P. 1
caderno_de_resumos

caderno_de_resumos

|Views: 2.211|Likes:
Publicado porVanessa Meira

More info:

Published by: Vanessa Meira on Dec 10, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/13/2013

pdf

text

original

» ADOLFO IGNACIO CALDERÓN FLORES (PUC CAMPINAS) » ADRIANA CESAR DE MATTOS (UNESP/RIO CLARO ED. MAT.) » ADRIANA HOFFMAN (UNIRIO) » ADRIANA MARIA CANCELLA DUARTE (UFMG) » ALBERTO ALBUQUERQUE GOMES (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » ALESSANDRA DAVID (MOURA LACERDA) » ALITA VILLAS BOAS DE SÁ REGO (UERJ/FEBF) » ALONSO BEZERRA DE CARVALHO (UNESP/MARÍLIA) » ANA LÚCIA GOULART DE FARIA (UNICAMP) » ANA LÚCIA MANRIQUE (PUC-SP/ED. MAT) » ANA MARIA SAUL (PUC/SP – CURRÍCULO) » ANDRÉA FEZTNER (UNIRIO) » ANNA AUGUSTA SAMPAIO DE OLIVEIRA (UNESP/MARÍLIA) » ANTONIO ALVARO SOARES ZUIN (UFSCAR/PPGE) » ANTONIO CARLOS MIRANDA (UNISAL) » ANTONIO MAURÍCIO CASTANHEIRA DAS NEVES (UCP) » ARISTÓTELES DE PAULA BERINO (UFRRJ) » ARMANDO TRALDI JR. (PUC-SP/ED. MAT) » BARBARA LUTAIF BIANCHINI (PUC-SP/ED. MAT) » BRANCA JUREMA PONCE (PUC/SP – CURRÍCULO) » CARLOS ANTONIO GIOVINAZZO JUNIOR (PUC/SP EHPS) » CARLOS BAUER DE SOUZA (UNINOVE) » CARLOS HENRIQUE GERKEN (UFSJ) » CARLOS ROBERTO JAMIL CURY (PUC-MINAS) » CARMEN CAMPOY SCRIPTORI (MOURA LACERDA) » CÁRMEN LÚCIA BRANCAGLION PASSOS (UFSCAR/PPGE) » CARMEN TERESA GABRIEL (UFRJ)

» CÉLIA FRAZÃO LINHARES (UFRRJ) » CELSO DO PRADO FERRAZ DE CARVALHO (UNINOVE) » CÉSAR DONIZETTI PEREIRA LEITE (UNESP/ RIO CLARO - PPGE) » CEZAR LUIZ DE MARI (UFV) » CLÁUDIA BEATRIZ DE CASTRO NASCIMENTO OMETTO (UNIMEP) » CLAUDIA DE OLIVEIRA FERNANDES (UNIRIO) » CYNTHIA PAES DE CARVALHO (PUC/RIO) » CYNTIA GRAZIELLA GUIZELIM SIMÕES GIROTTO (UNESP/MARÍLIA) » DAISY MOREIRA CUNHA (UFMG) » DÉCIO AZEVEDO MARQUES DE SAES (UMESP) » DILENO DUSTAN LUCAS DE SOUZA (UFV) » DIONE LUCCHESI DE CARVALHO (UNICAMP) » DIVINO JOSÉ DA SILVA (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » EDILEINE VIEIRA MACHADO (UNICID) » ELIANE MEDEIROS BORGES (UFJF) » ELIETE JUSSARA NOGUEIRA (UNISO) » ELISÂNGELA BERNADO (UNESA) » ELIZA BARTOLOZZI FERREIRA (UFES) » ELVIRA CRISTINA MARTINS TASSONI (PUC CAMPINAS) » EVELINE ALGEBAILE (UERJ/PPFH) » FABIANA CIA (UFSCAR/PPGEES) » FATIMA ALVES (PUC/RIO) » GILBERTO APARECIDO DAMIANO (UFSJ) » GRAZIELA ZAMBÃO ABDIAN (UNESP/MARÍLIA) » HELOÍSA HELENA OLIVEIRA DE AZEVEDO (PUC CAMPINAS) » HELOISA SZYMANSKI (PUC/SP: PSIC.EDUCAÇÃO) » INÊS BARBOSA DE OLIVEIRA (UERJ/PROPED)

» IRENE JEANETE LEMOS GILBERTO (UNISANTOS) » IRINEU ALIPRANDO VIOTTO FILHO (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » IVANI FAZENDA (PUC/SP – CURRÍCULO) » IZABEL CRISTINA PETRAGLIA (UNINOVE) » JAIR MILITÃO DA SILVA (UNICID) » JANE SOARES DE ALMEIDA (UNISO) » JOSÉ GERALDO SILVEIRA BUENO (PUC/SP - EHPS) » JOSÉ MILTON DE LIMA (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » JOSÉ PEREIRA PEIXOTO FILHO (UEMG) » JOYCE MARY ADAM DE PAULA E SILVA (UNESP/ RIO CLARO - PPGE) » JUSSARA CRISTINA BARBOZA TORTELLA (PUC CAMPINAS) » KÁTIA REGINA MORENO CAIADO (UFSCAR/PPGEES) » LAELIA PORTELA MOREIRA (UNESA) » LAERTHE MORAIS ABREU JUNIOR (UFSJ) » LANA MARA DE CASTRO SIMAN (UEMG) » LAURINDA RAMALHO DE ALMEIDA (PUC/SP: PSIC. EDUCAÇÃO) » LEA PINHEIRO PAIXÃO (UFF) » LEANDRO DE LAJONQUIÈRE (USP) » LIBÂNIA NACIF XAVIER (UFRJ) » LILIAN MARIA PAES DE CARVALHO RAMOS (UFRRJ) » LUIS ANTONIO GROPPO (UNISAL) » LUIZ ANTONIO SALÉH AMADO (UERJ/PPFH) » LUIZ FERNANDO SANGENIS (UERJ/FFP) » LUZIA BATISTA DE OLIVEIRA SILVA (UNIMEP) » LUZIA BUENO (USF) » MAGALI DE CASTRO (PUC-MINAS) » MARA REGINA MARTINS JACOMELLI (UNICAMP) » MÁRCIA CABRAL (UERJ/PROPED)

» MARCO SILVA (UNESA) » MARCOS SIDNEI PAGOTTO-EUZÉBIO (USP) » MARCUS VINICIUS MALTEMPI (UNESP/RIO CLARO ED. MAT.) » MARGARÉTE MAY BERKENBROCK ROSITO (UNICID) » MARIA AMÉLIA ALMEIDA (UFSCAR/PPGEES) » MARIA ANGÉLICA RODRIGUES MARTINS (UNISANTOS) » MARIA AUXILIADORA BUENO ANDRADE MEGID (PUC CAMPINAS) » MARIA CRISTINA DE SENZI ZANCUL (UNESP/ARARAQUARA – ED. ESCOLAR) » MARIA DA GRAÇA MOREIRA DA SILVA (PUC/SP – CURRÍCULO) » MARIA DE FÁTIMA ABDALLA (UNISANTOS) » MARIA DE FÁTIMA GUIMARÃES (USF) » MARIA DE LOURDES MORALES HORIGUELA (UNESP/MARÍLIA) » MARIA DO SOCORRO A NUNES MACEDO (UFSJ) » MARIA INÊS MARCONDES (PUC/RIO) » MARIA JUDITH SUCUPIRA DA COSTA LINS (UFRJ) » MARIA LÚCIA DE AMORIM SOARES (UNISO) » MARIA SILVIA PINTO DE MOURA LIBRANDI DA ROCHA (PUC CAMPINAS) » MARIA SUZANA DE STEFANO MENIN (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » MARILDA DA SILVA (UNESP/ARARAQUARA – ED. ESCOLAR) » MARÍLIA CLARET GERAES DURAN (UMESP) » MARISA BARLETTO (UFV) » MARLI ELIZA DALMAZO AFONSO DE ANDRÉ (PUC/SP: PSIC. EDUCAÇÃO) » MAURO CASTILHO GONÇALVES (PUC/SP - EHPS) » MIRIAM WAIDENFELD CHAVES (UFRJ) » MOEMA LÚCIA MARTINS REBOUÇAS (UFES)

» MÔNICA FÜRKOTER (UNESP/PRESIDENTE PRUDENTE) » MONIQUE FRANCO (UERJ/FFP) » NEIVA VIEIRA DA CUNHA (UERJ/FEBF) » NORINÊS PANICACCI BAHIA (UMESP) » NORMA SILVIA TRINDADE DE LIMA (UNISAL) » PATRÍCIA CORSINO (UFRJ) » PAULA RAMOS DE OLIVEIRA (UNESP/ARARAQUARA – ED. ESCOLAR) » PEDRO GOERGEN (UNISO) » REGINA CÉLIA GRANDO (USF) » RENATA SIEIRO FERNANDES (UNISAL) » RENATO KRAIDE SOFFNER (UNISAL) » RITA AMÉLIA TEIXEIRA VILELA (PUC-MINAS) » ROBERTA CORTEZ GAIO (MOURA LACERDA) » ROBSON LOUREIRO (UFES) » ROGÉRIO DRAGO (UFES) » ROMULO CAMPOS LINS (UNESP/RIO CLARO - ED. MAT.) » RONALDO ROSAS REIS (UFF) » ROSA MARIA FEITEIRO CAVALARI (UNESP/ RIO CLARO - PPGE) » ROSA MARIA MORAES ANUNCIATO DE OLIVEIRA (UFSCAR/PPGE) » ROSANA GIARETTA S. MISKULIN (UNESP/RIO CLARO ED. MAT.) » RUBENS BARBOSA DE CAMARGO (USP) » RUBENS LUIZ RODRIGUES (UFJF) » SAMUEL MENDONÇA (PUC CAMPINAS) » SANDRA ESCOVEDO SELLES (UFF) » SANTUZA AMORIM SILVA (UEMG) » SELMA BORGHI VENCO (UNIMEP) » SEVERINO ANTONIO MOREIRA BARBOSA (UNISAL)

» SILVIA PIMENTA VELLOSO ROCHA (UERJ/FEBF) » SONIA CÂMARA RANGEL (UERJ/FFP) » SONIA LOPES (UFRJ) » SONIA LOPES VICTOR (UFES) » SONIA MARIA DE VARGAS (UCP) » STELLA CECÍLIA DUARTE SEGENREICH (UCP) » SUELI MARIA PESSAGNO CARO (UNISAL) » VALDETE COCO (UFES) » VANIA REGINA BOSCHETTI (UNISO) » VERA LÚCIA DE CARVALHO MACHADO (PUC CAMPINAS) » VERA VASCONCELLOS (UERJ/PROPED) » ZACARIAS GAMA (UERJ/PPFH) » ZENA EISENBERG (PUC/RIO)

» AHYAS SISS (UFRRJ) » ALICE CASIMIRO LOPES (UERJ/PROPED) » ANTONIO FLÁVIO BARBOSA MOREIRA (UCP) » ARISTÓTELES DE PAULA BERINO (UFRRJ) » CARMEN TERESA GABRIEL (UFRJ) » CLAUDIA DE OLIVEIRA FERNANDES (UNIRIO) » ELISANGELA DA SILVA BERNADO (UNESA) » HELENA AMARAL DA FONTOURA (UERJ/FFP) » JANE PAIVA (UERJ/ PROPED) » MARCELO GUSTAVO ANDRADE DE SOUZA (PUC/RIO) » MÁRCIA SOARES DE ALVARENGA (UERJ/FFP)

» MARCO SILVA (UNESA) » MARIA CECÍLIA FANTINATO (UFF) » MARIA INÊS MARCONDES DE SOUZA (PUC/RIO) » MARIA ISABEL RAMALHO ORTIGÃO (UERJ/FEBF) » MÔNICA MANDARINO (UNIRIO) » PATRÍCIA CORSINO (UFRJ) » RITA DE CÁSSIA FRANGELLA (UERJ/FEBF) » RONALDO ROSAS REIS (UFF) » SONIA MARIA DE VARGAS (UCP) » ZACARIAS GAMA (UERJ/PPFH)

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM EDUCAÇÃO – ANPED FÓRUM DE COORDENADORES DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUDESTE (FORPRED) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO – UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (PPGE/UFRJ) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO – UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (PROPED/UERJ) MESTRADO EM EDUCAÇÃO – PROCESSOS FORMATIVOS E DESIGUALDADES SOCIAIS. FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FFP/UERJ) MESTRADO EM EDUCAÇÃO, CULTURA E COMUNICAÇÃO EM PERIFERIAS URBANAS – FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA BAIXADA FLUMINENSE DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FEBF/UERJ) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO E DOUTORADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE. (POSEDUC/UFF) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MESTRADO EM EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (PPGEDU/UNIRIO) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO – PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO (PUC-RIO) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO, CONTEXTOS CONTEMPORÂNEOS E DEMANDAS POPULARES – UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (PPGEDUC /UFRRJ) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO – UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ (UNESA) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS (UCP) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS E FORMAÇÃO HUMANA - UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (PPFH/UERJ)

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES) FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ) CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPQ)

UM PROBLEMA, UMA TURMA DE EJA: COMUNICANDO IDEIAS MATEMÁTICAS NA SALA DE AULA Adriana Aparecida Molina Gomes (UNICAMP) Dario Fiorentini Essa escritura é um recorte de uma pesquisa de doutoramento, cujo objetivo é compreender como as linguagens presentes no discurso da professora e dos alunos da EJA são mobilizadas e (re)criadas nas aulas de matemática. Os sujeitos são jovens e adultos de uma escola pública. Têmse como questões: “Como se dá e se configura a comunicação de ideias, as (inter)rel(ações), a mobilização e a produção de saberes entre os sujeitos em uma prática social escolarizada de aula de matemática? Como as diferentes linguagens e o discurso nas aulas de matemática contribuem para a apropriação de conhecimentos matemáticos?”. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujos instrumentos são: produções escritas, entrevistas, diário de campo, audiogravação e videogravação. O recorte aqui apresentado está tecido entre as falas de autores vinculados à perspectiva histórico-cultural e as dos alunos protagonistas da pesquisa. A análise preliminar permitiu constatar que os sujeitos, ao realizarem tarefas abertas se mobilizam e se engajam à atividade matemática, levantando conjecturas, argumentando e justificando suas ideias e ‘descobertas’. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos; Comunicação de Ideias Matemáticas; Resolução de Problemas. LETRAMENTO EM AULAS DE MATEMÁTICA DE UMA ESCOLA RURAL Adriana Franco de Camargo Lima (UNICAMP) Dione Lucchesi de Carvalho Este texto se refere à parte de uma pesquisa de mestrado que teve como objetivo analisar eventos de letramento em aulas de matemática de uma escola rural. Foram desenvolvidas atividades para instigar os alunos a relacionar o conhecimento matemático trazido do contexto rural e o mobilizado no contexto escolar. Essas atividades foram organizadas de modo a privilegiar a dimensão ideológica do letramento.

O trabalho de campo foi desenvolvido em uma escola rural, localizada em uma cidade do interior do estado de São Paulo envolvendo alunos do 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental. Desenvolvemos uma investigação sobre a prática da própria pesquisadora utilizando a sala de aula da primeira autora deste artigo, e como material de análise os registros nos diários de campo, as aulas vídeogravadas e o material escrito produzido pelos alunos. O letramento foi um dos eixos de análise da pesquisa. Consideramos que essas aulas privilegiaram a dimensão ideológica do letramento, por abordarem situações do contexto dos alunos, por não se limitarem a um fim em si mesmas e por envolverem discussões e questões mais amplas, como as características do contexto rural e a fonte de informações num contexto escolar. As perspectivas de Street (2004), Barton e Hamilton (2004), Rojo (2009) e Soares (2003, 2004) embasaram teóricometodologicamente esta pesquisa. Palavras-chave: Letramento; Aula de matemática; Escola rural. CONDIÇÕES E CONCEPÇÕES DOS PROFESSORES EM UM ESTUDO SOBRE AVALIAÇÃO DE APRENDIZAGEM EM ESCOLAS CICLADAS Adriana Patricio Delgado (PUC/SP) Este estudo tem como foco central a avaliação de aprendizagem no contexto da progressão continuada em escolas cicladas. A pesquisa teve como objeto de estudo as ações avaliativas em uma escola estadual do município de São Paulo, em turmas de 3º e 4º anos do Ensino Fundamental I. Esse foco foi investigado por meio de observações e relatos de gestores, professores e alunos. Esta comunicação, objetiva apresentar parte das concepções avaliativas desses agentes escolares e as condições presentes na escola e, também, de que maneira tais concepções e condições favorecem, ou não, a viabilização dos preceitos legais relativos à progressão continuada no contexto de escola ciclada. Os estudos feitos refletiram uma realidade escolar que, após a implantação do regime da progressão continuada, passou por algumas mudanças em suas práticas educativas e avaliativas, mas que estas não foram suficientes para alterar concepções e hábitos instituídos na escola,

prevalecendo a avaliação de aprendizagem como um dos elementos classificatórios e seletivos. A permanência destes elementos está intimamente relacionada às concepções dos agentes escolares sobre avaliação de aprendizagem e as condições da escola as quais se mostram fundantes para alterações. Palavras-chave: ensino fundamental, avaliação, ciclos e progressão continuada CONCEPÇÕES E PRÁTICAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS PROFESSORES RIBEIRINHOS DE CRUZEIRO DO SUL NO ESTADO DO ACRE Adriana Ramos dos Santos (UFF) Eunice Schilling Trein A dimensão ambiental vem ganhando destaque nos últimos anos na sociedade passando a ser uma preocupação de todos, inclusive das escolas ribeirinhas que vem incorporando as questões ambientais nas suas atividades de ensino. Dentro dessa perspectiva, procuramos neste trabalho compreender como ocorre o diálogo dos professores com as questões do mundo do trabalho e do meio ambiente, nas escolas ribeirinhas do Miritizal no município de Cruzeiro do Sul no Estado do Acre. Na pesquisa procuramos identificar, sob a ótica da crítica marxista, que mudanças estão ocorrendo no cotidiano escolar a partir das práticas em educação ambiental. Tomamos como fundamento para a análise feita o conceito de trabalho em sua dimensão onto-histórica, o que nos propiciou verificar o complexo de determinações que impactam as concepções e as práticas dos professores nas escolas ribeirinhas em que atuam. Utilizando-nos de elementos da pesquisa qualitativa, realizamos entrevistas junto aos professores de duas escolas ribeirinhas de ensino fundamental. Os resultados obtidos mostraram que o planejamento curricular das escolas ainda não expressa os saberes, a cultura e a identidade dos ribeirinhos do Miritizal. Assim, concluímos que na comunidade existem muitos desafios a serem enfrentados pelo poder público, professores, pais e estudantes e que a educação ambiental crítica pode contribuir para a superação de uma visão fragmentada da realidade e impactar positivamente o projeto

pedagógico das escolas do Miritizal. Palavras-chave: Educação Ambiental, práticas, professores ribeirinhos O TRADUTOR-INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DEALUNOS SURDOS: ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA COM TILS QUE ATUAM NO ENSINO FUNDAMENTAL II Adriane de Castro Menezes Sales (UFSCAR) Cristiane Satiko Kotaki Cristina Broglia Feitosa de Lacerda A partir de discussões sobre língua, linguagem, legislação e o atendimento escolar do aluno surdo, este artigo teve como objetivo analisar os desafios e demandas apontados por Tradutores Intérpretes de Língua de Sinais que atuam pela primeira vez interpretando em turmas do Ensino Fundamental II. Eles fazem a tradução e interpretação dos conteúdos das aulas e interações ocorridas nas salas de aula para os estudantes surdos e também para os ouvintes (alunos e professores). Sobre o método, realizamos uma pesquisa qualitativa, um estudo de caso, na qual utilizamos dois procedimentos de coleta (observação e entrevistas). Quanto aos resultados, foi marcante que para os tradutoresintérpretes a responsabilidade de garantir acessibilidade linguística aos alunos surdos é consenso, assim como a necessidade de formação continuada específica em cursos de graduação ou especialização que possam dar mais fundamentação e profissionalismo ao seu desempenho. desejosos de aprofundar seus conhecimentos para uma melhor atuação profissional, indicando que a formação do ILS não é estática e definitiva; que ela é um processo que acontece em meio às condições históricas nas quais estão inseridos. Palavras-chave: Tradutor-intérprete, língua de sinais e libras; educação

O objetivo deste estudo foi elaborar um protocolo de caracterização e dimensões do recurso de tecnologia assistiva a ser construído frente às características do aluno com deficiência física. em Educação Matemática. auditiva e comunicativa. e um número reduzido de estudos a respeito do desenvolvimento curricular de Matemática para esse alunado. Educação Matemática. e ao olhar do pesquisador em analisar e interpretar as informações coletadas. O Protocolo de caracterização e dimensão de recursos de Tecnologia Assistiva ofereceu uma padronização em relação aos itens referentes à estrutura física.PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: UM OLHAR PARA O QUE EVIDENCIAM ALGUMAS PRODUÇÕES Adriano Vargas Freitas (PUC/SP) Gilberto Januario Armando Traldi Junior Neste artigo. que traz uma análise dos fundamentos. em 2009. fizemos um mapeamento de pesquisas realizadas com a temática EJA. a partir do estudo de práticas pedagógicas desenvolvidas em escolas de Ensino Fundamental da Rede Municipal de Araraquara/SP. 2) Revisar na literatura específica os conceitos referente a caracterização e a padronização dos itens identificados na tarefa 1 a fim de nortear a construção do protocolo. Palavras chaves: Educação Especial. apresentamos parte de um estudo desenvolvido no projeto de pesquisa “O Currículo de Matemática na Educação de Jovens e Adultos: dos intervenientes curriculares à prática em sala de aula”. a preensão e a manipulação dos materiais pedagógicos. nesta comunicação. visual.Tecnologia Assistiva. principalmente nas temáticas didática e resolução de problemas. podendo ser um instrumento capaz de nortear os profissionais que oferecem serviços de Tecnologia Assistiva junto a crianças com paralisia cerebral a pensar nos atributos do objeto a fim de atender as necessidades do individuo. Palavras-chave: Pesquisas em EJA. 3) Elaborar um protocolo de caracterização e dimensões do objeto a ser construído frente às características do aluno com deficiência. periódicos e anais de eventos da área. o trabalho defendido no Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da UNESP de Araraquara. ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE CARACTERIZAÇÃO E DIMENSÕES DE RECURSOS DE TECNOLOGIA ASSISTIVA PARA O ALUNO COM DEFICIÊNCIA FÍSICA Aila Narene Dahwache Criado Rocha (UNESP) Débora Deliberato A caracterização e as dimensões dos recursos de tecnologia assistiva são essências para o processo de adaptação e podem contribuir ou dificultar o movimento. estratégias e métodos utilizados. Participaram deste estudo dois alunos com paralisia cerebral e seus professores. O olhar para as produções foi direcionado por duas categorias de análise: uma (i) em relação ao objeto de pesquisa. Para este estudo. e a outra (ii) em relação à fundamentação teórica e as considerações dos pesquisadores-autores. em programas de pós-graduação. A análise dos dados coletados nos mostrou o desenvolvimento crescente de pesquisas na área da educação de pessoas jovens e adultas. Paralisia Cerebral EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DA REDE MUNICIPAL DE ARARAQUARA: DO PROJETO POLÍTICOPEDAGÓGICO À SALA DE AULA Alexandre Harlei Ferrari (UNESP) Maria Cristina de Senzi Zancul Apresentamos. O procedimento para coleta de dados deste estudo foi dividido em três tarefas: 1) Identificar as necessidades do aluno com paralisia cerebral em relação às características e dimensões do recurso a ser confeccionado a partir da definição de um protótipo do recurso. parâmetros . Desenvolvimento Curricular. O estudo foi baseado na concepção de EA como um processo de ensinoaprendizagem voltado à construção e ao exercício da cidadania. Adotamos como referência a documentação oficial (orientações. princípios e práticas da Educação Ambiental (EA).

buscamos interlocuções possíveis com Santos (2007) e Certeau (2004). Para tanto. para que seus profissionais possam refletir coletivamente sobre o compromisso da escola de se constituir um cotidiano inclusivo.curriculares. para os diferentes anos do ensino fundamental nas escolas que fizeram parte da pesquisa. No entanto. Os procedimentos metodológicos da pesquisa incluíram a análise das propostas de EA contidas nos projetos político-pedagógicos das unidades escolares envolvidas na pesquisa e entrevistas com roteiro semi-estruturado. Currículo. Certeau. Paralisia Cerebral CONHECIMENTO E DEFICIÊNCIA: ELEMENTOS ANTAGÔNICOS OU PROPICIADORES DE NOVOS POSSÍVEIS? Alexandro BragaVieira (UFES) Buscamos apresentar as tentativas e tensões assumidas por uma escola pública de Ensino Fundamental diante da necessidade de contemplar as demandas de aprendizagens de alunos com deficiência no currículo escolar. busca-se criar espaços de reflexão com os gestores para a produção de conhecimentos para a área da Educação Especial e a instituição de ações que garantam os apoios necessários à escolarização desses estudantes nas escolas de ensino comum. . A metodologia de investigação foi a pesquisa-ação colaborativo crítica que busca criar novas possibilidades de ação para o campo pesquisado e colocar os sujeitos envolvidos com a pesquisa em processos de formação continuada. bem como com o pensamento de pesquisadores da área da Educação Especial para problematizarmos as necessidades apontadas pelos gestores para o curso de formação.Tecnologia Assistiva. Como resultado do estudo. regulamentações e leis em nível federal. Formação DAS TENSÕES ÀS POSSIBILIDADES: CONSTRUINDO O CURRÍCULO DO CURSO DE GESTORES EM EDUCAÇÃO ESPECIAL PELAS VOZES DE SEUS PRATICANTES Alice Pilon do Nascimento (UFES) Alexandro Braga Vieira Christiano Félix dos Anjos O texto busca apresentar os movimentos instituídos com gestores educacionais das Secretarias Municipais e Estadual de Educação do Estado do Espírito Santo para organização do currículo do “Curso de Formação para Gestores em Educação Especial”. pois vem se mostrando como uma forma de investigação que aponta para novas possibilidades de ação. enquanto forma os profissionais participantes no estudo desenvolvido. na escola. verificase a necessidade de investimento na sala de aula como espaço de todos os alunos. conceituais e metodológicos para o trabalho pedagógico com a temática ambiental nestas escolas. dependência de laudos médicos – que favoreceram o desenvolvimento de processos de formação continuada com os educadores para reflexão dessas questões. Para tanto. Os resultados obtidos revelaram a existência de uma gama diversificada de projetos e atividades em EA. O estudo buscou interlocuções com as produções de Meirieu. lógicas de normalidade. realizadas com os coordenadores pedagógicos das escolas e com professores que desenvolviam práticas sobre o tema. verificamos que a maior parte das atividades não apresenta fundamentos teóricos. reestruturação dos currículos escolares e criação de espaçostempos. transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação se constituíram em conhecimentos a serem trabalhados no curso de formação que busca colaborar com a garantia do direito à escolarização desses estudantes. Palavras-chave: Educação especial. Adotamos a pesquisa-ação colaborativo crítica como metodologia que norteará todo o processo de formação/pesquisa. as tensões. Esse movimento fez emergir situações que atravessam a escolarização desses estudantes no cotidiano escolar – inexistência de currículos flexíveis. Como resultados. Palavras chaves: Educação Especial. estadual e municipal) e autores que contribuem para o entendimento da questão no âmbito da educação escolar. Sacristán e com a produção de pesquisadores da área da Educação Especial. os desafios e os movimentos que vem sendo realizados nos diferentes municípios do Estado para a inclusão de alunos com deficiência. Santos.

publicação do . foram realizadas sessões de observação da prática educativa em uma escola de educação infantil envolvendo as relações entre as crianças. cognitivas. Participaram seis bebês com necessidades especiais. necessidades especiais. Educação especial. O instrumento de coleta de dados foi um Protocolo de Análise do Desenvolvimento de Bebês no Meio Líquido. Percepções Infantis. afetivas e sociais do bebê. contendo dezoito itens. Enfoque Histórico-Cultural. A investigação se configurou em consonância com um olhar teórico que entende as relações como propulsoras do processo de humanização e a criança como capaz de aprender desde muito pequena. Quando direcionadas aos bebês e às crianças que apresentam necessidades especiais. as atividades em meio líquido são importantes aliadas na busca de um maior potencial de desenvolvimento. Posteriormente. de mediação e de atividade. com delineamento experimental. elaborado pela pesquisadora. Concluiu-se que o programa exerceu influência positiva em vários aspectos do desenvolvimento de bebês com necessidades especiais. de ambos os sexos. Palavras-chave: natação para bebês. Os dados coletados foram analisados partindo das proposições do Enfoque HistóricoCultural acerca dos processos de humanização. Foi empregada pesquisa de campo de caráter exploratório. com faixa etária entre dezessete e trinta e três meses. foi realizado o pósteste. A análise dos dados demonstrou que 100% dos participantes apresentaram mudanças positivas em seu desenvolvimento. não oportunizando as máximas possibilidades de desenvolvimento das capacidades psíquicas humanas. Após a aplicação do pré-teste. os objetos e os adultos. assim como sessões de desenhos e entrevistas semi-estruturadas com as crianças. Currículo. Este estudo teve como objetivo geral verificar o efeito de um programa de estimulação aquática (natação) no desenvolvimento de bebês com necessidades especiais. Formação. Foi possível constatar que as possibilidades de criação e de ampliação das necessidades infantis apresentaram-se restritivas. AS RELAÇÕES NA ESCOLA DA INFÂNCIA E O ENFOQUE HISTÓRICO-CULTURAL Aline Escobar Magalhães Ribeiro (UNESP) Elieuza Aparecida de Lima O presente trabalho resulta de pesquisa sobre relações constituintes do processo de apropriação-objetivação do mundo da cultura humana pela criança na Escola da Infância sob o olhar do Enfoque Histórico-Cultural. Inicialmente aprofundaram-se estudos de questões teóricas referentes às regularidades de formação humana entre os três e os seis anos de idade com base nas proposições do Enfoque Histórico-Cultural. O objetivo específico foi avaliar a evolução no desenvolvimento dos bebês participantes do programa de estimulação aquática nos períodos pré e pós-intervenção. Palavras-Chave: Relações na Escola da Infância. foi realizada uma intervenção com duração de quinze semanas e ao final. desenvolvimento infantil. EDUCAR E CUIDAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA ANÁLISE DO DOCUMENTO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Aline Sommerhalder (UNESP) Maria Lúcia de Oliveira O objetivo desta pesquisa foi investigar o modo como a educação e o cuidado são abordados e concebidos no documento Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. NATAÇÃO PARA BEBÊS COM NECESSIDADES ESPECIAIS: EFEITO DE UM PROGRAMA DE ESTIMULAÇÃO AQUÁTICA Aline Basso (UFSCAR) Mey de Abreu Van Munster A natação para bebês é uma atividade rica em estímulos voltados à ampliação das capacidades e habilidades motoras.Palavras-chave: Gestores.

Nesse aspecto. o modo como a sociedade molda a psicologia dos indivíduos e como esses indivíduos aderem a esse molde e. Por meio do cerceamento da experiência musical puderam mostrar. que . por um lado. implicando o outro humano no atendimento das necessidades da criança e no redirecionamento libidinal. sob responsabilidade docente. por outro. Objetivou-se. Concluiu-se que é preciso posicionar o cuidado como o nutriente da prática educativa. mostrou que a educação e o cuidado são concebidos como práticas integradas.. podemos edificar relações éticas e políticas que levem em consideração a pluralidade humana. amizade O QUE AS CRIANÇAS OUVEM NA ESCOLA? Álvaro José Camargo Vieira (PUC/SP) O presente texto foi motivado pelo estudo elaborado por Adorno e Simpson a respeito da influência da música sobre os indivíduos. de sociedade e de homem. Os conhecimentos produzidos por Freud e Winnicott mostram que o processo de educação/cuidado é intersubjetivo. sobretudo.Ministério da Educação para a área de educação infantil. sala de aula. sem dogmatismos e regulações morais. visando o desenvolvimento de capacidades das crianças. com vistas ao favorecimento do desenvolvimento psíquico do sujeito. Os elementos estudados por eles revelam a complexidade do problema. ESTRATÉGIAS DE ENSINO DE PROFESSORES COM DEFICIÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR Alzira Maira Perestrello Brando (UNIRIO) Leila Regina d’ Oliveira de Paula Nunes Catia Crivelenti de Figueiredo Walter A produção cientifica acerca da Educação Especial tem ampliado de forma exponencial nas últimas décadas. Descortinou-se uma concepção de educação e cuidado sustentada em uma proposta sociointeracionista. Palavras-Chave: Educar. Os autores não tratam especificamente da experiência musical formativa de crianças. Cuidar. nos oferece pistas interessantes para uma prática pedagógica renovada e aberta. o que seria uma experiência formativa. que talvez não esteja sendo utilizado em todo o seu potencial. O exame deste documento. desse modo. de caráter preliminar. sobre o que ouvem as crianças e sobre a importância da escola levar em conta a experiência musical delas. o tema amizade. em seus três volumes. Na escola contemporânea são estabelecidas relações as mais diversas. muitas vezes de diálogos interrompidos. sendo a sala de aula o cenário onde se manifestam e são vivenciadas as mais diferentes concepções de mundo. resgatando o valor do professor de educação infantil nas práticas de educação/cuidado da criança. Para tanto. fazer alguns apontamentos. preocupada com a formação do cidadão e que está distante das contribuições teóricas produzidas pela psicanálise para pensar o processo formativo da criança. como preconiza Aristóteles. em especial pelas evidências de indisciplina e violência que nela se manifesta. experiência. É nesse lugar de conflitos. ao considerá-lo por uma perspectiva sociológica. no seu sentido filosófico e como um sentimento e uma ação que implica uma virtude. A idéia inicial é a de que a questão dos valores na escola é um tema recorrente nos tempos atuais. Palavras-chave: educação moral. Uma parcela significativa desta produção vem mostrando que familiares e profissionais de diversas áreas possuem visões negativas acerca do indivíduo com necessidades REFLEXÕES SOBRE A EDUCAÇÃO MORAL NO MUNDO CONTEMPORÂNEO: A EXPERIÊNCIA DA AMIZADE NA SALA DE AULA Alonso Bezerra de Carvalho (UNESP) Este trabalho aborda os primeiros resultados de uma pesquisa em desenvolvimento que almeja investigar e refletir sobre o processo de formação ou transmissão de valores por meio da escola. mas suas reflexões são interessantes para se pensar o assunto. Procedeu-se à análise documental em uma abordagem qualitativa tomando a psicanálise como fundamentação teórica pelas contribuições de Freud e Winnicott. pensar sobre isso a partir de outras perspectivas pode ser uma tentativa que aqui nos propomos fazer. Educação Infantil. Palavras-chave: ouvinte. música.

Participaram desta pesquisa quatro professores com deficiência. deficiência. concretização. mediados pela leitura que os sujeitos fazem a partir do projeto políticopedagógico institucional. o que demanda a construção de uma postura teórico-metodológica coerente com problema e objeto da pesquisa. Do ponto de vista metodológico. elegeu-se o estudo de caso coletivo (STAKE. debates e utilizam vídeos e recursos multimídia nas suas aulas. Neste texto. Palavra-chave: Professor com Formação inicial. a presente investigação. é dada a voz a professores com deficiência que atuam no ensino superior. com a realização da intervenção.especiais. cultura organizacional. os estudos de casos múltiplos podem contribuir para a construção de uma compreensão mais alargada das práticas pedagógicas. Como percurso metodológico. com utilização do delineamento intra-sujeitos (pré e pós teste) e o delineamento AB. A pesquisa foi desenvolvida em locais de acordo com a preferência de cada participante. ou estudo de casos múltiplos (YIN. sendo escassas as pesquisas que envolvem os aspectos pedagógicos relacionados à aprendizagem da modalidade. transcritas e analisadas através da metodologia de análise de conteúdo. Contudo. estudo de caso. Os resultados mostraram que os professores desenvolvem atividades práticas. Os casos emergem como instrumento para a investigação de um fenômeno complexo. Ainda são poucos os estudos acadêmicos sobre o HCR. Neste contexto. Os resultados analisados permitiram identificar os principais fundamentos do HCR e. em diálogo. considerando a historicidade daquelas e sua construção pelo coletivo institucional. Este estudo visou verificar e discutir as estratégias que os professores com deficiência utilizavam para conduzir suas aulas. Foram utilizadas entrevistas como instrumento de coleta de dados. 2005) como forma privilegiada de acesso às culturas organizacionais de quatro diferentes pré-escolas. utilizando um instrumento de análise de tarefas previamente estabelecido. É na escola que se esses elementos encontram espaço de . 1999). 1994. incapaz. sendo estes submetidos a 2 sessões semanais de intervenção pedagógica por 12 semanas (sendo 4 sessões de linha de base e 20 sessões de intervenção). dependente e com características qualitativamente diversas dos ditos “normais” (MENDES. PROPOSTA DE SISTEMATIZAÇÃO PEDAGÓGICA E AVALIAÇÃO NO HANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS Ana Carolina Santana de Oliveira (UFSCAR) Mey de Abreu van Munster O handebol em cadeira de rodas (HCR) é uma modalidade esportiva ainda pouco difundida e que vem sendo trabalhada recentemente por alguns profissionais da área de Educação Física Adaptada. permitem o acesso ao objeto da pesquisa de forma mais abrangente e profunda. Palavras-chave: práticas pedagógicas. Ensino superior. foram aprendidos e corretamente A ESCOLA COMO OBJETO DE ANÁLISE: O ESTUDO DE CASO COMO ESTRATÉGIA METODOLÓGICA Amanda Cristina Teagno Lopes Marques (USP) Maria Isabel de Almeida Este artigo situa-se no contexto de uma investigação de doutorado já concluída cujo objeto foi o registro e a documentação no contexto do trabalho pedagógico da Educação Infantil. ainda que permeadas por elementos exteriores advindos das políticas públicas e das demandas sociais. NUNES e FERREIRA. Todas as entrevistas foram gravadas em áudio ou em vídeo. podese inferir que todos os fundamentos. uma vez que possibilitam revelar diferentes contextos que. considerando-o como infantil. A pesquisa teve caráter exploratório com delineamento experimental. O objetivo da presente pesquisa foi avaliar um programa de intervenção pedagógica de HCR para pessoas com deficiência física descrevendo seus principais fundamentos. 2002). são escassos os estudos sobre como pessoas com deficiência analisam seu próprio processo de inclusão/exclusão social e educacional. sem exceção. Participaram do estudo 4 pessoas com deficiência física. procuramos destacar a contribuição do estudo da escola para a compreensão das práticas pedagógicas.

nos cursos de Licenciatura em Biologia. Por esta razão. Pedagogia. e que o instrumento construído. pode ser aplicado a demais atletas para avaliação da aprendizagem dos fundamentos da modalidade. que priorizam autores que estudam formação docente. especialmente no curso de Pedagogia. FORMAÇÃO DOCENTE E ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA E OS IMPACTOS E CONTRIBUIÇÕES DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Ana Lucia Cardoso (UMESP) Norinês Panicacci Bahia O século XXI trouxe profundas modificações na organização das sociedades e conseqüentemente no mundo do trabalho no âmbito da educação. A tecnologia é um agente de mudança e as inovações tecnológicas podem resultar em uma revolucionária quebra de paradigma educacional. no tocante a formação de professores. considerando uma experiência em EaD e sua relação com o curso na modalidade presencial a partir dos pressupostos norteadores do Projeto Pedagógico Institucional (PPI) da instituição pesquisada. formação de professores. Estágio Supervisionado. A realização deste estudo permitiu inferir que a intervenção foi eficaz ao promover a aprendizagem do HCR pelos atletas participantes. A pesquisa sobre a prática pedagógica nos espaços concretos em que ela acontece é apontada como um processo inovador para o Estágio Supervisionado. Resultados: a experiência alargou o campo de aprendizagens na vivência com o cotidiano da escola pública. a partir da análise de um recorte da dissertação de mestrado “Caminhos e (des)caminhos da avaliação do deficiente . Foi relevante perceber no decorrer da pesquisa bibliográfica e do estudo de campo que as duas modalidades apóiam-se na concepção de educação que está subjacente e que orienta as escolhas teóricometodológicas adotadas pela instituição no seu PPI. esta pesquisa teve como objetivo geral analisar os impactos e as contribuições que as tecnologias trazem para o campo da formação docente. inovação. Discute o Estágio na atualidade. através do Estágio Curricular Supervisionado. aos estudos iniciados no Mestrado é apresentada uma pesquisa bibliográfica e uma análise de documentos. as possibilidades e limites da aprendizagem da profissão e formação docente. Esporte Adaptado. Palavras-Chave: Handebol em Cadeira de Rodas. Palavras-chave: Estágio Supervisionado. Diante dos impasses de um mundo globalizado surgem novas possibilidades de mediações que geram diferentes perspectivas para os processos educativos com a introdução das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) e da Educação a Distância (EaD). mesmo considerando as contradições em que a mesma está inserida. Buscando dar continuidade no Doutorado. bem como os processos formativos e as práticas inovadoras surgidas nos desafios enfrentados no dia a dia do trabalho escolar.assimilados pelos participantes da pesquisa. Seu objeto de estudo é a relação entre a Escola-campo e a universidade. que teve como objetivo compreender o Estágio no espaço da instituição escolar e nesse contexto. a necessidade de um trabalho coletivo que envolva a escola e a universidade. A FORMAÇÃO DOCENTE NO CONTEXTO DO ESPAÇO ESCOLAR A PARTIR DA PESQUISA: CONTRADIÇÕES E POSSIBILIDADES Ana Lourdes Lucena de Sousa (PUC/SP) O presente trabalho é uma reflexão decorrente da Dissertação de Mestrado. O estudo mostra que a formação docente em EaD deve estar articulada com o processo educativo e ter como eixo a concepção de um sujeito capaz de estabelecer novas formas de expressão e conhecimentos para trabalhar em uma educação do futuro CONSTRUINDO POSSIBILIDADES PARA A AVALIAÇÃO COMO PRÁTICA PEDAGÓGICA INCLUSIVA: PERSPECTIVAS DINÂMICAS E INDICIÁRIAS Ana Marta Bianchi de Aguiar (UFES) Lilian Pereira Menenguci O presente trabalho. processos inovadores na docência e na instituição escolar.

percebemos que as professoras investigadas enfatizam o aspecto cardinal do número deixando de lado o aspecto ordinal. o número como medida e rótulo. Palavras-chave: avaliação. analisamos relações que alunos e alunas do Ensino Médio da Educação de Pessoas Jovens e Adultas (EJA) estabelecem entre conhecimentos matemáticos escolares e conhecimentos cotidianos. Para tanto fundamentaremos nosso estudo em Piaget e Szeminska (1971). QUANDO A MATEMÁTICA PROVÊ MODELOS PARA FALAR DA VIDA: UMA ANÁLISE DE PRÁTICAS DE NUMERAMENTO NO ENSINO MÉDIO DA EJA Ana Rafaela Correia Ferreira (UFMG) Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca Neste estudo. Os resultados apontam a necessidade de que se faça um investimento significativo na reestruturação administrativa das escolas. critérios de avaliação. inclusão A PERCEPÇÃO DAS PROFESSORAS DOS ANOS INCIAIS EM JEQUIÉ – BA SOB A CONSTRUÇÃO DO NÚMERO PELA CRIANÇA Ana Paula Perovano dos Santos Silva (PUC/SP) Sandra Maria Pinto Magina Apresentamos um recorte da pesquisa de mestrado em Educação Matemática em andamento cujo objetivo é investigar a(s) concepção(ões) das professoras dos anos iniciais do Ensino Fundamental. como inclusiva e interventiva. Do que levantamos até o momento. Dentro da perspectiva da pesquisa qualitativa trataremos de uma investigação descritiva que possa refletir a ideia que as professoras possuem em relação a como a criança constrói o conceito de número e como estas trabalham esta construção. crenças. garantindo espaços coletivos de discussões e encaminhamentos para essas questões sem as quais não se pode pensar em educação inclusiva. Nossa abordagem procurou contemplar tais práticas como instâncias de constituição dessas pessoas como sujeitos de cultura. com alunos deficientes intelectuais. identificamos práticas de numeramento que forjam aquela tensão. analisamos depoimentos dos estudantes da EJA. Observa as implicações da avaliação no processo de intervenção pedagógica. Constata a necessidade de promover uma discussão consistente acerca desta temática. na prática. Conclui que a perspectiva dinâmica e o paradigma indiciário se apresentam como possibilidades para uma avaliação que se sustente. bibliográfica. na área educacional. de natureza qualitativa. prática pedagógica. Valendo-nos do aporte teórico dos estudos sobre letramento e numeramento. investiga o que tem sido produzido sobre avaliação. colhidos por meio de entrevistas semiestruturadas. Kamii (1989) e Rangel (1992) sobre a construção do conceito de número e Ponte (2010) no que tange as concepções dos professores. de aprendizagem e de direitos.mental”. provocando uma reflexão acerca dos processos de avaliação e diagnóstico de modo que se constituam em intervenção com o deficiente intelectual. e as narrativas que compusemos a partir de apontamentos de observações e gravações em áudio de aulas de matemática de uma escola pública de Ensino Médio. padrões de comportamento e representações em relação à matemática e ao aprender “a Matemática da escola”. . Esperamos com este estudo fornecer informações que permitam auxiliar aos professores na reflexão sobre a sua prática pedagógica. procurou percorrer os caminhos trilhados no encalço da avaliação e diagnóstico que se pretendem inclusivos. e que se forjam nela. Nessas narrativas. mobilizadas ou constituídas nas interações de sala de aula em que os sujeitos se engajam para discutir valores. estratégias. em Jequié – BA. No Ensino Médio acirra-se a tensão entre a preocupação em trazer para a dinâmica da sala de aula vivências e conhecimentos dos alunos. A pesquisa. sob perspectiva inclusiva. bem como dos trabalhos de Paulo Freire. Sustenta a discussão na abordagem dos estudos histórico-culturais tendo Vigotsky como maior interlocutor ao lado de Lidz (1987) e as contribuições mesmo de Fonseca (2002) em diálogos ampliados com os estudiosos da área. sobre a construção do número pela criança. e a responsabilidade que a escola se atribui de viabilizar o acesso a um conhecimento matemático mais identificado com o formato acadêmico. modalidade EJA.

Educação de Pessoas Jovens e Adultas INVESTIGANDO A EVASÃO EM CURSOS DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Andrea Jaconi (UNISAL) Este trabalho levanta pistas sobre a evasão nos cursos de Qualificação Profissional do Centro de Educação Profissional de Campinas “Prefeito Antonio da Costa Santos”-CEPROCAMP. e a proposta desenvolvida. Palavras Chave: Funcionamento Diferencial do Item (DIF). a aprendizagem e o cotidiano. portanto. professores e coordenação. Tendo em vista as particularidades de um curso de formação profissional ganharam ainda destaque como causas da evasão: a inadequação do currículo. por meio da elaboração e análise de questionários aos atores envolvidos no processo. Matemática e Ciências em muitos países do mundo na perspectiva de avaliar habilidades e conhecimentos requeridos para uma atuação efetiva na sociedade. O referencial teórico desta discussão está embasado nas elucidações advindas do relatório do próprio PISA. Palavras-chave: EJA. Um item apresenta funcionamento diferencial quando alunos de diferentes países que possuem a mesma habilidade cognitiva não têm a mesma probabilidade de acertarem o item. LETRAMENTO EM CIÊNCIAS NO PISA-2006: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE BRASIL E JAPÃO Andriele Ferreira Muri (FEBF/UERJ) Maria Isabel Ramalho Ortigão O Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) fornece informações a respeito da aprendizagem em Linguagem. problematiza algumas imagens construídas sobre as crianças. Aqui. Ortigão.Palavras-chave: Práticas de numeramento. OS SENTIDOS EXPERIMENTADOS PELAS CRIANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA: ALGUMAS PISTAS. Os objetivos principais são. autor que arrisca uma leitura nessa pesquisa. Profissionalização. Ensino de ciências e PISA. bem como na produção de autores como Andriola. A metodologia a ser desenvolvida é a análise do Funcionamento Diferencial do Item (DIF) para identificar as diferenças curriculares bem como as abordagens pedagógicas e socioculturais. foram: trabalho/empregabilidade. a pesquisa procura registrar o que crianças têm a dizer. FUMEC atende aos residentes do município e da região metropolitana tendo como público alvo. Barroso. em Campinas-SP. Lança mão da cartografia associada à pesquisa com o cotidiano. Angela Francisca Caliman Fiorio (UFES) A partir do pensamento cartográfico de Gilles Deleuze. a falta de informação e formação dos professores em conhecer esse público. Educação Matemática. A avaliação atinge estudantes de 15 anos e é realizada a cada três anos. dificuldade para entender o professor. por serem alunos com perfil da EJA. Além desses autores. A grande questão desta pesquisa passa por uma escuta atenta ao que as crianças estão tentando dizer e do quanto são importantes essas . potencializando suas pistas. fazendo-nos repensar sobre a prática pedagógica na Educação Infantil. As causas mais relevantes da evasão identificadas. especificamente. dentre outros que discutem temas relacionados ao DIF. Mantida pela Fundação Municipal para Educação Comunitária. se pretende comparar as diferenças nas ênfases curriculares em Ciências no Brasil e no Japão através do PISA 2006. que também promove o distanciamento entre alunos. transporte. tendo como conseqüência a desmotivação e o abandono por parte dos alunos e frustração dos professores. a pesquisa tomará emprestada. a comunicação e as atribuições falhas dentro do processo educacional. Franco. Aguiar. de Forquin. O curso escolhido para análise foi o de Informática Básica... não correspondência entre as expectativas dos educandos. jovens e adultos. Evasão. verificar se o desempenho dos estudantes brasileiros tem características diferentes do desempenho dos estudantes japoneses e se tais características podem revelar diferentes ênfases curriculares no ensino de ciências praticado nesses dois países. Levada pelos afetos. a noção de currículo aprendido ao investigar as habilidades científicas adquiridas pelos alunos.

o Fundo PP disponível no Arquivo Público da Cidade do Rio de Janeiro. os que estão digitalizados pela Universidade de Chicago. Palavras-chave: Aprendizagem. de escolarização no Recôncavo da Guanabara do século XIX. existem ou são produzidas imagens de crianças que vigoram nos esquemas pedagógicos preparados antes de sua chegada.. História das Instituições Escolares. acreditam que o aluno com deficiência intelectual precisa estar “preparado” para ser incluído em uma turma comum. independente da modalidade de sua atuação. Se. contudo consiste em um desafio para o decifrar e elucidar do que foi o processo . hoje conhecido como Nova Iguaçu. apesar de inúmeros obstáculos.marcada pelas desigualdades e singularidades. Davi. Pelo que foi sentido e percebido. Palavras-chave: Educação Especial – Educação Inclusiva – Deficiência Intelectual POBREZA E EDUCAÇÃO: UMA ANÁLISE CONCEITUAL Antonia Valbenia Aurélio Rosa (UERJ) Sílvio Henrique Vilela Carmen Lúcia Guimarães de Mattos A relação entre escola. salas de recursos e itinerância com alunos com deficiência intelectual. econômicas. sociais e culturais não só do referido município como também da Província onde o mesmo estava alocado. Criança. Palavras chave: Escolarização. sobretudo no que tange à alfabetização. Vivi. fruto de pesquisa em andamento. é apresentar a disseminação de escolas públicas e particulares de primeiras letras no município de Iguassú. embora não garanta ainda seu pleno desenvolvimento e aprendizagem. uma história fragmentada pela distribuição e má conservação das fontes. Sob as leis e as normas. bem como o processo de inclusão escolar dos alunos com deficiência intelectual. Danilo. arrisca a dizer que os movimentos cotidianos de rebeldia estão agindo por entre os campos de ação dos valores estabelecidos. Seu objetivo principal foi o de discutir o papel da Educação Especial e suas modalidades de atendimento educacional especializado no contexto da Educação Inclusiva. a maioria das participantes concorda que a inclusão escolar dos alunos com deficiência intelectual no Município do Rio de Janeiro está acontecendo de forma satisfatória. Para além dessas imagens. Entretanto. Para tal foi utilizada uma metodologia de pesquisa qualitativa com entrevistas semi-estruturadas a percepção das mesmas sobre a política de Educação Inclusiva. fala-se das crianças que conseguem transformar as relações com a aprendizagem e com os espaçostempos onde a vida escolar é tecida diariamente. encontra Rita. REFLEXÕES DE PROFESSORAS ESPECIALISTAS SOBRE A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Annie Gomes Redig (UERJ) Rosana Glat Esta pesquisa analisa as narrativas das professoras especialistas que atuam em classes especiais. Os documentos analisados são os Relatórios Provinciais . provocando mudanças mesmo pequenas. no período compreendido entre os anos de 1833 a 1856. de modo geral.análises do ponto de vista da aprendizagem. ainda arquivos que estão no Arquivo Nacional e no IHGB. na Baixada Fluminense. Província do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro.. Denise e Brendo. A história da escolarização de Iguassú em muito se assemelha a das demais regiões do Império Brasileiro. Todas as especialistas. Cotidiano. essas imagens não interessam. pobreza e políticas públicas como desafios para uma educação INSTRUINDO A MOCIDADE DO RECÔNCAVO DA GUANABARA: ESCOLAS IGUASSUANAS NO SÉCULO XIX (1833-1856) Ângela Maria de Souza Martins (UNIRIO) Jordania Guedes O objetivo deste trabalho. A proposta de apresentação de como se deu o derramar da instrução desta localidade atravessa caminhos que perpassam as questões políticas.

Pesquisa do Programa Prociencia (em andamento 2009-2012). estratégias e métodos utilizados. apresentamos parte de um estudo desenvolvido no projeto de pesquisa “O Currículo de Matemática na Educação de Jovens e Adultos: dos intervenientes curriculares à prática em sala . ou seja. mães e educadoras de duas instituições de educação infantil (uma particular e uma pública). Educação AS PERSPECTIVAS DE PAIS. para além da dimensão econômica. mães e educadoras sobre o que a criança aprende ou deve aprender na educação infantil. nas dimensões sociais e culturais da vida humana. desenvolvida pelo Grupo de pesquisa Etnografia e Exclusão de 2008 a 2010 no Núcleo de Etnografia em Educação (NEtEDU). em EJA. em Educação Matemática.voltada para o processo de ensino-aprendizagem de alunos e alunas em risco social. Fracasso escolar. as orientações curriculares e as práticas pedagógicas advindas das mesmas. Para este estudo. Exclusão. Pesquisas Curricular. fizemos um mapeamento de pesquisas realizadas com a temática EJA. de que forma o conceito de exclusão social contribui na compreensão das desigualdades sociais e nas relações do cotidiano escolar são objetos de estudo deste trabalho. associada à dimensão histórica e nas trajetórias de vida. PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: UM OLHAR PARA O QUE EVIDENCIAM ALGUMAS PRODUÇÕES Armando Traldi Júnior (PUC/SP) Katia Cristina Lima Santana Gilbert Januário Neste artigo. Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd). também. Palavras-chave: Pobreza. de aula”. periódicos e anais de eventos da área. da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FE/UERJ). Na educação. Educação. Esse estudo foi do tipo bibliográfico. MÃES E EDUCADORAS SOBRE A APRENDIZAGEM DAS CRIANÇAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Beatriz de Oliveira Abuchaim (PUC/SP) A expansão significativa da educação infantil no Brasil nas últimas décadas demanda estudos que problematizem como essa educação está sendo desenvolvida. e um número reduzido de estudos a respeito do desenvolvimento curricular de Matemática para esse alunado. O olhar para as produções foi direcionado por duas categorias de análise: uma (i) em relação ao objeto de pesquisa. ao refletir sobre as questões da contemporaneidade. são apresentados dados de uma pesquisa de dissertação de mestrado que investigou como as pessoas adultas. e ao olhar do pesquisador em analisar e interpretar as informações coletadas. Foram feitas observações do cotidiano escolar e análise de documentos. percebem as atribuições dos dois grupos concernentes à educação da criança e a relação que mantêm entre si. Paugam (2003) apresenta a nova pobreza a partir da precarização dos vínculos com o mundo do trabalho. as análises apontam para a exclusão educacional de alunos e alunas de contextos sociais desfavorecidos. Neste estudo. A análise dos dados coletados nos mostrou o desenvolvimento crescente de pesquisas na área da educação de pessoas jovens e adultas. e ainda. principalmente nas temáticas didática e resolução de problemas. e a outra (ii) em relação à fundamentação teórica e as considerações dos pesquisadores-autores. foram realizadas entrevistas com pais. O presente artigo é parte dos resultados da pesquisa Gênero e Pobreza: Práticas. Castel (2008) discute exclusão social em função do aumento das desigualdades e na mudança do perfil da pobreza. tanto na família como na instituição de educação infantil. Esta comunicação visa analisar as percepções de pais. Políticas e Teorias Educacionais Imagens de escolas4. Tecemos algumas considerações onde à pobreza e exclusão social não aparece apenas representada por números. acredita-se ser a escola o espaço para a superação das desigualdades sociais em que vivem. Palavras-chave: Desenvolvimento Matemática. Para tal. Os dados foram transcritos e analisados pelo método de Análise de Conteúdo. em programas de pós-graduação.

Palavras-chave: Intervenções. RELEITURA DE OBRAS DE ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: CONCEPÇÕES E DESAFIOS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Beldia Cagnoni (CUML) Maria de Fátima Silva Costa Garcia de Mattos Esta pesquisa fundamentou-se nos pressupostos teóricos de Lev S. A CULTURA DA SALA DE AULA NUMA PERSPECTIVA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: O DESAFIO DE ENSINAR MATEMÁTICA NUMA SALA MULTISSERIADA Brenda Leme da Silva Mengali (USF) Adair Mendes Nacarato Essa pesquisa. na qual a metodologia de coleta de dados inspirou-se na análise de conteúdo de Laurence Bardin. de modo a estimular todas as potencialidades da criança de forma a prepará-la para a vida. Os resultados apontam para as potencialidades de um ambiente de trabalho coletivo/colaborativo. das produções gráficas infantis e da compreensão das crianças. 3) analisar as aprendizagens professorapesquisadora ao longo da prática de sala de aula e da pesquisa. de abordagem qualitativa. ao evidenciar as apropriações de estratégias de resolução de problemas. o desenvolvimento da sociabilidade e a aquisição de hábitos saudáveis. discutida a partir das concepções dos professores sobre Releitura. 2) analisar os processos de circulação/produção de significações produzidas sobre a matemática. que os conteúdos da educação infantil sejam preparatórios para o ensino fundamental. apesar de um exercício de releitura privilegiar um contato direto com a obra de arte. expressas na leitura visual da obra de arte. estabelecido numa relação dialógica. esperando. em priorizar os resultados. Vygotsky e teve por objetivo verificar como a Releitura de Obras de Arte vem sendo trabalhada com as crianças na Educação Infantil. foi realizada na sala de aula da professorapesquisadora. por exemplo. concluindo que. Educação Infantil. essa ação pode tornarse mecânica.Os resultados indicam que os pais e mães têm uma tendência. Currículo. A produção da documentação foi constituída de: registros escritos. a priorizar o processo de aprendizagem na educação infantil. valorizando o aprendizado lúdico. Seus objetivos são: 1) analisar as formas de interações em sala de aula (aluno-aluno e professora-alunos) e as intervenções pedagógicas da professorapesquisadora que são (ou não) potencializadoras de processos de pensamento matemático. audio e videogravação de algumas aulas. uma turma multisseriada de 4º e 5º anos do Ensino Fundamental. cujo pressuposto é a indissociabilidade da relação entre os processos . Problematizações. de modo geral. interações e intervenções pedagógicas traz para a circulação/produção de significações em matemática?”. Tem como questão central: “Quais contribuições um ambiente de aprendizagem mediado por problematizações. Já as educadoras tendem. em 2009. Obra de Arte. Aprendizagem. Trata-se de uma pesquisa qualitativa etnográfica. Palavras-chave: educação infantil. meramente uma produção de imagens alheias e sem significado. e diário de campo da pesquisadora. Percebeu-se a importância de se ter clareza quanto ao conhecimento sobre o processo de construção do imaginário infantil e a compreensão sobre as estruturas mentais decorrentes no momento de produção/criação nesta faixa etária. Para o referencial teórico adotamos a perspectiva históricocultural. ao refletir sobre a aprendizagem das crianças. Palavras-chave: Releitura. de interações e de intervenções da professora e dos alunos. ESPAÇO GEOGRÁFICO E DESENVOLVIMENTO HUMANO: CRIANÇAS E SUAS GEOGRAFIAS Bruno Muniz Figueiredo Costa (UFF) Este texto baseia-se na pesquisa de mestrado em Educação “Crianças e suas geografias .processos de interação no meio técnico-científicoinformacional”. Interações.

O conhecimento ambiental das crianças e dos adolescentes. entrevista. através de uma pesquisa qualitativa de metodologia etnográfica cujos sujeitos foram crianças em uma escola de educação infantil. de escolas com características diversificadas. Os resultados indicaram que: 1) nas relações de gênero. etnográficos e recursivos. etnografia. Geografia. assim como casos de juízo moral de desrespeito ambiental independente da idade. Os recursos utilizados foram: softwares (EndNote) e (Atlasti. Privilegiamos seus momentos livres. o trabalho procurou compreender as interações das crianças com os objetos de seus espaços geográficos. que participassem de projeto de Educação Ambiental há mais de dois anos. meio ténicocientífico-informacional.de humanização e a construção do espaço geográfico. O público alvo consistiu em 240 crianças e adolescentes da terceira à oitava séries do ensino fundamental de oito anos.). é preliminar e intermediário. sobre a presença dos objetos no espaço escolar e seus diferentes meios de entrada. com os adultos e com as outras crianças). Aproximamos alguns corpos teóricos que pensam o espaço geográfico como meio técnico-científico-informacional (MTCI) às perspectivas da Sociologia da Infância que consideram as crianças como sujeitos sociais ativos e reflexões de Vigotski sobre o desenvolvimento humano. Apresenta-se. principalmente. onde a interferência adulta era menor. dentre outros. a partir dos onze anos de idade. CONHECIMENTO E JUÍZOS MORAIS DE CRIANÇAS E DE ADOLESCENTES SOBRE O MEIO AMBIENTE Carla Luciane Blum Vestena (UNESP) Adrian Oscar Dongo Montoya O presente estudo teve como objetivo analisar o conhecimento e o juízo moral de crianças e adolescentes sobre questões ambientais. entre oito e quatorze anos.125 textos científicos nacionais e internacionais coletados à luz dos descritores: fracasso escolar. No entanto. nesse artigo. Os instrumentos de investigação utilizados foram observações das crianças e dos adolescentes no ambiente escolar e uma entrevista semiestruturada. que discute as formas de interação propriamente ditas (fora do espaço escolar. Palavras-chave: juízo educação ambiental. a segunda. 2) a sala de aula é um dos locais onde se dá os conflitos e a violência escolar e 3) o fracasso escolar permanece a questionar práticas pedagógicas da escola brasileira e contribui aumentar as desigualdades socioeducacionais no Brasil. Palavras-chave: crianças. gênero e pobreza. Ao propor um estudo bibliográfico sobre o fracasso escolar objetivou-se reunir conceitual e analiticamente as explicações sobre o tema apontando os limites e possibilidades para a . contendo questões de conhecimento e de dilemas morais sobre temas ambientais. moral. Os procedimentos metodológicos utilizados foram: bibliográficos. Partimos de duas categorias principais: a primeira. verificamos na análise e interpretação dos dados que o conhecimento ambiental e do Juízo Moral são implicados. em diferentes contextos escolares. PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE O FRACASSO ESCOLAR Carmen Lucia Guimarães de Mattos (UERJ) Paula Almeida de Castro Sandra Maciel de Almeida Este artigo é baseado no conjunto de dados compilados pelo Núcleo de Etnografia em Educação (netEDU – UERJ/FE/ProPEd) em resposta às perguntas da pesquisa Fracasso Escolar: Gênero e Pobreza. Os resultados obtidos demonstraram que a maioria das crianças e dos adolescentes investigados apresenta juízo moral de respeito para com temas ambientais. alunos e alunas utilizam igualmente a feminilidade e a masculinidade para garantir relações assimétricas de poder. Assim. mapas conceituais. O juízo moral de respeito ambiental não apresentou relação com o conhecimento que as crianças e os adolescentes possuíam dos temas ambientais. o estudo bibliográfico – ‘estado da arte’ sobre o fracasso escolar (1956-2010) – que examinou 1. de modo geral. conhecimento.

apesar dos sujeitos da pesquisa só identificarem o início do processo reflexivo após a adoção da mudança. etnografia escolar. mas ao mesmo tempo. Fullan.compreensão dos sujeitos vítimas do fracasso e da exclusão. a partir das contribuições de Rogers. Segenreich Esta investigação objetiva verificar como a proposta de mudança no processo ensinoaprendizagem (reestruturação curricular e adoção de metodologias ativas) está sendo implementada e como docentes e discentes estão vivenciando essa experiência. a observação participante. a diminuição da dualidade teoria/prática e a formação de profissionais crítico-reflexivos. principalmente em relação ao seu papel nos cenários de tutoria. OS JOVENS NO ALMOXARIFADO DAS ESCOLAS NOTURNAS: ALGUÉM ESTÁ COM A CHAVE? Cátia Alvisi (UNICAMP) Dirce Djanira Pacheco e Zan Pretendo neste artigo trazer a escola noturna para o centro das discussões que envolvem a modalidade da Educação de Jovens e Adultos. necessita que por múltiplos fatores os quais discutiremos adiante. Cunha e Almeida. Molina Neto (1997) e Caparroz (1996).. Nesse sentido. atuante no ensino fundamental II. política pública . INOVAÇÃO. observou-se que as concepções docentes e discentes relacionadas ao processo ensino-aprendizagem começam a apresentar mudanças e levantar questões. No curso estudado. Sacristán (1999). buscando conhecer os fatores intervenientes que fundamentalmente a influenciam. gênero. colocando os jovens numa situação de “estocagem” ao fundo da sala ou pelos cantos. Desta forma. já que nem a frequência se permite a eles. os jovens vão e vem sem conseguir efetivar o tal direito a uma educação pública de qualidade. Apple (2006) e autores da Educação Física. que esses “enigmas” não freqüentem o ensino diurno.Metodologias Ativas – Tutoria ATUAÇÃO DE QUATRO PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM DUAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE SÃO PAULO: IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO Celso Marcon (PUC/SP) Esta pesquisa tem como finalidade investigar a participação do professor de Educação Física na elaboração e execução do projeto pedagógico. da Rocha (UCP) Stella Cecilia D. A investigação foi desenvolvida nos moldes de um estudo interpretativo de cunho etnográfico. é possível passar parte de suas horas após um dia exausto de trabalho. MUDANÇA E TRANSFORMAÇÃO NO PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM – A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE ODONTOLOGIA DO UNIFESO Célia Regina C. entrevistas e grupos focais. Palavras chave: juventude(s). entre eles: Bracht (1997).. entre outros teóricos. Afinal de contas. a problemática dos jovens aparece como um grande enigma a ser decifrado por todos os que vivem a Educação de Jovens e Adultos: professores. na pesquisa de mestrado que objetivou compreender o currículo desta modalidade. Hernandez. Tardif e Raymond (2000). Palavras-chave: fracasso exclusão. Palavras-chave: Ensino Superior . É possível perceber o grande conflito existente no cotidiano da escola pesquisada que enfrenta resistências na aceitação da matrícula desses jovens. Constatou-se que a mudança representou um esforço institucional para implantação de uma proposta que prioriza a religação dos saberes. utilizando a análise documental. gestores e funcionários. prática pedagógica. num almoxarifado? Apoiando-se no conceito de discurso de Foucault (2006) foi possível compreender como a representação do jovem centrada apenas na perspectiva biológica é a “Verdade” que impera dentro da escola estadual pesquisada no interior de São Paulo. Fundamentam a pesquisa. como numa mesa de pinguepongue.

Palavras-Chave: escolas rurais. Todas possuem estrutura semelhante à encontrada nas escolas urbanas da mesma Rede e não possuem grande déficit de professores. os alunos apropriamse da linguagem e dos conceitos matemáticos. LEITURA E ESCRITA DE GÊNEROS TEXTUAIS EM MATEMÁTICA. embora de forma tímida. Os dados foram produzidos a partir de registros dos alunos em diferentes gêneros textuais. THERRIEN (2003). com uso de dados do INEP. em que a inferência. enquanto escreve. quando elucidados através de um contexto de investigações. que possui em sua Rede Municipal quatro escolas rurais com turmas dos anos finais do Ensino Fundamental. Foi possível constatar que. Alguns desses professores. tendo em vista um trabalho de intervenção pedagógica com jogos na perspectiva da resolução de problemas. jogos Ensino . A metodologia a ser utilizada será qualiquantitativa. Os objetivos principais são. tem contribuído para a sua integração à proposta pedagógica da escola. Os resultados encontrados apontam que a prática pedagógica do professor de Educação Física. anos iniciais do Fundamental. verificar se o desempenho dos estudantes das escolas rurais tem características diferentes e se podem revelar indícios de adaptação ou até mesmo de superação dessas escolas. (re)significa o conhecimento matemático. Ouvirá também orientadores pedagógicos para refletir sobre o cotidiano dessas escolas. conseguem colocar em prática ações compartilhadas com outras disciplinas. matemáticos. Com a finalidade de analisar a apropriação da linguagem e dos conceitos matemáticos pelos alunos.Professor de Educação Física . lê e comunica. na perspectiva da resolução de problemas — são mobilizados e (re)significados por alunos de um 5º.Utilizamos três instrumentos de coleta de dados: entrevista. Palavras-chave: Prática Pedagógica . ainda que incipiente. portanto. com foco na proficiência na Prova Brasil e nas condições sociais dos alunos. A pesquisa será realizada em Teresópolis-RJ. foi desenvolvida uma sequência de atividades. Palavras-chave: gêneros textuais. MARTINS (2005) e CALDEIRA (1960). entre os quais.Projeto Pedagógico EDUCAÇÃO NO CAMPO E URBANIZAÇÃO: O QUE REVELAM AS AVALIAÇÕES EXTERNAS NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE TERESÓPOLIS Cesar Marques de Medeiros (UERJ) Esta pesquisa pretende investigar a aparente contradição entre a existência de diretrizes curriculares para a educação do campo e a inclusão das escolas rurais em mecanismos de controle do Governo Federal. ano do Ensino Fundamental. como o PNLD e a Prova Brasil. apesar da formação técnica dos professores e da insuficiente estrutura. LEITE (1997). O referencial teórico está embasado em autores que discutem historicamente as políticas públicas de educação para o campo. audiogravação dos momentos de resolução de problemas a partir do jogo e da socialização e diário de campo da pesquisadora. UM PROCESSO DE DIFERENTES LEITURAS Cidinéia da Costa Luvison (Universidade de São Francisco) Regina Célia Grando O presente trabalho refere-se a um recorte de uma pesquisa de mestrado que busca investigar em que medida os conhecimentos matemáticos — explorados em um contexto de leitura e produção escrita em situações de jogo. Prova Brasil. o dialogismo e a relação leitor-autor ajudam a constituir e a desenvolver cada sujeito que. questionário e observação dos professores de Educação Física na Jornada Especial Integral de formação (JEIF). urbanização do campo.

GIIC (10 escolares com distúrbio de aprendizagem. O lazer pode se apresentar a todas as pessoas como um espaço de reconhecimento e valorização de suas semelhanças. . subdividido em: GIIE (10 escolares com distúrbio de aprendizagem. incentivo e apoio para a fruição do lazer. que frequentam clubes sócio-recreativos. significativas para pensar o estabelecimento de políticas públicas que promovam acessibilidade. Adotando a metodologia fenomenológica. na cidade de São CarlosSP. limitações e potencialidades capaz de promover uma vida cheia de sentido. Método: Participaram 40 escolares. diferenças. contribuindo para a construção da cidadania. não submetidos ao programa de remediação fonológica e leitura). Como procedimento foi aplicado o Teste de Desempenho Cognitivo-Linguístico em situação de pré e pós-testagem antes da realização do Programa de Remediação Fonológica e leitura. modalidade fenômeno situado. interferindo diretamente na habilidade de leitura e compreensão dos escolares com distúrbio de aprendizagem. submetidos ao programa de remediação fonológica e leitura). Palavras-chaves: Intervenção. diante de uma história de negação de oportunidades em nossa sociedade. Os processos educativos observados apontaram para a valorização da prática social lazer como um espaço de troca de experiências e afirmação da capacidade de fruição do lazer pelo grupo entrevistado. GIC (10 escolares sem dificuldade de aprendizagem. produção e manipulação dos sons e sílabas. sendo que estes foram divididos em: GI. submetidos ao programa de remediação fonológica e leitura). pois proporcionou melhora na percepção. e na fenomenologia de Maurice Merleau-Ponty. foram entrevistadas seis pessoas com deficiências físicas e visuais. a partir das interrogações: “Qual o significado do lazer na sua experiência de vida?” e “O que você aprende e ensina na sua vivência de lazer?”. Leitura LAZER DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS FÍSICAS E VISUAIS: SIGNIFICANDO. Como referencial teórico. Resultados: os resultados evidenciaram diferença estatisticamente significante entre os GIE e GIC e GIIE e GIIC indicando que os escolares submetidos ao programa obtiveram melhor desempenho em situação de pós-testagem se comparado a pré-testagem. não submetidos ao programa de remediação fonológica e leitura) e GII. a pesquisa foi baseada na ética da existência do outro e na educação libertadora propostas por Enrique Dussel e Paulo Freire. subdivididos em: GIE (10 escolares sem dificuldade de aprendizagem. Transtornos de aprendizagem. APRENDENDO E ENSINANDO Cláudia Foganholi (UFSCAR) Luiz Gonçalves Junior A presente pesquisa teve como objetivo compreender os processos educativos decorrentes da prática social lazer de pessoas com deficiências físicas e visuais. indicando situações de possível combate à posturas e atitudes preconceituosas. Conclusão: a realização deste estudo evidenciou que o programa de remediação fonológica e leitura foi eficaz. nos estudos em práticas sociais e processos educativos.EFICÁCIA DE UM PROGRAMA DE REMEDIAÇÃO FONOLÓGICA E LEITURA EM ESCOLARES COM DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM Cláudia da Silva (UNESPA) Simone Aparecida Capellini Objetivo: verificar a eficácia terapêutica de um programa de remediação fonológica e leitura em escolares com distúrbio de aprendizagem.

discutindo que concepções sobre Arte são veiculadas como discursos hegemônicos sobre este campo. Ele foi escrito a partir da tese de doutorado “Espaços de livro e leitura: um estudo sobre as Salas de Leitura de escolas municipais da cidade do Rio de Janeiro” (PIMENTEL. apesar das mudanças administrativas na gestão municipal. Trata-se de uma pesquisa qualitativa descritiva. na qual a coleta de dados se deu por meio de observações empíricas das atividades infantis registradas em um diário de campo. Literatura infantil. as salas de leitura cariocas têm consolidado um trabalho pedagógico relacionado: a) composição dos acervos. Palavras-chave: literatura infanto-juvenil. Os fundamentos teóricos são a Psicologia e a Epistemologia Genética de Jean Piaget e autores seguidores na linha psicogenética. GOUVEA. 2004.A LETRA E A IMAGEM. Um dos resultados alcançados revelou que a produção de livros de arte para este público duplicou nas duas últimas décadas incentivada por uma política educacional voltada para o aquecimento do setor editorial neste segmento. Brasil. no interior do estado de São Paulo. tendo por base o método clinico crítico piagetiano. Sala de leitura. Segue-se no momento uma reflexão crítica sobre a educação estética e a formação cultural propostas nas ações governamentais. principalmente aquelas voltadas para formação de leitores. modalidades artísticas. as ilustrações dos livros sustentam um horizonte de interpretação para as crianças. uma vez que só conseguem agirem guiadas por seus desejos e interesses mais imediatos. Palavras-chave: Linguagem. isto é. formação de leitores ENTRE LETRAS E IMAGENS: A CRIANÇA E A LITERATURA INFANTIL Claudia Pimentel (UFRJ) Nesse artigo. favorecendo a narratividade e a constituição do leitor. O RESPEITO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM ESTUDO SOBRE OS PROCESSOS DE INTERAÇÃO DAS CRIANÇAS NO COTIDIANO ESCOLAR Cláudia Regina da Silva Dourado (CUML) Carmen Campoy Scriptori O presente estudo realizou-se com o objetivo de investigar atitudes de respeito na interação entre pares de uma escola pública de Educação Infantil. Palavras-chaves: Linguagem. A PRODUÇÃO LITERÁRIA EM ARTES VISUAIS. foi considerado o que as crianças fazem com os livros. A partir de considerações sobre a produção cultural das crianças como sujeitos da linguagem que reproduzem e interpretam seu meio social (SARMENTO. de . educação estética. 2010). linguagem visual. apresento a análise de dois eventos observados durante pesquisa realizada numa sala de leitura de unidade escolar da Secretaria de Municipal de Educação da cidade do Rio de Janeiro. e c) formação do estudante leitor. buscando verificar que conceitos sobre arte e projetos editorias foram privilegiados. para ser leitor. mas não é suficiente. o conhecimento sobre a codificação alfabética é importante. A análise dos dados mostra um elevado egocentrismo no comportamento das crianças. exploratória. A análise do material mapeado fundamenta-se em uma semiótica da imagem. Literatura infantil. história da arte brasileira e da arte geral. b) formação do professor de sala de leitura. O ENSINO DA ARTE E A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES NO BRASIL Claudia Maria Mauad de Sousa Andrade (UFF) Ronaldo Rosas Reis A comunicação tem como objeto de estudo a produção bibliográfica sobre artes visuais voltada para o público infanto-juvenil da década de 1990 até a atualidade. Foram listados aproximadamente duzentos livros. 2007). e de entrevistas sobre os conflitos surgidos. nas seguintes categorias: biografia de artistas. Sala de leitura. O estudo realizado revela que. A análise revela que o livre acesso aos livros oferecido como proposta de escolarização da leitura pode ser ampliado pelos professores se considerarem as experiências das crianças. bem como uma falta de consciência e objetividade tanto na ação própria como de uma ação cooperativa. O rigor proposto foi reflexivo e filosófico e os achados da pesquisa foram construídos numa perspectiva de provisoriedade.

condição necessária para a formação de sua personalidade e direito fundamental inerente a pessoa humana. Palavras-chave: interações sociais. concluímos que há uma relação entre o desempenho do aluno com o empenho do professor em elaborar material contextualizado com a sua realidade profissional. fotografias. Nesse sentido. entrevistas e acompanhamento de atividades realizadas na disciplina Estatística. espaço leitura-escrita. no próprio conflito surgido entre os pares.grupo. Desta pesquisa. anos iniciais. confrontando com nossos resultados obtidos numa instituição de ensino superior. respeito ESPAÇO-FRONTEIRA: A TENSÃO DA PROFESSORA-PESQUISADORA NO DESENVOLVIMENTO DE UMA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO Cleane Aparecida dos Santos (Universidade de São Francisco) Adair Mendes Nacarato Este trabalho é o recorte de uma pesquisa-ação estratégica de abordagem qualitativa cuja questão central é: Como o registro fotográfico e o processo de escrita dos alunos dos anos iniciais promovem o movimento de elaboração conceitual em Geometria na sala de aula? Teve como objetivos: 1) Analisar as potencialidades de utilização da máquina fotográfica pelos alunos nas aulas de Matemática. espaçosonho e espaço-fronteira. O presente recorte visa analisar as imagens do espaço-fronteira produzidas por alunos do 5º ano de uma escola do município de Jundiaí. a partir da observação. 2) A discussão das espacialidades possibilitadas pelas imagens produzidas pelos alunos com a máquina fotográfica. infere-se a necessidade do professor agir como mediador dos conflitos. quando este é reproduzido em imagens fotográficas. 3) Analisar as percepções do espaço escolar pelos alunos. uma forma de refletir com as crianças sobre a compreensão do outro e de si próprio para vivenciar relações de respeito no cotidiano da escola. Nessa categoria identificamos quatro subcategorias: espaço-controle. entre pares. O objetivo é o de inferir como os graduandos formulam suas concepções e constroem os Testes de Hipóteses. Palavras-chave: Inferência Estatístico – Teste de Hipóteses. A professora-pesquisadora produziu seu diário de campo com suas observações e reflexões. conflitos sociomorais. A análise dos dados centra-se em duas categorias: 1) A elaboração conceitual em Geometria. quando estes buscam registrar os espaços escolares. para o entendimento da formação do pensamento necessário a competência em Estatística. Partiremos de pesquisas realizadas em outros países. 2) Analisar o movimento de elaboração de conceitos geométricos a partir das imagens produzidas e retratadas em narrativas orais e escritas. Pensamento . buscando. As imagens produzidas foram acompanhadas de registros escritos no qual os alunos justificavam a escolha das cenas fotografadas. Palavras-chave: ensino de Geometria. AS CONCEPÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM TESTES DE HIPÓTESES NO DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO INFERENCIAL Claudinei Aparecido da Costa (PUC/SP) Cileda de Queiros e Silva Coutinho Este artigo propõe um estudo sobre a aquisição conceitual ou procedimental de conhecimentos para a formação de competências em alunos de graduação utilizando Testes de Hipóteses.

conhecimento e movimento. que ainda concebem a criança enquanto falta. CONSELHO DE CLASSE NÃO MUDOU EM 40 ANOS: UMA ANÁLISE CRÍTICA DE DOCUMENTOS LEGAIS E CIENTÍFICOS – CONTRADIÇÕES E DIVERGÊNCIAS ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA Daiane de Macedo Costa (UERJ) Carmen Lúcia Guimarães de Mattos O presente artigo é parte dos resultados da pesquisa “Fracasso Escolar no Brasil: Gênero e Pobreza (2008-2010)” desenvolvida pelo Grupo de pesquisa Etnografia e Exclusão no Núcleo de Etnografia em Educação (NEtEDU). Na prática mantém-se a orquestração de professores junto à coordenação pedagógica e a direção. buscando as revelações dos diários como: 1º: confidente. Henri Wallon VOZES. MATTOS. os diários como instrumento metodológico ou pedagógico. dentre elas a de que ele permanece imutável desde a década de 70 e de que existem disparidades entre a teoria e a prática. Não raramente. A análise dos dados foi desenvolvida por meio de temas. da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (EDU/UERJ). OLHARES. diário. um melhor conhecimento da realidade sociocultural dos mesmos por parte do professor. em um processo aprendente. 2005). podemos ressignificar a permanência de concepções pedagógicas que atravessam os saberes e fazeres no cotidiano escolar da Educação Infantil. que precisa adotar um conjunto de orientações metodológicas quando o foco é a recolha das vozes das crianças. no ano de 2005. ao ouvi-las. promovendo outras relações entre adultos e crianças. Nesta pesquisa. É um estudo do tipo bibliográfico que inclui as análises de artigos por (SOUZA. REVELADA POR SEUS DIÁRIOS Clério Cezar Batista Sena (PUC/SP) Laurinda Ramalho de Almeida A presente pesquisa teve como objetivo investigar o que revelam os diários dos alunos da 4ª série do ensino fundamental de uma escola da rede pública municipal de uma cidade da Grande São Paulo. Os resultados apontam que o diário possibilitou um estreitamento das relações afetivas entre professor e alunos. 1984. são desafios colocados aos professores que habitam o cotidiano escolar da Educação Infantil. defendo as vozes das crianças: acredito que. pretendo contribuir para que as vozes das crianças sejam ouvidas em suas potencialidades. até por se tratar de um campo de estudo emergente.A ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL VIVIDA PELO ALUNO. Foram analisados 18 diários escritos com objetivos pedagógicos. d) medo. e retomados como objeto de pesquisa. 3º: instrumento de comunicação entre professor e alunos. 1995. o mesmo que juntamente com os seus . 1998. 2004) e de documentos oficiais sobre o tema. possibilitam um melhor conhecimento do aluno como pessoa: afeto. amigo íntimo. Ouvir as crianças em suas diferenças. aprender com elas. 4º: instrumento para o conhecimento do meio sociocultural dos alunos. O referente teórico foi a teoria de desenvolvimento de Henri Wallon. além de uma relação afetiva dos alunos com o instrumento diário. muitas vezes ao fracasso do aluno. 2º: depositário de emoções e sentimentos: a) alegria. do Programa de PósGraduação em Educação (ProPEd) e teve como objetivo investigar o papel do Conselho de Classe (COC). Neste sentido. GESTUALIDADES: OS DESAFIOS DE APRENDER COM AS CRIANÇAS NO COTIDIANO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL Cristiana Callai de Souza (UFF) Este trabalho apresenta os desafios de uma pesquisa com crianças no cotidiano escolar da Educação Infantil. as crianças nos desafiam com suas vozes. de livros por (ROCHA. Os testemunhos infantis ainda são pouco utilizados como fonte de pesquisa. b) tristeza. Palavras-chave: afetividade. assumindo a educação com as crianças. DALBEN. c) raiva. não-saber. Palavras-chave: Criança – Infância – Cotidiano Escolar. olhares e gestualidades a refletir sobre coisas que ainda não havíamos pensado. Os membros do COC complementam em suas análises as falas e comentários uns dos outros e assim constroem avaliações que levam. Estas análises serviram para traçar algumas considerações sobre os COCs. Portanto. ausência.

instaurava-se o conflito do "algoritmo": tal conflito emergia quando os alunos se deparavam com situações-problema que conseguiam resolver fazendo uso de recursos e procedimentos próprios. O movimento desse grupo. sem valor. memórias. simplesmente por que o entendiam como o procedimento correto. NARRATIVAS E HISTÓRIAS: A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS DE SÃO GONÇALO. Palavras-chave: ensino de matemática. frustrações e conquistas. da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP/UERJ). os saberes que utilizavam em práticas não-escolares eram tidos como falsos. TENSÃO NAS AULAS DE MATEMÁTICA DA EJA ACERCA DOS DIFERENTES PROCESSOS ALGORÍTMICOS: O CASO DO ALGORITMO DE CÁLCULO ESCRITO CONVENCIONAL Daniela Aparecida da Silva (Universidade de São Francisco) Alexandrina Monteiro Esta pesquisa tem suas origens numa experiência vivenciada por mim (pesquisadora) na condição de professora de matemática numa turma do ensino fundamental II na Educação de Jovens e Adultos. Gênero. intervém nas políticas implementadas. o mundo está sendo” e nos remete a compreensão da história como possibilidade. narrativas . subjetivam e sujeitam as pessoas. quando na verdade desejavam aprender os procedimentos algorítmicos apresentados tradicionalmente pela instituição escolar. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos. p. lutas. por várias vezes. regimes de verdade MEMÓRIAS. nos faz perceber o que Freire (1999.85). disputas. Na pesquisa tivemos como compromisso maior reunir narrativas sobre uma história que vem sendo tecida coletivamente na Educação de Jovens e Adultos da rede municipal de São Gonçalo (EJA/SG).RJ Daniela Bruno Quintanilha (FFP/UERJ) Mairce da Silva Araújo O presente texto é um recorte da pesquisa de mestrado desenvolvida junto ao Programa de Pós-graduação em Educação Processos Formativos e Desigualdades Sociais. Fracasso Escolar. narrativas que revelam uma trajetória repleta de desafios. entendendo que a mesma está sendo construída no presente pelos sujeitos que dela participam podendo. desde a década de sessenta anunciava. transformando-as em um certo tipo de sujeito. as quais constituem. educação de jovens e adultos. e que vem sendo trilhada por professores/as na luta pela efetivação de um direito que vem sendo negado historicamente a grande parte da população brasileira: o direito à escolarização. o estudo demonstra que a escola se posiciona de maneira pouco construtiva para contribuir com o desenvolvimento acadêmico do mesmo. Dessa forma. Essa situação levoume. Em decorrência disso. Durante as aulas. A construção dos dados se deu pela a observação das aulas de matemática de uma classe de EJA multisseriada com turmas de 3ª e 4ª séries e por entrevistas semi-estruturadas. então a problematizar as “verdades” que circulam no espaço escolar. redes de solidariedade. Isso não me pareceu problemático até o momento em que pude perceber que o desejo em aprender o algoritmo escolar relacionava-se ao fato dos alunos atribuírem a ele o sentido de verdadeiro ou de correto. que “o mundo não é. em contraposição aos procedimentos que utilizavam. ser modificada. que discute o projeto de educação do município e. Participaram da pesquisa duas alunas e a professora da turma observada. Palavras-chave: Conselho de Classe. contradições. de alguma maneira.pais não tem voz. sonhos partilhados. para esse grupo. portanto.

2) visitas domiciliares para realização de entrevistas. Pais. do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) por meio do seu Centro de Educação a Distância (CEAD). A Educação a Distância (EaD) ainda apresenta-se como um desafio e/ou até desconfiança para muitos docentes e instituições de ensino. após mais de 25 anos do estudo inicial. da execução do curso. Capacitação de Professores Especialistas e Material Instrucional O PROCESSO DE PROGRAMAÇÃO DE ENSINO NA CONSTRUÇÃO DE UM TREINAMENTO DE PAIS COMO AGENTES FAVORECEDORES DE COMPORTAMENTOS DE ESTUDO Danila Secolim Coser (UFSCAR) Ana Lucia Cortegoso O envolvimento dos pais com o estudo dos filhos é fator importante para que a criação de condições de estudo adequadas sejam estabelecidos o mais cedo possível na vida escolar. A CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES ESPECIALISTAS PARA A MODALIDADE A DISTÂNCIA – ÓTICA DO DESIGNER INSTRUCIONAL Danielli Veiga Carneiro Sondermann (IFES) Wagner Kirmse Caldas Este artigo apresenta um estudo sobre a capacitação de professores especialistas para a modalidade a distância. Com base na teoria da análise do comportamento e da tecnologia de ensino denominada “programação de ensino” pode-se criar programas de treinamento cujo objetivo final é formar pais para atuarem como agentes favorecedores do comportamento de estudos de crianças. Comportamento de estudo. O trabalho de campo foi realizado em um bairro na cidade de São Paulo constando de três etapas principais: 1) localização dos sujeitos. Palavras-chave: Fracasso escolar. a investigação envolveu pesquisa empírica e ampla revisão bibliográfica. nas repercussões e nas marcas que experiências de consecutivas reprovações escolares no início da escolarização imprimem à trajetória dos indivíduos. Apresenta-se neste artigo desde a concepção do planejamento do curso de Capacitação de Professores Especialistas.Tendo questões sobre a escolarização como ponto de partida. Percebemos que as trajetórias de nossos entrevistados são frutos de uma complexa combinação que envolve relações e vivências com pessoas e instituições. Os resultados do trabalho evidenciam o potencial da programação de ensino. Palavras-chave: Planejamento. 3) análises dos registros ampliados e das transcrições das entrevistas. Os procedimentos metodológicos exigiram o desenvolvimento de estratégias variadas para localização das quatro pessoas envolvidas. por tentativa-e-erro e controle coercitivo. Palavras-chave: Programa de ensino.HISTÓRIAS DE ESCOLARIZAÇÃO: O ITINERÁRIO DE UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DE EXPERIÊNCIAS DE (RE)PROVAÇÃO ESCOLAR Daniele Kohmoto Amaral (USP) Esta comunicação aborda o tema do fracasso escolar. As análises dos dados tiveram como aporte teórico autores que trabalham com história oral e pesquisa (auto)biográfica e apontam para percursos escolares que tomaram direções bastante distintas. interpretadas como (im)possibilidades de apoio ou incentivo. das disciplinas ofertadas e suas ementas. . Os produtos deste processo irão subsidiar a construção e avaliação de material didático instrucional individualizado para formação de pais como agentes favorecedores de comportamento de estudo. evitando que esta aprendizagem ocorra ao acaso. dos resultados obtidos e da análise dos resultados após a oferta da primeira turma. A formação dos professores para esta modalidade apresenta-se como um dos requisitos básicos para alcançar a qualidade desejada a um curso oferecido na modalidade a distância. inclusive escolares. Histórias de vida. Escolarização. partiuse dos quatro estudos de caso apresentados por Maria Helena Souza Patto na obra A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. O presente estudo tem como objetivo apresentar o processo de programação de ensino utilizado para proposição de um programa de treinamento destinados a pais em geral lidarem adequadamente com o estudar dos filhos. Para a realização da pesquisa. com ênfase nos sentidos.

passo a passo. Procuramos responder às seguintes perguntas: “ERA UMA VEZ. na medida em que entendemos. As aulas gravadas e transcritas foram analisadas. a partir do movimento de contação de histórias. bem como o que elas poderiam ter dito. juntamente com Sarmento (2004). que as crianças não são receptores passivos de uma cultura que lhes designa papéis sociais. 2009). seja na forma sob a qual a interpretam e integram. A articulação da matemática com as histórias infantis possibilitou o desenvolvimento do pensamento matemático e destacou-se também o aspecto cultural e a “situação imaginária”. registros pictóricos e gráficos das crianças e o diário de campo da pesquisadora. das problematizações e das diferentes estratégias utilizadas pelas crianças.. em diferentes espaços e tempos. evidenciando a possibilidade de pensarmos uma escola que reconheça as crianças como sujeitos que pensam a sociedade e a reproduzem criativamente (Corsaro. O CURRÍCULO E A SALA DE AULA: OS DESAFIOS REVELADOS NA RECONSTRUÇÃO DO PROCESSO PEDAGÓGICO O texto baseia-se na nossa dissertação de Mestrado. na resolução dos problemas. e interpretadas segundo a metodologia hermenêutica objetiva. participam ativamente da construção de nossa sociedade tecendo considerações que muitas vezes sob o ponto de vista adulto não conseguimos atentar. a partir das suas próprias práticas. procurando reconstituir o processo pedagógico operado na sala de aula e identificar as interações da disciplina com o contexto escolar e social.” HISTÓRIAS INFANTIS NA APRENDIZAGEM MATEMÁTICA: POSSIBILIDADE DE PROBLEMATIZAÇÕES Edilaine Rodrigues de Aguiar Martins (Universidade de São Francisco) Regina Célia Grando A presente pesquisa buscou investigar a possibilidade de aprendizagem matemática pela criança durante o desenvolvimento de um projeto de Contação de Histórias. A documentação consistiu em: videogravação. Analisamos as . Os dados são apresentados por meio de episódios. A partir de relações vividas com as crianças. Palavras-chave: histórias infantis. seu cotidiano e suas práticas.. se considerarmos a perspectiva problematizadora que adotamos nessa pesquisa. Palavras-chave: Pesquisa com Educação Infantil – Cotidiano Crianças – potencialidades das histórias infantis como mobilizadoras para a resolução de problemas e aprendizagem matemática pelas crianças. historicamente consideradas sujeitos em falta. Elas também operam transformações na cultura. mas deixaram de fazê-lo. revelando indícios de que pouco sentido um determinado conceito matemático pode ter para a criança. Os caminhos de nossa investigação apontam que as crianças. que buscou o desvendamento do processo pedagógico na sala de aula. seja produzindo efeitos nessa cultura. a pesquisa busca tecer algumas reflexões em diálogo com as falas das crianças e com as formas pelas quais expressam seus conhecimentos e suas percepções acerca da escola. analisando registros de aulas de Ciências em uma turma de 9º ano do Ensino Fundamental de uma escola da Rede Estadual de Minas Gerais. problematização. Buscamos refletir sobre as formas de negociação que as crianças utilizam nas suas relações com os adultos e com seus pares. Focamos tanto o que as crianças disseram como hipóteses de resolução. desenvolvida pelo sociólogo alemão Ulrich Oevermann. As análises evidenciaram que as crianças são capazes de resolver problemas. O espaço em que as atividades foram desenvolvidas é não-formal e se trata de um espaço cultural num Parque Municipal em Várzea Paulista/SP.“EU OLHO NO ESPELHO E VEJO EU!” ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE O QUE FALAM AS CRIANÇAS NA ESCOLA Deylla Wiviane de A B Caetano (FFP/UERJ) Mairce Araujo O trabalho apresenta dados referentes à uma pesquisa realizada durante dois anos em uma escola de Educação Infantil. Como fundamentação teórico-metodológica adotamos uma perspectiva histórico-cultural. educação matemática. freqüentado por crianças de diferentes idades.

de natureza quali/quantitativa. Palavras Chave: Currículo. como Tardif (2002). levando-os à tentativa ou à necessidade de justificar uma posição. ajudaram os estudantes a pensar em forma de argumentos. Os resultados confirmaram a hipótese inicial a partir de dados descritos e analisados sobre algumas caracterizações dos professores em relação à constituição dos saberes docentes. Hermenêutica Objetiva Teoria Crítica. ou seja.e de um questionário editado no Google-Docs. nos momentos de lida efetiva com o conhecimento na sala de aula. fato que sinaliza a possibilidade de a escola poder vir a concretizar a função para a qual. Tomazello O presente trabalho refere-se a um recorte de uma pesquisa de mestrado. mais identificada como opinião pública. mas também na experiência da profissão. Este tem por objetivo analisar as opiniões/argumentos de graduandos de vários cursos da Universidade Federal de Goiás/Campus Catalão sobre a participação popular em assuntos tecnocientíficos.Que conhecimentos e que habilidades são produzidas nas aulas de ciências? Pode-se aferir. A pesquisa evidenciou o predomínio do senso comum. O PROCESSO DE CONSTITUIÇÃO DOS SABERES DOCENTES NA OPINIÃO DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA Elaine Gomes Matheus Furlan (PUC/SP) O presente trabalho apresenta resultados de pesquisa de natureza empírica realizada entre 2008 e 2009. Tem como objetivo compreender alguns aspectos a respeito do processo de constituição dos saberes docentes por meio de um estudo com professores iniciantes de Química. A PARTICIPAÇÃO POPULAR EM ASSUNTOS TECNOCIENTÍFICOS: OPINIÕES DE ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Elânia Maria Marques Bergamaschi (UNIMEP) Maria Guiomar C. das aulas. Palavras-chave: Movimento CTSA. Os textos e imagens sobre a instalação da usina. que sentidos assume a disciplina na vida escolar dos alunos e na própria escola? Para a discussão buscou-se o aporte teórico em dois campos: o do currículo e o da Teoria Crítica de Theodor Adorno. com os seus prós e contras. mas divergem em relação às pessoas e/ou grupos que deveriam ser consultados e sobre quais seriam os melhores canais de participação. A pesquisa. Foram utilizados como procedimentos metodológicos observações e entrevistas com roteiro semi-estruturado. consideram necessária a participação da população em assuntos tecnocientíficos. em sua maioria. WebQuest. em processos de socialização dentro e fora da sala de aula. Química. desde seu início. Baseando-se em estudos recentes e referenciais teóricos que discutem questões relacionadas à temática do professor iniciante e aspectos que constituem os saberes docentes. Palavras-chave: Professores Iniciantes. Os resultados indicam que os alunos. Entretanto. Ensino Médio. . proporcionando informações suficientes para análises quantitativas e qualitativas. na qual foram perscrutadas questões sobre a controversa instalação da Usina Hidrelétrica (UHE) Serra do Facão/GO. percebeu-se o interesse e a participação ativa dos alunos. no município de Catalão/GO. contendo questões objetivas e discursivas sobre a UHE Serra do Facão/GO e a participação popular. fez uso de um instrumento didático-pedagógico -HidroQuest. frequentemente permeado por muitos erros conceituais agravados pela deficiência do material didático. firmou-se hipótese inicial voltada para a idéia de que os saberes docentes não são constituídos apenas na formação inicial dos professores. Participação popular. foi criada.

CURRÍCULOS PRESCRITOS NO BRASIL. Chile. Educação Matemática. Foi feita . Hernandez. A análise documental realizada até o momento revela muitas semelhanças e sugere a incorporação de resultados de pesquisas da área de Educação Matemática nos currículos prescritos dos países pesquisados. Anastasiou e Alves. por uma equipe de professores em um curso de licenciatura de Matemática na modalidade a distância. Paraguai. Estudo comparativo. A pesquisa se orienta pelas questões: como esta equipe pode ser caracterizada como autores e professores considerando a teoria da difusão de inovação? Como esta caracterização pode influenciar os momentos de autoria dos conteúdos e atividades? O objetivo principal é compreender a organização e o trabalho desenvolvido pelos membros da equipe e identificar especificidades a partir de seus pontos de vista.A DIFUSÃO DE INOVAÇÃO EM UM CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA Elisabeth Cristina de Faria (PUC/SP) Celina Aparecida Almeida Pereira Abar Este artigo apresenta um recorte da pesquisa de doutorado que está sendo desenvolvida com os aportes: teórico da Difusão de Inovação de Rogers (2003) e metodológico na Teoria Fundamentada em Dados de Strauss e Corbin (2008). Nogueira. Neste recorte as análises realizadas se configuram como uma base para reconhecimento inicial do cenário da pesquisa e apontam que alguns professores podem ser considerados como adeptos inicias envolvidos com o ensino a distância e que influenciam a equipe no processo de decisão e redução da incerteza com relação à inovação adotada. que se caracteriza como qualitativa na forma de estudo de caso. Como referencial teórico buscou-se Dewey. Por meio de pesquisa documental e de entrevistas procura identificar similaridades e diferenças entre as prescrições curriculares oficiais destes países e também levantar alguns indicadores a respeito de como essas prescrições são apresentadas em materiais didáticos e como influenciam os currículos praticados por professores de Matemática. foi feita revisão da literatura em todos os momentos da pesquisa. Brasil. Perrenoud além de outros autores. Formação de Professores. Para o desenvolvimento desse estudo. Palavras-chave: Difusão de Inovação. Discute o trabalho desenvolvido. Conjectura que a Educação a Distância pode ser considerada como uma inovação e provocar nas pessoas sentimentos de incerteza e de possibilidades. para a implementação de disciplinas de ensino de Cálculo. Palavras chave: Currículo de Matemática. Argentina. APRENDIZAGEM POR PROJETOS E O CURRÍCULO POR COMPETÊNCIAS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Estevão de Jesus Bento (PUC-Campinas) Vera Lúcia de Carvalho Machado A pesquisa teve como objetivo compreender o processo de construção de uma proposta pedagógica que trabalha com a pedagogia de projetos e sua relação com o desenvolvimento de competências na Educação Profissional. ARGENTINA. CHILE E PARAGUAI PARA A ÁREA DE MATEMÁTICA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: SIMILARIDADES E DIFERENÇAS Emilio Celso de Oliveira (PUC/SP) Dermeval Santos Cerqueira Célia Maria Carolino Pires Marcelo de Oliveira Dias Esta comunicação apresenta resultados iniciais de pesquisa em andamento que analisa impactos das investigações na área de Educação Matemática sobre organização e desenvolvimento curricular de países latino americanos. Ensino de Cálculo a Distância.

6% dos pais. Os agrupamentos que facilitaram a aquisição de conhecimentos foram aqueles com níveis de conceituação mais próximos. mesmo quando têm alunos incluídos na sala de aula.2% dos pais apontaram que conseguiram tratar com mais facilidade os problemas enfrentados na educação dos filhos e que diminuiu a agressividade/exigência com o filho. Os resultados mostram que a mediação e intervenção no contexto escolar podem garantir que aconteça uma evolução e ampliação do conhecimento e que as crianças. 22. Palavras-chave: Mediação. tendo como principal objetivo o de aprimorar as habilidades sociais educativas dos pais. 38. Foi utilizado como referencial teórico as ideias de Vygotsky no que se refere às interações que ocorrem em grupos. a intervenção possibilitou que ficassem . A coleta dos dados deu-se por meio de entrevistas semi-estruturadas com os alunos e docentes do curso Técnico em Logística do Senac Campinas e identificados os seguintes eixos de análise: Elementos Facilitadores da Aprendizagem por Projetos. Participaram da intervenção 34 mães e 29 pais. alfabetização. os pais responderam as questões: Quais as contribuições do grupo? Porque o grupo ajudou nos cuidados e na educação dos filhos? e Quais as mudanças que o grupo trouxe no relacionamento com o filho? Quanto às contribuições da intervenção.. espera-se contribuir para o debate. Para avaliar as contribuições do programa de intervenção. a crítica e a reflexão sobre a pedagogia de projetos e sua relação com o desenvolvimento de competências. Pesquisas têm apontado para resultados promissores nos comportamentos dos filhos. de um município do Estado de São Paulo. e duas professoras das séries das crianças envolvidas. Com esta pesquisa. curtos. baseada no conteúdo das fitas de vídeo que foram transcritas. COMPORTAMENTO INFANTIL Fabiana Cia (Universidade Federal de São Carlos) Uma das principais queixas que as professoras têm em relação aos seus alunos. diz respeito a criar estratégias para lidar com os comportamentos das crianças. em outros ele apenas serviu como um organizador do ambiente. Os textos escolares de alfabetização são. O objetivo do estudo foi avaliar às contribuições de um programa de intervenção para pais. Pedagogia de Projetos O TRABALHO EM DUPLAS COMO FACILITAÇÃO NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO NUMA PERSPECTIVA HISTÓRICO-CULTURAL Etelvina Aparecida Garcia satin (CUML) Célia Regina Vieira de Souza-Leite Esta pesquisa investigou e analisou como ocorre a interação com pares de crianças e a mediação do professor durante a alfabetização. Quanto à ajuda que a intervenção trouxe. na última sessão. mediadas ou não por um adulto apresentam uma melhora qualitativa na aquisição da leitura e escrita. Participaram da pesquisa dez crianças do Ensino Fundamental de duas escolas.ampla análise de documentos da instituição de ensino. trabalho em grupo. Para 28. Palavras-chave: Práticas Pedagógicas. mediações e intervenções. CONTRIBUIÇÕES DE UM PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PARA PAIS SOBRE O RELACIONAMENTO PAIS-FILHOS. Realizou-se análise qualitativa. verificando as interações. na maioria das vezes. quando colocadas no trabalho em grupo e com oportunidade de estabelecer interação entre si. que tinham filhos na 1ª ou 2ª série do Ensino Fundamental. Espera-se também. sobre o relacionamento pais-filhos e comportamento infantil. Pesquisa foi de cunho qualitativo com a técnica da videografia e análise microgenética do trabalho das crianças. ao intervir com pais. Em alguns momentos houve interações e mediações do professor.1% dos pais apontaram o aumento de diálogo com o filho. uma municipal e uma estadual. Realizou-se a intervenção em 12 sessões. Vivência com a Aprendizagem por Projetos e o Desenvolvimento de Competências e Formação dos Profissionais de Logística e sua Aderência ao Mercado de Trabalho. com o objetivo de construção da base alfabética da escrita. lançar indagações e propostas de contribuição para o aprimoramento dos cursos de formação profissional face aos predispostos da LDB. Educação Profissional.

verificamos que a aluna realizou inferências com relação às passagens por ela executadas no desenvolvimento da atividade proposta. O modo como o PEIS concebe as práticas educativas foi determinante para o presente estudo. Design Experiments. A experiência foi realizada com alunos de um 1º ano do Ensino Médio de uma escola particular. Geografia A PROGRAMAÇÃO COMO RECURSO DE ENSINO EM MATEMÁTICA Fábio Rodrigues de Siqueira (PUC/SP) O artigo é um recorte de uma dissertação de mestrado em fase de desenvolvimento. Nosso objeto de estudo é verificar como o uso da programação para o cálculo dos zeros da função polinomial do 2º grau contribui para o aprendizado dos alunos. Compreendemos que os educandos chegam à sala de aula com saberes espaciais e que constroem geografias em suas relações cotidianas. Os registros realizados em sala. bem como analisou as possibilidades dentro do universo dos números reais.0% deles. GEOGRAFIAS PRODUZIDAS NO LUGAR: OS SABERES DOS EDUCANDOS ADULTOS NAS ATIVIDADES DO PROJETO EDUCATIVO DE INTEGRAÇÃO SOCIAL (PEIS) Fábio Pereira Nunes (UNICAMP) Esta pesquisa é um estudo a respeito dos saberes e das experiências espaciais e corporais dos educandos adultos do Projeto Educativo de Integração Social (PEIS) nas atividades de geografia. Educação de Jovens e Adultos. Função Polinomial do 2º grau.chave: Educação. por meio de caderno de campo e de gravação em áudio. pois estão ancoradas numa concepção freireana de educação. buscando uma compreensão do processo educativo vinculado a proposta de libertação do homem. Com este piloto.mais calmos/pacientes e para 27. Apresentamos neste trabalho este piloto e sua respectiva análise que possibilitarão um aprimoramento da pesquisa. Estabelecemos um diálogo entre o educador humanista Paulo Freire e a abordagem humanista em geografia. resultaram em narrativas que permitiram evidenciar a leitura de mundo dos educandos e a relação entre o tema estudado e os seus saberes. Palavras-chave: Teoria APOS. descreveu em detalhes os procedimentos que utilizou. A MUDANÇA DE POSTURA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO FRENTE A UMA SITUAÇÃO DIDÁTICA EMBASADA NA TEORIA DAS SITUAÇÕES DIDÁTICAS ENVOLVENDO O SOFTWARE “GEOGEBRA” Fernanda Fuentes Azambuja (PUC/SP) Silvia D. cuja temática é a introdução do ensino de algoritmos e a prática da programação. pautadas no diálogo. com a intenção de favorecer a investigação e observação do comportamento da função pelo aluno. baseada na TSD. Deste modo este piloto irá nortear a continuidade da dissertação. A metodologia utilizada é Design Experiments que tem como premissa esta possibilidade do aprimoramento da pesquisa em sua fase de desenvolvimento para que o pesquisador possa tomar como parâmetro os resultados obtidos nas etapas desenvolvidas e promover adaptações em seu trabalho visando potencializar os resultados. Tem por objetivo dar evidência a presença de tais saberes na composição das aulas. Palavras. Machado Este artigo apresenta uma mudança de prática em relação ao estudo da função quadrática influenciada pela Teoria das Situações Didáticas (TSD) de Brousseau. após determinar os zeros de algumas funções polinomiais do 2º grau. Com aportes na Teoria APOS e na introdução da programação no ensino da matemática realizamos uma aplicação piloto na qual uma aluna da 1ª série do ensino médio. A. Elaborou-se uma seqüência didática envolvendo construção de gráfico da função com auxilio do software Geogebra. Alunos antes desinteressados e que apresentavam dificuldades nas aulas de Matemática. construídos na sua relação com o lugar. não só se apropriaram do conteúdo quanto apresentaram mudança . a intervenção fez com que tivessem mais diálogo com o filho e que os comportamento do filho melhorassem.

e entrevistadas três responsáveis. Através de uma abordagem etnográfica. Palavras-chave: Função quadrática. GONÇALVES. Como resultado desta pesquisa. originário de uma pesquisa qualitativa de cunho documental tem como objetivo investigar quais os diferentes usos da variável. de publicações na imprensa local e da indicação da gestão municipal. segundo o Modelo 3UV. Do total de oito Fóruns foram selecionados dois para os estudos de caso com características e funcionamentos diferenciados. Teoria das Situações Didáticas. Para o seu desenvolvimento utilizamos uma ferramenta teórico-metodológica denominada Modelo 3UV. emergem da Situação de Aprendizagem 2 . apreender o significado dos Fóruns nas municipalidades. o qual foi recolhido por meio da dos relatos das docentes. Modelo 3UV. Os Fóruns são entendidos de acordo com Paiva (2007) e Soares (2004). do Leste e do Sudeste. Geogebra. SANTOS. No caso do Fórum do Leste a região se beneficia tanto pelo movimento em torno da temática quanto pela circulação de informações. a pesquisa utilizou como recursos metodológicos observação participante e a entrevista. há diferentes estilos. cada uma com suas . visibilidade e de apoio para a elaboração de políticas de EJA. Esta pesquisa aponta que a prática pedagógica das docentes entrevistadas não é uniforme. de acordo com o Modelo 3UV nestes são enfatizados os usos da variável como incógnita específica e número genérico. PODER LOCAL E A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: O CASO DO VALE DO AÇO NO LESTE MINEIRO Fernanda Rodrigues Silva (UFMG) Leôncio Soares Este trabalho retrata resultados da pesquisa empírica que teve como objetivos caracterizar os Fóruns Regionais Mineiros de EJA. espaço de (in)formação. VOZES DA DOCÊNCIA: O DESAFIO DA IMPLEMENTAÇÃO DO ENSINO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Fernanda Silva de Oliveira (UFMG) O presente estudo visou investigar a implementação da Lei 10. Optou-se por uma escola com um trabalho comprovado de implementação dessa legislação. A ÁLGEBRA NA PROPOSTA CURRICULAR DO ESTADO DE SÃO PAULO DE 2008: UMA ANÁLISE DOS USOS DA VARIÁVEL PRESENTE NO CADERNO DO ALUNO DA 6ª SÉRIE Fernanda Roberta Ravazi (PUC/SP) Barbara Lutaif Bianchini O presente artigo. número genérico e em uma relação funcional. Para fundamentar a pesquisa tomou-se como referencial teórico os estudos de: CANDAU. sugerida na Proposta Curricular do Estado de São Paulo do Ensino Fundamental II do ano de 2008. Esta Lei é uma alteração da LDB.tanto de postura. porém.639/03 na prática pedagógica de docentes que atuam em uma escola pública municipal de Belo Horizonte que oferta a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental de forma integral. Palavras-chave: Diferentes usos da variável. Elas coincidem quando reconhecem os Fóruns como locais de formação do educador. Proposta Curricular do Estado de São Paulo de 2008. Palavras-chave: Poder local. completando a análise documental.Equações e fórmulas do Caderno do Aluno da 6ª série (7º ano) volume 4-2009. Fórum Regional Mineiro de EJA. GOMES. pode ser identificado nos problemas contidos na Situação de Aprendizagem 2. Os resultados apontam que à frente dos Fóruns estão educadoras exercendo funções nas Secretarias Municipais. concluímos que o Modelo 3UV. de interesse frente a esse tipo de atividade. tal modelo apresenta uma interpretação do conceito de variável em três principais usos no ensino em Álgebra escolar – incógnita específica. A ênfase será no Fórum do Leste por ser organizado no âmbito de quatro municípios. de conquista do respeito nas instituições. que torna obrigatório no currículo oficial das escolas públicas e privadas do ensino fundamental e médio da Educação Básica a inserção da temática “história e cultura africana e afro-brasileira”.

na prática pedagógica do professor que atua na escola de Educação Infantil. da fantasia. Palavras-chave: Lúdico. por exemplo). seleção e análises críticas. Tomado como recreação. Foi realizado um total de três entrevistas de trinta a quarenta minutos com cada professora. improdutiva. Brasil. racionalizado. Destacamos o esforço por estabelecer espaços dialógicos e a rigorosidade com respeito aos princípios da aprendizagem dialógica como resultados centrais de nossa pesquisa. enfatizando a grande presença de Paulo Freire em ambas. discorrendo sobre contribuições da aprendizagem dialógica – um conceito vinculado diretamente à busca pela transformação social enfatizando o processo educativo como fundamental – para a educação ambiental. entendendo que a busca por melhores condições ambientais perpassa tantas outras lutas sociais que devem ser incorporadas pela educação ambiental. o atendimento da Lei 10. para compreender as concepções e os modos de acolhimento do lúdico em suas práticas pedagógicas junto às crianças. produziu uma síntese integradora dos conceitos estudados. Palavras chave: Aprendizagem dialógica. passando pelos processos de levantamento de documentos. portanto. poder compreender melhor as interações entre seres humanos entre si e com o ambiente.639/03 LÚDICO E EDUCAÇÃO DA INFÂNCIA: UMA HISTÓRIA DE (DES)ENCONTROS Fernando Donizete Alves (UNESP) Maria Lúcia de Oliveira O objetivo dessa pesquisa foi investigar como se dá. Educação ambiental. o acolhimento do lúdico. Palavras chaves: prática docente – diversidade étnico-racial – Lei 10. através dela. sem valor pedagógico. Realizamos um estudo teórico que. Transformação social . para uma ação mais humanizadora e mais ecológica. Revela um corpo docente aberto ao trato da diversidade e “sensível” ao trabalho com a temática racial o que corrobora para uma prática mais coletiva. a educação ambiental busca em diferentes teorias alicerces para as posições teórico-pedagógicas que a regem. Educação Infantil. o lúdico é caracterizado como passatempo. do desejo e do prazer como elementos fundamentais para o despertar da paixão pelo conhecimento. os modos de acolhimento do lúdico na educação infantil se dão numa dinâmica que o desvaloriza como recurso educativo da criança pequena. Nosso estudo teve como objetivo oferecer mais possibilidades de ação para a educação ambiental. CONTRIBUIÇÕES DA APRENDIZAGEM DIALÓGICA PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUAS POSSÍVEIS CONVERGÊNCIAS Flávia Maria Gonçalves de Sant´Ana (UFSCAR) Amadeu José Montagnini Logarezzi Roseli Rodrigues de Mello Desde sua elaboração.639/03. Foram realizadas entrevistas com três professoras que trabalham em escolas de educação infantil pública municipal de uma cidade do interior do Estado de São Paulo. Professor. enquanto alteração da LDB. Concluí-se que.particularidades e singularidades. o lúdico é sistematizado. porém. Tomado como recurso/instrumento didático para o ensino de determinados conteúdos/conhecimentos (como o alfabeto. atividade descompromissada. o valor do infantil. As entrevistas foram analisadas a luz do referencial teórico psicanalítico e apontaram que as professoras concebem o lúdico ora como recreação ora com instrumento pedagógico. Copusemos nosso referencial a partir dos autores chave para a aprendizagem dialógica e para a educação ambiental. nos posicionamos com aquelas que favorecem a construção de uma visão crítica da sociedade em busca de. Diante das diferentes escolhas. Desconsidera-se. não pode se restringir às posturas pessoais e às experiências de ordem subjetiva dos profissionais da educação.

