Você está na página 1de 12

UFMG -2011 – 2a Etapa

Resolução das Questões

QUESTÃO 01
Um béquer contendo água está colocado sobre uma balança e, ao lado
deles, uma esfera de aço maciça, com densidade de 5,0 g/cm3,
pendurada por uma corda, está presa a um suporte, como mostrado na
Figura I. Nessa situação, a balança indica um peso de 12 N e a tensão
na corda é de 10 N.

Em seguida, a esfera de aço, ainda pendurada pela corda, é colocada


dentro do béquer com água, como mostrado na Figura II.

Considerando essa nova situação, DETERMINE:


A) a tensão na corda.
Solução:

Quando a esfera está, em equilíbrio, pendurada numa corda fora da


água, seu peso é igual à tensão exercida pela corda. Logo:
P = T = 10 N

A massa da esfera será: P = m.g 10 = m . 10 m = 1,0


kg
A densidade da esfera é igual a 5,0 g/cm3 = 5,0 x 103 kg/m3
O volume da esfera será: V = m/d = = 2,0 x 10-4 m3
O líquido irá exercer na esfera uma força para cima chamada empuxo.
O volume de líquido deslocado pela esfera é igual ao volume da esfera.
Assim: Empuxo = E = d água x Volume de água deslocada x g =
= 1,0 x 103 x 2,0 x 10-4 x 10. Assim: E = 2,0 N

Quando a esfera for colocada dentro da água ela sofrerá a ação da


força peso (P), da nova tensão (T’) e do empuxo (E):

Se dentro do líquido a esfera também está em equilíbrio:


E + T’ = P 2,0 + T’ = 10 T’ = 8,0 N

B) o peso indicado na balança.

Solução:
Se a água exerce na esfera uma força de 2,0 N para cima, então a
esfera exercerá na água uma força de 2,0 N para baixo
Antes da esfera ser mergulhada na água, o recipiente e a água
exerciam na balança uma força para baixo de 12 N. Com a esfera
dentro da água, A balança indicará a força total que nela atua. Assim, a
balança registrará uma força igual a 12 + 2,0 = 14 N.

Questão 2
Em agosto de 2009, em Berlim, Usain Bolt, atleta jamaicano, bateu o
recorde da corrida de 100mrasos, com o tempo de 9,58 s. Neste
gráfico, está representada, de maneira aproximada, a velocidade
desenvolvida, naquela corrida, por esse atleta em função do tempo:
Suponha que o calçado usado por Bolt tinha solado liso.
1. Considerando essas informações, DETERMINE o menor valor do
coeficiente de atrito estático entre o calçado e o solo para que o atleta
não derrape.
Solução:
Quando um atleta corre numa superfície horizontal, ele sofre por parte
do chão a ação de duas forças:
1a) força normal, vertical e para cima. Ela é anulada pelo peso Logo:
N = P = m.g
2a) como o atleta atrita o chão para trás, o chão exerce no atleta uma
força de atrito para frente. Essa força de atrito será a resultante de
forças sobre o atleta:
FR = F atrito estática = m.a
Para uma aceleração máxima, teremos uma força de atrito estática
máxima: F atrito estática máxima = m. a máxima
Para obtermos essa força de atrito estática máxima o coeficiente de
atrito estático terá que ter um valor mínimo tal que:
µ estático mínimo . N = m. a máxima
µ estático mínimo . m.g = m. a máxima

µ estático mínimo =

A aceleração máxima ocorre no intervalo de 0,0 até 2,5 s: a = =

Assim: a = 2,4 m/s2. Logo: µ estático mínimo = = = 0,24


2. Assinalando com um X a quadrícula apropriada,
RESPONDA:Em qual dos seguintes intervalos de
tempo a potência do atleta foi maior?
De 0,0 s a 2,5 s. De 2,5 s a 5,0 s. De 5,0 s a 7,5 s.

De 7,5 s a 9,58 s.

JUSTIFIQUE sua resposta.


Solução:
O atleta irá apresentar apenas energia cinética:
t = 0,0 s v = 0,0 Ec = = 0,0

t = 2,5 s v = 6,0 m/s Ec = = 18 m

t = 5,0 s v = 11 m/s Ec = = 60,5 m

t = 9,8 s v = 11 m/s Ec = = 72 m
Potência = . Esse quociente é maior n intervalo
de tempo de 2,5 s até 5,0 s

Questão 3
Um pistão - constituído de um cilindro e de um
êmbolo, que pode se mover livremente - contém um
gás ideal, como representado na Figura I.O êmbolo
tem massa de 20 kg e área de 0,20 m2. Nessa
situação, o gás está à temperatura ambiente e
ocupa um volume VI.
Considere quaisquer atritos desprezíveis e que a
pressão atmosférica é de 101 kPa.
1. Com base nessas informações, DETERMINE a
pressão do gás dentro do pistão.
Solução:
A pressão exercida sobre o gás é a pressão exercida
pela atmosfera mais a pressão exercida pelo êmbolo
A força que o êmbolo exerce no gás é igual ao seu
peso. Peso = m.g = = 20 x 10 = 200 N
Como Pressão = , a pressão exercida pelo
êmbolo é :
P êmbolo = = 1000 Pa = 1kPa.

A pressão sobre o gás será: P = 101 + 1 = 102 kPa

2. Em seguida, o pistão é virado de cabeça para


baixo, como mostrado na Figura II.

Nessa nova situação, a temperatura continua igual à


do ambiente e o volume ocupado pelo gás é VII. Com
base nessas informações, DETERMINE a razão VII/VI
entre os volumes.

