Erro n o 6:

Erro n o 7:

Erro n o 8:

Erro n o 9:

Erro n o 10 Como fazer um Arco Palatino de Suporte para os aparelhos removíveis superiores:

Como fazer uma Máscara Facial (tipo Delaire) Como fazer uma Placa Lábio Ativa Adaptável:

Funções da Placa Lábio Ativa:

Indicações:

Contra-indicações:

Características ideais de uma Placa Lábio Ativa:

Passos para a construção:

Modo de Adaptação:

Outras Sugestões para a Placa Lábio Ativa:

Como Fazer Escudos Bucais:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

5

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Como Fazer Um Aparelho de Frankel (FR 1):

Sugestões Práticas:

Sugestão prática n o 1:

Sugestão prática n o 2:

Modificação Sugerida n o 1:

Modificação Sugerida n o 2:

O plano de mordida do acrílico:

Passos básicos para confecção de Aparelhos Removíveis Técnica de Glaze ou Banho de Brilho Expansor Fixo tipo Hass:

Composição do aparelho:

Técnica de Confecção:

Expansor Fixo Tipo Hyrax:

Composição do aparelho:

Ativação do aparelho:

Técnica de Confecção:

Aparelho Sagital:

Corretor Ortopédico 1:

Indicações:

Nota 1:

Nota 2:

Nota de Construção:

Projeções de acrílico e o Corretor Ortopédico I Ajustes para avançar a mandíbula:

Classe II, Divisão 2:

Mordida de cera para Aparelho Sagital:

Aparelho Sagital inferior.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

6

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Sagital I: redução para técnica do Sagital I. Aparelho Sagital Classe III:

As Placas Transversais:

O Aparelho de Schwarz:

A placa Transversal:

Placa Transversal Aparelho de Jackson:

Problemas do aparelho:

Aparelho de mordida cruzada de Nord:

Mordida de cera para um aparelho de mordida cruzada:

Aparelho de Crozat:

Aparelhos de Crozat, superior e inferior, básicos. Ajustes do aparelho de Crozat:

O Expansor Rápido do Palato:

Fases de ativação do aparelho

Aparelho em Leque:

Aparelhos Transversais Diversos:

Os Derivados de Porter:

A Série de Wilson:

Ajustes:

O Adaptador

Ativador

Fecho de Pressão

Ativador:

Ajustes do Arco lingual 3D de Wilson:

Bionator II

Indicações:

Mordida Construtiva:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

7

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Bionator III Desenho original do Bionator III. Expansor Fixo tipo Haas:

Técnica de Confecção:

Estrutura Metálica:

Apoio de Resina Acrílica:

Expansor Fixo tipo Haas Modificado:

Expansor Fixo tipo Hyrax:

Técnica de Confecção:

Arco Lingual de Nance:

Técnica de Confecção:

Banda Alça:

Técnica de Confecção:

Botão de Nance:

Técnica de Confecção:

Estrutura Metálica arco palatino:

Apoio de Resina Acrílica:

Grade Palatina Fixa:

Técnica de Confecção:

Arco Palatino:

Grade Palatina:

Mola Digital Removível:

Técnica de Confecção:

Corretor Ortopédico 1:

Indicações:

Nota 1:

Nota 2:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

8

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Nota de Construção:

Projeções de acrílico e o Corretor Ortopédico I Ajustes para avançar a mandíbula:

Quadrihélice:

Técnica de Confecção:

Aparelhos Fixos Ativos derivados do Quadrihélice:

Arco em W:

Unihélice

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

9

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

PRÓTESE ORTODÔNTICA

ALICATES:

Alicate 139: Utilizado para trabalhar com fios redondos, possibilitando a confecção de algumas dobras tais como omegas, baionetas, grampos em gota e helicóides, entre outros. Sua ponta ativa é constituída por uma extremidade cônica, usada para executar dobras arredondadas , e por uma extremidade piramidal, usada para executar dobras em ângulos retos.

Alicate de Corte Pesado: Utilizado com a finalidade de cortar fios metálicos calibrosos. Ao cortar o fio, é imprescindível segurar a sobra do mesmo ou direcioná-la para o chão evitando, desta forma, algum acidente.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

10

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Alicate Tridente: Utilizado para a confecção de dobras do tipo in-set e off-set, bem como para a confecção de grampos em “C”, dobras em aparelhos extrabucais e placas lábio-ativas, entre outros. A ponta ativa deste alicate é formada por três extremidades retas, sendo que uma das extremidades se encaixa no vão existente entre as duas extremidades do lado oposto.

Alicate De La Rosa: Utilizado para auxiliar no contorno de fios metálicos calibrosos (0,9 mm a 1 mm), em aparelhos como arco lingual de Nance, arco para grade palatina e barra transpalatina. Sua ponta ativa possui uma extremidade côncava e outra convexa, que se encaixam perfeitamente.

Alicate de Corte de Amarrilho: Utilizado para cortar fios metálicos de calibre fino, como os fios de amarrilho, visto que sua ponta ativa é delicada e especialmente desenhada para cortes finos.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

11

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Alicate de Corte de Extremo Distal: Utilizado especificamente para cortar o excesso de arco de nivelamento que permanece na distal dos tubos dos molares, evitando desta forma o traumatismo à mucosa do paciente. A parte cortante deste alicate é confeccionada perpendicularmente ao seu corpo e pode conter, em uma das extremidades, uma pequena garra que prende o fio e evita que este seja projetado contra a mucosa do paciente durante o corte.

Alicate How Curvo: Utilizado para facilitar a introdução dos arcos de nivelamento nos tubos dos molares. Sua parte ativa consta de duas pontas idênticas e afiladas, cujo objetivo é prender o fio quando de seu manuseio.

Alicate Condutor Distal: Tem a mesma finalidade do Alicate How Curvo, porém, sua parte ativa consta de duas pontas mais espessas e perpendiculares ao corpo do alicate.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

12

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Alicate para Fio Retangular: Utilizado para o trabalho com fios quadrados ou retangulares. Sua função principal é conformar o arco de nivelamento e controlar as dobras de terceira ordem, o que significa dizer, imprimir ou remover torções (torques) no arco. Sua parte ativa consta de duas pontas idênticas e achatadas.

Alicate Conformador de Amarrilhos: Utilizado para confeccionar amarrilhos metálicos. Sua ponta ativa contêm uma saliência retangular e plana que se encaixa no vão existente na ponta oposta.

Alicate Saca-Banda: Utilizado para remover bandas dos molares ou pré-molares. Sua ponta ativa possui uma extremidade com um suporte plástico que se apóia na face oclusal do dente em questão, e outra extremidade geralmente pontiaguda ou mais afiada que, quando apoiada na borda cervical da banda, remove-a do dente quando o alicate é fechado.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

13

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Alicate Johnson (Bombé): Utilizado para restituir o formato das bandas após sua remoção. Possui duas pontas arredondadas, uma côncava e outra convexa, que se encaixam mutuamente.

Alicate Vibende: Utilizado para a conformação de pequenas dobras em forma de “V” nos arcos retangulares ou mesmo em fios redondos, geralmente na distal dos incisivos laterais, para separar os torques das regiões anterior e posterior, e na linha média entre os incisivos centrais, para evitar o deslizamento do fio ortodôntico nos acessórios. Suas pontas são planas, sendo que uma delas apresenta uma depressão em forma de “V”, dentro da qual se encaixa a saliência da ponta oposta.

Alicate Conformador de Omega: Utilizado para confeccionar dobras em forma de Omega nos arcos de nivelamento. Uma de suas pontas tem forma cilíndrica, com três espessuras diferentes que se encaixam na concavidade da ponta oposta.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

14

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Alicate Removedor de Brackets: Utilizado para remover brackets colados aos dentes. Existem alguns tipos de alicates destinados para este fim, por exemplo, o alicate de garra. Utilizamos este alicate por possuir um suporte retangular que evita a distorção da ranhura do bracket durante sua remoção. Eventualmente, este alicate é comercializado sem o suporte retangular. Neste caso, pode-se confeccionar o suporte no próprio laboratório, utilizando-se de resina acrílica convencional para confeccionar o cabo, e fio retangular para a confecção da ponta.

Passo-a-passo

removíveis:

na

confecção

de

aparelhos

1) Planejamento. 2) Confecção de grampos. 3) Fixação dos grampos com cera 7. 4) Hidratação do modelo (5 minutos0. 5) Isolar modelo (isolante gesso/acrílico). 6) Manipular acrílico e entulhar dando forma a

placa.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

15

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

7) Levar a panela polimerizadora por 10 minutos. 8) Fazer desgastes necessários com a broca de aço ou tungstênio. 9) Fazer acabamento com lixa de madeira no mandril, e depois usar lixa d‟água debaixo de água. 10) Dar polimento final no torno com pedra pomes e Kaol com escovas de pano.

Técnica de Glaze ou Banho de Brilho

com escovas de pano . Técnica de Glaze ou Banho de Brilho Após o desgaste e

Após o desgaste e acabamento das placas, podemos dar o polimento final usando a seguinte técnica de Glase:

Coloque um pouco de monômero termo- polimerizável em recipiente de vidro resistente ao calor, e leve em banho-maria até a fervura da água. Deixar a água ferver até observar bolhas no monômero.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

16

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Banhar o aparelho no monômero quente por 3 vezes, mergulhando-o rapidamente com auxílio de uma pinça. Deixe o aparelho secar totalmente sem tocá-lo.

Placa para Bruximos

É um aparelho muito eficaz, confeccionado em resina acrílica, que cobre toda a arcada superior ou inferior. O bruxismo (ranger dos dentes) pode ocorrer a qualquer hora, normalmente acontece à noite enquanto a pessoa está dormindo. Geralmente é atribuído a tensão emocional e pode causar desgaste prematuro dos dentes e problemas afins. Ao confeccionar este aparelho, a mordida posterior é aberta em mais ou menos 2,0 mm ou a abertura que o dentista especificar.

Placa de Contenção (Hawley)

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

17

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Este aparelho removível é a parte final de uma correção ortodôntica,

Este aparelho removível é a parte final de uma correção ortodôntica, também chamada de placa de Hawley. Uma vez terminado um tratamento ortodôntico, o resultado é assegurado mediante o uso de uma placa de contenção. Deve ser usada em tempo integral durante 3 meses seguidos de 3 meses de uso somente à noite ou de acordo com as indicações do ortodontista. Este aparelho é indispensável durante o período crítico de mobilidade dos dentes após a retirada dos aparelhos de correção. Esta placa é composta de um arco vestibular, que apóia todos os dentes superiores ou inferiores, tem alças em Omega (“U”) para seu ajuste. A placa de Hawley também pode ser feita com um arco vestibular de canino a canino, dando reforço

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

18

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

de retenção nos molares, tanto para placa superior como a inferior.

Arco Vestibular

O arco vestibular deve ser adaptado à superfície vestibular dos dentes, transcorrendo paralelo ao plano oclusal. No terço médio mesial do canino se desvia em ângulo reto e forma uma alça em forma de “U”. Ele pode ser de canino a canino ou de molar a molar e ter duas funções:

1 a Segurar a placa em seu lugar e conter os dentes, ou seja, uma função passiva.

Servir como elemento ativo para

movimentação de dentes.

2 a

Obs.: Se o arco vestibular for utilizado como elemento ativo, então o fio não deverá contornar todos os dentes anteriores, somente contatando com o dente mais protruído, o que permitirá seu deslocamento no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

19

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

sentido palatino, posteriormente, irá contatando com todos os dentes que estiverem na direção vestibular.

Molas:

Tipos:

dentes que estiverem na direção vestibular. Molas: Tipos: Mola em espiral ou “S” - para posicionamento

Mola em espiral ou “S” - para posicionamento de qualquer dente, fazendo movimentos individuais. Mola com helicóide - para posicionamento de qualquer dente, fazendo movimentos individuais. Mola de Coffin ou Palatina - tem função expansora do palato, deve situar-se nas imediações da mucosa do palato, porém sem tocá-lo.

O calibre do fio usado para sua confecção é de 1,2

mm.

sem tocá-lo. O calibre do fio usado para sua confecção é de 1,2 mm. SÉRIE: MANUAIS
sem tocá-lo. O calibre do fio usado para sua confecção é de 1,2 mm. SÉRIE: MANUAIS

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

20

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Mola digital mola na qual a direção da ação da pressão sobre um dente nem sempre corresponda com a do movimento da extremidade livre da mola.

corresponda com a do movimento da extremidade livre da mola. Mola Nortthwest – distalização de caninos.

Mola

Nortthwest

distalização de caninos.

mola

destinada

a

Nortthwest – distalização de caninos. mola destinada a Molas para recuperação de espaço. SÉRIE: MANUAIS DE
Nortthwest – distalização de caninos. mola destinada a Molas para recuperação de espaço. SÉRIE: MANUAIS DE

Molas para recuperação de espaço.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

21

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Mola em “Z” – mola que pode ser simples, para um

Mola em “Z” – mola que pode ser simples, para um dente, ou de braço mais longo para abraçar dois dentes.