Neste sentido. valores. Até agora o que se vê é um grande número de alunos que fracassam em seus estudos e acabam por aumentar cada dia mais os bancos escolares da Educação de Jovens e Adultos (EJA). recriando-as por meio do estilo pessoal. as quais expressam posições. indiciam) determinados aspectos da sociedade “tal como pensam [os atores sociais] que ela é. Dr.19). que paralelamente “descrevem” (ou melhor. Nos espaços externos. entrevista e questionário. contradições e formas simbólicas. dominação. interesses. concedendo grande importância à compreensão das formas e dos motivos das representações do mundo social. relações de poder. gênero e estilo. lutas representacionais. Os resultados mostraram que as formas de organização da atividade docente em uma EMEI do interior de São Paulo consideram as Diretrizes Curriculares. como possibilidade de olhar para as práticas humanas. relacionado a um projeto de pesquisa mais específico que toma como centro as práticas socioculturais de mobilização da Cultura Matemática nas séries iniciais de escolarização obrigatória do país. Antonio Miguel. as atividades que tiveram predominância foram as consideradas “livres”. e trazer alguns aspectos a ele relativos à luz da discussão.A ATIVIDADE DOCENTE COM CRIANÇAS DE DOIS A TRÊS ANOS Francine de Paulo Martins (PUC/SP) Marli Eliza Damalzo Afonso de André A presente pesquisa objetivou conhecer como vem sendo desenvolvida a atividade docente numa escola municipal de educação infantil. referencial teórico adotado pela equipe escolar desde 2009. Para os procedimentos de coleta de dados utilizou-se: observação. o objetivo é olhar para uma prática situada. e que está em desenvolvimento. porém geraram incertezas quanto a novas formas de atuação. Foram utilizados como fundamentos teóricos a Psicologia sócio-histórica e a Clínica da Atividade de Yves Clot. Entende-se que entre a atividade prescrita e o trabalho realizado houve incertezas e mudanças de rotas que revelam as contradições existentes no trabalho. tentando “resgatar o tempo perdido. sob a orientação do Prof. Palavras-chave: Práticas sociais – Leitura – História Cultural RELAÇÕES ENTRE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA E A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO BRASIL Giane Moreira Dos Santos Pereira (Estácio de Sá) Tarso Bonilha Mazzotti Atualmente um dos maiores desafios da educação básica é adotar políticas e reformas educacionais que sejam capazes de proporcionar ao aluno uma educação de qualidade de modo que todos que estão na escola consigam aprender. p. o que se desenrola em tópicos de expressão da citada conversa. o texto que aqui se apresenta se faz numa prática alusiva e relacionada ao movimento indiciário que Ginzburg (1998 e 2006) realiza ao direcionar o olhar para uma conjectura de um sujeito social. bem como a Teoria das inteligências Múltiplas. De maneira simplificada. um evento social e cultural. Palavras-chave: atividade docente. No que tange à atividade docente no infantil II. assim. este artigo tem por objetivo analisar as políticas .” Sendo assim. Os dados foram organizados em torno das duas grandes categorias teóricas: Gênero e Estilo. formuladas recentemente no município. uma abordagem cultural dos aspectos sociais. principalmente as manuais. Essa proposta pode também ser uma tentativa de expressar certa compreensão da História Cultural. a professora em exercício busca no gênero profissional novas possibilidades de atuação. Tais prescrições modificaram a atividade das docentes da escola. 2002. Buscando. notou-se maior valorização das atividades realizadas em sala de aula. análise documental. APONTAMENTOS PARA UM CASO SOB A PERSPECTIVA HISTÓRICO CULTURAL Francis Roberta de Jesus (UNICAMP) O presente texto tem por objetivo um exercício discursivo – uma conversa situada e eventual –. Nas situações em que o prescrito falha. ou como gostariam que ela fosse” (Chartier.educação infantil.

Educação O PAPEL DA ESCOLA NA CONSTRUÇÃO DAS IDENTIDADES SOCIAIS DOS ALUNOS Gisele Lima Reis (UCP) Este estudo foi desenvolvido em uma turma do oitavo ano. principalmente os desenvolvidos por Stuart Hall e Zygmunt Bauman. e um número reduzido de estudos a respeito do desenvolvimento curricular de Matemática para esse alunado. estratégias e métodos utilizados. raça. Focalizei as dinâmicas sociais de raça. educação básica. além de mostrar a interdependência existente entre o fracasso das políticas de Educação básica e o aumento da procura pelos cursos de EJA. Os dados foram gerados com base em observações das aulas de Antropologia e rituais do cotidiano escolar. Pesquisas Curricular. Os conceitos de identidade elaborados no campo dos Estudos Culturais. 149 que trata da “educação como direito de todos e dever da família e dos poderes públicos” que a proposta de atender ao ensino de jovens e adultos não escolarizados surgiu oficialmente pela primeira vez. fundamentaram o estudo. entrevistas. A análise dos dados coletados nos mostrou o desenvolvimento crescente de pesquisas na área da educação de pessoas jovens e adultas. principalmente nas temáticas didática e resolução de problemas. educação de jovens e adultos. Palavras-chaves: cultural. sobretudo.públicas para educação básica e para a educação de jovens e adultos e as relações existentes entre as duas modalidades. Para este estudo. e ao olhar do pesquisador em analisar e interpretar as informações coletadas. propôs-se a trabalhar. gênero e sexualidade que. Palavras-chave: Desenvolvimento Matemática. Foi possível também constatar a importância da escola como espaço em que se faz possível promover o respeito à diversidade pelo acesso a novos conhecimentos e pela adoção de determinados valores. PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: UM OLHAR PARA O QUE EVIDENCIAM ALGUMAS PRODUÇÕES Gilberto Januario (PUC/SP) Katia Cristina Lima Santana Armando Traldi junior Neste artigo. em seu art. Identidade. diversidade . O olhar para as produções foi direcionado por duas categorias de análise: uma (i) em relação ao objeto de pesquisa. se configuraram como importantes elementos constituintes dessas identidades. apontando seus pontos positivos e negativos. presentes no cotidiano escolar. em programas de pós-graduação. periódicos e anais de eventos da área. fizemos um mapeamento de pesquisas realizadas com a temática EJA. apresentamos parte de um estudo desenvolvido no projeto de pesquisa “O Currículo de Matemática na Educação de Jovens e Adultos: dos intervenientes curriculares à prática em sala de aula”. Palavras-chave: políticas públicas. em EJA. fracasso escolar. secundarizando questões relacionadas a gênero e sexualidade. A análise segue então até os dias de hoje a fim de fazer um panorama destas políticas. e analise documental. em Educação Matemática. O período delimitado para esta análise se inicia na década de 30. com o conceito raça. e a outra (ii) em relação à fundamentação teórica e as considerações dos pesquisadores-autores. pois é com a Constituição de 1934. nos saberes ensinados e nas experiências de aprendizagem desenvolvidas nessa escola. Os resultados da pesquisa indicaram que a Escola Porta do Sol realiza um trabalho sistemático sobre a identidade. Com o propósito de valorizar as múltiplas identidades. O objetivo foi compreender como questões de identidade e diferença são tratadas nas normas.

OSWALD. Schon.Esse texto que tem por objeto a relação Docência/Ciência na Metodologia da Pesquisaensino. Entre 65 respondentes em exercício nos anos iniciais. pesquisaesnsino A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM À LUZ DAS PESQUISAS SOBRE O ESTADO DA ARTE (19802007) Heloisa Poltronieri (PUC/Campinas) Adolfo Ignacio Calderón O presente trabalho tem por objetivo contribuir com a compreensão da evolução da Avaliação da Aprendizagem. Consistem em intervenções investigativas do professor no seu processo de docência. com a utilização da metodologia da História Oral. Nóvoa. 2010).O professor-pesquisador de sua docência pode contar com suporte de colaboradores. Pimenta e Ghedin. compreender como docentes dos anos iniciais do Ensino Fundamental de Belo Horizonte pensam sobre e usam os livros didáticos de matemática. Perrenoud. ULER. ciência. de pesquisa e na qualificação dos profissionais das instituições envolvidas. 1995). Palavras chave:docência. As pesquisas realizadas caracterizam-se pelo uso de metodologias de ensino construídas simultaneamente como metodologia de pesquisa do processo de ensino/aprendizagem. 32 se interessaram em participar da entrevista futura. Piaget. Garrido. BARRETO. A partir da análise e do diálogo comparativo entre três pesquisas estruturantes que focam um período de 28 anos.COMO PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE BELO HORIZONTE TEM PENSADO SOBRE OS LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA – UM PANORAMA INICIAL Glaucia Marcondes Vieira (UFMG) Maria Laura Magalhaes Gomes Resultados de uma exploração inicial visando selecionar colaboradores para nossa pesquisa de doutorado. busca esclarecer pontos fundamentais para o contínuo aprimoramento e consistência dessa metodologia que cria novos vínculos entre os níveis de ensino Fundamental. que denominamos Pesquisa-ensino. 2001. A RELAÇÃO DOCÊNCIA/CIÊNCIA NA PERSPECTIVA DA PESQUISA-ENSINO Heloísa Dupas Penteado (USP) Este texto resulta de pesquisas realizadas por componentes do grupo de pesquisa do CNPq intitulado “Pesquisa-ensino: pedagogia da comunicação e formação de professores”. de 1980 a 2008 (SOUSA. buscamos compreender quais são as principais contribuições e preocupações teóricas dos autores. A análise dos questionários possibilitou selecionar 16 docentes-colaboradores a partir das respostas que apresentaram uma maior riqueza de argumentos e também.A sala de aula passa a ser espaço também de produção de conhecimento sobre o processo de ensino/aprendizagem. CANDAU. Penteado. bem como analisar as estratégias metodológicas adotadas. como campo do conhecimento. O texto contextualiza a investigação das pesquisas acadêmicas recentes sobre o tema e discute referências teóricas para subsidiar a pesquisa. por meio da análise dos estudos existentes sobre o estado da arte focados na área da avaliação da aprendizagem da educação básica. 1994. O trabalho analisa as respostas às questões abertas dos questionários com técnicas de análise de conteúdo. Médio. Schon. fica evidenciado que na década de 70 e 80 o paradigma tecnicista tinha grande força nas produções acadêmicas. com destaque para autores que focalizam a influência das concepções dos professores de matemática sobre suas práticas em sala de aula. Por meio de uma linha do tempo. que busca.Superior abrindo novas perspectivas para a democratização da ciência a serviço da sociedade. evidenciando a visão . a diversidade das informações de cunho sócio-histórico dos docentes. Demo. 2005. Porto. Essa exploração constituiu da aplicação de questionários sobre as concepções e as formas de utilização dos livros pelos professores. PINTO. complementada com duas pesquisas que ressaltam especificidades da área (SOUSA.Respaldam esse texto.A parceria instituição de Ensino Básico/Universidade tem se mostrado profícua na qualificação dos trabalhos de docência.

Read. Huizinga no campo filosófico. Freire na área educacional.chave: Estado da Arte. ano da instalação do ensino de segundo grau no colégio. Palavras-chave: Educação. Palavras-chave: Escola. As contribuições teórico-metodológicas. observamos esforços no sentido de superar essa visão na direção de propostas mais formativas. não houve diferenças no desempenho cênico entre os jovens das duas escolas e foi marcante o companheirismo entre os alunos-atores. Relatos do público e dos educandos revelam que a peça superou as expectativas. Bordelois na área da linguagem. embora vinculada a uma Universidade. ambas do município de Campinas/SP. Spolin sobre o teatro na educação. a equipe de Física procurou. A pesquisa exploratória foi feita por meio de questões aplicadas a alunos- . A. entender melhor a situação atual do ensino dessa disciplina na instituição. desenvolver um ensino mais contextualizado e menos propedêutico da disciplina. trazendo alternativas ao currículo e ao ensino tradicional da Física. o atual coordenador do ensino médio e uma ex-coordenadora do ensino de segundo grau. a preocupação dos pesquisadores desloca-se das práticas avaliativas na escola para o esclarecimento quanto às questões sobre ideias. são de V. Antônio e I. e se estendeu até o ano de 2010. Morin e J. no período em questão. Rezende e P. Neste contexto. Já na década de 90. além de depoimentos de profissionais da instituição: os três professores efetivos de Física. No decorrer da década de 80. Todos aspectos da montagem teatral foram democraticamente decididos. ensino de Física. UMA CARPINTARIA TEATRAL. dentre outras. com 32 jovens de duas escolas. a história das disciplinas escolares e das Ciências contribuiu para este estudo. DUAS ESCOLAS E UMA POÉTICA. Problematiza algumas questões relacionadas ao currículo em ação na formação desses oficiais. Pesquisa em Educação. Os resultados evidenciaram que. OS PARADOXOS DO CURRÍCULO DA ACADEMIA DE POLÍCIA MILITAR DO BARRO BRANCO: A CIDADANIA COMO FUNDAMENTO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA PÚBLICA Homero de Giorge Cerqueira (PUC/SP) Este trabalho tem por objetivo refletir sobre a formação dos oficiais da Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB) ante as exigências e os desafios que se lhes colocam no exercício da atividade. E. concepções. S. a partir daí. CRIAÇÃO COLETIVA DE UMA PEÇA POR ADOLESCENTES DE UMA ESCOLA PÚBLICA E OUTRA PARTICULAR. Teatro. Os dados foram gerados por documentos fornecidos pela escola. uma estadual e outra particular. EM CAMPINAS/SP. O período investigado iniciou-se em 1992. Helvecio Alves Junior (UNISAL) Este trabalho originou-se da questão de pesquisa: quão educativa e significativa pode ser uma montagem teatral feita por adolescentes no ambiente escolar? Apresenta o relato de experiência e interpretação do processo de criação da peça “Adolê Sendo”. No período de 2000 a 2008 é possível observar uma movimentação no que diz respeito à concepção de avaliação.positivista de avaliação. Gusdorf. Entendendo o currículo como uma invenção social. coube buscar compreender a trajetória histórica da Física como disciplina escolar no CAp/UFJF para. teorias e pressupostos da avaliação. Palavras. OS RUMOS DO ENSINO DE FÍSICA NO COLÉGIO DE APLICAÇÃO JOÃO XXII / UFJF: 1992 – 2010 Henrique Guilherme David Zacarias (UCP) Antonio Flavio Barbosa Moreira O estudo focalizou a emergência e o desenvolvimento da disciplina Física no Colégio de Aplicação João XXIII. H. currículo. que sinaliza para a hegemonia de uma abordagem emancipatória e participativa. Avaliação da Aprendizagem. Unidade Acadêmica da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAp/UFJF). G. Linguagem. Possibilitou-se a busca e o achado de novos sentidos e ressignificações em um mundo onde a vida e a educação cada vez mais carecem de sentido(s).

a partir da leitura de textos cuidadosamente selecionados e dos debates promovidos em aula. Palavras-chave: Currículo. pesquisa voltada para uma proposta didática de educação moral em aulas de língua portuguesa.ética – Justiça A APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS NA EDUCAÇÃO CONTÁBIL Irma Filomena Lobosco (PUC/SP) O objetivo deste estudo é promover a comparação entre a técnica de estudo de caso/situação. observou-se que os alunos. em redações dissertativas argumentativas. Recorreu-se também à história das disciplinas escolares. na UNIRIO. particularmente às teorizações de Ivor Goodson e Lucíola Santos. tem atingido consideravelmente a convivência entre os alunos da educação básica. Gimeno Sacristán e Michel Foucault. verificouse a importância dos fatores institucionais nos caminhos trilhados pela disciplina. Ou seja. em sua utilização no ensino da disciplina de Contabilidade Introdutória. por meio da produção de textos. Nela.problema e o ensino tradicional para desenvolver as competências e habilidades dos alunos. Constituíram. no ensino superior. História das Disciplinas Escolares. foram paulatinamente desconstruindo. adotou-se a concepção do currículo de Antonio Flávio Moreira e Tomaz Tadeu da Silva. O resultado desta pesquisa aponta a importância do papel da APMBB na estrutura organizacional da Polícia Militar (PM) e do Estado. então. portanto. APRENDIZAGEM DA JUSTIÇA COMO VIRTUDE PERFEITA NO ENSINO MÉDIO Humberto Silva de Lima (UFRJ) Maria Judith Sucupira da Costa Lins Ensinar ética é um desafio na atualidade. especialmente no que tange à aprendizagem da virtude justiça. As redações produzidas pelos alunos foram categorizados segundo a metodologia Análise de Conteúdo. bem como mediante a análise de documentos que constituíram os procedimentos desta investigação. fato inédito no país. Acresça-se a criação da pósgraduação lato sensu em Homeopatia (em 2007). Verificou-se a integração do ensino de Homeopatia no curso de Medicina e sua contribuição recente para a formação de médicos generalistas. denunciada pelo filósofo escocês Alasdair MacIntyre. Palavras-chave: aprendizagem . Ensino de Homeopatia. O estudo apoia-se em teóricos que expressam o seu envolvimento com propostas de uma formação mais humanizadora. os rumos do ensino da Homeopatia na UNIRIO foram fortemente marcados por características da universidade. Nas entrevistas e análise documental. A técnica de ensino para definir o estilo da aprendizagem a ser imposta é fundamentada no paradigma da Aprendizagem Baseada em Problemas e estabeleceu-se a questão de UMA DÉCADA DE DESAFIOS NO ENSINO DE HOMEOPATIA: A UNIRIO DE 1999 A 2009 Humberto Portugal Karl (UCP) O ensino de Homeopatia iniciou-se e desenvolveu-se. entrevistas com professores civis e militares.oficiais. o pensamento de justiça sob a égide do emotivismo e passaram a construir esse mesmo pensamento sob a égide da prudência. O estudo conclui pela necessidade de o currículo em ação da APMBB conter elementos que possibilitem a construção do Estado Democrático de Direito. mereciam ser estudados. resultando na aprendizagem da justiça como virtude perfeita. o objeto desta pesquisa. em promover e acompanhar a mudança comportamental nos tenentes e capitães dessa Polícia. A desordem moral. Com base nessa ideia. Foram confirmados os principais pressupostos da história das disciplinas. . proposta por Laurence Bardin. A disciplina Matéria Médica Homeopática foi tornada obrigatória na sua reforma curricular. aos quais se acrescentou a necessidade de consideração de fatores institucionais. Em turmas de 3º ano do Ensino Médio. Os rumos desse ensino. em especial em Paulo Freire. esta comunicação apresenta os resultados da dissertação O processo de aprendizagem da justiça como virtude perfeita no Ensino Médio.

Competências e Habilidades. relação professoraluno. Setores Populares Docente. apoiou-se na constatação de que entre as escolas da rede pública e os estabelecimentos particulares considerados de excelência e destinados às camadas mais altas da sociedade. A motivação para a realização da pesquisa. A partir de questionários aplicados a todos os professores dessas duas escolas – uma na zona oeste e a outra na zona sul da cidade. aos alunos de sexta. por isso.pesquisa: A técnica de estudo de caso/situaçãoproblema constituirá uma prática pedagógica eficiente quando comparada com o ensino tradicional? A amostra contou com 183 respondentes do universo de pesquisa de 229 alunos do curso de graduação de Instituição de Ensino Superior particular de São Paulo. sétima e oitava série do ensino fundamental e suas famílias. atende aos setores populares e. superdotação. A escolha dessas revistas deu-se em função de serem revistas brasileiras da área de Educação Especial cuja norma editorial restringe-se a aceitação de artigos nessa área. políticas públicas. O resultado aponta 25 artigos com foco em altas habilidades/superdotação. Trata-se de pesquisa de campo descritiva delineada por meio da utilização de questionário estruturado com questões abertas e fechadas. como o objetivo de viabilizar e indicar novos direcionamentos e possibilidades para a pesquisa. é preciso aprofundar o debate sobre a produção cientifica nessa área. que atendem camadas médias inferiores e setores populares. as imagens que os professores possuem de seus alunos e famílias. apresenta características específicas e distintas daquelas consideradas comuns aos estabelecimentos privados. O estudo de caso/situação-problema foi submetido aos alunos do grupo Experimental e os resultados das análises confirmam os estudos anteriores que demonstram maior benefício da técnica de estudo de caso/situação-problema percebido pelos alunos para desenvolver as competências e habilidades humanas e profissionais. Os periódicos analisados são classificados pela CAPESCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. ESTUDOS NACIONAIS PUBLICADOS EM PERIÓDICOS NACIONAIS SOBRE ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO Isa Regina Santos dos Anjos (UFSCAR) Este texto apresenta o resultado da análise realizada em 02 revistas científicas brasileiras que publicam artigos com a temática altas habilidades/superdotação. Ensino Superior. São poucas as publicações e estudos nesta temática. conceito. mitos. situa-se um conjunto de escolas privadas que. família. portanto. e de entrevistas foi possível mapear os motivos de escolha dessas escolas por essas famílias. Palavras-chave: altas habilidades. apresentando temas relacionados a diversos assuntos. Palavras-Chave: Trabalho Privadas. Palavras-chave: Aprendizagem Baseada em Problemas. iniciada em 2008. inclusive as práticas mais correntes. em escala Likert e do instrumento de avaliação. algumas características da cultura desse tipo de estabelecimento. as expectativas que os pais possuem em relação a esse tipo de estabelecimento. as condições sobre as quais se realiza o trabalho dos professores entre outras questões. Foram selecionados artigos sobre altas habilidades/superdotação publicados na Revista Brasileira de Educação Especial (RBEE) e na Revista Educação Especial (REE). programas e alternativas de atendimento. Escolas . não pertencendo a nenhum desses dois grupos. da observação de suas práticas em sala de aula. programas de enriquecimento. identificação. criatividade. tais como: inclusão. produção científica ESCOLAS PRIVADAS DE SETORES POPULARES: QUEM SÃO SEUS AGENTES? Isabel Alice Oswald Monteiro Lelis (PUC/RIO) Angela Cristina Fortes Iório Silvana Soares de Araujo Mesquita Este texto apresenta os dados preliminares da pesquisa que vem sendo desenvolvida pelo GEPPE em duas escolas privadas localizadas em bairros distintos da cidade do Rio de Janeiro.

DESAFIOS E CONQUISTAS NO PLANEJAMENTO DE UM CURSO MULTI. INTER E TRANSDISCIPLINAR A DISTÂNCIA Isaura Alcina Martins Nobre (UFES) Vanessa Battestin Nunes Tânia Barbosa Salles Gava Este artigo tem como objetivo apresentar os desafios e as superações obtidas no planejamento multi. Palavras-Chave: Interdisciplinaridade. Ensino de TRABALHO DOCENTE E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: AANALISANDO O PROCESSO DE INFORMATIZAÇÃO DE ESCOLAS DO ENSINO BÁSICO Jacqueline de Castro Laranjo (UFMG) Fernando Selmar Rocha Fidalgo Este trabalho versa sobre processo de informatização das escolas da rede municipal de Belo Horizonte. inter e transdisciplinar de um curso Lato Sensu de Informática na Educação. tendo em vista que. coordenações e diretores de 11 escolas municipais. Além disso. PNLD. contextualização do livro. A estratégia metodológica utilizada foi o estudo de caso com observação livre. Em relação aos impactos das tecnologias no trabalho docente. Verificou-se. Considera-se que para que o projeto de informatização das escolas públicas municipais se torne uma realidade. Uma vez que o curso aborda duas grandes áreas de conhecimento . ofertado na modalidade a distância. Palavras-chave: Livro Matemática. porém ainda incipiente e inadequada. os conteúdos foram abordados tanto de forma teórica quanto prática. para apropriação e uso do computador é ainda insuficiente. análise documental e entrevistas semi-estruturadas. Os resultados obtidos apontam que a implementação e utilização dos computadores nas escolas investigadas existe. O objetivo foi analisar o impacto das tecnologias no processo de trabalho docente. Para o alcance deste propósito. os seguintes aspectos: realidade do aluno.PNLD-2010. além de uma entrevista com a representante do PNLD na secretaria municipal de educação. didático. pode-se verificar que na verdade não há alteração significativa. para permitir que os alunos pudessem vivenciar as abordagens estudadas e que futuramente serão aplicadas por eles no seu papel de professor. a pesquisa realizou observações de reuniões pedagógicas e entrevistas com professores. fundamentalmente. pelo CEAD/Ifes. continuada e/ou em serviço. fez-se necessário compor uma equipe multidisciplinar nestas e em outras áreas de conhecimento para realizar todo seu planejamento e execução. A pesquisa concluiu que os docentes. PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS E A ESCOLHA DE LIVROS DIDÁTICOS NO ÂMBITO DO PNLD 2010 Islene da Conceição Freitas (UFF) Este artigo apresenta os resultados de uma investigação que objetivou conhecer como professores das séries iniciais do ensino fundamental escolhem o livro didático de Matemática no âmbito do Programa Nacional do Livro Didático . período determinado pelo PNLD para que os docentes escolhessem os livros didáticos. mesmo destacando mudanças significativas na prática pedagógica a partir da utilização das tecnologias em seu processo de trabalho.Informática e Educação. As entrevistas e observações ocorreram no período de 8 a 28 de junho de 2009. na qual a utilização da . a metodologia de trabalho utilizada teve de estar integrada e contextualizada às vivências cotidianas dos alunos. caracterizando a nova forma assumida pela exploração calcada na maisvalia relativa. volta-se para a exploração do componente intelectual do trabalhador. Por se tratar de um curso voltado para formação de professores. conteúdos e atividades propostas. no atual contexto econômico. precária e de curta duração. ainda. ao escolherem os livros didáticos para suas aulas levam em consideração. que a tecnologia intensifica o trabalho do professor que usa esse recurso de uma forma inconsciente em seus momentos de lazer e descanso. Informática na Educação. Transdisciplinaridade. Constatou-se que a formação docente. que em sua maioria são professores. A análise dos dados seguiu as recomendações de Earl Babbie (1993) e exigiu um aprofundamento teórico sobre os campos do conhecimento com os quais dialogamos.

Por meio dos dados obtidos. de ambos os gêneros. semanalmente. habilidade psicolinguística que possibilita o indivíduo a refletir sobre a estrutura do texto produzido por ele. 1974 apud GORLA e ARAÚJO. O uso do programa na escola torna-se possível por se tratar de um recurso de baixa tecnologia e de fácil domínio pelo professor. Os resultados de uma pesquisa. Como instrumento para coleta dos dados. Além disso. na qual foi aplicado o programa. foi o que demonstrou maior déficit de coordenação. posteriormente. As sessões destes módulos são aplicadas. sendo que o grupo III. . passando de esquemas elementares (33%). para um esquema mais elaborado (77%). A análise de dados é feita baseada na classificação das histórias produzidas. Salienta-se que os mesmos apresentavam distúrbios de aprendizagem e/ou deficiência intelectual diagnosticado com laudo médico. composto por quatro tarefas: 1) Trave de equilíbrio. indicaram que todos os escolares participantes melhoraram o desempenho na produção de histórias. os professores de Educação Física poderão aplicar programas educacionais individualizados e trabalhar nas dificuldades específicas de cada aluno com distúrbios de aprendizagem e/ou deficiência intelectual. são empregados os procedimentos de intervenção para melhorar a produção de histórias escritas. 3) Saltos laterais. nos quais havia um predomínio de descrições de ações.tecnologia pelos docentes seja eficiente há necessidade de uma discussão coletiva sobre o papel desse professor e sua responsabilidade na sociedade atual. A amostra participante foi composta por 22 alunos. 68% níveis regulares e 13% níveis baixos. Palavras-chave: Coordenação motora. com critérios específicos para pontuação das mesmas. matriculados no Ensino Fundamental de 1ª a 4ª séries de uma escola pública pertencente a um município na região oeste do estado do Paraná. avaliação. INTERVENÇÃO METATEXTUAL COMO SUBSÍDIO PARA PRÁTICAS PEDAGÓGICAS VOLTADAS PARA CRIANÇAS COM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM Jaima Pinheiro de Oliveira (UNESP) Tania Moron Saes Braga O objetivo desta pesquisa é descrever um programa de intervenção metatextual. Os resultados demonstraram que dos 22 alunos avaliados. e 4) Transferência sobre plataformas. é preciso redesenhar a organização da escola de modo há tornar seus tempos e espaços mais flexíveis e acessíveis à incorporação das tecnologias. ANÁLISE DA COORDENAÇÃO MOTORA EM ALUNOS COM DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM Jalusa Andreia Storch (UFSCAR) O presente estudo teve por objetivo avaliar a coordenação motora dos alunos com distúrbios de aprendizagem e/ou deficiência intelectual que além do ensino regular. em relação às habilidades de leitura e escrita e. distúrbio de aprendizagem e/ou deficiência mental. apenas 18% apresentaram níveis de coordenação normal. voltada para escolares com dificuldades de aprendizagem. com faixa etária de 9 a 15 anos. composto por meninas com a idade entre 10 a 15 anos. Trata-se de um programa constituído de dez módulos. com uma estruturação maior na qual o desfecho da trama foi explicitado com sequência adequada de todos os elementos constituintes desse gênero textual. A intervenção seguiu o princípio da metatextualidade. 2007). 2) Saltos monopedais. como possibilidade de estratégia pedagógica. utilizou-se da bateria de teste de coordenação motora KTK (KIPHARD e SCHILLING. alternando-se entre duas fases (A e B). totalizando um período aproximado de três meses. freqüentam a sala de recursos de uma escola pública pertencente a um município da região oeste do estado do Paraná. Inicialmente são coletadas medidas de desempenho dos escolares.

de difícil equacionamento. referenciais foucaultianos e freirianos. lugar privilegiado para Bakhtin (1992a. filmagens -. espaçostempos para capturá-las e incentivos que potencializem modos coletivos de constituir-se como aprendente no plano de consistência e de imanência da vida. lançou-se mão de um estudo etnográfico. Este trabalho é parte do projeto intitulado “Democracia cognitiva multilateral na perspectiva freiriana”. a pesquisa cartográfica. professores e equipe de pesquisa no processo de aprenderensinar. Palavras-chave: Aprendizagem inventiva. na perspectiva do acompanhamento de processos tecidos em redes de conversações e ações nas estratégias utilizadas pelos alunos. a contação de histórias. dada a natureza do espaço em que estão inseridos jovens e adolescentes autores de atos infracionais. como o cinema. em cujas análises inserem-se. revelam que as reformas ocorridas naquela instituição. 2005. do PPGEUninove. que investigou as relações interdiscursivas e os processos de ensino-aprendizagem da língua na fase pósalfabetização. financiada pelo Programa Alfa III da União Europeia. 2007). numa escola de ensino fundamental. como aporte metodológico. COLOCANDO O PENSAMENTO EM MOVIMENTO Janete Magalhaes Carvalho (UFES) Suzany Goulart Lourenço Objetiva problematizar e registrar a potência do pensamento em movimento no processo de incrementar a aprendizagem inventiva dos alunos. em que foi possível compreender toda a dinâmica daquele espaço interdiscursivo e concluir por uma homologia de processos: o desejo de ser herói aparece como uma força motriz . ocorrida em dezembro de 2006. Fundação Casa. Para tanto. procurou-se pesquisar as relações entre as condições de trabalho com a linguagem e o desenvolvimento da argumentação na criança. ainda preliminares. ele integra-se à Rede Iberoamericana de Investigação em Políticas Educativas (RIAIPE III). desde sua mudança da antiga Febem para a Fundação CASA. Práticas pedagógicas. O locus da pesquisa foi uma turma de 3º ano dos anos iniciais da rede pública municipal do Rio de Janeiro. a música. Arendt (2005). Usa. Palavras-chave: resistência. de abordagem qualitativa.POTENCIALIZANDO A APRENDIZAGEM NA ESCOLA. Plano de imanência. Trata-se aqui de investigar as manifestações de opressão e resistência nas relações pedagógicas escolares ocorridas dentro de uma unidade de internação da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (Fundação CASA). opressão. Os resultados. o desenho. é necessário que sejam oportunizados “encontros” de ideias. ocorre um progressivo modo de aprendizagem como recognição em detrimento da aprendizagem como invenção. Através da metodologia observacional participante servindo-se de recursos como entrevistas e rodas de conversa. diga-se. para que as crianças produzam as suas aprendizagens. Trata-se aqui das análises da entrevista com a professora. na medida em que os alunos avançam nas séries escolares. OPRESSÃO E RESISTÊNCIA NAS RELAÇÕES PEDAGÓGICAS DE UMA INSTITUIÇÃO TOTAL Jason Ferreira Mafra (UNINOVE) Reinaldo V. 1992b). Castoriadis (1991) e Vigotski (2003. Os resultados indicam que. utilizando diferentes linguagens. considerando que. ainda não eliminaram problemas profundos relativos à instituição de uma educação emancipadora. Conclui pela necessidade de abertura para o aprenderensinar na perspectiva do pensamento em movimento. no que se refere ao ensino escolar. da Costa Jr. PESQUISADOR/PROFESSOR/ALUNO NO COTIDIANO DA ESCOLA PÚBLICA: BUSCANDO EXOTOPIAS NESTA TRÍADE RELACIONAL Joana d’Arc Souza F Varejao (UFRJ) Este trabalho reporta-se à pesquisa de mestrado O jogo da enunciação em sala de aula e a formação de sujeitos leitores e produtores de textos. dentre outras. e os espaços interdiscursivos nas estratégias de mediação pedagógica pautadas em pressupostos sociointeracionistas. Como aporte teórico. Vinculado à linha de pesquisa “Práticas Educacionais”. entre outros.

um número expressivo de professores reconhece que a homossexualidade já é uma orientação sexual que conquistou visibilidade dentro e fora da escola. Buscamos identificar nas práticas educacionais como as relações são estabelecidas em sala de aula e compreender que concepções orientam o professor em sua atuação. centradas em atividades repetitivas. Esta tese teve por objetivo central investigar se os professores que se dispõem a participar de cursos de capacitação com enfoque na Diversidade Sexual na Escola tendem a ser menos excludentes em sua relação com alunos homossexuais e investigar como a homossexualidade está presente na percepção destes professores. As observações das atividades realizadas com os alunos foram filmadas e posteriormente as filmagens foram transcritas. Palavras-chave: Interdiscursividade. de um modo geral. extremamente pobres. foram utilizados como referenciais de análise e discussão a estrutura conceitual sobre Inclusão. não se encontram envolvidos com a prática do lidar com os alunos homossexuais. Ser-Herói. educação especial. Neste contexto. NO QUADRO: O TEMA DIVERSIDADE SEXUAL NA ESCOLA. com base na formação docente/humana heteronormativa. Palavras-chave: homossexualidade. Exotopia. impactando por um lado. de ensino-aprendizagem. tanto para o aluno quanto para o professor. recorri a Foucault (1998) e Louro (1997). Paralelamente realizamos entrevistas com as professoras. o zelo pelo movimento vivo da interlocução no espaço escolar. assim. A investigação se deu através dos seguintes instrumentos: questionário e grupo focal. o pressuposto foi que estes.organizadora. Os resultados mostraram que apesar de registrarem suas respostas sob um olhar heteronormativo. os discursos e ações da professora. inclusão/exclusão. dentre outros. O trabalho de campo consistiu no acompanhamento de programas oferecidos para alunos autistas em uma escola de Educação Especial localizada no interior do Estado de São Paulo por um período de um ano. Os alunos têm pouca possibilidade de interação social e as práticas educacionais restringem-se ao trabalho das funções elementares. Para tanto. baseada na perspectiva teórica de Booth & Ainscow (2002) e Santos (2003a). A dificuldade inicial de interação com o outro se acentua na medida em que as práticas pedagógicas reforçam o isolamento e a restrição de experiências. o processo de constituição do sujeito-aluno escritor/locutor/leitor/interlocutor e por outro. fundamentado na perspectiva histórico-cultural. Para os estudos sobre identidades e homossexualidade. abordagem histórico-cultural REVALORANDO O PAPEL DO EDUCADOR NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Joyce Mirella Lacki Ribeiro (PUC/CAMPINAS) Samuel Mendonça No início do século XXI o analfabetismo continua sendo um desafio educacional a ser vencido e os educadores de jovens e adultos desempenham importante função social. consideramos a importância das interações sociais e das relações com professores e colegas para o processo de ensinoaprendizagem de alunos com diagnóstico de Transtorno Invasivo do Desenvolvimento (autistas). pois podem contribuir . Nas carteiras escolares: os professores. devido aos valores construídos ao longo de suas vidas. Defende-se. Políticas e Práticas. com foco na homossexualidade. Palavras chave: autismo. compreendida em três dimensões: Culturas. COM FOCO NA HOMOSSEXUALIDADE. NAS CARTEIRAS ESCOLARES: OS PROFESSORES Jose Guilherme de O Freitas (UFRJ) O presente artigo tem como objetivo apresentar uma síntese da Tese No quadro: o tema diversidade sexual na escola. descontextualizadas e que não permitem aos mesmos o acesso ao conhecimento. A IMPORTÂNCIA DAS INTERAÇÕES SOCIAIS NO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DE ALUNOS AUTISTAS Josiane Maria Bonatto Bragin (UNIMEP) Maria Inês Bacellar Monteiro Neste estudo. As análises permitiram concluir que os alunos autistas vivem experiências escolares.

entretanto. e da relação com as notas de campo geradas a partir da observação participante. os dados são significativos e foram capazes de subsidiar uma análise detalhada da relativa heterogeneidade presente entre os alunos de um curso pré-vestibular popular. remetendo. se possuem ou não filhos. ESCOLARIZAÇÃO E EDUCAÇÃO PHYSICA: UM OLHAR SOBRE O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA ESCOLA NO ESPÍRITO SANTO OITOCENTISTA Karen Calegari dos Santos (UFES) O estudo que ora se apresenta. se já realizaram outros . além de possibilitar o levantamento de importantes questões sobre o ensino médio público. Quais as características gerais dos alunos atendidos pelo cursinho Prodam? Que público opta por freqüentar este tipo de curso pré-vestibular? Foi na tentativa de responder estas questões que recorremos aos questionários e à observação participante. Nesse contexto. tanto o método e a linguagem. a partir da análise de questionários. A pesquisa se desenvolveu sob os fundamentos da educação. À luz da teoria de Certau e Freire pudemos também ampliar nossa compreensão. a uma ordem que incide sobre a educação do corpo nos espaçostempo escolares e nos espaços sociais. Apontamos como resultado de nossas investigações a produção do conhecimento cientifico como uma possível alternativa para o desenvolvimento da autonomia intelectual dos educadores. se este foi o primeiro ano de Cursinho. na cidade de São Carlos/SP. desde que planejados com essa intencionalidade. a escolaridade dos pais. emancipação intelectual. em uma primeira instância. o que possibilitou dar visibilidade aos trâmites organizacionais da instrução pública que aconteciam no Brasil e no Espírito Santo. a pesquisa mostrou que a Educação Physica não se apresentava como uma disciplina pertencente ao currículo escolar. amparam-se na filosofia. a juventude brasileira entre outros. As reflexões acerca da formação dos educadores da Educação de Jovens e Adultos sinalizam para a possibilidade de desenvolvimento do processo formativo com vistas à emancipação intelectual por meio da utilização dos espaços/tempos destinados à formação continuada. ela aparecia como um dos pilares que sustentava a tríade da Educação Integral a ser promovida pelas/nas escolas. O método utilizado incluiu a revisão bibliográfica e a análise documental. Para tanto. especificamente da filosofia da educação e. formação do educador. portanto. e a ocupação dos pais. cursos além da escolaridade básica. versa sobre os resultados de uma dissertação que se propôs a investigar o processo de escolarização da Educação Física no Espírito Santo. A análise dos documentos fez uso da reflexão realizada por Chartier sobre a operação historiográfica. a busca das mulheres no ensino superior. Palavras chave: Educação de Jovens e Adultos. o objeto de estudo de nossa pesquisa consistiu em investigar como a formação do educador da Educação de Jovens e Adultos pode contribuir para o desenvolvimento de sua autonomia. devido à possibilidade de avanço formativo para além dos conhecimentos de ordem prática adquiridos no exercício docente. da qual se originou este trabalho. se trabalham no período oposto ao do Cursinho. Enfim. (RE) CONHECENDO ESTUDANTES DE UM CURSO PRÉ-VESTIBULAR POPULAR Juliana Cristina Perlotti Piunti (UFSCAR) A pesquisa. a cidade em que moram. Os dados coletados nos possibilitaram conhecer a faixa etária. Neste trabalho apresentamos um panorama geral do público atendido pelo Cursinho PRODAM. se a escola em que estudaram era pública ou privada.para a superação da exclusão educacional de parcelas da população brasileira. com vistas à emancipação intelectual. Foram mapeadas informações referentes à educação provincial e elencados estudos concernentes à temática da História da Educação e da Educação Física. porém. De modo geral. estado civil. como a forma de interpretação. em uma perspectiva de reconhecimento e potencialização das capacidades e saberes dos educadores. foi realizada no Curso Pré-Vestibular Comunitário Prodam. foi preciso voltar o olhar para o século XIX e identificar no discurso oficial as condições de possibilidade que permitiram seu engendramento na escola.

sentir e viver as invenções dos sujeitos praticantes através de negociações. e ao olhar do pesquisador em analisar e interpretar as informações coletadas. apresentamos o levantamento realizado nas escolas da região analisada. categorização analítica) e da História Oral. Civismo. Pesquisas Curricular. Os procedimentos de análise foram embasados nas concepções teórico-metodológicas de Edward Palmer Thompson e de Eric Hobsbawn. estratégias e métodos utilizados. os documentos produzidos para e pelos CCE e relatos orais de sujeitos participantes (alunos e orientadores). Como referencial teórico também trago Certeau(1994) para discutir as redes de saberesfazeres desses sujeitos e os diversos usos que fazem dos projetos no cotidiano escolar. bem como as fontes localizadas. em EJA. tendo Certeau (1994) como autor central que possibilitou um entendimento do que se passa no espaçotempo do CMEI. Educação O CURRÍCULO POR PROJETOS SOBRE AS PRÁTICAS DO PROFESSORES E ALUNOS NO COTIDIANO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Kelen Antunes Lyrio (UFES) O presente texto tem como objetivo dialogar com as práticas dos professores e alunos de uma escola de Educação Infantil do Município de Vitória – ES e problematizar o que chamo de currículo por projetos. No intuito de investigar e experimentar as redes de saberes. incidência temática. Ditadura. Esse trabalho é parte de minha dissertação de mestrado onde mergulhada no cotidiano escolar pude perceber. Como resultados parciais. fazeres e poderes desses sujeitos e entender suas práticas foi necessário usar a metodologia de pesquisa dos/nos/com os cotidianos.Palavras-chave: 1-Século XIX. Palavras-chave: Educação. Palavras-chave: Desenvolvimento Matemática. fizemos um mapeamento de pesquisas realizadas com a temática EJA. O olhar para as produções foi direcionado por duas categorias de análise: uma (i) em relação ao objeto de pesquisa. traduções e burlas frente a prescrição dos projetos pedagógicos. periódicos e anais de eventos da área. . outro autor de destaque é Bhabha com as idéias de negociação e tradução. e a outra (ii) em relação à fundamentação teórica e as considerações dos pesquisadores-autores. consideraram-se as contribuições da pesquisa documental (análise de conteúdo. Utilizou-se como fonte a legislação. Para a pesquisa documental selecionou-se algumas escolas públicas localizadas na região do Vale do Paraíba Paulista que se destacaram como instituições de ensino no período. PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: UM OLHAR PARA O QUE EVIDENCIAM ALGUMAS PRODUÇÕES Katia Cristina Lima Santana (PUC/SP) Adriano Vargas Freitas Armando Traldi Junior Neste artigo. Esses órgãos funcionavam nas escolas de 1º e 2º Graus e contavam com um orientador de Educação Moral e Cívica (EMC) para dirigir as atividades de moral e civismo desenvolvidas pelas instituicões. no período de 1971 a 1986. em programas de pós-graduação. 3Educação Physica. Do ponto de vista metodológico. apresentamos parte de um estudo desenvolvido no projeto de pesquisa “O Currículo de Matemática na Educação de Jovens e Adultos: dos intervenientes curriculares à prática em sala de aula”. A análise dos dados coletados nos mostrou o desenvolvimento crescente de pesquisas na área da educação de pessoas jovens e adultas. Para este estudo. DITADURA MILITAR E EDUCAÇÃO: UMA ANÁLISE DOS CENTROS CÍVICOS ESCOLARES (1971 – 1986) Karina Clecia S Guilherme (PUC/SP) O presente trabalho tem como objetivo analisar a implantação e o funcionamento dos Centros Cívicos Escolares (CCE) criados durante o período da ditadura militar. 2-Escolarização. e um número reduzido de estudos a respeito do desenvolvimento curricular de Matemática para esse alunado. principalmente nas temáticas didática e resolução de problemas. em Educação Matemática.

criado pela Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. e entrevistas com professoras do ciclo de alfabetização. A metodologia incluiu observações nas salas de aula e em outros espaços escolares. Soares.Foi preciso pensar para além dos currículos por projetos e potencializar um currículo que fale do vivido. crenças e atitudes das crianças. Constatou-se indícios de resistência do corpo docente ao PIP.ª série do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos e o papel da produção desse conhecimento na inclusão desses alunos em atividades letradas. Para analisar as questões ligadas aos aspectos formativos. TEATRO E GAMES NA ESCOLA: MOMENTO DE CRIAÇÃO. fizemos questão de caminhar para a inclusão desses alunos em atividades letradas. daquilo que é sentido e experimentado nas práticas dos sujeitos. Educação Estatística O PROGRAMA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA/ALFABETIZAÇÃO NO TEMPO CERTO (PIP): AVANÇOS E OBSTÁCULOS NO TERRENO DA PRÁTICA Kelly Fumian da Silva (UCP/RJ) Marlene Carvalho Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa sobre o Programa de Intervenção Pedagógica/Alfabetização no Tempo Certo (PIP). Concluiu-se que o PIP foi em geral analisado e avaliado de forma positiva pelos sujeitos entrevistados. e isso foi muito importante para nós e provavelmente para eles. cuja meta prioritária é alfabetizar todas as crianças até os oito anos de idade. supervisora e diretora. a qual estaria sendo sacrificada para cumprir as metas quantitativas estabelecidas pelo Programa. Embora conscientes das dificuldades dos alunos em “ler e escrever” e das situações pouco propícias para o desenvolvimento dessas competências na realidade da própria escola. acreditando que seriam capazes de produzir um pôster. Palavras-chave: Programa de Intervenção Pedagógica. para a formação das identidades dos educandos. RECRIAÇÃO E CRÍTICA Leticia BragaSantoro (UNESA) Estrella Bohadana Esta comunicação apresenta pesquisa realizada no CEFET/RJ com alunos do ensino médio. os alunos interagiram com a comunidade escolar. Cotidiano. com os estagiários e com os colegas. Palavras-chave: Letramento. O trabalho de campo da pesquisa que denominamos participante foi realizado em uma escola pública do interior do Estado de São Paulo. Além disso. O material de análise foi constituído por transcrições das gravações em áudio e vídeo das atividades. que abordam a importância do currículo e dos discursos. portfólios das produções dos alunos. ELABORAÇÃO DE PÔSTERES: MANIFESTAÇÕES LETRADAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Keli Cristina Conti (Unicamp) Dione Lucchesi de Carvalho O objetivo deste trabalho foi analisar e compreender o ensino e a aprendizagem de Estatística em aulas de Matemática de alunos da 7. Educação de Jovens e Adultos. alfabetização. que considera necessário investir mais tempo e esforços na formação de valores. de forma a serem protagonistas da constituição de seu conhecimento. O objetivo foi investigar como os jovens transferem para o teatro os conteúdos presentes nos games. Palavras-chave: Projetos. Buscamos . A partir das cenas de teatro observamos qual a (re) interpretação que os alunos fazem das situações vivenciadas nos games. Currículo. A base teórica sobre alfabetização e letramento foi buscada nos trabalhos de Goulart. com a pesquisadora. O foco do estudo foi avaliar o alcance e os limites do PIP numa escola de Muriaé. Carvalho e outros. diários de campo. formação identitária. análise documental. os interlocutores foram Antônio Flávio Moreira e Popkewitz. na perspectiva de Magda Soares e David Barton. É possível afirmar que essa produção de conhecimento foi além do conhecimento de Matemática e de Estatística e cumpriu o que se pretendia com relação à construção de conhecimento.

inicialmente. Foram obtidos indícios de quanto a arte. utilizamos autores que se debruçam sobre a temática educação não formal. segundo Laurence Bardin. O ENSINO RELIGIOSO NOS GRUPOS ESCOLARES JOSÉ RANGEL DELFIM MOREIRA: A PRESENÇA CATÓLICA NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DOS AUDITÓRIOS Ligia de Souza Junqueira (UFSJ) Laerthe de Moraes Abreu Junior Este trabalho tem como objetivo analisar a influência do ensino religioso católico nas práticas educacionais do Grupo Escolar Delfim Moreira. pode se constituir em relevante instrumento para uma proposta educacional mais crítica. Como instrumento metodológico recorrermos à pesquisa teórico-bibliográfica e à pesquisa de campo. Ghanem e Trilla (2008) e Libâneo (2005). que abordavam a questão da religião. Para realizar a análise interpretativa. bem como história do cotidiano. podem ser apreciados e também contextualizados e recriados. na troca de experiência. em particular o teatro. Afonso (1989). O cenário do estudo foi o NPJ de uma Universidade privada localizada na zona oeste da cidade de São Paulo. Como referencial teórico. assegurando a legitimidade dos valores morais e religiosos católicos e propagando a doutrina que deveria transcender os muros da escola. em especial os games. alunos e professores.Esta pesquisa de cunho documental utilizou como referencial teórico autores que abordam história das instituições. o indivíduo e a família. o que favoreceu um espaço propício à criação. posteriormente. trata-se de um espaço onde a aprendizagem ocorre na relação com os outros. Para tanto esta pesquisa recorreu ao acervo dos Grupos Escolares de Juiz de Fora. e investigar como a Igreja utilizou a educação para difundir seu ideário. que contém registros das atividades escolares dos auditórios realizadas nesse Grupo. Igreja Católica. pois oferece aos discentes o contato direto com o assistido. das práticas escolares/educativas. ampliamos o universo da formação escolar. por intermédio das práticas dos auditórios.referências teoricas em Bertold Brecht. Aborda o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) como espaço não formal e sua contribuição na formação acadêmica do futuro advogado. Palavras-chave: Ensino religioso. tornou-se espaço significativo de suporte e sustentação da formação de uma sociedade afinada aos preceitos do catolicismo. Paulo Freire e Henry Giroux. atingindo. 2010). além de apoiar-se em textos legais e na vasta literatura pertinente ao tema. Percebemos que as obras e produtos culturais consumidos pelos jovens. Percebe-se que o Grupo Delfim Moreira. a sociedade. a saber: Gohn (2006. espaço educativo não formal. e. na busca da aprendizagem necessária para solucionar determinado caso. aprendizagem FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DO ENSINO: UM ESTUDO DE CASO Rosangela Padilha Thomaz dos Santos (UFRRJ) Lilian Maria Paes de Carvalho Ramos Apresenta resultados finais de pesquisa realizada na forma de estudo de caso numa escola do . ou seja. Para conhecermos como o trabalho é realizado nesse espaço e como contribui na formação acadêmica dos discentes utilizamos entrevista do tipo semi-estruturada com o coordenador do Núcleo e com 6 alunos estagiários. Os resultados parciais da coleta de informações da pesquisa citada mostram que o Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) torna-se um espaço educativo não formal. pois apesar de fazer parte da Universidade. permite a relação teoria e prática. Auditórios. Ao buscar uma proposta pedagógica crítica. empregamos o suporte teórico da Análise de Conteúdo. criativa e ética. Augusto Boal e Ingrid Koudela. Palavras-chave: núcleo de práticas jurídicas. O NÚCLEO DE PRÁTICAS JURÍDICAS COMO ESPAÇO EDUCATIVO NÃO FORMAL Ligia de Carvalho Abões Vercelli (UNINOVE) Este texto discute o espaço não formal e a educação não formal e aponta as definições dessas categorias.

questionários semiestruturados e entrevistas. Identidade Profissional. Para tal foram consultados diferentes arquivos: Arquivo Público Mineiro. entretanto. do fluxo de bioenergia e de flexibilização dessas couraças. os pedagogos em formação podem se apropriar de conhecimentos que o ajudarão a criar novas possibilidades de ação e expressividade em sua própria prática. a percepção corporal. Desta forma. intitulada “Das Escolas Isoladas ao Grupo Escolar: a instrução pública e primária em Mariana-MG (1889-1930)”. Arquivo Eclesiástico de Mariana. quando ainda não havia sido criado o Grupo Escolar na cidade. O intelecto é uma das dimensões fundamentais do ser humano. Objetivo geral: averiguar de que forma a educação continuada afeta o desempenho e a identidade profissional de professores atuantes no primeiro segmento do ensino fundamental. A fiscalização acontecia de forma mais descentralizada e de âmbito local. A INSTRUÇÃO PRIMÁRIA EM MARIANA. A metodologia utilizada relaciona o contexto particular –as Escolas Isoladas de Mariana. Os principais referenciais teóricos utilizados foram António Nóvoa (1992. Arquivo da Câmara Municipal. A compreensão das couraças musculares e de caráter. o que não é uma tarefa fácil. Escolas Isoladas BIOEXPRESSÃO – O MOVIMENTO EXPRESSIVO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Lucia Helena Pena Pereira (UFSJ) Este texto apresenta alguns resultados teóricos da pesquisa em andamento que tem por objeto de estudo a Bioexpressão. Palavras-chave: Formação Continuada de Professores. com material escasso. Essas funcionavam em locais improvisados. no município de Mariana-MG. preencher a escrituração e manter a limpeza do local das aulas. exigindo preparação e conhecimento deste campo de estudo.MG: UMA ANÁLISE DAS ESCOLAS ISOLADAS NO INÍCIO DA PRIMEIRA REPÚBLICA Lívia Carolina Vieira (UFSCAR) Este trabalho é resultado da pesquisa realizada no mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos. não só com a sua. A partir dos resultados obtidos e das reflexões suscitadas. 1999). na Baixada Fluminense. Da pesquisa escolheu-se analisar nesse artigo a (re)organização das chamadas Escolas Isoladas (educação primária) no período do início da Primeira República. gera limitações ao seu desenvolvimento e equilíbrio (REICH. corporal. se tomada separadamente dos aspectos emocional. Os resultados apontaram que nas Escolas Isoladas públicas estudavam muitos alunos pobres e moradores dos distritos e freguesias da cidade. o cuidar de si e a autoexpressão na prática pedagógica. 2001). aponta pistas de possíveis caminhos e estratégias para a melhoria da qualidade da educação no caso estudado. estimulando o autoconhecimento. Palavras-chave: Primeira República. e Qualidade na Educação. uma vez que é importante que o futuro educador esteja preparado para lidar com as dificuldades da sala de aula e a corporeidade. MATURANA. uma proposta teóricoprática que busca formas de minimizar as limitações comuns ao ser humano e de com elas conviver de modo mais saudável. . Objetivo específico: analisar os sentidos que os professores de 1º segmento do Ensino Fundamental atribuem à sua prática pedagógica e a seus resultados a partir de tal formação. assim como da potencialidade das atividades lúdicas e artísticas nos permite propor novas possibilidades na prática das aulas da Pedagogia. Os professores em sua maioria não cursaram a Escola Normal. 1996. em alguns momentos. DAMÁSIO. em geral na casa dos professores.a um contexto mais amplo do cenário estadual e. Mikhail Bakhtin (2009) e Walter Benjamin (1994).município de Duque de Caxias. Ficava a cargo do professor: guardar o material das aulas. social e espiritual.1995. mas também com a de seus educandos. de âmbito nacional. Instrução Primária. Utilizaram-se como procedimentos de pesquisa a observação do cotidiano da escola. no decorrer dos anos de 2009-2010. Esta fase da investigação se volta para a pesquisa bibliográfica. na busca de caracterizar as atividades bioexpressivas em suas especificidades na prática pedagógica do Curso de Pedagogia.

de A. Cury e De Vargas. As produções inventariadas e analisadas foram as dissertações e teses produzidas nos Programas de Pós-Graduação em Educação do Brasil. não tinham um vínculo direto com a formação de alunos leitores. As reflexões feitas a partir do inventário realizado confirmam . práticas de leitura. realizamos um estado da arte sobre o tempo na produção em educação. Alarcão (2002). A investigação partiu de uma abordagem qualitativa de pesquisa. Soares (2006) e Kleiman (2006) sobre leitura e formação de leitores. ele é um tema importante. e traz resultados da pesquisa sobre a formação docente para o desenvolvimento de atividades relacionadas às práticas de leitura. Vivências FORMAÇÃO DOCENTE E AS PRÁTICAS DE LEITURA NA REDE PÚBLICA ESTADUAL DE SÃO PAULO: A FASE INICIAL DO PROJETO SÃO PAULO FAZ ESCOLA NA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES PARTICIPANTES Luciana Franco (UNISANTOS) O trabalho trata da primeira fase do Projeto São Paulo Faz Escola. O campo desta investigação foi uma escola particular católica de um município da Zona da Mata de Minas Gerais. Tuan e estudos sobre a EJA amparados por autores como Arroyo. Escolano. Foucault. de outros espaços. tendo como sujeitos de pesquisa professores que atuam no ensino fundamental e médio e que participaram da primeira fase do projeto em pauta. que fazem parte do Banco de Teses da CAPES. O TEMPO NA PRODUÇÃO EM EDUCAÇÃO: REFLEXOS NA/DA ESCOLA Luciana Pacheco Marques (UFJF) Sandrelena da Silva Monteiro Cristiane E. Foram utilizadas entrevistas. que aborda questões relacionadas às instâncias formativas.Palavras-chave: Bioexpressão. Os resultados apontaram que. Palavras-chave: Espaço. A partir do estudo das produções pesquisadas foram organizadas quatro grandes temáticas: concepções de tempo. a partir de um enfoque críticoreflexivo dos contextos profissionais. até então. ‘EM ZIGUE-ZAGUE. EJA. e Imbernón (2009). pois nunca é neutro. Como referencial teórico foram utilizados autores que discutem a questão espacial Bachelard. Projeto São Paulo Faz Escola. O estudo proposto. considerando a produção dos últimos cinco anos (2003-2007) disponíveis nestas agências. Frago. portanto. construtiva e envolver profissionais de diferentes áreas. Nessa perspectiva. no que se refere à formação de professores. faz parte do processo formativo. de natureza qualitativa. visando compreender como o aluno de EJA vivencia. analisou os dados obtidos com a aplicação de questionários e realização de entrevistas semi-estruturadas. implementado pela SEE/SP. Utiliza os estudos de Freire (2005). Movimento expressivo. tempo escolar. CHEGAR AO FINAL DO CORREDOR’: ESTUDO DO ESPAÇO NA EJA Luciana de Lacerda Dias Braga (UCP) Sonia Maria De Vargas O espaço que nos envolve e envolveu no passado exerce influência na criação da sociedade e. teve aspectos positivos no que refere às práticas de leitura nos diferentes componentes curriculares que. Santos (1998). tempo do professor e tempo integral. Palavras-chave: formação continuada. Mostrou também que a educação continuada pode ser interativa. Oliveira Com o intuito de pensarmos as implicações das concepções de tempo na/da escola. na percepção dos sujeitos. Este texto foi baseado em pesquisa de mestrado que procurou compreender o papel do espaço escolar para o aluno de EJA e como esse aluno vivencia e produz significados para o espaço escolar. o trabalho com a leitura. mapas narrativos e discussões teóricas acerca do espaço e da EJA. Fundamenta-se nos estudos de Tardif (2002). apesar de ter sido impositivo e não permitir a autonomia docente. em 2008. além de Ghedin (2005). como instrumentos para coletas de dados e compreensão da realidade encontrada na escola. os artigos publicados nos periódicos da área de educação disponíveis no SciELO e os trabalhos apresentados nas Reuniões da ANPEd. produz e compreende os diferentes espaços de aprendizagem que experiencia na escola. Prática pedagógica.

na educação superior. pois destacaram que os altos desempenhos seriam aqueles que “caminhariam sozinhos” na aprendizagem. professores e A TEMÁTICA AMBIENTAL NOS CURSOS SUPERIORES DE TURISMO Luciana Thais Villa Gonzalez (UFRRJ) Luiz Marcelo Carvalho O destaque que os debates em torno da questão ambiental vem recebendo em todo mundo na atualidade é inegável. médio e baixo. porém esta ainda é tratada de maneira pouco aprofundada devido a uma série de fatores. para o experienciar de um tempo real. nos casos de desempenho mediano. Assim. constatamos que a temática ambiental é considerada como um conhecimento válido (GIMENO.nossa premissa de que o tempo é resultado de um longo processo de aprendizagem que afeta a constituição social como um todo.2003) sobre a “construção do saber ambiental”. e nas proposições da Rede de Ambientalização dos Estudos Superiores sobre o conceito de “ambientalização curricular”. Com embasamento teórico em textos de Gimeno Sacristán e Bernard Lahire. por envolverem concepções de duas professoras. vem sendo incorporada pelas instituições de ensino. a capacidade dos mesmos. Estes se destacaram nos desempenhos medianos e. Lucato Sigolo Este texto apresenta alguns resultados advindos de nossa dissertação. Palavras-Chave: Concepções. A escola também é afetada pelas concepções de tempo. menos intensamente. Neste cenário. Os dados aqui apresentados trazem como principais contribuições as reflexões sobre a leitura dos diferentes desempenhos escolares. sendo o tempo demarcado pelo relógio e calendários o regulador da sua organização. para entendermos melhor o processo de incorporação da temática ambiental no nível superior. . como resposta à pressão a que este nível educacional está submetido. Porém. a partir de então. e utilizando o método da “análise de conteúdo” proposto por Bardin (2004) para a análise dos dados. voltamos nosso olhar para os cursos superiores de Turismo do Estado de São Paulo. obtivemos fortes indícios de que a temática ambiental é trabalhada em grande parte dos cursos analisados. eles não devem ser generalizados. a Educação Ambiental surge como alternativa para o enfrentamento da crise ambiental. Numa abordagem qualitativa de pesquisa. Outro aspecto que pode ser destacado é que a prática pedagógica foi sublinhada apenas nos casos de desempenhos baixos e. Palavras-chave: Tempo – Tempo Escolar – Estado da Arte AS CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE OS DESEMPENHOS ESCOLARES Luciana Ponce Bellido Giraldi (UNESP) Silvia Regina R. no entanto. As concepções das professoras sobre os desempenhos escolares: alto. a participação familiar/contexto social. sobre os diferenciados desempenhos escolares. baixos. Apontam. 2000a) na formação dos bacharéis em Turismo na quase totalidade dos cursos analisados. As produções em educação sobre o tempo nos dão indícios de que a concepção linear de tempo ainda predomina na escola. desempenhos escolares. o objetivo desta proposta se constituiu em identificar e discutir concepções formuladas por educadores. e. as aprendizagens anteriores. Por meio da coleta de dados em documentos e entrevistas. sendo necessário haver outros estudos que incluam mais sujeitos em diferentes contextos para ter os dados confrontados e. problematizando a linearidade que está implícita na organização espaçotemporal na/da escola. sendo referenciados nos altos desempenhos apenas quando se remetiam à cobrança e apoio familiar. indiciou que os fatores intra-escolares foram mais enfatizados do que os fatores extraescolares. serem mais representativos. Os resultados apontaram que elas relacionavam os desempenhos escolares principalmente ao interesse dos alunos. principalmente. sendo que apenas três cursos dos cento e vinte e quatro analisados apresentaram um nível de “ambientalização curricular” bastante avançado. foram realizadas entrevistas com duas professoras de uma escola do interior do estado de São Paulo. Apoiados nas considerações de Leff (2001.

diferenciado.Palavras-chave: cursos temática ambiental superiores. ensino de Filosofia. por outro lado. Tais práticas estão fundamentadas nos princípios políticos e pedagógicos de Paulo Freire. A partir dele. E. O texto pretende demonstrar que. bilíngue. que venho desenvolvendo como professor de Filosofia no Ensino Médio de uma escola pública do estado de São Paulo. dos seus problemas. escola pública paulista. ampliaram e complexificaram o rol de intervenções socioeducativas tidas como legítimas. Propõe-se uma re-abertura dela para outros ambientes educativos para além da escola. bem ou mal. das causas e das soluções para tais problemas. nesta ação é fator preponderante pensar o Currículo para a questão da identidade por meio da elaboração de conteúdos. A partir delas e de sua problematização em encontros posteriores. BILINGUE E DIFERENCIADO: TRANÇADOS ENTRE O RCNEI E EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA Lucilene dos Santos Pacheco (PUC/SP) Pensar a escola para o contexto diferenciado da realidade de povos étnicos é também. inspirada em Paulo Freire . compreender a proposta curricular. a qual se encaminha para uma preocupação que se tornaria central. o presente artigo visa compartilhar algumas reflexões acerca do RCNEI Referencial Curricular Nacional para Escolas Indígenas. Neste sentido. Educação dos estudantes. e para outros aspectos das relações educacionais. Tal investigação teve como ponto de partida questões de investigação do bairro em que os estudantes moram. Escolar Indígena Currículo. um conteúdo programático de Filosofia foi proposto e vem sendo trabalhado em sala de aula com o objetivo de desvelamento crítico da realidade vivida pelos estudantes. Visto que. busquei organizar uma forma viável de investigar o universo temático . Ao final de 3 semanas de problematização e de investigação. Seguindo o pressuposto epistemológico freireano de que o conhecimento se faz a partir da práxis dos sujeitos envolvidos. o conhecimento escolar. Cultural. Turismo. INTERCULTURAL. Este referencial que objetiva auxiliar na discussão e reflexão do ensino intercultural. vários autores e tendências dentro da própria sociologia ENSINO DE FILOSOFIA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA INSPIRADA NA PEDAGOGIA DE PAULO FREIRE Valter Martins Giovedi (PUC/SP) Esse trabalho tem como objetivo apresentar uma experiência de prática pedagógica. Palavras-chave: RCNEI. para além do ensino-aprendizado de conhecimentos referenciados nos códigos supostamente elaborados (e mesmo para além do ensinoaprendizado apenas de conhecimentos). dentro deste sistema educativo existe a necessidade de currículos condizentes e próximos à realidade das nações étnicas brasileiras. emergiu um tema gerador que vem dando margem a muitos debates e diálogos nas aulas de Filosofia. métodos de ensino e práticas culturais. foi possível precisar cada vez mais quais os desafios coletivamente vividos pelos estudantes matriculados no 1º ano do Ensino Médio. de modo a estreitar o que é preceito no discurso legal e nas práticas postas/impostas às Escolas indígenas. junto a eles. A vivência aqui relatada vem se realizando desde o início do ano de 2010. Palavras-chave: Paulo Freire. o currículo. Esta reabertura se faz possível e necessária mas principalmente pelos processos socioeducativos das últimas décadas que. nos primeiros encontros que tivemos no ano. Ela consiste em um conjunto de práticas que desenvolvo junto aos educandos do 1º ano do Ensino Médio. Theodor Adorno PARA ALÉM DE UMA SOCIOLOGIA DO CURRÍCULO ESCOLAR: CONTRIBUIÇÕES DA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR PARA UMA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO SOCIOCOMUNITÁRIA Luís Antonio Groppo (UNISAL) O trabalho aborda parte da trajetória da Sociologia da Educação. bem como trouxeram ao campo educacional planejado (seja este formal ou não formal) outras formas de ensino-aprendizagem e conteúdos.

ESTRATÉGIAS E TRAJETÓRIAS DE PERMANÊNCIA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Luís Fernando Monteiro Mileto (UFF) O objetivo do trabalho é estabelecer relações entre a pesquisa “No mesmo barco. consultas aos diários de classe. A perspectiva sócio-histórica foi outro referencial teórico utilizado. como a História. Palavras chave: Sociologia da Educação. assim como outrora. Palavras-chave: educação de jovens e adultos. A metodologia consistiu de observação de campo. como os estudos antropológicos sobre a educação em culturas iletradas. Levará em conta como alguns documentos oficiais tratam esta questão e partilhará de algumas abordagens de importantes teóricos que tratam da relação entre a diversidade cultural e o cotidiano escolar. Palavras-chave: ensino de história – deficiência intelectual – inclusão escolar. currículo. Também. Concluiu-se que os processos de permanência mantêm uma relação diretamente proporcional com trajetórias escolares anteriores e com processos de construção identitária. aos arquivos escolares e entrevistas com sujeitos representativos da diversidade na EJA. contribuições de campos afins. Obtidos através de resposta a questionário encaminhado aos professores. Trata-se de procedimento reflexivo inicial que visa construir novos espaços de debate sobre políticas públicas e práticas inclusivas de ensino em áreas específicas do quadro de disciplinas escolares do ciclo II do Ensino Fundamental. Objetivei compreender os liames entre as trajetórias escolares e os processos de permanência. um ajuda o outro a não desistir”: Estratégias e trajetórias de permanência na EJA que desenvolvi no mestrado e a necessidade de reflexões sobre as práticas pedagógicas que considerem a especificidade dessa modalidade de educação. dando força. 2003) estes resultados apontaram que as ações desenvolvidas pouco avançaram em direção à “perspectiva inclusiva” e continuam reproduzindo um ensino pouco significativo que vem incluindo novos sujeitos a um contexto escolar que já se apresenta excludente. Estas contribuições podem levar-nos a um olhar possivelmente mais bem adequado para as realidades educacionais de nosso tempo. em virtude das dificuldades de reconhecimento e respeito pelas diferenças vivenciadas em muitas escolas.da educação levam hoje. evasão. Ao discutir a possibilidade de uma educação para a diversidade se apoiará na filosofia moral de Jürgen Habermas e na psicologia do desenvolvimento de Lawrence Kohlberg. ou seja. à possibilidade desta nova abertura. Educação Não Formal. O artigo . Nessa pesquisa busquei realizar uma conversão do olhar adotando perspectiva inversa àquelas que naturalizam o problema da evasão na EJA. após Análise Social Discursiva (Moraes. permanência escolar A CONCEPÇÃO DE ÊXITO NO ENSINO DE HISTÓRIA PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Luis Henrique da Silva (UNESP) Neste trabalho apresentamos parte dos resultados contidos em Dissertação de Mestrado que analisou a concepção de professores de História sobre êxito no ensino para alunos com deficiência intelectual matriculados no Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) de escolas regulares públicas de uma Diretoria Regional de Ensino do Interior do Estado de São Paulo. educação sociocomunitária. UMA EDUCAÇÃO PARA A DIVERSIDADE: ALGUMAS CONTRIBUIÇÕES DE HABERMAS E KOHLBERG Luiz Claudio da Silva Camara (PUC/RIO) O presente artigo se propõe a apresentar uma reflexão sobre a necessidade e possibilidade de uma educação que atente para a diversidade cultural presente em nossas sociedades contemporâneas e em especial em nossas salas de aula. não apenas centrado na escola e na transmissão de conhecimentos formalizados – mas sem deixar de considerar a importância inconteste destes.

na França. tematizando o papel social da escola e do professor. Apresento. buscando um sentido para o conceito. CICLO ÚNICO DE FORMAÇÃO NA EJA: ALGUMAS REFLEXÕES PARA A CONSTRUÇÃO DE UM CONCEITO Luiz Olavo Fonseca Ferreira (UFMG) Essa comunicação trata do “ciclo único de formação”. Lúcia Helena Alvarez e Jane Paiva. também. Foram utilizados como referenciais teóricos conceitos da Pedagogia Histórico . Além disso. característica de uma educação tradicional. os autores Miguel Arroyo. ideia que. Dessa forma. Organização do Trabalho Pedagógico. a entrevista e a análise documental.Crítica. Educação de Jovens e Adultos. Através de subsídios teóricos. com as práticas do Colégio Diocesano La Salle. sua prática no cotidiano escolar.Construção Histórica da Sexualidade O PRINCÍPIO DE SOLIDARIEDADE NO CURRÍCULO DO COLÉGIO DIOCESANO LA SALLE – SÃO CARLOS/SP Marcelo Adriano Piantkoski (CUML) Silvia Aparecida de Sousa Fernandes Este trabalho é o resultado de uma pesquisa concluída de Mestrado e teve como foco de estudo os princípios educativos lassalistas e o currículo do Colégio Diocesano La Salle de São Carlos/SP. O método de pesquisa utilizado foi um estudo de caso qualitativo/quantitativo e como técnica de coleta de dados a observação participante. discutindo. Essa cisão se dará em favor de novas organizações pedagógicas que sejam flexíveis e que permitam aos educandos terem acesso. em diversos momentos do processo de escolar. A pesquisa objetivou apreender as concepções e práticas pedagógicas de professores dos anos iniciais do ensino fundamental da rede pública do Estado de São Paulo. uma forma de organização do trabalho pedagógico que preconiza o sujeito como centro do processo educativo e que surge no cotidiano escolar com o intuito de atender os desejos e as necessidades que os educandos trazem para a escola. Palavras-Chave: Ciclos de Formação. torna-se necessário o rompimento com a lógica etapista e sequencial. para isso. Foram analisados documentos do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs. sejam eles heterogêneos ou não. então.aponta que professores e gestores devem planejar práticas nas quais o espaço e o tempo da escola possibilitem que as diversas culturas se expressem e sejam conhecidas e reconhecidas enquanto expressões legítimas das várias identidades que encontram-se em processo de constituição. Analisa o currículo prescrito do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs implantado nas primeiras escolas. na França. organização pedagógica em implantação na EJA das escolas municipais de Belo Horizonte. A pesquisa traça um paralelo entre os valores e princípios nas escolas lassalistas dos séculos XVII e XVIII. A metodologia pautou-se na análise documental. . nos anos de 1990. dentre outros. Corporeidade. Palavras-chave: Educação Sexual – Papel Social da escola . é parte da cultura escolar dos educandos. no século XVII. essa organização do trabalho procura validar as aprendizagens que esses sujeitos adquiriram ao longo da vida. ao conhecimento através de grupos diferenciados. conforme as experiências e as especificidades de cada lugar. de Demerval Saviani e o conceito de construção histórica da sexualidade de Michel Foucault. desenvolvida no período de 2006 a 2009 na Faculdade de Educação da Unicamp. a partir dos impactos das determinações legais dos Parâmetros Curriculares Nacionais. também. e o princípio de solidariedade que o currículo traz atualmente. reflito sobre o significado desse termo. EDUCAÇÃO SEXUAL: REFLEXÕES E DESAFIOS PARA UMA FORMAÇÃO EMANCIPATÓRIA Maísa Maganha Tuckmantel (UNICAMP) As reflexões apresentadas nesse artigo foram organizadas a partir da pesquisa de doutorado. além de documentos norteadores da EJA no Brasil e no mundo. Utilizo. reconhecendo-as como importantes e fundantes para o contexto e para o processo de escolarização. a fim de analisar os limites e as possibilidades da presença da educação sexual na escola básica.

e na psicanálise. na psicologia desenvolvimentista. Concluiu-se que o currículo prescrito do Colégio Diocesano La Salle de São Carlos/SP. nas especulações deste trabalho. por meio de seus projetos e práticas de solidariedade. Palavras-chave: psicanálise. no século XVII. disciplina (composta por exercícios autoconfissão) e desempenho (presente em processos de autoperitagem). a defesa dessa tríade remetem. poderia ser responsável por levar seus agentes a adotar. leituras elencadas na psiquiatria. Solidariedade. GENEALOGIA DA PSICANÁLISE NOS ESTUDOS EDUCACIONAIS BRASILEIROS Marcelo Rito (USP) Este trabalho pretende participar das contendas estabelecidas por pesquisadores acerca de um tema bastante comum no que tange às práticas escolares: a presença de enunciados psicanalíticos nas atuais proposições pedagógicas. quando a moderna pedagogia passou a incentivar práticas normativas. Palavras-chave: Currículo de Matemática. Amparado pelas elucubrações foucaultianas. Educação Matemática. Brasil. a um substrato histórico atuante desde os primórdios do século XX. cada vez com maior naturalidade. hoje. além da compilação historiográfica. higiene mental e governamentalidade CURRÍCULOS PRESCRITOS NO BRASIL. adapta e garante a permanência dos princípios educativos do Instituto dos Irmãos das Escolas Cristãs. Argentina. na psicopedagogia. Espera-se que a pesquisa acrescente ao conjunto de escritos dedicados a discorrer em torno dos vínculos inexpugnáveis da psicanálise com os diversos campos do fazer pedagógico. conceitos como norma (balizada por ações de autoinspeção). disciplinares e produtivas inspiradas na Higiene Mental. A análise documental realizada até o momento revela muitas semelhanças e sugere a incorporação de resultados de pesquisas da área de Educação Matemática nos currículos prescritos dos países pesquisados. é desenvolvido em práticas e projetos que atendem às necessidades dos próprios alunos lassalistas e projetos desenvolvidos fora do ambiente das escolas. A pesquisa revelou que o princípio de solidariedade nas escolas lassalistas teve início com a fundação das primeiras escolas e. ARGENTINA. preconizados desde a fundação do Instituto. na psicologia crítica. Palavras-chave: João Batista Currículo. . de La Salle. Por meio de pesquisa documental e de entrevistas procura identificar similaridades e diferenças entre as prescrições curriculares oficiais destes países e também levantar alguns indicadores a respeito de como essas prescrições são apresentadas em materiais didáticos e como influenciam os currículos praticados por professores de Matemática. CHILE E PARAGUAI PARA A ÁREA DE MATEMÁTICA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: SIMILARIDADES E DIFERENÇAS Marcelo de Oliveira (PUC/SP) Dermeval Santos Cerqueira Emilio Celso de Oliveira DiasCélia Maria Carolino Pires Esta comunicação apresenta resultados iniciais de pesquisa em andamento que analisa impactos das investigações na área de Educação Matemática sobre organização e desenvolvimento curricular de países latino americanos. ainda mais. Estudo comparativo. Chile. A adoção e. na década de 1990. este trabalho tem como objetivo inserir-se no rol de pesquisas dedicadas a insinuar que a escola psicanaliticamente orientada seria um lugar propício ao governo da alma.documentos do Colégio Diocesano La Salle de São Carlos e artigos publicados em jornais da cidade de São Carlos. Paraguai. para tanto. nas impressões do pesquisador. Esta. Projetam-se.

aborda o processo de ensino e aprendizagem dessas pessoas à luz da perspectiva sóciohistórico-cultural. que são constituintes da própria formação sociocultural desse povo. dialogamos também com Bachelard sobre os obstáculos epistemológicos e pedagógicos à aprendizagem do conhecimento científico. ENSINO DE FILOSOFIA COMO CONTRIBUIÇÃO FORMATIVA Marcos Antônio Lorieri (UNINOVE) Este texto contém idéias sugeridas por leituras realizadas em fontes que fazem parte do resultado parcial de coleta de informações na área da Filosofia da Educação relativas ao projeto de pesquisa “A Filosofia da Educação no Espaço Lusófono” em desenvolvimento na Linha de Pesquisa Teorias em Educação do PPGE da UNINOVE. Nossa contribuição para essa discussão acontece a partir do estudo do Tratado da Argumentação de Chaïm Perelman e Lucie Olbrechts-Tyteca.. e como compreendem o território e a própria relação com a terra e a floresta. práticas pedagógicas. da Filosofia na formação de crianças e jovens. Ao conceber a analogia como um tipo de argumento conferimos a ela a complexidade necessária ao seu uso sistemático e reconhecemos seu papel na aprendizagem: a analogia deve ser desconstruída no momento em que tenha exaurido seu papel. somam-se estudos que objetivam a compreensão dos múltiplos fatores que influenciam os processos de ensino e aprendizagem. mas como continuidade renovada. Palavras-chave: teoria da analogia. argumentação. não como cópia. Em seguida. a partir dos seus modos de vida. do lugar das analogias e metáforas como recursos de persuasão. Márcia Denise Pletsch (UFRRJ) O texto discute. mais especificamente. em especial. Nesse texto. Território. ensino de Ciências. daí derivada. de forma sucinta. às recorrentes conjecturas sobre o “como o professor ensina” e o “como o aluno aprende”. Defende esta necessidade e serve-se de argumentos para mostrá-la e de depoimentos de diversos . a definição e classificação de 2002 usada para designar as pessoas com deficiência mental. com a etnicidade e a história da formação da comunidade. a comunidade de Ivaporunduva lida com o passado e enfrenta os embates do presente têm características bastante peculiares.QUILOMBO IVAPORUNDUVA: TERRITÓRIO E MODOS DE VIDA Marcia Cristina Americo (UNIMEP) A forma como a comunidade quilombola e. como o diagnóstico e a expectativa positiva do professor sobre o aluno com deficiência mental podem influenciar e determinar a trajetória escolar do mesmo. em particular. com base em dados de uma pesquisa etnográfica realizada no período de maio de 2006 a julho de 2007. Neste. Parte da produção bibliográfica identificada trata do ensino da Filosofia e. Modos de vida. Para tanto. contada pelos próprios quilombolas de geração a geração Palavras-chaves: Quilombo. processos de ensino e aprendizagem UM OLHAR ARGUMENTATIVO SOBRE O USO DE ANALOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS Marcio Silveira Lemgruber (UFJF) Helena Rivelli Esta comunicação apresenta uma breve análise sobre o uso das linguagens analógica e metafórica como prática docente no ensino de Ciências. Indaga sobre a necessidade e a importância. busco articular a relação que a população da comunidade Quilombo de Ivaporunduva estabelece com o território. AS PRÁTICAS PEDAGOGICAS DIRIGIDAS PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA MENTAL/INTELECTUAL: A TRAJETÓRIA ESCOLAR DE ANDRÉA. das possibilidades formativas desse ensino. Mostra também. Palavras-chave: deficiência mental/intelectual.. As relações que os quilombolas estabelecem com seus antepassados estão presentes nas suas relações cotidianas.

de abordagem qualitativa. Freire (1997.pensadores a respeito. Filosofia. A análise dos dados. considerado inovador por seus profissionais e por sua comunidade. Canário (2005. inferimos um estudo das possibilidades de aplicação do infográfico gerador de mapas de nuvens na educação musical. Atentos a contribuição cientifica que isso possa significar para áreas além do jornalismo. 2008). desenvolveu-se em três etapas: por meio da aplicação de um questionário. Os resultados obtidos confirmaram a hipótese de que a função social da escola se modificou. 2006) e Pérez Gómez (1998. pedagógico. 1975. buscou aproximações com intelectuais da Sociologia da Educação. 2001) e Tedesco (2006). Para tanto analisaremos uma música através da visualização criada pelo site Many Eyes como possibilidade de uma releitura da mesma partitura. perdendo nitidez na relação tradicional com o ensino e aprendizagem. 2001). focando a interlocução com autores que concebem a cultura como fundamento na constituição do indivíduo e da sociedade. da associação livre de palavrasestímulo. e em estudos sobre a educação não formal e/ou de projetos relacionados à educação para a cidadania. 2003). julga. Oferece indicações relativas aos conteúdos que. A pesquisa. A coleta de dados foi realizada entre 2005 e 2008 por meio de entrevistas informais. Educação Musical. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DIFERENCIADAS E A EMERGÊNCIA DE UMA NOVA FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA MARIA CECILIA SANCHES (PUC/SP) Por meio de um Estudo de Caso este artigo tem como objeto de estudo o Projeto Pedagógico de uma escola pública do município de São Paulo. 1969. 1979. o que de fato foi realizado e como ele se explicitou no processo de formação dos alunos nas séries finais do ensino fundamental. 1986). As análises apontaram indicativos conclusivos de que a perda das fronteiras e a promoção da entrada da comunidade na escola ocorrem em detrimento da sua especificidade na formação dos alunos. pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. análise do plano escolar e de outros documentos da escola. Formação. Trata-se de uma pesquisa no contexto de educação não-formal. Tem como objetivo oferecer contribuições para o debate a respeito do ensino da Filosofia. Palavras-chave: Infográfico. Tecnologias. tais como Trilla Bernet (1993. centralmente Henri Wallon (1968. ancorada nas obras de estudiosos da Psicologia Social. e de entrevistas de aprofundamento . Fundamenta-se na teoria das representações sociais (TRS) de Moscovici (1978. devem ser contemplados no ensino da Filosofia nas escolas e apresenta considerações a partir de algumas idéias de Kant e outros pensadores sobre o ensino da Filosofia. Palavras-chave: função da escola. além da observação sistemática de aulas e de reuniões. Maria Cecília Soares (PUC/SP) Este artigo parte do pressuposto de que o infográfico está conquistando espaços importantes na hipermídia e ultrapassando os espaços transmissores de noticias. em 2003. Suas possibilidades gráficas e suas múltiplas visualizações fazem com que o infográfico desponte como uma “ferramenta” cuja originalidade pode contribuir nos processos de ensino e aprendizagem. 1999. que tem como foco a educação para cidadania e objetiva compreender as representações sociais do educadores sobre suas práticas pedagógicas. 1973. implantado. com o objetivo de investigar o que ele anunciava como fundamentos. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS EDUCADORES PROFISSIONAIS SOBRE SUAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA Maria de Fátima Barbosa Abdalla (UNISANTOS) Marli dos Reis dos Santos Este texto aborda os limites e desafios dos educadores profissionais no âmbito do Programa Escola da Família/PEF. Palavras chave: Educação. inovações curriculares projeto INFOGRÁFICO COMO FORMA DE RELEITURA DE UMA PARTITURA MUSICAL.

administradores. o texto enuncia elementos representacionais relacionados ao contexto de ação docente. Ao perscrutar o cotidiano da formulação e implementação dessa inovação curricular apoieime em pesquisas que sugerem que para conhecermos a escola faz-se necessário mergulhar na vida cotidiana para que possamos compreender o currículo real. Palavras-chave: Representações Sociais. a uma teoria da implementação. enfim.com educadores profissionais. À luz das contribuições de pesquisadores como Cunha (1980). CONSTRUINDO O CURRÍCULO NO COTIDIANO DE UM CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA Maria do Carmo A M Polimeno (PUC/SP) Essa pesquisa investigou o processo de formulação e implementação de um novo currículo para o Curso de Medicina de Sorocaba. e 2a identificando a conscientização (ou não) do papel do educador como mediador para a cidadania. porém identificamos a necessidade de acompanhar a efetivação dos mesmos. Produto que foi sendo tecido no cotidiano da faculdade. A análise do Discurso do Sujeito Coletivo foi o recurso metodológico escolhido para analisar os depoimentos coletados nas entrevistas o que nos permitiu associar os dados recolhidos a um modelo teórico. essencialmente. a partir da implantação do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI (Decreto nº 6. Castanho (2000). Investigar o processo de implementação desse novo currículo demandou a escolha de uma abordagem de avaliação entendida. 24 de abril de 2007). através de uma pesquisa histórico-educacional. Médica. em sua função formativa. a entrevista além de fontes documentais. à organização curricular e às políticas públicas que apostem na educação para cidadania. Os dados obtidos foram analisados/ancorados em duas dimensões: 1ª revelando as representações dos educadores profissionais sobre suas práticas pedagógicas. Assim sendo. para conferir a real abrangência das políticas educacionais atuais e suas contribuições para o desenvolvimento profissional e científico no Brasil e no mundo. julgamos ainda prematuro avaliar tais programas. Palavras-chave: Educação curricular. Avaliação. visando confrontálos.096. no caso. Inovação . de todos os participantes. dentre outros. Chauí (2001) e Fávero (2001). apresentamos a origem da universidade no Brasil. visando ao aperfeiçoamento contínuo da ação educativa. visando analisar as propostas dos programas governamentais de ampliação do ensino superior adotados na primeira década do século XXI. que tem por objetivo estudar a formação docente para o ensino superior diante das políticas públicas que fundamentaram e fundamentam as diretrizes e as práticas de trabalho das Universidades Públicas. Optamos pela pesquisa qualitativa o que nos permitiu analisar os significados que os sujeitos dessa pesquisa deram às suas ações. O produto de um processo de mudança curricular é tanto o currículo materializado em um plano. destacando formas e/ou modos de entendimento da “inclusão educativa”. como a sua construção cotidiana e a aprendizagem permanente de alunos. Como resultados. Práticas pedagógicas REFORMAS E REESTRUTURAÇÕES DA UNIVERSIDADE BRASILEIRA Maria de Lourdes Coelho (UFMG) Ângela Imaculada Loureiro de Freitas Dalben Este trabalho é parte da pesquisa de doutorado em andamento. professores. no enfrentamento das dificuldades e dos desafios que uma reformulação curricular desse porte ocasiona. Educadores Profissionais. Podemos caracterizá-la como um estudo de caso do tipo etnográfico que privilegiou como técnicas de coleta de dados a observação participante.

Palavras-chave: negociada avaliação. análise dos resultados e desdobramentos. Apóia-se em teóricos críticos. aplicação. PROCESSO DE AVALIAÇÃO DO ENSINO FUNDAMENTAL NO ÂMBITO MUNICIPAL: POSSIBILIDADES DE UMA AVALIAÇÃO NEGOCIADA? Maria Neli Volpini (CUML) Natalina Aparecida Laguna Sicca O presente trabalho analisa processo de avaliação do ensino fundamental. contribuições da discussão do primeiro capítulo desta dissertação. que investigou sobre um projeto de extensão então desenvolvido pelas Faculdades Maria Imaculada. os atos de leitura na escola e a real importância das diversas leituras na relação entre as pessoas. a inserção no mercado de trabalho por meio dos estágios. participação. cujos dados foram obtidos por meio: entrevistas semi-estruturadas e questionários. desdobramentos. escola e leituras. principalmente para aquelas que não contam com leitores efetivos na família e dependem somente da escola para se tornarem usuários da leitura e da escrita. leitura em voz alta. primeiro para eles próprios. como um todo. suas histórias de vida. socialização A HISTÓRIA SEM FIM: CONSIDERAÇÕES SOBRE A LEITURA NA ESCOLA Maria Jussara Zamarian (UNISAL) Este trabalho traz um recorte da dissertação de mestrado “Leitores. Há indícios de um modelo avaliativo com características de qualidade negociada com envolvimento das instâncias políticoadministrativas e pedagógicas. Sigo por caminhos percorridos por vários autores que me deram importantes contribuições para a reflexão da leitura no contexto social. Baseou-se na linha teórica da Psicologia Social e constatou que a Faculdade Zumbi dos Palmares favoreceu o desenvolvimento de uma identidade positivamente afirmada por meio das análises das narrativas dos sujeitos entrevistados. A metodologia aplicada é qualitativa. A análise elegeu as categorias: conteúdos. em Mogi Guaçu. Prosadores e Voluntários: Professores em Formação Inicial atuando como Voluntários em um Projeto de Leitura”. Situou o leitor historicamente sobre marcos importantes na construção da identidade. Estes indicam o processo formativo decorrente e a revisão crítica da prática de avaliar e reestruturar o processo de ensino. Severino Antônio. enquanto atuavam como leitores e prosadores para crianças hospitalizadas. Objetiva verificar se o mesmo tem caráter de avaliação de caráter negociado. a leitura realizada em voz alta. onde teoricamente houve a libertação dos escravizados. . Alberto Manguel e Mikhail Bakhtin. Palavras chave: Leitura. Os sujeitos da pesquisa foram professores da 4ª série do ensino fundamental. Os dados foram triangulados. sobretudo. por meio de breve histórico.O IMPACTO DOS PROCESSOS DE SOCIALIZAÇÃO NA FORMAÇÃO DA IDENTIDADE ÉTNICORRACIAL NEGRA Maria Gloria Calado (USP) Essa pesquisa buscou compreender as experiências dos estagiários do curso de administração da Faculdade Zumbi dos Palmares. as fases de elaboração. Palavras-chave: racismo. A visão dos participantes sobre o PAEM fornece elementos evidenciam o caráter processual e formativo. pesquisa de campo. como Daniel Pennac. projeto que ajudei a elaborar e do qual era supervisora. entre 2004 e 2007. Délia Lerner. Procedeu-se a análise documental. bem como suas dificuldades por serem negros. O presente trabalho traz. professores-coordenadores e gestores municipais. A pesquisa permitiu acompanhar a gênese do processo. durante este projeto de extensão. Seu objetivo era a de sensibilizar os alunos do curso de pedagogia sobre a importância da leitura. a partir da pós-abolição. no qual realizo um estudo que engloba a leitura. identidade. Sensibilizados. de município do interior paulista. participação. esperava-se que se tornassem educadores conscientes da importância que o desenvolvimento desse procedimento tem para as crianças.

com poucas atividades diversificadas. além de considerar os contextos não escolares. Foram entrevistados oito jovens. e de “experiência”. se propõe trazer reflexões sobre práticas avaliativas realizadas numa escola pública. objetivei apreender os motivos e os contextos de abandono da escola e o retorno à escolarização de jovens do ensino fundamental. A construção teórico-metodológica se dá por meio da perspectiva da “pesquisa da pesquisa” pela via do empreendimento de discursos argumentativos na concepção habermasiana. de Gilberto Velho. de forma a oferecer elementos à compreensão do real significado da escola para os jovens da EJA. avaliação de aprendizagem. trouxe modificações ao conjunto de práticas escolares realizadas. com idades entre 15 e 29 anos. como instrumentos de coleta de dados. observou-se que a implantação de diversas avaliações externas e estandardizadas no cotidiano das turmas. Pelas características da pesquisa. Palavras-Chave: jovens. 2008) e a análise documental. Tendo a avaliação escolar como tema central. analisei os percursos biográficos dos jovens selecionados para a pesquisa. de “suportes existenciais”. Para a pesquisa de campo e análise dos dados coletados foi utilizada uma abordagem qualitativa. Do ponto de vista teórico. no estado do Rio de Janeiro (RJ). a “arte de conversar” (CERTEAU. homogêneo. Busca apreender os diferentes interesses que guiaram os autorespesquisadores no processo de construção de conhecimento. Neste trabalho apresento parte dos resultados de minha dissertação que revelou múltiplos percursos e significados que os jovens da EJA atribuíram ao seu retorno à instituição escolar e às suas inter-relações com outras esferas não escolares. Palavras-chave: avaliação de desempenho. avaliações externas O LUGAR DA ESCOLA NOS PERCURSOS BIOGRÁFICOS DOS JOVENS DA EJA Mariane Brito da Costa (UFF) Com esta pesquisa. Partindo da convicção de que conhecer a realidade dos jovens é condição para realização de um trabalho escolar significativo. Como metodologia de trabalho de campo. no município de Nova Iguaçu.UMA REFLEXÃO SOBRE PRÁTICAS AVALIATIVAS REALIZADAS NUMA ESCOLA DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Maria Tereza Santos Calzavara (UFRJ) Este artigo. a partir do relato de suas experiências em diferentes fases de suas vidas. que se encontravam matriculados na modalidade EJA. tomando como referência uma dissertação de Mestrado. percursos biográficos. UMA ANÁLISE DA PRODUÇÃO ACADÊMICA SOBRE OS USOS DA PESQUISA-AÇÃO EM PROCESSOS DE INCLUSÃO ESCOLAR: AS RELAÇÕES/AÇÕES ENTRE AUTOR E ATOR Mariangela Lima de Almeida (UFES) Este artigo constitui-se a partir de nossa tese de Doutorado em Educação. 1998). na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA). essa pesquisa apresentou como objetivo principal investigar e analisar práticas avaliativas realizadas no cotidiano de turmas dos anos iniciais do ensino fundamental de uma escola da rede municipal do Rio de Janeiro e os instrumentos utilizados para comunicar os processos avaliativos dos/as alunos/as. Tem como perspectiva teórica os . de Danilo Martuccelli. foi observado um ensino linear. EJA. A pesquisa apontou que diferentes instrumentos de avaliação foram utilizados pelos/as professores/as investigados/as. Discute os pressupostos teórico-metodológicos e epistemológicos da pesquisa-ação pela via da análise de teses e dissertações (1999 a março de 2008). foram utilizados. Os dados me proporcionaram apreender experiências de vida e interpretar biografias naquilo que se refere à trajetória escolar. a observação participante. em estudos que versam sobre a inclusão escolar. constatou-se que os instrumentos utilizados para comunicar o processo avaliativo não se mostraram significativos para o acompanhamento das trajetórias individuais de aprendizagem de cada aluno/a. cotidianos e modos de vida. com enfoque interpretativo de análise (SACRISTÁN. adotei a abordagem biográfica empregada em forma de relato. de Walter Benjamin e Jorge Larrosa. as análises das entrevistas partiram dos conceitos de “projeto” e “campo de possibilidades”.

educação. Os dados preliminares apontam que as discussões reflexivas do grupo coordenador já resultaram em mudança de percepção por parte de professores e alunos envolvidos no processo. 98% desejam inserir. Produção ou sair do campo.pressupostos Teoria da Ação Comunicativa de Jürgen Habermas. há busca por entendimentos mútuos pela via de processos conduzidos pela autorreflexão crítica e colaborativa. principalmente nos últimos anos. Constatou-se que 63% dos egressos estão em ocupações compatíveis com a sua formação. A PARTICIPAÇÃO COMO PROCESSO DE INCLUSÃO NO ENSINO MÉDIO: TRAJETÓRIA DE UMA PESQUISA-AÇÃO Marta Cardoso Guedes(UFRJ) Erika Souza Leme O presente trabalho apresenta resultados parciais de uma pesquisa intitulada: “Os Transtornos Globais do Desenvolvimento como desencadeadores de possíveis soluções aos transtornos globais da Educação”. egressos da EFA Bontempo. o prolongamento da escolarização está relacionado à falta de emprego. cultural e político no campo e na cidade. apesar dos desafios postos aos jovens do campo. A pesquisa tem como objetivo o desenvolvimento do Index para a Inclusão (BOOTH e AINSCOW. formação em alternância. Adotou-se a abordagem quali-quantitativa por entender que são abordagens interligadas. essenciais na compreensão do objeto de estudo. a partir dos egressos da Escola Família Agrícola Bontempo. pesquisa-ação. Inclusão Escolar. social. que também se dá no campo. criada em 2000. Esse fenômeno revela que. A análise desse fenômeno mostra a importância para os jovens do campo de ter oportunidades de acesso à formação profissional e trabalho proporcionando escolhas entre ficar . situada no Vale do Jequitinhonha. Quando as ações são conduzidas com base no agir comunicativo. inserção profissional. 2002) que se caracteriza como uma pesquisaação. procuramos demonstrar a prática da pesquisaação em seu processo dialético de ação-reflexãoação. Palavras-chave: Pesquisa-Ação. cursaram ou estão cursando Ensino Superior. orquestração de práticas. realizada em uma escola de ensino médio no Rio de Janeiro. organização social. que se mostraram mais sensíveis com relação à importância da participação e possibilidades de provocar mudanças nas práticas escolares. Minas Gerais. DATAS COMEMORATIVAS – CURRÍCULO E POLÍTICAS PARA A INFÂNCIA Marta Nidia Varella Gomes Maia (PUC/RIO) Esse artigo tem como objeto a relação entre a organização curricular em torno de datas comemorativas do calendário civil e religioso e as políticas de Educação Infantil. comércio. pelo regime de alternância. para além da tendência de maior acesso das juventudes ao Ensino Superior. trabalha com o Ensino Médio Profissional com habilitação técnica em agropecuária. concluímos que. no entanto. demonstrando como essa organização curricular pode ser fruto das concepções que permearam as políticas para a infância e como sua permanência ainda hoje INSERÇÃO SOCIOPROFISSIONAL DE JOVENS DO CAMPO: DESAFIOS E POSSIBILIDADES DE EGRESSOS DA ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA BONTEMPO Marinalva Jardim Franca Begnami (UFMG) Este texto apresenta o estudo que teve como objetivo analisar a inserção socioprofissional de jovens do campo. movimentos sociais e sindical são as áreas de maior inserção profissional dos egressos. Palavras-chave: inclusão/exclusão em educação. Palavras-chave: juventude do campo. As relações estabelecidas entre os envolvidos (pesquisador e participantes) conduzem os diferentes momentos do processo de pesquisa. Focaliza os momentos de discurso entre os autores acerca de um dos pressupostos da pesquisa-ação: as relações entre autores e atores. Assim. Acadêmica. o cenário é também de possibilidades de inserção em diversos espaços produtivos. As atividades da agricultura familiar. Através de um recorte da pesquisa. Constata-se que 39% dos egressos. A escola.

integrada aos demais saberes. contribui para a aprendizagem dos alunos. observações. 1980. Práticas de professoras. Tendo como referência o materialismo cultural (Williams 1969. objetivo crucial das séries iniciais.pode ser consequência da ausência de desdobramentos das políticas em nível municipal. a predominância de estudos envolvendo a deficiência intelectual. Por meio de um conjunto de descritores. de Giroux (1997) e de Nóvoa (1995) sobre os professores e seus processos formativos e de Sacristán (1998) e Ferraço (2004) a respeito do currículo. e a distribuição equilibrada entre quatro campos temáticos: recursos pedagógicos. carece de políticas de profissionalização e formação que façam refletir na prática concepções garantidas por lei. como uma disciplina que. utilizando os resumos do Banco de Teses da CAPES. BALANÇO TENDENCIAL DAS DISSERTAÇÕES E TESES SOBRE A RELAÇÃO PRÁTICAS DE ENSINO DE LINGUAGEM ESCRITA E DEFICIÊNCIA (1987/2009) Michele Melina G D P N Pereira (PUC/SP) Mirian Celia C Guebert José Geraldo Silveira Bueno Este trabalho tem como objetivo realizar balanço das tendências das teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas nos programas brasileiros de pós-graduação que. após leitura detalhada dos resumos. Deficiência A HISTÓRIA VIVIDA. Os principais achados foram: a concentração de pesquisas em número relativamente reduzido de universidades e dispersão na maior parte das demais. alcançando maior visibilidade recentemente com a LDB. a Educação Infantil como direito da criança e o currículo como experiência de cultura. o FUNDEB e a Emenda Constitucional Nº 59. Palavras-chave: Ensino de História. iniciais. sintetizadas em três questões: quem são os narradores. a História aparece com seus gozos e prazeres. foram selecionadas inicialmente 601 produções a quais. a imprecisão dos resumos em termos de designação de níveis e etapas de ensino envolvidos. em uma História fragmentada e aleatória . práticas de ensino e alunos. procurouse investigar as condições de produção. observação e entrevistas em duas escolas de Educação Infantil de um dos cinco municípios mais populosos em relação à faixa etária de 0 a 6 anos do estado do Rio de Janeiro. Pela aplicação de questionários. linguagem. reduziram-se a 179 trabalhos. realização de entrevistas e análise de conteúdo. Ainda muito dependente das influências políticas que atravessam a educação pública municipal. 2005. 2003. Práticas de ensino. em momentos. Séries . a pesquisa se realizou através da análise de documentos. de uma maneira integrada. São apontadas como temáticas principais para ensinar: a História local. Compreendendo a infância como categoria social e da história. Parte das proposições de Marc Bloch (2001) e Le Goff (2001. a relevância da área de educação na investigação dessa relação e a pequena incidência e distribuição anual aleatória nas demais áreas. Investiga como se configura o ensino de História nas séries iniciais do ensino fundamental. as datas comemorativas e a temporalidade. A Educação da Infância esteve marcada por políticas assistencialistas. assim. Esse ensino configura-se. investiga as práticas das professoras no município de Mantenópolis. a História de vida da criança. 2009) acerca da História. no período entre 1987 e 2009. 2005). parte da cultura e produtora de cultura. PENSADA E ENSINADA A CRIANÇAS EM ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Miriã Lúcia Luiz (UFES) Este artigo é parte da pesquisa “Que História é essa? percursos da História ensinada a crianças em escolas de ensino fundamental”. investigaram a relação entre práticas de ensino da linguagem escrita e deficiência. moralizadoras e compensatórias que impregnam as práticas. seguida pela deficiência auditiva e visual e baixíssima incidência de investigações envolvendo a deficiência física. principalmente no que se refere à leitura e à escrita. Apresenta-se. Palavras-chave: Linguagem escrita. quando foram narradas e sobre o que incidem as narrativas. Em outras situações.

Os dados preliminares apontam que as discussões reflexivas do grupo coordenador já resultaram em mudança de percepção por parte de professores e alunos envolvidos no processo. pesquisa-ação. O principal objetivo desse trabalho foi fornecer subsídios. A pesquisa revelou os principais anseios e receios desse grupo. Educação Superior. em Portugal. o trabalho adotou a metodologia qualitativa e teve como principal objeto uma escola da rede estadual do Rio de Janeiro. O texto descreve o percurso da pesquisa e discute o conceito de letramento científico buscando relacionar esse conceito com as finalidades da educação científica no Brasil e em Portugal. uma vez que deveriam ser estes os principais sujeitos dessas ações. da Universidade de Aveiro (UA). 2002) que se caracteriza como uma pesquisaação. Espera-se contribuir para o estabelecimento de um modelo de prática experimental no ensino de Ciências e Biologia. DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO À EDUCAÇÃO SUPERIOR – POLÍTICAS DE AÇÃO AFIRMATIVA Mônica de Souza Houri (UFF) Maria de Fátima Costa de Paula A comunicação abordou as políticas de democratização do acesso à educação superior adotadas no governo de Luís Inácio Lula da Silva. onde foi realizado um estudo de caso. .e a compreensão de Pierre Bourdieu no que tange à questão de como o capital social e cultural de um grupo influencia na formulação. Através de um recorte da pesquisa. A PARTICIPAÇÃO COMO PROCESSO DE INCLUSÃO NO ENSINO MÉDIO: TRAJETÓRIA DE UMA PESQUISA-AÇÃO Monica Pereira dos Santos (UFRJ) Mara Lago Sandra Cordeiro de Melo O presente trabalho apresenta resultados parciais de uma pesquisa intitulada: “Os Transtornos Globais do Desenvolvimento como desencadeadores de possíveis soluções aos transtornos globais da Educação”. Políticas de Ação Afirmativa. repetição e possível transformação de seus enunciados. orquestração de práticas. Elegemos.ENSINO DE BIOLOGIA E LETRAMENTO CIENTÍFICO: RESSIGNIFICANDO AS PRÁTICAS EXPERIMENTAIS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Mirian Jonis Silva (UFF) Sandra Escovedo Selles Rui Marques Vieira Este texto sintetiza os resultados iniciais de uma pesquisa de pós-doutoramento em andamento. que se mostraram mais sensíveis com relação à importância da participação e possibilidades de provocar mudanças nas práticas escolares. As que mais se destacaram nesse trabalho foram as Políticas de Ação Afirmativa que beneficiam os alunos oriundos de escolas públicas. Palavras-chave: Democratização do Acesso. partindo dos próprios alunos. vinculada ao PPGE da Universidade Federal Fluminense (UFF) em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e com o Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores (CIDTFF). Palavras-chave: inclusão/exclusão em educação. Assim. a partir do panorama traçado das principais Políticas de Ação Afirmativa praticadas pelas instituições públicas de educação superior nesse estado. que incorpore a dimensão crítica do letramento científico na EJA EU FALO: OS ALUNOS DA ESCOLA PÚBLICA. realizada em uma escola de ensino médio no Rio de Janeiro. para a elaboração dessas políticas. As etapas metodológicas da pesquisa envolvem a elaboração por amostragem de um perfil sócio-educacional em turmas de EJA e o desenvolvimento de atividades experimentais inspiradas na experiência portuguesa. procuramos demonstrar a prática da pesquisaação em seu processo dialético de ação-reflexãoação. a análise de discurso e a construção de enunciados elaboradas por Michel Foucault para “ler” os enunciados produzidos nos questionários e nas entrevistas realizadas com os alunos do último ano do ensino médio da escola investigada . como referenciais teóricos. bem como o enorme grau de desconhecimento que eles têm no que se refere a essas políticas. A pesquisa tem como objetivo o desenvolvimento do Index para a Inclusão (BOOTH e AINSCOW.

Palavras Chave: Desenvolvimento Cultural. Trata-se de um estudo de história social com os aspectos PROTAGONISMO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A APOSTA NA MULTI-IDADE Adriana Santos da Mata (UFF) A pesquisa traz como objetivos compreender o papel das professoras como protagonistas e autoras de práticas inovadoras na escola. Conhecer o Curso de Visitadoras Sociais da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras. e discutir em que medida tais propostas se configuram como possibilidades de organização e planejamento da educação infantil. educação. infância e escola. As palavras surgidas nas avaliações levaram à formulação dos seguintes eixos: processos de desenvolvimento-aprendizagem. 1991). da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras destinado apenas às enfermeiras. das relações entre crianças. Os dados analisados enunciaram que os bens culturais oferecidos pela escola contribuíam para o desenvolvimento cultural das crianças. do protagonismo pedagógico. e a perspectiva discursivo-dialógica (BAKHTIN. fornece elementos para a prática mais crítica e reflexiva. enfocamos as concepções das crianças apreendidas em entrevistas. psíquicas. criado em 1927. A investigação indica que a Proposta da Multi-idade mexeu com as dinâmicas da instituição bem como contribuiu para a redefinição pelas professoras: das concepções de criança. A análise foi feita a partir das falas das professoras nas reuniões de avaliação da experiência. 2010). aumenta a responsabilidade das professoras na realização do trabalho autoral. Educação Infantil. crianças e professoras. em Niterói (RJ). dos objetivos da educação infantil pública. Objetivamos apresentar as interpretações das crianças sobre os bens culturais que lhes eram oferecidos pela escola. 1978). da importância do estudo e planejamento coletivos. esperamos contribuir para a reflexão sobre a importância da escola no processo de desenvolvimento cultural das crianças. procedimentos ou modos de fazer docente. A partir das análises empreendidas nesta pesquisa.DESENVOLVIMENTO CULTURAL DA CRIANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A CONCEPÇÃO DAS CRIANÇAS SOBRE OS BENS CULTURAIS OFERECIDOS PELA ESCOLA Muriane Sirlene Silva de Assis (UFSCAR) Maria Aparecida Mello O presente trabalho é parte de uma tese de doutorado na qual buscamos investigar o processo de desenvolvimento cultural da criança na Educação Infantil. Os pressupostos metodológicos utilizados se basearam na abordagem qualitativa por meio da realização de um estudo de caso em uma escola de Educação Infantil. o estudo discute a Proposta da Multi-idade – turmas com crianças de idades diferentes – realizada na Unidade Municipal de Educação Infantil Rosalina de Araújo Costa. Os objetivos deste estudo são: 1. Multi-idade “SÓ PARA MULHERES”: O CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM VISITADORAS SOCIAIS DA ASSISTÊNCIA AOS PSICOPATAS DO DISTRITO FEDERAL: (1927-1943) Osnir Claudiano da Silva Junior (UNIRIO) Nailda Marinho da Costa Bonato O objeto deste estudo é o curso de Visitadoras Sociais do Serviço do Distrito Federal. Analisar o discurso que apóia a exclusividade do gênero feminino para a qualificação de enfermeiras. Protagonismo Docente. “escolhidas entre as de melhores condições de instrução. Neste trabalho. 2. Palavras-chave: Educação Infantil. todavia. essa contribuição ocorria de forma pouco intencional e sistematizada. Teoria Histórico-Cultural princípios da pesquisa qualitativa (BOGDAN e BIKLEN. entre as professoras. currículo. Fundamentados na perspectiva teórica HistóricoCultural compreendemos que o desenvolvimento cultural resulta das apropriações e objetivações realizadas pelos indivíduos nas relações sociais que estabelecem ao longo de sua vida. moral e social. Seguindo os . com viés etnográfico (GEERTZ. O estudo revela que o processo de formação docente na escola favorece as interações dialógicas.

currículos. no Unisal. singularidade e práticas de singularização. singularidade. sentidos e significados acerca de sujeitos. o aperfeiçoamento da atividade da enfermeira. significações. não o ACERVO FOTOGRÁFICO E POSSIBILIDADES DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO Nilda Alves (UERJ) Nivea Andrade Conceição Soares Este texto remete a desdobramentos do projeto de pesquisa “Memórias imagéticas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro algumas questões curriculares sobre um acervo fotográfico da UERJ”.relacionados ao gênero da enfermagem em processo de profissionalização. Testamos atividades pedagógicas especialmente desenvolvidas para a aplicação coletiva em sala de aula. Palavras-chave:psicodrama. encaminhando possíveis práticas de singularização. educação. os movimentos estudantis e as questões de gênero. apresenta um relato de um psicodrama desenvolvido com alunos dos cursos de psicologia. O protocolo Capellini e Smythe (2008) revelou-se eficaz e altamente consistente com a literatura nacional e internacional mostrando que o processamento fonológico (consciência fonológica. No Brasil. Palavras-chave: fotografias. contribuindo com a produção de saberes. educação. PSICODRAMA E PRÁTICAS DE SINGULARIZAÇÃO Norma Silvia Trindade de Lima (UNISAL) O trabalho destaca o psicodrama como uma perspectiva de pesquisa educacional. própria e exclusiva para mulheres. denominadas Ferramentas Alternativas do Educador (FAE). no início do século XX. e foram testadas em 45 escolares de ambos os sexos no início do processo de alfabetização (2º ano fundamental). INSTRUMENTALIZAÇÃO PEDAGÓGICA PARA AVALIAÇÃO DE CRIANÇAS COM RISCO DE DISLEXIA Olga Valéria Campana dos Anjos Andrade (UNESP) Muitos alunos conduzidos a serviços especializados com queixa de dificuldades de aprendizagem não apresenta realmente qualquer distúrbio. o contexto ideológico e científico de formação da enfermagem é claramente marcado pelas questões de gênero que acompanha sua formação desde o início do seu processo de laicização e profissionalização. Como ilustração. nomeação rápida e memória fonológica de trabalho). para além da compreensão. Os procedimentos que foram sendo forjados em nossas operações de usuários do acervo. gênero. Palavras chave: Enfermagem. a partir do qual. bem como as conversas com aqueles que foram se tornando nossos intercessores e os diálogos com autores como Barthes. Kossoy. comprovadamente sensível para a detecção de crianças em risco de dislexia. Entre eles. No particular do curso de Visitadoras Sociais. Vitalino. Certeau. pedagogia e serviço social. nos levaram a compreender que buscamos explicar as fotografias com nossas redes e. assim como. temáticas e realidades sócio-educacionais. encontramos nelas os temas com significado para nós. Consistindo na identificação de rimas e aliteração entre figuras as FAE basearam-se nos estímulos linguísticos do protocolo cognitivo-linguístico Capellini e Smythe (2008). Priorizamos o desenvolvimento de questões teórico-metodológicas e teóricoepistemológicas referentes aos usos de imagens nas pesquisas e as múltiplas possibilidades de abordagem que engendraram na busca da compreensão de aspectos curriculares. Defendemos que os usos de fotografias em pesquisas operam como potência para a produção de teoriaspráticas que visem. a fabulação sobre os currículos implicando a criação de outros possíveis. Unidade de Americana. constituído a partir da necessidade de disponibilizar a pesquisadores o acervo de J. fotógrafo da universidade desde 1976. Martins e Sontag. redes de . EDUCAÇÃO. sugerindo falta de critérios bem definidos para a adoção dessa medida. a temática racial. por isso. são tecidas reflexões sobre educação. modos de subjetivação.

podendo estar distanciando as crianças das práticas convencionais de letramento e implicando em dificuldades de aprendizagem. dificuldades de aprendizagem. Raquel P. M. Jorge Nagle. Os usos da linguagem escrita feitos pelos familiares podem ser fundamentais na construção do letramento da criança. dislexia. F. os participantes relatavam suas experiências com a linguagem escrita e os eventos de letramento promovidos para seus filhos. Foram apontadas 3 categorias para estudo: eventos de letramento vivenciados pelos participantes. Casemiro dos Reis Filho. família. Conclui-se que o risco de dislexia pode ser eficazmente identificado por ferramentas pedagógicas cientificamente desenvolvidas. As tarefas FAE também apresentaram correlações significantes com as tarefas de processamento fonológico e altamente significantes com as tarefas de leituraescrita do protocolo Capellini e Smythe (2008). Palavras-chave: educação paulista. Lourenço Filho. levandoa a ter sucesso ou dificuldade na escola. com duração de 1h e 30 min. leitura e escrita. A metodologia utilizada na pesquisa ocorreu segundo as técnicas e os instrumentos de observação indireta.conhecimento do alfabeto e do princípio alfabético. Para a coleta de dados foram organizadas reuniões semanais. no total de 10. O ESTADO NOVO E A POLÍTICA EDUCACIONAL PAULISTA Orivaldo Aparecido Lovison ( UNIMEP) O objetivo desta comunicação é apresentar em síntese a pesquisa efetuada sobre a política educacional pública paulista sob a influência do escolanovismo na vigência do Estado Novo e confrontá-la com os anseios e propostas de educadores e intelectuais renovadores. de Lacerda O objeto desta pesquisa são as práticas de letramento dos familiares de crianças com dificuldades de aprendizagem. as práticas de letramento dos participantes. e os eventos de letramento propiciados aos filhos. da Rocha e Luiz Antonio Cunha. tanto pelas propostas dos intelectuais renovadores como pela luta dos conservadores. Gandini. O letramento pode ser entendido como os usos e a maneira como os indivíduos fazem uso da linguagem escrita. pôde-se observar o ideal de intelectuais e educadores de organizar e reformar a educação do estado e do país. transtornos de aprendizagem. Célio da Cunha. AS PRÁTICAS DE LETRAMENTO DA FAMÍLIA E AS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM: PERSPECTIVAS PARA O DEBATE Patrícia de Oliveira (UFSCAR) Cristina B. As reuniões foram filmadas e transcritas para análise e recorte dos dados. Simon Schwartzman. Palavras-chave: letramento. C. Marlos B. em vários aspectos. . Nas reuniões. Palavras-chave: avaliação. testadas e adaptadas para a realidade educacional brasileira. Fernando de Azevedo. educação e Estado Novo. influenciando a construção dos eventos de letramento para os filhos. Os participantes selecionados eram familiares de crianças de uma escola pública municipal do interior do Estado de São Paulo. Os estudos apontaram que as práticas de letramento vem se transformando devido ao fácil acesso às tecnologias da comunicação e informação. identificando e relatando sua constituição e construção e a participação das crianças nesses eventos. Raymundo Faoro. com o objetivo de examinar essas práticas. legislação educacional paulista. utilizando-se da consulta bibliográfica e documental combinada com a técnica de histórias de vida. Concluiu-se que a legislação elaborada neste período possibilitou a evolução de uma política educacional. Ao lado da edição das leis do ensino em território paulista. adeptos do escolanovismo. foi fortemente correlacionado com as tarefas de leitura e escrita. O referencial teórico utilizado está centrado nas obras de Boris Fausto.

