CURSO B3 A

ALCINDA

“O Dia dos Direitos do Homem”
Mostra-nos sempre imperfeitos este dia que revela os nossos muito defeitos, já que a justiça do mundo por igual deve servir os homens e as mulheres sem ninguém querer excluir. E se os direitos são humanos, da igualdade hão-de fazer a regra que nos imponha os princípios a valer, que são sempre os que mais contam, aconteça o que acontecer.

José Jorge Letria in O livro dos dias

E principalmente não pensem na morte.CURSO B3 C . Vivam. Livres como o vento. Imitem as árvores dos caminhos que dão flores e frutos sem complicações. Mas não queiram convencer os cardos e transformar os espinhos em rosas e canções. apenas Sejam bons como o sol. A morte é para os mortos! José Gomes Ferreira .PETRA Vivam Apenas Vivam. Não sofram por causa dos cadáveres que só são belos quando se desenham na terra em flores. Naturais como as fontes. apenas.

a pobreza E o medo! É fácil dizer: Temos de ser solidários! Ser… não é fácil? A vida é tortuosa. E na pressa tudo olha Nada se vê! (…) Vai tudo na pressa À velocidade do salário. Vai tudo na pressa À velocidade do ganho! E o homem virou máquina. Reina a ganância.CURSO B3 B – SANDRA. ZÉLIA E MAURÍLIO "Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. A injustiça O sofrimento. . Manhosa Vai tudo numa pressa.. Computador Autómato.. IMPROVISO DA ALMA E DO POETA – (texto com supressões) (Rogério Martins Simões) Dia a dia o desamor Quebra o sentido da vida Sofre-se em segredo E na incerteza. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade".

E nesta agitação… A alma consome E o corpo mata. .(continuação) Mas… o luar está igual O céu não mudou! Mudou a humanidade Que perdeu a individualidade. Peças de inventário. Para a notícia brejeira. Para a asneira Para a coscuvilhice. Passámos a ser números. Que importa? A quem importa? (…) Estes tempos são difíceis Só há tempo para o fútil. Desumanidade! Ganha-se menos! Que importa? Se um homem tem fome? Dia a dia Caem os valores morais Perfilam as estatísticas Dos ganhos: Ganha a produção: Ganha-se menos! Trabalha-se mais: E se há revolta.

. Acredita.. Subirão à “Torre de Babel” E todos se entenderão Na mesma língua. E desses segredos Renascerão Os gestos colectivos de amor (…) E os meninos (…) Vão ter recreios doirados Em mil e uma aventuras. Mais logo… será Inverno. Os pais E os netos Recordarão histórias da vida. Porque a terra vai ser paraíso E os frutos não mais serão proibidos. Os avós.. Vem aí a Primavera Tudo será verde… renascido. Contadas sem segredos. E se treparem às arvores. (Segredos bem guardados). Que estamos no Outono.(continuação) Mas o mar permanece azul! (…) Volta poesia! Volta poeta... Em redor da lareira Quando o dia findar. .. E de volta ao lar.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful