Você está na página 1de 1

DIAGNSTICO RPIDO PARTICIPATIVO NA COMUNIDADE QUILOMBOLA SERRA DO ABREU. BEZERRA, R.H.1; PINHEIRO, A.A.2; FLIX, V.J.L.3; SANTOS, K. S.

4; VIEIRA, J. M.S5.
1

Discente do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia IFPB/Campus PicuPB. E-mail:rossanahqs@hotmail.com; 2Discente do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia IFPB/Campus Picu-PB. E-mail: araceliaazevedo@gmail.com; 3 Discente do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia IFPB/Campus PicuPB. E-mail: vitinhosurfbt@gmail.com; 4Discente do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia IFPB/Campus Picu-PB. E-mail: katianasilva35@yahoo.com; 5 Docente IFPB/Campus Picu-PB. E-mail: marciovieirasol@gmail.com.

O diagnstico rpido participativo (DRP) de fundamental importncia para a compreenso de uma comunidade com relao ao seu sistema de produo e de relaes sociais como tambm, para diagnosticar suas fortalezas, oportunidades, fraquezas e ameaas. Tendo em vista essa importncia, desenvolveu-se um trabalho na comunidade quilombola Serra do Abreu, localizada no municpio de Nova Palmeira PB, entre os meses de maio de 2010 e agosto de 2011. Como metodologias foram utilizadas as tcnicas de entrevista semi-estruturada, caminhada transversal, diagrama de Venn, rotina diria, mapa da comunidade, FOFA (Fortalezas, Oportunidades, Fraquezas e Ameaas) e rvore dos problemas, tendo como objetivo levantar informaes acerca da situao social, econmica, ambiental e cultural da comunidade. Com a aplicao das metodologias do DRP pode-se detectar lacunas e prioridades, como o pequeno espao territorial, o difcil acesso comunidade, falta de assistncia tcnica e de polticas pblicas voltadas para a melhoria da sade da populao, a atuao de organizaes no governamentais que contriburam para o reconhecimento como quilombolas, a unio entre as famlias, a no utilizao de agrotxico nas culturas e no tratamento de pragas e doenas, boa aceitao dos agricultores e agricultoras para a transio agroecolgica. Dessa forma, considerou-se que o Diagnstico Rpido Participativo uma ferramenta para o enfoque sistmico, permitindo que a comunidade faa o seu prprio diagnstico e a partir de uma viso crtica tenham um melhor planejamento, articulando estratgias viveis que contribuam para um desenvolvimento sustentvel. Palavras-chave: Diagnstico Rpido Participativo, Planejamento, Desenvolvimento sustentvel, Transio agroecolgica.