Singularidade. concomitantemente. sobretudo. LETRAMENTO LITERÁRIO: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E PRÁTICAS LITERÁRIAS Paula Cristina de A Rodrigues (UFMG) Neste trabalho apresento os resultados de uma pesquisa de doutorado que teve como foco as práticas do letramento literário construídas em uma turma do quarto ano do Ensino Fundamental. etnografia. Ao propor um estudo bibliográfico sobre o fracasso escolar objetivou-se reunir conceitual e analiticamente as explicações sobre o tema apontando os limites e possibilidades para a compreensão dos sujeitos vítimas do fracasso e da exclusão. Os resultados indicaram que: 1) nas relações de gênero. Os procedimentos metodológicos utilizados foram: bibliográficos. possibilitando um redimensionamento que desarticula a produção do sintoma. Território existencial. etnográficos e recursivos.). Os eventos de letramento literário apresentados foram identificados como praticas pedagógicas e práticas literárias. como ação micropolítica capaz de oportunizar a ampliação do território existencial de toda a comunidade escolar. gênero. pautada pela ênfase na singularidade humana e pelo pressuposto da comunidade escolar. mapas conceituais. 2) a sala de aula é um dos locais onde se dá os conflitos e a violência escolar e 3) o fracasso escolar permanece a questionar práticas pedagógicas da escola brasileira e contribui aumentar as desigualdades socioeducacionais no Brasil. Subjetividade. para preencher o tempo da aula. dentre outros. Os recursos utilizados foram: softwares (EndNote) e (Atlasti. por sua vez. de forma explícita. Porém. sintoma. PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO SOBRE O FRACASSO ESCOLAR Paula Almeida de Castro (UERJ) Carmen L G de Mattos Sandra Maciel de Almeida Este artigo é baseado no conjunto de dados compilados pelo Núcleo de Etnografia em Educação (netEDU – UERJ/FE/ProPEd) em resposta às perguntas da pesquisa Fracasso Escolar: Gênero e Pobreza. alunos e alunas utilizam igualmente a feminilidade e a masculinidade para garantir relações assimétricas de poder. o estudo bibliográfico – ‘estado da arte’ sobre o fracasso escolar (1956-2010) – que examinou 1. a realização de outras atividades. Palavras-chave: Fracasso escolar. etnografia escolar. A professora não orientava os alunos. permitindo. viabiliza a produção do aluno fracassado. que. Apresenta-se. gênero e pobreza. Comunidade escolar. a análise evidenciou a cópia da literatura era um processo que poderia ser visto como uma atividade meramente escolar. os trabalhos de Soares (1999 e 2004) e Hunt (2010). Para a conceitualização de literatura infantil e discussão sobre o processo de escolarização e o letramento literário utilizei. a leitura silenciosa e o processo de compreensão. sob o pressuposto da produção subjetiva por intermédio de modos de subjetivação. No primeiro. Culminaremos defendendo a necessária ressignificação escolar. refletiremos sobre a produção da subjetividade infantil e sua metamorfose para a subjetividade do aluno com a emergência de seu mais incômodo sintoma: o fracasso escolar. Utilizei a abordagem etnografica como metodologia de pesquisa.125 textos científicos nacionais e internacionais coletados à luz dos descritores: fracasso escolar. não foi apresentada para os alunos a relação entre a leitura oral.A “EMERGÊNCIA” DO FRACASSO ESCOLAR COMO SINTOMA Patricia F Barbosa Ferreira (UNISAL) Norma Silvia Trindade de LimA O artigo pretende propiciar algumas reflexões acerca da relação existente entre a vivência do fracasso escolar e a produção da subjetividade do sujeito fracassado. nesse artigo. para a produção de respostas que fossem adequadas à habilidade de compreensão . entrevista. Palavras-chave: fracasso exclusão. Já o treino da leitura oral era uma forma de os alunos terem um bom desempenho quando fossem ler para alguém. Buscou-se compreender a construção coletiva de práticas de letramento literário na turma pesquisada.

Práticas pedagógicas. No segundo grupo de evento. ora à alfabetização na sua faceta mais técnica. O objetivo das observações foi conhecer quais são as práticas pedagógicas utilizadas no processo de aprender a ler e a escrever. analisamos como práticas de numeramento podem ser constituídas/mobilizadas num livro didático de Matemática da Educação de Pessoas Jovens e Adultas (EJA). e quais as implicações dessas práticas para o aprendizado da linguagem escrita. trabalhos que discutem as especificidades da relação dos sujeitos da EJA com o conhecimento matemático e investigações que contemplam as peculiaridades do ensino dos números racionais. tomamos estudos sobre letramento e numeramento. CAMINHOS DA EDUCAÇÃO ESCOLAR JAPONESA EM SANTOS (1908-1943) Rafael da Silva e Silva (UNISANTOS) Esta comunicação estuda a educação escolar japonesa em Santos e sua importância para a colônia local no período de 1908 a 1943. a valorização diferenciada das várias representações de um mesmo número racional. a atitude da professora de escolher um livro e o ler para a turma representou um modelo a ser seguido. Fundamentados na perspectiva histórico-cultural observamos alunos do 1º. Palavras-chave: Educação Matemática de Jovens e Adultos. procedimentos e aplicações dos números racionais na coleção Viver. Práticas de Numeramento. PRÁTICAS DE NUMERAMENTO NUM LIVRO DIDÁTICO DE MATEMÁTICA VOLTADO PARA EDUCAÇÃO DE PESSOAS JOVENS E ADULTAS Paula Resende Adelino (UFMG) Maria da Conceição Ferreira Reis Fonseca Neste trabalho. Nossa análise focaliza práticas de numeramento relacionadas à Comunicação por meio da matemática. Identificou-se. o que gera. Focalizamos as atividades inseridas nos capítulos que contemplam conceitos. a professora ouvia pacientemente o que seus alunos tinham a dizer e aceitava que eles apresentassem diferentes interpretações. Palavras-chave: Ler e escrever. O trabalho utiliza documentos de acervos públicos e privados. o uso dos conhecimentos matemáticos como recursos para interpretar. e não só identificando estratégias de promoção da aquisição de habilidades matemáticas. a apropriação de recursos de tratamento da informação. destacando: a apropriação de sistemas simbólicos de representação de relação entre quantidades. . Constatamos que as práticas pedagógicas do 1° ano observado ora contemplam ações relacionadas ao letramento. Aprender. a necessidade de mais discussões com os professores a respeito da função social da escrita relacionada à sua função técnica. analisar e/ou resolver problemas em contextos diversos numa cultura letrada. ano de uma Escola Municipal de Ensino Fundamental do interior do Estado de São Paulo. quando os japoneses foram obrigados a deixar a cidade no governo Vargas. com fontes tais como: certidões. discutindo as oportunidades de constituição de práticas de numeramento. fechando as suas escolas.Nos momentos de discussão sobre a história. Livros Didáticos LER E ESCREVER: ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO COMO PROCESSOS INTERDEPENDENTES Priscila Pellegrini de Almeida Bueno (UNEP) Esta pesquisa destaca as práticas pedagógicas voltadas para o letramento como possíveis facilitadoras do processo de aprender a ler e a escrever. Como referencial teórico. Linguagem escrita. Contudo.exigida. O processo de letramento é entendido como aquele em que a aprendizagem da escrita e da leitura vai além do saber decodificar e codificar signos. portanto. algumas vezes. tais práticas não se complementam ou se contextualizam entre si. e a valorização de diversos tipos de texto que fazem parte do cotidiano extraescolar dos sujeitos da EJA. o reconhecimento dos números racionais em diversos contextos. Letramento. como elas contemplam ações relacionadas ao letramento. atividades que desfavorecem o processo de aprender a ler e a escrever. o que significa pensar alfabetização e letramento como processos simultâneos e interdependentes entre si.

Utilizou-se. Os resultados da investigação reafirmam a necessidade de reflexão sobre a organização do trabalho pedagógico na escolarização de jovens e adultos. que faz o retrospecto da história dos imigrantes japoneses no Brasil.1) Alfabetização.1) Alfabetização. Além disso. Partiu da seguinte questão: Quais as tendências da pesquisa nacional na área da educação das pessoas com surdez? Portanto para respondê-la. Palavras – Chave: EJA. 2) Educação. EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: INSTANCIAS FORMATIVAS E EXPERIÊNCIAS SOCIAIS. os modos de os professores lidarem não somente com os educandos. mostrando o que representa para eles a nova identidade constituída na transição do deixar de ser analfabeto para ser alfabetizado. Palavras-chave: Educação. assim como a diversidade de gênero. geração. 4) Inclusão. fotos. 5) Ensino. na ausência de escolas japonesas. Palavras . Escola japonesa. os modos de aprender para os jovens e adultos e os motivos que os levam a buscar a escolarização. e b) teses foram identificadas 10 categorias a seguir indicadas . Entre outros. TENDÊNCIAS DA PESQUISA NACIONAL NA ÁREA DA EDUCAÇÃO DE PESSOAS COM SURDEZ Regiane da Silva Barbosa (UFSCAR) Maria da Piedade Resende da Costa O presente trabalho é parte do estudo realizado sobre o ensino e a aprendizagem do aluno com surdez. 6) Leitura e escrita. conhecimentos e saberes teórico-metodológicos que contribuam para uma prática educativa que observe as diferenças entre a cultura escrita e a cultura oral. Utilizamos diário de campo constituído a partir da observação nos espaços educativos e entrevistas visando apresentar os significados da experiência escolar. 4) Educação. Por fim. 8) Bilingüismo. 3) Inclusão. etnia e diferentes opções religiosas. esta análise sinaliza a necessidade de uma formação docente que contemple as particularidades da EJA. 9) Atuação de Professores. de entrevistas para obter histórias de vida com pessoas que estudaram na escola japonesa ou tiveram um contato próximo com a colônia. 3) Ensino. 2) Bilingüismo. mesmo que isso comprometesse o ensino da língua pátria.processos. Imigração. 7) Leitura. experiência escolar. foi possível conhecer as tendências da pesquisa na área e identificar a ausência de estudos sobre o ensino e a aprendizagem do aluno com surdez. políticas em situações de inovação educativa de trabalho. e Saito e Maeyama (1973). 5) Interprete de Libras. CULTURAIS E PESSOAIS PROPORCIONADAS PELA ESCOLARIZAÇÃO Sônia Maria Alves de Oliveira Reis (UFMG) Carmem Lúcia Eiterer Este trabalho objetiva apresentar as instancias formativas. destacamos Freire (1981). a permanecer na escola e/ou abandoná-la. Surdez. matriculavam as crianças em Grupos Escolares. 8) Leitura e escrita. os modos de aprender e os significados das experiências sociais. mas também com as práticas pedagógicas de EJA. notou-se que a Escola Japonesa funcionou como uma escola normal de acordo com as exigências da Secretaria de Educação. aprendizagem. sendo também centro cultural e administrativo da colônia. que defende a divisão da imigração japonesa em três períodos distintos. a saber . culturais e pessoais revelados pelos jovens e adultos que vivenciaram o processo de escolarização na EJA. 6) Escrita. Charlot (2001). Arroyo (2005) Galvão e Di Pierro (2007) e outros. Santos (2000). pois. o presente estudo teve como objetivo realizar o levantamento das dissertações e teses existentes no banco de dados Capes on line nos últimos 10 anos. 7) Libras. ideológicas. Conforme as categorias identificadas no estudo. Percebeu-se que a educação entre os japoneses era bem valorizada. 10) Libras. Para orientar a realização deste estudo. também. Tendências da pesquisa. .chave: Educação Especial. 9) Intérprete de Libras. Como procedimento foi realizado uma busca quanto às: a) dissertações foram identificadas dez categorias. a pesquisa teve presente os estudos dos autores: Handa (1987). jornais. A compreensão dos dados fundamenta-se nos pressupostos da abordagem qualitativa. 10) Escrita.

contamos com a colaboração de seis professoras. fundamentada nesta abordagem. com a utilização dos diários narrativos e das rodas de conversa. Pode-se verificar que. o registro escrito nos diários narrativos revelou-se uma fonte bastante profícua de desenvolvimento profissional docente uma vez que contempla ambas as dimensões formativas e investigativas da prática profissional do professor. 2004). optamos pela análise do conteúdo proposta por Bardin (2006). No plano de análise dos dados. Realizamos a pesquisa no segundo semestre de 2008. entre outros. os estudos de Narodowski (1993). Diários narrativos. PRATICAS ESCOLARES NA INFÂNCIA: A DISCIPLINA E O CONTROLE COMO FIM DA EDUCAÇÃO. escolhemos a pesquisa narrativa. estudos de Vygotsky. 2006a. Trata-se de uma análise enunciativodiscursiva das interlocuções entre alunos de uma turma do estágio intermediário de uma escola de idiomas e sua professora. no que concerne ao controle e disciplina impostos às crianças. com abordagem qualitativa como metodologia a ser seguida. Início na carreira profissional. A investigação. forma escolar. foi desenvolvida por meio de observações sistemáticas em duas turmas de crianças com idade entre 5 a 6 anos. expressão de uma forma escolar historicamente legitimada. Este trabalho analisa o papel do professor na tomada da palavra pelo aluno em sala de aula de língua inglesa. embora ocorridos avanços na legislação em relação ao atendimento adequado as crianças pequenas nas instituições escolares. Weffort Almeida (PUC/SP) O presente texto tem como objetivo discutir a relação entre as práticas escolares na Educação Infantil e os padrões instituídos e consolidados ao longo do tempo pela instituição escolar. dialogando com autores como Clandinin e Connelly (2000. Palavras-chave: Educação Infantil. Palavras-chave: Professoras de Língua Inglesa. antes de tudo. de uma escola municipal de Educação Infantil na cidade de São Paulo. mesmo que seja exaustivo ou desinteressante para as crianças. 2006b). iniciantes na carreira e no efetivo exercício da docência nas escolas públicas e particulares de Ensino Médio. enquanto moldado em um formato . estas apresentam padrões de relações e organização impregnados de uma concepção de escola calcada por características consolidadas ao longo do tempo. graduadas em Letras-Inglês. Toma-se como base. Souza (2004. As análises e as interpretações dos dados produzidos revelaram que apesar da falta de tempo e da falta de hábito da escrita. tomando a palavra nessa língua. O PAPEL MEDIADOR DO PROFESSOR NO JOGO INTERLOCUTIVO EM UMA SALA DE AULA DE LÍNGUA INGLESA Renata Pucci (UNIMEP) Nas concepções atuais de ensino de língua estrangeira espera-se que os alunos exerçam suas habilidades orais na língua em estudo. de caráter qualitativo. dirigidas à aquisição e incorporação de comportamentos que atendam aos interesses da escola e da sociedade na qual está inserida. O aluno como Invenção que auxiliaram na compreensão dos processos de institucionalização da infância e das relações de poder que permeiam a história da escolarização moderna. Devido à natureza do objeto de estudo. Bolívar (2002). Ao focar no papel mediador do professor.O QUE DIZEM AS PROFESSORAS DE LÍNGUA INGLESA INICIANTES NA CARREIRA SOBRE A ESCRITA DOS DIÁRIOS NARRATIVOS Renata Cristina da Cunha (UFSCAR) Este artigo é parte de uma pesquisa desenvolvida no Mestrado em Educação da Universidade Federal do Piauí (UFPI) cujo objetivo geral é investigar a contribuição da escrita dos diários narrativos para a produção da profissão docente pelas professoras de Língua Inglesa iniciantes na profissão. Nesta investigação assumi um olhar norteado pela abordagem histórico-cultural. Para a realização da pesquisa. infância. Infância e Poder e de Gimeno Sacristán (2005). articulados aos de Bakhtin. foram uma ancoragem fundamental. Para a construção dos dados deste estudo foram realizadas filmagens das aulas ao longo de aproximadamente dois meses. Renata P. da cidade de Parnaíba (PI). As análises mostram que o discurso da professora.

Palavras-chave: enunciação em língua inglesa. mobilidade reduzida) no estabelecimento de ensino é que desenvolvemos a presente pesquisa. “talentos” e “aptidões”. Palavras-chave: desigualdade currículo. por exemplo. elevador. já que eles teriam menos “talentos” e “aptidões” para as áreas mais nobres do curso. como o esquema pergunta-resposta. não confere ao aluno um espaço para uma participação oral significativa. flexibilização. aliadas à teoria das situações didáticas. A pesquisa. o elevador e o bebedouro. FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR E REPRODUÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS: O CASO DA LICENCIATURA EM LETRAS DA UFMG Roberto Cezar de Souza Silva (UFMG) Antônio Augusto Gomes Batista A flexibilização curricular se apresenta como uma proposta no ensino superior que busca diversificar e ampliar as possibilidades de formação dos estudantes. devolver a palavra ao seu interlocutor. As informações coletadas foram analisadas qualitativamente conforme as normas da Associação Brasileiras de Normas Técnicas. Estes tomam a palavra. de tomar parte no diálogo. Em função dos desafios encontrados pelas pessoas com deficiência física (cadeirante. entre outros). No entanto. participar com sua opinião. Através de questionários (n=131) e entrevistas (n=6). As fotos foram permitidas pelo participante universitário em cadeiras de rodas. caracterizada como pesquisa-ação. foi realizada . Deficiência Física. alguns movimentos em seu discurso. que poderiam traçar uma trajetória mais condizente com seus “desejos”. mas há a necessidade de rever alguns aspectos da acessibilidade que não atendem às normas. O presente estudo teve como objetivo identificar e analisar a acessibilidade para um cadeirante em termos do espaço físico de onde acontecem as aulas. ACESSIBILIDADE NO AMBIENTE UNIVERSITÁRIO EM INSTITUIÇÃO PÚBLICA Rita de Cassia S Cambruzzi (UFSCAR) Susana Maria Mana de Araóz As pessoas com deficiência física enfrentam desafios nos diferentes ambientes que apesar de ser um grupo heterogêneo. como recurso pedagógico para a introdução do conceito de equação diferencial. os desafios são os mesmos quando a temática é acessibilidade. promovem uma mudança qualitativa nos discursos dos alunos. análise enunciativa. Acessibilidade. banheiro adaptado. e trajetórias mais nobres se relacionaram com expectativas profissionais em setores mais valorizados e prestigiados da formação. relacionaram-se dados relativos à origem social de estudantes de licenciatura em Letras a suas trajetórias acadêmicas (principais disciplinas cursadas) e viu-se que estudantes mais capitalizados traçaram trajetórias mais “nobres” do que os menos capitalizados. medição do professor. encerrando os indivíduos de origens menos abastadas em setores menos valorizados da formação (BOURDIEU. Os resultados mostram-se satisfatórios. as necessidades. INTRODUÇÃO DO CONCEITO DE EQUAÇÕES DIFERENCIAIS POR MEIO DE ATIVIDADE INTERDISCIPLINAR Roberto Fecchio (PUC/SP) Benedito Antonio da Silva Este artigo relata um trabalho que investiga a possibilidade de se utilizar a modelagem matemática e a interdisciplinaridade. Optamos por pesquisar o acesso para as pessoas em cadeira de rodas no seu espaço de aprendizagem (sala de aula) e as adjacências (bebedouro. o local onde está localizado o banheiro. Palavras-chave: Educação Especial. Este artigo visa a apontar relações entre essa proposta e a reprodução das desigualdades sociais. Com isso concluímos que a flexibilização curricular poderia acabar por reproduzir as desigualdades sociais. compartilham experiências. 2007). Os recursos utilizados foram as observações diretas do espaço físico e os registros através de fotografias e filmagens. opinam.discursivo tipicamente escolar. com suas histórias. argumentam. A conexão entre esses recursos possibilitou a elaboração e organização de uma atividade em 11 etapas.

conduzidas por etapas.UNESP. tendo como participantes pesquisadores de quatro universidades públicas do estado de São Paulo. alguma sabedoria e o "máximo de sabor". sala de aula.com 12 alunos do 2º ano do curso de Engenharia. modelagem matemática. constantes do acervo da “Chaire du recherche du Canada en éducation relative à l’environnement (Chaire ERE-UQAM)”. de forma sintética. Os resultados encontrados até o momento serão interpretados à luz de referencial teórico específico e posteriormente utilizados para a elaboração de análise comparativa entre os dois países. num meio constituído por uma atividade gerada por um problema real. o que resultou do uso das rodas de leitura nesta investigação. tanto a nível teórico quanto prático. em Montreal. em desenvolvimento. para esta apresentação. campus de Ribeirão Preto e da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR . da Universidade de Quebec. ou seja. da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Tomou-se como base.campus de Rio Claro. colocando em jogo algum saber. Concluímos que as atividades interdisciplinares. situações didáticas. apresentam novas possibilidades de motivação. interdisciplinaridade. laboratório. numa espiral auto-reflexiva. relação sociedadenatureza. conforme indicadas neste trabalho. Trata-se de uma pesquisa de tipo documental cujo corpus documental é constituído por teses e dissertações em Educação Ambiental produzidas nos países já referidos. em 2010. Palavras-chave :Produção acadêmica em EA. Neste texto descrevemos o que é uma roda de leitura e como se dá o seu processo de realização. uma pesquisa realizada no Mestrado em Educação da Universidade Católica de Petrópolis. como usualmente é operacionalizada em trabalhos acadêmicos. instrumento de pesquisa. adolescentes AS CONCEPÇÕES DE NATUREZA E DE RELAÇÃO SOCIEDADE-NATUREZA NA PRODUÇÃO ACADÊMICA (DISSERTAÇÕES E TESES) EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL : UMA ANÁLISE COMPARATIVA BRASIL-CANADÁ Rosa Maria Feiteiro Cavalari (UNESP) Esta pesquisa. ao invés de objeto de pesquisa ou forma de intervenção pedagógica. se insere no âmbito do Projeto “A Educação Ambiental no Brasil: análise da produção acadêmica (dissertações e teses)”. da Universidade de São Paulo – (USP). Universidade Estadual Paulista . Como procedimento metodológico adota-se a “análise de conteúdo” tal como proposta por Bardin (2009). RODA DE LEITURA COMO INSTRUMENTO DE PESQUISA Rosalinda Carneiro de Oliveira Ritti (UCP) Pedro Benjamim Garcia O principal objetivo deste artigo é demonstrar o uso da roda de leitura como instrumento de pesquisa. Finalizamos colocando. de exploração do conteúdo e de resultados ao alcance dos alunos do ciclo básico da Engenharia.campus de São Carlos). Palavras-chave: Roda de leitura. Palavras-chave: Equações diferenciais. que investigou o processo de construção de subjetividades de adolescentes moradores de um bairro de periferia da cidade mineira de Juiz de Fora. questionamentos e devoluções. Verificou-se que diversos componentes da estrutura do meio didático. A pesquisa em questão tem como objetivo identificar as concepções de natureza e de relação sociedade-natureza na produção acadêmica (dissertações e teses) em Educação Ambiental no Brasil e no Canadá. concepções de natureza. produção acadêmica (teses e dissertações). tendo como cenário a posição de um professor-pesquisador diante de um grupo de alunos. podem ser intercalados com as fases da modelagem. Utilizando a epígrafe de Roland Barthes acreditamos que as rodas minimizam as relações de poder. Na presente comunicação apresento um mapeamento da .

e Como tem superado as dificuldades. à organização pedagógica. da cultura e organização da universidade escolhida para o estudo que implicam em como o currículo prescrito e vivido no curso de Pedagogia incorpora os conteúdos relativos a DCN ERER. Formação específica do intérprete. O presente texto apresenta-se como uma síntese da tese de doutorado em que analisamos a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnicoraciais e para o Ensino de História e Cultura Afrobrasileira e Africana (DCN ERER) em um curso de Pedagogia a partir da categoria prática escolar. As respostas aos questionários e entrevistas a professores/as e estudantes do curso contribuíram para compreendermos como conteúdos relativos a DCN ERER são abordados. às . isto é Formação inicial do intérprete. Concluiu-se. quanto às concepções político-filosóficas para educação de alunos surdos. O INTÉRPRETE DE LIBRAS: CONQUISTAS E DESAFIOS Rosana de Fátima Janes Constâncio (CUML) Tárcia Regina da Silveira Dias Este estudo se propõe a conhecer e analisar a inserção do profissional intérprete de Libras no ensino superior e a construção desta profissão. Concluiu-se que o ato de traduzir e interpretar demanda competências lingüísticas e metodológicas complexas. A proposta envolve a tentativa de compreender quem é este profissional e como se dá a sua atuação em um universo fronteiriço entre as línguas. As entrevistas contaram com roteiro pré-definido e foram transcritas. os limites e o alcance da implementação das DCN ERER no curso. currículo e formação de professores. Palavras-chave: Intérprete. Visa. Palavras-chave: educação e relações étnicorraciais. conhecer as necessidades e especificidades vivenciadas por este profissional numa relação que envolve surdos – ouvintes - intérpretes. também. interpretam todas as disciplinas que o aluno surdo freqüenta. EDUCAÇÃO BILÍNGUE DE ALUNOS SURDOS: EXPERIÊNCIAS INCLUSIVAS NA ESCOLA MUNICIPAL PAULO FREIRE/NITERÓI/RJ Rosana Maria do Prado Luz Meireles (UFF) Valdelúcia Alves da Costa Tendo como objeto o projeto de educação bilíngue para alunos surdos. Relacionam-se bem com os surdos. A análise dos dados mostrou-nos.A EDUCAÇÃO PARA AS RELAÇÕES ÉTNICORACIAIS EM UM CURSO DE PEDAGOGIA: UM ESTUDO DE CASO SOBRE A IMPLANTAÇÃO DA RESOLUÇÃO CNE/CP 01/2004 Rosana Batista Monteiro (UFSCAR) João dos Reis Silva Jr. especialmente ao constarmos que efetivamente são as DCN de Pedagogia que determinaram a reorganização da matriz curricular do curso. também. Disciplinas que interpreta. têm ampla experiência na área educacional. dentre outros aspectos. Tempo de atuação como intérprete. Língua de Sinais. Língua Portuguesa. M. Dificuldades no emprego. pedagogia. Possíveis dificuldades em algum momento da interpretação. e apresentam como dificuldade a falta de sinais específicos para determinadas palavras usadas no meio educacional. Os dados foram coletados por meio de entrevistas presenciais e via on-line. Os resultados mostram que os intérpretes têm formação superior e estão inseridos nas comunidades surdas. lidas e relidas até que se chegasse à definição de categorias relevantes para atingir o objetivo proposto. considerando os objetivos: Caracterizar o Projeto Bilíngue para surdos na E. Áreas de atuação como interprete. oral-auditiva e viso-espacial. Participaram do estudo quatro intérpretes de Língua de Sinais que atuam no ensino superior nas cidades de São Paulo/SP. Deste modo retomamos aspectos institucionais. Espera-se também explicitar aspectos do processo de construção desta nova profissão. Paulo Freire. que os intérpretes estão procurando aperfeiçoar-se no seu papel de mediador visando conquistar espaço para garantir a acessibilidade do surdo nos diferentes segmentos da sociedade. empregando os programas do correio eletrônico e MSN. Locais de atuação como intérprete.

dinâmicas relacionais e desafios postos aos profissionais da escola. como o currículo numa abordagem por competências. Foram realizadas observações no cotidiano escolar. ambos deixam em segundo plano (e. nem mencionam) a relevância da constituição de competências mais complexas. encaminhados pelas professoras de escolas públicas de Cabo Frio. Estas instituições possuem histórico de criação e desenvolvimento. Enfim: portas a serem abertas. Práticas Pedagógicas. Trata-se de pesquisa qualitativa. identidade e cultura como fundamentais em sua formação. criatividade e autonomia intelectual. O campo da pesquisa foi composto pelas Instituições Senai e Senac do Estado de São Paulo. Palavras-chave: Educação surdos.394/96. composta pelos afetos. objetivos e público alvo bastante semelhantes. à centralidade da LIBRAS na construção do conhecimento dos surdos e na comunicação entre surdos e ouvintes. Palavras chave: Competências. Foi adotada a teoria crítica como suporte teóricometodológico. produzidas após a LDB 9. A LÓGICA DAS COMPETÊNCIAS NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Rosângela de Oliveira Pinto (PUC/Campinas) Maria Silvia Pinto de Moura Librandi da Rocha A pesquisa procurou identificar e compreender as diferentes concepções sobre as noções de competências e práticas pedagógicas de professores do Ensino Profissional. pelo riso. fazendo parte de uma listagem enviada ao especialista para que esse forneça um “laudo competente”. sentimentos esses que são formas estruturantes da socialidade e produtoras da . 2003) que quer surgir e há um projeto de sociedade mais justa acompanhando tudo isso. bilíngue. alunos estigmatizados e rotulados como “fracassados”. a subordinação do trabalho pedagógico à lógica do mercado. pelo medo. pela carência. Importa ressaltar que esta lei traz em seu texto mudanças que irão impactar as concepções e práticas educacionais nesta modalidade de ensino. análise documental. aplicação de questionários e entrevista semi-estruturada. Gilbert Durand e Michel Maffesoli e possibilitam a apreensão da micro-estrutura do cotidiano. o estudo mostrou que há um “novo espírito pedagógico” (Duborgel. Inclusão escolar. Profissional. pelas revoltas. Os procedimentos metodológicos de coleta de dados foram: entrevista semi-estruturada com quatro professores e questionário aplicado aos seus alunos. A escola não contém as respostas sobre o “fracasso” de alguns alunos. ao ambulatório de Psicologia de um centro de saúde municipal e busca compreender como os estudos da simbologia de um aspecto perseverante nos desenhos (no caso. Mas. respeitando suas singularidades referentes à língua. Educação O IMAGINÁRIO ESCOLAR ATRAVÉS DOS SÍMBOLOS: AS PORTAS COMO OBSTÁCULOS OU DIFERENTES PASSAGENS? Rosane Barbosa Marendino (UFF) Este comunicação está baseada em parte da dissertação de Mestrado em Educação na UFF e trata da análise de desenhos dos alunos. Identificamos que os professores da Educação Profissional caminham na direção de práticas educativas voltadas para uma concepção mais democrática. as portas) constitui uma imagem simbólica significativa. professores e alunos enfatizam o “saber fazer”. Os resultados revelaram desafios enfrentados pela escola e conquistas em prol da educação democrática para alunos surdos. Foi considerado o pensamento de Skliar quanto às singularidades da língua e cultura surda. como capacidade de inovação. assim como o bilingüismo. com base na LIBRAS e língua portuguesa. cidade de Rio Claro. O psicólogo também não. pela resistência. Alunos realidade sonhada e vivida. O referencial teóricometodológico se fundamenta nos estudos de Edgar Morin. O objetivo principal foi compreender como os alunos percebem as suas relações com o espaço escolar. O estudo foi realizado incorporando análises sobre a legislação que oferece diretrizes para a Educação Profissional. por vezes. com ênfase no pensamento de Adorno quanto aos aspectos democráticos da educação. Duas categorias principais orientam a discussão dos dados: as concepções sobre a noção de competências e as dificuldades nas práticas pedagógicas. Porém.

sem deixar de realizar a devida relação entre a produção pessoal de Anália Franco com o contexto histórico no qual estava imersa. Assim. uma vez que estas podem organizar ou re-organizar crenças e cognições sobre as diferenças. que teve como objeto de pesquisa a educadora brasileira Anália Emília Franco (1853-1919). direcionar a ação para a aceitação das diferenças. principalmente. que demonstram a tendência de atitudes mais favoráveis por pessoas mais jovens.72. Em uma primeira análise. Considerando estes autores foi desenvolvido um conjunto de vídeos educativos que enfatizam as leis de Newton. A idade variou de 18 a 52 anos. a questão da idade cronológica dos participantes é uma delas. com a média de 23.05) entre as atitudes sociais dos grupos comparados. assim como instrumentos de coletas que buscam identificar se houve uma aprendizagem dos conceitos analisados. Os escores de atitudes sociais desses subgrupos foram comparados por meio da prova de Mann-Whitney e verificamos que não existe uma diferença significante (p> 0. As discussões mostraram que os alunos compreenderam os conceitos. Ensino Inclusivo. na área de Filosofia. ANÁLIA FRANCO: ATIVISMO SÓCIOEDUCACIONAL NO BRASIL ENTRE O IMPÉRIO E A REPÚBLICA Samantha Lodi-Corrêa (UNICAMP) O presente trabalho é uma síntese da dissertação de mestrado defendida na Faculdade de Educação da Unicamp. Deficiência auditiva. Palavras-chave: Ensino de Física. direcionar a afetividade de modo a ser favorável com relação às diferenças e. A partir dessa perspectiva. o grupo foi dividido entre o dos participantes mais jovens e a dos participantes mais velhos. História e Educação. Para realizar a pesquisa histórico-biográfica utilizou-se o materialismo histórico. Participaram deste estudo 403 estudantes dos cursos de Pedagogia da UNESP. Dentre as variáveis que podem influenciar as atitudes sociais. o presente estudo tem por objetivo analisar e discutir os efeitos da idade dos participantes sobre as atitudes sociais em relação à inclusão. prezando o contato com fontes primárias para uma aproximação da prática sócio-educativa realizada pela educadora. AS ATITUDES SOCIAIS EM RELAÇÃO À INCLUSÃO DE ESTUDANTES DO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNESP: O ESTUDO DA VARIÁVEL IDADE Sadao Omote (UNESP) Cristiane Regina Xavier Fonseca-Janes A efetivação dos ideais da educação inclusiva pode vir por meio da construção de atitudes sociais favoráveis à inclusão. Percebeu-se um forte ativismo sócio-educacional durante seus anos de magistério (1868-1919). assim como as teorias de Vygotsky referentes à aprendizagem de pessoas com deficiência. A pesquisa se propôs a desenvolver e analisar o uso de um recurso diferenciado que possa ser utilizado como agente integrador em turmas inclusivas. foi bem aceita por alunos e professores de uma escola do interior de São Paulo. Esse resultado é conflitante com as referências comumente encontradas na literatura internacional sobre as atitudes sociais em relação à inclusão. e a teoria de Ausubel sobre a aprendizagem significativa e os organizadores prévios.UMA PROPOSTA PARA O ENSINO INCLUSIVO EM TURMAS DE FÍSICA COM ALUNOS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA Sabrina Gomes Cozendey (UFSCAR) Maria da Piedade Resende da Costa Márlon Caetano Ramos Pessanha Neste trabalho é apresentado uma discussão sobre a inclusão de alunos com deficiência auditiva nas turmas de Física. a proposta da pesquisa. ao ponto de serem capazes de dar exemplos de aplicação destes. No desenvolvimento do trabalho foram considerados as leis nacionais e internacionais a respeito da inclusão. . Foi desenvolvido também uma sequência didática para a apresentação dos vídeos.5 e desvio padrão de 6. Conclui-se que ao apresentar e discutir os vídeos os alunos ficaram mais motivados e participativos. Os dados foram coletados por meio da Escala Likert de Atitudes Sociais em relação à Inclusão – ELASI.

realizou-se um estudo de caso. utilizamos os documentos oficiais que tratam das políticas públicas para a infância. Palavras-Chave: Anália Franco. Seu foco de análise recai sobre os estágios curriculares realizados por estudantes de Licenciatura em Educação Física e em Pedagogia de uma universidade pública. Apontam-se. relata-se o estudo de caso. Palavras-Chave: Formação de Professores. Em síntese. a partir da implementação do Programa Mais Educação/Mais Escola. Para tal. foram realizadas entrevistas semiestruturadas. Como referencial teórico. No trabalho de campo. verificou-se que a inter-relação dos turnos é um dos maiores obstáculos para efetividade das práticas educativas. em uma Escola Municipal de Educação Infantil. dificultando o transito do ofício de aluno para o habitus professoral e. A base do referencial teórico é a documentação normativa do Programa Mais Educação. localizada também no bairro da Bela Vista. INTER-RELAÇÃO ENTRE TURNO E CONTRATURNO NAS PRÁTICAS EDUCATIVAS DO PROGRAMA MAIS ESCOLA EM DUQUE DE CAXIAS: AVANÇOS E DESAFIOS Sheila Cristina Monteiro Matos (UNIRIO) Este trabalho teve por objetivo analisar a interrelação ente turno e contraturno nas práticas educativas da Escola Municipal Visconde de Itaboraí. ativismo sócio-educacional. no segundo momento. apresentando os resultados da pesquisa. ou seja. Por fim.pois Anália Franco embora educadora também demonstrou uma preocupação grande com questões sociais do período em que viveu. DO OFÍCIO DE ALUNO AO HABITUS PROFISSIONAL DOCENTE: DESAFIOS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Samuel de Souza Neto (UNESP) Flávia Medeiros Sarti Larissa Cerignoni Benites O estudo apresentado insere-se na temática da formação de professores. no ano de 2008 e. Programa Mais Educação. História da Educação. Trata-se de uma pesquisa qualitativa. localizada no bairro da Bela Vista. Estágio Curricular Supervisionado. ainda. discutem-se os resultados com a epistemologia dos saberes docentes de Tardif. Prática de Ensino . A ARTICULAÇÃO ENTRE A EDUCAÇÃO INFANTIL E O ENSINO FUNDAMENTAL I: REALIDADE E PERSPECTIVAS Shelly Rabinovich (USP) O objetivo do presente trabalho foi investigar como a escola de Educação Infantil prepara as crianças para o ingresso na escola fundamental e como esta recebe as crianças que ingressam nesse novo ciclo com apenas seis anos de idade. em Duque de Caxias. no primeiro momento. técnicas de observação e pesquisas em registros. verificar se há articulação nas propostas pedagógicas nos dois níveis de ensino. Enfrentando os preconceitos da época teve pulso firme para realizar projetos que visassem dar autonomia aos desfavorecidos da sociedade. na cidade de São Paulo durante o ano de 2009. focalizando algumas das dificuldades e das possibilidades presentes na transição que os futuros professores vivenciam do “oficio de aluno” para a constituição do habitus docente. Assinalam-se ainda avanços e desafios. A pesquisa prática foi realizada. algumas possibilidades formativas para a superação das diversas dificuldades presentes em tal processo de transição. (c) limites em assumir o exercício pedagógico. do tipo exploratória (fontes documentais e observações) cujos resultados apontam para três grupos de dificuldades enfrentadas pelos estagiários: (a) postura de negação das práticas escolares e distanciamento dos professores. Palavras-chave: Educação integral. acompanhamos as mesmas crianças da Educação Infantil para a escola de Ensino Fundamental I. (b) caráter escolarizado das atividades relacionadas ao estágio. Para análise. Práticas educativas. que lhe permita criar e propor atividades de ensino.

PESQUISAS SOBRE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: UM OLHAR PARA O QUE EVIDENCIAM ALGUMAS PRODUÇÕES Simone Bueno (PUC/SP) Gilberto Januario Katia Cristina Lima Santana Neste artigo. O olhar para as produções foi direcionado por duas categorias de análise: uma (i) em relação ao objeto de pesquisa. formação de professores. professores. Representações Sociais. estratégias e métodos utilizados. Pesquisas Curricular. a entrevista semiestruturada realizada com os pais. práticas docentes. A análise dos dados coletados nos mostrou o desenvolvimento crescente de pesquisas na área da educação de pessoas jovens e adultas. crianças e gestão da Educação Infantil e do Ensino Fundamental I. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos (EJA). Palavras-chave: Desenvolvimento Matemática. relação entre saberes da prática trazidos pelos alunos e conhecimentos científicos relacionados à área educacional. com objetivo de dar voz a todos os atores envolvidos no processo de passagem da criança do infantil para o fundamental. e um número reduzido de estudos a respeito do desenvolvimento curricular de Matemática para esse alunado. com as crianças e com as práticas docentes e. Durante o percurso realizado percebemos que os dois níveis de ensino precisam repensar nas suas propostas pedagógicas e construir um projeto educativo que contribua para a passagem da criança da escola infantil para o 1º ano do Ensino Fundamental.documentos sobre o ensino fundamental de nove anos e os conceitos de Vygotski. periódicos e anais de eventos da área. Para este estudo. principalmente nas temáticas didática e resolução de problemas. apresentamos parte de um estudo desenvolvido no projeto de pesquisa “O Currículo de Matemática na Educação de Jovens e Adultos: dos intervenientes curriculares à prática em sala de aula”. e ao olhar do pesquisador em analisar e interpretar as informações coletadas. Práticas Educativas. em EJA. Sua contribuição para a EJA consiste em colaborar para avanços em diversas temáticas fundamentais. . em programas de pós-graduação. Educação CONTRIBUIÇÕES DA ABORDAGEM DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS PARA A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) Solange Garrido da Costa (Universidade Estácio de Sá) Suely Fernandes Coelho Lemos Rita de Cássia Pereira Lima O objetivo desse trabalho teórico é fazer uma reflexão sobre o arcabouço teórico-metodológico das representações sociais e suas contribuições para a pesquisa em educação. proposição de novas políticas para esse campo. em que permanecemos em contato direto com as escolas. Tratou-se de um estudo etnográfico e a metodologia utilizada foi a observação participante. A abordagem psicossocial das representações sociais se propõe a investigar o universo simbólico dos grupos que direta ou indiretamente intervêm nos processos educacionais. particularmente a Educação de Jovens e Adultos (EJA). como construção de currículos. e a outra (ii) em relação à fundamentação teórica e as considerações dos pesquisadores-autores. Investigar representações sociais dos diversos grupos envolvidos com a EJA pode subsidiar a ruptura de alguns valores e práticas já enraizados na escola e promover mudanças nas práticas docentes e pedagógicas tão necessárias à realidade do ensino no Brasil. em Educação Matemática. fizemos um mapeamento de pesquisas realizadas com a temática EJA.

acaso (alea). SÁNCHES GAMBOA. sem risco. Tecnologias da Informação e da Comunicação. O jogo. Palavras-chave: Metodologia qualitativa de pesquisa. no trabalho. conceitos e com o envolvimento da família e da comunidade. grupo focal. 1994. dentre outros). A integração de técnicas quantitativas e qualitativas contribuiu para o melhor entendimento do fenômeno pesquisado. fruto dos estudos realizados na pós-graduação da USP/Universidade de Victória (Canadá). como representação simbólica. Como estudo de caso de natureza descritivo-exploratória teve como embasamento teórico os estudos contemporâneos sobre metodologias qualitativas de pesquisa (BOGDAN e BIKLEN. PARADIGMA DA COMPLEXIDADE: NOVOS OLHARES PARA A RELAÇÃO JOGO E EDUCAÇÃO Tania Marta Costa Nhary (UFF) Iduina Mont’Alverne Chaves O objetivo desta comunicação é apresentar um recorte da pesquisa de mestrado que analisou os sentidos dos jogos e suas implicações na formação de professores e conseqüentemente no contexto escolar. entrevista. os educadores sociais apresentam uma relação educativa diferenciada. a educação de valores e a busca pela auto-estima. O tratamento metodológico dos dados coletados foi amparado nos estudos referenciados com uma seleção de indicadores que favoreceram o processo analítico das representações permitindo sua análise compreensiva. e da participação na construção da própria história e cultura. filmagem e diagrama) captaram dados sobre o tema consumo de tecnologias em uma escola pública da Grande São Paulo com estudantes do Ensino Fundamental. Concluiu-se que a educação social amplia o contexto da educação e envolve a família. no que diz respeito a busca de novos caminhos e novas propostas educativas. numa perspectiva de colaboração com a escola. a comunidade e a sociedade na responsabilidade do desenvolvimento humano. Essa busca de alternativa é decorrente da falta de recursos que a educação escolar apresenta para trabalhar com determinados valores. prevalecendo a importância da identidade. FLICK. do sentimento de pertença. enquanto fenômeno social é. Ficou patente no processo que a questão da qualidade da pesquisa depende mais da lógica das articulações do que das escolhas técnicas confirmando o valor agregado dado com o entrecruzamento de perspectivas teóricometodológicas da pesquisa qualitativa. O referencial teóricometodologico se fundamenta na complexidade de Edgar Morin e na sociologia do cotidiano de Michel Maffesoli para estudar o jogo no cotidiano educacional e possibilitar a evocação de imagens que remetam ao sentido do ato de jogar. EDUCAÇÃO SOCIAL: NOVAS PERSPECTIVAS PARA A EDUCAÇÃO ESCOLAR Sueli Maria Pessagno Caro (UNISAL) Este trabalho apresenta a educação social como uma proposta diferenciada de relações dentro da escola. 2002. Preocupa-se também com a formação humana. simulacro (mimicry) e vertigem (ilinx) e que. 2003. entendido como uma manifestação cultural que perpassa os sentidos de competição (agôn). educador social. Permitiu o jogo de sentidos que fundamentou e contribuiu para definição de um horizonte ampliado de interpretação. o . Palavras chaves: educação social. Enfim. As técnicas selecionadas (questionário. Técnicas híbridas de pesquisa. O objetivo foi analisar a educação social. é um mundo aberto e incerto que permite. educação escolar.O ENTRECRUZAMENTO DE PERSPECTIVAS TEÓRICO-METODOLÓGICAS PRESENTE NA PESQUISA QUALITATIVA: MAIOR APROXIMAÇÃO AO FENÔMENO PESQUISADO Stela Conceição Bertholo Piconez (USP) Rosária Helena Ruiz Nakashima Régis Luíz Lima de Souza Esta pesquisa em andamento focalizou a integração das metodologias e técnicas qualitativas como forma de aproximação da realidade pesquisada.

na família e para a formação de professores. Para isso. Finalmente. média e interna representam uma classe significativa de anomalias congênitas pouco descritas em suas consequências sociais e de aprendizagem na infância. problematiza-se as noções de inclusão e exclusão desde uma perspectiva sociológica e psicossocial consubstanciadas pelas análises de Martins (1997). A escola. audiológicos. na perspectiva do paradigma da complexidade. Palavras-chave: Deformidades da orelha. permitiu identificar características sociais e de aprendizagem desses escolares. Foram selecionados 44 escolares com malformação de orelha e idade entre sete e 13 anos. Jodelet (2008) e Wanderley (2008). CARACTERIZAÇÃO DO PERFIL DE ESCOLARES COM MALFORMAÇÃO DE ORELHA E AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO ESCOLAR Tania Moron Saes Braga (UNESP) Rosicler Moreno Castanho Os defeitos estruturais de orelha externa. (re)nascer e ser compreendido como objeto transdisciplinar. Ensino Fundamental . O estudo foi realizado na Divisão de Saúde Auditiva (DSA). quanto aos aspectos sóciodemográficos. sendo portanto um espaço social. na especificidade do ambiente escolar. bem como fatores intraescolares que contribuem para as práticas de inclusão/exclusão. 1998. e o jogo poderá. Ajustamento social. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E INCLUSÃO/EXCLUSÃO ESCOLAR: PROBLEMATIZANDO CONCEITOS. p. por excelência. Aplicou-se o Teste de Matrizes Progressivas Coloridas de Raven (RAVEN) e o Teste de Desempenho Escolar (TDE) nos escolares e o Questionário de Capacidades e Dificuldades (SDQ) em pais e professores. O jogo é um espaço de experiência única para o jogador. Das análises realizadas depreendese que.207). é possível desenvolver ações pedagógicas que visam à inclusão do alunado na iminência de exclusão dos processos de escolarização formal. No SDQ os pais avaliaram os escolares mais como anormais e limítrofes do que os professores. sob a ótica de diferentes interlocutores. o domínio de uma educação que não é formalizada” (Brougère. sob a ótica de diferentes interlocutores. Seu objetivo é discutir os processos de inclusão/exclusão escolar relativos às práticas pedagógicas tendo como pano de fundo a vivência no cotidiano de uma escola pública do primeiro segmento do ensino fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro. A investigação. Em seguida. é entendida como um sistema aberto às múltiplas dimensões da realidade do educando. com exceção de CP-S.experimentar e o aprender. “O jogo é. A pesquisa tem como objetivo: descrever o perfil de uma amostra de escolares que apresentam malformação de orelha externa e/ou média. cognitivos. embora permeado por múltiplos fatores. Palavras-chave: Jogo – Educação – Ludicidade. Práticas Pedagógicas. DISCUTINDO ALTERNATIVAS Tatiana Bezerra Fagundes (UERJ) Este trabalho é parte dos estudos de natureza teórico-conceitual realizados no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Educação (ProPEd) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. onde há acordos. pertencente ao Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC) da Universidade de São Paulo (USP). Baixo rendimento escolar. comportamentais e de desempenho escolar. Os resultados apontaram o nível sócio-econômico baixo desses escolares e que a deficiência auditiva foi bilateral de grau moderado para a maioria. Palavras-chave: Exclusão/Inclusão Escolar. relaciona-se tais noções ao contexto da escola pública considerando-se a universalização do acesso. toma-se como exemplo a situação escolar de um aluno a fim de elucidar alternativas à desconstrução do caminho da exclusão. nesse sentido. visando o planejamento de ações na escola. com capacidade intelectual preservada e desempenho escolar inferior à média. conduzindo-o na direção de uma educação para/pela/da sensibilidade e ludicidade .

TÍTULO: ESTRUTURAS COGNITIVAS. a influência de elementos subsunçores cognitivos no desempenho escolar. solução de problemas. ao investigar as relações entre os discursos que constituem a história de alunos com baixo rendimento escolar enquanto sujeitos da aprendizagem. revelando os recursos comunicativos como propulsores do aprimoramento da aprendizagem matemática. e não apenas como resultado de processos cognitivos de elaboração de conhecimento. valores e condutas constituem-se por meio das mediações sociais e da internalização de significados. Nesta pesquisa. onde a interconexão e a discussão de idéias podem acarretar mudanças na estrutura cognitiva do aluno. Os resultados. A metodologia de intervenção esteve apoiada em recursos comunicativos da argumentação e na técnica de pensar em voz alta. foram selecionados trinta e seis estudantes de um quinto ano do Ensino Fundamental de uma escola pública estadual da cidade de Campinas. realizada pela primeira autora. onde a elaboração de conhecimentos. no estudo dos Campos Conceituais de Vergnaud e na Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel. As tarefas do grupo controle foram realizadas individualmente. a constituição do sujeito aprendente é vista como movimento que se faz na relação com outros sujeitos e discursos. interpretados à luz dos estudos empíricos presentes na pesquisa. O ALUNO DE BAIXO RENDIMENTO ESCOLAR E OS DISCURSOS QUE O CONSTITUEM: SENTIDOS ELABORADOS E POSSIBILIDADES DE RESIGNIFICAÇÃO Valeria Braidotti (UNIMEP) Este estudo se propõe a discutir a dimensão afetiva como componente da unidade afetividade e cognição na constituição dos sujeitos. Os dados da pesquisa foram construídos a partir das interações e dos discursos produzidos no contexto dessas oficinas. desempenho escolar. valores. Mediante os critérios gênero e desempenho. O sujeito da pesquisa é uma jovem participante dessas oficinas. estes estudantes foram distribuídos igualmente entre os grupos controle e experimental. O estudo está norteado pela abordagem histórico-cultural. As situações enunciativas analisadas indiciam que a prática pedagógica fundada na unidade afetividade-cognição permite ao estudante com baixo rendimento escolar (re)significar-se na ordem de um sujeito aprendente. sob a orientação da segunda. levando-se em conta suas condições concretas de produção com o objetivo de analisar os sentidos que Sarah elabora sobre si própria como sujeito da aprendizagem. Mediante a aplicação de um pré-teste. Realizamos oficinas de letramento para alunos com dificuldades de aprendizagem em uma escola da rede pública do interior de São Paulo. na inter-relação professor-alunoconhecimento. demonstraram. Palavras-chave: afetividade – enunciação – mediação semiótica . enquanto que o grupo experimental formulou em díades a solução dos problemas propostos. a quem chamamos Sarah. afetos. entre outros fatores. APRENDIZAGEM E DESEMPENHO NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS Telma Assad Mello (UNICAMP) Márcia Ferreira de Brito O presente artigo. Palavras-chave: estruturas cognitivas. que é um recorte da dissertação de Mestrado. implicando desejos. buscou identificar as relações existentes entre estruturas cognitivas e desempenho matemático na solução de problemas A relevância desta abordagem na aprendizagem escolar encontra suporte na Teoria psicogenética de Piaget.

um conteúdo programático de Filosofia foi proposto e vem sendo trabalhado em sala de aula com o objetivo de desvelamento crítico da realidade vivida pelos estudantes. Palavras-chave: Paulo Freire. envolvendo alunos e professores do Ensino Fundamental no Brasil. 1999). estabelecendo-se por fim um organograma de atividades distribuídas entre os meses de fevereiro a novembro de 2009. O propulsor do projeto foi um livro paradidático. estabelecendo mitos e tradições.USO DO BLOGUE COMO FERRAMENTA COGNITIVA CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA DE CONHECIMENTOS ENTRE ESTUDANTES DO BRASIL. a autora do projeto. A partir desta. Em contrapartida. e do 2º. cuja leitura configurou-se como uma primeira atividade em comum. Teoria da Atividade. nos primeiros encontros que tivemos no ano. inspirada em Paulo Freire . Tratase de um projeto colaborativo entre os três países que objetiva o compartilhamento de significados e a construção de conhecimentos. ENSINO DE FILOSOFIA: RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA INSPIRADA NA PEDAGOGIA DE PAULO FREIRE Valter Martins Giovedi (PUC/SP) Esse trabalho tem como objetivo apresentar uma experiência de prática pedagógica. escola pública paulista. Os alunos postavam comentários sobre as atividades de seus pares que eram realizadas nos diversos contextos. os docentes do Brasil e da França acrescentaram novas idéias. das causas e das soluções para tais problemas. busquei organizar uma forma viável de investigar o universo temático dos estudantes. Seguindo o pressuposto epistemológico freireano de que o conhecimento se faz a partir da práxis dos sujeitos envolvidos. A partir dele. Tal investigação teve como ponto de partida questões de investigação do bairro em que os estudantes moram. foi possível precisar cada vez mais quais os desafios coletivamente vividos pelos estudantes matriculados no 1º ano do Ensino Médio. Ao final de 3 semanas de problematização e de investigação. possibilitada pelo uso do blogue como ferramenta cognitiva. encaminhou para os demais docentes envolvidos uma tabela com dezesseis sugestões de atividades que poderiam ser desenvolvidas. favoráveis a um país recém independente. O principal objeto de análise deste trabalho inserese na tentativa de levantar algumas reflexões acerca das propostas relacionadas à instrução. A metodologia de Análise de dados utilizada foi a Teoria da Atividade de Vygotsky (1930. Tais práticas estão fundamentadas nos princípios políticos e pedagógicos de Paulo Freire. DE PORTUGAL E DA FRANÇA: UMA ANÁLISE À LUZ DA TEORIA DA ATIVIDADE Valéria Faria Weckelmann (PUC/SP) O presente artigo apresenta uma experiência educacional. Palavras-Chave: Políticas Públicas. A partir delas e de sua problematização em encontros posteriores. dos seus problemas. naquele momento. A vivência aqui relatada vem se realizando desde o início do ano de 2010. Ela consiste em um conjunto de práticas que desenvolvo junto aos educandos do 1º ano do Ensino Médio. que venho desenvolvendo como professor de Filosofia no Ensino Médio de uma escola pública do estado de São Paulo. OS BASTIDORES DA LEI DE 15 DE OUTUBRO DE 1827 Vanessa Barbosa do Nascimento A primeira metade do século XIX no Brasil foi um momento crucial que proporcionou as “condições de possibilidades” para a sistematização do ideário de nação e da escola capaz de servi-lo. As atividades eram desenvolvidas pelos alunos em sala de aula e seus conteúdos eram postados no blogue pelos professores responsáveis. através dos debates políticos proferidos na Câmara dos Deputados. A INSTRUÇÃO PRIMÁRIA NA FORMAÇÃO DO IMPÉRIO DO BRASIL. ensino de Filosofia. junto a eles. Ciclo da Educação Básica de Portugal e da França. 1933) e seus seguidores Leontiev(1978) e Engeström(1996. Projetos com Tecnologia Educacional. nos idos de . Os debates acerca da instrução entrecruzavam-se com as questões político-estratégicas daquele momento. que traz como resultado a construção de conhecimentos sobre os diferentes significados atribuídos ao mesmo vocábulo por falantes da Língua Portuguesa . emergiu um tema gerador que vem dando margem a muitos debates e diálogos nas aulas de Filosofia.

Trataremos especialmente da afetividade na tutoria a distância. Foi pioneiramente realizada em duas salas de aula de uma escola pública. defendida no ano de 2011. Neste contexto. Como resultado nos foi possível identificar o impacto de uma leitura dialógica nas práticas docentes. UMA PRÁTICA DE LEITURA NA ESCOLA: A LEITURA DIALÓGICA E SUAS CONCEPÇÕES Vanessa Cristina Girotto (UFSCAR) Roseli Rodrigues de Mello Este artigo vem apresentar os resultados de uma investigação de doutorado. culminando com a Lei de 15 de outubro de 1827. A metodologia utilizada para desenvolver o trabalho foi a metodologia comunicativo-crítica. Apresentaremos a atividade de tertúlia literária dialógica. buscando identificar na prática essa relação entre afetividade e cognição. Elencaremos atribuições que consideramos necessárias para junção dos aspectos afetivos e cognitivos no trabalho da tutoria e mostraremos um estudo de caso com comparativos entre o resultado obtido pelos tutores na avaliação feita pela professora de uma disciplina e o desempenho das turmas por eles tutoradas. nas últimas décadas. Aprendizagem. Tal investigação ao retomar as práticas de leitura que vem sendo desenvolvidas na escola. nos foi possível trazer uma nova prática de leitura dialógica realizada com crianças em idade escolar. variados projetos sobre instrução vieram à tona. Charaudeau e Koselleck. procurou-se perceber a mobilização com relação às denominações dadas à instrução e sua relação com uma identidade nacional que se forjava durante o século XIX. entre outras coisas. e que constituíram as principais fontes deste estudo. Palavras-chave: leitura. Palavras-chave: instrução – discurso político – Império – Nação – Anais AFETIVIDADE NA TUTORIA EM CURSOS A DISTÂNCIA: IMPACTOS NA APRENDIZAGEM Vanessa Battestin Nunes (UFES) Isaura Alcina Martins Nobre Jussara Martins Albernaz Este artigo tem como objetivo tratar sobre o impacto da afetividade na aprendizagem. cujo principal objetivo foi a leitura de livros de literatura clássica para reforçar as aprendizagens e estabelecer conexões com a vida. como Michel Foucault. que caracteriza a forte mediação do processo de ensino/aprendizagem na EaD. com base em autores que fundamentaram a análise e a compreensão dos discursos políticos. Com base em teorias dialógicas que visam. apesar de todos os avanços nesse campo. investir na aprendizagem da leitura de boa qualidade e com mais sentido. em particular na Educação a Distância (EaD). literatura. compilados nas páginas dos Anais da Câmara dos Deputados. quase cinqüenta anos depois. cujo eixo central está na análise da realidade em participação com os sujeitos.1827 (e também em algumas sessões de 1826). baseada nas melhores e mais atuais experiências educativas. da cidade de São Carlos/SP a partir do segundo semestre de 2008. em que o ensino e o aprendizado se dão em lugares e tempos diferentes. com o intuito de superar e transformar as situações obstaculizadoras e opressoras. Educação a Distância. Palavras-chave: Afetividade. nos últimos anos deparou-se com um contexto que ainda exclui muitas crianças do processo de leitura da palavra. Tais discursos – considerados os bastidores da lei sobre a instrução no Brasil – foram registrados por taquígrafos e. diálogo . Através destes textos. considerada a nossa primeira Lei Geral para a Instrução Pública relativa ao ensino elementar no país pós-independência. impacto da leitura dialógica na aprendizagem das crianças e a conexão com as práticas de leitura dentro e fora da escola.

Palavras-Chave: sala aprendizagem dialógica de aula. Os resultados revelaram momentos favorecedores do diálogo na aula. Participaram do estudo três estudantes com cegueira congênita e seus respectivos professores. Os resultados indicaram que as atividades realizadas tiveram como meio de transmissão principal o recurso verbal. objetivou-se com esta pesquisa apresentar e discutir mediações pedagógicas propostas por professores de estudantes com cegueira e a coerência dessas mediações às especificidades de aprendizagem de tais alunos. ainda são observadas práticas que pouco condizem com as suas necessidades. Cegueira. mas refere-se a uma concepção de aprendizagem. este trabalho contou com observações comunicativas. diálogo. mas também apontaram obstáculos ao ensino dialógico. e o conceito de aprendizagem dialógica. formulado pelo Centro Especial em Teorias e Práticas Superadoras de Desigualdades (CREA/UBEspanha). Revelaram que a construção de aulas dialógicas não depende da incorporação de uma metodologia de ensino. partindo-se das experiências de duas professoras que atuam em uma escola que se transformou em Comunidade de Aprendizagem. de Freire. Assim. APRENDIZAGEM DIALÓGICA NA SALA DE AULA: SUPERANDO O CONCEITO DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA Vanessa Gabassa (UFSCAR) O texto que se apresenta foi escrito com base nos resultados da tese intitulada Comunidades de Aprendizagem: a construção da dialogicidade na sala de aula. que implica o reconhecimento de que os/as professores/as tanto ensinam quanto aprendem com seus alunos e que o conhecimento escolar deve ser trabalhado em prol da igualdade de direitos. . Com vistas a atingir tal objetivo foi elaborado o Protocolo de Observação das Atividades e Estratégias de Ensino. Em apenas uma das situações verificou-se que o professor promovia adequação dos recursos e averiguava o entendimento do estudante quanto às temáticas abordadas. Diante do exposto conclui-se que. e considerando a política educacional inclusiva entende-se que as crianças com cegueira devem ter um ensino que valorize as suas possibilidades de conhecimento. Mediação Pedagógica. desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCAR e a qual teve como principal objetivo investigar o diálogo na aula. quanto ao conceito de ação comunicativa. relatos comunicativos de vida e grupos de discussão como seus principais instrumentos de coleta e envolveu uma análise intersubjetiva dos dados.UMA ANÁLISE DA MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA DE PROFESSORES DE ALUNOS COM CEGUEIRA CONGÊNITA MATRICULADOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Vanessa Cristina Paulino (UFSCAR) Maria da Piedade Resende da Costa As crianças apreendem informações por meio dos diversos sentidos. Identificou-se ainda que os professores não dispunham de recursos e orientações quanto às necessidades dos estudantes com cegueira. Palavras chave: Educação Especial. dentre eles o da visão pode ser considerado um dos mais importantes para aquisição ricas e em menor tempo. sobre a dialogicidade. utilizando como referências as elaborações teóricas de Habermas. apesar da política educacional inclusiva e da importância das mediações pedagógicas para o desenvolvimento global dos estudantes com cegueira. Com base na metodologia comunicativo-crítica de investigação. Deste modo. uma postura assumida pelo professor ou professora.

O esboço reflexivo que apresentamos é o resultado de uma pesquisa qualitativa. Por meio de observações. práticas que não permitem que o aluno se aproprie da língua significando-a como importante meio de interferência na realidade e de transformação social. precisão e compreensão de leitura de escolares do 2º ao 5º ano do ensino fundamental com e sem dificuldades de aprendizagem. Buscamos verificar até que ponto o trabalho pedagógico proposto ajuda os alunos a superar as suas dificuldades no processo de aprendizagem de escrita e leitura.CHAVE: Representações sociais. subsidiada por dados quantitativos. sendo quatro grupos (GI a GIV) composto de 10 escolares sem dificuldades de aprendizagem e . Partimos da observação dos resultados obtidos por alunos das escolas públicas brasileiras nas avaliações externas realizadas por diferentes programas. atividade. realizamos a coleta de dados sobre as práticas pedagógicas em salas de quinta e sexta séries do ensino fundamental. isto é: o fracasso escolar. e os professores das referidas turmas. as análises apontaram para necessidade de mais diálogos entre professores e alunos. Método: Participaram 80 escolares divididos em 8 grupos. Utilizou-se de um questionário sobre as representações sociais de alunos e professores no que tange a avaliação. focando professores e alunos da Rede Pública Municipal de Resende/RJ. Moscovici invade a questão e ao lado do Libâneo subsidiam nossas leituras sobre a questão. A análise e a interpretação dos dados coletados observaram os referenciais da Teoria HistóricoCultural. Relação professor e aluno.TRABALHO DOCENTE EM LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DE PRÁTICAS DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS Vanessa Salum Moreira (UNESP) Stela Miller Esta pesquisa teve como objetivo geral verificar como tem sido encaminhado em sala de aula o processo de ensino e de aprendizagem de escrita e leitura da língua portuguesa através das práticas de professores. Práticas Pedagógicas. totalizando 200 alunos. Os dados foram coletados em cinco turmas do período diurno. que revelam que o processo de ensino não tem dado conta de promover a aprendizagem dos alunos. PRECISÃO E COMPREENSÃO DE LEITURA Vera Lucia Orlandi Cunha (UNESP) Introdução: A capacidade do individuo de decodificar rapidamente e reconhecer palavras de maneira automática e fluente prediz a capacidade de compreensão. Cotidiano escolar. Detectamos que parte significativa das práticas docentes está organizada por ações cujos objetivos não correspondem ao motivo do aluno em realizar a atividade e por propostas descontextualizadas de produção textual. Partimos da hipótese que a avaliação dos conteúdos trabalhados pelos professores produz tensões que levam os alunos ao desinteresse pelas disciplinas e. quanto ao desenvolvimento dos processos intelectuais. Objetivo: caracterizar e comparar a fluência. PALAVRAS . De modo geral. linguagem e aprendizagem. Palavras-chave: Teoria Histórico-Cultural. as escolas precisam promover mais parcerias e melhorar a relação professor e aluno. da 9º série do ensino fundamental II. DESEMPENHO DE ESCOLARES DO 2º AO 5º ANO COM E SEM DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM EM FLUÊNCIA. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE PROFESSORES E ALUNOS SOBRE AVALIAÇÃO: UMA PESQUISA QUALITATIVA Vera Lúcia da Silva Almeida (UNISO) Hélio Ivenson Passos Medrado Estudo sobre as representações sociais de professores e alunos envolvidos nos processos avaliativos. Ensino e Aprendizagem de Língua Portuguesa. conseqüentemente o abandono da escola.

a partir dos esforços que tem sido feitos no sentido de garantir a efetividade das comemorações em questão. Disputas simbólicas pela memória afro-brasileira. o mesmo não ocorrendo com os escolares com dificuldades de aprendizagem devido ao aumento dos conteúdos escolares. relacionadas ao cumprimento da Lei 10. Palavras-chave: Calendário Cívico Escolar. as informações contidas nele. um processo cognitivo que pode ser aprendido pelo estudante. que segundo a teoria. Júnia Sales Pereira Investigar a mudança de prioridade no calendário escolar ao instituir a comemoração do dia 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra em Belo Horizonte. aprendizagem. o estudo de Gallego (2005) sobre as festas comemorativas nas escolas. após a leitura de um texto matemático. de acordo com a teoria de Resolução de Problemas. sobretudo vinculadas à instituição de datas celebrativas no calendário escolar na rede municipal de BH. a velocidade e a compreensão após a leitura oral de um texto. os estudantes lançaram mão de várias estratégias. os dados obtidos em uma tarefa realizada pelos estudantes de um Curso de Licenciatura em Matemática. 2010). Metacognição .639/2003. a precisão. Foram medidos o tempo. o estudo de Santomé (2000) sobre as culturas negadas e silenciadas no currículo e discussão de Santana (2001) acerca dos projetos pedagógicos que discutem as relações raciais na escola. Metodologia Elegemos como metodologia a pesquisa bibliográfica e documental. RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA PARA DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES MATEMÁTICAS EM PROFESSORES DE MATEMÁTICA Benedito Antonio da Silva (PUC/SP) Neste texto buscou-se analisar. Consciência Negra. Palavra-chave: Professor de Matemática. é a metacognição. Dra. Resultados Compreensão do impacto dessa disputa pela memória e a mudança de prioridade no calendário escolar. avaliação MUDANÇA DE PRIORIDADE NO CALENDÁRIO ESCOLAR .quatro grupos (GV a GVIII) com 10 escolares com dificuldades de aprendizagem. a reflexão do imaginário apresentado por Carvalho (1990). Conclusão: com a escolarização as diferenças entre os escolares com e sem dificuldades de aprendizagem tornaram-se mais significativas. A tarefa consistia na execução de um esquema que traduzisse. Resultados: os dados apresentaram diferenças estatisticamente significantes em todas as variáveis sugerindo que com a escolaridade ocorre aumento entre as diferenças dos desempenhos na comparação entre os grupos. Palavras-chave: leitura. o estudo de Cardoso (2002) sobre o movimento negro em Belo Horizonte. o estudo de riscos e contradições da Lei 10. mostrando a influencia da escolarização sobre os escolares sem dificuldades. Referencial Teórico Destacamos as contribuições de Pollak (1989) sobre memória coletiva. Resolução de Problemas. Um problema é definido como qualquer tarefa ou atividade para a qual os estudantes não têm regra ou métodos prescritos ou memorizados nem a percepção de que existe uma resposta cuja solução seja correta e é um veículo pelo qual se desenvolve o currículo da Matemática e o resultado é a aprendizagem quando se ensina via resolução de problemas (Van De Walle.639/03 apontado por Pereira (2008). A análise aponta que para realizar a compreensão do texto lido.AS COMEMORAÇÕES DO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA NOS CALENDÁRIOS ESCOLARES EM BELO HORIZONTE: DISPUTAS SIMBÓLICAS PELA MEMÓRIA AFRO-BRASILEIRA Wellington do Carmo Faria (UFMG) Orientadora: Profa.

Tomamos como base o survey SOCED 2009 aplicado em 10 escolas de qualidade. públicas e privadas do Rio de Janeiro. articulados a estilos de lidar com a escolaridade dos filhos por parte das famílias. Os depoimentos das alfabetizadoras foram analisados a partir de temas. discutir a relação entre afetividade e aprendizagem escolar a partir de alguns elementos identificados em suas práticas para o processo ensino-aprendizagem e analisar implicações do que vivenciaram como aprendizes no processo de alfabetização.PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E ESTRATÉGIAS FAMILIARES NA CONSTRUÇÃO DOS HABITUS ESCOLARES Zaia Brandao (PUC/RIO) Maria Luiza Canedo Q da Silva Alice Pereira Xavier Apresentamos alguns resultados da análise cruzada das rotinas familiares e das práticas institucionais. da temática afetividade. a possibilidade de escolher a profissão e nela permanecer por falta de opção. cursos oferecidos nas cidades do interior. Encontramos entre as famílias de camadas populares indícios de empenho relativamente maior no acompanhamento e apoio aos estudos. Para a produção de informações utilizamos entrevistas (semiestruturada e recorrente) e observações impressionistas. na tentativa de compreensão do processo de desenvolvimento e reforço dos habitus escolares que favorecem o bom desempenho dos estudantes. Palavras-chave: Afetividade. ensino-aprendizagem. Professoras alfabetizadoras e Práticas Pedagógicas. diálogo com os pares. assim como. indicam a presença de estratégias combinadas de produção de habitus escolares. oferecendo um panorama instigante para o debate sobre o efeito-escola em estabelecimentos de prestígio. do que nas famílias dos alunos de nível sócio cultural mais elevado. Este resultado levou-nos a procurar caracterizar as diferentes formas de apoio familiar que respondem às demandas escolares. O recorte da pesquisa está baseado na compreensão do tornar-se professora alfabetizadora como uma construção cotidiana e considerada a partir de alguns aspectos como: convivência familiar. O referencial teórico centra-se nas contribuições de Henri Wallon (1973/1975) e de pesquisadores . Encontramos ainda práticas pedagógicas que. afetividade. deixando claro seu posicionamento acerca do que seja escola. CONSTITUIR-SE PROFESSORA ALFABETIZADORA: UMA CONSTRUÇÃO DIÁRIA Zildene Francisca Pereira (PUC/SP) Laurinda Ramalho de Almeida Este trabalho é parte da Tese de Doutorado intitulada: Afetividade e aprendizagem escolar na perspectiva de professoras alfabetizadoras da cidade de Cajazeiras/PB e tem como objetivos: apreender como professoras pensam e sentem a afetividade na alfabetização. relação professor-aluno e o papel do professor nesta fase de escolaridade. Ao longo das entrevistas as alfabetizadoras se mostraram preocupadas com a realização de um trabalho diferente do que vivenciaram como alunas.

constatamos incertezas e incoerências de alguns formadores no que se refere a conceitos e concepções que permeiam a imagem do futuro professor de educação infantil. defendemos a revisão conceitual que permeia a área da Educação Infantil. Optou-se por desenvolver um estudo qualitativo e como instrumentos de coleta de dados fez-se uso da abordagem biográfica a partir da história de vida da docente. orientam ações e acabam por limitá-las. Na pesquisa de campo. à partir da análise do conteúdo de suas falas. conhecimentos e experiências oriundos da sua . diálogos com imagens e experiências vivenciadas junto aos alunosprofessores dos cursos pesquisados. observações. estudo de comunidades no Orkut. tanto no espaço escolar como fora dele. discutindo os processos de produção e de compreensão do “Ser-professor” presentes em diferentes instâncias. conclui-se que o estudo dos saberes docentes. Profissão Docente. utilizamos conversas. Os caminhos metodológicos seguiram análises documentais e de textos relacionados às políticas curriculares. no âmbito formativo inicial. COMPOSIÇÕES E MATIZES NOS CURRÍCULOS DA FORMAÇÃO DOCENTE Alexandra Garcia (UERJ) O trabalho é fruto de tese que estudou os currículos nos cursos de formação de professores e os sentidos de docência com eles produzidos. seus processos de significação e os seus produtos. O sucesso de seu trabalho traduz um misto de saberes. Apoiou-se nas contribuições de Ball (2001) sobre as relações entre as políticas locais e as globais e os processos de produção das políticas. entrevistas e outras “pistas” com base nos Estudos do Cotidiano.REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A PROFISSÃO DE PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL: A VISÃO DE FORMADORES DA ÁREA Alessandra Elizabeth Prado (PUC/Campinas) Heloisa Helena Oliveira de Azevedo Este artigo constitui-se em resultado de pesquisa científica . Relacionando as questões teóricas e os resultados elucidados pela presente pesquisa. Foram entrevistados 5 (cinco) formadores que atuam na formação inicial específica em educação infantil e. As representações sociais constroem-se coletivamente. verificamos o que pensam tais formadores sobre a formação profissional dos docentes que irão atuar com crianças na faixa etária de 0 à 5 anos de idade. da base de conhecimento e do desenvolvimento profissional dos professores possibilita o esclarecimento de que as experiências construídas ao longo da história de formação e no cotidiano da sala de aula são ricas fontes de saberes práticos. O objetivo da pesquisa foi compreender o currículo da formação de professores nas licenciaturas e pedagogia. 1987). referindo-se à experiência ordinária de práticas significativas. que objetivou discutir as influências da formação inicial na construção de representações sociais sobre a profissão de professor de Educação Infantil. especialmente. resultantes das reflexões docentes realizadas em diversas ocasiões disponibilizadas pela intervenção pedagógica. Educação Infantil. Por outro lado. em Certeau (1994) sobre os usos e na circularidade entre culturas (GINZBURG. Realizou-se em universidade privada da baixada fluminense e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Consideramos a produção de sentidos e práticas nos currículos como cultura a partir de Williams (1992). em Santos (1985) sobre as redes de sujeitos. Diante disso. em Foucault quanto às relações entre discurso e busca de hegemonia. Palavras chave: Representações Sociais. da entrevista semi-estruturada e da observação participante. DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE UMA PROFESSORA ALFABETIZADORA: A CONSTRUÇÃO DE PRÁTICAS BEM-SUCEDIDAS Aline Juliana Oja (UFSCar) Rosa Maria Moraes Anunciato de Oliveira O presente trabalho teve como objetivo compreender a construção da prática de uma professora alfabetizadora considerada bemsucedida. Buscando fundamento na Teoria das Representações Sociais pudemos perceber que os formadores concordam unanimemente com a necessidade de mudança na identidade e valorização do referido professor.

Desenvolvimento profissional docente. para uma real construção identitária deste profissional tão desvalorizado em nossa sociedade. Professora alfabetizadora bem-sucedida. o trabalho visa apontar para uma possível compreensão de uma formação ideal para o professor e. analisamos as resistências e negociações daqueles professores que. No confronto com o referencial teórico ancorado no modelo de análise da profissão docente proposto por Antonio Nóvoa e na teoria do Estado Ampliado de Antonio Gramsci. Bakhtin). busca compreender a evolução dos dispositivos legais. Palavras-chave: Educação. O quadro teórico apóia-se no campo da leitura e literatura (Silva. A interpretação dos eventos revelou que o professor é atravessado por experiências de leitura constituídas no contato com diferentes sujeitos e em distintos espaços e tempos de sua trajetória de formação. Zilberman) e da filosofia da linguagem (Benjamin. coletivamente organizados. Formação de Professores. Os procedimentos metodológicos foram: observação participante. Palavras-chave: Formação de professores. Por meio do acervo histórico da instituição e do cruzamento com outras fontes. buscavam influir no ensino secundário e defendiam a autonomia do Colégio Pedro II. voltada. rodas de conversas e análise de produções escritas das crianças. para o processo de elaboração e implementação das Leis Educacionais. para o magistério de ensino secundário no período pós-1930. NARRATIVAS. quanto pelas crianças. Por fim. O procedimento metodológico adotado é o da análise documental. MEMÓRIAS E FORMAÇÃO: O PROFESSOR E O RESGATE DAS EXPERIÊNCIAS LEITORAS Ana Flávia Teixeira Véras (UFRJ) Este texto decorre das análises e dos resultados obtidos em minha pesquisa de mestrado. Desempenho Profissional. nossa metodologia procurou identificar como ocorriam os concursos e contratações. reveladoras de grandes utopias na proposta de formação docente. numa escola pública da cidade do Rio de Janeiro. Apresentamos os resultados de pesquisa sobre as mediações entre o projeto de educação e sociedade do governo de Getúlio Vargas e a conformação de um perfil profissional . Foram analisadas as memórias de leitura. Concursos. as narrativas e as práticas de formação de leitores de um professor numa turma de 2º ano do Ensino Fundamental. Lajolo. inicialmente. Pela análise documental. cujo objetivo foi analisar o processo de formação de leitores nos anos iniciais de escolarização e suas inter-relações com as experiências de leitura do professor. dos cursos de formação de professores e seu reflexo no desempenho profissional deste profissional. Para tanto. frente à ampliação da intervenção do governo de Getúlio Vargas no recrutamento do magistério. por assim dizer. entrevistas semiestruturadas. no Brasil. se coletará os dados necessários para a interpretação dos significados explícitos e implícitos no discutido. Focalizamos este processo no âmbito da seleção do magistério do Colégio Pedro II. Palavras-chave: Magistério. principalmente a das Diretrizes e Bases. Curso de Pedagogia. desde a criação dos primeiros cursos de Pedagogia.trajetória de formação e contexto de trabalho. interferindo na ESTADO E CONCURSOS PARA O MAGISTÉRIO NO COLÉGIO PEDRO II (1931-1946) Amália Dias (UFF) Nos anos de 1930 e 1940 o magistério de ensino secundário foi alvo de políticas de profissionalização. a partir das Políticas Públicas de Educação. Concluiu-se que estas memórias e concepções de leitura estão presentes na prática docente e são ressignificadas. A FORMAÇÃO E O DESEMPENHO PROFISSIONAL DO PROFESSOR Autor: Alissandra Vaneli Nogueira Leite (UNICID) Este trabalho tem como objetivo primeiro refletir sobre as propostas de formação de professores. também. tanto pelo professor. Ensino Secundário. dentro de um processo contínuo que sintetiza relações com as diversas fontes de aprendizagem e desenvolvimento profissional da docência.

a partir das possibilidades reais de experienciação do conhecimento e apropriação interdisciplinar das diferentes áreas do conhecimento. narrativas. no contexto das etnias: Atikum. qualitativamente. de Professores. para os dilemas de ordem teórico/metodológica enfrentados quando a questão é formar professores pesquisadores. FORMAÇÃO INICIAL E DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA: CONTRIBUIÇÕES INICIAIS DO PIBID Ana Lúcia Manrique (PUC/SP) Douglas da Silva Tinti Wagner Barbosa de Lima Palanch Este artigo pretende analisar. Guató e Terena da UFMS/ Campus de Aquidauana. nos saberes docente e também em documentos oficiais (Diretrizes. Contreras e Santos.construção de perfis-leitores que se constituem nas séries iniciais. O momento é desafiante porque os próprios povos exigem um olhar especial à formação de sua cultura. na aprendizagem profissional da docência. Lessard. Fizeram-se necessárias leituras e análises das normalizações referentes à temática seguido das leituras em autores como FAZENDA (1991. Finalmente. CULTURA/ARTE E EDUCAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PESQUISADOR Ana Lúcia Gomes da Silva (PUC/SP) Este trabalho tem como objetivo contribuir para alargar o debate centrado no texto “Formação do Professor Pesquisador: 30 anos de Pesquisa”. Tendo como objeto de estudo a autonomia docente. Palavras-chave: professores-leitores. Kadiwéu. Trata-se do Projeto Político Pedagógico da Licenciatura Intercultural Indígena “Povos do Pantanal”. CABRAL (2002). Palavras-chave: Interdisciplinaridade. todas em desenvolvimento. INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE OS MEANDROS DAS RELAÇÕES UNIVERSIDADES/COMUNIDADES INDÍGENAS. Para tanto consideraremos os recortes de três pesquisas de mestrado acadêmico em Educação Matemática. SOUZA e NINCAO (2009) com suas produtivas reflexões. Centramos nossa discussão no sentido e valor da pesquisa na formação de professores indígenas. à luz das discussões vislumbramos algumas possibilidades de um trabalho vinculado a uma proposta interdisciplinar na formação do professor indígena. Kinikinau. numa revisão de literatura sobre a autonomia como característica trabalhista e profissional. BARBOSA (1991) numa abordagem histórica. memórias leitoras. Kamba. Como aportes teóricos foram utilizados: Piaget e La Taille para discutir o conceito de autonomia como principio ético e moral. Buscamos encaminhamentos. 1994. a Teoria das Representações Sociais. 2001 e 2003) com suas claras e férteis idéias. Formação de Professor. o objetivo da pesquisa era identificar e analisar as representações sociais construídas pelos professores da rede pública do município de Duque de Caxias sobre o objeto em questão. de autoria da professora Ivani Fazenda. Palavras-chave: Formação Iniciação à docência. 2000. em sua abordagem . Pareceres. Exigem ainda. que se revejam as metáforas da docência e da pedagogia. Ofaié. Tardif. Tais pesquisas fundamentamse na base do conhecimento. CIDADES EDUCADORAS COMO ALTERNATIVAS POSSÍVEIS PARA A CRISE SÓCIO-EDUCACIONAL Rosana de Oliveira de Assis (UERJ) O presente texto apresenta parte dos resultados da pesquisa Autonomia docente – do conhecimento científico ao senso comum: uma representação social dos professores Duque de Caxias. Cultura/Arte/Educação. Podemos dizer que a participação neste projeto institucional de iniciação à docência muito tem contribuído para a compreensão dos reflexos de uma formação participada e colaborativa no desenvolvimento profissional do professor. PIBID. as contribuições que a participação em um projeto institucional de iniciação à docência (PIBID) possibilita à formação inicial de professores que ensinam matemática na educação básica. Portarias e Editais).

para a coleta de dados. além disso. Ciências e Letras de Ituverava (FFCL) e as escolas públicas estaduais da região de Ituverava/SP. GIL (2007). encerrando uma dimensão normativa (ligado às atitudes) e uma dimensão imagética (associação entre autonomia e à ação de planejar). mesmo os que já tiveram experiência em outros níveis de ensino. Os dados foram analisados com o auxílio do software EVOC e da construção do quadro de quatro casas. ainda que enfrentem problemas relacionados à profissão dentro e fora da escola. Palavras-chave: afetividade. além da pesquisa documental realizada nos arquivos da FFCL de Ituverava. O referencial teórico escolhido foi a teoria de desenvolvimento de Henri Wallon. Essa análise mostrou que. Cultura e Práticas Escolares. OS CURSOS DE LICENCIATURA DA FFCL DE ITUVERAVA/SP E SEU PAPEL NA FORMAÇÃO DE DOCENTES EM ÂMBITO REGIONAL Ana Maria Ribeiro Tanajura Jabur (CUML) Alessandra David O artigo discute a profissão docente no Brasil apresentando os resultados de trabalho realizado como exigência do curso de Mestrado em Educação do Centro Universitário Moura Lacerda de Ribeirão Preto/SP. com o levantamento de dados realizado por meio de questionários com questões fechadas. foram realizadas entrevistas individuais. Quanto à metodologia. foi feita uma pesquisa descritiva com amostragem sistemática. O referencial teórico adotado baseou-se sobretudo nos trabalhos de GATTI E BARRETO (2009). baseadas na modalidade reflexiva. constatou-se que a tendência é diminuir a oferta de profissionais da educação no mercado de trabalho regional. na linha de Currículo. quanto ao auxílio que a escola deve dispensar-lhe nessa etapa profissional. com quatro docentes iniciantes na EJA. educação superior. quadros e sínteses dessas entrevistas foram elaborados para auxiliar na análise e discussão das informações. Palavras-Chave: profissão docente. 2) é necessária uma reflexão sobre uma mudança nos cursos de Pedagogia pois é imprescindível um preparo específico para atuar com alunos da EJA. Henri Wallon . professor iniciante na EJA. Representação social. formação de professores. responsabilidade. sendo 100 regentes de turma e 100 orientadores educacionais e pedagógicos. Palavras-chave: autonomia docente.estrutural. A pesquisa teve uma abordagem qualitativa e. e como o número de ingressantes nos cursos de licenciaturas está diminuindo ano após ano. SILVEIRA (2008). MARTINO (2005). Formação de professores. Transcrições. A coleta de dados foi realizada através da técnica projetiva de associação livre de palavras com hierarquização. como os egressos da Instituição têm importante participação e atuação nas escolas da região. Os principais resultados encontrados foram: 1) os docentes principiantes na EJA sentem necessidade de apoio de toda equipe escolar para auxiliá-los na atuação. compromisso e planejamento. Participaram como sujeitos desta pesquisa 200 professores. O lócus da pesquisa foi a Faculdade de Filosofia. dão grande valor à figura do Coordenador Pedagógico para ajudá-los na prática educacional. A partir disso. TORNAR-SE PROFESSOR DA EJA: UM ESTUDO PRIORIZANDO A DIMENSÃO AFETIVA Andrea Jamil Paiva Mollica (PUC/SP) Laurinda Ramalho de Almeida A pesquisa que ora apresentamos teve como problema central compreender as emoções e os sentimentos do professor que trabalha pela primeira vez com a Educação de Jovens e Adultos (EJA). 3) os professores exaltam a carreira e sentem-se encorajados em continuar ensinando na EJA. Os resultados indicaram como elementos centrais da representação social da autonomia docente os termos liberdade. para apreensão do imaginário social. o principal objetivo foi identificar as necessidades desse professor no que se refere tanto à sua formação inicial.

à observação. gestores da escola pública PROFESSOR REFLEXIVO: ALGUMAS ANÁLISES A PARTIR DO PROGRAMA ESPECIAL DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA DE DOCENTES Andreia Santana de Carvalho (UNISANTOS) Simone David O presente artigo traz resultados de pesquisa sobre o professor reflexivo. vices. à flexibilidade. Por meio da análise dos dados coletados.OS GESTORES EDUCACIONAIS E A (SUA) FORMAÇÃO CONTINUADA Andreia C Malheiros Santana (UNESP) Edson do Carmo Inforsato Os dados a serem apresentados nesta comunicação fazem parte da tese de doutorado intitulada “As Percepções sobre as Necessidades de Formação Continuada dos Gestores e Professores de Português e Inglês: Algumas Reflexões”. do construto das representações sociais. Os resultados demonstram que as formações oferecidas não correspondem às necessidades vivenciadas por estes gestores e professores. Silva (2000). 2000) sobre o profissional reflexivo. os professores se encontram em uma crise de identidade. Julgamos necessária a utilização. do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza. A pesquisa ainda contou com um estudo da proposta pedagógica de cada unidade escolar. pode-se depreender que a prática reflexiva em educação possibilita a formação crítica e transformadora do contexto educacional. nela o tema da formação continuada aparece associado à análise de necessidades. coordenadores pedagógicos e assistentes educacionais pedagógicos) e pelos professores de língua portuguesa e inglesa de dez escolas municipais da cidade de Araraquara (SP) e como ocorrem as iniciativas de formação continuada neste município. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA PROFISSÃO DOCENTE PELOS PRÓPRIOS PROFESSORES: A CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE Anna Carolina De Lazzari Reis (UFV) Rita de Cássia de Alcântara Braúna O presente trabalho possui como principal objetivo analisar as representações sociais de docentes sobre o ser professor visando a compreensão da constituição da identidade profissional. Os gestores foram ouvidos mediante questionário. estimulando um professor que saiba se colocar na condição de dialogar com as circunstâncias. Os resultados apontaram que a reflexão está relacionada ao planejamento. no Município de Santos. pode-se dizer que se constitui de forma inerente ao processo de . à metodologia. Pela dificuldade em delimitar suas reais funções. Conforme o relato destes gestores e professores foi possível perceber a distância entre as concepções dos idealizadores das formações representados pela Secretaria Municipal de Educação e o público alvo delas. foram coletados dados de trinta participantes do Programa Especial de Formação Pedagógica para as Disciplinas do Currículo da Educação Profissional de Nível Médio. conforme a fundamentação teórica utilizada: Rodrigues e Esteves (1993). relato de narrativas e entrevistas. como base analítica. análise de necessidades. eixo deste trabalho. sendo esta última identificada como o espaço criativo para a solução de dificuldades inesperadas no processo educativo. de articular os pressupostos teóricos e as práticas escolares. suas concepções e dilemas não são levados em consideração ao se elaborar uma iniciativa de formação continuada. na Faculdade de Tecnologia Rubens Lara. a opinião dos professores de língua portuguesa e inglesa foi obtida através de um questionário e o posicionamento da Secretaria Municipal de Educação através de uma entrevista. Fusari (1997) e Estrela (2006). O objetivo desta pesquisa foi conhecer as necessidades de formação continuada declaradas pelos gestores educacionais (diretores. com objetivo de analisar as acepções sobre o professor reflexivo nas escolas técnicas. Palavras-Chave: formação continuada. Em relação à categoria identidade. A análise do termo “professor reflexivo” se fundamentou na teoria de Schön (1992. Para a tessitura do referido conceito.

os exames de admissão (1901 a 1908). relacionam-se à formação do ser humano integral. Assim. A aprendizagem era verificada por meio de exames finais. representações sociais. ressaltamos a importância da formação inicial e das discussões acerca da profissionalização docente. as leis que reformaram ou regulamentaram a instrução pública (1893. ou seja. ou seja. Palavras-chave: Cinema e Educação. como valores éticos. os exames de fim de ano dos alunos (1897 a 1911) e um diário de Geografia (1915). sobre a utilização de filmes em processos formativos. CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS COMO ORIENTAÇÃO PARA A "MISSÃO DOCENTE": A FORMAÇÃO NA ESCOLA NORMAL DE NITERÓI NA PRIMEIRA REPÚBLICA (1893-1915) Ariadne Lopes Ecar (UERJ) O presente trabalho é fruto da dissertação de mestrado “Conhecimentos pedagógicos como orientação para a "missão docente": a formação na Escola Normal de Niterói na Primeira República (1893-1915)”. Tem como objetivo demonstrar que a utilização do cinema leva os alunos dos cursos de gastronomia a uma reflexão sobre os fenômenos da realidade. exames e saberes pedagógicos. Os dispositivos legais que modificaram os programas tentaram imprimir um caráter mais científico ao curso e muito se discutiu sobre a questão prática. formação de professores. O estudo apresenta como resultados que a análise cuidadosa de filmes é importante para o aprimoramento do indivíduo. A análise dos dados foi feita segundo a técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin (1995). Curso de Tecnólogo em Gastronomia. analisamos as mensagens dos presidentes do Estado (1894 a 1915). Palavras-chave: Escola Normal. para a formação do sujeito. vocacional em relação à profissão docente. Formação Estética. na perspectiva de Gadamer (2007). 1895. Trata-se de uma analise documental. em particular a Escola Normal de Niterói. . compreendendo que a autonomia e a autoria. no que concerne à Escola Normal de Niterói. Primeira República. com enfoque na hermenêutica.Para a realização da pesquisa foram entrevistadas 15 professoras e as representações sociais desse grupo nos revelou a predominância de uma dimensão moral. afetiva. que sucediam as sabatinas e as provas. Palavras-chave: identidade docente. A FORMAÇÃO ESTÉTICA NO CURSO DE GASTRONOMIA: A RELEVÂNCIA DA UTILIZAÇÃO DE FILMES NOS PROCEDIMENTOS PEDAGÓGICOS Antonio Venâncio (UNICID) Este trabalho é fruto da reflexão sobre a relevância do cinema na formação profissional e humana dos alunos dos cursos de gastronomia. sobretudo.socialização. A pesquisa buscou analisar a política de formação docente oferecida pela Escola Normal de Niterói e conhecer o lugar das teorias pedagógicas e dos saberes na formação escolarizada de professores. Para compreender o funcionamento e a contribuição dessa escola para a história da educação fluminense. Esta prática visa ao “pleno desenvolvimento da pessoa”. História de vida. tendo em vista que houve esforços em se organizar a instrução pública. 1912 e 1915). do indivíduo com autonomia. Examinar era um dispositivo de poder que comparava e excluía e não apenas mensurava o conhecimento. A pesquisa documental sugere a necessidade de ampliarmos a visão sobre a formação docente na Primeira República. 1900.

visto que sua expansão é ainda recente. 2003) numa interface com os conceitos de representações e vida cotidiana de Henri Lefebvre (1961. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: COMPREENDENDO AS PRINCIPAIS CONCEPÇÕES DO PROGRAMA PRÓ-LETRAMENTO Bárbara Lima Giardini (UFV) Rita de Cássia de Alcântara Braúna Este artigo tem como objetivo apresentar as concepções de formação. 2008) e Franco (2008). ESCRITA DOCENTE: A PRODUÇÃO DA ANPED DE 2007 A 2010 Bruna Molisani Ferreira Alves (UFRJ) O objetivo desse estudo foi analisar os trabalhos reunidos nos anais das reuniões da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPEd) no período de 2007 a 2010 sobre escrita docente a fim de mapear pesquisas recentes no campo educacional voltadas para a escrita de professores. precisamente as práticas pedagógicas dos docentes que atuam nos Cursos de Graduação Tecnológica. 1991).A DOCÊNCIA NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE ALUNOS. tendo em vista que minha pesquisa atual vem se constituindo no entretecimento dessas três áreas. de professor e a relação entre formação e profissionalização no Programa de formação continuada de professores “PróLetramento: Mobilização pela qualidade da educação” bem como apontar a coerência e/ou incoerência interna do Programa. a pesquisa e a crítica que fundamenta o ensino na universidade. indicando a necessidade de reflexões mais aprofundadas sobre a docência nesta modalidade de Ensino Superior. Para tal. Graduação Tecnológica. sem a fundamentação teórica. DOCENTES E GESTORES EDUCACIONAIS Arnaldo Vhieira (UMESP) Este trabalho investiga a docência no Ensino Superior. formação continuada. docentes e gestores educacionais. A análise demonstrou que as pesquisas têm privilegiado o trabalho com histórias de vida. Representações Sociais. tomando como principais referências teórico-metodológicas os pressupostos de autores como Marie-Christine . Pró-Letramento. modalidade que requer o aprofundamento de estudos científicos. Palavras-chave: formação de professores. Foi utilizada a fundamentação teórica sobre a Teoria das Representações Sociais segundo Sérge Moscovici (1978. 08 (Formação de Professores) e 10 (Alfabetização. formação continuada e desenvolvimento profissional bem como aponta as novas perspectivas e tendências atuais na formação continuada de professores. A discussão do referencial teórico aborda a conceituação dos processos de formação inicial. considerando o seu discurso. Os resultados são convergentes: indicam que a docência nos cursos de Graduação Tecnológica está voltada para os ensinamentos práticos da área de formação de cada curso. escolhemos a abordagem de pesquisa qualitativa e o tipo bibliográfico documental como os mais adequados para a realização do trabalho. Leitura e Escrita). tendo como problemática a influência dessas representações sociais no cotidiano da ação pedagógica dos docentes. proposta por Bardin (1977. Palavras-chave: Docência no Ensino Superior. apontamos a falta de unidade entre as principais concepções do PróLetramento além da “incoerência” entre os textos oficiais do Programa. divididos em três grupos: alunos. Como resultados da pesquisa. A busca de textos foi realizada nos seguintes Grupos de Trabalho (GTs): 07 (Educação de Crianças de 0 a 6 anos). elucidamos as representações sociais sobre o objeto de estudo. Feita a análise de conteúdo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa exploratória. em duas instituições particulares da cidade de São Paulo e Região do Grande ABC. O objetivo foi estudar as reapresentações sociais dos alunos. docentes e gestores educacionais sobre a docência nessa modalidade de ensino. a partir de entrevistas semi-estruturadas com quinze sujeitos.

centralizam as interações humanas e a rotina no seio de necessidades complexas que tensificam o processo de análise de necessidades e acirram os processos de formação continuada. Para tanto. Ressalta-se. tendo aparecido majoritariamente como instrumento metodológico para investigar os efeitos de propostas de formação inicial ou continuada na trajetória docente. Palavras-chave: Cultura Audiovisual. Educomunicação. análise de necessidades de formação continuada. Os dados apresentam-se sob uma estrutura processual de análise de necessidades formativas e oferece-se como proposta à sustentação de práticas de formação continuada de professores. A produção escrita em si tem sido pouco analisada. a partir da formação de educadores para a produção de cultura audiovisual no ambiente escolar. no ano de 2009.Josso que. a pesquisa realizou-se a partir de metodologias com características da etonografia em uma escola pública periférica da cidade de Araraquara – São Paulo. Pesquisa em Educação. Os resultados obtidos permitiram observar que só o aspecto da . Brasil. Palavras-chave: Escrita docente. conforme a proposta de Paulo Freire. foram norteadores teóricos da pesquisa: Paulo Freire e Henry Giroux. Os resultados apontam que a pluralidade das atividades docente refletem o horizonte de necessidades formativas. Palavras-chave: necessidades. ainda. Alicerçada formação de professores. NECESSIDADES FORMATIVAS DE PROFESSORES: ELEMENTOS ÀS PRÁTICAS DE FORMAÇÃO CONTINUADA Camila Jose Galindo (UNESP) Edson do Carmo Inforsato O presente estudo centrado nas necessidades de formação continuada de professores teve como objetivo compreender a dinamicidade das necessidades formativas de professoras atuantes no 1º ciclo do Ensino Fundamental no contexto da escola. baseada em experiências formativas para educadores voltadas para a produção de cultura audiovisual por meio de práticas educomunicativas. o estrutural. análise de necessidades e trabalho docente. onde os sujeitos da pesquisa discutiram as impressões sobre estas experiências. bem como apreender como as docentes lidam com essas necessidades. que poucos foram os trabalhos que investigaram escritas produzidas no contexto do trabalho docente ou que a analisaram com o objetivo de compreender as práticas e os saberes profissionais dos professores. CULTURA AUDIOVISUAL E FORMAÇÃO DE EDUCADORES: POSSIBILIDADES E LIMITES EM PRÁTICAS EDUCOMUNICATIVAS Camila Faustinoni Cabello (UMESP) O presente trabalho buscou investigar as possibilidades e limites da utilização de práticas educomunicativas para a transposição de barreiras e a aproximação entre educadores e educandos. tornando vulneráveis as ações formativas dos sujeitos implicados. à re-elaboração do campo e à identificação de novos rumos à pesquisa na área. Mario Kaplún e Ismar de Oliveira Soares para o conceito de educomunicação. o coletivo. registrados em áudio. As possibilidades e limites investigados foram observados sob três eixos: o subjetivo. Formação de professores. formação de educadores não contempla a transformação das relações no contexto escolar. Trata-se de uma pesquisa-ação qualitativa. tem defendido a necessidade de investir nas narrativas (auto)biográficas como método de pesquisa e de formação. desde a década de 1990. para os conceitos de educação e formação de educadores. Fernando Hernandez e Marshall McLuhan no tocante à cultura audiovisual e aos meios de comunicação. Formação de Educadores. Os dados da pesquisa foram coletados através da realização de círculos de cultura. Os delineamentos teóricos e práticos deram-se conjuntamente ao processo da pesquisa e foram fulcrais à compreensão de necessidades. nos formatos de vídeo. mas que a fundamentação de projetos políticopedagógicos institucionais alinhados com a proposta educomunicativa pode ser viabilizadora destas transformações num escopo mais amplo e efetivo. necessidades formativas de professores. rádio e histórias em quadrinhos.

foram identificadas categorias para desvelar os canais de captação e transformação da experiência em aprendizagem docente. nas dimensões da aquisição e especialização da aprendizagem. As entrevistas foram realizadas com três coordenadores. como propõe a teoria de aprendizagem experiencial. Como consequência da investigação dos projetos pedagógicos. Na análise. Expectativas docentes. disciplinas específicas e as disciplinas pedagógicas. o enfoque na formação. seus saberes e suas competências.SP. um questionário. aplicado para professores estaduais. Professores revelaram que seu aprendizado docente se deu por meio das experiências vividas na própria docência. oferecidos por instituições da capital paulista. O que se teve como pano de fundo da formação do educador para esta área do conhecimento foi à necessidade de superação da dicotomia técnica/didática. Mestrandos relacionam a docência à vida acadêmica. vinculada à linha de pesquisa Políticas Públicas. como o mestrado. Esse estudo teve caráter quanti-qualitativo e. como instrumento de coleta de dados. Dentre os aspectos objetivos.APRENDIZAGEM EXPERIENCIAL: O MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO E A FORMAÇÃO DO DOCENTE. De Souza Placco Este trabalho analisa as contribuições do mestrado em Administração para a formação docente. Palavras-chave: Políticas Públicas. analisamos também o peso dado por cada uma das instituições às disciplinas básicas. Camila Olivieri Igari (PUC/SP) Vera M. seus aspectos objetivos e subjetivos. cujos objetivos foram os de investigar as necessidades formativas docentes e tecer indicadores de formação que possam orientar ações de formação contínua. nas relações estabelecidas com seus alunos. O método consistiu em análise documental e foi feito a partir da investigação de documentos considerados oficiais por parte das Instituições de Ensino Superior. Formação contínua de professores. as trajetórias docentes e as contribuições do curso para a formação docente. de Presidente Prudente . CURSOS DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO: A FORMAÇÃO DO EDUCADOR EM ANÁLISE Carlos Acácio de Lima (PUC/Campinas) Samuel Mendonça Essa pesquisa teve como tema a formação do educador nos cursos de Licenciatura em Computação. de ciclo I. bem como identificar as dimensões em que se dá essa aprendizagem. principalmente dos projetos políticos pedagógicos de cada um dos cursos citados. AS EXPECTATIVAS DE UM GRUPO DE DOCENTES PAULISTAS SOBRE A FORMAÇÃO CONTÍNUA Carla Regina Calone Yamashiro (UNESP) Yoshie Ussami Ferrari Leite Este texto objetiva divulgar parte dos resultados de nossa pesquisa de mestrado. Organização Escolar e Formação de Professores. Ser docente em Administração é integrar os conteúdos dessa ciência social aplicada ao ensino. quais os desafios para formação de professores? O objetivo deste trabalho consistiu em apresentar alguns elementos dos projetos pedagógicos de três cursos de Licenciatura em Computação. defendida em 2008. há processos de formação. com o domínio das suas especificidades. 18 professores e 24 mestrandos de três mestrados acadêmicos. as expectativas em relação ao curso e à carreira docente. primordialmente. na perspectiva da teoria da aprendizagem experiencial de Kolb (1984). bem como nos modelos de seus mestres. O problema desta pesquisa consistiu na seguinte pergunta: a partir dos projetos pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Computação. Fundamentamo-nos em autores que sugerem a redefinição dos processos de formação contínua de professores como forma de melhor preparar esses profissionais e melhor atender as suas expectativas e necessidades diante dos desafios de sua profissão. as visões sobre a docência. N. a fim de analisar se eles atendem às diretrizes curriculares. Os resultados alcançados relacionam-se com a necessidade de promover a formação de professores mais . Contribuições do mestrado em Administração para a formação de docentes se dão. Os resultados aqui apresentados referem-se às expectativas dos professores pesquisados sobre as ações de formação contínua. Buscou-se identificar as estruturas dos cursos.

cotidianamente. novas perguntas. pensamos. comportamentos problemáticos. assumindo a postura de pesquisador(a) da própria prática (GARCIA. Albuquerque Williams Sabe-se que um repertório de habilidades sociais bem elaborado e a baixa frequência de problemas de comportamento configuram-se como um fator de proteção para o desenvolvimento infantil em diferentes áreas (socioemocional. sobre o repertório de habilidades sociais e comportamentos problemáticos das mesmas. enfim. Saberes e Fazeres Docentes INTERVENÇÃO COM MONITORES: IMPACTOS SOBRE HABILIDADES SOCIAIS E COMPORTAMENTOS PROBLEMÁTICOS DE CRIANÇAS Carolina S. nos aproximar. direcionada ao atendimento de crianças em situação de risco. ao mergulharmos nas narrativas docentes. SUÁREZ. 2010. intervenção com monitores CURRÍCULO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: A ESCOLA COMO CENTRALIDADE DA FORMAÇÃO Cassiano Roberto Nascimento Ogliari (PUC/SP) Este texto apresenta o currículo do Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE. 2003) contribuem para. baseada no referencial teórico cognitivo-comportamental. Palavras-chave: crianças em situação de risco. na qual. O programa de intervenção consistiu em uma capacitação direcionada aos monitores. desafios. para lidar com problemas de comportamento e em uma consultoria para modificar aspectos organizacionais (rotina e elaboração de diretrizes internas de funcionamento).qualificada e compromissada com os cursos de Licenciatura em Computação. permitindo a precisa adequação da formação do aluno frente às diretrizes curriculares. Licenciatura em Computação. Nesse movimento. cujo objetivo é investigar múltiplos processos formativos de professores(as) alfabetizadores(as) que. DIÁLOGOS E RESSIGNIFICAÇÕES NO PROCESSO DE (TRANS)FORMAR-SE Carmen Sanches Sampaio (UNIRIO) Flavia Castilho Tiago Ribeiro O presente trabalho é parte de uma pesquisa de mestrado em andamento. Narrativas. que avaliaram 24 crianças. falar com os(as) professores(as). ter a possibilidade de aprimorá-la e ressignificá-la. entre outros). Participaram do estudo seis monitores. reinventamos o olhar. sempre. as crianças foram avaliadas utilizando o Sistema de Avaliação de Habilidades Sociais . com seus anseios. Programa que constitui a principal política pública de . Demais. Palavras-chave: Formação de Professores(s). buscamos corroborar com a perspectiva que compreende o(a) professor(a) em sua vertente reflexiva. De que maneira a construção de saberes implicam e estão implicadas pela/na prática docente? Que pistas surgem. constroi saberes e fazeres no percurso de sua profissão. vão narrando suas histórias. (re)fazemos novos questionamentos e encontramos. para pensarmos o processo formativo? Ao tentarmos responder a essas perguntas. Esta formação mais qualificada parte da busca da liberdade e da autonomia por parte dos educadores. Palavras-chave: Projetos Pedagógicos. Esse estudo teve por objetivo avaliar os impactos de uma intervenção com monitores de uma Organização NãoGovernamental. almejamos discutir de que forma espaçotempos de (auto)formação docente compartilhada e atenção mútua (SAMPAIO. Obteve-se impactos positivos sobre a diminuição dos índices (quantitativos) dos comportamentos problemáticos e das crianças e um aumento nos valores de média dos fatores relacionados ao repertório de habilidades sociais das mesmas. acadêmica.Versão para Professores (que avalia o repertório de habilidades sociais e os comportamentos problemáticos do aluno). inquietações e reflexões. parciais e provisórias – porque viver a docência é. 2002). Formação do Educador (AUTO)FORMAÇÃO DOCENTE COMPARTILHADA: MO(VI)MENTOS. Lopes da Costa (UFSCAR) Lucia C. dialogar. ao longo de nossa própria formação. com idade variando entre oito e 11 anos. Antes e após o programa de intervenção.

em sala de aula. Educação em Enfermagem. e a enfermagem necessita de propiciar uma proposta que leve ao estudante o questionamento. mas também enaltecendo aspectos culturais e locais das escolas. existem ações formativas que auxiliam os professores do ensino superior na (re) elaboração dos saberes pedagógicos para o exercício da docência. CONTEXTUALIZAÇÃO TEÓRICA DO ENSINO SUPERIOR DE ENFERMAGEM NO BRASIL Chrissandra Rebouças de Souza Lauar (PUC/SP) O ensino superior de enfermagem no Brasil surge no final do século passado ante um processo de poderes entre Estado. Na metodologia. as mudanças curriculares do ensino de enfermagem no Brasil. e veio a completar-se com a implantação da reforma universitária de 1968. processos de aprendizagem profissional e saberes docentes. Isto só é possível a partir de experiência curricular que priorize a escola como objeto de estudo e neste entendimento. que se .formação continuada de professores do estado do Paraná. Primeiramente é apresentado o PDE e sua proposta curricular. não há Programas sistematizados. Entretanto a inserção da enfermagem na universidade brasileira efetiva-se em meados do século 20. Os primeiros resultados permitem apontar que os professores demonstram-se mais envolvidos com sua formação. PDE. Igreja e Medicina. seguindo o modelo Inglês de Florence Nightingale que apresentava um ensino com pouco conteúdo teórico. Ferenc O objeto de estudo deste trabalho foi o processo de aprendizagem profissional de docentes universitários. Na sequência. mais especificamente. Nosso referencial teórico compreendeu a formação de professores para o Ensino Superior. Todavia. e assuma uma preocupação com a formação dos professores do curso de enfermagem para assumirem seus novos papéis. através de seus programas de ensino e dos currículos mínimos para o ensino de enfermagem no país. O estudo revelou que em algumas Instituições Federais do estado de Minas Gerais. Mudanças curriculares. a relação teórico-prática passa a ser um eixo curricular de destaque no Programa. enfocando a repetição de tarefas. o raciocínio crítico. Palavras chave: Currículo. Este estudo de cunho histórico teve como objetivo reconstruir historicamente a trajetória do ensino superior de enfermagem no Brasil. Formação continuada de professores. No entanto. os fatos relatados demonstram que. os saberes que esses docentes vão (re) elaborando em programas institucionais de desenvolvimento profissional. tiveram historicamente a preocupação com a adequação da formação do enfermeiro aos interesses do mercado de trabalho. optamos pela abordagem qualitativa e para coleta de informações fizemos uso do levantamento documental e da técnica “bola de neve”. o que faz compreender que a trajetória formativa seguida no interior do programa é diferente dos modelos existentes dependendo dos aspectos das escolas e dos projetos dos professores. exaltando a escola como elemento central da formação e as características do currículo sob essa perspectiva. Sua institucionalização efetiva-se trinta anos depois da criação da Escola de Enfermeiras do departamento nacional de saúde pública (DNSP) em 1923. O PDE propõe a ruptura com os programas tradicionais de formação baseados na racionalidade técnica. é demonstrada a relação entre as perspectivas teóricas que discutem o currículo e suas considerações para o currículo do programa: entre estas se torna relevante a organização disciplinar de caráter universal. promovendo a valorização dos estudos sobre a escola. que busque a participação efetiva no processo ensino-aprendizagem. quando esta prioriza a escola em que trabalham. PALAVRAS-CHAVE: Currículo e formação de professores. e o desenvolvimento profissional do professor universitário. O ESTADO DE MINAS GERAIS FRENTE ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO DIRECIONADAS A ATUAÇÃO PROFISSIONAL DE DOCENTES UNIVERSITÁRIOS: UM RECORTE NA PESQUISA Claudete de Freitas Silva (UFV) Alvanize Valente F. As mudanças no currículo e os novos paradigmas de ensino-aprendizagem são temas que vêm sendo discutidos nas diversas áreas de conhecimento.

pelas pesquisas de Chartier voltadas para a construção de uma teoria a partir das práticas docentes(de ontem e de hoje)e pelos estudos de Nóvoa referentes às histórias de vida dos professores. A fundamentação teórica foi definida prioritariamente. Palavras-chave: Formação continuada. Existe um longo caminho a percorrer. mas fica claro que os professores realmente têm a oportunidade de se apropriarem de conhecimentos acerca da alfabetização que podem fazer diferença na sua prática pedagógica. A metodologia de formação proposta pelo curso tem como ponto de partida iniciar um processo de reflexão a respeito da prática pedagógica em alfabetização. desenvolvido pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo – o Programa Teia do Saber. Desenvolvimento profissional de docentes universitários. Considero que a pesquisa apresentada demonstra que a formação objeto do presente estudo está no caminho certo. Saberes pedagógicos. SABER DOCENTE: O PROFESSOR APRENDIZ Claudia da Cruz (UFRJ) A dissertação apresenta uma pesquisa qualitativa. estudos da pedagogia históricocrítica. particularmente. A pesquisa revelou que existe uma articulação entre as reformas da educação brasileira. O referencial teórico--metodológico dessa pesquisa é o crítico-dialético.S. por parte do professor. pelas categorias relacionadas ao saber docente estabelecidas por Tardif. . à análise documental e a entrevistas com professores de História e Geografia que participaram dos cursos oferecidos pelo Programa Teia do Saber em uma Diretoria de Ensino do interior do Estado de São Paulo. e explicitar as maneiras como integra ou não este saber à sua prática. A pesquisa foi desenvolvida junto a professores que atuam na rede pública municipal de Duque de Caxias e participaram de um curso de formação continuada em alfabetização. Matrizes Pedagógicas.L. de caráter exploratório. por gerar um intenso debate no meio acadêmico e por serem poucos os estudos qualitativos sobre os programas de formação continuada da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Programa Teia do Saber. A pesquisa justifica-se pela centralidade que o tema formação de professores ocupa no cenário das políticas educacionais.proponham ao desenvolvimento profissional de docentes universitários. e as matrizes pedagógicas básicas da formação de professores e que algumas dessas propostas pouco podem contribuir para a formação do educador. Palavras-chave: Aprendizagem docente. utilizando-se. pelo Interacionismo Sócio-histórico de Vygotsky. cujos objetivos são entender como ocorre o processo de construção de conhecimento. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA: UMA ANÁLISE DO PROGRAMA TEIA DO SABER Claudia de Carvalho Cosmo (CUML) Silvia Aparecida de Sousa Fernandes O presente trabalho tem como tema a formação continuada de professores e se propõe analisar um programa de formação continuada. Vygotsky. Palavras-chave: Formação de Professores. que recorreu à revisão da literatura. pois nelas está implícita a ideia de política compensatória e meritocracia. Trata-se de uma pesquisa qualitativa. ao se apropriar de uma concepção de educação sócioconstrutivista da alfabetização.Saber Docente. iniciadas a partir de 1990. potencializando saberes individuais e discutindo os pressupostos que os determinem.

pautando-se principalmente na observação participante e na entrevista. na juventude do professor. optamos por trilhar os caminhos da pesquisa com características etnográficas. É um processo dinâmico em constante estado de mudança e passível de transformações. Os resultados nos possibilitaram refletir sobre a formação docente enquanto mecanismo de construção de uma postura crítica frente às diferenças culturais e os desafios do cotidiano escolar em uma comunidade ribeirinha na Amazônia. ANÁLISE DO CONCEITO DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA DESCRITA POR ESTUDANTES DE PEDAGOGIA Cristiane Regina Xavier Fonseca–Janes (UNESP) A educação inclusiva é mais do que a retirada dos obstáculos que impedem todos os alunos de freqüentarem a escola regular. que teve como objetivo principal conhecer o cotidiano de uma escola ribeirinha. Após o término da pesquisa. Para responder aos questionamentos da pesquisa. identificando como a temática das diferenças se projeta na formação e na prática dos(as) professores(as) que atuam nessa realidade. Participaram deste estudo 404 estudantes. Cláudio Gomes da Victoria (UNICAMP) Este texto traz uma reflexão acerca dos resultados obtidos na pesquisa de mestrado intitulada “Desafios do cotidiano na formação e práxis dos (as) educadores (as) de uma escola ribeirinha no município do Careiro-AM”. . este trabalho nos possibilita traçar um diálogo teórico com as categorias: Interculturalidade – diversidade cultural e formação docente. Profissão. Palavras-chave: ribeirinha.INTERCULTARILIDADE E FORMAÇÃO DOCENTE: DESAFIOS DO COTIDIANO DE UMA ESCOLA RIBEIRINHA NO AMAZONAS. articulando com os desafios enfrentados pelos professores de uma escola ribeirinha. Palavras-chave: Identidade. Neste sentido. 2% a descreveram como sinonímia com a expressão Educação Especial. 5% a descreveram como sinonímia com a expressão Educação de qualidade e 18% não foram pertinentes. 21% compreendem os conceitos de Educação Inclusiva e Educação Especial como sinonímias. Questiono: (1) Como e a partir de que fatores se constrói essa identidade? (2) Que aspectos caracterizam o trabalho do professor de EF? Em termos teóricos. Quanto à prática pedagógica e identidade da EF. Dos 50% que descreveram o conceito. de re-significação e de conceituações. Os dados foram coletados por meio de um questionário contendo identificação do estudante e 06 questões semiabertas. Por meio de entrevistas semi-estruturadas. parece exercer grande influência na construção de sua identidade profissional. 40% a descreveram como sinonímia com a expressão Inclusão Escolar de pessoas com deficiência. 29% não sabem distinguir a diferenciação e 50% percebem existir uma diferenciação e as descrevem. o presente estudo tem por objetivo analisar o conceito de Educação Inclusiva descrita por estudantes do curso de Pedagogia. Nossos estudos parecem demonstrar que o conceito de Educação Inclusiva possui A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE PROFISSIONAL NA FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA Cláudio Pellini Vargas (UCP) Antonio Flavio Barbosa Moreira O presente trabalho tem por finalidade problematizar a questão das identidades profissionais na Educação Física (EF). escola formação docente. Interculturalidade. são consideradas as teorizações de Valter Bracht em sua perspectiva crítica. A partir dessa perspectiva. verifico quais elementos exercem influência sobre a construção da identidade profissional neste campo e como isto acontece na formação em licenciatura da área no contexto (pós) moderno. (Pós) Modernidade. o estudo recorre às concepções de identidade e modernidade de autores associados aos Estudos Culturais e de sociólogos contemporâneos de relevância internacional como Zygmunt Bauman e Anthony Giddens. 35% a descreveram como sinonímia com a expressão Inclusão Escolar. Verificamos que. (2) os profissionais não apresentam um consenso sobre a identidade da profissão e. (3) os profissionais divergem significativamente a respeito do que é ser um bom professor de EF. verifiquei que: (1) o gosto pelo esporte competitivo.