Mola em forma de chicote usada para vestibularizar.

dentes. Mola em forma de chicote usada para vestibularizar. - Mola para extruir um dente. Mola

- Mola para extruir um dente.

usada para vestibularizar. - Mola para extruir um dente. Mola - vestibularização com baioneta. do para

Mola

- vestibularização com baioneta.

do

para

canino

extruir um dente. Mola - vestibularização com baioneta. do para canino SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

22

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Placa de Contenção (Hawley) com arco vestibular de canino a canino

(Hawley) – com arco vestibular de canino a canino Este aparelho removível é usado como parte

Este

aparelho

removível é usado como parte final de uma correção ortodôntica. Na maioria dos casos quando os dentes já foram movidos para as posições desejadas, devem ser contidos até que o osso alveolar e o ligamento periodontal estejam completamente reconstituídos. Isto pode levar de 6 meses a 1 ano.

Placa de Contenção (Hawley) com arco vestibular de molar a molar

(Hawley) – com arco vestibular de molar a molar Este aparelho será confeccionado com arco vestibular

Este

aparelho será

confeccionado com arco vestibular de molar a molar, na altura do terço médio dos dentes, tendo alças em omega para seu ajuste, na direção dos caninos.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

23

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Nos molares deverá ser feita adaptação do fio como se fosse um grampo circunferêncial até atingir a lingual.

Placa com Grade Palatina ou Placa Impedidora de Língua

Placa com Grade Palatina ou Placa Impedidora de Língua Este aparelho tem a função de corrigir

Este aparelho tem a função de corrigir hábitos como postura incorreta de língua (projeção lingual), sucção do polegar, etc. Estes hábitos provocam uma série de anomalias como aumento no trespasse horizontal, mordida aberta anterior, etc. Esta placa também é indicada para tratamento da deglutição atípica. Apresenta alto grau de resistência ao uso por parte do paciente, devendo portanto ser considerada como complemento do tratamento da deglutição atípica e sendo sempre utilizada durante a noite.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

24

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Neste caso o paciente apresenta maior aceitação, uma vez que a placa se destina a impedir que a língua se interponha aos dentes durante o sono.

Placa com Grade Palatina Aparelho:

Grade palatina confeccionada com fio 0,7 e alças que variam o comprimento (mais ou menos 6 mm).

-

Confecção

do

variam o comprimento (mais ou menos 6 mm). - Confecção do Grampos de retenção nos primeiros

Grampos de retenção nos primeiros molares permanentes. Placa confeccionada em resina acrílica. A grade deverá ser fixada à resina podendo acompanhar a curvatura anterior da arcada de modo a formar um batente para a língua, impedindo sua interposição aos dentes.

Placa de Hawley Modificada

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

25

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Este

aparelho

tem

como

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Este aparelho tem como objetivo a movimentação do incisivo central que

objetivo a movimentação do incisivo central que está lingualizado, o que será conseguido através da mola em “S”. A retenção da placa é obtida pelos grampos em Ce nos segundos molares. A placa de base é confeccionada deixando o palato liberado, pois sua função de suporte e estabilidade se faz necessária na região anterior.

Parafusos Expansores

Tipos de Parafusos

Os catálogos dos fabricantes exibem as medidas dos parafusos (comprimento, largura e espessura) e a expansão conseguida no final de toda a ativação. Girando um parafuso em 90 graus, a separação conseguida será de 2 mm.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

26

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Isto significará estreitar a membrana periodontal 0,1 mm de cada lado. Tem-se argumentado que tão pequena redução de espaço não interromperá a circulação sangüínea, criando-se assim as condições ortodônticas ideais para a transformação óssea. Existem evidências clínicas que asseguram que o movimento assim realizado é inócuo e eficiente. No entanto, há outros fatores a levar em conta que são conhecidos pelos ortodontistas. Apesar do reduzido tamanho dos parafusos ortodônticos modernos, é um aparelho que pelo menos é consideravelmente mais espesso que o que não contém parafuso. A menos que se tenha especial cuidado durante a confecção, é fácil engrossar toda a abóbada palatina, mesmo que o parafuso esteja situado de um lado.

Parafusos Colocação

Um dos principais cuidados a se levar em conta na colocação do parafuso dentro da resina acrílica é a

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

27

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

sinalização do sentido da rotação da chave que o faz funcionar. Atualmente os fabricantes acrescentaram uma seta orientadora que o paciente poderá ver com facilidade através da resina transparente. De acordo com o desenho estabelecido pelo odontológo, será colocado o parafuso para obter os movimentos desejados. Quando se utiliza um parafuso para proporcionar expansão do arco, geralmente ele é colocado na linha média, onde pode ser facilmente posto em posição horizontal. Se for necessário vestibularizar um ou dois molares contíguos com esse parafuso, ele geralmente será colocado em um dos lados do arco; deve-se procurar alinhá-lo paralelo à mucosa palatina.

Placa com Parafuso Expansor Mediano

alinhá-lo paralelo à mucosa palatina. Placa com Parafuso Expansor Mediano SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 2
alinhá-lo paralelo à mucosa palatina. Placa com Parafuso Expansor Mediano SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 2

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

28

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Nos casos de maloclusão Classe I, pode-se conseguir expansão e redução de saliência em idades precoces com um aparelho como o da figura acima.

Um desenho similar ao mostrado na figura anterior.

acima. Um desenho similar ao mostrado na figura anterior. Placa em “Y” onde a inserção das
acima. Um desenho similar ao mostrado na figura anterior. Placa em “Y” onde a inserção das

Placa em “Y” onde a inserção das prolongações do arco vestibular nas partes laterais da placa exerce uma ligeira pressão em direção posterior sobre a parte anterior da placa quando são tirados os parafusos. Outra placa em “Y”, libera-se uma grande parte do palato, utilizam-se grampos triangulares em lugar de grampo de ponta de flecha de Schwars. Os pequenos grampos à frente dos primeiros molares são necessários para fazer que esses dentes participem do movimento.

são necessários para fazer que esses dentes participem do movimento. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 2

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

29

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Plano Anterior de Levantamento de Mordida.

/ ORTOPEDIA Plano Anterior de Levantamento de Mordida. A plataforma de acrílico ampliada na palatina dos

A plataforma de acrílico ampliada na palatina dos incisivos superiores pode influir sobre a posição da mandíbula atuando sobre os incisivos inferiores. O plano de levantamento da mordida evita a extrusão dos dentes anteriores mandibulares, favorecendo a intrusão dos mesmos. Recomenda-se modelar no laboratório este plano de levantamento de mordida de preferência em excesso. Recortar a plataforma junto ao paciente leva menos tempo que acrescentar acrílico. Mas de modo algum deve ser demasiado extensa, já que estreitaria o espaço para a língua. Além disso, os aparelhos confeccionados volumosos sem necessidade, são recusados pelos pacientes.

Placa

com

Mola

Coffin

são recusados pelos pacientes. Placa com Mola Coffin SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 3 0

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

30

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Indicação: Aparelho para descruzamento de mordida posterior, tipo expansor, pode ser empregado tanto na dentição mista como na decídua, podendo utilizar como elemento ativo uma mola Coffin.

Retenção: Grampo Adams 0,7 mm ou 0,8 mm de espessura.

Parte ativa: Arco vestibular de Hawley 0,7 mm ou 0,8 mm de espessura. Mola em “S” – 0,6 mm ou 0,7 mm de espessura. Mola Coffin 0,8 mm de espessura. Base suporte: Recorte do acrílico no terço médio lingual, liberando as molas para ativação.

Placa com Apoio Oclusal

Indicação: Provocar intrusão dos dentes posteriores. Desviar dentes que estão irrompendo. Correção de mordidas cruzadas anteriores ou dentes travados.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

31

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Descruzamento de mordida posterior. Eliminar interferências oclusais.

Características do aparelho:

Retenção: Grampo em “C” – 0,7 mm ou 0,8 mm de espessura. Parte ativa: Arco de vestibular de Hawley 0,7 mm ou 0,8 mm de espessura. Molas em “S” – 0,6 mm ou 0,7 mm de espessura. Base suporte: Prolongamento do acrílico sobre a face oclusal dos dentes posteriores se estendendo até o terço médio vestibular dos mesmos. Recorte anterior liberando as molas para ativação. Plataforma de acrílico 2 mm acima da ponta das cúspides.

Redutor de Diastema Removível

acima da ponta das cúspides. Redutor de Diastema Removível As causas que podem produzir diastema entre

As causas que podem produzir diastema entre os

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

32

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

incisivos centrais superiores são as mais diversas possíveis: agenesia de incisivos laterais, freio labial hipertrofiado, laterais conóides, sutura sagital separada, sobre-mordida profunda e hábitos anormais. Devemos destacar o diastema produzido durante o desenvolvimento da oclusão na dentição mista o diastema fisiológico, que não deve ser tratado ortodonticamente, pois se fechará naturalmente com a erupção dos incisivos laterais e caninos permanentes. Este diastema se forma devido às pressões que os incisivos laterais e caninos produzem sobre as raízes dos incisivos, ocasionando uma aproximação dos ápices radiculares em direção à linha media e um afastamento das coroas em sentido contrário, formando-se o diastema. O tratamento ortodôntico é contra-indicado, pois poderá ocorrer reabsorção radicular de dentes, desvios nas posições dos germes dos caninos, produzindo-se más posições dentárias. Para se chegar a um diagnóstico correto, torna- se necessário que se faça um cuidadoso exame do

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

33

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

caso a ser tratado, verificando-se exatamente a causa que o está produzindo. É importante o exame radiográfico da região.

Redutor de Diastema Removível Confecção

1 Confecciona-se os modelos em gesso pedra.

2 Construção dos grampos de retenção.

3 Construção das molas para movimentação dos dentes. Emprega-se fio aço duro 0,7 mm. As molas são de formação simples contendo uma helicóide paralela ao plano oclusal dos dentes. No extremo da mola, que fica em contato com o dente, faz-se uma pequena dobra procurando adaptá- la ao contorno da face distal. O comprimento da mola deverá ser em torno de 10 mm do extremo ativo à borda posterior da helicóide. 4 Fixa-se em posição com cera número 7 fundida, os grampos e molas adaptadas e procede-se a acrilização do aparelho. 5 Prova-se o aparelho em posição e faz-se os ajustes finais.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

34

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Redutor de Diastema Removível Ativação e Uso

Orienta-se o paciente para o uso constante do aparelho, só o removendo para as refeições e higienização bucal. Ativar as molas em direção ao movimento desejado a cada 15 dias.

Aparelho Mantenedor de Espaço Fixo

desejado a cada 15 dias. Aparelho Mantenedor de Espaço Fixo Indicação: Manter o espaço perdido evitando

Indicação: Manter o espaço perdido evitando assim uma migração dos dentes adjacentes. Retenção: Banda ortodôntica fixada ao dente. Parte ativa: Grampo mantenedor de espaço soldado à banda ortodôntica.

Placa com Mola para Tração de Canino:

Objetivo do Aparelho:

ortodôntica. Placa com Mola para Tração de Canino: Objetivo do Aparelho: SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

35

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Tracionar o canino movendo-o palatinamente.

Para

a

confecção

deste

aparelho

deve-se

considerar determinados princípios:

1 A parte ativa da mola deve-se apoiar sobre a vestibular do canino respeitando a sua anatomia.

2 O helicóide deve ficar afastado cerca de 1 mm do

tecido gengival.

3 O calibre do fio utilizado deve ser de 0,7 0,8 ou 0,9 mm.

4 O acrílico deve ser aliviado na face palatina para que não trave a palatinização do canino.

Molas Com Helicóides

trave a palatinização do canino. Molas Com Helicóides Para a confecção deste tipo de mola deve-se

Para

a

confecção

deste tipo de mola deve-se considerar determinados princípios gerais, por exemplo, para confeccionar uma mola com helicóide, é necessário que esta fique no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

36

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

lado contrário da direção para onde se dobra a extremidade de apoio da mola, e não do lado interno. Para que a mola possa ser ativada, o espiral deve se apresentar sempre fechado para conseguir uma ótima eficiência, que tende a desenvolver-se durante a ação.

Disjuntor Palatino

A

disjunção

palatina

tem

a ação. Disjuntor Palatino A disjunção palatina tem indicações muito precisas. Este dispositivo é

indicações muito precisas. Este dispositivo é constituído por um parafuso na parte central, com quatro extensões laterais ou braços que são utilizados para soldá-los às bandas. Como em outros casos em que os complementos são soldados a bandas, neste se procede de modo igual, se bem que com a diferença de que aqui também se colocam bandas no nível dos primeiros pré-molares superiores. É necessária a moldagem com as bandas de molares e pré-molares em posição e o vazamento do modelo de gesso com

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

37

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

elas incluídas (recordar a impregnação de cera ou outro material separador). Uma vez obtido o modelo de trabalho, pratica- se o traçado da linha média, posteriormente procede- se a adaptação do parafuso às bandas, para medir o comprimento dos braços. Em seguida realizam-se as dobras de adaptação dos braços às bandas; feito isso, procede- se à fixação do parafuso na posição em que este será soldado. Após fixar o parafuso na posição desejada, executa-se a soldagem e seu posterior polimento. „As vezes é conveniente adotar uma barra de fio no sentido antero-posterior, unindo ambos os braços do mesmo lado, ou seja, entre o que está soldado no molar e o do pré-molar. Isso dá maior resistência ao aparelho.

