P. 1
Web Aula Operações e Logística

Web Aula Operações e Logística

|Views: 469|Likes:
Publicado porancelmogalvaobarros

More info:

Published by: ancelmogalvaobarros on Dec 13, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/04/2014

pdf

text

original

WEB AULA 1

A logística e o clienteA logística e o cliente
A logística está muito presente em nossas vidas. Ela é uma grande palavra para um grande desafio (Harisson e Van Hooke, 2003). Ela é a atriz principal que trabalha por trás do palco do capitalismo moderno. Poucas áreas de operações envolvem a complexidade ou abrangem o escopo geográfico característico da logística. Quando você vai a uma loja ou a um supermercado você espera encontrar produtos disponíveis e recém-fabricados. Você já parou para pensar como esse produto chegou até ali e está disponível para você? É difícil imaginar atualmente a realização de qualquer atividade de produção ou de marketing sem o apoio logístico. Você provavelmente já escutou (ou escutará) várias definições para o termo “Logística”. Parafraseando Bowersox e Closs (2001), vou citar algumas que se referem aos vários assuntos discutidos neste ramo do conhecimento: logística empresarial, distribuição física, administração da logística de materiais, administração de materiais, suprimento físico, logística de distribuição, logística de marketing, logística interna e distribuição total. Atualmente, o Council of Logistics Management alterou a definição do termo para: “Logística é o processo de planejamento, implementação e controle eficiente e eficaz do fluxo e armazenagem de mercadorias, serviços e informações relacionadas desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender às necessidades do cliente”. A logística pode ser vista como parte das atividades de uma “cadeia de suprimento”. Por esta definição, vemos que a logística envolve a integração de uma série de atividades que, juntas, agregam valor ao negócio: informações, transporte, estocagem, armazenamento, movimentação dos materiais e embalagem. Cada uma dessas áreas oferece uma ampla variedade de tarefas estimulantes para quem deseja se profissionalizar nesse ramo. Muitos dos executivos bem sucedidos na área de logística se tornam orquestradores das diversas operações que envolvem operações dentro e fora das empresas. O grande desafio é coordenar as tarefas individuais de cada ator numa empresa e fora dela, atingindo os fornecedores de matérias-primas e de serviços, tudo para atender ao cliente no momento certo, na quantidade correta, no menor tempo possível e ao menor custo. É por meio do processo logístico que os materiais fluem pelo sistema de produção de um país e são distribuídos para os consumidores através dos canais de marketing (varejo e atacado). Os autores Bowersox e Closs (2001) nos remetem para um dado muito interessante: a complexidade da logística é extraordinária. Apenas nos EUA, a estrutura de marketing envolve aproximadamente 1,5 milhões de varejistas e mais de 460.000 atacadistas. Para mover produtos e materiais entre essas empresas foram registrados 14,9 milhões de caminhões em 1992. Para dar apoio à logística, o investimento total em estoques por parte dos fabricantes atacadistas e varejistas ultrapassou a casa de US$ 893 bilhões em 1994. Nas empresas, os gastos com logística variam normalmente entre 5% a 35% do valor das vendas, dependendo obviamente do tipo de atividade, da região da operação e da relação peso/valor dos produtos e materiais. Verifica-se, portanto, que a logística é responsável por uma das maiores parcelas do custo final do produto, sendo superado somente pelo custo dos materiais consumidos na produção e dos custos dos produtos vendidos no atacado ou no varejo (Bowersox e Closs, 2001).

No entanto, o principal interesse na logística não é somente a redução de custos. O interesse está em compreender como certas empresas utilizam de sua competência logística para obter vantagem competitiva. Isso significa oferecer ao cliente um serviço superior (iremos nos aprofundar neste assunto mais na frente). São empresas que monitoram suas operações on-line e são capazes de pôr em prática providências corretivas antes que essas falhas atinjam o cliente final; quando essas providências não são corrigidas em tempo hábil, conseguem avisar ao cliente de tal situação e encontrar soluções alternativas para que não sejam tomadas por surpresas por falhas nos serviços que ainda estão em andamento. Para saber mais: quando houve a greve nacional dos caminhoneiros na década de 90, helicópteros substituíram os caminhões parados para entregar peças automotivas nas fábricas da Volkswagen e Renault na grande Curitiba. Foi a forma encontrada de não parar a produção e manter o alto nível de serviço às montadoras pelas distribuidoras de auto-peças. Mas você deve estar se perguntando como anda a logística no nosso país. Vamos dar uma olhada no que um dos principais estudiosos do assunto, o prof. Paulo Fleury, do instituto Ilos (antigo CEL COPPEAD), tem a nos dizer sobre esse assunto. Saiba Mais: A LOGÍSTICA BRASILEIRA EM PERSPECTIVA, por Paulo Fernando Fleury. Disponível no link: http://www.ilos.com.br/site/index.php?option=com_content&task=view&id=114 0&Itemid=225 Fonte: FLEURY, P. F.; Figueiredo, K. F.; Wanke, P. Logística Empresarial - A Perspectiva Brasileira. Coleção COPPEAD de Administração. Atlas, São Paulo, 2000. Agora que já temos uma ideia do que é a logística, convido você a se aprofundar em outros termos importantes para a compreensão deste assunto tão importante em nossos dias. Posicionamento estratégico empresarial e a logística Toda empresa deve decidir qual o posicionamento estratégico desejado. Como você aprendeu em marketing, posicionamento é como a empresa deseja ser reconhecida no mercado, quais os diferencias que a torna única entre os concorrentes. Por exemplo, uma das várias competências necessárias para criar valor para o cliente é a logística. Todas as empresas fazem alguma atividade logística para os clientes (estocam, trocam informações com clientes, transportam, movimentam cargas). Uma empresa pode ter um ótimo produto, um bom preço, uma boa propaganda, mas ela entrega mais rápido que os seus concorrentes, ou informa melhor que ninguém onde estão seus produtos antes de chegar ao cliente. Esse posicionamento estratégico com foco de excelência na logística torna-se, aos olhos dos clientes, a fonte de excelência da empresa, o que alguns autores chamam de competência central. Assim, empresas como Correios, FEDEX, UPS, Expresso Martins esforçam-se em ter um desempenho acima da média em suas atividades da logística como forma de manter um diferencial de mercado.

Assim, o objetivo da logística está em criar valor para o cliente ao menor custo possível. O grande desafio aqui está em equilibrar as expectativas de serviços que o cliente espera com os gastos da empresa prestadora de modo a alcançar os objetivos do negócio. Nível de serviços e custos totais Se você começar a ler sobre logística, muito se discutirá sobre custos e serviços. Mas, afinal de contas, o que vem a ser isso? É importante nessa fase do curso introduzir a você este tema. Em princípio, qualquer empresa pode alcançar qualquer nível de serviço logístico ao seu cliente se estiver disposta a bancar os recursos necessários. Por exemplo, é possível manter um estoque dedicado geograficamente próximo a um cliente importante. As entregas serão quase imediatas! É possível também disponibilizar uma frota de caminhões em permanente prontidão para pronta entrega a clientes. A empresa pode ter um nível de estoques máximo para cada produto que comercializa como forma de nunca deixar o seu cliente sem produto. Isso é o sonho de todo vendedor! Mas ele é muito oneroso para a empresa que oferece este serviço, e pode, às vezes, nem ser assim tão necessário para dar apoio às operações de produção e marketing. Por exemplo, se uma peça de reposição de uma máquina fabril não estiver disponível no fabricante para este cliente em questão de horas, uma linha de produção inteira pode ficar parada, gerando milhões de reais em prejuízos. Por outro lado, um atraso inesperado de 2 dias na entrega de produtos para reabastecer um armazém pode não ser tão significativo assim em termos de impacto nos lucros do cliente (a reposição pode esperar!). Assim, concluímos que, na maioria das situações, o impacto de uma falha logística sobre o custo-benefício está diretamente relacionado com a importância da execução do serviço para o cliente envolvido! Quanto maior for o impacto da falha do serviço sobre o cliente, maior será a prioridade dada ao desempenho logístico. Esse é um pilar essencial no raciocínio das atividades da logística. Esse nível de serviço dado ao cliente é medido em termos de 1) disponibilidade, 2) desempenho operacional e 3) confiabilidade no serviço (Bowersox e Closs, 2001). Iremos retornar brevemente sobre esses pontos importantíssimos quando tratarmos do “nível de serviço ao cliente”. Mas você deve estar se perguntando: e os custos? Em logística, é comum trabalhar com a noção de custos totais ao invés de apenas olhar para os custos unitários das operações. O custo total foi conceituado como o custo que inclui todos os gastos necessários para executar as exigências logísticas. Eu vou dar um exemplo para você melhor entender. Imagine o seguinte: sua empresa é uma pequena cervejaria e vocês despacham seu produto principal, a cerveja “cervas”, para os clientes de outros países, normalmente por via marítima. O navio leva duas semanas para chegar aos seus clientes na Europa, por isso sua cerveja precisa ter conservantes, o que termina por alterar o gosto da cerveja. Certa vez, um consumidor estrangeiro veio a sua cervejaria e a provou no instante em que ela foi produzida e achou que a cerveja seria bem vendida na Espanha, país onde sua empresa ainda não exportava. Sugeriu que a exportassem por via aérea e que fosse comercializada com o slogan de “a cerveja de fabricação recente”. Pois bem, a empresa optou por fazer essa experiência: despachou um lote por via aérea para que a cerveja chegasse mais rápido ao consumidor; colocou um preço final maior, para que sua cerveja fosse posicionada como um produto sofisticado. Nesse preço, a sua margem de lucro era maior do que naquelas comercializadas via modal marítimo. A cerveja foi um sucesso,

Assim. Convido você a dar uma olhada. . a empresa compensou esses custos com um menor gasto de estocagem na fábrica e conseguiu um novo nicho de mercado para seus produtos. Entendeu o que é logística? Que tal agora um vídeo explicando o mercado atacadista e suas operações logísticas criando valor para o cliente final? Tire suas próprias conclusões. Saiba mais: há um interessante artigo sobre custos logísticos de Mauricio Lima. a soma de todos os custos incorporados na operação logística em comparação com o benefício esperado pelo cliente é que deve ser levado em conta na decisão envolvendo atividades logísticas. do Instituto Ilos. onde um custo acaba por compensar outro. apesar do preço mais alto. apesar de enviar lotes de cervejas “cervas” por via aérea. um modal bem mais oneroso que via marítima.pois foi de encontro com as necessidades dos consumidores daquele país por uma cerveja que fosse recém-fabricada. Dessa forma. Você certamente irá ler ou ouvir sobre esse fenômeno chamado de trade-off (ou compensações – em português).

Quando as operações logísticas estão integradas e são consideradas uma competência-chave. 2) informações. o que significa que inclui todas as atividades importantes para a disponibilização de bens e serviços aos consumidores. Essa ideia implica que a logística é parte do processo da cadeia de suprimento e não do processo inteiro! Hoje. 2009. 5ed. A convicção de que um desempenho integrado produz melhores resultados do que funções gerenciadas individualmente. com o único objetivo de atender às necessidades dos clientes que se encontram na ponta da cadeia de suprimento. quais sejam: 1) um projeto de rede. Aprofundando o conhecimento: A partir de agora. constitui o paradigma fundamental da logística. você deve parar a leitura da web aula e abrir a biblioteca digital ou ir à biblioteca do seu pólo. é uma evolução tremenda de um conceito medieval. Procure pelo livro do Ballou “Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. a logística. O grande desafio de qualquer executivo da área de logística é coordenar os trabalhos dessas áreas funcionais de maneira orquestrada. como conhecemos hoje. A principal diferença entre eles é o horizonte temporal do planejamento. da pág. o gerenciamento da cadeia de suprimentos (ou SCM – Supply Chain Management) é um termo surgido mais recentemente e que capta a essência da logística integrada. a logística é um processo. sem coordenação entre si. 25 a 45. 616p. elas podem servir como base para a obtenção de vantagens estratégicas. Essas funções que vamos estudar abaixo geram ciclos de atividades que precisam ser trabalhadas de maneira harmônica para produzir valor para o cliente. evoluiu com a comercialização do microcomputador e virou uma revolução com a era da informação e os movimentos de qualidade total. A INTEGRAÇÃO DAS OPERAÇÕES LOGÍSTICAS Muito bem. O planejamento logístico busca sempre responder às perguntas sobre o quê. interessante seria acompanhar a evolução deste conceito.WEB AULA 2 A história da logística história da logística Agora que você está por dentro das principais ideias do conceito de Logística. Vamos assistir a este vídeo que narra um pouco da história desse conceito. Porto Alegre: Bookman. Enquanto o . quando e como. 3) transportes.” e leia o capítulo 1 “Logística empresarial/cadeia de suprimentos – uma disciplina vital. O planejamento da logística O diferencial logístico de qualquer empresa é alcançado quando se coordenada as atividades de várias áreas. tático e operacional. agora você já sabe que a logística pode ser posicionada na empresa como uma das competências que contribuem para o processo de criação de valor para o cliente. Hoje. Ela nasceu das organizações militares e renasceu na década de 50 para as organizações empresariais. A logística que conhecemos hoje é aquela que sempre foi? Como você acha que nasceu essa ideia? Onde ela era aplicada? Como ela se tornou tão importante hoje para nossa sociedade moderna? Bem. e se desenvolve em 3 níveis: estratégico. 4) estoques e 5) armazenagem. manuseio de materiais e embalagem. quando e onde estes quiserem adquiri-los.

instalações de transbordo e lojas de varejo constituem típicas instalações logísticas. onde ela vai ser localizada e o que vai ser executada em cada uma destas instalações constituem umas das questões mais importantes do projeto de rede. A preocupação maior é como encaminhar o produto de maneira efetiva e eficiente ao longo do canal logístico. com decisões diárias. à . O objetivo do projeto de rede é determinar a quantidade e a localização de todos os tipos de instalações necessárias para a execução do processo logístico. ou seja. Não se pode relegar a importância da localização das instalações. pois isso afeta o custo e a capacidade de prestação de serviços aos clientes.planejamento estratégico é considerado de longo prazo. Fábricas. 1) O Projeto de rede O Projeto de rede significa fazer um esboço de onde serão as instalações da empresa. geralmente inferior a um ano. o planejamento tático tem um horizonte temporal intermediário. pois a estrutura das instalações da empresa é usada para fornecer produtos e materiais aos clientes. A determinação da quantidade necessária de cada tipo de instalação. todas as tarefas específicas associadas ao processamento de pedidos de clientes. Tudo bem até aqui? Espero que sim!!! Vamos agora detalhar as operações logísticas que precisam ser integradas para efetivar o trabalho logístico. armazéns. O planejamento operacional é o processo decisório de curto prazo. estrategicamente planejado. Vamos ver no quadro alguns exemplos de processos de decisões e os recursos logísticos.

um dos principais motivos pelos quais os executivos utilizam informação para a obtenção de um controle efetivo das operações logísticas é seu desejo de substituir a imprecisão das projeções por uma res¬posta mais rápida às necessidades do cliente. mas. a informação pode ser obtida em tempo real como solução para os clientes. em logística. antigamente. Concei¬tos como o just in time (JIT). havendo mudança de endereço de seus clientes para outras regiões. é usada para orientar o posicionamento do estoque.Continuous Replenishment). é um esforço no sentido de calcular as necessidades futuras. A variedade de produtos. lendo o artigo de Leonardo Lacerda sobre CONSIDERAÇÕES SOBRE O ESTUDO DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES 2) A informação A tecnologia atual é capaz de atender aos mais exigentes requisitos de informação. mas normalmente não resulta em venda. não era um recurso estratégico. A informação. Segundo Boersox e Closss (2001). Ao longo do tempo. É bom lembrar a importância da modificação constante da rede de instalações. é comum receber informações incorretas sobre o processamento do pedido de um cliente. muitas empresas não tinham a ideia aprofundada de como comunicação rápida e precisa podia melhorar o desempenho logístico. O gerenciamento de pedidos abrange o trabalho envolvido no atendimento de necessidades específicas do cliente. ao baixo nível de tecnologia da época. Por exemplo. Saiba mais: Aprofunde-se no estudo das localizações. de nada adianta informações disponíveis se elas não são acompanhadas de qualidade. de modo a satisfazer as necessidades futuras do clien¬te. No entanto. todas as instalações devem ser reavaliadas para determinar se sua localização ainda é a mais adequada. Cada erro na composição das necessidades de informação cria uma provável ruptura na cadeia de abastecimento. Assim. Por exemplo. Se desejado. A projeção. são técnicas voltadas para a obtenção de efetivo controle logístico. o qual se tornou possível graças à adoção de tecnologia de infor¬mação recém-desenvolvida. O processamento incorreto de um pedido cria todos os custos logísticos.Quick Response) e o reabastecimento contínuo (CR¬ . Nesse senti¬do. Isso se deu. visando adaptá-la às mudanças nas infraestruturas da oferta e da demanda.manutenção de estoques e ao manuseio de materiais são executadas dentro da estrutura do projeto de rede. os custos logísticos são frequentemente aumentados em função de despesas de devolução da mercadoria ao estoque. é provável que você o siga para melhor atendê-lo em termos de rapidez. interno ou externo. De fato. é a . Pode parecer um tanto óbvio para nós hoje em dia. O pedido do cliente. a demanda dos clientes e as necessidades de fabricação estão em constante mudança em um ambiente dinâmico e competitivo. a resposta rápida (QR¬ . antigamente. em parte. A informação é crucial para integrar as atividades logísticas. O gerenciamento de pedidos e as projeções são duas áreas do processo logístico que dependem de informações.