As discussões e reflexões fundamentam-se nos trabalhos realizados sobre concepções de formação de professores. . Sendo assim. Desenvolvimento Profissional RERESENTAÇÕES SOCIAIS: SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS A DAR AULA POR FORMANDOS DE CURSO DE PEDAGOGIA Edith M. formação inicial de professores de matemática. Montero (2001). a formação inicial e os conhecimentos para ensinar matemática são objetos desta pesquisa. OS ESPAÇOS DE FORMAÇÃO INICIAL E A CONSTITUIÇÃO DA PROFISSIONALIDADE DOCENTE: A CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS PROFISSIONAIS PARA ENSINAR MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Denise Filomena Bagne Marquesin (PUC/SP) Laurizete Ferragut Passos Tendo como objetivo analisar a integração dos espaços de formação com foco na apropriação de conhecimentos profissionais para ensinar Matemática e na constituição da profissionalidade dos alunos nas séries finais do curso de Pedagogia adotamos nesta pesquisa como procedimento metodológico a realização de grupos de discussão com 5 alunas da última série do curso de Pedagogia que produziram narrativas sobre a participação no estágio supervisionado numa escola municipal de ensino fundamental. Formação Continuada. quanto às evidencias apontadas na fala dos participantes de duas ações formativas. Freire (2002) e Borges (2004). narrativas. que são próprias do processo de formação de um conceito. Assim. o que torna possível verificar que existe estreita relação entre a apropriação dos conhecimentos profissionais e a constituição da profissionalidade docente. A realização deste estudo se deu por meio da abordagem qualitativa e para seu desenvolvimento foi considerado tanto o conhecimento teórico acumulado. serão apresentados recortes de duas pesquisas de mestrado. se faz necessária à intervenção dos pesquisadores e docentes da área da Educação e da Educação Especial para ampliar a divulgação deste conceito. O referencial teórico-metodológico adotado combina a perspectiva processual introduzida por Moscovici com a estrutural proposta por Abric. formação continuada de professores de matemática e no Desenvolvimento Profissional. Palavras-chave: Formação Inicial.ambigüidades. formação inicial FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA: ELOS DE INTEGRAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL Douglas da Silva Tinti (PUC/SP) Mariza Antonia Machado de Lima Ana Lúcia Manrique Este artigo procura analisar as relações entre Formação Inicial e Continuada de Professores de Matemática na perspectiva da Formação como um processo continuum e tendo como pressuposto o desenvolvimento da profissão docente. Palavras Chaves: conhecimentos profissionais. Magalhães (Universidade Estácio de Sá) Helenice Maia Buscou-se as representações sociais de dar aula elaboradas por 51 alunos concluintes de Curso de Pedagogia oferecido por uma universidade particular localizada no Rio de Janeiro e as comparou enquanto ingressantes. Com base nos dados coletados apresentamos quatro narrativas com apresentação de conteúdos de matemática que as alunas anunciam não terem conhecimento profissional para ensinar matemática. em desenvolvimento. Moura (2001). a partir de pesquisa bibliográfica. Os estudos pautaram-se em autores nacionais e internacionais. Tardif (2002). entre eles: Gauthier (1998). Roldao (2005). tanto nos periódicos científicos como nos meios de comunicação de massa. Para tanto. evidenciando fatores que possam contribuir para o Desenvolvimento Profissional seja no durante a formação inicial ou mesmo na continuada de professores de matemática.

ao concluírem. A pesquisa foi realizada em uma escola pública de ensino fundamental em 2007 e 2008. o que se apresenta são interpretações das narrativas sobre trajetórias profissionais de cinco professoras e um professor. com continuidade e descontinuidade no enredo da vida cotidiana. DESAFIOS E POSSIBILIDADES Edson Pantaleão (UFES) O texto problematiza os modos de atuação de uma equipe de gestão escolar na articulação dos processos de formação continuada na escola. 2001. bem como nos indicativos de René Barbier sobre o conceito de implicação. MONTENEGRO. Da análise do material coletado. as disciplinas são todas importantes. para superar a perspectiva clínica de atuação pedagógica em episódios isolados. estivemos envolvidos em diferentes espaços e tempos escolares. PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E OS MODOS DE APROPRIAÇÃO DE UMA “CULTURA DO CUIDADO” Elenice de Brito (UFMG) Este trabalho integra as análises desenvolvidas no âmbito da pesquisa que procurou investigar as representações da prática educativa em narrativas de professoras da educação infantil. Cuidar para esses sujeitos é algo enraizado nas suas experiências sociais. as qualidades paciente. Os resultados possibilitam considerar: a escola como espaço vivo. Como observador participante ativo. carinhoso e amoroso são competências necessárias à docência. ampliarem seus conhecimentos e estarem atualizado. 2010).Foi realizada uma abordagem multimetodológica por meio de teste de livre evocação. o que pressupõe não dar aula. O curso é considerado bom. porém consideram que a formação não contribui significativamente para dar aula. Por essa razão os alunos se sentem preparados apenas para serem pedagogos. Palavras-chave: representação social. processual. com o objetivo de evidenciar as concepções e as referências de cuidado que norteiam suas práticas com crianças pequenas em creches e/ou pré-escolas de Ilhéus/BA. Tratase de um trabalho que compreende o cuidado como uma “atitude de desvelo e solicitude em relação ao outro” (BOFF. A pesquisa evidenciou que o cuidado é colocado nas narrativas docentes como especificidade do trabalho docente na educação infantil e o fundamento de uma prática relacional e afetiva. Palavras-chave: narrativas educação infantil. Palavras-chave: gestão escolar. análise documental. Focaliza os dilemas. Nosso olhar pautou-se da literatura sobre gestão escolar e formação continuada. a equipe de gestão como mobilizadora política. e se fundamentou na teoria da vida cotidiana de Agnes Heller e de Henri Lefebvre. os desafios e as possibilidades produzidos nas relações dos profissionais. KRAMER. formação continuada. 2001. Embora enfatizem a necessidade de estudar. organização e coordenação da ação docente e que necessita conhecimento e responsabilidade para ser executada. e que ao planejar momentos de formação. cuidado. entendido como um processo de racionalização. Para discutir a relação entre gestão. que é distorcida. os gestores promovem formação e se autoformam simultaneamente. verificou-se que para os alunos participantes. . entrevistas individuais e grupos focais. TIRIBA. parecem ancorá-los no planejamento da ação pedagógica. essas tarefas se referem à formação continuada e não à inicial. inclusão e formação continuada teve como suporte teórico-metodológico a pesquisa-ação colaborativo-crítica. dar aula. projeto político pedagógico. Se ao ingressarem os alunos pareciam ancorar os sentidos de dar aula nos modos de dar aula de seus professores. observação. 2003. 1992) e como especificidade das relações educativas na educação infantil (ROCHA. Isso ratifica a idéia de que as relações familiares baseadas no cuidado e a cultura do cuidado transmitida nas relações informais entre colegas em situações diversas nas escolas são fontes de aprendizado de formas de cuidar. envolvendo os sujeitos na interpretação crítica dos fenômenos. Dessa forma. Pedagogia MODOS DE GESTÃO NA ARTICULAÇÃO DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA NA ESCOLA: DILEMAS.

docência a distância. embora os pontos frágeis e as contradições apresentadas nesse trabalho possam comprometer a qualidade da formação oferecida pelas Instituições Públicas de Ensino Superior. bem como suas possíveis relações com a massificação. formação de professores. em curto espaço de tempo.TELEAULA: FONTE DE DESAFIOS E APROPRIAÇÕES DA DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA EM CURSOS DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA Autora: Eliana Rodriguez Moreno (UNICAMP) Tomando como base a geração de dados proporcionada pela pesquisa de mestrado intitulada “Desafios da docência em cursos de pedagogia a distância”. Política Educacional. Ao abordarmos essa temática. às concepções teóricas e metodológicas que balizaram sua concepção de tutoria e foram considerados pelo Ministério da Educação. o contexto e o processo de formulação e introdução do programa no cenário nacional. inicialmente buscamos a compreensão do histórico da formação de professores no Brasil e a partir dessa trajetória. Nesta pesquisa documental e bibliográfica-analítica. Distrito Federal e municípios. Semiformação. A análise dos principais resultados permite-nos concluir que. Indústria Cultural. Formação Cultural. Palavras-chave: Educação a distância. Palavras-chave: Formação De Professores. A POLÍTICA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA E A SEMICULTURA Eliete M C Carvalho (UNESP) O objetivo desta pesquisa foi analisar a Política de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica no Brasil. Partimos do pressuposto de que a política de formação de professores não buscava efetivamente atender às demandas de formação. Buscamos considerar as relações entre a macro-abordagem. apesar dos imperativos neoliberais que permeiam a política de formação . IMPLANTAÇÃO DA REDE NACIONAL DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA E NO PROGRAMA PRÓLETRAMENTO Elizabeth Orofino Lucio (UFRJ) Este trabalho tem como objetivo analisar os discursos produzidos no domínio da formação docente no Brasil. Os resultados deste estudo revelaram que a política de formação de professores no Brasil oferece possibilidades para a formação cultural porque prevalece na legislação que a ampara. a indústria cultural do ensino e a semiformação do professor. Com base na Theorie der Halbbildung (Teoria da Semicultura) de Adorno (1996). focando-se na implantação da Rede Nacional de Formação Continuada de Professores da Educação Básica e no Programa Pró-letramento. no presente texto. estados. descrevemos os sistemas criados para a oferta desses cursos e as parcerias estabelecidas entre a União. é possível identificar indícios de como a realização da teleaula tem sido fonte de grandes desafios e gerado apropriações sobre a docência nessa modalidade de ensino. focalizo. mas atingir metas de certificação de professores em massa. adequados para alicerçar o trabalho junto aos professores alfabetizadores. a liberdade acadêmica das instituições conveniadas. no contexto da semiformação. nos encontros de formação. abordamos a questão da semiformação (Halbbildung) enquanto determinação na sociedade contemporânea capitalista em oposição à formação (Bildung). obtidas por meio de entrevistas orientadas pelos pressupostos da história oral. que visam à formação de professores da educação básica da rede pública. as apropriações dos professores universitários sobre a docência por meio da teleaula. A pesquisa de campo foi feita por meio de um conjunto de entrevistas coletivas. buscamos compreender os principais aspectos relacionados à concepção e gestão do programa. Nas falas dos docentes universitários selecionados para este estudo. ou seja. junto aos sujeitos envolvidos no processo educativo. e uma mesoabordagem que se focaliza no lócus do Estado do Rio de Janeiro e nos professores tutores do programa dessa cidade. A perspectiva teórica assumida para a análise se refere à história cultural pautando-se pelo conceito de tática apresentado por Certeau (2008) e no conceito de apropriação proposto por Chartier (2001).

combinado com um estudo nacional do tipo survey que pretende coletar dados com uma amostra de 2. provocando um divórcio entre o ensino e a prática.Letramento. O PROFESSOR TRADICIONAL: UM ENSINO VERBALÍSTICO. A palavra de ordem para os alunos era a de memorizar e para os professores. os critérios de avaliação baseados apenas na verificação de aprendizagem. Segundo dados do MEC. apontado como tradicional. de a Palavras chave: Revista de Pedagogia. O resultado era que o aluno não percebia o professor como criador e também não expunham a sua criatividade. O projeto pretende inaugurar as atividades do Oneesp e terá como foco uma avaliação de âmbito nacional do programa de implantação de “Salas de Recursos Multifuncionais” (SRMs). formar. a falta de conhecimento da psicologia da criança e. editada entre os anos de 1955 a 1967 pelos professores daquela Cadeira. o qual era visto como ‘velho’. a de instruir. ENCICLOPEDISTA E CONSERVADOR . principalmente. os professores adotavam um método marcado pelo ensino meramente memorizado.a distância e dos inúmeros desafios que se impõem. contribuindo para a constituição de uma rede de apoio local à formação permanente de professores alfabetizadores. Foi selecionado um corpus documental com 56 artigos que se referissem ao Ensino Secundário brasileiro e que contivessem expressões que mencionassem a formação do professor. OBSERVATÓRIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL: CONSTITUIÇÃO DE UMA REDE DE PESQUISA Eniceia G. Palavras-chave: educação especial. baseados na metodologia da pesquisa colaborativa que tem como foco produzir simultaneamente conhecimento e formação. Em que medida este tipo de serviço tem apoiado a escolarização de crianças e jovens com necessidades educacionais especiais? Que limites e possibilidades as SRMs oferecem? Para responder a essas questões 25 pesquisadores provenientes de 16 estados brasileiros. Inicialmente podia transparecer que a culpa era somente dos professores.500 professores das SRMs. Educação distância. Para tanto esta pesquisa tem como fonte a série completa da Revista de Pedagogia. . ultrapassado. estão se propondo a conduzir um estudo em rede cujo delineamento misto envolverá estudos locais nos municípios com professores de salas de recursos. cujo foco será a produção de estudos integrados sobre políticas e práticas direcionadas para a questão da inclusão escolar na realidade brasileira. formação de professores. portanto. Entre eles: a rigidez dos programas. Palavras-chave: Formação continuada professores alfabetizadores. Mas havia outros fatores que foram considerados pelos autores como responsáveis pela ineficácia e o tradicionalismo do ensino na década de 1950. e. ensino secundário. salas de recursos multifuncionais. verbalístico e bacharelesco.564 municípios brasileiros. Segundo os autores. representantes de 22 universidades e de 18 programas de pós-graduação. entre os anos de 2005 a 2009. nessa modalidade. promovido pela Secretaria de Educação Especial/MEC que desde 2005 vem apoiando a criação deste serviço de atendimento educacional especializado (AEE). foram financiadas 15.REVISTA DE PEDAGOGIA (1955-1967) Ellen Lucas Rozante (PUC/SP) Esta comunicação apresenta um estudo sobre o que era ser um ‘professor tradicional’ sob a ótica dos professores da Cadeira de Didática Geral e Especial da FFCL da USP. Mendes (UFSCAR) Fabiana Cia A presente proposta visa a fomentar a criação do Observatório Nacional de Educação Especial (Oneesp).551 SRMs para 4. é um movimento que vem caminhando para a constituição de um quadro de formação de formadores nas redes estaduais e municipais de ensino. professor tradicional. através de um questionário disponibilizado em sítio de internet. a formação do professor secundário.

LIBRAS NA UNIVERSIDADE: DIALOGANDO SOBRE LÍNGUA DE SINAIS E FORMAÇÃO DOCENTE NAS LICENCIATURAS DA UNIRIO Etiene Silva de Abreu (UNIRIO) Carmen Sanches Sampaio Frequentemente discussões sobre língua de sinais pareciam interessar – quase exclusivamente – à comunidade surda: professores. investiga referenciais teóricos que discutem sobre a expansão da formação de professores e educação especial. Voltado para o conhecimento do percurso dos cursos de formação de professores. Na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro . Porém. formação docente e estudos com o(s) cotidiano(s). ENTRE IMIGRANTES E NATIVOS DIGITAIS: USOS E RELAÇÕES COM O COMPUTADOR Fabiana Cabrera Silva (UMESP) Tendo em vista minha experiência profissional.A FORMAÇÃO DO PROFESSOR EM EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PEDAGOGIA E NAS LICENCIATURAS EM GERAL Érica Ap. Para tal. educação e inclusão. dialogar sobre concepções de língua brasileira de sinais e problematizá-las sob à luz de pesquisas na área da surdez. pela primeira vez. Afinal. nos cursos da UNIRIO. as vozes dos profissionais que circundam e compartilham o mesmo espaço profissional. as devolutivas dos pais passam-me uma sensação de desencontro com relação ao sentido entre educação e tecnologia. as aspirações das crianças. principalmente na formação de docentes.LIBRAS como obrigatória em cursos de ensino superior. educação especial vinculada às instituições privadas e com apelo assistencialista e restrita abertura nos cursos de formação de professores para o conhecimento de particularidades de um ensino que considere a diversidade de seu alunado. um aspecto merecedor de particular atenção se refere à formação do professor do Ensino Básico. ajuda a refletir sobre possíveis efeitos dessa política pública. falas de estudantes que cursa(ra)m a disciplina narram sobre seu encontro com a língua de sinais na universidade. este artigo analisa como a educação especial. cursos de Pedagogia e Licenciaturas em geral constituem espaços fundamentais para as discussões sobre uma educação de qualidade. entrelaçada às falas discentes em relação à 'nova' língua. intérpretes. não comprometimento direto do Estado com a educação. Garrutti de Lourenço (USP) Edna Antonia de Mattos Perante a legislação atual que reconhece o direito de todos à educação.UNIRIO. Narrativas. vem provocando uma mudança de cenário. O espaço acadêmico passa a oportunizar o contato de sujeitos com esta língua. em desenvolvimento. suas concepções e seus novos olhares. que determina a implementação da disciplina Língua Brasileira de Sinais . Formação Docente. podemos dizer que objetivo de reflexão da dissertação é: qual o papel do computador entre a relação dos adultos (pais e mães. familiares de surdos. fazendo aproximações entre os referidos temas. a implementação desta iniciou-se de forma sistemática no ano de 2010. se faz presente nesses cursos. ensino superior. há uma tendência à privatização do ensino. Nesse sentido. Assim. Este trabalho. concomitantemente a expansão acelerada do ensino superior. uma tem sido recorrente: por que aprenderensinar LIBRAS no ensino superior? Alia-se a esta: como a experiência de aprenderensinar pode (trans)formar olhares? A experiência como docente. devido uma política de priorização de fatores econômicos. em alguns casos. o que narram os estudantes de diferentes licenciaturas sobre a experiência de cursar a disciplina de LIBRAS na universidade? Palavras-chave: Língua Brasileira de Sinais. Palavras-chave: formação de professores. Entre questões levantadas.626 /05. De modo geral. uniam-se para refletir sobre língua. em detrimento de bens públicos. e. A origem desses cursos é influenciada pelas necessidades da área e configurações da sociedade. alteridade. Desde então. o Decreto número 5. educadora do 1º Ano do Ensino Fundamental) e das crianças . educação especial. área que versa sobre a educação de pessoas com deficiência e outras necessidades especiais. tenciona compartilhar saberes.

enquanto processo de formação e transformação do sujeito. Os resultados apontaram que 75% dos professores entrevistados reconhecem que a sua formação didático-pedagógica foi insatisfatória durante a pós-graduação e reproduzem a prática vivenciada com base em seus saberes pedagógicos adquiridos durante a vida escolar como discentes e docentes. apresentam-se resultados finais de pesquisa de mestrado em Educação vinculada ao Grupo de Pesquisa “História do Ensino de Língua e Literatura no Brasil”. têm sido negociados em espaços/tempos escolares. Procedeu-se a análise de conteúdo dos dados das entrevistas e o levantamento bibliográfico sobre o tema. centrada em pesquisa documental e bibliográfica. V. reunião. a falta da perspectiva pedagógica permanece no exercício da docência em odontologia. enfoca-se. FORMAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS DOCENTES EM ODONTOLOGIA: ALGUNS APONTAMENTOS DE PESQUISA Fernanda Oliveira Lemos (CUML) Silvia Aparecida de Sousa Fernandes Este trabalho é parte da pesquisa de mestrado em Educação.dentro do contexto educacional? Como ele media (ou não) essa relação? DIMENSÕES POLÍTICAS/PEDAGÓGICAS EM PERCURSOS NEGOCIADOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E PROFESSORAS NAS ESCOLAS Fábio Luiz Alves de Amorim (UFES) A pesquisa investiga a formação continuada de professores da rede estadual de ensino do Espírito Santo. a proposta para o ensino da literatura infantil contida em Compêndio de literatura infantil: para o 3º. Destaca a escola como lugar de produção de conhecimentos possíveis e disponíveis para pensarmos processos de formação continuada mais democráticos e condizentes com as realidades e necessidades do coletivo escolar. negociações. coordenado por Maria do Rosário L. de Bárbara Vasconcelos de Carvalho. ano normal. DE B. DE CARVALHO E OS PROGRAMAS DE ENSINO DOS CURSOS NORMAIS PAULISTAS Fernando Rodrigues de Oliveira (UNESP) Neste texto. prática pedagógica. já concluída. neste texto. apesar da formação do professor de odontologia se estruturar a partir do stricto sensu. desenvolvida por meio dos procedimentos de localização. Trata-se de uma pesquisa qualitativa descritiva. Concluímos que. em 1959. COMPÊNDIO DE LITERATURA INFANTIL (1959). A investigação deu-se por meio de um estudo de caso realizado em uma escola da rede estadual de ensino do Espírito Santo. Mortatti. Dialoga com o pensamento de Bauman. recuperação. Palavras-chave: Formação continuada. cuja preocupação foi analisar a concepção de professores da graduação de Odontologia de uma Instituição de Ensino Superior do interior do Estado de São Paulo sobre sua formação didático-pedagógica. cujos dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas com doze professores do curso de Odontologia. visando identificar em que medida a formação inicial que tiveram influencia em sua prática docente. da academia e das organizações de pesquisadores. no Brasil. da secretaria de educação. publicado pela Companhia Editora Nacional (SP). estudo de caso. Palavras-chave: Docência em Odontologia. Mediante abordagem histórica. O referencial teórico discute a questão da prática docente e o ensino odontológico numa visão-crítico dialética. políticas educacionais. que se constitui por meio das relações do/no contexto escolar. com o objetivo de compreender os processos de formação continuada desencadeados no contexto das reformas educacionais a partir da década de 1990. de Carvalho e de Linhares. entendendo-a como um processo constante de reflexão e debate indispensável para a melhoria da ação pedagógica. que nos ajudaram a compreender contornos e interações da/na formação continuada em contextos escolares. . Com o objetivo de contribuir para a compreensão da história história do ensino da litertura infantil nos Cursos Normais brasileiros. ampliada por meio de conversas com sujeitos da escola. de Santos. seleção. formação didático-pedagógica.

a qual consistiu em enfocar os diferentes aspectos constitutivos de seu sentido. apresentamos uma análise do campo da Educação Superior no Brasil com destaque para a profissão docente nas IES privadas com fins lucrativos. analisou-se a configuração textual desse manual de ensino. Para tanto. A partir destas colocações. a pesquisa foi delineada por meio de análise bibliográfica. os objetivos da pesquisa foram assim delineados: a) Analisar os pressupostos teóricos a respeito do tema em questão. entre outros autores que discutem a temática proposta para este trabalho.ordenação e análise de fontes documentais. por ser o primeiro do gênero publicado no Brasil. para a coleta dos dados. Essa análise possibilitou concluir. José Dias Sobrinho. Privatização. os discursos produzidos a partir da aprovação das diretrizes curriculares para a formação de professores e sobre a regulamentação da profissão do biólogo. 1995b. Os estudos de Thomas Popkewitz (1997) também foram de fundamental importância para nos permitir compreender a reforma como um fenômeno ecológico. contribuiu para estruturar um conjunto de saberes relativos à literatura infantil considerados necessários para a formação do professor primário e para a constituição da literatura infantil como disciplina escolar. e. Trabalho Docente. 2005) e utilizamos documentos e entrevistas individuais semiestruturadas. c) Discutir os problemas do trabalho docente universitário oriundos da privatização do ensino superior. 1997). Fernando Gil Villa. b) Refletir sobre os aspectos sociais. Miguel Zabalza. Palavras-chave: Literatura infantil. Nesta perspectiva. UMA HISTÓRIA SOCIAL DO CURRÍCULO: AS REFORMAS NO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS (UNIFAL-MG) Gabriel Menezes Viana (UFMG) Júlio Emílio Diniz-Pereira Este trabalho traz alguns resultados de uma pesquisa que teve como objetivo central analisar os principais fatores responsáveis por mudanças no currículo do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG). PRIVATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL E PROFISSÃO DOCENTE Frediana Vezzaro de Medeiros (UNISO) Pedro Goergen O presente trabalho deseja contribuir na discussão de algumas determinantes relacionadas aos desafios dos docentes universitários e a questão da privatização do ensino superior proporcionando aos leitores reflexões acerca das contradições e dos avanços que norteiam o tema. privilegiando autores tais como: Luiz Antonio Cunha. A abordagem teórico-metodológica adotada foi o estudo de caso (YIN. Palavras-chave: Educação Superior. que a proposta para o ensino da literatura infantil concretizada nesse manual de ensino foi elaborado em sintonia com os programas oficiais de ensino dos Cursos Normais paulistas. nos concentramos nas relações entre os sujeitos que estiveram diretamente envolvidos na construção do currículo desse curso. econômicos. ou seja. considerar as transformações no contexto externo à instituição para as reformas no currículo. educativos e culturais do mundo globalizado contemporâneo. Fundamentado na ideia da construção social do currículo de Ivor Goodson (1995a. dentre outros. os interesses dos agentes envolvidos diretamente nos processos de reforma. Valdemar Sguissardi. . Formação de professores. Chegou-se a conclusão de que os principais fatores que influenciaram a construção social do currículo estudado foram: as transformações sofridas pela Instituição assim como o próprio contexto político-educacional do país nas duas últimas décadas. História da Educação. vigentes à época em que ele foi publicado. José Contreras. em como seus interesses e concepções influenciaram esse processo de mudança.

como princípio básico e fundamental de valorização profissional e como condição necessária para a melhoria da qualidade da educação. Leitura ANÁLISE DE DOIS CASOS COMO RESULTADOS DE UM PROGRAMA DE FORMAÇÃO EM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL SOBRE RECURSOS DE ALTA TECNOLOGIA ASSISTIVA Gerusa Ferreira Lourenço (UFSCAR) A partir das demandas de formação específicas apresentadas na literatura para a implementação adequada de recursos de tecnologia assistiva a alunos com paralisia cerebral. foi realizada uma pesquisa que visou propor e avaliar um programa de formação em serviço para profissionais da educação especial sobre o processo de implementação de recursos de alta tecnologia assistiva por meio da abordagem colaborativa. foi levado em consideração o pensamento sociológico de Bourdieu e Lahire. AS RELAÇÕES ENTRE A FORMAÇÃO DO PROFESSOR. Rouxel. não parece conduzir os docentes a desenvolver as disposições necessárias ao desenvolvimento do hábito da leitura literária. Do ponto de vista teórico. No campo da política pública e da gestão. requisitos exigidos e formação dos profissionais que atuam nas creches municipais. Langlade. o desenvolvimento de hábitos de leitura e a prática de ensino de literatura de professores de português do ensino médio da rede pública estadual da cidade de São Paulo. Assim. defendida em 2008. Um desafio existente é a formação dos profissionais que atuam junto às crianças. 2005). no entanto. Iser) e reflexões acerca da formação de sujeitos leitores (Candido.OS PROFISSIONAIS QUE ATUAM NAS CRECHES NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Gabriela Barreto da Silva (UNIRIO) A proposta deste trabalho. 1998) e Kramer (2001. entretanto. A formação dos profissionais é aqui entendida como direito relativo à profissão.Esta investigação abrange as estratégias desenvolvidas na rede pública de ensino deste município no que tange a ingresso. Para esse trabalho. desenvolveu-se primeiramente uma pesquisa quantitativa por meio de questionários com 87 docentes (2006). Realizado em um setor de uma escola especial. SEU HABITUS DE LEITURA E SUA PRÁTICA DE ENSINO DE LITERATURA Gabriela Rodella de Oliveira (FEUSP) Esta comunicação tem como objetivo tornar públicos os resultados obtidos a partir de pesquisa de mestrado desenvolvida dentro da área de Linguagem e Educação do curso de PósGraduação da FEUSP. foi desenvolvida pesquisa qualitativa por meio de entrevistas com quatro docentes (2007). Baudelot e Cartier). utilizamos a concepção de políticas públicas expressa por Rua (1998). Autores como Para análise e compreensão da formação dos profissionais dialogamos com Freire (1997. Numa segunda etapa. o programa contou com partes de conteúdo teórico e acompanhamento de práticas junto a nove professores de educação especial e cinco técnicos. Palavras-chave: Formação de professor. Ensino de literatura. Eco. o recorte tem . Verrier. com pouco contato com a leitura durante a infância. que o status adquirido pela modalidade creche no cenário educacional do município pesquisado ainda não garante que todas as necessidades da área sejam atendidas. Tendo como objeto as relações entre a formação. Foi possível observar durante a realização desta investigação. fruto de uma dissertação de mestrado. realização de entrevistas individuais e grupo focal. eles tendem a reproduzir o conhecimento a que tiveram acesso sem que tenham se tornado sujeitos de suas leituras. Isso. Há. professores que são exceções a esse perfil e que apontam para uma apropriação da leitura literária. A análise dos dados coletados mostrou que a grande maioria desses professores é originária de famílias com baixos níveis de escolarização. é discutir a formação dos profissionais que atuam nas creches da rede municipal do Rio de Janeiro. constituindo a primeira geração a conquistar uma escolarização de longa duração. considerando que sua formação é requisito para a garantia de um atendimento de qualidade para as crianças de 0 a 3 anos. carreira. Três estratégias metodológicas foram utilizadas: aplicação de questionário. estudos que definem o leitor crítico (Jauss.

Participaram desses estudos de caso duas professoras em duplas com uma fisioterapeuta e uma fonoaudióloga. que visa a compreender as relações que as cursistas estabelecem com a leitura. PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: PRÓ-LETRAMENTO EM AÇÃO Giovanna Rodrigues Cabral (UCP) Marlene Alves de Oliveira Carvalho O presente estudo tem como objeto o programa de formação continuada . Letramento. desenvolvido no município de Matias Barbosa/MG. solitárias e desvinculadas das necessidades concretas dos docentes. Palavras-chave: Formação continuada. Schön acrescenta que o exercício reflexivo é um elemento imprescindível na trajetória profissional. Professor de Ginástica. às atividades propostas e às próprias características de atuação dos profissionais. Ensino Superior. Os registros foram feitos por meio de videogravações e diários de campo. mas existem outros elementos essenciais constitutivos dos saberes dos professores.como objetivo apresentar dois estudos de caso construídos com as intervenções realizadas nas turmas de estimulação precoce do setor. a pesquisa teve como objetivo conhecer e refletir sobre as trajetórias de construção de docência no ensino superior de professores que ministram disciplinas de ginástica. Lajolo. formação. aos dispositivos. e em outros que têm trabalhado com o tema leitura e letramento. à luz do referencial teórico sobre ‘formação de professores’ e ‘ginástica no ensino superior’. estudo. embora com excelentes materiais de . A pesquisa discutiu o processo de construção docente de oito profissionais atuantes em cursos superiores de Educação Física na Região Metropolitana de Campinas. tendo em vista suas práticas de letramento literário na família e na escola. Com relação à política de formação de professores. Imbernón. Carvalho. como a própria experiência em Ensino Superior. Trata-se de uma pesquisa qualitativa. e as análises foram no sentido de descrever as práticas realizadas. Candau. Os dados extraídos dos questionários e entrevistas foram analisados qualitativamente. constatou-se que a implantação dos programas de formação continuada. não tem atendido às reais necessidades dos sistemas de ensino. Kleiman. indicando a necessidade de formação para a introdução desses equipamentos nas práticas educacionais dos alunos com paralisia cerebral desde os primeiros anos de escolarização. Palavras-chave: Formação de Professores. Maciel e Bolzan.Pró-Letramento -. O referencial teórico baseou-se em autores que pesquisam sobre formação continuada de professores. Tardif. Tardiff. História de leitura Pró- PROFESSORES DE GINÁSTICA NO ENSINO SUPERIOR: EXPERIÊNCIAS E SABERES DOCENTES Helaine Cristina Ferreira Lima (PUC/CAMPINAS) Vera Lúcia de Carvalho Machado Motivada pelas indagações. Palavras-chave: educação especial. ‘a formação acadêmica e profissional de docentes e as experiências vividas na área da ginástica podem contribuir para o exercício da docência nesta disciplina no Ensino Superior? de que maneira?’. defendendo a necessidade de um planejamento adequado das práticas de formação continuada de professores para que ultrapasse as ações pontuais. identificar em que ponto tais vivências influenciam suas práticas de formação de leitores nas escolas onde atuam e descrever o desenvolvimento do programa no município. como Nóvoa. recursos de alta tecnologia assistiva. pois envolve variáveis que dizem respeito aos alunos. constituído por saberes e experiências vivenciadas antes e após o início na profissão. Conclui-se. Nóvoa apontam que a docência é um processo que está em constante construção. Os resultados apontaram que a experiência vivenciada na área específica profissional – a ginástica – é um fator que enriquece a prática docente. Os dados evidenciaram a complexidade do processo de implementação dos recursos. Paulino. Estudos como os de Isaia. pós-graduação e atualização permanente. e dois alunos com paralisia cerebral de quatro anos cada. como Soares.

Utiliza os aportes teórico-metodológicos da hermenêutica diatópica de Boaventura Souza Santos (2000. A pesquisa indica que existe um modo peculiar de se formar no CONCEPÇÕES DE LINGUAGEM ESCRITA DE PROFESSORES DO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Hellen Elizabeth Ramos (PUC/Campinas) Heloisa Helena Oliveira de Azevedo O presente estudo aborda o aprendizado da linguagem escrita. A . Formação de Professores. Constatamos que tanto nos documentos do MEC para o Ensino de nove anos. Linguagem Escrita. quanto nas falas das professoras entrevistadas. FORMAÇÃO CONTINUADA NO COTIDIANO DA ESCOLA: “SE VIRA NOS TRINTA” OU COMO OS PROFESSORES INVENTAM A PRÁTICA PEDAGÓGICA Iguatemi Santos Rangel (UFES) A presente pesquisa teve como objetivo central compreender as redes cotidianas de formação continuada vivenciadas pelos professores de cinco Centros Municipais de Educação Infantil. no intuito de estimular a reflexão de educadores sobre o trabalho pedagógico desenvolvido. O principal objetivo foi analisar tais concepções. A análise feita sugere: a) superficialidade na expressão dos conceitos de ética/moral fornecidos pelos licenciandos. A pesquisa é de abordagem qualitativa e adotou a entrevista semi-estruturada como técnica de coleta de dados junto a três professores do 1º ano do Ensino Fundamental de escolas públicas e particulares situadas no município de Campinas/SP. buscamos compreender o pensamento dos respondentes com base no tipo de argumentação apresentada. buscando compreender os movimentos produzidos no cotidiano em torno das necessidades de formação. mais especificamente nos estudos desenvolvidos por Vygotsky e Luria. pela via da sociologia das ausências e sociologia das emergências e o trabalho de tradução. Em linhas gerais. Os dados coletados foram analisados à luz da abordagem histórico-cultural de desenvolvimento humano. no primeiro ano do ensino fundamental. há apropriações inadequadas no que se refere às abordagens teóricas sobre o aprendizado da linguagem escrita. As justificativas apresentadas. como essas professoras vivenciam os processos de formação continuada. 2006). tendo como objeto as concepções de professores do 1º ano do Ensino Fundamental sobre linguagem escrita. em sua maioria. Palavras-chave: ética/moral – formação de professores – retórica e argumentação problemática investigada se centrou em conhecer o que pensam estes professores sobre o ensinoaprendizado da linguagem escrita. 2005. combinado com a hermenêutica do sujeito da experiência de Larrosa (2002). c) abordagem laica tanto na formação inicial dos futuros professores como no trabalho com os alunos da educação básica na escola pública. tendo em vista que a metodologia empregada permite fazer a interpretação de discursos na perspectiva de estabelecer linhas de diálogo com eles. b) ausência de discussões sobre o tema nas disciplinas pedagógicas. Busca evidenciar. A pesquisa tem por objetivos centrais investigar como as questões éticas/morais são trabalhadas na formação dos licenciandos da UFRJ e se estes veem a inserção das mesmas na escola pública a partir de um enfoque laico ou confessional. Palavras-chave: Ensino-aprendizagem. Consideramos que a relevância deste estudo encontra-se na possibilidade de ampliação do debate sobre o ensino-aprendizagem da linguagem escrita. em especial. A investigação é balizada pela teoria da argumentação de Perelman & OlbrechtsTyteca.A ÉTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE PÚBLICA: O QUE DIZEM OS ESTUDANTES DE LICENCIATURA DA UFRJ? Helen Silveira Jardim (UFRJ) Glauria Janaina de Souza Este trabalho apresenta e discute os primeiros resultados obtidos a partir da aplicação de um questionário-piloto a alunos de licenciatura da UFRJ. recorrem a argumentos pragmáticos (o enfoque deve ser laico para evitar conflitos religiosos na escola) ou então desvinculam a ética/moral (ruptura de ligação) das visões religiosas.

Esses são uma aposta para o campo da formação das docentes alfabetizadoras com a EJA. Furlanetto (2005). RICOUER (2007). Nesse sentido. Ferry (2004). Enriquez (1997). matrizes pedagógicas. fabricação e interação no/do/com o cotidiano. 2003. Maffesoli (1999. produção. as professoras produzem espaços-tempos onde acontecem trocas de conhecimento. o retorno em sala de aula. 2008). um estudo de caso. SIMAN (1988. formação de professores. para além das propostas e projetos de formação continuada que são propostos pelo Sistema Oficial. e são construídas redes de aprendizagens mútuas por meio do intercambiamento de experiências. A partir de nossas análises. em seus fazeres docentes ordinários. foram acompanhados dois grupos de formação numa escola pública municipal de São Paulo. Para tanto. para o qual pretendemos contribuir. configurando-se.visita. também diálogos teóricos com autores que investigam a formação de professores e com autores que investigam a constituição e funcionamento de grupos. entrevista semiestruturada com a docente. Marie-Chartier (2000). Palavras-chave: Processos formativos. . sem formação especifica em História. podemos afirmar que os fazeres docentes ordinários construídos nas práticas culturais pelas alfabetizadoras. Anzieu (1993). PROCESSOS FORMATIVOS NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DE MATRIZES PEDAGÓGICAS COLETIVAS Janete Ribeiro Nhoque (UNICID) O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados uma pesquisa de cunho qualitativo que buscou investigar como podem ser acolhidas as manifestações das matrizes pedagógicas dos professores nos espaços formativos da escola considerando o contexto organizacional no qual estavam inseridos. Além desses procedimentos de pesquisa nos detivemos também sobre o material que a docente produziu para realização da prática cultural de visita ao museu. Nesta investigação. 2001). Miranda (2007). entre outros.cotidiano das escolas e que. como Tardif (2002). as relações entre História e memória em práticas culturais de visita em museus. potencializam. Palavras-chave: História – Fazeres Docentes Ordinários – EJA. a visita ao Museu de Artes e Ofícios. Buscou-se estabelecer. colocando suas matrizes pedagógicas em movimento. Este trabalho apontou que é possível construir na escola espaços formativos onde os professores assumam a sua formação e produzam conhecimentos à medida que lhes é dada voz e incentivo para que desenvolvam projetos de interesse de alunos e da comunidade. assim. potencializam relações entre História e memória em visita a museu. faz-se necessário construir outras/novas possibilidades de formação continuada com as professoras que privilegiem processos de negociação e intercambiamento de sentidos. Dialogando com pesquisadores do campo da cultura e da cultura escolar. acompanhamos os processos de preparação da visita em sala de aula. compreendemos a necessidade de construir novos olhares acerca dos fazeres cotidianos daquelas profissionais. RELAÇÕES ENTRE HISTÓRIA E MEMÓRIA NOS FAZERES DOCENTES ORDINÁRIOS COM A EJA João Carlos Ribeiro de Andrade (UFSCAR) Lana Mara de Castro Siman Esta dissertação buscou compreender como alfabetizadoras com a EJA. registro de filmagem da visita e fotográfica no pós. LE GOFF (2003) FENELON (2008) RAMOS (2008). PEREIRA (2007) dentre outros. Realizamos observações. da memória e das práticas de memória Certeau (2007).

no que se refere às relações de gênero. Tal pesquisa buscou compreender. b) a forma como estabelecem as relações com os demais segmentos da comunidade escolar (direção. Para os fins deste trabalho. Neste trabalho. Quais identidades de gênero que as experiências e relações estabelecidas pelo/no currículo dos cursos de formação de professores/as vêm produzindo e quais são suas possibilidades de construção? Procurei conhecer como esses temas são tratados nos cursos de Pedagogia de três instituições federais de Minas Gerais. bem como no materialismo histórico e dialético como base do método de análise. Questiono o porquê se ensina ou se aprende de uma determinada maneira e não de outra. Nesta perspectiva. chegamos à conclusão de que as concepções das relações entre jogo e educação em Platão e Aristóteles são bem diferentes. bem como entender o processo de construção das identidades docentes desses sujeitos no exercício do cuidar e educar crianças pequenas. em primeiro lugar pretendemos delinear as idéias gerais destes dois filósofos. estudos de gênero. professoras e famílias das crianças). Essa interlocução contribuiu para explicitar. Para alcançar tais objetivos foram realizadas entrevistas com os professores do sexo masculino da RME/BH. a inserção dos professores do sexo masculino nas instituições de educação infantil da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte (RME/BH). O objetivo do estudo foi analisar projetos e/ou discursos sobre a formação de professores/as.A PRESENÇA DE PROFESSORES HOMENS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: PERCEPÇÕES SOBRE O MASCULINO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Joaquim Ramos (PUCMINAS) Maria do Carmo Xavier O propósito desta comunicação é apresentar dados da pesquisa de mestrado intitulada: “Um estudo sobre os professores homens e as relações de gênero na Rede Municipal de Belo Horizonte/M. razão pela qual ambos partem de princípios e contextos de análises diversos. como em função daquilo que nele está oculto. com as direções e coordenações das instituições de educação infantil em que estes homens exercem a docência e cinco grupos de discussão envolvendo as famílias das crianças e as professoras das referidas instituições. foram realizadas análises documentais e entrevistas semi-estruturadas com os coordenadores dos cursos de Pedagogia das instituições. qual seja. . sob a perspectiva das relações de gênero. Palavras-chave: educação infantil – professores homens – gênero CURRÍCULO. Com efeito. dentre outros. Para tanto. os seguintes aspectos: a) pontos de tensão que a presença desses homens gera no interior das instituições. alguns modos como são concebidas as relações entre jogo e educação na concepção de ambos os autores. como referencial teórico nos apoiamos em algumas obras de Platão e Aristóteles. c) os estranhamentos e/ou discriminações percebidos no exercício das atividades docentes.G”. sem interrogarmos o que estamos transmitindo por meio do currículo. sexualidade e currículo. GÊNERO E IDENTIDADE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES/AS Kelly da Silva (UFJF) Uma série de conhecimentos não é fornecida aos estudantes pelo currículo e eles aprendem tanto em função do que está representado no currículo. enquanto participantes da construção de novas identidades. tendo em vista a captação do movimento das idéias em consonância com o movimento real. coordenação. estudos gays e lésbicos e estudos feministas da perspectiva pósestruturalista. articulam-se estudos foucaultianos. para posteriormente esboçarmos o objeto específico que temos por finalidade investigar. totalizando a participação de 47 pessoas. A pesquisa nos apresenta todo o jogo que está organizando as discussões de gênero e sexualidade nas universidades. CONCEPÇÕES DE JOGO E EDUCAÇÃO EM PLATÃO E ARISTÓTELES Leonardo Dias Avanço (UNESP) José Milton de Lima O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma reflexão sobre certos aspectos das relações entre jogo e educação em algumas obras das filosofias de Platão e Aristóteles.

na qual se propõe um diálogo entre a universidade. será apresentada uma experiência de leitura literária. na Baixada Fluminense. o Projeto Paranoá no Centro-Oeste. para que o ato de leitura signifique um momento de interação entre leitor. a diversidade dos sujeitos. . para serem visitadas e analisadas: o Projeto Escola Zé Peão no Nordeste. a tradição.Palavras-chave: jogo. parceria e sociedade. A LEITURA LITERÁRIA EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES E A UNIVERSIDADE: DIÁLOGOS POSSÍVEIS PARA NOVAS QUESTÕES NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Erineu Foerste (UFES) Letícia Queiroz de Carvalho A partir do conceito da natureza dialógica da linguagem e das suas possíveis articulações com o discurso literário. Ângela Kleiman (2000). Eliane Ribeiro (1999). Entendemos que nossas práticas de leitura no contexto escolar devem ser revistas a partir da observância da concepção social da linguagem e do texto. Margarida Machado (2000). questionários semiestruturados e entrevistas. FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DO ENSINO: UM ESTUDO DE CASO Rosangela Padilha Thomaz dos Santos (UFRRJ) Lilian Maria Paes de Carvalho Ramos Apresenta resultados finais de pesquisa realizada na forma de estudo de caso numa escola do município de Duque de Caxias. a disponibilidade e o uso de recursos didáticos. formação do educador. Os principais referenciais teóricos utilizados foram António Nóvoa (1992. para além dos muros da escola. na região Sul. obra e autor. destacamos oito aspectos que apontam para as especificidades da Educação de Jovens e Adultos: a origem de cada proposta. Selecionamos quatro propostas. para que sustentemos a tese da natureza social da literatura e a pluralidade de mundos possíveis no trabalho com a leitura literária. educação. as formas de conceber as propostas curriculares. no decorrer dos anos de 2009-2010. o tratamento com o espaço físico. aponta pistas de possíveis caminhos e estratégias para a melhoria da qualidade da educação no caso estudado. o histórico. estabeleceremos um diálogo com o pensamento de Mikhail Bakhtin. as políticas complementares de alimentação e transporte. teórico da linguagem russo. filosofia grega AS ESPECIFICIDADES NA FORMAÇÃO DO EDUCADOR DE JOVENS E ADULTOS: UM ESTUDO SOBRE PROPOSTAS DE EJA Leoncio Soares (UFMG) Este texto traz resultados de uma pesquisa que vem sendo realizada sobre formação do educador de jovens e adultos que. o PROEF 2 Projeto de Ensino Fundamental de Jovens e Adultos/UFMG . da Universidade Federal do Espírito Santo. realizada com alunos formandos do curso de Letras-Português.no Sudeste e o CMET – Centro Municipal de Educação do Trabalhador Paulo Freire. Das propostas. em regiões distintas no país. Buscamos identificar. especificidades. Utilizaram-se como procedimentos de pesquisa a observação do cotidiano da escola. o impacto na área e a relevância para a comunidade envolvida. A partir dos resultados obtidos e das reflexões suscitadas. a formulação de uma política pública para a EJA e as iniciativas de formação inicial e continuada. Jane Paiva (2004) e Edna Oliveira (2001) deve ser especifica para se trabalhar com o publico da EJA. Objetivo geral: averiguar de que forma a educação continuada afeta o desempenho e a identidade profissional de professores atuantes no primeiro segmento do ensino fundamental. segundo Miguel Arroyo (2006). 1999). Mikhail Bakhtin (2009) e Walter Benjamin (1994). nestas propostas. os aspectos que caracterizam o que é especifico da EJA considerando o tempo de existência. Desse modo. Objetivo específico: analisar os sentidos que os professores de 1º segmento do Ensino Fundamental atribuem à sua prática pedagógica e a seus resultados a partir de tal formação. Palavras-chave: leitura. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos. a escola pública e a sociedade na formação do professor de Literatura.

. evidenciou-se que as mediações pedagógicas são propulsoras de aprendizagens.. Seja teu corpo uma cruz”. Souza e Passos (2008). Smole (1996). Como resultados. os olhos não sabem ver. frente ao desafio de articular a literatura infantojuvenil com a Matemática. Moreira e Ribeiro (1996). com base em entrevistas e análise documental.. Temos como referência os estudos de Machado (1990. Mediação pedagógica. Palavras chave: Estratégia formativa. “UMA ESTRATÉGIA FORMATIVA PROPULSORA DA APRENDIZAGEM: MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA” Luci Fátima Montezuma (UFSCAR) Este texto apresenta os resultados de uma pesquisa de mestrado que investigou os saberes mobilizados por um grupo de professoras das séries iniciais. tanto para os que ensinam como para os que aprendem. Percebi que foi no apelo à imagem do Instituto de educação. Tua missão: criar laços.MAS IMPORTA COMO VIVAS: TU TE TORNAS RESPONSÁVEL POR AQUILO QUE CATIVAS: IDENTIDADES DOCENTES NO SERTÃO CARIOCA (1963-1965). escorar-se na noção de estratégias identitárias (Dubar 1997). Carneiro e Passos (2007).Palavras-chave: Formação Continuada de Professores. que teve como foco de análise a turma de formandos de 1965 da Escola Normal Sarah Kubitschek (ENSK) situada no bairro carioca de Campo Grande. dentre outros aspectos. Seus normalistas seriam um dos condutores do progresso. Saberes docentes. O que naqueles não cabe. NORMALISTA! NÃO IMPORTA VIVER MUITO. E assim.Missão que requeria sacrifícios. e Qualidade na Educação. para perceber formas de elaboração da identidade social docente. Só este pode conter. como reiterava as palavras finais do hino de formatura: “O coração é que sabe. Tardif (2000) e Amaral. O objetivo deste trabalho é identificar e analisar o desenvolvimento profissional do grupo de professoras frente às diferentes estratégias formativas adotadas durante o curso.1991). a que ora abordamos. abre teus braços. Mas abertos em cruz! Palavras-chaves: História da Educação. Luciana Felippe Cardoso (PUC/RIO) Este texto é fruto de minha dissertação de mestrado (2007). que a Zona Oeste procurou construir uma imagem “menos sertão” e “mais cidade”. estabelecendo relações dos estudos teóricos com a prática. dentre elas. unir os homens na luz. os formandos de 1965 se preparavam para ingressar em sua profissão de braços abertos. identidade social . A pesquisa procurou. Identidade Profissional. as mediações pedagógicas.. num grande movimento de compartilhar saberes e uma importante estratégia para interlocução das teorias acadêmicas. Acredito que estas relações foram influenciadas pelas características da região em que a escola se encontrava: a Zona Oeste do Rio de Janeiro na época ainda conhecida como “Sertão Carioca”. num processo de formação continuada. Numa abordagem de análise qualitativa foram utilizadas narrativas orais e escritas e aplicação de entrevistas finais com as professoras. Por isso. Seu título é oriundo do hino de formatura desta turma e parece traduzir de maneira particularmente sagaz a concepção daqueles formandos acerca da profissão que integrariam. esta era sua missão. profissão docente. Neste processo formativo foram utilizadas diferentes estratégias. já então com décadas de existência. NORMALISTA. as quais potencializaram as professoras colaboradoras a construírem uma perspectiva dialógica.

através de problematizações acerca da circularidade de saberes que ocorre entre a escola e a universidade. através da abordagem etnográfica. retomamos os modelos de estágio e discutimos o PIBID enquanto um novo dispositivo de formação. na formação inicial. Como parte dos resultados. Lüdke. além de apresentarmos a concepção de trabalho docente que fundamenta a nossa discussão. cursaram ou cursam Pedagogia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e têm experiência no magistério. Mas novas formas de inserção na escola têm sido ofertadas e elas têm trazido conseqüências para a formação de professores. como os de Pedagogia da Universidade São Francisco (USF) dos campi de Itatiba-SP e Bragança Paulista-SP. têm o seu contato com a escola. Tradicionalmente. mas também nos impõe novos desafios. apresentamos o grupo do PIBID. trabalho docente . Para realizar a nossa reflexão. As participantes desse estudo são professoras que fizeram o Curso Normal. Mattos. é por meio do estágio que o aluno dos cursos de licenciatura. utilizando observação participante. no qual o licenciando pode passar de estagiárioobservador da escola para efetivamente um professor em formação na escola. primeiramente. Esta comunicação tem como objetivo apresentar algumas reflexões sobre as mudanças causadas na postura do aluno bolsista no PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência). sobre as instâncias formativas de professores e professoras e o exercício do ofício docente. A pesquisa pauta-se na abordagem qualitativa de cunho etnográfico. promovido pelo governo federal via CAPES. denominada Tecendo diálogos & construindo pontes: a formação docente entre a escola e a universidade. Palavras-chave: formação docente – circularidade de saberes – etnografia. O questionamento versa sobre o papel da formação em Pedagogia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro na construção de práticas educativas de docentes com experiência no magistério. O PIBID E AS POSSIBILIDADES DE UMA NOVA FORMAÇÃO DE PROFESSORES : ALGUMAS REFLEXÕES Luzia Bueno (Universidade São Francisco) Regina Célia Grando Maria de Fátima Guimarães A formação de professores é assunto sempre presente nas discussões da área de Educação. Os pressupostos teóricos que conduzem essa investigação estão pautados nas concepções de Tardif e Lessard. Palavras-chave: PIBID. evidenciamos os dados das observações realizadas e das entrevistas. Objetivamos investigar como ocorre a circularidade de saberes entre a escola e a universidade através dos processos de formação de professoras que atuam na educação básica. formação de professores. As análises dos dados ocorrem pelo processo indutivo que privilegia o total e o peculiar pelo procedimento denominado bottomup e da triangulação de dados. entrevistas e a descrição densa. Concluímos que a nova postura afeta positivamente a formação de professores. Dauster. A seguir.A ETNOGRAFIA DOS PROCESSOS FORMATIVOS DOCENTE: A CIRCULARIDADE DE SABERES ENTRE A ESCOLA E A UNIVERSIDADE Luís Paulo Cruz Borges (FFP/UERJ) Este texto tem como objetivo relatar o processo de construção teórico-metodológica de uma pesquisa. as escolas em que ele é desenvolvido e analisamos as ações dos bolsistas no PIBID em relação a “Conhecer a Escola” e “Conhecer a estrutura e funcionamento da Escola”. Fontoura.

Palavras-chave: Trabalho Profissionalização/Proletarização. A coleta de dados adotou como procedimentos metodológicos. embora também se encontrasse quem preferisse programas de formação com perfil tradicionalista. na expectativa de respostas diretas ou soluções para os problemas educacionais que enfrentam. Foram aplicados 3 tipos de questionários: o 1º coletou dados sobre a infraestrutura das escolas. Utilizou-se a pesquisa quantitativa em interlocução com a teoria. quanto das degradantes condições salariais. São revisitados autores que têm forte influência nesse debate recente no Brasil. São identificadas especificidades no labor docente e de pesquisadores. o 2º traçou o perfil dos docentes e o 3º identificou as percepções dos professores sobre seus ofícios. aponta-se como desafio aos professores e pesquisadores a superação do teoricismo acadêmico-científico. Nas linhas conclusivas. talvez. a maioria dos docentes afirmou que vivenciava. de 2006 a 2008. destacando as complexidades que se verificam no processo de articulação entre ensino e pesquisa. Candau e Kramer. em particular Nóvoa. dialeticamente. do utilitarismo que recorrentemente identifica tanto a prática investigativa quanto a educativa. A análise fundamenta-se em estudos sobre formação docente. decorrentes tanto do aumento de tarefas e de controle. Públicas Docente. Constatou-se a intensificação e proletarização do trabalho. sem. oferecida pela Secretaria de Educação de Juiz de Fora-MG. sendo que esses. sentimentos de mal-estar e bem-estar. e a promoção das adequadas condições para que os professores possam realizar investigações articulando ensino e pesquisa. de 36 escolas públicas da Grande BH. Políticas . entrevistas semi-estruturadas e questionários.PROFESSORAS DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM FORMAÇÃO – TEMPO DE MUDANÇAS? Márcia Patrícia Barboza de Souza (UCP) Ligia Maria Leão de Aquino O trabalho apresenta investigação da experiência de formação continuada direcionada a professoras dos anos iniciais do ensino fundamental. Alfabetização foi um tema predominante nos encontros. Contudo. O TRABALHO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: PROFISSIONALIZAÇÃO OU PRECARIZAÇÃO? Maria Auxiliadora M Oliveira (PUC/MINAS) Fernando Selmar R Fidalgo Fernanda Araújo C Campos Neste trabalho são analisados os processos de profissionalização/proletarização do trabalho de 539 professores. do praticismo docente. A participação das professoras nas discussões afirmou a importância de se refletir sobre temas cotidianos da escola. O recorte da pesquisa foca o perfil profissional das professoras de crianças de seis anos. contudo. desconsiderá-lo como parte de um conjunto de aspectos a serem trabalhados para o pleno desenvolvimento da criança. pesquisa. reunidas para discutir as especificidades dessas crianças na estrutura do ensino fundamental de nove anos. e apontadas possibilidades de articulação entre ambos. a análise de documentos. professor. se expliquem pela prática de uma gestão democrática. ensino. Palavras-chave: pesquisador. pelas relações de amizade e pelas tramas de resiliência. Palavras-chave: formação continuada – infância – ensino fundamental PROFESSOR E PESQUISADOR: A PROBLEMÁTICA RELAÇÃO ENTRE ENSINO E PESQUISA Marcos Francisco Martins (UNISAL) Adriana Varani O artigo trata da relação entre o trabalho do professor e o do pesquisador.

Ambas as pesquisas foram realizadas em Minas Gerais. uma vez que se percebe qual é frágil ainda o estabelecimento de relações entre teoria/prática propiciada pelos cursos de formação. “Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Pedagogia: quais são suas ressonâncias entre coordenadores e excoordenadores das IFES mineiras”. Tendo por base um referencial teórico crítico. buscou-se estabelecer correlações entre o processo de formação e a atuação dos docentes em escolas públicas. aplicado aos professores do 5º ano do EF. entrevistas semiestruturadas e encontros grupais com fundamento sociopsicodramático. Este trabalho busca descrever como é vista a situação de passagem dos alunos do ciclo I para o ciclo II por professores do ciclo II do ensino fundamental de uma escola pública de uma cidade do interior do estado de São Paulo. “A Formação. usou como técnicas observações sistemáticas. do tipo qualitativa. teve como objetivo analisar o Curso de Pedagogia e a influência das DCNs no que tange à definição.DESAFIOS PARA O PROFESSOR DO ENSINO FUNDAMENTAL: A PASSAGEM DOS ALUNOS DO CICLO I PARA O CICLO II Maria Christina Justo (PUC/SP) Regina Giffoni Luz de Brito Os ciclos envolvem períodos de escolarização organizados em blocos e surgiram como uma tentativa de superar a excessiva fragmentação do currículo. o Trabalho dos docentes que atuam no Ensino Fundamental e a Avaliação Sistêmica das Escolas Mineiras: um estudo comparado” foi desenvolvida por um conjunto de IES. A partir de um survey. O objetivo foi buscar uma maior compreensão sobre a prática diária. Tomam-se por base alguns resultados advindos de duas pesquisas. C. formação e atuação do pedagogo. própria do regime seriado. a confrontação de alguns resultados obtidos nestas investigações reflete a urgência de fortalecer mecanismos que propiciem a transposição didática dos conteúdos. A primeira. Esta pesquisa. A segunda. . A passagem entre os ciclos I e II do ensino fundamental constitui um momento decisivo do processo de aprendizagem e tem sido marcada por um elevado número de evasão de alunos. de quatro IFES. tendo como um dos instrumentos de coleta de dados entrevistas realizadas com atuais e ex-coordenadores. sua relação com estes alunos e sua percepção sobre a passagem de ciclo vivenciada pelos alunos. Algumas sugestões envolvem ações no campo das políticas educacionais: redução do número de alunos por turmas na transição. J. sendo também frágil a interface que os professores estabelecem entre formação e prática. oferta de cursos de formação continuada para professores que atuam nestas séries entre outras. DIMENSÃO TEÓRICO-FORMATIVA DO CURSO DE PEDAGOGIA E SUAS IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA PROFISSIONAL DO PEDAGOGO: POSSIBILIDADES OU ENTRAVES? Maria da Assuncao Calderano (UFJF) Santos. Trata-se de uma reflexão acerca da densidade teórica dos cursos de pedagogia e seus reflexos na prática dos egressos. Evidenciaram também a necessidade de ações no âmbito da escola com vistas à elaboração de práticas pedagógicas que estimulem o caráter coletivo do conhecimento e que permitam a construção de um currículo de transição. Os dados mostraram que os alunos que iniciam o ciclo II do ensino fundamental experimentam dificuldades de adaptação nesta passagem dos ciclos.

visando à qualidade deste nível de ensino? Objetiva. buscando respostas a questões do tipo: Quais similaridades e diferenças podem ser percebidas entre o professor idealizado para desenvolver determinados projetos e o professor real inserido no contexto da sala de aula? Que aproximações e distanciamentos podem ser percebidos entre a prática docente dos professores de séries iniciais e as mudanças propostas pelos programas oficiais a partir dos diferentes ideários pedagógicos que vão alterando e compondo os discursos oficiais? Parte do trabalho se organiza com base na investigação de campo realizada em uma escola municipal do interior de São Paulo. especialmente aqueles que remetem ao desenvolvimento de programas oficiais entre 1998 e 2008. outra parte se refere à análise de documentos.”TELEFONE SEM FIO”. que serão entrevistados com questões semiestruturadas. Cultura escolar. Prática docente. Palavras-chave: Formação de professores. tendo suas fontes coletadas a partir de registros de observação. Analisa a formação do professor para educação infantil: Como os projetos pedagógicos elaborados sob a luz das diretrizes curriculares nacionais do curso estão contemplando efetivamente a formação dos professores da educação infantil? Esta é a questão principal que se desdobra em outras secundárias: Quais as possibilidades e os limites apresentados nos projetos pedagógicos dos cursos que apontam para a não fragmentação do currículo? Como se referem à gestão? Como se referem à docência? Em que medida o projeto pedagógico do curso possibilita a não fragmentação destas duas áreas do saber gestão e docência? Como não fragmentar o currículo a fim de garantir um melhor desempenho do professor da educação infantil. de . O objeto é a ação dos sujeitos enquanto coordenadores. professores e alunos. Diretrizes curriculares. entrevistas com professores e formadores. Pretende contribuir para análises do currículo. Esta é uma pesquisa qualitativa. A pesquisa se norteia pelos estudos sobre Cultura Escolar que ajudam romper a concepção tradicional de escola vista de cima como simples agente de transmissão de saberes elaborados à parte. identificar um possível “desatar do nó” da fragmentação do currículo nos cursos de formação inicial do professor da educação infantil. O CURRÍCULO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL: O DESATAR DO NÓ DA FRAGMENTAÇÃO GESTÃO ESCOLAR E DOCÊNCIA Marilice Pereira Ruiz do Amaral Mello (PUC/SP) Regina Lúcia Giffoni Luz de Brito Esta pesquisa refere-se às diretrizes curriculares e ao projeto pedagógico do curso de Pedagogia. Palavras-chave: Currículo. e abrem espaço para o entendimento de uma escola vista por dentro capaz de produzir uma cultura singular e original.POSSÍVEIS LEITURAS DOS DIÁLOGOS ENTRE OS PROGRAMAS OFICIAIS DE ENSINO E OS PROFESSORES DE SÉRIES INICIAIS Mariany Almeida Montino (UNICAMP) Este trabalho pretende contribuir para uma reflexão sobre as relações que se estabelecem entre os programas oficiais de ensino e os professores de séries iniciais do ensino fundamental. com características de um estudo de caso comparativo. e a maneira como o saldo dessas relações interfere no contexto da sala de aula. Formação professores. identificando possíveis mudanças curriculares após a aprovação das diretrizes curriculares do curso de licenciatura em pedagogia.

mais produtivo e significativo. para a formação do futuro docente. gênero e subversão na escola básica. Jodelet (2001). Candau (2003). da universidade e da escola. Lessard. Lahaye (1991). Gomes (2000). RJ e. Nele se entrecruzam saberes teóricos esperados da universidade. nessa comparação. desconhecem a Lei 10. 2005). suas propostas metodológicas. Diversidade. A invisibilidade de homossexuais no contexto escolar e os preconceitos são também focos da pesquisa de Maximiano Santos.639/03. DIVERSIDADE E PRECONCEITO Maximiano Henrique R. que incluem levantamento de dados através de narrativas e observação etnográfica. trazendo-os e levando-os de um lado ao outro. vinculados à temática da diversidade na escola. evidencia-se a falta de percepções da diversidade de orientação sexual. relaciona-se com o conceito de habitus de Bourdieu (1998. Coutinho Santos (UFF) Mary Rangel Walcéa Barreto Alves A pesquisa sobre Temas da diversidade na escola e na literatura (RANGEL. Nosso estudo pretende ver de perto como se passa esse cruzamento. A abordagem metodológica é qualitativa e os contextos linguísticos foram analisados com base na análise de conteúdo de Bardin ( 2007). os negros). e saberes originados da prática docente de professores da escola básica. entre eles. ESCOLA. Preconceito O ESTÁGIO NA FORMAÇÃO DOCENTE. Palavras-chave: Escola. que abandonam a escola. 2008-2012). COMO CAMPO DE CRUZAMENTO DE SABERES Menga Lüdke (UCP) A partir de constatações de pesquisas anteriores sobre o estágio supervisionado. focalizando-o a partir da perspectiva dos diferentes atores nele envolvidos: professores. que vêm há muito constituindo obstáculos para o desenvolvimento de um estágio. procurando integrar em sua própria formação o que puderem apreender dos dois tipos de saberes. A despeito do reconhecimento das precárias condições em que se encontram muitas escolas da rede pública. Palavras-chave: Escola. Munanga (1999. compreendida através de mecanismos e processos das representações sociais. A pesquisa apóia-se na Teoria das Representações Sociais de autores. gestores das Secretarias e estagiários. 2001. transmitidos pela escola tradicional. ENTRE A UNIVERSIDADE E A ESCOLA BÁSICA.639/03. extraídos de respostas a questionários com perguntas fechadas. acreditamos que poderemos descobrir e possivelmente desenvolver caminhos alternativos e estratégias. dentre eles. sobre Narrativas. A aproximação entre eles pode revelar condições e fatores. A pesquisa sobre Temas da diversidade na escola e na literatura está propiciando análises comparativas da percepção da diversidade por professores de escolas municipais de Niterói. A pesquisa de Walcéa Alves discute a possível relação entre representações e preconceitos que prejudicam a qualificação social da escola e refletem na autoestima do aluno. estão fora da série/ano de acordo com sua idade. e a análise de conteúdo baseada em Laurance Bardin. A discussão do preconceito e a sua formação. constituem objetivos dessas pesquisas e articulam sua problematização. Diversidade. agrega o estudo de Walcéa Alves. Os resultados revelaram que: os sujeitos ancoraram os estereótipos negativos sobre o negro. 2009) e com estudos sobre o trabalho docente. Preconceito. tais como Moscovici (1978. seus fundamentos. Os estagiários são agentes e beneficiários desse cruzamento de saberes. não propõem momentos de reflexão a respeito da origem étnica dos alunos (e. e o estudo de Maximiano Santos. além de Abadalla ( 2008). Tardif.REPRESENTAÇÃO SOCIAL E TRABALHO DOCENTE: DIVERSIDADE CULTURAL E IDENTIDADE ÉTNICA Mary Francisca Do Careno (UNISANTOS) O trabalho objetivou investigar as representações sociais de professores sobre seus alunos e saber como estão implementando a Lei 10. Gilly ( 2001). e não encontram emprego mesmo após terem terminado o Ensino Médio. sobre A escola através do espelho: o aluno e suas representações. 2007). abertas e de evocação. estamos desenvolvendo um estudo. . focalizando esse elo frágil do processo de formação de professores.

políticas e práticas na formação de professores em Educação Física da UFRJ. Formação docente. baseada na perspectiva teórica de Booth & Ainscow (2002) e Santos (2003). Neste texto. 1977) para tratar os dados. A investigação se deu através de análise documental. Esta dissertação teve o intuito de investigar a formação dos licenciandos do curso de Educação Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro com relação à Inclusão em Educação. e pouca preocupação com a prática reflexiva. Os dados coletados com relação ao perfil dos professores foram tabulados com o auxílio do SPSS e as demais informações estão sendo analisadas por meio da análise de conteúdo. Palavras-chave: Inclusão em educação. trazemos um breve perfil dos professores participantes da pesquisa e focalizamos as dificuldades por eles enfrentadas no início da docência e o modo como a formação contínua pode ajudá-los a lidar com os problemas que marcam o seu ingresso na profissão. Para a coleta de dados. Foi possível perceber como o CEDERJ concebe essa tutoria e como o próprio tutor do pólo estudado se vê diante de sua atuação na função. saberes docentes AS DIFICULDADES DO INÍCIO DA DOCÊNCIA E AS CONTRIBUIÇÕES DA FORMAÇÃO CONTÍNUA NA VOZ DE PROFESSORES INICIANTES Naiara Mendonça Leone (FCT/UNESP) Yoshie Ussami Ferrari Leite O presente trabalho.SP. e utilizando as técnicas e instrumentos escolhidos. educadores como Pimenta. e trabalhos vinculados aos saberes da profissão professor descritas por . triangulamos os dados. Nóvoa. marcada pela ênfase no rendimento físico e nas técnicas. Destaca-se. Esta pesquisa se insere em uma abordagem qualitativa. Palavras-chave: educação à distância. Recorremos à Análise de Conteúdo (BARDIN. da Fonseca (UFRJ) O objetivo deste artigo é apresentar uma síntese da dissertação de mestrado intitulada Inclusão: Culturas. básica. Educação Física. muitas vezes esse profissional se vê subestimado em sua importância. grupo focal e entrevistas. no curso de Ciências Biológicas de um de seus pólos de apoio. troca de saberes. Alarcão e Paiva. CONCEPÇÃO DE TUTORIA PRESENCIAL E VIVÊNCIA DO COTIDIANO: UM ESTUDO NO CONSÓRCIO CEDERJ Mônica de Carvalho Teixeira (UCP) Stella Cecilia D. de S. a necessidade de que o tutor presencial e o tutor a distância sejam cada vez mais objeto de investigação tanto nos aspectos pedagógicos de sua atuação como na figura de profissional que representam na carreira docente. ao seu final. Tomou-se por base autores como Belloni e Maggio. compreendida em três dimensões: a construção de culturas. POLÍTICAS E PRÁTICAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM EDUCAÇÃO FÍSICA DA UFRJ Michele P. A pesquisa de campo se baseou na análise de documentos do CEDERJ e em entrevistas semiestruturadas com sete tutores em exercício no curso. selecionamos como procedimentos metodológicos a aplicação de questionário e a realização de entrevistas semiestruturadas de grupo com os professores iniciantes. INCLUSÃO: CULTURAS. de caráter descritivo-explicativo. o desenvolvimento de políticas e a orquestração de práticas inclusivas. Segenreich Esta pesquisa tem por finalidade estudar a figura do tutor presencial do Consórcio CEDERJ. Os resultados mostraram que a formação é voltada majoritariamente à dimensão da orquestração de práticas de inclusão. tutoria presencial. vinculado à linha de pesquisa “Políticas Públicas. tem por objetivo investigar necessidades formativas de professores em início de carreira que atuam nos anos iniciais do Ensino Fundamental em escolas públicas da rede municipal de Rancharia .Palavras-Chave: universidade/escola estágio. Os dados constataram que há uma linha tênue que separa a função professor e a função tutor e que. tendo como referencial de análise e discussão a estrutura conceitual sobre Inclusão. Organização Escolar e Formação de Professores”.

textos. realizada em duas fases: a primeira fase realizou à moda de um estado da arte. foram encaminhamos para os 27 polos de apoio presencial do curso de pedagogia da Metodista.Palavras-chave: Necessidades Formativas. possuem pais com escolaridade mínima e trabalham. os dados demonstram que alguns indicadores convergem para características já discutidas na área – que os alunos que freqüentam cursos de graduação a distância pertencem a uma faixa etária mais velha do que alunos dos cursos presenciais. uma investigação da temática “formação de professores em cursos a distância” no âmbito da produção teórica na área da educação. Professores Iniciantes. desde a implantação do curso (agosto/2006) até o semestre da realização da pesquisa (junho 2009). ou preconceito. considerando as turmas do Curso de Pedagogia EAD da Metodista. especialmente no caso do curso de pedagogia. Utiliza-se de relatos orais e escritos e questionário/autoavaliação de alunos do Curso de Pedagogia do UniBH. Formação Contínua. Autonomia Profissional FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CURSOS A DISTÂNCIA – UM ESTUDO A PARTIR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA METODISTA Norines Panicacci Bahia (UMESP) Marilia Claret G Duran Este artigo apresenta os resultados da pesquisa intitulada "Formação de professores em cursos a distância: uma inclusão excludente?". dissertações e teses. pois vivenciamos as incertezas sobre a legitimidade/reconhecimento dos cursos de licenciatura a distância. O exercício da atitude interdisciplinar possibilita tomar como parâmetro de análise o olhar do aluno para não conflitar a maneira que estes expressam autonomia com o desejo de que a demonstrem na concepção do proceder metodológico. que a maioria possui uma renda familiar baixa. O conceito de autonomia apresenta-se mais como slogan pedagógico pelo uso propagandístico nos objetivos dos projetos educativos e menos idéia força para nortear a qualidade na prática educativa por um tipo novo de autonomia profissional. são casados. O trabalho tem por objetivo compreender como e em qual direção deve caminhar a ação didática do formador do professor para criar condições de mediar a construção da autonomia profissional de um tipo novo ao estudante em formação inicial para atuar no ensino fundamental. que estavam freqüentando os 2º. também. presente em artigos. Palavras-chave: Interdisciplinaridade. analisar suas opiniões e considerações sobre o próprio curso buscando elementos que pudessem denotar resistência ou preconceito sobre o curso na modalidade a distância. Para a coleta de dados da segunda fase. nas aulas das disciplinas Ensino e Pesquisa e de Currículo. de cada polo. com a intenção de traçar o perfil dos alunos e. há a confirmação destas percepções e acreditamos não serem por acaso. A ATITUDE INTERDISCIPLINAR DO FORMADOR DO PROFESSOR E A AUTONOMIA PROFISSIONAL Nali Rosa Silva Ferreira (PUC/SP) Ivani Catarina Arantes Fazenda Qualificar a formação inicial de professores para a melhoria da qualidade do ensino fundamental público brasileiro é desafio da Instituição de Ensino Superior que vive pane de sentido ante um novo sentido para a autonomia na formação do professor da escola básica. e obtivemos a devolutiva de 251 questionários. como formação inicial. Toma-se como eixo de reflexões a atitude interdisciplinar da pesquisadora na ação didática pela autonomia profissional. Formação Docente. . Sobre as questões que buscam perceber a não aceitação do curso a distância. Sobre o perfil dos alunos. numa abordagem longitudinal. 4º e 6º períodos do curso. na época. proposta pelo GEPEAD – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Educação a Distância. 325 questionários para serem respondidos para uma amostra de 5 alunos por período. Constituise desafio conciliar no tempo cronológico o tempo kairológico dos alunos para compreensão da proposta de trabalho na tentativa de captar o sentido da concepção de autonomia de um tipo novo. A segunda fase realizou um estudo de caso.

entre outros. professores supervisores de estágio e professores regentes — para a discussão conjunta sobre o papel do estágio na formação de futuros docentes. Foram entrevistados oito estagiários. A aproximação entre todos os sujeitos da pesquisa em uma proposta conjunta de estágio. na formação dos professores. aspectos de sua . dentre outros. Esses resultados parciais são provenientes da revisão de literatura já mencionada anteriormente. por meio do estágio supervisionado. DIFICULDADES EM TORNO DA ESCRITA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE PEDAGOGIA Priscila Monteiro Corrêa (UFRJ) Este trabalho. Pierre Lévy. Santaella e Tapscott. Tardif. para sensibilizálos para o seu novo papel e para a necessidade de integração das tecnologias de informação e comunicação na sala de aula. recorte da dissertação “O letramento do professor em formação inicial e o futuro professor como agente de letramento”. A adesão de todos os envolvidos no estágio a um projeto comum abre possibilidades para se pensar em futuras propostas de formação docente em real colaboração entre estas duas instituições formadoras de professores. mas investir também. tem como objetivo descrever. permite entender as contribuições que esta parceria traz para a formação docente. Nesse sentido apresentamos alguns resultados preliminares do presente estudo voltado para formar futuros professores incluídos digitalmente. no contexto aqui estudado. dá sustentação à pesquisa. estágio supervisionado. Leite. constitui rica possibilidade de troca entre os envolvidos. (d) a formação de professores deverá contribuir. quatro professores supervisores. Cardozo e Albuquerque. destacando-se o seguinte: (a) a escola se vê obrigada a repensar sua prática pedagógica em meio a tantas mudanças decorrentes nas esferas do conhecimento. como se observa em Nóvoa. a partir de duas entrevistas coletivas realizadas com alunos do Curso de Pedagogia da UFRJ.Palavras-chave: formação de professores a distância. Santos. Zanchetta Jr. Lima. perfil de alunos INCLUSÃO DIGITAL: OS DESAFIOS DO ENSINO SUPERIOR NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO MUNDO CONTEMPORÂNEO Norma Sueli Martins (Universidade Estácio de Sá) Lina Cardoso Nunes O objetivo desse artigo é apresentar resultados parciais da revisão de literatura da pesquisa intitulada “Inclusão Digital: Os Desafios do Ensino Superior na Formação de Professores no Mundo Contemporâneo”. autores que fundamentassem teoricamente o tema abordado. Nesse contexto para clarificar o tema proposto. e de uma forma significativa. Canário. UMA PROPOSTA DE COLABORAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Priscila Andrade M Rodrigues PUC/RIO) A pesquisa procura investigar as contribuições de uma proposta de colaboração entre universidade e escola de educação básica na formação de professores. curso de pedagogia a distância. A literatura que entende a escola como espaço real da formação inicial e continuada e do desenvolvimento profissional de professores. As constatações indicam que o estágio. (c) a urgência de compreender a importância de investir não só nos equipamentos. Nessa fase inicial da pesquisa buscamos através da revisão bibliográfica. universidade e escola. Palavras-chave: formação de professores. dois professores regentes e a diretora da escola envolvida. (b) os professores e a instituição escolar precisam reconhecer o fato de já não terem mais o monopólio da transmissão de saberes e a imagem que tiveram no passado. Este estudo tem como base uma parceria que juntou todos os envolvidos no estágio — estagiários. Silva. Kerckhove. Lüdke. trouxemos os autores Castells. Lemos & Lévy. Perrenoud. juntamente com a literatura sobre estágio analisadas em Ghedin. Pimenta. saberes e práticas que ocorrem na atualidade. Perrenoud.

na perspectiva do paradigma experiencial de Josso (2004). Josso. com a possibilidade dum acompanhamento de sua atividade docente no contexto de sua sala de aula. Sugere-se que as políticas educacionais voltem-se à formação do professor. Suano. percepções e/ou representações que possam interferir no processo de aquisição da escrita. Buscam-se evidências da forma pela qual as trajetórias pessoal e profissional podem influenciar a prática educativa no espaço museológico. ao contexto social. autores que abordam os temas de Arte/Educação. o sentido da narrativa autobiográfica. Estuda a relação entre queixa e fracasso escolar. adota-se a abordagem (auto) biográfica. buscando verificar se a compreensão que o professor alfabetizador tem do aluno interfere no seu processo de alfabetização. como referencial teórico. na perspectiva de Jovchelovitch & Bauer (2002). Propôs-se a identificar. Palavraschave: Escrita. especialmente no que diz respeito às dificuldades encontradas para a produção de gêneros discursivos (BAKHTIN. OS MITOS E AS NARRATIVAS NOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DOS EDUCADORES DA PINACOTECA DO ESTADO DE SÃO PAULO Regina Costa D’Avila Queiroz Saggese (UNICID) O presente estudo focaliza os processos (auto) formativos dos Educadores da Pinacoteca do Estado de São Paulo e elege. há. São eles: criação de um espaço dentro da universidade para ensinar a escrita exigida por ela mesma. Fracasso escolar. Com base no diálogo com autores como Street (2008) e Marinho (2008. visando captar as experiências subjetivas do entrevistado. Foram realizadas duas entrevistas semidiretivas com sete professores de uma escola da rede estadual. Educação Estética. A metodologia utilizada foi a Entrevista Narrativa. Palavras chave: Complexidade. FRACASSO ESCOLAR E QUEIXA DO PROFESSOR: UMA RELAÇÃO A SER INVESTIGADA Regina Aparecida Loureiro Caroni (UNINOVE) Elaine Teresinha Dal Mas Dias O trabalho tem como objeto a queixa do professor regente de classe de 1ª série do Ensino Fundamental acerca do processo de aprendizagem dos seus alunos. aos problemas de saúde e necessitam de auxílio externo. o professor mostra um isolamento e tenta buscar soluções por meio de cursos que complementam a sua formação inicial. como problema a ser investigado. Ana Mae Barbosa. Os resultados deste estudo apontam a presença do mito pessoal. mitohermenêutica . Freire . na perspectiva de Ferreira Santos (2004) e Ortiz-Osés (2004). na visão destes educadores. Neste trabalho. tendo como enfoque mitohermenêutico. A análise de conteúdo das entrevistas possibilitou buscar o discurso subjacente no relato dos educadores à luz da Teoria da Complexidade de Edgar Morin. demonstrando a busca da construção da identidade da própria profissão. O objetivo é compreender e desvelar os elementos mitológicos constituintes desta formação. 1997) em circulação predominantemente na esfera (BAKHTIN. Experiência estética. No estudo. As causas das dificuldades de aprendizagem para o professor se estruturam em um eixo externo à sala de aula e à escola e se encontram a fatos relacionados ao aluno. Dominicé. no discurso do professor. Palavras chaves: Processos formativos. Pelo que se pôde depreender dos relatos. Ostetto. 1997) universitária.formação referentes à escrita. num município da Grande São Paulo. 2009) e na pesquisa empírica realizada. são defendidos alguns princípios pertinentes para a formação inicial de professores no Curso de Pedagogia. entre eles. adequação às regras gramaticais. em especial. formação inicial de professores. à família. inserção da escrita acadêmica como objeto de todas as disciplinas do curso e oferecimento do “feedback” das escritas produzidas pelos alunos. nas narrativas dos percursos auto-formativos. em virtude de estereótipos e/ou preconceitos relacionados à subjetividade docente. autoria e (auto) biografia. que transformados em documentos possibilitaram a analise dos percursos (auto) formativos dos educadores. Subjetividade. Curso de Pedagogia.

os relatos feitos pelo grupo de professoras revelam mudanças importantes no habitus profissional das entrevistadas. tomando também como referência o contexto de produção de cada um deles (GINZBURG. Reforma Vivacqua. REPERCUSSÕES DA FORMAÇÃO EM NÍVEL SUPERIOR NAS PRÁTICAS PESSOAIS E PROFISSIONAIS DE PROFESSORAS DAS CLASSES POPULARES Regina Lúcia Cerqueira Dias (UFMG) Este trabalho tem como objetivo principal identificar e analisar a influência do Curso Normal Superior nas possíveis mudanças ocorridas nas práticas pessoais e profissionais de um grupo de professoras pertencentes às classes populares. documentos legislativos. Palavras-chave: Reforma Gomes Cardim. na Reforma Cardim. levando em conta o pertencimento social e de gênero dos sujeitos da pesquisa. Os dados analisados neste texto são originados de uma pesquisa empírica. pelo capixaba Attílio Vivacqua (1928-1930). quanto na profissional. Considerando as características específicas do objeto de estudo. o reformador Vivacqua assumiu como estratégia a ampliação da formação docente. Formação de professores. orientada pela professora Lucíola Lícínio de Castro Paixão Santos. a pesquisa acompanha os movimentos de controle do Estado sobre o exercício do magistério e a ênfase à habilitação docente como estratégia adotada para instituir mudanças nas escolas públicas. professoras dos meios populares. jornais. Na análise. procura interrogar as dobras dos textos. ainda não foram superados por elas e repercutem em suas vidas tanto na dimensão pessoal. Como principal deslocamento. Quanto à prática docente. Procurei reconstruir as histórias de vida narradas por um grupo professoras egressas do referido curso. a Escola Normal constituía o núcleo forte e centralizador da política de formação de professores.A MODERNIZAÇÃO DO ENSINO CAPIXABA NO INÍCIO DO SÉCULO XX (1908-1930): MODELOS DE UMA NOVA ESCOLA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES Regina Helena Silva Simões (UFES) Rosianny Campos Berto Sandro Nandolpho No Espírito Santo. a instrução pública passou por duas importantes reformas: a primeira proposta pelo paulista Gomes Cardim (1908-1909) e a segunda. o estudo também revelou algumas permanências em suas práticas pessoais e profissionais que parecem indicar que alguns dos problemas vivenciados pelo grupo de docentes. Palavras-chave: formação docente. No entanto. se. advindos de suas formações familiar e profissional. Tomando-as como eixos de análise. observa que. ambas objetivando a modernização do ensino. habitus. Utiliza como fontes relatórios de governo e da chefia da Instrução Pública. . No entrecruzamento das fontes. na tentativa de fazer falar o hors-texte. entre a proclamação da República em 1889 e a Revolução de 1930. publicações historiográficas sobre o Estado e a educação local. procurase compreender que fatores impulsionaram esse deslocamento e de que forma as estratégias adotadas se articulavam ao ideário pedagógico modernizador que circulava no Brasil nos períodos estudados. optei por realizar uma pesquisa qualitativa e utilizei a abordagem biográfica. realizada no doutorado. 2002). por meio da criação do “Curso Superior de Cultura Pedagógica” destinado aos professores já no exercício do magistério. revistas. A investigação baseou-se na teoria da ação que sustenta as obras produzidas por Bourdieu e Lahire e pelos estudos desenvolvidos por Perrenoud sobre a formação e prática docente.

além de ambiguidades sobre as especificidades da docência da infância. instituições de educação não-formal. 2005). como diretora escolar do grupo pesquisado e. cuidados assistenciais e educação preparatória remontam ambiguidades históricas em torno das especificidades de educar e cuidar que ainda marcam a educação infantil (KRAMER. um cotidiano atribulado e corrido para os educadores e coordenadores e baixa freqüência do exercício escrito o que provoca experiências nesse campo da educação nãoformal bastante calcadas no senso-comum e na oralidade. videográfica. re/montando um quadro emergente e desafiante de formação continuada no contexto da escola. audiogravadas e transcritas. na construção das análises. modificando-se historicamente através de influências econômicas. que visem maiores reflexões e apropriações efetivas dos fazeres. fotográfica. Segundo Ariès (1981). confrontos. de A ÉTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA UNIVERSIDADE PÚBLICA: O QUE DIZEM OS ESTUDANTES DE LICENCIATURA DA UFRJ? Renato José de Oliveira PESQUISA-AÇÃO E FORMAÇÃO DE EDUCADORES NA/DA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL: O REGISTRO DA PRÁTICA COMO ELEMENTO DE REFLEXÃO Renata Sieiro Fernandes (UNICAMP) Esta comunicação apresenta recorte de uma pesquisa-ação desenvolvida em duas Ongs. formação educadores. o planejamento estratégico de encontros realizados em Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC).EDUCAR E CUIDAR COMO ELO DA RELAÇÃO FAMÍLIA E ESCOLA: PERSPECTIVAS DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL Renata de Fátima Ceribelli (UNIMEP) Renata Cristina Oliveira Barrichelo Cunha Este trabalho faz parte de uma pesquisa de Mestrado que buscou compreender as perspectivas de professores de educação infantil sobre a relação família e escola. percebe-se que existem dificuldades para se instaurarem momentos de registros pontuais na prática docente e com isso. em Campinas cujo foco foi a formação em serviço dos/as educadores/as e coordenadores/as pedagógicos/as visando refletir e reorientar as práticas educativas envolvendo jovens e crianças freqüentadores dessas instituições. Palavras-chave: pesquisa-ação. para o campo da educação nãoformal e a necessidade do registro como modo de apropriação do fazer educativo e como ferramenta indispensável para a reflexão e autonomia dos educadores. articular argumentos e trocas inter-educadores. Um dos aspectos envolvidos nessa pesquisa-ação foi a construção de um site como estratégia para registro da prática – de forma escrita. os autores foram Trilla e Freire. No Brasil. políticas. culturais. explicitando conflitos. orientada pela matriz histórico-cultural. a relação família e escola se organizou a partir do sentimento de infância desabrochado no século XVII. Deve-se a isso uma grande rotatividade de educadores nas instituições. perspectivas docentes que revelam divisões de papéis na complementaridade dessa relação. Encontram-se. A pesquisa de campo revelou o aprofundamento e a descrição de seu contexto a partir da pesquisadora que se insere. também. educação não-formal. A pesquisa tem por objetivos centrais investigar como as questões éticas/morais são . ainda que considerando as transformações históricas. com registros individuais escritos e discussões coletivas. Andrea Penteado de Menezes Cristina Nacif Alves Este trabalho apresenta e discute os primeiros resultados obtidos a partir da aplicação de um questionário-piloto a alunos de licenciatura da UFRJ. A base teórica para se pensar a pesquisa-ação foram Thillent e Gatti. Como resultados. sonora .e como instrumento estimulador para a reflexão sobre os fazeres e os saberes construídos no cotidiano por todos os envolvidos nos processos educativos. Palavras-chave: Educar e Cuidar – Relação Família e Escola – Formação de Professores. julgamentos de valor influenciados pela ideia de um modelo hegemônico de família.

que essa formação citada possui ligação com a representação que eles têm sobre educação para pessoas com necessidades educacionais especiais. desenvolvida na linha de pesquisa do cotidiano escolar. Para tanto. As orientações técnicas. privilegiando as mediações com textos. A análise feita sugere: a) superficialidade na expressão dos conceitos de ética/moral fornecidos pelos licenciandos. Formação De Professores. e conclui-se. Palavras-chave: ética/moral – formação de professores – retórica e argumentação. Os participantes responderam um questionário e os dados coletados revelaram que as concepções que professores têm sobre Educação Especial está ligado a questões sobre atendimento especial. realizada com vinte e seis professores do Projeto de Recuperação e Reforço da Diretoria de Ensino de Votorantim. Palavras-chave: Educação Especial. recorrem a argumentos pragmáticos (o enfoque deve ser laico para evitar conflitos religiosos na escola) ou então desvinculam a ética/moral (ruptura de ligação) das visões religiosas. já as concepções sobre o que é atuar na perspectiva da educação inclusiva há uma relação com a necessidade de formação específica. c) abordagem laica tanto na formação inicial dos futuros professores como no trabalho com os alunos da educação básica na escola pública. Prática docente. com orientações específicas para o ensino de língua portuguesa. AS CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA SOBRE A EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: UM ESTUDO NA REDE MUNICIPAL DE SÃO PAULO Ricardo Schers de Góes( PUC/SP) O objetivo desta pesquisa foi investigar as concepções que professores da educação básica. tendo em vista que a metodologia empregada permite fazer a interpretação de discursos na perspectiva de estabelecer linhas de diálogo com eles. questões-problema e discussões temáticas. buscamos compreender o pensamento dos respondentes com base no tipo de argumentação apresentada. Palavras-chave: Mediação.trabalhadas na formação dos licenciandos da UFRJ e se estes veem a inserção das mesmas na escola pública a partir de um enfoque laico ou confessional. Estado de São Paulo. recorre aos estudos sobre conceito. Palavras-chave: ética/moral – formação de professores – retórica e argumentação. A investigação é balizada pela teoria da argumentação de Perelman & OlbrechtsTyteca. Para tal. concluindo-se. que os professores descartam ou desconhecem as outras modalidades da Educação Especial. foram realizados cinco encontros ao longo de um semestre. têm sobre o que é educação especial e o que é estar preparado para atuar na perspectiva da educação inclusiva. em sua maioria. trouxeram aos professores a possibilidade da mediação como procedimento de ensino. e também. Educação Inclusiva MEDIANDO E TRANSFORMANDO A PRÁTICA DOCENTE NO PROJETO DE RECUPERAÇÃO E REFORÇO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Ricardo José Orsi de Sanctis (UNISO) Eliete Jussara Nogueira O presente trabalho apresenta dados parciais de uma pesquisa qualitativa. Em linhas gerais. a pesquisa apresenta algumas considerações sobre a educação especial e a atual perspectiva de educação inclusiva no Brasil e no mundo. do município de São Paulo. cujo referencial teórico principal foi Vygotsky e a perspectiva sócio-histórica. assim denominadas pela Diretoria de . b) ausência de discussões sobre o tema nas disciplinas pedagógicas. As justificativas apresentadas. Ensino. Recuperação e Reforço. Teve como objetivo principal relatar uma experiência cujas ações foram direcionadas à transformação das mediações em sala de aula através de um projeto de educação continuada.

ENSINO MÉDIO EM REDE (EMR): REFLEXÕES DE UMA PROFESSORA SOBRE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES Rita De Cássia Medeiros Borges (UNESP) Marcia Reami Pechula Esta pesquisa traz a abordagem principal o estudo dos pressupostos teóricos que embasam o Programa de Formação Continuada para Professores do Ensino Médio – Ensino Médio em Rede (EMR) – visando também. O Programa do EMR destinou-se aos professores do Ensino Médio. portanto. dos períodos diurno. de cunho bibliográfico. em sua maioria dos terceiros anos. Libâneo. para que possam promover espaços de reflexão crítica e um maior contato dos professores com as teorias necessitando. Por diferentes motivos. as escolas e os professores aparecem em números reduzidos enquanto agentes denunciantes e uma das explicações para estes números seria a falta de formação sobre o tema durante a formação inicial de educadores. das atividades aplicadas por meio das fichas de atividades da Vivência Formativa (VF). nos anos de 2004 a 2006. A pesquisa teve como objetivo analisar como os professores coordenadores pedagógicos daquela rede de ensino compreendem e descrevem sua atuação como formadores de professores. dos Santos (UNESP) Renata M. ampliar os espaços de debates. A AUTOANÁLISE DE COORDENADORES PEDAGÓGICOS SOBRE SUA ATUAÇÃO COMO FORMADORES DE PROFESSORES Rodnei Pereira (PUC/SP) A formação de professores como atribuição do coordenador pedagógico apresenta-se como uma tendência que. Os resultados obtidos serviram para basearmos uma estratégia de intervenção. que nos serviram de base para a análise do Projeto Pedagógico do Programa e das Fichas de Atividades da Vivência Formativa. coordenadores. Entretanto.VIOLÊNCIA SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES E A FORMAÇÃO INTEGRAL DO PROFESSOR: UMA POSSIBILIDADE DE PROTEÇÃO Rita de Cássia F. Lüdke. para atingirmos os objetivos propostos por essa pesquisa. A violência sexual infanto-juvenil é um tema alvo de discussão por diversos segmentos sociais. vem sendo incorporada pelas políticas públicas referentes aos profissionais desta área. Participaram alunos de ambos os sexos. situada na região leste da Capital. O objetivo deste trabalho é de apresentar dados resultantes de uma pesquisa de mestrado. aos poucos. vespertino e noturno. através . já que constatamos que o conhecimento sobre a temática é superficial e a sua discussão em nas disciplinas destes cursos e escassa. verificar como as teorias se apresentaram aos professores. por meio da CENP – Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas. com o intuito de verificar o conhecimento destes sujeitos sobre o tema. Trata-se de uma pesquisa qualitativa. assistentes técnico-pedagógicos e supervisores da Rede Estadual de Ensino. pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. que buscou o estudo das teorias atuais de formação continuada de professores por meio de obras de referência como Nóvoa. e que esteve na base de consideração deste trabalho. entre outros. Coimbra Libório Diversos estudos mostram que a escola seria um dos locais privilegiados para que ocorra a detecção e intervenção em casos de violência sexual. que têm como objetivo comum a proteção dessa população. Educação. Sacristán. Palavras-chave: Violência Formação de Professores Sexual. obtidos através de questionários aplicados a alunos dos cursos de licenciatura da FCT/ UNESP campus de Presidente Prudente. como é o caso do Programa Ler e Escrever. Pimenta. destinado às séries iniciais do Ensino Fundamental da rede estadual de São Paulo. foram escolhidos 6 participantes que atuavam em escolas de ensino fundamental de uma única Diretoria Regional de Ensino. discussões e trocas de experiências. A pesquisa nos levou a compreender a necessidade de se repensar os moldes dos cursos de formação continuada.

se priorizam temáticas para formação específica ou geral em suas publicações.Neste trabalho. que marcaram a história da sua profissionalidade. políticas de formação. permitiram-nos compreender o modo como eles escolhem. Os resultados indicaram que o trabalho dos professores coordenadores pedagógicos guarda traços de burocratização e fiscalização do trabalho docente. Educação Física. Palavras-chave: coordenador pedagógico. verificada nas entrevistas. mas que esta aceitação ainda não está concretizada. SEXUALIDADE E EDUCAÇÃO Roney Polato de Castro (UFJF) Tomando como base as análises realizadas numa pesquisa de mestrado em educação sobre os sentidos e possibilidades do Programa de Educação Afetivo-Sexual (PEAS) em escolas do município de Juiz de Fora (MG). as competências e habilidades que privilegiam. formação continuada. ou seja. tanto no ensino quanto nas publicações. atravessada pelo gênero e pelas sexualidades. Palavras-chave: Representações Sociais. Fazendo uso de falas de professoras participantes da pesquisa e de observações em cursos de formação promovidos pelo PEAS (e outras instâncias). narrativas e análise de uma publicação de cada professor. que evidenciavam suas representações. Verificamos que há uma congruência nas objetivações dos professores no que se refere à aceitação de uma formação diferenciada para o Bacharel e para o Licenciado. atitudes e pensamentos desses sujeitos diante do gênero e das sexualidades na escola. empregou-se como procedimento de coleta de informações entrevistas individuais. a partir de teorizações dos estudos culturais e dos estudos pós-estruturalistas. como eles orientam e abordam os conteúdos. cuja análise do discurso buscou fundamentação na metodologia de pesquisa qualitativa. Os esforços dos participantes em desenvolver a formação continuada dos professores são fruto de conquistas empreendidas isoladamente e marcadas por interpretações subjetivas. constituindo posturas. percebem e perspectivam suas práticas docentes e a dos alunos. Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG sobre o Bacharelado e a Licenciatura e as implicações de tais representações na formação dos profissionais em cada uma dessas modalidades. Bacharelado/ Licenciatura. . argumenta-se que estes são instâncias de subjetivação de professoras e professores. se são específicas ou gerais. As falas dos professores nas entrevistas. valorizam. das distinções ou não que fazem da atuação profissional do Bacharel e do Licenciado. para PELOS CAMINHOS DAS VIAGENS. o texto apresenta problematizações sobre alguns dos sentidos da formação docente. nas narrativas e nas publicações. produzindo determinadas identidades docentes. A FORMAÇÃO DOCENTE E SUAS INTERFACES COM AS QUESTÕES DE GÊNERO. A amostra intencional da pesquisa foi constituída de nove professores. que se justificam pelas distorções existentes entre a formulação das políticas de formação e as condições objetivas que compõem o trabalho dos professores coordenadores que participaram do estudo. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS PROFESSORES DA GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA SOBRE O BACHARELADO E A LICENCIATURA Ronaldo Castro d´Ávila (UFMG) Esta pesquisa teve como objetivo compreender as representações sociais dos professores da Escola de Educação Física. além da análise dos documentos legais que fundamentaram as reformas curriculares da área da Educação Física. foram utilizadas entrevistas semi-estruturadas. Foi utilizada a Teoria das Representações Sociais de Serge Moscovici (1978) como referencial teórico. ordenam. formar bacharéis e licenciados. Para a coleta de dados. perpassando experiências em práticas formativas.

Apresenta resultados do primeiro ciclo da pesquisa-ação em andamento. As escolas estaduais de ensino médio do município de Santos (SP) foram o campo empírico desta pesquisa e. colaborativas. constituíram fontes teóricas para a análise crítica dos dados coletados. a partir de informações obtidas por meio de análise documental e de respostas fornecidas por professores a questionários padronizados e entrevistas semi-estruturadas. à medida que. Professor Não-Habilitado A RELAÇÃO DOS PROFESSORES ALFABETIZADORES COM O SABER EM ESCOLAS DA REDE ESTADUAL PAULISTA NO CONTEXTO DO PROGRAMA LER E ESCREVER Sanny S. aprendem a refletir. como se mantém no sistema e a qualidade de seu trabalho. construindo-se como autores da sua história e formação. Pérez Gómez. entre outros. Neste texto restringimo-nos aos resultados dos questionários. O estudo.Os estudos sobre cultura escolar e burocracia apoiados em Gimeno Sacristán. da Rosa (UNISANTOS) Sirlei Ivo Leite Zoccal O trabalho apresenta um projeto amplo de pesquisa em desenvolvimento sobre formação continuada de professores alfabetizadores no contexto do Programa Ler e Escrever. Viñao Frago e Weber. descompasso e permanência emergiram como importantes chaves para as análises empreendidas. o ensino e aprendizagem com pesquisa. prática docente. Concomitantemente. no contexto da sala de aula na universidade. organizados em coletivo pesquisador. 2006). em ciclos de ação-reflexão-ação. depoimentos dos professores entrevistados que possibilitaram identificar como o professor não-habilitado entra na sala de aula. de modo participativo e interativo. tornam-se protagonistas das aulas. iniciado em escolas públicas do município de São Paulo em 2007. Aligeiramento. participação e partilha de conhecimentos. As estratégias colaborativas foram desenvolvidas em três dimensões: discussão sobre a aula na universidade. sua formação e seleção e constatou a presença marcante do professor não. nas quais os educandos. foi estendido. confrontá-lo com as exigências do sistema. estratégias O presente trabalho tem como objetivo apresentar parte dos resultados de investigação que tratou do professor do ensino médio. desempenham papéis na aula como participantes ativos no planejamento. gestão e avaliação do processo de ensino e aprendizagem. identificar ações que regulam a sua seleção e explicitar sua manifestação sobre a realidade da nãoformação. Precarização do Ensino.PROCESSO COLABORATIVO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA UNIVERSIDADE: POSSIBILIDADES FORMATIVAS DA PESQUISAAÇÃO Rosana Aparecida Ferreira Pontes(UCS) O trabalho tematiza a formação inicial de pedagogos. pertencentes à Diretoria de Ensino de PROFESSOR NÃO-HABILITADO: DESQUALIFICAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE E PRECARIZAÇÃO DO ENSINO Roseli Regis dos Reis (PUC/SP) . Os resultados mostraram que a pesquisa-ação tem se configurado como processo colaborativo de produção de conhecimento para os futuros pedagogos. em 2010. o ensino da língua portuguesa. conforme pressupostos da pesquisa-ação. Palavras-chave: Ensino Médio. Tem por objetivo analisar possibilidades de se utilizar a pesquisa-ação como forma de criar espaços de interação.habilitado em pleno exercício da docência (Reis. às escolas da rede estadual paulista localizadas na Baixada Santista. pesquisar e desenvolver a criticidade. Julia. foi possível caracterizar o perfil profissional do professorado santista. no curso de Pedagogia PARFOR (Plataforma Freire). bem como as estratégias colaborativas de ensino e aprendizagem utilizadas. O trabalho com a pesquisa-ação foi fundamentado em Franco (2005) e as estratégias colaborativas de ensino e aprendizagem em Anastasiou e Alves (2003). Palavras-chave: pesquisa-ação.

de outro. utilizando-se contribuições teóricas de Tanuri (2000). A investigação. que oferece Atendimento Educacional Especializado (AEE). Colaboração. reuniões de planejamento e encontros com profissionais e pais. Romanelli (1978). Scheibe (2003). aumento da colaboração dos pais e disponibilidade da Instituição Especializada (IE). Aguiar et al (2006). cujos dados referem-se ao perfil profissional e de formação dos profissionais participantes do Programa no município de São Paulo. Ensino Fundamental. tendo em vista favorecer o processo de inclusão escolar do aluno alvo. promover crescimento profissional e suporte pessoal. avanços acadêmicos em linguagem e matemática discretos.Santos. Desenvolveu-se. Aplicou-se questionário e organizou-se um grupo de discussão com os alunos concluintes. a partir da noção de “relação com o saber” proposta por Bernard Charlot (2000. assistência ao professor. uma pesquisa no curso de Pedagogia de uma universidade confessional. Palavras-chave: Formação Continuada de Professores. Palavras-chave: Inclusão Escolar. Programa Ler e Escrever. e teve como objetivo favorecer a escolarização de um aluno especial. para modificar suas ações. Saviani (2006). O trabalho envolveu observação participante. Foram entrevistadas as professoras que lecionam as disciplinas do eixo temático de Matemática nesse curso. revelam um movimento de resistência dos professores como forma de afirmação de sua identidade e autonomia em relação aos saberes de seu fazer pedagógico. abrangendo os municípios de Cubatão. Tardif (2008) e Imbernón (2004). procuram adaptar-se aos seus pressupostos teóricos e orientações didáticas e. crescimento da autonomia da criança. ainda. Realizou-se levantamento histórico de como os cursos de formação para a docência foram sendo organizados. Relação com o Saber O ALUNO CONCLUINTE DO CURSO DE PEDAGOGIA E O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sara Miranda de Lacerda (PUC/SP) Laurizete Ferragut Passos Esta pesquisa insere-se no contexto da contribuição da formação inicial para a atividade de docência e apresenta o objetivo de investigar a visão do aluno do curso de Pedagogia sobre sua formação para ensinar Matemática no Ensino Fundamental. 2005). trata da relação dos professores alfabetizadores com os saberes instituídos pelas políticas públicas. intervenções com o aluno-alvo. de um lado. Constatou-se que há um movimento de mudança em direção às recentes propostas na área de Educação. Considerando-se trabalhos de Gauthier (1998). . foram empreendidos estudos acerca da formação de professores para compreender o momento atual da área. Ensino Colaborativo. destacamse: descoberta de novas estratégias para obter progressos significativos com o aluno do estudo. Como resultados. Os resultados indicam a existência de uma relação ambivalente dos professores com a proposta do Programa que se expressa em atitudes e práticas que. A literatura indica o ensino colaborativo como uma estratégia capaz de beneficiar todos os alunos no processo de inclusão escolar. desenvolvimento de habilidades nas profissionais envolvidas para trabalharem colaborativamente. Guarujá e Santos. melhorias nas interações sociais. Ensino de Matemática. Shulman (1986). Palavras-chave: Formação de Professores. ENSINANDO COLABORATIVAMENTE UM ALUNO COM ATRASO GLOBAL NO DESENVOLVIMENTO Selma Norberto Matos (UFSCAR) Esta experiência de ensino colaborativo envolve uma mestranda em educação especial e uma professora de rede pública municipal. incluindo aspectos de legislação que interferiram nessa trajetória. mudanças significativas da postura do aluno frente às situações de aprendizado.

formação acadêmica e participação dos licenciandos no projeto do PRODOCÊNCIA. a pesquisa mostrou que o projeto de ensino desenvolvido pelo Instituto de Letras. Cury. com base na Constituição Federal de 1988. ao Ensino Superior e. implementada pelo Ministério da Educação. com o objetivo de analisar a percepção (Bourdieu) da qualidade do curso. serão utilizadas entrevistas semiestruturadas com alunos egressos do Curso de Pedagogia da UNIRIO. Num segundo momento. Em linhas gerais. em Saviani. envolvidos em projetos de ensino do PRODOCÊNCIA/MEC. no âmbito do PRODOCÊNCIA. A pesquisa documental foi utilizada para a compreensão do acervo sobre o PRODOCÊNCIA. quanto nas suas relações sociais.ANÁLISE DA QUALIDADE SOCIAL DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UNIRIO Solange Medeiros Pitombeira de Lucena (UFF) Waldeck Carneiro A pesquisa tem como objetivo analisar a qualidade social da formação de professores no Curso de Pedagogia a Distância oferecido pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Foram analisados os aspectos instituídos – as normas e as regras. contribuiu para um estreitamento das relações estabelecidas entre universidade e escola e que através de uma prática de ensino orientada é possível preparar os licenciandos para se assumirem enquanto professores. . a sua contribuição para despertar nos licenciandos o interesse pelo magistério. em especial. principalmente. O referencial teórico-metodológico do estudo se fundamentou na epistemologia da complexidade de Morin e na pesquisa narrativa encaminhada por Nóvoa. ao Curso de Pedagogia da UNIRIO. vem evidenciando indicadores que permitem inferir sobre o conceito de qualidade presente nos documentos examinados. Palavras-chave: Curso de Pedagogia. Pretende-se compreender se é possível a expansão do ensino superior. proporcionar uma formação sintonizada com a realidade educacional pública e estabelecer uma relação mais orgânica entre a universidade e a escola. Formação de Professores a Distância. marcos principais da legislação educacional brasileira nos últimos vinte anos. Qualidade Social. A EXPERIÊNCIA DO PRODOCÊNCIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UFF: MOVIMENTOS INSTITUINTES NA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-ESCOLA Tatiana Leite da Silva Pessôa (UFF) Iduina Mont’Alverne Chaves O objetivo desta comunicação é apresentar as experiências de docência vividas pelos estudantes do curso de Letras da UFF. A metodologia adotada neste estudo fundamenta-se na análise de conteúdo (Laurence Bardin) dos documentos produzidos a partir dos anos 1990. já em andamento. Gentilli. na LDB 9394/96 e no PNE (2001-2010). Azevedo e Dourado. Esta etapa. e os aspectos instituintes – a vida. O referencial teórico que tem permitido o levantamento dos indicadores de qualidade social ancora-se. Relação Universidade/Escola-Prodocência. Palavras-chave: Formação de Professores . referentes à EAD. no espaço da sala de leitura do Colégio Universitário da UFF. entendendo a EAD como importante componente da política de expansão do ensino superior no Brasil. tanto no que concerne ao impacto do curso na sua prática docente. com qualidade social. na perspectiva do egresso. por meio da educação a distância (EAD).

Libâneo. Lüdke e Cruz (2005). formação para a pesquisa. Gohn. promover novas pesquisas. A realização de entrevistas semi-estruturadas com pedagogos. a partir de entrevistas com professores-mestres e representantes institucionais. já que o sujeito da pesquisa. o Assistente Técnico-Pedagógico. é possível dizer que a educação não-formal na sociedade atual é uma necessidade. Gadotti. poderá contribuir para uma apresentação mais crítica do campo não escolar. Beillerot (2005). Os apontamentos indicam que a própria formação para a pesquisa vem proporcionando aperfeiçoamento para o professor e abrindo novas perspectivas e possibilidades para a sua atuação junto aos alunos. que foi. Formação Continuada de professores. na estrutura da rede pública estadual. 2005). foco especialmente a experiência de formação para a pesquisa por eles vivenciada no mestrado. No diálogo com Nóvoa (2002). é considerado agente de formação de professores. Por meio de uma pesquisa qualitativa. para a maioria. 2002. em relação à conquista de espaços no campo da educação nãoformal no Brasil. Assim. consequentemente. Neste texto. profissão docente. Para um melhor entendimento a pesquisa tem como suporte teórico os autores: Afonso. Educação Não-Formal. para o seu trabalho e para a instituição a que pertencem. Palavras-chave: Assistente Técnico-Pedagógico. além de ajudar a incutir . A investigação buscou analisar se o mestrado tem se constituído num momento de aproximação entre universidade e educação básica. na rede federal de ensino. Destaco suas aprendizagens. Considerando dados parciais da investigação. Perrenoud (1993) encontro as bases para as análises desenvolvidas. intencionei clarificar o que essa formação vem significando para esses professores. Atuação do Pedagogo. AÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DO ASSISTENTE TÉCNICO-PEDAGÓGICO NA REDE DE ENSINO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO Valéria de Souza (PUC/SP) Alda Junqueira Marin Este trabalho refere-se a parte da investigação realizada para compreender a atuação profissional do Assistente Técnico-Pedagógico como agente de formaçao continuada de professores na Rede Pública Estadual Paulista e as condições de sua realização nos locais de atuação deste profissional. a primeira experiência de pesquisa. formação contínua. 2001. Oficinas Pedagógicas A FORMAÇÃO PARA A PESQUISA NO MESTRADO – A EXPERIÊNCIA DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA Vanessa Cristina Maximo Portella (PUC/RIO) Este trabalho apresenta achados de uma pesquisa com professores-mestres que atuam na Educação Básica. Este trabalho constata que a condição profissional do Assistente Pedagógico e.O DESAFIO DO PEDAGOGO NOS ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL Tatiane de Fátima Wanzeler Meireles (UMESP) Marília Claret Geraes Duran A pesquisa tem como foco analisar e problematizar aspectos relevantes que envolvem a trajetória formativa e a atuação do pedagogo a partir de sua inserção em espaços de educação não-formal. André (1994. o fortalecimento da discussão com a universidade. 2008. O referencial teórico em que se apóia este estudo está pautado na formação continuada de professores. e novas possibilidades de atuação para os pedagogos vão se ampliando e consolidando. bem como os sentidos que essa formação vem assumindo no diálogo com a atuação no ensino básico. seu processo de profissionalização possuem fissuras que dificultam sua atuação profissional como formador de professores. no que diz respeito a desenvolvimento profissional. as Oficinas Pedagógicas das Diretorias de Ensino do Estado de São Paulo. e melhores condições de lidar com as tensões aí presentes Palavras-chave: Trajetória Formativa. Duran & Santos Neto (2007). tem o objetivo de problematizar a trajetória formativa dos mesmos e compor um perfil desses profissionais inseridos em tal contexto. A pesquisa de cunho qualitativo compreende um trabalho bibliográfico intenso sobre o campo epistemológico do pedagogo. 2005.

especialmente o estágio supervisionado em educação infantil. destacando os processos de coleta e análise de dados. nos propomos neste estudo a analisar o projeto pedagógico de cursos de pedagogia de universidades públicas com ênfase nas disciplinas que discutem a educação infantil. cuja importância tem sido menosprezada e que não tem sido considerada nas pesquisas acadêmicas que discutem o trabalho docente. O interesse pela temática de estudo se destaca pela lacuna observada entre os conhecimentos requeridos para o trabalho docente em creches e pré-escolas e a formação da professora de educação infantil. Neste artigo apresentamos e discutimos algumas concepções teóricas que embasam este projeto de pesquisa tais como: formação de professores em comunidades de prática. profissionalidade docente. discute a formação docente para a educação infantil no curso de Pedagogia. desenvolvimento profissional e grupos colaborativos. profissionalidade docente. Neste artigo apresentamos e discutimos algumas concepções teóricas que embasam este projeto de pesquisa tais como: formação de professores em comunidades de prática. reflexivo e investigativo. entre seus docentes participantes. professores de matemática A DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAÇÃO DE PROFESSORAS DE CRIANÇAS PEQUENAS Viviane Drumond (UNICAMP) A pesquisa de doutorado. Com a intenção de problematizar a formação universitária da professora de educação infantil. ao analisar a constituição da profissionalidade docente de professores no interior de um grupo colaborativo de reflexão e estudo sobre suas práticas de ensinar e aprender na escola básica. ao analisar a constituição da profissionalidade docente de professores no interior de um grupo colaborativo de reflexão e estudo sobre suas práticas de ensinar e aprender na escola básica. encontrou. Palavras-chave: Professor – Educação Básica – Pesquisa A PROFISSIONALIDADE DOCENTE E O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL EM COMUNIDADES DE PRÁTICA – O CASO DOS GRUPOS COLABORATIVOS Vanessa Moreira Crecci (UNICAMP) Dario Fiorentini Fiorentini (2009. profissionalidade docente. A emergência desse tipo de profissionalidade docente nos instigou a investigar como a mesma se constitui nessas comunidades de prática e como seus participantes se desenvolvem profissionalmente. Além disso. As profissionais de educação infantil são uma parcela da categoria do magistério.uma nova postura diante da realidade que se apresenta e favorecer o fortalecimento institucional. As pesquisas na área da educação infantil apontam para a necessidade de uma pedagogia que forme . professores de matemática A PROFISSIONALIDADE DOCENTE E O DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL EM COMUNIDADES DE PRÁTICA – O CASO DOS GRUPOS COLABORATIVOS Vanessa Moreira Crecci (UNICAMP) Dario Fiorentini Fiorentini (2009. A emergência desse tipo de profissionalidade docente nos instigou a investigar como a mesma se constitui nessas comunidades de prática e como seus participantes se desenvolvem profissionalmente. um modo singular de ser/estar na profissão e que o qualificou como sendo interativo. 2010). Palavras-chave: comunidades de prática. desenvolvimento profissional. encontrou. são apresentados também os procedimentos metodológicos da pesquisa. um modo singular de ser/estar na profissão e que o qualificou como sendo interativo. em andamento. são apresentados também os procedimentos metodológicos da pesquisa. 2010). reflexivo e investigativo. desenvolvimento profissional e grupos colaborativos. profissionalidade docente. Palavras-chave: comunidades de prática. destacando os processos de coleta e análise de dados. desenvolvimento profissional. entre seus docentes participantes. Além disso.

