Você está na página 1de 2

Direito Internacional e Direito interno

Dualista Relaes entre Dt interno e Dt internacional Monista Monismo com primado do Dt Interno Monismo com primado do Dt Internacional

Radical (kelsen) Moderado (Verdross)

Tese dualista (Deriva do voluntarismo pluriestadual, Triepel ) Defende que a Ordem Jurdica estadual e a Ordem jurdica Internacional so diferentes uma da outra, tanto no que respeita s fontes como aos sujeitos e so independentes pois tm caractersticas jurdicas distintas.
FONTES - No Direito Interno a fonte a vontade do Estado e no Direito Internacional a vontade de vrios Estados. SUJEITOS - No Direito Internacional so os Estados e no Direito Interno so as pessoas singulares e colectivas. CARACTERSTICAS JURDICAS - A norma interna vale independentemente da norma internacional. A norma Internacional s vale quando for recebida, isto , transformada em lei interna

Tese monista Defende que o Direito constitui uma unidade, de que tanto a Ordem Jurdica interna e a Ordem Jurdica Internacional so manifestaes, resultando a validade das normas interna e internacional da mesma fonte a elas comum. Monismo com primado de Dt interno(deriva
Jellinek)
do voluntarismo uniestadual

En caso de conflito entre a Ordem jurdica interna e a Ordem jurdica internacional, h prevalncia da norma interna. (Esta tese no
mais do que a negao do Direito Internacional)

Monismo com primado do Dt Internacional


Scelle e Verdross)

(deriva das teses antivoluntaristas e a corrente mais consentnea na Comunidade Internacional, Kelsen, G

Prevalncia da norma de Direito Internacional, em caso de conflito entre a Ordem jurdica interna e a Ordem jurdica Internacional. (O
legislador nacional no pode criar normas internas contrrias ao Direito Internacional).

Monismo com primado do Dt Internacional radical (Kelsen) Defende que em todo e qualquer caso, a regra interna contrria regra internacional nula ou invlida (pressupe uma Comunidade Internacional Federal). Monismo com primado do Dt Internacional moderado (Verdross) Reconhece ao legislador nacional um campo bastante amplo de liberdade de aco.

Concluso: Reafirmamos a nossa adeso concepo monista com primado do Direito Internacional, pois ela traduz uma condio essencial da prpria existncia do Direito Internacional e da vigncia interna do Direito Internacional, na ausncia de disposies estaduais que a ela se refiram.