Esse compromisso com o cliente é a base para a formulação de uma estratégia logística. Os clientes externos são aqueles que consomem o produto ou serviço como qualquer parceiro comercial independente que compra produtos ou serviços. .org/wirelessbr/colaboradores/sandra_santana/r fid_01. No entanto. mas muito da capacidade logística de uma empresa é avaliada por meio da sua habilidade em gerenciar corretamente os pedidos. Sistemas logísticos bem elaborados. a chave para alcançar a eficiência logística é dominar a arte de combinar competência logística com expectativas e necessidades básicas dos clientes.wirelessbrasil. frequentemente. recomendo a leitura desse artigo: http://www. incluindo o faturamento e. Assim. quanto mais eficiente for o projeto do sistema logístico de uma empresa. Os clientes internos são unidades organizacionais dentro de uma empresa que precisam de apoio logístico para a execução do trabalho a elas designado. Em resumo. informações incorretas e atrasos no processamento de pedidos podem prejudicar o desempenho da logística. mais precisas deverão ser as informações. desde o recebimento inicial do pedi¬do até a entrega da mercadoria. que tal fazermos uma reflexão no fórum sobre um assunto pertinente ao que foi estudado? Convido vocês a participarem! Para concluir o estudo da Unidade O objetivo central da logística é atingir um nível desejado de serviço ao cliente pelo menor custo possível. O processo de gerenciamento de pedidos envolve todos os aspectos do gerenciamento das neces¬sidades do cliente. onde as informações da cadeia logística serão fundamentais para oferecer um serviço perfeito ao cliente? Se você tiver interesse em se aprofundar mais no assunto sobre como funciona e os usos do RFID na cadeia de suprimento. ba¬seados no tempo. Não sei se você sabe. pois os estoques de segurança são mantidos em um nível mínimo. Saiba mais: Que tal passear no supermercado do futuro.principal transação na logística. a cobrança.html Agora que finalizamos a primeira unidade. não têm excesso de estoque para com¬pensar erros operacionais.

e empresas nacionais. Por isso.RECURSOS LOGÍSTICOS • Previsões na cadeia de suprimento • Informações. portfolio e estudos independentes (autoestudo). como tanto se preconiza hoje. estão disponíveis para o grande público. têm demonstrado diariamente que acertar os ponteiros da cadeia de suprimentos pode resultar em uma significativa vantagem competitiva. Serão também realizadas atividades de acompanhamento tutorial. Avaliação Prevista: A avaliação será composta por duas questões dissertativas que remetem a questões que serão discutidas no fórum e três questões objetivas. Conteúdo Programático: UNIDADE 1 . criticá-las. o fundamental na educação não é o acúmulo de informações.SERVIÇO AO CLIENTE • • • • Marketing focado no cliente Definições de serviços ao cliente Serviços básicos e perfeitos Serviços com valor agregado UNIDADE 3 – COMPREENDENDO A CADEIA DE SUPRIMENTO • Definições da cadeia de suprimento • Planejamento da cadeia de suprimentos • Sistemas para gerenciamento da cadeia de suprimentos UNIDADE 4 . informativo e relacionado à sua área específica de atuação. discernir quais são importantes para nós em determinado momento. Quanto mais "pronto" é o conhecimento que lhes chega. menos estarão desenvolvendo a própria capacidade de buscar esses conhecimentos. É necessário que cada um de nós.Visão geral Apresentação da disciplina: Neste módulo do curso de administração iremos nos aprofundar sobre a logística e suas operações. as informações.br Objetivo da Disciplina Expor como a cadeia de suprimento constitui uma estrutura lógica e integrada para que as empresas e seus fornecedores trabalhem em conjunto para levar produtos. A nova concorrência pressupõe cadeias de suprimentos versus cadeias de suprimentos. A batalha pelo domínio do mercado deixou de ser travada entre empresas rivais. mesmo sobre campos específicos.INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA • A abordagem logística • Posicionamento estratégico e a Logística • A integração das operações logísticas UNIDADE 2 . O resultado disso tem sido uma modificação fundamental na natureza da concorrência. professores. hoje. Espero que gostem! Prof. tirar conclusões. estoques e manuseio de materiais. isso significa que é necessário que os alunos descubram os seus próprios caminhos. transportes. Metodologia: Os conteúdos programáticos previstos serão ofertados por meio das teleaulas e aulas-atividades em encontros semanais. de "aprender a aprender". Por que a cadeia de suprimentos é tão importante para a obtenção do sucesso? Porque ela é a nova fronteira dos negócios. Quanto a este novo método de ensino. como o Pão-de-Açúcar e Americanas. A logística é a base dos processos dessas cadeias. mas o desenvolvimento de competências e habilidades que nos permitem encontrálas.com. analisá-las. Alexandre Cabral alexandre. lidar com elas. reduzindo as poucas vantagens de se ganhar nos processos dentro da fábrica. Do ponto de vista prático. . depósitos. serviços e informações de maneira eficiente aos consumidores finais. A manufatura moderna excluiu grande parte do excesso de tempo e custos do processo de produção. Acredito ser importante que o aluno tenha a visão da moderna administração empresarial. O foco mudou da fábrica para os processos de relacionamentos entre as empresas até o consumidor final. Empresas multinacionais. saliento o quanto. a web aula. como Dell e Wal-mart.azevedo@unopar. se sinta responsável pela formação global de seu aluno e não por um único aspecto.

gerada pelo processo de concentração das compras no final do mês. juntamente com empresas produtoras de bens de consumo não duráveis. Uma recente pesquisa junto a 60 grandes empresas da cadeia de suprimentos de produtos de consumo não duráveis indicou que 87% dos entrevistados mostraram-se bastante entusiasmados com o movimento ECR Brasil. com quase todas as ferrovias e vários terminais portuários já em mãos privadas. A explosão do comércio internacional.ARTIGOS . conhecidas por sua excelência operacional. O processo especulativo gerava. e tornavam impossível qualquer tentativa de integração na cadeia de suprimentos. O rápido crescimento do comércio internacional. Para as empresas que aqui operam. o que gerava grandes tempos de espera no começo do mês e grande ociosidade nas outras três semanas. o processo de privatização da infraestrutura vem caminhando aceleradamente. elementos fundamentais para a existência de uma logística moderna. passando a combinar compras internacionais com as locais. Estas mudanças implicaram numa forte demanda por uma logística mais eficiente e sofisticada. Até cerca de 4 anos atrás a logística era o elo perdido da modernização empresarial no Brasil. e duas empresas internacionais. Apesar de amplo. é um período de riscos e oportunidades. gerou uma enorme demanda por logística internacional. a estabilização econômica produzida pelo Real e as privatizações da infraestrutura são os fatores que estão impulsionando este processo de mudanças. No nível empresarial. Nos últimos cinco anos. No caso do setor varejista. com base no sistema just-in-time. e com a expectativa de privatização do sistema Telebrás ainda este ano. cujo objetivo é aumentar a cooperação nos canais de suprimento. a Colúmbia e a Translor. como o Wal-Mart. e principalmente das importações. Como conseqüência. o movimento de mudanças é ainda recente. o fim do processo inflacionário induziu a uma das mais importantes mudanças na prática da logística empresarial. Entre 1994 e 1997. Grandes empresas multinacionais como CocaCola. formada por duas empresas nacionais. o processo de modernização vem sendo liderado por dois segmentos industriais. visando reduzir custos e melhorar a qualidade de serviços. as montadoras vêm atraindo para o pais empresas internacionais de prestação de serviços logísticos. As primeiras análises estimam que dentro de 3 a 5 anos se consiga uma redução de custos da ordem de US$ 3 bilhões. Por outro lado. podemos citar o caso de um dos maiores atacadistas distribuidores do país. as contínuas mudanças de preço causadas pela inflação criavam enormes incentivos para prática especulativas no processo de compras. verifica-se um crescente movimento de alianças entre empresas de logística locais e as internacionais. Antes da estabilização econômica. onde o número de caminhões que chegavam para descarregar na primeira semana do mês era duas vezes maior do que a média ao longo do mês. Um bom exemplo deste processo foi a constituição da CRTS. dentre do conceito de Supply Chain Management. qualidade e disponibilidade da infraestrutura de transportes e comunicações. Pode-se mesmo afirmar que estamos no limiar de uma revolução. haviam feito mudanças radicais em suas políticas de suprimento. uma joint venture criada para servir a Volkswagen nas suas operações de logística internacional. também. Por outro lado.PERSPECTIVAS PARA A LOGÍSTICA BRASILEIRA Data: 10/05/1998 Paulo Fleury INTRODUÇÃO A logística no Brasil está passando por um período de extraordinárias mudanças. A recente entrada de grandes grupos varejista internacionais no país. a Schnelecker e a Ryder. tem contribuído para este movimento de modernização. o comércio exterior brasileiro pulou de um volume de aproximadamente US$ 77 bilhões para cerca de US$ 115 bilhões. enormes ineficiências na utilização de ativos. o crescente movimento de cooperação entre clientes e fornecedores na cadeia de suprimentos. pela necessidade de dimensionar os recursos para o pico da demanda mensal. através de uma melhor coordenação logística entre clientes e fornecedores. todas as quatro montadoras de automóveis até então aqui instaladas. ou seja. uma área para a qual o país nunca havia se preparado adequadamente tanto em termos burocráticos quanto de infraestrutura e práticas empresariais. Riscos devido às enormes mudanças que precisam ser implementadas e oportunidades devido aos enormes espaços para melhorias de qualidade do serviço e aumento de produtividade. Nestlé e Gessy Lever estão participando deste esforço. fundamentais para o aumento da competitividade empresarial. Para tanto. ou seja um crescimento de 50% em 3 anos. a Associação Brasileira de Supermercados – ABRAS. tanto em termos das práticas empresariais quanto da eficiência. Apenas como exemplo. está liderando o Movimento ECR Brasil. . com um claro efeito modernizante sobre as primeiras. o automobilístico e o grande varejo.

redução de custos e melhoria de serviços. que implica na adoção de sofisticadas tecnologias de informação. As Lojas Americanas. Enquanto a produtividade média nas ferrovias norte-americanas. Até o início do processo de privatização. apesar das enormes diferenças na qualidade de serviços. Percebe-se também um grande esforço na direção da ampliação da gama de serviços oferecidos. 28% e 19%. apenas 20% da européia. No entanto. nossas ferrovias apresentavam desempenho lamentável. representados por alta disponibilidade. As mudanças são muitas. em Buenos Aires é de 22 e em Hamburgo. Embora muito recente. o número de empregados foi reduzido de 1. ainda há muito espaço a conquistar. onde o custo do transporte rodoviário é três vezes e meia maior que o ferroviário. na Austrália. os preços já sofreram reduções médias entre 15% e 20%. ferrovias e dutos no Brasil.br . Por outro lado. que levarão a uma maior competitividade. como roteirizadores. todo este esforço empresarial esbarra nas enormes deficiências ainda hoje encontradas na infraestrutura de transportes e comunicações. Resta continuar trabalhando na busca por maior produtividade e melhores serviços. atrás apenas do aéreo. A cadeia de supermercados Pão de Açúcar vem investindo fortemente em processos de automação e comunicações. atualmente têm mais de 70. percebe-se o potencial para redução de custos se a participação do rodoviário vier a seguir os padrões internacionais. Também nos portos começam a aparecer resultados através de substanciais reduções de preços e melhoria dos serviços. com o objetivo de migrarem de uma visão de transportes para uma visão de operadores logísticos. nos EUA é de apenas US$ 16. o transporte brasileiro possui uma dependência exagerada do modal rodoviário. tel: (21) 3445-3000 – WWW. até dois anos atrás. no Brasil. A rede de dutos no Brasil é extremamente modesta (50 vezes menor) quando comparada com os EUA. Enquanto a produtividade dos guindastes nos portos do Rio e Santos eram respectivamente de 9 e 12 contêineres por hora. Os longos anos de estatização dos portos. seis vezes maior que o dutoviário. pressentindo o aumento da competição por parte dos outros modais e pressionadas pela crescente exigência por qualidade de serviços por parte dos embarcadores. serviços claudicantes e produtividade alarmante. na antiga Rede Ferroviária Federal o valor era de 1 milhão e na Fepasa de 500 mil. O processo de privatização dos portos e ferrovias. respectivamente. sistemas de rastreamento por satélite. Como consequência. No caso da primeira ferrovia privatizada. Enquanto no brasil o transporte rodoviário é responsável por 58% da carga transportada (em toneladas-km).0 por 1. o segundo mais caro. Considerando os padrões norte-americanos. entrega rápida e confiabilidade de prazos que se observa nos EUA. é de 8 milhões. navios esperarem até duas semanas para atracar. Não era incomum. Com gastos equivalentes a 10% do PIB.com. Para as empresas brasileiras. medida por toneladas-km por empregado. as transportadoras rodoviárias estão passando por um processo de modernização.25. que até 3 anos atrás não possuíam nenhuma ligação EDI – Electronic Data Interchange – com seus fornecedores. o preço cobrado é cerca de 3 vezes maior. pode-se estimar uma economia de mais de US$ 1 bilhão por ano. assim como os subsídios implícitos que existiam no passado e que ainda perduram. pulando de 250. Enquanto aqui o preço médio é de U$ 23. Existem aí enormes oportunidades para aumento de produtividade e melhoria da qualidade de serviços. somente as suas ineficiências acrescentam 7% ao custo dos produtos exportados pelo país. Desta maneira. assim como a nova legislação em relação aos dutos. quando o padrão internacional é de menos de 24 horas.000 toneladas-km. mas o caminho já foi estabelecido. Esta onde de investimentos indica a importância vital da infraestrutura de comunicações para uma logística moderna. que lhe permitam conectar-se eletronicamente com seus fornecedores.ilos.Grandes investimentos estão sendo realizados com o objetivo de aprimoramento das operações logísticas. dois anos atrás. O número de produtos que já chegam ao varejo com código de barras aumentou 40% entre 1996 e 1997.000 para 350. devido a pequena escala ainda existente. basta verificar que a produtividade de mão-de-obra portuária era. EUA e China os números são 30%. Isto. o tempo médio de viagem na principal rota foi reduzido de 11 para 6 dias.800 para 900. e9 vezes maior que o hidroviário. Residem nos portos as maiores oportunidades para redução dos custos de transporte. A baixa produtividade se reflete em custos maiores para os usuários das ferrovias no Brasil. Considerando-se apenas as oportunidades de migração do rodoviário para o ferroviário. há pouco mais de 18 meses. os resultados destas mudanças já começam a aparecer. criam enormes oportunidades para aumento de produtividade. Apenas como exemplo dos inúmeros indicadores de ineficiência. para o modal rodoviário (subsídio ao diesel. 28. abrindo espaço para o crescimento de modais mais baratos. a quase inexistência de pedágios e a falta de regulamentos adequados sobre condições de trabalho dos motoristas) explicam em grande parte as distorções da matriz brasileira de transportes e as enormes ineficiências ainda hoje observadas. Segundo estudos do Banco mundial.000. e EDI. estão se preparando para o novo ambiente competitivo que começa a se formar no setor de transportes e logística no Brasil. representado por baixa disponibilidade. com menor ênfase. o nível de utilização das locomotivas subiu de 37% para 65%. ( Paulo Fleury. Por outro lado.

face à crescente concorrência. decidiu aumentar o nível de serviço oferecido. reduzindo o tempo de entrega de seus produtos até os consumidores finais.CONSIDERAÇÕES SOBRE O ESTUDO DE LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES Data: 10/07/1998 Leonardo Lacerda • Onde eles devem estar INTRODUÇÃO A definição da localização de instalações em uma rede logística. é um problema comum e dos mais importantes para os profissionais de logística. os possíveis fluxos físicos entre cada elemento da rede. onde deveriam ser localizados? E qual seria o impacto sobre os custos de estoque e transporte? De quanto seria a redução em tempo de entrega? Valeria a pena? ESTRUTURA DOS PROBLEMAS DE LOCALIZAÇÃO De forma geral. • Uma empresa que trabalha com vendas por catálogo e entregas a domicílio. fábricas. cada uma sendo capaz de produzir um determinado mix de produtos. Precisava ainda decidir em quais das fábricas existentes deveriam ser feitas as expansões ou em que municípios abrir as novas unidades de produção. a empresa iniciou um estudo de restruturação da sua rede de distribuição para avaliar quais seriam as modificações necessárias de forma à atender ao nível de serviço desejado: seria preciso abrir novos centros de distribuição mais próximos às zonas de mercado? Neste caso. as possíveis ligações entre elas e os respectivos custos de transporte de cada modal. estas empresas têm em comum o fato de terem utilizado modelos computacionais da sua rede logística para auxiliar os estudos de localização das suas instalações. sejam elas fábricas. era bastante distinto em diferentes regiões do país. • Uma indústria de bebidas estava elaborando seu plano de expansão para os próximos anos. Os dados de entrada para análise são as previsões de demanda para cada produto. • A recente desregulamentação do setor de distribuição de combustíveis deu liberdade para que as empresas do setor definissem as suas cadeias de abastecimento . centros de distribuição secundários (ou terminais) e as zonas de demanda. Abaixo são apresentados alguns dos vários exemplos de empresas brasileiras que recentemente realizaram estudos de localização de instalações. As linhas representam as possíveis ligações entre estes elos. depósitos ou terminais de transporte. as prováveis localizações da instalações. no entanto. Em umas destas empresas a primeira reação foi a revisão do número e localização das suas bases de distribuição. os estudos de localização tratam do problema de minimizar os custos de uma rede logística. A direção da empresa precisava decidir como expandir a capacidade de suas fábricas: se instalaria novas linhas de produção nas fábricas atuais ou se abriria novas fábricas para instalar as novas linhas. seja pelo aumento da eficiência na sua operação ou pelo aumento do nível de serviço oferecido. através de agências regulamentadoras. Este comportamento. O que comumente queremos determinar é : • Onde as fábricas devem ser localizadas? • Quais fornecedores deverão ser utilizados? . quem definia. centros de distribuição primários. tendo que atender a uma determinada demanda e devendo satisfazer certos limites de nível de serviço. A figura 1 abaixo mostra de forma esquemática uma rede logística genérica. estando esta sujeita às restrições de capacidade das instalações. Caracterizados por um alto nível de complexidade e pelo intensivo uso de dados. ou seja. Sua importância decorre dos altos investimentos envolvidos e dos profundos impactos que as decisões de localização têm sobre os custos logísticos. As previsões indicavam crescimento de demanda e uma mudança clara no perfil de consumo: em algumas regiões do país certos produtos deveriam ter sua demanda aquecida enquanto outras regiões apresentavam uma tendência de estabilização. os estudos de localização atualmente dispõe de novas tecnologias de informação que permitem tratar os sistemas logísticos de forma efetivamente integrada.anteriormente era o próprio governo. as limitações de capacidade e as taxas de produção. onde estão representados seus vários elos: fornecedores. A empresa possuía um rede logística com fábricas em vários estados. Motivadas pela busca de maior competitividade. da escolha sobre quais modais utilizar no transporte entre bases e a revisão da própria alocação dos pontos de demanda os postos às bases. Além de uma revisão dos seus sistemas de informação.ARTIGOS .

tipicamente. Na sua análise é preciso considerar os trade-off’s existentes entre as decisões relacionadas ao transporte.• Quantos centros de distribuição a empresa deve operar? localizados? • Que clientes ou zonas de mercado devem ser supridos de cada centro de distribuição? • Que linhas de produto devem ser produzidas ou estocadas em cada fábrica ou centro de distribuição? • Que modalidades de transporte devem ser usados para suprimento e para distribuição? Estas questões possuem forte interdependência entre si e não devem. múltiplos modais de transporte e milhares de clientes. centenas de potenciais locais para terminais. Além disto. dezenas de fornecedores. portanto. ao posicionamento do estoque na rede e ao número e localização das instalações. possuem uma complexidade bastante alta e envolvem um volume de dados muito grande. mesmo para problemas de pequeno porte. . centros de distribuição ou fábricas. A complexidade é devida ao fato de a análise ter que lidar com um conjunto extenso de variáveis de decisão que se influenciam mutuamente. ser analisadas de forma seqüencial ou segmentada. COMPLEXIDADE E DIMENSÃO DOS PROBLEMAS Os problemas de localização. O que se pretende é obter um solução ótima. Não é incomum ter que se trabalhar com centenas de produtos. que atenda ao nível de serviço desejado ao menor custo total da operação (figura 2). o número de possíveis alternativas a serem analisadas e comparadas é muito alto.

distribuição e transferência). conforme mostrado na figura 3. controlar e variar parâmetros. mas já se fazem presentes os representantes de algumas das principais empresas fornecedoras de softwares nesta área. estavam basicamente restritos à comunidade acadêmica ou aos órgãos governamentais. E aqui começam uma das principais dificuldades na realização destes estudos: na maioria da empresas os dados existem mas não estão estruturados. como os gerenciadores de bancos de dados. Os softwares de localização. limitadores tão sérios. localização dos clientes.Estes números dão uma idéia do volume de dados a ser manuseado. atualmente estão disponíveis um grande número de ferramentas computacionais que tornam mais fácil as tarefas de modelagem e otimização do problema e de tratamento da grande massa de dados tipicamente presente nos estudos de localização. que limitam os fluxos de produtos através das instalações. as restrições de demanda e. Foi muito recentemente. e os custos de compra ou produção. através da utilização de computadores mainframes. pois normalmente não existem sistemas de informação voltados para a sua geração. custos e taxas de produção.000 aparentemente em função da inclusão ou não de consultoria para realização do estudo de localização propriamente dito. As restrições básicas são as restrições de capacidade. As opções são muitas e as diferenças começam pelo preço. No Brasil a oferta ainda é limitada. FERRAMENTAS PARA ANÁLISE Desde a década de 70 já estavam desenvolvidas as bases para as aplicações computacionais de estudos de localização de instalações. do treinamento para operação do sistema ou de suporte pós-venda. pode-se ter acesso aos mesmos produtos disponíveis no mercado internacional. Os softwares em sua maioria possuem modelos pré-determinados de redes logísticas. utilizam interfaces gráficas para. localização dos atuais e prováveis pontos de estocagem e suprimento etc. inspecionar os resultados e gerar relatórios. garantido assim exclusividade de suprimento. São modelos genéricos que representam grande parte dos sistema reais. como as barreiras geográficas não são. . já que a análise requer informações detalhadas sobre a demanda. O mesmo não acontece com os custos de estoque que estão mais relacionados à dimensão temporal. os custos de armazenagem. na sua maioria. o que facilita o manuseio. preparação e checagem de grandes massas de dados. rodar o modelo. Como conseqüência. Uma outra caraterística bastante comum é a possibilidade de visualização dos resultados através de mapas. neste caso. É o que abordaremos a seguir. menos básicas em função de maior dificuldade de modelagem. de larga escala. planilhas eletrônicas. Estas últimas são geralmente de dois tipos: • as que limitam o tempo máximo de atendimento através da limitação da distância máxima entre uma zona de demanda e a instalação mais próxima • as que limitam o número máximo de instalações que podem atender a uma determinada zona de demanda. depois da ampla utilização de computadores pessoais dotados de processadores de alta velocidade.000 a US$ 150. ainda não bem tratada pelos softwares de localização. Mas os problemas de dimensões práticas. as restrições de nível de serviço. custos de transporte. A diferença entre eles está na capacidade de representar os custos e restrições operacionais envolvidos. que se expandiu o uso comercial de ferramentas computacionais aplicadas ao problema de localização. mais voltados para a dimensão espacial ou geográfica. permitindo assim uma análise mais qualitativa dos resultados. Variam de US$ 10. Praticamente todos consideram os custos de transporte (suprimento. através de menus. cerca de 2/3 do tempo de estudos de localização de instalações são gastos na aquisição e preparação dos dados! Embora as dificuldades pareçam grandes. No entanto. Oferecem também capacidade de comunicação com sistemas de bases de dados usualmente utilizados.

É o que chamamos de análise de cenários. por exemplo. Pode-se então rodar o modelo modificado e observar os resultados comparando-se com a situação atual. dependendo do tamanho do problema. a simulação e a otimização. os estudos de localização podem ser usadas com objetivos mais exploratórios. Ou no efeito do aumento da capacidade de produção sobre o custo de transporte. da adição de novas ligações entre instalações ou de novas possibilidades de escolhas de modais de transporte. da parada de uma linha de produção em uma fábricas. Os métodos heurísticos. podendo até tornar inviável sua resolução. Utilizadas com criatividade e inteligência podem revelar grandes oportunidades de redução de custo e melhoria de nível de serviço. são necessários longos tempos de processamento. temos alguns exemplos: • Nível Estratégico .Os métodos de solução mais utilizados são os métodos heurísticos. Por outro lado. por ser uma técnica otimizante. estas suposições podem ser adaptadas aos modelos através de mudanças nos parâmetros de custo. O objetivo das análises paramétricas é o de quantificar relações relevantes para tomada de decisão. pode-se estar interessado no efeito da variação do número de centros de distribuição sobre o custo total. • Nível Operacional . . Além disto.definição da alocação dos clientes aos centros de distribuição e dos centros de distribuição às fábricas . Sua principal desvantagem é que.determinação do número. obtidas através de várias corridas com o modelo. garante que as soluções encontradas são as melhores possíveis dentro do conjunto de premissas adotadas. em termos de serem mais estratégicas ou mais operacionais. As análises paramétricas são também aplicações interessantes. tamanho e localização de fábricas e depósitos. ao contrário. As ferramentas para realização dos estudos de localização estão disponíveis já há alguns anos e estão cada vez mais acessíveis. Uma das suas vantagens principais é a capacidade de modelar adequadamente os custos fixos e variáveis de uma rede logística. ORGANIZAÇÃO DOS ESTUDOS DE LOCALIZAÇÃO As possíveis aplicações para os estudos de localização são muito amplas. mas também são menos rigorosos na identificação das melhores alternativas. onde se estuda o impacto da variação sistemática de um único fator sobre as variáveis de interesse: por exemplo. exigem menos recursos computacionais. mais especificamente a programação inteira mista (MIP). Um exemplo: • Privatização de ferrovias e portos: caso estejam sendo esperadas mudanças no preço praticado e na disponibilidade dos serviços. sendo esta última a técnica predominante na grande maioria dos softwares. através da construção de curvas paramétricas. • Nível Tático . onde se pretende realocar de forma ótima os clientes em caso. quando se deseja avaliar o impacto de mudanças no ambiente de negócios da empresa sobre a sua estrutura de suprimento e distribuição.elaboração de planos de contingência. Se as olharmos em função do nível das decisões.

br .com.www.ilos.

oferecem serviços de transporte mais rápido cobram normalmente taxas mais altas e viceversa. que a qualidade e o desempenho do transporte geram crítica para aquelas operações baseadas em tempo (como produtos perecíveis. Consistência do transporte: consistência tem a ver com regularidade de entrega. Assim. modal aéreo e modal dutoviário. Sem essa certeza na entrega. no link: http://www. A combinação entre velocidade e consistência forma a percepção sobre a qualidade do transporte pelo usuário. . Basicamente. de Mônica de Barros e Alexandre Lobo. não queremos dizer apenas caminhões. fazer contratos com empresas de transportes. pois traz previsão. A consistência é considerada a característica mais importante de um transporte de qualidade. menos o estoque ficará em trânsito. Dessa maneira. Saiba mais. que estuda logística pela primeira vez. observamos que as empresas que. Há vários modais que podem ser trabalhados de acordo com a sua disponibilidade. Além disso.com. as necessidades do mesmo podem ser atendidas de diversas maneiras: pode-se operar uma frota de veículos da própria empresa.br/site/index. três fatores são fundamentais para medir o desempenho do transporte: custo. ou seja. modal ferroviário. em geral. disponibilidade do estoque em trânsito e velocidade. Isso quer dizer que nem sempre o transporte mais barato resulta num custo total mais baixo. Cada um apresenta vantagens e desvantagens que merecem ser examinadas. São eles: modal rodoviário. ou ainda contratar os serviços de várias transportadoras que oferecem serviços de cargas individuais. haverá a formação de maiores estoques de segurança para se prevenir de um possível atraso.WEB AULA 1 Transporte1 O transporte é a área operacional da logística que interligará os estoques. essa variação pode trazer sérios problemas para o planejamento logístico. Quanto à velocidade: tempo necessário para a movimentação das cargas entre dois pontos. velocidade e consistência.php?option=com_content&task=vie w&id=1204&Itemid=74 Na logística. É importante salientar para você. Aprofunde-se nos estudos dos modais de transporte ferroviário lendo o artigo PANORAMA DAS FERROVIAS BRASILEIRAS. quanto mais rápido for o transporte. por exemplo).ilos. Quanto ao custo: o custo do transporte refere-se ao pagamento pela movimentação entre dois pontos geográficos e as despesas com o gerenciamento e manutenção do estoque em trânsito. Quando falamos em transportes. pense que uma das decisões críticas na escolha do modal é a decisão entre custo do serviço. se uma movimentação específica levar dois dias na primeira vez e uma semana na segunda vez. modal aquaviário. As redes logísticas devem ser projetadas de tal maneira que minimizem o custo total do sistema. o transporte sempre recebeu considerável atenção nas empresas. Em razão de sua importância fundamental e da facilidade de apuração do seu custo.

capacidade – quantidade de carga suportada pelo modal e que pode ser transportada de uma só vez. como por exemplo. no transporte de containers de produtos eletrônicos entre continentes. em projetos de sistemas logísticos. Por exemplo. A escolha do modal se dá pela sua disponibilidade e custo. manter um equilíbrio entre os custos do transporte e a qualidade do serviço. ao passo que transportes rápidos e de alto custo podem ser compensados por uma entrega mais rápida em sistemas de produção just-in-time em montadoras de automóveis. transportes lentos e de baixo custo (como o modal aquaviário) podem ser adequados para certas operações.É importante. Assim. Quanto à velocidade. São basicamente quatro as principais decisões estratégicas no transporte: 1) A escolha de modais 2) As decisões sobre a propriedade da frota 3) A seleção e negociação com transportadoras 4) A política de consolidação de cargas Vejamos cada uma dessas decisões: 1) Quanto às escolhas dos modais: O modal de transporte é a forma da qual a carga será transportada. o modal aéreo se destaca pela rapidez no deslocamento das cargas. Cada um dos modais apresenta as características resumidas na tabela abaixo. ou seja. no sentido de integrar a cadeia logística. que o custo total do transporte envolve muito mais do que a fatura de frete. pode ser inviabilizado se o transporte for inconsistente. ao passo que o duto (cano) é a forma de transporte mais lenta. Vejamos então: Cada modal oferece uma característica diferente em relação às 5 dimensões dos transportes: velocidade – rapidez com que o estoque é movimentado. É bom ter em mente. não for confiável. disponibilidade – a capacidade que um modal tem para atender qualquer origem e destino. e que todo o esforço. confiabilidade – regularidade que o transporte oferece. quando se tratar de transportes. esporádico. cargas . que o estabelecimento das instalações vai delimitar o tipo de transporte necessário pela sua empresa.

Aqui vão algumas sugestões: • Quanto à confiabilidade: ter certeza de que o planejado com a transportadora vai ser cumprido. Com as recentes privatizações do sistema ferroviário nacional. A escolha do modal depende de vários fatores. os trens estão pouco a pouco ocupando seu lugar de destaque no cenário nacional. Isso vai depender dos seguintes fatores: • Tamanho da operação: quanto maior forem as operações da empresa.abegas. no Brasil temos muitas rodovias à disposição. Apesar de rápido.br/info_mapagasoduto. Quanto à capacidade. menor a chance de encontrar alguém capaz de substituir a operação interna com vantagens de custo e qualidade. 2) seleção e negociação com transportadores Caso decida-se por terceirizar os transportes. podemos acreditar que o duto seja o mais confiável em termos de programação de entrega. varia de país para país. abaixando os custos. pois possuem a maior capacidade de carga disponível. Eles são indicados para cargas de granéis (minérios. embora ainda estejam muito longe da realidade no transporte de cargas. decidir por uma boa transportadora é primordial. Quanto à disponibilidade. Por fim. sem dúvida. Quanto à questão da confiança. maior a probabilidade de uso da frota própria.org. por sua vez. . é muito dependente das condições climáticas. • Capacitação interna: quanto maior for a competência interna e menor o desenvolvimento do setor numa determinada região.php pelo Brasil O modal aéreo. maior a probabilidade de ser terceirizado. os navios. basta haver um mau tempo para atrasar as entregas. Selecionei alguns mais importantes para o decisor logístico: 1) Decisões sobre a propriedade da frota: Uma questão importante é se deve ou não terceirizar o transporte ou empregar uma frota própria para movimentação de cargas. quando não. o único disponível. • Modal utilizado: quanto mais capital intensivo for o modal. barcas e trens são os mais indicados. grãos. Saiba mais: Veja um exemplo de gasodutos espalhados em http://www. combustíveis) que são altamente volumosas e pesadas.de alto valor ou imprecindíveis rapidamente precisam utilizar-se deste modal. o que faz desse modal muitas vezes ser o preferido das empresas. No Brasil. a Petrobrás transporta gás através de dutos entre várias cidades. Basta saber a velocidade do líquido dentro do duto e a distância a ser percorrida que já sabemos o momento em que ele estará disponível no outro lado. • Cargas de retorno: é mais provável que uma empresa de transporte tenha o que trazer na volta.

O objetivo de se trabalhar com estoques é fornecer o serviço desejado ao cliente. • Quanto à saúde financeira da empresa: escolher uma transportadora com boa saúde financeira é primordial para investir num relacionamento de longo prazo. que ele tenha todas as mercadorias vendidas no menor espaço de tempo possível. Por exemplo. Mas isso teria um custo proibitivo que inviabilizaria toda a operação logística.tigerlog. ou seja.br/logistica/glossario. Teoricamente. acima de tudo. podendo diminuir custos a longo prazo. perto das empresas dos clientes. pois diversos fatores influenciam nessas decisões: com quais tipos de . é possível manter sempre estoques abastecidos ao máximo. o que chamamos de giro de estoque. verificar se existirão veículos de pequeno porte para coleta e entrega e veículos de grande porte para transferências entre terminais. mantendo o mínimo em estoques para que o custo seja o menor possível. • Quanto à disponibilização de informações: disponibilizar relatórios de entregas. certas cargas têm mais peso na confiança da transportadora do que no preço. No entanto. Saiba mais: acesse o Dicionário de Logística para desvendar muitos dos termos e siglas usadas no gerenciamento da cadeia de suprimento emhttp://www. cargas de alto valor agregado ou de produtos perigosos. causas de possíveis problemas. • Outros: poder desenvolver um relacionamento cooperativo. a quantidade de estoque disponível vai depender fundamentalmente de como a rede logística foi montada e do nível de serviço que se deseja disponibilizar aos clientes. medida pelos prazos de entrega e consistências. É uma forma de você ter o produto disponível prontamente para quando houver o pedido. 3) Política de consolidação de cargas Outro ponto a considerar é verificar a disponibilidade de políticas inteligentes de cross-docking pelo operador logístico a ser contratado. Manter estoques é tanto uma questão política empresarial como uma questão econômica. e possuir rastreamentos e roteirizadores.com. porque manter estoques é manter capital parado.• Quanto ao preço: às vezes.asp#C Saiba mais: Assista a um vídeo de operadores logísticos como o ALL para saber como eles trabalham em WEB AULA 2 Os Estoques Os estoques servem para manter o nível de serviço ao cliente. Quem trabalha diretamente com estoques objetiva. • Quanto à qualidade do pessoal: funcionários capacitados têm menor probabilidade de cometer avarias e causar atrasos nas entregas das cargas. Isso permite alcançar a consolidação sem prejudicar a qualidade dos serviços.

não deixar faltar produtos que eles encomendam. Questões competitivas: há situações nas quais um bom cliente pede entregas rápidas e regulares. enviar para o local certo no momento certo. Para que as atividades logísticas sejam eficientes elas devem obter um equilíbrio entre o nível de serviço desejado ao cliente e o custo logístico total da empresa. em geral. geralmente você prefere comprar poucos itens uma/duas vezes por semana. atendem a uma variedade de clientes. ou seja. se você mora longe do mercado. Clientes: as empresas. quais os tipos de produtos. A chave é procurar evitar a oferta de alto nível de serviço em itens menos lucrativos adquiridos por clientes ocasionais e não-preferenciais. como será a integração dos estoques com os transportes. a empresa fornecedora deve manter um nível de . Vejamos cada uma dessas questões. pode ser interessante acumular produtos para entregá-los em um armazém com o objetivo de consolidar (quer dizer. Clientes lucrativos são aqueles que compram muito e com muita frequência. Quando se trabalha com produtos cujo prazo de entrega é crítico. e assim por diante. mas terá que ter espaço em casa para manter todos os mantimentos sem estragá-los. Embora esses programas baseados no tempo reduzam o estoque do cliente a mínimos absolutos. curto. Alguns clientes são altamente lucrativos e têm potencial de crescimento. enquanto outros nem tanto. É comum classificar os estoques de uma empresa pelo princípio de Pareto 80/20. a níveis baixos é receber os produtos no momento certo. geralmente a entrega rápida leva uma redução nos estoques de segurança do cliente. É necessário que se faça uma avaliação realista do seu estoque sem comprometer o nível de serviço ao cliente. talvez você prefira comprar muito de uma só vez para o mês inteiro.clientes a empresa trabalha. Portanto. se concentrar na satisfação das necessidades desses clientes preferenciais. O raciocínio é simples. A economia gerada no transporte consolidado pode compensar o custo mais elevado de manutenção do estoque. pois esses tipos de entrega tendem a reduzir o tamanho das cargas. a economia deve ser comparada com outros custos incorridos no processo logístico. Um dos objetivos das políticas de estoque está em dar apoio a estes clientes preferenciais. a rentabilidade da linha de produtos deve ser considerada no desenvolvimento de uma política de estoques. o custo dos transportes. consequentemente. Para isso. e 80% dos itens de estoques totalizam apenas 20% do seu custo. Integração com transportes: A maior parte das taxas de transporte é baseada no volume e no peso das cargas. tanto do varejo como das fábricas. 20% dos itens do estoques totalizam 80% do custo do estoque. Quando você vai a este supermercado. Imagine que você tenha um supermercado perto de sua casa. Se você compra com essa frequência. Há aqueles produtos dos quais a margem de lucro é menor e há aqueles dos quais a margem é maior. então você não precisa estocar tanta comida na sua casa. As estratégias de estoque devem. Mas. Às vezes. o que aumenta a frequência de entregas ao cliente e. Operações necessárias no tempo: É muito importante para o cliente que a entrega seja feita rapidamente. ou seja. Tipos de produtos: a maioria das empresas experimenta uma grande variação na rentabilidade de seus produtos. atender rapidamente. quais as operações necessárias no tempo para girar os estoques e questões competitivas com os concorrentes. juntar) as cargas para uma determinada região ou cliente. A vantagem é que você terá sempre comida fresquinha em casa. então. A chave para manter os estoques.

couro para sapatos. o estoque aumenta. Para você melhor entender. se a velocidade de entrada de material no estoque é menor do que a velocidade de saída. Se a velocidade de entrada de materiais for igual à velocidade despachada. é bom lembrar que as estratégias de estoque também são opções políticas da empresa.com. eles recebem um tratamento contábil minucioso. sob pena de assim não fazendo. vamos fazer uma analogia com uma caixa d´água: Se a velocidade de entrada de material no estoque é maior do que a velocidade de saída.sebrae. Os estoques têm a função de funcionarem como reguladores do fluxo de negócios. No contrário. pois a velocidade com que as mercadorias são recebidas é usualmente diferente da velocidade com que são consumidas.estoque específico para atender a esse(s) cliente(s). eles são classificados em cinco grandes categorias: • Estoques de matérias primas – são todos os itens utilizados nos processos de transformação em produtos acabados. • Estoques de produtos em processo – “são os produtos que estão no meio da fábrica”. Políticas de estoque adequadas são essenciais para a obtenção de uma vantagem competitiva no serviço ao cliente ou para neutralizar um diferencial competitivo da concorrência. o estoque é visto como um recurso produtivo que. Conseguir a igualdade na velocidade de entrada/saída de materiais é o grande objetivo e desafio da filosofia just in time. no final da cadeia de suprimentos. adubo para agricultura. perde-los para a concorrência. Saiba mais: que tal aprendermos mais sobre estoques em vídeos? Dê uma olhada neste interessante vídeo do SEBRAE sobre os estoques. A CLASSIFICAÇÃO DOS ESTOQUES Como os estoques constituem parcela considerável dos ativos da empresa. Produtos que entraram no processo produtivo. o estoque mantém-se constante.: pneus para automóveis. Assim. Já deixei aqui os três links disponíveis: Fonte: http://www. transportes e estoques é fundamental para a logística integrada. Para efeitos contábeis. mas ainda não estão acabados.br/customizado/tv-sebrae/orientacaoempresarial/negocios-solucoes Gestão dos estoques Você deve estar se perguntando: como gerir um ativo tão importante numa empresa? Hoje. Ex. . criará valor para o consumidor final. mesmo que isso eleve temporariamente o custo total. o estoque diminui. A compreensão da inter-relação entre decisões sobre as instalações da rede logística.

estoque de segurança. Abra-o na página 29 a 37 e leia o assunto sobre a gestão de estoques e seus cálculos sobre: giro de estoque. maior o capital investido. então. • Quanto maior o estoque. eu sugiro que você redirecione sua leitura para a BIBLIOTECA DIGITAL. • Quanto maior o estoque.: greve) • Para proteger-se contra aumentos de preços (matérias primas. estoques Máximo e quantidade a encomendar. • Estoques em consignação – materiais que são do fornecedor até que sejam vendidos.) Aprofundando o conhecimento: Agora. Custos dos Estoques e o Lote Econômico de Compra Estoques custam dinheiro. pois manter estoques acarreta custos às empresas. Resumindo: Os estoques inventários são mantidos para • Atender prontamente ao cliente • Alcançar economias de escala na produção • Proteger-se contra a inflação • Proteger-se contra as incertezas da demanda e no tempo de entrega • Proteção contra contingências (ex. Por exemplo: • Quanto maior o estoque. cada um destes custos: 1) Custos proporcionais aos estoques São os custos que crescem com o aumento do estoque médio. ponto de encomenda.• Estoques de produtos acabados – são os produtos finais prontos para entrega ao consumidor. classificação ABC. • Estoques em trânsito – materiais que foram despachados de uma unidade fabril para outra. Podemos classificar os custos de manter estoques em três grandes categorias: • Custos diretamente proporcionais aos estoques • Custos inversamente proporcionais aos estoques • Custos independentes da quantidade estocada Vamos examinar. dólar. maior a área necessária. cobertura de estoques. Procure o livro “Introdução à Logística” da profa. maior o número de pessoas e equipamentos para manusear o estoque. maior o aluguel. etc. Mônica Maria Silva. .

O custo de armazenagem é dado por: CA.40 unidade/ano.). envelopes. perdas. etc. ou R$ 2. menores serão os estoques médios e maiores serão os custos decorrentes dos processos de compras (ou de preparação). seguros). custos indiretos (telefonemas.45. obsolescência. Onde: Cc é o custo de carregamento. onde: CA= somatório de todos os custos relacionados à armazenagem (manuseio. maior a cobertura do seguro. selos.45 unidade/mês é o mesmo que dizer que uma unidade estocada durante um mês custa R$ 0. etc. material utilizado na confecção do pedido (papel. Todos esses custos são também chamados de custos de carregamento (Cc) – do termo em inglês carrying costs.) Assim: Cip = custos inversamente proporcionais N = número de pedidos . As despesas que compõem o custo de obtenção incluem: mão de obra (emissão e processamento do pedido). 2) CUSTOS INVERSAMENTE PROPORCIONAIS AOS ESTOQUES São os custos que diminuem com o aumento do estoque médio. Quanto mais vezes comprar (ou se preparar a fabricação). energia.: se afirmamos que Cc= R$ 0.• Quanto maior o estoque. Ex.70 unidade/semestre ou R$ 5. É comum a divisão destes custos em duas subcategorias: • Custos de capital • Custos de armazenagem O Custo do capital é dado por C=i*P Onde: i = taxa de juros P = preço e compra ou custo de fabricação.

00. como. 3) CUSTOS INDEPENDENTES Os custos independentes são aqueles que independem do estoque médio mantido pela empresa. independe da quantidade estocada. 4) Custo Total Se somarmos os três fatores de custo analisados até aqui.Cp = custo do pedido ou também chamado de custo de obtenção Cip=n*Cp O número de pedidos (n) também pode ser dado por: Exemplo: se dissermos que Cip é R$ 15. por exemplo. . independente da quantidade estocada. É medido por R$/mês e é representado por CI. Também são chamados de custos fixos. ou seja. teremos os custos totais decorrentes da necessidade de se manter estoques (CT) Vamos a um exemplo 1: Determinar o custo total anual de manutenção dos estoques de uma empresa que comercializa um produto.000 unidades.00/pedido significa que cada pedido de obtenção custa em média R$ 15. o custo do aluguel de um galpão. Ele geralmente é um valor fixo. cuja demanda anual é de 40.

Então.00. → R$ R$ 0.00 por pedido. se comprarmos uma única vez vai depender de termos capacidade de armazenamento suficiente.80/unidade e os custos fixos anuais para este item no estoque são estimados em R$ 150. o LEC.O produto é comprado por R$ 2. a.80/unidade 150.000 unidades ano.000. ou Lote econômico de Compras.00/pedido = 40.000 a. os custos anuais de armazenagem são de R$ 0.00/ano a.24 unidades/ano 2. é a solução . 1. Numa taxa de juros corrente no mercado de 24% ao ano. Solução: D = P i = 24% Ca = Ci = Cp = R$ 25. Como será a compra ideal deste material? Faremos compras em parcelas mensais. 0.200 e 1. Calcule o Custo Total de estocagem para lotes de compra de 1.00 a unidade. trimestrais ou semestrais? Se comprar todo dia é impraticável.00/unidade a. Os custos de obtenção são de R$ 25. O Lote econômico de compra Suponhamos que o abastecimento de determinado material seja feito à razão de 20.400 unidades.

no entanto.00/pedido 0. 2) O levantamento de alguns custos. a. Vamos calcular o LEC do exemplo 1: D Cp = Ca = i = 24% P = 2. aluguel de área ocupada dependem de rateios discutíveis e 3) certos custos como de obsolescência são intangíveis (difíceis de mensurar).80/unidade a. de maneira a minimizar o custo total de reposição. levanta algumas críticas de vários autores: 1) O modelo pressupõe demanda constante durante o período em estudo. Se formos representar o LEC em um gráfico. 0.24 . o que é utópico.000 25. ele teria esse aspecto: A fórmula do LEC é dada por: Onde: Cp = Custo de obtenção D = demanda Ca = Custo de armazenagem I = taxa de juros P = preço de compra O modelo do LEC.00/unidade = a. R$ R$ → 40. a.para encontrarmos uma quantidade ideal. como carregamento.

juntar garrafas e caixas menores em unidades maiores como forma de facilitar o manuseio. Selecionar um depósito de armazenagem envolve mais do que apenas selecionar um local para armazenar o estoque da empresa. Dentro do depósito. Há uma parte significativa no dispêndio com materiais de armazenagem e movimentação (maquinário. ao mesmo tempo. Dê uma olhada no link a seguir:http://www. montagem de produtos. transportes e estoques). consolidação de cargas para transportes. principalmente). e. agrupados de modo a atender às necessidades dos pedidos. facilita o transporte das cargas. enquanto os produtos ainda estão armazenados: separação. serve para proteger os produtos durante os processos de movimentação. o manuseio inadequado pode gerar avarias de produtos. manuseio e embalagens são partes integrantes da integração das atividades logísticas.net/azevedoac/movimentacao-de-materiais No manuseio de cargas. . sequenciamento.br/2008/09/16/cargapaletizada-calculo/ Assim. há várias atividades importantes de manuseio: os produtos devem ser recebidos. Atualmente.slideshare. criando um pacote de grandes dimensões. Além disso. são executadas várias tarefas. Saiba mais: Entenda um pouco das atividades que acontecem em um armazém que terminam por agregar valor à cadeia de suprimento: cross docking. a eficiência é alcançada por meio da unitização. há operadores logísticos especializados em armazenamento dos mais variados produtos – uma opção interessante para empresas que não desejam gastar seus recursos com essas atividades. a armazenagem. a armazenagem. Esse procedimento facilita as operações de movimentação. manuseio de materiais e embalagens Embora não tão importantes do ponto de vista estratégico quanto os recursos anteriores mencionados (projeto de rede. em alguns casos.Armazenagem. movimentados. o manuseio de materiais e embalagens simplifica e aumenta a rapidez do fluxo de produtos ao logo da cadeia logística. Aproveite! Dentro do depósito. ou seja.terra.blog. as informações. separados. quando efetivamente integrados às operações logísticas. Deixei esse slide aqui para você dar uma olhada. em vez de várias unidades pequenas. E quando realizado de maneira insatisfatória. merge in transit e transit points. Saiba mais: veja aqui como calcular a cubagem em volume e tonelagem de uma carga paletizada emhttp://logisticabr. Saiba mais: disponibilizei slides sobre decisões de escolha de ferramentas para movimentar materiais.com. e. seleção de pedidos.

br) As previsões Alguns autores destacam as previsões como recursos logísticos (Bowersox e Closs. (3) tendências e (4) taxa de variação dessas tendências. vendidas e expedidas. 2001). Uma técnica qua¬litativa pode considerar o passado ou não. não são os mais apropriados para a logística. Um exemplo é o uso de dados de entrada. Podem ser representadas em unidades ou em valores monetários e podem ser elaboradas por item.215). contudo. painéis e reuniões para se chegar a um consenso. para gerar previsões. por exemplo. a previsão de entregas semanais ou mensais de um produto. 2006). De qualquer forma. oriundos de equipes de vendas como base para as previsões de uma nova região ou de um novo produto. para você entender o papel das previsões na logística. p. (2) padrões cíclicos. as técnicas baseadas em séries temporais assumem que o futuro é similar ao passado. Geralmente. ao passo que outros a tratam como elemento do planejamento da logística (Taylor. Tipos de Técnicas Segundo Bowersox e Closs (2001. Uma previsão típica da área de logística é.Saiba mais: Conheça exemplos de fornecedores de materiais especializados em movimentação de materiais: Águia sistemas (http://www.php) e Esmena (www.esmena. As técnicas qualitativas usam informações como opiniões de especialistas e dados especiais para prever o futuro. Previsões qualitativas são elaboradas mediante pesquisas. essas técnicas são mais apropriadas para este tipo de planejamento. Técnicas baseadas em séries temporais concentram-se inteira¬mente em padrões históricos e alterações desses pa¬drões. elas orientam o planejamento e a coor¬denação de sistemas de informação logística. Essa premissa implica que os padrões de demanda existentes continuem no futuro. por clien¬te ou por grupos de itens e de clientes. 2005) ou como elemento das estratégias de estoques (Ballou. e. como as técnicas de regressão.br/aguiasistemas/produtos.com. Previ¬sões são projeções de valores ou quantidades que pro¬vavelmente serão produzidas. há três tipos de técnicas de previsão: qualitativa. a partir de determinado centro de distribuição. Os métodos qualitativos. As seções seguintes apresentam detalhadamente as técnicas baseadas em séries tempo¬rais e causais. e são bastante dispendiosas em termos de custo e tempo.com. Técnicas Qualitativas: As técnicas qualitativas baseiam-se fortemente na experiência e no conhecimento especializado. portanto. tal premissa é razoavelmente correta a curto prazo. Identificados os componentes individuais de previsão. São usadas para identificar: (1) variações sistemáticas resultantes de fatores sazonais. No . de séries temporais e causais. As técnicas causais.aguiasistemas. Técnicas Baseadas em Séries Temporais: Técnicas baseadas em séries temporais são métodos estatísticos que usam dados históricos de vendas representativos de relações e tendências estáveis. As proje¬ções de vários períodos podem ser consolidadas para fins de análise e de relatórios. em função do longo tempo que absorvem. usam variáveis explicativas ou independentes para descrever uma relação entre um evento importante e suas principais causas. São ideais para situações em que há pequena disponibilidade de dados históricos e em que deve ser explorada a capacidade de julgamento gerencial.

o consumo de café cai 450 xícaras (0. neste caso). calculada por regressão linear. a informação pode ser usada eficazmente para realizar previsões. Os autores Bowersox e Closs (2001) apresentam uma tabela. O valor de r2 pode variar de 0 a 1. O uso de mais de uma variável explicativa recebe o nome de regressão múltipla. o padrão da demanda tam¬bém se altera substancialmente. a variação de tempera¬tura explica 88% da variação no consumo de café. para cada grau de au¬mento de temperatura (aumento de 1 do valor de x). durante uma partida de futebol. A relação quantitativa.775 . elas são incapazes de prever estas mudanças. . Menores temperaturas incentivam aumentos de vendas. xícaras. Se a previsão de um produto é baseada numa única variável explicativa. incluído nor¬malmente na análise de regressão. mostrando as temperaturas e o consumo de café durante doze jogos em duas temporadas. as necessidades de café.0. para identificar quando estas alterações terão início. Neste exemplo. Quando a taxa de crescimento ou a tendência mudam significativamente. por exem¬plo. Técnicas Causais: A previsão por regressão esti¬ma as quantidades vendidas de cada produto com base em outras variáveis independentes. a técnica tem o nome de regressão simples. Como as técnicas baseadas em séries temporais utilizam padrões históricos de demanda e médias ponderadas de dados. Quando pode ser identificada uma boa relação entre duas ou mais variações (como aquela entre temperatura e consumo de café). tendo a temperatura como variável independente. A previsão causal ou por regressão funciona bem quando pode ser identificada uma variável representativa (como a temperatura. No entanto. é mostrada no fim da Tabela. sendo que o valor 1 indica que as variáveis dependentes e independentes correspondem perfeitamente.450 x 1ºF x 1.45 x) mostra que. ocorrem geralmente em função da temperatura.000 xícaras). Portanto. define o grau de associação entre duas ou mais variáveis. As vendas de café num estádio.entanto. Neste exemplo. devem ser consideradas outras abordagens. A equação de regressão (y = 49. A tabela está logo abaixo para você conferir. essas situações não são muito comuns na logística. açúcar e leite podem ser determinadas antecipadamente com o auxílio da previsão do tempo. O coeficiente de correlação (r2). conjuntamente. a menos que os padrões da demanda sejam razoavelmente estáveis. essas técnicas não geram previsões precisas.

A ideia da logística integrada pode ser ilustrada na figura abaixo. às exigências de prazos e lugar. A logística pode ser vista como a competência que vincula a empresa a seus clientes e fornecedores. você deve parar a leitura da web aula e abrir a biblioteca digital ou ir na biblioteca do seu pólo.” e leia o capítulo 2 “Estratégia e planejamento da logística/cadeia de suprimentos” da pág. 49 a 67. As informações recebidas de clientes. 616p. Assim. na transferência de propriedade de produtos acabados aos clientes. As informações são filtradas em planos específicos de compras e de pro¬dução. fluem pela empresa na forma de atividades de vendas. Porto Alegre: Bookman.Resumindo. por fim. o processo tem duas ações inter-relacionadas: fluxo de materiais e fluxo de informações. 5ed. Assim. de maneira consistente. e sobre eles. é iniciado um fluxo de bens de valor agregado que resulta. para transferência de propriedade ou agregação de valor. é importante notarmos como ela pode ser integrada. o trabalho da logística deve ser executado de maneira integrada. Aprofundando o conhecimento: A partir de agora. 2009. A LOGÍSTICA INTEGRADA Agora que você já compreendeu quais são as atividades principais da logística. . Procure pelo livro de Ballou “Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. previsões e pedidos. Uma empresa não tem o que vender se não for capaz de atender. a logística existe para que o estoque seja posicionado no momento e no local certo. No momento do suprimento de produtos e ma¬teriais. para alcançar essas exigências satisfatoriamente.

depósitos e lojas de varejo. Percebam que o apoio logístico à manufatura difere do apoio logístico à distribuição física. O apoio à manufatura é menos propenso a variações do que na distribuição física. Essa área da logística também é conhecida como compras. Suprimento O suprimento abrange a compra e a organização da movimentação de entrada de materiais.Estudo de caso . de peças e de produtos acabados dos fornecedores. devido às incertezas dos pedidos dos clientes neste último. Percebam que o fluxo de materiais avança em uma direção na cadeia de suprimento. componentes e estoques em processo. . As operações têm início com a expedição inicial de materiais ou componentes por um fornecedor e terminam quando um produto fabricado ou processado é entregue ao cliente. à medida em que este flui entre as fases de fabricação. Assim. a partir da compra do produto no suprimento. mostrando como uma logística integrada pode gerar vantagem competitiva! http://www. os materiais ganham valor na medida em que avançam no fluxo de produção/distribuição até chegar ao cliente.espm. para as fábricas ou montadoras.br/Publicacoes/CentralDeCases/Documents/Panarello.zi p O Fluxo de Materiais O gerenciamento operacional da logística abrange a movimentação e a armazenagem de materiais e produtos acabados. Apoio à manufatura A área de apoio logístico à manufatura concentra-se no gerenciamento de estoque em processo.PANARELLO Aprofunde o conhecimento: leia o caso da Panarello. A principal responsabilidade logística na manufatura é participar da formulação do PMP (plano mestre de produção) e providenciar a disponibilidade em tempo hábil de materiais.

ele fez uma anotação em seu computador: solicitar uma punção da coluna vertebral na próxima vez que a condição cardíaca crônica do paciente o trouxer à emergência do hospital municipal de New York. os médicos fizeram a punção da coluna vertebral. Todavia. sempre bastante ocupada. Até mesmo aqueles intermediários que normalmente não possuem estoques (exemplo. . É pelo processo de distribuição física que o tempo e o espaço do serviço ao cliente se tornam parte integrante do marketing. Assim. Com isto. como reações alérgicas ou exames duplicados. James J. do Wishard Memorial Hospital de Indianápolis. O Fluxo de informações Tudo em ordem até aqui? Para ilustrar esse assunto. Fonte: CAREY. O Wishard atualmente exige que os médicos solicitem todos os medicamentos e tratamentos para os pacien¬tes via computador. precisava analisar o líquido de sua coluna vertebral. a informação facilita a coordenação do planejamento e o controle das operações de rotina. conclui Tierney. “Até 40% dos custos hospitalares totais são incorridos na geração e no armazenamento de informações. 14 June 1993. "os médicos têm realmente que entrar na mídia eletrônica".Distribuição física São todas as atividades que vinculam os fabricantes. atacadistas e varejistas em canais de marketing que forneçam disponibilidade de produtos aos clientes. Tierney. o esforço despendido pelo sistema logístico pode ser em vão. era difícil marcar consulta na unidade de neurologia do Columbia Presbyterian Hospital. Cimino tinha um problema. The technology payoff. Dessa maneira. consultoras de cosméticos) dependem da disponibilidade de estoque para cumprir suas responsabilidades comerciais. p. Apud Bowerxsox e Closs (2001. E. Portanto. Inc. Para descobrir se a contusão de seu paciente era um sinal de doença neurológica. John. Duas semanas mais tarde. o paciente retornou. os médicos costumam cometer menos erros e solicitar menos exames. os custos por paciente são $ 900 mais baixos. o sistema alerta automaticamente quanto a prováveis problemas. p. 60. Sem informação precisa. "Para permanecerem competitivos". A disponibilidade do produto é parte vital do trabalho de marketing de cada participante do canal. 49) Embora a distribuição física. Business Week. vamos ler esse caso prático: A CURA DA INEFICIÊNCIA HOSPITALAR O Dr. o apoio à produção e o suprimento executem o trabalho real da logística. Publicado mediante permissão da McGraw-Hill. O caso exemplifica de que maneira a reestruturação dos hospitais com redes sofisticadas de computadores pode ajudar na cura de uma das piores doenças da medicina: a ineficiência. afirma o Dr. lendo a observação de Cimino (armazenada com os registros do paciente no sistema do hospital). faz sentido que a tecnologia de informa¬ção possa melhorar a eficiência". William M. Assim.

A excelência funcional é importante. 616p. existe uma tendência natural para a concentração funcional. manuseio de materiais e embalagem. 2009. 3) as operações de distribuição. . O objetivo maior das informações operacionais é fornecer os dados minuciosos necessários para uma execução integrada de operações e distribuição física. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. Para concluir o estudo da Unidade As atividades da logística têm uma natureza funcional. as informações obtidas e compartilhadas. FLEURY. 2000. A orientação tradicional tem sido executar cada tarefa funcional da melhor maneira possível. David A. TAYLOR. Paulo: Pearson. Fiquem à vontade! Basta clicar aqui para ir ao ambiente wiki. o estoque posicionado e (quando necessário) devem ser realizadas atividades de armazenagem. Figueiredo.) São Paulo. mas as necessidades operacionais estão ligadas ao trabalho de rotina da logística.J.J. Como o escopo da logística é extremamente minucioso e complexo. Coleção COPPEAD de Administração. Logística Empresarial: A Perspectiva Brasileira. o transporte providenciado. 4) as necessidades de fabricação. 4) o gerenciamento de estoque. Porto Alegre: Bookman. A localização das instalações deve ser estabelecida. P. D. BALLOU. SP: Atlas. 2) as limitações da capacidade.. F. F.. (Tradução: Equipe do Centro de Estudos em Logística e Adalberto Neves. Logística na cadeia de suprimentos: uma perspectiva gerencial. São 5ed. Os fluxos operacionais estão relacionados com o gerenciamento de operações para receber. Deixei disponível para vocês um espaço para que possam postar algum estudo de caso que vivenciaram trabalhando ou vivenciando a logística. Atlas. estamos chegando ao final de nossa web aula. 6) o suprimento.De acordo com a figura anterior. finalmente. Estes fluxos de planejamento e coordenação fornecem informações relacionadas com o planejamento de atividades.. D. Referências: BOWERSOX.. 2) o processamento de pedidos. 2009. Os fluxos de coordenação servem para integrar atividades específicas de planejamento dentro da empresa para facilitar o desempenho integrado. 3) os estoques. processar e expedir o estoque para os clientes. 350p. Já pensou como seria sua vida sem a logística? Bom. mas não deve ser perseguida em prejuízo da integração total da logística. K. A coordenação trabalha para executar planos que especifiquem os 1) objetivos estratégicos. 5) as necessidades de suprimento e 6) as projeções.. Closs. 2001. P. dando pouca consideração à forma como uma área de trabalho afeta outra. Logística Empresarial: O Processo de Integração da Cadeia de Suprimento. Esses fluxos de informações englobam 1) o gerenciamento de pedidos. São Paulo. Ronald H. apoio à manufatura e suprimento. Wanke. a informação logística abrange dois tipos principais de fluxos: fluxos de coordenação e fluxos operacionais. 5) o transporte e expedição e.

ou seja. espero que seja relatado contribuições práticas deste processo as empresas. Como ponto de partida.Vamos. "Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos". Na logística empresarial temos alguns assuntos que são essenciais sua compreensão para o bom desenvolvimento de nossas atividades. . proponho uma discussão acerca do tema "Supply Chain Management". a partir de agora iniciar nossa disciplina e fórum de Operações e Logística no curso de Administração VI semestre. Muito mais do que conceitos.

8.F8/02.8 /1.8025708..39/4.317.8.70.4/48708:9../48 708:9.4 /0 .2039070897948  .808 /0/.08 7E1..3/0 2.8 $424/04803F7.4 57457.4/48/./.3E802..8/024/0./20384085. /F.2039094/48. :2.8 70.3/.5488-/....7..3:804 5705.  :9.47..9O748 &2.708 3089.70248. 4 2.20390/0/489548 W..2 7. 2.03970008 089E3.4257.9..8 5../48 !7. .8/0/. W.8 -..7.7.770.F8 /.48 O748 4.424480703..7. 4: . 03970 :2.20390:9.2-F2. 43.97.248./48 /0 574...43.7707./0/0705708039. 2.8 02 1:34/0 2.08 6:0 54/02 . .  4 039./0/08:5720394  8 8419.43..9.0834207.72./4708 948F748 54/0 80907..8 6:0 29.2039.  8 8419. /0   E 089.7..390..8573...02/07./.748708:9.425:9.5.43.43./48007.0257080390848705708039..0884.438:947. 2E2./.86:..08 .43974. 48.3908/0.3/08  ..3/.02 048.8 6:0 29.424 .97.. :9.3/0 32074 /0 1077.03/...4.48/0/.708 /0 4.3854790 8:5720394 /897-:4 097.-.. 8:. 34 -02 97..9. 0  20348 -E8..8 /49./0/0 .8 /0.4/0389.0.2481:48/0574/:948..8 507293/4..431472024897..43.7..7.20390 /94  /4 9703.3/.:8948/097.208  4 2:94 70..029.8..020492..7.389.5488:0224/04857F /090723../48 .5. /090723.4 A46:0.08.2 /0803.8/10703.. 70.4207. 3.08 ...7039020390 02 1:34 /.5..../48 .80:7  ##%$!# $ 08/0 .425:9..-47/.4:/08:547905O8 .4:047E1. E70..4 2.3/:4:84.70802 8:.8 .5.4507.3/0 5..5..03./48  .F8/.4 /4 089:/4 /0 4.02  . /0 /02.20390 0894 /8543J.86:09473..3/082.8/0-.87089708/0. :9.27.80./.  ..3/..8 7089708 /0 3J.7./4708 /0-..8 7089708 /0 /02..907J89.8/.:8948/0 .2 39071.7 0 .8 46:01.22.41079./.7209748 74/.  87089708-E8.:2../4 3.:8948 /0 08946:0 6:0 0894 2.3.8.:84 4: 34 /0 .97.04. &$ .2 4 32074 2E24 /0 389.9../0 6:08005.425:9.8 /10703.0/097.4390. 5048 8419.5.../0/.3/.38107H3.2039./04..70.8E801.203945.1:7. 43..4 /.25045704 '.8 ../439073.  1070..0./. 089.0.40.2.4  47. /893.7.8 047E1./48  2-47.  ..89483.:/.. /4 90254 /0 089:/48/04./.882:2.43.4248 ..903/20394 . ./48.49.7.8.25.8 14730. .708 /0 4..4.6:8405705.4  3.:8948/0.4/0389../0 6:029.394  .5.425:9./08 5.4574-02.790/48 88902.89.:/.88407..89./0 /0 24/0.088.2039057080390348089:/48/04.8389.8 -.4:574/:4  2082434 .803.9.7424/04 3850.../48/070/084J89.8  ..884.2-..4 89./.7.../4708 50884.425:9./H2..F8 /.848574-02.9./0/0.9:.48 6:0 705708039..0884.84  29.0/47../4708 2.7./48  5. 29.4.8 .42:2F .:8.97./.  84508842:9.8 34 84  30890 ./0 .81E...808 5./48  /20384 902547.20394/.4:97.4/4574-02.4288902.3.8/0/20380857E9.:8948 0 70897084507.47 /1.748 .4/488902.F8 /0 203:8  .47.42:3/.0 /0 807..2039./485.7 5.8.88.857O2..8.88.073.F29.8:.420.903/07 .8 /0 089:/48 /0 4..800973.97. 5./48 :8:.5.48208248574/:948/8543J..892.08 :2 7.4 /0 .42.8820..2/0&$ .8 /0 8419./4708 /0 .438/07.42:3.039020390  /0548 /..9./.701. /0 /02..2 4 90254 2E24 /0 ./01077.  ./4895.43.08 ./.

.7 3907088../..3/4 80 .42 .8  #@  $$%& $ @  85488J./08 /0 08.7 4 25.425:9.3854790   4-09.3...2 803/4 08507.8204708..3...70/04J89.:8948 148 0 .48.94/./.94 /0 2:/..39..9F.0 %E9.0897.9F./08.77.7.8 34 .8 ..59..42 4-09.89.7E.E7.4 /48 089:/48 /0 4.7./4 34 01094 /. F2/894 547807:2.7.4842:94.4  2. 492.8 0850..-47.8 :9.02F6:0 /0503/03/4/4 9./0 /48 807..8 .8 ...8 .3404.F8/./.248/0..8./.8  WJ.84507.3E80/0.7.2F97.8 $0.085.4/05. 89:.9O748  6:.08 E E .477/.708  &2.4/..03908 .97.8 /0.08 /0 39070880 547 00254  54/0 80 089... 82:.4/432074 9.8 8:54808 54/02 807 .F8 /0 2:/.08:.1E-7.573.488902E9..8 F 4 /0 6:./.08 700.5./4  48 089:/48 /0 4.8 5488-/.3.54/0270..5.43897:4/0.039748 /0 /897-:4 0 /48 ...0390802 .7 ..4397E74 0022034870.:20394/.9F.. /.0 507...7.:894 /0 97. /8543-/.4 /090723..2. /0 /0.9073.8 90248.4 0894 /8543J./48 .8.42./.2-F2842034874748483.  :3401094/4./0574/:402:2.7248 021:34 /43J.9. .9F..083907088.2-F2. .4.80897. 8:. 84-70 .4 0 ..4 54/02 807 :8.8 2:/.7.8 $:.:894949.3E808 5./. .492./00390H3.48 2.3903.03E748 &200254  W!7.39..8  !47 4:974 .4.08 &9.5.7.0 2.088J.5.48  . 942.884 ...47.O92.F8/0././08/070/:4/0.08 03970 389..20394 54/03/4..84:2.8 8:.08 4: /0 34.7/01472.4397.3E8085./.884:0803..3.7 4 24/04 24/1.3854790  !4/0 80 0394 74/.8.7... 8430./49.92.82047085488J.425.4.84 0890.8.84./0 /0 24/0.7.7 48 708:9../..8./4 0 3..80/05O8948  WJ.4 /48 ..8 0547.43:394/0570288.3.5.97.48 089:/48/04.9:.3/0845479:3/.97.7.4.2F97. 0.8 348 5.  8./4 0 4-807./0/0574/:484-704 .7209748 /0 .7 70.2-0390 /0 30O.:38 .947 84-70 .. /0391..:7848.43.48  089./03J./0 :2 3./.039748/0/897-:484-704.570/423.:894 02047. . 70.7084:4  82F94/480:7J89.20390.08/0:2.9.1..2039.7.:7./.8 F .. .8.8 4-9/../06:.3906:0.8849..7.348/0.. 025708.7.84 ..48 24/048 ./48 8419.808 02907248/0807022.289.425.08.:38002548  WJ.2.3.73.4  /0134 /./.348 0 0894 . 8 2F94/48 /0 84:4 2.9F9473..0.8 ..2F97..3/4 80 /080.20390 48 .3908 5. 0897:9:7..088E7484348902548/0574.5..8 2.48 /.4 /4 32074/0.391.4..0/.039748 /0 /897-:4 8 1E-7.038 573.8 /0 97.8 34 5704 57.48 . ..2.4/01E-7.4 1.7E.43.2../4 /0 34.43907..48 .../48 84 48 2F94/48 0:7J89.84 54700254 /.:894  /.0/0807.4 /0 10774..8 /0 24/.../0:2.85.34/4574-02..5747.4 /.088. /0 8:5720394 0 /897-:4 A46:0.42424/04  8 1077.8 .9.25.E.4  . 43/080570903/070.8 0 547948 .43./..3/02.08/03974/4.5. ! 803/4089...8 5.3908 43/080089:/.4393H3.390 ..9.