Palavras-Chave: Formação de Currículo. nesse processo. pautaram-se por essas preocupações: um novo olhar sobre os sujeitos envolvidos e sobre as fontes pesquisadas. Zeila de B F Demartini (UMESP) A construção e análise de narrativas são constituintes do ofício do cientista social. as memórias de educadores e de alunos que passaram por vivências educacionais em diferentes contextos. Relações Interpessoais.professores/as para atuar com crianças pequenas. Para tanto. As técnicas metodológicas adotadas foram: questionário para traçar o perfil dos sujeitos pesquisados – professoras que ministram aulas em cursos de Pós-Graduação Lato Sensu. por romperem com as formas tradicionais de pesquisa. Este estudo se insere neste propósito: contribuir com as discussões sobre a formação das professoras de creches e pré-escolas e a construção de uma pedagogia da educação infantil. com o objetivo de analisar a consideração das Relações Interpessoais pedagógicas na prática docente. As metodologias qualitativas. confirmou-se a tese da valorização da competência técnica na formação do professor que atua na Pós-Graduação Lato Sensu. Entretanto. questionário com questões abertas. Assim. grupo focal. suas memórias ganharam força. professoras de creches e pré-escolas. ocorreu a valorização do singular. o retorno ao biográfico ocorrido a partir dos anos de 1970 inseriu-se em outro momento da produção do conhecimento científico e a discussão sobre as questões de ordem conceitual e metodológica que acompanham o uso de biografias na produção do conhecimento sociológico intensificou-se. especialmente sobre as relações entre diferentes grupos da população e a educação. elementos que priorizam o exercício docente e suas especificidades nem sempre são considerados ao se organizar o currículo dos cursos de Pós-Graduação Lato Sensu. aproximaram os pesquisadores das pessoas. buscando coletar dados sobre a constituição curricular de cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e sua interrelação com a prática docente. evidenciam que as narrativas (auto)biográficas são produzidas pelos sujeitos (e seus grupos) sempre relacionadas a determinados tempo e espaço. dos relatos pessoais – os sujeitos ganharam vida. Nas mesmas. Educadores. a Teoria das Representações Sociais auxiliou no desenvolvimento do raciocínio teórico-prático. . RELAÇÕES INTERPESSOAIS E PRÁTICA DOCENTE Viviani Anaya (PUC/SP) Regina Lúcia Giffoni Luz de Brito Esta pesquisa objetivou a análise da prática de professores que ministram aulas em cursos de Pós-Graduação Lato Sensu e a consideração das relações interpessoais pedagógicas como uma competência presente nesta prática. As pesquisas que desenvolvemos sobre questões educacionais em São Paulo. Para a análise dos dados coletados. oportunizando a diminuição da distância entre uma formação que prioriza a competência técnica e a formação pedagógica. Com a análise dos dados. Palavras-chave: educação infantil. como as construídas a partir de entrevistas realizadas sob a forma de histórias de vida permitiram levantar novas questões. a utilização de autobiografias e histórias de vida já é debatida no Brasil pelo menos desde a primeira metade do século XX. na Sociologia. formação docente. No questionamento de situações pretéritas. tanto as narrativas escritas na forma de autobiografias. ELOS ARTICULADORES ENTRE O CAMPO CURRICULAR. esta investigação buscou a articulação entre as disciplinas e a forma como essas disciplinas são ministradas. a análise de autobiografias e de relatos orais foi fundamental.

oferecido pela Secretaria Estadual de Educação de São Paulo a professores alfabetizadores da rede entre 2003 e 2006. Formação Continuada de Professores. Nesse período e nos anos que o antecederam. portanto logo após o decreto 2. sem. Pesquisa E Extensão. sobretudo em sua concepção de alfabetização. O referencial teórico prioriza os estudiosos que explicam a realidade histórico-social dos homens em geral. nas visitas às escolas. Para o desenvolvimento do estudo. PESQUISA E EXTENSÃO: UM BALANÇO DO PERÍODO 1988-2008 Alderlândia da Silva Maciel (Universidade Metodista de Piracicaba) Este estudo resulta de uma pesquisa de doutorado realizada na Universidade Metodista de Piracicaba. ambos instrumentos do Saresp 2007 foram cotejados com as informações obtidas nas entrevistas realizadas em três escolas. DA TEORIA DEMOCRÁTICA À PRÁTICA DEMOCRÁTICA: ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA DE GESTÃO DA ETEc BENTO QUIRINO Américo Baptista Villela (UNICAMP) A presente comunicação trata de uma experiência de administração da escola técnica estadual Bento Quirino. e as questões educacionais em particular. é o programa de formação continuada Letra e Vida. evidências da transposição desse discurso para a prática da sala de aula. legislações. em Campinas. Estado de São Paulo. literatura acadêmica das políticas públicas educacionais. O objeto de estudo é o princípio da indissociabildade entre ensino. Concluiuse que o Letra e Vida influenciou o discurso dos docentes. com coordenadores. e também seus possíveis efeitos sobre concepções e práticas de alfabetização dos professores que dele participaram. entrevistas nãoestruturadas. com prioridade dos professores do Ciclo 1. sob orientação do professor Dr. Reformas Educacionais. tive como referencial as observações de HOBSBAWN e CHEVEAU para com os cuidados de se trabalhar com a história . Os dados provenientes do Questionário para os Professores de 1ª e 2ª série do Ensino Fundamental e os resultados dos alunos na prova de 1ª série. a escola que é objeto da presente comunicação se tornou referência nas lutas contra o desvinculo do ensino médio e o ensino técnico e estas lutas contribuíram para fortalecer as práticas democráticas no interior da escola ao mesmo tempo em que enfrentavam o autoritarismo dos governos do estado de São Paulo e federal. considerada a aferição de 2007. Palavras-chave: Avaliação de Impacto. considerar-se a pesquisa e a extensão como funções que aliadas ao ensino cumpriam o dispositivo constitucional. Para recuperar.AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROGRAMA LETRA E VIDA: EXPERIÊNCIAS REVELADAS NA PESQUISA DE CAMPO Adriana Bauer (USP) O objeto deste trabalho. e dados do Censo da Educação Superior. embora nem sempre se tenham percebido. Programa Letra e Vida O PRINCÍPIO DA INDISSOCIABILIDADE ENTRE ENSINO.208/97. aplicou-se o método misto. contudo. Os objetivos da pesquisa foram avaliar os impactos do Programa nos resultados de desempenho dos alunos de 1ª série mensurados por meio do Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp). a partir do materialismo histórico-dialético. além da nossa vivência. Os procedimentos e recursos metodológicos utilizados foram análise de documentos. A legislação pós-LDB abriu um leque de opções para a organização das IES. diretores e professores de 1ª a 4ª série que tivessem participado do Programa. Palavras-chave: Universidade. Valdemar Sguissardi. entre os anos de 1998 a 2002. que constitui a pesquisa de doutorado da autora. realizamos entrevistas com a antiga diretora da escola e com ex-alunos que lá estudaram. Para a análise dessas memórias e documentos. que integra as abordagens quantitativa e qualitativa. Indissociabilidade Entre Ensino. pesquisa e extensão. a partir das polêmicas e contradições que envolveram o referido princípio desde sua inclusão no artigo 207 da Constituição Federal de 1998 até 2008. essa experiência.

responsabilidade. FILOSOFIA COM CRIANÇAS: ESTUDO DE UMA PROPOSTA PAULISTA E CONSIDERAÇÕES A PARTIR DA ÉTICA Ana Laura Jeremias Urel (UNESP) O texto. Lessard. na percepção da equipe gestora e dos professores organiza o trabalho pedagógico. a gestão da escola. este trabalho teve por objetivo investigar como a escola. perspectivado por Michel Foucault. bem sucedida de implantação de um método de ensino transdisciplinar que incentive a autonomia intelectual e política dos alunos e que ainda resultou na criação do Centro de Memórias da ETEc Bento Quirino. nesse sentido. também. Contreras e Santos. sendo 100 regentes de turma e 100 orientadores educacionais e pedagógicos. para apreensão do imaginário social. Analisamos. uma possibilidade da proposta dessa temática aliada ao conceito de Cuidado de si. compromisso e planejamento. Assim. Tardif. GESTÃO DA ESCOLA. Os resultados indicaram como elementos centrais da representação social da autonomia docente os termos liberdade. servindo para atender às exigências dos organismos internacionais em um contexto marcado pela retirada do Estado. tendo em vista as políticas de avaliação externa e a necessária qualidade do ensino. . pretendeu abordar o problema que se refere à perspectiva abordada no que tange à escolha da temática ética ao tratar de filosofia para crianças. Partindo da necessidade de avaliar o ensino oferecido. a palavra experiência por meio de Jorge Larrosa. foi a proposta de Oficina de enriquecimento curricular Filosofia da Escola de Tempo Integral da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo. A coleta de dados foi realizada através da técnica projetiva de associação livre de palavras com hierarquização. Tendo como objeto de estudo a autonomia docente. Além disso. tendo como objeto de estudo uma escola da rede estadual do município de Cafelândia/SP. O objeto de estudo da pesquisa. numa revisão de literatura sobre a autonomia como característica trabalhista e profissional. a avaliação vai além. foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com a equipe gestora e com alguns professores e um estudo da bibliografia que aborda a temática da CIDADES EDUCADORAS COMO ALTERNATIVAS POSSÍVEIS PARA A CRISE SÓCIO-EDUCACIONAL Rosana de Oliveira de Assis (UERJ) O presente texto apresenta parte dos resultados da pesquisa Autonomia docente – do conhecimento científico ao senso comum: uma representação social dos professores Duque de Caxias. Como aportes teóricos foram utilizados: Piaget e La Taille para discutir o conceito de autonomia como principio ético e moral.do presente ou do tempo imediato. Participaram como sujeitos desta pesquisa 200 professores. Além do contato direto do investigador com a realidade investigada. a presente comunicação tem como objetivo divulgar uma experiência. assim. Este aspecto escolhido se trata de um problema que nos leva a buscar um caminho que nos indique como pensar esse tema pelo viés do sujeito e não pelas finalidades estabelecidas pela educação escolarizada. ao qual acreditamos ser possível uma possibilidade de abertura para pensarmos como o cuidado de si indicaria uma disposição ética do sujeito a si e aos outros. Buscamos. a Teoria das Representações Sociais. em sua abordagem estrutural. o objetivo da pesquisa era identificar e analisar as representações sociais construídas pelos professores da rede pública do município de Duque de Caxias sobre o objeto em questão. resultado de pesquisa de mestrado. com políticas públicas de cunho neoliberal. que eu particularmente julgo. encerrando uma dimensão normativa (ligado às atitudes) e uma dimensão imagética (associação entre autonomia e à ação de planejar). QUALIDADE DO ENSINO E AVALIAÇÃO EXTERNA: Desafios na e da escola Ana Lucia Garcia (UNESP) A avaliação externa enquanto indicativo de qualidade tem sido objeto de muitas discussões na educação. Foi realizada uma pesquisa qualitativa. Os dados foram analisados com o auxílio do software EVOC e da construção do quadro de quatro casas.

Palavras chave: Projeto político pedagógico. Posteriormente. apresentam divergências. possibilitando uma reorganização no trabalho pedagógico. Através da análise dos diversos documentos publicados ao longo das décadas de 80 e 90 procurou-se identificar quais mecanismos de orientação e de regulação se faziam presentes e qual sua conseqüência para o modelo atual de Projeto Pedagógico elaborado pela escola. . Assim. Qualidade de ensino. qualidade e gestão da escola. como obstáculos. a orientação transformou-se em um processo de regulação e conseqüente padronização do projeto das escolas. As percepções dos sujeitos entrevistados. os professores assumem uma posição contrária pois. Avaliação Externa. não sendo possível verificar nesses projetos muitos indícios da identidade da escola. a limitação dos instrumentos avaliativos em relação à correção dos mesmos e a participação parcial das turmas. As conclusões do estudo sugerem que a proximidade excessiva da SEE promoveu um processo de regulação da ação dos atores escolares na elaboração do PPP nas escolas pesquisadas. POLÍTICA EDUCACIONAL IMPLANTADA NA REDE ESTADUAL DE MINAS GERAIS Ana Maria Alves Saraiva (UFMG) O objetivo deste trabalho foi analisar a política educacional implantada na rede estadual de Minas Gerais para garantia da autonomia pedagógica e suas repercussões no âmbito local. indicaram como elementos transformadores. adequandoos ao discurso da SEE. pautada na Ação Comunicativa (Habermas) e no conceito de Dialogicidade (Freire) e. Enquanto a equipe gestora planeja o trabalho de acordo com as competências avaliadas externamente visando o alcance das metas propostas. Palavras-chave: Apropriação da leitura e da escrita. O estudo se desenvolveu primeiramente a partir da análise detalhada dos documentos orientadores publicados pela Secretaria de Estado da Educação (SEE) para auxiliar as escolas na elaboração do seu Projeto Político Pedagógico (PPP). longe de um consenso. as professoras tiveram contato sistemático com os conteúdos da língua e com os descritores presentes no instrumento avaliativo do Governo Federal (Provinha Brasil). além da importância de um trabalho voltado à leitura e. autonomia.avaliação. A metodologia utilizada foi a Comunicativa Crítica. a partir desta metodologia. Palavras-chave: Gestão da escola. Instrumento avaliativo. regulação. os resultados. Reflexão docente. instrumentos avaliativos e linguagem e. O objetivo da pesquisa foi investigar o processo de elaboração coletiva de instrumentos avaliativos em relação à aquisição da leitura e da escrita de estudantes do primeiro ano do Ensino Fundamental. foram analisados os PPPs das escolas da rede estadual de Belo Horizonte para análise do grau de influência desses documentos orientadores no formato final do PPP. a escola. a partir da construção e análise dos dados houve um (re)planejamento da ação docente. A fundamentação teórica apoiou-se em estudos sobre avaliação educacional. o estudo da língua e dos descritores. os índices da avaliação externa não indicam a qualidade na e da escola. para eles. PRIMEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: O PROCESSO DO (RE) PENSAR A PRÁTICA DOCENTE A PARTIR DE INSTRUMENTOS AVALIATIVOS Ana Lucia Masson Lopes (UFSCAR) Claudia Raimundo Reyes O trabalho aqui apresentado está inserido no grupo de pesquisa “Aquisição da Escrita e da Leitura: processos de Ensino e Aprendizagem” e tem como objetivo socializar os dados e as discussões que resultaram em uma dissertação de mestrado desenvolvida no Programa de PósGraduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos.

O desafio actual centra-se na busca de alternativas para sustentar esta visão política. O presente trabalho . atitudes e comportamentos necessários para que a administração pública respondesse à demanda política. a presença da dualidade escolar: ensino primário/profissional para os trabalhadores e secundária/superior para as elites. Nosella (1998). segregando classes. que buscava atender aos interesses dos primeiros empresários locais com mão de obra especializada. Moraes (2003) e Cunha (2005). Decreto nº 55/94 seja efectivamente operacionalizado. Palavras-chave: formação profissional em administração pública. através da oferta da formação e pesquisa que sejam relevantes e parte integrante do desenvolvimento da administração pública. constituídos de fotos. na década de 40. Dualidade Escolar A FUNDAÇÃO CASA E O TRABALHO EDUCATIVO ESCOLAR Andréa dos Santos Oliveira (UNICID) Jair Militão da Silva O objetivo deste trabalho foi estudar o currículo oferecido nas Unidades de Internação da Fundação CASA aos alunos privados de liberdade por cometerem ato infracional. social e económica do país. O problema de pesquisa foi verificar se o currículo oferecido aos alunos atendia à demanda de preparar o jovem para a reinserção social. Analisa-se desde a criação da escola. após a sua desinternação. Partimos da hipótese de que o currículo oferecido aos adolescentes pela Rede Estadual de Ensino não contempla temas que estivessem voltados à construção de valores e atitudes que auxiliem na formação integral do ENSINO TÉCNICO E INDUSTRIALIZAÇÃO EM ITATIBA: A HISTÓRIA DA ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL ROSA PERRONE SCAVONE Anderson Wilker Sanfins (Universidade São Francisco) Moysés Kuhlmann Júnior Esta pesquisa estuda a história da Escola Técnica Estadual Rosa Perrone Scavone. Neste contexto. como algo perceptível para os alunos. Nesta linha. de entrevistas. faz-se uma análise do Ensino Técnico no Brasil. a formação de funcionários e agentes do Estado foi tomada como estratégia fundamental para o desenvolvimento de conhecimentos. São Paulo. O universo investigado foi abordado através dos registros oficiais. A construção do Estado novo e as mudanças políticas resultantes da dinâmica nacional e internacional ditaram a reconceituação da administração pública. verificou-se nos trabalhos relacionados ao ensino profissional. Palavras-chave: História da Educação. Ensino Técnico. registros dos alunos e docentes. até sua incorporação ao Centro Paula Souza em 1994. tradicional na formação técnica. Uma revisão documental orientada para a compreensão da concretização desta visão revela que as acções de formação levadas a cabo até a década de 1990 caracterizam-se pela descontinuidade que parece resultar da fraca capacidade do Governo para garantir a sustentabilidade dos projectos desencadeados com apoios externos. dava os primeiros passos no processo industrial. Nesta pesquisa. dependência externa. jornais e com os arquivos escolares. O aluno que está cumprindo medida de internação deve ser preparado para a inserção social e para dar continuidade em sua vida escolar. com referencia aos trabalhos de Fonseca (1962). faz uma contextualização histórica da cidade. Embora possam se encontrar aspectos relacionados a essa dualidade na escola locus desta pesquisa.POLÍTICAS DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DESAFIOS DA IMPLEMENTAÇÃODE UMA VISÃO NACIONAL NO CONTEXTO DA DEPENDÊNCIA EXTERNA Ana Maria Nhampule(PUC/SP) Moçambique é um país jovem. com o objetivo de entender a necessidade de uma escola profissional. assegurando que o SIFAP. independente desde 1975. que tinham a escola como uma referencia no ensino técnico industrial em Itatiba e região. ela não terá se constituído de forma absoluta. que com o declínio da produção cafeeira. localizada na cidade de Itatiba.

A forma de narrar busca uma coerência interna entre os princípios epistemológicos e a metodologia defendida em uma pesquisa com o cotidiano. Certeau. que destina cotas para estudantes da rede pública. Paes. Palavras-Chave: Políticas Públicas de Educação. A narrativa parte da trajetória na rede a partir das experiências como professora. O objeto de estudo foi o currículo oferecido nas unidades de internação da Fundação CASA. produzida nas relações dialógicas com as professoras e alunos que são compreendidos como sujeitos da pesquisa. 2003. implementados como política pública no Município do Rio de Janeiro entre 2007 e 2010. políticas públicas. Bauman. de Ivor Goodson. enquanto política pública é oferecida de forma que o Estado possa cumprir os dispostos nas legislações. sobre os currículos e práticas docentes. podemos destacar que a forma como os ciclos foram implantados nas escolas municipais de Niterói. Fundação CASA. O CURRÍCULO EM CICLOS NO CONTEXTO DA PRÁTICA: COM A PALAVRA: O PROFESSOR Andrea Pierre dos Reis (UFF) Esta pesquisa analisa a relação existente entre as proposições oficiais e as práticas concretas desenvolvidas na escola de Ensino Fundamental do município de Niterói/RJ. culturais. entre outros. 1999. A análise buscou. Referenciais teóricos utilizados foram: LAUAND (2002). A Pesquisa foi desenvolvida mediante abordagem qualitativa. de maneira a contribuir para a sua ressocialização. através de projetos elaborados para esse fim. Palavras-chave: currículo. trabalho voltado a valores humanos. assim como as relações entre múltiplos sujeitos avaliados. em três diferentes escolas. Através de rodas de conversas e reflexões coletivas fomos estabelecendo as nossas questões. A metodologia inspirou-se ainda no referencial teórico-analítico para o estudo de políticas educacionais formulado por Stephen Ball e Richard Bowe. Morin. Com apoio na concepção de “construção social do currículo” e “currículo como narrativa”. de natureza fenomenológica. constituiu o mais expressivo obstáculo para a promoção das . SILVA (2006. o foco de análise foi como os professores refletem sobre suas práticas e as interpretações que são construídas a partir da proposta. não existindo. entretanto. que permite uma análise crítica de políticas na prática. A pesquisa indicou que a escolarização. PALAVRAS – CHAVE : Currículo. Medida Socioeducativa mudanças necessárias nas práticas pedagógicas dos profissionais da rede escolar municipal. entre outros. 1996).adolescente. Os aspectos relacionados ao trabalho dos alunos e professores foram observados na pesquisa de campo. ciclo de políticas. assim. com especial atenção aos processos de recontextualização da política no contexto da prática. A UERJ NO CONTEXTO DO DEBATE SOBRE COTAS RACIAIS NA MÍDIA Andreia Gomes da Cruz (UFF) A pesquisa procurou indagar o processo de implementação da política de cotas na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). investigando os conflitos vividos causados pela regulação dos testes externos impostos. políticos e pedagógicos. Avaliação. sociais. em 28 de dezembro de 2000. como proposto por nossos interlocutores: Esteban. Sacristán. Garcia. Bhabha. No ano seguinte. QUEM SÃO OS OUTROS NA/DA AVALIAÇÃO? CAMINHOS POSSÍVEIS PARA UMA PRÁTICA DIALÓGICA Andréa Serpa Albuquerque (UFF) Esta tese teve como objetivo investigar os efeitos dos exames externos. a partir das narrativas dos educadores envolvidos no processo de mudança curricular e pedagógico. SARTI (2004). A complexidade da avaliação foi discutida em muitos aspectos: técnicos. A potenciação da questão acontece no momento em que a UERJ adota a Lei n° 3524. uma rede onde muitos são os sujeitos na/da avaliação. Como principal conclusão. articular os diferentes contextos da política de ciclos de formação. narrativa.

que representam a realidade circundante. PIEPER (2003. DO CUIDAR E ORIENTAR PARA EDUCAR – A CONTRIBUIÇÃO DA EDUCAÇÃO PARA FIXAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS EM SAÚDE. ação afirmativa. conhecemos as expectativas desta sobre educação escolar e verificamos em que medida a escola fez uso dos resultados obtidos na pesquisa NEPSO de número 516. Ressaltando a importância de se analisar o papel desempenhado pelos meios de comunicação. com vistas para melhorar a qualidade de vida deles. OLIVEIRA (2007. Num procedimento de recuperação dos dados da pesquisa NEPSO de número 516. cotas. A metodologia adotada para a realização desse trabalho incluiu revisão bibliográfica sobre discriminação racial. As entrevistas foram . cuidados paliativos. Essa pesquisa pode ser caracterizada como pesquisa de pesquisa. 1999). principalmente. Para realizar tal empreitada. à luz do conceito de Dignidade Humana. momento em que ocorreu uma maior proliferação de notícias relacionadas à adoção de cotas nas universidades públicas. que teve por tema "A comunidade e a escola". onde vivencia o retorno habitual de pacientes ao hospital. 1996. A pesquisa evidenciou que a educação é o caminho para a transformação da realidade e para melhorar a qualidade de vida dos pacientes que possuem doenças crônicas. Procedimentos metodológicos: pesquisa bibliográfica. priorizamos valorizar ações educativas participativas. nas quais tanto educador como educando aprendem e ensinam simultaneamente. O Foco do trabalho foi compreender os discursos da imprensa escrita a favor e contra as cotas.entra em vigor a Lei n° 3708. Problema: como formar profissionais de enfermagem. bem como a leitura de materiais produzidos pela esfera governamental e análise de discurso. fiz um recorte temporal no período entre 2001 e 2004. do exercício da criatividade. por não tomarem os devidos cuidados orientados no momento de sua alta. que implementa cotas raciais. humanização da saúde UMA EXPERIÊNCIA EDUCACIONAL A PARTIR DA METODOLOGIA NEPSO: APONTANDO LIMITES E POSSIBILIDADES Angela Soares L dos Santos (UMESP) Nesta pesquisa de dissertação de mestrado. O interesse pelo tema emerge da experiência como enfermeira e professora de curso técnico e de graduação de Enfermagem. buscando enxergar relações de trabalho que envolvam a participação de agentes ou atores e demais coadjuvantes. foram extraídos indicadores que escoraram a reflexão desenvolvida sobre os limites e possibilidades do uso da pesquisa de opinião na melhoria da qualidade social da escola. à luz do conceito de Dignidade Humana. da mídia impressa. A partir dessa recuperação de dados que manifestaram a opinião da comunidade sobre a escola. documental e estudo de caso. educar os pacientes para uma melhor qualidade de vida e para mudança da realidade deles? Objeto: Programa Cuidados Paliativos. estudar a contribuição da Educação para a fixação das Políticas Públicas em Saúde. bem como os argumentos dos militantes favoráveis a essa questão e. uma que vez. À LUZ DO CONCEITO DE DIGNIDADE HUMANA Andréia Vieira Machado(UNICID) Jair Militão da Silva Esse trabalho é resultado de pesquisa sobre o tema do cuidar e orientar para educar . realizada por uma escola pública municipal de Mauá no ano de 2007. mídia. Palavras-chave: políticas de ação afirmativa. 1998. implantado no Instituto de Infectologia Emílio Ribas de São Paulo. as pressões dos meios de comunicação foram fundamentais para reformulação da lei. da reflexão em grupo. Objetivos: observar e estudar o Programa Cuidados Paliativos implantado nesse Instituto e extrair indicações para o atendimento de pacientes em geral. capazes além de cuidar e orientar. por meio do diálogo. Referencial teórico: SILVA (2003. 2000).a contribuição da Educação para fixação de Políticas Públicas em Saúde. compreender o papel desempenhado por esses discursos da reformulação de Lei n° 3708/2001 para a Lei n° 4151/2003. Palavras-chave: Políticas públicas de educação.2008). de 09 de novembro de 2001.

alunas e professores da escola. Sistema de Proteção Escolar. com a efetivação do programa de nucleação das escolas e o crescimento no número de matrículas. Violências Escolares. em 2009.organizadas e aplicadas pelo grupo de alunos. A FORMAÇÃO DO PROFESSOR E AS PRÁTICAS SOCIAIS NO PROGRAMA DE NUCLEAÇÃO DAS ESCOLAS DE ARATUBA CEARA Antonia Solange Pinheiro Xerez (UNINOVE) Maria Socorro Lucena Lima Este trabalho estuda a formação de professores no Brasil. Palavras-chave: Professor Mediador Escolar e Comunitário. de forma que a escola possa desempenhar seu papel com qualidade social. Os vários problemas educacionais pesquisados permitiram a reflexão sobre o sistema de ensino em Aratuba. onde desenvolveu-se tal pesquisa. vereadores e do prefeito deste município. os PMEC´s tiveram uma formação para tratar dos conflitos na escola semi-presencial. no que se refere a cidadania propagada pelos gestores municipais. tendo como fontes o relato de professores. que traz como figura central o Professor Mediador Escolar e Comunitário (PMEC). favorecendo o relacionamento e a capacidade de bem viver. Posteriormente. A abordagem metodológica foi feita por meio de análise de dados do sistema municipal de educação. nesse processo. inserido no “Sistema de Proteção escolar”. voltaram sua atenção para conhecer a cultura do seu entorno. houve a seleção e a contratação de PMEC´s nas escolas públicas com mais registros no ROE. Escola. em relação ao programa da nucleação de escolas e a formação dos professores para atender a essa demanda. Sistema. em julho de 2010. Desde então. o PMEC tem exercido suas funções nas escolas públicas. Para compreender essa formação. Vindos de todas às áreas do conhecimento. da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEE). Os objetivos deste trabalho foram: conhecer as dificuldades e os avanços apontados nas práticas escolares depois do modelo de nucleação. esta investigação prevê um estudo de abordagem qualitativa. diretores de escolas. favorecendo uma inclusão social com maior autoestima dos professores. alunos e comunidade. que o PMEC produz na escola na tentativa de se amenizar as violências escolares. pais de alunos. as práticas. Os objetivos desta pesquisa acadêmica assentaram na necessidade de recuperar o que pensa a comunidade sobre a escola que vive no seu entorno e extrair dessas manifestações. com o fim de produzir matéria para o jornal da escola. no Ceará e especificamente no município de Aratuba-CE. . que.SP. indicadores que possam contribuir para uma ação educativa de sensibilidade solidária efetiva. Palavras – Chave: Formação de professores. entre a escola e todos e todas que estão diretamente ligados a ela. Este personagem passou a fazer parte da realidade das escolas estaduais em 2010. Constatamos que Aratuba vivencia uma experiência inovadora na educação básica. Inicialmente o “Sistema de Proteção Escolar” disponibilizou dois referenciais de apoio para todas as escolas da rede pública e inaugurou o Registro de Ocorrências Escolares (ROE). entrevistas e questionários com os sujeitos da pesquisa. tendo como referencial metodológico a pesquisa etnográfica em uma escola pública de Campinas . O “PROFESSOR MEDIADOR ESCOLAR E COMUNITÁRIO” E AS VIOLÊNCIAS ESCOLARES: O ESTUDO DE UMA POLÍTICA DO GOVERNO DE ESTADO DE SÃO PAULO Beatris Cristina Possato (UNICAMP) Esta pesquisa busca investigar uma política do estado de São Paulo. as funções e as ações educativas. bem como os sentidos. Esta política apresentava como objetivo a “construção de uma cultura de paz” e o alcance de uma realidade “menos conflituosa e contraditória” nas escolas.

apesar de ter sido um município que “ganhou” recursos com o Fundo. street-level bureaucracy. ganham outros contornos nessa modalidade. idealizadora do programa. algo que durante a pesquisa enriqueceu a coleta de dados. o Anuário Estatístico do município organizado pelo Centro de Pesquisas Sociais da Universidade Federal de Juiz de Fora (CPS/UFJF) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Os coordenadores locais são importantes em função da interface com as IES que ofertam cursos naqueles municípios. Analisa os dados relativos às matrículas no ensino fundamental e as medidas tomadas pelo órgão gestor da educação de Juiz de Fora durante o período de vigência do Fundo para o atendimento a esse nível de ensino. tendo em vista que Cecília Conde. o alinhamento político parece ter influência nos pólos analisados. realizada no período de 2007 a 2010. Se os grupos políticos locais apóiam a UAB. de forma a intensificar a aplicação dos recursos e alterar positivamente os índices de desempenho de sua rede de ensino. Como esses cargos são de confiança do gestor municipal. A revisão da bibliografia relativa à área de Financiamento da Educação ampara a análise dos dados. em especial para os “professores a distância”. ANIMAÇÃO CULTURAL NOS CENTROS INTEGRADOS DE EDUCAÇÃO PÚBLICA NO RIO DE JANEIRO DOS ANOS 1980: DEBATES Bruno Adriano R da Silva(UFRJ) Apresentaremos neste trabalho uma reflexão sobre a concepção da Animação Cultural desenvolvida ao longo da década de 1980 no Estado Rio de Janeiro nos Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs). Juiz de Fora deveria ter tomado medidas de qualificação da gestão da educação. em Minas Gerais.O FUNDEF EM JUIZ DE FORA: ANÁLISE DE ATENDIMENTO E GESTÃO Beatriz de Basto Teixeira(UFJF) Helena Cardoso Ribeiro Este trabalho é resultado da pesquisa “Financiamento da Educação em cidades mineiras: dez anos de FUNDEF (1998-2007)”. incrementando os resultados alcançados em função de aspectos valorativos. A posição que ocupam na estrutura que dá suporte ao processo educativo identifica-os com a teoria dos street level bureaucrats (LIPSKY. Lisete Arelaro e José Marcelino de Rezende Pinto. com trabalhos de Rosimar Oliveira. 1980). há aspectos progressistas nos pólos. dentre outros. tutores que são responsáveis por funções pedagógicas e administrativas na interface com o aluno. As entrevistas revelam a adoção de estratégias discricionárias. Caso contrário. encontrava-se em plena atividade profissional. (ii)taxas de evasão dos alunos. Realizadas as análises e traçado o perfil dos pólos onde o curso é ofertado. identifica-se dificuldades na gestão. Também foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com os gestores que estiveram à frente da SME no período. Dos quatro pólos selecionados. quatro pólos foram selecionados a partir das seguintes categorias: (i)permanência dos tutores. fundamentais no processo de implementação. Os papéis assumidos pelos atores no processo educativo . Buscamos na tradição marxista o referencial para analise dos O TUTOR COMO STREET-LEVEL BUREAUCRAT (SLB) NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE A PARTIR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Breynner Ricardo de Oliveira (UFMG) Este artigo analisa o papel dos tutores no curso de Administração Pública da UFOP. educação à distância. nos municípios de Juiz de Fora e Viçosa. Os resultados apontam que. Teve como fontes a Secretaria Municipal de Educação de Juiz de Fora (SME). dois estão no estado de MG e dois no Estado de SP. Utilizamos como recurso metodológico a História Oral. PALAVRAS-CHAVE: Políticas públicas. agentes públicos que interagem discricionariamente com o cidadão no processo de disponibilização de políticas. (iii)pólos com mais de uma Instituição (IES) e (iv)perfil sócio-econômico.

Apesar dos resultados apontarem uma pequena melhora em seu rendimento. com base na concepção de cultura existente à época e na integração de profissionais específicos: os animadores culturais. Na segunda sessão debateremos o programa de animação cultural e suas bases teóricas de atuação no âmbito escolar. oriundo dos estudos culturais ingleses. enquanto atividade Humana produtiva. Na terceira sessão apresentaremos o que chamamos de “legado” da animação cultural. não chegou ao que se propunha. busca documental e observações. Na primeira sessão. Dr. Toma como objeto as políticas públicas focalizadas. Animação Palavras-chave: Avaliação de projeto. . assim como aperfeiçoar a formação de jovens universitários. e Sguissardi (2000. capacitando-os em serviço. em termos da eficácia de sua dupla proposta de melhorar o desempenho de alunos do primeiro ano do ensino médio. que analisou o Projeto Entre Jovens. 2003b.dados. 2005). 2006. a extensão/ampliação do direito à educação. CIEPs Comunidade. constatou-se que o projeto teve uma influência muito grande na formação dos futuros professores e/ou supervisores e uma melhora qualitativa na formação dos discentes. Efetividade social. foram definidos os indicadores de efetividade social e eficácia para a análise dos resultados. A partir dos dados obtidos. sociedade civil. A partir dos testemunhos. Projeto Entre Jovens. Tratase de um estudo teórico sobre os aspectos históricos e sociológicos que incidem sobre a dinâmica da exposição política do direito à educação e do modo como este vem sendo proposto nas políticas focalizadas de acesso à educação superior. Sguissardi (2000. ressaltando suas influências para o debate contemporâneo. notadamente de atividades culturais. focando a análise empírica no Programa Universidade para Todos (ProUni) e tendo como unidade específica de estudo o Relatório de Auditoria Operacional elaborado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). 2003a. 2008). Silva Jr. Teórica e metodologicamente a investigação apóia-se na sociologia-histórica comparada de Bendix (1996). intelectuais e no materialismo cultural. notadamente na categoria trabalho. 2001). principalmente dos jovens universitários. de acordo com a metodologia da Avaliação por Triangulação de Método e por meio de entrevistas. Apóia-se também em Miaille (1994). e quando a democratização tem sido proposta fundamentalmente pela via da iniciativa privadomercantil. Valdemar Sguissardi. em 2010. Concluímos que tal experiência buscava refinar o papel da sociedade civil em sua relação com Estado por meio da ação escolarizada. Eficácia PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS ASPECTOS DA CIDADANIA FRAGMENTADA Célia Regina Gonçalves Marinelli (UNIMEP) Esta comunicação apresenta a tese defendida junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da UNIMEP. para acompanhar o percurso da construção da cidadania no Brasil. sob orientação do Prof. O indicador de eficácia foi usado na análise das entrevistas. Palavras-chaves: Cultural. Saes (2001. nas categorias bloco histórico. apresentaremos o processo de escolarização da animação cultural. AVALIANDO O PROJETO ENTRE JOVENS PARA ALUNOS DO ENSINO MÉDIO E LICENCIANDOS : EFETIVIDADE SOCIAL E EFICÁCIA Carla da Conceição de Lima (UCP) Este trabalho apresenta um estudo de caso com enfoque avaliativo. notadamente a partir da formação de nosso sistema de proteção social. Tem como propósito geral refletir sobre o princípio da igualdade. Analisa a efetividade das políticas públicas focalizadas para a democratização do acesso à educação superior no mesmo modelo de sociedade que tem inviabilizado a universalização. Boltanski e Chiapello (2009).

temos por objetivo identificar por meio dos documentos legais e referenciais federais de que forma o atendimento educacional especializado é subsidiado pelos dispositivos legais e referenciais federais. Jorge Adelino Costa. notadamente nos anos 1990.A LÓGICA INSTRUMENTAL DA REFORMA DO ENSINO MÉDIO Celso Carvalho (UNINOVE) No transcorrer das últimas décadas. Progestão. Algumas pesquisas têm indicado que as escolas têm apresentado diferentes formas de organizar este serviço. Discutimos também como se deu a apresentação. profissionalização. nos documentos oficiais. a nível nacional. como decretos e orientações da politica educacional no Estado de São Paulo apresentam os princípios da gestão democrática. Para apoiar a escolarização destes. A POLÍTICA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERCEPTIVA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A IMPLANTAÇÃO DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO ÂMBITO NO MUNICÍPIO Cicera Aparecida Lima Malheiro (UFESCAR) De 2000 para 2009. Assim. entre outras coisas. exigindo dos gestores escolares uma postura que vai além do perfil burocrático que lhes cabia até então. o Censo registrou um aumento de 81. LIDERANÇA E GESTÃO ESCOLAR Claudia Aparecida Sorgon Scotuzzi (UNESP) Joyce Mary Adam de Paula Em função das transformações pelas quais tem passado o mundo do trabalho.031 matriculas de estudantes com necessidades educacionais especiais (NEEs) no ensino regular. A legislação brasileira apresenta reflexos dessa discussão. o principal objetivo deste trabalho é discutir a questão da liderança na gestão apresentado pelo programa de capacitação para gestores escolares. Apresentamos aqui duas questões surgidas da análise documental que subsidiou a reforma. principalmente com o estabelecimento da gestão democrática enquanto principio da administração das instituições educacionais. entre outros. Richard Sennett. que tem como um de seus temas a formação de lideranças democráticas nas redes públicas de ensino. Palavras chaves: ensino médio. muitas delas de forma desarticulada com o ensino da classe comum e sem atender aos princípios e a legislação da educação inclusiva. Trata-se de uma pesquisa documental que analisa as concepções de liderança e a partir daí as proposições de ação no cotidiano da escola presentes no material do Programa. O trabalho toma como referencial teórico as obras de Stephen Ball. visaram o desenvolvimento da cidadania e da formação profissional.695 para 387. . por volta de 15. de alguns conceitos presentes nesse debate. Nesse contexto. 000 SRMs. trabalho imaterial e adaptação. Nosso objetivo neste texto é apresentar parte dos resultados de uma pesquisa desenvolvida no período 2008-2010 que teve como objetivo geral compreender os impactos produzidos na instituição escolar pelas reformas da educação profissional de nível médio ocorridas a partir da década de 1990. o ensino médio foi objeto de uma série de medidas legais que.ADAPTAÇÃO E CONSENSO . observase uma preocupação com a formação de gestores que tenham entre a liderança como uma de suas habilidades a serem desenvolvidas É nesse sentido que este trabalho apresenta o estudo do Progestão tendo as concepções de liderança como foco central de análise. Tanto a LDB. como sociedade do conhecimento. conhecimento. Para tanto. formação. bem como de seu processo de normatização e regulação: a centralidade assumida pelo conhecimento e a ênfase atribuída à ideia de profissionalização. a questão da liderança tem estado presente nas politicas educacionais no que tange à gestão das escolas. o programa de implementação de salas de recursos multifuncionais (SRMs) distribuiu até o ano de 2010.

DOCÊNCIAS E A PRODUÇÃO DO CONHECIMENTO NO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO/UFMG Claudia Oliveira Santos (UFMG) Maria de Lourdes Rocha de Lima A presente pesquisa tem como objetivo explicar como as memórias dos docentes do Programa de Pós-Graduação da FaE/UFMG. considerada na perspectiva do fracasso escolar. A dimensão quantitativa da pesquisa revelou que os dados da produção bibliográfica crescem significativamente. O referencial teórico deste trabalho fundamenta-se nos estudos de Habermas. entrevistas com foco na memória e análises estatísticas. UMA ANÁLISE DO ASPECTO EDUCACIONAL DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NA UNIÃO DA VILA NOVA/VILA NAIR. Lahire e Charlot referentes à exclusão escolar. As entrevistas com foco na memória dos docentes nortearam as categorias da produção do conhecimento. este trabalho tem como objetivo: analisar o Programa em pauta. Utilizamos como principais bases teóricas as contribuições de Bourdieu. da reflexividade. Para tanto. ou seja. A metodologia inclui procedimentos quantitativos e qualitativos. As análises dos dados possibilitaram organizar a produção do conhecimento da Pós-Graduação em Educação/UFMG em três momentos: a) Produção Nacional b) Produção Autorreferente e c) Produção Avaliativa. BAIRRO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Danielle de Sousa Santos(PUC/SP) Considerando o destaque no âmbito das políticas públicas do Programa Bolsa Família como forma de combate à pobreza e inclusão social. Palavras-chave: Institutos federais. dualidade do ensino. Produção do Conhecimento e Pós-Graduação OS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO CIENCIA E TECNOLOGIA: UMA NOVA CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO OU REORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA? Claudino Ortigara (UNICAMP) Pedro Ganzeli Tecnologia tendo como eixo norteador a dualidade histórica presente entre o ensino propedêutico e formação para o trabalho. que possibilitam ressignificar a produção do conhecimento dos professores deste programa. a fim de identificar seus efeitos no aspecto educacional pretendido. educação profissional. em face da complexidade da construção da ciência em educação. Verificamos que os institutos representem uma forma de reorganização administrativa da rede federal e sua institucionalidade aponta para redução da dualidade. ressaltam as práticas de produção do conhecimento científico face ao contexto histórico das políticas públicas do país.MEMÓRIAS. do interesse e da ação comunicativa. Para esta análise recorremos a uma pesquisa empírica e qualitativa de dados obtidos através da análise documental dos prontuários das crianças e da transcrição de entrevistas. constatamos que as condições econômicas não parecem ser suficientes para . a partir dos seguintes eixos: desenvolvimento da análise documental. acesso à educação e permanência na escola das crianças e jovens beneficiados. o design deste estudo de caso estrutura-se. Utilizamos como procedimento metodológico a análise documental dos instrumentos jurídiconormativos e do plano de expansão realizado no período dos governos Lula (2003 a 2006 e 2007 a 2010). A tese concluiu que as memórias trabalhadas coletivamente nos espaços e tempos são concebidas como conhecimentos. Diante dos resultados. consideradas categorias essenciais na centralidade do trabalho intelectual. e ainda que este Programa é uma política pública que pressupõe o acesso à educação e a permanência na escola como facilitadores da inclusão social das famílias atendidas. Palavras-chave: Memória de Docente. por meio da discussão coletiva.

639 tem no cotidiano escolar atentando para as relações de poder que se estabelecem nele. Inclusão social. Relações étnico-raciais. O foco da análise reside nas pressões exercidas sobre a produção e difusão de conhecimento científico-técnico.639. Discute-se a relevância assumida pelas áreas do conhecimento das engenharias e de carreiras das ciências duras e tecnológicas. Exclusão escolar. em particular na Educação Superior. avaliação. políticas públicas. Palavras-chave: educação de jovens e adultos. após o levantamento documental. Nesse . Davi Silvestre Fernandes Martins (UNESP) Leila Maria Ferreira Salles O Brasil viveu por muitos anos uma realidade na qual a escola de modo geral silenciou sobre as questões étnicas.639. bem como as propostas de reforma da Educação Superior preconizadas pela CNI nesse contexto.639. escolar. que a atual orientação amplia a finalidade de certificação do ENCCEJA. que incluiu na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional a obrigatoriedade do ensino da temática "História e Cultura Afro-Brasileira". aspecto. em 2008.645 que alterou a LDB e a Lei Nº 10. incluindo a obrigatoriedade do estudo de História e Cultura Indígena. nos anos 1990. como indica a literatura especializada. no cenário em que a inovação é considerada estratégica para a geração de vantagens competitivas direcionadas às empresas que enfrentam crescente luta concorrencial nos mercados globalizados. INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NA INDÚSTRIA: UM ESTUDO DAS IMPLICAÇÕES DA RACIONALIDADE DE MERCADO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Darlan Marcelo Delgado (UNESP) O artigo apresenta o diagnóstico do setor produtivo brasileiro configurado pelas transformações propiciadas pela abertura econômica e pelo Plano Real. PALAVRAS-CHAVE: Lei 10. constitui-se em objetivo geral deste estudo a investigação do impacto que a promulgação da lei 10.639. A LEI 10. Debora Cristina Jeffrey(UNICAMP) A pesquisa documental tem o propósito de analisar as orientações expressas nos Documentos Oficiais sobre a utilização do ENCCEJA como um indicador para a qualidade de ensino na modalidade EJA e identificar se estas contribuem para definir o Exame como certificação ou como indutor de políticas educacionais. foi conquistado e reconhecido pelo Estado na forma de lei quando da promulgação da Lei Nº 10. foi proclamada a Lei Nº 11. ao destacar juntamente com esse Exame outras possibilidades avaliativas que devem ser utilizadas como parâmetros de qualidade de ensino à modalidade EJA. neles introjetados pela cultura racista na qual foram socializados. Além disso. Cotidiano ENCCEJA: UMA ANÁLISE DAS ORIENTAÇOES OFICIAIS. Nesse sentido. sob o ponto de vista da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Palavras-chaves: Bolsa Família. em 2003. com destaque para: o Prova Brasil e indicadores qualitativos. Evidenciou-se.explicar e justificar os casos de sucesso ou fracasso escolar. Consideramos uma premissa equivocada do Programa Bolsa Família a que pressupõe uma determinação mecânica entre o aumento na renda daquelas famílias que vivem em situações de pobreza e melhores resultados escolares. Estas leis propõem mudanças curriculares e institucionais dentro da escola que vão muito além da pura e simples inserção de um conteúdo no currículo. O COTIDIANO ESCOLAR E AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS: UM ESTUDO DE CASO. ao ter como objetivo que os indivíduos questionem os mitos de superioridade branca e de inferioridade negra e indígena. fato esse que contribui para a marginalização de toda uma população pela cor da pele e descendência afro-brasileira. tendo em vista a indução de políticas educacionais específicas. considerada o locus privilegiado de sua ocorrência e de formação de mão de obra qualificada.

Pedro L. Embora Rawls não tenha se dedicado diretamente às questões da educação. apresento neste trabalho uma aproximação entre a teoria da justiça rawlsiana e a educação formal. A . tendo como fundamento a epistemologia e a pedagogia críticoemancipatória de Paulo Freire e os fundamentos dos ciclos de aprendizagem implantados na rede municipal de São Paulo na gestão de Luiza Erundina (1989 a 1992). O presente texto é um recorte de minha pesquisa de doutorado que investigou as possibilidades e os limites de implantação da organização curricular em ciclos de aprendizagem. de campo e dos documentos do Projeto São Paulo faz escola. pressupostos freireanos. em seguida. DIFUSÃO E LEITURA DO JORNAL SUPER NOTÍCIA Renata Kelly de Arruda (UNICAMP) O presente artigo objetiva tratar dos estudos de recuperação paralela estabelecidos no período de implantação do Currículo Oficial para as escolas públicas do Estado de São Paulo (gestão 20072010). construiu-se o discurso do sujeito coletivo (LEFÈVRE e LEFÈVRE (2005). LEITURA EM TRÂNSITO: UMA APROXIMAÇÃO COM AS PRÁTICAS DE PRODUÇÃO. PALAVRAS-CHAVE: Educação. Seu esforço intelectual se concentrou na análise do conceito de justiça presente nas doutrinas filosóficas utilitaristas e contratualistas e. Recuperação Paralela. no ensino fundamental. as interpretações e inferências feitas a partir da perspectiva da teoria rawlsiana sobre a educação formal. O estudo demonstrou que a proposta caracteriza-se por um projeto ousado de escola. visto que os alunos ainda apresentam dificuldades de leitura e escrita. com possibilidade de fazer do processo ensinoaprendizagem um processo permanente de formação humana. estudo este que será desenvolvido em diferentes municípios. Este trabalho expõe. Revelou-se uma forte disparidade entre o que é formalizado pelos projetos de recuperação paralela implantados por essa política curricular e o atendimento às reais necessidades dos alunos que participam desses projetos. no mínimo. um processo mais justo. Das entrevistas (2008 e 2009) com discentes com idade de treze e catorze anos. de apreensão crítica de conhecimentos significativos e de valores éticos universais. município da Grande São Paulo. na Rede Municipal de Ensino de Diadema. sob a coordenação da Professora Drª Ana Maria Saul e que tem como proposição o estudo da influência e contribuições do pensamento de Paulo Freire na educação brasileira a partir da década de 90. Políticas Públicas. apesar de terem concluído. avaliando-os enquanto ações dificultadoras ou facilitadoras da construção de um currículo escolar. A pesquisa configura-se como um estudo de caso ilustrativo e de natureza qualitativa. Equidade. com a finalidade de situar o leitor no universo teórico proposto por Rawls e. articulado e contínuo. de metodologia consistiu em análise qualitativa. iguais e participativos da cooperação social. Justiça Social. ciclos aprendizagens. na tentativa de elaborar uma teoria que fundamentasse quais princípios de justiça orientariam a constituição política da sociedade. uma vez que os principais conceitos desenvolvidos se apoiam na percepção que os indivíduos tem de si mesmos como cidadãos livres. de duas escolas públicas de Osasco.O PARADIGMA CURRICULAR CRÍTICOEMANCIPATÓRIO FREIREANO: UM OUTRO JEITO DE FAZER ESCOLA Denise Regina da Costa Aguiar (PUC/SP) Este trabalho é parte integrante de um projeto de pesquisa amplo e coletivo. Percepção esta que passa (ou deveria passar) pela esfera da educação formal. EDUCAÇÃO E JUSTIÇA NA PERSPECTIVA DA FILOSOFIA DE JOHN RAWLS Edgar Domingo de Albuquerque (UNISO) Dr. esta está implicitamente presente em sua teoria. sobretudo. de forma condensada. Palavras-chave: currículo.chave: Currículo. Palavras. com pesquisa bibliográfica. os principais conceitos da teoria rawlsiana. Goergen John Rawls (1921-2002) é um dos mais importantes nomes da filosofia política do século XX. Assim. seis anos de escolaridade no ensino fundamental.

. EDUCAÇÃO PATRIMONIAL E ESCOLA: ANALISANDO POLÍTICAS PÚBLICAS E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS Jorge Nassim Vieira Najjar (UFF) Edylane Eiterer O presente trabalho tem por objetivo analisar algumas experiências de Educação Patrimonial que são desenvolvidas em escolas de Educação Fundamental. A partir dessas discussões e de um trabalho de pesquisa empírica de cunho qualitativo. necessariamente. Como resultado. Identidade FORMAÇÃO CONTINUADA EM SERVIÇO PARA AS NOVAS DEMANDAS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Elaine Alves Raimundo (USP) Raquel da Silva Ribeiro Rosanna Claudia Bendinelli O presente trabalho foi realizado a partir das considerações da pesquisa intitulada “Atendimento escolar de alunos com necessidades educacionais especiais: análise das ações dos Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão (Cefai)”. sempre visando a plena formação do profissional também foi de grande serventia no estudo realizado. interesses e sujeitos. Palavras-chave: Educação Patrimonial. pois boa parte dos professores que realizaram o curso o fizeram para aprimoramento de suas práticas pedagógicas. são analisadas experiências de Educação Patrimonial em três escolas de Ensino Fundamental. Bauman e Castells travam sobre o conceito de identidade e as que Fonseca. as quais podem ser definidas como: a oferta de formação continuada em nível lato sensu pela Secretaria Municipal de Educação de São Paulo para professores da rede. e 3) Constituição de redes de apoio. mas que se fazem necessárias orientações mais claras quanto aos objetivos dos cursos. o trabalho tem como referencial teórico as discussões sobre “ciclos de política”. Pyburn e Chauí travam sobre patrimônio cultural. fazendo com que as conseqüências formativas dessas experiências sejam. habilidades e competências) comparando e adequando-os aos anseios do mercado de trabalho e aos estudos pedagógicos referentes aos assuntos. de natureza qualitativa. e os critérios utilizados em cada centro para definir seus participantes. o trabalho tem por suporte teórico as discussões que Hall. A análise qualitativa de todos os documentos gerados pelos professores das disciplinas (diários de classe e plano de trabalho docente). identificou-se uma intensa disputa ideológica e educacional entre diferentes concepções. Tal estudo. pelo coordenador dos cursos e laboratório de currículos do Centro (bases tecnológicas. Políticas Públicas.“A (DES)CONSTRUÇÃO DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE NAS ESCOLAS TÉCNICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO A PARTIR DA LDB E DECRETO-LEI 2208/97” Eduardo Calsan (UMESP) Para que os objetivos da Pesquisa sejam conseguidos. epistemológicos e educacionais que lhes dão suporte. pautava-se nos seguintes objetivos principais: 1) Análise da estrutura e das condições de funcionamento de cada centro. com o intuito de qualificá-los para atuação nos já citados centros e / ou salas de apoio. observamos que foram realizadas três ações de formação em nível de especialização. Como resultados. um estudo apurado de autores que dedicaram sua obra à educação profissional e tecnológica será realizado para confrontar as condições do ensino oferecido antes e depois da promulgação da LDB e Decreto-Lei 2208/97. mesmo que de maneira parcial. 2) Ações de formação. Este trabalho destaca algumas ações relacionadas ao segundo objetivo dessa pesquisa. Como a questão do Patrimônio está diretamente vinculada à constituição da identidade nacional e de identidades grupais. calcado na pesquisa documental e na observação participante. Tal disputa marca tanto o processo de formulação quanto a implementação das experiências educativas. entender os pressupostos ontológicos. e confrontar o que ocorre nessas ações com o que é proposto por políticas públicas que visam incrementar a discussão acerca do Patrimônio Cultural brasileiro. de Ball e Mainardes. resultantes deste jogo de forças. Na análise das políticas públicas. bem como da definição do perfil esperado dos profissionais formados.

ACESSIBILIDADE FÍSICA DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NO ENSINO SUPERIOR Elaine Maria Bessa Rebello Guerreiro (UFSCAR) O objetivo deste artigo é avaliar as condições dos espaços de acessibilidade numa universidade do interior de São Paulo para alunos com deficiência visual nas suas atividades educacionais. privilegiando estudos referentes às reformas educacionais do Regime Militar (1964-1985). rotas alternativas. obstáculos e facilitadores nesses percursos.contudo. regulamente matriculados. Palavras-chave: Políticas Educacionais. Lei 5. Os resultados foram comparados à luz da NBR 9050/2004 da ABNT e legislações específicas. assim como ampliar o número de alunos matriculados em classes comuns da rede pública de ensino. envolvendo a análise documental. Inclusão Escolar. bem como de estudos realizadas em outras universidades do país. as condições de acessibilidade aos diversos ambientes educacionais para sua a permanência e conclusão do curso. Deficiência Visual.540/68. e percepções desses alunos nas rotas alternativas. Os participantes foram alunos. Pode-se afirmar ainda que as concepções que orientam as políticas de inclusão escolar de alunos com deficiência visual não superaram a dicotomia entre a educação especial e a educação comum. no cotidiano escolar. A INCLUSÃO ESCOLAR DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NO MUNICÍPIO DE IPATINGA (MG) NA PERSPECTIVA DOS ALUNOS E PROFESSORES Eline Silva Rodrigues (UFMG) Priscila Augusta Lima Rosemary Dore Heijmans A pesquisa analisa as políticas públicas de inclusão escolar destinadas às pessoas com deficiência visual no Brasil. Trata-se de um estudo de campo de caráter exploratório. dos programas de pós-graduação. não assumiram. a maior número de alunos com deficiência visual. regência em serviços de atendimento educacional especializado da respectiva rede de ensino. Foi definido como objetivo compreender as concepções de educação inclusiva presentes nas políticas de inclusão escolar para pessoas com deficiência visual no Brasil. desenvolvida principalmente no Programa de Estudo e Documentação Educação e Sociedade da UFRJ (PROEDES) e no arquivo da Faculdade de Educação da UFRJ. com fontes primárias. seu desempenho escolar. Defende-se que as . que mostrou a necessidade de se dar mais atenção às condições locais de acessibilidade à pessoa com deficiência visual para que esta possa realizar. Não basta apenas o acesso via vestibular. A metodologia utilizada é uma pesquisa de campo. como atas e ementas de disciplinas. também. principalmente a Reforma Universitária. A análise revelou que a evolução das políticas municipais de educação tem conseguido ampliar o atendimento. grau de satisfação desses alunos nos percursos identificados. e suas conseqüências na constituição da referida instituição. observação e entrevistas com oito alunos cegos e com baixa visão que estão matriculados em classes comuns e são atendidos no núcleo e oito profissionais que atuam nesse atendimento. se faz necessário. de forma satisfatória e adequada. ao seu término. bem como a forma como se processa. Dentro deste objetivo procurou-se identificar: principais percursos em ambientes externos de maior utilização pelos alunos alvo no seu desempenho acadêmico. Nos procedimentos metodológicos. A fundamentação teórica tem como referência teorias que compreendem os processos de desenvolvimento humano enquanto processos sociais e estudos que analisam a inclusão escolar de alunos com deficiência visual no sistema comum de ensino. o que resulta na falsa idéia de que a opção por escolas inclusivas estaria limitada implantar atendimentos especializados. FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA UFRJ: OS ANOS INICIAIS Fabiana de Moura Maia Rodrigues (UFRRJ) Celia Regina Otranto A presente pesquisa tem como foco a estruturação e os anos iniciais da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). optamos pela pesquisa qualitativa.

para garantir a qualidade do trabalho. através de um Estudo de Caso. ambas no município de São João de Meriti. a partir da aplicação de questionário e da realização do grupo focal em duas instituições de ensino. através de uma investigação bibliográfica em documentos oriundos do poder público. Políticas ESCOLA DE ENSINO MÉDIO E INTERLOCUÇÃO COM O MUNDO DO TRABALHO: O RELATO DE JOVENS CONCLUINTES Fátima da Silva Batista (Universidade Estácio de Sá) O trabalho objetivou investigar como jovens concluintes de ensino médio estão dialogando com o mundo do trabalho por intermédio da escola. Regime Militar. O presente trabalho busca avançar com os estudos sobre a História da Educação no Regime Militar (1964-1985). tem como objetivo analisar a política de interiorização dos ISE da rede pública estadual do Rio de Janeiro. trabalho e educação. com ensino médio concomitante ao ensino técnico. TRAJETÓRIA DAS CRECHES PÚBLICAS DO RIO: DA LDBEN 9394/96 À ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA SME/RJ Fatima V. Infantil. Os resultados da pesquisa revelaram que o curso de ensino médio. Contudo. inicialmente. O desenvolvimento desta temática foi feito. pois não possibilita o acesso a conteúdos e informações que facilitem o processo de ensino aprendizagem e. Juventude. ações concretizadas e entraves impostos à operacionalização do ordenamento legal. Estas reflexões integram a pesquisa “Creche Odetinha: um estudo de caso” que teve como objetivo geral descrever e analisar o processo de formação dos educadores (2008-2009). Descrever esta experiência. que as ações para transferência das instituições educativas ainda não se adequaram às determinações legais.transformações decorrentes das reformas educacionais impactaram esse lócus de formação impossibilitando políticas de formação efetivas e suas conseqüências são sentidas até os dias atuais. realizado em nível de doutorado. neste estudo analisamos as recentes mudanças nas políticas públicas de educação infantil do município do Rio de Janeiro. desafios. Creche. CONCEPÇÕES E INTERESSES EM DISPUTA Fernando de Souza Paiva (UFF) Waldeck Carneiro da Silva O presente estudo. o ingresso no mundo do trabalho. Palavras-chave: Educação e Trabalho. na forma como está organizado. mais adiante se discutiu a relação existente entre juventude. nos permitiu avaliar quais os limites.5% no quantitativo de creches. Faculdade de Educação. são necessários investimentos em acordo com as disposições legais e orientações curriculares nacionais. desde o processo de transição das instituições da SMDS à SME até os dias atuais. no que tange aos padrões de infra-estrutura e profissionais habilitados para função. de Vasconcellos Mesmo após quinze anos da promulgação da LDBEN 9394/96 evidenciamos. em muitos municípios do Brasil. A POLÍTICA DE INTERIORIZAÇÃO DOS INSTITUTOS SUPERIORES DE EDUCAÇÃO NO RIO DE JANEIRO: AGENTES. Rocha (UERJ) Vera M. Desta forma. uma pública com ensino médio noturno e outra privada. Constatamos que após o período de transição houve um crescimento 23. Palavras Chaves: História da Educação. Palavras-chave: Educação Públicas. tendo como . Ensino Médio. é incapaz de atender de forma satisfatória aos jovens das camadas mais pauperizadas da sociedade. consequentemente. R. por meio de uma contextualização das reformas políticoeconômicas e.

tendo como principal referencial a proposta preliminar para as EMTIs de 2007. os regulamentos. etc. Para entender esse processo de mudanças no tempo e no espaço educacional das EMTIs revisitamos as indicações dos organismos internacionais. conceito empregado na perspectiva de Bourdieu. Palavras-Chave: Instituto Superior de Educação. decretos e documentos oficiais. Interiorização da Formação de Professores . Também para contribuir nas análises finais foram incluídas informações sobre a realidade educacional espanhola – Comunidade Autônoma de Madrid – suas leis. o período analisado oferece duas concepções distintas dos órgãos centrais da UNESP que orientaram a oferta da pós-graduação lato sensu: primeiro. da LDB nº 9394/96 e o PNE. dos cursos). por meio da Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC).Rio de Janeiro. A análise baseada na revisão da literatura e na confrontação do cotidiano escolar das duas realidades identificou algumas fragilidades no processo de implantação da proposta na cidade de Goiânia e consubstanciaram uma proposta básica de intervenção na Rede Pública Municipal de Educação de Goiânia. o processo de interiorização da formação de professores em nível superior na rede pública estadual configurou-se como uma política de expansão do ensino superior isolado e exclusivamente voltado para a formação de professores. Itaperuna. lato sensu. institucionais sobre a realidade destes cursos na universidade. uma política de “incentivo” sem o efetivo acompanhamento e avaliação. sem diálogo com a Secretaria Estadual de Educação nem com as universidades públicas estaduais. Os resultados revelam que no âmbito administrativo as normas e regulamentos tiveram a função de conservar o domínio dos órgãos centrais frente aos interesses do demais envolvidos (docentes/propositores . Formação de Professores em Nível Superior. Na dimensão política. sob a hegemonia da FAETEC. uma política de “controle” decorrente da vertiginosa expansão desses cursos. Santo Antônio de Pádua. BUROCRACIA E PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA UNESP Fernando Henrique Protetti (UNESP) A comunicação apresenta as orientações políticoadministrativas produzidas pelos órgãos centrais da Universidade Estadual Paulista (UNESP) para a oferta dos cursos de pós-graduação lato sensu entre 1980 e 2010. analisam-se as normas. no estado do Rio de Janeiro. A coleta dos dados empíricos para a análise final foi realizada em seis EMTIs distribuídas nas cinco regiões administrativas da Rede Pública Municipal de Goiânia e mais uma como representante da zona rural. num segundo momento. O processo de interiorização dos ISE no Rio de Janeiro foi deflagrado no ano de 2001. Sociologia da Dominação. em especial as do Banco Mundial. Os dados do país ibérico possibilitou o estabelecimento das aproximações e distanciamentos com a realidade brasileira e de Goiânia. os agentes e os interesses implicados na disputa que se trava neste campo. órgão vinculado à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (SECT-RJ). IMPLANTAÇÃO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS EM TEMPO INTEGRAL NA CIDADE DE GOIÂNIA Florence Rodrigues Valadares (UNESP) Joyce Mary Adam de Paula e Silva O presente estudo tem como objetivo analisar a implantação das Escolas em Tempo Integral (EMTI) na cidade de Goiânia. apesar da sua legitimidade ser continuamente contestada pelos dominados. as publicações. Três Rios e Bom Jesus do Itabapoana. nos municípios de Campos dos Goytacases. que previa o aumento do tempo de permanência dos alunos e significativas alterações nas formas de avaliação e no cotidiano escolar. onde os ISEs foram criados por decretos estaduais. O estudo se baseia em entrevistas e em análise documental e seus primeiros resultados revelam que. Palavras-chave: Pós-graduação UNESP. O foco da investigação recai especialmente sobre as concepções.referencial teórico os estudos empreendidos por Dourado sobre interiorização do ensino superior. Adotando como recurso teórico-metodológico os conceitos de “dominação racional” e “burocracia” procedentes dos estudos de Max Weber sobre a Sociologia da Dominação.

formação profissional do Enfermeiro. desde aqueles que visam apenas à escolarização até os que contemplam uma atenção mais generalizada para além do domínio da vida escolar. Estados Unidos da América e Espanha. a oficialização da prática do Planejamento Educacional Individualizado (PEI) é uma das ferramentas adotadas para melhorar a educação de estudantes em situação de deficiência. objetivando verificar e analisar os significados atribuídos ao cuidar. o objetivo do presente estudo é descrever e analisar conceitos e modelos de Planejamento Educacional Individualizado da Itália. bem como sobre a inclusão total\radical até aquela que pressupõe a existência do contínuo de serviços de apoio. e também evidenciaram a variedade nos modelos de Planejamento Educacional Individualizado. Intentou-se verificar não só qual é o lócus destinado ao cuidar nas legislações educacionais para de Enfermagem. discentes. Buscou-se relacionar o ensino interdisciplinar à melhoria das condições de implementação do cuidar no dia a dia do profissional da Enfermagem. apontaram-se desafios para docentes. Os resultados demonstraram que a visão de formação almejada para os jovens paulistas. França. bem como dos possíveis sentidos construídos para ele na formação do Enfermeiro. Nesse sentido.Goiânia/Madri LEGISLAÇÃO E CUIDAR UMA VISÃO INTERDISCIPLINAR NA FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO SOB Á LUZ DA LEGISLAÇÃO Giane Elis de Carvalho Sanino (UNINOVE) Trata-se de estudo sobre a Interdisciplinaridade e Formação. onde o campo investigado é o das Práticas de Formação e Políticas Públicas em Enfermagem. a visão sobre a docência tanto do governo quanto da sociedade CONCEITOS E DIFERENTES MODELOS DE PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO Gabriela Tannús-Valadão (UFSCar) Enicéia Gonçalves Mendes Países da Europa e América do Norte. As considerações finais apontam para a importância de dispositivos legais relacionados à implementação do Planejamento Educacional Individualizado destinado a estudantes em situação de deficiência para que o direito à educação escolar seja de fato garantido. . visão interdisciplinar. em 2003. Este estudo. o sentido dado à palavra qualidade. Como método de coleta de dados optou-se pela análise documental das versões do Plano Estadual de Educação (PEE) do governo e da sociedade paulista. PALAVRAS-CHAVE: Diretrizes curriculares. O método utilizado nesta pesquisa foi o teórico-analítico. publicados no período entre 1994 a 2008. o tipo de democracia assumida. Os resultados mostraram a diversidade entre os países desde a concepção sobre a inclusão escolar. de Moscovici. Como recurso teórico-metodológico optou-se pela teoria da Representação Social.Palavras – chave: Política pública educacional Escola em tempo integral . coordenadores envolvidos com o compromisso e a responsabilidade de analisar e de refletir sobre o exercício do cuidar na atuação do Enfermeiro. cuidar. de natureza documental. e que esta lacuna explica alguns dos problemas atuais apontados nas políticas e práticas de inclusão escolar em nossa realidade. PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO: REPRESENTAÇÕES DO GOVERNO ESTADUAL E DA SOCIEDADE PAULISTA SOBRE EDUCAÇÃO Dantas Gisele Kemp Galdino (UNESP) A pesquisa teve como objetivo confrontar visões de mundo sobre a educação pública paulista expressas pelo governo e pela sociedade paulista (representada pelo Fórum Estadual de Defesa da Escola Pública/SP) durante a elaboração do Plano Estadual de Educação. Considerando a ausência desse tipo de requisito legal no Brasil. mas também como esse cuidar tem sido implementado no exercício da profissão. teve como fonte de dados os documentos obtidos nos sites oficiais do Ministério da Educação daqueles países.

Arroyo (2006. Palavras-chave: Escola Pública Paulista. ainda evidenciamos a necessidade de se estruturarem essas duas modalidades e. os avanços e as contribuições na articulação da EJA (ensino fundamental) com a educação profissional. O objetivo deste estudo foi analisar as concepções de parceria. implementados de 1995 a 2008. e equidade e justiça social. na experiência de projeto-piloto no município de Contagem-MG. apontamos que um dos resultados dessa investigação é a contribuição dessa experiência para o campo da EJA e da educação profissional no âmbito de se pensar os limites e possibilidades de uma política educacional que proporcione o desenvolvimento integral dos sujeitos envolvidos. contribuindo assim com a história de luta pela escola pública. com interlocução com a pesquisa de pressupostos quantitativos. no período de 2005 a 2007. consequentemente. refletir sobre as transformações das concepções e princípios da formação geral e profissional da política pública. intitulada “A experiência do PROEJA em Contagem: interseção entre EJA e Educação Profissional”. Quanto aos instrumentos metodológicos. o Programa Escola em Parceria e o Programa Comunidade Presente. O governo paulista propôs um projeto de formação de indivíduos adaptados ao Neoliberalismo. deixando silenciada a formação voltada para a criticidade e construção coletiva de um projeto para o país. o que é a essência da versão da sociedade paulista. utilizamos no estudo empírico a entrevista semiestruturada. mesmo visando tornar hegemônico seu plano para a escola pública o governo do Estado de São Paulo não conseguiu atingir o fim desejado. Dessa forma. democracia. de John Rawls.paulista são diametralmente opostas. dentre outros. com o referencial de mudar o modelo social vigente de exclusão social. Palavras-chave: Educação de Jovens e Educação. e do conceito de processo civilizador. 2007). A EXPERIÊNCIA MUNICIPAL DE POLÍTICA PÚBLICA DE ARTICULAÇÃO DA EJA E A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: NOTAS CONCLUSIVAS HASLA DE PAULA PACHECO (UFMG) O artigo tem como objetivo apresentar as análises finais da dissertação de mestrado concluída em 2010. O estudo destes programas permitiu analisar as concepções teóricas subjacentes aos vários projetos da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo voltados para o atendimento da comunidade. O principal objetivo foi analisar os impasses. voltadas para a equidade e justiça social e identificar sua articulação com o projeto de modernização e racionalização da política educacional paulista. determinar sua relação com as políticas compensatórias. Manfredi (2002). No mesmo sentido. destacamos Kuenzer (1999). configurando-se em um estudo de caso. de Max Weber. Política Pública . Haddad e Di Pierro (2000). O procedimento teórico-metodológico deste trabalho foi baseado em pesquisa bibliográfica e documental e sua análise realizada por meio das categorias modernização e racionalização. o Programa Superação Jovem. discutiram e propuseram um projeto alternativo. Educação Profissional. a análise documental e o questionário. A metodologia aplicada foi baseada nos princípios da abordagem qualitativa. CIDADANIA E PARCERIAS COMUNITÁRIAS Guilherme Andolfatto Libanori (UFSCAR) Orientadora: Sandra Aparecida Riscal Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa de Mestrado que teve como objeto de estudo ações políticas educacionais voltadas para a justiça social. cidadania e justiça social que fundamentam esses programas. o Programa Justiça e Educação: Parceria para a Cidadania. de Norbert Elias. Enfim. O CARÁTER MODERNO E CIVILIZADOR DOS PROGRAMAS SOCIAIS DA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO: RESSIGNIFICAÇÃO DAS CONCEPÇÕES DE JUSTIÇA SOCIAL. Plano Estadual de Educação. equidade. No campo teórico utilizado para orientar a pesquisa. o Programa Escola da Família: Desenvolvimento de uma Cultura de Paz no Estado de São Paulo. cidadania e parcerias intersetoriais em cinco programas da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. pois vozes se levantaram.

implementadas no período de 1996 (ano da promulgação da última lei de diretrizes e bases da educação nacional) a 2009. Observamos que os atletas adotam diferentes estratégias de conciliação entre as . Palavras-chave: médio. gestão escolar. Palavras-chave: Escolarização.POLÍTICAS PÚBLICAS DE ENSINO MÉDIO: A DEFINIÇÃO DE CONTORNOS LEGAIS E A ATUAÇÃO DO MEC Herica Angela Borba (PUCMINAS) Este trabalho apresenta a seleção de alguns pontos contemplados na análise das principais políticas públicas nacionais para o ensino médio regular. A pesquisa é um estudo de caso que demandará investigações sobre as esferas envolvidas no estabelecimento da parceria. Palavras-chave: parceria público-privado. enfatizando a gestão escolar. Embora tenhamos refletido sobre os mecanismos de flexibilização adotados por professores e diretores. quais sejam: a formação dos jovens para “o exercício da cidadania” e a “preparação básica para o trabalho”. o detalhamento dos dois programas de gestão adotados bem como o levantamento das alterações observadas na esfera das unidades escolares que integram a pesquisa. Ensino rotinas no futebol e na escola. não podemos medir o impacto causado no aprendizado e na trajetória escolar desses jovens atletas de futebol. MEC. Concluímos que essas estratégias de conciliação têm como finalidade a permanência do atleta na escola. com a anuência dos pais. São tratados. Política educacional. neste texto. da parceria entre a Fundação Pitágoras e a Secretaria Municipal de Educação de Sorocaba estabelecida para a implantação do Sistema de Gestão Integrado a partir de 2006 e do Programa de Gestão de Excelência a partir de 2009. Na análise. A etapa de escolaridade a ser investigada é o Ensino Fundamental e o período definido para coleta de dados é a série histórica entre 2005 e 2011. organização do trabalho na escola. foram realizadas 12 entrevistas semiestruturadas com jogadores das categorias de base – na faixa de idade entre 15 e 20 anos – de quatro clubes de futebol do Estado do Rio de Janeiro. determinados aspectos referentes aos contornos legais. ESCOLARIZAÇÃO E PROFISSIONALIZAÇÃO DE JOVENS ATLETAS DE FUTEBOL: UM ESTUDO QUALITATIVO Hugo Paula Almeida da Rocha (UFRJ) Antonio Jorge Goncalves Soares O objetivo do estudo foi verificar como os atletas das categorias de base do futebol conciliam sua rotina de treinamento com a escolarização básica. a identidade e a função social atribuídas ao ensino médio. Buscou-se compreender. nessa pesquisa. A ATUAÇÃO DA FUNDAÇÃO PITÁGORAS NA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE SOROCABA/SP: ANÁLISE SOBRE AS IMPLICAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO NA ESCOLA Inajara Iana da Silva (UNICAMP) Esse projeto tem como objetivo analisar as consequências para a organização do trabalho na escola. à expansão do atendimento e aos programas e projetos desenvolvidos pelo MEC no referido período. Jovens Atletas. tal como consubstanciados por meio de políticas educacionais. considerando a atuação do Ministério da Educação na definição dos pressupostos para este nível de ensino. considerou-se o discurso enunciado nos programas e projetos do MEC. mediados pelos mecanismos de flexibilização adotados pelos estabelecimentos de ensino e/ou professores. Tal análise correspondeu ao objetivo geral da pesquisa intitulada “Políticas públicas nacionais para o ensino médio no Brasil (1996/2009): avanços e retrocessos na luta pelo direito à educação na era da cidadania”. bem como as finalidades formais precípuas do ensino médio. Profissionalização. Para esta análise.

As análises conclusivas buscaram mostrar que o trato pedagógico direcionado a alunos em dificuldade de aprendizagem evidencia os esforços e as contradições encontradas no discurso dos diferentes segmentos que compartilham da realidade escolar. no período de 1997 a 2008. Barretto (2005) e Dalben (2004). Conclui-se que mesmo dinamizando a prática pedagógica ou propondo outros critérios de composição das turmas. análise documental. entrevistas e questionário estruturado. a lógica do currículo e ainda vencer a forma solitária de trabalhar a inclusão. região do ABC paulista. tão real quanto o aluno com deficiência inserido na sala de aula. Êxito e fracasso Escolar.A IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA REDE VENCER EM ALTAMIRA – PA E SUAS RELAÇÕES COM AS CONDIÇÕES DO EXERCÍCIO E MAGISTÉRIO E IDENTIDADE DOCENTE Irlanda Do Socorro de O Mileo (PUC-SP) Antonio Chizzotti O presente artigo é resultado de um estudo realizado cujo objeto relaciona-se às condições do exercício do magistério em Altamira-PA. levando-se em conta a complexidade da deficiência e as condições que a unidade escolar pública enfrenta para receber o aluno. (2004). é tempo de reaprender organizar o tempo. hoje. realizadas com professores e técnicos da Secretaria de Educação. TEORIA E PRÁTICA NA INCLUSÃO EDUCACIONAL DO ALUNO SURDOCEGO: ELEMENTOS INDISSOCIÁVEIS Izabel da Silva Gomes (UNICID) A surdocegueira implica o comprometimento da audição e visão. Tais autores contribuíram para destacar as dificuldades e possibilidades dos Ciclos e dos Conselhos de Classe no contexto escolar. Palavras-chave: Ciclos. com objetivo de analisar as repercussões do Programa Rede Vencer implantada no Município e sua relação com as condições de trabalho e a saúde dos docentes e assim. em qualquer lugar do país. Baseando-se na literatura pertinente. surdocegueira. Para tanto. para que os mesmos sejam valorizados no exercício de sua profissão. assim como buscando orientações em entidades especializadas para a inclusão educacional responsável . o que ocorre é um movimento de inércia que reforça a constante busca pela homogeneização do alunado.O presente estudo discursa sobre inclusão do estudante surdocego na rede regular de ensino. principalmente ao que diz respeito à SEMEC. bem como início e evolução das deficiências estão diretamente relacionadas ao desenvolvimento infantil. Tratou de investigar o tratamento direcionado aos alunos em situação de fracasso escolar destacando as potencialidades e deficiências desta política. conhecer os procedimentos adotados pelos órgãos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) que constituem campo das investigações. A análise final dos dados possibilitou-nos perceber a atual situação dos docentes no desenvolvimento de suas atividades e verificar a necessidade de uma maior interação dos órgãos envolvidos. Palavras chave: políticas públicas de educação. O embasamento teórico pautou-se em Bernstein (1990). no sentido de perceber os docentes enquanto agentes do conhecimento. Conselhos de Classe. inclusão educacional. tais graduações. Perrenoud . a metodologia aplicada se deu meio de um estudo qualitativo. observações e entrevistas semiestruturadas. Isabel Cristina Rodrigues (USP) O presente estudo procurou analisar o funcionamento dos Conselhos de Classe no regime dos ciclos na rede pública municipal de Santo André. Instituir uma cultura inclusiva nas escolas comuns exige ações das políticas públicas de educação com alcance real. A metodologia foi baseada em dados documentais. com a utilização da pesquisa de campo. variando desde perdas leves às perdas profundas. mas ainda não tem força para modificar as práticas educativas. Para a escola. A contribuição teórica é muito importante. OS CICLOS E OS CONSELHOS DE CLASSE: O ÊXITO E O FRACASSO ESCOLAR (AINDA) EM QUESTÃO.

A aplicação dos jogos cooperativos se mostrou eficaz para uma mudança de postura dos alunos. Referencial teórico: SILVA (2004. UERJ. pude constatar a grande dificuldade de relacionamento entre os alunos. Os resultados mostram que ainda é necessário o aprofundamento de algumas questões importantes no campo da EJA. As fontes da pesquisa foram o CD Rom da ANPEd. jogos cooperativos. voltado para alunos considerados com dificuldades de aprendizagem. identificando as categorias estudadas pelos pesquisadores: Inclusão Social e Profissional. sendo a categoria Democratização do Ensino Superior o objeto deste trabalho. com suas identidades e a adequação da modalidade de ensino ao público a que se destina. Os referenciais teóricos utilizados são os estudos de autores que se debruçaram sobre a análise das pesquisas na área. pertinente ao Programa e de divulgar para a comunidade científica sobre este saber. Como metodologia.PIC. Esse estudo foi temático e levou em consideração resultados de dissertações de mestrado e teses de doutorado dos programas de pós-graduação. MATTOS (2006. UFMG. contribuindo para a diminuição de ações agressivas na turma. criação de vínculos entre eles e para a constituição de espaços inclusivos. ciências . entre outros. baseando-se no estado da arte das pesquisas em EJA coordenado por Sérgio Haddad e nos bancos de teses de cinco universidades brasileiras (PUC-Rio. passando por programas de educação. Partiu-se da hipótese de que desenvolvendo a capacidade de se relacionar em grupo os educandos poderiam expressar seus problemas e dúvidas.PESQUISA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: NOTAS SOBRE O ESTADO DA ARTE Jaqueline Luzia da Silva (PUC-RIO) Este trabalho apresenta e discute os resultados das pesquisas recentes sobre Educação de Jovens e Adultos. As pesquisas requerem um maior cuidado com relação ao referencial teórico abordado. espaço inclusivo. como Haddad (2002). Esta análise foi realizada a partir das pesquisas realizadas no processo de construção da tese de doutorado da autora. independente da área do programa de pós-graduação. coleções de periódicos nacionais. percebemos a possibilidade de utilizar jogos cooperativos com o objetivo de melhorar os relacionamentos. iniciou o Projeto . as pesquisas estão muito preocupadas com os sujeitos atendidos. JOGOS COOPERATIVOS E INCLUSÃO NO PROJETO INTENSIVO NO CICLO – PIC João Anderson da Silva (UNICID) Profa. 2008. nos últimos anos. Edileine Vieira Machado Este trabalho analisa a contribuição dos jogos cooperativos para a melhoria do relacionamento entre os alunos da sala do Projeto Intensivo no Ciclo (PIC) e para constituição de espaços inclusivos. anais de eventos em educação no Brasil e o banco de teses da CAPES. Democratização do Ensino Superior. O PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS – PROUNI E A DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR José Ângelo Ferreira (UNINOVE) Izabel Petraglia Movidos pelo desafio de conhecer estudos realizados sobre o Programa Universidade Para Todos .PROUNI.1999). Entretanto. mapeou-se os trabalhos acadêmicos. foi adotada a Pesquisa-Ação. Machado (2002). sociologia. A pesquisa foi centrada no PROUNI. na região de Mauá-SP. Os estudos de tipo estado da arte auxiliam a exploração das pesquisas realizadas acerca de um determinado tema. MACHADO (2009. Política Neoliberal e Influência e Motivação Familiar. Assim. levando o aluno a se sentir parte de um grupo.1998). visando alfabetizá-los e inseri-los nas classes regulares. Souza (2002) e Cukierkorn (2002). 2007). Em 2008 a Secretaria de Educação – SP. BROTTO (2001). UFRGS e UNISINOS). Palavras-chave: Políticas públicas de educação. Ao ministrar aulas de Educação Física em uma das salas desse projeto. no período compreendido entre 1986 e 2009. atualizando um conjunto de estudos que compuseram o estado da arte. com os dados empíricos investigados e com a abrangência ou generalização dos dados colhidos. Os sujeitos da pesquisa foram os alunos da sala PIC da Escola Estadual Sylvio Gueratto. Dra.

mais especificamente os conceitos de ordem. e tendo como base a teoria de Pierre Bourdieu. A CRIAÇÃO E A INSTALAÇÃO DA ESCOLA PROFISSIONAL MIXTA DE SOROCABA José Roberto Garcia (UNISO) Adriana Aparecida Alves da Silva Wilson Sandano Este artigo tem como ponto de partida a pesquisa sobre a Escola Profissional Mixta de Sorocaba/SP. o estudo conclui que a fraca autonomia do campo educacional e o crescente interesse dos militares pelo controle do poder executivo no Brasil são responsáveis pelo estabelecimento efetivo da disciplina escolar Educação Moral e Cívica. consideraram. a bússola da educação básica brasileira. ciências contábeis. serviço social. o sistema educacional resultante pode não garantir o direito constitucional a uma educação de qualidade para todos. baseada nas duas últimas décadas do século XIX e nas três primeiras do século XX. o IDEB faz uma redução do foco de análise e. a metodologia e os resultados finais alcançados.políticas. desenvolvida pela PUC/SP em parceria com a UNINOVE. sobre a produção acadêmica discente dos programas nacionais de pós-graduação stricto sensu. Militares e Educação Moral e Cívica . Palavras-chave: Educação. Em seguida. Como qualquer indicador. O primeiro objetivo deste artigo é explicitar as opções metodológicas feitas na construção do IDEB. O intuito principal dessa apresentação é demonstrar as fontes. que contou com financiamento Capes/INEP. principalmente depois de 1969. cuja pesquisa foi realizada nas bibliotecas da Escola Superior de Guerra (ESG) e do Exército (Bibliex). servindo de base para a entrada dos interesses militares dentro do campo educacional e culminando no estabelecimento da disciplina escolar Educação Moral e Cívica. Se o IDEB for o único indicador usado para guiar as políticas educacionais. mas também pelo aprendizado de competências básicas e trajetória escolar de seus alunos. expressa em teses de doutorado e dissertações de mestrado nos últimos anos. que o Programa democratiza parcial e totalmente o Ensino Superior. é necessário conhecer a concepção latente de qualidade e de equidade de sistemas educacionais. As pesquisas aqui indicadas. tornou-se a forma privilegiada de orientação de políticas educacionais. opções feitas na sua concepção têm consequências pedagógicas indesejáveis. Jose Antonio Miranda Sepulveda(UFRJ) A proposta deste trabalho é apresentar a minha tese de doutorado defendida em dezembro de 2010. ANÁLISE DOS PRESSUPOSTOS EDUCACIONAIS E ESTATÍSTICOS DO ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA (IDEB) José Francisco Soares (UFMG) A introdução do IDEB colocou no centro do debate educacional brasileiro a ideia que escolas e sistemas educacionais devem ser avaliados não apenas pelos processos de ensino e gestão utilizados. O presente trabalho ocupase ainda os desdobramentos parciais da pesquisa concluída em fins de 2010: “PROUNI e inclusão social”. Esta constatação é importante principalmente no momento em que se discute o novo Plano Nacional de Educação. Isto permite identificar os efeitos diretos e indiretos que seu uso induz nas escolas que reorientam suas políticas e práticas internas buscando a sua maximização. embora o IDEB cresça com melhoria no aprendizado dos alunos e caia com aumento das reprovações. A tese defendeu como argumentação que alguns conceitos positivistas desenvolvidos na Brasil à época da proclamação da República. Examina-se O PAPEL DA ESCOLA SUPERIOR DE GUERRA NA PROJEÇÃO DO CAMPO MILITAR SOBRE O CAMPO EDUCACIONAL. O IDEB estabelece metas para a educação e. progresso e moral. em consequência. dentre muitas variáveis. o que é esperado em um sistema educacional. mostra-se que. A partir de uma metodologia centrada em análise documental da revista A Defesa Nacional do período compreendido entre 1913 e 1970. garantindo a inclusão de uma parcela da população que não teria acesso a uma vaga na universidade pública. se difundiram no campo militar e se reorganizaram dentro da ESG. para avaliar sua condição de bússola. teologia.

Reynaldo Fernandes. aos industriais. processo e resultados. A JUSTICIABILIDADE DO DIREITO À QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL Karina Melissa Cabral (UNESP) Cristiano Amaral Garboggini Di Giorgi Este artigo tem como objeto de estudo analisar e problematizar a possibilidade jurídica de se exigir o direito a uma educação básica de qualidade. Fátima Alves. a criação e a instalação da instituição. não for devidamente assegurado pelos órgãos competentes. Dirce Nei Teixeira de Freitas. de modo que oferece uma análise . e mobilizá-los para ações que efetivamente promovam a melhoria da qualidade do ensino do nosso país. esta exigibilidade da análise de três dimensões da qualidade educacional: insumos. no âmbito do ensino profissional. Pretendendo contribuir para os debates acerca desta temática. Foram efetuadas consultas periódicas aos arquivos históricos existentes no acervo disponibilizado pelo Centro de Memória da instituição. e. mão-de-obra preparada segundo os princípios que atenderiam aos próprios empregadores. e. O referencial teórico analisado perpassa obras das ciências jurídicas. PALAVRAS-CHAVE: Escola Profissional. Palavras-chave: Direito Justiciabilidade. este ensaio pretendeu enaltecer que é preciso aumentar o envolvimento dos atores escolares por meio da análise de desempenho dos alunos – e o IDEB é hoje o indicador de referência para tal. como as obras dos autores Evaldo Amaro Vieira e Nina Beatriz Ranieri. defendida em julho de 2010. almanaques e livros históricos foram efetuadas na Biblioteca Pública Municipal e no Museu Histórico de Sorocaba. historicamente. Creso Franco. subjetivo e obrigatório. em historiadores que escreveram sobre a educação brasileira na citada área. como Alicia Bonamino. CULTURA DE AVALIAÇÃO: O PAPEL DO IDEB NAS POLÍTICAS DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA Larissa Frossard Rangel Cruz (PUC/RIO) O presente trabalho é resultado da aproximação com a temática da avaliação da educação brasileira relacionada a uma tese de doutoramento. Qualidade. entre outros. Para tanto. como Romualdo Portela de Oliveira. na década de 1920. Buscas em anais da Câmara de Vereadores.neste artigo como ocorreu. Ricardo Ceneviva. O resultado principal desta pesquisa denota que existem alguns meios jurídicos capazes de garantir a qualidade da educação básica. partindo. As pesquisas bibliográficas estão centradas em autores que escreveram sobre a história da cidade. à Educação. A questão central é: como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) — o mais novo indicador relacionado à qualidade da educação — se insere na cultura de avaliação no Brasil? A pesquisa bibliográfica foi realizada a partir dos estudos desenvolvidos por pesquisadores da área. A dissertação foi conduzida numa perspectiva qualitativa. que é um direito público. ou seja. especialmente aquelas que pressupõem a implementação de sistemas de avaliação. serão apresentadas algumas das ações do governo federal na coordenação de políticas que visam à promoção da qualidade da educação. serão privilegiadas as ações relacionadas à criação e produção de estatísticas e indicadores educacionais que avaliam o desempenho dos estudantes brasileiros. Amaury Patrick Gremaud. Para tanto se utiliza da pesquisa bibliográfica com ênfase na área jurídica e educacional. e também da área da educação. Gilda Cardoso de Araújo. Agostinho dos Reis Monteiro. quando esta. Ensino Técnico. “DE LULA A DILMA: BREVE ANÁLISE DA POLÍTICA DE AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR BRASILEIRO” Bruno Lima Patrício dos Santos(UFRJ) Leila Gross Este trabalho é derivado da dissertação Ampliação do Acesso ao Ensino Superior no Governo Lula: tenuidade entre a democratização e a privatização. Sorocaba. Observou-se que a região surge como local apropriado para atender aos anseios dos políticos que poderiam demonstrar ao povo suas preocupações com a educação fornecendo cursos apropriados à economia local.

sendo que. bem como os ideários filosóficos que lhes deram fundamentação.] do Caos ao Thémata: por epistemologias e práticas na diversidade”. Resulta na I Mostra de Cultura e Diversidade. com 180 (cento e oitenta) participantes (crianças. Além disso. uma vez que parte dos programas desenvolvidos no Governo Lula – como. Palavras-chave: inclusão. de maneira que possamos averiguar o grau de continuidade da política em estudo. por conseguinte extrapola as políticas públicas educacionais. Nós seguimos as orientações de Georg Lukács. a fonte mais atualizada era o Censo de Educação Superior de 2009. O presente trabalho. Por se tratar de uma temática de ampla mobilidade. como na realização de diferentes segmentos de entrevistas. Nesta direção. iniciado por Dewey obteve ampla difusão no decorrer do século XX até tornar-se predominante neste início do século XXI e encontra em Philippe Perrenoud o intelectual que mais tem reafirmado a sua consolidação. bem como os processos que conduziram a tais resultados. de que a produção teórica envolve três momentos interligados: a análise intrínseca do ideário escolhido. CULTURA E SAÚDE . recorte da pesquisa “[. Pretende ampliar o acesso e qualificar a permanência desses cidadãos nos espaços sociais instaurando práticas inclusivas. faremos breves apontamentos sobre as Diretrizes do Governo Dilma. contando com a participação dos próprios usuários. políticas públicas.CONEXÕES PARA POLÍTICAS PÚBLICAS INCLUSIVAS. pode-se constatar a ampliação dos índices de privatização da educação superior. além de diferentes profissionais. a sua gênese histórico-concreta. tanto através do levantamento de fontes primárias. . altas habilidades/superdotados. As pessoas com deficiências. Compreende a inclusão como garantia de direitos e advoga que a sua legitimação se dá com o fortalecimento das ações cotidianas construídas sob a noção de atuação em rede. Sustenta a sua tessitura com Stuart Hall. por exemplo.. para a atual apresentação. Gregory Bateson e Edgar Morin. o REUNI e o ProUni – previam sua continuidade no governo que o precedesse. trabalharemos com o Censo de 2010. transtornos globais e transtornos mentais estão presentes em outras cenas para além da educacional. como elemento adicional. arte A TRAJETÓRIA DO ANTI-HUMANISMO PRAGMATISTA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA – OS PROGRAMAS DE ENSINO NO ESTADO DE SÃO PAULO E NOS MUNICÍPIOS DE SÃO BERNARDO DO CAMPO E DIADEMA (1940-2008) Lucia Aparecida Valadares Sartorio (UFSCAR) João dos Reis Silva Júnior Nossa pesquisa teve como objeto os programas de ensino do estado de São Paulo e dos municípios de São Bernardo do Campo e Diadema entre os anos de 1940 e 2008. Assume a proposição da perspectiva sistêmica e busca compreender (e responder) as necessidades apresentadas por esse público de pessoas no cotidiano das esferas educacionais.. constatou-se que o governo federal não alcançou os resultados almejados. Neste caso. Utiliza a arte como mote propulsor de políticas públicas inclusivas tecidas intersetorialmente. em alguns casos. O movimento pragamtista.sobre a política de ampliação do acesso ao ensino superior durante as duas gestões presidenciais de Lula da Silva. culturais e da saúde (mental). cultura e saúde respondem ao desafio anunciado. Isto porque quando a pesquisa foi realizada. adolescentes e adultos) do sistema público municipal. desenvolvemos extensa pesquisa empírica. Como conclusão. em desenvolvimento no curso de Doutorado em Educação. investiga como as áreas da educação. a função social que tal teoria exerce na realidade objetiva. Lilian Pereira Menenguci (UFES) A inclusão se apresenta como um permanente desafio para além dos espaços escolares. há de se reconhecer que o trabalho já se encontra num pequeno grau de desatualização. “A PARTE QUE É O TODO DE QUE FAZ PARTE”: EDUCAÇÃO. Tomamos como parâmetros o confronto entre as diretrizes difundidas pelos órgãos e agentes governamentais e os resultados alcançados.

compreendeu-se o impacto sociocultural do ProUni em seu caráter público de ação afirmativa. A observação. nas políticas de Ações Afirmativas e no posicionamento político dos PVPs. no autodidatismo do “aprender a aprender”. Palavras-chave: Política Pública Educacional. Ação Afirmativa A BANDEIRA DO ENSINO MÉDIO INTEGRADO NO BRASIL DO SÉCULO XXI Manoel Jose Porto Junior (UERJ) Marise Nogueira Ramos Este trabalho pretende contribuir para a construção da concepção sobre formação integral. aponta a complexificação dos processos e relações de trabalho que emergem da flexibilização das formas de acumulação no atual estágio do capitalismo. Sociedade. Fundamentos da Educação. Foram evidenciados aspectos positivos do ProUni: no acesso a grande número de bolsistas no ensino superior. as limitações de permanência de muitos bolsistas nos cursos e que existem lacunas na gestão institucional para viabilizar a participação ativa da sociedade nesta política. capacidade comunicativa e visão processual para tomada de decisões. em sistemas de avaliação externa à escola – destitui por completo o ensino graduado e em série. Com vistas a garantir coesão social. nas políticas para o Ensino Superior. na trajetória cultural e profissional dos egressos que são. ancorado na didática e diferentes procedimentos de avaliação. impregnado das noções da Teoria do Capital Humano.MG Luiz Eduardo Souza (PUC/MINAS) O Programa Universidade para Todos (ProUni). Nesta análise. Entretanto. e as escolas desta rede de ensino. mediante a defesa do ensino médio integrado. são as estratégias que vem permitindo elucidar o alcance do referido programa. em duas escolas. novas características são exigidas dos trabalhadores: conhecimentos de tecnologias. vem sendo implementado desde 2005 em resposta à demanda de democratização do acesso ao Ensino Superior para as camadas populares. Palavras-chave: Formação. no Rio de Janeiro. efetivamente. passam a fazer parte do receituário de . A partir de uma abordagem vinculada ao materialismo-histórico. DO PROUNI DA PUC. ORIUNDOS DAS CAMADAS POPULARES. além de grupo focal também nas escolas. na PUC MINAS. A pesquisa analisou o impacto sociocultural desta política pública de ação afirmativa. atualmente em processo de análise e finalização. Formação O PROUNI COMO POLÍTICA PÚBLICA DE AÇÃO AFIRMATIVA: UMA ANÁLISE DOS IMPACTOS SOCIOCULTURAIS NA TRAJETÓRIA DOS EGRESSOS. atualmente. utilizouse a pesquisa qualitativa com procedimentos de entrevista e análise de coneteudo. Ao menos no discurso corrente. Ensino Superior. CONSELHOS ESCOLARES NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE DUQUE DE CAXIAS – TENSÕES E PERSPECTIVAS Luiza Maria Martins Chaves (UERJ) Este projeto visa investigar a formação dos conselheiros escolares a partir da implantação do Programa de Formação de Conselheiros Escolares implementado pela Secretaria de Educação Básica do MEC em todo o país. mas que estavam em desuso. Palavras-chave: Gestão Democrática. atravessado pelo neoliberalismo na educação. referências dentro da família/comunidade e estão em posições qualificadas no mercado. O campo da pesquisa envolve a Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias. Conselho Escolar. Este texto tem o propósito de comunicar a estruturação da pesquisa e o andamento da mesma.O modelo educacional vigente – ancorado na pedagogia das competências e na organização do ensino fundamental em ciclos. Para tanto. na trajetória de egressos dos meios populares evidenciando as limitações e possibilidades dessa medida. a realização de entrevistas semiestruturadas na Secretaria de Educação de Duque de Caxias. não foram superadas. nas escolas e na Coordenação do Programa. valores antigos.

assim como suas práticas pedagógicas. Educação a Distância. tais estratégias procuram transferir para o trabalhador a responsabilidade por sua inclusão – de forma cada vez mais depreciada – no “mercado”. o contexto que envolvia estas escolas. Contudo. desde a década de 50 . Um dos objetivos da Inspetoria das Escolas Praianas. Escolas Praianas. A implantação das Escolas Praianas atendia idealizações educacionais dos anos 50. Marcia da Silva Quaresma (UERJ) Esta comunicação tem como objetivo. leva a uma visão educacional que se aperfeiçoa desde Anísio Teixeira e o Manifesto dos Pioneiros em 1932. A discussão entre educação e sociedade. Identificando as muitas marcas do nacionalismo. em meio às contradições da época. inovadora e de acordo com as temáticas discutidas no país e com os ideais escolanovistas. . tendo como exemplo os 27 cursos de Licenciatura em Geografia a distância em funcionamento em todo o país. FORMAÇÃO DOCENTE E POLÍTICAS EDUCACIONAIS: NOVOS TEMPOS E ESPAÇOS PARA A FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA NO BRASIL Marcio da Costa Berbat (UNICAMP) A presente pesquisa sobre a formação de professores está baseada na atual política educacional. propondo uma abordagem moderna. Palavras-chave: Política Educacional. Nesse sentido. ideário republicano. O objetivo é identificar o avanço da globalização educacional e o quanto à formação de professores a distância está direcionada para a prestação de serviço. Palavras-chave: Educação fluminense. quando a educação a distância passa a fazer parte das políticas públicas e da estrutura das instituições de ensino superior. Analisar a gênese das Escolas Praianas. tais como solidariedade e cooperação. do desenvolvimentismo e do cientificismo. Licenciatura em Geografia. priorizando as políticas públicas para a formação docente. na área da baixada litorânea do estado do Rio de Janeiro. apontamos as brechas que se abrem para disputar hegemonia na complexa formação social brasileira. com efeitos nas políticas públicas implantadas pelo Estado. principalmente. devido o desemprego estrutural. registra o processo histórico de acesso à escola republicana. por meio de autores como BOUTINET. As Escolas e Grupos Praianos foram criados em 1954. O trabalho conduziu à revisão da evolução do conceito de projeto até a sua inserção na educação. no qual o uso das tecnologias da informação e comunicação vem ganhando espaço através da expansão mercadorização educacional. no momento em que é revisitado o discurso desenvolvimentista. AS ESCOLAS PRAIANAS NO ESTADODO RIO DE JANEIRO. que aparece permeado pelo ideário republicano e ideais escolanovistas. universal e laica. influenciando as Escolas Praianas. dar “orientação pedagógica-marinheira-salineira e pesqueira” e “orientar em função do meio as escolas da praia”.readequação ao capitalismo flexível. analisar a função e a natureza das Escolas Praianas. responsável por estas escolas era. estruturada no processo de análise de como as tecnologias da informação e comunicação (TIC) estão sendo inseridas no ambiente escolar. que são reveladas na implantação das Escolas Praianas. preocupando-se com a qualidade desses processos avaliativos. META-AVALIAÇÃO DE PROJETOS EM EDUCAÇÃO COM O USO DAS TIC Marco Antonio de Jesus Machado (PUC/SP) O objeto da pesquisa é realizar a meta-avaliação do Projeto Gestão Escolar e Tecnologias e do Programa Parceiros na Aprendizagem. localizadas próximas a colônias de pescadores e em regiões de economia e cultura ligadas ao mar ou a Lagoa de Araruama. no Estado do Rio de Janeiro. pública.implantação – até os anos 60 extinção. priorizando a certificação em detrimento da formação integrada com as redes públicas de educação básica. por meio da ideologia do capital social. A fundamentação teóricometodológica é estruturada na análise documental e pesquisa bibliográfica relacionado ao tema-problema.

buscam-se respostas que permitam identificar as dificuldades substanciais enfrentadas pelos atores envolvidos no processo. Campus de Marília (SP). projeto. próprio para o estudo de significados subjetivos. CARVALHO. instrumento considerado qualitativo. Concepções do professor REESTRUTURAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA A PARTIR DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS: A DINÂMICA DA GESTÃO DO COTIDIANO Maria Eliza Nogueira Oliveira (UNESP) Graziela Zambão Abdian O trabalho apresenta dados de uma pesquisa em que se analisou o processo de reestruturação do Curso de Pedagogia da UNESP. percepções e atitudes humanas. por ser a mais adequada para lidar com sentimentos. Valendo-se da proposta de análise de Lima (2008). COHEN. que o processo de concretização dos preceitos legais não segue uma ordem comum. Palavras chave: meta-avaliação. . Ao contrário. (2000). e a análise documental. atendendo-se tanto a interesses externos quanto àqueles intrínsecos à instituição. afastando-se assim do rigor da racionalidade. Verificou-se que 90% dos professores participantes tinham fortes restrições a respeito da política de inclusão escolar implementada pela Secretaria Municipal de Educação da qual faziam parte. A pesquisa optou pela abordagem qualitativa. FRANCO. A pesquisa caracterizou-se como descritiva utilizando-se do estudo de campo como método de coleta e da abordagem qualitativa como metodologia de análise. utilizada para conhecer realidade a ser pesquisada. Com respeito aos procedimentos metodológicos. construir categorias de análise para a avaliação e completar informações advindas das entrevistas. Considera-se que os resultados e procedimentos avaliativos foram apropriados. Fundando-se na perspectiva sociológica das organizações escolares. para que as mudanças impostas se concretizassem. permitese considerar. As diferentes concepções de avaliação foram trabalhadas por meio de autores como BONNIOL. Palavras-chave: Educação Especial. pois deram respostas significativas aos objetivos da avaliação. Foi necessário relacionar o projeto com a tecnologia. Os resultados apontaram também algumas mudanças necessárias a efetivação de uma política de inclusão escolar mais próxima das realidades locais. VIAL. diversifica-se de acordo com a realidade CONDIÇÕES NECESSÁRIAS À EFETIVAÇÃO DA POLÍTICA DE INCLUSÃO ESCOLAR: VISÃO DE UM GRUPO PROFESSORES DE UMA REDE DE ENSINO MUNICIPAL Maria Amelia Almeida (UFSCAR) Danusia Cardoso Lago O objetivo deste estudo foi o de identificar as condições necessárias à efetivação da política de inclusão escolar de uma rede de ensino municipal na visão de um grupo de professores que atendiam alunos com Necessidades Educacionais Especiais – NEEs. Participaram do estudo trinta professores da rede regular municipal que atendiam alunos com NEEs matriculados em suas salas de aula.(1990) e MACHADO. a partir da publicação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia (2006). (2002). Os dados foram coletados em um município do interior da Bahia no período de 2008/2010. Para tanto utilizei o conceito de tecnologia presente na obra de PINTO. (2001). senão também as possibilidades por eles encontradas. (2000). As entrevistas foram registradas em áudio e submetidas à análise do conteúdo. para analisar o uso das TIC na área educacional. coletaram-se do Conselho de Curso os documentos concernentes à constituição do curso de Pedagogia e efetivaram-se entrevistas semiestruturadas com os integrantes que se implicaram mais diretamente em seu processo de reestruturação. CAPPELLETTI. Política de Inclusão Escolar. Por fim. de forma parcial embora. (2005). TIC Os instrumentos de coleta de dados foram: questionário de identificação pessoal e profissional dos professores participantes e um roteiro de entrevista semi estruturada. Os procedimentos adotados para a análise foram: a entrevista semiestruturada. (2001). (1993) e dos ensaios organizados por BARREIRA. recorri a ALMEIDA.

entre outros. Costa (UNIRIO) A presente pesquisa teve por objetivo identificar como a implementação de políticas públicas relacionadas à avaliação externa é compreendida por profissionais da educação em uma escola do Rio de Janeiro. Sacristán. Por meio de leituras e reflexões realizadas. Palavras-chave: Avaliação. a partir das diretrizes do atendimento educacional especializado no contexto de financiamento da educação básica. Neste contexto surgem algumas reflexões: identificar e analisar como os professores interagem com a legislação de avaliação. PALAVRAS-CHAVE: Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia. no âmbito de países membros efetivos do Mercado Comum do Sul (Mercosul). entrevista via email. Currículo. são resultados das ações . Ele tem por objetivo apresentar algumas reflexões a respeito de programas. o trabalho. qualificação e ação comunitária (ProJovem). na gestão dos municípios. A referência básica para a busca de programas foi o Programa Nacional de Inclusão de Jovens: educação. material didático e a própria avaliação. Este tipo de avaliação está caracterizada por ser efetivada por pessoas que não fazem parte da rotina da escola. também. estruturando-se em torno de um eixo de análise em diálogo com pensadores críticos. no Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. percebe-se o fôlego que ganha a avaliação externa em diferentes esferas governamentais. Esta investigação baseou-se numa abordagem qualitativa: para coleta de dados. Como resultado evidencia-se implicações das avaliações externas no trabalho pedagógico com consequências diretas sobre o currículo. utilizando a análise de conteúdo. compreendida como fruto de um decurso histórico que. Este trabalho tem um cunho documental fundamentado em fontes primárias e secundárias. apresentada em 2010. Maria Teresa Esteban. PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO DE JOVENS NOS PAÍSES-MEMBROS DO MERCOSUL: DIÁLOGO COM PENSADORES CRÍTICOS Maria Inês Pereira Guimarães (UNIRIO) O trabalho é parte de uma dissertação de mestrado. Gestão Educacional. telefone e pessoalmente. A partir de 1990. Análise Sociológica das Organizações. entrevistas e questionário com os professores e Direção da escola.pertinente a cada entidade. e Ferretti (2004). POLÍTICA(S) DE ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO CONTEXTO DE FINANCIAMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA Marileide Gonçalves França (USP) Este trabalho busca discutir as ações políticas. Luiz Carlos de Freitas. cujo foco esteja nos jovens e suas relações com a educação. a vida. Partimos do pressuposto que a ação educativa é uma prática social que se constitui nas relações concretas da vida e a política pública é a materialização da intervenção do Estado na sociedade. Como referencial teórico foi utilizado os estudos dos seguintes autores: Almerindo Afonso. aproximações. DIALOGANDO SOBRE AVALIAÇÃO E OS DESAFIOS QUE SE IMPÕEM NO COTIDIANO ESCOLAR Maria Helena dos Santos P. condiciona as diferentes possibilidades de incorporação das propostas reformistas do Estado. pela Secretaria Nacional de Juventude. A avaliação externa está a serviço de fazer uma diagnose ampla de sujeitos ou a fim de selecioná-los. na esfera de pesquisa da educação comparada. focando em competências limitadas. Assim. procurando identificar concepções que estão manifestas ou ocultas nos programas. Angel Dias Barriga. foi utilizada a pesquisa com base documental. administrativas e pedagógicas na gestão da educação especial. vem acompanhada de reformas administrativas que acabam por resvalar também nas legislações que normatizam as avaliações dos alunos. Em Educação percebe-se que cada mudança de governo. segundo Silva Jr. implementado no Brasil desde 2005. mas. Cotidiano. as políticas de atendimento educacional especializado materializadas. percebemos que existem singularidades em cada um dos programas estudados.

2004. O CURRÍCULO PRESCRITO DA 8ª CLASSE NO ENSINO SECUNDÁRIO EM MOÇAMBIQUE: EXPECTATIVAS DE FORMAÇÃO DO ALUNADO Migdalia Rodriguez Cabrera (PUC-SP) A presente comunicação constitui parte da pesquisa de mestrado que teve como objetivo caracterizar o Currículo Prescrito da 8ª Classe da disciplina de Física no Ensino Secundário em Moçambique. 2008). 2008).humanas articuladas com o sociopolítico. Birgin (2000). em muitos momentos. o que as leva. Os resultados mostram. As análises efetuadas basearam-se. O lócus da pesquisa constituiu-se de duas escolas da rede pública municipal de educação da cidade de Muriaé – Minas Gerais. principalmente. Como instrumentos de coleta de dados utilizaram-se o questionário. destaca-se a ruptura com as práticas atribuídas à Educação Infantil. a aprendizagem da leitura e escrita. bem como verificar quais as implicações da criação da carreira de educador infantil sobre o trabalho docente. Dentre as principais expectativas das mães quanto à entrada da criança de seis anos no Ensino Fundamental. . entre outros aspectos. 1992). bem como o afastamento da rua e da criminalidade. Os sujeitos pesquisados foram seis mães de crianças do 1º ano de escolaridade. A questão focalizada se refere às expectativas para a formação do alunado. 8. as formas de resistência e o adoecimento das docentes da educação infantil da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte. Os resultados indicaram uma tendência por parte das mães em associar o atual primeiro ano de escolaridade à antiga primeira série. 2006.679/2003. Enguita (1991). contexto A ENTRADA DA CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL SOB O OLHAR DA FAMÍLIA Michelha Vaz Pedrosa (UFV) Rita Márcia A. a observação. Chaui (1986). Utilizaram-se como instrumentos de coleta de dados o questionário. cujo objetivo foi investigar como mães representam a entrada da criança de seis anos no Ensino Fundamental. Contreras (2002). 2007. a depositar sobre a criança de seis anos e sobre o trabalho da escola as mesmas expectativas de aprendizagem e desenvolvimento antes depositadas nas crianças de sete anos. Palavras-chave: Trabalho docente. Vaz de Mello O presente artigo foi produzido com base nos resultados de uma pesquisa. O desenvolvimento da pesquisa se deu por meio de análise documental e da pesquisa de campo em uma UMEI e em uma escola de educação infantil. a entrevista semiestruturada e o diário de campo. Tardif e Lessard (2005. a qual buscou analisar as condições em que se realiza o trabalho docente nas UMEIs e nas escolas municipais. alfabetização. O estudo desenvolveu-se por meio da abordagem qualitativa. presumivelmente em consequência da intensificação e da precarização das condições de trabalho. Como procedimento da pesquisa importa destacar a O TRABALHO DOCENTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL EM BELO HORIZONTE: AS FORMAS DE RESISTÊNCIA E O ADOECIMENTO DAS PROFESSORAS E EDUCADORAS Mercia F Noronha Pinto (UFMG) Este artigo apresenta resultados da pesquisa de mestrado intitulada “O trabalho docente na educação infantil pública em Belo Horizonte”. Fanfani (2005. 2005. 2003. 2006. Castel (1998). a entrevista semiestruturada e o grupo focal. Santos (1989. infância. Os dados obtidos nas entrevistas foram analisados segundo a técnica de análise de conteúdo. Hargreaves (1994). O marco dessa investigação é a implantação do Programa Primeira Escola com a promulgação da Lei nº. Palavras-chave: ensino fundamental. Política de educação infantil. 2007). econômico e cultural. nos seguintes autores: Apple (1987). que criou as Unidades Municipais de Educação Infantil (UMEIs) e o cargo de educador infantil. Oliveira (2002. Pochmann (1999). entre outros. família. Belo Horizonte.

pesquisa documental. onde o Programa de Qualidade Total na Educação (PQTE) foi implantado. Os dados foram obtidos mediante análise documental dos Programas Curriculares da Disciplina de Física da 8ª Classe no Ensino Secundário Geral. 2009). O interesse pelo tema da pesquisa nasce da experiência vivida primeiro durante minha trajetória pessoal. Como procedimento. SILVA(1996. reforma educacional gestão de escolar. Este estudo aponta. 2010). Nesta comunicação utilizou-se os conceitos de Gimeno (1998) que permitiram a compreensão e aprofundamento sobre o Currículo Prescrito vigente no ensino da disciplina de 8ª Classe em Moçambique. propomo-nos a responder as questões que se seguem: qual a origem. nas escolas públicas de Limeira. no âmbito familiar. Referencial teórico: LAUAND (2010). de base fenomenológica. Esse professor não deve encarar tais expectativas como algo prescritivo ao seu fazer. Para tanto. a concepção. que são parte de ações políticas e integrantes do campo temático Ensino de Ciências. fez-se um breve histórico das ações afirmativas no Brasil e as justificativas para sua implementação no ensino superior público. Currículo Prescrito. mas como algo essencial na ação docente de atenção às necessidades das pessoas com deficiência incluídas em classes comuns. LÓPEZ QUINTÁS (1999. interações professor/aluno. 2009). no início da década de 90. com deficiência. A análise integral de dados vem se baseando nas contribuições de Chervel (1990).existência e o acesso aos Programas Curriculares do ensino da disciplina de Física (2008). FATORES QUE INFLUENCIAM AS INTERAÇÕES EM CONTEXTOS ESCOLARES INCLUSIVOS. a . MACHADO (2009. depois profissional e. educacional surgiu o PQTE-L Como e em que circunstância deu-se a implantação e a implementação do PQTE-L? Palavras chave: Programa de Qualidade Total em Educação. espaço inclusivo. Goodson (1997) e Gimeno (1998 e 2000). TRIVIÑOS (1987). Partindo de dados de entrevistas realizadas com os idealizadores do PQTE-L (Programa de Qualidade Total na Educação em Limeira) e de documentos produzidos. Palavras-chave: Políticas públicas de educação. entre outras conclusões. a qual enfocou o modelo de gestão utilizado pelos diretores de escolas. a evolução da GQT? Como ocorreu sua expansão nos ambientes escolares? Em que contexto político. considerando que por trás dessa pessoa existe expectativas. anseios. Na análise documental foram incluídos os Programas Curriculares da disciplina de Física (2008). além de entrevistas com professores e registros de observações realizados por mim como supervisora de ensino da rede estadual de Manaus. pela singularidade desse sujeito e de seus familiares. ter em mente a noção do que significa o processo de inclusão escolar de aluno AÇÕES AFIRMATIVAS NA UNIVERSIDADE: UMA POLÍTICA PÚBLICA PARA A POPULAÇÃO NEGRA Patricia C P da Silva (UNIRIO) O objetivo do presente trabalho é apresentar uma análise das ações afirmativas na universidade pública brasileira enquanto políticas públicas focalizadas para a população negra. Ensino de Física. mais tarde. Ser professor deve em sua prática. Nilma Célia Mamede de Freitas (UNICID) Edileine Vieira Machado Esta pesquisa tem por objetivo identificar alguns fatores que contribuem positivamente para inclusão escolar em interações entre professoraluno com deficiência em contextos escolares de Educação Básica. da rede estadual de ensino de Manaus. WALD (2010) entre outros. Metodologia: qualitativa. sonhos e esperanças. SOB A ÓTICA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DA INCLUSÃO. palavras chaves: Moçambique. A IMPLANTAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE QUALIDADE TOTAL NA EDUCAÇÃO EM LIMEIRA Norma Suely Siqueira Eiras (UNESP) Maria Aparecida Segatto Muranaka Este artigo faz parte de uma pesquisa. O objeto de pesquisa é a relação estabelecida entre professor da classe comum e alunos com deficiência no processo de inclusão escolar.

Faz-se necessário afirmar que este trabalho é resultado de uma reflexão obtida a partir da dissertação de Mestrado em Educação na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). o permanente fazer parte sem fazer desses meninos e meninas e a imprescindível necessidade de se pensar com eles as políticas para a situação de rua. O predomínio da “segurança” vem reforçando o estereótipo do menino bárbaro que deve ser contido. A metodologia utilizada é a pesquisa bibliográfica. Utilizou-se como referencial teórico os estudos de Guimarães (2003).CONEMA. normativo e político do Conselho Estadual do Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro . intitulada “A vida na universidade: um estudo sobre o cotidiano do cotista negro a UERJ”. Beisiegel (1974. Paulo Eduardo Dias de Mello (USP) Este trabalho discute o quadro recente da política de materiais didáticos para a Educação de Jovens e Adultos promovida pelo Ministério da Educação – MEC. objetivou conhecer o cotidiano dos cotistas negros da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). bem como compreender o sentido e o significado destas postas. com foco no Programa Nacional do Livro de Alfabetização de Jovens e Adultos – PNLA e na produção do material literário do Concurso Literatura para Todos. ordenado em seu espaço subalternizado na cidade. Dr. nos anos de 2008 e 2009. propomos um mapeamento das ações recentes do MEC. inicialmente. as de segurança – ou a atual política de ordem. Defendida em dezembro de 2010 e orientada pelo Prof. Diógenes Pinheiro. cujas contribuições revelam a importância da discussão sobre o papel dos materiais didáticos nas políticas públicas para EJA. políticas públicas CONSELHO DE MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL: EXAME CRÍTICO DAS PRÁTICAS SOCIAIS PARTICIPATIVAS DO CONSELHO DE MEIO AMBIENTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Paulo César da Silva Guimarães (Estácio de Sa) A pesquisa analisou o funcionamento institucional. O que efetivamente os transforma em “situação de rua”? A pesquisa se desenvolve com um estudo do espaço urbano para se pensar crianças e adolescentes em situação de rua. a partir de 2007. Como conclusão. As reflexões seguem com base no pensamento descolonial. No entanto. Finalizamos este texto propondo uma reflexão sobre os desafios teóricos e práticos que essa política enfrenta no desenvolvimento de critérios de avaliação de materiais didáticos para a EJA. ou seja. Para tanto. 2004) e Paiva (1984). Gomes (2005) e Silvério (2007). examinando limites e possibilidades da participação sociopolítica por um lado. e. Consideramos nessa abordagem a complexidade do tema e os trabalhos de pesquisadores da área. NOVAS INICIATIVAS E DESAFIOS. 2006 e 2007). como Fávero (1984.existência da desigualdade racial entre brancos e negros nas mais diferentes esferas sociais como a principal justificativa. cidade. FAZENDO PARTE SEM FAZER Paula Werneck Vargens (FFP/UERJ) A pesquisa trata das políticas que atingem mais diretamente crianças e adolescentes em situação de rua. a pesquisa da dissertação anteriormente referenciada. o debate sobre as políticas para infância e adolescência em situação de rua requer um debate sobre a própria definição desses meninos. Estabeleço um diálogo com os meninos por entender a necessidade de ouvi-los para poder pensar outras possibilidades de ações políticas. Palavras chave: situação de rua. de outro o papel frente à promoção da Educação Ambiental. AVALIAÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: QUADRO RECENTE. buscando a relação entre esses dois aspectos. na aposta da necessidade de um giro epistemológico onde seja possível pensar desde o sul. . Na sequência discutimos os desdobramentos das iniciativas do MEC desenvolvidas pela Diretoria de Políticas de Educação de Jovens e Adultos – DPEJA.