Parafuso

expansão isolado.

de

Isso dá maior resistência ao aparelho. Parafuso expansão isolado. de SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 3

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

38

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Desenho para expansão superior, acrescentando molas de vestibularização para os

Desenho para expansão

superior,

acrescentando molas de vestibularização para os

incisivos centrais. Nos casos de mordida cruzada bilateral e apinhamentos discreto utilizam-se o parafuso central e a fenda sagital. Ao realizar a expansão também se adaptam os incisivos no espaço desejado.

simétrica

se adaptam os incisivos no espaço desejado. simétrica Placa cujo desenho estabiliza a parte anterior ao

Placa cujo desenho estabiliza a parte anterior ao estender-se sobre grande parte do palato. Os parafusos atuam quase sempre completamente em direção posterior produzindo um mínimo de expansão lateral.

Parafuso Bertoni:

Parafuso e sua estrutura representada

expansão lateral. Parafuso Bertoni: Parafuso e sua estrutura representada SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 3 9

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

39

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

esquematicamente.

Soldagens A soldagem ortodôntica, como todo tipo de soldagem deve ser feita sem que se alterem apreciavelmente as qualidades dos metais que se unem.

Para soldagens de fios de aço inoxidável se

utiliza a solda de prata, que é de maior resistência que a de ouro. É encontrada normalmente em forma de barras ou fios de diversos calibres.

A temperatura de trabalho é de 610 o graus.

Soldagem a Gás

A soldagem a gás é utilizada para soldar fios e

complementos. Emprega-se um bico de gás-ar, cuja chama deve ter de 1 a 1e ½ polegada de altura com uma ponta bem definida, onde se vêem três cones concêntricos.

1 Cone externo, oxidante de cor azul escura.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

40

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

2 Cone central, redutor de cor azul clara.

3 Cone interno, incolor de gás não queimado.

Para se obter uma soldagem ótima, quer dizer, firme e forte deve-se proceder como se segue:

características acima.

estar

completamente limpas.

3 Aplicar fundente em ambas as superfícies a

soldar.

4 Colocar pasta, revestimento ou gesso nas

partes que não devem ser expostas ao calor. 5 Operar com firmeza manual ao soldar, aplicando o calor do cone central à parte mais grossa a soldar, até que a solda flua e se una à parte mais fina.

as

1

A

chama

deverá

apresentar

2

As

partes

a

unir

deverão

CONFECÇÃO DE APARELHOS

APARELHOS FIXOS

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

41

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

A - Como Fazer um Arco com Alças em Losango para redução de espaços:

Instrumental

necessário:

– para redução de espaços: Instrumental necessário: Alicate de Tweed para confeccionar alças; Alicate De La

Alicate de Tweed para confeccionar alças; Alicate De La Rosa com canaletas de orientação.

1 - Tome aproximadamente 15 a 16 cm de fio .018” x .025”. Estime o comprimento do arco + 5 cm para as duas alças. Cada alça em losango requer 25 mm de fio: 5 para os helicóides e 20 para as alças. Insira o arco no tubo do molar esquerdo (ultrapassando 2 mm distalmente) e adapte a alça próxima à face mesial do dente adjacente ao espaço a ser reduzido, (por exemplo, o incisivo lateral se o canino foi previamente retraído). Faça uma marca 2 mm por distal do braquete do incisivo lateral.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

42

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

2 - Prenda o fio com o alicate de Tweed (com a ponta redonda para cima) e dobre determinando uma angulação aproximada de 60 o (60 o = 10 minutos no relógio de ponteiros).

60 o (60 o = 10 minutos no relógio de ponteiros). 3 - Coloque a ponta

3 - Coloque a ponta redonda sobre a primeira dobra

e

.

A

3 - Coloque a ponta redonda sobre a primeira dobra e . A contorne o fio

contorne o fio até aproximadamente 240 o

dobra passa por fora. 4 - A uma distância em torno de 5 mm

do cruzamento do fio, dobre o fio para

de

pouco

de 5 mm do cruzamento do fio, dobre o fio para de pouco distal em um

distal

em

um

ângulo

(um

aproximadamente menos que um ângulo reto).

80 o

5 - A uma distância em torno de 4 mm da dobra anterior, faça um ângulo de

Nesse

aproximadamente 80 o

para

baixo.

dobra anterior, faça um ângulo de Nesse aproximadamente 80 o para baixo. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

43

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

momento, os fios devem se cruzar passando pelo lado interno.

momento, os fios devem se cruzar passando pelo lado interno. 6 - Com um afastamento de

6 - Com um afastamento de aproximadamente 4 mm da dobra anterior, faça uma dobra na direção mesial, até encontrar com o primeiro ponto de cruzamento (se as duas dobras anteriores forem confeccionadas em 80 o , esta última também será de 80 o .

em 80 o , esta última também será de 80 o . 7 - O fio

7 - O fio será preso um pouco antes do segundo ponto de cruzamento (a ponta redonda deve ficar para distal) e dobrado para frente, para alinhar-se com os braquetes (60 o se os ângulos das dobras anteriores forem exatos).

8 - Utilizando as ranhuras do alicate De La Rosa, faça uma curvatura na região dos incisivos de tal forma que ocorra uma adaptação no braquete do incisivo lateral do lado direito.

que ocorra uma adaptação no braquete do incisivo lateral do lado direito. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

44

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 9 - Marque 2 mm por distal do braquete do incisivo

9 - Marque 2 mm por distal do braquete do incisivo lateral direito. Utilizando o alicate de Tweed (ponta redonda para baixo), prenda o fio e dobre para cima em um ângulo de 60 o .

prenda o fio e dobre para cima em um ângulo de 60 o . 10 -

10 - Aproximadamente 5 mm após a primeira dobra, faça uma outra de aproximadamente 80 o na direção mesial.

uma outra de aproximadamente 80 o na direção mesial. 11 - Aproximadamente a 4 mm da

11 - Aproximadamente a 4 mm da dobra anterior, faça uma outra em torno de 80 o ; o fio deverá passar por fora.

12 - 4 mm adiante, faça uma dobra

na direção distal, até encontrar com

a primeira dobra (se as duas

dobra na direção distal, até encontrar com a primeira dobra (se as duas SÉRIE: MANUAIS DE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

45

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

primeiras foram de 80 o , essa também será).

ORTOPEDIA primeiras foram de 80 o , essa também será). 13 - Prenda o fio inferiormente

13 - Prenda o fio inferiormente ao cruzamento (ponta redonda para mesial) e contorne 2/3 de voltas (=240 o ). Nessa fase o fio deve passar por dentro.

(=240 o ). Nessa fase o fio deve passar por dentro. 14 - Mude o alicate

14 - Mude

o alicate de posição,

colocando a ponta côncava internamente ao contorno (helicóide), e dobre até que o fio se alinhe com os braquetes (60 o , se os ângulos das dobras anteriores foram confeccionados corretamente.

das dobras anteriores foram confeccionados corretamente. 15 - contornado em ambos os tubos dos molares, e

15 -

contornado em ambos os tubos dos molares, e faça uma marca por distal do incisivo central e dos braquetes dos segundos pré-molares. Faça nessas marcas “ïn sets” para os incisivos laterais e baionetas para os molares.

Insira

o arco

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

46

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

16 - Coloque o arco no diagrama selecionado e ajuste o alicate De La Rosa.

arco no diagrama selecionado e ajuste o alicate De La Rosa. 17 - As alças são
arco no diagrama selecionado e ajuste o alicate De La Rosa. 17 - As alças são
arco no diagrama selecionado e ajuste o alicate De La Rosa. 17 - As alças são

17 - As alças são aliviadas por meio de uma ligadura passando pelo helicóide. 1mm de ativação = 300 g (desde que se utilize o fio .018 x .025).

B. Como Fazer um Cursor:

O cursor é utilizado para transferir uma força da região anterior do arco dentário (região de caninos) para a região posterior (molares) passando pela região intermediária (pré-molares).

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

47

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA A força aplicada pode ser produzida: a – por elástico intermaxilar;

A força aplicada pode ser produzida:

a por elástico intermaxilar;

b por um aparelho extrabucal com

ganchos em “J”;

c pela associação de ambos.

Instrumental: Alicate conformador de alças de Tweed.

Instrumental: Alicate conformador de alças de Tweed. Fio: de .020”(=0,5 mm) redondo. 1 - Meça a

Fio: de .020”(=0,5 mm) redondo.

1 - Meça a distância entre o tubo do molar (extremidade mesial) e o braquete do canino (extremidade distal), 22 mm por exemplo.Adicione um comprimento de 24 mm (=,9”) e corte um segmento de fio; O comprimento final deve ser igual à soma desses valores (22 + 24 = 46 mm).

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

48

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

2 - Com a ponta do alicate de Tweed peque uma extremidade do fio.

3 - Prenda firmemente o alicate, contorne o fio em 270 o em volta do bico redondo do alicate (até que o fio encontre a ponta côncava do alicate).

(até que o fio encontre a ponta côncava do alicate). 4 - Segurando o fio, solte
(até que o fio encontre a ponta côncava do alicate). 4 - Segurando o fio, solte

4 - Segurando o fio, solte e gire o alicate dentro do contorno feito até que o bico côncavo encontre o outro lado do fio.

5 - Prenda o alicate novamente e

dobre

direção

o

fio

em

45 o

na

oposta.

5 - Prenda o alicate novamente e dobre direção o fio em 45 o na oposta.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

49

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

6 - Obtêm-se, deste extremidade do fio.

modo,

uma

argola

na

6 - Obtêm-se, deste extremidade do fio. modo, uma argola na 7 - O fio é

7 - O fio é preso na outra extremidade e uma outra argola é formada, certificando-se de que ela se encontra no mesmo plano da primeira (para cada argola necessita-se de 6 mm de fio).

da primeira (para cada argola necessita-se de 6 mm de fio). 8 - Sempre com a

8 - Sempre com a parte menor do

alicate, prenda o fio em uma das extremidades a 4 mm da argola.

prenda o fio em uma das extremidades a 4 mm da argola. 9 - Dobre o

9 - Dobre o fio em 270 o para formar uma terceira argola perpendicular às duas primeiras.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

50

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

10

mm aquém da argola da

outra extremidade.

- Coloque o alicate 2

aquém da argola da outra extremidade. - Coloque o alicate 2 11 - Dobre em 90

11 - Dobre em 90 o e o cursor está

pronto

satisfeito,

(se

não

ou

provavelmente

é

porque

as

ilustrações

não

foram

bem

observadas).

ilustrações não foram bem observadas). A distância entre as duas argolas paralelas devem ser 2 mm

A distância entre as duas argolas paralelas devem ser 2 mm menor que a distância inicialmente medida, propiciando o espaço necessário para amarrar a ligadura no braquete do canino.

Observação: Repetindo os mesmos procedimentos com um fio de 20 mm, obtém-se um minicurso que pode substituir um gancho deslizante.

de 20 mm, obtém-se um minicurso que pode substituir um gancho deslizante. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE
de 20 mm, obtém-se um minicurso que pode substituir um gancho deslizante. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

51

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

C Como fazer uma Mola de Verticalização:

/ ORTOPEDIA C – Como fazer uma Mola de Verticalização: 1. Faça um helicóide duplo em

1. Faça um helicóide duplo em um segmento

de fio redondo de .014”.

2. Introduza na canaleta vertical do braquete

do dente que se deseja a verticalização, de tal forma que o helicóide fique para gengival. A extremidade livre da mola deve estar direcionada para o lado do movimento radicular desejado.

3. Meça a distância entre o braquete e

uma região livre do arco ortodôntico.

entre o braquete e uma região livre do arco ortodôntico. 4. Marque no fio a mesma

4. Marque no fio a mesma distância a partir

do helicóide e dobre em 90 o na direção

oclusal.

do helicóide e dobre em 90 o na direção oclusal. 5. Mude o alicate de posição
do helicóide e dobre em 90 o na direção oclusal. 5. Mude o alicate de posição

5. Mude o alicate de posição e forme um gancho.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

52

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

6. Corte o excesso de fio.

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 6. Corte o excesso de fio. 7. Segure o gancho com
MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 6. Corte o excesso de fio. 7. Segure o gancho com

7. Segure o gancho com o alicate.

8. Faça uma dobra de 90 o

em direção à gengiva.

8. Faça uma dobra de 90 o em direção à gengiva. 9. Reinsira a mola na
8. Faça uma dobra de 90 o em direção à gengiva. 9. Reinsira a mola na

9. Reinsira a mola na canaleta vertical e prenda o gancho no arco ortodôntico. Amarre firmemente uma ligadura de aço no braquete (senão ele extrui) e acrescente um amarrilho conjugando todos os dentes posteriores (caso contrário a coroa se deslocará para mesial).

(caso contrário a coroa se deslocará para mesial). 10. Dobre e corte a extremidade oclusal. SÉRIE:

10.

Dobre

e

corte

a

extremidade

oclusal.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

53

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Observação: Este procedimento é valido para o Canino direito, Pré-molar superior esquerdo, Pré- molar inferior direito e Canino inferior esquerdo.