42 -7        .   48 .

.038 0/08./47.3/41..503.83/.8 2.. 025708.7 48 807.8  $../:./.0386:0 2070.F704 024/.E74 .078. /0 .48/0. 10774..8 30.42 . 1.438/07E.5:7.:894  4 97.:2.E7403/44 ./8543-/.8 /0 97.8 97.02 807.4397.39.E748 24/.48 /0 .9.8/0/../././0  $4 008 24/.07 ./48 /0 . 57O57.:48 /. 1749.903//.. /0 .7 :2.E74  24/.2039... 1:3/../:94..E74 24/.39.38547908 4: .43.E74  24/.7.. 1.948 . . 2.38547908 346:070248/07 .0 .4J89.-.088/.6:0 3907./0 /0 .3/...23.0J.2308  E .8 ":.4397.7748 0 0.8 ./.8 5741:3/0 80348 089:/48/48 24/.2480297. 254793. 8:.4 /0 8:.8/0 97.42 025708.8  .3854790 10774. 0 /.74/4.E7.8.0-0: .8 025708.3854790 802570 70.3/70 4-4  34 3995.3854790F.307.47/4 .8 54/0 80 4507./08 /4 20824 54/02807.794 ! # $ ## '$ #$#$  /0 3.5708039.3854790 97.E70.385479.4 /4 80: .-.8 6:0 41070.8 6:0 54/02 807 97.6:.9034 3...& %7.7E48 08946:08  27.028070..20390  .4507.

.

 48 .42 -7.

890.

307. ..94708:9. 80:3/./.5.439039 9.:894 949.203944J89.9..94708841:3/.7.07 8F748 574-02.7.0 .8/0./004/08025034/497.7.2039.42-3.0  /  902/ .039.07 .8 3.  ":.20394 0 2.3854790 2.3854790.248 6:0 ./0/408946:0029738940..04.8 /0 9.3.3854790701070 80.24. 0.3:9034/4 08946:0 02 973894  8 70/08 4J89./424/.8 0 .037 /0 :2 5488J./0 /0 03970./0 54897.84  A 25479.04././0  43889H3.7.4-7.08 -.08.H  6:0 089:/.4708 08946:08 /0 80:7.825479. 5.3.078.F.8.3854790  20348 4 08946:0 1.. 2./00.2039450.42 70:.0 0 :2.3:2. 802.2. 570. 80 570.2039..2././.80.8 7E5/4 147 4 97./0 0 .4/. 57207.8-.  80 :2.7J9./.4 03970/48543948047E1.7.8 02 90254 ...J.4/02.45.  4: 80.:894/497.7.3854790 504 :8:E74  .8/08508.85.4  ":.3/0 5545943.8 /0.7.04.2.390 8./0 /4 97...2039./09025430.0790... 6:0 23202 4 .02 807 57409.438/07.. 4 5.04.4 /8543-/. 902 .24..4 54/0 97.6:.7.4..4.7E 02 973894 882 503806:0:2.3854790 2.054 84-70 .8 .43889H3.2039. 1472.7/.8 5.8 6:0  02 07.6:0./0..803970/48 543948  088.. /4 97.1472.8-. ..3..4 0850.:8944.307. 50.08  547 00254   .3854790/06:. 2.97. 97H81./.:894 . 57207.:894/4807. F .7.390/0:297. ./.:894949.  884 6:07 /07 6:0 302 802570 4 97. .02 807..3854790 . 6:..385479007.8 2. /4 88902.8 025708./.2 3472.394 2.7.20/74/08025034/497./.07E.43889H3.0  088.20390 9. 24.4.  4-807... 507. .4 03970 .  F2 /884  6:.907J89.8..0  6:0..43889H3.. 3.43889H3.  41070.0 ..03970..42*.8 7E5/4 .088E745.84 03970.480.7J9.808.J1. 4J89.48 /0 97.394./.30.84507.394.7 5.8..83.424 574/:948 5070.4 $02088..7 /48 /. . . . 4J89.424 0703./.84   .

:894 ..4 '0./0./.974./.424424/.8708:2/. 6:. 41070.3854790 30../0/0..7.38547908 03948 0 /0 -.8:5479.5...:894  . .4..-../0 6:0 :2 24/.385479041070./48547:2.4  !4700254 97.20394 /.83.80884-70. .:894 54/02 807 .20394 /. :2 /48 24/.8  54J9.8 . 8O .8  24/.248..9:7.0 :2.0  $4-.3854790  08. 902 5.38547901473.8846:04/:94 ./06:./0 70:.8.5/0 34 /084./47.42 6:0408946:0 F24.7.390  02 5740948 /0 88902.. .5.38547908 7E5/48 0 /0 ./0 /4 807././06:0497.8 .025708.7.8080897.7 4 954 /0 97././0  .9.8 389. 80 /E 50.-/.5/0..439303908 .84507./024/.8573.0288902.424 547 00254  34 97./47.8 .4..2.8/46:0..F704 80 /089.-0..  54/0 807 3.38547908 .3854790 0 . /029.8/4824/.5.4. 807E 97. /..38547902... 882 ./0/. /4 24/./097.83497.04. /8543-/...  80040304.907J89. 7.8039.6:.4..425038.7. 50.6:07 4702 0 /08934  ":. /1070390 02 70. .8  8/0.34 F.45. 34147././.3854790 /0 .4297.6:04.:2.7.1472.8 /0 . 24/. 504 24/.438890390 08547E/.574570/.9F. /0 97.385479003./0 7.:8948 /4 97.4 4:80.5708039.431E.:894949.203906:. 6:.2039.04./.079./0.4/0. /0 :2.   08.A 25479..1749./485.8/0.7.3/4 80 97.431.02:942.2480394  ./497..39/.-.7 ../0  4 24/.088E74 50.4 5.4 8  /203808 /48 97.385479.8 '0..94 .0.4.3907 :2 06:J-74 03970 48 .48  2.439.0 /8543-/.7..7 /0 97.7/./0 6:..4.7.8:..394808.. /0 17090 0 6:0 94/4 4 081474  34 8039/4 /0 3907.808  ":.8 .:942O.03970./.08  .7. .8 4J89..8/0574/:4:89 3 92002 2439.907J89.1../480497.8 .08  A -42 907 02 20390  6:./4.9..903/07 6:..87E5/.385479.. . 8:.4384/./.3854790 F .-00././. ./088.394  .8/0. 4J89. 1472.38547908  6:0 4 089..08 .E74 54/02807. .385479./0 0 .48 03970 .3078 /0 574/:948 00973.884 6:0 97. 0 6:0 54/0 807 97.

 2.7E /8543J.477/.20390570.0 02 907248 /0 5747.7 80/089024/./..7 6:0 4 /:94 80.  54/0248 .2..70/9./0.8 .3.!0974-7E897. ":../48 02995.E8. 8. :2 00254 /0 .394  6:0894 /.8./.94./0 /4 J6:/4 /03974 /4 /:94 0 .431.431E.F8/0/:94803970 . /893.  .474:2570.-.8'0. .-0248 4 2420394 02 6:0 00 089.2:9. ./08  $. . 807 507.89.E7.97./4 47.4 /0 03970.8 .0344:974.04.3/J. 4 2.385479.84/:948 085.8.. 6:0 E 8.5/.087..-07 .

.

-0.8 47 -7. .

.38547908  /0./. .4/0.:257/4 .7. 704  20347 .4.03E74 3.385479.47 .. 2./.8..84 /0.. 807.385479.7 /0 /089. 10774.08 /. 025708.8 6:.7.7.70.89.7 ./0/.394  /8543-/.314*2.7/0 7E5/4  -.7.: 902545.394 2.2:9.57O57.8 24/.:F2./08:-899:7..47./.57O57.. /4 24/./0/0.8.4:248.-/./8543J.8 25479. 6:.8  ":.20394 /4 80947 3:2.9.8 74/4.0 /0 03.8 0 97038 84 482. 6:.38547904:02570.42509H3.. 54:.94708 W%. /0 6:0 4 5./47..4...E748 1.. 0 20347 4 /0803..574-. 1749.E.E74 3.07.94708  $00.8   08.073.385479./088024/.431.3/4 34  4 3.4507.:8948 W4/.2039.8 0 508..4  0.439073./4   80040304.39.8/07.J8 5.  483.4 /8543J. &2.  48 97038 0894 54:.2E9.8 70.3/448.0088074570107/4/.7 48 97.8. /090723.0790.7497.7..8 /0 7094734 F 2.5.43.4/0.8  /85484 46:01.:2.7.20390 .F704 5478:.43/08.4297./4 .84/:94 55 504 7.88:08908 W":..8 03970./0503/07/4880:39081.4147424/.:9.:38 2.48  -.0 6:0 :2.1749.390F80/0.47 147 . 39073.. 025708./485.5.:5.:89406:.08 /4 88902.7.8025708.47 . /0 97.8 3/.7..43.3/4 80: :.. -4. .. 80 547 907.5.4397.394 2.6:089425479.0  42 ./0 907 .0 08843/.8 90248 2:9.4 .5.J8  !47 12  34 7. W.3908 5./48 548 5488:02 ./46:. 02-47.. 4 6:0 97.34 /.3854790 903..574570/.7..42 ./4708 .22:94430/. 97.. 574-.7.7 .5.2.8474J89..8 4507.9.8 508.3../.4 39073.07 :22.. F 57247/../.49.1749.-/./03497.5.07..24./0  802/. 2.8 884..0 F2:94/0503/0390/.3942./0  .038/0... /0 5..6:0 34 ./0 W./47.03908 57.-.4.47 14702 .39038.3854790/0..42.42-:89J.8 574..4.7:2.  2.0890.80884-70.08  6:0 84 . 4507.07. .. ./..7.430 . 5.9.4 6:..8  ":./0/0:84/. /0503/0 /0 ./0/0 807907.394  ./.-/.3/.97.30.04:34907./.7./7 547 :2. 97.394 ..3F8 23F748  748  .4 4.8.59.

/474J89..8 /0 .20394 /. /..8/.8  $. 0 03970.8/05488J../0 /4 50884. .7 2:948 /48 907248 0 8.. 97.4 5704 8 .8483.385479.3/0 54790 5. .7.079.071. .8 :8.3..7..4   !4J9.8 .../0 /0..071.394  6:.43.08 /8543-.394 .20394/043457.8 39003908 /0 .. 97.8  ..43457.3.80.4384/. 8.8970.48 20//.35044507. /0 8:5720394 02995./0 13.4/0.4397. 807.4 W":..-/.4  54/03/4 /23:7 .4802570:/.8 :974 54394 .70.47 .:8948././013.43E74 /0 4J89..7 70.7.0.9. .7.44507./4 4: /0 574/:9485074848 W":.9.9.W":.420907.0880 4 .394  /8543-.5.38107H3.78008974 .8 W":.48/003970.07.. 5. 97./48 9H2 20347 574-.7 F ..8..../47.504857. /08.42 -4.3.438/07. .407 :2.8 34 0703.03/.4.7.4.-.07./4708 W :9748 54/07 /0803.97. /8543-/.7.. 025708.43.20394 .5.8./.409./0.94 .203948074907./4  4:80.3. /4 6:0 34 5704  !47 00254  .43E748 .3.0J.7.:8. 08.7.43889H3.394  8.7.4384/..8 5084 3.7 .F57247/.7488 /4../47.80397090723.:8.4 /0 31472. .:48 /0 7.8 05488:77./0/48807. 6:.07 :2 70. 1:3. /.7./0./0 /0 54J9.8 884507290...8 9H2 2. 0 .008  .:48 /0 506:034 54790 5.385479.08973:270..7.0J. 2.08574-02..7.9O748 /0 03970..431./..803970.

.

42 -7. 9074 .

489.

/.8..42400897. 5476:02.:894 574-9.4208946:08F14730.390780257008946:08. :2 . 6:0894 0.5.-./0 /0 08946:0 /8543J.-. 4507.248/074/008946:0  .4/0902545488J.074807.7.8.0 /0 807.-07 . 6:0 4 .39/./4  4-09.03908  %047.03908  .424 :2.2.88889.7 .07 4 50//4  4 039.2.8 /0.424 .J/04 /0 4507.025.394 :2./4..48 .8 /48 . .4208946:084-09. 6:.20390 5.44J89.  548 /.3907 08946:08 F 9../48. /0503/07 1:3/.42 6:.-.74 .20390 F5488J. .8 9548 /0 .7..59.3/4 4:.-..07848 1..03//. 2. /8543-. 4 20347 5488J.48 .. .4/080.0390 2.432. 0 /4 3J.3907. 025708.. /709.7.8 3420347085.7.4/080 97./47..202  & 88946:08 808946:08807..:894 80.94708 31:03.7.7. 6:0894 54J9.3903/442J324 02 08946:08 5.7.394  ...890.808 .2. 70/0 4J89. .2 3088.94/.H 907 4 574/:94 /8543J.4.390708946:08F2..0390 A:2. 6:./0. :2 .8 884 907.02.1472.-.0 57439.4 6:0 3.42E24 50794/.4.8207..4.0  ":02 97./09:/4 6:000903.2039.390743J. 14 2439.4.85 $.20390 .20390 /0 .488.0/0807.0 46:0.0 .-..424 4  5. 94/./4708 4J89. 8.7.8 025708..4 6:0 80 /080.

248 .8 025708..0390857010703. /0 .20390 34/0.48 /..48 0 9H2 54903./08/08808.97.8..544 .708.6:008574/:948/486:.7.42:2.2...20390 :.2 2:94 0 .8 54J9. 2.7 .8/008946:0/0. :2.84507.8  %548 /0 574/:948.394  03908 :.394 4:9748 302 9..7.70/.903/02 ./0 /0 .8 4:80.7.0397.0794 0 . /088.74808946:08/0 :2.7.74 F 203470E.4/48 08946:08.4257..8 30. 1706:H3.4203/.424897..3907.44.0390857010703.03908  :38 .47703908  '0..48 84 .424807E.9. 80897.8 /0 08946:0 089E 02 /.385479086:. .9F..881.47 A.088E7.0830./.7574/:9486:000803.7. /..882 547 /.8 6:08908  03908.7. 025708.9. 504 573.8.8 .8.42 48 .47.8..748 08946:08 0 6:08908 .73.6:.425099.03908 84 .43.8 025708.702F2.  .0794342420394..903/077.025708.8  02 07.6:008 6:0 .702/0:. 7039.9.2.4 3.8489548/0574/:948.42 2:9..981.2 03.75.9. :2.390  &2 /48 4-09..088/.20394  036:.3/0 .-..6:008/486:.8 05072039.5/.7094  .4/.02 0394 80.7 1. :2.03908. . 7.43. 08908.J54 /0 !./0/080:8574/:948 E.834902545.-/.

...489038:2.7  .83490254A2:9425479./6:7/48 547 .503./.2  /4.42 574/:948 .3/4 80 97.4.:7..4. :2..008  54/0 807 3907088. 7.42 97.07..385479082.8   /4 80: .843.7 6:07 /07  :39.08908:507207.20390  ":. 7E5/.74./454/0.800.4 70.7. 109.438/07. 80. /0 574/:948 /0.03906:0./4/02.0390 0.8/097..2 ..0F574.  4: 80.89..4.4.088E7. ":.F2 .41079.7 574/:948 5.34/0803.394  .475.8 .4:20 0 34 5084 /.7J9.7.754:.30 6:0 .8 0 34 57010703.3.9..-.7. /4 ..5/.H5701070.8. /4 80: 08946:0 802.7044:./0 . 03970.8.:8942.3/4./.:794  07.790/./090723.54J9.7.4./450794/08:..4 /0 .0 /0 807.72.03908 4.7.425038.4257. .7.:2:./.0390   7.3497.:2.70.-/..8  !479.4.3854790 .    /48 9038 /4 08946:08 949.8  8 ...H.0830.425742090743J../4 07.4 /0 03970..3905.4384/.4..:894  A 30.J34 F 82508  2.3:9034/408946:0  507. :2 8:507207..4342.088E74 6:0 80 1.:894 /4 08946:0 0  /48 9038/0 08946:08 949.390 .0/0807.4 02 9038 20348 :. 03970E 48 02 :2 .94 3J.3854790F-.03970.20394/0:2./008946:08  3907.7.4384/.. 3.80./.89. F ..48 .20390 . 7039.4  ../0 /.0390 .4.85.42 4 4-09.20390 .4...:4 57.9. 0. . 70/:4 348 08946:08 /0 80:7.0 807 .H 903.34 . :2..