O MINISTÉRIO PÚBLICO E A EXIGIBILIDADE DO DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL EM JUIZ DE FORA Rafaela Reis Azevedo de Oliveira (UFJF) O trabalho apresenta elementos da dissertação concluída “Judicialização da educação: a atuação do Ministério Público como mecanismo de exigibilidade do direito à educação no município de Juiz de Fora”. algumas contradições significativas marcam esta política o que tem um significado importante no processo de disputa de hegemonia. Materiais Didáticos. PROUNI: UMA POLÍTICA DE DEMOCRATIZAÇÃO DO ENSINO SUPERIOR? Raisa Maria de Arruda Martins (UFV) O presente trabalho tem como objeto de estudo o Programa Universidade Para Todos (PROUNI). bem como a legislação educacional brasileira. contemplam as necessidades de reprodução do capital subsumindo o trabalho humano à sua lógica. que tem como objeto de estudo a proposta de qualificação profissional do REUNI e dos BI`s UFBA. Esta hipótese foi confirmada ao final do estudo. Observa-se que a Promotoria estudada não tem configurado como um mecanismo eficiente da exigibilidade do direito em voga e que a judicialização da educação tem ocorrido através de outros operadores do direito. destas diretrizes do BM. Concluímos que o REUNI é um desdobramento. aos relatórios de atividade dos Conselhos Tutelares. ainda. cumprindo as demandas vinculadas às suas transformações contemporâneas do mundo do trabalho. Entretanto. portanto a pesquisa se caracteriza como documental. foram realizadas entrevistas com alunos bolsistas do PROUNI de 4 instituições de ensino superior privadas da cidade de Belo Horizonte . apesar de haver uma supremacia do capital. que visou a exigibilidade do direito à Educação Infantil. O REUNI E AS ORIENTAÇÕES DO BANCO MUNDIAL PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR: A PECULIARIDADE DO CASO BRASILEIRO Rafael Bastos C de Oliveira (UERJ) A discussão deste trabalho está imersa no bojo da dissertação. recorreu-se às ações obtidas na Promotoria. sobretudo a partir da Ação Civil Pública impetrada pela Promotoria da Infância e Juventude contra o município de Juiz de Fora em 1999. porém. Avaliação. as quais possibilitaram a identificação das principais . o objetivo principal estabelecido para o presente trabalho foi analisar o PROUNI enquanto programa que pretende promover a democratização do ensino superior e a justiça social. materializado no REUNI. O PROUNI tem como sua principal bandeira a democratização do ensino superior. Percebendo a centralidade que a questão da democratização ocupa nos discursos oficiais acerca desse Programa. Neste são descritas orientações para os países em desenvolvimento que perpassam pelo campo econômico. por nós realizada. este processo tem especificidades próprias da realidade brasileira que permitem possibilidades de formação humana. A hipótese principal é que as tendências e diretrizes deste processo de reforma universitária. tendo o materialismo histórico dialético como referencial teórico. Nesse sentido.MG. Para compreender a atuação do Ministério Público. Tem como objetivo analisar a atuação do Ministério Púbico. à imprensa escrita de Juiz de Fora e.Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos (EJA). A metodologia adotada foi de investigar e analisar criticamente fontes primárias e secundárias. a realização de entrevistas semiestruturadas com diferentes atores envolvidos. No presente trabalho demonstramos como o BM foi protagonista na consolidação do REUNI no Brasil. do processo de Judicialização da Política/Educação. principalmente no que diz respeito ao processo de diferenciação dos cursos de graduação nas IFES brasileiras. Seu referencial teórico percorre aspectos do acesso à Justiça. da reconfiguração dada ao Ministério Público na Constituição Federal de 1988. das políticas públicas para a educação superior e ideológicas. A influência do banco se deu principalmente através das orientações presentes no documento analisado La enseñanza superior: Las lecciones derivadas de La experiência (1994).

O estudo fundamentou-se nos campos teóricos da história e políticas da Educação Infantil. formação docente. com o PROUNI. avaliação institucional e avaliação de sistemas. Diante de todas as análises realizadas. utilizou-se a metodologia de pesquisa descritiva e qualitativa de natureza etnográfica. que. ela assume um caráter quantitativo e se caracteriza como oportunidade de acesso. PROUNI. d) os atores nela envolvidos. e. Inicialmente. do universo da avaliação educacional que compreende os níveis de avaliação da Aprendizagem. são apresentadas considerações sobre o conceito de política/política pública e a função social da Educação Infantil. opiniões da comunidade escolar.dificuldades encontradas pelos bolsistas e de que forma tais dificuldades dificultam a permanência desses estudantes nos cursos e instituições nos quais se encontram matriculados. PROJETO ALUNOS RESIDENTES: UMA ALTERNATIVA PARA A INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DA FORMAÇÃO SÓCIO EDUCATIVA Rejane Honorio de Sant'anna (UERJ) O presente estudo objetivou analisar a representatividade no campo educacional do I Programa Especial de Educação (IPEE) nos Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs) nos anos 80 e 90. implantação e implementação das políticas de atendimento à criança de quatro e cinco anos a partir das mudanças no cenário político nacional. b) a concepção de infância e Educação Infantil dos atores envolvidos nesse processo. Concluímos apontando os desafios na consolidação do direito de todas as crianças à Educação Infantil. políticas públicas e gestão da Educação. Democratização do Ensino Superior AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA TENDÊNCIAS TEMÁTICAS PREDOMINANTES NA REVISTA ENSAIO: AVALIAÇÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS EM EDUCAÇÃO (1999-2008) Regilson Maciel Borges (PUC/Campinas) Adolfo Ignacio Calderón Este trabalho analisa. a respeito da democratização. experiência de outros países em avaliação institucional. procurando-se identificar as principais tendências temáticas sobre avaliação na educação básica. Nesta categoria as temáticas focalizam questões relacionadas ao estudo da escola. aspectos conceituais. Foram adotadas as seguintes estratégias metodológicas: aplicação de questionário e realização de entrevistas. instrumentos para avaliação. PALAVRAS-CHAVE: Ensino superior. Assim. a ênfase encontra-se. Arretche. considera-se. as ações do Estado como gestor de políticas e o lugar da Educação Infantil nas atuais políticas educacionais. Viana e Mainardes. Para tal. pela proporção de trabalhos. A CRIANÇA NA AGENDA POLÍTICA Rejane Brandão Siqueira (PUC/RIO) O presente artigo é parte dos resultados da pesquisa para dissertação de mestrado intitulada “Implantação de turmas de Educação Infantil em escolas de Ensino Fundamental – Solução ou paliativo?”. No presente texto é apresentado um panorama das recentes políticas de Educação Infantil no Brasil. Em seguida. apresenta- . utilizando bibliografia concernente ao objeto em questão e entrevistas semiestruturadas. Foram selecionados 89 trabalhos de um universo de 284 artigos publicados pela revista no período pesquisado. e a questão da qualidade e avaliação. As principais referências foram Kramer. a produção científica sobre Avaliação na Educação Básica divulgada na Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação no período de 1999 a 2008. já que não garante a permanência desses estudantes no sistema. em especial o Programa Aluno Residente (PAR). na perspectiva dos estudos bibliográficos denominados “estados do conhecimento”. Constatou-se que. Como problemática o questionamento do impacto social que representou esse Programa à população e a garantia do direito democrático de inclusão social através da formação sócio educativa. em estudos focados na avaliação institucional. c) os documentos norteadores e o contexto do processo decisório da política. na qual foi selecionado como campo de estudo um município da Baixada Fluminense/RJ com o objetivo de identificar: a) o processo de configuração.

O instrumento de coleta de dados foi aplicado junto a 455 alunos de primeiro. No aspecto metodológico. O CAPITAL CULTURAL E SEUS BASTIDORES – RELATO DE PESQUISA Roger M de Q Souza (UMESP) Tendo como base a Tese de Doutorado intitulada: Regime de Ciclos Com Progressão Continuada nas escolas públicas paulistas: um cenário para o PERFIS.há diferenças entre os níveis de expectativa e satisfação de acordo com os perfis dos alunos? E há diferenças entre o nível de expectativa dos alunos recém-matriculados e o nível de satisfação dos concluintes? Para isso. foi possível concluir que as questões fundamentais: Currículo (diretrizes. entre outros. Zigmund Bauman. OPINIÕES E EXPECTATIVAS DOS INGRESSANTES E CONCLUINTES DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS EM UMA UNIVERSIDADE PRIVADA DE SÃO PAULO Rodolfo Freitas de Araújo (UNICID) Este trabalho possui como problema de pesquisa a indagação fundamental – quem são os alunos participantes desta pesquisa? Para complementar a questão propostas perguntou-se também se . ENADE. baseada em Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro. A articulação positiva entre a assistência e a educação possibilitou incluir crianças e adolescentes em situação de risco social nas áreas como: educação.se um estudo teórico sobre pressupostos da educação (em tempo) integral. o mundo do trabalho e as juventudes. mesmo considerando a pertinência das iniciativas dos professores e alunos no cotidiano escolar. referenciais sobre a educação superior no Brasil. mas que a sala de aula pode ser um espaço para várias leituras e que. Conclui-se que não existe “O Aluno universitário”. reorganização da carga horária docente (gestão escolar) e formação inicial e continuada de professores. Loureiro Este artigo tem como objeto a inserção da Educação Ambiental (EA) nas escolas públicas. por meio da aplicação de questionário feito pelo INEP. foi feito um estudo de descritivo-exploratório visando problematizar a Educação Superior Privada nos atuais. que permitiu compreender este processo em suas relações com as políticas públicas educacionais federais e municipais. e obras de: Anísio Teixeira. Universidades Privadas. arranjo e conteúdo). Helena Sampaio. segundo e último semestre do curso de administração de empresas em dois campi de uma universidade privada da cidade de São Paulo. A EA crítica é o referencial teórico adotado. Boaventura dos Santos e Cristovam Buarque. do ponto de vista das pessoas entrevistadas ao longo da pesquisa. AS POLÍTICAS PÚBLICAS E A INSERÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO NA REDE MUNICIPAL DE TERESÓPOLIS (RJ) Rodrigo de Azevedo C. que materializam práticas relevantes. ainda precisam ser contempladas pelas políticas públicas para o efetivo enraizamento da EA no contexto escolar. Palavras-chave: Perfil do Aluno. cultura e lazer. Palavras-chave: Educação Ambiental crítica – Política Pública – Escola A IMPLANTAÇÃO DO REGIME DE CICLOS COM PROGRESSÃO CONTINUADA EM SÃO PAULO: O HABITUS. Ao término da pesquisa. saúde. a pesquisa foi desenvolvida inicialmente por meio da análise da Política Nacional de Educação Ambiental. esporte. trabalho. a pesquisa focalizou a inserção da EA em vinte e cinco escolas de Teresópolis (RJ). Palavras – chave: Educação Integral – Projeto Alunos Residentes – Assistência colaborar para um melhor entendimento dos diversos mundos que podemos encontrar dentro do ambiente universitário. a análise do agrupamento de perfis semelhantes pode . Somam-se aos dados coletados em campo. Sociedade Contemporânea. Trabalhamos com estatísticas oficiais (Censo da educação superior. embora existam diferenças entre os níveis de expectativa e satisfação de alunos ingressantes e concluintes. Num segundo momento. a sociedade contemporânea. Censo do IBGE). utilizando como estudo de caso a rede municipal de Teresópolis (RJ). Lamosa (UFRJ) Carlos Frederico B. Georges Snyders.

Profissional Docente A DIMENSÃO AMBIENTAL NO CURSO DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL DE JUIZ DE FORA Rosane Villanova (UCP) Maurício Castanheira A pesquisa busca compreender a formação do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFJF. alcançando uma breve descrição de algumas questões políticas ante ele e.enquanto parte de uma pesquisa mais ampla orientada em sede de doutorado objetiva descrever a trajetória da construção do Espaço Europeu de Ensino Superior (EEES) – focalizando o Processo de Bolonha –. no nível dos seus discursos. analisando o tratamento atual dado à dimensão ambiental no curso. 2002. que traz uma dimensão crítico-transformadora da educação ambiental (LAYRARGUES. p. a entrevista com informantes e a participação direta do pesquisador. 1997). do Habitus e de algumas das estratégias desenvolvidas pelos docentes.26) que apontam a combinação de análise documental. enfatizando as concepções de desenvolvimento sustentável. que teve como pressuposto orientar a proposta político-pedagógica para o ensino fundamental . aprofundando e ampliando o tema da participação efetiva dos profissionais docentes na formulação de políticas públicas para a educação. e que permitiram a identificação do Capital cultural. para a superação do impacto primário provocado pela implantação nas escolas públicas do Estado de São Paulo do Regime de Ciclos com Progressão Continuada NOTAS SOBRE O ESPAÇO EUROPEU DE ENSINO SUPERIOR ATRAVÉS DO PROCESSO DE BOLONHA E BREVES CONSIDERAÇÕES ACERCA DE SUAS QUESTÕES POLÍTICAS. como um conjunto de técnicas metodológicas válidas para um pesquisador com grande envolvimento na situação estudada. que ultrapassa a dicotomia homem/natureza e a identificação da apreensão socioambiental da crise. LAYRARGUES. 1997. Rogério Duarte F. os critérios de composição do Universo de pesquisa. as hipóteses de trabalho e os elementos identificados nos discursos dos professores entrevistados. adotando-se as seguintes concepções: (i) a concepção de “desenvolvimento sustentável” pautada na justiça social (LEFF. SAUVÉ. 2000. 2005). por derradeiro. Este estudo foi orientado pelo paradigma da teoria crítica. documento publicado em 1996 pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.sucintamente.estudo dos impactos das mudanças educacionais no capital cultural e habitus dos professores defendida em 2005 no Programa de PósGraduação em Educação: História. PALAVRAS-CHAVE: Educação. dos Passos (UNICAMP) Elisabete Monteiro de Aguiar Pereira O trabalho . Políticas Públicas. das Escolas Municipais da cidade do Rio de Janeiro. tecendo conclusões acerca do tema. Política. coordenador e do diretor da Faculdade de Engenharia da UFJF. (ii) a concepção de educação. Sociedade na PUC-SP este texto apresenta. Foi adotada a POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: MULTIEDUCAÇÃO EM ANÁLISE Rosana de Carvalho Moraes (UNIMEP) O trabalho refere-se aos dez primeiros anos de vigência da proposta curricular Multieducação. A metodologia de pesquisa adotada é a abordagem do tipo qualitativa com base nos pressupostos formulados por Lüdke e André (1986. pois segundo as autoras “o observador pode recorrer aos conhecimentos e experiências pessoais como auxiliares no processo de compreensão e interpretação do fenômeno estudado”. Espera-se que esta pesquisa contribua com o cenário educacional em que estão inseridos os professores de ensino fundamental de escolas públicas municipais. meio ambiente e educação ambiental adotadas por seus professores. tendo como referência privilegiada o corpo conceitual de Pierre Bourdieu. PIERRI. (iii) a abordagem da concepção de meio ambiente. 2009. NOVICKI.

violencia escolar. foram determinantes na construção das características institucionais históricas e dos mitos tipológicos vigentes dos supervisores de ensino. após a Fusão dos Estados do Rio de Janeiro e da Guanabara. Nesse contexto.abordagem da pesquisa qualitativa com seis entrevistas. Palavras-chave: Engenharia Sanitária e Ambiental. As matrizes culturais e suas relações político-sociais. fiscalizadoras e reprodutoras de políticas públicas emanadas dos órgãos centrais hegemônicos e ao mesmo tempo. A Secretaria de Educação e Cultura (SEEC) do novo Estado do Rio de Janeiro. Para sua realização foi adotada uma abordagem qualitativa de pesquisa e procedimento metodológico que contemplou estudos teóricos de natureza bibliográfica e documental. uma cultura de administração centrada em práticas autoritárias. tendo como secretária a Profa SUPERVISÃO DE ENSINO: CARACTERÍSTICAS INSTITUCIONAIS. Foi possível perceber que o Projeto Escola Aberta contribuiu muito para a apropriação do espaço pela comunidade principalmente por tê-la ajudado a melhorar seus conhecimentos sobre os mecanismos de funcionamento da organização escolar. a pesquisa aponta uma crise de identidade da supervisão de ensino. Como forma de ruptura e superação do atual paradigma de administração educacional e. Educação Ambiental. MITOS TIPOLÓGICOS E PERSPECTIVAS EMANCIPATÓRIAS Rosângela A. A FUSÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E AS NOVAS ORIENTAÇÕES PEDAGÓGICAS Rosemary Aquino (UERJ) O objetivo geral deste trabalho foi investigar o processo político pedagógico que estruturou o novo Conselho Estadual de Educação do Estado do Rio de Janeiro (CEE/RJ) pós-Fusão. a estruturação e a função desse órgão colegiado. O estudo intentou identificar a natureza. criada em 1975. PROJETO ESCOLA ABERTA: A ESCOLA COMO ESPAÇO DE INCLUSÃO SOCIAL Rosemar Ferreira Rodrigues (UNICID) Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa que buscou compreender em que medida as propostas de abertura da escola têm se constituído em mecanismo que favorece a apropriação do espaço publico pela a comunidade escolar. realidade que atende às expectativas para as próximas décadas. espaço público. devido ao aporte financeiro recebido pela instituição. Os resultados encontrados indicaram que a implantação do curso só se tornou possível com a entrada da UFJF no REUNI. como também a função e perfil dos conselheiros. As investigações realizadas buscaram compreender o pensamento educacional que norteou a filosofia do novo CEE/RJ no período 1975 a 1979. concluiu-se uma nítida tendência à valorização das abordagens socioambientais. Palavras-chave: Políticas Públicas Educacionais – Administração Educacional – Supervisão de Ensino . nos modelos de administração educacional no Brasil. em conseqüência de ação supervisora. comprometidas com a emancipação social dos agentes envolvidos. considerando os dados gerados pelo instrumento metodológico chamado grupo focal. Inicialmente. buscou-se identificar os sentidos que vêm sendo atribuídos a este conceito nos diferentes contextos onde a abertura da escola tem sido adotada como política pública e em seguida investigamos os princípios que têm orientado os projetos de abertura da escola finalmente analisou-se uma experiência de abertura da escola com o fito de verificar se este processo contribuiu para apropriação do espaço escolar pela comunidade. Palavras chave: Escola Aberta. implementa no seu nível de atuação. no governo Faria Lima. REUNI. ações diferenciadas e críticas. No quesito inserção ambiental. apresenta novas diretrizes éticas para o sistema de ensino. Ferini Vargas Chede (UNICAMP) O trabalho defende a hipótese de que a atual supervisão de ensino do sistema público estadual paulista apresenta. contraditoriamente.

revistas e artigos acadêmicos disponíveis na Rede Mundial de Computadores (Internet). De acordo com o pensamento fundador. intitulada A Educação Infantil no município de Contagem-MG: Análise de uma . fortemente influenciada pelas idéias humanistas da nova secretária e. o censo escolar apresenta as matrículas desses educandos divididos em categorias demarcadas conforme os ditames legais. Sandro Coelho Costa (UFMG) Por meio deste artigo apresentamos parte das análises realizadas na dissertação de mestrado concluída em 2010. Para tanto. A coleta de dados realizou-se por meio de pesquisa documental e empírica. ARENA E JOGO POLÍTICO. flexível para atender às demandas sociais. transtorno global do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação. Por sua vez.Myrthes Wenzel. Palavras-chave: Fusão. dentro do pensamento inicial buscouse uma atuação descentralizada. realizamos entrevistas semi-estruturadas e acompanhamos atividades educativas. ou seja. funcionou para dinamizar a educação dos diferentes municípios que agora pertenciam ao novo Rio de Janeiro. ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO E SURDEZ E/ OU DEFICIÊNCIA AUDITIVA: DISCUSSÃO ACERCA DA DUPLA NECESSIDADE EDUCACIONAL ESPECIAL Rosemeire de Araújo Rangni (UFSCAR) As políticas públicas brasileiras embasadas no aporte dos documentos legais direcionam os serviços de Educação Especial. prioritariamente a deficiência (surdez e/ou deficiência auditiva) esquecendo-se da A POLÍTICA PÚBLICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM CONTAGEM-MG: ATORES. Conselho Estadual de Educação e Cultura (RJ). no caso em questão. Composto por profissionais e intelectuais oriundos de várias regiões do novo Estado e com conhecimentos da área educacional brasileira. Partimos do referencial teóricometodológico da sociologia e da educação em relação à literatura sobre política pública e educação ambiental para analisar o programa Trilhas Urbanas como política pública em Educação Ambiental não formal. altas habilidades e surdez e/ ou deficiência auditiva. dupla necessidade Educacional Especial. EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM PARQUES URBANOS: A EXPERIÊNCIA DO PROGRAMA TRILHAS URBANAS DA PREFEITURA DE SÃO PAULO Samia Nascimento Sulaiman (USP) Virgínia Talaveira Valentin Tristão Este trabalho apresenta a pesquisa realizada sobre o Programa Trilhas Urbanas. Palavras chave: Altas habilidades/superdotação. Os resultados mostram que o sistema educacional brasileiro voltado à Educação Especial volta-se para identificar e atender os educandos com NEE de maneira categorial. Analisamos folhetos produzidos pelo programa. tendo como escopo as ações educativas desenvolvidas no Parque Alfredo Volpi. constitui-se como proposta de educação não formal que transforma a área do parque em espaço educativo e coloca o poder público como subsidiário na efetivação da Política Nacional e Estadual de Educação Ambiental. Este trabalho tem como objetivo expor a possibilidade desses educandos possuírem dupla NEE. a categorizar as necessidades educacionais especiais (NEE) em grupos quais sejam: deficiências. Observamos que o programa apóia inovação metodológica à Educação Ambiental por meio da técnica de interpretação ambiental. da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente da cidade de São Paulo. mesmo com concepção inclusiva. contemplando à diversidade das condições sócio-culturais que caracterizavam a realidade regional do novo Estado Fluminense. o CEE deveria operar na integração das diferenças. A metodologia utilizada foi a bibliográfica e documental servindo-se de pesquisas em livros. atender apenas a uma NEE. Myrthes Wenzel possibilidade desses educandos possuírem a dupla NEE: altas habilidades e surdez e ou/ deficiência auditiva. surdez/deficiência auditiva.

Percebemos aumentaram os investimentos financeiros e pedagógicos. políticas municipais políticas proporcionalmente contribuiu para o uso indiscriminado dos recursos naturais e na degradação dos ambientes. se articula com outros órgãos. bem como aconteceram os primeiros registros de atendimento público a crianças de zero a três anos em instituições de educação no município. Nesse contexto. Nessa perspectiva. sua importância para a Gestão Ambiental. tendo como hipótese norteadora verificar em que medida a racionalidade econômica presente na esfera privada tem sido gradativamente transferida ao setor público educacional paulista. Realizamos uma retrospectiva do atendimento a crianças em instituições coletivas de educação e cuidado. Ball. que . Palavras-chave: Educação Infantil. instâncias superiores e municípios vizinhos e fiscaliza suas ações em prol do meio ambiente. a qual se contrapondo à rigidez do fordismo. a acumulação flexível. É. na tentativa de desburocratizar a gestão ambiental. Observaram-se as contribuições da Constituição Federal de 1988 na criação de mecanismos de participação popular dentro dos municípios. Bowe. no estudo empírico. Ball. O período em análise. configura-se como uma nova forma de acumulação do capital. O trabalho examinou os objetivos da criação dos Conselhos de Meio Ambiente. O presente estudo tem como objeto o processo de formulação de políticas públicas de Educação Infantil do município de Contagem-MG. Esta pesquisa de cunho qualitativo utilizou como técnicas e procedimentos metodológicos: análise documental. tomando como marco o ano de 1979. fato que no Brasil se iniciou com maior intensidade na segunda metade do século XX. utilizamos. A priori foi realizado um levantamento histórico do processo de desenvolvimento econômico das nações. caracterizadamente pósindustrial. Ball (1994). A NOVA REGULAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS E OS REFLEXOS NAS CATEGORIAS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO Selma Venco (UNIMEP) A pesquisa em desenvolvimento tem como objetivo analisar a lógica da política educacional paulista desenvolvida a partir dos anos 2000 no estado de São Paulo. Quanto aos instrumentos metodológicos. a entrevista semiestruturada e a análise documental. para a Educação Ambiental e na promoção da participação popular dentro destes espaços e concluiu que o CMMA de Rio das Ostras faz parte de um sistema municipal de meio ambiente que busca a promoção da Educação Ambiental. sendo considerado um bom exemplo para outros municípios do país. passando a conter gastos públicos. Este cenário inscreve-se na orientação neoliberal contrapondo-se ao Estado do Bem-Estar Social. destacando a relevância dos dados estatísticos.política (1996-2010). no período de 19962010. promovida pela Constituição Federal de 1988. que desenvolve a participação social em seu espaço discutindo os problemas ambientais em conferências. observações. expressas por situações precarizadas. entrevistas e questionários. utilizamos a abordagem sociológica. nesta pesquisa. afastando. Muller e Surel (2002). destacamos os pressupostos de trabalho presentes em VIEIRA (2006). públicas. Kingdon (2006). Visando analisar a trajetória de políticas sociais e educacionais utilizamos. a posição de Estado provedor. os estudos sobre políticas públicas embasados nos seguintes autores: Easton (1970). Campbell (2002). gradativamente. Como referência teórica. expande-se a informalidade do mercado de trabalho acompanhada por intenso processo de flexibilização das relações de trabalho. OS CONSELHOS MUNICIPAIS DE MEIO AMBIENTE COMO ESPAÇOS DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL NAS QUESTÕES AMBIENTAIS DO MUNICÍPIO: O CASO DO CMMA DE RIO DAS OSTRAS – RJ Saulo Cezar Guimarães de Farias (Universidade Estácio de Sá) O propósito da presente pesquisa foi analisar os resultados obtidos pelo processo de descentralização das políticas públicas para o meio ambiente no município de Rio das Ostras (RJ). Gold (1992) e Mainardes (2006). quando registramos as primeiras organizações das creches e pré-escolas.

O método contou com análise quantitativa e qualitativa. Não estavam alfabetizados. . Inclusão. SÍNDROME DE DOWN E O MOVIMENTO DE INCLUSÃO Sônia Maria Rodrigues Simioni (CUML) Tarcia Regina da Silveira Dias Este estudo teve como objetivo identificar os alunos com síndrome de Down que freqüentavam a rede estadual de um município do Estado de São Paulo. sobre como os direitos do cidadão podem ser violados e a violação pode ser considerada. essenciais para a autonomia da pessoa com síndrome de Down no seu contexto social. Outro dado a considerar foram que três alunos não freqüentarem a classe comum. individual e coletiva. Concluiu-se sobre a necessidade de estudar e implementar condições de ensino-aprendizagem para os mesmos. Palavras-chave: política pública precariedade. considerando que essa centralidade contribui para o acesso aos meios que fortalecem a cidadania do indivíduo e evidencia seu reconhecimento pelo poder público. Contudo. Abrir a caixa-preta da política de ampliação da escolaridade obrigatória. Tanto a investigação realizada quanto a exposição no presente texto teve como suporte metodológico o materialismo histórico e dialético. Escola Estadual. a síndrome de Down e a deficiência intelectual. é fundamental a ação docente na interação com os alunos. apenas classe especial ou sala de recursos no ano de 2009. para descrever os seus perfis e analisar sistematicamente o comportamento de um deles. todas instaladas na zona norte da cidade.PR (2001 – 2008) Simone de Fátima Flach (UFSCAR) O texto enfoca o processo de implementação da ampliação da escolaridade obrigatória – Ensino Fundamental de 9 anos no contexto paranaense. como correta e verdadeira.portanto. O objetivo geral é evidenciar os efeitos da política de ampliação do Ensino Fundamental de 8 para 9 anos na vida dos cidadãos do município investigado. O estudo. é a contribuição científica do texto apresentado. É preciso que o professor acredite na potencialidade do aluno e entenda o seu ritmo e suas peculiaridades. deixando que seus efeitos sejam conhecidos e analisados. considerada com população de baixa renda. no período compreendido entre 2001 a 2008. Ao final conclui-se que as ações políticas analisadas e seus efeitos foram parciais e fragilizados. ilusoriamente. foi do tipo descritivo que identificou 18 alunos com síndrome de Down em 13 escolas dentre 64 da rede investigada. Os dados obtidos sobre o comportamento do aluno com síndrome de Down no município pesquisado mostraram que é possível e viável uma prática educacional inclusiva que potencialize o desenvolvimento cognitivo desse alunado. pois a exposição procura oferecer subsídios que podem contribuir para a tomada de consciência. tais como saúde e educação. flexibilização. O eixo central de discussão está na importância da garantia do direito à educação e não apenas de sua previsão legal. Quinze alunos estavam matriculados em 10 escolas. Palavras-chave: Síndrome Down. em uma primeira parte. baseado na desmobilização do Estado que se ampliam os processos de privatização de serviços oferecidos à população. Todos freqüentavam o Ciclo I e apresentavam idade entre 7 e 13 anos. independente da série ou anos que freqüentavam a escola e não contavam com serviço de apoio especializado. atentando sobre as questões do currículo acadêmico e para as atividades de vida diária. DIREITO À EDUCAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA EM PONTA GROSSA . O referencial teórico baseou-se em dados disponíveis na área sobre a inclusão. evidenciando a realidade político-educacional do município de Ponta Grossa.

O trabalho se constitui de duas partes. Na segunda parte. no ano de 2010 e. NA EDUCAÇÃO BÁSICA DO SISTEMA ESTADUAL PAULISTA. realizada em 2010. sistema paulista de ensino. educação básica. No que se refere aos efeitos político/institucionais do ProJovem. uma das capitais em que o programa atuou. atribuições e competências. abrangendo sua criação. natureza. aborda o direito e o princípio da equidade na educação de jovens e adultos trabalhadores. a proposta O ACESSO A FORMAÇÃO PROFISSIONAL PELO JOVEM E ADULTO: UMA ANÁLISE SOBRE DIREITO E EQUIDADE A PARTIR DO PROCESSO DE INGRESSO Elisangela Bernado (Estácio de Sá) Sonia Mendes Suely Fernandes Coelho Lemos O artigo apresenta um estudo sobre o direito com equidade dos jovens e adultos à formação profissional a partir da análise dos dados da pesquisa sobre o processo de ingresso aos cursos do PROEJA do Instituto Federal Fluminense - . Em seguida. profissionalização e ação comunitária de seus egressos e nas suas repercussões no quadro político/institucional do município de João Pessoa. participação dos conselheiros e pontos que facilitam e que dificultam o funcionamento do Conselho de Escola. suas funções. No que se refere ao modelo avaliativo. Palavras-chave: Conselho de escola. Em relação aos egressos. PROGRAMA NACIONAL DE INCLUSÃO DE JOVENS: DIÁLOGOS NA CONSTRUÇÃO DE UM MODELO DE AVALIAÇÃO Swamy de Paula Lima Soares (USP) Este trabalho apresenta uma proposta de avaliação dos efeitos do ProJovem (Programa Nacional de Inclusão de Jovens) na trajetória de escolarização. profissionalização e fomento a práticas comunitárias. o modelo considera os três objetivos do programa: elevação da escolaridade. a coordenadora do PROEJA e estudantes aprovados em 2010. são propostas duas frentes de atuação. A pesquisa do tipo qualitativa se desenvolveu por meio da análise do edital e questionários socioeconômicos e de entrevistas com a diretora da EJA. atribuições do colegiado. Trata-se da discussão de um modelo de avaliação que considere esses dois elementos. sendo selecionados 22 trabalhos. Apresenta uma análise do processo de ingresso dos jovens e adultos aos cursos do PROEJA do campus Campos Centro. defendidas em 10 universidades. composição do conselho. os diversos tipos de conselhos criados e regulamentados pela legislação brasileira. Na primeira é apresentado um histórico dos Conselhos de Educação no Brasil. Parte-se da idéia de que uma ação federal pode induzir práticas locais. no período de 1988 a 2007. políticas públicas para essa parcela da população. sob a perspectiva adotada por Bobbio (1992) e Habermas (2007).. é apresentado um histórico do Conselho de Escola no sistema de ensino público estadual paulista. com destaque para as relações federativas que são estabelecidas entre a União e os Municípios. campus Campos Centro. finaliza com considerações a respeito do modo como os processos são seletivos desconsiderando as diferenças entre o público do PROEJA e dos demais cursos regulares. NO PERÍODO DE 1988-2007 Suely Aparecida Lima Fernandes (UNIMEP) Este estudo tem como objetivo realizar um levantamento e análise da produção de dissertações e teses sobre Conselho de Escola na educação básica da rede pública estadual paulista. Em seguida. demonstrando a necessidade de revisão dos processos seletivos em atendimento ao princípio do direito com equidade. O texto resgata algumas características das políticas para a juventude nos últimos anos. é apresentada uma análise da produção acadêmica a partir das categorias: procedimentos metodológicos empregados nas pesquisas.ANÁLISE DA PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES SOBRE CONSELHOS DE ESCOLAS. visando a participação da sociedade na gestão educacional. compreendendo 4 teses e 18 dissertações. Inicialmente reflete sobre o direito.

Harvey (2010) e Boutinet (s/d). O desenvolvimento deste estudo se deu com base na metodologia da análise documental. Sobre contemporaneidade Hall (2006). Estética e Hermenêutica são fomentados pela leitura de autores como: A estética em Freire (1987. procura-se estabelecer diferenças nas concepções e objetivos dos planos. são apresentadas duas categorias de análise: equidade e enraizamento. profissional. aqui. EDUCAÇÃO ESTÉTICA E CONTEMPORANEIDADE: UM ESTUDO DA FORMAÇÃO HUMANA NO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Tiago Carzetta Marchina (UNICID) A formação humana do profissional tecnológico é o tema dessa pesquisa que objetivou analisar a dimensão estética na formação humana do profissional tecnólogo. Recorreu-se à aproximação entre Schiller (2002). da mesma forma. busca-se comparar os planos em relação à caracterização e atendimento ao público prioritário. No recorte feito POLÍTICAS PÚBLICAS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PLANFOR E DO PNQ Tiago Antonio da Silva Jorge (UFMG) Este artigo tem como objetivo analisar as políticas públicas de qualificação profissional no Brasil. Refletiu-se. Foi realizado um estudo comparativo entre dois planos de qualificação: O Plano Nacional de Qualificação do Trabalhador (PLANFOR). Teve-se como documento norteador a análise da Resolução CNE/CP 3/2002.de avaliação procura analisar a estrutura e os processos de gestão do programa. Os pensamentos sobre Educação. bem como a participação da sociedade civil na implementação das ações de qualificação profissional. 1996). A análise aqui apresentada é feita por meio de dois eixos. incluindo as ações do Estado (executivo e legislativo no município) e da sociedade civil (possíveis efeitos do programa na sociedade). e o Plano Nacional de Qualificação (PNQ). sobre a transformação e a composição das imagens fragmentadas do sujeito esvaziado do sentido humano. . Palavras-chave: Educação Estética – Formação Humana – Tecnólogo – Hermenêutica REFORMA EDUCACIONAL PAULISTA: A APROPRIAÇÃO DOS FUNDAMENTOS DO PROGRAMA “SÃO PAULO FAZ ESCOLA” PELOS PROFESSORES Valeria Andrade Silva (UNINOVE) Miguel Henrique Russo Neste texto apresentamos uma síntese dos dados de uma pesquisa realizada em uma escola da rede estadual de ensino paulista com o objetivo de apreender qual foi a compreensão dos professores acerca dos princípios norteadores e das ideias centrais da reforma do ensino promovida pelo governo Serra. No primeiro. Valcárcel (2005). Inclusão social. Bauman (1998. Humanização. Boal (2008). Palavras-chave: Qualificação Empregabilidade. apesar de apresentarem diferenças em relação à concepção e eixo principal. relacionado à etapa de planejamento. 2005). Boal (2008). No segundo. principalmente em relação à sua implementação. tendo como enfoque os planos de qualificação profissional que passaram a se configurar como políticas voltadas para a contenção do desemprego e ampliação da inclusão social. Schiller (2002) e Perisse 2009). notam-se grandes semelhanças entre os dois planos. à construção histórica do conceito de Educação Estética em Wojnar (1967). na sociedade contemporânea. elaborado e implementado no governo Lula. Por fim. para explicitar a educação estética e a formação humana. 1996). Apoiado nos pensamentos de Gadamer (2000) sobre hermenêutica analisou-se expressões destacadas sobre os eixos formadores da resolução que origina as Diretrizes Curriculares Nacionais de Nível Tecnólogo. identificando na prática docente as mudanças decorrentes da implementação da proposta curricular do Programa “São Paulo faz escola”. utilizando-se fontes documentais secundárias. elaborado e implementado no governo FHC. o possível fomento a práticas de institucionalização de políticas para os jovens. na composição final do modelo. relacionado à etapa da implementação. Os resultados desta pesquisa demonstram que. Freire (1987.

para o estudo, os sujeitos foram os professores de Língua Portuguesa e o professor coordenador da unidade escolar. A coleta de dados envolveu observação, entrevistas, análise documental e dos Planos de Ensino. Os resultados revelam que os docentes fizeram uma apropriação bastante parcial dos conceitos fundamentais da proposta e que desenvolvem uma prática que confirma o pressuposto de que o currículo é a ação desenvolvida na prática escolar mediada pela apropriação que os docentes fazem das idéias dos reformadores. Palavras-chave: Reforma educacional; Proposta curricular; Programa “São Paulo faz escola”.

REVISTA E VÍDEOS NÓS DA ESCOLA: UMA PROPOSTA DE AVALIAÇÃO FORMATIVA Vânia Finholdt Leite (PUC/RIO) Maria Inês Marcondes O trabalho analisa a proposta de avaliação no município do Rio de Janeiro, refletindo sobre alguns elementos necessários para o redimensionamento da prática educativa. Para tal, selecionamos artigos publicados na Revista “Nós da Escola” em 2001 a 2008 e o conteúdo de um vídeo destinado aos professores da rede, analisando os argumentos utilizados nesses materiais acerca da importância de se desenvolver a avaliação formativa. Partimos, portanto das seguintes questões: quais argumentos são apresentados aos professores acerca da mudança da lógica da avaliação adotada na escola? Quais as bases teóricas desses argumentos? De que forma a concepção de avaliação apresentada no material se relaciona com a concepção de currículo? A metodologia inclui a análise dos artigos publicados em cinco edições da Revista e cinco Vídeos destinados aos professores. Na análise utilizamos o referencial teórico-metodológico de Stephen Ball (1994) de ciclo de política, detendo-nos no contexto da produção de texto. As conclusões revelam coerência entre a proposta de avaliação continuada da Secretaria nas reportagens da Revista Nós da Escola e na série analisados. Os argumentos e as justificativas apresentados nesse material têm intenção de persuadir aos professores dos benefícios da avaliação formativa. PLANOS DE CARREIRAS EM MINAS: VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL? Vera Lúcia Ferreira Alves de Brito (UFMG) O trabalho faz parte Pesquisa: Remuneração de professores de escolas públicas da educação básica: configurações, impactos,impasses e perspectivas. CAPES / INEP / SECAD para o Observatório da Educação. Analisa o Plano de Carreiras dos Profissionais da Educação Básica de Minas Gerais aprovado em 2004 e sua substituição pela Lei 18.975, de 2010, que fixa o subsídio das carreiras do Grupo de Atividades de Educação Básica do Poder Executivo Estadual..

ESCOLA, TRABALHO E CULTURA DOS JOVENS CORTADORES DE CANA DE JENIPAPO DE MINAS – VALE DO JEQUITINHONHA Valéria Soares Baptista (UNIRIO) Diógenes Pinheiro Esta pesquisa se propõe a analisar a identidade dos jovens cortadores de cana de açúcar do município de Jenipapo de Minas, Vale do Jequitinhonha – MG através de suas trajetórias escolares, familiares, culturais e religiosas. Visa entender quais são as perspectivas e os desejos desses jovens frente ao mundo do trabalho e de como se posicionam quanto ao término do corte manual de cana de açúcar nas usinas. Em 2009, foi selado o Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Cana de Açúcar envolvendo o Governo Federal, as entidades sindicais e as empresas do setor sucroalcooleiro. Diante de tal problemática, fazse necessário investigar como os setores envolvidos se posicionam em relação ao Compromisso, priorizando o aumento de escolaridade, a qualificação e a requalificação desses jovens trabalhadores no processo de reintegração produtiva e nas políticas públicas, considerando os impactos sociais, econômicos e educacionais dessa nova realidade. Palavras-chave: jovens cortadores de cana; políticas públicas; Vale do Jequitinhonha

Discute a relação orgânica entre a remuneração de professores e a cultura gerencial e performativa do Estado de Minas pós-2003. Como conclusão aponta-se a interdependência entre as políticas gerenciais de ajuste fiscal e a configuração do Plano de Carreira dos Profissionais da Educação Básica. Busca desvelar a falácia do discurso sobre a centralidade do professor e de sua remuneração e assinala como desafio para o estudo do financiamento da educação visando analisar como a crise fiscal tem se tornado o cerne de enfoques de políticas educacionais estaduais. Palavras chave: políticas públicas; legislação; plano de carreira. A POLÍTICA DE CICLOS NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE NITERÓI (1999-2011): OS DIFERENTES SENTIDOS DE SUA TRAJETÓRIA Viviane Gualter Peixoto da Cunha (PUC-RIO) Este trabalho analisa os diferentes sentidos atribuídos a política de ciclos na Rede Municipal de Educação de Niterói no período de (19992011). É fruto de uma pesquisa mais ampla em andamento, cujo objetivo tem sido analisar os efeitos da trajetória completa da política investigada. Os dados foram coletados por meio de análise documental de três propostas que legitimam diferentes interpretações para os ciclos nessa Rede. Também foram utilizadas entrevistas de pesquisa que realizei anteriormente. Tem como referência para a análise a abordagem do ciclo de políticas (policy cycle approach) formulada pelo sociólogo inglês Stephen Ball e colaboradores (Bowe; Ball; Gold, 1992; Ball, 1994), que tem possibilitado novas leituras e perspectiva de análise ao sugerir uma estrutura conceitual para o método de análise da trajetória das políticas educacionais. Com respaldo nessas ideias, argumento neste texto que a Política de Ciclos não pode ser entendida apenas sob um tipo de concepção, mas inserida num processo de lutas e disputas por interesses que a atribuem diferentes sentidos e finalidades educacionais com sua implantação.

OS CONCURSOS PÚBLICOS REALIZADOS NA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE SÃO PAULO ENTRE 1979 E 2007 E A TRAJETÓRIA DO CONHECIMENTO EM ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO Viviani Fernanda Hojas (UNESP) Graziela Zambão Abdian Este estudo analisa os editais e as provas dos concursos públicos para provimento do cargo de diretor de escola realizados na rede estadual de ensino de São Paulo entre 1979 e 2007. São contempladas também as concepções que os diretores concursados têm acerca da função que exerceram e/ou exercem nas escolas. Para tanto, toma como referência teórica a trajetória do conhecimento em Administração da Educação produzido no país que, durante muito tempo baseou-se, quase que exclusivamente, na Teoria Geral da Administração e, no final da década de 1970 e nos anos 1980, propôs a construção de uma base teórica específica para a atividade administrativa realizada nas escolas. Mediante os estudos efetuados observa-se que o movimento teórico no campo da Administração da Educação refletiu-se nos editais e nas provas. Contudo, é difícil precisar se tal movimento produziu reflexos nas concepções e nas práticas dos diretores entrevistados tendo em vista que a maioria apresenta semelhanças nas respostas, por exemplo, no que diz respeito à atividade administrativa escolar que, para eles, apresenta especificidades e não pode ser confundida com aquela realizada nas empresas. Palavras-chave: Administração da Educação. Diretor de Escola. Concurso público. MISSÃO, INDUSTRIALISMO E OBRA ASSISTENCIAL: A CRIAÇÃO DA ESCOLA DE PESCA DARCY VARGAS (1939) Vladimir Zamorano Alves (PUC-RIO) Este artigo propõe duas genealogias para a Escola de Pesca Darcy Vargas criada no ano de 1939 na Ilha da Marambaia, situada no município de Mangaratiba no litoral sul fluminense (RJ). Fundada em 1940, a EPDV dava formação de nível primário e profissional de pesca aos filhos de pescadores tradicionais, parte deles descendentes da população de ex-escravos que já

ocupavam a Ilha, e também a um fluxo de filhos de pescadores de várias regiões do litoral brasileiro, especialmente do norte e nordeste, levadas para vivenciarem um empreendimento, até então inédito da educação de cunho profissionalizante no Brasil. A Escola fazia parte de uma obra assistencial que tinha escolas voltadas para a formação profissional da “infância desvalida”. Lançando mão de documentos oficiais e de referências bibliográficas busca-se produzir uma breve descrição histórica e sociológica do processo de gestação desta experiência no contexto das políticas do governo Vargas, sobretudo a partir da idéia de formação do “homem novo”. Consideramos que esta experiência escolar se constituiu como uma das principais ações deste governo visando à consecução do projeto de nacionalização da pesca. Palavras-chave: História da Educação; ensino industrial; pesca.

ARGUMENTAÇÃO COMO TÉCNICA DE TRANSFORMAÇÃO: UMA AÇÃO MULTICULTURAL Adriana do Carmo C Fontes (UFRJ) Este artigo se constituiu com base nos dados da pesquisa de mestrado do “tipo etnográfico” no projeto “Ao Encontro dos Meninos em Situação de Rua”, desenvolvido pela Associação Beneficente São Martinho na cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de um projeto que tem por objetivo transformar a ordem social vigente. A partir do objetivo acima mencionado, procuramos identificar os mecanismos e as estratégias adotados em prol da transformação social, neste caso específico. Após a coleta e análise de dados identificamos o diálogo como estratégia predominante utilizada pelos profissionais da equipe. Deste modo, ressaltamos as contribuições da Nova Retórica, para as práticas que se pretendem multiculturais e transformadoras. Tal articulação se justifica, pois o multiculturalismo em sua vertente crítica desafia posturas preconceituosas. A Teoria da argumentação contribuí para as iniciativas democráticas na medida em que busca o assentimento do auditório e nega o dogmatismo, priorizando a negociação e respeitando o universo social e cultural dos ouvintes, primando pela negociação do assentimento e não a imposição. Nas considerações finais assinalamos que apesar de não informado teoricamente, as ações empreendidas pelo projeto têm potenciais multiculturais e que a Nova Retórica pode vir-aser um importante instrumento para os educadores sociais. Palavras-chave: diálogo, multiculturalismo e transformação COM LICENÇA EU VOU À LUTA! TRAJETÓRIA DO SINDICATO DOS PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO NO ENSINO MUNICIPAL (SINPEEM) NA CIDADE DE SÃO PAULO DE 1986 – 2004 Alessandro Rubens de Matos (UNINOVE) Carlos Bauer O objetivo deste trabalho é o de apresentar nossa pesquisa sobre o movimento sindical docente na cidade de São Paulo. Para isso, estudamos a trajetória do Sindicato dos Profissionais em

Educação no Ensino Municipal (SINPEEM), entre 1986-2004. Nesse percurso, buscamos compreender o papel desse sindicato em uma perspectiva histórico-social e por meio desse processo constatar e analisar alguns dos aspectos importantes de sua atuação junto à categoria docente do município de São Paulo.

(DE) MARCAÇÕES INDÍGENAS: RUINAS DE LUGARES E SABERES CONHECIDOS Arlete M Pinheiro Schubert (UFES) A pesquisa investiga lutas indígenas por territorialidade no Espírito Santo, tomando como centrais os conceitos memória, experiência e narrativa do filósofo W. Benjamin, através dos quais fazemos a interlocução entre teoria e prática com o objetivo de compreender/descrever o caráter de experiência e narratividade desse movimento, buscando-se assinalar aspectos educativos que se revelam através de dinâmicas próprias do movimento indígena. Partimos da premissa que os indígenas pretendem intervir na dinâmica permanente de destruição da sua experiência e o fazem através das lutas por territorialidade, com o propósito de mobilizar e re-elaborador biografias-culturaisindígenas-contemporâneas. A partir da Pesquisa e observação participante (BRANDÃO, 2003) constatamos o caráter educativo do acontecimento, compreendido como contexto (lócus) de revitalização identitária-cultural Tupinikim. Os conflitos territoriais se inscrevem num espaço de “suspensão e interrupção” (BENJAMIN, 1985) de um tempo arbitrário e colonizador permitindo assim experiências de transformação de sentidos para diferentes sujeitos, se instituindo como acontecimento que busca manter a alteridade indígena, transmitindo às novas gerações princípios Tupinikim. Seguindo essa lógica o conflito territorial se constituiria num acontecimento forte e decisivo de intervenção educativa correspondente às formas tradicionais indígenas de educação. Palavras-Chave: Lutas tradição, educação. territoriais indígenas,

GESTÃO EDUCACIONAL NO MST: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BARRA DO CHOÇA – BA Arlete Ramos dos Santos (UFMG) Gilvan dos Santos Souza O objetivo desse trabalho é analisar a gestão educacional sob o enfoque da burocracia estatal capitalista, tendo em vista que esse Movimento luta pelo socialismo. O local de pesquisa foi a Escola Municipal Emliano Zapata, município de Barra do Choça, BA. Para tanto buscou identificar os instrumentos da burocracia estatal capitalista existentes na referida escola; analisar se a gestão implementada na escola é autoritária ou democrática, e descobrir quais os desafios e conflitos vivenciados pelo gestor da educação no MST, uma vez que ele faz os papéis de diretor/coordenador junto à burocracia estatal, e de militante junto ao setor de educação do Movimento. O caminho escolhido foi, a partir do referencial teórico weberiano e marxista, realizou-se uma pesquisa qualitativa com utilização de diário de campo, observações, e entrevistas semi-estruturadas. As reflexões com base nos pressupostos teóricos e nos dados coletados levou a concluir que a gestão educacional do MST é democrático/participativa, com especificidades próprias voltadas para o objetivo de implementar a proposta pedagógica do Movimento. A partir do marco conceitual do que é tido como burocracia nos estudos realizados durante a pesquisa, ficou claro que a forma de organização, coordenação e sistematização do MST não se encaixa nesse termo. Por isso, entendeu-se como necessário criar uma nomenclatura para essa forma de estruturação, a qual foi denominada de Racionalidade Coletiva nessa pesquisa.

as pessoas educam e se educam na práxis do trabalho. Para tal, vale-se da pesquisa de mestrado, na qual foi investigado o processo de incubação da Marcenaria Coletiva Autogestionária - Madeirarte, do Assentamento rural Pirituba II / Itapeva- SP. Neste artigo, a proposta é destacar um recorte da pesquisa com ênfase em 4 principais aspectos identificados que nos ajudam a refletir sobre o caráter educativo desta economia. Trata-se das seguintes categorias analisadas: Solidariedade, Autogestão, Diálogo/informação/comunicação e Dimensão Instrumental. A partir da análise destas categorias, o artigo apresenta, de um lado, as contradições presentes nessa forma de organização ao buscar construir valores de solidariedade no espaço de trabalho, e, de outro, as potencialidades desta economia no que tange os processos educativos voltados para a humanização e desenvolvimento dos empreendimentos solidários. Palavras-chave: Economia Solidária, Educação, Movimentos Sociais. EDUCAÇÃO, TERRITÓRIO & DESENVOLVIMENTO – CONTRIBUIÇÕES DAS PESQUISAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO Clara Teixeira Ferrari (UFV) Lourdes Helena da Silva Os espaços rurais vêm passando por transformações significativas ao longo das ultimas décadas e, neste contexto, emergem outros olhares sobre o campo e suas dinâmicas que colocam em discussão o conceito de Território. Esse conceito, presente em diversos campos do conhecimento, tem se expandido na atualidade para a Educação. Neste trabalho buscamos avançar nestas reflexões, partindo da análise das produções teóricas da Educação do Campo discutidas no II Encontro Nacional de Pesquisadores de Educação do Campo. Os dados revelam que o conceito de território tem pouca centralidade nas pesquisas em Educação do Campo e é utilizado a partir de uma diversidade de referências teóricas, o que, se por um lado parece indicar uma apropriação incipiente e a necessidade de maior aprofundamento, por outro, nos mostra a multiplicidade de abordagens

A ECONOMIA SOLIDÁRIA ENQUANTO MOVIMENTO SOCIAL: EDUCAÇÃO E PRÁXIS Carolina Orquiza Cherfem (UNICAMP) O presente artigo tem como principal objetivo provocar uma reflexão em torno da educação que se desenvolve em distintos espaços e não somente naqueles escolarizados. Assim, apresenta o caráter educativo da economia solidária enquanto um movimento social em que

e a ampliação da temática Educação do Campo e Território na atualidade. Para fundamentar esta discussão, temos como principais referenciais teóricos Arroyo (2004), Caldart (2004; 2008), Fernandes (2004; 2005; 2008) e Haesbaert (2002; 2006). As análises nos indicam algumas questões: como o território é socialmente representado por sujeitos da Educação do Campo? As experiências de Educação do Campo estão relacionadas à emergência de territorialidades? Como ocorrem as dinâmicas educativas do campo nos territórios camponeses? Como essas dinâmicas consolidam ou fortalecem processos de territorialização camponesa? O que isso nos revela sobre avanços, contradições, limites e desafios da Educação do Campo? A ESCOLA NO HORIZONTE DE JOVENS CAMPONESES ESTUDANTES DE UMA ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA Cristiane Benjamim de Freitas (UFMG) Geraldo Magela Pereira Leão Esta pesquisa se debruçou sobre as experiências de escolarização de jovens do campo, estudantes da Escola Família Agrícola Paulo Freire - EFAP, do município de Acaiaca-MG, investigando os motivos que levaram esses jovens a se matricularem na escola e como se constituíram suas trajetórias escolares. Os sujeitos investigados foram jovens alunos do terceiro ano dessa escola. A coleta de dados deu-se por observação, entrevistas individuais e semiestruturadas com 10 estudantes, além de um questionário aplicado a 71 jovens da escola. A fundamentação teórica para a análise do material empírico baseou-se em trabalhos das áreas de estudos sobre o meio rural brasileiro, sobre as experiências das Escolas Famílias Agrícolas e a Pedagogia da Alternância e em autores da Sociologia da Educação e da Sociologia da Juventude. A análise revelou que a escola tem para os jovens do campo sentidos múltiplos, o que resulta de uma série de configuração de fatores. A escola constitui para os jovens um espaço de sociabilidade, de preparação para o trabalho e de reconhecimento social. Através da pesquisa, pode-se afirmar que, embora os jovens pertençam a uma mesma categoria social, esta

não é homogênea e eles não vivenciam a experiência escolar a partir das mesmas condições.

MINERAÇÃO DE MÁRMORE E GRANITO NO ESPÍRITO SANTO: A FORMAÇÃO DOS TRABALHADORES NO E PELO TRABALHO EM UMA PEDREIRA DO MUNICÍPIO DE VILA PAVÃO Daniel Handan Triginelli (UFMG) Daisy Moreira Cunha A comunicação apresenta os resultados da pesquisa de mestrado: Relações de trabalho: um estudo a partir da experiência do setor de extração do granito no Município de Vila Pavão – ES. O objetivo é compreender as relações e condições de trabalho no setor de extração de granito no município de Vila Pavão/ES, buscando desvelar aspectos da educação/formação dos trabalhadores em pedreiras de granito. A pesquisa qualitativa permite observar de maneira mais próxima as relações que permeiam o objeto de estudo, buscando junto aos atores a compreensão do que se pretende entender e, sistemicamente explicar. Essa metodologia contribui para a reflexão e análise do material recolhido sobre as condições e relações de trabalho nas lavras de granito no município de Vila Pavão/ES. Os resultados apontam a importância da atividade dos mineiros para o desenvolvimento do setor mineral no Espírito Santo. Apoiados em Marx e Gramsci, entendemos o capitalismo, em seu desenvolvimento histórico, apropriou-se dos saberes produzidos no e pelo trabalho de forma sistemática, tentando controlar a produção e vida social. O esforço em compreender as relações e condições de trabalho no setor pesquisado, proporcionou-nos conhecer o processo de extração, a formação profissional on the job e outros aspectos da formação humana dos trabalhadores no setor. Palavras Chaves: mineração, relações de trabalho, condições de trabalho.

EDUCAÇÃO NO CAMPO E EDUCAÇÃO ESPECIAL: O QUE PENSAM OS GESTORES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Denise Meyrelles de Jesus (UFES) Christiano Félix dos Anjos Cariline Zaze Bergami Este estudo tem por objetivo tecer interfaces entre a Educação Especial e a Educação do Campo. Responderam a um questionário sobre o tema gestores de Educação Especial de nove municípios capixabas e três Superintendências Regionais de Ensino. Os resultados evidenciam que os gestores reconhecem a presença de alunos da Educação Especial que apresentam diferentes condições em escolas do campo. Sinalizam que as condições são pouco adequadas para a escolarização e destacam a necessidade de “colaboração” entre os docentes do campo e especialistas em Educação Especial. NARCÓTICOS ANÔNIMOS: UMA ABORDAGEM EDUCACIONAL SÓCIO-COMUNITÁRIA Eliana dos Santos Aguiar (UNISAL) Apresento uma pesquisa de mestrado em educação que toma por objeto Narcóticos Anônimos (N.A.), e busca identificar o diferencial inerente a esses grupos, pois possibilitam a recuperação de seus membros que é possível por meio de um processo educativo. À luz de uma minuciosa revisão teórico metodológica, a pesquisa de campo foi realizada a partir da observação participante, com aplicação de questionários e entrevistas. Definida como uma doença pela O.M.S., a dependência química é apresentada por Bucher (1992b) e Kehl (2009), também, como um sintoma de doença situada na estrutura atual da sociedade. Inspirado em Alcoólicos Anônimos, N.A. realiza uma abordagem que, de acordo com Godbout (1997) e Mota (2004), é uma alternativa ao estilo de vida da sociedade moderna capitalista, e se baseia na dádiva, um paradigma abstraído a partir das pesquisas de Mauss (2003). À luz de Santo Agostinho (2004) e Martin Buber (1987), é possível inferir que o novo estilo de vida adquirido em N.A., é viabilizado por um aprendizado que se dá por meio das relações

entre as pessoas, e entre elas e o Poder Superior segundo a compreensão de cada um, em uma comunidade, numa perspectiva de educação sócio-comunitária baseada na dádiva que é composta pela autogestão, uma espiritualidade pluralista e a ajuda mútua. Palavras-chave: dependência química – grupos anônimos de ajuda mútua – educação sóciocomunitária. PARCERIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: DISCUSSÕES SOBRE O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO CAMPO/UFES Erineu Foerste (UFES) O trabalho aborda questões sobre educação do campo, avaliando processos de formação de professores. Observa-se que em contextos campesinos são negados direitos sociais básicos, entre eles o acesso à educação pública de qualidade para todos. Parcerias entre o poder público local (Secretarias Municipais de Educação), a Universidade e movimentos sociais impulsionam a construção coletiva de outro projeto pedagógico de educação em contextos campesinos (comunidades indígenas, comunidades quilombolas, comunidades pomeranas, assentamentos de reforma agrária, agricultores familiares de um modo geral etc.). O exercício do diálogo na diferença impulsiona fortalece o trabalho interinstitucional e a valorização de saberes da terra e identidades. Para Williams as práticas culturais resultam de experiências históricas concretas das pessoas, servindo de base para as lutas de sujeitos excluídos por direitos sociais. Uma educação do campo diferenciada, como projeto coletivo, nasce das interações dos sujeitos entre si, na sua relação concreta no mundo com o mundo, transformando contexto social e subjetivo. Palavras-chave: Educação do campo; parceria; formação de professores.

A UTILIZAÇÃO DO TESTE SOCIOMÉTRICO NO ESTUDO DAS RELAÇÕES SOCIAIS ENTRE OS ALUNOS COM E SEM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Fernanda Araujo Cabral (PUC/SP) Este estudo tem como objetivo identificar as relações estabelecidas entre crianças com deficiência intelectual e sem deficiência em sala de aula, em termos de preferências ou rejeições na formação de subgrupos, identificando as manifestações preconceituosas com relação às crianças com deficiência intelectual em processo de inclusão. Tomando por referência que a interação social desempenha um importante papel na formação da criança, o trabalho se justifica pela necessidade de verificar se a inclusão educacional da pessoa com deficiência promove a diversidade nos relacionamentos ou o preconceito, relegando à criança com deficiência posição de marginalização no processo de inclusão. A orientação teórica da pesquisa segue os referenciais da teoria crítica da sociedade na discussão sobre o conceito de preconceito e de educação como forma de minimização da barbárie. A coleta de dados foi realizada com crianças matriculadas no ensino fundamental I que estudavam com alunos com deficiência na mesma sala de aula e os sujeitos núcleo da pesquisa foram duas crianças com deficiência intelectual. O instrumento consistiu na aplicação do teste sociométrico visando identificar os relacionamentos recíprocos estabelecidos em sala de aula entre as crianças com e sem deficiência. Os resultados obtidos no teste sociométrico apontam a tendência à segregação das crianças com deficiência em situação de inclusão, mesmo quando elas ocupem espaço físico comum à todos na sala de aula. PALAVRAS- CHAVE: deficiência intelectual, interações sociais, preconceito.

estudo dos movimentos sociais mais proeminentes no campo brasileiro da atualidade, com destaque para MST. Para isso, foi feita uma contextualização histórica do desenvolvimento desses movimentos no país, analisando as contradições no conceito de campo, os processos vivenciados pelos trabalhadores desse espaço geográfico para garantir a sua sobrevivência, perpassando pelas conjunturas política, econômica e social vivenciadas nessa territorialidade, principalmente no século XX. O referencial teórico é de base marxista, cuja revisão de literatura traz autores que discutem os movimentos sociais de forma ampla, bem como os que tratam dos movimentos sociais do campo. De acordo com Gohn (2007, 11) existe uma lacuna no campo conceitual do significado de movimentos sociais, sendo difícil teorizar sobre esse assunto, pois as pesquisas realizadas geralmente têm sido direcionadas para estudo de casos de movimentos sociais específicos, sem se preocupar com uma teoria própria. A metodologia utilizada teve como suporte uma revisão de literatura sobre o tema, cujo resultado aponta como sendo de maior relevância nesse momento o MST, expandido para todo o território nacional, o qual tem como objetivos a reforma agrária e a transformação da sociedade em direção ao socialismo, trabalho para todos, difusão de valores humanistas. SABERES, PRÁTICAS POPULARES E PROCESSOS EDUCATIVOS DE MULHERES ASSENTADAS ACERCA DE SAÚDE Iraí Maria de Campos Teixeira (UFSCAR) Maria Waldenez de Oliveira A saúde e a qualidade de vida das populações e de cada indivíduo se revelam de maneiras diferenciadas, podendo ser influenciadas pelas desigualdades sociais, econômicas e culturais. No que se refere à mulher rural, poucos estudos enfocam os problemas de saúde decorrentes do trabalho no campo, o que dificulta a criação de ações adequadas a essa realidade. Dada a importância de ampliar a compreensão dos estudos acadêmicos e das políticas públicas sobre saúde da população rural, esta pesquisa tem como objetivo identificar as práticas sociais de cuidado com a própria saúde e os processos

A IMPORTÂNCIA DOS MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL: O CAMPO COMO ESPAÇO ANALÍTICO Gilvan dos Santos Souza (UFMG) Arlete Ramos dos Santos As reflexões deste artigo são fruto de pesquisas que a autora tem feito com o objetivo de fazer um

educativos por elas desencadeados. Pretende-se dialogar com mulheres assentadas sobre sua realidade vivida e seus saberes de experiência. Seguiremos o referencial metodológico da pesquisa participante que é descrita de modo mais comum como uma atividade integrada que combina investigação social, trabalho educacional e ação. Trata-se de um trabalho científico de pesquisa de dados em comunidades populares, cuja atividade pedagógica é assumidamente política e quase sempre mais ampla e de maior continuidade que a pesquisa. Pretende-se coletar dados por meio de observações de natureza participante e de rodas de conversa sobre saúde e qualidade de vida. Com esse trabalho, espera-se aproximar da problemática vivenciada por essas mulheres possibilitando adequar estratégias e conteúdos para subsidiar a elaboração de políticas públicas voltadas para a melhoria da qualidade de vida da mulher rural. “DO POVO, PARA O POVO E PELO POVO”: AS CONCEPÇÕES DE EDUCAÇÃO, CULTURA POPULAR E TRANSFORMAÇÃO SOCIAL NAS FORMULAÇÕES DO MEB E DO CPC NOS ANOS 1960 Jeferson Anibal Gonzalez (UNICAMP) Neste trabalho, apresenta-se a pesquisa desenvolvida como parte das atividades do mestrado em educação sob orientação do Prof. Dr. José Luis Sanfelice, tendo-se como objeto de estudo as formulações do Movimento de Educação de Base (MEB), ligado à Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e, por conseguinte, à Igreja Católica, e do Centro Popular de Cultura (CPC), ligado à União Nacional dos Estudantes (UNE), na primeira metade da década de 1960. Por meio de pesquisa teóricobibliográfica e documental, pretende-se: 1) compreender o contexto histórico-político, social e econômico no qual surgiram o MEB e o CPC; 2) apreender as concepções de educação, cultura popular e transformação social presentes nas formulações dos dois movimentos; 3) explicitar o momento teórico-filosófico e suas influências nessas formulações; e 4) analisar o debate teórico presente nos dois movimentos sobre os procedimentos metodológicos de trabalho junto

às massas. Como resultado preliminar, aponta-se que apesar da origem diferenciada dos movimentos, suas formulações são conflitantes apenas pontualmente, sobressaindo-se a aproximação entre ambos mediada pela ideologia do nacional-desenvolvimentismo. Palavras-chave: Educação e cultura popular; Movimento de Educação de Base (MEB); Centro Popular de Cultura (CPC). CURSINHO POPULAR: ANÁLISE DE UMA EXPERIÊNCIA ESCOLAR NÃO REPRODUTORA Lajara Janaina Lopes Corrêa (UCP) Maria Silvia Pinto de Moura Librandi da Rocha Analisamos trajetórias de ex-alunos do curso prévestibular Herbert de Souza (HS), situado em Campinas (SP), que ingressaram em universidades, para identificar: (i) pontos nestas trajetórias que contribuíram para a longevidade escolar destes jovens; (ii) como avaliam suas experiências escolares; (iii) contribuições das práticas pedagógicas do HS para interpretação crítica do sistema escolar brasileiro e adesão à militância. Para fundamentação teórica recorremos aos conceitos de escola conservadora, capital cultural, ethos de Pierre Bourdieu. Realizamos pesquisa documental e entrevistas semi-estruturadas com 7 ex-alunos do HS. Destacamos como resultados: (i) pouco incentivo dos professores de Ensino Médio para os jovens cursarem o Ensino Superior; (ii) influência dentro e fora do grupo familiar para prosseguimento dos estudos; (iii) contradições nas trajetórias escolares (considerados maus alunos, não gostavam da escola, tinham baixo capital cultural, mas apresentaram disposições adequadas para os sacrifícios da escolarização); (iv) as experiências dos sujeitos no cursinho e na universidade provocam conscientização sobre suas trajetórias escolares e (v) atuações militantes dos ex-alunos se deram em decorrência do ingresso no cursinho, mas não se generalizam na vida universitária. Finalizamos o trabalho explorando os desafios na constituição de um cursinho voltado para jovens de classes populares e seu duplo objetivo: o preparo para o exame de vestibular e a formação crítica.

Os principais desafios citados pelos educadores do Instituto Espaço Amigo foram: dificuldades de relacionamento entre as crianças. análise de documentos e observação de atividades. respaldo de especialistas e atualização cultural. das fases de desenvolvimento infantil. que desenvolvem projetos de educação não-formal. Como respostas aos desafios. atuar com alunos que apresentam defasagem na leitura e escrita e garantir a participação dos alunos nas atividades. onde a Igreja se volte para o povo e não para as elites governantes e econômicas. a partir das propostas de D.Palavras-chave: Trajetórias escolares. Horizonte de expectativa e espaço de experiência são categorias para interpretação da história enquanto relação entre as experiências vividas e acumuladas observadas num horizonte que projeta um futuro. Os educadores indicam como necessidades ter conhecimentos da linguagem de trabalho. A EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL E AS NECESSIDADES FORMATIVAS DE SEUS EDUCADORES Lisandra Marisa Príncepe (PUC/SP) Marli Eliza Dalmazo Afonso de André Este estudo objetivou investigar as necessidades formativas de 12 educadores que atuam em duas ONGs. um novo tempo no qual nasce a liberdade advinda da separação entre Igreja e Estado e no qual nasce a possibilidade de um novo espaço de experiência. Buscou-se identificar os principais desafios enfrentados pelos educadores. um horizonte novo. No entanto. Práticas pedagógicas. As respostas aos desafios indicam uma sintonia com o projeto pedagógico da instituição e com as características da educação não-formal. alunos novos ingressantes no projeto e o desenvolvimento da proposta pedagógica. Surgem como necessidades formativas a busca de conhecimentos gerais e de outros campos científicos. em alguns momentos. Macedo Costa na Pastoral Coletiva dos Bispos do Brasil de 1890. Para coleta de dados utilizou-se entrevistas. Curso prévestibular. INCLUSÃO E RELAÇÕES INTERCULTURAIS: A EXPERIÊNCIA DOS ESTUDANTES AFRICANOS DAS COMUNIDADES DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA (CPLP) NA UFES Maria Aparecida Santos Corrêa Barreto (UFES) Objetiva-se compreender os mecanismos de construção de identidades de estudantes advindos do continente africano. Silvério. Para os educadores do Instituto Picadeiro os principais desafios elencados foram questões de relacionamento entre as crianças. ao unir-se ao povo atue na sua educação. Júlio Maria. os educadores revelam. Em busca da tradição na qual o passado colonial fez obra comum o Reino de Deus e o Reino Português. D. publicação comemorativa dos quatrocentos anos de descobrimento do Brasil. na obra “Memória” escrita para o “Livro do Centenário”. como respondem a eles e as necessidades formativas para melhor enfrentá-los. dos contextos onde atuam e das finalidades educativas. redator da Pastoral Coletiva dos Bispos do Brasil de 1900 é pródigo nessa visão: tempos novos sem lastro na tradição e na experiência católica da nação. vinculados ao . e no pontificado de Leão XIII. trabalhar com grupos de diferentes idades. A HISTÓRIA DA IGREJA NO BRASIL POR JÚLIO MARIA NO ADVENTO DA REPÚBLICA: HORIZONTE TENEBROSO OU HORIZONTE NOVO? EDUCAÇÃO DO POVO PARA UMA DEMOCRACIA CRISTÃ Marco Aurelio Correa Martins (UFJF) O trabalho procura compreender a análise da história da Igreja no Brasil por Júlio Maria Moraes Carneiro. Pe. Júlio Maria articula. Júlio Maria encontra um presente no qual tentase negar essa tradição: é a transição entre o Império e a recém proclamada República. A negação da tradição soa aos católicos como um falso horizonte de expectativa ou um horizonte tenebroso. DIVERSIDADE. práticas ancoradas em modelos da escola formal. Na qual a Igreja.

percebendo-se as influências do movimento restaurador de D. Esses são examinados quanto aos diversos fatores. A pesquisa tem como referencial a obra de Alípio Casali. mas por todos os espaços sociais e comunitários. A fundamentação teórica está na concepção de constituição social da deficiência e nos conceitos do Modelo Bioecológico. O recorte empírico é o período entre agosto de 2009 e dezembro de 2010. na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). com 97 participantes. Nessa perspectiva esperamos que as reflexões possam se entrelaçar a outras ações para a promoção das relações interculturais como um dos indicadores válidos positivos da vitalidade das relações na comunidade universitária. na formação das consciências. contradizem e conflitam evidenciando uma realidade tecida em intensa trama e dramas das relações interculturais no ensino superior. que necessita ser sustentado num esforço real. os artigos e reportagens no jornal da cidade “A Tribuna” e as entrevistas com ex-alunos e professores. que enfrentem o desafio de equilibrar sua necessidade e direito de autonomia com suas particularidades de engajamento no mundo. ao campo da educação do deficiente intelectual. Assim. a língua portuguesa é articulada enquanto instrumento institucionalizado de comunicação escrita dentro da universidade. São olhares que se complementam. Palavras-chave: Políticas afirmativas. e suas possibilidades de autonomia. constituem suas condições de participação e inclusão na vida comum. desenharam-se os traços dos primórdios da história da instituição. A pesquisa pretendeu demonstrar as intenções do grupo fundador de marcar a presença da Igreja (bispo diocesano) na formação da juventude da Baixada Santista. ”Elite . que não tinha condições de ir para a capital paulista. Relações Interculturais. não somente como tarefa da família ou da escola. na constituição de uma cultura que favoreça a emersão e a vigência da diversidade. A EDUCAÇÃO PARA A AUTONOMIA: REFLEXÕES SOBRE A EDUCAÇÃO DO DEFICIENTE INTELECTUAL E SUA PARTICIPAÇÃO NA VIDA COMUM Maria Luísa Bissoto (UNISAL) Discute-se a educação para a autonomia do deficiente intelectual.Programa de Estudantes Convênio de Graduação ( PEC-G). Como resultado considera-se que o emprego do Modelo Bioecológico permite “planificar”. tais como: analise documental. São importantes o acervo documental da Escola. Trata-se de um estudo de análise conceitual. em 1954. Leme. analisando configurações conceituais e estratégias. A ESCOLA DE JORNALISMO JACKSON DE FIGUEIREDO DE SANTOS: PRESENÇA DA IGREJA NO MEIO UNIVERSITÁRIO Maria Apparecida Franco Pereira (UNISANTOS) Claudio Scherer da Silva O tema desta comunicação é o estudo da origem da Escola de Comunicação de Santos. Como metodologia propomos movimentos não lineares. intelectual e restauração da Igreja” (1995). A autonomia do sujeito intelectualmente deficiente é possível num processo de ensino-aprendizagem de longotermo. com base nos princípios da pesquisa tipo etnográfica. buscou-se trilhar o caminho da história local. na prática muitos estudantes apresentam dificuldades em fazer tais articulações. Embora oficialmente falantes dessa língua em seus países de origem. Estrangeiros em Diáspora. e o ideário católico da instituição. que considerava importante o papel da imprensa ou comunicação social na difusão do cristianismo. BOURDIEU (1998) fundamenta na compreensão de que determinadas variáveis de estruturação social articulam o cotidiano desses estudantes. Algumas problemáticas acerca dos usos na condição do estrangeiro em diáspora. aplicando-se as categorias propostas por Urie Bronfenbrenner no Modelo Bioecológico do Desenvolvimento Humano. que presentes na educação do deficiente intelectual. a complexidade de fatores que favorecem ou obstaculizam o desenvolvimento do deficiente como ser autônomo. observação-participante. num sistema integrado de ideias.

bem como de trabalhos vinculados aos chamados estudos foucaultianos. não por teorias nem por estatísticas. Foram utilizados como referenciais teóricos principais a teoria de Pierre Bourdieu sobre o mundo social e as observações de Israel Scheffler sobre a linguagem educacional. a pichação. mas uma educação pautada na busca de uma práxis libertadora. este trabalho busca revelar um re-educar. bispo de Santos e que se enraizou como um Movimento Feminino. de Camargo Daniel Mittmann Queremos neste artigo analisar o discurso que a mídia impressa de Campinas. os quais são representados no Brasil pelo professor Alfredo Veiga-Neto. O material produzido por seis congressos foram sistematizados em três grandes categorias relativas a diferentes dimensões das políticas educacionais: organização do trabalho pedagógico na escola. analisaremos matérias do jornal Correio Popular.se desenvolver mais humanamente. no interior do estado de São Paulo. de entrevistas e arquivos pessoais. em A Arqueologia do Saber e A Ordem do Discurso. Não se pode deixar de considerar neste movimento de inclusão socioeducacional por parte da Igreja a sua relação com as políticas públicas neste período e qual a intenção do Estado em apoiar ou não tais modelos pedagógicos.L. M. além de procurar manter suas raízes dialogam acerca da representação feminina neste novo meio social. Através dos estudos de Rolim (1998). construindo e alimentando a representação do sujeito-pichador. Conclui-se que tal aprendizado oferecido pela Igreja fortaleceu o direito destas mulheres a uma participação mais ativa na sociedade. objetivaremos encontrar nos artigos. Dessa forma. realizados entre os anos de 1997 – após a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – e 2006. o periódico de maior circulação na cidade. A análise desse material permitiu concluir que as formulações e proposições melhor elaboradas são aquelas que envolvem a luta por melhores condições de trabalho e de salário e que as políticas educacionais são tratadas como forma de dar respostas ou propor alternativas às . A leitura destes textos se dará a luz a partir das teorias e das formulações metodológicas de Michel Foucault. aconteceu que um grupo de mulheres das comunidades carentes do litoral sul de São Paulo teve uma experiência inovadora. textos e matérias do jornal (arquivos) em questão quais são os enunciados e os dispositivos sobre a pichação e quais são os saberes que estes fazem circular. em especial. Exponho. gestão e organização do sistema educacional e formação profissional. financiamento. produz a respeito do pichador e de sua ação. SP Maria Rosa R. Investigou-se a formulação de políticas educacionais para a sociedade mediante a análise das Resoluções dos 16º ao 21º Congresso Estadual da APEOESP. Para tanto. EDUCAÇÃO: CAMPO DE LUTA: UM ESTUDO SOBRE OS CONGRESSOS DO SINDICATO DOS PROFESSORES DO ENSINO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – (1997 .A. Dussel (2005) e Pereira (2010). ajudando as comunidades rurais envolvidas e a ela mesma . publicadas no decorrer do ano de 2009 e que tratam da temática da pichação. carreira e condições de trabalho. A importância deste trabalho faz referência às memórias de uma educação popular implantada pela Igreja católica voltada para as mulheres destas comunidades rurais que.2006) Reni Gomes Da Silva (PUC/SP) O objetivo do presente trabalho foi analisar os temas educacionais discutidos nos Congressos da APEOESP – Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo – na última década. Paulo de Tarso Campos.Igreja . MEMÓRIAS DE UMA EDUCAÇÃO POPULAR FEMININA: INCLUSÃO SOCIAL E FORMAÇÃO DE MULHERES DO LITORAL SUL DE SÃO PAULO Paula Simone Busko (UNISANTOS) No século XX. criado por D. deixando para trás suas comunidades ribeirinhas de origem em busca de um sonho possível: estudo e emancipação feminina.).RELFEXÕES ACERCA DA PRÁTICA DA PICHAÇÃO A PARTIR DO DISCURSO DA MÍDIA IMPRESSA DA CIDADE DE CAMPINAS. entendida por nós como uma prática cultural. o movimento da Assistência ao Litoral de Anchieta (A. o centro urbano para onde eram trazidas.

E.) de uma escola da Rede Municipal de Ensino de Vitória/ES. período de redemocratização do país.. Isso leva ao desvirtuamento de uma política de juventude. a pesquisa se sustenta por intermédio de abordagens interdisciplinares. Palavras-chave: Programa Escola Aberta. Instituições religiosas.E. questionários. O MARXISMO E A PESQUISA EDUCACIONAL BRASILEIRA DAS DÉCADAS DE 1970-1980: DA CRÍTICA ÀS PROPOSIÇÕES Ricardo Pereira (UNICAMP) Nossa dissertação teve por objetivo analisar a produção educacional brasileira das décadas de 1970 que buscaram na tradição marxista o substrato teórico-metodológico para suas investigações. Esta produção que surge em meio ao processo de rearticulação das forças oposicionistas ao regime militar guarda diferenças entre si: da crítica presente nas primeiras teses e dissertações ainda sob a influência das teorias reprodutivistas adota na segunda metade da década de 1970. a escola regular se mostra “aberta” devido às suas ações democráticas. os objetivos do Programa com as práticas escolares e as formas de uso da escola pelos interessados. Espaços público e privado.E. Utiliza-se abordagens metodológicas qualitativas e quantitativas e. pois há ações específicas de instituições religiosas que terminam por provocar processos excludentes. Adorno. RELAÇÕES ENTRE PROGRAMA ESCOLA ABERTA E INSTITUIÇÕES RELIGIOSAS Sérgio Pereira dos Santos (UFES) Analisa-se o Programa Escola Aberta (P. como instrumento de coleta de dados.A e as atividades da escola. um papel mais propositivo já sob a esfera de influência do pensamento gramsciano. a Justiça Restaurativa já se revela uma realidade que supera o postulado do uso da violência contra a própria violência. Margulis. mas um conjunto de violências que precisa ser contextualizado. Foi nosso objetivo identificar estas diferenças e compreendê-las à luz das condições em que foram produzidas.A. no contexto do cotidiano escolar. inclusive para quaisquer instituições religiosas.E. enquanto o Programa Escola Aberta tende a se fechar ao abrir para as Igrejas que acabam privatizando um espaço público. Políticas Educacionais. e escola regular. Benedetti e outros autores que influenciaram nossa formação . assim como durante as atividades escolares regulares da semana. Justiça Restaurativa. Assim.A. destacando as concepções de Fazenda.E. Objetivamente. JUSTIÇA RESTAURATIVA NO COTIDIANO ESCOLAR: UMA ALTERNATIVA PARA A SOLUÇÃO DE CONFLITOS Rosana Cathya Ragazzoni Mangini (UNISO) Hélio Iveson Passos Medrado Estudo da Justiça Restaurativa no cotidiano escolar. o estudo nos permite afirmar que não existe uma violência escolar. PALAVRAS – CHAVE: Mediação. Desenvolve-se no decorrer das atividades do P. aos sábados e domingos. como as Igrejas. como a de se “abrir” para os moradores.A. Observa-se a relação entre o P. Houve uma desconexão entre o P. vamos conceituar o que é violência escolar e analisar o emprego da Justiça Restaurativa como alternativa para os conflitos e agressões produzidas por professores. entrevistas semi-estruturadas.medidas implementadas pelos governos estadual e federal do período. Os objetivos plurais esboçados na proposta do P. alunos e funcionários. temos respaldo em Arendt. grupos focais. Como aporte teórico de estudo. Spósito. pois as demandas juvenis são descartadas. Examinamos as estratégias de mediação e negociação entre os atores das instituições escolares. se desvinculam na efetivação do processo. Pierucci. Conflitos. Finalmente. etc.E. a observação participante.A. PALAVRAS-CHAVE: Sindicalismo Docente. Metodologicamente. para a análise da pesquisa. sobre o papel qualitativo nas pesquisas em educação. Congressos Educacionais.

entrevista. Biorregionalismo. O contínuo processo de repetência da classe da turma pesquisada evidencia a dificuldade da escola em lidar com a diferença e a diversidade entre alunos oriundos das camadas mais pobres da sociedade brasileira. Resultados: Os dados foram organizados originando os seguintes temas de análise: a) o reconhecimento das dinâmicas sócio-ambientais sobre a Biorregião da Ilha das Caieiras pela Comunidade Aprendente. tornando evidentes as relações afetivas e éticas desencadeadas com o Projeto Educacional. e com relatórios do Centro de Educação Ambiental da região.). b) o diálogo de saberes produzidos na relação escola-comunidade-manguezal existentes na Comunidade Aprendente. entre uma a cinco vezes e. Comunidade de Aprendizagem. O artigo tem como objetivo discutir de discutir o fenômeno da repetência a partir da perspectiva dos sujeitos da pesquisa. por meio de registros fotográficos. apoiando-se no Biorregionalismo e no desvelamento de uma Comunidade Aprendente. cujo objeto de análise foi a política de convênios entre o poder público municipal e as creches comunitárias vinculadas a movimentos sociais em São Gonçalo (RJ). REPETÊNCIA: UM ESTUDO DE CASO ETNOGRÁFICO Suziane de S Vasconcellos (UERJ) Carmen L G de Mattos Este artigo foi realizado a partir da dissertação do curso de Mestrado em Educação intitulada como: A classe de repetentes: um estudo etnográfico. na qual os sujeitos relatam seus saberes históricos. atividade e avaliação no contexto de uma classe de repetentes de primeira série. docentes e alunos (as) de uma classe de repetentes da 1ª série do Ensino Fundamental. A análise dos dados foi realizada por um processo indutivo com recursos do software (Atlas ti. evidencia ainda critérios pouco claros.EDUCAÇÃO AMBIENTAL BIORREGIONAL: A COMUNIDADE APRENDENTE NA ILHA DAS CAIEIRAS. O referencial teórico-metodológico utilizado foi a abordagem etnográfica de pesquisa e os recursos de coleta de dados foram: observação participante. revelando as formas de interação com o manguezal no passado e no presente. VITÓRIA (ES) Soler Gonzalez (UFES) Objeto de Pesquisa: Esta pesquisa buscou compreender e explicar os contextos sócioambientais de um Projeto Educacional que teve por objetivo favorecer o conhecimento sobre a história cultural da Ilha das Caieiras. Metodologia: Esta é uma pesquisa qualitativa com influências fenomenológico-herminêuticas ao tentar compreender as experiências relatadas e vivenciadas. Este artigo busca contribuir para o entendimento do fracasso escolar pelas evidências que oferece para as análises sobre a repetência. MOVIMENTOS SOCIAIS E DIREITO À EDUCAÇÃO INFANTIL EM SÃO GONÇALO: LIMITES E TENSÕES Tatiana Gonçalves Costa (FFP/UERJ) Este trabalho é fruto de uma dissertação de mestrado. com vivências entre catadores de caranguejos no exercício do seu ofício no manguezal. em diálogos com moradores envolvidos com o Projeto Educacional. Este artigo tem o intuito de discutir o fenômeno da repetência. tanto para os alunos. com isso. Os dados da pesquisa foram produzidos por roteiros de entrevistas semiestruturadas com professores/as e alunos/as. PALAVRAS-CHAVE: Educação Ambiental. culturais e ambientais da região. O objetivo deste trabalho é analisar as divergências e disputas que . fez-se necessário entender a forma como se deu esse processo. quanto para a professora sobre o que considerar como: conteúdo. levando em conta o fato de que os sujeitos da pesquisa passaram por essa experiência. c) o sentido de pertencimento da Comunidade Aprendente para com a Biorregião da Ilha das Caieiras. documentos e gravações em áudio e vídeo.

no diálogo com obras de Gramsci. Dessa forma. Direito à Educação. a pesquisa contribui com novas informações para o estudo das ações da maçonaria de uma maneira geral e também para o conhecimento da educação escolar da cidade.perpassam a educação infantil comunitária. Peixoto. Poder local. Partindo do conhecimento da atuação maçônica na atualidade. PALAVRAS-CHAVE: Cotidiano Educação. ainda. Maçonaria. na qual há pouco diálogo com as reivindicações dos movimentos. destacando em que medida os movimentos sociais influenciam as decisões políticas sobre os convênios no município. Como norte para a pesquisa. procurei demonstrar que a participação da maçonaria na educação escolar em Sorocaba é um fato histórico relevante. Foram analisadas. Khouri (2002) procurando levar em conta as várias dimensões do social. do econômico e do político. Palavras-chave: Movimentos sociais. Do ponto de vista metodológico. sobretudo. e definição de termos e conceitos operacionais. outras obras que tratam da história da educação escolar naquele período. Percebe-se a relação assimétrica estabelecida entre o poder público e os movimentos sociais. com vínculos e funções diferenciados. através de sua atuação na educação escolar neste município. que apresentam muitas limitações quanto à sua capacidade de intervir nos rumos da política de convênios na cidade. foram realizadas entrevistas com lideranças dos movimentos sociais e com sujeitos ligados à Secretaria de Educação do município. designou-se o conceito de história social estabelecido por Vieira. Busca-se um entendimento dos motivos que levaram aquela entidade a dedicarse à implantação de escolas e a apoiar políticas educacionais. Escolar. representada pela Loja Maçônica Perseverança III (PIII). as quais foram analisadas a partir da concepção de linguagem desenvolvida por Bakhtin. A pesquisa foi elaborada a partir da análise das atas da Loja Maçônica Perseverança III. . MAÇONARIA E EDUCAÇÃO ESCOLAR EM SOROCABA Vanderlei da Silva (UNISO) Maria Lúcia de Amorim Soares O objeto deste estudo é a ação política e social da maçonaria. A perspectiva teórica adotada baseia-se. na cidade de Sorocaba.

a comunicação apresenta os resultados de um dos questionários realizados com alunos desta modalidade de ensino enfocando o uso das redes sociais no processo educativo. como ocupando outros territórios da infância. . Benjamim) ressignificando sua própria infância. porém. da infância como um território de temporalidades múltiplas. Pasolini). queremos A PRESENÇA DAS REDES SOCIAIS NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA MODALIDADE A DISTÂNCIA Adriana Barroso de Azevedo (UMESP) Com o advento da educação a distância. ultrapassando dessa forma a ideia subjacente à expressão ‘divulgação científica’. o que nos tem permitido compreender as múltiplas redes educativas nas relações conhecimentos e significados tecidas por múltiplos praticantes destas redes.A ESTÉTICA DA INFÂNCIA NO CINEMA: TEMPO. Rancière. a discussão da estética. Saber trabalhar com as resistências tem feito da EAD. Ao fazerem ‘usos’ diversos e imprevisíveis dessa mídia. P. que se funde com o objeto e escova a sua própria história a contrapelo (W. já bastante avançada em outras áreas de conhecimento. tendo como pressupostos iniciais. que colocam os conhecimentos produzidos para circular. através da linguagem audiovisual. em cirandas infantis do MST (Movimento Sem Terra) e nas possibilidades de educação das crianças pequenas e profissionais docentes que atuam em creche e pré-escola (na rede Municipal de Campinas) de vivenciarem em tempos e espaços educativos. Este trabalho está relacionado àqueles que se desenvolvem nos estudos nos/dos/com os cotidianos. A proposta é abordar a temática em questão a partir da análise dos ‘usos’ de artigos escritos por professores/pesquisadores e publicados no Jornal Eletrônico Educação & Imagem. ressignificações e criação de outros conhecimentos nas redes. área de conhecimento onde a pesquisa se insere num movimento de diálogo e articulação entre a ciência e a arte. Pierre Lévy e Carlos Vogt.A Estética da Infância no Cinema: tempo. e a evolução da tecnologia. pedagógicos e de conteúdo e do indispensável diálogo que deve permear o processo de uso das mesmas no ato educativo. A metodologia utilizada para esta pesquisa baseia-se principalmente no levantamento bibliográfico. da aliança necessária entre elementos técnicos. enquanto partilha política do sensível (J. A metodologia e o modelo pedagógico utilizado pela Universidade Metodista de São Paulo em seus cursos a distância servirão como referência para as reflexões propostas AS REDES EDUCATIVAS E A ‘CIRCULAÇÃO CIENTÍFICA’ EM EDUCAÇÃO . tanto do ponto de vista da rememoração da adulta pesquisadora. a infância do cinema. MEMÓRIA E RESISTÊNCIA Adriana Alves da Silva(UNICAMP) O trabalho . com a finalidade de compartilhar o que vem sendo produzido em pesquisas e práticas curriculares desenvolvidas em torno da relação imagens e educação. memória e resistência. as redes sociais ganham especial atenção pela potencialidade que apresentam. Nestor Canclini. Tais resultados serão posteriormente tratados através da análise de conteúdo. utilizando como metodologia os “minutos Lumière” (Alain Bergala). Busco neste processo contribuir com a Pedagogia da Educação Infantil. planejar e executar o processo educativo. mas pouco se tem tratado academicamente do processo que envolve o uso e desenvolvimento das ferramentas. Nunes Caldas (UERJ) Este trabalho procura trazer para o campo da educação a discussão da divulgação científica. novos dispositivos eletrônicos que tendem a mobilidade e interatividade estão sendo utilizados como uma nova forma de pensar. através de oficinas de audiovisual. um novo desafio tanto para os docentes quanto para os alunos que se dispõem a estudar nessa modalidade e o uso das redes sociais no processo formativo dos estudantes da modalidade a distância é a preocupação central dessa comunicação. Assim. estamos possibilitando apropriações. Nesse sentido. é uma pesquisa de doutorado em andamento que tem como objeto problematizar a estética da infância no cinema.O CASO DO JORNAL ELETRÔNICO EDUCAÇÃO & IMAGEM Alessandra da Costa B. ao dialogar com os trabalhos de Certeau.P. Martin-Barbero.

A metodologia utilizada para pesquisa foi orientada pela perspectiva sócio-histórica a partir de Bakhtin. dialogismo e polifonia. Tomamos como base os princípios de responsibilidade. literatura. A ESCRITA E A APRENDIZAGEM NO MOODLE: METODOLOGIA. um grupo de professoras atuantes nas séries iniciais do Ensino Fundamental com as quais lemos o conto. . Juntam-se a nós na análise. A leitura propõe desvelar na trama dos fios literários da narrativa. com o objetivo geral de estabelecer um diálogo entre o conto e as práticas escolares do Brasil atual. RJ. Palavras-chaves: Conto de escola.indicar que o desenvolvimento de pesquisas com os cotidianos exige contatos constantes de diversas ordens entre universidades e escolas para a compreensão dos múltiplos currículos existentes nas práticas das tantas escolas dos diversos sistemas educativo CONTO DE ESCOLA . Conto de escola narra o cotidiano de uma sala de aula de primeiras letras do século XIX brasileiro. Conhecer como os professores significam pode ser importante para refletirmos sobre processo de formação inicial e continuada de docentes. Foram formados dois grupos de trabalho com docentes da segunda etapa do Ensino Fundamental de uma escola pública em Niterói.UMA DISSERTAÇÃO Alessandra Maria Moreira Gimenes (FEUSP) O presente trabalho apresenta os resultados de Dissertação de mestrado desenvolvida no Departamento de Educação da Universidade Estadual Paulista no Campus de Rio Claro. movendo-se ora monologizando. a pesquisa visou compreender como a escrita desenvolvida em um ambiente virtual de aprendizagem (AVA). História. PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO EM ENUNCIADOS DE DOCENTES Ana Paula Carvalho Nogueira (FFP/UERJ) Este artigo objetiva apresentar contribuições uma pesquisa de Mestrado cujo objetivo investigar o processo de produção conhecimentos nos enunciados de grupos de foi de de professores. com base em Freitas e em Amorim. Literatura e Educação. as inquietações de uma época e as aspirações de uma sociedade – a brasileira do século XIX entretecidas pelo discurso do saber. No processo metodológico. narrador / personagem. predominantemente. publicado na coletânea Várias Histórias em 1896. vive o dilema de decidir-se pelas paredes fechadas da enfadonha escola ou pela liberdade dos morros. Os enunciados dos professores e seus relatos de experiência constituíram o corpus da pesquisa. por meio de movimentos de manipulação. Ambientado em 1840. produção de discursivos. Buscamos em Bakhtin balizadores para a análise dos movimentos discursivos. em disciplinas presenciais do curso de Pedagogia e Licenciatura da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Palavras-chave: Processos de conhecimento. ensurdecimento. Fundamentada na abordagem histórico-cultural. contribui para a aprendizagem dos alunos. Encontramo-nos semanalmente durante seis meses para discutir atividades para os alunos. Desta forma o método da leitura norteou a pesquisa. elucidado por Goulart. propostos por Bakhtin. Movimentos Formação de professores. de onde Pilar. relaciona História. relata-se a seleção dos sujeitos através de um estudo piloto. considerado o pai da prosa e da literatura brasileira. Portadoras da experiência de sua prática fazem a ponte entre o conto e as práticas da escola atual. propondo uma leitura da obra Conto de escola de Machado de Assis. o Moodle. A relação estabelecida está embasada nas teorias propostas pela escola dos Analles. Optar pela perspectiva sócio-histórica e por formar grupos de discussão na escola foi de suma importância para os desdobramentos da pesquisa. e o entendimento de enunciação como argumentação. educação. Os resultados revelaram que o processo de produção de conhecimento se dá. objeção e ampliação das palavras alheias e de fixação de sentido. leitura. ANÁLISE E PRINCIPAIS ACHADOS DE UMA PESQUISA NA ABORDAGEM HISTÓRICO-CULTURAL Ana Paula Pontes de Castro (UFJF) O trabalho refere-se à síntese de uma investigação realizada no âmbito de um Mestrado em Educação. ora dialogizando o discurso.

Imaginário. descreve-se o trabalho de campo que acompanhou duas disciplinas dos cursos de Pedagogia e Licenciatura. os seres fantásticos que ao longo das épocas. Palavras-Chave: Educação . Nesse trabalho abordaremos os resultados referentes à primeira fase do estudo. Como referencial teórico temos o comportamentalismo representado pelo teórico B. Piaget e L. LIMITES E NOVOS DESDOBRAMENTOS Antonio Alberto Trindade (UMESP) Nesse texto pretende-se apresentar alguns resultados e desdobramentos da pesquisa que gerou a tese “EAD Digital: em busca de uma compreensão teórica da área” . as artes visuais e o teatro têm expressado medos. prática pedagógica.Arte . da Arte como possibilidade de expressão e de como essa prática pode proporcionar conhecimento de si e do Outro. a situação de enunciação escrita dos alunos pesquisados no Moodle. suas contribuições para a aprendizagem e para a construção de conceitos científicos. utilizando como instrumentos metodológicos observações e entrevistas dialógicas individuais e coletivas. S. A pesquisa tinha por objetivo investigar as bases teóricas das práticas em EAD Digital . respectivamente. Apresenta-se brevemente três Núcleos de Significação que discutem. A experiência no ensino-aprendizagem de Arte com crianças de ensino fundamental em salas de aula de escolas particulares e cursos livres de teatro gerou a reflexão sobre a importância de se criar um espaço para a Sensibilidade. Palavras-chave: computador. F. o papel da escrita como instrumento mediador das relações dialógicas entre alunos no Moodle e suas contribuições para a construção de uma compreensão ativa. Vigotski. defendida no Instituto de Artes da UNICAMP em agosto de 2007. não há explicação consistente por parte dos docentes de como estas teorias subsidiam sua prática. A pesquisa assume a abordagem qualitativa com delineamento descritivoexplicativo e possui duas fases: a) Aplicação de questionário. A reflexão para esse artigo surge das pesquisas teóricas norteadas pela mitohermenêutica com a proposta de aprofundar e estudar o Imaginário sob aspetos mitopoiéticos de criação. Joseph Campbell e Jung. aprendizagem. TEORIAS DA EAD: CONTRIBUIÇÕES. Mircea Eliade. em diferentes culturas e linguagens como a literatura. ensino e BESTIÁRIO: UMA PROPOSTA DE ENSINO DE ARTE E O PENSAMENTO MITOHERMÊNEUTICO Andrea Cavinato (USP) O texto mescla relato de experiência e reflexão em dois eixos: uma proposta de Ensino de Arte que valoriza o Imaginário e a pesquisa teórica sobre sua intrincada rede de relações no âmbito da Antropologia da Educação e na Filosofia da Imagem.Em seguida. anseios e desejos humanos são referências de imagens que são pensadas a partir dos estudos de Gilbert Durand. PRÁTICAS DOCENTES NO USO DO COMPUTADOR NO PROCESSO EDUCATIVO: ABORDAGENS DE ENSINO E APRENDIZAGEM Analígia Miranda da Silva (UNESP) Cláudia Maria de Lima A presente pesquisa tem por objetivo geral identificar e analisar os pressupostos teóricometodológicos que norteiam a prática de professores dos anos iniciais no uso do computador no processo de ensino e aprendizagem. Ernest Cassirer. b) acompanhamento da prática cotidiana dos professores de uma escola selecionada e entrevista. Indica-se como se constituiu o processo de análise a partir de núcleos de significação. Skinner e o paradigma construtivista focando especialmente a análise dos trabalhos de J. o processo de construção da escrita nesse ambiente. A análise dos dados indica que apesar de ser forte a ocorrência de professores participantes que se colocam como construtivistas e sócio-interacionistas. para uma Educação do Imaginário e para uma proposta em Arte que procura investigar os processos simbólicos de elaboração interna e de contextualizar essa proposta na História do Ensino de Arte na Contemporaneidade. Os seres imaginários criados e recriados pelas crianças.

interessado em analisar como os jovens vivenciam a exibição dos filmes. imaginações e artes de viver. focando autores como Vygotsky e Luria. das quais 700 foram selecionadas. A TV QUE SE FAZ E A TV QUE SE VÊ: RECEPÇÃO DA TV UNIVERSITÁRIA NO AMBIENTE UNIVERSITÁRIO Antônio Eugênio Cunha (Estácio de Sá) A TV universitária do Rio de Janeiro (UTV) busca diferenciar-se de outros canais educativos e dos canais comerciais. a exposição e a recepção. procuramos. verificar que proporção de alunos conhecia a UTV. Os resultados mostraram uma TV que desconhece o seu público e que o público consultado pouco conhece. então. foram consultadas cerca de 8. Utilizouse como pressupostos-metodológicos o paradigma indiciário. entre a exibição e a apropriação. APROPRIAÇÃO DO DESENHO À ESCRITA Camila Torricelli de Campos (UFSCAR) Claudia Raimundo Reyes A presente pesquisa buscou compreender como ocorre o processo de apropriação da escrita. ou seja. Percebemos que os sentidos atribuídos pela audiência foram bem diferentes dos objetivos da produção dos programas e que a linguagem. Palavras-chave: Mediações. que apontam para a figuração dos olhares juvenis como criativos também das pedagogias das imagens. Não existem estudos sobre a sua recepção e a sua programação é definida pelas associadas obedecendo a outros critérios. estudos e experiências pessoais. trata-se. Não há controle fílmico. TV universitária. durante o período de 3 anos. composta por alunos universitários. Chaïm Perelman e outros autores que tratam da recepção midiática. a análise dos conteúdos e debates da Lista possibilitou entender o nível de esclarecimento dos participantes a cerca da prática em EAD. concebendo programas orientados pelo conhecimento produzido nas universidades. Para conhecer os problemas e questões cotidianos da área.(educação a distância realizada a partir do uso das tecnologias digitais). o formato e o conteúdo contribuíram grandemente para as avaliações. articulando-os com as propostas de emissão. mas correspondências imagéticas. Pesquisa teoricamente fundamentada nos estudos sobre cotidiano escolar e nos estudos culturais. Ação para ouvir os jovens e observar suas impressões. investigar quais sentidos e significados seriam atribuídos pela recepção da UTV a programas selecionados. O estudo foi de cunho longitudinal sendo utilizadas produções escritas de duas crianças. O referencial teórico foi pautado sob a perspectiva histórico-cultural. enquanto representação simbólica. no Estado do Rio de Janeiro. Néstor Garcia Canclini. A investigação sobre os fundamentos teóricos da EAD Digital se deu a partir de dois processos: buscou-se conhecer e analisar os problemas e questões enfrentados por quem atuava na área e os materiais teóricos sobre EAD e EAD Digital que estavam sendo utilizados por estas pessoas. também. geraram um material coletivo que permitiu também a formação de uma ideia sobre o nível da produção teórica da área. de realizar também suas imagens através do que foi visto. para os jovens. Procuramos. Metodologicamente a conduta é a de encontros e conversas com alunos de uma escola pública da Baixada Fluminense. CENAS JUVENIS: O FILME ENTREATOS CURRICULARES – IMAGENS E AÇÃO! Aristóteles de Paula Berino (UFRRJ) Este trabalho é uma investigação no campo da audiência juvenil do cinema. já armazenadas em um banco de dados. o qual permite análises do tipo qualitativa. em crianças na faixa etária dos 4 aos 7 anos de idade. O ato de assistir um filme será aqui explorado diante das trocas entre as projeções e as interpretações. observando o caráter identitário da experiência. Com base nos estudos de Martin-Barbero. por meio de uma audiência induzida. tessituras entre a produção. estes.500 mensagens trocadas numa Lista de Discussão dedicada à EAD (Ead-L da UNICAMP). Apontou-se como objetivo geral descrever e analisar as características das fases que perpassam o grafismo na criança desde sua . Longe de se caracterizar como uma prática dominada pelas imagens apresentadas. ao trazerem para a Lista suas reflexões. Recepção.