Pré- molar inferior direito e Canino inferior esquerdo. Procedendo de uma maneira simétrica e invertida, as

Procedendo de uma maneira simétrica e invertida, as molas podem ser obtidas para o Pré-molar superior direito, Pré-molar inferior esquerdo e Canino inferior direito.

superior direito, Pré-molar inferior esquerdo e Canino inferior direito. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 5 4
superior direito, Pré-molar inferior esquerdo e Canino inferior direito. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 5 4
superior direito, Pré-molar inferior esquerdo e Canino inferior direito. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 5 4

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

54

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

C Como fazer um Arco Auxiliar de Torque (tipo Kitchton)

Instrumental: Alicate formador de alças de Tweed. Fio: Fio redondo de .016”.

formador de alças de Tweed. Fio: Fio redondo de .016”. 1. Tome aproximadamente 8 cm (=

1. Tome aproximadamente 8 cm (= 3”a 4”) de fio redondo de .016”), faça um helicóide. O ponto de cruzamento deve permanecer aberto.

helicóide. O ponto de cruzamento deve permanecer aberto. 2. A uma distância de 1 a 2

2. A uma distância de 1 a 2 cm (= .05”a 0.7”) do centro, dobre as extremidades para cima de tal forma que se cruzem a 5-6 mm (= 2”).

3. No ponto de cruzamento, faça uma dobra de aproximadamente 3 o para fora (30” = 5 minutos no mostrador do relógio).

3 o para fora (30” = 5 minutos no mostrador do relógio). SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

55

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

4. As duas últimas dobras formadas são transferidas para o mesmo plano; em outras palavras, a largura do helicóide deve ser compensada (caso contrário, o efeito de torque se desenvolverá em apenas um lado).

o efeito de torque se desenvolverá em apenas um lado). 5. A uma distância de aproximadamente

5. A uma distância de aproximadamente 15 mm (= .6”) das dobras anteriores, forme um gancho com aproximadamente 3mm (.10”) de altura.

forme um gancho com aproximadamente 3mm (.10”) de altura. 6. Corte o excesso de fio. em

6. Corte o excesso de fio.

3mm (.10”) de altura. 6. Corte o excesso de fio. em 90 o . 7. gancho
3mm (.10”) de altura. 6. Corte o excesso de fio. em 90 o . 7. gancho

em 90 o .

7.

gancho

alicate

Segure

com

e

o

o

dobre

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

56

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Um gancho idêntico é formado no lado oposto.

8. Posicione a mola de tal forma que o arco

ortodôntico principal passe por dentro do helicóide (a

mola deve apresentar um abertura apropriada) e, em seguida, prenda-a por distal dos incisivos laterais.

9. Fixe o arco auxiliar de

torque no arco ortodôntico principal com um fio de ligadura de aço passando pelo helicóide.

com um fio de ligadura de aço passando pelo helicóide. D – Como fazer um Arco

D Como fazer um Arco Auxiliar de Intrusão:

Instrumental:

– Como fazer um Arco Auxiliar de Intrusão: Instrumental: 1. Alicate de Ruhland. 2. Alicate Universal.

1. Alicate de Ruhland.

Auxiliar de Intrusão: Instrumental: 1. Alicate de Ruhland. 2. Alicate Universal. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

2. Alicate Universal.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

57

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Fio: Fio de aço inoxidável redondo de 1 mm = .o40”.

Fio: Fio de aço inoxidável r edondo de 1 mm = .o40”. 1. Tome aproximadamente 30
Fio: Fio de aço inoxidável r edondo de 1 mm = .o40”. 1. Tome aproximadamente 30
Fio: Fio de aço inoxidável r edondo de 1 mm = .o40”. 1. Tome aproximadamente 30

1. Tome aproximadamente 30 cm (= 12”) de fio. 2. Adapte-o na superfície vestibular do modelo superior e marque com uma caneta hidrográfica a região por distal do molar de cada lado.

hidrográfica a região por distal do molar de cada lado. 3. Forme dois helicóides com um

3. Forme dois helicóides com um diâmetro interno de aproximadamente 5 mm (= 2”) , colocando a

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

58

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

extremidade redonda do alicate de Ruhland diretamente sobre os pontos marcados.

4. Posicione os dois segmentos terminais nos dois hemi-arcos dentários inferiores e marque com caneta hidrográfica o ponto médio entre os dois incisivos centrais inferiores.

o ponto médio entre os dois incisivos centrais inferiores. 5. Segure com um alicate universal, colocando

5. Segure com um alicate universal, colocando a sua extremidade imediatamente por distal do ponto marcado e dobre para baixo em 90 o .

por distal do ponto marcado e dobre para baixo em 90 o . 6. Corte as

6.

Corte as extremidades do fio a

cerca de

3

mm

(=

.1”) da última

dobra.

7. A uma distância de 3 mm (= .1”) da dobra, segure o fio com o alicate universal e dobre novamente em 90 o para lingual. Dois ganchos

alicate universal e dobre novamente em 90 o para lingual. Dois ganchos SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

59

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

pequenos serão obtidos, que podem enganchar-se no arco básico inferior entre os incisivos laterais e centrais.

8. Coloque a parte superior do arco auxiliar contra os

dentes do arco dentário superior e marque com uma caneta hidrográfica os pontos entre os incisivos laterais e centrais. Dois ganchos de latão (com um diâmetro de 0,8 a 0,9 mm = .032” a .036”) devem ser soldados nestes pontos, dirigidos para lingual e depois dobrados para cima.

pontos, dirigidos para lingual e depois dobrados para cima. 9. O Arco Auxiliar para Intrusão dos

9. O Arco Auxiliar para Intrusão dos Dentes Anteriores

está pronto.

10.

Se

o

arco

auxiliar

tiver

que

instruir

as

regiões posteriores:

tiver que instruir as regiões posteriores: a – Devem ser soldados dois ganchos de latão em

a Devem ser soldados dois ganchos de latão em cada lado, um por mesial do primeiro molar e o outro por mesial do segundo pré-molar.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

60

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA b – Os prolongamentos terminais inferiores devem ser curtos, enganchando-se no

b Os prolongamentos terminais inferiores devem ser curtos, enganchando-se no arco ortodôntico entre o molar e o pré-molar.

E Como Amarrar um Arco em menos de 3 minutos, sem ajuda:

Os melhores resultados com aparelhos fixos são obtidos se os arcos ortodônticos forem removidos, conferidos, reconformados, ativados (e trocados, se necessário) aproximadamente uma vez por mês. O conhecimento de um método rápido e fácil de amarrar um arco pode ser útil para superar o trabalhão na hora da troca. O instrumento aqui apresentado (o ligador) não é absolutamente novo, seu uso não é difícil, desde que se conheçam pequenos segredos que, provavelmente, os próprios

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

61

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

fabricantes ignoram (devido ao fato de que não avaliam apropriadamente o que produzem em por isso, este instrumento é tão pouco difundido).

Segredo n o 1:

O parafuso de ajuste deve ficar bem apertado:

O fio deve sair da bobina com um certo esforço.

Segredo n o 2:

sair da bobina com um certo esforço. Segredo n o 2: A ponta do instrumento não

A ponta do instrumento não deve afastar-se do braquete até que passe por todo o seu contorno

(como a ponta de um lápis numa folha de papel). E agora, passo-a-passo, a amarração de um

braquete

e os erros a serem evitados:

passo-a-passo, a amarração de um braquete e os erros a serem evitados: SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE
passo-a-passo, a amarração de um braquete e os erros a serem evitados: SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

62

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

1º Passo.

Incorreto!

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 1º Passo. Incorreto! 2º Passo. Incorreto! 3º Passo. Incorreto! Comece novamente.

2º Passo. Incorreto!

/ ORTOPEDIA 1º Passo. Incorreto! 2º Passo. Incorreto! 3º Passo. Incorreto! Comece novamente. Comece novamente.

3º Passo. Incorreto!

Incorreto! 2º Passo. Incorreto! 3º Passo. Incorreto! Comece novamente. Comece novamente. Comece novamente. 4º

Comece novamente.

Passo. Incorreto! 3º Passo. Incorreto! Comece novamente. Comece novamente. Comece novamente. 4º Passo. Incorreto!

Comece novamente.

3º Passo. Incorreto! Comece novamente. Comece novamente. Comece novamente. 4º Passo. Incorreto! Comece novamente.

Comece novamente.

Comece novamente. Comece novamente. Comece novamente. 4º Passo. Incorreto! Comece novamente. SÉRIE: MANUAIS DE

4º Passo. Incorreto! Comece novamente.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

63

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 5º Passo. Incorreto! 6º Passo. Incorreto! Comece novamente. Sexto Passo: Este

5º Passo. Incorreto!

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 5º Passo. Incorreto! 6º Passo. Incorreto! Comece novamente. Sexto Passo: Este

6º Passo. Incorreto!

/ ORTOPEDIA 5º Passo. Incorreto! 6º Passo. Incorreto! Comece novamente. Sexto Passo: Este é o único

Comece novamente.

Passo. Incorreto! 6º Passo. Incorreto! Comece novamente. Sexto Passo: Este é o único passo que requer

Sexto Passo: Este é o único passo que requer um pouco de prática É necessário girar o ligador sobre seu próprio eixo e, ao mesmo tempo, afastá-lo pouco a pouco do braquete.

Erro do sexto passo: O parafuso está muito solto, ou o Ligador foi removido muito rapidamente, então a ligadura não fica suficientemente apertada (pode ser

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

64

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

apertada posteriormente com alicate, mas, dessa maneira, metade da vantagem se perde).

O parafuso está muito apertado, ou o Ligador não foi afastado do braquete enquanto estava sendo girado, e o fio se quebrou. Comece novamente.

estava sendo girado, e o fio se quebrou. Comece novamente. O instrumento quando se deseja conjugar
estava sendo girado, e o fio se quebrou. Comece novamente. O instrumento quando se deseja conjugar

O

instrumento

quando se deseja conjugar um grupo de dentes que

serão usados como ancoragem para mover outro dente.

ligador

é

um

perfeito

ancoragem para mover outro dente. ligador é um perfeito A bobina do ligador é recarregada em
ancoragem para mover outro dente. ligador é um perfeito A bobina do ligador é recarregada em

A

bobina

do

ligador

é

recarregada

em

pouco

tempo,

acoplando-a

em uma

peça de

é recarregada em pouco tempo, acoplando-a em uma peça de SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 6

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

65

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

mão e girando lentamente. F Como aplicar um Alastic em dez segundos:

O instrumento é encontrado no mercado com a marca de Twirt-on ou Speed O, mas você pode fazê- lo, levando à chama a ponta de um velho explorador e modelando-o exatamente como na figura abaixo:

explorador e modelando-o exatamente como na figura abaixo: 1. instrumento. Coloque um Alastic no 2. Insira

1.

instrumento.

Coloque

um

Alastic

no

como na figura abaixo: 1. instrumento. Coloque um Alastic no 2. Insira o Alastic na região
como na figura abaixo: 1. instrumento. Coloque um Alastic no 2. Insira o Alastic na região

2.

Insira

o

Alastic na

região

cervical

do

braquete

e

coloque o

segmento horizontal do instrumento estritamente em

contato sob o lado oclusal do braquete versa):

insira pelo lado oclusal e

(ou vice-

sob o lado oclusal do braquete versa): insira pelo lado oclusal e (ou vice- SÉRIE: MANUAIS

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

66

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

coloque-o em contato com o lado gengival.

4 - Mantendo o segmento horizontal do instrumento firmemente em contato com o braquete, gire o instrumento em 180 o sobre seu próprio eixo, pivotando-o sobre o segmento horizontal.

Na final da rotação o Alastic estará inserido no braquete.

(A habilidade do operador consiste inteiramente em levantar o instrumento apenas o suficiente para que o Alastic deslize para baixo).

apenas o suficiente para que o Alastic deslize para baixo). De um modo geral, o Alastic
apenas o suficiente para que o Alastic deslize para baixo). De um modo geral, o Alastic
apenas o suficiente para que o Alastic deslize para baixo). De um modo geral, o Alastic

De um modo geral, o Alastic deve ser usado somente nos casos onde não é possível inserir totalmente um arco ortodôntico de fio rígido nos

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

67

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

braquetes (dentes suavemente girados ou deslocados para lingual). Em todos os outros casos, é mais conveniente (e com a mesma rapidez) utilizar uma ligadura com fio de aço.

G Como remover um arco:

uma ligadura com fio de aço. G – Como remover um arco: Quanto mais rígido o

Quanto mais rígido o fio, tanto mais difícil será removê-los dos tubos, especialmente se as extremidades forem dobradas com a finalidade de ativar as alças para redução de espaços.

Duas sugestões para minimizar os problemas:

1. Destemperar as extremidades do fio

antes de posicioná-lo.

Destemperar as extremidades do fio antes de posicioná-lo. 2. Antes de removê-lo, tente retificar as extremidades

2. Antes de removê-lo, tente retificar as extremidades

do arco ortodôntico; em seguida segure o fio com um porta-agulha alguns milímetros à frente do tubo molar. Coloque um alicate de amarrar ligadura entre o tubo e o porta-agulha e pressione.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

68

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

As pontas do instrumento separam-se e a pressão que exercem contra o tubo e o porta-agulha removerão o fio, sem transmitir nenhuma opressão para os dentes.

H Como facilitar a reutilização de Bandas e Braquetes:

Bandas:

As bandas são mais facilmente reutilizadas que os braquetes, pois o cimento de oxifosfato é facilmente removido com uma solução de ácido nítrico ou fosfórico de 30 a 50%, com qualquer tipo de banho simples, ou mesmo com os meios mais simples. O inconveniente é que as marcas do tamanho das bandas são apagadas durante o uso ou recondicionamento.