.08 3.8 0 70:..4257.7..7.H 247.0390 0  .7 9.81E-7.7 2:94 /0 :2.. 0.1706:H3.0 807 . 3J.3907 94/48 48 2.8 907E 6:0 907 085.708  !.424/.39074808946:08 9.704.8.394/4.34/.4 ../4.E 48 .4.3.05.42/.80. 1706:H3..8 :2 -42 ./../:.8  80 ..0884 4J89.39. /0. .4257.39203948 802 0897.   . 8O .2.42 088.08 -. 17086:3.8 .4.H 34 570.0794  2-47. 025708.. /0.880.8. 884  . 0894.. .48 F 70. $0.9.039004.0 5.8 46:0..8 7E5/.0 2.7.2 4 08946:0/4.8.70/:749.42/..02 F 6:0 .3907 :2 3J.0 .0390 .039080.:2039.39.8 6:.8 ... 08808 5747.8. 3./.:8948 3.:8944J89.7.903/02.0 /0 . /0 03970.42 4:9748 .8/0.4. 6:0 .H 57017..H 907E 802570 .H.7.8 -. 5.8E 89:. .8 . 2J3248 .4. 2./48 34 9025470/:.2./. 02 .425099..  ":08908 .0-07 48 574/:948 34 2420394 .  .4342..-84:948  .:894 /48 97.7.4/080..008547802.4.8.0/0 807.8.477/48 34 574.4949.425.38547908  !. 430 /4 207. 8:.43806:039020390  4 . 14730.4.2. .201./4  9.7.  0394 .4 02 .4  548 08808 9548/003970. 4 2H8 39074  2.0/47.025708.0390 50/0 03970./084J89.024-907:206:J-740397043J.

903/07 .  $.4/../...03/4  507/0 48 5.70/04J89.:894 949.390 . 025708.30:97.  882  F -42 02-7.03904:5.8 84-70 08946:08 02 .7.7...34807. .2039.J/048 H :2.4.2-F2 84 4508 54J9.08946:0 0850. 4-9034/0:2.8 0897.403970/0.6: 48 97H8 38 /8543J. .08 4390995..8 /0 08946:0 . /0 .4 5.8389..8 /0 08946:0 9.J/04 /4 $# 84-70 48 08946:08  E /00 .J1. 30890 3907088.39. 2.  97.86:0 9.5703/07248 2.8 84 08803.  ..9F.882 34 1..8 5.7 6:0 .08/.3907..425099.38547908008946:08F1:3/..8 /. ../.425099.4J89.43.  84- 503.43.7:2 /10703..7. .7.7.  !4J9. 0880 8  .477H3.0390 8  20824 6:0 884 00.. ./.425700384/. 4.4.02.-.80884-70.5.0 902547.20390 4 .../06:.477H3.7.3907 70.

.

42 -7.0 . 80-7.

./4.:8942.

9.0. 80-7.

47039.4 025708....7.

8  !./0 /0 0397./.438:2/4713.. 34 08946:0 F 2././. .J/.0-/.20390 /1070390 /./02.4.04. 408946:0 2.780507:39.907.04./.8 84 70.7.47 /4 6:0 .H/0..07 :2./. /0 2.42 6:0 84 .. /E:./4708 /4 1:4 /0 30O./0.424 :2 70.475. ./.7E././0/08.025708. .J/.43. $0 . .438:2/. /0 8:57203948 .04.04./.H 2047 03903/07  . /0 2.  8 08946:08 9H2 .424 70:.3903:2.04.702 .04. 34 08946:0 F 20347 /4 6:0 ../0 .3/4../0/085. . ././0 3. 408946:0/23:  $0.7./0 /0 0397./. . .4397E74  80 .42 :2./. 408946:0.248 1.04./.4.3.8147:.49425479... ./.8 F :8:.9.:784 574/:9.04.304.0089./0 /0 8. 40  4 08946:0 F ./..04.:2039. :. . .  4 ..894 .4.907.7.48 84:.424077:2./0 .390  4380:7 .408 0894/4808946:08 '4./0/00397./0 /0 0397. /.39F2 80./.4 6:0  34 13..4389.8 207.907. 1:34 /0 1:3.42 6:0 ./47.48  548 . .

7.8  84 94/48 48 9038 :9.8. 34 0894 .7.9. 025708.-.907.4 02 574/:948 . /0 2.43899:02 5. 1E-7.0884 574/:9.7.  !74/:948 6:0 0397.2 34 574..439E- 23:./48 348 574.47.0 /48 .0-02 :2 97.0.  008 70../48  .881.7. .8 W8946:08 /0 2.20394 .7.9047..7.484  !.5..:942O.14841.:9:7.439E-08  008 84 .4  2.4:74 5.9F7./:-45.3/08.8 F 4 7.08848 /0 97. 010948 .8 572..08  .9.48 /...948 .J/. 8. .381472./4802./48    530:8 5.3/.  W8946:08 /0 574/:948 02 574.7.14/.8 .0884  84 48 574/:948 6:0 0894 34 204 /.:893920  $$@  $$% "&$ 424 48 08946:08 .3/0 4-09.438/07E.40/08..3.-..

9F 6:0 80. 2.43.-7 5.39/485.30.:8948  :8948574547.74 3974/:44J89.  0: 8:74 6:0 .8572..7..88:394 84-70 .7709./0..4397.  08946:08E2406:. /0 08946:08  ..4:97.9F7. .H 70/70.8 0 06:5.3907 08946:08 ./..:2/08908.-. 4 3.3942.3/.8 /O./0 1. 4 ../.438:2/47  W8946:08 02 973894  2.078.  5741:3/...4808946:08 $448.39/.  %% !74.4 W!749007 80.4 . 3./00894. 5E3.203948 5..0790..8 5743948 5./48  84 48 574/:948 13.23.7 09.881.8.7.7.2 /085.0390 W.:8948 8 025708.6:.47 4 32074 /0 50884.3.4   08946:0 /0 80:7.424.3..5741.:20394/408946:02F/4 !4700254 W":.039E748842.4 .5749007 80.20390.4383.748..$.20390574547.E.3942..7.432.4203/.2 /3074  548 2.2480.4808946:08 W:89483.  54394 /0 03.:8948/02..43.574/:4 W!749007 80.394 2.02.2 #08:23/4 808946:083.907.8 W:8948/709....E70.4.430. W903/0757439.8/008. 09:7. '.47 4 08946:0  2. 2.0/47 .:48 84-70 74 /0 08946:0  .4808946:08 W:89483/0503/03908/.  .03//48   2.:704.47408946:0 2.8 0 70./02.4/04257.39/. 5.3.390708946:080297H87.3..9047.2039447.20390574547.430 8:.::0  W":. 8946:08 .  0 0. -7.4-079:7.59. /.7   :8948/488946:0804490.31.47. :3/... 03970.8.8 6:0 84 /4 14730....8  !4/0248.70.W8946:08 /0 574/:948 .03490254/003970.3:80.474.4393H3.3/08..:89.47408946:0 2.  W8946:08 02 .7..7 0394 .4203/.088E7..8.4.089/4  W":.474.3/4 4 .:89486:0.0  W!.4397.708.8/.7.4342.4397.43. . 0894 /0 08946:08 0 80:8 ./48 /0 :2.7. .83.8 6:0 147.907.7408946:0  .4397.03. W!74904.881.:203948/057048 2.

03..2.8 8:-. #  :3/.9047..:8948 84 9.4-079:7..20394 ..03..3942...72.248 6:0 .47408946:0 2./480:74  %4/48 08808 .4:./48 /0 ../4547  43/0 842.:894 /0 ..43.4898  A .:894870.03.02F/.. F 4 .   /4 90724 02 3H8 .02 :894/4./0:748 !57040.8  4-8408.2-F2 .84 /08908 .770./48.F/.4  ./0.59.:894/01.9O74/094/4848.72.773 .172.:894/0.02 2.20394    80 .-7. /.:8948 /0 . W:8948/0.H3.W":..770.8 W:8948/0..47.59. 80:748   3/0 .72./4547  ! 3/0 9.42:2 .:8948 02 /:.3:804 507/.4257.

390:22H8.:3/././00894.#  4:#  :3/.2H8 F 4 20824 6:0 /07 6:0 :2./:7./0.:89..

80208970 4:#  :3/./0.

8 32074/050//48 .:20394 /4 08946:02F/4  ":.42502 4 .20390574547.4257.08848 /0 . 882 5.1. 09.:89483.-7.4257. ./4 3. .4708 8074 48 .8 0307.34   &$% $'#$%!# ! # $ $$% "&$ $4 48.:894 /0 4-9034 3.7 4:805705.4310.:89486:0/23:02 ..7.7.3942. 02884 0 574. :9..4 /4 50//4 5.47703908 /48 574.8 .20394 /4 50//4  2.4 203470880744808946:082F/4802.7.:02 24 /0 4-7.8 6:0 .04508 8048 09.50  03.008 .088.078.8 4: /0 5705.424.:8948 /0.907.43.:89483/70948 90014302.4  8 /08508.

:894/04-9034 53 5 32074/050//48 3 9.2-F2.2..5./4547  0254 80 /8807248 6:0 5 F #  .2-F254/0807/./4/0.:894/450//44:9.

/.../0 0894..39/.:8948 3/0503/03908 84 .47 14  3/0503/0390 /.2-F284./48/0 . 50//4 /0 4-9034.:89.022F/.. 3/0503/0/.39/.20390F :2 .2.  A 20//4 547 #..#   &$% $!%$ 8 . %.424 54700254 4. 4:80./.50//4 831.025708./00894.39/4 50.54  007./. 6:0 . 6:.:8948148 .:894/4.6:.::0/0:2..6:008 6:0 3/0503/02 /4 08946:0 2F/4 2.

/0/0802.:894 ..94708 /0 .248.8.47703908/.8 /0.3/. 6:0 ../4547   :894%49.:. 025708.. .3:./08  .9F .390708946:08 %   '.7 4 .F/0 :3/.3:9034 /48 08946:08 /0 :2.3:.6:  907024848 .30. /0 2.088/.:8948 949.3./48.:200254 090723.4207.2H8 0 F 705708039.7248 48 97H8 1. $0 842.:894 949./02.:2574/:94 .

.4770390 34 207. 574/:94 F . 9.34 48.. /0 :748 ./4/0.3:.4257.:8948.4.0284/0#  ./4 547 #   ./0  :2.03. :3/.72.8/0.

.7.:8948148.3:.    5# .08909023408946:0840892./00894.4257./4802#  8 .4908/0./08  $4:4   !    .02 5.:04:894%49..7./0 048./0   0  :3/.85.:3/.:8948/04-903484/0# 54750//4 .

  # #  :3/.50//4    ./08.  .

34  ..

/0 .:3/.   .  .

/0  .:3/.

.4257.0 .34  424 807E ../4 2.84:4 . .F257.907.8 025./.72. /0890 2.4 /0   :3/.. /0503/07 /0 907248 .7248 :2./0 /0 . .907.4257.432.4/04257.432. 80. 1094  7.34  4900.794/4/. $:543.4257.70248 ..9.5. /0.890.03.8 9720897.82038.248 6:0 4 .0.4257.4/0.8 F.E. 3.20394 /0 /090723.0390 394 4 4:4900.4257.203948:1.84:8020897.0 80 ./08 .. .8$0.7.-.

 /0503/02 /0 7.424 . 24/04/4 34039. .39..394 0..4397.:8948 .424 /0 4-8408.248.307.94  1O72:.H3. 232.547  3/0 5:894/04-9034 /02.7 4 .0880. 4.:894 949.03.4     0.5.. 6:./. .8..:38 .770.     ! .:5.3/.39.:94708    24/04 57088:50 /02.7.4 00907./4F/./0 /0.390 /:7.4257.3/.7J9. 84 39.:8948  .08 /0 2038:7..08 0   ./.850.74/400254  5  .4389.39/.:.7  '..7248 :2.:9J.07948 .72.:2.20394  . 03.E748.20394 /0 .3J.08 /1J. .  /0 2.::0 /0 E70.7402:27E1.9048 /8...390 4 507J4/4 02 089:/4  4 6:0 F :9O5./0:748 !5704/0. /0 705484 $0147248705708039.02 9.:894/0.8/0..

 # #      ./0  .  .:3/.

50//4  .

/0 .   .:3/.  .

8 .390 5.03. 5.7908 3907. 2../48 574094/070/0 .70.72.8  036:.9.89./454/007.4  806:03.03. 24.4384/.8 .43.394 48 70.72.907.03.E7..907.831472.48 0850.  03974 /4 /05O894  84 00./08  $.72./0..03.72.38547908 0 02 ./.808 /0 08.7../.4../48 574/:948  :2.2547./.848  2439.7 4 08946:0 /.3:8043.89.038 84 5.9O7.6:3E74  573.7.5.39074708203./084J89. 4./08 /4850//48 E :2..4390.7488/4..2039.701.9.43.7../086:0.-.:7848 .7././..2039.08 97./48 805.3:804 48 574/:948 /0.-.0202:2. 454 3907088.4./08 25479.3908 /. 3907.2039.3908 /0 2.8002-./48 /0 24/4 .4/0.34/85H3/4.7:2 4.7. 0897.4.8/46:0.03.9.7. 34 94 25479.8 . 34 3 ..7:2/05O894/0. 025708./48  .8.9F.3/4 70.38./08:5720394.038 2-47.20394 /48 2./4708 4J89.5.02  2.72.790831.H/.20390  E 4507.7..02 2.2 .0-/48  24.2039.:7848 .72.02 807 70. 0894 ./06:.4 2.8  H :2.422.02 /0 574/:948  9:.0203.4 /./.7.8/0574/:948  $. ..85. 42.72.7:5.47.03.8 .42 088. /0 1077.3:804/02..4 6:..02.:9.20394 8004/050//48 .088/.8 9. 574./48 02 .:254:.2.7.83903/.F26:0 90723.6:5.8 6:0 34 /080.03.4/.97.7.907.7.38547908008946:08 .394 48 574/:948 .02 0 24.4.7:2...3890 97.3:804 0 02-.:38 .38954398 0008808/0./4 /0 2.7.8/0 .8 5.7 80:8 70.3 2070397.503../48  805.981.7 2./.903/07 8 30.E7.8 .43.9.8800.9.72.8/8543-0 8/08 84-70 /0. .20390  6:.. 80:7995.307.3908 /4 54394 /0 ..090 03974 /4 /05O894  E . .3/.8  $00. 025708.

.

 8/08.70 309.

0/4..0.

..2039.3854790/.:-. 5.9.77. 01. .8. 02995.497./08 2.....3.9.. .39048574. .7 .-. 547 204 /..7.7 .4 /0 2.  :39...7. /0 1.8 0 .3/4 :2 5.8 4 2..0 /0 .4  .8  . :39.2039.7.0/20394 1.4  4: 80.0./..7.424 .H3.8.02 02 .4 20824 90254  807.7 4 2./08 506:03.E7.05.6: .4708 .4 F2/884  1./.8 2034708 02 :3/.2039..08848/024..09.8  0  .907.1.7.. F .3:804   880 574.3/08 /203808  02 .3:804 /0 . .24.490 /0 7.9.8 4507..4:20 0 9430.424 1472.:.8  $.574900748574/:948/:7. 2.02 /0 :2.8 :3/.08 /0 24.

.

489. .-7 -4 9077..42 -7.

 .

.

.

7. 5.09.:4... ./...

444/.8  ./0. 7. 0 .5/0 /4 1:4 /0 574/:948..08 4J89.4J89.3/4 0109. ..8 0 02-.02  4 2.72..907.20390 3907.3:804 /0 2.  ..:2039. 882  6:.. ./48 8 4507..038 8251..03.

 88902.0/4708 /0 2.8430.907.4 /0 2..907.8 995.-.8 0850. 002548 /0 14730..$.2039. 2.8 :./48 02 24.

.

:.88902. .8 .42 -7.

88902..8.:.