PERFIL COMUNICATIVO DE USUÁRIOS DE SISTEMAS DE COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA/AMPLIADA: ACHADOS PRELIMINARES Cândice Lima Moreschi (UFSCAR) Maria Amelia Almeida Este estudo propõe traçar o perfil comunicativo de uma criança não verbal. criança não-verbal. podemos junto com as crianças capturar fotos e filmagens. INFÂNCIAS. sendo postas a situações em que puderam vivenciar e mostrar de “alguma maneira” – desenhando ou escrevendo . E nos revelou que a formação do cidadão crítico. REFLEXÃO SOBRE A FORMAÇÃO DO PUBLICITÁRIO À LUZ DA TEORIA CRÍTICA DA SOCIEDADE: SUBSÍDIOS PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS PEDAGÓGICOS NA ÁREA. Além disso. ela passará a ser a principal forma de representação em suas produções. usuária de Sistemas de Comunicação Alternativa. Adorno e seu referencial teórico é fundamentado na Teoria Crítica da Sociedade. A coleta de dados foi constituída: 1.pré-história até a escrita formal. incluso o publicitário. principalmente àqueles que apresentam déficits na comunicação oral. à medida que vão se apropriando dessa nova linguagem. Christine Barbosa Betty (UNIMEP) Bruno Pucci Este trabalho traça uma reflexão sobre a formação do profissional de comunicação social publicidade e propaganda. Pode-se constatar na investigação que ao longo de todo o percurso da apropriação da linguagem escrita. As reflexões se ancoram em autores como Giorgio Agamben. a comunicação torna-se prejudicada. a partir destes trabalho.obtenção de dados da história comunicativa da usuária por meio de entrevista semi-estruturada com a mãe da participante. a autonomia da escrita nas crianças se deu quando aquilo que as crianças pretendiam “dizer” já não podia mais ser dito através de apenas seus desenhos e. a escrita. usuária de recursos de Comunicação Alternativa há mais de uma ano. A escola regular muitas vezes não é capaz de atender plenamente a demanda de alunos com necessidades educacionais especiais. Tem como objetivo discutir os modos de produção de subjetividade.a utilidade e a função da linguagem. o vocabulário da criança se mostrou restrito e figuras representativas de alguns verbos ainda não compunham tal vocabulário. mas quando necessita comunicar fatos ocorridos em outro momento que não àquele em que se encontra. perseguindo uma perspectiva que temos chamado de ‘pesquisa como experiência’ onde. OLHARES E MONTAGENS: EXPERIÊNCIAS E PESQUISAS COM CRIANÇAS E EDUCAÇÃO César Donizetti Pereira Leite (UNESP) Sarita Eterna Lopes Casarin O presente estudo parte de reflexões sobre os espaços constitutivos nas relações entre infância. segundo Adorno. Para realização do estudo de natureza teórica foi empregado como método a Dialética Negativa de Theodor W. Os resultados revelam que a participante não apresenta dificuldades na comunicação sobre desejos e sentimentos básicos. A pesquisa teve como objetivo geral deslindar no que consiste a formação do publicitário crítico na sociedade em que vivemos. do gênero feminino. caracterizada por uma tensão entre duas .avaliação das habilidades de discriminação e compreensão de figuras do PCS (Picture Communication Symbols) representativas de pessoas. a partir dos modos de produção de sentido pela imagem e pela montagem de enredos e narrativas apresentados nas produções imagéticas oriundas dos exercícios de olhar das crianças através de suas filmagens e fotografias. imagem e produção de subjetividade. Participou da pesquisa uma criança de 6 anos e 6 meses. Michel Foucault. A metodologia procura encontrar espaços de produções de imagens e sentidos por crianças. De tal modo. objetos e ações. Palavras-chave: sistemas de comunicação alternativa. Gilles Deleuze entre outros. 2. aplicação de checklists e escalas de avaliação. que a relação entre desenho e escrita esteve atrelada a necessidade das crianças se expressarem. parceiros de comunicação. na sociedade contemporânea é. não verbal.

incluindo os relatos daqueles que permitem a produção do sentido. não prescritos em padrões normativos. Neste sentido. TECNOLOGIAS DE COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO: A INVENÇÃO DOS COTIDIANOS MENORES. Palavras-chave: formação do publicitário. o que nos permite pensar uma educação baseada em redes de colaboração. teoria crítica da sociedade. de caráter qualitativo. por meio de movimentos. que utilizo nesta pesquisa. formas de negociar saberes. nos quais o consumidor de mídia é ativo e interage na relação com meios de comunicação a partir de diferentes fontes de mediações culturais. . onde posso me inserir como sujeito e pesquisador. simultaneamente. Deleuze e Bhabha. na atualidade. Compreender como professores avaliam a qualidade da programação televisiva. praticados no curso de graduação em Comunicação Social da Faesa. impossíveis de ser capturados pelos olhares “maiores” da ciência. Tecnologias. cujo objetivo foi investigar o que acham que aprendem com ela. respeito e justiça social. aqui são estudados a partir do método com os cotidianos. orienta-se que a formação do publicitário crítico seja pensada em direção ao equilíbrio de suas tensões. propaganda. A televisão é um meio de comunicação popular que se constituiu ao longo dos anos como um importante instrumento de homogeneização de hábitos. Assim construo com esses sujeitos o segundo conceito aqui problematizado. Os referenciais teóricos deste trabalho são os estudos de recepção latino-americanos. não se deixando localizar. comportamentos e valores. de Oliveira Conceição (PUC/RIO) Este trabalho expõe reflexões de pesquisa sobre a relação de professores com a televisão.dimensões: autonomia e adaptação. constituídas pela tensão: informação e persuasão. a partir da opinião deles. O que diz respeito aos “cotidianos menores” problematiza as táticas e invenções produzidas em movimentos “menores”. para além das prescrições bibliográficas. principalmente os modos de uso da televisão. Os sujeitos criam a partir do jogo das diferenças. o que pensa a educação formada pelas “Redes hipercurriculares”. Palavras-Chave: Cotidianos. Redes. Foucault. que surgem como meios para negociar sentidos em cursos que normalmente produzem “grades”. entre outros autores. Os movimentos de invenção das tecnologias. pude observar que suas “everyday life practices” não se restringem aos muros institucionais. Após pesquisar com os sujeitos e suas tecnologias. A pesquisa. da escola e até mesmo da mídia de massa. mas como espaçotempo. PRODUZIDOS TATICAMENTE EM REDES HIPERCURRICULARES. Cláudio Renato Zapalá Rabelo(UFES) Dois conceitos são entrecruzados no texto produzido durante o processo de pesquisa. e refletir sobre a formação cultural do professor são os objetivos deste texto. poderes e fazeres. Como intercessores teóricos. utilizei Certeau. não institucionalizados. a publicidade e a propaganda são. A partir de entrevistas individuais e de questionários analisamos o consumo cultural dos entrevistados e suas práticas cotidianas. não como objeto. vivenciados em redes de saberesfazeres cotidianos. Mostrou ainda que. PROFESSORES E TELEVISÃO: APRENDIZAGENS E CONSUMO CULTURAL Cíntia N. foi realizada com professores do ensino fundamental e médio da rede pública do Rio de Janeiro que participaram de cursos de capacitação em mídiaeducação. Entre os autores destacamos Jesús Martin-Barbero e Guilhermo Orozco Gómez.

a pesquisa analisa conceitos e práticas de professores da rede pública de ensino do Estado de São Paulo. letramento literário. a fim de que possamos criar situações propícias para o aprendizado. esta viagem pode despertar para novos processos de aprendizagem. a condição humana e sua complexidade. o quanto as crianças sentem-se capazes e ativas em seu processo de apropriação da leitura literária. Recorreu-se a uma obra da literatura portuguesa. possibilitando reconhecer problemas nas histórias narradas e também captar lições para a vida e trabalho. reparar. buscamos o diálogo com os norteamericanos. ao 5º. pressupõe desenvolvimento da consciência. podemos afirmar que para os professores. Considerando parte dos resultados eleitos para serem divulgados nesta comunicação. analisamos resultados de pesquisa de campo – de abordagem etnográfica – à luz da teoria estudada. literatura infantil. Fisher. tacitamente. que versa sobre o letramento literário. devir. propõe também a organização das pessoas para que não vivam dispersas. Em sua frente realizada no Brasil. circunscritos na região do oeste paulista. Trata-se de parte da análise dos dados da 3ª fase da pesquisa ´A Literatura na escola: espaços e contextos . a organização supõe solidariedade e ética na convivência. Harvey & Goudvis (2007). ouvir e escutar. corroborando com essa proposta. entendendo que as situações e contextos retratados na obra estimulam a reflexão sobre os processos de conhecimento. este novo processo de aprendizagem implica em olhar. ver.a realidade brasileira e portuguesa’. que nos apresentam princípios e pressupostos teórico-metodológicos para esse trabalho pautado no ensino das estratégias de leitura. Para tanto. A referência teórica que norteia este estudo é o pensamento complexo. a necessidade da compreensão intersubjetiva e atenção e reflexão sobre a importância do feminino. ano) em face da criação da necessidade de ler literatura infantil. na medida em que ela permite estabelecer uma leitura da dinâmica das instituições de ensino e do processo de conhecimento. a fim de que. como Hampton & Resnick (2008). com professores e alunos de duas escolas. LEITURA E LITERATURA INFANTIL: MODOS DE LER E ESTRATÉGIAS PARA LER Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto(UNESP) Renata Junqueira de Souza Vanessa Bataus Esta comunicação promove duas ações reflexivas que se pretendem complementares: a primeira é discutirmos em que medida podemos viabilizar a formação de leitores no primeiro ciclo de ensino . um maior número de crianças possa ter acesso ao texto literário. comprovamos. Frey & Lapp (2009). propõe a dialógica entre alteridade e individualidade. no tateio dessa abordagem do ensino das estratégias de leitura. em Garça-SP e outra CRIANÇAS. desenvolvimento e formação da competência leitora. uma brasileira. cujas ações estão direcionadas a contribuir para o reordenamento das políticas públicas de leitura. lutando por seu processo de humanização no/do letramento literário. buscaram uma implementação contextualizada e adequada ao aprendizado da leitura da literatura infantil à realidade de seus alunos. cada vez mais.UMA LEITURA DE ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA DE JOSÉ SARAMAGO Cleide Rita Silvério de Almeida (UNINOVE) Esta comunicação parte da premissa de que discutir a realidade educacional a partir de obras literárias ou cinematográficas pode nos abrir para problemas relevantes e permite estabelecer um diálogo fecundo. tendo em vista as situações vivenciadas nos livros e filmes. movimento e por isso pode ser ultrapassada. Em outra frente. A VELHA CARTA POSTAL: A APROPRIAÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA POR ALUNOS BRASILEIROS E PORTUGUESES Dagoberto Buim Arena (UNESP) O trabalho relata pesquisa realizada nos anos de 2008/2009. fundamental (1º. As idéias suscitadas por esta leitura podem ser sintetizadas em nove pontos: a cegueira é viagem. Palavras-chave: formação de leitores.

do estilo e das palavras na composição dos enunciados. como Piaget (1975. e quatro de alunos. A apropriação da língua como um ato discursivo em realização no seio das relações humanas faz da velha correspondência pessoal um instrumento poderoso de evolução no domínio da língua escrita. Cinco núcleos temáticos. e de mídia e consumo. em seguida. O trabalho elegeu um corpus composto por sete cartas – quatro de professores com alunos. Portugal. pois elas interpretam e assimilam os conteúdos de forma contextualizada. porém não de forma passiva. os fazeres infantis. 2002. os traços culturais do gênero epistolar. as competências em TIC para professores e os níveis de apropriação tecnológica. A coleta de dados deu-se por meio de entrevistas semi-estruturadas. O universo pesquisado é de 64 alunos. os elementos composicionais do gênero. está presente na maioria das cartas. utilizando tanto dados quantitativos quanto qualitativos. A fundamentação teórica baseou-se em autores da psicologia e da educação. 2005) e Delval (1998. Os resultados mostram que as mensagens transmitidas pelas propagandas são capazes de estimular as crianças a seguirem padrões de consumo e comportamento impostos pela sociedade. ainda que a escola e os pais tenham papel fundamental no desenvolvimento do pensamento crítico dos sujeitos participantes desta pesquisa. de Azaruja. analisar o uso da escrita como instrumento de apropriação da língua escrita em processo de relações sociais e culturais efetivas. pois. utilizar a carta postal como meio de inserção dos escolares em áreas internacionais. ficou pouco evidente a contribuição deles quanto à educação para a mídia. Assim.portuguesa. 2. como estão também. que teve como objetivos: 1. coletivas ou individuais. destacaram-se no processo de análise: a tensão para exercer a autoria. no contexto da aprendizagem escolar. entre a primeira e a quarta séries do Ensino Fundamental do interior do estado de São Paulo. A metodologia será interpretativa. atribuindo-lhes suas próprias significações. ESTUDO COMPARATIVO DA TRAJETÓRIA DE PROFESSORES ESTADUAIS NA INTEGRAÇÃO DAS TIC AO CURRÍCULO Edna dos Reis (PUC/SP) Fernando José de Almeida O presente estudo tem como objetivo analisar a integração das TIC no processo ensino e aprendizagem no currículo de escolas estaduais. foram entrevistadas crianças de escolas pública e particular. apoiados em estudos bakhtinianos. As conclusões indicaram o outro bem definido orienta o aluno. 2008). o conceito de currículo. Para identificar as tendências e padrões exibidos neste veículo de comunicação. apresentará e discutirá resultados da pesquisa. em trabalho de cooperação. CRIANÇAS E CONSUMO: UM ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DAS PROPAGANDAS TELEVISIVAS NO PENSAMENTO DE ESCOLARES Deborah Thais Lapini (CUML) Carmen Campoy Scriptori Estudo realizado na Linha de Pesquisa Constituição do Sujeito no Contexto Escolar que objetivou investigar a influência da TV e suas propagandas. e os fazeres e saberes escolares. sendo que metade estuda em escola particular e metade em escola pública. A tensão entre assumir a autoria e renunciar a ela. primeiramente. como parte da formação do sujeito consumidor infantil. ainda inseguros. como Fischer (2007) Kellner(2001) e Linn (2006). . por fim. os traços de diversidade cultural de linguagem e de costumes. A coleta de dados envolve professores do quadro de pessoal do estado que trabalham em escola do centro urbano e do interior por meio da aplicação de um questionário contendo perguntas abertas e fechadas. no processo inicial de apropriação da escrita para a escolha dos temas. O estudo mostrou que. por meio de suas falas. em trabalho individual. a integração das TIC. será apresentado o método da pesquisa. Trata-se de uma pesquisa descritiva quanti-qualitativa. o artigo abordará. 1998.

a evasão permanece. GESTÃO DA ESCOLA. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E TECNOLOGIAS DIGITAIS: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENFRENTAMENTO DA EVASÃO DE ALUNOS Emilia Maria Freitas M Paro (Estácio De Sá) Lucia Regina Goulart Vilarinho Neste artigo aborda-se a problemática da evasão de alunos que. motivos relacionados ao uso das tecnologias. até meados do primeiro ano do ensino fundamental para compreender. A partir daí. Contribuíram ainda. Bourdieu. sinalizando o que poderia ser feito. e motivos pessoais. Palavras-chave: Educação a distância. autores cujos estudos propiciam elementos para a análise da leitura literária em contextos socioculturais de poucos livros e de raras leituras. De modo geral. e o que se deve evitar no ambiente escolar. financiada pelo CNPq. a pesquisa revela algumas peculiaridades do processo de formação do leitor literário. a leitura efetiva-se na interação por meio da qual se constroem sentidos. As observações foram realizadas em três turmas de 3º ano do 1º Ciclo . tecnologias digitais. Hunt. para que a formação literária de crianças de primeiro ciclo seja favorecida. Cademartori.em uma escola pública municipal da região metropolitana de Belo Horizonte. foi conduzida uma análise de diversos artigos que tratam da evasão na EAD com o objetivo de categorizar seus motivos. O trabalho de investigação correspondeu a um estudo . motivos pedagógicos.A LEITURA DE LIVROS LITERÁRIOS NA ESCOLA: UM ESTUDO REALIZADO EM TURMAS DO TERCEIRO ANO DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Eliana Guimarães Almeida (UFMG) Maria Zélia Versiani Machado Este trabalho é parte de uma pesquisa de mestrado. O objetivo foi o de investigar o caminho que as crianças percorrem com a leitura desde seu último ano na educação infantil. de modo significativo. por isso a importância de se situar este trabalho no campo mais amplo da linguagem. afeta a Educação a Distância (EAD). tais como Lahire. que potencializam a chamada ‘educação online’. entre outros. de forma mais aprofundada. De modo mais específico. abordado os motivos da evasão de forma dispersa. Apesar desta modalidade educacional apresentar novas dimensões a partir da incorporação das tecnologias digitais às suas práticas pedagógicas. entre outros. momento em que se inicia de forma sistematizada o ensino da leitura na escola.antiga segunda série . como Paulino. Petit. O referencial teórico da pesquisa consta de diversos autores que vêm se ocupando da leitura literária. de um modo geral. A literatura pedagógica. a pesquisa buscou perceber as práticas mais recorrentes de trabalho com o livro literário em sala de aula de modo a destacar tendências de tratamento dado ao livro de literatura nas práticas observadas. Lajolo. para o qual se destacam as contribuições de Bakhtin. práticas pedagógicas. buscou-se situar práticas pedagógicas que podem favorecer o engajamento de alunos na EAD que se vale de comunidades virtuais de aprendizagem. há bastante tempo. Trata-se de uma pesquisa qualitativa cuja metodologia foi a observação participante e a entrevista. Desta análise originou-se uma síntese que condensou os motivos em quatro categorias: motivos administrativos. Para esses autores. proporcionadas pela mediação do professor. o papel que a escola exerce na apropriação dessa atividade pelos sujeitos aprendizes. buscando perceber as interações entre a criança e o livro de literatura. Diante desta lacuna. QUALIDADE DO ENSINO E AVALIAÇÃO EXTERNA: DESAFIOS NA E DA ESCOLA Fabiana Rodrigues Cruvinel (UNESP) A pesquisa apresentada neste trabalho teve como objeto de estudo as relações entre o processo de escolarização e o processo de apropriação da leitura sob a perspectiva das crianças em início da vida escolar. que teve como objetivo a análise de práticas de letramento literário em turmas de alfabetização localizadas em um contexto socioeconomicamente desfavorecido. sem a preocupação de discutir propostas que possam minimizá-los. Zilberman. Soares.

fundamentado numa abordagem qualitativa. O referencial teórico toma o “pensamento complexo” de Morin (2007) como base de sustentação para a discussão dos eixos: a) educação online como fenômeno da cibercultura (SANTOS. O estudo procurou apurar possibilidades e dificuldades no trato com o conteúdo matemático específico e com interfaces computacionais utilizadas. Outro objetivo foi o de investigar os elementos considerados pelos professores ao elaborarem. de sujeitos e de interações que subjazem ao processo de ensino aprendizagem e. envolvendo o software Winplot. promovidas pelo grupo TecMEM da PUC/SP. análise documental e grupo focal. estratégias pedagógicas com o uso de TICs para aulas envolvendo funções polinomiais.longitudinal. uma proposta de trabalho com a leitura que seja pensada de forma intencional. Neste texto. Os resultados permitem apontar alguns caminhos acerca do desafio de ensinar a ler na escola neste início de século. A pesquisa de campo foi realizada em uma escola municipal de educação infantil e ensino fundamental (séries iniciais) no município de Marília-SP. organizada e sistemática a partir da mediação qualificada do professor alfabetizador para que se possam operar mudanças no ensino da leitura na escola. bem como possibilidades atinentes à experimentação e à dinâmica na prática dos mesmos. O TRABALHO COM A LEITURA NAS CLASSES DE ALFABETIZAÇÃO: REFLEXÕES SOBRE OS FUNDAMENTOS METODOLÓGICOS DO PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES (PROFA) Fernanda Zanetti Becalli (UFES) Este trabalho tem por objetivo apresentar reflexões advindas de uma pesquisa que se prendeu a analisar os pressupostos teóricos e metodológicos que balizaram o modelo de ensino da leitura do Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (PROFA). fez-se uso de sessões de observação e entrevistas semiestruturadas. à generalização algébrica e à manutenção de práticas expositivas por parte dos professores. em grupos. Metodologicamente o estudo se configura como uma análise documental. Leitura. Como instrumento para geração de dados. DIFICULDADES E POSSIBILIDADES DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Gerson Pastre de Oliveira(PUC/SP) Este trabalho refere-se à pesquisa realizada nas Oficinas Didáticas de Educação Matemática e Tecnologias. b) interatividade . Ensino da leitura. fazendo-se uso da estratégia metodológica do estudo de caso etnográfico. também. que foram objeto de estudo e discussão por parte de professores de Matemática que lecionam no primeiro ano do Ensino Médio em escolas públicas do Estado de São Paulo. envolvendo pesquisadores de onze Programas de Pós-Graduação brasileiros e um de Portugal. que serviu de base para uma pesquisa interinstitucional realizada no ambiente virtual de aprendizagem Moodle. A análise permitiu identificar dificuldades ligadas à interpretação de enunciados. MEDIAÇÃO DOCENTE E DESENHO DIDÁTICO NA EDUCAÇÃO ONLINE: PERSPECTIVAS DE COMPLEXIDADE E DE INTERATIVIDADE Helena Rodrigues de Sá (UNESA) Marco Silva O objetivo desse estudo é investigar como ocorreu a construção do desenho didático e da docência no curso online “Formação de professores para docência online”. analisaremos a proposta de organização metodológica do trabalho com a leitura nas classes de alfabetização. O tema da oficina aqui descrita considera as funções polinomiais de primeiro e segundo graus. pautada pela perspectiva dialógica. e. Os documentos analisados permitiram observar a necessidade de um redimensionamento das concepções de língua. Palavras-chave: Alfabetização. 2005). teoricamente se embasa no referencial bakhtiniano de linguagem e na Psicologia Histórico-Cultural.

e) promover inclusão digital e cibercultural do discente. A investigação adotou a perspectiva qualitativa. c) desenvolver atividades e conteúdos em diferentes linguagens. através de depoimentos sobre as experiências de leitura. Tem como argumento central o uso da rádio na internet e toma como ponto de partida e chegada a voz dos sujeitos (professor e aluno). vinculada ao grupo de pesquisa ALLE – Alfabetização. Os principais autores que compuseram o quadro teórico foram: Castro. b) garantir interatividade nas interfaces de comunicação e de conteúdos do ambiente virtual de aprendizagem. que o livro pode significar algo mais do que um simples objeto. f) adequar as atividades que demandam recursos técnicos avançados ao aparato digital acessível aos cursistas. Outra que procura aprofundar elementos. concluímos que os usos da Internet em telecentros não promovem a inclusão digital. desenvolvida na FEUNICAMP. d) equilibrar número de atividades propostas e o tempo estipulado para a realização das mesmas. sendo esta capaz de reverter a exclusão social. como pretendido no discurso governamental. Conclui que a implementação de tais cuidados favorece a expressão da qualidade na articulação do desenho didático com a mediação docente em cursos via internet. no município de Niterói se constituiriam em ações de inclusão digital. por . uma vez que esta nos permite desvendar os implícitos nos discursos e ao final. é possível perceber. PARTICIPAÇÃO E VOZ NA INTERNET O ESTUDO DE CASO SOBRE A RÁDIO JACARÉ FM Jayson Magno da Silva(PUC/SP) Este artigo objetiva refletir sobre a integração das tecnologias digitais da informação e comunicação ao currículo. Seus resultados indicaram que mediação docente e desenho didático em cursos online supõem recursividade e agenda de engajamentos específicos: a) clarificar e objetivar as proposições de atividades dirigidas aos cursistas via internet. 2009). UM LIVRO PERMEADO DE AÇÕES. Ambas objetivam compreender o vínculo que se estabelece entre o leitor e a leitura tendo a materialidade do livro como objeto propulsor dessa relação. os quais não foram ou não se mostraram possíveis de maiores investigações no executar do trabalho. bem como na formação de docentes para mediação da aprendizagem em educação online. por jovens de baixa renda. Ao destacar as distintas maneiras de uso e cuidado que acompanham o ato de se conservar o impresso. JOVENS POBRES EM TELECENTROS: UMA SAÍDA PARA A INCLUSÃO SOCIAL? Helga Nazario(Estácio de Sá) Estrella Bohadana Este trabalho apresenta parte de uma investigação já concluída acerca das relações entre Tecnologias da Informação e Comunicação e jovens de baixa renda. 2010). no sentido de proporcionar a inclusão social de seus usuários. uma que visa apresentar os principais resultados obtidos a partir dos indícios dispostos na pesquisa de Mestrado. Freire e Perelman. de forma a favorecer sua participação na construção do currículo e. mediatizada pelo uso de tecnologias. INTEGRAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO AO CURRÍCULO: AUTORIA. O livro ganha evidência ao trazer. SILVA. A questão central é desvendar se os usos da Internet em telecentros. COMO O GUARDAR AO RELEMBRAR Ilsa do Carmo Vieira Goulart (Unicamp) Este artigo desenvolve-se a partir de duas propostas. o estudo de caso e a análise documental.como paradigma comunicacional da mediação da aprendizagem em cursos online (SILVA. A pesquisa ocorreu em cinco telecentros. Leitura e Escrita – e intitulada O livro: objeto de estudo e de memória de leitura. e c) desenho didático como dinâmica hipertextual nas interfaces (SANTOS. marcas reveladoras de uma ação ledora significativa pelo leitor. Para analisar os dados optamos pela Teoria de Análise Argumentativa. em sua materialidade. com entrevistas a monitores e aplicação de questionários aos usuários.

do ponto de vista cientifico.conseguinte. mas seu foco primeiro e principal. Duarte Junior. A pesquisa se utilizou dos escritos frankfurtianos. complexidade. Queiroz (UNINOVE) Qual a relevância da linguagem corporal na pratica educacional? É a pergunta norteadora deste texto. histórica e processual das relações homem e tecnologia nos dias de hoje. McLuhan. realizada por uma professora de educação infantil e sua turma de alunos e alunas da rede pública municipal da cidade de São Paulo. a interatividade cada vez mais será exigida e desejada. Domingues. cuja análise se fundamenta nas idéias de Michael Apple. para que corresponda às características biofísicas do ser humano. corporeidade. de McLhuan e Garcia dos Santos. A tese central desafiadora. o empoderamento e a aprendizagem. POSIÇÕES DE HUGO ASSMANN. Interfaces REENCANTAR A EDUCAÇÃO PELA LINGUAGEM CORPORAL. identificar experiências que obtiveram êxito. José J. educação e teoria da complexidade em andamento no Programa de Pós-graduação em Educação da UNINOVE. Kensky. partindo do pressuposto de que a tecnologia não deve suplantar a arte e a educação. Garcia dos Santos. como referencial teórico. sobretudo. na epistemologia de Paulo Freire. Henry Giroux. Palavras-chave. linguagem corporal. . o trabalho visa contribuir para a atualização do pensamento frankfurtiano e leva em consideração as reflexões. Educação. para elucidar a dimensão material. A resposta à pergunta limita-se a uma busca de encaminhamentos em duas obras educacionais de Hugo Assmann. em diálogo com autores estudiosos da questão. e em outros espaços da escola e fora dela. reconhecendo o caminhar paralelo e conjunto da arte e educação. Álvaro Vieira Pinto e. João Carlos Goia (UNIMEP) Bruno Pucci Resumo: Este trabalho se propõe a entender as zonas de fronteiras e convergências entre as três cadeias. Palavras chaves : Convergência. Entre os resultados destacamos os seguintes: a educação sempre esteve diretamente ligada às formas de expressões artísticas e dificilmente se afastará de tais manifestações. neste processo. Barreto. a instancia fundamental e básica para articular conceitos centrais para uma teoria pedagógica. aparatos digitais e ambientes virtuais presentes. toda educação. tem que ser educação corporalizada. A análise dos dados revela que a ação dialógica fundamentada na epistemologia freireana oportuniza a assunção dos sujeitos (professor e aluno) enquanto construtores do currículo. O corpo e sua linguagem são. indústria cultural e tecnologias. como Lévy. Arte e educação provavelmente continuarão de mãos dadas com a tecnologia. principalmente. Trata-se de um estudo de caso. O estudo dos textos seguirá um método hermeneutico (busca do sentido a partir da biografia do autor) e pretende chegar a conclusões sobre a relevância e a recepção das suas posições. principalmente de Adorno e Benjamin. impondo-se pelo aparato e avanço tecnicista. pontuando digressões e perigos que merecem atenção. Enquanto investigação de caráter teórico e servindo-se das categorias experiência. ARTE. O estudo investiga o projeto Rádio Jacaré FM. assim se resume: a corporeidade e sua linguagem não são fontes complementares de critérios educacionais. bem como as interferências sofridas por ambas pelos aparatos tecnológicos e. principalmente pensando em modelos pedagógicos. que integra uma pesquisa mais ampla sobre corpo. Tecnológicas e Mediação Pedagógica. uma ação pedagógica que se concretiza no uso da rádio na internet. por meio da participação da rádio na internet que potencializa a expressão da voz na dimensão da sala de aula. que este educador assume. EDUCAÇÃO E NOVAS MÍDIAS: APROPRIAÇÕES BILATERAIS E CONVERGÊNCIAS.

todavia os professores não compreendem essa relação e consequentemente não medeiam os processos de interação entre criança e mídias. de Wells. Como método optamos pela etnografia e utilizamos como procedimentos para o levantamento de dados os instrumentos: observação participante. O objetivo desta pesquisa é entender a corporeidade enquanto um processo vivo de configuração. A metodologia . mídias comerciais. de Júlio Verne e A Máquina do Tempo (1895). Os dados das observações e do questionário apontam que as culturas lúdicas das crianças demonstram marcas das mídias (televisão e jogos eletrônicos) em suas manifestações no interior da escola. A LITERATURA DE FICÇÃO CIENTÍFICA E A FÍSICA: SUAS RELAÇÕES NO ÂMBITO DO ENSINO-APRENDIZAGEM Júlio César David Ferreira (UNESP) Neste trabalho buscamos uma compreensão das relações entre campos do conhecimento que envolvem diferentes gêneros discursivos: a literatura de ficção científica e a Física. configurando espaços urbanos. Palavras-chave: televisão. intervenções urbanas. infância. Foucault. se conectando e se desconectando a todo tempo. com algumas diferenças: a riqueza e complexidade nas quais os textos de ficção científica são produzidos. As perspectivas teóricas que assumimos são: a Sociologia da Infância. com enredos que tornam os conceitos científicos altamente contextualizados e favorecem a constituição de temas. em um processo de incorporação dos atravessamentos urbanos da atual sociedade de controle. Juliana Soares Bom-Tempo (UNICAMP) Este trabalho tem como questão investigar as cartografias corpóreas presentes em espaços de convergência de serviços. todas as formas de leitura se complementam e criam entre si pontos de apoio para a construção de sentidos. de comercialização e de transeuntes nas ruas. velocidades. marcadas por INCORPORAÇÕES URBANAS: POTENCIAIS DE FABULAÇÕES DO MOVIMENTO ESPONTÂNEO NOS CORPOS TRANSEUNTES DA MEGAMÁQUINA CIDADE. tomando Bakhtin (1997. 2009) como referencial de análise. e os conteúdos escolares de física. Assim. fabulações. produzindo devires. Estas e outras diferenças. privatizações das relações. encontramos semelhanças entre as situações descritas pelos autores e os enunciados de fenômenos físicos típicos de livros didáticos do ensino médio. brincadeiras proposta neste trabalho se faz por rizomas. Esta investigação se deu através de gravações de imagens nos dois espaços urbanos em horários críticos de aceleração dos fluxos de trânsito. questionários e “entrevistas”. comércio. Os conceitos que contribuíram nesta produção foram principalmente de Deleuze. com o objetivo de compreender a influência da televisão e dos jogos eletrônicos nas atividades lúdicas de crianças. corporeidades urbanas presentes na cidade. que se dá no “entre” do corpo e da cidade. e como decorrência. Nos livros Viagem ao Centro da Terra (1864).MÍDIAS. Assim. Palavras-chave: corpos urbanos. o trabalho culminou na produção de um vídeo editado na perspectiva de provocar no espectador deslocamentos por meio das imagens-fabulações dos corpos passantes nos espaços-tempo urbanos atravessados pelo trânsito. pois cada corte se transmuta em um novo caminho. Guattari. Partimos do pressuposto de que todo professor é professor de leitura. corpos territorializados pela mega-máquina cidade. lazer. Tais confluências se conectam a sistemas de signo e midiáticos. ampliando as possibilidades de compreensão do leitor e potencializando a produção de sentidos no ato da leitura. a Teoria Histórico Cultural e autores da Comunicação Social. INFÂNCIA E CULTURA LÚDICA Jucileny Bochorny (UNESP) José Milton de Lima Este artigo tem por objetivo apresentar dados parciais da pesquisa em andamento intitulada “Culturas Lúdicas e Mediações no Contexto Escolar”. sem possibilidade de cortes. buscamos relações entre os livros de Júlio Verne e Herbert George Wells. produção de subjetividades capitalísticas.

entretanto. a nosso ver. papel central da escola. ESTUDO SOBRE O USO E A INTEGRAÇÃO DAS TIC NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Katia Alexandra de Godoi (PUC-SP) Fernando José de Almeida Este artigo tem como objetivo analisar os níveis instrucionais de professores em relação ao uso e à integração da tecnologia na prática pedagógica. tornam promissora a aproximação entre a literatura de ficção científica e a física no contexto do ensinoaprendizagem. imbricadas aos movimentos corporais. Palavras-chave: produção de sentidos. lendo literatura e construindo sentidos na experiência literária. construindo processualmente a cena discursiva. leitura literária. A partir da interação discursiva em uma aula de ciências em que foi utilizado um filme de animação. interação discursiva. Os resultados da pesquisa apontam as crianças no fluxo dialógico preenchendo os lugares enunciativos onde cada criança vai se constituindo e. por possibilitar o cruzamento entre fronteiras culturais a partir da linguagem em uso nas subculturas do cotidiano e da ciência escolar. na cadeia enunciativa infinita. Esta cena é um recorte do material que analisei em minha dissertação de mestrado investigando crianças de 4 a 6 anos. Palavras-chave: Crianças de 4 e 5 anos. Para verificarmos este estudo. PRODUÇÃO DE SENTIDOS NO CONTEXTO DE UMA AULA DE CIÊNCIAS SOBRE ADAPTAÇÃO BIOLÓGICA MEDIADA POR UM FILME DE ANIMAÇÃO Junia Freguglia Machado Garcia (UFES) Maria Emília Caixeta de Castro Lima O presente trabalho se insere nos estudos da linguagem e do ensino de ciências que apontam para a importância dos processos de significação na aprendizagem de conceitos científicos. com o objetivo mais amplo de formar o leitor. ao mesmo tempo. argumentações. A fundamentação teórica contempla os estudos de Mikhail Bakhtin e Walter Benjamin. . A análise foi realizada a partir da observação da aula e registro escrito dos enunciados dos sujeitos envolvidos. As palavras que as crianças empregam e os seus diferentes modos de ler a literatura multiplicam as possibilidades de compreensão do visto. ensino de ciências. com destaque para o papel da linguagem no processo de inserção dos aprendizes na cultura científica. lido. com diálogos intensos e quase sem intervalos. compreendido. Os sentidos produzidos sobre evolução e adaptação biológica mostram uma visão questionável desses conceitos. adaptação biológica. Os resultados comprovaram que o processo de integração da tecnologia é necessário. O recurso da narrativa proporcionou reflexões acerca do processo de aprendizagem de conceitos científicos. ouvido. lento e difícil. ao mesmo tempo. Destacamos a influência do contexto sobre a atitude responsiva dos estudantes e a produção de novos discursos e significados a partir das intervenções deles.elementos comuns. aplicamos um questionário dividido em duas etapas: informações gerais e informações sobre o uso e a integração da tecnologia pelos professores. na educação infantil. com muitos sentidos. A LEITURA LITERÁRIA E O PROCESSO DE INTERAÇÃO DISCURSIVA DAS CRIANÇAS Lauren Souza do Nascimento Marchesano (UFF) O trabalho apresenta um episódio de leitura de oito crianças de quatro e cinco anos. procuramos compreender como professor e estudantes negociam significados tendo a narrativa como discurso mediador. escolho a perspectiva da argumentação como princípio dialógico dos enunciados. O processo de interação discursiva das crianças gera contrapalavras. considerando que todo enunciado é dirigido a alguém. Utilizamos o conceito de discurso de Bakhtin inserido na abordagem sócio-interacionista e culturalista da educação. No estudo em questão.

ALUNOS MIDIÁTICOS: UMA ANÁLISE DAS NARRATIVAS PRODUZIDAS POR CRIANÇAS EM ATIVIDADES DE MÍDIA REALIZADAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Luciana Borges Patroclo (UNIRIO) Esta comunicação foi desenvolvida a partir de dados obtidos durante a feitura da dissertação de Mestrado Alunos Midiáticos: uma análise das narrativas produzidas por crianças em atividades de mídia realizadas na Educação Infantil cujo objetivo era o de apresentar reflexões sobre as narrativas de mídia desenvolvidas por alunos da Educação Infantil.TECNOLOGIAS DA EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO E PRÁTICA DOCENTE: IMPLICAÇÕES DO CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA DA UERJ Lázaro Santos (UERJ) A pesquisa desenvolvida teve como objetivo investigar como o curso de Pedagogia a Distância da UERJ implicou a prática docente de seus egressos. conhecimento e tecnologia e como a Educação a Distância poderia contribuir para a formação humana em nossa sociedade. as características e ações. os personagens no contexto dramático. ESTERIÓTIPO E ESTIGMAS SOBRE A DEFICIÊNCIA NA LITERATURA INFANTOJUVENIL Lucélia Fagundes Fernandes Noronha(PUC/SP) O presente estudo tem como objetivo analisar como a deficiência está representada na literatura infanto-juvenil nos livros escritos por autores brasileiros editados pela primeira vez no Brasil entre os anos de 1996 e 2006. b) considerar que esta graduação não está nem para a reprodução da lógica do capital. a narrativa. PALAVRAS-CHAVE: Deficiência. estereótipos e/ou estigmas em relação à deficiência. Inclusão. mas para a alienação a respeito da própria profissão e de suas práticas. perpetuadoras de preconceitos. dividimos as entrevistas em grandes categorias: elementos constituintes do homem. para então. cujas bases são: a dialética e a prática social. as implicações das TIC à prática dos entrevistados. no bairro de Quintino. Mas chegamos à conclusão que apontava para: c) considerar que este curso é uma iniciativa que visa à emancipação e à concreta formação humana. zona norte do Rio de Janeiro. Em nossa metodologia fizemos uso de entrevistas semi-estruturas que foram analisadas através da análise do conteúdo. estigma. nem para a superação dessa lógica através da formação humana. simultaneamente. questões pedagógicas do curso. mas. Partimos da concepção de formação do homem através de três categorias: trabalho. Preconceito. As atividades analisadas foram realizadas em maio e junho de 2009. e a segunda teve como referência o livro Fogo no Céu. As realizações da análise de conteúdo das histórias revelaram pelo menos três tendências: Histórias livres de preconceito. o tipo de discurso. Nossas hipóteses apontavam para três possibilidades: a) considerar que o curso de Pedagogia a distância da UERJ está mais voltado para a reprodução da lógica de mercado. de Mary França e Eliardo França. o tipo de deficiência ou diferença. prática docente. foram utilizados parâmetros complexos e interativos em relação a categorias propostas. envolvendo: o narrador. Em função disso. Antes de se chegar ao resultado foi percorrido um caminho visando evidenciar as definições acerca de preconceito. histórias denunciadoras e imunes a preconceitos e histórias denunciadoras. utilizar neste trabalho dois dos sete eixos da investigação: as implicações do curso à vida dos entrevistados. inclusão e cultura. optamos por guiar nossa metodologia por categorias afins. a trama. Ao longo do texto estão descritas as etapas percorridas para a realização da pesquisa de campo e a formação . para a realização da análise dos mesmos. Assim. a nomeação. os campos de atribuições dos fenômenos na etiologia da deficiência e no desfecho da história. da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC). de cinco e seis anos. de estereótipo. EM TEMPOS DE INCLUSÃO: PRECONCEITO. Neste trabalho são relatadas duas atividades: a primeira foi baseada na história de Cachinhos Dourados. com crianças. A metodologia adotada envolveu um tratamento quantitativo e qualitativo dos dados coletados e.

A CIRCULAÇÃO DE GÊNEROS TEXTUAIS DO DOMÍNIO LITERÁRIO E A FORMAÇÃO DE LEITORES NA EDUCAÇÃO INFANTIL Luciana Domingos de Oliveira (UFES) Cleonara Maria Schwartz Este estudo teve por objetivo identificar e analisar quais gêneros textuais do domínio literário têm aparecido nas práticas de leitura na educação infantil e também compreender a articulação entre a seleção de gêneros textuais e a formação de leitores. em função de terem participado do que a referida empresa denominava “projetos bem-sucedidos”. o que tem relação com o fato de que.das categorias de análise dos dados provenientes das narrativas estudadas inspiradas em autores como Walter Benjamin. pelo contato com os/as docentes. Educação Infantil. Desenvolvi uma pesquisa de cunho etnográfico que se utilizou de entrevistas semi-estruturadas. Desde 1993 a empresa produz mídias em consonância com o currículo Multieducação. Apropriando-me do referencial analítico de autores como Stephen Ball. menores são as chances que concorrem para a formação do leitor de textos e da vida. Gêneros textuais. cada professor/a não meramente utilizava os produtos e executava as propostas elaboradas pela Multirio/SME . As análises dos dados revelaram que alguns gêneros textuais do domínio literário foram priorizados em detrimento de outros. Desse modo. mas eram sujeitos ativos/as que recontextualizavam e se apropriavam diferentemente do conjunto de materiais em suas práticas. . com professores/as de Salas de Leitura. A pesquisa foi realizada em uma Unidade Municipal de Educação Infantil a partir dos pressupostos teóricos e metodológicos da filosofia bakhtiniana de linguagem e utilizamos como metodologia o estudo de caso. a proposta curricular oficial da Secretaria Municipal de Educação (SME/RJ) até o presente momento. como o fato dos alunos pesquisados poderem ser considerados como potenciais produtores de mídia. Jésus Martín-Barbero e Néstor García-Canclíni. sobretudo. estive em contato. registros em um caderno de campo e observação sistemática. que teve como objetivo analisar as influências da Empresa de Multimeios da Prefeitura (Multirio) nas práticas docentes de professores/as de duas escolas da rede municipal do Rio de Janeiro. APROPRIAÇÕES E RESSIGNIFICAÇÕES DAS TICS EM ESCOLAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO: ARTICULANDO DIFERENTES CONTEXTOS Luciana Velloso (UERJ) Este trabalho é fruto de minha pesquisa de mestrado em Educação. que nas diferentes dinâmicas escolares. As duas escolas que serão aqui apresentadas possuíam algum tipo de envolvimento com a Multirio. no contexto escolar. Dessa maneira. pude perceber. ou seja. Palavras-chave: Literatura. a utilização dos diferentes gêneros em muitos casos aparecerem vinculadas às demandas e a finalidades específicas de ensino considerando as diferentes áreas de conhecimento. concluímos que quando ocorre a didatização da arte. que são profissionais considerados/as mediadores preferenciais para dinamização de projetos mídia-educativos em suas unidades educativas. O processo de análise abordou questões como a autoria das crianças no processo de construção narrativa. Nas considerações se encontra um balanço sobre o desenvolvimento e as percepções adquiridas no decorrer da pesquisa. Palavras-chave: Práticas Multirio. Salas de Leitura mídia-educativas. a literatura nesse trabalho é concebida como obra de arte literária na acepção bakhtiniana.

que surgiu para atender a professores atuantes no campo da Educação Especial. Palavras-chave: música. uma didática vivenciada.MÚSICA E HISTÓRIA AFROBRASILEIRA NO LIVRO DIDÁTICO Luciano Magela Roza (UFMG) A comunicação apresenta conclusões da dissertação “Entre sons e silêncios: apropriações da música no livro didático no ensino de história afrobrasileira”. seja em sua história. Também são analisados os resultados da pesquisa on-line para consulta de necessidades e demandas dos professores visitantes do site. WEBSITES ESCOLARES: UMA INTERFACE NA PROJEÇÃO DA IMAGEM DE QUALIDADE DAS ESCOLAS PRIVADAS Luiza Helena Lamego Felipe (PUC/RIO) Andrea Paula de Souza Waldhelm Este texto faz parte de uma pesquisa sobre os processos de produção da qualidade de ensino em escolas de prestígio no município do Rio de Janeiro e tem como objetivo analisar as características institucionais que favorecem a projeção da imagem de excelência educacional das instituições investigadas. por outro. em particular os trabalhos de Pierre Bourdieu. para consolidar sua imagem de qualidade e. contribuindo. história afrobrasileira. Foi possível perceber que cada instituição interpreta a qualidade de maneira singular e projeta uma imagem de excelência como uma marca distintiva. o artigo tem como objetivo analisar e relatar o percurso de criação e os conteúdos do site IHA Informa. A Análise de Conteúdo referendou o percurso metodológico. o aprofundamento nas discussões teórico-metodológicas sobre as possibilidades interpretativas da canção como recurso didático e fonte histórica e os diálogos da linguagem musical presente no manual escolar e a história afrobrasileira. os aportes teórico-metodológicos que fundamentam a pesquisa vinculam-se à produção em torno dos estudos sobre práticas de leitura e a natureza dos livros didáticos. que devem ser valorizados e utilizados na elaboração de políticas. Com cerca de 19500 acessos totais. O conteúdo dos sites foi analisado a partir dos estudos da sociologia da educação. com saberes práticos que nascem em meio à urgência da inclusão do aluno com deficiência. e foi utilizada a análise de conteúdo para produzir inferências sobre os dados neles apresentados. O trabalho utiliza como principal instrumento os websites de dois estabelecimentos da rede privada de ensino que atendem a públicos distintos. A investigação priorizou em um primeiro momento a análise das apropriações da música de forma geral e. sobretudo no ensino da História afrobrasileira presente nos livros didáticos. para estabelecer um compromisso de todos os agentes escolares com o projeto educacional da escola. e criadas três seções com materiais multimídia para auxílio ao professor (vídeos e apresentações). O site foi constituído a partir da observação da prática docente. a partir de uma problemática comunicacional. orientações e estratégias de atendimento. O objeto é a análise de como a música tem sido problematizada como documento histórico e recurso didático de significativa potencialidade. um dos muitos aspectos da escola multicultural. . foram produzidos seis documentos de orientações. Dentre os resultados obtidos estão considerações sobre as formas de apropriação da música e seus usos sugeridos pelos Livros Didáticos. Esta marca pode ser observada nos websites. livro didático FORMANDO PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A EXPERIÊNCIA DE CRIAÇÃO DO SITE “IHA INFORMA” A PARTIR DAS DEMANDAS E PRÁTICAS DOCENTES Luiz Alexandre da Silva Rosado (PUC/RIO) A partir do uso de suportes digitais. de forma mais centrada nos episódios da história afrobrasileira. no projeto educacional ou no design gráfico. posteriormente. em sua formação continuada. Considerando-se a proposta investigativa. obedecendo a padrões de acessibilidade on-line. por um lado.

da educação especial (MANTOAN. Conclui-se que a condição de ser artista interfere em suas opções e decisões como docente. apresentando-os graficamente. influências e interdependências das relações interpessoais no grafismo infantil. 2010. cabe ressaltar a importância das diferenças individuais que enriquecem a vivência coletiva e colocam abaixo a tendência de se considerar os seres humanos como iguais em sua constituição pessoal e social. TODD.O LEITOR-NAVEGADOR IMERSO NAS REDES DIGITAIS Marcela Afonso Fernandez (PUC/RIO) Este trabalho relata parte dos estudos e da investigação desenvolvidos em pesquisa realizada na PUC-Rio. buscando compreendêlo sem perder de vista o caráter subjetivo e idiossincrático de quem o produziu. Assim. a pesquisa baseou-se em dois tipos de estudo: o que busca compreender as características e dinâmicas socioculturais subjacentes às redes interativas da Internet. COHEN. tendo como instrumentos de coleta de dados o questionário. Esta pesquisa teve o objetivo principal de investigar as práticas de leitura-navegação empreendidas por jovens universitários ao desenvolverem buscas temáticas de cunho acadêmico em sites da internet. Como referencial teórico. uma das formas de expressão mais latentes e vibrantes durante a infância. A investigação sobre sua prática se insere na pesquisa sobre processos de formação de artistas professores (CNPq). a captura e a gravação do percurso de leituranavegação e a entrevista com jovens universitários. foram identificados alguns estilos de ser leitor-navegador e estratégias de leitura-navegação. por ser o grafismo composto de elementos em relação. 1991). Strazzacappa Hernández (UNICAMP) O presente texto apresenta reflexões feitas a partir de relatos de um professor de dança de salão que trabalha com adultos com deficiência. infantil. Os resultados alcançados revelam que os jovens estão delineando novos estilos on line de ser leitor e demonstrando uma notável capacidade inventiva nas redes digitais. 2004) e da educação somática (LIMA. Palavras-chave: Grafismo sociointeracionista. observando como a criança se apropria deles. CANTANDO ENTRE DENTES”: O SILENCIOSO APRENDIZADO DA DANÇA CONDUZIDO POR UM ARTISTA PROFESSOR Márcia M. orientado no Mestrado. Toma por base os pressupostos teóricos de Vygotsky. Parte do pressuposto de que as condições sociais contribuem para a constituição do processo de produção gráfica infantil. Como desdobramento da coleta e da análise dos dados. a observação. MONTOBBIO. Trata de um estudo de caso de caráter etnográfico que tem por objetivo investigar as marcas da cultura nos desenhos das crianças. 1990. Discute e analisa que elementos sociais e culturais estão presentes no desenho infantil. ES e cuja faixa etária encontra-se entre quatro e cinco anos. numa abordagem histórico-social. Considera que o trabalho efetuado possibilita conhecer a gênese do grafismo infantil. analisando o conceito de interações sociais no cotidiano escolar e fora dele e. é tecido um dialogo com autores da dança (ROBINSON. Relação . o que se dedica à natureza multifacetada do hipertexto. pautando-se principalmente em Manuel Castells. entre outros autores. baseando-se em George Landow. Cultura. 2000. a apropriação. ainda. Jay Bolter. AS MARCAS DA CULTURA NOS DESENHOS DAS CRIANÇAS Margarete Góes Sacht (UFES) Este trabalho analisa estudos desenvolvidos no campo da linguagem visual. dando a impressão de que estão sendo (re)inventados pelos jovens. Para tanto. 1978. numa turma de educação infantil do município de Vila Velha. A pesquisa usou como desenho metodológico uma investigação de caráter qualitativo. 1991). LABAN.

em seguida. DO PROINFO INTEGRADO/SEED/MEC: ANÁLISE DO MATERIAL DIDÁTICO DESENVOLVIDO PARA O CURSO E ALGUMAS REPERCUSSÕES EM ESCOLAS Maria Aparecida Coelho Naves (Estácio de Sá) Vicente Willians do Nascimento Nunes Alberto José da Costa Tornaghi Esse artigo apresenta análise dos materiais didáticos utilizados no curso “Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC” e sua forma de utilização nos processos de formação de professores. 2002a. Schütz-Foerste No presente experiências pertencente Fundamental das buscas trabalho. Arte/Cultura. A coleta de dados é realizada através dos materiais didáticos utilizados nos encontros presenciais. a crítica e a escola: a invenção de um poeta nacional pelo livro didático de ensino médio. na edição de 2009. 1988). Para aprofundar o estudo. a partir de uma pesquisa bibliográfico-documental. 2003. Leitura de imagem. realizada através de análise documental. da pesquisa e da instância oficial) se friccionam. cuja orientação teórico-metodológica concerne à História Cultural conforme entendida por Roger Chartier (2009. TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: ENSINANDO E APRENDENDO COM AS TIC”. Palavras-chaves – Infância. buscam-se em Piaget. Por se tratar de pesquisa em desenvolvimento. Contudo. Este constitui parte que fazemos no sentido de ressignificar o aprendizado artístico em seus diversos desdobramentos. e b) como o pertencimento a determinada comunidade de interpretação interfere no processo de construção de representações e na invenção de diferentes versões ou perfis de um mesmo objeto cultural. Consideram-se especificamente os pontos atinentes ao ensinoaprendizagem de literatura e procura-se mostrar: a) como tais leituras (da prática da docência. No estudo proposto pretendeu-se analisar o material em formato PDF e seu correspondente em meio digital. intitulada Drummond.O LIVRO DIDÁTICO INVENTADO PELO PNLEM LÍNGUA PORTUGUESA E O INVENTADO PELA DOCÊNCIA E PESQUISA: TENSÕES E TRAPAÇAS Maria Amélia Dalvi (UFES) Afigura-se neste trabalho um recorte da tese de doutorado defendida em 2010 pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo. podem contribuir para (re) significar e ampliar repertórios imagéticos/discursivos na infância? Pretendemos refletir e analisar de maneira a permitir outras reflexões que no decorrer desta se alinhem a nosso pensar e das crianças participantes. apresentamos algumas desenvolvidas numa escola à Rede Municipal de Ensino de Serra/ES. A problematização circula a partir do pensar: Como o envolvimento/diálogo das crianças com as manifestações artístico-culturais do município de Serra. 2002b. de William Cereja e Thereza Magalhães (2004). MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICO-CULTURAIS DO MUNICÍPIO DE SERRA: DIÁLOGOS COM O ENSINO DA ARTE NA INFÂNCIA Maria Angélica Vago-Soares (UFES) Gerda M. Tomando-se como objeto privilegiado o terceiro volume de Português: Linguagens. de nossa experiência na docência da educação básica e na pesquisa. apresentar a leitura de Português: Linguagens construída pelo Catálogo do Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio: Língua Portuguesa. para. não se referindo só a análise do conteúdo. mas a metodologia de utilização. as conclusões estão em processo contínuo de discussão. Vygotsky e Freinet os aportes para se . apresenta-se uma leitura que parte. tendo as crianças como participantes da pesquisa e colaboradores ativos no processo. já é possível perceber a grande motivação das crianças com temas relacionados ao contexto local da Serra. como representativo de um conjunto contemporâneo de livros didáticos de língua portuguesa e literatura para o ensino médio. em primeiro lugar. A pesquisa é de natureza qualitativa. Optamos por realizar um estudo de caso de natureza qualitativa.

Kohan. realizado em uma pré-escola municipal da região do Grande ABCD. que entre língua oral e língua escrita não há uma relação imediata. uma isomorfia. se tratando de sistemas distintos com unidades diferentes: fechadas e atemporais no caso da língua escrita e abertas e sujeitas a transformações no tempo no caso da língua oral. Palavras-chave: Oralidade. consequentemente. entre outros que fundamentaram questões da colaboração e da autoria. o desaparecimento da arte de narrar. entre modalidades de um único sistema. Aponta. Sistema Gramatical. que tem como objeto de investigação as narrativas produzidas pelas crianças na educação infantil a partir de suas experiências com as histórias em quadrinhos (HQ). tendo como foco o corpo e suas marcas de gênero. Verificou-se que a estrutura do material didático e as atividades propostas propiciam vivências de aprendizagem centradas em processos de autoria condizentes com perspectivas construtivistas de educação. A partir de um diálogo com Benjamin. Setton. que. dentre elas as HQ. deixaram de serem vistos numa relação de representação para serem assumidos numa relação de interação. então. crianças pequenas. Faria. como qualquer outro meio de comunicação. interferem diretamente nos modos de viver das crianças. em andamento. Embora alguns autores comecem a apontar diferenças entre elas. Palavras-chave: Narrativas. IMAGEM E NARRATIVIDADE: HISTÓRIAS EM QUADRINHOS E RELAÇÕES DE GÊNERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Marta Regina Paulo da Silva (UNICAMP) O presente trabalho tem por objetivo apresentar a pesquisa de doutorado. ENTRE A ARTICULAÇÃO E A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA: QUESTÕES ACERCA DAS ESPECIFICIDADES E VÍNCULOS ENTRE A ORALIDADE E A ESCRITA. . Agamben. Escrita. Corsaro. para a necessidade de estabelecermos outra relação com o tempo que não seja apenas cronológica. de modo a reconhecer na criança sua alteridade e sua estrangeiridade. Abramowicz. Conclui com uma reflexão acerca do tempo do capital. Soares. Os estudos sobre a natureza da relação entre a oralidade e a escrita datam desde a antiguidade embora tenham sido intensificados nas últimas décadas. que. que tem dificultado que as crianças compartilhem suas narrativas. A hipótese de que oralidade e escrita compartilhem um único sistema gramatical é clássica e tem acompanhado a cultura escolar e linguística desde longa data. Maria Letícia Cautela de Almeida Machado (UERJ) Luiz Antonio Gomes Senna Paula Santos da Silva O objetivo deste trabalho é apontar algumas especificidades sobre a língua oral e a língua escrita e a natureza da relação entre elas.entender a construção do conhecimento e a formação da autonomia. Parte da constatação do empobrecimento da experiência no contexto de nossa sociedade capitalista e. Problematiza o surgimento de outras narrativas. EXPERIÊNCIA. no máximo. Louro. dentre outros/as. ainda persiste a concepção de que se trata de subdomínios de uma mesma língua. O artigo relata ainda algumas repercussões verificadas em escolas do Mato Grosso e do Rio de Janeiro decorrentes da participação docentes das escolas no curso. A análise dos dados de campo revela ainda ser raro o desenvolvimento de práticas nas escolas contemplando os alunos com experiências semelhantes. Vergueiro. não entre línguas. relações de gênero. nem tampouco. As especificidades da língua oral e da língua escrita apontadas nesse trabalho corroboram para a concepção de que a língua escrita não pode ser arrolada simplesmente como uma transcodificação da língua oral. demonstra como as crianças têm vivido suas experiências com as HQ e as narrativas que criam a partir destas. Barros. portanto. contribuindo para o estabelecimento e/ou fortalecimento das relações de poder entre homens e mulheres. concluindo-se. com vistas a fornecer elementos ao educador para a formulação de hipótese teórico-descritiva para a produção escrita de seus alunos em processo de alfabetização. também são abordados Castells e Latour para compreensão do conhecimento em rede. Caracteriza-se como um estudo de caso etnográfico.

utilizaremos instrumentos metodológicos variados. inúmeras propostas de formação docente e discente tomam fôlego. A pesquisa foi realizada com 24 alunos de uma 4ª. Palácio(UNESP) Klaus Schlünzen Junior Este trabalho está vinculado ao programa de Pósgraduação em Educação e à sua Linha de Pesquisa de Práticas e Processos Formativos em Educação. e o estabelecimento de um processo integrador e interacionista com a comunidade escolar. assim como entrevistas e grupos focais para compreender as concepções e práticas de egressos de cursos de Pedagogia no tocante à linguagem musical. o tema linguagem. MATEMÁTICA E SOLUÇÃO DE PROBLEMAS ARITMÉTICOS Marta Santana Comério (UNICAMP) Márcia Regina Ferreira de Brito Esta comunicação tem como finalidade discutir. em especial ao uso do fotolog. contempla a análise de conteúdo de um Fotolog (blog) de uma escola pública. desse modo. matemática e solução de problemas apresentando um recorte de uma pesquisa mais ampla envolvendo a solução de problemas aritméticos nas séries iniciais do Ensino Fundamental. S. tanto da linguagem natural como da linguagem matemática. este trabalho se propõe a desvendar alguns recursos que venham a contribuir. Versa-se sobre um blog escolar que se configura como ferramenta de acesso à realidade escolar e que serve como ponto de reflexão ao gestor escolar. comuns à pesquisa qualitativa: análise de documentos oficiais relativos à obrigatoriedade da música e de currículos dos cursos de Pedagogia. Nesta perspectiva. de forma inter-relacionada. na solução de problemas matemáticos. vemos com preocupação a preponderância de propostas que tomam os produtos da indústria cultural como preferenciais para o trabalho musical nas escolas. O estudo teve como um dos objetivos analisar as verbalizações dos estudantes em situação de solução de problemas e investigar os procedimentos de solução adotados. a pesquisa tem como objetivo central investigar as possibilidades e os limites de uma educação musical pautada nos produtos da indústria cultural. desencadear a participação do coletivo escolar dentro de uma visão de gestão democrática participativa. a partir de referencial da Teoria Crítica. Neste momento. musical. A partir da análise dos textos publicados este trabalho tem como objetivo geral verificar se o uso do fotolog pode ser espaço de informação e gestão de caráter institucional e pedagógico-administrativo podendo.LINGUAGEM. Os resultados principais interpretados conforme as proposições de Vergnaud. série do ensino fundamental (atualmente 5º ano). Palavras-chave: educação docente. verificamos a frágil presença da música nos currículos de Pedagogia de universidades públicas pesquisadas. com o papel do gestor escolar em relação à Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC). da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” Campus de Presidente Prudente. da Rede municipal de Ensino de uma cidade do interior de São Paulo. de alguma forma. Diante disso. Para tanto. O USO DO BLOG EM UMA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL COMO FERRAMENTA DE ACESSO À REALIDADE ESCOLAR: ESPAÇO DE REFLEXÃO A GESTÃO ESCOLAR Maurícia S.769/08 que torna obrigatórios os conteúdos de música na educação básica. POSSIBILIDADES DE UMA EDUCAÇÃO MUSICAL NO CONTEXTO DA INDÚSTRIA CULTURAL Monique Andries Nogueira(UFRJ) Esta pesquisa se insere no contexto da promulgação da lei 11. principalmente Adorno. No entanto. Como resultado inicial.formação . dos estudos de Vigotski e de pesquisas na área da psicologia cognitiva indicaram que os estudantes deparam-se com uma ampla variedade de conceitos que envolvem a compreensão. indústria cultural. o que aponta para dificuldades para egressos destes cursos no tocante à prática de uma educação musical emancipadora.

com a intenção de colaborar na formação de um ser humano capaz de se associar. Para tanto. Analisa a educação necessária. A metodologia usada é o Estudo de Caso. foi desenvolvido um estudo qualitativo que envolveu pesquisa documental e aplicação de entrevista e questionário junto a gestores do projeto. O TO realiza-se em qualquer situação como processo de ensinoaprendizagem. docentes da rede e alunos de licenciaturas.NÚCLEOS DE TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONTRIBUIÇÕES E LIMITES PARA LICENCIATURAS Nelma Vilaca Paes Barreto (Estácio de Sá) Lucia Regina Goulart Vilarinho As tecnologias têm invadido os espaços educacionais. Os resultados apontam que a educação online interativa e colaborativa. se ensina e se aprende a participar politicamente. Neste contexto. O DIÁLOGO NA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTOS NO TEATRO DO OPRIMIDO Pâmela Peregrino da Cruz (PUC-RIO) O Teatro do Oprimido (TO) é um método de alfabetização estética. sistematizado por Augusto Boal. é essencial o desenvolvimento da capacidade humana de produzir e fruir a estética. que têm como objetivo disseminar o uso das tecnologias de informação e comunicação e contribuir na implantação da educação a distância (EAD). Tanto os praticantes do TO quanto sua plateia acessam e produzem conhecimentos. de Paulo Freire e na Maiêutica Socrática. PROCESSOS COLABORATIVOS E INTERACIONAIS DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO EM AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Patricia Ribeiro Vasconcellos(UERJ) Esta pesquisa tem por objeto os processos de construção do conhecimento em ambientes virtuais de aprendizagem (AVA). feito dentro ou fora de escolas. nesse método teatral reconhecido e difundido pelo mundo. Analisa a Educação Online como caminho democrático. Na qual pude identificar e investigar duas perspectivas que embasam essa construção: a Pedagogia do Oprimido. participar e transformar a sociedade. além de mais . e a educação a distância. Trata-se de um espaço explicitamente pedagógico de formação humana. O tratamento dos dados utiliza a análise de conteúdo. Núcleos de Tecnologia e Educação a Distância. A criação de uma dezena desses núcleos apontou a necessidade de se pesquisar as suas contribuições para a formação de professores. favorecendo atividades colaborativas e processos individualizados de aprendizagem. que visa à transformação da realidade e a humanização da humanidade a partir do diálogo – os oprimidos como protagonistas de sua própria libertação – e através de meios estéticos. é uma perspectiva teatral que radicaliza o ato teatral como espaço pedagógico de construção e troca de conhecimentos. o TO. A questão analisada nesse trabalho é como. Os resultados foram considerados à luz de autores que abordam: o fenômeno da cibercultura. a colaborar com a transformação de sua sociedade. especialmente o de atuar junto às licenciaturas. podemos situar os Núcleos de Tecnologia e Educação a Distância (NTEAD) da Rede Federal de Educação Tecnológica. em uma perspectiva longitudinal e qualitativa. Apresento aqui uma reflexão teórica que produzi a partir da análise da produção de Augusto Boal. Traz à tona contradições importantes para a compreensão da atualidade e para orientar caminhos alternativos. Parte da análise do homem que se quer formar para transformar a atual sociedade capitalista desigual numa sociedade mais igualitária. Para atingir este objetivo. Assim. A coleta de dados envolveu a observação participante e a análise documental. as demandas da docência e da formação de professores na era da cultura digital. Palavras–Chave: Rede Federal de Educação Tecnológica. mas sim de conhecimentos políticos-teatrais. não de conteúdos curriculares escolares tradicionais. Cursos de Licenciatura. com abordagem sócio-histórica. destacando indicativos para o desenvolvimento de uma proposta que privilegie os processos colaborativos e interacionais de construção do conhecimento. A análise qualitativa dos dados coletados evidenciou que os NTEAD não atingiram seus objetivos.

Diferentes perspectivas teóricas subsidiaram o trabalho como os campos da sociologia e da história da leitura. enquetes e observação direta de algumas práticas de leitura. o estilo em que os textos são apresentados. aliados a uma narrativa próxima à oralidade também favorece essa proximidade e cumplicidade entre texto e leitor. inseridas no contexto diário de vida da cidade. embora o professor tenha constante contato com as escritas de seus estudantes. de modo a caracterizá-los tanto linguisticamente quanto os fatores concorrentes para sua ocorrência na produção escrita dos estudantes. ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: SUAS ESCRITAS EM QUESTÃO Paula da Silva Vidal Cid Lopes (UERJ) Este artigo apresenta contribuições ao campo de formação de professores em Educação de Jovens e Adultos. publicação belorizontina. Apontam seis indicativos fundamentais para a elaboração de propostas de educação online: o conceito claro de educação online. a profissionalização docente. e a necessidade de práticas pedagógicas que alternem trabalho autônomo e trabalho colaborativo. que alcançou um crescimento de vendas sem precedentes no cenário nacional. O jornal. entrevistas. a consciência de que as tecnologias são do homem e como tal podem favorecer a emancipação humana. a integração dos saberes docentes. Palavras-chave: Práticas de leitura. identificamos leituras livres. Jornalismo popular . com todas suas particularidades como facilidade de acesso. O leitor é representado em suas páginas pela proximidade geográfica das notícias. A pesquisa explicita algumas estratégias apresentadas pelos editores que revelam seu conhecimento sobre as condições de formação de novos leitores. a relação entre corpo e suporte. divulgação e venda. a partir da qual este trabalho se motiva e tendo como referenciais teóricos de base estudos de Vygotsky e Senna. no entanto. repleto de sons e movimentos. A objetividade das matérias do jornal. promove algumas aproximações com seus leitores e nos apresenta um novo momento na dinâmica das práticas de leitura de periódicos vivenciadas nos espaços urbanos. identificar tais comportamentos. com análise documental. voltada para o segmento popular. serviços oferecidos e resolução de algumas de suas demandas. Utiliza-se uma metodologia qualitativa. particularmente na rede da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. linguagem e conteúdo eclético.democrática é mais eficaz. não as conhece o suficiente para realizar as intervenções necessárias. Muitas vezes. mas sim de compreender a motivação de seus erros em contexto escolar de educação de jovens e adultos. Através da observação e registro das práticas de leitura explícitas pelas ruas. e aproxima-se dos leitores e de suas práticas de leitura. Palavras-Chave: Escrita – Erro – Educação De Jovens E Adultos LEITURA EM TRÂNSITO: UMA APROXIMAÇÃO COM AS PRÁTICAS DE PRODUÇÃO. Analisa fatores ligados ao suporte e ao seu conteúdo. as práticas de leitura consideradas não canônicas. a importância da configuração do AVA. pela sua participação. Cultura escrita. que não se trata de uma categorização com o objetivo de “modelar” comportamentos de escrita. no que concerne à natureza dos diferentes tipos de fenômenos associados aos “erros” observados na produção escrita de alfabetizandos em classes de EJA. Sugere-se neste trabalho a superação do reducionismo subjacente à noção de erro e a descrição de um conjunto de estados de escrita que permita ao professor: discriminar comportamentos associados a diferentes momentos da alfabetização e do letramento. formas de produção. DIFUSÃO E LEITURA DO JORNAL SUPER NOTÍCIA Renata Kelly de Arruda (UNICAMP) O trabalho aborda o jornal Super Notícia. formato acessível. Ressalta-se.

O objetivo foi investigar como os docentes elaboram. assim. Mídias Audiovisuais e Educação. suas práticas de letramento e em que medida estas se aproximam ou se afastam daquelas exigidas e desejadas pela atual sociedade midiática e digital. entrevistas e observações de aula e os resultados de suas análises confrontados com a bibliografia acima mencionada. A partir das reflexões em torno da violência. utilizamos um dos meios de comunicação de massa. se constitui como objetivo deste trabalho: discutir o silêncio e a experiência como formas de produção de sentidos. como forma de linguagem. daquelas paixões meladas de tristeza e sofrimento. pois este surge como modos de influência nas maneiras de pensar. o escopo do letramento escolar. A coleta de dados foi feita por meio de questionários. O VÍDEO E O LETRAMENTO MIDIÁTICO NAS PRÁTICAS DOCENTES DA ERA DIGITAL Rosa Maria Cardoso dos Santos (Estácio de Sá) Lina Cardoso Nunes Neste trabalho são apresentadas algumas reflexões sobre o uso do vídeo digital como recurso pedagógico e suas possíveis . optou-se por realizar a pesquisa em uma escola de Ensino Médio em que professores fazem uso do vídeo digital. Palavras-chave: Vídeo digital. experimentar e manifestar a violência. deseducar a Educação até que a mesma esteja prenhe da potência da vida – contraponto de um poder sobre a vida. chegando-se à conclusão de que o vídeo digital pode ser usado como um importante recurso pedagógico na elaboração de práticas de letramento que atendam às demandas de leitura e escrita da era atual. nos guiando através do Paradigma Indiciário (Ginzburg) e possibilitando aberturas de produção de sentidos. Entretanto. envolvendo discussões em torno das relações entre o silêncio. de caminhos e descaminhos metodológicos. nesse veio. a experiência. principalmente entre os adolescentes. expandindo. tendo em vista os modos de anulação e de constituição de experiência como modo de vida e produção de sentidos e vislumbrando o silêncio como uma possibilidade de significar. é preciso haver um investimento maior na capacitação de docentes para o uso mais proveitoso das mídias e tecnologias digitais. para que a metodologia percorresse seu caminho. de agir e porque não dizer. de sentir. os adolescentes. os processos de violência que permeiam a sociedade e em particular. com o auxílio do vídeo digital. UMA EDUCAÇÃO PARA ALÉM DO BEM E DO MAL: TRAVESSIAS E TRAVESSURAS MUSICAIS Sérgio de Oliveira Santos (UNESP) Libertar a liberdade e. Ouvir a vida até poder cantar e amar sua canção ao libertar-se daquele amor romântico. buscando suas relações com os modos de manifestação da violência. Como instrumento específico. pistas e vestígios. sob a ótica benjaminiana e. o cinema. Durante o desenvolvimento da pesquisa.UM PERCURSO DE EXPERIÊNCIA: VIOLÊNCIA E SILÊNCIO – IMAGENS DE UMA PESQUISA NA ESCOLA Roberta L Custodio Bianchini (UNESP) O presente trabalho é fruto das questões levantadas a partir do estudo da pesquisa de mestrado. Uma atitude educativa em que a vida possa expressar a polifonia de suas vozes no des-compasso de seus contra-tempos. Letramento Midiático e Pedagogia Crítica das Mídias e Estudos sobre Recepção e Mediações. Letramento. aventamos as possibilidades de olhares circularem por. O referencial teórico foi elaborado com base em três eixos temáticos principais: Cibercultura. de modo que estes possam usufruir e desenvolver práticas de letramento voltadas para a leitura e produção de textos midiáticos e digitais. Para este fim. contribuições no desenvolvimento de práticas docentes com o intuito de formar cidadãos devidamente letrados para enfrentarem os desafios da leitura e da escrita na atual era multimidiática e digital. Mídia-Educação Mídias. entre movimentos que desencadearam outros olhares.

para minimizar essa ocorrência. O presente trabalho participa de um ensaio entre psicologia. Uma primeira oficina piloto. e pensam que o amor é alguma coisa que pode ser definida. modalidade a distância. filosofia e música a fim de captar e ecoar algumas notas (des)harmônicas da melodia de uma educação para além do bem e do mal por meio de diversas canções da música popular brasileira. que desloca. Educação. com foco na Gênese Instrumental. entendida. que atravessa. com a participação de 26 professores de Matemática da rede estadual de São Paulo. Leitura crítica. inteiro. A pesquisa tem como objetivo o desenvolvimento de uma oficina de GeoGebra para professores de Matemática da escola básica. Pensam que o amor já estava pronto. alguns professores apresentaram conceitos matemáticos falhos no desenvolvimento das atividades e. de caráter qualitativo. a próxima oficina passará por aprimoramentos. que inquieta. julgada. A metodologia utilizada é o Design Experiments. com os outros e com os outros de si na forma de uma ascese. antes de ser experimentado. se ocorreram mudanças nas suas práticas de leitura com o ingresso no curso de Pedagogia em séries iniciais do ensino fundamental. concluindo que ocorreram mudanças nas práticas de leitura da professoras-aprendizes com o seu ingresso no curso. A análise de dados foi realizada a partir de categorias que emergiram nas diferentes histórias narradas. A pesquisa como experiência. Por meio da analise desses primeiros resultados. Chamam de amor esse querer escravo.. inspirado nos princípios fenomenológicos existencial tendo como recurso de coleta de dados a história oral temática. verificou-se que a maioria dos professores conseguiu alcançar o processo de instrumentalização e que o ambiente dinâmico propiciado pelo software GeoGebra colaborou para a instrumentação. MODALIDADE A DISTÂNCIA Shenia D’Arc Venturim Cornélio (UFES) Esta comunicação tem por finalidade expor resultados de uma pesquisa exploratória. A acolhida daquilo rompe. Aprendizagem significativa. Processos de Subjetivação. Vida. A aposta na coragem em trabalhar as relações consigo. caracterizada por um estudo de caso. da re-constituição de processos de subjetivação potentes encharcados na experiência de um bendito sim! à vida – para além do ressentimento e das promessas de algo idealizado. algumas pessoas confundem isso com amor.relações de dependência e submissão. explicada. Afinal. desdobramentos e re-invenções) dos acontecimentos no campo educativo. Palavras-chave: Educação a distância. foi realizada em um laboratório de informática da PUC-SP. Buscou investigar. paixões tristes. formatado. que estuda a transformação de um artefato em instrumento. . inseridos na variável de aprendizagem do Design Experiments. O referencial teórico subjacente é a Abordagem Instrumental de Pierre Rabardel. tal como expressa Moska. desenvolvida no Grupo de Pesquisa Tecnologias e Meios de Expressão em Matemática. descrita neste trabalho.. MUDANÇAS NAS PRÁTICAS DE LEITURA DAS PROFESSORAS-APRENDIZES COM O INGRESSO NO CURSO DE PEDAGOGIA. na perspectiva dos professores-aprendizes.. A GÊNESE INSTRUMENTAL NA INTERAÇÃO COM O GEOGEBRA: ANALISES INICIAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UMA OFICINA PARA PROFESSORES DE MATEMÁTICA Sergio Vicente Alencar (PUC/SP) Celina Aparecida Almeida Pereira Abar Este trabalho apresenta os primeiros resultados de uma pesquisa de dissertação de Mestrado Profissional em Ensino de Matemática do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). procedência. escolhida por permitir a realização de uma avaliação formativa para executar e refinar projetos educacionais. Foram sujeitos da pesquisa doze professorasaprendizes.. o trabalho genealógico (emergência. Porém.

sobre as próprias práticas da escrita. No papel de professora-pesquisadora. O objetivo desse estudo é investigar em um curso online as inovações e potencialidades comunicacionais que a articulação do Moodle e Second Life (SL) trazem para a educação online. a mediação docente e a interatividade em ambientes virtuais e. Em suma. Palavras-chave: Teoria histórico-cultural. com organização de ações pedagógicas no desenvolvimento humano e ênfase à análise da capacidade discursiva na infância. comprometida com a formação do leitor/produtor de textos autônomo. a observação participante e a análise de conteúdo. as potencialidades comunicacionais do Moodle e do SL. Hipótese: sob o enfoque de Vigotsky. Suas questões de estudo são: a) que diferenças e similaridades surgem na mediação docente no Moodle e no SL no que tange à interatividade?. b) como foram exploradas as especificidades dos recursos e das interfaces de cada ambiente virtual em questão? c) quais são as possibilidades e desafios que surgem para a educação online a partir da utilização do Moodle e do SL? O referencial teórico está estruturado a partir de três eixos: cibercultura e educação. em ações mediadas pelo uso de prática cultural da linguagem oral e escrita. um criador de elos à apropriação da linguagem oral e escrita. ao professor. PRÁTICAS DA ESCRITA E MULHERES ESCRITORAS. A pesquisa adotou a perspectiva qualitativa. a articulação eficiente do Moodle e do SL requer a mediação docente capaz de promover a interatividade e a construção coletiva do conhecimento. Análise dos dados: gerou considerações sobre o ensino e a aprendizagem. e do SL como ambiente de comunicação e colaboração. Organização do trabalho pedagógico e Contexto de aprendizagem A ARTICULAÇÃO DO MOODLE E SECOND LIFE EM CURSOS VIA INTERNET Tatiana Stofella Sodré Rossini (Estácio de Sá) Marco Silva A mediação docente e aprendizagem em cursos via internet encontram-se desafiadas a superar a prevalência das práticas presenciais unidirecionais em ambientes virtuais. Objetivo: tratar da revisão do elemento componente de atividades pedagógicas. esta é uma ação possível. alunos e educadores como agentes ativos de transformação e produtores de sua história. com o homem como parâmetro. atentei à atividade da criança.A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NO CONTEXTO DAS ATIVIDADES DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA Silvana Paulina de Souza (UNESP) Cyntia Graziella Guizelim Simões Girotto O texto apresenta resultados da pesquisa de Mestrado para estudo da influência do meio. mediados pela linguagem escrita em contextos significativos e suas contribuições ao desenvolvimento humano. relação ocorrida em situação pedagógica. à escola. Conclusão: foi possível afirmar que. o espaço de vivências e mediações. organizada intencionalmente pode ser propulsora de aprendizagem humanizadora. mulheres inseridas em classes de EJA e que efetivam a prática da escrita em cadernos e . Seus resultados revelam que: a) o SL proporcionou a construção coletiva do sentimento de pertencimento e da participação dos cursistas e. DA LITERATURA ÀS SALAS DE EJA Thais Surian (UNESP) Maria Rosa Rodrigues Martins de Camargo O trabalho tem como objeto de estudo o que dizem. Com intuito das discussões recorrerem a suportes teóricos coadunados entre si. a Teoria histórico-cultural foi eleita a base às demais proposições e a garantia da coparticipação do aprendiz em sua própria formação com aplicação de técnicas da pesquisa-ação. b) o desenho didático e a mediação docente utilizaram o Moodle como ambiente de proposição da aprendizagem e repositório de conteúdo.

que analisam a escrita no âmbito das práticas culturais e em Perrot. a leitura do gênero científico para as crianças e em que momento a leitura se constituiu como atividade. no ano de 2009. Tais práticas desafiam para outras questões. que teve por objetivo compreender como ocorre a atividade de leitura do gênero de divulgação científica em classes de ensino fundamental.escrita de mulheres – EJA próprio adquirido no contexto das experiências vivenciadas em sala de aula (GREEN. o modelo de texto e as orientações da professora não explicitavam as diferenças entre gêneros e tipos textuais. 2004). 1984. destacando como o “gênero perfil” foi produzido em sala de aula. Optouse pela análise das ações desenvolvidas pela professora e pelos alunos no momento da produção textual. pela contribuição no campo da história das mulheres e suas práticas. no sentido de Leontiev (1978. contribuindo para outros/novos olhares para a EJA. Palavras chave: Práticas da escrita . A pesquisa se inscreve nos estudos sobre letramento escolar e gêneros discursivos. Especificamente. especialmente por se tratar de mulheres escritoras com escolaridade incompleta. visando dois aspectos: como a professora da classe propiciou. 2003). Os resultados apontam que é possível propor LETRAMENTO ESCOLAR E ADOLESCÊNCIA: A PRODUÇÃO DO GÊNERO PERFIL Valéria Barbosa de Resende (UFMG) O presente texto pretende analisar um evento de letramento. A pesquisa contemplou vários instrumentos e procedimentos de investigação. 2005. se apóia em trechos de observação e entrevista.textos. causando dúvidas (produzir uma história ou um perfil?) PALAVRAS-CHAVE: Letramento escolar. compartilho os resultados obtidos em uma classe de 3º ano do ensino fundamental de uma escola estadual localizada na região de Marília-SP. aponta elementos que ampliam a visão das práticas da escrita. históricas se dá essa produção. Buscamos suporte teórico em Chartier e Certeau. nesta comunicação.e em que condições materiais. 2004). também. visando desvelar o saber . Scott. Trata-se de uma pesquisa filiada a vertente dos Novos Estudos sobre Letramento. como instrumentos previstos pela pesquisa do tipo etnográfico. culturais. O material de análise compõe-se pelo questionário (levantamento das práticas). realizado por alunos adolescentes de uma escola da Rede Municipal de BH/MG. de inspiração etnográfica. todavia. 2006). por pessoas adultas. A análise norteou-se por eixos temáticos delineados nos textos teóricos. gênero textual. Levantar e analisar essas práticas. da perspectiva de linguagem de Bakhtin e dos autores que estudam o ato de ler textos. Os dados gerados foram analisados de acordo com a metodologia de análise microgenética e segundo os pressupostos da Teoria Histórico-Cultural. Adotou-se uma metodologia de natureza qualitativa. assumindo como perspectiva teórica a linguagem em sua natureza social e dialógica. compreender o que move a escrita dessas mulheres-sujeitos de um meio social . que se interessa pelas “práticas locais ou situadas” de letramento (STREET. escrita LEITURA E ATIVIDADE: O GÊNERO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA EM UMA CLASSE DE TERCEIRO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Vanessa Alves do Prado (UNESP) Apresento. Constatou-se que a atividade gerou oportunidades de aprendizagem quando envolveu os adolescentes na produção de um texto descritivo (gênero perfil) e na elaboração das ilustrações dos personagens criados por eles. entrevistas e material escrito disponibilizado. Beauvoir. CASTANHEIRA. a ilustração aparece como mais um modo de configurar o discurso (KRESS. 2003). nesta comunicação. ZAHARLICK. resultados parciais da pesquisa defendida recentemente no Programa de Pós-graduação em Educação da Unesp de Marília. produzida enquanto ação humana (BAKHTIN. Por outro lado. cultural e étnico-racial. promoveu. na obra Quarto de Despejo e nas fontes materiais coletadas. a parte que aqui apresento. DIXON. o debate sobre diversidade social. A obra Quarto de despejo de Carolina Maria de Jesus é referência para pensar tais práticas.

verificando a correspondência entre um universo educacional ideal e um universo educacional real. é um ator de quem depende a continuação do processo que é marcado por sua presença e ação: o caminho se faz ao caminhar. É na e com a linguagem que conhecem o mundo. Leitura. Palavras-chave: Ensino de Tecnologia. Assim. Neste sentido. A linguagem. Em sequência. rodas de conversas e entrevistas. que as motivem. Ensino fundamental. utilizando as concepções de Daniel Gil Pérez e Amparo Vilches. A avaliação da disciplina. Como um subproduto da dissertação. mas demonstrando que a constituição da ética e estética musical (o respeitar o gosto do outro e interagir com o mesmo) também são aprendizagens. UMA EDUCAÇÃO LIBERTADORA ATRAVÉS DO ENSINO DE TECNOLOGIA A EXPERIÊNCIA DO INSTITUTO DE TECNOLOGIA ORT Vitor Soares Mann (UNIRIO) Este trabalho apresenta algumas das ideias desenvolvidas e discutidas na dissertação de mestrado denominada “A EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA NO ENSINO FUNDAMENTAL: Da Teoria à Prática Desenvolvida no Instituto de Tecnologia ORT”. já que o pesquisador não está à margem. já que a arte é o social em nós. Está presente em inúmeras práticas sociais. é organizada e fundamentada culturalmente. Palavras-chave: Gênero de divulgação científica. pois ética e estética são indissociáveis. É uma pesquisa categorizada como“intervenção”. no que diz respeito ao conceito de violência simbólica. oficinas. Myriam Krasilchik e Georg J. a Psicologia da Arte de Vigotski. o trabalho apresenta a constituição sócio-ideológica da disciplina Introdução à Tecnologia. a presente pesquisa teve como objetivo trazer algumas reflexões sobre os fazeres e saberes da linguagem musical na educação da infância numa abordagem histórico-cultural. é constituinte dos sujeitos. o primeiro momento deste artigo define o que é uma alfabetização científica e tecnológica e quais as suas implicações na formação de indivíduos esclarecidos. e que podem criar novas necessidades e modificar o conhecimento que elas têm acerca do ato de ler esse texto. este trabalho retoma as conceituações teóricas e as conduz a um diálogo com o projeto educacional concreto desenvolvido pelo ORT. Metodologia Didática . não no sentido metodológico. Palavras-chave: linguagem música – educação. este artigo discute como o ensino de tecnologia pode consolidar-se como uma ferramenta educacional para o esclarecimento. Na conclusão. ao relacionar a linguagem da vida e a linguagem da arte. nas suas diferentes manifestações. procurando promover uma contraposição entre teoria e prática. DO CONCEITO À FORMAÇÃO DA ESTÉTICA: A QUESTÃO DO GOSTO MUSICAL NA INFÂNCIA Virna Mac Cord Catao (UFRJ) As crianças são agentes sociais plenos. assim como Bourdieu.situações de ensino da leitura do texto científico que coloquem as crianças em atividade. sendo impregnada de valores e significados atribuídos pelos sujeitos que a produzem e que a apreciam. foi construída utilizando as ideias de Aureli Caamaño. uma inovadora proposta educacional consolidada pelo Instituto de Tecnologia ORT. Para a realização da mesma foram adotados alguns procedimentos metodológicos como observações diretas do campo. Por fim. Hennig sobre metodologia didática. que se referem ao que conhecem do mundo e ao como conhecem o mundo. A música como linguagem artística é de natureza social. apresentamos questionamentos e redirecionamentos às práticas de musicalização. Alfabetização Cientifica e Tecnológica. ensaios. São produtoras de cultura e são por ela produzidas. a visão crítica de Adorno e Horkheimer sobre a indústria cultural. Como fundamentação teórica apresentamos os estudos da linguagem de Bakhtin.

Foi realizado um estudo de caso de um grupo de professores de Matemática que atuam na EJA. Esse trabalho movimenta numa metodologia que busca nas redes de conhecimentos dos praticantes com a escola e com o currículo a sua aposta política na publicidade da amizade como potência na expansão da vida.AS PRÁTICAS DE ESCOLARIZAÇÃO DE FAMÍLIAS RURAIS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE FAMÍLIAS NEGRAS. Neste trabalho buscou-se pensar a vida como obra de arte a partir de uma demanda ética. O descompasso da formação inicial para os professores da EJA. Buscou-se neste trabalho compreender a produção dos sujeitos escolares com os discursos do currículo e da sexualidade. São João del-Rei. Legitimando saberes em via de mão-dupla. O objetivo foi verificar se tais práticas se diferenciam de acordo com o pertencimento racial das famílias pesquisadas. do currículo e com o corpo que se recusa assumir uma identidade. Falando a mesma língua. tomando como referência uma perspectiva cultural dos saberes docentes e discentes. UM ESTUDO SOBRE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE EJA NA PERSPECTIVA DA ETNOMATEMÁTICA André Luiz Gils (UFF) Maria Cecilia de Castello Branco Fantinato O presente texto apresenta os resultados de uma dissertação de mestrado. contestadas e ressignificadas. Questões raciais. O trabalho sinalizou para a necessidade de uma formação específica dos professores da EJA. Palavras-chave: Famílias rurais. Esse trabalho se justifica por perceber de forma implicativa que o mundo não está pronto e que outras possibilidades de expansão da vida são cotidianamente inventadas. a produção do sujeito da modernidade com os discursos da escola. Num diálogo implicante com as muitas histórias contadas e das redes de conhecimentos que nos tramam foi possível fazer a crítica como cuidado epistemológico e metodológico a cientificidade de um paradigma que na modernidade foi se tornando hegemônico nas atitudes da modernidade. ver e transformar. MESTIÇAS E BRANCAS DO POVOADO DE GOIABEIRAS. SÃO JOÃO DEL-REI. Palavras-chave: Educação de Jovens e Adultos. traduzida e capturada pelas políticas de inclusão e exclusão. MG Alexandra Resende Campos (UFF) Este trabalho apresenta os resultados de uma pesquisa de mestrado que consistiu em realizar um estudo comparativo sobre as práticas de escolarização empreendidas por famílias negras. Utilizaram-se como referencial teórico pesquisas pertencentes ao campo da Sociologia da Educação que estudaram a relação família-escola de um lado e a relação educação e relações raciais. mas por um conjunto de circunstâncias atuantes presentes na dinâmica das famílias. escrever. que buscou investigar as contribuições da perspectiva da Etnomatemática para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) e para a formação de professores. estética e política praticada na publicidade das relações de amizade. julgar. com os modos de falar. Os resultados indicaram que as distinções existentes entre as práticas de escolarização empreendidas pelas famílias podem ser explicadas. A análise das mesmas apontou para seis temas: As marcas da formação inicial para as práticas docentes na EJA. da sexualidade. Formação de professores. não pela dimensão de raça. e Contribuições da formação continuada para a prática docente na EJA. Etnomatemática. narrar. Práticas de escolarização SEXUALIDADE(S) E CURRÍCULO(S): PRÁTICAS COTIDIANAS QUE NOS ATRAVESSAM PRODUZINDO EXPERIÊNCIAS Alexsandro Rodrigues (UFES) Esta pesquisa problematiza a partir da experiência empírica. de outro. mestiças e brancas que habitam o povoado de Goiabeiras. Na investigação foram utilizados instrumentos com características etnográficas. . O papel do professor na permanência e interesse dos alunos da EJA. onde a entrevista foi o principal instrumento de coleta de dados. MG e que possuem filhos em idade escolar.

com base na abordagem de pesquisa autobiográfica. por um lado. apontando em que medida esta relação. Resistência Étnica. uma metodologia composta por três partes: (1) uma redação autobiográfica individual. analisando os fenômenos sociais e culturais de resistência étnica. sociedade. de lutas étnicas e culturais através dos jogos realizados no contexto das escolas da cidade de Vitória/ES. Cultura. Ele é resultado de vivências e experiências em Escolas Públicas e ainda na militância dos Movimentos Negros de Vitória e Guarapari. educação. Esse trabalho tem como objetivo refletir sobre o trabalho com jogos em uma escola municipal de Vitória ES. Neste sentido. para a sua realização pelo homem. utilizaremos como fonte documentos e estudos de autores sobre a história dos jogos no contexto escolar de Vitoria. O intuito deste está em mostrar como a conscientização. no âmbito coletivo. compreender quais são os discursos que competem na construção da identidade “aluno” dos jovens participantes da pesquisa e. A opção do método para a realização desse trabalho é a historiografia. por outro. Palavras chave: Paulo Freire. Assim. . A análise dos depoimentos dos participantes mostrou que. Para tanto.639/2003 que institui a obrigatoriedade do Ensino de História e Cultura Africana e Afro-Brasileira. SUJEITOS DA ESCOLA OU SUJEITOS À ESCOLA? UM ESTUDO SOBRE A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DE "ALUNO" NO ENSINO MÉDIO Carolina Real Assis Ribeiro (PUC/RIO) Este artigo tem como objetivo apresentar a fundamentação teórica e os resultados obtidos por uma pesquisa desenvolvida no âmbito de um mestrado em educação. cerne e objetivo da teoria educacional freiriana. o conhecimento das contradições e antagonismos da sociedade. este trabalho procurou ressaltar similaridades e diferenças na relação entre as visões de conscientização e de sociedade em ambas as referidas obras. convidamos dois grupos de jovens do Ensino Médio de uma escola pública na zona sul do Rio de Janeiro para participar de oficinas de elaboração de um vídeo. a fim de que ele possa desenvolver sua capacidade crítica e assumir a condição de sujeito transformador dos problemas e desafios sociais e empenhar-se. Seus objetivos foram. Schiller (1990). REFLEXÕES SOBRE O TRABALHO COM JOGOS NA ESCOLA: FENÔMENOS SOCIAIS E CULTURAIS DE RESISTENCIA ÉTNICA Heloisa Ivone da Silva de Carvalho (UFES) O artigo aqui apresentado é parte de um Pré Projeto de Mestrado na linha de Pesquisa Estudos históricos e sócio-culturais da Educação Física e das Práticas Corporais apresentado no processo seletivo 2011/1. homem. da primeira obra para a segunda. pretendeu fornecer elementos para que pensemos como se deu o processo de resistência. apesar de apresentarem dilemas semelhantes próprios da fase de transição e do contexto socioeconômico em que vivem. Palavras. pela transformação destes e de si próprio. bem como da sua concepção de transformação social. a partir de literaturas sobre as relações etncorraciais no Brasil pautadas em Athaide e Moraes (2003). avaliar como as situações de expressão individual e de interação permitem que essas identidades se (re)elaborem. Desenvolvemos.CONSCIENTIZAÇÃO E SOCIEDADE EM PAULO FREIRE: PESQUISANDO A EDUCAÇÃO COMO PRÁTICA DE LIBERDADE E A PEDAGOGIA DO OPRIMIDO Bruno Botelho Costa (UNICAMP) Este trabalho apresenta um estudo sobre os conceitos de "conscientização" e "sociedade" nas obras "Educação como prática de liberdade" e "Pedagogia do oprimido" do pensador e educador brasileiro Paulo Freire. (2) a elaboração coletiva de um roteiro de inspiração autobiográfica e (3) uma entrevista individual. entre outros autores e a Lei 10. os jovens elaboram de formas diversas suas identidades e projetos de trajetória de vida.chave: Jogo. conscientização. requer. representa um movimento de radicalização da sua crítica e proposta para a educação.

particularmente nas questões relacionadas à teoria dos “corpos dóceis” e sociedade disciplinar. atuação geográfica dos inspetores e bedéis. inspetores. normas e valores relacionados à conduta dos alunos. é uma das regiões mais industrializadas da Itália. não são suficientemente eficazes para impedir as ações que burlam o disciplinamento. Para a realização da coleta de dados na Itália foram selecionadas quatro cidades: Reggio Emilia. e com as marcas do mundo do consumo contemporâneo. campus de Marília/SP. como parte de tese de doutorado desenvolvida junto ao Programa de Pósgraduação em Educação da Unesp. Torino é denominada pelos próprios italianos como a cidade mais europeia da Itália e. especificamente quanto ao aspecto da organização do trabalho pedagógico institucional com foco na gestão das escolas. ESTUDANTES NA MODA: A PRESENÇA DA SOCIEDADE DE CONSUMO NO COTIDIANO ESCOLAR. Lipovetsky. Assim. Produções de Arte Contemporânea são utilizadas para auxiliar na abordagem deste momento contemporâneo. Disciplinamento. as contribuições de Deleuze no que se refere à existência da sociedade de controle. professores. é uma cidade muito tranquila. trazidos do mundo exterior para o ambiente escolar. Os resultados revelam a presença das marcas. suas funções e recursos facilitadores para melhor orientar e executar o controle e a ocupação dos espaços: estrutura das salas de aula. tomando o corpo social quase em sua totalidade e generalidade e. na disciplina Arte. pais. do estilo de . E. denominada pelos milaneses de frenética. Silvio Gallo e Leandro Petarnella no desvendamento da presença nas relações pedagógicas das relações entre consumo e mundo contemporâneo. Pistóia. os conceitos de Bauman sobre mudanças de paradigmas sociais da experiência individual humana e sua história. os indícios da cultura de consumo enquanto presentes na indumentária e objetos escolares portados pelos alunos. dos logotipos. tendo como ponto de referência os projetos arquitetônicos. mesmo os mais sofisticados e sutis. pela técnica de entrevista oral com diretores. Torino e Milão. Claudia Regina Rech Rossoni (UNISO) Maria Lucia de Amorim Soares Este trabalho procura identificar nos alunos. A ARQUITETURA COMO AÇÃO DISCIPLINADORA: PANÓPTICO E SINÓPTICO Cláudia Martins Ribeiro Rennó (UNISO) Vania Regina Boschetti A pesquisa faz um estudo sobre os mecanismos disciplinares em seus diferentes componentes. ainda na década de 1960 e por ser uma experiência reconhecida mundialmente. Traz. tem como referências teóricas de apoio Bauman. oferece suporte à análise das questões levantadas e permite realizar duas considerações importantes: os mecanismos disciplinares evoluem em técnicas cada vez mais sutis. Os procedimentos adotados envolvem a análise de desenhos produzidos por alunos das 7as e 8as séries. Escola. Para tanto. alunos. que frequentam o Ensino Fundamental II. A cidade de Pistóia que vive um período de grande motivação dos pais para participação nos serviços para a primeira infância. liberdade de ir e vir. os recursos disciplinares. Barber e Don Slater enquanto filósofos e sociólogos pensadores da sociedade de consumo. Tem por referencial teórico: os escritos de Foucault. marcação dos tempos/períodos escolares. Milão. Sinóptico. quer entender como os alunos se relacionam com esses produtos. PALAVRAS-CHAVE: Panóptico. Reggio Emilia foi escolhida por ser a pioneira na promoção da participação comunitária na gestão da escola de educação infantil. embora grande e industrializada. Dal Ri Esse trabalho é resultado de pesquisa realizada em 2009. O trabalho teve como objetivo geral analisar as políticas educacionais nacionais propostas para a educação infantil. o viés empírico que. identificando as mudanças ocorridas a partir na década de 1980 no Brasil (Bauru-SP) e na Itália.A CULTURA DA PARTICIPAÇÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL NA ITÁLIA Cinthia Magda F Ariosi (UNESP) Neusa M.

Sociedade de consumo. ESQUECIMENTO E SOLIDÃO NO MUNDO CONTEMPORÂNEO. como forma de identificação e destaque dos escolares no ambiente escolar. desde que cada instituição ocupe o seu espaço e cumpra o seu papel. Trata-se de pesquisar o sucesso universitário dos egressos do sistema de cotas da UERJ. Realizamos 16 entrevistas com egressos de 10 cursos. A coleta de dados foi realizada no Colégio Adventista de Belo Horizonte. (BOSI. Teixeira. Dialogo com Fraser. no campo da educação superior. de cabelo. Queiroz e Zago. ideal de beleza. no contexto da proclamada laicidade do Brasil Republicano. independentemente da filiação religiosa. laico. sobretudo no que se refere à emergência e consolidação do Estado laico. visto proporcionar alternativas às famílias que buscam agregar à educação escolar os atributos da educação cristã. NAGLE. NOTAS PARA PENSAR A VIDA AFIRMADA E NEGADA EM NOSSAS ESCOLAS Danilo Augusto Santos Melo (UERJ) Walter Omar Kohan Este artigo pretende mostrar como as transformações sociais do mundo contemporâneo produzem alterações nos modos de vida individuais e coletivos a partir da instauração de uma crise das formas da solidariedade social e de uma forte emergência da figura da solidão. construíram sua permanência na universidade e terminalidade de seus cursos. enraizados nas práticas culturais e no imaginário coletivo. Palavras-chave: Confessional. o que dificulta e. por mecanismos difusos. A análise se sustenta nas formulações de Durkheim acerca da moral laica e de alguns de seus comentadores. a competição pela obtenção de empregos. As ações afirmativas têm a função de evitar que a discriminação ocorra por meio de normas de aplicação geral ou específica e. oriundos ou não de escolas públicas. instituição. posições de poder e autoridade social. por observação das aulas de Ciências e Educação Religiosa e de eventos. estruturais. A educação confessional nestas condições está em acordo com o projeto de um Estado laico. interesse da rede. Gomes. 1977. aplicação de questionários e realização de entrevistas. CURY.RIO) Apresentamos sucintamente uma primeira aproximação aos resultados de pesquisa de doutorado. Os resultados apontam para uma convivência não conflituosa entre o elemento confessional. Optamos por uma pesquisa qualitativa que utilizou a técnica de snowball. 2009). A discriminação sofrida pelos negros.roupa. PALAVRAS CHAVE: Educação. Tais mudanças se referem a um problema que afeta a consistência da memória social que garante aos indivíduos o A EDUCAÇÃO CONFESSIONAL FACE AO PRINCÍPIO DE LAICIDADE: UMA ANÁLISE DA PEDAGOGIA ADVENTISTA EM BELO HORIZONTE Daniel Antunes Ataides (UFMG) João Valdir Alves de Souza O objeto dessa pesquisa é a educação oferecida por uma escola confessional protestante. se traduz na outorga dissimulada de preferência no acesso à educação pública de qualidade a um grupo social em detrimento de outro. em certos casos inviabiliza. A educação oferecida pelo Colégio conta com a aprovação das famílias. EX-COTISTAS NEGROS DA UERJ: CAMINHOS TRILHADOS Daniela Frida Drelich Valentim (PUC. A pesquisa procura conhecer como os cotistas autodeclarados negros. e a dimensão secular do Estado. . principalmente. é possível distinguir dois caminhos trilhados pelos ex-cotistas: a condição de “estudante parcial” e o pertencimento a redes de solidariedade. Cotidiano Escolar. MEMÓRIA. 1994. aparelhos. Provisoriamente.

durante 3 anos. Os aspectos privilegiados nesse texto centram-se nas ações observadas no campo que evidenciam as tensões entre a cultura escolar e sua ação de conformação e as culturas infantis. a partir das práticas de socialização. a partir do referencial teórico-metodológico do qual me utilizo na pesquisa. individuais ou coletivas.sentimento de pertencimento coletivo. em especial na casa de candomblé. Nossas análises terão como ponto de partida a sociologia de Gabriel Tarde assim como a filosofia de Friedrich Nietzsche e apontam questões sobre a atualidade que interessam ao conjunto das ciências humanas. e desenvolvido a partir de uma Biblioteca Pública situada no bairro de Jardim América. busco discutir. a partir da sociologia da infância e do conceito de cultura escolar. explicitaram os elementos do campo colocando-os num contexto. que no caso do texto significa saber como os indivíduos se tornam filhos(as) de santo.UM ESTUDO SOBRE O PROGRAMA DE INCENTIVO A LEITURA DE UMA BIBLIOTECA PÚBLICA NA PERIFERIA CARIOCA Fabio Vicente Gonçalves Queiroz (UERJ) Elisa Maria dos Anjos O presente trabalho tem como objeto de análise um conjunto de projetos culturais de incentivo à leitura voltados para crianças e jovens de periferias intitulado “Livro de Visitas“. a Biblioteca se apresenta como um locus privilegiado de observação das distintas formas de apropriação não só do acervo literário disponibilizado como também das distintas práticas de espaço e representações sociais em jogo. e das experiências vividas. Nesse contexto. Corsaro e Sacristán. que se manifestam em situações de exclusão e conflito. sobretudo a partir das oposições entre bairro/favela. LIVRO DE VISITAS . busca-se também analisar em que medida a proposta de um espaço de sociabilidade entre os grupos sociais em questão pode se tornar um diferencial no acesso aos códigos da literatura infantil. AS CULTURAS INFANTIS COMO TÁTICAS DE RESISTÊNCIA Flávia Miller Naethe Motta (PUC/RIO) Este texto discute alguns achados de uma pesquisa de doutorado em Educação conduzida no Município de Três Rios. numa turma de uma Escola Pública Municipal. Palavras-chave: candomblé. cultura afro-brasileira religiosidade. identificamos que o mundo globalizado produz um esvanecimento dos laços sociais que se revela pela presença cada vez maior de um individualismo solitário e por uma espécie de ruptura com a condição futura do tempo que constitui o cerne da crise da solidariedade social. A questão central é saber como os filhos de santo interagem e se socializam. cujo objeto foi a passagem das crianças da Educação Infantil para o Ensino Fundamental e a ação da cultura escolar sobre as culturas infantis. Por localizar-se no . como os indivíduos tornam-se filhos(as) de santo visando introduzir a discussão sobre as práticas de socialização nas religiões afro-brasileiras. As referências teóricas que apoiam a análise destes aspectos foram produto de diálogos com conceitos de Foucault e Certeau na análise das estratégias de poder e das táticas de resistência encontradas nas práticas observadas e suas influências na subjetivação dos sujeitos. transformando os agentes sociais de crianças em alunos. contribuindo para o desenvolvimento do hábito da leitura nesse universo social. subúrbio da cidade do Rio de Janeiro. Os resultados da pesquisa apontam para uma ação das crianças como agentes sociais potentes e capazes de apresentar resistências às sujeições impostas pela cultura escolar. limite entre o bairro formal e a favela do Dique. Assim. SOCIALIZAÇÃO NO TERREIRO DE CANDOMBLÉ: UM ESTUDO SOBRE RELIGIOSIDADE AFROBRASILEIRA Eduardo Quintana(UFF) No texto. e suas trajetórias construídas em busca de um determinado objetivo. Sarmento. se transformam. vistas sob à ótica de táticas de resistência. se formam e. Rio de Janeiro.

PALAVRAS-CHAVE: saberes escolares. . foco dessa pesquisa. podemos propor ações diferentes junto à infância. A partir do contato com os estudos sobre a Cultura Visual. Literatura. pude perceber outras possibilidades de se pensar as infâncias. Logo.C. do que era concebível ou não a uma mulher daquela época. entre outros. Basil Bernstein e Raimundo Cuesta Fernandes.CONSTITUIÇÃO DOS SABERES ESCOLARES COMPREENDIDA PELOS CONCEITOS DE DISCIPLINA ESCOLAR DE CHERVEL. o fez pautado na observação da vivência. De que modo as imagens presentes no cotidiano escolar e também fora dele vão constituindo os diversos sujeitos infantis? De que forma estes olhares também nos educam? Será que temos educado para a padronização destes sujeitos? Neste sentido. PALAVRAS-CHAVE: Educação. conforme os diferentes modos como estes sujeitos se constituem no contato com a Cultura Visual. ao delinear a figura feminina e seu espaço. como no caso de autores da sociologia da educação como é o caso de Basil Bernstein e Cuesta Fernandez. em língua vernácula. Cultura. mas também do processo de constituição desses conteúdos. mas sem perder de vista a relação com o exterior. como o discurso masculino e a imagem feminina tornam-se mais evidentes na constituição do processo amoroso. recontextualização CONTRIBUIÇÕES DA CULTURA VISUAL PARA A EDUCAÇÃO: IMAGENS DE INFÂNCIAS Gabriela Silveira Meireles (UFJF) O presente trabalho consiste em um recorte de uma pesquisa de mestrado realizada entre os anos de 2006 e 2007 através do Programa de Pós Graduação em Educação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. o terceiro livro da Arte de Amar. por meio das contribuições de André Chervel. por meio do texto que se apresenta em versos trabalhados em dísticos elegíacos e resgatar a imagem feminina do século I a. que mobilizou os teóricos da década de 1980. C. Conte. Concluindo que a postura do enunciador é fruto do meio social que. pois é por meio do texto original. além de perpassar por teóricos que destinaram suas pesquisas ao universo clássico. disciplina escolar. com o objetivo de evidenciar as diversas concepções de infância no contexto escolar perpassadas pelas relações de poder. A análise pautou-se da perspectiva Fenomenológica. mais especificamente dos conceitos de disciplina escolar de André Chervel. o conceito de recontextualização de Basil Bernstein e o conceito de código disciplinar de Raimundo Cuesta Fernandez. como lidamos com seus corpos e suas experiências. que se conhece a história e cultura de um povo. não apenas ocupando-se da discussão da seleção dos conteúdos. o esforço de ter como foco o interior da escola. Percebe-se que o estudo sobre a constituição dos saberes escolares e sobre as disciplinas escolares requer. de perceber os modos como as percebemos. O referencial teóricometodológico adotado foi o dos Estudos Foucaultianos. Portanto. EDUCAÇÃO E A ARTE DE AMAR Giane Aparecida Sales da Silva Mota (UNISO) Este trabalho buscou possibilitar o ensino da língua latina.I a. a citar Veyne. Pretende-se com este trabalho evidenciar as convergências e divergências dos autores em relação à constituição dos saberes escolares e contribuir para a reflexão sobre o tema. RECONTEXTUALIZAÇÃO DE BERNSTEIN E CÓDIGO DISCIPLINAR DE CUESTA FERNANDEZ Flávia Roberta Torezin Liba (PUC/SP) Este trabalho tem como objetivo fazer uma reflexão sobre a constituição dos saberes escolares. juntamente com o dos Estudos Culturais. que concebe o texto como única prova e fonte fidedigna para se desvendar conceitos e aspectos da vida em Roma no séc. A discussão acerca do conhecimento escolar coloca-se como uma das questões centrais na educação. a obra serviu a um só tempo a aprendizagem da estrutura lingüística do latim da antiguidade clássica e possibilitou a compreensão dos aspectos literários que envolve a obra e que se faz necessário compreender. Bornecque. tanto na perspectiva de autores da história das disciplinas escolares como é o caso de Chervel.

EM TEMPOS PÓS? Gisela Pascale de Camargo Leite (UFRJ) Desde o chamado Cinema Educativo. Os alunos objetivaram o ensino da Língua Portuguesa na figura de um leão. introduzido oficialmente no Brasil por uma ação política cultural da era de Getúlio Vargas. identidade. pretende-se aqui repensar a antiga relação Cinema e Pedagogia e sua interface escolar – conhecimento. valores e saberes dos pescadores da Maré transmitidos pela tradição e educação no cotidiano mergulhados num universo cultural. a língua portuguesa apresenta este paradoxo que contempla ao mesmo tempo a soberania e a submissão. pois ela faz pensar. Investigo como os processos de produção e transmissão do conhecimento podem gerar um possível fortalecimento identitário. Universidade e a Cinemateca do Museu de Artes Modernas do Rio de Janeiro. Para discutir o conceito de memória dialogo com Le Goff. entrevistas com 27 alunos do ensino fundamental e com 10 professores. Considerando as dimensões culturais dessas relações que foram se estabelecendo no entrelaçamento da cultura de dentro e fora da escola. Inspirada e motivada por essa experiência que se propõe enquanto “escola de cinema” dentro da escola pública.A ANTIGA RELAÇÃO CINEMA E PEDAGOGIA. a objetivação e . Nosso principal objetivo é entender como as redes educativas do cotidiano (ALVES. Escola e Criação Pedagogia. Porém. com base na abordagem processual proposta por Serge Moscovici e Denise Jodelet. pois não consegue interpretar. em 1937. com ênfase nos dois processos de construção das representações sociais. São objetivadas pela ideia de que a norma culta é que dá o acesso. Ricoeur. 1999) podem fortalecer as identidades locais através da preservação da(s) memória(s) e história(s) dos pescadores da Maré. espaços educativos não-formais e museus comunitários. Nosso objeto de pesquisa são as práticas. interpretar. ancoragem. Candau. Cuche. pertencentes a classes empobrecidas. o presente estudo pretende afunilar ainda mais a questão voltando-se para uma experiência que articula Escola. Foram feitas observações das aulas de Português em 15 turmas. Os dois grupos se aproximaram na ideia de que o aprendizado da língua possibilita ascensão social. Esta ideia é reforçada pela crença de que o aluno que “fala errado” não pensa e diante disto não é capaz de aprender outras disciplinas. Para o conceito de identidade uso referenciais teóricos de Hall. tendo como campo de observação as aulas realizadas em 2010. A pesquisa foi realizada em uma escola pública em que os alunos eram. identificada por sua fala. Glaura Bensabat D’Aquino (UNESA) Zelinda Andrade Santos Monica Rabello de Castro Este estudo teve como objetivo analisar as representações sociais de alunos e professores de uma escola pública sobre o ensino da Língua Portuguesa. Cultura.1990). Hallbawchs. nesse artigo faço um recorte e enfoco como a memória é transmitida pela tradição ou pelo ensino (Le Goff . Tomaz Tadeu da Silva e Castells. Eclea Bosi. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE LÍNGUA PORTUGUESA POR ALUNOS E PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL. Os resultados mostraram que para os professores a representação de ensino da língua portuguesa ancora-se na origem do aluno. em sua maioria. Hobsbawm e Pollack. Adotou-se como referencial teórico para os dois estudos a Teoria das Representações Sociais. Para eles. Palavras-chave: Cinema. As entrevistas foram tratadas por análise de conteúdo temática. PRESERVANDO A MEMÓRIA DOS PESCADORES DA MARÉ ATRAVÉS DE PRÁTICAS EDUCATIVAS Helena Maria Marques Araújo (PUC-Rio) Meu doutoramento entrelaça memória. outras inúmeras ações governamentais e nãogovernamentais foram sendo constituídas diversificando a quantidade de projetos relacionados à Educação Audiovisual passando por constantes transformações em que se estabelecem novas relações com as leis de incentivo a cultura e assim por diante. questionário para 50 professores. cultura e poder – de acordo com os desafios da educação contemporânea numa perspectiva de currículo sob a ótica interdisciplinar dos Estudos Culturais.

Concluímos que as práticas curriculares multiculturais atentas à diversidade étnico-raciais e às identidades plurais são fundamentais para garantir o direito à educação de qualidade e a formação para a cidadania. gestores e alunos. de modo particular. a presença de investidores estrangeiros na educação latino-americana em geral e. ocasionando na diminuição dos locais para os infantes poderem brincar. no âmbito escolar. se configuram como política curricular direcionada ao combate ao racismo. O postulado maior para o . Põe-se a prática como princípio explicativo geral para toda e qualquer transformação humana. Estabelece-se a prática mercantil. Investigaram-se os aspectos do tempo. verificando como elas contribuem para promover a educação das relações étnico-raciais. Lei 10. pedagogos. Partilhar noções de pertencimento a um grupo social são fundamentais na construção de uma cidadania ativa. relações étnico-raciais e multiculturalismo. no resgate de uma memória feliz (RICOEUR. Palavras-chave: Prática curricular. por conseguinte. A pesquisa desenvolvida situa-se no campo de estudo sobre currículo. SOBRE A CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL José Maria de Paiva (UNIMEP) O objeto deste trabalho é procurar uma explicação de como se fez a presente civilização ocidental. espaço e liberdade como fatores imprescindíveis para a construção da cultura da criança.639/2003 “EPISTEMOLOGIA” HEGEMÔNICA E A INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA José Eustáquio Romão(UNINOVE) Nos últimos anos. CURRÍCULO E DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL NA MATERIALIADE DA LEI 10. é um fenômeno que vem chamando a atenção dos pesquisadores e dos policy makers do setor educacional. que é estudada no contexto europeu do século X em diante. Por oito meses. a análise documental e a entrevista semiestruturada. multiculturalismo. A progressiva extensão e a intensidade do fenômeno respondem aos ditames das políticas de reestruturação dos Estados Nacionais e do re-arranjo de sua posição no concerto internacional.639/2003 Joao Carlos Pio de Souza (PUCMINAS) A Lei 10. também. cultura e identidade dos negros. Para alcançar tais objetivos. identificamos e caracterizamos projetos e práticas curriculares.639/2003 tornou obrigatório o ensino da História da África e da Cultura Afro-brasileira e suas Diretrizes Curriculares Nacionais.Metodologicamente nos utilizamos da história oral numa pesquisa de inspiração etnográfica analisando as entrevistas feitas com 12 pescadores da Maré. utilizando procedimentos e técnicas a observação. como também o processo de urbanização que se desenvolve nas grandes cidades. afeta a produção da cultura infantil construída na rua e que está presente. na educação superior brasileira. procurando compreendê-las sob a dinâmica organizacional pedagógica. Visou investigar a materialidade das práticas curriculares em duas escolas de Contagem/MG. até então considerado de “baixa intensidade” relativamente à incidência da globalização hegemônica. educação das relações étnicoraciais. Concluiu-se que o encontro destes fatores constitui entrave que prejudica o brincar e o jogar das crianças e que. 2007) para a reinvenção de sociedades mais justas e democráticas. à garantia de reconhecimento e à valorização da história. Essa movimentação transforma o campo educacional. optamos pela pesquisa qualitativa. A CULTURA INFANTIL DAS RUAS Hergos Ritor Froes de Couto (UNINOVE) O presente estudo teve como objetivo verificar a importância das manifestações lúdicas como atividades que estimulam a imaginação e a criatividade de crianças no espaço da rua. em alvo de intensa atividade do processo global de acumulação capitalista. relacionando estes saberes com a educação física escolar. considerando a visão e o papel dos atores: professores.

internet CRIANÇAS E FAVELAS: PERCEPÇÕES. . A prática mercantil se assenta sobre o distanciamento. periferia. mas a maneira mais adequada de enfrentá-los assim como a compreensão dos diferentes condicionantes em que ela se dá. distanciamento VIOLÊNCIA ESCOLAR: UM PANORAMA TEÓRICO SOBRE SEU SIGNIFICADO Joyce Mary Adam de Paula e Silva (UNESP) Sonia Lopes Lanzoni O presente trabalho apresenta uma reflexão sobre algumas definições sobre violência escolar no quadro da violência social como um todo. A razão última pela qual se fez este incurso na civilização ocidental. A pesquisa revela uma intensa interação on-line entre jovens moradores de um mesmo bairro além de comunidades virtuais criadas em função desse pertencimento. Conclui-se pelo estabelecimento do distanciamento como regra das relações.desdobramento da hipótese proposta é realidade da pessoa e a ênfase em sua unidade. São privilegiados. que se explicita em individualismo e em racionalidade. que privilegia a pessoa como agente de tudo o que acontece socialmente. foi a necessidade de se interpretar de forma nova a educação. MEDIAÇÕES E SENTIDOS Juliana Maddalena Dias (UFJF) A temática da favela tem sido abordada no ensino de Geografia como um espaço de ausências. Palavras-chave: juventude. Assim. dois "espaços" de observação para compreensão da dinâmica dos processos de socialização e sociabilidade: uma lan house e comunidades sobre Nova Contagem no site de relacionamentos Orkut (www.Nova Contagem -. e se proporem ações que estejam atentas aos fundamentos da forma de ser da sociedade atual. o universo on-line “reflete” as diferentes construções das relações e dimensões simbólicas entre centro(s) e periferia(s)? A Internet se configura como espaço invisível de territorialidades onde há apagamento de distâncias geográficas e ou sociais? Com esse trabalho espera-se evidenciar alcances etnográficos que acabam por ponderar. incitando os educadores a sair das observações cotidianas. Existe um silenciamento da pluralidade presente entre os espaços e lugares de seus moradores. A noção de periferia é problematizada enquanto categoria de análise. principalmente de infraestrutura urbana. Afinal. promovendo dificuldades para a gestão de conflitos na instituição escolar. principalmente. Metodologicamente. Palavras-chave: Civilização Ocidental.orkut. assim como seus sentidos simbólicos e identitários nas narrativas dos jovens. prática mercantil. se analisam as relações entre mercador e comprador. empregando-se os princípios gerais da História Cultural. Destaca-se a importância da definição sobre o que é violência e o que muitas vezes é apresentado como tal. no contexto do ciberespaço e na produção acadêmica. A partir do estudo de diferentes autores que discutem a questão da violência escolar buscamos refletir e apresentar alguns encaminhamentos de como enfrentar as situações de conflito tomando como referencial os diferentes elementos que influenciam a produção e reprodução da violência no ambiente escolar. referência espacial. trata-se de uma análise conceitual. Concluímos o trabalho destacando que o entendimento e as medidas de prevenção da violência escolar não têm como finalidade a abolição dos conflitos. VIVÊNCIAS JUVENIS DO BAIRRO À INTERNET: A "PERIFERIA" NA (E DA) REDE Juliana Batista dos Reis (UFMG) É possível pensar na idéia de uma periferia na ou da Internet? A partir de uma perspectiva etnográfica essa pesquisa busca descrever algumas práticas juvenis que supõem a formação de vínculos e relações que implicam em determinadas maneiras de vivenciar um bairro de “periferia” da Região Metropolitana de Belo Horizonte .com). buscando-lhe os impulsos maiores. obrigando o estudioso a tomá-la em sua historicidade. confrontar ou ratificar algumas construções teóricas sobre as periferias.

do dizer de si. meu foco de análise se deu naquilo que os estudantes me apresentaram acerca de seus pensamentos sobre as favelas. Análise do Discurso. é pertinente uma investigação sobre como as crianças percebem e concebem a ideia de favela. com relação à saúde. CIDADE E PROCESSOS EDUCATIVOS: CIEPS E PEU BAIRRO ESCOLA NO CAMINHO DAS CIDADES EDUCADORAS Leticia de Lima Viana (UERJ) Esta pesquisa parte da Carta das Cidades Educadoras para avaliar como o espaço urbano das periferias pode também ser usado como espaço para a educação e construção crítica dos alunos e não se configurarem no imaginário construído apenas como espaços de exclusão e violência. A partir dessa relação entre experiência e espaço. ao longo de todos esses anos após sua criação. possibilitando uma reavaliação de sua posição como equipamento educacional e cultural. O PEU Bairro-Escola e seus respectivos projetos em aplicação no município de Nova Iguaçu revela uma iniciativa pública de reestruturação e requalificação - . O estudo aborda duas iniciativas no estado do Rio de Janeiro como paradigma: uma anterior ao conceito de “Cidades Educadoras”. pois traz ao centro da discussão. tão necessário. Propomo-nos a levantar as representações acerca da morte em discursos manifestados por alunos do Ensino Médio. apontar em que medida. Escrita de si. a terceira fase do autor. A partir deste pressuposto. ao falar de sua relação sobre a morte. e outra posterior e atual. me apoio na discussão de Yi-Fu Tuan sobre topofilia. A topofilia permite pensar os gostos. lugar e percepção. demonstra a interdição da morte e a relação paradoxal que existe entre este interdito. busquei através do desenho infantil um instrumento de interlocução com os sujeitos a fim de que eu pudesse me aproximar da questão investigativa. Este falar. Para alcançar esse objetivo. Além de. Dessa forma. Sustenta-se por pressupostos teóricos da AD de linha francesa e em Foucault. Os CIEPs foram utilizados como paradigma arquitetônico principalmente por terem sido espaços diretamente pensados para o Programa Político Pedagógico da época por Darcy Ribeiro e Oscar Niemeyer. apontar os efeitos de sentido que emergem nas falas de sujeitos que vivenciaram perdas significativas nos últimos cinco anos e mostrar como tais efeitos e representações se materializam linguisticamente. ao menos pelos heróis cujos nomes eram eternizados quando perdiam a vida em combate. A conclusão nos aponta para a importância deste estudo para a área da educação. em uma disciplina que se coloca na busca por um olhar crítico na formação do cidadão. Em última instância. cheiros e sensações sobre um lugar. o PEU Bairro-Escola de Nova Iguaçu. espaço. se na cultura contemporânea são inúmeros os modos do sujeito tecer sua aprendizagem espacial.justamente. Para tanto. Pretendo apresentar o que os alunos não moradores de favelas. transformaram as relações com o adoecimento do corpo humano. O corpus analisado são entrevistas realizadas pela autora. inseridos em seus contextos percebem e como concebem suas ideias de favelas. a vida e a morte. a partir do silenciamento e a necessidade exposta no discurso sobre ela. a morte outrora desejada. com alunos do ensino médio. passa a ser vivenciada pelos moribundos nos hospitais. os Centros Integrados de Educação Pública. esta pesquisa tem como objetivo geral contribuir para repensar a educação. no discurso dos que perderam entes queridos. mas a pessoa humana que precisa falar. Neste sentido. e a pesquisa focou-se no nas sensações sobre as favelas e nas mediações das experiências com este espaço. não o sujeito na condição de aluno. as favelas serão apresentadas através da percepção das crianças. o sujeito se ressignifica. Palavras-chave: Morte. ter passado por sérias modificações em seu estado físico e em seu PPP. A ESCOLA COMO ESPAÇO DE ESCRITA DE SI: ENTRE A INTERDIÇÃO DA MORTE E O DESEJO DE CONFISSÃO Juriene Pereira da Silva (Universidade São Francisco) Márcia Aparecida Amador Mascia Os avanços ocorridos a partir do século XVIII.

muitas vezes. constrói sobre violência em meio escolar e compreender as implicações de tais percepções na sua prática docente.chave: Violência na escola. a sexual.chave: violência em meio escolarprática docente – percepção de professores O QUE PENSAM ADOLESCENTES SOBRE AS VIOLÊNCIAS NA ESCOLA Liliana Pereira Lima Azevedo (UNINOVE) Elaine Teresinha Dal Mas Dias Objeto de pesquisa – o imaginário de adolescentes sobre a violência na escola e como se vêem inseridos nesta questão. como um todo. Ambos os públicos consideram a violência além da física. violência escolar e social. como a psicológica. o trabalho dos professores. ao passo que para os da pública o papel da escola é basicamente sua socialização. Ficou claro que um não “agir docente”.urbanística de periferia. são combustíveis propulsores para que outras formas de violência surjam no ambiente escolar. Avalia a relação ensinoaprendizagem dos discentes dentro e fora de 4 CIEPs em municípios da Baixada Fluminense. da rede particular de ensino e da rede pública de ensino. O embasamento teórico está centrado nos trabalhos desenvolvidos por Charlot. mas não demonstram serem reponsáveis pela produção da violência. entrevistas e coleta de depoimentos. caracterizando.Para os da escola particular o desrespeito quanto à qualidade de ensino é um dos fatores. A pesquisa permitiu compreender que os professores fazem uma distinção entre violência do trabalho docente e violência no trabalho docente. imaginário adolescente sobre a violência na escola. Snyders e Lahire. deve-se à desvalorização material e simbólica da profissão.no que se refere ao abandono e degradação do prédio da escola estadual. PERCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE A VIOLÊNCIA EM MEIO ESCOLAR E A PRÁTICA DOCENTE Lucas Silva (PUC/MINAS) Sandra Pereira Tosta O texto apresenta pesquisa realizada entre em 2009 e 2010.Edgar Morin. Os principais referenciais teóricos foram: os estudos sobre a gênese da violência. tendo como objeto a violência em meio escolar e os seguintes objetivos: analisar a percepção que um grupo de professores de uma escola do ensino fundamental de Contagem – MG. e aqueles que analisam a violência na dimensão da cultura. vistos como “naturais”. entrevistas com público-alvo 18 adolescentes na faixa etária entre 14 e 18 anos. naturalizam e individualizam a violência. Resultados: O que chama a atenção quanto às duas populações de escolas públicas e particulares. à baixa remuneração e condições precárias de trabalho. arquitetura. sob o enfoque da teoria da complexidade. afetando negativamente professores e alunos. e quando são produtores ou coadjuvantes. A metodologia empregada foi o Estudo de Caso com procedimentos de observação sistemática. Palavras-chave: educação. a falta de identidade com a escola por parte de professores e alunos e. em geral são meros espectadores ou vítimas. sobre clima escolar. Urbanismo. A metodologia empregada se baseou tanto por meio da . PROCESSOS DE SOCIALIZAÇÃO E CONFLITO CULTURAL Lúcia Matias da Silva Oliveira (PUC/SP) Esta pesquisa tem como objeto o desvendamento de elementos presentes na relação entre professores e alunos. Palavras. reproduzindo estigmas. procurando elencar os principais novos territórios onde estão acontecendo as ações educativas nas periferias. a verbal. 2. Palavras. Referencial teórico. intrafamiliar e estrutural. Política essa que vai de encontro às políticas do governo federal como o Mais Educação e as novas propostas de educação integral defendidas por Moacir Gadotti e Jaqueline Moll. nas diferentes disciplinas curriculares. a tipificação da violência na escola. são dois fatores: 1. esses elementos. Metodologia – Qualitativa.

para discutirmos o aspecto sóciohistórico-cultural da linguagem a partir do conceito de Ideologia. a pesquisa aponta a partir dos perfis de professores e alunos e de seus processos de socialização. sala de aula A GESTÃO DEMOCRÁTICA E OS DIREITOS HUMANOS NAS ESCOLAS DE PERIFERIAS Luciana Borges Lisboa (UERJ) Luiza Maria Martins Chaves A Gestão Democrática vem sendo praticada nas escolas públicas brasileiras como parte de um conjunto de medidas cujo objetivo essencial é o de concretizar a participação dos cidadãos na escola. confronta-se com posições assumidas pelos alunos que impedem a consecução de seus objetivos cognitivos. elegemos Mikhail Bakhtin. a partir do entendimento de que estamos diante de “diferenças” e que nem tudo deve ser considerado como “falta”. sociais e culturais. Os Direitos Humanos. a promoção dos direitos civis. desempenharem atribuições deliberativas. o poder. 2002 e 2009). fiscais e mobilizadoras no sentido de envolver e valorizar a comunidade escolar e local. Inúmeras discussões levantadas na atualidade centram-se nas dificuldades encontradas para gerir o processo ensino-aprendizagem. políticos. A pesquisa mostrou que os alunos consideram o idioma como importante degrau para o crescimento profissional. Periferia. Como cada sujeito pesquisado se apropria da língua inglesa e do que ela traz consigo? O que as falas refletem e refratam? Como referencial teórico. a ordem são demandas que têm resvalado em sérios desafios para o professor que. muitos estudos preocupam-se com as conseqüências que estes fenômenos trazem ao trabalho docente. de duas escolas estaduais na zona sul da cidade do Rio de Janeiro. A LÍNGUA INGLESA COMO UM SIGNO IDEOLÓGICO Luciana Maria Saldanha Kuenerz (UFF) Este trabalho é um recorte da dissertação de mestrado apresentada na Universidade Federal Fluminense em 2010. dos documentos internacionais e agregou questões da realidade nacional em torno da democratização. Palavras – chave: relação professor-aluno. No Brasil. A aproximação dos Direitos Humanos à gestão democrática nas escolas públicas periféricas é possível a partir da articulação e engajamento comum em torno da conquista e fortalecimento dos direitos civis. Desse modo. desde a Declaração Universal (1948) tem publicizado. nossa preocupação aqui será buscar as “causas” de tal situação. em nível mundial e local. quanto por meio de entrevistas semi-estruturadas. Algumas contribuições de autores da Linguística Aplicada perpassaram a análise dos dados de forma subordinada à abordagem bakhtiniana. consultivas. as causas dos conflitos surgidos na relação professor-aluno no espaço de sala de aula para. a autoridade. Conselhos Escolares. daí o interesse no aprendizado da língua. buscar a compreensão dos fenômenos que interferem na relação entre os sujeitos e que muitas vezes. na maioria das vezes. cultura escolar. da gestão escolar e. A disciplina. como instrumento de inserção social. em turnos diurnos e noturnos. Pesquisamos oito alunos trabalhadores e não trabalhadores. o Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (2006) incorporou aspectos do Programa Nacional em Direitos Humanos (1996. a partir dessa discussão. políticos e humanos como princípios norteadores das relações que se estabelecem na escola e com as instâncias públicas nos níveis meso e macro no desempenho da organização da sociedade brasileira. além disso. econômicos. Na verdade. Palavras-Chave: Direitos Humanos. Apesar de demonstrarem algum nível de letramento no . com as Secretarias de Educação e o Ministério da Educação. ou seja.observação sistemática das rotinas. cujo alcance propiciará a intervenção nas políticas públicas destinadas às escolas. por meio dos Conselhos Escolares. dificultam os processos de interação entre eles. sobre as expectativas de alunos do ensino médio estadual em relação ao aprendizado da língua inglesa. da justiça social e também da construção de uma cultura da paz. cursando o 1º e 3º anos do Ensino Médio. de forma a tomarem parte da organização institucional.