Como proceder:

1. Quando as bandas forem

o uso ou recondicionamento. Como proceder: 1. Quando as bandas forem SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

69

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

selecionadas e após a sua cimentação, anote os tamanhos na ficha clínica do paciente.

2. Prepare uma série de caixas (por exemplo, caixas

de filme), uma para cada tamanho e rotule-as. 3. No momento da remoção, guarde cada banda removida na caixa apropriada, de acordo com o que

foi escrito na ficha clínica do paciente.

4. Uma vez ou outra recolhas as bandas, amarrando-

as em conjunto com fio de ligadura de acordo com o tamanho; rotule cada grupo e coloque-as em um limpador ultra-sônico ou remeta-as para uma Empresa de Recondicionamento. Evite qualquer tratamento térmico acima de 315 o C.

Braquetes:

Os agentes de colagem dos braquetes não podem ser facilmente removidos (resinas compostas). A maioria dos recondicionadores desintegra o adesivo pela exposição ao calor e remove a camada oxidada escura pelo polimento eletrolítico.

ao calor e remove a camada oxidada escura pelo polimento eletrolítico. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

70

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Evite

estas

técnicas,

pois

ambos

os

procedimentos danificam os braquetes:

a. Procedimento de exposição ao calor, alteram a estrutura do aço (separação do carboneto de cromo) e comprometem suas propriedades anti-oxidantes.

b. Conseqüências: O metal se torna maleável com redução da rigidez superficial e perda de sua resiliência (impossibilitando a aplicação de troque nos fios retangulares).

c. Procedimentos de polimento eletrolítico:

1. Aumento da canaleta.

Conseqüência: O grau de liberdade indeterminado entre o fio e a canaleta impossibilita o estabelecimento da quantidade de torque a ser aplicado ao fio.

2. Bordas afiladas.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

71

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Conseqüência: Ferimento da mucosa, ruptura freqüente dos elásticos.

2. Achatamento da tela de retenção.

Conseqüência: Insucessos mais freqüentes na adesão.

O

braquetes é a remoção do adesivo quimicamente (sistema Ortho-Cycle).

de

dos

único

modo

seguro

recondicionamento

Ortho-Cycle). de dos único modo seguro recondicionamento Atenção: A canaleta pode ser protegida durante a

Atenção: A canaleta pode ser protegida durante a remoção do braquete utilizando um instrumento apropriado com largura de .22 ou .25”, para manter a distância correta entre as aletas, que podem se alterar se forem apreendidas de forma imprópria com o alicate.

Aparelhos Removíveis

A Métodos de Retenção:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

72

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

A boa retenção é uma qualidade importante dos Aparelhos Removíveis para assegurar a cooperação do paciente. Os diferentes tipos de aparelhos funcionais (ativador, Frankel, Bionator, Placa-C de Cervera, etc.), exigem o estabelecimento de reflexos musculares específicos da língua, dos lábios e dos músculos de bochecha para manter o aparelho no lugar.

Algumas vezes, os reflexos corretos são estabelecidos em pouco tempo, e o aparelho funcional funciona. Por outro lado, algumas vezes, formam-se reflexos errados, ou simplesmente não se formam, sendo inútil esperar algum resultado, mesmo porque o paciente sente-se tão incomodado que dificilmente usa seu aparelho. Autores como Federico V. Tenti, tem se deleitado, há anos construindo, imaginando, inventando, modificando e aplicando os mais variados tipos de aparelhos funcionais e concluindo que, como precaução, é melhor dar a todos os aparelhos ortodônticos a melhor estabilidade possível.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

73

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Sistema número 1:

Grampo de Adams:

É o melhor meio de retenção para os molares e pré-molares (exceto quando os dentes estão pouco irrompidos).

Os dois subitens seguintes são dedicados à sua construção.

Sistema número 2:

“Splint” Parcial Anterior:

Sistema número 2: “Splint” Parcial Anterior: É muito fácil de fazer. Não são necessários grampos de

É muito fácil de fazer. Não são necessários grampos

de aço.

fácil de fazer. Não são necessários grampos de aço. É indicado nos casos onde; SÉRIE: MANUAIS
fácil de fazer. Não são necessários grampos de aço. É indicado nos casos onde; SÉRIE: MANUAIS

É indicado nos casos onde;

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

74

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

a. os molares decíduos estão ausentes ou prestes a

exfoliar; b. os molares permanentes estão parcialmente irrompidos ou necessitam de movimentação.

Contra-indicações:

a. nos casos com Trespasse Vertical negativo (= mordida aberta);

b. em casos hiperdivergentes com aumento da Altura

Facial Anterior; c. em casos de Classe II Esquelética muito acentuada.

É melhor se for precedido pelo alinhamento dos quatros incisivos superiores (por meio de quatro braquetes + um pequeno número de arcos segmentados por alguns meses, por exemplo). Desta forma o Splint proporcionará a retenção juntamente com a estabilidade. É aconselhável reembasá-lo diretamente com resina autopolimerizável após o isolamento da superfície dos

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

75

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

dentes com uma fina camada de vaselina ou creme de

silicone.

Sistema número 3:

Extensões Vestibulares de Acrílico:

Sistema número 3: Extensões Vestibulares de Acrílico: Muito fáceis de fazer. Especialmente indicados na dentadura

Muito fáceis de fazer. Especialmente indicados na dentadura mista, quando:

a. os molares permanentes estão presentes;

b. alguns dentes decíduos presentes, possibilitando a

execução de um sulco para retenção em suas superfícies vestibulares. Para extensão são necessários dois fios de conexão simples de 0,7 mm, com retenções apropriadas por vestibular e por lingual em suas extremidades, distanciadas aproximadamente 1 mm da superfície do modelo. Somente é preciso prestar atenção para que o fio de conexão não interfira (ou que interfira o mínimo possível) na oclusão.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

76

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

É inútil preparar no modelo a parte lingual da margem gengival, como se faz

para o Grampo de Adams.

da margem gengival, como se faz para o Grampo de Adams. No momento da instalação da

No momento da instalação da placa, faça sulcos horizontais (com cerca de 0,5

mm de profundidade) na superfície vestibular dos

dentes decíduos. Reembase as extensões vestibulares com resina autopolimerizável, para que ela preencha os sulcos horizontais. Sem este artifício as extensões não são suficientes para assegurar a estabilidade.

não são suficientes para assegurar a estabilidade. Além da extrema facilidade de construção, a Extensão

Além da extrema facilidade de construção, a Extensão Vestibular oferece outra vantagem, que não pode ser desprezada de maneira alguma: o arco vestibular, bem como as possíveis molas, extensões, etc., podem ser fixados nela; em vez de cruzarem a

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

77

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

superfície oclusal para serem fixados a superfície

oclusal

para

serem

fixados

no

acrílico

da

região

palatina.

Como Fazer um Grampo de Adams realmente eficiente:

É necessário aproveitar ao máximo todas as áreas retentivas dos dentes, tanto no sentido vestíbulo-limgual como mesio-distal. Não é fácil (especialmente quando o dente não está completamente irrompido).

quando o dente não está completamente irrompido). É melhor acentuar as áreas de retenção mo modelo,

É melhor acentuar as áreas de retenção mo modelo, removendo, se necessário, parte do gesso correspondente ao tecido gengival. O grampo de retenção, se bem ajustado contra o dente, deslocará a papila sem traumatizá-la. Felizmente os dentes não variam muito de tamanho. Quando os olhos se acostumam com certos

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

78

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

tamanhos-padrão (e respeitando-os corretamente),

com um pouco de prática será possível fazer um

grampo de Adams adaptável em 90% dos casos. É aconselhável, antes de tudo, observar muito

bem os desenhos numa escala de 5:1, e tê-los em

mente. Peque aproximadamente 90 mm de fio de 0,7

mm redondo, um alicate 139 e siga os passos

expostos mais adiante. Até que os olhos se acostumem com as dimensões, é melhor conferir as medidas a cada passo. Porém, isto não é o suficiente! O melhor grampo não retém sem uma boa adaptação no lado lingual.

grampo não retém sem uma boa adaptação no lado lingual. Essa adaptação pode ser obtida apenas

Essa adaptação pode ser obtida apenas com

a resina acrílica,

contanto que o seu

pode ser obtida apenas com a resina acrílica, contanto que o seu SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

79

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

limite supere o equador do dente. Quando um dente não está totalmente irrompido, a sua coroa clínica deve ser aumentada no modelo.

Para evitar a compressão dos tecidos gengivais, a resina deve ser removida da margem recém-criada.

dos tecidos gengivais, a resina deve ser removida da margem recém-criada. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

80

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Grampo de Adams para Pré-molar: Um grampo de Adams para um

Grampo de Adams para Pré-molar:

Um grampo de Adams para um pré-molar deve

ter as mesmas alças dos

molares. Somente a barra horizontal será de comprimento reduzido: para

o molar utiliza-se 7 mm de comprimento,

considerando-se que o seu diâmetro mesio-distal seja de 11 mm; desta forma, para um pré-molar utiliza-se 3 mm de comprimento, considerando-se que o seu diâmetro mesio-distal seja de 7,5 mm, e sua área de retenção mais acentuada.

mesio-distal seja de 7,5 mm, e sua área de retenção mais acentuada. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE
mesio-distal seja de 7,5 mm, e sua área de retenção mais acentuada. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

81

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Passos para Construção de um Grampo de Adams:

Fio: 0,7 mm de aço inoxidável.

Instrumental: Alicate n o 139.

mm de aço inoxidável. Instrumental: Alicate n o 139. 1. Pegue cerca de 9 cm de

1.

Pegue cerca de 9 cm de fio. Marque na região média, com uma caneta hidrográfica ou lápis dermatográfico, dois pontos distanciados exatamente 7 mm entre si.

dois pontos distanciados exatamente 7 mm entre si. 2. Coloque a ponta piramidal do alicate imediatamente
dois pontos distanciados exatamente 7 mm entre si. 2. Coloque a ponta piramidal do alicate imediatamente

2. Coloque a ponta piramidal do alicate imediatamente antes da marca e dobre para cima um pouco mais de 90 o

antes da marca e dobre para cima um pouco mais de 90 o 3. Faça o

3. Faça o mesmo com a outra marca.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

82

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

4. Faça duas marcas nos prolongamentos verticais a 3 mm da base (incluindo a espessura do fio).

verticais a 3 mm da base (incluindo a espessura do fio). 5. Coloque a ponta redonda

5. Coloque a ponta redonda do alicate justamente sobre uma das marcas e dobre o fio 180 o para baixo.

6. repita o procedimento no outro lado, obtendo assim as duas alças. A distância média entre as partes salientes das duas alças deve ser de 10

mm.

Confira!.

salientes das duas alças deve ser de 10 mm. Confira!. 7. Segure uma das alças (por

7. Segure uma das alças (por mesial) com alicate posicionado horizontalmente e dobre formando um ângulo de 75 o com a barra horizontal.

e dobre formando um ângulo de 75 o com a barra horizontal. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

83

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

8. O mesmo procedimento é efetuado com a outra alça (a distal). Desta vez a dobra deve ser um pouco menos acentuada:

55 o para um molar inferior; 60 o para um molar superior. Talvez você considere um excesso de precisão. Não se leva muito tempo para concluir um diagrama até que você seja capaz de avaliá-lo com uma simples olhada. A colocação do alicate sobre o desenho ao lado pode ajudar.

colocação do alicate sobre o desenho ao lado pode ajudar. 9. Adapte o grampo no modelo

9. Adapte o grampo no modelo de modo que as duas alças (inclinadas em 60 o quando comparadas com a superfície oclusal), estejam em contato com a região de máxima retenção dentária.

Lembre-se: a alça dobrada em 75 o deve ficar por mesial, e a outra em 55 a 60 o deve situar-se por distal.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

84

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Se esse contato não existir, não prossiga com os outros passos, seria inútil.

Se as medições foram realizadas corretamente (confira novamente), 9 casos em 10 não apresentam problemas.

Se estiverem um pouco fora da região de retenção, tente aproximá-las fazendo uma pequena curvatura para fora na barra horizontal.

fazendo uma pequena curvatura para fora na barra horizontal. Se estiverem muito distantes, ou se estiverem

Se estiverem muito distantes, ou se estiverem muito próximas uma da outra, ou se a barra horizontal tocar na superfície do dente, é melhor começar tudo novamente, alterando suavemente o tamanho da barra horizontal.

É inútil prosseguir, sabendo de antemão que os resultados finais serão ineficientes.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

85

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

10. Coloque a ponta piramidal do alicate

afastada 2 mm da curvatura da alça e dobre o fio em 90 o em relação ao eixo da alça.

e dobre o fio em 90 o em relação ao eixo da alça. Faça o mesmo

Faça o mesmo na outra alça. Recolocando as alças na sua posição, os prolongamentos dos fios apontarão em direção à superfície oclusal. Esta será a direção do segmento intermediário entre a alça e o prolongamento de conexão.

11. Usando uma caneta hidrográfica de

ponta fina, marque o ponto onde o fio tocar na superfície oclusal.

marque o ponto onde o fio tocar na superfície oclusal. contato. Coloque a ponta piramidal do
marque o ponto onde o fio tocar na superfície oclusal. contato. Coloque a ponta piramidal do

contato.