Solução:
A atmosfera exerce no êmbolo uma força para
cima.Atuam sobre o êmbolo duas forças para baixo:
seu peso e de a força exercida pelo gás:
F atmosfera = F gás + Peso FGás = F atmosfera - Peso
Como P = = -

Logo: Pgás = P atmosfera – P êmbolo = 101 – 1 = 100 kPa

Se a temperatura é constante, então:

Piniciaol x Vinciial = Pfinal x Vfinal 102 x VI = 100 x VII

= = 1,02

3. Assinalando com um X a quadrícula apropriada,


RESPONDA:
Ao passar da situação representada na Figura I para
a mostrada na Figura II, o gás dentro do cilindro
cede calor, recebe calor ou não troca calor?

Cede calor. Recebe calor. Não troca calor.

Solução:
A temperatura de um gás é uma medida da sua
energia interna. Se a temperatura permaneceu
constante, a energia interna não variou:
U = 0.
a
De acordo com a 1 lei da termodinâmica:
U = Q – W. Se U = 0, então: Q = W
Como o gás expandiu ( VII > VI) Q > 0. Isso
significa que o gás recebe calor.

Questão 4
Na figura abaixo, estão representadas cristas
consecutivas de uma onda sonora, emitida por uma
fonte que se move em relação ao ar, em uma região
sem vento.Cada divisão horizontal ou vertical nessa
figura vale 0,50 m.
1. Com base nessas informações, DETERMINE a
velocidade dessa fonte de som.
Solução:
t=0 t

fonte
crista

A posição da fonte emissora da onda é o centro da


circunferência que representa a crista dessa onda.
No intervalo entre t = 0 e t, a fonte percorreu 6
divisões: distância (dF) = 6 x 0,5 = 3,0 m .
No intervalo entre t = 0 e t, a crista percorreu 9
divisões: distância (d Onda) = 6 x 0,5 = 4,5 m.
Como a fonte e a onda têm velocidades constantes:
t = . Logo:
= VF = 226 m/s = 2,3 x 102 m/s

2. Assinalando com um X a quadrícula apropriada,


RESPONDA:
Em qual das posições – K,L,M,P ou Q, indicadas na
figura –, uma pessoa percebe o som em tom mais
agudo?
K L M P Q

Solução:
Quanto maior a frequencia do som, mais agudo será
o som. Uma pessoa na posição Q irá receber mais
cristas por unidade de tempo. Assim, escutará um
som de maior frequencia e, consequentemente, mais
agudo.

3. Considere, agora, que a fonte sonora passa a se


mover com velocidade igual à velocidade do som.
ESBOCE, no diagrama ao abaixo, as cristas da onda
sonora nessa situação.

JUSTIFIQUE sua resposta.


Solução:
A fonte e a onda irão percorrer distâncias iguais em
tempos iguais as cristas irão se agrupar no lado que
tem o sentido do movimento da fonte:
Questão 5
Em um laboratório de óptica, Oscar precisa
aumentar o diâmetro do feixe de luz de um laser.
Para isso, ele prepara um arranjo experimental com
duas lentes convergentes, que são dispostas de
maneira que fiquem paralelas, com o eixo de uma
coincidindo com o eixo da outra. Ao ligar-se o laser,
o feixe de luz é alinhado ao eixo do arranjo. Esse
arranjo está representado neste diagrama:

Nesse diagrama, as duas linhas horizontais com


setas representam dois raios de luz do feixe. O
diâmetro do feixe é indicado pela letra d. A linha
tracejada horizontal representa o eixo das duas
lentes. O feixe de luz que incide nesse arranjo,
atravessa-o e sai dele alargado, na mesma direção
de incidência.Considerando essas informações,
1. TRACE no diagrama, até a região à direita da
segunda lente,a continuação dos dois raios de luz e
INDIQUE a posição dos dois focos de cada uma das
lentes.
Lente 1 Lente 2

Se f1 > f2, o feixe


emergente será
mais estreito que
o feixe incidente.

f1 e f2

Lente 1 Lente 2

Se f1 < f2, o feixe


emergente será
mais largo que o
feixe incidente.

f1 e f2

2. DETERMINE o diâmetro do feixe de luz à direita


da segunda lente em função de d e das distâncias
focais f1 e f2 das lentes.
Solução:
Lente 1 Lente 2

d'

Triângulos semelhantes
= . Logo: d’ = . d

Questão 6
A capacitância de um capacitor de placas paralelas é
dada por C=Q/V, em que Q é a carga em cada uma
das placas eV, a diferença de potencial entre elas.
Desprezando-se os efeitos de borda, o campo
elétrico entre as placas desse capacitor é uniforme e
de intensidade E=Q/ A, em que A é a área de cada
uma das placas e é uma constante.
1. Com base nessas informações,
RESPONDA: Que acontece com o valor da
capacitância desse capacitor se a diferença de
potencial entre as placas for reduzida à metade?
Solução:
A capacitância de um capacitor é a carga em uma
das placas pela diferença de potencial entre elas:
C=
Se a d.d.p. for reduzida à metade, a carga em uma
das placas também se reduz à metade. Assim, a
capacitância permanece constante.
2. Considere que um material isolante é introduzido
entre as placas desse capacitor e preenche
totalmente o espaço entre elas. Nessa situação, o
campo elétrico entre as placas é reduzido de um
fator K, que é a constante elétrica do material.
EXPLIQUE por que, nessa situação, o campo elétrico
entre as placas do capacitor diminui.
Solução:
O campo elétrico entre as placas polariza as
moléculas do dielétrico colocado entre elas. É criado
um outro campo elétrico no interior do condutor que
tem sentido contrário ao campo elétrico que existia.
Isso faz com que se reduza o campo elétrico
resultante entre as placas.