Extensão. entre outros. eles não reconhecem esse saber como advindo da escola. Cotidiano. Jameson (2006). As discussões partem da Tese defendida no Programa de PósGraduação em Educação (PROPED) da UERJ. o objetivo desse trabalho foi investigar as repercussões provocadas nas percepções de 37 adolescentes de 8as séries do Ensino Fundamental. Práticas Culturais juventude permitindo a reflexão sobre o contexto social e sua inserção no mesmo. Mendes (2007). Língua Inglesa . O nosso objeto de pesquisa é o bullying que vem adquirindo visibilidade em nosso país. em especial na perspectiva da atualização identitária que resulta desses fazeres cotidianos (Certeau. Diferença e Valores. ILUSTRAÇÕES SOBRE BULLYING E SUAS REPERCUSSÕES NAS PERCEPÇÕES DE ADOLESCENTES Marcos Vinicius Francisco (UNESP) Nesse estudo abordamos alguns dos elementos contidos na dissertação de mestrado defendida junto ao PPGE da FCT/UNESP. o fazer da extensão universitária nas universidades públicas”. no âmbito do Laboratório Educação e Imagem da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação. 2001). Imersa no cotidiano desses alunos essa língua se tornou um poderoso signo ideológico bastante almejado. 1994. Rocha Júnior (2008). A intenção é compreender as formas pelas quais esses sujeitos apropriam-se dessas práticas. Hall (2003). IDENTIDADES E PRÁTICAS COTIDIANAS Mailsa Carla Pinto Passos (UERJ) Diony Maria Oliveira Soares Este texto aborda o trabalho que vem sendo desenvolvido na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) pelo grupo de pesquisa Culturas e Identidades no Cotidiano. Nosso trabalho focaliza aspectos das relações étnico-raciais vigentes no Brasil contemporâneo a partir do estudo de práticas culturais de sujeitos afro-brasileiros. O referencial teórico é orientado pelos autores tais como Laclau e Mouffe (2004). sobre situações de bullying através da aplicação das pranchas ilustrativas contidas no questionário SCAN-BULLYING elaborado por Ana Almeida e Maria Jesus Caurcel. As investigações nesses contextos têm contribuído para a produção de conhecimento relacionado ao processo da identidade afro-brasileira. No que diz respeito ao que os alunos acham da REFLEXÕES EPISTEMOLÓGICAS SOBRE AS POLÍTICAS CULTURAIS NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PARA A FORMAÇÃO DA JUVENTUDE Patrícia Maneschy Duarte da Costa (UERJ) Esse artigo aborda o referencial epistemológicoteórico e introduz a reflexão sobre as ações na Extensão Universitária no desenvolvimento das políticas culturais implicadas para a formação da .universo da língua inglesa. Agier. Mendonça (2003). Palavras-chave: Afrodiáspora. como uma dentre várias dimensões da violência escolar. intitulada “Universidade. campus de Presidente Prudente-SP e da linha de pesquisa: Processos Formativos. O foco desencadeador tem sido a produção artística e as memórias que emergem de conversas. Realizar projetos culturais na universidade demanda a compreensão da cultura não como objeto de entretenimento ou adicionar “algo mais” à formação. Lopes (2007). mas identificar a cultura inerente à subjetividade e interlocução entre o futuro profissional e a inserção social Palavras-chave: Juventude. A metodologia surge no percurso da investigação em que as microssociologias contribuem para compreensão do ator social como produtor e instituidor do discurso e da realidade por meio de relações sociais estabelecidas a partir dos grupos envolvidos e suas escolhas políticas no quotidiano. E recorta para o seu desdobramento em uma pesquisa-ação na qual se percebe ações no fazer dessa política. Cultura. política cultural e juventude: o saber. oficinas e encontros viabilizados entre artistas afro-brasileiros/as e as comunidades que compõem escolas públicas do estado do Rio de Janeiro.Inserção Social – Globalização DIÁLOGOS COM A AFRODIÁSPORA: CULTURAS. Nessa perspectiva.

história de bullying contida nas ilustrações, 70,30% acreditam que as situações ocorrem de forma proposital e 67,60% acham injusto e incorreto. E com relação aos aspectos de duração e frequência, 32,40% dos alunos apontam que muitas vezes acontecem em seu cotidiano situações semelhantes às contidas nos desenhos. Dessa forma, fica evidente o quanto precisamos intervir no combate ao bullying, bem como oferecer maiores problematizações frente à temática. Palavras chave: bullying; violência; escolares.

“comunidade surda” e modifica sua autopercepção identitária atribuindo um valor positivo à condição surda. Palavras-Chaves: Representações Sociais,LIBRAS, educação inclusiva.

ACONTECIMENTO(S) SENSÍVEIS RESSOAM: FRAGMENTOS DELEUZIANOS PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Marta Bastos Catunda (UNISO) Marcos Antonio dos Santos Reigota A educação é sempre um desafio entre meios e suas ambiências: subjetivo (mental), ambiental (ambiente) e ético-político (relações sociais) que Felix Guattari identifica como ecosofia. A motivação principal destes fragmentos resultou de um Seminário realizado a partir o texto de Gilles Deleuze (1981) sobre a obra do artista e pintor Francis Bacon intitulado: A lógica da sensação. O artista abre áreas de contato com nossa sensibilidade e o pensador segue os fluxos e fluidos da matéria pensante. A partir deste movimento complexo entre criar e pensar é possível motivar situações que despertem a sensibilidade. No caso da pesquisa em andamento sobre a percepção sonora este pensar complexo, na diversidade dos contextos ambientais interessa para por em movimento: o Acontecimento da educação. PALAVRAS CHAVE: Arte. Educação ambiental. Cotidiano escolar. Sensação

A REPRESENTAÇÃO SOCIAL DA LIBRAS EM SUJEITOS SURDOS BILINGUES E A INCLUSÃO SOCIAL Mariana Gonçalves Ferreira de Castro (UNESA) Pedro Humberto Faria Campos O presente trabalho objetivou estudar a representação social da Língua Brasileira de Sinais por sujeitos surdos bilíngües, com o intuito de conhecer a importância atribuída a esta língua por estes sujeitos na construção de uma identidade positiva própria. Buscou-se também compreender, as relações entre cidadania real e o aprendizado desta língua. Vivendo em uma sociedade majoritariamente não falante da língua de sinais, os sujeitos surdos estão cotidianamente marcados pela a exclusão. Foi adotada a entrevista semi-estruturada, realizada com 16 surdos profundos bilaterais, adultos, ativos profissionalmente, bilíngües e com nível de escolaridade de ensino médio ou superior. As entrevistas foram realizadas em LIBRAS, filmadas, e posteriormente traduzidas para a Língua Portuguesa. O material colhido foi tratado como um corpus de discursos. Os resultados apontam como principais categorias de análise: a) dificuldades com a oralização; b) A inibição ou proibição de contato com outros surdos; c) o bilinguismo como essencial à inserção social positiva dos surdos; d) a LIBRAS como língua que “favorece o desenvolvimento do pensamento”; e) a “Oralidade” e a estratégia de “copiar o comportamento dos ouvintes. Pode-se inferir que os sujeitos pesquisados atribuem grande importância ao domínio da LIBRAS como fator de cidadania, sendo essencial à própria formação da

PEDAGOGIA DA CONVIVÊNCIA: ELZA FREIRE – UMA VIDA QUE FAZ EDUCAÇÃO. Nima Imaculada Spigolon (UNICAMP) Este trabalho sobre Elza Freire constitui-se dos resultados de pesquisa de Mestrado, realizada entre 2006/2009, na UNICAMP, num recorte temporal de 1916 a 1965, identificando suas contribuições e influências para Educação Brasileira e, em particular, Educação de Adultos. Ressaltamos “Pedagogia da Convivência”, expressão formulada por nós a partir das relações estabelecidas por Elza e Paulo Freire no campo da Educação, após o casamento em 1944,

quando a investigação assume outra dimensão. Na proposta de analisarmos a consolidação das experiências com Adultos, nos remetemos à gênese desta Educação no Brasil, para pesquisar Elza no processo, sob o contexto sóciopedagógico e político-pedagógico. Como metodologia utilizamos aportes da abordagem qualitativa, estruturados numa lógica indutiva, destacando-se diversas fontes documentais incorporadas ao mapeamento bibliográfico, manuscritos de Elza, por fim as não documentais. Concluímos que ao analisarmos sua trajetória pessoal, formação acadêmica e atuação profissional, Elza contribuiu para re-significação deste campo de pesquisas, ao identificarmos seu legado para Educação e sua participação no pensamento e na práxis Freirana. Palavras-chave: Elza Freire; Paulo Freire; Educação de Jovens e Adultos.

pudemos reconhecer a criatividade e os limites de atuação desses jovens em meio a tantas exigências colocadas por essa sociedade, assim como a ausência da atuação do poder público, principalmente em relação à educação no sentido de oferecer aos jovens e criar outras vias de reconhecimento de sua identidade como alternativa ao consumo. UM LUGAR PARA A EXPERIÊNCIA E SUAS LINGUAGENS ENTRE OS SABERES E PRÁTICAS ESCOLARES: PENSAR A INFÂNCIA, O ACONTECIMENTO E O CUIDADO DE SI NA PRÁXIS EDUCATIVA Pedro Angelo Pagni (UNESP) A presente pesquisa aborda o problema da experiência e de suas possíveis linguagens entre os saberes e práticas escolares, com vistas a contribuir para uma prática de pensar que provenha da infância, decorra do acontecimento e provoque uma atitude ética de cuidado de si por parte dos sujeitos da práxis educativa. Objetiva encontrar nas categorias filosóficas contemporâneas de acontecimento e de infância, bem como nos gêneros da linguagem poética e do testemunho, as possibilidades de pensar a experiência na práxis educativa, de modo distinto daqueles que a elegeram como conceito fundamental das teorias pedagógicas ou que a desprezaram. Para tanto, reconstrói uma genealogia da conversão da práxis educativa em arte pedagógica, em suas relações com a infância, seja como seu objeto de governo, seja como seu sujeito, denunciando os estados de dominação que as constituem e indicando o seu potencial de resistência ao existente. Argumenta pela tese de que esse acontecimento irrompe na dimensão estética da experiência e concorre para interromper a ordem discursiva, dando o que pensar aos sujeitos da práxis educativa e provocando o cuidado de si como uma atitude ética, que se encontra articulada com uma estética da existência. Assim, esta pesquisa busca um lugar para a experiência entre os saberes e práticas escolares e de suas linguagens. Palavras-chave: Experiência; linguagem; filosofia da educação.

OS DESAFIOS DA INCLUSÃO DO JOVEM NA SOCIEDADE DE CONSUMO: AS ALTERNATIVAS ENCONTRADAS POR JOVENS DA PERIFERIA DA ZONA OESTE DE SÃO PAULO/SP Paula Nascimento da Silva (FEUSP) Maria Cecília Cortez Christiano de Souza Diante da emergência do tema da juventude nas diversas áreas do conhecimento, em especial nas pesquisas no campo da Sociologia e da Psicologia da Educação, o presente trabalho objetiva contribuir para o entendimento da relação entre os jovens em situação social e econômica desprivilegiada e as exigências da sociedade de consumo. Especialmente num momento de altos índices de desemprego e em que as mídias enfatizam a participação de uma parcela desses jovens em atividades ilícitas, sem esclarecer as condições que esses sujeitos têm que enfrentar, as pressões do grupo e a violência das periferias das metrópoles. Nossa pesquisa tem como objetivo geral compreender a forma com que jovens moradores das periferias das grandes metrópoles brasileiras têm vivido a sociedade de consumo por meio da discussão teórica e da pesquisa de campo com os jovens atendidos pelo Grupo de Assistência Social Bom Caminho, localizado na Região de Raposo Tavares, periferia da zona oeste de São Paulo/SP. Dessa forma

PROCESSOS IDENTITÁRIOS E PRÁTICAS CULTURAIS DE AFRO-BRASILEIROS: UM ESTUDO SOBRE OS MOVIMENTOS NEGROS E OS NEGROS EM MOVIMENTO Renata Aquino da Silva (UERJ) Esse texto é fruto de um estudo que se propôs a refletir sobre as práticas culturais de afrobrasileiros na cidade de Petrópolis, Região Serrana do estado do Rio de Janeiro que, nas emergências no/do cotidiano, desenvolvem táticas de ressignificação da metanarrativa sobre a contribuição das populações negras para as culturas brasileiras. Aprofundei nesta pesquisa os conceitos de diáspora, identidade e atualização identitária, tendo como referencial teórico Gilroy (2001) e Certeau (1994) a fim de compreender como sujeitos afro-brasileiros, nos seus cotidianos, desenvolvem táticas que deflagram movimentos outros, não-hegemônicos que pressupõem uma estética e uma ética diferenciadas ou a reversão de uma hegemonia. Procurei aprender com praticantes que fazem o quiproquó: pessoas que contam a história a contrapelo, que desconstroem o discurso de que as populações negras macularam a cultura brasileira, mas que vivem a participação dos negros na cultura brasileira como força e potência criativa – sujeitos que ao se narrarem rompem com um ideal estético-cultural eurocêntrico.Encontros e conversas foram usados como procedimentos metodológicos, que contemplam a bibliografia. A metodologia usada na pesquisa é caracterizada como qualitativa e utilizei como estratégia o estudo de caso de pessoas que experienciam outras formas de identidade afro-brasileira ao inventar e reinventar suas identidades no cotidiano. Palavras-chave: movimentos identitários, práticas culturais, políticoeducação.

sentido de contribuir para a construção de uma Pedagogia da infância que respeite as especificidades desse grupo étnico. Dentre as metodologias qualitativas existentes, me apropriei de fontes documentais e orais. Nas fontes documentais incorporei bibliografia de periódicos, livros, dissertações e teses, fotografias, documentos. As fontes orais foram acessadas segundo a orientação das metodologias da Etnografia e da História Oral. Apresento o resultados parciais da pesquisa realizada em um dos Centros Municipais da Educação Infantil, formado originariamente por imigrantes pomeranos. Apresento o percurso histórico do conceito de assimilação traçado por Willems passando pela biologia e por algumas apropriações da Sociologia, para chegar a opção teórica adotada nesta pesquisa. Também me aproprio das contribuições de Florestan Fernandes e dos autores da Sociologia da infância, para compreender as crianças como sujeitos sociais, produtoras e reprodutoras das culturas infantis de forma ressignificada. Busco enfim, contribuir para a construção de uma Pedagogia da Infância multicultural e multilingue que promova relações dialógicas equitativas entre crianças pertencentes a universos culturais e sociais diferentes, sobre a base do reconhecimento do direito a diversidade. Palavras-chaves: infâncias, educação infantil, imigração

A IMPRENSA COMO ESPAÇO LEGITIMADOR DE UM PROJETO NACIONAL DE EDUCAÇÃO: O DIÁRIO DE NOTÍCIAS NA DÉCADA DE 1930 Rosângela Veiga Júlio Ferreira (UFJF) O presente texto discute o papel ocupado pela imprensa na década de 1930, concebendo-a como um campo privilegiado para a consolidação do ideário educacional. As fontes que sustentam as análises se pautam na obra jornalística da educadora Cecília Meireles, produzida no período de 1930 a 1933 para o jornal Diário de Notícias. O exercício hermenêutico deste trabalho investigativo que se operou em 827 crônicas escritas por Cecília e 148 reportagens que alternaram autoria entre alguns Signatários do Manifesto de 1932, buscou sentidos abrigados

CRIANÇAS POMERANAS: OLHARES SOBRE SUAS INFÂNCIAS Rosali Rauta Siller (UNICAMP) Este trabalho é parte de minha pesquisa de doutorado e tem como objetivo conhecer as especificidades das crianças pomeranas para apreender as infâncias vividas por elas, no

pela Página de Educação. A análise destes discursos possibilitou perceber que as ideias que apoiaram as discussões sobre o momento inspirado na Revolução de 1930 se sustentaram em dois eixos: Educação e Infância, tendo como cerne de ação a preocupação em informar e formar os adultos da família, da escola e do governo a respeito das especificidades que envolviam o processo de educar a criança diante dos desafios que emanavam do processo de consolidação de um projeto nacional de educação. A concepção que ora se apresenta é a de que a imprensa exerceu um papel primordial na consolidação de uma modernidade que não vem pronta, que é construída em interação com o que se integra ao processo educativo.

Palavras Chaves: Conhecimento histórico, História da Educação e Historiografia das Instituições Escolares.

ETNOGRAFIA COM CRIANÇAS NEGRAS NO COTIDIANO DE UMA ESCOLA PÚBLICA Sara Moitinho (PUC-RIO) O artigo é resultado de uma pesquisa que teve como principal objetivo conhecer e compreender as relações das crianças negras no cotidiano escolar de uma escola pública do município de Niterói. O principal referencial teórico utilizado foram os estudos sobre multiculturalismo e interculturalismo, assim como as pesquisas realizadas sobre relações étnico-raciais na escola, focando as crianças negras. Para a análise do estudo etnográfico, foram utilizados autores do campo da antropologia e dos estudos sobre sociologia da infância e da criança. A pesquisa de campo, de caráter qualitativo e inspiração etnográfica, foi realizada no primeiro semestre de 2008. Palavras-chave: Crianças negras; Perspectiva Multi / Intercultural; Relações étnico- raciais e Cotidiano escolar. A INFÂNCIA NOS DISCURSOS DA ANPED: UMA ANÁLISE DO CONCEITO DE CULTURAS INFANTIS Solange Estanislau dos Santos (UNICAMP) Este artigo apresenta o caminho e os resultados da pesquisa que analisou os estudos e os debates em educação sobre a infância e o que se denomina “cultura(s) infantil(s). Foi traçado como seu principal objetivo o mapeamento desses conceitos e a análise da forma como está ocorrendo a sua apropriação e consolidação através dos trabalhos apresentados no Grupo de Trabalho (GT) “Educação da criança de 0 a 6 anos” da Associação Nacional de Pesquisa e PósGraduação em Educação (ANPED) no período de 2000 a 2004. Os principais resultados obtidos indicam para: 1) a existência de uma hegemonia geográfica desses trabalhos, pois a maioria dos autores é de instituições acadêmicas das regiões sul e sudeste do Brasil; 2) uma forte tendência temática e teórica de estudos embasados na Sociologia da Infância, com ênfase em seu viés

NOTAS SOBRE O CAMPO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E A HISTORIOGRAFIA DAS INSTITUIÇÕES ESCOLARES Rosimeri da Silva Pereira (UNICAMP) Mara Regina Jacomeli Este artigo apresenta um trabalho de tese em andamento que tem como finalidade elucidar as especificidades da história dos primeiros grupos escolares em Campinas (1897-1940). O objetivo aqui, entretanto, não é o de apresentar os conteúdos de análise da história dos grupos escolares em pauta, mas sim o de desvelar um debate a respeito dos procedimentos que de certa forma vem garantindo o desenvolvimento do nosso estudo em questão – desse modo pretende-se explicitar o processo teóricometodológico da pesquisa de modo a ter, para com este, as devidas contribuições. A metodologia deste trabalho se limita na compreensão da produção do conhecimento histórico bem como na identificação e problematização das tendências de pesquisa no campo da História da Educação além da explicitação de um breve recorte de estudos realizados recentemente por pesquisadores brasileiros que se inserem na linha de investigação das instituições escolares no Brasil. Os resultados parciais demonstram que o fenômeno da ampliação do campo da história tem influenciado a escrita da história em geral e a história da educação em particular.

antropológico; 3) de um direção baseada na psicologia, com seus estudos sobre o desenvolvimento, passa-se a perspectivas históricas, filosóficas, sociais e culturais. A proliferação de discursos e problematizações em torno do tema é notável e observa-se a formação de um campo de disputas entre instituições políticas e campos acadêmicos e intelectuais, no sentido de determinar concepções, pressupostos e direções para essa dimensão da vida educacional. Em função de tal debate se observam os combates teóricos pela definição dos significados dos conceitos de criança, infância e educação. Palavras-chave: culturas infantis. Infância. Discursos.

Palavras-chave: patrimônio cultural; educação; trabalho.

A CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA: UM ESTUDO SOBRE INFÂNCIA, CULTURA E SUBJETIVIDADE Sonia Lopes Victor (UFES) Vívia Camila Côrtes Porto Suelen da Silva Sales Este trabalho investigou acerca dos processos constitutivos da infância da criança com deficiência, tendo como foco sua vida cotidiana com os seus familiares, na sua comunidade, e seu processo de escolarização concebido como fundamental para a construção do seu conhecimento e subjetividade. Para tanto, tomamos como aportes teóricos a abordagem histórico-cultural e a sociologia da infância. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa do tipo estudo de caso etnográfico que se desenvolveu em diferentes movimentos relacionados entre si. Realizamos assim, pesquisa bibliográfica, pesquisa de campo em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) de VitóriaES e, constantes reflexões e análises dos dados no grupo de estudo intitulado “Infância, Cultura e Subjetividade”. Os dados possibilitaram ao grupo o delineamento de alguns aspectos presentes na infância da criança com deficiência, dos quais destacamos neste texto a sexualidade e a afetividade. Palavras-chave: deficiência; infância; inclusão.

FORMAÇÃO E TRABALHO DA CONSERVAÇÃO E DA RESTAURAÇÃO DE BENS CULTURAIS NA PÓS-MODERNIDADE Sonia Aparecida Nogueira (UFF) Ronaldo Rosas Reis A comunicação se baseia na pesquisa de doutoramento que ora desenvolvemos no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFF e se insere no âmbito mais geral da pesquisa Trabalho, arte e educação no Brasil. Seu objeto de estudo e temática é a formação geral (propedêutica) e técnico-profissional em ofícios voltados para a conservação e a restauração de bens culturais. Partindo da perspectiva epistemológica do materialismo histórico e da dialética da totalidade, a pesquisa configura-se como de natureza exploratória, teórica, bibliográfica, e documental, tendo como objetivo analisar a necessidade, as contradições, e os desafios atuais colocados para a teoria, políticas e práticas da preservação do patrimônio cultural, bem como a resultante demanda por uma categoria profissional especializada. Desde o âmbito mais amplo das relações entre educação e trabalho, e da sociologia da cultura em particular, se pretende uma historicização e aproximação dos conceitos de memória social, documento, monumento, e patrimônio cultural, às categorias da teoria crítica marxista da economia política.

PESQUISA MULTICULTURAL: UM OLHAR PLURAL SOBRE A EDUCAÇÃO. Sônia Lucas (UFRJ) O presente artigo aponta para a perspectiva multicultural em pesquisa educacional e para dois objetivos centrais. Por um lado, tem como objetivo, apresentar as entrevistas realizadas com dois gestores de programas das redes públicas do Rio de Janeiro; e por outro lado, tem por objeto a análise dessas duas entrevistas, a luz dos pressupostos da educação multicultural, com a preocupação de discutir a possibilidade de

aproximação com os fundamentos de uma educação em direitos humanos e da gestão democrática e participativa. O ferramental teórico multicultural dessa análise (CANEN, 2009 a, 2009b, CANEN & MOREIRA, 2001, MOREIRA & CANDAU, 2003, CANDAU, 2003, 2008), se coaduna com a teoria crítica de análise dos discursos BURITY, (2010), LACLAU & MOUFFE, (1985). O estudo aponta para o caminho investigativo que privilegia a técnica da entrevista em busca de percepções sobre os discursos criados em torno da temática multicultural, constantemente, ressignificados nesses contextos, mesmo sem serem explicitados como tal. Os resultados obtidos pretendem enriquecer a discussão sobre os potenciais multiculturais em educação. Palavras Chave: Pesquisa Multicultural, Discurso, Educação Multicultural.

aprendizagem das relações afetivas e relacionais entre parceiros. Nesse contexto, para além das características culturais mais globalizantes, foram observadas variadas formas de agir e sentir em relação aos aspectos afetivo-sexuais e às identidades de gênero das jovens que participaram desse estudo. O LUGAR DA ARTE NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: CONFLITOS OU UTOPIA? Tatiane Maria Abreu (UNISO) Luiz Fernando Gomes O presente trabalho traz uma síntese a respeito da pesquisa realizada no município de Sorocaba entre os anos de 2008 e 2010, cujo objetivo foi compreender como a educação superior e as manifestações artísticas desta cidade se entrecruzam na vida dos estudantes e, conseqüentemente, na formação do cidadão. A pesquisa baseou-se em discussões sobre a necessidade da arte, a importância da arte no cotidiano e da educação superior contemporânea. A partir de estudos bibliográficos e documentais buscou-se identificar influências dos poderes públicos e privados no fomento e patrocínio da arte na cidade e analisar o currículo dos cursos universitários locais. Ao final chegou-se à conclusão de que a arte é necessária no currículo universitário e nas atividades promovidas na cidade de Sorocaba, especialmente aquelas que se afastam dos padrões da indústria cultural e do consumo, e que as formas de arte mais presentes na cidade e na universidade são as formas alienantes, não se configurando esse cenário, porém, como um conflito, já que ele se encaixa aos propósitos da formação para o trabalho e para o encaixe no sistema vigente PALAVRAS-CHAVE: Educação superior. Arteeducação. Cultura de massa.

A SEXUALIDADE NA TRILHA DAS EMOÇÕES: UM ESTUDO DO IDEAL ROMÂNTICO E MATERNO ENTRE JOVENS ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO Taluana Laiz Martins Torres (UNESP) Maria de Fátima Salum Moreira Apresentamos alguns resultados da pesquisa de mestrado defendida no programa de pósgraduação em Educação da Unesp de Presidente Prudente e que se insere na linha de pesquisa "Processos Formativos, Diferença e Valores". A investigação pautou-se pelo estudo das trajetórias afetivo-sexuais de garotas com idade entre 15 e 18 anos, estudantes do Ensino Médio de uma escola da periferia de Presidente Prudente/SP. Visamos a analisar como as suas concepções e práticas sobre, com e no exercício da sexualidade se relacionavam com suas formas de atribuir significados ao campo das emoções aí envolvidas. Foram utilizados os referenciais teóricos dos estudos sócio-históricos e culturais. Os procedimentos metodológicos de pesquisa ligam-se às abordagens qualitativas, de cunho etnográfico, sendo os instrumentos básicos para a coleta de dados: questionários, registros das observações diretas em caderno de campo e entrevistas semi-estruturadas. Os resultados obtidos revelam que a sexualidade juvenil configura-se enquanto um processo de

A PROBLEMATIZAÇÃO DAS DIFERENÇAS SEXUAIS NA ESCOLA A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS AUDIOVISUAIS Vagner Matias do Prado(UNESP) Arilda Inês Miranda Ribeiro Embora debates sobre as diferenças sexuais não sejam freqüentes na educação sexual, sexualidades LGBTT ganham representação nos ambientes escolares. Inspirados nos Estudos Culturais de inclinação pós-estruturalista problematizamos a construção das identidades sexuais visando fornecer subsídios para que educadoras/es reflitam sobre os processos de normatização que rondam as sexualidades e incluam esses conhecimentos em situações de educação sexual nas escolas. Para tal, a pesquisa bibliográfica foi utilizada como metodologia com o intuito de resgatar trabalhos que utilizaram os vídeos como disparadores de reflexões acerca da construção cultural das identidades LGBTT. O objetivo pautou-se em refletir sobre as potencialidades da utilização de materiais audiovisuais, na formatação de filmes, como recurso ao trabalho docente em educação sexual. Trabalhos de autores/as favoráveis a utilização de imagens e sons para potencializar o processo de ensino e aprendizagem em instituições escolares, também foram investigados. A pesquisa traz apontamentos de que materiais audiovisuais poderiam ser utilizados como recurso pedagógico junto a trabalhos de educação sexual comprometidos em desestabilizar a lógica heterossexista que marca as diferenças como contrárias a natureza humana. O trabalho foi disponibilizado para escolas estaduais de um município de São Paulo visando contribuir para a desconstrução das diferenças sexuais como atributos naturais dos sujeitos e combate à homofobia. Palavras-chave: Educação Sexual, Diferenças Sexuais, Materiais audiovisuais. A INTERFERÊNCIA DA CULTURA NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Vera Werneck (UCP) A pesquisa tem por objeto a relação da educação com a cultura, investigando como ocorrem as

tensões e os diálogos entre a educação como ação transformadora da sociedade e a cultura entendida como o resultado do agir e do fazer do homem. Estuda a interferência das práticas culturais nas reflexões pedagógicas e políticas da escola fundamental. Analisando as diferentes teorizações da cultura e as concepções de educação. Reconhecendo uma função pedagógica na cultura, quer saber em que medida e de que modo estariam as manifestações culturais contribuindo para o aprimoramento da prática pedagógica e ao mesmo tempo o como a educação estaria melhorando a produção cultural por torná-la mais adequada à dignidade e ao desenvolvimento humano. Como referencial teórico a pesquisa vai-se apoiar na Teoria dos Valores especialmente no pensar de alguns de seus teóricos como Max Scheler, Gobry, em pedagogos da atualidade como Luckesy e Perrenoud que entendem a educação como agente de transformação individual e social. Como metodologia vai utilizar a técnica da entrevista semidiretiva com diretores de escolas do Município de Petrópolis/RJ. No seu desenvolvimento vai focalizar especialmente as comemorações e festividades culturais incorporadas pela escola para chegar a algumas conclusões. Palavras-chave: Cultura. Ensino Fundamental. Prática pedagógica.

SABERES CONGADEIROS: CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO Vívian Parreira da Silva (UFSCAR) Aida Victoria Garcia Montrone Por meio de estudos das culturas populares é possível conhecer um pouco sobre as manifestações culturais do país, não apenas como folguedo ou espetáculo, mas como algo que se dinamiza, se modifica, e é parte importante na formação de identidades de grupos e sujeitos. O objetivo deste trabalho é descrever e analisar processos educativos presentes no Terno de Congado Marinheiro de São Benedito e apontar possíveis contribuições dos saberes congadeiros para a construção do pensamento em educação. A pesquisa foi realizada por meio de uma abordagem qualitativa. Como estratégia de

investigação, realizamos uma pesquisa participante. Como procedimento de coleta de dados, lançamos mão de rodas de conversa e diário de campo. Para realização da análise dos dados nos baseamos na metodologia de análise de conteúdo. A congada é uma manifestação que resiste, transforma e ensina, a partir dai percebemos diferentes maneiras de aprender e ensinar dentro de um grupo de congada. Para nos auxiliar nestas reflexões nos aportamos em autores e autoras que discutem em seus trabalhos as práticas sociais e os processos educativos, as africanidades bem como a valorização e reconhecimento dos saberes não escolares presentes nas culturas populares. Como resultado foi possível observar que no Marinheiro de São Benedito ocorrem diversos processos educativos relacionados a fé, a colaboração, a experiência de vida dentre outros. Todas estas maneiras de se educar dentro do grupo trazem características do viver em comunidade. Palavras-chave: Educação, Congada, Cultura Popular

questionados em relação às representações acerca dos diferentes locais de moradia, esta troca não os fez avançar de maneira mais significativa ou dialógica nas questões de alteridade. Percebeu-se também ser essencial a formação de educadores uma perspectiva intercultural. DIDÁTICA E MULTICULTURALISMO: EM BUSCA DE RESSIGNIFICAÇÕES NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES William de Goes Ribeiro (UFRJ) O presente ensaio se insere no conjunto de inspirações gerado a partir de nosso envolvimento na Prática de Pesquisa do Grupo de Estudos Multiculturais, sob a tutela do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na linha Currículo e Linguagem, imbricado na discussão “Educação e Cultura (s)”. Ademais, a imersão do presente autor numa Faculdade de Formação de Professores gerou dados e reflexões a respeito dos caminhos de uma proposta multicultural. Assumimos os riscos da metodologia intitulada pesquisa – ação, haja vista critérios de rigor e desenvolvimento. O escopo do atual estudo se concentra na possibilidade de ressignificação multicultural da didática na formação inicial de professores. Alguns autores brasileiros vêm nos proporcionando contribuições para repensar a didática para além de uma apropriação instrumental (CANDAU e GABRIEL, 2002; CANDAU e KOFF, 2006; CANDAU e LEITE, 2009; CANEN e SANTOS, 2009). Com base neles, alcançamos resultados que sugerem possibilidades, mas também limites e desafios. Palavras-chave: Multiculturalismo – Didática – Formação Inicial de Professores.

PROCESSOS DE CONSTRUÇÃO, RECONSTRUÇÃO E DESCONSTRUÇÃO DAS IDENTIDADES TERRITORIAIS NO COTIDIANO ESCOLAR Viviane Menezes de Amorim (PUC/RIO) Argumenta-se sobre o espaço geográfico como parte fundamental dos processos de identificação social. Nesta perspectiva, ao entendermos a escola como espaço de construção das representações, visões de mundo e valores dos educandos/as, as questões sobre identidade e diferença tornam-se fundamentais. Para tal foi realizado um diálogo entre diferentes autores das ciências humanas acerca do tema pesquisado. Houve ainda uma pesquisa de campo orientada por entrevistas coletivas inspiradas em grupos focais, e a resolução de dilemas morais, com educandos/as do primeiro e segundo anos do ensino médio noturno de uma escola pública localizada na zona sul do Rio de Janeiro. Concluiu-se que este território possui uma intensa diversidade cultural e que os estudantes se vêem positivamente trocando experiências entre suas diferenças. No entanto, ao ser

análise dos materiais escritos em sala de aula. procurando verificar quantos são os alunos surdos usuários de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e de IC e analisar se existem diferenças entre os citados grupos em relação à escrita. que tem sido potencializados com os usos e as problematizações produzidas/articuladas a partir dessa implementação. produção de textos. Oliveira (2003. A coleta dos dados será realizada por meio de entrevistas com os professores e familiares. apresentam desvantagens no processo de educação escolar em virtude da privação sensorial auditiva. como filmagens. na busca de novas práticas pedagógicas para o ensino desses alunos. na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio David Roldi. além dos registros em diário de campo das impressões obtidas nas situações vivenciadas em variados contextos. Palavras-chave: Currículos. Propõe caminhos teóricometodológicos das práticas de pesquisa com os cotidianos. dos processos de tessitura dos currículos. embora tenham acesso às informações acústicas do mundo que as rodeia e benefícios no desenvolvimento de linguagem oral após o uso do IC. Ferraço (2003. Redes. Morin (1996). Utiliza observações. ainda. OS CURRÍCULOS TECIDOS EM REDES NOS COTIDIANOS DE UMA ESCOLA PÚBLICA: SOBRE USOS E PROBLEMATIZAÇÕES DO DOCUMENTO “CURRÍCULO BÁSICO DA ESCOLA ESTADUAL” SEDU – ES Adriana Pionttkovsky Barcellos (UFES) O texto apresenta uma investigação iniciada acerca da implementação do documento da Secretaria de Educação do Estado do Espírito Santo . fotografias. Portanto. emergindo múltiplas possibilidades de tessituras dos currículos. Busca acompanhar um pouco das redes de saberes. torna-se necessário desenvolver trabalhos nessa área a fim de respaldar a atuação dos professores que trabalham com surdos usuários de IC. Sob essa ótica. documentos e entrevistas como procedimentos de pesquisa e. Adriana do Carmo Bellotti (UNESP) Luci Pastor Manzoli As crianças com surdez usuárias de implante coclear (IC). Palavras-chave: Escrita. observação e atividades de escrita propostas pela pesquisadora. Após a transcrição das entrevistas. Alves (2001. o presente trabalho tem por objetivo realizar um mapeamento nas escolas das redes pública e particular da cidade de Araraquara/SP. O presente estudo se define por uma abordagem qualitativa por favorecer a apreensão dos dados em seu contexto natural. A bibliografia consultada mostrou uma escassez de pesquisas na área do IC. O estudo utiliza articulações ligadas aos pressupostos teóricos de Certeau (1994). organização de ideias e compreensão da escrita. Implante Coclear. A pesquisa aponta ainda a compreensão de que nos diferentes espaçostempos cotidianos se tramam redes de relações e significados. fazeres e poderes que são tecidas e compartilhadas pelos sujeitos praticantes que atuam nesses espaçostempos como potência para as discussões de currículo. 2005). imagens. seus professores e familiares.SURDEZ E IMPLANTE COCLEAR: UM ESTUDO DA ESCRITA NA ESCOLA. 2007). outros instrumentos importantes no caminho investigativo.Currículo Básico da Escola Estadual – no Ensino Fundamental. Carvalho (2002) e Linhares (1999). Farão parte desse estudo os alunos surdos acima citados. LIBRAS. 2002). ainda. Cotidianos. os dados serão organizados de acordo com a realidade em pauta. localizada no município de São Roque do Canaã ES e. .

assim como se destacou a fragilidade no sentimento de confiança com relação aos professores e demais funcionários da escola. submetidos a um tratamento estatístico. Educação Infantil. Os resultados parciais de revisão bibliográfica demonstraram haver poucos trabalhos sobre o novo EF. REFLEXÕES SOBRE OS SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS À ESCOLA PARA ADOLESCENTES COM HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA SEXUAL Alex Sandro Gomes Pessoa (UNESP) Renata Maria Coimbra Libório O objetivo desse trabalho é apresentar e discutir o papel atribuído à escola por adolescentes com histórico de violência sexual e os diferentes significados construídos. elaboramos uma planilha e os dados coletados foram importados para o software SPSS versão 14. apresentamos algumas reflexões teóricas que se relacionam com o constructo resiliência. A devolutiva para a escola e seu núcleo administrativo poderá ser um instrumento valioso para subsidiar a práxis pedagógica e constituir-se como referência na formação continuada dos profissionais da educação. de caráter quali-quantitativo. e. Participaram 31 adolescentes. Voz infantil. Alevato e Codo). a dicotomia entre proletarização e profissionalidade docente (Enguita. Em seguida. sendo 9.3% do sexo feminino.0. Nossa metodologia. do Município de São Gonçalo. A pesquisa de campo. Junto aos participantes foi aplicado o questionário intitulado “Fatores de Risco e Proteção em adolescentes de Presidente Prudente”.O PROFESSOR. Os dados sugerem que a escola não ocupa necessariamente um espaço de proteção para todos os adolescentes participantes.274/06 ampliou a duração do EF para 9 anos com ingresso da criança aos seis anos de idade. Costa. Com a pesquisa em andamento. A pesquisa de campo foi realizada no município de Presidente Prudente (SP). Ernani Faria”. caso frequente instituições deste segmento educacional. O novo EF prescreve que a transição não ocorra de maneira abrupta. por fim. 6 e 7 anos e observação participante delas em seu percurso formativo da EI para o EF. Os resultados obtidos a partir da escuta das crianças poderão contribuir para resignificações do trabalho pedagógico a ser feito na saída da EI e ingresso no EF. Trabalho Docente. verifica-se que o sentimento de mal-estar docente possui como causas principais a desvalorização profissional e a intensificação das exigências profissionais. com a aplicação de questionário aos professores do Ensino Fundamental. compor-se-á de entrevista com crianças de 5. Palavras chave: Mal-estar Docente.7% do sexo masculino e 90. Nosso principal objetivo é analisar como tem se constituído este processo de transição da perspectiva das crianças que o vivenciam. está sendo realizada no “C. . Sacristán e Hypólito) e a questão da saúde do professor (Esteve. M. que consideramos indissociáveis. o que significa que ela deixará a EI um ano mais cedo. Inicialmente. O referencial teórico é baseado na obra de autores que discutem a organização do trabalho docente (Contreras e Veiga). Saúde. SUAS CONDIÇÕES DE TRABALHO E OS EFEITOS SOBRE SUA SAÚDE Adriana Silva Vieira (UFF) Esta pesquisa tem por objetivo analisar a atividade do professor e o modo como suas condições de trabalho podem se constituir como causas de um sentimento de mal-estar docente. de natureza qualitativa. A Lei n° 11. Palavras-chave: Ensino Fundamental de 9 anos. assim como os conceitos de indicadores de risco e proteção. escassez de pesquisas envolvendo as crianças e nenhum enfoque específico sobre a etapa de transição. demandando investimentos maciços acerca do presente tema. DO OUTRO LADO: A VOZ DA CRIANÇA NA TRANSIÇÃO DA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA O ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Adriana Zampieri Martinati (PUC/CAMPINAS) Maria Silvia Pinto de Moura Librandi da Rocha A transição da Educação Infantil (EI) para o Ensino Fundamental (EF) é o tema deste trabalho.

busca investigar as aprendizagens e reflexões sociais e políticas que alunos do último semestre do curso de Psicologia de uma universidade . observações sistemáticas. compreendendo a intrínseca relação entre o todo e as partes. Dentro de um contexto social mais amplo. que ainda carece de estudos para revelar os múltiplos processos de escolarização. ao incutir na mente dos novos cidadãos o valor civilizatório do trabalho. pretendemos contar uma velha história. pessoa com deficiência LIMITES E POSSIBILIDADES DA PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NAS ESCOLAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA Amanda Cristina Bastos Costa (UFJF) O presente texto apresenta elementos que constituirão a pesquisa com vistas à elaboração da dissertação de mestrado. serão utilizados como procedimentos metodológicos na segunda etapa da pesquisa. na busca de uma escola pública e com qualidade para todos. Processo de escolarização. Desse modo. uma sociedade se formou densa e escravista. animou o comércio e movimentou os salões. identificar as contradições que perpassam as escolas públicas e empreender os desdobramentos desta inserção para a educação na sociedade de classes. Para tanto.FIOS E TRAMAS: OS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE O PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO DE CRIANÇAS NEGRAS EM VASSOURAS. Chalhoub (2001) acrescenta novas nuances ao destacar a importância da educação. entrevistas semi- APRENDIZAGEM DO ALUNO UNIVERSITÁRIO: UM ESTUDO SOBRE UM PROJETO DE ESTÁGIO Alzira Buse Fernandez (PUC/SP) Antonio Carlos Caruso Ronca Esta pesquisa de doutorado. 2010. em andamento. lançando luzes sobre a cidade de vassouras e sua malha educacional. 1889 A 1930. propondo uma análise da participação no âmbito das escolas públicas do município de Juiz de Fora (MG). Este trabalho apresenta um recorte regional. Inicialmente usamos como suporte teórico-metodológico o Paradigma Indiciário proposto por Ginzburg (1989) seguindo as pistas e os sinais deixados pelos homens do passado. Alexandre Ribeiro Neto (UERJ) No interior do estado do Rio de Janeiro. FURTADO. Vassouras privada da cidade de São Paulo adquiriram a partir de um projeto de estágio obrigatório. se faz necessário promover as mediações. com uma trama social. Palavras-Chaves: Crianças Negras. 2009). a pesquisa tem como base os pressupostos da abordagem qualitativa. Assim sendo. Palavras Chave – ensino superior. O referencial teórico que ampara a reflexão e análise é a Psicologia Sócio-Histórica. Esse estudo pretende ampliar o olhar sobre as aprendizagens dos alunos que estão ingressando no mercado de trabalho a partir das práticas de estágios e refletir sobre o compromisso ético e social do professor que coordena essas atividades. entre montanhas e vales floresceu o café que enriqueceu os barões. Góes e Florentino (2006) nos ajudam ao analisar a trajetória das crianças negras nos Testamentos Post-Mortem. estágio. A coleta de dados será realizada a partir de análise documental dos relatórios produzidos durante o estágio e complementada com entrevistas semiestruturadas com os alunos que participaram desse projeto de estágio. cujos fios chegam até nós através dos documentos que intimados a comparecer no tribunal da História faz os mortos falar novamente. mais precisamente os estudos sobre a dimensão subjetiva da realidade social (GONÇALVES. 2009. como um fator importante na formação da classe trabalhadora. Tencionamos conhecer os processos e práticas pedagógicas destinadas a crianças negras utilizando como fontes documentais os processos de tutela e Soldada. serão analisados quais os limites e possibilidades que as direções das escolas públicas encontram para a implementação de ações participativas envolvendo a comunidade escolar. pautado no referencial epistemológico do materialismo histórico. seus sujeitos e agentes históricos. BOCK. Gondra e Schueler (2008) apontam a carência de estudos sobre o processo de escolarização de negros e índios.

a partir do contato com os alunos. Palavras-chave: ensino de química. Dessa temática mais ampla. funções químicas. um encontro improvável: de um lado famílias de baixa renda. Os resultados dessa pesquisa apontam para significantes impactos na . Esses conhecimentos tornam-se importantes para que haja uma formação crítica e consciente do aluno em relação à utilização das substâncias químicas nos seus problemas do dia-a-dia. como o colégio Porto Seguro e a favela. Interessa-nos. propiciando. Lareau (2003). questões que dificilmente são discutidas e questionadas neste ambiente. tais como representação molecular. pretendemos analisar como família e escola se relacionam em uma situação tão pouco comum. Em relação às dificuldades na aprendizagem de Química. de uma escola estadual de uma cidade do interior do estado de São Paulo. de outro. deficiência visual. uma vez que estes estão vinculados com as questões sociais nas quais os indivíduos estão envolvidos. torna-se essencial compreender como os alunos cegos podem aprender os conceitos de Química. E. uma tradicional escola paulistana reconhecida como uma “escola de elite”. Para entender o contexto da inclusão escolar desses alunos nas aulas de Química. Bourdieu (2007) e Simmel (2006). O COTIDIANO ESCOLAR DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL NAS CLASSES REGULARES DE UMA ESCOLA ESTADUAL: A REALIDADE DAS AULAS DE QUÍMICA Amanda Silva Aragão (UFSCAR) A utilização de modelos no Ensino de Química vem atrelando o entendimento de vários conteúdos. Assim. destaco o eixo que trata dos impactos dessa nova experiência escolar na rede de sociabilidade desses jovens. podese dizer. mais do que isso. o que foi essencial para o conhecimento da rotina escolar dos mesmos. No espaço escolar. Através do acompanhamento das aulas. estequiometria. IMPACTOS DA INSERÇÃO EM ESCOLAS DA REDE PRIVADA DE ALTO PRESTÍGIO ACADÊMICO NA REDE DE SOCIABILIDADE DE JOVENS POPULARES: O PROGRAMA BOM ALUNO DE BELO HORIZONTE Ana Beatriz Ratton Ferreira (UFMG) O presente trabalho busca investigar um fenômeno novo explorado pela Sociologia da Educação. que as mesmas estão relacionadas aos conteúdos que demandam percepção visual e interpretação espacial (como gráficos). Os dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas e questionários e foram analisados a partir da leitura dos trabalhos de Lahire (2001. nesta pesquisa. foi possível um maior contato com os alunos com deficiência visual. tendo em vista apreender quais são os efeitos sobre esses jovens da circulação cotidiana entre universos tão díspares. dentre outros. Foram estudados sete casos de alunos que estão matriculados nas escolas classificadas em primeiro e segundo lugares no exame do ENEM/2008 em Belo Horizonte. nos três anos do Ensino Médio. uma das maiores constatações foi em relação às dificuldades de utilização de alguns recursos na escola causadas pela estrutura organizacional da mesma. está sendo realizada a observação participante em aulas desta disciplina. que há 40 anos concede bolsas de estudo. que é a presença de jovens oriundos das camadas populares em escolas de alto prestígio acadêmico patrocinados por entidades não governamentais. 2004). à significação visual. Tais relações são abordadas por meio de uma investigação sobre o projeto Escola da Comunidade do Colégio Visconde de Porto Seguro. analisar as trajetórias de jovens alunos ou ex-alunos bolsistas. cujos pais têm pouca ou nenhuma escolarização e. ensino médio. assim. disputas e conflitos – entre duas instâncias fundamentais do processo de socialização: a escola e a família. ENTRE A FAVELA E UMA ESCOLA DE ELITE: UM ESTUDO SOBRE TRAJETÓRIAS DE JOVENS PARTICIPANTES DO PROJETO “ESCOLA DA COMUNIDADE” Amanda Prado de Oliveira (USP) A pesquisa tem como principal objetivo analisar as relações – alianças. a crianças e jovens moradores da favela de Paraisópolis. do Ensino Fundamental ao Ensino Médio.estruturadas e a elaboração de notas de campo expandidas.

Palavras-chave: camadas escolarização. Não sem sofrimento. entrevistas semi-estruturadas e observações com registro em caderno de campo. a partir de ferramentas como questionário. com alunos em processo de escolarização. A escola tornou-se palco de convergência e divergência entre duas culturas: das camadas populares e das camadas médias/ altas. aos poucos. no diálogo com materiais. com um caráter mais prescritivo. OS MODOS DE PENSAMENTO DE JOVENS E ADULTOS EM PROCESSO DE ESCOLARIZAÇÃO NA EJA Ana Catharina Mesquita de Noronha (UFMG) Leôncio José Gomes Soares Este trabalho tomou como referência a teoria histórico-cultural ao considerar que o funcionamento psicológico do sujeito fundamenta-se nas relações sociais entre o indivíduo e o mundo exterior. várias fronteiras sociais foram cruzadas. pelas experiências vividas e pela cultura dos indivíduos. 2003). Para isso. potencializadora do processo de alfabetização. ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS: PRÁTICAS DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NUMA TURMA DE 1º ANO Ana Caroline de Almeida (UFSJ) Uma das mudanças mais recentes no sistema educacional brasileiro se refere à ampliação do Ensino Fundamental de 8 para 9 anos.rede de sociabilidade desses jovens que passam a transitar em um ambiente socializador distinto do de sua origem. Sendo assim. com enfoque da perspectiva sócio-histórica. agora “trânsfugas” de classe. A pesquisa encontra-se em andamento. sobretudo desiguais. veiculados pelo Ministério da Educação (MEC). 1995. Uma leitura preliminar dos dados obtidos no questionário aponta para a compreensão de que essas professoras possuem um nível de formação elevado e entendem a ampliação do EF como . não podendo ser entendido somente em sua linha biológica. buscou-se compreender a teoria histórico-cultural. dessa proposta de ampliação na tentativa de problematizar as relações entre as políticas educacionais e as práticas pedagógicas. STREET. são o produto do confronto entre lógicas socializadoras diferentes. os trabalhos de Marta Kohl de Oliveira sobre diferenças culturais e modos de pensamento e também sobre aprendizagem como um processo sócio-histórico nortearam esta proposta de investigação. Esses jovens. Quais informações sobre essas políticas chegam àquele que está à frente do processo educativo e como os professores reestruturam a sua prática? Buscou-se articular dados quantitativos com dados da perspectiva etnográfica. sendo desativados e novos grupos sociais foram formados. num movimento de afunilamento. município mineiro. SOARES. optou-se pelo diálogo com autores do campo de estudos do letramento (KLEIMAN. Para a realização desta pesquisa a abordagem metodológica a ser utilizada será de natureza qualitativa. principalmente. os antigos grupos sociais foram. via Centro de Alfabetização leitura e Escrita (CEALE). 1998. este estudo tem por objetivo conhecer e compreender os modos de pensamento de jovens e adultos em processo de escolarização na Educação de Jovens e Adultos. Será utilizado o estudo de caso como estratégia de investigação em uma sala de aula da EJA da Rede Municipal de Belo Horizonte. No foco deste estudo. no entanto subentende-se que estruturam suas práticas a partir de dispositivos próprios. a partir de dois autores: Lev Vygotsky (teoria social da construção do conhecimento) e Aleksander Romanovich Luria (estudo sobre o desenvolvimento cognitivo). mas. mas condicionado pelas interações sociais. Dentre os pesquisadores contemporâneos dessa teoria. pelos professores da Rede Municipal de Ensino de Tiradentes (RMT). Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). com a inclusão da criança de 6 anos nesse segmento da Educação Básica A presente pesquisa investiga os processos de apropriação. principalmente. Como aporte teórico. rede de sociabilidade populares. construídos. novas disposições foram adquiridas e outras foram desativadas.

parte x totalidade. 1997). houve a construção de um espaço não apenas para criar formas de resolução de problemas. pressupondo que os mesmos sofrem preconceitos e discriminações além de enfrentarem grande dificuldade na compreensão do idioma (português). atravessado pelos princípios pedagógicos: teoria x prática. MacIntyre (2001) é um filósofo contemporâneo que trabalha com as questões da moralidade dentro de um contexto social e debate a desordem moral na sociedade propondo uma reflexão com base na prática das Virtudes. de maneira fundamentada. Acompanha também como professores desenvolvem o tema “ética” em sua prática pedagógica curricular. que enfatiza a metodologia da Escuta Sensível. além de um maior interesse por parte dos alunos na prática das virtudes. .O ENSINO E A APRENDIZAGEM DA ÉTICA NO CURRÍCULO ESCOLAR DO ENSINO FUNDAMENTAL Ana Céli Pimentel de Souza (UFRJ) Ana Lidia Felippe Guimaraes Natalia Morais Essa pesquisa visa observar o ensino/aprendizagem da ética no currículo escolar do ensino fundamental focalizando turmas de terceiro ano. Trata-se de uma pesquisa qualitativa construída a partir da perspectiva de René Barbier (1996. A PRÁTICA PEDAGÓGICA COMO MEDIAÇÃO ENTRE O CONHECIMENTO CIENTÍFICO E CONHECIMENTO TÁCITO: METODOLOGIAS PARA A PEDAGOGIA DO TRABALHO Ana Isabel Guimarães de Almeida (UFF) Acacia Zeneida Kuenzer Este trabalho tem como objetivo apresentar a elaboração de metodologia para implementação do processo de tutoria para Engenheiros de Custos em uma grande empresa. aprendizagem. analisa a inserção destes nas escolas públicas paulistanas e levanta dados dos possíveis projetos políticos pedagógicos desenvolvidos para esta clientela em quatro escolas da capital com maior número destes alunos. Foram escolhidos os quatro anos iniciais do Ensino Fundamental e os professores selecionados foram orientados pelos pesquisadores a cada ano. materializados em relatórios e em soluções educacionais posteriores. O referencial teórico é o materialismo históricodialético. este autor construiu uma obra original. A partir de Aristóteles (1965). através de resumos. tabelas e excertos dos documentos. conhecimento tácito x conhecimento científico. Os resultados parciais desta pesquisa em andamento apontam que houve mudança na postura docente no sentido de valorizar a aprendizagem da ética como um tema transversal. currículo. Palavras-chave: ética. mas também para o desenvolvimento de soluções. INTERCULTURALIDADE NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: A INSERÇÃO DE BOLIVIANOS EM ESCOLAS PÚBLICAS PAULISTANAS Ana Lucia Novais Goncalves (UNINOVE) O presente projeto apresenta um breve panorama histórico da imigração boliviana para o Brasil. A fundamentação teórica tem como base a obra do filósofo Alasdair MacIntyre. sem. no entanto esquecer a fundamental contribuição do estudo inicial sobre as virtudes. também serão explanados. Através da criação de situações em que os profissionais puderam vivenciar na prática as questões teóricas. O pensamento deste autor vem sendo continuamente analisado por suas idéias e reflexões valiosas. Os resultados do trabalho (desenvolvido em 2010).

faculdades humanas superiores e relações sociais verdadeiramente humanizadoras. revela as diversas formas de lidar com os sujeitos. Busca-se respaldar Teórico e metodologicamente a pesquisa a partir do Materialismo Histórico-Dialético e da Teoria Histórico-Cultural. Tal viagem não se fez desacompanhada. que tratam da sociabilidade humana numa perspectiva histórica e dialética. muitos foram os encontros com professoras do 5º ano do Ensino Fundamental que dialogaram sobre suas práticas com a(s) diferença(s) e que me configuraram como caçacaçador. a pesquisa com o cotidiano de base epistemológica da complexidade muito tem nos ajudado a compreender o movimento escolar. pelo contrário. Fizeram necessários desbravamentos teóricopráticos preliminares. o que nos revelou outra vertente de pesquisa e de imersão na realidade. MANSO OU FEROZ”: PROBLEMATIZANDO A(S) IDENTIDADE(S) E A(S) DIFERENÇA(S) COM O COTIDIANO ESCOLAR Anderson dos Santos Romualdo (UFJF) O presente trabalho é fruto de indagações da nossa pesquisa de mestrado. nosso foco foram os sujeitos educandos que praticam o cotidiano escolar e são as peças fundamentais de todo esse processo. certezas/incertezas rumo a um processo de diálogo com as diversas esferas sociais. ressaltando a importância das relações sociais e das condições objetivas de vida na formação do psiquismo humano. Assim. sendo fértil para construção e consolidação de práticas educativas emancipatórias. acima de tudo. “DOCE OU ATROZ. o qual vem sendo realizado em uma Escola Municipal de Pres. quanto terreno onde se apresenta a contradição. O paradigma da Atualidade nos permite tal compreensão na medida em que navega sobre o caos/ordem. realizar-se-ão entrevistas semi-estruturadas com 8 crianças das salas acompanhadas. ainda. No intuito de atingir tais objetivos estão sendo realizadas observações por meio de anotações em caderno de campo e. Tem por objetivo analisar quais são os sentidos. significados. na medida em que as individualidadescoletividades e diferença(s) compõem essa viagem no (entre)muros escolar consagrando a formação dos sujeitos encarnados através de um processo de emancipação social. Sendo assim. . A instituição escolar tem nos mostrado o quão dinâmico e complexo é o seu processo de enfrentamento de situações-limites e. manifestados por crianças que vivenciam tais situações. Apresentam-se os resultados parciais da pesquisa e percebe-se que o interior da escola é um espaço de intervenção privilegiado onde tanto se reproduzem situações de opressão e dominação típicas da sociedade capitalista.O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DAS FACULDADES HUMANAS SUPEIRORES NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Anderson de Oliveira Pelegrini (UNESP) Irineu Aliprando Tuim Viotto Filho Pretende-se discutir os resultados parciais do Projeto de Pesquisa de Mestrado intitulado “Análise de uma experiência de trabalho de formação de crianças: a Pobreza e a Exclusão Social em foco”. Prudente com as séries iniciais que participam de um Projeto do Núcleo de Ensino da UNESP. valores e percepções acerca dos conceitos “exclusão social” e “pobreza”. que pretendeu mergulhar no cotidiano escolar (re)visitando as práticas pedagógicas cotidianas materializadas nos currículos realizados/vividos em sua relação com a(s) identidade(s) e diferença(s).

e da inclusão de crianças e jovens com altas habilidades motoras. detém espaços. 2010. Abordamos a importância dessas políticas. Como fundamentação teórica. Será elaborada uma proposta didática de uma seqüência de ensino do referido teorema. será realizada uma pesquisa qualitativa. Estudamos as políticas de lazer e esporte. Acreditamos que essa compreensão pode nos ajudar entender os caminhos metodológicos e epistemológicos. tornando-se negócio lucrativo para a iniciativa privada. teses e artigos sobre o ensino e aprendizagem do Teorema Fundamental do Cálculo. . serão utilizadas as noções de obstáculos epistemológicos e a teoria das situações didáticas de Guy Brousseau (1976). Como procedimento metodológico. baseada em situações-problema que auxiliem na compreensão da forte ligação existente entre as operações de integração e diferenciação. Para essa discussão. e vende a quem por eles pode pagar. no âmbito da saúde. com o objetivo de auxiliar a compreensão da relação existente entre as operações de integração e diferenciação. que investe. os modos de olhar e os fios que se tecem e são tecidos no encontro entre sujeito e objeto. É fundamental a criação de políticas públicas de esporte e lazer para a juventude. focando a ausência de programas do poder público para suprir a demanda dessa área. em que serão analisados livros sobre a história do Cálculo. 2005) em alguns conceitos. Apontamos as dificuldades na implantação dessas políticas. nas 19 regiões apresentadas no mapa do Orçamento Participativo/2011. e com duas autoras de dissertações de mestrado: a de Zortéa (2007) com base na sociologia de Bateson e a de Oliveira (2007) com base na teoria sóciohistórica de Vygotsky. POLÍTICAS PÚBLICAS DE ESPORTE E LAZER: ARARAQUARA/SP EM ESTUDO André Luís Custódio Talora (CUML) Roberta Cortez Gaio Apresentamos uma discussão teórica sobre políticas públicas de esporte e lazer e sua relevância para vida de crianças e jovens. como clubes. ato ético e exotopia. dialogamos com Bakhtin (2003. buscamos identificar a relação sujeito/ator e objeto/autor. pela via de dois atos: a aproximação e as negociações estabelecidas na pesquisa. Estética. Palavras-chave: Sujeito/objeto. como estética. no âmbito de uma pesquisa com crianças que apresentam alguma deficiência. além da elaboração de uma seqüência de ensino baseada numa Engenharia Didática. diagnosticando e analisando possíveis obstáculos de natureza didática e epistemológica encontrados na aquisição desse conhecimento. que cresce consideravelmente. visto que muitos confundem políticas públicas de esporte com troca de votos por uma bola ou jogo de camisas em época de eleições. na qual mostramos os projetos de esporte e de lazer do município de Araraquara. Para a construção arquitetônica deste texto. destinada a alunos universitários de um curso de Tecnologia que já concluíram a disciplina de Cálculo Diferencial e Integral.PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: A RELAÇÃO SUJEITO/AUTOR E OBJETO/ATOR NA PESQUISA COM CRIANÇAS QUE APRESENTAM DEFICIÊNCIA Anderson Rubim dos Anjos (UFES) Este artigo constitui-se a partir de nosso projeto de dissertação de mestrado que tem como objeto de investigação as práticas pedagógicas na Educação Infantil. pois os esportes configuram-se O TEOREMA FUNDAMENTAL DO CÁLCULO: UMA ABORDAGEM DIDÁTICA E EPISTEMOLÓGICA André Lúcio Grande (PUC-SP) Esta pesquisa tem por objetivo organizar e realizar um estudo didático e epistemológico sobre o ensino e aprendizagem do Teorema Fundamental do Cálculo (TFC). Ética. trazendo resultados de uma pesquisa descritiva documental. a partir do encontro entre ator e autor e os princípios que emergem dessa relação. Temos como objetivo analisar as possibilidades de construção de práticas inclusivas por meio de um processo de formação continuada tendo as atividades culturais do lazer como referência. academias e escolinhas particulares de esportes.

M. organizativos e. Apple (1979). Entendendo a escola como produto provisório de uma longa cadeia de conflitos ideológicos. A TEMÁTICA AMBIENTAL NO CURRÍCULO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO A PARTIR DE 2008 André Luis da Silva (UNESP) Dalva M. “temática ambiental apresentada em mais de uma categoria”. os valores éticos e estéticos e a participação política do indivíduo. São duas as grandes questões que embasam esta investigação: quais são as características que a temática ambiental apresentada no atual currículo da rede estadual de ensino do estado de São Paulo assume? Ela dá margem para qual EA acontecer nas escolas que adotaram o supracitado currículo? A busca pelas respostas dá-se através da metodologia de pesquisa qualitativa. sociais. as relações entre o regime republicano brasileiro e as instituições escolares da cidade de Santos entre o final do século XIX e o início do século XX. econômicos. utilizar-se-á da metodologia historiográfica. Tomando como referência a história da educação no Brasil. A MARCHA DO PROGRESSO: A REPÚBLICA E A EDUCAÇÃO ESCOLAR NA CIDADE DE SANTOS André Luiz Rodrigues Carreira (UNISANTOS) O presente estudo analisa. Souza (1998) e Carvalho (1990) que já se ocuparam em explicitar as relações entre a educação e seus condicionamentos sociais. de caráter qualitativo. Pereira afirma que é usual professores e outros profissionais da área relacionarem grande parte dos problemas vivenciados no ambiente educacional (como indisciplina. FAMÍLIA. M. Frigotto (1989). Currículo Oficial. Saviani (2003). 2009) para a apreciação do documento.em uma das principais manifestações sócioculturais de elaboração de identidades. C. em uma perspectiva histórica. Temática Ambiental. PSICANÁLISE E EDUCAÇÃO André Soares da Cunha (UFMG) Em A impostura do mestre. mais precisamente na análise documental. o “Caderno do Aluno” de todas as disciplinas contempladas pelo atual currículo paulista. A pesquisa tem por objetivos discutir a influência de um ideal de modernidade e progresso vinculado à República e a inserção da educação institucional santista nesse contexto e compreender o papel dos grupos escolares Barnabé e Cesário Bastos. por esse . evidenciando a determinação recíproca entre a prática social e a prática educativa. I. o estudo busca apoio em autores como Enguita (1989). qual seja. falta de limite e fracasso escolar) à falta da figura paterna ou masculina no meio familiar. Para a análise do material foram definidas quatro categorias de classificação da temática ambiental nele presente: “sociedade e natureza”. (1999.Bonotto Este trabalho é fruto de pesquisa em desenvolvimento. Será mesmo que aqueles alunos que não possuem o pai na estrutura familiar. Isso levaria a crer que. criados entre o final do século XIX e início do século XX. Palavras-chave: Educação Ambiental. o trabalho investigativo. que possibilita a utilização de diferentes instrumentos de pesquisa tais como a análise documental e a análise iconográfica. a manutenção da ordem nas escolas ocorreria a partir da restituição da autoridade do pai ou masculina. “natureza sem foco na ação humana”. “sociedade e natureza/problemas ambientais”. em um sentido mais amplo. tendo por foco a abordagem dada às questões ambientais no currículo proposto pela Secretaria Estadual de Educação do Estado de São Paulo para a modalidade de ensino fundamental na rede oficial a partir de 2008. nostalgicamente. como mecanismos de legitimação de valores defendidos pelo regime republicano recéminstaurado. políticos. como também nas idéias de Tozoni-Rei e Carvalho. É importante frisar que o olhar deste investigador durante esta investigação apóia-se nas três dimensões apontadas por Carvalho. 2006) como fundamentais para se trabalhar com EA: os conhecimentos. tendo sido escolhida a análise de conteúdo (BARDIN. B. L.

considera-se salutar promover trabalhos mais extensos que levem até os bancos escolares a proposta da consultoria. as atividades devem ser aplicadas e explicitadas durante um . mãe e prole)? De acordo com a Psicanálise. Foi realizado em duas escolas da rede municipal do Rio de Janeiro selecionadas a partir do número de alunos. CARACTERIZAÇÃO DOS EFEITOS DE UMA PROPOSTA DE CONSULTORIA COLABORATIVA PARA O ENSINO PÚBLICO NA PERSPECTIVA DOS SEUS PROFESSORES: UM ESTUDO PILOTO Andréa Carla Machado (UFSCAR) Maria Amélia Almeida A consultoria colaborativa apresenta-se como uma proposta de trabalho conjunto. nível socioeconômico e resultado na Prova Brasil de 2005 e 2007. família. O objetivo é identificar características organizacionais e sociopedagógicos na tentativa de compreender a diferença dos resultados. A percepção dos professores em relação às perspectivas de futuro do aluno e a organização das turmas indicam diferenças que poderiam interferir na prática educativa e interferir nos resultados. que se insere na pesquisa “Contextos Institucionais e a Construção da Qualidade do Ensino na Educação Básica” do SOCED – Grupo Pesquisas em Sociologia da Educação da PUC-Rio. Houve nas três temáticas o predomínio do critério -mantiveram seguido do critério. Nesta perspectiva. Logo.melhoraram. Palavras chave: pai. 48% de professores da Escola A declaram conseguir desenvolver mais de 80% do conteúdo previsto contra 9% da Escola B. famílias não tradicionais. importante para o exercício contínuo de sala de aula. para auxiliar. Uma das escolas apresentou resultado acima da média municipal e outra ficou abaixo dessa média para o segundo segmento de ensino. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS EM DUAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO: UM ESTUDO COMPARATIVO Andréia Martins de Oliveira Santo (PUC/RIO) O presente trabalho é parte do estudo comparativo “Qualidade de ensino em duas escolas da Rede Municipal do Rio de Janeiro: o que produz a diferença?”. participação das famílias e de condições estruturais como causas para a dificuldade de realização do trabalho. colaborar e cooperar com os diversos protagonistas da rede de ensino: escola. tempo maior. Participaram três professoras de uma escola da rede de ensino pública estadual do interior do Estado de São Paulo. onde o consultorespecialista se propõe auxiliar no atendimento da demanda de crianças em idade escolar com problemas de comportamento e de aprendizagem. atendimento a todo Ensino Fundamental.motivo. o presente estudo teve como objetivo caracterizar os efeitos de uma proposta de consultoria colaborativa na perspectiva dos professores do ensino público. escola. As professoras responderam um questionário de trinta e duas questões referente aos temas desenvolvidos durante a pesquisa: leitura e escrita. professores. pois sabe-se que para o desenvolvimento efetivo de determinados conteúdos. É recorrente nos professores o discurso da ausência de capital cultural. maximizando as potencialidades de cada criança e atendendo as suas diversidades. matemática e comportamento em sala de aula. Apesar das duas escolas receberem as mesmas orientações da administração municipal. e o quanto a manutenção de certa ideia de pai só faz contribuir para que problemas escolares de tais alunos se intensifiquem. têm rendimento escolar inferior àqueles que fazem parte da convencional família nuclear (pai. Tal resultado pode ser decorrente da duração reduzida do estudo. o fato exclusivo de uma criança não possuir o pai em seu núcleo familiar não se relacionaria absolutamente com seu baixo desempenho educacional. Neste sentido. este trabalho tem por finalidade questionar a forma como a escola se relaciona com a realidade dos alunos pertencentes aos novos arranjos familiares da atualidade.

o objetivo da pesquisa é acompanhar como as tarefas de casa estão sendo propostas pela professora de uma sala de aula regular e como elas estão sendo realizadas por um aluno com Síndrome de Down matriculado do 2º ano do ensino fundamental.PPGE/UFES. passou a considerar a inclusão dos . visa conhecer as interfaces e os urdimentos entre saúde e educação e desvelar instrumentos que simbolizam. que possui como objeto as interfaces e os urdimentos que constituem saberes e práticas de profissionais da saúde e da educação e suas implicações à constituição da subjetividade da infância com deficiência. encontros reflexivos com a professora. Palavras-chave: Subjetividade. destacam-se atividades como as tarefas de casa que se tornaram intrínsecas e naturais à rotina de todos os lares e da prática escolar. POSSIBILIDADES DE APROXIMAÇÃO ENTRE LITERATURA INFANTIL E O ENSINO DE CIÊNCIAS SEGUNDO PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL Antônia Aurélio Pinto (UNESP) Paulo César de Almeida Raboni Buscaremos nesta pesquisa realizar uma aproximação entre duas esferas do conhecimento a Literatura Infantil e o Ensino de Ciências. aprovada em 1994. Necessidades Educacionais Especiais alunos com necessidades educacionais especiais em classes regulares como a forma mais avançada de democratização das oportunidades educacionais. Educação Inclusiva. A Declaração de Salamanca. na inclusão escolar. legitimam e consubstanciam a prática profissional repassada à família e à escola. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com a mãe do aluno. mas podemos apontar que os encontros de discussão promoveram momentos de reflexão e planejamento das tarefas de casa para o aluno com Sindrome de Down.E. Inclusão Escolar. que estão interdependentes e de alguma maneira potencializam vivências e relações sociais. análise de caderno de tarefas e do semanário da professora. Os dados ainda estão em análise.INTERFACES E URDIMENTOS DA EDUCAÇÃO E DA SAÚDE NA PERSPECTIVA DA CONSTITUIÇÃO DA SUBJETIVIDADE PARA INCLUSÃO ESCOLAR DA CRIANÇA COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS (N. Por Referencial Teórico toma a teoria sociológica de Norbert Elias na análise da interdependência entre as áreas de saberes e entre os indivíduos. A atual pesquisa tem como objetivo entender a forma como os professores de ensino fundamental (1º ao 5º ano) concebem e utilizam a literatura infantil com a presença de elementos das ciências naturais. bem como selecionar obras com edições recentes. Assim. Angela Maria Caulyt Santos da Silva(UFES) Este pôster apresenta a pesquisa em andamento no curso de Doutorado em Educação. Propõe-se utilização de algumas obras analisadas na Iniciação Cientifica e aprofundamento das categorias criadas para análise. na constituição da subjetividade da infância da criança com deficiência para a inclusão escolar. constituiu–se como um elemento determinante para a mudança deste panorama.E). sob orientação da Profª Dra. na linha de pesquisa “Diversidade e práticas educacionais inclusivas” . entrevistas com a professora da sala. Palavras – chave: Tarefas de casa. sendo um aprofundamento da pesquisa de Iniciação Científica realizada em 2005. no período de um ano. para TAREFAS DE CASA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR Anna Augusta Sampaio Oliveira (UNESP) Beatriz Aparecida Spagno É de conhecimento de todos que as pessoas com deficiência têm sido segregadas e excluídas de espaços comuns e da vida em sociedade. praticamente em todos os períodos da história. Nesse contexto inclusivo. Utiliza como metodologia o estudo de caso do tipo etnográfico. principalmente a linguagem e o afeto. a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Em 1948. Como resultados. Pesquisa de natureza empírica se propõe produzir dados qualitativos. no qual construímos uma breve análise de conceitos científicos e concepções de ciência presentes na literatura infantil. Síndrome de Down. Sonia Lopes Victor.

Complexidade “SUCESSO ESCOLAR: O QUE ISSO REPRESENTA?” Arlena Maria Cruz de Carvalho (PUC/RIO) Este trabalho estuda as representações sociais de sucesso escolar. sendo estes coletados no período de agosto a dezembro de 2010. O nosso objetivo era instituir ações com a escola visando criar estratégias para que o currículo escolar contemple as necessidades de aprendizagem de alunos com deficiência. desse modo entende-se que subjetividade não se descola da objetividade do professor durante suas aulas.87) o “corpo sujeito é ator e autor de sua história e cultura. Palavras-Chave: Ensino de Ciências. O processo de produção dos dados encontrou-se fundamentado nos pressupostos da pesquisa-ação colaborativocrítica que busca criar novas estratégias e possibilidades para os desafios que constituem o processo ensino-aprendizagem. junto com os que lá se encontravam e assim tivemos condições de desvelar o Atendimento Educacional Especializado (AEE). Questões referentes aos imprintings culturais que fomentam a visão fragmentada presente na educação física estimularam este projeto de pesquisa que tem como objeto a representação da prática docente na educação física em creches e núcleos de educação infantil (NEI). Foram priorizadas as possíveis causas que levam um aluno a ter sucesso. em uma escola de Ensino Fundamental da rede Estadual. daí a necessidade da consciência de si. Este trabalho propõe um novo olhar à educação física escolar tomando como referência a Teoria da Complexidade. Esta metodologia nos permitiu intervir com o cotidiano. Educacional A REPRESENTAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE DA EDUCAÇÃO FÍSCA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Aretuza Suzay Mattos (UNINOVE) Os objetivos da educação física quanto disciplina educacional mantém uma relação de dependência com a visão do professor sobre sua função no processo educativo. É um estudo de caráter exploratório de natureza qualitativa. A metodologia utilizada foi a coleta de depoimentos de 18 professores através de entrevistas semi-estruturadas nas quais se buscou a representação do professor para . semi-estruturadas. A pesquisa está inserida à linha dois: Práticas e Processos Formativos em Educação do Programa de Pós Graduação em Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia –UNESP/FCT. antes não contemplado no projeto. processos de formação continuada em contexto e colaboração com os educadores envolvidos nos processos de intervenção pedagógica. Para a investigação utilizaremos uma abordagem qualitativa contendo elementos da etnografia. p. Essa premissa sugere que valores e símbolos da cultura corporal significantes para este professor fazem parte da constituição de sua corporeidade ao longo de sua vida. Palavras-chave: Atendimento Especializado. De acordo com Moreira (2003. transtornos globais de desenvolvimento e altas habilidades/superdotação em processo de inclusão escolar. Por meio da mediação e troca de conhecimentos entre pesquisadora e os sujeitos da pesquisa faremos aproximações entre o Ensino de Ciências e a Literatura infantil. Educação física. professores e gestores das séries iniciais desse nível de ensino. Os movimentos da pesquisa ocorreram a partir da observação do cotidiano escolar. localizada no município da Serra/ES com alunos. É a corporeidade relacional. dos outros e do mundo”.serem apresentadas aos professores. Palavras chaves: Subjetividade. Literatura Infantil e Práticas Pedagógicas. Currículo. Na coleta de dados faremos entrevistas. ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: ACESSO AO CURRÍCULO? Ariadna Pereira Siqueira Effgen (UFES) O presente artigo é fruto dos dados coletados na pesquisa de mestrado com título provisório “Currículos praticados e a questão da inclusão escolar: tecendo pistas”. e podem ser projetados em suas aulas. que serão gravadas e transcritas para analises de acordo com o referencial teórico bakhtiniano fundamentando-nos na teoria dos gêneros do discurso.

por serem as mediadoras do processo artístico. de caráter qualitativo será desenvolvido a partir de pesquisa bibliográfica. Analisarei estas relações. pressuponho haver relações entre aquele recuo e o tipo de material oferecido às crianças e entre a escolha e o seu uso com a formação das professoras. Será feito um estudo de caso. educação nãoformal. em linha com os termos propostos por Maslow em sua representação da hierarquia das necessidades do homem. através de observação em sala. investigando as razões para isso. Baseando-me em observações como professor de Arte. Que formação estética apropriada consegue . São eles: família. Os resultados encontrados apontam que sucesso escolar deve ser “medido” muito além dos muros da escola. Assim. OS DESAFIOS PARA A PROMOÇÃO DA AUTONOMIA NO ALUNO NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL Armando Lourenço Filho (PUC/CAMPINAS) Samuel Mendonça A presente pesquisa. sob o prisma da filosofia da educação. O ESVANECIMENTO DO DESENHO INFANTIL NOS PRIMEIROS ANOS DO ENSINO FUNDAMENTAL: POSSÍVEIS RELAÇÕES COM O USO DE MATERIAIS ARTÍSTICOS ESCOLARES E A FORMAÇÃO ESTÉTICA DAS PROFESSORAS Aroldo Dias Lacerda (UFMG) Este é um recorte da pesquisa que tem como objeto o Desenho nos primeiros anos do Ensino Fundamental: o recuo da expressão artística da criança na medida em que ela cresce e se escolariza (Jean Piaget). propondo uma nova categoria para nortear a elaboração de listas e o uso de materiais visando minimizar o recuo: a de material artístico escolar de largo alcance (contribuições de Leontiev e Walter Benjamin). complementada por entrevistas. Buscou-se identificar as representações sociais de sucesso escolar presentes nas respostas dadas utilizando o referencial teórico de Moscovici e Jodelet. no contexto da educação não-formal. procuraremos investigar quais são os desafios para a promoção da autonomia no aluno. Com a finalidade de participação na décima edição da Anpedinha. que trata da questão da motivação e do comportamento de atenção nos alunos como elementos que cooperam para a promoção da sua autonomia. destacamos um recorte do trabalho. apoiados na linha de pesquisa das práticas pedagógicas e formação do educador.sucesso escolar bem como os fatores que o mesmo considerava como sendo de importante influência neste sucesso. foi feita uma categorização dos 5 principais fatores considerados básicos para levar um aluno a obter sucesso. somos levados a crer que ser um aluno de sucesso é ser alguém que conseguiu satisfazer suas necessidades em vários níveis. autonomia e elementos motivacionais caracterizados como promotores de autonomia. baseada principalmente nas concepções de educação. trata da problemática do desenvolvimento da autonomia para a aprendizagem nas crianças. especificamente no campo da educação física. Este trabalho. buscando analisar uma experiência que contrasta com o comumente observado: a de uma professora do 3º Ano cujos desenhos de seus alunos não sofreram aquele recuo. professores/escola competente. Com base nos resultados. Os resultados dessa relação reconhecem a importância do emprego de estratégias motivacionais adequadas e apontam para o papel essencial do professor como mediador entre o conhecimento abordado e a realidade do aluno. Foi também proposta uma reflexão sobre o sucesso e categorizados os fatores considerados como básicos para levar um aluno a obtê-lo. auto estima do aluno/força de vontade. saúde geral do aluno e recursos econômicos. a partir das leituras realizadas até o momento. Partindo desses dados. sendo responsável pela contextualização dos conteúdos a partir da valorização das experiências de seus alunos de forma que alcancem sua realidade. referendadas por Cox e Cizek (apud Pedrosa). Esta discussão deve envolver a autonomia das professoras a partir de José Contreras. em andamento. pensada a partir da necessidade de envolvimento ativo e produtivo dos alunos nas atividades educacionais.

da juventude e da privação de liberdade (ARROYO. aprovada em 1994. Assim. Esse estudo pretende focar-se em uma das medidas socioeducativas – a privação de liberdade . mas podemos apontar que os encontros de discussão promoveram momentos de reflexão e planejamento das tarefas de casa para o aluno com Sindrome de Down. a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Síndrome de Down. 1985. FOUCAULT. A Declaração de Salamanca. materiais escolares de largo alcance. O intuito é tentar compreender e analisar os olhares dos adolescentes em conflito com a lei para a escola. construímos algumas questões de pesquisa: como os jovens significam a escola a que são submetidos na privação de liberdade? Quais são seus olhares perante a escolarização? Qual a presença e qual a função que essa escola exerce na vida desses sujeitos? Para a realização dessa investigação as estratégias metodológicas estão centradas em duas vertentes: a) análise de dados quantitativos referentes ao perfil dos adolescentes. b) uma abordagem qualitativa que consistirá na realização de observações no campo e entrevistas com os sujeitos interessados na participação. passou a considerar a inclusão dos alunos com necessidades educacionais especiais em classes regulares como a forma mais avançada de democratização das oportunidades educacionais.e nas relações que esses jovens estabelecem com a escola. no período de um ano. constituiu–se como um elemento determinante para a mudança deste panorama. Os dados ainda estão em análise. praticamente em todos os períodos da história. Em 1948. TAREFAS DE CASA NO CONTEXTO DA INCLUSÃO ESCOLAR Beatriz Aparecida Spagnol (UNESP) Anna Augusta S. Palavras – chave: Tarefas de casa. da violência. Nesse contexto inclusivo. conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente. de Oliveira É de conhecimento de todos que as pessoas com deficiência têm sido segregadas e excluídas de espaços comuns e da vida em sociedade. OLHARES DE ADOLESCENTES EM CONFLITO COM A LEI PARA ESCOLA: SIGNIFICADOS DA EXPERIÊNCIA ESCOLAR EM CONTEXTO DE PRIVAÇÃO DE LIBERDADE Brenda Franco Monteiro Prado (UFMG) Lúcia Helena Alvarez Leite Olhares de adolescentes em conflito com a lei para escola: significados da experiência escolar em contexto de privação de liberdade Atualmente o número de adolescentes envolvidos com a criminalidade é bem evidente. entrevistas com a professora da sala. encontros reflexivos com a professora. 1975) e de dados referentes ao perfil e escolaridade dos adolescentes internados em centros socioeducativos. evitando que a ação do adulto e os constrangimentos do meio familiar e/ou escolar freiem ou se contraponham às suas tendências artísticas? Palavras-chave:Desenho. o objetivo da pesquisa é acompanhar como as tarefas de casa estão sendo propostas pela professora de uma sala de aula regular e como elas estão sendo realizadas por um aluno com Síndrome de Down matriculado do 2º ano do ensino fundamental. autonomia dos professores. análise de caderno de tarefas e do semanário da professora. E é crescente a inserção desses sujeitos no cumprimento da medida socioeducativa. que é a responsabilização pelo ato cometido. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevistas com a mãe do aluno. Educação Inclusiva. destacam-se atividades como as tarefas de casa que se tornaram intrínsecas e naturais à rotina de todos os lares e da prática escolar. A partir de (re)leituras de autores que tratam.listas de materiais. 2007. O estudo não tem a intenção de esgotar o tema proposto e sim trazer novos elementos e discussões para a compreensão de como a educação escolar é sentida e significa pelos adolescentes e pela escola. MAKARENKO.enriquecer e cultivar os meios de expressão e encorajar as primeiras manifestações estéticas das crianças. .

E. além da referência bibliográfica.B. DIÁLOGOS POSSÍVEIS ENTRE OS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS DE ARTE E A PRÁTICA DOCENTE Bruno Teixeira Paes (UEMG) Magda Lúcia Cham Esta pesquisa tem como objeto de análise a prática pedagógica dos professores do ensino público fundamental da disciplina de artes em Belo Horizonte. a revista Rumo (Revista Cultural da C.Palavras-chave: adolescentes em conflito com a lei. curriculares A MEDIAÇÃO DO PROFESSOR: ESTRATÉGIA DE PESQUISA NA INVESTIGAÇÃO DA APRENDIZAGEM E DA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO PELO ALUNO Carolina José Maria (UNIMEP) Este trabalho é um recorte de uma pesquisa em nível de doutorado.). escola. Fávero (1968). organizado pela Federação Brasileira pelo Progresso Feminino. buscaremos investigar a existência das possíveis aproximações entre as práticas dos professores observados e os parâmetros curriculares nacionais (PCN’s) da disciplina de Artes. sendo relevantes obras como: Cunha (2007). em andamento. bem como as discussões e/ou críticas sobre as concepções que fundamentam o documento oficial. também encontrada neste acervo. A RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA FEMININA: REIVINDICAÇÃO E IMPLANTAÇÃO (1931-1960) Caren Victorino Regis (UNIRIO) O trabalho apresenta o processo da reivindicação à implantação da Residência Universitária Feminina. serão avaliadas as possíveis apropriações feitas pelos docentes de artes. Mendonça (2000). CIOS DA TERRA SABERES DA EXPERIÊNCIA E SABERES DO TRABALHO ASSOCIADO Bruna Sichi (UFF) Lia Tiriba Nosso propósito é refletir sobre as relações entre seres humanos e natureza. privação de liberdade. Prática Docente. Buscaremos com esta pesquisa colaborar para a formação humana dos alunos. de alguma maneira. no II Congresso Internacional Feminista. O caminho para obtenção desta residência teve início ainda em 1931. Arte. se deu antes de 1951. sendo o espaço de assistência estudantil conquistado aos poucos e impulsionado pelas demandas do Ensino Superior da época.B. No percurso de pesquisa. Palavras-chave: Parâmetros nacionais. mas compreendida no contexto das ações mediadas . Para fundamentação teórico-metodológica deste trabalho utilizamos recortes de jornais que se encontram na Fundação Casa do Estudante do Brasil. Através de um estudo qualitativo. bem como dar destaque as vozes desses professores. indicando que as experiências do trabalho associado podem se constituir como palco de produção de saberes e práticas sociais que. Tem por objetivo discutir a estratégia de pesquisa na investigação da aprendizagem e da construção de conhecimento pelo aluno. O problema da habitação para moçasestudantes e o projeto de uma casa para a estudante brasileira na organisação da casa do Estudante do Brasil. que tem como questão central a mediação do professor no processo de ensino e aprendizagem de química no ensino médio. Entendemos conhecimento como significação e mediação não só como as relações estabelecidas entre os professores e alunos. sujeitos da pesquisa. sendo parte da Fundação Casa do Estudante do Brasil. Reivindicação esta feita através da these de Anna Amélia Queiroz Carneiro de Mendonça. criada em 1951 e que adquiriu prédio próprio apenas em 1960.E. A partir do discurso dos professores sobre sua formação profissional e estratégias pedagógicas de ensino e aprendizagem. indícios mostraram que a participação feminina na C. fundada em 1929. entre outros. se contrapõem à lógica do sistema capital.

se concebemos a escola como locus por excelência para a apropriação pelo aluno dos elementos e processos culturais e não apenas como ambiente de socialização. os episódios das aulas serão analisados com base nos pressupostos da abordagem histórico-cultural. a proposta da educação inclusiva enfrenta um grande impasse. Os pressupostos desta ação educativa acima referida se encontram na abordagem denominada Problematização.por instrumentos simbólicos. buscando-se os indícios mostrados nos atos de apropriação de conhecimentos. Participaram inicialmente do estudo 40 alunos da graduação do curso de Pedagogia. que se mostram incapazes de se comunicar oralmente nas salas de aula. indica-se a narração multimodal.Foram Palavras-chave: didática. com o intuito de avaliar os métodos do trabalho docente e promover uma reflexão sobre o papel mediador do professor para que os alunos possam ter um aprendizado significativo e eficaz. deficiência visual. narração multimodal. FORMAÇÃO INICIAL DE FUTUROS PROFESSORES DA ESCOLA INCLUSIVA – A COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA E TECNOLOGIA ASSISTIVA NA PRÁTICA Carolina Rizzotto Schirmer (UERJ) Leila Regina d’Oliveira de Paula Nunes Cátia Crivelenti de Figueiredo Walter Com a crescente presença de alunos com deficiência. A partir dessas concepções. suas expectativas em relação a esta formação e sugestões que direcionaram o planejamento e organização do procedimento seguinte: a oferta das aulas expositivas e atividades práticas. Trata-se de um trabalho em andamento cujo objetivo é compreender como se dá o processo de aprendizado do aluno com deficiência visual com base no sociointeracionismo e nos estudos de defectologia de Vygotsky. e em particular com dificuldades motoras. As reflexões iniciais nos mostram que não apenas a adaptação didático-pedagógica é o que faz a diferença no processo de ensino e aprendizagem da pessoa com deficiência visual. suas concepções sobre o como ensinar influenciam definitivamente as ações no âmbito da sala de aula. Para a construção dos dados. mais especificamente. A metodologia empregada para a análise dos dados é a análise microgenética. vídeos e vários recursos de Tecnologia Assistiva. característica da análise microgenética. utilizados questionários. PRÁTICAS DIDÁTICAS NO ENSINO DE ESPANHOL PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA VISUAL Caroline Veloso da Silva (UFSCAR) O presente trabalho aborda as práticas didáticas no ensino de espanhol para alunos com deficiência visual. Assim. mas muitas vezes a postura do professor diante desse aluno. Destacamos também a importância do trabalho conjunto com o professor. O texto descreve um estudo realizado em uma Universidade pública no Rio de Janeiro sobre a formação inicial de professores para favorecer a acessibilidade comunicativa para alunos com deficiência não oralizados. análise microgenética. pois acredita-se que essa estratégia possibilitará a identificação de determinados processos de mudanças ocorridos ou não com os alunos. resultantes da mediação do professor. Palavras-chave: mediação. . importantes transformações se fazem necessárias para que de fato ela se caracterize como inclusiva. ensino de espanhol. foi levantado o perfil dos alunos de graduação. filmagens. os recursos da Comunicação Alternativa/Ampliada (CAA) e a formação do professor. Com base na análise dos questionários. A literatura sobre a educação desse alunado tem destacado mudanças em pelo menos dois aspectos: o emprego planejado e consistente da Tecnologia Assistiva (TA).

Lowen. desejos. Este artigo procurou identificar. Palavras-chave: Escolas de sucesso – perfil docente – efeito-professor. venho aprofundando nos estudos da Bioexpressão como uma possível forma de auxílio ao (re)encontro com o outro e consigo mesmo. Entre eles podemos citar Reich. Através de pesquisas bibliográficas. BIOEXPRESSÃO: UMA POSSIBILIDADE DE INTERVENÇÃO NO CORPO-SUJEITO DO PROFESSOR Cíntia Lúcia de Lima (UFSJ) A partir da busca por práticas voltadas para um novo contexto. A análise das respostas possibilita-nos conhecer um pouco mais sobre profissionais das duas redes de ensino e traçar um perfil de semelhanças. a existência nestas escolas do “efeito-professor”. adotando uma educação menos agressiva. c) as famílias eram orientadas a não escorraçar a criança. realizada a partir dos dados quantitativos advindos de questionários aplicados aos professores no survey/2009 pelo SOCED . os perfis dos profissionais destes dois grupos. emoções e espiritualidade. mais atenciosa e amorosa. a partir da concepção trazida por Bressoux (2003). no qual a preocupação maior é o respeito ao sujeito e à sua história de vida. serão analisados os textos de Pereira.O presente trabalho traz conclusões iniciais da pesquisa e procura identificar os perfis dos professores das duas redes e busca compreender. percepções sobre os alunos e famílias. conseguindo um melhor rendimento escolar deles. d) as orientações postas em prática resultaram em mudanças no comportamento dos alunos. Acredito que um maior conhecimento de nós mesmos possibilitará uma base para a constituição de sujeitos com uma melhor visão de mundo e de si próprios. consideradas positivas. bem como castigadas fisicamente na família e na escola. As fontes documentais utilizadas foram os livros sobre o assunto. A amostra foi composta por quatro escolas públicas municipais e seis privadas. com base na caracterização sóciocultural. questionários. Realizou-se o entrelaçamento das informações obtidas nas referidas fichas com o conteúdo bibliográfico. oficinas de atividades O EFEITO. chefiado por Ramos.que investiga escolas que estão entre . termo utilizado pelo médico Arthur Ramos para designar as crianças que eram educadas sem atenção e carinho. Para a compreensão da base teórica da Bioexpressão. em cada um dos casos. condições de trabalho. como os docentes contribuem para o sucesso dessas instituições pesquisadas. aquelas com os melhores resultados (municipais e privadas) da cidade do Rio de Janeiro. pois como nos destaca Bressoux (Ibid. e os impressos de “vulgarização” dirigidos aos professores e famílias. Compreende o período de 1934 a 1939 tempo em que funcionou o Serviço de Ortofrenia e Higiene Mental. Keleman e Boadella. experiência profissional. ambos de autoria de Arthur Ramos.) o ‘efeitoprofessor” foi provado e exerce forte impacto na qualidade do ensino. formação.A CRIANÇA ESCORRAÇADA E AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS EXPERIMENTAIS NO ANTIGO DISTRITO FEDERAL (1934-1939) Cátia Regina Papadopoulos (PUC/RIO) O presente trabalho tem como objetivo analisar as práticas pedagógicas adotadas nas escolas experimentais para lidar com a criança escorraçada. A perspectiva teórica utilizada foi baseada no conceito de Dominique Julia sobre cultura escolar como objeto histórico. além das fichas de observação comportamental de alunos das referidas escolas. Os resultados obtidos foram: a) as práticas pedagógico-terapêuticas eram focadas na atuação do professor através da transferência afetiva e desenvolvimento de trabalhos baseados em jogos e brinquedos. b) as orientações eram encaminhadas à escola por Arthur Ramos baseadas nos conceitos da psicanálise. O objetivo do mesmo é cotejar.grupo de pesquisa em Sociologia da Educação .PROFESSOR NAS ESCOLAS DE SUCESSO: PÚBLICAS E PRIVADAS Cecília Maria Marafelli (PUC/RIO) Este trabalho tem origem na reflexão acerca de uma comparação. com as próprias potencialidades. criadora da Bioexpressão e aqueles mais significativos dos principais teóricos que a fundamentaram.

não estimulando ações que promovam conhecimentos contextualizados. Palavras-chave: Interdisciplinaridade. EDUCAÇÃO FÍSICA E INTERDISCIPLINARIDADE: POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS NA ESCOLA Cláudia de A. trata de um estudo de caso. em uma escola pública. tendo como referencial de análise o/a professor/a de Educação Física como um possível catalisador dessas ações.chave: Bioexpressão. A fragmentação dos saberes científicos distancia a possibilidade de integração das diversas disciplinas que compõem um currículo escolar. proporcionando um ensino de qualidade e um retorno eficaz na aprendizagem. Esse estudo parte da seguinte questão problema: ações interdisciplinares são práticas realizadas na escola? A metodologia utilizada nessa pesquisa é descritiva documental. pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Os professores de Educação Física. na qual analisamos o plano de gestão de uma escola estadual da cidade de Ribeirão Preto/SP. além de contar com as contribuições metodológicas do materialismo histórico dialético. Palavras-chave: prática escolar e currículo. serão analisadas as possíveis contribuições da Bioexpressão como uma possibilidade de intervenção nos processos de expressão criativa. Cláudio Amaral Overné (FFP/UERJ) Tomo como objeto de estudo a construção social da autoridade e a cultura institucional. Expressividade. AS IMPLICAÇÕES NA PRÁTICA DOCENTE A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DA PROPOSTA CURRICULAR PELA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO Cláudia Márcia de Souza Oliveira (UNESP) Fátima Aparecida Dias Gomes Marin Este texto apresenta um estudo com o objetivo de conhecer e compreender as implicações na prática dos professores de Língua Portuguesa. multifacetados e. melhor percepção de si e do outro nos alunosdocentes do curso de pedagogia da UEMG Barbacena. Ação Pedagógica. de Apple sobre o currículo escolar e de Pimenta sobre o protagonismo do sujeito professor e o seu compromisso nos processos de mudanças e inovações. Esta fragmentação tem motivado os professores a atuarem de maneira distinta. Gaio Este trabalho tem como objetivo investigar se ações pedagógicas interdisciplinares são realizadas no ensino fundamental. independente. isto é. SOB O VIÉS DA CULTURA INSTITUCIONAL. O referencial teórico se apoia nas concepções de Heller a respeito da vida cotidiana. ocorridas em decorrência da implantação do currículo oficial. juntamente com os professores em sala de aula. cotidiano A CONSTRUÇÃO SOCIAL DA AUTORIDADE DOCENTE EM RELAÇÕES DE PODER. docente. R. devem favorecer ações interdisciplinares. indago em que medida a cultura institucional incide nas concepções e práticas de autoridade do professor em sala de aula? A cultura institucional modifica o encaminhamento dos dilemas e tensões das práticas de autoridade docente? Quanto às etapas da pesquisa. nem promovendo os estímulos necessários ao processo de aprendizagem efetiva. Educação Física Escolar.bioexpressivas e entrevistas semiestruturadas. Palavras. Dentre as questões que habitam o ambiente social escolar. visando à emancipação intelectual dos discentes. Ao investigar a apropriação de uma reforma educacional no contexto escolar. pretende-se compreender a dinâmica das práticas docentes. de abordagem qualitativa sobre a prática dos docentes em sala de aula. ponderando sobre a legitimidade ou não de um currículo único para as escolas públicas estaduais de São Paulo. baseada em Rudio (2009). os procedimentos metodológicos podem ser . Autocuidado. A pesquisa. Machado (CUML) Roberta C.

Elias. Alves para compreender os movimentos de se tecer a pesquisa no/do/com o cotidiano. a partir da análise de suas impressões sobre as atividades e aprendizagens desenvolvidas na escola. A pesquisa que se pretende aqui se utiliza da análise do discurso tomada enquanto trabalho simbólico. O referencial teórico basea-se em Michel Foucault (1977. e Marques L.Parecer CNE/CEB Nº: 20/2009 . TEMPORALIDADES DE CRIANÇAS: NARRATIVAS DE PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Cristiane Elvira de Assis Oliveira (UFJF) Luciana Pacheco Marques Apresento. Richard Sennett (2001) e Leonor Lima Torres (2004). O objetivo desta coleta é reunir informações que contribuam com a pesquisa maior. E o segundo movimento está sendo problematizar com professoras da Educação Infantil indícios das temporalidades de crianças. ou seja. como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9. . cujo objeto de pesquisa refere-se às temporalidades de crianças da Educação Infantil de uma escola de educação em tempo integral do município de Juiz de Fora/MG. a criança terá seus tempos respeitados e será possível problematizar a organização do tempo escolar. 2006).indicam para essa etapa da educação. no período de 2005 a 2009 sobre a escola em ciclos. Fernandes (2006) e Mainardes (2006). Considero ser importante que as professoras dialoguem sobre as temporalidades de crianças e tenham sensibilidade com a forma que cada criança lida com os tempos no cotidiano escolar. implantação e desenvolvimento dos ciclos e autores nacionais como Barretto e Mitrulis (2004). que tem como questão: Como o conhecimento escolar é “utilizado“ . meu projeto de qualificação de Mestrado em Educação. ciclos e qualidade. Palavras-chave: autoridade.394/96 e as Diretrizes Curriculares Nacionais Para Educação Infantil . Oliveira. 2005).. Meu primeiro movimento na construção da pesquisa foi mergulhar no cotidiano de uma turma de segundo período. uma avaliação contínua do processo de ensino ESCOLA EM CICLOS . apresentando análises parciais de trabalhos apresentados na ANPED. o estado do conhecimento sobre o tema em tela. pesquisando temporalidades de crianças da Educação Infantil. Sobre a avaliação na educação infantil. sociológica e educacional. Skliar. Trago para a discussão teórica Larrosa e Kohan quando reflito sobre infâncias e crianças. dada a sua capacidade de construir e desconstruir pode conduzir a diferentes resultados nesta pesquisa. Bornhein no momento da problematização dos tempos. SOB O OLHAR INFANTIL: A PARTICIPAÇÃO DA CRIANÇA NA AVALIAÇÃO ESCOLAR Cristina Aparecida Colasanto (PUC/SP) O projeto visa discutir a participação da criança na avaliação do processo de ensino aprendizagem. pois assim. os Documentos oficiais. A dinamicidade dos processos interativos atravessados pelo poder na cultura institucional escolar. Pierre Bourdieu (1989. que utilizo como aporte teórico-epistemológicometodológico.expressos por meio do levantamento bibliográfico da produção teórico-filosófica. relações de poder. A Dialogicidade pela importância do conceito dialógico na formulação. Prigogine. 2005) com ênfase no capítulo 03. neste texto. Marques C. cultura institucional. Palavras chaves: escola.POR UMA ESCOLA DE “QUALIDADE” Cremilda Barreto Couto (UFF) A pesquisa de doutoramento iniciada na UFF/RJ em 2010 encontra-se em andamento. no GT 13 do Ensino Fundamental.“definido“ “organizado“ no cotidiano escolar? Como referencial nos reportamos “A Pedagogia do Oprimido” (Freire.

numa perspectiva pós-crítica. Palavras-chave: Ensino de Filosofia. análise discursiva. especialmente no tocante às necessidades dos alunos surdos. adolescentes e adultos) na avaliação. 11. Schiavon (UNESP) Luci Pastor Manzoli A inclusão educacional requer uma completa reestruturação nas ações de gestão e nas ações educacionais de todo o sistema. OS EFEITOS DA LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS (LIBRAS) NA INCLUSÃO ESCOLAR DE ALUNOS SURDOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Daiane Natalia. Este assunto desdobra-se também na participação dos alunos (crianças. O trabalho encontra-se em andamento e se desenvolve em uma escola do ensino fundamental da rede pública municipal de uma cidade de pequeno . Palavras-chaves: avaliação . e uma professora especialista. Utilizar-se-á a observação como recurso fundamental. assegurando uma resposta educacional adequada às suas necessidades. Orientações Curriculares para o Ensino Médio. em uma escola pública de educação infantil de São Paulo. objetiva discutir as relações de poder-saber que permearam a questão da Filosofia no currículo do Ensino Médio. ou na temática da auto-avaliação. a partir das contribuições de Foucault (1995. 2004. do qual repercute em várias pesquisas. bem como analisar o processo de ensino aprendizagem destes alunos juntamente com o professor especializado na área da surdez e com a professora do ensino comum. Para isso. em andamento. A FILOSOFIA NO CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO: ASPECTOS DISCURSIVOS NOS DOCUMENTOS OFICIAIS Daniel Santini Rodrigues (Universidade São Francisco) Jackeline Rodrigues Mendes Este projeto de pesquisa. e a Lei nº. para que possa servir como um instrumento a favor tanto de quem aprende como de quem ensina. Currículo. 2005. para melhor fundamentar o trabalho. tais como Àlvarez Méndez (2000) que defende a participação do aluno no processo avaliativo. educação infantil. 2007) e Bauman (2003. porte do interior do estado de São Paulo. este trabalho pretende. a partir de uma análise discursiva. 2008). incluindo a produção internacional. de 2008. este trabalho fundamentar-se-á nos estudos no campo do Currículo. Para investigar o tema. bem como a aplicação de um questionário com os professores acerca da relevância da Língua de Sinais e os efeitos desta na escolarização dos alunos surdos. propõe-se a realização de uma pesquisa sobre uma experiência de avaliação com a participação de crianças de quatro anos. o qual deve garantir todo o suporte necessário às condições de cada aluno. como um valioso feedback sobre o ensino. 1996.aprendizagem.684. A avaliação deve constituir-se como oportunidade de demonstrar o que o sujeito sabe e como sabe. o presente projeto tem como questões norteadoras da pesquisa: Quais as relações de poder-saber que permearam a questão do ensino de Filosofia no currículo do Ensino Médio? De que forma estas relações apontam para um tipo de sujeito do currículo? Para a discussão e problematização desta pesquisa. Sob essa ótica. o presente estudo pretende analisar os efeitos da Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS na escolarização de alunos surdos do ensino fundamental. que tornou obrigatório o ensino de Filosofia como disciplina no Currículo. O plano de pesquisa inclui um levantamento bibliográfico sobre a avaliação em instituições de educação infantil. e seus 4 respectivos alunos surdos. problematizar o movimento relativo à discussão em torno do ensino de Filosofia no Ensino Médio tendo como corpus de análise os seguintes documentos oficiais: Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9394/96). participação da criança . Os sujeitos pesquisados são 4 professores de sala comum do ensino regular. no capítulo referente ao Ensino de Filosofia. Diante desse quadro. na abordagem de Análise do Discurso Crítica e na discussão da relação discurso-sujeito. mais especificamente das séries iniciais.

Tem como objetivos identificar. a partir do trabalho pedagógico desenvolvido em sala de aula. desenvolvimento. aos alunos com DI . os alunos com DI matriculados em suas salas de aula e seus respectivos pais ou responsáveis. Participarão quatro professores. sem deixar de dar a devida importância ao caráter social ao qual a modalidade EJA nos remete. analisar o desenvolvimento cognitivo vivenciado por alunos adultos no processo de escolarização. de 1890 a 1910. O objetivo é elaborar. Por meio do estudo da legislação mineira e dos programas oficiais busco compreender os objetivos do ensino desse conteúdo. cuja coleta de dados iniciou-se em março de 2011. acerca do tema da higiene. aprofundar e ampliar a investigação sobre aprendizagem e desenvolvimento de jovens e adultos. principalmente em VYGOTSKY (1993. Buscar-se-á. na importância da questão da afetividade e nas possibilidades de contribuir para um maior conhecimento da temática ainda pouco pesquisada. A coleta de dados será realizada em São Carlos – São Paulo e Vitória da Conquista .UFSCar.Bahia. Palavras-chave: Afetividade. Trata-se de uma pesquisa participativa de cunho qualitativo.A HIGIENE NAS ESCOLAS NORMAIS DE MINAS GERAIS (1890-1910) Daniela Flávia Martins Fonseca (UFMG) Essa pesquisa relaciona os temas Higiene e Educação. Dessa forma busco comparar o que era proposto nos textos oficiais com a prática. Palavras-chave: Educação. afetivos positivos dessas relações observadas. com esse trabalho. duas grandes preocupações de políticos e intelectuais brasileiros. principalmente. em Minas Gerais. A análise desses documentos irá me auxiliar a compreender aspectos da cultura escolar. A coleta de dados se fundamentará na metodologia qualitativa. Para isso analiso o ensino desse conteúdo nas Escolas Normais de Ouro Preto. Sua pertinência firma-se na relevância social do tema. implementar e avaliar um Programa de Ensino Colaborativo aos professores da rede pública municipal que atendem alunos com deficiência intelectual – DI. focalizando-se os aspectos . utilizando o procedimento de autoscopia. cultura. E por meio de fontes. os demais alunos da turma e a pesquisadora/consultora. como provas e atas de exames.Prova das quatro palavras e uma frase e Método Horizontes. Nesse estudo meu foco é sobre como a questão da higiene foi inserida na Instrução Pública. nesse período. Os dados obtidos serão agrupados em núcleos de significação. As bases teóricas fixam-se na área da Psicologia. São João del Rei. higiene. as implicações das relações afetivas que se constituem na mediação do professor na relação que se estabelece entre alunos e objetos de conhecimento. roteiro de observação com registros da professora do ensino comum e AFETIVIDADE E CONDIÇÕES DE ENSINO: A MEDIAÇÃO PEDAGÓGICA E SUA REPERCUSSÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Daniela Gobbo Donadon Gazoli (UNICAMP) Sérgio Antônio Da Silva Leite Esta pesquisa pretende dar continuidade. ENSINO COLABORATIVO: UM ESTUDO COM PROFESSORAS DE DUAS REDES DE ENSINO MUNICIPAIS QUE ATENDEM ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL Danúsia Cardoso Lago (UFSCar) Maria Amélia Almeida Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de São Carlos . Serão utilizados os seguintes instrumentos: aos professores . 1998) e WALLON (1968. descrever e analisar. começando pelas Escolas Normais. na transição do século XIX para o XX.questionário de identificação e roteiro de entrevista semi-estruturada. procuro o entendimento das práticas do ensino da Higiene em sala de aula. Pretendo. 1979). com foco nas relações que se estabelecem entre aluno e objetos de conhecimento. tomando por base de análise a abordagem teórica assumida. compreender as finalidades do ensino desse conteúdo nessas escolas e como era a prática desse ensino. Educação de Jovens e Adultos. Campanha e Montes Claros.

bem como subsidiar o trabalho dos professores por meio do Ensino Colaborativo. DELINEAMENTO DA PESQUISA “O PRIMEIRO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA EM REGENTE FEIJÓ. ANDRÉ. Neste sentido. que propõe analisar o processo construtivo dos conhecimentos basilares de professores que cursam a disciplina “Construção do conhecimento lógicomatemático” do primeiro curso de Pós-graduação em Psicopedagogia com Foco na Sala de Aula. Palavras-chave: conhecimentos processo basilares construtivo de em aritmética. a partir da reflexão e do diálogo entre pesquisador/professor. INCLUSÃO ESCOLAR E SURDEZ: INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE POR MEIO DA PARCERIA PESQUISADOR/PROFESSOR Denise Marina Ramos (UNESP) Leandro Osni Zaniolo Sob a concepção sócio antropológica (SKLIAR. Esta técnica de pesquisa e de formação. visando a análise e a auto avaliação pelo protagonista dessa prática. Maranhão Este trabalho traz o delineamento da pesquisa de Doutorado de Lamberti. segundo Sadalla e Larocca (2004). Deficiência Intelectual. 1986). de A. SP. elementos teóricos relativos a processos construtivos de conhecimento e à aprendizagem matemática em cursos a distância e ambientes virtuais. Inclusão Escolar. Os dados dos alunos serão analisados individualmente na forma de estudo de caso e as entrevistas com as professoras serão submetidas à análise do conteúdo. estruturada em categorias. SP” Denise Di Giovanni Lamberti (PUC/SP) Maria Cristina S. que justifica o interesse investigativo (MENGA. 1998. Por se constituir como unidade dentro de um sistema mais amplo. e. . este reconhecimento implica o entendimento de que o surdo pertence a uma minoria linguística e cultural. oferecido na modalidade de ensino a distância. pós-graduação na modalidade de ensino a distância. Para a coleta de dados. 2003). o caso focalizado apresenta caráter singular e único. por meio da parceria pesquisador/professor. utiliza a videogravação de uma prática. buscamos em Shulman (2005) a base do conhecimento do professor. se re-conheça a realidade desses professores e de seus alunos surdos e. Para nortear o presente estudo. com alunos surdos matriculados em salas regulares. se discutam questões e possibilidades acerca do processo de escolarização do aluno surdo incluído em sala regular. vale-se do recurso da autoscopia. o presente estudo concebe a surdez como diferença. da região de Araraquara/SP. 1999). Palavras-chave: Ensino Colaborativo. O contexto de pesquisa se refere a duas escolas públicas. Espera-se que este estudo possa contribuir com a inclusão escolar de alunos com DI. e conta com a participação de dois professores que atuem com aluno surdo em sala regular. professores dos anos iniciais de escolaridade. o presente estudo visa investigar a prática docente frente ao processo de escolarização do aluno surdo incluído em sala regular. O processo de escolarização do surdo exige dos profissionais da área uma constante reflexão sobre os caminhos a serem percorridos e as possíveis atuações do professor no contexto educacional (GESUELI. em Powell e Bairral (2006) e Bairral (2007). A presente pesquisa caracteriza-se como estudo de caso. O pôster evidenciará esquematicamente este delineamento. uma vez que a disciplina do referido curso está sendo ministrada pela primeira vez na cidade de Regente Feijó. Espera-se que por meio da investigação da prática docente. 1997. desse modo.da pesquisadora. O projeto já foi aprovado pelo Comitê de Ética da UFSCar e pelas respectivas Secretarias de Educação onde o estudo será realizado.

1998.O ENSINO DE ARTE NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE PRESIDENTE PRUDENTE APÓS A LDB 9394/96. Após a análise dos questionários. A atual Lei de Diretrizes e Bases 9394/96 institui a Arte como componente curricular obrigatório e integrante da formação básica do cidadão. A pesquisa encontra-se na fase de elaboração da fundamentação teórica e elaboração do questionário. passível de modificações até a defesa da mesma diante das contribuições da banca do PPGE-UFES. juntamente com um levantamento sobre as dissertações e teses realizadas entre 1999 e 2008 junto ao banco de teses da Capes. 2008). A pesquisa apresenta-se em andamento. Palavra-chave: Arte-Educação. Estadual e Municipal sobre o ensino de Arte. a problemática e as análises deste estão nas questões da/na educação. política. será realizada uma entrevista semi-estruturada com um grupo menor de professores a fim de se aprofundar os principais pontos levantados no questionário. 2004). 2004) e Emancipação de saberes/fazeres (Santos. tem como objetivo principal: analisar a situação atual do ensino de Arte nas escolas municipais de 1º ao 5º ano de Presidente Prudente. economia e cultura atrelados á Educação Ambiental em redes de saberes e fazeres tecidas nos cotidianos dos mesmos. Formação do MOVIMENTO ECO-VIDA PIÚMA/ES: REDES INTERLOCUTORAS NA PRÁXIS DE ESTUDOS ECOLÓGICOS EM AMBIENTES DO COTIDIANO Denize Mezadri de Almeida (UFES) Márcia Moreira de Araújo Os encontros. . Complexidade. 2003). Denise Penna Quintanilha (UNESP) Esta pesquisa. em relação à ação docente. sociedade. Organização Escolar e Formação de Professores. sendo utilizado como instrumento de pesquisa às narrativas dos sujeitos envolvidos na aplicação de estudos ecológicos in natura. Movimento ecológico. Certau. Tempos/ espaços praticados e vividos (Maturana. Palavraschaves: Educação ambiental. apud Gallo. Políticas Públicas. Transversalidade Ambiental e a complexidade da Educação Ambiental (Morin. Iniciamos com uma pesquisa documental sobre a Legislação Federal. Tristão. Vida decente e prudente (Santos. porém sua aplicação tem sido feita de maneira diferente nos diversos sistemas de ensino. desencontros. apud Filho. Posteriormente será aplicado um questionário junto aos professores da rede municipal de ensino de Presidente Prudente e equipe gestora. A Metodologia utilizada basear-se-á na etnoecologia e na fenomenologia. Para o desenvolvimento desta pesquisa adotamos a abordagem qualitativa com triangulação de procedimentos. para identificarmos as orientações e práticas adotadas pelos professores em relação a esta disciplina. Para tal. Professor. A pesquisa dialoga com o Pensar de sentidos (Deleuze. 1995. os saberes e fazeres para o aprendizado a ser aplicado na vida são tratados na pesquisa de dissertação de mestrado sobre o Movimento Eco Vida em Piúma-ES com a práxis de estudos ecológicos em circuitos nos ambientes naturais e artificiais da localidade e organizados por grupos de professores e alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental “Lacerda de Aguiar” no período de 2005 a 2010 e em parceria com associações presentes na comunidade e a gestão pública do município. vinculada a linha de pesquisa Políticas Públicas. 2005).

docentes e discentes. EDUCAÇÃO AMBIENTAL E AGENDA 21 CONFIGURAÇÕES DE PRÁTICAS EDUCATIVAS Edileuza Dias de Queiroz (UFRRJ) Patrícia de Oliveira Plácido A sociedade contemporânea nas últimas décadas preocupa-se cada vez mais com a crise socioambiental. isto é. MEC/USAID. Humberto Maturana (2001).Currículos. BONECOS E AFETOS NA CONSTITUIÇÃO DOS CURRÍCULOS DA ESCOLA Dulcimar Pereira (UFES) O objetivo geral desse estudo é relatar as experiências vivenciadas e os processos inventivos gerados durante a realização de . dão visibilidade a outras/novas relações tecidas na sala de aula e na escola favorecendo aprendizagens para além das comumente esperadas. Carvalho (2009). Como metodologia faz uso das oficinas pedagógicas nas quais as trocas são constantes entre professores e alunos. os elementos históricos. compartilham seus aprendizados para confeccionar bonecos.OS ACORDOS MEC/USAID E A PRÁXIS PEDAGÓGICA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA Diego Paladini Machado (UNINOVE) Carlos Bauer O ensaio apresenta o escopo teórico e os resultados parciais obtidos e pertinentes ao projeto de pesquisa “Implicações dos acordos MEC/USAID na práxis pedagógica dos professores de Educação Física do ensino superior (1961-1971)” em fase de desenvolvimento na Linha de Práticas do PPGE da Universidade Nove de Julho. Ficaram claras a partir da pesquisa bibliográfica. políticos. em consonância com as políticas públicas. Busca concluir que essas experiências e vivências escolares produzem outros currículos no/do cotidiano escolar. tanto por profissionais quanto por conhecimentos sobre a manutenção de hábitos de vida saudáveis. Enfatiza que. surgem projetos e ações em Educação Ambiental. dentre outros. Diversidade e Sustentabilidade) que as práticas estão hegemonicamente fragilizadas.Afetos. tencionamos que recuperar o debate acerca das implicações dos acordos do Ministério da Educação e da Cultura (MEC) com a Agência para o Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (USAID) para a práxis pedagógica docente no ensino da EF na universidade oferecerá uma contribuição ao debate acadêmico da historicidade da formação de professores. sociais e econômicos que contribuíram para a formulação dos conceitos e das práticas pedagógicas e educacionais da área. práxis pedagógica. (2006). devemos buscar as raízes históricas da EF no Brasil. apoiada em leituras. bem como as Agendas 21. Michel de Certeau (2002). Spinoza (2008). como possibilidade dos usos de múltiplas linguagens para a ampliação das relações de afetos no cotidiano escolar e o favorecimento de aprendizagens na produção de currículos. Surgem conferências em todas as escalas para discutir a problemática ambiental. objetos de estudo desta pesquisa. Palavras-chave: acordos universidade. escrever histórias e. Valendo-nos do referencial teórico do materialismo histórico dialético e reconhecendo as fontes orais como capaz de fornecer subsídios credíveis para o campo da história da educação. porém estas práticas são intrínsecas às políticas públicas decorrentes do ENCONTROS. oficinas de teatro de bonecos. A Educação Física (EF) vem se consolidando como campo de conhecimento nos últimos anos devido à preocupação de seus docentes e discentes. Os intercessores teóricos utilizados foram: Foucault. esses movimentos. pois não geram transformações significativas no meio em que estão inseridas. Para que esse processo de consolidação continue. Espírito Santo. que têm se esforçado para atender a uma demanda crescente da sociedade. estudos e reflexões realizados no GEPEADS-UFRRJ (Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Ambiental. como resultado dessas. Os afetos produzidos a partir da confecção dos bonecos produzem outros sujeitos e outras relações no ambiente escolar. Palavras-chave:Bonecos. junto a turmas do ensino fundamental na Rede Municipal de Ensino de Vitória.

A coleta de dados foi realizada por meio de aplicação de questionários aos alunos ingressantes no primeiro termo dos cursos de Tecnologia. referentes aos cursos de tecnologia no Brasil. bem como o que já foi desenvolvido até o momento. PALAVRAS-CHAVE :Educação Ambiental. Viçosa – MG”. alcançando o elevado índice de 50%. Ciência como territórios da Educação Ambiental: O caso do Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef. Busca-se esse entendimento através do desenvolvimento de ações em conjunto entre o MCTAD e uma escola pública do município. Minas Gerais. buscando compreender como se dá a construção da reflexão sobre Educação Ambiental. social. possa de fato. O aprofundamento destas questões torna-se imprescindível para que sejam (re)pensadas em mudanças necessárias para que a Educação Ambiental. A pesquisa tem como objetivo entender a dimensão educativa presente nas práticas de Educação Ambiental realizadas pelo Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef (MCTAD) na cidade de Viçosa (MG). AVALIAÇÃO DO EMPREGO DO PBL NA DISCIPLINA DE FINANÇAS Eli Borochovicius (PUC/Campinas) Jussara Cristina Barboza Tortella O método Problem Based-Learning (PBL) tem como propósito tornar o aluno capaz de construir o aprendizado cognitivo através de problemas propostos qu