Coloque a ponta piramidal do alicate antes da marca e dobre o fio em 30 o , de modo que ele cruze o plano oclusal o mais próximo possível do ponto de

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

86

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

O fio de conexão é então adaptado passando pela superfície proximal do dente, sem interferir com as cúspides dos dentes opostos.

Faça o mesmo com a outra alça.

12. Com as alças em posição, marque com uma caneta hidrográfica os pontos onde os prolongamentos oclusais do fio, após passarem sobre o ponto de contato, começam a deixar o dente (4 a 5 mm da dobra anterior). Coloque a ponta piramidal do alicate antes da marca e dobre o fio em 60 o para afastá- lo da superfície oclusal logo que possível.

para afastá- lo da superfície oclusal logo que possível. Este passo resulta em um prolongamento paralelo
para afastá- lo da superfície oclusal logo que possível. Este passo resulta em um prolongamento paralelo

Este passo resulta em um prolongamento paralelo ao longo eixo da alça.

Neste momento, o grampo não poderá permanecer nessa posição, porque os prolongamentos tocam na gengiva no lado lingual.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

87

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA 13. Coloque a ponta piramidal do alicate imediatamente após a dobra

13. Coloque a ponta piramidal do alicate

imediatamente após a dobra anterior e faça uma dobra contrária em 60 o , para que o fio se afaste da gengiva.

Neste passo, a dobra é paralela à superfície oclusal.

14. Posicione novamente a ponta piramidal do alicate

logo após a dobraanterior e dobre o fio em direção à

superfície lingual ou palatina.

O ângulo desta dobra é estritamente individual. O fio deve ficar 1 a 2 mm afastado do modelo. Se o modelo inferior apresentar retenções na região lingual do processo alveolar, elas terão que ser preenchidas com cera.

processo alveolar, elas terão que ser preenchidas com cera. Cera arco inferior. preenchendo as retenções no
processo alveolar, elas terão que ser preenchidas com cera. Cera arco inferior. preenchendo as retenções no

Cera

arco inferior.

preenchendo

as

retenções

no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

88

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

15. As extensões dos fios serão dobradas aproximadamente 7 mm além das últimas dobras.

dobradas aproximadamente 7 mm além das últimas dobras. O Grampo de Adams está pronto. Este grampo

O Grampo de Adams está pronto.

Este grampo também possui boa retenção nos molares decíduos, nos caninos permanentes e até mesmo nos incisivos permanentes.

As alças serão sempre do mesmo tamanho. Somente sua inclinação e o comprimento da barra horizontal se modificarão.

Para o comprimento da barra horizontal, a estimativa

é de aproximadamente 4 mm menor que o diâmetro

mesio-distal do dente:

Em cada lado 1 mm é ocupado pela espessura do fio e pela sua curvatura, 1 m subtraído pela área de retenção.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

89

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Os dez erros mais comuns na construção do Grampo de Adams:

Erro n o 1:

As alças são muito curtas:

A

barra

horizontal

entre

as

duas

alças são muito curtas: A barra horizontal entre as duas alças toca na superfície vestibular do

alças toca na superfície vestibular do dente, e então

não alcançam as áreas retentivas.(quase todos os grampos de Adams pré-fabricados existentes no mercado, infelizmente, são confeccionados dessa forma).

Erro n o 2:

A alça é muito estreita:

Pode facilmente fraturar aqui. Além disso, se a barra horizontal tocar na superfície vestibular, as alças serão incapazes de alcançar

tocar na superfície vestibular, as alças serão incapazes de alcançar SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 9

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

90

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

as áreas retentivas.

Erro n o 3:

A alça está muito horizontal:

Pressionando excessivamente para entrar na região

retentiva.

A fratura é muito fácil nesse

ponto.

Erro n o 4:

A fratura é muito fácil nesse ponto. Erro n o 4: O braço interno da alça

O braço interno da alça é muito longo:

Falta

muito acentuado.

A fratura é muito fácil neste

ponto.

o

segmento

intermediário,

este

ângulo

está

é muito fácil neste ponto. o segmento intermediário, este ângulo está SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

91

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Erro n o 5:

O braço interno da alça é muito longo:

Erro n o 5: O braço interno da alça é muito longo: Como conseqüência, o segmento

Como conseqüência, o segmento de conexão fica muito distante da superfície oclusal e interfere na mastigação.

Erro n o 6:

O segmento intermediário é muito longo:

Erro n o 6: O segmento intermediário é muito longo: Como conseqüência, o segmento de conexão

Como conseqüência, o segmento de conexão interfere na mastigação.

Erro n o 7:

de conexão interfere na mastigação. Erro n o 7: O segmento de conexão é muito longo:

O segmento de conexão é muito longo:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

92

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Pode interferir na mastigação.

Erro n o 8:

A barra horizontal é muito longa:

(um erro mais comum)

As alças são dobradas em 90 o e não podem utilizar bem a região retentiva. Além disso, pressionam mais as papilas que os dentes.

Além disso, pressionam mais as papilas que os dentes. Este erro (se pequeno) pode ser corrigido

Este erro (se pequeno) pode ser corrigido efetuando uma curvatura vestibular na barra horizontal.

Erro n o 9:

A barra horizontal ainda é muito longa:

Erro n o 9: A barra horizontal ainda é muito longa: O erro foi corrigido com

O erro foi corrigido com uma convergência excessiva das alças, tornando-as menos elásticas e mais frágeis.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

93

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Erro n o 10:

A barra horizontal é muito curta:

O erro foi corrigido alargando as

alças

convergência.

eliminado sua

e

Dentro

de

certos

limites,

é

convergência. eliminado sua e Dentro de certos limites, é aceitável, mas, se for exagerado, as alças

aceitável, mas, se for exagerado, as alças podem utilizar somente as regiões de retenção vestibular e não a mesio-distal.

Como fazer um Arco Palatino de Suporte para os aparelhos removíveis superiores:

Um arco de suporte simples, para unir o lado direito com o esquerdo, pode proporcionar uma aparência mais suave aos nossos aparelhos, tornando-os muito mais aceitáveis pelos pacientes.

aos nossos aparelhos, tornando-os muito mais aceitáveis pelos pacientes. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 9 4

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

94

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Instrumental: Alicate de Ruhland e Alicate de Adere ou Tridente.

Fio: de aço inoxidável redondo de 1,2 mm.

Tome 10 cm de fio e usando um alicate de Ruhland, faça uma curvatura em forma de “U” no centro do fio.

Segure o fio com um alicate Tridente grande, posicione-o obliquamente em 45 o e a uma distância de 15 mm do centro da curvatura.

45 o e a uma distância de 15 mm do centro da curvatura. 3. Aperte o
45 o e a uma distância de 15 mm do centro da curvatura. 3. Aperte o

3. Aperte o alicate ao máximo, formando uma dobra de 45 o nos três planos do espaço.

4. O mesmo é feito do lado oposto.

45 o nos três planos do espaço. 4. O mesmo é feito do lado oposto. SÉRIE:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

95

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

5.

adaptável

Obtêm-se

então

um

arco

palatino,

facilmente

5. adaptável Obtêm-se então um arco palatino, facilmente 6. Pode ser usado 7. Fazendo-se uma marca
5. adaptável Obtêm-se então um arco palatino, facilmente 6. Pode ser usado 7. Fazendo-se uma marca

6. Pode ser usado

então um arco palatino, facilmente 6. Pode ser usado 7. Fazendo-se uma marca alguns milímetros abaixo

7. Fazendo-se uma marca alguns milímetros abaixo da margem gengival, com 3 a 5 dobras suaves com o

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

96

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

alicate tridente assegura-se uma ótima retenção no acrílico.

Se for necessário movimentar os molares e pré- molares para vestibular ou lingual, substituindo vantajosamente o parafuso.

Observação:

Recobrir com acrílico todo o palato para obter a sua expansão, não é nada mais que uma superstição medieval. A pressão direta do acrílico na mucosa palatina pode produzir:

Isquemia, Irritação, Ulceração, E reabsorção do osso subjacente.

A expansão do palato pode ser obtida somente pela pressão exercida diretamente nos dentes e indiretamente no ligamento periodontal.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

97

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Como fazer uma Máscara Facial (tipo Delaire):

As existentes no mercado são todas muito bonitas, pesadas, incomodas e caras. O tipo que está sendo apresentado pode ser facilmente fabricado em laboratório e adaptado em qualquer face de 5 a 18 anos.

Utilize um alicate Dentaurum 003-180 e cerca de 60 cm de fio de 1,5 mm.

Corte

o

fio

em

duas

partes de

30 cm

e

modele

cada

um

como no

desenho.

duas partes de 30 cm e modele cada um como no desenho. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

98

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Iniciando da região inferior (todas as medidas são em milímetros).

Agora tome aproximadamen-te 15 cm de fio de 1,1 mm para confeccionar duas hastes com ganchos para aplicação dos elásticos.

para confeccionar duas hastes com ganchos para aplicação dos elásticos. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 9

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

99

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Como fazer uma Placa Lábio Ativa Adaptável:

/ ORTOPEDIA Como fazer uma Placa Lábio Ativa Adaptável: Adaptar corretamente uma Placa Lábio Ativa (PLA)

Adaptar corretamente uma Placa Lábio Ativa (PLA) é, provavelmente, o procedimento mais difícil e delicado de todas as técnicas ortodônticas. Não é necessário que a Placa Lábio Ativa seja construída individualmente no modelo do paciente Aconselha-se ter sempre em mãos algumas placas pré-fabricadas para adaptar caso a caso.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

100

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Infelizmente, nenhuma das encontradas no mercado apresenta as características ideais. Uma placa bem construída, bem adaptada e bem empregada pode apresentar resultados excelentes. Uma placa mal construída ou mal ajustada constitui apenas uma punição injusta para a criança. Para construir e adaptar corretamente uma placa, é necessário entender completamente suas funções e requisitos.

Funções da Placa Lábio Ativa:

-Eliminar a pressão labial inferior sobre os incisivos inferiores e transferi-la para os molares. - Em certos casos (nem sempre, infelizmente) pode estimular a contração dos lábios hipotônicos.

Indicações:

1. Movimentação para distal dos molares inferiores.

2. Ancoragem dos molares inferiores.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

101

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

a. quando são usados elásticos intermaxilares de Classe II;

b. na transição da dentição mista para a permanente,

quando o espaço de Nance deve ser mantido.

3. Correção do hábito de sucção do lábio inferior (muito freqüente em casos de trespasse horizontal acentuado).

Contra-indicações:

1. Nos casos com tendência à Classe III Esquelética (mesmo muito suave), por duas razões:

a. um possível agravamento (devido a uma tendência

para o crescimento no sentido anti-horário ou tipo C de Tweed) seria certamente atribuído pelos pais à PLA).

b.

ancoragem extrabucal de Tração Baixa na esperança,

tais casos, usar uma

é

mais

razoável,

em

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

102

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

embora pequena, de obter um certo efeito Ortopédico no crescimento condilar. 2. Quando existe um excesso de espaço no arco inferior. 3. Quando os incisivos estão demasiadamente inclinados para vestibular.

Características ideais de uma Placa Lábio Ativa:

a

possível,

compatível com a estética e a

função.

superfície

1.

Deve

apresentar

larga

mais

e a função. superfície 1. Deve apresentar larga mais 2. deve permanecer afastada pelo menos 1
e a função. superfície 1. Deve apresentar larga mais 2. deve permanecer afastada pelo menos 1

2. deve permanecer afastada pelo menos 1 mm de distância dos dentes e da superfície gengival, mas não mais que 3 mm, para que não altere o perfil do paciente.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

mas não mais que 3 mm, para que não altere o perfil do paciente. SÉRIE: MANUAIS

103

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

3. Deve situar-se o mais profundamente possível

no sulco vestibular, devido à maior pressão muscular

e para ser menos visível ao sorrir.

4. Não deve ser muito delgada para que não

provoque ulcerações, mas nem tão espessa para que não influencie na estética. Uma espessura ideal é de

2,5 a 3 mm.

na estética. Uma espessura ideal é de 2,5 a 3 mm. 5. Deve ser ajustável no

5. Deve ser ajustável no sentidos vertical e ântero posterior (quanto mais rapidamente os molares movimentarem-se para distal, tanto maior deverá ser a largura das alças para evitar a pressão na região gengival).

6. Não deve ser muito flexível, mas também não muito rígida. Fio ideal: 1 mm.

Passos para a construção:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

104

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA - Tome cerca de 18 cm de fio de 1 mm

- Tome cerca de 18 cm de fio de 1 mm de diâmetro e dobre-o exatamente como no desenho. As alças laterais são utilizadas para adaptar os escudos à conformação individual do arco e para avançá-los à medida que os molares movimentam- separa distal.

- Após conformada no plano,

a curvatura do arco deve ser

ajustada com alicate

pontas côncava e

arredondada, iniciando

continuando nos segmentos laterais que retêm os escudos.

no segmento central e

laterais que retêm os escudos. no segmento central e de Os confeccionados próximo exercício. escudos como

de

laterais que retêm os escudos. no segmento central e de Os confeccionados próximo exercício. escudos como

Os

confeccionados próximo exercício.

escudos

como

são

no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

105

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

A curvatura ideal é obtida usando a superfície de uma garrafa ou de uma lata.

Prepara-se uma tira larga, cerca de 17 mm (15 mm depois de terminada) e cortam-se porções de 10 mm de altura; os cantos devem ser arredondados corretamente.