8 .8 802.-47.8708:9.884 6:0 4:9748 .5.3.08 88902E9.84 9J5. .424 0020394 /.424 45308 /0 0850. 0. 89:..3.2 80 3907.2 .020390 ..4384/.3.7./4 88.0..03908  &2..0397..203940850. F  547 00254  . 80 .. /08.9.30.89F.:894 0 90254  $4 /0..3.03974 /0 /897-:4  8 5740 08 /0 .:94708 /089.8 5...80../.8 089E.03/.8  !4/02 807 705708039.4 5.  !70./708.8 84 2.57457.9.39008:.4  0  5479.....447 /03.88.8/07070884  :8.2/09.2 80 1479020390 3. /708 5.2 /.7.034.08903908.8 705708039././4889O7.E748 507J4/48 54/02 807 .84 /0 03970.42 -7  8570.7 4 5.20390.8 903/H3.4 03970 :2 0.847039.394  088.947088..424 0020394 /4 5. 6:.7.9.7.7.8 5.8 02 :3/.6:0485.570288.  &200254F4:84/0/.J...9J89.7.7.47     4: .3. 34.:7848 4J89. 5.4 4J89.8..8-.4./708 89O7. F 7.808 6:.3/.:8.4708 24309E748054/028070. 97.7   .9.8 02 8F708 902547.7.8570.48 /0 .8 0897.80   9.08 0 903/H3.45.8 ..808 /0 :2.039425479..80.././.3.4393:02 34 1:9:74  07.430./48/00397./48 89O7.802907248 /0 .08 .8 /0 :2 574/:94  .8 570.8028F708902547.8028F708 902547.8573./0/0:.9F.390 5086:8././4 4: 34  %F.7.48 40784 0 488     ./48 48 .08070547..:794 57.424-.89F./4 084-...-47. 0890 954 /0 5./0 /0 /. . 9.3908/01..7 . 47:3/48/006:508/0.5. 570./.4 /0 88902./08 4: 02 .8.80.231472.89.3./708/0/02.9.7. 5./:.2 4 5..3.  08203. /0 4J89.8  /0391.8%F. /. /0 . 20390 02 5..8 -.8 547902 547 .438/07.020390 8074 574/:/.80../.8 0 /./.:8.8 5.8 9F..8  5.9.20394 0 . 808 84 574008 /0 .4J89.88./08 6:0 574 . 570.2 . /08F708902547.20394  4 .8 $0:3/4 40784 0 488    5   E 97H8 9548 /0 9F.3.8 84 2F94/48 089. 4J89.08 02 6:0 E 506:03./4 . .30.07 4 1:9:74  &2.8 /0 570....3.86:...8 0 050//. . /0391.48 0 .9.80.8 89F.8   5.8  .. :2 .:8./.4254303908 3/.03//.7 ..8.80.03/..8 /0 570.8  %F.08 05.8 -.480026:0/0.43...797 /0 /090723./48 0850.439:/4  34 84 48 2.8.  02 1:34 /4 434 90254 6:0 ./.. %.802$F708%02547..3.08 /08808 5.4:     0 6:../. E70..8 /0 08946:08 .3. .8:8./.6:071472. 704 4: /0 :2 34.9.8-.808 :38 ./..8 84 0.7.48 /0 70.:8.3E800/070./. 570288.8.9.4 574/:94  8 2F94/48 6:.3.50/.7570. 4J89..2 .89F.574/:948 55  0 8203.43.424 70..07.. .8 .3.424.9.48  .203940703.8083.808 89F....07 :2. 570.390/8503/48.02  !70.9.89.70..4 /088. 54/0 ..57457.88:2026:0 41:9:74F82.8 4: 2038.9.84  . /8543-/.7../48 5.8 20/..30.39/..8 5.08  $4 :8.03 904:547 7:548/09038 0 /0 .9. 138 /0 .9.8028F70890254 7. 70...8 5.8-.3F8 0 70:308 5.25.9.8  %F..8 .5708039./.907.8 6:. 9F.84 6:.20390  9..4380384  8 8008 80:3908 .8 ":.H03903/0745.8 4: 3/0503/03908 5..47709..7E.48   903/H3.88 9F.-847.3...8 /0 31472.4708 4: 6:.8 570..7. 0507H3.9O748  %548/0%F.20394 /.808 .80.80 5.4.9.80.48 6:0 :8.

808570.7  903/4 ./74/.83407.47708543/02 507109./...1F/:7.394 .4 03970/:.390.570.8.8 .20390 424.3.7E....H.9:7..20390  0890 00254  ./.7009054/02807/090723.. 90243420 /0707088482508   :84 /02.7.:J/4 347 2./02.9..0 705708039..8 . /...8902547.4 7  3.8.70.9.8   ..80.2570.03/.8 .3/.8 6:.-0. /0391...9:7.8 570.3/454/0807/0391. 203486:0485..07 089.80.39/.9:7.8 4: 2.4 54/0 807 :8.:J4/.9...84  4 039.08   .  034708 902507.27./.390 :2./...0 3/0503/0390  F 24897.-0.9:7.84/0:2574/:94F-.7E.08 088. 9.:20394 /0/4.....3/4 . /0 1:90-4  547 002 54  4.088/.7 /0  .8  !479. 05.2831.. 547 7070884 30.394  /0.:203948 /0 .20390 02 1:34 /.. 01.038  . 9:7. . $0. . 3:2..47/0754/0 .8028F708 902547.80.203944:.8 9. 089E44.7570.:94708 40784 0 488    ./48  0. :2.020390089E. 902507. 9F./.203905.08 /0 570.4770.7E.7.7...3/4 089...8-.438:24/0..7. %.438:24 /0 ./.:. J.8 84 3.8 4:97./.   06:.039.8    J../..830.401..47  3/./0.  .5.8:-89.48 /0 /02.8  8 .84 547 7070884 089 2.4 /0 902507.-.5.20390.804.907./.7. ...8  .039.-026:..9:7.  .431077   70..6:0 5.08 9074 3J.  .3. 03970 902507.2 .8 .20390 3.9:7.3/. .03/.1F 3:2 089E/4  /:7.424.8 /0 . 902507.7E.0 05.7.03//.20390  5. 0 2F/...89F.. .80 02 4:97.005.:/0.3.:8.08 /0503/03908 03/0503/03908 .8 .20390 45...9:7. . 31472.7.8/0:2..3..7.3/./.4  %F.  30890 .:8.9...1F  ..7E.424 .:/0.3.7../08/0..3.438/07./708/.. 34 12 /. .6:0.8 902507./.424 .4:54770708841:3.  803/4 6:0 4 .8 3. -4.570.7./08 .3/4. /02.43. 3.1F.9.3E80 /0 7070884  /013047./...0390 /0 ..  24897. :2.8.2 -F280.02 807 .4.808 089000254 .7 6:..4.08 .7E.47702 07..2:/.4J89.4 03970 /:..2 :2.3/4 54/0 807 /0391.08 3/0503/03908  8 .903/H3.-0. 574/:94 ./.884.42:383..43:39.7.394  088.47/0 4. .9.0-043420/07070884295.8 2:/.424 .8 /0 /.9.8 /0 . 902507..6:0 . 5..70.907.8  ":.4 /0 7070884       24897.84/4 90254 570.8 :9.1F J.45.438:24/0. 70.5708039.7.8 9F.42 -...84.2 5./708 89O7.0834842:94..434./.708.79/.390/4044802/:..84: 2.: 20394/0902507.399.-47/.438:24/0.8 89:.1F  ":.4 6:.7E. 0 .8 543/07.8 .

47. /0 .. 025708.3.0 5.20390 497./0 4: .981.70./4342420394034 4.7 088.43.797 /0 .080700.4..48 0 :.6:0408946:080.74 /0.. 0-. 34 902 4 6:0 .7..--490.. 09:7.4 /0 .20394 5..4/./0.7..7  882  5./.307.3/4 4 .3907.-.0794  5.4:73./08:57203948. 97.548.03/07 80 34 147 .0.430./4/02.38107H3./0. /. . ..--490.47  &2. .4J89..4: 0703.-77.5..  5741:3/.:../480:5O4 !74./9.7.307.4J89.:70504.8 0H3.7. /0 574570/.20394/.H /0.  .8 8..7 .:9.8 /0 57..947.438890390  8 0H3..08905.903/07  /0 2.. #08:23/4 .

 0/ !4794 070 442...025708.30. 4 .9F.5J9:4  897.4J89.7.20394 /.3     5  0 0. 4J89. 0 5.

/0./08:57203948 /.348 0850.    $%%# 47.7248./.08  .1472.1:7.025708.390349.  F 25479..8 84 ././.4257.5E .4J89.03908  0 84-70 008  1:02 50. 4J89./0 /0 574/:948 .47.42509H3.8 .08 3907 70./4 6:0 708:9.8 570.4240./.3.89.8 0 1:4/031472.0884 197.38107H3.8 /0 .4257003/0: 6:./48 ./.6:0.3.5.80:8..8 02 5.54/0 807:897.03908 0 14730.  547 12  3.9.8 1:4 /0 2.8 F3./08 573..48 /0 .70. 025708.../../4:21:4/0-038/0.54/0807..03/.J1....48 .424..9.8 /. 97.54/08073907. /0 574570/.0884 902 /:.08 70.4  4J89.03908  882  4 574.8 0 /0 574 /:4  4 2420394 /4 8:5720394/0574/:94802..-.8 .0/4708  8 31472.3.4..43..H E ./..:./.808050//48 831472./0..0-/..907.-./08/0. 6:0 . /0. 907.3907.

.7... 995.424 :2.54/007. 89:/4/0.84 /. !.3. 4J89. 3907.704  24897.02.425099..430..39.84 !#  5741:3/0 4 . 4 ./.20394 0.3/4 .

.

 0852 -7.

..408.!:-.

808.0397.0.

4.:20398.

8 4: .8 0703.089H23J.4254303908 547 :2 14730.47 3.907.0/47 0 90723..80574/:948.24.203944507.-.2 34 1:4 /0 574/:4.3.!.-7.4J89.797/.3./44:574. 02 6:0 ..050/43.5.30..40../48 84507.-7.2039..03./0 2..907./4574/:94 34 8:5720394  48 2.4257..907.0390 882 ..907.42.2 .43./.704  5 :4/0...4...3/4 :2 574/:94 1.4..72. 20//.088.02 /02.2 6:.3./4F03970:0.8 .

8 0 /0 574/:948 .8  5442.9:7.0.3:1.2-F2F./897-:4 . 80340703.43.424. .5444J89../.8 /05O8948 0 4.3:1..-. 3.704 88./7043./47..907.42.34 208970 /0 574/:4  0 574.-7. .8 1.0-.0/4708  5.8 .02:2.0884  !07..8  /0 50.4J89.5.4 .544 4J89.9F .0397. 47..3. F 5. /8543-/.4  2.08 /4 6:0 3.2 6:0 4 .7.8/0.8 1E-7./.2039.0-.430. /0 2.9:7.8  ....4  /897-:4 1J8.. E70.   . F 20348 57450384 .3.544  2././0..0390  !07..79.0884   20//..5.7 /./0.907./483./08:5720394  $:5720394  8:5720394 . 9..0390830890924  .0790.9:7.4257.3:1. . 02 6:0 0890 1: 03970 .4 /4 !! 5. /897-:4 1J8.E70.20394/008946:002 574.4254303908008946:0802574...4 /0 0397.907.. 2.4 /.808 /0 1. 24.7 .8/4850//48/48. 0 ./48 /48 14730.9:7.2 6:0 4 1:4 /0 2.8 4: 2439.7./0 4J89.3:1./03./0 02 90254 E- /0 2.4   573. /1070 /4 . 1472:.7 .-7. .9:7. 7085438.4257.3:1.544 4J89..-/.30 . /0.

7089. 2047. 2.  882  00 10 :2.8 . .5.9.8 0 .2   %0730 /4 8.70880. /8543-/.208   234 93.438:9.8.-7.203906:00397.477/48 3.9F.8 A504574.9. /0 :2.8 84 3.08 %:/40247/02.  %4/. 3..8 .42470./03/.790.454/080702.  570.9:.. :3/.344.7 .:7.544574/:4048:572039400.390 /4.20390 00 6:0 48 2F/./. ..-... 2.248070880.4 /0 234 .0790-7..48107. :2 83.0790-7../48  088.8 54708 /403.9. . 482F/.7 3.5.394 .4:3..7093/0..708 949.4:3. 07.3..394 1. 2:3.08. 574..48 84. . . 30:74O.8.3905072884/. 5:/407840488   5   2-47.8 ../0 /0 30:744.../08 6:0 .00973.:897..:942. /4 5.42 70/08 84189. 4.4  .0390 07./08./4 20/.4. 48 5.0884/0/897-:41J8. $4 94/.30.43.7/0247..72.447/03.489:2.7. /1J.7..7093 6:0 14730.8 /0 . 5:34 /. 9F20824.48 .3. 5072.8 4: 0.   .3. /. .03908   /8543-/.4.9. 4081474/08503//450488902.0 6:0 .... . .30. 700897:9:7.. /4 4:2-.20394 0 4 ../0/4574/:94F5.7093  :4/031472.6:0 49025404085.89. . 4J89.48 ..73.425099.203948 5.:902497..  !.4/02.03 908 .4207.425:9.  802570 -.3 4859./.390/42.902 94/48 48 20/./0/0 08946:0 5...4/4807..4034. .0390 34 88902.3E548   8. /0 0 47  :./.6:!.0390 84    2.8  ..:.  3.  9F   /48 .2 48 1. 4 5488.5:34/.H3.439740 /.7 3. :2 574-02..8 2.84507.  48 2F/. /4 4859. /0 /403.20390 6:.438:947.25.08 !479.4-77 80 .7.8 9.7 .8 -..4859.9.7 20348 0.0702. 31472.7.2J/./897-:41J8.  07./.482F9.87085438.7..2.3908  . 3.8 /0 2. .  ../497.307.84 00251.:5. $0231472.. .420907 20348 07748 0 84. !708-907.20394/031472.90. 20/..4570.:%0730 482F/.7.20390345488:0208946:08 00254 . 4-807. /0 31472.7903907..208  882  48 .:8948 547 5.0390 7094734:    03/4 . .4 &#  $!%#  7  .48 .489H270..  .5. ..411 :8308800 5  :30 !:-.. /0 6:0 2.7/J..8 /. /.349.7.7/ .4 70..08/07493.42 48 7089748 /4 5.203948 0 97.4 1..8 02 ./47 84../0 /0 574/:948 .079.3.F7..208 /:5.9.390 4..E. /08.4 /48 4859.2 .7 :2./4708 54/0 .-.0390 4 974:07 0207H3..425:9.H3.  4390 # 43 %090..03.9. .72.8457E9.897-:41J8. .0390809473. 301.307.2 /8543-/.48  !..43/4 .3..4 /4 5. 57O2. .8.:8948 4859.7/0  4 5. /4 4859./47  42 894  4 88902.7 4 J6:/4 /0 8:.4 02 80: .:25778:.08 574-02..6:008390720/E7486:03472./.:/.-/.8 802. .9.3.88:394 . 01.03.172.439:84 /0 80: 5.3445./89. .0790-7.4:3.79. 4 7  .. 4J89.8 /0 .8039/46:0.48  /0503/02 /.425:9..

/0.08 /.390747 ../08  2..-.4.8 30.08 4-9/.4J89.9.447/03.7.7843    5   & #43..3/4 30.42 4 0703./../. /0 4507./. 31472...834/0..7 5..   4.:.43..3854790 574.43.08 70.. 70.42504  0890 :2.. 3..8 /0 5...30./08/08:57203940 .20394/.8 31472.0H3.70050/7408946:05.08 /0.:4   % #  . 5.43.0-..454 /.3854790 0 050/40 13.8 F 14730..H8:2 085.2-0390   !.9.8:.43./0.20394 /0 .4 97.42... 3. 0 /.830....20394 /0 4507.79.43.413.4:97.7. /0 8:57203948 :2.41:3.20390  48:5720394   4-09.7.05.08 /0 /897-:4   4 0703./:4 6:50 /4 03974/0 89:/48 02 4J89.  #0107H3.43.  !07850.42 4 5./. 4J89.7..  .20394 0 .088.8.4/.6:5.30/48 9548573.25489.8 .4 .....43.9:7...-.0-07 574./.03.7.48   .8 29.088/.-.088E7485.-.8 0 02-./48 23:.9.3/4.08 $4 !. 00. 5./03488.438/07. 0.08 0/897-:4 1J8.... 0 8:5720394  8908 1:48 /0 5.9.20394 /0 50//48   4 574..7.20472.  6:02../.02   47039.8574008  8 1:48 4507.424:2./0 8 ..7. 1.7.20394 /03974 /.08 034-..48.2 97.1:3./.:4!0..89..:4 3907. . :2.7 4 /08025034 3907./4 0 6:.0807 50780:/.8 30..2   4 0703..03908 88081:48/031472./08 /0 .4848 30. ..807..-7.4J89.5./.5.8 4507.088/.8  8 1:48 /0 .84 6:0 ./ 0703.424807.348 6:0 0850..0.7.43./.80894.484 0 .44J89.1:7.30.9. 42 089./.7.8 389..1:3. 1:3. 424408.0397.401:484507.4 14730.00./08 /0 1. 5. 6:0 5488.02570:J4/./48 ..4/..248.4 2. .447/03. 0703.:4 $!9.497..0.8  #$    488     4J89. F 09702./4   .088E74  /0.43.4J89.7.08 5.7..9.8 ./4  4 08946:0 548.02 31472.3:804 /0 2.9:70./097..701.0 /.7. 025708./08 0850.307./08/.4949.30.7.9:7.907.&3/..3:1.F25479..-00.08 4507.4 807.3907.8  4 97.4 9.9./.48 0897.0884 /03907.8    &#  !   :070/4     ./0.802./.20390 23:.7..47 /./. 4J89.-07940.  .447/03.088.8 31472.30  !  4J89.45..02 807 70. 25708. 507850.3/4.109./08:57203948.8 $4!.9.:2 089:/4 /0 .544 2.390 2. 00/8543J../0 $:5720394  %7.8 /01:481:48/0.72. 903/H3.8 ./0. 4J89..0 807 089.7.43.:74089:/4/. 9H2:2.J1./08 4507.20394 /0 08946:0   4 97./.43.088/.7.439.-7.3/4 4:./0  48 08946:08  . 25708.3/4 54:.03.. 3907.02  2./..  $4 !./   4J89.41472.02 5.4.43.4 97./.4.8 0894 70..7..4/07493...5488J.03...:9.7 . !74.8 0 . 7./...47/4.:9.9F.9028/400../03.E70.07 48 /.425.447/03.43. 3.20394 /0 50//48   .16:02 48   4-09.  404 !!/0/23897.43.  E50384:.

025708.4J89.7. 0/  !4794070442..3   5  .

.$:55.4J89.70.9./4.7.01O7:2/0 507..53.3 .9./0$:57203948 :942.07./8.3.90248./.5.47./4902.8    .3.4397-:0857E9.0884.20394/.025708...797/0.:38.73488.88:39486:08408803.:884../0.20394/03488.0804J89.248 ...4-42/0803.79/.8/4 6:0.88:.34 .:784/0/23897. 5745434:2..0948 0850746:080.4..43.4'80208970  .7.8 025708./8.   '.8. 0703.425700384 5.8/0890574.02039 4:80./08  42454394/05..

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->