4. Coloque os escudos

atrás de cada dobra com o fio à frente da superfície opaca e convexa do acrílico.

o fio à frente da superfície opaca e convexa do acrílico. Fixe os escudos ao fio

Fixe os escudos ao fio com acrílico (sistema pós- líquido). Os escudos devem possuir espessura maior na margem inferior. Dê o acabamento e o polimento.

Modo de Adaptação:

1. Insira nas duas extremidades do fio limitadores

tubulares. Insira as extremidades nos tubos dos

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

106

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

molares e desloque os limitadores até que os escudos estejam aproximadamente a 2 mm da gengiva dos incisivos inferiores. Fixe os encaixes com solda.

dos incisivos inferiores. Fixe os encaixes com solda. 1. Utilize um alicate 139: a – para

1. Utilize um alicate 139:

Fixe os encaixes com solda. 1. Utilize um alicate 139: a – para abaixar os escudos,

a para abaixar os escudos, se estiverem muito altos;

b para levantar os escudos, se

surgirem lesões no sulco vestibular, (verifique se o acrílico está bem arredondado e polido).

c para movimentar os escudos para anterior, à

medida que os molares moviemntam-se para distal).

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

107

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Outras Sugestões para a Placa Lábio Ativa:

/ ORTOPEDIA Outras Sugestões para a Placa Lábio Ativa: 1. As vezes, hipertrofias assintomáticas aparecem na

1. As vezes, hipertrofias

assintomáticas aparecem na mucosa das bochechas (papilomas). Nesses casos, é aconselhável inserir pequenos tubos plásticos nas partes laterais.

2. Ao suspeitar que o paciente não está usando sua

placa lábio ativa durante as 24 horas removendo- a somente para as refeições e a higiene bucal), é melhor amarrá-la às bandas, após ter soldado um gancho de latão na frente do encaixe.

às bandas, após ter soldado um gancho de latão na frente do encaixe. SÉRIE: MANUAIS DE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

108

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Como Fazer Escudos Bucais:

Não é difícil fazer escudos bucais de acrílico. O que é difícil é fazê-los finos e, acima de tudo, bem polidos na sua parte interna.

Esta pequena dica, pode facilitar muito o trabalho:

interna. Esta pequena dica, pode facilitar muito o trabalho: Uma placa de vidro, ou melhor ainda,

Uma placa de vidro, ou melhor ainda, uma garrafa de superfície lisa pode ser utilizada. Ou melhor ainda, um recipiente cilindrico de plástico cortado verticalmente em duas partes, uma côncava e outra convexa. - Usando tiras de cera, delimite (com um pouco de excesso) uma superfície com o formato e as dimensões necessárias para o escudo bucal. - A superfície é levemente lubrificada com vaselina ou silicone. - Despeje uma camada fina de resina e, movimentando-a apropriadamente, obtenha uma

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

109

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

camada uniforme com aproximadamente meio milímetro de espessura.

- O sistema pó + líquido também é apropriado.

- Após a polimerização, obtêm-se uma fina concha de

acrílico com uma superfície perfeitamente lisa e facilmente polida.

- Esta superfície formará a parte menos acessível do

escudo. - Na superfície âspera, adapte os fios que serão fixados com o sistema pó + líquido.

- Para evitar que o novo acrílico, quando depositado,

altere a superfície já polida, recomenda-se o uso do

acrílico que não se espalha. - É aconselhável um certo estoque de conchas, de tamanhos diferentes; para que as partes desejadas possam ser prontamente recortadas quando necessário.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

110

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Como Fazer Um Aparelho de Frankel (FR 1):

1. Monte os modelos em

articulador, usando uma mordida em cera registrada com 2 a 3 mm de protrusão e 2 a 3 mm de

dimensão vertical.

com 2 a 3 mm de protrusão e 2 a 3 mm de dimensão vertical. 2.

2. Escave ao máximo o modelo no sulco vestibular

lateral superior e no sulco vestibular ântero-posterior,

para obter uma distância de 10 a 12 mm da margem gengival. (Como orientação auxiliar, observe a boca do paciente diretamente).

auxiliar, observe a boca do paciente diretamente). 3. Dois sulcos de cada lado do modelo superior,

3. Dois sulcos de cada

lado do modelo superior, um por distal do canino e outro por mesial do molar, devem ser esculpidos (nos casos onde os elásticos de separação não foram aplicados antes da realização da moldagem).

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

111

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

4. Coloque uma camada de cera nas áreas correspondentes aos escudos vestibulares, previamente demarcadas com um lápis (espessura de 4 a 5 mm na área dos dentes e 2 a 3 mm na região alveolar.

4 a 5 mm na área dos dentes e 2 a 3 mm na região alveolar.

do plano oclusal, para

possibilitar a abertura do articulador e a separação dos modelos.

-

Corte

a

cera

ao

nível

Observação: O procedimento com cera pode ser eliminado, se a sugestão prática n o 2 mais à frente for aceita.

5.

Adapte

o

arco

vestibular

superior

(fio

de

0,9 mm)

na forma de

um

arco ideal sobre os incisivos superiores.

0,9 mm) na forma de um arco ideal sobre os incisivos superiores. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

112

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

- Na região distal do incisivo lateral, dobre o arco para cima e depois em direção aos escudos vestibulares.

- As dobras de retenção, ao nível do escudo,

devem ser confeccionadas uniformemente a 0,5 mm da superfície da cera.

- Isto é válido também para a retenção de todos os outros elementos.

6.

Faça

as

alças

contronando

 

os

caninos

superiores

(fio

0,8

a

0,9

os caninos superiores (fio 0,8 a 0,9 mm), passando pelo desgaste realizado na distal. face 7.

mm), passando pelo desgaste realizado na distal.

face

0,9 mm), passando pelo desgaste realizado na distal. face 7. Contorne um arco palatino (fio de

7. Contorne um arco palatino (fio de 1,2 a 1,3 mm) uniformemente afastado de 1 a 2 mm da mucosa palatina. Ele deve penetrar na base do sulco mesial do molar (o sulco deve ser estendido para a camada da cera); deve ultrapassá-la, formando uma dobra de retenção (distanciada 0,5 mm da superfície da cera) e

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

113

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

retornando ao último molar decíduo (se ainda estiver presente) ou ao primeiro molar permanente (se o segundo molar decíduo estiver ausente).

permanente (se o segundo molar decíduo estiver ausente). 8. Com um fio de 0,9 mm, modele

8. Com um fio de 0,9 mm, modele

dois

sua

extensão foi previamente demarcada no modelo e recoberta com isolante ou uma camada fina de cera.

o

arco

que

suporta

os

escudos

labiais,

onde

- Nesta área, o fio deverá permanecer afastado do modelo cerca de 2 mm.

o fio deverá permanecer afastado do modelo cerca de 2 mm. O acrílico aplicado, será posteriormente

O acrílico aplicado, será posteriormente desgastado cerca de 1 mm na superfície interna (este espaço permanece entre os escuidos e a mucosa).

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

114

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA acrílico. Todos elementos de aço devem ser fixados ao modelo com

acrílico.

Todos elementos de aço devem ser fixados ao modelo com cera, nos pontos que não serão cobertos com

9. Incorpore alças no arco lingual (fio de 0,9 a 1 mm).

- O arco não deve tocar nos dentes.

- As alças dobradas para baixo ao longo dos caninos,

formam uma alça em forma de “U” ao nível da raiz do

primeiro pré-molar, elevam-se novamente e passam por distal do canino ou do primeiro pré-molar.

- As alças devem ficar em contato com a mucosa.

- A cada 3 ou 4 meses,

devem ser ativadas para a frente 2 a 3 mm (contanto que o paciente tenha usado seu aparelho e os resultados sejam satisfatórios).

paciente tenha usado seu aparelho e os resultados sejam satisfatórios). SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 1

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

115

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

As alças linguais podem ser substituídas por um Escudo lingual, unindo fios de 1,2 mm.

10. Aplique (finalmente) o acrílico para formar os escudos vestibulares, linguais e labiais.

Se as dobras de retenção foram confeccionadas a uma distância uniforme (0,5 mm) da cera, as projeções vestibulares não devem ser mais espessas que 2 mm (2,5 a 3 mm nas extremidades para que possam ser melhor arredondadas).

Os escudos vestibulares ficarão com 3 mm de espessura, porém, 1 mm será removido da superfície interna.

O acrílico

recomendável.

do tipo que não se espalha é bastante

Uma vez poliemrizado o acrílico, execute o acabamento e o polimento.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

116

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Sugestões Práticas: Sugestão prática n o 1: O labial deve formar

Sugestões Práticas:

Sugestão prática n o 1:

Sugestões Práticas: Sugestão prática n o 1: O labial deve formar uma alça vertical (aproximadamente 5

O

labial deve formar uma alça vertical

(aproximadamente 5 a 6 mm de altura, com a abertura

para

vestibulares.

escudo

fio

que

suporta

o

baixo)

antes

de

penetrar nos escudos

A

dessas alças permitirá o avanço dos escudos

labiais, que deve ser realizado a cada 3 ou 4 meses.

abertura gradual

labiais, que deve ser realizado a cada 3 ou 4 meses. abertura gradual SÉRIE: MANUAIS DE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

117

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Na ausência dessas alças verticais, o avanço dos escudos poderá ser realizado somente de duas formas:

a. separando o fio e unindo-o novamente nos escudos laterais; b. aplicando um parafuso na parte anterior de cada escudo vestibular.

Se o escudo lingual substituir as alças linguais, poderá ser facilmente ativado adicionando acrílico sobre sua superfície anterior.

Sugestão prática n o 2:

O acabamento e o polimento da superfície interna dos escudos vestibulares exige muito tempo e dificilmente se chega a resultados satisfatórios.

Um resultado melhor pode ser obtido, com uma considerável economia de

Um resultado melhor pode ser obtido, com uma considerável economia de SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

118

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

tempo, se o passo n o 4 for modificado como se segue:

Em vez de colocar a camada de cera sobre o modelo, duas conchas de acrílico, de espessura mínima (uma fração de milímetros) são preparadas (numa placa de vidro lubrificada com vaselina) usando a técnica pó-líquido descrita anteriormente. A placa de vidro pode ser substituída por uma garrafa ou uma lata com 10 a 12 cm de diâmetro; obtendo-se, portanto, uma curvatura adequada. O rolete de cera deve possuir 1 a 2 mm de altura.

As dimensões e o formato aproximado dessas conchas serão as mesmas dos escudos confeccionados no modelo, com um aumento de aproximadamente 1 mm em todo o seu contorno.

um aumento de aproximadamente 1 mm em todo o seu contorno. Uma acrílico, a superfície correspondente

Uma

acrílico, a superfície correspondente à placa de vidro ficará perfeitamente lisa (e será possível realizar o polimento).

vez

polimerizado

o

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

119

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

As extremidades serão arredondadas (está é a razão do milímetro adicional em todo o contorno). As conchas (divididas ao nível do plano oclusal) serão colocadas com a superfície lisa contra o modelo, por meio de pequenas quantidades de cera, massa ou pasta de moldagem de silicone e deverão ser fixadas a uma distância uniforme (4 a 5 mm dos dentes e 2 a 3 mm da mucosa ao nível do fórnice). Na superfície âspera externa, os fios serão adaptados o mais próximo possível e serão fixados com outra camada de acrílico, ainda usando a técnica pó + líquido, prestando atenção para que não escorra para a parte interna, já polida.

para que não escorra para a parte interna, já polida. Com esta segunda camada de acrílico,

Com esta segunda camada de acrílico, não somente as partes de aço serão unidas aos escudos, como também as porções inferior e superior dos escudos serão definitivamente unidas uma a outra.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

120

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

O acrílico do tipo que não se espalha é incomparável para reduzir o risco de dispersão do acrílico. Mesmo procedimento pode ser adotado para os escudos labiais (também para que o polimento interno seja mais fácil).

Modificação Sugerida n o 1:

Eliminação do fio de união dos dois pequenos escudos labiais. Sem dúvida, esta modificação facilita o posicionamento correto dos escudos, considerado extremamente importante por Frankel. Não é fácil estabelecer a perfeição do modelo e, portanto, seu uso depende da habilidade de ajustá-lo diretamente na boca.

uso depende da habilidade de ajustá-lo diretamente na boca. Observação: O diâmetro de todos os outros

Observação: O diâmetro de todos os outros fios deve ser aumentado de 1 a 2 décimos de milímetro; caso

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

121

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

contrário, com a eliminação do espaço intermediário, o aparelho ficará muito flexível.

Modificação Sugerida n o 2:

O arco vestibular em vez de repousar sobre a

superfície vestibular dos incisivos, suporta um plano

de mordida de acrílico.

dos incisivos, suporta um plano de mordida de acrílico. O plano de mordida do acrílico: a.

O plano de mordida do acrílico:

a. proporciona ao FR 1 mais estabilidade e, assim,

menos desconforto;

b. a intrusão dos incisivos superiores e inferiores pode

ser obtida; desde que sejam associados os exercícios

isométricos para os músculos da mastigação.

c. a ação de retração nos incisivos superiores pode

ser mantida, contanto que o acrílico seja acrescido de alguns milímetros na superfície vestibular.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

122

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Observação: Uma maior estabilidade do aparelho, talvez possa reduzir o estabelecimento de alguns reflexos musculares, necessários para a produção dos efeitos terapêuticos

PASSOS BÁSICOS PARA CONFECÇÃO DE APARELHOS REMOVÍVEIS

1 o ) Planejamento. 2 o ) Confecção de grampos. 3 o ) Fixação dos grampos com cera 7. 4 o ) Hidratação do modelo (5 minutos0. 5 o ) Isolar modelo (isolante gesso/acrílico). 6 o ) Manipular acrílico e entulhar dando forma a placa. 7 o ) Levar a panela polimerizadora por 10 minutos. 8 o ) Fazer desgastes necessários com a broca

de

aço ou tungstênio. 9 o ) Fazer acabamento com lixa de madeira no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

123

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

mandril, e depois usar lixa d‟água debaixo de água. 10 o ) Dar polimento final no torno com pedra pomes e Kaol com escovas de pano.

Técnica de Glaze ou Banho de Brilho

Após o desgaste e acabamento das placas, podemos dar o polimento final usando a seguinte técnica de Glase:

Coloque um pouco de monômero termo- polimerizável em recipiente de vidro resistente ao calor, e leve em banho-maria até a fervura da água. Deixar a água ferver até observar bolhas no monômero. Banhar o aparelho no monômero quente por 3 vezes, mergulhando-o rapidamente com auxílio de uma pinça. Deixe o aparelho secar totalmente sem tocá-lo.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

124

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Expansor Fixo tipo Hass:

O disjuntor de Hass é um aparelho ortodôntico

fixo que tem por finalidade promover a expansão palatal rápida com o objetivo de corrigir mordidas cruzadas posteriores decorrentes da atresia do arco

dentário superior. Como promovem a separação dos ossos maxilares ao nível da sutura palatina, esses aparelhos exercem uma função ortopédica e devem ser chamados de disjuntores e não de expansores. Sua ácão é bastante rápida e separações suturais superiores a 11 mm podem ser obtidas em tempo relativamente curto. O disjuntor de Hass tem como componentes: barras linguais, parafuso expansor padrão, corpo de acrílico e bandas.

Composição do aparelho:

O expansor fixo tipo Hass é composto por 4

bandas nromalmente adaptadas nos 1 os pré-molares e

1 os molares. Esta bandagem pode variar dependendo

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

125

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

do planejamento do tratamento proposto pelo ortodontista. Duas barras de conexão, que variam de 0,9 mm a 1,2 mm, se unem às bandas para dar suporte a um corpo de resina acrílica que por sua vez é formado por dois apoios mucosos independentes, unidos pelo parafuso expansor. O corpo de resina acrílica caracteriza o aparelho de expansão fixa tipo Hass.

Técnica de Confecção:

Com o modelo bandado nos primeiros pré-molares e nos primeiros molares, fazer um desgaste no gesso onde receberá a solda.

molares, fazer um desgaste no gesso onde receberá a solda. Com o auxílio do alicate 139

Com o auxílio do alicate 139 ou similar, fazer com o fio ortodôntico, o contorno dos dentes posteriores.

com o fio ortodôntico, o contorno dos dentes posteriores. Ao nível da face mesial do primeiro

Ao nível da face mesial do primeiro pré-molar, marcar no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

126

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

fio e fazer com

ângulo de

primeiro molar.

a ponta cônica do alicate 139, um

Repetir a manobra na distal do

180 o /

alicate 139, um Repetir a manobra na distal do 180 o / Agora fazer um ângulo

Agora fazer um ângulo em, mais ou menos 90 o , em direção palatina e confeccionar a retenção. A barra de conecção deve tocar uma superfície palatina das bandas e, quando se direcionar ao palato, deve permanecer afastado. Para o lado oposto, repetir a mesma manobra feita anteriormente.

Confeccionada as barras de coneção, adaptá-las ao modelo bandado e fixá-las com o auxílio do revestimento para fundição.

bandado e fixá-las com o auxílio do revestimento para fundição. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 1

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

127

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Aplicar

posteriormente.

o

fluxo

para

soldagem,

soldando-as

Aplicar posteriormente. o fluxo para soldagem, soldando-as Remover a estrutura metálica do modelo, tomando o cuidado

Remover a estrutura metálica do modelo, tomando o cuidado com as bandas e promover um acabamento e um polimento nas soldas.

Feito o polimento, fazer um leve alívio em cera no modelo, com cera bem plastificada.

leve alívio em cera no modelo, com cera bem plastificada. Adaptar as barras de conexão e
leve alívio em cera no modelo, com cera bem plastificada. Adaptar as barras de conexão e

Adaptar as barras de conexão e posicionar o parafuso expansor de modo que este fique sobre a face palatina mediana e com uma altura média de 5

mm.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

128

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Promover a hidratação do modelo e, em seguida, a polimerização. O
MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Promover a hidratação do modelo e, em seguida, a polimerização. O

Promover a hidratação do modelo e, em seguida, a polimerização. O corpo de acrílico deverá cobrir todo o parafuso ficando a uma distância aproximada de 1 cm da região cervical dos dentes. Fazer o acabamento e polimento de forma que o corpo de acrílico acompanhe a conformação palatina com as bordas arredondadas.

acrílico acompanhe a conformação palatina com as bordas arredondadas. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 1 2
acrílico acompanhe a conformação palatina com as bordas arredondadas. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA 1 2

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

129

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Expansor Fixo Tipo Hyrax:

Consiste num aparelho expansor fixo ativo, que

aplica força no processo dentoalveolar da maxila, de

modo a expandi-la. Está indicado para atresias esqueléticas dos arcos maxilares, apinhamentos e mordidas cruzadas. A diferença dos aparelhos de Hyrax e Hass está apenas na presença do corpo acrílico no aparelho de Hass. A ausência deste corpo, o aparelho de Hyrax, se justifica pela facilidade de higienização do aparelho, também o tornando menos volumoso e menos traumático para o palato.

Composição do aparelho:

O aparelho

expansor fixo tipo Hyrax, é constituído de um parafuso expansor, com quatro extensões de

Hyrax, é constituído de um parafuso expansor, com quatro extensões de SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

130

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

metal, soldado às bandas localizadas normalmente nos primeiros pré-molares e primeiros molares. Por sua vez, estas bandas são unidas por barras palatinas, constituídas por fio que varia de 0,9 mm a 1,2 mm. O parafuso expansor com quatro extensões é encontrado em diversos tamanhos e também em algumas marcas comerciais diferentes.

Ativação do aparelho:

marcas comerciais diferentes. Ativação do aparelho: O aparelho é ativado girando a chave de ativação em

O aparelho é ativado girando a chave de ativação em direção posterior. Cada giro corresponde a ¼ de volta e promove 0,25 mm de expansão lateral. Expansões superiores a 11 mm podem ser conseguidas num período relativamente pequeno.

Técnica de Confecção:

Com o modelo bandado, promover um desgaste gesso, na região onde será soldado.

no

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

131

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Desenhar uma linha sobre a face palatina mediana para facilitar o

Desenhar

uma

linha

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Desenhar uma linha sobre a face palatina mediana para facilitar o

sobre a face palatina mediana para facilitar o posicionamento do parafuso. Selecionar o parafuso de acordo com o tamanho da atresia maxilar.

o parafuso de acordo com o tamanho da atresia maxilar. Com o auxílio do alicate 139

Com o auxílio do alicate 139 ou

tamanho da atresia maxilar. Com o auxílio do alicate 139 ou similares, fazer a adaptação do

similares, fazer a adaptação do parafuso às bandas, de modo que, as hastes do parafuso fiquem em contato com a região lingual das bandas.

hastes do parafuso fiquem em contato com a região lingual das bandas. SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

132

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA fundição. Posicionar e prender o modelo, parafuso ao com o auxílio

fundição.

Posicionar e prender o

modelo,

parafuso

ao

com

o

auxílio

do

revestimento

para

Com o fio 0,9 a 1,2 mm, confeccionar as barras linguais, adapta-las e prende-las com revestimento. Aplicar o fluxo para soldagem e, com a zona redutora da chama do maçarico, promover a soldagem.

a zona redutora da chama do maçarico, promover a soldagem. Remover o aparelho do modelo, sem
a zona redutora da chama do maçarico, promover a soldagem. Remover o aparelho do modelo, sem

Remover o aparelho do modelo, sem danificar as bandas. Fazer o acabamento e o polimento das soldas da mesma forma já descritas anteriormente.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

133

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Expansor fixo tipo Hyrax terminado. Aparelho Sagital: Corretor Ortopédico 1:

Expansor fixo tipo Hyrax terminado.

Aparelho Sagital:

Corretor Ortopédico 1:

Indicações:

1.

Classe II para Classe I.

2.

Aumentar

a

dimensão em

casos

de

sobremordida

profunda.

 
em casos de sobremordida profunda.   3. Excelentes resultados em tratamentos de Classe II

3. Excelentes resultados em tratamentos de Classe II

Esquelética.

4. Tratamento da dentição mista ou permanente.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

134

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Nota 1:

A este aparelho pode-se adicionar várias modificações para movimentos dentários específicos, rotações, treinamento lingual, fechamento de espaços, etc., dependendo do caso. Isso é ensinado nos cursos de técnicas avançadas.

Nota 2:

Este aparelho tratará as idnicações mencionadas acima até alcançar os melhores e mais estáveis resultados, num período de tempo mais curto do que todos os aparelhos ortopédicos ou funcionais que se utilizam atualmente.

Nota de Construção:

Os incisivos superiores contactam com o encapsulamento de acrílico dos incisivos inferiores. Projeções de acrílico e o Corretor Ortopédico I Ajustes para avançar a mandíbula:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

135

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA Quando se ativam os parafusos laterais do Corretor Ortopédico I para

Quando se ativam os parafusos laterais do Corretor Ortopédico I para avançar a mandíbula, deve-se eliminar as projeções de acrílico inferior que rodeiam os setores póstero- inferiores.

inferior que rodeiam os setores póstero- inferiores. e de ambos os lados do aparelho. SÉRIE: MANUAIS
inferior que rodeiam os setores póstero- inferiores. e de ambos os lados do aparelho. SÉRIE: MANUAIS

e de ambos os lados do aparelho.

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

136

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

para

obstáculos.

permitir

o

avanço

da

arcada

inferior

sem

Lado direito

encapsulamento do aparelho, tal como aparece normalmente, atuando para manter os dentes ântero-inferiores. Do lado esquerdo do aparelho retirou-se o encapsulamento para vestibularizar os dentes ântero- inferiores durante os três primeiros meses de tratamento.

Visão intrabucal do Bionator após eliminar-se o apoio vestibular do encapsulamento para vestibularizar os dentes ântero-inferiores, aumentando-se assim, o ângulo interincisal e a porçào incisal engrossada, a fim

do

assim, o ângulo interincisal e a porçào incisal engrossada, a fim do SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE
assim, o ângulo interincisal e a porçào incisal engrossada, a fim do SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

137

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

de acelerar a erupção posterior, auemntanto-se assim,

a ação vertical. Os resultados com este aparelho são muito rápidos.É muito popular e é o aparelho mais utilizado:

Casos Classe I com apinhamento. Casos Classe II, divisão 1 com apinhamento. Classe II, divisão 2 (primeiro aparelho).

Classe II, Divisão 2:

Na Classe II, a retrusão

dos

2

deve

ântero-

superiores em

corrigida

dentes

divisão

ser

inicialmente

com

este

aparelho.

Então o segundoa parelho

é um corretor Ortopédico I para transformar em

Classe I a Classe II e abrir

a mordida.

I para transformar em Classe I a Classe II e abrir a mordida. SÉRIE: MANUAIS DE

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

138

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Este aparelho sagital tem plano de mordida posterior

de acrílico. O plano de mordida anterior deve

contactar com os dentes inferiores de cada lado do plano de mordida,

Nota 1: Os arcos de retração canina são utilizados frequentemente sobre o aparelho para movimentar caninos bloqueados distal e lingualmente.

Importante: O parafuso n o 714 de Schew de aço alemão de extraornária resistência é o melhor expansor nunca antes desenvolvido para este aparelho.

O parafuso n o 714 de Schew têm uma expansão de 8

mm quando se abre, o qual é de extrema importância

para que este aparelho seja eficaz. Não se deve aceitar nenhum outro parafuso com uma expansão menor, porque neste caso serão necessários dois aparelhos sagitais.

Mordida de cera para Aparelho Sagital:

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

139

MANUAL DE ORTODONTIA / ORTOPEDIA

Coloca-se a cera-base sobre os dentes posteriores deixando os dentes anteriores livres da cera. Pede-se ao paciente que feche lentamente a boca em relação cêntrica, até que exista um espaço de 1 a 1,5 mm entre os dentes supero-inferiores posteriores.

de 1 a 1,5 mm entre os dentes supero-inferiores posteriores. A figura do aparelho ao lado

A figura do aparelho ao lado é de um aparelho sagital com segundos molares presentes, a ação do aparelho sagital é basicamente anterior, com os segundos molares extraídos, a ácão é basicamente na direção posterior.

extraídos, a ácão é basicamente na direção posterior. A figura ao lado, é de uma mordida

A figura ao lado, é de

uma

mordida

construída

para

aparelho sagital. A espessura da cera

SÉRIE: MANUAIS DE PRÓTESE ODONTOLÓGICA

140